Issuu on Google+

COMUNICAÇÕES PROVÍNCIA FRANCISCANA DA IMACULADA CONCEIÇÃO DO BRASIL NOVEMBRO 2013 • ANO LXI • Nº 11

COMUNICAÇÕES . NOVEMBRO DE 2013

A HISTÓRICA VISITA DO PAPA A ASSIS

473


SUMÁRIO ________________________________________

MENSAGEM DO MINISTRO PROVINCIAL - “Itinerário Espiritual/Eclesiológico do Papa........................................................................................................................................................................475 FORMAÇÃO PERMANENTE - “A fé: um abandonar-se nas mãos de um amor que tem sua origem em Deus”, de Frei Marcos Antônio de Andrade....................................................477 FORMAÇÃO E ESTUDOS - Profissão Solene de Frei Alexandre Rohling....................................................................................................................................................................479 - Frei Alex Ferreira fará a profissão solene no dia 10 de novembro............................................................................................................................................482 - Aspirantado caminha para o fim do ano..................................................................................................................................................................................483 - Ituporanga: Festa do Padroeiro do Seminário...............................................................................................................................................................................484 - SAV: Semana Missionária em Indaial e Rodeio................................................................................................................................................................................485 - Frades Estudantes fazem retiro anual...........................................................................................................................................................................................486 - SAV: Missões de férias – Juventudedes de SC e PR...........................................................................................................................................................487 - ITF: Master em Evangelização - Interpelações e Perspectivas ............................................................................................................................................487 FRATERNIDADES - Vila Velha: Mês das Festas Franciscanas...............................................................................................................................................................................488 - Mês Franciscano em Bragança Paulista.................................................................................................................................................................................492 - “Uma Igreja doente”, texto de Frei Luiz Iakovacz.............................................................................................................................................................................494 - ESPECIAL: Visita do Papa Francisco a Assis......................................................................................................................................................................495 - Rio: Santo Antônio celebra São Francisco......................................................................................................................................................................................511 - SAV-RJ: Vocacionados visitam Clarissas.............................................................................................................................................................................511 - Jovens da Paróquia da Vila Clementino encenam o Trânsito de São Francisco................................................................................................................512 - Frei Gustavo Medella pede o fim dos “claustros”.............................................................................................................................................................514 - Convento São Francisco: Dominicanos e franciscanos juntos......................................................................................................................................516 - São Francisco: Festa e devoção em Duque de Caxias.........................................................................................................................................................518 - Caminhada pela paz e pela vida em Duque de Caxias.............................................................................................................................................................519 - Bom Jesus: “Alegria”, tema da Semana Franciscana........................................................................................................................................................................520 - Regional de Curitiba se encontra com o Provincial.............................................................................................................................................................520 - ES: Regional se reúne na Penha.....................................................................................................................................................................................................521 EVANGELIZAÇÃO - Sefras celebra a paz.........................................................................................................................................................................................................................522 - Terceira Idade: bem-estar no parque....................................................................................................................................................................................523 - O Dia da Criança no Sefras............................................................................................................................................................................................................524

COMUNICAÇÕES . NOVEMBRO DE 2013

- FIMDA: Festa para o Padroeiro São Lucas...............................................................................................................................................................................525

474

NOTÍCIAS DO DEFINITÓRIO PROVINCIAL - Encontro realizado em São Paulo, de 14 a 16 de outubro.........................................................................................................................................................526 CFMB - Eleito o Novo Governo da CFMB..........................................................................................................................................................................................531 - Frei Inácio é o Provincial no Rio Grande do Sul..............................................................................................................................................................531 AGENDA......................................................................................................................................................................................................532

PROVÍNCIA FRANCISCANA DA IMACULADA CONCEIÇÃO DO BRASIL Rua Borges Lagoa, 1209 - 04038-033 | Caixa Postal 57.073 - 04089-970 | São Paulo - SP www.franciscanos.org.br | ofmimac@franciscanos.org.br


MENSAGEM ________________________________________

ITINERÁRIO ESPIRITUALECLESIOLÓGICO DO PAPA CARÍSSIMOS IRMÃOS E IRMÃS, Que o Senhor nos dê a Paz! Neste número das Comunicações queremos dar destaque aos acontecimentos franciscanos que marcaram este último mês. Em primeiro lugar quero louvar a Deus pela Profissão Solene de Frei Alexandre Rohling. Fez muito bem a todos nós, já na semana que antecedia à Solenidade de São Francisco de Assis, ouvir: “Tendo o Senhor me dado a graça de seguir mais de perto o Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo.... faço voto a Deus... professo a vida e a Regra dos Frades Menores... entrego-me de coração a esta fraternidade... e com a ajuda fraterna de todos, eu possa tender constantemente para a perfeita caridade, no serviço a Deus, à Igreja e aos homens”. Na celebração desta Profissão Solene foi significativa a presença dos nossos confrades Irmãos que tanto bem fazem na missão evangelizadora das nossas fraternidades. Entre os irmãos, a participação dos confrades que trabalharam em terras de missão foi profética: Frei Jorge Lázaro Frei Plínio G. da Silva e Frei Odorico Decker (Angola). Sim, a

-aventurado pai Francisco como plantador, fundador e auxílio

presença destes irmãos fizeram com que o nosso ‘Frei Xandão’

no serviço de Cristo”, mais do que nunca estávamos atentos à

professasse solenemente a nossa missão evangelizadora no

visita do Papa Francisco à cidade de Assis.

serviço do povo de Deus.

Assim, em terceiro lugar, nesta edição das Comunicações,

Em segundo lugar, agradeço a Deus e destaco o empenho

queremos oferecer um especial destaque à visita do Papa a

das nossas Fraternidades locais e regionais que, tanto nas Fren-

Assis. Os nossos jornalistas e colaboradores, Moacir e Cyn-

tes de Evangelização como nos Serviços e Casas de Formação,

thia, em 16 páginas ilustram os discursos/homilias que o Papa

se empenharam para celebrar na fé a morte (Transitus) e a

Francisco pronunciou nesta visita à Assis de São Francisco e de

glorificação do Seráfico Pai São Francisco de Assis. E neste

Santa Clara. Esta histórica presença do Papa Francisco no dia

ano, enquanto celebrávamos este memorial pascal “do bem-

da Solenidade do Seráfico Pai em Assis não representa apenas a

COMUNICAÇÕES . NOVEMBRO DE 2013

(Marrocos); Frei Sérgio Calixto (Terra Santa);

475


MENSAGEM ________________________________________ visita de mais um peregrino ilustre a esta encantadora cidade situada no vale da Úmbria, mas trata-se, a meu ver, de um itinerário espiritual/eclesiológico que o Papa, ao evocar Francisco para o seu Pontificado, quer propor a toda a Igreja. E por que não lembrar a inusitada ‘fala’ do Crucificado a Francisco de Assis: “Vai, Francisco, e restaura a minha Igreja!” O planejamento desta peregrinação do Papa, queira ou não, segue uma lógica muito próxima à vida de São Francisco que destaco da seguinte forma: 1) O encontro de São Francisco com o leproso, ‘eu tive

contemplativa perpetuada pelas irmãs Clarissas. O Papa

misericórdia para com eles’, é o portal de entrada do Papa

também enfatiza a missão evangelizadora das seguidoras de

Francisco em Assis, caracterizado no seu encontro com

Santa Clara de Assis ao desejar uma vida contemplativa vivida

crianças portadoras de deficiência e doentes do Instituto

em comunhão com Cristo, em fraternidade, na largueza e no

Seráfico de Assis: ‘Jesus escondido nestas chagas... estas

sorriso do coração (perfeita alegria).

chagas precisam ser ouvidas’. 6) A Porciúncula (Santa Maria dos Anjos), berço da 2) O despojamento de São Francisco, sua renúncia aos

Ordem Franciscana, lugar da escuta do evangelho, do aprimo-

bens terrenos e a profissão no Pai nosso que está nos céus, é

ramento da forma de vida, dos capítulos e ponto de partida do

apelo do Papa Francisco ao convidar a Igreja a se despojar:

envio missionário. Soam fortes as palavras do Papa Francisco,

‘nós temos que andar pela estrada de Jesus, que percorreu

na alocução aos jovens em Santa Maria dos Anjos: “Aqui em

um caminho de despojamento, Ele mesmo’.

Assis, perto da Porciúncula, parece que podemos ouvir a voz de São Francisco que nos repete: ‘Evangelho, Evangelho!’. E

3) A Cruz de São Damião, o Evangelho da Porciúncula e o Cântico das Criaturas, elementos inspiradores

diz também a mim, melhor, primeiro a mim: Papa Francisco, seja servidor do Evangelho!”

Francisco de Assis, são convites do Papa para que a Igreja

Portanto, ao oferecermos estas reflexões do Papa Fran-

imite e testemunhe Cristo ‘que, sendo rico, se fez pobre para

cisco, desejo que as suas palavras possam ecoar na nossa vida

COMUNICAÇÕES . NOVEMBRO DE 2013

da radicalidade evangélica e missão evangelizadora de São

nos enriquecer por meio da sua pobreza’.

cristã e franciscana, na mesma reverência que São Francisco

476

mãe da Igreja, é reverenciada pelo Papa Francisco na vida

de Assis devotou ao Bispo de Roma: “Para que, sempre súditos 4) A escuta da palavra, o caminhar (itinerância frater-

e sujeitos aos pés da mesma santa Igreja, firmes na fé católica,

na) e a missionariedade sem limites de São Francisco, são

guardemos a pobreza e a humildade e o Santo Evangelho de

recordados pelo Papa Francisco para que a Igreja, a partir de

Nosso Senhor Jesus Cristo como firmemente prometemos”

suas próprias lideranças, vá às periferias, fora dos feixes de

(RB 12,4).

luz dos holofotes, para lá levar e anunciar a luz do Evangelho. 5) A irmã Santa Clara de Assis, mulher humana e

Que o Senhor nos abençoe e nos guarde! FREI FIDÊNCIO VANBOEMMEL, OFM MINISTRO PROVINCIAL


FORMAÇÃO PERMANENTE ________________________________________

A FÉ: UM ABANDONAR-SE NAS MÃOS DE UM AMOR QUE TEM SUA ORIGEM EM DEUS A EVIDÊNCIA DA FÉ... O Novo Testamento fala tanto da dúvida como da fé. Os apóstolos não estavam muito surpreendidos pela dificuldade em acreditar, pois sabiam que ela estava predita pelos profetas. Paulo e João citam a palavra de Isaías: «Senhor, quem acreditou na nossa mensagem?» (Jo 12,38 e Rm 10,16). João acrescenta: «era o que Isaías tinha dito ainda: ‘Cegou-lhes os olhos e endureceu-lhes o coração, para que seus olhos não vejam, seu coração não compreenda’» (Jo 12, 39-40). Os quatro Evangelhos fazem referência a esta passagem do capítulo 6 de Isaías. O que podemos notar é que a fé não é evidente! O Evangelho de João mostra a fé no pano de fundo do seu oposto. Desde o início Cristo é ignorado: «Veio para o que era seu e os seus não o receberam» (Jo 1,10-11). É verdade que a certa altura muitos seguiram Jesus. Mas, rapidamente, a maioria deixa de acreditar nele: «Muitos discípulos voltaram atrás e não andavam mais com ele» (Jo 6,66). Jesus não tenta agarrá-los. Constata: «Por isso é que vos disse: ‘Ninguém pode vir a mim se não lhe for concedido por meu Pai’» (Jo 6,65). Cristo não procurou suscitar a adesão através da persuasão, pois a fé tem uma profundidade que ultrapassa a inteligência e as emoções. Enraíza-se nessas profundidades onde «o abismo chama outro abismo» (Sl 42,8), onde o abismo da nossa condição humana toca no abismo de Deus. «Ninguém pode vir a mim, se o Pai, que me enviou, o não atrair» (Jo 6,44). A fé nasce inseparavelmente da atuação de Deus e da vontade humana. Ninguém acredita se não quiser. Também ninguém acredita sem que Deus o permita.

Se a fé é um dom de Deus e se nem todos acreditam, será que Deus afasta alguns? Na passagem onde João cita Isaías sobre a impossibilidade de crer, também transmite uma palavra de esperança de Jesus: «E eu, quando for levantado da terra, atrairei todos a mim» (Jo 12,32). Elevado sobre a cruz e elevado na glória de Deus, Cristo «atrai» como o Pai «atrai». Como é que ele faz para atingir todos os seres humanos? É impossível dizê-lo. Mas por que não havemos de confiar nele no que diz respeito àquilo que nos ultrapassa? Até à última página, o Evangelho de João mostra a fragilidade da fé. A dúvida de Tomé tornou-se proverbial. Mas o que é decisivo é que, sem acreditar, permanece na comunidade dos crentes – e evidentemente, estes não o expulsam! Tomé espera, o Ressuscitado mostra-se a ele, e ele acredita. Depois Jesus diz: «Porque viste, creste. Felizes os que não viram e creram!» (Jo 20,29). A fé não é um feito. Vem inesperadamente, ninguém sabe como. É uma confiança que se espanta com ela própria. A FÉ ENQUANTO ABERTURA RADICAL AO MISTÉRIO Diz Leonardo Boff num de seus livros: “A fé consiste fundamentalmente numa atitude radical de abertura para o Mistério de nossa existência e de sua acolhida amorosa, modificando o caminhar humano. Crer em Deus é um modo de viver a vida como confiada, entregue, colocada em Suas mãos; é uma maneira de totalizar todas as nossas experiências e interpretar o mundo, vendo-o a partir do desígnio de Deus e ligado umbilicalmente à Sua divina realidade.” Este é o sentido originário de crer, como um existir em

COMUNICAÇÕES . NOVEMBRO DE 2013

FREI MARCOS ANTONIO DE ANDRADE

477


FORMAÇÃO PERMANENTE ________________________________________ confiança e abertura, mas uma abertura iluminada por um Tu absoluto, uma “Luz na qual vemos a luz” (Sl 36,10). Esse tu comungado e amado deixou sua obscuridade misteriosa e se fez nosso irmão em Jesus Cristo, Deus encarnado. Crer, significa abrir-se, deixar-se orientar, acolher a santa humanidade de Jesus de Nazaré na qual encontramos o Absoluto Mistério, sentido de nosso viver e morrer. Crer é mais que um confiar-se radical e ontológico ao Tu divino; é também abrir-se e acolher o que Ele nos tem a dizer, seu projeto histórico sobre o homem, sua revelação sobre o destino do mundo. O que Ele nos tem a dizer o auscultamos em nossa consciência; com sentidos afiados por Sua luz o descobrimos nos sinais dos tempos e na história que Ele fez com um povo. Isso é testemunhado pelas Sagradas Escrituras, interpretadas à luz da história da fé cristã, história que culminou no caminho concreto de Jesus de Nazaré vivo, morto e ressuscitado. Essa atitude de abertura e acolhida, por um lado universal e por outro concreta, constitui uma manifestação do que seja graça em cada homem. Porém, esta graça não se restringe a uma dimensão pessoal, ela se desdobra numa dimensão eclesial e social. Em última análise, é por causa da fé que nós somos responsáveis pelo tipo de sociedade, de fraternidade, de Província, de Ordem, de Igreja e da qualidade de vida criadas ao nosso redor. Se elas dão margem à emergência de Deus ou O abafam com sua prepotência. A emergência, a transparência e a epifania da fé se dá nas obras (Tg 2, 14-18).

COMUNICAÇÕES . NOVEMBRO DE 2013

A FÉ ENQUANTO RESPOSTA DO SER-HUMANO

478

A fé é compreendida como a resposta que o homem dá com responsabilidade a uma proposta, decifrada como sendo a revelação do próprio Deus na vida concreta. Ela deve exprimir a nossa assunção de forma livre para uma realidade que é fundamento e destinação. O homem exprime essa sua experiência por várias formas: pelo culto, por símbolos, por fórmulas doutrinais e por organizações religiosas. A religião é a fé institucionalizada, e a fé é o núcleo e a substância da religião. Embora geralmente a fé seja vista como uma religião, porque trata da relação com esse Absoluto a que se chama Deus, esta noção não se revela muito útil para a captar no seu carácter único. Será ela então uma espiritualidade? Sim, no sentido em que oferece um caminho pessoal e vivido de aprofundamento do sentido da existência. É uma peregrinação nas pisadas de Cristo, e coloca forçosamente o peregrino em relação com todos aqueles que estão no mesmo caminho. Sabemos que não pode haver fé sem religião, mas pode contudo haver religião sem fé! Basta observarmos o legalismo, o ritualismo, o dogmatismo, o sacramentalismo, etc. Mas a fé é quase nada, mal se discerne – pequena como

um grão de mostarda, diz Jesus (Lc 17,6). Ao mesmo tempo, é «mais preciosa que o ouro» (1Pd 1,7), «santíssima» (Jd 20). A fé pertence às virtudes teologais, nos diz o Catecismo: «são infundidas no homem com a graça santificante, tornam-nos capazes de viver em relação com a Trindade e fundamentam e animam o agir do cristão, vivificando as virtudes humanas. Elas são o penhor da presença e da ação do Espírito Santo nas faculdades do ser humano» (CIC 384). Segundo S. Paulo «A fé, a esperança e a caridade permanecem para sempre. Porém, a maior delas é a caridade» (1Cor 13,13), pois «a Fé atua pelo amor» (Gl 5,6). No séc. VII, Máximo, o Confessor, identifica a fé com o reino de Deus: «A fé é o reino de Deus sem forma visível, o reino é a fé que tomou forma segundo Deus». E acrescenta que a fé realiza «a união imediata e perfeita do crente com Deus em quem crê». O FUNDAMENTO DA FÉ “Ressuscitou!” Este é o fundamento da nossa fé, a razão da nossa esperança e o motivo da nossa caridade: «Se Cristo não ressuscitou, vazia é a nossa pregação, vazia também é a nossa fé» (1Cor 15,14). Sem esta experiência, a cruz de Jesus e as nossas seriam uma tragédia e a vida cristã um absurdo. A partir dela, ao contrário, podemos cantar com a liturgia: “O Crux, ave, spes unica” (Salve, ó cruz, nossa única esperança). O Crucificado «ressuscitou ao terceiro dia, segundo as Escrituras» (1Cor 15,4). Eis aqui o núcleo central da nossa fé e do kerigma primitivo: «Tanto eu como eles, eis o que proclamamos» (1Cor 15,11). A ressurreição é o grande “sim” de Deus Pai a seu Filho e, nele, a nós, por isso é também o tema do anúncio e o fundamento da nossa fé.

HOJE É FINADOS

Frei Walter Hugo de Almeida

Hoje é Finados, mas eu vejo Vivos, “Quem vive e crê em mim, jamais morrer!” - Falou Jesus, e meus valores divos, Pensar me fazem, nesse amanhecer. A morte é entrada para o céu, subida, A morte é irmã, mentira mais lavada!... A morte é morte e vale então a Vida, Para quem crê no Amor, mansão amada. Dia dos mortos, meu novembro ... história, Nunca engoli, pois eu na vida creio, - A morte é porta para entrar na glória. E nós nascemos pra viver; morrer É lei e por que então preocupar-se, Se a fé é o gozo do nosso vencer?...


FORMAÇÃO E ESTUDOS ________________________________________

PROFISSÃO SOLENE

FREI ALEXANDRE ROHLING

“SENHOR, FAZEI DE MIM UM INSTRUMENTO DE VOSSA PAZ” O domingo amanheceu ensolarado, depois de um sábado chuvoso na cidade de Ituporanga. Nada melhor de que um belo dia, para celebrar, em fraternidade, a profissão solene do confrade Alexandre Rohling. Afinal de contas, estava “tudo pronto, tudo preparado” para que tivéssemos uma bela festa na comunidade de Cerro Negro. Assim se fez! Igreja lotada: confrades, amigos e benfeitores vieram de vários lugares do Brasil para participar com Frei Xandão da celebração na qual ele disse seu sim definitivo a Deus, na Ordem dos Frades Menores. Depois de um tríduo muito participado, de visitas nas escolas e casas da região, e do empenho incansável da comunidade local, chegou o momento de festejar o dom da vida no altar. Conduzida pelo ministro provincial, Frei Fidêncio Vanboemmel, e concelebrada por vários frades, a celebração foi um misto de oração, alegria e emoção. Depois da leitura do evangelho, iniciou-se o rito de profissão solene, que segue a seguinte ordem: chamado do professando; apresentação de sua trajetória vocacional; diálogo com o celebrante; homilia; prostração e ladainha

de todos os santos; profissão dos votos e bênção ao professando. Ressalto a homilia de Frei Fidêncio, que enfatizou o presente que são os confrades que o Senhor nos dá. São Francisco, conta o celebrante, agradece a Deus a graça de ter-lhe dado irmãos e que todos aqueles que são

COMUNICAÇÕES . NOVEMBRO DE 2013

FREI ALVACI MENDES DA LUZ

479


FORMAÇÃO E ESTUDOS ________________________________________

COMUNICAÇÕES . NOVEMBRO DE 2013

conduzidos à Ordem pelo Senhor, são dádivas de Deus. Contando com a presença significativa de confrades de opção laical na celebração, o ministro aproveitou o momento para citar o empenho missionário de muitos ali presentes, que por vários anos trabalharam em terras estrangeiras: Frei Plínio (missionário em Angola); Frei Odorico Decker (missionário em Angola); Frei Sérgio Calixto (missionário na Terra Santa); Frei Jorge Lázaro (missionário em Marrocos), enfim, frades que não fizeram a opção sacerdotal, assim como Frei Alexandre, mas trabalharam e trabalham incansavelmente na evangelização. Não faltaram ainda os abraços, as saudações e as tão esperadas homenagens, que, no final de cada celebração de profissão, dão um toque especial. Roupas da infância, brinquedos, quadros, tudo trazido ao altar e colocado aos pés do Seráfico Pai Francisco. A pequena Joana Berri cantou a Oração de São Francisco, cuja letra inspirou o tema de profissão, e o povo capixaba cantando o hino “Virgem da Penha”, conduziu uma réplica da imagem de Nossa Senhora da Penha, cujo convento e santuário são cuidados pelos frades e onde Frei Xandão fez estágio

480


FORMAÇÃO E ESTUDOS ________________________________________

EMOÇÃO NO TRÍDUO Como sempre acontece antes das ordenações e profissões solenes, a equipe missionária, coordenada por Frei Diego Melo, do SAV, faz um trabalho de animação e preparação. Não foi diferente com a profissão solene de Frei Xandão! O segundo dia do Tríduo foi um dos momentos marcantes desta preparação. Ao serem convidados para se dirigir até o altar, os pais de Frei Alexandre deram a bênção ao seu filho, como o fizeram durantes tantas vezes em suas vidas. De joelhos diante de seus pais, ele renovou suas forças para continuar firme na caminhada vocacional, sempre abençoado por aqueles que o geraram. Mas como toda mãe é mãe, há sempre algo a mais para dizer, e Dona Rita, mãe de Frei Xandão, pediu a palavra e disse a todos os presentes que há mais de 17 anos tem rezado e pedido a Nossa Senhora que abençoe a vocação de seu filho. Ela tem confiado à Mãe de todas as mães o cuidado de seu filho. Mesmo cansada, ela jamais deixou de rezar por ele. E é claro que, nestas horas, nem mesmo Frei Xandão, com seu tamanho todo, conseguiu se conter.

COMUNICAÇÕES . NOVEMBRO DE 2013

e amigos, até o altar e a entregou à mãe do professando, Dona Rita Rengel. Carinho de mãe, que acolhe em seus braços a mãe de todos nós. Por fim, as palavras do professando eram só de agradecimento. “Agradeço por tudo”, disse Frei Xandão: a Deus, à Província Franciscana da Imaculada Conceição, aos confrades, aos familiares e aos amigos. Segundo ele, não há palavras para expressar tudo o que estava sentindo no coração, e que por mais que usasse palavras, elas não diriam tudo naquele momento. E como dizia sua vó: “Meu neto, Deus te abriu os caminhos”, com certeza, Ele continuará à frente nesta caminhada abraçada, para toda a vida. Terminada a missa, nos esperava um belo salão comunitário todo arrumado, bem decorado e aquele delicioso churrasco já no ponto. De fato, a recepção dos amigos e confrades no salão foi bem ao modo local: regada com muita música, boa comida e uma bela apresentação de dança alemã. Ao nosso confrade, as palavras de estímulo e perseverança na vocação. A todo o povo de Deus, nosso abraço sincero e agradecido. Temos certeza que este dia ficará gravado na história da comunidade do Cerro Negro, que tanto se empenhou para que tudo corresse bem.

481


FORMAÇÃO E ESTUDOS ________________________________________

FREI ALEX FERREIRA DA SILVA MOACIR BEGGO

COMUNICAÇÕES . NOVEMBRO DE 2013

No dia 10 de novembro, nas mãos do Ministro Provincial, Frei Fidêncio Vanboemmel, Frei Alex Ferreira da Silva fará a sua entrega total a Deus pela profissão da obediência, da pobreza e da castidade. Frei Alex estará ingressando definitivamente na Ordem de São Francisco de Assis na opção de irmão religioso leigo. Esse momento será celebrado no dia 10 de novembro, às 10h30, na Paróquia Senhor Bom Jesus, na Ferraria, em Campo Largo (PR). Frei Alex é natural de Curitiba, onde nasceu no dia 8 de junho de 1986 e vestiu o hábito de São Francisco no dia 8 de janeiro de 2006. Conheça, nesta entrevista, mais um pouco do futuro professo solene da Província da Imaculada. Comunicações - Quem é Frei Alex Ferreira da Silva? Frei Alex - Nasci em Curitiba, mas passei grande parte de minha infância no Norte do Paraná. Morei em vários lugares até retornar a Curitiba e finalmente parar em Campo Largo. Por causa dessas constantes mudanças, aprendi a conviver com a diferença de pessoas e lugares. Guardo um pouco da simplicidade da vida na roça e da agitação da cidade. Venho de família que sempre cultivou a religião. Aprendi desde criança o valor da oração e da leitura da Bíblia. Tenho 5 irmãs que sempre me apoiam. Tenho grandes sonhos de contribuir para que o mundo seja sempre melhor, mas sei que primeiro a grande mudança começa por mim. Procuro estar inserido na realidade das pessoas onde me encontro e participar do seu cotidiano. Amo de coração a vida em fraternidade. É onde nos definimos e mostramos quem realmente somos.

Comunicações - Como se deu o seu discernimento vocacional? Frei Alex - Quando mudamos para Campo largo, tive o primeiro contato com os franciscanos. Villa torres era um dos lugares onde os frades estudantes, do período da Filosofia, realizavam algumas atividades pastorais. Antes, conhecia apenas padres, pelos 482 quais tinha muito respeito, mas só apareciam

“Quanto mais conhecia Francisco, mais queria ser parecido com ele” para celebrar a Missa. Já os frades passavam as tardes de sábado com a gente, visitavam nossas casas, os doentes, conversavam com os jovens e participavam dos eventos da comunidade. Isso me causou grande admiração e me fez aproximar cada vez mais dos frades. Comunicações - Por que escolheu seguir os passos de Francisco de Assis? Frei Alex - A admiração pelos frades fez com que eu ficasse cada vez mais curioso para saber como era a vida deles. Até que um dia o então Frei Alexandre Besen e Frei Marcelo Romani convidaram-me para participar de um encontro vocacional, onde tive o primeiro contado com Francisco de Assis, através de filmes, palestras dos freis e livros. Houve de minha parte um grande encantamento com a vida de Francisco. Mas a escolha de seguir os passos de São Francisco se deu durante o processo de formação, onde fui aos poucos descobrindo o que era ser um frade menor. Quanto mais conhecia Francisco, mais queria ser parecido com ele. Comunicações - Por que escolheu a Ferraria para a sua profissão? Frei Alex - Escolhi Ferraria porque foi ali que conheci os frades e é onde meus pais moram atualmente. É uma maneira de compartilhar esse momento com os amigos e as pessoas que sempre me apoiaram durante minha caminhada. Também será uma oportunidade de apresentar para Paróquia, principalmente aos jovens, um pouco mais do carisma franciscano e da opção de irmão leigo. Comunicações - Como ser irmão leigo hoje no mundo?

Frei Alex - Ser irmão leigo no mundo de hoje é um grande desafio. Mesmo em ambiente religioso, essa opção é vista como algo diferente. As pessoas sempre perguntam pela ordenação e quando digo que não vou me ordenar, sempre há um espanto. Fora do ambiente religioso, poucas pessoas sabem dessa opção e sempre ficam muito curiosas para saber mais de como é a vida de um irmão. Contudo, desde o momento que senti que essa era minha vocação, tive sempre muito apoio dos meus formadores e dos colegas de turma. Comunicações - Como foi sua experiência missionária em Angola? Frei Alex - Foi um grande aprendizado. No primeiro morei no seminário, onde tive a oportunidade de conviver com os aspirantes à vida franciscana. Aprendi muito sobre a cultura e o modo de ser do povo angolano. No segundo ano, morei em uma Paróquia em Luanda, onde pude colaborar com alguns serviços pastorais, especialmente com as crianças e os jovens. Procurei ao máximo participar do cotidiano dos lugares onde passei. Toda dificuldade em estar em outro país foi superada pela alegria de estar convivendo e aprendendo com o povo angolano. Foi uma grande experiência de conversão e crescimento, como pessoa e como frade. Comunicações - O que você diria sobre a vida religiosa franciscana para um jovem vocacionado? Frei Alex - Diria que esta fazendo uma grande escolha e que, desde o começo, buscasse acima de tudo seguir Jesus Cristo da maneira que viveu Francisco.


FORMAÇÃO E ESTUDOS ________________________________________

ASPIRANTANDO CAMINHA PARA O ENCERRAMENTO AGUDOS

VITOR AMÂNCIO aspirante A primavera chegou em Agudos e, com ela, as flores preenchem as alas do Seminário Santo Antônio, colorindo ainda mais esse “Jardim de Deus”. E, nesse jardim, terreno fértil, vai se cultivando a vocação religiosa franciscana dos aspirantes, que aqui chegaram no dia primeiro de agosto. Passadas as semanas, nós, aspirantes, temos descoberto as maravilhas e os desafios da vida fraterna. O trabalho, a formação e a convivência têm contribuído significativamente em nosso discernimento vocacional. O trabalho, em particular, coordenado por Frei Virgílio Pereira de Souza, vem nos conscientizando dos cuidados e da preservação do lugar em que vivemos. A formação, dada pelos frades: Paulo César Ferreira, Thiago Hayakawa e Walter Hugo, juntamente com a professora Maria Helena, tem nos conduzido a uma maior edificação humana e, principalmente, cristã. Frei Paulo, o mestre, com toda preocupação, tem dedicado seu tempo e esforço para nos formar. A convivência com os demais frades, de modo especial com os irmãos leigos da Fraternidade, tem sido um espelho de vivência fraterna em harmonia com verdadeiros exemplos

de fé, disciplina e fraternidade. Também tem contribuído a convivência entre os aspirantes, vindos dos diversos lugares da Província. Cada um com uma cultura, uma história, um modo de ser diferente, porém, com a mesma fé, o mesmo sonho e o mesmo ideal. O respeito, a correção fraterna, a alegria de conviver entre irmãos nos trazem a lembrança de Francisco: “E o Senhor me deu irmãos...”. E nessa lembrança, cada dia mais, vamos mergulhando nesse carisma para que assim, nos passos de nosso Pai Seráfico, permaneçamos em comunhão com os irmãos e em união com Cristo.

COMUNICAÇÕES . NOVEMBRO DE 2013

CONVITE

483


FORMAÇÃO E ESTUDOS ________________________________________

ITUPORANGA - SEMINÁRIO

FESTA DO PADROEIRO do que se constitui a experiência de fé do Santo de Assis, como a fé católica, cristocêntrica, a fé na Igreja e nos sacerdotes, a fé como dom e graça. Frei Jorge também propôs celebrações e orações que se voltavam para a dimensão da missão, por estarmos no mês de outubro. “Ide, sem medo, para servir”, disse o Papa Francisco – frase lançada para reflexão pessoal e conclusão do retiro. Agradecemos pela disponibilidade de vir a Ituporanga para nos orientar no nosso retiro anual, Frei Jorge!

FREI RODRIGO DA SILVA SANTOS

COMUNICAÇÕES . NOVEMBRO DE 2013

A Festa do Seminário São Francisco de Assis já é uma tradição na cidade. Foi bonito perceber o quão bem vista e querida é esta casa pelo povo de Ituporanga e região. As pessoas ouvem falar que a festa é pra ajudar o seminário, se desdobram para fazer o que puderem para colaborar. Nosso agradecimento a todos os festeiros que incansavelmente se desdobraram para atender ao povo que veio participar, largando as lavouras e seus trabalhos costumeiros para, por uma semana completa, entregarem-se por inteiro ao evento. Formamos uma bela família e na convivência fraterna, pudemos nos conhecer, nos divertir e fazer desta festa o sucesso que foi. Quanto ao povo, a participação não deixou a desejar: desde o almoço e café com os irmãos da 3ª Idade, o jantar dos amigos do seminário e ex-seminaristas, o buffet de sopas e o almoço festivo do domingo, a participação foi imensa! O ginásio não comportou o número de pessoas que veio para jogar o bingo e conferir o sorteio da Ação entre Amigos! O resultado do sorteio foi: 1º prêmio: nº 96.581 (Enedir Rode); 2º prêmio: nº 78.154 (JJ e J Hortifruti Granjeiro); 3º prêmio: nº 78.861 (Wilson Empreendimentos Imobiliários); e 4º prêmio: nº 71.321 (Osni Schlickmann). Agradecemos, ainda, aos con-

484

SEMINARISTAS EXPÕEM TRABALHO EM FEIRA ESTADUAL DE MATEMÁTICA

frades que se dispuseram a vir presidir as celebrações eucarísticas, bem como às fraternidades que ano após ano nos ajudam com as vendas da Ação entre Amigos, uma colaboração sem dúvida indispensável para o bom êxito da festa. Muito obrigado a todos! RETIRO ANUAL DOS SEMINARISTAS Nos dias 11 a 14 de outubro, aconteceu o retiro anual dos seminaristas que teve como tema: “A fé em São Francisco”, cujo pregador foi o Frei Jorge Lázaro Souza. Os temas refletidos se acercavam

“Matemática na Constituição: facilitando a vida do consumidor”. Os seminaristas Gabriel Luiz Martinelli e Matheus José Borsoi, do 2º e 3º anos respectivamente, levaram à feira estadual seu trabalho, que tinha por objetivo conscientizar os consumidores sobre a nova lei, aprovada em dezembro de 2012, que obriga constar em todas as notas fiscais o valor aproximado dos impostos cobrados sobre cada produto comprado. O trabalho recebeu destaque na feira, mas não foi indicado à etapa nacional. Nossos parabéns aos seminaristas que levaram o Seminário à Feira com um trabalho de qualidade!


FORMAÇÃO E ESTUDOS ________________________________________

SEMANA MISSIONÁRIA EM RODEIO E INDAIAL Para melhor celebrarmos o mês dedicado às missões e acolhendo o apelo do Papa Francisco na sua visita ao Brasil durante a JMJ, “ Ide, sem medo, anunciar...”, nós, noviços franciscanos, realizamos a Semana Missionária em Rodeio e Indaial, organizada por Frei Diego Melo, animador provincial do SAV (Serviço de Animação Vocacional). No dia 1º de outubro foi feita uma visita à escola Santo Antônio, em Rodeio. Durante a visita procuramos transmitir às crianças e aos adolescentes alguns valores cristãos e franciscanos. Perguntas e curiosidades sobre a vida dos frades não faltaram da parte dos estudantes. No dia 2, isto é, terça-feira, a convite

do pároco Pe. Márcio, da Paróquia São Francisco de Assis, de Indaial, iniciamos nossas missões naquela jovem Paróquia, criada há aproximadamente um ano, cujo trabalho consistiu essencialmente na divulgação do carisma franciscano através das visitas feitas às famílias e aos colégios. Durante a Semana Missionária saíamos de casa às 8 horas da manhã para Indaial. Um grupo regressava às 17 horas para preparar a celebração na matriz de Rodeio, enquanto o outro grupo permanecia em Indaial para lá também celebrarem a Eucaristia com o povo. Dois a dois, como manda o Evangelho, passávamos de casa em casa. Conversávamos com as famílias, rezávamos e as convidávamos a participar ativamente

nas celebrações das festividades do seu padroeiro. Diariamente era feito em comunidades diferentes, de modo que ao final do dia era realizada uma celebração na própria comunidade. Além das visitas às casas foram visitados três colégios de Indaial nos períodos matutinos e vespertinos. Neles, os frades apresentavam a temática dos valores e virtudes. Grande foi a nossa alegria em poder celebrar com o povo a Festa de nosso Pai São Francisco de modo tão intenso e fraterno. Que o Senhor faça frutificar esse nosso trabalho com boas e santas vocações para todos os ministérios da Igreja. Louvado seja Nosso Senhor pela vida de São Francisco e pela nossa vocação!

COMUNICAÇÕES . NOVEMBRO DE 2013

FREI ERMELINDO FRANCISCO

485


FORMAÇÃO E ESTUDOS ________________________________________

FRADES ESTUDANTES DE PETRÓPOLIS REALIZAM O RETIRO ANUAL

COMUNICAÇÕES . NOVEMBRO DE 2013

FREI JEAN CARLOS AJLUNI

486

Os frades estudantes no período da Teologia se reuniram no convento do Sagrado em Petrópolis nos dias 25, 26 e 27 de Setembro, para a realização do retiro anual e preparação para a solenidade de São Francisco. O retiro foi assessorado por Frei Marconi Lins, ministro provincial da Província de Santo Antônio, que gentilmente aceitou o convite da equipe formadora para estar com os frades durante os dias de retiro e refletir sobre a fé na perspectiva franciscana. A presença de Frei Marconi foi muito positiva e conquistou a todos por sua postura simples, humilde e sua reflexão convincente, fruto de uma postura de vida profundamente sintonizada com a identidade franciscana. As reflexões durante os três dias giraram em torno do tema da fé e eram enriquecidas por trechos das fontes franciscanas, documentos da Ordem e do Evangelho. Os dias de retiro foram marcados pela oração em comum da liturgia das horas e celebração eucarística, pela oração e reflexão pessoal possibilitada em vários momentos do dia e por momentos de estudo e reflexão realizados em dois encontros diários com Frei Marconi. O retiro conseguiu ser uma “parada estratégica”, como indicou o pregador no primeiro dia, que possibilitou buscar nas fontes da vida franciscana, na experiência mais intensa de oração comunitária/pessoal e nas reflexões dirigidas pelo pregador, um novo impulso no percurso formativo. Na celebração de encerramento, os frades estudantes agradeceram a Frei Marconi e acrescentaram às demonstrações de gratidão uma caricatura dele feita pelo confrade Frei

Leandro Costa com os dizeres: “Não basta ser frade, tem que ser frade menor”, o que exprimia uma das reflexões mais marcantes em torno da identidade franciscana durante os dias do retiro. Após o encerramento, toda a fraternidade do Sagrado e os frades estudantes das outras fraternidades

se reuniram para um momento alegre de convivência fraterna no recreio festivo.

Com o tema sobre a Fé, Frei João Mannes foi o pregador do Retiro no Eremitério, de 7 a 11 de outubro.


FORMAÇÃO E ESTUDOS ________________________________________ MISSÕES DE FÉRIAS – JUVENTUDES DE SC E PR Caros confrades, Paz e bem!

mento de encontro e partilha das suas

Conforme todos já sabem, em janeiro

experiências de vida e missão;

derá solicitá-las. 7. Custos:

iremos realizar a I Caminhada da Juven-

• proporcionar um maior aprofunda-

A viagem será por conta da frente

tude, envolvendo os jovens de SP, RJ e ES.

mento do espírito missionário franciscano

que enviar os jovens. Além disso, estamos

Assim, visando contemplar o Sul da nossa

e do nosso modo próprio de evangelizar;

pedindo a contribuição de 40,00 por par-

Província, vimos por meio desta comunicar

• dar continuidade ao espírito mis-

ticipante para custearmos as despesas com

a realização de uma missão com os jovens

sionário deixado pela JMJ (“Ide e fazei

camisetas, kit missionário e a manutenção

provenientes das fraternidades e frentes

discípulos entre todas as nações”) Mt 28,19.

de toda a missão.

de Evangelização dos estados de SC e PR,

4. Perfil dos participantes:

em Ituporanga, SC. Para tanto, pedimos a

Como nos demais encontros de jovens

todos os frades, principalmente aos párocos,

da Província, para essa missão deverão ser

que desde já comuniquem e motivem seus

enviados aqueles jovens que já têm uma certa

frei.diego@hotmail.com

jovens a estarem conosco realizando essa

caminhada eclesial e/ou que já são lideranças

informando o nome, idade, paróquia

missão, cujo objetivo, dentre outros, é o de

juvenis, tendo em vista que eles serão os

de proveniência, tamanho da camiseta, tele-

manter o elo de unidade e partilha entre as

protagonistas do trabalho missionário e das

fone e e-mail para contato. Após as inscri-

juventudes das diferentes fraternidades de

visitas às famílias.

ções iremos mantendo contato direto com

8. Inscrições: As inscrições deverão ser feitas até o dia 30 de dezembro, pelo e-mail:

A idade mínima é de 16 anos e a má-

os jovens para passar mais informações. Por

1. Data e Local:

xima de 30 anos. Quem for menor de idade

fim, desde já agradecemos pelo incentivo

Dia 20/02/2014 (quinta-feira) che-

precisa da autorização direta dos pais.

de nossos confrades na motivação dos

nossa Província.

gada e acolhida até o final da tarde, no

5. Vagas:

jovens para participarem conosco de mais

Seminário São Francisco de Assis, em Itu-

• 4 jovens por paróquia;

essa iniciativa com e para as juventudes de

poranga, SC. O encerramento será no dia

• 5 jovens do DEC;

nossa Província.

23/02 (domingo), com o almoço.

• 2 jovens do SEFRAS;

Fraternalmente,

2. Objetivos do encontro:

• frades da Filosofia e/ou da Teologia;

Frei Diego Atalino de Melo

• proporcionar aos jovens um mo-

A frente que desejar mais vagas po-

Serviço de Animação Vocacional

ITF

MASTER EM EVANGELIZAÇÃO: INTERPELAÇÕES E PERSPECTIVAS cristã e franciscana, envolvendo prática

FREI ELÓI DIONÍSIO PIVA Em atenção aos apelos da Ordem,

Destina-se aos membros da Família

particularmente das Conferências Fran-

Franciscana da América Latina e do Ca-

ciscanas da América Latina e, depois de

ribe e a todas as pessoas interessadas em

um ano de avaliação, o ITF oferece, em

práticas evangelizadoras.

2014, o Curso conhecido como Master

Os requisitos para participar do

em Evangelização – Interpelações e Pers-

Curso são estes: Curso universitário ou

pectivas, em nova formatação.

correspondente e prática evangelizadora.

Por que um Curso assim? Todos

O início do Curso:

entendemos quão decisivo é colocar-se

entendemos o valor da consciência do

junto às fontes da Evangelização, ou seja, responder ao por que evangelizar, à

“nós” franciscanos, do “nós” discípulos e dia 10/03, com introdução à língua portumissionários de Jesus Cristo – inseridos no guesa (mas deverão chegar 1-2 dias antes);

pergunta em que consiste a Boa Nova, o

“nós” pessoas humanas. Está no DNA dos

que significa deixar-se evangelizar; todos

seguidores de Jesus anunciar a Boa Nova da para os de fala portuguesa), o início será salvação; em nossos dias, as lideranças da no dia 17/03 (também para os de fala

entendemos também quão determinante seja situar-se no presente da história

a) para os de fala castelhana será no

b) para todos (portanto, também

humana, em qualquer um dos eventuais

Igreja Católica têm a consciência do Envio portuguesa, chegar 1-2 dias antes). Informações: secretaria@itf.org.br; e, por isso, a todos convidam. O Curso pre-

níveis que quisermos estabelecer; todos

tende, pois, articular experiência humana, www.itf.org.br; tel.: (055/24) 2243-9959.

COMUNICAÇÕES . NOVEMBRO DE 2013

evangelizadora.

487


FRATERNIDADES ________________________________________

VILA VELHA

MÊS DAS FESTAS FRANCISCANAS A Paróquia Nossa Senhora do Rosário, em Vila Velha, a cada ano aguarda com ansiedade e devoção a chegada do mês de outubro – mês franciscano, recheado de festas e celebrações. Ainda no mês de setembro, no dia 17, juntamente com toda a Igreja e, particularmente com a Família Franciscana, celebramos os Sagrados Estigmas de São Francisco. No dia, às 19h30, nos reunimos para celebrar esse momento significativo na Igreja Nossa Senhora do Rosário, sede da Paróquia.

Ali se encontraram os frades do Santuário Divino Espírito Santo e Convento Nossa Senhora da Penha, Irmãos da Ordem Franciscana Secular, lideranças e membros das 10 comunidades paroquiais. Uma celebração profundamente devocional e rica de simbolismo. Nela pudemos, todos, meditar a profunda ligação de São Francisco de Assis com o Cristo Crucificado. No dia 3 de outubro, nos reunimos mais uma vez para celebrar a passagem de São Francisco, o Trânsito. Celebrando a memória deste grande Santo, juntos novamente, os frades do Santuário e do Convento da Penha, os irmãos da Ordem

Igreja do Rosário lotada na Festa das Chagas

Encenação da impressão das Chagas

COMUNICAÇÕES . NOVEMBRO DE 2013

FREI JAMES FERREIRA G. NETO

488


FRATERNIDADES ________________________________________

COMUNICAÇÕES . NOVEMBRO DE 2013

Franciscana Secular e amigos e admiradores de Francisco de Assis. Sob a coordenação dos Frades do Convento, a celebração seguiu serena e devota. Destaque para a já tradicional encenação da morte de São Francisco pelos jovens da Paróquia. Destaque também para a participação do Coral do Convento da Penha que, além dos cânticos da celebração, brindou-nos com a apresentação do “Transitus” tradicional. Dia 4 de outubro, dia de São Francisco de Assis, também dia dos Animais, as portas do Santuário de Vila Velha estiveram abertas durante todo o dia acolhendo animais de todos os tipos e tamanhos para serem abençoados juntamente com seus donos. Um frade de “plantão” acolheu e abençoou por intercessão de São Francisco a gatos, cachorros, cachorrinhos, peixes, pássaros, tartarugas, coelhos, pintinhos e até mesmo uma jiboia, a Jiba, dócil e tranquila no colo de seu dono. Às 19 horas, a Igreja se encheu novamente para a celebração do Dia de São Francisco. Mesmo não sendo um dia

489


FRATERNIDADES ________________________________________

COMUNICAÇÕES . NOVEMBRO DE 2013

costumeiro de Missa neste horário, amigos e devotos de Francisco e de seus seguidores vieram celebrar e se confraternizar no pátio do Santuário numa festa que nem mesmo a chuva diminuiu a alegria. E as festas não pararam por aí. Já na segunda-feira, dia 5 de outubro, nos encontramos novamente para celebrarmos São Benedito, na mais nova comunidade da Paróquia. E teve mais... Dia 6, antecipamos a celebração de Nossa Senhora do Rosário. Uma grande festa a céu aberto, na pracinha da Prainha, reuniu mais uma vez as comunidades da Paróquia para a celebração de sua Padroeira. Presentes também os irmãos da Ordem Franciscana Secular e do Apostolado da Oração. O tempo ajudou e a praça foi tomada pelos devotos de Nossa Senhora do Rosário. Frei Paulo Pereira, agradecendo a presença e participação de todos, ressaltou que uma Paróquia se faz da

490

união viva das comunidades, e foi o que se viu no dia, uma Paróquia viva que reúne a força de suas comunidades para celebrar com alegria e devoção. Na segunda feira seguinte à Celebração na Praça da Prainha, celebramos, mais uma vez Nossa Senhora do Rosário, Padroeira da Paróquia e de Vila velha, desta vez na Igreja de mesmo nome. Novamente, presença marcante das comunidades que formam a Paróquia. Liturgia bem preparada e piedosa, com momentos fortes como o das velas acesas no corredor para a entrada do andor de Nossa Senhora e o momento em que toda a nave da igreja foi coberta com o manto branco representando o manto de Nossa Senhora. E o encerramento deste outubro franciscano se deu com a Noite Franciscana, no dia 25 de outubro, no Campinho do Convento da Penha, um momento de orações pela Paz e apresentações de música e dança.


FRATERNIDADES ________________________________________

MATRIZ NOSSA SENHORA DO ROSÁRIO Nos tempos de Vasco Fernandes Coutinho (1535), no período colonial, a Igreja tinha pouco movimento pela população local e falta de clérigos, agravada com a transferência da capital para Vitória, em 1551, e a

● Data de fundação da igreja do Rosário: 1753 ● Rosário é entregue aos franciscanos: 1942 ● Data de fundação do Santuário do Divino Espírito Santo: 1956 ● Inauguração deste Santuário: 1968

construção do Convento da Penha em 1651. Seu registro como sede da Paróquia é do século XVIII. A prática religiosa se resumia à páscoa anual, rezas, ladainhas, procissões e catequese. Com a vinda de D. Pedro II, em 1860, foi determinado que arranjassem um padre para as celebrações. No final do século XIX, a Igreja separou-se do Estado, criando o Bispado do Espírito Santo. Surgiram, então, as capelas de Barra do Jucu, Jaguarussu, Ponta da Fruta, Paul, Glória, Ibes, São Torquato, Cobilândia, Boa Vista e Praia da Costa, entre outras. A Festa do Divino Espírito Santo era um momento de religiosidade muito forte, às vezes acompanhada da Festa da Penha. Foram criadas algumas irmandades e confrarias e o Apostolado da Oração. Os Vicentinos surgiram no início do século, convocando os fiéis para o trabalho social de ajuda às pessoas. Em 1940 foi construído o 1942, a Paróquia foi entregue aos franciscanos da Ordem dos Frades Menores. Com a inauguração do Santuário, em 1968, as celebrações na Igreja do Rosário foram reduzidas apenas aos finais de semana. Somente em 1974, com a implantação dos círculos bíblicos e do dízimo, é que Comunidade se organizou, criando as equipes de batismo, crisma, casamento, catequese, liturgia e outras. Os ministros da Eucaristia são de fundamental importância para as celebrações eucarísticas. Hoje muitos moradores do centro de Vila Velha voltaram a valorizar o espaço do templo da Matriz, a Igreja Nossa Senhora do Rosário, a igreja da Prainha.

COMUNICAÇÕES . NOVEMBRO DE 2013

Dispensário São Judas Tadeu, hoje sede social, ao lado da Igreja. Em

491


FRATERNIDADES ________________________________________

MÊS FRANCISCANO EM BRAGANÇA PAULISTA

COMUNICAÇÕES . NOVEMBRO DE 2013

“Francisco parecia realmente um homem novo, um homem de outro mundo.” (1Cel 82,1)

492

Intitulamos esta comunicação, para Comunicações da Província, de “Mês Franciscano em Bragança Paulista”, em vista da iniciativa da Fraternidade, que procurou unir celebrações na própria Fraternidade, nos 5 câmpus da Universidade São Francisco, no Hospital Universitário São Francisco-Associação Franciscana na Providência de Deus, no Colégio Bom Jesus Santo Antônio do Pari, com a Ordem Franciscana Secular. A comemoração – Mês Franciscano – já é tradicional, de bons e muitos anos. A forma, nova, pareceu-nos, diríamos, mais nossa, de laços mais franciscanos. E foi, na realidade, a tônica da avaliação final. Francisco, vimo-lo mesmo como um homem novo. Ou, nas inspiradas expressões de São Boaventura: “Concluímos com fé indubitável que o servo de Deus, Francisco, foi o arauto de Deus, digno de ser amado por Cristo, imitado por nós e admirado pelo mundo” (LM Prólogo, 2,1). Vejamos, por partes, a celebração do nosso Mês Franciscano. 1. Na Fraternidade – Nossa Fraternidade ligou setembro e outubro. ● Nos encontros sistemáticos de sexta-feira, marcados pelo Guardião Frei Carlos Pierezan, estudamos os volantes organizados pelo Mo-

derador da Formação Permanente, Frei Estêvão Ottenbreit: o subsídio número 3 = “Vivendo e servindo como Menores”, e o número 4 = “Chamados para sermos enviados”. Importante notar, com participação sempre de todos os Confrades, enfermos e cuidadores, menos, claro, Frei Jura e Frei Zeno Pauk, acamados. Aprofundamos igualmente o subsídio do Definitório Geral “Nossa Identidade Franciscana” (2012). Por sinal, muito apreciado. Ainda: a revisão e atualização do “Projeto Fraterno de Vida e Missão”. ● No dia 3 de outubro, ao pôr do sol, celebramos a tradicional “Memória do Trânsito de nosso Pai São Francisco”, adaptada, pelas circunstâncias do grupo (94, 93 anos ...). ● Na Solenidade, dia 4, a Santa Missa Concelebrada, pela manhã, com toque mais festivo, e alegria de

todo o dia nas refeições, na convivência e demais celebrações. ●No 3º. domingo do mês, Bênção dos Animais, na simpática Atibaia, promoção da Prefeitura Local e grata participação, promissora de outras futuras – como comentaram. 2. Na Universidade e no Hospital – Notável, o programa para os 5 câmpus. Frei Nilo Agostini, Coordenador da Pastoral Universitária, com a Profª. Dalva Aparecida Leme, Secretária do NEXT (Núcleo de Extensão), antes PRC (Pró-Reitoria Comunitária), e Frei Agostinho Piccolo, montaram programa de várias e variadas celebrações para o mês todo. ● Elencando: * Tríduo de preparação – Frei Agostinho coordenou, com Frei


FRATERNIDADES ________________________________________

* Dia 4: ● Concelebração Solene da Santa Missa no Salão Nobre da Universidade São Francisco, às 15 h, com participação numerosa de Funcionários/as, Professores, Diretores, Reitor e Ordem Franciscana Secular. Após, confraternização no hall do edifício central. ● Santa Missa e bênção dos animais, no Colégio Bom Jesus, Itatiba, às 8h30, presididas por Frei Raimundo J. de Castro, Presidente da Casa de Nossa Senhora da Paz. ● “A figura de São Francisco no mundo”. Reflexão para Funcionários do câmpus I (Swift) de Campinas, às 15h30, pelo Prof. Cláudio Carlos. ● “O Fascínio de São Francisco” – Momento de Espiritualidade Franciscana, para Universitários, no anfiteatro do câmpus de Bragança, às 19h, por Frei Nilo Agostini e Dalva Leme, Secretária da Pastoral Universitária. ● Projeção do filme “Francesco”, de Liliana Cavani, realizada no câmpus de São Paulo, às 19h30,

com mediação do Prof. Waldemar Milanez. * Outros eventos, a partir do dia 1º. de outubro e durante o Mês Franciscano: ●Apresentação do Coral da USF, em São Paulo, às 20h30, sob a regência da Maestrina Regina Fazenda. ●Palestra aos Professores, no câmpus de Itatiba, às 21h, por Frei Nilo e Professor Antônio Neres de Meira, da Pastoral Universitária. ● “Refletindo sobre Francisco de Assis”, no Dia do Professor, 15 de outubro, no Anfiteatro do câmpus de Campinas, às 20h30, pelo Professor Cláudio Carlos. ● “O Fascínio de São Francisco”, Liturgia da Palavra, no Dia do Professor, para Professores e Colaboradores, Colégio Bom Jesus Santo Antônio do Pari, São Paulo: 10h30 e 15h30, na Capela, com Frei Agostinho S. Piccolo, e confraternização, na Sala de Recreio. ● “O Fascínio de São Francisco”, Dia do Professor, câmpus da Freguesia do Ó, São Paulo, 19h, para os Professores Universitários, com Frei Agostinho S. Piccolo e Rogéria M. S. Vasconcellos, da Pastoral Universitária; às 21h, para os Alunos dos vários cursos da Universidade. ●“Refletindo sobre São Francisco de Assis”, câmpus II de Campinas (Cambuí), período da tarde, com Professores e Colaboradores, por Frei Nilo Agostini e Professor Cláudio Carlos. - Idem, período da noite, com Alunos. ● Concurso Cultural: “Inspiração Franciscana”, com Universitários, Freguesia do Ó, São Paulo, de 1º. a 25 de outubro, das 8h às 22h. ● XIV Jogos Franciscanos da Juventude, aberto a Colégios, Faculdades e Clubes, nas quadras da Uni-

versidade São Francisco, Bragança Paulista, do dia 1º. a 25 de outubro, coordenação geral do Professor Luís Gustavo Santos do Amaral. ● Vale anotar a preparação motivadora, pelo Dia de Espiritualidade “Vamos a São Francisco”, já em 23 de agosto, com 35 enfermeiras/os e colaboradores do HUSF. Realmente, Mês Franciscano privilegiado. Preparação. Celebração. Participação. O Pai Francisco diria, entusiasmado: “Lodato sia il Signore!” E um recado do Papa Francisco, na homilia da Santa Missa em Santa Marta, manhã de 18 de outubro de 2013: “As casas de repouso, que abrigam Padres e Freiras idosos são santuários de santidade e apostolicidade. Exorto-os a não se esquecerem desses santuários, de bravos Sacerdotes e bravas Religiosas, envelhecidos, com o peso da solidão, esperando que o Senhor venha bater à porta de seu coração.” E destacou que, assim como se realizam peregrinações a famosos santuários marianos ou dedicados a santos como São Francisco de Assis ou São Bento, o Papa Francisco sugeriu peregrinações a esses santuários de santidade e apostolicidade, que são as casas de repouso de Padres e Freiras.” Abraço fraterno a Todos. Sejam bem-vindos em nossa Fraternidade Franciscana!. Frei Nilo Agostini, Frei Regis G. Daher, Frei Agostinho S. Piccolo.

COMUNICAÇÕES . NOVEMBRO DE 2013

Bento Aguiar e Silva, Administrador do HUSF, as celebrações com a Universidade e o Hospital, às 15h, na Capela (nova) do Hospital. Vivendo ainda o Ano da Fé, unimo-nos em oração e reflexão sobre três místicas paixões de Francisco: a devoção à Encarnação (Natal, Presépio), à Paixão (Cruz), à Eucaristia (presença real do Amor). Participação significativa de enfermeiros/as, funcionários/as da USF e HUSF, OFS, entre outros fiéis. Frei Nilo Agostini, por sua vez, orientou durante toda a tarde meditação no câmpus de São Paulo e celebrou a Eucaristia no câmpus de Campinas para todos os universitários.

493


FRATERNIDADES ________________________________________

ARTIGO

UMA IGREJA DOENTE

COMUNICAÇÕES . NOVEMBRO DE 2013

FREI LUIZ IAKOVACZ

494

Há sinais de que a Igreja está doente quando se torna uma empresa bem dirigida e bem sucedida. Nenhuma empresa sobrevive sem produtos, lojas, vendedores, lucros, propaganda, concorrência... Quando a prosperidade material e curas milagrosas falam mais alto que a Boa Nova do Evangelho, é preciso estar alerta porque, tais fatos, podem se tornar “traça e ferrugem que corroem” (Mt 6,19). Se o lucro for superior ao salário de um operário que trabalha dignamente (cf. Lc 10,7), leva à acomodação a própria Igreja e o ardor missionário esmorece, paulatinamente. O testemunho do apóstolo Paulo é oportuno: livremente, abriu mão do preceito “aqueles que anunciam o Evangelho, vivam do Evangelho” (1 Cor 9,14); por sua vez, assumiu a postura de viver com seu salário profissional, construtor de tendas (cf. At 18,3), sustentando-se a si mesmo e sua equipe missionária” (cf. At 20,33-35). Há sinais de que a Igreja está doente quando se contenta, como diz o Documento de Aparecida, em satisfazer-se com uma “pastoral de conservação”, isto é, atender os fiéis que a procuram, quando a proposta é de ser, também, uma “Igreja, essencialmente, missionária” (nº 370), isto é, sair da sacristia e, a exemplo do Bom Pastor, buscar a ovelha desgarrada; e, ao encontrá-la, abraçá-la com ternura de mãe, atitude várias vezes lembrada pelo Papa Francisco. Há sinais de que a Igreja está doente quando há concorrência entre cantores de diversas denominações, na construção de templos suntuosos, ou na aglomeração estatística de massas populares. É preciso estar atento porque a evangelização é mais eficaz pelo testemunho de vida do que pela visibilidade. Cristo amaldiçoou a figueira que tinha mais folhas e beleza estética do que frutos (cf. Mc 11,12-14). Poderíamos prolongar os sinais

dessa doença. Porém, convém detectar a sua causa. O apóstolo Paulo nos assegura: “A raiz de todos os males é a ganância pelo dinheiro. Por causa dele, alguns se afastaram da fé e afligem a si mesmos com muitos tormentos” (1 Tm 6,10). Esse “espírito mundano é a lepra e o câncer da Igreja e da sociedade”, nos diz o Papa Francisco. Para tratar essa doença, nada melhor do que uma Igreja saudável. Onde encontrá-la?!... Na vida simples que noss o Mestre Jesus Cristo viveu, e no seu amoroso e gratuito serviço a todos. Por isso, há sempre sinais de esperança, tais como: o crescimento paulatino de cristãos, particularmente, nos países pobres; o anúncio, cada vez maior, do Evangelho a grupos excluídos (índios, ribeirinhos, quilombolas, ciganos migrantes); o CEBI, com seu jeito popular

de ler a Bíblia; a sede da Palavra de Deus, subjacente em todo o ser humano, especialmente, entre os humildes: “Eu te louvo, Pai, porque escondeste estas coisas aos sábios e entendidos e as revelaste aos pequeninos. Sim, Pai, porque isto foi do teu agrado” (Mt 11,25). Diz a Bíblia que o profeta Ezequiel foi levado pelo espírito de Javé a uma planície cheia de ossos para que, ali, profetizasse. Mas... por que profetizar a quem está morto e sem sinais de esperança?! Javé insistiu: “Filho do homem, profetiza porque infundirei meu espírito neles e reviverão”; e da ossada se levantou um grande exército (cf. Ez 37,1-14). Assim, também hoje, se perseverarmos nessa insistência profética à qual Javé nos impele, com certeza, da força e união do pequeno e do humilde, Deus é capaz de tornar possível o impossível.


4 DE OUTUBRO DE 2013

495


496


NO InSTiTUTO SERテ:iCO

497


NA CÁRiTAS

498


499


500


NA BASÍLiCA DE SÃO FRAnCiSCO

501


502


NA CATEDRAL DE Sテグ RUFinO

503


504


NA BASÍLiCA DE SAnTA CLARA

505


506


EM SAnTA MARiA DOS AnJOS

507


508


509


BÊnÇÃO DE SÃO FRAnCiSCO O Senhor te abençoe e te guarde, mostre a ti o seu rosto e tenha misericórdia de ti. Volte para ti o seu olhar e te dê a paz.

510


FRATERNIDADES ________________________________________

SANTO ANTÔNIO CELEBRA SÃO FRANCISCO FREI GILMAR JOSÉ DA SILVA

SAV-RJ

VOCACIONADOS VISITAM AS CLARISSAS MARCELO MÉRIDA DOS REIS vocacionado No feliz dia da Padroeira do Brasil, 12 de outubro de 2013, os vocacionados do Convento de Santo Antônio do Largo da Carioca (RJ) visitaram o Mosteiro de Nossa Senhora dos Anjos, na Gávea. Na mesma ocasião, foi celebrado o jubileu de prata da Irmã Maria Regina dos Santos Anjos, da Ordem de Santa Clara. Este grupo vocacional está sob a responsabilidade do Frei Nazareno José Lüdtke. A Santa Missa teve início às 10 horas. A bela celebração contou com a presença de amigos e parentes da Irmã Maria Regina dos Santos Anjos, religiosos e demais fiéis, que foram render graças a Deus pelos 25 anos de vida consagrada. Entre tantos momentos

emocionantes, sobressaiu o instante de sua renovação de votos, em fidelidade total a Cristo. Após os atos litúrgicos, a Irmã Maria Regina dos Santos Anjos pôde receber os cumprimentos, carinho e afeto dos amigos e parentes presentes e, logo em seguida, foi oferecido a todos um delicioso almoço, preparado pelas irmãs do mosteiro. Pontualmente, às 13h30, Frei Nazareno e os jovens se reuniram com as Clarissas para cantar o Ofício Divino. Após a oração, os vocacionados compartilharam seus projetos e expectativas para o próximo ano (quando ingressarão no seminário) e delas receberam inúmeros conselhos, as palavras de estímulo e a bênção para que perseverem no bem e no desejo da total consagração a Deus, a exemplo de São Francisco de Assis e Santa Clara de Assis.

COMUNICAÇÕES . NOVEMBRO DE 2013

A solenidade de São Francisco de Assis foi precedida pelo Tríduo em honra ao Santo da paz e da ecologia. Nos dias 1, 2 e 3 de outubro, os fiéis que foram ao Convento de Santo Antônio, no Largo da Carioca, Rio de Janeiro, participaram das celebrações e receberam a Bênção Franciscana. No dia 3, a Missa das 18 horas foi também o momento de recordarmos o Trânsito de São Francisco de Assis. Com a presença de todos os Freis do Convento e presidida pelo Frei Robson de Castro Guimarães, a Eucaristia foi o grande momento de fraternidade. Após a Comunhão, a comunidade ouviu o relato da morte do Santo de Assis e Frei Guido e Frei Tatá motivaram a assembleia a rezar o Salmo 141, salmo este rezado por São Francisco no leito de morte. E os dois confrades entoaram solenemente, em latim, o refrão. Os fiéis ficaram comovidos. No dia 4, dia de solenidade para nós franciscanos, os freis e a OFS rezaram o Ofício das Laudes de São Francisco com o povo às 8h30 na Igreja do Convento. Na missa das 18 horas, os confrades concelebraram a Eucaristia presidida por Frei Gilmar José da Silva, que, na homilia, convidou os presentes a imitar o Santo e a sermos, em nosso cotidiano, sinais da presença do amor de Deus. Concelebrou nesta Missa o Padre José Laudares, Vigário Episcopal do Vicariato Urbano da Arquidiocese do Rio de Janeiro. Ao término da celebração, os presentes receberam uma muda de planta ofertada pelos freis, e foram motivados a cuidar e promover a vida em todas as etapas e manifestações. Louvado sejas, meu Senhor, por todas as suas criaturas! São Francisco de Assis, rogai por nós!

511


FRATERNIDADES ________________________________________

PORCIÚNCULA, ASSIS: 3 DE OUTUBRO DE 1226 O sol sumia no horizonte e uma pequena chama saindo de uma lamparina ilumina a pequena igreja, berço da Ordem Franciscana. Cercado pelos irmãos, “desolados” como conta seu biógrafo Tomás de Celano, Francisco inicia a celebração de sua morte como um ágape. Manda trazer um pão, abençoa-o, e distribui a cada um. Pede, então, que leiam o Evangelho de São João, no trecho que começa “Antes do dia da festa da Páscoa...”. Com isso, recordava a última Ceia do Senhor. A febre aumenta e Francisco sentia a proximidade da irmã morte. Pede que o coloquem no chão e cantem com ele o Salmo 141. Antes de terminar a última estrofe, Francisco “voou feliz para Deus”, como disse Celano.

VILA CLEMENTINO, SÃO PAULO: 3 DE OUTUBRO DE 2013

JOVENS REVIVEM A DESPEDIDA DE FRANCISCO MOACIR BEGGO

dida pelo Ministro Provincial da Província da Imaculada,

COMUNICAÇÕES . NOVEMBRO DE 2013

Frei Fidêncio, e reuniu frades das três fraternidades de São

512

Dia chuvoso, frio, jovens das fraternidades da Paró-

Paulo (Vila Clementino, Centro e Pari), religiosos e religiosas,

quia São Francisco da Vila Clementino, vocacionados do

a Ordem Franciscana Secular, vocacionados, jufristas e fiéis

Convento São Francisco e da Jufra fazem a encenação da

da Paróquia São Francisco de Assis.

morte de São Francisco.

O momento sempre muito esperado da celebração é a

Mais de 800 anos depois, é impossível não se emo-

encenação. Com as luzes apagadas, o grupo de jovens veio do

cionar com tanto mistério, fé e entrega que envolvem esse

fundo da igreja carregando o santo já agonizante, enquanto

momento da vida do Seráfico Pai Francisco de Assis. Com

Frei Alvaci Mendes da Luz, o comentarista, explicava que era

muita devoção, em silêncio, os jovens trouxeram para o

3 de outubro de 1226 e o cortejo caminhava para a Porciún-

presente, ao celebrar a morte de Francisco, um ensinamen-

cula, o lugar sagrado da Ordem Franciscana.

to: “A morte nunca vai fazer mal para aquele que passou a

Deitado numa padiola, no presbitério da Igreja, os jo-

vida na busca do bem”, disse o Frei Fidêncio Vanboemmel.

vens representaram os últimos momentos de Francisco, quan-

A celebração do Trânsito de São Francisco foi presi-

do ele dita o seu Testamento espiritual. Depois, colocam o


FRATERNIDADES ________________________________________ seu corpo numa padiola e deixam o presbitério em silêncio. “Ao celebrar o Trânsito de São Francisco, nós celebramos aqui a história e a vida de um homem que passou a vida inteira à procura do bem”, disse Frei Fidêncio. “E esse bem foi encontrado no Evangelho, na Eucaristia, na Cruz, no Menino de Belém, mas também no pobre, no leproso, no príncipe, nos jovens, nas crianças. Enfim, na criação toda, porque todo ser criado é parte Daquele que é o Bem pleno, o Sumo Bem ou Bem Universal, como rezava”, acrescentou o Ministro Provincial. “No momento da morte, nessa busca incansável pelo bem, ele diz: Louvado sejas, meu Senhor, pela irmã a morte corporal. Porque a morte é exatamente a libertação da pessoa para contemplar o Bem Maior porque sempre ansiou encontrar em vida”, explicou Frei Fidêncio. Segundo o Ministro, antes de morrer, Francisco deixou três coisas importantes para que, franciscanos e franciscanas, perpetuassem na história. Primeira: sempre se amem como eu vos tenho amado e ainda amo; segunda: não perder de vista a pobreza; e terceira: fidelidade à Santa Igreja. “Vamos pedir neste dia da Festa do nosso Padroeiro que sejamos incansáveis arautos na busca do bem!”, completou Frei Fidêncio. A celebração terminou com a Bênção de São

COMUNICAÇÕES . NOVEMBRO DE 2013

Francisco dada por todos os frades presentes.

513


FRATERNIDADES ________________________________________

FREI GUSTAVO MEDELLA PEDE O FIM DOS ‘CLAUSTROS’

COMUNICAÇÕES . NOVEMBRO DE 2013

MOACIR BEGGO

514

A Igreja São Francisco de Assis, na Vila Clementino, tornou-se o referencial, em São Paulo, das pessoas que trazem seus animais de estimação para serem abençoados no dia deste santo protetor dos animais e Patrono da Ecologia. Na sexta-feira (4/10), a chuva deu uma trégua logo cedo e a temperatura agradável garantiu uma homenagem mais bonita ainda ao Padroeiro. Durante todo o dia, o que se viu na Vila Clementino foi uma movimentação intensa de devotos e animais. E, além da bênção dos animais, com muita água benta, os devotos puderam participar das celebrações com seus animais sem que ninguém se incomodasse. Na Missa Ecológica, então, ao meio-dia, o povo ficou ainda mais à vontade. Neste ano, Frei Gustavo Medella presidiu a celebração eucarística do meio-dia e o pároco Frei Djalmo Fuck, que criou a Missa Ecológica, presidiu a Missa Solene de encerramento às 20 horas. Frei Gustavo iniciou a celebração pedindo perdão pela destruição da natureza e pela falta de cuidado com os animais. E depois começou a sua homilia cantando a “Canção da Floresta: “Use as mãos, mude uma planta/ Regue o chão, faça um pomar/ Ouça a voz do passarinho/ A floresta quer chorar/ A natureza está pedindo pra ninguém lhe assassinar”, repetiu. Mas a grande mensagem de Frei Gustavo nesta Missa Ecológica foi um convite para sairmos de nossos “claustros”, como fez São Francisco de Assis, para quem o claustro era o mundo. “Com alegria, hoje, recordamos a vida e a história em que Deus operou

na humanidade através do Irmão Universal, o Arauto do Grande Rei, São Francisco de Assis e do mundo inteiro”, disse. Segundo Frei Medella, na Idade Média, a vida religiosa se dava no claustro, um lugar fechado. “Havia a concepção de que a pessoa precisava se isolar do mundo porque o mundo não era bom e só a realidade espiritual era boa”, explicou. Para Frei Medella, todo lugar é lugar de amar e servir a Deus e viver religiosamente. “É este o espírito e a lição que São Francisco de Assis quer nos ensinar no dia de hoje. Ele abre a perspectiva e mostra que todo o bem da criação, tudo, fala do amor de Deus e, por isso, quer ser o Irmão Universal”. Frei Gustavo, contudo, lamentou que, hoje, nossa sociedade e “nós todos, também”, influenciados por essa mentalidade, temos a tendência de fazer o movimento inverso de São Francisco. “Não para fazer como na Idade Média, mas hoje temos uma forte tendência de levar o nosso claustro para o mundo”, disse.


FRATERNIDADES ________________________________________

No final, Frei Gustavo pediu que São Francisco nos ensine essas lições. “Que nós saibamos ir para além dos nossos claustros pessoais, porque esse claustro é sufocante, é opressor. Ele nos tira a alegria de viver e nos subtrai o entusiasmo. Deus quer que sejamos irmãos uns dos outros. E Francisco nos chama a sermos irmãos até mesmo das criaturas”, concluiu. “O BOLO DOS ANIMAIS” O Bolo de São Francisco para os animais, criado no ano passado por Frei Djalmo, foi esperado com ansiedade pelos donos e por seus bichinhos de estimação. Frei Djalmo benzeu o primeiro bolo, de 20 quilos, no formato de um osso gigante, às 13 horas. Não faltou o canto de “parabéns a você” e até velinhas acesas. Muitos cãezinhos tiveram que ser controlados diante de uma oferta tão generosa e saborosa. Afinal, segundo a receita da Paróquia, o bolo tinha ração, cenoura raspada, mel puro e coco ralado. Todos ingredientes naturais. Além do bolo, fez muito sucesso a distribuição de 25 mil saquinhos de ração abençoada para cães, gatos e passarinhos. Norberto Costa trouxe a Cindy para a bênção dos animais. “Minha filha está trabalhando e queria muito que ela recebesse a bênção hoje”, disse Norberto, que reside no Jardim da Saúde, bairro próximo da Vila Clementino. Vivian Mauro é paroquiana da Vila Clementino. Todo ano, traz a Melrose, a Raika, a Miski e Vivi Júnior para receberem a bênção do Santo protetor dos animais. E todos participaram comportadamente da Missa Ecológica. Mas os devotos também puderam experimentar o tradicional Bolo de São Francisco e conhecer a Feirinha de Adoção de Animais.

COMUNICAÇÕES . NOVEMBRO DE 2013

Ele exemplificou: “A Av. 23 de Maio está cheia de claustros neste momento. Todos sobre quatro rodas, onde cada pessoa isoladamente tem a sua temperatura ambiente escolhida, o ar condicionado, escuta a música do seu gosto e pensa nos seus próprios problemas. Nos ônibus, cada um leva o seu claustro, que vem acoplado no ouvido e não quer saber quem está do lado. Só se vive nessa perspectiva enclausurada”, criticou. Para o frade, temos que aprender com São Francisco de Assis a ter e a cultivar a cultura do encontro. “Que nossa Igreja não seja uma Igreja enclausurada em si mesma. Que ela saia de si como pede o Papa Francisco e que tenhamos olhos para olhar uns nos olhos dos outros, sem medo, não pensando que o outro é um estranho, mas que é um irmão”, pediu. “Na lógica da competitividade, o outro é um oponente, um concorrente. Na lógica da fraternidade, o outro é um irmão. O outro é alguém que deve gozar do meu amor, meu carinho e consideração”, acrescentou. Ainda disse que na lógica da competição, “tenho que fazer melhor do que o outro, mas na lógica da colaboração tenho que trabalhar em conjunto para, com o outro, construir o melhor que podemos”.

515


FRATERNIDADES ________________________________________

DOMINICANOS E FRANCISCANOS JUNTOS

COMUNICAÇÕES . NOVEMBRO DE 2013

MOACIR BEGGO

516

A solenidade de São Francisco de Assis, no dia 4 de outubro, foi celebrada o dia todo no Convento São Francisco, no centro de São Paulo. Na Missa das 10h30, a novidade foi a presença fraterna dos dominicanos. Como explicou Frei Gustavo Medella, no início da celebração, os dominicanos vieram retribuir a visita que os franciscanos do Convento São Francisco fizeram por ocasião do dia de São Domingos. Coincidentemente, a celebração foi no Convento que nasceu com o nome de “Convento São Domingos e São Francisco”, para homenagear os dois fundadores das duas principais Ordens mendicantes da Igreja. No altar, o dominicano Frei André Luís Tavares presidiu a celebração, tendo como concelebrantes os franciscanos Frei Luiz Henrique de Aquino, que é o guardião, e Frei David Raimundo dos Santos. Também participaram da celebração os beneditinos do vizinho Mosteiro São Bento. A bela e centenária igreja do Convento ficou lotada de fiéis, que ouviram Frei André falar com carinho e profundidade do “Pai São Francisco”. Frei André ressaltou que Francisco foi um homem extre-

mamente livre e que só conseguiu isso vivendo o Evangelho. Olhando para a vida de Francisco e para os textos da liturgia, apresentou três importantes características “do que chamou liberdade evangélica da qual Francisco é um ícone, não somente para a Igreja mas para todo o mundo”. Para o dominicano, em primeiro lugar, a liberdade de Francisco o faz ousar. “Cheio da liberdade que afasta todo o medo, cheio da mansidão daqueles que têm seu coração junto de Deus, Francisco teve autorização para ir ao Egito falar com o sultão para ali pregar o Evangelho. Numa época de grandes confrontos com o Islã, Francisco vai pregar a paz em meio


aos sarracenos só com a sua fé. A sua ousadia se configurou em diálogo. Nesse sentido, quando refletimos em nossos dias sobre a nova evangelização não podemos confundi-la com novos métodos de propaganda religiosa. Evangelizar sempre será um processo de conversão”, destacou. Frei André disse que a segunda característica da liberdade evangélica nos faz solidários. “No dia de hoje, o Papa Francisco visita Assis e começou a sua visita indo ao encontro das crianças doentes e portadoras de necessidades especiais assistidas pelo Instituto Seráfico. Afirmou o Santo Padre sobre o Patrono de seu Pontificado: ‘São Francisco é grande porque é tudo: O homem que quer fazer coisas, itinerante e missionário, é poeta, místico, constatou sobre si mesmo o mal e saiu dele. Ama a natureza, os animais, a erva do campo e os pássaros que voam no céu, mas sobretudo ama as pessoas, as crianças, os idosos, as mulheres. A grande mística dominicana Santa Catarina de Sena, certa vez, afirmou que, como não podemos amar a Deus como ele nos ama, proporcionalmente, ele nos dá a oportunidade de amá-lo em nosso próximo”. São Francisco, ao ir ao encontro do leproso, que antes o espantava, nos ensina que quem segue a Cristo compreende que o amor a Deus e o amor ao próximo não são dois mandamentos mas somente um”. Finalmente, uma terceira característica da liberdade evangélica: o amor à Igreja. “Parece paradoxal que um homem tão livre possa ser tão apaixonado por uma instituição que as pessoas de nossos tempos costumam ver como inibidora de quaisquer liberdades e castradora do crescimento humano.

A liberdade evangélica permitiu que Francisco olhasse para a Igreja não como uma mera instituição, mas como mistério, como família de Deus, como povo do Senhor, convidado continuamente à docilidade ao Espírito de Jesus. O Livro do Eclesiástico nos remete a Francisco como verdadeiro restaurador da Igreja. Diz um adágio eclesiástico: só se corrije quando há esperança! E justamente por ter esperança na Igreja, Nossa Mãe, por sentir sua realidade profunda, é que Francisco pôde, sobretudo com a sua vida, ser um dos cristãos mais críticos que o mundo conheceu”, disse Frei André, mostrando que Francisco não se descuidava dos fundamentos evangélicos. “Quando isso ocorre, o mundanismo pode tomar conta da Igreja e daqueles que publicamente se consagraram ao Evangelho”, alertou. Por fim, pediu: “Neste dia, peçamos ao Senhor a graça de sermos como o seu Filho e como nos ensina Francisco: dóceis ao seu Espírito”. BÊNÇÃO DOS ANIMAIS A cada ano, o povo vem com seus animais de distantes regiões da capital paulista para receber a bênção de São Francisco, como Francisca Silva, que trouxe a “Neguinha”. Mas ela também veio prestar homenagem a este santo tão especial em sua vida: “Nasci no dia de São Francisco, por isso me chamo Francisca!”. Durante todo o dia os frades se revezaram para dar a bênção aos animais, às plantas, fotos etc. Quem esteve no Convento, também não ficou sem levar um pedaço do tradicional Bolo de São Francisco.

COMUNICAÇÕES . NOVEMBRO DE 2013

FRATERNIDADES ________________________________________

517


FRATERNIDADES ________________________________________

FESTA E DEVOÇÃO EM DUQUE DE CAXIAS CLÁUDIO SANTOS, OFS

COMUNICAÇÕES . NOVEMBRO DE 2013

Centenas de pessoas estiveram na manhã do dia 4 para celebrar a tradicional festa litúrgica em honra de São Francisco de Assis, realizada na Catedral de Santo Antônio de Duque de Caxias (RJ), promovida pelo Colégio São Francisco e pela Fraternidade Santo Antônio, vinculada à Ordem Franciscana Secular (OFS). A celebração foi presidida pelo Frei Walter Ferreira, pároco da Paróquia Nossa Senhora Aparecida de Nilópolis e assistente do colégio, e concelebrada pelo administrador diocesano, padre Renato Gentille. Além dos professores, alunos, familiares e colaboradores, a cerimônia

518

atraiu devotos do santo e os irmãos da OFS que foram festejar a data e os 53 anos de vida fraterna da Fraternidade Santo Antônio. A celebração faz parte da programação da Semana Franciscana que tem como objetivo difundir o carisma e a identidade franciscana secular na Catedral de Santo Antônio, cuja história está associada à presença franciscana na Baixada Fluminense. Em sua homilia, Frei Walter destacou que São Francisco deixou-nos uma grande lição de vida ao encontrar a presença de Deus em cada pessoa e criatura de Deus. No encerramento de sua homilia, Frei Walter destacou a importância da transmissão de uma cultura de paz e de não violência pela educação,

ressaltando a importância do papel dos profissionais de educação e dos próprios pais e responsáveis no processo de educação das futuras gerações e na construção de uma nova sociedade. No encerramento da celebração, um coro de alunos do Colégio São Francisco homenageou o santo e patrono do colégio com a Oração de São Francisco que encantou a todos, revelando que o carisma e a espiritualidade franciscana permanecem com o mesmo frescor e vigor juvenil de Francisco de Assis. Após a Santa Missa, Frei Walter abençoou os animais domésticos trazidos pelos fiéis, demonstrando assim o amor do povo simples pela obra da Criação.


FRATERNIDADES ________________________________________

CAMINHADA PELA PAZ E PELA VIDA CLÁUDIO SANTOS, OFS Os franciscanos e simpatizantes do carisma franciscano vivenciaram uma rica experiência fraterna durante o momento de oração na III Caminhada Franciscana pela Paz e em Defesa da Vida, realizada em Duque de Caxias (RJ), no dia 29 de setembro. O evento abriu a Semana Nacional da Vida que está sendo celebrada no Brasil inteiro com o apoio da Conferência se calculado no universo de 100 mil habi-

idade entre 15 e 24 anos foram as principais

A caminhada foi de iniciativa da

tantes da faixa etária – método comum para

vítimas de homicídio na última década. De

Fraternidade Franciscana Santo Antô-

se medir a violência nos principais centros.

2001 a 2011, o índice de mulheres jovens

nio, ligada à Ordem Franciscana Secular

Em números absolutos, o Estado do Rio de

assassinadas foi superior ao do restante

(OFS), em conjunto com a Juventude

Janeiro teve registrada em 2011 taxa de 58

da população feminina. Em 2011, a taxa

Franciscana, Sinfrajupe, Pastoral Familiar,

mortes por 100 mil habitantes (1.505 casos),

de homicídios entre mulheres com idades

Pastoral da AIDS, ASPASA e Colégio São

figurando como o 14ª Estado mais violento.

entre 15 e 24 anos foi de 7,1 mortes para

Francisco. O evento contou ainda com o

Em 2001, ano inicial da análise, o Estado

cada 100 mil, enquanto a média para as não

apoio do jornal Pilar, da Diocese de Du-

ocupava o segundo lugar nacional com

jovens foi de 4,1.

que de Caxias e São João de Meriti.

2.746 casos. Nas cidades com mais de 10 mil

O Mapa da Violência também apon-

O evento fez parte da programação

habitantes na faixa etária de 15 a 29 anos,

tou para uma queda considerável no

da Semana Franciscana, e teve como ob-

quatro municípios fluminenses figuram no

número de homicídios ocorridos entre a

jetivo chamar a atenção para a violência e

ranking entre os 100 mais violentos: Duque

população branca (queda de 26,4%) e um

o extermínio de jovens na Baixada Flumi-

de Caxias (46º posição), seguido por Macaé

aumento no número de homicídios entre

nense e para a necessidade de se debater

(62º), Cabo Frio (70º) e Nova Iguaçu (96º),

a população negra (aumento de 30,6%),

o fenômeno da violência e seus impactos

duas delas situadas na Baixada Fluminense,

ou seja, o número de homicídios ocorrido

nas vidas de crianças e jovens das perife-

região historicamente abandonada pelos

entre a população branca cai de 41% (2002)

rias das grandes metrópoles brasileiras.

governos federal e estadual.

para 28,2% (2011), enquanto na população

Durante o momento de oração, os parti-

Isso representa dizer que dentre as

cipantes puderam refletir sobre a violência

cidades do Estado do Rio de Janeiro com

e os problemas que atingem as famílias

mais de 10 mil habitantes na faixa etária de

A vida e os sonhos da juventude

brasileiras, principalmente as crianças e

15 a 29 anos, Duque de Caxias é a cidade

estão sendo interrompidos pela violência

jovens, idosos e mulheres, bem como o

com o maior índice de homicídios de jovens

presente nas cidades da Baixada Flumi-

meio ambiente e seus ecossistemas.

negra essa taxa, que já era bastante elevada, vai de 58,6% (2002) para 71,4% (2011).

por armas de fogo com uma taxa de 135,2 e

nense. Realizar uma caminhada pela paz

Dados do Mapa da Violência 2013:

201 casos de morte de jovens em 2011. Con-

e em defesa da vida é emblemático não só

Homicídio e Juventude no Brasil, realiza-

siderando os 100 municípios com mais de

pela violência que assola a juventude, mas

do pelo sociólogo Júlio Jacobo Waiselfisz,

20.000 habitantes, a taxa de homicídios na

pela coragem e ousadia de vencer a indife-

com o apoio da Faculdade Latino-Ameri-

população total, Duque de Caxias registra

rença e trazer para o debate essa temática

cana de Ciências Sociais (FLACSO) e do

uma taxa de 60,3, ocupando a 88ª posição

e denunciar a negligência dos governantes

Centro de Estudos Latino-Americanos

no ranking das100 cidades com maiores ín-

frente à impunidade e à cultura da violência

(Cebela), revelam números de guerra na

dices de violência, com 519 casos em 2011.

presente nas cidades brasileiras.

mencionada faixa etária.

A capital fluminense apresentou uma

A Caminhada Franciscana pela Paz

Somente em 2011, ano conclusivo

taxa de 41,4 mortes no universo de 100 mil

e em Defesa da Vida sinaliza para toda

do estudo, foram 1.505 homicídios de

jovens, abaixo da média nacional que é de

a sociedade a necessidade de busca de

jovens no Estado do Rio de Janeiro. Os

82,0. Somente em 2011, foram 405 homi-

estratégias eficazes para o enfrentamento

dados registram uma pequena diminuição

cídios. Infere-se, portanto, que Duque de

da exclusão e da violência, construindo

de 45,2% em dez anos de análise. A gravi-

Caxias é mais violento do que a capital. O

uma cultura de paz e justiça para as futuras

dade do número se mostra mais evidente

estudo também revela que mulheres com

gerações.

COMUNICAÇÕES . NOVEMBRO DE 2013

Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB).

519


FRATERNIDADES ________________________________________

REGIONAL DE CURITIBA ENCONTRA-SE COM O MINISTRO PROVINCIAL FREI VAGNER SASSI No dia 16 de setembro, os confrades do Regional de Curitiba reuniram-se no Convento São Boaventura, em Rondinha, para seu terceiro encontro de

NOTÍCIAS DO BOM JESUS

ALEGRIA, TEMA DA SEMANA FRANCISCANA

COMUNICAÇÕES . NOVEMBRO DE 2013

FREI CLAUDINO GILZ

520

A exposição Galeria Francisco de Assis e a Irmã Água, que aconteceu de 4 e 6 de outubro, mobilizou alunos do 6.º ano de várias unidades do Bom Jesus e levou centenas de pessoas a visitarem as instalações dos trabalhos no Shopping Palladium, em Curitiba. Também presente e prestigiando a abertura da Galeria, o vice-governador e secretário de Educação do Paraná, Flávio Arns ressaltou: “Nada melhor do que um ambiente franciscano para nos fazer pensar nos ideais de paz e bem transmitidos por São Francisco. A humanidade toda precisa refletir sobre o tema Água e pensar mais nos nossos irmãos seres vivos e na natureza”. A Galeria, que foi uma iniciativa do Bom Jesus para marcar o Ano Internacional para a Cooperação pela Água, definido pela Organização das Nações Unidas (ONU), reuniu 21 produções ar-

tísticas e textos dos alunos, além de espaços de interatividade, tudo voltado para o tema Água. Vários alunos levaram suas famílias para apreciação dos trabalhos e participação nas atividades interativas. A abertura do evento ocorreu na sexta-feira (04) às 19h30. As atividades de contação de histórias, espaço para leitura e a Fábrica de Ilustrações tiveram a participação de crianças durante toda a exposição. Na Fábrica de Ilustrações, as crianças deixavam sua proposta de cuidado com a água e a recebiam transformada em desenho por uma equipe de ilustradores. No espaço cultural, um painel teve várias contribuições em desenhos e mensagens feitos pelo público que visitou a Galeria. Faço aqui um agradecimento especial ao Frei Guido pelo apoio fraterno e financeiro que manifestou, em nome da AFESBJ, para que a referida Galeria acontecesse.

2013. O evento se revestiu de particular importância porque dele também participaram todos os frades estudantes de Filosofia e o Ministro Provincial, Frei Fidêncio Vanboemmel. A parte da manhã foi marcada por um caráter mais formativo. Frei Fidêncio orientou a reflexão em torno de dois pontos fundamentais, a saber, o Capítulo Local e a Economia Fraterna. A celebração do Capítulo Local nunca pode perder seu caráter essencial de “momento sagrado”, de “acontecimento espiritual’ onde os irmãos se encontram e partilham suas vidas e vocação. Quando o mesmo se reduz a uma “reunião de trabalho” ou a uma “disputa político-ideológica”, descaracteriza-se a própria fraternidade e sua missão. Do mesmo modo, também a Economia Fraterna tem que ser cultivada em um espírito de confiança e pertença. A necessidade do bem administrar e da generosa partilha leva-nos a um processo contínuo de conversão pessoal e institucional. No período da tarde, ocuparam-se os frades da partilha da vida das Fraternidades e comunicações gerais. A palavra foi aberta para todos se manifestarem quanto ao engajamento evangelizador que, em nosso Regional, se desenvolve nas paróquias, na casa de formação, nos colégios e faculdade. Menção especial foi feita à boa recuperação de Frei Cássio Vieira de Lima que, em 13 de agosto se submeteu a uma “artoplastia total do quadril” (prótese de fêmur): o mesmo já se encontrava presente e participativo em nosso meio. Num segundo momento, Frei João Mannes, Definidor, e Frei Fidêncio prestaram esclarecimentos sobre questões levantadas acerca da Província e do processo de redimensionamento que, dada sua importância, deve contar com a participação direta de todos os frades. Às 16h00, Frei Nelson Hillesheim, coordenador do Regional, deu por encerrado o Encontro, lembrando a todos a data de 02 de dezembro para o momento recreativo na casa de Caiobá. Agradecendo presença fraterna de Frei Fidêncio, louvamos a Deus por todas as graças, no seguimento de Francisco de Assis.


FRATERNIDADES ________________________________________

FREI GILSON KAMMER O Regional do Espírito Santo se reuniu no dia 30 de setembro, no Convento Nossa Senhora da Penha, para celebrar seu encontro e, além dos frades do Regional, também estavam presentes o Vigário Provincial, Frei Estêvão Ottenbreit, e o Definidor Regional, Frei Mário Luiz Tagliari. Frei Estêvão entregou o texto: “Atenção às instruções de segurança, mesmo sendo um passageiro frequente”, de Frei Fidêncio Vanboemmel e recordou o primeiro objetivo geral do Plano de Evangelização da Província para o sexênio 2010-2015: “Desenvolver ações que levem ao crescimento da qualidade de vida evangélica, pessoal e fraterna, a fim de, juntos, restituirmos ao Senhor e a toda a criação o que recebemos – o dom da vocação”. Segundo Frei Estêvão, o Projeto Fraterno de Vida e Missão serviu para conhecer melhor a realidade das fraternidades e, entre críticas e elogios, o projeto da fraternidade local foi o espaço

para pôr o Projeto Provincial em prática e, justamente por isso, é preciso avaliá-lo constantemente para que seja dinâmico e leve ao crescimento da qualidade de vida pessoal e fraterna. Com outro texto, “Vida Fraterna e Capítulo Local”, o Vigário tomou a passagem de 1 Celano 34, que conta a volta dos frades de Roma para o vale de Espoleto, segundo a qual ‘enquanto caminhavam’ conversavam sobre as grandezas de Deus e o que se passava na vida do pequeno grupo de frades. Levou todos a refletir que o Capítulo Local e a vida fraterna acontecem na dinâmica do caminhar. Disse ainda que Capítulo Local deve ser momento de oração, encontro, estudo e questionamento do que estamos fazendo e como estamos vivendo a Vida Franciscana.Depois do delicioso almoço, Frei Estêvão agradeceu a ajuda dos frades na Campanha Missionária que nos últimos anos ajudou bastante na construção do seminário e da escola em Angola. Os frades do Regional se alegraram com a vinda de Frei Mário Stein para este

Regional e todos tiveram oportunidade de falar sobre sua vida, a diversidade de trabalhos nas fraternidades, os desafios que enfrentam e os tratamentos de saúde que alguns frades fizeram há pouco tempo ou que ainda estão fazendo, mas sobretudo, puderam falar da vontade de caminhar e evangelizar em fraternidade. Frei Florival Mariano de Toledo agradeceu o empenho dos frades na divulgação de seu CD e afirmou que está tendo uma boa aceitação do povo. Frei Paulo Roberto Pereira destacou a bonita celebração penitencial que aconteceu no Convento da Penha no dia 2 de agosto e também a celebração das Chagas de São Francisco no dia 17 de setembro. Lembrou ainda que o Regional celebrou o “outubro franciscano”, com destaque ao Trânsito e Solenidade de São Francisco, Noite Cultural e Santo Antônio de Santana Galvão. Os frades que quiserem mais notícias do Regional do Espírito Santo podem acessar a ‘fanpage’ do Regional: www.facebook/franciscanosnoes

COMUNICAÇÕES . NOVEMBRO DE 2013

REGIONAL SE REÚNE NA PENHA

521


EVANGELIZAÇÃO ________________________________________

SEFRAS CELEBRA A PAZ

COMUNICAÇÕES . NOVEMBRO DE 2013

FABIANO VIANA

522

Às vésperas da Festa de São Francisco de Assis (3 de outubro), o Sefras reuniu trabalhadores, frades e voluntários para um dia de confraternização. Todos os anos elege-se um tema que orienta a celebração na instituição. A proposta em 2013 foi refletir o tema: “A Paz é fruto da Justiça”, com base no texto da Oração de São Francisco. Com muita criatividade expressada na arte, nas danças e nas músicas, o momento de espiritualidade propôs uma experiência vivencial de paz que partiu do pessoal para o coletivo onde o resultado é a construção da justiça que tem como fruto a cultura de paz. Os convidados foram recebidos com um café da manhã e em seguida participaram da mística vivencial conduzida e preparada pela equipe do setor de espiritualidade do Sefras.

Um grupo de animadores dançando ao ritmo do “maracatu” entrou anunciando a paz. Eles cantavam: “Estamos chegando... Chegando e cantando... Clamamos justiça e trazemos a paz!”. Em seguida, um mantra foi gerando nos convidados o espírito orante e convidando-os a ser “instrumentos de paz”. O animador do Sefras, Frei José Francisco de Cássia dos Santos, refletiu a partir do tema proposto e destacou que apesar de sermos indivíduos com características próprias, cada pessoa é parte de um todo, ou seja, de uma cultura e de uma sociedade. “Portanto, quando falamos de paz e celebramos com Francisco, não queremos falar de uma paz que é restrita à minha pessoa, ou que diz respeito apenas à minha individualidade ou a um estado de espírito ou psicológico”, considerou o frade. Para ele, falar de paz deve ser uma atitude de ir ao encontro da ou-

tra pessoa. Ele explicou que a paz é uma atitude peregrina, daquele que sai instaurando um Reino de Paz. “Quando falamos de paz a partir do Evangelho – inspiração de São Francisco - pressupõe-se atitude de despojamento e da certeza de um único anúncio entre as pessoas. “Não deveriam levar sacola, roupa ou dinheiro. Deveriam se desapegar de tudo e levar uma única coisa, a paz!”. Frei José Francisco ressaltou a experiência dos Atos dos Apóstolos. Ele disse que, segundo a Bíblia, não existia necessidade entre os primeiros cristãos. Sendo assim, uma verdadeira cultura de paz é aquela construída para todos. “Eu não posso estar bem se houver alguém próximo de mim que não esteja. Portanto, a paz não deve ser entendida como realidade individual”, destacou. Para terminar o momento celebrativo um grupo formado pelos


EVANGELIZAÇÃO ________________________________________

TERCEIRA IDADE

trabalhadores do Sefras apresentou uma dança cênica que expressou o “antagonismo humano”. A coreografia expressou que as pessoas trazem dentro de si o amor e o ódio, trevas e luzes, a discórdia e o perdão... mas, é possível neste mix de sentimentos, ser instrumento de paz da forma como propõe a oração popular de Francisco de Assis. Ao final da celebração, o vice

presidente do Sefras, Frei Mário Luiz Tagliari, expressou a sua compreensão de paz e compartilhou com os trabalhadores e voluntários do Sefras. “Paz é buscar o melhor que existe dentro de mim que é dom de Deus e dá-lo de graça ao outro que, diferente de mim, também é dom e presente de Deus”, concluiu. O dia de confraternização seguiu com almoço e muita festa.

No dia 14 de outubro, os participantes do Centro Franciscano de Convivência e Apoio ao Idoso (Casa de Clara), em São Paulo, realizaram um passeio ao Parque do Ibirapuera. Este evento fez parte da programação pelo Dia Internacional do Idoso (comemorado no dia 1º de outubro). A Secretaria de Cultura da Prefeitura de São Paulo cedeu dois ônibus que conduziram os participantes para esta manhã de contato com a natureza, bem-estar, convivência fraterna e piquenique. “Fizemos um momento de introspecção e de relaxamento para agradecer ao Criador o privilégio de estar naquele momento com as demais pessoas, integradas à natureza da qual fazemos parte”, contou a coordenadora Marcia Elizabeth. Houve também atividades físicas e alongamento à beira do lago, conduzidas pelo professor Rodrigo Santana Santos. Participaram cerca de 50 pessoas. Cada participante levou um prato de doce ou salgado que foi compartilhado em um grande piquenique. Para Marcia, esse tipo de atividade proporciona o estreitamento de laços entre os idosos, bem-estar e ainda momento de descontração e renovação das energias.

COMUNICAÇÕES . NOVEMBRO DE 2013

BEM-ESTAR NO PARQUE

523


EVANGELIZAÇÃO ________________________________________

DIA DA CRIANÇA NO SEFRAS

COMUNICAÇÕES . NOVEMBRO DE 2013

PALHAÇOS ANINAM A FESTA NO CASA Na manhã do dia 12 de outubro, as crianças do Centro de Acolhida Santo Antônio (Casa), em Tanguá, RJ, acordaram ansiosas porque já sabiam que iam receber uma equipe para animar a festa do dia destinado a elas. Antes de chegar a tarde - quando aconteceria a comemoração - todas já estavam de banho tomado e arrumadas para aguardarem a surpresa. Um grupo de jovens palhaços, chamado de “Sementes de Alegria”, de Itaboraí, ficou responsável para animar a tarde e foi a surpresa preparada para as crianças. Mas, antes de começar a festa, a coordenação do Casa acolheu os “palhaços” voluntários com um almoço, como forma de agradecimento. Frei Brayan Filipe agradeceu em nome do Sefras a disponibilidade voluntária do grupo em trazer alegria e festa para o Dia das Crianças. Participaram da festa cerca de 10 crianças que moram no Centro de Acolhida Santo Antônio, que é um abrigo mantido pelo Sefras, no município de Tanguá. Durante a festa, motivada pelos palhaços, as crianças se soltaram, dançaram e interagiram com o grupo. Aquela tarde se concluiu com elas brincando na grama e arredores da casa localizada no sítio e que é rodeado de montanhas.

524

DIA DAS CRIANÇAS NO CICA No dia 12 de outubro, cerca de 80 crianças, juntamente com os seus responsáveis, participaram da festa para celebrar o Dia das Crianças no Centro Infantil Clara de Assis (Cica), em São Paulo. Este ano, o tema que animou a festa foi: “A Turma da Mônica”, escolhido democraticamente pelas crianças - em assembleia infantil. Essa é uma prática pedagógica que o Cica realiza para as decisões de atividades. FUTEBOL NO “GENTE VIVA” No dia 10 de outubro, para celebrar o Dia das Crianças, o Centro Franciscano de Convivência da Criança e do Adolescente (Gente Viva), em Petrópolis, RJ, recebeu a visita de meninos e meninas da paróquia do Sagrado Coração de Jesus, para participar de um minicampeonato de futebol entre eles. O objetivo foi a confraternização das crianças que vivem em realidades sociais diferentes, mas que têm a mesma vitalidade e alegria de viver.

A turma da Mônica foi o tema escolhido pelas crianças

Frei Brayan agradece os palhaços em Tanguá

Um minicampeonato de futebol no Gente Viva


EVANGELIZAÇÃO ________________________________________

FIMDA

FESTA PARA O PADROEIRO SÃO LUCAS FREI TIAGO QUINGANDO

reflexão e de partilha sobre a vida do Santo

chegarem ao Mosteiro das Irmãs Pobres de

Padroeiro e uma ocasião para lembrar que

Santa Clara, ou simplesmente, Clarissas,

No dia 20 de outubro, celebramos

somos uma Paróquia que deve ser caridosa

como sinal de Fé.

e misericordiosa.

Domingo: O grande dia, dia de festa,

Solenidade do Padroeiro. A mesma foi

Sábado: Foi o terceiro e último dia

de dança, de canto, de sorrisos e de felicida-

muito bem preparada e organizada, com

do Tríduo. Dedicou-se a executar, de certa

de. Todas as Comunidades acorreram para

um tríduo variado de atividades.

forma, o que São Lucas nos descreve no

o Nosso Kimbo São Francisco, com uma

Quinta-Feira: Adoração em todas

seu Evangelho. Cada Comunidade visitou

Missa única, presidida pelo Bispo Auxiliar

as comunidades que compõem a Paróquia.

uma instituição pública ou privada, a fim

da Arquidiocese de Luanda, Dom Anastâcio

São seis Comunidades, nomeadamente:

de partilhar o pouco que tinha, seja fé, bens

Kanhango, que na sua homilia parabenizou

São José Operário, São Francisco, São

materiais e bens espirituais, por que não,

os fiéis e desafiou-os a serem caridosos e

Marcos, Santa Catarina de Sena, Santa

muitos dos nossos irmãos precisam ouvir

evangelizadores como São Lucas, pois que

Teresa de Jesus e Santa Mãe de Deus.

ou ver alguém que os ajudem a se lembra-

no Ano da Fé que se encerra, Jesus tem de

Uma hora no mínimo de adoração, foi

rem do Nosso Altíssimo e Sumo Bem, de

encontrar fé sobre esta Paróquia e sobre os

como que uma bênção derramada dos

modo especial quando se encontram em

seus membros. Portanto, os fiéis devem ser

céus para cada membro da comunidade,

condições precárias com a “irmã doença”.

os “arautos da Boa Nova” como São Lucas e,

pois a Eucaristia é uma das nossas fontes

Assim sendo, visitaram-se o Hospital, o

acima de tudo, devem procurar orar sempre

de alimento cristão, depois da Palavra. E,

Sanatório, que cuida dos pacientes com

como Moisés, serem insistentes e persis-

como franciscanos, pensamos em começar

tuberculose, a Maternidade do Município,

tentes como São Paulo, corrigir, construir,

com a divina e abençoada graça, que no

o Hospital cuidado pelos Missionários da

e abençoar, pois, para isso fomos criados à

dizer do nosso Pai Francisco, é a única

Divina Providência, Lares de Acolhimento

imagem e semelhança do nosso Pai.

coisa que corporalmente conseguimos ver,

aos mais carentes, especialmente as crian-

A festa culminou com um almoço,

e convidar para morar em nós.

ças, incluindo o nosso Projeto dos Miúdos,

partilhado entre os membros das comu-

Sexta-Feira: No segundo dia do

cuidado pelo Frei Márcio Terra. Enquanto

nidades, e os religiosos que trabalham na

Tríduo, cada comunidade celebrou uma

os mais velhos faziam isto, os mais novos

Paróquia. Frei Sebastião Kremer, o pároco,

Missa, pois foi o dia que a Igreja lembrou

faziam uma caminhada de fé. Todas as

agradeceu a todos pela doação e entrega e

e, por isso, celebrou com júbilo e ânimo

crianças, adolescentes e jovens, que estão ou

rogou-lhes a continuarem cada vez mais

a festa de São Lucas. A missa preparada

não na catequese, saíram às suas comunida-

dedicados e empenhados no anúncio do

pelas Comunidades foi um momento de

des e andaram uns 10 e outros 15 km para

Reino.

COMUNICAÇÕES . NOVEMBRO DE 2013

na Paróquia de São Lucas Evangelista a

525


DEFINITÓRIO PROVINCIAL ________________________________________

NOTÍCIAS DO DEFINITÓRIO PROVINCIAL SÃO PAULO, 14 A 16 DE OUTUBRO DE 2013 porque o próprio rebanho tem o seu olfato para encontrar novos caminhos”.

3) Somos por demais “protetores” da Província, no

1. ENCONTRO DO DEFINITÓRIO COM O CONSELHO DO SECRETARIADO DA EVANGELIZAÇÃO Seguindo praxe que se quer sempre mais frequente, em vista de um caminhar junto, sintonizado e de entreajuda, o Definitório reuniu-se na tarde do dia 16 de outubro com o Conselho do Secretariado de Evangelização (Frei Antônio Michels, Frei José Idair, Frei João Reinert, Frei Nilo Agostini, Frei Gustavo Medella, Frei Diego Atalino, Frei César Külkamp). Frei Antônio propôs a leitura e reflexão em torno da fala do Papa Francisco, por ocasião da JMJ, aos dirigentes do CELAM, no que se refere à renovação interna da Igreja, ao diálogo com o mundo atual, a tentações contra o discipulado missionário e a algumas orientações eclesiológicas. Comentários:

COMUNICAÇÕES . NOVEMBRO DE 2013

1) O Papa aborda de maneira mais contundente o que

526

o Documento de Aparecida diz, enfatizando a dimensão da encarnação. Não é um discurso teórico, mas de alguém que tem o “pé” na pastoral. Usando a linguagem da Província, pode-se dizer que Papa vem provocando um “redimensionamento” na Igreja. 2) Não é comum um Papa falar de conselhos paroquiais em seus discursos. Isso mostra a importância que ele atribui à atuação dos leigos. Nesse sentido, o planejamento participativo é decisivo para se chegar a um laicato maduro na fé e na prática. Trata-se de um grande desafio. Grassa por demais ainda o clericalismo. O leigo não se sente portador da missão (diferentemente dos evangélicos). No fundo, pensa que o responsável pela Igreja é o padre. Falar contra o clericalismo, no entanto, não é diminuir a importância e o sentido do ministério ordenado. Tratando da função episcopal, o Papa afirma que é “triplo o lugar em que o bispo pode estar com o seu povo: ou à frente, para indicar o caminho, ou no meio, para mantê-lo unido e neutralizar as debandadas, ou, então, atrás, para evitar que alguém se desgarre mas também, e fundamentalmente,

sentido de instituição. Usando a linguagem do Papa, falta a consciência de nos organizarmos mais para servir a “todos os batizados e homens e mulheres de boa vontade”. 4) Nas paróquias, tudo gira muito em torno do tempo, do ano litúrgico, das festas... Mas há outras dimensões do próprio ministério e da evangelização que não são tão contempladas. 5) Em nossas fraternidades, o projeto fraterno é muitas vezes pobre. O que esperar do projeto evangelizador? 6) Os termos discernimento e serviço são relevantes. O serviço deve estar na pauta da nossa reflexão: até que ponto somos frades servidores ou, então, prestadores de serviço? São coisas diferentes. 7) Na AL houve uma involução na eclesiologia. Mesmo o Documento de Aparecida tem uma eclesiologia pobre, comparada ao que se produziu na AL nas décadas de 80 e 90. Da eclesiologia depende a nossa conversão pastoral e o redimensionamento. Assim, falta um encarnar-se, um inculturar-se. Damo-nos mais a um “aninhar-se”. 8) A questão da fé é crucial: acreditar em Jesus Cristo, acreditar na Igreja como prolongamento da dinâmica da encarnação, da kenosis. Ter a Jesus Cristo como centro da nossa vida e existência. 9) Na Província precisamos desencadear um processo de redimensionamento. Teremos força suficiente para entrar nesse processo, sem soluções prontas, tendo que acompanhar, discernir, num ritmo que nem sempre é aquele que gostaríamos que fosse? Embora difícil, não se pode mais fugir dessa exigência. 10) Nossa formação precisa se deixar gerar pela Igreja, por uma conversão pastoral, por uma pertença eclesial engajada. Caso contrário, tornamo-nos funcionários da Igreja, mas não missionários, pessoas que trazem algo de novo para o processo. Daí, inclusive, a importância do testemunho. 11) Parece que o Papa Bento XVI pensava em “salvar” a Igreja fazendo-a voltar mais sobre si mesma, para o seu lado de dentro. O Papa Francisco salienta que na missão é que se acha e se constrói a identidade. No segundo momento da reunião, o Definitório e o Conselho se detiveram na reflexão em torno de como dar condução e encaminhamento ao processo de redimensionamento da Província. Frei Estêvão lembrou que o Capítulo Provincial de 2012 optou por cinco Frentes de Evangelização: 1) Paróquias, centros de atendimento e santuários; 2) Educação;


DEFINITÓRIO PROVINCIAL ________________________________________

1) É importante a interação entre as Frentes no processo de reflexão. Às vezes, dizemos que quem está em uma determinada Frente é que a conhece de fato. Porém, conhece até certo ponto. Muito “de dentro” a visão pode ficar limitada. Um olhar de fora pode ajudar a ampliar e arejar a visão. 2) Muitas vezes somos executivos de estruturas que herdamos. Talvez nem tão bem preparados para isso. Pergunta: como sermos evangelizadores antes de tudo? 3) O trabalho das Frentes deverá contemplar também as tentações que sofremos enquanto envolvidos em determinadas Frentes, não “para sair à caça de demônios, mas simplesmente por motivo de lucidez e prudência evangélicas”, como diz o Papa. 4) Precisamos de um real discernimento, que se abra ao Espírito que nos impulsiona para frente. O Capítulo Provincial não avançou muito nisso. Optou pelas 5 Frentes, e, de certo modo, disse que vamos continuar fazendo o que sempre fizemos. Estamos ainda estratificados nas estruturas. Falta abertura ao sopro do Espírito. Falta liberdade, falta desapego, falta leveza e generosidade. 5) O que está em jogo é a “visão” do projeto: o acento nas estruturas ou no nosso serviço e missão? O redimensionamento exige uma conversão eclesial e evangelizadora exigente.

6) O processo de reflexão liderado por um grupo deverá envolver todos os frades, para, depois, por todos ser assumido. Quer-se um trabalho conjunto, estendido a todos e que comprometa a todos. 7) É interessante que o Papa Francisco vem insistindo em abrir as portas da Igreja, não para pensarmos que ficará

cheia e nos sentirmos orgulhosos disso, mas abrir para sair, para ir ao encontro. Isso em vários níveis: eclesial, educacional, de solidariedade etc. 8) É significativo que no início do triênio houve várias notícias publicadas sobre a “tomada de posse” dos párocos em diversas partes da Província. Uma delas, porém, se destacou mais positivamente: “missa de apresentação da equipe de evangelização da Paróquia do Sagrado”. O Conselho do Secretariado da Evangelização continua sua reunião no dia 17 de outubro. 2. ANTEPROJETO PARA A FORMAÇÃO PERMANENTE EM 2014 Levando em conta a reflexão desenvolvida desde o Capítulo Provincial do ano passado, o Definitório começou a alinhavar um projeto para a Formação Permanente em 2014 que viabilize a condução e os encaminhamentos do processo de redimensionamento necessário, urgente e desejado. Durante 2013, a Formação Permanente direcionou-se sobretudo aos Capítulos Locais. Já para 2014, pensa-se em envolver mais os Regionais. Até a reunião do Definitório de dezembro próximo, o projeto da Formação Permanente deverá ser divulgado, ocasião, inclusive, em que o Definitório se encontrará com os coordenadores regionais para refletir sobre como melhor articular e promover a execução do projeto. O encontro será no dia 11 de dezembro. A reunião do Definitório se estenderá até o dia 12 de dezembro. 3. ACOMPANHAMENTO DO TRABALHO PASTORAL DOS FRADES ESTUDANTES Frei João Reinert, nomeado pároco em Imbariê, considerando suas outras tarefas, não se vê em condições de continuar acompanhando os frades estudantes em seus trabalhos pastorais. Isso provocou reflexão no Definitório sobre a importância da formação pastoral que vá além do nível acadêmico, e que esteja voltada especificamente para a prática que os frades estudantes têm, sobretudo nos finais de semana, em diversos campos de atuação. Vê-se a importância de um trabalho bem integrado entre o mestre e vice-mestres, os professores do ITF e as fraternidades que recebem os frades estudantes. O fato é que a iniciação pastoral não pode ser considerada num “segundo plano” no processo de formação. 4. ENCONTROS REGIONAIS DO 2º SEMESTRE DO ANO O Governo Provincial avaliou como positiva a presença do Ministro ou do Vigário Provincial e do respectivo Definidor nos encontros dos Regionais no segundo semestre deste ano. Parece ter sido uma iniciativa oportuna substituir a 2ª reunião do ano dos guardiães e coordenadores pela modalidade de uma Formação mais direcionada para os Regionais. Percebe-se que os Regionais que aumentaram o tempo de convivência – alguns começando na véspera, incluindo recreio à noite -, tiveram um

COMUNICAÇÕES . NOVEMBRO DE 2013

3) Comunicação; 4) Missão (ad gentes – projetos missionários); 5) Solidariedade para com os empobrecidos. O próximo passo, que se espera para 2014, é o trabalho de cada Frente - em sintonia com o Definitório, secretariados, serviços, e as próprias Frentes entre si -, para se chegar ao por que e como os frades devem estar e atuar nas 5 Frentes, para só depois, num terceiro momento, passar para a reorganização das nossas presenças e fraternidades. A elaboração desse “porquê e como” inclui projetar nossa presença mais de acordo com o nosso carisma, cultivar a solidariedade e a corresponsabilidade dos confrades, integrar os leigos e leigas no Plano de Evangelização, orientar o Projeto Fraterno de Vida e Missão das fraternidades, subsidiar a própria formação para a evangelização. Perguntar pelo porquê e como é perguntar pelo específico, pelas razões, pelos motivos, pelas justificativas, pelas marcas características, pelos diferenciais. É perguntar por que estamos e devemos continuar atuando em determinada Frente. É perguntar, por exemplo, por que um franciscano (e uma fraternidade) pode e/ou deve trabalhar no campo da Comunicação. Se a Província não encontrar razões que respondam a essa pergunta, certamente, em momento adequado, deverá renunciar a essa Frente. Comentários:

527


DEFINITÓRIO PROVINCIAL ________________________________________ clima melhor de encontro e conseguiram desenvolver a reflexão de modo mais aprofundado e com maior abertura fraterna. 5. TRANSFERÊNCIAS – PREOCUPAÇÕES O Definitório se preocupa em como ajudar os frades nos casos de pedidos de transferência que surgem não propositivamente mas como meio equivocado de resolver problemas pessoais e/ou fraternos. O processo de composição e revisão do Projeto Fraterno de Vida e Missão não deveria somente identificar as nossas “diferenças” mas, sobretudo, as possibilidades de superação dos entraves que se põem entre nós, e que precisam ser olhados, acolhidos, tratados com misericórdia pessoal e fraterna, e, sob a ótica da vida e da missão de frades menores, serem superados de algum modo.

COMUNICAÇÕES . NOVEMBRO DE 2013

6. FREI MARCOS PRADO DOS SANTOS – ORDENAÇÃO DIACONAL O Definitório aprovou que Frei Marcos Prado dos Santos seja ordenado diácono. Ele faz parte da Fraternidade de Santo Amaro da Imperatriz.

528

7. FRADES ESTUDANTES – RENOVAÇÃO DOS VOTOS Considerando o pedido dos frades estudantes e o parecer do coetus formatorum do tempo da Teologia, o Definitório aprovou que renovem os votos: 1. Frei Alan Maia de França Victor 2. Frei Camilo Donizeti Evaristo Martins 3. Frei Clóvis Pasinato 4. Frei Edvaldo Batista Soares 5. Frei Evaldo Ludwig 6. Frei Fábio José Gomes 7. Frei Jean Carlos Ajiluni Oliveira 8. Frei José Raimundo de Souza 9. Frei Leandro Costa Santos 10. Frei Marcos Vinícius Motta Lopes 11. Frei Rafael Teixeira do Nascimento 12. Frei Vanderlei da Silva Neves Não renovarão os votos: 1. Frei Odair José Soares Ramos 2. Frei Ronaldo Faustino 8. CONSELHO DO SECRETARIADO PARA A FORMAÇÃO E ESTUDOS – NOTÍCIAS E DECISÕES O Definitório apreciou o relatório sobre a reunião do Conselho da Formação e Estudos, ocorrida nos dias 8 e 9 de outubro, em Rondinha, e sobre a qual Frei César Külkamp escreverá matéria para as próximas Comunicações da Província. Algumas decisões: 9. 2ª FASE DO ASPIRANTADO 2014 - ITUPORANGA Seguindo análise e indicação do Conselho de Formação e

Estudos, o Definitório aprovou que no próximo ano a 2ª fase do Aspirantado aconteça no Seminário São Francisco de Assis, em Ituporanga. Considerandos: a) Os seminaristas do 3º ano também são aspirantes e poderá haver algumas atividades em conjunto com os aspirantes que vêm das FAVs; b) Os seminaristas estão em número reduzido; c) A casa favorece uma convivência mais próxima entre os estudantes e a fraternidade formadora; d) A casa conta com uma ala que poderia ser adaptada para quartos e para algumas dependências próprias do grupo de aspirantes; e) A fraternidade do Seminário é menor e focada no trabalho formativo; f) Há estrutura de escola, com professores para alguns conteúdos necessários também aos aspirantes; g) A proximidade da paróquia facilita uma maior integração com a comunidade eclesial. 10. FREI ALEX FERREIRA DA SILVA – ESTUDO DE PEDAGOGIA Também seguindo orientação do Conselho de Formação e Estudos, o Definitório atendeu ao pedido de Frei Alex que deseja interromper os estudos de Teologia, ao término do 2º ano, e iniciar a faculdade de Pedagogia no próximo ano. Frei Alex fará a profissão solene no dia 10 de novembro e tem opção laical na vida franciscana. Depois do estudo da Filosofia em Rondinha, ele fez estágio de 2 anos em Angola, dedicando-se aos serviços da evangelização e da formação. Quer fazer o curso de Pedagogia por ser um interesse seu, mas também como qualificação para as Frentes evangelizadoras da Província, especialmente no campo social, nas paróquias ou na formação. 11. REINGRESSO DE ANDRÉ R. ANDREATTI E ÂNGELO BARATELLA André Andreatti, de 35 anos, é natural de Vila Velha e é acompanhado pelo animador Frei Alberto Eckel Júnior. Já havia feito o Aspirantado e parte do Postulantado (2007) na Província. André deverá ingressar numa experiência de FAV, no próximo ano, seguindo a caminhada regular da Formação. Ângelo Baratella, de 30 anos, é natural de Bragança Paulista e é acompanhado pelo animador Frei Carlos Pierezan. Formado em Direito, ingressou no Aspirantado em 2007, e seguiu até o primeiro ano de profissão temporária em Rondinha, em 2010. Em 2012, pediu para retornar. Foi-lhe pedido que esperasse dois anos para rever sua disposição em abraçar a vida franciscana. Ângelo ingressará ainda neste mês de outubro no Postulantado, em Guaratinguetá, para um tempo de integração com os atuais postulantes, e seguirá para o Noviciado em 2014, a ser feito integralmente. 12. LEITORATO E ACOLITATO Os ministérios do leitorato e acolitato são conferidos atualmente a todos os frades estudantes, no primeiro ano de


DEFINITÓRIO PROVINCIAL ________________________________________

13. EXPERIÊNCIA MISSIONÁRIA NA AMAZÔNIA Dois frades estudantes de Petrópolis participarão da experiência missionária na Amazônia, oferecida pela Fraternidade de Requeña, de 20 de janeiro a 14 de fevereiro de 1014. Frades estudantes já fizeram esta experiência em janeiro deste ano. 14. ESTÁGIO NA FIMDA O Definitório aprovou que Frei Clovis Pasinato e Frei José Raimundo de Souza, ambos do 1º ano de Teologia, façam estágio na Fundação Imaculada Mãe de Deus de Angola, durante as férias escolares no final e início de ano. 15. REPRESENTANTES DAS PARÓQUIAS E SANTUÁRIOS NOS REGIONAIS 1) Regional de Pato Branco: Frei José Idair Ferreira Augusto; 2) Regional da Baixada e Serra Fluminense: Frei Angelo José Luiz; 3) Regional do Rio de Janeiro e Baixada Fluminense: Frei Sérgio Pagan; 4) Regional do Vale do Paraíba: não indicou ninguém. 16. AGUDOS – UMA SÓ FRATERNIDADE Em Agudos haverá somente uma fraternidade instituída: a do Seminário, que será composta também pelos párocos das paróquias São Paulo Apóstolo e Santo Antônio. 17. VENDA DAS PEDRAS – SAÍDA DOS FRADES Frei Evaristo deu notícias de como foi a reunião dele e do bispo de Niterói com a comunidade da Colônia de Venda das Pedras, no dia 10 de setembro, ocasião em que se procurou explicar os motivos da saída dos frades daquela realidade. Já no dia 5, os frades haviam conversado com o conselho, e, no domingo, na missa dominical, com a comunidade. Dom José afirmou que acolhia a decisão da Província, embora lamentasse. Disse também que havia a proposta de se incluir a comunidade no conjunto pastoral maior, que estaria sob o cuidado dos

frades, o que, segundo ele, não foi possível se concretizar. Em clima ameno e sem hostilidades, alguns questionaram a “entrega” da casa. Com aprovação do Definitório, Irmãs Franciscanas de São José, que administram a escola do Apoio Fraternal S. José do Iguá - construída por Frei Daniel Kromer -, passarão a residir na casa em que habitavam os frades, e assim estarão mais junto à comunidade eclesial e aos doentes. O bispo também se dispõe a transferir mais um padre para a paróquia de Venda das Pedras, que agora assumirá a comunidade da Colônia como mais uma das suas comunidades. 18. FREI ALEXANDRE VERARDI – LICENÇA Frei Alexandre recebeu licença para morar fora da Fraternidade Provincial por um ano. Ele fazia parte da Fraternidade de Curitiba. Era vigário paroquial e estava a serviço do Sefras. 19. FREI JORGE LÁZARO DE SOUZA E FREI LAURINDO LAURO – FIMDA Frei Jorge Lázaro e Frei Laurindo Lauro receberam autorização para começarem a encaminhar a documentação necessária para obtenção do visto de permanência em Angola. 20. FREI GILMAR JOSÉ DA SILVA – ARQUIDIOCESE DO RIO DE JANEIRO Em resposta a consulta feita por parte do chanceler da cúria da Arquidiocese do Rio de Janeiro, o Definitório aprovou que Frei Gilmar José da Silva exerça a função de vigário forâneo da Primeira Forania do Vicariato Urbano daquela Arquidiocese. 21. ASSOCIAÇÃO FRANCISCANA DE ENSINO SENHOR BOM JESUS – ENCONTRO COM O DEFINITÓRIO O Definitório encontrou-se com Frei Mário Knapik e com Jorge Siarcos, da AFESBJ, às 14h30 do dia 15 de outubro. Apresentaram, num primeiro momento, dados pastorais e educacionais da Associação (unidades do Colégio Bom Jesus e FAE Centro Universitário), a partir de texto composto por Frei Claudino Gilz: organização e coordenação da pastoral; frades que atuam na pastoral escolar, a catequese, a formação de catequistas, o legado franciscano da pastoral escolar/universitária e da proposta pedagógica da Associação, o Projeto Virtudes e Atitudes, entre outros. Em seguida, apresentaram uma análise do resultado acadêmico e administrativo de 2010 a 2013. Depois dos comentários e esclarecimentos que surgiram a partir da exposição feita por Frei Mário e por Jorge, o Definitório refletiu sobre a importância de a dimensão própria da Frente de Educação não se restringir aos colégios e instituições de ensino da Província, mas se estender também às escolas dos locais em que os frades desenvolvem outros tipos de trabalho evangelizador, levando em consideração, sobretudo, a importância da atuação entre os jovens. Há frades nos nossos colégios, há frades que moram perto dos nossos colégios e há sempre escolas próxi-

COMUNICAÇÕES . NOVEMBRO DE 2013

profissão temporária. Porém, a partir de estudo apresentado por Frei Marcos Andrade sobre a natureza destes ministérios, referentes às ordens sacras, e que devem ser conferidos separadamente, o Definitório acatou a orientação do Conselho de Formação e Estudos, segundo a qual tais ministérios não deveriam mais ser conferidos em Rondinha. Assim, o leitorato será conferido a partir do 2º ano de Teologia e o acolitato, a partir do 3º, e somente para os que frades estudantes que almejam os ministérios ordenados (cf. Doc. 93 da CNBB e Carta Apostólica sob a forma de motu proprio, com a qual é reformada a disciplina da primeira tonsura, das ordens menores e do subdiaconato na Igreja latina).

529


DEFINITÓRIO PROVINCIAL ________________________________________ mas dos lugares em que os frades residem e desenvolvem as mais variadas atividades pastorais. O importante é haver um envolvimento mais efetivo no campo vasto da Educação. Se a Província elegeu no Capítulo Provincial a Educação como sendo uma das suas 5 Frentes de Evangelização é porque acredita que esta seja um lugar privilegiado para evangelizar os jovens. Falta, porém, refletir mais amplamente e com maior disposição e abertura, sobre o que significa a presença franciscana (e dos frades da Província especificamente) no mundo da Educação. Portanto, trata-se de um “modo próprio de presença” a ser melhor compreendido e assumido. 22. ADRIEL MOURA – SEDE PROVINCIAL E CASA N. SRA. DA PAZ O Definitório aprovou que Adriel Moura, que já há vários anos coordena com Frei Raimundo Castro o setor administrativo da Sede Provincial, também com ele passe a trabalhar na administração da Casa Nossa Senhora da Paz, em Bragança Paulista. Adriel, que há anos viaja diariamente de Bragança para São Paulo, passará a permanecer mais dias da semana naquela cidade, respondendo conjuntamente pela Casa e pela Sede Provincial. 23. CASA N. SRA. DA PAZ – MUDANÇAS NO ESTATUTO No dia 15 de outubro, às 17h30, Frei Raimundo se fez presente na reunião do Definitório para apresentar e explicar os motivos de alterações no Estatuto da CNSP, que se fazem necessárias.

COMUNICAÇÕES . NOVEMBRO DE 2013

24. PROVÍNCIA SANTO ANTÔNIO – NE – VISITADOR GERAL Frei Estêvão Ottenbreit foi nomeado pelo Definitório Geral visitador para a Província Santo Antônio, com sede em Recife.

530

25. EGRESSOS 1) Tiago Martins Rodrigues (noviço); 2) Alexsandro Braz da Silva (3º ano de Filosofia); 26. JOÃO BATISTA ZANINI – INDULTO Em 30 de julho de 2013, João Batista Zanini recebeu dispensa do celibato e de todas as obrigações sacras relacionadas à ordenação presbiteral. 27. FEDERAÇÃO DAS IRMÃS CLARISSAS – ASSISTENTE RELIGIOSO Em decreto de 18 de julho de 2013, Dom José Rodríguez Carballo, arcebispo secretário da Congregação

para os Institutos de Vida Consagrada e Sociedades de Vida Apostólica, nomeia o Frei Raimundo J. de Oliveira Castro assistente religioso da Federação Sagrada Família dos mosteiros de Clarissas no Brasil. Frei Raimundo, portanto, dará continuidade ao trabalho que já vem fazendo há vários anos junto às Irmãs. 28. REDIMENSIONAMENTO – CONSULTA Os Definidores começaram a apreciar e a analisar o resultado da “consulta – redimensionamento” enviada aos frades após a última reunião do Definitório Provincial. 273 frades responderam-na. Os definidores entrarão em contato com os que não responderam, de modo que o façam o quanto antes. 29. NOMEAÇÕES DIVERSAS 1) Vigário da casa na Fraternidade S. Francisco, de Campos Elíseos, Duque de Caxias – Frei Carlos Alberto Branco Araújo; 2) Vigário da casa na Fraternidade S. Antônio, de Florianópolis – Frei Aladim Uber; 3) Vice-mestre dos frades estudantes da FIMDA – Frei António Boaventura Zovo Baza; 30. OFS – NOMEAÇÃO DE ASSISTENTES 1) Fraternidade São Francisco Solano, de Ituporanga: Frei Rodrigo da Silva Santos; 2) Fraternidade Imaculada Conceição da Bem-aventurada Virgem Maria, de Niterói: Frei Carlos José Körber; 3) Fraternidade Nossa Senhora Aparecida, de Sorocaba: Frei Vanilton Aparecido Leme; 31. OFS – EREÇÃO DA FRATERNIDADE MENINO DE BELÉM O Definitório aprovou que se faça a ereção canônica da Fraternidade OFS Menino de Belém, na cidade de São Paulo, cujos irmãos e irmãs são professos definitivos e oriundos da Fraternidade Santa Clara. 32. AUTORIZAÇÕES DE VIAGEM Por motivos diversos, receberam autorização para viajar ao Exterior neste ano: Frei Sérgio Pagan, Frei Raimundo J. de Oliveira Castro, Frei João Mannes, Frei Mário Knapik e Frei Nilo Agostini. E no ano que vem: Frei Djalmo Fuck e Frei Valdecir Schwambach.

Frei Walter de Carvalho Júnior Secretário


CFMB ________________________________________ ELEITO O NOVO GOVERNO DA CONFERÊNCIA A Conferência dos Frades Menores do Brasil (CFMB) tem novo governo. Reunidos em Assembleia na cidade mineira de Santos Dumont desde o dia 20 último, os ministros provinciais, custódios e presidentes das Fundações elegeram o novo governo para a Conferência para o próximo triênio: Frei Bernardo Brandão, provincial da Província Franciscana Nossa Senhora da Assunção, de Bacabal (MA), será o presidente e Frei Fidêncio Vanboemmel, provincial da Imaculada Conceição, será o vice-presidente. Para ecônomo foi eleito Frei Francisco Carvalho Neto, da Província de Santa Cruz (MG), e para secretário Frei Marco Aurélio da Cruz, de Goiás. A Assembleia se reúne até sexta-feira, dia 25 de outubro, no Seminário Seráfico Santo Antônio, em Santos Dumont.

Na abertura do encontro, Frei Fidêncio apresentou o objetivo principal da Assembleia ampliada: “Promover o bem comum em nossa Conferência a fim de promovermos uma melhor evangelização nos lugares onde estamos inseridos”. O Definidor Geral para a América Latina, Frei Nestor Schwerz, apresentou os

membros dos diferentes serviços. A saber: Serviço para a Formação e Estudos (SERFE), Secretariado Interprovincial Franciscano de Evangelização e Missão (SIFEM), frades envolvidos no Serviço de Justiça, Paz e Integridade da Criação (JPIC), representantes dos formandos das entidades, bem como seus respectivos ministros provinciais.

FREI ARNO FRELICH E FREI MALONE RODRIGUES

A Província São Francisco de Assis, reunida em Capítulo Provincial, no Convento São Boaventura, em Imigrante (RS), dos dias 13 a 18 de outubro, elegeu na manhã de quarta-feira, 16 de outubro de 2013, seu novo governo provincial, que conduzirá o grupo de irmãos por um sexênio: Ministro Provincial, Vigário Provincial e os Definidores. Estavam presentes 67 frades capitulares com direito a voto e mais nove frades. O grupo de irmãos elegeu o novo Governo Provincial. Frei Inácio Dellazari, Ministro Provincial, e Frei Marino Pedro Rhoden, vigário provincial, foram eleitos por um sexênio. E, para Definidores, foram eleitos para um triênio os freis: Aldir Mattei, Olávio José Dotto, Carlos Laurêncio Schaefer e Gastão Carlos Zart. DADOS BIOGRÁFICOS Frei Inácio Dellazari, OFM, nasceu

em 31 de julho de 1952, em Arroio do Meio, RS. Entrou na Ordem Franciscana em 1º de Fevereiro de 1973, em Daltro Filho (então município de Garibaldi, hoje, Imigrante). Professou solenemente os votos perpétuos em 29 de Maio de 1977. Foi ordenado Presbítero em 12 de Janeiro de 1980 na Igreja Matriz Nossa Senhora do Rosário de Capitão (então município de Arroio do Meio). ESTUDOS ACADÊMICOS Cursou Filosofia na Faculdade de Filosofia Nossa Senhora da Imaculada Conceição (FAFIMC), Viamão/RS. Cursou Teologia e História na Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul. Fez Mestrado em Teologia com ênfase em Espiritualidade Franciscana no Pontifício Ateneu Antonianum em Roma, Itália. TRABALHOS NA PROVÍNCIA 1985 – Mestre de Postulantes, no Seminário Seráfico São Francisco, em Taquari, e professor de História; 1989 – Vice Mestre do Noviciado e do Pós-noviciado,

em Campo Grande, MS; 1990-1996 – Mestre de Noviços, Imigrante, RS; 19972001 – Reitor do Seminário São Pascoal, Três Passos, RS; 2002-2003 – Reitor do Seminário Maior João Duns Scotus e Mestre do Pós-noviciado, Porto Alegre, RS; 2004 e 2008 – Mestre de Noviços, Santarém, PA; 2008-2013 – Missionário em Boa Vista, RR, onde residia na fraternidade interprovincial Irmão Francisco e Irmã Clara, atendendo 19 comunidades, dando prioridade à formação de lideranças, participando ainda de programas na rádio FM Monte Roraima e ministrando aulas de Teologia para leigos. Exerceu ainda a função de diretor espiritual das Irmãs Apóstolas de Cristo.

COMUNICAÇÕES . NOVEMBRO DE 2013

FREI INÁCIO É O PROVINCIAL NO RIO GRANDE DO SUL

531


AGENDA

2013

Província Franciscana da Imaculada Conceição (*) As alterações estão sublinhadas

NOVEMBRO 04 a 15

Tempo Forte do Definitório Geral;

07

Reunião do Conselho Gestor das entidades da Província;

10

Profissão Solene de Frei Alex Ferreira da Silva (Campo Largo);

12 e 13

Encontro dos animadores JPIC dos Regionais;

14 a 17

Estágio Vocacional Região Norte (Guaratinguetá);

18

Encontro Regional de São Paulo (Bragança Paulista);

19 e 20

Encontro dos Mestres da etapa de formação (Sede Provincial);

2014

JANEIRO 03

Primeira Profissão dos Noviços (Rodeio);

10 a 12

I Caminhada da Juventude: Jovens de SP, RJ e ES (De Taubaté a Guaratinguetá);

12

Admissão ao Noviciado (Rodeio);

22

Admissão dos Postulantes (Guaratinguetá);

FEVEREIRO 18 a 20

Reunião do Definitório Provincial (São Paulo);

20 a 23

Missões com jovens de SC e PR (Ituporanga);

MARÇO 11 e 12

Assembleia do SAV (Rondinha);

25

Encontro Regional de Agudos;

25

Encontro Regional Rio de Janeiro;

ABRIL

25 e 26

Encontro Regional do Leste Catarinense (Angelina);

08 a 10

Reunião do Definitório Provincial (São Paulo);

27 e 28

Encontro Regional de Pato Branco (Recreativo);

28 e 29

Reunião do Conselho do Secretariado de Formação e

28

Reunião do Conselho do Economato;

Estudos (Guaratinguetá); 29 a 30

DEZEMBRO

JUNHO

02

Encontro Regional do Vale do Paraíba;

02 a 04

02

Encontro Regional de Curitiba;

02

Encontro Regional do Espírito Santo (recreativo);

02

Encontro Regional do Vale do Itajaí - recreativo (Vila

COMUNICAÇÕES . NOVEMBRO DE 2013

02

Reunião do Definitório Provincial (São Paulo);

JULHO 07 e 08

Conselho do SAV (São Paulo);

Itoupava);

AGOSTO

Encontro Regional Baixada e Serra Fluminense

04 a 08

(recreativo);

04 a 06

Celebração dos Jubileus (São Paulo - São Francisco);

02 e 03

Encontro Regional do Contestado;

09 a 12

Reunião do Definitório Provincial;

11

Reunião do Definitório Provincial com os

16 a 20 532

Reunião dos Guardiães e Coordenadores (Agudos);

Coordenadores dos Regionais (São Francisco - São Paulo); Tempo Forte do Definitório Geral;

Retiro e Reunião do Definitório Provincial ;

SETEMBRO 23 a 25

Capítulo das Esteiras (Agudos);

23 a 25

Jubileus (no Capítulo das Esteiras);

OUTUBRO 14 a 16

Reunião do Definitório Provincial (São Paulo);

NOVEMBRO 25 a 27

Reunião do Definitório Provincial (São Paulo);


nov_2013