REVISTA ENERGIA EDIÇÃO 101

Page 1

Jaú - Ano 13 | Edição 101| Agosto 2022 Distribuição gratuita | Venda proibida

Equimetal Moenco

Experiência, qualidade e inovação

Jaú 169 anos

A força do empreendedor




Editorial

Mulheres se protegem

Ano 13 – Edição 101 – Jaú, agosto de 2022 Tiragem: 10.000 exemplares Revista Energia é uma publicação da Rádio Energia FM Diretora e Jornalista responsável Maria Eugênia Marangoni mariaeugenia@radioenergiafm.com.br MTb. 71286 Diretor artístico: Márcio Rogério rogerio@radioenergiafm.com.br

O momento mais lindo e marcante na vida de

Edição e Revisão de textos Heloiza Helena C. Zanzotti revisao@revistaenergiafm.com.br

uma mulher é a hora de dar à luz. Não existe maior emoção do que essa. É quase um ritual

Criação de anúncios: Moinho Propaganda atendimento@moinhopropaganda.com.br

Projeto gráfico: Revista Energia Social Club social@revistaenergiafm.com.br Colunistas Alexandre Garcia Evelin Sanches João Baptista Andrade Junior Campos Prado Luciana Dainese Matheus Tesser Cunha Professor Marins Renata Oseliero Ricardo Izar Sandra Perlati Thais Rabello Wagner Parronchi Colaborou nesta edição Seide Marangoni Comercial Marcelo Mendonça Milene Perez Sérgio Bianchi Silvio Monari Impressão: Grafilar (14) 3812 5700 Distribuição: Panfletos&Cia (14) 3621 1634 Revista Energia Rua Quintino Bocaiúva, 330 | 2º andar CEP: 17201-470 | Jaú - Fone: (14) 3624 1171 www.energianaweb.com.br Elogios, críticas e sugestões leitor@revistaenergiafm.com.br Quero anunciar comercial@revistaenergiafm.com.br Opiniões, avisos e quaisquer outras informações expressas nos editoriais e colunas representam exclusivamente a visão de seus autores, e não refletem necessariamente a posição e/ou opinião da Revista Energia, seus parceiros e patrocinadores. Nesses casos, o conteúdo é de total e exclusiva responsabilidade de seus autores.

Foto: Arquivo pessoal

Fotografia Moinho Propaganda (14) 3416 7290 Diagramação Moinho Propaganda (14) 3416 7290

sagrado para a mãe!

Q

uando nasceram meus filhos, ao ouvir o primeiro choro não pude conter as lágrimas de felicidade, era tanto amor que transbordava aos olhos. O cheiro, a luz, os tecidos, aquele choro anunciando a chegada de mais um anjo neste mundo, tudo era mágico, tudo era amor.

Esse é um momento em que a mulher precisa ser acolhida, protegida, amada e cuidada. Ela está totalmente entregue àquele momento e confia às mãos médicas o seu bem mais precioso, seu bebê. E foi nesse momento de total vulnerabilidade que um médico anestesista cometeu a atrocidade de estuprar a mãe que acabara de dar à luz. O dia que acompanhei a notícia pelos jornais e portais, desabei em uma mistura de sentimentos e questionamentos. Impossível não julgar algo tão monstruoso! Nunca sequer imaginei que algo dessa natureza pudesse acontecer a uma mulher. Até os animais irracionais protegem suas fêmeas prenhas, suas crias, respeitam e se solidarizam com o momento do parto. Então me pergunto: que tipo de ser humano é esse médico? Refletindo sobre esse fato, que me levou de volta ao momento do nascimento dos meus dois filhos e me fez chorar ao me colocar no lugar dessa mãe violentada, lembrei de outros dois casos noticiados recentemente, que também me deixaram indignada. Duas garotas, vítimas de estupro, foram julgadas, pressionadas e coagidas publicamente a optarem por abortar ou entregar a criança legalmente. Mais uma vez mulheres não foram acolhidas, respeitadas e protegidas num momento tão delicado e difícil envolvendo violência e maternidade. Todos os dias mulheres são estupradas, agredidas, exploradas, violentadas. Uma mulher é estuprada a cada 11 minutos no Brasil, segundo dados do Fórum Brasileiro de Segurança Pública. Isso precisa parar! Precisamos proteger umas às outras, parar de julgar, oferecer mais amor, empatia, lealdade, sentir mais as dores umas das outras. Mulher não inveja mulher, mulher não compete com mulher, mulher não julga mulher, mulheres se protegem! Nesta edição da RE trouxemos esse assunto que precisa ser amplamente discutido para que juntas possamos mudar a sociedade em que vivemos. Boa leitura! 

Maria Eugênia



NESTA EDIÇÃO 08 Radar 13 Pense Nisso 14 Perfil 19 Odontologia 21 Dermatologia 24 Capa 31 Soluções em Construção 35 Saúde Mental 36 Look de Artista 39 Assessoria 43 Vida Saudável 47 Opinião 51 Imóveis 52 Jaú 60 Social Club 72 Modernize 73 Look Kids 86 Adote um Pet 88 Comportamento 96 Legislação 98 Boa Vida Nossa Capa: Equimetal Moenco Paulo Eduardo Panelli e Cridio Parro Produção executiva: Débora Piruzini Jaú - Ano 13 | Edição 101| Agosto 2022 Distribuição gratuita | Venda proibida

36

Look de Artista

Equimetal Moenco

Experiência, qualidade e inovação

Jaú 169 anos

A força do empreendedor



Radar Por Alexandre Garcia

ALEXANDRE GARCIA Jornalista, apresentador, comentarista de telejornais, colunista político e conferencista. Atuou no Jornal do Brasil, na TV Manchete e na Rede Globo, onde trabalhou por mais de 30 anos. Em março de 2020 foi contratado pelo Canal Rural como comentarista nos programas “Rural Notícias” e “Mercado & Companhia”, e em novembro de 2021 passou a integrar o time da TV Jovem Pan News. Atualmente também escreve para o jornal a Gazeta do Povo.

Bandeira e eleição A juíza gaúcha que ameaçou proibir a Bandeira Nacional e a cantora brasileira que num palco californiano pisoteou a bandeira de seu próprio país levaram para o topo das atenções nas redes sociais o nosso símbolo nacional

A

inda menino, via meu avô hastear a bandeira na fachada de casa em todos os feriados nacionais e durante a Semana da Pátria; no grupo escolar, ainda nos anos 40, hasteávamos e arriávamos a bandeira todos os sábados, cantando o Hino Nacional e o Hino à Bandeira - que tem letra de Olavo Bilac. Eu ainda não tinha dois anos de idade e Sílvio Caldas gravava Fibra de Herói, com simples e bela letra do poeta Theófilo Barros Filho e música do consagrado maestro Guerra Peixe. Hoje os quartéis adotaram a vibrante Fibra de Herói, que tem por estribilho “Bandeira do Brasil/Ninguém te manchará/Teu povo varonil/Isso não permitirá”. Na época, o mundo estava em guerra, mas o Brasil ainda não, embora naquele ano tenha sido afundado o 13º mercante brasileiro. Hoje há uma quase guerra por causa da eleição de outubro e ações contra a bandeira têm causado indignação ou indiferença. Eu me senti pisoteado. Cheguei a tuitar que a cantora pisoteava meus avós, meus pais, meus filhos - todos simbolizados pelo auriverde pendão da esperança, do poema de Castro Alves. Porque ela simboliza todos nós, brasileiros - os vivos, os mortos e os que vão nascer. Li que a cantora fora beneficiada com 1,9 milhões da Lei Rouanet em 2011, quando a tia dela era Ministra da Cultura. Assim, ela não pisoteava a bandeira, mas esperneava sobre o símbolo do Brasil.

8 Revista Energia

A juíza gaúcha, coitada, recebeu um chega-pra-lá do TRE; a cantora alega que se arrependeu no momento seguinte, passando atestado de ciclotimia grave. Elas não têm noção sobre os valores da nacionalidade, as raízes que nos unem num país. Os símbolos são importantes. As pessoas os têm, as famílias, as empresas, as religiões, os clubes esportivos. E o nosso símbolo maior é a Bandeira, como é a Constituição, como lei maior. Pisotear uma e outra são agressões a todos nós. São amálgamas que nos unem numa época em que parece haver no ocidente um movimento que visa à separação, ao apartheid, quem sabe para nos enfraquecer. Divide et impera. Ou seja, fracciona uma nação, separando seus nacionais, para facilitar a tomada do poder e impor a vontade do conquistador. A bandeira tem quatro cores. As cores dos brasileiros têm todos os tons de pele, numa mistura genética que formou uma gente bonita, graciosa, bondosa, muito especial, a ocupar esse país-continente tropical. Quando estudávamos nossos heróis, no grupo escolar, Marcílio Dias me impressionava, porque defendeu a bandeira que os inimigos queriam arrancar do mastro de seu navio. E morreu misturando seu sangue com as cores do pavilhão sagrado, verde-e-amarelo. A juíza e a cantora que atacaram a bandeira servem para sacudir nossas consciências a lembrar que somos todos guarda-bandeiras e que a indiferença de muitos mostra que o nosso símbolo maior - que nos une na união que faz a força - está esquecido nas escolas e, talvez, em nossas casas. 


sicredi.com.br

Aqui o dinheiro rende um mundo melhor.

Existe alternativa. Nós somos o Sicredi, a alternativa para você, sua empresa ou seu agronegócio. Nós reinvestimos recursos na sua região; assim você cresce e gera crescimento para todos ao seu redor. E você conta com soluções financeiras ideais, taxas justas e um atendimento próximo e humano, presencial e digital. Venha nos fazer uma visita! Em Jaú, estamos na Rua Amaral Gurgel, 817, Centro, telefone: (14) 3601-1919 e no Hospital da Unimed, Av. Antonio de Almeida Pacheco, 1991 - 2ª Zona Industrial, telefone: (14) 3445-3000 SAC - 0800 724 7220

Deficientes Auditivos ou de Fala - 0800 724 0525. Ouvidoria 0800 646 2519.

Aponte a câmera do seu celular e saiba mais.

Escolha o Sicredi, onde o dinheiro rende um mundo melhor.



Revista Energia 11


12 Revista Energia


Pense

nisso

Por Professor Luiz Marins

LUIZ MARINS Antropólogo e escritor. Tem 26 livros publicados e seus programas de televisão estão entre os líderes de audiência em sua categoria. Veja mais em www.marins.com.br

Vergonha de mudar de opinião Conheço pessoas que sofrem muito por não terem coragem de mudar de opinião

C

omo em algum momento do passado elas defenderam uma causa em que acreditavam com muita força e fervor, agora se sentem interiormente impedidas de mudar, de reconhecer que estavam enganadas, de aceitar que as outras pessoas estavam certas e não elas. Com isso, sofrem muito. E o que é pior, mesmo sabendo estarem erradas, continuam defendendo causas nas quais não acreditam mais, só por se sentirem incapazes de mudar de opinião, de pedir desculpas e dizer que pensaram melhor, estudaram novos argumentos e mudaram de ideia. Para algumas pessoas isso é impensável! Vejo isso acontecer a respeito de qualquer tema: costumes, saúde, religião, meio ambiente, opções dietéticas, política etc. Pessoas que ficam prisioneiras de posições adotadas no passado são muito infelizes e pobres de espírito, pois não aceitam a realidade de que todos temos o direito de mudar de opinião, mudar de ideia, entender melhor os fatos, enfim, evoluir. Embora não acreditem mais no que acreditavam, essas pessoas infelizes muitas vezes vivem buscando fatos e dados para novamente se convencerem do que hoje desacreditam e, por vergonha de mudar, ficam fixas no erro, assumem compromisso com aquilo que elas próprias não aceitam mais. Um dos mais inalienáveis direitos do ser humano é mudar de ideia, mudar de opinião, ninguém deve se vitimar assumindo o compromisso eterno com o erro, com aquilo que não acredita mais. Se você foi alguém que defendeu ideias nas quais não acredita mais, tenha a coragem de mudar e enfrente o medo e a “lacração” de pessoas que irão acusar você de “vira-casaca” ou mesmo de possível traição. Essa verdadeira tirania de não ser capaz de mudar de opinião chega a ser doentia, faz adoecer e acaba por consumir suas pobres vítimas. Lembre-se: você tem o direito de mudar de ideia, de opinião sem ter que dar satisfação a ninguém.  Pense nisso. Sucesso Revista Energia 13


Doces sonhos “Eu acredito que se você trabalha duro e sonha grande o suficiente, você pode realizar qualquer coisa neste mundo” Texto Heloiza Helena C Zanzotti Fotos Arquivo pessoal 14 Revista Energia


A

frase que abre esta matéria foi mencionada pelo chef e empresário norte-americano Buddy Valastro, conhecido por apresentar diversos programas de culinária, entre eles o Cake Boss. Buddy, inclusive, foi a inspiração para o nosso Perfil desta edição, Matheus Guilherme Marchetti, 22 anos. Matheus nasceu em Jaú, onde passou sua infância e adolescência junto com os pais, Luis Aparecido e Elaine de Fátima, e os irmãos Mariana, Gabriela e Kleber. Ele conta que gostava muito de estar com os amigos e vizinhos, com os quais a brincadeira era garantida. Nosso entrevistado faz questão de mencionar também o amigo Lucas Soares: “é um dos meus amigos de infância e adolescência, que está comigo até os dias de hoje e que também ajudou no meu processo, me incentivando”.

COMO SURGIU SEU INTERESSE PELA CONFEITARIA? Tudo começou em 2015 assistindo “Cake Boss”, um programa de televisão no Discovery Home & Health, com o Chef Buddy Valastro, onde ele mostrava todo o processo de preparação de um bolo, desde o atendimento ao cliente até as produções. O que chamou minha atenção foram os bolos imensos e criativos, que sempre superavam as expectativas dos clientes. COMO DESENVOLVEU SUA APTIDÃO? Em minha cidade não tinha nenhum curso na aérea, fiz uma pesquisa pela região e encontrei o SENAI Bauru. Nesse período meus pais não tinham condições para pagar o curso e o transporte, então comecei a entregar currículos para trabalhar e suprir os gastos do curso. Em 2016 a empresa Ferracini Supermercados me deu a oportunidade de trabalhar e viver grandes experiências, o que também contribuiu muito em meu desenvolvimento. Depois que terminou o período de experiência, a empresa ofereceu uma promoção para eu exercer o cargo de auxiliar de padeiro. Aceitei e percebi que era a oportunidade de realizar o meu sonho. De 2016 a 2018 tive o primeiro contato com a área de alimentos, na padaria, e decidi correr atrás do sonho e me tornar um grande profissional. O GOSTO PELA CULINÁRIA VEM DE FAMÍLIA? Em minha família tenho grandes referências. Meu pai é da alta gastronomia, trabalhou mais de 15 anos no Buffet Tianinha como garçom e maître; meu avô João Benedito Marchetti foi cozinheiro e os tios do meu pai, o “Tio Cido”, cozinheiro, que trabalhou no Jaú Clube por anos; e o “Zé Marchetti”, cozinheiro e confeiteiro, que trabalhou nos Supermercados Jaú Serve. Minha avó Neusa, mãe da minha mãe, também é uma grande cozinheira e trabalhou por anos na cozinha da Santa Casa de Jahu e no Caiçara Clube de Jaú. Acredito que o amor pela confeitaria está no sangue. Meus pais, Luis e Elaine, foram os maiores incentivadores para o meu crescimento pessoal e profissional. FEZ CURSOS DE ESPECIALIZAÇÃO? Sim. O de confeiteiro no SENAI Bauru; padeiro, também no SENAI Bauru ; Bases da Confeitaria Internacional no SENAI Barra Funda, ministrado pelo Chef espanhol José Joaquim Roldán Triviño.

JÁ PARTICIPOU DE CONCURSOS? Em janeiro de 2018 comecei o curso de confeiteiro com a Professora Rose e no decorrer do curso ela falou sobre a competição de confeitaria “Olimpíada do Conhecimento”. Ela me explicou o processo da competição, mostrou fotos, contou como eram os treinos e as fases estadual e nacional, e me interessei em participar. Em março de 2018 iniciei os treinos para a competição intercalados com as aulas de confeitaria. Meus pais foram até a escola conhecer a estrutura e minha treinadora, a Professora Rose, que alinhou as informações sobre o objetivo da competição, que era formar profissionais de alta performance. No final de 2018 decidi dedicar período integral aos treinos para a competição e conseguimos conquistar vários prêmios. QUAIS PRÊMIOS CONQUISTOU? Medalha de prata, em julho de 2019, na primeira etapa (fase estadual) que aconteceu dentro da FIPAN (Feira Internacional da Panificação, Confeitaria e Food Business) em São Paulo, na Expo Center Norte. No mesmo ano, em novembro, participei do desempate e consegui a medalha de ouro, revertendo o resultado e garantindo minha vaga para a fase nacional, representando o estado de São Paulo. Em dezembro de 2020 participei da seletiva nacional, representando muito bem o estado de São Paulo e conquistando a medalha de ouro. A competição aconteceu com os estados de Minas Gerias e Alagoas. Em janeiro de 2022 participei de desempate com Minas Gerais e mantive a medalha de ouro, recebendo o título de Melhor Confeiteiro do Brasil. QUAIS AS MAIORES DIFICULDADES QUE ENCONTROU? A maior dificuldade durante todo esse processo foi a questão financeira, meus pais não tinham condições de suprir todas as minhas necessidades na cidade de Bauru. Aí veio a Pandemia e Revista Energia 15


com ela o desemprego, corte de energia em minha casa em Jaú, mas em nenhum momento meus pais desistiram, mesmo com tanta dificuldade sempre diziam: “Continua, vai dar tudo certo, não desista do seu sonho, isso que estamos passando logo vai melhorar”. Vendo todo esse cenário meu desejo era desistir, mas eles nunca apoiaram essa decisão, sempre vendo o lado positivo e mantendo-se fortes. O QUE MAIS GOSTA DE FAZER DENTRO DA CONFEITARIA? Dentro desta gama de produtos da confeitaria, os produtos que eu mais gosto de fazer são aqueles de forma manual, demostrando mais delicadeza e habilidade, como bombom, modelagem em pasta americana, sobremesas geladas (mousses) e Entremet. VOCÊ FOI CONTRATADO COMO TRAINEE PELO SENAI. NO QUE VAI ATUAR? O processo Trainee é um projeto do SENAI-SP para capacitação do competidor e minha atuação dentro desse projeto é passar todo o meu conhecimento como as técnicas, desenvolver habilida-

WorldSkills é a maior competição internacional de educação profissional, na qual jovens de 70 países põem à prova o seu talento profissional). QUAL O PRATO MAIS ELABORADO QUE VOCÊ JÁ FEZ? Os produtos mais elaborados são as esculturas 100% chocolate (utilizando os três tipos de chocolate: branco, ao leite e amargo) de 1,20 cm de altura. Escultura de açúcar (açúcar utilizado nas esculturas é o isomalt que é extraído da beterraba) de 1,10 cm altura. ALÉM DA CONFEITARIA, O QUE MAIS SABE COZINHAR? Tenho formação na área da panificação, através da qual lembro o início da minha carreira. A panificação é algo incrível, desde a fabricação de um produto simples como o nosso pão francês, até um processo elaborado como o pão brioche. QUAIS SÃO SEUS PLANOS FUTUROS? Continuar estudando e me tornar um docente, ser multiplicador de todo o conhecimento e técnicas que recebi através da Olimpíada do Conhecimento e, principalmente, mudar vidas através de todo o processo que vivi dentro na competição.

des de alta performance para o próximo competidor e assim ter a oportunidade de representar a escola na fase estadual e o estado de São Paulo na fase nacional. FOI SELECIONADO PARA REPRESENTAR O BRASIL NA CHINA, NA WORLDSKILLS SHANGHAI 2022? Sim, mas o evento foi cancelado por questões de Covid-19 e suas restrições. Como a competição mundial foi cancelada, meu título se mantém como o melhor confeiteiro do Brasil em 2022. (A 16 Revista Energia

MENSAGEM FINAL Agradeço primeiramente a Deus por me permitir viver todas estas vitórias e principalmente por ter uma família e pais que me apoiaram, incentivaram e lutaram junto comigo todos os dias, sem medir esforços para realizar o meu sonho. Não poderia deixar de agradecer também ao SENAI Bauru/ SENAI-SP, que me abriram as portas e proporcionaram todas estas experiências de conhecimento. 


Revista Energia 17


18 Revista Energia


Odontologia Por Dra Thais Rabello Diretora clínica, responsável técnica e clínico geral CRO/SP: 128.422 CRO CL: 024471

Sorriso de milhões! Você sonha em ter um sorriso igual ao dos famosos?

A

Já pensou o quanto isso é possível para você?

qui na Oral Unic conseguimos mudar o seu sorriso através das lentes de contato ou facetas! Existem dois tipos: de porcelana e de resina. Qual a diferença? As duas são consideradas bem estéticas, com mínimo desgaste dental e podem ser feitas em um único dente ou em vários dentes. A porcelana é uma peça cimentada em cima dos dentes, podendo ter uma durabilidade maior, já a de resina é feita diretamente no dente pelo dentista. Faceta de resina: Prós:  preço mais em conta;  tempo de tratamento curto (pode ser realizado em uma única consulta);  é fácil para reparar pequenas fraturas;  resultados estéticos marcantes. Contras:  menor durabilidade;  fraturas podem ser constantes;  amarelamento e perda do brilho ao longo dos anos.

Faceta de porcelana: Prós:  durabilidade elevada;  resistência ao amarelamento e perda do brilho;  resultados estéticos marcantes. Contras:  preço mais elevado do tratamento;  tempo de tratamento maior. Lembrando que os dois tipos de tratamento são capazes de deixar estética perfeita e a duração das mesmas depende muito do cuidado do paciente. Não perca tempo e conquiste o sorriso dos seus sonhos! Agende uma avaliação na Oral Unic Implantes e esclareça suas dúvidas! 


20 Revista Energia


Dermatologia Por Dra Renata Oseliero Médica com formação em dermatologia pela Faculdade de Medicina de Valença/RJ Pós-graduação em medicina estética; pós-graduação em tricologia Estágio em dermatologia pela Universidade Federal de São Paulo

Cuidados com cabelos no inverno Quando a temperatura cai, é importante manter os cuidados com os cabelos, o que pode exigir produtos diferentes, além de novos hábitos para mantê-los bonitos e saudáveis

A

contece que no inverno ocorre não apenas a queda da temperatura, mas também uma redução da umidade do ar, e isso pode castigar não só a nossa pele como também o nosso cabelo, deixando-o mais ressecado. Outro ponto a ser considerado é que nas temperaturas mais baixas as pessoas costumam tomar banhos mais quentes e demorados. A água quente remove a oleosidade natural do couro cabeludo de forma excessiva, provocando um desequilíbrio na proteção do manto lipídico. Outro fator que contribui para o ressecamento dos fios é o uso com mais frequência do secador. Na pressa, acabamos usando o secador na temperatura máxima, contribuindo para que o cabelo fique mais áspero e quebradiço, com aspecto opaco e sem vida. Tudo isso influencia na saúde capilar. No entanto, é possível reduzir esses males com cuidados simples, que podem ser adicionados ao cotidiano. Lave o cabelo com frequência Muitas pessoas diminuem a frequência das lavagens do cabelo durante o inverno. Porém, não faz mal lavar os cabelos no frio, na verdade, é recomendado, visto que a falta de limpeza estimula a produção de óleo pelas glândulas sebáceas presentes no couro cabeludo. Normalmente, esse óleo protege o couro cabeludo, mas em excesso, associado à poluição, podem acumular nos fios e entupir o bulbo capilar, causando irritação, coceira e até queda Daí a necessidade de manter um cronograma de lavagens conforme o tipo de cabelo e a produção natural de óleo. Lave o cabelo pelo menos um dia sim outro não. Evite água quente A água quente pode fazer mal aos cabelos e à pele. Banhos quentes e demorados agridem o couro cabeludo, que responde produzindo mais oleosidade, além de abrir as cutículas dos fios, que ficam mais ressecados, ásperos, quebradiços, com menor oleosidade e brilho. Ademais, o

uso frequente de água em altas temperaturas pode levar à caspa e dermatite seborreica uma condição em que surgem a descamação excessiva do couro cabeludo e lesões avermelhadas. Apesar do banho frio ser inviável durante o inverno, há alternativas que podem evitar esses problemas, como deixar a água do chuveiro mais morna no momento de enxaguar os cabelos, evitando a abertura das cutículas Não esqueça o condicionador Outro ponto relevante para os cuidados com os cabelos no inverno é o uso do condicionador, responsável por selar as cutículas, o que influencia no brilho e maciez, portanto, não esqueça dele. A escolha do condicionador ideal deve ser feita de acordo com o tipo de cabelo e o uso de acordo com as instruções, assim é possível aproveitar ao máximo os nutrientes presentes na composição. Vale ressaltar que o condicionador é a última etapa da lavagem, sempre após o xampu ou outro tratamento como máscara hidratante. Todo o excesso deve ser retirado para evitar o acúmulo de sujeira. Faça hidratações pelo menos uma vez por semana Água quente, secador e tempo seco maltratam muito os cabelos. A sugestão aqui para remediar isso é manter a rotina de hidratação em dia. O ideal é hidratar semanalmente, a cada 10 ou 15 dias, conforme o tipo de cabelo e sua fragilidade. Você pode escolher entre as diferentes opções de máscaras, entre outros produtos destinados ao seu tipo de cabelo. No momento da escolha, fique longe das fórmulas que possuem em sua composição os parabenos, compostos que ao invés de ajudar podem atrapalhar a produção de lipídios naturais, ressecando os fios e diminuindo o brilho. Então, lembre-se que a hidratação é algo positivo, ajuda a manter a saúde dos fios, proporcionando um aspecto mais sedoso e brilhante. Para assegurar a absorção adequada dos nutrientes, leia e siga as instruções dos produtos, deixando agir pelo tempo definido pelo fabricante (nem mais, nem menos). 

Revista Energia 21


22 Revista Energia


Revista Energia 23


Capa

24 Revista Energia


A sustentável leveza do aço O aço tem substituído cada vez mais outros materiais na construção civil, e com largas vantagens

Texto Heloiza Helena C Zanzotti

Revista Energia 25


O

uso do aço na construção civil tem origem no século XVIII com a construção da ponte sobre o Rio Severn, na Inglaterra, em 1779. Esse foi um importante marco no setor, pois permitiu que um material mais resistente fosse utilizado para criar estruturas maiores. De lá para cá as estruturas metálicas ganharam muito espaço na construção civil e vêm sendo cada vez mais utilizadas por apresentarem inúmeras vantagens em uma obra, principalmente em relação à agilidade. Além disso, a versatilidade de sua aplicação é um dos fatores que a tornam tão competitiva no mercado. FLEXIBILIDADE E ADAPTABILIDADE Também conhecidas como “estruturas de aço”, praticamente qualquer tipo de edificação casa muito bem com as estruturas metálicas e é possível fazer reformas e ampliações sem grandes problemas. Por ser uma matéria-prima flexível, que permite a fabricação em vários formatos de elementos, oferece uma vasta gama de opções para edificações de qualquer porte, e são muito utilizadas em shoppings, galpões, prédios, pontes, viadutos, entre tantas outras. RAPIDEZ E EFICIÊNCIA Segundo o portal Engenharia 360, o setor de construção civil acompanha as tendências mundiais buscando sempre inovar, especialmente quando os assuntos são redução de custos, diminuição no período das obras e aumento na eficiência. Desse modo, a procura por alternativas capazes de conciliar esses três importantes pilares conduziu o cenário da construção civil para a utilização do aço em suas atividades.

26 Revista Energia

Quando pensamos em edificações comerciais, por exemplo, o prazo geralmente é um dos mais valiosos aspectos a se considerar, pois está diretamente relacionado ao retorno do investimento do proprietário. Quanto mais cedo ele começar a trabalhar, mais rápido fará o seu negócio render. Assim, estruturas metálicas permitem que a execução de um projeto seja realizada em curto período, o que se torna uma vantagem significativa sobre o sistema de construção convencional. EQUIMETAL MOENCO Sob a direção de Paulo Eduardo Panelli e Cridio Parro, a Equimetal Moenco é uma empresa especializada no segmento de construções metálicas e atua há 20 anos em Jaú produzindo o que há de melhor no mercado de estruturas em aço. Com uma equipe especializada em projetos, além de um quadro com pessoal extremamente experiente na fabricação e montagem, a Equimetal possui como diferenciais a transparência e ética profissional, o que faz da empresa referência no setor de estruturas metálicas. “Todas as etapas dos nossos projetos têm responsabilidade técnica e acompanhamento de engenheiros, além de outros técnicos”, ressalta Paulo Eduardo. Cientes de que o atendimento ao cliente não termina no fechamento do negócio, Paulo e Crídio investem na capacitação de seus colaboradores, propiciando agilidade no atendimento, confiança do cliente e oferecendo todo o suporte no pós-venda. A empresa também investe constantemente em inovação, processos e tecnologia que conectam e facilitam a vida do cliente.


DIFERENCIAL Na Equimetal, a fidelidade às normas técnicas nacionais é fundamental. Além disso, todo o material utilizado é de alta qualidade, processos de solda MIG, eletrodo revestido e parafusamento, que pode ser feito na empresa ou no canteiro de obras, conforme a necessidade do cliente. A Equimetal trabalha com instalação de telhas para coberturas e fechamentos, calhas, rufos, e possui conhecimento técnico dos sistemas de forros de diversos tipos e marcas, divisórias, pisos em painéis Wall ou Madewall e outros materiais, para gerar o melhor resultado para sua obra. PRAZO, CUSTO E QUALIDADE A construção civil é um dos setores mais importantes para a economia do país, mas ainda tem sérios problemas relacionados a custos e desperdícios. Para o setor, prazo, custo e qualidade são fundamentais e a Equimetal está sempre atenta a estes fatores, com soluções prontas para respeitar prazos de entrega de projetos, redução no desperdício de materiais e preços competitivos. O fato de as estruturas serem produzidas na fábrica e levadas prontas para a obra traz limpeza, organização e zero resíduo para o canteiro de obras. Para a Equimetal, estar sempre de olho em novas técnicas, políticas de segurança e padrões normativos torna os processos mais eficientes. A QUESTÃO AMBIENTAL De acordo com o Instituto Brasileiro de Educação Continuada (INBEC), quando o assunto é meio ambiente as estruturas em aço só possuem vantagens, uma vez que o aço é 100% reciclável, enquanto outros materiais não o são. As estruturas metálicas, por exemplo, podem ser desmontadas e reaproveitadas; já as de concreto não apresentam essa possibilidade, pois são construídas para ficarem em determinado local, ou seja, as estruturas metálicas você pode desmontá-las e montá-las em outro local, se precisar. INÚMERAS VANTAGENS  Liberdade no projeto;  Maior área útil – melhor aproveitamento do espaço interno;  Flexibilidade – especialmente se houver necessidade de adaptações, ampliações, reformas e mudanças;  Compatibilidade com outros materiais;

 Menor prazo de execução – redução de até 40% no tempo de execução quando comparado com os processos convencionais;  Racionalização de materiais e mão-de-obra – o desperdício é sensivelmente reduzido;  Alívio de carga nas fundações – por serem mais leves, as estruturas metálicas podem reduzir em até 30% o custo das fundações;  Garantia de qualidade – rígido controle durante todo o processo industrial;  Antecipação do ganho – em função da maior velocidade de execução da obra, permite ocupação antecipada do imóvel e mais rapidez no retorno do capital investido;  Organização no canteiro de obras – menor geração de entulho, melhores condições de segurança ao trabalhador contribuindo para a redução dos acidentes;  Reciclabilidade – 100% reciclável, as estruturas podem ser desmontadas e reaproveitadas;  Preservação do meio ambiente – além de reduzir o consumo de madeira na obra, diminui a emissão de material particulado e poluição sonora geradas pelas serras e outros equipamentos;  Precisão – enquanto nas estruturas de concreto a precisão é medida em centímetros, numa estrutura metálica a unidade empregada é o milímetro, o que garante uma estrutura perfeitamente aprumada e nivelada, facilitando atividades como o assentamento de esquadrias, instalação de elevadores, bem como redução no custo dos materiais de revestimento. (Fonte: Portal Met@lica) VOCÊ SABIA? No Estado de São Paulo, algumas edificações estruturadas em aço são isentas da obrigatoriedade de proteção contra incêndio:  Edificações com área total menor ou igual a 750 m²;  Edificações com até dois pavimentos cuja área total seja menor ou igual a 1500 m² e carga de incêndio específica inferior ou igual a 700 MJ/m² excluindo-se museus, teatros, cinemas, auditórios, boates, restaurantes e clubes sociais.  Centros esportivos, estações de terminais de passageiros e construções provisórias (circos e assemelhados) com altura inferior a 23 m, exceto as regiões de ocupação distinta;  Depósitos de baixo risco de incêndio (tijolos, pedras, areias, cimentos, metais e materiais incombustíveis) com altura inferior a 23 m;  Garagens com ou sem acesso de público e sem abastecimento, com altura até 23 m, abertas lateralmente. Revista Energia 27


Observação: É necessário consulta às Normas Brasileiras de Proteção ao Fogo, em especial a NBR 14323 (Dimensionamento de estruturas de aço de edifícios em situação de incêndio) bem como aos regulamentos do Corpo de Bombeiros de cada estado para certificar-se da isenção ou não de uma obra quanto à proteção ao incêndio. CURIOSIDADES A presença do aço na arquitetura é um dos desenvolvimentos mais inovadores da construção civil e possibilitou aos arquitetos imaginar o que nos séculos anteriores seria considerado impossível. Confira algumas das maiores e mais famosas construções em que o aço foi protagonista. A Cayan Tower, em Dubai, tem 306 metros de altura e 80 pisos, e foi projetada em torno de um núcleo estrutural de betão armado, em hélice, até atingir uma rotação de 90º no topo do edifício. O Woolworth Building é um arranha-céu de 57 andares e 241 metros de altura em uma moderna estrutura de aço. Considerado um dos 50 arranha-céus mais altos dos Estados Unidos. A Biosfera de Montreal, no Canadá, originalmente formava uma estrutura fechada de células de aço e acrílico, com 76 metros de diâmetro e 62 metros de altura. Durante a década de 70, as reformas estruturais provocaram um incêndio que queimou a bolha acrílica, mas a estrutura de aço permaneceu intacta. O Bank of China Tower é um arranha-céu localizado em Hong Kong cuja estrutura é constituída por uma armação de aço de quatro eixos verticais em um sistema estrutural que diminui gradativamente até formar um prisma triangular.  PRINCIPAIS PRODUTOS EQUIMETAL  Estrutura metálica em aço carbono para barracões;  Estrutura em aço inox para câmaras frias;  Estruturas e coberturas metálicas em aço carbono residenciais e comerciais com cobertura de telhas metálicas;  Estruturas de fechamento metálico;  Postos, marquises, mezaninos e estruturas com cobertura em policarbonato;  Reforço estrutural para aplicação de placas fotovoltaicas em coberturas (muito utilizado)

14 3622 4699 / 3622 3794 Rua José Massucato, 1864 . 7° Distrito Industrial - Jaú/SP

www.equimetalmoenco.com.br

28 Revista Energia


Revista Energia 29


30 Revista Energia


Soluções em Construção Por Junior Campos Prado - Engenheiro Civil e Empreendedor Autor de 4 livros publicados 33 anos projetando e construindo obras Proprietário da Escola do Engenheiro e Arquiteto Empreendedor Veja mais: www.campospradoengenharia.com.br e www.juniorcamposprado.com.br

Mármores e granitos Mármores e granitos enriquecem a decoração dos ambientes, são de fácil

A

manutenção e apresentam variedade de cores e aplicação

pedra é um dos materiais mais antigos utilizados em grande escala na construção civil. A aplicação de rochas, como o mármore e o granito, seja em acabamentos ou para uso funcional em qualquer tipo de ambiente, continua sendo uma opção charmosa porque une a tecnologia à rusticidade do produto natural. Ambas as rochas são naturais, mas têm características estéticas e aplicabilidades distintas. Por isso, na hora de escolher o que comprar e evitar transtornos, é importante obter informação com o responsável pela obra sobre cada uma das pedras antes de escolher o revestimento de uma bancada para cozinha, ou o revestimento para o piso para áreas internas e externas, pias de banheiro, dentre outras aplicações. Mármore - A diferença começa pela composição. O mármore é originário do calcário e sua coloração varia de acordo com os minérios presentes. Com característica visual uniforme e suave, tem aparência mais delicada, enquanto que o granito tem aspecto granulado. É indicado para ambientes internos, principalmente em acabamentos e lavabos. Por ser mais suscetível ao aparecimento de manchas, já que é poroso, não é aconselhado a ambientes de muito uso como cozinha, por exemplo. O preço varia de acordo com sua procedência – nacionais são mais baratos que os importados, como os de Carrara, na Itália, uma das pedras mais admiradas em todo o mundo. Seu desenho natural e repleto de veios tem grande destaque e é uma das principais pedras usadas no revestimento de ambientes. Quanto mais brancos e sem veios, mais raro e caro é o tipo do mármore. Dentre os brancos mais conhecidos estão o

Carrara, o Calacata e o Pighês. Há também os mármores beges, como o Travertino, um dos mais mais vendidos. Há também mármores cinza, marrom, preto, rosa, roxo, vermelho e verde. Granito - Considerado mais resistente que o mármore, é composto pelos minerais quartzo, feldspato e mica. É bastante utilizado em pisos, bancadas de cozinha e área de serviço. Seu aspecto é mesclado devido à composição interna dos minerais. Tem aspecto granulado e luminoso. É mais versátil, podendo ser usado tanto em área interna quanto externa. “Essas pedras devem ser o último material a ser instalado em um imóvel em construção. É importante utilizar lonas para proteger o produto durante a obra” A escolha da mão de obra durante a aplicação também faz a diferença. Profissionais já com experiência tendem a ser mais indicados para o serviço, já que há detalhes sobre a dosagem certa de argamassa e a técnica de embutir a pedra na parede. A orientação é seguir a medida de um centímetro de profundidade para embutir, o que evita possíveis vazamentos. Quanto à limpeza e manutenção, elas diferem apenas no tempo recomendado para ser selada. Enquanto o mármore é recomendado duas vezes ao ano, o granito pode ser selado uma vez a cada dois anos. Entretanto, o período de manutenção pode variar conforme a utilização. Para a limpeza é recomendado sabão neutro em ambas as pedras. Há no mercado a opção de pisos que imitam essas pedras. Um deles é o porcelanato, material considerado mais duro, o que o torna mais propenso a quebras.

Revista Energia 31




34 Revista Energia


Saúde Mental

Por Luciana Dainese Graduanda em Psicologia pelas Faculdades Integradas de Jahu - Terapeuta de Barras de Access - Facilitadora da Oficina das Emoções

A estimulação cognitiva para os idosos A população idosa teve um crescimento significativo nos últimos

D

anos, tanto no Brasil quanto no mundo (IBGE, 2017)

iante disso, surgem novos desafios nos cuidados com a saúde geral do idoso. Considerando que a velhice traz com ela alterações fisiológicas e psicossociais importantes, é preciso zelar pelo bem-estar, seja ele físico, emocional, social, financeiro, entre outras condições, para que o idoso continue dignamente seu processo de desenvolvimento humano, que só termina com a morte. Para falar de estimulação cognitiva com os idosos, assunto central desse texto, vou falar brevemente e esclarecer o que é cognição, neuroplasticidade e reserva cognitiva. O termo cognição representa nossos sistemas e estruturas cerebrais que atuam na aquisição do conhecimento e envolve várias funções como atenção, percepção, memória, linguagem, raciocínio, entre outros elementos que compõem o sistema cognitivo. Apesar de o nosso sistema nervoso central ser programado geneticamente, o cérebro possui grande capacidade de se modificar ao longo da vida. Essas mudanças adaptativas, que ocorrem na estrutura e função do sistema nervoso, denominamos neuroplasticidade. Essas alterações acontecem em qualquer fase da vida, através das interações com o meio interno e externo. A Reserva Cognitiva pode ser entendida como o registro de atividades cognitivamente estimulantes realizadas ao longo da vida. Esse conceito de “reserva cognitiva” ainda está em construção, mas é possível observar que determinadas habilidades foram mais estimuladas e provavelmente estão mais preservadas, possibilitando conservá-las por mais tempo através da estimulação cognitiva. Vários fatores têm sido associados à aquisição de uma boa reserva cognitiva, alguns deles são: a educação formal, nível de inteligência, ocupação profissional desafiante, hábito de leitura, exercício físico regular, atividade social e de lazer; e também práticas intelectuais complexas como aprender um instrumento musical, um idioma, entre outros processos de aprendizagem que desafiam e apresentam novos estímulos. Quando envelhecemos nosso corpo, incluindo nosso cérebro, sofre diversas alterações, então a lentificação dos processos cognitivos faz parte do envelhecimento. Essas alterações não prejudicam nem impedem a realização das atividades cotidianas, ou seja, não causam dependência. É preciso ficar alerta quando o idoso apresentar dificuldades de se orientar no tempo e no espaço, em tomar decisões, de se autogerenciar e em alterações de comportamento de forma brusca e repentina. Esses sinais devem ser investigados por equipe interdisciplinar de saúde, pois sugere o início de algum tipo de demência que precisa de um diagnóstico e orientação de tratamento não só ao paciente, mas à sua família e cuidadores. O conceito de demência descreve um grupo de sintomas que podem ser causados por várias doenças, ou seja, esse termo “demência” se aplica a vários distúrbios neurocognitivos.

Muitas doenças distintas causam os sinais de demência. O Alzheimer é a causa mais frequente de demência irreversível, iniciase com a perda da memória e gradualmente leva à incapacidade total. A estimulação cognitiva é parte essencial da reabilitação e manutenção das habilidades gerais e pode ser aplicada em idosos com ou sem declínio cognitivo, de forma individual ou em grupo. As atividades realizadas, além de proporcionarem a melhora cognitiva, impactam positivamente nas emoções e habilidades sociais; o idoso se sente mais capaz, motivado, quando percebe que está realizando as atividades propostas e interagindo com o grupo. Em 2021, para o estágio da faculdade, trabalhei em instituições de idosos, fiz o curso de estimulação cognitiva voltado para idosos e apliquei as atividades com eles. Foi muito gratificante ver de perto os resultados. A cada atividade realizada eles se sentiam acolhidos, gratos, pois se viam exercitando atividades que não eram rotineiras e que traziam à tona seus potenciais, e mesmo com limitações, reconheciam suas capacidades para o aprendizado. A estimulação cognitiva, portanto, é um recurso que melhora a qualidade de vida do idoso, dos familiares e de seus cuidadores, previne as doenças neurodegenerativas e retarda a progressão, se a doença já estiver instalada. 

Apoio

(14) 99749.9054 @luciana.dainese

R. Saldanha Marinho, 905 Vl. Nova - Jaú/SP Revista Energia 35


Look de artista

Modelos: Maria Eduarda Possebon e Rafael Possebon Looks: Vestylle Megastore Produção: Jorgin Cabelo e Estética Local: Empório Cervisia Fotos: Moinho Propaganda


Tel: 14 3622 8364 Av. Frederico Ozanan, 770 - Jaú/SP


38 Revista Energia


Assessoria

Por Matheus Tesser Cunha - Estagiário na FTC - Feltrin De Tillio e Cunha; Bacharelando em Direito pela Faculdade de Direito de Bauru

Responsabilidade civil dos administradores de grupos em redes sociais

S

A globalização e o aumento das tecnologias já são uma realidade. Novas ferramentas são criadas diariamente para facilitar nossa vida, nos deixando conectados com o mundo ao nosso redor, além de facilitar a comunicação entre pessoas e grupos

egundo o IBGE, o número de domicílios brasileiros com acesso à internet vem crescendo cada vez mais e na última pesquisa, realizada no ano de 2019, 82.7% dos domicílios já tinham acesso à internet, isso sem considerar as redes móveis, que possibilitam conexão à internet em qualquer local que tenha cobertura. Uma das principais e mais importantes criações, extremamente popular entre todas as faixas etárias, são as redes sociais, dentre elas o “WhatsApp”, “Facebook” e “Instagram”. Nessas redes sociais as pessoas se comunicam a todo o momento através de postagens, mensagens individuais ou até por grupos. Com tanta interação, o Direito se faz necessário, pois só através dele é possível regular essas interações. Diante disto, fica clara a percepção de que tudo aquilo que é feito ou dito na internet está totalmente sujeito à aplicação do Direito. Tal regulação também ocorre por meio do instituto da responsabilidade civil, ou seja, aquele que, por ação ou omissão voluntária, negligência ou imprudência, violar direito e causar dano a outrem, ainda que exclusivamente moral, comete ato ilícito, ficando obrigado a reparar os danos causados, inclusive nas redes sociais. Basicamente todos os usuários inseridos nas redes sociais participam ou integram algum grupo, seja ele para qualquer finalidade, desde as mais simples, como um grupo de futebol, até as mais importantes, como um grupo familiar, do trabalho, etc. Ocorre que estes grupos foram criados e são administrados por alguém e neste momento surge a figura do administrador ou administradores de grupos de redes sociais, que possuem algumas atribuições exclusivas, bem como poderes e deveres perante o nosso ordenamento jurídico.

Mas qual a responsabilidade que paira sobre essa figura? Para um melhor entendimento se faz necessária a apresentação da responsabilidade civil prevista no ordenamento jurídico brasileiro, que se divide em responsabilidade civil objetiva e subjetiva. Dentre os elementos comuns entre as duas modalidades temos o dano e o nexo causal, ou seja, a relação entre a ação ou omissão humana e o dano experimentado pela vítima. A principal diferença entre ambas é que na responsabilidade civil objetiva não é necessária a ocorrência de dolo ou culpa, enquanto na responsabilidade civil subjetiva, o dolo ou a culpa "lato sensu" (negligência, imprudência ou imperícia) precisa estar presente. Sendo assim, no assunto em questão, é possível concluir que se trata da responsabilidade civil subjetiva, e para que a mesma ocorra é necessária a presença do dano, nexo de causalidade e dolo ou culpa "lato sensu". Além disso, conclui-se que tal responsabilidade dos administradores de grupos de redes sociais se caracteriza na modalidade subjetiva, visto que é obrigatória a presença da culpa, em outras palavras, é necessário que o administrador se mantenha inerte ou que apoie a conduta de violação de algum direito e, consequentemente, a geração de danos a um dos membros. Em suma, o administrador ao constatar postagens impróprias que possam a vir a gerar algum dano a outro membro do grupo deverá intervir como um verdadeiro poder moderador, sob pena de ser considerado conivente e, consequentemente, responsável pelos danos gerados.  Revista Energia 39


40 Revista Energia



42 Revista Energia


Por Evelin Sanches Mestrado em Administração Pública e Governo MBA em Gestão Estratégica de Negócios

Nutrição Inteligente “Não vendo suplementos para ganho de massa muscular

H

ou perda de peso, vendo saúde!”

á 16 anos no segmento de Suplementação Esportiva, Deivid Ferreira da Silva iniciou sua vida profissional como vendedor em uma das primeiras lojas do setor em Bauru. E é ele quem conta essa história. “Tive muita dificuldade no começo, era um mercado novo para mim, mas com muita dedicação e estudo fui aprendendo, me aprofundando, sabendo exatamente para qual finalidade serviam os produtos que eu vendia. A admiração por esse nicho aumentou e percebi que era o setor que eu queria para estabelecer minha carreira. Passei por empresas de grande expressão nacional, prestei consultoria para novos lojistas e com o passar do tempo montei minha própria distribuidora, fornecendo para redes de supermercados, lojas de suplementos e vendas online. Em 2019 resolvi montar um novo conceito em Body Shop, pois senti que o mercado suplementação estava fugindo do real objetivo, afinal, suplementação não tem a ver somente com o físico, a estética, o que por muitos anos foi pregado aos consumidores frustrando muita gente, pois ter um físico escultural como vemos nas redes sociais depende de vários fatores genéticos, então, não é algo disponível a todos. Mas uma vida saudável está disponível a todas as pessoas, e a ORIGINAL FARMA NUTRIÇÃO INTELIGENTE surgiu com essa missão: levar saúde às pessoas. Como sempre digo, “não vendo suplementos para ganho de massa muscular ou perda de peso, vendo saúde! O que vier depois disso é consequência”. Em novembro de 2019 Deivid inaugurou a primeira loja em Jaú e o sonho se concretizou.

“Chegamos em Jaú, onde moro há sete anos, com esse novo conceito em Nutrição Inteligente, cujo objetivo é nutrir o corpo com suplementos que vão complementar o déficit nutricional, mas alguns meses depois o mundo foi surpreendido com a pandemia, lojas fechadas, pessoas sofrendo, algo que nos aterrorizou. A menor preocupação era a loja, e aí veio a convicção de que estava no caminho certo, pois um dos fatores que contribuíam para que milhares de pessoas contraíssem o vírus era estar com a saúde comprometida. Isso me fez reforçar a missão da Original Farma, que é levar mais saúde para os consumidores. Como o setor de nutrição e suplementação foi classificado como essencial, as lojas desse segmento continuaram abertas, e fiquei mais motivado. No entanto, no início deste ano Jaú sofreu com uma terrível enchente, muitas pessoas perderam bens pessoais e, infelizmente, alguns perderam a vida. O local onde minha loja matriz está localizada, na Rua Marechal Bittencourt 82, foi atingido também, e perdi suplementos, equipamentos, a loja ficou destruída. Mais uma vez parecia o fim, mas como a Original Farma Nutrição Inteligente tem como objetivo principal fazer o bem para o próximo, e não somente rentabilidade, Deus abre portas onde não imaginamos e novamente o extraordinário aconteceu. Fui procurado pela empresa HE Franchising através de um dos sócios, o Bruno Henrique, e recebi uma proposta para cuidar da expansão das nossas franquias, apresentando um projeto inovador. Lojas em containers únicas e modernas, com um designer peculiar, sem perder a identidade de levar ao consumidor o melhor da Nutrição Saudável!” 

Dra Michella Bento da Silva Muller Farmacêutica esteta, Fisioterapeuta respiratória, Dermopigmentadora CRF 30004-5 Crefito 3 188237 Revista Energia 43


44 Revista Energia


Revista Energia 45


46 Revista Energia


Opinião Por Wagner Parronchi, colunista wagnerparronchi@hotmail.com

Planejamento Patrimonial Familiar Construir um patrimônio ao longo da vida não é fácil. Imagina preservar esse patrimônio! E transmiti-lo para outras gerações, nem me fale! Não por menos e por isso o ditado popular: “pai rico, filho nobre, neto pobre”.

O

cotidiano dos empresários muitas vezes não os deixa perceber que devem se precaver com a transição e com a proteção do seu patrimônio, até mesmo em relação à sua própria família, que pode ser palco de desavenças muito delicadas no futuro. A boa relação pessoal entre familiares é aquela que é clara e objetiva. Por este motivo é de bom senso o patriarca ou a matriarca manifestar a sua vontade em vida, colocando seus anseios e pretensões aos seus futuros herdeiros, planejando a sucessão e protegendo seu patrimônio, evitando, assim, aborrecimentos no futuro com brigas entre familiares, bem como e até mesmo possibilitando economia tributária, utilizandose de vários instrumentos jurídicos à disposição e ao alcance todos, seja por meio da constituição de empresas “holding”, de doações, testamentos ou pactos. Neste artigo vamos tratar das empresas “holdings” familiares, cuja finalidade é controlar o patrimônio de pessoas físicas pertencentes à mesma família que passam a deter participações societárias, protegendo os ativos familiares já conquistados contra dívidas futuras e das demais hipóteses de perda de patrimônio, planejando as regras de gestão corporativa dos sucessores. É possível, ainda, estabelecer o usufruto em favor dos doadores com cláusulas restritivas de inalienabilidade, impenhorabilidade, incomunicabilidade e reversão. Com isso, os doadores podem fazer a gestão da sociedade e de todo o

patrimônio, sendo imprescindível a anuência destes nos atos praticados, sob pena de nulidade do ato. Logo, a constituição de uma holding familiar propicia: Planejamento financeiro - concentrando o patrimônio familiar para facilitar a gestão coletiva, disciplinando a participação de cada membro da família e estabelecendo uma política de investimentos do patrimônio, reservas e distribuição de lucros; Planejamento tributário – com a “holding” é possível fazer o aproveitamento dos incentivos fiscais na tributação dos rendimentos dos bens como pessoa jurídica, como p. ex. aluguéis, lucros e dividendos, juros e transferências de bens; Perpetuação do patrimônio – a “holding” familiar protege o patrimônio das mais variadas situações que permitem a responsabilidade solidária em relação às empresas das quais participe; Planejamento sucessório – é uma das melhores opções para planejar a sucessão, principalmente porque o processo de inventário, além de lento, pode ter alto custo e a partilha é lenta, atrapalhando o desenvolvimento das empresas operacionais; Há ainda uma série de vantagens que uma “holding” familiar possibilita aos familiares se o contrato entre eles for bem realizado e desenvolvido, dispondo na constituição sobre critérios de informações sobre bens e empresas, dos critérios para os herdeiros assumirem cargos, de administração dos bens da família e de saída de familiares com sua parcela de patrimônio em caso de desavenças. 

Revista Energia 47


48 Revista Energia


Revista Energia 49


50 Revista Energia


Imóveis

Por Sandra Perlati Pedagoga, Pós-graduação em Matemática Financeira e MBA em Gestão de Negócios e Pessoas Proprietária da Imobiliária Perlati

Tendências do mercado imobiliário 2022 O que tem influenciado diretamente o mercado

D

imobiliário em 2022 e, com certeza, nos próximos anos

evemos estar atentos e acompanhar o mercado imobiliário, o que é extremamente fundamental na hora de decidir se este é um bom momento para comprar um imóvel. Mercado este que vem sendo afetado indiretamente por fatores como o cenário político, a movimentação da Selic, oferta e procura, além de tantos outros. Isso ajuda os compradores a saberem, por exemplo, se estamos num momento de valorização ou não para as transações imobiliárias. O mercado imobiliário em 2021 surpreendeu os mais pessimistas. A alta procura pela casa própria fez com que a venda de imóveis novos registrasse um aumento de 46% no primeiro semestre do ano em relação ao período anterior. Esses dados foram levantados pela Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC). Esse movimento era esperado, e ainda com o avanço da COVID – 19 pelo Brasil, o mercado imobiliário foi o que se recuperou mais rapidamente dos reflexos da pandemia nesses dois anos, segundo Viana Neto, presidente do CRECI do estado de São Paulo. No segundo semestre começou a encontrar alguns desafios para se manter com o crescimento da Selic. Segundo o relatório de mercado FOCUS, esse movimento de subida deve seguir em 2022, atingindo a marca de 11,5%. Ainda na mesma tendência, a alta da inflação mina o poder de compra do consumidor de renda mais baixa. Por isso, 2022 se apresenta como um ano onde comprar um imóvel será possível, porém, requer mais planejamento para aqueles com renda menor. A demanda por compra e venda de imóveis seguirá sendo uma forte tendência em 2022: o mercado imobiliário é

um investimento sólido, é uma classe de ativos que consolida e o imóvel residencial no Brasil sempre foi uma reserva de valor, ou seja, se houver uma crise muito grande, o imóvel estará preservado. Além disso, espera-se que as taxas de juros sigam o movimento da Selic, que deve apresentar estabilidade, dando mais fôlego para o setor. Não só de Selic vive o mercado imobiliário, mas há alguns pontos que ajudarão a tracionar o mercado imobiliário em 2022: Busca por imóveis maiores e mais próximos ao comércio, devido à demanda de manter a família mais tempo dentro de casa; Casa + trabalho: o home office fez crescer a demanda por condomínios que apresentam áreas destinadas para o trabalho e lazer; Consciência sustentável, reutilização de água e outras tecnologias; Imóveis usados e novos com plantas flexíveis; Permanência do tour virtual – o comprador pode visitar vários imóveis sem sair da própria casa, para escolher o imóvel e só após visitá-lo. Ainda pensando no mercado imobiliário, gostaria de salientar uma situação que estamos vivenciando na cidade, conversando com vários colegas sobre divergência de valores do mesmo imóvel avaliado, quando muitas vezes estes acabam ficando um tempo maior para serem vendidos por não estarem com valores reais. Isso acaba impactando no aumento das vendas que acabam não ocorrendo.

Revista Energia 51


Jaú

Boas oportunidades para empreender

A diversificação da economia local, qualidade de vida, potencial de mercado, infraestrutura, facilidade de acesso a capital financeiro e qualificação disponível colocam Jaú na mira dos empreendedores Texto Heloiza Helena C Zanzotti Fotos Arquivo pessoal 52 Revista Energia


Foto: Couple Films

N

a hora de escolher o local onde abrir um empreendimento é preciso estar atento a fatores que certamente contribuirão para o sucesso do negócio. Facilidade de relacionamento com os clientes, nível de segurança, incentivo à inovação, acesso à saúde e educação também tornam propícios os ambientes para começar um negócio e criar famílias. ALGUNS ÍNDICES IMPORTANTES Com população estimada em 151.881 (IBGE/2020), Jaú tem localização privilegiada, bem no centro do Estado de São Paulo, a apenas 296 km da capital. Seu amplo comércio, setor de serviços, hospitais, escolas e faculdades fazem com que a cidade seja referência na economia regional. Com IDH (Índice de Desenvolvimento Humano) considerado alto e bons indicadores, Jaú tem sido alvo de empresas que buscam novas oportunidades de negócios. O interesse está relacionado também à boa conectividade por rodovias, distância razoável da capital, acesso à internet rápida, custo de energia elétrica satisfatório e baixa taxa de homicídios. FORA DOS GRANDES CENTROS De acordo com o Portal Jusbrasil, uma boa vantagem de empreender em lugares menos populosos como as capitais e outras cidades de grande porte é o fato de ter mais chances de conquistar uma clientela fiel, que não apenas utilizará o seu produto ou serviço, como também irá recomendá-lo para outras pessoas. Ainda assim, é importante analisar as condições urbanas e logísticas, o tamanho do mercado local, qualificação profissional e a atitude empreendedora da população. Com relação à qualificação profissional, Jaú oferece inúmeras possibilidades com excelentes escolas técnicas e profissionalizantes, públicas e privadas, além de grande diversidade em cursos de nível superior. O Sebrae também participa ativamente na formação e qualificação de mão de obra, oferecendo cursos, palestras e treinamentos para os mais diversos tipos de empreendedores. BOAS PERSPECTIVAS PARA A CIDADE A RE conversou com o atual prefeito Ivan Cassaro sobre geração de empregos e desenvolvimento. Segundo ele, a cidade ficou por pelo menos duas décadas sem fortes investimentos públicos para a retomada da geração de empregos e renda. “Com os problemas enfrentados pelo setor calçadista como a queda no número de vagas de trabalho e a total ausência de políticas públicas para o desenvolvimento do setor, Jaú ficou parada no tempo. Através da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Empreendedorismo e Inovação (SEDEMPI) estou criando condições para o fortalecimento do setor industrial, com a abertura de novos distritos industriais e um projeto voltado ao setor de inovação e tecnologia, com o objetivo de otimizar a mão de obra jauense e aumentar a produção industrial” explica. Sobre novos investimentos na cidade, o prefeito responde: “Logo no primeiro ano de mandato conseguimos o primeiro em-

Revista Energia 53


preendimento: uma grande

no Diretor de Turismo que está em fase final de elaboração em

empresa do ramo supermer-

parceria com o Senac, e que podem ser aproveitados em diferen-

cadista, que imediatamente

tes projetos, alguns dos quais já estão em andamento”.

abriu vagas de emprego na construção do prédio e em

HIDROVIA TIETÊ-PARANÁ

seguida gerou vagas diretas

Com 2,4 mil quilômetros de extensão, sendo 800 quilômetros

e indiretas a partir do funcio-

dentro do estado de São Paulo, a Hidrovia Tietê-Paraná é o prin-

namento da empresa no final

cipal corredor para escoamento da produção agrícola dos esta-

de 2021. Existem novos conta-

dos do Mato Grosso, Goiás, Minas Gerais, Paraná e São Paulo.

tos feitos com outras grandes

A atual administração entende essa importância e pretende atrair

empresas, de vários ramos de

empresas de transformação e transbordo nas margens do Tietê

atuação, que poderão em bre-

pertencentes ao município, bem como criar condições para que

ve se instalar na cidade”.

o empresário jauense também possa ser beneficiado por programas de fomento. “Isso pode ser feito através de incentivos fiscais

RETOMADA DO SETOR CALÇADISTA

e auxílio na abertura e instalação de empresas nos futuros distri-

Conhecida como a “capital do calçado feminino”, o setor so-

tos industriais. Conseguir que grandes empresas se instalem em

freu muito, especialmente com a pandemia, com demissões e

Jaú é importante, mas sem esquecer que é o empresário jauense

o fechamento de lojas e fábricas. Questionado sobre ações específicas para uma retomada, o prefeito esclarece: “A Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Empreendedorismo e Inovação (SEDEMPI) deu início recentemente a um programa de facilitação de abertura de empresas diminuindo a burocracia para, justamente, dar ao empresário a segurança que precisa para colocar seus projetos em prática. Com prazos menores para a liberação das autorizações de âmbito municipal, há a expectativa no aumento do número de vagas para calçadistas. Outro ponto é a construção do novo prédio do SENAI, que deverá ser iniciada até o final do ano, onde parcerias serão criadas para ampliação de cursos voltados ao setor calçadista, com o avanço tecnológico à disposição dos empresários e a qualificação da mão-de-obra. Com isso, temos certeza de que os bons tempos do calçado jauense estarão de volta”. O TURISMO EM JAÚ Jaú atualmente é um Município de Interesse Turístico (MIT), o que permite aportes financeiros para investimentos necessários em infraestrutura, melhorando a qualidade de vida da população local. Ivan explica que em pesquisa de demanda realizada há pouco tempo, foi observado que Jaú apresenta diversas potencialidades turísticas e motivos que atraem visitantes para os mais diversos segmentos. “Tratamento de saúde, polo médico e hospitalar, evidenciado pelo Hospital Amaral Carvalho; compra de calçados; gastronomia atrativa; forte centro comercial; patrimônios arquitetônicos; fazendas históricas e reserva de preservação ambiental, dentre outros atrativos”. De acordo com ele, “projetos de valorização do centro histórico e comercial, finalização do boulevard, potencialização dos distritos, fortalecimento da economia criativa e potencialização em mídias são alguns dos projetos que devem prevalecer no Pla-

54 Revista Energia

que deve ter prioridade para que possa crescer e gerar mais empregos e renda para a população”, conclui o prefeito. EMPRESAS PROATIVAS Quando mencionamos empresários locais e atitudes empreendedoras, não podemos deixar de citar as mais de 40 empresas que aderiram ao Projeto Empresas Proativas da Energia FM de Jaú. São empresas que inovam, expandem seus horizontes e antecipam mudanças realizando as transformações necessárias. Uma empresa proativa é compromissada, humana, cidadã, persistente e, claro, pratica uma excelente gestão. E em Jaú não faltam exemplos de quem se destaca em seu segmento devido à atitude empreendedora de seus gestores. ESPAÇOLASER JAÚ Silvio Marcelo Rodrigues, 47, franqueado Espaçolaser, conta que escolheu Jaú para abrir a unidade pelo potencial comercial, distribuição populacional e indicadores promissores como índice de desenvolvimento humano, educação e segurança. “Estamos completando 5 anos em Jaú e satisfeitos com o desempenho da unidade. Temos mais de 7.000 clientes atendidos e/ou em atendimento. Inclusive, expandimos a unidade para uma área mais ampla, favorecendo o atendimento de todos os nossos clientes. Jaú apresenta oportunidades crescentes ao desenvolvimento empreendedor”.


JAÚ SHOPPING Vitória Vaz, 24, analista de marketing do Jaú Shopping, lembra que este ano o empreendimento completa 21 anos na cidade. “O Jaú Shopping atualmente possui mais de 60 lojas nos mais diversos segmentos, sendo a principal opção de lazer da cidade e região. Somos o único shopping da microrregião, com abrangência de público de mais de 10 cidades. Oferecemos estacionamento gratuito, cinema, parque de diversão, ampla praça de alimentação e lojas de grandes marcas. E já estamos trabalhando na obra de expansão do lado externo, próximo à praça de alimentação. Em quase 21 anos de existência, estamos presentes na memória afetiva dos clientes de Jaú e região; somos referência quando os assuntos são compras e entretenimento, além de estar movimentando a economia com a geração de empregos. Para nós, é muito gratificante”. MARCIU’S MAGANIZE Márcio Antônio Levorato, 57, fundador e diretor presidente do grupo composto pela rede de lojas Marciu’s Magazine, Pousada Pé na Terra e Fazenda Santo Antônio da Montanha, conta que a rede possui nove lojas físicas (Brotas, Dois Córregos, Itirapina, São Pedro, Igaraçu do Tietê, São Manuel, Descalvado, Itapuí e Jaú) e mais duas lojas de vendas pela internet, através de site próprio e marketplace (Brotas e a outra em Cariacica, no Espírito Santo). “Desde criança tive Jaú como referência, meus pais me levavam sempre a Jaú para consultas médicas, ao mercadão comer um sanduiche de pernil que eu adorava... A cidade é um grande desafio, porque é a primeira loja em uma cidade acima de 100 mil habitantes e graças a Deus está indo muito bem, atendendo todas as expectativas e até superando. Para nós é um grande orgulho a loja de Jaú com 250 m², estacionamento, elevador, produtos de qualidade, preços acessíveis e condições especiais de pagamento”. AUTO ESCOLA GABRIEL Há mais de 40 anos em Jaú e 12 anos sob a direção de Roberto Carlos Capelli, 38, a Auto Escola Gabriel é referência em Jaú. “Sonhamos e com muito trabalho e inovação conseguimos um lugar de

destaque. A cidade nos acolheu e o nosso público permanece fiel. Somos gratos pela oportunidade de poder desenvolver nosso trabalho sempre visando à qualidade e respeito para com nossos clientes e parceiros”. BBZ MATERIAIS ELÉTRICOS Fernando Rodrigo Martiello, 41, empresário, divide com Guilherme Aparecido Frazon a direção da BBZ Materiais Elétricos, empresa estabelecida há 81 anos em Jaú. “Jaú está crescendo expressivamente na construção civil e atende as nossas expectativas. Expandimos a empresa e investimos frequentemente na loja para poder acompanhar as tendências do mercado. Não somente Jaú, mas toda sua região tem um poder econômico expressivo para nosso negócio”. BAIANA DO ACARAJÉ Rosilda Rodrigues dos Santos Martins é baiana de Valete, criada em Senhor do Bonfim e veio para Jaú trabalhar na Fazenda Amadeu Botelho como copeira. “Meus patrões eram amigos dos Botelho e me indicaram para trabalhar aqui em Jaú, onde já estou há 31 anos. Sou apaixonada pela cidade, aqui criei meu filho sozinha e ele já e um homem de 36 anos, o maior orgulho da minha vida. Hoje estou na Marina Pousada do Sol com o quiosque onde faço acarajé, almoço, diversas porções, pratos típicos. Amo cozinhar, aprendi com 8 anos de idade e não consigo ficar sem fazer aquela comidinha bem temperada e saborosa”. Revista Energia 55





Revista Energia 59


AURRAIÁ HVA O tão esperado Aurraiá do HVA aconteceu no mês de junho e foi um grande sucesso! Contou com a presença de Aumigos e pessoas que amam seus pets e nos deram a honra de recebê-los. Os presentes desfrutaram de um delicioso café da manhã mineiro, com culinária típica junina. O Hospital Veterinário Araujo agradece cada um que nos prestigiou. Confira um pouquinho do que rolou.

60 Revista Energia

Fotos: Arquivo pessoal

club

Social


Maria Cecília & Rodolfo

Caiçara Clube de Jaú O Caiçara Clube de Jaú presenteou seus associados nos últimos meses com inúmeros eventos sociais e esportivos. A família Caiçarense compareceu em peso abrilhantando os eventos e batendo recorde de público em todos eles. Confira os últimos eventos e prepare-se, vem muito mais por aí.

Rock in Rua

Legião Urbana Cover

Choppada 1º semestre – Finais esportivas

The Beatles Abbey Road

3ª Feijoada com samba

Arraiá Tenda CCJ 2022

Fotos: Arquivo/CCJ

club

Social


club

Fotos: Arquivo pessoal

Social

Lions Clube De Jahu O Lions Clube de Jahu retomou as atividades na cidade e já vem promovendo diversos eventos voltados à comunidade. A cerimônia de posse da nova diretoria e sua apresentação aconteceram no dia 23 de abril. Confira alguns momentos da posse e de eventos realizados com grande sucesso pela entidade.

Cerimônia de posse

Cerimônia de posse

Cerimônia de posse Evento distrital em Poços de Caldas

Cerimônia de posse

Entrega do sino pelo Governador

Festa Junina no Caiçara


club

Social

Festival de Inverno no Jaú Shopping O Jaú Shopping foi palco do Festival de Inverno 2022, promovido pelo Conservatório Jauense de Música entre os dias 21 e 25 de junho. As apresentações foram realizadas por alunos e professores do conservatório e contaram com música da melhor qualidade. No dia 24 de junho, aconteceu o Recital de Piano com os alunos Nikolas Bueno e Rafael Ambrósio.

Revista Energia 63




do bem

Social

O poder da odontologia. Você conhece? Sabemos que saúde bucal é essencial para todos! Dentes sem cáries, gengivas saudáveis são fundamentais para uma boa qualidade de vida Toda vez que o assunto é ir ao dentista ou pensar em marcar

“facetas de resina”

uma consulta odontológica, os olhares de sofrimento, as falas de

ou

aversão e as lembranças do barulhinho do motor tomam conta do

estético dental” estão

pensamento, e isso devido às pessoas relacionarem as idas ao

bem próximos. Esse

dentista apenas a algo negativo e desfavorável como as doenças

procedimento

bucais.

está cada vez mais conhecido e procurado pela sociedade é

Mas como ninguém consegue ser feliz com dor de dente ou incômodo, venho por meio dessa matéria expor algo que vai além da qualidade de vida, que interrompa os sentimentos repugnantes sobre a odontologia.

o

“recontorno

que

feito de forma direta na boca do paciente, através de uma técnica restauradora para alterar características dos dentes como cor, contorno, formato e posição, e não se faz necessário aliança entre dentista, paciente e protéticos, o que torna o processo mais rápido e financeiramente melhor. Em alguns casos, o procedimento é

Vocês sabiam que dentro do meu consultório existe

realizado sem desgaste dental, tudo depende da avaliação feita com

um tratamento estético que tem como finalidade promover

o profissional. Todo diagnóstico é feito de forma individualizada, no

autoconfiança, autoestima e quebrar qualquer “bloqueio” para

consultório, para esclarecimento de dúvidas.

sorrir? Quando uso o termo: “bloqueio”, quero dizer que com esse procedimento odontológico podemos corrigir as imperfeições que, de alguma forma, impossibilitam o paciente de rir ou até mesmo mostrar os dentes. Isto significa que podemos corrigir os espaços entre os dentes, manchas escuras, qualquer trauma sofrido que prejudicou a cor ou formato do dente ou até mesmo resolver um pós-canal que deixou o dente escurecido. Esses são os desafios mais comuns, que na maioria das vezes faz com que os meus pacientes venham até mim.

E tem ainda algumas vantagens que não foram relatadas sobre esse tratamento: o procedimento todo é realizado em um único dia, por volta de 6 a 10 horas de trabalho. O melhor, depois de realizar esse tratamento, é receber os feedbacks dos meus pacientes! Todos declaram que as lentes mudaram positivamente sua vida, desde a beleza até a saúde! Portanto, a principal mensagem que eu gostaria de deixar é para que vocês se cuidem!

Anos atrás só eram vistos dentes branquinhos e alinhados em

Não se deixem para depois, seja você a sua prioridade. Nunca tenha

grandes artistas de televisão. Mas o acesso às lentes dentais está se

vergonha de sorrir, o sorriso sempre vai ser a curva mais bonita do seu

popularizando e hoje as “lentes de resina”,

corpo! (Dr. Gustavo Oliveira)

66 Revista Energia



68 Revista Energia


Revista Energia 69


Lian Sorvetes e Açaí Tradição, sabor e qualidade!

Há mais de 15 anos no mercado, a Lian Sorvetes e Açaí, é referência no segmento pela qualidade e sabor natural dos seus produtos em todo centro-oeste paulista. Com os melhores ingredientes e o máximo de cuidado, a Lian vem conquistando o paladar e o coração de muita gente, incluindo pessoas que têm o sonho de abrir seu próprio negócio. Hoje, a Lian possui 15 franquias licenciadas em várias cidades do interior de São Paulo, número esse que vem crescendo a cada dia. Em breve, a Lian Sorvetes e Açaí, estará inaugurando sua nova fábrica em Mineiros do Tietê. O empreendimento de 1300 m² atenderá mais de 100 lojas e gerará muitos empregos na cidade.

@liansorvetesoficial

@liansorvetes

(14) 99131-1919

www.liansorvetes.com.br

5 Lojas em Jaú/SP, 1 Loja em Bastos/SP, 1 Loja em Bocaina/SP, 1 Loja em Cotia/SP, 1 Loja em Dois Córregos /SP, 1 Loja em Garça/SP, 1 Loja em Itapuí/SP, 1 Loja em Lençóis Paulista/SP, 1 Loja em Osvaldo Cruz /SP, 1 Loja em Pederneiras/SP e 1 Loja em Salmourão/SP. 70 Revista Energia


Revista Energia 71


72 Revista Energia



74 Revista Energia


Revista Energia 75


76 Revista Energia


Revista Energia 77


78 Revista Energia


Revista Energia 79


80 Revista Energia


Revista Energia 81


82 Revista Energia


Revista Energia 83


84 Revista Energia


Revista Energia 85


86 Revista Energia


Revista Energia 87


Comportamento

Mulher,

violência e superação Dados do Anuário Brasileiro de Segurança Pública 2022 revelam aumento nos indicadores de violência doméstica e sexual no país Texto Seide Marangoni - Psicoterapeuta

88 Revista Energia


O

estudo ainda detalha que mais mulheres têm procurado as instituições policiais em busca de ajuda, o que pode indicar que elas têm sofrido mais violência ou que as pessoas estão menos tolerantes às violências cometidas contra a mulher, já que a ligação para a emergência não precisa ser feita

pela vítima. Em qualquer caso, o fato tem consequências sérias nas vidas das vítimas que relatam terem desenvolvido medo de sair de casa, adoecimento psíquico, isolamento social e pensamentos suicidas. CHOCOU O PAÍS Acusado de um dos crimes que mais geraram repercussão no país no último mês, o médico anestesista Giovanni Quintella Bezerra é investigado por seis casos de estupro de pacientes grávidas e, segundo a Delegacia de Atendimento à Mulher de São João de Meriti, outras 20 possíveis vítimas podem ser adicionadas ao caso. Apesar de chocante, essa não é a primeira vez que médicos são presos por abusar sexualmente de suas pacientes. Um dos casos mais conhecidos é o do médico Roger Abdelmassih, de 78 anos, condenado a 278 anos de prisão por abusar de mais de 70 mulheres. Ao se tratar da temática violência sexual, torna-se necessário partir da premissa que este é um problema de saúde pública, e encarar a importância de falarmos sobre esse assunto a fim de abrir possibilidades para elaboração de estudos nesta temática é essencial. MEDO E INSEGURANÇA Mulheres que vivenciaram este tipo de experiência imprimem em seu cotidiano um modo de agir que pode estar embasado em duas possibilidades: superação do evento agressivo e relações intersubjetivas afetadas pelo medo. O medo impacta de maneira direta atividades rotineiras, o que transcende a saúde física, perpassando o emocional e provocando sofrimento psíquico. Vítimas de abuso sexual são constantemente atormentadas pelo medo de contraírem doenças sexualmente transmissíveis, evitando contato íntimo com desconhecidos, e muitas vezes acabam por procurar características do agressor em indivíduos de seu círculo de convivência. Muitas dessas mulheres acabam por desenvolver uma dependência emocional por outras pessoas justamente pela falta de segurança de se engajar em atividades de maneira solitária, podendo chegar até à impossibilidade de trabalhar.

COMO SUPERAR Fator importante na superação do trauma é a rede de apoio que se faz essencial nessa jornada, incluindo também a frequência em grupos de apoio na tentativa de transpor o sofrimento psíquico. Trazendo à tona a emergência do sofrimento dessas vítimas que podem não unicamente serem mulheres, se faz importante o desenvolvimento de ações sociais que possam fornecer acolhimento e atenção psicossocial, no sentido de instruir de maneira consistente desde o enfermeiro que irá receber estar vítima no hospital, até a família que servirá de apoio na reconstrução da autoestima e viabilização da retomada de suas vidas. A terapia é uma grande aliada na hora de enfrentar o trauma. Falar sobre a experiência vivida permite que lembranças traumáticas fiquem para trás, ressignificando sentimentos e dando um novo sentido à vida.  (Referência: Trigueiro TH, Silva MH, Merighi MAB, Oliveira DM, Jesus MC. Sofrimento psíquico após violência sexual. Disponível em: https://www. scielo.br/. Acesso em: 26 de julho de 2022)

ANGÚSTIA E CULPA Outro fator marcante que podemos citar é a constante memória ou a falta dela durante o evento, o que gera um tormento quase constante em esquecer ou muitas vezes se lembrar do que aconteceu. As consequências diretas do abuso sexual na saúde mental dessas mulheres podem ser depressão, tentativas de suicídio, síndrome do pânico, distúrbios de stress pós traumático, perda de libido, podendo apresentar até irregularidades menstruais. Sentimentos como tristeza e angústia podem emergir a qualquer momento, e até mesmo o sentimento de culpa ou impureza. Muitas vezes a vítima não se identifica como inocente, carregando um sentimento de impotência pós trauma. Revista Energia 89



Revista Energia 91


92 Revista Energia


Revista Energia 93


94 Revista Energia


Revista Energia 95


Legislação

Doar é um ato de amor e uma mensagem de vida A vida é uma belíssima experiência cujo significado e complexidade ainda buscamos entender desde os primórdios da civilização humana Texto: Deputado Federal Ricardo Izar (Progressistas – SP)

S

obre a vida pairam muitas dúvidas e mistérios, em contraste com algumas poucas certezas. Uma dessas certezas é a da finitude da existência física de cada um que habita a superfície deste planeta. Gostemos ou não, em algum momento deixaremos de compartilhar o convívio material com aqueles que tanto amamos para residirmos apenas no âmbito das memórias. De uma maneira irônica, ter consciência desse aspecto faz com que cada minuto de nossas vidas seja ainda mais belo e especial, afinal, não sabemos o que nos aguarda no dia de amanhã. Invoco essas palavras de sentido forte e profundo para contar-lhes uma breve história. Recentemente, mais de 15 milhões de brasileiros se sensibilizaram com a partida precoce de Tatiane Ingrid Penhalosa, 32, portadora de miocardiopatia hipertrófica que, após uma espera de dois anos na fila de transplantes por um coração, não suportou todas as dificuldades enfrentadas e veio a óbito. A tragédia de Tatiane e sua família foi tornada pública pelo Projeto Soudoador.org que, graças ao seu texto de divulgação nacional, causou comoção generalizada em todo o país ao divulgar dados demonstrando que nesse mesmo intervalo de dois anos em que Tatiane esteve na fila de transplantes, 5493 famílias disseram “não” à doação de órgãos de familiares recém vitimados. As milhares de recusas que poderiam ter sido evitadas com um “sim”, poderiam também ter salvo a vida não só de Tatiane, mas de milhares de outros brasileiros. O cenário brasileiro de pessoas na fila de transplantes é de preocupação. Apenas em 2018, de acordo com o Registro Brasileiro de Transplantes, 33.454 pessoas ocupavam a fila de espera por um órgão, sendo que destes pacientes, 635 eram crianças. Todas essas pessoas inscritas na lista não podem mais contar com qualquer remédio ou tratamento para resolver seu problema. Sua única chance de seguir vivendo é o transplante. Assim como Tatiane, 2851 pessoas morreram esperando um órgão apenas em 2018, o que significa que a cada dia, 8 pessoas morreram em média pela falta de órgãos disponíveis no sistema - é importante lembrar que um doador tem o potencial de salvar até oito vidas humanas. Apesar de ostentar o maior programa de transplantes público do mundo, o Brasil ainda falha na tarefa de informar e conscientizar sua população - haja vista a taxa de 43% de negativa familiar à doação de órgãos registrada em 2018. Penso, portanto, que o ensino regular do tema em ambiente escolar e sua consecutiva inserção como pauta de discussão no ambiente acadêmico de todo o país torna-se indispensável no esforço de construir uma cultura doadora de amplo espectro. Contribuir para um aumento no número de doadores no Brasil é contribuir, também, para 96 Revista Energia

DEPUTADO FEDERAL RICARDO IZAR Economista, coordenador para o Sudeste da Frente Parlamentar em Defesa do Consumidor de Energia Elétrica e membro da Comissão de Defesa do Consumidor da Câmara Federal, Presidente da Frente Parlamentar de Habitação e Desenvolvimento Urbano, Presidente da Frente Parlamentar em Defesa dos Animais, Membro do Conselho de Ética e Decoro Parlamentar da Câmara dos Deputados

uma relevante redução de custos na área da saúde, uma vez que as pessoas que esperam numa fila de transplante são portadoras de insuficiências graves de coração, pulmão, rins, entre outros órgãos, e que muitas vezes esperam em hospitais públicos consumindo recursos e medicamentos por causa dessa dolorosa espera. Um aumento no número de doadores não só devolveria a vida, saúde e qualidade de vida a estas pessoas, mas permitiria adicionalmente que esses recursos tivessem outros destinos e aplicações. Nesse sentido, o Projeto Sou Doador, em parceria com meu gabinete parlamentar, apresentou o Projeto de Lei 2839/2019 batizado de “Lei Tatiane” na tentativa de transformar positivamente essa realidade brasileira mediante a instituição do Programa de Ensino e Conscientização sobre Doação e Transplante de Órgãos e Tecidos no currículo escolar e acadêmico brasileiro. Ensinar, conscientizar e promover a discussão do tema envolve: esclarecer cientificamente; desmistificar tabus; dialogar sobre ética, saúde, compaixão; além de reforçar o papel do Sistema Nacional de Transplantes brasileiro. Crianças, adolescentes e jovens são formadores de opinião em suas casas e levam o tema, que versa sobre amor ao próximo e empatia, para o seio de suas famílias. É importante que cada indivíduo e família brasileira saiba sobre seu direito de doar e o seu direito de exercer esse imenso gesto de generosidade. Assim, em um compromisso de caráter precioso e de suma importância, o Projeto Sou Doador colocou-se prontamente como parceiro do Ministério da Educação para contribuir na produção do material do Programa defendido pelo PL 2839/2019, e também disponibilizar o conteúdo didático pertinente a todos os segmentos associados a esta luta. Estamos cada vez mais perto da aprovação desse projeto de lei em caráter nacional, transformando-a numa lei federal de enorme relevância. Na primeira quinzena de julho de 2022 tivemos a aprovação por unanimidade deste PL 2839/2019 (#LeiTatiane) na CCJC (Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania) fazendo agora com que ele seja remetido ao Senado. Lá, o PL será discutido com rapidez e, esperamos, aprovado em seu mérito para então tê-lo sancionado pela Presidência da República. Tudo isso aconteceu graças ao envolvimento de cada um de vocês que entende a doação de órgãos como um ato de amor. Falar de doação de órgãos de forma positiva, clara e humana sensibiliza e salva vidas. Nesse sentido, a educação não só consegue transformar pessoas, mas também salvar a vida de milhares de pessoas, seus sonhos e suas histórias.



vida

Boa

Por João Baptista Andrade Diretor da Mentor Marketing e AMA Brasil

Comida e mau comportamento

C

Com a Dona Célia não tinha muita conversa e/ou explicação: mau comportamento era tratado a chineladas e ponto final om o Doutor João o buraco era mais embaixo.

para esconder minha alegria, meu prazer, felicidade, asco,

Ele era do tipo de passar sermão, de dar uma

enfado, irritação ou qualquer outro estado de espírito que me

descompostura geral quando entendia que

atravesse a alma. Eu venho trabalhando isso em mim, mas não

determinado comportamento era inadequado.

tive muito sucesso nas últimas seis décadas... Na hora de comer

Vez por outra vinham uns tapas também, que

as pessoas precisam de paz e sossego. Então, imagine você,

era uma forma de reforço instrucional para que

leitor, a cara que eu fiz quando o Hermenegildo perguntou em

eu memorizasse a maneira correta de fazer certas coisas.

alto e bom som: “Vocês viram os preços no supermercado?”.

Na língua inglesa existe até um verbo específico para isso:

Meu garfo ficou parado no ar e eu, mais que depressa, o

misbehave. Misbehaving é também o título do livro de Richard

coloquei na mesa, antes que algo de pior me passasse pela

Thaler, que conta a história da economia comportamental.

cachola. Mas a desgraça estava feita e as pessoas começaram

Sim, é uma ciência, existe, e deu um prêmio Nobel para o

a enumerar os itens de compra que consideravam ter os preços

David Khaneman (Rápido e Devagar, lembra?). Mas o que

mais despropositados. Os vencedores foram o cardamomo

diz a economia comportamental? Em essência, ela separa

(mais de cinquenta Reais o pote de 40 gramas) e o pistilo de

a humanidade em dois grupos: Econs e Humanos. Econs

açafrão (mais de oitenta Reais um único grama). Fim do prazer

(abreviatura de economistas) são racionais, lógicos, decidem

naquela refeição...

de maneira ponderada, comparam alternativas, etc. Já os Humanos... Melhor deixar para lá.

Cozinheiros não são Econs. Se fossem Econs seriam engenheiros de alimentos, criando e seguindo fórmulas e

Mas retomando ao mau comportamento do título, eu

processos produtivos na indústria. Cozinheiros são humanos e,

reajo muito mal quando acontecem discussões durante as

portanto, completamente desvairados como o restante da espécie.

refeições. Não penso que seja o momento mais apropriado para

Para piorar, cozinheiros ainda têm a mania de fazer experiências

altercações emocionais. Além disso, eu acho um desperdício.

e testes com receitas pouco exploradas. Um cozinheiro, quando

De comida, de nutrientes, de momentos agradáveis, de dinheiro,

olha para um corte de carne, raramente pensa no animal de onde

de tempo e de amor. De amor, sim! Porque quem cozinha para

o corte veio. Quero dizer, uma sobrecoxa de pato não me faz

alguém (qualquer alguém), mesmo que seja por razões de ofício

pensar no pato Donald ou seus sobrinhos. Sim, existe um lado

ou por profissão, sempre coloca um pouco de amor no que faz.

Econ nos cozinheiros. É ele que nos faz pensar na procedência,

Não aquele amor do ideal romântico (Romeu e Julieta, citando o

validade, certificações dos criadores (selo de orgânico, criação

bardo), nem aquele amor das propagandas de TV. Mas, sim, um

e abate humanizados, etc.). Mas, via de regra, é o lado humano

punhado de amor no sentido de cuidar/zelar pelo outro.

dos cozinheiros que, depois de escolher um corte qualquer, dá

Eu sou incapaz de representar. Jamais poderia ser um ator ou

um sorriso de satisfação e pensa na montagem final do prato.

um jogador de pôquer profissional. Político então... Nem pensar.

Sem discussões... 

Não chego a ser incivilizado, mas tenho bastante dificuldade

Até a próxima.

98 Revista Energia


Revista Energia 99


100 Revista Energia