Page 1

10

14º Intereclesial das CEB’s em Londrina no Paraná - De 23 à 27/01/2018

• Fevereiro 2018 • Ano XV • Número 157

Acolhida do

Novo Pároco Primeira Missa da Aliança de São Miguel Arcanjo com o Padre Edson Cesar Guiaro na Matriz de Igreja Nossa Senhora Aparecida

Créditos das Fotos: Jaqueline Photos

"Filhos da Mãe Aparecida" na Missa de Posse do Padre José Benedito Di Tullio na Paróquia São Judas Tadeu em Jaboticabal

A

ansiedade e a espera pelo novo e inesperado é o sentimento que tomou conta da Paróquia dos “Filhos da Mãe Aparecida” nestes últimos meses, afinal de contas todos nós, seres humanos, como afirma Mário S. Cortella, ficamos fascinados com a idéia de ciclos, períodos e épocas, pois nos permite imaginar o que ainda será vivenciado, com novos jeitos, de outras formas, inéditos vigores e renovadas intenções. Esta nova época que estamos apenas iniciando, com toda certeza marcarão os mais de cinqüenta anos de nossa tão festejada paróquia, pois, sem notarmos, estamos mais uma vez na etapa de crescimento e amadurecimento espiritual, prontos para o continuar da caminhada, o início de mais um capítulo de um imenso livro que não se finda. É assim, estimado Padre Edson, com essa ansiedade e alegria para mais uma vez “colocarmos a mão na massa” que o recebemos e calorosamente o acolhemos, como “filhos da Mãe” dispostos a servir, a escutar e, sobretudo, a abraçar tudo aquilo que nos for proposto para o bem da comunidade e construção do Reino de Deus; compreendendo o chamado do Bom Pastor que tem todas as suas ovelhas bem próximas, pois sabem que estão seguras e não precisam temer os obstáculos do dia-a-dia e, consequentemente, bem atentas para a correspondência do mestre. Seja muito bem-vindo Padre Edson! Nossos corações estão abertos, dispostos e obedientes, assim como a Serva Fiel à Palavra, Maria Santíssima. Osvaldo Adrega de Moura Júnior Coordenador do Terço dos Homens

Convite

vidar a todos para Aproveitamos a oportunidade para con , Padre Edson Missa de Posse de nosso novo Pároco fevereiro, às 19h30, Cesar Guiaro, que será no dia 17 de recida. na Igreja Matriz de Nossa Senhora Apa


09

QUARESMA

Tempo forte de penitência, conversão e misericórdia! Tempo de crescer na amizade com Deus! (Papa Francisco)

Conversão, penso que você que lê esta matéria já leu muitas e muitas vezes, que conversão é mudança de vida, mudança de rumo, mudança de direção, e este ano, de novo somos chamados a sair da superficialidade, da maneira como vivemos, abrir o nosso coração a Deus, deixa-lo entrar com a sua graça plena, ter intimidade com Ele, ler a sua Palavra diariamente, ser sal da terra e luz do mundo, luz para o mundo, sinal de vida, sinal de santidade, sinal de pureza, sinal de amor em um mundo tão acinzentado. Olhe para aquele que te olha (Jesus), olhe para aquele que quer nos levar a Salvação Um outro ponto forte de tempo de quaresma é penitência, gesto praticado na igreja católica, penitência nos faz refrear as nossas vontades, desejos, anseios, comportamentos. O jejum e a penitência não são para fazer mal, mas nos educa a vencermos a nós mesmos, fraquezas e paixões. Jejum é muito mais uma pratica interior do que exterior, jejum não é uma dieta, mas uma pratica espiritual que visa uma maior intimidade com Deus, Papa Leão Magno dizia: “O jejum é para a conversão, mas é também para que amemos mais a Deus e ao próximo”. Mortifiquemos um pouco o homem exterior, para que o interior seja restaurado. Penitencia espiritual. Qual eu devo fazer? Aquela que abate o meu pecado, o orgulho, a soberba, a vaidade, o desprendimento de coisas e pessoas, ser casto, ser bom, buscar a humildade etc ...O Perdão também é muito importante, S. Francisco de Sales, dizia que a melhor penitência é aceitar, com resignação, os males que Deus permite que nos atinjam, porque Ele sabe do que precisamos, e assim nossos pecados são vencidos. Quaresma é um tempo que nos exige recolhimento, devemos nos abrir aos irmãos, e também, a prática da misericórdia. Como disse Jesus: Eu quero a misericórdia e não o sacrifício (Os 6,6). Por isso, irmãos, não importa o tempo que temos caminhado com o Senhor. O que importa é o que faremos nesta quaresma, as mudanças que permitiremos acontecer em nós. Amar mais os irmãos, aceitar as nossas limitações e as dos outros, enfim, buscar intensamente uma vida de santidade. Sejamos amigos de Deus e Ele tudo fará. Boa quaresma a você leitor! Diácono Francisco Carlos Bution

Jovens Cristão e o Carnaval O carnaval está próximo, e com ele vem o desejo de festejar, de estar ao lado de amigos e de se divertir muito ao embalo de muitas músicas. Mas você sabe como surgiu o carnaval? No período da escravidão, os escravos eram libertos temporariamente para fazerem tudo que tinham vontade. Os nobres realizavam suas festas movidas a vinho e orgias, não existiam regras, nem moral, tudo era lícito nesses três dias antes da “purificação”. Era o momento de colocar todos os desejos e prazeres, por mais obscuros e imorais que fossem, para fora, e realizálos, para que assim, a alma se saciasse para entrar no jejum e abstinência (Quaresma). Muitos jovens utilizam do carnaval para extravasar e deixar fluir a sensação de liberdade que os fazem pensar que tudo é permitido, uso excessivo de bebidas e de drogas.

Nesta Paróquia, está sendo proclamado o seguinte casamento:

Dia 10/02, às 19h30, na Capela Santo Antonio. Guilherme Chaves Nunes e Juliana Aparecida Lopes. Ele, filho de José Nunes Garcia e de Lucia Maria Chaves Nunes. Ela, filha de Paulo Roberto Lopes e de Ergilia C. Arantes Lopes. Se alguém souber de algum impedimento ou dirimente está obrigado, conforme o cânon 1069, do Código de Direito Canônico, a denunciá-lo à autoridade eclesiástica. L. + S.

Essa faixa etária traz muitos conflitos à cabeça dos jovens, precisam de ajuda para administrar esses problemas típicos da adolescência, e muitos deles acabam caindo em ciladas cada vez mais ousadas e crescentes. Os pais, nesse período, mais do que nunca, precisam estar em sintonia com seus filhos, devem ser companheiros, lhes mostrar a direção correta, e também, não deixar de orientalos à respeito da Palavra de Deus. Ao contrário de jovens que preferem trios elétricos e festas regadas a bebidas e drogas, muitos outros passam o carnaval em retiro, buscando mais proximidade com Deus, colocando a espiritualidade em primeiro lugar, sem deixar de lado a diversão, fugindo das preocupações do dia a dia, da folia deste período, aproveitando esse momento para festejar e curtir seus amigos, sem precisar de álcool, drogas e da exploração sexual, fazendo novas amizades e aprendendo a conviver melhor até mesmo em família. Esses jovens buscam viver a alegria intensa, que não é passageira, que lhe dê experiência espiritual e contato direto com Deus. Só existe uma forma de vencermos os nossos desejos carnais é andando em espírito (Gl 5: 16). Rogério Ramos de Lima

Sou Dizimista! amo a minha igreja!

01/02 Elza Moretti Sbrolini 01/02 Luis Roberto Massaro 01/02 Cristiane dos Santos Ribeiro 01/02 Sonia Maria Vizoná Bonelli 02/02 Cecília Maria Spironello 02/02 Balduina Liporini Rocha 02/02 Maria Angela Botião B. Campanelli 02/02 Vilma da Silva Natele 03/02 João Carlos Mathias 03/02 Ana R. Gomes e Anderson C. Rosa 03/02 Dirceu Jorge Gonçalves 03/02 Luzia Dircei Carizio 03/02 Karina Caldeira Vidal Lima 03/02 Maria Bernadete Perrone 04/02 Aparecida Dobri Favero 04/02 Lourdes Leonezi Ortiz 04/02 Aparecida Marildes Neves Brito 05/02 Regina Isabel Stanzani Ercolano 05/02 Maria das Graças Ferreira 05/02 Gilberto Gasperini 05/02 Gabriel Gasparini Bution 06/02 Selma Zelinda Marini Tomicioli 06/02 Maria Aurea Pietrucci Buzatto 06/02 Luiz Antonio Guimarães da Silva 06/02 Aurea de Deus 06/02 Moacir Jacobs 06/02 Dora Silvia Bittencout Costa 06/02 Isabela da Silva Ferreira 07/02 Benedita Pires de Carvalho 07/02 Luci Cláudia dos Reis M. da Costa 07/02 Antonio Aparecido de Souza 08/02 Neli Terezinha Moretti Bertozzi 08/02 Maria Helena Aparecida Ramos 08/02 Alexandra Campos Beltrão da Silva 08/02 Vera Lúcia Martinelli Caputo 09/02 Pedro Belarmin Silva 09/02 Juliana Fermino Farias 09/02 Adelina Helena Angola 09/02 Luzia Cristina Cardoso 10/02 Rubens Gumieri 10/02 Maria de Lourdes Taube Conceição 10/02 Renata de Oliveira da Silva 10/02 Teresa Cimino 11/02 Lurdes Medeiros de Carvalho 11/02 Sueli Maria Legal de Farias 11/02 Luiz Carlos de Oliveira 11/02 Sebastião dos S. Borges da Silva 11/02 Antonio Roberto Carminatti 12/02 Olivia Faver 12/02 Luis Gustavo Conde 12/02 Mario de Almeida Ferreira 12/02 Eutália Rodrigues Zaparoli 12/02 Fúlvia Nunes Lisboa de Melo 12/02 Angela Maria Rodrigues 12/02 Nilsa Adair da Silva 13/02 Mario M. da Silveira Filho 13/02 Nelson G.Martins (Falecido) 13/02 Andréa Paulo Dalla Costa 13/02 Nathalia Gabriela Franchin 14/02 Jussara Tocci Silva 14/02 Antonio Augusto Pagoto

14/02 15/02 15/02 15/02 15/02 15/02 15/02 16/02 16/02 17/02 17/02 17/02 17/02 17/02 18/02 18/02 18/02 18/02 19/02 19/02 19/02 19/02 19/02 19/02 19/02 20/02 20/02 20/02 20/02 20/02 21/02 21/02 21/02 22/02 22/02 22/02 22/2 23/02 23/02 23/02 24/02 24/02 24/02 24/02 25/02 25/02 25/02 26/02 26/02 26/02 26/02 26/02 26/02 27/02 27/02 27/02 27/02 27/02 28/02 28/02 28/02 29/02

Márcia Braga Santos Benedicta Rosa da Silva Garibaldi Jersulina Lopes Silva Sylvio Lainetti Netto Ana Rosa Pedrochi L. Ravagnani Dias Ruy Giovanni Maria Aparecida de Souza Pessoa Alda Mariano Gimenes Diác.Francisco Carlos Bution Geny Zancheta de Almeida Edna Gonçalves Roseli Aparecida Borges Santos Sebastião Roberto da Rocha Antonio Carlos Scarpelini Durvalina Mendes Pavan Waldemar Aparecido Massão Iraci Abram Gazeta Antonio Sergio Leonardo Maria Aparecida Rolin Frota Benedito Villas Boas Iris Martins da Silva Ferreira Aparecida de Andrade Penachone Fernando Tank Maria de Lourdes Toller Rafael Varrichio da Silva José Carlos Moiteiro Lenir Silva Pastorelli Camila Cristina Gérico Camero Miguel Peluso Neto Admir Barboza Jeanette Haddad Espírito Santo Diác. Humberto C. Brigato Diniz Elvira Lodo Izaura Marques Marin David Donizeti Scarpelini Aparecida Marcelino Pereira Maria Elisa Gonçalves Dionisio Antônio Carlos Ferreira Toledo Dirce Neiva de Paula Belini Glauce Morais Salvadori Maria Izabel Silva Mariano Marilda Júlia Braga Santin José de Oliveira Júnior Jorge Luís Fabiano Doracy Fialho de Carvalho Luiz Carlos Fabro e Candida R. Fabro Eliege Aparecida da Silva Léa Luz Caires Vilson Guessi Zelinda Borges Lodo Cleliane Ravagnani Maria Ap. Carvalho dos Santos Iara Regina Bento Rosa Machado de Deus Márcio Alexandre Costa Rafael Dantas de Souza Edson Eduardo Netto Mauro Rodrigues Martins Angela Maria Marchi Marise Tadeu Rosim Galhardo Romildo José Mathias da Silva Marisa Cristina da Silva Rodrigues


08

No dia 11 de fevereiro a Igreja celebra a aparição da Santíssima Virgem Maria à menina Bernadete Soubirous para pedir à Igreja oração e penitência pela conversão dos pecadores. A menina, que inicialmente descreve a mensagem recebida de uma “bela senhora”, insiste em perguntar quem seria aquela e tem por resposta “Eu sou a Imaculada Conceição”. Isso ocorreu no ano de 1958 na gruta de Massabielle, nos arredores da cidade francesa de Lourdes, na França. Bernadete é a filha maior de uma família muito pobre, que não possui conhecimento nem poder, e é frágil de saúde. Esta humilde serva é escolhida para transmitir a mensagem de conversão, oração e penitência: “Ide dizer aos sacerdotes que se venha aqui em procissão e que se construa uma capela”. No ano de 1933 o Santo Papa Pio XI encerrava o jubileu da redenção na gruta de Massabielle dizendo que "a Virgem Maria Imaculada várias vezes se mostrou à bemaventurada Bernardete Soubirous, onde com bondade exortou todos os homens à penitência, naquele lugar mesmo da estupenda aparição que ela cumulou de graças e prodígios". Concluindo que aquele santuário "passa agora, a justo título, por ser um dos principais santuários marianos do mundo". As lições de Nossa Senhora de Lourdes são fieis a mensagem do Evangelho em confronto com o egoísmo mundano. A palavra revelada é “penitência” e o pedido é que “rogai a Deus pela conversão dos pecadores”. É comum que nos esqueçamos deste valioso preceito cristão. Mais fácil é conviver com quem nos agrada, compartilha de nossa fé e dos bons costumes. Exige pouco esforço orar pela proteção dos justos e desejar o melhor a quem nos quer bem. Porém, esta não é a maior missão, sequer foi o exemplo que nos deu Jesus Cristo. Na verdade, o Filho de Deus revelou aos fariseus: “não é a justos que vim chamar, mas a pecadores” (Mt 9, 13). Não é que devemos retirar nossos entes queridos e amigos de nossas orações, mas estes pedem por si mesmos, por suas próprias palavras que proclamam a Nossa Senhora Aparecida que “rogai por nós os pecadores”. Devemos reforçar esta oração aos que pedem e com mais ênfase, pedir aos que se afastaram, aqueles que faltam a fé e a devoção, pois são estes os que mais precisam. Que neste mês de fevereiro lembremo-nos dos pecadores em nossas orações, que possamos ser mensagem de esperança e de conversão, demostrando o perdão e a misericórdia de Deus por cada um de seus filhos amados. Oremos: “Senhor Jesus, nós vos bendizemos e vos agradecemos por todas as graças que concedestes ao vosso povo penitente e sofredor, por meio de vossa Mãe, a Virgem de Lourdes. Fazei que pela Sua intercessão possamos ter parte no tesouro de vossas graças, para melhor vos amar e vos servir. Amém”. Luís Gustavo Conde

AMOR E ÓDIO Certa vez estava em uma festa de aniversário, em uma roda de conhecidos, conversando. Era um bate papo informal, no qual falávamos sobre os mais variados assuntos. Em determinado momento, começamos a falar sobre futebol, sobre jogos, jogadas e jogadores. Neste ponto da conversa, a filha de um dos presentes, uma menina esperta, por volta dos seus 10 anos, entrou na conversa com o seguinte comentário: - Eu odeio o fulano de tal, citando o nome de um jogador de futebol conhecido, que jogava em um time de futebol adversário do time para o qual ela torce. O comentário colocado assim, tão franca e espontaneamente, me chocou. Devo confessar, entretanto, que todas às vezes em que ouço alguém dizer que odeia isto ou aquilo, tal comentário sempre me perturba. Na minha concepção, odiar é algo muito pesado, que traz uma carga negativa muito forte em sua significação. E citando o exemplo que eu acabei de apresentar, como a gente consegue odiar alguém que nós nem conhecemos bem, que não nos fez nada e que somente está exercendo a sua profissão? Não estou querendo aqui julgar a criança que disse tal frase, pois tenho certeza de que, pela pouca idade, ela nem tem muita noção do que falava, bem como estava com certeza, naquele momento, repetindo o comportamento observado em algum adulto. Tudo bem, alguém irá dizer que é só um modo de dizer, que na realidade quem se expressou não queria ser tão categórico assim. Mesmo assim, quando você expressa que “odeia”, você quer mostrar que o que você sente não é tão superficial, é mais profundo, é algo que te incomoda. O que eu quero considerar aqui, também, é a gratuidade do sentimento. Todos nós, em algum momento de nossa vida, já expressamos esse "eu odeio..." para alguma coisa.

E eu coloco essa afirmação no coletivo porque todos nós já passamos por isso. E nunca pensamos muito sobre o que queremos dizer ou damos importância ao que estamos dizendo. Mas reflita comigo, vamos fazer uma analogia: Desde sempre nós sabemos que Deus é Amor. Então, quando amamos alguém, nós temos por esse alguém sentimentos divinos, sentimentos elevados, algo que não conseguimos definir e que nos enleva, fazem bem à nossa alma. Ora, partindo dessa premissa que Deus é Amor e sabendo que Ódio é o antônimo de Amor, o que deduzimos seja o ódio? Exatamente. O inimigo de Deus. Então, quando você odeia alguém, ou mesmo que só esteja expressando isso, como modo de falar, que sentimentos você está transmitindo sobre isso? Quais as sensações que você sente, em uma situação como esta? Isto lhe faz bem, é benéfico para a sua vida? Principalmente, para a sua vida cristâ? Citando São João Evangelista: “Todavia, eu vos escrevo agora um mandamento novo - verdadeiramente novo, nele como em vós, porque as trevas passam e já resplandece a verdadeira luz. Aquele que diz estar na luz, e odeia seu irmão, jaz ainda nas trevas. Quem ama seu irmão permanece na luz e não se expõe a tropeçar. Mas quem odeia seu irmão está nas trevas e anda nas trevas, sem saber para onde dirige os passos; as trevas cegaram seus olhos." I São João, 2 – 8, 11 Bíblia Católica Online https://www.bibliacatolica.com.br

Reflita sobre isso na próxima vez que você for “odiar alguma coisa”. Pense no sentimento que você está cultivando dentro do seu coração. Serenamente, peça o discernimento do Espírito Santo, através da intercessão amorosa da Virgem Maria, e tenha certeza que sempre Deus virá inundar o seu coração de amor! Edimilson Botéchia

JEJUM DIGITAL: Uma alternativa Quaresma, é tempo de penitência em busca da conversão de nossos corações rumo a Celebração da Ressurreição de Jesus. A Páscoa! Muitos tem dificuldade para decidir que penitencia deveria fazer e as vezes, acaba fazendo de algo que nada tem de significante diante da grandeza desse período. Uma das maneiras de identificar é nos perguntar o que tem me afastado de Jesus? Falta de oração, pensamentos, palavras, comportamentos etc. Que tipo de pecado minha consciência acusa.. Trazemos uma reflexão interessante do Seminarista João Antônio Johas Leão – Estudante de Filosofia em vistas ao sacerdócio, publicado em 01 de marco de 2017 - 11H41, no site A12, sugerindo o Jejum digital. Leia e reflita. “Primeiro é preciso reconhecer os momentos em que a Internet acaba atrapalhando. E é difícil encontrar pessoas que reconhecem estar um pouco viciadas nesse site, ou naquele aplicativo. Já repararam que, embora saibamos que existe esse problema, sempre nos encontramos com as poucas pessoas que sabem se controlar e que dizem ‘eu não estou viciado nisso’”. Mas isso não é um problema aqui, porque somos nós mesmos que queremos viver uma boa Quaresma e a nossa consciência fica alerta quando fazemos aquela primeira pergunta e buscamos respondê-la com sinceridade. Onde perdemos mais tempo? Em quais atividades digitais (seja em alguma página web, seja um aplicativo que usamos) percebo que perco o controle algumas vezes? Para mim, João, tem sido o Youtube. Vou vendo vídeos de canais do meu interesse e quando vejo, perco a hora para fazer alguma outra tarefa que tinha planejado. Mesmo que sejam vídeos bons, percebo que tiram a atenção daquilo que eu realmente gostaria de estar fazendo. É como aquela situação típica de sala de aula, na qual os alunos estão conversando e diante da “bronca” do professor eles respondem: “Estamos conversando sobre a matéria”. Sempre achei que fosse uma boa desculpa, mas não tira o fato de que se está fazendo algo que não se deve fazer no momento. Só que aqui o professor é a tua consciência, a voz de Deus na nossa alma. E ele está chamando para uma amizade mais profunda com Ele. E nós continuamente inventamos desculpas para continuar “conversando sobre a matéria”. Talvez essa confissão ajude a que outros possam também dar-se o tempo de pensar na própria vida e naquilo que esteja atrapalhando um pouco a relação com Deus. A Quaresma, como sabemos todos, é esse tempo que se assemelha a uma caminhada no deserto, um grande retiro no qual preparamos melhor os nossos corações para receber Aquele que já habita em nós, mas que quer renovar essa presença. Se o mundo digital está, de alguma forma, atrapalhando a obra de Deus em nós, não percamos a oportunidade de purificar a maneira como utilizamos essa ferramenta que tem muito potencial para, pelo contrário, unir-nos ainda mais a Ele. Boa Quaresma e, se for o caso, jejum digital! Colaboração: Graça Maria

Expediente

OREMOS A NOSSA SENHORA DE LOURDES

QUARESMA: tempo penitencial e não triste ou depressivo. Saiba quando a preparação para a Páscoa passou de três para 40 dias Em 2018, o Tempo da Quaresma, se inicia dia 14 de fevereiro, com a Quarta feira de Cinzas e vai até Quinta feira da Semana Santa, dia que celebramos a última ceia de Jesus Cristo com seus apóstolos. A palavra “Quaresma” vem do latim quadragésima, e é o período de quarenta dias que antecede a maior festa do cristianismo: a Ressurreição de Jesus Cristo, comemorada no Domingo da Páscoa. A duração da Quaresma é baseada no símbolo do número quarenta na Bíblia. É um número de expectativa, de preparação e de prova. Na Bíblia caracteriza as intervenções sucessivas de Deus: Davi, como Saul, reinou 40 anos; o dilúvio durou 40 dias; Moisés serviu Deus no Monte Sinai durante 40 dias e durante 40 anos Moisés conduziu o povo de Israel na peregrinação pelo deserto até chegarem à Canaã; Jesus passou 40 dias no deserto e depois apareceu ressuscitado durante 40 dias etc. O número quarenta na Bíblia simboliza o universo material, seguido de zeros significa o tempo de nossa vida na terra, seguido de provações e dificuldades. Cerca de duzentos anos depois da morte de Cristo, os cristãos começaram a preparar a Festa da Páscoa com três dias de oração, meditação e jejum. Por volta do ano 350 d.C depois de Cristo), a Igreja Católica aumentou o tempo de preparação para quarenta dias. Assim surgiu a Quaresma. "A liturgia da Quaresma insiste: o pecado não é irreparável. Para os que creem, existe volta, conversão, perdão e salvação". Embora seja um tempo penitencial, não é um tempo triste ou depressivo. Trata-se de um tempo especial de purificação e de renovação da vida cristã para poder participar com maior plenitude do mistério Pascal do Senhor. A liturgia da Quaresma insiste: o pecado não é irreparável. Para os que creem, existe volta, conversão, perdão e salvação. Ele é a luz que penetra nossas trevas. Jesus não veio para condenar, mas para salvar. “Eu vim para que os homens tenham a vida e a tenham em abundância” (Jo 10, 10). A cor da liturgia do tempo da Quaresma é o roxo, que significa luto e penitência. Na Quaresma, não se colocam flores no altar e o som dos instrumentos é permitido só para sustentar o canto, no respeito da índole penitencial deste tempo. De igual modo, omite-se “Aleluia” em todas as celebrações, desde o início da Quaresma até a vigília Pascal. O costume de cobrir as cruzes e as imagens na Igreja, desde o quinto domingo da Quaresma, é ainda observada em certos lugares. A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil nos orienta neste assunto. É oportuno lembrar também que o jejum é obrigatório para os católicos entre 18 e 65 anos de idade na Quarta-feira de Cinzas e na Sexta-feira da semana Santa. Ao longo do período da Quaresma há o costume de dar esmolas aos pobres e mais necessitados. Para o cristão então é importante viver o espírito da Quaresma que consiste numa mudança de vida, com mais oração, caridade, penitência e jejum. Fonte: A12 - Adaptação - Graça Maria


07

DOCUMENTO: Cristãos Leigos e Leigas na Igreja e na Sociedade

Cantinho da

MISERICÓRDIA

O Documento Cristãos leigos e leigas na Igreja e na sociedade, sal da terra e luz do mundo, aprovado na 54ª Assembleia Geral Ordinária da Conferência dos Bispos do Brasil (CNBB), retoma e apro-funda a participação dos leigos e leigas na Igreja e na sociedade. Chamados pelo Batismo e pela Crisma ao seguimento de Jesus Cristo, os leigos e leigas assumem a responsa-bilidade de serem sujeitos na Igreja e na sociedade: sal e luz! (Dom Leonardo Ulrich Steiner Bispo Auxiliar de Brasília e Secretário Geral da CNBB)

RESPOSTA ESCLARECEDORAS SOBRE A BÍBLIA

RETIRO DE CARNAVAL 2018 Reflexão, música e oração

O Documento 105 está dividido em três capítulos: o primeiro capítulo é titulado “O Cristão Leigo, Sujeito na Igreja e no Mundo: esperanças e angústias” e trata da descoberta da vocação e missão do cristão leigo e leiga na Igreja e na Sociedade. O segundo capítulo é titulado: “Sujeito Eclesial: Discípulos Missionários e Cidadãos do Mundo” e trata da compreensão da identidade e da dignidade laical como sujeito eclesial e identifica a atuação dos leigos, considerando a diversidade de carismas, serviços e ministérios na Igreja. O terceiro capítulo, o mais longo, é titulado “A Ação Transformadora na Igreja e no Mundo” e aborda a dimensão missionária da Igreja e indica aspectos, princípios e critérios de formação do laicato, e aponta ainda lugares específicos da ação dos leigos.

A Renovação Carismática Católica de Bebedouro está organizando o Retiro de Carnaval 2018, que será, novamente, na Casa de Retiro Bom Pastor. O evento tem início dia 9 de fevereiro (sexta-Feira) às 18h30 e terminará na terça, às 15h. As inscrições poderão ser feitas no escritório da Renovação Carismática Católica, localizado na Rua São João, 819, Centro em Bebedouro.

Durante este ano, em cada edição do Jornal Desperta Comunidade, publicaremos alguns trechos do Documento 105 da CNBB. Acompanhe, mensalmente e torne-se, cada vez mais, Sal da Terra e Luz do Mundo!

PARA SABER MAIS!

Intenção de Oração do Santo Padre Mês de Fevereiro Universal: Não à corrupção Para que aqueles que têm poder material, político ou espiritual não se deixem dominar pela corrupção.

PASTORAL DO ALIMENTO

O ósculo santo (em latim: osculum pacis), chamado também de beijo da paz, foi uma forma de saudação usada por Jesus Cristo e seus discípulos, pela ação de beijar a face mutuamente, não somente em regiões onde esse era um costume habitual, mas também entre os cristãos de Roma.

BONITO

AUTO PEÇAS

Edilson Santos Peças - ME

Em janeiro, foram distribuídas 67 cestas básicas.

Fone Plantão: (17)

99773-5989 - 3343-1948 - 3345-4363 Fone: (17) 3343-6550 / Fone/Fax: (17) 3343-4274 Rua Cônego Cruz Arzuaga, 255 - Dist. Indl. I - Bebedouro - SP

Por que o mundo está contaminado por tantas doenças incuráveis como a Aids? O que a Bíblia diz a esse respeito? Às vezes, ao visitar uma família amiga, somos surpreendidos, por exemplo, por um doce ou por um tipo de comida que nos são oferecidos. A partir daquele momento criamos um laço com aquele doce ou prato de comida a ponto de pedirmos a receita a quem os preparou. Com a receita na mão, e também com certa habilidade, nós próprios podemos reproduzir a surpresa para outras pessoas. Basta seguir a receita. Esse exemplo não vale quando o assunto é Bíblia. Infelizmente, muitas pessoas pretendem que a Palavra de Deus seja um livro de receitas prontas para qualquer situação ou necessidade. Ela simplesmente é, como diz o Salmo 119,105, “lâmpada para os meus pés, e luz para o meu caminho”. Nós precisamos caminhar com nossos pés, e não pretender que a Palavra nos transporte automaticamente por cima das pedras da caminhada. De fato, o mundo está contaminado por tantas doenças como a Aids. E a ladainha dessas doenças poderia ser bem extensa e variada: cólera, câncer, lepra, analfabetismo, desnutrição, fome, miséria, pobreza, racismo, opressão etc. Não somente doenças físicas, mas também doenças sociais, que poderiam ser eliminadas se houvesse mais justiça e solidariedade nacional e internacional. Que pensar disso? Os catastróficos, fundamentalistas e pessimistas já têm uma resposta para tudo isso: castigo de Deus. E podem até usar a Bíblia para comprovar sua tese. Outros, mais resignados, seguem o mesmo caminho: vontade de Deus. E também para esses a Bíblia pode servir de muleta. Poucos têm lucidez suficiente para inocentar Deus – mostrar que ele não é responsável por isso – e, com dificuldade, encontrar outra saída para esses problemas.

Vamos recordar um caso, o das inúmeras crianças que morrem por desnutrição. Por que acontece isso? Quem é responsável? É vontade de Deus? Certamente Deus não quer isso. Pelo contrário, ele quer que todos tenham vida em plenitude. Outro exemplo: um jovem que morre de Aids. Foi Deus quem quis? Deus castigou? Certamente, não. Deus é o Deus da vida, e não da morte; é o Deus que concedeu liberdade às suas criaturas e respeita essa liberdade até o fim. Quando vivenciamos uma morte trágica, costumamos perguntar: Onde está Deus: Será que ele não esta vendo tudo isso? Talvez a melhor saída seja ver Deus sofrendo naquele que sofre, morrendo naquele que morre... Já vimos que a Sagrada Escritura não pode ser transformada num livro de receitas. Pelo contrário, precisamos buscar o espírito que atravessa toda a Bíblia e descobrir nela o rosto sempre novo de Deus. A idéia que atravessa toda a Bíblia é a de que o Deus de Israel é o Deus da vida, e não da morte. Ele quer vida para suas criaturas. Deus sempre quer o melhor para as pessoas. O nosso mundo está cheio de doenças e Deus e Jesus está profundamente preocupados com isso, pois essa situação não faz parte do seu plano. O projeto de Deus é liberdade e vida para todos. Todavia, não podemos esperar passivamente que eles resolvam tudo por nós, de modo mágico, pois isso jamais acontecerá. A solução parece ser esta: arregaçar as mangas para que, com nossa inteligência, mãos e coração, Deus e seu Filho Jesus continuem trabalhando para que o nosso mundo seja um lugar em que todos desfrutem da vida em plenitude. Tire suas dúvidas sobre Bíblia Autor: José Bertolini

"Misericórdia Divina, que nos acompanha por toda a vida, eu confio em Vós ". Queridos devotos e apóstolos da Divina Misericórdia, a Paz que vem do coração misericordioso de Jesus! É com muita confiança que venho partilhar com vocês mais um riquíssimo ensinamento de Jesus misericordioso que chega até nós pelos escritos do Diário de Santa Faustina, sua secretária, seguido de um belíssimo testemunho acontecido na vida de Wesley Diego de Souza. Posso dizer com toda confiança que esta parte do diário de Santa Faustina que vou escrever para vocês, aconteceu e tem acontecido na vida desse jovem, que por livre e espontânea vontade, pediu para a Igreja, o Batismo, a Eucaristia e agora fechando o ciclo de sacramentos na iniciação cristã, o sacramento da Crisma. No parágrafo 1286 do diário, aprendemos com Santa Faustina, a ter um coração agradecido pelos sacramentos recebidos pela Santa Igreja. "AgradeçoVo s , D e u s p e l o Santo Batismo, que me introduziu na família de Deus''; " A g r a d e ç o - Vo s , Senhor, pela Santa Confissão, essa fonte inesgotável de grande misericórdia"; "AgradeçoVos, Jesus, pela Santa Comunhão, em que Vós mesmo, Vos dais a nós"; "Agradeço-Vos, Espírito Santo, pelo Sacramento da Crisma, que me armas como cavaleiro, dá à alma força para todos os momentos e me defende do mal ". No último dia 15 de dezembro, tive a graça de participar da Crisma do Wesley, este jovem que com todas as suas limitações, tem nos dado um grande testemunho de Fé e de perseverança. Posso dizer que este jovem, nasceu para ser vitorioso, porque a Palavra de Deus nos diz: Pois, que adianta ao homem ganhar o mundo inteiro e perder a sua alma? (Marcos 8,36). Eu sempre digo para ele: - Wesley, você chegou na nossa vida para nos ensinar a sermos fortes, para nos ensinar que nesta vida tudo passa, só Deus não passa . "Agradeço-Vos,Santíssima Trindade, pelas graças que me cumulastes sem cessar a vida toda ". Jesus, eu confio em Vós! Tânia Bution


Amizade na infância é momento de aprendizado

NÃO SE HUMILHE POR NADA NEM NINGUÉM

“Um amigo fiel é uma poderosa proteção: quem o achou, descobriu um tesouro”

Parte II

Eclesiástico 6,14 Amigos são importantes para a vida social afetiva das crianças. Na infância, a amizade estimula o desenvolvimento integral dos pequenos, trazendo alegrias e gerando conhecimentos, habilidades, emoções e vivências, criando a base para a qualidade das relações que vão ser construídas ao longa da vida. “A criança se sente muito amada e é mais feliz quando tem amigos. Quem tem amigos, brinca com alegria, fica mais esperto, aprende a repartir os brinquedos e desenvolve sentimentos e as habilidades de pensar, andar, falar e do brincar. Afinal tudo isso está relacionado com a questão da amizade, da inter-relação e da convivência familiar”, diz Irmã Veroni Medeiros, educadora e assistente técnica de desenvolvimento infantil da coordenação nacional da Pastoral da Criança. Irmã Veroni lembra que as amizades mudam ao longo da vida e a família deve incentivar as relações.

“As crianças elas têm mil possibilidades para fazer amigos e conviver com eles. Quando os pais saem para passear com os filhos, é uma oportunidade para se fazer novas amizades”, reforça a educadora. E em tempo de internet é preciso encorajar os pequenos às brincadeiras ao ar livre, em grupo, em espaços saudáveis para que possam crescer, aprender a partilhar e respeitar as diferenças, sendo o exemplo dos pais fundamental no ensino de valores. O relacionamento na infância é um aprendizado, pois a criança adquire um conhecimento melhor de si mesma e do mundo. Sandra Maria Legal - Pastoral da Criança

CAMPANHA DA FRATERNIDADE 2018: A PAZ COMEÇA EM CASA! A Campanha da Fraternidade de 2018 tem como tema FRATERNIDADE E SUPERAÇÃO DA VIOLÊNCIA e como lema “Vós sois todos irmãos” (Mt 23,8). A Igreja no Brasil propõe que a Campanha da Fraternidade seja aprofundada para levar a uma verdadeira conversão espiritual, como consequência, melhorar a sociedade em que vivemos. Nossa sociedade carente de paz, ante os múltiplos atos de violência que estão tão próximos, nos deixa com medo e sedentos de justiça. Sentimo-nos incapazes e impotentes de transformar essa realidade, colocamos nossa esperança em um salvador da pátria, que exterminará com toda espécie de violência, por meio da força e não da justiça. A justiça não é vingança, no entanto, é o princípio básico que mantém a ordem social por meio da preservação dos direitos em sua forma legal, mas no país em que vivemos é um conceito mais teórico do que prático. Santa Teresa de Calcutá nos aponta o caminho da paz: “Quer fazer algo para promover a paz mundial? Vá para casa e ame a sua família.”

Fazemos o contrário, a violência começa em casa. Criamos nossos filhos para ser soldados nesta guerra, para não levar desaforo para casa, de pagar o mal com mal. Ainda temos a petulância de dizer perto deles: "Perdoai as nossas ofensas, assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido"! Temos consciência do que estamos rezando? Do que estamos repetindo muitas e muitas vezes? Será que é somente da boca para fora? O perdão fruto da paz é um ideal distante, quase inatingível, que não cabe dentro da minha própria casa, onde habitualmente respondo com violência, por meio de palavras, atos e omissões. Mais ainda, nos sentimos como o “centro do universo” e dizemos perto dos nossos filhos, para justificar nossa conduta violenta - porque comigo é diferente, tenho o temperamento forte, não levo desaforo pra casa. Comigo é no olho por olho, dente por dente; aqui bateu, levou; pau é pau, pedra é pedra. Que herança negativa que estamos deixando. Como podemos reclamar da violência na escola, no trânsito, no futebol, nas relações pessoais, nas ruas se em nossa própria casa é um verdadeiro inferno. Enfim, o lema da Campanha da Fraternidade de 2018 é um convite para superação da violência por meio do reconhecimento que somos uma grande família, somos todos irmãos, e se formos pessoas de paz, seremos considerados bemaventurados e chamados de filhos Deus ( Mt 5:9). Martin Luther King, pacifista norte-americano, nos dá a dica: “Ou vivemos todos juntos como irmãos, ou morremos todos juntos como idiotas”. Finalmente, Jesus, o Príncipe da Paz (Is 9,6), nos conforta: “Deixo com vocês a paz. É a minha paz que eu lhes dou; não lhes dou a paz como o mundo a dá. Não fiquem aflitos, nem tenham medo”. ( Jo 14:27-31) Carlos Alberto (Cal) - Coord. Pastoral do Alimento

Todos temos a tendência a tomar certas pessoas e situações como imprescindíveis e insubstituíveis, como se não pudéssemos viver sem elas, como se nossa felicidade dependesse estritamente daquilo tudo. Supervalorizamos, assim, muitas vezes, algo que não nos faz bem, alguém que não nos acrescenta nada, coisas que só atravancam o nosso caminhar, sem perceber que muito do que encaramos como ganhos na verdade são fardos em nossas vidas. Na ânsia de tentar controlar as nossas vidas e de buscar a felicidade tal qual aquela que nos é vendida nas vitrines, nas revistas e nas redes sociais virtuais, acabamos muitas vezes buscando construir uma vida sobre bases desarmônicas. Trazemos, para dentro de nossas vidas, estilos, pessoas e comportamentos que destoam completamente da essência de nossas verdades mais íntimas. Dessa forma, valorizando tudo o que está lá fora de nós, tudo o que não diz respeito aos nossos valores, aos sonhos que pulsam em nossos sentidos, acabamos nos afastando de nós mesmos, diminuindo-nos, desvalorizandonos, enfim, tornando-nos muito menos do que realmente somos. E, se nem nós mesmos nos sentirmos gente de verdade, as pessoas que nos rodeiam acabarão por nos atravessar, como se fôssemos invisíveis, pois é assim que nos comportaremos. Enredados em meio às aparências que construímos, tentamos mantê-las a qualquer custo, a despeito de toda dor que elas

carregam, apesar de toda dignidade que se perde nesse caminho, mesmo que tenhamos que nos humilhar perante pessoas que não têm um mínimo de consideração por nós. E, assim, aceitamos de volta quem nos diminui, submetemos nossa vida a dissabores desgastantes num emprego desumano, mantemos perto de nós amizades que apenas sugam nossas energias. Não podemos aceitar menos do que merecemos e ninguém tem o direito de determinar o quanto valemos. Não se humilhe, não sufoque seus sonhos por conta de algo que é substituível e pode melhorar. Enterre a cabeça no travesseiro, grite, chore, acabe-se, numa luta sua com você mesmo e de mais ninguém. Fortaleça-se enquanto sente doer fundo as decepções e o amargor da rejeição, para sobreviver e seguir mais forte e seguro de si. É assim que tem de ser. Quem só vê defeitos em nós deve cair fora. O emprego que nos limita e reduz deve ser trocado. O amigo que só quer o que temos para dar, não gosta de nós realmente. É preciso que adotemos uma postura crítica perante o mundo, para que consigamos aparar as arestas espinhosas que nos dificultam a busca da felicidade. Afinal, para sermos felizes, precisamos estar rodeados de amor verdadeiro, de sinceridade, de gente que gosta da gente. E, para isso, precisamos nos sentir e ser gente de verdade. Fonte: http://www.resilienciamag.com Colaboração: Dr. Márcio Aguilar Padovani

HORTA HIDROPÔNICA NA VILA VICENTINA

O

projeto desenvolvido pelo Movimento de Cursilhos Jovem de Bebedouro visa atender as necessidades da Vila Vicentina, que hoje cuida de 20 idosos, e está localizada no território da Paróquia de Nossa Senhora Aparecida. Através da construção de uma Horta Vertical Hidropônica, as verduras produzidas, serão capaz de abastecer a cozinha da Vila e também vender para a comunidade vizinha, as verduras excedentes. A horta trará não só benefícios financeiros para a Vila Vicentina, mas também, trará mais integração e distração para os idosos. O projeto é simples, de fácil cuidado e manutenção, e surgiu da necessidade de voltarmos nossos olhares para os idosos, pois necessitam de mais carinho e atenção! Esperamos que logo, possamos estar comprando nossas verduras na Horta da Vila Vicentina! Gabriela Azevedo da Silva Coordenadora do Cursilho Jovem


Amizade na infância é momento de aprendizado

NÃO SE HUMILHE POR NADA NEM NINGUÉM

“Um amigo fiel é uma poderosa proteção: quem o achou, descobriu um tesouro”

Parte II

Eclesiástico 6,14 Amigos são importantes para a vida social afetiva das crianças. Na infância, a amizade estimula o desenvolvimento integral dos pequenos, trazendo alegrias e gerando conhecimentos, habilidades, emoções e vivências, criando a base para a qualidade das relações que vão ser construídas ao longa da vida. “A criança se sente muito amada e é mais feliz quando tem amigos. Quem tem amigos, brinca com alegria, fica mais esperto, aprende a repartir os brinquedos e desenvolve sentimentos e as habilidades de pensar, andar, falar e do brincar. Afinal tudo isso está relacionado com a questão da amizade, da inter-relação e da convivência familiar”, diz Irmã Veroni Medeiros, educadora e assistente técnica de desenvolvimento infantil da coordenação nacional da Pastoral da Criança. Irmã Veroni lembra que as amizades mudam ao longo da vida e a família deve incentivar as relações.

“As crianças elas têm mil possibilidades para fazer amigos e conviver com eles. Quando os pais saem para passear com os filhos, é uma oportunidade para se fazer novas amizades”, reforça a educadora. E em tempo de internet é preciso encorajar os pequenos às brincadeiras ao ar livre, em grupo, em espaços saudáveis para que possam crescer, aprender a partilhar e respeitar as diferenças, sendo o exemplo dos pais fundamental no ensino de valores. O relacionamento na infância é um aprendizado, pois a criança adquire um conhecimento melhor de si mesma e do mundo. Sandra Maria Legal - Pastoral da Criança

CAMPANHA DA FRATERNIDADE 2018: A PAZ COMEÇA EM CASA! A Campanha da Fraternidade de 2018 tem como tema FRATERNIDADE E SUPERAÇÃO DA VIOLÊNCIA e como lema “Vós sois todos irmãos” (Mt 23,8). A Igreja no Brasil propõe que a Campanha da Fraternidade seja aprofundada para levar a uma verdadeira conversão espiritual, como consequência, melhorar a sociedade em que vivemos. Nossa sociedade carente de paz, ante os múltiplos atos de violência que estão tão próximos, nos deixa com medo e sedentos de justiça. Sentimo-nos incapazes e impotentes de transformar essa realidade, colocamos nossa esperança em um salvador da pátria, que exterminará com toda espécie de violência, por meio da força e não da justiça. A justiça não é vingança, no entanto, é o princípio básico que mantém a ordem social por meio da preservação dos direitos em sua forma legal, mas no país em que vivemos é um conceito mais teórico do que prático. Santa Teresa de Calcutá nos aponta o caminho da paz: “Quer fazer algo para promover a paz mundial? Vá para casa e ame a sua família.”

Fazemos o contrário, a violência começa em casa. Criamos nossos filhos para ser soldados nesta guerra, para não levar desaforo para casa, de pagar o mal com mal. Ainda temos a petulância de dizer perto deles: "Perdoai as nossas ofensas, assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido"! Temos consciência do que estamos rezando? Do que estamos repetindo muitas e muitas vezes? Será que é somente da boca para fora? O perdão fruto da paz é um ideal distante, quase inatingível, que não cabe dentro da minha própria casa, onde habitualmente respondo com violência, por meio de palavras, atos e omissões. Mais ainda, nos sentimos como o “centro do universo” e dizemos perto dos nossos filhos, para justificar nossa conduta violenta - porque comigo é diferente, tenho o temperamento forte, não levo desaforo pra casa. Comigo é no olho por olho, dente por dente; aqui bateu, levou; pau é pau, pedra é pedra. Que herança negativa que estamos deixando. Como podemos reclamar da violência na escola, no trânsito, no futebol, nas relações pessoais, nas ruas se em nossa própria casa é um verdadeiro inferno. Enfim, o lema da Campanha da Fraternidade de 2018 é um convite para superação da violência por meio do reconhecimento que somos uma grande família, somos todos irmãos, e se formos pessoas de paz, seremos considerados bemaventurados e chamados de filhos Deus ( Mt 5:9). Martin Luther King, pacifista norte-americano, nos dá a dica: “Ou vivemos todos juntos como irmãos, ou morremos todos juntos como idiotas”. Finalmente, Jesus, o Príncipe da Paz (Is 9,6), nos conforta: “Deixo com vocês a paz. É a minha paz que eu lhes dou; não lhes dou a paz como o mundo a dá. Não fiquem aflitos, nem tenham medo”. ( Jo 14:27-31) Carlos Alberto (Cal) - Coord. Pastoral do Alimento

Todos temos a tendência a tomar certas pessoas e situações como imprescindíveis e insubstituíveis, como se não pudéssemos viver sem elas, como se nossa felicidade dependesse estritamente daquilo tudo. Supervalorizamos, assim, muitas vezes, algo que não nos faz bem, alguém que não nos acrescenta nada, coisas que só atravancam o nosso caminhar, sem perceber que muito do que encaramos como ganhos na verdade são fardos em nossas vidas. Na ânsia de tentar controlar as nossas vidas e de buscar a felicidade tal qual aquela que nos é vendida nas vitrines, nas revistas e nas redes sociais virtuais, acabamos muitas vezes buscando construir uma vida sobre bases desarmônicas. Trazemos, para dentro de nossas vidas, estilos, pessoas e comportamentos que destoam completamente da essência de nossas verdades mais íntimas. Dessa forma, valorizando tudo o que está lá fora de nós, tudo o que não diz respeito aos nossos valores, aos sonhos que pulsam em nossos sentidos, acabamos nos afastando de nós mesmos, diminuindo-nos, desvalorizandonos, enfim, tornando-nos muito menos do que realmente somos. E, se nem nós mesmos nos sentirmos gente de verdade, as pessoas que nos rodeiam acabarão por nos atravessar, como se fôssemos invisíveis, pois é assim que nos comportaremos. Enredados em meio às aparências que construímos, tentamos mantê-las a qualquer custo, a despeito de toda dor que elas

carregam, apesar de toda dignidade que se perde nesse caminho, mesmo que tenhamos que nos humilhar perante pessoas que não têm um mínimo de consideração por nós. E, assim, aceitamos de volta quem nos diminui, submetemos nossa vida a dissabores desgastantes num emprego desumano, mantemos perto de nós amizades que apenas sugam nossas energias. Não podemos aceitar menos do que merecemos e ninguém tem o direito de determinar o quanto valemos. Não se humilhe, não sufoque seus sonhos por conta de algo que é substituível e pode melhorar. Enterre a cabeça no travesseiro, grite, chore, acabe-se, numa luta sua com você mesmo e de mais ninguém. Fortaleça-se enquanto sente doer fundo as decepções e o amargor da rejeição, para sobreviver e seguir mais forte e seguro de si. É assim que tem de ser. Quem só vê defeitos em nós deve cair fora. O emprego que nos limita e reduz deve ser trocado. O amigo que só quer o que temos para dar, não gosta de nós realmente. É preciso que adotemos uma postura crítica perante o mundo, para que consigamos aparar as arestas espinhosas que nos dificultam a busca da felicidade. Afinal, para sermos felizes, precisamos estar rodeados de amor verdadeiro, de sinceridade, de gente que gosta da gente. E, para isso, precisamos nos sentir e ser gente de verdade. Fonte: http://www.resilienciamag.com Colaboração: Dr. Márcio Aguilar Padovani

HORTA HIDROPÔNICA NA VILA VICENTINA

O

projeto desenvolvido pelo Movimento de Cursilhos Jovem de Bebedouro visa atender as necessidades da Vila Vicentina, que hoje cuida de 20 idosos, e está localizada no território da Paróquia de Nossa Senhora Aparecida. Através da construção de uma Horta Vertical Hidropônica, as verduras produzidas, serão capaz de abastecer a cozinha da Vila e também vender para a comunidade vizinha, as verduras excedentes. A horta trará não só benefícios financeiros para a Vila Vicentina, mas também, trará mais integração e distração para os idosos. O projeto é simples, de fácil cuidado e manutenção, e surgiu da necessidade de voltarmos nossos olhares para os idosos, pois necessitam de mais carinho e atenção! Esperamos que logo, possamos estar comprando nossas verduras na Horta da Vila Vicentina! Gabriela Azevedo da Silva Coordenadora do Cursilho Jovem


07

DOCUMENTO: Cristãos Leigos e Leigas na Igreja e na Sociedade

Cantinho da

MISERICÓRDIA

O Documento Cristãos leigos e leigas na Igreja e na sociedade, sal da terra e luz do mundo, aprovado na 54ª Assembleia Geral Ordinária da Conferência dos Bispos do Brasil (CNBB), retoma e apro-funda a participação dos leigos e leigas na Igreja e na sociedade. Chamados pelo Batismo e pela Crisma ao seguimento de Jesus Cristo, os leigos e leigas assumem a responsa-bilidade de serem sujeitos na Igreja e na sociedade: sal e luz! (Dom Leonardo Ulrich Steiner Bispo Auxiliar de Brasília e Secretário Geral da CNBB)

RESPOSTA ESCLARECEDORAS SOBRE A BÍBLIA

RETIRO DE CARNAVAL 2018 Reflexão, música e oração

O Documento 105 está dividido em três capítulos: o primeiro capítulo é titulado “O Cristão Leigo, Sujeito na Igreja e no Mundo: esperanças e angústias” e trata da descoberta da vocação e missão do cristão leigo e leiga na Igreja e na Sociedade. O segundo capítulo é titulado: “Sujeito Eclesial: Discípulos Missionários e Cidadãos do Mundo” e trata da compreensão da identidade e da dignidade laical como sujeito eclesial e identifica a atuação dos leigos, considerando a diversidade de carismas, serviços e ministérios na Igreja. O terceiro capítulo, o mais longo, é titulado “A Ação Transformadora na Igreja e no Mundo” e aborda a dimensão missionária da Igreja e indica aspectos, princípios e critérios de formação do laicato, e aponta ainda lugares específicos da ação dos leigos.

A Renovação Carismática Católica de Bebedouro está organizando o Retiro de Carnaval 2018, que será, novamente, na Casa de Retiro Bom Pastor. O evento tem início dia 9 de fevereiro (sexta-Feira) às 18h30 e terminará na terça, às 15h. As inscrições poderão ser feitas no escritório da Renovação Carismática Católica, localizado na Rua São João, 819, Centro em Bebedouro.

Durante este ano, em cada edição do Jornal Desperta Comunidade, publicaremos alguns trechos do Documento 105 da CNBB. Acompanhe, mensalmente e torne-se, cada vez mais, Sal da Terra e Luz do Mundo!

PARA SABER MAIS!

Intenção de Oração do Santo Padre Mês de Fevereiro Universal: Não à corrupção Para que aqueles que têm poder material, político ou espiritual não se deixem dominar pela corrupção.

PASTORAL DO ALIMENTO

O ósculo santo (em latim: osculum pacis), chamado também de beijo da paz, foi uma forma de saudação usada por Jesus Cristo e seus discípulos, pela ação de beijar a face mutuamente, não somente em regiões onde esse era um costume habitual, mas também entre os cristãos de Roma.

BONITO

AUTO PEÇAS

Edilson Santos Peças - ME

Em janeiro, foram distribuídas 67 cestas básicas.

Fone Plantão: (17)

99773-5989 - 3343-1948 - 3345-4363 Fone: (17) 3343-6550 / Fone/Fax: (17) 3343-4274 Rua Cônego Cruz Arzuaga, 255 - Dist. Indl. I - Bebedouro - SP

Por que o mundo está contaminado por tantas doenças incuráveis como a Aids? O que a Bíblia diz a esse respeito? Às vezes, ao visitar uma família amiga, somos surpreendidos, por exemplo, por um doce ou por um tipo de comida que nos são oferecidos. A partir daquele momento criamos um laço com aquele doce ou prato de comida a ponto de pedirmos a receita a quem os preparou. Com a receita na mão, e também com certa habilidade, nós próprios podemos reproduzir a surpresa para outras pessoas. Basta seguir a receita. Esse exemplo não vale quando o assunto é Bíblia. Infelizmente, muitas pessoas pretendem que a Palavra de Deus seja um livro de receitas prontas para qualquer situação ou necessidade. Ela simplesmente é, como diz o Salmo 119,105, “lâmpada para os meus pés, e luz para o meu caminho”. Nós precisamos caminhar com nossos pés, e não pretender que a Palavra nos transporte automaticamente por cima das pedras da caminhada. De fato, o mundo está contaminado por tantas doenças como a Aids. E a ladainha dessas doenças poderia ser bem extensa e variada: cólera, câncer, lepra, analfabetismo, desnutrição, fome, miséria, pobreza, racismo, opressão etc. Não somente doenças físicas, mas também doenças sociais, que poderiam ser eliminadas se houvesse mais justiça e solidariedade nacional e internacional. Que pensar disso? Os catastróficos, fundamentalistas e pessimistas já têm uma resposta para tudo isso: castigo de Deus. E podem até usar a Bíblia para comprovar sua tese. Outros, mais resignados, seguem o mesmo caminho: vontade de Deus. E também para esses a Bíblia pode servir de muleta. Poucos têm lucidez suficiente para inocentar Deus – mostrar que ele não é responsável por isso – e, com dificuldade, encontrar outra saída para esses problemas.

Vamos recordar um caso, o das inúmeras crianças que morrem por desnutrição. Por que acontece isso? Quem é responsável? É vontade de Deus? Certamente Deus não quer isso. Pelo contrário, ele quer que todos tenham vida em plenitude. Outro exemplo: um jovem que morre de Aids. Foi Deus quem quis? Deus castigou? Certamente, não. Deus é o Deus da vida, e não da morte; é o Deus que concedeu liberdade às suas criaturas e respeita essa liberdade até o fim. Quando vivenciamos uma morte trágica, costumamos perguntar: Onde está Deus: Será que ele não esta vendo tudo isso? Talvez a melhor saída seja ver Deus sofrendo naquele que sofre, morrendo naquele que morre... Já vimos que a Sagrada Escritura não pode ser transformada num livro de receitas. Pelo contrário, precisamos buscar o espírito que atravessa toda a Bíblia e descobrir nela o rosto sempre novo de Deus. A idéia que atravessa toda a Bíblia é a de que o Deus de Israel é o Deus da vida, e não da morte. Ele quer vida para suas criaturas. Deus sempre quer o melhor para as pessoas. O nosso mundo está cheio de doenças e Deus e Jesus está profundamente preocupados com isso, pois essa situação não faz parte do seu plano. O projeto de Deus é liberdade e vida para todos. Todavia, não podemos esperar passivamente que eles resolvam tudo por nós, de modo mágico, pois isso jamais acontecerá. A solução parece ser esta: arregaçar as mangas para que, com nossa inteligência, mãos e coração, Deus e seu Filho Jesus continuem trabalhando para que o nosso mundo seja um lugar em que todos desfrutem da vida em plenitude. Tire suas dúvidas sobre Bíblia Autor: José Bertolini

"Misericórdia Divina, que nos acompanha por toda a vida, eu confio em Vós ". Queridos devotos e apóstolos da Divina Misericórdia, a Paz que vem do coração misericordioso de Jesus! É com muita confiança que venho partilhar com vocês mais um riquíssimo ensinamento de Jesus misericordioso que chega até nós pelos escritos do Diário de Santa Faustina, sua secretária, seguido de um belíssimo testemunho acontecido na vida de Wesley Diego de Souza. Posso dizer com toda confiança que esta parte do diário de Santa Faustina que vou escrever para vocês, aconteceu e tem acontecido na vida desse jovem, que por livre e espontânea vontade, pediu para a Igreja, o Batismo, a Eucaristia e agora fechando o ciclo de sacramentos na iniciação cristã, o sacramento da Crisma. No parágrafo 1286 do diário, aprendemos com Santa Faustina, a ter um coração agradecido pelos sacramentos recebidos pela Santa Igreja. "AgradeçoVo s , D e u s p e l o Santo Batismo, que me introduziu na família de Deus''; " A g r a d e ç o - Vo s , Senhor, pela Santa Confissão, essa fonte inesgotável de grande misericórdia"; "AgradeçoVos, Jesus, pela Santa Comunhão, em que Vós mesmo, Vos dais a nós"; "Agradeço-Vos, Espírito Santo, pelo Sacramento da Crisma, que me armas como cavaleiro, dá à alma força para todos os momentos e me defende do mal ". No último dia 15 de dezembro, tive a graça de participar da Crisma do Wesley, este jovem que com todas as suas limitações, tem nos dado um grande testemunho de Fé e de perseverança. Posso dizer que este jovem, nasceu para ser vitorioso, porque a Palavra de Deus nos diz: Pois, que adianta ao homem ganhar o mundo inteiro e perder a sua alma? (Marcos 8,36). Eu sempre digo para ele: - Wesley, você chegou na nossa vida para nos ensinar a sermos fortes, para nos ensinar que nesta vida tudo passa, só Deus não passa . "Agradeço-Vos,Santíssima Trindade, pelas graças que me cumulastes sem cessar a vida toda ". Jesus, eu confio em Vós! Tânia Bution


08

No dia 11 de fevereiro a Igreja celebra a aparição da Santíssima Virgem Maria à menina Bernadete Soubirous para pedir à Igreja oração e penitência pela conversão dos pecadores. A menina, que inicialmente descreve a mensagem recebida de uma “bela senhora”, insiste em perguntar quem seria aquela e tem por resposta “Eu sou a Imaculada Conceição”. Isso ocorreu no ano de 1958 na gruta de Massabielle, nos arredores da cidade francesa de Lourdes, na França. Bernadete é a filha maior de uma família muito pobre, que não possui conhecimento nem poder, e é frágil de saúde. Esta humilde serva é escolhida para transmitir a mensagem de conversão, oração e penitência: “Ide dizer aos sacerdotes que se venha aqui em procissão e que se construa uma capela”. No ano de 1933 o Santo Papa Pio XI encerrava o jubileu da redenção na gruta de Massabielle dizendo que "a Virgem Maria Imaculada várias vezes se mostrou à bemaventurada Bernardete Soubirous, onde com bondade exortou todos os homens à penitência, naquele lugar mesmo da estupenda aparição que ela cumulou de graças e prodígios". Concluindo que aquele santuário "passa agora, a justo título, por ser um dos principais santuários marianos do mundo". As lições de Nossa Senhora de Lourdes são fieis a mensagem do Evangelho em confronto com o egoísmo mundano. A palavra revelada é “penitência” e o pedido é que “rogai a Deus pela conversão dos pecadores”. É comum que nos esqueçamos deste valioso preceito cristão. Mais fácil é conviver com quem nos agrada, compartilha de nossa fé e dos bons costumes. Exige pouco esforço orar pela proteção dos justos e desejar o melhor a quem nos quer bem. Porém, esta não é a maior missão, sequer foi o exemplo que nos deu Jesus Cristo. Na verdade, o Filho de Deus revelou aos fariseus: “não é a justos que vim chamar, mas a pecadores” (Mt 9, 13). Não é que devemos retirar nossos entes queridos e amigos de nossas orações, mas estes pedem por si mesmos, por suas próprias palavras que proclamam a Nossa Senhora Aparecida que “rogai por nós os pecadores”. Devemos reforçar esta oração aos que pedem e com mais ênfase, pedir aos que se afastaram, aqueles que faltam a fé e a devoção, pois são estes os que mais precisam. Que neste mês de fevereiro lembremo-nos dos pecadores em nossas orações, que possamos ser mensagem de esperança e de conversão, demostrando o perdão e a misericórdia de Deus por cada um de seus filhos amados. Oremos: “Senhor Jesus, nós vos bendizemos e vos agradecemos por todas as graças que concedestes ao vosso povo penitente e sofredor, por meio de vossa Mãe, a Virgem de Lourdes. Fazei que pela Sua intercessão possamos ter parte no tesouro de vossas graças, para melhor vos amar e vos servir. Amém”. Luís Gustavo Conde

AMOR E ÓDIO Certa vez estava em uma festa de aniversário, em uma roda de conhecidos, conversando. Era um bate papo informal, no qual falávamos sobre os mais variados assuntos. Em determinado momento, começamos a falar sobre futebol, sobre jogos, jogadas e jogadores. Neste ponto da conversa, a filha de um dos presentes, uma menina esperta, por volta dos seus 10 anos, entrou na conversa com o seguinte comentário: - Eu odeio o fulano de tal, citando o nome de um jogador de futebol conhecido, que jogava em um time de futebol adversário do time para o qual ela torce. O comentário colocado assim, tão franca e espontaneamente, me chocou. Devo confessar, entretanto, que todas às vezes em que ouço alguém dizer que odeia isto ou aquilo, tal comentário sempre me perturba. Na minha concepção, odiar é algo muito pesado, que traz uma carga negativa muito forte em sua significação. E citando o exemplo que eu acabei de apresentar, como a gente consegue odiar alguém que nós nem conhecemos bem, que não nos fez nada e que somente está exercendo a sua profissão? Não estou querendo aqui julgar a criança que disse tal frase, pois tenho certeza de que, pela pouca idade, ela nem tem muita noção do que falava, bem como estava com certeza, naquele momento, repetindo o comportamento observado em algum adulto. Tudo bem, alguém irá dizer que é só um modo de dizer, que na realidade quem se expressou não queria ser tão categórico assim. Mesmo assim, quando você expressa que “odeia”, você quer mostrar que o que você sente não é tão superficial, é mais profundo, é algo que te incomoda. O que eu quero considerar aqui, também, é a gratuidade do sentimento. Todos nós, em algum momento de nossa vida, já expressamos esse "eu odeio..." para alguma coisa.

E eu coloco essa afirmação no coletivo porque todos nós já passamos por isso. E nunca pensamos muito sobre o que queremos dizer ou damos importância ao que estamos dizendo. Mas reflita comigo, vamos fazer uma analogia: Desde sempre nós sabemos que Deus é Amor. Então, quando amamos alguém, nós temos por esse alguém sentimentos divinos, sentimentos elevados, algo que não conseguimos definir e que nos enleva, fazem bem à nossa alma. Ora, partindo dessa premissa que Deus é Amor e sabendo que Ódio é o antônimo de Amor, o que deduzimos seja o ódio? Exatamente. O inimigo de Deus. Então, quando você odeia alguém, ou mesmo que só esteja expressando isso, como modo de falar, que sentimentos você está transmitindo sobre isso? Quais as sensações que você sente, em uma situação como esta? Isto lhe faz bem, é benéfico para a sua vida? Principalmente, para a sua vida cristâ? Citando São João Evangelista: “Todavia, eu vos escrevo agora um mandamento novo - verdadeiramente novo, nele como em vós, porque as trevas passam e já resplandece a verdadeira luz. Aquele que diz estar na luz, e odeia seu irmão, jaz ainda nas trevas. Quem ama seu irmão permanece na luz e não se expõe a tropeçar. Mas quem odeia seu irmão está nas trevas e anda nas trevas, sem saber para onde dirige os passos; as trevas cegaram seus olhos." I São João, 2 – 8, 11 Bíblia Católica Online https://www.bibliacatolica.com.br

Reflita sobre isso na próxima vez que você for “odiar alguma coisa”. Pense no sentimento que você está cultivando dentro do seu coração. Serenamente, peça o discernimento do Espírito Santo, através da intercessão amorosa da Virgem Maria, e tenha certeza que sempre Deus virá inundar o seu coração de amor! Edimilson Botéchia

JEJUM DIGITAL: Uma alternativa Quaresma, é tempo de penitência em busca da conversão de nossos corações rumo a Celebração da Ressurreição de Jesus. A Páscoa! Muitos tem dificuldade para decidir que penitencia deveria fazer e as vezes, acaba fazendo de algo que nada tem de significante diante da grandeza desse período. Uma das maneiras de identificar é nos perguntar o que tem me afastado de Jesus? Falta de oração, pensamentos, palavras, comportamentos etc. Que tipo de pecado minha consciência acusa.. Trazemos uma reflexão interessante do Seminarista João Antônio Johas Leão – Estudante de Filosofia em vistas ao sacerdócio, publicado em 01 de marco de 2017 - 11H41, no site A12, sugerindo o Jejum digital. Leia e reflita. “Primeiro é preciso reconhecer os momentos em que a Internet acaba atrapalhando. E é difícil encontrar pessoas que reconhecem estar um pouco viciadas nesse site, ou naquele aplicativo. Já repararam que, embora saibamos que existe esse problema, sempre nos encontramos com as poucas pessoas que sabem se controlar e que dizem ‘eu não estou viciado nisso’”. Mas isso não é um problema aqui, porque somos nós mesmos que queremos viver uma boa Quaresma e a nossa consciência fica alerta quando fazemos aquela primeira pergunta e buscamos respondê-la com sinceridade. Onde perdemos mais tempo? Em quais atividades digitais (seja em alguma página web, seja um aplicativo que usamos) percebo que perco o controle algumas vezes? Para mim, João, tem sido o Youtube. Vou vendo vídeos de canais do meu interesse e quando vejo, perco a hora para fazer alguma outra tarefa que tinha planejado. Mesmo que sejam vídeos bons, percebo que tiram a atenção daquilo que eu realmente gostaria de estar fazendo. É como aquela situação típica de sala de aula, na qual os alunos estão conversando e diante da “bronca” do professor eles respondem: “Estamos conversando sobre a matéria”. Sempre achei que fosse uma boa desculpa, mas não tira o fato de que se está fazendo algo que não se deve fazer no momento. Só que aqui o professor é a tua consciência, a voz de Deus na nossa alma. E ele está chamando para uma amizade mais profunda com Ele. E nós continuamente inventamos desculpas para continuar “conversando sobre a matéria”. Talvez essa confissão ajude a que outros possam também dar-se o tempo de pensar na própria vida e naquilo que esteja atrapalhando um pouco a relação com Deus. A Quaresma, como sabemos todos, é esse tempo que se assemelha a uma caminhada no deserto, um grande retiro no qual preparamos melhor os nossos corações para receber Aquele que já habita em nós, mas que quer renovar essa presença. Se o mundo digital está, de alguma forma, atrapalhando a obra de Deus em nós, não percamos a oportunidade de purificar a maneira como utilizamos essa ferramenta que tem muito potencial para, pelo contrário, unir-nos ainda mais a Ele. Boa Quaresma e, se for o caso, jejum digital! Colaboração: Graça Maria

Expediente

OREMOS A NOSSA SENHORA DE LOURDES

QUARESMA: tempo penitencial e não triste ou depressivo. Saiba quando a preparação para a Páscoa passou de três para 40 dias Em 2018, o Tempo da Quaresma, se inicia dia 14 de fevereiro, com a Quarta feira de Cinzas e vai até Quinta feira da Semana Santa, dia que celebramos a última ceia de Jesus Cristo com seus apóstolos. A palavra “Quaresma” vem do latim quadragésima, e é o período de quarenta dias que antecede a maior festa do cristianismo: a Ressurreição de Jesus Cristo, comemorada no Domingo da Páscoa. A duração da Quaresma é baseada no símbolo do número quarenta na Bíblia. É um número de expectativa, de preparação e de prova. Na Bíblia caracteriza as intervenções sucessivas de Deus: Davi, como Saul, reinou 40 anos; o dilúvio durou 40 dias; Moisés serviu Deus no Monte Sinai durante 40 dias e durante 40 anos Moisés conduziu o povo de Israel na peregrinação pelo deserto até chegarem à Canaã; Jesus passou 40 dias no deserto e depois apareceu ressuscitado durante 40 dias etc. O número quarenta na Bíblia simboliza o universo material, seguido de zeros significa o tempo de nossa vida na terra, seguido de provações e dificuldades. Cerca de duzentos anos depois da morte de Cristo, os cristãos começaram a preparar a Festa da Páscoa com três dias de oração, meditação e jejum. Por volta do ano 350 d.C depois de Cristo), a Igreja Católica aumentou o tempo de preparação para quarenta dias. Assim surgiu a Quaresma. "A liturgia da Quaresma insiste: o pecado não é irreparável. Para os que creem, existe volta, conversão, perdão e salvação". Embora seja um tempo penitencial, não é um tempo triste ou depressivo. Trata-se de um tempo especial de purificação e de renovação da vida cristã para poder participar com maior plenitude do mistério Pascal do Senhor. A liturgia da Quaresma insiste: o pecado não é irreparável. Para os que creem, existe volta, conversão, perdão e salvação. Ele é a luz que penetra nossas trevas. Jesus não veio para condenar, mas para salvar. “Eu vim para que os homens tenham a vida e a tenham em abundância” (Jo 10, 10). A cor da liturgia do tempo da Quaresma é o roxo, que significa luto e penitência. Na Quaresma, não se colocam flores no altar e o som dos instrumentos é permitido só para sustentar o canto, no respeito da índole penitencial deste tempo. De igual modo, omite-se “Aleluia” em todas as celebrações, desde o início da Quaresma até a vigília Pascal. O costume de cobrir as cruzes e as imagens na Igreja, desde o quinto domingo da Quaresma, é ainda observada em certos lugares. A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil nos orienta neste assunto. É oportuno lembrar também que o jejum é obrigatório para os católicos entre 18 e 65 anos de idade na Quarta-feira de Cinzas e na Sexta-feira da semana Santa. Ao longo do período da Quaresma há o costume de dar esmolas aos pobres e mais necessitados. Para o cristão então é importante viver o espírito da Quaresma que consiste numa mudança de vida, com mais oração, caridade, penitência e jejum. Fonte: A12 - Adaptação - Graça Maria


09

QUARESMA

Tempo forte de penitência, conversão e misericórdia! Tempo de crescer na amizade com Deus! (Papa Francisco)

Conversão, penso que você que lê esta matéria já leu muitas e muitas vezes, que conversão é mudança de vida, mudança de rumo, mudança de direção, e este ano, de novo somos chamados a sair da superficialidade, da maneira como vivemos, abrir o nosso coração a Deus, deixa-lo entrar com a sua graça plena, ter intimidade com Ele, ler a sua Palavra diariamente, ser sal da terra e luz do mundo, luz para o mundo, sinal de vida, sinal de santidade, sinal de pureza, sinal de amor em um mundo tão acinzentado. Olhe para aquele que te olha (Jesus), olhe para aquele que quer nos levar a Salvação Um outro ponto forte de tempo de quaresma é penitência, gesto praticado na igreja católica, penitência nos faz refrear as nossas vontades, desejos, anseios, comportamentos. O jejum e a penitência não são para fazer mal, mas nos educa a vencermos a nós mesmos, fraquezas e paixões. Jejum é muito mais uma pratica interior do que exterior, jejum não é uma dieta, mas uma pratica espiritual que visa uma maior intimidade com Deus, Papa Leão Magno dizia: “O jejum é para a conversão, mas é também para que amemos mais a Deus e ao próximo”. Mortifiquemos um pouco o homem exterior, para que o interior seja restaurado. Penitencia espiritual. Qual eu devo fazer? Aquela que abate o meu pecado, o orgulho, a soberba, a vaidade, o desprendimento de coisas e pessoas, ser casto, ser bom, buscar a humildade etc ...O Perdão também é muito importante, S. Francisco de Sales, dizia que a melhor penitência é aceitar, com resignação, os males que Deus permite que nos atinjam, porque Ele sabe do que precisamos, e assim nossos pecados são vencidos. Quaresma é um tempo que nos exige recolhimento, devemos nos abrir aos irmãos, e também, a prática da misericórdia. Como disse Jesus: Eu quero a misericórdia e não o sacrifício (Os 6,6). Por isso, irmãos, não importa o tempo que temos caminhado com o Senhor. O que importa é o que faremos nesta quaresma, as mudanças que permitiremos acontecer em nós. Amar mais os irmãos, aceitar as nossas limitações e as dos outros, enfim, buscar intensamente uma vida de santidade. Sejamos amigos de Deus e Ele tudo fará. Boa quaresma a você leitor! Diácono Francisco Carlos Bution

Jovens Cristão e o Carnaval O carnaval está próximo, e com ele vem o desejo de festejar, de estar ao lado de amigos e de se divertir muito ao embalo de muitas músicas. Mas você sabe como surgiu o carnaval? No período da escravidão, os escravos eram libertos temporariamente para fazerem tudo que tinham vontade. Os nobres realizavam suas festas movidas a vinho e orgias, não existiam regras, nem moral, tudo era lícito nesses três dias antes da “purificação”. Era o momento de colocar todos os desejos e prazeres, por mais obscuros e imorais que fossem, para fora, e realizálos, para que assim, a alma se saciasse para entrar no jejum e abstinência (Quaresma). Muitos jovens utilizam do carnaval para extravasar e deixar fluir a sensação de liberdade que os fazem pensar que tudo é permitido, uso excessivo de bebidas e de drogas.

Nesta Paróquia, está sendo proclamado o seguinte casamento:

Dia 10/02, às 19h30, na Capela Santo Antonio. Guilherme Chaves Nunes e Juliana Aparecida Lopes. Ele, filho de José Nunes Garcia e de Lucia Maria Chaves Nunes. Ela, filha de Paulo Roberto Lopes e de Ergilia C. Arantes Lopes. Se alguém souber de algum impedimento ou dirimente está obrigado, conforme o cânon 1069, do Código de Direito Canônico, a denunciá-lo à autoridade eclesiástica. L. + S.

Essa faixa etária traz muitos conflitos à cabeça dos jovens, precisam de ajuda para administrar esses problemas típicos da adolescência, e muitos deles acabam caindo em ciladas cada vez mais ousadas e crescentes. Os pais, nesse período, mais do que nunca, precisam estar em sintonia com seus filhos, devem ser companheiros, lhes mostrar a direção correta, e também, não deixar de orientalos à respeito da Palavra de Deus. Ao contrário de jovens que preferem trios elétricos e festas regadas a bebidas e drogas, muitos outros passam o carnaval em retiro, buscando mais proximidade com Deus, colocando a espiritualidade em primeiro lugar, sem deixar de lado a diversão, fugindo das preocupações do dia a dia, da folia deste período, aproveitando esse momento para festejar e curtir seus amigos, sem precisar de álcool, drogas e da exploração sexual, fazendo novas amizades e aprendendo a conviver melhor até mesmo em família. Esses jovens buscam viver a alegria intensa, que não é passageira, que lhe dê experiência espiritual e contato direto com Deus. Só existe uma forma de vencermos os nossos desejos carnais é andando em espírito (Gl 5: 16). Rogério Ramos de Lima

Sou Dizimista! amo a minha igreja!

01/02 Elza Moretti Sbrolini 01/02 Luis Roberto Massaro 01/02 Cristiane dos Santos Ribeiro 01/02 Sonia Maria Vizoná Bonelli 02/02 Cecília Maria Spironello 02/02 Balduina Liporini Rocha 02/02 Maria Angela Botião B. Campanelli 02/02 Vilma da Silva Natele 03/02 João Carlos Mathias 03/02 Ana R. Gomes e Anderson C. Rosa 03/02 Dirceu Jorge Gonçalves 03/02 Luzia Dircei Carizio 03/02 Karina Caldeira Vidal Lima 03/02 Maria Bernadete Perrone 04/02 Aparecida Dobri Favero 04/02 Lourdes Leonezi Ortiz 04/02 Aparecida Marildes Neves Brito 05/02 Regina Isabel Stanzani Ercolano 05/02 Maria das Graças Ferreira 05/02 Gilberto Gasperini 05/02 Gabriel Gasparini Bution 06/02 Selma Zelinda Marini Tomicioli 06/02 Maria Aurea Pietrucci Buzatto 06/02 Luiz Antonio Guimarães da Silva 06/02 Aurea de Deus 06/02 Moacir Jacobs 06/02 Dora Silvia Bittencout Costa 06/02 Isabela da Silva Ferreira 07/02 Benedita Pires de Carvalho 07/02 Luci Cláudia dos Reis M. da Costa 07/02 Antonio Aparecido de Souza 08/02 Neli Terezinha Moretti Bertozzi 08/02 Maria Helena Aparecida Ramos 08/02 Alexandra Campos Beltrão da Silva 08/02 Vera Lúcia Martinelli Caputo 09/02 Pedro Belarmin Silva 09/02 Juliana Fermino Farias 09/02 Adelina Helena Angola 09/02 Luzia Cristina Cardoso 10/02 Rubens Gumieri 10/02 Maria de Lourdes Taube Conceição 10/02 Renata de Oliveira da Silva 10/02 Teresa Cimino 11/02 Lurdes Medeiros de Carvalho 11/02 Sueli Maria Legal de Farias 11/02 Luiz Carlos de Oliveira 11/02 Sebastião dos S. Borges da Silva 11/02 Antonio Roberto Carminatti 12/02 Olivia Faver 12/02 Luis Gustavo Conde 12/02 Mario de Almeida Ferreira 12/02 Eutália Rodrigues Zaparoli 12/02 Fúlvia Nunes Lisboa de Melo 12/02 Angela Maria Rodrigues 12/02 Nilsa Adair da Silva 13/02 Mario M. da Silveira Filho 13/02 Nelson G.Martins (Falecido) 13/02 Andréa Paulo Dalla Costa 13/02 Nathalia Gabriela Franchin 14/02 Jussara Tocci Silva 14/02 Antonio Augusto Pagoto

14/02 15/02 15/02 15/02 15/02 15/02 15/02 16/02 16/02 17/02 17/02 17/02 17/02 17/02 18/02 18/02 18/02 18/02 19/02 19/02 19/02 19/02 19/02 19/02 19/02 20/02 20/02 20/02 20/02 20/02 21/02 21/02 21/02 22/02 22/02 22/02 22/2 23/02 23/02 23/02 24/02 24/02 24/02 24/02 25/02 25/02 25/02 26/02 26/02 26/02 26/02 26/02 26/02 27/02 27/02 27/02 27/02 27/02 28/02 28/02 28/02 29/02

Márcia Braga Santos Benedicta Rosa da Silva Garibaldi Jersulina Lopes Silva Sylvio Lainetti Netto Ana Rosa Pedrochi L. Ravagnani Dias Ruy Giovanni Maria Aparecida de Souza Pessoa Alda Mariano Gimenes Diác.Francisco Carlos Bution Geny Zancheta de Almeida Edna Gonçalves Roseli Aparecida Borges Santos Sebastião Roberto da Rocha Antonio Carlos Scarpelini Durvalina Mendes Pavan Waldemar Aparecido Massão Iraci Abram Gazeta Antonio Sergio Leonardo Maria Aparecida Rolin Frota Benedito Villas Boas Iris Martins da Silva Ferreira Aparecida de Andrade Penachone Fernando Tank Maria de Lourdes Toller Rafael Varrichio da Silva José Carlos Moiteiro Lenir Silva Pastorelli Camila Cristina Gérico Camero Miguel Peluso Neto Admir Barboza Jeanette Haddad Espírito Santo Diác. Humberto C. Brigato Diniz Elvira Lodo Izaura Marques Marin David Donizeti Scarpelini Aparecida Marcelino Pereira Maria Elisa Gonçalves Dionisio Antônio Carlos Ferreira Toledo Dirce Neiva de Paula Belini Glauce Morais Salvadori Maria Izabel Silva Mariano Marilda Júlia Braga Santin José de Oliveira Júnior Jorge Luís Fabiano Doracy Fialho de Carvalho Luiz Carlos Fabro e Candida R. Fabro Eliege Aparecida da Silva Léa Luz Caires Vilson Guessi Zelinda Borges Lodo Cleliane Ravagnani Maria Ap. Carvalho dos Santos Iara Regina Bento Rosa Machado de Deus Márcio Alexandre Costa Rafael Dantas de Souza Edson Eduardo Netto Mauro Rodrigues Martins Angela Maria Marchi Marise Tadeu Rosim Galhardo Romildo José Mathias da Silva Marisa Cristina da Silva Rodrigues


10

14º Intereclesial das CEB’s em Londrina no Paraná - De 23 à 27/01/2018

• Fevereiro 2018 • Ano XV • Número 157

Acolhida do

Novo Pároco Primeira Missa da Aliança de São Miguel Arcanjo com o Padre Edson Cesar Guiaro na Matriz de Igreja Nossa Senhora Aparecida

Créditos das Fotos: Jaqueline Photos

"Filhos da Mãe Aparecida" na Missa de Posse do Padre José Benedito Di Tullio na Paróquia São Judas Tadeu em Jaboticabal

A

ansiedade e a espera pelo novo e inesperado é o sentimento que tomou conta da Paróquia dos “Filhos da Mãe Aparecida” nestes últimos meses, afinal de contas todos nós, seres humanos, como afirma Mário S. Cortella, ficamos fascinados com a idéia de ciclos, períodos e épocas, pois nos permite imaginar o que ainda será vivenciado, com novos jeitos, de outras formas, inéditos vigores e renovadas intenções. Esta nova época que estamos apenas iniciando, com toda certeza marcarão os mais de cinqüenta anos de nossa tão festejada paróquia, pois, sem notarmos, estamos mais uma vez na etapa de crescimento e amadurecimento espiritual, prontos para o continuar da caminhada, o início de mais um capítulo de um imenso livro que não se finda. É assim, estimado Padre Edson, com essa ansiedade e alegria para mais uma vez “colocarmos a mão na massa” que o recebemos e calorosamente o acolhemos, como “filhos da Mãe” dispostos a servir, a escutar e, sobretudo, a abraçar tudo aquilo que nos for proposto para o bem da comunidade e construção do Reino de Deus; compreendendo o chamado do Bom Pastor que tem todas as suas ovelhas bem próximas, pois sabem que estão seguras e não precisam temer os obstáculos do dia-a-dia e, consequentemente, bem atentas para a correspondência do mestre. Seja muito bem-vindo Padre Edson! Nossos corações estão abertos, dispostos e obedientes, assim como a Serva Fiel à Palavra, Maria Santíssima. Osvaldo Adrega de Moura Júnior Coordenador do Terço dos Homens

Convite

vidar a todos para Aproveitamos a oportunidade para con , Padre Edson Missa de Posse de nosso novo Pároco fevereiro, às 19h30, Cesar Guiaro, que será no dia 17 de recida. na Igreja Matriz de Nossa Senhora Apa

Jornal DESPERTA - Fevereiro 2018  

Informativo da Paróquia Nossa Senhora Aparecida, da cidade de Bebedouro/SP - Edição de Fevereiro 2018 - Ano XV - Número 157 - 10 páginas.

Jornal DESPERTA - Fevereiro 2018  

Informativo da Paróquia Nossa Senhora Aparecida, da cidade de Bebedouro/SP - Edição de Fevereiro 2018 - Ano XV - Número 157 - 10 páginas.

Advertisement