Page 1

Relat贸rios dos programas


OS PROGRAMAS Os programas culturais da Vivo são a parte visível e concreta de sua Política Cultural. É por meio deles que produtores culturais, artistas e público entram em contato e se tornam parceiros da Vivo. Cada um dos Programas reúne, em torno de si, alguns perfis de projetos e ações diferenciando-se também pela metodologia, tipo de atividade e resultado gerado.


NO ANO DE 2009 FORAM INICIADAS AS ATIVIDADES DOS PROGRAMAS VIVO LAB E VIVO ARTE.MOV COMO PARTE DA POLÍTICA CULTURAL VIVO. OS PROGRAMAS FORAM EXECUTADOS DE FORMA INTEGRADA A FIM DE FORTALECER A ATUAÇÃO DOS MESMOS JUNTO AOS PROJETOS SELECIONADOS PARA COMPOR AS REDES. OS PROGRAMAS SURGIRAM COMO FORMA DE FOMENTAR NA SOCIEDADE EM REDE ATIVIDADES DE FORMAÇÃO, PESQUISA E EXPERIMENTAÇÃO ARTÍSTICA, A PARTIR DA PROMOÇÃO DE INICIATIVAS E PROJETOS NAS ÁREAS DO AUDIOVISUAL E DE TECNOLOGIAS DIGITAIS, QUE VENHAM A CONTRIBUIR COM O RECONHECIMENTO DA POLÍTICA CULTURAL DA VIVO, DOS PROGRAMAS, DE SUAS ATIVIDADES E DOS ARTISTAS E PRODUTORES CULTURAIS ASSOCIADOS.


O QUE É Ao priorizar a utilização consciente das mídias móveis, a fim de construir formas de compartilhar o saber e o conhecimento, o programa possibilita o acesso à informação e a novas práticas artísticas. Através de uma programação cultural que explora as possibilidades criativas no campo das mídias móveis e locativas, o Festival Vivo arte.mov se estabeleceu como uma iniciativa inédita, inovadora, sem similar no pais e como um dos primeiros eventos dedicados exclusivamente à cultura da mobilidade no mundo. Ao estabelecer parcerias em várias regiões do Brasil, o programa multiplica as possibilidades de reflexão e discussão de questões que en-


volvem o universo das tecnologias móveis, atuando assim, de forma efetiva, tanto na formação de público quanto na de novos realizadores, bem como, no estímulo à pesquisa e à reflexão teórica sobre o tema. Além disso, o Vivo arte.mov tem como meta o fomento de um pensamento crítico e o estímulo a pesquisas e criações que reflitam as transformações na sociedade contemporânea, ocorridas a partir da disseminação das tecnologias de comunicação móvel. Entre seus objetivos específicos, está ainda a inserção do programa nos circuitos acadêmicos nacional e internacional voltados para pesquisas sobre tecnologia e cultura digital. No decorrer de sua trajetória, o Vivo arte.mov vem se afirmando como iniciativa relevante, consistente e contínua no cenário nacional através de uma abordagem múltipla das mídias móveis.


O QUE REALIZA Atividades: mostras, festivais e exposições sempre ligados à temática das mídias móveis como experiências de compartilhamento de conhecimento, acesso, informação, criatividade e arte. Ao longo de 3 anos de atuação foram realizados mais de 30 projetos em diversas cidades brasileiras, além de presença em diversos festivais e eventos internacionais.


Público: abrangente: todas as faixas etárias e camadas sociais por possuir grande difusão pela internet. O público prioritário são estudantes universitários, artistas audiovisuais, pesquisadores interessados e atuantes no universo das mídias móveis. Conteúdos: Obras que aliam arte e tecnologia, publicações de catálogos e livros, vídeos em formatos variados, sites, aplicativos para celulares, tablets, entre outros.


25 Projetos realizados Público Total 90.000 pessoas aprox. 19 PRÊMIOS cerca de R$80.000 distribuídos


Vivo arte.mov PRESENÇA INTERNACIONAL


Vivo arte.mov

MAPA GERAL DE ATUAÇÃO NACIONAL

Presença geográfica: 13 Estados


Vivo arte.mov MINAS GERAIS

Vivo arte.mov Festival Vivo arte.mov Eletronika Geografias Imaginárias Gambiologos Interactivos?’10BH

2009 2010 2011 2012

Eletronika/Vivo arte.mov Revista Eletronika IND Facta Mapa das Tradições Natureza, arte e Ciência Mapa Cultural Nós Mídia ParalaxeLab Simbio Noites Brancas


Vivo arte.mov BAHIA

6ª Mostra Internacional de Cinema de Arte de Salvador Festival Vivo arte.mov Zona Mundi 1° Festival de Cinema Universitário da Bahia Festival de Mini Curtas Sala de Arte - Cine Vivo Visio 2° Festival de Cinema Universitário Visio Geração Bits

2009 2010 2011 2012


Vivo arte.mov

RIO GRANDE DO SUL

Festival Vivo arte.mov

2009 2010 2011 2012


Vivo arte.mov PARÁ

Festival Vivo arte.mov Água Fórum Eletronika Prêmio de Mídias Locativas Geografias Imaginárias Greenbox Prêmio de Mídias Locativas

2009 2010 2011 2012


Vivo arte.mov AMAZONAS

Água

2009 2010 2011 2012


Vivo arte.mov Sテグ PAULO

Festival Vivo arte.mov Circuito Vivo arte.mov

2009 2010 2011 2012


Vivo arte.mov PERNAMBUCO

Continuum Circuito Vivo arte.mov

2009 2010 2011 2012


Vivo arte.mov CEARĂ

Circuito Vivo arte.mov

2009 2010 2011 2012


Vivo arte.mov SANTA CATARINA

Circuito Vivo arte.mov

2009 2010 2011 2012


Vivo arte.mov TOCANTINS

Circuito Vivo arte.mov

2009 2010 2011 2012


Vivo arte.mov RIO DE JANEIRO

Circuito Vivo arte.mov Eletronika Circuito Vivo arte.mov

2009 2010 2011 2012


Vivo arte.mov GOIÁS

9° Goiânia Mostra Curtas Circuito Câmera Cotidiana Circuito Vivo arte.mov

2009 2010 2011 2012


Vivo arte.mov PARANĂ

Circuito Vivo arte.mov

2009 2010 2011 2012


ATIVIDADES FORMATIVAS 46 SESSÕES DE PALESTRAS E DEBATES 55 OFICINAS 7850 CATÁLOGOS E PUBLICAÇÕES (Impressões)


ATIVIDADES ARTÍSTICAS 129 MOSTRAS 89 SHOWS E PERFORMANCES 25 EXPOSIÇÕES


O QUE É O Vivo Lab funciona como um laboratório de novas linguagens e aplicações digitais, além de explorar canais alternativos para a difusão e acesso aos conteúdos produzidos pelos projetos parceiros. O aprendizado e a formação crítica estão no cen-


tro do programa, que cria uma rede interdisciplinar de pesquisa e produção cultural, envolvendo ONGs, Pontos de Cultura, estudantes, educadores sociais, universidades e realizadores de audiovisual. O foco está no desenvolvimento e na inovação de formatos que criem oportunidades de trabalho, fomentem a economia criativa da cultura e a sociedade em rede.


O QUE REALIZA O Vivo Lab reúne e articula em rede um conjunto de iniciativas nas áreas do audiovisual e tecnologias digitais, conectando pessoas e projetos em residências artísticas e de experimentação, oficinas e workshops, grupos de pesquisa e plataformas virtuais.


26 projetos realizados PĂşblico total 30.000 pessoas aprox.


Vivo Lab MAPA GERAL DE ATUAÇÃO

Presença geográfica: 09 Estados


Vivo Lab MINAS GERAIS

2009 2010 2011 2012

Eletronika Imagens do Futuro MIP - Manifestação Internacional de Performance Marginalia+Lab Marzagão EnCena Rede Lab Minas MVMOB Fábrica Animada Rede Criativa Inhotim Caravana Digital Repia Networked Hack Lab Webvisão; Webvisão Repia Marginalia + Lab Marzagão EnCena MVMOB Educação Midiática

Webvisão Marginália+Lab MVMOB


Vivo Lab BAHIA

Minha Vida Mobile Networked Hack Lab Capit達es de Areia Laboratorium Mapa D2

2009 2010 2011 2012


Vivo Lab Sテグ PAULO

Minha Vida Mobile

2009 2010 2011 2012


Vivo Lab MATO GROSSO

Minha Vida Mobile

2009 2010 2011 2012


Vivo Lab SANTA CATARINA

Minha Vida Mobile

2009 2010 2011 2012


Vivo Lab DISTRITO FEDERAL

Minha Vida Mobile

2009 2010 2011 2012


Vivo Lab RIO DE JANEIRO

Nuvem - Hack Lab Rural

2009 2010 2011 2012


Vivo Lab PARĂ

Networked Hack Lab Curta em Circuito

2009 2010 2011 2012


Vivo Lab AMAZONAS

Curta em Circuito

2009 2010 2011 2012


PARCERIAS Instituições de ensino: UFBA, Unijorge, UFRB - Universidade Federal do Recôncavo da Bahia, UFMG, UFSJ | Universidade Federal de São João del-Rei, Universidade Federal da Bahia, Universidade Federal da Paraíba, Universidade Federal do Ceará, Universidade Federal do Rio de Janeiro e PUC RJ


Governo: Fundação Clóvis Salgado, Secretaria de Cultura do Estado de Minas Gerais, Secretaria de Cultura do Estado da Bahia, Secretaria de Cultura do Estado do Pará, Secretaria de Cultura do Estado do Rio Grande do Sul, Fundação Rodrigo Mello Franco de Andrade


Conexões Internacionais EUA :: Festival Zer01 Holanda :: Impakt Festival Japão :: Festival DOTMOV ECAS :: European Cities of Advanced Sound Holanda :: Nimk – Netherlands Media Art Institute


China :: Hong Kong International Mobile Film Festival ICAS :: Internacional Cities of Advanced Sound França :: Pocket Films Reino Unido :: Festival AND – Abandon Normal Devices Colômbia :: Festival Internacional de Cine - Cali 2011 Alemanha :: Trampoline – Platform for new media art Holanda :: Festival Sonic Acts


COMUNICAÇÃO Todos os projetos patrocinados pelos programas assinam sob a chancela dos mesmos: “Vivo Lab” e “Vivo arte.mov” com o crédito “apresenta” e a logomarca “Vivo” assina com a chancela “Patrocínio”.


Diversos conteúdos são produzidos com o intuito de consolidar a atuação dos programas culturais como parte da Política Cultural Vivo, entre eles podemos destacar: serviço de assessoria de imprensa, portais eletrônicos que agregam projetos, vinhetas, entre outros.


PORTAIS


REDES SOCIAIS As páginas e perfis dos programas no Facebook e Twitter contribuem para a circulação de conteúdo em âmbito nacional e regional, além de serem utilizadas


para divulgar ações dos programa e dos projetos e notícias do universo da Produção Cultural. Ao todo agregam cerca de 3500 seguidores diretos.


Cobertura Colaborativa Cobertura Colaborativa um dos focos da ativação dos Programas é a promoção de coberturas colaborativas das ações dos projetos da rede e geração de conteúdos institucionais: vídeos, vinhetas, entre outros. AUDIOVISUAL


AO VIVO

FOTOS


Clipping


BELÉM, QUARTA-FEIRA, 31 DE AGOSTO DE 2011

„ SHOW

Festival de Cinema de Veneza

Keira Knightley está no filme de David Cronenberg “A Dangerous Method”, favorito em Veneza. Página 7.

magazine@oliberal.com.br „ Tel.: 3216-1126

„ CULTURA „ GENTE

Show no Schivasappa

No palco, amanhã, o paraense Dan Campos e o amapaense Gilberto Pantoja. Página 3.

FOTOS: DIVULGAÇÃO

OLIBERAL

A banda Bonde do Rolê, do Estado do Paraná, vai se apresentar no Gold Mar na sexta-feira, dia 3

Mídias e música em debate Evento que começa amanhã quer mostrar que é possível fazer arte usando as “mídias móveis”, como o celular e o tablet YÁSKARA CAVALCANTE Da Redação

O

celular, os tablets, além da internet, claro, quem diria, vão além do que se simplesmente fazer uma ligação, mandar um e-mail ou abrir e fechar sites. Considerados “mídias móveis”, esse tipo de meio de comunicação com o mundo é capaz de ultrapassar as raízes culturais e estacionar nas cifras musicais, audiovisuais e fazer com que artistas ou simples apaixonados por todos os tipos de produção encontrem o que precisem para estabelecer uma nova forma de compor, cantar ou simplesmente reproduzir. Final da história: é possível fazer arte usando as “mídias móveis”. E é exatamente sobre isso que vai falar o Fórum Eleronika, que acontece em Belém nesta sexta-feira e sábado (2 e 3), reunindo cerca de duas mil pessoas para workshops e, claro, shows com artistas nacionais e locais. Realizado pela Barba, Cabelo & Bigode Produções, de Belém, em parceria com a Malab Produções, de Minas Gerais, e co-produção da Meachuta, o Fórum Eletronika vai apresentar dez atrações musicais de outros Estados. Eles subirão ao palco do Gold Mar Hotel e prometem qualidade musical e boas reflexões sobre como as produções podem ser feitas a partir das mídias móveis. Além do Gold Mar, único local onde os ingressos são pagos, a programação do Fórum acontece, também, na Praça do Carmo e no Fórum Landi. No Carmo, o público assistirá aos shows da Gang do Eletro, Felipe Cordeiro e Estrobo. Já no Fórum Landi vão acontecer as instalações, mesas redondas e workshops, com programação totalmente gratuita. Para Caco Ishak, que integra a organização do Fórum Eletronika, o evento pretende

estimular a produção local. “Queremos incentivar e estimular a produção e aumentar a visibilidade de muitos artistas. E ainda promover um grande intercâmbio”, diz Caco, que também vai mediar duas mesas. Uma delas vai falar sobre as experiências multimídias e mercado atual, e a outra sobre música e autoria na cultura de mash-ups, conjunto de aplicativos interativos para as mídias móveis. Caco reforça que o objetivo principal do evento é difundir esse tipo de cultura diigital e mostrar que as mídias móveis, incluindo celulares e tablets, podem ser boas maneiras de se chegar à grandes produções musicais. “Você pode mostrar música através de programas para iPad, celular e muitas outras mídias. Só precisamos difundir essa cultura”, observa.

dia 14, das 10h às 20h, é possível visitar a exposição multimídia, aberta ao público gratuitamente no Fórum Landi. No local será possível ver as instalações de Dirceu Maués (PA), Patrícia Gondim (PA), 1mpar (BH), Garapa (SP) e projeto 5X Cultura Digital (SP).

SERVIÇO: Fórum Eletronika Pontos de Venda: Lojas Chilli Beans (Shopping Boulevard e Shopping Pátio Belém) Inteira: R$ 80 Meia-entrada ou clientes Vivo: R$ 40 *Valores correspondentes ao passaporte, que dá direito à entrada aos dois dias. www.forumeletronika.com.br As inscrições para os workshops podem ser feitos pelo e-mail contato@ forumeletronika.com.br A exposição multimídia vai até o dia 14 de setembro, no Fórum Landi.

O DJ Dago Donato marca presença em Belém

PROGRAMAÇÃO Às 19h30 de amanhã (1º), no Fórum Landi, o Fórum Eletronika será aberto oficialmente. Na abertura será anunciado o Prêmio de Mídias Locativas, assim como será lançado o livro “Mediações, Tecnologia e Espaço Público”, de Lucas Bambozzi, Marcus Bastos e Rodrigo Minelli, que fazem um panorama crítico sobre as mídias móveis, por meio de textos que mostram a relação entre as estruturas em rede e os lugares que elas passam a atingir conforme a conectividade se torna possível em aparelhos portáteis (por meio de acesso a redes sem fio ou 3G). Ainda na noite de lançamento do evento, Estrobo se apresenta no Live, na Praça do Carmo, com acesso livre ao público. Na sexta-feira (2), tem início as mesas. Às 19h30, no Fórum Landi, o urbanista paraense Paulo Cal vai debater sobre “Urbanidade e o Tecnobrega”, com mediação do jornalista Vladimir Cunha e participa-

De São Paulo vem a banda Holger, para animar a noite de sábado

ção de Rubens Silva, ex-vice presidente do Sindicato dos Trabalhadores do Mercado Informal. Depois da mesa, o Live traz show de Felipe Cordeiro, que se apresenta a partir das 21h30. Ainda na sexta-feira, no Gold Mar, André Paste (ES), DJ Valeo (FR), Alexandre Matias (SP) e as bandas Uó (GO) e Rolê (PR) prometem uma grande reunião artística, a partir das onze da noite. A mesa “Música e Autoria na Cultura de Mash-up” vai abrir os trabalhos do sábado (3), que começa no Fórum Lan-

di, às 19h30, sob o comando do DJ André Paste, do Espírito Santo, e do produtor musical Dudu Marote, de São Paulo. A mediação será de Caco Ishak e do jornalista Alexandre Matias, de Brasília. Depois da mesa, no Live da Praça do Carmo, a Gang do Eletro fará grande show às 21h30, aberto ao público. E às 23h, no Gold Mar, o show de inovação midiática fica por conta de Dago Donato (SP), Holger (SP), Drunk Disco (PR), VCO Rox (SP) e The Twelves (RJ). O último dia do Fórum Eletronika trará, às 18h30, o jornalista João Wainer, dire-

tor da TV Folha, de São Paulo, para falar sobre “Experiências Multimídia e Mercado”. O encontro acontece no Fórum Landi, com participação do Coletivo Garapa, de São Paulo, de Rodrigo Savazoni, do projeto 5X Cultura Digital, também de São Paulo. A mediação é novamente de Caco Ishak. Além das mesas, o evento realiza os workshops gratuitos “Musica e Autoria na Cultura de Mash-up” e “Linguagem Cinematográfica”. São ofertadas 30 vagas para cada workshop. De amanhã até o


Relatorio programas 2011  

Relatorio programas 2011

Advertisement