Page 1

ASP

Revista

Junho / Julho de 2012

Segurança Alimentar e Nutricional A ASP é responsável por servir mais de seis mil refeições diárias em Restaurantes Populares e nas Unidades mantidas pela instituição. Além de alimentação digna e balanceada, acompanhe a preocupação da ASP na preservação ambiental nos preparo das refeições.

Foto: Prefeitura de Curitiba

Pág. 05

• ASP na Rio+20

• Atividades com as Crianças

• Dança de Salão

Pe. José Aparecido Pinto, coordenador geral da ASP , fez apresentação dos trabalhos da instituição neste grande evento.

Acompanhe o sucesso de atividades especiais realizadas no Centro de Educação Infantil Brilho do Sol.

Acompanhe os benefícios da Dança de Salão para pessoas idosas, a partir da atividade realizada no Centro Dia do Asilo São Vicente de Paulo.

Pág. 08

Pág. 09

Pág. 12


Editorial Datas importantes nos meses de junho e julho nos guiaram para a elaboração desta edição da Revista ASP. Junho é o mês do Sagrado Coração de Jesus e por essa comemoração trazemos um artigo sobre este coração que tanto nos amou e que entregou sua vida gratuitamente nos ensinando que o verdadeiro amor é humilde, manso, tudo perdoa, tudo espera e tudo confia; e apenas quer que nós permaneçamos neste amor. Também destacamos o dia de Santo Antônio (dia 13), Santo que soube amar e se inclinar ao amor de Jesus e que em seu nome inúmeros devotos que contam com sua poderosa intercessão.

13 de Junho é dia

Outras datas deste bimestre nos inspiraram a algumas

de Santo Antônio

realizou muitos milagres em vida, e que ainda hoje possui

reflexões sobre as atividades que a Ação Social do Paraná tem realizado, como o Dia do Meio Ambiente – 5 de junho. Aproveitamos para apresentar como temos trabalhado a preservação ambiental no preparo dos alimentos em nossos projetos e participação da ASP no evento Rio +20. O dia dos avós nos levou a uma história de amor que acontece no Centro Dia do Asilo São Vicente de Paulo e que inspirou uma linda matéria, mais uma vez ressaltando a importância de assegurar o direito e a dignidade da pessoa idosa. Apresentamos também o andamento dos projetos da Ação Social do Paraná que caminham junto com a comunidade, promovendo a vida.

Chamado de santo casamenteiro e padroeiro dos pobres, Santo Antonio tem milhares de devotos espalhados por todo Brasil. Com esta fama, milhares de pessoas fazem promessas e novenas para este Santo no dia 13 de junho, principalmente para arranjar um companheiro ou uma companheira. Esta fama provavelmente vem do fato de que em vida lhe eram atribuídos feitos prodigiosos e de que conseguia favores imensos. Santo Antônio nasceu em Lisboa no ano de 1195, sob o nome de Fernando de Bulhões. Aos 27 anos fez-se franciscano e tomou o nome de Antonio em recordação de São Antonio Pároco. Foi a evangelizar na África, Espanha, Itália e França. Pregou prevenindo a população que não se deixassem enganar por hereges e repetia que o grande perigo do cristão seria pregar e não praticar, crer porém não viver de acordo com o que se acreditava.

Tenham uma boa leitura!

Expediente Publicação bimestral da Ação Social do Paraná. Coordenador geral: Pe. José Aparecido Pinto Coordenadora Administrativa: Giceli Stoco Supervisão Administrativa: Adriano Luiz Ferreira Comunicação: Ana Carolina Loureiro Sachsida

02

O Papa Leão XIII o chamou “o santo do mundo inteiro”, porque sua imagem e devoção encontra-se por todas partes. Faleceu em Pádua, na Itália, em 13 de junho de 1231.

:: Publicação produzida pela Sintática Comunicação Jornalista Responsável: Téo Travagin – 5531 – DRT-PR Fotos: Ruy R. Prado / Arquivos ASP :: Impressão: Gráfica Pirâmide :: Tiragem: 10.000 exemplares Dúvidas ou sugestões: comunicacao@sintatica.com.br


Espaço Rede ASP

FDS ajuda a transformar realidades O Fundo Diocesano de Solidariedade tem contribuído para que diversas ideias de transformação social virem realidade. Por meio deste Fundo, entidades, paróquias e movimentos sociais recebem apoio de até R$ 10 mil, através do edital, para executar projetos sociais que tenham relação com a Campanha da Fraternidade. É o caso do Centro de Assistência Social Divina Misericórdia (CASDM) que foi contemplado em 2011 com o recurso do FDS. O Centro atende em média 900 crianças e adolescentes, famílias e idosos, em cinco unidades em Curitiba. Desenvolve projetos educativos, voltados para a formação para a cidadania. Em 2011, o CASDM recebeu o aporte financeiro para a realização do projeto “Amigos do meio ambiente – cultivando uma alimentação saudável”. O objetivo era dar sequencia ao trabalho de educação

ambiental que o Centro já desenvolvia junto a crianças, criando três hortas comunitárias e proporcionando cursos de alimentação saudável para as mães. “O projeto veio para criar uma cultura de cuidado da terra, envolvendo as crianças desde o preparo do adubo até a colheita dos alimentos”, explica a gestora do Centro, Irmã Anete Giordani. Ainda explica que tudo no projeto foi pensado para a sustentabilidade do Planeta, sendo que até a terra utilizada na horta é adubada por meio da compostagem produzida no próprio Centro.

Próxima Seleção do FDS O edital do FDS está disponível nos sites da

Na opinião da Irmã o projeto apoiado pelo FDS agrega valor ao trabalho do Centro: ”o trabalho vai ter continuidade, pois quem participou dos cursos se torna multiplicador e as hortas construídas vão permanecer por anos. Com certeza vamos criar uma cultura nas crianças de cuidado com a terra e com a alimentação saudável”.

Ação Social do Paraná (www.aspr.org.br) e da Arquidiocese de Curitiba (www.arquidiocesedecuritiba.org.br). A próxima seleção de projetos será feita para as propostas entregues até o dia 15 de agosto, conforme cronograma do edital.

Asilo São Vicente de Paulo sedia debates mensais sobre segurança no bairro Juvevê As ações do Conselho Comunitário de Segurança (CONSEG) do Juvevê estão sendo mensalmente debatidas dentro do Asilo São Vicente de Paulo. Isto porque desde março deste ano a Ação Social do Paraná mantém uma parceria com o Conselho, trazendo suas reuniões mensais para o anfiteatro do Asilo. Os CONSEG são associações compostas por moradores, comerciantes ou representantes de entidades de um bairro ou região, com o objetivo principal de organizar as questões de segurança nestes locais. Os participantes do

Conselho debatem as necessidades do bairro, planejam soluções, desenvolvem campanhas educativas e procuram interagir com as autoridades sobre os diversos aspectos relativos à segurança pública. Nos meses de março e abril o CONSEG Juvevê realizou encontros comunitários no Asilo São Vicente nos dias 06 e 03, respectivamente. As reuniões são abertas ao público em geral. Acompanhe o calendário de reuniões previstas em 2012, sempre com início às 19 horas:

MÊS MAIO JUNHO JULHO AGOSTO SETEMBRO OUTUBRO NOVEMBRO DEZEMBRO

DIA 08 05 03 07 04 02 06 04

As atividades do CONSEG Juvevê podem ser acompanhadas através do endereço eletrônico www.consegdojuveve1.blogspot.com.

03


Artigos

Eis o coração que tanto nos amou! Palavras impregnadas de um certo quê de melancolia e tristeza, que revelam a continuação do pensamento de Jesus, quando as pronunciou: “Eis o Coração que tanto amou os homens... e que por eles é tão pouco amado”. Há nessas palavras uma repreensão doce e amarga, que deveria tocar bem no fundo do coração humano. E´ fácil compreender esse sentimento muito humano de Jesus, pois todos sabem que nada é mais triste do que amar sem ser amado, nada toca mais fundo em nosso coração e nas suas cordas mais sensíveis do que a ingratidão. “Eis o Coração que tanto amou os homens!” No linguajar comum, o coração é a sede do amor, mas não é bem esta a realidade do homem; não é o coração que ama, é a pessoa, é o ser total que se inclina para um outro ser, no qual encontra afinidade, e ao qual se dirige, para o bem dele, pela vontade e não apenas pela sensibilidade. O Sagrado Coração de Jesus é o símbolo divino do amor que Ele teve para conosco, um amor que o levou até à loucura da Cruz e da sepultura, para o resgate, para o bem eterno de todos nós. Que merecimentos poderíamos ter, nós todos pecadores, para atrair do céu o próprio Filho de Deus? Foi Deus quem nos criou, e não precisava de nós na sua perfeição e felicidade infinitas. Criou-nos só por amor, para partilhar conosco a sua felicidade. Mas nós, a humanidade, estupidamente renunciamos a essa proposta de puro amor, decididos a procurar por nós mesmos a nossa felicidade, do nosso jeito e onde a quisemos colocar. Afastando-nos assim do rumo, fizemos a experiência do desastre, e pior ainda, da nossa impotência em nos levantarmos. Foi quando o Filho Eterno de Deus, só por amor também, aceitou entusiasta a missão que o

04

Pai lhe confiou, levando-a até às últimas conseqüências: vestiu-se de nossa carne e carregou sobre si todas as nossas desgraças, até morte terrível da cruz. O Coração divino de Jesus, aberto pela lança lá no Calvário, derramando sobre nós seu sangue, é o sinal sensível comovente desse amor, assim aberto para encontrarmos nele um abrigo e um refúgio bem seguro. E´ o Cristo total, Cristo Pessoa divina em duas naturezas, Cristo ressuscitado presente no meio de nós, que assim nos ama. Nós amamos porque encontramos no ser amado o bem que procuramos. Mas Jesus nos ama, não porque encontra em nós algo de bom, porque é Ele mesmo quem coloca em nós tudo o que em nós pode haver de bem. Entre os seres humanos o bem é causa do amor; em relação a Deus porém, o bem que houver em nós é efeito do amor! Mas amor com amor se paga, e com nada mais! Se Deus, em Jesus Cristo, nos amou tanto assim, e de forma totalmente gratuita, torna-se absolutamente necessária a nossa correspondência. A ingratidão dói demais. E quantas vezes inda vivemos como se Cristo nem tivesse morrido na cruz, nem tivesse ensinado com a sua vida o único caminho da felicidade, e continuamos procurando-a onde ela não está: nos prazeres e satisfações das coisas materiais, na busca de conforto e bem estar, como se aqui na terra estivesse o nosso destino final! Para quanta gente Jesus Cristo desperdiçou seu sangue, morrendo à toa! Seria possível? Mês de junho é o mês do Sagrado Coração de Jesus.

Frei Estevão Nunes op. Pároco da Igreja de Santo Antonio, no Boa Vista, Curitiba-PR


O que Cristo deseja de nós? - o que deseja um regente de seus músicos? - o que deseja um professor de seus estudantes? - o que deseja um chefe de seus funcionários? - o que deseja um treinador de seus jogadores? - o que desejam os pais de seus filhos? - o que deseja um governador de seus cidadãos?

Todo líder deseja, espera e se esforça para que os seus seguidores o aceitem, o sigam e cumpram suas instruções e obrigações. Jesus os conquista. Este relacionamento com Jesus tem muito mais valor e sentido do que o resultado, por exemplo, de um jogo de futebol, porque isto afeta nossa alegria aqui e agora e nossa felicidade eterna após a morte. Ele não exige o impossível de nós. Sabe que somos fracos e nos capacita. É só viver o que ele pede: “Permaneça em mim e eu ficarei sempre com você. E você será feliz” (Jo 15,3-11). A origem de nossa vocação, de qualquer vocação, nasce, cria raízes e se alimenta no Batismo, não no nosso temperamento. Comunidade existe quando as pessoas têm problemas comuns, procuram solução comum, para que todos vivam um ideal comum. Isto vale para qualquer comunidade. Deus chama a todos e não volta atrás. Ser escolhido e chamado – convocado – a fazer parte de uma seleção esportiva cria um relacionamento forte com o técnico e uma grande dependência dele: isso cria enorme satisfação e grande esperança para o futuro se eu depender do técnico e permanecer com ele. Jesus pede que eu “permaneça nele”, ouvindo-o e seguindo o que Ele me pede, dedicando tempo, pensamentos, dores, desejos e até detalhes da minha vida. Se cultivo esta profunda comunhão com Cristo, eu não desejo mais voltar à vida superficial. Este permanecer é o essencial. Essencial: - porque com Deus ninguém me derrota - porque não vivo um vazio interior - não me engano nem serei enganado - não fico frustrado nem dominado pelo mundanismo - minha vida não é inútil, pois, vivo semeando o bem - e ninguém me tira ou supera a alegria que me enche a vida Deus não ilude, nem desilude: Ele ajuda a não errar a decisão. Não erre a decisão: Na 2ª guerra mundial, 1939-1945, um rapaz americano queria a todo custo ir à guerra, porque ele “mataria” todos os alemães. Nem a família o segurou. Foi e ao entrar no campo de batalha, a primeira coisa que viu foi um caminhão (caçamba) carregado de corpos de soldados mortos e empilhados como lenha. Cobriu os olhos com as mãos, em pânico, e só disse: “Em que eu me meti” (Nosso andar diário – RBC – 2010) Pe. Anacleto Ortigara – MS Santuário N. Sra. da Salette

05


Segurança Alimentar e Nutricional

ASP mantém responsabilidade ambiental em seus projetos Confira alguns procedimentos utilizados pela ASP em seus projetos de Segurança Alimentar e Nutricional Em 5 de junho é comemorado o Dia Mundial do Meio Ambiente e a Revista ASP aproveita para transmitir a mensagem de que somos todos responsáveis pelo meio em que vivemos. Com essa filosofia e em consonância com a missão de promover a vida, a Ação Social do Paraná realiza diversos procedimentos em seus projetos que refletem em preservação ambiental. Para incentivar uma postura ambientalmente correta no preparo dos alimentos, a Revista ASP elenca a seguir os procedimentos relacionados com a preservação ambiental no preparo das refeições nos Restaurantes Populares de Curitiba e Maringá e no Asilo São Vicente de Paulo (média de 6 mil refeições diárias no total):

1

. As frutas, verduras e legumes são provenientes em grande parte de agricultores familiares. A ASP é cadastrada no PAA – Programa de Aquisição de Alimentos do Governo Federal, recebendo produtos hortifrutigranjeiros regionais, de produtores locais. “É comum neste tipo de agricultura processos de agroecologia, que representam uma preservação da terra” explica a supervisora de nutrição da ASP, Anna Lucia Plata. Ela complementa a explicação afirmando que estes produtos vêm com menos agrotóxicos, que além de um ganho para o meio ambiente resulta também em maior qualidade nos alimentos.

2

. O uso de frituras é minimizado, o que significa que menos óleo é utilizado e a quantidade de resíduo de óleo é muito baixa. Reduzir, reutilizar e reciclar são palavras chave na preservação ambiental. A pequena quantidade de óleo que sobra é armazenada e enviada para destinação correta. “Mas é importante sempre pensar primeiro em reduzir, extrair o mínimo da natureza, pois é a melhor forma de preservar”, comenta Anna Lucia.

3

. Os alimentos são aproveitados integralmente. Em todas as refeições preparadas sempre se aproveita ao máximo tudo o que o alimento pode oferecer. “De uma couve-flor por exemplo se utiliza tudo, até as folhas, que viram um saboroso creme verde”, comenta a nutricionista.

4

. Com planejamento, cálculos e monitoramento evita-se o desperdício. Nos Restaurantes Populares são servidas 1.000 refeições diárias e sempre há público para todas estas refeições. O cálculo das proporções de cada alimento é realizado para que não sobre mais de determinado alimento e falte do outro. Anna Lucia explica que existe o monitoramento diário das sobras, para que sempre se tenha um retorno do que pode gerar desperdício e assim evitar que isso aconteça. Uma regra da instituição é: 'uma alimentação sem excessos reflete em benefício para a saúde e para o meio ambiente'.

5

. O transporte dos alimentos é otimizado. A ASP recebe uma grande quantidade de alimentos semanalmente e mantém uma Central de Distribuição de Alimentos para outras entidades sociais. Como já concentra os alimentos num local, o transporte para os Restaurantes é realizado por meio de viagem única, levando todos os alimentos necessários de uma vez, gerando assim menos poluentes. 06


ASP é mantenedora do Restaurante Popular de Londrina Em julho será inaugurado o primeiro Restaurante Popular de Londrina, com capacidade de servir até mil refeições por dia. O espaço é viabilizado por uma parceria entre a prefeitura da cidade e o Ministério do Desenvolvimento Social e do Combate à Fome (MDS), e será administrado pela Ação Social do Paraná. A ASP, em busca de sua missão de garantir o direito humano à alimentação digna, é responsável pela administração de

outros Restaurantes Populares em Curitiba (Matriz, Sítio Cercado, Pinheirinho e Fazendinha) e em Maringá. A instituição mantém em todas as unidades um cardápio balanceado e saudável. Além disso, parte dos alimentos utilizados no preparo das refeições é adquirida de agricultores familiares regionais, o que fortalece a dignidade no campo.

Receitas Bolo de casca de banana Ingredientes: • 2 xícaras (chá) de casca de banana madura • 4 gemas • 4 claras em neve • 2 1/2 xícaras (chá) de açúcar • 3 xícaras (chá) de farinha de trigo • 5 colheres (sopa) rasas de margarina • 2 colheres (sopa) de fermento em pó • canela em pó para polvilhar

Modo de preparo: Bater no liquidificador as cascas de banana com 1/2 xícara (chá) de água. Reservar. Na batedeira, colocar a margarina, a gema e o açúcar, batendo até ficar homogênea. Misturar as cascas de banana batidas, a farinha e o fermento. Por último, as claras em neve, polvilhando com a canela antes de ir ao forno. Levar ao forno em uma forma untada, assar durante 30 ou 35 minutos.

Nutrientes: Vitaminas A e C, Folato, Potássio, Fósforo e Magnésio

Refrigerante caseiro

Nutrientes: Vitamina A, C, Folato, Potássio, Sódio, Fósforo, Cálcio e Magnésio

Ingredientes: • 3 cenouras médias com casca, bem lavadas • casca de uma laranja • 1/2 copo de água • 1 copo de suco de limão • açúcar • água bem gelada com ou sem gás

Modo de preparo: Bata tudo no liquidificador e coe. Acrescente 2 litros de água gelada e adoce. Misture bem e sirva gelado.

Suco de couve com limão Ingredientes: • 5 limões • 500g de couve • 1 litro de água • açúcar a gosto

Modo de preparo: Esprema os limões e coe. Bata no liquidificador junto com a couve e a água e coe novamente. Adoce a gosto

Nutrientes: Vitamina A, C e B1, Folato, Sódio, Potássio, Fósforo, Cálcio e Magnésio

07


Notícia ASP

Trabalho da ASP

é apresentado na Rio+20 Entre 13 e 22 de junho de 2012 a Conferência das Nações

do objetivo do Fórum, que segundo a organização do

Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, a Rio+20,

evento “teve como uma das ênfases a discussão dos

foi destaque em noticiários do mundo inteiro. A

meios de erradicação da pobreza, focada na agricultura

Conferência teve o desafio de promover o crescimento

nos países em desenvolvimento”.

econômico, aliado à justiça social e à conservação ambiental, ou seja, promover o chamado desenvolvi-

O painel teve a mediação de Paul James, diretor do

mento sustentável.

Programa Cidades Sustentáveis do Pacto Global. Também participaram do debate Mounir Chaowiche,

Este evento mundial contou com a participação do Pe.

presidente da Companhia de Habitação do Paraná; Jorge

José Aparecido Pinto, coordenador geral da ASP. Na

Miguel Samek, diretor geral brasileiro da ITAIPU

manhã do sábado, dia 16, ele participou do painel

Binacional; Joel Krüger, presidente do CREA-PR; e Lidia

Cidades Sustentáveis: Desafios Globais, Soluções Locais,

Mizote, de Campo Mourão.

que fez par te da programação do Fórum de Sustentabilidade Corporativa da Rio+20. O Pe. José Aparecido apresentou a forma como a ASP atua na área da Segurança Alimentar e Nutricional, direcionando os resultados deste trabalho para um Desenvolvimento Local, Solidário e Sustentável. Ele ressaltou a atuação da ASP na garantia de alimentação digna, proporcionada a milhares de pessoas por meio de ações como a Central de Distribuição de Alimentos e os Restaurantes Populares. A apresentação foi ao encontro Pe. José Aparecido Pinto na mesa de debate sobre Cidades Sustentáveis

08


Notícias ASP

Oficinas especiais mudam rotina das crianças no CEI Brilho do Sol No Centro de Educação Infantil Brilho do Sol, administrado pela ASP as crianças usufruem de um espaço para explorar, brincar, além de desenvolver os aspectos físicos, psicológicos, intelectual e social. Além das atividades desenvolvidas diariamente acontecem também atividades especiais que mudam a rotina das crianças. Um exemplo de atividade especial foi a Oficina de Culinária com as crianças. As crianças ajudaram na produção de um bolo para o aniversário de Curitiba e auxiliaram na confecção de pães. A aluna Aniele havia questionado a professora se não ia ter bolo no aniversário da nossa cidade. A partir daí as próprias crianças fizeram o bolo para a comemoração do aniversário. A professora Gisele Moreira da Costa diz que as crianças adoraram a atividade e que a hora de colocar as toucas na cabeça, para proteção e higiene, foi uma festa. Segundo a professora: “Todo o processo de confecção do bolo foi bem participativo, as crianças colocaram a mão na farinha, enfeitaram a sala, colocaram a cobertura no bolo e cantaram parabéns para Curitiba.” “Foi legal, eu coloquei o ovo”, disse Kamily de 5 anos. Mateus (5) também relata: “Foi legal, eu estava de touca e coloquei aquele negócio que faz crescer o bolo”... “O fermento”, complementa a professora. Sobre a confecção do pão a professora Andréia de Fátima, do maternal I, diz que pretende realizar mais atividades desse gênero, pois a atividade contribuiu para o aprendizado em relação ao preparo dos alimentos e sobre alimentação saudável.

O CEI Brilho do Sol é administrado pela Ação Social do Paraná desde o início 2012 e está localizado no bairro Tatuquara. Acompanhe atividades e fotos do CEI no site da ASP – aspr.org.br

09


Artigo

Envelhecimento com exercício pleno de direitos Em diversas oportunidades, neste mesmo espaço, fizemos a análise de uma série de direitos concedidos de forma especial e extraordinária aos cidadãos que possuem mais de 60 anos. E em todas elas sempre realçamos que o sistema especial de proteção legal voltada aos idosos é uma forma de garantir o alcance e acima de tudo a manutenção da dignidade de pessoas que já atingiram determinada faixa etária. De fato, seja o Estatuto do Idoso (lei 10741/03), seja a Lei de Organização da Assistência Social, seja ainda a Constituição Federal, ou qualquer outra norma, sempre tem por escopo garantir que as pessoas possam passar pelo procedimento natural de envelhecimento de forma condigna, garantindo-se os chamados mínimos essenciais. Pode-se dizer, sem medo de errar, que no campo legislativo o Brasil avançou sobremaneira, tentando por todas as formas garantir o "envelhecimento ativo", termo cunhado no seio da Organização Mundial de Saúde no final dos anos 90. Por dito conceito procura-se transmitir uma mensagem mais abrangente do que "envelhecimento saudável", e reconhecer, além dos cuidados com a saúde, outros fatores que afetam o modo como os indivíduos e as populações envelhecem. A abordagem do envelhecimento ativo é baseada no reconhecimento dos direitos humanos das pessoas mais velhas e nos

10

princípios de independência, participação, dignidade, assistência e auto-realização estabelecidos pela Organização das Nações Unidas. Com esta abordagem, o planejamento estratégico deixa de ter um enfoque baseado nas necessidades biológicas ou de cuidados (que considera as pessoas mais velhas alvos passivos) e passa ter um enfoque baseado nos direitos, o que permite o reconhecimento dos direitos dos mais velhos à igualdade de oportunidades e tratamento em todos os aspectos da vida à medida que envelhecem. Esta abordagem apóia a responsabilidade dos mais velhos no exercício de sua participação nos processos políticos e nos outros aspectos da vida em comunidade. Desta forma, há todo um arcabouço jurídico que privilegia a inclusão e o trato humano do idoso, sendo necessário que este arcabouço seja posto em prática e para isto é indispensável a participação efetiva dos mais diversos atores sociais, dentre eles os próprios idosos. As garantias, os mínimos sociais, estão postos e cabe aos indivíduos, às famílias, e especialmente às associações de defesa de direitos atuarem ativa e politicamente para implementar as políticas sociais de atendimento ao idoso. O Brasil não precisa de mais leis, regulamentos, portarias. O Brasil necessita de ações e estas ações devem partir especialmente dos principais interessados, que são justamente os idosos, notadamente os que ainda possuem capacidade de mobilização e ação.

Os espaços de debate e de atuação estão abertos. Há os conselhos municipais, estaduais e o federal do idoso. Há os conselhos de assistência social e há, acima de tudo, associações que existem para atuar em prol do idoso. Elas precisam e devem agir, criando demandas e cobrando dos respectivos responsáveis comportamentos pertinentes. E aqui notamos que a cobrança não deve dirigir-se apenas ao Estado e que este tenha também sua parcela de responsabilidade. A cobrança deve começar dentro de cada condomínio, clube, e espaço coletivo, mesmo que privado, pedindo, sugerindo e cobrando não só acessibilidade, mas também oportunidade. Os idosos, especialmente, os que mantém plena saúde e capacidade de locomoção, estão carentes de atividades voltadas a eles. Há trabalhos que podem por eles ser realizados. Há lazer que deve ser disponibilizado, há, ainda, uma série de serviços e produtos que podem e devem ter no público idoso um alvo que precisa ser atendido. O Brasil, como país, e por sua sociedade, precisa diversificar e dar efetividade ao que já foi traçado pelo processo legislativo propiciando, enfim, meios adequados para o envelhecimento ativo, com pleno gozo de direitos. Cabe a todos nós, individualmente, mas preferencialmente em conjunto fazer acontecer. Fazer um país efetivamente diversificado e de oportunidades proporcionais para todos.


Eternos namorados.. Confira uma história de amor que acontece no Asilo São Vicente de Paulo, para inspirar o próximo Dia dos Namorados e homenagear o dia dos avós

Como o mês de junho é dedicado aos namorados (dia 12) e julho ao Dia dos Avós (dia 26) a Revista ASP resolveu mostrar uma história de um casal que está junto desde 1948. Dona Anna Frei frequenta o Centro Dia do Asilo São Vicente. Seu esposo, Sr. Ferdinando Frei, todos os dias ao buscar sua esposa, caminha com ela de braços dados no jardim do asilo. O Sr. Ferdinando e Dona Anna são alemães e se conhecem desde crianças. Dona Anna conta que o Sr. Ferdinando queria namorála desde muito cedo. Ela diz que não queria namorar por ser muito jovem e cinco anos mais nova do que ele. Somente aos 17 anos ela aceitou o pedido e começou essa linda história. Após três anos de namoro eles se casaram na Áustria e depois de alguns anos, na II Guerra

Mundial, o casal e sua primeira filha tiveram que fugir do país e chegaram ao Brasil. Aqui em Curitiba seu Ferdinando trabalhou por 30 anos como caminhoneiro e Dona Anna como costureira. Eles tiveram mais dois filhos e segundo Sr. Ferdinando os filhos foram as maiores alegrias da união do casal. Para Dona Anna o segredo da duração de um casamento de longa data é a paciência. O casal afirma que eles nunca brigaram em todos esses anos de convivência. Ao ser perguntada sobre o amor dos dois, Dona Anna diz que o amor persistiu todos esses anos e completou dizendo: “Todos os dias de manhã ele me dava três beijos antes de levantar da cama, um para cada filho”. Ele complementa sorrindo: “Ela não me deixava levantar se eu não fizesse isso”.

Sr. Ferdinando deixa bem claro que o mais importante de toda essa história é a saúde deles e dos filhos e a satisfação de todos terem estudado e estarem bem. Eles também contam com muita alegria sobre a quantidade de descendentes: três filhos, seis netos e cinco bisnetos. Após a conversa o casal foi caminhar no jardim do Asilo como fazem todas as tardes. E com passos lentos, e semblantes de serenidade, deixam rastros de passos firmes e consistentes de uma história de luta, trabalho, porém permeada de amor.

Como funciona o Centro Dia do Asilo São Vicente de Paulo O Centro Dia é voltado para idosos de ambos os sexos que vivem com suas famílias. Oferece diversas atividades ocupacionais, culturais, físicas e de lazer, todas elas acompanhadas por uma equipe técnica capacitada. Os participantes ficam no local durante o dia, permanecendo no convívio com seus familiares à noite e nos finais de semana. O espaço funciona de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 17h30. Quem deseja conhecer melhor o funcionamento do Centro Dia, pode agendar uma visita pelo telefone (41) 3313-5384.

11


Notícias

Dança de salão no Centro Dia No Centro Dia são realizadas: contação de histórias, oficina do movimento, oficina de desenho e pintura, oficina de recorte e colagem entre outras, que tem como objetivo estimular a cognição, coordenação motora e a socialização do idoso. A atividade escolhida para destaque nesta edição foi a aula de dança de salão. A Aula de Dança de Salão acontece toda quinta-feira e é uma das atividades mais esperadas pelos participantes do Centro Dia. A Sra. Ilda Silva Ferreira diz que adora dançar e que as aulas, do professor Cido Arruda, são fantásticas. Ela diz que o seu ritmo preferido é valsa e que todas as quintas-feiras ela fica ansiosa para dançar: “na quinta passada eu tive médico e fiquei apressando o meu filho, pois não queria perder a aula de dança de salão”. O professor voluntário Cido trabalha no asilo através da improvisação, ou seja, ele conduz a aula de acordo com a disposição e o humor dos alunos. Ele garante que antes da aula começar muitos alunos estão deprimidos, tristes e após a dança o grupo fica mais bem humorado e bem mais disposto. Diversos ritmos são trabalhados na aula: valsas, samba, bolero, chorinho, bossa-nova. A Psicóloga Cláudia Costa Carneiro Hernandes, Coordenadora do Centro Dia, comenta animada que a dança de salão contribui para a socialização e integração dos idosos. Ajuda muito na comunicação, fortalece os vínculos e proporciona a intergeracionalidade. “Além disso as aulas contribuem para a melhoria na coordenação motora, visiomotora, equilíbrio e lateralidade”, ressalta a psicóloga.

Asilo na web O Asilo São Vicente de Paulo teve sua página na internet remodelada. Além de uma atualização estética, modernizando a sua aparência, o novo site conta com novas funcionalidades entre elas: as notícias na página principal, maior facilidade para localizar conteúdos e destaques para os serviços disponibilizados pelo Asilo, como o Centro Dia, os bazares e a utilização dos espaços para locação. Confira: www.asilosaovicente.org.br

12


CRESAN

Projeto proporcionou alimentação digna a famílias do bairro Caximba por 4 anos Acompanhe a trajetória do CRESAN - Centro de Referência em Segurança Alimentar e Nutricional

O Centro de Referência em Segurança Alimentar e Nutricional (CRESAN) deu início às atividades em 2008 com a Padaria Comunitária localizada no bairro do Caximba em Curitiba e teve seu término em abril de 2012. Foi um projeto realizado pela ASP que teve como principal objetivo proporcionar o direito humano a alimentação adequada às famílias em situação de vulnerabilidade social, estimulando a emancipação e o desenvolvimento social e comunitário. O espaço do projeto, além de funcionar como Padaria Comunitária, foi utilizado para atividades de formação. As participantes do CRESAN também tiveram acesso à cesta de hortifrúti proveniente da Central de Distribuição de Alimentos da ASP – que recebe alimentos por meio do PAA-Programa de Aquisição de Alimentos do Governo Federal. O CRESAN foi muito importante para todas as mulheres que fizeram parte dele. Elas afirmam que o projeto ampliou seus conhecimentos, promoveu saúde mental, bem estar, descontração, ocupação e melhora na autoestima.

Para Diele Pires Viera, uma das participantes do CRESAN, o projeto foi uma oportunidade de adquirir novas experiências, fazer amizades e de ter aprendido muito. “O projeto fez muita diferença na minha vida, eu era muito fechada e tinha depressão”. A educadora Giane Edimara S.B. Broch conta que trabalhar com os grupos do CRESAN lhe deu uma oportunidade de conhecer a realidade de mulheres que lutam pelas necessidades de sua família. “Esse trabalho contribuiu muito para a minha profissão de psicóloga, pois passei a valorizar o papel da mulher em casa e na comunidade.” Na avaliação da assistente social Andréia Alfaz, que supervisionou o CRESAN, o projeto gerou impacto significativo na comunidade, percebido na melhoria de equipamentos públicos e na melhor alimentação das famílias, havendo o destaque também do interesse desse grupo em iniciar uma cooperativa a partir da padaria comunitária. Ela afirma: “o projeto cumpriu seu objetivo, resultando em ganho para todos os envolvidos: ASP, participantes, comunidade local e parceiros”.

13


Oficinas Socioeducativas

Oficinas transformam a realidade de mulheres A ASP desenvolve nas regiões do Tatuquara e Vitória Régia as oficinas socioeducativas em que é trabalhada a geração de renda por meio do artesanato e também é realizado um trabalho educativo para debater com as participantes o conceito do Desenvolvimento Local, Solidário e Sustentável em suas cinco dimensões: econômica, cultural, ambiental, social e política. O foco principal nas Oficinas Socioeducativas é o fortalecimento de vínculos familiares e comunitários e a autonomia da população. As oficinas socioeducativas são realizadas desde 2006. Fabiane Ceccon supervisora das oficinas comenta que esta atividade é um diferencial nas comunidades em que atua. “É gratificante escutar os depoimentos das mulheres sobre a mudança na vida de cada uma e vê-las lutando por seus direitos, transformando sua realidade”, diz Fabiane. Esta mudança pessoal e comunitária é comprovada pelas participantes. Meyre participa há sete anos, sendo que há quatro se tornou instrutora e afirma: “As oficinas ajudaram muito na minha depressão. Elas aumentaram a minha auto estima e hoje tenho minha independência financeira com a venda dos artesanatos. Aprendi a administrar meu próprio negócio com os cursos de empreendedorismo viabilizados pela Ação Social. Eu amo o que eu faço.”

14

Além do aprendizado técnico na confecção de artesanatos, chama atenção o interesse das mulheres em participar dos debates. Valdirene conheceu as oficinas através de uma amiga. Ela afirma que mesmo se o artesanato não for do seu interesse ela faz questão de participar da oficina por causa das palestras e da convivência em grupo. O trabalho em grupo é realizado de forma em que se educa em conjunto. A instrutora de artesanato Leocádia garante que ao mesmo tempo que ela ensina ela também aprende. Já a educadora Vanessa comenta: “eu sempre aprendo algo, pois preciso pesquisar sobre os assuntos e aprendo também com as participantes”.

Programação das oficinas • Desde 14 de maio está em andamento a oficina com os temas “Educação Cidadã e Planejamento Familiar”. Elas continuam até o dia 12 de julho. •No dia19 de julho, na Capela Santa Rita no Tatuquara, acontecerá o 1º Fórum de 2012 que reúne todos os grupos para discussão e exposição referente aos temas trabalhados nas oficinas. • A próxima oficina começará no dia 30 de julho e vai até dia 29 de setembro, e tem como tema: Saúde e Política Pública.


ASP

Balanço Patrimonial ASP Primando pela transparência na realização de suas atividades, a Ação Social do Paraná publica abaixo o demonstrativo do Balanço Patrimonial referente ao ano de 2011. O Balanço completo está disponível no site www.aspr.org.br

AÇÃO SOCIAL DO PARANÁ RUA: BALTAZAR CARRASCO DOS REIS, 1787 - CURITIBA/PR

76.712.918/0001-25

BALANÇO PATRIMONIAL COMPARATIVO RELATIVO AOS EXERCÍCIOS DE 2010 A 2011

15


NUTRIASP BRASIL

A Ação Social do Paraná (ASP) é uma instituição sem fins econômicos, membro da Cáritas Brasileira. Atuando desde 1944 no Paraná, a ASP trabalha em prol de uma sociedade justa e solidária. A solidariedade é praticada no dia a dia com as famílias, as pessoas idosas, as crianças e adolescentes e com pessoas em situação de rua. Também exerce solidariedade ao dividir o alimento, garantindo uma alimentação saudável a milhares de pessoas e valorizando o trabalhador do campo. Projetos ASP: - Asilo São Vicente de Paulo

- Centro de Educação Infantil Brilho do Sol

- Oficinas Socioeducativas

- Brinquedoteca em Ação

- Centro de Referência em Segurança Alimentar e Nutricional

- Restaurantes Populares de Curitiba

- Casa de Acolhida Toca de Assis

- Moradia João Paulo II

- Restaurante Popular de Maringá

- Central de Distribuição de Alimentos

AÇÃO SOCIAL DO PARANÁ Baltazar Carrasco dos Reis 1787 CEP: 80230070 | Curitiba -PR TEL: (41) 3330-6200 www.aspr.org.br

Contribua com os projetos da ASP

Os projetos da ASP atingem milhares de pessoas todos os meses. Você pode contribuir com nossa causa. Faça sua doação: BANCO ITAÚ: Ag. 0274 CC 77798-6 BANCO BRADESCO: Ag. 2394-9 CC 14293-0 CAIXA ECONÔMICA FEDERAL: Ag. 1633 CC 2854-8 BANCO DO BRASIL: Ag. 3007-4 CC 28267-7

Homenagem ao Padre José Aparecido Pinto, pelo seu aniversário No dia 17 de maio foram comemorados os 54 anos de vida do Pe. José Aparecido Pinto, diretor geral da Ação Social do Paraná. A Revista ASP parabeniza e destaca a importância dos trabalhos dele para a promoção da vida e da dignidade humana.Saiba um pouco mais dos trabalhos realizados pelo Pe. José Aparecido: Em 2003, destacou-se à frente do Programa Borda Viva, em São José dos Pinhais, criando cozinhas e panificadoras comunitárias e desenvolvendo a comunidade local. Foi pioneiro na implantação do PAA – Programa de Aquisição de Alimentos, do Ministério do Desenvolvimento Social, no Estado do Paraná. É Cidadão Honorário de São José dos Pinhais. Em 2007, assumiu a Secretaria Executiva do Fórum Paranaense

do Idoso. Recebeu em 2008 da Câmara Municipal de Curitiba o Prêmio João Paulo II, que homenageia personalidades que se destacam em atividades de apoio às causas defendidas pela Igreja Católica. Em 2008 recebeu o título de cidadão honorário de Curitiba. Recebeu o Prêmio Ozires Silva de Empreendedorismo, do ISAE/FGV, em parceria com RPC e SebraePR, na categoria “Empreendedor Sustentável”. É diretor geral da Ação Social do Paraná desde 2004, sendo também o Superintentente do Asilo São Vicente de Paulo. A Ação Social parabeniza o Pe. José pela sua dedicação e zelo com seu trabalho, e deseja muitas felicidades e realizações neste ano de 2012!

Espaço do Voluntário Cido Arruda é professor de dança há 17 anos e realiza trabalho voluntário há 8 meses no Centro Dia do Asilo São Vicente de Paulo. O professor diz que sempre gostou de trabalhar com idosos e já está acostumado a lidar com um público com idade mais avançada, pois na sua escola a maioria dos alunos não é tão jovem.

dançar as músicas da década de 30 e 40, os alunos revivem os bailes e festas da sua juventude. O professor faz questão de trazer para as aulas as músicas preferidas deles como: TicoTico no Fubá, Garota de Ipanema , valsas vienenses entre outras, apesar de ressalvar que outros ritmos também fazem parte das aulas.

O voluntário afirma com muita satisfação que o principal efeito de seu trabalho no Asilo São Vicente de Paulo é o resgate das memórias passadas por parte dos alunos. Ao

Segundo o professor, “Quem dança é mais feliz, melhor humorado, disposto a aceitar novos desafios profissionais e enfrentar com sucesso o dia-a-dia”.

Revista ASP Junho-Julho  

Revista da Ação Social do Paraná

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you