Page 1

VALORES PRÓPRIOS

18

MARÇO/ABRIL MARCH/APRIL 2017

IGUALDADE DE GÉNERO

O Técnico no feminino Women at Técnico

MARIA GRAÇA CARVALHO

INVESTIGAÇÃO

Vencedora do Prémio Maria de Lourdes Pintasilgo Winner of the Maria de Lourdes Pintasilgo Award

Ciência feita por mulheres Science made by women


VALORES PRÓPRIOS

Direção Editorial / Editorial Direction: Arlindo Limede de Oliveira, Luís Caldas de Oliveira, Luís Miguel Silveira, Palmira Ferreira da Silva Editores / Editors: André Pires, Marta Pedro Direção de Arte / Art Direction: Tiago Machado Designers: Patrícia Guerreiro, Telma Baptista, Tiago Lopes Distribuição e Publicidade / Distribution and Advertising: GCRP gcrp@tecnico.ulisboa.pt Editora / Publisher: Instituto Superior Técnico Av. Rovisco Pais, 1 1049-001 Lisboa Tel: (+351) 218 417 000 Fax: (+351) 218 499 242 Impressão / Printing: Jorge Fernandes, Lda Rua Q.ta Conde de Mascarenhas N9 Vale Fetal 2825-259 Charneca da Caparica Tel.: 212 548 320 Fax: 212 548 329 Edição / Edition: 18 Periodicidade / Periodicity: Bimestral/ Bimonthly Tiragem / Circulation: 5.000


EDITORIAL/EDITORIAL

HELENA GEIRINHAS RAMOS VICE-PRESIDENTE/VICE -PRESIDENT — GENDER BALANCE@ IST

em áreas com fortes desequilíbrios e forte empregabilidade; (2) Atuar no sentido de minimizar os entraves associados à promoção das mulheres aos lugares de topo da carreira. O tema desta edição da Valores Próprios é a igualdade de género para que fiquem a conhecer alguns dos projetos e iniciativas importantes que têm sido desenvolvidos na Escola para responder aos desafios da diversidade e da igualdade de géneros. Espero que apreciem esta Valores Próprios!

EN Gender equality and the empowerment of women and girls are some of the Sustainable Development Goals set by the United Nations (UN). It is an important debate for society in general and it has a significant impact on Técnico’s community in particular. Técnico’s activities focus on talent! We want to have the best students, the best lecturers and the best workers at Técnico. We have to recruit the best talent, regardless of their origin, race and gender. Diversity is the source of power, and it is indeed one of IST’s most significant features. Our commitment to equality, diversity and inclusion ennobles our mission and solidifies our identity. We must always try to improve and advance in cre-

ating a true culture of inclusion. Gender equality is not a women’s issue, it affects everyone and we must all get involved to motivate ourselves and to be open to diversity. Thus, in 2016 IST’s board decided to implement a number of programs and initiatives involving the whole university, with the goal of promoting a culture of gender equality. It has actively invested in diversity to meet the challenges of inclusion, becoming a national pioneer and focusing on two major aspects: (1) promoting a more balanced recruitment process, particularly in areas with strong imbalances and high employability; (2) taking action to minimize the barriers to the promotion of women into leadership positions. The topic of this Valores Próprios edition is gender equality, and you will get to know some of the projects and initiatives Técnico has implemented in order to meet the challenges of diversity and gender equality. I hope you enjoy this Valores Próprios edition!

VALORES PRÓPRIOS 18 — 2017

PT A igualdade de género e a capacitação das mulheres e raparigas são um dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável fixados pela Organização das Nações Unidas (ONU). É um debate atual e importante para a construção da sociedade em geral e com impacto significativo na comunidade do Técnico em particular. O negócio do Técnico identifica-se com o talento! Queremos ter no Técnico os melhores alunos, os melhores professores e os melhores colaboradores. Temos que recrutar os melhores, qualquer que seja a sua origem, raça ou género. Diversidade é origem de poder, e é de facto uma das características mais importantes do Instituto Superior Técnico. O nosso compromisso pela igualdade, diversidade e inclusão engrandece a nossa missão e solidifica a nossa identidade. Temos que tentar fazer sempre melhor e progredir na criação de uma verdadeira cultura de inclusão. A igualdade de género não é um problema de mulheres, é um problema de todos nós e é necessário que todos nos envolvamos para nos motivarmos e ficarmos despertos para a diversidade. Foi assim que, em 2016, a Direção do Técnico decidiu desenvolver um conjunto de programas e iniciativas envolvendo toda a Escola, para promover a cultura da igualdade de género. Investiu ativamente na diversidade para responder aos desafios da inclusão, tornando-se pioneiro a nível nacional e focando-se em duas dimensões principais: (1) Na promoção de um recrutamento mais equilibrado, em particular,

P—3

Igualdade de Género Gender equality


DESTAQUES/HIGHLIGHTS 2017

EVENTO/EVENT

DR

CIO do ano no fórum de discussão de informática do Técnico CIO of the Year at IST forum on computer science

PARCERIAS/PARTNERSHIPS

P—4

Técnico é parceiro na criação de plataforma de distribuição de Fundos de Investimento Técnico is a partner in a project creating an investment fund distribution platform

VALORES PRÓPRIOS 18 — 2017

PT A apresentação do protótipo de uma plataforma de distribuição de Fundos de Investimento, em tecnologia “blockchain” decorreu na tarde do dia 14 de março. A ideia é da Associação Portuguesa de Fundos de Investimento, Pensões e Patrimónios (APFIPP) e tem a parceria do Instituto Superior Técnico. O projeto tem também a consultoria técnica da Deloitte, e tem sido acompanhado de forma permanente pela CMVM. O Técnico colaborou ativamente na validação tecnológica em termos de segurança desta plataforma que pretende simplificar a negociação de Fundos de Investimento. Este meio de negociação é apontado como mais seguro, com um custo operacional relativamente reduzido, e que dispensa a intervenção de terceiros no processo. “Um aperto de mão tecnológico que vem simplificar processos e que não exige terceiras pessoas”, foi assim que o Presidente do Técnico, o professor Arlindo Oliveira, definiu a plataforma apresentada, demonstrando o agrado que sente pelo facto de o Técnico estar envolvido na criação deste tipo de soluções tecnológicas e financeiras. “Estamos sempre abertos e dispostos a trabalhar com as indústrias portuguesas”, afirmou.

EN Técnico is a partner in a project creating an investment fund distribution platform. A prototype for an investment fund distribution platform using “blockchain” technology was presented on March 14.The idea sprang from the Portuguese Association for Investment Funds, Pensions and Estates (APFIPP), and Instituto Superior Técnico is the project’s official partner. The project also includes Deloitte’s technical advisory services, and it has been permanently monitored by the Portuguese Securities Market Commission (CMVM). Técnico has actively collaborated in the project’s technological validation in terms of safety, creating a platform that aims to simplify the negotiation of investment funds. This negotiation platform is said to be safer, with a relatively low operating cost, and it does not require the intervention of third parties. “A technological handshake that simplifies processes and does not require third parties” - this is how IST president professor Arlindo Oliveira defined the platform, voicing his satisfaction with Técnico’s involvement in the creation of such technological and financial solutions. “We’re always open to working with Portuguese industries”, he said.

PT A iniciativa CIO@IST continua a trazer até ao Instituto Superior Técnico os líderes de grandes empresas, responsáveis pelos departamentos de tecnologias da informação. Na sexta sessão, que decorreu no dia 8 de março, foi a vez do CIO (Chief Information Officer) do grupo Sonae, o gestor David Alves, partilhar as grandes mudanças que a empresa implementou nos últimos tempos. David Alves foi eleito “CIO do Ano” de 2016 pela CIONET, pelo papel relevante que desempenhou na transformação do modelo operativo e cultural da BIT, àrea de tecnologia de informação da Sonae. O segredo está na “liderança que faz milagres”, “numa equipa capaz de acompanhar a evolução a nível tecnológico” e nos métodos de trabalho que se centram na “autonomia e competência individual de cada trabalhador”, apostando na “diminuição do formalismo e da hierarquização”. “Gosto de fazer mudanças transformacionais nas equipas em que estou inserido”, assume. EN The CIO@IST initiative continues to bring corporate IT department leaders to Técnico. The sixth session, which was held on March 8, invited Sonae Group’s CIO (Chief information officer) David Alves to discuss the main changes recently implemented by the company. David Alves was voted 2016 CIO of the Year by CIONET, for the relevant role he played in transforming the operational and cultural model of BIT, Sonae’s tecnology information area. The secret lies in a “miracle-working leadership”, in “a team capable of keeping up with technological evolution” and in working methods that focus on “each worker’s individual autonomy and competence”, while working to “reduce formalism and hierarchy”. “I like to implement transformational changes in my teams”, he said.


A engenharia e a medicina foram tema de conversa no encontro da AAAIST Engineering and medicine were talk topics at the AAAIST meeting

Técnico no top 20 de escolas de Engenharia da Europa Técnico in the Top 20 list of European engineering schools

EN The Alumni Association of Instituto Superior Técnico (AAAIST) recently resumed its themed dinners that bring together former IST students. Knowledge, experience and IST memories are shared during convivial moments between former colleagues who are now experts in several different fields. About 160 alumni accepted AAAIST’s invitation and attended the dinner event on March 15. The topic was “Doctors and Engineers - A Covenant for the Medicine of the Future.” The guest of honour was Isabel Vaz, a chemical engineer and the chairwoman of Luz Saúde’s executive committee. After dinner, Isabel Vaz explained what prompted her to pursue management and elaborated on the correlation she has always perceived between engineering and medicine - areas in which she currently works. “I spent unforgettable years at Técnico”, Isabel Vaz recalls. Reviewing the technological changes which inevitably influence medicine itself, she identified the field’s new paradigms and discussed the impact of engineering on everyone’s daily life and health - in particular the diagnosis process. The chairwoman of Luz Saúde’s executive committee believes that we are moving towards a “fabulous 21st century partnership between engineers and doctors in which I’m very happy to be involved as a protagonist”.

PT O Instituto Superior Técnico está entre as 17 melhores instituições de Ensino Superior da Europa na área das engenharias, de acordo com o “Academic Ranking of World University” (ARWU). Neste ranking de Xangai, um dos mais prestigiados do mundo, o Técnico está no intervalo entre as 50 e as 75 melhores instituições mundiais nesta área do saber. De acordo com o presidente do Técnico, professor Arlindo Oliveira, “a qualidade da investigação e desenvolvimento do Técnico, associada à qualidade dos nossos professores, alunos e graduados, têm permitido obter posições de destaque nos rankings internacionais, que são mais uma vez confirmadas por este ranking.” “O posicionamento do Técnico nos rankings internacionais contribui para afirmar a qualidade da engenharia portuguesa, e projeta positivamente a imagem do nosso país na Europa e no mundo”, sublinha ainda.

DÉBORA RODRIGUES / TÉCNICO

PT A Associação dos Antigos Alunos do Instituto Superior Técnico (AAAIST) retomou a organização de jantares temáticos que reúnem antigos alunos da escola. O conhecimento, a experiência e as lembranças do Técnico sentam-se à mesa para momentos de convívio entre antigos colegas que se tornaram atuais especialistas das mais diversas áreas. Cerca de 160 antigos alunos acederam ao convite da AAAIST e compareceram ao jantar do dia 15 de março, que teve como temática: “Doutores e Engenheiros- um pacto para a medicina do Futuro”. A convidada foi a engenheira Isabel Vaz, Presidente da Comissão Executiva da Luz Saúde. Depois do jantar, a engenheira química explicou o que a levou a enveredar pelo ramo da gestão e a correlação que sempre vislumbrou entre a engenharia e a medicina, áreas em que trabalha atualmente. “Foram anos inesquecíveis os que passei no Técnico”, começou por lembrar a engenheira Isabel Vaz. A Presidente da Comissão Executiva da Luz Saúde partilhou a sua convicção de que o caminho é efetivamente rumo a uma “parceria fabulosa do século XXI entre engenheiros e médicos, do qual eu tenho muita honra de já pertencer e ser protagonista”.

EN Per the “Academic Ranking of World Universities” (ARWU), Instituto Superior Técnico is ranked among the top 17 European higher education institutions in the field of engineering. In this Shanghai ranking - one of the most prestigious rankings in the world -Técnico ranks between the 50 and 75 best engineering institutions in the world. According to IST president professor Arlindo Oliveira, “the quality of IST’s research and development, combined with the quality of our faculty, students and graduates, have allowed us to achieve outstanding positions in international rankings, which are once again confirmed by this ranking. “Técnico’s position in international rankings helps to assert the quality of Portuguese engineering, and projects a positive image of our country in Europe and in the world”, Professor Arlindo points out.

P—5

ESCOLA/SCHOOL

VALORES PRÓPRIOS 18 — 2017

ALUMNI


DESTAQUES/HIGHLIGHTS 2017

ALUNOS/STUDENTS

DÉBORA RODRIGUES / TÉCNICO

Alunos recebem Técnico Business Card Students get Técnico Business Card

BOLSAS/SCHOLARSHIP PROGRAMS

P—6

Programa de Bolsas de Estudo para alunos de Engenharia Civil Scholarship program for civil engineering students

VALORES PRÓPRIOS 18 — 2017

PT O Instituto Superior Técnico tem a partir do dia 15 de março, um Programa de Bolsas destinado aos alunos de Engenharia Civil. Até três bolsas de estudo “Engenheiro Augusto Ramalho-Rosa” serão atribuídas anualmente a jovens carenciados, fazendo face não só às despesas da universidade, mas também às habitacionais. A ideia partiu da família do mecenas, que detém várias ligações à engenharia e ao Técnico, e que dá o nome ao programa. O gesto reveste-se de generosidade e assume-se como uma homenagem ao Engenheiro Augusto Ramalho-Rosa, tal como assume a esposa, a dr.ª Berta Marinho: “Pretendemos ajudar os jovens, mas também perpetuar o nome do meu marido. E só podíamos fazê-lo aqui, numa instituição de que ele tanto falava e gosta”, partilhou. O presidente do Técnico, o professor Arlindo Oliveira, manifestou todo o apreço com que o gesto é recebido, salientando o impacto que poderá ter no próprio curso dinamizando o número de candidatos. “O Técnico merece este tipo de atitude, mas sobretudo os jovens portugueses merecem”, afirmou, acrescentando que “de facto esta instituição marca a vida das pessoas e é bom quando isso se reflete neste tipo de ações”.

EN Starting on March 15, Técnico will have a scholarship program for civil engineering students. Every year, up to three underprivileged students will be awarded an “Engenheiro Augusto Ramalho-Rosa” grant, covering not only university fees but also housing expenses. The idea came from the family of Augusto RamalhoRosa, who has several connections to Técnico and engineering. This generous gesture is also a tribute to Augusto Ramalho-Rosa, as his widow Dr. Berta Marinho explains: “We want to help young people, but also to perpetuate my husband’s name. And this is the only place where it could happen, an institution that he loved and talked about all the time”, she said. Técnico’s president professor Arlindo Oliveira stressed the importance of the gesture, highlighting the impact it may have on the department itself by boosting the number of applicants. “Técnico and especially young Portuguese students deserve this kind of attitude”, said, adding that “in fact, this institution has a deep impact on people’s lives, and it’s good when that translates into such gestures”.

PT “De qualquer maneira o Técnico faria parte do meu cartão de visita, e de muitos de nós, mas de facto assim todos os alunos terão um padrão comum, o que é muito engraçado”, afirmou João Oliveira, estudante de engenharia Mecânica, um dos alunos finalistas a quem o Técnico ofereceu um “Business Card”. A iniciativa faz parte do programa Career Discovery@Técnico, e contemplou a produção de um modelo de cartão de visita, e a posterior personalização com os dados de cada estudante. Todos os finalistas foram convidados a aderir, e a 22 de março, os 90 que aceitaram o desafio já puderam ver o resultado final. O professor Luís Castro, Vice-Presidente do Técnico para a Gestão Financeira, realçou o “esforço que o Técnico tem feito para apoiar os alunos nesta fase de transição para o mercado de trabalho”. “O cartão de visita é uma ferramenta e uma marca profissional muito importante”, acrescentou. EN “In any case, Técnico would be, as it is for many of us, mentioned on my business card, but this gives students a common image, which is very cool”, said João Oliveira, a mechanical engineering student, and one of the senior students who received a business card from Técnico. This initiative is part of a program called Career Discovery@Tecnico, and it included the creation of a business card template and its subsequent customization with each student’s data. All senior students were invited to join the initiative, and on March 22, the 90 students who accepted the challenge were able to see the final product. Professor Luís Castro, IST vice president for financial management, highlighted “Técnico’s effort to support students in their transition to the job market”. “The business card is a very important professional tool and brand”, he added.


Dia aberto no Técnico promove mestrados InnoEnergy Open Day at Técnico promotes InnoEnergy master’s program

“O Técnico é uma fonte de talento” “Técnico is a source of talent”

PT Há um ano atrás, Rafael Martins, aluno de Engenharia Mecânica no Instituto Superior Técnico foi abordado no InnoEnergy Master’s Open Day. “Era o meu último ano do curso e não sabia o que vinha a seguir”, conta. Depois da abordagem e da apresentação do programa ficou “a pensar no assunto”. Um ano depois é ele um dos divulgadores do programa de mestrados. Organizado anualmente pelo Técnico, em parceria com a InnoEnergy Master’s School, o evento ocupou o átrio do Pavilhão Central, no dia 3 de março, sensibilizando e informando os estudantes do Técnico para um programa de sete mestrados na área das energias a realizar nas melhores universidades europeias, grupo do qual o Técnico faz parte, sendo a única instituição de ensino portuguesa presente. Centenas de alunos do Técnico foram abordados por divulgadores que esclareceram dúvidas, partilharam experiências, ambições ou relatos de carreiras de sucesso que se seguem a estes mestrados.

PT A frase é do “Principal” da BCG, o engenheiro José Ferreira, aliado do Técnico na distinção do melhor aluno da unidade curricular de Gestão. Este ano, o prémio de mérito Académico “Best in Class BCG” foi atribuído a Francisco Horta da Silva, aluno do Mestrado Integrado em Engenharia Física Tecnológica. A sessão de entrega decorreu dia 3 de março, e distinguiu o melhor aluno da unidade curricular de Gestão do ano letivo 2015/2016. Esta parceria, com já largos anos, do Técnico com a The Boston Consulting Group (BCG) visa “reconhecer o mérito e qualidade dos nossos alunos”, mas também “estimular a aprendizagem na área de gestão”, lembrou o Presidente do Técnico, o professor Arlindo Oliveira. O responsável pela unidade curricular, o professor João Soares, agradeceu a disponibilidade da BCG para “continuar a ser um parceiro que estimula a aprendizagem e que todos os anos recruta vários dos nossos alunos para os seus quadros”.

DÉBORA RODRIGUES / TÉCNICO

EN A year ago, Rafael Martins, a mechanical engineering undergraduate student at Instituto Superior Técnico was approached at the InnoEnergy Master’s Open Day. “It was my last year of studying and I did not know what was coming next”, he said. After being approached and seeing a presentation about the program, he “thought about it”. A year later he is one of the promoters of the master’s degree program. Organized annually by the IST in partnership with InnoEnergy Master’s School, the event occupied the lobby of the Pavilhão Central, on March 3, raising students’ awareness for a program of seven master’s degrees in the field of energy. They are held at the best European universities, a group of which Técnico is part of, the only Portuguese educational institution present. Hundreds of IST students were approached by promoters who clarified doubts, and shared experiences, ambitions or reports of successful careers that followed these master’s degrees.

EN The phrase is from the principal of BCG, the engineer José Ferreira, an ally of Técnico in the distinction of the best student in the management “curricular unit”. This year’s academic achievement award “Best in Class BCG” was awarded to Francisco Horta da Silva, an integrated master’s student in the engineering physics program. The award ceremony took place on March 3 and recognized the best student in the management “curricular unit” during the academic year 2015/2016. This long-standing partnership with the Boston Consulting Group (BCG) aims to “recognize the merit and quality of our students”, but also “stimulate learning in the management field”, recalled the president of Técnico, professor Arlindo Oliveira. The head of the “curricular unit”, professor João Soares, thanked BCG’s availability to “continue being a partner that stimulates learning and that recruits several of our students for their staff every year”.

P—7

PRÉMIOS/AWARDS

VALORES PRÓPRIOS 18 — 2017

EVENTO/EVENT


DESTAQUES/HIGHLIGHTS 2017

DÉBORA RODRIGUES / TÉCNICO

EMPREENDEDORISMO/ENTREPRENEURSHIP

EVENTO/EVENT

Iniciativa “Conversas com Investigadores” inaugurada no Técnico “Talks with Researchers” launched at Técnico P—8 VALORES PRÓPRIOS 18 — 2017

PT “Bem-vindos. Esta é uma conversa informal com o nosso ministro, que também é professor desta casa.” Foi com estas palavras que o presidente do Técnico, o professor Arlindo Oliveira, recebeu os presentes no Grande Auditório do Centro de Congressos para a primeira “Conversa com Investigadores”, promovida pelo Ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, professor Manuel Heitor, que visa garantir o envolvimento da comunidade científica no debate sobre as condições da sua atividade e nas políticas de estímulo ao emprego científico. Durante duas horas, foram dois os grandes assuntos que docentes, investigadores, bolseiros e outros interessados tiveram a oportunidade de discutir com a tutela: a organização do sistema de financiamento científico, nomeadamente através da criação de laboratórios colaborativos, e o emprego científico e desenvolvimento das carreiras científicas. Antes ainda de começar a sua intervenção, o Ministro lembrou as quatro prioridades pelas quais se guia a ação política nesta área: reforçar a formação avançada; reforçar a capacidade da investigação científica; reforçar as condições de emprego científico e reforçar a internacionalização. “Temos a necessidade e oportunidade de crescer, dando prioridade às questões do emprego científico”, afirmou Manuel Heitor.

EN “Welcome. This is an informal conversation with our minister, who is also a professor at our institution.” These were the words with which IST president professor Arlindo Oliveira welcomed all those present in the congress centre’s grand auditorium to attend the first “Talk with Researchers” - an initiative sponsored by professor Manuel Heitor (Minister of Science, Technology and Higher Education), which aims to engage the scientific community in a debate on the conditions of their activity and on scientific employment policies. For two hours teachers, researchers, research fellows and other interested had the opportunity to discuss two major topics with the minister: the organization of the science funding system, particularly through the creation of collaborative laboratories, and scientific jobs and careers. Before his speech, the minister recalled the four priorities that guide political action in this field: strengthening advanced training programs, strengthening the capacity of scientific research, improving scientific employment conditions, and promoting internationalization. We need and have the opportunity to grow by making scientific employment a key priority”, said Manuel Heitor. “Ultimately, what we want is to create a better system”, explained the minister.

Empreendedorismo, inovação e empregabilidade invadem o campus do Taguspark Entrepreneurship, innovation and employability invade IST’s Taguspark Campus PT Foram várias as empresas presentes na Semana Empresarial e Tecnológica (SET) dispostas a partilhar as atividades, projetos, dinâmicas de trabalho e necessidades de recrutamento. Este é um evento organizado de alunos para alunos, onde as empresas têm muito a dizer. O Presidente do Instituto Superior Técnico, o professor Arlindo Oliveira, esteve presente na sessão de abertura, no dia 13 de março, e destacou a relevância desta semana de atividades por “permitir pensar e perspetivar as oportunidades que o futuro pode trazer”. “Não deixem de ouvir aquilo que as empresas têm para vos dizer”, aconselhou. EN Several companies attended the Business and Technology Week (SET) to share their activities, projects, working methods and recruitment needs. This is an event organized by students and for students, but in which companies have a lot to say. IST president professor Arlindo Oliveira attended the opening session on March 13 and highlighted the relevance of this initiative, saying that it “enables us to think and envision future opportunities”. “Never fail to listen to what companies have to say”, he advised.


Um prémio que promove a inclusão e a igualdade no Técnico An award that promotes inclusion and equality at Técnico

A nova plataforma de emprego para estudantes do Técnico The new job platform for IST students

EN The ceremony to present the first Maria de Lourdes Pintasilgo Award was held on February 9, recognizing two female IST graduates from different generations. The prize celebrates the legacy of the engineer who gave the award its name as a professional, alumna and national leader with a decisive impact on Portuguese society. This year the award recognized professor Maria da Graça Carvalho for her academic contributions, scientific leadership and significant impact on the development of the European Union’s R&D policies, as well as engineer Inês Godet for her outstanding academic record, involvement in student support activities as part of the IST community, and remarkable scientific progress. At the ceremony, IST president professor Arlindo Oliveira recalled that “for Técnico, equal opportunities are a crucial issue”. “That’s why we want to promote and highlight the social impact of our alumnae as role models for our new engineering students”, he added.

PT O Técnico tem uma nova plataforma de emprego direcionada exclusivamente para os alunos e recém-diplomados de mestrado do Técnico. O novo “Técnico Job Bank” é mais dinâmico e intuitivo, os estudantes podem personalizar o seu perfil, tornando-o público, aceder às ofertas de emprego e estágio, pesquisar e seguir as empresas registadas, bem como configurarem e receberem os alertas de emprego direcionados para o seu curso. Permite ainda a gestão do calendário pessoal com as atividades de recrutamento do Técnico no âmbito do Career Discovery@Técnico. O acesso é bastante fácil. Os estudantes apenas têm que garantir que autorizaram a cedência de dados para fins profissionais no sistema Fénix e inserir as credenciais do Técnico através de jobbank.tecnico.ulisboa.pt ou do dispositivo móvel Android ou IOS.

DÉBORA RODRIGUES / TÉCNICO

PT A entrega do 1.º Prémio Maria de Lourdes Pintasilgo, que reconhece duas graduadas do Técnico, de gerações diferentes, como forma de promover o exemplo da engenheira que lhe dá o nome como profissional, alumna e líder nacional, com papel e impacto determinantes na sociedade portuguesa, decorreu no dia 9 de fevereiro. O prémio reconheceu, este ano, a professora Maria da Graça Carvalho pelas suas contribuições académicas, liderança científica e pelo seu impacto significativo no desenho das políticas de investigação e desenvolvimento da União Europeia, e a engenheira Inês Godet, em reconhecimento do seu exemplar percurso académico, do envolvimento em atividades de apoio ao estudante e de divulgação, inserida na comunidade IST, e da sua notável progressão científica. Na cerimónia, o presidente do Técnico, professor Arlindo Oliveira, lembrou que, “para o Técnico, a questão da igualdade de oportunidades é fundamental”. “É por isso que pretendemos promover e dar visibilidade ao papel e ao impacto das nossas antigas alunas na sociedade como modelos para as novas alunas de engenharia”, acrescentou.

EN Técnico has a new job opportunities platform targeted at IST’s master’s degree students and recent graduates. The brand new Técnico Job Bank is more dynamic and intuitive: students can customize and make their profile public, access job and internship offers, research and follow registered companies, and receive job alerts targeted at their fields. It also allows students to manage their personal schedule with Técnico’s recruitment activities under the scope of the Career Discovery@Técnico program. Access is quite easy. Students need only to authorize the transfer of their personal data for business purposes within the Fénix system and enter Técnico’s credentials at jobbank.tecnico. ulisboa.pt or from an Android or IOS mobile device.

P—9

EMPREENDEDORISMO/ENTREPRENEURSHIP

VALORES PRÓPRIOS 18 — 2017

PRÉMIOS/AWARDS


MOOC Técnico Lisboa Cursos abertos online Open online courses Os cursos MOOC do Técnico são desenhados para oferecer a melhor formação online, com conteúdos relevantes e atuais. São cursos gratuitos e certificados, com creditação no Técnico Lisboa. Qualquer pessoa se pode inscrever e participar, sob o lema aprender onde e quando se quiser.

Formação numa transversalidade de áreas científicas Education in a wide range of scientific areas

Anyone can register and participate, under the motto “learn wherever and whenever you want”

Em todos os dispositivos, em qualquer lado Anywhere, anytime and on any device

O Técnico já era grande. Agora ficou maior. Técnico was great. Now it is greater.

mooc.tecnico.ulisboa.pt

The MOOC courses of Técnico Lisboa are open online courses designed to offer the best online education with relevant and cutting-edge contents. They are free, granting certificates.

De curta duração e maioritariamente em língua portuguesa

Com conteúdos multimédia e práticas de aprendizagem colaborativa

Short courses mostly in Portuguese language

With multimedia contents and collaborative learning practices


PRÉMIO/AWARD

“ A Engenharia não é um mundo de homens” “ Engineering is not a man’s world”

P — 12

Graça Carvalho tem assumido cargos políticos de relevo, sendo atualmente membro do gabinete do Comissário português, Carlos Moedas Graça Carvalho has held significant political positions, and is currently a member of the cabinet of the Portuguese commissioner, Carlos Moedas

VALORES PRÓPRIOS 18 — 2017

PT Vencedora da 1ª edição do Prémio Maria de Lourdes Pintasilgo, Maria da Graça Carvalho defende que estas iniciativas “são importantes para chamar a atenção das raparigas de que a engenharia não é um mundo de homens”. Para além de ser uma celebração da figura de Maria de Lourdes Pintasilgo cujo pensamento “é de uma atualidade acutilante”. Formada em Engenharia Mecânica pelo Técnico, a professora Graça Carvalho, diz que nunca se sentiu discriminada. Recorda que frequentou o curso “numa altura muito atribulada mas também fascinante da sociedade portuguesa”, já que apanhou os dois últimos anos de ditadura e o período do 25 de Abril. Com um percurso profissional brilhante, Maria da Graça Carvalho é membro da Unidade de “Aconselhamento Científico” da Comissão Europeia. Foi como deputada do Parlamento Europeu, de 2009 a 2014 que foi relatora do programa Horizonte 2020, um dos maiores pacotes de investimento em tecnologia do Mundo. Em Portugal, durante dois mandados foi ministra com as pastas da Ciência e Ensino Superior. É Professora Catedrática no Departamento de Engenharia

“Entendi este Prémio como uma celebração do papel das mulheres na engenharia, na política e na sociedade” ~ “I see this award as a celebration of the role of women in engineering, politics and society”

EN Winner of the first edition of the Maria de Lourdes Pintasilgo Award, Maria da Graça Carvalho argues that these initiatives “are important to make girls aware that engineering is not a man’s world. And also to celebrate Maria de Lourdes Pintasilgo whose thoughts “are still very pertinent today”. With a degree in mechanical engineering from Técnico, professor Graça Carvalho says she never felt discriminated. She recalls that she studied at the department “in a very troubled but also fascinating time in Portuguese society”, experiencing the final two years of the dictatorship and the period of April 25th. Boasting a brilliant career, Maria da Graça Carvalho is a member of the “Scientific Advice” Unit of the European Commission. As a member of the European Parliament, from 2009 to 2014, she was rapporteur for the Horizon Program 2020, one of the largest technology investment packages in the world. In Portugal, for two terms, she was minister with the Department of Science and Higher Education. She is a professor in the Department of Mechanical Engineering of Técnico. She recalls that “perhaps her biggest professional challenge


VALORES PRÓPRIOS 18 — 2017

P — 13

VASCO VILHENA


PT Mecânica do Técnico. Recorda que “talvez o meu maior desafio profissional até hoje” tenha sido ser “monitora de Análise Matemática III e IV”. Para aumentar a percentagem de raparigas nos cursos de Engenharia defende que mais professoras deverão participar nas atividades de Dias Abertos aos estudantes do ensino secundário. Depois “é fundamental promover a presença de mais engenheiras no espaço público. É rara a série televisiva ou filme cuja protagonista é uma engenheira”, sublinha. Que importância teve para si vencer o Prémio Maria de Lourdes Pintasilgo? Entendi este prémio como uma celebração do papel das mulheres na engenharia, na política e na sociedade. Este prémio é também uma celebração do legado de Maria de Lourdes Pintasilgo. O pensamento de Maria de Lourdes Pintasilgo é de uma atualidade acutilante. Por exemplo, em relação às mulheres na sociedade, um dos seus postulados consistia em evitar o mimetismo no exercício do poder político, introduzindo outras dimensões do humano a partir da cultura milenar das mulheres. Maria de Lourdes Pintasilgo defendia a diferença como uma dimensão valorativa da cidadania e da genuína democracia. É tudo isto que este prémio celebra.

P — 14

Como foi a experiência de frequentar o curso de Engenharia Mecânica, que era na altura um curso maioritariamente frequentado por homens? Frequentei o curso de Engenharia Mecânica numa altura muito atribulada mas também fascinante da sociedade portuguesa. O meu curso desenrolou-se durante os dois últimos anos da ditadura, o período do 25 de Abril e os primeiros anos de democracia. O Técnico foi palco de muitos confrontos ideológicos, e não só…Talvez por trabalhar muitas horas e normalmente dentro do IST, estive presente em muitos dos eventos que hoje começam a fazer parte da nossa História. Alguma vez se sentiu discriminada enquanto aluna ou professora no Técnico? Nunca me senti discriminada. Fui sempre uma das melhores alunas do curso e fiquei sempre em primeiro lugar nos poucos concursos que fiz.

VALORES PRÓPRIOS 18 — 2017

Que episódio mais a marcou enquanto estudante do Técnico? O episódio mais marcante foi o início da minha atividade de docente como monitora de Análise Matemática III e IV. Era então aluna no início do 4º ano de Engenharia Mecânica quando passei um concurso para monitor no Departamento de Matemática. Comecei com duas turmas teórico-práticas em regime pós-laboral de Analise Matemática III. Foi talvez o meu maior desafio profissional até hoje.

Atualmente o Técnico tem cerca de 30% de alunas. Que medidas podem ser implementadas para atrair mais mulheres para as áreas das engenharias e tecnologias? Iniciativas, como a do presente Prémio, são importantes para chamarem a atenção das raparigas de que a engenharia não é um mundo de homens. Os exemplos concretos são essenciais. Por exemplo, o Técnico deverá ter a preocupação de envolver professoras na receção de alunos do secundário durante os “dias abertos”. É fundamental promover a presença de mais engenheiras no espaço público. É rara a série televisiva ou filme cuja protagonista é uma engenheira. Aconselharia um jovem que esteja a terminar o ensino secundário a escolher tirar um curso no Técnico? Com certeza. São cursos fascinantes e com muitas saídas profissionais diversificadas, especialmente para alunos que gostem de fisica e matemática. •

“Nunca me senti discriminada. Fui sempre uma das melhores alunas do curso e fiquei sempre em primeiro lugar nos poucos concursos que fiz” ~ “I never felt discriminated. I was always one of the best students in the department and I always reached first place in the few contests that I participated in”


P — 15

VASCO VILHENA

How important was it for you to win the Maria de Lourdes Pintasilgo Award? I regarded this award as a celebration of the role of women in engineering, politics and society. This award is also a celebration of the legacy of Maria de Lourdes Pintasilgo. The thoughts of Maria de Lourdes Pintasilgo are still very pertinent today. For example, in relation to women in society, one of her principles was to avoid mimicry in the exercise of political power by introducing other dimensions of humans from the age-old culture of women. Maria de Lourdes Pintasilgo defended difference as a valued dimension of citizenship and genuine democracy. It is all this that this award celebrates.

How was the experience of studying mechanical engineering, at a time when the course was mostly attended by men? I studied mechanical engineering at a very troubled time but also a fascinating one in Portuguese society. My studies lasted over the last two years of the dictatorship, the period of April 25th and the first years of the democracy. Técnico was the venue of many ideological clashes, and not only that... Possibly, as a result of working long hours and usually at IST, I was present during many of the events, which are now becoming part of our history. Have you ever felt discriminated as a female student or professor at Técnico? I never felt discriminated. I was always one of the best students in the department and I always reached first place in the few contests that I participated in. What episode marked you the most as a Técnico student? The most striking episode was the beginning of my teaching activity as a monitor of mathematical analysis III and IV. I was a student at the beginning of the fourth year of mechanical engineering when I passed a contest to monitor for the Department of

Mathematics. I began with two theoretical and practical classes in the post-work regime of mathematical analysis III. It was perhaps my biggest professional challenge up to date. Currently Técnico has about 30% female students. What measures can be implemented to attract more women to the fields of engineering and technology? Initiatives, such as this award, are important to make girls aware that engineering is not a man’s world. Concrete examples are essential. For example, Técnico should try to involve teachers when hosting high school students during the “Open Days”. It is essential to publicly promote the presence of female engineers more often. It’s rare that in television series or movies the protagonist is an engineer. Would you advise a soon-to-be high school graduate to choose to study at Técnico? Certainly. there are fascinating departments with many diverse career opportunities, especially for students who like physics and mathematics. •

VALORES PRÓPRIOS 18 — 2017

EN to date” was to be a “monitor of mathematical analysis III and IV”. To increase the percentage of women in engineering programs she argues that more teachers should participate in the Open Day activities that welcome high school students. Also “it is essential to promote the presence of more engineers in the public space. It’s rare that the protagonist in a television series or movie is a female engineer “, she notes.


PRÉMIO/AWARD

“ A razão do meu

P — 16

trabalho será sempre poder contribuir para o combate do cancro” ~ “ The reason for my work will always be able to contribute to the fight against cancer”

VALORES PRÓPRIOS 18 — 2017

Inês Godet foi a 1ª recém- graduada que o Prémio Maria de Lurdes Pintasilgo distinguiu pelo mérito que reveste o seu percurso académico Inês Godet was the first recent graduate distinguished by the Maria de Lurdes Pintasilgo Award for her academic achievements


EN In Técnico she found a “second home and family” and she is certain that it was the choices she made at this school that led her to Johns Hopkins University, where she is doing her PhD. She believes that “everything that comes into your life, comes for a reason” and that her reason will always be to help beat cancer.

Começando pelo início, porquê Engenharia Biológica e porquê o Técnico? A única certeza que eu tinha era que queria ter uma profissão que me permitisse contribuir para solucionar um dos maiores fardos da humanidade: o cancro. Procurei uma escola com uma posição bem definida a nível nacional e internacional, que além de garantir um carimbo de excelência no meu currículo, me abrisse portas para os passos seguintes. Engenharia Biológica assegurava os meus dois requisitos: o Técnico é uma das melhores escolas de engenharia do país e da Europa, e Engenharia Biológica combina as ferramentas base da engenharia com as aplicações biológicas.

Starting at the beginning, why study biological engineering and why chose Técnico? The only certainty that I had was that I wanted to have a profession that would allow me to help solve one of humanity’s greatest burdens: cancer. I looked for a school with a well-defined position on a national and international level which, in addition to ensuring a stamp of excellence on my CV, opened doors for the next steps. Biological engineering met my two requirements: Técnico is one of the best engineering schools in the country and Europe, and biological engineering combines engineering-based tools with biological applications.

Como tem sido a oportunidade de investigar em Hopkins, uma das universidades mais conceituadas do mundo? Tem sido fantástica! A universidade é efetivamente muito boa, e a investigação feita é de muita qualidade. O hospital da Hopkins é um dos mais procurados na luta contra o cancro, e há diversos oncologistas inseridos no Breast & Ovarian Cancer Program, o que promove um ambiente translacional onde a investigação pode ser adaptada às preocupações dos médicos, e o tratamento pode ser adaptado aos resultados dos investigadores. De uma forma geral, apesar de ser um ambiente competitivo, é uma universidade cheia de recursos humanos e materiais.

What has the opportunity to do research at Hopkins, one of the most prestigious universities in the world, been like? It has been fantastic! The university is excellent, and the research is of very high quality. Hopkins’ hospital is one of the most sought after in the fight against cancer and there are oncologists from diverse backgrounds in the Breast & Ovarian Cancer Program that promotes a fluid environment where research can be adapted to the concerns of doctors and treatment can be adapted to the results of researchers. In general, despite being a competitive environment, it is a university full of human and material resources. Tell us about the focus of your research. The focus of my laboratory is on a phenomenon known as hypoxia, and we are particularly interested in breast cancer. Hypoxia has a counterintuitive effect on cancer because, rather than weakening

20 Valor da nota que a Inês Godet tirou na tese de mestrado The grade that Inês Godet received on her master’s thesis

VALORES PRÓPRIOS 18 — 2017

I CHAE YE

Fale-nos um pouco do principal foco da sua investigação? O foco do meu laboratório é um fenómeno denominado por hipóxia, e estamos particularmente interessados no cancro da mama. A hipóxia tem um efeito contraintuitivo no cancro, pois em vez de debilitar as células, desencadeia uma série de respostas que faz com que elas se adaptem ao novo ambiente. Estas respostas tornam o cancro mais metastático e resistente às terapias tipicamente utilizadas. Pretendo entender o seu impacto no micro-ambiente do tumor e nas metástases. Para tal tento recriar e caracterizar o ambiente do tumor num sistema in vitro. Para determinar o papel da hipóxia no processo metastático, estou a desenvolver um sistema in vivo que me permita seguir as células hipóxicas em modelos vivos (ratos).

P — 17

PT No Técnico encontrou uma “segunda casa e a uma família” e garante que foram as suas escolhas que fez nesta escola que a levaram até à universidade de Johns Hopkins, onde está a fazer o seu doutoramento. Acredita que “tudo o que chega, chega sempre por alguma razão, a sua será sempre ajudar a vencer o cancro.


PT Engenharia Biológica é um curso com bastantes alunas, mas o Técnico ainda é uma escola maioritariamente masculina. Sentiu algum tipo de preconceito ou discriminação enquanto aluna? O Técnico sempre teve e continua a ter uma percentagem inferior de mulheres, apesar de este número ter vindo a aumentar. Enquanto aluna de Engenharia Biológica, a igualdade de género é algo que está tão enraizado, que nem se põe em causa. Na comunidade escolar em si nunca senti qualquer tipo de discriminação. Enquanto guia do NAPE, conversei com incontáveis potenciais candidatas e sim, existe um preconceito em relação à engenharia. Acredito que o tempo e a forte divulgação do Técnico está a mudar estas mentes.

Relativamente ao prémio Maria de Lourdes Pintasilgo que o Técnico lhe atribuiu, qual foi a sua reação quando soube que era a recém-graduada contemplada? Fiquei muito surpreendida, mas rapidamente fui inundada por uma muito agradável sensação de satisfação. É excelente ver o Técnico a homenagear mulheres com carreiras tão inspiradoras e marcantes como a de Maria de Lourdes Pintasilgo ou da Professora Maria da Graça Carvalho. Selecionarem uma jovem graduada no âmbito do mesmo prémio prova o quão importante é para o Técnico captar a atenção das camadas mais novas. Voltar ao Técnico para receber este reconhecimento foi um momento muito especial que me vai inspirar sempre. VALORES PRÓPRIOS 18 — 2017

O que é que do alto da sua ainda tão curta carreira espera alcançar? Enquanto investigadora, sinto que ainda me falta alcançar tudo. A razão do meu trabalho será sempre poder contribuir para o combate do cancro. Paralelamente espero poder partilhar o meu conhecimento, orientar alunos e acima de tudo inspirar pessoas. •

DÉBORA RODRIGUES / TÉCNICO

P — 18

E enquanto investigadora, tem sentido que tem que trabalhar o dobro por seres mulher? Sinto que devo trabalhar muito, não particularmente por ser mulher, simplesmente porque acredito que o trabalho compensa e que só isso nos faz concretizar os nossos objetivos. Infelizmente, as estatísticas são claras e mostram que apesar de existirem mais investigadoras do que investigadores, os lugares de professor assistente, associado e catedrático continuam a ser maioritariamente de homens. Portugal parece ser um dos países mais avançados na luta contra a desigualdade de géneros em ciência e investigação. Um estudo recente mostra as mulheres portuguesas a liderar as estatísticas do mundo. Espero, num futuro próximo, vir a contribuir para estes números.


Biological engineering is a degree with many female students, but Técnico is still a mostly male school. Did you feel some sort of prejudice or discrimination as a student? Técnico has always had and continues to have a lower percentage of women, although this number has been increasing. When I was a biological engineering student, gender equality was something so deeply embedded that it didn’t cause any problems. In the school community itself I never felt any kind of discrimination.

While a guide at NAPE, I talked to countless potential candidates and yes, there was a bias about engineering. I believe time and Técnico’s powerful outreach is changing people’s minds. And as a researcher, do you feel that you have to work twice as hard because you are a woman? I feel I must work hard, not particularly because I am a woman, but simply because I believe that working is worth it and only through work can we accomplish our goals. Unfortunately, statistics are clear and show that although there are more female researchers than male researchers, the assistant, associate and full professor positions are still mostly occupied by men. Portugal seems to be one of the most advanced countries in the fight against gender inequality in science and research. A recent study shows Portuguese women leading world statistics. I hope to soon contribute to these numbers.

Regarding the Maria de Lourdes Pintasilgo Award that Técnico gave you, what was your reaction when you heard you were the recent graduate candidate? I was very surprised, but I was quickly overwhelmed with a very pleasant feeling of satisfaction. It’s great to see Técnico honouring women with careers so inspiring and striking as those of Maria de Lourdes Pintasilgo or professor Maria da Graça Carvalho. Selecting a young female graduate for the same award proves how important it is for Técnico to capture the attention of the younger generations. Returning to Técnico to receive this recognition was a very special moment that will always inspire me. What is it that you hope to achieve at the height of your as-yet short career? As a researcher, I feel that I still have everything to achieve. The motivation for my work will always to be able to contribute to the understanding and treatment of cancer. At the same time, I hope to share my knowledge, guide students and, above all, inspire people. •

VALORES PRÓPRIOS 18 — 2017

P — 19

I CHAE YE

EN the cells, it triggers a series of responses, which cause the cells to adapt to their new environment. These responses make cancer more metastatic and resistant to typically used therapies. I want to understand the impact of this on the tumour micro-environment and on metastasis. I therefore try to recreate and characterize the tumour environment in vitro. To determine the role of hypoxia in the metastatic process, I am developing an in vivo system, which allows me to follow the hypoxia cells in live models (rats).


P — 20

Alumni talks no feminino celebra o Dia da Mulher no Técnico ~ A women’s edition of the Alumni Talks celebrates Women’s Day at Técnico

VALORES PRÓPRIOS 18 — 2017

Edição especial do evento juntou atuais alunas com conceituadas profissionais que passaram pelo Técnico The special event brought together current female students with renowned professional women who studied at Técnico

DÉBORA RODRIGUES / TÉCNICO

ALUMNI


EN “It’s always good to come back home”, said Paula Panarra, director of Microsoft Portugal, upon entering the hall hosting the Alumni Talks, an event organized by the Student Support Unit of the Instituto Superior Técnico (NAPE-IST), and this time dedicated entirely to women. Accompanying Paula Panarra were other alumnae who became successful after graduating from Técnico, and returned on March 8th to exchange experiences and advice with current students. For about two hours it was a time for sharing. In an informal setting, with breakfast available, professional and academic experiences filled conversations. “We’re speaking mainly about the challenges of being women and having a career, and the choices that must be made”, said another of the guests, Isabel Guerreiro, senior director of Santander Totta.

The nervousness of about thirty Técnico students scattered around five tables was soon replaced by curiosity. “To have this contact with people who are already in the professional world is very important, to listen to advice, discover choices”, explained Filipa Neves, a computer engineering student. The role of women in the labour market was discussed, and engineering as traditionally a man’s world, and male dominance in the labour market were demystified by the guests. According to Isabel Guerreiro, “it is up to us as women to change this perspective and we are doing it”. The idea was complemented by Cristina Fonseca, co-founder of Talkdesk: “You’re judged by what you do and not by what you are”. As time went by, more and more advice was given. “Risk”, “believe” and “innovate” were verbs that were heard several times. “The world will be made up of diversity and balance, and my main advice comes from there: don’t give up because there are many challenges ahead”, recommended the director of Microsoft Portugal. Besides Paula Panarra, Cristina Fonseca and Isabel Guerreiro, Ana Dias Fonseca, co-founder of Biosurfit, Joana Novais, senior business planning analyst at Novartis, and several of Técnico’s professors attended these Alumni Talks. At the end of the session, the student Filipa Neves, shared a piece of advice from an alumna at her table, which inspired her the most: “Do what you want, don’t feel pressured to do what you are supposed to do. You must always act on your feelings.” •

VALORES PRÓPRIOS 18 — 2017

“És julgada por aquilo que fazes e não por aquilo que és” ~ “You are judged by what you do and not for what you are”

P — 21

DÉBORA RODRIGUES / TÉCNICO

PT “É sempre bom voltar a casa”, dizia Paula Panarra, Diretora da Microsoft Portugal, à entrada da sala que recebia mais uma edição das “Alumni talks”, um evento organizado pelo NAPE-IST– Núcleo de Apoio ao Estudante do Instituto Superior Técnico, desta feita inteiramente dedicada à mulher. A acompanhar Paula Panarra, estavam outras alumnae, que depois da passagem pelo Técnico alcançaram o sucesso, e regressaram, no dia 8 de março para trocar experiências e conselhos com as atuais alunas. Durante cerca de duas horas, o momento foi de partilha. Num ambiente informal, com um apetrechado pequeno-almoço à disposição, as experiências profissionais e os episódios académicos preencheram as conversas. “Falamos sobretudo dos desafios de ser mulher e de ter uma carreira, e das escolhas que devem ser feitas”, conta outra das convidadas, Isabel Guerreiro, Diretora Sénior do Santander Totta. O nervosismo das cerca de trinta alunas do Técnico, espalhadas pelas cinco mesas, rapidamente foi substituído pela curiosidade. “Termos este contato com pessoas que já estão no mundo profissional é muito importante, ouvir conselhos, perceber escolhas”, explicava Filipa Neves, estudante de Engenharia Informática. A essência da mulher no mundo do trabalho não ficou de fora da conversa. A engenharia como um mundo tradicionalmente de homens, e o domínio masculino no mercado de trabalho, foram desmistificados pelas convidadas. Para Isabel Guerreiro “cabe-nos a nós, como mulheres, mudar essa perspetiva e estamos a fazê-lo”. A ideia foi complementada por Cristina Fonseca, co-fundadora da Talkdesk: “És julgada por aquilo que fazes e não por aquilo que és”. À medida que o tempo passava, os conselhos multiplicavam-se. “Arriscar”, “acreditar” e “inovar”, foram verbos que se ouviram várias vezes. “O mundo vai ser feito de diversidade e de equilíbrio, e o meu principal conselho parte daí: não desistam que há imensas coisas para fazer pela frente”, recomendava a diretora da Microsoft Portugal. Além de Paula Panarra, Cristina Fonseca e Isabel Guerreiro, também Ana Dias Fonseca, co-fundadora da Biosurfit, Joana Novais, “Senior Business Planning Analyst” na Novartis, e várias docentes do Técnico marcaram presença na sessão das “Alumni Talks”. No final da sessão, a aluna Filipa Neves, partilha um dos conselhos que a alumna, que ocupou a sua mesa lhe passou e que mais a marcou: “façam aquilo que quiserem, não se sintam pressionadas para fazer aquilo que é suposto fazer e sintam sempre aquilo que vocês querem fazer”. •


Serviços de Saúde Health Services

A unidade de serviços de saúde do Técnico foi inicialmente criada com o objetivo de promover melhores condições de vida e de trabalho a todos os colaboradores da escola, proporcionando-lhes um ambiente adequado ao processo de aprendizagem e às atividades de ensino e investigação.

Técnico’s health services unit was created to promote better living and working conditions for all employees of the school, providing an adequate environment for the learning process and teaching and researching activities.

Vasto leque de especialidades médicas

Análises clínicas, audiologia, electrocardiografias e espirometria

Marcação de consultas de clinica geral e medicina do trabalho

Prestação de cuidados de saúde à comunidade e ao exterior

Vast range of medical specialties

Clinical analysis, audiology, electrocardiography and spirometry

Appointments for general practice and occupational medicine and employee health

Healthcare provided to the school’s community and exterior

saude.tecnico.ulisboa.pt


COMUNIDADE/COMMUNITY

P — 24

As mulheres que começaram a história da engenharia The women who started the history of engineering Procuramos no tempo as alumnae que ingressaram na maior escola de engenharia do país Looking back through history, we sought out the alumnae who enlisted in the greatest school of engineering in the country

VALORES PRÓPRIOS 18 — 2017


VALORES PRÓPRIOS 18 — 2017

EN Looking back through history, we sought out the alumnae who challenged social conventions and enlisted in the greatest school of engineering in the country. They faced stereotypes, they challenged the social norms of the time and wrestled with conservatism when they chose to engage in professions that for many years were exclusively male. After entering Instituto Superior Técnico, they built solid careers, and became an example and inspiration for the female students that followed. The first was Maria Amélia Chaves who was twenty years old when she decided to enrol in the engineering program at Técnico in 1931. She was the daughter of a general, from whom she certainly inherited her fearless spirit, the same that led her to Técnico without thinking twice. Upon arriving she was pleasantly surprised by the support and respect from her classmates, and, instead of the expected discrimination, she had to resist “exaggerated” acts of chivalry. In 1937, with a degree in her hand and a final average of 13.5, she found no obstacles when she started seeking opportunities to start her first job. Once again, she did not let herself be intimidated by a professional market dominated by men. She found employment at the Lisbon City Council and it was from there that she became the first woman in the country to lead a group of workers. Thereafter, and as always, nothing dissuaded her from following her vocation.

P — 25

PT Procuramos no tempo as alumnae que fizeram frente às convenções sociais e ingressaram na maior escola de engenharia do país. Enfrentaram os estereótipos, desafiaram as normas sociais da época e fizeram braço de ferro com o conservadorismo ao escolherem enveredar por profissões que durante muitos anos foram exclusivamente masculinas. Depois de ingressarem no Instituto Superior Técnico, construíram carreiras profissionais sólidas, tornando-se o exemplo e a inspiração das alunas que se seguiram. A primeira delas foi Maria Amélia Chaves, tinha vinte anos quando decidiu inscrever-se no curso de engenharia no Instituto Superior Técnico, em 1931. Filha de um general, certamente lhe herdou o espírito destemido, o mesmo que a levou ao Técnico, sem pensar duas vezes. Ao chegar foi agradavelmente surpreendida pelo apoio e respeito dos colegas de turma, e em vez da discriminação esperada teve que resistir aos “exagerados” atos de cavalheirismo. Em 1937, com o canudo na mão e uma média final de 13,5 valores, não encontrou obstáculos quando se lançou à procura do primeiro emprego. Mais uma vez não se deixou intimar por um mercado profissional dominado por homens. Arranjou emprego na Câmara Municipal de Lisboa e


P — 26

PT foi a partir de lá que se tornou a primeira mulher no país a comandar um grupo de operários. Daí em diante, e como sempre, nada a demoveu de seguir a sua vocação. Também nos anos 30 chega ao Técnico a professora Isabel Maria Gago, a primeira professora de engenharia do país. Fez a admissão ao Técnico simultaneamente com Maria Luísa Pereira dos Santos, terminando ambas a licenciatura em 1939 e classificando-se assim como as primeiras Engenheiras Químicas licenciadas pelo Técnico. Após o curso ficou como assistente tendo seguido a carreira de docente universitária. Nunca se doutorou e nunca se afastou da instituição, prova disso era o facto da sua própria casa ficar junto ao Técnico. Participou em vários projetos importantes, como a montagem dos laboratórios da então recém-criada Universidade de Lourenço Marques em Moçambique. Após uma longa e ativa vida foi jubilada aos 70 anos, mas ainda assim poucos foram os dias, que em vida, e enquanto pôde, não veio visitar o seu laboratório. Pouco a pouco, e com a Revolução de Abril a coragem de um ingresso no feminino ia chegando às portas do Técnico. Ainda não era assim quando Sílvia Marília Brito Costa, chegou à escola. Terminou a sua licenciatura em 1970 e acabou por rumar à Universidade de Southampton onde se doutorou, realizando depois um pós-doutoramento na Royal Institution. Regressa depois à instituição para lecionar, sendo, desde 1980, Professora Catedrática, a primeira do país. Os marcos não se ficam por aqui: foi a primeira vencedora feminina do Prémio Ferreira da Silva, o mais alto galardão conferido pela Sociedade Portuguesa de Química. Construiu de raiz um grupo de investigação que se equipara com os melhores na área de foto química molecular. Foi marcando passo, e alcanço vitórias numa área em que os lugares de topo foram durante anos ocupados exclusivamente por homens. Estas mulheres abriram caminho a uma engenharia feita no feminino, foram determinantes e determinadas. Hoje em dia o Técnico tem cerca de 31% de alunas no universo de estudantes quando em 1974/75 as alunas ocupavam, apenas, 16% dos lugares nas salas de aula. Cursos como Engenharia Civil, Engenharia Eletrónica e Engenharia Aeroespacial começaram a ganhar adeptas. Também no número de investigadoras e no corpo decente e não docente há já uma marca feminina acentuada. •

Alunas que ingressaram no ensino superior Female students enrolled at higher education1

53.4%

Investigadoras em Portugal Female researchers in Portugal1

50%

Alunas que ingressaram no Técnico Female students enrolled at Técnico1

31%

Os cursos onde ingressam a maior percentagem de alunas Courses with the highets rate of women admitted1 Engenharia Biológica / Biological Engineering (74%)

VALORES PRÓPRIOS 18 — 2017

Arquitetura / Architecture (62%) Engenharia Química / Chemical Engineering (62%) Engenharia Biomédica / Biomedical Engineering (60%) Engenharia do Ambiente / Environmental Engineering (53%) 1 — Dados referentes a 2016 / Data from 2016


Mulheres com grau de mestre e PhD no Técnico Female students with Master’s and PhD degree on Técnico2

29%

Mulheres no staff do Técnico Women on Técnico’s staff2

26%

28%

Professoras do Técnico Female professors at Técnico2

27%

Professoras catedráticas do Técnico Female full professors at Técnico2

7%

2 — Dados referentes a 2013 / Data from 2013

VALORES PRÓPRIOS 18 — 2017

EN In the 1930s professor Isabel Maria Gago, the first professor of engineering in the country, also arrived at Técnico. She was admitted to Técnico at the same time as Maria Luisa Pereira dos Santos. Both of them finished their degrees in 1939 and thus classified themselves as the first female chemical engineers licensed by Técnico. After graduating, she became an assistant and pursued a career as a university lecturer. She does not have a doctorate and never left Técnico, in fact her own home is near Técnico. She participated in several important projects, such as the installation of the laboratories of the then newly established University of Lourenço Marques in Mozambique. After a long and

active life, she retired at 70, yet there were few days in her life when she did not come to visit her laboratory. Little by little, and with the Carnation Revolution, more and more female students applied to Técnico. It wasn’t like that yet when Sylvia Brito Costa arrived at school. She finished her degree in 1970, then went to the University of Southampton to get her PhD, and afterwards did a post-doctorate at the Royal Institution. She then returned to Técnico to teach, becoming a full professor in 1980, the first one in the country. Her milestones don’t stop there: she was the first female winner of the Silva Ferreira Prize, the highest award given by the Portuguese Society of Chemistry. She built a research group from scratch comparable with the best in the field of molecular photochemistry. She has been making her mark, and has achieved many things in an area where for years the top spots were occupied exclusively by men. These women opened the way for engineering produced by women, they were decisive and determined. Nowadays, about 31% of students are female at Técnico, when in 1974/75 the female students occupied only 16% of seats in classrooms. Degrees such as civil engineering, electronic engineering and aerospace engineering have begun to gain female interest. There are also many women present who work as researchers, professors and non-faculty staff. •

P — 27

Mulheres investigadoras no Técnico Female researchers in Técnico2


Investigação científica liderada por mulheres ~ Scientific research led by women P — 28 VALORES PRÓPRIOS 18 — 2017

Falamos com três das jovens investigadoras do Técnico, conhecemos os projetos que lideram e percebemos as motivações que as direcionam We spoke with three young female researchers from Técnico to find out about the projects they are coordinating and what motivates them

DÉBORA RODRIGUES / TÉCNICO

INVESTIGAÇÃO/RESEARCH


Número oficial de investigadoras do Técnico em 2015 Official number of Tecnico´s researchers in 2015

ser tão imediatamente visível como noutras áreas”, partilha. Esta “exposição e a sensação que todos os dias há algo diferente para descobrir”, não a intimidam, aliciam-na.•

EN Marta Almeida is happy about her work. She believes there’s no other way to do research. LIFE Index air and ClimACT are the two projects this researcher from the Centre for Nuclear Sciences and Technologies (C2TN) is currently heading, both involving air quality. “The purpose of LIFE Index air is to develop a decisionmaking support tool specifically designed for policy makers”, Marta Almeida explains. But for now, her inspiration comes from an awareness campaign targeted at schools. “We feel that we can’t simply ask schools to give us something, we must give something in return, and we believe that improving air quality depends on awareness and behaviour”, says professor Marta Almeida. ClimACT, on the other hand, “will develop a tool to identify energy efficiency improvements, which will also involve environmental performance in schools”, she says. “These are more

VALORES PRÓPRIOS 18 — 2017

166

than mere research projects, these are engagement projects”, she summarizes. Professor Marta Fajardo discovered her passion for physics when she was a teenager, inspired by physics teacher Ana Eiró, who happened to be a friend of her mother. Being a woman was never an obstacle. On the contrary, it brought her to the spotlight at an important time of her life: “When I was doing my post-doc they put me in charge of a big project because I was a young woman; they thought it would be good for the project, and for me it was an awesome opportunity because it skyrocketed my career.” Other major projects followed. She currently manages VOXEL, a European project aimed at developing a disruptive X-ray tomography solution that will allow doctors to obtain 3D images with minimal doses of ionizing radiation; this technology, professor Marta Fajardo says, is “an alternative to traditional X-rays and has applications in dentistry, traumatology and cancer detection”. The various projects headed by professor Patrícia Figueiredo in recent years focus on the field of brain imaging. More specifically, she wants to develop “image capture techniques and, with them, improve our understanding of the functioning of the brain, particularly in neurological and psychiatric diseases”, she explains. One of the projects she is heading focuses on the study of the brain function in dementia and aging, especially the cerebrovascular aspects associated with these processes. “Some say that neuroscience is the science of the 21st century, so there’s a lot of pressure for quick and new developments. On the other hand, its medical applications have a major impact on society, an impact which may not be as immediately visible as in other fields”, she comments. This “exposure and the feeling that there’s something new to discover every day” do not intimidate her, they actually inspire her. •

P — 29

DR

PT Marta Almeida é feliz no que faz. Acredita que não há outra maneira de fazer investigação. O LIFE Index air e o ClimACT são os dois projetos que a investigadora do Centro Tecnológico e Nuclear (C2TN) está neste momento a liderar, ambos relacionados com a qualidade do ar. “O LIFE Index air tem como objetivo desenvolver uma ferramenta de apoio à decisão, especificamente desenhada para decisores políticos”, explica a investigadora. É, porém, na ação de sensibilização que está a ser feita nas escolas que para já encontra a inspiração. “Sentimos que não podemos só pedir às escolas, temos que dar algo em troca e acreditamos que a melhoria da qualidade do ar passa também pelo comportamento e pela sensibilização”, afirma a professora Marta Almeida. O ClimACT por sua vez “vai desenvolver uma ferramenta de identificação de melhorias em termos de eficiência energéticas, mas também em termos de performance ambiental nas escolas”, diz. “Isto são mais do que projetos de investigação, são projetos de envolvimento”, resume. A paixão pela física surgiu na vida da professora Marta Fajardo quando ainda era adolescente e veio através de uma professora de Física, Ana Eiró, mãe de uma amiga. O facto de ser mulher nunca lhe tirou oportunidades, pelo contrário acabou por colocá-la na linha da frente numa altura importante: “Quando estava a fazer pós-doutoramento, puseram-me à frente de um grande projeto porque eu era mulher e jovem, e acharam que isso ia ficar bem para o projeto, e para mim foi uma oportunidade espetacular, porque me lançou”. Depois desse seguiram-se outros grandes projetos. Atualmente dirige o VOXEL, um projeto europeu que visa desenvolver uma solução disruptiva para a tomografia de raios X, permitindo obter imagens 3D com doses mínimas de radiação ionizante, sendo que “a tecnologia representa uma alternativa à radiografia tradicional e tem aplicações na medicina dentária, traumatologia e deteção do cancro”. Os vários projetos que a professora Patrícia Figueiredo tem liderado nos últimos anos focam-se na área da imagiologia cerebral. Em particular, pretende desenvolver “técnicas para conseguirmos obter imagens e com elas perceber melhor o funcionamento do cérebro, em particular nas doenças neurológicas e psiquiátricas”, explica. Um dos projetos que lidera centra-se no estudo da função cerebral na demência e no envelhecimento, em particular nos aspetos cérebro vasculares associados a estes processos. “Há quem diga que a neurociência é a ciência do século, e portanto há imensa pressão para conseguir novos desenvolvimentos rapidamente. Por outro lado, as suas aplicações médicas conferem a esta área um grande impacto na sociedade, o qual pode não


ALUNOS/STUDENTS

Uma escola de rapazes onde elas vão trilhando caminho A school for men where women are breaking new ground

P — 30

O desequilíbrio está apenas nos números, e não assombra o talento de nenhuma das cinco alunas do Técnico que entrevistamos The imbalance lies only in the numbers, and does not overshadow the talent of the five female students from Técnico whom we interviewed

VALORES PRÓPRIOS 18 — 2017

PT “Quando era pequena, costumava ficar na segunda circular a ver os aviões passar e a sonhar com o dia em que faria parte deste mundo”. Foi esta “paixão de sempre” que trouxe Inês d’Àvila ao Técnico para estudar Engenharia Aeroespacial. Está no quinto ano do curso que lhe satisfaz “o fascínio que sempre teve pelo espaço e a ambição de um dia ajudar a descobrir algo mais”. É uma líder nata, e isso denota-se-lhe no tom e no que foi fazendo ao longo deste 6 anos. Ter criado o Núcleo de Engenharia Aeroespacial, o AeróTec, curiosamente com mais duas raparigas, é um dos exemplos. O curso do Técnico que detém a percentagem feminina mais reduzida é Engenharia e Arquitetura Naval, do qual Madalena Pinto é aluna. Quando estava a investigar as hipóteses para concorrer à faculdade, descobriu esta opção. “Resolvi experimentar um ano, gostei e fiquei”, conta. “Fazia questão que fosse o Técnico, por gostar muito de física e de matemática, mas também porque falei com várias pessoas e analisando os números, o Técnico é claramente melhor”, afirma Madalena. Apesar de estar na escola

“Falei com várias pessoas e analisando os números, o Técnico é claramente melhor” ~ “I spoke to several people and analysed the numbers. Técnico is clearly better”

EN “When I was little, I used to go close to the segunda circular to watch the planes go by and dream of the day I would be part of this world.” It was this “passion” that brought Inês d’Ávila to Técnico to study aerospace engineering. She is in the fifth year of the program that satisfies the “fascination she always had about space with the ambition of perhaps one day helping to discover something more”. She is a natural leader and this can be perceived in her tone of voice and in what she has done over these six years. One example is that she created the aerospace engineering student group AeróTec, interestingly with two other female students. The department at Técnico that has the smallest percentage of women is naval architecture and marine engineering in which Madalena Pinto is enrolled. When she was investigating her options for college, she found it to be a possible choice. “I decided to try it for a year, I enjoyed it and stayed”, she says. “I insisted it was at Técnico because I am very fond of physics and mathematics, but also because I spoke to several people and analysed the


DR DÉBORA RODRIGUES / TÉCNICO


P — 32 VALORES PRÓPRIOS 18 — 2017

PT apenas há dois anos, têm ultrapassado em larga escala as suas expetativas: “Sempre me senti super integrada e a interajuda entre colegas existe, e é ótima”, garante a aluna. Rita Marçal não sabe ao certo como é ser parte de um curso de rapazes. Em Engenharia Biológica as alunas são maioria. “Eu sei que é uma realidade diferente da realidade geral do Técnico”, explica Rita, acreditando que esta é uma tendência que aos poucos se vai acabar por generalizar: “esta escola é hoje em dia de e para raparigas e rapazes”. Não esquece o dia em que chegou ao Técnico, onde foi completamente surpreendida pela “união” em que rapidamente se viu envolvida: “A integração foi muito fácil e criou-se logo nos primeiros tempos uma ligação muito grande com os meus colegas”, diz. “Uma das coisas que me ajudou a querer ficar foi o facto de ser um curso de rapazes”, a frase é de Joana Baleiras, estudante de Engenharia Eletrotécnica e de Computadores, e pode causar estranheza, se não ouvirmos a justificação: “Os rapazes são mais práticos e simples, e isso reflete-se no método de trabalho”. Joana queria Engenharia Biomédica, mas a média não lhe permitiu, e acabou por ficar por um ano e gostou. Adepta de desafios, prática e resiliente afirma que as mulheres podem fazer a diferença por serem capazes de “desenvolver projetos mais longos, porque pensamos mais a longo prazo”. Quando a questionamos acerca do porquê de o número de raparigas estar a aumentar na engenharia, explica que talvez seja pelo facto de “nós raparigas termos cada vez mais vontade de enfrentar desafios, de descobrir coisas, de fazer a diferença”, frisa Joana. Arquitetura foi durante muito tempo a primeira opção de Alexandra Pereira e onde o ambiente seria muito mais feminino. Depois de pensar melhor, decidiu seguir o caminho das energias renováveis, outra das áreas que desperta o seu interesse, e por isso ingressou em Engenharia Mecânica. No início assustou-a o facto de embarcar num curso associado “ao mundo automóvel, com um bocadinho de aeronáutica, ou contatar com a parte da produção fabril e tudo mais”, partilha. Acabou por ver para além disso, e tomou perceção da “polivalência” do curso e da diversidade de áreas que poderia explorar. Uma das suas maiores certezas é a de que quer ficar em Portugal no final do curso: “é uma pena se o talento nacional não for aproveitado. Quero ficar, mesmo que demore até trabalhar no que quero”, perspetiva.

“O facto de ser uma escola maioritariamente masculina não me ia impedir de seguir o meu sonho. É um mero detalhe”, frisa Inês d’Ávila, aluna de Engenharia Aeronáutica” ~ “The fact that it was mostly a male school was not going to stop me from following my dream. It’s a mere detail”, says Ines d’Ávila, aerospace engineering student”

Estudar numa escola de rapazes nunca as assustou, até porque isso é apenas um detalhe que faz parte do caminho: “O facto de ser uma escola maioritariamente masculina não me ia impedir de seguir o meu sonho. É um mero detalhe”, frisa Inês d’Ávila. “Em vez de olharmos para os números, devemos vir sem medo, e trazer mais mulheres para o Técnico e para a engenharia, isso sim”, acrescenta Madalena Pinto. Os desafios do futuro não as assustam. A ESA, a gestão de empresas, a biotecnologia, a consultadoria ou a criação das próprias empresas, são tudo metas possíveis de atingir. Focadas e determinadas, não se deixam assustar pelas dificuldades que possam advir de questões de género. “Não estou preocupada com obstáculos que possam surgir por eu ser mulher, acho que me esforcei bastante no meu percurso no Técnico e acho que isso vai compensar”. Joana Baleiras vai mais longe: “Nunca deixei de fazer nada por ser mulher, nem nunca vou deixar de fazer”. •


P — 33

Architecture, where the environment is much more feminine, had long been the first choice of Alexandra Pereira. After thinking things through, she decided to follow the path of renewable energy, another area that provokes her interest, and so she joined mechanical engineering. At first it startled her to embark in a program associated with “the automotive world, some aeronautics, and contact with the area of industrial production and so on”, she shares. She started to see beyond that and realised the “versatility” of the program and the diversity of areas she could exploit. One of her greatest certainties is that she wants to stay in Portugal after graduating. “It’s a shame if national talent is not used. I want to stay, even if it takes a lot of work to get to what I want”, she thinks. Studying in a school of men never scared her because this is just a detail which is part of how things are: “The fact that it was mostly a male school was not going to stop me from following my dream. It’s a mere detail”, says Ines d’Ávila. “Instead of looking at the numbers, we should come without fear, and bring more women into Técnico and into engineering, so yeah”, adds Madalena Pinto. The challenges of the future do not frighten them. ESA, business management, biotechnology, consulting or the creation of their own companies, are all possible targets to reach. Focused and determined, they are not scared by the difficulties that may arise from gender issues. “I’m not worried about obstacles that might arise because I am woman, I think I’ve worked very hard during my journey at Técnico and I think this will make up for it.” Joana Baleiras goes further: “I have never stopped doing anything because I am a woman, nor would I ever stop doing so.” •

VALORES PRÓPRIOS 18 — 2017

DÉBORA RODRIGUES / TÉCNICO

DÉBORA RODRIGUES / TÉCNICO

EN numbers. Técnico is clearly better”, said Madalena. Despite being at the institution for only two years, her expectations have been exceeded on a large scale: “I always felt super integrated and there is mutual collaboration between colleagues, and it’s great”, assures the student. Rita Marçal doesn’t know how to be part of a program for male students. In biological engineering, female students are the majority. “I know it’s different from the standard reality at Técnico”, says Rita, believing this is a trend that will gradually become the norm: “Nowadays, this school is of and for young women and men”. She has never forgotten the day she came to Técnico, where she was completely surprised by the “union” in which she quickly became involved: “Integration was very easy and I immediately created a very strong connection with my colleagues very early on”, she says. “One of the things that helped me want to stay was the fact that it is a maledominated program”; the sentence belongs to Joana Baleiras, electrical and computer engineering student. This can be surprising if we don’t listen to her justification: “Men are more practical and simple, and this reflects in the working method”. Joana wanted to study biomedical engineering, but her grades did not permit it. She ended up staying for a year and enjoyed it. A challenge lover, practical and resilient, she states that women can make a difference by being able to “develop longer projects, because we think in the long run”. When questioned about why the number of women is increasing in engineering, Joana explains that perhaps it is because “we females have more and more willingness to face challenges, to discover things and to make a difference”.


LOJA/STORE

01

02

01 — T-Shirt Mulher “Técnico Lisboa” / Women’s T-shirts “Técnico Lisboa” — 6 euros. 02 — Garrafa Térmica de Desporto com mosquetão, 750ml / Aluminum sports bottle with carabiner, 25oz — 6 euros. loja.tecnico.ulisboa.pt / store.tecnico.ulisboa.pt


VALORES PRÓPRIOS REVISTA DO INSTITUTO SUPERIOR TÉCNICO INSTITUTO SUPERIOR TÉCNICO MAGAZINE MARÇO/ABRIL MARCH/APRIL 2017

TAMBÉM NESTA EDIÇÃO ALSO IN THIS EDITION

Inês Godet, a primeira recém-graduada distinguida Inês Godet, the first recent graduate distinguished Alumni talks no feminino A women’s edition of the Alumni Talks Mulheres que fizeram história no Técnico Women who have made history at Técnico

CAMPUS ALAMEDA

Av. Rovisco Pais, 1 1049-001 Lisboa Tel: +351 218 417 000 Fax: +351 218 499 242

CAMPUS TAGUSPARK

Av. Prof. Doutor Cavaco Silva 2744-016 Porto Salvo Tel: +351 214 233 200 Fax: +351 214 233 268

CAMPUS TECNOLÓGICO E NUCLEAR

Estrada Nacional 10 (ao Km 139,7) 2695-066 Bobadela LRS Tel: +351 219 946 000 Fax: +351 219 946 016

tecnico.ulisboa.pt mail@tecnico.ulisboa.pt

Valores Próprios 2017-018  

Revista do Instituto Superior Técnico. Edição de mar/abr de 2017.

Valores Próprios 2017-018  

Revista do Instituto Superior Técnico. Edição de mar/abr de 2017.

Advertisement