AgÊncia Liber

Page 1

1

AGÊNCIA


2

AGÊNCIA


PROJETO INTERDISCIPLINAR

PRIMEIRO CLIENTE Comunicação Social - Publicidade e Propaganda Turma: 6º Semestre D

INTEGRANTES

Estefani Gregório 1632273-8

Bruna Liber 1623924-5

Igor Oliveira 1653669-0

Gabriella Gomes 2000005-7

3

Victoria Dias 1635749-3

AGÊNCIA

Neemias Ramos 1662200-6

Wesley Rodrigues 1632435-8


Trabalho apresentado ao corpo docente do curso de publicidade e propaganda, com requisito parcial de avaliação das turmas do quinto e sexto semestre de 2018.

4

AGÊNCIA


SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO ................................................................................................................... 06 2. APRESENTAÇÃO DA EMPRESA DO TERCEIRO SETOR.......................................................... 07 2.1. HISTÓRICO DA FUNDAÇÃO.......................................................................................... 07 3. ANÁLISE DE MICROAMBIENTE E MACROAMBIENTE .............................................................08 3.1. MICROAMBIENTE........................................................................................................... 08 3.1.1. EMPRESA..................................................................................................................... 08 3.1.2. DESCRISÇÃO DO SERVIÇO........................................................................................09 3.1.3. CATEGORIA..................................................................................................................09 3.1.4. SEGUIMENTO...............................................................................................................09 3.1.5. PREÇO.......................................................................................................................... 09 3.1.6. DIFERENCIAL...............................................................................................................09 3.1.7. CONCORRENTE.......................................................................................................... 10 3.1.8. PROPÓSITO................................................................................................................. 10 3.1.9. VALORES......................................................................................................................10 3.1.10. PARCEIROS E INTERMEDIÁRIOS............................................................................ 10 3.1.11. PÚBLICOS.................................................................................................................. 10 3.2. MACROANBIENTE..........................................................................................................11 3.2.1. DEMOGRÁFICO........................................................................................................... 11 3.2.2. TECNOLÓGICO............................................................................................................ 12 3.2.3. ECONÔMICO................................................................................................................ 13 3.2.4. SOCIOCULTURAL........................................................................................................14 3.2.5. POLÍTICO-LEGAL.........................................................................................................15 4. FUNDAMENTAÇÃO DA PESQUISA..............................................................................................18 4.1. PROJETOS ......................................................................................................................18 4.1.1. DORINATECA ...............................................................................................................18 4.1.2. TROCANDO SABERES ...............................................................................................18 4.2. CENÁRIO DO SEGMENTO DO SERVIÇO .....................................................................19 4.3. ANÁLISE DOS DADOS E INFORMAÇÕES ................................................................... 20 5. ANÁLISE SWOT ............................................................................................................................20 6. PLANEJAMENTO DE MARKETING ............................................................................................ 22 6.1. PÚBLICO-ALVO ............................................................................................................. 22 6.2. OBJETIVOS DE MARKETING ....................................................................................... 22 7. PLANEJAMENTO DE CAMPANHA ..............................................................................................23 7.1. OBJETIVO DE COMUNICAÇÃO ....................................................................................23 7.2. OBJETIVO DE CAMPANHA ........................................................................................... 23 7.3. PRAÇA ............................................................................................................................ 23 7.4. VERBA ............................................................................................................................ 23 7.5. ESTRATÉGIAS ............................................................................................................... 24 7.6. TÁTICAS ......................................................................................................................... 24 7.7. AÇÕES ............................................................................................................................ 24 7.8. BRIEFING/RESUMO....................................................................................................... 28 8. CRIAÇÃO E PRODUÇÃO ............................................................................................................. 38 9. MÍDIA E CUSTOS ......................................................................................................................... 40 10. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS ........................................................................................... 45 11. ANEXOS ...................................................................................................................................... 47

5

AGÊNCIA


1. INTRODUÇÃO

A Agência Liber busca ampliar os horizontes e mudar conceitos, de uma maneira empática entre marcas e pessoas, trazendo assim revoluções significativas em algumas idéias estagnadas e criar outras para marcar a cultura popular do país. O projeto interdisciplinar primeiro cliente é um trabalho acadêmico que proporciona união entre os saberes na atuação da área profissional de publicidade e propaganda, contemplando atividades de pesquisa e planejamento. Com isso o objetivo do projeto é o desenvolvimento de uma campanha publicitária para uma empresa do terceiro setor, obtendo dados de mercado a fim de diagnosticar estratégias de marketing e comunicação. Assim garantindo que a aprendizagem senha alinhada às exigências da área profissional.

6

AGÊNCIA


2. APRESENTAÇÃO DA EMPRESA DO TERCEIRO SETOR 2.1 HISTÓRIA DA FUNDAÇÃO

Há mais de 70 anos, temos nos dedicado à inclusão social de pessoas com deficiência visual. Uma das formas como fazemos isso é por meio da produção e distribuição gratuita de livros em braille, falados e digitais acessíveis, diretamente para o público e também para cerca de 3000 escolas, bibliotecas e organizações de todo o Brasil. Também oferecemos, gratuitamente, serviços especializados para pessoas com deficiência visual e suas famílias, nas áreas de educação especial, reabilitação, clínica de visão subnormal e empregabilidade. Com muita dedicação à causa, ao longo das últimas sete décadas, produzimos mais de 6 mil títulos, imprimimos 2 milhões de volumes em braille e mais de mil títulos neste sistema! Também foram produzidas mais de 2,7 mil obras em áudio e cerca de outros 900 títulos digitais acessíveis. Nos serviços de clínica de visão subnormal, reabilitação e educação especial, já são mais de 17 mil pessoas atendidas. Oferecemos, também, uma gama de serviços, como cursos, capacitações e consultorias. Por fim, mais recentemente, criamos a divisão Soluções em Acessibilidade (antiga DNA Editora), área da Fundação Dorina focada na produção e distribuição de livros e revistas acessíveis nos formatos braille, falado e Daisy, treinamentos, palestras, adequação de espaços e serviços de acessibilidade na web. Mas é claro que não conseguiríamos todas essas realizações sozinhos. Contamos com o apoio de doações, voluntários, amigos e patrocinadores que acreditam na missão da Fundação Dorina Nowill para Cegos e ajudam a fazer do nosso trabalho uma referência de inclusão social das pessoas cegas e com baixa visão.

7

AGÊNCIA


3. ANÁLISE DE MICROAMBIENTE E MACROAMBIENTE 3.1 MICROAMBIENTE 3.1.1 EMPRESA

A Fundação Dorina Nowill para Cegos é uma instituição filantrópica brasileira que visa facilitar a inclusão de crianças, jovens e adultos cegos e com baixa visão, por meio de serviços gratuitos e especializados. Fundada em 1946 por Dorina Nowill com apoio de amigos e pessoas interessadas, a “Fundação para o Livro do Cego no Brasil”, como era conhecida, tinha como objetivo principal produzir e distribuir gratuitamente livros em Braille. Este era o principal objetivo de Dorina, que ficou cega aos 17 anos e sentiu falta de livros em braille no Brasil e foi buscar recursos e ferramentas no exterior. A iniciativa recebeu apoio do governo e a ajuda financeira e técnica da American Foundation for the Overseas Blind. Em 1991, o nome mudou para Fundação Dorina Nowill para Cegos. Atualmente, além dos livros em braille, a instituição também produz livros em áudio, fonte ampliada e em formato digital acessível Daisy. A instituição dispõe de uma moderna imprensa Braille que produz para distribuição gratuita livros em braille, de diferentes gêneros e autores, para mais de 2500 escolas, organizações, associações e bibliotecas que atendem ao público com deficiência visual. Além do acesso à cultura e informação por meio dos materiais acessíveis e quem passa pela Fundação Dorina recebe atendimentos personalizados de reabilitação e educação especial, atendimento psicológico, programas de empregabilidade, fisioterapia, entre outros atendimentos. O objetivo é que as pessoas que passam pela Fundação Dorina tenham mais autonomia e independência em suas atividades diárias. Há também uma área responsável pela inclusão de pessoas com deficiência no mercado de trabalho, dando suporte às empresas que querem contratar levando em consideração a pessoa/profissional e não a sua deficiência. A Fundação Dorina também atende a demandas de consultorias, serviços e produtos acessíveis, como transcrição de cardápios, projetos de audiodescrição para diferentes ocasiões, consultorias a estabelecimentos sobre

8

AGÊNCIA


como receber uma pessoa com deficiência visual, entre outros. Dorina de Govêa Nowill, faleceu em 2010 aos 91 anos.

3.1.2 DESCRIÇÃO DO SERVIÇO Para contribuir com a inclusão e autonomia de pessoas com deficiência visual a Fundação Dorina Nowill oferece programas de reabilitação, educação especial, empregabilidade e acesso à informação, além da produção e distribuição de livros em braille,áudio e digital acessível Daisy por meio de sua editora especializada. Que são enviados gratuitamente para pessoas com deficiência visual .

3.1.3 CATEGORIA

Fundação - Terceiro setor.

3.1.4 SEGMENTO A fundação Dorina Nowill foi desenvolvida com o intuito de inclusão social de pessoas com deficiência visual.

3.1.5 PREÇO Gratuito. Composto por uma equipe que oferece serviços especializados para pessoas com deficiência visual e suas famílias, nas áreas de educação especial, reabilitação, clínica de visão subnormal e empregabilidade. Conta com o apoio de doações, voluntários, amigos e patrocinadores que acreditam na sua missão.

3.1.6 DIFERENCIAL - Referencial na distribuição de materiais acessíveis; - Download de livros acessíveis a pessoas com deficiência visual residentes no Brasil; - Serviços de apoio à inclusão.

9

AGÊNCIA


3.1.7 CONCORRENTE Os concorrentes são: Instituto de Cegos Padre Chico, ADEVA - Associação de deficientes visuais e amigos e CADEVI - Centro de Apoio ao Deficiente Visual.

3.1.8 PROPÓSITO Iluminar a vida dos que buscam plenitude com a deficiência visual, cultivando soluções transformadoras. Facilitar a inclusão social de pessoas com deficiência visual, respeitando as necessidades individuais e sociais, por meio de produtos e serviços especializados.

3.1.9 VALORES

-Ética: agimos com transparência, integridade e dignidade. -Respeito: respeitamos o nosso próximo e a nossa missão. -Dedicação: acreditamos no que fazemos e trabalhamos com empenho e amor. -Perseverança: superamos obstáculos para alcançar nossos objetivos.

3.1.10 PARCEIROS E INTERMEDIÁRIOS Atualmente, a Fundação Dorina Nowill conta com o apoio de organizações privadas, públicas e não governamentais que patrocinam seus projetos, como: Globosat, Empresas Rodobens, Cielo, Suzano Papel e Celulose, Samsung, IBM, Catho, Faber Castell e Tegma.

3.1.11 PÚBLICOS Pessoas com deficiência visual e suas famílias, que necessitam de educação especial, reabilitação, clínica de visão subnormal e empregabilidade.

10

AGÊNCIA


3.2 MACROAMBIENTE 3.2.1 DEMOGRÁFICO

Sobre deficiência visual no Brasil

Do total da população brasileira, 23,9% (45,6 milhões de pessoas) declararam ter algum tipo de deficiência. Entre as deficiências declaradas, a mais comum foi a visual, atingindo 3,5% da população. Em seguida, ficaram problemas motores (2,3%), intelectuais (1,4%) e auditivos (1,1%). Segundo a Organização Mundial da Saúde, as principais causas de cegueira no Brasil são: catarata, glaucoma, retinopatia diabética, cegueira infantil e degeneração macular.

11

AGÊNCIA


Segundo dados do IBGE de 2010, no Brasil, das mais de 6,5 milhões de pessoas com alguma deficiência visual: 528.624 pessoas são incapazes de enxergar (cegos); 6.056.654 pessoas possuem baixa visão ou visão subnormal (grande e permanente dificuldade de enxergar). Outros 29 milhões de pessoas declararam possuir alguma dificuldade permanente de enxergar, ainda que usando óculos ou lentes.

A deficiência visual é a mais comum, atingindo 45,6 milhões de pessoas em 2010. Ela era a mais frequente tanto entre homens (16,0%) quanto mulheres (21,4%), seguida da deficiência motora (13,3 milhões, 5,3% para homens e 8,5% para mulheres), auditiva (9,7 milhões, 5,3% para homens e 4,9% para mulheres) e mental ou intelectual (2,6 milhões, 1,5% para homens e 1,2% para mulheres).

3.2.2 TECNOLÓGICO

Algumas inovações tecnológicas para auxílio no dia a dia dos deficientes visuais. A) OrCam MyEye: Um dispositivo de visão artificial disponível há quase seis meses no país. Desenvolvido pelos israelenses Amnon Shashua, professor da Universidade de Jerusalém e por Ziv Aviram, empreendedor, a tecnologia é capaz de detectar todo e qualquer tipo de objeto no campo de visão de uma micro câmera. Acoplada às hastes de óculos e conectada a um aparelho que cabe no bolso, a câmera fotografa e escaneia tudo o que “vê”, transformando as informações em arquivos de áudio instantaneamente de forma que possa ser “lido” — o dispositivo transmite a informação discretamente no ouvido do usuário por meio de um fone conectado. Todo o reconhecimento e comunicação aconte-

12

AGÊNCIA


ce por meio de algoritmos de inteligência artificial e ocorre completamente offline, de modo que o usuário não dependa de conexão com a Internet. B) Smart Cane: Riya Karumanchi de 15 anos, criou uma bengala inteligente para ajudar a guiar pessoas com deficiência visual. O primeiro protótipo da “bengala inteligente”, ou “Smart Cane”, conta com um GPS que orienta o usuário através de pequenas vibrações, por exemplo: uma vibração significa esquerda e duas vibrações, direta. Além disso, o dispositivo conta com um sensor ultrassônico de proximidade, para alertar sobre possíveis objetos potencialmente perigosos. Outro ponto positivo da bengala é o “serviço de emergência”, que com possíveis movimentos bruscos, imaginando uma possível queda, é sinalizado alguma ajuda eminente. O projeto ainda está em processo de teste para a aplicação em sociedade.

3.2.3 ECONÔMICO

Oscilação na empregabilidade inclusiva

A inclusão em sociedade passa principalmente pela independência dos portadores de deficiência, mas alguns dados comprovam, que em muitos casos isso ainda está longe de ser conquistado de maneira rápida para essas pessoas. O número de pessoas com deficiência formalmente empregadas ainda é pequeno, visto que, de acordo com o Censo 2010, aproximadamente 7,7 milhões pessoas estão em idade economicamente ativa e podem ser contempladas pela Lei de Cotas. Entre os deficientes visuais, 63,7% dos homens 43,9% das mulheres têm vida economicamente ativa. Mais da metade (53,8%) dos 44 milhões de pessoas com deficiência em idade ativa (10 anos ou mais) estava desocupada ou não era economicamente ativa. As empresas têm dificuldades para encontrar profissionais com deficiência para ocupar vagas, e, muitas vezes, dependem de indicações ou ONGs e entidades do terceiro setor. Em 2016, o número de empregos para as PCDs cresceu 5,75% em relação ao ano de 2015. Segundo os dados da Relação Anual de Informações Sociais (Rais), divulgada pelo Ministério do Trabalho, 403,2 mil pessoas com deficiência atuam formalmente no mercado de trabalho, correspondendo a um percentual de 0,84% do total dos vínculos empregatícios. Assim, observa-se o aumento progressivo da participação nos últimos anos: 0,77%, em 2014, e 0,73% em 2013. Considerando o recorte por gênero, os dados apontam que 259,0 mil postos de trabalho são do sexo masculino e 144,2 mil postos do feminino. O preconceito ainda domina o mundo corporativo, conforme apontou a quarta edição da pesquisa Expectativas e Percepções sobre a Inclusão de Pessoas com Deficiência no Mercado de Trabalho, realizada pela consultoria i.Social com apoio da ABRH-Brasil, ABRH-SP e Catho.

13

AGÊNCIA


O levantamento 2017/2018 traz, de forma inédita, três visões sobre o assunto – a dos profissionais de Recursos Humanos (1.240 entrevistados), a das pessoas com deficiência ou PcDs (1.091) e a da alta liderança (117) – com o objetivo de identificar os desafios, as conquistas e as melhorias a serem implementadas no processo de inclusão. De acordo com o levantamento, 93% das PcDs, 89% dos RHs e 90% dos líderes entendem que ainda faltam informações sobre o tema no dia a dia das organizações. Os números apontam que, de fato, para os três públicos, a oferta de vagas é pequena, de baixa qualidade e visa, explicitamente, ao cumprimento da lei, em detrimento de fatores estratégicos para a carreira e para os negócios. Poucos são os líderes e RHs que contratam PcDs por acreditar no seu potencial, apostar no seu perfil ou por valorizar a diversidade. E essa também é a percepção das PcDs. A presumida baixa qualificação dos profissionais com deficiência não é confirmada na pesquisa. Ao serem questionados sobre a escolaridade, 32% disseram ter ensino médio; 21% se formaram em nível superior; e 12% fizeram ou estão fazendo pós-graduação – no total, 57% estão em alguma etapa do chamado 3º grau.

3.2.4 SOCIOCULTURAL

O Preconceito Social contra a pessoa com deficiência :

O preconceito em relação às pessoas com deficiência muitas vezes vem imbuído de um sentimento de negação, ou seja o deficiente é visto apenas como uma pessoa com limitação ou com incapacidade. A sociedade embora venha falar sobre a inclusão social, ainda existe o preconceito pelo que essas pessoas “nao tem ou não possuem”.Nessas medidas as pessoas com deficiências são aquelas que “ não ouvem ou aquelas que não enxergam”. Ou seja, nos aproximamos da deficiência com uma atitude e um comportamento de negação, que traz para essas pessoas uma série de consequências como preconceito, exclusão, discriminação, etc. Nessa perspectiva olhar a partir da negação, resulta por conseguinte negação do direito da pessoa com deficiência viver na sociedade com igualdade de oportunidades. Sendo assim uma pessoa com deficiência está sujeita a ter uma vida com vários impedimentos. Embora a legislação brasileira refuta qualquer tipo de cerceamento no exercício da cidadania dessas pessoas, os impedimentos ainda persistem, se configurando em vários tipos de barreiras. O Decreto Federal nº 5.296, de 2 de dezembro de 2004, que regulamenta as Leis Federais nºs 10.048, de 8 de novembro de 2000 (nota 11), e 10.098, de 19 de dezembro de 2000, define a acessibilidade e estabelece as modalidades de barreiras, em seu artigo 8º, verbis:

14

AGÊNCIA


“Art. 8o Para os fins de acessibilidade, considera-se: I - acessibilidade: condição para utilização, com segurança e autonomia, total ou assistida, dos espaços, mobiliários e equipamentos urbanos, das edificações, dos serviços de transporte e dos dispositivos, sistemas e meios de comunicação e informação, por pessoa portadora de deficiência ou com mobilidade reduzida; II - barreiras: qualquer entrave ou obstáculo que limite ou impeça o acesso, a liberdade de movimento, a circulação com segurança e a possibilidade de as pessoas se comunicarem ou terem acesso à informação, classificadas em: a) barreiras urbanísticas: as existentes nas vias públicas e nos espaços de uso público; b) barreiras nas edificações: as existentes no entorno e interior das edificações de uso público e coletivo e no entorno e nas áreas internas de uso comum nas edificações de uso privado multifamiliar; c) barreiras nos transportes: as existentes nos serviços de transportes; e d) barreiras nas comunicações e informações: qualquer entrave ou obstáculo que dificulte ou impossibilite a expressão ou o recebimento de mensagens por intermédio dos dispositivos, meios ou sistemas de comunicação, sejam ou não de massa, bem como aqueles que dificultem ou impossibilitem o acesso à informação; Além das barreiras citadas acima existem as barreiras denominadas de barreiras físicas, podemos elencar mais dois tipos de barreiras: a) barreiras sistêmicas: relacionadas a políticas formais e informais. Exemplo: escolas que não oferecem apoio em sala de aula para alunos com deficiência, bancos que não possuem tratamento adequado para pessoas com deficiência. b) barreiras atitudinais: são os preconceitos, estigmas e estereótipos que implicam em um comportamento negativo com relação à pessoa com deficiência como repudiar, discriminar e excluir com base na condição física, mental ou sensorial.”

3.2.5 POLÍTICO-LEGAL A Lei nº 7.853/89 e o Decreto nº 3.298/99 balizam a política nacional para integração da pessoa com deficiência, criando, assim, as principais normas de acessibilidade para essas pessoas. A Coordenadoria Nacional para a Integração da Pessoa Portadora de Deficiência (Corde) é o órgão de Assessoria da Secretaria Especial dos Direitos Humanos da Presidência da República responsável pela gestão de políticas voltadas para a integração da pessoa com deficiência, tendo, como eixo focal, a defesa de direitos e a promoção da cidadania.

15

AGÊNCIA


CONVENÇÃO DA ONU SOBRE DIREITOS DAS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA

A Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência, adotada pela ONU em 13 de dezembro de 2006, em reunião da Assembleia Geral, para comemorar o Dia Internacional dos Direitos Humanos, é um marco para muitos militantes da justiça e equidade sociais e para seu público destinatário.

LEI DE ACESSIBILIDADE

O Brasil possui legislação específica sobre acessibilidade. É o Decreto-lei nº 5.296, de 2 de dezembro de 2004, também conhecido como Lei de Acessibilidade. O documento estipula prazos e regulamenta o atendimento às necessidades específicas de pessoas com deficiência, no que concerne a projetos de natureza arquitetônica e urbanística, de comunicação e informação, de transporte coletivo, bem como a execução de qualquer tipo de obra com destinação pública ou coletiva.

LEI DE COTAS

A Lei nº 8.213/91, que regulamenta cotas para deficientes e pessoas com deficiência, dispõe sobre os planos de benefícios da Previdência e dá outras providências à contratação dessas pessoas: Art. 93 – a empresa com 100 ou mais funcionários está obrigada a preencher de dois a cinco por cento (2% a 5%) dos seus cargos com beneficiários reabilitados, ou pessoas com deficiência, na seguinte proporção:

NORMAS TÉCNICAS – ABNT, NA NBR 9050

Há normas que norteiam a implementação das mudanças ambientais, de forma a eliminar as barreiras arquitetônicas.

16

AGÊNCIA


As normas são estabelecidas pela Associação Brasileira de Normas Técnicas – ABNT, segundo a NBR 9050, de setembro de 1994.

LEI DE ISENÇÃO DE IPI, IOF, ICMS E IPVA PARA DEFICIENTES

As pessoas com deficiência física, visual, mental severa ou profunda, ou autistas, ainda que menores de dezoito anos, poderão adquirir, diretamente ou por intermédio de seu representante legal, com isenção do IPI, automóvel de passageiros ou veículo de uso misto, de fabricação nacional, classificado na posição 87.03 da Tabela de Incidência do Imposto sobre Produtos Industrializados (Tipi). LEI DO CÃO-GUIA

A Lei nº 11.126, de 27 de junho de 2005, regulamenta o direito de a pessoa com deficiência visual usuária de cão-guia ingressar e permanecer com o animal em todos os locais públicos ou privados de uso coletivo. ESTATUTO DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA

Em vigor desde 2 de janeiro de 2016, o texto, cujo nome oficial é Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência , traz regras e orientações para a promoção dos direitos e liberdades das pessoas com deficiência, buscando garantir inclusão social e cidadania a esse público.

17

AGÊNCIA


4. FUNDAMENTAÇÃO DA PESQUISA 4.1 PROJETOS 4.1.1 DORINATECA

A Dorinateca é a biblioteca on line da Fundação Dorina e disponibiliza para download, livros acessíveis a pessoas com deficiência visual residentes no Brasil e organizações em território nacional que promovam o livro e a leitura inclusiva. O acervo da Dorinateca é composto por mais de 4500 livros acessíveis, nos formatos: Braile, Acessível Daisy, MP3 e fonte ampliada.

4.1.2 TROCANDO SABERES É um projeto da Fundação Dorina com o apoio do Instituto Helena Florisbal – IHF para que mais pessoas, em qualquer lugar, tenham acesso a diversas informações sobre a deficiência visual. As informações são desenvolvidas em formato de vídeos temáticos, dinâmicos e resumidos para que as pessoas tenham fácil entendimento sobre os temas abordados.

18

AGÊNCIA


4.2 CENÁRIO DO SEGMENTO DO SERVIÇO

Atualmente a fundação tem como atuação os principais serviços:

Acesso à autonomia: Esclarecimento e atendimento adequados que permitem a identificação e desenvolvimento das potencialidades dos indivíduos. Acesso à cultura/ Informação: Oferecendo materiais acessíveis a suas condições de leitura e escrita, ampliando assim as possibilidades de interagirem com a sociedade, e trilharem um futuro independente. Acesso ao trabalho: Inclusão de pessoas com deficiência visual no mercado de trabalho. Reconhecendo a capacidade e a competência de pessoas com deficiência visual com todos os direitos que competem a elas. Acesso a Informações e Palestras: Um dos pilares principal é o conhecimento, a fundação oferece cursos e palestras que promovem aproximar o tema deficiência dos mais diversos públicos e comunidade. Fontes de recursos 40% Empresas - Parceiros de Visão; 33% Doadores; 11% Serviços; 4%DNA; 3% Campanhas e Eventos; 2% Governo; 3% Nota Fiscal Paulista; 3% Outlet ;1% Outros.

19

AGÊNCIA


4.3 ANÁLISE DOS DADOS E INFORMAÇÕES A elaboração de pesquisa exploratória por levantamento de dados secundários obteve-se informações extremamente relevantes para o cenário em questão. Problema de pesquisa: As perguntas que guiaram toda a base para a elaboração da pesquisa foram: Como surgiu a fundação; número de pessoas com deficiência visual; público atendido pela fundação; quem são os principais doadores; quem são os voluntários; projetos da fundação. Estes foram alguns pontos nos quais nos baseamos para prosseguir com a pesquisa. Essa metodologia de pesquisa permitiu a aquisição de dados pré- existentes da Fundação Dorina Nowill através de fontes confiáveis como o próprio site da fundação onde obtivemos informações. Os dados coletados possibilitaram a realização de um mapeamento, com objetivo de efetuar a criação da campanha publicitária que atenda o público alvo.

5. ANÁLISE SWOT

20

AGÊNCIA


Como manter os pontos fortes da Fundação Dorina Nowill? Por ser a maior fabricante de livros em braile e ser altamente reconhecida, permanecer com a qualidade do serviço e com o apoio à inclusão serão formas de manter os pontos fortes. Como melhorar os pontos fracos da Fundação Dorina Nowill? Investir em ações nas redes sociais e internet, para prospectar doadores/ voluntários e assim aumentar a estrutura da fundação para não ter grandes filas de espera. Como evitar e proteger a Fundação Dorina Nowill das ameaças? Através dos movimentos populares sobre a igualdade, investimentos de empresas com interesse em ajudar e a tecnologia para trazer novos formatos de inclusão. Como aproveitar as oportunidades em favor da Fundação Dorina Nowill? Aproveitar os atuais patrocinadores e promover ações e eventos, para aumentar o número de doações.

21

AGÊNCIA


6. PLANEJAMENTO DE MARKETING 6.1 PÚBLICO-ALVO

Homens e Mulheres de 18 a 64 anos das classes A, B e C engajados com causas sociais, principalmente, de apoio e inclusão de pessoas com deficiência visual. Demográfico: Estado de São Paulo com 45,5 milhões de pessoas, segundo estimativa IBGE 2018. Segundo última pesquisa realizada pelo IBGE (censo 2010) existem cerca de 7,3 milhões de pessoas com deficiência visual apenas no Estado de São Paulo. Geográfico: Cidade de São Paulo. Psicográfico: Doadores, homens e mulheres, engajados com causas sociais, principalmente, de apoio e inclusão de pessoas com deficiência visual; e grandes investidores que se preocupam com a imagem da sua empresa e a vinculam como apoiadora de ações sociais.

6.2 OBJETIVOS DE MARKETING Gerar reconhecimento da marca em 9% do público-alvo até o fim de Dezembro de 2018. Aumentar a quantidade de pessoas conscientizadas a respeito da deficiência visual, de 11 mil pessoas para 25 mil durante o período da campanha Captar 5 novos patrocinadores para a Fundação Dorina Nowill durante o período da campanha. Aumentar a distribuição e venda de livros em braille da Fundação de 91.5 mil para 100 mil.

22

AGÊNCIA


7. PLANEJAMENTO DE CAMPANHA 7.1 OBJETIVO DE COMUNICAÇÃO

O público com deficiência visual tem como principal objetivo conseguir inclusão social. Sendo assim, o objetivo de comunicação para a campanha da Dorina Nowill, é conscientizar as pessoas da necessidade de doação ou patrocínios que auxiliem a inclusão dos deficientes visuais na sociedade, como também, no mercado de trabalho; podendo ser pequenos doadores ou grandes investidores. Por isso, a campanha terá o seguinte conceito: “A visão de uns, é a esperança de outros!”

7.2 OBJETIVO DE CAMPANHA Reforçar e aumentar brand awareness da Dorina Nowill Gerar interesse em doações Gerar interesse em trabalhos voluntários Aumentar o número de seguidores na página do Facebook de 39 mil para 70 mil no período da campanha.

7.3 PRAÇA São Paulo

7.4 VERBA R$ 1.000.000,00 (um milhão)

23

AGÊNCIA


7.5 ESTRATÉGIAS Investir em mídia OUT OF HOME: metrô e mobiliários urbanos (relógio urbano e ponto de ônibus). Divulgação das Ações nas mídias sociais, principalmente Facebook. Realização de ações beneficentes

7.6 TÁTICAS Envelopar vagões da linha 4 Amarela do Metrô de São Paulo para divulgar a nova campanha da Fundação Dorina Nowill e incentivar a doação. Impulsionar nas Redes Sociais os projetos que a Fundação Dorina Nowill tem para captação de recursos, como o crowdfunding do Kickante. Investir em ações beneficentes, como jantares e corridas, que estimulem a doação e engajamento com a marca da Fundação Dorina Nowill. Estimular a conscientização sobre o universo dos deficientes visuais visando a diminuição do preconceito e aumento da inclusão.

7.7 AÇÕES

METRÔ DE SÃO PAULO

O que será feito? Divulgação sonora e visual da nova campanha da Fundação Dorina Nowill na área interna dos trens da linha 4 Amarela. Porque será feito? Para divulgar a nova campanha e incentivar a doação, tanto de pequenos doadores, quanto de grandes investidores que circulam pela linha.

Onde será feito? Linha 4 Amarela do Metrô de São Paulo

Quando será feito? Três primeiras semanas do mês de Dezembro

Por quem será feito?

24

AGÊNCIA


Fundação Dorina Nowill

Como será feito? Será feito um envelopamento preto nos vagões da linha 4 Amarela do Metrô de São Paulo e, entre as estações Paulista, Oscar Freire e Higienópolis Mackenzie, terá um anúncio sonoro - após o ‘apagar das luzes do trem’ convidando as pessoas a acessarem o site da Fundação Dorina Nowill, conhecerem mais sobre a fundação e realizarem uma doação.

Quanto vai custar? R$ 10.000,00

CABINE DE FOTO MISTERIOSA

O que será feito? Cabines “misteriosas”

Porque será feito? Para incentivar a doação e o trabalho voluntário.

Onde será feito? Av. Paulista

Quando será feito? Dia 1 a 31 de Dezembro de 2018

Por quem será feito? Parceria Dorina Nowill e Samsung

Como será feito? Serão espalhadas vinte cabines de fotos com formatos remetentes a “mistério” na Avenida Paulista. Dentro da Cabine será reproduzido um vídeo motivacional para incentivar as pessoas a realizar doações ou trabalhos voluntários. Na própria Cabine as pessoas poderão tirar fotos e imprimi-las instantaneamente com a frase da campanha: “A visão de uns é a esperança de outros!” Com o valor simbólico de R$ 2,00 cada foto. Vale destacar que toda a renda obtida nesta ação será revertida para a Fundação Dorina Nowill.

25

Quanto vai custar? R$ 40.000,00

AGÊNCIA


TERRAÇO ITÁLIA COM DORINA NOWILL

O que será feito? Jantar Beneficente

Porque será feito? Para captar recursos para a Fundação Dorina Nowill

Onde será feito? Terraço Itália

Quando será feito? 27 de Outubro de 2018

Por quem será feito? Parceria entre a Fundação Dorina Nowill e Rede Globo - grande veículo de comunicação que patrocinará os custos do local. Como será feito? Será realizado um jantar beneficente para 400 pessoas com a presença de algumas celebridades e empresários de grandes corporações, como Samsung, Microsoft e IBM - que já são patrocinadores da causa. Para a divulgação desse jantar utilizaremos uma lista de contatos de pessoas que já realizaram pelo menos uma doação para a Dorina Nowill (independentemente do valor), como também, nas mídias sociais (principalmente Facebook). Os interessados deverão entrar em contato por meio de telefone/e-mail ou no próprio site da fundação; cada convite custará R$ 150,00 e as pessoas terão direito ao jantar completo com uma bebida, uma cartela de bingo e estacionamento gratuito. Vale destacar que toda a renda obtida nesta ação será revertida para a Fundação Dorina Nowill.

Quanto vai custar? R$ 60.000

PALESTRAS EM UNIVERSIDADES - DORINA NOWILL

O que será feito? Palestras em universidades sobre a deficiência visual.

26

AGÊNCIA


Porque será feito? Para a conscientização e engajamento pela causa, tornando a Fundação mais reconhecida entre jovens que apoiam causas sociais.

Onde será feito? No auditório FHC da universidade Cruzeiro do Sul - Av. Regente Feijó, 1295 Quando será feito? 10 a 14 de dezembro 2018

Por quem será feito? Representantes da Fundação Dorina Nowill: deficientes visuais e voluntários.

Como será feito? Na semana do Dia Nacional do Cego haverá palestras com temas voltados a deficiência visual: como é o dia a dia dos deficientes visuais, preconceito na sociedade e inclusão no mercado de trabalho. Os palestrantes irão trabalhar voluntariamente e o espaço será o auditório das universidades. Durante o período do evento terão estandes com vendas de squeezes, agendas, camisetas personalizadas inspiradas na campanha e livros em braille da fundação. Quanto vai custar? R$ 15.000,00

CORRIDA BENEFICENTE - PARCERIA PREFEITURA DE SÃO PAULO (CULTURA)

O que será feito? Corrida beneficente

Porque será feito? Para captar recursos para a Fundação Dorina Nowill.

Onde será feito? Praça Charles Miller, s/n; Pacaembu

Quando será feito? 16 de Dezembro de 2018 (Domingo)- Largada às 8:00h

27

AGÊNCIA


Por quem será feito? Fundação Dorina Nowill Sagaz Esportes

Como será feito? Será feito uma corrida nos arredores do estádio do Pacaembu, a fim de arrecadar verba para a Fundação Dorina Nowill. Os participantes irão realizar um percurso de 5 e 10km e poderão se inscrever através do hotsite da corrida beneficente. Para as inscrições serão disponibilizados três kits da Dorina Nowill que serão retirados no local do evento: Kit Básico: Camiseta, Sacola de Treino, Placa decorativa e medalha -R$ 99,00 Kit Plus: Camiseta, Sacola de Treino, Placa decorativa, Boné e medalha – R$ 120,00 Kit VIP: Camiseta, Sacola de Treino, Placa decorativa, Boné, Jaqueta de frio e medalha R$ 160,00.

Quanto vai custar? R$ 80.000,00

7.8 BRIEFING/RESUMO BRIEFING/RESUMO : Cliente: Fundação Dorina Nowill para Cegos Razão Social: Fundação Dorina Nowill para Cegos® Nome Fantasia: Dorina Nowill CNPJ: 60.507.100/0001-30 Atividade: Inclusão e autonomia de pessoas com deficiência visual a Fundação Dorina Nowill oferece programas de reabilitação, educação especial, empregabilidade e acesso à informação, além da produção e distribuição de livros em braille,áudio e digital acessível Daisy por meio de sua editora especializada. Que são enviados gratuitamente para pessoas com deficiência visual . Endereço: R. Dr. Diogo de Faria, 558 - Vila Clementino, São Paulo-SP Telefone: (11) 5087-0999 Site: www.fundacaodorina.org.br

28

AGÊNCIA


História: A Fundação Dorina Nowill para Cegos é uma organização sem fins lucrativos e de caráter filantrópico. Há mais de 70 anos, temos nos dedicado à inclusão social de pessoas com deficiência visual. Uma das formas como fazemos isso é por meio da produção e distribuição gratuita de livros em braille, falados e digitais acessíveis, diretamente para o público e também para cerca de 3000 escolas, bibliotecas e organizações de todo o Brasil. Também oferecemos, gratuitamente, serviços especializados para pessoas com deficiência visual e suas famílias, nas áreas de educação especial, reabilitação, clínica de visão subnormal e empregabilidade. Com muita dedicação à causa, ao longo das últimas sete décadas, produzimos mais de 6 mil títulos, imprimimos 2 milhões de volumes em braille e mais de mil títulos neste sistema! Também foram produzidas mais de 2,7 mil obras em áudio e cerca de outros 900 títulos digitais acessíveis. Nos serviços de clínica de visão subnormal, reabilitação e educação especial, já são mais de 17 mil pessoas atendidas. Oferecemos, também, uma gama de serviços, como cursos, capacitações e consultorias. Por fim, mais recentemente, criamos a divisão Soluções em Acessibilidade (antiga DNA Editora), área da Fundação Dorina focada na produção e distribuição de livros e revistas acessíveis nos formatos braille, falado e Daisy, treinamentos, palestras, adequação de espaços e serviços de acessibilidade na web. Mas é claro que não conseguiríamos todas essas realizações sozinhos. Contamos com o apoio de doações, voluntários, amigos e patrocinadores que acreditam na missão da Fundação Dorina Nowill para Cegos e ajudam a fazer do nosso trabalho uma referência de inclusão social das pessoas cegas e com baixa visão. Missão: Facilitar a inclusão social de pessoas com deficiência visual, respeitando as necessidades individuais e sociais, por meio de produtos e serviços especializados. Visão: Iluminar a vida dos que buscam plenitude com a deficiência visual, cultivando soluções transformadoras. Valores: Ética: agimos com transparência, integridade e dignidade. Respeito: respeitamos o nosso próximo e a nossa missão. Dedicação: acreditamos no que fazemos e trabalhamos com empenho e amor. Perseverança: superamos obstáculos para alcançar nossos objetivos.

29

AGÊNCIA


Público-Alvo : Pessoas com deficiência visual e suas famílias, que necessitam de educação especial, reabilitação, clínica de visão subnormal e empregabilidade. Projetos/Ações existentes: Dorinateca, Trocando saberes. Voluntários/Colaboradores: - Já somos mais de 380 colaboradores . - Todos maiores de 18 anos - ( 4h de trabalho semanais). Concorrentes: Instituto de Cegos Padre Chico, ADEVA - Associação de deficientes visuais e amigos e CADEVI - Centro de Apoio ao Deficiente Visual. Conclusão do Micro e Macro: A análise do microambiente ajudou na melhor percepção do tamanho da Fundação Dorina, nesse meio onde há tão pouco investimento, como sendo uma das maiores propagadoras e inovadoras na escrita e leitura em braille da América latina. Já na análise macro ambiental, foi possível compreender pontos importantes para a estruturação da pesquisa, como: O preconceito na inclusão social, a empregabilidade funciona como cumprimento da lei apenas, a iniciativa da criação de aparelhos que ajudarão cada vez mais na acessibilidade, relação da sustentabilidade e a produção de livros etc. Posicionamento: A mais de 70 anos fazendo a inclusão de deficientes visuais na sociedade e no mercado de trabalho. Objetivo de Comunicação: O público com deficiência visual tem como principal objetivo conseguir inclusão social. Sendo assim, o objetivo de comunicação para a campanha da Dorina Nowill, é conscientizar da necessidade de doação ou patrocínios que auxiliem a inclusão dos deficientes visuais na sociedade, como também, no mercado de trabalho; podendo ser pequenos doadores ou grandes investidores. Por isso, a campanha terá o seguinte conceito: “A visão de uns, é a esperança de outros!” Objetivo de Marketing: Gerar reconhecimento da marca em 9% do público-alvo até o fim de Dezembro de 2018. Aumentar a quantidade de pessoas conscientizadas a respeito da deficiência visual, de 11 mil pessoas para 25 mil durante o período da campanha Captar 5 novos patrocinadores para a Fundação Dorina Nowill durante o período da campanha. Aumentar a distribuição e venda de livros em braille da Fundação de 91.5 mil para 100 mil.

30

AGÊNCIA


8. CRIAÇÃO E PRODUÇÃO

ANÚNCIO SONORO:

Agência:​​ LIBER

​Título:​​ DORINA NO METRÔ

Cliente:​​ DORINA NOWILL

​Duração:​​ 12”

Produto: ​DOAÇÕES

​Data:​​ 09/10/2018

Formato:​​ ANÚNCIO SONORO TEC

INSERIR EFEITO SONORO "AVISOS DO METRÔ"

TEC

INSERIR EFEITO SONORO "ELETRICIDADE"

LOC 1

FICOU ESCURO NÃO É MESMO?! MAS CALMA AINDA TEM LUZ NO CELULAR ACESSE O SITE FUNDAÇÃODORINA.ORG.BR

TEC

E FAÇA JÁ SUA DOAÇÃO. INSERIR EFEITO SONORO "AVISOS DO METRÔ"

31

AGÊNCIA


RELÓGIO URBANO:

SANCA DE TREM:

32

AGÊNCIA


PONTO DE ÔNIBUS:

PAINEL SUPERBACKIGHT:

33

AGÊNCIA


KIT BÁSICO - CORRIDA BENEFICENTE:

KIT PLUS - CORRIDA BENEFICENTE:

34

AGÊNCIA


KIT VIP - CORRIDA BENEFICENTE:

PEINEL DE CHEGADA - CORRIDA BENEFICENTE:

35

AGÊNCIA


CABINE DE FOTO MISTERIOSA:

FOTOS DA CABINE DE FOTO MISTERIOSA:

36

AGÊNCIA


POST DAS PALESTRAS EM UNIVERSIDADES NA PÁGINA DORINA NOWILL:

POST DAS PALESTRAS EM UNIVERSIDADES NA PÁGINA DA CRUZEIRO DO SUL:

37

AGÊNCIA


EVENTO DE DIVULGAÇÃO DO JANTAR BENEFICENTE NO FACEBOOK:

38

AGÊNCIA


POST DE DIVULGAÇÃO DO JANTAR BENEFICENTE NO FACEBOOK:

ENVELOPAMENTO DOS VAGÕES DA LINHA 4 AMARELA DO METRÔ DE SÃO PAULO:

39

AGÊNCIA


9.MÍDIA E CUSTOS

JUSTIFICATIVAS DOS MEIOS

Justificativa metro Vantagens de acordo com as pesquisas feitas: Alta frequência de público com 77% dos usuários, que utilizam o Metrô de 5 a 7 vezes por semana; Tempo de permanência do usuário do Metrô: 34% permanecem em média de 31 a 60 minutos e 26% de 61 a 90 minutos; É possível direcionar a campanha de acordo com o público, diminuindo a dispersão da mensagem; Diversas formas de surpreender o target, seja ocupando estações inteiras, trens ou espaços inusitados; Ampla cobertura; Permite a veiculação com foco em determinado público, dependendo da estação e de seus arredores. Ex.: universitários, médicos, entre outros; Bom custo-benefício em relação ao número de pessoas impactadas; Diversas opções de formatos; Possibilidade de escolha de linhas ou estações que concentrem o público-alvo. O metrô concentra grande parte do público alvo, homens e mulheres de 18 a 29 anos das classes B e C. Segmentando nossa campanha em estações estratégicas conseguimos alcançar o nosso público atingimos um número elevado todos os dias. Linha 1 AZUL: 2.540.000 usuários/ por dia. Linha 3 VERMELHA: 2.723.000 usuários/ por dia.

40

AGÊNCIA


Linha 4 AMARELA: 47.000 usuários/ por dia, sendo que 68% pertencem às classes A,B. Out-of-home (OOH).

Por que anunciar: 96% do público vê o painel com facilidade. Segunda mídia mais impactante atrás apenas da TV. Fixação: Em geral, as pessoas circulam pelos mesmos locais diariamente e veem as placas repetidamente. A mensagem concisa breve facilita a memorização. Hoje em dia 85% das pessoas em São Paulo (15+) saem de casa pelo menos 1 vez por semana, um total de 256 milhões de trajetos por semana. O impacto pelo OOH é de 88% da população economicamente ativa – 86% da classe AB, 85% da classe C e 83% da classe DE. Em são Paulo conseguimos impactar diariamente das 7 às 20h cerca de 5,4 milhões de pessoas paradas nos congestionamentos. Assim sendo é inevitável não anunciar em uma mídia que impacta cada dia mais os consumidores que são moradores desses grandes centros.

CRONOGRAMA GERAL Meio

Dezembro de 2018

Metrô Relógio Urbano

41

AGÊNCIA

Janeiro de 2019


Metrô 2018-2019 Dezembro Metrô

Formato

Janeiro

QTDE

Preço Unitário/ Semanal

Ins. 2

9

16

23

30

6 13 20

PREÇO COM DESC

DESC

Preço Total

27

Linha 1 Azul Tucuruvi - Jabaquara

Sanca de Trem 1,12x 0,30m

120

31

31

62

-R$

333.30-

8%

-R$

306.64- -R$

36,796.80-

Linha 3 Vermelha Barra-Funda - Itaquera

Sanca de Trem 1,12x 0,30m

120

31

31

62

-R$

333.30-

8%

-R$

306.64- -R$

36,796.80-

Linha 1 Azul Tucuruvi - Jabaquara

Painel Superbacklight 2,46 X 1,22m

4

31

31

62

-R$

3,232.50-

10%

-R$

2,909.25- -R$

11,637.00-

Linha 3 Vermelha Barra-Funda - Itaquera

Painel Superbacklight 2,46 X 1,22m

4

31

31

62

-R$

3,232.50-

10%

-R$

2,909.25- -R$

11,637.00-

Linha 4 Amarela Butantã - Luz

Plataformas Bilheterias

276

-

7

-

-

-

-

7

-R$ 340,200.00- 10%

-R$ 306,180.00- -R$

306,180.00-

Linha 4 Amarela Estação Paulista

Trem Digital Interno

59

-

7

7

-

-

28

-R$ 50,500.00-

-R$ 45,450.00- -R$

181,800.00-

-R$

584,847.60-

7

-

7

10%

VALOR TOTAL

Relógios Urbano 2018-2019 Dezembro Local

Cidade

Av. Paulista São Paulo

QTDE

20

Freq. 1

2

3

4

5

6

7

8

9

1

1

1

1

1

1

1

1

1

10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 1

1

1

1

1

14

Unitário 30"

DES C

-R$ 3,500.00- 15%

Unitário 30" c/ DESC. -R$ 2,975.00- -R$

59,500.00-

-R$

59,500.00-

VALOR TOTAL MÊS

Janeiro Local

Cidade

QTDE

Freq. 1

Av. Paulista São Paulo

42

20

2

3

4

5

6

7

8

9

1

1

1

1

1

10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 1

1

1

1

1

1

1

1

1

14

Unitário 30"

DES C.

-R$ 3,500.00- 15%

Custo Total

Unitário 30" c/ DESC.

Custo Total

-R$ 2,975.00- -R$

59,500.00-

VALOR TOTAL MÊS

-R$

59,500.00-

VALOR TOTAL

-R$

119,000.00-

AGÊNCIA


Flow Chart Dez/2018-Jan/2019 Meio

Veículo

Dezembro

Programa / Formato 2

9

Janeiro

16 23 30

6

13 20 27

Metrô

Metrô de São Paulo

Linha 1 Azul Tucuruvi - Jabaquara

62

62

Metrô

Metrô de São Paulo

Linha 3 Vermelha Barra-Funda - Itaquera

62

62

Metrô

Metrô de São Paulo

Linha 4 Amarela Butantã - Luz

7

-

Metrô

Metrô de São Paulo

Linha 4 Amarela Paulista

14

14

OOH

Relógio Urbano

Avenida Paulista

14

14

CASH FLOW 2018-2019 Meio

Veículo

Programa / Formato

Metrô

Metrô de São Paulo

Linhas 1,3 e 4

OOH

Relógio Urbano

Avenida Paulista

Dezembro

Janeiro

TOTAL BRUTO

-R$ 445,513.80- -R$ 139,333.80--R$

584,847.60-

-R$

59,500.00- -R$ 59,500.00- -R$

119,000.00-

-R$

703,847.60-

VALOR TOTAL

PRODUÇÃO

43

Produção de Kits - Corrida Beneficente

-R$

80,000.00-

Produção de Convites Personalizados - Jantar Beneficente

-R$

5,000.00-

Produção de Kits - Palestras em Universidades

-R$

15,000.00-

Produção Cartazes (240 sancas)

-R$

5,200.00-

Produção de Cartazes (8 painéis)

-R$

7,800.00-

Produção de Painéis (276 painéis)

-R$

9,300.00-

Produção de Cartazes (4 cartazes) | 80 reais uni.

-R$

320.00-

TOTAL

-R$

122,620.00-

REMUNERAÇÃO DA AGÊNCIA (10%)

-R$

12,262.00-

Produção de 20 Cabines Fotográficas - Photomatic contratada

-R$

40,000.00-

Envelopamento - ProjetoAvisual contratada

-R$

5,000.00-

VERBA DE PRODUÇÃO

-R$

45,000.00-

RESUMO

AGÊNCIA


RESUMO

44

VERBA DO CLIENTE

-R$

1,000,000.00-

VERBA DE CAMPANHA

-R$

900,000.00-

REMUNERAÇÃO DA AGÊNCIA (10%)

-R$

100,000.00-

INVESTIMENTO EM MÍDIA

-R$

703,847.60-

PRODUÇÃO TOTAL

-R$

167,620.00-

VERBA RESTANTE

-R$

28,532.40-

AGÊNCIA


10. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

https://www.terra.com.br/economia/terra-da-diversidade/ibge-46-das-pessoas-com-deficiencia-recebem-ate-1-salario,de88b920548da310VgnCLD200000bbcceb0aRCRD.html http://blog.isocial.com.br/7-milhoes-de-profissionais-com-deficiencia-ainda-estao-fora-do-mercado-de-trabalho/ http://www.brasil.gov.br/economia-e-emprego/2016/09/cresce-numero-de-pessoas-com-deficiencia-no-mercado-de-trabalho-formal http://agenciabrasil.ebc.com.br/direitos-humanos/noticia/2017-08/apenas-1-dos-brasileiros-com-deficiencia-esta-no-mercado-de http://isocial.com.br/download/Pesquisa_iSocial-Expectativas_e_Percepcoes_sobre_o_ Mercado_de_Trabalho_para_Pessoas_com_Deficiencia-%202017-2018-PCDs.pdf https://abrhsp.org.br/geral/noticias/o-que-falta-para-a-inclusao-de-pcds/ http://www.vias-seguras.com/layout/set/print/os_acidentes/as_vitimas_de_acidentes_de_ transito/os_direitos_da_pessoa_com_deficiencia/guia_dos_direitos_das_pessoas_com_deficiencia2/guia_fiesp_2007_da_acessibilidade http://trocandosaberes.com.br/projeto/ http://www.dorinateca.org.br/ https://pt.wikipedia.org/wiki/Funda%C3%A7%C3%A3o_Dorina_Nowill https://www.fundacaodorina.org.br/nossa-atuacao/servicos-de-apoio-a-inclusao/acesso-a-cultura-e-a-informacao/ https://br.freepik.com/fotos-gratis/alegre-menina-bonita-com-oculos_2997319.htm https://br.freepik.com/index.php?goto=74&idfoto=1249998 https://br.freepik.com/fotos-gratis/menina-no-parque_1192121.htm https://pt.freeimages.com/photo/braile-book-1463973 https://pt.freeimages.com/photo/elevator-1457224 https://www.youtube.com/watch?v=04EnHH5G2qc https://www.youtube.com/watch?v=DE1RpeSw278

45

AGÊNCIA


https://br.freepik.com/fotos-gratis/jovem-femininas-amigos-com-dormir-olho-mascara-ficar-frente-parede_3105516.htm https://br.freepik.com/index.php?goto=74&idfoto=3105513 https://br.freepik.com/index.php?goto=74&idfoto=3105518 https://br.freepik.com/fotos-gratis/sorrindo-jovens-amigas-sentado-na-cama-em-casa_3114849.htm https://br.freepik.com/index.php?goto=74&idfoto=3090561 https://br.freepik.com/fotos-gratis/retrato-de-sorrindo-par-jovem-desfrutando-a-passeio-bicicleta_3090571.htm https://br.freepik.com/fotos-gratis/sorrindo-par-jovem-com-skateboard-branco-fundo_3090532.htm https://br.freepik.com/index.php?goto=74&idfoto=3090573&term=amigos https://br.freepik.com/index.php?goto=74&idfoto=3090578&term=amigos https://br.freepik.com/index.php?goto=74&idfoto=2826258 https://br.freepik.com/index.php?goto=74&idfoto=1612734 https://cdn.pixabay.com/photo/2014/11/24/20/31/man-544542__340.jpg https://pixabay.com/pt/menina-retrato-%C3%A0-procura-jovem-919048/ https://pixabay.com/pt/mulher-menina-retrato-feminino-828610/ https://br.freepik.com/index.php?goto=74&idfoto=2728126&term=olho https://br.freepik.com/fotos-gratis/menino-sentado-apoiado-na-leitura-das-maos_1267107. htm

46

AGĂŠNCIA


11. ANEXOS

Visita da Agência Liber na Instituição Dorina Nowill:

47

AGÊNCIA


48

AGÊNCIA


49

AGÊNCIA


50

AGÊNCIA


51

AGÊNCIA