Page 1

Agrupamento de Escolas de Albufeira al

Janeiro / Fevereiro/ Março, 2013 Numero 9

Porta Aberta Ciências em destaque!

O dinamismo das nossas EB1 / JI

Educação para a Saúde com inúmeras actividades de alerta e prevenção

“Speak out” e “Construir o teu Futuro”: projectos da Fundação Jack Petchey no nosso Agrupamento A UIE ao pormenor

Nesta ediçao ha: Ciências………………………..………….....3 Educação para a Saúde……..…………4 Jack Petchey………………………………..6 EB1/JI…………………………………………..9

Concursos e prémios

UIE………………………………………..……12 As Nossas Bibliotecas…………………16 Cantinho das Línguas………………….17 ...e muitas notícias...

A nao esquecer...  Pela ARTE também de ensina, aprende e educa. Espreite!

Notícias das Bibliotecas

O que é uma Biblioteca…?

 A Primavera está quase a chegar… Vamos começar a aproveitar os dias mais longos para umas caminhadas.


Editorial Uma Escola para TODOS O grande desafio da nossa Escola é sem dúvida conseguir que TODOS os alunos aprendam as matérias que têm capacidade para aprender, desde as atividades relacionadas com a sua vida funcional, até às matérias académicas das várias disciplinas, situação que lhes vai permitir, um dia, exercerem uma profissão de forma honesta, empenhada e gratificante. Dito desta forma, parece fácil, mas na verdade, a nossa Escola ainda está longe de conseguir vencer este desafio. Tiram-se muitas especializações e pós graduações, fazem-se imensos projetos, elaboram-se muitos documentos, enumeram-se as dificuldades dos alunos em muitas reuniões, mas ainda não encontrámos a chave para o sucesso educativo e académico de TODOS os alunos que temos na escola. Na minha cabeça entoa aquele grito da criança perdida no emaranhado do currículo escolar, que a cada ano que se inicia, regressa à escola, com o renovado, ainda que disfarçado, desejo de aprender e de se sentir igual aos outros. Soa mais ou menos desta maneira essa voz escondida por detrás das mágoas do insucesso de um número significativo de crianças: “ Este ano quero ser tudo o que até aqui não fui! As letras dançam, dentro da minha mente, mas isoladas e sei que tenho que as agrupar para que formem as melodias das frases e dos textos. Mas, eu não sei fazer isso. Sim, sei que já me ensinaram e várias vezes, mas eu AINDA não aprendi! Tenho esperança de que este ano vou finalmente aprender! Vou aprender o que os outros leem nos livros que eu não tenho. Vou aprender a escrever as palavras que o professor dita para os meus colegas e que eu não compreendo. Vou aprender a fazer aquelas contas com números debaixo uns dos outros. Vou aprender a desenhar, a cantar, a fazer magia com as canetas e os dedos. Vou aprender quem sou, porque estou aqui e o que esperam de mim! “ A aprendizagem não é uma tarefa fácil, sobretudo para aquelas crianças que chegam à escola com desvantagens socio culturais, onde o mundo da escrita não é valorizado, ou para aquelas crianças que, possuem à partida condições intrínsecas ao funcionamento do seu próprio corpo que lhes fornece menos capacidades propícias ao aprender da forma como a nossa escola está preparada, pensada e organizada para o ensino. Quando se formam professores deveria ter-se em conta a heterogeneidade imensa da população escolar, apetrechando os futuros docentes de estratégias de diferenciação pedagógica, que pudessem responder de forma eficaz às diversas necessidades educativas que vão encontrar. A formação inicial e posteriormente a formação contínua, deveriam contribuir para o domínio

2

da gestão das diferenças, numa perspetiva de aprendizagem cooperativa, onde todos os elementos de um grupo se instituem (co)responsáveis pelo progresso da aprendizagem de todos os seus pares, quer dentro de um grupo-turma, quer no seio de uma escola. Não será com resmas de cursos de educação especial ou com a inserção da disciplina de necessidades educativas especiais no currículo da formação inicial, ou ainda com o aumento exorbitante de mestrados e doutoramentos nas áreas educacionais que se vai diminuir o insucesso escolar ou ensinar de forma adequada a todas as crianças e jovens. As escolas estão apetrechadas de profissionais muito bem qualificados e as taxas de insucesso escolar ainda não foram invertidas. A mais importante qualidade de um professor é acreditar nas capacidades dos alunos, de todos eles. Quando se acredita o como acontece. Todos os seres humanos se projetam para o crescimento e para a evolução, todos desenvolvem capacidades de aprender mesmo os desprovidos de alguns sentidos. Cabe-nos a nós professores e técnicos de educação perceber as potencialidades inerentes a cada ser, e fazermos com que a aprendizagem seja fator de desenvolvimento pessoal, social e humano. Todos os alunos, até os que tiram excelentes notas, precisam de desenvolver as suas áreas fracas e minimizar os efeitos das mesmas. Uma simples timidez ou dificuldade de socialização, deveria ser trabalhada logo que identificada, logo no pré-escolar, pois no futuro pode vir a comprometer seriamente a maneira como esse ser humano se sente e como irá planear a sua vida. Sei que nos “facilitam” a vida, os alunos tímidos, silenciosos, bem comportados, certinhos, mas estes também precisam de nós para desenvolver a sua capacidade de expressar sentimentos, de emitir opiniões, de analisarem situações e nos transmitirem o resultado das suas reflexões. O domínio das matérias académicas, as classificações, a competição desenfreada permanecem valorizadas em excesso, em detrimento do Aprender a Ser, a aceitar-se a si mesmo, a gostar de si como se é, a lidar com as frustrações, aumentando os níveis de resiliência, a respeitar os outros, a ser solidário, aprender a contribuir para o bem comum, capacidades imprescindíveis que andam esquecidas embora imensamente apregoadas. De que nos vale termos orgulho nos resultados excelentes de alguns alunos, se por vezes, esses alunos não conseguem gerir as suas mágoas e não demonstram alegria em viver? E nós, professores convivemos com esses seres todos os dias e não sabemos nada desse mundo interior dos nossos alunos. Ascensão Calado - Coordenadora dos Serviços Especializados de Apoio Educativo


Ciências…

À descoberta de asteróides…

7.º ano de escolaridade que participaram nesta atividade conseguiram observar um NEO - Near Earth Object, ou seja, fizeEntre os dias 1 de dezembro e 5 de janeiro decorreu ram uma segunda observação de um asteroide que tinha acamais uma campanha IASC de pesquisa de asteroides Allbado de ser descoberto, e que foi designaPortugal Asteroid Search Campaign, que se do por 2012 UG93. Esta observação permiinclui num dos projetos do NUCLIO – Nútiu confirmar a órbita deste asteroide, ascleo Interativo de Astronomia. Nesta últisim como a sua velocidade orbital. ma campanha de 2012, participaram 23 Para consultarem os resultados basta aceescolas portuguesas do Minho ao Algarve, derem ao site NUCLIO através do link: incluindo a nossa escola. http://nuclio.org/iasc/neo-confirmations-6/ As imagens recolhidas por uma câAinda não foi desta vez que conseguimos mara digital instalada no telescópio Pan“caçar” um asteroide, quem sabe numa próxima oportunidaSTARRS, foram-nos chegando durante esse período, tendo de… sido posteriormente analisadas com um software específico Professora Sílvia Correia Astrometria. Uma das quatro equipas das turmas A, B e D do

Comemoração do Dia Nacional para a

nas aulas de Físico-Química, que foram expostos na BiBlioEBSA. Na exposição Conhece melhor o Universo, os Divulgação Científica alunos tiveram oportunidade de ficar a conhecer as No dia 24 de novembro comemorou-se o Dia Nacio- principais características do Sol, dos planetas do nosso Sistema Solar, das luas, assim conal para a Divulgação Científica em mo de asteroides, cometas e metehomenagem a Rómulo de Carvaoroides para além de missões eslho: professor, investigador, e aupaciais realizadas, … e muitas mais tor de manuais escolares, de livros informações interessantes sobre de divulgação científica e de poeconstelações e galáxias. sia, estes últimos sob o pseudóniE se não tiveste oportunidade de mo de António Gedeão. visitar a nossa exposição espreita o A nossa escola não deixou passar vídeo disponível no nosso blog em esta data em branco e para a coaprendemaiscfq.blogspot.pt. memorar, os alunos do 7.º ano elaboraram trabalhos que resultaram Professora Sílvia Correia da recolha de informação realizada

Passatempos com ciência Horizontais: 1. Linha imaginária definida pelas sucessivas posições ocupadas por corpo durante o seu movimento. 2. Nome da unidade SI de força. 3. Um dos fatores de que depende as forças de atração gravítica. 4. Físico italiano que construiu o primeiro telescópio. Verticais: 1. Astrónomo que descobriu que as órbitas planetárias são elípticas. 2. Grandeza que relaciona o deslocamento com o intervalo de tempo necessário para o percorrer. 3. Unidade SI de velocidade. 4. Consequência da atração gravitacional da Lua sobre a Terra. 5. Medida da interação entre os corpos.

As Ciências andam à solta na E.B.S.A!

O Ciência na WEbsa chegou ao Facebook! Este espaço de divulgação científica, e de atividades realizadas no âmbito das disciplinas destas áreas pelos alunos e professores da E.B.S.A. pode agora ser acedido em https://www.facebook.com/ciencia.nawebsa. Aqui poderás encontrar fascinantes notícias, vídeos, imagens, jogos, desafios, concursos… tudo sobre o incrível Mundo da Ciência atual. Se tens interesse pelo Mundo que te rodeia, então vai ao Facebbok, procura pelo Ciência na WEbsa e adiciona este Amigo. Estamos à tua espera! A Equipa do Ciência na WEbsa

3


A nossa Eco-Escola e a campanha “Papel por alimentos” Os Bancos Alimentares iniciaram uma campanha “Papel por Alimentos” com contornos ambientais e de solidariedade no âmbito da qual o papel angariado (jornais, revistas, folhetos, cadernos, livros, etc.) é convertido em produtos alimentares: cada tonelada de papel recolhido equivale a 100 euros em produtos alimentares básicos. A nossa escola aderiu no presente ano letivo e conseguiu recolher, em apenas 2 meses, 350 Kg de papel usado! Os resultados mensais da campanha ao nível do Algarve têm sido divulgados e atualizados no painel Eco-escola, junto à entrada do Bar da EBSA. Este feito só foi possível de ser alcançado graças à dedicação e contribuição de uma série de alunos, funcionários e professores que, de uma forma ou de outra, têm colaborado com a campanha desde o seu arranque. Agradecemos ainda a preciosa contribuição da Associação Humanitária de Solidariedade de Albufeira, que se juntou a nós no apoio a esta causa.

A UNIDADE MÓVEL DO ESTEVE NO AE de ALBUFEIRA Nos últimos dias do primeiro período, o Agrupamento de Escolas de Albufeira contou com a presença da Unidade Móvel do Programa “Cuida-te”. O Programa Cuida-te – Educação para a Saúde, consiste na promoção da saúde juvenil e dos estilos de vida saudável, permitindo aos jovens desenvolver competências de forma global e integradora, ao nível da saúde sexual e reprodutiva, exercício físico, alimentação saudável e dos consumos nocivos. A Unidade Móvel que se deslocou até às nossas escolas está devidamente apetrechada e conta com uma equipa técnica especializada na área da saúde juvenil, na qual se realiza o atendimento e aconselhamento aos jovens, bem como ações de sensibilização. No dia 13 de Dezembro, entre as 10h e as 16h, os alunos

Vamos dar outra utilidade ao papel usado na nossa escola e nas nossas casas e continuar a ajudar! Basta juntar e depositar nos recipientes existentes na EBSA para esse efeito (para quantidades maiores depositar na Biblioteca da EBSA, na Reprografia ou na Receção da escola), o papel utilizado, que posteriormente será transportado para as delegações do Banco Alimentar de Faro e Portimão. Pretendemos assim que toda a comunidade escolar nos continue a ajudar em 2013 e se una em prol desta causa. Todos podemos e devemos contribuir! O nosso obrigado a todos! A coordenadora Eco-escolas Cláudia Borges

dos 8º, 9º e CEF da Escola E.B. 2,3 Dr. Francisco Cabrita tiveram a oportunidade de ser atendidos, informados e esclarecidos sobre eventuais dúvidas que pairassem nas suas cabeças. No dia 14 de dezembro, foi a vez da escola sede contar com a presença da Unidade Móvel. Todos os alunos das turmas do 10º ano foram convidados a dirigirem-se à Unidade Móvel e a esclarecer as suas dúvidas. A técnica da APF (Associação para o Planeamento da Família) ainda teve a oportunidade de realizar atendimentos individuais a alguns alunos que se dirigiram à carrinha nesse dia. Esta iniciativa resultou de uma candidatura que a equipa de Educação para a Saúde do Agrupamento realizou ao programa “CUIDA-TE” do IPDJ (Instituto Português do Desporto e Juventude). A Equipa de Educação para a Saúde do Agrupamento

Representantes da Associação Salvador vieram ao nosso tadoras de deficiência motoagrupamento para alertar para a importância das acessibili- ra. Um outro tópico abordado dades. Estiveram presentes alunos foi a discriminação sentida dos 9º e 8ºs anos e participaram por estes quando exerciativamente na sessão, interpelando da pela população em gee questionando sobre as reais difiral. Uma sessão realmente culdades sentidas por pessoas poresclarecedora!

4

Consulte ainda www.portugalacessivel.com


Comemoração do Dia Mundial da Luta contra a Sida A Equipa de Educação para a Saúde levou a cabo, no dia 5 de dezembro de 2012, uma atividade relacionada com a comemoração do Dia Mundial de Luta contra a Sida, na Biblioteca da Escola E/B 2,3 Dr. Francisco Cabrita. Várias turmas foram convidadas a participar neste evento (5ºC, 7º C e 9ºB). À guisa de introdução, a Enfermeira Martine Braun, Coordenadora da Saúde Escolar do Centro de Saúde de Albufeira, projetou um PowerPoint relacionado com o tema, levando os alunos, desde logo, a colocarem questões, solicitar esclarecimento das suas dúvidas e de onde puderam extrair informaExplicações sobre a infeção ção e conselhos pertinenVIH/Sida pela Enfª Martine Braun no início da sessão reali- tes sobre esta problemázada na Biblioteca da E.B. 2,3 tica. Dr. Francisco Cabrita No espaço envolvente encontravam-se expostos trabalhos de alunos (9º ano), sobre as Infeções Sexualmente Transmissíveis, elaborados na disciplina de Ciências Naturais. Das atividades propostas salienta-se o Jogo do Risco e o Jogo da Glória, subordinados à temática da Sida. Os alunos puderam observar e manusear o modelo tridimensional do vírus da Sida, bem como assistir à demonstração do uso correto do

preservativo masculino. No final da atividade, foi distribuído material de campanha da Prevenção da Sida, que permitiu fazer a divulgação do site www.sida.pt. Turma de 9º ano a jogar o Jogo No dia 6 de dezembro, do Risco sobre a SIDA numa aula de Ciências Naturais, a turma D do 9º ano da Escola Básica e Secundária de Albufeira teve a oportunidade de participar noutra atividade comemorativa do Dia Mundial de Luta contra a Sida, desenvolvida pela Enfermeira Martine Braun. Para além do VIH/Sida, nesta atividade foram abordadas outras infeções sexualmente transmissíveis e ainda os métodos contracetivos. No final, os alunos realizaram, ainda, um jogo sobre a transmissão do vírus da Sida. Toda a equipa de Edu- Turma de 9º ano da EBSA durante cação para a Saúde a sessão de esclarecimento sobre a Sida e outras IST agradece a colabora(6 de dezembro) ção, empenho e participação de todos nas atividades, esperando ter contribuído para o alargar de conhecimentos dos discentes, no Turma de 5º ano a jogar o Jogo tocante a esta problemática, infelizmente, sempre atual da Glória sobre a SIDA e, não menos importante, ter alertado consciências pa(acompanhada pela diretora de ra o cuidado a ter face a comportamentos e situações turma, profª Helena Miranda, e de risco. pelas professoras Isabel Pina e Conceição Vieira da equipa de Educação para a Saúde)

No dia 28 de Fevereiro, quatro turmas do nosso Agrupamento foram a Vilamoura participar nas atividades promovidas pelo 7º Congresso de Hipertensão Arterial e Risco Cardiovascular Global. Este congresso foi organizado pela Sociedade Portuguesa de Hipertensão e reuniu cerca de 900 especialistas da área da cardiologia. O "Clube Menos Sal, Mais Sabor À Vida", juntamente com o Chef Fábio Bernardino, marcou presença e ensinou todos os presentes a cozi-

A Equipa de Educação para a Saúde do Agrupamento

nhar diversos pratos de forma saudável, mas muito saborosa, sem nunca recorrer ao sal, mantendo o sabor natural dos alimentos. Quem quiser aprender mais um pouco sobre este tema e descobrir receitas saudáveis e deliciosas pode visitar o site www.menossal.com.

5


A “Quinzena dos Afetos” decorreu nos estabelecimentos de ensino do Agrupamento de Escolas de Albufeira entre 14 e 28 de fevereiro. Esta iniciativa foi dinamizada pela equipa de Educação para a Saúde, com o objetivo de sensibilizar os alunos para a questão dos afetos, a partir da celebração do Dia dos Namorados. A “Quinzena dos Afetos” integrou exposições, sessões de educação sexual e atividades em sala de aula (visionamento de vídeos, jogos, debates, entre outras). Em colaboração com a APAV – Associação Portuguesa de Apoio à Vitima–, realizaram-se Sessões de Sensibilização sobre a “Violência no Namoro”. No dia 14 de fevereiro, “Dia dos Namorados”, realizou-se uma destas sessões, no auditório da Escola Básica e Secundária de Albufeira, para os alunos dos cursos profissionais. Nos dias 19 e 22 de fevereiro realizaram-se no auditório da Escola E.B. 2,3 Dr. Francisco Cabrita duas sessões de sensibilização em que participaram quatro turmas da escola. Conforme se pode ler no sítio na internet da APAV para os jovens (http://

www.apavparajovens.pt) , a Violência no Namoro é um ato de violência, pontual ou contínua, cometida por um dos parceiros (ou por ambos) numa relação de namoro, com o objetivo de controlar, dominar e ter mais poder do que a outra pessoa envolvida na relação. Podem ocorrer diferentes formas de violência na mesma relação de namoro. Por exemplo, as agressões verbais podem anteceder uma agressão física. Todas as formas de violência no namoro têm um objetivo comum: magoar, humilhar, controlar e assustar. Importa ter presente que a violência nunca é uma forma de expressar amor ou paixão por outra pessoa e que os ciúmes não servem de justificação para qualquer comportamento violento. No referido sítio da APAV na internet podem ser obtidas mais informações sobre os direitos e deveres numa relação de namoro e sobre as estratégias mais adequadas para resolver conflitos e desentendimentos entre namorados.

Durante o mês de janeiro, teve lugar nas escolas EB 2,3 Dr. Francisco Cabrita e Básica e Secundária de Albufeira a formação e concurso Speak Out (Aprender a falar em público). Nesta formação, patrocinada pela fundação Jack Petchey, os alunos do 9º ano tiveram a possibilidade de aprender algumas técnicas de oratória que lhes serão muito úteis na apresentação de trabalhos escolares e para outras situações da vida futura. No final do dia de formação foi feito um concurso para eleger os semifinalistas de escola. Assim, da EBSA foram apurados os alunos Bernardo Agapito do 9º C e as alunas Carolina Rodrigues e Mariana Semifinalistas da EBSA Falagueira do 9ºB. Da escola

Francisco Cabrita passaram para a semifinal os alunos Fábio Caldeira do 9ºC e Júlia Domingos do 9ºD. No dia 28 de Fevereiro, o nosso agrupamento recebeu a semifinal do Speak Out das escolas de Albufeira no auSemifinalistas da FC ditório de Vale Pedras. O lanche foi servido, com profissionalismo, pela turma do CEF 8 de Serviço de Mesa e os alunos que representaram as escolas fizeram-no com bastante empenho e qualidade. Foi eleita para a final que será disputada no auditório municipal de Albufeira em Abril, com alunos finalistas dos concelhos de Albufeira, Loulé e Silves, a aluna Júlia Domingos do 9ºD que revelou bastante criatividade na sua apresentação.

Auditório da EBSA (Dia dos Namorados)

6

Conceição Vieira Coordenadora de Educação para a Saúde)

Auditório da Escola E. B. 2,3 Dr. Francisco Cabrita (semana de 18 a 22 de fevereiro)


A Fundação Jack Petchey encontra-se a desenvolver, com as turmas de 9º ano e 2º ano de CEF do agrupamento, o projecto: “Construir o teu futuro”. Na disciplina de Cidadania os alunos têm refletido sobre a sua profissão de sonho e como fazer para alcançá-la, tendo em conta a sua personalidade e competências. Espera-se que este projecto ajude os alunos a decidir, de forma consciente, qual será o percurso que deverão seguir após o 9º ano, ajudando-os assim nas escolhas que têm que fazer. Neste ano lectivo o Agrupamento de Escolas dá continuidade à participação dos últimos anos no Parlamento dos Jovens, mas desta feita, pela primeira vez, na vertente do ensino Básico. O projeto foi implementado na Escola E.B. 2,3 Dr. Francisco Cabrita com as turmas A e C do 9º ano no âmbito da disciplina de Educação para a Cidadania. A 18 de janeiro realizaram-se as eleições na escola, decorrentes de uma campanha animada, já que se apresentaram ao escrutínio quatro listas, num total de quarenta alunos. Dias depois, teve lugar a sessão escolar do Parlamento dos Jovens, na qual os vinte e sete deputados elaboraram o projecto de recomendação subordinado ao tema “Ultrapassar a Crise” e elegeram os seguintes deputados para representantes da Escola: João Gonçalves, Rita Seidi, Emanuel Albuquerque, Inês Pires e Gonçalo Dias. Ficou como deputada suplente a aluna Laura Figueiredo e como candidato à mesa da Assembleia distrital, o aluno Marcos Andrade. Na sequência do projecto, houve oportunidade de convidar, para uma palestra na escola, o Dr. Carlos Silva e Sousa, na qualidade presidente da assembleia municipal que esclareceu quais são as tarefas inerentes ao cargo que desempenha. No dia 28 de janeiro, realizou-se também uma sessão de debate com a presença da deputada da Assembleia da República, Cecília Honório, que partilhou a sua experiência enquanto deputada, respondeu a questões formuladas pelos alunos e tomou conhecimento das medidas do projecto de recomendação traçado pelos alunos. Nesta sessão estiveram presentes as turmas do nono ano envolvidas no projeto, tendo esta sido muito proveitosa,

Ainda se cantam as janeiras... As turmas do 5.º C e 5.º D, da Escola Dr. Francisco Cabrita, realizaram, nos passados dias 15 e 16 de janeiro, um miniconcerto

particularmente para os deputados eleitos que tiveram a oportunidade de trocar impressões com a deputada sobre o referido projeto. Um mês depois, teve lugar em Faro a sessão distrital onde os deputados representantes do agrupamento de escolas apresentaram as seguintes medidas para ultrapassar a atual crise: incremento da produção agrícola e industrial nacional para consumo interno e exportação, com o objetivo de equilibrar a balança comercial; combate à evasão fiscal, aumentando a fiscalização e combate ao desemprego jovem, através de parcerias entre universidades e empresas, com o apoio do estado. Apesar dos resultados desta sessão não terem sido os sonhados, pois não fomos eleitos para a sessão nacional, todos são unânimes em considerar que valeu a pena a experiência vivida na escola que permitiu que os alunos do 9º ano respondessem ao desafio de pensar no problema da crise atual e no que fazer para resolvê-la; e que tivessem tido oportunidade de debater, com civismo, as suas propostas, pudessem apresenta-las e defende-las na assembleia distrital e conhecer intervenientes no sistema político actual, bem como alunos de outras escolas participantes no Pa. Comprova-se que os nossos jovens estão prontos para exercer os seus direitos como cidadãos e têm ideias válidas para o país, pois como dizia a nossa deputada convidada: “se fossem um partido votava em vocês, pois têm muito boas ideias, nomeadamente no que diz respeito ao combate ao desemprego jovem”.

de Janeiras com algumas das canções relativas à quadra aprendidas em Educação Musical. Essa actividade foi aberta à comunidade escolar e estiveram presentes vários Encarregados de Educação e familiares dos alunos, para poderem testemunhar que as tradições se vão mantendo. Todos participaram querendo mostrar aos presentes tudo o que tinham treinado.

7


Comemoração do DIA DA PESSOA PORTADORA DE DEFICIÊNCIA O grupo de docentes, assistentes e técnicos de educação espacial a desempenharem funções na escola EB1 de Caliços organizou e dinamizou uma série de atividades, ao longo da semana de 3 a 7 de dezembro com vista à sensibilização para a pessoa com deficiência, cujo dia se comemorou na segunda feira dessa semana, 3 de dezembro. Foi atribuído um horário a cada turma, cerca de uma hora, e os alunos iam passando pelas várias “estações” – visão, audição / comunica-

ção e movimento, onde vivenciaram diferentes experiências relacionadas com as dificuldades que as pessoas portadoras de deficiência enfrentam. Todas as turmas participaram à exceção de uma do 2º ano, por condicionalismos de horários. Participaram ainda duas turmas do Jardim de Infância dos Caliços, a da educadora Conceição Sá e a da educadora Alexandrina Vasconcelos.

Os alunos usaram o tato para descobrirem produtos e objetos, de olhos vendados, no sentido de perceberem as dificuldades com que as pessoas invisuais se confrontam.

Experimentam adivinhar os sabores dos alimentos sem os ver.

As crianças usuram uma cadeira de rodas e tomaram consciência da força necessária nos braços para subir uma rampa. Também consciencializaram como se trona difícil orientarmo-nos no espaço sem referências e de deslocarmo-nos para onde queremos sem saber os obstáculos que vamos encontrar.

Ascensão Calado

Contactaram com a experiência de utilizar canadianas na subida e descida de escadas, imitando alguém que partiu uma perna ou um pé, que fica limitado na sua mobilidade.

Os alunos passaram pela experiência de comunicarem com gestos, sem utilizar a voz ou a palavra, situação que afeta milhares de pessoas surdas.

8


EB1/JI dos Caliços Os meninos do Jardim de Infância dos Caliços fizeram uma caminhada até à Câmara Municipal de Albufeira para cantar as janeiras. Foi uma actividade muito participada, diferente e divertida! As crianças deste jardim de infância também participaram e assistiram à festa de natal no polivalente. Houve muita diversão e alegria!

O hall de entrada do jardim de infância está decorado com trabalhos feitos pelas crianças.

A educadora Beatriz Martins com os meninos da sala 2 a realizar diversas actividades importantes para o desenvolvimento total da criança. A pirâmide alimentar foi objecto de estudo e trabalho por parte das crianças. Ficaram mais alerta sobre como comer de forma mais saudável e responsável. Ler faz bem. É importante para o desenvolvimento mental de qualquer um, especialmente quando se é criança. Ajuda a sonhar e a querer saber mais.

9


EB1/JI dos Caliços

A professora da turma A do 4ºano da EB1/JI de Caliços, Patrícia Fartaria, sugeriu aos seus alunos que criassem os seus próprios poemas a partir da composição poética de Cecília Meireles. Muitos foram os poemas criados, mas publicamos apenas alguns. A criatividade e originalidade estiveram sempre presentes... O menino caprichoso É o menino caprichoso e preguiçoso Que não gosta de ser amoroso Que não se quer vestir Porque quer dormir Que não quer ir à escola Porque não quer carregar a sacola Que não quer escrever Porque não lhe apetece ler Que tem medo do sapo E também do pato Que não quer pão nem feijão Nem sopa, nem requeijão O menino como não gosta de nada Merecia uma bela palmada!

O menino comilão O menino comilão Que não gosta de pão Com a barriga cheia Parece um balão. Nunca larga o melão Porque é um papão Come muito e não se cansa Só para encher a pança. É um menino brincalhão Que só pensa em comer E gasta um dinheirão Para se satisfazer. Come, come até se fartar Só para se alimentar Mas ainda acaba por engordar E na porta não há-de passar. Gonçalo Bicá 4.ºA

Rodrigo Afonso 4.º A A menina caprichosa É a menina caprichosa Que não gosta de leite Mimosa Que não gosta da rã Porque lhe pode comer a maçã Que não gosta da estrela Porque não pode tê-la Que não gosta do computador Porque deita calor Que não gosta do caderno Porque não acha moderno Que não gosta do cão Porque lhe pode lamber a mão Que não gosta do golfinho Porque tem um grande focinho Que não gosta da gaivota Porque lhe pousa à porta E quando é que esta menina Acaba com a mania? Carolina Rodrigues 4.º A

10

EB1/JI Vale Pedras Projeto de Articulação A Educação Física é uma área que visa promover a aquisição de hábitos de vida saudável e a formação equilibrada e integral das crianças em idade escolar através da prática de atividades físicas e desportivas, contribuindo, assim, para uma melhoria na qualidade do ensino/aprendizagem. As professoras do 4º ano de escolaridade da EB1/ JI de Vale Pedras promovem em articulação com o professor Carlos de Educação Física da EBSA atividades integradoras e contributivas para a concretização plena do Plano Anual de Atividades. Os alunos têm aulas de Educação Física no pavilhão desportivo da EBSA, no âmbito de atividades de adaptação ao 5º ano de escolaridade. Os alunos das turmas do 4º C e 4ºD dedicamse às aulas com entusiasmo. Aqui ficam umas fotos como forma de enaltecer o seu empenhamento.


Mais uma vez a EB1/JI de Vale Pedras participou no grande desfile carnavalesco que teve lugar no dia 8 de fevereiro. Toda a comunidade escolar esteve envolvida neste evento, onde não faltou alegria e boa disposição.

Teatro “Greve dos duendes” No último dia de aulas antes das férias do Natal, dia 14 de dezembro, o grupo de teatro da Escola Dr. Francisco Cabrita, composto por um grupo de jovens dos 6º, 7º e 8º anos, apresentaram a peça de teatro “Greve dos duendes”, na Biblioteca da Escola. Este grupo tem aulas regulares às quartas-feiras dinamizado e orientado pela animadora Ana Lúcia Martins e Silva. O cenário da peça, foi realizado na Biblioteca por vários alunos da Escola que quiseram dar o seu contributo à medida que iam entrando no local. Estes alunos provenientes de turmas diversificadas, ofereceram-se para a parte cenográfica. Estes eram das turmas 5ºA, 5ºB, 6ºC, 9ºA e 9ºD. A peça retratava alguns aspetos menos positi-

vos que acontecem nas escolas atuais: O bullying, o desrespeito para com os colegas e professores…entre outros. Estes temas foram focados de uma forma simples e divertida, tentando sensibilizar os alunos para estas temáticas. Os jovens atores estão de parabéns, pois foram aplaudidos pelos colegas e professores de uma forma entusiástica. Para além da apresentação na Escola a outras turmas de anos diferenciados, o grupo de teatro foi convidado a apresentar a respectiva peça na Santa Casa de Misericórdia, aos idosos, através do Projeto Empar, organizado pela professora Catarina Guerreiro.

‘Uma árvore de natal com jornal banal’ premiada no O trabalho foi na concurso “Um Natal mais Ecológico em Albufeira” exposto Os alunos do 10ºE do Curso de Técnico de Apoio à Infância participou no concurso “Um Natal mais Ecológico em Albufeira”, dinamizado pela Câmara municipal de Albufeira. Foi criada uma árvore de natal reutilizando resíduos, nomeadamente pacotes de leite, listas telefónicas e jornais. A árvore criada, intitulada de “uma árvore de natal com jornal banal”, ganhou o primeiro lugar no escalão de Ensino Secundário.

Galeria Pintor Samora Barros entre os dias 3 e 31 de dezembro de 2012 juntamente com outros trabalhos participantes. Esta iniciativa conta normalmente com a colaboração de muitas instituições do concelho de onde surgem trabalhos muito criativos e ecológicos.

11


Atividades desenvolvidas na Unidade de Intervenção Especializada (UIE) Olá amiguinhos! Somos o Carlos, a Joice, o Michael, o Ricardo e a Tânia, alunos da Unidade de Intervenção Especializada (UIE) da escola EB 2/3 Dr. Francisco Cabrita. No decurso deste ano, participámos em várias atividades escolares que são uma mais valia no nosso percurso escolar. O resultado final é sempre bastante positivo porque aprendemos muito e interagimos com todos trabalhando assim a nossa autonomia pessoal/social. Iniciamos a nossa exposição com um agradecimento muito especial à enfermeira Alice e à dietista Maria Moniz, que ofereceram a mochila ao aluno Michael. A mo-

chila veio proporcionar-lhe mais autonomia, podendo assim deslocarse para o espaço exterior da sala para poder participar em atividades diversas e ser também parte mais ativa na rotina diária da escola. Às duas profissionais deixamos aqui o nosso muito obrigado em nome de toda a equipa da UIE e principalmente em nome do Michael.

No dia 1 de outubro festejámos o dia da música. Como é de prever a alegria, boa disposição e música estiveram presentes na nossa UIE. Todos juntos: alunos, professores e assistentes operacionais festejámos este dia com muita alegria. O professor Domingos Mendes acompanhou-nos à viola com muita convicção. Realmente, a sua presença foi notória, o som do instrumento marcou presença e a nossa mensagem que ondulou pelo som através da escola. Cantámos duas músicas conhecidas Vem, vem ter connosco e A seita tem um radar, que foram apreciadas

pelas turmas que nos visitaram, a saber: 8º B que veio com a docente de francês – professora Elisabete Viana; 8º D que veio com a diretora de turma – professora Catarina Duarte. Este momento foi marcado por muita alegria, boa disposição, laços de amizade e vozes unidas que se ouviram num só som anunciando a união que transbordava do nosso coração. Ah! Temos de dizer que nos perguntam muitas vezes quando vai haver outro momento de música na UIE, ficamos felizes pela recetividade!

No dia 12 do mês de ou- participantes foram parte ativa tubro, participámos nas dos jogos que decorreram, pois olimpíadas todos fomos venceadaptadas dores na nossa partina modalicipação. A alegria e dade de andebol adaptado organizadas espírito de competitividade estiveram pela APEXA (Associação de Apoio à Pessoa sempre presentes no decorrer da tarde, Excecional do Algarve) que decorreram no pois vencedores e vencidos apostaram pavilhão municipal de Albufeira. Todos os num convívio salutar. Seguindo a linha de atividades realizadas, é de realçar o dia do conto interativo que também marca presença na nossa UIE de 15 em 15 dias, é fantástico! Ouvimos a animadora cultural Ana Lúcia a recitar contos variados. Todos ouvimos com atenção e muito entusiasmo as histórias interpretadas e também participamos

12

à medida que somos solicitados. Adoramos as histórias e suas apresentações com os acessórios que a nossa leitora traz para nos fazer viajar no lindo mundo da fantasia porque de facto conseguimos ultrapassar a barreira do imaginário. Obrigado Ana Lúcia por estes lindos momentos!


Iniciando as tradicionais épocas festivas que costumam ter lugar na nossa escola, festejámos o dia do Halloween em parceria com os alunos dos cursos CEF 8 e 9. A ideia foi genial, lançámos mãos à obra e pintámos, recortámos e colámos decorações alusivas à época. Os trabalhos foram aplicados na decoração das mesas e paredes na feira do Halloween, que é

organizada pelos docentes que lecionam os cursos. A disposição das mesas, iguarias vendidas e decoração fizeram deste dia mais um momento especial de convívio, entre todos os intervenientes. Deixamos aqui o nosso agradecimento às professoras Susana e Ana e a todos os alunos do CEF pelo momento proporcionado, pelo convívio salutar e pela degustação da bebida Red Drácula.

Ao longo do 1º período, tivemos a visita de alguns professores que vêm trabalhar connosco. Esperamos sempre ansiosos por estes dias porque aprendemos sempre coisas novas que nos agradam muito. Temos a visita do professor Domingos Mendes às quartas feiras. Nestas aulas treinamos músicas e interpretamos as letras. É um momento agradável porque não existe meio de comunicação mais eficaz que a música – sentimos e fazemos sentir! Às quintas feiras, o professor Tomás Pires de Edu-

cação Visual também vem à UIE. Realizamos trabalhos manuais diversos em barro que depois de muita paciência resultam em trabalhos lindíssimos. Às sextas feiras chega sempre a professora Hélia Lima de TIC. A professora dános diretrizes para realizar pequenos trabalhos. Também executamos jogos didáticos sobre temáticas diferentes, no final da aula fica sempre presente um momento diferente com uma convivência salutar e novas aprendizagens adquiridas.

No dia 23 de Outubro também participámos na atividade do corta mato que decorreu na nossa escola. Todos equipados participámos com entusiasmo na corrida, foi longo o percurso, doloroso e muito diverti-

do. Chegámos ao fim com boa disposição e com a certeza que os últimos a chegar também são vencedores. Adorámos participar e para o ano lá estaremos novamente!

Na UIE com as nossas professoras algumas das atividades já reatambém aprendemos lizadas, que conmuito: lemos, outam com a partivimos histórias, escipação de todos crevemos, interpretanós, assim como mos, comunicamos, fazemos contas e das docentes de realizamos trabalhos manuais diversos. educação especiEstas aulas também são sempre marcaal Conceição e das pela boa disposição e um espírito saRosa, a fisioterapeuta Ana, a terapeuta da lutar de interajuda e convivência saudáfala Luísa, o psicólogo Manuel e as assisvel. Tal como podem ver nas fotografias, aqui ficam tentes operacionais Júlia e Iolanda . No dia 3 de dezembro festejámos o dia Mundial da Pes- debateram a temática do mesmo, objetivando uma reflexão soa com Deficiência. Neste dia tivemos a visita de várias tur- sobre a diferença e sua consciencialização a nível escolar e mas que vieram participar, com entusiasmo, em social. todas as atividades planeadas. Este dia foi marDeixamos sugestões para a visualização de filmes cado pelo visionamento do filme “I am Sam” que abordam a diferença: “Amigos Improváveis”; que foi projetado às 14:00 no anfiteatro da Esco“Forrest Gump”; “Rain Man”; … É sempre bom la EB 2/3 Dr. Francisco Cabrita, para os alunos do ver um filme entre familiares e amigos e poder3º ciclo. mos trocar opiniões relativas a temáticas que faSabemos que o filme foi visto com atenção zem parte da nossa realidade e que por vezes pelos nossos colegas e que numa fase posterior estão esquecidas.

13


Na nossa UIE também tiveram com a fisioterapeuta Ana. lugar atividades diversas que Nesta estação, todos curioforam do agrado geral e que sos experimentámos andar nos proporcionaram relações de de canadianas e de cadeira camaradagem salutares e tamde rodas. Tivemos que nos bém de reflexão conjunta. As desviar de obstáculos, suatividades realizadas marcaram bir escadas e andar no presença no átrio da escola: estação do movimento meio da multidão estudantil, convenhamos, nada fácil! Na sala UIE também se realizaram atividades diversas agrupadas em duas estações chamadas de: estação da comunicação e estação da visão. Na estação da comunicação realizámos três atividades diferentes que foram de dificuldade acentuada. A primeira atividade relacionava-se com a língua gestual. A professora Rosa distribuía um cartão com atividades escritas a um participante, ele tinha que fazer gestos para nós adivinharmos. A tarefa não foi nada fácil, pois só passados largos minutos e em grupo é que conseguíamos chegar a um consenso. Na segunda atividade tínhamos de pronunciar uma palavra, não verbalizada,

e os colegas tinham de a perceber, foi muito difícil porque após várias tentativas é que conseguíamos decifrar a palavra - foi uma atividade que deu pano para mangas. Na terceira atividade visualizámos dois pequenos vídeos alusivos a músicas conhecidas no You Tube. Esses vídeos remetiam para a língua gestual, não ouvíamos som, e não conseguimos perceber quase nada. Só após a audição da música é que conseguimos associar imagens/ palavras/gestos ao significado.

Seguindo caminho chegámos à estação da visão, engraçada e de forte tentação. A professora Conceição vendou-nos os olhos e individualmente tínhamos que adivinhar sabores, reconhecer cheiros e identificar objetos pelo tato. Foi de uma enorme dificuldade, pois o que parece tão simples tornou-se numa enorme dificuldade. Confundíamos sabores, trocávamos cheiros e não reconhecíamos

objetos. “Que grande frustração e sensação de impotência perante objetos tão simples que usamos todos os dias”. Sim, foi um dia diferente que voltará a ser repetido com mais entusiasmo e estações diferentes.

Chegando o fim do período, na sala UIE, os alunos em colaboração com os professores, técnicos e assistentes operacionais construíram uma árvore de Natal com garrafas de plástico e cápsulas de café, que foram reutilizadas. A árvore de Natal esteve exposta no átrio da escola EB 2/3 Dr. Francisco Cabrita, que contribuiu pa-

ra suscitar curiosidade na sua construção e acima de tudo contribuir para lindos sorrisos que alegraram quem por ali passava, lembrando que a tão esperada época estava mesmo à porta.

Terminamos a exposição com o seguinte poema de Fernando Pessoa, e sua mensagem de ouro, que se reporta à importância que todos temos na construção de um mundo melhor!

14

O valor das coisas não está no tempo que elas duram, mas na intensidade com que acontecem. Por isso existem momentos Inesquecíveis, coisas Inexplicáveis e pessoas incomparáveis.

Desejamos a todos um ANO de 2013 repleto de muitas alegrias e vitórias!


De novo, pelo quarto ano consecutivo, cá nos encontramos. Este ano com uma novidade: um Plano de Cinema a nível nacional que teve por base as experiências do Projeto Juventude-Cinema-Escola, implementado no Algarve. Começamos com a primeira sessão do primeiro período, uma novidade para os alunos do sétimo ano que integram o projeto. Não podia ser melhor: Tim Burton, com A Noiva Cadáver. Neste filme, onde subsistem dois mundos tão diferentes e, por vezes, antagónicos, em que a morte é encarada cheia de vida e a vida nada mais é do que algo enfadonho, o amor surge como elemento potencialmente transformador e que apela à compreensão e ao respeito do outro. Para finalizar o período, uma sessão para os alunos, família, professores e pessoal não docente. Certamente que vocês e os vossos encarregados de educação receberam os convites pelas redes sociais (que a Associação de Pais e os Professores vos enviaram) e

Amor é…. Trabalho realizado na disciplina de Educação Visual, com os alunos do nono ano, que a pares (rapaz e rapariga) criaram uma frase iniciada por amor é… e ilustraram-na. Esta atividade foi realizada no âmbito do projeto de Educação Sexual em interdisciplinaridade com Inglês. A ilustração e as frases foram inspiradas nos desenhos de Kim Casali, uma Nova Zelandesa que nos anos 70 criou a ilustração de um casalinho (Kim e o marido), quase sempre nu, acompanhado com frases apaixonadas. As ilustrações, distribuídas mundialmente, tiveram origem numa série de cartas de amor que Kim desenhou para o seu futuro marido. Foram publicados pela primeira vez em 1970, sob o pseudónimo de "Kim". Esta ilustração Frases dos alunos: Amar é… . Ir ver as estrelas contigo todos os dias . Dizer que o amas todos os dias . Aceitar os seus defeitos . Tomar uma das maiores decisões da nossa vida . Dar-lhe o casaco quando ela tem frio . É saber que estarás sempre no meu coração . Ela estar presente em todos os meus pensamentos . Encontrar a perfeição nos teus olhos . Pensar nela o tempo todo

viram os cartazes espalhados pela escola que os alunos haviam realizado. O filme? Os Coristas, de Christophe Barratier. Foi ainda considerável o número (e esperamos mais na próxima sessão) dos que decidiram connosco, no final de dia de uma fria sexta-feira de dezembro (dia 7), tornar a escola um espaço mais familiar, de convívio e de partilha. Revivemos todos as nossas travessuras, os nossos excessos e relembrámos, alguns com uma lágrima no canto do olho, a importância que revestiram esses tempos de escola já idos na nossa formação enquanto pessoas. Saboreamos, com os mais jovens, o poder que a imagem exerce sobre nós. A escolha não poderia ter sido melhor. A mensagem que cada um quis levar consigo. E, assim, tentámos, pela arte, pelo cinema, mais especificamente, dar um pequeno passo para mudar e transformar, por mais difícil que seja, o mundo (n)um sonho. A todos o nosso Obrigado! A equipa JCE do Agrupamento de Escolas de Albufeira

foi comercializada internacionalmente durante muitos anos através de impressões em cartões, cromos, t-shirts e muitas outras lembranças.

Love is… . not to feel prejudice against anyone . being loyal . inexplicable . saying it without fear . forgive and accept each other’s mistakes

. above all, respecting each other . a bit of everything but, above all, respect . when she says she likes your sweater and you wear it every chance you get . deep as the ocean

15


Apresentação do escritor António Torrado na Biblioteca Dr. Francisco Cabrita

positiva. O escritor é uma pessoa muito agradável, simNo dia 28 de janeiro, a Biblioteca Dr. Francisco Cabrita teve pática e com muito sentido o prazer de receber o escritor António Torrado no auditório de humor. Animou a sessão contando da Escola. Estiveram presentes as turmas 5ºB, histórias, res6ºB e 7ºC, alguns professores e funcionários. pondendo a Esteve igualmente questões levantadas pelos alunos e fazendo presente o professor uma breve apresentação da sua carreira proJoaquim veiga que fissional. No final da sessão, o escritor autoteve o prazer de grafou algumas das suas obras adquiridas na biblioteca da apresentar o escritor. A sessão decorreu de forma bastante escola.

Dia da Internet Segura No dia 5 de fevereiro , foi celebrado o dia da internet segura. Durante essa semana, as turmas do 3ºciclo, vieram à biblioteca assistir ao filme “Cyberbully”. Este conta a história de Taylor Hillridge, uma adolescente que se torna vítima de bullying online. A Biblioteca é: Parte II Partindo destes pressupostos, o modelo de autoavaliação deve ser entendido como um instrumento sistemático para avaliar a biblioteca escolar, a sua organização funcional e estrutural e aferindo constrangimentos e aspetos francamente mais positivos, devidamente integrados e aplicados à realidade da escola/agrupamento. O modelo de autoavaliação impõe-se, assim, como uma nova conceção da biblioteca escolar, como organismo estruturante indispensável para a reformulação das aprendizagens, a formação e o sucesso educativo dos alunos e o seu “crescimento pessoal, social e cultural … numa perspetiva de inovação, eficácia e colaboração”. (1). Nesta aceção, a recolha de evidências que avaliem os resultados das aprendizagens plurais devem ser testemunhadas através de fontes e tipos de prova (entrevistas, recolha de sugestões e reclamações e registos de observação, entre outros). Assim, as “bibliotecas escolares precisam sistematicamente de recolher evidências que ilustrem as suas práticas e o seu impacto no desenvolvimento junto dos alunos, no que se refere ao reforço de competências a níveis do pensamento, das vivências e integração social. Esta abordagem holística das práticas envolve três dimensões: a evidência para a prática, na prova da prática e prova prática, isto é, por um lado a utilização de elementos identificadores de problemas e necessidades de aprendizagem e lacunas da sua realização. Por outro lado, a sua reflexão sistemática permite tomar decisões devidamente fundamentadas sobre a biblioteca escolar e permitir, consequentemente, a melhoria dos resultados de aprendizagem e contribuir ativamente para o cumprimento da missão da biblioteca escolar e da escola e respetivos objetivos, numa perspetiva de transformação da prática da biblioteca escolar, já que neste sentido é possível a biblioteca escolar gerar um processo dinâmico, contínuo e integrador que informa a prática, gera novas práticas e demonstra o impacto dessa prática no resultado das aprendizagens” (2).

16

Paralelamente, o papel

Este filme foi visionado com o objectivo de alertar os jovens para esta temática e para os perigos que podem advir da Internet. Para além deste filme, foram apresentados alguns trabalhos realizados na disciplina de TIC e alguns vídeos sobre a temática. do professor bibliotecário é determinante no reforço destas aprendizagens formativas, porque aquele “se impõe como um gestor que trabalha em articulação com os membros da comunidade de aprendizagem para definir políticas e de orientar e dirigir todas as atividades relacionadas com a biblioteca. Isto exige proficiência no uso da informação e as tecnologias da informação, a capacidade de fornecer o conhecimento, a visão e liderança, e ser capaz de planear, executar e avaliar o programa com regularidade e a diferentes níveis … com um impacto direto na aprendizagem dos alunos e garantir que os alunos sejam utilizadores eficazes no domínio das ideias e da informação” (3). Acresce ainda referir, neste sentido, que o carácter formativo da avaliação possibilita coletar evidências, indicadores, elementos, instrumentos de melhoria das aprendizagens, enquanto estrutura significativa que se substancia numa tríade: investi-gação, formação e ação, como se pode deduzir do que se acaba de citar no parágrafo anterior. Se uniformizarmos e impusermos a predominância de mono-recursos e continuarmos a olhar para a biblioteca escolar como um espaço assente numa política de “inputs” (coleção existente, staff, verba gasta, …) e de outputs (número de empréstimos, número de visitas), estaremos a fazer germinar focos de info-excluídos e ostracizar grandes sectores de uma comunidade alheia aos novos desafios tecnológicos, porque ainda agem com os recursos tradicionais, tais como: o livro, o jornal ou a revista. “Hoje, a avaliação centra-se essencialmente, no impacto qualitativo da biblioteca, isto é, na aferição das modificações positivas que o seu funcionamento tem nas atitudes, valores e conhecimentos dos utilizadores”. (4) Notas: (1) – in, The Evidence-Based Manifesto para a Escola de Bibliotecários, de Ross Todd, pág. 2; (2) – in, The Evidence-Based Manifesto para a Escola de Bibliotecários, de Ross Todd, pág. 3; (3)– in, School Library Journal, 9/1/02, Mike Eisenberg oferece um plano convincente para se tornar um jogador nato na sua escola, pág.2-3; (4) – in Modelo de Auto-avaliação das Bibliotecas Escolares: problemáticas e Conceitos, pág. 4-5

Texto de Joaquim José Veiga, professor bibliotecário


Ich wollt‘ ich wär… Eu gostaria de ser ...

Um jogo com identidades Ser uma vez outro alguém completamente diferente - é o que todos desejam, pelo menos, uma vez na vida. Que papel gostarias de desempenhar? Ser forte ou genial, bonito ou misterioso? Com o Concurso „PaschFoto-Wettbewerb“ (Concurso de Fotografia) "Eu gostaria de ser ..." podes trajar-te de modo a representar uma pessoa „famosa“, tiras fotografias nessa pose e farás parte de uma exposição! Escolhe uma personagem que te fascina. Apresenta -a numa pose típica. É claro que te podes trajar, pintar e utilizar adereços. Pode ser uma pessoa famosa do presente ou do passado, uma estrela ou uma figura histórica, um político ou uma atriz. Também pode ser uma personagem da arte, como por exemplo, um herói bem conhecido de um romance, de um filme ou de uma pintura famosa. Deixa-te fotografar no papel dessa personagem. É importante encenar a pose e a expressão, de forma a reconhecer qual é a personagem que está a ser representada. Por isso devem utilizar poses bastante expressivas. É também importante ter uma boa qualidade de imagem. Apenas fotos de alta resolução podem ser impressas. As melhores fotos serão compilados numa exposição de cartazes! Quem pode participar? Todos os alunos do Agrupamento de Escolas de Albufeira cuja língua estrangeira seja Alemão. Como funciona? Posar no papel de uma pessoa que admiras ou que

achas particularmente interessante. Tirem fotografias uns aos outros! Escreve – em alemão – um texto com cerca de 200 palavras sobre a tua fotografia: • Quem é que estás a representar? • Por que é que escolheram essa personagem? • O que deve expressar a tua pose. Envia as tuas fotos e comentários até ao dia 30 de Abril para: bkd@lissabon.goethe.org Envia, por favor, também o formulário de inscrição preenchido. Critérios de avaliação: • Criatividade e originalidade da imagem • Apresentação convincente • A qualidade estética e técnica da foto • A qualidade da linguagem e conteúdo do comentário Há prémios para os três primeiros lugares! As melhores fotos serão apresentadas numa exposição de cartazes. Além disso, publicamos as dez melhores fotos no „PASCH Global“. Nota: A foto deve ter uma resolução mínima de 300 dpi. Para obter uma impressão de qualidade deve ser feita num ambiente de grande luminosidade para apresentar bastante nitidez. Por isso deve ser utilizado uma máquina fotográfica reflex. Data limite: 30 de Abril 2013 Se tiveres dúvidas contacta as professoras: Cristina Barbosa (Dr. Francisco Cabrita) cnbarbosa@aealbufeira.pt Monica Moreira (EBSA) mmoreira@aealbufeira.pt

Robin Hood

right other people’s wrongs, has remained at the heart of the myth; robbing the rich to feed the poor, humbling the proud Tales of the famous Robin Hood were already well-known monks, winning the archery contest, tricking the sheriff and in the 1370s. he is known to have been a real person escaping, being betrayed in church, falling in love who lived in the forest of Barnsdale, in Yorkshire. Latwith Maid Marion and shooting an arrow as he lies er, other heroes’ tales were added to the Robin Hood dying. stories, along with his merry Men, and their adventures The idea of Robin as a gentleman living in Sherwood moved to Sherwood Forest and Nottingham. Forest at the time of Richard the Lionheart was popuThe outlaw archer, the victim of injustice who sets larised by a play written in 1598.

17


Os alunos da professora Ana Paula Teles apresentaram uma criação poética, tendo por base a obra de William Shakespeare, Romeu e Julieta. O poema é conciso, mas original e criativo! Apreciem... Vamos contar uma história que ficará na memória. Em Verona se passou e tristemente acabou!

À varanda de Julieta vai para matar a saudade que o corrói! Juras de amor fizeram E o casamento marcaram.

Julieta acorda, de verdade, Na esperança de fugir, Encontrar a felicidade E com o seu amor partir…

Começa com uma desavença provocada pela presença de criados de Capuleto e Sansão e Benvólio em dueto…

Romeu partiu E à igreja se dirigiu. Frei Lourenço aceitou E o casamento se realizou.

Mas, oh triste e sofrida, No seu peito morreu, Já sem réstia de vida, Seu amor Romeu!

Montecchio percebeu A tristeza de seu filho Romeu, A Benvólio perguntou Que com o segredo acabou.

Após a grande festa, Dá-se a sangrenta batalha. Da vida de Mercúcio nada resta Pois Tebaldo ceifou-a e nada falha!

E assim ditou o destino Um amor inigualável! Nasceu como um menino, Cessou de forma imparável…

Romeu sofre de amor que está mais para um desamor! Para de tal sofrimento esquecer no baile dos Capuleto decide aparecer.

Romeu e Julieta casam por querer. Ela pelo pai a outro é prometida! Casou sem ele saber Toma uma poção, parece sem vida…

Separados em vida, Juntos até na Morte! Romeu e Julieta querida No Céu, terão melhor sorte!

No baile vê-se encantado Pela bela Julieta, tinha-se apaixonado Um beijo lhe roubou E ela logo o retornou…

Seu corpo no jazigo Espera o tempo passar… Romeu, corre perigo, Frei Lourenço não o consegue avisar!

No fim da festa, Romeu descobre o nome desta, Mas deste amor não desiste, que quando está longe o deixa triste…

Já em desespero forte, Procura uma solução… Encontra sem medo a morte Ao tomar outra poção!

11º A, Mário Barbosa,( nº 11) e Sara Mandim,( nº 17)

A professora Graça Pinheiro, da EB1 da Correeira, enviBusca ocho palabras relacionadas con el tiemou alguns trava-línguas criados pelos seus alunos alusivos po libre. ao Carnaval. Tentem reproduzir…

The United Nations’ (UN) International Mother Language Day annually celebrates language diversity and variety worldwide on February 21st. On International Mother Language Day the UN’s Educational, Scientific and Cultural Organization (UNESCO) and UN agencies participate in events that promote linguistic and cultural diversity. They also encourage people to maintain their knowledge of their mother language while learning and using more than one language.

18

"Uma máscara, duas máscaras, três máscaras, Três são os disfarces com que me vou disfarçar: Um fato que não é fato e outro que de facto é fato! O terceiro tem fitas e parece o fato que de facto é fato. Percebeste? O facto é que os meus fatos disfarçados estão! E com os meus fatos disfarçados, não vou mascar palavras, mas destravar a língua... E se neste Carnaval alguma palavra aldrabar, não faz mal: é Carnaval e ninguém leva a mal." Pedro Encarnação, 3ºA, Correeira "A máscara tem má cara. A máscara tem cara má. Mascara a cara com a máscara da cara má. Mascara a cara com a máscara da má cara." Rita Paiva, 3ºA, Correeira "O meu amigo é carnavalesco no Carnaval. No Carnaval o meu amigo é carnavalesco. Carnavalesco é o meu amigo no Carnaval. Carnavalesco é bom no Carnaval." Mara Tomaz, 3ºA, Correeira


Palestra “A dimensão Religiosa e os desafios da Tolerância” Foi o tema escolhido e mote de saída para o encontro/palestra com o professor José Nunes da Universidade Católica Portuguesa, que se realizou no dia 18 de Janeiro de 2013, pelas 0h30 no auditório da EBSA. Numa articulação entre os docentes de EMRC, Domingos Mendes, Filosofia, Maria do Céu Ferreira e a Biblioteca Escolar, e a participação das turmas 9ºC, 10ºC e 11ºB, bem como de alguns docentes, abordouse a temática dos desafios que o quotidiano nos coloca e questionou-se o porquê da religião na vida do ser humano a partir de exemplos e práticas onde é visível o interesse de cada um pelo fenómeno religioso nas várias dinâmicas e dimensões.

Desmistificando questões e articulando justificações sobre as funções da religião, a formulação espontânea de interrogações acerca da nossa existência e explicações que parecendo dicotómicas revelam que não há incompatibilidade naquilo que é da religião e naquilo que é da ciência pois têm objetos/objetivos distintos e só ocorrem mal entendidos quando uma interfere na outra. Passou-se rapidamente pela questão da tolerância face aos outros credos religiosos, no sentido de aceitar o outro e não só “a minha verdade”. Os alunos mostraram-se muito participativos, intervindo de forma pertinente e colocando várias questões, o que se revelou também gratificante para o preletor e assim se conseguiu debater num ambiente saudável e expectante, o que revela o envolvimento e interesse que este encontro despertou na audiência.

Muitas foram as turmas que responderam ao desafio lançado pela equipa de Saúde Escolar do Centro de Saúde de Albufeira e criaram ou reinventaram receitas lácteas para incluirmos mais hábitos saudáveis na nossa dieta, especialmente o consumo de leite. A equipa responsável pelo concurso (inserido no projeto “Bem Comer - Bem Crescer”) pretende expor os diversos trabalhos num local público a anunciar, pois o concurso abrangeu todos os ciclos desde o pré-escolar até ao secundário do concelho de Albufeira. Deixamos aqui duas propostas acompanhadas com as fotografias da criação artística em plasticina. INGREDIENTES

Quiche de Marisco

INGREDIENTES Massa: 250g de farinha; 0,5dl de azeite+ 1 colher (sopa) para untar; 1 Ovo; Sal Recheio: ½ Pacote de creme de marisco instantâneo; 2 Dl de natas; 3 Ovos; 1 Ramo de manjericão; 2 Colheres (sopa) de queijo parmesão ralado; ½ Pimento verde; 250g de miolo de camarão; 200g de miolo de mexilhão

PREPARAÇÃO Para a massa, envolva a farinha peneirada com azeite. Junte o ovo e uma pitada de sal e amasse. Adicione água aos poucos até obter uma massa maleável e bem ligada. Deixe repousar por dez minutos. Tenda a massa e forre com uma forma da tarte com 25 cm de diâmetro untada com azeite. Apare as extremidades da massa e reserve. Dissolva o conteúdo do pacote de creme de marisco com as natas. Leve ao lume, mexendo sempre, e assim que começar a espessar, retire do calor e envolva os ovos, parte do manjericão picado e o queijo. Verta o preparado na forma forrada com a massa e distribua, por cima, o pimento em tiras e o miolo de marisco. Leve ao forno 190ºC, por 30 minutos. Retire depois de cozido, desenforme e transfira para um prato de servir. Decore com o restante manjericão. Alunos: Ana Santos, Cátia Filipe, Aurélia Sadoveanu e Diogo Araújo (15 anos) – 9ºB - Escola E.B.2,3 Dr Francisco Cabrita – Albufeira (Prfª Ascensão Marrachinho)

Massa: 3 ovos; 1 chávena e 1/2 de farinha de trigo; 1 chávena e 1/2 de leite; 3 colheres de queijo (opcional); 1 colher de fermento; 1/3 de chávena de óleo; sal a gosto e pimenta Recheio: carne moída /frango desfiado/ salsichas às rodelas ou atum; 1 cebola; 1/2 pimento; 2 tomates sem pele; Orégãos; Sal e pimenta a gosto; 3 ovos; 1 iogurte natural; Azeite

Tarte Salgada

PREPARAÇÃO Massa: Coloque todos os ingredientes num copo liquidificador e bata tudo. Recheio: Refogue a cebola e o pimento no azeite. Depois, acrescente ao tomate o ingrediente que seleccionou (dá para aproveitar restos) e refogue em lume brando. Numa taça coloque o iogurte o os ovos, bata e junte ao refogado. Tarte: Numa tarteira coloque a massa e por cima o recheio. Vai ao forno a 180º mais ou menos 30mn (até estar dourado). Alunos: Cristana Reis , Patricia Parego e Cláudia Monteiro (15 anos) – 9ºB

19


Os alunos das turmas do 9º ano da Escola Dr. Francisco Cabrita realizaram no primeiro período fantásticos desenhos de observação de flores pintados com lápis de cor. Deixamos aqui uns exemplos das obras destes artistas, orientados pela professora Ascensão Marrachinho.

Agrupamento de Escolas de Albufeira E-mail: jornal.francisco.cabrita@gmail.com

A Equipa do Porta Aberta agradece a todos os que colaboraram para este jornal!

Com o apoio de:

EBSA, na Competição Nacional de Ciência em Rede, na modalidade fisq, promovida pela Universidade de Aveiro. No passado dia 06 de março de 2013, duas equipas compostas por dois alunos cada, da turma B, do 9º ano, da Escola Básica e Secundária de Albufeira, Ana Sofia Marcelino, Diana Smintina, David Andrade e João Luna, participaram na Competição Nacional de Ciência em Rede, na modalidade fisq (Física e Química), com o objetivo de promover o sucesso escolar e a cultura científica, em particular na área da Física e da Química. OS NOSSOS ALUNOS ESTÃO DE PARABÉNS! Conseguiram atingir brilhantemente os objetivos propostos! A prova, composta por dez níveis, com várias questões, em cada nível, sobre conteúdos programáticos da disciplina de Físico Química dos 7º ao 9º anos de escolaridade, estava preparada para ser realizada num tempo máximo de 30 minutos e os nossos alunos conseguiram completála em, apenas, 12 minutos e 46 segundos. Os resultados confirmados e oficializados sairão no dia 13 de março de 2013 na página oficial do projeto Pmate: http://pmate4.ua.pt/pmate/ Profª. Ana Luísa Gonçalves

20

Porta Aberta n.º9  

Jornal Porta Aberta 9

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you