__MAIN_TEXT__

Page 1

Jaú - Ano 11 | Edição 92 | Dezembro 2020 Distribuição gratuita | Venda proibida

VillaggioVet VillaggioAqua

Parceria na vida e nos negócios

NATAL

Mudanças na celebração

2021

Com mais qualidade de vida


Editorial Ano 11 – Edição 92 – Jaú, dezembro de 2020

“No pain no gain”

Tiragem: 10.000 exemplares Revista Energia é uma publicação da Rádio Energia FM Diretora e Jornalista responsável Maria Eugênia Marangoni mariaeugenia@radioenergiafm.com.br MTb. 71286 Diretor artístico: Márcio Rogério rogerio@radioenergiafm.com.br

Sabe o que é empreender?

Edição e Revisão de textos Heloiza Helena C. Zanzotti revisao@revistaenergiafm.com.br

É

entender que nem sempre você vai ganhar, nem sempre seu plano vai dar certo, nem sempre você vai conseguir bons resultados no fim do mês. É viver sem saber o quanto vai faturar no próximo mês e, mesmo diante de tantas incertezas, continuar a caminhada olhando para onde quer chegar.

Criação de anúncios: Moinho Propaganda atendimento@moinhopropaganda.com.br Fotografia Moinho Propaganda (14) 3416 7290

Projeto gráfico: Revista Energia Social Club social@revistaenergiafm.com.br Colaboraram nesta Edição Bárbara Milani Flavia Cardoso Gabriela Magro M. da Silva Luiza Caleffi Pereira Colunistas Alexandre Garcia Evelin Sanches João Baptista Andrade Marcelo Trementócio Marina Olivieri Piva Professor Marins Wagner Parronchi Comercial Marcelo Mendonça Milene Perez Sérgio Bianchi Silvio Monari Impressão: Grafilar (14) 3812 5700 Distribuição: Panfletos&Cia (14) 3621 1634 Revista Energia Rua Quintino Bocaiúva, 330 | 2º andar CEP: 17201-470 | Jaú - Fone: (14) 3624 1171 www.energianaweb.com.br Elogios, críticas e sugestões leitor@revistaenergiafm.com.br Quero anunciar comercial@revistaenergiafm.com.br Opiniões, avisos e quaisquer outras informações expressas nos editoriais e colunas representam exclusivamente a visão de seus autores, e não refletem necessariamente a posição e/ou opinião da Revista Energia, seus parceiros e patrocinadores. Nesses casos, o conteúdo é de total e exclusiva responsabilidade de seus autores.

Foto: Arquivo pessoal

Diagramação Moinho Propaganda (14) 3416 7290

Na nossa capa deste mês trouxemos o casal Piero e Tatiane, proprietários da clínica veterinária VillaggioVet, que com ou sem pandemia mantiveram o foco nos seus sonhos e objetivos, souberam ser resilientes, continuaram trabalhando sem medir esforços para construir um legado e contribuírem com a sociedade! Para eles, empreender é planejamento, é manter o mapa da rota do seu negócio, é trabalhar duro sem se deixar abater! Empreender é viver na prática aquela filosofia “No pain no gain” sem dor, sem ganho – afinal, não há vitórias sem sacrifícios. E foi com essa visão e muito trabalho que eles fizeram da VillaggioVet uma das mais conceituadas e reconhecidas clínicas veterinárias de Jaú e região, e acabaram de inaugurar, em plena pandemia, a nova loja de aquarismo do casal, a VillaggioAqua. A diferença não é o quê, é quem! Chegamos ao fim do ano, as famílias celebrarão o Natal de formas diferentes, os amigos secretos serão feitos mantendo o distanciamento, os encontros virtuais estarão ainda mais presentes, mas algumas coisas não mudaram: a esperança das pessoas, as expectativas positivas, os sonhos e a energia que se renovam para enfrentar os desafios que virão! Já temos nosso planejamento para o ano que vem e ele contempla grandes eventos, novidades na programação da Rádio Energia, soluções em marketing digital para nossos anunciantes, colunas e cadernos especiais na Revista Energia e muito mais! A Energia que movimenta estará ainda mais próxima das empresas que movimentam a nossa cidade e região! Um Natal abençoado para você e sua família! Para 2021, nossos desejos de muitas viagens, shows, festas, almoços em família, aniversários, casamentos, sessões no cinema, tudo com responsabilidade e segurança! 

Maria Eugênia


8633_9_anuncio_210x275mm.pdf 1 19/11/2020 09:01:14 8633_9_anuncio_210x275mm.pdf 1 19/11/2020 09:01:14

Promoção Promoção Promoção

Aniversário Aniversário

PREMIADO PREMIADO

Sicredi Centro Oeste Paulista SicrediCentro CentroOeste OestePaulista Paulista Sicredi

Uma festa de prêmios para Umafesta festade deprêmios prêmiospara para Uma comemorar o nosso aniversário. comemoraro onosso nossoaniversário. aniversário. comemorar A cada produto ou cadaproduto produtoou ou AAcada serviço contratado serviçocontratado contratado serviço

11

ou mais cupons mais cupons ouou mais cupons e vales-brindes e vales-brindes e vales-brindes

C

M

Y

CM

MY

CY

CMY

K

Conte com as nossas soluções financeiras Contecom comas asnossas nossassoluções soluçõesfinanceiras financeiras Conte e aumente as suas chances. Participe! aumenteas assuas suaschances. chances.Participe! Participe! e eaumente

1 1HB20 0km Honda CG 160 Fan 14 poupanças de R$ mil HB200km 0km || | 222Honda HondaCG CG160 160Fan Fan | | | 14 14poupanças poupançasde deR$ R$222mil mil 1 HB20 Mais de 3 mil brindes instantâneos Maisdede3 3mil milbrindes brindesinstantâneos instantâneos Mais De 01/12/2020 até 31/05/2021. sicredi.com.br/promocoes De 01/12/2020 até 31/05/2021. sicredi.com.br/promocoes De 01/12/2020 até 31/05/2021. sicredi.com.br/promocoes Fundos de investimento não contam com a garantia do administrador do fundo, do gestor da carteira, de qualquer mecanismo de seguro ou, ainda, do Fundo Garantidor de Crédito - FGC. A rentabilidade obtida no passado não representa garantia de rentabilidade futura.

É recomendadadeainvestimento leitura cuidadosa do prospecto do regulamento do fundodo defundo, investimento pelo aplicar os seus recursos. Seguros eainda, Previdência Privada Intermediados porFGC. Corretora de Seguros Sicredi CNPJ registro SUSEPfutura. n° não contam com aegarantia do administrador do da gestor da investidor carteira, deaoqualquer mecanismo de seguro ou,do do Garantidor Fundo Garantidor de Crédito A rentabilidade no Ltda., passado não04.026.752/0001-82, representa de rentabilidade FundosFundos de investimento não contam com a garantia do administrador do fundo, do gestor carteira, de qualquer mecanismo de seguro ou, ainda, Fundo de Crédito - FGC. A- rentabilidade obtida obtida no passado não representa garantiagarantia de rentabilidade futura. 10.0412376. Os planos em PGBL e VGBLdosão administrados pelo Bancodo Cooperativo Sicredi S.A., CNPJ 01.181.521/0001-55. Produtos de Crédito:eaPrevidência disponibilidade estáIntermediados condicionadapor à análise de crédito do associado. Este produto/serviço pode não estar disponível É recomendada leitura cuidadosa prospecto e do regulamento fundo de investimento pelo investidor ao aplicar seus recursos. Corretora de Seguros Ltda., CNPJ 04.026.752/0001-82, SUSEP n° É recomendada a leituraa cuidadosa do prospecto e do regulamento do fundo de investimento pelo investidor ao aplicar os seusosrecursos. SegurosSeguros e Previdência PrivadaPrivada Intermediados por Corretora de Seguros Sicredi Sicredi Ltda., CNPJ 04.026.752/0001-82, registroregistro SUSEP n° para associados contaOsWoop Sicredi. Contate o atendimento no seupelo AppBanco para mais informações. Promoção duranteo período de 01/12/2020 a 31/05/2021, paraestá os associados daàCooperativa Sicredido Centro OesteEste Paulista. Consulte o pode regulamento 10.0412376. planos emePGBL VGBL são administrados Cooperativo S.A.,01.181.521/0001-55. CNPJválida 01.181.521/0001-55. Produtos de Crédito: a disponibilidade condicionada análise de crédito associado. produto/serviço nãodisponível estarcompleto disponível 10.0412376. Os planos em PGBL VGBLesão administrados pelo Banco Cooperativo Sicredi Sicredi S.A., CNPJ Produtos de Crédito: a disponibilidade está condicionada à análise de crédito do associado. Este produto/serviço pode não estar da promoção e condições de contratação nas unidades de atendimento participantes e noinformações. site sicredi.com.br/promocoes. Imagens meramente ilustrativas.aSAC - 0800 724para 7220 DeficientesdaAuditivos ou de Fala -Centro 0800 724 Ouvidoria - 0800 646 2519. para associados conta Woop Sicredi. o atendimento Appmais parainformações. mais Promoção válida duranteo de 01/12/2020 31/05/2021, os /associados Cooperativa Oeste0525. Paulista. Consulte o regulamento completo para associados conta Woop Sicredi. ContateContate o atendimento no seu no Appseu para Promoção válida duranteo períodoperíodo de 01/12/2020 a 31/05/2021, para os associados da Cooperativa Sicredi Sicredi Centro Oeste Paulista. Consulte o regulamento completo da promoção e condições de contratação nas unidades de atendimento participantes site sicredi.com.br/promocoes. Imagens meramente ilustrativas. SAC -724 0800 724/7220 / Deficientes Auditivos ou de Fala -724 0800 724 Ouvidoria 0525. Ouvidoria 0800 646 2519. da promoção e condições de contratação nas unidades de atendimento participantes e no sitee no sicredi.com.br/promocoes. Imagens meramente ilustrativas. SAC - 0800 7220 Deficientes Auditivos ou de Fala - 0800 0525. - 0800-646 2519.


30 Natal

NESTA EDIÇÃO 8 Perfil 12 Radar 16 Pense Nisso 17 Seu Próximo Destino 18 Medicina e Saúde

48

Comportamento

20 Capa 28 Opinião 30 Natal 35 Visão Empresarial 36 Look de Artista 40 Inspire-se 42 Social Club 45 Meio Ambiente 46 Escolas de Jaú 48 Comportamento

Nossa Capa: Tatiane M. Paschoalini e Piero Morandi Jaú - Ano 11 | Edição 92 | Dezembro 2020 Distribuição gratuita | Venda proibida

54 Adote um Pet 56 Boa Vida 58 Legislação 60 Vida Saudável

VillaggioVet VillaggioAqua

Parceria na vida e nos negócios

NATAL

Mudanças na celebração

2021

Com mais qualidade de vida

62 Tradição 66 Última Página

36

Look de Artista


Luana Granai A sorte é o privilégio de quem não desiste

Texto Heloiza Helena C Zanzotti Crédito: Gshow/Isabella Pinheiro

A

frase mencionada por Luana Thais Granai Carnaval, 24, ao final desta matéria, expressa bem sua trajetória. Frequentemente nos deparamos com pessoas que desistem de algo que desejam muito por medo de fracassar, de enfrentar obstáculos, mas a vida é feita de desafios, superações e conquistas. E isso nossa entrevistada sabe bem. Nascida em Jaú, mãe de 3 filhos - João Pedro, Arthur e Elis Luana conta que passou a maior parte da infância brincando pelas ruas do Jardim Olímpia. “Minha infância foi muito especial, sou a número 4 de 5 irmãos, então, posso dizer que não faltou aventura e muita peraltice. Cresci no meio de duas mulheres fortes, minha avó Benedita e minha mãe Cristiane, e devo a elas minha criação e formação como indivíduo”. JÁ PENSAVA EM SER CANTORA? Eu brincava muito, o tempo todo. Jogava bola no campinho com meu irmão mais velho, subia em árvores, andava de skate, brincava de ser a professora das bonecas, mas o que eu mais gostava era imaginar ser uma grande cantora. Usava uma escova de cabelo como microfone e imaginava uma multidão me ouvindo enquanto fazia altas performances. Era, com certeza, minha brincadeira favorita. QUANDO DESCOBRIU SEU TALENTO PARA A MÚSICA? Não tem um momento específico de quando veio esse start para “eu quero cantar, eu gosto de cantar”. Acho que essa paixão nasceu comigo e foi ganhando forma conforme eu ia crescendo e me entendendo como gente. Eu cantava desde muito cedo. Minha mãe diz que eu cantarolava o tempo todo, ela me chamava de “vitrolinha” (ri8 Revista Energia

sos). Mas o precursor desse meu start com certeza foi um dos meus tios que morava conosco. Ele me chamava para cantar Mamonas Assassinas enquanto treinava seus acordes na guitarra. QUAIS FORAM OS PRIMEIROS PASSOS QUE DEU NESTA DIREÇÃO? O primeiro passo em direção à música acho que foi na escola, na 2° série do Ensino Fundamental, lá no Pádua Salles, quando decidi me apresentar publicamente. Era uma comemoração do 1°de Maio e eu representei a profissão de cantora interpretando “My Heart Will Go On” à capela (sem acompanhamento algum de instrumentos musicais) para toda a escola. FEZ ALGUM CURSO DE MÚSICA? Não tínhamos condições de pagar cursos, por isso nunca fiz aulas de canto e nem de instrumentos. QUAIS AS MAIORES DIFICULDADES QUE ENCONTROU? A maior dificuldade que encontrei quando decidi me posicionar como artista e trabalhar com música foi alcançar o reconhecimento mínimo para receber pelo meu trabalho. Nós, que somos artistas independentes, às vezes cantamos em troca de um lanche para ter a chance de existir em um cenário artístico e social. EXERCE OUTRA ATIVIDADE ALÉM DA MÚSICA? Eu sou artesã e também cabeleireira. O QUE MAIS GOSTA DE CANTAR? Gosto muito da música brasileira, me cativa, tanto a clássica MPB quanto o Rap e o Pop.


Revista Energia 9


COMO RESOLVEU PARTICIPAR DO THE VOICE BRASIL? Sempre tive a vontade, mas nunca a coragem. Quem tomou a atitude e me inscreveu foi meu tio. ACREDITAVA QUE PODIA AVANÇAR NA COMPETIÇÃO? A gente tem aquele certo receio, é algo novo, mas encarei a situação como diz o ditado “Pra ver Deus tem que morrer!”. Eu sabia que tinha talento, só precisava de uma chance, manter o foco e ser eu mesma. COMO JUSTIFICA A ESCOLHA DA MÚSICA “FLAMINGOS”? Flamingos, para mim, não é só uma música, é uma bandeira de causa. Fora toda a sonoridade do blues que ela tem - é uma delícia cantar essa música -, é a composição de um artista baiano que nasceu na favela. Isso é muito forte para mim: cantar a música que corre nas ruas, na veia do povo que carrega o Brasil nas costas de sol a

O QUE A MÚSICA SIGNIFICA PARA VOCÊ? A música é a forma que eu encontrei de existir, me deu poder da fala, é o veículo que eu achei para ser quem sou, do meu próprio tamanho, na minha essência, sem sentir medo. É uma extensão de quem eu sou! QUAIS SÃO SEUS PLANOS FUTUROS? Continuar a fazer música, viver da minha arte para continuar cuidando dos meus filhos e dar uma vida tranquila para nós. TEM ALGUMA HISTÓRIA CURIOSA PARA COMPARTILHAR? Acho que ninguém sabe, mas no ano de 2010 eu recebi um certificado de Deputada Mirim pelo Parlamento Jovem Paulista. Desenvolvi um projeto de lei relacionado à cultura, que visava implantar oficinas de teatro nas escolas públicas. Foi muito legal ir ao Palácio 9 de Julho e vivenciar essa experiência do que é ser um deputado.

sol. É um reconhecimento pela arte de rua, pela arte do povo. Foi um prazer levantar essa bandeira. QUAL A IMPORTÂNCIA DO THE VOICE PARA SUA CARREIRA? O The Voice é a porta de entrada para o Brasil, é o megafone que eu precisava para ter a ressonância da minha arte. Era a chance que eu precisava para me comunicar com o público. EM QUEM VOCÊ SE INSPIRA? Minha inspiração vem de mulheres. Não necessariamente artistas, mas mulheres que eu considere de força e resistência, seja a dona Maria da vendinha até Elis Regina.

10 Revista Energia

DEIXE UMA MENSAGEM FINAL. Eu estou muito feliz em representar nossa cidade no The Voice. Meu maior desejo é trazer uma nova perspectiva aos sonhadores de Jaú: “A sorte é o privilégio de quem não desiste”. Não desista! Sonhe, corra atrás, nosso sonho se realiza na proporção da força e da energia que depositamos nele. Após a apresentação da Luana no dia 17 de novembro último, quando competiu com Paloma Maria e saiu vencedora, ela fez questão de deixar uma mensagem para os jauenses: “É essa força, a garra e a união da nossa cidade. Quando um de nós chega, todo mundo chega junto”. 


Radar Por Alexandre Garcia

ALEXANDRE GARCIA Jornalista, apresentador, comentarista de telejornais, colunista político e conferencista brasileiro. Atuou no Jornal do Brasil, no Fantástico e na extinta TV Manchete. Atualmente é comentarista político na Rede Globo de Televisão.

No rubor da pele Um homem com histórico de violência discute com a funcionária do supermercado e chega a segurança;

O

ele dá um murro em um dos vigilantes e eles revidam

homem morre. Tem pele diferente dos dois seguranças e é véspera do “Dia da Consciência Negra”. Pronto, está armada a narrativa de dois brancos mataram um negro. Há quem gostaria de poder transferir para o Brasil os protestos antirraciais de um país diferente do nosso, os Estados Unidos. Seria como se, em 6 de setembro de 2018, noticiassem: “Um negro dá facada em branco”, no episódio com fundamento político e não racial, da agressão de Adélio a Bolsonaro. Com a vontade de espalhar racismo para dividir os brasileiros, esqueceram a frequente violência em supermercados praticada por seguranças despreparados para agir em crise. No caso de Porto Alegre, o que tinham a fazer é imobilizar o agressor e encaminhá-lo à delegacia. No Carrefour, um paraplégico que abrira uma latinha de cerveja foi espancado no banheiro; um cliente com pele mais escura foi tratado como ladrão de carro quando ia entrar no seu automóvel. E o chefão do Carrefour ainda dá uma nota de desculpas alegando que a tragédia está além de sua compreensão, “como homem branco privilegiado

12 Revista Energia

que sou”. Agora sim, apartheid. Racismo, sim, é separar as pessoas pela cor da pele. Cor da pele não é mérito. Nem demérito. Temos que nos prevenir daqueles que semeiam o ódio por diferenças de renda, de cor da pele, de sexo, de preferências sexuais e políticas. Civilizados não aceitam isso. Há preconceitos, sim, em todos esses aspectos de diferenças, que não podem justificar atitudes. Todos são livres para gostar ou não gostar; só não podem agredir os outros por causa disso. Todos são livres para ter seus gostos, desde que também respeitem os direitos alheios. Para a violência o remédio é a lei, não a violência no sentido contrário. No episódio de Porto Alegre há evidente excesso dos seguranças e omissão dos circunstantes; em parte do noticiário que se seguiu há sinais de conclusões apressadas de pregação de racismo e nem ruborizamos com isso. Na escola de jornalismo que foi o Jornal do Brasil, por dez anos recebi lições de que nosso papel é retratar fatos e não modificá-los. Nossa credibilidade é avaliada todos os dias. Esperar as conclusões do inquérito é não se julgar acima dos fatos e da inteligência do público.


14 Revista Energia


Revista Energia 15


Pense

nisso

Por Professor Luiz Marins

LUIZ MARINS Antropólogo e escritor. Tem 26 livros publicados e seus programas de televisão estão entre os líderes de audiência em sua categoria. Veja mais em www.marins.com.br

O desafio de selecionar É preciso selecionar o que lemos e o que assistimos, o que fazemos e até mesmo as nossas amizades

M

uitas pessoas, inclusive empresários e empreendedores, têm me relatado um sentimento de perda de propósito na vida, de um vazio existencial, de uma ausência de energia e um desejo de abandonar a luta. Ao conversar com essas pessoas, vejo que elas têm se exposto de forma demasiada e indisciplinada à leitura de assuntos irrelevantes, fofocas, fake news e opiniões de pessoas sem nenhuma formação, que estão presentes às centenas nas redes sociais e mesmo nas mídias tradicionais. Vejo que essas pessoas passam horas rolando suas telas, assistindo filmes sem conteúdo algum para a sua formação ou desenvolvimento, assistindo telejornais e lendo notícias devastadoras que só podem dar desesperança às suas vítimas. Expostas a um turbilhão de asneiras, palpites, falsas receitas de sucesso que querem dizer como viver, o que comer, o que vestir, onde ir ou deixar de ir, essas pessoas perderam o auto domínio, não se comandam mais, são verdadeiros robôs que deixaram de pensar por si próprias, de ter um objetivo e propósito na vida a não ser rolar a tela de seus smartphones e tablets e ficarem grudadas numa tela de televisão. Existem na internet bons sites, bons filmes, documentários

16 Revista Energia

sérios, enfim, boas fontes de informação e de formação. Com centenas de canais fechados e provedores de filmes e séries via streaming, a própria televisão pode nos oferecer conteúdo de valor. É preciso saber escolher, selecionar e acessar o que vale a pena. É preciso lembrar que cada um de nós é responsável pelo que joga dentro de sua mente. Se jogarmos lixo, é claro que só teremos lixo. Em um mundo de muitas opções, cabe a cada um de nós fazer um esforço de parar e pensar no que estamos lendo, assistindo, acessando, consumindo, com quem estamos nos relacionando e onde estamos indo. Do contrário, só nos restará a angústia, o desconsolo, a preguiça, a descrença, a desesperança. Pense em suas escolhas e veja se você não está se deixando contaminar por escolhas erradas.  Pense nisso. Sucesso!

“É preciso lembrar que cada um de nós é responsável pelo que joga dentro de sua mente”


Medicina e Saúde Por: Dra Marina Olivieri Piva Medicina e residência em clínica médica pela Universidade de Ribeirão Preto - UNAERP Residência em Oncologia Clínica pelo Hospital Amaral Carvalho de Jaú Membro da Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica - SBOC

Cheguei aos 50 anos... Tem alguma coisa que eu possa fazer para prevenir o câncer?

A

resposta é SIM! Sabemos que nas últimas décadas,

homens têm em relação ao exame e procurar um médico para iniciar

devido ao avanço da medicina e maior acesso à

o acompanhamento a partir dos 50 anos, conforme recomendação

saúde, a expectativa de vida dos brasileiros está

da Sociedade Brasileira de Urologia. Os exames necessários para

cada vez maior, e com isso o aparecimento de

o rastreamento dessa doença são o toque retal, que tem como

doenças relacionadas ao envelhecimento tem se

objetivo procurar anormalidades na próstata, e a medida sanguínea

tornado mais frequente, e o câncer é uma dessas.

do PSA. É importante que o PSA e o toque retal sejam feitos de

Conforme as células envelhecem, elas perdem a capacidade de

forma conjunta, para aumentar a sensibilidade do diagnóstico.

se replicarem de forma correta e de corrigir os erros desse processo,

O terceiro lugar em incidência de casos novos é o câncer

o que resulta em uma célula mutada, que com o crescimento

colorretal, que segundo o INCA terá mais de 41 mil casos novos

desenfreado surgem os tumores. Quanto mais precocemente

esse ano. Um dos exames de rastreio para esse tumor é a pesquisa

identificarmos o câncer, menos tratamentos são necessários e maior

de sangue oculto nas fezes, um exame barato e simples de ser

a chance de cura.

realizado, porém, o exame padrão ouro é a colonoscopia. Durante a

Dentre os inúmeros tipos de câncer, falaremos aqui sobre os três

colonoscopia é possível fazer a retirada dos pólipos intestinais, que

mais incidentes no Brasil, e quais exames de rastreio podem ser

são as lesões precursoras do câncer colorretal em 90% dos casos.

feitos para diagnóstico precoce em pacientes assintomáticos.

A Sociedade Brasileira De Coloproctologia mudou, recentemente,

O primeiro deles é o câncer de mama, que segundo o INCA (Instituto Nacional de Câncer), tem uma incidência prevista de 66 mil casos

a recomendação de iniciar o rastreio aos 45 anos, ao invés dos 50 anos, como era preconizado.

novos da doença em 2020. O exame recomendado pelo Ministério da

Além dos exames de rastreio, a prevenção do câncer está

Saúde para rastreamento é a Mamografia, que é um exame simples e

diretamente relacionada a bons hábitos de vida. Manter uma

de fácil acesso. Mulheres entre 50 e 69 anos, sem história familiar de

alimentação saudável, controle de peso e prática de atividades

câncer de mama e sem sintomas, devem fazer mamografia anualmente

físicas são primordiais para prevenção não só do câncer, como de

para que lesões iniciais possam ser identificadas.

outras doenças.

Em segundo lugar está o câncer de próstata, que será

Viva mais e viva melhor. Converse sobre isso em casa, faça seus

responsável por 65 mil casos novos nesse ano. Para o diagnóstico

exames periodicamente e estimule sua família e amigos para que

precoce, o primeiro passo é vencer o preconceito que muitos

façam também. Esses atos salvam vidas. 

18 Revista Energia


Capa

20 Revista Energia


Revista Energia 27


Opinião Por: Wagner Parronchi, colunista wagnerparronchi@hotmail.com

“Adeus ano velho” ... Chegamos ao fim de 2020! Ufa! Retrospectiva? Uma só: pandemia!

N

em quero assistir aos programas de televisão

Repita-se: quase tudo parou. O mundo parou, a economia

no último dia, pois tudo estará relacionado a

degringolou, milhões de vidas se perderam, milhões de pessoas

esse mesmo tema, que foi responsável pela

perderam seus empregos, suas empresas, seus sonhos. E o que

velocidade da luz com que cruzamos este

boa parte dos políticos brasileiros estavam fazendo? Só pensando

ano, bem como pela tristeza de milhões de

em si próprios, querendo angariar “louros” onde não existem, seja

pessoas que perderam seus entes queridos,

com dinheiro sujo da corrupção, seja pela tentativa deliberada

suas empresas, seus empregos, seus sonhos, sua paz e sossego,

de ter para si os créditos da cura ou da resolução definitiva da

talvez para sempre.

pandemia, mas sempre na ganância de aumentar o seu capital

Algo semelhante? Em vida só vi nos filmes, mas, na dura realidade, o final não é tão feliz. Ainda que consigamos vencer o vírus por uma vacina ou remédio, nos anais da história ficará registrada a incapacidade humana de gerir com serenidade e isenção uma emergência tão grave como está sendo a pandemia, deixando de lado ideologias e interesses políticos e partidários, principalmente, com grande lamentação, no Brasil. Assistimos com tristeza a sofrível atuação de nossos líderes e o desdém com o nosso sofrimento, com a utilização da catastrófica pandemia em proveito próprio, político e partidário; a ideologização para ganhar capital político com a descoberta e desenvolvimento de remédios e vacinas, pouco se importando com o seu resultado final, cada qual querendo ter o mérito para si de utilizar referidos mecanismos em primeiro lugar e, por fim, ainda mais grave, a total insensibilidade de políticos, agentes públicos e empresários com a prática da corrupção nos contratos emergenciais de saúde diante de tantas e tantas vidas que se perderam, o que revela a face mais desumana e cruel da humanidade, no presente caso, do brasileiro de todos os cantos do país.

28 Revista Energia

político e de olho nas futuras eleições, sem se preocupar com o que está acontecendo agora. As publicações nas redes sociais, em especial o Twitter, o qual aconselho a todos que participem e sigam os seus políticos, dão a dimensão exata da incapacidade de se sensibilizar do político brasileiro, principalmente quando se verificam festejos pessoais comemorando vitórias uns sobre os outros quando não há nada o que comemorar, mas apenas o que se lamentar. É necessário que façamos, sim, uma retrospectiva deste ano e observemos com muita atenção os nossos políticos, principalmente aqueles de estimação, deixando de lado a cegueira da polarização ideológica para, mais de perto e de forma crítica e inteligente, com lupas, avaliar a atitude de cada um, anotando em nossas cadernetas mentais o que percebermos para que possamos responder no momento apropriado, dando um basta nas urnas à carreira dos que pensam somente em si e seus apadrinhados, dos insensíveis e corruptos, tal qual aconteceu nestas eleições municipais em todo o país. Somente assim, poderemos cantar novamente: “Adeus ano velho. Feliz ano novo!” Que Deus nos proteja. 


Natal

Um Natal para celebrar a vida e semear a esperança A famosa pergunta “Então é Natal, e o que você fez?”, da cantora Simone, será facilmente respondida este ano, já que desde março iniciamos a quarentena devido à pandemia da Covid-19

Texto Gabriela Magro Moreira da Silva Fotos: Arquivo pessoal 30 Revista Energia


Imagem: internet Revista Energia 31


N

osso ano foi resumido em medos e incertezas, e com a chegada do Natal, temos fé e esperança de que tudo voltará ao normal em 2021. Mesmo cientes de que a simples mudança de uma data no calendário não encerra a pandemia, a sensação de alívio é inevitável. Não há quem negue que o final deste ano é um evento muito esperado, e que merece ser comemorado. Comemoração essa que acontecerá intensa como sempre, mas diferente de muitas maneiras. Desde os grandes eventos públicos, de cunho religioso ou festivo, viagens, confraternizações em empresas e até as tradicionais reuniões de família tendem a ser alterados e realizados de forma diferente neste ano tão atípico.

QUEBRANDO A TRADIÇÃO Na família Araujo as festas de final de ano acontecem há mais de 50 anos. Sempre muito receptiva e com muita alegria, a professora aposentada Maria Aparecida de Oliveira Araujo recebe a família em sua casa desde quando se casou. Ela faz questão de preparar tudo com muito carinho e presenteia a todos com doces personalizados assim que chegam para a festa. Religiosos, a família faz questão de preparar um pequeno momento de oração antes da ceia. “Desfrutamos do verdadeiro significado do Natal em um culto em família, com leituras, cânticos e adoração. Em seguida é servida a Ceia de Natal com variados pratos, não podendo faltar a tradicional leitoa recheada”, conta a aposentada. Mas neste ano tudo mudou. Maria Aparecida está no grupo de risco da Covid-19 e desde o começo da pandemia se adaptou às restrições para preservar sua saúde. Mesmo com a flexibilização da quarentena, a aposentada não se sente segura para o convívio com sua família e optou por não fazer a tradicional festa em sua casa. “A celebração do Natal este ano será igual aos anos anteriores, porém, com número de pessoas reduzido. Iremos nos reunir apenas com os filhos, genro, nora e netas. Lamentamos não receber toda a família, mas todos estarão em nossos corações”, afirma. CELEBRAÇÕES RELIGIOSAS O Natal é a principal celebração religiosa entre os membros da Igreja Católica e de diversos outros grupos cristãos, pois celebra o nascimento de Jesus Cristo. A missa do Natal é muito importante para os cristãos católicos, e a mais famosa, a Missa do Galo celebrada pelo Papa Francisco, este ano deverá acontecer sem a presença de fiéis devido à pandemia da Covid-19, tal como aconteceu na Páscoa, e as liturgias serão transmitidas online, de acordo com a Agência Católica de Notícias (CNA). 32 Revista Energia

Com a chegada da data, aqui em Jaú muitos fiéis estão se questionando como serão as celebrações na Igreja Católica. Conversamos com o Pe. Marcio André Massola Gaido, responsável pela Paróquia Nossa Senhora Aparecida, para tirar todas as dúvidas. “As celebrações de final de ano irão ocorrer normalmente, com todos os protocolos de segurança e com capacidade de lotação de 30%. Serão distribuídas senhas para que todos possam assistir às missas. E nossa recomendação é para que os fiéis continuem na tocada de respeito à igreja e sigam à risca os protocolos de segurança”, orienta o padre. LONGE DE TODA A AGLOMERAÇÃO Muitas pessoas preferem descansar na época de final de ano, e buscam o refúgio em uma viagem que já tenha tudo preparado para que possam apenas aproveitar a comemoração. Mas, será que mesmo que com a atual situação do país as pessoas continuaram buscando por viagens? E quem estava com viagem marcada, ainda irá embarcar? Proprietário de uma agência de turismo, Daniel Rosalim garante que sim. “A procura está muito grande, há muitas promoções, inclusive eu mesmo irei passar o réveillon no Nordeste. Não houve nenhuma desistência, a maioria dos cancelamentos solicitados pelos clientes foi para quem ia viajar até meados de outubro de 2020. Após isso, todos que já estavam com viagem programada não quiseram cancelar nem remarcar, embarcaram normalmente. Claro que seguindo os protocolos de segurança”. Outra observação que Daniel faz é que as pessoas estão aprendendo a conviver com o coronavírus e com isso acabaram ‘perdendo’ o medo de viajar. Sabemos que em feriados, festas de final de ano e férias, os pontos turísticos costumam ter um maior número de pessoas, o que acaba provocando aglomerações e em tempos de pandemia é preciso buscar lugares que ofereçam segurança. Pedimos algumas dicas para Daniel Rosalin de destinos seguros para aproveitar as comemorações de final de ano. “O destino vai do gosto de cada pessoa, mas eu indicaria uma praia, onde não há tanta aglomeração e que não seja urbana, ou lugares onde se tem mais contato com natureza. É importante lembrar que todos os hotéis, resorts e parques temáticos estão seguindo as recomendações de higiene e segurança, além da capacidade reduzida dos estabelecimentos, tornando a experiência ainda mais incrível”. E O AMIGO SECRETO? Quando falamos de Natal, não podemos deixar de lembrar do amigo secreto, amigo da onça ou alguns dos outros nomes que a brincadeira ganhou. Muitas famílias e empresas acabam incluindo esse jogo em suas confraternizações para deixar o ambiente mais divertido.


Thiago Belucca Quevedo, proprietário do Di Famiglia Gelato Artigianaleem Jaú, faz questão de realizar uma festa com seus funcionários todo ano. “Sempre adotamos uma comemoração com direito a um local para os nossos colaboradores passarem o dia e interagirem uns com os outros, com direito a amigo secreto”, pontua. Por conta da pandemia, a dúvida é como realizar esse tipo de evento, já que tudo está restrito e com cuidado redobrado. Ao questionarmos Thiago, ele garante que a data não irá passar em branco e ainda faz uma brincadeira no final. “Devido a todos estes fatos, ainda nos gera uma dúvida de como proceder, principalmente com o fato da segunda onda na Europa e Estados Unidos. Mas, com certeza, não deixaremos passar em branco, nem que for em home office”. SEM DESCIDA DO PAPAI NOEL Um dos eventos mais importantes que acontece na cidade é a famosa descida do Papai Noel, que foi desenvolvida pelo Corpo de Bombeiros em parceria com a Prefeitura de Jaú e alguns colaboradores, inclusive a Rádio Energia. A intenção era trazer um pouco de alegria e a magia do Natal para as crianças. Há mais de 15 anos o bombeiro aposentado Antônio Donisete Milani se fantasia de Papai Noel para este espetáculo, que reúne muitos jauenses, mas com a pandemia o evento infelizmente não acontecerá. “O mundo está numa situação difícil, seria muito arriscado levar a população para um evento com aglomeração”, comenta Antônio. Mesmo acontecendo anualmente, o evento passou por diversas barreiras e nos últimos anos teve dificuldades para ser realizado. Ao ser questionado sobre uma outra atração de Natal para a cidade, Antônio afirma: “Não vejo nenhuma alternativa para substituir a descida do Papai Noel. Há três ou quatro anos já tínhamos muitas dificuldades para fazer acontecer esse evento”. O bombeiro aposentado também aproveitou para agradecer a oportunidade de participar da descida por tantos anos. “A todos os bombeiros, amigos de trabalho, que em todos os eventos se propuseram a deixar suas famílias e suas horas de folga para fazer o Papai Noel brilhar na decida da Igreja Matriz, a todas as pessoas que sempre estiveram ao nosso lado, fazendo preencher as necessidades de fazer funcionar as alegorias. A todos o meu muito obrigado e que Deus os abençoe”.

CUIDE-SE E APROVEITE É preciso lembrar que ainda não estamos vivendo um período de pós-pandemia. Até termos uma vacina ou alguma forma de enfrentar a doença, vamos ter que conviver com isso, assim, distanciamento, máscaras e outros cuidados são fundamentais, especialmente o de evitar aglomerações. Você não precisa deixar de comemorar o Natal, mas é importante ter consciência de que grande parte das transmissões acontecem dentro de nossas próprias residências, muitas vezes pelo relaxamento com relação aos cuidados. Desta forma, planeje sua reunião com poucas pessoas, de preferência aquelas com as quais você já convive. Escolha ambientes abertos e ventilados e ao menor sintoma de resfriado ou gripe, fique ausente desses eventos e procure orientação médica. Que este Natal seja, sim, uma celebração de vida e esperança a todos. Feliz Natal!


34 Revista Energia


Look de artista


Modelo: Beatriz Freitas Looks: Vestylle Megastore Produção: Jorgin Cabelo e Estética Local: Espaço Grevillea Fotos: Moinho Propaganda


Tel: 14 3622 8364 Av. Frederico Ozanan, 770 - JaĂş/SP


Revista Energia 39


# INSPIRE-SE Por Aline Emanuelle Perim

Formada em Biomedicina Estética pela UNIARA, aprimoramento em análises clínicas pelo #INSPIRE-SE Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto, especialista em Biologia pelo Instituto Naoum, especialista em Biomedicina Estética pelo Nepuga, Estrategista PorMolecular Perim deAline Emagrecimento - Licenciada pelo Método de Emagrecimento Afine-se aline_perim@hotmail.com

As pessoas com quem convivemos afetam nossa forma de ver o mundo

As pessoas com as quais convivemos afetam nossa forma de ver o mundo Em algum momento da vida, você já se questionou as pessoas que ao Em algumsobre momento da vida, você já estão se questionou seusobre redor? família ou amigos, conviver as Seja pessoas que estão ao seu redor? com pessoas ​que te desanimam e não Seja família entender ou amigos, oconviver com que pessoas que te conseguem seu foco, desanimam e não conseguem entender o seu foco, que incentivam atitudes prejudiciais ao seu incentivam atitudes prejudiciais ao seu crescimento é um crescimento é um grande obstáculo. grande obstáculo. Na Revivali são vários os pacientes que querem porque receberem, Na emagrecer, Revivali, mas são chegam vários desanimados os pacientes frequentemente, comentários do tipo “nossa como querem emagrecer, mas chegam você engordou” ou “você está precisando emagrecer”. desanimados porfazreceberem, frequentemente, Isso nada mais do que reforçar a insegurança e, comentários do tipocolabora “nossa como você consequentemente, para o ganho de peso. Além da chateação, isso também pode causar engordou” ou ” você está precisando ansiedade e compulsão alimentar. Por isso, independentemente do emagrecer”. Isso nada mais reforça a seu objetivo, a dica é: afaste-se ou evite pessoas que te insegurança consequentemente colocam paraebaixo. Cerque-se daquelas colabora que te motivam parae inspiram o ganho de meta. peso. Além da chateação, na sua E lembre-se: seja o outroansiedade o que você espera para isso também podepara causar e, você! Faça comentários positivos, incentive os novos consequentemente, compulsão alimentar. hábitos, tope uma programação diferente e seja presente para as pessoas queridas. 

Por isso, independentemente do seu objetivo, a dica é: se afaste ou evite pessoas que te colocam para baixo. Cerque-se daquelas que te motivam e te inspiram na sua meta. E, lembre-se: seja para o outro o que você espera para você! Faça comentários positivos, incentive os novos hábitos, tope uma programação diferente e seja presente para as pessoas queridas.

40 Revista Energia


Revista Energia 41


club

Social

Mirante do Pouso Aquele almoço tradicional, com a melhor comida caseira da região espera por você no Mirante do Pouso. E com toda a segurança que você merece! Venha conferir!

42 Revista Energia


club

Social

Laura Ferrucci Baby Shark foi o tema escolhido para comemorar os dois aninhos da Laura Ferrucci no dia 03 de outubro no belíssimo espaço Colina Eventos. Ao lado dos pais Eduardo e Michele Ferrucci, e do irmão Miguel, Laura divertiu-se em um cenário encantador produzido por Carol Mazzei Decoração. Fotografia: Marina Martins; Doces Gourmet: Glaucia Siqueira Confeitaria Artística; Personalizados: Artes da GIKA; Buffet: Márcia e Emerson Festas.

Revista Energia 43


club

Social

Natal no Jaú Shopping O Papai Noel continua levando encanto e magia às crianças no Jaú Shopping. Com toda segurança, os pequenos podem tirar fotos e interfonar para o bom velhinho fazendo seus pedidos para o Natal. Aproveite para conhecer a linda decoração que o Jaú Shopping preparou para a festa mais esperada do ano. Respeitando todos os protocolos de higiene e segurança!

44 Revista Energia


Meio Ambiente Por: Marcelo Trementócio

Professor, geógrafo, educador e empreendedor/gestor ambiental

Agricultura natural Que tal somarmos nutrição inteligente com qualidade de vida através da agricultura natural?

D

urante estes meses de isolamento social causado pela COVID 19, grande parcela da população mundial vem sendo transformada e cada indivíduo vem redescobrindo novas habilidades dentro de suas casas. Aos poucos, acaba ocorrendo uma mudança de hábitos, principalmente alimentares. Há pessoas, no entanto, que adquiriram hábitos nada saudáveis com o pretexto de aliviar o stress, como aqueles que se descobriram “chefs de cozinha”, expondo nas redes sociais suas maravilhosas obras de arte culinárias. Acontece que muitas dessas obras de arte são alimentos nada saudáveis como sanduíches, pizzas, bolos confeitados, churrascos, muitos doces, cervejas artesanais, etc. Em compensação, há um grupo que aproveitou muito bem o isolamento social com atitudes e exemplos positivos, implantando pequenas hortas em suas casas e produzindo o próprio alimento saudável, seja para sua salada ou para temperos. Esta maneira de produzir é conhecida como Agricultura Natural, prática mais correta de se produzir o próprio alimento de maneira saudável, utilizando apenas a compostagem como adubo para as plantas. Ressalto aqui que a Agricultura Natural é muito mais ampla e possui um dos maiores sentimentos na sua maneira de produzir: a GRATIDÃO! Devemos agradecer a Deus pelo solo, pela água, pelo ar, pelos seres vivos deste planeta Terra, pelos pequenos nutrientes que serão responsáveis pelo desenvolvimento daqueles alimentos que serão consumidos por nós. Sem contar que este trabalho fica ainda melhor quando há a cooperação da comunidade. Despertando a gratidão e o servir mútuo em prol de um mundo mais justo, o meio ambiente será cada vez mais preservado e respeitado. Este é o verdadeiro sentido da Agricultura Natural. Os desafios ainda são muito grandes no combate à fome em todo o planeta. No entanto, há uma parcela da sociedade que está deixando de comer e passando a se alimentar. E outra parcela ainda pequena está deixando de se alimentar e passando a nutrir-se. 

A ONG Sementinha Brasil incentiva o Empreendedorismo Sustentável por meio da Agricultura Natural a pessoas e comunidades que queiram nutrir-se, empreender, gerar emprego e renda através da doação de adubos orgânicos e mudas, com a possibilidade de compra de toda a produção (Parceria – Integração). Assim, a ONG Sementinha Brasil, vem há quase 20 anos implantando o Projeto Sementinha. A ONG Sementinha Brasil foi criada pelo jauense, professor, geógrafo, educador e empreendedor/gestor ambiental Marcelo Trementócio no ano de 2001. Em Uberlândia, no Triângulo Mineiro, este projeto combate a obesidade infantil e a fome por meio de hortas escolares, e já foi implantado em mais de 70 escolas. Agora também em Jaú e região, a implantação destas hortas, além da merenda escolar, é a porta de entrada para o desenvolvimento de vários outros projetos e incentivo aos familiares dos alunos, contribuindo com a economia doméstica da família. São mais 12 projetos a serem desenvolvidos nas áreas de empreendedorismo sustentável para a geração de emprego e renda; Gestão Pública e Planejamento Urbano. Seja um parceiro! Seja voluntário!

Revista Energia 45


Por Bárbara Milani

O

Senac Jaú atua na cidade desde 1940, quando mantinha um Núcleo da Universidade do Ar, que tinha o objetivo de propagar conhecimento por meio do rádio. Na época, o ensino pode ser considerado um dos primeiros realizados a distância. A oferta de cursos começou nos anos 1950 e 1960, quando as aulas eram ministradas em unidades móveis com equipes multiprofissionais que desenvolviam capacitações nas áreas de higiene e beleza, hotelaria e turismo, escritório e artes comerciais. Foi em 1980 que Jaú ganhou o Polo Avançado Senac, um espaço fixo para o desenvolvimento de seus cursos de maneira regular. Com sua consolidação, foi necessário construir uma unidade fixa na cidade.

Em 24 de agosto de 1994, o Senac inaugurava sua unidade local no bairro Chácara Braz Miraglia, próximo ao Fórum, onde está instalado. Sua estrutura física possui 5 laboratórios, 8 salas de aula, biblioteca, auditório para até 80 pessoas e setores administrativos. O Senac atende alunos de 14 cidades da região: Bariri, Barra Bonita, Bocaina, Boraceia, Brotas, Dois Córregos, Dourado, Igaraçu do Tietê, Itaju, Itapuí, Macatuba, Mineiros do Tietê e Torrinha, além de Jaú. Atualmente, a escola oferece diversos cursos livres de curta duração e cursos técnicos em várias áreas. A unidade também é um Polo de Graduação e Pós-Graduação EAD. Fonte: Informações à imprensa ComTexto Comunicação Integrada Rafael Gomes – rafael.gomes@ctexto.com.br Thaís Campos – thaiscampos@ctexto.com.br


Revista Energia 47


Comportamento

Qualidade de Vida: conceitos e práticas essenciais Mais que uma resolução de ano novo, fazer planos para alcançar determinados objetivos no novo ciclo que se aproxima pode ser primordial, já que não se trata apenas de costume, superstição ou meta alinhada com a recontagem dos dias no calendário. A busca pelo autoconhecimento e organização de prioridades pode ser uma forma de sobrevivência num mundo pós-pandemia.

Texto Flavia Cardoso Fotos: Arquivo pessoal 48 Revista Energia


Imagem: internet Revista Energia 49


D

efinir o termo Qualidade de Vida não é tarefa simples. No entanto, é intuitivo relacionar a expressão a “sentir-se bem” ou “viver bem”. Mas, afinal, quais são os fatores que influenciam este sentimento ou estilo de vida? Alguns aspectos são relativos e, até mesmo, subjetivos, pois estão relacionados com vivências e valores individuais. No entanto, é indiscutível que o “viver bem” é a consequência de escolhas e hábitos saudáveis e permanentes, que possibilitam o desenvolvimento, a nutrição e a evolução do corpo, da mente e do espírito.

CONSTRUÇÃO DE NOVOS HÁBITOS A RE conversou com o músico multi-instrumentista Maurity Bernardes que, recentemente, deixou de ser bancário em São Paulo e mudou-se para Jaú em busca de novas oportunidades profissionais relacionadas à área musical e de uma rotina mais saudável e menos estressante. “Creio que qualidade de vida seja sinônimo de saúde, ou seja, o aspecto mais importante durante a nossa existência. Cresci em Novo Horizonte, portanto, já conhecia os benefícios de morar no interior, e decidi voltar e mudar meu estilo de vida quando percebi que a minha saúde estava ficando comprometida. O tempo gasto nos trajetos, a poluição, a negligência ao período de descanso devido à jornada dupla, e, sobretudo, a pressão do trabalho no

banco, aliada à má alimentação e falta de atividades físicas, estavam me conduzindo a uma péssima qualidade de vida, o que já estava causando uma série efeitos negativos, psicológicos e físicos, desde a perda de calma numa situação corriqueira, até bico de papagaio e colesterol alto”. A educadora física Juliana Piragine Madella, que atua na área Qualidade de Vida do SESI, afirma ser necessário um comportamento preventivo que sirva como alicerce dos pilares que nos sustentam, como o controle do stress, uma alimentação equilibrada, a realização constante de atividades físicas e até mesmo a vivência de relacionamentos sociais e afetivos. “Precisamos criar o hábito de aprimorar estes pilares, mesmo que minimamente, a fim de conseguirmos o equilíbrio para um estilo de vida mais saudável. A mudança será individual, mas também refletirá na família, tornando- a mais sadia e feliz”. No entanto, além dos elementos que permeiam as práticas cotidianas, é indissociável fazer escolhas que favoreçam o bem-estar da mente e do espírito. O advogado Renato Gonçalves da Silva, Mestre em Processo Civil e Direito Civil, Doutor em Direito Tributário e Direito Empresarial, que atua há quase quarenta anos como “mediador” de conflitos, costuma orientar as pessoas visando restabelecer o equilíbrio das relações humanas, defendendo posturas éticas e renovação de valores, por vezes, esquecidos. “Mostrar às pessoas o quão é importante a autovalorização, o respeito a si próprio e ao próximo, e fazê-las ver que a razão é acima de tudo um valor a ser alcançado e, por vezes, conquistado. Num mundo tão competitivo, o preparo é necessário, a busca uma constante e a vitória nem sempre meritória, uma consequência”. Renato afirma também que para usufruir de uma vida mais saudável é preciso, acima de tudo, descomplicar, não julgar, aceitar as limitações e as diferenças, viver bem em família e em sua comunidade, manter princípios e valores ativos e a fé renovada a cada segundo. PROVIMENTO DA MENTE E DO ESPÍRITO E A MUDANÇA VITAL A psicóloga clínica e escolar Ana Gabriela Salviato Rett afirma à RE que o crescimento pessoal acontece por meio do autoconhecimento, pela consciência de como somos, como pensamos, do que queremos e de como nos comportamos. “Entendo que qualidade de vida seja a busca pelo equilíbrio em diversos fatores em nossas vidas, sendo ele familiar, pessoal, profissional, emocional e espiritual. Acredito que, com essa busca constante pelo equilíbrio, fazemos pausas para refletir cada vez mais qual é a compreensão de viver bem”. Ana afirma que, diante da mudança repentina, assustadora e necessária que aconteceu em nossa rotina, precisamos redobrar a atenção com nossas emoções, sentimentos e comportamentos. “Adaptar-se é um processo e o meu trabalho é ouvir e ajudar nessa busca por novos caminhos. Ao longo do atendimento terapêutico, que pode ser feito por qualquer pessoa, o paciente aprende a ser mais gentil consigo mesmo e a desenvolver habilidades para lidar com situações que venham a ser difíceis em sua trajetória. A terapia não serve apenas para quando se está em uma fase ruim, muitas pessoas encontram no processo terapêutico um caminho benéfico e essencial para manter a saúde da mente. Para viver bem não existe um


manual de instrução pronto, mas cada um, à sua maneira, pode escrever a sua própria história”. Segundo a opinião do Doutor Renato, a Pandemia do COVID 19 veio para mudar a vida de toda a humanidade. Alguns valores, até então esquecidos, foram revalorizados e o isolamento serviu para reaproximar famílias, restabelecer o diálogo e mostrar a todos o quão é importante prestar atenção uns nos outros. “A comunicação eletrônica, um grande benefício a todos, robotizou-nos, e as grandes conversas familiares, que há muito haviam desaparecido, tornaram-se uma nova vereda do amor e da compreensão. Em minha vivência profissional vi pais que não conheciam seus filhos e filhos que, desprezados, viviam num mundo hermético e sem amor. A maior virtude da dificuldade imposta foi nos fazer crescer, melhorar como pessoas e, acima de tudo, reencontrar o divino, muitas vezes esquecido. Ninguém sairá desta pandemia como um dia foi, e a humanidade com certeza sofrerá transformações incríveis, não só no campo da ciência, mas, especialmente, no campo da espiritualidade”. O advogado acredita que as expectativas para o próximo ano são ótimas. Crescer e renovar-se são palavras de ordem. “Deus colocou nossos olhos na face e não na nuca. Olhar para frente, rever conceitos, mudar atitudes, reinventar-se! O maior desafio é saber que nada mais será como antes e aceitar esta nova condição. A positividade será o grande mote e a fé, poderosa arma de renovação, será a nossa maior aliada”. A psicóloga Ana Gabriela apresenta-nos uma citação de Augusto Cury: “É preciso buscar, se soltar, dar valor ao que tem valor, selecionar, priorizar o tempo, recuar se necessário, diminuir as atividades se for preciso, treinar nossas emoções para não sermos escravos das circunstâncias da vida e das necessidades sem importância”. E o Doutor Renato compartilha os pensamentos de Chico Xavier: “Nos momentos de crise, não te abatas. Escuta. Por nada te revoltes, nem te amedrontes. Ora. Suporta a provação, não reclames. Aceita. Não grites com ninguém, nem firas. Abençoa. Lance de sofrimento é o ensejo da fé. Silencia. Deus sabe o instante de intervir!”

CUIDAR DA SAÚDE PARA NÃO PRECISAR CUIDAR DA DOENÇA A RE ouviu a nutricionista Mariah Oréfice, pós-graduada em nutrição esportiva e obesidade, sobre o equilíbrio do corpo e a alimentação saudável. “Acredito que o conceito “Qualidade de Vida” esteja relacionado com viver bem, viver leve. Manter hábitos saudáveis fisicamente e mentalmente. A nutrição hoje tem suma importância na qualidade de vida, pois é por meio da alimentação que nosso corpo se mantém saudável e nutrido. É de extrema importância que cuidemos da saúde e nos preocupemos com o que ingerimos, pois

uma boa alimentação reflete diretamente na qualidade de vida. Além disso, quando mantemos hábitos saudáveis, as chances de desenvolver doenças cardiovasculares e outros problemas de saúde são bastante reduzidas e, no cenário atual em que nos encontramos, isso é muito importante”. Mariah acredita que as pessoas começaram a se preocupar mais com a saúde nesse último ano justamente por conta dos prejuízos que o vírus causa. “A cada dia vejo que as pessoas estão se interessando mais em manter bons hábitos, em cuidar da saúde, melhorar a alimentação, praticar exercícios físicos, ou seja, melhorar a qualidade de vida. E, sendo nutricionista, saber que posso contribuir com isso me motiva a cada dia! O maior desafio é fazer com que as pessoas continuem se preocupando com a saúde e cuidando da alimentação, mesmo quando voltar ao ‘velho’ normal”. A educadora física Juliana explica que a importância da Educação Física para a sociedade vai muito além de estética, engloba saúde pública, por isso o educador físico é um profissional da saúde que contribui para o desenvolvimento da qualidade de vida humana, responsável por estimular hábitos saudáveis para as pessoas. “Entre todo o caos, aprendemos a nos exercitar em casa, vivenciamos a importância e a necessidade da atividade física para nosso corpo, que não previne o contágio do novo coronavirus, mas deixa o organismo mais resistente e protegido contra outras doenças que podem ser fatores determinantes para potencializar a ação do vírus. Fui infectada, e acredito que devido aos anos de atividade física e hábitos saudáveis passei pelo vírus quase que de forma imperceptível”. Alguns benefícios da prática de atividades físicas: queima de calorias e perda de peso, manutenção da tonificação dos músculos, melhoria na circulação, melhoria nas funções cardíacas e pulmonares, aumento do autocontrole, redução do estresse, aumento da habilidade de concentração, redução da depressão, melhoria na qualidade do sono, prevenção de pressão sanguínea, colesterol alto e diabetes. ÓCIO, APRENDIZADO E APRECIAÇÃO Além da necessidade de movimentar o corpo durante o período de confinamento, outra percepção foi a presença e a importância das mais diversas manifestações artísticas na rotina pesada e maçante da quarentena. A fim de entreter e contribuir para a sanidade individual e coletiva, a música, a literatura e o cinema foram e continuam sendo cruciais. A RE entrevistou também o músico, cantor e professor de canto Leandro Ferreira da Silva sobre os inúmeros benefícios da música, seja como ouvinte ou aprendiz de algum instrumento ou canto. Leandro conta que a música proporciona conforto no dia a dia para enfrentar as situações, pois as canções são reflexões do cotidiano. Como ouvintes, podemos refletir sobre o fato de haver sempre uma música que nos fala algo, seja no amor, na amizade, no trabalho, no dia a dia. Além disso, estudar música ajuda a desenvolver inúmeras funções do cérebro, independente do instrumento. O músico ainda diz que a música é uma arte completa, mexe diretamente com os sentidos. Aprender a ouvir a letra, perceber o ritmo e a melodia, deixar-se levar pelo sentimento da canção, só a música fala direto à alma e ao coração das pessoas e explora, em cada um, Revista Energia 51


sensações diferentes. Cada canção é um universo, tanto com relação aos sentidos quanto aos conceitos e estudos acadêmicos. “Quando canto ou ensino alguém a cantar eu quero chegar ao fundo do sentimento naquele tempo que a música me deu. E quando isso acontece somos pessoas melhores, temos outra visão do todo e nos emocionamos. Só a canção, não importa o idioma, é capaz disso. A música tira-nos do comum e desperta-nos para novos desafios. Estudar e viver música é o que me faz ter uma qualidade de vida melhor, mais feliz. E poder proporcionar isso às pessoas no meu show ou nas aulas faz com que eu divida com o mundo essa felicidade”. Maurity compartilha do mesmo ponto de vista que Leandro. “Como músico há tantos anos, vivencio cotidianamente os inúmeros benefícios que a música traz a todo aquele que interage com ela da forma que for, seja como músico, na execução, seja como aluno, ao aprender algum instrumento, seja como ouvinte”. Ele afirma que, mesmo como uma simples distração, a música nos ajuda não só a desligar da rotina corrida e exaustiva, gerando um descanso mental importantíssimo para que recuperemos energia para continuar vivendo bem, mas ela também, por vezes, toca nossa alma, com uma bela melodia ou com uma mensagem que se conecta com o que estamos vivendo ou já vivemos no passado. “Não é difícil perceber como a música está presente em toda a nossa vida e como ela proporciona descanso para a mente e alento para a alma. São inegáveis os efeitos positivos que o consumo de música traz para uma melhor qualidade de vida. Enfim, pergunto às pessoas se elas ficam um dia sequer sem ouvir música e até hoje a resposta foi unânime que não! Não é à toa, definitivamente! No entanto, além de ouvir, o simples fato de aprender a tocar um instrumento, independente do nível, ou entender um conceito musical traz uma satisfação tão grande ao aprendiz que vale a pena ser experimentada!”. ESTABELECENDO PRIORIDADES Segundo a psicóloga Ana Gabriela, para nos organizarmos, primeiramente, precisamos estabelecer o que é prioridade em nossas vidas. Quando nos organizamos, mesmo que essa seja uma tarefa difícil, gera muitos benefícios para nossa saúde mental. “Ao longo da terapia, um dos pontos que trabalho com os meus pacientes é o desenvolvimento de uma agenda de rotinas e tarefas cotidianas onde especificamos aquilo que é prioridade ou não. Dessa forma as pessoas aprendem a criar um plano B, quando necessário. Quando organizamos nossa rotina, o planejamento é um ótimo exercício de autoconhecimento pois, nesse momento, a pessoa reflete quantas coisas importantes e prazerosas são deixadas de lado por falta de organização. O primeiro passo, então, é traçar objetivos diários, estabelecendo as atividades básicas como uma boa alimentação, práticas de exercícios físicos, leitura, entre outros”. Para o Doutor Renato, prioritário é tudo aquilo que vem primeiro em ordem, tempo e dignidade. Quando falamos em organização

52 Revista Energia

pessoal, priorizar significa tomar decisões significativas e direcionar seus recursos de acordo com o seu foco. “As pessoas aprenderam que seus valores foram mudados, seus objetivos duramente atingidos, as limitações agigantadas, e todos que os que mantiverem o foco serão agraciados por resultados diretos e positivos, embora mais lentos. O tempo é de planejar, priorizar e organizar. Sem estas ações, doravante, tudo será mais complexo. Fomos atingidos não só por uma crise econômica, mas, também, por uma forte crise de identidade, de conceitos e valores, onde a espiritualidade, sem dúvida alguma, será um valor pessoal cada vez mais relevante”. A nutricionista Mariah destaca a importância de bons hábitos alimentares. “Seu corpo é sua casa, sua morada. Priorize hábitos que façam com que você permaneça saudável. Sua saúde deve ser prioridade sempre!”. Para Juliana, a melhor maneira é progredir em passos pequenos, assim como se fez para aprender a andar. “Coloquem a mudança no dia a dia, criem desafios diários, sejam eles voltados para aumento da caminhada, ficar menos tempo sentado, alongamento, mais movimento! Ao poucos, os exercícios farão parte do cotidiano e se tornarão um prazer”. Maurity, que está envolvido na busca constante de como viver melhor, deixa-nos uma reflexão. “Acredito que para vivermos bem temos que realizar atividades que gerem não meramente uma satisfação momentânea, mas aquelas que proporcionarão um “bem-estar sustentável” e condições para uma vida longeva e com maior paz, felicidade e harmonia com o próximo. Estas, sim, gerarão uma maior qualidade de vida”. Tipos de autocuidado (Fonte: SESI-SP) Físicos Durma de 7 a 9 horas por dia Descanse, desacelere Pratique uma atividade física Tenha uma alimentação saudável Emocionais Manere no estresse Pratique o autoperdão Não se cobre tanto Tenha coragem, arrisque-se Seja positivo Sociais Aproxime-se mais da família e de quem você ama Ria até chorar Ligue para um amigo Seja voluntário em um projeto Diga sim a convites e oportunidades Espirituais Pratique a meditação Conecte-se com a natureza Silencie sua mente Faça um diário da gratidão Intelectuais Aprenda um novo idioma Leia um livro Converse sobre coisas com outras pessoas Ensine algo a alguém Conheça pessoas e lugares novos


Revista Energia 53


54 Revista Energia


vida

Boa

Por João Baptista Andrade Diretor da Mentor Marketing e AMA Brasil

Comida e carestia É possível que o leitor queira me linchar em praça pública, mas é preciso dizer a verdade: a comida nunca foi tão barata como aconteceu no século passado

S

egundo a FAO (ONU), os preços mundiais dos alimentos (medidos entre 1902 e 2019) ficaram 45% abaixo da média. E o intervalo estudado é de quase 120 anos... Mas, como isso é possível? A cada visita ao supermercado (verdureiro, açougueiro ou feira livre) é um susto atrás do outro! Isso também é verdade; os preços de determinados alimentos dispararam. E a má notícia é que esta tendência de alta veio para ficar. Alguns fenômenos mundiais vão impulsionar os preços nos próximos anos. Zoonoses diversas (suínos, aves, bovinos, etc.) vão demandar (como aconteceu recentemente na África) sacrificar rebanhos inteiros. O simples aumento do consumo também pressionará os preços. Mas, afinal, aonde vamos parar? Em termos mundiais é preciso recompor os preços para que os produtores sejam estimulados. Pode acreditar: se o campo parar o mundo acaba. Morto de fome. É hora de repensar a estratégia. Historicamente falando, nosso país é (ou foi) acometido por crises inflacionárias periódicas cujos protagonistas tendem a ser legumes, cereais ou hortaliças. Por conta da idade eu posso recordar-me de vários episódios: além do recente arroz, teve a carestia dos óleos (soja em particular), do chuchu, do tomate, da carne bovina e por aí afora. Mas, se você cozinha, minimamente que seja, sabe que sempre dá para economizar nas compras simplesmente substituindo ingredientes. Claro que nem toda receita permite tais liberdades. Mas se o ingrediente está caro (seja por sazonalidade, problemas de oferta ou safadeza do merceeiro) e não tem

como preparar o prato sem o dito cujo ingrediente, mude de receita. Cozinhe outra coisa. Por ser um cozinheiro diletante eu me dou a certos luxos. Quando eu saio de casa para comprar comida (o que, para mim, é sempre um prazer) eu raramente já tomei a decisão sobre o que cozinhar. Via de regra eu fico perambulando pelos pontos de venda, procurando coisas boas: leia-se frescas, apetitosas e baratas. É a partir da disponibilidade de produtos no supermercado que eu decido o cardápio. O que é de época sempre sai mais em conta, então, eu não brigo com a natureza. Se é tempo de defeso não tem pescado fresco, só congelado. Melhor comer outra coisa, pois não? Mais uma estratégia simples para lidar com a carestia: porções calculadas. Eu canso de ver isso em outras cozinhas que não a minha: comida preparada em excesso e que acaba sendo jogada fora depois de dormir uns dias na geladeira. Lá em Monte Alto isso é um pecado duplo: a soberba (por fazer comida demais para o número de comensais) e a falta de compaixão (ainda existe gente que passa fome no mundo). Eu já disse isso aqui antes, mas não custa repetir: para cada pessoa que morre de fome no planeta, outras duas morrem por problemas vinculados com a obesidade. Mesmo assim, desperdiçar comida me parece um ato quase criminoso. Todos precisamos entender que a conjuntura mundial não vai se alterar no que se refere aos preços dos alimentos, portanto, se não desejamos desperdiçar dinheiro, é hora de mudar de comportamentos e atitudes. Vamos repensar?  Até a próxima.


Revista Energia 57


Legislação

O dia do voto No momento em que você lê este artigo, as votações de 2020 para alguns cargos no Poder Público em todo o país (vereadores e prefeitos) já ocorreram ou estão prestes a serem concluídas

Texto: Deputado Federal Ricardo Izar

P

ouco importa. De qualquer forma, você ainda enfrentará muitos outros momentos em que o seu voto, a sua escolha, ajudará a definir os rumos de sua cidade, do seu estado, do seu país. Isto se chama Processo Democrático: todo voto conta e tem o mesmo peso. O artigo 14 da Constituição Federal Brasileira já estabelece isso: “A soberania popular será exercida pelo sufrágio universal e pelo voto direto e secreto, com valor igual para todos”. É bem verdade que ao escolhermos um candidato a um cargo público (seja ele experiente ou novato na política), tentamos fazer uma aposta calculada. E ela será tanto melhor calculada se nós fizermos nosso dever de casa (pesquisarmos o candidato) e nosso dever diário (acompanhar e fiscalizar o mandato de nossos governantes uma vez empossados). Fazer política pode parecer simples para alguns. Mas não é. Hoje em dia, todo mundo se acha conhecedor o suficiente do assunto simplesmente porque acompanha as manchetes nos jornais e nas redes sociais. A Política se transformou no novo futebol. É muito provável que você saiba mais os nomes dos ministros da suprema corte do que o nome dos jogadores da seleção brasileira. Infelizmente, política não é um simples jogo nem apenas teoria. Quando acompanhamos o material veiculado pela imprensa - importantíssimo!!! - estamos vendo tanto a descrição fidedigna (até onde é possível) dos fatos ocorridos como também impressões pessoais (logo, parciais) de alguém que analisa a política. Mas analisar a política é diferente de viver a política. É como 58 Revista Energia

DEPUTADO FEDERAL RICARDO IZAR Economista, coordenador para o Sudeste da Frente Parlamentar em Defesa do Consumidor de Energia Elétrica e membro da Comissão de Defesa do Consumidor da Câmara Federal, Presidente da Frente Parlamentar de Habitação e Desenvolvimento Urbano, Presidente da Frente Parlamentar em Defesa dos Animais, Membro do Conselho de Ética e Decoro Parlamentar da Câmara dos Deputados

a crítica de cinema: é fácil para alguém, mesmo com muitos estudos, opinar sobre como o filme deveria ter sido dirigido, editado, iluminado, de como os atores deveriam ter interpretado tal cena, ou como o roteiro poderia ter sido escrito de forma distinta. Mas fazer um filme é diferente de criticar um filme. Em geral, críticos de cinema são apenas isso: críticos. Não são cineastas. Nunca fizeram sequer um curta-metragem. O papel do eleitor aqui (e todos nós maiores de 16 anos somos eleitores; que bom!) é avaliar no máximo de suas capacidades aquele em quem irá depositar seu voto de confiança pelos próximos 4 anos, pois essa pessoa terá pelos próximos anos a função de gerir os recursos públicos ou definir as novas peças legislativas que servirão como arcabouço das ações do Poder Executivo, Legislativo e Judiciário. Eleger alguém, portanto, não se resume a escolher um rosto bonitinho e simpático na foto ou acolher propostas mirabolantes que não encontram amparo na realidade. O eleitor precisa amadurecer na hora de escolher seu voto. Política não é brincadeira. Ela decide a vida das pessoas. Ela decide a sua vida. O bom político precisará ser aquela pessoa que consegue dialogar diplomaticamente com seus pares (sempre com ideias e opiniões distintas) e, mediante o debate cordato e fundamentado, buscar um ponto de convergência e convencimento. A Política sempre será o lugar do dissenso, da diferença, do contraditório. É nesse lugar que se busca dialogar e encontrar o melhor caminho para a coletividade. Mas está claro que a coletividade é tão distinta como qualquer família: nem sempre todos concordam com o sabor da


pizza do fim de semana ou sobre o time de futebol a quem dedicar torcida. Viver em grupo demanda muito, muito debate. E mais do que tudo: debate fundamentado e pacífico. Porque opiniões todos temos, mas opiniões baseadas em fatos são muito mais delicadas de construir. E aqui a palavra fato é muito importante. Fato é aquilo que encontra respaldo na realidade. Com o avanço das tecnologias - hoje, o Brasil tem 424 milhões de celulares em uso; sendo que somos 211 milhões de habitantes - é muito fácil espalhar qualquer informação inventada, distorcida ou equivocada entre a população. É o que chamamos de Fake News (Notícias Falsas). Portanto, o eleitor tem uma responsabilidade ainda maior na hora de fazer sua pesquisa e depositar seu voto na urna eletrônica - dispositivo seguro e auditável de diversas maneiras pela sociedade civil. Como diz a Constituição, todo poder emana do povo. Logo, nós, o povo, temos nossa quota de contribuição nas decisões do país. Nós elegemos quem nos representa - ainda que parcialmente. Quem não vota por opção não tem depois o direito de reclamar. Cada voto, cada um, contribui para o cômputo final de quem irá nos governar democraticamente pelos próximos anos. Como coloca muito bem o editorial de um periódico de grande circulação nacional: “No Congresso, nas Assembleias Estaduais e nas Câmaras Municipais, não há ninguém ocupando uma cadeira por sucessão hereditária, patrimonial, cultural ou intelectual. Todos estão lá pela mesma e única razão: receberam votos do eleitor”. Esta é uma verdade muito sólida.

O eleitor é quem coloca pessoas num determinado cargo público. E é o eleitor quem também pode retirá-lo de lá. Para isso, é preciso acompanhar e fiscalizar o trabalho de todos os políticos. E entender também que nem sempre é fácil para um político (eu disse “UM político”), mudar o pensamento de seus pares - muitas vezes na casa das centenas. Assim como nós votamos a cada 2 anos, políticos, às centenas, votam semanalmente a cada sessão deliberativa por mudanças no modo de vida da nação. Como disse anteriormente, Política não é futebol. Política é estudo, diplomacia e diálogo. Minha mensagem a todos aqueles que irão votar pela primeira vez, aos que votam já há muitos anos e àqueles que costumeiramente ignoram o ato de votar é: avalie com carinho e responsabilidade o poder do seu voto. Houve um tempo em que não era possível se expressar pelo voto. E isso era muito ruim. Porque isso apagava a voz do cidadão, que contribui cotidianamente para o bom funcionamento da sociedade. Pessoas com ideias diversas acerca do mundo existirão sempre. E é bom dialogar com elas. Na medida em que as ideias não buscam causar mal deliberadamente a terceiros, o diálogo e o voto são as melhores ferramenta do processo democrático. 

“Use o seu poder de voto para se expressar. O voto é um algo que todos devemos respeitar e utilizar com sabedoria”

Revista Energia 59


Por Evelin Sanches Mestrado em Administração Pública e Governo MBA em Gestão Estratégica de Negócios

Aumento de performance e prevenções de lesões Os aspectos médicos da atividade física, estudados pela Medicina do Exercício e do Esporte, ou Medicina Esportiva (ME), estão cada vez

A

mais presentes na sociedade moderna

Medicina do Esporte é uma especialidade médica globalmente reconhecida e no Brasil tem demonstrado presença crescente, tanto no aspecto científico quanto no institucional, além de ser um campo profissional estabelecido. Embora para alguns possa parecer que a ME seja uma especialidade dos tempos modernos, desde a antiguidade ela é citada em diferentes momentos da história da medicina. Há quase 5.000 anos os chineses já descreviam uma série de exercícios recomendados para prováveis diabéticos e orientações nutricionais para promoção da saúde. A Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e do Esporte (SBMEE), criada em 1962 e filiada à Associação Médica Brasileira (AMB), vem atuando sistematicamente no fortalecimento da especialidade e seu campo de atuação. Como prova disso, a criação da Residência Médica em Medicina do Esporte, em 2005. O sedentarismo e a dieta inadequada foram considerados pela Associação Médica Americana como uma provável causa de morte mais frequente do que o tabagismo. Essas causas de óbito são passíveis de prevenção e a ME age sobre ambas, direta ou indiretamente. Atuação profissional da ME Tanto o indivíduo da população em geral que busca, de forma espontânea ou por encaminhamento, orientação para atividade física, quanto o esportista de alto desempenho devem receber, a princípio, a atenção de médicos especialistas para esse fim (médico do esporte), e com suporte de retaguarda nas diferentes especialidades médicas para situações eventuais de maior complexidade. Os problemas de atenção primária e secundária são abordados por esse especialista que, além da avaliação clínica, solicita os exames complementares e as avaliações funcionais que julgar necessárias para a situação A polêmica sobre a prescrição/orientação do uso de esteroides anabolizantes como recursos ergogênicos farmacológicos no esporte Quando se fala em orientar sobre o uso de 60 Revista Energia

tais substâncias para finalidades esportivas (visando à manutenção da saúde dos usuários e mostrando uma preocupação com o próximo, honrando o juramento médico), nos deparamos com enorme preconceito por parte da grande mídia e, inclusive, de algumas sociedades médicas. Não cabe a nós, médicos, enquanto profissionais da saúde, julgar ou tecer quaisquer comentários infundados na tentativa de humilhar o paciente e me pergunto: até onde isso é uma conduta profissional ética? Até onde isso é apenas uma defesa do desconhecimento e inabilidade do profissional em tratar do assunto? Até onde tal preconceito leva o paciente ao obscurantismo das orientações não profissionais e ao uso de drogas adulteradas do mercado paralelo? São perguntas que abrem margem para muita polêmica e pensamentos divergentes no meio médico.  Dr. Joel Bandeira Medicina Esportiva - CRM - SP 196 628 contato@drjoelbandeira.com.br Rua Paissandu 1334 – Centro – Jaú/SP Tel: (14) 98225 9633


Revista Energia 61


Tradição

Meu amigo secreto é ... A brincadeira tão tradicional e divertida pode acontecer, sem que tenhamos que nos aglomerar

Texto Heloiza Helena C Zanzotti

62 Revista Energia


Imagens: internet Revista Energia 63


Q

uem diria... Dezembro chegou e ainda estamos em plena pandemia! A data mais esperada do ano, em 2020 certamente será diferente. Seja por conta daqueles que estão em quarentena, dos que preferem respeitar o isolamento social ou pela impossibilidade de realizar determinadas viagens e encontros, a festa este ano terá algumas restrições. Para os especialistas, hábitos e cuidados adquiridos durante este longo período de distanciamento social devem ser mantidos. Reuniões que envolvam muitas pessoas continuam desaconselhadas, ainda que sejam de parentes. E atenção especial àqueles que fazem parte do grupo de risco, especialmente os idosos. MAS, E O AMIGO SECRETO? O Natal, apesar de ser uma festa religiosa, é o período do ano em que o comércio mais fatura, e após tantos meses com seus estabelecimentos fechados, os lojistas apostam muito na data para recuperar um pouco do que perderam com a pandemia. Entre presentes para familiares e amigos mais íntimos, o amigo secreto movimenta a economia significativamente. Promovido pelas empresas ou dentro do círculo familiar, há aqueles que amam a brincadeira, e aqueles que pagam para não participar. É a mais tradicional brincadeira de final de ano, presente em praticamente todas as confraternizações desse período de festas, no entanto, tanto as confraternizações como o amigo secreto este ano terão que ser reinventados para continuarem presentes no planejamento de dezembro. A TECNOLOGIA A SEU FAVOR A boa notícia é que a tradicional brincadeira do amigo secreto pode ser feita virtualmente. Há alguns anos muitas pessoas já utilizam sites gratuitos que organizam a atividade, como o amigosecreto. com.br, por exemplo, que existe desde 2002 e já possui milhões de usuários. O serviço facilita muito a vida daqueles que têm uma rotina corrida e daqueles que não conseguem reunir todos no mesmo horário para tirar os “papeizinhos” do sorteio. O site permite que sejam definidos a data e hora do sorteio; o valor dos presentes; data, hora e local da confraternização. Você também pode montar uma lista com o que gostaria de ganhar e até enviar mensagens anônimas. MUITO MAIS SECRETO Se muita gente já usou a internet para fazer o sorteio do amigo secreto, que tal deixar a brincadeira mais interessante? Vocês podem combinar uma data limite para a compra dos presentes, que pode ser feita pela internet ou em lojas de sua preferência, e pedir para entregar na casa do seu amigo secreto! Inclusive, devido à pandemia, os sites já disponibilizam o novo recurso de adicionar os endereços para que o amigo que o tirou envie o presente diretamente para sua casa, sem a necessidade de encontro presencial. Claro que a data da entrega do presente pode variar em alguns dias, mas até isso conta ponto a favor neste amigo tão secreto! REUNIÃO VIRTUAL Outra opção é sortear os nomes com auxílio de um sorteador virtual e depois fazer a revelação através de uma chamada de vídeo. Cada um compra o presente 64 Revista Energia

do amigo e o mantém consigo. No dia marcado para a reunião virtual, cada um vai revelar quem é seu amigo secreto e abrir o presente que comprou para ele, que no primeiro momento verá apenas pelo vídeo. Lembrando que boa parte da diversão está justamente no momento de fazer a descrição dos amigos e a surpresa ao abrir os presentes. Vocês podem combinar previamente como farão a entrega desses presentes, ressaltando que segundo especialistas, troca de presentes não representa risco, no entanto, higienizar a embalagem é sempre um cuidado a mais. NÃO QUER ABRIR MÃO DA REVELAÇÃO PRESENCIAL? Que o distanciamento social é necessário para conter a disseminação do novo coronavírus todos sabemos, mas é verdade também que o isolamento social pode afetar o emocional de muita gente. Nessa situação de pandemia, sentimentos e emoções como ansiedade, medo, tristeza, raiva, irritação e desespero estão presentes. Nesse contexto, grande parte das pessoas quer mesmo é reunir amigos. Pesquisa recente mostrou que a necessidade primordial, nos dias atuais, é o afeto. Nunca sentimos tanta falta de ter contato com outras pessoas, sejam familiares ou amigos. Portanto, se os participantes do amigo secreto insistem na reunião presencial, saiba que ela pode acontecer de forma segura, começando pela escolha do local onde acontecerá, que deve ser em ambiente ao ar livre ou com grande circulação de ar. Outros cuidados essenciais são o uso da máscara, que só deve ser retirada na hora de comer e beber. Restringir o número de pessoas e manter distância é fundamental. E, claro, nada de beijos, abraços e apertos de mão. Mantenha álcool gel à disposição dos participantes, programe um horário menor para a duração do encontro e aproveite a festa! Ah, e tomara que você curta muito o seu presente de amigo

secreto! 

“Pesquisa recente mostrou que a necessidade primordial, nos dias atuais, é o afeto”


Revista Energia 65


Última página Por Luisa Caleffi Pereira Jornalista formada pela Universidade Federal de Uberlândia

Guia musical Já experimentou andar por aí, sem uma direção definida, um rumo, um caminho milimetricamente traçado com início, meio e fim, sem qualquer alteração de percurso?

M

ais ou menos como a vida é. Sem controle, sem pausa, sem volta. Desesperador, sem dúvida, mas também muito libertador. E parece contraditório, não é mesmo? Assim como a vida. Tudo muda o tempo todo e ser vulnerável é fundamental para não entrar em parafuso. Entrar em parafuso, aliás, não é algo totalmente ruim. Ficar emocionalmente desorientado, atordoado, perturbado é, às vezes, preciso. Assim como sair sem rumo, perder-se para se encontrar, sabe aquela história? E pode parecer clichê, mas quando não sabemos para onde ir costumamos escutar a nossa intuição, sexto sentido, voz interior ou seja lá como você queira chamar. O problema é que essa voz é bem baixinha, a gente tem a péssima mania de colocá-la quase no mudo, para não incomodar mesmo. Se estivéssemos em uma playlist, ela seria sempre aquela faixa que a gente pula nas primeiras notas, com medo de que, se escutar muito a música, vai “grudar na cabeça”. Mas ela gruda e permanece por dias e dias, toda melodia, batuques e batidas. Às vezes a gente troca uma palavra ou outra, esquece o refrão, troca a ordem das estrofes,

66 Revista Energia

KOPENHAGEN JAÚ

mas não para de cantarolar o dia todo. E a música continua. Ela persiste até que você pare tudo que está fazendo, se concentre e a escute, do começo ao fim, sem pausas, sem pulos nem anúncios para cortar o barato. É isso que a vida faz com a gente quando se mostra sem rumo. Nos obriga a parar tudo que estamos fazendo para aumentar o volume daquela música incômoda, daquele barulhinho importuno que insistimos em abafar. Sem nosso consentimento, ela aperta o play. Escuta o som e deixa que ele te guie. Uma playlist personalizada, especialmente para você, com apenas uma melodia. A sua. Aquela que te acompanha, que encaixa na nova batida, que transforma o refrão, que pode até mudar de ritmo conforme muda a direção da vida, mas continua sendo a sua sequência de notas, tocando, se relacionando em harmonia. 

“Tudo muda o tempo todo e ser vulnerável é fundamental para não entrar em parafuso”

piso superior 14

3624.4112

14

98118.4222

14

98164.9444


Revista Energia 67


68 Revista Energia

Profile for REVISTA ENERGIA

REVISTA ENERGIA 92  

Advertisement