Agência khnum

Page 1


Publicidade e Propaganda, 6S – São Miguel, noturno Projeto Criar 2018

PRIMEIRO CLIENTE KHNUM COMUNICAÇÃO Amanda Marques

RGM 1653815-3

Heloísa Lorena

RGM 1636497-0

Lucas Piccin

RGM 1626755-9

Nathalia Lima

RGM 1603722-7

Nathalia Rodrigues

RGM 1602698-5

Thiago Silva

RGM 1893545-1

Trabalho interdisciplinar apresentado como requisito parcial de avaliação das disciplinas integrantes do 6º semestre do Curso de Publicidade e Propaganda da Universidade Cruzeiro do Sul.


Resumo O Projeto trata-se de um projeto acadêmico e interdisciplinar que integra todas as disciplinas do semestre. Desenvolvemos uma campanha e um plano de comunicaçã o integrada para a instituiçã o Tribo do Bem. Foram realizadas pesquisas para compreensã o e a segmentaçã o do pú blico-alvo e target da ONG e a partir disso, foram desenvolvidas as açõ es de marketing e comunicaçã o para o apresentar a ONG e sua forma de trabalhar, aumentando assim, seu nú mero de voluntá rios e contribuintes. A seguir, apresentaremos como a Khnum Comunicaçã o encarou e elaborou as propostas do trabalho.


ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO…………………………………………………………………………………………………………..6 2.0 ANÁLISE DE MICROAMBIENTE E MACROAMBIENTE……………………………………………….6 

2.1 – MICROAMBIENTE ………….…………………………………………………………………….6

2.2 – MACROAMBIENTE……………………………………………………….……………………….7

2.3 - BRIEFING ………………..………………………………………………………………………….…9

3. FUNDAMENTAÇÃO DA PESQUISA…………………………………………………………………………… 10 

Fase 1 – DADOS SECUNDÁRIOS………….. ……………………………………………………….10

Fase 2 - PESQUISA QUALITATIVA – Para melhor compreender as pessoas  a ONG tem o intuito de se aproximar cada vez mais dos seus doadores e com isso  é observado e planejado se inserir no cotidiano do seu público. Sempre se preocupando com a saúde e bem-estar para transformar vidas e investir em parcerias e amor ………………………………………………………………………………….13

4. ANÁLISE SWOT……………………………………………………………………………………………………….15 5. PROBLEMA ENCONTRADO EM MARKETING……………………………………………………………16 6. PLANEJAMENTO DE MARKETING……………………………………………………………………………16 

6.1 PÚBLICO-ALVO…………………………………………………………………………………….……16

6.2 OBJETIVOS DE MARKETING……………………………………………………………………...16

7. PLANEJAMENTO DE CAMPANHA ……………………………………………………………………………16 

7.1 OBJETIVOS DE CAMPANHA…………………………………………………………………….17

7.2 PRAÇA…………………………………………………………………………….....................….17

7.3 VERBA………………………………………………………………………………………………..….17

7.4 PERÍODO DA CAMPANHA………………………………………………………………………17

7.5 ESTRATÉGIAS………………………………………………………………………………………...17

7.6 TÁTICAS………………………………………………………………………………………………….17

7.7 TÁTICAS (FASE 2 )…………………………………………………………………………………… 18

8. AÇÕES…………………………………………………………………………………………………………………….18 FASE - 1


 

AÇÃO 1 - CRIAÇÃO DO SITE E E-COMMERCE TRIBO DO BEM…………………………..18 AÇÃO 2 - MELHORAR A COMUNICAÇÃO NAS REDES SOCIAIS ………………………..19

AÇÃO 3 – BUSCAR PARCEIROS / FORNECEDORES…………………………………………….19

AÇÃO 4 – VÍDEO INSTITUCIONAL………………………. …………………………………………...20

AÇÃO 5 – PARCERIA COM A EMPRESA OTIMA………………………………….…………….20

9. AÇÕES …………………………………………………………………………………………….………………..…..20 FASE – 2 

AÇÃO 1 – DIVULGAÇÃO DA LOJINHA TRIBO DO BEM……………………………………...20

AÇÃO 2 – PARCERIA COM O BUZZFEED……………………………………………………….....21

AÇÃO 3 – DIVULGAÇÃO DA CAMPANHA “MATCH” DO BEM………………………...… 21

10. CRIAÇÃO E PRODUÇÃO……………………………………………………………………………………….. 21 

10.1 MEIO SELECIONADOS …………………………………………………………………………….21

10.2 FLOW CHART………………………………………………………………………………………….22

10 .3 CASHFLOW…………………………………………………………………………………………..22

10.4 FACEBOOK/ GOOGLEADS……………………………………………………………………..…23

10.5 PEÇAS PRODUZIDAS…………………………………………………………………………….....24

10.6 PEÇAS PRODUZIDAS PARA BLACKLIGHTS…………………………………………….. ….25

10.7 TESTE PARA O BUZZFEED………………………………………………………………………26

10.8 ROTEIRO DOS VÍDEOS PRODUZIDOS……………………………………………………....29 INSTITUCIONAL……………………………………………………………………………………………...31 MATCH DO BEM……………………………………………………………………………………………..32

10.9 ITENS DISPONÍVEIS PARA COMPRA NA LOJINHA TRIBO DO BEM…………….34

11. CUSTOS ….…….………………….……………………………………………………………………………...….38 12. REFERENCIAS BIBLIOGRÁFICAS…..…..……………….……………….….…..………..…..….…...….39


1. INTRODUÇÃ O Nosso objetivo é criar uma campanha de comunicaçã o integrada para nosso cliente Instituto Tribo do Bem. A intençã o é apresentar a ONG e sua forma de trabalhar para as pessoas, aumentando assim, seu nú mero de voluntá rios e contribuintes. Para isso, a campanha e as açõ es serã o voltadas ao institucional da organizaçã o e como a filantropia pode ser gratificante e divertida, quando a pessoa ajuda uma causa na qual se identifique. A ideia é mostrar ao pú blico que a ajuda pode vir de vá rias formas quando o assunto é filantropia. Além disso, o temos como uma de nossas principais metas, fazer com que as pessoas conquistem mais confiança nos serviços prestados pelo terceiro setor.

2. ANÁ LISE DE MICROAMBIENTE E MACROAMBIENTE 2.1 MICROAMBIENTE A ONG Tribo do Bem, foi fundada a 24 anos com o intuito de ajudar pessoas necessitadas e com esse objetivo e sem espaço físico, a fundadora que nã o tinha recursos financeiros o suficiente, e abriu as portas da sua pró pria casa para dividir o espaço e distribuir alimentos e o mais importante atençã o, carinho e amor que era compartilhado para todos os tipos de pú blicos. A Tribo do bem trabalha com açõ es voluntá rias em outras ONGs, com o intuito de levar, o sentimento de afeto, e carinho aos necessitados, trabalhando com festas temá ticas, e atividades dinâ micas, sem recursos financeiros. Utilizando apenas doaçõ es de voluntá rios da ONG, e de outras organizaçõ es nã o governamentais, pessoas físicas e jurídicas.


Empresa: Tribo do Bem Cliente: ICESP, ITACI, INCOR, DIVAS DO CÂ NCER , sã o institutos que estã o constantemente recebendo contribuiçã o da Tribo do bem. Assim também sã o considerados clientes toda e qualquer instituiçã o que necessite de ajuda, contribuiçõ es, doaçõ es e voluntá rios. Fornecedores: Bruelas e Banco de Lenços - Fornecedores de tecidos para fabricaçã o de turbantes que sã o distribuídos para pessoas com câ ncer. Voluntá rios da pró pria ONG entram na parte de confeccionar os turbantes, fazendo todo o design dos tecidos fornecidos.

Públicos: 

Pessoa jurídica: Empresas que fornecem produtos e contribuem financeiramente, para as instituiçõ es que recebem apoio da Tribo do Bem.

Pessoa física: Doadores que contribuem financeiramente e com materiais de apoio.

Intermediadores: Voluntariados que contribuem na parte financeira da ONG. Possuem apenas uma voluntá ria formada na á rea de comunicaçã o que gerencia as pá ginas do Facebook e Instagram. Concorrentes: Nã o possuem

2.2 MACROAMBIENTE Demográfico: Homens e mulheres, de 35 à 50 anos, residentes da cidade de Sã o Paulo; das classes B e C. Tecnológico: Uma pesquisa feita pela consultoria TNS Research Internacional apontou que os brasileiros costumam consultar sites na internet antes de fazer uma compra e comentam suas experiências sobre produtos e serviços.


Segundo o levantamento, 92% dos usuá rios pesquisam sobre produtos ou serviços em sites de e-commerce ou comparam preços lojas virtuais e 76% procuram essas informaçõ es em fó runs ou blogs. O estudo constatou também que 56% dos entrevistados escrevem em blogs, 42% leem blogs de pessoas desconhecidas, 63% comentam experiências sobre produtos e serviços e 52% acessam essas mídias para obter informaçõ es sobre o que pretendem comprar ou contratar como serviço. Nota-se que o comportamento das pessoas perante a tecnologia e a internet é o mesmo indiferente do setor e claro, podemos trazer essa experiência ao Terceiro Setor, uma vez que antes de fazer uma doaçã o ou prestar um serviço. A pessoa vai buscar informaçõ es na internet. Além disso, as redes sociais sã o utilizadas pelos entrevistados principalmente para acesso e compartilhamento de informaçõ es (43%), o que pode resultar no compartilhamento de ideias e experiências que a pessoa teve com alguma ONG. Econômico: No Brasil, estimativas apontam que 12 milhõ es de pessoas estejam envolvidas de algum modo com essa á rea. Outro nú mero que simboliza o crescimento desse universo é a quantidade de intuiçõ es privadas sem fins lucrativos existentes no país, mais de 290 mil. Entretanto, uma pesquisa feita pela Doaçã o Brasil, mostra que existem resistências por parte das pessoas na hora de fazer doaçõ es para o Terceiro Setor. É preciso gerar uma comoçã o no cotidiano dessas pessoas. Crianças, saú de, idosos, combate à fome e à pobreza sã o as que mobilizam muito as pessoas. Outras causas, por exemplo, têm mais dificuldade de sensibilizar: as ambientais, os direitos humanos e as causas ligadas a temas mais controversos, como combate ao consumo de drogas, recuperaçã o de pessoas com dependência química, moradores de rua. Isso ocorre provavelmente por muitos motivos. A questã o da saú de acontece porque o doador tem um olhar sobre a realidade que ele vive, é uma questã o que afeta muito as pessoas. É uma causa mais visível para a populaçã o. Outras causas, como direitos humanos, meio ambiente, nã o sã o tã o presentes no cotidiano das pessoas. Entã o, para elas se sensibilizarem é necessá rio que pesquisem mais, reflitam mais, sã o causas mais complexas. Sociocultural: O voluntariado ainda nã o é praticado pela maioria dos brasileiros. Segundo estudo, divulgado em 2017, 72% dos brasileiros nunca


participaram de atividades voluntá rias. E, quando falamos de jovens entre 16 e 24 anos, a proporçã o de pessoas que nunca fez atividades voluntá rias sobe para 80%. Em relaçã o as doaçõ es, em entrevista para a Revista É poca, a diretora de comunicaçã o do Instituto para o Desenvolvimento do Investimento Social (Idis) e coordenadora do projeto Doaçã o Brasil, Andrea Wolffenbuttel, reforçou que existem muitas pessoas que querem doar e têm dú vidas, nã o sabem onde encontrar organizaçõ es, nã o sabem se elas sã o confiá veis ou nã o. Por esse motivo, notamos que a compreensã o do trabalho da ONG e a confiabilidade na mesma, é de extrema importâ ncia para quem quer ajudar. Além disso, nota-se que as pessoas precisam ser reeducadas sobre o Terceiro Setor, pois há falta de informaçã o para quem nã o sabe como ajudar. Natural: Nã o há açõ es nessa parte. Político legal: A forma como vem se configurando o “Terceiro Setor”, no Brasil, indica a presença de agentes políticos, culturais, econô micos e sociais, com açõ es nem sempre convergentes para a criaçã o de modelos dinâ micos de organizaçã o. No campo das políticas sociais, visualiza-se hiato entre o conjunto de carências e a emergência de novo papel da sociedade civil, com base em pesquisas do autor no Vale do Paraíba.

2.3 BRIEFING 

Campanha: Match do Bem;

Tema: Ajudar uma causa pela qual você acredita;

ONG: Instituto Tribo do Bem;

Posicionamento: Ser um intermediá rio entre quem quer ajudar e quem precisa dessa ajuda;

Promessa básica: Filantropia;

Objetivo de comunicação: Tornar a ONG conhecida, explicando de maneira clara, sua forma diferenciada de trabalhar;

Tipos de campanha: Institucional;

Estratégia de comunicação: Informaçã o, posicionamento/reposicionamento e humor.


Agência: Khnum Comunicaçã o;

Público-alvo: Homens e mulheres, de 22 a 35 anos; das classes sociais B e C, moradores da Cidade de Sã o Paulo;

Praça: Sã o Paulo/SP;

Verba: 300.000,00

Meios selecionados: Internet - por meio do GoogleAds, Facebook e blacklights.

Concorrentes: Nã o possui.

Período de veiculação: A campanha terá a duraçã o de três meses (outubro, novembro e dezembro).

3. FUNDAMENTAÇÃ O DA PESQUISA Foi criado um buyer persona (Homens e Mulheres de 22 anos à 35) para a ONG Tribo do Bem, pois se trata de uma organizaçã o pequena que tem interesse de ter um reconhecimento dentro do mercado, a ONG desenvolve o papel de ter uma presença constante na vida dos beneficiá rios, ou seja, isso é fundamental para conhecer e entender as necessidades deles, dos seus doadores e do mercado.

FASE – 1 DADOS SECUNDÁRIOS Por meio de um levantamento de dados com base na Pesquisa Doaçã o Brasil observamos que o 3º setor vem ganhando um destaque maior nos ú ltimos tempos, a questã o que tem ser desenvolvida em relaçã o á isso mapeamento das doaçõ es dos indivíduos. As Organizaçõ es sem fins lucrativos trabalham com diversos segmentos, e junto a pesquisa foi constatado que 57% concordam que as ONGs sã o necessá rias para ajudar a resolver os problemas sociais e ambientais, enquanto 19% discordam; 47% concordam que percebem que a açã o das ONGs leva dinheiro a quem realmente precisam; 44% responderam que a


maior parte das ONGs faz um trabalho competente; 40% concordam que nã o tem confiança no que vã o fazer com o meu dinheiro se doar; 38% concordaram que as ONGs nã o dependem financeiramente do governo; 44% discordaram que as ONGs deixam claro o que fazem com os recursos que aplicam e 37% discordam que a maior parte das ONGs é confiá vel, e 37% sã o neutros. E para concluir a pesquisa foram fundamentados os seguintes dados em relaçã o a existência das ONGs, 71% dos entrevistados entendem que essas instituiçõ es dependem das doaçõ es de pessoas e empresas para obter recursos e atuar no dia a dia e 44% concordam que esses atores fazem um trabalho competente. Por outro lado, 26% responderam que acham que as ONGs sã o confiá veis. A pesquisa foi feita em duas etapas: etapa 1 qualitativa, em outubro de 2015, com 10 grupos focais com oito participantes em Recife, Sã o Paulo e Porto Alegre; na etapa quantitativa foi março e abril deste ano, com 2230 contatos, sendo 2002 entrevistas completas e fizeram parte do estudo. Sobre visitar pessoalmente a organizaçã o, também foi uma das questõ es: 39% responderam que sim, e outros 61%, nã o. 30% disseram que doam uma vez por ano, já 22% duas vezes ao ano e 36% uma vez por mês. E o valor dessa doaçã o? Até R$ 60 por ano falaram 19% dos entrevistados. Em relaçã o a atitudes com a doaçã o institucional em dinheiro, os entrevistados responderam que 88% afirmaram que escolhem com cuidado para quem vai doar e 74% buscam informaçõ es sobre a organizaçã o e 70% costumam doar sempre para as mesmas. As abordagens para pedir doaçõ es foi uma das questõ es criticadas pelas pessoas consultadas. 61% concordaram que as instituiçõ es que solicitam doaçõ es insistem demais e 64% também responderam que uma vez que se faz uma doaçã o corre o risco de ser abordado por outras organizaçõ es. E quanto mais invasivo essa abordagem, pior. Os meios de pagamento também foram outro quesito avaliado. O boleto e o dinheiro foram as melhores formas de pagamento, ao contrá rio do débito de cartã o de crédito – 65% responderam que essa forma é inconveniente.


Pode se concluir que segmentar uma ONG é algo que exige honestidade e clareza nas informaçõ es e nos dados de onde será investido o dinheiro dentro da organizaçã o. Ressaltamos também que é importante trabalhar e destacar aqueles que já ajudaram e doando ou sendo voluntá rio, pois isso acaba sendo um incentivo para os outros que estã o vendo de fora. Foi identificado que existe um grande interesse quando falamos sobre ONGs, seja na parte da pesquisa sobre ela até sobre ser voluntá rio dentro da instituiçã o. Conforme os dados abaixo:


FASE – 2 PESQUISA QUALITATIVA Para melhor compreender as pessoas a ONG tem o intuito de se aproximar cada vez mais dos seus doadores e com isso é observado e planejado se inserir no cotidiano do seu pú blico. Sempre se preocupando com a saú de e bem estar para transformar vidas e investir em parcerias de amor. As decisõ es estratégicas pó s pesquisa serã o: – criar buyer persona que representa este cliente; – com base na persona definir padrõ es para que se possa: lançar a campanha “Match do Bem” no mercado, gerar conteú dos para atrair, converter, gerar ganho na parte financeira e fidelizar da forma mais eficiente este pú blico-alvo. Objetivos secundários: • Identificar dados demográ ficos: – Local de origem, idade, gênero, estado civil, formaçã o e profissã o. • Identificar dados psicográ ficos e comportamentais: – Atividades diá rias do entrevistado – cotidiano e finais de semana. (Usar para voluntá rios) – Valores e objetivos de: o que move essa pessoa, o que a motiva? – Percepçã o da sua vida. – Atividades desenvolvidas. Metodologia:


• Tipo de pesquisa; • Pesquisa explorató ria do tipo qualitativa, desenvolvida por intermédio de um questioná rio na internet. Onde conseguimos compreender o nosso pú blico-alvo.

Amostragem: • Homens e mulheres, de 22 a 35 anos, classe B e C. Com base em pesquisas e dados obtidos, formamos o buyer persona. Concluímos que serã o: mulheres e homens da cidade de Sã o Paulo, de 22 até 35 anos, das classes B e C, que trabalham fora de casa, casados e solteiros e que possuam preocupaçã o com o bem-estar, empatia ao pró ximo, reservem um pouco do seu tempo para fazer açõ es voluntá rias. A pesquisa de mercado foi importante para a confecçã o adequada dos anú ncios do produto assim como as estratégias de marketing.


4. ANÁ LISE SWOT FORÇAS 

FRAQUEZAS

Muito conhecida e procurada por seus clientes

Não possuem fornecedores fixo;

(outras ONGs);

Nenhum investimento em publicidade;

Variedades nas formas de contribuições;

Marca não estabelecida;

Já possui 25 anos de atuação;

Baixa presença na internet;

Não possui site oficial;

OPORTUNIDADES

AMEAÇAS

Aumento de formas de contribuição;

Crise econômica afeta quem faz doações;

Não possui uma sede, assim consegue

ONGs concorrentes, são mais

cortar custos e converter todo o dinheiro

conhecidas e por isso, passam mais

arrecadado para filantropia;

credibilidade a quem quer contribuir

Aumento de fornecedores;

com o terceiro setor;

ANÁLISE:  Como posso manter meus pontos fortes? R: Realizando projetos e acoes para que aumente cada vez mais as formas de contribuição, possibilitando parcerias com outras ONGs.  Como posso melhorar meus pontos fracos? R: Investindo na publicidade da ONG para aumentar cada vez mais a credibilidade no ramo e gerando o aumento de contribuições e voluntários para a ONG.  Como posso evitar ou me proteger das ameaças?


R: Com o investimento na publicidade da ONG e regendo novas parcerias, evitara a as ameaças financeiras e de falta de credibilidade no mercado.  Como aproveitar as oportunidades a meu favor? R: Possuindo uma sede , o aumento de divulgaçã o aumentara junto com a credibilidade no ramo de organizaçõ es nã o governamentais, gerando o aumento de voluntá rios e fornecedores para a ONG.

5. PROBLEMA ENCONTRADO EM MARKETING A ONG nã o tem uma á rea responsá vel em comunicaçã o e tem uma grande dificuldade em divulgar os projetos e acoes. Eles nã o possuem um site oficial, apenas redes sociais como Facebook e Instagram com poucos seguidores.

6. PLANEJAMENTO DE MARKETING 6.1 PÚBLICO-ALVO Homens e mulheres, de 22 a 35 anos, residentes da cidade de Sã o Paulo; das classes B e C que se preocupam com o bem-estar do pró ximo, praticam a empatia e se disponibilizam a ser voluntá rio em ONGs. 6.2 OBJETIVOS DE MARKETING Aumento as arrecadaçõ es da ONG s em 3% no período de 3 meses (de Outubro a Dezembro de 2018).

7. PLANEJAMENTO DE CAMPANHA Fazer com que a ONG, Tribo do Bem, seja vista e reconhecida pelo seu trabalho diferenciado no terceiro setor, e assim, conseguir novos fornecedores, doadores e até mesmos voluntá rios, além de fidelizar as pessoas que já contribuem.


7.1 OBJETIVOS DE CAMPANHA Fortalecer a ONG no mercado, a fim de tornar o target – homens e mulheres, das classes B e C, de 22 a 35 anos, moradores da Cidade de Sã o Paulo –, pessoas engajadas com o terceiro setor e dispostas a contribuir como puderem – seja com doaçõ es, trabalho voluntá rio, fornecimento de produtos e/ou prestaçõ es de serviços –.

7.2 PRAÇA Cidade de Sã o Paulo 7.3 VERBA A Khnum Comunicaçã o terá uma de 300.000,00 para a campanha.

7.4 PERÍODO DA CAMPANHA A campanha terá um período de 3 meses, começando em Outubro e finalizando em Dezembro de 2018. 7.5 ESTRATÉGIAS Dividir a campanha elaborada, em duas fases, a fim de trabalhar primeiramente, o institucional, apresentando a ONG ao público. E posteriormente, ressaltar o trabalho diferenciado da Tribo do Bem e a importância da contribuição ao terceiro setor com a Campanha “Match do Bem” Primeira fase trabalharemos com institucional; Segunda fase trabalharemos com peças humoradas que usem testemunho de pessoas comuns. 7.6 TÁTICAS Criação do site Tribo do Bem e Implantação de um pequeno e-commerce no site para arrecadar fundos para a campanha; Interações com os voluntários e fornecedores por meio das redes sociais; Busca de parceiros/fornecedores para a campanha;


Confecção do vídeo institucional da Tribo de Bem, que ficará em destaque no site e nas redes sociais da ONG, com o propósito de mostrar a todos os visitantes como surgiu e como funciona o trabalho da instituição; E impulsionamento do vídeo institucional no Facebook, para que o alcance, as visualizações e o engajamento, sejam maiores.

7.7 TÁTICAS FASE - 2 Campanha “Match do Bem” – confecçã o das peças e escolha das mídias para a veiculaçã o da campanha; Parceria com BuzzFeed – site de testes popular –; Divulgaçã o dos produtos da lojinha Tribo do Bem.

8. AÇÕ ES

FASE – 1 AÇÃO 1 - CRIAÇÃO DO SITE E E-COMMERCE TRIBO DO BEM

A criação do site acontecerá no mês de outubro para gerar mais credibilidade a ONG e a seu trabalho. O intuito, é fazer com que haja mais confiança por parte dos possíveis doadores, que por sua vez, conhecem e pesquisam sobre o terceiro setor na internet. Além de visibilidade e trafego, o site vai ser importante para a implantação de um pequeno ecommerce, que será criado com produtos Tribo do Bem, a fim de arrecadar fundos para a campanha. Para isso, será feita uma parceria com um desenvolvedor de web, que será responsável pela criação do site e implantação do e-commerce no mesmo. O custo será isento para essa ação.


AÇÃO 2 - MELHORAR A COMUNICAÇÃO NAS REDES SOCIAIS No mês de outubro, também serã o estabelecidas prá ticas de Social Media nas Redes Sociais da Tribo do Bem, a fim de facilitar a comunicaçã o entre as pessoas já contribuintes da ONG, aquelas que pretendem contribuir ou apenas seguidores/admiradores do trabalho da Tribo do Bem. Para isso, os responsá veis pela á rea de social media e marketing digital da Khnum Comunicaçõ es, produzirã o conteú do para as redes sociais da ONG, além da implantaçã o de um Chatbot que consiste em mensagens automá ticas no Messenger do Facebook. Usaremos a ferramenta ManyChat que possui uma versã o gratuita do mensageiro automá tico. Sendo assim, o custo será isento para essa açã o. AÇÃO 3 – BUSCA DE PARCEIROS/FORNECEDORES Estabelecer uma parceria com o instituto Walmart, todas as lojas e clubes de compras da rede atuam em parceria com organizaçõ es e sociedade civil sem fins lucrativos do entorno, mobilizando recursos humanos e materiais para o enfrentamento das demandas locais. A açã o seria desenvolvida junto ao instituto, como o “Dia da Comunicaçã o” onde a Tribo do Bem ficaria encarregada de receber voluntá rios do Walmart Brasil, para um dia de projetos e eventos desenvolvidos nas instituiçõ es parceiras da ONG. Essa açã o foi toda estabelecida através do e-mail: instituto@wal-mart.com; onde será necessá rio o preenchimento das seguintes informaçõ es: Nome da organizaçã o: · CNPJ: · Nome da pessoa de contato: · E-mail: · Telefone: · Solicitação: · Loja(s) que gostaria de atuar em parceria:


AÇÃO 4 – VÍDEO INSTITUCIONAL Será confeccionado um vídeo institucional para que as pessoas conheçam a histó ria da Tribo do Bem e como é feito seu trabalho. Na segunda semana de outubro, com já com a reforma nas redes sociais e o site no ar, o vídeo será postado, ficando em evidência em cada uma das plataformas, assim, o visitante das pá ginas conseguirá conhecer a ONG com rapidez. Esse vídeo será produzido por uma produtora de vídeo que em parceria, com a Khnum Comunicaçõ es, cobrará apenas o valor do material produzido e nã o da mã o de obra, o valor R$500 para a produçã o desse vídeo. Feito isso, a agência vai impulsionar o vídeo no Facebook para alcançar mais pessoas. No período de 15 dias, ou seja, até o final de outubro, trabalharemos com uma campanha de valor vitalício de R$150. Totalizando R$650 para essa açã o. AÇÃO 5 – PARCERIA COM A EMPRESA OTIMA A Otima é uma plataforma de mídia out-of-home que nasceu com a missã o de promover uma verdadeira transformaçã o na paisagem urbana da capital e também com o objetivo de devolver à s pessoas o protagonismo da cidade. A Otima entra em parceria com a Tribo do bem, expondo um anú ncio em formato de blacklight, com a campanha institucional em paradas de ô nibus. A parceria consiste em ajudar a ONG em sua divulgaçã o e trazer novos voluntá rios e doadores para ONGs.

9. AÇÕ ES FASE – 2 AÇÃO 1 – DIVULGAÇÃO DA LOJINHA TRIBO DO BEM No mês de novembro focaremos em arrecadar fundos para a campanha através da lojinha do site. Os produtos – camisetas, canecas e chaveiros, todos confeccionados em parceria com uma grá fica –, serã o anunciados no Facebook em formato de carrossel e no Google AdWords utilizando links patrocinados, ambas prá ticas terã o um pú blico segmentado para que haja


conversã o em vendas, por parte de quem realmente se interessa pelos produtos. Para isso, os responsá veis pela á rea de social media e marketing digital da Khnum Comunicaçõ es, farã o os anú ncios, utilizando a verba total de R$600 para as duas plataformas no período de 30 dias. AÇÃO 2 – PARCERIA COM O BUZZFEED O Buzzfeed é um portal bastante conhecido pelas Geraçõ es Y e Z pelos seus testes divertidos e criativos. Em novembro, em parceria com o Buzzfeed, será implantado um teste sobre o terceiro setor, dando início a campanha Match do Bem, para que no final do teste, o internauta possa ter uma porcentagem das causas com as quais ele mais se identifica. Assim, além de instruir por onde e como o internauta começar a ajudar o terceiro setor, vamos destacar o trabalho da Tribo do Bem que ajuda vá rias causas e direcionar essa pessoa ao site da ONG. Esse teste estará no site e nas redes do Buzzfeed e será confeccionado em parceria com os mesmos, sendo assim, terá o custo isento. AÇÃO 3 – DIVULGAÇÃO DA CAMPANHA MATCH DO BEM As peças confeccionadas pelos diretores de arte da Khnum Comunicaçõ es serã o veiculadas a partir da segunda semana de novembro até o final de dezembro nas mídias selecionadas – Facebook, GoogleAds, –. As peças terã o como estratégia o uso do humor e o testemunho de pessoas comuns, a fim de cativar, chamar atençã o e fazer com que o pú blico se identifique. Além disso, reforçará a ideia de ajudar a causa pela qual mais se identifique e terá um cará ter instrutivo em relaçã o a como começar e de que forma ajudar o terceiro setor, destacando a Tribo do Bem que é uma instituiçã o que ajuda vá rias outras. Para essa açã o, será utilizado o total de R$ 310,00 para divulgaçã o e 500,00 para produçã o do vídeo. No total de R$ 810,00.

10. CRIAÇÃ O E PRODUÇÃ O 10.1 - MEIOS SELECIONADOS  FACEBOOK, GOOGLEADS E BLACKLIGHTS.


10.2 – FLOW CHART

10.3 CASH FLOW


10.4 FACEBOOK / GOOGLEADS


10.5 PEÇAS PRODUZIDAS


10.6 PEÇAS PRODUZIDAS PARA OS BLACKLIGHTS


10.7 TESTE PARA BUZZFEED




10.8 ROTEIRO DOS VÍDEOS PRODUZIDOS

Comercial Internet e Mídias Sociais – Institucional Tribo do Bem Storyline: Institucional Tribo do Bem, fala sobre o trabalho realizado pela ONG. Mostra que apesar da Instituiçã o nã o ter uma sede, cumpre com sua principal proposta que é levar todo o tipo de ajuda, para outras instituiçõ es. Comercial para Internet e Mídias Sociais - 1 minuto Roteiro Técnico: Nº do plano

Áudio / diálogo

Ação

Enquadramento

Movimento de Câmera Plano sequência

1

Trilha sonora: Beyond Dreams – Scott Holmes Narração: “acreditamos que quando nascemos, temos a oportunidade de qual caminho seguir”

Pés caminhando na rua.

Plano médio

2

Trilha sonora: Beyond Dreams – Scott Holmes Narração: “Muitos passam a vida toda se perguntando onde achar aquilo que precisam” Trilha sonora: Beyond Dreams – Scott Holmes

Duas mãos se alcançando e se juntando.

Plano médio

Câmera fixada ao tripé

Uma senhora conversando com uma voluntária.

Plano médio

Câmera fixada ao tripé

Crianças correndo para abraçar uma voluntária.

Plano médio

Câmera fixada ao tripé

Criança com câncer brincando num carrinho dentro de um hospital, enquanto é guiada por um voluntário.

Plano total

Plano sequência

Voluntárias dançando felizes em um hospital.

Plano médio

Câmera fixada ao tripé

3

4

5

6

Narração: “o que passamos a vida toda procurando, está dentro de nós” Trilha sonora: Beyond Dreams – Scott Holmes Narração: “mas também, nas outras pessoas” Trilha sonora: Beyond Dreams – Scott Holmes Narração: “e onde fica a Tribo do Bem?” Trilha sonora: Beyond Dreams – Scott Holmes Narração: “não há um caminho, não estamos em um lugar”


7

Trilha sonora: Beyond Dreams – Scott Holmes Diálogo: “estamos onde precisamos estar”

Fornecedores embalando um ursinho e transportando. O mesmo urso é visto em um hospital com uma criança com câncer.

Plano médio

Câmera fixada ao tripé

8

Trilha sonora: Beyond Dreams – Scott Holmes Diálogo: “acreditamos em quem precisamos acreditar”

Muitas mãos preparando comida.

Plano médio

Câmera fixada ao tripé

9

Trilha sonora: Beyond Dreams – Scott Holmes Narração: “nas pessoas”

Voluntário conversando com crianças.

Plano médio

Câmera fixada ao tripé

10

Trilha sonora: Beyond Dreams – Scott Holmes

Um senhor conversando com um voluntário.

Plano médio

Câmera fixada ao tripé

11

Trilha sonora: Beyond Dreams – Scott Holmes Narração: “e o que é a Tribo do Bem?” Trilha sonora: Beyond Dreams – Scott Holmes Narração: “ela é uma semente plantada e cultivada na vida de muitas pessoas”

Crianças com câncer brincando com o ursinho.

Plano médio

Câmera fixada ao tripé

Mãos plantando uma muda de planta.

Plano médio

Plano sequência

Trilha sonora: Beyond Dreams – Scott Holmes

Pessoas unindo suas mãos e jogando-as para cima.

Plano médio

Câmera fixada ao tripé

12

13

14

Narração: “pois são essas pessoas, que nos mostram diariamente, qual caminho deve,os seguir” Trilha sonora: Beyond Dreams – Scott Holmes

Aparição do logo da Tribo do Bem.

Comercial Internet e Mídias Sociais – Match do Bem Storyline: Comercial Tribo do Bem, fala sobre ter a primeira vez apó s o match. Fazendo uma alusã o as primeiras experiências amorosas e famoso “match” que se dá quando se gosta de alguém. Ao final do vídeo, o pú blico descobre que a primeira experiência citada anteriormente, se refere ao terceiro setor, seja com trabalho voluntá rio, doaçã o de dinheiro ou serviços


prestados. Comercial para Internet e Mídias Sociais - 45 segundos Roteiro Técnico: Nº do plano

Áudio / diálogo

Ação

Enquadramento

Movimento de Câmera Câmera fixada ao tripé

1

Trilha sonora: Podington Bear

Aparição da seguinte frase “como foi sua primeira vez?”

Plano médio

2

Trilha sonora: Podington Bear Diálogo: “a minha primeira vez foi tão boa, que quando acabou eu já queria mais” Trilha sonora: Podington Bear

Corta para um cenário grafitado ao fundo e a personagem Nathalia Lima falando.

Plano médio

Câmera fixada ao tripé

Corta pra um cenário de natureza com muito verde e a personagem Nathalia Rodrigues falando.

Plano médio

Câmera fixada ao tripé

Corta pra um cenário na Avenida Paulista e personagem Lucas falando Aparição do logo da Tribo do Bem seguido da palavra apresenta e o logo da Campanha Match do Bem Volta para o cenário grafitado e a personagem Nathalia Lima falando.

Plano médio

Câmera fixada ao tripé

Plano médio

Câmera fixada ao tripé

Volta para o cenário de natureza e a personagem Nathalia Rodrigues falando.

Plano médio

Câmera fixada ao tripé

Volta para Avenida Paulista e personagem Lucas falando.

Plano médio

Câmera fixada ao tripé

3

4

Diálogo: “no começo eu estava nervosa e não tinha tanta segurança” Trilha sonora: Podington Bear Diálogo: “eu dei o que eu pude”

5

Trilha sonora: Podington Bear

6

Trilha sonora: Podington Bear Diálogo: “agora com a Tribo do Bem, eu faço trabalho voluntário quando eu posso”

7

Trilha sonora: Podington Bear Diálogo: “Com a Tribo do Bem, eu sei que minha doação está indo pra causa certa”

8

Trilha sonora: Podington Bear Diálogo: “foi muito bom ajudar a Tribo do Bem com os meus serviços”

9

10

Trilha sonora: Podington Bear Narração: “e você? Ta esperando o que para ter sua primeira vez?”

Aparição das frases “vem dar match com quem precisa de você” e “faça o teste e saiba como e quem ajudar”

Trilha sonora: Podington Bear

Animação site Tribo do Bem

Narração: “acesse: tribodobem.com.br” e saiba mais


11

Trilha sonora: Podington Bear Narração: “Tribo do Bem, doe no seu estilo”

Aparição de uma simulação do Match do Bem

10.9 ITENS DISPONÍVEIS PARA COMPRA NA LOJINHA TRIBO DO BEM






11. CUSTO 

CUSTO DE MÍDIA

Nosso custo total bruto é de R$ 1.460,00; Sendo R$ 460,00 o custo total em inserçõ es na internet (Facebook e GoogleAds). Tirando 20% da agência fica no valor de R$ 368,00; O custo de investimento nos vídeos produzidos ficou no valor de R$ 1.000,00. Tirando os 15% da agência fica no valor de R$ 850,00; Somando assim total de lucro da agência em R$ 242,00 em toda campanha. Custo total de mídia tirando o valor de lucro da agência, fica em R$ 1.218,00.

12. REFERÊ NCIAS BIBLIOGRÁ FICAS http://setor3.com.br/pesquisa-doacao-brasil-e-lancada-com-novos-dados-sobrerelacionamento-com-as-ongs/ http://www.portalterceirosetor.org.br/doa%C3%A7%C3%B5es/ http://painelgestaorganizacional.blogspot.com/2010/09/terceiro-setor-doacoes-epatrocinio.html http://www.otima.com/quem_somos/