Agência Prismar - Campanha Fundação Pró-Sangue

Page 1


EQUIPE PRISMAR AB+

B+

O+

O-

ALEXANDER

ALICE MARIA

DAN FERNANDES GABRIELLY

1740191-7

1735988-1

1747472-8

PLANEJAMENTO

REDAÇÃO A+

CRIAÇÃO B+

PRODUÇÃO 1738178-9

O-

AB-

LEONARDO DIAZ

LETÍCIA REDUA

LETÍCIA CRUZ

RICARDO PORTO

1785513-6

1792253-4

1783358-2

1773728-1

ATENDIMENTO

MÍDIA

MARKETING

ATENDIMENTO


SUMÁRIO 1 2 3

INTRODUÇÃO

4 5 6

FUNDAMENTAÇÃO DE PESQUISA

APRESENTAÇÃO DO BEM DE CONSUMO OU SERVIÇO

7

PLANEJAMENTO DE CAMPANHA

8 9

CRIAÇÃO E PRODUÇÃO

ANÁLISE DE MICROAMBIENTE E MACROAMBIENTE

3.1. Microambiente 3.2. Macroambiente

ANÁLISE SWOT PLANEJAMENTO DE MARKETING 6.1. Público-alvo 6.2. Objetivos de Marketing 6.3. Ferramenta de Comunicação 6.4. Produto Comunicacional 6.4.1. Produto 6.4.2. Preço 6.4.3. Praça 6.4.4. Promoção

10

7.1. Objetivos de Comunicação 7.2. Objetivos de Campanha 7.3. Praça 7.4. Período de Campanha 7.5. Estratégias 7.6. Táticas 7.7. Ações

DADOS COLETADOS EM PESQUISA DE MERCADO E OPINIÃO REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS


INTRODUÇÃO


Em parceria com a Cruzeiro do Sul, a agência1 Prismar desenvolveu um projeto com o intuito de ajudar a conscientizar a cultura de doação voluntaria, a captação de novos doadores em razão ao baixo índice de sangue nos hospitais metropolitanos de São Paulo, e por fim não menos importante, estamos lutando contra os tabus para que haja a inclusão social de deficientes visuais, auditivos, físicos ou genéticos pois eles como qualquer outra pessoa tem direito de fazer as doações de sangue e serem respeitados pelo que são e principalmente pela garra que tem em viver cada dia e mostrar que não há limites para a solidariedade. Há grandes exemplos de luta pela doação voluntária de sangue, um deles citado pela fundação foi em 1939, quando chegou ao Brasil, a Sra.Leonora Carlota Osório, de origem austríaca. Abraçando o voluntariado, ingressou na Cruz Vermelha onde assumiu como bandeira o combate ao comércio de sangue e o incentivo à doação voluntária e altruísta de sangue. Em 25 de novembro, fundou a Associação Brasileira de Doadores Voluntários de Sangue (ABDVS). Foi condecorada em 30 países e recebeu título de presidente de honra da FIODSFederação Internacional das Organizações de Doadores Voluntários de Sangue Após 48 anos de luta em prol da causa, Carlota morreu

no Brasil aos 83 anos, deixando instituído no calendário nacional o Dia Nacional do Doador Voluntário de Sangue2, comemorado no dia 25 novembro, e seguidoras na luta pela causa do sangue como Maria Ivone Carrão de Mendonça, que deu continuidade ao trabalho em Brasília e, em 1997, convocou grupo de senhoras soroptimistas ( Clube de Serviço ) para iniciar em trabalho semelhante na Fundação Pró-Sangue Hemocentro de São Paulo. Assim, o voluntariado pela causa do sangue tomou vulto. O Corpo de Voluntários foi uma das 115 organizações sociais agraciadas pelo Centro de Voluntariado de São Paulo, em 2011, com o SELO DE ORGANIZAÇÃO PARCEIRA. Foi com este espirito de ajudar o próximo que elaboramos uma campanha de Live Marketing que vai permitir os convidados terem uma experiencia marcante e emocionante com a ajuda de óculos de realidade virtual, afinal ações demonstram sentimentos e nada melhor do que sentir para entender a importância desse projeto. Esta ação vai ser executada no evento Comic Con em dezembro de 2018, e as outras peças publicitarias vão ser divulgadas em outubro de 2018 para ajudar a alcançar em grande quantidade audiência em massa através das redes sociais, painéis de LED e brindes. A Prismar é um tecido vivo e renovável. É vital para a vida humana. Ela propaga

ideologias essenciais para todos os clientes e públicos do mundo. Sem ela, os consumidores morrem de inanição comunicativa. A Prismar tinha em média 3 hemácias, 2 leucócitos, 3 plaquetas e 2 plasmas, mas devido à imunidade baixa ocorreu a perda de alguns destes hemocomponentes, no entanto nossa Prismar regenera-se rápido e constantemente. A função básica do nosso tecido é a produção de campanhas diversas, modernas, descontraídas e surpreendentes focados nos mesmos objetivos, dedicando tempo e talento. Atualmente nosso tecido é composto pelos hemocomponentes: Alexander Gongalves, Alice Maria, Daniel Fernandes, Gabrielly Pereira, Leonardo Dias, Leticia Redua, Leticia Steffanie e Ricardo Porto. Sendo definida pela diversidade, flexibilidade e originalidade, o diferencial da Prismar é o fato de buscar incessantemente a melhor versão de si mesma, transmitindo dessa forma a sua autenticidade e de seus produtos.

Art 6º Agência de Propaganda é a pessoa jurídica especializada nos métodos, na arte e na técnica publicitários, que, através, de profissionais a seu serviço, estuda, concebe, executa e distribui propaganda aos Veículos de Divulgação, por ordem e conta de clientes anunciantes, com o objetivo de promover a venda de mercadorias, produtos e serviços, difundir idéias ou informar o público a respeito de organizações ou instituições a que servem. 2 Decreto de Lei nº 53.988, de 30 de junho de 1964. 1


APRESENTAÇÃO DO BEM DE CONSUMO OU SERVIÇO


Segundo a fundação a crença de que o sangue dá, sustenta e é capaz de salvar vidas vem de tempos remotos. Entretanto, foram necessários anos de estudos e pesquisas para a ciência descobrir sua real importância e dar a ele uso adequado. Até chegar esse dia, prevaleceram as práticas fundamentadas na intuição e no senso comum. Conta-se que, na Grécia antiga, os nobres bebiam o sangue de gladiadores mortos na arena, a fim de obterem a cura de diversos males, entre eles a epilepsia. Defendendo a sangria na cura de qualquer doença, o médico grego Galeno, reportando-se à teoria de Hipócrates, também concluiu pela existência de quatro humores no corpo humano: o sangue, a bile amarela, a bile negra e a fleuma. Em 1492, no Século XV, para se curar de grave enfermidade, o papa Inocêncio VIII foi convencido a ingerir o sangue de três jovens que acabaram morrendo anêmicos, sem que se conseguisse restabelecer a saúde do pontífice. As transfusões de sangue tiveram início no Século XVII realizadas experimentalmente em animais, a primeira transfusão de sangue é atribuída a Richard Lower em demonstração realizada em Oxford, em 1665. A primeira experiência em ser humano aconteceu dois anos mais tarde em 1667, em Paris. Seu autor foi Jean Baptiste Denis, professor de filosofia e matemática em Montpellier e médico do rei Luis XIV. Tomando um tubo de prata, Denis infundiu um copo de sangue de carneiro em Antoine Mauroy, de 34 anos, doente mental que peram-

bulava nu pelas ruas da cidade. Conta-se que após resistir a duas transfusões, Mauroy teria falecido provavelmente em consequência da terceira. Um fato curioso é que as transfusões de sangue nessa época eram heteróloga, isto é, com sangue de animais de espécies diferentes. Denis defendia a prática argumentando que, ao contrário do humano, o sangue de animais estaria menos contaminado de vícios e paixões. Considerada criminosa, a transfusão heteróloga foi proibida na Faculdade de Medicina de Paris e, posteriormente, na de Roma (Itália) e na Royal Society, da Inglaterra. As transfusões com sangue humano datam do século XIX. Embora proibidas, as experiências não foram de todo abandonadas. Em 1788, após tentativas fracassadas com transfusões heterólogas, Pontick e Landois obtiveram resultados positivos realizando transfusões homólogas (entre animais da mesma espécie), concluindo que elas poderiam ser benéficas e inclusive salvar vidas. A primeira transfusão com sangue humano é atribuída a James Blundell, em 1818 que, após realizar com sucesso experimentos em animais, transfundiu sangue humano em mulheres com hemorragia pós-parto. De acordo com a Fundação Pró-Sangue hemocentro de São Paulo que é uma instituição sem fins lucrativos, referência da América Latina, responsável pelo abastecimento de sangue a 300 hospitais da Região Metropolitana de São Paulo, o sangue é um tecido vivo que circula pelo corpo, levando oxigênio e nutrien-

tes a todos os órgãos, composto por plasma, hemácias, leucócitos e plaquetas. São cerca de 13.000 bolsas de sangue coletadas mensalmente, com destino para mais de 100 instituições de saúde como Hospital das Clínicas, Instituto do Coração e Instituto do Câncer de São Paulo. Uma bolsa de sangue é capaz de salvar quatro vidas, por isso a fundação prega a cultura de doação voluntária de sangue como ato de cidadania e solidariedade. O compromisso por parte do doador é fundamental, dada a seriedade do trabalho desenvolvido no esforço para que a desinformação e o preconceito, inimigos da formação de uma cultura de doação voluntária de sangue no país, sejam combatidos. Esse trabalho exige um grande senso de responsabilidade, que se traduz na assiduidade, pontualidade e dedicação.


ANÁLISE DE MICROAMBIENTE E MACROAMBIENTE


3.1 MICROAMBIENTE EMPRESA Criada em 1984, a Fundação Pró-sangue é uma instituição pública ligada à Secretaria do Estado da Saúde e ao Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. É o hemocentro referência da América Latina responsável pelo abastecimento de sangue a 300 hospitais da Região Metropolitana de São Paulo. Sua missão é fornecer sangue, hemocomponentes e serviços hemoterápicos concordantes com a legislação vigente e com os padrões internacionais de qualidade.

total rastreabilidade graças a um sistema infor- 1.248 fornecedores de bens e serviços cadasmatizado desenvolvido pela própria FPS que trados, reunidos por grupos de produtos. Utiliza engloba todo o ciclo do sangue. sistema informatizado de gerenciamento dos processos de compra, recebimento, armazenaSua sede está situada no 1º andar do prédio do Hospital das Clínicas e possui seis pos- gem, distribuição, consumo e follow-up, que é tos de coleta na grande São Paulo sendo eles: integrado com o sistema de Contabilidade. Hospital Mandaqui, Dante Pazzanese, Regional de Osasco, Municipal de Barueri, Clínicas O critério para seleção e qualificação e Geral de Pedreira. Coleta aproximadamente dos fornecedores é determinado em Edital atra32% do sangue consumido na região metrovés da exigência de requisitos como Certificapolitana de São Paulo. São cerca de 13.000 bolsas de sangue coletadas mensalmente, ção de Boas Práticas Fabricação de Produtos; com destino para mais de 100 instituições de Alvará Vigilância Sanitária; Registro Ministério saúde como Hospital das Clínicas, Instituto do da Saúde, Atestado Capacidade Técnica; ART Coração e Instituto do Câncer de São Paulo. registrada no CREA e documentos relacionaColetar sangue é um desafio diário, segundo dos à habilitação fiscal, financeira e jurídica. a Fundação Pró-Sangue, pois o sangue é fruto de solidariedade da doação e, em nosso país, O Edital caracterizado como instrumeninfelizmente são poucas as pessoas que prati- to convocatório dos procedimentos vem sendo cam esse gesto solidário. utilizado, principalmente, nas modalidades PreCLIENTE gão Presencial e Bolsa Eletrônica de Compras A Fundação Pró-Sangue Hemocentro (BEC), cujas práticas resultaram em expresside São Paulo é referência da América Latina, é vas diminuições nos preços para aquisição de uma instituição sem fins lucrativos, responsável materiais e serviços. A contagem do prazo repelo abastecimento de sangue a 300 hospitais cursal4 inicia-se a partir da data da publicação da Região Metropolitana de São Paulo. no DOE.

A Pró-Sangue3 desenvolveu e implementou em 1994 o Sistema Ciclo do Sangue, cujo principal objetivo é aumentar a segurança e agilizar o processamento das informações em todas as fases da operação, através da utilização do código de barras que também permite a interligação com os equipamentos de análises laboratoriais. Esse Sistema abrange todos os processos do ciclo operacional de um banco de sangue, desde a captação de doadores até o fornecimento para a transfusão, passando pela triagem, coleta, fracionamento, exames sorológicos, imuno-hematológicos e estocagem. Todos os processos e procedimentos da FPS estão certificados pela ISO 9001/2008 e acreditados pela Associação Americana de Bancos FORNECEDORES PÚBLICOS de Sangue (AABB); e estão embasados nos pi A Pró-Sangue possui em seu cadastro Homens e mulheres de 19 a 39 anos da lares: segurança, qualidade e reprodutibilidade. 3 4

Lei Estadual de criação nº 3.415, de 22 de junho de 1982 - art. 1o da Lei nº 4.186/84. Art. 109 inciso I ou § 6º do inciso III da Lei de Licitação 8666/93.


classe B. A classe B é a segunda que mais doa sangue segundo pesquisas e para a campanha representa segmento formador de opinião, trazendo mais doadores para a Fundação e contribuindo com a cultura de doação de sangue. INTERMEDIADORES Agências de publicidade Ao longo de sua existência, a Fundação Pró-Sangue tem encontrado contribuições preciosas nesse segmento, merecendo destaque campanhas como: • “Faça um gesto de amor ao próximo. Doe Sangue.” Cartazes, folhetos, ban- ner, mala direta, anúncio, filme e spot. Agência Publicis Brasil - 2015 • “Donation Week (2º edição)”. Carta- zes, folhetos, banner, mala direta, anúncio, filme e spot. Agência Publicis Brasil - 2015 • “Donation Week (1º edição)”. Carta- zes, folhetos, banner, mala direta, anúncio, filme e spot. Agência Publicis Brasil - 2014 • “Doe Sangue e Passe a Bola para um Amigo”. Cartazes, folhetos, banner, mala direta, anúncio, filme e spot. Agên cia Publicis Brasil - 2011 • “Balão”. Cartazes, folhetos e banner. Agência Agevole - 2010 • “Medalha do Doador”. Cartazes, folhe-

tos e banner - 2009 • “Doe Sangue. Seja Feliz”. Cartazes, folhetos e banner. Agência Agevole - 2007 • “Prove que seu sangue passa mesmo pelo coração. Doe”. Cartazes, folhetos e malas diretas. Agência Colucci - 2006 • Projeto Doadores do Amanhã. Agência Domani Propaganda - 2006 • Pró-Sangue 20 anos. Desenvolveu a campanha, as malas diretas enviadas aos doadores e o site. Agência ESPM - 2004 • “Lugar de sangue não é nos estádios”. Anúncio. Agência Publicis Norton - 2002 • “Quando falta sangue é a mesma coisa”. Anúncio. Agência Publicis Norton - 2002 • “Hoje é dia de quem conhece bem o significado da palavra doar. 12 de maio: dia de todos aqueles que têm coração de mãe”. Agência Publicis Norton - 2002 • “Lugar de sangue não é na rua”. Homenagem ao aniversário da cidade de São Paulo, veiculada gratuitamente no jornal Gazeta Mercantil. Agência Publicis Norton - 2002 • “Hoje é dia do Exército da Salvação”. Homenagem ao Dia Nacional do Doador Voluntário de Sangue, veiculada gratuitamente nas revistas

Época, Isto É Gente e Revista da Folha. Agência Publicis Norton - 2001 • “Quem doa sangue doa vida”. Agência Publicis Norton - 2001 • “Mostre que Você tem Bom Coração”. Agência Publicis Norton - 1998 • “Mulher na Fábrica da Vida”. Agência Nestlé - 1998 • “Super Heróis”. Conquistou medalha de bronze do prêmio Mídia Impressa do Ano, da Revista Criação. Agência DPZ - 1998 • “Doe sangue: com um pequeno gesto você salva uma vida”. Composta por filmes para TV, outdoors, anúncios para revista e folhetos. Agência Fisher & Justus - 1994 • “Doe sangue: muitas vidas estão por um fio”. Agência Positiva Propaganda e Marketing - 1994 • “Prepare-se para ver um filme de terror sem uma gota de sangue. Ajude o banco de sangue do Hospital das Clínicas a realizar histórias de amor. Com muito sangue”. Agência Demasi Comunicações – 1992.

CONCORRENTES No meio das pessoas que doam sangue existe muita coisa que elas não sabem, de acordo com Elaine franco o doador acredi-


ta que ao se dirigir até algum hemocentro para tipo de vírus, manutenção dos ambientes de doar sangue está realizando um gesto de so- armazenamento das bolsas, etc. que é o que lidariedade que realmente é o problema é que encarecem o produto caso o sangue. as pessoas acham que se caso um dia precise de doação também se beneficiará no futuro. As pessoas não sabem que ao realizarem esse gesto muito importante para o ser huÉ justamente aí que as pessoas se en- mano estão contribuindo para um mercado caro ganam elas pensam que se fizeram uma do- e obscuro que transforma o sangue chamado ação de forma gratuita se um dia por alguma de liquido vermelho num produto extremamensituação precisar de sangue receberia de forma te valioso e automaticamente raro por conta do gratuita também, mas isso não é o que acon- seu valor, não é à toa que os profissionais da tece. Quem já passou por alguma situação do área que convivem com esses procedimentos tipo em algum hospital particular para fazer seja no dia a dia chamam o plasma de “Ouro Líquiuma cirurgia ou qualquer outro procedimento do”. que precise de sangue se assustou com o valor da conta a pagar antes da saída do hospital. ‘Ao ponto de transformar o sangue em um artigo extremamente caríssimo e raro, valendo Só com bolsas de sangue em procedi- muito mais até mesmo que o petróleo, que mentos as famílias podem chegar a gastar 10 assim como o sangue, é fracionado em vários mil reais ou mais. Difícil mesmo é imaginar que subprodutos. Fazendo com que esse mercaquando o paciente é atendido pelo SUS num do movimente anualmente muito dinheiro, de hospital na maioria das vezes de grande por- petróleo 500 bilhões de dólares e o de plasma te. O sangue que todos sabem que é doado de é de 20 bilhões de dólares em média. O barril graça às instituições, chega a custar um valor bruto de petróleo vale creca de 25 dólares e o que muitas das vezes nem imaginamos cerca de derivados contidos num barril é de 45 dólade mil e quinhentos reais por litro depois de res. Já o de um barril de plasma bruto vale em todo o processo de coleta e armazenamento média 16 mil dólares e o valor dos hemoderivadas bolsas. O que as instituições dizem a res- dos contidos num barril por incrível que pareça peito desse valor é que os custos são referen- é de 70 mil dólares. Analisando esses dados é tes aos pagamentos dos profissionais da área, possível perceber a supervalorização do sanexames e testes para a identificação de algum gue no país.

3.2 MACROAMBIENTE DEMOGRÁFICO Segundo pesquisas realizadas pelo IBGE CENSO 2010, a população brasileira em comparação a 10 anos atrás está em alta e segue crescendo e se modificando. Nas pesquisas realizadas no ano 2000 e 2010 foi diagnosticado um crescimento de 12,3%, cerca de 20.933.524 pessoas. É notório que a região sudeste é a mais habitada do país, atualmente conta com 80.353.724 milhões, e São Paulo, consequentemente, acaba sendo o estado com o maior número de habitantes, 41.252.160 milhões. Nos gráficos abaixo vemos uma representação do número de homens e mulheres na faixa dos 19 aos 39 anos de idade residentes em São Paulo.


Em uma matéria lançada pela BBC Brasil, Júnia Guimarães Mourão, presidente da Fundação Hemominas, comenta as deficiências estruturais e que um dos fatores pelo qual o Brasil pode ter dificuldade em relação a doação de sangue é por conta de acontecimentos históricos e heranças culturais. A mesma relembra quem meados dos anos 80 alguns hemocentros remuneravam a prática de doação, o que pode ter levado a sociedade a esquecer a verdadeira importância de doar sangue, deixando de lado assim a voluntariedade para então ganhar dinheiro. Para uma reflexão, no gráfico a seguir vemos a distribuição da população brasileira por classes sociais.

Segundo dados do Governo do Brasil, os brasileiros que mais doam sangue, cerca de 42% desse todo, são jovens de 18 e 29 anos de idade, e num total, 60% dos doadores são homens, que em média chegam até a doar qua-

tro vezes ao ano, enquanto que as mulheres três vezes. Em outra pesquisa realizada pelo Ministério da Saúde nos mostra que o índice de doadores brasileiros corresponde a 1,6% da população, o que é relativamente maior ao recomendado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) que seria de 1%, porém, o atual número registrado ainda continua sendo baixo, pois ele nos mostra que a cada 1000 habitantes apenas 16 fazem doação de sangue, a expectativa é de que esses números podem melhorar e chegar aos 3% em um futuro próximo. Conforme as pesquisas realizadas pelo IBGE identificaram que, no Brasil, 24,5 milhões de pessoas (14,5% da população) têm algum tipo de deficiência, desde alguma dificuldade para andar, ouvir e enxergar, até as graves lesões incapacitantes. Foram detectados, nesse total de 24,5 milhões, 48% de pessoas com deficiência visual, 23% com deficiência motora, 17% com deficiência auditiva, 8% com deficiência intelectual e 4% com deficiência física. A metodologia adotada incluiu, na contagem, muitos idosos que apresentavam dificuldades para se locomover, ver ou ouvir. Ao considerar apenas as pessoas com limitações mais severas (autopercepção de incapacidade), o percentual encontrado foi de 2,5% do total da população, ou seja, 4,3 milhões de pessoas.”

Só entre 2001 e 2006 o aumento da participação dessa parcela da população no mercado de trabalho aumentou 5.000%. Ou seja: é um público ativo, que participa consideravelmente do mercado e, a cada geração, é possível observar a ascensão progressiva dos seus rendimentos. Ao total, são quase 46 milhões de brasileiros que estão na cadeia de consumo, mas que têm necessidades diferentes a serem atendidas, porém independente de suas necessidades este público é ativo e pode ser considerado uma grande oportunidade de crescimento de mercado.

TECNOLÓGICO Para incentivar doadores, algumas instituições disponibilizam aplicativos para celulares e web que mobilizam os doadores. Como Blonder, aplicativo da web que conecta quem está precisando de sangue com quem pode doar. Vinculado com a conta do Facebook indica se você quer receber ou doar sangue, além


disso indica o hemocentro mais próximo do do- Segundo as entidades, o orçamento ador. mais curto fez com que muitas famílias modificassem a rotina de compras, além de repensar Existem também aplicativos com des- algumas de suas prioridades. Mais da metade conto como o Bloodify que oferece cupons de usam de cautela extra, evitando o consumo de desconto para quem dor doar sangue. Grandes produtos supérfluos, esse percentual aumenempresas como Magazine Luiza fazem campa- ta para 68% entre os mais velhos e 69% entre nha e disponibilizam aplicativos para conquis- os pertencentes às classes A e B. Outros 55% tar novos doadores. Apesar disso muitos fato- reduziram os gastos com lazer, enquanto 54% res ainda impedem a o aumento de doadores passaram a fazer pesquisas de preço antes de como a restrição de doação pelo público LGBT, adquirir um produto e 52% ficaram mais atenoutro motivo é a falta de conscientização e mo- tos às promoções, buscando preços menores. bilização das pessoas. Por isso algumas iniciativas tecnológicas estão trabalhando para tra- Economizar passou a ser comum para zer vantagens aos doadores de sangue. Dentre boa parte dos entrevistados: entre os consumielas está o Hemotify plataforma gratuita que dores que afirmaram ter mudado seus hábitos conecta possíveis doadores aos hemocentros financeiros, 51% buscaram economizar nos via notificações pelas redes sociais enviando serviços de luz, água e telefone, pensando no alertas para os doadores para os grupos san- valor da conta; 46% adotaram a substituição de guíneos mais necessitados. produtos por marcas similares mais baratas; 44% passaram a controlar os gastos pessoais ECONÔMICO e/ou da família; e 43% passaram a evitar parce O site diário de Pernambuco consta que lamentos muito longos. 72% dos brasileiros mudaram a sua rotina financeira por causa da crise econômica. Con- A atitude menos adotada a partir da criforme as pesquisas do Serviço de Proteção ao se econômica foi o hábito de poupar ao menos Crédito e da Confederação Nacional de Diri- uma parte dos rendimentos, mencionada por gentes Lojistas oito em cada dez consumidores apenas 26%. “Cada família encontrou um jeipretendem manter os hábitos caso a crise seja to de lidar com a situação, fazendo as desperesolvida em 2018. Somente 19% garantem sas caberem no orçamento. Em momentos de não ter feito mudanças. sufoco financeiro, é importante os consumido-

res ficarem mais atentos aos gastos com itens supérfluos ou desnecessários e controlarem os gastos pessoais, mas atitudes como essas são recomendáveis em qualquer contexto para uma prosperidade financeira. Além disso, ter uma reserva financeira te ajuda a passar por momentos de crise com segurança e tranquilidade”, destaca a economista-chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti. Em relação aos sentimentos vivenciados com a mudança de hábitos decorrente da crise, a pesquisa indica que quatro em cada dez entrevistados sentiram alívio e tranquilidade por não estourar o orçamento, enquanto 36% relatam alegria por conseguir manter pelo menos o essencial. Em contrapartida, 32% mencionam frustração por deixar de comprar certos produtos de que gostam e 31% fazem referência à limitação de querer comprar e não poder. Além disso, um em cada cinco consumidores se sente constrangido por não poder dar para família o que eles desejam. Ainda assim, as mudanças parecem ter sido bem assimiladas pela grande maioria dos entrevistados: supondo que a situação do país melhore em 2018, 83% pretendem manter os hábitos que adquiriram durante a crise e somente 8% pretendem abandoná-los.


Para o SPC Brasil e CNDL, essa disposição para manter atitudes adotadas no período de adversidades está relacionada aos efeitos positivos nas finanças pessoais: 52% poderiam dar continuidade aos hábitos adotados por terem conseguido administrar melhor o orçamento, enquanto 51% dizem ter aprendido a economizar dinheiro, 50% passaram a controlar o impulso por compras e 47% aprenderam a fazer compras melhores. Por outro lado, o desejo de recuperar o antigo padrão de consumo levaria parte dos entrevistados a abandonar as práticas adquiridas no período de adversidades. Dentre aqueles que mudaram seus hábitos em relação ao dinheiro durante a crise, mas voltariam ao antigo padrão de comportamento em caso de melhora do cenário econômico, 44% fariam isso porque querem voltar ao tipo de vida que tinham antes, ao passo em que 26% não se sentiriam mais inseguros em relação ao futuro e por isso não precisariam mais se controlar. “Foram quase três anos consecutivos de recessão, que se estendeu de meados de 2014 ao final de 2016, mas a economia brasileira voltou a crescer em 2017, ainda que em ritmo bastante lento. Por outro lado, o quadro geral da economia ainda é ruim, com poucos reflexos positivos diretos no dia a dia do consu-

midor. Portanto, é importante que as pessoas mantenham a prudência nos gastos e priorizem o planejamento e o controle do orçamento”, indica a economista Marcela Kawauti. CULTURAL A Organização Mundial da Saúde (OMS) informa que as explicações mais comuns para falta de doação de sangue vêm de; uso de medicamentos (10%), tatuagens feitas com menos de um ano (8%), e infecções ou febre (7%). Uma das mais comuns também acaba sendo a anemia, sendo que aproximadamente 30% da população mundial terá anemia ao menos uma vez na vida, e isso se deve ao fato das pessoas cada vez mais estarem consumindo alimentos que são desprovidos de ferro, o que impacta diretamente no sague. Durante o período de inverno e a chegada das férias e festas de finais de ano também diminuem drasticamente as doações de sangue nos hemocentros.

A ONU diz que no Brasil somos os que mais arrecadamos sangue na América Latina, mas que isso ainda é um número muito baixo comparados a outros países ao redor do mundo quando se analisa o total de doações do continente americano ficamos atrás de Estados Unidos e Canadá por exemplo. Porém no Brasil 6 a cada 10 doadores são voluntários aqueles que doam com bastante frequência por puro ato de solidariedade e compaixão com o próximo sem se preocupar pra onde vai esse sangue ou quem vai receber, isso significa 59,52% dos doadores brasileiros porcentagem bastante baixa comparado 100% de doares voluntários de Cuba, Nicarágua, Colômbia 84,38% e Costa Rica 65,74%. O restante dos doadores brasileiros que correspondem a 40,48% são doadores eventuais de reposição que doam em situações de necessidade por questões pessoais ou seja quando um parente, amigo ou algum conhecido precisa de doação os profissionais da área dizem que os doadores de frequência são melhores para ter um controle em relação as qualidades do sangue.

Pessoas entre 16 e 69 anos podem doar sangue se quiserem, quando forem menores de 18 anos somente com o consentimento e autorização dos pais ou responsável legal quando tiver idade entre 60 e 69 anos somente se já tiver doado antes dos 60 anos de idade para No Brasil segundo dados do Ministéevitar qualquer tipo de complicação em relação rio da Saúde no ano de 2014 foram coletadas a saúde do doador e pesar no mínimo 50 kilos. mais de 3,7 milhões de bolsas de sangue um número muito bom comparado ao ano anterior


200 mil bolsas a mais do que em 2013 e com isso as transfusões de sangue também cresceram 6,8% no mesmo período 3,3 milhões em 2014 comparados aos 3 milhões de 2013. Isso significa que o Brasil tem bastante doadores, mas que esse número poderia ser muito maior segundo os especialistas do setor da saúde o Ministério da Saúde tem como meta nos próximos anos aumentar significavelmente as doações em torno de 2.3% a mais da população de doadores ao redor do país.

NATURAL A Pesquisa Nacional de Saneamento Básico 2000, realizada pelo IBGE, revela uma tendência de melhora da situação de destinação final do lixo coletado no país nos últimos anos. Em 2000, o lixo produzido diariamente no Brasil chegava a 125.281 toneladas, sendo que 47,1% era destinado a aterros sanitários, 22,3 % a aterros controlados e apenas 30,5 % a lixões. Ou seja, mais de 69 % de todo o lixo coletado no Brasil estaria tendo um destino adequado, em aterros sanitários e/ou controlados. Todavia, em número de municípios, o resultado não é tão favorável: 63,6 % utilizavam lixões e 32,2 %, aterros adequados (13,8 % sanitários, 18,4 % aterros controlados), sendo que 5% não informou para onde vão seus resíduos. Em 1989, a PNSB mostrava que o percentual Regulamentada o art. 26 da LEI nº de municípios que vazavam seus resíduos de 10.205, de 21 de março de 2001, que dispõe forma adequada era de apenas 10,7 %. sobre a coleta, processamento, estocagem, distribuição e aplicação do sangue, seus com- Os números da pesquisa permitem, ponentes e derivados, e estabelece o ordena- ainda, uma estimativa sobre a quantidade comento institucional indispensável à execução letada de lixo diariamente: nas cidades com adequada dessas atividades como também a até 200.000 habitantes, são recolhidos de 450 proibição de remuneração ao doador, ou co- a 700 gramas por habitante; nas cidades com mercialização de coleta, estocagem, distribui- mais de 200 mil habitantes, essa quantidade ção e transfusão de sangue. aumenta para a faixa entre 800 e 1.200 gra das aos vírus HTLV I e II e Doença de Chagas. Além das doenças como malária, Herpes Zoster, • Gravidez e partos; • Uso de drogas ilícitas injetáveis; • Ingestão de bebida alcoólica nas 12 horas que antecedem a doação; • Tatuagem / maquiagem definitiva nos últimos 12 meses; • Qualquer procedimento endoscópico, extração dentária, cirurgias e vacina contra gripe. Além disso, está incluído no calendário oficial do Estado o “Dia Estadual do Doador Voluntário Sangue” que é comemorado anualmente no dia 22 de junho. A LEI Nº 13.771 entrou em vigor no dia 21 de outubro de 2009.

Na triagem de doadores, a Fundação Pró-Sangue obedece a normas nacionais e internacionais. O alto rigor no cumprimento dessas normas visa oferecer segurança e proteção ao receptor e ao doador. Abaixo estão requisitos básicos para poder doar: • Ter entre 16 e 69 anos e pesar no mínimo 50kg; • Estar alimentado (evitar alimentação gordurosa nas 4 horas que antecedem a doação); • Apresentar documento original com foto recente, que permita a identificação do candidato, emitido por órgão oficial Impedimentos: •Evidência clínica ou laboratorial das seguintes doenças infecciosas mas por habitante. A PNSB 2000 informa que, Segundo o hemocentro de São Paulo o na época em foi realizada, eram coletadas transmissíveis pelo sangue: Hepatites B e C, AIDS (vírus HIV), doenças associa- paciente que sentir que seu sangue não deve 125.281 toneladas de lixo domiciliar, diariamen-


te, em todos os municípios brasileiros.

possam apresentar risco de infecção”.

Em 2000, a situação de disposição e tratamento dos resíduos sólidos de serviços de saúde (RSS) melhorou, com 539 municípios encaminhando-os para aterros de resíduos especiais (69,9 % próprios e 30,1 % de terceiros), enquanto em 1989 apenas 19 municípios davam este destino aos resíduos sólidos. Em número de municípios, 2.569 depositam nos mesmos aterros que os resíduos comuns, enquanto 539 já estão enviando-os para locais de tratamento ou aterros de segurança. A pesquisa mostra, também, que, entre os municípios com mais de 500.000 habitantes que destinam o lixo séptico em vazadouros a céu aberto, estão Campo Grande (MS), São Gonçalo (RJ), Nova Iguaçu (RJ), Maceió (AL) e João Pessoa (PB).

De acordo com a Pró-Sangue Hemocentro de São Paulo, todo o material usado para a coleta de sangue é individual e descartável, estéril e epirogênico (não causa febre) o que dá ao doador a certeza de que não há nenhum risco de o mesmo contrair alguma doença.

De acordo com a Resolução Nº 306 de 07 de dezembro de 2004 da Agência Nacional de Vigilância Sanitária e a Resolução do Conselho Nacional do Meio Ambiente - CONAMA nº 358 de 29 de abril de 2005, que dispõe sobre o tratamento e disposição final de resíduos de serviços de saúde e dá outras providências, o grupo A é classificado como: Resíduo Biológico - Infectante, “Resíduos com a possível presença de agentes biológicos que, por suas características de maior virulência ou concentração,

POLÍTICO-LEGAL As leis que regem a Fundação Pró-Sangue Hemocentro de São Paulo, são: • Lei 9.790/99 do Terceiro Setor - Qualificação proveniente - Art. 9º Fica instituído o Termo de Parceria, assim considerado o instrumento passível de ser firmado entre o Poder Público e as entidades qualificadas como Organizações da Sociedade Civil de Interesse Público destinado à formação de vínculo de cooperação entre as partes, para o fomento e a execução das atividades de interesse público previstas no art. 3º desta Lei. • Lei Federal de Incentivo à Cultura é a denominação dada a Lei nº 8.313 do dia 23 de dezembro de 1991. • Lei de doação de sangue - Art. 2.º - §2.º parágrafo - a fundação atuará em harmonia com o “Programa Nacional do Sangue e Hemoderivados Pró Sangue”,

do Ministério da Saúde, constituindo - se em Centro Estadual de Hematologia e Hemoterapia, devendo articular - se com os subcentros regionais, implanta dos no Estado, de acordo com o programa estabelecido pela Secretaria Estadual da Saúde” (Redação dada pelo art. 1o da Lei nº 4.186/84) e terá como principal finalidade fornecer sangue e derivados, preferencialmente para os hospitais governamentais e, em havendo excedentes, para outros hospitais. No Art. 473 - O empregado poderá deixar de comparecer ao serviço sem prejuízo do salário - IV - por 1 (um) dia, em cada 12 (doze) meses de trabalho, em caso de doação voluntária de sangue devidamente comprovada. • Lei nº 13.771, de 21 de outubro de 2009 - Artigo 1º - Fica incluído no Calendário Oficial do Estado o “Dia Estadual do Doador Voluntário de Sangue”, a ser comemorado, anualmente, no dia 22 de junho. • Lei nº 13.146, de 6 de junho de 2015 - Art. 1º É instituída a Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência (Estatuto da Pessoa com Deficiência), destinada a assegurar e a promover, em condições de igualdade, o exercício dos direitos e das liberdades fundamen-


tais por pessoa com deficiência, visan do à sua inclusão social e cidadania.

Parágrafo único. Esta Lei tem como base a Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência e seu Protocolo Facultativo, ratificados pelo Congresso Nacional por meio do Decreto Legislativo nº 186, de 9 de julho de 2008, em conformidade com o procedimento previsto no § 3º do art. 5º da Constituição da República Federativa do Brasil, em vigor para o Brasil, no plano jurídico externo, desde 31 de agosto de 2008, e promulgados pelo Decreto nº 6.949, de 25 de agosto de 2009, data de início de sua vigência no plano interno.


FUNDAMENTAÇÃO DE PESQUISA


4.1 LEVANTAMENTO DE DADOS SECUNDÁRIOS - A DOAÇÃO DE SANGUE E SUA DISTRIBUIÇÃO

sileira (Hemoprod) tem entre seus destaques o fato de o maior percentual de doadores ser do sexo masculino, tendência que tem se mantido pelo menos desde 2012, quando 63% das doações de sangue foram feitas por homens. No Uma pesquisa feita pelo IBGE indicou que o último ano analisado, 2015, eles foram responBrasil tem 207,7 milhões de habitantes e cersáveis por 59,2% das doações, contra 40,7% ca de 3,5 milhões de pessoas realizam transdas mulheres. fusões de sangue. No total, existem no país 27 hemocentros e 500 serviços de coleta. Segundo a OMS, com dados de 2011, 1 bilhão de pessoas vivem com alguma deficiência – isso significa uma em cada sete pessoas no mundo. Quase 24% da população brasileira é composta por pessoas que possuem algum tipo de deficiência. De acordo com o último Censo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, o Brasil possui 45 milhões de Pessoas com Defi- De acordo com o relatório da Anvisa, ciência (PCDs). houve também uma queda no número total de Vários hospitais estão desenvolvendo companhas para a conscientização do ato de cidadania e solidariedade que é doar sangue, afinal ações demonstram sentimentos. Por ser uma instituição com grande influência na américa latina a pró-sangue tem como missão disseminar a cultura de doação de sangue voluntaria. Com dados coletados até 2015, o 4º Boletim de dados de Produção Hemoterápica Bra-

candidatos à doação. Em 2015, foram aproximadamente 4 milhões, enquanto em 2014 foram 4,2 milhões — o maior número já registrado no Hemoprod nesse quesito. Em compensação, o índice superou o de 2013, quando apenas 3,7 milhões de brasileiros se candidataram. A média anual, de 2010 a 2015, foi de 3,9 milhões de pessoas dispostas a doar

Pelo número de coletas realizadas em comparação com o total de candidatos à doação no ano de 2014, foram considerados aptos à doação de sangue 17,3 a cada 1.000 habitantes do país. Para este cálculo, adotou-se o quantitativo estimado da população brasileira naquele ano (203.492.428 habitantes) divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Em 2015, esse dado foi de 15,4 doadores/1.000 habitantes.


O Brasil, desta forma, apresenta uma taxa de doadores de sangue voluntários mais alta do que os países de média renda, que é de 11,7 doadores/1.000 habitantes, de acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS). Em relação ao perfil de tipo sanguíneo dos doadores, o relatório da Anvisa observa que existe uma prevalência dos tipos O e A. Mais recorrente, o tipo O+ é o de 43% da população de doadores. E o A+ é doado por 30%. O mais raro é o AB-, doado apenas por 0,5%. O boletim foi preparado pela área técnica da Anvisa chamada Gerência de Sangue, Tecidos, Células e Órgãos reúne informações a respeito do perfil do doador de sangue, além de produção, transfusão e descarte de hemocomponentes nos serviços hemoterápicos brasileiros.

Em 2017, 3,3 milhões de pessoas doaram sangue e 2,8 milhões fizeram transfusão sanguínea no país. Do total de doadores, 60% são homens. O país conta com um total de 32 hemocentros coordenadores e 2.034 serviços de

hemoterapia. A previsão para 2018 é de um investimento de R$ 1,3 bilhão na rede de sangue e hemoderivados. Os recursos são destinados a estruturação da rede nacional para a modernização das unidades, qualificação dos profissionais e processos de produção da Hemorrede, além do fornecimento de medicamentos de alto custo a pacientes para atenção aos pacientes portadores de doenças hematológicas.


ANÁLISE SWOT


FORÇAS

• • • • •

É o hemocentro de referência da América Latina; Possui 5 postos fixos para a doações de sangue; Postos ficam em boas localizações; Tem um bom atendimento e infraestrutura; Tem variedade de fornecedores;

OPORTUNIDADES • Pessoas com deficiência tem participação ativa no mercado; • Aplicativos que auxiliam para as doações, conectam quem está precisando de sangue com que pode doar; • Publico de classe B receptivos e com grande poder de formação de opinião;

FRAQUEZAS

• Falta de contribuição de doadores; • Marketing pouco agressivo; • Pouco investimento em propaganda;

AMEAÇAS

• Aumento do número de concorrentes dada a nova tendência; • Falta de informações e tabus criados pela sociedade; • Falta de contribuição de doadores por uso de medicamentos, tatuagens, infecções ou febre e anemia;

Embora a Fundação Pró-Sangue seja o hemocentro referencial da américa latina e tenha uma boa infraestrutura, ainda enfrenta problemas de captação de recursos devido à falta de investimento em suas campanhas e pela falta de informações das pessoas. E as poucas informações que a população tem abre margens para as criações de tabus.


PLANEJAMENTO DE MARKETING


6.1 PÚBLICO - ALVO Homens e mulheres de 19 a 39 anos da classe B. A classe B é a segunda que mais doa sangue segundo pesquisas e para a campanha representa segmento formador de opinião, trazendo mais doadores para a Fundação e contribuindo com a cultura de doação de sangue.

6.2 OBJETIVOS DE MARKETING

• Aumentar share of mind para 50% com uma campanha para intensificar marca e torná-la mais conhecida; • Aumentar em 22,4% o número de doações em apenas um ano, um total de 191 mil bolsas de sangue; • Captar em 10% novos doadores e fidelizar os existentes; • Aumentar em 10% a credibilidade da fundação;

6.3 FERRAMENTA DE COMUNICAÇÃO

As ferramentas escolhidas para a divulgação das campanhas foram: as redes sociais (Facebook, Instagram e YouTube) devido ao baixo custo, facilidade de criar relacionamentos com clientes, possibilitar a troca de conhecimento entre emissor e receptor, impulsionar o aumento das vendas, além da empresa poder acompanhar de perto as opiniões dos seus possíveis consumidores.

Os painéis de LED (mobiliário urbano), já que além de atingir todos os segmentos na mesma proporção, ser uma mídia com penetração abrangente e ter baixo custo, ela emite movimento de luzes com alta intensidade sendo notados por todos, tem uma enorme variedade de cores, movimentos e dinamismo nos anúncios, entretendo e melhorando a experiência do público.

Prismar elaborou uma ação de Live Marketing que vai permitir os convidados tenham uma experiencia marcante e emocionante com a ajuda de óculos de realidade virtual, afinal ações demonstram sentimentos e nada melhor do que sentir para entender a importância desse projeto. Para poder participar de qualquer atração do evento o público terá que fazer um cadastro com nome, número e E-mail, e na saída das atividades o indivíduo ganhará um material in E por fim não menos importante, a divul- formativo como brinde, nele terá curiosidades e gação por meio de brindes devido ao poder de informações sobre projeto além de adquirir um encantar e conquistar a simpatia do cliente, o chaveiro. objetivo é que ao ver o brinde automaticamente o cliente lembre-se da nossa marca e fixe a Vamos entender primeiro como a realiideia positiva da empresa. dade virtual funciona, de modo geral, a VR é um tipo de tecnologia vestível que, comumente, é apresentada em forma de óculos ou capacete para que ambiente virtual mantenha o usuário imergido em um ambiente criado digitalmente. 6.4.1 PRODUTO O maior festival de cultura pop do mun- Uma das bases da ilusão visual de uma nova do vai comemorar 5 anos no Brasil com mais de realidade é forjar a atual. Para isso, uma sim115 mil m² de muita cultura pop, com a presen- ples imagem plana passada diante de nossos ça de grandes artistas nacionais e internacio- olhos não basta. A mesma poderia simplesnais dos quadrinhos, celebridades de cinema, mente ser encarada como algo falso. É aí que séries e TV, games, música, área reservada de entra um dos trunfos da realidade virtual. Com foto e autógrafo e auditórios para exibição de o uso da estereoscópica, a ilusão de profundipré-estreias, conteúdos exclusivos, painéis e dade é criada, apresentando mais um elemento de imersão para a realidade virtual. Para que bate-papos. isso aconteça, duas imagens diferentes são ge Para o evento da Comic Con a agência radas, uma para cada olho. O efeito consiste na

6.4 PRODUTO COMUNICACIONAL


interpretação do cérebro de que as duas ima- cutor. gens na realidade são uma só. Além destes óculos inteligentes a star A Prismar vai trazer para o evento Co- tup, uma empresa norte-americana desenvolmic Con a cadeira multifuncional 3D criada pela veu um sistema capaz de traduzir a linguagem empresa japonesa Koei Tecmo, que possibilita de sinais em texto, derrubando as barreiras de as pessoas a sentir cheiros, sensações e mo- comunicação. A partir de um tablet com duas vimentos de acordo com a situação vista nos câmeras, o software identifica os gestos do óculos de realidade virtual. No ambiente reser- surdo em um espaço virtual 3D, traduzindo vado para colocar o jogo terá um painel de LED para palavras em inglês e reproduzindo atraonde ficará uma chamada para atrair os convi- vés de uma voz automatizada. O app também dados e estimula-los a participar da simulação. é capaz de realizar o caminho inverso, ou seja, transformar as frases ditas pelo interlocutor em O convidado que estiver participando texto, para que o surdo possa ler. Atualmente, da simulação passará por situações nas quais o sistema conta com apenas 300 palavras capessoas que carecem de sangue passam. No dastradas, mas seus idealizadores pretendem painel de LED as chamadas vão “conversar” chegar a 1.500 no próximo ano, quando o procom o público, conscientizando e estimulando duto for distribuído para teste beta. De acordo a cultura de doação de sangue, o intuito do jogo com a Time, o software desenvolvido é capaz não é ganhar mais sim mostrar o que muitas de aprender novos termos, e manter assim as pessoas sentem pela falta de sangue. características da linguagem regional e as expressões mais utilizadas por seus usuários. Outra grande atração será os óculos inteligentes desenvolvidos pela empresa Or- Por fim, também vamos contar com o Cam My Eye que conta com fones de ouvido programa de coleta externa de doação de sanembutidos. O acessório utiliza uma tecnologia gue que a Fundação desenvolveu. Para esta de detecção de caracteres para ler o conteúdo atividade vamos contar com uma equipe forde textos para os usuários. Somando-se a isso, mada por médicos, enfermeiros, biologistas e o sistema permite ler e reconhecer a face das auxiliares das áreas técnica e administrativa, pessoas para quem o portador está olhando, lanche, cadeiras para doação e equipamentos, informando-o sobre a identidade de seu interlo- tudo isso para garantir a segurança e o bem-

estar dos nossos doadores.

6.4.2 PREÇO RECEITA A verba disponível para a Agencia Prismar trabalhar em cima de uma ação de Live Marketing para a Fundação Pró-Sangue, no evento da Comic Con Experience 2018 é de R$500.000,00. PARCERIAS • OrCam MyEye (Óculos de realidade virtual); • Koei Tecmo (Cadeira Multifuncional 3D); • MotionSavvy (Tablet para deficientes auditivos);


LISTA COM VALORES PRODUTO/SERVIÇO Mesa dupla Comic Con

DESCRIÇÃO Mesa com 2,80m de frente por 0,50m de largura, com duas cadeiras e uma tomada 110 v/220 v.

UNIDADE

Evento

R$

Unidade

Desenvolvimento do Sofware (Game)

Jogo desenvolvido em formato Rift

Unidade

Cadeira multifuncional 3D VR SENSE

Painel Led Indoor Full Color Mídia Fly Aéreo 256x128 Para Shows E Eventos P10

Serviço

26.540,00

Tablet MotionSavvy

Tablet com dois tipos de tecnologia que permitem traduzir a linguagem gestual para áudio e o som para texto escrito.

Unidade

3.000,00

Painel de Vídeo

Painel Led Indoor Full Color Mídia Fly Aéreo 256x128 Para Shows E Eventos P10

Unidade

15.579,00

Balcão PEAD

Balcão desmontável com corpo em PEAD, ideal para feiras, promoções e eventos

Unidade

370,00

Impressão colorida

Unidade

Folder Aberto

14.900,00

DESCRIÇÃO

UNIDADE

R$

Pulseira personalizada da fundação Pró-Sangue

Evento

4,50

Totem

Totem de acrílico personalizado - 1.20 metros de altura

Serviço

350,00

Técnico de iluminação

Disponibilização de profissional capacitado para a instalação de iluminação apropriada para o local e manutenção do serviço

Diária

179,99

Letreiro

Letreiro personalizado em blacklight

Unidade

8.000,00

Brinde

3.000,00

O OrCam MyEye foi pensado especialmente para pessoas com deficiência visual. O óculos consegue reconhecer textos, produtos e pessoas, e transmite a informação no ouvido do usuário

OrCam MyEye

PRODUTO/SERVIÇO

42.000,00

R$115.045,99

TOTAL

INGRESSOS DO EVENTO A Comic Con Experience 2018 ocorre entre os dias 6 a 9 de dezembro. Os valores podem ser parcelados em até 10 vezes sem juros no cartão de crédito. A opção de boleto é somente para pagamento à vista. Não há cobrança de taxa de conveniência. O evento conta com uma variação de quatro ingressos: TIPO DE INGRESSO

Valor 3,50

Um dia

4 dias

UNLOCK FULL EXPEEPIC EXPECCXP18 RIENCE RIENCE (Todos os dias) (Todos os dias) (Todos os dias)

R$89,99 R$429,99 R$ 1099,99 até R$ 1499,99 até até até R$ 1299,99 R$ 1699,99 R$219,98 R$1079,98

R$ 7499,99


CONSIDERAÇÕES Nosso stand contará com um enorme poder de interação com o público, pois traremos as maiores inovações que chegaram ao mundo dos games, tendo em vista que todos que estiverem no evento e quiserem participar das nossas sessões poderão, isso devido ao fato de que grande parte de nossos equipamentos oferecem suporte total para PcD. A Prismar irá fazer sua aparição no evento no dia 9, ou seja, a única possibilidade de o público não comparecer no dia em que nosso stand está na programação do evento seria para o caso das pessoas que escolhem o ingresso de “UM DIA” irem em algum dos outros dias que não seja o da nossa participação. Com a escolha dos outros ingressos não aconteceria isso, já que eles permitem acesso ao público durante os 4 dias da Comic Con.

6.4.3 PRAÇA

O Festival Comic Con do dia 09 de dezembro acontecerá na Expo São Paulo, o convite do evento dará direito a usufruir de atividades, auditórios, participação de artistas e outras atrações dentro da CCXP18. 5

quitetura moderna, o São Paulo Expo conta o consumidor até o comercial, onde irá mostrar com ambientes flexíveis e espaços modula- situações as quais induziram pessoas a doar res, para proporcionar soluções personaliza- sangue e os tabus e verdades sobre este tema. das para cada tipo de evento. Contamos com 100 mil m² de área climatizada, mais de 6.500 vagas de estacionamento, 50 mil m² de área externa para eventos e exposições, moderna infraestrutura aérea e subterrânea, 34 salas para congressos e reuniões, rooftop com vista panorâmica. Sua localização fica na Rodovia dos Imigrantes, o São Paulo Expo fica a 1km da Estação Jabaquara do Metrô (linha Azul). Teremos transporte gratuito da Estação Jabaquara do Metrô (Linha Azul) até o São Paulo Expo (ida e volta).

6.4.4 PROMOÇÃO O intuito é desenvolver propagandas e um comercial5 que serão divulgadas em redes sociais e painéis de LED (mobiliário urbano) para que os consumidores tenham o conhecimento do evento e da cultura de doação de sangue, reproduziremos folders explicativos e com curiosidade sobre este ato e cidadania e solidariedade, além dos brindes que serão distribuídos no festival.

Outro método que utilizaremos é o e-mail Com uma infraestrutura completa e ar- marketing, mala direta e o Cold. O cold levará Código de Ética dos Profissionais da Propaganda a que se refere o art. 17, da Lei 4.680, de 18 de junho de 1965.


PLANEJAMENTO DE CAMPANHA


6.1 OBJETIVOS DE COMUNICAÇÃO

• Aumentar a visibilidade e a credibilidade da Fundação; • Comunicar sobre o festival Comic Con; • Gerar cultura de doação de sangue visando expansão de mercado; • Desenvolver a inclusão social;

6.2 OBJETIVOS DE CAMPANHA

• Ampliar em 30% a divulgação de doação através das redes sociais e painéis de LED (mobiliário urbano); • Interagir com os consumidores e os incentivar através da ação de Live Marketing; • Trabalhar a inclusão social; • Desmistificar os mitos e tabus e promo ver as verdades da doação de sangue.

6.4 PRAÇA

A praça definida foi a Região Metropolitana de São Paulo, pois a Fundação Pró-Sangue tem sua sede na capital e postos de coleta distribuídos na Grande São Paulo. Na Região Metropolitana de São Paulo concentra-se grande número de habitantes (cerca de 20 milhões).

6.2 PERIODO DA CAMPANHA

A campanha de doação de sangue será

realizada pela agência Prismar durante os meses de outubro, novembro e dezembro de 2018 no estado de São Paulo. As peças publicitarias vão ser divulgadas em outubro de 2018 para ajudar a alcançar audiência em massa através das redes sociais e painéis de LED. Já a ação de Live Marketing vai ser executada no evento Comic Con no dia 09 de dezembro de 2018.

6.5 ESTRATRÉGIAS


6.5 AÇÕES AÇÃO 1: APRIMORAR PARA AGRADAR Para garantir que o público se interesse por ajudar, a Prismar irá Atualizar e “alimentar” as redes sociais da fundação para a Fundação pró-sangue pois quase não tem publicações sendo que estas mídias permite que os conteúdos atinjam o público com mais impacto e o poder de memorização de quem vê o anúncio estabelece gatilhos mentais que desencadeiam o estimulo para querer doar sangue. AÇÃO 2: TABUS E VERDADES Visando aumentar a credibilidade da fundação junto aos doadores voluntários, faremos um comercial onde mostrará situações as quais induziram pessoas a doar sangue e os tabus e verdades sobre este tema. Este comercial será divulgado na página do YouTube, Facebook da fundação pró-sangue. AÇÃO 3: O FESTIVAL Buscando uma grande interação entre a Fundação pró-sangue


e seus doadores o festival acontecerá no dia 09 de dezembro de 2018, onde “Doar” será o tema principal, contando com cultura pop, com a presença de grandes artistas nacionais e internacionais dos quadrinhos, cinema e TV, além de games, música, área reservada de foto e autógrafo e auditórios para exibição de pré-estreias, palestras e bate-papos. Contaremos também com o programa de coleta externa de doação de sangue no evento, e para esta atividade vamos contar com uma equipe da fundação pró-sangue formada por médicos, enfermeiros, biologistas e auxiliares das áreas técnica e administrativa, lanche, cadeiras para doação e equipamentos, tudo isso para garantir a segurança e o bem-estar dos nossos doadores.


CRIAÇÃO E PRODUÇÃO


As peças foram desenvolvidas com o objetivo de incentivar às pessoas a enxergarem e entenderem que o ato de se doar vai muito além de estereotipo, de cor ou de raça, a meta é que além de despertar a cultura o doador sinta compaixão, solidariedade, e principalmente que sinta satisfação por ajudar o próximo, seja você homem ou mulher, seja você deficiente ou não. A campanha foi criada para o público da classe B, devido ser a segunda que mais doa sangue segundo pesquisas e para a campanha representa segmento formador de opinião, trazendo mais doadores para a Fundação e contribuindo com a cultura de doação de sangue.


DADOS COLETADOS EM PESQUISA DE MERCADO E OPINIÃO


Esta pesquisa, especialmente a coleta de dados foi realizada diretamente com a população de São Paulo afim de solucionar os problemas detectados pela falta de sangue nos hospitais.

lhor entender: suas percepções, necessidades, expectativas, o usual ou potencial comportamento de compra para esse tipo de produto e o hábito em relação ao consumo de informações.

Frequência de compra e uso, marcas conhecidas, marcas que costuma consumir, razões pela qual as consumem, marcas preferidas, razões de preferência, marca rejeitada, razões pela qual as rejeita, características vaA. IDENTIFICAR DADOS DEMOGRÁFICOS: lorizadas para decisão de compra, influencias Idade, data de nascimento, estado civil, e influenciadores para decisão de compra, em formação acadêmica, profissão, renda mensal, quais lugares costuma comprar tais produtos, cidade, estado, bairro onde mora, onde traba- por que compra nesses lugares e até quanto pagaria por eles. lha e tipo de família.

9.4 OBJETIVOS ESPECÍFICOS

A importância dessa pesquisa voltada a doadores de sangue é fazer com que seja possível a criação do Buyer Persona que represente o doador de sangue ideal. A criação e desenvolvimento do Buyer Persona foi feita através das 15 entrevistas realizadas entre agosto e B. IDENTIFICAR DADOS SOBRE ESTILO DE setembro de 2018. VIDA: Quais são seus medos e valores, metas e planos traçados para o futuro, seus objetivos primários e secundários, frustrações na vida, Para entendermos quem é o doador de atividades diárias do cotidiano, seus finais de sangue ideal e o que ele necessita fazer para semana e hobbies. doar, decidimos desenvolver uma pesquisa qualitativa que possibilite-nos saber seus com- C. IDENTIFICAR PERCPÇÕES, NECESSIDAportamentos, hábitos, percepções, expectati- DES E EXPECTATIVAS Qual o problema que enfrenta/enfrentou vas sobre a doação de sangue. em relação a doação de sangue, como soluciona esses problemas, problemas que costuma Quais os perfis, comportamentos, hábi- encontrar para solucionar determinado probletos, percepções e expectativas dos doadores ma ou para adquirir soluções para o caso, quais de sangue. suas expectativas de solução.

9.1 PROBLEMÁTICAS DA PESQUISA

9.2 PROBLEMA DE PESQUISA 9.3 OBJETIVO GERAL

E. IDENTIFICAR HÁBITO DE CONSUMO DE INFORMAÇÃO Tipo de conteúdos relacionados a doação que consome, onde busca esses conteúdos, qual meio é mais fácil de busca-los, quais redes sociais que possui e acessa, tipo de informação que ainda não encontra a respeito de doação de sangue, mas que gostaria.

9.5 METODOLOGIA

Para atingir aos objetivos propostos foi realizada primeiramente uma pesquisa exploratória em busca de dados secundários, onde foi possível encontrar dados e informações disponíveis em diversas fontes de pesquisa como IBGE, FUNDAÇÃO PRÓ- SANGUE, TERRA, GLOBO E EXAME.

D. IDENTIFICAR COMPORTAMENTO USUAL Posteriormente foi utilizada uma busca Conhecer o perfil do público de classe B DE COMPRA DO PRODUTO OU SIMILAR – por dados primários, sendo uma pesquisa exno segmento de doação de sangue para me- HÁBITOS DE CONSUMO


ploratória do tipo qualitativa, onde foi desenvolvido um roteiro de perguntas voltado doação de sangue para realização de entrevistas em profundidade. Todas as entrevistas foram gravadas para que depois fosse possível fazer uma transcrição das mesmas e uma análise do conteúdo coletado.

9.6 AMOSTRA

A amostra foi composta por homens e mulheres residentes nos estados de São Paulo, na faixa etária de 19 a 39 anos, pertencentes a classe B. OS PERFIS BUSCADOS PELA EQUIPE FORAM: • 2 homens de 19 a 25 anos, solteiros, moram com a família, estudam e ainda não trabalham. • 2 mulheres de 19 a 25 anos, solteiras, moram com a família, estudam e ainda não trabalham. • 2 homens de 20 a 35 anos, solteiros, moram sozinhos, estuda e trabalham. • 2 mulheres de 20 a 35 anos, solteiras, moram sozinhas, estuda e trabalham. • 2 homens de 25 a 39 anos, solteiros, que moram sozinhos e trabalham. • 2 mulheres de 25 a 39 anos, solteiros, que moram sozinhos e trabalham. • 3 homens de 25 a 39 anos, casado, com filhos e trabalham.

PEDRO DIAZ Solteiro, sozinho, estuda, trabalha. DADOS DEMOGRÁFICOS Pedro Dias tem 26 anos, é solteiro, recém-formado em administração e já atua em sua área, mora sozinho no Bairro Itaim Bibi - Zona Sul da cidade São Paulo. Como atividades da rotina possui a academia e o trabalho, seus fins de semana também são agitados, já que costuma frequentar bares, baladas, shoppings e ficar com a família. Tem como hobbie jogar vídeo game, estudar outras culturas e ficar nas redes sociais como instagram, youtube e facebook. Sonha em abrir um negócio e conseguir a independência financeira para consolidar sua carreira. A primeira vez doou sangue ocorreu por conta de uma necessidade e optou por ajudar, após o ocorrido Pedro agora doa de 2 a 3 vezes por ano, e também por conta do seu tipo sanguíneo O+ ser bastante requisitado assim como outros e descreve a sensação como de satisfação e dever cumprido.


Segundo ele as campanhas sobre este assunto têm que ser mais agressivas e ter mais investimentos financeiros e na parte de inclusão, pois são um público ativo e consumista, além de investir no público da classe B devido ser grandes formadores de opinião. CONSUMO DE INFORMAçÂO Pedro nos diz que suas principais fontes de informação são as redes sociais, TV e rádio, porém, não há muitas informações ou propagandas sobre doação de sangue voluntária, o mesmo diz sentir falta de informações sobre o assunto. Outro meio a qual ele diz se sentir confortável para receber informações é nos painéis de LED urbano, pois é dinâmico e consegue manter as pessoas atualizadas no decorrer do dia. Pedro conclui dizendo que, o que mais influenciou a doar sangue e transformar em algo do seu interesse foi um familiar muito próximo que estava com anemia em estado grave e precisou de transfusão de sangue, depois dessa situação marcante ele doa sempre que pode e procura instigar outras pessoas a doarem.


REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS


LABOISSIÈRE, Paula. Doadores de sangue somam 1,6% da população; jovens são maioria. http://agenciabrasil.ebc.com.br/saude/noticia/2018-06/pelo-menos-16-da-populacao-brasileira-doa-sangue-jovens-sao-maioria. Brasil, 2018. GUILHERME, Luís. O que falta para o Brasil doar mais sangue? https://www.bbc.com/portuguese/noticias/2015/08/150812_sangue_doacoes_brasil_lgb. Brasil, 2018. Banco de Sangue de São Paulo. Uma história de pioneirismo e busca constante pela excelência. http://www.bssp.com.br/sobre. Brasil, 2018. Hemocentro de São Paulo. https://www.hemocentrosaolucas.com.br/. Brasil, 2018. Accreditation Canada. Frequently Asked Questions. https://accreditation.ca/intl-en/faq/. Brasil, 2018. Hemocentro Unicamp. https://www.hemocentro.unicamp.br/. Brasil, 2018. CARTILHA, Cibio. Descarte de Residuo. http://www.biot.fm.usp.br/pdf/cibio_Cartilha_descart-e_de_residuo_FMUSPHC.pdf. Brasil, 2018. Fundação Pró-Sangue. CLT (consolidação das Leis Trabalhistas) referente ao abono para doação de Sangue. http://www.prosangue.sp. gov.br/uploads/legislacao/CLT_AbonoParaDoacao.pdf. Brasil, 2018. Fundação Pró-Sangue. Lei Estudal n° 13 771. http://www.prosangue.sp.gov.br/uploads/legislacao/Lei_Estadual_n_13_771. Brasil, 2018. Fundação Pró-Sangue. DECRETO Nº 3.990, DE 30 DE OUTUBRO DE 2001. http://www.prosangue.sp.gov.br/uploads/legislacao/decreto3990. pdf. Brasil, 2018. Fundação Pró-Sangue. Cuidados Pós-Doação. http://www.prosangue.sp.gov.br/artigos/cuidados_pos-doacao.html. Brasil, 2018. Fundação Pró-Sangue. Cuidados Pós-Doação. http://www.prosangue.sp.gov.br/artigos/cuidados_pos-doacao.html. Brasil, 2018. Fundação Pró-Sangue. www.prosangue.sp.gov.br. Brasil, 2018.


Quantos são e onde estão os deficientes de Curitiba? https://www.gazetadopovo.com.br/blogs/inclusilhado/quantos-sao-e-onde-estao-os-deficientes-de-curitiba/. Brasil, 2018. O Globo. Homens doam mais sangue do que mulheres no Brasil, diz relatório. https://oglobo.globo.com/sociedade/saude/homens-doam-mais-sangue-do-que-mulheres-no-brasil-diz-relatorio-21189782. Brasil, 2018. Equipe Rico. Perspectivas do Cenário Econômico Atual Brasileiro para o 2º Semestre de 2018. https://blog.rico.com.vc/cenario-economico-atual. Brasil, 2018. CRISTINE, Elaine. O mercado obscuro do sangue. https://elainefrancoadv.jusbrasil.com.br/artigos/317045255/o-mercado-obscuro-do-sangue. Brasil, 2018.