Issuu on Google+

Douglas Chagas (na foto, à esq.), bombeiro da PUC-SP, recebe certificado das mãos do pró-reitor de Cultura e Relações Comunitárias, prof. Hélio Deliberador, durante a abertura da Semana Interna de Prevenção de Acidentes (Sipat 2009), em 7/4, no campus Monte Alegre. Ele e outros três co-

Thaís Polato

Sipat Semana de prevenção de acidentes legas foram homenageados pela atuação durante a recepção aos calouros, no início do ano letivo. A Sipat teve início em abril e segue até maio, em todos os campi de São Paulo, em Barueri e na Derdic. Saiba mais sobre a Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (Cipa) no site www.pucsp.br/cipa.

Simpósio Ciências da Religião Dia 12/5, o Pós em Ciências da Religião promove seu Simpósio Docente, no campus Perdizes. O coordenador do evento, aberto ao público em geral, é o professor João Edênio Reis Valle. A programação pode ser vista no site www. pucsp.br/pos/cre/. Mais informações: (11) 3670-8529.

www.pucsp.br Ano 1 Número 4 2ª quinzena abril - 2009

Jornal quinzenal da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo

Curso de Filosofia comemora centenário

Pós-graduação Entrevistamos o pró-reitor André Ramos Tavares

Evento no início de maio marca celebração dos 100 anos do curso, primeiro do Brasil em Filosofia

?

? ?

? ?

Aldeotas volta ao Tucarena Sucesso com Caco Ciocler e Gero Camilo reestréia no teatro de arena da PUC-SP, dia 2/5, e segue temporada até final de agosto. Música Sacra na capela De abril a julho, a capela da PUC-SP oferece concertos de música sacra, sempre aos domingos à noite. Confira a programação. |pág.8

pucnoticias_capa.indd 1

? ?

?

?

?

?

?

?

?

? ?

? ?

?

?

? ?

? ?

?

?

?

?

? ?

?

?

? ?

? ?

?

?

?

?

? ?

?

?

?

?

?

?

? ?

? ?

?

?

? ?

Artigo

Ciência

Crise mundial

Diversidade acadêmica

Pedimos ao coordenador do curso de graduação da PUC-SP Ciências Econômicas com ênfase em Comércio Internacional (campus Barueri) que opinasse sobre os reflexos da crise no Brasil. O professor Antonio Carlos Alves dos Santos foi taxativo: “O Brasil tem todas as condições para sair desta crise mais forte e com mais influência no cenário mundial”. |pág.4 Espetáculo revela Cyrano para crianças Peça com Mel Lisboa e Tadeu Mello estréia no Tuca, com adaptação do clássico Cyrano de Bergerac.

?

?

Diversas áreas do saber realizam atividades na Universidade, nesta e na próxima quinzena. Há eventos ligados ao jornalismo, à cultura, psicologia social, administração, educação matemática e filosofia, alguns deles com presenças internacionais. |pág.5

Psicologia Sócio-Histórica Até 11/5, estão abertas as inscrições de trabalhos para a 2ª Jornada de Psicologia Sócio-Histórica da PUC-SP. O evento, que acontece dia 3/6, terá como tema Subjetividade e transformação social: contribuições da Psicologia

Thaís Polato

CULTURA

?

?

?

Carlos Casanova

ma o professor Márcio Alves da Fonseca, chefe do Departamento de Filosofia. O evento comemorativo terá conferências de professores da PUC-SP, USP e Unicamp, sobre os temas Filosofia, universidade e memória, Filosofia e educação e Filosofia e cultura. Também haverá sessões para apresentação de trabalhos de alunos de iniciação científica, mestrado e doutorado. “Quando começamos a pensar na celebração, resolvemos fazer dela um acontecimento sem muita pompa. A idéia era reunir pessoas que têm alguma relação com o curso e se fizeram presentes em sua história: foram alunos, docentes, participaram de bancas ou, de alguma forma, ajudaram na formação de nosso quadro docente”, conta Fonseca. A programação completa pode ser consultada no site www.pucsp.br |pág.7

Lisia Lemes

Em 15 de julho de 1908, Dom Miguel Kruse, abade do Mosteiro de São Bento dava início à história da Filosofia como disciplina universitária no Brasil. A aula inaugural se realizou na Faculdade Livre de Filosofia e Letras que, em 1940 obteve reconhecimento e passou a se chamar Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de São Bento. Em 1946, esta mesma instituição se ligou à Faculdade Paulista de Direito e deu origem à PUC-SP. No início de maio, dias 4, 5 e 6/5, um evento no Tucarena comemora o centenário do curso de Filosofia. “A celebração possui dois sentidos. Um, mais particular, se refere à nossa história interna e marca a presença da Filosofia como um dos cursos em torno dos quais a PUC-SP foi constituída. O outro, mais amplo, comemora o início do ensino da área no Brasil”, afir-

Sócio-Histórica. Promoção: Equipe de Psicologia Sócio-Histórica da Faculdade de Psicologia. Apoio: Faculdade de Psicologia, Pós em Psicologia Social, Psicologia Clínica e Psicologia da Educação. Informações: sociohistorica@pucsp.br.

O PUC em Notícias ouviu o professor para conhecer as prioridades e os desafios da pós-graduação. Tavares contou que uma das suas primeiras ações após assumir o cargo, em novembro do ano passado, foi adequar um espaço no quarto andar do prédio novo (campus Monte Alegre) para os alunos de pós-graduação terem computadores com acesso à internet e salas para reunião. “O espaço fica pronto ainda neste semestre”, garantiu. |pág. 3

INSCRIÇÕES ABERTAS Até 18/5, estão abertas as inscrições para interessados em cursar mestrado, mestrado profissional e doutorado na PUC-SP. As áreas oferecidas e outras informações podem ser consultadas no site www. pucsp.br/pos.

Fotografia Estudantes interessados em fotografia podem participar da exposição17 Mil Ângulos: Diferentes olhares sobre um mesmo espaço, promovida pela Agência PUC Comunicação entre os dias 2 e 16/5. Saiba como participar. |pág. 2

22/4/2009 16:58:22


Alunos da PUC-SP na TV Cultura Em maio, o programa Campus, da TV Cultura, exibirá reportagens de alunos da PUC-SP. Saiba mais em www.pucsp.br. www.pucsp.br

02 Editorial

Gestão

Uma das formas de “medir” a pujança acadêmica da PUC-SP é perceber a quantidade e a qualidade dos eventos que se realizam nos campi da Universidade durante todo o ano. São seminários, palestras, debates e cursos, com presenças nacionais e internacionais. Nesta edição, destacamos alguns deles. Mas um, em especial, merece a reportagem de capa. Não é difícil explicar por quê. Temos o primeiro curso superior de filosofia do Brasil, que celebra seu centenário no início de maio. A comemoração contará com a presença de professores do Departamento de Filosofia da PUC-SP, USP e Unicamp. Ainda na área de Filosofia, trazemos informações sobre o Simpósio de Estudos Greco-Romanos, que chega este ano à sua 16ª edição. Outros eventos que merecem destaque são o 1º Congresso de Jornalismo Cultural, a presença da professora mexicana Sonia Ursini no pós em Educação Matemática, o 6º Encontro da Rede de Administradores das Universidades Iberoamericanas (Raui) e uma palestra com o professor Sidi Askofaré (diretor de Pesquisa do Laboratório de Psicopatologia Clínica e Psicanálise da Universidade de Toulouse 2 Le Mirail, França), entre outros. Seguindo nossa série de entrevistas com a Reitoria, ouvimos o pró-reitor de Pós-Graduação André Ramos Tavares. O professor, primeiro a ocupar o cargo criado pelo novo Estatuto da PUC-SP (2008), aborda temas como divulgação das pesquisas realizadas na PUC-SP e adequação do espaço físico da pós-graduação. É importante deixar claro que, com tais entrevistas, temos a intenção de prestar um serviço à comunidade, de criar um canal de diálogo entre os integrantes da reitoria eleita e os professores, alunos e funcionários. Este canal se amplia no blog http://blog.pucsp.br/ pucemnoticias/, mas é preciso que a comunidade seja mais presente, se faça ouvir. As portas estão abertas. Aproveitem. Boa leitura!

Reitor se manifesta sobre combate às drogas No último dia 13/4, o reitor Dirceu de Mello divulgou manifestação a respeito do combate às drogas na Universidade. “Estou tomando medidas sobre um problema que não acontece exclusivamente na PUC-SP, mas nacionalmente. Aqui sofremos apenas o reflexo de tal realidade”, afirma o reitor. Leia abaixo a íntegra do texto assinado pelo professor Dirceu. “NRR 2009/563 Na reunião a que se reporta o despacho de fls. 4, abaixo, com participação do Reitor, do Prof. Hélio Roberto Deliberador (PróReitor de Cultura e Relações Comunitárias), do Prof. Mário Augusto Fontes (Assistente Especializado do Pró-Reitor de Cultura e Relações Comunitárias) e da Profa. Márcia Cristina de Souza Alvim (Diretora do campus Monte Alegre), decidiu-se pelo enfrentamento franco do problema envolvendo o uso de drogas no campus Monte Alegre. Enfrentamento que far-se-á em duas frentes: a relacionada com os usuários, propriamente, e

Notas Estudantes expõem fotos

pucnoticias_pg_02.indd 1

A equipe da Agência PUC Comunicação promove entre os dias 2 e 16/5 a exposição 17 Mil Ângulos: Diferentes olhares sobre um mesmo espaço. A mostra conta com fotos da PUC-SP tiradas por alunos de graduação e será realizada no Espaço Cultural da Biblioteca do campus Perdizes (térreo, Prédio Novo). Os estudantes interessados

Assistente Especializado do Pró-Reitor de Cultura e Relações Comunitárias e Diretora do campus). Quanto à segunda frente de enfrentamento – traficantes –, contactos com a Polícia, para ação fora dos limites territoriais da Universidade e providências de lei, serão diretamente conduzidos pela Reitoria, pela Pró-Reitoria de Cultura e Relações Comunitárias e pela Direção do campus Monte Alegre. Justifica as medidas ora adotadas o interesse maior da comunidade puquiana (e inúmeras as reclamações a respeito), cuja respeitabilidade não pode

TV PUC Divisão de Comunicação

2ª quinzena de abril - 2009 Grão-Chanceler: Dom Odilo Pedro Scherer Reitor: Dirceu de Mello Vice-reitor: Antonio Vico Mañas Pró-Reitores: André Ramos Tavares (Pós-Graduação) Haydee Roveratti (Educação Continuada) Hélio Roberto Deliberador (Cultura e Relações Comunitárias) José Heleno Mariano (Planejamento, Desenvolvimento e Gestão) Marina Feldmann (Graduação) Chefe de Gabinete: Cláudio José Langroiva Pereira Diretora da Divisão de Comunicação Institucional: Eveline Denardi (MTb 27.655) Edição: Thaís Polato (MTb 30.176) Reportagem: Eveline Denardi Priscila Lacerda Thaís Polato Thiago Pacheco Assistente-administrativa: Vera Lucas Projeto Gráfico e Editoração: Núcleo de Mídias Digitais Impressão: Artgraph Tiragem: 2 mil exemplares Redação: Rua Monte Alegre, 984, sala T-34 Perdizes, São Paulo, SP CEP 05014-901 Tel.: (11) 3670-8001 E-mail: camunicacao@pucsp.br

a referente aos traficantes. Quanto à primeira frente, o que fica desde logo determinado é o rigoroso engajamento da segurança interna da Universidade nas atividades de fiscalização e controle de possíveis usuários: apontamento dos casos e levantamento de nomes, com pronta comunicação, para as providências de rigor, à Pró-Reitoria de Cultura e Relações Comunitárias. Nesse sentido, para determinações à Direção da GRABER Sistema de Segurança Ltda., reunião que fica designada para o próximo dia 22 às 15 horas (Reitor, Pró-Reitor de Cultura e Relações Comunitárias,

em apresentar suas fotografias deverão mandá-las até 27/4, em preto & branco e resolução baixa, pelo site www.17milangulos.com.br. É possível também inscrever a foto impressa em papel, no tamanho 20x30, na sede da Agência PUC Comunicação (rua Ministro Godói, 967). Mais informações podem ser obtidas pelo telefone (11) 3670-8561.

ficar à mercê de minoria refratária ao cumprimento de regras básicas de convivência (aspectos ético e legal). Ciência deste, em especial, às Direções da APROPUC, AFAPUC, Centros Acadêmicos e Atléticas. Assim como aos Srs. Secretários Executivos da Fundação São Paulo. Divulgação a toda coletividade universitária, por fim, através dos processos usuais de comunicação. São Paulo,13 de abril de 2009 Prof. Dr. Dirceu de Mello Reitor”

Intercâmbio França

A TV PUC apresenta quinzenalmente o programa Universidade aberta, com matérias realizadas durante o período e discute assuntos contemporâneos a partir da comunidade acadêmica. O diretor da TV PUC, prof. Julio Wainer, colocou o programa à disposição de alunos, professores e funcionários para divulgação de CD, peças, livros, espetáculos e exposições. Os interessados devem entrar em contato pelo e-mail stelag@tvpuc.com.br.

Estão abertas até 27/4 as inscrições para intercâmbio em três instituições de ensino superior francesas: Institut d’Études Politiques de Paris (Sciences Po), Université de Paris 1 Panthéon-Sorbonne e Université de Paris 10-Nanterre. Inf.: www.pucsp.br/arii/ editais_abertos.htm. Tel.: (11) 3670-8011.

Sacramentos

Estão abertas até 28/4 as inscrições para intercâmbio em três instituições de ensino superior de língua espanhola: Universidad Católica Argentina, Universidad del Salvador (Argentina) e Universidad de Santiago de Compostela (Espanha). Inf.: www.pucsp.br/ arii/editais_abertos.htm e (11) 3670-8011.

A Pastoral Universitária promove encontros de preparação para os sacramentos do Batismo, Eucaristia e Crisma. As inscrições estão abertas até 8/5, na sala 63 (térreo, Prédio Novo). Inf.: (11) 3670-8557.

Argentina e Espanha

22/4/2009 16:58:59


Novas turmas de vidya yoga Estão abertas as inscrições para as aulas de vidya yoga que se iniciam em maio, na PUC-SP. Haverá diversos horários disponíveis e a mensalidade custa R$ 50. Inf.: (11) 3670-8035. www.pucsp.br

03 Pós-Graduação

Notas

Divulgação de pesquisas é uma das prioridades

Novo e-mail

André Ramos Tavares concede entrevista sobre projetos da Pró-Reitoria Thais Polato

Tavares: “vamos manter o nível de excelência dos nossos programas” Thais Polato Projetos futuros, especificidades na docência, adequação do espaço físico e divulgação da produção científica da PUC-SP estão entre os temas que o PróReitor de Pós-Graduação, professor André Ramos Tavares, trata na entrevista abaixo. Docente da PUC-SP desde 2000, Tavares foi aluno de Direito na graduação (1994), no mestrado (1998) e no doutorado (2000). Sua livre-docência foi obtida na USP, em 2004. Atualmente, além da PróReitoria, Tavares integra a comissão que estuda o contrato de trabalho dos professores. “A minha presença e a da profa. Carmelita Yasbek pretende garantir que as especificidades da docência na pós-graduação sejam contempladas no novo contrato”, afirma. PUC em Notícias – Quais são as prioridades da Pró-Reitoria de Pós-Graduação? André Ramos Tavares – Uma das primeiras ações foi criar um espaço físico no campus Monte Alegre para os alunos de pós-graduação. Situado no quarto andar do prédio novo, o local estará pronto ainda neste semestre. Haverá computadores com acesso à internet e salas de reunião para discussão em grupo. Isso atende a uma demanda dos programas e dos alu-

pucnoticias_pg_03.indd 1

nos, e também aos padrões das agências oficiais como a Capes (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior). Além disso, as prioridades da PróReitoria variam de acordo com o período. Até o dia 15/4, por exemplo, estávamos nos dedicando à coleta de dados que a Capes realiza junto aos programas, para posterior avaliação. PN – Como tornar o conhecimento produzido na academia mais próximo da sociedade? ART – Certamente, uma das formas é que o resultado das pesquisas seja socialmente relevante, possa ter aplicações para o dia-adia, traga benefícios para a sociedade ou cause impacto empresarial ou comercial. Especialmente na área de humanas, o que se produz acaba tendo uma menor visibilidade por, muitas vezes, não trazer resultados que sejam práticos e imediatos para o cidadão comum. Então, é muito importante que divulguemos a pesquisa que produzimos. Outra de nossas prioridades de gestão, já em andamento, é estabelecer um diretório de pesquisa do pós-graduação da PUCSP. Pretendemos com ele divulgar de forma impressa e pela internet quais pesquisas são desenvolvidas e quais já foram, com os respectivos resultados. J�� solicitamos a todos os programas informações mais detalhadas sobre os estudos em anda-

mento e agora estamos na fase de sistematização das informações recebidas. PN – Há projetos para ampliar e fortalecer a pós-graduação nas áreas de biológicas e exatas, já que na área de ciências humanas ela está consolidada na PUC-SP? ART – Nossa principal prioridade, nesse âmbito, é manter o nível de excelência nos programas já existentes. Partindo desse pressuposto, nós temos também esta meta de sua indagação, a médio e longo prazos. Apesar desta ser uma decisão de caráter institucional, a criação não deve ser simplesmente uma decisão arbitrária. Por isso, nós queremos estimular e dar suporte aos grupos de professores interessados na questão e que já refletem sobre a criação desses novos programas, para que a gente possa construir isso de maneira sólida e qualitativa. PN – É possível que a pós-graduação tenha estas novas áreas ainda em sua gestão? ART – Sim. PN – O trânsito de professores entre a graduação e a pós-graduação ainda não está resolvido e já causou alguns conflitos ao longo da história. Qual a solução? ART – Este é um conflito que não deveria existir. Em alguns programas não existe efetivamente. Em outros,

aparentemente ele ocorre, mas não sei se de fato é um conflito ou uma falta de compreensão do que é ser professor de pós-graduação. Muitas vezes, o que se ouve é que este docente só entraria em sala para dar uma ou duas aulas por semana, teria excessiva liberdade para cumprir o plano de aula... e, na verdade, não é isso. É preciso entender que os professores de pós não gozam de privilégios, pelo contrário, têm muitos deveres. Este docente carrega muita carga de exigência quantitativa e qualitativa muito alta. Não que na graduação não haja, mas na pós-graduação isso faz parte das exigências dos órgãos oficiais. O professor de pós tem como dever, por exemplo, produzir uma certa quantidade por ano de artigos em revistas qualificadas pela Capes. Isso gera uma pontuação, que vai ser importante para a avaliação do programa. Esses docentes também são obrigados a ter contrato de 40 horas na instituição e não podem estar em outra instituição, sob pena de prejuízo na avaliação. São professores que devem seguir regras muito rígidas em suas atividades. O pós não é um lugar de privilégios e se o professor não cumprir adequadamente as exigências deve ser descredenciado ou prejudicará o programa. Por outro lado, vemos que muitos professores do pós sofrem algum tipo de restrição para dar aula na graduação ou para serem departamentalizados. É um equívoco, porque se trata de uma decisão institucional, que não pode ficar restrita aos departamentos.

Estamos falando de professores que mantiveram, nos últimos anos, a excelência dos programas de pós. Não se pode simplesmente ignorar esse dado. PN – Em termos de qualidade de ensino, o sr. não acha saudável que os professores transitem entre graduação e pós? ART – Deve ser um trânsito de mão dupla, muito aconselhável porque representa um benefício para ambos os lados. Já existe uma exigência de que os professores do pós lecionem também na graduação, pelo menos uma vez a cada três anos. E toda vez que um professor da graduação se credenciar, apresentando a habilitação necessária e produção suficiente para ingressar na pós, evidentemente ele deve ser aproveitado. PN – O espaço físico para a pós-graduação parece estar inadequado (as salas de aula não oferecem boa estrutura, não há equipamentos multimídia suficientes, há locais para orientação nem armários para os alunos guardarem seus pertences...). Como resolver? ART – É um problema que só pode ser resolvido progressivamente. Começamos por aquele espaço para os alunos, que já mencionei anteriormente. Ao mesmo tempo, agora em julho, parte do prédio novo passará por reformas. Então, a tendência é que com o tempo tudo isso vá se resolvendo. De uma só vez é impossível solucionar algo que vem se arrastando há anos.

Pós-graduação tem inscrições abertas Até 18/5, estarão abertas as inscrições para os cursos de pós-graduação da PUC-SP (mestrado, mestrado profissional e doutorado), no segundo semestre. As áreas ofereci-

das, os editais de seleção e outras informações podem ser consultadas no site www.pucsp.br/pos. Informações: (11) 36708526 ou pelo e-mail alunospos@pucsp.br.

A Divisão de Comunicação Institucional (antiga ACI) mudou de e-mail: para entrar em contato com um de seus quatro Núcleos (Jornalismo, Eventos e Cerimonial, Comunicação Mercadológica e Política da Comunicação), envie mensagem para comunicacao@pucsp.br. Para contato telefônico, os números continuam os mesmos: (11) 36708001 ou ramais 8002, 8003, 8227, 8334, 8321, 8410 e 8411. A Divisão de Comunicação Institucional está localizada na sala T-34 (térreo, Prédio Velho), campus Monte Alegre. O horário de funcionamento é de segunda a sexta-feira, das 9 às 21h.

Aldeias

Até 6/5, realiza-se no Museu da Cultura (subsolo, Prédio Novo, campus Monte Alegre) a exposição Aldeias Guarani Mbya na cidade de São Paulo. A mostra é formada por 20 fotografias preto & branco de Rosa Gauditano e conta com imagens sobre as quatro aldeias indígenas guarani mbya da cidade de São Paulo (duas em Parelheiros e duas no Jaraguá). Promoção: Museu da Cultura / Nossa Tribo / Faculdade de Ciências Sociais / Pós em Ciências Sociais / Núcleo de Estudos de Etnologia Indígena, Meio Ambiente e Populações Tradicionais (Nema). Apoio: Programa Pindorama. Informações: (11) 3670-8559 ou museudacultura@pucsp.br.

Anarquias O Núcleo de Sociabilidade Libertária promove curso livre sobre Anarquias, com Acácio Augusto e Thiago Rodrigues, nos meses de maio e junho. O evento será realizado às quartas-feiras, às 16h, no Museu da Cultura (subsolo, Prédio Velho). As inscrições são gratuitas e devem ser feitas pelo e-mail curso@nu-sol.org.

22/4/2009 16:59:44


Educação inclusiva – 1 A professora Darcy Raiça (Depto. de Tecnologia da Educação) é organizadora do recém lançado livro Tecnologias para a Educação Inclusiva (Avercamp Editora). www.pucsp.br

04 Opinião

Brasil poderá sair mais forte da crise econômica mundial Falar sobre a crise econômica mundial é uma tarefa difícil. Há várias tentações às quais devemos resistir: considerá-la mais uma crise inevitável do capitalismo – como leio nos cartazes espalhados pela Universidade; invocar a crise de 29, esquecendo que cada crise é, apenas, na aparência igual à anterior; oferecer explicações inquestionáveis sobre a sua origem etc. Receitas prontas são agradáveis e reconfortantes, mas em se tratando da atual crise econômica são enganadoras. A lição mais importante é reconhecer que é uma crise econômica de dimensão histórica e que pouco sabemos sobre o que vai acontecer no futuro próximo: a crise poderá ser tão grave ou pior que as outras crises econômicas do passado. Seguramente não será uma marolinha, mas poderá, dependendo da política econômica implementada, jamais alcançar a dimensão apocalíptica esperada por vários analistas econômicos. Eles estão na mesma situação do relógio quebrado: duas vezes ao dia a hora está correta. Reconhecer que é um território novo, que nosso conhecimento é limitado, não é um impedimento para a busca de explicações sobre a origem da crise econômica e, muito menos, para a apresentação de propostas que visam torná-la menos longa no tempo e desastrosa do ponto de vista social. É sempre bom lembrar que, por pior que seja a crise, um dia ela passa e a economia de mercado continuará a existir, ainda que, provavelmente, em outro formato, apresentando os resultados conhecidos que nos permitem afirmar, parafraseando Churchill, que ela é o pior sistema econômico, exceto todos os outros. A crise econômica foi inicialmente diagnosticada como sendo um problema de liquidez que seria facilmente solucionado com o bom uso dos instrumentos de política monetária. Um simples problema de empoçamento de liquidez era a explicação corrente no meio financeiro e acadêmico, não havendo motivo algum para preocupação. O diagnóstico mostrou-se incompleto, pelo menos para a economia americana, mas acabou condicionando as respostas iniciais à crise, que conseguiram, no máximo, ganhar tempo. VILÕES – A desregulamen-

pucnoticias_pg_04_05.indd 2

Thaís Polato

Antonio Carlos A. dos Santos*

Prof. Antonio Carlos coordena curso no campus Barueri tação do sistema financeiro, o crédito barato, o risco moral e a bolha imobiliária são seguramente os grandes vilões da atual crise econômica. Há, naturalmente, ligação entre eles. A desregulamentação foi fundamental para que a criatividade de profissionais bem qualificados levasse à criação de produtos financeiros que prometiam um verdadeiro santo graal: a diluição dos riscos e a manutenção de retornos cada vez mais generosos que, por sua vez, permitiam o barateamento do crédito e os empréstimos a clientes que, em condições normais, não teriam sequer acesso ao sistema bancário. Estavam criadas as condições necessárias e suficientes para o boom imobiliário. O estouro da bolha imobiliária levou a uma alta nas inadimplências e na execução de hipotecas, que por sua vez resultou em queda nos preços dos títulos nelas lastreados e na falta de capital nas instituições financeiras, devido a uma escassez de ativos em relação às suas dívidas. O que demonstrava que o diagnóstico inicial estava equivocado, não era apenas um problema de liquidez, mas de descapitalização do sistema financeiro. Esta insuficiência de capital e o temor que isto levasse a uma insolvência em massa criaram o pânico, traduzido em escassez total de crédito. As conseqüências sobre a economia mundial foram e continuam a ser desastrosas com queda na produção industrial, aumento do desemprego e forte redução do fluxo de comércio. Os últimos números da produção industrial e do desemprego, respectivamente, para alguns países são bastantes ilustrativos: USA -11.8 (fev.), 8.5 (março); Japão -38.4 (fev.), 4.4 (fev.); Reino Unido -12,5 (fev.), 6.5 (jan.); Área do Euro -17.3 (jan.), 8.5 (fev.); Alemanha -19.2 (jan.), 8.1 (março); Espanha -23.9 (fev.), 15.5 (fev.).

As previsões do Banco Mundial para 2009 não são tão pouco encorajadouras: contração de 1.7 na taxa de crescimento do PIB Global e de 6.1 no volume mundial de bens e serviços. O cenário apresentado pela OCDE não é muito diferente, com previsão de PIB negativo para os Estados Unidos (-4.0), Japão (-6.6) e Área do Euro (-.03). Os países com maior participação das exportações no PIB foram, naturalmente, os mais afetados. E isto não deverá alterar muito neste ou no próximo ano. O fluxo de comércio não deverá dar sinais de vida antes de 2010 e mesmo assim, os sinais devem ser fracos, o que não é uma boa notícia para países com grande dependência em relação ao comércio mundial como o Japão e a Alemanha. Um leitor otimista deve estar se perguntando se há alguma saída, como o Plano Obama, por exemplo. “Vai funcionar?”, é a pergunta óbvia. No entanto, antes de responder a questão, é necessário fazer outra pergunta: “Ele resolve o problema da descapitalização do sistema financeiro?” Como vimos este é o grande problema da economia americana e a solução para ele passa, inevitavelmente, pela estatização temporária de parte significativa das instituições financeiras. É o que foi feito em outros países em situação semelhante, como na Suécia, em 1991. Lá, o estopim da então crise da economia foram os problemas de dois dos seis maiores bancos do país. A solução, bastante simples, foi a transferência do controle dos bancos com problemas para o Estado, que chegou a possuir 22% de todos os ativos do sistema financeiro sueco. Os ativos bons ficaram com os bancos que continuaram a funcionar com o mesmo nome. Os ativos tóxicos foram transferidos para duas empresas de Asset Management criadas com o único propó-

sito de administrá-los: Securum e Retrieva. Desde o inicio assumiu-se que o processo de limpeza do sistema, ou seja, a venda dos ativos tóxicos, não seria realizado no curto prazo, mas durante um longo processo, medido em anos, não em meses. O processo de liquidação foi concluído em 1997. A Securum devolveu ao Tesouro 14 bilhões de krones (1,8 bilhões de dólares em 1997) do capital acima mencionado. A experiência é considerada um sucesso. BRASIL – É a partir deste cenário externo nada róseo que devemos analisar os dilemas e problemas da economia brasileira – em muitos aspectos muito mais próxima da economia de um país desenvolvido que daqueles em desenvolvimento – que apresenta uma serie de características, consideradas vícios, em condições de normalidade econômica, mas que no atual cenário são virtudes.

da retração da economia. Os manufaturados e os semimanufaturados são os que apresentaram maior retração no comparativo a março 2008, 27,1% e 25,8%, e em relação ao primeiro trimestre do ano passado, 29,1% e 22,9%, respectivamente. O impacto da retração econômica sobre o emprego na indústria, por enquanto, tem sido severo, porém sem atingir a dramaticidade de outros períodos quando não existia o seguro desemprego. No comparativo com fevereiro 2008, a queda foi de 4,2% – maior recuo da série histórica iniciada em 2001 – e em relação ao mês imediatamente anterior foi de 1,3%. Outro indicador importante, o número de horas pagas aos trabalhadores apresentou, em fevereiro, uma queda de 0,4% em relação ao mês anterior. Já o valor da folha de pagamento real da indústria voltou a crescer em fevereiro, 1,9% em relação ao mês anterior. Apa-

Qual a intesidade da crise ainda é algo controverso O impacto inicial da crise econômica sobre a economia brasileira foi grande, ainda que menor que o esperado por alguns analistas econômicos. Aparentemente, a economia brasileira ainda não sofreu todo o impacto esperado da crise, o que deverá ocorrer no futuro próximo, em intensidade ainda desconhecida. Os setores mais atingidos foram aqueles com forte dependência do credito, como o de bens de consumo duráveis e o exportador. Neste último caso, vale destacar o setor de carne bovina, que ainda passa por sérias dificuldades. O impacto sobre as comunidades-sedes desses grupos é dramático já que, via de regra, eles são os maiores – quando não os únicos – empregadores. Os últimos dados do setor externo, como era de se esperar, parecem indicar que o pior ainda não passou. Em relação a março de 2008, as exportações recuaram 14,9% e as importações 21,5%. No comparativo com o mês anterior, fevereiro, foi registrado crescimento de 0,8%, pela média diária das exportações e de 5,0% paras as importações. O bom resultado do saldo comercial, 79,3% no comparativo com março de 2008, é, naturalmente, explicado pela forte queda das importações, por sua vez um retrato

rentemente positivo, na verdade este último dado pode ser explicado pelo aumento nas demissões. INFLAÇÃO – Os dados do emprego na indústria e do setor externo assustam e são, naturalmente, motivos para preocupação, mas há indicadores positivos que nem sempre recebem o devido destaque. A inflação é um deles. O IPCA de março foi de apenas 0,2%, o acumulado no primeiro trimestre de 2009, 1,2%. Uma completa reversão do ambiente que prevalecia em setembro do ano passado, quando o temor de um repique inflacionário era real e justificava a política monetária prudente do Banco Central. Os números da inflação garantem a manutenção do poder de compra dos salários e permitem novas e significativas reduções na taxa Selic (juros), fundamental para uma redução no aperto fiscal. Outro dado importante e que oferece certa segurança ao setor externo é o volume

das reservas brasileiras e a composição da dívida externa que, contrariamente ao que se imagina, é basicamente contraída pelo setor privado. Em outras palavras, a restrição externa, que sempre acompanhou a economia brasileira, não marca presença no atual cenário econômico e isto faz toda a diferença. É bom recordar que isto somente foi possível devido à política ortodoxa seguida pelo Banco Central – duramente criticada por alguns economistas. Para eles trata-se de um vício que, devido à crise econômica, tornou-se uma virtude. Recusam-se a aceitar que estavam errados. As medidas implementadas pelo Governo Federal, tem sido, em geral, corretas e obtido sucesso em minimizar o impacto da crise. A redução do IPI dos carros é uma medida com bons resultados na produção, mas ainda fica a desejar na recuperação do nível de emprego. Contudo, recomenda-se cautela em relação a estes resultados: a redução dos estoques pode ser o resultado da antecipação da compra do veículo, o que implica afirmar que o problema pode retornar no futuro. A desoneração fiscal é uma medida que, seguramente, agrada produtores e consumidores, ambos eleitores, mas não necessariamente é o melhor meio para auxiliar na recuperação da economia. Colocar mais recursos na bolsa de consumidores endividados vai deixá-los muito felizes, porém, não aumentará o consumo, já que a renda adicional será usada para honrar dívidas passadas. Abrir mão de receitas, em um cenário em que está ocorrendo queda no recolhimento de tributos federais, não parece uma medida muito prudente. Ela simplesmente reduz o grau de liberdade da política fiscal. Concluindo, a crise chegou ao Brasil, porém, não ainda com a intensidade que alguns esperavam. Qual será ela ainda é controverso. Me coloco entre aqueles que acreditam que o impacto da crise será menor que em outros paises e que a recuperação será mais rápida. O Brasil tem todas as condições para sair desta crise mais forte e com mais influência no cenário mundial.

Antonio Carlos Alves dos Santos Economista, o professor coordena o curso de Ciências Econômicas com ênfase em Comércio Internacional, oferecido no campus Barueri. Escreve nos blogs puclivre.zip. net e hipona.blospot.

22/4/2009 17:00:15


Educação inclusiva - 2 A PUC-MG promove, dias 13 e 14/5, o 3º Seminário das Instituições de Ensino Superior Inclusivas. Saiba mais: www.pucminas.br. www.pucsp.br

05

Congresso discute cultura e jornalismo no Tuca Alunos da PUC-SP pagam inscrição com valor mais baixo, de R$ 150 Da Redação Divisão de Comunicação

Tuca terá debates e apresentações artísticas

Refletir sobre o pensamento contemporâneo, as várias identidades culturais e o espaço nos veículos de imprensa para a difusão dessa diversidade. É com esse objetivo que profissionais de destaque no meio acadêmico, no jornalismo cultural e artistas se reúnem entre 4 e 8/5, no Tuca, durante o 1º Congresso de Jornalismo Cultural. A programação inclui palestras sobre temas pertinentes aos diversos segmentos da cultura como crítica musical, literatura, cinema, televisão, internet, teatro e ciências humanas. Serão abordadas também

Pós em Educação Matemática recebe pesquisadora mexicana Sonia Ursini realiza curso, palestra e concede entrevistas a alunos e professores do programa pré-algébricos para trabalhar com diferentes usos da variável antes de um estudo formal de álgebra. Investiga ainda o impacto do uso de meios computacionais na aprendizagem de conceitos matemáticos e na prática docente. Na PUC-SP, a professora desenvolverá duas atividades. O primeiro é um curso sobre Aprendizagem e uso da álgebra, voltado a alunos e professores do Pós em Educação Matemática, nos dias 5, 6, 7, 8, 12,13 (14 às 15h30min) e 14/5 (14 às 17h) – com direito a certificado. A segunda atividade é a

palestra Sobre a compreensão e uso da variável por alunos do ensino fundamental, médio e iniciantes do ensino superior, voltada a professores das redes de ensino estadual, municipal e particular, dia 6/5 (das 9 às 12h). Sonia também participará de entrevistas oferecidas aos alunos e professores do Pós em Educação Matemática. Para participar, é preciso agendar horário pelo e-mail benedito@pucsp.br. Saiba mais sobre o curso e a palestra entrando em contato com o Pós em Educação Matemática pelo telefone (11) 3124-7210.

16º Simpósio de Estudos Greco-Romanos

Fórum de graduação

Estão abertas as inscrições para a 16ª edição do Simpósio de Estudos Greco-Romanos, que o Pós em Filosofia promove entre 18 e 22/5. Para obter certificado é preciso se inscrever, preenchendo a ficha disponível no site www.pucsp.br/pos/filosofia. Este ano, o tema do evento será Do indivíduo: clique em www.pucsp.br para conhecer a programação. Informações: (11) 3670-8417.

A pró-reitora de Graduação, professora Marina Graziela Feldmann, realizou a primeira etapa do Fórum Acadêmico de Graduação, com a participação de diretores de Faculdade, chefes de Departamento e coordenadores de Curso. O objetivo é o de firmar encaminhamentos e procedimentos de implementação dos trabalhos acadêmicos de 2009, tendo em vista a nova estrutura da PUC-SP.

pucnoticias_pg_04_05.indd 3

Conheça alguns dos palestrantes Adriano Schwartz Arthur Dapieve Arthur Nestrovski Artur Xexéo Beth Néspoli Bráulio Mantovani Carlos Graieb Cibele Forjaz Clóvis de Barros Filho Danilo Miranda Eugênio Bucci Fabio Cypriano Gabriel Priolli Netto Hamilton Octavio de Souza Isabela Boscov José Arbex Junior

José Miguel Wisnik Lobão Luiz Zanin Marcelo Marthe Marcia Tiburi Marco Aurélio Weissheimer Marcos Flamínio Peres Olgária Matos Pedro Alexandre Sanches Sérgio Martins Sérgio Rizzo Vladimir Safatle Jerônimo Teixeira Robinson Borges Rodolfo Carlos Martino

Administração Notas PUC-SP reúne universidades Psicologia ibero-americanas social Instituições debatem A Universidade no Século XXI

Divulgação / Raui

Entre 3 e 16/5, o Pós em Educação Matemática recebe a professora mexicana Sonia Ursini, pesquisadora do Centro de Investigación y de Estudos Avanzados del Instiruto Politécnico Nacional (CINVESTAV, México). Sonia desenvolve pesquisa sobre a compreensão dos alunos da educação básica e do início da universidade acerca do conceito de variável, que considera fundamental para a aprendizagem e uso da álgebra (e do conceito de função). A partir de uma perspectiva vygotskiana, explora também a possibilidade de criar um potencial em alunos

as perspectivas futuras desta especialidade jornalística, o debate entre discurso literário e discurso jornalístico, o desenvolvimento da linguagem, pauta, edição e a formação do jornalista cultural no Brasil. O evento, promovido pela Revista Cult e pelo Espaço Revista Cult, com o apoio da PUCSP e de outras universidades e instituições, inclui ainda apresentações artísticas. Alunos da PUC-SP têm direito a preço especial na inscrição, pagando o valor de R$ 150. Para saber mais sobre o evento, acesse www.espacorevistacult.com.br/congresso/default.html

Profa. Sônia Fonseca (FEA), no evento em 2008 Thiago Pacheco A PUC-SP e o Conselho Federal de Administração (CFA) promovem, entre 27 e 29/4, o 6º encontro da Rede de Administradores das Universidades Iberoamericanas (Raui). O evento reunirá docentes membros da Rede e de instituições de ensino superior ibero-americanas e da América Latina. O objetivo é debater o tema A Universidade no Século XXI, com assuntos relacionados ao ensino superior e seu futuro no Brasil e no mundo. A abertura do evento será no Tuca (rua Monte Alegre, 1.024) e contará com a participação do reitor Dirceu de Mello e do administrador Roberto Carvalho Cardoso,

presidente do CFA. As palestras serão no Espaço Manacá (av. Nove de Julho, 3.830, Jardins), do Conselho Regional de Administração (CRA-SP). INTEGRAÇÃO – A Raui foi criada em 2003, sob endosso institucional da Conferência de Reitores da Espanha (Crue) e da Conferência de Reitores das Universidades Portuguesas (Crup), como projeto para integrar as universidades ibero-americanas. O 6º Raui é patrocinado pelo Sindicato dos Administradores no Estado de São Paulo (Saesp) e pelo CFA. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone (11) 3661-5400. Inscrições e programação pelo site http:// www.raui2009.com.br.

Dia 8/5, às 20h, o professor Sidi Askofaré (diretor de Pesquisa do Laboratório de Psicopatologia Clínica e Psicanálise da Universidade de Toulouse 2 Le Mirail, França) ministra a conferência Figures du symptôme: du social à l’individuel, no auditório 239 (2º andar, Prédio Novo). Promoção: Núcleo de Pesquisa Psicanálise e Sociedade (Pós em Psicologia Social), em parceria com o Fórum do Campo Lacaniano-SP e com apoio do Laboratório de Estudos em Teoria Social, Filosofia e Psicanálise-USP e do Departamento de Psicologia Social e do Trabalho do Instituto de Psicologia-USP. Haverá tradução simultânea e a entrada é franca. Informações: (11) 3670-8520.

Divulgação Científica O Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) está com inscrições abertas, até 11/5, para o 29º Prêmio José Reis de Divulgação Científica. Este ano, serão premiadas iniciativas que contribuam para tornar a ciência, a tecnologia, a pesquisa e a inovação conhecidas do grande público, na modalidade Instituição. Saiba mais: www.cnpq.br/premios.

22/4/2009 17:00:17


www.pucsp.br

06

PUC-SP

entre as melhores universidades brasileiras

Pós-Graduação Stricto Sensu

Mestrado, Doutorado e Mestrado Profissional Reconhecimento, apoio e financiamento:

2009

2º semestre de

INFORMAÇÕES

› › › › › › › › › › › › › › › › › › › › › › › › ›

Administração (M) Ciências Contábeis e Atuariais (M) Ciências da Religião (M/D) Ciências Sociais (D) Comunicação e Semiótica (M/D) Direito (M) Economia (M)* Educação: Currículo (M/D) Educação: História, Política, Sociedade (M/D) Educação Matemática (M/MP/D) Educação: Psicologia da Educação (M) Filosofia (M/D) Fonoaudiologia (M/D) Geografia (M) Gerontologia (M) História (M) História da Ciência (M/D) Língua Portuguesa (M/D) Lingüística Aplicada e Estudos da Linguagem (M/D) Literatura e Crítica Literária (M) Psicologia Clínica (M/D) Psicologia Experimental: Análise do Comportamento (M/D) Psicologia Social (M/D) Serviço Social (M/D) Tecnologias da Inteligência e Design Digital (M) * Exclusivamente para candidatos que tenham participado do Exame Nacional da ANPEC em Outubro de 2008.

Secretaria Acadêmica da Pós-Graduação da PUC-SP Rua Ministro de Godoy, 969 - 4º andar – sala 4B/03 05015-000 - Perdizes - São Paulo - SP Tel.: (11) 3670.8526 | (11) 3670.8642 (fax)

www.pucsp.br/pos alunospos@pucsp.br

INSCRIÇÕES

13 de abril a 18 de maio de 2009 desenvolvido por DTI - NMD

pucnoticias_pg_06.indd 1

22/4/2009 17:00:43


Lançamento Acaba de ser lançado o livro Artemídia e cultura digital (Musa Editora). Organizada por Artur Matuck e Jorge Luiz Antonio, a obra conta com artigos de professores da PUC-SP. www.pucsp.br

07 Centenário

Filosofia da PUC-SP comemora 100 anos Evento que marca o primeiro curso superior do Brasil na área reunirá professores da Universidade e docentes da USP e da Unicamp para discutir a dimensão política, cultural e histórica da Filosofia no país Thiago Pacheco Divisão de Comunicação

Sala de filosofia em 2008, cem anos depois da primeira aula do curso

A PUC-SP comemora, nos dias 4, 5 e 6/5, o centenário de seu curso de Filosofia, o primeiro curso superior do Brasil nesta área do saber. “A celebração possui dois sentidos. Um, mais particular, se refere à nossa história interna e marca a presença da Filosofia como um dos cursos em torno dos quais a PUC-SP foi constituída. O outro, mais amplo, comemora o início do ensino da área no Brasil”, afirma o professor Márcio Alves da Fonseca, chefe do Departamento de Filosofia e um dos docentes que integra a organização do evento. “Nosso curso, até por ter sido o primeiro, teve um papel histórico importan-

te, relacionado à vocação da Filosofia: desenvolver o pensamento crítico e a consciência política e histórica por meio da formação de alunos, da pesquisa e da presença na universidade”. O evento se realiza no Tucarena e terá conferências de professores do Departamento de Filosofia da PUCSP, USP e Unicamp. Eles debaterão os temas Filosofia, universidade e memória, Filosofia e educação e Filosofia e cultura. Também haverá duas sessões (dias 5 e 6/5) para apresentação de trabalhos de alunos de iniciação científica, mestrado e doutorado, mostrando a atual produção discente da Universidade na área. “Quando começamos a

pensar na celebração, resolvemos fazer dela um acontecimento sem muita pompa. A idéia era reunir pessoas que têm alguma relação com o curso e se fizeram presentes em sua história: foram alunos, docentes, participaram de bancas ou, de alguma forma, ajudaram na formação de nosso quadro docente”, conta Fonseca. Além de professores da PUC-SP, a programação inclui nomes como Franklin Leopoldo e Silva (USP), Oswaldo Giacóia Jr. e Celso Fernando Favaretto (USP). Para conhecer a programação completa basta entrar no site www.pucsp.br. Mais informações podem ser obtidas no Pós em Filosofia: pelo telefone (11) 3670-8417 ou e-mail posfil@pucsp.br.

Professores revelam história do curso Primeira aula se realizou no início do século 20 A Filosofia como disciplina universitária no Brasil começou dia 15 de julho de 1908, com a aula inaugural da Faculdade Livre de Filosofia e Letras, iniciativa de Dom Miguel Kruse, abade do Mosteiro de São Bento. Com seu reconhecimento em 1940, a Faculdade Livre passou a se chamar Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de São Bento – que, em 1946, uniu-se à Faculdade Paulista de Direito para formar a PUC-SP. Essa história é contada pelos professores Carlos Arthur Ribeiro do Nascimento e Salma Tannus Muchail no artigo Um curso de filosofia nos trópicos, disponível na íntegra no site www.pucsp.br e no blog do jornal PUC em Notícias (http://blog.pucsp. br/pucemnoticias). No texto, os docentes também destacam a experiência da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras Sedes Sapientiae, criada nos anos 1930, que fazia parte da Universidade na condição de agregada. A junção dos dois cursos de Filosofia que existiam na PUC-SP (o da São Bento e o do Sedes), em 1970, é considerada por eles um momento “de

pucnoticias_pg_07.indd 1

particular importância” na trajetória dessa graduação. Além de criar o Depto. de Filosofia da PUC-SP, a unificação resultou em um curso que tinha como eixo a “análise dos textos filosóficos em sua lógica interna”, seguindo o molde que havia sido colocado em prática no Sedes. Dessa forma, a graduação distanciava-se de um modelo de ensino baseado uma doutrina e passava a fornecer aos estudantes uma visão mais histórica da Filosofia. A professora Sônia Ferrari, coordenadora da graduação, ressalta que essa característica se manteve desde então: “Temos como objetivo promover a formação equilibrada do aluno. Não há, portanto, ênfase em nenhuma sub-área. Se identificarmos áreas com disciplinas, temos seis semestres de História da Filosofia e de Teoria do Conhecimento, quatro de Ética e de Lógica e dois de Estética e de Filosofia Geral. Desse modo procurase dar conta dos conteúdos dessas áreas”. Salma e Carlos Arthur mencionam ainda a importância da criação do pósgraduação em Filosofia, em

1977. O atual chefe do Departamento, prof. Fonseca, também enfatiza o papel da pós-graduação no desenvolvimento da Filosofia na Universidade. Ele observa que, a partir do surgimento da pós-graduação, o ensino e a investigação na área incorporaram uma linha de pesquisa mais específica da instituição, a Filosofia das Ciências Humanas. “A abertura das outras áreas para o modo de pensamento e reflexão da Filosofia e da Filosofia para os demais campos de conhecimento é uma tendência”, considera. “Vemos isso em nossos alunos, hoje há estudantes que vêm dessas outras áreas e buscam a Filosofia para pensar seu próprio domínio de atuação, de profissão... Nosso curso vê a tendência com bons olhos e contribui para a diminuição das fronteiras entre as diversas áreas de conhecimento. Mas sem perder sua vocação, que é o conhecimento dos sistemas e dos filósofos”. EDUCAÇÃO – Outra característica do atual currículo da graduação é a relação entre Filosofia e Educação. Na avaliação de Fonseca,

essa afinidade entre as áreas remete ao próprio fundamento da Filosofia como ensino e constituição do homem. “A atual estrutura do curso, que passou recentemente por uma reforma curricular, manteve, segundo nossa tradição, o bacharelado e a licenciatura. Se entendeu que ambos fazem parte da formação do filósofo”, pondera. “O currículo novo acrescentou mais elementos à educação de nossos alunos, na medida em que a preocupação com o ensino passou a fazer parte da formação desse estudante des-

de o 1º ano”, explica Sônia. Além disso, segundo ela, a perspectiva profissional para o graduado em Filosofia ainda é a docência – o bacharel que continua sua formação na pós-graduação pode optar pelo ensino superior e o campo de atuação para o licenciado se ampliou, com a exigência da presença da Filosofia no ensino médio. A docente, porém, faz uma ressalva: “O aumento de número de aulas dessa disciplina nas escolas públicas não resultou numa possibilidade maior de inserção do professor de Filosofia, pois as

aulas foram, na sua maior parte, distribuídas entre professores de outras áreas que já lecionavam nas escolas”. O Departamento de Filosofia tem ainda, desde 2007 e junto com o Departamento de Francês, uma parceria de cooperação com a Universidade de Genebra (Suíça). O programa prevê a troca de alunos de ambas as universidades (graduação e pósgraduação) e de professores (por períodos de alguns meses ou de um semestre). Atualmente, uma das alunas de graduação participa desse intercâmbio em Genebra.

22/4/2009 17:01:06


O Fingidor Espetáculo sobre Fernando Pessoa reestréia no Tuca. Temporada até 28/6; sextas e sábados às 21h30 e domingo às 19h. Inf.: www.teatrotuca.com.br. www.pucsp.br

08 Teatro para crianças

Cyrano de Bergerac estréia no Tuca Adaptação do clássico para o público infantil traz Mel Lisboa no elenco

Capela recebe concertos de música sacra O Núcleo Fé e Cultura e Paróquia Coração Imaculado de Maria (capela da PUC-SP) promovem até o final do semestre uma série de

concertos de música sacra. As apresentações acontecem sempre nos últimos domingos de cada mês, às 19h45, e têm entrada gratuita.

Confira a programação completa 26/4 Zabaione Musicale Fé inabalável – o louvor do barroco alemão Concerto com composições de Bach, Haendel, Telemann e Buxtehude, com soprano, flauta doce, viola da gamba, espineta e violoncelo. 31/5 Coral Municipal de Suzano O coral apresenta peças do maestro José Roberto de Paulo e de José Maurício Nunes Garcia, o compositor mais importante do período conhecido como barroco mineiro. Regência: José Roberto de Paulo. Divulgação

Da Redação

28/6 CoralUSP 600 anos de música sacra Visita aos diferentes períodos da produção coral

sacra, da Idade Média ao século 21. Regência: Márcia Hentschel. 26/7 Duo Tangolomango Os clássicos Este concerto mostra obras de W. A. Mozart e de outros compositores clássicos, apresentando uma gama diferente e nova, de belíssimas obras para dois violinos pertencentes a este período. Inf: (11) 3862-2498

Tadeu Mello (à dir., embaixo) faz um ator “coringa” que interpreta mais de 10 papéis diferentes

gerac com apenas quatro atores no elenco. A missão é difícil, uma vez que a trupe é pequena. Procurando contornar suas limitações, os atores lançam mão de um ator “coringa” (Tadeu

Mello), que divertidamente dá vida a mais de 10 personagens e de muitos “truques” e “efeitos” teatrais. O espetáculo é livre, mas a produção recomenda para crianças a partir de 5 anos.

Estamos preparados para o público 2.0?

Cyrano

Priscila Lacerda

Cyrano é uma comédia heróica, cheia de ação e que exalta sentimentos nobres como o amor e a capacidade de renúncia, o cavalheirismo e a grandeza da alma. A peça, que se passa em meados do século XVII, traz nesta montagem os atores fazendo desenhos e textos em microcâmeras que captam e projetam imagens manipuladas. Além disso, desenhos animados pontuam a história. Eles foram criadas especialmente para a montagem. Tudo começa quando uma pequena companhia de teatro dos dias de hoje decide encenar Cyrano de BerPriscila Lacerda

Até junho, o público infantil tem a chance de conhecer no palco do Tuca a clássica história do poeta romântico Cyrano de Bergerac. O espetáculo Cyrano tem no elenco Mel Lisboa (Roxanne), Dudu Pelizzari (Cristiano), Tadeu Mello (Conde de Guiche / Ragueneau / Aia / Capelão / Sentinela / Narrador) e Maurício Machado (Cyrano de Bergerac). A adaptação do texto de Edmond Rostand (18681918) é de Denise Crispun e a direção chega à cena pelas mãos experientes de Karen Acioly. O espetáculo tem ainda a consultoria artística de Bibi Ferreira.

Tuca Rua Monte Alegre, 1024 – Perdizes Até 28/6 Sábados e domingos, às 16h Classificação: livre Duração: 55 min. R$ 40 (inteira) R$ 10 (comunidade da PUC-SP) Inf.: (11) 3670-8455

Aldeotas abre nova temporada na PUC-SP Divulgação

pucnoticias_pg_08.indd 1

De 2/5 a 30/8, o espetáculo Aldeotas entra novamente em cartaz no Tucarena. Dirigido por Cristiane Paoli-Quito, o espetáculo traz no elenco os atores Caco Ciocler e Gero Camilo (foto). Aldeotas conta a trajetória de Levi e Elias, dois amigos de infância que se reencontram em fragmentos de memória na pequena cidade de Coti das Fuças.

Cobertura do evento pode ser vista no twitter

Aldeotas Tucarena Rua Monte Alegre, 1024 2/5 a 30/8 Sábados, às 21hs Domingos, às 19h30 Recomendação: 12 anos Inf.: (11) 3670-8455

O grupo de pesquisa Net Art: Perspectivas Criativas e Críticas (Pós em Comunicação e Semiótica), coordenado pela professora Giselle Beiguelman, realizou dia 14/4, às 20h, no auditório superior do Tuca o debate Estamos preparados para o público 2.0?, com Geert Lovink (Institute of Network Cultures/

Holanda) e Ronaldo Lemos (Creative Commons Brasil/ FGV-RJ), em parceria com a Agência Click. O evento discutiu as perspectivas da criação artística e produção de informação no contexto da Web 2.0. É possível acompanhar a cobertura do evento pelo http:// twitter.com/netart_studies.

22/4/2009 17:01:38


Edição 04