Page 1

Jaú - Ano 12 | Edição 98 | Dezembro 2021 Distribuição gratuita | Venda proibida

Centro de Tiro e Caça Jaú

Um dos maiores da América Latina!

Vai viajar?

Confira nossas dicas!

Vacinas

Proteção e prevenção

Festas

Elas estão de volta!




Editorial

Estamos prontos para 2022

Ano 12 – Edição 98 – Jaú, Dezembro de 2021 Tiragem: 10.000 exemplares Revista Energia é uma publicação da Rádio Energia FM Diretora e Jornalista responsável Maria Eugênia Marangoni mariaeugenia@radioenergiafm.com.br MTb. 71286

O mundo está vivendo uma era de mudanças e nós, da Energia, estamos preparados para encarar os novos desafios com criatividade e inovação

Diretor artístico: Márcio Rogério rogerio@radioenergiafm.com.br Edição e Revisão de textos Heloiza Helena C. Zanzotti revisao@revistaenergiafm.com.br

Fotografia Moinho Propaganda (14) 3416 7290 Diagramação Moinho Propaganda (14) 3416 7290 Projeto gráfico: Revista Energia Social Club social@revistaenergiafm.com.br Colunistas Alexandre Garcia Evelin Sanches João Baptista Andrade Junior Campos Prado Professor Marins Ricardo Izar Sandra Perlati Thais Rabello Wagner Parronchi Comercial Marcelo Mendonça Milene Perez Sérgio Bianchi Silvio Monari Impressão: Grafilar (14) 3812 5700 Distribuição: Panfletos&Cia (14) 3621 1634 Revista Energia Rua Quintino Bocaiúva, 330 | 2º andar CEP: 17201-470 | Jaú - Fone: (14) 3624 1171 www.energianaweb.com.br Elogios, críticas e sugestões leitor@revistaenergiafm.com.br Quero anunciar comercial@revistaenergiafm.com.br Opiniões, avisos e quaisquer outras informações expressas nos editoriais e colunas representam exclusivamente a visão de seus autores, e não refletem necessariamente a posição e/ou opinião da Revista Energia, seus parceiros e patrocinadores. Nesses casos, o conteúdo é de total e exclusiva responsabilidade de seus autores.

Foto: Arquivo pessoal

Criação de anúncios: Moinho Propaganda atendimento@moinhopropaganda.com.br

H

á 30 anos a Energia trabalha para manter-se à altura das expectativas dos nossos clientes, parceiros e ouvintes. Estamos em constante movimento, sempre buscando novas ideias, projetos e soluções inovadoras para cada segmento, para cada necessidade. Sabemos que se ainda há muitas incertezas, também há muitas oportunidades, e mais do que nunca nos sentimos prontos para novos desafios. Desafios como o de realizar um evento grandioso como o EQM – Empresas que Movimentam, reunindo as empresas de destaque em nossa cidade, parceiros que se superaram em um cenário desfavorável, que souberam se adaptar às mudanças e continuar em movimento. Neste ano de 2021, quem abrilhanta esta linda festa é uma das mais famosas e queridas duplas sertanejas do país, Bruno e Marrone, proporcionando momentos que ficarão guardados na memória das pessoas que se fizeram presentes. Nesta edição da RE abordamos este universo dos eventos, cujo setor foi severamente afetado pela pandemia da Covid-19, mas que está de volta com protocolos e cuidados, e com força total. As empresas do setor estão com as agendas lotadas e se você pretende realizar um evento, é bom planejar com muita antecedência. Também no setor de turismo, pessoas que precisaram adiar o sonho de conhecer algum lugar já estão com a viagem marcada. Confira quais os destinos mais procurados e saiba mais sobre novos protocolos em aviões e hotéis. No entanto, para que tudo isso aconteça como planejado é fundamental que você esteja protegido, por isso, todas as orientações estão na matéria em que falamos das vacinas, da infância à idade adulta, inclusive para idosos e viajantes. Nossa capa, fechando o ano, traz o Centro de Tiro e Caça Jaú - um dos maiores centros de tiro da América Latina, para quem deseja aprender ou aprimorar suas técnicas. Por falar nisso, você sabia que a prática de tiros em ambiente seguro e controlado é excelente para aliviar a tensão do dia a dia, aumentar a qualidade de vida e a sensação de bem-estar? Vale a pena mergulhar nesta edição da RE, que traz conteúdos incríveis. Aproveito para desejar um Natal iluminado a todos, e que 2022 traga novas e boas histórias, e grandes momentos para comemorarmos com você, pois amamos o que fazemos.

Maria Eugênia



46

Look de Artista

NESTA EDIÇÃO 08 Radar 11 Pense Nisso 12 Seu Próximo Destino 16 Perfil 21 Modernize 23 Opinião 24 Capa 31 Odontologia 33 Vida Saudável 36 Saúde 41 Soluções em Construção 46 Look de Artista 49 Imóveis 50 Festas 54 EQM 2021 64 Turismo 68 Cyber Dicas 72 Social Club 78 Adote um Pet 80 Legislação 82 Boa Vida Nossa Capa: Clube de Tira e Caça Jaú Modelo: Ivan Alexandre Cassaro Jaú - Ano 12 | Edição 98 | Dezembro 2021 Distribuição gratuita | Venda proibida

Centro de Tiro e Caça Jaú

Um dos maiores da América Latina!

Vai viajar?

Confira nossas dicas!

Vacinas

Proteção e prevenção

Festas

Elas estão de volta!



Radar Por Alexandre Garcia

ALEXANDRE GARCIA Jornalista, apresentador, comentarista de telejornais, colunista político e conferencista. Atuou no Jornal do Brasil, na TV Manchete e na Rede Globo, onde trabalhou por mais de 30 anos. Em março de 2020 foi contratado pelo Canal Rural como comentarista nos programas “Rural Notícias” e “Mercado & Companhia”, e em julho de 2020 passou a integrar o time de comentaristas da CNN Brasil. Atualmente também escreve para o jornal a Gazeta do Povo.

República ou Monarquia? O plebiscito de 1993, previsto cinco anos antes pela Constituição, mostrou que 86,6% dos eleitores

R

preferiam o sistema republicano e 13,4% a monarquia

ecentemente, quando o vice-presidente Hamilton Mourão postou nas redes um texto comemorativo à Proclamação da República, a reação não veio na mesma proporção do resultado do plebiscito. Talvez metade das manifestações, ou perto disso, culpa a República pelos nossos males e defende que a monarquia teria evitado muitas de nossas mazelas. No plebiscito de 1993, todos os eleitores só haviam vivido numa república e nenhum em regime de monarquia parlamentar; e não havia redes sociais para debater sistemas de governo. Antes que se alegue que a proclamação da República foi um golpe militar tramado por uma elite intelectual e apoiado por escravistas furiosos com a Abolição; antes que se lembre que Deodoro era amigo e admirador do Imperador e o derrubou depois que Benjamin Constant o fez sair do leito de enfermo com a fofoca que Pedro II chamara Gaspar Silveira Martins para ser chefe do governo - logo ele, Gaspar, de quem Deodoro tinha ciúmes por causa de Maria Adelaide, a “baronesa” do Triunfo; antes que se argumente que a família real amava mais o Brasil que os políticos da República - vamos ponderar se a responsabilidade pelas mazelas deste país não é do sistema de governo, mas dos que operam as instituições do estado brasileiro. Quem quer que leia as biografias dos grandes do Império - políticos do parlamento, ministérios e das províncias, empresários, senhores de terras, generais, juristas, vai encontrar muita semelhança com deputados, senadores, ministros, governadores, juízes, empresários, que vieram depois de 1889. Antes e depois tivemos leis a serviço de interesses individuais e de

8 Revista Energia

grupos, ações de governantes, legisladores e juízes em defesa não do bem comum, mas de setores mais próximos do poder. O Império, a República Velha e a Nova República conservaram os maus hábitos, sempre em defesa dos interesses dos que se apropriam do estado que, por sua vez, defende a sua burocracia administrativa e jurídica, como se fossem mais do que guardiões - verdadeiros donos do governo. Assim, temos uma cultura que persiste, seja qual for a forma de governo. Essa cultura escreveu, no único parágrafo do primeiro artigo da Constituição, que todo poder emana do povo, que o exercerá diretamente ou por seus representantes eleitos. Essa mesma cultura escreveu na Constituição que todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza. Que não haverá censura, que é livre a manifestação do pensamento, que é livre a locomoção no território nacional, que a casa é o asilo inviolável, que deputados e senadores são invioláveis por quaisquer opiniões, que o Ministério Público é essencial à Justiça. A cultura que escreveu isso é a mesma que mudou de monarquia para república, para o bem do país - e para se manter. São amarras centenárias enraizadas, que resistem e reagem quando sentem a ameaça de mudança real. No Brasil de hoje, cumprir a Constituição já será uma boa mudança. 

"Vamos ponderar se a responsabilidade pelas mazelas deste país não é do sistema de governo, mas dos que operam as instituições do estado brasileiro"



sicredi.com.br

E se o que é melhor para sua empresa também for o melhor para todos?

Existe alternativa. Somos uma instituição financeira cooperativa que cresce junto com você, sua empresa e a sociedade. Por isso, oferecemos soluções ideais para o seu negócio prosperar, taxas justas e atendimento próximo, humano e também digital, em todo o Brasil e na palma da sua mão. Abra sua conta com a gente.

Conta Corrente

Cartão Empresarial

Cobrança

Máquina de Cartões

Crédito

Investimentos e muito mais

SAC - 0800 724 7220

Deficientes Auditivos ou de Fala - 0800 724 0525. Ouvidoria 0800 646 2519.

Aponte a câmera do seu celular e saiba mais.

Escolha o Sicredi, onde o dinheiro rende um mundo melhor.


Pense

nisso

Por Professor Luiz Marins

LUIZ MARINS Antropólogo e escritor. Tem 26 livros publicados e seus programas de televisão estão entre os líderes de audiência em sua categoria. Veja mais em www.marins.com.br

O sucesso do nosso agro que incomoda o mundo

√ Pós-obra √ Residencial √ Comercial Consulte nossos planos

3141-1316 99177-6837

(14) (14)

Quem acompanha meus artigos é testemunha que há anos venho dizendo que chegaria o dia em que nossa competência no agronegócio iria incomodar o mundo de maneira muito forte

E

também que seríamos alvo de ataques os mais variados, com mentiras e meias-verdades veiculadas pela imprensa internacional e mesmo por organismos que têm seus principais dirigentes e interesses ligados aos produtores europeus, americanos e mesmo australianos. Pois é. Esse tempo chegou. O Brasil hoje está a caminho de ser, de forma disparada, o maior produtor e exportador de alimentos, tanto na produção vegetal quanto animal. Nosso agro alimenta mais de um bilhão de pessoas e países populosos são dependentes de nossa produção para a segurança alimentar de sua gente. Os nossos produtos do agro são hoje exportados para mais de 160 países com rígidos controles sanitários, o que por si só comprova a sua qualidade. O problema que eu já antevia há anos é que os produtores rurais europeus, fortemente subsidiados por seus governos, não conseguem competir com o Brasil, que além de nossa competência tecnológica consegue produzir três safras por ano, enquanto no hemisfério norte só é possível uma safra. Além disso, temos mais terras agriculturáveis que os Estados Unidos e a Rússia combinados, respeitando a nossa legislação que é a mais rígida do mundo com reservas legais em terras produtivas, o que só existe no Brasil. Imprensa e ONGs financiadas pelos interesses internacionais estão a cada dia aumentando seus ataques ao agro brasileiro sem nenhum fundamento sólido ou científico, e isso tem feito com que os próprios brasileiros, leigos em relação à verdade sobre o agro, comecem a ser contaminados passando a difundir críticas sem nenhum fundamento. Assim, com terra, luz e água em abundância, o Brasil continuará sendo imbatível na produção de alimentos e incomodará cada vez mais o mundo e os interesses internacionais. É, portanto, muito importante e necessário que ao menos nós, os brasileiros, busquemos informações mais fidedignas sobre o agro brasileiro. É urgente que as escolas passem a ensinar a verdade, e não deixem seus alunos à mercê de campanhas difamatórias que só têm como base interesses externos sem o menor fundamento. A verdade é que os produtores europeus, americanos e mesmo australianos não acreditavam que o Brasil fosse capaz de fazer esta competente e forte revolução no campo e agora, surpresos, nos veem como uma ameaça a ser barrada.  Pense nisso. Sucesso!

Agende seu horário!

(14)

99174-7426

Você acaba de ganhar

15,00

R$

de desconto na sua 1º lavagem

“O Brasil continuará sendo imbatível na produção de alimentos e incomodará cada vez mais o mundo e os interesses internacionais” Revista Energia 11




Acompanhe as

NOVIDADES

Com 10 anos de atuação no mercado, a Prata Store tornou-se referência em joias de prata 925, vendendo e enviando produtos para todo o Brasil. Com um mix de produtos variado, combinamos peças clássicas que nunca saem de moda com joias mais elaboradas e cheias de estilo. Aqui na Prata Store você encontra a peça perfeita para todas as ocasiões! Nossas joias são feitas em prata 925, também conhecida como “prata de lei”, isto porque, possuem em sua composição 92,5 % de prata pura. Toda esta dedicação em oferecer somente peças de alta qualidade, é para garantir acabamento superior e maior durabilidade para nossos clientes. E para comemorar esta década de sucesso e muito amor à prata, expandimos nossas atividades e inauguramos recentemente uma nova loja no Shopping Território do Calçado.

pratastorejau (14) 99106-9595


Em novembro de 2021, inauguramos uma nova unidade da nossa marca, dedicada a consumidoras que buscam por joias de alta qualidade e peças exclusivas, com design diferenciado. E além disso, nossa nova loja chegou com uma grande novidade, além de vendas no varejo, agora também trabalhamos com vendas no atacado. Após uma década de experiência neste mercado tão apaixonante e inúmeros pedidos de nossas clientes, é com grande alegria que inauguramos a nossa segunda loja no Shopping Território do Calçado.

Se você está buscando por uma oportunidade de negócio ou quer iniciar uma nova carreira em um mercado que não para de crescer, venha conhecer nossa nova loja e apaixone-se você também pela Prata 925.

"Nossa missão é oferecer os melhores acessórios em prata, buscando sempre a satisfação de nossos clientes. O que poderia ser um simples trabalho virou minha maior paixão. Que minha paixão se torne a sua também!” Vanessa Abdo - Proprietária Prata Store

Loja 1 - Jaú Shopping (varejo) Av. Dr Quinzinho, 511 - Quiosque Loja 2 - Shopping Território do Calçado (varejo e atacado) Av. Totó Pacheco, 1647 - Loja nº 96 - 1º corredor


Pelas trilhas do sucesso “Quando eu era criança tive um sonho – eu queria ter a minha própria bicicleta. Quando ganhei uma bike eu devo ter sido o garoto mais feliz de Liverpool, talvez do mundo. Eu vivia por ela. A maioria das crianças largava suas bicicletas no quintal durante a noite. Não eu. Eu insistia em guardar dentro de casa e, na primeira noite, eu a mantinha na minha cama” (John Lennon)

Texto Heloiza Helena C Zanzotti Fotos Arquivo pessoal

A

citação de John Lennon reflete bem a paixão pela bike, que caiu no gosto de milhares de pessoas. Paixão que vem crescendo, ganhando as ruas e trilhas das cidades. Nesta edição da RE, vamos conhecer alguém que fez desta paixão um estilo de vida, e está colecionando vitórias em competições pelo país. Vitor Modenese de Sá, 18, é nosso entrevistado nesta coluna. Ele nasceu em Jaú, mas devido ao trabalho do pai já morou em outras cidades e estados como Mato Grosso e Paraná. QUANDO E COMO DESCOBRIU O GOSTO PELA BIKE? Minhas brincadeiras prediletas sempre envolveram bike e o esporte em si. Sempre andei de bike, minha vida inteira, mas de dois anos e meio para cá entrei de cabeça nesse esporte maravilhoso e não saí mais, e nem pretendo. QUANDO COMEÇOU A TREINAR E PARTICIPAR DE COMPETIÇÕES? Minha primeira trilha foi em um evento que teve em Bocaina, fui pedalando de mochila nas costas, fiz o passeio - que para mim era corrida - e voltei pedalando. Cheguei morto e já achava que estava andando super bem! (risos).

16 Revista Energia

QUAIS COMPETIÇÕES JÁ VENCEU? QUAIS FORAM AS MAIS IMPORTANTES? Já participei de várias corridas, mas as mais inesquecíveis foram as que tive experiências adquiridas com os meus erros e as que consegui ter a vitória, que foi no Brasil Ride Warm up, Prova em Águas de São Pedro, 4º lugar na CIMTB em Araxá, entre outras conquistas… QUAIS DIFICULDADES ENCONTRA PARA COMPETIR? Quero continuar competindo por muito tempo, mas é tudo muito caro e a única coisa que poderia interromper esse sonho seria a questão financeira. VOCÊ TRABALHA EM UMA EMPRESA ESPECIALIZADA EM BIKES. ISSO AJUDA? Hoje trabalho na Bike 7, uma loja top de bikes que conta com uma oficina especializada. E eles me ajudam bastante. COM QUE FREQUÊNCIA VOCÊ TREINA? Gosto muito de treinar, por isso, treino todos os dias nas avenidas, na estrada e nas trilhas por aí.


Revista Energia 17


QUAIS SÃO SEUS MAIORES INCENTIVADORES? Meus maiores incentivadores são a minha família, que sempre está ao meu lado, e depois meu patrão. A Renata Alexandre, que conversa muito comigo e me deixa sempre motivado. RECEBE ALGUMA AJUDA PARA TREINAR OU COMPETIR? Nos treinos e antes das corridas tenho muito a ajuda dos meus treinadores e amigos Marcelo Azevedo e Carlos Pavan (Galeria Fit), e também a ajuda da Renata, que faz a ozonioterapia que me ajuda bastante. Nas provas tenho o apoio da Bike 7. EM SEU TRABALHO TEM UM AMIGO QUE TAMBÉM PARTICIPA DE COMPETIÇÕES... Meu parceiro de treino é meu amigão e meu mecânico Vinicius Alcântara, 14. E tem também meus outros amigos que trabalham nas outras cidades, que treinam comigo geralmente nos finais de semana. Tem o Lucas Nathan, Lucas Vinicius e o Ge Fini, que também é um treinador para mim e me passa muita experiência nos treinos. QUAIS SÃO SEUS PLANOS FUTUROS? Pretendo cursar algumas faculdades relacionadas ao esporte e continuar trabalhando com bike, mas ser bike fitter, mecânico e quem sabe, mais para frente, ter meu próprio negócio, mas sempre treinando e competindo! (Para quem não sabe, bike fitter é um profissional que, através de medições e de equipamentos, avalia todos os membros envolvidos no exercício do pedal como pernas, braços, tronco, e como o seu corpo se comporta durante o pedal para fazer ajustes na bicicleta). 

"Queria muito agradecer a Deus pela vida que ele me deu e essa oportunidade que estou tendo! Tudo isso é um sonho para mim!" Depois que esta edição foi finalizada, Vítor e Vinícius participaram da 1º Etapa da Maratona das Araras na cidade de Araras, SP, e venceram a prova dos 100 km em dupla. Sem um grande patrocínio, os jovens contam com ajuda do Marcelo Azevedo e do Carlos Pavan no apoio e preparação física. Ressaltando que o Vinicius, além de tudo, competiu com uma bike emprestada de um amigo, Elias Freitas, cujo transporte foi feito por uma equipe de Bariri. 18 Revista Energia


Revista Energia 19


Panfletos & Cia. e sua jornada na pandemia Com boa qualidade e abordagem correta, planejamento e logística, atendimento ao cliente com satisfação de atingir seu público-alvo, equipe treinada uniformizada e supervisionados com líderes competentes, parceiro satisfeitos. Assim foi a Panfletos e Companhia por exatos 20 anos.

> PANDEMIA

> AINDA EM TEMPOS DE PANDEMIA

A crise gerada pela pandemia impactou todas as áreas da vida em sociedade; o cenário econômico foi um dos mais afetados perante as recomendações de distanciamento para proteger a população, com a suspensão de parte das atividades comerciais e aglomerações. Profissionais de pequenas empresas foram gravemente prejudicados, principalmente as empresas que dependiam do comércio, como a Panfletos & Cia. E agora? Tudo fechado, o que faremos? E nossos colaboradores? Como resolveremos todas as questões? Tudo para pensar e executar rapidamente, e a parte colaborativa não poderia ser prejudicada.

De outubro/21 para cá as coisas começaram a mudar de cenário, registro de mortes praticamente zero na nossa linda cidade de Jaú, o comércio reabrindo totalmente, nossos clientes começando a voltar, novos clientes precisando dos nossos serviços. Enfim, estamos de volta! A Panfletos & Cia. atua na distribuição profissional de panfletos e tabloides em toda a cidade de Jaú e também em toda a região, por isso queremos agradecer a todos os nossos parceiros, clientes e amigos por esse ano e pela confiança, e dizer que estamos aqui firmes e fortes para continuarmos com o nosso trabalho, lembrando que embora muitas mídias digitais tenham se destacado, é tempo de aderir à distribuição de panfletos, que continua sendo o veículo direto nas mãos do seu possível cliente.

Administração:

Estamos finalizando o ano de 2021 com muitas alegrias, pois estamos vencendo a pandemia e estamos aqui firmes e fortes para reiniciar com garra e determinação, fazendo crescer ainda mais nossa empresa.

Fechando as portas: Sem atividade por mais de 100 dias, o que fazer agora? "A capacidade de aprender ao longo da vida a adaptar-se aos mais variados contextos e situações são fundamentais em um mundo complexo, que se transformou muito rapidamente". A necessidade de inovação durante a pandemia fez com que essas duas empreendedoras se reinventassem e desenvolvessem habilidades e muita criatividade que ajudaria no orçamento da casa. A Jéssica engajou-se no curso de laços e tiaras, aprendeu o ofício, montou seu ateliê. Foi muito satisfatório e continua até o momento. Alice, por sua vez, desenvolveu um lado que lhe trouxe muitas doçuras e travessuras (risos), inventando as Doçuras da Alice, com doces artesanais deliciosos.

Queremos agradecer a todos nossos clientes e parceiros! Agradecer também à rádio Energia FM pela parceria de sempre. Desejamos um feliz Natal e um ano de 2022 com muitas realizações e sucesso!!!

Com alguns recursos de uma excelente administração tudo foi resolvido. Todos os nossos colaboradores foram pagos e assegurados com seguro desemprego, até se encaixarem novamente.

9.9120-0387 3621-1634 20 Revista Energia

Jaú/SP

jau@panfletosecia.com •

/PanfletoseCia.Jaú


Revista Energia 21


22 Revista Energia


Opinião Por: Wagner Parronchi, colunista wagnerparronchi@hotmail.com

Em casa, a melhor parte do frango é um presente para os pais Em janeiro de 2014 foi publicado o artigo de maior sucesso desta coluna intitulado “Em casa, a melhor parte do frango é dos pais”, que contou um pouco da minha história como pai

C

onstantemente recebo mensagens, telefonemas e até sou abordado no dia a dia por leitores da RE fazendo elogios, críticas, concordando e discordando das opiniões emitidas nesta coluna, o que é algo democrático e sadio, mas nenhum outro artigo fez tanto sucesso quanto o publicado em janeiro de 2014 - “Em casa, a melhor parte do frango é dos pais” – pelo qual retratei um pouco da educação que eu e minha amada esposa oferecíamos aos nossos filhos, na época crianças de tenra idade; lições que tiramos, do jeito deles, da excelente educação que nossos pais nos deram. O sucesso do artigo não foi por acaso e em uma das abordagens me lembro de um pai que me disse que pegou a revista, colocou debaixo do braço e a levou para ler o artigo para sua esposa e seus sogros, avós maternos dos seus filhos. Aí entendi: o sucesso adveio de pais angustiados por uma luz na criação e educação dos filhos, tarefa muito difícil e que tem interferência de todos os lados: avós, tios, parentes, padrinhos, amigos, educadores, nossos corações moles etc. Não que eu seja o dono da verdade. Apenas contei uma realidade que vivíamos em família. Impor limites dói muito, muito mesmo, e nos faz sofrer demais, pois as carinhas de tristeza dos nossos filhos é de cortar o coração, mas compensa e muito no futuro, onde hoje estamos. No aludido artigo eu disse para o leitor perguntar “aos meus filhos o quanto é difícil conquistar algo de seus pais”. Não por menos, entre os familiares era comum ouvir que eu e minha esposa éramos sargentões e que meus filhos viviam um “regime militar” dentro de nossas casas. Não é de todo verdade. Nós apenas queríamos formar cidadãos dando a eles a oportunidade de conhecer antemão o que a vida iria naturalmente cobrar deles. Mas pergunte a eles também o quanto este velho sargento foi um tremendo palhaço e o quanto brincamos das mais malucas brincadeiras que deixavam a mãe “sargentona” enlouquecida, mas também deixaram marcas indeléveis em seus corações, na forma de lembranças para contar a vida toda para os seus filhos e netos.

Repetimos em casa tudo o que a vida pudesse cobrar dos nossos filhos, os quais já estão encaminhando para as próprias vidas adultas. Minha linda princesa seguindo os passos do pai, que orgulho, já vai para o 3º ano de Direito, e meu filhão passou no vestibular e ingressou na concorrida faculdade de Medicina, um orgulho para nós. Logo eu e minha velha, os “sargentões” de outrora, com o sentimento de que “missão dada é missão cumprida”, estaremos na reserva, ou como se diz no meio militar, “reformados”, mas felizes e orgulhosos pelo belo resultado de um árduo, mas também criticado trabalho. Não que nós ou meus filhos nunca tivéssemos errado. Ao contrário. Isso é improvável. Todo mundo erra. O importante são as lições que tiramos dos erros que cometemos, de estar preparado para reconhecêlos e de saber parar ou consertar, e minimizar ao máximo os danos, bem como de refletir como meus pais vão se sentir ao saber do erro que cometi. É essa a semente que deve ser plantada na mente dos nossos filhos para que se perguntem toda vez que estiverem no limite entre o erro e o acerto: como meus pais vão ficar quando souberem o que eu fiz? Hoje não é mais necessário separar ou impor para que as melhores partes do frango sejam meu e da minha esposa. Meus filhos fazem questão disso. Eles cuidam de nós melhor do que cuidamos deles. Dedicam atenção, se preocupam conosco, com nossos sentimentos e com a nossa saúde. São eles que cuidam da casa, fazem as compras e até marcam médicos para nós quando precisamos. É óbvio que o trabalho ainda não acabou. Quem é pai e mãe sabe que só termina quando fecharmos os olhos definitivamente, mas, recentemente, disse à minha querida e velha esposa: “fomos ‘sargentões’ na época certa para que não precisássemos ser agora”. Obrigado, obrigado e obrigado aos meus filhos e minha amada “sargentona”. Feliz Natal e próspero Ano Novo. Em tempo: vale a pena acessar: https://www.dicionarioinformal. com.br/sargentona/. Viu só? É um elogio!

Revista Energia 23


Capa

24 Revista Energia


Acerte o

alvo em 2022!

O mercado do tiro esportivo tem crescido rapidamente em vários países agregando tecnologia, equipamentos de última geração e sofisticação Texto Heloiza Helena C Zanzotti

A

procura por clubes de tiro cresceu 60% no último ano, de acordo com atiradores e representantes de clubes de tiro ouvidos pelo portal g1. Entre os fatores que justificam essa alta está o aumento da criminalidade no país, que leva as pessoas a se preocuparem com sua defesa pessoal, além de buscarem uma capacitação técnica para tentar proteger o seu lar ou sua empresa. O acesso a esse mundo que pode ser considerado um “estilo de vida”, ocorre principalmente entre pessoas de classe média a alta. Segundo a publicação, entre os perfis que mais procuram esses clubes estão médicos, empresários, profissionais liberais, militares, pessoas jovens e muitas mulheres. Aliás, atualmente o público feminino busca cursos de tiro não só para autoproteção, mas também como uma forma de superar seus próprios limites, contrariar estereótipos, aliviar o stress e até mesmo por pura diversão. Nos clubes, os alunos aprendem normas de segurança no uso de arma

de fogo, técnicas de defesa e regras nas mais diversas modalidades de tiro esportivo, até se tornar um atirador. O TIRO ESPORTIVO NO BRASIL O Esporte do Tiro surgiu no Brasil em meados do século XIX, principalmente com imigrantes alemães e italianos que se fixaram nos estados da região Sul. Habituados a caçadas, um costume europeu, fundaram diversos Clubes de Caça e Pesca, tendo iniciado aí o tiro esportivo com a competição do “Tiro ao Rei” realizado nas Colônias Alemãs. Desde o início, o Exército Brasileiro teve participação decisiva através dos Tiro de Guerra do Exército. Mais tarde, em novembro de 1947, o então atirador e ministro Afrânio Antônio da Costa foi eleito para presidir a Confederação Brasileira de Tiro ao Alvo (CBTA), atualmente Confederação Brasileira de Caça e Tiro (CBCT), órgão máximo do tiro esportivo no Brasil.

Revista Energia 25


CENTRO DE TIRO E CAÇA JAÚ – CTCJ Considerado um dos maiores centros de tiro da América Latina, o Centro de Tiro e Caça Jaú iniciou suas atividades em dezembro de 2019, com inauguração oficial em março de 2020, em um espaço voltado para os apaixonados pela atividade, por armas e também para as famílias dos praticantes. Devido à pandemia da Covid-19, como em todos os setores, também precisou paralisar suas atividades, mas voltou com força total. O CTCJ está hoje entre os melhores clubes que oferecem a atividade. A pista de tiro possui sala de visualização com vidros blindados (nível IIIA), e conta com 9 raias com até 33 metros de comprimento e 2 raias com distância de 44 metros. Para maior segurança e comodidade do atirador, foram instalados transportadores de alvos eletrônicos, ou seja, a troca e verificação do alvo não exige que o atirador tenha que entrar na pista de tiro. Seus instrutores possuem formação internacional e nas melhores escolas de tiro do país, além de formação em academias policiais. Devido à sua estrutura, o CTCJ recebe com frequência treinamentos e cursos de capacitação das polícias civil e militar, bem como a Marinha, que já utilizou o espaço para treinamento. Pelo CTCJ também já passaram os mais renomados nomes do tiro operacional do Brasil. O clube oferece todo suporte ao atirador, seja ele iniciante ou experiente, na aquisição e transferência de armas de fogo, concessão de Certificados de Registros - CR e cursos de especialização, atualização e aperfeiçoamento. UM ESPAÇO PARA TODA A FAMÍLIA Com ambiente todo climatizado e acesso a cadeirantes, O CTCJ proporciona ao associado uma ampla área de convivência, oferecendo conforto e segurança para os acompanhantes. A lanchonete do Centro de Tiro e Caça Jaú também está sob nova direção. Todos os dias o pessoal do Tupã Dog & Burger serve aquele lanche delicioso com a qualidade que você já conhece, além de diversas porções. E toda quinta-feira tem o tradicional jantar, que já é marca registrada da casa. CTCJ TAMBÉM É LOJA DE ARMAS O Centro de Tiro e Caça Jaú inova sempre no atendimento aos sócios e público em geral. A loja que já comercializava diversos produtos como lanternas, coldres, canivetes e acessórios para CACs, agora também vende armas. São diversas marcas nacionais e importadas: Glock, Beretta, Stoeger, Ruger, IWI, Smith & Wesson, Springfield, Taurus, entre outras. Vale a pena conhecer a loja e conferir os preços. Lembrando que hoje, o acesso a armas pela população em geral é permitido por dois caminhos: pela Polícia Federal ou pelo Exército. Com a PF é possível adquirir a posse para defesa pessoal. Já pelo Exército, é para transportá-la somente entre a residência e o clube de tiro, desde que a pessoa esteja dentro da categoria CAC (colecionador, atirador e caçador) e possua CR (certificado de registo). O CTCJ cuida de toda a documentação para você. CURSOS REALIZADOS NO CTCJ Operador de pistola básico - capacitação para o uso de pistolas semiautomáticas por iniciantes ou atiradores experientes que desejam aprimorar técnicas e fundamentos. Incluso: armamento, coldre, munição, certificado, apostila. 26 Revista Energia


Curso de tiro para mulheres - destinado a mulheres com ou sem experiência em armas de fogo. Incluso: arma, munição, certificado, EPI, lanche. Curso de defesa com faca - Com duração de 4 horas, o curso mostra além das técnicas com faca, a legislação pertinente à utilização deste instrumento. Considerando que o porte de arma de fogo é extremamente difícil no Brasil, as armas brancas se apresentam como uma opção de defesa para mulheres contra agressores, estupradores ou assaltantes. Curso credenciado pela FBKMK (Federação Brasileira de Krav Magá e Kapap). Curso de recarga de munição - destinado ao aprendizado de recarga de munições diversas. Combate velado – Acombat - capacita o operador da arma de fogo (pistola) a reagir de forma eficaz diante de situações cruciais. Aumento da habilidade técnica, tática e individual do operador. Programas de treinamento formatados especificamente para a sobrevivência em confrontos armados urbanos. Aborda procedimentos para equipes veladas e ostensivas com base no binômio operativo, ou seja, a menor fração de uma equipe tática. Desenvolve habilidades motoras em nível subconsciente, de forma simples e direta, encurtando e enxugando movimentos desnecessários e ganhando velocidade e precisão. Pistola de combate – Acombat - baseado em estudos de casos reais e concretos, a Acombat proporciona um dia de treinamento dinâmico voltado à sobrevivência urbana. Uma mudança de comportamento e quebra de paradigmas em prol de uma condução segura e eficaz. Este módulo, base de toda nossa doutrina e metodologia, leva a um nível de alta performance de treinamento entendendo como e o que treinar para evoluir no menor tempo possível. Este módulo é aberto a servidores da segurança pública, privada, militares e CACs.

Curso de House Protection - eficiência e eficácia na defesa pessoal e residencial, destina-se ao aprimoramento e treinamento do cidadão para cenários confinados, tais como residências, salas comerciais e empresas. O aluno também é instruído quanto aos limites legais da legítima defesa e consequências de uma reação em excesso, garantindo melhora nas habilidades pessoais no manuseio de arma de fogo com vistas a garantir a segurança pessoal e jurídica. Incluso: armamento, coldre, munição, certificado, apostila. Curso de manuseio de armas de fogo - Preparatório para as provas de aptidão técnica tanto do Exército, quanto da Polícia Federal, assim como para preparar o candidato para frequência no clube de tiro. É composto de teoria, legislação e prática. São mais de 80 tiros com 8 armas de vários calibres. Curso de retenção e contra retenção 2.0 - técnicas de combate policial, suficientes para garantir a sobrevivência dos agentes de segurança no combate à criminalidade. O método consiste em táticas de retenção e contra retenção, visando à proteção e manutenção do armamento com movimentos dinâmicos, explosivos e eficazes, com ênfase no confronto corpo a corpo, tendo sempre como objetivo a sobrevivência policial. Buscando sempre a proteção e manutenção da arma de fogo do operador ou agente da lei. Incluso: Certificado com 10h/aula - café da manhã, protetor auricular - óculos de proteção Instrutor de armamento e tiro - destinado à formação de Instrutores de Armamento e Tiro - IAT, sendo pré-requisito para o credenciamento de IAT junto à Polícia Federal. Diversos cursos são realizados no CTCJ, fique atendo ao calendário e participe! Revista Energia 27


DESCONTOS PARA AGENTES DE SEGURANÇA O Centro de Tiro Jaú – CTCJ, no intuito de colaborar com o aperfeiçoamento dos integrantes das Forças Armadas, policiais e demais agentes da Segurança Pública, oferece 50% de desconto no valor da anuidade para os agentes da Segurança Pública. Esse diferencial no tratamento é um singelo reconhecimento às pessoas que diariamente colocam suas vidas em risco pela segurança da comunidade. Segundo o presidente do CTCJ, Ivan Alexandre Cassaro, “possibilitar a oportunidade de treinamento aos agentes que compõem a Segurança Pública traz benefícios a toda a sociedade”. GOE DE SÃO BERNARDO DO CAMPO NO CTCJ Entre os dias 28 e 30 de julho de 2021, policiais civis do GOE de São Bernardo do Campo estiveram no Centro de Tiro e Caça Jaú para instrução dos policiais civis do Deinter 4. Os instrutores Alain Henrique Ribeiro dos Santos, Alexandre Martins, Orsis Andrade, Marcelo Ailton e Patrícia Amaro passaram 3 dias instruindo e treinando os policiais civis.

Prática de tiros em ambiente seguro e controlado é excelente para aliviar a tensão do dia a dia, aumentar a qualidade de vida e a sensação de bem-estar! TIROTERAPIA: JÁ OUVIU FALAR? Apontada como uma maneira eficiente de aliviar a tensão e sentir-se mais tranquilo, a tiroterapia é a prática de tiros em um clube especializado, proporcionando alívio para o stress e desgaste emocional do dia a dia. Segundo o jornal Gazeta do Povo, a atividade proporciona uma experiência única e indescritível para os frequentadores e traz diversos benefícios como a melhora do equilíbrio emocional, aumento da concentração, alívio do estresse, desenvolvimento do autocontrole, aprimoramento dos reflexos rápidos, além de permitir que o praticante tenha um dia a dia mais proveitoso e agradável.

CENTRO DE TIRO E CAÇA JAÚ, UM DOS MAIORES DA AMÉRICA LATINA! VIVA ESSA EXPERIÊNCIA! Seguindo todas as orientações da OMS: • uso de máscaras • álcool gel Atendimento individual e personalizado Centro de Tiro e Caça de Jaú Whatsapp (14) 99639.4546 Facebook: @centrodetirojauctjau · Clube de tiro Site: www.centrodetirojau.com.br/ Av. João Lorenzon, 1430 – 2ª Zona Industrial – Jaú/SP 28 Revista Energia


VISITE O NOVO ENCANTE-SE APARTAMENTO COM NOSSO DECORADO EMPREENDIMENTO

VISITE-NOS

PREVISÃO DE ENTREGA DOS APARTAMENTOS: DEZEMBRO 2022 PARA AGENDAR UMA VISITA, FALE COM NOSSO ESPECIALISTA AEJ entre em contato (14) 9 97495813

APOIO:

PLANTÃO DE VENDAS Av João Franceschi, 885 Jardim Alvorada II, Jaú / SP

/aejconstrutora /aejconstrutoraeincorporadora aejconstrutora.com.br/authentic


30 Revista Energia


Odontologia Por Dra Thais Rabello Diretora clínica, responsável técnica e clínico geral CRO/SP: 128.422 CRO CL: 024471

Já ouviu falar em sedação consciente? Um dos principais problemas que os pacientes enfrentam é o medo de sentir dor no tratamento, e

A

também do próprio procedimento usado na anestesia tradicional sedação consciente veio para mudar esta situação

completo. Sejam unitários, parciais ou totais (sistema protocolo), as

e tornar os tratamentos mais tranquilos. Totalmente

próteses fixas sobre implantes promovem a mudança no bem-estar e

diferente da anestesia geral, a sedação consciente

na autoestima de quem opta por este tratamento.

é uma redução mínima no nível de consciência,

A fim de contribuir nos casos em que o paciente tem receio de

onde é mantida a respiração espontânea, os reflexos

realizar procedimentos cirúrgicos, a Oral Unic Jaú oferece o método

protetores e a capacidade de resposta a estímulos

de Sedação Consciente, no qual todo o processo ocorre dormindo e

físicos e comandos verbais. Desse modo, o paciente permanece consciente e acordado, e após a consulta a recuperação é completa e imediata. A sedação consciente da Oral Unic permite que o paciente fique totalmente relaxado, mas ainda consiga responder aos estímulos. Muitos chegam a dormir durante o procedimento e já acordam com o seu novo sorriso! Marca líder em odontologia premium no Brasil, a Oral Unic Implantes conta com diversos tratamentos e métodos modernos para solucionar a falta dentária. Como a opção mais eficaz, o implante dentário é capaz de reabilitar as funções bucais e devolver ao paciente a estética de um sorriso

sem dor. Conheça a Oral Unic Jaú, e saiba como essa técnica contribui para a conquista dos implantes dentários. 

ANTES

DEPOIS



Por Evelin Sanches Mestrado em Administração Pública e Governo MBA em Gestão Estratégica de Negócios

Dignidade e respeito Segundo estudo publicado pelo Fundo de Populações nas Nações Unidas e o Fundo das Nações Unidas para a Infância, mais de 4 milhões de meninas não têm

O

acesso a itens mínimos de cuidados menstruais nas escolas

estudo Pobreza Menstrual no Brasil: desigualdade e violações de direitos, constatou que uma a cada quatro meninas falta às aulas por não ter acesso a absorventes higiênicos durante o período menstrual, que pode durar de 5 a 7 dias. Dessa forma, o fornecimento de absorventes higiênicos para meninas em situação de vulnerabilidade, matriculadas nas escolas públicas, é essencial para prevenir doenças e a evasão escolar. A Lei 4968/2019 instituiu o Programa de Fornecimento de Absorventes Higiênicos nas escolas públicas que ofertam nos anos finais os ensinos fundamental e médio. Uma nova ementa Institui o Programa de Proteção e Promoção da Saúde Menstrual; e altera a Lei nº 11.346, de 15 de setembro de 2006. Neste contexto, programas desenvolvidos em escolas do nosso município têm sido de extrema relevância. Conheça. Projeto MonstroAção para alunos do Ensino Fundamental, da E.E. João Pacheco A. Prado, desmistificando o “Monstro” da vergonha, insegurança e do bullying, e entrando em “Ação” com o respeito, direito e dignidade entre eles. Projeto #vermelhou “fluxo do bem” para alunos do ensino médio da E.E.Dr. Tolentino Miraglia, através do qual, de uma forma descontraída, levamos o tema “menstruação” para os adolescentes, não só com a distribuição do absorvente, mas com esclarecimentos sobre o que é, variações de ciclos, higiene pessoal, descarte adequado. Junto, abordamos o “bullying” para que os meninos possam entender que as meninas de sua sala de aula nada têm de diferente das mulheres que o cercam como a mãe, a irmã, a namorada; mostrando que ceder uma blusa ao ver sua amiga com a roupa manchada é um ato muito mais honroso do que tirar uma foto e fazer piadas entre amigos. Ambos os projetos promovem a liberdade entre as meninas no período menstrual e a participação dos meninos, fundamental para os professores abordarem com autoridade, focando em como homem deve respeitar as mulheres, cumprindo assim esse grande desafio de ser educador em estimular, convencer, orientar e trazer o princípio da cidadania para todos. 

Revista Energia 33


34 Revista Energia


Revista Energia 35


Saúde

Você está com as vacinas em dia? Consideradas um dos maiores avanços da ciência, as vacinas são responsáveis por evitar, a cada ano, entre dois e três milhões de mortes por doenças preveníveis, de acordo com a Organização Mundial de Saúde Texto Heloiza Helena C Zanzotti

A

IMPORTÂNCIA DA VACINAÇÃO vacinação é a melhor forma de erradicar doenças e conter a propagação de micro-organismos nocivos à saúde. De acordo com o Instituto Butantan, quem se vacina diminui as chances de contrair enfermidades e ainda protege amigos e familiares, pois diversas doenças infecciosas são transmitidas por

contato ou pelo ar. Pessoas com doenças crônicas têm maior risco de adquirir infecções que podem ser prevenidas pela imunização, de modo a evitar descompensação da doença de base. Muitas doenças graves e sem cura estão hoje sob controle ou foram extintas depois que vacinas foram desenvolvidas para combatê-las. Como, por exemplo, a varíola, primeira doença a receber uma vacina como a entendemos hoje. Depois de matar quase 300 milhões de pessoas no século XX, ela foi extinta em 1984. Segundo o Instituto Butantan, calcula-se que, com as vacinas, são salvas 5 milhões de vidas a cada ano. 36 Revista Energia

VACINAS SÃO SEGURAS A maioria das vacinas confere proteção acima de 80%. Embora muitas pessoas ainda sejam resistentes a vacinar-se e apesar de tantas fake news sobre o assunto, as vacinas são muito seguras e passam por testes extensivos e rigorosos que garantem sua segurança antes de serem introduzidas em um país. São diversas etapas que revisam sua eficácia e segurança, até que sejam aprovadas e introduzidas em um programa nacional de imunização. Com relação a efeitos colaterais, estes são geralmente menores e temporários, como dor no braço ou febre baixa. Efeitos colaterais graves são extremamente raros. É importante lembrar que é mais provável que as pessoas morram por uma doença evitável por vacina, do que pela própria vacina. REDES PÚBLICA E PARTICULAR Tanto a rede pública quanto a rede particular têm vacinas que são extremamente eficientes. O que acontece é que na rede particular estão disponíveis algumas vacinas que não são oferecidas através


do SUS, ou que são oferecidas apenas a uma determinada faixa etária ou para portadores de algumas doenças crônicas. Normalmente, são vacinas produzidas por laboratórios internacionais de referência mundial, algumas com menor incidência de reações adversas e outras com maior espectro de proteção. De acordo com Dra Luísa Sajovic De Conti, médica infectologista e responsável técnica pela Clínica Jauense de Vacinação, vacinar-se em uma clínica particular oferece também outros benefícios como a disponibilidade de horário, menor aglomeração de pessoas, acesso a maior variedade de vacinas, vacinação em domicílio, orientação e o acompanhamento pré e pós vacina. Além disso, nem todas as vacinas estão indicadas para todas as pessoas, sendo importante a individualização para orientação vacinal adequada. De acordo com Dra Luísa, esse serviço está disponível na Clínica Jauense de Vacinação. VACINAS DISPONÍVEIS EM REDE PRIVADA: Algumas vacinas não são oferecidas na rede pública, ou são disponibilizas apenas para determinadas faixas etárias ou para portadores de algumas comorbidades, mas são de extrema importância para prevenir doenças graves. Confira. Meningocócica B - essencial para prevenir meningite causada pela bactéria meningococo do sorogrupo B. É uma forma grave de meningite bacteriana que acomete principalmente crianças, mas pode acometer adolescentes e adultos. Doença altamente contagiosa, de rápida evolução e alto índice de óbito ou sequelas. Meningocócica ACWY - previne meningites e doenças meningocócicas causadas pelas bactérias meningococo dos sorogrupos A C, W e Y. Doença grave, altamente contagiosa, de rápida evolução e com altas taxas de sequelas e letalidade, que pode acometer indivíduos de qualquer faixa etária. Nos postos de saúde está disponível meningococo C para menores de 5 anos e meningococo ACWY entre 11 e 12 anos e para alguns pacientes com determinadas comorbidades nos centros de imunobiológicos especiais. Pneumo 13 valente - confere proteção contra infecções causadas por 13 sorotipos de pneumococos que representam 90% das doenças graves pneumocócicas como pneumonia, septicemia (infecção generalizada) e meningite. Nos postos está disponível a pneumo 10 valente para menores de 5 anos e pneumo 13 para alguns pacientes com determinadas comorbidades nos centros de imunobiológicos especiais. Vacina Dengue - a imunização é importante para prevenir a infecção causada pelos quatro sorotipos de dengue: DEN1, DEN2, DEN3 e DEN4. É recomendada entre 9 e 45 anos de idade para quem já teve dengue.

Herpes zoster - Indicada a partir dos 60 anos, previne o Herpes Zoster, conhecido como cobreiro, uma doença causada pelo vírus varicela-zoster, o mesmo que causa a catapora; pode trazer diversas complicações como a neuropatia pós herpética que causa dor crônica prolongada e debilitante. Complicações oculares podem ocorrer quando acomete a divisão oftálmica do nervo trigêmeo. Vacina contra HPV (Papilomavírus humano) - Vírus comum que grande parte dos homens e mulheres poderão ser infectados por um ou mais dos seus inúmeros tipos. Causa verrugas genitais ou condilomas e também lesões precursoras de alguns tipos de câncer. Segundo o Centro de Controle de Doenças (CDC), o HPV está relacionado a 99% dos cânceres de colo de útero, e ainda com cânceres de ânus, boca e pênis. Esta vacina é recomendada a meninas e mulheres de 9 a 45 anos de idade e meninos e jovens de 9 a 26 anos. O Programa Nacional de Imunizações (PNI) disponibiliza a vacina para: meninas de 9 a 14 anos de idade, meninas de 15 anos que já tenham tomado uma dose e meninos de 11 a 14 anos. Pacientes convivendo com HIV/AIDS, pacientes oncológicos em quimio ou radioterapia, transplantados de órgãos sólidos ou de medula óssea ou que estejam em uso de imunodepressores podem ter acesso a vacinação pela rede pública. Influenza (gripe) - trivalente ou tetravalente. Indicada a todas as pessoas a partir de 6 meses de vida. Nos postos de saúde disponibiliza-se a trivalente, na rede privada existe a opção da vacina tetravalente com maior cobertura. Vacina contra Rotavírus monovalente ou pentavalente – bebês de 6 semanas a 7 meses. Na rede pública disponibiliza-se a monovalente, na rede privada existe opção da pentavalente. Vacinas acelulares que têm menos reações adversas que as vacinas de célula inteira. Temos como exemplo a Hexavalente acelular (difteria, tétano, coqueluche, meningite por Haemophylus influenza tipo B, poliomielite inativada e hepatite B) que substitui as vacinas penta de células inteiras e pólio inativada dos postos de saúde. A Pentavalente acelular (difteria, tétano, coqueluche, Haemophilus influenzae tipo b e poliomielite inativada) também difere da penta de células inteiras por conter a pólio inativada. E ainda: Pneumo 23 valente, tríplice viral (sarampo/caxumba e rubéola), varicela, hepatite A, febre amarela, tríplice bacteriana acelular (difteria, tétano e coqueluche), hepatite B, Poliomielite, Haemophilus influenzae tipo B. Revista Energia 37


VACINAS PARA O VIAJANTE Se você pretende viajar para fora do Brasil, é importante saber quais vacinas são exigidas para entrar no seu país de destino. A lista de vacinas obrigatórias ou recomendadas para os viajantes está em constante alteração e você pode obter informações em clínica especializada ou acessar o Portal CIVNET, da ANVISA - civnet.anvisa.gov. br/civnet/app/viajante - clicar em “Exigências de Viagem” e selecionar o país que vai visitar. Lembrando que a vacina contra a Febre Amarela deve ser tomada com antecedência de, no mínimo, 10 dias antes da viagem, e o não cumprimento deste prazo pode impedir sua entrada em alguns países. O Certificado Internacional de Vacinação ou Profilaxia - CIVP é um documento que comprova a vacinação contra doenças, conforme definido no Regulamento Sanitário Internacional, e sua emissão é realizada de forma presencial nas Unidades Públicas de Saúde e, de forma online, no Portal de Serviços do Governo Federal. A documentação necessária para emissão do CIVP é o cartão nacional de vacinação e documento de identidade original com foto e como tem validade vitalícia, se você já possui um CIVP não é necessário solicitar um novo. Desnecessário dizer que a comprovação da imunização contra a Covid 19 é obrigatória em praticamente todos os países e como

cada nação tem suas regras específicas, é fundamental informar-se, inclusive das regras do país onde realizará escala para chegar ao seu destino final.

VACINAR É PROTEGER-SE E PROTEGER QUEM VOCÊ AMA É inegável os efeitos positivos da vacinação no controle da pandemia da Covid-19. Segundo o Ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, houve queda de 90% no número de casos e óbitos pela Covid-19 com o avanço da maior campanha de vacinação da história do Brasil. Com relação a informações falsas, a infectologista Dra Luísa chama a atenção para algo bastante frequente. “Muitas pessoas desconsideram as evidências científicas para acreditar em informações sem

nenhuma base, questionando a necessidade das vacinas. Muitas, inclusive, mencionam que como muitas doenças desapareceram, não é preciso mais se vacinar. O que essas pessoas não levam em conta é que isso aconteceu justamente devido à segurança e eficácia das vacinas. Inúmeras doenças imunopreveníveis estão controladas devido ao elevado índice de imunização no Brasil. Por isso, é importante estar com a vacinação em dia”. E você, está protegido? 

MANTENHA O CARTÃO DE VACINAÇÃO EM DIA Dra Luísa alerta para o fato de que, com a pandemia da Covid-19 e a desinformação da sociedade, muitas pessoas não estão atualizando seus cartões de vacinação. Desse modo, muitas crianças estão perdendo os esquemas vacinais da infância e ficarão vulneráveis ao risco de contrair doenças imunopreveníveis que, em alguns casos, podem até levar à morte. No ano de 2019, por exemplo, tivemos epidemia de uma doença anteriormente controlada no país, o sarampo, acendendo um alerta sobre o risco da baixa cobertura vacinal da população brasileira. A mesma coisa pode acontecer com adolescentes, gestantes, adultos e idosos que deixarem de se vacinar. As vacinas pneumocócicas, que protegem contra pneumonia por pneumococo, são indicadas como rotina para pessoas com mais de 60 anos. No caso dos idosos, o risco de contrair pneumonia é ainda maior, assim como das complicações pela doença e até morte. É muito importante tomar as doses certas e na época correta.



40 Revista Energia


Soluções em Construção Por: Junior Campos Prado - Engenheiro Civil e Empreendedor Autor de 4 livros publicados 33 anos projetando e construindo obras Proprietário da Escola do Engenheiro e Arquiteto Empreendedor Veja mais: www.campospradoengenharia.com.br e www.juniorcamposprado.com.br

Gesso: praticidade e criatividade

E

Baixo custo e rapidez

conomia, rapidez, versatilidade e durabilidade são algumas das características encontradas na utilização do gesso na construção civil. Ele substitui a parede de alvenaria de tijolos cerâmicos ou de concreto em todos os tipos de ambientes, seja em ambientes secos, molhados, ou nos que concentram maior aquecimento, como nas cozinhas. “A economia no uso deste produto é percebida desde a quantidade de ferragens, no tipo de tinta utilizada, na argamassa, no tempo menor para o término da obra, além de produzir muito menos entulho durante sua instalação”, diz Carlos Cardoso Vieira, proprietário de empresa especializada, em Jaú. O que é Drywall e quais as vantagens de sua aplicação? Drywall é uma placa com miolo de gesso encapada por papel cartão nos dois lados, utilizada para fazer forros, divisórias de ambientes, além de nivelar paredes. É um termo frequentemente utilizado em projetos de construção e reforma. Existem no mercado três tipos básicos de drywall: os indicados para áreas úmidas – como banheiros, cozinhas e áreas de serviço; os resistentes ao fogo, por conterem fibra de vidro – destinados a áreas próximas de forno ou fogão; e os recomendados a ambientes secos – a mais utilizada em obras e a mais barata. A utilização do drywall barateia significativamente o valor da obra, uma vez que sua instalação requer menos tempo do que a construção com alvenaria, é mais leve para ser transportado e gera menos entulho. Dentre suas versatilidades, está o fato de que não é necessariamente uma construção definitiva, como as tradicionais feitas de tijolos. Iluminação: sofisticação nos forros de gesso Para fugir da iluminação tradicional caracterizada por apenas uma lâmpada no centro de cada cômodo, a iluminação em gesso apresenta diversas variações, além de valorizar a decoração do ambiente. A

(14) 3624-2107 Rua Álvaro Souza e Silva, 500 - Jaú/SP gescargesso.com.br gescargesso@gescargesso.com.br

partir do desenho do gesso é possível inclusive delimitar espaços de maneira sutil, transformando o mesmo espaço em cômodos com funções diferentes. Na iluminação em gesso os pontos de luz são instalados em locais estratégicos e na altura correta. A fiação elétrica da lâmpada exige que o teto seja rebaixado em aproximadamente quinze centímetros e a altura das paredes seja de, no mínimo, 2,45 m. Essas medidas permitem que a luz seja projetada no local exato e não haja risco de formação de sombras muito escuras, nem claridade excessiva. A iluminação pode ser feita por meio de sancas de gesso, onde a instalação de spots (tipo de iluminação embutida) oferece uma aparência sofisticada, muitas vezes de maneira indireta. Lustres comuns, instalados no centro dos cômodos, também podem ser instalados no teto de gesso, e a técnica varia de acordo com o peso do objeto. Gesso: antigos registros O gesso é um dos mais antigos materiais de construção fabricados e utilizados pelo homem, assim como a cal e a terracota. De acordo com recentes pesquisas arqueológicas, tornou-se evidente o emprego de gesso em argamassas e suportes de afrescos decorativos em ruínas da Turquia e Síria. Saiba tudo sobre gesso, praticidade e criatividade acessando nosso vídeo no QR CODE ao lado. WhatsApp 14 99661.0727

Revista Energia 41


42 Revista Energia


Revista Energia 43


44 Revista Energia


Revista Energia 45


Look de artista

Modelos: Raquel Domarco Rosella e Lucas Vieira Looks: Vestylle Megastore Produção: Jorgin Cabelo e Estética Local:Twister Concept Jaú Fotos: Moinho Propaganda


Tel: 14 3622 8364 Av. Frederico Ozanan, 770 - Jaú/SP


Acostamento

48 Revista Energia


Imóveis

Por: Sandra Perlati Pedagoga, Pós-graduação em Matemática Financeira e MBA em Gestão de Negócios e Pessoas Proprietária da Imobiliária Perlati

Locação de imóveis residenciais e comerciais A locação de um imóvel é bastante criteriosa e a administradora

1

deve ter alguns cuidados que vamos conferir nesta edição

. Primeiro é preciso escolher os locatários certos, para que realmente tenham condições de arcar com o valor do aluguel, água, luz e IPTU quando for o caso. Também analisamos o SPC/ SERASA e Tribunal de Justiça, para verificar se já houve ação de despejo em nome do pretenso locatário. 2. Dar a segurança para o locador de que seu imóvel será bem cuidado e, quando for devolvido, esteja igual ou melhor nas condições físicas e estruturais. 3. Hoje está mais fácil garantir o aluguel para os locadores pois, além do fiador (que neste caso deve-se ter o cuidado de averbar na matrícula do imóvel que ele está em garantia locatícia), também temos empresas seguradoras (seguro fiança) que garantem os aluguéis, bem como também garantem um valor para os reparos que forem necessários no imóvel após a saída do locatário, seja por abandono ou falta de pagamento; ou ainda caução no valor de três aluguéis. 4. Fazer um contrato bem estabelecido, além de oferecer uma garantia maior tanto para o locatário quanto para o locador, o que evita desentendimentos futuros. Alguns itens não podem ficar de fora. O documento precisa ter, além do nome completo e qualificação das partes e fiadores, a descrição completa do objeto alugado, a finalidade, destinação e prazo da locação (geralmente imóvel residencial é de 30 meses, com obrigação de ficar no imóvel por pelo menos 12 meses para não pagar multa de rescisão do contrato), como também deixar claro se irá pagar o IPTU e outras despesas do imóvel. O contrato deve ter não só o valor mensal estabelecido, mas também os demais encargos da locação, o índice de reajuste e o custo da multa rescisória. 5. A lei do inquilinato não especifica o valor que deve ser aplicado na multa de rescisão contratual; a lei diz que deve ser proporcional ao período do contrato que deveria ter sido cumprido, dessa forma, é comum cobrar três vezes o valor da locação.

6. Se o locador decidir vender o imóvel locado deve respeitar o direito de preferência do inquilino. Antes de anunciar a venda do imóvel, ele deve avisar e oferecer a compra primeiro para o locatário, por escrito. 7. O que acontece quando o contrato vence? Ele passa a vigorar por prazo indeterminado se o proprietário não fizer a requisição da retomada do imóvel, a não ser que as partes façam um aditamento ou um novo documento. 8. Observo também que, além do contrato estar completo com todos os dados necessários, a vistoria de entrada do locatário no imóvel deve ser completa, por escrito e com fotos de todos os detalhes do imóvel para que seja cobrado do locatário na saída do imóvel. 9. O que difere na locação de imóvel comercial? O imóvel pode ser locado por 5 anos ou mais e pode-se pedir a renovação compulsória do contrato. 10. Durante a vigência do contrato comercial, o locador não pode exigir que o imóvel seja devolvido, contudo, se a desistência for por parte do inquilino, este deverá pagar a multa estipulada em contrato que deverá sempre ser proporcional ao tempo que ainda resta para finalizar o que foi estipulado. 11. O reajuste do aluguel é anual e na maioria das vezes usa-se o IGPM. Trabalhar com locação exige muito e devemos nos preocupar tanto com o locador como com o locatário, pois ambos merecem a devida atenção e comprometimento da administradora para que ambos fiquem satisfeitos e respaldados dentro da lei. Quando tudo é acordado a contento de todos e colocado por escrito, não gera problemas futuros. Sempre orientamos nossos locatários para que, na dificuldade do pagamento locatício, venham conversar para que possamos encontrar uma solução, afinal, é nossa obrigação acolher os locadores e locatários nas suas necessidades e dificuldades.


Festas

Portas abertas aos eventos O segmento de eventos, um dos mais prejudicados pela pandemia da Covid-19, dá sinais positivos com a retomada da atividade e previsão de aceleração em 2022 Heloiza Helena C Zanzotti

50 Revista Energia


O

setor de eventos é um dos pilares da economia brasileira, representando cerca de 13% do Produto Interno Bruto (PIB) nacional, com mais de 60 mil empresas e 2 milhões de microempresários diretamente ligados a essa categoria, segundo a Agência Brasil. Com a pandemia da Covid-19, de acordo com a Abrape (Associação Brasileira dos Produtores de Eventos), estima-se que em 2020 cerca de 450 mil postos de trabalho diretos e indiretos foram fechados. No entanto, com o avanço da vacinação, o cenário agora é de esperança, com o setor pronto para a retomada que já está acontecendo. Importante ressaltar que inúmeras atividades estão ligadas a este segmento da economia, com profissionais das áreas de cerimonial, decoração, gastronomia, segurança, limpeza, manutenção, iluminação, DJs, técnicos de som, produtores de eventos, músicos, e a lista é longa. CANCELAMENTOS, ADIAMENTOS E INCERTEZAS Um levantamento feito pelo Sebrae- SP no primeiro semestre de 2020 apontou que a pandemia do coronavírus afetou 98% do setor de eventos. A partir de março daquele ano começaram os adiamentos e muitos cancelamentos. O segmento foi um dos primeiros a parar, sem previsão de retorno. Kauan Guilherme Superte, 31, proprietário da K Eventos, conta que foi bem complicado. “A gente tinha acabado de chegar de uma viagem onde fomos buscar novidades. Cheguei dos Estados Unidos com uma bagagem de coisas para colocar em prática e tinha uma festa faltando uma semana, pronta para executar, uma festa gigante. E começaram os cancelamentos, adiamentos, e pensamos: ‘vai voltar, vai voltar, vai dar tudo certo, é uma coisa de quinze dias, um mês’. E a gente foi empurrando, empurrando e empurrando, e foi bem complicado, todo mundo cancelando, ficamos sem rumo, sem norte, sem luz no fim do túnel. Não sabíamos o que fazer. A gente vendo o número de mortes, não podendo sair de casa, foi assustador”. Renato Grizzo, 54, sócio proprietário do Buffet Renato Grizzo, também pensou que a situação era passageira. “No primeiro momento achamos que seria rápido, no máximo três meses, então, estávamos tranquilos. Quando notamos a gravidade, a solução foi nos reinventar!

ESTRATÉGIAS E PLANEJAMENTO Manter a saúde financeira da empresa nesse cenário não foi fácil, mesmo porque a incerteza prejudica o planejamento. Não é por acaso que muitos negócios sucumbiram. Uma boa gestão, criatividade e a tomada de decisões necessárias garantiram a sobrevivência de muitos negócios. “Eu sempre fui muito regrado na parte de administração da empresa, então, a gente tinha um caixa bom e conseguimos segurar. Claro, seguramos custos, colocamos a empresa em stand by para poder chegar até o momento em que começaríamos a fechar novas festas. O pessoal começou a acreditar de novo e agora já estamos recuperando o prejuízo”, explica Kauan. Ele menciona que trabalharam muito com Lives, que ajudaram a pagar algumas contas. “Mas não tudo. Foi mais o caixa que a gente tinha mesmo e a administração que seguraram as pontas”. Renato também conseguiu manter-se com base em uma boa gestão. “Focamos no nosso delivery, que já existia, e tudo foi se ajeitando. Quanto aos cancelamentos, só tivemos um, a grande maioria quis adiar e nos adequamos ao novo cenário. Além de um bom planejamento financeiro prévio”. AGENDA LOTADA Casamentos, aniversários, formaturas, batizados, bodas... Quanto tempo sem marcarmos estas datas em nossas agendas! Há mais de um ano e meio em isolamento social e muitas restrições, as pessoas estavam ansiosas por uma comemoração que reunisse família e amigos. De acordo com o empresário Renato, os eventos foram voltando de maneira gradual. “Desde setembro mais ou menos, com algumas restrições. Conforme os decretos foram se atualizando, o formato do evento foi se adequando e estamos caminhando para uma normalização. Nossa agenda está quase toda comprometida, com os eventos adiados mais os que vão se agregando, mas estamos nos adaptando para atender a todos. Tanto os novos noivinhos, como os mais antigos. Tentando sempre agradar a todos que admiram o nosso trabalho”. VOLTANDO COM FORÇA TOTAL Praticamente sem datas livres para este ano, Kauan também sentiu a retomada a partir de setembro. “Nós voltamos com os eventos e agora cada vez mais aumenta o fluxo, agenda estourando. A galera está procurando festa assim, faltando um mês estão querendo contratar, está uma loucura, quase sem datas para os próximos meses, semestre. Então, a gente encaixa um ou outro que aparece, tudo em cima da hora. Já fechamos um evento à noite para a manhã seguinte. São eventos para um mês, eventos gigantes para elaborar, dezembro lotado, até no meio do ano que vem quase tudo lotado já. E com bastante procura, toda semana fazendo vários orçamentos, reuniões, fechamentos de contratos. O setor vai voltar com tudo e provavelmente não teremos data para atender todo mundo”. ENFIM, CASADOS! Neste tempo todo, quantas cerimônias e comemorações foram adiadas ou canceladas! Quantos sonhos precisaram esperar para se tornarem realidade. Como no caso da Marcela A. Carvalho Magro, 28, enfermeira, e do Osvaldo Tadeu Magro, 38, médico. Eles se conheceram há cinco anos, namoraram durante dois anos e marcaram o casamento, mas tiveram que adiar. “A primeira vez que desmarcamos a data do casamento ficamos Revista Energia 51


chateados, mas não pensamos que a pandemia fosse durar tanto tempo! Pensei que no outro mês já iríamos nos casar... Ilusão minha!”, conta Marcela. Segundo ela, foram cinco datas no total! "Toda vez que conseguíamos ajustar todos os fornecedores e marcar, a cidade de Araraquara-SP, onde foi realizada a cerimônia, entrava em lockdown. De repente, em agosto de 2020 o Tadeu testou positivo para Covid. Perdi meu chão naquele dia! Ele ficou internado durante 15 dias e foram 6 dias entubado na Santa Casa de Jaú!". Tadeu se recuperou e voltou para casa, então, decidiram marcar novamente a data. “Marcamos para junho de 2021, porém, uma semana antes eu testei positivo para Covid e cancelamos tudo de novo”, relata. O casal finalmente realizou o sonho e a cerimônia aconteceu em setembro. "Da primeira data até a última mudamos muita coisa, salão reduzido, junto com a lista que tivemos que diminuir por conta das exigências. Mudamos a igreja também, mas no fim deu tudo certo!" O QUE MUDOU Mesmo com o avanço da vacinação e redução dos casos, os protocolos de segurança possivelmente continuarão sendo necessários ao longo dos próximos meses. Ambientes amplos e arejados, higienização do espaço, além do uso de máscara e álcool em gel irão continuar a fazer parte dos eventos. Kauan diz que as mudanças são mesmo o distanciamento social, o cuidado maior com a higiene pessoal. “O cuidado maior seria esse mesmo, o restante é investimento. As atrações continuaram as mesmas”. De acordo com Renato, que tem serviço de buffet, além desses cuidados, até a maneira de servir havia sido alterada, com a restrição dos aparadores. “Mas conforme a flexibilização avançou tudo foi se normalizando”, esclarece.

TENDÊNCIAS NOS EVENTOS ATUAIS Além da redução no número de convidados, outras tendências têm marcado as celebrações, considerando a segurança e também a economia. As pessoas estão optando mais por eventos durante o dia e ao ar livre, assim como festas mais intimistas, algumas somente com a participação da família. Festas durante a semana também têm sido uma opção para quem quer economizar, pois as locações e serviços costumam oferecer descontos entre segunda e quinta-feira. Outra medida para evitar aglomerações está no momento de servir a comida e a bebida: a tendência é substituir os bares por cardápios de coquetéis e drinks que o próprio convidado leva até sua mesa. Já o sistema self-service tem sido substituído por pratos servidos nas mesas. MEDIDAS DE SEGURANÇA A pandemia ainda não acabou e apesar da flexibilização, uma coisa que temos que entender é que o uso da máscara vai permanecer, pelo menos por um bom tempo. O mesmo acontece com o álcool em gel, que estará presente em qualquer espaço para comemorações, mesmo aqueles ao ar livre. O importante é que todos tenhamos consciência de que utilizar máscaras e higienizar as mãos frequentemente é fundamental. Se 2021 está terminando e 2022 começando a mil para o setor de eventos, a expectativa é de muitas festas e muito planejamento para quem pretende fazer alguma comemoração. Neste momento, organizar tudo com antecedência certamente vai garantir o sucesso da sua festa. Feliz Natal. E que 2022 traga novas e boas histórias, e muitos motivos para comemorar! Feliz Ano Novo! 

52 Revista Energia


Revista Energia 53


54 Revista Energia


Revista Energia 55


56 Revista Energia


Revista Energia 57


58 Revista Energia


Revista Energia 59


60 Revista Energia


Revista Energia 61


62 Revista Energia


Revista Energia 63


Turismo

A retomada do turismo no Brasil e no mundo “Hoje é um novo dia, de um novo tempo que começou...” (Marcos Valle)

Texto Bárbara Milani Fotos Arquivo pessoal

64 Revista Energia


Q

uantas pessoas perderam a vida nesta pandemia? Quantos sonhos precisaram ser adiados por conta do lockdown? Quantas famílias enterraram seus entes queridos sem se despedir pela última vez? A pandemia, de forma avassaladora, mudou completamente a concepção do verbo viver.

PANDEMIA O Brasil identificou o primeiro caso de Covid-19 no final de fevereiro de 2020 e o lockdown foi necessário a partir da metade de março do mesmo ano. Na época, a Europa já registrava centenas de casos. Neste contexto, a pandemia afetou todos os setores econômicos e sociais, mas o setor de turismo e eventos foi o mais afetado. Viagens, que na maioria das vezes são sonhos de pessoas, precisaram ser adiadas para quando a pandemia fosse controlada. Um adiamento sem nenhuma previsão. Felizmente, com o avanço da vacinação houve uma queda sucessiva no número de casos e mortes, além de redução na taxa de ocupação de leitos de UTI Covid-19 no Sistema Único de Saúde (SUS). Em novembro último, o estado de São Paulo registrou 90% das pessoas adultas vacinadas contra a Covid-19. TURISMO O turismo foi severamente afetado pela pandemia. Quem tinha viagens de férias, lua-de-mel ou apenas desejo de conhecer um destino, teve que esperar. O setor acumulou, durante esse 1 ano e 9 meses, um prejuízo estimado em R$ 962 bilhões, somente no Brasil. Aos poucos, as empresas aéreas começaram a retomar os voos nacionais e internacionais, fazendo com que o reaquecimento do setor ficasse bastante acelerado. O presidente da Federação Brasileira de Hospedagem e Alimentação (FBHA), Alexandre Sampaio, estima que, após a temporada de final de ano, o número de empregados contratados no setor chegue a 1 milhão, mesmo patamar de antes da pandemia.

“Trabalhamos com sonhos e muitos foram interrompidos”

SONHOS CANCELADOS Com a pandemia, as pessoas precisaram adiar o sonho de conhecer algum lugar. Algumas perderam entes queridos, outras contraíram a doença ou perderam seus empregos. Nem todas as empresas se adaptaram à nova realidade e trabalharam via home-office. De acordo com o empresário Daniel Rosalin, 37, o maior impacto que a Daniel Rosalin Viagens & Turismo sofreu, além do financeiro, foi ver sonhos de viagens serem adiados e até cancelados. “Muitos clientes perderam empregos e precisaram cancelar a viagem. Infelizmente, muitos acabaram nos deixando mais cedo e não puderam concluir o sonho de viajar”, detalha. Para a empresária e agente de viagem, Francine Fernanda Jorgin Medina, 35, da Agência Medinas Travel, o impacto do lockdown foi um caos. “Entendemos que trabalhamos com sonhos e muitos foram interrompidos”. A agente de viagem Natalia Toledo, 31, reforçou que o principal objetivo da CVC foi estar ao lado do cliente, oferecendo assistência no momento. “Passamos por cada fase da pandemia, desde a inicial de apoiar em remarcações e trazer de volta clientes que estavam no exterior, até agora nessa retomada gradativa”, diz. MAIS PROCURADOS NO BRASIL Com essa retomada que tem deixado todo mundo feliz em poder viver em liberdade novamente, os destinos mais procurados aqui no Brasil são as praias do nordeste. “Destinos como São Miguel dos Milagres (AL), Caraíva (BA), Morro do São Paulo (BA), Porto de Galinhas (PE), etc., entraram no top 10 dos destinos mais procurados do turismo durante a pandemia porque são lugares que promovem, de certa forma, o distanciamento social”, explica Francine. Segundo a agente de viagem Natália, a maior parte das pessoas realmente procura por destinos nacionais. “Destaca-se a região nordeste, em locais como Porto Seguro (BA), Salvador (BA), Natal (RN), Maceió (AL) e Porto de Galinhas (PE). Na região sul, cidades como Gramado e Florianópolis também estão sendo bastante procuradas”. Um jeito de viajar que expandiu bastante foram as viagens de carro, com hospedagem em hotéis com estrutura para toda a família, além de lugares de ecoturismo como Bonito (MS) e Jalapão (TO), onde é possível ter isolamento social e apreciar belas paisagens. MAIS PROCURADOS NO EXTERIOR De acordo com Daniel Rosalin, os clientes também estão procurando bastante viajar para fora do país, para lugares como Dubai, Caribe e Ilhas Maldivas. “Alguns destinos internacionais estão com mais flexibilidade para turistas brasileiros, por isso essa escolha”, explica. Mas ele conta que os destinos mudaram consideravelmente para os EUA após a reabertura das fronteiras, recentemente. Ainda em relação às viagens internacionais, além da procura crescente por cidades da Europa e para Orlando, nos EUA, o Caribe realmente se destaca. “Esse lugar tem alta procura, principalmente para Cancun, Punta Cana e Riviera Maya”, diz Natalia. A agente de viagens Francine reforça que, mesmo com a descoberta de Egito e Dubai pelos brasileiros, o Caribe nunca sai do top 1 de viagens. NOVAS REGRAS Com a retomada das viagens, dezenas de novas regras foram impostas pelas companhias aéreas a fim de manter o número de casos controlados e não ser necessário passar novamente por um lockdown. Cada destino tem uma regra, um protocolo diferente. “No início foi bem complexo. Para facilitar, eu mesmo passei por várias experiências de viagens nacionais e internacionais durante Revista Energia 65


para a família da influencer digital Giovanna Carminatti de Chico Montovanelli, 31. Junto com o marido Gabriel Marson Montovanelli, 33, e o filho de apenas 7 meses, Benício Montovanelli, a família viajou durante o mês de outubro e foi suficiente para percorrer 2.761 km de carro, passando por cidades como Turku, Oulu, Rovaniemi, Saariselka, Kajaani, Savollina, Porvoo e Helsinki. “Entre a ideia de viajar e o voo de ida foram exatamente 15 dias, foi uma loucura. A Finlândia sempre esteve em nossos planos, principalmente para presenciar a Aurora Boreal e conhecer a casa oficial do Papai Noel”, conta Giovanna. A influencer digital explica que o primeiro fator foi decidir um país que aceitasse as vacinas que eles tomaram, porque cada um tomou uma. “Vimos que a Finlândia aceitava nossas vacinas e que a pandemia lá estava sob controle há um tempo. Verificamos que a pandemia nunca saiu do controle como no Brasil e achamos que era um destino seguro”. a pandemia, justamente para verificar como eram os reais procedimentos para aprender, ensinar minha equipe e orientar todos os clientes de uma maneira mais simples”, relata o empresário Daniel. Para Francine, da Medinas Travel, as novas regras em aeroportos, dentro de aviões, nos cruzeiros marítimos ou durante a estadia não acarretaram problemas. “Esses protocolos deveriam permanecer, porque ficou mais organizado, principalmente na questão do aeroporto com check-in online. Em relação aos cruzeiros, estamos orientando sobre os novos protocolos como, por exemplo, a bordo, onde está sendo exigido comprovante de vacinação completa, teste de PCR para o embarque e uso de máscaras durante a viagem”. MITO OU VERDADE O presidente da Associação Brasileira das Empresas Aéreas (ABEAR), Eduardo Sanovicz, tirou algumas dúvidas sobre afirmações recorrentes com relação a viagens de avião nessa retomada pós-pandemia. Vamos conhecer dois mitos e duas verdades? A filtragem de ar do avião combate partículas da Covid-19: verdade. As aeronaves são equipadas com filtros hepa, capazes de trocar o ar que circula dentro do avião a cada 3 minutos. Esse filtro é o mesmo encontrado em centros cirúrgicos. Viajar de avião é mais seguro que viajar de carro: verdade. Além do funcionamento dos filtros de ar, as aeronaves contam com protocolos nacionais e internacionais que garantem a segurança dos passageiros e da tripulação. No Brasil, os filtros são validados pela Anvisa e pela ANAC. Posso tirar a máscara durante o voo porque o ar é filtrado: mito. Independentemente da filtração do ar no avião, os passageiros e a tripulação devem usar máscaras de forma adequada, desde a entrada no aeroporto até a chegada ao destino. A segurança é maior se os passageiros estiverem em lugares intercalados: mito. Segundo Eduardo Sanovicz, o tema foi levantado em outros locais, principalmente na Europa, mas nenhum dado aponta que isso é necessário. É seguro ocupar assentos marcados sem a necessidade de reduzir o número de passageiros na aeronave.

FINLÂNDIA, A CASA DO PAPAI NOEL Quem tem vontade de conhecer a casa oficial do Papai Noel que fica em Rovaniemi, capital da Lapônia, na Finlândia? Imagina estar perto do Natal e conhecer o bom velhinho. Esse sonho se tornou realidade 66 Revista Energia

PLANEJAMENTO Segundo Giovanna, rapidamente ela e o marido fizeram o roteiro das cidades, hotéis e locadora de veículo por meio de diversos aplicativos. Os protocolos sanitários foram seguidos à risca com a verificação dos comprovantes de vacinação e testes RT-PCR negativo 72h antes do embarque no aeroporto de Guarulhos. “No avião, o uso de máscara era obrigatório e ficamos mais seguros por saber que todos que embarcaram estavam vacinados e com o teste negativo”. Na Alemanha teve verificação do comprovante de vacinação, mas não foi exigido o teste. A influencer lembra que no segundo voo, para Helsinki, o uso de máscara também foi obrigatório e houve verificação da vacinação e do teste somente quando chegaram ao destino. O casal foi orientado a instalar um aplicativo gratuito que notifica se o usuário estiver próximo a alguém infectado ou curado recentemente, caso seja de conhecimento das autoridades sanitárias finlandesas. “No decorrer da viagem nos sentimos seguros, uma por estar no carro que alugamos e outra por ver a população, em sua grande maioria, sem o uso de máscara no pós-pandemia. Nas recepções de hotéis, restaurantes e passeios, os funcionários estavam com máscara e disponibilizavam álcool em gel”, detalha.

“Benício foi um grande companheiro que não deu trabalho”


REALIZE SEU SONHO A pandemia serviu para mostrar o quanto devemos aproveitar cada minuto de nossas vidas com as pessoas que amamos e desfrutar de cada momento, porque aquele encontro ou aquela diversão pode ser a última coisa que vamos fazer. Todos os entrevistados que possuem agência disseram que a mensagem que vão levar para a vida, após esse momento tão difícil que afetou o setor do turismo e todo o planeta Terra, é que todos os sonhos merecem ser realizados. “Nós trabalhamos com sonhos”, afirma Daniel. Segundo a agente Francine, não importa o tamanho do seu sonho. “Nós queremos fazer acontecer e agora, mais do que nunca, merecemos viver intensamente e valorizar momentos com as pessoas que amamos. Realize o seu sonho. Não deixe para amanhã, pois a pandemia nos mostrou que o amanhã é incerto”.

EXPERIÊNCIA INCRÍVEL O bebê do casal, Benício, na época com 7 meses, fez sua primeira viagem internacional. A mãe explica que viajar com ele foi incrível e que sempre cuidavam da higiene de suas mãos e rosto, porque ele está na fase de colocar a mão em tudo e levá-la à boca. “O frio também foi uma preocupação, mas pesquisamos, o vestíamos sempre com camadas necessárias e ele não deu um espirro (risos)”. AMOR À DISTÂNCIA Nada impede alguém de amar à distância, não é mesmo? Até porque o amor ultrapassa barreiras inimagináveis. A história desse casal é muito especial porque, atualmente, eles moram a mais de 11 mil km de distância. A auxiliar de dentista Karen Bonfante e o jogador de futebol profissional Cleber de Almeida Prado, ambos com 29 anos, se conheceram em 2011, começaram a namorar e se casaram em 2015. “Decidimos fazer uma viagem porque queríamos comemorar 6 anos de casados e uma amiga indicou a Agência Medinas Travel. A Fran nos ajudou na escolha do destino, que foi Natal (RN), com um roteiro bem detalhado”, conta. De acordo com Francine, o momento foi especial porque tudo foi planejado com muito carinho. “Nós preparamos um quarto com vista para o mar para eles e os passeios foram realizados de maneira privativa, para que eles curtissem esses 6 anos de casados”. Para viajar tudo foi muito tranquilo. Segundo Karen, ela e o marido não se sentiram inseguros em nenhum momento enquanto curtiam a viagem. “Sempre usando máscara, passando álcool em gel e respeitando o distanciamento social no aeroporto, dentro do avião, no hotel e nos passeios. Eram os protocolos exigidos e nossa viagem foi maravilhosa, aproveitamos cada detalhe”.

RECOMECE, PERMITA-SE Como menciona a música Tempos Modernos (1982) de Lulu Santos, “eu vejo um novo começo de era, de gente fina, elegante e sincera, com habilidade pra dizer mais sim que não. Hoje o tempo voa, amor. Escorre pelas mãos, mesmo sem se sentir. E não há tempo que volte, amor. Vamos viver tudo que há pra viver. Vamos nos permitir”. O lockdown mostrou que devemos valorizar cada minuto ao lado das pessoas que nos fazem bem, e o quanto é ruim demais ficar longe delas. Infelizmente, durante o Natal de 2020, duas pessoas da minha família contraíram a Covid-19 e nosso Natal foi online, triste, cabisbaixo, mas estávamos felizes porque não perdemos ninguém. Mas com as bênçãos de Deus, este ano vamos comemorar todos unidos novamente, do jeito que sempre foi. A pandemia está controlada, principalmente em Jaú, que não contabilizou mortes por mais de dois meses, mas todo cuidado é pouco. Se tem uma mensagem que eu posso deixar para você no final desta matéria é: cuide das pessoas que você ama. Se não por você, se cuide por elas! Feliz Natal e um Ano Novo repleto de novas conquistas! E muitas viagens! 

“A pandemia nos mostrou que o amanhã é incerto” Revista Energia 67


68 Revista Energia


sicredi.com.br

E se o melhor para você também for o melhor para todos?

Existe alternativa. Ao escolher o Sicredi, você une as suas necessidades financeiras com o desenvolvimento da sociedade. Já somos mais de 5 milhões de associados gerando crescimento para todos, porque reinvestimos recursos na sua região. Conte com soluções financeiras ideais, taxas justas e atendimento próximo, humano e também digital, em mais de 2 mil agências em todo o Brasil e na palma da sua mão. Abra sua conta com a gente. Conta Corrente

Cartões

Crédito

SAC - 0800 724 7220 / Deficientes Auditivos ou de Fala - 0800 724 0525. Ouvidoria - 0800 646 2519.

Investimentos e muito mais.

Aponte a câmera do seu celular e saiba mais.

Escolha o Sicredi, onde o dinheiro rende um mundo melhor.


70 Revista Energia


Revista Energia 71


club

Social

1.

HVA - Levando ciência e educação para Brotas Dr. Giovani Araujo, representando o HOSPITAL VETERINÁRIO ARAUJO, em parceria com as Secretarias de Educação e Meio Ambiente do munícipio de Brotas, realizou no dia 24/09 uma palestra para professores e membros da administração municipal com o tema: CUIDADOS COM ANIMAIS EM SITUAÇÃO DE RUA E VULNERABILIDADE. O evento contou com a iniciativa da vereadora Andréia Ferreira, e também recebeu o prefeito Leandro Corrêa. Na ocasião, o chefe do poder executivo enalteceu a causa e agradeceu ao Dr. Giovani pela disponibilidade e pelo importante trabalho que realiza através do HVA. Este encontro foi um grande passo para futuras outras ações, levando conscientização sobre a causa animal a toda a população, assim como para garantir mais dignidade e segurança aos animais em situação de rua e vulnerabilidade. Além disso, propicia conhecimento para que a gestão pública possa focar em ações mais objetivas, eficientes e embasadas no plano científico. 1. Dr. Giovani Fernando Araujo 2. Prefeito Leandro Correia e Dr. Giovani 3. Aline Chaves Machado Raimundo, Guto Machado e Dr. Giovani 4. Secretário do meio ambiente Douglas Freitas, Dr. Giovani e vereadora Andréia Ferreira 5. Aline Chaves, Leila Machado, Guto Machado, Dr. Giovani, Patricia Prado Araujo, secretário do meio ambiente Douglas de Freitas, vereadora Andréia Ferreira e Roberto Ferreira

2.

3.

4.

5.

72 Revista Energia


club

Social

Ho ho ho! O bom velhinho está no Jaú Shopping! O Papai Noel e a Mamãe Noel já chegaram no Jaú Shopping, trazendo toda a magia do Natal. Até o dia 24 de dezembro eles estarão te esperando no setor de eventos, localizado no piso superior! De segunda a sábado, das 14h às 21h. Aos domingos e feriados, das 13h às 19h. E na véspera de Natal, das 11h às 18h. E de segunda a quinta, das 14h às 19h, você ganha uma foto personalizada com o bom velhinho para eternizar esse momento. Natal Mágico Jaú Shopping, feito para você e toda a sua família.

Revista Energia 73


club

Social

Restaurante Mirante do Pouso O melhor da culinária caipira com o sabor inconfundível da verdadeira comida caseira só no Mirante do Pouso. Aquela refeição tradicional que você tanto ama, o chope geladíssimo e as porções mais crocantes! Vem pro Mirante!

74 Revista Energia


club

Fotos: Gustavo Garrido

Social

Caiçara Clube de Jaú Noite da Viola com Felipe e Falcão Após mais de 600 dias sem atividades no salão social em virtude da pandemia, voltamos a ter um bom motivo para comemorar. A Noite da Viola com Felipe e Falcão foi um sucesso de público e crítica, que abre caminho para dezenas de outros eventos previstos na agenda da família caiçarense.

4.

Revista Energia 75


76 Revista Energia


Revista Energia 77


78 Revista Energia


Revista Energia 79


Legislação

Doar é viver Como é sabido por todos, momentos muito difíceis em nossas vidas - uma hora ou outra acabam sendo experimentados. Eles não são nem serão poucos, infelizmente

Texto: Deputado Federal Ricardo Izar (Progressistas – SP)

D

entre todos, um em particular é de extrema importância: o momento da morte. Apesar de ser bem conhecida a expressão popular “A vida é um sopro”, tal pensamento não parece transitar pela nossa mente. Para ser mais preciso, quando somos confrontados por ela a surpresa e a perplexidade nos invadem para além da enorme carga de sofrimento que vivenciamos. A morte de alguém que amamos é sempre avassaladora. Não se discute isso. Agora, pensemos juntos: de que maneira falamos sobre isso com nossos filhos e demais familiares? Encaramos este assunto de frente ou fingimos que ele não existe? Considero que a reflexão sobre a vida inevitavelmente nos faz pensar sobre sua finitude e, por isso mesmo, em como ela é tão preciosa. Isso faz com que se torne ainda mais bela e especial. Viver é definitivamente a mais importante de todas as experiências. Mas, um dia, o inevitável irá acontecer. Para milhares de pessoas neste país, a reflexão sobre a morte é uma atividade diária. Em 2019 havia 45 mil pessoas na fila de transplantes no Brasil. Todas à espera de uma oportunidade para continuar vivendo ao lado de seus entes queridos. Para muitos, a única chance de continuarem vivos depende do amor e solidariedade de outras famílias que, acometidos pelo inevitável, queiram praticar o mais belo gesto de todos: o da doação de órgãos. Falar sobre doação de órgãos não é trazer ao debate o tema da morte, mas discutir sobre a dádiva de viver. A tecnologia nos permite hoje, a depender do caso, considerar uma segunda chance de vida quando da disponibilidade de órgãos para substituir aqueles que por ventura já não trabalhem como deveriam. Este, infelizmente, não foi o desfecho de Tatiane Penhalosa, que entrou na fila de transplante aos 30 anos de idade à espera de um novo coração que poderia mudar seu destino e lhe trazer mais qualidade de vida. Após dois longos anos de espera, Tatiane não aguentou mais e veio a óbito. Uma jovem de 32 anos não conseguiu mais seguir uma vida próspera e cheia de experiências. Um dos aspectos mais tristes foi que, quando interpeladas pelas equipes médicas, 5.493 famílias disseram não à doação de um coração nesse intervalo de 2 anos. Lamentavelmente, a família de Tatiane não foi a única a perder um ente querido nessas mesmas condições. Segundo o Registro Brasileiro de Transplantes, nos últimos 4 anos mais de 9 mil pessoas perderam a vida enquanto aguardavam órgãos na fila de transplante. Muitas dessas vidas, inclusive a de Tatiane, poderiam ter sido salvas se a doação de 80 Revista Energia

DEPUTADO FEDERAL RICARDO IZAR Economista, coordenador para o Sudeste da Frente Parlamentar em Defesa do Consumidor de Energia Elétrica e membro da Comissão de Defesa do Consumidor da Câmara Federal, Presidente da Frente Parlamentar de Habitação e Desenvolvimento Urbano, Presidente da Frente Parlamentar em Defesa dos Animais, Membro do Conselho de Ética e Decoro Parlamentar da Câmara dos Deputados

órgãos fosse um assunto bem compreendido e debatido por toda nossa sociedade. Justamente por não terem familiaridade sobre esse tema, muitas famílias, no pior momento de todos, não têm as condições emocionais para processar, entender e concordar com o mais belo gesto de amor que pode ser praticado: o de doar. De acordo com o Registro Brasileiro de Transplantes, estima-se que 37,2% da população brasileira negue-se a participar da doação de órgãos de um familiar recém falecido. Os motivos são sempre muito pessoais e isso é compreensível. Há contudo, devemos reconhecer, ainda muito desconhecimento sobre o que exatamente é a doação de órgãos a pessoas em estado de necessidade. É importante esclarecer que doar não é um dever, mas um direito. Precisamos que nossos jovens sejam expostos a essa reflexão e, munidos de todas as informações possíveis, façam uma escolha bem informada sobre o tema e comuniquem seus familiares. Um dia, quem sabe, bem lá na frente, todos nós possamos escolher continuar de certa forma vivendo em outras vidas. Em maio de 2021, o Projeto de Lei de minha autoria 2839/2019, popularmente conhecido como #LeiTatiane, foi aprovado por unanimidade na Comissão de Seguridade Social e Família da Câmara dos Deputados. Esta proposta visa introduzir de forma técnica, pedagógica e profissional o tema da doação de órgãos dentro das escolas públicas e privadas de todo o Brasil. Enquanto nação, precisamos discutir de forma lúcida e correta o tema da vida e da morte de muitos brasileiros à espera de uma nova chance. Qual é nosso papel diante dessa realidade? São reflexões importantes em termos de humanismo. Penso que informar, educar com responsabilidade é sempre o melhor caminho para compreendermos o mundo à nossa volta. A conversa sobre ser um doador (ou não) não pode ficar restrita à sala de casa de alguns poucos. Esse debate precisa ir além. Precisa ser levado às escolas, universidades, afinal, vivemos em sociedade e não sabemos o dia de amanhã. Podemos ser nós. Podem ser eles. O fato é que a vida de todos nós é demasiadamente preciosa para ser perdida por razões desnecessárias. O ensino e a conscientização sobre a Doação de Órgãos é uma pauta que acredito ser necessária e saudável para o país. Junto a mim estão certamente milhares de famílias que hoje esperam uma oportunidade para continuar vivendo através do amor de quem é infelizmente confrontado com o inevitável. A vida é um sopro. Viver é uma dádiva. Doar é um ato de amor. 


Revista Energia 81


vida

Boa

Por João Baptista Andrade Diretor da Mentor Marketing e AMA Brasil

Comida e crianças Maria, minha neta adorada, é uma constante fonte de

T

aprendizagem, inspiração e assombro na casa alheia é a mesma coisa que realizar uma cirurgia em um centro cirúrgico em que você nunca esteve antes e usando luvas de boxe: 80% do tempo é gasto perguntando onde tem tal coisa (instrumento, ingrediente, apetrecho ou equivalente), ou pedindo ajuda. Uma canseira! Mas se qualquer dos meus filhos me chamar para cozinhar no inferno, pode apostar que eu vou sorrindo. E ainda levo o vinho. Pois foi isso. Fiz um rosbife com batatas coradas (Fernando tem um forno de convecção!). Como se diz lá em Monte Alto, o diabo é sábio não porque é inteligente, mas porque é velho. E o avô que existe em mim usou a sabedoria inerente à idade para impressionar a pequena. Chamei Maria para me ver flambar a peça de filé. O fogo mesmeriza os humanos. Seja na mágica do circo ou saindo de uma panela quente, e a pequerrucha se encantou com as labaredas. Almoço gostoso, vinho bom, amor de família... Precisava mais? Pois bem. Depois de devorar (literalmente) o seu prato, Maricota pediu mais carninha. Vovô, solícito (na verdade, puxa saco) pulou da cadeira para cortar outra fatia do rosbife, mas foi detido pela vozinha dela: “Aí não. Aqui!”. Explico. Como manda a etiqueta eu pretendia cortar no meio do assado, onde a carne tem aquela cor rosa-claro (maravilhosa). Mas o dedinho dela apontava a extremidade do rosbife: levemente tostada (manteiga, louro, sal, pimenta, fogo...) e riquíssima em aromas. É lógico que uma criança de 4 anos não sabe o que é uma reação de Maillard. Mas, sim, já sabe o que a reação faz em termos de sabor. Feito o “bicho morto” do neto da minha amiga. Vegetarianos, veganos e assemelhados, por favor, se possível, me perdoem. É só a opinião do cozinheiro. Mas repleta da autoridade do avô...  Até a próxima.

*Imagens meramente ilustrativas*

oda criança em situação digna e plena (amparada, cuidada, amada e protegida) faz exatamente o mesmo que Maria. Elas deixam-nos acabrunhados, surpresos e, obviamente, babando ovo... Maravilhados. Via de regra as crianças, antes de serem definitiva e cabalmente adestradas pela sociedade de consumo, são seres absolutamente sinceros, diretos e destituídos de preconceitos. Quaisquer preconceitos. Desgraçadamente, a mesma voz que civiliza (ensina a compartilhar, transmite valores ou educa) também estigmatiza, segrega, separa e exclui. É uma questão de natureza social para a qual o caipira aqui tem muito pouco a explicar ou acrescentar. Dia desses, almoçando lá em casa, uma amiga descreveu o diálogo com o neto (lá pelos 7 anos de idade) sobre um churrasco. A mãe do pimpolho (e filha da minha amiga) é vegana, portanto, desnecessário explicar a atitude dela diante de uma churrasqueira acesa... Segundo minha amiga (e avó) a mãe teria dito ao petiz que, sobre o braseiro só havia “bicho morto”. O garoto ouviu e calou-se. Contudo, pouco depois ele se aproximou da avó e falou baixinho: “Vó, eu adoro comer bicho morto”. Bingo. Crianças são cheias de personalidade e atitude. Todas as crianças. E é por isso, entre outras coisas, que a gente adora os pequenos. Quaisquer pequenos. Maria não é exceção. Ela anda naquela fase meio chatinha de “arroz, feijão e carninha”, que todos nós já passamos. Paladares, a exemplo do caráter, são construídos e não inatos. Minha primeira coluna aqui na RE (março ou abril de 2010) falava justamente sobre isso: Criança que não come, já comeu ou vai comer; frase do meu querido (e sempre saudoso) avô paterno. E, no caso específico dela, Maria, o atual grito de guerra é: “Carninha!”. Outro dia, enquanto Tina estava na casa da praia e eu nos matos de Joaquim Egídio, meu filho me convidou para cozinhar na casa dele. Cozinhar

82 Revista Energia

14

98118-4222

@kopjaushopping

@kopjau


Revista Energia 83


84 Revista Energia


Millions discover their favorite reads on issuu every month.

Give your content the digital home it deserves. Get it to any device in seconds.