Page 1

Gourmet Curitiba / Julho 2011 /

1


Gourmet Curitiba / Julho 2011 /

2


Editorial Caros leitores: a presente edição chega disposta a ofertar várias opções para o friozinho do inverno curitibano. É isso aí. Terminou o outono e a primavera ainda está longe. A hora agora é de tirar os casacos, botas, luvas, cachecóis, toucas e gorros do armário e acender a lareira. É melhor estarmos preparados, pois a temperatura caiu. E por falar em temperatura, que tal deixar de lado as reclamações do frio e os pedidos de calor e aproveitar o que a estação tem de melhor a nos oferecer? Para aquecer, uma boa pedida é um apetitoso prato quente. A nossa sugestão é uma sopa. Mas, antes de provar, vamos conhecer sua história e demais características. Sabia que ela já era consumida antes mesmo do aparecimento do fogo? Os alimentos eram misturados com água, sementes, raízes e carne de caça. Nesta edição você também vai apreciar as belezas da cidade do inverno, Campos do Jordão, e sua programação para a estação, além de conferir os trabalhos da artista Marisa Vidigal, que transforma em arte o dia-a-dia das pessoas. E por falar em arte, o Museu Oscar Niemeyer apresenta uma mostra sobre a representação da mulher, que é abordada em diversos momentos da História da Arte. Podemos também transformar a cozinha de nossas casas em uma verdadeira obra de arte. Quer saber como? Buscamos as últimas tendências e confirmamos que a revalorização das cores e uso de elementos retrô são as novas apostas para decorar o ambiente. Não deixe de ler o perfil do carismático João Lellis, do Lellis Trattoria. Na coluna Dica de Vinho, Renato Correia de Oliveira, sommelier do restaurante Velho Madalosso, conta sua trajetória. Quer saber mais sobre cervejas? Nosso mestre cervejeiro Daniel Wolf fala sobre a identidade da cerveja brasileira. Mas se você quer mesmo é um bom vinho, a matéria sobre a Viu Manent conta a história da vinícola e algumas opções da bebida. Tudo isso e mais um pouco você confere aqui, na 16º edição da Gourmet Curitiba. Tem alternativa para todos os gostos e estilos nas páginas a seguir. Os sabores dão prazer, os aromas invadem nosso corpo e o visual nos deslumbra. Um agradecimento especial aos amigos e leitores que nos adicionaram no twitter e facebook: muito obrigado. Tenham uma excelente leitura! Valdir Santos Editor

EDITORA: Gourmet Curitiba A revista Gourmet Curitiba é uma publicação bimestral. EXPEDIENTE DIRETOR: Valdir Santos ADMINISTRAÇÃO: Rua Itupava, 1498 - Alto da XV – Curitiba PR – CEP 80040-000 COMERCIAL: (41) 3018-4991 - 9624-6398 FINANCEIRO: Adriana Asafrão valdir@gourmetweb.com.br jornalistaS: Aline Sajnaj Ferreira - DRT/PR 8269 - redacao@gourmetweb.com.br Rudney Flores, Mariana Costa. REVISÃO: Filippo Mandarino e Caroline Signori DIREÇÃO DE ARTE: Gelson Bourschiet E-mail: gelson@visuality.com.br VISUALITY Comunicação - (41) 3209-9935 FOTOLITO E IMPRESSÃO: Gráfica Capital FOTOS: Atelier da Imagem - (41) 3029-5934 - www.atelierdaimagem.com ASSINATURAS: (41) 3018-4991 - 9624-6398 E-mail: comercial@gourmetweb.com.br www. go u r m e t we b . c om . b r É expressamente proibida a reprodução ou cópia de parte ou todo de textos e fotos publicados na revista Gourmet Curitiba. A Gourmet Curitiba não se responsabiliza por anúncios e imagens enviadas por terceiros, por entender serem de responsabilidade de seus produtores.

Gourmet Curitiba / Julho 2011 /

3


04

08

SÚMARIO 04 Sinta-se em Casa

A vinícola chilena Viu Manent, de propriedade familiar, é um ambiente aconchegante.

32 Notas

24 Dica de vinho

34 Utensílios

26 Cultura

36 Receita:

28 Nascente de memórias

38

Pudim de Paçoca

Credibilidade e Confiança.

08 Sopas:

Para esquentar e espantar o frio

20 Café: Irish Coffee

Uma ótima opção para o inverno.

21 Música e boa mesa

A Eternidade da Temática Feminina: Exposição “Mulheres no Acervo MON”.

Largo da Ordem é o ponto de encontro de várias tribos.

Presente em todas as culturas, a música influencia sentimentos e atitudes.

Gourmet Curitiba / Julho 2011 /

22 Receita:

4

31

Azeites do mundo

Carolinas Trufadas

39

Livros Sabores do Brasil:

Ícone paranaense, o pinhão se adapta a inúmeras receitas, doces ou salgadas.


50

40

Perfil: João Lellis

42

O Mundo da Cerveja

44

Arte

46

Viagem: Cidade do inverno

22

Uma história escrita com tradição

A identidade brasileira na cerveja

Vivência, cultura e tradições do povo brasileiro Marisa Vidigal transforma em arte o dia a dia das pessoas

Campos do Jordão é mantida pelo

50

Espetacular acidente geográfico

67 Receita:

Figo flambado com colhada seca.

40 Gourmet Curitiba / Julho 2011 /

5


Sinta-se em casa A vinĂ­cola chilena Viu Manent, de propriedade familiar, ĂŠ um ambiente aconchegante

Gourmet Curitiba / Julho 2011 /

6


Texto: Aline Sajnaj Ferreira Fotos: Divulgação

P

arece uma afável casa, cercada por um paraíso de parreiras. Uma paisagem de natureza de tirar o fôlego, com jardins sempre bem feitos, cujas sombras das árvores nos convidam a aproveitar cada espaço que a vinícola chilena tem a nos oferecer. Essa estrutura acolhedora não podia ser diferente, pois Viu Manent é de propriedade familiar. Ela foi fundada em 1935, quando o imigrante Miguel Viu Garcia e seus filhos, Augustin e Miguel Viu Manent, estabeleceram em Santiago as vinícolas Viu. Nos seus primórdios, a dedicação era voltada à comercialização de vinhos comprados de diversos produtores e embalados com sua própria marca. Mais de 30 anos se passaram e, em 1996, a família conseguiu produzir seus próprios vinhos, no momento em que compraram os antigos vinhedos e a vinícola da fazenda San Carlos de Cunaco, no coração vinícolo do Valle de Colchagua. Atualmente, na terceira geração da família Viu, a vinícola exporta sua produção aos cinco continentes. Viu Manent possui 260 hectares

de vinhedos próprios, repartidos entre os vinhedos de San Carlos, subdivisão de Santa Cruz, e os vinhedos La Capilla e El Olivar, ambos subdivisões de Peralillo. O enólogo responsável pelos vinhos da Viu Manent é Patricio Celedon, cuja filosofia é focada na busca permanente pela qualidade e identidade dos vinhos. Uma equipe de profissionais comprometidos com o projeto da família Viu produz e vinifica os frutos de uma agricultura que busca fazer vinhos com estilo próprio, fiéis às suas variedades e origens. A vinícola trabalha com a uva Cabernet Sauvignon. Mas a principal é a Malbec, procedente do vinhedo de San Carlos, assim como a Semillon, originária de videiras de 40 anos, além da Carmenère, produzida nos vinhedos La Capilla e El Olivar. O vinho Viu 1 é um tributo a Miguel Viu Manent, que representa a experiência e especialização da vinícola em uvas Malbec. É um vinho único, de edição limitada e garrafas numeradas, que se produz em anos, por meio de uma rigorosa seleção de uvas. Gourmet Curitiba / Julho 2011 /

7


Uma equipe de profissionais comprometidos com o projeto da família Viu produz e vinifica os frutos de uma agricultura que busca fazer vinhos com estilo próprio, fiéis às suas variedades e origens. Já o vinho El Incidente é a aposta de Viu Manent com a uva Carmenère. Vale ressaltar que essa uva havia desaparecido do velho continente em meados do século XIX. Entretanto, foi redescoberta nos primórdios da década de 1990 no Chile. Merece destaque também a série de vinhos Vinhedo Único, composta por uma grande variedade, que caracteriza a região, a complexidade e a personalidade de todos os vinhos. Rendimentos controlados, fruta colhida à mão, madura e concentrada, são a origem desses vinhos com características marcantes, que envelhecem em barris franceses de 14 a 18 meses. A linha Grande Reserva, por sua vez, é obtida a partir de setores selecionados. O resultado? Aromas finos, porém maduros e preservados; vinhos encorpados, mas generosos e de maior volume e longitude na boca, com taninos suaves e elegantes. Por fim, a linha Estate Colletion representa a mais pura identidade das uvas produzidas no vale de Colchagua. Os vinhos se destacam por sua juventude e máxima expressão da fruta, cheia de cores, aromas e sabores. São vinhos ideais para se beber em qualquer ocasião. Aqui no Brasil, o membro da Confraria dos Sommeliers de São Paulo, Bruno Hermenegildo, consultor do grupo Art des Caves, que trabalha com os vinhos da Viu Manent há pelo menos cinco anos, garante que as principais características dos vinhos chilenos, em especial da vinícola em questão, são aromas frutados e com grande intensidade, taninos elegantes e uma alcoolidade maior que confere ao vinho uma facilidade única para degustação, cuja principal característica é a padronização da qualidade ao longo das safras. O profissional separou alguns dos principais vinhos com que ele trabalha: Viu Manent Cabernet Sauv Reserva (100% Cabernet Sauvignon - R$ 72,00); o Viu Manent Carmenère Reserva 2007 (100% Carmenere - R$72,00) e o Viu Manent Single Vineyard Cabernet Sauvignon (87% Cabernet Sauvignon e 13% Malbec - R$ 190,00). Não deixe de conhecer a Viu Manent e provar uma das opções. Gourmet Curitiba / Julho 2011 /

8


Gourmet Curitiba / Julho 2011 /

9


Gourmet Curitiba / Julho 2011 /

10


Para esquentar e espantar o frio Sopas e cremes são uma boa opção para as noites geladas do inverno curitibano Texto: Mariana Costa Fotos: Atelier da Imagem

N

as noites frias elas reinam absolutas, e ficam praticamente esquecidas nas refeições do verão. Com pão, seu companheiro mais fiel, as sopas guardam um antigo fascínio e evocam imagens nostálgicas de um tempo em que a vida era mais simples. “Aquela panela cheia, fumegando por longas horas, conseguia produzir ricos aromas e sabores até mesmo dos ingredientes menos nobres”, comenta o chef Júnior Costa. Considerada como o preparo mais antigo do mundo, a sopa tem sua raiz etimológica na palavra teutônica suppa, que se refere a um prato medieval (sop) de um estufado espesso que se colocava em fatias de pão. A instrutora de gastronomia do Senac-PR, Maria Cristina Robinson, explica que conforme relatos de pesquisadores, a sopa já era consumida antes mesmo do aparecimento do fogo, pois os alimentos eram misturados com água, sementes, raízes e a carne da caça. Desde então, a evolução do preparo da sopa traduz um histórico interessante da própria gastronomia, tendo em vista que os novos sabores e ingredientes agregados, aliados às novas técnicas, transformaram um simples prato

de sobrevivência em um elemento gastronômico importante. Aqui no Brasil, devido ao clima tropical, a sopa não conta com um consumo amplamente difundido como nos países europeus. Mesmo assim ela tem ganhado espaço nas mesas dos curitibanos, especialmente nas noites geladas. Uma prova disso é que durante o inverno restaurantes que tem esse prato como item principal no cardápio possuem um aumento significativo no movimento. No restaurante Manjhericão, por exemplo, um dos mais tradicionais no preparo de sopas, a procura pela iguaria cresce cerca de 80% com a chegada do inverno. Com um cardápio extenso, a casa oferece diariamente dez tipos de sopas, sete delas são fixas no cardápio e as outras três são trocadas diariamente. Ao todo são mais de 100 receitas, que vão desde o tradicional Capelleti até sabores mais inusitados, como sopa de pinhão, amendoim com frango e sopa de semente se soja. Todas preparadas pelas habilidosas mãos de Catarina Ianosk Crul que há 17 anos comanda a cozinha do restaurante. “Os nossos clientes buscam sabores diferenciados, por isso é preciso inovar sempre”, explica.

Gourmet Curitiba / Julho 2011 /

11


Versatilidade e sabor à mesa Versáteis, as sopas podem ser uma boa opção tanto para a entrada quanto para o prato principal de uma refeição. “Para entrada, uma boa pedida é o Caldo Verde ou um Creme de Palmito com gengibre e Castanha de Xerém, pois são leves, aquecem e podem ser acompanhadas de outros pratos. Já para o prato principal o ideal é uma Canja de Galinha ou Creme de Cabotcha com carne seca, pois são marcantes e mais encorpadas”, explica o chef Júnior Costa.

TOM KHA GAI

Ingredientes: 300 g de peito de frango sem osso 300 ml de leite de coco 30 g de gengibre fatiado 03 colheres de sopa de folhas de limoeiro cortadas bem finas 03 talos de capim limão 03 limões para suco 50 ml de molho Nan Pla ½ maço de coentro 07 pimentas dedo de moça 500 ml caldo

Já a chef Maria Cristina sugere como entrada o AARDAPPELSOEP MET BOSUITJES, o nome é um tanto complicado mas, traduzindo, trata-se de uma sopa tradicional holandesa de batatas com cebolinha. “Acho muito interessante o sabor do curry na sopa, o que dá um toque todo especial”, comenta. Como prato principal ela indica sopa italiana Minestrone, composta por uma grande variedade de legumes, arroz ou macarrão e caldo de galinha, caldo de legumes ou caldo de carne.

Modo de Preparo:

Na hora do preparo, alguns cuidados especiais fazem toda a diferença no sabor final do prato. De acordo com o chef Júnior Costa, o segredo de uma boa sopa está nas bases, também chamadas de fundo de cozinha, que influenciam e caracterizam o sabor das produções culinárias. Esses fundos se dividem em três componentes: componente nutritivo, como aparas de carne, caça, frango; componente aromático, que podem ser ervas aromáticas ou um Mirepoix (mistura de legumes picados e levemente refogados na manteiga); e por fim um componente líquido, o mais comum é água, mas algumas vezes pode ser substituída por vinho. Além das sopas, esses fundos também servem de base para o preparo de caldos e cozidos.

Montagem do Prato:

Outro item importante na hora de se preparar as sopas é a escolha correta dos temperos, que devem ser usados com cautela para o sabor e o aroma do condimento não predominar na elaboração do prato. Segundo a chef Maria Cristina, um toque especial de massala (mistura de várias especiarias e ervas, tempero típico da Índia, à base de curry), por exemplo, pode abrir o apetite, dar um toque exótico no preparo ou acabar com tudo caso colocado em quantidade excessiva. “De qualquer forma, prepará-la com amor e capricho é o principal tempero, é o que faz a diferença no sabor e que dá o “toque especial” a todos os pratos”, explica.

Gourmet Curitiba / Julho 2011 /

12

Preparar o caldo com as cascas do gengibre, as folhas de capim limão e reservar o talo, as raízes do coentro e as folhas cortadas. Colocar para ferver o leite de coco com o caldo, cortar os talos do capim em pequenos pedaços, o gengibre em lâminas e duas pimentas em lâminas também. Colocar os outros ingredientes até ficarem bem cozidos e dar uma breve engrossada com amido líquido. Fazer uma flor com a pimenta e reservar algumas folhas de coentro. Colocar sobre a sopa a pimenta e as folhas.

Chef: Junior Costa

Pão e vinho O pão e o vinho são sem sobra de dúvidas os melhores acompanhamentos para um bom prato de sopa. Na hora de escolher o pão, os mais indicados são os pães feitos com cereais integrais, como o Pão Português, Ciabata e o pão Italiano. Uma boa pedida é servir a sopa dentro do pão: além de um toque especial no sabor, a apresentação do prato se torna ainda mais atraente. Broas e croutons também podem ser um excelente acompanhamento. Para não errar na hora de escolher o vinho, o proprietário do restaurante Manjhericão, Paulo Sérgio Alves, indica os tradicionais vinhos chilenos, “Os chilenos secos são, sem sombra de dúvida a melhor opção”, comenta. Mas algumas outras opções também podem ser bastante interessantes: para um Caldo leve um Chardonnay, para uma sopa de creme com peixe um Chardonnay mais encorpado espumantes e rosés leves também podem funcionar. Para uma sopa mais substanciosa um vinho mais encorpado, como um tinto Merlot, o Português Dão, ou Cabernet Sauvignon podem ser excelentes escolhas.


Gourmet Curitiba / Julho 2011 /

13


receita

CREME DE ABÓBORA

Ingredientes: 01 kg de abóbora cabotiá descascada, cortada em cubos 02 colheres de sopa de azeite 01 cebola média em cubos 01 dente de alho descascado e cortado finamente 02 litros de caldo de legumes sal quanto baste pimenta quanto baste 150 ml de creme de leite fresco 100 g de salsinha picada 150 g de carne seca dessalgada e desfiada Modo de Preparo: Em uma panela colocar o azeite. Dourar a cebola e acrescentar o alho (não deixar escurecer). Adicionar a abóbora. Refogar por 5 minutos mexendo sempre. Adicionar o caldo quente, mexer e cozinhar por 20 minutos ou até a abóbora estar macia. Retirar do fogo e bater no liquidificador. Voltar o creme batido para a panela. Acrescentar o creme de leite e cozinhar por 5 minutos. Desligar o fogo e servir.

Montagem do Prato: Colocar a carne seca desfiada e temperada com azeite, sal e pimenta no fundo do prato. Colocar a sopa por cima e decorar com a salsinha picada.

Chef Maria Cristina Robinson SENAC

Gourmet Curitiba / Julho 2011 /

14


Foto: Atelier da Imagem

Gourmet Curitiba / Julho 2011 /

15


receita

SOPA DE CAPELLETI

Ingredientes: 2 litros de caldo de galinha 2 tomates ½ cebola 1 kg de capelleti

Modo de Preparo: Refogar a cebola e o tomate. Acrescentar o caldo de galinha E quando ferver coloque o capelleti. Cozinhe em fogo alto até o capelleti ficar macio. Montagem do Prato: Sirva com queijo parmesão ralado e salsinha.

Chef Catarina Ianosk Crul

Gourmet Curitiba / Julho 2011 /

16


Foto: Atelier da Imagem

Gourmet Curitiba / Julho 2011 /

17


receita

sopa eslava

Ingredientes: 1kg de batatas cortadas em cubos 1 kg de cenouras cortadas em cubos 2 colheres grandes de cebolas picadas 3 litros de leite 1 kg de alcatra cortada em cubos 2 colheres grandes de catchup 3 colheres grandes de cheiro verde picado 6 colheres grandes de creme de leite 6 conchas mĂŠdias de molho sugo Modo de Preparo: Puxar a carne jĂĄ temperada. Puxar a cebola picada e acrescentar os legumes cozidos em ĂĄgua e sal. Acrescentar o leite, o molho sugo, o catchup e deixar ferver. Acrescente o creme de leite com o fogo desligado. Montagem do Prato: Sirva com cheiro verde.

Chef Marcelo Silva Bar Baroneza

Gourmet Curitiba / Julho 2011 /

18


Foto: Atelier da Imagem

Gourmet Curitiba / Julho 2011 /

19


receita

CREME DE ABÓBORA

Ingredientes: 4 litros de água 1 kg de músculo 50 g de caldo de carne 2 macinhos de cheiro verde Sal a gosto 1 colher de alho picado 100 ml de molho shoyu 100 ml de molho inglês 2 colheres de óleo 250 g de macarrão cabelo de anjo

Modo de Preparo: Refogue bem a carne e coloque para cozinhar na pressão. Depois de bem cozida, separe a carne do caldo para desfiá-la. Recoloque-a já desfiada para o caldo, acrescente o restante dos ingredientes, deixe cozinhar para ficar bem macia e por último coloque o macarrão

Chef Silvana Aparecida Eugênio.

Chef de cozinha do restaurante Happy Burger.

Gourmet Curitiba / Julho 2011 /

20


Gourmet Curitiba / Julho 2011 /

21


Irish Coffee Uma ótima opção para o inverno

O

frio está chegando e já dá para sentir aquele ventinho gelado característico do inverno de Curitiba. E o que não pode faltar na mesa dos curitibanos é aquele famoso cafezinho. Mas o que você acha, leitor da Gourmet Curitiba, de inovarmos um pouco? Então, que tal deliciar nessa estação o Irish Coffee? Essa bebida, cujo consumo deve ser bem quente, é uma combinação do café brasileiro com o whisky irlandês. Açúcar e creme de leite também estão presentes na elaboração da receita. Mas você sabe como surgiu essa exótica bebida? Simoni Yamaguty, barista sênior da Exprèx Caffè, conta que o Irish Coffee teve origem em 1942. Na década de 1930, o aeroporto Foynes, na Irlanda, era considerado o mais importante aeroporto de passageiros entre a Europa e a América. Certa noite, muito fria, um vôo ficou impossibilitado de completar a viagem e teve que permanecer no Foynes até que o tempo melhorasse. Assim sendo, o capitão da aeronave pediu ao chef Joe Sheridan, do restaurante do aeroporto, que preparasse algo para os passageiros, que estavam cansados e famintos. Foi nessa ocasião que surgiu o Irish Coffee, pois, com o intuito de aquecer os passageiros, o chef Sheridan elaborou a nova bebida, acrescentando whisky irlandês ao café. Ao provar a nova invenção, um dos passageiros perguntou: “Is this brazilian coffee?”, pergunta esta que foi logo respondida por Sheridan: “No. That’s Irish Coffee”.

Gourmet Curitiba / Julho 2011 /

22

Com o intuito de aquecer os passageiros, o chef Sheridan elaborou a nova bebida, acrescentando whisky irlandês ao café.

Texto: Aline Sajnaj Ferreira Fotos: Fabiano Guma

Aprenda agora passo a passo a fazer o Irish Coffee: Ingredientes: 2 doses de café bem forte e quente 50 ml de whisky irlandês 1 colher de sopa de açúcar mascavo Creme de leite fresco batido.

Modo de preparo: Em uma taça de vidro dissolva o açúcar mascavo no whisky e café e despeje delicadamente o creme de leite fresco batido sobre o café. É indispensável que o creme de leite flutue sobre o café.


Música e boa mesa Presente em todas as culturas, a música influencia sentimentos e atitudes Texto: Aline Sajnaj Ferreira

M

elodias, intensidades (sons fortes ou suaves), alturas (sons graves ou agudos), ritmos e timbres provocam alterações no organismo humano. É o que afirma a musicoterapeuta da Faculdade de Artes do Paraná, Rosemyriam Cunha. Nada melhor do que saborear uma boa refeição em um ambiente agradável e aconchegante. E esses momentos, conforme os especialistas indicam, devem privilegiar a calma e o relaxamento. De acordo com a profissional, “Quando a música faz fundo para as refeições, ela deve acompanhar esse objetivo de propiciar à pessoa, em sua totalidade biopsicossocial, conforto e sensação de bem estar”. Conforme os estudos de Rosemyriam, a música exerce influências sobre o estado emocional das pessoas, sendo capaz de agitar, irritar, acalmar e relaxar, já que as sonoridades incidem sobre o sistema nervoso. Saiba também que ela ocasiona emersão de lembranças ao ativar a memória. Além desses sentimentos e atitudes individuais, a música permeia situações de socialização em atividades de dança, audição e troca de idéias. Como elemento social, existente em todas as culturas, Rosemyriam elucida que ela se torna um elemento agregador de grupos e comunidades e depositária da história das sociedades. Se você, empresário, quer escolher a música certa para agradar aos clientes do seu restaurante, deve levar em consideração alguns

“ Nada melhor do que

saborear uma boa refeição em um ambiente agradável e aconchegante “ critérios, como alerta a musicoterapeuta: música em ritmo constante, ou seja, evitar alterações súbitas no ritmo, na melodia e na intensidade; altura predominante nos sons médios; volume adequado à altura das vozes das pessoas, para que possam desfrutar da música e conversar sem alterar a altura de suas próprias vozes. O estilo da música varia de acordo com as características de cada restaurante. O restaurante Scavollo, por exemplo, apesar de apresentar cozinha italiana, tem música ao vivo para todos os gostos. O maître Daniel Trevizan garante que o público aprovou o repertório, que inclui músicas italianas e argentinas, samba, música popular brasileira, entre outras. Já o restaurante Alba Chiara oferece aos clientes músicas italianas e jazz. A seleção se baseou no fato de o estabelecimento ser de gastronomia italiana. E o jazz, por sua vez, é para variar um pouco. Kátia Maria Silva de Paula, sócia-proprietária, acredita que a música acarreta uma mistura de harmonia e bem estar, combinando emoções e lembranças em seus clientes.

Gourmet Curitiba / Julho 2011 /

23


receita

pudim de paçoca

Ingredientes: 1 lata de leite condensado 8 paçocas 2 colheres de coco ralado 4 fatias de pão de forma 1 colher de margarina 800 ml de leite integral 4 ovos Modo de Preparo: Deixe de molho na geladeira os pães com parte do leite por 10 minutos. No liquidificador bata os ovos, a manteiga, seis paçocas, o coco, o leite condensado e os pães. Em uma forma média, caramelizada, asse por aproximadamente 30 minutos. Decore com as duas paçocas restantes e sirva frio.

Chef Jailson Vale Manga Rosa Gastronomia

Gourmet Curitiba / Julho 2011 /

24

Montagem do Prato: Colocar a carne seca desfiada e temperada com azeite, sal e pimenta no fundo do prato. Colocar a sopa por cima e decorar com a salsinha picada.


RECEITA 2

Gourmet Curitiba / Julho 2011 /

25


Dica de Vinho

Credibilidade e confiança Q

uem é cliente fiel do restaurante Velho Madalosso, um dos mais tradicionais de Curitiba, sabe a quem procurar quando o assunto é uma ótima dica de vinho: o simpático e atencioso Renato Correia de Oliveira, sommelier da casa há dez anos. Natural de Campo Mourão, Oliveira (33 anos) trabalhava, inicialmente, como garçom no Velho Madalosso. Os donos decidiram que queriam ter um sommelier no restaurante e incentivaram seus funcionários a abraçar a profissão. Renato se candidatou e fez o curso do Centro Europeu, bancado por seus patrões. “Eu já gostava de vinho. A oportunidade era muito boa e não podia deixar passar”, relembra ele, que frequenta restaurantes desde pequeno, quando acompanhava sua mãe ao trabalho. “O trabalho de sommelier mudou minha vida. Apaixonei-me pela profissão e não me vejo fazendo outra coisa”, completa. Hoje, ele é responsável pela aquisição

f

Texto: Rudney Flores Fotos: Atelier da Imagem

e montagem da carta de vinhos da casa e pelas indicações aos clientes. Para se aperfeiçoar, faz visitas periódicas a vinícolas e vinhedos dentro e fora do país (já foi à Argentina, França, Portugal e Espanha), além de manter-se sempre atualizado com cursos e lendo revistas e publicações sobre o tema. “Compramos os vinhos mais clássicos, mas também estou sempre procurando as novidades para oferecer aos clientes”, informa. Renato diz que o que mais gosta no trabalho é o relacionamento com os clientes, podendo indicar os vinhos certos para os pratos. “Aos poucos vamos ganhando a credibilidade e a confiança deles”, confirma. Quando for ao Velho Madalosso (Av. Manoel Ribas, 5.852 – Santa Felicidade), procure pelo Renato e confira suas dicas. As massas, risotos ou carnes do restaurante vão ficar ainda mais gostosas. As dicas de vinho de Renato Oliveira para um jantar completo:

f Entrada: Viña Amalia – Blanc Noir Extra Brut (não safrado) Vinhedo Finca La Amália, Mendoza (Argentina). Composição: 80% pinot noir e 20% chardonnay. Teor alcóolico: 12,7%. Preço: R$ 49,00, no restaurante. “É um espumante quase rosé, que harmoniza com entradas como carpaccio e canapés, e também com carnes e peixes, como o bacalhau.”

Carabantes Syrah (2007) Vinhedo Vinã von Siebenthal, Aconcágua (Chile). Composição: 85% syrah, 10% cabernet sauvignon e 5% petit verdot. Teor alcóolico: 14,5%. Preço: R$ 179,00. “Um advogado suíço apaixonado por vinhos comprou esse vinhedo no Chile com os amigos e começou a produção. Quando a safra não é boa, eles não produzem nenhum vinho. O Carabantes fica 15 meses na reserva e é ideal para o final da refeição. Harmoniza com carnes, como vitela e pato, e massas com molho vermelho.”

Refeição (2 opções): Carlos Basso – Signature Blend (2005) Vinhedo Finca La Amália, Mendoza (Argentina). Composição: 50% malbec, 25% cabernet sauvignon, 15% petit verdot e 10% syrah. Teor alcóolico: 14,1%. Preço: R$ 95,00, no restaurante. “Sucesso no mundo inteiro, esse vinho é um dos dez melhores da Argentina. Ele é guardado durante 15 meses em barricas de carvalho francesas de primeiro uso. Ideal para começar uma refeição, harmoniza com grelhados, como filés e frangos.”

Sobremesa: Viña Amalia – Vendimia Tardia (safra do ano) Vinhedo Finca La Amália, Mendoza (Argentina). Composição: 34% sauvignon blanc; 33% sauvignon gris e 33% viognier. Teor alcóolico: 12,7%. Preço: R$ 49,00, no restaurante. “Esse vinho é feito com uvas de colheita tardia. Ele é ótimo para sobremesas, como fondue e morangos.”

Gourmet Curitiba / Julho 2011 /

26


Gourmet Curitiba / Marรงo/Abril 2011 / 27


CULTURA

A eternidade da

temática feminina Texto: Rudney Flores Fotos: divulgação MON

I

naugurada no final de março, a exposição “Mulheres no Acervo MON” é o principal destaque da programação atual do Museu Oscar Niemeyer, maior espaço das artes visuais no Paraná. A mostra foi organizada pela equipe técnica do museu sem um recorte específico de tempo ou gênero de obras. “A representação da mulher é explorada em diversos momentos da História da Arte, desde a pré-história, com a Vênus de Willendorf, passando pelas musas do Renascimento, até as figuras inovadoras das ‘Demoiselles d’Avignon’, de Picasso. Foi esse feminino e seu universo o estímulo para a seleção das obras desta mostra de acervo”, informa o material de divulgação da exposição. Foram selecionados 59 trabalhos de 42 artistas nacionais e internacionais (confira o box), representando quase todas as décadas do século 20. Entre as obras, pode-se destacar: “Mulher com Flores e Cachorro” (1935), de Di Cavalcanti; “Cabeça de Mulher” (sem data), de Cândido Portinari; “Vitrina” (1987), de Iberê Camargo; “Autorretrato” e “Sentada” (1923), de Tarsila do Amaral e “Menina Sentada” (1964), de Theodoro de Bona. As obras estão em exposição na Sala Helena Wong até o próximo dia 29 de agosto.

Gourmet Curitiba / Julho 2011 /

28


Novo comando O MON tem programadas poucas mostras neste primeiro semestre de 2011, resultado de uma fase de levantamentos, estudos e reestruturação de projetos, devido à mudança de comando da instituição, com a troca de governo do estado – a administração do espaço é de responsabilidade da Secretaria de Estado da Cultura (Seec). A artista plástica curitibana Teca Sandrini foi indicada para ser uma espécie de gerente do MON, substituindo Maristela Requião (ex-primeira dama do estado), que dirigia anteriormente a instituição. O museu fica, agora, sob supervisão direta de Paulino Viapiana, novo Secretário Estadual de Cultura. A intenção é formar um conselho curatorial para sugerir e discutir os projetos para o espaço. Além da exposição “Mulheres no Acervo MON”, estão atualmente na programação do museu as mostras: “Maureen Bisilliat”; “Pescadores de Tainha”, de Leonardo Régnier; e “O Silêncio e Solidão na Pintura de Leonor Botteri”, além de outras obras do acervo do museu.

Serviço: Museu Oscar Niemeyer (Rua Marechal Hermes, 999). Aberto de Terça a Domingo, das 10 às 18 horas. Entrada: R$ 4,00 e R$ 2,00 (para estudantes com carteirinha); venda de ingressos até 17h30. Gratuito para grupos agendados da rede pública, do ensino fundamental e médio, para crianças até 12 anos, maiores de 60 anos, e no primeiro Domingo de cada mês. Informações: (41) 3350-4400.

Gourmet Curitiba / Julho 2011 /

29


Nascente de

Memórias Largo da Ordem é o ponto de encontro de várias tribos Texto: Aline Sajnaj Ferreira Fotos: Divulgação


H

istórias inesperadas, inusitadas, do cotidiano. Histórias de vida. Puramente histórias. Tendo os paralelepípedos como palco, o céu como testemunha e o coração de Curitiba como localização, o Largo da Ordem abre um leque de atrações aos curitibanos e turistas, entre restaurantes, galerias, sebos e comércio em geral. É o reduto boêmio da cidade. Lugar de quem chega e de quem sai. De quem passa e de quem fica. De quem se diverte e de quem aprecia uma boa conversa. Um recinto pró-prio para eventuais encontros. Ambiente rico em memória, e - que tal uma rima? - um autêntico espaço de história. Os olhos de quem passa pelo Largo da Ordem enchem-se de imagens de uma arquitetura historicamente rica, capaz de despertar a imaginação e fazer querer voltar ao passado e viver em pleno século XVIII, quando surgiram algumas das construções mais antigas da cidade. Uma delas é a Casa Romário Martins, um centro de informações turísticas repleta de história sobre a capital paranaense. A Casa já funcionou como um açougue, armazém e foi até uma residência. Já imaginou morar em um lugar assim? E que tal visitar então a Casa Vermelha? Ela existe desde 1891, abrigando vários comércios. Entretanto, em 1993, administrado pela Fundação Cultural de Curitiba, o estabelecimento transformou-se em um espaço de cultura. Bem próximo encontramos o Bebedouro, construído em pedra com uma bacia de ferro no século XVIII. Era ali que os tropeiros tinham o hábito de parar para descansar enquanto seus cavalos matavam a sede. Lá também está a Igreja da Ordem Terceira de São Francisco, construída em 1737, onde encontramos ainda o Museu de Arte Sacra de Curitiba. O Largo da Ordem, atuando dos séculos XVIII ao XX como um espaço significativo de comércio, atualmente é referência quando se fala em feira livre. A famosa Feira de Arte e Artesanato acontece todos os domingos e oferece uma vasta variedade de produtos para todos os gostos e estilos. E se você é a favor de um bom bate-papo e

é amante da boa gastronomia, deve ter o compromisso de visitar um dos vários bares e restaurantes que o Largo da Ordem abriga e provar a abundância de pratos oferecidos. Não deixe de experimentar a Alcatra na Tábua, servida no Bar Sal Grosso, que existe há 25 anos. Para a proprietária, Márcia Brunetti Cordeiro, o lugar de localização é perfeito. Ela tem um grande carinho pelo Largo da Ordem, pois antes de pensar em montar o bar já era dona do prédio. E a obra foi certeira. “Eu não precisei procurar um local para abrir o Sal Grosso, o Largo me escolheu”, afirma. Quem também está satisfeito com o que o Largo da Ordem tem a oferecer é Mário Leonardi, do Tuba’s Bar e Restaurante. Para ele, esse lugar histórico atrai curitibanos e turistas, proporcionando assim o retorno que espera do estabelecimento. No Tuba’s um dos pratos que você pode pedir é o Filé Mignon com Arroz e Fritas. Mas você prefere uma carne branca? Então uma boa opção é o Peixe com Molho de Camarão, do Saccy Bar. Para a gerente Erudides Pereira, que trabalha no Largo da Ordem há 50 anos, sendo 15 deles no Saccy, não há lugar melhor em Curitiba do que essa fonte de memórias em que está localizado o estabelecimento no qual trabalha. Lá você Gourmet Curitiba / Julho 2011 /

31


também encontra pizzas e porções. O Largo da Ordem oferece comida de culturas diferentes, como o Eisbein, do Schwarzwald Bar do Alemão. O prato, que contém joelho de porco defumado, salsicha, chucrute e batata cozida, é o mais pedido da casa. Para o gerente, Jorge Tomatto, o fato de o Largo da Ordem ser um ponto central, com intensa visitação de turistas e, atualmente, com câmeras de monitoramento, faz com que o local seja perfeito no atendimento aos seus clientes. Você também pode provar os petiscos, lanches, pratos especiais, comidas exóticas, como carne de avestruz e jacaré, no Fire Fox. Já o The Farm oferece pizza, porções e pratos, como o filé à parmegiana e o strogonoff de mignon. Além de aproveitar cada pedaço desse ambiente histórico e diversificado, nada melhor do que conhecê-lo bem. Sendo assim, agora que sabemos sua importância para a história da nossa cidade, o passeio ao Largo da Ordem ficará ainda mais atrativo. Aproveitem!

Feiras Gastronômicas 5ª feira Feira do Tarumã/Cristo Rei Av. Humberto de A. Castelo Branco Esquina com R. Gottlieb Rosenau Das 17h às 22h 6ª feira Feira do Capão Raso Largo Pe. Albino Vicco Das 17h às 22h Sábado Feira do Batel R. Carneiro Lobo Das 12h às 21h

Gourmet Curitiba / Julho 2011 /

32


PERFIL

Azeites do mundo

5 4

3 2 1

1.Myconos Extravirgem, oriundo da Grécia, do produtor Medolio S.A. Baixa acidez, fragrância de fruto fresco, tom verde-dourado e leve ardor. Perfeito para utilizar em saladas, verduras e peixes. 2.Paganini Extravirgem, procedente da Itália, proporciona sabor e aromas marcantes. Apresenta agentes antioxidantes que diminuem o processo de envelhecimento das células do corpo. 3.Herdade do Esporão 1267 Extravirgem. De origem portuguesa, é isento de misturas e aditivos, apresentando-se 100% puro. 4.Péres Arquero Extravirgem, espanhol, de categoria superior, obtido diretamente de azeitonas 100% Arbequina, unicamente por processo mecânico. 5. Aura, de procedência chilena. Apresenta aroma frutado, gosto levemente adocicado, juntamente a um sabor picante moderado, frutos verdes e ervas. Gourmet Curitiba / Julho 2011 /

33


Notas

Gourmet

Creperia Batellum inova com rodízio de crepes e música ao vivo

A Creperia Batellum, inaugurada há um ano e meio no coração da Avenida Batel, torna-se agora a primeira casa de Curitiba a oferecer um rodízio de crepes que é servido de segunda a quarta-feira. A grande vantagem é que é possível experimentar todos os sabores do cardápio. Outra novidade é que toda quarta-feira haverá MPB ao vivo. Já o jazz dá o tom do ambiente durante as quintas-feiras. Além do rodízio, a casa oferece um cardápio amplo com várias opções e sabores de crepe, além de sanduíches e saladas. Um dos crepes de maior destaque é o de Mignon ao molho de mostarda Dijon. Mas existem muitas outras opções salgadas, doces, vegetariana, light e até sazonais ou “sugestão do chef”. Os preços dos crepes variam de R$ 8,00 a R$ 30,00. Creperia Batellum Rua Bispo Dom José, 2181– Batel Contato: 41 3342-5555 batellumcreperia@hotmail.com

Jasmine lança BIOV A Jasmine Alimentos traz com exclusividade para o mercado brasileiro uma nova opção de bebida vegetal orgânica: a BIOV, nas versões arroz e aveia. A bebida, produzida na Alemanha e amplamente consumida na Europa, é uma novidade no mercado nacional que a Jasmine traz em primeira mão para seus consumidores. Elaborado com grãos de arroz ou aveia, o BIOV contém proteínas, vitaminas, fibras e minerais essenciais para o bom funcionamento do organismo. Adocicado naturalmente, sem adição de açúcar, seu consumo é indicado para vegetarianos e alérgicos por não conter lactose. A versão de arroz pode ser ingerida por celíacos, pois não contém glúten. O BIOV pode ser consumido por todas as idades. Jasmine Alimentos Rua Bartolomeu Lourenço de Gusmão 4809 Contato: 41 2106 - 7871 / 2106 - 7840 www.jasminealimentos.com.br

Vinhos da Ironstone agregam valor ao portfólio das importadoras Porto a Porto A Porto a Porto está com mais uma novidade. Agora traz ao Brasil os vinhos norteamericanos Ironstone, considerados de excelente custo qualidade, pois as garrafas são acessíveis ao bolso do consumidor brasileiro e a elaboração é complexa, cheia de aromas e sabores especiais. Um dos diferenciais da vinícola é a aplicação de uma técnica de viticultura sustentável. A Ironstone tem uma série de práticas ecológicas, como a redução da cultura, a desfolha, o uso de materiais orgânicos e a irrigação por gotejamento, para melhorar a qualidade e intensidade dos sabores. Entre os destaques da vinícola estão os rótulos Ironstone Petite Sirah 2008, que apresentam aroma de frutas e chocolate, cedro e baunilha, e o Ironstone Reserva Zinfadel 2008, de cor rubi intensa e aromas de frutas vermelhas e negras, em especial amoras maduras, especiarias e chocolate.

Gourmet Curitiba / Julho 2011 /

34

Porto a Porto Av. Nossa Senhora Aparecida, 381 Térreo - Seminário Contato: 41 3018-7393 www.portoaporto.com


Delicioso Festival de Fondue O Restaurante Petit Château destaca seu principal carro-chefe: Festival de Fondue. No menu, fondue de queijos suíços (raclette, appenzeller e emmental), acompanhado de pães e minibatatas cozidas. Como prato principal, o Fondue Bourguignonne. Cubos de filé mignon, frango e lombinho, fritos em óleo especial para fondue, acompanhados com oito tipos de molhos para temperar as carnes. Para fechar com chave de ouro, fondue de chocolate preto, oito tipos de frutas e marshmallow. Deu água na boca? Então corra para o Restaurante Petit Château. O Festival de Fondue custa R$ 59,90 por pessoa. Confira também a carta de vinhos do restaurante. Restaurante Petit Château Rua Manoel Ribas, 5039 - Santa Felicidade Contato: 41 3372-0003 www.restaurantepetitchateau.com

Empório Santa Genoveva: almoço de domingo com receitas caseiras e toque gourmet O Empório Santa Genoveva, localizado no ParkShopping Barigui, lança o novo cardápio do bistrô, que oferece um espaço para almoço com clima de tranquilidade, onde as famílias podem se reunir em um ambiente aconchegante. O destaque fica por conta do menu especial de domingo, preparado com toque gourmet. Um dos pratos é a galinhada, legitimamente brasileira e caipira que remete aos almoços de família do interior. Outra opção é o spaghetti com bracciola, comumente chamada de bife a rolê, uma iguaria da rica culinária calabresa, introduzida no Brasil pelos imigrantes italianos por meio do dom da cozinha das “nonas”. As sugestões de pratos para domingo custam R$ 37,00 e servem duas pessoas. A taxa de serviço não está inclusa no preço. Empório Santa Genoveva R. Prof. Viriato Parigot de Souza, 600 Loja 192/ 193 Atendimento: de Segunda a Sexta, das 11h às 23h; Sábados, das 10h às 22h; e Domingos e feriados, das 12h às 20h. Contato: 41 3045-6297 www.emporiosg.com.br

Final de Semana no Espaço Depósito Ideal para quem gosta de almoçar fora de casa no final de semana e para os que apreciam um bom corte de carne. Aos amantes da carne, nada melhor do que um restaurante especialmente destinado à degustação de cortes nobres de carne aliado a um espaço totalmente relax no meio de Curitiba. O Espaço Depósito oferece isso e muito mais. Reconhecido pela qualidade no atendimento e cortes especiais de carnes nobres, o Espaço Depósito conta com uma grande área verde onde dispõe de quiosques e mesas para servir os clientes que preferem almoçar ao ar livre. A casa possui também um amplo ambiente fechado com lareira, adega climatizada e wi-fi para os clientes. Espaço Depósito Rua Santo Antônio, 660 – Rebouças Contato: 41 3333-5726 www.espacodeposito.com.br Gourmet Curitiba / Julho 2011 /

35


Jogo para Fondue Orion Em estilo contemporâneo e elegante, tem panela em inox e seis charmosos garfos em polipropileno e aço inox. Com capacidade para aproximadamente um litro, o jogo Orion é mais do que uma panela de fondue, é uma obra de arte. R$ 289,00 www.donacasa.com.br

Caneca com colher Eco

Prática, moderna e elegante, é ideal para servir sopas e cremes ou seus melhores acompanhamentos. Feita de porcelana branca, acompanha uma charmosa colher de inox. É mais do que perfeita, é um luxo. R$ 57,90 www.donacasa.com.br

Mini réchaud

Ideais para manter manteiga ou molhos aquecidos, além de ser uma peça delicada para ir à mesa e dar um toque especial a qualquer buffet. Feito em cerâmica, mantém o calor sem queimar ou coalhar o molho. Cada mini réchaud equivale a 1/3 xícara ou 90 ml. Contém dois mini réchaud, dois suportes e duas velas. R$ 49,00 www.donacasa.com.br

Gourmet Curitiba / Julho 2011 /

36


Jogo Royal Cobalt

O azul está sempre em alta. É uma cor moderna, vibrante e que combina facilmente com outras tonalidades. A decoração Royal Cobalt – disponível para peças da Linha Walkyria – tem detalhes filetados em ouro que, ao contrastarem com o tom de azul, garantem à linha uma beleza única, que foge do comum. Jogo com 20 peças R$ 418,00 www.germer.com.br

Sopeira Walkyria Neste inverno, você pode se esquentar e, ao mesmo tempo, contemplar a sopeira da linha branca, Linha Walkyria, da Germer. O produto pode ser encontrado nas lojas Polovi, loja de fábrica da Germer. R$ 50,08 www.germer.com.br www.polovi.com.br

Panela WOK Preta A conhecida e funcional panela WOK é um item que não pode faltar em nenhuma cozinha. Um dos modelos desenvolvido pela empresa catarinense Ceraflame tem 32 cm de diâmetro e está disponível em duas cores: preto e chocolate. A panela conta com um design exclusivo que ganhou o XI Prêmio House EC1 Gift de Design e Prêmio Design do Museu da Casa Brasileira. R$ 269,00 www.ceraflame.com.br

Gourmet Curitiba / Julho 2011 /

37


Gourmet Curitiba / Julho 2011 /

38


receita

Carolinas trufadas

Ingredientes: 8 unidades de carolinas tamanho médio 350 g de chocolate ao leite 350 g de chocolate meio amargo 1 colher de sopa de mel karo 1 colher de sopa de manteiga sem sal 1 caixa de creme de leite uht 1/2 xícara de chá de licor de laranja 700 g de chocolate ao leite para banhar

Modo de Preparo: Coloque o creme de leite, o mel e a manteiga numa panela e leve ao fogo. Quando começar a borbulhar, coloque o chocolate ralado, desligue o fogo, mexendo sempre, e leve à geladeira por 3 horas para pegar consistência. Modele as trufas,recheie as carolinas fazendo um corte na parte de baixo, banhe nas 700g de chocolate derretido em banhomaria. Leve na geladeira por mais 15 minutos e sirva com nata e calda de chocolate quente.

Chef Jailson Vale Manga Rosa Gastronomia

Gourmet Curitiba / Foto: JulhoAtelier 2011 da / Imagem 39


Livros

Cultura Paixão Mundial

Após quase vinte anos de trajetória, de mais de quinhentas palestras sobre vinho e de um contato diário e permanente com seus consumidores, o caminho escolhido pelos autores deste livro é o humor, a surpresa, o visual, a anedota. Sempre possibilitando ao leitor que incorpore os conhecimentos básicos ou as dicas essenciais do mundo do vinho com um sorriso. O vinho: uma paixão para todos é vencedor dos prêmios Best Wine Book of the World 2009, na categoria Innovation; Gourmand World Cookbook Awards, Paris 2010, e Best Wine Education Book of the World 2009.

Carolinas Trufadas

O vinho: uma paixão para todos Autor: Alfredo Terzano e Mariana Gil Juincal SENAC São Paulo. Preço: R$ 80,00 www.livrariascuritiba.com.br

História da Gastronomia

Neste livro, o autor discorre de maneira clara e agradável sobre o alimento, os rituais e os costumes que o cercam e sobre o desenvolvimento da gastronomia. Mostra a relação entre alimentação e educação, civilidade ede cultura das pessoas. Trata-se de uma fascinante lição 8 unidades carolinas tamanho de história do comportamento que, ocupando-se do prazer de comer, instiga o prazer de ler. médio Gourmand World Cookbook Awards 2001 - Melhor Livro de História da Culinária.

350 g de chocolate ao leite 350 g de chocolate meio amargo De Caçador a Gourmet 1 colher de sopa de mel karouma história da gastronomia Autor: Ariovaldo Franco 1 colher de sopa de manteiga sem sal SENAC PR. 1 caixa de creme de leite uht Preço: R$ 61,00 1/2 xícara de chá de licor de laranja www.livrariascuritiba.com.br 700 g de chocolate ao leite para banhar Modo de preparo:

Fresquinho nas nossas mesas

Trata-se de uma reunião das mais nobres, num total de quarenta textos, começando pelo Velho Testamento poetisa brasileira Hilda Hilst, depois de passar pelo grego Arquíloco, Coloque eo chegando creme deàleite, o mel e a manteiga numa pelo romano Horácio, Gil Vicente,panela Voltaire,e Tomás Antônio leve ao fogo. de Gonzaga, Goethe, Balzac, Poe, Baudelaire, Álvares de Azevedo, Maupassant, Camilo Castelo Branco, Tchekhov, Aluísio Azevedo, Quando a borbulhar, coloque o Pirandello, chocolate Mário de Andrade e Mario Quintana, Cruz e Sousa,começar Eça de Queirós, Machado de Assis, desligue o fogo, entre outros. O que inclui muitasralado, obras-primas, como o Cântico dos Cânticos, Memnon ou a sabedoria Voltaire, o elixir dapor longa vida de Balzac, o tonel de Amontillado de Poe, mexendo humana sempre,de e leve à geladeira 3 horas para Bola de sebo de Maupassant, em traduções e anotadas. pegarcuidadas consistência.

Modele as trufas,recheie as carolinas fazendo um corte A Alma do Vinho: contos e poemas com a mais célebre das bebidas na parte de baixo, Seleção, organização e notas introdutórias: Waldemar Rodrigues Pereira Filho banhe nas São 700g de chocolate derretido em banhoEditora Globo; Paulo, 2009. Preço: R$ 48,00 maria. Leve na geladeira por www.livrariascuritiba.com.br mais 15 minutos e sirva com nata e calda de chocolate quente.

A doce senhora

Uma obra planejada não só como um livro de receitas, mas também em comemoração aos 120 anos de nascimento da poetisa Cora Coralina e em homenagem a essa mulher aguerrida, que sempre esteve à frente de seu tempo. Enquanto decidiam quais receitas integrariam o livro, escolhidas a dedo em cadernos amarelecidos pelo tempo, a equipe percebeu que, mesmo tendo vivido mais de quarenta anos no estado de São Paulo, as receitas tinham uma profunda relação com os costumes goianos, em especial com a cidade de Villa Boa de Goyaz, terra natal de Cora Coralina. Com isso, os organizadores viajaram para Goiás com o objetivo de captar momentos reveladores dessa relação e tornar visíveis para os leitores as circunstâncias da vida de Cora Coralina. Cora Coralina – Doceira e Poeta Autor: Cora Coralina Edidora Global; São Paulo, 2009. Preço: R$ 119,00 www.livrariascuritiba.com.br

Gourmet Curitiba / Julho 2011 /

40


Sabores do brasil

Ícone paranaense O pinhão se adapta a inúmeras receitas, doces ou salgadas. Texto: Aline Sajnaj Ferreira Fotos: Fabiano Guma

A

s araucárias, além de nos admirar com sua beleza, presenteia-nos com o pinhão, que se forma dentro da pinha. E agora estamos justamente na época em que podemos saboreá-lo nas mais diversas maneiras. A semente é uma simbologia do Paraná, fazendo assim com que as receitas que levam o pinhão como ingrediente tenham uma forte identidade regional. É possível preparar o pinhão assado, cozido e acrecentá-lo em diversos pratos. Pedro Calacans, chef de cozinha do restaurante Armazém Italiano, explica que no geral o pinhão é bastante fácil de se trabalhar. A parte que demanda um pouco mais de dificuldade é a de descascar. É importante salientar que cada receita tem seu próprio processo. Visto isso, o chef nos alerta para o ponto de cozimento, que depende muito do que se pretende preparar. O profissional afirma utilizar o pinhão em pratos como o nhoque, o entrevero e a farofa. “Dá para criar bastante coisa com ele. Tratase de um ingrediente bastante versátil e muito bom para incrementar os pratos, seja para receitas doces ou salgadas, pois, além de dar textura, tem um sabor especial e muito gostoso”. Calacans esclarece também que, por ser um produto sazonal, só é possível trabalhar o ano todo com ele com um processo de armazenamento adequado. Não deixe de provar um dos pratos com o sabor do Paraná.

“A semente é uma simbologia do Paraná, fazendo assim com que as receitas que levam o pinhão como ingrediente tenham uma forte identidade regional.”.

Nhoque de Pinhão Ingredientes: Nhoque: ½ kg de Pinhão ½ kg de Batata 250 g de farinha de trigo 2 gemas 2 colheres (sopa) de margarina Sal a gosto Molho: 500 g de creme de leite fresco 1 colher (sopa) de manteiga 2 colheres (sopa) de farinha de trigo Noz moscada ralada a gosto Queijo parmesão ralado a gosto Sal a gosto Modo de preparo: Nhoque Cozinhar o pinhão por aproximadamente 30 minutos, descascar e passar no moedor. Cozinhar a batata e esmagar. Misturar o pinhão, a batata, as gemas e a margarina. Adicionar o trigo até atingir o ponto de nhoque. Enrolar e cortar. Cozinhar em água fervente até subir. Molho Faça um roux, ou seja: derreta a manteiga e adicione o trigo, mexendo bem para que forme uma espécie de “areia úmida”. Acrescente o creme de leite e a noz moscada, deixando ferver até atingir o ponto de molho. Por fim, adicione o queijo e verifique o sal. Gourmet Curitiba / Julho 2011 /

41


Perfil

Uma História Escrita com tradição Simpatia e bom atendimento são a alma do negócio Texto: Aline Sajnaj Ferreira Fotos: Divulgação

A

o todo, são 45 anos de experiência em cantinas italianas e cerca de 30 anos de Lellis Trattoria. Baiano e neto de italianos, João Lellis foi para São Paulo em 1964 para trabalhar. Desde então, sua carreira no cenário gastronômico iniciou. Na sua rica história, Lellis trabalhou com grandes nomes da gastronomia e, com o tempo, fundou a primeira Lellis Trattoria em São Paulo, em 1981. Em 1999 a sua marca foi estendida para fora da capital paulista, sendo a vez dos curitibanos conferirem o resultado do seu espírito empreendedor. No ano seguinte, mais uma cidade pode contar com a presença da Lellis Trattoria: Campinas. Quer saber mais detalhes sobre a vida de João Lellis? Então confira a entrevista que ele cedeu à Gourmet Curitiba. 1. Ao inaugurar, em julho de 1999, o segundo “Lellis Tratoria”, na cidade de Curitiba, o senhor afirmou realizar um antigo sonho. Por que a escolha da capital paranaense? Os proprietários do Shopping Total eram meus clientes e todas as vezes que vinham ao Lellis de São Paulo Gourmet Curitiba / Julho 2011 /

42

me cobravam o Lellis em Curitiba. Um dia propuseram que eu viesse até Curitiba conhecer a cidade e a achei muito aconchegante e maravilhosa. Além disso, percebi que existia uma carência de uma casa com o perfil do Lellis. Conhecemos todo o Centro, o Alto da XV, o Juvevê, passamos no Batel, onde eu avistei essa casa em que está o Lellis atualmente. Eu parei, desci, olhei e falei: É aqui mesmo que eu quero montar o Lellis. 2.Atualmente o Lellis Tratoria conta com três endereços. Como foi a escolha de São Paulo, capital, e de Campinas, e como é sua rotina? São Paulo porque estou na cidade desde 1964 e aprendi tudo aqui e Campinas porque eu queria abrir mais uma trattoria, conheci a cidade e a achei muito bela, com um bom poder aquisitivo. Eu, hoje, moro nas três cidades. Procuro, na medida do possível, ficar dez dias em cada uma. Ultimamente, estou mais em Campinas,


pois uma casa nova é como uma criança: precisa de cuidados redobrados. São Paulo e Curitiba já andam no piloto automático. 3.O Lellis Trattoria em Curitiba foi inaugurado juntamente com seus filhos. Na sua visão de empresário, trabalhar em família é favorável? O que é preciso para que o bom relacionamento familiar e o sucesso nos negócios andem lado a lado? Trabalhar com a família é favorável, sim. Porém, precisa de muita compreensão entre os familiares. O chefe da família tem que ser linha dura, ou seja, não pode deixar se levar pela emoção e nem que as coisas familiares se misturem com os negócios. O importante no dia da inauguração foi estar todo mundo unido, feliz e preparado para possíveis imprevistos. Trabalhar com os filhos é sempre uma satisfação. Mas, repito: o pai não pode perder o comando. 4.No Lellis Trattoria, seja em qualquer uma das unidades, o senhor atua somente na administração ou “coloca a mão na massa” também? Eu faço tudo juntamente com a minha equipe, pois um restaurante se divide em quatro itens. O primeiro é a cozinha, que deve estar sempre bem cuidada e com pratos bem elaborados, o segundo é o salão, onde deve ter pessoal bem treinado com bom humor para que assim possa prestar um bom atendimento. Já o terceiro lugar é a portaria, com um manobrista para atender bem o cliente ao chegar à casa. O quarto, por fim, é a parte administrativa, que diz respeito às compras e ao financeiro. Para isso eu tenho pessoas de confiança. 5.Visto que a escolha por comida italiana se deu devido a sua descendência e suas experiências profissionais, você tem um grande conhecimento sobre a gastronomia do país. Em sua opinião, o que tem de mais encantador na gastronomia italiana? A culinária italiana é muito bem elaborada e muito farta, além de deixar todo mundo com água na boca. Já reparou em uma mesa italiana bem farta, como é bonita e gostosa? Pão italiano, antepastos, salada, massas, uma bela perna de cabrito, frutas à vontade, um bom vinho italiano, água e, finalmente, café e um bom licor.

6.A popularidade do Lellis Trattoria devese, além dos pratos, ao bom relacionamento com os clientes. Considerando que o slogan do estabelecimento é “prazer em servir bem”, como você descreve sua postura com os clientes? Eu, como cliente, também sou frequentador de várias casas, e fico muito feliz quando sou bem atendido e a comida satisfaz minha expectativa. O mais importante é estar sempre feliz ao receber e servir o cliente, pois, para mim, eles são visitas, com se fossem meus convidados e estivessem na minha residência. Eles têm que sair satisfeitos porque foram bem servidos, comeram bem e pagaram uma conta justa, com a certeza de que não foram explorados. 7.O senhor começou sua carreira no Restaurante Gigetto, como faxineiro, passando a auxiliar de cozinha, cozinheiro, copeiro e, por fim, a garçom, quando trabalhou em outro restaurante, para o italiano Giovane Bruno. Resumindo, o senhor conheceu cada etapa de um restaurante. Qual a importância que essas funções tiveram na sua história profissional? No Gigetto fiquei por oito anos, onde adquiri uma experiência que me ajudou muito no aprendizado como cozinheiro. Trabalhei com o Giovanni Bruno por dez anos como garçom, onde aprendi a receber os clientes com cortesia e servir bem. 8.Música ao vivo, contando com violinos, e decoração verde e vermelha, que lembra a bandeira italiana e desperta a sensação de se estar na Itália. Assim é o Lellis Trattoria. Para atrair as pessoas qual a importância do ambiente na hora de uma refeição? Deve ser agradável, com aquilo que eles estão pensando e esperando. Pois, se alguém vai a uma trattoria, vai exatamente com esse espírito. 9.O senhor tem planos futuros para abrir novas filiais em outras localidades? A próxima, se Deus quiser, será no Rio de Janeiro, pois o Rio é encantador e eu tenho muitos amigos e clientes na cidade maravilhosa.

Respostas rápidas do Lellis: Prato preferido: um bom churrasco Melhor tempero: coentro verde Melhor prato elaborado: o molho à moda do Lellis Melhor experiência vivida: viajar Referências profissionais: trabalhar com Giovanni Brunno

Curitiba ou São Paulo: as duas Horas de lazer: nadar Futuro: a Deus pertence Que prato do Lellis Trattoria indica aos leitores da Gourmet Curitiba nessa época de frio: raviollonne com molho Allá Dr. Sergio Bassi.

Gourmet Curitiba / Julho 2011 /

43


O Mundo da Cerveja

A identidade brasileira na cerveja C

om a inspiração em cervejarias europeias e americanas, os cervejeiros brasileiros criam suas próprias fórmulas utilizando ingredientes nacionais. Muito se ouve falar das cervejas belgas, alemãs, inglesas e americanas. São importantes países cervejeiros, cada um com seus próprios estilos e técnicas de fabricação. Eles influenciam e encantam todo o mundo com a sua cultura da cerveja, inclusive o Brasil. Mas, como sabemos, criatividade é o que não falta para o Brasil. E o país está criando as suas próprias cervejas, reproduzindo estilos clássicos com uma pitada nacional - e fazendo a identidade das cervejas brasileiras. Uma das primeiras cervejarias a inovar nesse sentido foi a Dado Bier, de Porto Alegre (RS), com a Dado Bier Ilex, uma cerveja feita com adição de erva-mate – a erva utilizada pelos gaúchos no chimarrão –, criando uma bebida de caráter específico, com os aromas e amargores da erva-mate presente. Já a cervejaria Colorado, de Ribeirão Preto (SP), coloca em todas as suas cervejas um ingrediente especial, como a Colorado Cauim, de estilo pilsen, feita com mandioca. A Colorado Indica é uma india pale ale – um estilo típico inglês –, em que é adicionada rapadura. A Colorado Appia é uma cerveja de trigo, weissbier, com mel. E a Colorado Demoiselle é uma cerveja

Texto: Daniel Wolf Fotos: Divulgação

escura do estilo porter que leva café em sua fórmula – e que já ganhou conhecimento internacional: levou, em 2008, medalha de ouro na competição European Beer Star. Em Curitiba, os cervejeiros estão com a criatividade em alta e apostando forte nessa identidade nacional. A cervejaria Way, da capital paranaense, fez uma cerveja maturada em madeira brasileira, a Amburana Lager – rica em aromas e sabores, de coloração marrom brilhante e muito saborosa. A sua conterrânea, a cervejariaescola Bode Brown, criou outras cervejas com ingredientes nacionais: a Bode Brown Barley Wine Graviola e a Bode Brown Cupuaçu Weiss – a primeira, muito encorpada, de alto teor alcoólico e aromas cítricos. A segunda é potente em aromas frutados e muito refrescante. Por todo o Brasil encontramos cervejeiros caseiros, aqueles que produzem a sua própria cerveja na panela, utilizando a rica oferta de especiarias brasileiras, que vai de pimentas, passando por frutas típicas, como a jabuticaba, até madeiras. São cervejas únicas no mundo, que estão dando o que falar em mídias especializadas internacionais e pelos melhores profissionais do setor, e que hasteiam a bandeira brasileira no vasto universo da cerveja. Daniel Wolf é sommelier, especialista em cervejas, e editor do portal Mestre Cervejeiro.com www.mestre-cervejeiro.com daniel@mestre-cervejeiro.com

Gourmet Curitiba / Julho 2011 /

44


Gourmet Curitiba / Julho 2011 /

45


Artes

Vivência, cultura e tradições do povo brasileiro Marisa Vidigal transforma em arte o dia a dia das pessoas Texto: Aline Sajnaj Ferreira Fotos: artista Marisa Vidigal

A

simplicidade no caminhar das pessoas nas feiras, indo ou retornando do trabalho. O colorido festejo do Carnaval, no qual os indivíduos cantam, dançam e se divertem. A emoção em uma serenata ou a fé dos devotos em procissões religiosas. A alegria dos dançantes que apreciam o forró. O cotidiano da sociedade nas cidades: em lojas, lanchonetes, prédios e favelas. Essas não são cenas difíceis de encontrar e, justamente por essa razão, tornaram-se forte inspiração para Marisa Vidigal Carneiro Ribeiro, cujo nome artístico resume-se à Marisa Vidigal. Em especial, as lanchonetes nos calçadões de Curitiba despertam a atenção da artista, que, por sua vez, transporta as cenas observadas diretamente às suas telas. O apreço pelas telas, tintas e imagens do cotidiano surgiu quando a artista ainda era pequena. A então garota observava as atividades das pessoas ao seu redor e não pensava duas vezes para colocar no papel o seu talento, que de lazer se transformou Gourmet Curitiba / Julho 2011 /

46


A então garota observava as atividades das pessoas ao seu redor e não pensava duas vezes para colocar no papel o seu talento, que de lazer se transformou em profissão.

em profissão. Entretanto, foi em 2006 que Marisa resolveu mostrar toda sua criatividade por meio da pintura. Desde então, ela não para. Já fez diversos trabalhos e, atualmente, pinta imagens do cotidiano por meio do estilo Naïf, palavra francesa que significa ingênuo. Essa maneira de pintar baseia-se, basicamente, na memória do artista. Trata-se de uma criação espontânea, cujo objetivo é resgatar e, consequentemente, conservar as imagens observadas anteriormente, deixando as cenas vivas no momento em que se formam na tela. Marisa carrega em seu currículo, entre suas realizações, o curso de extensão de Aquarela, realizado na Universidade Federal do Paraná em 2005; um workshop de Pintura Artística sobre Tela, feito no Atelier de Arte Contemporânea Edílson Viriato, em 2006; além de fazer parte, em 2007, do Núcleo de Arte Contemporânea Edílson Viriato. Hoje, tem seu próprio atelier, onde desenvolve trabalhos de arte e pesquisa e suas delicadas e minuciosas pinturas. Pinturas estas que já foram premiadas e aceitas em Salões de Artes no Brasil e no exterior, o que a estimula a pintar cada vez mais e melhor. Países como Argentina, Estados Unidos, Espanha e Itália já receberam as artes de Marisa em mostras. A artista acredita e vive o sucesso da interligação da vida pessoal com a profissional. Mas para isso recebe um estímulo de extrema importância, que é o apoio do marido, filhos e

amigos. É desse modo, com esforço, dedicação, profissionalismo, importância voltada ao quesito qualidade e o apoio das pessoas próximas que Marisa afirma ter alcançado o sucesso profissional.

Gourmet Curitiba / Julho 2011 /

47


VIAGEM

Gourmet Curitiba / Julho 2011 /

48


Cidade do inverno Campos do Jordão é mantida pelo turismo

A

famosa estância climática e turística localizada na Serra da Mantiqueira, interior de São Paulo, a 180 km da capital, completou 137 anos no último mês de abril. A cidade, que acolhe 47.824 mil habitantes, tem a economia baseada exclusivamente no turismo. Tudo começou quando Matheus da Costa Pinto construiu uma venda, uma pousada, uma capela e uma escola no Jaguaribe, o primeiro bairro povoado. Campos do Jordão se ergueu às margens da ferrovia, onde está localizada a Estrada de Ferro, cujo objetivos iniciais eram o de transportar os doentes, trazer pessoas e mantimentos, carregar carros, ônibus e materiais de construção. Com o tempo, passou a ser o principal atrativo turístico local, apresentando o ponto ferroviário mais alto do Brasil no Lageado, na Estrada do Toriba. A cidade turística de inverno, amplamente conhecida no país, vive 100% da atividade turística e teve o setor de construção civil alavancado, com auge nos anos 1980 e 1990 por conta da indústria do turismo. Atualmente, os visitantes podem escolher entre os 240 locais de hospedagem e os 180 restaurantes. A cidade também abriga: o Horto Florestal, maior reserva florestal do Estado de São Paulo; o mais antigo Parque Estadual do Brasil; o Palácio da Boa Vista, residência oficial de inverno do governador do Estado, que se tornou monumento de visitação pública, abrigando um rico acervo artístico e cultural, além de exposições temporárias; e o Auditório Cláudio Santoro, que abriga em suas dependências o Museu Felícia Leirner, ao ar livre e com esculturas de bronze, granito e metal da artista polonesa espalhadas em perfeita harmonia com a natureza. 27 de abril portal

bonde + gold finger Texto: Aline Sajnaj Ferreira Fotos: Divulgação

Cerro Catedral

Gourmet Curitiba / Julho 2011 /

49


A cidade apresenta um leque de opções de restaurantes, com culinárias italiana, chinesa, francesa, gaulesa, portuguesa, suíça, entre outras. Gourmet Curitiba / Julho 2011 /

50


De acordo com a prefeitura da cidade, Campos do Jordão tem atrações turísticas para todas as estações do ano. Para isso, há um projeto denominado Circuito Mantiqueira, que envolve sete cidades da região da Serra da Mantiqueira, com ações integradas para desenvolver o turismo de forma profissional e regional, aumentando a circulação de pessoas pela região, oferecendo mais opção de atrativos ao turista e, consequentemente, prolongando sua permanência na cidade. Com tantos atrativos, a vontade é de comprovar tudo o que a cidade tem a nos oferecer, não é? Então, antes de partir rumo a Campos de Jordão para aproveitar o frio, a Gourmet Curitiba vai mostrar a vocês algumas das atrações e eventos da cidade do inverno: A gastronomia não pode faltar. A cidade apresenta um leque de opções de restaurantes, com culinárias italiana, chinesa, francesa, gaulesa, portuguesa, suíça, entre outras. Lá você encontra com facilidade pratos com pinhão, trutas e peixes que só vivem em águas geladas. No final do verão a cidade fica avermelhada. É isso mesmo: é a época da colheita de frutas vermelhas na Fazenda Baroneza, produtora de destaque do Estado de São Paulo, de acordo com a prefeitura. A partir delas surgem bolos, geleias, sucos e outros pratos com frutas frescas. Os chocolates, em Campos do Jordão, inclusive no inverno, são irrecusáveis. Além de saborear os mais variados tipos, você também pode visitar as fábricas e o museu do chocolate. A cervejaria Baden Baden é um lugar que não tem como deixar de visitar. Lá você vê e é visto, pois ela está localizada na beira da rua da avenida mais movimentada da cidade na temporada de inverno. Quem optar por visitar a cidade em julho vai poder deslumbrar o Festival Internacional de Inverno, com grandes nomes da música clássica mundiais. Ainda no mesmo mês, algumas empresas e o shopping de inverno sazonal, o Market Plaza, instalam-se na cidade, trazendo grifes famosas e opções de entretenimento para os turistas, como o “Passeio de Cães” e o “Passeio de Bebês”. Mas, se você prefere ir para Campos do Jordão na época do Natal, vai poder conferir a Temporada Gastronômica do Natal na Montanha. O evento apresenta pratos e ceias natalinas, compostos pelas famosas frutas vermelhas e castanhas portuguesas cultivadas na região. São mais de vinte restaurantes da Cozinha da Montanha, que servem uma grande variedade de pratos doces e salgados. Alguns dos pratos de destaque são: Eisbein Recheado com Purê de Castanhas e Vinagrete de Frutas Vermelhas (Baden Baden); Torre de Frutas Vermelhas (Safari); Petit Gateau de Frutas Vermelhas (Matterhorn); e o Vol-au-vent de Frutas com Creme (Mercearia Campos). Outra atração nessa época do ano é a Casa do Papai Noel, que oferece beleza e magia para toda a família. A casa é apoiada pela Cozinha da Montanha e realizada pelo restaurante La Gália.

CEIA DE NATAL CHARPENTIER

Horto

Gourmet Curitiba / Julho 2011 /

51


Gourmet Curitiba / Julho 2011 /

52


Texto: Danilo Herek Fotos: Atelier da Imagem

Espetacular acidente geográfico

estino ainda pouco conhecido dos brasileiros e declarada Patrimônio natural D da Humanidade pela Unesco em 1999, a Península Valdés é uma Reserva Integral de 360 mil hectares, e fica a 1450km de Buenos Aires na província de Chubt. Reconhecida mundialmente como um santuário de primeira categoria, e de suma importância para economia da região que depende quase que exclusivamente do turismo. Este espetacular acidente geográfico é um dos poucos lugares no mundo onde se pode observar em seu habitat uma grande quantidade e diversidade de espécies. Não por acaso é o lugar escolhido pela Baleia Franca para sua reprodução de junho a dezembro. Já a Baleia Orca visita a península de setembro a abril. Os pingüins vem acasalar de setembro a março, e a qualquer época do ano golfi-

nhos e lobos-marinhos são facilmente avistados. Este último merece um comentário especial. Durante a temporada das orcas vivem meses de angústia, ao protagonizarem as famosas cenas de documentários sobre a vida selvagem, nas quais orcas chegam até a areia da praia para atacar seus filhotes. Isso só ocorre em Valdés em nenhum outro lugar as orcas desenvolveram tal estratégia de ataque. Entre os pontos de visitação, as longas retas das estradas de rípio e a vegetação rasteira facilitam a observação da abundante fauna terrestre. Guanacos, maras, zorros e choiques, respectivamente parentes das lhamas, lebres, raposas e avestruzes. O ambiente é selvagem e oferece uma ampla gama de atividades como observação de baleias, mergulho, trekking, cavalgadas, visita a pinguineiras, excursões 4x4, pesca e outros.

Gourmet Curitiba / Julho 2011 /

53


colônia continental de pingüins do Chega-se à península pelo istmo Carmundo. A população destas aves do tipo los Ameghino, espremido entre dois Magalhães chega a um milhão no auge golfos,o San José e Golfo Nuevo onde da temporada. Eles se concentram em fica o centro de visitantes. uma estreita faixa de 3,5 km, ou seja, PUERTO PIRAMIDES é a única área uré muito pingüim por metro quadrado. bana da Península Valdés. Povoada desFora da água são meio desengonçados, de 1898, é bem pequena mas oferece o mas são exímios nadadores. Chegam a necessário para o visitante. Porém, não viajar 8.000 km para espere nenhum luxo, se reproduzirem e é tudo muito simples O ambiente é selvagem e e é de lá que partem o f e r e c e u m a a m p l a g a m a d e mergulham a 90 metros de profunas embarcações para atividades como didade com faciliavistar a baleia franca observação de baleias, dade. Apesar da sua austral. m e rg u l h o , t r e k k i n g, aparência simpática Dentro da península cavalgadas, visita a e seu jeitão amistoso, existem 3 principais pontos de visitação. p i n g u i n e i r a s , e x c u r s õ e s 4 x 4 , não se engane, eles pesca e outros. podem atacar caso Punta Delgada, Caleta se sintam incomodaValdes e Punta Norte. dos. Além do mais é proibido tocá-los. Todos os três tem seus encantos e diferA principal base turística para visita ao enças e valem a visita. Valdes é com litoral chubutense é a costeira Puerto certeza a atração principal da região, Madryn, a 60 km do aeroporto de Trelew. mas existem outras opções como Punta A cidade é agradável, com boas opções Tombo que não podem ficar de fora do de hotéis e restaurantes. É também cosroteiro. O local é considerado a maior Gourmet Curitiba / Julho 2011 /

54


tumeiramente, a primeira parada para os viajantes que partem de Buenos Aires rumo sul pela Ruta Nacional 3 (RN3). A rodovia é asfaltada até Ushuaia, na Terra do Fogo. Próximo do centro de Madryn, o Museu do Mar e do Homem conta a história dos primeiros habitantes e da fauna local - com destaque para a lula-gigante. Ao lado de Madryn fica a praia protegida de El Doradillo. Acordar cedo e enfrentar o vento gelado é a receita para ver as baleias à luz do amanhecer, desta vez da própria areia, ao lado de pinguins e lobos-marinhos. Ao sul de Madryn fica o EcoCentro (www.ecocentro.org.ar), que tem como objetivo promover por meio “da educação, ciência e arte a necessidade de se pensar uma nova relação com o oceano”. Um pouco mais ao sul fica Rawson, capital da Província e cidade portuária próxima ao estuário do rio Chubut. Não há muito além do porto, seus coloridos barcos pesqueiros e a praia Union, frequentada no verão, quando as temperaturas sobem. É desse local que saem barcos para a observação dos golfinhos-decommerson, conhecidos nessa região como “toninas”. Enfim, as opções são bem variadas. Um aviso se faz necessário: no mês de janeiro é impossível encontrar vagas nos hotéis se não tiver reserva, até os campings ficam completamente lotados, o mesmo ocorre em Puerto Piramides. Para quem viaja de motorhome, trailer ou barraca, existe um local próximo ao Puerto Piramides que se chama Punta Pardelas. Esta praia é o único local dentro da península onde é permitido acampar, mas é proibido fazer fogo. O local não conta com nenhuma infra-estrutura para atender o campista. Sendo assim é necessário levar tudo, principalmente água. Atenção também com as marés, que podem sofrer variações de até 6

metros. Como é Patagônia não precisa nem dizer que o vento é forte e constante, a região é árida, e a amplitude térmica é muito grande, proporcionando dias quentes e noites frias. Por isso carregue uma boa quantidade de água e um agasalho para o fim de tarde. A boa notícia fica por conta da chuva que é muito rara na região. Curiosidades As reservas integrais são zonas de proteção integral demarcadas no interior de Áreas Protegidas “Destinadas a manter os processos naturais em estado imperturbável”. Em Valdes encontra-se o ponto mais baixo da América do Sul, Salinas Grandes, um grande lago de sal situado 40 metros abaixo do nível do mar, no coração desértico da península. Para entrar é preciso pagar uma taxa. Para quem é dos países do MERCOSUL o valor é bem acessível, para outros países o ingresso quase triplica. Os povos indígenas, que outrora habitaram a Península Valdés, pertencia à raça conhecida como tehuelche, o que significa bravo, mal-humorado. Gourmet Curitiba / Julho 2011 /

55


Roteiro - Bares Música ao Vivo

AOS DEMOCRATAS Unir a descontração de um boteco carioca, com a qualidade de serviços dos paulistas é o segredo do Aos Democratas. Lá o happy hour tem sabor de gol de placa, com temas de futebol por todo o lado. A empolgação toma conta, quando o ‘passador’ deixa o colarinho do chope da Brahma, escorrer direto no copo. Porções, sanduíches, petiscos constam no cardápio, com destaque para o ‘frango democrata’ (empanados mergulhados em temperos especiais). Outra pedida é o consagrado sanduíche de mortadela, com tomate seco, mussarela de búfala no pão francês, acompanhados de batatas fritas, salada e chope. Samba de raiz, música ao vivo e telões em dias de jogos, não faltam no Aos Democratas. Localizado no bairro Batel em Curitiba, o bar é mesmo show de bola, sem dúvida. Atendimento: Segunda a sexta a partir das 18h, sábado e domingo a partir das 15h. Rua Dr. Pedrosa, 485 Batel Curitiba Fone: (41) 3024-4496

BAR DO ALEMÃO

Atendimento: Schwarzwald Bar do Alemão Rua Dr. Claudino Santos, 63 – São Francisco Contato: 41 3223-2585 Atendimento: Das 11h da manhã até as 02h da madrugada, todos os dias. www.bardoalemaocuritiba.com.br

Foto: Atelier Imagem

A decoração do Bar do Alemão busca a fidelidade à cultura alemã, juntamente com a música ambiente típica do país do chopp. Atualmente, o bar possui 420 lugares, que se dividem em cinco ambientes distribuídos em dois andares, e serve diversos pratos e bebidas, porções de petiscos, a premiada carne de onça e o famoso submarino. Dentro do estabelecimento há também uma lojinha, em que é possível encontrar tulipas de chopp, chaveiros, bonecos, entre outros mimos. Você não pode deixar de conhecer o Bar do Alemão.

FIREFOX Localizado em um dos principais ponto turísticos da cidade,a Praça Garibaldi, é frequentado por turístas e curitibanos fiéis que apreciam o ambiente simples, com salão, mezanino e mesas na calçadas. Da cozinha saem lanches, pizzas, massas e porções como a Alcatra com Provolone e diversos pratos à la carte. As cervejas são super geladas e podem ser servidas em baldes com gelo a preços promocionais, além de chopp servido em torre de 2,5l; caipiras de diversos sabores.

Atendimento: de Segunda a Quinta 14h às 3h, Sexta e Sábado 14h às 5h Domingo das 10h às 3h. Aceita todos os cartões débito e crédito. Rua Jaime Reis, 46 - São Francisco (41) 3019.9376 (41) 8862.1998 www.firefoxbar.com.br

Gourmet Curitiba / Julho 2011 /

56


Fotos: Atelier da Imagem

Karê ya Localizado no bairro Rebouças, em Curitiba, desde 2010, o restaurante Karê Ya, que oferece comida japonesa, tem capacidade para acolher 70 pessoas. Um diferencial do restaurante é o cardápio para crianças. E se você quiser fazer um evento, saiba que a casa oferece o serviço, é só realizar a reserva na data desejada. A especialidade do restaurante faz parte do seu nome, ou seja, o “karê” é a versão nipônica do curry, que tem origem indiana. No Japão, foi introduzido em 1872. O prato é um ensopado à base de mais de 35 ingredientes e temperos afrodisíacos. Há três níveis de pimenta: suave, médio e forte. Uma dica é a combinação Tonkatsu Karê, ou seja, uma bisteca de porco à milanesa, acompanhada com arroz, molho karê, pepino japonês e conserva agridoce de cenoura, nabo e gengibre. Outro elemento disponível no cardápio é o katsu, ou seja, empanados de carne de porco, boi, frango, lula, camarão, croquetes e peixe. O estabelecimento oferece ainda teishoku, donburi,

udon e porções. O tradicional okonomiyaki (panqueca ou pizza japonesa) é servido nas segundas e o omurice, um risoto com ometele, nas quartas-feiras. Para acompanhar: refrigerantes, sucos, água, cervejas e saquê. De acordo com uma pesquisa realizada pelo ranking Oricon (Ranking de vendas no Mercado Japonês), o prato favorito dos jovens japoneses é o curry (karê). Os dados apontam que os japoneses o comem com arroz 84 vezes por ano, em média, ou uma vez a cada quatro dias. Não deixe de experimentar uma das variedades e, assim, conhecer a cultura japonesa no Karê Ya.

Serviço: Rua Chile, 2086 – Rebouças Contato: 41 3527-5175 Atendimento: Segunda, das 18h às 23h, quarta a sexta-feira, das 18h às 23h e sábado e domingo, das 11h30 às 15h e das 18h às 23h. Gourmet Curitiba / Julho 2011 /

57


Gourmet Curitiba / Julho 2011 /

58


Roteiro - Bares ZAPATA

MEXICANO

Zapata vem do revolucionário mexicano Emiliano Zapata. A rede conta com duas unidades em Curitiba: Batel e Centro Cívico. A decoração dispõe de objetos do México e pinturas do artista Simon Tompson. O Batel apresenta esculturas do artista Gilmar Kannak, que remetem aos povos astecas e maias. A programação musical é diária nas duas unidades. A pista de dança do Batel é o principal destaque. Grupos de música latina, samba de gafieira e forró são algumas das atrações. O Batel oferece ainda instrutores de dança que ensinam passos de ritmos latinos. No cardápio encontram-se diversas opções, inclusive pratos vegetarianos. No almoço é servida uma sequência de pratos mexicanos e aos sábados, no Batel, é servida a feijoada caribenha ao som de Los Mariachis. Feijoada R$ 29,90 (pessoa); Sequência R$ 23,90 (pessoa) de Seg. a Sex. e Sáb.; Dom. e Feriados R$ 29,90 (pessoa). A casa não cobra taxa de serviço. Terça a partir das 19h acontece a La Noche Barra Libre, com 6 pratos da culinária mexicana acompanhados de chopp Sol, servidos à vontade pelo período de 4 hs. A tequila não poderia faltar, são mais de 20 marcas. Atendimento: Zapata Batel - Av. Silva Jardim, 3959 - Batel Telefone: (41) 3095-2097

THE FARM Localizado no coração da cidade o The Farm é um ótimo lugar para quem gosta de um ambiente agradável ao som de MPB. Foi fundado em 1989 e fica localizado no bairro São Francisco em Curitiba. O bar tem capacidade para 150 pessoas e tem um ambiente moderno com música ao vivo. A variação do cardápio é à la carte recheado de opções como coquetéis, massas, frutos do mar e petiscos, mas o forte do bar é tradicional cerveja e o chop bem gelado.

Atendimento: de Segunda a Quinta das 14hàs 3h Sexta e Sábado das 14h às 6h da manhã e Domingo das 10h às 3h da manhã. Rua Jaime Reis, 40 - São Francisco (41) 3019-9376 www.thefarmbar.com.br

A VARANDA BAR Situado em uma esquina do bairro Ahú, o A Varanda Bar possui um ambiente rústico e um cardápio variado. Os clientes podem escolher entre petiscos, sanduíches, chapas de carne ou massas. Entre estes, destacam-se o bolinho de aipim com carne seca, a chapa de alcatra aos quatro queijos, além dos sanduíches servidos no pão baguete. Para acompanhar, o A Varanda Bar oferece aos frequentadores o famoso Chopp Brahma, servido em calderetas de 300ml ou canecos de 500ml. Todas essas delícias podem ser degustadas ao som de MPB ou samba. Para aqueles que gostam de futebol a dica é assistir aos jogos do brasileirão ou do campeonato paranaense, por meio dos três telões Full HD distribuídos no salão. Atendimento: Rua Colombo, 349 – Ahú Terça à Sexta-feira: A partir das 17h. Sábado e Domingo: a partir das 15h. Telefone: (41) 3078-8526 contato@avarandabar.com.br Gourmet Curitiba / Julho 2011 /

59


Roteiro - Restaurantes DOM GABRIEL

Rodízio de carnes e massas em um diversificado Buffet e sushibar. Destaque para carré de carneiro e costela bovina. Sobremesas: Congliones e chocolates com recheio de beijinhos de coco e banana como cortesia. Ambiente: Climatizado, com exclusivo salão para eventos com capacidade para 150 pessoas. Atendimento: 11h30/15h e 18h30/23h seg. a sab. e 11h30/16h aos dom. Aceita todos os cartões. Estacionamento próprio com manobrista. Avenida do Batel 1546 – Batel 41. 3029 5830 www.domgabriel.com.br

HAPPY BURGER Espaços interno com lareira, externo e semiaberto em meio a uma área verde no alto da Rua XV. Lá, no Happy Burger, referência em happy hour há 18 anos, é possível aproveitar esse ambiente com amigos e família e deliciar massas e grelhados, entre outras diversas opções do cardápio. Entre elas também estão os sanduíches; lanches no prato; porções; saladas; pratos executivos; sopas e feijoada aos sábados. Para acompanhar, há uma grande variedade de bebidas, além das diversas sobremesas, tais como os variados sabores de sorvetes. O estabelecimento também conta com um diferencial, que é o cardápio em braille. Atendimento: Avenida Marechal Humberto de Alencar Castelo Branco, 251 - Cristo Rei Estacionamento próprio Telefone: 3262-9196 / 3262-9296 Domingo a Quinta-feira, das 11h30 às 01h30 da madrugada e Sextafeira e Sábado até às 2h da madrugada. Aceita cartões www.happyburger.net/ happyburger@ig.com.br

KARÊ YA

O restaurante Karê Ya tem capacidade para acolher 70 pessoas. A especialidade é o “karê” (curry), um ensopado à base de mais de 35 ingredientes e temperos afrodisíacos. Há também o karê rice, que é o arroz japonês, base da alimentação diária do país, além do katsu, ou seja, empanados de carne de porco, boi, frango, lula, camarão, croquetes e peixe. O estabelecimento oferece ainda teishoku, donburi, udon e porções. O tradicional okonomiyaki (panqueca ou pizza japonesa) é servido nas segundas e o omurice, um risoto com ometele, nas quartas-feiras. Para acompanhar: refrigerantes, sucos, água, cervejas e saquê. Atendimento: Rua Chile, 2086 – Rebouças Contato: 41 3527-5175 Atendimento: Segunda, das 18h às 23h, quarta a sexta-feira, das 18h às 23h e sábado e domingo, das 11h30 às 15h e das 18h às 23h.

Gourmet Curitiba / Julho 2011 /

60


Fotos: Atelier da Imagem

Schwarzwald Bar do Alemão

Já na entrada os clientes são recepcionados por um boneco alemão com um caneco de chopp na mão. Ao adentrar no estabelecimento é possível sentir-se na própria Alemanha. Bancos e móveis rústicos de madeira, tecidos no teto nas cores da bandeira e quadros com paisagens do país formam uma arquitetura que busca a fidelidade com a cultura alemã, juntamente com a música ambiente típica do país do chopp. Foi em 1979 que o Schwarzwald, que ficou conhecido como Bar do Alemão devido a um gerente que fazia jus a esse nome-fantasia, começou a oferecer ao seu público os atrativos da culinária e cultura alemã. Atualmente, o bar acolhe 420 lugares, que se dividem em cinco ambientes distribuídos em dois andares, e serve, entre outros, diversos pratos e bebidas, porções de petiscos, carne de onça e o famoso submarino: um copinho de steinhaeger que fica dentro do copo de chopp. Se você quiser experimentar algumas das opções, saiba que o cardápio não é detalhado. É dessa maneira que a barreira entre garçom e cliente

é quebrada, proporcionando assim uma possível conversa para os profissionais conhecerem as particularidades de cada consumidor e poderem auxiliar no pedido. Visto que os funcionários têm cerca de 20 a 30 anos de casa, esse objetivo de criar uma empatia com os fregueses é satisfatório. Quem se interessar em apreciar os atrativos do Bar do Alemão pode também fazer compras. É isso mesmo. Dentro do estabelecimento há uma lojinha, em que é possível encontrar tulipas de chopp, chaveiros, bonecos, entre outros mimos. Você não pode deixar de conhecer o Bar do Alemão.

Serviço: Rua Dr. Claudino Santos, 63 – São Francisco Contato: 41 3223-2585 Atendimento: Das 11h da manhã até as 02h da madrugada todos os dias. www.bardoalemaocuritiba.com.br Gourmet Curitiba / Julho 2011 /

61


Roteiro - Restaurantes GENIUS PIZZARIA

Foto: Atelier Imagem

O cardápio da Genius Pizzaria conta com 111 sabores de pizzas, que podem ser feitas nos tamanhos broto, grande e gigante. Nas pizzas tradicionais grande e gigante você pode escolher até quatro sabores. Entre as pizzas tradicionais mais pedidas estão Frango com Catupiry e Portuguesa. Entre as pizzas nobres, os destaques são Mignon com Cheddar e Picanha ao Molho Mostarda. Para a sobremesa, a Morango com Chocolate é uma boa opção. As pizzas podem ser feitas com bordas recheadas de catupiry, cheddar, mussarela, provolone, calabresa ou chocolate. A Genius do Batel também serve caldos, lasanhas, calzones, saladas, sanduíches e todos os dias no almoço seus deliciosos pratos executivos. Atendimento: de Domingo a Domingo das 11h às 23h30 Rua Saldanha Marinho, 2031 - Batel Esquina c/ Rua Capitão Souza Franco Fone (41) 3322-2244 www.geniuspizzarias.com.br

CHINA SUNSET

O contraste de cores, aromas e sabores da culinária chinesa conquistam cada vez mais adeptos. Pratos como: Frango Xadrez, Bifum, Macarrão, Chop-Suey, Yakissoba ganharam o paladar dos brasileiros que substituiriam o garfo e a faca pelo hashis os tradicionais “pauzinhos”, que segundo os chineses tornam a comida mais saborosa. Além de colorida e saborosa, a culinária chinesa é bastante saudável com um sabor marcado por ingredientes específicos como o alho-poró, o gengibre e a pimenta. Para experimentar todas essas delícias e conhecer mais sobre os três mil anos de história dessa culinária, o China Sunset é a melhor opção para você e sua família. Atendimento: Segunda à Sexta 11h às 23h - Sábado 10h às 23h Domingo 11h às 22h Praça de alimentação Shopping Palladium - Av. Presidente Kennedy, 4121 - esquina com República Argentina - Portão

Pizzaria Dom América São aproximadamente 13 anos oferecendo massas e sistema à la carte aos seus clientes. Estamos falando da Pizzaria Dom América, que, atualmente, apresenta mais de 100 sabores de pizzas, tanto doces como salgados. E para acompanhar, a casa serve ainda cervejas, refrigerantes, vinhos e sucos. Uma boa pedida é o filé mignon ao molho madeira, uma lasanha ou uma pizza de picanha ou strogonoff. Há também os doces nos sabores de sonho de valsa, prestígio, coco, chocolate branco, califórnia, sensação, beijinho, banana com chocolate e muito mais. Com uma estrutura para acolher 50 pessoas, o estabelecimento conta com duas televisões que permanecem em canal aberto, da preferência dos clientes. Para provar um dos pratos da Pizzaria Dom América, é só se dirigir ao bairro Água Verde e escolher o que melhor lhe agradar. Atendimento: Avenida Presidente Kennedy, 3332 - Água Verde Atendimento: de Terça a Sábado das 11h às 23h30 e Domingo das 16h às 23h. Telefones: 41 3345-5888 / 3027-5888

Gourmet Curitiba / Julho 2011 /

62


The Farm

Fotos: Atelier da Imagem

Ideal para um happy hour Desde 1996, os curitibanos e turistas que passam pelo coração da capital paranaense podem desfrutar de tudo o que o The Farm tem a oferecer bem ali no São Francisco, um dos lugares historicamente mais ricos da cidade. Atendendo aos gostos de diversos públicos, o estabelecimento apresenta uma decoração que faz jus ao seu nome. Com uma adega climatizada e um ambiente rústico, repleto de madeiras, os clientes sentem-se em uma aconchegante fazenda em plena região central. Com capacidade para 180 lugares no espaço interno e 40 na área externa, o The Farm é perfeito para quem aprecia um bom bate papo com os amigos, acompanhado de boa comida e regado a chopps Xingu e Sol, cervejas kaiser, Bavaria e Heineken, entre outras bebidas. O cardápio, por sua vez, é vasto e diversificado, proporcionando aos clientes escolherem entre porções e pratos, como a Paella, o Camarão na Moranga, o Filé à Parmegiana, o Camarão à Marta Rocha; os petiscos, como o The Farm e o Peixe

Boi (composto por carne bovina, peixe e camarão); além das lasanhas, panquecas, calzones e os mais de 30 sabores de pizza. Não deixe de provar também as sobremesas. Uma dica é a Petit Gateau ou a torta de sorvetes. Deu água na boca? Então saiba que tudo isso é acompanhado por música mecânica, MPB, pop e rock nacional. A casa também tem televisores que passam clipes musicais e o campeonato brasileiro de futebol e oferece wireless gratuito. Vocês, curitibanos ou turistas, não podem deixar de conhecer o ambiente e o cardápio do The Farm.

Serviço: The Farm Bar e Restaurante Av. Jaime Reis, 40 - São Francisco Atendimento: de segunda a quinta-feira das 14h às 3h, sexta-feira e sábado das 14h às 6h e domingo das 10h às 3h. Contato: 3019-9376 / 8861-9956 www.thefarmbar.com.br

Gourmet Curitiba / Julho 2011 /

63


Roteiro - Restaurantes Oriental

TAISHO

Com uma culinária impecável, o Grupo Taisho, presente no mercado paranaense desde 1999, dispõe de 5 restaurantes em pontos estratégicos de Curitiba e dois restaurantes ( Espaço Taisho e Floripana) em Florianópolis. A mais nova unidade do grupo é o Taisho Batel, inaugurada em janeiro de 2010. A nova loja conta com um cardápio variado, com destaque para o Teishoku Especial, que serve duas pessoas e é composto por arroz branco, missoshiro, legumes em conserva cozidos, tempurá de legumes, tempurá de camarão, sashimi, peixe grelhado e suflê de ovos. Outra opção é o Cajú Saboro, feito com salmão grelhado ao molho cremoso de shitaki, ovas de caranguejo e brócolis. Já na loja do Taisho I e II, os clientes podem desfrutar da comodidade do rodízio de sushis e sashimis. Para quem prefere o serviço à la carte, uma boa pedida é o Salmon Roll, feito com tomate-seco, camarão e shitake no cream cheese ao molho teriyaki ou o Combinado Taisho, composto por 86 unidades de sushis e sashimis variados. Ficou com água na boca? Então acesse o site e descubra o endereço do restaurante Taisho mais próximo de você: www.taisho.com.br www.taishobatel.com.br

Casa de Massas São Miguel.

O bairro Água Verde está com novidades desde outubro de 2010. Trata-se da Casa de Massas São Miguel, que serve uma grande variedade de massas, como lasanha, nhoque, empadão, panquecas, macarrão, tortas, entre outras delícias, além dos pratos executivos, que podem ser comprados prontos para o consumo ou congelados. O estabelecimento atende no balcão e ainda faz delivery, entregando os pratos em várias localidades de Curitiba. Um dos pratos destacados pelos proprietários José Luiz Laurindo dos Santos e Sueli Dias Maciel é o filé mignon ao molho madeira. Bateu aquela fome? Então não deixe de experimentar uma das diversas opções.

Atendimento: Casa de Massas São Miguel Rua Santa Catarina, 33 – Água Verde Atendimento: de Terça a Sábado das 10h às 23h e Domingo das 10h às 15h Contato: 41 3336-5617 www.casademassassaomiguel.com.br

CHINA WOK

O restaurante China Wok oferece um delicioso buffet de comida chinesa e japonesa com grande variedade de pratos quentes, sushis e saladas, além de um extenso cardápio à la carte e o rodízio de comida japonesa. Com um espaço interno para 90 pessoas, o estabelecimento oferece acesso wireless gratuito. Entre as sugestões de pratos, estão o Chapa Mista (feito com carne bovina, frango, camarão, lula, legumes assados na chapa e arroz) e o Shitaki Mushi (composto por variedade de legumes, cogumelo preto, camarão e lula, cozido no vapor e acompanhado de arroz branco japonês). Outro destaque é o Combinado China Wok, composto por 68 unidades: 20 são fatias de sashimi e 48 sushis variados. Como opções de sobremesa: frutas carameladas (maçã, banana e abacaxi) e “Tempurá” (massa frita recheada com sorvete). Para beber, saquê típico japonês.

Atendimento: Terça a sexta-feira das 11h30 às 14h30 e das 19h às 23h30. Sábado das 11h30 às 15h e das 19h às 23h30. Domingo das 11h30 às 15h. Entregas em domicílio de terça a sábado, das 11h30 às 14h30 e 18h30 às 23h30; domingo, das 11h30 às 14h. Endereço: Rua Chile, 2238 - Água Verde Telefone: (41) 3333-1998 / (41) 3333-9570 E-mail: china.wok@hotmail.com Site: www.restaurantechinawok.com.br Gourmet Curitiba / Julho 2011 /

64


Roteiro - Restaurantes Australiano

OUTBACK STEAKHOUSE

Curitiba entrou no clima australiano com a chegada do Outback Steakhouse no Shopping Curitiba. Com cortes especiais de carne, porções generosas e estilo de atendimento descontraído, o restaurante tem nova decoração, seguindo estilo contemporâneo que está sendo implantado pela rede no mundo. O restaurante é o 23º inaugurado no Brasil. O cardápio inclui variedades de steaks, opções de peixe, camarão, frango, carne suína, cordeiro, massas, sanduíches, sopas e saladas. Há também uma seleção de pratos especiais para crianças, e sobremesas que servem até três pessoas. Atendimento: Segunda a quinta: das 12h às 15h e das 17h30 às 23h30. Sexta: das 12h às 15h e das 17h30 à 1h. Sábado: das 12h à 1h. Domingo: das 12h às 23h. Billabong Hour Das 17h às 20h (de segunda a sexta, exceto feriados).

Tropical Banana A Tropical Banana é uma opção em alimentação rápida e saudável. Oferece opções de sucos especiais ou personalizados com sabores tradicionais ou exóticos, e ainda smoothies, açaí tropical, salada de frutas, caldo de cana e água de coco. Destaque também para os sanduíches naturais personalizados, em que o cliente escolhe o tipo de pão, de fabricação própria e em tamanho não convencional, e monta seu sanduíche optando entre 4 opções de recheio e 15 tipos de acompanhamento, mais molho de sua preferência. Atendimento: Shopping Crystal - R. Comendador Araújo, 731 - Centro - Curitiba - PR Shopping Curitiba - R. Brigadeiro Franco, 2300 - Centro - Curitiba - PR Shopping Estação - Av. Sete de Setembro, 2775 - Rebouças - Curitiba – PR Shopping Mueller – Av. Cândido de Abreu, 127, Centro Cívico - Curitiba PP Descubra outros endereços da Tropical Banana no site: www.tropicalbanana.com.br

Peixes

PEIXINHO Para quem aprecia pratos ou porções de peixe o restaurante peixinho é uma boa dica. Há 17 anos em Curitiba, no bairro Água Verde, a casa possui ambiente arejado e capacidade para 200 pessoas nos seu dois pavimentos. Moqueca de peixe, peixinho quatro queijos, estrogonofe de peixe são alguns dos mais requisitados, além da polenta frita, arroz branco e saladas pra acompanhar. Sucos, refrigerantes, vinhos, caipirinhas, cerveja e uísque importado não ficam de fora na hora de chamar o garçom. O restaurante peixinho aceita todos os cartões e aconselha o visitante a reservar lugar antes por telefone. Atendimento: Almoço das 11h30 ás 14h30 Jantar de segunda á sábado das 18h30 ás 23h Avenida Água verde, 9 bairro Água verde Curitiba (esq. Brigadeiro Franco). Reservas pelo telefone (41) 3332-7118 www.restaurantepeixinho.com.br

Gourmet Curitiba / Julho 2011 /

65


Roteiro - Restaurantes Alemão

Cantinho do Eisbein

Para quem aprecia a gastronomia alemã, o Restaurante Cantinho do Eisbein é uma boa opção. Há 25 anos em Curitiba, o estabelecimento tem capacidade para atender 200 pessoas nos quatro salões, que suportam ar condicionado, lareira e música ambiente típica alemã. O restaurante apresenta também diversos outros componentes para fazer os clientes se sentirem dentro da cultura da Alemanha, devido à decoração com canecos de chopp e quadros com fotos do país. Uma boa pedida é o Marreco Recheado, com repolho roxo, purê de batatas e arroz, mais o purê de maçã como opcional; e o Eisbein Cozido, com batata cozida, chucrute, uma salsicha branca e uma vermelha. Vale ressaltar que o estabelecimento também entrega os pratos na sua casa. Não deixe de experimentar. Atendimento: Avenida dos Estados, 863 – Água Verde Atendimento: Almoço de Terça à Sexta das 11h30 às 14h30 Sábado e Domingo das 11h30 às 15h00 Jantar de Terça a Sábado das 18h30 às 23h30 Contato: 3329-5155 / 3023-5155 atendimento@cantinhodoeisbein.com.br www.cantinhodoeisbein.com.br

Sopas e massas

BOM STRUDELL

Há 26 anos o restaurante Bom Strudell atua em Curitiba oferecendo boas opções aos seus clientes. Na hora no almoço, um buffet por quilo com os mais variados tipos de comida ou o atendimento à la carte. À noite, é possível saborear o buffet de sopas e massas, uma escolha perfeita para as noites curitibanas. Depois da comida, não deixe de experimentar uma das diversas sobremesas. Para beber, você pode optar entre refrigerantes, água e vinhos. Com um ambiente de cores claras, o estabelecimento possui ar condicionado e suporta 80 pessoas sentadas, que podem assistir aos canais abertos nas televisões disponíveis nos salões. Não deixem de ir ao Bom Strudell. Atendimento: Terça à sexta-feira das 11h15 às 14h30. Sábado, domingo e feriado das 11h30 às 15h e todos os dias à noite das 18h30 às 23h. Endereço: Al. Julia da Costa, 1796 - Bigorrilho Telefone: (41) 3335-8288

Suiço

CHATEAU DE GAZON

Cardápio: Cozinha Tradicional de Gramado. Rodízio de fondues (queijo, carne, chocolate e fondue de sorvete), pato ao molho de amoras, truta ao molho de amêndoas, filé a camemberg e fondue na pedra. Á La carte com destaque para os fundues de sorvete, chocolate serrano, Beira Mar, Peito de peru e tomate, servem 2 pessoas. Ambiente: Decoração sofisticada com louças de cristais e porcelana, música ambiente francesa, climatizado. 90 lugares. Aberto em 2002. Eventos: Comemorações em geral, mediante reserva. Atendimento: Domingo à Quinta das 19h às 00h. Sexta e sábado19h até o último cliente. Almoço aos Sab. e dom. Rodízio por pessoa. Aceita todos os cartões e tíquetes refeições. Estacionamento próprio. R. Pasteur, 134 – Batel 41. 3027 4407 / 41. 8848 4217 Gourmet Curitiba / Julho 2011 /

66


Fotos: Atelier da Imagem

Casa do Zé Especialidade em espetinhos

A Avenida Batel é conhecida por ter em sua extensão vários segmentos de bares e restaurantes. Inaugurado em julho de 2007, a Casa do Zé chegou para fazer parte da vida dos curitibanos que gostam de saborear um bom rodízio de espetinhos. A casa serve vinte tipos de espetinhos salgados e cinco doces, além de oferecer aos clientes um buffet de frios. Com capacidade para 120 pessoas, o ambiente tem uma decoração de bom gosto e conta ainda com valet. Uma boa opção para sentar, conversar e petiscar. Entre no site e faça sua carteirinha (com foto), de Amigo do Zé e ganhe vantagens especiais.

Serviço: Avenida Batel, 1433 (41) 3023-2029 Atendimento de Terça a Domingo. Almoço: 11h às 14:30h Jantar: 18h a 0h Gourmet Curitiba / Julho 2011 /

67


Roteiro - Restaurantes Confeitaria

Kauf Café

AQUARIUS GASTRONOMIA

Confeitaria

Além dos deliciosos sanduíches e tortas, a nova loja da Kauf Café na Alameda Carlos de Carvalho atende para almoço. Uma boa pedida é escolher o prato do dia, com qualidade gourmet e preço justo. Nas sextas-feiras, por exemplo, o prato é o pernil assado com abacaxi em calda de maracujá e purê de batata salsa. No lanche do final da tarde, ou happy hour, destaque para o Sanduíche de Linguiça Blumenau com rúcula. Para sobremesa duas saborosas opções são campeãs de venda: a Torta Tentação de Morango e a Torta Martina. O cardápio de bebidas conta com cafés, chás, sucos, cervejas especiais, destilados e vinhos. Para dias gelados, típicos do clima curitibano, a dica do proprietário da casa, Roniel Rupp, é o Chocotino Kauf. Já para os dias quentes a soda italiana de frutas vermelhas é sucesso garantido. Atendimento: Loja 1: Shopping Estação - Av. Sete de Setembro, 2775 - Centro (41) 2101-8252 Loja 2: Al. Carlos de Carvalho, 608 - Batel Funcionamento: Segunda a Sábado das 8h às 21h (41) 3015-6114 - www.kauf.com.br

A Aquarius Gastronomia abre 24 horas. Aos finais de semana, convida seus clientes a visitarem sua churrasqueira com costela ou frango assado na brasa. O restaurante serve, no horário do almoço, um variado buffet por quilo, sendo que todas as quintas-feiras realizam-se festivais gastronômicos, nacionais e internacionais propiciando, ao cliente, uma pequena viagem através de uma gastronomia típica, com o preparo de cardápios e ambientações especiais. O Café Colonial é servido no salão de chá, com capacidade para 150 pessoas. O buffet é composto de um mix de 150 produtos, atendendo a reservas e eventos. Atendimento: Panificadora 24 horas Restaurante: de segunda à sexta das 11h00 às 14h30; sábados, domingos e feriados das 11h30 às 15h00. Café Colonial: de segunda à sexta das 16h00 às 21h00; sábados, domingos e feriados das 16h30 às 21h00. Av. Prefeito Erasto Gaertner, 363 – Bacacheri (41) 3018.6880 www.aquariusgastronomia.com.br

Gelateria

DOLCE E FREDDO

Desde 2002 a Dolce e Freddo Gelateria proporciona aos curitibanos o prazer de consumir o verdadeiro gelato italiano. Ao todo são vinte e quatro sabores produzidos artesanalmente com ingredientes naturais, matéria-prima italiana e frutas frescas, baixo teor de gordura e zero gordura trans. Com quatro lojas em Curitiba para melhor atender seus clientes, a Dolce Freddo Gelateria é um dos grandes destaques gastronômicos da capital paranaense. Atendimento: Polloshop Alto da XV Segunda a sábado das 10h às 22h - Domingo das 14h às 20h Telefone: 3360-5844 Shopping Cidade Segunda a sábado das 10h às 22h - Domingo das 14h às 20h Telefone: 3017-3050 Rua Flávio Dallegrave, 1170 – Alto da XV Segunda a Domingo das 14h às 21h Telefone: 3363-1425 Rua Chile, 1395 - Rebouças Segunda a Quinta das 12h às 18h - Sexta a Domingo das 12h às 19h Telefone: 3332-4897

Gourmet Curitiba / Julho 2011 /

68


Rua Lamenha Lins, nยบ587, Rebouรงas - Curitiba - PR Contato: (41) 3222-4848 | (41)3232-3059 www.mufs.com.br | eventos@mufs.com.br

Gourmet Curitiba / Julho 2011 /

69


Figo flambado com coalhada seca Ingredientes: 4 figos maduros médios 4 colheres de chá de açúcar mascavo 4 colheres de sopa de coalhada seca 1 colher de sopa de adoçante em pó 3 colheres de sopa de pistache ou amêndoas trituradas 3 colheres de licor de laranja Modo de preparo: Lave os figos em água corrente, sequeos com toalha de papel e parta ao meio. Leve o açúcar ao fogo com licor de laranja, flambe os figos, misture a coalhada com adoçante e sirva com a calda quente.

Gourmet Curitiba / Julho 2011 /

70


Gourmet Curitiba / Julho 2011 /

71


Gourmet Curitiba / Julho 2011 /

72

Profile for Revista Gourmet

Gourmet Curitiba n16  

Revista Gourmet Curitiba edição 16

Gourmet Curitiba n16  

Revista Gourmet Curitiba edição 16

Advertisement