__MAIN_TEXT__
feature-image

Page 1

www.pack.com.br

190 ANO•15 J U N H O

2 0 1 3

R$ 15,00

EMBALAGEM

TECNOLOGIA

DESIGN

INOVAÇÃO

ENTREVISTA Novelis revela seus diferenciais como fornecedora do metal para o setor de embalagens ESPECIAL As vantagens das embalagens termoformadas: aumento do shelf life, redução de desperdícios de alimentos e aumento de rentabilidade

E

Es D I p Ç Co ecia à O difi l F Em c IS D ba açã PA E J lag o L T U en e m ecn L H s d ar ol O e v caç ogi idr ão a o

MERCADO DE BEBIDAS CRESCE CONSIDERAVELMENTE. INDÚSTRIAS APOSTAM EM INOVAÇÃO, TECNOLOGIA E EQUIPAMENTOS revistapack190.indd 1

18/6/2013 11:47:53


revistapack190.indd 2

18/6/2013 11:47:55


carta ao leitor

O DESAFIO ESTÁ LANÇADO!

T

enho experiência há mais de 10 anos na área da Saúde. Conheço desde as legislações, as políticas públicas, como as novidades tecnológicas do momento. Confesso que quando recebi o convite de Fernando Lopes para fazer parte da equipe da Revista Pack, uma onda de entusiasmo tomou conta de mim. Primeiro pelo lado jornalístico de conhecer mais um segmento e desvendá-lo. Segundo por poder fazer parte de uma revista que já conhecia há anos quando assessorava clientes na área do varejo. Logo de cara, já me deparei com um curso fantástico que explica o “bê-á-bá” deste setor: “Embalagens de A a V”, promovido pelo Instituto de Embalagens, oportunidade ímpar para entender os termos técnicos, funcionalidades e de manter relacionamento com os profissionais desta cadeia. E o dia a dia para colocar na gráfica a edição de junho da Revista Pack também foi cheio de desafios. A matéria de capa sobre o segmento de bebidas que está alavancando investimentos em envase foi uma surpresa. De acordo com dados do Pyxis Consumo, do IBOPE Inteligência, o mercado de bebidas deve movimentar este ano aproximadamente R$ 6,8 bilhões e para falar sobre este fator, empresas conceituadas como a Tetra Pak, Optima do Brasil, Krones, Tambaú e Dori foram solícitas em abrir seus investimentos em produção e tecnologia. Outro segmento que despertou minha atenção foi o mercado cervejeiro que também eleva a demanda por embalagens. Dados da Associação Brasileira dos Fabricantes de Latas de Alta Reciclabilidade (Abralatas) apontam que enquanto o consumidor de refrigerantes prefere as embalagens PET tamanho família, ficando as latas com apenas 8% dos envasamentos, o consumidor de cerveja tem trocado as garrafas de 600 ml pelas

latas. O presidente da Associação, Renault de Freitas afirma também que as latas de alumínio chegaram a responder por 40% do envasamento em 2012. A Associação Brasileira das Indústrias de Alimentação (Abia) detectou que o faturamento da indústria de alimentos para 2012 foi de R$ 431,6 bilhões, sendo que a venda para os canais de Food Service é responsável por R$ 100,5 bilhões. No Brasil, mais de 30% das vendas da indústria de alimentos no mercado interno são direcionados ao Food Service, que continua crescendo a taxas superiores a 13% ao ano. Na prática, os alimentos demandam por formatos de embalagens específicas e é neste contexto que entra outra matéria de capa da Revista Pack, que aborda o conceito de shelf life, ou “vida de prateleira”, que diz respeito à qualidade total dos produtos, desde a manipulação à estocagem. Já o mercado de cosméticos movimentou no último ano R$ 36,2 bilhões, 15,2% a mais do que no ano anterior. Segundo a diretora-executiva da Associação Brasileira de Embalagem (Abre), Luciana Pellegrino, as empresas já descobriram o poder de atração das embalagens, tanto que as vendas de frascos para este fim já representam 70% dos negócios realizados por grandes companhias, como a Antilhas, C-Pack e a Igaratiba. Diante de números tão positivos, só me resta agradecer por poder fazer parte deste mercado em ascensão e conhecer, com ajuda de todos vocês, mais sobre este mundo tão atrativo que em pouco tempo já vem ganhando a minha atenção. Boa leitura!

Thais Martins editora chefe redacao@pack.com.br

EDITORA B2B

revistapack190.indd 3

3

18/6/2013 11:47:56


190 J U N H O

Foto: Leandro Andrade

2013

8

Foto: Divulgação

8

DESIGN INOVAÇÃO

EMBALAGEM TECNOLOGIA

ENTREVISTA Com números notáveis, Novelis se posiciona como fornecedora do metal para o setor de embalagens

ENTREVISTA Manfred Staneck, diretor de vendas e marketing da Novelis, fala sobre o ciclo da matéria-prima e reciclagem como pontos-chaves para o sucesso da empresa.

28 VIDA DE PRATELEIRA

Novos hábitos de consumo, aliados ao aumento do poder de aquisitivo da população, fazem com que o shelf life se torne estratégico para o setor alimentício.

34 MATÉRIA DE CAPA

34

Bebidas registram aumento significativo no mercado brasileiro. Com isso, empresas apostam em tecnologias e novidades em envase.

CAPA Bebidas registram aumento significativo no mercado brasileiro. Com isso, empresas apostam em tecnologias e novidades em envase.

ESPECIAL Multivac desenvolve nova geração de termoformadoras para embalar queijos.

Multivac desenvolve nova geração de termoformadoras para embalar queijos.

40 PACK LEITURA

O engenheiro e presidente do Conselho de Logística Reversa do Brasil, Paulo Roberto Leite, fala sobre a inclusão da logística reversa na estratégia das organizações.

Fotos: Divulgação

46

46 ESPECIAL

42 SUSTENTABILIDADE

Associação Brasileira de Embalagem (Abre) adere ao Global Language for Packaging and Sustainability desenvolvido pelo Consumer Goods Forum.

SEÇÕES 6

AGENDA

7

PACK ONLINE

13 LEIS 14 ATUALIDADES 20 NOTÍCIAS 24 VANGUARDA 26 LANÇAMENTOS INTERNACIONAIS 48 DIRETO DA GÔNDOLA 50 ESPECIAL FEIPLASTIC 56 ESPECIAL SANPELLEGRINO 58 VITRINE 62 NOTAS TÉCNICAS 4

4

EDITORA B2B EDITORA B2B

revistapack190.indd 4

18/6/2013 11:48:06


revistapack190.indd 5

18/6/2013 11:48:08


agenda

EMBALAGEM | TECNOLOGIA | DESIGN | INOVAÇÃO

FEIRAS NO BRASIL

Publisher: Fernando Lopes Editora Chefe: Thaís Martins

DATA

FEIRA

LOCAL

ORGANIZAÇÃO

De 25 a 28 de junho de 2013 Horário: 13 às 21h

Fispal Tecnologia – feira do setor de embalagens, processos e logística para as indústrias de alimentos e bebidas da América Latina

Pavilhão de Exposições do Anhembi (SP)

BTS Informa Tel.:+55 11 3598-7800 www.btsinforma.com.br/

De 05 a 08 de novembro de 2013 Horário: 16 às 22h

Fispal Tecnologia Nordeste Feira Internacional de Embalagens, Processos e Logística para Indústrias de Alimentos e Bebidas

Centro de Convenções de Pernambuco Recife - Brasil

Colaboradoração: Zulmira Felício e Analice Fonseca Assessora Técnica: Assunta Camilo (FuturePack) assunta@futurepack.com.br Revisão: Nazaré Baracho Secretária: Sandra Gomes Projeto gráfico: Editora B2B Produção: Luciano Tavares de Lima (gerente)

BST Informa Tel (11) 3598-7800 www.bstinforma.com.br

Designer: Ivy Sanches Capa: Ivy Sanches Foto da Capa: istockphoto

CONSELHO EDITORIAL Assis Garcia – diretor do Centro de Tecnologia de Embalagem – CETEA; Eduardo Yugue – gerente de embalagens da Nestlé; Geraldo Cardoso Guitti – presidente da Refrigerantes Convenção; Iorley Lisboa – gerente de embalagens do Wal-mart; João Batista Ferreira – CEO da J2B Innovation to Business; Lincoln Seragini – diretor – presidente da Seragini Farné; Luis Madi – diretor - geral do ITAL - Instituto de tecnologia de Alimentos; Nivaldo

FEIRAS NO EXTERIOR

Ferreira Lima – gerente de compras do McDonald´s Brasil

DATA

FEIRA

LOCAL

ORGANIZAÇÃO

De 24 a 25 de junho de 2013 Horário: 8 às 17h

Global Food & Beverage Packaging Summit – Feira de inovações em embalagens de alimentos e bebidas

Hyatt Regency | Chicago, IL

UBM Canon Tel 310-445-4200 www.ubmcanon.com

Comercial Rajah Chahine Claudio Alves comercial@pack.com.br Tel.: (11) 3500-1909

Executivos de Negócios – Rio de Janeiro Art Comunicação S/C Ltda. Contato: Francisco Neves

De 15 a 16 de outubro de 2013 Horário: 10 às 16h

TexasPack – Feira de tecnologia e equipamentos de embalagem para fornecedores one-on-one.

UBM Canon Tel 310-445-4200 www.ubmcanon.com

Reliant Center | Houston, TX

Rua Des. João Claudino Oliveira e Cruz, 50 – cj. 607 – CEP 22793-071 – Rio de Janeiro-RJ Tels.: (21) 2269-7760 – (11) 9943-5530 – Fax: (21) 3899-1274 – banasrj@uol.com.br

Rio Grande do Sul Interface Comunicação e Propaganda Ltda. Contato: Vera Anjos Av. Taquara, 193 – Cj. 406 – CEP 90460-210 – Porto Alegre-RS Tel./Fax: (51)3737.9200 (51)9969.0727– banassul@terra.com.br

De 29 a 30 de outubro de 2013 Horário: 10 às 17h

MinnPack Feira de recurso abrangente de embalagem.

Minneapolis Convention Center | Minneapolis, MN

UBM Canon Tel 310-445-4200 www.ubmcanon.com

São Paulo – Interior Aqueropita Intermediações de Negócios Ltda. Contato: Aparecida A. Stefani Tel.: (16) 3413-2336 – Cel.: (11) 9647-0044 – Fax: (11) 3500-1935 aparecida.stefani@banas.com.br

REPRESENTANTE INTERNACIONAL Argentina 15 de Noviembre 2547 – C1261 AAO –

Car tas & E-mails

Capital Federal – Republica Argentina Tel.: (54-11) 4943-8500 – Fax y Mensajes: (54-11) 4943-8540 www.edigarnet.com

EDIÇÃO 189

Amei a edição anterior da Revista, principalmente a matéria sobre as novas embalagens em que menciona a Freeway. Ficou maravilhosa desde o conteúdo, com informações úteis e sucintas, ao design super expressivo, que desperta a atenção do leitor, promovendo uma leitura mais agradável e instigante. Parabéns a toda equipe da Revista Pack!

Rua dos Três Irmãos, 771 Jardim Progredior – São Paulo-SP – CEP 05615-190 CNPJ 07.570.587/0001-13 – I.E. 149.349.995-116 TELEFONE (11) 3500-1900 Impressão: GRÁFICA GRASS Circulação nacional: Tiragem – 10 000 exemplares Periodicidade: mensal

Bruna Botelho Grupo Trade Comunicação Edição 189

Assinatura: Anual (Brasil) = R$ 180,00 • Nº Avulso = R$ 15,00

JUNHO 2013

AT

EC

D E M ÍD IA S E G

M

E

TA

DA

EDITORA B2B

revistapack190.indd 6

D

O

6

IA

T

A

EG

R

A

B2

C AT

B

2008

Filiada à

AN

11 3500-1921 | FAX 11 3500-1935

N

TELEFONE

Rua dos Três Irmãos, 771 Jardim Progredior – São Paulo-SP – CEP 05615-190

IO

E-MAIL redacao@editorab2b.com.br

A PACK é dirigida aos profissionais que ocupam cargos técnicos, de direção, gerência e supervisão em empresas fornecedoras, convertedoras e usuárias de embalagens, bem como prestadores de serviços relacionados à logística, design e todos os processos relacionados a indústrias de embalagem.

IV P R Ê M

PARA SE CORRESPONDER COM A REDAÇÃO

END.

PACK – EMBALAGEM | TECNOLOGIA | DESIGN | INOVAÇÃO é uma publicação mensal da Editora B2B.

RE

V I S TA S E G M

EN

É permitida a divulgação das informações contidas na revista desde que citada a fonte. PACK reserva-se o direito de publicar somente informações que considerar relevantes e do interesse dos leitores da revista.

18/6/2013 11:48:14


@EditoraBanas

nline

facebook.com/editorabanas

www.pack.com.br POR TATIANA GOMES | tatiana.gomes@banas.com.br

O SITE DA PACK TRAZ NOTICIÁRIO ATUALIZADO DIARIAMENTE, ARTIGOS EXCLUSIVOS E TUDO SOBRE O MERCADO DE EMBALAGEM. MAIS: VÍDEOS, FOTOS E A VERSÃO DIGITAL NA ÍNTEGRA DA EDIÇÃO DO MÊS, ALÉM DAS ANTERIORES!

Smirnoff Ice apresenta pack exclusivo para o varejo Smirnoff Ice, bebida líder de sua categoria, lança um pack exclusivo para o varejo – o balde mágico. Tratase de uma embalagem, sem nenhum custo adicional, com seis latas de 310ml do produto que, ao ser aberta, transforma-se em um balde de gelo. A ideia do pack está alinhada com um dos principais atributos da Smirnoff Ice, a praticidade.

A Coca-Cola Brasil quer participar de perto da festa pelo Brasil na Copa das Confederações da FIFA e, para isso, lança a campanha “Juntos, Vamos Colorir o Brasil”. A marca vai expressar a sua paixão pelo País lançando uma edição especial inédita de latas coloridas com as cores da bandeira brasileira: verde, amarelo e azul. A campanha tem diversas ações em TV, digital, mídia exterior, ponto de venda e eventos regionais nas cidades-sede. [ENQUETE ]

RESULTADO

MAIO/2013

Você tem intenção de adotar embalagens biodegradáveis? Sim (80%)

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Coca-Cola se pinta com as cores do Brasil para a Copa das Confederações da FIFA

Onde achar? http://www.pack.com.br/blog

[CONEXÃO WEB ] as mais lidas no pack.com.br

1 2 3 4 5

Visitantes da Feiplastic 2013 poderão conhecer linha de produtos para aplicações parenterais da Dow

Participação no evento reforça a presença das soluções em polietileno da empresa no mercado médico e farmacêutico

Rastreabilidade de medicamentos volta a pautar FCE Pharma

Não (20%)

Novos movimentos da Anvisa neste primeiro semestre faz o assunto voltar a ter destaque

Coca-Cola leva cores da bandeira do Brasil para latas

NESTE MÊS Interaja! Confira a enquete do mês e vote na home do site! Onde achar? http://www.pack.com.br

[DESTAQUES] Dúvidas sobre o mercado?

Nossos consultores esclarecem os mais diversos temas do setor. Envie sua pergunta e leia as respostas para nossos internautas no Blog da Pack. PERGUNTE, ELE RESPONDE!

E-mail guru@pack.com.br

O NEWSLETTER QUINZENAL DA INDÚSTRIA

Toda quinzena, a newslet ter entrega no seu e-mail as notícias mais importantes da indústria de embalagens. Cadastre-se no site! Acesse! www.banas.com.br/banasinforma

Pela primeira vez, marca muda a cor da lata vermelha

Fispal Tecnologia 2013 mostra evolução de embalagens flexíveis para diversos setores da indústria de alimentos e bebidas A tendência é o uso de materiais cada vez mais leves e resistentes

Multifunção passa a ser o conceito da nova linha da Bizerba GLM-I é verificadora de peso, impressora e aplicadora de etiqueta, além de suportar altas demandas de produtividade

Confira a lista das dez notícias mais acessadas no site e as leia na íntegra! Fonte: Google Analytics * Período de 03/05/13 a 27/05/13 Onde achar? http:/www.pack.com.br/maisnoticias.aspx EDITORA B2B

revistapack190.indd 7

7

18/6/2013 11:48:17


entrevista

A flexibilidade que dรก resultados 8

EDITORA B2B

revistapack190.indd 8

18/6/2013 11:48:22


Com números notáveis no mercado de alumínio, Novelis se posiciona como forte fornecedora do metal para o setor de embalagens

V

Por: Tiago Martinelli

ocê já pensou nas diversas possibilidades de trabalho que o alumínio pode proporcionar? Antes de responder a esta pergunta, olhe ao seu redor, onde quer que você esteja, e perceba como o material é intensamente aplicado, sobretudo em embalagens. No final da década de 80, as latas de alumínio entraram para o mercado brasileiro de bebidas. Tal fato fez, até mesmo, com que o acúmulo do produto nos lixos e nas vias públicas diminuísse, uma vez que a reciclagem do material no Brasil atingiu o recorde mundial de 98,3% em 2011. Presente no mercado brasileiro, a empresa Novelis, que fabrica e recicla alumínio, se posiciona como uma das maiores fornecedoras do produto e atende a diversos outros setores, como o de automóveis e o de especialidades. Contudo, o desenvolvimento do metal para embalagens é um dos principais focos, inclusive em terras tupiniquins. Além do Brasil, a empresa tem operações nos EUA, na Europa, na Coreia do Norte e na China e conta com cerca de 11 mil profissionais. Seu faturamento, em 2012, fechou em US$ 11 bilhões. A representatividade do metal para a indústria de embalagens é inegável, bem como a forte presença da Novelis. E foi sobre esse mercado que Manfred Stanek, vice-presidente comercial e estratégia da empresa, falou em bate-papo exclusivo para a REVISTA PACK.

EDITORA B2B

revistapack190.indd 9

9

18/6/2013 11:48:27


Fotos: Leandro Andrade

entrevista

PACK: Como o senhor destaca o trabalho da Novelis no Brasil? Menfred Stanek: No Brasil, sem dúvida, o nosso maior mercado é o de embalagens, especificamente o de latas. A Novelis é a principal fornecedora das empresas que produzem latas no País. A produção em 2012 foi de mais de 20 bilhões de unidades e nós fornecemos a maior parte do alumínio utilizado. A primeira lata de alumínio do Brasil foi produzida em 1989. Em pouco mais de 20 anos, foi de zero para 20,1 bilhões de latas. Isso foi estimulado pelo investimento que a Novelis fez. PACK: O que o mercado brasileiro representa para a empresa? M.S.: Temos uma capacidade de produção de 600 mil toneladas de alumínio no Brasil, com cerca de dois mil funcionários. Temos mercados maiores, mas o maior crescimento que a Novelis vê neste momento é no Brasil, porque o setor de latas cresce muito mais do que nos outros países. A importância do País no quadro global da empresa é muito grande. Inclusive, um dos nossos maiores investimentos foi feito aqui, para ampliar a capacidade de 400 mil para 600 mil toneladas. A maior parte é destinada ao consumo interno. PACK: O Brasil tem a 3ª maior reserva de bauxita do mundo. Isso coloca o País à frente do mercado internacional? M.S.: Neste momento não, porque o custo de produção aqui é muito alto. Em contrapartida, a Novelis não usa só metal primário, pelo contrário, grande parte da nossa entrada de matéria-prima vem da reciclagem, o que é melhor para o meio ambiente. A empresa é a maior compradora nacional do metal reciclado e o grau de reciclagem de latas de

10

alumínio no Brasil é o maior do mundo, com 98,3% das unidades reaproveitadas. Temos uma meta de, até 2020, usar 80% de material reciclado para a nossa produção. Hoje, já utilizamos 56% no Brasil. PACK: Por que o alumínio é tão utilizado em embalagens? M.S.: É atrativo, leve e reciclável. Muitas das embalagens mais inovadores são feitas de alumínio, como os novos tipos de latas, maiores e menores. O fato de ser leve conta, até mesmo, no transporte e na logística. Outro ponto é que o alumínio possui alto grau de reciclagem. PACK: Como a empresa chegou a essa posição tão boa no mercado de latas? M.S.: Foi por causa de um investimento visionário na nossa tecnologia de laminação nas últimas décadas. Apostamos muito no Brasil, antes da embalagem de alumínio ser conhecida aqui. A Novelis trouxe a tecnologia para cá, somos os pioneiros no mercado e mais de 90% dos produtos são feitos com o nosso alumínio. PACK: Vocês oferecem alumínio para as empresas que fabricam embalagens, mas existe alguma mistura do metal com outros materiais no processo de vocês ou dos clientes que transformam? M.S.: Nossos clientes aplicam tintas e verniz interno, por exemplo. Da nossa parte, o que varia são as ligas mesmo, algumas contam com magnésio e outras combinações. Depende da embalagem que será trabalhada posteriormente. PACK: Qual é a vantagem do emprego do alumínio nas embalagens de alimentos? Existe

EDITORA B2B

revistapack190.indd 10

18/6/2013 11:48:35


algum tratamento especial? M.S.: As latas de alumínio para alimentos e bebidas são atrativas. Produtos premium na Europa e nos EUA são comercializados em latas de alumínio, e não de aço, porque é mais bonita, tem maior índice de reciclagem, é mais leve, mais fácil de operar e permite bom trabalho com design. Temos uma das tecnologias mais avançadas para trabalhar o metal, o que já garante a qualidade, mas em certos mercados, como o de bebida, utiliza-se uma tecnologia para colocar verniz dentro da lata. Existe todo um processo para adequar as embalagens. Alguns processos, nós mesmos fazemos, como algumas lavagens. PACK: E quanto ao alumínio destinado à produção de embalagens para a indústria farmacêutica, existe alguma particularidade? M.S.: Particularidades técnicas. Os nossos clientes desse setor nos passam o que precisam e nós cumprimos. Geralmente, as exigências dizem respeito à dureza, à resistência e à textura correta para proteger os remédios, como em embalagens tipo blister. São produtos personalizados. PACK: Do material que vocês utilizam, quanto vem da reciclagem? M.S.: Aqui no Brasil, o índice é o maior do mundo. Na Novelis, 56% do material vem da reciclagem. Temos muitos investimentos para aumentar a capacidade. Pela nossa meta, todas as operações mundiais têm que chegar a 80%. Dos 11 países nos quais estamos presentes, o Brasil está na frente: a média mundial é de 39% e já chegamos a 56%, o que nos torna referência na empresa. Para os nossos clientes, especialmente os que trabalham com

Um dos nossos maiores investimentos foi feito no Brasil para ampliar a capacidade de produção de 400 mil para 600 mil toneladas. A maior parte é destinada ao consumo interno. embalagens para cosméticos, a reciclagem de material é importante, estrategicamente falando, e nós podemos oferecer algo que a concorrência não pode, por causa do nosso sistema de reciclagem, frente à utilização de alumínio primário. Os clientes utilizam as informações sobre reciclagem nas embalagens. PACK: Como vocês adquirem o material para reciclagem? M.S.: Nós temos centros de coleta e compramos de catadores e cooperativas. Os centros de coleta funcionam como meio de trabalho com qualquer tipo de fonte, desde as pequenas até as grandes. Se analisarmos bem, até mesmo a coleta de outros materiais é impulsionada pelas latas de alumínio. É um produto que remunera bem e geralmente está junto de outros, como PET’s e papel. O catador pega o alumínio e aproveita para coletar outros materiais.

PACK: A reciclagem implica em diversos custos. Mesmo assim, se compararmos, é melhor reciclar do que utilizar material virgem? M.S.: O preço do alumínio é relativamente baixo, mas o custo da energia no Brasil é alto, então, muitas empresas que trabalham com produto primário têm custo de produção maior do que o preço do alumínio. PACK: Os números de reciclagem de alumínio no Brasil são altos, mas o que mudaria no mercado de embalagens caso reciclássemos mais? M.S.: O Brasil já tem um bom percentual, mas empresas como a nossa poderiam aumentar o uso de material reciclado. Temos que aumentar o índice de uso per capita do metal. Quanto maior o índice, mais reciclagem teremos. A resposta, então, é mudar o mix de embalagens, a favor de produtos mais recicláveis, como o alumínio. EDITORA B2B

revistapack190.indd 11

11

18/6/2013 11:48:42


entrevista

Temos que aumentar o índice de uso per capita do metal. Quanto maior o índice, mais reciclagem teremos. A resposta, então, é mudar o mix de embalagens, a favor de produtos mais recicláveis, como o alumínio.

PACK: A Novelis trabalha com o conceito de ciclo de matéria-prima. Isso pode ser seguido com outros materiais destinados à produção de embalagens? M.S.: Ambientalmente deve ser explorado para todos os tipos de embalagens, mas depende da natureza do produto, pois alguns materiais têm mais vantagens, outros têm menos. O alumínio é muito reciclável, já o PET, por exemplo, pode virar um tapete de carro, mas depois você não utiliza mais. PACK: Vocês conversam com os seus clientes sobre o produto e dão dicas para o desenvolvimento e a criação de embalagens? M.S.: Temos um centro de pesquisas em Atlanta, nos EUA, há 18 meses, que nos apoia com essas questões para que possamos ajudar nossos clientes. Se o cliente pede uma lata de 500 ml, desenvolvemos o produto em parceria. É sempre uma troca de ideias. Inclusive, esse exemplo é real. Desenvolvemos a lata de 500 ml junto a um de nossos parceiros. Com os megaeventos que vão acontecer no Brasil, muitas empresas estão investindo em embalagens de bebidas “on the go”, com 250 ml, ou seja, para atender às necessidades das pessoas que irão de um acontecimento para outro. Isso é uma inovação. A diferença entre os 12

tipos e o tamanho das latas são as ligas que desenvolvemos em chapas ou lâminas. PACK: No setor de embalagens, o que ainda pode ser feito em relação ao alumínio? M.S.: No Brasil, o que pode ser muito explorado ainda é o setor de alimentos em latas. Estamos trabalhando com empresas de embalagens para alimentos para levar mais o alumínio para esse mercado. Vamos explorar, inclusive, latas de alimentos para animais domésticos. PACK: A empresa lançou algum produto inovador recentemente? M.S.: Lançamos um novo produto recentemente, o Evercan®. Geralmente, cerca de 50% de uma lata produzida vem de reciclagem. Nossa nova tecnologia eleva a capacidade de reciclagem para 90%. A ideia é fazer com que uma lata vire outra lata e assim por diante. Além desse aproveitamento, é importante destacar que as aplicações, bem como a flexibilidade, são as mesmas.

INFORMAÇÕES NOVELIS DO BRASIL www.novelis.com.br tel.: (11) 5503-0804

EDITORA B2B

revistapack190.indd 12

18/6/2013 11:48:49


revistapack190.indd 13

18/6/2013 11:48:51


por dentro das leis

Aurora Alimentos cria o “RG do leite” Apoiamos o rigor das autoridades na fiscalização dos processos e na punição das fraudes, pois são crimes contra a saúde da população

Foto: Divulgação

Santa Catarina exibe um exemplo inédito no Brasil em termos de segurança e qualidade na produção e no processamento de produtos lácteos. A Coopercentral Aurora Alimentos, grupo agroindustrial com sede em Chapecó, opera com um sistema ativo de rastreabilidade automatizado, que permite aos consumidores ter acesso aos dados de processamento, envase e qualidade dos produtos da empresa. Para consultar as informações, basta acessar o hotsite http://www.auroraalimentos.com.br/par e inserir o código P.A.R (Programa Aurora de Rastreabilidade) impresso em cada embalagem. “Os dados são relacionados a cada caixa de leite, e não a um lote. Assim, o sistema permite diagnosticar, solucionar e prevenir eventuais problemas. Apoiamos o rigor das autoridades na fiscalização dos processos e na punição das fraudes, pois são crimes contra a saúde da população”, afirma o presidente da Coopercentral Aurora, Mário Lanznaster. A rastreabilidade ativa é um sistema de coleta, integração e controle das informações de fabricação de um alimento em todas as suas fases: recepção, processamento, envase, controle de qualidade e distribuição. As informações disponíveis aos consumidores incluem a origem, data de produção, unidade produtora, linha de envase 1, ultrapasteurizador, validade, data e 14

horário de início e fim da produção, volume de leite produzido no mesmo lote, nº do lote de material

de embalagem, fornecedor do leite, análise de qualidade e data de realização e aprovação do produto.

EDITORA B2B

revistapack190.indd 14

18/6/2013 11:48:53


por dentro das leis

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária, Anvisa, alterou os critérios para definir alimentos light e informações nutricionais nos rótulos dos produtos. A decisão vale somente para alimentos com gorduras trans, ômega 3, 6 e 9 e sem adição de sal, fabricados no País a partir de 1º de janeiro de 2014. Os alimentos agora só poderão ser chamados de light se tiverem algum nutriente reduzido na composição, em comparação ao produto convencional. Por exemplo, os iogurtes e os queijos só serão considerados light quando tiverem no mínimo 25% menos de gordura total ou satura-

Foto: Istock

Anvisa altera critérios para definir alimentos light da, 25% menos de açúcar (ou 25% menos de valor energético) e 25% menos de colesterol ou sódio. Caso contrário, com a nova regra, os produtos poderão trazer na embalagem a informação “baixo teor de gordura”, mas a palavra light não poderá mais ser usada. A Anvisa também autorizou que os fabricantes coloquem em destaque nos rótulos as informações: “sem gordura trans”, “sem adição de sal”, além de “alimento fonte de ômega 3, 6 e 9”. As novas exigências devem valer para todos os países do Mercosul, e as empresas terão até 2014 para se adequarem às novas regras.

EDITORA B2B

revistapack190.indd 15

15

18/6/2013 11:48:57


Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

atualidades

Homenagem carioca A 100% Design é responsável pela criação e conceituação das embalagens das batatas fritas Piraquê. Há mais de 60 anos no mercado, a Piraquê lança uma linha de batatas fritas onduladas em três sabores. O conceito desenvolvido para a nova linha de embalagens, desde o naming “Carioca” até a identidade visual, foi inspirado nas belezas naturais e culturais do Rio de Janeiro, em homenagem à cidade natal da marca de biscoitos. As ilustrações das embalagens dão destaque à vista panorâmica da Cidade Maravilhosa no sabor Original, ao Maracanã no sabor Churrasco e ao calçadão da Praia de Copacabana no sabor Cebola & Salsa e são apresentados em versões de 50 e 100 gramas.

Público infantil

100% Design, tel.: (11) 3032-5100 www.100porcento.net

Design Inverso, tel.: (47) 3028-7767 www.designinverso.com.br

A Chocoleite conta com mais uma novidade voltada ao público infantil. Desenvolvidas pela Design Inverso, as embalagens do achocolatado em pó Júnior e do refil instigam a curiosidade e o imaginário das crianças por meio de personagens. O cão Chocoloco, a gata Milky e o tigre Vito ensinam as crianças a cuidar do meio ambiente. Em hot site próprio dão dicas para economizar energia elétrica, não desperdiçar água e falam da importância da reciclagem. Além disso, o hot site oferece jogos, histórias dos personagens e downloads. O achocolatado também traz os personagens nas caixinhas de 200 ml, lançadas no ano passado.

O Licor 1727, da Vale Verde, empresa que produz cachaças naturais, recebeu os trabalhos da Premier Pack. Na embalagem foi utilizado um conceito conservador, já que no próprio nome há uma referência ao ano de 1727, data em que o café chegou ao Brasil. Para atender a ligação aos tempos tradicionais, foi escolhida uma garrafa diferenciada, além da decoração em serigrafia inorgânica de quatro cores, produzida no Brasil. A escolha da garrafa, importada da Saverglass, a Little Sumo, de 700 ml, foi muito bem acertada, pois é uma garrafa ambivalente, nem quadrada, nem redonda, mas sim de formato orgânico lembrando o grão do café. É deste design que nasceu uma embalagem atrativa, pela espessa distribuição de vidro no fundo e sua transparência contrastando com a cor do licor de café e linhas da serigrafia.

Foto: Divulgação

Tradição

Premier Pack, tel.: (11) 4612-4756 www.premierpack.com.br 16 16

EDITORA B2B EDITORA B2B

revistapack190.indd 16

18/6/2013 11:49:01


Jeito único A indústria de bebidas Multidrink lançou, juntamente com a Vidroporto, uma embalagem exclusiva para seu rum. A garrafa de vidro foi produzida pela Vidroporto, o rótulo foi desenvolvido pela Libra Etiquetas e a tampa pela Plastamp. Vidroporto, tel.: (19) 3589-3199 www.vidroporto.com.br

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

atualidades

Rock e cerveja A Cervejaria Bamberg, reconhecida internacionalmente pela produção de rótulos artesanais únicos, lança seu mais novo sucesso, a Raimundos Helles, uma cerveja cheia de personalidade para homenagear a banda Raimundos e divulgar a cultura cervejeira no País. Disponível na versão garrafa 600 ml, o mais novo hit é distribuído pela empresa Bushido Brazil. O rótulo autoadesivo foi produzido pela empresa Indemetal Gráficos utilizando filme branco com acabamento fosco impresso por meio da impressão Offset Digital HP Indigo. Indemetal Gráficos, el.: (11) 4013-6644 www.indemetalgraficos.com.br

EDITORA B2B

revistapack190.indd 17

17

18/6/2013 11:49:13


Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

atualidades

A General Brands, um dos maiores fabricantes de sucos prontos para beber, está lançando o néctar de laranja Camp Caseiro com gominhos de laranja. Sem conservantes, adoçado e rico em vitamina C, o Camp Caseiro com gominhos de laranja vem em embalagem Tetra Pak de 1 litro. A novidade pode ser encontrada em atacadistas e nas principais redes de supermercados do País. General Brands tel.: 08007272267 www.generalbrands.com.br

Pernod Ricard Brasil tel.: 08000142011 www.pernod-ricard.com.br

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

A Danubio, ‘joint-venture’ dos grupos lácteos Vigor e Arla Foods, lança iogurte à base de leite sem lactose em embalagem de vidro da Owens-Illinois. Os novos iogurtes Danubio são encontrados nas versões morango, physalis e integral. A embalagem em vidro mantém o sabor e o frescor original do produto, além de transparecer o conteúdo que o consumidor está levando para casa. Além de preservar totalmente a integridade e o frescor do iogurte, o vidro é considerado o material mais limpo em termos de embalagem, não libera produtos químicos no meio ambiente e é reciclável infinitamente. Owens-Illinois tel.: (11) 2542-8040 www.o-i.com

de laranja

mais acessível Após manter a tradição por mais de 50 anos com a embalagem regular de 1 litro, o whisky escocês Passport inova em sua estratégia de atuação trazendo uma exclusiva embalagem de 670 ml. A novidade traz uma proposta mais acessível ao consumidor da classe C. Com foco para o mercado varejista da região Sul do País e do Estado de São Paulo, a fim de conquistar novos consumidores e clientes, a novidade fica disponível a partir de junho. A garrafa é fornecida pela Owens Illinois, a tampa pela Guala Closures e rótulo pela Gráfica 43 SA.

Iogurte em embalagem de vidro

Com gominhos

Proposta

Linha top A Dauper apresenta ao mercado a linha “Top Sense” com dois tipos de cookies nos sabores baunilha e chocolate e três de biscoitos finos: Scacchi de Baunilha, Anello Capuccino e Flor de Morango. Os produtos serão comercializados em embalagens de 100g e 120g em caixas de papel cartão, oferecendo boa apresentação e resistência para exposição. A produção ficou por conta da Gráfica 43 SA e a produção do layout pela Till Publicidade. Dauper tel.: (11) 4330-5473 www.dauper.com.br

18

EDITORA B2B

revistapack190.indd 18

18/6/2013 11:49:25


atualidades

Tradicional marca traz inovações

A linha de biscoitos Germani está passando por uma reformulação em seu visual, a qual ressalta elementos já tradicionais da marca em um moderno projeto gráfico. O novo design preserva traços já utilizados, como as cores das flâmulas e os nomes dos itens, e traz novidades, como as imagens dos biscoitos acompanhadas de ilustrações como sugestões de consumo. Além da predominância da cor vermelha como base, se faz presente a arte do campo de trigo, identidade visual reconhecida pelo consumidor das massas com ovos e grano duro da marca.

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Inspiração na beleza do Brasil A Jequiti, empresa brasileira de cosméticos, anuncia o lançamento da colônia desodorante feminina Rio Glow by JLo, uma fragrância floral vibrante inspirada na beleza do Brasil. O perfume traz uma envolvente e vibrante essência com notas de flor de laranjeira, ameixa, grapefruit, musk, âmbar, cedro e toques de vanilla, marzipan e rosas. Seu perfume vem em um frasco que transmite as cores vivas e a energia do País e está disponível na versão de 100 ml. Jequiti, tel.: 08007767575 www.jequiti.com.br

Germani, tel.: (51) 3719-7519 www.germani.com.br

revistapack190.indd 19

18/6/2013 11:49:34


notícias

Mercado cervejeiro eleva demanda por embalagens

Por: Thais Martins

O

s três fabricantes de latas de alumínio do Brasil estão ampliando sua capacidade de produção. A Rexam deu a partida em abril em uma unidade no Pará. A Crown está erguendo uma fábrica em Teresina, no Piauí, e a Latapack-Ball, que inaugurou no fim do ano passado uma fábrica em Alagoinhas, na Bahia, já anunciou que implementará no local uma segunda linha de produção até o fim deste ano. De acordo com o presidente da Associação Brasileira dos Fabricantes de Latas de Alta Reciclabilidade, Abralatas, Renault de Freitas Castro, a capacidade de produção brasileira alcançará 25 bilhões de latas de bebidas por ano. “Temos condições de atender com folga o aumento constante .

20

EDITORA B2B

revistapack190.indd 20

18/6/2013 11:49:37


Os investimentos somam perto de R$ 1 bilhão. “Ocorreram após o descasamento em 2010 entre oferta e demanda, que gerou a necessidade de importação de quase 2 bilhões de latas. Naquele ano, a indústria de bebidas foi surpreendida com um aumento de consumo e não programou as encomendas aos seus fornecedores. A demanda por lata passou de 14,5 bilhões para 16,8 bilhões de unidades e os fabricantes não estavam preparados”, explica Castro, que também garante que o cenário não se repetirá na Copa do Mundo e nem nas Olimpíadas. Expectativa Para 2013, a estimativa da Abralatas é de crescimento de 7% a 8% nas encomendas. E é o mercado cervejeiro que impulsiona este crescimento. “Enquanto o consumidor de refrigerantes prefere as embalagens PET tamanho família, ficando as latas com apenas 8% dos envasamentos, o consumidor de cerveja tem trocado as garrafas de 600 ml pelas latas”, diz Castro. O presidente da Associação também aponta que, nos últimos 10 anos, as latas de alumínio ganharam um ponto percentual por ano, chegando a responder por 40% do

envasamento em 2012. “A expectativa na Abralatas é que esse ritmo de crescimento se mantenha nos próximos anos até alcançar a marca de 53% do mercado, patamar atual do mercado norte-americano”. Causas do crescimento Dois fatores principais impulsionam o crescimento da lata de alumínio no mercado cervejeiro. Um é o fortalecimento dos supermercados como canal de venda das cervejas em detrimento dos bares, até por conta da lei seca no trânsito. Nos supermercados, as latas levam vantagem sobre as garrafas de 600 ml, porque dispensam o recolhimento do vasilhame vazio, uma comodidade para o consumidor e menos trabalho ao comerciante. O segundo é uma maior flexibilidade na oferta de latas, que há três anos eram restritas ao formato de 355 ml, mas hoje existem pelo menos sete tamanhos, indo das latinhas de 270 ml aos latões de 550 ml. Rinaldo Lopes, presidente da Crown, diz que essa flexibilização dá maior poder de escolha ao consumidor. “Acreditamos que, em cinco anos, os novos formatos responderão por 35% das vendas. Hoje está na casa dos 20%”.

Outra ação dos fabricantes que ajuda a impulsionar as vendas de latas é a estratégia de regionalizar a produção, construindo fábricas próximas aos mercados onde o consumo de bebida é crescente, como o Norte e Nordeste. “Reduzimos o custo logístico e deixamos nosso produto mais atraente para os envasadores”, diz Lopes. A Crown, que chegou ao Brasil em 1996 com uma fábrica em Cabreúva (SP), desde então ergueu unidades em Ponta Grossa (PR) e Estância (SE) e de tampas em Manaus (AM). Agora constrói em Teresina (PI) uma fábrica com capacidade para 1 bilhão de latas por ano, que deverá entrar em operação no primeiro trimestre de 2014, ampliando para 7,7 bilhões a capacidade total da companhia no Brasil. A Rexam adota estratégia semelhante. Carlos Medeiros, presidente da empresa, informa que a unidade construída no Pará foi projetada para suportar uma segunda linha de produção. “Estamos sempre atentos à necessidade do mercado e avaliamos continuamente as oportunidades de investimentos conforme a demanda”, finaliza.

Consumo global

1º lugar: EUA 100 bilhões de latas

2º lugar: Japão 30 bilhões de latas

3º lugar : Brasil 20,5 bilhões de latas

EDITORA B2B

revistapack190.indd 21

21

18/6/2013 11:49:39


notícias

Fabricantes de embalagens já destinam 70% da produção para cosméticos

Diante da força desse mercado, a Antilhas, uma das maiores fabricantes de embalagens, dividiu seus negócios em duas áreas distintas: varejo e indústria. A empresa, com sede em Santana do Parnaíba (SP), investiu, no ano passado, mais de R$ 30 milhões em projetos de automação e aquisição de novos equipamentos para acelerar o atendimento aos clientes. Com isso, aumentou em 140% sua capacidade produtiva e pretende dobrar seu faturamento de 2011 até 2015, segundo o gerente de vendas da empresa, João Elcio Luongo Junior. Segundo a diretora-executiva da Associação Brasileira de Embalagem (Abre), Luciana Pellegrino, as empresas de cosméticos já descobriram há algum tempo o poder de atração das embalagens, que acabam agregando valor aos produtos. “Observamos um investimento contínuo, pois o uso correto delas 22

pode trazer, inclusive, eficiência em todo o processo, da produção até a distribuição e o transporte”, explica.

Foto: Istockphoto

N

o último ano, o mercado de cosméticos movimentou R$ 36,2 bilhões, 15,2% a mais que no ano anterior, o que demonstra o forte potencial de crescimento do setor. Não é à toa que as vendas de embalagens para este segmento já representem 70% dos negócios realizados por três grandes companhias nacionais que atendem esse mercado - Antilhas, C-Pack e Igaratiba.

De acordo com dados da Abre, a produção de recipientes em geral, destinados para todos os setores da indústria (a entidade não subdivide os segmentos), deve crescer em torno de 2% neste ano. Em 2012 o setor que inclui perfumaria mais sabões, detergentes e produtos de limpeza apontou crescimento médio de 3,32% na produção, conforme dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e tudo indica que deve se manter aquecido em 2013. Somada à necessidade de tornar o produto atraente, existe uma infidelidade generalizada entre os consumidores brasileiros no que diz respeito aos cosméticos. Muitos não ligam para marcas, e sim ao que cada produto pode oferecer de novo. Por isso, a indústria aposta em design para inovar. Segundo a Secretaria de Comércio Exterior (Secex) do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (Mdic), no ano passado as importações de embalagens somaram US$ 853 milhões, aumento de 1,09% em relação a 2011, enquanto as exportações contabilizaram US$ 498 milhões, apontando uma queda de 10,83%. A diminuição no índice de exportação indica um aumento da demanda interna, principalmente

do chamado “quarteto fantástico”, formado pela Avon, Natura, O Boticário e Jequiti. Fabricante de bisnagas plásticas, a C-Pack faturou, no ano passado, R$ 100 milhões. Segundo o diretor comercial da companhia, Fabio Yassuda, esse número deve chegar a R$ 130 milhões em 2013. “O faturamento deve crescer, assim como nossa capacidade produtiva que passará de 130 milhões para 160 milhões de tubos”, diz o diretor. Além disso, a companhia, com sede em Florianópolis (SC), investirá R$ 40 milhões para a construção de duas novas linhas que devem ficar prontas em 2014. “Nos últimos dois anos, investimos R$ 80 milhões para elevar capacidade. Em 2014, investiremos mais”, diz Yassuda.

EDITORA B2B

revistapack190.indd 22

18/6/2013 11:49:43


Foto: Divulgação

vai e vem do mercado

Gustavo Gelli é o novo presidente da Abedesign A Associação Brasileira de Empresas de Design (Abedesign) elegeu recentemente sua nova diretoria. Em chapa única, Gustavo Gelli, sócio da Tátil Design, foi eleito presidente da entidade para o biênio 2013/2015. Luciano Deos, que ocupou o cargo por dois mandatos, passa a fazer parte do Conselho Consultivo da Associação. A diretoria eleita passa a ser: diretor-presidente, Gustavo Gelli; vice-presidente, André Poppovic; diretor de Promoção Comercial e Eventos, Roger Rieger; diretor de Expansão Social, Giovanni Vannuchi; diretor de Capacitação Empresarial, Gisela Schulzinger; e diretor de Assuntos Regulatórios e Fomento, Gian Franco Rocchicciolli. O Conselho Consultivo será formado por Manoel Müller, Luciano Deos, Luís Augusto Índio da Costa, Fernando Faria, Frederico Gelli e Ricardo Leite.

Ricardo Yoshino toma posse como diretor da Kimberly-Clark Foto: Divulgação

A multinacional americana fabricante de produtos de higiene pessoal, Kimberly-Clark anunciou a posse de Ricardo Yoshino como diretor da categoria de “cuidados com a família” para o Brasil. O executivo substitui Ubaldo Mota, que deixou a companhia em fevereiro, após cinco anos de casa. Yoshino passa a ser responsável por marcas como Neve, Kleenex e Scott e deixa o cargo de gestão de trade marketing, que ocupava desde 2012. Ele entrou na multinacional em 2011 como gerente regional para América Latina, é formado em administração de empresas pela PUC-SP e possui MBA em gestão empresarial pela Fundação Instituto de Administração (FIA).

EDITORA B2B

revistapack190.indd 23

23

18/6/2013 11:49:49


vanguarda

Destaque na Gôndola

Foto: Divulgação

Assunta Napolitano Camilo*

A

s embalagens canadenses querem aparecer e estão investindo em novidades para alcançar esse objetivo. Um exemplo é a Le Grand, um pesto da Artisanal Foods Manufacturer, que tem chamado a atenção nas gôndolas. A nova proposta da embalagem foi permitir exatamente que um stand-up pouch ficasse idêntico à antiga jarra de conservas, em vidro, e não perder a identificação visual que é um marco do produto que traz o rótulo pendurado por uma cordinha.

O vice-presidente de Marketing da Le Grand, Chris Shadbolt, afirma que essa é uma identificação significativa da marca e a mudança para o stand-up pouch proporcionou o desenvolvimento de embalagens fisicamente mais atrativas enquanto preserva as características de frescor e sabor do produto que é livre de conservantes. Na nova proposta, a empresa se preocupou em manter a forma do antigo pote para remeter à imagem já conhecida da sua linha de produtos. A embalagem dá uma sensação óptica tridimensional com o rótulo pendurado e faz com que os consumidores olhem ao menos duas vezes para o produto, o que comprova a eficiência da nova embalagem e seu alto poder de chamar atenção do consumidor nas gôndolas. 24

O stand-up pouch de 300 ml foi fabricado pela Flair Flexible Packaging, pode ser aquecido no micro-ondas, possui um easy open na parte superior (na mesma altura da tampa do pote) e uma excelente qualidade de impressão. A estrutura do pouch é trilaminada com camadas de alta barreira ao oxigênio para maximizar o frescor e preservar a vida de prateleira do produto. A embalagem foi lançada em fevereiro no mercado do Canadá e é esperada nas prateleiras americanas até setembro deste ano. Fonte: Food and Beverage Packaging. Texto adaptado por: Instituto de Embalagens

Assunta Napolitano Camilo: Diretora da FuturePack - Consultoria de Embalagens e do Instituto de Embalagens - Ensino & Pesquisa. Membro do Conselho Científico-Tecnológico do ITEHPEC

EDITORA B2B

revistapack190.indd 24

18/6/2013 11:49:53


revistapack190.indd 25

18/6/2013 11:49:57


lançamentos internacionais

SUNSHINE MAKERS APOSTA EM FRASCOS COM MENOS TEOR DE RESINA Conhecida como fabricante da linha verde simples de uso doméstico e industrial de produtos de limpeza, a Sunshine Makers investiu em um ano de pesquisa Foto: Divulgação

para desenvolver embalagens mais sustentáveis para sua linha de limpeza concentrada. O novo sistema de entrega, incluindo um frasco patenteado e uma nova tecnologia de disparo a partir MeadWestvaco (MWV), é feito inteiramente de plástico e tem reduzido teor de resina. A nova embalagem de pulverização de propriedade, em 16 -, 22 -, 24 -, e 32 - volumes onça, proporciona espaço expandido no rótulo para mais informações sobre o produto, além de seu formato ergonômico, que ajuda a aliviar a fadiga da mão. Outra característica é que o frasco utiliza 25% de plástico reciclado pós-consumo (PCR), além de contar com um logotipo verde simples em relevo para incentivar a reutilização de garrafas e fortalecer a marca. SUNSHINE MAKERS, www.simplegreen.com

ENLATADOS DA LASSONDE, AGORA EM CAIXA ASSÉPTICA

A fabricante canadense de alimentos reformulou suas embalagens de enlatados para cartonadas, especificamente dos caldos prontos. Agora, os produtos são condicionados assepticamente em recipientes de 1.100 ml e se tornaram fáceis de abrir por possuírem uma perfuração V. De acordo com o vice-presidente de comunicação da Lassonde, Stefano Bertolli, a decisão foi tornar a embalagem mais leve, prática e mais ecológica. “Esta foi a maneira

Foto: Divulgação

que encontramos para manter a alta qualidade por mais tempo, pois a cartonagem é feita com 75% de madeira, um recurso renovável e de menor impacto se comparado com outras soluções similares de longa duração”. LASSONDE, www.specialiteslassonde.com

26

EDITORA B2B

revistapack190.indd 26

18/6/2013 11:50:02


revistapack190.indd 27

18/6/2013 11:50:04


Foto: Divulgação

capa

Vida de prateleira

Principalmente em razão das diferenças climáticas das regiões brasileiras, novos hábitos de consumo aliado ao aumento de poder aquisitivo da população, o shelf life torna-se estratégico para o setor de alimentos

28

EDITORA EDITORA B2B B2B

revistapack190.indd 28

18/6/2013 11:50:08


M Zulmira felício

uito além da questão da sobrevivência, a alimentação é sempre um prazer. Em vista ao que vem acontecendo na Faixa de Gaza - um estreito território palestino entre o mar Mediterrâneo, Israel e Egito -, onde a população se satisfaz ao saborear batatas murchas acompanhadas de pedaços de frango nada crocantes da rede norte-americana KFC; esperar mais de quatro horas para receber esse fast-food delivery já faz parte do “banquete” que para ser servido envolve no trajeto dois táxis, transpor uma fronteira internacional e um túnel de contrabando. Essa mudança de comportamento, que inclui novos hábitos alimentares, verifica-se em diferentes partes do mundo. No Brasil, por exemplo, o segmento de alimentação fora do lar (Food Service) vem conquistando cada vez mais adeptos. Isso se deve ao aumento populacional das classes A, B e C, gerando mais de 60 milhões de novos consumidores e diminuição do desemprego. Em síntese, é o que analisa a Associação Brasileira das Indústrias de Alimentação (Abia) detectando que o faturamento da indústria de alimentos para 2012 foi de R$ 431,6 bilhões, sendo a venda para os canais de Food Service responsável por R$ 100,5 bilhões. No País, mais de 30% das vendas da indústria de alimentos no mercado interno são direcionados, atualmente, ao Food Service, que continua crescendo a taxas superiores a 13% ao ano nos últimos 10 anos. EDITORA EDITORA B2B B2B

revistapack190.indd 29

29

18/6/2013 11:50:11


Foto: Divulgação

capa Na prática, os alimentos em geral demandam por formatos de embalagens adequadas e inovadoras. É nesse contexto que entra o conceito shelf life ou “vida de prateleira” que diz respeito à qualidade total do alimento, compreendendo o período que transcorre da produção ao consumo, ligando as etapas de produção (manipulação), interação dos ingredientes à estocagem. As garantias de shelf life e a necessidade constante da sua evolução são particularmente importantes no mercado brasileiro, levando-se em consideração as dimensões continentais do País, diferenças climáticas, mudanças constantes nos hábitos de consumo da sociedade e o aumento do poder aquisitivo da população observado nos últimos anos. Por isso, o aumento do shelf life dos produtos é estratégico para as empresas da área de alimentos, pois permite que estas preservem melhor as características de seus produtos e aumentem o tempo de exposição deles no ponto de venda, reduzindo, assim, o descarte. “O contexto shelf life é sempre o foco dentro da Dixie Toga, pois, pressupõe-se que empresas de embalagens têm a responsabilidade de assegurar que o produto final mantenha suas propriedades pelo maior tempo possível”, sintetiza Antonio Ponce, gerente de marketing da Dixie Toga, ressaltando que a empresa tem como filosofia desenvolver filmes de alta tecnologia e qualidade que propiciem vantagens competitivas por meio do aumento do shelf life de seus produtos. As empresas vêm se preocupando com processos produtivos para melhoria de shelf life há um bom tempo. “Hoje estamos vivenciando uma nova era que envolve questões relativas ao meio ambiente e o uso de embalagens com menor impacto ambiental, as novas tecnologias que dizem respeito às embalagens 30

Daniel Minozzi , diretor de negócios da Nanox.

inteligentes, com propriedades superiores ou iguais as atuais, e a democratização nas melhorias de shelf life em alimentos, já que os materiais tornam-se muito mais acessíveis às empresas de menor porte,” diz Daniel Minozzi, diretor de negócios da Nanox. A Nanox é responsável por fabricar e comercializar uma linha específica de aditivos antimicrobianos que auxilia no aspecto segurança do alimento, contribuindo para que o produto acondicionado nas embalagens tenham ganho de shelf life. A ação antimicrobiana é regulada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e pelo Food and Drug Administration (FDA). Atuando fortemente em todo o território nacional, devido ao registro no FDA, a Nanox vem iniciando alguns trabalhos internacionais nesse setor industrial. Microporosidade Com clientes mais concentrados nas regiões Sul e Sudeste do Brasil, incluindo no exterior, na Argentina e nos Estados Unidos, a Alcoa também tem a garantia das certifi-

cações FDA e de entidades que regulamentam o setor de embalagens para o uso seguro em alimentos. “Detemos as certificações ISO 9001 e 14001”, acrescenta Celso Soares, diretor da Divisão de Laminados da Alcoa América Latina & Caribe. A empresa fornece seus produtos para todos os fabricantes que utilizam folhas de alumínio em suas embalagens, como a Tetra Pak para as embalagens cartonadas/assépticas, devido a garantia da barreira total contra a luz; e clientes do segmento de embalagens flexíveis como o Grupo Bemis, Embalagens Diadema e Inapel, entre outros. Com suas propriedades de barreira total contra luz, gases e umidade, as folhas de alumínio são ideais para as especificações mais exigentes requeridas no contexto shelf life das embalagens alimentícias. Sua taxa de permeabilidade é praticamente zero a vapor, água e oxigênio. O executivo da Alcoa reforça que além do aumento do shelf life, principalmente nos quesitos de microporosidades, que bloqueiam a ação da luz e oxigênio nos ali-

EDITORA B2B

revistapack190.indd 30

18/6/2013 11:50:14


mentos, há outras características positivas que fazem da folha de alumínio uma boa escolha para indústria alimentícia. São elas: formabilidade (a folha pode ser facilmente moldada); inodoro; excelente qualidade gráfica; não é solúvel, portanto, não se mistura com alimentos e outras propriedades do gênero; higiênica já que não é fonte de nutrientes para crescimento de bactérias; excelente condutor térmico; pode ser combinada com qualquer outro material utilizado em embalagens flexíveis e, ainda, é reciclável. Diferentemente de outros materiais, as propriedades de barreira da folha de alumínio não dependem da espessura se combinados com outros materiais. A Alcoa fornece folhas de alumínio nas mais variadas espessuras, desde 0,0063mm até 0,300mm. As ligas atendem as exigências dos fabricantes de embalagens assépticas e flexíveis. Trata-se de um material absolutamente seguro para uso em contato com alimentos; protege e preserva o aroma e as características dos produtos embalados; aumenta a vida útil por vários meses, permitindo que seja preservado por longos períodos sem necessidade de refrigeração; ajuda a impedir que os alimentos se deteriorem; e colaboram com economias de energia para conservação dos alimentos. No Brasil, o consumo de folhas de alumínio para uso em embalagens cresce a taxas próximas a 6%, segundo a Associação Brasileira do Alumínio (ABAL), mesmo com as constantes reduções de espessuras e dos tamanhos das embalagens.

de materiais que, de alguma forma, interferem na performance e funcionalidade do produto. A Nanox possui uma equipe multidisciplinar, de competência técnica, com o foco em desenvolvimento. “Nosso trabalho não consiste apenas em fabricar os materiais antimicrobianos para todas as linhas de materiais poliméricos empregados em embalagens, mas também em indicar a melhor forma de utilização tendo em vista os resultados, incluindo a assessoria ao cliente no uso de tecnologias sinérgicas, segundo o objetivo do projeto”, resume o diretor de Negócios da Nanox. Também detentora de um corpo técnico especializado no Brasil, a Dixie Toga atua em conjunto com clientes e fornecedores para colocar à disposição do mercado novas tecnologias existentes, visando aumento do shelf life de produtos. Desde que foi integrada ao Grupo Bemis Bemis - maior empresa de embalagens flexíveis dos EUA, com mais de 150 anos de experiência -, passou a ter acesso a um centro de pesquisa de embalagem nos EUA. Atuando nos segmentos de embalagens rígidas, flexíveis, laminadas e rótulos, em situações que exigem a característica de alta barreira de filmes, a Dixie Toga explica que material da embalagem pode variar muito e depende do produto que está sendo embalado, do tempo e da condição de exposição do mesmo no PDV. De qualquer forma são diversas as soluções possíveis, desde a utilização de monocamadas com metalização até a utilização de produtos bi ou trilaminados que

Estudos Foto: Divulgação

Questionado sobre as características técnicas dos materiais para shelf life, Minozzi, da Nanox, alerta que a principal delas refere-se a preservar a segurança dos alimentos. Entretanto, outros aspectos podem ser incluídos neste quesito, como melhorias na logística, de modo evitar desperdício e contaminação. Na Nanox, os estudos de segurança dos alimentos e shelf-life são desenvolvidos em conjunto com os fabricantes de alimentos e seus fornecedores de embalagens, uma vez cada caso é definido, conforme o potencial alcançável para o cliente. “Desde sua fundação, a empresa realiza trabalhos em cooperação com universidades e centros de pesquisas. Essas parcerias incluem da validação de produtos até criação de conceitos e estudos científicos no estado da arte em materiais,” informa Minozzi. Segundo ele, dentro do segmento de embalagens plásticas para alimentos, ocorrem lançamentos EDITORA B2B

revistapack190.indd 31

31

18/6/2013 11:50:16


Foto: Divulgação

capa

combinam a características de diferentes materiais para se aumentar a barreira da embalagem. “Os desenvolvimentos mais significativos estão nos responsáveis em tornar as embalagens mais sustentáveis, através da utilização de filmes e materiais de alta tecnologia, que aumentam a barreira da embalagem protegendo o produto final de agentes degradantes (oxigênio e luz). Nos esforçamos na confecção de embalagens mais leves. Destacamos, ainda, que a proteção do produto final é importante e uma função fundamental da embalagem, pois seu descarte tem impacto negativo ao meio ambiente”, lembra Ponce. Estímulo Integrante de um grupo industrial que produz embalagens rígidas de plástico para algumas das empresas dos setores de alimentação, bebidas, higiene pessoal e de casa e óleos e lubrificantes, a Logoplaste considera o crescente interesse dos consumidores por alimentos naturais como um aditivo estratégico para o surgimento de novas técnicas, visando proteger os produtos de maior valor nutritivo. Nesse sentido, “a grande novidade é a introdução da nanotecnologia nas resinas de base, permitindo melhorias significativas na performance das embalagens”, destaca Paulo Correia, R&D diretor do Grupo Logoplaste. Performance* 2012 Faturamento R$ 431,6 bilhões Crescimento nominal em valor de produção 12,60% Crescimento da produção física 3,59% Crescimento das vendas reais 4,55% Comércio Exterior* Exportações US$ 43,4 bilhões Importações US$ 5,6 bilhões Saldo Comercial US$ 37,8 bilhões Mercado Interno* Varejo alimentar R$ 227,6 bilhões Food Service R$ 100,5 bilhões Total Mercado Interno R$ 328,1 bilhões Emprego* Nível de emprego 1.633 milhão Novos postos de trabalho 49 mil

De um modo geral, a empresa investe 3% do seu faturamento em inovação, percentual distribuído entre todas as empresas do grupo, em diferentes áreas e segmentos. Muito embora ofereça soluções otimizadas, a Logoplaste reconhece que “o mercado de embalagens com shelf life é limitado, ou como referimos internamente aos produtos ‘sensíveis’ de um target privilegiado”, comenta o diretor afirmando, no entanto, que a empresa busca crescer mais acentuadamente nesse segmento. Segundo Correia, que concedeu entrevista à Revista Pack diretamente do seu escritório em Portugal, a Logoplaste tem várias soluções já industrializadas. São elas: EBM seis camadas para produtos lácteos enriquecidos para bebês, EBM três camadas para produtos lácteos sensíveis à luz, EBM três camadas para cosméticos, injecção de uma camada, duas e três camadas para PET para produtos sensíveis à luz, CO2 e O2, embalagens em PET mono, duas ou três camadas, para proteção à luz, CO2 e O2. Dentre os principais clientes da Logoplaste, figuram Heinz, Shefa, Danone, Asturiana e Lactalis. “Para todas as embalagens da Heinz desenvolvemos uma solução técnica usada na Europa. Outro caso de pioneirismo que mencionamos é a Shefa com duas camadas para proteção à luz”, exemplica o diretor do Grupo que possui unidades em 18 países.

INFORMAÇÕES DIXIE TOGA WWW.DIXIETOGA.COM.BR - (11) 2928- 2249 ALCOA WWW.ALCOA.COM.BR - 08000159888 LOGOPLASTE DO BRASIL WWW.LOGOPLASTE.COM - (11) 2132-0400 NANOX WWW.NANOX.COM.BR – (16) 3364-2235

* Consolidado anual até dezembro/2012

32

EDITORA B2B

revistapack190.indd 32

18/6/2013 11:50:20


revistapack190.indd 33

18/6/2013 11:50:22


Foto: Divulgação

capa

34

Segmento de bebid investimentos em

EDITORA B2B

revistapack190.indd 34

18/6/2013 11:50:27


ebidas alavanca em envase

Thais Martins

Com a melhora da economia e o aumento do consumo da população, o segmento de bebidas vem registrando um aumento significativo no mercado brasileiro. Com isso, empresas apostam em tecnologias e novidades para embalagens diferenciadas de produtos

EDITORA B2B

revistapack190.indd 35

35

18/6/2013 11:50:30


Foto: Divulgação

capa Dois grandes fatores são os responsáveis pelo aumento do consumo de bebidas no Brasil: a melhora da economia e, com isso, o acesso a produtos que antes não faziam parte da mesa das pessoas; e a forte demanda por embalagens individuais para um público single. De acordo com dados do Pyxis Consumo, do IBOPE Inteligência, o mercado de bebidas deve movimentar este ano aproximadamente R$ 6,8 bilhões e o potencial de consumo se concentra nas classes B (41,9%) e C (39,3%), enquanto as classes A e D representam 12% e 6,7% dos gastos, respectivamente.

Silvio Rotta, diretor comercial da Krones 36

Linha de envase da Optima do Brasil

A venda de produtos da Krones ultrapassou a casa de R$ 1 bilhão no ano passado. De acordo com Rotta, a parte de envase fica responsável por cerca de 60% deste valor. “Para os próximos anos investiremos no pós-venda, na parte comercial e na divulgação, pois já adquirimos todo o maquinário necessário, inclusive para atender as demandas da Copa do Mundo e das Olimpíadas. Também estamos preparados para o fato da economia ter uma certa retração, já que não está tão boa como antes”. O crescimento no mercado de sucos, néctares e bebidas de soja tem impulsionado o resultado da Tetra Pak. O volume de embalagens cartonadas fornecidas para estas indústrias apresentou um aumento de 25% em 2012 se comparado com o ano anterior. “Somos líder mundial em soluções para processamento e envase de alimentos, e obtivemos um crescimento de 9% no faturamento bruto no Brasil, atingindo R$ 4,3 bilhões. O incremento também foi impulsionado pela maior oferta de serviços técnicos na área de envase, processamento e venda de equipamentos”, diz o presidente Paulo Nigro.

Uma das categorias que mais têm se destacado na Tetra Pak é a de embalagens menores (portions packs) para consumo “on the go”. “Creditamos este fato principalmente por conta do aumento da urbanização e por atender a preferência do público jovem e das pessoas que moram sozinhas”, explica Nigro. Outra empresa que já notou esta tendência pelas embalagens individuais é a Optima do Brasil. O diretor geral, Rolf Geissinger, aponta Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

“De uns cinco anos para cá, o mercado tem crescido consideravelmente e isto fez com que a indústria de bebidas apostasse mais em inovação, equipamentos e tecnologia. Nosso investimento tem sido na ordem de R$ 10 a R$ 15 bilhões em todo o processo, desde capacitação até a linha de envase e divulgação dos produtos”, afirma Silvio Rotta, diretor comercial da Krones, que este ano tem a meta de inaugurar em Diadema, São Paulo, um centro de treinamento com ênfase em sistemas de envase, com um aporte de cerca de R$ 13 milhões.

Rolf Geissinger, diretor da Optima

EDITORA B2B

revistapack190.indd 36

18/6/2013 11:50:36


O MERCADO DE BEBIDAS DEVE MOVIMENTAR ESTE ANO APROXIMADAMENTE R$ 6,8 BILHÕES E O POTENCIAL DE CONSUMO SE CONCENTRA NAS CLASSES B (41,9%) E C (39,3%), ENQUANTO AS CLASSES A E D REPRESENTAM 12% E 6,7% DOS GASTOS, RESPECTIVAMENTE.

Inkjett sem sujeira, sem manutenção preventiva e sem solvente.

que na América Latina há um forte movimento de redução das embalagens com versões single size e porções individuais, que são práticas, estimulam a experimentação e também dão um toque de sofisticação, como é o caso das cápsulas de café. “Anualmente dedicamos 10% do faturamento em pesquisa em desenvolvimento. Com base nessas demandas, oferecemos equipamentos com design modular que disponibilizam uma ampla variação de módulos para incrementar capacidades e atender a novos formatos de produtos”. Nesta vertente, Geissinger destaca o desenvolvimento de um equipamento para envase e fechamento de aditivos líquidos com o que há de mais moderno em tecnologia para higienização. “A linha foi equipada com um sistema de área protegida de envase e fechamento com fluxo laminar. A função Clean-In-Pace (CIP) garante a higienização do sistema para troca de produtos, garantindo a segurança do produto final”. Já a Dori Alimentos registrou o dobro de volume em sua capacidade de produção nos últimos quatro anos e, com isso, criou-se um gargalo na linha de empacotamento. “A solução foi terceirizar este processo. Investimos em outros formatos de embalagens que não são flexíveis, como as caixas cartonadas. Nossa meta é investir mais nas bases de clientes, aumentar o volume de produção/venda, associando com a nossa capacidade de envase. Até 2015 a intenção é crescer de 70 a 80% e os eventos sazonais, como a Copa do Mundo e as Olimpíadas, serão responsáveis por 25% do faturamento”, revela o gerente de marketing, Jean Carlos Paiva.

A grande aposta da SIG Combibloc para o mercado brasileiro é a tecnologia drinkplus, que possibilita o envase de pedaços de frutas, vegetais e cereais em grãos em bebidas acondicionadas em embalagens cartonadas assépticas. De acordo com a gerente de marketing da SIG Combibloc da América do Sul, Luciana Galvão, esta técnica possibilita o envase de produtos com até 10% de partículas e os pedaços podem ter até seis milímetros de comprimento e diâmetro. “Outra vantagem é o canudo compatível com o tamanho das partículas, permitindo o consumo da bebida até em movimento”, explica.

Foto: Divulgação

Inovação

Luciana Galvão, gerente de marketing da SIG Combibloc da América do Sul

Rua Olegário Herculano, 320 – Vl. Dayse CEP: 09732-570 – São Bernardo do Campo – SP Fone / Fax: 11 4331-4490 / 0800 775 2255 www.inkjett.com.br e-mail inkjett@inkjett.com.br EDITORA B2B

revistapack190.indd 37

37

18/6/2013 11:50:38


capa

Sistema de Stand up pouch Tambaú

Com crescimento de 20% e investimento na ordem de R$ 2 milhões, a Tambaú aposta na linha stand up pouch para seus molhos de tomates, creme de goiaba e produtos food service. “O envase de filme flexível stand up pouch é a grande novidade do mercado não só para a área de alimentos e bebidas, como para outros segmentos, como limpeza, cosméticos etc.”, exemplifica a diretora industrial da Tambaú, Francisca Melo. Para a Tetra Pak, o mercado de bebidas vem se desenvolvendo com produtos diferenciados, como a mistura de soro de leite com suco, água de coco saborizada e sucos integrais. Para entregar essas novidades ao consumidor, as embalagens também têm de ser diferenciadas, como novos formatos, designs, tamanhos e opções de aberturas. “Uma de nossas apostas é a produção Tetra Evero Aseptic, primeira garrafa cartonada asséptica para o leite. Nossa máquina de envase é capaz de produzir até dez mil embalagens deste produto por hora. Com o sistema de abertura em um passo – One Step Opening 38

– a embalagem mantém o leite por até seis meses sem precisar de refrigeração ou conservantes”, detalha o vice-presidente de Estratégia de Negócios da Tetra Pak, Eduardo Eisler. No equipamento de envase da Tetra Pak, o corpo cartonado e a tampa são colocados no molde antes da injeção do topo plástico. A tampa é aplicada a um mandril rotativo e, em seguida, o corpo da embalagem cartonada é inserido. O mandril é transferido para o molde, onde o plástico é injetado em apenas 40 milissegundos. “Com um ciclo total de apenas 1,44 segundos, este é o sistema de injeção de plástico mais rápido do mundo e o primeiro integrado em uma máquina de envase asséptico de embalagens cartonadas, simplificando o processo e possibilitando baixos custos com alta produtividade”, finaliza Eisler.

Vice-presidente de Estratégia de Negócios da Tetra Pak, Eduardo Eisler.

INFORMAÇÕES

Dori Krones Optima do Brasil Tambaú Tetra Pak

(14) 3408-3000 (11) 4075-9500 (19) 3886-9800 (81) 2137-9400 (11) 5501-3200

www.dori.com.br www.krones.com.br www.optima-bra.com www.tambau.com www.tetrapak.com.br

EDITORA B2B

revistapack190.indd 38

18/6/2013 11:50:41


revistapack190.indd 39

18/6/2013 11:50:43


Analice Fonseca Bonatto

LEITURA

ENTREVISTA |PAULO ROBERTO LEITE

No livro “Logística Reversa: meio ambiente e competitividade”, o professor, engenheiro e presidente do Conselho de Logística Reversa do Brasil (CLRB), Paulo Roberto Leite, trata da inclusão da logística reversa na reflexão estratégica das organizações, que constitui em uma diferenciada visão de operação empresarial, resultando em melhoria de competitividade, retornos financeiros e significante passo na busca pela consolidação da imagem corporativa.

De fato, a logística reversa de pós-venda é uma preocupação maior das empresas, pois se relaciona à competitividade. O cenário de pós-consumo no Brasil é de efervescência em diversos setores, incluídos ou não na Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), seja para obedecer à legislação; pela previsão que a lei os atingirá ao longo do tempo; ou, ainda, pela modificação que a lei já está provocando no mercado. Verticalizações, novas empresas, aquisições, entre outros movimentos empresariais, estão sendo observados. Prevejo dificuldade e oportunidades na capacidade de tratamento adequado das quantidades de resíduos que estarão no mercado em um futuro próximo. Daqui para frente todos os setores deverão adequar o seu retorno. As empresas já estão estabelecendo ações conjuntas? Podemos citar boas práticas? A prioridade é para os setores ainda não organizados que estão explicitamente citados na PNRS, ou seja, principalmente os eletroeletrônicos, lâmpadas de mercúrio, pilhas e baterias. Pneus, óleo lubrificante e embalagens de agrotóxicos são cadeias reversas com certo grau de 40 40

eficiência que estão funcionando desde 2000. Estes três últimos setores apresentam, em graus diferentes, ações conjuntas e o caso das embalagens de agrotóxicos pode ser entendido, atualmente, como o benchmark do mercado. No restante dos setores, ainda estamos engatinhando em termos de ações conjuntas e compartilhadas, mas a minha expectativa é de otimismo.

Fotos: Divulgação

A maior parte das empresas já trabalha com a logística reversa pré-consumo. Qual o cenário deste mercado hoje no Brasil, professor?

Qual é o custo para as empresas? Acarreta no preço final do produto? Quais as oportunidades de lucro com a logística reversa? Se nos referirmos somente ao pós-consumo, as oportunidades são boas para empresas de reaproveitamento de produtos usados: remanufatura, manufatura reversa, reciclagem e os serviços adjacentes que devem apresentar lucratividade interessante como prestadores de serviço. Se o produto apresenta interesse econômico no seu reaproveitamento, então não é necessária nenhuma lei. Caso de muitos produtos que são remanufaturados e reciclados por empresas independentes dos fabricantes originais (tornando-se concorrentes destes se os mesmos não entrarem no mercado!). Por outro lado, aqueles produtos que não ‘voltam sozinhos’, certamente por interesse econômico, terão o

equacionamento de sua logística reversa subsidiados de alguma forma. Mesmo com a venda de alguns componentes ou materiais constituintes, não haverá lucratividade própria, salvo raríssimas exceções, e então os custos serão repassados para o preço dos produtos.

Autor: Paulo Roberto Leite Editora: Pearson Número de páginas: 256 Preço: R$ 75,60

EDITORA EDITORA B2BB2B

revistapack190.indd 40

18/6/2013 11:50:55


pack leitura

DICA DO ESPECIALISTA Livro indicado por Assunta Napolitano Camilo, diretora do Instituto de Embalagens e da Consultoria FuturePack, e pelo presidente da Seragini Design e Innovation, Lincoln Seragini Design de embalagem - do marketing à produção Foto: Divulgação

Neste livro, o leitor pode se aprofundar em três áreas fundamentais no desenvolvimento de embalagens – marketing, projeto e produção. A obra é direcionada aos especialistas e estudantes de marketing, administração, engenharia, design, além de todo o público interessado em conhecer sobre o importante segmento de embalagem.

RES BRASIL

Autor: Celso Negrão e Eleida Pereira de Camargo Editora: Novatec Editora Número de páginas: 336 Preço: R$ 82

DESTAQUE A publicação proporciona uma base mínima sobre criatividade, considerada pelos editores, ao lado da inovação, indispensável para atender as demandas do mercado, além de oferecer dicas de como incorporá-la nas organizações. O livro traz também várias perspectivas para o leitor investigar a criatividade e, por meio de temas específicos, ser capaz de identificar seu próprio potencial criador, e apontar procedimentos e métodos para o seu aprimoramento e aplicação.

Foto: Divulgação

Criatividade e inovação na empresa: do potencial à ação criadora

Autor: Stela Maris Sanmartin Editora: Trevisan Número de páginas: 144 Preço: R$ 34,90

EDITORA B2B

revistapack190.indd 41

41

18/6/2013 11:51:07


De acordo com Pellicciari, a Natura também investiu em uma nova forma de produção, com algumas máquinas adquiridas exclusivamente para a fabricação dos itens da marca. “Usualmente, uma embalagem chega à fábrica em diversas partes – frasco, válvula, tampa, rótulo –; porém, no caso de SOU, a embalagem adquire seu formato final no mesmo local e ao mesmo tempo em que o produto é envasado”. SOU chega à fábrica na forma de rolo de filme plástico; em seguida, entra em uma única máquina que sela o filme, corta no formato da embalagem, recebe o produto e coloca a tampa.

“As embalagens têm um design inteligente, utilizam menos matéria-prima e evitam desperdício. Há muitos anos, oferecemos e incentivamos o uso de refis, vegetalizamos nossas fórmulas, usamos ingredientes de fonte renovável e valorizamos a biodiversidade brasileira. Temos o compromisso com a redução das emissões de carbono e incluímos a tabela ambiental em nossos produtos”, explica a gerente de marketing da SOU, Fabiana Pellicciari.

“Por causa do formato em que recebemos a embalagem (em rolos de filme), para cada mil embalagens vazias de SOU, seria possível transportar apenas 28 das tradicionais do mercado. Menos transporte significa menos gasto de combustível e poluição”, garante a gerente.

Com embalagem moderna, prática, leve e fácil de usar, SOU se caracteriza também pelo aspecto “molinho”, que permite usar até a última gota dos produtos. Já o design foi inspirado na simplicidade das soluções naturais: a gota, a forma mais essencial que um líquido pode ter. O formato é único para toda a linha, apenas com cores que diferenciam as categorias: os verdes limpam, os azuis hidratam e os que possuem tons quentes, como vermelho, tratam. 42

revistapack190.indd 42

O estudo da cadeira de ponta a ponta foi essencial para otimizar recursos, ganhar eficiência e reduzir o impacto ambiental em cada etapa do processo. “Assim foi possível chegar a soluções para SOU que geram menos lixo, menor gasto de energia, menos transporte e, consequentemente, menos poluição. Isso tudo também gerou uma economia no processo, o que nos possibilitou oferecer preços mais econômicos. Queremos democratizar a sustentabilidade, ampliar o convite a um novo consumo e oferecer toda a qualidade Natura para muito mais gente”, finaliza Pellicciari.

Fotos: Divulgação

Produtos que propõem um consumo mais inteligente e menos consumista, com menos excessos. Foi neste contexto que nasceu SOU, marca da Natura, de produtos para o corpo e cabelos desenvolvidos a partir de um processo inteligente, com menos desperdício e impacto ambiental. E as embalagens nem bem nasceram e já se destacaram: em formato de stand-up pouch, criadas pelas agências Tátil e Questto Nó Embalagem, foram ganhadoras do iF Product Design Award, por emitirem cerca de 60% a menos de CO2 e gerarem três vezes menos resíduos durante o processo de fabricação.

Fotos: Divulgação

Embalagens SOU, da Natura, vencem If Product Design Award

Para continuar evoluindo na

redução de impacto ambiental,

Natura lançou o “Desafio Natura Campus de Embalagens Flexíveis”. A proposta é a

conectar uma rede externa de pesquisadores para gerar e compartilhar conhecimento, e ajudar com propostas para a reciclagem das embalagens

SOU.

EDITORA B2B

18/6/2013 11:51:19


ABRE adere ao Global Language for Packaging and Sustainability O Comitê de Meio Ambiente e Sustentabilidade da Associação Brasileira de Embalagem (Abre), aderiu ao “Global Language for Packaging and Sustainability” desenvolvido pelo Consumer Goods Forum. O documento, uma plataforma global com sistemas e métricas para toda cadeia produtiva de embalagens e bens de consumo, orienta e fundamenta decisões para o desenvolvimento sustentável deste setor. Ele também abre caminho para uma cooperação significativa de todas as indústrias brasileiras de embalagem, harmonizando os parâmetros mundiais da Análise de Ciclo de Vida (ACV). Para a ABRE, a tradução do do-

cumento para o português busca o alinhamento da indústria nacional frente aos conceitos e premissas que vêm sendo trabalhados mundialmente para o desenvolvimento sustentável da embalagem e aplicação de ACV, atrelado às diferentes interfaces técnicas, regulatórias e mercadológicas que balizam o desenvolvimento das embalagens no mundo. Este conhecimento deve ser integrado aos stakeholders, resultando no entendimento e consequente avanço global das práticas e dinâmicas da sociedade. “O tema desenvolvimento sustentável vem se consolidando no Brasil por meio de inúmeras iniciativas adotadas por empresas, sociedade

civil e governo. Este é o momento ideal para fortalecer os programas em curso, alinhando-os aos conceitos internacionalmente trabalhados”, afirma Luciana Pellegrino, diretora executiva da Associação. De acordo com Pellegrino, ao traduzir o documento, oferece-se ao setor uma linguagem comum que permite uma discussão inteligente e esclarecida sobre o desenvolvimento sustentável de embalagens considerando todo o produto e a cadeia produtiva. “As empresas terão uma referência internacional para tomada de decisões mais consistente”, complementa a executiva. Abre - Associação Brasileira de Embalagem www.abre.org.br

EDITORA B2B

revistapack190.indd 43

43

18/6/2013 11:51:24


A Brinquedos Bandeirante está lançando mais um brinquedo da série Hot Wheels, a Ban Moto. Febre entre a garotada, o produto chega ao mercado com câmbio duas marchas, frente e ré, e módulo eletrônico que emite diversos sons, entre eles a buzina. Porém, a empresa não se preocupa só em agradar os pequenos. A caixa que embala a sensação do momento é fabricada com papelão ondulado reciclado de aparas do próprio processo. “Utilizamos materiais 100% recicláveis e biodegradáveis para contribuir com a preservação do meio ambiente, como cola à base de amido de milho e tintas à base

de água. Somos muito comprometidos com esta questão e, inclusive, nossas embalagens são certificadas pela REACH e RoHS, o que garante a ausência de substâncias e metais pesados, nocivos à saúde humana e ao meio ambiente”, afirma Eliana M. Nogueira, diretora geral da Embalagens Mara Ltda., empresa que produz as caixas para a Brinquedos Bandeirante. Com novo design, a Ban Moto Hot Wheels é movida por bateria recarregável de 6 volts – acompanha carregador automático 127/220V, e chega à velocidade de até 3,5 km/h. A moto suporta até 21 kg e crianças com altura máxima de um metro e 12 centímetros.

Foto: Divulgação

Embalagem da Hot Wheels é 100% reciclável e biodegradável

Atuando há 61 anos no mercado brasileiro, a empresa elabora produtos que estimulam o equilíbrio, a coordenação motora, a imaginação e a criatividade, proporcionando o desenvolvimento divertido e saudável das crianças. elétrica está entre os

A moto 55 lançamentos da

nova coleção que apresenta novidades nas sete categorias da

Bandeirante.

Brinquedos

Prolata divulga plano de ações para fomentar a logística reversa A Associação Prolata Reciclagem, em parceria com a Associação Brasileira dos Fabricantes de Tintas (Abrafati), apresentou ao Ministério do Meio Ambiente (MMA) proposta de acordo setorial para a logística reversa de embalagens de aço. Trata-se de um conjunto de ações que serão colocadas em prática em cumprimento à Política Nacional de Resíduos Sólidos – PNRS, instituída pela Lei nº. 12.305/2010 e pelo Decreto nº. 7.404/2010. De acordo com a PNRS, os fabricantes, importadores, distribuidores e comerciantes são obrigados a estruturar e implementar sistemas de logística reversa, mediante 44

retorno dos produtos após o uso pelo consumidor. Hoje, o mercado nacional consome em média sete milhões de toneladas de aço pós-consumo por ano e o descarte adequado de latas de aço pós-consumo é capaz de gerar apenas 600 mil toneladas por ano em média. “O mercado é capaz de absorver e revalorizar 100% das latas de aço pós-consumo”, afirma Thais Fagury, gerente executiva das associações Prolata e a Associação Brasileira de Embalagem de Aço (Abeaço). Com o início destas ações, a Prolata projeta reciclar 35% das embalagens de aço até o final de

2015, 40% até 2019, 45% até o ano de 2023, 50% até 2027 e 60% das embalagens até 2031, metas acima das estipuladas pelo MMA.

Cinco motivos para reciclar latas de aço pós-consumo: 1.

2. 3. 4. 5.

Cada tonelada de aço reciclado poupa-se 1,5 toneladas de minério de ferro, 0,65 tonelada de cal e 0,3 tonelada de calcário; A reciclagem é infinita, ou seja, o material é 100% reaproveitado inúmeras vezes; A lata de aço pós- consumo retorna ao processo de fabricação de novo aço; A lata de aço não perde as características iniciais do metal após a reciclagem; A compra é garantida, já que toda usina siderúrgica funciona como planta recicladora.

EDITORA B2B

revistapack190.indd 44

18/6/2013 11:51:30


revistapack190.indd 45

18/6/2013 11:51:34


Foto: Divulgação

especial MULTIVAC

Nova geração de termoformadoras para embalar queijos

T

Atendendo a um mercado cada vez mais exigente e atento às normas de segurança alimentar e ao aumento do shelf life 46

EDITORA B2B

revistapack190.indd 46

18/6/2013 11:51:37


A

Multivac desenvolve equipamentos para embalar desde 1961, com uma produção anual superior a 1.200 máquinas termoformadoras, colocando-se como líder mundial dos segmentos de embalagens a vácuo ou atmosfera modificada. A companhia apresenta diversificadas soluções de embalagens com uma variedade de termoformadoras Multivac: desde linhas de alta velocidade até os centros flexíveis de embalamento com programas curtos para dimensões variáveis, dependendo da necessidade de seus clientes. Acreditando em um mercado cada vez mais exigente e atento às normas de higiene e funcionalidade, a empresa desenvolveu uma linha de máquinas exclusivas para o embalamento de queijos que possui benefícios proporcionados pelas embalagens termoformadoras como: formação, enchimento e selagem numa só máquina, método de criação e selagem em sistemas herméticos, formato adequado para cada tipo de embalagem, nível controlado de vácuo ou atmosfera modificada, facilidade de enchimento com a maior largura das embalagens e de automatização do enchimento e descarga das embalagens. Segundo Michael Teschner, diretor da Multivac do Brasil, entre as inúmeras vantagens da embalagem termoformadoras, está o aumento do shelf life, que significa uma redução de desperdícios e ganhos reais em rentabilidade. As termoformadoras Multivac atendem a pequena, média e grande empresa. Outra vantagem do equipamento encontra-se no baixo custo da embalagem, que se mostra bem competitivo em relação às atuais, como bandeja isopor e PVC, ou saquinhos de vácuo. Há a versatilidade do

Claudio Costa (Bela Vista), Vinicius Castro (Italac), Michael Teschner (Multivac do Brasil) e João Demenek (Ejo Consulting).

“Este conceito é bem aceito, porém temos ainda que trabalhar com o varejo e, consequentemente, com o consumidor brasileiro, que aos poucos entenderá as vantagens trazidas por embalagens como estas, como a segurança alimentar. Realmente ousamos em dar passos à frente, mas que certamente gerarão retornos dos investimentos. sistema de corte que possibilita a apresentação final do produto em bandejas com diversas opções ou em unidades especiais de acordo com a necessidade do cliente. A escolha pelas embalagens termoformadoras é uma realidade nos mercados europeus e americanos, e até em alguns países da América Latina. Assim, os profissionais da cadeia produtiva brasileira têm optado pelo caminho dessas práticas e inovadoras embalagens, o que traduz ousadia e visão de mercado. Como é o caso de Elio Morgado, diretor da Schreiber Foods do

Brasil, que atualmente é um dos clientes da Multivac. “Este conceito é bem aceito, porém temos ainda que trabalhar com o varejo e, consequentemente, com o consumidor brasileiro, que aos poucos entenderá as vantagens trazidas por embalagens como estas, como a segurança alimentar. Realmente ousamos em dar passos à frente, mas que certamente gerarão retornos dos investimentos”. INFORMAÇÕES MULTIVAC Tel.: (41) 3348-4801| www.multivac.com

EDITORA B2B

revistapack190.indd 47

47

18/6/2013 11:51:44


Segurança, saúde, bem-estar e prazer!

Foto: Leandro Andrade

direto da gôndola

Assunta Napolitano Camilo*

O direto da Gôndola deste mês fala da visita a um dos pontos de venda que mais crescem nas capitais: os Sex Shops estão mais ousados nas suas embalagens

O

Foto: Divulgação

ritmo frenético herdado com o novo estilo da vida urbana nos mantém cada dia mais conectados informados e muita das vezes, angustiados com a velocidade em que as coisas acontecem. A busca e a cobrança pelo sucesso é uma constante, para alcançá-lo temos que estar cada vez mais atentos na saúde, na segurança e no bem-estar. A indulgência, o prazer, as premiações à medida que conquistamos cada etapa tornam-se importantes. A expectativa de vida cresce e com ela esperamos no mesmo patamar uma qualidade melhor. Atualmente, os grandes laboratórios estão investindo pesado em pesquisas para desenvolver produtos que atraiam a faixa etária que mais cresce e que representa números consideráveis no poder aquisitivo para comprar. As empresas de produtos pessoais estão investindo pesado e criam toda a sorte de produtos e embalagens para agradar o pessoal da melhor idade. Um dos produtos na nova era que mais fez, e ainda faz, sucesso é o famoso Viagra®, Cialis® entre outros que prometem o que os consumidores querem, uma melhor performance. A indústria de lingerie também engrossa a lista de categorias que seguem investindo para atender a demanda que quer compartilhar bons momentos com muita elegância. Algumas empresas têm se especializado em entregar mais felicidade e qualidade aos consumidores ávidos por novidades e isso se constata na pesquisa desse mês. Ao visitar um Sex shop encontramos várias linhas de produtos fabricados por grandes empresas como a J&J, por exemplo, que tem vários clássicos como no caso do KY®, e seguem inovando em suas embalagens; a Ansell também que recentemente recebeu um prêmio de inovação de embalagem na cidade de Chicago (ver Pack 188 de abril/13). A Soft Love, empresa que produz e distribui produtos para a “intimidade” (eróticos & sensuais), acompanhando as tendências, acaba de lançar uma linha de

48

géis corporais em bisnagas. Destacaria a criatividade na escolha dos nomes e cores, como “Tons de cinza” e outra com o arco íris na decoração, com clara alusão ao livro homônimo e a comunidade GLS. Inegável a melhoria e o investimento na segurança e qualidade dos produtos da categoria, o que antes era adaptado, agora possui embalagens próprias e muitas vezes exclusivas. Os lacres e outros atributos de segurança estão sempre presente. A Pfizer reformulou o cartucho do Viagra, investindo em aspectos de segurança, para diminuir as possibilidades de fraudes e tranquilizar seus consumidores. A opção pelas bisnagas é uma ótima, já que permite uma solução rápida, que não requer moldes nem grandes lotes mínimos. Para o consumidor é uma embalagem segura (pode ser selada e lacrada) fácil de transportar e usar. Embalagem melhor. Mundo melhor e mais feliz! Assunta Napolitano Camilo: Diretora da FuturePack - Consultoria de Embalagens e do Instituto de Embalagens - Ensino & Pesquisa. Profissional de embalagens há 30 anos. Pesquisa feiras e PDVs do mundo desde 1986. Articulista, professora e palestrante internacional de embalagens. Coordenadora dos livros: Embalagens Flexíveis; Embalagens de Papelcartão; Guia de embalagens para produtos orgânicos; Embalagens: Design, Materiais, Processos, Máquinas & Sustentabilidade. Coordenadora do Kit de referências de Embalagens. Membro do Conselho Científico-Tecnológico do ITEHPEC.

EDITORA B2B

revistapack190.indd 48

18/6/2013 11:51:48


revistapack190.indd 49

18/6/2013 11:51:51


especial FEIPLASTIC

Foto: Divulgação

Uma verdadeira feira de negócios

50

EDITORA B2B

Por: Tatiana Karpovas

Este é o sentimento geral dos expositores ao final da Feiplastic 2013, realizada de 20 a 24 de maio, no Anhembi, em São Paulo 50

revistapack190.indd 50

EDITORA B2B

18/6/2013 11:51:55


A

indústria do plástico ganhou muito com a Feiplastic 2013 - Feira Internacional do Plástico. Um otimismo geral, seja com a realização de negócios ou com a intensa visitação, foi sentido nos estandes. Realizada pela primeira vez com a nova nomenclatura, a feira (antiga BrasilPlast) cumpriu seu papel de plataforma de negócios: cerca de R$ 43 milhões foram negociados nos cinco dias de evento. A feira ocupou 85 mil m2 do pavilhão de exposições do Anhembi, em São Paulo, entre os dias 20 e 24 de maio, e recebeu 69.150 visitantes de um público segmentado, o que, de acordo com os expositores, confere ao evento dinamismo e qualidade ímpares.

Durante a feira, a Rulli Standard apresentou a nova Spartacus 800, extrusora de três camadas e 2,5 metros de largura. Por meio de novos recursos, como a implementação de um anel de ar importado da Itália, esse equipamento é capaz de atingir o máximo de sua produção. O destaque da Polimáquinas ficou por conta da linha de máquinas de solda pouch, mercado no qual o Brasil está iniciando, mas não é novo. Hoje, cerca de 90% dos produtos são empacotados em soldas pouch, stand-up ou não, e o Brasil está seguindo esse caminho. As soldas pouch são mais largas, podendo acondicionar alimentos que precisam de maior proteção. A Wittmann Battenfeld demonstrou a injetora MicroPower, voltada para tecnologia de microinjeção, modelo de 15 t de força de fechamento e peso máximo de injeção 3g.

MicroPower Wittman Battenfeld

injetora da

Entre os expositores estavam 673 empresas e 1.402 marcas, sendo 144 novas empresas participantes interessadas em ampliar presença no mercado brasileiro e concretizar negócios. Um dos destaques foi a presença de estrangeiros, como os japoneses, chineses e representantes da América Latina. A visitação cada vez maior de estrangeiros nas feiras nacionais vem chamando a atenção dos expositores e mudando o caráter desse tipo de evento, antigamente voltado para o relacionamento entre cliente e fornecedor e para coleta de informações de mercado. Hoje, as feiras são de negócios e a Feiplastic cumpriu esse papel. Equipamentos Os representantes do setor de máquinas se mostraram muito otimistas com relação ao desempenho do mercado no primeiro semestre de 2013. O ano já começou mais aquecido para o setor e o recente anúncio do presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Luciano Coutinho, em relação à priorização do crédito para máquinas este ano empolgou os fornecedores e visitantes do segmento. EDITORA B2B

revistapack190.indd 51

51

18/6/2013 11:52:00


especial FEIPLASTIC

O principal equipamento exibido pela SEW-Eurodrive foi o Redutor Compact MC para extrusoras, que oferece opções em oito tamanhos com eixos paralelos ou ortogonais, carcaça monobloco e posições de montagem universais. Os produtos apresentam redução mínima de 7 e torque máximo de até 65 kNm. Este equipamento é utilizado com bastante aproveitamento de espaço devido ao seu tamanho compacto, maior rendimento mecânico, capacidade de absorção de esforços e potência térmica. Plásticos A Cromex participou da Feiplastic com as linhas de masterbatches brancos, pretos e coloridos, além das especialidades, soluções voltadas para plástico de engenharia, BOPP e a linha sustentável de cores e aditivos voltados aos biopolímeros de fontes renováveis (PE verde) e para biodegradáveis. A empresa também atua na produção de masterbatches livres de metais pesados.

Foto: Mathias Cramer

O equipamento produz “clip cirúrgico” para a indústria médica, com peso de 0,003g em POM, em um molde de quatro cavidades com tempo de ciclo de apenas quatro segundos. As peças são removidas por robô Wittmann e 100% inspecionadas por uma câmara integrada na célula de produção, controladas pelo sistema de qualidade no comando da injetora, que garante a qualidade total das peças produzidas.

A Braskem levou a linha Maxio®, criada para diferenciar as resinas do portfólio da companhia que oferecem maior eficiência à cadeia do plástico e minimizam o impacto ambiental no processo de transformação. Seus benefícios são a redução do consumo de energia com o processamento a temperaturas mais baixas, diminuição do ciclo produtivo, eliminação de etapas e redução no uso de matéria-prima com a manutenção das propriedades do produto final. A empresa destacou também o PVC para telhas cuja, mais leve e moderno que a telha convencional. Além disso, do ponto de vista doméstico, o novo produto propicia certo conforto térmico, ocasionando redução no custo de energia, já que o plástico é um isolante.

Foto: Divulgação

Foto: Mathias Cramer

A linha Ecovio foi uma das apostas da Basf para o segmento de embalagens apresentadas na Feiplastic. Trata-se de uma linha de plásticos biodegradáveis compostáveis, que era feita somente para filme e hoje tem dois grandes novos mercados: termoformagem e injeção por moldagem. No lixo orgânico, por exemplo, esse plástico se transforma em gás carbônico, água e adubo.

Bandeja termoformada INFORMAÇÕES Rulli Standard: (11) 2486-0006 www.rullistandard.com.br Polimáquinas: (14) 4009-2004 www.polimaquinas.com.br Wittmann Battenfeld (11) 3699-2883 www.wittmann-group.com

52

Sew-Eurodrive (11) 2489-9133 www.sew-eurodrive.com.br Cromex (11) 3856-1000 www.cromex.com.br Braskem (11) 3576-9000 www.braskem.com.br Basf (11) 2039-2273 www.basf.com.br

EDITORA B2B

revistapack190.indd 52

18/6/2013 11:52:19


revistapack190.indd 53

18/6/2013 11:52:21


de PreferĂŞncia PACK

A Pesquisa Destaque

*

revistapack190.indd 54

18/6/2013 11:52:22


8ª Edição da Pesquisa Pack Numa iniciativa pioneira, em 2006, a Editora Banas, lançou a Pesquisa Pack Destaque de Preferência que tem o objetivo de qualificar os fornecedores da cadeia produtiva de embalagem. Realizada anualmente pelo Club de Pesquisa Opinião & Mercado, a Pesquisa Pack Destaque de Preferência entrevista usuários da cadeia produtiva de embalagem, que avaliamos fornecedores do setor em 56 categorias, de acordo com critérios de preferência técnicos e comerciais. Metodologia A Pesquisa Pack Destaque de Preferência é do tipo qualitativo e utiliza o método descritivo estatístico. A coleta de dados é feita por meio de questionários disponibilizados no site da revista PACK e durante as feiras mais importantes do setor de embalagem. Profissionais da cadeia produtiva do setor de embalagem de todas as regiões do Brasil fazem parte do universo da Pesquisa Pack Destaque de Preferência. MAIS INFORMAÇÕES

(11) 3500-1910 | publicidade@editorab2b.com.br

revistapack190.indd 55

18/6/2013 11:52:24


Foto: Divulgação

56

revistapack190.indd 56

EDITORA B2B

18/6/2013 11:52:28


Sanpellegrino adquire linha completa de PET da Krones

A

empresa de água mineral italiana Sanpellegrino, controlada pela Nestlé Waters, adquiriu em 2012 uma linha PET completa da Krones de alto rendimento, a 11ª linha de sua planta de Ruspino, no norte do país. A linha, com velocidade de 60 mil garrafas por hora para embalagens de 500 ml, conta com uma solução de bloco Contiform Bloc. “A qualidade tecnológica, a eficiência e a boa relação preço/rendimento foram fatores decisivos para adquirir mais uma linha da Krones”, afirma Luigi Ravasio, dirigente da Sanpellegrino. “O sistema de bloco é, atualmente, a melhor solução tecnológica para uma indústria de bebidas”, completou o engenheiro de Projetos da empresa, Stefano Ciocca. A nova linha PET da Krones conta também com duas embaladoras Variopac Pro FS, um sistema de agrupamento de embalagens Robobox e um robô de paletização Robogrip 4A. A linha está equipada com uma planta CIP, uma mescladora Contiflow e um sistema de documentação de linhas LDS da Krones. A instalação durou dois meses e seu nível de eficiência também já atingiu o grau almejado. A decisão da Sanpellegrino em adquirir mais uma linha da Krones deu-se ao sucesso da linha 10 da empresa, que também teve fornecimento da marca e uma disposição idêntica à da linha 11, com um sistema de bloco composto de uma sopradora Contiform S18, uma enchedora Modulfill VODM e uma rotuladora Topmodul, só que de menor rendimento, para 36 mil garrafas por hora (PET de 1 litro). A Sanpellegrino conseguiu aumentar claramente a sua produtividade geral nos últimos anos. Em 2006, a empresa envasava aproximadamente 965 milhões de

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

especial Krones

garrafas com o trabalho de 475 colaboradores, o que equivalia a uma produtividade de 2 milhões de garrafas por funcionário. Em 2011, esta relação de produtividade subiu para 2,74 milhões, graças aos investimentos da Sanpellegrino em alta tecnologia de máquinas para envase e embalagem de seus produtos. Atualmente, a empresa, com a sua marca S.Pellegrino, compõe o portfolio de consumo de alto padrão da Nestlé Waters, ao lado de outras marcas conhecidas mundialmente, como Perrier, Vittel, Acqua Panna e Contrex. Com um total de 16,1 bilhões de litros vendidos em 2011, segundo o Euromonitor, a Nestlé Waters é a terceira maior empresa do mundo neste setor comercial. INFORMAÇÕES Krones (11) 4075-9500 www.krones.com.br

Sanpellegrino /Nestlé 0800 979 1819 www.nestle.com.br

EDITORA B2B

revistapack190.indd 57

57

18/6/2013 11:52:30


Foto: Divulgação

Vitrine Fispal Tecnologia Seladora de tampas A empresa apresenta a Sigma III ACE – refrigerada a ar, máquina seladora de tampas por indução em linha. Possui unidade móvel para linha de troca fácil e é projetada para selar uma vasta gama de tamanhos de tampas sem necessidade de mudar o cabeçote de selagem. Pode selar tanto tampas planas quanto as tampas resistentes à criança (TRC) com o mesmo cabeçote de selagem. Tem disponível, como opcional, cabeçote de selagem personalizado, tipo canal. Oferece meios rápidos e convenientes para mover o cabeçote de selagem em sentidos ascendente e descendente; economia de energia; velocidade de 24 metros/minuto e capacidade de 200 frascos/minuto.

MCPACK Serviços e Comércio de Equipamentos Ltda. Tel.: (11) 5044-4535. Site: www.mcpack.com.br

Utilizadas em ambientes e processos de embalagem, principalmente no segmento alimentício, as armadilhas adesivas contam com luz especial ultravioleta que atrai os insetos para serem capturados por um refil adesivo descartável, lâmina plástica com uma cola especial atóxica posicionada no interior do aparelho. O refil adesivo compreende uma placa com cola especial atóxica viscosa, mais eficiente e com maior poder de adesão em áreas onde existe poeira, levando vantagem sobre a cola hotmelt. A troca do refil deverá ser feita sempre que o mesmo estiver cheio de insetos ou quando a cola perder a viscosidade por causa do excesso de poeira. A empresa dispõe de vários tipos de armadilhas, sendo que o tipo central e lateral são os mais indicados para a área industrial.

Foto: Divulgação

Armadilhas adesivas

ULTRALIGHT® Tecnologia em Armadilhas Luminosas. Tel.: (14) 3662-8580 Site: www.ultralight.com.br

58

EDITORA B2B

revistapack190.indd 58

18/6/2013 11:52:36


Vitrine Foto: Divulgação

Centrífuga para

reciclagem de plástico A centrífuga Sorticanter® Flottweg separa poliolefinas de plásticos e impurezas, de forma única com eficiência de separação de 99,99 %. Separa e drena a umidade, fazendo com que a porcentagem de umidade nos sólidos separados fique entre 2 e 20%. É adequada para a separação de plásticos como ABS, PA, PP, PE, PS, PVC, assim como para reciclagem de fibras plásticas, resíduos de cabos e, também, para classificação e lavagem de misturas plásticas como como filmes DSD, plástico misto DSD, fibras e filmes, garrafas, recuperação de granulado de PET, grânulos da produção de materiais descartáveis e retornáveis, grânulos de plásticos provenientes de aplicações médicas, isolamento de cabos, tapetes de fibras e outras fibras plásticas.

Bloco de sopro O bloco de sopro para garrafas PET conta com tecnologia patenteada de pistão plástico com eficácia comprovada. Proporciona aumento da produtividade que pode chegar a mais que 2.200 garrafas/hora por cavidade. O reduzido volume morto do bloco proporciona a utilização do ar de forma mais eficiente. Apresenta funções integradas – incluindo P1, P2, exaustão e controle de fluxo, válvulas 2/2 vias; pressão de operação: pré-sopro (P1) de 4 a 15 bar, sopro (P2) 4 a 40 bar, piloto de ar (PA S) 6 a 7 bar. Possui tecnologia avançada de vedação de alta pressão; alto fluxo de exaustão; volume morto mínimo (<35 ml); unidade de controle de fluxo opcional para pré-sopro ajustável l (P1); baixo consumo de energia (2W) e excelente tempo de resposta e repetibilidade.

Foto: Divulgação

FLOTTWEG do Brasil Ltda. Tel.: (19) 3308-1770. Site: www.flottweg.com.br

NORGREN Ltda. Tel.: (11) 5698-4000. Site: www.norgren.com.br

EDITORA B2B

revistapack190.indd 59

59

18/6/2013 11:52:47


Vitrine Fispal Tecnologia

A Sew disponibiliza diversas soluções em acionamentos, entre eles, destacam-se os servomotores CMP com os novos tamanhos 71, 80 e 100. Os servomotores apresentam carcaça compacta, com faixa de torque estático de 6,4 a 47 Nm, nas classes de rotação de 2.000, 3.000, 4.500 e 6.000 rpm e uma maior capacidade de sobrecarga. A inovação no rotor, com possibilidade de aumento da massa de inércia, permite melhorar o controle nas aplicações com massa de inércia elevadas, muito empregado em mesas giratórias, desbobinadores etc. A linha de servomotores CMP conta com tecnologia de ponta na bobinagem e nos ímãs permanentes, além de operar silenciosamente e com baixa vibração. O lançamento é amplamente utilizado em máquinas de embalagem, dosadores, mesas giratórias e aplicações que demandam por dinâmica e precisão.

Foto: Divulgação

Servomotores

SEW-EURODRIVE Brasil Ltda. Tel.: (11) 2489-9000. Site: www.sew-eurodrive.com.br

Utilizando a mais nova tecnologia “package free”, o adesivo hotmelt PSA com a embalagem 100TACK é revestido por um coating especial formulado com as mesmas bases do próprio produto, havendo integração total entre embalagem e hotmelt, garantindo 100% de fusão no coleiro. O adesivo não entope os bicos aplicadores, pois seu revestimento protetor faz parte da fórmula do produto. Apresentado em sachês menores, garante alta fusão nos coleiros e velocidade de trabalho. A embalagem apresenta um ponto de fusão de 80°C e oferece. O produto oferece excelente estabilidade térmica; baixo nível de odor na temperatura de aplicação; elevado tack superficial; alta fluidez e relação entre adesão e coesão, possibilitando ótima performance nas colagens.

Foto: Divulgação

Adesivo hotmelt

ADECOL Indústria Química Ltda. Tel.: (11) 2202-0777. Site: www.adecol.com.br

60

EDITORA B2B

revistapack190.indd 60

18/6/2013 11:52:52


Com capacidade de produção de 10 mil embalagens por hora, a máquina de envase Tetra Pak A6 iLine™ produz a embalagem Tetra Evero™ Aseptic, primeira garrafa cartonada asséptica para o leite do mundo. No equipamento de envase, o corpo cartonado e a tampa são colocados no molde antes da injeção do topo plástico. A tampa é aplicada a um mandril rotativo e, em seguida, o corpo da embalagem cartonada é inserido. O mandril é então transferido para o molde onde o plástico é injetado em apenas 40 milissegundos. Com um ciclo total de apenas 1,44 segundos, este é o sistema de injeção de plástico mais rápido do mundo e o primeiro integrado em uma máquina de envase asséptico de embalagens cartonadas. TETRA PAK® Ltda. Tel.: (11) 5501-3200. www.tetrapak.com.br

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Envasadora

EDITORA B2B

revistapack190.indd 61

61

18/6/2013 11:53:03


Foto: Divulgação

Vitrine Fispal Tecnologia

Alimentadores vibratórios Os alimentadores vibratórios Kamp estão aptos a pré-classificar, ordenar e transportar os mais variados tipos de peças e tampas; são aplicados na indústria alimentícia, bebidas, farmacêutica, de embalagens, automotiva, elétrica, entre outras. A grande variedade de modelos produzidos permite que a fabricação seja feita de acordo com o material transportado, sendo de fácil operação e integrados facilmente em seu equipamento. Dados técnicos: tensão de 220 Volts monofásico; frequência de 60 Hz. (para tensão 110 Volts e frequência 50 Hz, sob consulta). Opcionais: manta para redução de ruído; proteção acústica; pedestal. KAMP Automatização Industrial Ltda. Tel.: (54) 3211-5264. Site: www.kamp.com.br

Notas Técnicas

Foto: Divulgação

Classificador de caixas

O classificador de caixas permite a triagem das caixas na doca de destino, na área do armazém requerida ou na célula de paletização. O sistema permite uma redução do tempo de trânsito da mercadoria e dos custos de manipulação dos materiais, dá maior fluidez e disciplina ao movimento de cargas. Reduz os tempos ociosos e de espera e evita perdas de material, além de aumentar a produtividade de sua operação com eficiência na distribuição e/ou paletização. Seu sistema de Gestão de Classificação (SGC) é capaz de coordenar as operações de movimentação de mercadorias e de comunicar-se em tempo real com o WMS e/ou com o WCS do cliente, e assegurar completa rastreabilidade dos produtos, tornando a operação mais confiável e mais eficiente. GRUPO LINX®. Tel.: (11) 2103-2455. E-mail: comercial.logistica@linx.com.br 62

EDITORA B2B

revistapack190.indd 62

18/6/2013 11:53:10


Notas Técnicas

Foto: Divulgação

A Anjo Tintas apresenta a ProtectPack, uma tinta para embalagens com poder de ação antibacteriana. Indicada para indústrias de flexografia e rotogravura, chega ao mercado em duas linhas: ProtectPack AnjoIce e ProtectPack AnjoFlex com foco em impressões externas e laminadas com maior necessidade de proteção antibacteriana, como as embalagens de alimentos que são as de geladeira, iogurte, aves abatidas, leite em pó, entre outras e também de higiene pessoal, como fraldas descartáveis, absorventes higiênicos e várias outras. A tecnologia na composição da ProtectPack age por meio de aditivos especiais que, em contato com as bactérias, atua de forma eficaz na desnutrição da membrana celular destes micro-organismos patogênicos, destruindo-os e interrompendo sua reprodução. Anjo Tintas tel.: 0800487777 www.anjo.com.br/protectpack

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Tinta com ação antibacteriana

Leitor de códigos

Embalagens a vácuo e sherinkfast

Com o leitor omnidirecional Solaris™ sua leitura de código de barras será realmente dinâmica. O solaris™ 7.820 da Honeywell aumenta a produtividade por seu conjunto inigualável de características, como o visor indicados de diagnósticos, botões sensíveis ao toque e sistema multi-interface, que permite excelente desempenho de leitura de códigos de barras de alta densidade e, inclusive, os de baixa qualidade de impressão e rasgados. Adapta-se facilmente em qualquer espaço.

O sistema de embalagens a vácuo e sistema sherinkfast (filme de polietileno contrátil) com o produto Foiltec® e V.C.I (inibidor volátil de corrosão) permite que o equipamento fique protegido hermeticamente contra a umidade, inibindo a corrosão, com adição de dessecante. A empresa presta serviços de embalagem nas próprias dependências das empresas, deixando o volume embalado e pronto para embarque marítimo, aéreo, ferroviário ou rodoviário, com toda a simbologia de exportação.

HONEYWELL / MARCAMP Equipamentos Ltda. Tel.: (19) 3772-3333. Site: www.marcamp.com.br

EXPORTPACK do Brasil Ind. e Com. de Embalagens. Tel.: (11) 4786-3818 Site: www.exportpack.com.br EDITORA B2B

revistapack190.indd 63

63

18/6/2013 11:53:20


dimensionamento

O sistema de transportadores modulares Dematic é a nova geração de equipamentos para o controle de pesagem e dimensionamento dinâmicos, uma solução compacta, rápida e eficiente. O sistema permite, de forma automática, a acumulação com baixa pressão entre os volumes, controle do espaçamento correto dos volumes para o sistema de pesagem e dimensionamento, com fluxo operacional superior a 2.700 volumes por hora. É compacto, rápido com velocidades variáveis ajustadas por inversores de frequência e eficiente, pois permite a obtenção das informações de identificação, peso, volume, data e hora de forma segura e automática.

DEMATIC Sistemas e Equipamentos de Movimentação de Materiais Ltda. Tel.: (11) 3627-3100. Site: www.dematic.com.br

Verificador de peso

Fitas para empacotamento

KAUFMANN Ltda. Tel.: (11) 3758-5654. Site: www.kaufmann.com.br

Foto: Divulgação

A linha de controladores de peso em movimento da série Mprol da Kaufmann possui funções interna e saída de dados tipo serial RS232C, transfere os resultados de pesagem para qualquer sistema criando registros das pesagens realizadas. São construídos em aço carbono com pintura epóxi ou em aço inoxidável que garantem a robustez e durabilidade de todo o conjunto. A série Mprol oferece, opcionalmente, interfaces e sistemas automatizados que separam produtos fora do peso, controlam esteiras, entre outros. Possui funções de: compara peso – peso atual com limites inferior e superior programados; acumula peso – calcula peso de cada produto que passa na esteira, conta o número de produtos e calcula o peso médio; contagem de peças – calcula o número de peças de uma embalagem a partir do peso médio; estatística – efetua cálculos estatísticos de uma amostra como média, desvio padrão, valor máximo e mínimo e outros.

Foto: Divulgação

Sistema de pesagem e

Foto: Divulgação

Notas Técnicas

A Vick comercializa fitas para empacotamento 3M que podem ser utilizadas em diversos segmentos do mercado: alimentos e bebidas, farmacêutico, metalúrgico, entre outros. Apresentam alta performance em polipropileno, papel e filamentosas com excelente adesão em vários tipos de substratos, tornando as embalagens invioláveis. Podem ser impressas e são ideais para uso em aplicadores manuais e sistemas automáticos de alta performance. Além da boa resistência a tração, a fita 3.557 possui um dorso de papel liso tratado, impermeabilizante e afita 2563 possui um dorso de papel crepado tratado, com boa conformabilidade as superfícies aplicadas.O adesivo à base de resina e borracha sintética possui alta resistência ao cisalhamento e é sensível a pressão. VICK Comércio de Plásticos e Metais Ltda. Tel.: (11) 3871-7888. Site: www.vick.com.br.

64

EDITORA B2B

revistapack190.indd 64

18/6/2013 11:53:25


Foto: Divulgação

Notas Técnicas Adesivos para filmes Os novos adesivos S7000, S7400 e S0270 oferecem maior produtividade de conversão e rotulagem, além de menor perda de material e menos tempo de parada de máquina. A linha de adesivos S7000 proporciona benefícios para convertedores de rótulos e usuários finais e está disponível em filmes semiconformáveis e rígidos, brancos, transparentes e metalizados com liners de poliéster (PET), é ideal para os segmentos de cosméticos e alimentos. A linha S7400 está disponível em filmes rígidos também com liners de poliéster (PET), mas sua aplicação é indicada para o segmento de bebidas, com ênfase em cervejas e destilados em geral. Já o novo adesivo S0270 é ideal para rótulos com liner de papel glassine ou kraft usados em todos os segmentos, especialmente no de higiene pessoal, bebidas e alimentos. AVERY DENNISON do Brasil Ltda. Tel.: (19) 3876-7600 Site: www.averydennison.com.br

EDITORA B2B

revistapack190.indd 65

65

18/6/2013 11:53:31


índice de anunciantes

66

3O CAPA ...........ABRE..............................................www.abre.org.br

61,65,66.....Inst. de Embalagens.....wwwinstitutodeembalagens.com.br

54,55 .............BANAS .......................................www. pack.com.br

63.....................MOLTEC................................... www.moltec.com.br

25....................BRASILATA ...........................www. brasilata.com.br

15.............. .......MULTIPET.......... www.multipetsopradoras.com.br

27....................BRASILATA ...........................www. brasilata.com.br

05.............. .......OPTIMA..............................www.optima-brasil.com

53.............. .......FISPAL...................... www.fispaltecnologia.com.br

23....................RECIFER.................................... www.recifer.com.br

19.....................GUAÇU EMBALAGENS ............ www.guacu.com.br

41.............. ......RESBRASIL............................www.resbrasil.com.br

39.............. .......HAVER & BOECKER.........www.haverbrasil.com.br

43.............. ......SICAD...........................................www.sicad.com.br

33.............. .......HENKEL................................... www.henkel.com.br

45.............. ......SIGCOMBIBLOC..............................www.sig.com.br

2O CAPA, 13 ....IBEMA.......................................www.ibema.com.br

17.............. ......SILGAN.............. ........www.silgamwithecap.com.br

37.............. .......INKJETT.................................... .www.inkjet.com.br

4O CAPA..... .....TETRA PAK...................................www.tetrapak.com

63....................IGARATIBA.............................www.igaratiba.com.br

49.............. .....VIDEOJET......................................www.videojet.com

63.............. ......INTERTEC.............. ........www.intertecequip.com.br

51.............. ....VIDROPORTO ....................... www.vidroporto.com.br

EDITORA B2B

revistapack190.indd 66

18/6/2013 11:53:34


revistapack190.indd 67

18/6/2013 11:53:36


revistapack190.indd 68

18/6/2013 11:53:39

Profile for Revista Pack

Revista Pack 190 - Junho 2013 Mercado de Bebidas  

Mercado de bebidas cresce e indústria aposta em inovação tecnológica

Revista Pack 190 - Junho 2013 Mercado de Bebidas  

Mercado de bebidas cresce e indústria aposta em inovação tecnológica

Advertisement

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded