Page 1

revista

Saúde InCasa ANO I | Nº 1 | JULHO DE 2013

SANTA CASA DE FORTALEZA INSTITUIÇÃO FILANTRÓPICA COM MAIS DE 150 ANOS DE HISTÓRIA, É O MAIOR PRESTADOR DE SERVIÇOS DO CEARÁ PARA O SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE - SUS

WILSON MEIRELES

PREVENÇÃO E TRATAMENTO DE CÂNCER

RELATO DE VOLUNTARIADO E DE FÉ

ENTREVISTA COM LUIZ MARQUES:

INSTITUIÇÕES FILANTRÓPICAS DÚVIDAS E DESAFIOS: FECHA OU NÃO FECHA?


revista

SaĂşde InCasa


EXPEDIENTE A Revista Saúde InCasa é uma publicação de caráter experimental produzida como trabalho de conclusão de curso das alunas Denise Araújo Sales e Jucicleia dos Anjos, concludentes do Curso de Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo da Faculdade Cearense (FaC), sob orientação do professor Michel Barros. EDIÇÃO DE TEXTOS: Denise Araújo Sales Jucicleia dos Anjos PROJETO GRÁFICO: Thiago C. Bezerra DIAGRAMAÇÃO: Thiago C. Bezerra Contato: (85) 8863.5393 Twitter: @thijoey Facebook: facebook.com/thiagojoey IMAGENS: Hiane Braun Denise Araújo Sales Jucicleia dos Anjos REVISÃO DE TEXTOS: Michel Barros TIRAGEM: 10 exemplares FALE CONOSCO: deniseasales49@gmail.com

EDITORIAL

DENISE ARAÚJO SALES

jornalista editora

Em um mundo dinâmico em que a maioria das pessoas não dedica um tempo específico para consultar especialistas ou procurar determinadas fontes de informação, um exemplar que traga dicas e que esclareça dúvidas sobre saúde, novos procedimentos, tratamentos e hospitais especializados, serve como um grande economizador de tempo. Com a proposta de colaborar com a necessidade de rapidez da sociedade e debater sobre os mais variados assuntos relacionados ao mesmo tema, tudo em um só exemplar, é o diferencial da revista Saúde InCasa. Para a primeira publicação escolhemos a Santa Casa de Fortaleza, instituição filantrópica com mais de 150 anos de história e o maior prestador de serviços do Ceará para o Sistema Único de SaúdeSUS. O hospital possui mais de seiscentos funcionários e desenvolve projetos nos setores de segurança do trabalho, atendimento, nutrição, além de ser referência em cirurgias de câncer e servir como hospitalescola para estudantes de medicina, o que

o tornou um ótimo ponto de partida para nossa revista. A matéria principal aborda um assunto que apesar de não ser médico, está diretamente ligado a ele, é bem discutido atualmente e, por vezes, é pautado novamente nos jornais e revistas: o uso dos recursos disponibilizados em relação às necessidades para a manutenção de um hospital que possui uma emergência funcionando ininterruptamente, ou seja, 24 horas e que recebe uma grande demanda de cirurgias das mais variadas. A grande dúvida é se a Santa Casa fecha ou não. As demais matérias são mais leves e de forma dinâmica mostram procedimentos realizados no hospital, com o objetivo de situar o leitores acerca dos serviços prestados pela Santa Casa de Fortaleza. Nas próximas edições, outras entidades serão escolhidas como fontes para novas matérias também sobre saúde, com intuito de informar o leitor sobre a maioria dos serviços ofertados dentro da capital.

FOTO CAPA: Hiane Braun

Revista Saúde InCasa

3


SUMÁRIO

SERVIÇO SOCIAL PROMOVE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS NO 4° SOCIALIZA-SE

5

SANTA CASA É INDICADA AO PRÊMIO MELHORES EMPRESAS PARA TRABALHAR

DOAÇÕES: UM SIMPLES GESTO QUE AJUDA A SALVAR VIDAS

MAIS DE SESSENTA MIL REFEIÇÕES POR MÊS SÃO FEITAS NA SANTA CASA

9

8

RELATO DE VOLUNTARIADO E DE FÉ

ENTREVISTA: DÚVIDAS E DESAFIOS: FECHA OU NÃO FECHA? IRMANDADE BENEFICENTE DA SANTA CASA DA MISERICÓRDIA DE FORTALEZA DICAS DE SAÚDE

4

Revista Saúde InCasa

17

15

PREVENÇÃO E TRATAMENTO DE CÂNCER

ARTIGO: URGÊNCIA/EMERGÊNCIA

6

18

12

16

10


Imagem: arquivo

Por Jucicleia dos Anjos

SERVIÇO SOCIAL PROMOVE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS NO 4° SOCIALIZA-SE

O

ferecer um dia de lazer e socialização para pacientes, acompanhantes e funcionários da Santa Casa. Foi esse o objetivo do 4° Socializa-se, realizado em 2013 com a participação de aproximadamente cem pessoas. O evento surgiu pela iniciativa das assistentes sociais, em 2010. A cada ano os acompanhantes estão mais inseridos nesse tipo de projeto. Neste ano, em sua 4ª edição, ofereceu serviços como: emissão de RG, massoterapia, tratamento de beleza, oficina de arte e ainda, palestra sobre Direito Previdenciário. A ação social aconteceu no Auditório Argos Vasconcelos e na

Sala de Treinamento, na própria instituição. “Uma ação social busca de melhorias na vida das pessoas. Qualquer iniciativa que traga a promoção das pessoas de uma comunidade ou gere o bem–estar coletivo, pode ser considerada social.”, explicou a coordenadora do Serviço Social, Ana Caroline Silva Nascimento. O Serviço Social atua como principal articulador na relação entre família, equipe multidisciplinar e instituição além de objetivar a informação e a socialização das regras institucionais para contribuir e garantir os direitos e deveres dos acompanhantes.

Revista Saúde InCasa

5


SANTA CASA É INDICADA AO PRÊMIO MELHORES EMPRESAS PARA TRABALHAR A PESQUISA É CONDUZIDA PELO GREAT PLACE TO WORK COM O OBJETIVO DE PREMIAR AS ORGANIZAÇÕES COM OS MELHORES AMBIENTES DE TRABALHO Por Denise Araújo Imagem: Denise Araújo

O

setor de Recursos Humanos, Departamento Pessoal e Serviço Especializado em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho (SESMT) da Santa Casa de Misericórdia de Fortaleza, é bom um exemplo de como integrar os colaboradores em busca de satisfação, liderado pela gerente Roberta Maciel. A pesquisa conduzida pelo Great Place to Work tem o objetivo de pesquisar, identificar e premiar as organizações com os melhores ambientes de trabalho. A mesma metodologia é aplicada em 49 países e a avaliação é feita pelos próprios funcionários das empresas participantes. “Para concorrer é importante não só que os pacientes estejam satisfeitos com o atendimento, mas também que os funcionários estejam desempenhando

6

Revista Saúde InCasa

suas funções de forma prazerosa, e esse foi um dos fatores primordiais para levar a Santa Casa a participar da premiação.”, explica a gerente. Como bom exemplo da tentativa de aproximação com o colaborador, Roberta Maciel explica que são desenvolvidos junto aos setores de RH e SESMT projetos que incitam o funcionário a “vestir a camisa.”, além de promover crescimento profissional e pessoal. “O bom relacionamento com colaboradores faz com que eles sintam-se acolhidos, respeitados e satisfeitos em fazer parte da instituição. Além disso, todos os eventos direcionados ao público interno são vistos como momentos de integração e aproximação dos funcionários com a gerência. Temos esses momentos para fazer com que eles se divirtam e relaxem fora do setor de trabalho.”, explica.


ENTENDA AS AÇÕES QUE CONTRIBUÍRAM PARA A INDICAÇÃO: INTEGRAÇÃO – É feita após a admissão do funcionário como forma de promover o conhecimento sobre a Irmandade e sobre os riscos inerentes a sua função. É dividida em três partes: 1. RH – Trata do relacionamento funcionário/empresa, além da parte jurídica que incluem direitos e deveres dentro da instituição, valores, missão, normas e benefícios. 2. SEGURANÇA DO TRABALHO (SESMT) – Informa sobre o uso de Equipamentos de Proteção Individual (EPI) e as normas regulamentadoras exigidas. É responsável por informar ao colaborador o risco que ele está se expondo nas atividades, os riscos e os cuidados. 3. CONTROLE DE INFECÇÕES (CCIH) – Informa sobre controle de infectologia e gerência de risco. OUVIR RH – São urnas colocadas em pontos estratégicos do ambiente de trabalho. Nelas, estão cartões para que sejam feitas críticas e/ou elogios, sem a necessidade de identificação pessoal. São posicionadas perto do Registro de Ponto, e próximo ao refeitório, onde há um maior fluxo de trabalhadores. PROJETO CEGONHA – Funciona através de palestras elucidativas sobre os cuidados durante a maternidade e com o bebê e a atenção voltada ao trabalho durante o período gestacional. Durante todo o ano são feitas ações inerentes ao tema. PROJETO CAPACITAÇÕES – Oferece treinamento para os colaboradores com o objetivo da capacitação e da educação contínua, sobre saúde, segurança do trabalho e medicina ocupacional. Os temas são trabalhados mensalmente. SIPAT – Semana Interna de Prevenção de Acidentes do Trabalho, que acontece uma vez por ano e é ministrada por profissionais do Serviço Especializado em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho (SESMT). COMEMORAÇÕES SOCIAIS - São realizadas com a finalidade de homenagear os funcionários, e demonstrar o interesse da instituição em aproximá-los. Entre as comemorações estão o Dia da Mulher, Dia das Mães, Dia das Crianças para filhos das funcionárias e a Confraternização de Natal.

COMO FAZER PARTE DA EQUIPE SANTA CASA DE MISERICÓRDIA? São feitos processos seletivos com a finalidade de adequar os perfis profissionais às vagas abertas. As oportunidades são anunciadas nos jornais e no site institucional (www.santacasace.org.br). A avaliação dos candidatos é feita através de triagem curricular e entrevista, de acordo com metodologia predeterminada pela Política de Recrutamento e Seleção.

Revista Saúde InCasa

7


DOAÇÕES: UM SIMPLES GESTO QUE AJUDA A SALVAR VIDAS Por Denise Araújo

S

egundo dados fornecidos pela Santa Casa, cerca de 97% do atendimento realizado pelo hospital é para pacientes do Sistema Único de Saúde - SUS, sendo com isso, dependente prioritariamente, da remuneração arrecadada pelos procedimentos realizados. A defasagem dessa tabela do SUS faz com que a Santa Casa precise de doações. Para isso, o setor tem parceiros que mensalmente contribuem e garantem uma parcela da alimentação ou a manutenção de materiais úteis. Um sonho para o setor de doações da Santa Casa é que o hospital não precise das contribuições para sobreviver, e sim, que conte com essa ajuda da população apenas para equipar seus setores em busca de modernização na área administrativa, cirúrgica e no atendimento. Para a captação de novos doadores, a Instituição contratou a empresa Meireles e Freitas, que possui um Call Center para solicitar nas residências uma colaboração mensal, determinada pelo doador, e debitada através da conta da Coelce. Há também quem faça doações individuais, por meio das contas no Banco do Brasil ou na Caixa Econômica Federal. Essas são pessoas que na maioria das vezes, mostram sua participação social ou se sentem favorecidas por poderem ajudar. Outra forma de fazer doações é através dos cupons fiscais acima de R$ 15, possíveis de encontrar as urnas para depósito em vários estabelecimentos da cidade. Ao todo são 92 urnas distribuídas em Fortaleza. O apurado é contabilizado e enviado à Secretária da Fazenda – SEFAZ, que reembolsa em 0,5% do valor total. “As pessoas querem ajudar, ainda que nem sempre saibam como. Para isso, fizemos alguns panfletos para informar o que precisamos, e disponibilizamos um setor responsável pelas doações, onde qualquer pessoa tem livre acesso para tirar dúvidas e colaborar.”, explicou a auxiliar administrativo do setor de doações, Angélica Silva. Todas as doações ajudam a manter o funcionamento da Santa Casa, por isso, aqueles que ajudam são também ajudados. Os que doam de coração, contribuem também para parte da história e da consolidação da Instituição.

8

Revista Saúde InCasa

Imagens: arquivo


Imagens: arquivo

MAIS DE SESSENTA MIL REFEIÇÕES POR MÊS SÃO FEITAS NA SANTA CASA DIETA BALANCEADA COM FOCO EM PACIENTES, ACOMPANHANTES E FUNCIONÁRIOS Por Jucicleia dos Anjos

A

alimentação, em qualquer ciclo da vida, é de suma importância para o ser humano. Pensando nisso, a Santa Casa de Fortaleza conta com duas nutricionistas que preparam de forma simples, nutritiva e balanceada a alimentação de pacientes, acompanhantes e funcionários. Para dar conta de tantas refeições, só no mês de maio foram 60.246, a organização tem que agir como parceira. Por exemplo, a alimentação do paciente é feita seis vezes ao dia e, por se tratarem de pacientes com dietas específicas, com alimentos que devem ser acrescentados, substituídos ou retirados, existem dez tipos de dietas. A base de chá e água, por exemplo, constitui-se

a dieta liquida cirúrgica, para pacientes em pós– operatório onde permanecem por, no máximo, 48 horas com esse tipo de alimentação. As refeições são feitas diariamente sob supervisão das nutricionistas. “Equilibrar a alimentação de acordo com a necessidade do paciente é uma forma de garantir a saúde, o bem- estar e a recuperação mais rápida.”, garantiu a nutricionista Liana Castro. Os acompanhantes também disponibilizam de cardápio variado, com salada, carboidratos e proteínas. Já a alimentação do funcionário é composta por 56 cardápios variados. As saladas diversificadas garantem a disposição para continuar o dia de trabalho.

Revista Saúde InCasa

9


RELATO D VOLUNTAR E DE FÉ Por Jucicleia dos Anjos

D

ona Francisca Tereza de Souza, 62 anos, aposentada, a dona Quinha como gosta de ser chamada, é voluntária há 34 anos, disse com entusiasmo como foi sua primeira ação: “Eu trabalhava em frente ao hospital da Santa Casa, jamais me esqueço desse dia, era uma quarta feira, tinha um homem debruçado no chão da calçada do hospital, chorando de dor, e eu estava sentada no banco da praça e me aproximei dele, percebi que ele estava sozinho, daí resolvei fazer algo, entrei com ele no pronto socorro do hospital, comecei a minha caminhada, continuo a vir uma vez na semana.”. Houve uma época que passei algum tempo sem trabalhar, com isso vinha três vezes por semana

10

Revista Saúde InCasa

ao hospital. Na ocasião, pensei que realizava uma grande obra de caridade, mas não, eram eles quem fazia uma grande obra para mim. Tem um caso em particular que mudou a minha vida: o homem era bastante carente, eu cheguei pra ele e disse: “o que posso fazer para ajudá-lo?” Ele questionou: “a senhora anda atrás de dinheiro? Eu não tenho. Respondi a ele: “não estou aqui pra querer dinheiro”. E ele retrucou: “que conversa é essa dona, sei que ninguém faz nada de graça pra ninguém. Já sei a senhora é empregada daqui né? Porque ninguém não trabalha e não faz nada de graça pra ninguém.”. Respondi: “não, eu não trabalho aqui, mas estou aqui para ajudá-lo, porque gosto de ajudar as


DE RIADO pessoas, me deixa cuidar de você, sou empregada sim, mas de Cristo. Ele disse: “não vem com essa não, porque essa história eu já conheço.”. Então olhei pra ele e disse: “pois faça o seguinte, deixa eu te ajudar.”. O que é que a senhora quer? Perguntou o homem, Daí olhei bem no fundo dos olhos dele e disse: “quero lhe dar amor”. Ele disse, descreste e incomodado, ainda com o tom de ironia: “ai é, pois deixa eu te dizer logo eu não tenho dinheiro, a senhora ainda quer me ajudar? Então me ajude, porque não tenho dinheiro nenhum, nem quem cuide mim.”. O homem, por fim, entendeu que o meu objetivo era ajudar a minimizar o sofrimento dos outros. Com isso me sentir grandiosa quanto pessoa. Entendi, claramente, o desabafo dele, pois vivemos em mundo tão desigual, onde às pessoas estão cada vez mais individualistas. Não posso deixar de relatar, que senti na pele como é ser paciente e não ter ninguém para ajudar. A história aconteceu cerca de 20 anos atrás, foi diagnosticado um câncer no colo do útero, os médicos falaram que eu teria que retirar meu órgão. Procurei alguém que pudesse ir comigo ao hospital, mas não encontrei. Vi-me nessa situação, comecei a chorar, nunca havia deixado ninguém sozinho, e pensei: “meu Deus, será que estou sozinha agora?”, E com a imagem do Santo Padroeiro dos enfermos São Camilo de Léllis, eu

Imagens: Denise Araújo e Hiane Braun

orava com aflição, sentindo-me abandonada. Fui ao centro cirúrgico para ser operada, chorando muito, porque me sentia esquecida. Indaguei: “logo eu, que nunca deixei um irmão que precisasse de amparado, me senti abandonada por todos naquele hospital.”. No dia seguinte, ao acorda, veio um médico, caminhando em minha direção, e disse assim: “alô minha querida, você não foi operada, nós não retiramos seu útero.”. Eu perguntei: “o senhor não retirou nada, porque doutor?” E ele disse: “a senhora não tem nada, esta tudo normal não tem mioma, nem câncer, está tudo normal.”. A emoção tomou conta de mim, é com muito prazer que relato a minha história, eu sou a prova viva da fé e do amor. Chorei de alegria, agradecendo por tudo que Deus me dera na minha vida, obrigada meu São Camilo. Eu não estava abandonada e nunca estive, tenho tudo documentado os laudos médicos, os exames, os diagnósticos clínicos que diagnosticava um caroço no útero, eu era portadora de câncer e fui curada. Emocionada falou: “Desde o acontecido até agora, eu faço o meu trabalho com mais amor, ainda, se antes eu gostava, hoje eu amo e gosto de falar sempre isso para as pessoas que façam a sua parte, que será compensado, quem doa amor receberá em dobro.”. Finalizou com a frase: “falar o que eu faço, é falar da vida, do amor e da cura.”.

Revista Saúde InCasa

11


ENTREVISTA

COM LUIZ MARQUES PROVEDOR DA SANTA CASA

Por Denise Araújo

12

Revista Saúde InCasa

Imagem: arquivo pessoal

INSTITUIÇÕES FILANTRÓPICAS DÚVIDAS E DESAFIOS: FECHA OU NÃO FECHA?


CONVERSAMOS COM O PROVEDOR DA SANTA CASA DE FORTALEZA, LUIZ GONZAGA NOGUEIRA MARQUES, PARA ENTENDERMOS O DESAFIO DE GERIR UMA INSTITUIÇÃO FILANTRÓPICA COM MAIS DE 150 ANOS DE HISTÓRIA E ESCLARECER SOBRE O FUTURO DO HOSPITAL: FECHA OU NÃO FECHA? A SANTA CASA É UM DOS MAIORES HOSPITAIS FILANTRÓPICOS DO ESTADO DO CEARÁ, E CONSTITUI-SE NO MAIOR PRESTADOR DE SERVIÇOS PARA O SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE (SUS). ATUALMENTE, UM DOS ASSUNTOS MAIS COMENTADOS É SUA SITUAÇÃO FINANCEIRA.

Saúde InCasa: Qual a função de um provedor? Luiz Marques: Para ser provedor é feita uma votação, de dois em dois anos, pelo Conselho Administrativo (mordomos), composto por 36 membros. O Provedor é o gerente geral não só da Santa Casa, mas da Irmandade, que tem a responsabilidade as três casas: Hospital Santa Casa da Misericórdia de Fortaleza, Hospital Psiquiátrico São Vicente de Paulo e Cemitério São João Batista. A mim, como provedor, cabe a tarefa de fazer as três casas funcionarem de modo harmônico, mantendo contatos externos e visando receber todos os recursos. Também tenho que reportar minhas atividades aos 36 mordomos que compõem o Conselho da Irmandade. SIC – Sabemos que o hospital tem uma forte dependência das receitas geradas a partir dos atendimentos realizados pelo SUS, e que isso representa, aproximadamente, 65% da receita. Como é essa relação? LM – A prefeitura é o gestor do SUS, ou seja, o recurso chega à prefeitura e depois é repassado aos prestadores, sendo a Santa Casa, o maior prestador de serviço para o SUS do Ceará. Temos uma tabela que remunera os pagamentos realizados, que está defasada. Hoje, o hospital tem mais capacidade de produzir do que o SUS tem de pagar, ou seja, se o SUS disponibilizasse mais recursos, a Santa Casa poderia ajudar mais a população necessitada. SIC – O hospital hoje possui um Plano Diretor. Como foi feito esse planejamento para que ele entrasse em vigor? LM - Quando eu assumi a Santa Casa, vi que as necessidades eram resolvidas de forma pontual, ou

seja, tudo que precisávamos era realizado em caráter de urgência, sem um planejamento específico para a execução das ações. Diante disso, como engenheiro, notei a necessidade de um Plano Diretor. Com a ajuda do renomado arquiteto, Neudson Braga, e sua equipe, elaboramos o Plano que, hoje, consiste em presidir todas as reformas da Instituição. Dentro do Plano existem prioridades e uma delas é a Casa de Saúde Eduardo Salgado, que funciona dentro da própria Santa Casa. No passado, ela era uma ala particular e atendia somente a elite da cidade de Fortaleza. Durante muitos anos ela conseguiu suprir as necessidades da Santa Casa, pois sua Unidade Hospitalar atendia de forma particular, enquanto o restante atendia pelo SUS. O que faltava da tabela do SUS era mantido com a receita da Casa de Saúde. Com o passar dos anos e com a degradação, ficou impossível o atendimento ao público. *A Santa Casa atendia os necessitados por filantropia e, em paralelo, a Casa de Saúde Eduardo Salgado atendia de forma particular. SIC - A reforma apontada pelo Plano Diretor como prioridade já está sendo projetada? LM - Com ajuda do Governo do Estado, o investimento através da Secretaria de Saúde do Estado, foi disponibilizado R$ 2 milhões para a reforma da Casa de Saúde Eduardo Salgado. A tabela do SUS cobre na ordem de 65% dos procedimentos e o restante é alcançado através de doações, que seriam ideais se fossem destinadas ao melhoramento em investimentos e reformas da Santa Casa. Hoje isso não está acontecendo e a renda está sendo consumida pelo custeio diário. Tanto os atendimentos da Santa Casa (95%) quanto o do Hospital Psiquiátrico São Vicente

Revista Saúde InCasa

13


Imagem: Hiane Braun

(100%) são destinados ao SUS. Anualmente, a arrecadação de uma feira de produtos doados pela Receita Federal tem sido de uma ajuda inestimável para a Santa Casa pois é um valor alto que, segundo as normas, não pode ser usado para manter as necessidades diárias, e devem ser investido , exclusivamente, em melhoramentos. SIC - Apesar das dificuldades, a Santa Casa está conseguindo modernizar ou assegurar que os exames sejam feitos? LM - Sim, a Santa Casa têm melhorado o seu atendimento. Como exemplo, podemos citar que há três anos não tínhamos mamógrafos, tomógrafos e aparelhos de colonoscopia, que já estão sendo utilizados no Hospital. Seguindo esses avanços, o Ministério da Saúde selecionou oitenta instituições no Brasil, dentre eles a Santa Casa, para receber um equipamento chamado Acelerador Linear, e além de financiar a instalação, também irá oferecer treinamento de um ano para os técnicos que vão operar o aparelho. Para se ter ideia do tamanho desse investimento, o equipamento custa cerca de R$ 6 milhões de reais. SIC - Como foi feita a seleção do Ministério da Saúde para aquisição do Acelerador Linear? LM - Fomos contemplados pois tivemos o maior número de cirurgias oncológicas, em 2011 - ano que foi tomado como parâmetro para o recebimento do aparelho. Superamos o Hos-

14

Revista Saúde InCasa

pital do Câncer do Ceará – ICC, referência no setor. SIC - Quais são os projetos para a Santa Casa a curto prazo? LM - A curto prazo, trabalhar nas instalações para receber o Acelerador Linear, a ampliação da Unidade de Terapia Intensiva – UTI, já que o hospital possui 345 leitos no total e apenas sete leitos de UTI, o que acaba dificultando as internações. SIC – Muito se especula sobre a possibilidade de a Santa Casa fechar as portas? Qual seu parecer, como provedor, sobre o assunto? LM - No passado a Santa Casa já passou por períodos muito difíceis. Foi anunciando o fechamento por diversas vezes, e por 150 anos, ela resistiu. Hoje, esperamos que ela continue de portas abertas para prestar todos os serviços a nossos irmãos mais necessitados, a camada da população que se vale da Santa Casa, pois é justamente para eles que são voltados nossos atendimentos. É nossa obrigação não deixar um irmão nosso voltar de nossa casa sem o devido atendimento. Acredito que a possibilidade de fechamento é remota, apesar de que, no período de transição da administração do município ter passado por um período dramático e que foi resolvido parcialmente. Alguns problemas ainda persistem, mas estamos lutando para a arrecadação desses recursos. A Santa Casa não vai fechar porque Deus é grande (sic).


IRMANDADE BENEFICENTE DA SANTA CASA DA MISERICÓRDIA DE FORTALEZA

A SUA DOAÇÃO ESTÁ AJUDANDO A SALVAR VIDAS!

ESPECIALIDADES

EXAMES

CLINICA MEDICA GINECOLOGIA MASTOLOGIA CIRURGIA VASCULAR UROLOGIA CIRURGIA GERAL ORTOPEDIA PROCTOLOGIA CIRURGIA CABEÇA E PESCOÇO CIRURGIA PLÁSTICA FONOAUDIOLOGIA ACUPUNTURA ONCOLOGIA ABDÔMEN ONCOLOGIA CLINICA FISIOTERAPIA MASSAGEM CORPORAL OFTALMOLOGIA DERMATOLOGIA BUCO MAXILO OTORRINO CARDIOLOGISTA

RAIO-X ULTRASSON AUDIOMETRIAS LARINGOSCOPIA TOMOGRAFIA COLONOSCOPIA EXAMES LABORATORIAIS BIOPSIA ECG ENDOSCOPIA O agendamento das consultas são realizados a partir do dia 25 de cada mês para o mês subsequente, pacientes que já tem prontuário podem agendar pelos telefones: 3455.9187 / 3455.9189. Pacientes de 1º vez somente nos guichês de marcação de consultas.

Rua: Barão do Rio Branco, 20 – Centro. Fortaleza – Ceará. | Fone: 34559100

Revista Saúde InCasa

15


Imagem: Hiane Braun

PREVENÇÃO E TRATAMENTO DE CÂNCER Por Denise Araújo

A

primeira clinica oncológica do estado do Ceará foi inaugurada em 1951, na Santa Casa de Fortaleza, com o nome de serviço de Câncer Fernando Pinto. Atualmente, o serviço é dividido por áreas de atuação dentro da cirurgia oncológica: cirurgia de cabeça e pescoço, cirurgia abdominal, ginecológica e mastologia, adequando-se aos padrões do Brasil. A Santa Casa de Fortaleza realiza cerca de dois mil procedimentos de alta complexidade por ano e para isso conta com o corpo clinico formado com 16 cirurgiões oncológicos e 52 leitos voltados somente para esses pacientes. O atendimento no ambulatório de oncologia funciona de segunda a sexta, pela manhã e a tarde. Segundo o Instituto Nacional de Câncer – INCA, na região Nordeste, com exceção do câncer de pele, a maior incidência de casos de câncer em mulheres, é o de mama com um risco estimado, em 2012, em 52 casos a cada cem mil mulheres. Já em homens, apesar de ser mais frequente nas regiões CentroOeste, Sul e Norte, no Nordeste existem cerca de 43 casos a cada 100 mil homens. A prevenção do câncer de mama é feita através do auto-exame das mamas, além da mamografia, que é o

16

Revista Saúde InCasa

exame convencional e de algumas observações feitas ligadas a genética, pois o primeiro sintoma é o nódulo mamário, alerta o Chefe da Clinica Oncológica da Santa Casa de Fortaleza, Dr. Wilson Meireles da Trindade. Dr. Meireles explica que nos homens o fator de risco para o desenvolvimento do câncer de próstata é a idade. O INCA confirma que aproximadamente 62% dos casos diagnosticados acometem homens com 65 anos ou mais. O ano de 2011 foi tido como referência para o Ministério da Saúde selecionar, em todo país, 80 instituições para receber um aparelho para tratamento de câncer, e a Santa Casa foi uma das beneficiadas. “Atualmente há uma longa fila de espera para iniciar o tratamento radioterápico em todos os estados do país. Com a aquisição de e criação de novos serviços de radioterapia serão agilizados o início do tratamento desses pacientes, evitando o crescimento tumoral da espera e melhorando os resultados terapêuticos.”, explica Dr. Meireles. A Santa Casa realiza tratamento através de quimioterapia e hormonioterapia e possui parceria com o Centro Regional Integrado de Oncologia CRIO, para casos de radioterapia.


DICAS DE SAÚDE DICAS PARA OS CABELOS CRESCEREM FORTES E SAUDÁVEIS Para que eles cresçam com saúde, alguns cuidados, em casa e no salão, são indispensáveis. “Em primeiro lugar, é aconselhável que não se durma com os cabelos úmidos.”, indica a terapeuta capilar Karla Guerra, do salão Bellíssima Beauty (RJ). Isso faz mal à saúde capilar e pode contribuir com a proliferação de fungos e bactérias no couro cabeludo. “Para preservar a saúde do couro cabeludo, não lave os fios diariamente e use sempre produtos indicados para o seu tipo de cabelo. Na hora de aplicar o condicionador, não espalhe no topo da cabeça e enxágue bem para retirar completamente os resíduos, que podem prejudicar a saúde dos fios”, indicam os gêmeos Maurício e Roberto Martins, cabeleireiros e proprietários da MR Martin Hair e Beauty (RJ). Fonte:Revista Corpo a Corpo - http://corpoacorpo.uol.com.br/

DIFERENCIE GRIPE DE RESFRIADO Embora os sintomas sejam semelhantes, os da gripe são bem mais intensos. O resfriado é uma doença provocada por inúmeros de vírus. Há mais de 200 vírus implicados nesse processo infeccioso. Somando todos os que provocam resfriados, existem algumas centenas de vírus de sorte que, no transcorrer da vida, podemos ser acometidos por dezenas ou talvez por mais de uma centena de resfriados. Contra esses vírus, vamos adquirindo imunidade, mas permanecemos com potencial para desenvolver a doença se entrarmos em contato com qualquer um dos demais. A gripe é causada por vírus de nome específico. São chamados de vírus influenza... Os vírus da influenza se caracterizam por estar em permanente mutação ou por sofrerem um fenômeno que tecnicamente chamamos de recombinação genética. Quando ocorre mutação, surge um vírus primo do anterior e nós temos alguma defesa contra o novo porque conhecemos o mais antigo. Nos casos de recombinação genética, aparece um vírus totalmente novo, contra o qual não temos defesa nenhuma e que pode causar uma pandemia, ou seja, uma epidemia de gripe, às vezes muito grave, que pode espalhar-se por toda a humanidade. Fonte: Site Drauzio Varella - http://drauziovarella.com.br/ audios-videos/estacao-medicina/gripes-e-resfriados/

Revista Saúde InCasa

17


ARTIGO

URGÊNCIA/EMERGÊNCIA O SUBFINANCIAMENTO QUE AFETA O CIDADÃO Imagens: Jucicleia dos Anjos

Por Jucicleia dos Anjos “Como você vê, não paramos. É só chegando gente e isso é o dia todo.”. Foi o que disse a enfermeira Daniele Oliveira da Silva, responsável pelo acolhimento, como é chamado o serviço de triagem da urgência/emergência da Santa Casa. O serviço funciona 24 horas por dia e não gera nenhum ônus para o paciente. Alguns podem se perguntar por que os pacientes esperam tanto, por que não contratam um número maior de médicos e a resposta é curta: falta de recursos. Há muito tempo existem discussões em torno das dificuldades encontradas nos hospitais públicos do Brasil, problemas como o número de médicos reduzidos, falta de verba, falta de medicamentos, entre outros. Esses fatores contribuem para a ineficiência do funcionamento do serviço público de saúde, fazendo com que não sejam introduzidas condições necessárias para um atendimento rápido e mais eficaz. A exemplo dos demais hospitais filantrópicos, a Santa Casa também sofre com o subfinanciamentos do Sistema Único de Saúde – SUS, o que gera filas para a marcação de cirurgias,

18

Revista Saúde InCasa

a falta de qualidade de muitos serviços, a crise permanente e subdiagnóstico nas doenças. O Hospital depende prioritariamente da receita gerada pelos atendimentos. Além da falta de recursos do SUS, a defasagem da tabela que serve como pagamento para os procedimentos está defasada. A Santa Casa concentra 97% dos atendimentos através do Sistema Único e ainda nos procedimentos de média complexidade, que é o mais saturado financeiramente. Ainda por trás de todo pagamento de médicos e anesteseologistas, existem mais um conjunto de despesas com exames, medicamentos, materiais médicos, alimentação e salários de outros profissionais ligados à saúde. Os direitos na área da saúde, garantidos pela Constituição, a falta de recursos, os problemas de gestão e a dependente necessidade de aprimoramento da tecnologia são fatores infinitos, portanto, seria necessário uma nova fonte de recursos ou uma melhor análise dos impactos sofridos pela população que depende dos hospitais públicos como garantia de saúde.


revista

SaĂşde InCasa


Revista Saúde InCasa  

A Revista Saúde InCasa é uma publicação de cará¬ter experimental produzida como trabalho de conclusão de curso das alunas Denise Araújo Sale...

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you