Page 1


VINHOS ESPECIAIS DE PORTUGAL

DÉCIMO SEXTO ANO 2016


ÍNDICE INTRODUÇÃO

ALENTEJO

BEM-VINDO | PÁG. 06

HERDADE DO ESPORÃO | PÁG. 36

AS BEBIDAS DESSA TERRA | PÁG. 08

HERDADE DE MALHADINHA NOVA | PÁG. 38

QUALIDADE PORTUGUESA | PÁG. 09

FUNDAÇÃO PAULO LAUREANO | PÁG. 44

CONHECENDO UM PARAÍSO | PÁG. 10

FUNDAÇÃO EUGÉNIO DE ALMEIDA | PÁG. 48

ROTEIRO ENOCULTURAL

CORTES DE CIMA | PÁG. 50 QUINTA DO CARMO | PÁG. 52 QUINTA DO ZAMBUJEIRO | PÁG. 54

DOURO

BAIRRADA

QUINTA DO CRASTO | PÁG. 12

VADIO | PÁG. 56

QUINTA DA TOURIGA | PÁG. 16

LUÍS PATO | PÁG. 58

CASA FERREIRINHA | PÁG. 18

V PURO | PÁG. 62

SYMINGTON | PÁG. 20

HERDADE DO PERDIGÃO | PÁG. 64

QUINTA DA PACHECA | PÁG. 24

SETÚBAL

DUORUM VINHOS | PÁG. 26 QUINTA DO VALE MEÃO | PÁG. 28

QUINTA DA BACALHÔA | PÁG. 66

QUINTA DA ROMANEIRA | PÁG. 30

RIOJA (ESPANHA)

PORTO NIEPOORT | PÁG. 32

BODEGAS MUGA | PÁG. 68


6


BEM-VINDO A partir das próximas páginas você vai conhecer o que as terras portuguesas têm a oferecer em entretenimento, gastronomia e cultura. E nada melhor do que conhecer Portugal degustando os melhores vinhos de toda a Europa.Você tem um espaço reservado, então se acomode na poltrona e aproveite a viagem pelas principais vinícolas do país, curtindo também as belezas naturais e os cenários incríveis que só Portugal pode oferecer. E para começar, nada melhor do que conhecer o local sagrado onde são fabricados os famosos vinhos da Herdade do Esporão e os mais saborosos vinhos do Alentejo. Subindo um pouco, chegando até o Douro, passearemos pela Quinta do Crasto, além de visitar outras regiões como Bairrada e Setúbal. Agora, vamos direto ao ponto. Aperte o cinto e boa viagem, ou melhor, saúde! CHEF NELSON GONÇALVES JUNIOR

7


DÃO E LAFÕES

5 DOC Lafões 6 DOC Dão VINHO REGIONAL TERRAS DO DÃO

TÁVORA E VAROSA 4 DOC Távora - Varosa

VINHO VERDE

250

VINHO REGIONAL TERRAS DE CISTER

1 DOC Vinho Verde

CASTAS

PORTO E DOURO

VINHO REGIONAL MINHO

3 DOC Douro/Porto

AUTÓCTONES

VINHO REGIONAL DURIENSE

BAIRRADA

7 DOC Bairrada

VINHO REGIONAL BEIRA ATLÂNTICO

LISBOA 9 DOC Encostas de Aire 10 DOC Óbidos 11 DOC Alenquer 12 DOC Arruda 13 DOC Torres Vedras 14 DOC Lourinhã 15 DOC Bucelas 16 DOC Carcavelos 17 DOC Colares VINHO REGIONAL LISBOA

17 16

PENÍNSULA DE SETÚBAL

2 2

3 4

TEJO

2

3

5

18 DOC do Tejo

8

7

VINHO REGIONAL TEJO

6

TRÁS-OS-MONTES 2 DOC Trás-os-Montes

8

VINHO REGIONAL TRANSMONTANO

9 14 10 13 11 12 15

BEIRA INTERIOR 8 DOC Beira Interior

18

VINHO REGIONAL TERRAS DA BEIRA

20

19

AS BEBIDAS DESSA TERRA 19 DOC Palmela e DOC Setúbal

VINHO REGIONAL PENÍNSULA DE SETÚBAL

1

20

20

20

ALENTEJO 20 DOC Alentejo VINHO REGIONAL ALENTEJANO

Portugal possui um património e um percurso invejável no mundo do vinho. Com uma tradição milenar na produção de bebidas, contando com a região vínica ILHAS demarcada e21regulamentada mais antiga do mundo, a região do Douro, que para além 22 de património mundial23da humanidade é o local de origem do vinho fortificado mais AÇORES 26 DOC Graciosa famoso do mundo – o vinho do Porto. E só isto seria suficiente para colocar Portugal 27 DOC Biscoitos como país vínico de referência24mundial. Mas, Portugal não descansa nas glórias 28do DOC Pico VINHO REGIONAL passado e hoje os vinhos portugueses estão mais dinâmicos do que nunca e são umAÇORES ALGARVE dos produtos bandeira de Portugal. 21 DOC Lagos 22 DOC Portimão Num mundo cada vez mais estandardizado e globalizado, os Vinhos de Portugal 23 DOC Lagoa continuam genuínos e de forte carácter português. Sendo fiéis a um património de 28 24 DOC Tavira 28 VINHO REGIONAL mais de 250 uvas portuguesas, os vinhos ALGARVE portugueses são capazes de proporcionar uma experiencia única, pelo modo como tiram partido da diversidade de terroirs e uvas portuguesas, quer pelas técnicas e pessoas que os elaboram. Hoje, a reputação internacional dos vinhos portugueses é inquestionável. A qualidade dos vinhos portugueses está ao nível do melhor que se faz no mundo, como atestam os três vinhos portugueses no top 5 dos melhores vinhos do mundo da revista @WoPBR Vinhos de Portugal BR www.winesofportugal.com americana Wine Spectator, incluindo o número um. Portanto, não é de surpreender que hoje os vinhos portugueses estejam nas melhores mesas dos restaurantes mundiais.

8

MADEIRA 25 DOC Madeira 26

27

VINHO REGIONAL TERRAS MADEIRENSES

25


QUALIDADE PORTUGUESA, COM CERTEZA!

EXISTEM OUTROS CONTROLES DE QUALIDADE AO REDOR DO MUNDO, COMO O FRANCÊS APPELLATION D’ORIGINE CONTRÔLÉE (AOC), O ITALIANO DENOMINAZIONE DI ORIGINE CONTROLLATA (DOC) E O ESPANHOL DENOMINACIÓN DE ORIGEN (DO)

Denominação de Origem Controlada, ou simplesmente DOC, é o termo utilizado pelos portugueses para denominar e certificar vinhos, queijos, manteigas e outros produtos agrícolas do país. Esta classificação é atribuída a partir da geografia local, devendo cumprir um conjunto rígido de regras e leis. Criado em 1986, com a entrada de Portugal na Comunidade Europeia, o sistema DOC substituiu o anterior “Região Demarcada” que vigorou desde o início do século XX. Para garantir o cumprimento das normas estabelecidas, os produtores têm que submeter amostras dos seus vinhos às comissões vitivinícolas regionais. Entre os critérios de avaliação estão as delimitações geográficas, os diferentes tipos de solo, as castas autorizadas e recomendadas, as práticas culturais, os métodos de vinificação, o teor alcoólico mínimo natural, entre outras características. Estes parâmetros são fiscalizados por cada uma das Comissões Vitivinícolas regionais, que analisam a qualidade dos vinhos produzidos, fazendo da bebida que sai da vinícola um produto de qualidade e respeito, agregando valor ao nome de Portugal em todo o mundo.

EM CADA GARRAFA DE VINHO PORTUGUÊS ESTÁ A SABEDORIA DE TODO UM POVO. HISTÓRIAS, SABORES E TRADIÇÕES QUE SOUBEMOS PRESERVAR AO LONGO DOS TEMPOS, COM UM ÚNICO OBJETIVO: FAZER VINHOS EXCEPCIONAIS. ATRAVÉS DAS 250 CASTAS BRANCAS, TINTAS E ROSADAS, É POSSÍVEL PRODUZIR UMA ENORME VARIEDADE DE VINHOS, COM SUTILEZAS DE TERROIRS E PERSONALIDADES MUITO DISTINTAS. CARACTERÍSTICAS QUE NOS DISTINGUEM PELO MUNDO A FORA 9


CONHECENDO UM PARAÍSO Atire a primeira pedra o brasileiro que em algum momento na vida não pensou em conhecer suas origens e visitar Portugal. Os incontáveis laços que nos unem à terra-mãe prevalecem mesmo após séculos de descobrimento. Mesmo para os que não descendem de portugueses, a terra de Camões, Pessoa e Saramago transborda cultura, história e muita alegria. As paixões podem surgir tanto pelos coloridos azulejos, como pelas vielas e colinas de Lisboa ou mesmo pela rica gastronomia do Alentejo. Não importa.Viajar por Portugal é muito simples e, com o benefício do idioma, fica cada vez mais fácil conhecer as terras do velho continente. Diariamente saem voos sem escala do Brasil para Portugal. Operados principalmente pelas empresas TAP e TAM, é possível chegar ao velho continente principalmente por Lisboa. Desembarcando no Aeroporto da Portela, em cerca de 20 minutos você estará no centro da capital portuguesa. Como não há estação de metrô, é mais fácil utilizar o Aerobus, que circula a cada 20 minutos, das 7h às 23h. Além dele, há cinco linhas de ônibus comuns que ligam o aeroporto ao centro, inclusive durante a noite. Outro importante aeroporto português é o do Porto, também com voos operados pela TAP. Outros destinos portugueses, como a Ilha da Madeira e os Açores são igualmente acessíveis, tendo Porto e Lisboa como escala intermediária.

10

MARCADO PELA ARQUITETURA BARROCA, AS PRINCIPAIS CIDADES PORTUGUESAS OFERECEM AO VISITANTE UMA MESCLA INTERESSANTE ENTRE IMAGENS INCRÍVEIS E MODERNAS. APENAS COM UM PASSEIO PELA CIDADE DO PORTO, VOCÊ VAI SE DEPARAR COM MARAVILHAS ARQUITETÔNICAS E BARES AGITADOS


ROTEIRO ENOCULTURAL UM DOS DESTINOS PREFERIDOS DOS APRECIADORES DA BEBIDA, PORTUGAL É UM DOS LOCAIS MAIS TRADICIONAIS EM TODA A EUROPA NA PRODUÇÃO DO VINHO. PENSANDO NO CLIMA DE PASSEIO, PREPARAMOS UM ROTEIRO EXCLUSIVO, QUE LEVARÁ VOCÊ PARA DENTRO DAS PRINCIPAIS VINÍCOLAS DO PAÍS, ALÉM DE MERGULHAR NA CULTURA PORTUGUESA E NA ALEGRIA DESSA GENTE, FASCINADA POR UM BOM PESCADO E UM DELICIOSO VINHO 11


QUINTA DO CRASTO

Situada à margem do Rio Douro, a Quinta do Crasto é uma propriedade com quase 130 hectares, dos quais 70 são ocupados com vinhas. O empreendimento pertence à família Jorge e Leonor Roquette desde 1981 e produz vinhos do Douro brancos, tintos e vinhos do Porto (LBV e Vintage), além de um delicioso azeite extra virgem. A palavra Crasto deriva do latim castrum, que significa forte romano. A concretização de todos os investimentos, associada à paixão os vinhos, levou ao reconhecimento internacional.

NA QUINTA DO CRASTO SÃO UTILIZADAS AS MAIS AVANÇADAS TECNOLOGIAS DE VINIFICAÇÃO, CONJUGADAS COM O TRADICIONAL MÉTODO DE PISA A PÉ EM LAGARES

www.quintadocrasto.pt

12


RESERVA TOURIGA NACIONAL Apenas engarrafado nos anos em que se atinge um alto nível de qualidade, este vinho é feito com 100% de uvas da casta Touriga Nacional. O Quinta do Crasto Touriga Nacional obteve 96 pontos na culturada análise da Wine Spectator. REGIÃO: Douro TIPO: Tinto TEOR ALCOÓLICO: 14% Vol. NOTA DE PROVA: De cor viva e concentrada, possui aroma intenso a fruta madura com notas de boa madeira, possui grande presença na boca, macio e redondo, tudo muito bem afinado. Final longo e especiado.

HARMONIZAÇÃO

PEIXES Sardinhas ao Forno e Bacalhau à Lagareiro. CAÇAS, FRUTOS DO MAR E AVES Pato à Serrana, Cordeiro ao molho de ervas, Paleta de Cordeiro, Alheiras, Leitão à Bairrada e Polvo à Lagareiro.

13


VINHA DA PONTE Grande vinho tinto, de aroma intenso a chocolate, ameixa e amoras. Sabor intenso, encorpado, aveludado e persistente. De cor opaca, com vibrantes tons de violeta carregado. Feito através da assemblage de diversas uvas. Vinho tinto encorpado e elegante, para carnes nobres grelhadas, vermelhas, de caça, queijos fortes e pratos a base de molhos cremosos. REGIÃO: Douro TIPO: Tinto TEOR ALCOÓLICO: 14,5% Vol. NOTA DE PROVA: Com coloração opaca, com vibrantes tons de violeta carregado, apresenta excelente complexidade e intensidade aromática, onde se destacam aromas frescos de frutos silvestre do Douro, em perfeita harmonia com elegantes notas florais e suaves notas de especiaria fresca. Na boca possui início elegante e envolvente, que rapidamente evolui para um vinho de grande dimensão e excelente potência, onde se destacam taninos redondos de textura fina, em perfeita harmonia com frescas notas de frutos silvestres do Douro. Termina equilibrado e muito persistente. Um vinho distinto e muito sedutor, que poderá evoluir em garrafa por muitos anos.

HARMONIZAÇÃO

PEIXES Sardinhas ao Forno e Bacalhau à Lagareiro. CAÇAS, FRUTOS DO MAR E AVES Pato à Serrana, Cordeiro ao molho de ervas, Paleta de Cordeiro, Alheiras, Leitão à bairrada e Polvo à Lagareiro.

14


XISTO R&C Roquette e Cazes é acima de tudo um encontro de dois amigos, Jorge Roquette, da Quinta do Crasto e Jean Michel Cazes, do Château Lynch Bages. Em 2002, as duas familias decidiram criar uma empresa e produzir um grande vinho, que fosse marcado pelas características naturais do Douro e pela experiência dos Cazes, que fazem vinhos em Bordeaux há cerca de um século. Aromas intensos e ricos, com especiarias, menta, ameixa e violeta. Sabor pleno, encorpado, de taninos elegantes e final de boca fino e persistente. REGIÃO: Douro TIPO: Tinto TEOR ALCOÓLICO: 15,5% Vol. NOTA DE PROVA: Apresenta cor opaca, com auréola estreita de cor violeta e azulada. Possui aroma de frutos negros silvestres muito frescos, com toques de especiaria, alguma torrefacção e excelente madeira. Na boca é encorpado, com sabor sumarento de fruta preta madura, violetas. Taninos sedosos, mas bem presentes. Final muito longo, integrado e de enorme elegância.

HARMONIZAÇÃO

PEIXES Sardinhas ao Forno e Bacalhau à Lagareiro. CAÇAS, FRUTOS DO MAR E AVES Pato à Serrana, Cordeiro ao molho de ervas, Paleta de Cordeiro, Alheiras, Leitão à Bairrada e Polvo à Lagareiro.

15


QUINTA DA TOURIGA Já a Quinta da Touriga é um empreendimento que pertence à família Ramos Pinto e é considerada a primeira propriedade do Douro, onde planta-se exclusivamente Touriga Nacional. Erguida em 2004, a adega é também um grande projeto arquitetônico. Com paredes de xisto, o edifício se integra perfeitamente à paisagem. Foi construído em três níveis para aproveitar a força da gravidade nos trabalhos de vinificação, unindo assim tradição e modernidade. Outra curiosidade sobre o local é a altitude: os vinhedos situam-se entre 150 e 600 metros acima do nível do mar.

16

A QUINTA DA TOURIGA PODE ORGULHARSE DE PRODUZIR DOIS VINHOS COBIÇADOS, O QUINTA DA TOURIGA-CHÃ E O PURO, VINHOS HARMONIOSOS E ELEGANTES, COM EXTRAORDINÁRIO SABOR E DISTINÇÃO


PURO QUINTA DA TOURIGA Feito com 85% de Touriga Nacional, 10% Tinta Roriz, 5% Touriga Franca, feito pelo grande produtor Jorge Rosas, bisneto de Adriano Ramos Pinto, em uma localidade no Douro enumerada como uma das melhores produções de vinho da região. Cor rubi intensa e nariz rico em aromas florais e de fruta vermelha madura misturados com sugestivas notas vegetais e de especiarias, num fundo dominado pela barrica e por uma certa mineralidade, na boca é um vinho encorpado e volumoso, com taninos bem presentes e um paladar cheio, onde a fruta preta madura, diversas especiarias e subtis nuances de barrica, formam um conjunto atrativo e final prolongado. REGIÃO: Douro TIPO: Tinto TEOR ALCOÓLICO: 14,5% Vol. NOTA DE PROVA: Além da excelente concentração, apresenta coloração pronunciada de rubi intenso. O aroma é de notas balsâmicas e notas de chocolate amargo. Apresenta também notas vegetal seco e especiarias. Paladar maduro, profundo, equilibrado e suave, apesar dos taninos intensos e firmes. Boa acidez. Excelente equilíbrio entre a madeira e o vinho, que faz prever um bom envelhecimento em garrafa.

HARMONIZAÇÃO

PEIXES Bacalhau à Vila Chã, Bacalhau às Natas e Bacalhau de Cataplana. CAÇAS, FRUTOS DO MAR E AVES Pato à Serrana, Cordeiro ao molho de ervas, Coelho, Cozido de Burrego, Paleta de Burrego, Alheiras, Polvo à Lagareiro, Arroz de Pato e Arroz de Coelhos.

17


CASA FERREIRINHA DE PROPRIEDADE DA SOGRAPE, A CASA FERREIRINHA É O NOME COM O MAIOR PESO HISTÓRICO NO DOURO E UMA DAS MAIS DINÂMICAS PRODUTORA DE VINHOS NO PAÍS

Uma das mais tradicionais vinícolas do Douro, a Casa Ferreirinha tem no nome uma homenagem a sua mais notável proprietária e administradora, Dona Antónia Adelaide Ferreira, herdeira das terras. Nas mãos de Luís Sottomayor, enólogo-chefe, as adegas da Ferreirinha são responsáveis pela produção de um clássico português, o Barca Velha. Um dos mais raros vinhos do Douro, o Barca Velha tem uma história marcante, que começou em 1952. Até hoje, apenas 17 edições foram lançadas - mantendo e respeitando os elevados padrões definidos para a produção em cada colheita.

18


BARCA VELHA O Barca Velha constitui um marco na história do vinho em Portugal. Considerado uma referência mundial, possui uvas maioritariamente provenientes da Quinta da Leda (Vila Nova de Foz Côa), utilizando Touriga Franca, Touriga Nacional, Tinta Roriz e Tinto Cão. Bela cor rubi intensa, que estagiou apenas 250 litros em barricas francesas durante 18 meses. Bouquet derivado da tosta das barricas onde permaneceu durante 16 meses. REGIÃO: Douro TIPO: Tinto TEOR ALCOÓLICO: 13,5% Vol NOTA DE PROVA: Aroma rico e complexo, marcado pela presença de frutos vermelhos maduros como ameixa, framboesa e cássis. Encontram-se também aromas balsâmicos, menta, tabaco, cravo e noz. Toque delicioso e envolvente de chocolate com taninos vivos e firmes, equilibrados com uma excelente acidez. Na boca é volumoso, possui acidez viva e integrada, com taninos presentes e de excelente qualidade. O final é muito longo e complexo, marcado pela fruta vermelha e chocolate, com uma delicadeza e simultânea estrutura assinaláveis.

HARMONIZAÇÃO

PEIXES Bacalhau à Vila Chã, Bacalhau às Natas e Bacalhau de Cataplana. CAÇAS, FRUTOS DO MAR E AVES Pato à Serrana, Cordeiro ao molho de ervas, Coelho, Cozido de Burrego, Paleta de Burrego, Alheiras, Polvo à Lagareiro, Arroz de Pato e Arroz de Coelhos.

19


SYMINGTON Principal produtor de vinhos do Porto, a Symington Family Estates ao longo de mais de 350 anos produziu marcas famosas como Graham’s, Dow’s, Warre’s, Smith Woodhouse, Quinta do Vesúvio, Martinez, Gould Campbell e Quarles Harris. Cinco membros da família Symington trabalham atualmente nas empresas da família, a 13ª geração envolvida no comércio, tendo começado com Beatrice Atkinson, que viveu em Portugal em 1650. Desde os vinhedos do Douro ao processo de vinificação, envelhecimento e prova, há sempre um membro da família presente. Nos mais de 300 anos, o nome Symington ganhou ares de nobreza do vinho e hoje continua encantando o mundo por sua qualidade e dedicação.

OS FAMOSOS VINHOS DA FAMÍLIA SYMINGTON SÃO PRODUZIDOS COM AS CASTAS ÚNICAS DE UVAS DO DOURO. A BEBIDA É ENGARRAFADA SOB A DESIGNAÇÃO ALTANO E ESTÁ ENTRE OS MELHORES DO PAÍS

www.symington.com

20


CHRYSEIA Criado pela parceria entre Bruno Prats, antigo proprietário do Château Cos d’Estournel em Bordeaux e a família Symington, o Chryseia é considerado um dos melhores vinhos de Portugal. Extremamente sofisticado e elegante, com cativante bouquet floral e de frutas maduras. Na boca é concentrado, potente e sedoso. REGIÃO: Douro TIPO: Tinto TEOR ALCOÓLICO: 14% Vol. NOTA DE PROVA: Complexo no aroma, com notas de frutos silvestres, sensações especiadas e um fundo muito mineral. A boca revela a utilização de uma madeira de luxo e irrepreensivelmente bem integrada. Equilíbrio, harmonia e sintonia são as palavras que melhor descrevem este vinho.

HARMONIZAÇÃO

PEIXES Bacalhau à Vila Chã, Bacalhau a Zé do Pipo e Arroz de Bacalhau. CAÇAS, FRUTOS DO MAR E AVES Cordeiro ao molho de ervas, Coelho, Cozido de Burrego, Paleta de Burrego, Alheiras, Polvo à Lagareiro, Arroz de Pato, Arroz de Coelhos e Arroz de Polvo.

21


POST SCRIPTUM Feito com às castas Touriga Franca (40%), Touriga nacional (40%) e Tinta Roriz (20%), onde as uvas são provenientes da Quinta Perdiz, Quinta do Vesuvio e Quinta do Bomfim. Envelhecido durante nove meses em barricas de carvalho francês. É uma excelente opção entre as variadas castas do Douro. REGIÃO: Douro TIPO: Tinto TEOR ALCOÓLICO: 14% Vol. NOTA DE PROVA: O seu nariz é charmosamente floral, com vincadas notas de esteva, amparadas pela fruta vermelha madura de boa qualidade. Na boca apresenta-se fresco, com uma acidez muito correta e um corpo elegante bem proporcionado. O seu final é longo e a sua capacidade de perdurar no tempo é um dado adquirido.

HARMONIZAÇÃO

PEIXES Bacalhau à Vila Chã, Bacalhau a Zé do Pipo e Arroz de Bacalhau. CAÇAS, FRUTOS DO MAR E AVES Cordeiro ao molho de ervas, Coelho, Cozido de Burrego, Paleta de Burrego, Alheiras, Polvo à Lagareiro, Arroz de Pato, Arroz de Coelhos e Arroz de Polvo.

22


23


QUINTA PACHECA COM UM HOTEL BOUTIQUE DEDICADO AO TURISMO GASTRONÔMICO E ENOLÓGICO, A QUINTA DA PACHECA É TAMBÉM REFERÊNCIA PARA OS INICIANTES NA APRECIAÇÃO DA BEBIBDA

Situado no coração do Douro, numa propriedade de 36 hectares, recheada de vinhas que estendem-se até o rio que dá nome a região, a Quinta da Pacheca possui uma tradição na arte de produzir uvas e vinhos da mais pura qualidade. Além de visitar a produção local, os visitantes podem se hospedar no The Wine House Hotel, um inovador e sofisticado hotel localizado no centro da propriedade. O edifício principal é uma casa típica do século XVIII, que foi restaurada respeitando a sua arquitetura tradicional da região. Um local que une toda a tradição das vinícolas e o requinte do enoturismo.

www.quintadapacheca.com

24


QUINTA PACHECA RESERVA Uma das mais tradicionais e históricas propriedades do Douro, a Quinta da Pacheca possui grande prestígio em Portugal, pela produção de vinhos ricos e intensos, de personalidade típica. Este é o melhor e mais premiado vinho da casa, mostrando muita estrutura, riqueza de fruta e grande elegância no palato. REGIÃO: Douro TIPO: Tinto TEOR ALCOÓLICO: 12,5% Vol. NOTA DE PROVA: Apresenta cor rubi de intensidade média e nariz bem preenchido por aromas de fruta vermelha madura, envolvida em delicadas notas florais e de baunilha, num fundo mais especiado e ligeiramente vegetal. Na boca. é um vinho equilibrado e fresco, jovem e com um corpo e um volume muito agradável. Revela taninos polidos e um paladar cheio de fruta e notas tostadas de barrica, terminando com um comprimento médio.

HARMONIZAÇÃO

PEIXES Arroz de Bacalhau. CAÇAS, FRUTOS DO MAR E AVES Paleta de Burrego, Arroz de Pato, Arroz de Coelhos e Arroz de Lulas.

25


DUORUM VINHOS

A PARCERIA ENTRE JOÃO RAMOS E JOSÉ MARIA SOARES APOSTA NUMA ESTRATÉGIA DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL E QUALIDADE INVEJÁVEL

João Portugal Ramos e José Maria Soares Franco são dois dos principais enólogos de Portugal na atualidade e, juntos, iniciaram em janeiro de 2007 um projeto que marcou a história do vinho nas últimas décadas: a Duorum Vinhos. Reunindo a sabedoria e tradição de duas regiões que o mundo reconhece como de elevada qualidade e personalidade, o Douro e o Alentejo, os especialistas uniram a tradição de vinhedos milenares e iniciaram a produção de um saboroso vinho com as selecionadas castas Vinhas Velhas, Touriga Nacional, Touriga Franca, Tinta Roriz e Sousão.

26

www.duorum.pt


DUORUM RESERVA VINHAS VELHAS Produzida com as castas Vinhas Velhas,Touriga Nacional,Touriga Franca, Tinta Roriz e Sousão, o vinho estagiou durante 18 meses em barricas de carvalho francês e americano. Um conjunto que contribui para a complexidade aromática bem evidente e que tende a aumentar com o tempo. Um vinho cheio, poderoso e de final persistente, que acumula 93 pontos de 100 possíveis na conceituada análise da Wine Enthusiast. REGIÃO: Douro TIPO: Tinto TEOR ALCOÓLICO: 14% Vol. NOTA DE PROVA: Apresentando cor vermelha profunda e densa, possui aroma intenso e complexo, dominado pelos frutos pretos maduros, como amora, cassis, groselha, aromas florais, violeta, e madeiras exóticas. Acidez presente, taninos firmes mas maduros, bem envolvidos no seu corpo e volume. Todas estas características aliadas ao seu aroma retronasal, originam um vinho cheio, intenso, e de grande persistência final.

HARMONIZAÇÃO

PEIXES Bacalhau à Lagareiro e Bacalhau à Primavera. CAÇAS, FRUTOS DO MAR E AVES Cordeiro ao molho de ervas, Cozido de Burrego, Alheiras, Arroz de Pato, Arroz de Coelhos e Arroz de Lulas.

27


QUINTA DO VALE MEÃO A QUINTA DO VALE MEÃO UNE HISTÓRIA E QUALIDADE EM VINHOS ELEGANTES, CUJOS PRÊMIOS SÃO RECONHECIDOS EM DIVERSOS PAÍSES

A área de 300 hectares foi adquirida em 1877, por Dona Antónia Adelaide Ferreira, uma grande proprietária de terras do Douro. Seu sonho era de construir uma exploração modelo, porém, ao falecer em 1896, seu herdeiros continuaram seu legado, até que, a partir dos anos 70, o trineto Francisco Javier de Olazabal assumiu a gestão e, em 1994 tornou-se juntamente com seus filhos, único proprietário da Quinta. Em 1998, Francisco, juntamente com seu filho, o enólogo Francisco de Olazabal y Nicolau de Almeida, dedicaram-se a produção, envelhecimento e comercialização dos vinhos do local, através da criação da sociedade F. Olazabal & Filhos, Lda.

www.quintadovalemeao.pt

28


QUINTA DO VALE MEÃO Concentrado, extremamente rico e potente, muito complexo, o Quinta do Vale Meão bateu os maiores vinhos de Portugal em uma degustação às cegas, organizada pela Revista de Vinhos. Realmente fantástico, foi o tinto português indicado para a lista dos “100 Melhores Vinhos do Mundo” da Wine Spectator em 2005. REGIÃO: Douro TIPO: Tinto TEOR ALCOÓLICO: 14% Vol. NOTA DE PROVA: Muito concentrado na cor, possui aroma de grande profundidade, complexo, com muitas nuances aromáticas, sem que nenhum aroma se sobreponha a outro. Na prova é vibrante, num conjunto de grande elegância, excelente integração da madeira, surpreende pela grande variedade de sabores, com um final de boca muito longo.

HARMONIZAÇÃO

PEIXES Bacalhau à Vila Chã e Bacalhau à Lagareiro. CAÇAS, FRUTOS DO MAR E AVES Cordeiro ao molho de ervas, Paleta de Burrego, Alheiras, Pato, Arroz de Coelhos e Arroz de Polvo.

29


QUINTA DA ROMANEIRA

Com indícios da presença das vinhas nos séculos XVII e XVIII, a Quinta da Romaneira pertenceu ao longo da história a três famílias distintas e, desde 1940, pertence aos Monteiro de Barros, que modernizaram a propriedade, alcançando a atual notoriedade. Considerada como uma das principais quintas do Douro, a área foi comprada por um grupo de investidores, em 2004, o que acarretou na produção de alguns dos melhores vinhos do Porto vintage dos últimos anos, sendo também pioneira na produção de vinhos tintos de mesa no Douro.

UM DAS MAIS ANTIGAS E TRADICIONAIS QUINTAS DO PAÍS, A ROMANEIRA POSSUI O NOME LIGADO AO PERÍODO NO QUAL OS ROMANOS POVOAVAM A REGIÃO DO DOURO www.quintadaromaneira.pt

30


QUINTA DA ROMANEIRA RESERVA O Reserva da Quinta da Romaneira é a expressão suprema do terroir desta propriedade, resultado de uma seleção criteriosa dos melhores vinhos, produzidos a partir das castas como Touriga Nacional, Touriga Franca e Tinto Cão. Um dos mais notáveis vinhos do Douro. Em 2007, a precipitação e as temperaturas foram mais baixas do que é habitual na região do Douro. Este cenário permitiu o desenvolvimento completo da folhagem das vinhas durante o ciclo vegetativo, o que viria a resultar numa maturação das uvas bastante equilibrada e em uvas saudáveis, mas de pequeno porte. REGIÃO: Douro TIPO: Tinto TEOR ALCOÓLICO: 13% Vol. NOTA DE PROVA: Apresenta fruta bastante concentrada. No nariz surge moderadamente selvagem e aromático, no final longo e fresco. Destaca-se também pela sua harmonia, equilíbrio e finesse.

HARMONIZAÇÃO

PEIXES Bacalhau à Lagareiro, Bacalhau a Zé do Pipo e Bacalhau à Cataplana. CAÇAS, FRUTOS DO MAR E AVES Paleta de Burrego, Alheiras, Polvo à Lagareiro, Arroz de Pato, Arroz de Coelhos e Arroz de Polvo.

31


PORTO NIEPOORT UM NEGÓCIO QUE ATRAVESSA GERAÇÕES, A PORTO NIEPOORT É UMA DAS VINÍCOLAS MAIS ANTIGAS DE TODO O DOURO. UMA VERDADEIRA REFERÊNCIA NA PRODUÇÃO DE VINHOS

Há mais de um século, a família Niepoort produz vinhos com a mais alta qualidade. São cinco gerações à frente vinícola desde que Franciscus Marius Niepoort fundou a empresa, em 1842. Desde 2005, Dirk Niepoort está à frente do negócio e auxilia na aquisição de vinhas próprias como a Quinta de Nápoles e a Quinta do Carril. A paixão de Dirk pelos vinhos e o respeito pelo terroir do Douro definiu o espírito da Niepoort nas duas últimas décadas e é uma inspiração constante para a equipe. Neste momento, a sexta geração da família inicia sua participação na história da empresa.

www.niepoort-vinhos.com

32


VERTENTE NIEPOORT Produzido por Dirk Niepoort, o vinho recebeu 93 pontos da criteriosa análise daWine Spectator, na safra 2006, classificando-se entre os melhores do país. Trata-se de um vinho potente e intenso, produzido com castas locais, mostrando grande personalidade, em um estilo ideal para acompanhar comida. REGIÃO: Douro TIPO: Tinto TEOR ALCOÓLICO: 13% Vol. NOTA DE PROVA: Com coloração violeta de média concentração, mostra-se contido no aroma, com profundidade de minerais, tenso e com aroma floral muito suave. Madeira bem integrada, trazendo algumas notas fumadas e iodadas. Bom volume de boca, com garra e com o tanino que recorda o xisto. Acidez e fruta bem conjugada. Final longo e fresco. Um vinho que irá crescer muito em garrafa, embora já tenha um bom equilíbrio.

HARMONIZAÇÃO

PEIXES Bacalhau à Vila Chã, Bacalhau a Zé do Pipo e Arroz de Bacalhau. CAÇAS, FRUTOS DO MAR E AVES Cordeiro ao molho de ervas, Coelho, Cozido de Burrego, de Paleta de Burrego, Alheiras, Polvo à Lagareiro, Arroz de Pato, Arroz de Coelhos e Arroz de Polvo.

33


CHARME Feito com as castas Tinta Roriz e Touriga Franca, é um dos mais aclamados vinhos de Portugal. Elaborado com castas locais, a minúscula produção é vinificada pelo genial Dirk Niepoort, de modo a resultar em um tinto incrivelmente elegante, fresco e equilibrado, com taninos sedosos e grande complexidade. Maturou durante 15 meses em barricas de carvalho francês. REGIÃO: Douro TIPO: Tinto TEOR ALCOÓLICO: 13% Vol. NOTA DE PROVA: Um vinho fresco, vivo, de grande elegância. Mostra cor aberta, com aromas de cereja fresca e bagas vermelhas maceradas, com notas de cogumelos e trufas e aromas terrosos, bem como grande complexidade aromática com impressões de folhas de chá e tabaco de cachimbo e charuto. Na boca é longo e fresco, com boa estrutura, com taninos muito aveludados a contribuírem para uma boa estrutura, as notas minerais envolvem os frutos vermelhos frescos, num conjunto muito longo e rico de grande intensidade e persistência.

HARMONIZAÇÃO

PEIXES Bacalhau à Vila Chã, Bacalhau a Zé do Pipo e Arroz de Bacalhau. CAÇAS, FRUTOS DO MAR E AVES Cordeiro ao molho de ervas, Coelho, Cozido de Burrego, de Paleta de Burrego, Alheiras, Polvo à Lagareiro, Arroz de Pato, Arroz de Coelhos e Arroz de Polvo.

34


35


HERDADE DO ESPORÃO

Fundado em 1973 por José Roquette e Joaquim Bandeira, o Esporão tem como missão produzir os melhores produtos que a terra proporciona. Mantém-se como uma empresa familiar que cresce a cada ano, incentivando cada vez mais os membros das futuras gerações a entrarem no negócio. Determinante na afirmação nacional e internacional do Alentejo, o Esporão é também um embaixador da cultura portuguesa, desenvolvendo a sua atividade dentro dos limites da sustentabilidade e construindo relações próximas com clientes e consumidores em todo o mundo.

A HERDADE DO ESPORÃO SITUA-SE A POUCO MAIS DE 170 QUILÔMETROS A SUDESTE DE LISBOA, JUNTO À HISTÓRICA CIDADE DE REGUENGOS DE MONSARAZ, NO ALENTEJO. ALÉM DAS BELAS PAISAGENS, OFERECE RESTAURANTE E ROTEIROS ESPECIAIS www.esporao.com

36


ESPORÃO TOURIGA NACIONAL MONOCASTA Nascido na “Vinha do Badeco” é provavelmente a mais antiga vinha desta casta, constituída por solos delgados e pedregosos, com origem xistosa e textura franca, plantada em 1988. A seleção dos monocastas parte de um intenso trabalho de experimentação e colaboração das equipas de enologia e viticultura do Esporão. Assenta na vinificação de pequenos lotes da mesma casta provenientes de talhões distintos, em que o objetivo final é compreender e potenciar o carácter de cada casta associado ao tipo de solo e microclima em que está instalada. REGIÃO: Alentejo TIPO: Tinto TEOR ALCOÓLICO: 14,5% Vol. NOTA DE PROVA: De cor violeta concentrada, aroma de mirtilos e cássis, com toques florais de lavanda enleados em tostado. O palato é elegante com fruta delicada, textura cremosa e boa integração de madeira. Mostra sugestões de especiarias, textura aveludada e um final de boca muito persistente.

HARMONIZAÇÃO

PEIXES Sardinhas ao Forno e Bacalhau à Lagareiro. CAÇAS, FRUTOS DO MAR E AVES Pato à Serrana, Cordeiro ao molho de ervas, Paleta de Cordeiro, Alheiras, Leitão à Bairrada e Polvo à Lagareiro.

37


HERDADE DE MALHADINHA NOVA INTEGRADO NO EDIFÍCIO DA ADEGA, O RESTAURANTE GOURMET OFERECE UMA COZINHA DE AUTOR, GENUÍNA, QUE PRIVILEGIA OS PRODUTOS DA TERRA EM INTERPRETAÇÕES MODERNAS

A Malhadinha Nova é uma típica herdade familiar alentejana, situada em Albernoa, no coração do Baixo Alentejo. Desde 1998, a empresa surgiu no mercado, transformando as terras antes abandonadas, em solos capazes de produzir os mais valiosos vinhos do sul. As perfeitas condições climáticas do Alentejo, os solos xistosos e as encostas bem drenadas da propriedade, auxiliam na produção das bebidas. Um detalhe curioso são os rótulos da Malhadinha, que são desenhados pelas crianças da família Soares, dona do empreendimento. O local ainda conta com hotel, spa, restaurante e uma hípica. www.malhadinhanova.pt

38


MALHADINHA TINTO Em todas as safras avaliadas por Mark Squires, colaborador de Robert Parker, na The Wine Advocate, o Malhadinha Tinto foi considerado “impressionante”, com 90 ou mais pontos. Mescla as uvas Alicante Bouschet, Cabernet Sauvignon,Tinta Miúda, Touriga Nacional e Syrah e matura por 17 meses em barricas novas de carvalho francês. “Muito macio e elegante na boca”, segundo o crítico português João Paulo Martins. REGIÃO: Alentejo TIPO: Tinto TEOR ALCOÓLICO: 14,5% Vol. NOTA DE PROVA: Sofisticado, denso, com fruta madura, groselha, chocolate e notas de folha de tabaco e especiarias. Revela uma grande complexidade aromática com frutas negras e vermelhas maduras e notas de madeira. Na boca é cheio e redondo, mostrando uma grande estrutura, com taninos sedosos e uma frescura muito viva.

HARMONIZAÇÃO

PEIXES Bacalhau à Vila Chã, Bacalhau a Zé do Pipo e Arroz de Bacalhau. CAÇAS, FRUTOS DO MAR E AVES Cordeiro ao molho de ervas, Coelho, Cozido de Burrego, de Paleta de Burrego, Alheiras, Polvo à Lagareiro, Arroz de Pato, Arroz de Coelhos e Arroz de Polvo.

39


MARIAS DA MALHADINHA TINTO O corte de Alicante Bouschet, Touriga Nacional, Cabernet Sauvignon e Tinta Miúda com 26 meses de estágio em barricas novas de carvalho francês impressiona pela grande estrutura e complexidade. Mostra um nariz imponente, com notas de fruta preta madura, especiarias e tostados. Na boca tem taninos firmes, mas sedosos, e seu final é persistente. Sem dúvida, um grande tinto alentejano. REGIÃO: Alentejo TIPO: Tinto TEOR ALCOÓLICO: 15% Vol. NOTA DE PROVA: Apresenta uma cor intensa e carregada. Tem um aroma profundo e complexo de frutos pretos maduros, com amêndoas torradas, especiarias e até notas de tabaco. No paladar tem um sabor rico, com uma macieza e untuosidade que em conjunto com a sua acidez transmite a sua elegância. A sua estrutura de taninos é robusta e não apresenta qualquer aresta estando a fruta bem presente e envolvida por um forte carácter mineral tipico da região. No final é muito longo e persistente mostrando um grande potencial de envelhecimento.

HARMONIZAÇÃO

PEIXES Bacalhau à Vila Chã, Bacalhau a Zé do Pipo e Arroz de Bacalhau. CAÇAS, FRUTOS DO MAR E AVES Cordeiro ao molho de ervas, Coelho, Cozido de Burrego, de Paleta de Burrego, Alheiras, Polvo à Lagareiro, Arroz de Pato, Arroz de Coelhos e Arroz de Polvo.

40


MALHADINHA TOURIGA NACIONAL Um dos melhores Tourigas do sul do país. Muito expressivo no aroma, trata-se de uma versão autêntica da Touriga Nacional do Alentejo, com notas florais e de cerejas e frutas silvestres, além de sugestões de chocolate. Encorpado, mas sedoso, com acidez equilibrada e um final de boca especiado e persistente. REGIÃO: Alentejo TIPO: Tinto TEOR ALCOÓLICO: 15% Vol. NOTA DE PROVA: Revela um nariz com muita fruta vermelha e preta, o carácter floral da casta está bem presente assim como notas de especiaria e tosta resultantes do estágio em barricas de grande qualidade. Na boca é volumoso sem ser pesado por culpa da boa acidez, taninos maduros. Também aqui se sente a barrica, bem integrada no conjunto. Final longo e complexo.

HARMONIZAÇÃO

PEIXES Sardinhas ao Forno e Bacalhau à Lagareiro. CAÇAS, FRUTOS DO MAR E AVES Pato à Serrana, Cordeiro ao molho de ervas, Paleta de Cordeiro, Alheiras, Leitão à Bairrada e Polvo à Lagareiro.

41


PEQUENO JOÃO A safra de 2008, a primeira a chegar ao Brasil, é elaborada com as variedades Touriga Nacional, Syrah e Aragonês. O vinho passou por estágio de doze meses em barricas de carvalho francês e mostra-se elegante e intenso. Seu nome é uma homenagem ao primeiro menino da nova geração da família Soares, a proprietária da vinícola, que nasceu em 2004. REGIÃO: Alentejo TIPO: Tinto TEOR ALCOÓLICO: 15% Vol. NOTA DE PROVA: Com coloração granada opaca e laivos violáceos, apresenta um nariz elegante e um pouco austero, no qual, tanto a fruta como a barrica dialogam num registo quase aristocrático, um pacto de não-agressão. Na boca é um vinho longo, que se mastiga sem perder a elegância. Aqui, a fruta aparece em primeiro lugar com a madeira a ampará-la sem a ofuscar.

HARMONIZAÇÃO

PEIXES Bacalhau à Lagareiro, Bacalhau a Zé do Pipo e Bacalhau à Cataplana. CAÇAS, FRUTOS DO MAR E AVES Paleta de Burrego, Alheiras, Polvo à Lagareiro, Arroz de Pato, Arroz de Coelhos e Arroz de Polvo.

42


43


PAULO LAUREANO PAULO LAUREANO É UM DOS MAIS CONCEITUADOS ENÓLOGOS PORTUGUESES E UMA REFERÊNCIA DOS VINHOS NO ALENTEJO. FORMADO ENTRE PORTUGAL, AUSTRÁLIA E ESPANHA, DECIDIU DEDICAR-SE EXCLUSIVAMENTE AQUILO QUE O MOVE, DESENHAR VINHOS

A Paulo Laureano Vinus é um projeto familiar que teve início em 1999, com uma pequena vinha em Évora e, hoje, conta com mais de 75 hectares de vinhedos na região alentejana da Vidigueira. O sucesso da marca Paulo Laureano, estruturada nos vinhos Clássico, Premium e Reserve, levou o local ao topo da produção nacional, sendo considerada uma das maiores de todo o país. Além das linhas Paulo Laureano Clássico, Premium e Reserve, são produzidos alguns vinhos com edições muito limitadas, na maioria das vezes com menos de 3000 garrafas.

www.paulolaureano.com

44


RESERVE VINEA JULIETA TALHÃO 24 Das castas Alfrocheiro, Alicante Bouschet e Tinta Grossa, apresenta estrutura do Alicante é aligeirada de forma elegante pela frescura do Alfrocheiro e da Tinta Grossa, que simultaneamente conferem uma complexidade aromática extraordinária ao conjunto. A produção de apenas 2.900 garrafas numeradas permaneceu em estágio durante 12 meses em garrafa. REGIÃO: Alentejo TIPO: Tinto TEOR ALCOÓLICO: 14% Vol. NOTA DE PROVA: De cor granada intensa, possui aroma exótico, onde se misturam sensações de compotas frescas de frutos negros, especiarias, tabaco e chocolate. Macio, fresco, estruturado, profundo e longo. Este vinho mostra como uma simples mistura de castas Alfrocheiro, Tinta Grossa e Alicante Bouschet, num bloco de vinha com mais de 25 anos, pode produzir um vinho único, pleno de emoções. Na boca é macio, fresco, estruturado, profundo e longo.

HARMONIZAÇÃO

PEIXES Bacalhau à Vila Chã, Bacalhau a Zé do Pipo e Arroz de Bacalhau. CAÇAS, FRUTOS DO MAR E AVES Cordeiro ao molho de ervas, Coelho, Cozido de Burrego, de Paleta de Burrego, Alheiras, Polvo à Lagareiro, Arroz de Pato, Arroz de Coelhos e Arroz de Polvo.

45


TRADIÇÕES ANTIGAS Devido ao uso das castas Alfrocheiro, Alicante Bouschet, Aragonez, Tinta Grossa e Trincadeira, apresenta cor granada intensa. Sua produção ocorreu a pedido da Adega Alentejana, com a exclusividade de apenas 4000 talhas de barro com 750ml. Uma curiosidade é a forma como o vinho foi feito, uma vez que foram empegadas as mesmas técnicas que os povos romanos usavam há dois mil anos atrás. Em homenagem ao gesto, a bebida é servida em uma vasilha de barro, semelhante a utilizada para o armazenamento de água e vinho. REGIÃO: Alentejo TIPO: Tinto TEOR ALCOÓLICO: 14% Vol. NOTA DE PROVA: Além da coloração granada intensa, apresenta notas de frutos negros densos e frescos, com algumas especiarias e exotismo. Na boca é macio, com acidez viva, equilibrado e elegante. Fim de boca muito prolongado, com taninos jovens, suaves mas irreverentes. Um vinho equilibrado e elegante.

HARMONIZAÇÃO

PEIXES Bacalhau à Vila Chã, Bacalhau a Zé do Pipo e Arroz de Bacalhau. CAÇAS, FRUTOS DO MAR E AVES Cordeiro ao molho de ervas, Coelho, Cozido de Burrego, de Paleta de Burrego, Alheiras, Polvo à Lagareiro, Arroz de Pato, Arroz de Coelhos e Arroz de Polvo.

46


47


FUNDAÇÃO EUGÉNIO DE ALMEIDA

Fundada em 1963, pelo engenheiro Vasco Maria Eugénio de Almeida, o Conde de Villalva, a vinícola é considerada sagrada pela população de Évora. Isso porque a produção das vinhas é realizada em um local histórico, a Adega da Cartuxa, que está situada em um edifício que pertenceu à Companhia de Jesus em 1580. Porém, com a expulsão dos jesuítas, a construção foi integrada aos Bens Nacionais em 1755. Em 1869 o edifício foi vendido e adquirido por José Maria Eugénio de Almeida, avô de Vasco, que anos depois transformou os negócios da família em uma das mais modernas e bem equipadas vinícolas do Alentejo.

O ÊXITO DESTE PROJETO TEM PERMITIDO À FUNDAÇÃO GERAR OS RECURSOS NECESSÁRIOS AO CUMPRIMENTO DA SUA MISSÃO, CENTRADA NO DESENVOLVIMENTO SOCIAL, CULTURAL E EDUCATIVO DA REGIÃO DE ÉVORA www.cartuxa.pt

48


PÊRA MANCA TINTO Das castas Trincadeira e Aragonez Complexo, a passas de frutas e essências das madeiras de estágio. Encorpado, com um aveludado em harmonia com os taninos. Este vinho, embora possa ser consumido desde já, apresenta potencial para envelhecer. Com 18 meses em tonéis de madeiras com mais de 50 anos. A fama se deve um pouco ao nome, que significa pedra manca, ou oscilante e é uma característica de uma formação granítica de blocos arredondados, soltos sobre uma rocha firme. A outra parte da fama se deve à tradição, sendo um vinho trazido por Pedro Álvares Cabral ao Brasil. REGIÃO: Alentejo TIPO: Tinto TEOR ALCOÓLICO: 14,5 Vol. NOTA DE PROVA: Revela uma enorme profundidade aromática, sublime na complexidade das notas de ameixa preta, amorosas, cassis, especiarias, vegetal seco, suaves fumados. Luxuoso na boca, com uma frescura que desmente os 14,5% de álcool. Taninos de seda, polidos pelo tempo, conjuga personalidade, vigor e elegância. Inimitável.

HARMONIZAÇÃO

PEIXES Sardinhas ao Forno e Bacalhau à Lagareiro. CAÇAS, FRUTOS DO MAR E AVES Pato à Serrana, Cordeiro ao molho de ervas, Paleta de Cordeiro, Alheiras, Leitão à Bairrada e Polvo à Lagareiro.

49


CORTES DE CIMA

UTILIZANDO CASTAS TINTAS, A CORTES DE CIMA DE CIMA SE DIFERENCIOU PELA IRREVERÊNCIA DE SEUS VINHOS E CASTAS. UM TRABALHO QUE CONQUISTOU OS APRECIADORES DO MUNDO Cortes de Cima é uma propriedade familiar localizada a oito quilômetros da Vidigueira. Seus percursores foram o casal Hans e Carrie Jorgensen, que adquiriram a propriedade em 1988. A área é tradicionalmente produtora de castas brancas, porém, a família decidiu arriscar e plantar apenas castas tintas (a portuguesa Aragonez e a internacional Syrah). Com o inicial sucesso, em 1996, decidiram produzir o seu próprio vinho e construíram uma adega no meio das vinhas. Dessa experiência, em 1998, nasceu o famoso e premiado Incógnito, uma marca de sucesso e prestígio no rigoroso mercado português. www.cortesdecima.com

50


INCÓGNITO Este vinho apresenta grande profundidade e concentração, que garante longevidade na garrafa. Estagiou durante oito meses em barricas de carvalho americano. Um vinho que ganhou notoriedade e elogios em Portugal e medalhas de ouro em Londres, Bruxelas e Bordeaux. Feito 100% com castas Syrah, uma experiência pioneira no Alentejo, a bebida é uma das mais famosas e apreciadas no país. REGIÃO: Alentejo TIPO: Tinto TEOR ALCOÓLICO: 14% Vol. NOTA DE PROVA: Além da coloração vermelha, muito densa, apresenta entusiasmante mistura de frutos selvagens de bago vermelho, tosta de madeira, carne e notas de alcatrão. No paladar é complexo, com um forte sabor de fruta silvestre madura e um equilíbrio cativante. Suave no início, mostrando-se firme ao longo da prova, oferece excelente estrutura de taninos e uma agradável frescura, com boa acidez a contribuir para um longo e persistente final.

HARMONIZAÇÃO

PEIXES Bacalhau à Lagareiro, Bacalhau a Zé do Pipo e Bacalhau à Cataplana. CAÇAS, FRUTOS DO MAR E AVES Paleta de Burrego, Alheiras, Polvo à Lagareiro, Arroz de Pato, Arroz de Coelhos e Arroz de Polvo.

51


QUINTA DO CARMO ADMINISTRADA PELA TRADICIONAL FAMÍLIA ROTHSCHILD, DE BORDEAUX, A QUINTA DO CARMO GANHOU DESTAQUE PELA SOFISTICAÇÃO DOS NOVOS PRODUTOS Atualmente, a Quinta do Carmo é administrada como um empreendimento conjunto de Les Domaines do Château Lafite-Rothschild – dona do Château Lafite-Rothschild, em Bordeaux. Uma ampla área de vinhedos foi replantada e castas como Cepas Cabernet Sauvignon e Syrah são cultivadas junto com variedades locais, para produzir um vinho que combina potência e maturidade do Alentejo com a fineza francesa. A célebre vinícola alentejana produz um dos ais tradicionais produtos portugueses, o tinto Quinta do Carmo, famoso pela elegância e personalidade.

52


QUINTA DO CARMO RESERVA Este maravilhoso Reserva é sempre indicado para todas as relações dos melhores vinhos do país. A Revista de Vinhos o apontou, em 2004, como o melhor vinho do Alentejo. Profundo, denso e cheio de classe, com a elegância e complexidade. Um tinto fabuloso e finíssimo, que em sua primeira safra foi indicado para todas as listas dos melhores vinhos de toda Portugal. REGIÃO: Alentejo TIPO: Tinto TEOR ALCOÓLICO: 14,5% Vol. NOTA DE PROVA: Com uma coloração vermelho intenso, o vinho apresenta aromas de azeitona preta e fruta madura. O paladar é elegante, com taninos bem estruturados. Um tinto classificado como elegante e classudo, de muita personalidade.

HARMONIZAÇÃO

PEIXES Bacalhau à Lagareiro, Bacalhau a Zé do Pipo e Bacalhau à Cataplana. CAÇAS, FRUTOS DO MAR E AVES Paleta de Burrego, Alheiras, Polvo à Lagareiro, Arroz de Pato, Arroz de Coelhos e Arroz de Polvo.

53


QUINTA DO ZAMBUJEIRO COM DESTAQUE PARA O TRABALHO À MÃO, A QUINTA DO ZAMBUJEIRO SITUA-SE EM UMA ÓTIMA REGIÃO DO ALENTEJO, USUFRUINDO DE UM MICROCLIMA PERFEITO PARA A PRODUÇÃO DE VINHOS

A Quinta do Zambujeiro está localizada a cerca de 170km a sudeste de Lisboa, no Alentejo. Emil Strickler, um suíço apreciador de vinhos, é o dono da propriedade de 31 hectares de vinha, desde 1998. Contando com castas Trincadeira, Aragonez, Alicante Bouschet, Touriga Nacional, Cabernet Sauvignon, Petit Verdot, Tinta Caiada, Arinto e Antão Vaz, o local destaca-se pelo trabalho artesanal da produção. A seleção de todas as uvas é feita à mão e o resultado é um prestígio internacional, que ultrapassa as terras alentejanas.

www.quintadozambujeiro.com

54


QUINTA DO ZAMBUJEIRO Um verão quente e seco, típico da região alentejana, deu origem a este complexo e exuberante vinho. Produzido com as castas Touriga Nacional, Aragonez, Trincadeira, Alicante Bouschet, foi postado durante dois anos em barrica de carvalho francês 100% novo. Obteve 95 pontos datados em um total de 100, na criteriosa avaliação de Robert Parker. REGIÃO: Alentejo TIPO: Texto TEOR ALCOÓLICO: 15% Vol. NOTA DE PROVA: Apresenta um bouquet intenso e perfumado, dominado por violetas, pimenta, frutos vermelhos e notas de tosta. Encorpado com taninos macios, mas marcantes fortemente frutado, textura cremosa e extrato doce, elegantemente equilibrado, apresenta um final persistente com notas de chocolate negro, tosta e baunilha.

HARMONIZAÇÃO

PEIXES Bacalhau à Vila Chã, Bacalhau a Zé do Pipo e Arroz de Bacalhau. CAÇAS, FRUTOS DO MAR E AVES Cordeiro ao molho de ervas, Coelho, Cozido de Burrego, de Paleta de Burrego, Alheiras, Polvo à Lagareiro, Arroz de Pato, Arroz de Coelhos e Arroz de Polvo.

55


VADIO TRABALHANDO DE FORMA ARTESANAL E RESPEITANDO AS TRADIÇÕES DA BAIRRADA, O VADIO É UM EXEMPLO DE AMOR À HISTÓRIA PORTUGUESA

O Vadio está situado na aldeia da Poutena, na tradicional região da Bairrada. Trata-se de um projeto exclusivo, familiar, que tem como elemento essencial a recuperação das castas tradicionais e a produção de autênticos vinhos DOC Bairrada. Com duas parcelas de vinha totalmente distintas e um antigo armazém adaptado, foi adotada uma forma muito simples para a produção de vinho, a partir de um estilo clássico, que pretende respeitar a autenticidade da região e o caráter das castas que lhe dão origem.

56

www.vadio.pt


VADIO BAIRRADA Feito 100% com uva Baga, um clássico português, este vinho foi colocado no ano de 2014 como o produto e produtor revelação do ano (Luis Patrão). Amadureceu 18 meses em barricas de carvalho francês e americano, seguidos de mais 18 meses em garrafa. Um vinho bem estruturado, potente, e de taninos marcantes. REGIÃO: Bairrada TIPO: Tinto TEOR ALCOÓLICO: 13% Vol. NOTA DE PROVA: Um vinho límpido, de cor retinta de rubi. É uma bebida com aroma complexo, sugerindo frutos vermelhos e notas balsâmicas. Bastante encorpado, com boa acidez e taninos robustos. O final é longo e persistente.

HARMONIZAÇÃO

PEIXES Bacalhau à Vila Chã, Bacalhau a Zé do Pipo e Arroz de Bacalhau. CAÇAS, FRUTOS DO MAR E AVES Cordeiro ao molho de ervas, Coelho, Cozido de Burrego, de Paleta de Burrego, Alheiras, Polvo à Lagareiro, Arroz de Pato, Arroz de Coelhos e Arroz de Polvo.

57


LUÍS PATO NA ADEGA, EM AMOREIRA DA GÂNDARA, É POSSÍVEL CONHECER A GARRAFEIRA PESSOAL E A CAVE, ASSIM COMO PROVAR ALGUMAS NOVIDADES OU RELÍQUIAS ANTIGAS DA FAMÍLIA

A família Pato produz vinhos na Quinta do Ribeirinho desde o século XVIII. João Pato começou a engarrafar em 1970, tornando-se o primeiro produtor/engarrafador na região da Bairrada, depois da sua demarcação. A família prosperou e o filho Luís Pato herdou a produção em 1980, mantendo vivo o legado da família com vinhos de qualidade excepcional, procurados por apreciadores do mundo todo. Ao longo dos anos, a vinícola se notabilizou por rótulos como Vinha Pan,Vinha Barrosa e Quinta do Ribeirinho Pé Franco.

58

www.luispato.com


QUINTA DO RIBEIRINHO PÉ FRANCO Verdadeiro ícone do vinho português, o Quinta do Ribeirinho Pé Franco é um dos melhores vinhos do mundo. As vinhas de Baga são plantadas sem enxerto, em “Pé Franco”, como era feito antes da filoxera. Os rendimentos são ínfimos e a minúscula produção, cerca de 80 caixas por ano, é disputadíssima. Poderoso e bastante concentrado, com uma profundidade incomum, mas grande classe e elegância, é um tinto grandioso, para durar décadas. REGIÃO: Bairrada TIPO: Tinto TEOR ALCOÓLICO: 13,5% Vol. NOTA DE PROVA: Mais um grande ano de Pé Franco, com aroma muito elegante e preciso, frutos do bosque, ervas finas. A casta revela aqui o seu lado mais sofisticado, sumarento, conjugando frescura, intensidade e muito, muito caráter.

HARMONIZAÇÃO

PEIXES Bacalhau à Lagareiro e Bacalhau à Primavera. CAÇAS, FRUTOS DO MAR E AVES Cordeiro ao molho de ervas, Cozido de Burrego, Alheiras, Arroz de Pato, Arroz de Coelhos e Arroz de Lulas.

59


VINHAS VELHAS Luis Pato é o maior nome da Bairrada e talvez o maior enólogo de Portugal. O Vinha Velhas possui enorme capacidade de envelhecimento, comprovada pela jornalista inglesa Jancis Robinson, que achou a safra de 1985 tão boa que resolveu compará-lo com um bom Bordeaux da mesma época. O Bordeaux sucumbiu diante da grandiosidade do Vinhas Velhas. É uma ótima pedida para acompanhar pratos elaborados. REGIÃO: Bairrada TIPO: Tinto TEOR ALCOÓLICO: 13% Vol. NOTA DE PROVA: Um vinho bastante aromático, repleto de fruta madura, amora e framboesa preta. Na boca é bastante fresco e concentrado. Sem dúvida um vinho muito vivo e com muita estrutura. O final é longo e perfumado.

HARMONIZAÇÃO

PEIXES Sardinhas ao Forno e Bacalhau à Lagareiro. CAÇAS, FRUTOS DO MAR E AVES Pato à Serrana, Cordeiro ao molho de ervas, Paleta de Cordeiro, Alheiras, Leitão à Bairrada e Polvo à Lagareiro.

60


61


V PURO A BAIRRADA POSSUI UM MUNDO DE SABORES FRESCOS E INTENSOS, CUJA INFLUÊNCIA DO CLIMA MEDITERRÂNICO, COMBINADO COM O SOLO E AS SUAS CASTAS NATIVAS, PRODUZ MÁGICA Um projeto que nasceu do desejo de criar vinhos distintos, com base no rico património de castas nacionais, o V Puro materializou-se com a descoberta de vinhas velhas com idades compreendidas entre os 80 e os 120 anos, plantadas no coração da Bairrada. Sob a tutela dos enólogos Nuno do Ó e João Soares, o vinho Outrora Clássico começou a ser desenhado na colheita de 2009, sendo a sua elaboração um tributo às vinhas centenárias, matriarcas da região. Um trabalho sofisticado, cujo resultado tem sido o prestígio em Portugal e em todo o mundo.

62


OUTRORA CLÁSSICO O Outrora Clássico tem como conceito ser um tributo às vinhas centenárias da região da Bairrada. Um vinho produzido a partir de videiras de 80 a 120 anos no Vale de Cadoiços e a produção da bebida é feita a partir da tradicional pisa a pé. Feito com 100% da casta Baga, com uvas parcialmente desengajadas e fermentadas lentamente em lagar. Fica por um período de 24 meses em barricas de carvalho francês. REGIÃO: Bairrada TIPO: Tinto TEOR ALCOÓLICO: 13,5% Vol. NOTA DE PROVA: Apresenta coloração vermelho púrpura intenso, com presença no olfado de notas minerais, florais e chocolate negro.Também completam a complexidade aromática, especiarias. Na boca mostra-se muito elegante, com acidez e estruturas impares confirmando os aromas.

HARMONIZAÇÃO

PEIXES Bacalhau à Lagareiro e Bacalhau à Primavera. CAÇAS, FRUTOS DO MAR E AVES Cordeiro ao molho de ervas, Cozido de Burrego, Alheiras, Arroz de Pato, Arroz de Coelhos e Arroz de Lulas.

63


HERDADE DO PERDIGÃO

Propriedade de Carlos Gonçalves, desde 2003, a Herdade do Perdigão, tem se firmado como uma produtora de vinhos distintos, arrojados, de onde resultam sabores que dão vida ao mais puro dos néctares. O sonho deste empresário, apaixonado por estes vinhos e pelas planícies Alentejanas, resulta num produto que nos oferece em cada trago, cheiros, sabores e sensações únicas, em montes de prazer. Seu projeto mais tradicional, o Quinta do Perdigão tem despertado o interesse dos maiores apreciadores do Dão.

COM DESTAQUES PARA OS TINTOS, A HERDADE DE PERDIGÃO PRODUZ VINHOS DA MAIS ALTA QUALIDADE, QUE DESTOAM PELO SABOR E AROMA

www.herdadedoperdigao.com

64


QUINTA DO PERDIGÃO COLHEITA Ótimo tinto elaborado com uvas Touriga Nacional (50%), Jaen (20%), Tinta Roriz (20%) e Alfrocheiro Preto (10%). Cada garrafa é numerada e lacrada à mão, com rótulos e contra-rótulos que são obras de arte cobiçadas pelos enófilos. Recebeu a medalha de prata do concurso “O melhor vinho do Dão no produtor”. Produto multipremiado, de grande personalidade, frescura e mineralidade granítica. REGIÃO: Dão TIPO: Tinto TEOR ALCOÓLICO: 14% Vol. NOTA DE PROVA: Apresenta cor vermelho-rubi, com reflexos grená, além de aroma de ameixa preta e amora, casando-se com mentolados e ervas aromáticas, com notas de pimenta e cravo. Na boca tem taninos finos, grande frescura e equilíbrio, além de um palato bem preenchido e uma estrutura importante, que revela complexidade e intensidade na prova. O final é muito suave e comprido.

HARMONIZAÇÃO

PEIXES Sardinhas ao Forno e Bacalhau à Lagareiro. CAÇAS, FRUTOS DO MAR E AVES Pato à Serrana, Cordeiro ao molho de ervas, Paleta de Cordeiro, Alheiras, Leitão à Bairrada e Polvo à Lagareiro.

65


QUINTA DA BACALHÔA APRESENTANDO AOS VISITANTES O TEMA “ARTE, VINHO E PAIXÃO”, A QUINTA DA BACALHÔA SURPREENDE AO PROPORCIONAR ROTEIROS DENTRO DA VINÍCOLA, ACOMPANHADOS DE EXPOSIÇÕES ARTÍSTICAS

Uma das maiores empresas vinícolas de Portugal, a Bacalhôa desenvolveu ao longo dos anos uma vasta gama de vinhos, passando a ser uma das referências nacionais na produção da bebida. Com espaços artísticos misturados a cenários deslumbrantes, a Quinta da Bacalhôa oferece a seus visitantes a oportunidade de conhecer o popular Palácio da Bacalhôa, recheado por sua arquitetura histórica e paisagem incrível. www.bacalhoa.com

66


PALÁCIO DA BACALHÔA As castas escolhidas (Cabernet Sauvignon, Merlot e Petit Verdot) beneficiam-se das condições naturais para uma maturação lenta e equilibrada. Os vinhos elementares fermentaram a temperatura controlada (25°C), seguindo-se um período de “cuvaison” (maceração pelicular pós-fermentiva) de uma semana. É um tinto de elegância e refinamento. REGIÃO: Setúbal TIPO: Tinto TEOR ALCOÓLICO: 14,5% Vol. NOTA DE PROVA: De cor vermelha profundo, apresenta-se muito concentrada com notas fortes de frutos de baga encarnados, combinados com nuances de café, moca, baunilha e frutos secos numa estrutura cheia, complexa, fresca, elegante e persistente. Em boca é encorpado, denso, de taninos firmes e maduros, saboroso e muito encorpado.

HARMONIZAÇÃO

PEIXES Bacalhau à Lagareiro, Bacalhau a Zé do Pipo e Bacalhau à Cataplana. CAÇAS, FRUTOS DO MAR E AVES Paleta de Burrego, Alheiras, Polvo à Lagareiro, Arroz de Pato, Arroz de Coelhos e Arroz de Polvo.

67


BODEGAS MUGA NESTA VINÍCOLA DE RIOJA O CUIDADO NA ELABORAÇÃO DOS VINHOS É TÃO MINUCIOSO, QUE A EMPRESA FAZ QUESTÃO DE MANTER UMA TANOARIA PRÓPRIA PARA CONFECCIONAR SUAS BARRICAS

Desde 1932, quando foi fundada pelo casal Isaac Muga e Aurora Caño, as Bodegas Muga transformaram-se em uma empresa familiar de grande sucesso na produção de vinhos. A segunda geração transformou o negócio de vinhos a granel em uma respeitada marca de tintos e brancos e, hoje, é a terceira geração que gere os destinos da vinícola. Seus vinhos são produzidos segundo a cartilha clássica e um dos trunfos da Muga é o domínio exemplar do carvalho, usado nas diferentes etapas de vinificação – todos os vinhos são fermentados em cascos de madeira confeccionados na própria bodega.

www.bodegasmuga.com

68


PRADO ENEA GRAN RESERVA Elegante e complexo, o Prado Enea Gran Reserva combina majestosamente potência e classe. O corte de Tempranillo (80%) com Garnacha, Mazuelo e Graciano passa doze meses em casco de carvalho de 16 mil litros e 36 meses em barricas de carvalho. Antes de ser lançado, ainda matura em garrafa por mais 36 meses. “É um Gran Reserva impressionante cuja textura sedosa o atrairá de imediato”, na opinião do crítico Neal Martin, da The Wine Advocate. REGIÃO: Rioja (Espanha) TIPO: Tinto TEOR ALCOÓLICO: 13,5% Vol. NOTA DE PROVA: Apresenta cor rubi e aroma com presença de uma fruta madura e um desaparecimento quase total do caráter floral, tão característico deste vinho. Após sete anos de polimento, seus componentes forma integrando-se perfeitamente, permitindo-nos descobrir um elenco de notas especiais, ligeiramente, sobrepostas a fruta e acompanhadas por um fino couro. O retrogosto transmite, num primeiro momento, notas uniformes e dominantes de tabaco que dão lugar a especiarias como cravo e pimenta negra.

HARMONIZAÇÃO

PEIXES Bacalhau à Lagareiro, Bacalhau a Zé do Pipo e Bacalhau à Cataplana. CAÇAS, FRUTOS DO MAR E AVES Paleta de Burrego, Alheiras, Polvo à Lagareiro, Arroz de Pato, Arroz de Coelhos e Arroz de Polvo.

69


70


VINHOS ESPECIAIS DE PORTUGAL

EDITOR

WAGNER ROSA

FOTOGRAFIAS

DIVULGAÇÃO PRODUTORES, IMPORTADORES E DISTRIBUIDORES

TEXTOS

MATEUS FERNANDES

COORDENAÇÃO DE PROJETOS ANA BEATRIZ TOLEDO

DESIGN GRÁFICO

MARCIO FELIPE ROSA, YURI FIDÉLIS E LUAN ZANCANELLA

REVISÃO E PADRONIZAÇÃO ADRIANA HARGER

PROJETO EDITORIAL E GRÁFICO LIVRARTE

© LIVRARTE LIVROS ESPECIAIS, HISTÓRIAS INESQUECÍVEIS, 2016 www.livrarte.com


AV. ENGENHEIRO DIOGO DE CARVALHO, 99 CAPIVARI - CAMPOS DO JORDÃO - SP TEL: (12) 3663-4702 WWW.VILACHA.COM.BR

Profile for Wagalume Marketing Consciente

Carta de Vinhos Especiais 2016 - Vila Chã  

Carta de Vinhos Especiais 2016 - Vila Chã  

Advertisement