Page 1

pauli céa desvai rada CORAL PAULISTANO MÁRIO DE ANDRADE

THEATRO MUNICIPAL DE SÃO PAULO TEMPORADA 2014


Paulicéa Desvairada Neste ano de 2014, o Coral Paulistano Mário de Andrade retomou sua regularidade de concertos com uma temporada batizada de PAULICÉA DESVAIRADA, uma clara homenagem ao patrono do grupo e também uma inspiração no conteúdo provocatório e contundente que foi o livro de Mário de Andrade. O Coral desafiou a cidade a ouvir a música nos seus mais diferentes matizes, nas suas mais excitantes combinações e com companheiros inusitados. A ideia da temporada foi visitar os clássicos da música coral internacional e ao mesmo tempo dar a conhecer o potencial do cantar brasileiro, como dizia Mário de Andrade. Assim, desfilaram na programação obras conhecidas do mundo coral como o Gloria de Vivaldi, mas com a sambista Fabiana Cozza como solista. Visitou-se contemporâneos como Arvo Part com a ajuda do clarinetista popular Teco Cardoso. O conhecido Réquiem de Mozart apareceu na versão para piano a quatro mãos de Karl Czerni. O sanfoneiro Lulinha foi solista da Missa de Alcaçuz de Danilo Guanais para coro e orquestra. O Réquiem de Fauré é apresentado na versão de Câmara, preferida do autor, revista pouco antes da sua morte. Guerra Peixe foi homenageado com a sua série Xavante. Mas foi nas sedes de difusão dos concertos e no encontro com a cidade que a Paulicéa Desvairada inovou. Cada programa do coro foi preparado e dividido com coros amadores históricos da cidade, como Coral da Cultura Inglesa, Coral da Cesp, Coral Infantil do Butantã, Coral Luther King, CoralUSP. E ainda, o coral visitou cinco unidades dos CEUs, executando os mesmo programas apresentados no Salão Nobre do Theatro Municipal. O fruto imediato de tudo isso foi a criação de um coral no Centro Cultural de Cidade Tiradentes, orientado pelo Coral Paulistano na figura de um dos seus cantores-regentes, a maestrina Regina Lucatto. O palco do Theatro também foi usado para o encontro com o maestro italiano Rinaldo Alessandrini, e agora para o concerto final de Natal. Martinho Lutero Galati De Oliveira Diretor artístico e regente titular do Coral Paulistano Mário de Andrade  


Coral Paulistano Mário de Andrade Paulicéa Desvairada Temporada 2014

THEATRO MUNICIPAL DE SÃO PAULO_PAULICÉA DESVAIRADA_PG 4


Salão Nobre Na abertura da Temporada deste ano, o Coral Paulistano Mário de Andrade recebeu o público em um espaço do Theatro pouco usual para concertos: o Salão Nobre. Era nítida a surpresa do público ao conhecer este espaço de grande beleza e elegância e de acústica extremamente favorável à música coral. A estreia desta nova fase do coral paulistano foi com a presença do seu patrono, Mário de Andrade, através de seu poema Inspiração cantado pelo coral numa composição de Gilberto Mendes. Outro grande nome foi o do compositor paulistano Aylton Escobar, que estava presente fisicamente no concerto ouvindo a execução da sua obra Missa Orbis Factor. Neste concerto o Coral Paulistano apresentou ainda o Réquiem de Gabriel Fauré, marcando o início da sua nova missão: interpretar grandes obras da música coral internacional e também difundir a música coral brasileira. No segundo concerto interpretamos o Réquiem de Mozart e Motetos de José Maurício Nunes Garcia, personalidade importante na história da música colonial brasileira. Neste concerto, ainda em busca de um melhor aproveitamento da acústica e disposição do Salão Nobre, o coral apresentou-se em uma nova formação: o coral centralizado e o público envolvendo-o por ambos os lados. No terceiro concerto, o grupo buscou ampliar não só o repertório e as possibilidades sonoras, mas também o diálogo com diversas formas de expressão musical, recebendo a sambista Fabiana Cozza para execução do Gloria de Vivaldi. Ela interpretou ainda canções brasileiras de Vinicius de Moraes e Baden Powell, propondo uma saudável discussão em relação à separação, muitas vezes discriminatória, entre música erudita e popular. O concerto remeteu o público às festas populares venezianas, onde o erudito e popular conviviam e se completavam. Para o quarto concerto o grupo recebeu o maestro Roberto Rodrigues, na apresentação da obra Festino nella sera del giovedì grasso avanti cena, de Adriano Banchieri, acompanhados por viola da gamba, flautas e violinos barrocos. A parceria com a Orquestra Experimental de Repertório permitiu que o coro executasse obras clássicas como a Missa N.2 em Sol Maior de Schubert e o Credo de Dom Pedro I e a Missa de Alcaçuz do compositor brasileiro Danilo Guanais, com a participação do sanfoneiro Lulinha Alencar. O último concerto foi marcado pelo encontro com dois compositores quase contemporâneos: Bernstein e Britten, com as obras: A Ceremony of Carols de Britten e Chichester Psalms de Bernstein.


Palco do Theatro Municipal de São Paulo O concerto no palco do Theatro Municipal sob regência do maestro italiano Rinaldo Alessandrini foi um momento alto da temporada de concertos. Além do Salmo 42 de Mendelssohn, com a participação especial da mezzo-soprano italiana Monica Bacelli, o coro apresentou em primeira audição brasileira a obra Lux Aeterna de Lauridsen.

Sala do Conservatório – Praça das Artes O Coral Paulistano Mário de Andrade inaugurou uma série de concertos também na Sala do Conservatório, na Praça das Artes. Uma das principais características desta série foi promover o encontro da linguagem coral com diversas manifestações artísticas. Em Música Coral e Percussão com Azael Rodrigues (bateria), Léo Rodrigues (percussão) o coro exaltou o repertório popular e tradicional brasileiro. Em Música Coral e Teclados apresentou ao público a maleabilidade do grupo ora misto, ora coro feminino em diálogo com as teclas de um cravo, ou órgão ou piano. As vozes dos cantores individualmente também foram valorizadas no concerto com o violão de Paulo Porto Alegre que os acompanhou no Romancero Gitano de Mario Castelnuovo-Tedesco. No quarto concerto desta série o Coral Paulistano Mário de Andrade recebeu o multi-instrumentista Teco Cardoso e o pianista Tiago Costa para juntos interpretarem as composições de Arvo Pärt e outros contemporâneos. O maestro e barítono italiano Davide Rocca conduziu o grupo em canções de Rossini e Donizetti, marcadas pelo caráter dinâmico desenvolvido com o repertório e pelo intercâmbio musical com este profissional experiente que trouxe propostas interpretativas marcantes. Sob regência do maestro-assistente Luiz Marchetti, o grupo recebeu o Quinteto de Metais da ONG Músicos do Futuro para o sexto concerto desta série e interpretou obras compostas a partir do século 16. Colaborou ainda com o sucesso da série o concerto regido pela professora húngara Lilla Gábor. Liszt, Bela Bartok, Kodály e até uma primeira audição americana de Bardos Lajos foram trabalhados magistralmente pela maestrina e encantaram o publico presente.

THEATRO MUNICIPAL DE SÃO PAULO_PAULICÉA DESVAIRADA_PG 6


Descentralização da Música Coral na Cidade de São Paulo Nesta nova fase do Coral Paulistano Mário de Andrade, uma de suas premissas é levar a música coral a toda a população através do projeto de descentralização da música coral. Durante muito tempo, a maior parte dos eventos relacionados à música erudita em São Paulo foi destinada apenas a uma pequena parcela da população, partindo de uma ideia errônea de que a música erudita tem como público alvo somente uma classe abastada e seleta, uma elite cultural. Hoje, através desse projeto, o Coral Paulistano cumpre seu papel artístico e cultural, levando música a todos, a partir do Theatro Municipal de São Paulo.

Centro Cultural São Paulo O primeiro concerto neste espaço esteve integrado à série intitulada 50 anos do Golpe: Imagens Sonoras. No programa o Réquiem de Gabriel Fauré foi executado em homenagem às vítimas da ditadura, dedicado à memória de Vladimir Herzog. Sob regência do maestro Luiz Marchetti o grupo apresentou um concerto com o Psalm 42 de Mendelssohn e Liebeslieder und Neue Liebeslieder Walzer de Brahms, versões para coro e piano. Através da temática Música das Américas, solicitada pelo Centro Cultural São Paulo, no terceiro concerto, o grupo interpretou obras de compositores representativos das Américas, sob regência de Luiz Marchetti. No quarto concerto, junto com o Coral da Cultura Inglesa, cantou A Ceremony of Carols de Britten para coro feminino e harpa e Chichester Psalms de Bernstein. Este concerto contou ainda com a participação do Maestro Marcos Júlio Sergl, que dirigiu os dois coros juntos na obra Blow, Blow, Thou Winter Wind, de John Rutter.

Coral Paulistano Mário de Andrade e Conservatório de Tatuí Em parceria com o Conservatório de Tatuí o grupo promoveu dois concertos do Réquiem de Mozart realizados no Teatro do Conservatório Musical de Tatuí e na Igreja Santa Teresinha, em São Paulo. Sob regência do maestro Luiz Marchetti, o grupo voltou ao Conservatório em novembro para participar do 4° Encontro Nacional de Corais.


Cemitério da Consolação O grupo apresentou-se ainda na capela do Cemitério da Consolação, concerto intitulado Memória Musical. Esta iniciativa promovida pela Fundação Theatro Municipal de São Paulo em colaboração com a Secretaria Municipal de Serviços, teve como objetivo a valorização de espaços públicos importantes e históricos, tornando-os conhecidos e úteis para o bem comum. A cidade de São Paulo é dotada de cemitérios que são verdadeiros museus de arte tumular e histórica da nossa cidade. Algumas das capelas dos cemitérios são comparadas a igrejas matrizes de muitas cidades do interior de São Paulo pelas suas dimensões e características arquitetônicas, como no caso da capela do cemitério da Consolação assinada pelo arquiteto Ramos de Azevedo.

Igrejas O Coral levou à Igreja da Paz a última récita do ciclo de concertos da Missa N.2 em Sol Maior de Schubert e do Credo de Dom Pedro I, ao lado da Orquestra Experimental de Repertório e do coral da CESP, preparado pela regente Tereza Longatto. Na Igreja Cristo Rei, sob regência do seu diretor artístico maestro Martinho Lutero Galati, o grupo interpretou a Missa de Alcaçuz durante a celebração Litúrgica.

CEUs O Coral Paulistano Mário de Andrade, sob regência do Maestro Roberto Rodrigues, apresentou a obra Festino nella sera del giovedì grasso avanti cena, de Adriano Banchieri ao público do Centro Cultural Penha, no Teatro Martins Penna, oferecendo entrada gratuita à população. Em parceria com a Orquestra Experimental de Repertório, o coral apresentou também neste local a Missa N.2 em Sol Maior de Schubert e o Credo de Dom Pedro I. Este ciclo de concertos também contou com a participação do coral da CESP, preparado pela regente Tereza Longatto, dentro da proposta do Coral Paulistano Mário de Andrade de estabelecer um intercâmbio com os coros amadores da cidade de São Paulo. Integrando o ciclo de concertos da Missa de Alcaçuz, do compositor brasileiro Danilo Guanais, o Coral Paulistano Mário de Andrade e a Orquestra Experimental de Repertório estiveram no CEU Casa Blanca, na região sul da cidade, no CEU Parque Bristol e no CEU Vila Curuça.

THEATRO MUNICIPAL DE SÃO PAULO_PAULICÉA DESVAIRADA_PG 8


O Coral Paulistano Mário de Andrade e a abertura de Pontos Corais Na Cidade De São Paulo A outra face concreta da descentralização da música coral a partir do Theatro Municipal de São Paulo é a criação de pontos estratégicos de atividade coral na cidade, apoiando o que já existe e incentivando o novo. E o novo é exatamente o Ponto Coral estabelecido no Centro de Formação Cultural do bairro Cidade Tiradentes, sob a regência experiente da maestrina Regina Lucatto, que também é cantora do Coral Paulistano. Participam do coral jovens e adultos, homens e mulheres, trabalhadores e moradores da região. Muitos deles estão tendo o seu primeiro contato com a música através desta iniciativa. O grupo colabora com o crescimento das comunidades, usando suas vozes e experiência como ferramentas sociais, tornando palpável e acessível ao grande público um tipo de música pouco executada nos centros urbanos periféricos da capital. Acreditando no caráter social e no poder socializador que a música coral proporciona, este projeto busca a ampliação desta atividade na cidade, transformando a música em instrumento de integração comunitária, de consciência e cidadania, indo de encontro aos grandes centros que, por diversas vezes, são privados dos eventos culturais promovidos na cidade. Na Cidade Tiradentes, este projeto conta ainda com a participação do assistente Alisson Muniz e do pianista Rodrigo Garcia. Os encontros são semanais e neles são trabalhadas técnica vocal e iniciação musical. No dia 12 de dezembro, o grupo visitou pela primeira vez o Theatro Municipal, abrindo um “ensaio geral com público” para os funcionários da casa. Para 2015 o desafio é a criação de um novo Ponto Coral no Centro Cultural da Penha.


Principais obras realizadas

Réquiem

pelo Coral Paulistano Mário

Marlos Nobre

de Andrade na Temporada

Canções de Natal

Paulicéa Desvairada de 2014

Noel Rosa/Cartola Como é que eu posso Osvaldo Lacerda

Do repertório nacional:

Ofulú Lorêrê Poema da Necessidade

Ailton Escobar

Romaria

Missa Brevis Orbis Factor in

Tom Jobim

memoriam Mário de Andrade

Insensatez

Ary Barroso

Wiily Corrêa

Aquarela do Brasil

In Memoriam Vladimir Herzog

Baden Powell Berimbau Camargo Guarnieri

Do repertório internacional:

Coisas do Brasil Chico Buarque De Holanda

Adriano Banchieri

Você vai me seguir

Festino nella sera del giovedì

Danilo Guanais

grasso avanti cena

Missa de Alcaçuz

Afro-American Spiritual

Dom Pedro I

Soon a Will be done

Credo

What kind of shoes

Dorival Caymmi

Go tell it on the mountains

Suíte dos pescadores

Anton Bruckner

Edu Lobo

Locus iste

No Cordão da Saideira

Antonio Vivaldi

Ernani Aguiar

Gloria, RV. 589

Cantilena

Stabat Mater, RV. 621

Gilberto Mendes

Arvo Pärt

Inspiração, sobre poema Paulicea

Solfeggio

Desvairada de Mário de Andrade

Da Pacem Domine

Motet em Ré Menor (Beba Coca-Cola)

Astor Piazzolla

Guerra Peixe

Adios nonino

Xavantes

Libertango

Heitor Villa-Lobos

Baldassare Donato

Estrela é lua nova

Chi la gagliarda

Pater Noster

Béla Bartók

José Maurício Nunes Garcia

Ne hagyj itt

Motetos

Leánynézo

THEATRO MUNICIPAL DE SÃO PAULO_PAULICÉA DESVAIRADA_PG 10


Bolyongás

Chichester Psalms

Benjamin Britten

Ludwig Van Beethoven

A Ceremony of Carols

An die Freude – Sinfonia n° 9

Missa Brevis

Mario Castelnuovo

Carlos Guastavino

Romanceiro Gitano

Jacaranda (Cantilena n° 3)

Mateo Flecha El Viejo

Charles Ives

Ensalada El Fuego

Salmo 67

Morten Lauridsen

Claudio Monteverdi

Lux Aeterna

Lamento d’Arianna

Orlando Di Lasso

Daniel Pinkham

Eccho

Sinfonia sacra

Richard Genée

Federico Garcia

Insalata Italiana

Los Pelegrinitos

Rodolfo Halffter

Felix Mendelssohn-Bartholdy

Tres Epitafios para La Tumba de - Don

Psalm 42, Op. 42

Quijote - Dulcinea - Sancho Panza

Franz Liszt

Thomas Morley

Ave verum

My bonny lass

Franz Schubert

Zoltán Kodály

Missa N. 2 em Sol Maior

Wainamoinen makes music

Gabriel Fauré

Esti dal

Réquiem

Stabat Mater

Gaetano Donizetti

Öregek

Brindisi da Il Campanello

Jezus és a kufárok

Georg Friedrich Händel

An ode for music

Messiah

Ode a Franz Liszt

Gioachino Rossini

William Handy

La passeggiata

Beale street blues

Ridiamo, cantiamo che tutto sen’ và

Wolfgang Amadeus Mozart

Il Carnevale

Réquiem

I Gondolieri

Laudate Dominum KV 339

Dell’ Oriente l’astro del giorno Johannes Brahms Liebeslieder und Neue Liebeslieder Juan Del Encina Triste España sin Ventura Lajos Bárdos Régi Táncdal A nyúl éneke Leonard Bernstein


Coral Paulistano Mário de Andrade Paulicéa Desvairada Temporada 2015

THEATRO MUNICIPAL DE SÃO PAULO_PAULICÉA DESVAIRADA_PG 12


Com o sucesso alcançado pela temporada em 2014, o Coral Paulistano continuará em 2015 a Temporada Paulicéa Desvairada, com apresentações em diferentes equipamentos municipais, composta de 4 séries: • Série Salão Nobre do Theatro Municipal - com a execução Integral da Missas de W.A Mozart • Série Sala do Conservatório – em colaboração com a Escola Municipal de Dança • Série Igrejas – apresentando Missas cantadas dentro da liturgia • Série CEUs – Concertos descentralizados de repertorio clássico e popular Além destas séries, o Coral Paulistano Mário de Andrade realizará concertos no cemitério da Consolação, concertos no palco do Theatro Municipal, concertos em colaboração com a Orquestra Experimental de Repertório e uma turnê Latino-Americana; continuará a colaborar com o fortalecimento de coros amadores, envolvendo-os em apresentações do Coral Paulistano, e com a criação de novos pontos de musica coral na cidade. Inspirados pelo patrono Mario de Andrade, o grupo segue em busca do Cantar Brasileiro, mas sem esquecer a vocação de difusão do repertório coral universal. Assim, o Coral Paulistano estreará encomendas de novas obras corais de compositores brasileiros e apresentará uma peça brasileira em todos os concertos da temporada.

Salão Nobre Ciclo Integral das Missas de Wolfgang Amadeus Mozart Este projeto prevê a apresentação de 18 Missas, que serão realizadas no Salão Nobre em um total de 11 concertos. Através deste ciclo de concertos, o Coral Paulistano Mário de Andrade levará à população algumas das principais obras do célebre compositor austríaco. Sextas, às 20 horas. 27 FEV Réquiem K626 20 MAR Missa Dominicus K66 17 ABR Missa Waisenhaus em Dó Maior K139 e Missa em Ré Menor K65 15 MAI Missa Grande Credo em Dó Maior K257 e Missa em Fá Maior K192 12 JUN Missa Solemnis em Dó Maior K337 e Missa Brevis em Sol Maior K 140 03 JUL Missa Longa em Dó Maior K262 e Missa em Ré Menor K 194 7 AGO Missa Trinitatis em Dó Maior K167 e Missa Órgão em Dó Maior K259 11 SET Missa Spaur em Dó Maior K258 e Missa Spatzen em Dó Maior K220 23 OUT Missa da Coroação em Dó Maior K317 06 NOV Missa em Sol Maior K 49 e Missa em Si bemol Maior K275 11 DEZ Missa em Dó Menor K427


Sala do Conservatório – Praça das Artes Coral Paulistano Mário de Andrade encontra a dança Para a Temporada 2015, na Sala do Conservatório, o Coral Paulistano iniciará uma parceria com a Escola de Dança de São Paulo, fundada em 1940 como o centro de ensino de dança da Prefeitura de São Paulo, para oferecer educação de qualidade, sem custos, à população da cidade. Nesta série serão realizados 9 concertos temáticos onde o Coral cantará músicas ligadas às danças e música e dança serão combinados de acordo com o repertório. Os temas apresentados serão: Minueto – Giga – Valsas – Maracatu - Samba – Tango - Marcha – Frevos - Flamenco 14 MAR Samba 25 ABR Marchas 09 MAI Tangos 06 JUN Frevos 11 JUL Danças Populares 08 AGO Flamenco 19 SET Danças latino-americanas 17 OUT Gigas 21 NOV Maracatus e Afros 05 DEZ Valsas

Palco do Theatro Municipal de São Paulo O Coral Paulistano Mário de Andrade realizará 2 programas no palco do Theatro Municipal. O primeiro deles acontecerá em parceria com o Balé da Cidade, que desde 2001 atua também em programas de formação de plateia e em ações culturais paralelas, principalmente em mostras didáticas pela cidade de São Paulo, partilhando seu patrimônio artístico com a população. Em dezembro, encerrando a temporada 2015, o coral realizará um grande concerto de final de temporada.

THEATRO MUNICIPAL DE SÃO PAULO_PAULICÉA DESVAIRADA_PG 14


Les Noces de Igor Stravinsky O Coral Paulistano Mário de Andrade realizará com o Balé da Cidade o Balé Les Noces (As bodas) de Igor Stravinsky. O compositor cria nesta obra-prima uma rica variedade de linguagens, evocando os lamentos e glorias de um casamento tradicional camponês russo. Stravinsky fez as primeiras anotações para Les Noces em junho 1914, organizando a montagem do texto de uma coleção de canções tradicionais de casamento russo e completou a primeira versão em 11 de outubro de 1917. A escrita musical da obra passou por várias mudanças radicais e, na primavera de 1923, a versão da partitura com quatro pianos e percussão foi terminada. A versão final de Les Noces é para coro, solistas, quatro pianos e percussão: xilofone, tambores, bumbo, pratos, triângulo, pandeiros, um sino e címbalos. O coro será formado por cantores do Coral Paulistano Mario de Andrade e do Coro Lírico, todos sob a regência do maestro Eduardo Strausser.

Coral Paulistano Mário de Andrade Canta Missas Em parceria com a Cúria Metropolitana de São Paulo, com o beneplácito do Cardeal Arcebispo de São Paulo Don Odilo Pedro Cardeal Scherrer, o Coral Paulistano realizará 9 concertos em diferentes igrejas da cidade. O Coral levará às igrejas, réplicas dos concertos do Ciclo Integral das Missas de Mozart realizados no Salão Nobre do Theatro Municipal. Nestas ocasiões, as composições serão apresentadas durante a celebração litúrgica, na situação para a qual foram escritas. 01 MAR Requiem - Igreja Cristo Rei no Tatuapé 22 MAR Missa Dominicus em Dó Maior K 66 Igreja Nossa Senhora da Penha 12 ABR Missa Waisenhaus em Do Maior K. 139 Paróquia Nossa Senhora do Carmo na Aclimação 17 MAI Missa Grande Credo em Do Maior K 257 Basílica do Carmo na Bela Vista 05 JUL Missa Longa em Do Maior K 262 Paróquia São José do Ipiranga no Ipiranga 13 SET Missa Spatzen em Do Maior K220 Capela do Colégio Sion no Higienópolis 09 AGO Missa Orgão Solo em dó maior K. 259 Igreja Santa Teresinha em Higienópolis 25 OUT Missa da Coroação em Do Maior K317 Igreja Imaculada Conceição no Ipiranga 08 NOV Missa em Sol Maior K49 Paróquia do Santíssimo Sacramento no Paraíso


Cemitério da Consolação O Coral Paulistano Mário de Andrade realizará 3 Concertos no Cemitério da Consolação, integrando a série intitulada Memória Musical, iniciativa promovida pela Fundação Theatro Municipal de São Paulo em colaboração com a Secretaria Municipal de Serviços, que tem como objetivo a valorização de espaços públicos importantes e históricos, tornando-os conhecidos e úteis para o bem comum. As datas escolhidas junto à Administração do Cemitério são as mais representativas do calendário fúnebre da cidade. 10 MAI Dia das Mães 09 AGO Dias dos Pais 02 NOV Dia de Finados

Coral Paulistano Mário de Andrade vai aos CEUs Dando continuidade ao projeto de descentralização da música coral a partir do Theatro Municipal, o Coral Paulistano realizará 11 concertos em diferentes CEUs da cidade de São Paulo. Este projeto busca levar à população, que durante muito tempo foi excluída dos eventos relacionados à música erudita em São Paulo, grandes obras da música coral internacional e nacional, cumprindo seu papel artístico e cultural. Sábados e domingos, às 17 horas. 07 MAR CEU Jaçanã 08 MAR CEU Rosa da China 11 ABR CEU Alvarenga 16 MAI CEU Jambeiro 13 JUN CEU Meninos 12 JUL CEU Feitiço da Vila 01 AGO CEU Aricanduva 12 SET CEU Perus 24 AGO CEU Jaguaré 07 NOV CEU Butantã 06 DEZ CEU Uirapuru

THEATRO MUNICIPAL DE SÃO PAULO_PAULICÉA DESVAIRADA_PG 16


Turnê Latino-Americana O convite para participar do Festival de Corais de San Juan – Argentina, abre as portas para uma relação entre o Coral Paulistano e nossos vizinhos do Mercosul. Estimulados por esse convite, estenderemos nossa visita ao Cone Sul num encontro musical com três outros coros em Montevidéu, Colônia do Sacramento e Buenos Aires.

Colaboração Orquestra Experimental de Repertório A Orquestra Experimental de Repertório dirigida pelo maestro Carlos Moreno foi uma boa parceria do Coral Paulistano Mário de Andrade na Temporada 2014 realizando, juntos, vários concertos com repertorio variado: Missa em Sol Maior de Schubert, Credo de Dom Pedro I, Missa de Alcaçuz de Danilo Guanais, Chichester Psalms de Bernstein. O ano se concluiu com a execução da Nona Sinfonia de Beethoven, regida pelo maestro Moreno. Em 2015, esta colaboração se dará em dois momentos especiais: a apresentação da obra Te Deum de Edmundo Villani Côrtes, em um concerto na Sala São Paulo em 22 de novembro, e em Dezembro no concerto de encerramento da temporada com a Missa em do Menor K427.


PAULICÉA DESVAIRADA DOM, 14 DEZ 18h Theatro Municipal de São Paulo Orquestra Experimental de Repertório Coral Paulistano de Andrade Martinho Lutero Galati de Oliveira Regente Luciana Serra Soprano Samira Hassan Soprano Adriana Clis Mezzo-Soprano Helder Savir Contratenor Jean William Tenor Davide Rocca Barítono Fani Vovoni Spalla GEORG FRIEDRICH HÄNDEL Messiah - Trechos selecionados

THEATRO MUNICIPAL DE SÃO PAULO_PAULICÉA DESVAIRADA_PG 20


O Coral Paulistano Mário de Andrade encerra a temporada Paulicéa Desvairada tendo promovido 48 concertos e, para comemorar o sucesso de público e crítica, interpreta no último concerto trechos selecionados de uma das obras mais importantes e belas da literatura coral mundial: O Messias, do compositor Georg Friedrich Händel (1685-1759). Este oratório é, sem dúvida, uma obra com características únicas: o material trabalhado, que apresenta tradições litúrgicas ao lado de elementos populares; a estrutura, que combina uma constante mudança entre diversos elementos da ópera, cantata, concerto e hino; a organização musical, que ao mesmo tempo unifica e dramaticamente justapõe, vários estilos. A concepção de unidade que o compositor reserva à obra é evidenciada de inúmeras maneiras: o equilíbrio entre os 23 trechos corais e solos; o contraste obtido através do recitativo secco, recitativo accompagnato, arioso, ária e a variação do estilo homofônico e polifônico nos corais; a habilidade infalível na organização dos clímaces principal e secundário; o uso da ária da capo para os momentos de ênfase; o uso da tonalidade. Tudo é unido com grande maestria e técnica e resulta nesta esplêndida obra-prima que é dividida em três partes: A Profecia e o Nascimento de Cristo; A Paixão, que culmina no coral Hallelujah, e a Redenção. O Coral Paulistano Mário de Andrade, seguindo a tradição, apresenta uma seleção Natalina do grande Oratório composta da quase totalidade da I Parte mais trechos selecionados da II e III Partes. Além dos integrantes da Orquestra Experimental de Repertório, o coral recebe neste concerto a visita de dois ilustres personagens do panorama musical internacional: a violinista Fani Vovoni, spalla do grupo Barucco de Viena e a professora e cantora Luciana Serra, da Accademia della Scala de Milão.  


I Parte - Sinfonia - Accompagnato Comfort ye, comfort ye my people - Ária Ev’ry valley shall be exalted - Choral And the glory, the glory of the Lord - Accompagnato Thus saith the Lord, the Lord of Hosts - Ária But who may abide the Day of His coming - Choral And He shall purify - Recitativo Behold, a virgin shall conceive - Ária e Choral O thou that tellest good tidings to Zion - Accompagnato For behold, darkness shall cover the earth - Ária The people that walked in darkness - Choral For unto us a child is Born - Pifa - Recitativo There were shepherds abiding in the field - Accompagnato And lo, the angel of the Lord came upon them - Recitativo And the angel said unto them - Accompagnato And suddenly there was with the angel - Choral Glory to God in the highest - Ária Rejoice greatly, O daughter of Sion - Recitativo Then shall the eyes of the blind open’d - Dueto He shall feed His flock like a shepherd - Choral His yoke is easy, His burthen is light

THEATRO MUNICIPAL DE SÃO PAULO_PAULICÉA DESVAIRADA_PG 22


II Parte - Choral All we like sheep, have gone astray - Accompagnato All they that see Him, laugh Him to scorn - Choral He trusted in God - Choral Lift up your heads - Ária Why do the nations so furiously rage together - Recitativo He that dwelleth in heaven - Ária Thou shalt break them with a Rod of iron - Choral Hallelujah III Parte - Ária I know that my Redeemer liveth - Choral Since by man came death - Accompagnato Behold, I tell you a mystery - Ária The trumpet shall sound and the dead shall be rais’d - Recitativo Then shall be brought to pass - Dueto O death, where is thy Sting? - Choral But thanks be to God - Choral Worthy is the Lamb - Amen


Orquestra

Com mais de duas décadas de história, a Orquestra Experimental de Repertório

Experimental

(OER) é hoje um dos principais grupos de formação em nosso país. Com sede

de Repertório

na Praça das Artes, a OER se apresenta no Theatro Municipal e em outros espaços da Cidade de São Paulo, dentro da política de descentralização da Secretaria Municipal de Cultura. Criada em 1990 pelo maestro Jamil Maluf, a partir da Orquestra Jovem Municipal de São Paulo, a orquestra ocupou lugar de destaque nas temporadas sinfônicas e líricas do Theatro Municipal, com programações regulares e ininterruptas ao longo dos anos. Sob direção de Carlos Moreno desde fevereiro de 2014, o grupo inicia as apresentações da integral das Sinfonias de Beethoven na Sala do Conservatório, das Sinfonias de Brahms no Theatro Municipal, além de uma série no Auditório Ibirapuera e apresentações no Teatro Paulo Eiró e nos CEUs, com o objetivo de enriquecer ainda mais a formação dos bolsistas e levar a OER para além do centro da Cidade. Ligada à diretoria de Formação da Fundação Theatro Municipal, a OER tem papel fundamental no projeto de integração que parte da Escola Municipal de Música, passando pelas orquestras Infanto-Juvenil e Jovem Municipal de São Paulo, e que tem como objetivo preparar músicos de excelência para as grandes orquestras profissionais, como a Sinfônica Municipal de São Paulo.

THEATRO MUNICIPAL DE SÃO PAULO_PAULICÉA DESVAIRADA_PG 24


O Coral Paulistano foi criado em 1936, por iniciativa de Mário de Andrade, en-

Coral

tão diretor do Departamento Municipal de Cultural. Sob o impacto do rom-

Paulistano

pante modernista, sua proposta era levar a música brasileira ao Theatro

Mário de

Municipal de São Paulo, uma ideia de vanguarda, já que a elite paulistana des-

Andrade

conhecia a importância do movimento nacionalista que contagiava os compositores brasileiros da época. Marco da história da música em São Paulo, o grupo foi um dos muitos desdobramentos do movimento modernista da Semana de Arte Moderna de 1922. Ao longo de sua história, o Coral Paulistano foi dirigido por alguns dos mais destacados músicos do nosso país, como Camargo Guarnieri, Fructuoso Vianna, Miguel Arqueróns, Tullio Colacioppo, Abel Rocha, Zwinglio Faustini, Antão Fernandes, Samuel Kerr, Henrique Gregori, Roberto Casemiro, Mara Campos, Tiago Pinheiro e Bruno Greco Facio. Em 2013, o grupo passou por um fortalecimento e revalorização, passando a se chamar Coral Paulistano Mário de Andrade e o maestro Martinho Lutero Galati de Oliveira assumiu sua direção artística, criando a Temporada Paulicea Desvairada para atender às expectativas do plano de descentralização proposto pela direção da Fundação Theatro Municipal. Desde então, o Coral Paulistano passou a atuar também fora do Theatro, fomentando o crescimento da música nas comunidades distantes do centro, tornando palpável e acessível ao grande público o repertório nacional e internacional da música de concerto e incentivando a criação de novos grupos corais.


Martinho

Martinho Lutero Galati de Oliveira estudou com alguns mestres ilustres, como

Lutero Galati de

Jonas Christensen, Hans J. Koelheuter e Eleazar de Carvalho. No início de sua

Oliveira

carreira, foi regente do Coro da Juventude Musical de São Paulo, diretor mu-

Diretor artístico

sical da peça teatral Hair e fundou a Rede Cultural Luther King em 1970. Foi a Buenos Aires complementar seus estudos de regência. De volta a São Paulo, dirigiu a Orquestra do Vale do Paraíba, coordenou o setor de Música Coral do Movimento Mário de Andrade e criou e dirigiu os Concertos Matinais nos Teatros de Bairro da Prefeitura de São Paulo. De 1978 a 1984, viveu na África trabalhando em pesquisa sobre música tradicional a serviço da UNESCO. Em Moçambique fundou a Escola Nacional de Música e publica o Cancioneiro Infantil Moçambicano, que recebeu elogios públicos de Carlos Drummond de Andrade. A partir de 1985, na Europa, estudou com vários maestros, como Juan Pablo Ortega, Peter Erdei, Franco Ferrara e com o compositor Luigi Nono. Em 1988, venceu o prêmio André Segóvia de Regência em Santiago de Compostela. Em 1987, fundou a Associazione Culturale Cantosospeso em Milão, com a qual realizou concertos em toda a Europa. Pelos serviços prestados à Cultura recebeu da Prefeitura de Milão, em 2002, o título de Cidadão Honorário, sendo o segundo músico brasileiro a recebê-lo, precedido somente pelo paulista Antonio Carlos Gomes. Foi docente no Instituto de Musicologia de Milão. É coordenador do Fórum Coral Mundial. É diretor artístico da Rede Cultural CANTOSOSPESO. Divide suas atividades entre a Europa e o Brasil, onde dirige até hoje em São Paulo a Rede Cultural Luther King. Em dezembro de 2013 assume a direção artística do Coral Paulistano Mario de Andrade do Theatro Municipal de São Paulo.

Luciana Serra Soprano

Luciana Serra fez sua estréia internacional em 1966 como Eleonora em Il Convito, de Domenico Cimarosa na Ópera Estatal Húngara, em Budapeste. Alcançou aclamação geral do público na década de 1970, quando assumiu papéis de coloratura em Lucia di Lammermoor de Donizetti e em La sonnambula de Bellini. Em 1988 estreou na Ópera Estatal de Viena cantando a Rainha da Noite em uma nova produção de A Flauta Mágica conduzido por Nikolaus Harnoncourt e encenado por Otto Schenk. É considerada uma das mais perfeitas Olympia da ópera Os Contos de Hoffmann. Ensina regularmente no Villa Medici em Roma e na Accademia La Scala, em Milão. Sua discografia inclui O Barbeiro de Sevilha, Il viaggio a Reims, Rigoletto, Don Pasquale e A Flauta Mágica.

THEATRO MUNICIPAL DE SÃO PAULO_PAULICÉA DESVAIRADA_PG 26


Soprano lírico, bacharel em Canto pela Universidade Federal do Rio Grande do

Samira Hassan

Sul e pós-graduada em Interpretação Cênica e Musical de Ópera, pela Kunst

Soprano

Universität de Graz, Áustria. Foi professora de Canto na Universidade de Mogi das Cruzes, na UDESC e preparadora vocal dos corais da Sogipa, Banco do Brasil, Ars Vocalis, OMEC e UDESC no Brasil, e dos coros Wienersingakademie e Concentus Vocalis, na Áustria. Estudou com Neyde Thomas, Lúcia Passos, Heloísa Vergara e Maestro Marcello Mechetti, no Brasil; e no exterior, durante sete anos fez cursos de aperfeiçoamento com Elisabeth Ridgeway, na Morgan State University nos EUA, Sebastian Vittucci, no Conservatório de Viena, Gottfried Hornik, na Kunst Universität de Graz, Josef Loibl, Francisco Araiza e Hans Hotter em Munique; com o Regisseur Christian Pöppelreiter e o Maestro Wolfgang Schmid (Graz) e Helga Müller-Molinari (Graz e Milão), sua orientadora vocal. Atualmente, integra o Coral Paulistano Mário de Andrade, no Theatro Municipal de São Paulo, sob a regência do maestro Martinho Lutero Galati.

Vencedora do Prêmio Carlos Gomes de 2002, na categoria Revelação,

Adriana Clis

Adriana já se apresentou junto às principais orquestras do país, como

Mezzo-Soprano

Sinfônica Municipal de São Paulo, Osesp, Osusp, OSB, Orquestra Petrobrás Sinfônica, Sinfônica Municipal do Rio de Janeiro, Experimental de Repertório, Amazonas Filarmônica e Banda Sinfônica do Estado de São Paulo. Estudou no Conservatório Tchaikovsky de Moscou e na Academia Lírica Italiana de Milão e se apresentou em salas da Alemanha e da França. Além do Prêmio Carlos Gomes, venceu o Concurso Internacional de Canto Bidu Sayão em 2003, o Concurso Jovens Solistas Eleazar de Carvalho em 2002 e, em 2004, foi uma das finalistas das Audições para Novas Vozes Líricas do Teatro Colón de Buenos Aires, tendo participado da temporada do ano seguinte daquele teatro. Atuou em produções de A Valquíria de Wagner, A Menina das Nuvens de Villa-Lobos, Carmen de Bizet e Rigoletto de Verdi. No ano de 2013 esteve nas produções de The Rake’s Progress de Stravinsky e Cavalleria Rusticana de Mascagni do Theatro Municipal de São Paulo e protagonizou a Carmen de Bizet em Florianópolis.


Helder Savir

Natural de Fortaleza, integra o Coral Paulistano Mario de Andrade, atualmente

Contratenor

no naipe de contraltos, apesar de também atuar como tenor. Convidado para compor o quadro de solistas de Carmina Burana, deu inicio a sua nova carreira como contratenor e, desde então, começou a explorar o repertório de cantatas, missas e oratórios de compositores como Monteverdi, Bach, Handel, Vivaldi. Participou de vários grupos brasileiros interpretando peças de nosso período colonial, de compositores como Andre da Silva Gomes, José Mauricio Nunes Garcia, José Alves, José Gomes Veloso, Emerico Lobo de Mesquita, Marcos Coelho Neto, Gomes da Rocha. Com esses mesmos grupos, se apresentou em várias cidades da Itália.Tem em seu repertório obras que vão de John Dowland a compositores contemporâneos. Helder Savir já se apresentou em importantes salas de concerto do Brasil, tendo a versatilidade como marca registrada de seu trabalho, atuando também como interprete do canto popular.

Jean William

O jovem tenor Jean William é formado em música pela ECA­USP, sob orienta-

Tenor

ção de Francisco Campos Neto. Frequentou diversos festivais de música brasileiros, destacando-se o Festival Festival de Campos do Jordão. Participou de aulas e masterclasses com importantes nomes, como: Elena Obrasztova, Fernando Portari, Ricardo Ballestero, Brian Zeger, Luciana Serra, Alberto Finazzi. Em 2010 ganhou uma bolsa de estudos do projeto VOCALIA e estudou em Milão com o barítono Davide Rocca, seu atual maestro de canto. Em 2012, fez seu debut no Lincoln Center de Nova York interpretando canções de Heitor Villa Lobos à frente da Orquestra Brasileira Filarmonica Bachiana­SESI sob regência de João Carlos Martins, recebendo elogiosa crítica. Em 2013, voltou a Nova York para solar à frente da St. Lukes Orchestra na temporada de música sacra do Metropolitan Museum, interpretando obras de J. S. Bach. Em 2014, foi solista no Requiem de Mozart, com o coro Cantosospeso e a Orquestra de Viggevano, na Itália, sob direção de Martinho Lutero Galati; participou do Festival Internacional de Ópera de Belém, protagonizando a ópera Blue Monday de George Gershwin; interpretou obras de Dorothea Hoffmann, sob a direção de Rubens Russomano Ricciardi. Interpretou o personagem Nemorino da ópera O Elixir do amor na Sala São Paulo com a Orquestra e Coro do Conservatório de Tatuí, sob a direção de João Mauricio Gallindo.

THEATRO MUNICIPAL DE SÃO PAULO_PAULICÉA DESVAIRADA_PG 28


Formou-se no Conservatório de Roma em piano e canto. Em 1991, estuda com V.

Davide Rocca

Puecher, A. Leone e S.Piacenti no Laboratório Lírico do Teatro Grande di Brescia.

Barítono

Em 1993, vence o Concorso Città di Conegliano Veneto com a ópera As Bodas de Fígaro. Em 1995, trabalha estilo e agilidade barroca com Emma Kirby e E. Tubb na Inglaterra. Em 1996, canta a ópera L’incoronazione di Poppea de Monteverdi, começando um percurso artístico que o leva a diversos teatros, como Teatro Alla Scala de Milão, Teatro Municipale di Losanna, Teatro de Nimes, Teatro La Fenice de Veneza Teatro Mancinelli di Orvieto. Interpretou importantes papéis como Fiorello em O Barbeiro de Sevilha, Don Magnifico em La Cenerentola, Taddeo em L’Italiana in Algeri, Alessio em La Sonnambula, Sciarrone em Tosca, Don Alfonso em Così Fan Tutte. Do repertório sinfônico, destacam-se Messias de Händel, a Missa da Coroação de Mozart, Réquiem de Fauré, Petite Mese Solemnell de Rossini, Missa em Si Menor de J. S. Bach.

Fani Vovoni nasceu em Atenas em 1978. Estudou com Helfried Fister em

Fani Vovoni

Klagenfurt e, em 2001, ingressou na Universidade de Música de Viena, onde

Spalla

trabalhou com Ernst Kovacic e graduou-se com honras em março de 2007. Durante o seu período na Áustria, também estudou violino barroco com Hiro Kurosaki. Na sequência, estudou no Mozarteum de Salzburgo, com Reinhard Goebel. Um dos eventos mais importantes de sua carreira foi a participação na European Union Baroque Orchestra, em 2004. É cofundadora do Harmony of Nations Baroque Orchestra, onde trabalhou com regentes como Ton Koopman, Lars Ulrik Mortensen, Alfredo Bernardini, Enrico Onofri, Andrew Manze. Participa de vários festivais europeus, tanto de música antiga como de música contemporânea, com grupos como Klanforum Wien, Mitteleuropäisches Kammerorchester, Ensemble Reconsil, Ensemble Phace, Barucco, Concerto Stella Matutina, Cappella Leopoldina, Camerata Salzburg, Ensemble Prisma, Clemencic Consort, Latinitas Nostra. Atualmente é professora de violino e ensemble no Conservatório Freie Musikschule em Viena.


Orquestra Experimental

Angela de Santi

Coral Paulistano

Rodrigo Morales*

de Repertório

Assistente Artístico

Mário de Andrade

Thiago Montenegro*

Daniel Martins

Baixos

Regente Titular

Inspetores

Sopranos

Ademir da Costa Silva

Carlos Moreno

Raquel Rosa

Aymée Wentz

Anderson Barbosa

Regente Assistente

Renato Lotierzo

Dênia O. Campos

André Aguiar Angenendt

Raphael Brasilio

Arquivistas

Eliane de Aquino

Jan Szot

Primeiros Violinos

Bruno Lacerda

Hye Kyung Hong Kim

Jonas Mendes

Ramon Andrade

Paulo César Codato

Indhyra Gonfio Barboza

Josué Alves Gomes

Wallace Bispo

Montadores

Larissa Lacerda

Marcelo Santos

Willian Gizzi

Rose Garcia

Luciana de Aguiar Crepaldi

Vicente Sampaio*

Jessé Xavier

Renato de Freitas

Marly Jaquiel Ramos

Xavier Silva

Segundos Violinos

Narilane Camacho

Yuri Souza*

Gianni Visoná *

Raquel Manoel de Castro

Wagner Dias*

Lucas Braga

*Professor convidado

Rosemeire Moreira

Direção Artística

Caio Santos

** Musico convidado

Samira Hassan

Martinho Lutero Galati De

Matteus dos Santos

Sira Milani

Oliveira

Natália Brito

Vanessa Mello de Souza

Regente Assistente

Violas

Contraltos

Luiz Marchetti

Guilherme Bomfim

Adriana Clis

Pianistas

Stetson Madolozo **

Aline Réa

Renato Figueiredo

Violoncelos

Andréia de Abreu

Rosana Civile

Fábio Pellegatti *

Gilzane Castellan

Assistente de Produção

Esther Fietz Rocha

Kátia Novaes Rocha

Cinthia Derio

Elton Araújo

Helder Savir

Assessora de Logística

Contrabaixos

Lucia Peterlevitz

Andreia Balbino

Caiti Hauck *

Márcia Degani

Secretária Administrativa

Haran Magalhães

Regina Lucatto

Rosana Taketomi

Fagotes

Samira Kalil Rahal

Assistente Administrativo

Luis Antonio Ramoska*

Silvana Ferreira

Dilson Corrêa

Trompetes

Tânia Viana

Assistente de Platô

Carlos Sulpicio*

Vera Platt

Ivo Barreto

Mauricio Varanda**

Tenores

Tímpano

Fabio Diniz

Vinicius Batista**

Fernando Grecco

Cravo

José Antonio Palomares

Delphim Rezende**

Fernando Mattos

Órgão

Marcus Loureiro

Felipe Bernardo**

Pedro Vaccari

Coordenadora Artística

Ricardo Iozi

*Cantor convidado

THEATRO MUNICIPAL DE SÃO PAULO_PAULICÉA DESVAIRADA_PG 30


Prefeitura do Município de São Paulo

Prefeito Fernando Haddad Secretário Municipal de Cultura Juca Ferreira Fundação Theatro Municipal de São Paulo Direção Geral José Luiz Herencia Diretora de Gestão Ana Flávia C. Souza Leite Diretor de Formação Leonardo Martinelli

Design Gráfico Kiko Farkas/ Máquina Estúdio Designers Assistentes Ana Lobo André Kavakama Atendimento Michele Alves Impressão Formags Gráfica e Editora LTDA


MUNICIPAL. O PALCO DE SÃO PAULO

realização

execução

Organização Social de Cultura do Município de São Paulo

agência de negócios e relações institucionais

Coral Paulistano Mário de Andrade - 2014  

Coral Paulistano - Temporada 2014, Paulicéa Desvairada

Coral Paulistano Mário de Andrade - 2014  

Coral Paulistano - Temporada 2014, Paulicéa Desvairada

Advertisement