Issuu on Google+

O  Sapo  no  Inverno  

HISTÓRIA  RECONTADA  E    ILUSTRADA  PELAS  CRIANÇAS  DA  SALA  AZUL     Jardim  de  Infância   Monte  Espinho   Educadora:  Gabriela  Cavadas   Janeiro de 2012


Baseado  na  história  “O  Sapo  no  Inverno”  

Autor:  Velthuijs,  Max   Ilustrador:  Velthuijs,  Max   Tradução:  José  Oliveira   Editora:  Caminho     Local:  Lisboa   Data  de  edição:  2009   ISBN:  978-­‐972-­‐21-­‐2043-­‐2   Coleção:  Livros  do  Arco-­‐Íris    


Uma  manhã  o  sapo  acordou,  foi  à  janela  e  ficou   admirado  porque  estava  tudo  branco.  


Correu  lá  para  fora  e  caiu  no  rio  que  estava  gelado.   Ficou  triste  porque  não  _nha  água  para  se  lavar.  


Sentou-­‐se  junto  ao  rio  a  tremer  de  frio.  


Apareceu  a  pata  que  andava  toda  contente  a   pa_nar  e  convenceu-­‐o  a  experimentar.   A  pata  deu-­‐lhe  os  pa_ns  e  o  cachecol.   Empurrou-­‐o  mas,  o  sapo  caiu  logo.  Não  gostou   da  experiência  pois  con_nuava  com  muito  frio.   A  pata  deu-­‐lhe  o  cachecol,  não  precisava  dele   porque  _nha  penas.  


Depois  apareceu  o  porco  com  um  cesto  de  lenha   às  costas.   O  porco  disse-­‐lhe  que  gostava  muito  do  inverno.   O  sapo  respondeu  que  não  _nha  uma  camada  de   gordura  como  ele.  


Mais  tarde  encontrou  a  lebre  que  andava  a  fazer   exercício.  Convidou  o  sapo  mas,  ele  não  quis   porque  con_nuava  com  frio  e  a  lebre  _nha  pêlo   quen_nho.   Então  foi  para  casa  muito  triste!  


No  dia  seguinte  foi  convidado  para  uma  batalha   de  bolas  de  neve.  Mas  o  sapo  não  achou  graça   porque  con_nuava  com  muito  frio!  


Foi  para  casa  e  sentou-­‐se  ao  pé  da  salamandra   todo  o  dia.   Gastou  a  lenha  toda  e  foi  lá  fora  apanhar  mais,   mas  não  conseguiu  encontrar  nada!  


Andou  muito  até  que  se  perdeu.  


Estava  tudo  branco  e  deitou-­‐se  na  neve.  


Os  amigos  encontraram-­‐no  e  levaram-­‐no  para   casa.  


Meteram-­‐no  na  cama.   A  lebre  foi  apanhar  lenha,  o  porco  fez  uma  sopa   e  a  pata  fez-­‐lhe  companhia.  


À  noite  ouviram  a  lebre  a  contar  histórias.   O  porco  fez  uma  camisola  de  lã  de  duas  cores   para  o  sapo.  


Quando  o  sapo  ficou  melhor  foi  lá  fora  ver  a  neve   mas  com  a  camisola  quen_nha  ves_da.   Já  não  teve  tanto  frio  e  agradeceu  aos  amigos  a   sua  ajuda.  


Uma  manhã  quando  acordou,  o  sapo  viu  que   estava  qualquer  coisa  diferente.   Saltou  da  cama  e  correu  lá  para  fora.   Era  Primavera!   Saltou  de  alegria  e  os  amigos  ficaram  contentes   por  verem  o  sapo  tão  feliz.  

  


O Sapo no Inverno