__MAIN_TEXT__
feature-image

Page 1

Ano 15 - Edição 169 Março de 2020

Como obter Eficiência Energética A busca pela eficiência é contínua na sociedade moderna, mais recentemente associada ao conceito amplo de sustentabilidade ATERRAMENTO EM CAMPOS EÓLICOS Abordagem crítica para o projeto de um sistema de proteção contra surtos (SPDA) para parques eólicos ASPECTOS REGULATÓRIOS ECONÔMICOS E DE MERCADO VOLTADOS AO ARMAZENAMENTO DE ENERGIA O tema se tornou rapidamente uma questão de destaque entre as discussões legislativas e de regulação em todo o País


Sumário atitude@atitudeeditorial.com.br

Diretores Adolfo Vaiser Simone Vaiser Assistente de circulação, pesquisa e eventos Henrique Vaiser – henrique@atitudeeditorial.com.br Assistente de criação Victor Gargano - victor@atitudeeditorial.com.br Administração Paulo Martins Oliveira Sobrinho administrativo@atitudeeditorial.com.br Editora Luciana Freitas - 80.519-SP luciana@atitudeeditorial.com.br Publicidade Diretor comercial Adolfo Vaiser - adolfo@atitudeeditorial.com.br Contato publicitário

Suplemento Renováveis 35 Fascículo: Aspectos regulatórios econômicos e de mercado voltados ao armazenamento de energia Aterramento em campos eólicos Notícias de mercado Coluna solar: GD solar fotovoltaica: muito além do setor elétrico Coluna eólica: Ventos do futuro para um mercado mais livre Conversa com Vinicius Ayrão: Instalações fotovoltaicas

Ana Maria Rancoleta - anamaria@atitudeeditorial.com.br Direção de arte e produção Leonardo Piva - atitude@leonardopiva.com.br Consultor técnico José Starosta

4

Editorial

6

Colutna do consultor

Colaborador técnico de normas

Desafios

Jobson Modena Colaboradores técnicos da publicação

10

Daniel Bento, João Barrico, Jobson Modena, José Starosta,

Seções Mercado, Empresas e Produtos

Juliana Iwashita, Roberval Bulgarelli e Sergio Roberto Santos Colaboradores desta edição Aguinaldo Bizzo de Almeida, Aldo Pereira, Carlos Boechat, Constantino Seixas Filho, Daniel Bento, Elbia Gannoum, Geraldo Roberto de Almeida, Gilmar Chagas da Silva, Gustavo José Luna Filho, Jobson Modena, José Barbosa, José Starosta, Luciano Rosito, Luiz Claudio Ferraro, Nunziante Graziano, Pedro André Carvalho Rosas, Roberval Bulgarelli, Rodrigo Sauaia, Ronaldo Koloszuk, Se Un Ahn, Sunny Jonathan, Thierry Cintra Marcondes e Vinicius Ayrão Franco

Painel de notícias

17

Fascículos Indústria 4.0 e a Transformação Digital Segurança em Eletricidade Inovação em Distribuição de Energia – Digitalização, Descentralização e Descarbonização

19

Cinase TEC Como obter Eficiência Energética

A Revista O Setor Elétrico é uma publicação mensal da Atitude Editorial Ltda., voltada aos mercados de Instalações Elétricas, Energia e Iluminação, com tiragem de 13.000 exemplares. Distribuída entre as empresas de engenharia, projetos e instalação, manutenção, indústrias de diversos segmentos, concessionárias, prefeituras e revendas de material elétrico, é enviada aos executivos e especificadores destes segmentos. Os artigos assinados são de responsabilidade de seus autores e não necessariamente refletem as opiniões da revista. Não é permitida a reprodução total ou parcial das matérias sem expressa autorização da Editora. Capa: kynny | istockphoto.com/br

58

Pesquisa Setor de interruptores e tomadas projeta crescimento de 20% em 2020. Mercado de linhas elétricas tem estimativa de aumento 15% nos próximos meses

66

Espaço 5419 Erros recorrentes na instalação e projetos de um Sistema de Proteção contra Descargas Atmosféricas (SPDA)

68

Espaço SBQEE VTCD e Aplicação da Solução Técnica-Econômica na Indústria

Impressão - Mundial Gráfica e Editora Distribuição - Correios

Colunistas Atitude Editorial Publicações Técnicas Ltda. Rua Piracuama, 280, Sala 41 Cep: 05017-040 – Perdizes – São Paulo (SP) Fone/Fax - (11) 3872-4404 www.osetoreletrico.com.br atitude@atitudeeditorial.com.br

Filiada à

70 72 73 74 76 77

Jobson Modena – Proteção contra raios Luciano Rosito – Iluminação pública Daniel Bento – Redes subterrâneas em foco Nunziante Graziano – Quadros e painéis José Starosta – Energia com qualidade Roberval Bulgarelli – Instalações Ex

3


Editorial

4

O Setor Elétrico / Março de 2020 Capa ed 169_C.pdf

1

26/03/20

19:36

www.osetoreletrico.com.br

Ano 15 - Edição 169 Março de 2020

Como obter Eficiência Energética O Setor Elétrico - Ano 15 - Edição 169 – Março de 2020

O cisne negro de 2020

Um vírus que não pode ser visto a olho nu, mas apenas

A busca pela eficiência é contínua na sociedade moderna, mais recentemente associada ao conceito amplo de sustentabilidade ATERRAMENTO EM CAMPOS EÓLICOS Abordagem crítica para o projeto de um sistema de proteção contra surtos (SPDA) para parques eólicos ASPECTOS REGULATÓRIOS ECONÔMICOS E DE MERCADO VOLTADOS AO ARMAZENAMENTO DE ENERGIA O tema se tornou rapidamente uma questão de destaque entre as discussões legislativas e de regulação em todo o País

Edição 169

somando-se, principalmente, dois impactos negativos: a perda de

por máquinas laboratoriais está assolando a saúde humana e

mercado pela migração de consumidores cativos para o mercado

da economia mundial. Governos pedindo auxílio; empresários

livre e a rápida e subsidiada expansão da geração distribuída,

extremamente preocupados com o futuro de seus negócios;

conforme constatou uma análise realizada pelo Grupo de Estudos

hospitais cada vez mais lotados; famílias inconsoláveis pela perda

do Setor Elétrico (GESEL), da Universidade Federal do Rio de

de seus entes queridos; histeria e brigas em supermercados;

Janeiro (UFRJ). O estudo aponta que o resultado líquido destes

trabalhadores temerosos em relação à continuidade de seus

fatores será a sobre contratação das concessionárias, o que

empregos; e a população, em geral, aterrorizada. É assim que

reduz o seu caixa, uma vez que a energia comprada não será

nos encontramos!

integralmente vendida e, possivelmente, não haverá direito de

repasse do custo de todo o excedente aos consumidores cativos.

O ano começou de uma forma bem diferente da que o mundo

esperava, sendo o novo agente do Coronavírus (COVID-19),

descoberto na China, o causador do efeito “cisne negro” que se

um efeito estrutural negativo sobre segmento de geração, em

abateu sobre a humanidade em proporções desastrosas. Parece

relação aos futuros leilões de energia nova. Com menos mercado,

que estamos vivenciando cenas de um filme, no qual o isolamento

as concessionárias precisarão de menos energia contratada via

social é a principal arma para conter a propagação da doença.

leilões, afetando, assim, a cadeia produtiva de energia eólica,

solar, termoelétricas etc., relata a pesquisa.

O Senado aprovou, no dia 20 de março, o decreto que

O cenário de redução de mercado das distribuidoras tem

reconhece que o Brasil está em situação de calamidade pública.

A projeção é que a infecção no Brasil dispare em abril e que o

na agenda do mercado de eletricidade, como é o caso, dentre

sistema de saúde entre em colapso em cerca de 30 dias, podendo

outros eventos, do Circuito Nacional do Setor Elétrico (CINASE) –

o surto durar até cinco meses. Que Deus nos proteja!

Edição Curitiba (PR), o qual aconteceria nos dias 06 e 07 de maio

de 2020, mas que teve sua realização adiada para nova data. Para

Com duração indeterminada, prejuízos financeiros

Os reflexos da pandemia também estão causando modificações

inimagináveis e consequências imprevisíveis a longo prazo, resta

obter informações sobre as alterações, entre em contato com os

nos adaptarmos à nova realidade, enquanto pesquisadores

organizadores.

desenvolvem medicamentos para o combate do vírus, o qual já

vitimou milhares de pessoas em todo o mundo.

um grande impacto no ambiente em que ocorrem, promovendo

mudanças que ficam registradas no curso da história, e este,

Estudos apontam que a economia global já está em recessão

Justamente por serem inesperados, “cisnes negros” geram

por conta da devastação a partir do Coronavírus. As notícias em

indubitavelmente, permanecerá para sempre em nossas memórias

evolução sobre o COVID-19 provocaram “saltos de previsão”,

como marca dessa nova década.

com economistas e estrategistas diminuindo repetidamente suas

estimativas, com alto grau de incertezas e instabilidade.

longe, e que muito em breve, o nosso Planeta recupere sua boa saúde;

porém, como de todas as circunstâncias sempre há um ensinamento

Diante da economia mundial em quarentena e de muita

O meu desejo é que esse “cisne negro” bata asas e voe para bem

especulação em andamento, os mercados estão sofrendo e as bolsas

de vida a ser extraído, finalizo minhas palavras, lançando uma pergunta

continuam em queda, o que promove paralisações internacionais

para reflexão: O que devemos aprender com tudo isso?

e interrupção das importações, exportações e do comércio global.

Boa leitura!

Seria este um golpe chinês? As especulações não param por aí...

No setor elétrico, especialistas acreditam que o segmento

de distribuição será o mais afetado diretamente pela recessão,

Abraços,

Luciana Freitas

Redes sociais

@osetoreletrico

www.facebook.com/osetoreletrico

@osetoreletrico

Revista O Setor Elétrico


Coluna do consultor

6

O Setor Elétrico / Março de 2020

José Starosta é diretor da Ação Engenharia e Instalações e membro da diretoria do Deinfra-Fiesp e da SBQEE. É consultor da revista O Setor Elétrico jstarosta@acaoenge.com.br

Desafios

A crise chegou e teremos de usar a nossa criatividade para não deixarmos

a roda parar. O isolamento, cuidados pessoais e todos os aconselhamentos aos quais fomos bombardeados pela mídia e redes sociais para a contenção do COVID-19 nos remetem a uma porção de reflexões, mas a questão a ser tratada é a continuidade dos negócios. Será que conseguiremos produzir minimamente para pelo menos mantermos nossas empresas vivas? Claro que a nossa própria sobrevivência física é a mais importante, mas não é a ela que estamos ora tratando.

O que nos espera é uma realidade pouco apresentada neste período de

início da turbulência no Brasil (segunda semana de março). O que se estima apenas é uma redução do Produto Interno Bruto (PIB), além dos assombrosos resultados das bolsas e cotação do dólar. Mas do ponto de vista prático, como manteremos nossos negócios operando, ou quem vai pagar as contas?

A produção industrial não pode ser posta em prática com pessoal em “home

office”; a indústria 4.0 em seu estágio atual não permite operações 100% automáticas, e talvez, nem seja seu propósito; caso possível, seria necessária uma transformação social tão rápida como a transmissão deste maldito corona.

Fato é que não dá para manter toda a turma da produção em home, uma vez

que os sistemas de produção devem ser operados e, principalmente, mantidos.

Outro ponto que merece a mesma importância se refere à própria cadeia da

produção, os fornecedores nacionais ou não; capacidade de venda de produtos e serviços, desenvolvimento de mercado e outros. Um tremendo emaranhado que merecerá a nossa atenção e criatividade inversamente proporcional à distância dos postos de trabalho daqueles que desempenham suas atividades de seus lares.

Não estamos em férias, não estamos em recesso; estamos nos protegendo

e tentando produzir, buscando um final de 2020 que nos permita ainda um pouco de oxigênio puro, enquanto em Brasília, a turma se digladia por tudo e contra todos. Repetindo a pergunta: como pagaremos as nossas contas?


Painel de mercado

10

O Setor Elétrico / Março de 2020

Abracopel lança Anuário Estatístico de Acidentes de origem elétrica 2020 No dia 04 de março, a Associação Brasileira

de

Conscientização

para

os

Perigos da Eletricidade (Abracopel) realizou o lançamento do Anuário Estatístico de Acidentes de origem elétrica 2020 – ano base 2019, o qual mostra um aumento em todos os dados apurados. Nas dependências da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) e com o apoio do Sindicato da Indústria de Condutores Elétricos, Trefilação e Laminação de Metais Não Ferrosos do Estado de São Paulo (Sindicel), a entidade reuniu empresários do setor, entidades, empresas e profissionais de mídia para apresentar os dados inéditos de acidentes de origem elétrica no ano de 2019, além de um spoiler de 2020: o mês de janeiro. Desde 2013, a Abracopel organiza os dados de acidentes de origem elétrica,

essa posição para o Estado São Paulo, voltou

criando um anuário único no País que mostra

a assumir a liderança com 83 mortes (São

um cenário muito preocupante. Em sete anos

Paulo vem em 2º lugar, com 63 mortes).

Rede aérea

de levantamento de dados, é possível afirmar

Segundo

que mais de 4.300 pessoas perderam suas

com 142 mortes por choque elétrico; em

Abracopel, historicamente, quem mais vem

vidas somente em acidentes envolvendo

seguida, a Região Sul, com 109 mortes; o

a óbito em contato com a rede aérea são

choques elétricos.

Norte, com 86; e o Centro-Oeste, com 73

os trabalhadores da construção civil (aqui

somadas várias profissões ligadas à esta

A região Sudeste vem em segundo lugar,

228 mortes.

o

Anuário

Estatístico

da

As mortes por choque elétrico que, em

mortes.

2018, somaram 627, em 2019, subiram para

Em

da

área, como pedreiros, pintores, soldadores,

697, um aumento de 12%. Já os incêndios

Abracopel), o Nordeste somou 1.889 mortes

ajudantes etc.), que somaram, em 2019,

originados em sobrecargas de energia e

por choque elétrico, seguido da Região

69 mortes. Em sete anos (série histórica), o

posterior curto-circuito subiram ainda mais:

Sudeste, com 871 mortes e da região Sul,

número total de mortes destes profissionais

em 2018, foram 537 incêndios, com 61

com 713 mortes.

somou 524 mortes.

mortes. 2019 fechou com 656 incêndios e 74

Quando

mortes; neste caso, o aumento foi de 23%.

verificamos que, historicamente, dois locais

mata em relação à rede aérea é de eletricistas

Os acidentes com descargas atmosféricas

sempre se destacaram, tanto na série

autônomos. Em 2019, foram 28 mortes,

(raios) aumentaram de 51 para 85 ocorrências

histórica como também no ano de 2019: as

e em sete anos, foram 123 mortes destes

e de 38 para 50 mortes, de 2018 para 2019.

residências e a rede aérea de distribuição.

profissionais, o que mostra a importância da

A região Nordeste continua campeã

Em sete anos, a rede aérea matou 1.269

capacitação para estes profissionais. O Brasil

nos números de ocorrências e mortes. Se

pessoas por choque elétrico, porém as mortes

é um dos países com as melhores normas e

em 2018 foram 261 mortes, em 2019, os

dentro de casa somaram 1403 nos mesmos

leis de segurança do trabalho, porém elas

números subiram para 287 mortes, sendo que

sete anos. Em 2019, a rede aérea vitimou

precisam ser seguidas e, principalmente,

o estado da Bahia, que vinha se posicionando

206 pessoas; já as casas (somando-se

fiscalizadas. O velho hábito brasileiro do

sempre em 1º lugar, e que em 2018 perdeu

apartamentos, sítios, fazendas) resultaram em

jeitinho, no caso desta profissão, pode ser

sete

anos

(série

tipificamos

histórica

os

acidentes,

Em linhas gerais, a profissão que mais


11

O Setor Elétrico / Março de 2020

SEGURANÇA ELÉTRICA

INTELIGENTE

Supervisão de isolamento e corrente de fuga em todos os esquemas de aterramento: IT, TN e Aterrado por Resistor Equipamentos que fazem a manutenção preditiva e totalmente coadunados à indústria 4.0

Equipamentos: DSI – Dispositivo Supervisor de Isolamento fatal. Outro profissional que se destaca no número de mortes em relação à rede aérea é o agricultor: se em 2019 houve 25 mortos deste tipo de profissional em contato com a

DSCR – Dispositivo Supervisor da Corrente Residual

RDI

rede aérea, em sete anos, o número soma 93 mortes.

Moradias As

residências,

mostrando

não

a

serem

cada os

ano,

vêm

locais

que,

historicamente, deveriam ser considerados os

com 15 mortes – é importante lembrar que

mais seguros para uma família. Em sete anos

são dados específicos de choques elétricos;

de levantamento estatístico, as moradias

portanto, se forem somadas as ocorrências e

foram o cenário de 1.403 mortes. Mas a

mortes envolvendo carregadores de celular e

pergunta é: que tipo de ocorrência mais mata

incêndios e explosões – 15 ocorrências com

as pessoas dentro das casas? Segundo o

duas mortes, haverá 34 ocorrências e 17

Anuário Abracopel, em 2019, o fio partido em

mortes.

ambiente interno foi a maior causa das mortes,

com 99 ocorrências e 85 mortes. Em seguida,

triste realidade: os dados de acidentes

vêm os eletrodomésticos e eletroeletrônicos,

bateram novo recorde desde o início do

que mataram 52 pessoas de 57 ocorrências.

trabalho de levantamento dos números: foram

Em 2018, o eletrodoméstico que mais atingiu

181 ocorrências e 93 mortes somente no 1º

pessoas foi a máquina de lavar roupas, que

mês do ano.

vitimou 12 pessoas, mas em 2019, mesmo

sendo ainda um destaque com 13 mortes,

uma vez, se destacam, com 99 ocorrências

não foi a máquina de lavar, mas sim as

e 83 mortes; os incêndios por sobrecarga,

geladeiras (aqui incluídos freezer e frigobar)

apesar de muitos: 70 ocorrências, resultaram,

as campeãs em mortes por eletrodomésticos,

felizmente, em apenas uma morte; e as

com 16 ocorrências e 16 mortes. Entretanto,

descargas atmosféricas somaram em janeiro

Para mais informações acesse:

os

de 2020, 12 ocorrências com nove mortes.

WWW.RDIBENDER.COM.BR

celulares

continuam

se

destacando

O mês de janeiro de 2020 trouxe uma

DSR – Dispositivo Supervisor do Resistor

Também prestamos serviço de localização de falhas de isolamento e corrente de fuga in loco

Os acidentes com choque elétrico, mais

negativamente depois do boom de 2018, com

Conheça mais sobre as ações da

23 mortes; em 2019, houve 19 ocorrências

Abracopel em: www.abracopel.org.br.


Painel de mercado

12

O Setor Elétrico / Março de 2020

Consumo de energia elétrica recua 2% em fevereiro

A Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE) registrou uma queda de 2,0% no consumo de energia de fevereiro em relação

ao mesmo período do ano passado. Entre os dias 1º e 29 do mês, o volume consumido chegou a 65.302 megawatts (MW) médios.

O Ambiente de Contratação Regulada (ACR) apresentou retração de 3,8%, principalmente em decorrência da migração de consumidores

para o Ambiente de Contratação Livre (ACL). Se for excluído o impacto das migrações, o ACR registraria diminuição de 1,8%. Já o ACL teve um crescimento de 2,3% no consumo. Eliminado o impacto da entrada de novos clientes, por outro lado, haveria uma queda de 2,6%.

Desconsiderando a migração, os segmentos que registraram as maiores quedas, entre autoprodutores, varejistas, e consumidores livres

e especiais, foram: veículos (- 10,0%), madeira, papel e celulose (- 7,2%), e extração de minerais metálicos (- 6,2%). Em contrapartida, os mercados de saneamento (22,1%), comércio (13,82%) e transporte (9,44%) tiveram as maiores altas.

A geração de energia elétrica no Sistema Interligado Nacional (SIN) também apresentou diminuição no mês de fevereiro na comparação

com o mesmo período de 2019. Com 69.259MW médios, a produção registrou queda de 1,3% em relação aos 70.156MW médios do ano passado.

Primeira quinzena de março apresenta ligeira alta no consumo de energia O consumo de energia elétrica no Brasil na primeira quinzena de março registrou uma leve alta de 0,4% frente ao mesmo período do ano passado. O volume consumido alcançou os 64.779 megawatts (MW) médios. Os dados, divulgados no dia 18 de março pela Câmara de Comercialização de Energia Elétrica

(CCEE),

são

referentes

ao

período anterior ao agravamento dos impactos causados sobre a economia pela disseminação do COVID-19, conhecido como Coronavírus. Os dados constam do boletim InfoMercado Quinzenal, publicado no site da organização (www.ccee.org.br). O

crescimento

apresentado

nesta

prévia decorre principalmente do efeito

de Contratação Livre (ACL). Excluindo-se o

pior desempenho foram transporte (-7,6%)

do feriado de Carnaval, que em 2019,

impacto das migrações, o ACR registraria

e extração de minerais metálicos (-6,2%).

ocorreu no dia 05 de março. Já neste ano,

aumento de 0,1%. O consumo no mercado

as festas foram celebradas em fevereiro,

livre, por sua vez, apresentou crescimento

Sistema

o que adiantou a redução do consumo

de 6,0%. Desconsiderado o impacto da

também apresentou elevação na primeira

nos segmentos comercial e industrial. As

migração, contudo, o ACL apresentaria

quinzena de março. Com 68.468MW

temperaturas mais amenas registradas

aumento mais modesto, de 0,9%.

médios, a produção registrou aumento

A geração de energia elétrica no Interligado

Nacional

(SIN)

Os segmentos que registraram maior

de 0,9% em relação ao mesmo período

volume consumido.

crescimento, considerando autoprodutores,

do ano passado. A alta foi observada nas

entre o dia 1º e 15 limitaram o aumento no No Ambiente de Contratação Regulada

varejistas, consumidores livres e especiais,

usinas hidráulicas (7,2%) e fotovoltaicas

(ACR), o consumo apresentou retração de

foram: saneamento (23,8%), comércio

(17,9%), com redução de 20,0% das

2,0%, principalmente em decorrência da

(18,0%) e manufaturados diversos (13,2).

usinas térmicas e de 38,9% das usinas

migração de consumidores para o Ambiente

Os ramos de atividade que apresentaram o

eólicas.


Painel de empresas

14

O Setor Elétrico / Março de 2020

Em fevereiro de 2020, mês em que

O negócio de Grupos Geradores

completou aniversário da operação fabril

MWM está em franca expansão e atende

dos Grupos Geradores no Brasil, a MWM

as necessidades do mercado nacional

fabricante

motores

e internacional. A companhia já exporta

Diesel e Grupos Geradores de energia,

seus Geradores para países da América

celebrou a ampliação de portfólio com

do Sul, e por contar com equipe de

lançamentos e a expansão da fábrica de

engenharia brasileira e alta capacidade de

Grupos Geradores, em Santo Amaro, em

customização dos produtos, a expectativa

São Paulo (SP).

é que as exportações aumentem ainda

A MWM Geradores inicia o ano

mais neste ano.

com a comemoração de um importante

Os

marco. A linha completa agora vai de 10

contam com respaldo técnico da fábrica

a 1000kVA em 50Hz e 12,5 a 1250kVA

e uma completa Rede, com mais de

em 60Hz, projetados para aplicações de

50

emergência, horário de ponta ou fonte

em todo o território nacional; equipes

única de energia, disponíveis nas versões

tecnicamente capacitadas e com estrutura

aberta e carenada, manual ou automática,

de atendimento 24 horas por dia, durante

com ou sem paralelismo.

os sete dias da semana. A expectativa é

independente

de

clientes

centros

de

da

MWM

serviços,

Divulgação / MWM Geradores

MWM amplia portfólio de grupos geradores e expande linha produtiva

Geradores

distribuídos

Os Grupos Geradores MWM atendem

desenvolver ainda mais a Rede em 2020,

aos mais diversos segmentos, como: hotéis,

chegando aos 80 centros de serviço, com

hospitais, supermercados, condomínios

a mesma capacitação e qualidade da

comerciais, residenciais, empresas de

reconhecida Rede MWM.

telecomunicações, datacenters, segmento

agrícola, eventos, dentre outros.

da Unidade de Motores e Geradores da

Além da importante ampliação do

MWM, trata-se de um momento histórico

portfólio dos Grupos Geradores, a MWM

para a companhia. “A unidade de negócios

expandiu sua unidade fabril, localizada em

de Geradores expandiu exponencialmente

Santo Amaro (SP). Com a implementação

seu portfólio e sua força, com importantes

das atividades Lean de melhoria contínua

lançamentos

motores

fruto de um trabalho de uma equipe de

e redistribuição de postos de trabalho

MWM e de parceiros renomados no

especialistas dedicados a ofertar o melhor

e

mercado,

estoque,

houve

clientes

em Geração de Energia com qualidade e desempenho e afirma que a expectativa

na linha de montagem. A fábrica passou

disso, iniciamos o ano com a expansão

para 2020 são as melhores, com o foco em

a operar em dois turnos de trabalho para

de nossa linha produtiva, que agora opera

melhoria contínua, novos desenvolvimentos

atender à demanda prevista para 2020.

com mais flexibilidade e com alta eficiência

e atendimento às necessidades de cada

Segundo

operacional.

MWM

cliente, garantindo alto rendimento em

Geradores MWM são testados e validados

ultrapassaram as fronteiras brasileiras e

geração de energia e consequentemente

na linha de montagem da empresa, antes

passaram a atender, também, o mercado

alta produtividade aos clientes da MWM

do envio e instalação nos clientes, para

de exportação”, declara.

Geradores. “Esse é o nosso objetivo e

que cada Grupo Gerador garanta todos os

reafirma nosso compromisso com nossos

requisitos de qualidade e robustez MWM.

ano de superações e grandes conquistas,

100%

de

dos

garantindo

com

qualidade, confiança e robustez. Além

empresa,

aumento

equipados

aproximadamente 20% de produtividade

a

um

De acordo com Cristian Malevic, diretor

Os

aos

geradores

Ele ainda acrescenta que 2019 foi um

parceiros”, garante o executivo.


15

O Setor Elétrico / Março de 2020

Divulgação / ABB

ABB instala subestação digital de 500kV na América do Sul

Quando a ABB entregou a primeira

classificação de corrente alternada em 500kV.

decisão mais rápida e segura. As subestações

subestação digital da América Latina no

A primeira seção da planta, que possui

ajudam a simplificar a implementação de

Brasil, em 2018, a Enel Green Power tomou

475MW, começou a produzir energia em

estratégias de manutenção preditiva com

nota. A empresa, especialista global no setor

janeiro deste ano. Quando estiver em pleno

base em condições por meio da aplicação de

de energia limpa, decidiu digitalizar suas

funcionamento, será capaz de gerar mais de

diagnóstico e serviços remotos. Com o uso

operações e processos de ativos para melhorar

1.200GWh por ano, eliminando a emissão

de fibra ótica em vez de cabos de cobre, a

a eficiência energética, diminuir os custos com

de mais de 600.000 toneladas de CO2

tecnologia da ABB possibilita operações mais

manutenção e aumentar o uso de soluções

anualmente.

seguras nas subestações, além de reduzir

sustentáveis. A melhoria na acessibilidade

o tempo de instalação e o custo total de

aos sinais e dados no local permite acelerar a

uma linha de 500kV que se estende até a

propriedade.

tomada de decisões em tempo real para lidar

subestação de Gilbués. O sistema de geração

com a instabilidade da energia na irradiação

tem uma conexão direta com o transformador

digital do mundo em 2009. Desde então, foram

solar devido aos movimentos das nuvens.

elevador, porém também possui um elo CC

entregues mais de 30 para concessionárias e

Nessa estratégia, a subestação digital

para controle do aerogerador. O mecanismo

indústrias em diversos países.

da ABB parecia se encaixar perfeitamente.

então conta com uma geração AC, um sistema

Trabalhando de perto com o cliente, a ABB

de retificação CC para a formação do elo

Envelhecimento dos ativos do sistema

propôs várias alternativas de projeto e

para controle até um inversor que converte

engenharia para encontrar a solução mais

novamente a tensão para AC, e a partir daí, a

estão velhos e precisam ser modernizados,

vantajosa que atendesse às exigências da Enel

conexão é feita com o transformador elevador

substituídos ou monitorados para evitar

Green Power.

(novamente) para 500kV, disponibilizando

que falhem, ocasionando um blackout ou

o circuito para transmissão. “Dependendo

qualquer outro na transmissão de energia.

Maior planta fotovoltaica sul-americana

do tipo de máquina, esse arranjo pode ter

Essa substituição depende da aprovação de

A subestação da ABB foi escolhida

algumas variações”, explica Julio Oliveira,

uma regulamentação (revisão das regras de

pela Enel Green Power, para fornecer

gerente de Tecnologia em Grid Automation da

substituição) que remunere as concessionárias

energia solar livre de emissões à rede de

ABB Power Grids.

incentivando a substituição dos equipamentos

transmissão de 500 kilovolt (kV) a partir do

As subestações digitais da ABB fornecem

em fim de vida. Portanto, com o avanço das

parque solar São Gonçalo, a maior planta de

mais controle e confiabilidade. Elas utilizam

fontes renováveis não controláveis, somado

energia solar da América do Sul, localizada

comunicação digital de dados para transmitir

ao envelhecimento dos ativos do sistema de

no Piauí, na região Nordeste do País. Essa é

de forma contínua os dados da operação e

transmissão nacional, segundo a ABB, sua

a primeira subestação digital do mundo para

condição de ativos, permitindo uma tomada de

tecnologia é bastante indicada.

A planta se conecta ao grid por meio de

A ABB entregou a primeira subestação

Os ativos do sistema elétrico brasileiro


Painel de produtos

16

O Setor Elétrico / Março de 2020

Altran Magnetics lança linha de Contatores CC no Brasil www.altranmagnetics.com

Em parceria com a Power On Tecnologia (www.

powerontech.com.br), a Altran Magnetics lança sua linha de contatores CC de alta tensão, com capacidades de até 1.800V e correntes de até 500A.

A Altran Magnetics, Inc. (AMI) é uma fornecedora de soluções de contatores CC. Com cerca de

100 modelos em seu portfólio, a empresa dispõe de tecnologias de contatores CC que variam de sistemas de gerenciamento e carregamento de baterias a sistemas de energia para veículos elétricos.

A AMI oferece dois grupos de produtos de contatores CC: uma série em resina para aplicações de

corrente / tensão mais baixas e um design em cerâmica para aplicações de corrente / tensão mais altas.

Pelo fato de cada aplicação possuir seus próprios requisitos elétricos, mecânicos e térmicos, a

equipe de projeto global pode personalizar produtos para atender a requisitos específicos.

Cabos elétricos com dupla camada de XLPE + PVC da Neocable neocable.com.br

A Neocable, que já trabalha com o XLPE, agora oferece os

cabos também com cobertura de PVC – composto termoplástico à base de policloreto de vinila. O cabo Singelo XLPE + PVC (um dos destaques da marca) é constituído por um condutor de alumínio compactado ou não e fios de alumínio com isolação XLPE + cobertura PVC.

Segundo a empresa, o PVC é um dos materiais plásticos de melhor custo-benefício do mercado,

além de ter alta flexibilidade; capacidade auto extinguível (antichama), boa resistividade elétrica e resistência à abrasão. Os cabos Singelos 0,6/1,0kV XLPE + PVC podem ser utilizados embutidos em dutos, formados nas estruturas dos prédios, eletrodutos ou diretamente enterrados. Além disso, são recomendados para circuitos de alimentação e distribuição de energia elétrica em prédios industriais e comerciais de baixa tensão (com até 1.000V).

Steck apresenta novos organizadores espirais e abraçadeiras www.steck.com.br

A Steck está trazendo novidades na linha de

organizadores Conduteck®. Além das canaletas ranhuradas e aparentes, a linha passa a contar com organizadores espirais e abraçadeiras.

Os lançamentos foram desenvolvidos para ordenar, fixar e proteger sistemas com cabeamento,

como instalações (elétricas e de redes) e quadros. Eles estão disponíveis em diferentes tamanhos para se ajustar à quantidade dos cabos, cuja identificação também é facilitada pela variedade de cores.

A segurança é garantida pelas propriedades dos materiais utilizados na fabricação, pois são feitos

de plásticos resistentes que não propagam chamas e estão livres de halogênios, ou seja, não emitem fumaça tóxica – algo que pode ser mais perigoso que as queimaduras em casos de incêndios.


INDÚSTRIA 4.0 E A TRANSFORMAÇÃO DIGITAL

18

Carlos Boechat Capítulo II – Indústria 4.0 – Transformação Digital dos Negócios - Indústria 4.0 com Foco em Resultados para os Negócios - Por uma mentalidade enxuta - O Mindset

SEGURANÇA EM ELETRICIDADE

24

Aguinaldo Bizzo de Almeida Capítulo II – Interpretação e aplicação da NR10 – Segurança em Instalações Elétricas e Serviços com Eletricidade em atividades de manutenção de redes de telefonia e TV a cabo - NR10 X Eliminação do fator de risco - NR10 X Medidas de proteção coletiva - Análise das medidas de proteção coletiva

Fascículos

Apoio:

INOVAÇÃO EM DISTRIBUIÇÃO – DIGITALIZAÇÃO, DESCENTRALIZAÇÃO E DESCARBONIZAÇÃO

30

Daniel Bento Capítulo II – Os 3 Ds do Setor Elétrico - O relacionamento entre os 3 Ds - Descarbonização - Digitalização - Descentralização - Conclusão


Apoio:

Indústria 4.0 e a Transformação Digital

18

Por Carlos Boechat, Constantino Seixas Filho, Gilmar Chagas da Silva e Thierry Cintra Marcondes*

Capítulo II Indústria 4.0 – Transformação Digital dos Negócios

Conforme mencionado no Fascículo I

Quem desejar colaborar com algum

das máquinas em tempo real. Além de

(Edição 168 – Jan/Fev 2020), nas edições

tema e conteúdo técnico, por gentileza,

monitorar a localização de cada máquina,

desse ano, teremos participações especiais

entrar em contato com Carlos Eduardo

o cliente sabe o status de disponibilidade

de diversos especialistas em Indústria

Boechat, responsável pelos fascículos de

de insumos, como pó de café, chá, açúcar,

4.0 / Transformação Digital em uma

Indústria 4.0 e Transformação Digital da

copos descartáveis etc., e pode mandar

determinada área, tecnologia ou tema.

Revista O Setor Elétrico.

reabastecer a máquina sob demanda, uma

Fascículo

Algumas indústrias já têm percebido

*Para contato com Carlos Eduardo Boechat:

estratégia muito melhor que as visitas

que adotar tecnologias por si só não é

+55 11 93030-1805 / +55 31 99393-1670 /

periódicas antes praticadas.

o melhor caminho. Necessita-se ter o

carloseduardoboechat@gmail.com / carlos.

olhar para o negócio e selecionar quais

boechat@accenture.com

problemas queremos resolver para, a partir daí, identificarmos um combinação de ações envolvendo pessoas, processos e

Indústria 4.0 com Foco em Resultados para os Negócios

tecnologias para resolução.

O computador de bordo também monitora a condição de funcionamento da máquina, informação útil para o processo de manutenção. O maior valor dessa aplicação é, entretanto, monitorar se os consumíveis utilizados pertencem

Por isso, nessa edição intitulada como

A revolução digital fase 4, ou Indústria

à marca do fornecedor, ou se a empresa

“Transformação Digital dos Negócios”,

4.0, marca a transformação digital dos

que opera o equipamento usou uma

reuniremos temas como:

negócios.

marca secundária. O resultado alcançado

Vamos começar com um exemplo. Um

é a fidelização do cliente, oferecendo

• Resultados para os Negócios (escrito

grande fabricante de bebidas baseadas

uma máquina de alta disponibilidade e

por Constantino Seixas);

em café, chá e leite queria supervisionar

entregando um produto de qualidade

• Por uma mentalidade enxuta (escrito

suas milhares de máquinas na Índia a

premium, de acordo com suas melhores

por Gilmar Chagas da Silva).

partir de uma central de controle. Uma

expectativa.

• O Mindset (escrito por Thierry Cintra

empresa de Consultoria Multinacional

comissionadas em apenas 36 meses.

Marcondes).

desenvolveu uma solução de coleta dados

13.000

máquinas

Resultados para o negócio:

foram


19

Apoio:

trabalhador se ele está entrando em uma zona de risco, por exemplo, se ele descuidadamente se posicionar debaixo de um guindaste movimentando uma carga. O sistema sabe a posição da carga suspensa e de cada operador ou visitante. Foi inventado o anjo da guarda digital. Muitas

empresas

implementaram

Centros de Operação Remotos. O operador, em vez de estar dentro da cabine de uma máquina a 30 metros de altura, em uma condição adversa, submetido a risco e calor, agora, trabalha em uma sala com ar-condicionado, socializando com várias outros colegas. Ele está longe do risco e opera a mesma máquina, visualizando o processo por câmeras de vídeo e usando joysticks e pedais para movimentar a máquina. O risco Como isso seria possível sem o uso da Tecnologia (IoT, Cloud, Mobility etc.)?

é zero e a produtividade muito maior. A máquina, por sua vez, é toda

Vamos mudar o foco para a indústria de

Primeiro, queremos saber a localização de

processos.

instrumentada, possui sistema anticolisão

cada trabalhador. Um crachá inteligente

que evita possíveis choques contra outra

Como diminuir o nível de acidentes

monitora a posição e a condição de cada

máquina, pessoas, ou estruturas fixas.

de trabalho em uma usina siderúrgica?

trabalhador. O mesmo crachá avisa o

Sensores de condição também detectam


Apoio:

Indústria 4.0 e a Transformação Digital

20

Evolução dos Sensores nas 4 Revoluções Industriais

Blank, nenhum plano de negócios sobrevive hoje em dia sem primeiro ter contato com o cliente; vem daí, algumas expressões, como “get out of the building” e converse com os clientes potenciais antes de iniciar o desenvolvimento de um novo produto. Enquanto pequenas empresas podem se

Indústria 1.0

Indústria 2.0

Sensores Mecânicos suportaram a mecanização com introdução de energia a vapor e água

Sensores Eletromecânicos permitem a produção em massa e linhas de montagem

Indústria 3.0

Indústria 4.0

Sensores Eletrônicos propiciam a produção automazida, computadores, sistemas de TI e robótica

Sensores Inteligentes sustentam sistemas autônomes, IIoT, aprendizado de Máquina. A Fábrica Inteligente!

mover rapidamente, ao passo que as grandes empresas têm a habilidade de se mover hierárquica e deliberadamente obedecendo a processos e procedimentos que nem sempre têm agilidade, elas têm clientes fiéis e certa abundância de recursos, ao passo que as startups geralmente têm uma grande aposta

quaisquer anormalidades do equipamento

adaptação a essa realidade.

e dezenas de projetos disruptivos.

e o computador de bordo notifica a

Nesse universo, a filosofia LEAN ganha

A metodologia desenvolvida por Eric

manutenção imediatamente. Por exemplo,

espaço cada vez mais na agenda de executivos

Ries vem do princípio de desenvolvimento

se um rolamento começa a agarrar e

de empresas sólidas e aderentes à velocidade

ágil, com entregas constantes e rápido

apresenta, aquecimento, ruído ou vibração,

da mudança e ambiente volátil e incerto.

aprendizado, de acordo com (Power, 2014);

isto é detectado e notificado. A equipe de

Mas qual o poder dessa filosofia? Ela

um exemplo prático dessa metodologia

manutenção tem tempo de programar uma

pode transformar sensivelmente a realidade

foi implantado na GE (General Electric),

intervenção para corrigir o defeito, evitando

dos negócios, na criação de oportunidades

onde acreditavam que com o ciclo de

uma parada de máquina com perda de

para a melhoria da gestão, além de

aprendizagem rápida e mais próxima do

produção.

aumentar e fortalecer o comprometimento

cliente, iria reduzir o risco de desenvolver algo que não venda.

A equação desse mundo novo é Homem

de seus profissionais na identificação dos

+ Máquina = Produtividade nunca antes

desperdícios, que é o primeiro passo para

imaginada.

implantar a mentalidade e o conceito de

trabalham,

empresa enxuta.

inovação, reuniões intermináveis e as

Observe que nós já estamos preparados

As formas de como grandes empresas muitas

vezes,

atrapalha

a

para a transformação digital, porque já

Frente a isso, as startups vêm trabalhando

aprovações centralizadas nas mãos dos

somos todos atores nesse palco. Todos nós

agilidade de exploração de novos mercados e

principais executivos nem sempre são as

usamos um smartphone, todos realizamos

tecnologias. Alguns estudos, segundo (Satell,

melhores maneiras, ainda mais nos mercados

compras usando ferramentas digitais, todos

2016), dizem que uma empresa tradicional

de rápido desenvolvimento tecnológico.

navegamos no trânsito usando aplicativos,

deve ser dirigida de forma diferente de uma

A maioria das empresas é gerenciada

todos fazemos operações bancárias sem sair

startup, mas para grandes empresas que

mais por executivos operacionais do que

de casa.

estão procurando o crescimento explorando

por gestores inovadores que buscam por

novas linhas de negócios, pensar mais como

novos mercados ou oportunidades de

uma startup pode fazer bastante sentido.

negócios, e a abordagem de Lean Startup

Estamos

Fascículo

e conhecimentos. De acordo com o Steve

ferramentas

agora que

trazendo

indústrias

essas

pioneiras

construíram para o dia a dia de todo tipo de negócio. Bem-vindo ao futuro!

De acordo com (Eisenhardt e Martin,

fornece ferramentas que podem ajudar

2000), uma vez que novos conhecimentos

esses executivos a se comportarem mais

precisam ser adquiridos rapidamente para

como inovadores e conversarem de forma

cada nova situação, atividades experimentais

mais frequente com seus clientes, fazer

*Constantino Seixas Filho é Managing Director

como prototipagem, informações em tempo

prototipagem simples antes de investir

da Accenture.

real, big data, opções múltiplas e experiências

tempo e dinheiro e deixar com que os dados

que geram conhecimento imediato acabam

aprovem ou refutem as decisões.

Por uma mentalidade enxuta O ciclo de vida de produtos está mais

sendo a maneira mais eficiente de lidar com a situação.

Cabe aqui, uma reflexão e um olhar acerca do que as empresas podem obter

curto e tomadas de decisões estratégicas,

Nessa seara, autores como Eric Ries

tanto de vantagem competitiva quanto de

mais rápidas. Indústrias, empresas pequenas,

e Steve Blank acabam sendo criadores de

eficiência na produção e geração de valor aos

médias e grandes, não têm mais porte, e sim,

metodologias que geram essas experiências

seus clientes.


Apoio:

21


Apoio:

Indústria 4.0 e a Transformação Digital

22

levava, em média, sete anos; atualmente, graças a ferramentas digitais, o tempo de desenvolvimento é em média seis meses. entrega de medicamentos em regiões na

Algoritmos Avançados (Analitycs)

IoT / IIoT Sensores Inteligentes

África demorava quatro horas, com auxílio de drones caiu para 15 minutos, fora outros exemplo. Uma coisa importante a fixar é a

IA

velocidade.

Big Data

Outro conceito importante para se guardar é acessibilidade. Em termo de

Manutenção Preditiva

custos, facilidade de acesso, um drone

Automação

em 2007 custava cerca de US$100 mil, sendo que atualmente, um drone com

Voltar o radar para filosofia "Lean

novelas e ainda mais nos aborrecemos com

as mesmas características custa US$100.

Startup”, trata-se de uma tomada de decisão.

os comerciais “chatos”, sem uma mensagem

Outros exemplos são: uma impressora

clara para nós, consumidores.

3D em 2017 custava US$40 mil, ao passo sair

que, hoje em dia, uma impressora com as

Administração pela Fundação Dom Cabral. É

correndo do trabalho para devolver fitas

Ou

mesmas características custa US$1 mil. Até

MBA em Marketing pela Universidade de São

de videocassete, sem esquecer de rebobiná-

robôs colaborativos (cobolts) custavam USS

Paulo (USP) e administrador pela Estadual

las (quem possui filhos com menos de sete

550 mil (em 2007); atualmente, é possível

de Goiás. É speaker e co-organizer do Tedx

anos, pode sentir que eles não sabem qual

encontrar o mesmo robô por US$5 mil,

Montes Claros (MG). É colunista do Blog

conceito de televisão, já que podem assistir

fora outros exemplos. Alguns podem dizer

ResumoCast – Livros para empreendedores.

o que querem, a hora que querem, no

que é a Lei de Moonre, mas é um conjunto

dispositivo que querem (tablet, celular, TV),

de vários fatores: custo das informações e

onde querem sem serem incomodados por

o custo da energia vêm reduzindo cada vez

comerciais).

mais, permitindo que as coisas fiquem cada

*Gilmar Chagas da Silva é mestre em

O Mindset Transformação Digital, Indústria 4.0,

quando

tínhamos

que

Logística 4.0, Supply 4.0, Energia 4.0 (será

Hoje, a vida está bem mais dinâmica,

vez mais acessíveis. Dizem que a energia

que existe isso?) Startups: o que é isso? Quais

pois pedimos táxis, carros para nos buscar

nessa nova era será cada vez mais abundante

tecnologias devemos utilizar? O Brasil está

nas palmas das nossas mãos; mais que

(devido à popularização e viabilidade das

preparado para isso? Temos infraestrutura?

isso: temos opções de escolher o meio de

fontes de energia renováveis); melhor

Como faço a implementação disso na minha

transporte da nossa preferência – para nos

acessos, informações e dados permitem uma

empresa? O que seria Energia 4.0? São

locomovermos nas regiões próximas da

maior economia e melhor gerenciamento,

conceitos e perguntas que escutamos todos

Avenida Paulista, podemos ir de patinete,

tornando a energia cada vez mais acessível e

os dias, quando não nos questionamos.

bicicleta, Uber / 99, por exemplo. Fazer

abundante.

Para

Fascículo

O tempo de transporte está encurtando, a

Cloud Computing

Sensor Fusion

entendermos

o

que

é

podemos

Flexibilidade e co-criação são pontos

Transformação Digital e Indústria 4.0 e

fazer até "virtualmente", escolhendo uma

aos quais temos que estar antenados, não

todos os conceitos de "4.0", precisamos

infinidade de produtos (não mais pela marca,

somente na produção (cada vez mais temos

primeiramente

está

mas sim, por uma combinação de avaliação

que flexibilizar a produção para entregar o

acontecendo atualmente em nossas vidas,

dos próprios usuários, disponibilidade e

que o cliente quer, na hora que quer e, de

no mundo e para onde caminhamos.

preços / facilidades de pagamentos).

preferência, sem desperdício). Temos visto

entender

o

que

compras

no

supermercado,

Passamos por constantes mudanças, seja

Então, uma das grandes transformações

mais empresas flexibilizando os processos

em nossos hábitos, forma de pensar e agir.

é a velocidade em que as coisas acontecem,

e o desenvolvimento de solução com o

Quem se lembra dos tempos em que, para

seja no digital (podemos escolher qualquer

cliente (e não mais para o cliente), o que

pedir um táxi, tínhamos que ficar “horas”

filme, série novela a hora que quisermos e

muitos chamam de inovação aberta. Quem

debaixo de chuva esperando e estender a

no dispositivo que quisermos). Fora isso,

vem desempenhando e nos ensinando

mão (por exemplo). E quando tínhamos

podemos dar outros exemplos, além do

bem sobre esse papel são as startups que,

que aguardar pacientemente pelo menos

"digital": o tempo de desenvolvimento de

por estarem descobrindo os modelos de

30 minutos em filas de bancos, quando

um produto demorava anos, por exemplo.

negócio e aprimorando a tecnologia, nos

esperávamos ansiosamente pelo horário das

O desenvolvimento de um automóvel

transmitem algumas lições de como testar


23 hipóteses, permitindo errar rápido, flexibilizar e mudar os projetos rapidamente, sempre escutando e desenvolvendo com os clientes. Sem esquecer que o ponto mais importante de tudo são os consumidores, que estão cada vez mais conectados, impacientes e exigentes. Em outras palavras, significa que os nossos consumidores mudaram – eles na palma da mão têm acesso a todas as informações sobre quaisquer produtos, serviços, preços, valores das empresas, termos de segurança, qualidade, saber se os produtos que estamos adquirindo não causam nenhum impacto ambiental (ou não contêm nenhum produto de origem animal – no caso de veganos); eles não ligam mais para marcas, e sim para as experiências; querem encontrar os produtos / serviços ou ter a experiência onde quiserem, na hora que quiserem e como quiserem (tornando isso bastante desafiador). Assim, as empresas são obrigadas a fabricar todos os tipos de produtos e entregar em todos os lugares (devemos ter uma flexibilidade e agilidade nas produções e entregas). O papel da energia será muito importante: imagine os clientes preferindo comprar os produtos e serviços de locais que usam energias renováveis ou de baixo impacto ambiental; ao mesmo tempo, as empresas têm que buscar melhor eficiência e performance para se manterem competitivas - lembrando que a energia envolve o corporativo, a fábrica e especialmente o transporte. Hoje, existem dois tipos de consumi­ dores: os que buscam experiências a baixo custo –essa tendência se chama massificação, onde fabricar produtos / serviços em massa (igual) com baixo custo e qualidade (apesar de que qualidade é um diferencial) e a customização, onde os clientes buscam experiências, produtos únicos para si ou entrega de valor. Por isso, antes de nos desesperarmos e começarmos a implementar tecnologias, devemos preparar o Mindset (seja fornecendo ferramentas para que as pessoas conheçam o que está acontecendo e as ferramentas que estão surgindo), para desenvolver uma Cultura Maker (de criar protótipos para incentivar a metodologia LEAN – incentivar a prototipação é o melhor caminho para entender os clientes, entender os problemas a serem resolvidos e gastar o mínimo de recursos no desenvolvimento), para criar uma estratégia de crescimento em inovação / transformação digital e indústria 4.0. Entendendo e estando antenados a esses conceitos, iremos absorvendo o Mindset do que é Transformação Digital e Indústria 4.0. *Thierry Cintra Marcondes é empreendedor apaixonado por inovação, parcerias e pessoas. Fundador e mentor de startups, com experiencia para lançar produtos/serviços rápidos (MVP – com técnicas sprint), pensando também novos modelos de negócios e cultura de inovação para empresa, especialmente, para Operações. Implementou cultura de prototipagem, cultura maker e Indústria 4.0 (com foco de trazer rentabilidade, reduzir o T2M (time-to-market) e desenvolvimento de novos modelos de negócios). Atualmente, é do time de Inovação da Accenture.


Apoio:

Fascículo

Segurança em Eletricidade

24

Por Aguinaldo Bizzo de Almeida*

Capítulo II Interpretação e aplicação da NR10 – Segurança em Instalações Elétricas e Serviços com Eletricidade em atividades de manutenção de redes de telefonia e TV a cabo Uma das principais alterações propostas

riscos elétricos, e que são negligenciados

as etapas de projeto, construção, montagem,

no texto da NR10 em consulta pública

por diversos profissionais que atuam na

operação

refere-se a “Trabalhos em Proximidade”, uma

área elétrica, segurança do trabalho e,

elétricas de baixa, média e/ou alta tensão, em

vez que, no texto atual, esse termo ganha

principalmente, na área jurídica.

corrente alternada e/ou contínua, de caráter

e

manutenção

de

instalações

permanente ou temporário.

relevância quando a Norma define no seu

Neste artigo, abordaremos a interpretação

“Campo de Aplicação” um tópico específico

e aplicação da NR10, considerando o texto

sobre Trabalhos em Proximidade, ou seja:

vigente e o processo de revisão em curso da

A imposição da Norma sujeita todas as

10.2.2.1 Equipara-se a serviço em eletricidade

norma para “Trabalhos em Proximidade”

atividades, desde a produção ou geração até o

todo e qualquer trabalho em proximidade de

no segmento de Telefonia e TV a cabo em

consumo final da energia elétrica, abrangendo

instalações elétricas com exposição aos fatores

estruturas compartilhadas com redes de

as

de riscos decorrentes do emprego da energia

distribuição de energia elétrica, que atualmente

levantamentos,

elétrica, em que o trabalhador possa adentrar

representam uma grande preocupação para a

(preparação,

à zona controlada, conforme Anexo II – Zona

segurança dos trabalhadores que atuam nessa

reformas (atualizações, modificações

de Risco, Zona Controlada e Zona Livre, seja

área, face a condições laborais existentes.

ampliações), operação (supervisão, controles,

com parte do corpo ou por meio de extensões

etapas

do

projeto

(planejamento,

medições...), montagens

e

construção instalações), e

A análise a seguir aplica-se também

ação e acompanhamentos), manutenção

a outras atividades desenvolvidas nessas

(diagnóstico, reparação, substituição de partes

estruturas

e

e peças, testes), independentemente do nível

“Trabalho em Proximidade” já existe, sendo

torres), como por exemplo: manutenção de

de tensão elétrica, seja em corrente alternada

que a definição do mesmo está no glossário

semáforos, poda de árvores etc.

ou corrente contínua, e, de forma explícita,

condutoras. Ressalta-se que no texto atual, o termo

onde basicamente é a mesma; entretanto, no texto proposto, conforme citado, esse

compartilhadas

(postes

Em complemento ao citado no Campo de Aplicação da NR10, destaca-se:

termo é contextualizado de forma direta na

define que se aplica a atividades de caráter permanente ou temporário. Dessa forma, de maneira clara e

aplicação da Norma, não deixando dúvidas

10.2.1 Esta NR se aplica às fases de geração,

sobre a aplicação do mesmo em diversas

transmissão, distribuição e consumo das

ambientes

atividades que expõem os trabalhadores a

diversas fontes de energia elétrica, incluindo

influências das instalações elétricas de redes

intrínseca, abrange os trabalhadores em circunvizinhos

sujeitos

às


25

Apoio:

de distribuição de energia elétrica ou execução de serviços elétricos que lhes são próximos, tais como: trabalhadores nas instalações telefônicas, TV a Cabo e iluminação pública instaladas em estruturas compartilhadas com redes de distribuição e/ou transmissão de energia elétrica, ou trabalhadores em geral (construção, manutenção, operação não elétricas), mas que realizam suas atividades e serviços na zona controlada definida no anexo II, vide Figuras 1 e 2.

Figura 2 – Distâncias no ar que delimitam radialmente as zonas de risco, controlada e livre.

Definições da NR10 Zona de Risco: entorno de parte condutora energizada, não segregada, acessível inclusive,

autorizados. (Glossário).

acidentalmente, de dimensões estabelecidas

Assim, considerando-se as condições

de acordo com o nível de tensão, cuja

laborais existentes para profissionais que

aproximação só é permitida a profissionais

realizam atividades em redes de telefonia e

autorizados e com a adoção de técnicas

TV a cabo em estruturas compartilhadas

e instrumentos apropriados de trabalho. (Glossário). Zona Controlada: entorno de parte condutora acessível,

energizada, de

não

dimensões

Figura 1 – Anexo I da NR10 – Tabela de raios de delimitação de zonas de risco, controlada.

com redes aéreas de distribuição de energia elétrica, de forma intrínseca está caracterizado o Trabalho em Proximidade conforme NR10,

segregada,

de acordo com o nível de tensão, cuja

uma vez que as atividades em redes de

estabelecidas

aproximação só é permitida a profissionais

telefonia e TV a cabo são realizadas dentro


Apoio:

Segurança em Eletricidade

26

dos limites de distâncias estabelecidas pela NR10 como Zona Controlada para baixa tensão, ou seja, 0,7m. Destaca-se

que o

próprio padrão construtivo das instalações elétricas, conforme NBR 15688 – Redes de Distribuição Aérea de energia elétrica com condutores nus, define uma distância de até 60cm entre o primeiro condutor (referencia o solo) energizado e a rede de telecomunicação (vide Figura 3), evidenciando a necessidade de adentrar os limites da ZC para execução de atividades de telefonia e TV a cabo. Ressalta-se que existem situações onde o padrão construtivo não atende às distâncias

Figura 3 – Padrão construtivo de redes de telefonia.

estabelecidas em projeto, fazendo com que os profissionais, além de adentrarem à Zona

de riscos de origem elétrica, além dos fatores

NR10, devem, obrigatoriamente, no PGR,

de Risco da BT, em determinadas situações,

de riscos adicionais, em conformidade com

considerar os fatores de risco intrínsecos à

adentrem, inclusive, à ZC e/ou ZR da alta

o PGR, e obedecendo à ordem de prioridade

energia elétrica, como choque elétrico por

tensão, como por exemplo, na Figura 4,

estabelecida pela NR01.

contato direto, choque elétrico por contato

onde evidencia-se que o profissional está a

Assim, considerando o disposto no

indireto e arco elétrico, bem como considerar

menos de 1,38m do jumper primário da rede

objetivo da NR10: 10.1.1 Esta Norma

também os Riscos Adicionais intrínsecos,

distribuição de energia elétrica de 13,8kV,

estabelece os requisitos e condições mínimas

que também colocam em risco a integridade

expondo, nessas condições, os trabalhadores

objetivando a implementação de medidas

física dos trabalhadores, como por exemplo:

ao risco de morte por choque elétrico por

de controle e sistemas preventivos, de

trabalho em altura, espaço confinado, trânsito

contato direto com a alta tensão.

forma a garantir a segurança e a saúde dos

etc.

Destaca-se que o texto da NR10, já

trabalhadores expostos aos fatores de riscos

no título, define tratar-se de Segurança

decorrentes do emprego da energia elétrica,

em Instalações Elétricas e Serviços com

observando as prescrições do Programa de

Eletricidade,

evidenciando,

de

NR10 X Eliminação do fator de risco

forma

Gerenciamento de Riscos (PGR), de forma

A NR10 estabelece uma hierarquia para

intrínseca no item 10.3 MEDIDAS DE

intrínseca as empresas de telefonia e TV

a definição da medidas de controle a serem

PREVENÇÃO, que: 10.3.1 A organização

a cabo, bem como aquelas que de alguma

adotadas, conforme segue:

deverá adotar medidas de prevenção contra

forma

choque elétrico, arco elétrico e outros fatores

como Trabalhos em Proximidade conforme

realizam atividades caracterizadas 10.4.1

Prioritariamente,

deverá

ser

adotada a eliminação do fator de risco decorrente do emprego da energia elétrica

Fascículo

por meio da desenergização das instalações elétricas, devendo a organização atender ao que estabelece o disposto no item 10.12 -

SEGURANÇA

EM

INSTALAÇÕES

ELÉTRICAS DESENERGIZADAS. As atividades de construção e/ou manutenção de redes de telefonia e TV a cabo caracterizadas como Trabalho em Proximidade, são realizadas (salvo exceções) com as redes de distribuição de energia elétrica energizadas, uma vez que a detentora das instalações elétrica é a concessionaria Figura 4 – Atividade em telefonia em Trabalhos em Proximidade com redes de distribuição de energia elétrica de AT de 13,8kV.

de energia elétrica; assim, as empresas de telefonia e TV a cabo somente utilizam as


Apoio:

27


Apoio:

Segurança em Eletricidade

28

estruturas físicas (postes, torres etc.) para

os riscos elétricos existentes, conforme já

forma, fica descaracterizada a medida de

instalação das redes de telecomunicações, ou

citado, referem-se à proximidade com redes

controle denominada fora de alcance.

seja, não possuem autonomia para efetuar

elétricas de distribuição de BT e AT, onde não

Assim, uma vez que é necessário realizar

a desenergizacao das redes elétricas. Essa

existem (salvo situações pontuais) medidas de

Trabalhos em Proximidade com redes de

condição potencializa a exposição aos riscos

engenharia para proteção ao risco de choque

distribuição de energia elétrica de forma

elétricos intrínsecos à realização de atividades

elétrico por contato direto e contato indireto.

intrínseca, os trabalhadores estarão expostos

nessas estruturas, evidenciando a necessidade e obrigatoriedade de um Processo de Autorização eficaz para os profissionais que

NR10 X Medidas de proteção coletiva

realizam essas atividades, onde destaca-se

contato direto e indireto, bem como de arco elétrico (que exige uma análise diferenciada quanto ao real nível de exposição).

a necessidade de conhecimento adequado

10.5.1 A organização deve adotar medidas

e análise de risco adequada quanto ao real

de proteção coletiva contra choques elétricos

perigo intrínseco desse tipo de atividade.

atendendo às seguintes condições:

Análise das medidas de proteção coletiva

a) partes vivas perigosas não devem ser

As medidas de proteção coletiva descritas

10.4.1.1 A organização deve atender ao

acessíveis; e

no texto proposta da NR10, basicamente

que estabelece o disposto no item 10.13

b) massas ou partes condutivas acessíveis

transcrevem para os riscos de choque elétrico

-

INSTALAÇÕES

não devem oferecer perigo elétrico, seja em

o estabelecido na NBR5410 – Instalações

ELÉTRICAS ENERGIZADAS E TRABA­LHO

condições normais, seja em particular, em caso

Elétricas de Baixa Tensão – vide item 10.5.1.1

EM PROXIMIDADE quando os serviços forem

de alguma falha que as torne acidentalmente

As medidas de proteção coletiva contra

realizados em instalações elétricas desligadas,

vivas.

choques elétricos devem ser asseguradas pelo

SEGURANÇA

EM

mas com possibilidade de energização, por qualquer meio ou razão.

Fascículo

aos riscos elétricos de choque elétrico por

provimento conjunto de proteção básica e características

de proteção supletiva, mediante combinação

10.4.2 Na impossibilidade de implantação da

construtivas das redes de distribuição de

de meios independentes ou mediante

desenergização elétrica, conforme estabelece

energia elétrica, onde não existem (salvo

aplicação de medida capaz de prover ambas

esta NR, deve ser usado o emprego da extra

situações pontuais) medidas de engenharia

as proteções, simultaneamente.

baixa tensão.

para proteção ao risco de choque elétrico por

10.4.3 Na impossibilidade de implementação

contato direto e para contato indireto, sendo

laborais existentes para profissionais que

dos itens 10.4.1 e 10.4.2, devem ser adotadas

a medida de controle intrínseca denominada

realizam atividades em redes de telefonia

medidas de proteção coletiva, conforme item

colocação fora de alcance, ou seja, os

e TV a cabo em estruturas compartilhadas

10.5, ou quando estas não forem suficientes

condutores energizados são construídos

com redes aéreas de distribuição de energia

ou encontrarem-se em fase de estudo,

em uma distância segura, onde pessoas

elétrica, conclui-se que:

planejamento ou implantação, ou ainda em

comuns – BA1 não toquem acidentalmente.

caráter complementar ou emergencial, deverão

Assim, quando da necessidade de violar

1 - De forma intrínseca, está caracterizado o

ser adotadas outras medidas, obedecendo-se à

essa condição para execução de quaisquer

trabalho em proximidade conforme NR10;

seguinte hierarquia:

serviços, somente profissionais autorizados

2 - As atividades são desenvolvidas estruturas

a) medidas administrativas e de organização,

podem realizar atividades em redes elétricas

integrantes do SEP;

conforme item 10.6;

ou na proximidade das mesmas, com a adoção

3 - A estruturação do PGR deve obrigato­

de procedimentos de trabalho específicos

riamente contemplar a exposição à riscos

que contemplem medidas de controle de

elétricos intrínsecos para atividades, ou seja,

b) medidas de proteção individual, conforme item 10.10.

Destacam-se

as

Assim,

considerando

as

condições

riscos elétricos aplicáveis, considerando

choque elétrico por contato direto e indireto,

Ressalta-se que as tensões elétricas

as peculiaridades construtivas, através de

e para arco elétrico (onde deve ser feita análise

existentes nos circuitos elétricos das redes

uma análise de risco adequada e específica,

de risco específica para a real avaliação do

de telefonia, salvo exceções, caracterizam-se

considerando as peculiaridades das redes de

nível de exposição e medidas de controle a

como Extra Baixa Tensão (EBT), ou

distribuição de energia elétrica caracterizadas

serem adotadas...);

seja, abaixo de 50Vca ou 120Vcc, onde,

como Sistema Elétrico de Potência (SEP).

4 - Os profissionais que executam ativida­ des

de

construção

e/ou

manutenção

em princípio, são consideradas seguras

Para a realização das atividades de

(se atendidas as prescrições de Normas

construção e/ou manutenção de redes de

em redes de telefonia e TV a cabo, bem

Técnicas quanto às influências externas BB –

telefonia e TV a cabo, é necessário que os

como outros profissionais que executem

Resistência Elétrica do Corpo Humano e BC –

profissionais adentrem os limites estabelecidos

atividades caracterizadas como Trabalho

Contato com o Potencial de Terra); entretanto,

pela NR10 como zona controlada, e, dessa

em Proximidade conforme NR10, devem


29

Apoio:

10.5.1.2 As medidas de proteção básica ou contra contato direto das partes vivas perigosas em condições normais devem ser aplicadas por meio do uso de:

Item NR10

Interface com redes de distribuição

Comentário

de energia elétrica a) isolação das partes vivas

Predominam redes de distribuição de

De forma irregular, por não se considerar que as atividades em telefonia são

energia elétrica com cabos nus

caracterizadas como Trabalho em Proximidade conforme NR10, o risco

b) barreiras ou invólucros

A medida de controle predominante e a

intrínseco de choque elétrico por contato direto e indireto é negligenciado

ou obstáculos

colocação fora de alcance

pelas empresas prestadoras de serviço em redes de telefonia e TV a cabo em

c) colocação fora do

Condição predominante

estruturas compartilhadas com redes de distribuição de e energia elétrica;

alcance

dessa forma, predominam análises de risco e procedimentos inadequados, que não atendem às prescrições estabelecidas pela NR10 e NR35.

d) limitação da tensão

Tensão nas redes de distribuição BT e AT

Somente se aplicam para as tensões elétricas da rede de telefonia, não se aplicando às redes de distribuição de energia elétrica.

10.5.1.3 As medidas de proteção supletiva ou contra contato indireto de massas ou partes condutivas acessíveis, acidentalmente vivas, devem ser aplicadas por meio do uso de:

seccionamento automático

Salvo exceções não existem em RD

As redes de distribuição de energia elétrica possuem padrão construtivo

da alimentação

específico conforme Normas técnicas de projeto especificas para o SEP.

infraestrutura de

Não projetada para fim de proteção para

aterramento

choque elétrico

equipotencialização

Não aplicável

isolação suplementar

Não aplicável

separação elétrica

Não aplicável

10.5.2 A organização deve adotar medidas de proteção coletiva contra

Uma das principais alterações na NR10 refere-se à inserção de forma

arcos elétricos, atendendo às condições prescritas no item 10.5.1 e a

intrínseca e explicita a exposição ao risco de arco elétrico, onde, em

utilização de um ou mais dos seguintes meios:

princípio, considerou-se na definição das medidas de controle a NBR14039 – Instalações Elétricas de Média Tensão, e a NFPA 70 E - Standard for Electrical Safety in the Workplace.

h) operação da instalação a uma distância segura, de acordo com o

A real exposição ao risco de arco elétrico deve ser avaliado em análise de

Limite de Aproximação Segura (LAS) definido por meio de cálculo da

risco específica, considerando-se, dentre outros fatores, principalmente o

energia incidente adequada para cada cenário de atividade, conforme

nível de energia incidente nas redes de distribuição de energia elétrica e o

as normas técnicas oficiais estabelecidas pelos órgãos competentes

LAS para a exposição ao efeito de possível arco elétrico, e assim, a definição

e, somente no caso de ausência ou omissão destas, as normas

das medidas de controle aplicáveis.

internacionais cabíveis.

Nota: Esse tema com certeza será objeto de discussão no processo de construção da NR10, visto a relevância do mesmo e devido à vulnerabilidade no texto em vigor.

ser Autorizados formalmente, podendo ser

NR35 – Trabalho em Altura, é condição

(CCEE), que elaborou, em 2019, o Manual

classificados como Capacitados, atendendo

intrínseca para as atividades de manutenção

de Interpretação e Aplicação da NR10 para

às prescrições estabelecidas pela NR10, onde

em redes de telefonia e TV a cabo.

Atividades de Telefonia e TV a cabo em

destacam-se o estabelecimento do limite

Ressalta-se a abrangência deste artigo

de abrangência, a capacitação operacional,

em uma análise técnica direcionada para

os Cursos de NR10 e a obrigatoriedade

riscos elétricos quanto ao estabelecido pela

da responsabilidade de

NR10 para Trabalho em Proximidade com

*Aguinaldo Bizzo de Almeida é engenheiro

foco nas atividades de telefonia e a TV a

eletricista e de Segurança do Trabalho; membro

cabo em estruturas compartilhadas em

do GT/GTT – Elaboração da NR10 (texto vigente);

Legalmente

Habilitado

um Profissional (PLH)

pela

Autorização.

redes de distribuição de energia elétrica. Dessa forma, o atendimento na sua

Ainda vale destacar que esse tema foi objeto

totalidade, aos requisitos estabelecidos pela

de discussão pelo CREA SP, com a criação

NR10 – Segurança em Instalações Elétricas

de Grupo Técnico específico pela Câmara

e Serviços com Eletricidade, bem como pela

Especializada

em

Engenharia

Elétrica

Estruturas Compartilhadas com Redes de Distribuição de Energia Elétrica.

assessor técnico da Bancada dos Trabalhadores no processo de Revisão da NR10; conselheiro CCEE no CREA SP; inspetor de Conformidades e Ensaios Elétricos ABNT – NBR5410 – BT e NBR14039 – MT; diretor da DPST – Desenvolvimento e Planejamento em Segurança do Trabalho.


Apoio:

Inovação em Distribuição de Energia

30

Por Daniel Bento*

Capítulo II Os 3 Ds do Setor Elétrico

Na virada do ano de 1999 para 2000,

Esses pilares, conhecidos como 3 Ds,

havia uma grande preocupação mundial

têm apresentado crescimento na última

em relação ao comportamento dos

década e a tendência para os próximos

Com o advento da globalização e os

sistemas de informação que poderiam

anos é que eles se intensifiquem cada vez

avanços da internet, tudo hoje em dia

gerar erros em suas operações devido a

mais. Em alguns Países, esse conceito

está conectado e interligado. Com os

mudança do calendário.

serem complementares e integradas.

já está muito bem sedimentado e no

3 Ds não é diferente e os exemplos que

O setor elétrico vivia uma época

Brasil algumas iniciativas estão tomando

serão apresentados demonstram essa

em que a automação estava em sua fase

corpo e tornando este conceito um

realidade.

inicial. Havia pouco conhecimento do

direcionamento estratégico de muitos

A

comportamento destes sistemas e, por

negócios

esse motivo, era grande a preocupação

também para as entidades responsáveis

energia elétrica de agentes passivos

que

pela regulamentação do setor.

para participantes ativos em relação

a

virada

desse

ano

pudesse

ocasionar problemas para a operação.

Fascículo

as tecnologias são desenvolvidas para

Para

para

que

grandes

empresas

possamos

ter

e

tendência

transformando

dos

os

3

Ds

vem

consumidores

de

um

à rede de distribuição. As empresas

Depois desse episódio, poucos impactos

entendimento adequado do que está

que atuam no setor elétrico precisam

foram sentidos e o mundo continuou

sendo tratado na prática, quando falamos

se adaptar a essa tendência para não

funcionando normalmente.

de descentralização, descarbonização e

perderem a oportunidade de participar

Passados 20 anos, entramos na

digitalização, a seguir será apresentada

deste movimento, pois, caso contrário,

década de 2020 e o setor elétrico está

uma visão geral do que trata cada um

acabarão ficando de fora desse mercado.

com uma nova preocupação em âmbito

destes temas, que serão explorados e

mundial: a transformação energética.

exemplificados com mais profundidade

Reimagining Our Electricity Future,

Essa transformação impacta toda a

nos demais fascículos.

elaborado no final de 2017, cita que:

O relacionamento entre os 3 Ds

direcionadores

está

transformação

crucial

cadeia do setor, desde a geração até os consumidores e ela está baseada nos três pilares em que esse fascículo está estruturado:

O

A

relatório

da

GE

convergência

chamado

desses

3

criando que

uma muda

Os 3 Ds não devem ser considerados

completamente o cenário global de

de forma independente. A existência

energia de uma forma que nunca

• Descarbonização

de

imaginávamos.

• Digitalização

quando associado a outro. Isso porque

estão

• Descentralização

estamos cada vez mais conectados e

dos

um,

geralmente,

faz

sentido

Esses

direcionadores

o

comportamento

mudando tradicionais

consumidores

de


31

Apoio:

energia existentes em novos participantes do mercado como necessidades e preferências específicas (GE, 2017, tradução nossa) Esse movimento deve ser análogo à mudança do usuário de telefonia, que até a década de 80, era dependente de uma única operadora, oferecendo um único serviço (telefonia fixa), a um custo elevado. Atualmente, dispomos de várias operadoras, oferecendo diversos serviços e os consumidores possuem a autonomia e o poder de escolher entre diversas provedoras de serviço. No setor elétrico, o consumidor deve ainda dar um passo além do exemplo da telefonia, pois ele pode exercer um papel ativo de provedor de infraestrutura, por meio de geração e armazenamento de energia. Mas para que tudo isso funcione, o conceito dos 3 Ds precisa efetivamente ser tratado de forma integrada e em todas as suas vertentes. É justamente o direcionador de cada um deles que serão abordados nos tópicos seguintes.

Descarbonização A redução das emissões de gases causadores do efeito estufa, em que se encontram os gases que contém carbono, tem sido amplamente debatido no mundo por cientistas e nas convenções climáticas, principalmente as organizadas anualmente pelas Nações Unidas. Apesar da consciência do impacto negativo dessas emissões ao meio ambiente, tem sido difícil celebrar acordos em nível mundial devido ao fato que muitos países possuem grande dependência de fontes energéticas com grandes emissões, sendo que a sua substituição é cara e demorada. Mas isso não tem se apresentado como um empecilho para que grandes movimentos de âmbitos governamentais sejam empreendidos para reduzir as emissões. A união europeia firmou um acordo com seus países membros para reduzir em 55% as emissões de gases causadores do efeito estufa até 2030 e está buscando um acordo para reduzir em 100% até 2050. Algumas grandes cidades europeias como Londres, Paris e Amsterdã já anunciaram que estão trabalhando para neutralizar todas as suas emissões até 2050. Essa meta de neutralização já

Figura 1: Matriz elétrica no mundo. Fonte: New Energy Outlook 2019 da Bloomberg


Apoio:

Inovação em Distribuição de Energia

32

esteve presente no exemplo do Fórum

de

deve ser duradouro. Essa perspectiva

Mundial de Davos, realizado em janeiro

alimentação que possui níveis elevados

existe, pois o movimento de preservação

deste ano. Este evento foi todo concebido

de emissão, a rede Mc Donalds tem sido

do planeta é algo que vem sendo

para que as emissões de gases que

um exemplo com uma meta global de

discutido há muito tempo e que possui

afetam o meio ambiente, provocados

reduzir as emissões de gases causadores

grande base científica, portanto, não é

pela realização do fórum, fossem todas

do efeito estufa em 36% até 2030,

uma novidade que pode se tornar uma

compensadas.

com base em 2015, em todos os seus

bolha a ponto de estourar a qualquer

restaurantes e escritórios.

momento.

Este movimento torna-se visível na

Mudando

o

segmento

projeção realizada pela Bloomberg, em

Estes exemplos de grandes empresas

seu relatório New Energy Outlook de

preocupadas com a redução de suas

2019 com a projeção até 2050 da matriz

emissões de gases que afetam o meio

A digitalização é um movimento que

elétrica no mundo. Nota-se um grande

ambiente têm ditado um caminho a ser

não surgiu no setor elétrico. Ele é oriundo

declínio do carvão, sendo substituído

seguido por diversas outras organizações.

de outras ondas de desenvolvimento

pelas fontes solar e eólica.

Digitalização

As empresas citadas têm atuação em

desde o advento da internet e da

O Brasil tem como maior fonte de

todo o mundo e aqui no Brasil não tem

globalização que permitiu a conexão das

emissão de gases causadores do efeito

sido diferente. Para colocar em prática

pessoas, sistemas e mercados de forma

estufa a queimada de florestas. Em

essas metas, muitas empresas que não

mais rápida e sistemática.

janeiro deste ano, pressionado pelos

têm a energia elétrica como seu negócio

A evolução da tecnologia que o mundo

investidores mundiais que ameaçam

principal tem investido em geração a

tem passado nas últimas décadas auxiliou

retirar o dinheiro do País e pelo apelo

partir de fontes limpas para atingir as

a transformar os dados e as informações

do Fórum Econômico Mundial reunido

metas.

em bens muito valiosos para as empresas, é

ao ponto de fazer com que o Google, uma

Central

empresa que tem o seu negócio principal

Anhanguera,

baseado na consulta de informações, se

localizada entre os municípios de São

tornasse a segunda empresa mais valiosa

em Davos, o presidente Jair Bolsonaro

A

Volkswagen,

por

exemplo,

criou o Força Nacional Ambiental e do

proprietária

Conselho da Amazônia, comandada

Hidrelétrica

pelo Vice-Presidente Hamilton Mourão para, dentre outras ações, coordenar os

Joaquim da Barra e Guará no estado

do mundo de acordo com o ranking da

trabalhos de combate às queimadas.

de São Paulo. Desde 2010 essa usina

Forbes de 2019.

da

Pequena

(PCH)

sido

já auxilia a neutralizar as emissões

Algumas tecnologias mais recentes

debatido no âmbito político está sendo

decorrentes da operação da montadora

como Internet das Coisas, Inteligência

refletido

no Brasil.

Artificial e Blockchain tem contribuído

Este

movimento no

setor

que

tem

empresarial,

ao

ponto que muitas e grandes empresas

Em 2019, a Ambev anunciou o

para acelerar esse movimento, fazendo

da

investimento de R$140 milhões na

com que atualmente qualquer “coisa”

descarbonização para o seu negócio e

construção de 31 usinas solares que serão

possa estar conectada e ser acessada de

tem incorporado medidas neste sentido

capazes de gerar energia equivalente

qualquer lugar, podendo também ser

dentro de seus planos estratégicos

ao consumo dos seus 94 centros de

controlada por máquinas e com elevado

distribuição.

nível de segurança.

entenderam

a

importância

A Apple, por exemplo, anunciou

Fascículo

para

que atualmente toda a energia elétrica

Também em 2019, a rede de Shopping

O Blockchain é uma tecnologia que

utilizada por seus escritórios, pontos de

Multiplan inaugurou em Minas Gerais

foi difundida com o surgimento do

venda e data centers é oriunda de fontes

uma usina solar fotovoltaica de 8MW

Bitcoin, mas que possui aplicações em

renováveis. Em relação à operação da

de pico que será capaz de abastecer

diversos setores, inclusive energia. Como

empresa como um todo, muitas ações

integralmente um Shopping de sua rede.

exemplo de aplicação é possível citar

estão sendo adotadas para a redução das

Além

emissões, que no ano de 2019 já havia

diversas

reduzido em 35% comparado a 2015.

investido

Outro exemplo de uma empresa

desses outras de

exemplos, empresas

forma

existem que

consistente

a Energy Web Foundation, que é uma

têm

organização não governamental, tendo

na

como afiliadas mais de 100 empresas incluindo gigantes do setor de energia

descarbonização de suas operações.

gigante, a Amazon, ilustra bem essa

Diferentemente de outras ondas de

como AES, Duke Energy, EDF, Engie,

situação. Eles possuem uma meta de

gestão e estratégia que historicamente

Shell e GE, criada com o objetivo de

que até 2030, 50% de todos os processos

se mostraram como cíclicas e que

formar uma rede de Blockchain do setor

de entrega dos produtos que ela vende

não

a

de energia, justamente para suportar a

tenha zero emissão de carbono.

descarbonização é um movimento que

visão da empresa que está baseada nas

apresentaram

vida

longa,


33

Apoio:

Em redes de distribuição de energia com intensa participação da geração distribuída,

operar

tantas

fontes

conectadas simultaneamente de forma manual seria muito complexo. Por esse motivo, a digitalização oferece grande auxílio para a operação do sistema de forma confiável e segura. Diversos

outros

recursos

estão

disponíveis para monitorar e operar as redes elétricas de forma segura

Figura 2: Crescimento de dispositivos conectados – Internet das Coisas. Fonte: Ericsson

e confiável. A digitalização oferece recursos com esses benefícios tanto

tendências dos 3 Ds. Sobre o conceito de Internet das Coisas, um estudo da Ericsson aponta que até 2022 teremos 29 Bilhões de dispositivos conectados com base nesse conceito de tecnologia. De acordo com esse estudo, os dispositivos

de

Short-range

são

considerados aqueles conectados em frequências

não

licenciadas,

como

por exemplo Wi-Fi e Bluetooth. Os dispositivos

Wide-area

são

aqueles

conectados com conexões licenciadas como por exemplo as conexões de celular 3G e GPRS. Esses são números mundiais e de todos os segmentos. A digitalização não surgiu no setor elétrico, mas agora ele também surfa essa onda. No setor elétrico, o conceito de internet das coisas se aplica por exemplo para baterias, medidores de energia, eletrodomésticos,

aprender com o funcionamento do

nos sistemas de geração, como também

sistema, não apenas o controle pode ser

transmissão e distribuição.

remoto, como por exemplo pode ser feito

A diversidade de recursos é muito

por uma máquina, aumentando a rapidez

grande para serem exploradas em um

do reestabelecimento do sistema em caso

único fascículo, por esse motivo estão

de desligamentos.

citados aqui apenas alguns exemplos que

Este monitoramento da rede, além de permitir a identificação de falhas e

serão explorados com outras situações nos demais fascículos dessa série.

atuação em manobras, ainda auxilia no monitoramento da medição de energia de consumidores da rede de distribuição,

Descentralização A

descentralização

é

outro

permitindo coibir fraudes e identificar

movimento

irregularidades.

sociedade mediante o empoderamento

A

descentralização

da

geração

que

tem

crescido

na

do consumidor, que possui cada vez

de energia tem feito com que os

mais

consumidores de energia elétrica se

esse comportamento representa que o

tornem também geradores. Desta forma,

consumidor deixa de ter um papel apenas

a rede elétrica passa a ter diversas fontes

passivo, para ter uma participação ativa

de geração conectadas. Com esta nova

na rede.

configuração de rede, a digitalização

Este

autonomia.

novo

No

setor

elétrico

comportamento

é

passa a ter papel fundamental no

representado pela possibilidade de geração

controle do seu funcionamento.

de sua própria energia, incluindo a

geração distribuída, veículos, estações de

carregamento

de

veículos,

tudo

conectado e interligado a dispositivos que monitoram e controlam sua operação. Dentre os diversos recursos e serviços que a digitalização tem promovido no setor elétrico, podemos destacar o monitoramento e operação remota dos ativos. Por exemplo, dispositivos da rede e subestações podem ser operadas a partir de um centro de controle. Esses recursos já existem há alguns anos, porém, com o surgimento das tecnologias programáveis e mais ainda com a Inteligência Artificial que pode

Figura 3: Quantidade anual de unidades consumidoras que receberam geração distribuída. Fonte: Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel)


Apoio:

Inovação em Distribuição de Energia

34

possibilidade de armazená-la. Esse recurso

geração não depende de uma ação dos

pode criar o conceito de microgrid, onde

operadores, pois ela está associada às

há uma região que pode ter capacidade de

condições climáticas.

operar de forma autônoma em relação ao suprimento de energia.

que

o

sistema

elétrico

disponha

Em janeiro deste ano, a cidade

também de fontes de grande porte e que

alemã de Bordesholm se desconectou

permita o despacho com variação da

totalmente do sistema elétrico nacional

potência produzida, de forma que possa

durante uma hora, sem que nenhum

compensar momentos de baixa geração

habitante percebesse a mudança para

das fontes intermitentes e faça o papel de

o suprimento local de energia, que é

diversificar a geração para compensar a

totalmente baseado em fontes renováveis.

oscilação da carga.

Esse é um exemplo de como esse conceito

A situação com diversas fontes de

está progredindo no mundo e o potencial

geração espalhadas pelo sistema elétrico

que apresenta.

traz à tona o desafio da interoperabilidade

O Brasil também está apresentando grande

evolução

no

segmento

entre

as

diversas

gerações

com

os

de

respectivos proprietários. As tecnologias

geração distribuída. A figura 3 ilustra o

de digitalização já citadas contribuem

crescimento da quantidade de unidades

intensamente para isso.

consumidoras providas de geração nos últimos anos

Atualmente,

os

consumidores

que dispõem de geração distribuída

A fonte de energia solar fotovoltaica

apenas podem compensar a geração

representa quase a totalidade dessas

excedente com o seu próprio consumo.

novas conexões. Em termos de potência,

Um próximo passo que o Brasil deve

todas as essas gerações somam mais de

passar

2GW de capacidade, sendo que cada

refere-se

unidade possui, no máximo, 5MW.

dessa energia. Nesse sentido, alguns

Essa

Fascículo

Desta forma, torna-se necessário

evolução

significativa

deve

países

com à têm

a

geração

distribuída

possibilidade permitido

de

venda

realizar

a

manter o ritmo, de acordo com o Plano

agregação de unidades para atuar nessa

Decenal de Expansão da Empresa de

comercialização. Essa é uma tendência

Pesquisa Energética (PDE/EPE), que

apresentada pelo estudo The electricity

projeta uma potência de 11,4GW para

market

2029, distribuída em 1,3 milhão de

flexibility sources da Universidade de

unidades consumidoras que adotarão

Oxford, de julho de 2019.

design

for

decentralized

essa tecnologia. É possível que essa

Os agregadores devem ajudar os

projeção da EPE seja impactada com

consumidores a tornarem-se ativos ao

a pandemia do Coronavírus, contudo,

sistema, superando dificuldades técnicas

analisando um horizonte de longo prazo,

e administrativas de participação no

possivelmente,

mercado baseado no despacho. (Oxford,

chegaremos

próximo

dessa projeção. Apesar

da

2019, tradução nossa) representatividade

sistema elétrico consiste em equilibrar oferta e demanda por energia elétrica. A forma tradicional desse equilíbrio é deixar a demanda livre e desenvolver a oferta que a atenda. Porém, é possível também controlar a demanda, o que pode ser feito por meio de agregadores em um programa de resposta da demanda. Entre os anos de 2018 e 2019, o Brasil desenvolveu um programa piloto de resposta a demanda voltado para grandes unidades consumidoras, porém, ele não teve adesão significativa. Existem países que possuem programas dessa natureza, mas voltados para os consumidores de menor porte, agregados por um agente de mercado. Esse é um caminho que a descentralização pode contribuir para o desenvolvimento deste mercado. Inclusive, há diversas outras formas que a descentralização pode apresentar contribuições

significativas

para

o

desenvolvimento do mercado. Portanto, é preciso ficar atento para essa onda, de tal forma que possamos surfá-la e não ser engolido por ela.

Conclusão Os 3 Ds estão apresentando avanços muitos significativos no setor elétrico em todo o mundo e têm se apresentado como uma tendência muito forte em países que estão mais avançados do que o Brasil neste movimento. Portanto, compete a cada um de nós aqui no Brasil evoluir os nossos negócios, de modo que possamos apoiar essas mudanças e contribuir para termos a oportunidade de aproveitar todos os

benefícios

proporcionados

pelas

tecnologias mais modernas que estão

e

Aproveitando, inclusive, a citação de

crescimento da geração distribuída por

Oxford, essas gerações poderiam até mesmo

meio da geração solar fotovoltaica, não

ser despachadas por um órgão de controle,

é possível considerar que este tipo de

porém para isso seria fundamental criar a

*Daniel Bento, PMP®, é engenheiro eletricista,

fonte será futuramente predominante no

figura do agregador, não apenas para apoiar

membro do Cigré Brasil (cabos isolados) e

País, pois ela apresenta grande variação

na venda da energia, mas também no

atua há mais de 25 anos em redes isoladas,

de sua geração, devido a variabilidade da

controle da oferta.

tendo sido responsável técnico por toda a rede

incidência solar.

O conceito de descentralização pode

disponíveis.

de distribuição subterrânea da cidade de São

Outra restrição refere-se ao fato

também ser aplicado na redução de

Paulo. Atualmente, é diretor executivo da Baur

de que ela não é despachada, ou seja, a

demanda. Afinal, o desafio de operar um

do Brasil.


Renováveis Apoio:

ENERGIAS COMPLEMENTARES

FASCÍCULO

Ano 3 - Edição 44 / Março de 2020

Aspectos regulatórios econômicos e de mercado voltados ao armazenamento de energia Aterramento em campos eólicos

NOTÍCIAS DE MERCADO COLUNA SOLAR: GD SOLAR FOTOVOLTAICA: MUITO ALÉM DO SETOR ELÉTRICO COLUNA EÓLICA: VENTOS DO FUTURO PARA UM MERCADO MAIS LIVRE CONVERSA COM VINICIUS AYRÃO: INSTALAÇÕES FOTOVOLTAICAS APOIO

35


Fascículo

Apoio

36

Por Por Gustavo José Luna Filho e Pedro André Carvalho Rosas*

Aspectos regulatórios econômicos e de mercado voltados ao armazenamento de energia


Apoio

No mundo, o armazenamento de energia se tornou rapidamente

apoiar o crescimento do mercado. Os Estados Unidos, há muito tempo,

uma questão de destaque entre as discussões legislativas e regulatórias

estão na vanguarda das discussões sobre políticas de energia limpa.

em todo o País. Alguns países estão lidando com uma infinidade de

Nos últimos cinco anos, atraiu atenção significativa por suas iniciativas,

questões dentro da legislação, ordens executivas e procedimentos

incluindo grandes empreendimentos regulatórios que visam aumentar

de comissões que afetarão o custo e o valor geral do armazenamento

a resiliência da rede elétrica e permitir uma integração mais eficiente e

de energia, o processo de conexão do armazenamento de energia à

equitativa dos recursos energéticos distribuídos. Embora seu trabalho

rede e até que ponto o armazenamento de energia pode ser planejado,

ainda esteja em andamento, uma grande mudança política em 2019

integrado e operado na rede.

certamente acelerou o progresso de energia limpa.

Nos Estados Unidos, apenas no ano passado, as legislaturas

Modelos de propriedade de um sistema de armazenamento

estaduais de todo o país consideraram dezenas de projetos de

Dois principais modelos de propriedade de sistema de armazenamento

lei relacionados ao armazenamento de energia e as comissões

de energia podem ser destacados: o de propriedade da concessionária e

reguladoras de mais de uma dúzia de estados abordaram uma série

o de propriedade privada.

de procedimentos regulatórios que afetaram a implantação do

armazenamento de energia.

todo o projeto e execução do sistema devem ser feitos pelo

empreendedor que desenvolve, financia, constrói e comissiona o projeto,

À medida que mais estados tomam medidas para garantir que o

Quando a concessionária de energia é a proprietária do sistema,

armazenamento de energia possa ser integrado à rede e contribuam

até que este seja transferido à concessionária. Dessa forma, o projeto

para o alcance de metas agressivas de energia limpa, os detalhes da

deve ser desenvolvido dentro da área de concessão da concessionária.

implementação são críticos. Embora possa parecer simples integrar o

Para a manutenção das instalações, possíveis tipos de acordo entre as

armazenamento de energia nos mercados de energia, as características

partes podem ser desenvolvidos.

que tornam o armazenamento tão valioso e atraente também tornam

difícil abordar em contextos políticos e regulatórios.

vendedor de energia, a concessionária paga ao proprietário do sistema

Caso a propriedade seja privada, onde o sistema é de propriedade do

Historicamente, aspectos da própria tecnologia tornaram menos

pela potência e energia gerada, havendo uma taxa diferente para cada

compreensível e mais complexa a integração nas estruturas de políticas

uma dessas. No caso em que a propriedade é privada, isto pode ocorrer

e regulamentações, no planejamento tradicional de utilidades e nos

por meio de contratos específicos ou Acordos de Compra de Energia

mercados de eletricidade.

(Power Purchase Agreements – PPAs). O PPA é um acordo de compra

de energia, ou seja, um contrato entre ambas as partes, uma que gera

Felizmente, mais países estão liderando a cobrança pelo

armazenamento de energia e demonstrando diversas abordagens para

eletricidade, sendo assim, o vendedor, e uma que compra, sendo,

37


Apoio

Fascículo

38

portanto, o comprador. Nesse tipo de acordo, ficam definidos os termos

com o armazenamento de energia e avaliam o uso dos sistemas de

comerciais para a venda de energia elétrica entre as partes, incluindo

armazenamento de energia para fornecer vários serviços, mas ainda

quando o projeto começará a operação comercial, planejamento e

não veem uma justificativa econômica para a sua utilização. Nessas

cronograma de entrega da energia, e todas as penalidades impostas

situações, alternativas para recursos de armazenamento de energia são

em casos de entrega a menos, condições de pagamento e rescisão

mais competitivas. Pesquisas na área deveriam ser orientadas de modo

contratual.

a atender a necessidades mais específicas dos sistemas de energia aos mais baixos custos possíveis.

Obstáculos para utilização de sistemas de armazenamento de energia

• Restrições e alocações de custos: Recursos destinados a armazenamento de energia são tecnicamente capazes de fornecer serviços em cada uma das classificações funcionais de geração,

Existem, ainda hoje, vários obstáculos para a implantação

transmissão e distribuição. No entanto, algumas restrições

de recursos de armazenamento de energia e um consequente

regulamentares, além de algumas práticas e exigências, somando-se

estabelecimento de seus mercados. Quando se fala em obstáculos,

à falta de clareza e transparência nestas práticas e requisitos,

pode-se definir como um problema que dificulta a implementação

efetivamente impedem que um utilitário ou desenvolvedor possa

de tais tecnologias. Em alguns casos, um obstáculo pode impedir

obter receita com um recurso de prestação de serviço sob diversas

a implantação, e em outros, limitar a implantação, a receita ou

classificações. O problema ocorre na impossibilidade de utilizar o

considerações para sua implantação. Embora o principal obstáculo para

sistema simultaneamente para mais de um serviço, dentre os vários

a implantação de recursos de armazenamento de energia, em muitos

que um sistema de armazenamento pode oferecer. Um detentor de

casos, possam ser os elevados custos de capital, existem ainda outros

um sistema de armazenamento de energia pode não considerar o

adicionais incorporados em regras e regulamentos que impedem a

sistema como apto a desempenhar múltiplas funções, por causa dos

implantação dos recursos de armazenamento em situações em que

recursos financeiros envolvidos na apresentação do projeto antes de

estes são a alternativa economicamente preferida de mercado. Podem

ser comissionado, o que pode resultar na determinação que a fonte de

ser considerados cinco tipos principais de obstáculos ao mercado do

armazenamento não é uma opção econômica, quando ela pode ser.

armazenamento, como observa-se na tabela abaixo.

• Questões administrativas: Devido à complexidade das questões regulatórias

com as quais se depara o armazenamento de energia, bem como da

Os obstáculos são tecnológicos, regulatórios, de negócios,

econômicos e crosscutting. O termo crosscutting refere-se à ideia de

necessidade de uma avaliação mais completa acerca das mudanças

transversalidade, podendo-se admitir que são obstáculos que atingem

propostas às regras operacionais e de mercado, é que o atraso administrativo

todas as partes interessadas.

em implementar regulação ao setor constitui-se em um grande obstáculo. • Mercados com regras divergentes: A fim de potencializar sua receita,

• Tecnologias com altos custos: A contínua investigação em

muitos desenvolvedores pretendem operar em vários mercados

tecnologias de armazenamento de energia, a fim de reduzir custos,

diferentes. Esta é uma questão cada vez mais difícil, à medida que cada

é de grande importância para torná-la mais competitiva. Na maioria

um destes mercados têm as suas características próprias em relação

dos casos, as concessionárias e desenvolvedores têm experiência

aos sistemas, às partes interessadas, regulamentos e modelos de


Apoio

mercado. Esta inconsistência adiciona um nível de complexidade para

• Restrições de modelo e falta de recursos de modelagem: Embora a

os desenvolvedores que desejam implantar recursos do sistema de

capacidade de modelagem esteja a aumentar em sofisticação, os recursos

armazenamento em vários mercados.

de modelagem de muitas concessionárias estão limitados à modelagem de

• Incertezas e riscos: Algumas questões, como fatores de incertezas

recursos tradicionais para um sistema de energia tradicional com geração

são consideradas por concessionárias e desenvolvedores, que

previsível e carga previsível. Com a implantação de geração variável renovável,

podem impedi-los de considerar a implementação de sistemas

armazenamento de energia e outras tecnologias do lado da geração, e

de armazenamento de energia sob o ponto de vista econômico,

resposta à demanda, programas de eficiência energética gerenciamento pelo

tecnológico, desempenho do ciclo de vida e longevidade dos recursos de

lado da demanda, esses recursos não são mais suficientes. As ferramentas

armazenamento de energia, que nem sempre são bem compreendidos

são muitas vezes inadequadas para a comparação do armazenamento de

por todos no sistema de potência. Algumas incertezas econômicas

energia em relação a outros investimentos.

levam à variabilidade nos preços da demanda, energia e serviços auxiliares. A variabilidade dos preços dos combustíveis, especialmente,

nos preços do gás natural, os quais podem mudar e regulamentos sobre

ampla, que as soluções consistem no estabelecimento de mercados,

Discutidos esses obstáculos, evidencia-se, de forma mais

a poluição e proteção ambiental, que ainda não existe para estes casos,

tecnologias, políticas e incentivos apropriados. Além disso, é necessário

e nem se sabe de que forma serão implementados, são algumas das

o financiamento de programas de pesquisa e desenvolvimento na área,

incertezas que podem gerar riscos a ambas as partes.

com o intuito de fomentar o desenvolvimento tecnológico.

• Ausência de mercados: A falta de mercados e preços de mercado para

serviços de resposta inercial, black-start e potência reativa torna difícil

já que o aumento da produção contribuiria para a queda do preço das

e, às vezes, impossível, dependendo da situação que um desenvolvedor

alternativas de armazenamento. Para tal, é necessário um esforço

de armazenamento de energia considere um recurso para a prestação

conjunto dos governos, indústria, universidades, centros de pesquisa,

destes serviços de forma independente ou como parte da prestação de

empresas e da comunidade financeira.

Por fim, o estímulo à comercialização também seria importante,

outros serviços do sistema, o que recai na dificuldade de implantação do modelo de negócio.

*Gustavo José Luna Filho é graduado em Engenharia Elétrica com

• Ausência de indicadores de preço: A dificuldade na determinação

habilitação em eletrônica. Possui pós-graduação em Engenharia de

dos preços de mercado de serviços auxiliares torna difícil para os

Suprimentos em petróleo e gás natural com especialização em classificação

desenvolvedores independentes buscarem competitividade nos

de áreas para instalações elétricas em ambientes com atmosferas

recursos de armazenamento de energia em relação a outros recursos

explosivas; mestrado em processamento de energia renovável; doutorado

para contratos. Algo que pode ajudar os desenvolvedores é olhar para os preços nos mercados mais próximos ao de armazenamento de energia para estimar o valor disponível e assim fornecer serviços diferentes. Concessionárias podem ajudar os desenvolvedores e reguladores a avaliarem a economia do sistema. • Formas de compensação de receita: Mercados de serviços auxiliares são projetados em torno do conceito de que os serviços auxiliares são fornecidos como adicionais requeridos pelo sistema de potência, ou seja, serviços que vão além da missão principal de fornecimento de energia. Preços dos serviços auxiliares refletem custo de oportunidade para os geradores, quando eles retêm a capacidade do mercado de energia, a fim de fornecer serviços auxiliares. Sistemas de armazenamento de energia que prestam serviços auxiliares não são compensados pelo seu desempenho.

em andamento em utilização de armazenamento de energia para sistemas híbridos de geração de energia renovável, transmissão e distribuição conectados à rede elétrica pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) e MBA em gestão de projetos pela UNESA. Atua em projetos de pesquisa e desenvolvimento em armazenamento de energia, integração de fontes renováveis e mobilidade elétrica para empresas de geração, transmissão e distribuição de energia. É professor de cursos de graduação e pós-graduação em Engenharia e professor formador no Instituto Federal de Pernambuco (IFPE) em sistemas de energia renovável. *Pedro André Carvalho Rosas possui graduação em Engenharia Elétrica pela Universidade Federal de Pernambuco (1996); mestrado em Engenharia Mecânica pela Universidade Federal de Pernambuco (1999) e doutorado

• Conhecimento limitado das partes interessadas: É preciso educar as

em Engenharia Elétrica na Universidade Técnica da Dinamarca (2003).

concessionárias e indústria sobre as funções e benefícios dos sistemas

Atualmente, é professor Adjunto 1 da Universidade Federal de Pernambuco

de armazenamento de energia. A inexperiência daqueles em relação aos

(UFPE). Tem experiência na área de Engenharia Elétrica, com ênfase em

recursos de armazenamento de energia ainda é relativamente usual e

Geração da Energia Elétrica, atuando, principalmente, nos seguintes temas:

pode ser um desafio para uma maior implantação. Inexperiência com

turbinas eólicas; qualidade de energia; integração elétrica de novas fontes;

tecnologias de armazenamento pode levar a uma falta de consideração

armazenamento e mobilidade elétrica. Coordena o projeto da chamada

dos recursos de armazenamento entre os serviços públicos, promotores

estratégica 21 da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) sobre

e autoridades reguladoras que não podem compreender totalmente as

aplicação de armazenamento em centrais eólicas com objetivo de viabilizar

tecnologias e as suas capacidades.

sistemas de armazenamento.


Artigo

40 Por Geraldo R. de Almeida*

Aterramento em campos eรณlicos


41

renováveis

RESUMO

Um Sistema de Proteção Contra Descargas Atmosféricas (SPDA)

com grande valor de carga elétrica, (III) solos de grande variedade de formação geológica e (IV) salinidade elevada nas regiões costeiras.

tem sido um problema bem formulado, provisoriamente equacionado

A proteção de um campo eólico é em tudo diferente da proteção

e ainda esperando alguma solução de engenharia. Esta última

dos circuitos de T&D de energia elétrica. Um campo de geração eólica é

entendida como existindo e única. Além do modelo de descida do

caracterizado por:

líder, o aterramento é ainda uma região onde prevalece argumentos de decisões financeiras. Este artigo não propõe: nem um equacionamento

1- Cada estrutura de suportes das hélices possui altura superior a 100

consistente e definitivo, nem uma solução única e efetiva. O artigo

metros. Isto implica diretamente que, se houver descargas, estes pontos

tem a intenção de oferecer uma abordagem crítica para o projeto de

são preferenciais para descida das cargas para o solo;

um SPDA para parques eólicos. A abordagem é crítica porque explora

2- Um campo de geração eólica possui muitas torres. Isto implica

somente a parte mais pragmática do problema: proteger MATERIAIS,

diretamente que qualquer descarga na região caia diretamente sobre

proteger EQUIPAMENTOS e proteger PESSOAS. Na proteção de materiais

pelo menos uma delas;

a abordagem é termodinâmica, desde aspectos de temperatura de

3-Entre uma nuvem de descarga e a terra não existe nenhum captor de

exercício dos materiais, passando pela interface com o ambiente

raios além das próprias estruturas de geração eólica.

e chegando às respostas ao surto atmosférico. Na proteção de equipamentos, analisa alguns aspectos da impedância de surto dos materiais e da geometria dos aterramentos. Na proteção das pessoas aborda aspectos de potencial de toque. Nos aspectos financeiros a ênfase é para confiabilidade e riscos envolvidos.

KEYWORDS Campos Eólicos, SPDA, grounding, Materials for grounding, Reliability for grounding system.

INTRODUÇÃO

Um campo eólico merece uma atenção especial, porque cada torre

de gerador é efetivamente um CAPTOR de descargas atmosféricas. Assim, qualquer descarga atmosférica no entorno do campo terá nas torres de gerador um captor preferencial. Além disso, se a formação de raios tiver formação de cargas negativas, o líder pode nascer das pás do gerador, com muito mais perigo para potenciais de passo e toque.

De modo geral, o sistema elétrico de um campo eólico é de classe

FIGURA 1 – TORRE EÓLICA – ELETRO MAGNÉTICO.

de tensão 35kV e todos condutores de potência são isolados para esta classe de tensão. O nível básico de isolamento para sistemas a 35kV

(entre fases) é 200KV. Então, desde que as partes aterradas do gerador

já seriam totalmente diferentes dos demais do sistema elétrico, não

estejam antecipadamente protegidas por para-raios, todo sistema

somente na geometria, mas pelas configurações e riscos envolvidos. Este

(cabos e componentes) fica protegido até esse nível de tensão (NBI).

trabalho apresentará de forma preferencial uma abordagem a ser usada

Naturalmente os cabos isolados são auto protegidos contra surtos de

no projeto e construção dos SPDA e aterramento com enfoque na escolha

frente rápida de qualquer natureza.

dos materiais condutores, com alguns critérios adicionais que podem ser

considerados na administração do negócio, pelo investidor.

Depois dessas considerações, a atenção volta-se para o

Considerando apenas estas peculiaridades, um SPDA e o aterramento

aterramento do parque eólico. Tudo estaria bem colocado em relação às práticas internacionais se o Brasil não tivesse a grande parte de seu

ABORDAGEM CRÍTICA

território entre o Equador e o trópico de Capricórnio. Toda essa região

A abordagem crítica não é uma crítica às abordagens técnicas atuais,

possui: (I) elevada densidade de descarga elétricas, (II) descargas

apenas traz um complemento econômico financeiro aos critérios que têm


Artigo

42

sido usados nos projetos de SPDA.

instalação;

9- Fazer um projeto de proteção de pessoas que possam adentrar ao

Todo o sistema elétrico, exceto os sistemas isolados e subterrâneos,

está sujeito a interrupções de fornecimento de energia, tanto no caso de

parque;

descargas diretas quanto no caso de descargas que atinjam algum ponto

10- Compatibilizar o projeto de proteção às pessoas com o projeto de

em suas proximidades (descargas indiretas).

proteção dos equipamentos e o projeto de escolha dos materiais e o

tempo de vida previsto para instalação;

É possível tornar os sistemas altamente imunes a esses distúrbios,

porém tal procedimento não é economicamente justificável. Na prática,

Até o item 10, todos os protocolos são essencialmente técnicos. A partir

admite-se um risco de falhas.

daí, aparecerá o foco da abordagem crítica:

11- Fazer um projeto de CONFIABILIDADE para que o sistema de

Em função dos seus baixos níveis de suportabilidade, dificilmente

uma parte exposta do sistema, quando atingida por uma descarga

aterramento tenha um MTTF (Mean Time To Failure) de pelo menos o

direta, deixará de sofrer uma interrupção. A instalação de para-raios

tempo de duração do negócio;

pode amenizar o problema, mas em geral a relação custo/benefício não

12- Calcular o custo desta confiabilidade e o custo o risco de o sistema

é satisfatória, uma vez que para se obter uma melhoria significativa

falhar antes do MTTF e incorporar este custo ao projeto técnico;

do desempenho do sistema exposto frente a descargas diretas faz-se

13- Recomendar, se for o caso, um seguro contra o risco de falha.

necessário instalar para-raios em praticamente todos os pontos expostos

PROTEÇÃO DE MATERIAIS

do dispositivo a ser protegido.

Outro aspecto, parte principal deste trabalho, é a exploração de uma

adequada malha de aterramento, porque pode economizar para-raios e

CARACTERÍSTICAS DOS MATERIAIS

implementa de modo efetivo a proteção das pessoas.

os melhores são o cobre e o alumínio. O cobre é o melhor condutor elétrico

O presente trabalho apresenta a seguinte sequência de abordagem:

Os materiais usados em SPDA’s devem ser bons condutores elétricos;

comercial (100% IACS), mas não é muito abundante na crosta terrestre 1- Estabelecer como NBI 200kV para todas carcaças dos equipamentos

e por isto muito caro. O alumínio é o terceiro elemento químico mais

instalados e protegê-las com para-raios;

abundante na crosta terrestre, muito mais barato que o cobre e com uma

2- Utilizar as iso-ceráunicas da região e estimar a densidade de descargas

condutividade menor que a do cobre (61% IACS), mas com densidade

por km²/ano ou utilizar estatísticas diretas de densidade de cargas;

cerca de 1/3 da densidade do cobre. Além deste dois, o aço (liga de ferro

3- Utilizar as estatísticas de probabilidade de intensidade (Amperes ou

e cementita – Fe3C) é um material muito usado na construção mecânica

Coulombs), para estimar com função de risco o valor das descargas a

e civil. Apesar de baixa condutividade elétrica (8% IACS), seu volume

serem guiadas para o sistema de aterramento;

empregado tem motivado também o uso como material condutor elétrico.

4- Tem sido uma prática atual usar o Método de Monte Carlo para estimar

Todavia, o Ferro é um material muito sensível ao ataque químico por

a intensidade da descarga e probabilidade de falha. Neste mesmo método

corrosão e, por isso, quando seu uso é invocado vem geralmente também

estimar o risco (função de risco, desvio padrão) envolvido no projeto;

com uma fina cobertura de zinco. Esta cobertura tem a finalidade de

5- Passar à escolha dos materiais condutores para guiar as correntes

retardar o processo de corrosão. Além disso, o ferro (como o próprio

espúrias para a terra;

nome indica) é um material ferromagnético, ou seja, possui uma elevada

6- Compatibilizar o tempo de vida dos materiais de aterramento com a

permeabilidade magnética e isso tem relevância na impedância de

vida útil do parque;

descida de elevadas correntes de descargas.

7- Fazer um projeto de proteção dos equipamentos. A norma NBR 5419

prevê três sistemas: FRANKLIN, GAIOLA DE FARADAY e, o mais atual,

com escolha adequada dos materiais necessita do conhecimento das

ELETROGEOMÉTRICO. A exigência de para-raios pode aparecer neste

propriedades destes materiais. Na tabela a seguir, estão apresentadas

ponto;

todas estas propriedades. Neste trabalho, quaisquer propriedades serão

8- Verificar se a projeto de proteção dos equipamentos respeita os

em algum momento chamadas em questão, se for necessário, para

critérios de escolha dos materiais e o tempo de vida previsto para a

explicação de algum comportamento.

O caminho crítico de um dimensionamento de SPDA e aterramento

TABELA 1 – PROPRIEDADE DOS ELEMENTOS.


43

renováveis

O CURTO E O SURTO

formações:

O curto-circuito é muito conhecido como fenômeno. O surto,

A tabela abaixo mostra os valores em amperes para algumas

entretanto, não é tão conhecido. Neste trabalho, para não alongar muito, o surto será visto como um curto de brevíssima duração.

TABELA 2 – CORRENTES DE SURTO EM CABOS TÍPICOS.

Um SPDA é dimensionado para escoar para a terra as descargas de

origem atmosférica, de um sistema elétrico de potência, em qualquer circunstância. No caso específico deste trabalho, será abordado apenas SPDA para campos eólicos. Desse modo, a ação de curto-circuito não será apresentada, mas os recursos disponibilizados permitirão com alguma adequação também apreciar esta ação. Toda abordagem ficará centrada no desempenho do caminho de descida da descarga elétrica.

COMPATIBILIDADE ENTRE OS MATERIAIS

Os 4 materiais mais usados em SPDA são: [Aço – Zinco – Alumínio e

Cobre] e não raro estes materiais são conectados entre si.

De modo geral, o processo metalúrgico elimina o oxigênio associados

aos metais. Isto provoca nos metais purificados a ausência de grupos de elétrons (defeitos de estrutura no jargão metalurgista). A ausência FIGURA 2 – DESCARGA ELÉTRICA TÍPICA.

Uma descarga atmosférica, relâmpago ou raio é sempre um fenômeno

formidável de descarga elétrica de uma grande quantidade de energia num tempo muito curto (geralmente 1 microssegundo para a subida do potencial e cerca de 60 microssegundos para que este potencial seja relaxado ao seu valor médio. De modo geral, quando essa quantidade de energia, devido ao acúmulo de elétrons, atinge uma torre eólica, a ação desse conjunto deve ser aterrada através de um condutor de baixa impedância, para não manter equipamentos e pessoas ao potencial elétrico da descarga por muito tempo.

Na engenharia, o fenômeno mostrado na figura anterior é modelado

por uma onda de frente de subida rápida. Para dimensionar o material para suportar esta quantidade de energia é admitido que toda a transformação térmica no material seja adiabática (toda energia do raio é absorvida pelo material sem troca de energia com o meio exterior).

de grupos de elétrons torna essas estruturas instáveis, buscando a estabilidade através de associação com algum elétron de oxigênio (abundante no ar e na crosta terrestre). Algumas vezes a busca destes elétrons está nas proximidades de outro metal de conexão. Este fenômeno tem sido estudado como: formação de par galvânico, eletroquímica dos materiais, corrosão etc.

No caso específico de contato entre metais usados em sistemas

de aterramento, muito trabalho ainda pode ser feito. Os materiais: Cobre, Alumínio, Zinco e Ferro, por serem bons condutores elétricos (100%, 64%, 34% e 8% IACS – nesta escala) e comercialmente viáveis, são aqueles mais usados. Porém na escala eletroquímica eles se atacam mutuamente, se não forem separados convenientemente. Nem a presença de separadores permite supor uma vida indefinida para o contato e assim existe também alguma regra que pode ser usada, conforme sugere a tabela a seguir.

Nesta tabela, é apresentada uma importante informação sobre o

comportamento entre contatos de metal parceiro e metal envolvido.

TERMODINÂMICA DOS MATERIAIS

Quando a ação é uma descarga de origem atmosférica, o tempo de

subida de meia onda é 1/50 µ segundo e por isso o efeito desta ação será medido numa transformação adiabática, com a seguinte fórmula [03].

cv ρ0 α=1⁄β θc θz S t

Calor específico a volume constante Resistividade a 0ºC Coeficiente de termoresistividade do material Temperatura inicial do curto Temperatura final do curto Seção transversal do condutor Tempo de duração do curto

FIGURA 3 – MODELO EXPERIMENTAL GALVÂNICO.


Artigo

44 Nesta tabela, os valores de potenciais máximos suportado pela conexão é rompido pelo ataque químico quando estes potenciais são superados. Esta é uma condição típica de par galvânico quando são colocados em contato. Num sistema de aterramento é muito comum a fuga de correntes capacitivas e indutivas através dos aterramentos. Estas correntes são as responsáveis pelo encurtamento extremo da vida dos metais de aterramento. COMPATIBILIDADE ENTRE OS MATERIAIS E O SOLO

Todo SPDA termina num aterramento. Todo aterramento está

submetido a um sistema ternário com: o solo propriamente dito, regiões onde domina o vazio (parte seca e sem material do solo) e finalmente alguma parte úmida (com água). Neste sistema ternário, a água

FIGURA 5 – DURABILIDADE DOS ELETRODOS.

desempenha um papel de extrema importância na condução elétrica, principalmente a iônica.

Antes de 1945 o contato de metais com o solo era uma região

de conhecimento obscuro. Mas nesse ano Michel Pourbaix obteve o doutorado em química pela Universidade Técnica de Delft com a monografia “Thermodynamique des solutés dilués. Représentation graphique du rôle du Ph e du potencial”. (TERMODINAMICA DOS SOLUTOS DILUIDOS) – Representação gráfica do papel de PH e do potencial. Este conhecimento foi agregado ao ensino superior de físico-química aplicada na Universidade Livre de Bruxelas, desde então. O diagrama a seguir apresenta estes mapas de POURBAIX para os quatro metais de interesse neste estudo.

FIGURA 6 – CUSTO ANUAL DOS ELETRODOS.

Os mapas de POURBAIX são muito simples e ajudam a comparar

diversos materiais simultaneamente. No eixo das ordenadas estão os potenciais eletroquímicos dos diversos metais. No eixo das abscissas está o pH. A região em branco (vazio) corresponde a região de imunidade a corrosão, verde corresponde a região onde o metal é passivado e finalmente a região em azul claro é a região onde o metal sofre corrosão.

PROTEÇÃO DE EQUIPAMENTOS

Nos sistemas elétricos de potência, a proteção dos equipamentos

é tão importante quanto a proteção de pessoas pois pode significar suspensão de todos os serviços, bem como os problemas decorrentes desta suspensão.

Neste trabalho a ênfase é dada para proteção contra descargas

diretas e indiretas nas instalações a serem protegidas. Proteger significa: não permitir circulação de correntes espúrias pelos componentes dos equipamentos, nem aparecimento de potencias nas capacitâncias dos dispositivos internos dos equipamentos ou capacitâncias naturais entre os dispositivos e as carcaças metálicas (geralmente aterradas) dos mesmos. FIGURA 4 – DIAGRAMAS DE POURBAIX.

De modo geral, um diagrama de POURBAIX deve ser lido em todo sua

A despeito de muita experiência na proteção de equipamentos

contra descargas de origem atmosféricas, o conhecimento disponível padece ainda de conteúdo teórico de suporte. A prática tem sido feita com três critérios aceitos pela comunidade de engenheiros de SPDA: (I)

extensão, inclusive a região onde os solutos possuem papel relevante.

O método FRANKLIN, (II) O método da gaiola de FARADAY e (III) O método

Os diagramas de POURBAIX, não dão uma indicação em relação à

ELETROGEOMÉTRICO.

durabilidade do material em relação ao meio em que está compartilhando

íons. Esta parte tem sido tratada em âmbito acadêmico, mas apenas a

próprio. A norma NBR 5419:2015 - Proteção de estruturas contra

prática tem oferecido soluções para engenharia. Todas as práticas têm

descargas atmosféricas é o documento adequado para a obtenção das

levado para experimentos empíricos. O mais notável vem da experiência

informações essenciais sobre os três métodos.

norte-americana, onde revestimentos de cobre (catódico) têm

apresentado uma durabilidade cerca de 3 vezes maior que de zinco.

década de 70 do século passado), possui uma excelente heurística

Cada um dos três métodos possui alguma heurística e seu empirismo

O método eletrogeométrico é o mais moderno dos três (data da


45

renováveis

e é consistentemente empírico. Ele admite a hipótese probabilística

(elevadora ou abaixadora) e por isso a norma internacional com mais

das descargas, por isso é o mais usado na atualidade. As descargas

critério de dimensionamento é a IEEE STD 80. Nesta norma estão todas as

atmosféricas possuem correntes impulsivas de diferentes intensidades.

formulações de Dalziel para proteção de pessoas.

Por esse motivo, um SPDA não pode ser dito seguro para todos os níveis

de proteção. A ABNT NBR 5419 atribui uma eficiência entre 80% e 98%,

eólico pois, não raro, ocorrem incidências de raios ascendentes (das torres

dependendo do nível de proteção utilizado.

para as nuvens), uma vez que a maioria das torres têm mais de 100m de

altura.

Estes valores são calculados com base nas estatísticas de valores

O potencial de passo é de longe o mais perigoso evento num parque

extremos e parâmetros dos raios e do modelo. Por exemplo, propõem que

Para que aconteça um raio ascendente é necessário aumentar o

aproximadamente 91% de todas as descargas atmosféricas resultam em

potencial do solo em torno de todas as torres, pois a ascensão é um

um pico de corrente maior que 10 kA (com base em estatísticas medidas).

evento aleatório (não determina em qual torre, à priori, ascenderá). Apesar

Em média, pelo menos essa percentagem de descargas será interceptada

de a teoria expressar que o raio ascendente seja positivo, na natureza é

por um SPDA com eficiência maior ou igual a 91%. Os 9% restantes de

muito mais fácil a formação de raios ascendente negativos e isto tem

menor intensidade, não necessariamente todos eles, provavelmente não

profunda influência nos potenciais de terra formados.

serão interceptados. Este conceito forma o princípio fundamental da atual análise de risco da proteção contra descargas atmosféricas.

O modelo delimita o volume de proteção oferecido por captores de um

SPDA, independentemente da sua disposição ser: vertical (com hastes), horizontal (com cabos) ou mista.

Segundo a ABNT NBR 5419 os pontos onde ocorrem maior

intensidade de campo elétrico, seja no solo ou em estruturas, são geralmente os pontos mais próximos da extremidade do líder (caminho principal de descida do raio) descendente. Portanto, a superfície de uma esfera com centro na extremidade do líder e raio igual ao comprimento dos saltos antes do último deles é o lugar geométrico dos pontos a serem atingidos pelo raio. Estes pontos podem então ser simulados por uma esfera fictícia, cujo raio seja igual ao comprimento do último trecho a ser vencido pelo líder descendente.

FIGURA 8 – DESCARGA COM LÍDER ASCENDENTE.

Descargas atmosféricas, que parte do solo e se propagam em direção

às nuvens, podem causar grandes danos às estruturas elevadas, como os casos das torres dos geradores eólicos.

O funil de potencial formado entre o solo e sistema de descida (no

caso subida) é inteiramente análogo ao funil de potencial quando o líder descendente atinge o cume do atratar de cada torre. FIGURA 7 – MÉTODO ELETRO GEOMÉTRICO.

PROTEÇÃO DE PESSOAS

Depois de Charles Dalziel (1904–1986), que estudou durante toda

uma vida a influência de correntes elétricas pelo corpo humano, poucos trabalhos diferentes do seu ficaram disponíveis. Ele foi professor de Engenharia Elétrica e Ciências da Computação em UC Berkeley (CA –USA). Sua obra está resumida em; The effects of electric shock on man / by Charles F. Dalziel. Washington, D.C.: U.S. Atomic Energy Commission, Office of Health and Safety, 1956. Series: Safety and fire protection technical bulletin; no. 7.

Existe uma grande sensibilidade das pessoas quando um pulso de

corrente percorre certas partes do corpo humano. Tudo isto foi estudado por Dalziel e seus sucessores durante décadas e o capítulo de proteção de pessoas está centrado nestes estudos.

Um parque eólico em tudo tem semelhança com uma subestação

FIGURA 9 – POTENCIAIS DE TOQUE E PASSO.


Artigo

46

Notadamente, o potencial de passo é muito mais significativo que o

BIBLIOGRAFIA

potencial de toque, no caso que a estrutura seja uma torre eólica. É muito

[01] Martin A. Uman – The Lightning Discharge – ACADEMIC PRESS

mais provável uma caminhada pelo parque que um toque na torre.

377 PP

Quanto menor for a resistência de aterramento e maior for a quantidade

[02] Andrew R. Hilemann – Insulation Coordination for Power System

de material condutor, menor será o valor de crista da elevação do

– CRC 767 PP

potencial.

[03] NBR 5419: 2019 Nova Norma de Para Raios (SPDA)

[04] G. Vijayaraghavn, Mark Brown and Malcolm Barnes – “Grounding,

O potencial apresentado na figura acima é um “flash” da evolução do

potencial ao longo do tempo. Muitas cargas chegam simultaneamente,

Bonding, Shielding and Surge Protection” – (2004) ELSEVIER.

aumentando o potencial, e demoram algum tempo relaxar. O tempo de

[05] R. B. Rodrigues, V. M. F. Mendes and J. P. S. Catalao – “Lightning

relaxação das cargas permite a criação de potenciais perigosos para o

Surges on Wind Power Systems” – in ELECTROMAGNETIC INTEFERENCE

que estiver nas proximidades e este fenômeno foi estuda e resolvido por

ISSUES IN POWER ELECTRONIC AND POWWER SYSTEMS – BENTHAM

DALZIEL [15].

BOOKS (AUSTRALIA) PP 96 - 116. [06] IEC 60949 – “Calculation of Thermally Permissible Short Circuit

POTENCIAIS DE ELETROCHOQUE

Currents, Taking into Account non-Adiabatic Heating Effects”

[07] W. D. Callister Jr, D. G. Rethwisch – “Ciência e Engenharia de

O potencial de passo foi estudado por Dalziel [15] e reconhecido

que depende do tempo de circulação de uma corrente e varia de

Materiais – Uma Introdução” LTC.

indivíduo para individuo, mas foi padronizada para indivíduos de

[08] J. C. Das – “Power System Analysis – Short Circuits, Load Flow and

50kg e de 70kg. A norma internacional mais usada para a análise

Harmonics” CRC PRESS

destes potenciais são: IEEE 80 e CIGRE, sendo a segunda mais

[09] R. Winston Review “UHLIGH’S CORROSION HANDBOOK”– J WILEY

leniente. Nesta norma é possível relacionar a corrente circulante no

2 vols

corpo humano e os diversos potenciais de passo numa quadrícula de

[10] Jinliang He; Rong Zeng; Bo Zhang “METHODOLOGY AND

aterramento.

TECHNOLOGY FOR POWER SYSTEM GROUNDING” –– IEEE & JOHN

WILEY.

Em uma torre eólica (mas também numa subestação ou outras partes

do sistema elétrico), este fenômeno será também presente com o mesmo

[11] ELECTRA 062-1 ||The Calculation of Switching Surges. III

princípio.

Transmission Lines Representation for Energization Studies with

Complex Feeding Networks.

O trabalho de Dalziel resolve toda a parte de cálculo de proteção das

pessoas. O artigo [15] também apresenta a parte mais essencial destes

[12] EPRI - TRANSMISSION LINES REFERENCE BOOK 345 KV and above

cálculos.

[13] EPRI - TRANSMISSION LINES REFERENCE BOOK HVDC to ± 600 kV [14] Mars Fontana – Corrosion Engineering – MC GRAW HILL

RECOMENDAÇÕES

[15] Dalziel C. F. DANGEROUS ELECTRIC CURRENTS – AIEE

TRANSACTION, 65, 579-585

Nesta abordagem crítica fica posto que o projeto técnico de um SPDA

deve sempre considerar que:

[16] IEEE STANDARD 80 – GUIDE FOR SAFETY IN AC SUBSTATION GROUNDING

A. O revestimento de cobre é o único que sobrevive por longo tempo

[17] M. POURBAIX - Thermodynamique des Solutions Aqueuses

quando diretamente aterrado como metal condutor, além de ser o mais

Diluées. Représentation Graphique du Role du pH e du Potential. PhD

resistente a ambientes salinos;

thesis. Université Libre des Bruxelles. (1945)

B. Como condutores de cobre puro possuem alto índice de furto, condutores de aço revestidos de cobre (bimetálicos) são indicados para aplicações em parques, pois não podem ser comercializados no mercado de sucata;

*Geraldo Roberto de Almeida é graduado em Engenharia Elétrica pela Universidade Federal de Juiz de Fora (1971), mestrado em Engenharia

C. Independente da grande massa de aço para sustentação das torres,

Elétrica pela Universidade de São Paulo (2005) e doutorado em Engenharia

esse material não pode ser o único usado para o aterramento por ser um

Elétrica pela Universidade de São Paulo (2011). Atualmente, sócio

material ferromagnético;

diretor - TAG INOVACAO TECNOLOGICA LTDA e diretor - TECHSYS

D. Um projeto de SPDA e aterramento em parque eólico somente está

TECNOLOGIA E SISTEMAS, consultor do GRUPO INTELLI, engenheiro

completo do ponto de vista de engenharia se contiver um capítulo de

especialista em Engenharia e Tecnologia de cabos elétrico, experiência na

confiabilidade ajustado ao negócio.

área de Engenharia de Materiais e Metalúrgica, com ênfase em Materiais

E. No capítulo de confiabilidade é mandatório a abordagem de análise

Não-Metálicos, atuando, principalmente, nos seguintes temas: alta tensão,

de risco (financeiro) com recomendação (ou não) de securitização da

confiabilidade, linhas de transmissão, cabos nus e cabos isolados de alta

operação.

tensão.


Notícias

renováveis

47

Divulgação Brametal / EDP

EDP conclui instalação de usina solar da Brametal

A EDP, empresa que atua

ambiental, a solução permitirá

em todos os segmentos do setor

reduzir os custos com energia

elétrico brasileiro, por meio da

elétrica da fábrica da Brametal em

EDP Smart, divisão que reúne o

aproximadamente R$360 mil ao

portfólio de soluções em energia

ano. “Com essa planta solar, a EDP

da Companhia, entregou uma

entrega à Brametal uma solução

das maiores usinas solares do

que combina eficiência energética

Espírito Santo para a Brametal.

e sustentabilidade, rendendo

Localizada em Linhares (ES),

ganhos financeiros e ambientais.

próximo à fábrica da companhia, a

Trata-se de um dos maiores

planta gera 2.489MWh por ano, o

empreendimentos do gênero no

nacional, para produzir o que o

Companhia conta com 46MWp em

suficiente para abastecer mais de

Espírito Santo, contribuindo para

mercado precisa com a qualidade

projetos negociados – sendo que

mil residências por mês. A Brametal

reforçar a posição do Estado no

e prazos que conquistaram a

24MWp já foram entregues e outros

possui uma das maiores fábricas do

segmento das energias renováveis”,

confiança dos clientes nos quase

22MWp já contratados.

mundo em produção de estruturas

destaca Carlos Andrade, vice-

45 anos de atuação da Brametal”,

metálicas galvanizadas à fogo para

presidente de Estratégia e Novos

afirma Alexandre Schmidt, diretor

entregou duas usinas solares para o

geração e transmissão de energia

Negócios da EDP Brasil.

comercial e marketing da Brametal.

Grupo Globo. Uma delas foi instalada

elétrica, telecomunicações e geração

nos novos estúdios inaugurados

de energias renováveis a partir de

i­dade, temos orgulho em contar que

fontes eólica e fotovoltaica.

esse é o primeiro Parque Solar do

“Além do ganho em sustentabil­

Características técnicas da

usina solar da Brametal:

Dentre os destaques, a EDP

no Rio de Janeiro. Com potência instalada de 766kWp, a unidade

Espírito Santo com o uso de seguidor

• 3.780 módulos de 360Wp

é capaz de gerar 1.055MWh/ano.

3.780 módulos fotovoltaicos

solar, tracker, e com tecnologia

(Potência 1.339kWp)

A outra está nos escritórios da

distribuídos em uma área de cerca

comparada às utilizadas em

• 08 Inversores de 125kW

emissora, no Recife (PE), e gera

de 40 mil metros quadrados,

Usinas Solares Fotovoltaicas para

• Geração de Energia Anual:

cerca de 269 mil kWh por ano.

aproximadamente o tamanho de

Geração Centralizada de Energia

2.489MWh

seis campos de futebol, e conta

Elétrica, ou seja, UFV com mais de

• Fator de Capacidade: 20,88%

um complexo fotovoltaico para a

com tecnologia de tracking, na

5MW. Como empresa tradicional

qual os módulos se movem de

no fornecimento de produtos para

acordo com as mudanças no ângulo

geração e transmissão de energia

A EDP possui uma unidade

País. Localizado em Itacarambi, no

dos raios solares para um maior

elétrica, queremos participar deste

dedicada à implementação de

norte de Minas Gerais, o conjunto de

aproveitamento da irradiação. A

crescente mercado. E, ao unirmos

empreendimentos solares de

duas usinas totaliza a capacidade

energia gerada na unidade evitará

expertises, a partir de agora,

autoprodução e geração distribuída,

de 8,33MWp, gerando 17,5GWh

a emissão de 260 toneladas de

poderemos demonstrar na prática

sendo a responsável pela

ao ano e rendendo uma economia

CO2, o que equivale ao plantio de

aos nossos clientes que temos a

construção, operação e manutenção

anual de R$5,5 milhões, segundo

1.925 árvores. Além do benefício

melhor tecnologia, que é 100%

dos sistemas. Atualmente, a

informações da Multiplan.

A usina solar é composta por

A companhia construiu ainda

Multiplan, um dos maiores grupos Foco em soluções de energia

do ramo de shopping centers do


Conversa com Vinicius Ayrão

48

Especialista em projetos fotovoltaicos e instalações elétricas de BT e MT, Vinicius Ayrão é Blogueiro e engenheiro eletricista. Membro da comissão da ABNT que desenvolveu a ABNT NBR 16.690, que trata de arranjos fotovoltaicos. Nessa coluna, falará sobre o mercado de GD no Brasil, tanto do âmbito técnico como das oportunidades de negócios.

Antes de abordarmos assuntos de natureza

mais técnica nessa coluna, entendo que devemos

e os técnicos eletrotécnicos (esses, limitados à

algumas exceções) e os desafios crescem.

potência de 800kW).

distribuída.

a) Sistemas de microgeração

Eu tenho conhecimento do perfil mais técnico

Além dos pontos abordados no item anterior,

podemos destacar:

falar de NEGÓCIOS em Energia Solar para geração A maioria dessas instalações de sistemas

• Adequação do sistema de proteção da cabine

do leitor da OSE e vou justificar minha decisão de

solar fotovoltaico é realizada em instalações

primária;

abordar sobre negócios primeiro. O mercado de

existentes, tendo uma série de aspectos a serem

• Cuidados especiais quando a UC possui grupo

energia solar cresce a taxa de dois dígitos, muito

observados pelos projetistas e executores, dentre

gerador de emergência;

focado na venda e na viabilidade financeira e a

os quais, cito alguns:

• Necessidade de ajustes nos bancos de capacitores para controle do fator de potência.

engenharia em si carece de uma abordagem mais profunda.

• Ausência de aterramento e equipotencialização;

O intuito da coluna de hoje é, ao mostrar o

• Ausência de DR onde prescrito pela NBR 5410;

mercado, permitir que cada leitor enxergue os

• DR não aptos a trabalharem com correntes com

análise das estruturas dos telhados que receberão

caminhos que deve trilhar.

componentes CC;

o sistema é de fundamental importância.

• Quadros elétricos em condições inseguras;

• Ausência de proteção contra sobrecorrentes.

possuem sistemas de energia solar fotovoltaica

Oportunidades referentes aos modelos de negócio existentes

Em ambos os casos, micro e minigeração, a

Uma série de acidentes com telhados que

instalada tem ocorrido nos últimos meses. Não é

Lembro aos leitores que as instalações

possível afirmar que esses acidentes ocorreram

Geração no local de consumo

elétricas no Brasil não são, em sua maioria, de

em virtude da instalação do sistema de energia

Pelos dados da Agência Nacional de Energia

boa qualidade ou seguras. A inserção de um

solar fotovoltaica, mas serve de alerta para

Elétrica (Aneel), 167485 unidades consumidoras

gerador em uma instalação elétrica de qualidade

os cuidados que devemos ter por ocasião da

(UC) possuem geradores solares instalados no

ruim pode ser encarada como uma oportunidade

instalação do sistema.

próprio local de consumo, totalizando cerca de

de se melhorar e trazer mais segurança para

1.851MW de potência instalada.

instalação ou como um aumento do risco dessa

instalação se o projetista e o executor não tiverem

Autoconsumo Remoto Nessa modalidade, temos uma usina solar

uma empresa integradora, que fornece a

a responsabilidade e o conhecimento preciso

fotovoltaica em um local diferente do ponto de

solução completa. Essa empresa integradora

para identificar quais as intervenções serão

consumo. A energia gerada pelo sistema solar

dimensiona, projeta, fornece os equipamentos,

necessárias.

fotovoltaico é praticamente toda injetada (menos

Na maioria dos casos, o cliente contrata

instala, comissiona e realiza os trâmites com a

as perdas do sistema e consumo para apoio),

concessionária local.

b) Sistemas de minigeração

gerando créditos para outra unidade consumidora

de mesma titularidade.

O projeto e a execução precisam,

Das UC com geração solar no local de

necessariamente, ser realizados/coordenados

consumo, cerca de 1,2% são unidades de

por profissionais com competência legal

minigeração (potência superior a 75kWca), mas

serão tratados em colunas futuras), esse tipo de

junto aos conselhos de classe. No momento,

respondem por um total de 312MW de potência

usina é a mais usual para geração remota. São,

as competências legais são dos engenheiros

instalada.

normalmente, usinas de minigeração e instaladas

eletricistas (que têm como atribuição o art.8 da

em solo.

Resolução 218/XX), os engenheiros de energia

consumidoras atendidas em média tensão (com

Essas instalações são realizadas em unidades

Em virtude de aspectos tributários (que

O mercado não tem dado a devida atenção a


49

renováveis alguns pontos importantes, como aterramento,

autoconsumo remoto, até porque, tecnicamente,

proteção contra descargas atmosféricas e

é a mesma usina.

sistema ou em parte deles. Revenda de materiais - Quando pensamos em

proteção contra surtos.

O modelo de Locação

energia solar fotovoltaica e em revendas de materiais,

locais onde não há UC existente, é necessária

sempre vem à mente inversores e módulos.

a construção da UC, muitas vezes, com a

para sistemas de geração distribuída. No entanto,

Entretanto, uma série de materiais específicos são

construção de subestação. Esse tipo de usina

é permitida a locação da usina (seguindo,

necessários e não são encontra­dos facilmente nas

atende a consumidores com alto consumo de

obviamente, alguns critérios regulatórios).

principais revendas de materiais elétricos.

energia elétrica, o que demanda usinas maiores e

investimentos mais vultuosos.

remota com a permissão da locação da usina,

houve um crescimento nos investimentos de

• Dispositivos aptos para CC, como disjuntores,

usinas maiores. Uma série de investidores e fundos

seccionadores e DPS;

de investimentos passaram a custear a construção

• Cabos solares;

Geração Compartilhada

de usinas e locando para empresas e pessoas

• String Box

físicas que não dispõem de capital ou interesse

• Conectores de CC.

Como são, em sua maioria, instaladas em

O modelo de negócios mais usual para esse

tipo de usina é o modelo de locação.

Nessa modalidade, temos uma usina solar

A REN 482 veda a venda de energia elétrica

Ao juntarmos a possibilidade da geração

Alguns exemplos:

fotovoltaica em um local diferente do ponto

em ter uma usina, de forma que o custo de locação

de consumo, mas a energia gerada por ela

seja inferior ao custo da energia elétrica que esse

Equipamentos de segurança - Muitos serviços

fornecerá créditos para mais de um consumidor.

consumidor pagaria caso não recebesse os créditos

de instalações são realizados com trabalho

Comparando com as usinas de autoconsumo

de uma usina solar fotovoltaica.

em altura. Soluções específicas para as peculiaridades do tipo de trabalho de energia solar

remoto, a geração compartilhada apresenta

Outras oportunidades no mercado

fotovoltaica é uma carência do mercado.

Retrofit - Parece estranho falar em retrofit em

Terminando por hoje

Minas Gerais, pois lá, temos vantagens tributárias

um mercado novo, mas no setor de energia solar

específicas, sendo indiferente se a usina é

fotovoltaica isso ocorre. Uma série de usinas, de

e leitura do mercado. Na próxima edição,

para Geração Compartilhada ou Autoconsumo

todos os portes, não performam, ou podem ter

trataremos das exigências de homologação para

Remoto.

melhoria. Problemas desde módulos em direções

sistemas de micro geração e a diferença entre a

erradas, passando por sujeira, mal contato

homologação e o projeto.

remoto, são, em sua maioria, usinas de

ou falha de dispositivos, temos uma gama de

minigeração e instaladas em solo.

necessidades no mercado.

ou sugestões, mande um e-mail para: vinicius@

viniciusayrao.com.br.

menos vantagens tributárias, e por causa disso, é menos atrativa economicamente.

Essa alegativa não vale para o estado de

Semelhante às usinas de autoconsumo

As mesmas dificuldades técnicas ocorrem

nas usinas de Geração Compartilhada e de

Importante ressaltar que muitos desses

problemas podem ocasionar incêndios no

A coluna de hoje exprime minhas opiniões

Para quaisquer dúvidas, comentários, críticas

Nos vemos na próxima edição!


Energia solar fotovoltaica

50

Ronaldo Koloszuk é presidente do Conselho de Administração da Absolar

Rodrigo Sauaia é presidente executivo da Absolar

Aldo Pereira é CEO e fundador da Aldo Solar

GD solar fotovoltaica: muito além do setor elétrico nacional, economizando água dos

desde 2012, espalhados pelas

principais lideranças da Câmara

distribuída solar fotovoltaica

reservatórios das hidrelétricas e

cinco regiões nacionais.

dos Deputados e do Senado

(GDFV) vai muito além dos notáveis

reduzindo o uso de termelétricas

Em número de sistemas

Federal, demonstram que há um

ganhos elétricos que a modalidade

caras e poluentes. Tal cenário

fotovoltaicos instalados no Brasil,

consenso suprapartidário sobre

proporciona aos consumidores

diminui a pressão pelo aumento

os consumidores residenciais estão

a importância estratégica da

cativos. O avanço da GDFV traz

de bandeiras tarifárias na conta

no topo da lista, representando

energia solar fotovoltaica para

liberdade de escolha, previsibilidade

de luz de todos os brasileiros

72,61% do total. Em seguida,

o desenvolvimento econômico,

de gastos e protagonismo aos

e, com isso, garante economia

aparecem as empresas dos setores

social e sustentável do Brasil.

consumidores. Ela representa, na

mesmo aos cidadãos que nunca

de comércio e serviços (17,94%),

prática, uma potente locomotiva

investiram em geração distribuída.

consumidores rurais (6,34%),

o setor são brilhantes para 2020. As

para o desenvolvimento econômico,

Adicionalmente, contribui para

indústrias (2,67%), poder público

projeções da Associação Brasileira

social e ambiental do Brasil,

postergar investimentos em novos

(0,40%) e outros tipos, como

de Energia Solar Fotovoltaica

com geração de milhares de

projetos de geração, transmissão

serviços públicos (0,04%) e

(Absolar) apontam para o

empregos e renda, atração de

e distribuição de eletricidade,

iluminação pública (0,01%).

atingimento de um total acumulado

bilhões em novos investimentos

diminui perdas elétricas do

de mais de 250 mil empregos no

privados, diversificação da matriz

sistema, alivia as redes elétricas

fotovoltaica continue avançando

Brasil desde 2012, distribuídos

elétrica e agregando diversos

pelo “efeito vizinhança” e reduz

ano após ano, o Brasil – detentor

entre mais de 15 mil empresas

benefícios sistêmicos para todos

as emissões de poluentes

de um dos melhores recursos

de todos os elos produtivos do

os consumidores e a sociedade

atmosféricos e gases de efeito

solares do planeta – permanece

setor. Destes empregos, mais de

brasileira.

estufa, entre diversos outros

atrasado e com um mercado

120 mil serão decorrentes das

O papel estratégico da geração

Embora a tecnologia

Com isso, as perspectivas para

relevantes benefícios.

muito pequeno. Está aquém de

atividades econômicas do setor

investimentos realizados no

países líderes no setor, como

apenas em 2020. A maior parcela

segmento desde 2012 e levando

atingiu uma nova marca histórica

Austrália, China, EUA e Japão, que

destes postos de trabalho deverá

em consideração os incrementos

de 2GW de potência operacional,

já ultrapassaram a marca de dois

vir justamente das mais de 14 mil

de arrecadação proporcionados

espalhada em residências,

milhões de sistemas, bem como

pequenas e médias empresas do

pela GDFV aos governos federal,

comércios, indústrias, produtores

da Alemanha, Índia, Reino Unido e

segmento de GDFV, segmento este

estaduais e municipais dos

rurais, prédios públicos

outros, que já superaram a marca

que será o destaque do ano.

investimentos, novos empregos e

e sistemas em pequenos

de um milhão de conexões.

renda trazidos ao País, estima-se

terrenos. Com isso, a fonte solar

é construir um marco legal

que, para cada R$1 investido em

fotovoltaica passou a representar

melhorar este quadro no País,

transparente, estável, previsível e

sistemas solares fotovoltaicos

99,8% de todos os sistemas e

dado que o Governo Federal e o

justo, que desfaça a insegurança

de pequeno e médio portes, o

92,7% de toda a potência de

Congresso Nacional sinalizaram

jurídica que paira sobre o mercado

setor devolve aos brasileiros mais

geração distribuída do País, em

que pretendem desenvolver

e que reforce a confiança da

de R$3 em ganhos elétricos,

um total de 191 mil sistemas

com maior atenção a geração

sociedade em um futuro com

econômicos, sociais e ambientais.

solares fotovoltaicos conectados

distribuída a partir do sol. As

mais liberdade, prosperidade

à rede e mais de R$11,9 bilhões

manifestações recentes do

e sustentabilidade para os

em investimentos acumulados

Presidente da República e das

consumidores e a população.

A partir dos dados de

A GDFV ajuda a aliviar a

operação da matriz elétrica

No início de 2020, a GDFV

Todavia, há perspectiva de

Agora, o próximo passo


Energia Eólica

51

Elbia Gannoum é presidente executiva da Associação Brasileira de Energia Eólica (ABEEólica)

Ventos do futuro para um mercado mais livre Podemos considerar que,

Em primeiro lugar, estamos

certamente aparecerão com a

na história da energia eólica

nos movimentando, no Brasil,

“Modernização do Setor Elétrico”.

futuro que já está acontecendo

brasileira, o ano de 2019 é um

para um modelo em que o

Como disse, os próximos 10 anos

é o preço-horário, que tem tido

ponto de inflexão. Comemoramos

mercado livre (ACL) está em

serão de um mercado mais livre e

uma grande atenção por parte

10 anos do primeiro leilão

forte expansão. No momento,

esta é uma ótima notícia para os

do setor, já que significará

exclusivo para a fonte eólica e

o Ministério de Minas e Energia

ventos brasileiros.

mudanças importantes no

passamos de cerca de 600MW

está discutindo novas políticas,

negócio e é imprescindível

para 15,4GW de capacidade

no âmbito da “Modernização do

recuperação da economia

estarmos todos preparados.

instalada de energia eólica na

Setor Elétrico”. A função objetiva

brasileira, poderemos ver a

Por isso, nós criamos um

última década. Já são mais de

dessa modernização será inserir

demanda no mercado regulado

grupo de trabalho para avaliar

620 parques eólicos, mais de

mais renováveis na matriz

voltar a ser maior, mas isso

os impactos do preço horário

7.600 aerogeradores com os

energética; dar mais liberdade

ainda tende a demorar de dois

no negócio da eólica. Nossa

nossos bons ventos gerando uma

de escolha para o consumidor

a três anos. O ponto positivo

primeira reunião aconteceu no

energia que, em dias recordes,

e adotar novas soluções

é que, neste intervalo, a

dia 3 de março, com cerca de

já chega a abastecer mais de

tecnológicas. E todas essas

implementação do novo modelo

80 presentes, e participação do

80% do Nordeste e 17% de

questões serão contempladas

do setor elétrico fortalecerá

Operador Nacional do Sistema

todo o Brasil. Esse crescimento

tendo a abertura do mercado

cada vez mais o mercado livre. E

Elétrico (ONS) e da Câmara de

pode ser explicado por um

como palco. Os próximos 10

os bons ventos brasileiros estão

Comercialização de Energia

modelo de leilões competitivos

anos serão de mais liberdade

aproveitando com toda força

Elétrica (CCEE), que fizeram

altamente eficiente, que serviu

de mercado, o que também traz

essa tendência desde agora. E,

apresentações técnicas. O

de inspiração para vários outros

inseguranças e desafios, como a

por meio de parques híbridos,

objetivo da ABEEólica ao criar

países; por uma cadeia produtiva

chegada dos preços-horários, por

baterias e novos modelos de

esse GT PLD Horário é para que

que produz cerca de 80% de

exemplo.

projetos que mitigam a curva

possamos participar de todas

um aerogerador no Brasil e pelo

de variabilidade da fonte eólica,

as discussões sobre o tema e

fato de termos um dos melhores

o ACL já está se expandindo há

poderemos, certamente, inserir

entender o impacto desse novo

ventos do mundo para produção

alguns anos. Em 2018, pela

cada vez mais fontes variáveis

modelo de preço no setor eólico.

de energia eólica.

primeira vez, vendemos mais no

na matriz elétrica com inegável

O nosso objetivo não é atuar

ACL do que mercado regulado

segurança para o sistema.

para combater a chegada do

também de crescimento da

(ACR): registramos 1,25GW

Como o Sistema Brasileiro de

PLD horário, mas, sim, para nos

eólica, nossos bons ventos

vendidos em leilões e mais

Transmissão é todo interligado,

preparar para esse novo cenário.

seguirão firmes e fortes e nossa

de 2GW no mercado livre. Em

a inserção de mais renováveis

Os nossos bons ventos seguirão

cadeia produtiva continuará

2019, a situação se repete, com

na matriz é algo que pode

soprando forte e gerando energia

eficiente, mas teremos muitas

1,13GW viabilizados no ACR e a

acontecer até mais rápido,

que beneficia a sociedade; nossa

mudanças nas formas de

estimativa de mais de 2GW no

especialmente considerando

parte é trabalhar para aproveitá-

contratação que podem fazer

ACL. As eólicas estão, portanto,

que o Governo já tem tomado

los de forma sustentável e em

deste próximo período algo

muito bem posicionadas para

medidas para ampliar ainda

linha com as mudanças que o

completamente diferente.

aproveitar as oportunidades que

mais a transmissão.

futuro já começa a nos trazer.

Os próximos 10 anos serão

Para as eólicas, no entanto,

Acredito que, com a

Um outro ponto deste


52

Tec

O Setor Elétrico / Março de 2020

Por Sunny Jonathan*

Como obter Eficiência Energética


O Setor Elétrico / Março de 2020

Tec

53

O conceito de eficiência pode ser apresentado como a capacidade de produzir um efeito e de realizar bem um trabalho. Usualmente, ter eficiência é ter qualidade, é algo bom, vantajoso, produtivo, que tem bom desempenho, boa produtividade, bom rendimento. A energia é a capacidade de produzir trabalho, ação ou movimento, e está relacionada a praticamente todas as atividades da sociedade, desde extração de bens naturais, passando pela indústria, comércio, serviços, transporte e consumo. Desta forma, a Eficiência Energética (EE) é a aplicação do conceito de eficiência desde a geração até o consumo de energia. A busca da eficiência é contínua na sociedade moderna, mais recentemente associada ao conceito amplo de sustentabilidade, no qual a aplicação e o uso de qualquer insumo são pautados também em eficiência na produção e no consumo de energia. Para o setor elétrico especificamente, pode-se buscar eficiência energética desde o carregamento da bateria do celular até a eficiência energética na geração de uma grande usina. Ter eficiência energética é aumentar o resultado da produção, sem elevar o consumo de energia, ou redução no uso de energia, mantendo a produção. Há uma máxima conhecida para a EE, que é “fazer mais com menos”, ou seja, produzir mais, usando menos energia. Nesse sentido, iniciamos por citar a norma ISO 50.001, de Sistemas de Gestão de Energia, publicada em 2011 e atualizada em 2018, que introduz o sistema de gestão de energia (SGE) nas organizações, e que por meio dele regulamenta, conscientiza e apoia a eficiência energética e esclarece a importância de se utilizar um sistema de gestão de energia. É uma norma que está sendo cada vez mais conhecida e utilizada no mundo todo, pois sua aplicação adequada traz resultados positivos para as empresas na eficiência energética e ajuda na redução do impacto ambiental. Há instituições credenciadoras desta norma, a exemplo das conhecidas ISO 9.000 e ISO 14.000 e há instituições e consultorias que atuam no processo de preparação para a certificação. Para a gestão de energia, é importante disseminar o conhecimento de consumo significativo de energia nas instalações, ou seja, qual é o equipamento, a linha de produção, a área ou a unidade cujo consumo causa maior impacto nos resultados da organização. Em diversas palestras, temos disseminado o conceito do vilão do consumo de energia. Em muitas residências, o chuveiro elétrico é vilão do desperdício, e mais recentemente, o ar-condicionado, mas em empresas e indústrias é importante identificar o vilão do desperdício que deve ser combatido. Para isso, são aplicados conceitos de planejamento energético, fluxograma de energia, matriz de consumo, variáveis significativas e indicador de desempenho energético, que são conceitos aplicados nos serviços e consultorias de implantação da norma ISO 50.001. As atuações para a EE podem ser realizadas com um diagnóstico energético inicial, no qual os conceitos acima são aplicados e também as condições de retorno do investimento são avaliadas, ou


54

Tec

SENAI SP

O Setor Elétrico / Março de 2020

recursos é através de Chamadas Públicas de Projetos, CPP, que são publicadas nos sites das empresas e que detalham as regras da Aneel, adaptadas por cada concessionária. Cada empresa escolhe a data de publicação das suas CPP, as quais precisam ser divulgadas adequadamente, e é obrigatória a realização de pelo menos uma CPP por ano por distribuidora.

Projeto de Eficiência Energética com Sistema Fotovoltaico no SENAI Jundiaí.

As

CPP

precisam

atender

certas

determinações, como aplicação de pelo seja, quais ações são mais imediatas, quais

menos 50% dos recursos nas duas maiores

ações são de menor custo e quais ações

1) Programa de Eficiência Energética da

classes de consumo da sua área de concessão,

terão maior impacto nos resultados. Entre

Agência Nacional de Energia Elétrica

classificadas entre industrial, comercial,

as diversas ações que podem ser aplicadas

(Aneel);

residencial, poder público, serviço público,

com custo reduzido, ou sem custo, podemos

2) Lei de Eficiência Energética;

iluminação pública e rural. As distribuidoras

citar o estudo da modalidade tarifária,

3) Procel;

também podem realizar projetos de eficiência

estudos de correção de fator de potência,

4) BNDES;

energética em comunidades de baixo poder

avaliações de sistemas de ar comprimido,

5) Fomentos estaduais;

sistemas de iluminação interna e externa,

6)

sistemas

de

motores,

instalação

controle, de

IP+C,

aquisitivo e projetos piloto (inéditos), de

Indústria

Paulista

Mais

grande relevância (impacto socioambiental,

substituição

de

Competitiva;

além do energético) e prioritários (definidos

inversores

de

7) BID.

pela Aneel).

frequência, priorização de máquinas e

Os critérios de avaliação dos projetos são

linhas de produção e análise termográfica.

É importante que haja a disseminação

descritos nas CPP, e consideram uma lista de

Além disso, há ações que demandam

da informação para a utilização adequada

critérios que incluem o cálculo da Relação

investimentos e que são avaliadas de acordo

das fontes de fomento e também para que

Custo Benefício (RCB), atendimento a

com a capacidade financeira de cada

haja uma conscientização dos benefícios e

critérios de Medição e Verificação (M&V),

organização, como automação, substituição

dos resultados em se trabalhar com EE.

aplicação de contrapartida pelo consumidor

de sistemas de condicionamento ambiental e instalação de geração distribuída.

O Programa de Eficiência Energética

e vários outros itens com uma pontuação e

(PEE Aneel) é uma obrigação de toda

peso dados pela concessionária, dentro das regras da Aneel.

A Eficiência Energética é um dos itens

empresa de distribuição de energia e consiste

listados nos Objetivos de Desenvolvimento

em aplicar um percentual de recursos

As empresas e organizações que querem

Sustentável da Organização das Nações

reservados para eficiência energética no

utilizar os recursos das CPP normalmente

Unidas (ONU), ODS 7, item 7.3, “Até

uso final da energia elétrica, ou seja, nos

trabalham em parceria com empresas

2030, dobrar a taxa global de melhoria da

consumidores. O PEE foi instituído pela Lei

e instituições que se especializaram em

eficiência energética”. Está cada vez mais

Federal 9.991 de 2000 e é regulamentado

atender as normas e regras da Aneel, como

claro que é responsabilidade de todas as

pela Aneel por meio dos Procedimentos do

as Empresas de Serviços de Conservação

camadas da sociedade, de todas as classes

Programa de Eficiência Energética (Propee),

de Energia (Escos), e também consultorias

sociais e de toda organização considerar

publicado pela Agência e disponível na sua

especializadas, como o SENAI.

a sustentabilidade no uso de recursos,

página na internet.

incluindo a energia.

pelas

equipamentos dentro de um padrão de

conforme

eficiência normatizado pelo Programa

eficiência energética através de instituições

sua estratégia e o PEE Aneel tem uma

Nacional de Conservação de Energia

e mecanismos de fomento que estão

determinação de ser aplicado por cada

Elétrica (Procel). O Procel é um programa

disponíveis para todo o Brasil e para todas

concessionária de distribuição somente em

de governo que promove o uso eficiente da

as organizações. Podemos citar como fontes

consumidores da sua área de concessão.

energia elétrica e combate o seu desperdício

Há ferramentas e meios de se atingir

de fomento à Eficiência Energética:

As

regras

Em CPP, normalmente são exigidos

distribuidoras

são de

aplicadas energia

O principal mecanismo de aplicação dos

por meio de ações como o Programa


55

Tec

O Setor Elétrico / Março de 2020

Brasileiro de Etiquetagem (PBE). O Procel

ou comercializados no país, bem como

necessários

existe desde 1985, evoluiu, promoveu

de edificações construídas, com base em

dos equipamentos se fundamenta em

evoluções

indicadores técnicos pertinentes e de forma

metodologias e regulamentos específicos,

compulsória.

estudos de impacto e priorização, critérios

da

eficiência

energética

e

se renovou com uma nova fonte de financiamento pela Lei 9.991, alterada pela Lei 13.280 de 2016.

Dentro do âmbito da Lei de Eficiência há

um

comitê

a

regulamentação

de avaliação de conformidade, e conta com

nacional

laboratórios credenciados para ensaios e

Um marco na política pública para a

constituído por representantes do governo

testes do PBE, do Selo Procel Eletrobras

indução da eficiência energética, foi a Lei

e da sociedade que tem como principais

e do Selo Conpet. Tanto a Lei quanto o

de Eficiência Energética, Lei 10.295 de

atribuições regulamentar os níveis máximos

Decreto estabelecem a obrigatoriedade

2001, que trata principalmente da utilização

de consumo de energia ou mínimos

de realização de audiências públicas para

de produtos mais eficientes no mercado

de

aparelhos

aprovação das regulamentações específicas.

nacional. A Lei de Eficiência Energética

consumidores

estabelecer

Essas audiências são realizadas quando

determina a existência de níveis mínimos

programas de metas com indicação da

de eficiência energética (ou máximos

evolução dos níveis a serem alcançados

de consumo específico de energia) de

por cada equipamento regulamentado e

Procel em etiquetagem de equipamentos,

máquinas e aparelhos consumidores de

constituir comitês técnicos para analisar

com a identificação dos equipamentos

energia (elétrica, derivados de petróleo ou

matérias específicas.

e eletrodomésticos mais eficientes, o

outros insumos energéticos) fabricados

Energética,

para

eficiência energética de de

energia,

O processo de definição dos parâmetros

cada ciclo se inicia. Além

da

conhecida

atuação

do

Procel atua também com Edificações, na


56

Tec

SENAI SP

O Setor Elétrico / Março de 2020

Projeto de Eficiência Energética com Sistema Fotovoltaico no SENAI Bragança Paulista.

promoção do uso eficiente de energia no

ferramentas computacionais voltados para

a partir de R$10 milhões para projetos

setor de construção civil, em edificações

a redução do desperdício de energia, com

voltados à redução do consumo de energia e

residenciais, comerciais e públicas, por

a otimização dos sistemas produtivos e por

aumento da eficiência do sistema energético

meio da disponibilização de recomendações

fim com o conhecimento, na elaboração e

nacional.

especializadas e simuladores. O Procel

disseminação de informação qualificada

de

atua também com Iluminação pública

em eficiência energética, seja por meio de

viabilizarem

(Programa Reluz) no apoio a prefeituras no

ações educacionais no ensino formal ou

como

planejamento e implantação de projetos de

da divulgação de dicas, livros, softwares e

edificações, com foco em condicionamento

substituição de equipamentos e melhorias

manuais técnicos.

de ar, iluminação, envoltória e geração

na

iluminação

pública

e

sinalização

Citamos o Banco Nacional para o

alguns

eficientização

distribuída,

para

incluindo

condições

organizações

empreendimentos, energética

cogeração,

de

para

Desenvolvimento

Econômico

atua com ferramentas, treinamento e

(BNDES)

uma

auxílio no planejamento e implantação de

financiamento de Eficiência Energética,

iluminação

projetos que visem o menor consumo de

pois há linhas de fomento específicas

energética de processos produtivos, com

energia em municípios e o uso eficiente de

de

disponíveis.

foco em cogeração, aproveitamento de

eletricidade e água na área de saneamento.

No BNDES, por exemplo há uma linha

gases de processo como fonte energética

Há atuação do Procel em indústria e

chamada BNDES Finem – Meio Ambiente

e outras intervenções priorizadas pelo

comércio, com treinamentos, manuais e

– Eficiência Energética, com financiamento

BNDES e também repotenciação de usinas

eficiência

das

energética

Social

casos,

semafórica. Ainda no Poder público,

como

e

Nesses

financiamento

fontes

de

unidades novas ou já existentes (retrofit), conforme critérios definidos pelo BNDES; pública;

eficientização


Tec

O Setor Elétrico / Março de 2020

e redes elétricas inteligentes. Nesses casos,

EE, Indústria Paulista Mais Competitiva

são financiáveis itens como estudos e

Eficiência Energética, do SENAI São Paulo

projetos, inclusive diagnóstico energético; obras

civis,

Desenvolvimento, há linhas de pesquisa em

programa-eficiencia-energetica

permanentes;

EE que investem em soluções inovadoras

ODS ONU: https://nacoesunidas.org/

aquisição de máquinas e equipamentos

em

pos2015/agenda2030/

novos credenciados no BNDES; aquisição

dentro do Programa de Investimento em

PROCEL: http://www.procelinfo.com.br/

de software nacional: desenvolvimento

Gestão de Infraestrutura Pública para

main.asp

ou aquisição de softwares desenvolvidos

Eficiência Municipal (Progeinfra), uma

BNDES: https://www.bndes.gov.br/wps/

no país e serviços correlatos; serviços

parceria entre o BID e o Banco do Brasil.

portal/site/home/financiamento/produto/

técnicos

e

Entre os tipos de soluções buscadas estão

bndes-finem-eficiencia-energetica

certificações; demais serviços técnicos

ferramentas de diagnóstico de gestão de

IP+C: http://industriamaiscompetitiva.

especializados; e treinamento: capacitação

uso de energia, capacitação em temas de

sp.senai.br/

técnica e gerencial. Para estar apto a

eficiência energética, bens e equipamentos

solicitar o recurso só é necessário ser

para promover o uso eficiente de energia,

empresas sediadas no País, ou fundações,

ou mecanismos de financiamento para

associações e cooperativas ou entidades e

projetos de eficiência energética.

de

materiais

especializados:

e

PEE ANEEL: https://www.aneel.gov.br/

instalações;

aquisição

montagens

Para o BID, Banco Interamericano de

Principais referências

consultorias

eficiência

energética,

aplicando

*Sunny Jonathan é coordenador no IST ENERGIA – Instituto SENAI de Tecnologia em ENERGIA, do SENAI São Paulo. É responsável por Pesquisa e Desenvolvimento (P&D) e

órgãos públicos. Os beneficiários podem

É importante conhecer as fontes de

ser proprietários dos empreendimentos

financiamento e as alternativas para as

com as empresas de Geração, Transmissão e

financiados ou prestadores de serviço que

quais se pode obter eficiência energética

Distribuição do setor elétrico. Está cursando

executem projetos em unidades de terceiros.

nas suas instalações, nos seus processos

Um exemplo de linha de fomento

produtivos, na sua manutenção e na gestão

estadual para a Eficiência Energética é o

da sua conta de energia. E é importante

Desenvolve São Paulo, que presta apoio

saber que há empresas habilitadas para

a projetos para redução do consumo de

a execução de projetos que podem ser

Universidade de São Paulo. Possui MBA em

energia ou aumento da eficiência do sistema

conhecidas através da Associação Brasileira

Gestão do Conhecimento, Tecnologia e Inovação

energético nacional. O Programa repassa

das Empresas de Serviços de Conservação

recursos do BNDES, da mesma forma que

de Energia (Abesco) para Chamada Pública

este último e para solicitar é preciso que seja

de Projetos de EE das distribuidoras de

pessoa jurídica de direito privado, com sede

energia. Uma instituição idônea que atua

e administração no Estado de São Paulo. Os

em todos os processos de EE é o SENAI

na área de Engenharia Elétrica, em Distribuição

beneficiários seguem os mesmos critérios

São Paulo, que pode auxiliar as empresas,

de Energia Elétrica, Transmissão de Energia

do BNDES. Um outro exemplo de fomento

desde o diagnóstico energético, até a

do estado de São Paulo provém de agentes

implantação da ISO 50.001, passando por

de eficiência energética do setor produtivo,

CPP e programas de fomento, além e atuar

no qual uma linha de fomento é para realizar

também com Projetos de P&D&I, também

ações especializadas com foco em eficiência

em eficiência energética, através do seu IST

e Eficiência Energética regulados da Aneel e

energética para a redução do consumo e de

ENERGIA – Instituto SENAI de Tecnologia

também em programas de Inovação. Foi gerente

despesas com energia, destinado a empresas

em ENERGIA.

de pequeno e médio porte. Nesse programa,

O autor agradece a equipe do IST

a empresa contrata uma consultoria em EE

Energia do SENAI São Paulo, cuja atuação

pagando metade do custo e a outra metade

em

só é paga se houver os resultados de EE

e

alcançados. É o Programa chamado IP+C

possibilitou a elaboração deste artigo.

tamanha programas

quantidade de

de

eficiência

projetos energética

Eficiência Energética (EE) e pelo relacionamento

Doutorado em Energia na Universidade Federal do ABC, possui graduação em Engenharia Elétrica pela Escola Politécnica da Universidade de São Paulo e mestrado em Engenharia Elétrica também pela Escola Politécnica da

pela FIA-Fundação Instituto de Administração. Atuou como engenheiro e especialista na AES Eletropaulo e como gerente dos Programas de Pesquisa e Desenvolvimento e Eficiência Energética no âmbito da Aneel. Tem experiência

Elétrica e Geração de Energia Elétrica, atuando em vários projetos, entre eles, perdas técnicas, perdas de energia, qualidade de energia e regulação do setor elétrico. Atua principalmente em Gestão de Projetos e Programas de P&D

de dois Projetos de P&D Estratégicos da Aneel: um sobre Energia Solar Fotovoltaica e outro sobre Mudanças Climáticas, Hidrologia e Energia Assegurada. E atualmente, é responsável por dois projetos de P&D e Inovação em empresas do setor elétrico e responsável técnico pela equipe do IST ENERGIA.

57


58

Pesquisa - Equipamentos para Linhas Elétricas, Tomadas e Interruptores

O Setor Elétrico / Março de 2020

Setor de interruptores e tomadas projeta crescimento de 20% em 2020 Mesmo diante da pandemia do Coronavírus, empresas estão com certo otimismo para atravessar o ano


59

O Setor Elétrico / Março de 2020

Consultadas pela pesquisa anual realizada pela revista O Setor

Os aspectos que devem impulsionar o crescimento neste ano

Elétrico, empresas que atuam no segmento de interruptores e tomadas

são projetos de infraestrutura (12%); aquecimento da construção civil

afirmaram que estimam crescer 20% em 2020, percentual superior

(12%) e programas de incentivo do governo (10%). Fatores como

ao do ano passado, quando o valor apontado foi de 17%. De acordo

desvalorização da moeda brasileira (7%); desaceleração da economia

com as respostas das entrevistadas, o crescimento médio do mercado

(7%) e falta de confiança dos investidores (7%) são alguns dos que

em 2019 em comparação com 2018 ficou em 18% e a previsão de

aparecem na pesquisa com os mesmos indicadores.

aumento para o tamanho anual total desse mercado para 2020 é de 15%. As contratações de funcionários deve girar em 9% até o fim

Fatores que devem influenciar o crescimento do mercado

deste ano. 2%

Previsões de crescimento

Outros

10%

7%

Programas de incentivo do governo

Crise Política 7%

20% 15%

9%

Previsão de crescimento % da sua empresa para 2020

Crescimento do tamanho anual total do mercado para o ano de 2020

18%

Desvalorização da moeda brasileira

Crescimento médio em 2019 comparado a 2018

12%

Bom momento econômico do país

7%

Falta de confiança dos investidores 7%

7%

Desaceleração da economia brasileira

Falta de normalização e/ ou legislação

Previsão de contratações para 2020

10%

7%

Setor da construção civil aquecido

Incentivos por força de legislação ou normalização

O levantamento feito pela revista OSE mostrou também que 31%

12%

12%

Setor da construção civil desaquecido

Projetos de infraestrutura

das empresas de tomadas e interruptores faturam de R$20 milhões a R$50 milhões por ano. Empatadas com 19%, estão as companhias cujo faturamento é de R$10 milhões a R$20 milhões e também de R$50 milhões a R$100 milhões. Com 13%, ficaram as empresas que faturam entre R$100 milhões e R$200 milhões.

O principal setor de atuação desse segmento é o residencial

(81%), seguido pelo comercial (75%) e pelo industrial (69%). Faturamento Bruto anual em milhões R$ no ano passado

6% 13%

De 100 milhões a 200 milhões

De 100 milhões a 200 milhões

6%

De R$ 5 milhões a R$ 10 milhões

Principais segmentos de atuação

6%

De R$ 5 milhões a R$ 10 milhões 19%

19%

81%

De R$ 5 milhões a R$ 10 milhões

De R$ 50 milhões a R$ 100 milhões

75% 69%

31%

De R$ 20 milhões a R$ 50 milhões

Industrial

Comercial

Residencial


60

Pesquisa - Equipamentos para Linhas Elétricas, Tomadas e Interruptores

Os dados obtidos pela pesquisa resultaram em empate em

O Setor Elétrico / Março de 2020

Para 27% dos entrevistados pela revista OSE, projetos

relação aos distribuidores e atacadistas e revendas e varejistas,

de infraestrutura deverão ser os principais responsáveis pelo

que correspondem a (81%), liderando o canal de venda desse

crescimento do setor. Aquecimento da construção civil e

segmento. Logo após está a venda direta ao cliente final (31%);

melhoria do cenário aparecem com 16%, seguidos pelo bom

o telemarketing (19%) e a Internet (13%).

momento econômico do País (12%) e programas de incentivo do governo (10%).

Principais canais de vendas

Fatores que influenciam o mercado brasileiro de linhas elétricas

2%

6% 13%

Outros Internet

Outros Programas de incentivo da governo

Melhoria do cenário

Telemarketing

19%

17%

16%

2%

Venda direta ao cliente final

31% 81% 81%

21%

Crise Política Revendas / varejistas Distribuidores / atacadistas

Bom momento econômico do país

2%

Desvalorização da moeda brasileira 2%

4%

Falta de confiança dos investidores

Desaceleração da economia brasileira

2%

Falta de normalização e/ou legislação

Mercado de linhas elétricas tem estimativa de crescer 15% nos próximos meses

16% 4%

Incentivos por força de legislação ou normalização

1%

27%

Projetos de infraestrutura devem dar fôlego ao setor

Setor da construção civil aquecido

Setor da construção civil desaquecido

Projetos de infraestrutura

O segmento de linhas elétricas (fabricantes e distribuidoras)

espera crescer 15% em 2020, um pouco a menos do que na última pesquisa, em que o número foi de 17%. Em 2019, o crescimento foi de 16% em comparação ao ano anterior. Já em relação ao tamanho anual total do mercado para este ano, a expectativa de crescimento é 14%, com aumento de cerca de 11% na contratação de funcionários.

A indústria é o principal segmento de atuação do mercado

de linhas elétricas (88%), seguido pela área comercial (61%), residencial (33%) e público (27%). Principais segmentos de atuação

Previsões de crescimento

Previsão de crescimento % da sua empresa para 2020

15% 14%

Crescimento do tamanho anual total do mercado para o ano de 2020

16% 11%

Crescimento médio em 2019 comparado a 2018

Previsão de contratações para 2020

28% 31%

Público Residencial

66%

Comercial

93%

Industrial


61

O Setor Elétrico / Março de 2020

A pesquisa do OSE também aponta que a venda direta ao

consumidor lidera o canal de venda do segmento de linhas

Faturamento médio anual das empresas fabricantes e distribuidoras de linhas elétricas

elétricas, com 86%. Revendas e varejistas respondem por

4%

12%

55% do canal de venda; distribuidores e atacadistas (52%);

De R$ 100 milhões a R$ 200 milhões

telemarketing (24%); Internet (14%) e outros (7%).

Até R$ 5 milhões 16%

Principais canais de vendas

20%

De R$ 5 milhões a R$ 10 milhões

De R$ 50 milhões a R$ 100 milhões

86% 55% 52% 24% 14%

Venda direta ao cliente final 16%

Revendas / varejistas 32%

De R$ 20 milhões a R$ 50 milhões

Distribuidores / atacadistas

Telemarketing

Internet

82%

De R$ 10 milhões a R$ 20 milhões

Em relação ao tamanho anual total de acordo com cada produto

mais comercializado, o eletroduto flexível é o mais vendido para as empresas que faturam até R$10 milhões. Já os eletrodutos metálicos

Outros

e rígidos são responsáveis pela maioria das vendas das empresas que faturam entre R$10 milhões e R$50 milhões. Bandejas (eletrocalhas com tampa) são os produtos que impulsionam as empresas com faturamento entre R$50 milhões e

Segundo a pesquisa, a maioria das empresas fabricantes e

R$100 milhões.

distribuidoras de linhas elétricas (32%) têm o faturamento médio

anual na casa entre R$20 milhões e R$50 milhões. A fatia de 20%

das empresas entre R$100 milhões e R$200 milhões; as canaletas de

Os barramentos blindados são os responsáveis pelo faturamento

fatura entre R$50 milhões e R$100 milhões. Empatadas com

sobrepor e eletrodutos rígidos e flexíveis lideram o faturamento entre

16%, seguem as empresas com faturamento de R$10 milhões a

de R$200 milhões e R$500 milhões; e os eletrodutos metálicos são os

R$20 milhões e de R$5 milhões a R$10 milhões.

principais produtos dentre os que faturam acima de R$500 milhões.

Eletrocalha Aramada Bandeja (eletrocalha com tampa) Leito (escada para cabos) Barramentos Blindados Outras Linhas Prensa-cabos Materiais para amarração e identificação de cabos Caixas de passagem e de ligação Conduletes Outros

De R$ 200 milhões a R$ 500 milhões

Perfilado Eletrocalha (sem tampa)

De R$ 100 milhões a R$ 200 milhões

Duto de Piso

De R$ 50 milhões a R$ 100 milhões

Canaleta de Sobrepor

De R$ 30 milhões a R$ 50 milhões

Eletroduto Rígido Eletroduto Flexível

De R$ 10 milhões a R$ 30 milhões

Eletroduto Isolante Eletroduto Metálico

Até R$ 10 milhões

Percepção sobre o tamanho anual total dos mercados de linhas elétricas

14% 14% 10% 21% 14% 17% 7% 7% 10% 7% 7% 14% 10% 17% 14% 14% 14% 3%

10% 17% 17% 14% 14% 7% 10% 10% 14% 7% 10% 0% 3% 0% 7% 14% 3% 10%

7% 7% 3% 3% 3% 7% 14% 17% 14% 21% 14% 7% 14% 10% 10% 3% 10% 3%

0% 0% 0% 0% 0% 3% 7% 0% 0% 0% 7% 14% 0% 0% 0% 0% 0% 0%

0% 0% 3% 3% 3% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0%

0% 7% 3% 3% 0% 0% 0% 3% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 3%


62

Pesquisa - Tomadas e Interruptores

O Setor Elétrico / Março de 2020

X

X

X

X

X

RS

X

X

X

X

X

X

SP

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

PE

X

X

X

X

X

X

Diadema

SP

X

X

X

www.pluzie.com.br

Leme

SP

X

X

X

(11) 2413-1200

www.poleoduto.com.br

São Paulo

SP

X

Soprano

(54) 2101-7070

www.soprano.com.br

Caxias do Sul

RS

X

Tramontina Eletrik S.A.

(54) 3461-8200

www.tramontina.com

Carlos Barbosa

RS

X

Weg

(47) 3276-4000

www.weg.net\tomadas

Jaraguá do Sul

SC

X

SP

X

X

Apoio

(11) 3386-7402

www.apoio.ind.br

São Paulo

SP

X

X

Connectwell do Brasil

(11) 5844-2010

www.connectwell.net.br

Taboão da Serra

SP

Enerbras Materiais Elétricos

(41) 2111-3000

www.enerbras.com.br

Campo Largo

PR

Exatron

(51) 3357-5000

www.exatron.com.br

Canoas

Finder

(11) 4223-1550

www.findernet.com

São Caetano do Sul

Lojão A Eletricidade

(79) 2107-2600

www.lojaoaeletricidade.com.br Aracaju

SE

Margirius

0800 707 3262

www.margirius.com.br

Porto Ferreira

SP

Mec-Troni | Eletromar

(81) 2138-7200

www.mectronic.com.br

São Lourenço da Mata

Melfex

(11) 4072-1933

www.melfex.com.br

Pluzie Mat. Eletricos

(19) 3572-9100

Poleoduto

X

X

Industrial

Fabricante

São Bernardo do Campo

X X

X

X

X

X X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X X

X X

Oferece treinamento técnico para os clientes

X

www.alumbra.com.br

Possui corpo técnico especializado para oferecer suporte aos clientes

X

(11) 4393-9300

Importa produtos acabados

X

Alumbra

Exporta produtos acabados

X

X

Programas na área de responsabilidade social

X

X

Serviço de atendimento ao cliente por telefone e/ou internet

X

SP

14001 (ambiental)

X

Estado

São Paulo

Outros

X

Cidade

www.new.abb.com/br

Internet

X

Site

0800 014 9111

Telemarketing

Revendas / varejistas

Venda direta ao cliente final

Distribuidores / atacadistas

X

Telefone

ABB

Comercial

X

Distribuidora

X

Empresa

Certificado ISO

Principal canal de vendas

9001 (qualidade)

Principal Segmento de atuação

Residencial

A empresa é

X

X

X

X

X

X

X

X

X X

X

X

X


Interruptores para uso residencial e análogo - uso externo (IP 44 mínimo)

Interruptores por cartão (por exemplo, para uso em hotéis) Pulsadores para uso geral

X X X X

X X X

X X

X

X X

X X

X X

X

X

X

X

X

X

X

X X

X

X

X

X

X

X X X X X X X X X X

X X X X

X X X

X X X X

X X

X X

X

X X

X

X X X X X X

X X X X X X X

X X X X X

X

X X X X X

X X X X X

X X X

X X X

X X X

X X

X

X X X

X X X X

X

X

X X X

X

X

X

X

X

X X

X

X

X

X X

X X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X X

X X

X

X

X

X X

X X

X X

X

X X

X X

X X

X X

X

X X

X

X

X

X

X

Para áreas classificadas

Para uso industrial (NBR IEC 60309-1)

Multitomadas (réguas de tomadas, extensões - NBR 14136)

Para uso residencial e análogo (NBR 14136) - com dispositivo antichoque (trava de segurança)

Para uso residencial e análogo (NBR 14136) - uso externo (IP 44 mínimo)

X X

X X X X

X X X X

X X X X

X X X

X X

X

X

X X X X X X X X X

X X X X X X X X X

X

X X X

X X X X X

X X X X X X X X

X X X X X X X X X

X X X X X X X X X

X X X X X X X X

X

X

X X X

X X X

X

X

X X X X

X X X X

Outros

Tomadas para condulete

Tomadas de painel

X

Tomadas de sobrepor

X

Carregadores USB

Filtro de linha

Adaptadores

Tomada USB

Placas para interruptores e tomadas

Interruptores e outros dispositivos de comando e controle Caixas para interruptores e tomadas

Para sinal em geral (dados, internet, etc.)

X

Para telefonia

X

Para uso residencial e análogo (NBR 14136) - uso interno

Outros

Gerenciador de iluminação

Relés foto eletrônicos

Interruptores com sensor de presença

Interruptores alto relevo

Pulsadores de sobrepor

Controles para ventilador

Interruptores com timer

X Relés de temperatura

X

Tampa para interruptores

X Foot Switches

X Relés de Nível

X Dimer

X Temporizadores

Variadores de luminosidade (dimmer)

X Sensores de presença

Minuterias

X Pulsadores para uso hospitalar

Interruptores para áreas classificadas

Interruptores para uso industrial

Interruptores para uso residencial e análogo - uso interno O Setor Elétrico / Março de 2020

63

Tomadas

X

X

X


Pesquisa - Equipamentos para linhas elétricas

O Setor Elétrico / Março de 2020

São Bernardo do Campo

SP

carmehil.com.br

Fortaleza

CE

Delta Canaletas

(11) 4705-3133

www.deltaperfilados.com.br

Santana de Parnaíba

SP

Dispan

(19) 3466-9300

www.dispan.com.br

Nova Odessa

Dutotec

(51) 2117-6600

www.dutotec.com.br

Cachoeirinha

Eletropoll

(47) 3375-6700

www.eletropoll.com.br

Elos

(41) 3383-9290

Embramat

X

X

X X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

SP

X

X

X

RS

X

X

X

Corupá

SC

X

X

X

www.elos.com.br

Curitiba

PR

X

X

X

X

X

(11) 2098-0371

www.embramataltatensao.com.br

São Paulo

SP

X

X

X

X

X

Finder

(11) 4223-1550

www.findernet.com

São Caetano do Sul

SP

GFC Tubos e Conexões

(11) 2450-3300

www.gfctubos.com.br

Itaquaquecetuba

SP

X

GPB Barramentos Blindados

(11) 4752-9900

www.gimipogliano.com.br

Suzano

SP

Hellermanntyton

(11) 2136-9036

www.hellermanntyton.com.br

Jundiaí

Industria Eletromecanica M. Rosler (11) 4158-8440

www.tpcpaineis.com.br

JEA

(11) 4547-6000

Kanaflex

(11) 3779-1670

Multiway

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

SP

X

X

X

X

X

Vargem Grande Paulista

SP

X

X

www.jea.com.br

Mauá

SP

X

www.kanaflex.com.br

Cotia

SP

X

X

(11) 3437-5600

www.multiwayrod.com.br

São Paulo

SP

X

X

X

Novemp Ind. e Com. Ltda.

(11) 4093-5300

www.novemp.com.br

São Bernardo do Campo

SP

X

X

X

OBO Bettermann

(15) 3335-1382

www.obo.com.br

Sorocaba

SP

X

X

X

Perfil Líder

(11) 2412-7787

www.perfillider.com.br

Guarulhos

SP

X

X

X

Poleoduto

(11) 2413-1200

www.poleoduto.com.br

Arujá

SP

X

X

X

Real Perfil

(11) 2134-0002

www.realperfil.com.br

São Paulo

SP

X

X

S.P.T.F.

(11) 2065-3820

www.sptf.com.br

São Paulo

SP

X

X

Tramontina Eletrik S.A.

(54) 3461-8200

www.tramontina.com

Carlos Barbosa

RS

X

X

Valemam

(11) 3382-8222

www.valemam.com.br

São Caetano do Sul

SP

X

Weg

(47) 3276-4000

www.weg.net

Jaraguá do Sul

SC

X

X

Wetzel

(47) 3451-4033

www.wetzel.com.br

Joinville

SC

X

X

X

X

X

X

X

X

X X X

X

X X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X X

X

X

X X

X

X

X

X X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X X

X X

X

X

X X

X

X

X X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X X

X

X

X

X

X

X

X

Oferece treinamento técnico para os clientes

www.alumbra.com.br

(85) 4008-6687

Possui corpo técnico especializado para oferecer suporte aos clientes

(11) 4393-9300

Carmehil

X

X

X

Importa produtos acabados

Alumbra

X

X

Exporta produtos acabados

SP

X

X

Programas na área de responsabilidade social

São Paulo

14001 (ambiental)

alphamarktec.com.br

X

9001 (qualidade)

(11) 2782-3200

X

Outros

Alpha Marktec

X X

Internet

SP

Telemarketing

Mogi Mirim

Venda direta ao cliente final

www.adsdisjuntores.com.br

Revendas / varejistas

(19) 3804-1119

Certificado ISO

Principal canal de vendas

Distribuidores / atacadistas

SP

ADS Disjuntores Ind. e Com. Ltda.

Público

UF

Guarulhos

Residencial

Cidade

www.acabine.com.br

Comercial

Site

(11) 2842-5252

Industrial

Telefone

A. Cabine Materiais Elétricos

Principal Segmento de atuação

Distribuidora

Empresa

Fabricante

A empresa é

Serviço de atendimento ao cliente por telefone e/ou internet

64 64

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X X


X

X

X X X

X X

X

X X

X X X

X X X

X

X

X X

X

X

X

X

X

X

X X

X

X X

X X X X

X

X X X X X X X

X X X X X X X X

X X X

X X X X X X X

X X X X X

X X X X X

X X X X X

X X X X X

X X X X X

X

X X

X

X X

X

X

X X

X

X

X

X

X X

X X X

X X

X

X

X

X

X

X

X X

X X

X

X

X X

X

X

X

X X

X

X

Caixas de telefonia

X X X X X X X X X X

X X X X X X X X X X

X

X

X X

X X X

X X

X X X

X X X X

X X

X

X

X

X X

Outros produtos

Conexões

X

Emenda de cabos

X

X

Dutos corrugados

X

X

Material rede compacta

X

Isoladores

X

Canaletas de alumínio

X

Espaçadores

X

Acessórios preformados

X

Conectores e terminais

Caixa de sobrepor

Caixa de embutir

Conduletes

Caixas de pessagem e de ligação

Materiais para amarração e identificação de cabos

Prensa-cabos

Outras Linhas

Barramentos Blindados

Leito (escada para cabos)

Bandeja (eletrocalha com tampa)

Eletrocalha aramada

Eletrocalha (sem tampa)

Perfilado

Duto de piso

Canaleta de sobrepor

Eletroduto Flexível

Eletroduto Rígido

Eletroduto Metálico

Eletroduto isolante O Setor Elétrico / Março de 2020

65

Principais produtos para linhas elétricas oferecidos pela sua empresa

X

X X

X

X X

X

X X

X X

X X


Espaço 5419

Espaço 5419

O Setor Elétrico / Março de 2020

Por José Barbosa*

Erros recorrentes na instalação e projetos de um Sistema de Proteção contra Descargas Atmosféricas (SPDA)

Regularmente, encontro erros recorrentes nas instalações e projetos de Sistema

de Proteção contra Descargas Atmosféricas (SPDA) que passam por avaliação. Esses comprometem o resultado da proteção e podem ser facilmente evitados. A seguir, são relacionados alguns deles e apresentadas propostas de solução.

Figura 1 – Captor existente com erro recorrente.

O caso ilustrado na figura 1 é um clássico quando o assunto é erro em instalação de

SPDA. Nela, vemos um captor tipo Franklin, suportado por um tubo metálico que está conectado eletricamente a ele. Isso não é um erro, mas há um cabo de cobre conectado ao captor e descendo fixado paralelamente ao tubo metálico. Isso também não é um erro absurdo; poderia até ser um desperdício de material, mas o erro acontece na base do tubo, conforme figura 2, uma vez que ele não está conectado ao SPDA, nesse ponto.

Alguns centímetros abaixo da base metálica do tubo metálico, temos a armadura de

aço da laje da cobertura. Nessa condição, o potencial que surgirá entre a base do tubo e armadura de aço da estrutura será muito maior que se houvesse a ligação elétrica da base com o condutor do SPDA. Esse incremento do potencial pode ser o necessário para superar a rigidez dielétrica dos materiais envolvidos nesse ponto e ocorrer um centelhamento para a armadura de aço, expondo o aço à oxidação. A interligação elétrica pode não eliminar a chance de centelhamento, mas atenua o problema.


Apoio

O Setor Elétrico / Março de 2020

67

está garantindo a continuidade elétrica entre as duas barras que compõem, nesse caso, o elemento captor da estrutura. Essa solução não é adequada por não ser desenvolvida para uma conexão elétrica e a fixação tende a afrouxar e não garantir a continuidade elétrica.

Figura 2 – Base de mastro metálico não interligado ao condutor do SPDA.

Nessa mesma imagem, podemos identificar outro problema

que frequentemente acontece. A luz de balizamento geralmente é fixada diretamente e eletricamente no tubo metálico que compõe o captor. No nosso caso, a ligação elétrica é realizada através do suporte metálico indicado pela seta azul da figura 3. Já a seta vermelha indica os condutores da linha de energia que alimenta o relé e as lâmpadas. Como o potencial que surgirá entre a estrutura

Figura 4 – Elemento de fixação utilizado como elemento de conexão.

metálica que está ligada ao captor e essa linha de energia é muito maior a rigidez dielétrica do material que os separam, fatalmente,

teremos um centelhamento entre a linha e a estrutura metálica.

de fixação indicado pela seta vermelha e o elemento de conexão

Na figura 5, podemos observar a distinção entre o elemento

Esse centelhamento promoverá a injeção de corrente (10/350µs)

indicado pela seta azul.

na instalação elétrica do prédio e geralmente não há adoção de medida de proteção considerando essa situação.

Figura 5 – Exemplo da distinção da fixação com a conexão elétrica. Figura 3 – Indicação da ligação elétrica da luz de balizamento com o captor.

Outro erro recorrente e que considero relevante é a utilização

de elemento de fixação de condutores como elemento de conexão

Há vários outros erros recorrentes que comprometem o desempenho da proteção contra descargas atmosféricas e que podem facilmente serem evitados. Neste artigo, apresentamos esses, e em um próximo, indicaremos outros.

elétrica. Veja que na figura 4 há um parafuso de rosca soberba e uma bucha (não visível, mas verificado), fixando o encontro de duas

*José Barbosa é engenheiro eletricista na Sentinell e membro da comissão

barras chatas de alumínio. Observem que essa fixação também

de estudos para a NBR 5419.


68

Espaço SBQEE

O Setor Elétrico / Março de 2020

Por Se Un Ahn*

VTCD e Aplicação da Solução Técnica-Econômica na Indústria

As dores de todos ou quase todos

de equipamentos eletrônicos e perda de

O fenômeno perturbação transitória

Esta possui em torno de 60 máquinas com

Variação de Tensão de Curta Duração

potência em torno de 38kW cada. As VTCDs

(VTCD),

programação de CLPs e controladores.

por

ocorriam com uma frequência média de

“piscas” ou “quedas” de energia, é

cinco vezes ao mês, com prejuízos cerca de

problema mais frequente nos setores

R$20.000 cada evento.

industriais. É responsável entre 80 e

90% das reclamações dos clientes e

de QEE para monitorar as grandezas de

causado pelas perturbações diversas na

Power Quality da referida indústria e, através

rede de distribuição, desde acidentes,

das medições, foi possível identificar e

abalroamento de postes, curtos-circuitos

cruzar as informações de VTCDs registadas

etc. Essas perturbações ocasionam danos a

com as paradas de produção reportadas.

equipamentos e interrupção da produção,

Assim, verificou-se que os eventos que

com geração de impactos econômicos às

causam a parada produtiva se tratava

empresas.

de VTCDs, denominadas Afundamentos

Desta forma, é apresentado um case de

Momentâneos de Tensão (AMT), com

sucesso, da identificação à solução, de um

valores de magnitude inferiores a 85% da

problema causado por VTCDs.

tensão nominal (VFN = 220V) e duração

popularmente

conhecido

Inicialmente, foi instalado um medidor

acima de 90ms.

O caso e identificação do fenômeno impactante

O problema e trabalho a quatro mãos

Uma indústria multinacional do ramo

de embalagens de vidro farmacêutica

A

(com produção de aproximadamente 1,2

sob a perspectiva da Qualidade de

bilhão de unidades/ano e operação em

Energia Elétrica e Operação Básica dos

três turnos, sete dias por semana) que

equipamentos

convivia com problemas relacionados a

alguns pontos demandaram informações

VTCDs, que acarretavam em paradas de

específicas dos equipamentos e processos

produção e, eventualmente, na queima

industriais. Assim sendo, o engenheiro

equipe

realizou

da

linha.

os

No

estudos

entanto,


responsável

pelo

69

Espaço SBQEE

O Setor Elétrico / Março de 2020

departamento

de

manutenção elétrica e especialista de

Performance da solução e inovação técnica

o monitoramento de QEE continuamente, identificou

eventos

e

perturbações

que antes se traduziam em paradas de

processos e sistemas de automação da produção passou a integrar o time de

Durante os dois dias posteriores às

produção, e que após a aplicação da

análise. Trabalhando em conjunto, foi

alterações realizadas no equipamento-

solução,

possível obter uma visão aprofundada

teste, foi mantida a medição de Power

ameaça à indústria. Hoje, esta indústria é

não

dos processos e ampliar a gama de ideias

Quality da instalação, a fim de detectar

robusta a ponto de não ter preocupações

para contornar o problema e realizar um

performance da solução aplicada. Nesse

relacionadas aos “piscas” de energia, visto

levantamento detalhado dos componentes

período, um AMT semelhante ao registrado

que além do sistema de UPS suportar

internos dos equipamentos afetados, dessa

no monitoramento inicial (Magnitude <

os VTCDs, foram instalados grupos de

forma, classificados por componentes, tipo

85% e Duração > 90ms) foi detectado,

geradores automáticos para os casos de

e potência.

resultando em nova parada nas máquinas

interrupção total de energia.

do cliente, com exceção do equipamento-

Informa-se

que, cerca de 2kW de um total de 38kW

teste, comprovando a eficácia da solução

investidos

do equipamento era realmente afetado

Da pesquisa, foi possível determinar

representam

que,

cerca

no

de

mais

total,

R$800

foram

mil

em

adotada. Nesse caso, o sucesso da solução

equipamentos,

pelas VTCDs. Os demais 36kW se tratava

foi confirmado, de modo a não interromper

elétricas,

de cargas com menor sensibilidade, de

a produção e tampouco afetar a qualidade

medições de qualidade de energia elétrica.

forma que as VTCDs, apesar de ocorrerem,

da produção.

Financeiramente, as paradas eram sentidas

não eram percebidas pelos respectivos

Com

dispositivos.

equipamento-teste,

a

solução

comprovada

materiais,

uma

estudos

de

instalações

engenharia

e

no

em cifras superiores a R$1 milhão anual,

realizados

considerando tempo ocioso da fábrica,

causas

estudos da infraestrutura necessária para

materiais perdidos em meio aos processos

devidamente identificados, passou-se à

aplicar a solução às demais máquinas e

e danos à equipamentos da linha.

parte complexa do trabalho: solucionar

equipamentos da fábrica. De maneira

o problema, tendo em vista o nível de

semelhante, aliaram-se os conhecimentos

à quatro mãos para uma alternativa de

automação

da

solução técnica-econômica factível!

Com

o

problema

presente

(reconhecimento

e

no

as

equipamento

equipe

de

foram

consultoria

com

os

Portanto, este é um case de sucesso

de

imagem,

térmico,

sincronismo,

para estudar e conhecer a fundo todos

*Se Un Ahn é engenheiro eletricista com 38 anos

entre outros) e a necessidade de isolar

os equipamentos candidatos à solução.

de experiência no setor elétrico, com ênfase

eletricamente

do

Para todas as cargas sensíveis às VTCDs,

em consultoria e em projetos de Pesquisas

restante (considerando o ponto de vista

dimensionadas e isoladas das demais

de Inovação Tecnológica para o setor de

de alimentação de energia). Dessa forma,

parcelas,

distribuição de energia elétrica. Possui título de

além realizar essa diferenciação, foram

sistema de alimentação ininterrupto capaz

Doutor e Mestre pela Escola Politécnica da USP,

necessárias estratégias de conexão que

de suprir as necessidades de toda a linha

ênfase em Sistemas de Potência, 1997 e 1993,

fossem capazes de manter a automação do

de produção, isto é, a parcela sensível de

respectivamente, e graduação pela Universidade

sistema idêntica à original.

cada equipamento. A solução encontrada

Mackenzie, 1981. Desde 1995, desenvolve

monitoramento as

cargas

sensíveis

Uma vez isolados os 2kW de interesse,

engenheiros

especialistas

foi

possível

da

indústria

estabelecer

um

foi a instalação de dois UPS de 100kVA

projetos relacionados com Qualidade de Energia

aplicou-se a solução para o problema, que,

dedicados

Elétrica, identificação e mitigação dos problemas

no caso, consistiu em conectar as cargas

mantendo as demais cargas conectadas à

relacionados à QEE na rede de distribuição

sensíveis a um sistema de alimentação

rede de alimentação elétrica convencional,

e plantas industriais. Responsável pela

ininterrupta (Nobreak de dupla conversão),

tal como no primeiro caso.

implantação de Setor de QEE da Bandeirante

aos

dispositivos

sensíveis,

mantendo as cargas não-sensíveis na rede elétrica convencional. Não menos importante

adicionadas

as

devidas

Energia e CPFL Energia. Atualmente, é

Sucesso comprovado e números

consultor técnico na área de QEE na empresa Appitec e sócio engenheiro especialista da

sinalizações de segurança no equipamento,

Empresa Sigmasys Engenharia. Tem cerca de

visto que agora o mesmo contava com

duas fontes de alimentação.

comprovado VTCD após VTCD. Mantendo

O

resultado

desse

desafio

foi

60 apresentações em conferências nacionais e internacionais.


70

Proteção contra raios

O Setor Elétrico / Março de 2020

Jobson Modena é engenheiro eletricista, membro do Comitê Brasileiro de Eletricidade (Cobei), CB-3 da ABNT, onde participa atualmente como coordenador da comissão revisora da norma de proteção contra descargas atmosféricas (ABNT NBR 5419). É diretor da Guismo Engenharia | www.guismo.com.br

Uso de Drones (RPA) nas Inspeções de SPDA

Nos últimos anos, os drones vêm invadindo

tenha

pleno

conhecimento

e

aplique

o mercado de trabalho em diversos setores por

fielmente as normas vigentes, pois, além

representarem mais praticidade e segurança

de serem obrigatórias, tais normas visam,

na execução de serviços, principalmente,

principalmente, garantir a segurança de

pela agilidade de acessar lugares altos ou

pessoas, envolvidas ou não na operação.

de difícil acesso, podendo ser utilizado para

Também é muito importante que conheça

diversas aplicações. Atualmente, já é muito

o equipamento que está utilizando e suas

utilizado para levantamentos topográficos,

limitações, como por exemplo, a velocidade

termografias, espaços confinados, agronomia

do vento suportada.

e outras aplicações. Neste artigo, focaremos

Atualmente,

em inspeções de Sistemas de Proteção

inúmeros tipos, tamanhos e aplicações.

contra Descargas Atmosféricas (SPDA).

Os mais utilizados para inspeções são

Antes

pena

os multirrotores, com peso máximo de

gastar algumas linhas com um pouco de

decolagem de 25kg, classificados pela Anac

conceito em relação aos drones. O termo

como Classe 3.

drone (originado do inglês, Zangão) é o

Os multirrotores se destacam neste

mais utilizado no Brasil nas referências de

mercado, pois são equipamentos que podem

aeronaves não tripuladas de asas rotativas.

permanecer de forma estática no ar com

Apesar de esta nomenclatura ser aceita, o

precisão de centímetros. Muitos modelos

termo técnico adotado pela Organização da

encontrados no mercado vêm equipados com

Aviação Civil Internacional (OACI) é Remotely

câmeras de alta resolução, permitindo que o

Piloted Aircraft (RPA), que significa aeronave

operador e outra pessoa no solo possam ver

não tripulada pilotada de uma estação de

em tempo real a imagem da câmera, e assim

pilotagem remota.

buscar o melhor ângulo ou algum detalhe

Existem três órgãos brasileiros que

importante para o trabalho. Estas imagens

regulamentam a operação de RPA. São eles:

são registradas na aeronave, tanto em foto

a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac),

quanto em vídeo, e, posteriormente, podem

que trata da utilização no Regulamento

ser analisadas durante a elaboração do

Brasileiro de Aviação Civil Especial; a Agência

relatório.

Nacional de Telecomunicações (Anatel), que

É importante ressaltar que tanto as

regulamenta e controla a homologação dos

inspeções em SPDA quanto a utilização de

equipamentos e o Departamento de Controle

drones não devem ser feitas em condições

do Espaço Aéreo (Decea), que gerencia a

climáticas adversas.

inclusão no espaço aéreo brasileiro.

Voos

Para garantir uma operação segura

SPDA não apresentam grandes riscos para

é fundamental que o operador (piloto)

aeronaves

de

iniciarmos,

vale

a

encontramos

realizados tripuladas,

para pois,

RPA

inspeção

de

de

geralmente,


71

Apoio

O Setor Elétrico / Março de 2020

ocorrem próximos a estruturas já existentes em

de helipontos ou aeroportos.

um volume conhecido na aeronáutica como

princípio da sombra, onde estas aeronaves

é realizar no período matinal, porque neste

não costumam trafegar. Uma atenção deve

horário, a luminosidade e angulação do

ser dada a edificações próximas a helipontos,

Sol tendem a garantir melhores imagens,

ou pistas de pouso e decolagem, pois, neste

possibilitando observar com maior clareza os

caso, é necessária uma autorização especial

detalhes das instalações.

para a operação.

Para o tipo de utilização que estamos

mercado equipamentos que possam remover

discutindo, é exigido pela legislação o

a necessidade dos trabalhos em altura.

seguinte:

Em alguns casos, ainda se faz necessária

Uma dica interessante para as inspeções

Vale ressaltar que ainda não temos no

a intervenção humana, como por exemplo: 1) Equipamento homologado pela Anatel;

medição de continuidade, onde é necessário

2) Cadastro no Sisant da Anac e o número

conectar uma das pontas do instrumento de

do cadastro fixado na aeronave;

medição no topo da estrutura ou medir a seção

3) Autorização de operação no Sarpas do

transversal de um condutor da captação.

Decea;

4) Apólice de seguro Reta contra danos a

sem referência à ABNT NBR 5419:2015.

terceiros;

Em seu caderno 3, seção 7, a norma trata de manutenção, inspeção e documentação de

5) Manual de voo; 6) Relatório

de

Este não seria um artigo sobre SPDA

avaliação

de

risco

um SPDA.

operacional (seguindo modelo da E94-003);

7) Anuência

assegurar que o SPDA esteja de acordo com o

das

pessoas

que

serão

sobrevoadas.

Ela ressalta que o objetivo das inspeções é

projeto baseado na norma; que todos os seus componentes estejam em boas condições e

Na maioria dos voos, o operador pode

capazes de cumprir suas funções; que não

manter contato visual com o drone o tempo

apresentem corrosão e atendam às suas

todo, porém caso não possa visualizar em

respectivas normas, além de outros fatores.

algum momento específico, é permitida a

No item 7.3.2, a norma diz que é

utilização de um observador em um local

particularmente

importante

estratégico, desde que se utilize um canal de

deterioração

corrosão

comunicação confiável.

condutores de descida e conexões, condição

das equipotencializações, entre outros.

Durante a inspeção, se destacam dois

modelos principais de trabalho:

e

verificar dos

a

captores,

São nestes aspectos que o uso do drone

se destaca, pois muitos componentes do a) O próprio responsável técnico pode ser o

SPDA estão instalados em locais altos e de

operador; sendo assim, ele controla o drone

difícil acesso. Ao sobrevoar uma edificação,

de forma a verificar todos os componentes

é possível realizar um mapeamento detalhado

que desejar;

de toda a parte externa em pouco tempo,

b) O responsável técnico pode contratar

podendo-se

um operador e acompanhar a captação de

captação, subsistema de descida externo e

imagens em tempo real enquanto orienta

equipotencializações com muita agilidade.

verificar

o

subsistema

de

quais pontos deseja maior detalhamento. Luiz Claudio Ferraro é engenheiro eletricista e

É importante realizar uma análise das

de Segurança do Trabalho. Possui experiência

características do local antes de qualquer

em projetos, inspeções e consultoria. Piloto

voo. Dessa forma, verifica-se a presença de

de drones desde 2012. Proprietário da Ferraro

obstáculos, condições climáticas, distância

Engenharia Elétrica.


72

Redes subterrâneas em foco

O Setor Elétrico / Março de 2020

Daniel Bento é engenheiro eletricista com MBA em Finanças e certificação internacional em gerenciamento de projetos (PMP®). É membro do Cigré, onde representa o Brasil em dois grupos de trabalho sobre cabos isolados. Atua há mais de 25 anos com redes isoladas, tendo sido o responsável técnico por toda a rede de distribuição subterrânea da cidade de São Paulo. É diretor executivo da Baur do Brasil | www.baurdobrasil.com.br

Inovação aplicada à regulação

Nos

tempos

é

Desta forma, a obra de enterramento da rede

destas regiões.

um tema que permeia a maior parte das

elétrica será realizada sem que o custo seja

empresas. Grandes corporações colocam,

repassado ao consumidor de energia elétrica.

debateu a questão financeira relacionada ao

inclusive, a inovação como uma estratégia

Esse arranjo regulatório só foi possível de

enterramento da rede elétrica. Apesar dos

de diferenciação do seu produto ou serviço.

ser costurado tendo em vista a conjunção

benefícios evidentes de segurança para a

Nesta coluna, trago um exemplo da inovação

de alguns fatores, como o interesse do

população, confiabilidade do fornecimento

aplicada à regulação do setor elétrico e

regulador, a disposição política para viabilizar

de energia e melhoria da paisagem urbana

que abre as portas para um novo modelo

o empreendimento e o interesse da iniciativa

proporcionada pelas redes subterrâneas

regulatório que auxilia a viabilizar as redes

privada.

de energia, romper a barreira financeira

subterrâneas no País.

Para viabilizar esta obra e os recursos

sempre foi uma grande dificuldade. Com

Em fevereiro deste ano, a Agência

a

serem

elaborada

iniciativa e inovação, é possível obter arranjos

Nacional de Energia Elétrica (Aneel) assinou

uma Parceria Público-Privada em que o

regulatórios como esse que equacionam o

um termo de cooperação com o Governo do

empreendedor terá, em contrapartida aos

problema.

Distrito Federal, que viabiliza a construção

investimentos, um período de 25 anos para

da Avenida das Cidades com extensão

explorar comercialmente o empreendimento

está muito empenhado em aprovar algumas

de 26 quilômetros, interligando as regiões

que,

também

reformas do setor elétrico, que recentemente

administrativas de Samambaia, Taguatinga,

com espaço para construção de edifícios

recebeu aprovação do Projeto de Lei –

Águas Claras, Park Way e Guará ao Plano

residenciais e comerciais.

PLS 232 na Comissão de Infraestrutura do

Piloto.

Este exemplo da Avenida das Cidades

Senado. O MME está batizando essa reforma

A maior parte do terreno a ser utilizado

está sendo considerado um novo modelo

como modernização do setor elétrico, porém

é atualmente uma faixa de servidão por

regulatório, pois ele pode ser replicado para

ela trata apenas de questões comerciais.

onde percorre 16 quilômetros de linhas

diversas outras linhas de transmissão que

Este exemplo da Avenida das Cidades é um

de transmissão de energia elétrica, que

percorrem cidades, em que há interesse

caso de modernização técnica, que poderia

serão enterradas para conceder espaço ao

comercial de explorar por parte da iniciativa

também fazer parte de um conjunto de ações

empreendimento.

privada.

de evolução do setor elétrico.

Ao realizar o enterramento da rede

Com o crescimento das cidades, os

elétrica, toda a faixa de terra que não podia

espaços estão cada vez mais disputados

também deveria receber a mesma atenção

ser utilizada passa a ter valor comercial,

para exploração e atualmente as faixas de

que os aspectos comerciais estão recebendo,

despertando

o

servidão das linhas de transmissão são

tendo em vista a relevância para a população.

privada,

onde

de

atuais,

interesse serão

a

inovação

da

iniciativa

providos

além

aportados,

da

avenida,

será

conta

Em diversas oportunidades esta coluna

O Ministério de Minas e Energia (MME)

A modernização das instalações físicas

os

áreas consideradas intocadas. Com este

São ações inovadoras e com benefício direto

recursos financeiros para realizar a obra de

novo marco, os órgãos públicos e a iniciativa

para a população que o País precisa para se

enterramento, portanto, sem nenhum custo

privada podem ter um outro olhar sobre esses

modernizar, em busca de um ambiente mais

repassado para os processos tarifários.

terrenos, pois torna-se possível a exploração

agradável e seguro para todos os cidadãos.


73

Iluminação pública

O Setor Elétrico / Março de 2020

Luciano Haas Rosito é engenheiro eletricista, diretor comercial da Tecnowatt e coordenador da Comissão de Estudos CE: 03:034:03 – Luminárias e acessórios da ABNT/Cobei. É professor das disciplinas de Iluminação de exteriores e Projeto de iluminação de exteriores do IPOG, e palestrante em seminários e eventos na área de iluminação e eficiência energética. | lrosito@tecnowatt.com.br

Iluminação pública: o LED e os desafios do mercado

Em 2020, nos deparamos com diversos

O que era raro ficou comum? O

inovação sem restrição pelos modelos

possíveis

produto que ontem era caro, hoje, caiu de

regulatórios?

sobre o futuro da iluminação, tendências

preço a ponto de desconfiarmos de sua

cumprimento de normas pode ser a solução

nos segmentos de mercado e o que deve

confiabilidade e qualidade para garantir uma

para um mercado que se auto regula ou

ser o padrão de iluminação no mundo

vida útil alta prometida nos “LM oitentas”

voltaremos a ter os mesmos problemas que

moderno. O que era uma inovação ontem,

e “TMs 21” da vida? O caro ficou barato

tínhamos com a falta de normas técnicas

com o passar do tempo se torna senso

pela popularização da tecnologia e pela

e regulação? O mundo precisa de mais

comum e um conhecimento disponível para

escala de aplicação ou por abrirmos mão

ideias, mais tecnologia e mais inovação, ou

que seja utilizado para o bem de todos.

de requisitos que ontem eram essenciais

de pessoas que apliquem o conhecimento

Na iluminação pública, a ampliação dos

e hoje estão sendo desprezados? O LED

existente para melhoria do que temos hoje?

investimentos na aplicação de LED, além de

saiu da esfera técnica, acadêmica e de alto

As perguntas se somam e se repetem se

ser uma tendência, tem se tornado a única

nível de especialização para ser algo trivial?

houver uma única resposta correta.

opção disponível para buscar economia de

O que diferencia um produto LED de mais

energia e melhor qualidade nos sistemas

alta qualidade de outro produto LED de

por metro quadrado ou experiências de

que atualmente estão sendo projetados ou

qualidade aceitável e daquele de qualidade

iluminação?

modernizados. O LED sendo a tecnologia mais

duvidosa? E qual a escolha correta nos dias

mercado

disponível nos dias de hoje, tendo a melhor

de hoje entre a inovação e tecnologia de

mudanças

e

eficiência disponível e sendo a principal opção

ponta ou o que me atende de forma mais

perguntas

são

de aplicação dos recursos disponíveis para

eficiente, econômica e eficaz? Seria a vida

responderá sobre o futuro do LED na

gerenciamento da iluminação das cidades,

útil e seus limites cada vez maiores, não

iluminação e de que forma produziremos

é visto como uma oportunidade de ganho

havendo mais necessidade de manutenção

bens e serviços neste segmento daqui

financeiro, seja na produção de equipamentos,

e intervenções?

para frente. Em tempos de incertezas

manutenção dos sistemas ou na concessão

O mercado LED irá se auto regular ou

e de dúvidas, agir com prudência e

do

dos

deve ser balizado e regulado de acordo

tranquilidade, prezando pela qualidade da

municípios através de uma Parceria Público-

com os modelos atuais de regulação? Qual

informação, transparência e pela segurança

Privada (PPP). Ao mesmo tempo, uma questão

o futuro do modelo regulatório vigente

das pessoas, respeitando os limites da luz

torna-se chave para seguirmos com esta

baseado em certificação de produtos

pode ser uma alternativa interessante para

busca por melhor qualificação dos sistemas de

e sistemas? Qual o modelo regulatório

seguirmos evoluindo e aprendendo a usar a

iluminação: onde queremos chegar com o LED

ideal atualmente para ser aplicado em

iluminação em benefício das pessoas e da

e com a tecnologia aplicada na iluminação?

nosso país? Ainda há espaço para a

qualidade de vida.

questionamentos

sistema

de

e

reflexões

responsabilidade

A falta de exigência de

O que devemos vender: lux, candelas Como o profissional deste

deve

reagir novos

às

constantes

paradigmas?

diversas

e

o

As

tempo


74

Quadros e painéis

O Setor Elétrico / Março de 2020

Nunziante Graziano é engenheiro eletricista, mestre em energia, redes e equipamentos pelo Instituto de Energia e Ambiente da Universidade de São Paulo (IEE/USP); Doutor em Business Administration pela Florida Christian University; membro da ABNT/ CB-003/CE 003 121 002 – Conjuntos de Manobra e Comando de Baixa Tensão e diretor da Gimi Pogliano Blindosbarra Barramentos Blindados e da GIMI Quadros Elétricos | nunziante@gimi.com.br

Confiabilidade de instalações elétricas versus Ética

A

confiabilidade

em prazos de instalação cada vez mais

alta impedância. Todos sabemos que esse

elétricas depende de vários aspectos.

exíguos

nos

disjuntor é consideravelmente mais caro que

Em especial, precisamos dimensionar e

custos, pois quanto menor o tempo de

um termomagnético, visto que este não tem

especificar os equipamentos e a tipologia

mobilização de um canteiro, menor o custo

sensibilidade para cumprir a função exigida

de

baseada

dele), redução dos “critérios documentais”

naquele ponto da instalação. Entretanto, sob

no uso que se dará a ela, duração do

(menores exigências quanto a controle de

a pressão dos custos, se o cliente final (dono

período que uma falha pode interromper o

responsabilidades (ART para profissionais

da instalação) não tiver um bom engenheiro

funcionamento desta instalação (chamado

do

para

contratado para fiscalizar a implantação,

de período de reparo) e, principalmente, a

profissionais do CAU – Conselho de

pode ocorrer que a empresa instaladora ou

quantidade de falhas aceitável por intervalo

Arquitetura e Urbanismo e TRT para

contratante dos equipamentos negligencie

de tempo, conhecida sigla em inglês como

profissionais do CFT – Conselho Federal

o projeto e autorize a substituição do

MTBF – Mean Time Between Failures, ou,

dos Técnicos Industriais, entre outros),

disjuntor ora equipado com a função “G”

em português, período médio entre falhas.

documentos, habilitação e qualificação de

por um termomagnético padrão. Tantas

Definido o uso final desta instalação, é

profissionais e empresas para trabalhos

vezes, já ouvi: pode mudar, sim, funciona

então preciso avaliar o projeto executivo,

especiais como NR-10 – SEGURANÇA

igual! Bom, que funciona igual todos

qualidade e características dos materiais

EM INSTALAÇÕES E SERVIÇOS EM

sabemos, o problema é quando ele tiver

e profissionais necessários para que essa

ELETRICIDADE, NR-35 – TRABALHO EM

que ser sensibilizado para aquele defeito

instalação atenda aos requisitos exigíveis,

ALTURA, entre tantas outras.

anteriormente mencionado, que ele não irá

ou seja, exigências normativas desse

É sim, a pressão sobre os custos

enxergar e a instalação ficará então sob

tipo de instalação, sofisticação e nível

recai diretamente sobre a qualidade e a

risco de incêndio. Essa negligência é muito

de automação exigido, período de reparo

confiabilidade

comum, sob a aposta de que “esse defeito é

(necessidade de redundâncias para que

Acompanhe

não haja interrupção do funcionamento) e o

executivo exige que um certo tipo de

período médio entre falhas. Tecnicamente,

disjuntor seja utilizado para uma dada

o problema é a pressão interminável sobre

chegamos então à estrutura completa

aplicação, com diversos acessórios de

os custos ou a ética infinitesimal de alguns

de tudo aquilo que é necessário para se

controle

profissionais?

implementar a referida instalação; então,

exemplo, um disjuntor com proteção de

finalmente, chega a etapa de custos.

fuga à terra incorporado ao relé), de modo

senso: existe sempre um preço mínimo

É na análise dos custos que se inicia

a proteger a instalação e aquela carga

para uma exigência. Abaixo dele, sempre

o problema. Como todos sabemos, a

específica para uma modalidade presumida

existe um senão...

pressão por redução de custos implica

de defeito, por exemplo, um curto-circuito de

Boa leitura!

uma

instalação

de

instalações

elétrica

(sim,

sistema

e

prazos

interferem

Confea-CREA,

de meu

RRT

instalações raciocínio:

proteção

elétricas. o

projeto

sofisticados

(por

muito raro”! Pois é... Bom, deixo aqui a pergunta provocativa:

A resposta passa pelo caminho do bom


76

Energia com qualidade

O Setor Elétrico / Março de 2020

José Starosta é diretor da Ação Engenharia e Instalações e membro da diretoria do Deinfra-Fiesp e da SBQEE. jstarosta@acaoenge.com.br

Novo marco regulatório do mercado livre avança no Senado

A

comissão

de

do

ser aplicadas em função do grau de

Senado Federal aprovou no início de

interesse dos consumidores. A abertura

março deste ano, o projeto de lei (PL)

promovida pelo PL promove modificações

que define a flexibilização da compra de

importantes

nos

energia por todos os consumidores no

praticados,

esperando-se

Ambiente de Comercialização Livre (ACL).

legisladores tenham juízo na mitigação dos

O projeto deve ainda ser modificado antes

riscos operacionais associados. A recente

da próxima etapa de aprovação na Câmara

anunciada entrada de bancos comerciais

dos Deputados. Pelo atual projeto, o

no negócio de energia é um sinalizador de

acesso será irrestrito aos consumidores,

como poderá ser operado o novo modelo.

independendo

de

infraestrutura

sua

classificação

modelos

atualmente que

os

No mesmo PL, está prevista a retirada

(tensão e potência), ao contrário do que

dos subsídios da conta de desenvolvimento

ocorre atualmente com os limites dos

energético (CDE) e do uso de fontes

consumidores livres (3MW) e especiais

renováveis com o final do desconto na

(500kW).

conta do fio (desconto na TUSD) com

Considerando que a gestão (atual)

o repasse desta redução de tarifa ao

da conta de energia no ACL não é tarefa

consumidor com a natural redução do valor

para amadores, esta migração deverá ser

pago pelo kWh, retirando os chamados

adequada ao varejo, cabendo o desafio

penduricalhos das contas de energia, tão

de

contestados.

desenvolvimento

adequados esperando-se

de

de

mecanismos

comercialização

ainda

que

os

e

Mesmo

em

um

instante

em

que

novos

fatalmente teremos redução de consumo

consumidores se animem com a novidade.

de energia por conta do COVID-19,

Interessante é que este passo possa ser

esperamos que as mudanças sejam para

utilizado como real ferramenta de gestão

melhor, dividindo as oportunidades e

da energia consumida e que a eficiência

reduzindo os custos finais de energia ao

energética e a geração distribuída possam

consumidor.


Instalações Ex

O Setor Elétrico / Março de 2020

77

Roberval Bulgarelli é consultor técnico e engenheiro sênior da Petrobras. É representante do Brasil no TC-31 da IEC e no IECEx e coordenador do Subcomitê SC-31 do Comitê Brasileiro de Eletricidade (Cobei). bulgarelli@petrobras.com.br

Eletricidade estática em atmosferas explosivas – Riscos, controle e mitigação – Parte 08/08 14. Avaliação e mitigação dos riscos da eletricidade estática em equipamentos elétricos e mecânicos “Ex”: ABNT NBR ISO 80079 36

A norma técnica brasileira adotada

avaliação de risco de ignição) e Anexo E

explosivas – Parte 7: Proteção de

ABNT NBR ISO 80079-36, relaciona 13

(Considerações sobre utilização indevida

equipamento por segurança aumentada “e”

diferentes fontes possíveis de ignição em

que possa ser razoavelmente prevista

ABNT NBR IEC 60079-14: Atmosferas

atmosferas explosivas, sendo a eletricidade

durante o procedimento de avaliação de

explosivas – Parte 14: Seleção de

estática uma delas. De acordo com aquela

risco) procedimentos detalhados para a

equipamentos e montagem de instalações

norma, as centelhas capazes de gerar

avaliação de equipamentos elétricos e

elétricas

ignições devido à eletricidade estática

mecânicos destinados a serem instalados

ABNT NBR IEC 60079-17: Atmosferas

podem ocorrer em atmosferas explosivas

em atmosferas explosivas com relação

explosivas – Parte 17: Inspeção e

sob determinadas condições.

às suas fontes potenciais de ignição

manutenção de instalações elétricas

(incluindo a eletricidade estática), as quais

ABNT NBR ISO 80079-36: Atmosferas

necessitam ser devidamente mitigadas de

explosivas – Parte 36: Equipamentos não

facilmente levar a descargas capazes

forma a não se tornarem ativas.

elétricos para atmosferas explosivas –

de causar uma ignição. Com partes

A norma ABNT NBR ISO 80079-

Métodos e requisitos básicos

eletrostaticamente carregadas fabricadas

36

IEC TS 60079-32-1: Atmosferas

de materiais não condutivos (como a

sobre

maioria dos plásticos), podem ocorrer

Anexo D (Ensaios de carregamento com

eletrostáticos – Orientações

descargas

alguns

materiais não condutivos) e Anexo F

IEC 60079-32-2: Atmosferas explosivas

processos

(Desenvolvimento de diferentes tipos de

– Parte 32-2: Riscos eletrostáticos –

de separação rápida (como em filmes

descargas eletrostáticas capazes de gerar

Ensaios

em movimento sobre roletes, correias

ignição).

ABNT DIRETIVA 3: Adoção de

O centelhamento de partes isoladas

eletrostaticamente

casos

e

carregadas

ramificadas.

específicos,

Em

durante

pode

A norma ABNT NBR ISO 80079-36

ABNT NBR IEC 60079-0: Atmosferas

apresenta em seus Anexo B (Explanação

explosivas - Parte 0: Equipamentos –

do procedimento de avaliação do risco

Requisitos gerais

de

ABNT NBR IEC 60079-7: Atmosferas

ignição),

Anexo

apresenta

C

(Exemplos

também

eletricidade

de

informações

estática

em

seus

explosivas – Parte 32-1: Riscos

documentos técnicos internacionais

transportadoras, operações com braços de carregamento e transferências de grandes

15. Referências bibliográficas

http://conexaodt.abnt.org.br/

quantidades de hidrocarbonetos) ou por

ANP – Relatório de investigação do

wp-content/uploads/2018/01/

combinação de materiais condutivos e

incidente de explosão ocorrido em

ABNTDIRETIVA3_2017.pdf

não condutivos, é também possível a

11/02/2015 no FPSO Cidade de São

Subcomitê SCB 003:031 da ABNT/

propagação de descargas ramificadas.

Mateus

CB-003 – Atmosferas explosivas

Descargas propagantes podem ocorrer

Livro O ciclo total de vida das instalações

http://cobei-sc-31-atmosferas-explosivas.

também em material a granel.

em atmosferas explosivas, Paco Editorial

blogspot.com


78

Índice de anunciantes

70

Ação Engenharia (11) 3883-6050 www.acaoenge.com.br 65

Alpha (11) 3933-7533 vendas@alpha-ex.com.br www.alpha-ex.com.br Beghim 21 (11) 2942-4500 beghim@beghim.com.br www.beghim.com.br 8e9

Cinase (11) 98433-2788 cinase@cinase.com.br www.cinase.com.br Clamper 4ª capa e Fascículos (31) 3689-9500 comunicacao@clamper.com.br www.clamper.com.br 31

Condumax / Incesa 0800 701 3701 www.condumax.com.br www.incesa.com.br 3ª capa e Fascículos

D’Light (11) 2229-8489 vendas@dlightsolar.com.br www.dlightsolar.com.br 6

Embrastec (16) 3103-2021 embrastec@embrastec.com.br www.embrastec.com.br Energy Crown 55 (11) 3456-5557 www.energycrown.com.br Exponencial 76 (31) 3317-5150 comercial@exponencial.com.br www.exponencialmg.com.br Gimi Pogliano 27 (11) 4752-9900 atendimento@gimipogliano.com.br www.gimipogliano.com.br

O Setor Elétrico / Março de 2020

Itaipu Transformadores 75 (16) 3263-9400 comercial@itaiputransformadores.com.br www.itaiputransformadores.com.br MWM Geradores 7 (11) 3882-3200 www.geradoresmwm.com.br Neocable 23 (11) 4891-1226 www.neocable.com.br 2ª capa e Fascículos Novemp (11) 4093-5300 vendas@novemp.com.br www.novemp.com.br Paratec 71 (11) 3641-9063 vendas@paratec.com.br www.paratec.com.br Protcontrol 62 (11) 2626-2453 comercial@protcontrol.com www.protcontrol.com RDI Bender 11 (11) 3602-6260 contato@rdibender.com.br www.rdibender.com.br/ Reymaster 53 (41) 3021-5000 www.reymaster.com.br Romagnole 25 (44) 3233-8500 www.romagnole.com.br 19

SENAI (11) 3901-9300 senaipirituba@sp.senai.br www.pirituba.sp.senai.br Techno do Brasil 49 (41) 98717 7000 mario.adinolfi@sales.techno.it www.technodobrasil.com.br 16

THS (15) 3325-3816/3325-2661 vendas@fuses.com.br www.fuses.com.br

HellermannTyton 64 (11) 2136-9090 vendas@hellermanntyton.com.br www.hellermanntyton.com.br

Trael 63 (65) 3611-6500 comercial@trael.com.br www.trael.com.br

Intelli 5 (16) 3820-1500 intelli@intelli.com.br www.grupointelli.com.br

WEG (47) 3276-4000 automacao@weg.net www.weg.net

13


Profile for Revista O Setor Elétrico

O Setor Elétrico (edição 169 - mar / 2020)  

O Setor Elétrico (edição 169 - mar / 2020)  

Advertisement