Page 1

MAIA O SEU JORN A L D A M A I A DIRECTOR: JOSÉ FREITAS Ano VII - N.º 496 SEMANÁRIO

Sextafeira 26 de Março de 2010

preço 0.50 € IVA incluído www.primeiramao.pt

LIMPEZA DA MAIA FICOU “MUITO AQUÉM DAS EXPECTATIVAS”

Estavam sinalizados 178 pontos de deposição ilegal para serem recolhidos no Dia L. Mas, para desânimo da coordenação da Maia, nem tudo foi feito. Foram intervencionados 76 pontos em todo o concelho e completamente removidos cerca de 18. Dos mais de 650 inscritos só cerca de metade compareceu à chamada


02

PRIMEIRA MÃO | Sexta-Feira 26-03-2010

FICHA TÉCNICA

Opinião Opinião João A. Couto

O portuense Sérgio Godinho costuma cantar “hoje é o primeiro dia do resto da tua vida” e julgo que é esta a forma de pensar de milhares de militantes do PSD que se preparam para exercer o seu direito de voto, hoje, 26 de Março, nas diferentes secções de voto em todo o Portugal. O Partido Social-democrata encontra-se, uma vez mais, numa encruzilhada. O país definha, envolvido numa das mais graves crises económicas da sua história, fruto do desgoverno de José Sócrates e dos seus pares e sem que a crise internacional possa justificar tudo ou servir de desculpa para erros próprios. Temos um governo que já não governa, apenas se mantém em permanente campanha eleitoral por saber que nós sabemos que eles sabem, que estão a prazo. Aqueles que entendem que o povo português não se governa nem se deixa governar estão completamente equivocados. Os portugueses querem, rapidamente e em força, mudar de governo, ou seja, mudar de vida. Por isso mesmo, os Portugueses olham para estas eleições directas do PSD como nunca antes o fizeram. As diferentes sondagens de opinião, de distintas empresas e órgãos de comunicação social, permitem-nos verificar que existe um sentimento de esperança e um querer da mudança. Os seus sinais, plasmados nos respectivos resultados, são claros: os Portugueses querem uma vitória clara e inequívoca de Pedro Passos Coelho e com ela um novo rumo para Portugal. Os militantes do Partido Socialdemocrata que hoje se dirigem às respectivas sedes do partido não se limitam a escolher um novo líder para o partido mas, sobretudo e fundamentalmente, o futuro primeiro-ministro de Portugal. Olhando para as quatro candidaturas, para os seus programas, para o percurso de cada um dos

Director

Mudar de Vida

candidatos, é óbvio que apenas dois deles preenchem os requisitos essenciais para a dupla função que lhes espera: Pedro Passos Coelho e José Pedro Aguiar Branco. SERIEDADE O advogado portuense e líder da bancada parlamentar do PSD na Assembleia da República, José Pedro Aguiar Branco, é um homem sério e competente. Partiu para estas eleições cumprindo a palavra dada e tendo sido traído pelo seu delfim, Paulo Rangel. Um facto indesmentível e reconhecidamente prejudicial para o sucesso da sua candidatura – o seu delfim, em tão só 48 horas retirou-lhe parte substancial dos apoios que naturalmente seriam seus. Falta saber o papel da actual líder em toda esta tão mal contada história. Já Pedro Passos Coelho teve um percurso diferente. Depois de perder nas últimas eleições directas, a favor de Manuela Ferreira Leite, continuou a caminhar rumo ao futuro. Foi para o terreno auscultar a sociedade civil, visitou diversas instituições sociais, ouviu inúmeros independentes, reuniu com associações patronais e sindicais, conversou com os principais bloggers nacionais, estudou dossiers, lançou um livro com as suas ideias para Portugal, em suma, preparou-se melhor para o desafio da mudança. Agora chegou a hora de os militantes do PSD escolherem. E se é certo, após o debate a quatro na RTP, que Pedro Passos Coelho parte na frente, não o é menos que necessita de uma vitória clara, superior a 50%. Bem sei que por um se ganha, por um se perde mas para conquistar a paz e a tranquilidade necessária no PSD, é fundamental que a sua vitória seja suficientemente expressiva para serenar a militância, colocar os barões em sentido e todos juntos prepararmos o futuro.

Opinião Marco António Costa

A MAIA A Maia, uma vez mais pela mão do Eng. Bragança Fernandes, foi e é um exemplo dessa unidade. Enquanto Presidente do partido recebeu todos os candidatos que aqui quiseram vir. Procurou serenar as diferenças e com a sua habitual calma e bom senso a todos ajudou. A título pessoal declarou o seu apoio a Pedro Passos Coelho afirmando que todos são excelentes candidatos mas que acredita ser Passos Coelho o homem certo para liderar, agora, o PSD e em breve o Governo da Nação. Mais uma vez, Bragança Fernandes mostrou o seu faro político e a sua sensatez em colocar em primeiro lugar os interesses de todos e só depois o do seu partido. Este sinal claro do Presidente do PSD-Maia deve servir de reflexão a todos os sociais-democratas da Maia. Deve ser o farol que os guia neste dia tão importante para todos nós. O seu apoio a Passos Coelho, retribuído com elevada estima e consideração pelo candidato – eu sou testemunha da forma sensibilizada como Passos Coelho recebeu este apoio, até por saber que é raro um gesto público destes por parte de Bragança Fernandes e o que significava para a Maia – manifesta que, se Passos Coelho vencer e de forma clara igualmente na Maia, teremos na liderança do partido e, posteriormente, na liderança do país um amigo, alguém que saberá ouvir a nossa voz. Na Maia, Pedro Passos Coelho conta com bons amigos, todos eles discretos, sem aparecerem em bicos de pés mas sempre ao seu lado nos momentos mais difíceis, nos fóruns mais complicados, nos locais mais inusitados. Aqueles que marcaram uma posição clara depois dos debates, após aquele momento complicado no congresso - que calaram os apupos de claques organizadas sem ligação ao partido que estavam lá para destruir em vez de ajudar a construir – que tanto ajudaram a passar a mensagem sem nada em troca que não a sua amizade

José Freitas jose.freitas@primeiramao.pt

e a certeza de estarem do lado certo da história. Foram maiatos e maiatas que em silêncio e concertados com tantos outros militantes, independentes e meros apoiantes trabalharam, todos os dias, em prol da mudança. Pelo país assistimos a uma enorme vaga de portugueses e portuguesas sem filiação partidária que se juntaram nas iniciativas públicas e nas redes sociais, oferecendo aquilo que melhor sabem fazer, a sua força de trabalho, o seu pensamento plasmado através da escrita. Foram milhares de homens e mulheres anónimos e nem todos militantes do PSD que se juntaram a estes naquela que será conhecida, aconteça o que acontecer, como a primeira eleição disputada, igualmente, nas redes sociais em Portugal. PONTES Ao longo de todos estes dias de campanha foram mais as pontes que se construíram que os caminhos que se perderam. Foram dias e foram noites, em silêncio, sós ou acompanhados, a trabalhar por algo absolutamente diferente, sem medo e com toda a paz, esperando por um amanhã diferente, um desejo de mudança, uma crença inabalável que estamos perante algo diferente, algo que há muito não se via nem se pressentia em Portugal, uma verdadeira revolução silenciosa, um sentimento de que vamos fazer o que ainda não foi feito. É este sentimento de que é possível mudar Portugal e que Pedro Passos Coelho está preparado para tomar nas mãos esta enorme responsabilidade, que está rodeado de gente capaz de nos guiar pelo caminho certo, rumo a um Portugal melhor. Esta é a nossa terra, o pedaço que queremos entregar aos nossos filhos bem melhor do que a recebemos dos nossos pais. É uma mudança geracional e a prova de fogo para a geração de Passos Coelho. É agora ou nunca. Até agora, todos nós, inebriados

por uma falsa ideia de eterna prosperidade, estivemos mais entretidos a olhar para o nosso umbigo e não vislumbramos que estávamos a caminhar, paulatinamente, rumo ao abismo. Eleição após eleição, preocupados com meros interesses pessoais, permitimos que o PS e José Sócrates voltassem a vencer e com eles acordamos de ressaca, com um país economicamente de rastos, perto da bancarrota e deixando uma triste herança para as gerações vindouras. É chegada a hora da mudança. Uma mudança que não passa apenas e só pelo PSD mas por Portugal e, sinceramente, olhando à nossa volta, só Pedro Passos Coelho e a sua equipa nos permite augurar algo de novo, de diferente, de bem melhor. Nem tudo o que defende nos satisfaz, principalmente aqueles que, como nós, defendem a Regionalização como novo paradigma da organização administrativa e política da nossa sociedade e que a queremos já quando ele pede calma e tempo. Mas temos que ceder, um passo de cada vez, agora é chegada a hora de arrumar a casa, de colocar o país na rota do desenvolvimento. O momento é de tal forma crítico que obriga a sacrifícios de cada um de nós e dos nossos ideais em prol de todos, do bem comum. Hoje, 26 de Março de 2010, entre as 17h e as 23h temos todos de assumir a responsabilidade de fazer uma escolha clara: ou votamos em Passos Coelho apostando num futuro de mudança e de diferença em prol de um Portugal melhor ou, pura e simplesmente, apostamos em mais do mesmo, naqueles que nos levaram a uma derrota estrondosa nas últimas eleições legislativas e que são, não duvidem, os grandes responsáveis por continuarmos a ter o Partido Socialista e José Sócrates a guiar Portugal rumo ao abismo. Está nas nossas mãos sermos os obreiros da mudança. Pelos nossos Filhos, por Portugal, hoje é o primeiro dia do resto das nossas vidas.

Redacção José António Costa jose.costa@primeiramao.pt Isabel Fernandes Moreira isabel.moreira@primeiramao.pt Marta Costa marta.costa@primeiramao.pt Fernanda Alves fernanda.alves@primeiramao.pt Rui Baltazar rui.baltazar@primeiramao.pt

Colaboradores Manuel Chaves manuel.chaves@primeiramao.pt Vítor Dias vitor.dias@primeiramao.pt

Design e Paginação: Ricardo Ferreira ricardo.ferreira@primeiramao.pt

Assistente de Direcção Sameiro Soares sameiro.soares@primeiramao.pt

Editor: - Propriedade, administração e redação Sociedade de Rádio Local, Lda. Avenida Visconde Barreiros, 89, 5º, 4470 Maia Telefone: 229439380 Fax: 229439381 NIF: 504588613 Matriculada nº 57509/20030613 na Conservatória do Registo Comercial da Maia Inscrição nº 223513 Depósito Legal nº 153674/00 Registo ICS: 123563

Administração Acácio Marinho acacio.marinho@primeiramao.pt

PSD, espaço de tolerância

Correio electrónico geral@primeiramao.pt

O PSD mostrou no congresso que é o partido da tolerância e que mantém a sua característica de ser um espaço aberto ao debate franco e profícuo de ideias. Além de ter sido uma inequívoca demonstração da vitalidade do partido, o Congresso revelouse uma excelente oportunidade política, respondendo à ansiedade sentida pelos militantes em discutir a sua vida interna e reflectir sobre o estado do País. Sábado, o primeiro dia de trabalhos do conclave, foi um momento alto da vida partidária, marcado pelo alto nível do debate entre os candidatos à liderança, apenas manchado por

manifestações de radicalismo e intolerância de sectores provenientes de uma das candidaturas que se opõe a Pedro Passos Coelho. Esta atitude está longe da tradição da vida do PSD e os apupos e assobios ouvidos só revelam o radicalismo extremista que coexiste nesse movimento, bem longínquo do personalismo humanista e tolerante que faz parte do ADN fundador do partido. Terá sido esse, aliás, um dos motivos a contribuir para o falhanço de uma esperada avalanche de manifestações de apoio a Paulo Rangel por parte de “notáveis” , que não se verificou. Também a crescente e estru-

turada convicção de que Pedro Passos Coelho se apresenta como claro favorito na corrida eleitoral à liderança do partido não deixou de pesar neste recuo de muitas figuras que, sem nenhuma surpresa, preferem não afrontar quem pressentem como o vencedor de amanhã. Marcante foi também a forma como a actual líder do partido deixa o cargo: sem chama e sem glória. Um discurso auto justificativo proporcionou a Manuel Ferreira leite a complacência do Congresso, bem dentro do espírito de tolerância característico da grande maioria dos militantes do PSD. Um ponto ainda a reter dos

trabalhos de encerramento: a confirmação dos receios manifestados neste espaço acerca da inoportunidade e inconsequência de uma revisão estatutária efectuada sem que os militantes nisso tivessem concentrados ou mesmo minimamente interessados. Criou-se, a propósito, uma polémica escusada e artificial, aproveitada, entre outros, pelos socialistas para desviar atenções de um Congresso que no essencial foi um exemplo de confronto democrático e de debate de ideias sobre a vida do partido e sobre a degradação a que o Governo de José Sócrates está a conduzir Portugal.

O caso da contenção de críticas internas durante determinados períodos pré-eleitorais, além de corresponder a uma preocupação de unidade em torno de uma orientação estratégica, aliás também presente em regulamentos de outros partidos, tratou-se de uma aprovação eventualmente apressada por parte de militantes saturados e ainda indignados com os maus exemplos dados por quem, em altura crítica da vida colectiva, foi capaz de virar ao contrário as setas símbolo do partido. Presidente da Comissão Política Distrital do PSD/Porto

Impressão Naveprinter Indústria Gráfica do Norte, S.A. E.N. 14 Km 7, 5 Maia

Distribuição Moviface Avenida Visconde Barreiros, 89, 5º, 4470 Maia Telefone: 229439393 Tiragem: 3000 exemplares

Sai à Sexta-feira Preço: 0,50 €


03

PRIMEIRA MÃO | Sexta-Feira 26-03-2010

Destaque www.primeiramao.pt

Pais-Em-Rede reúne-se na Maia O

Fórum Jovem da Maia é hoje palco de um encontro PaisEm-Rede. Trata-se de um movimento cívico nacional sem fins lucrativos, formalizado a 5 de Novembro de 2008, que visa a integração das chamadas “famílias especiais” na sociedade portuguesa. Nasceu em Lisboa, mas já conta com mais de uma dezena de núcleos, incluindo o do Porto, que promove este primeiro encontro na Maia. Juntam-se os núcleos do Algarve, Aveiro, Évora, Coimbra, Peniche, Portimão, Santarém, Setúbal, Tavira, Torres Vedras e Vila Real. Actualmente, são cerca de 800 os associados, mas a meta é chegar aos dez mil até ao final deste ano. A associação teve na sua génese as estatísticas da Organização Mundial de Saúde (OMS) que apontam para dez por cento da população portadora de limitações que impedem uma integração plena na sociedade. Somam-se os dados da realidade portuguesa. Com base nos Censos 2001, do Instituto Nacional de Estatística (INE), cerca de 6,1 por cento da população portuguesa tem alguma incapacidade ou limitação (seja sensorial, intelectual, paralisia cerebral ou outro tipo de incapacidade). Porque a maioria destes dados são apenas estimativas, uma das missões do movimento é fazer um diagnóstico da situação. Para contabilizar o número deficientes em Portugal, saber em que situação se encontram, quais as suas preocupações e os problemas que os afectam. Esse diagnóstico passará, inclusive, pela recolha de testemunhos que poderão vir, depois, a ser publi-

cados. Mas já com uma certeza: a de que “a deficiência tem sido completamente ignorada no nosso país, apesar do Governo ter um programa excelente, mas nunca posto em prática”, lamenta Ilda Taborda, do Núcleo do Porto do Pais-Em-Rede. No site da Internet – em www.pais-em-rede.com – pode ler-se que o projecto pretende reunir “famílias e cidadãos solidários, de to-

das as regiões do país, com o objectivo de definir a complexa rede de carências e abrir caminhos para as resolver”. Seja na área da educação, como na saúde, na formação e ao nível da integração sócio-profissional. Mas não a actuar sozinho. Este movimento assume o desígnio de actuar “de forma dinâmica e transversal, em colaboração com as estruturas existentes, de modo

a definir a complexa rede de carências e abrir caminhos para as resolver”. E assim “dar voz às pessoas que não têm tido possibilidade ou oportunidade de o fazer”. Sejam deficientes, familiares ou até amigos. “Ajude a tornar Portugal um lugar melhor para as pessoas com necessidades especiais” é um dos lemas deste movimento Pais-EmRede. Na Maia, quem qui-

ser colaborar com o projecto, pode comparecer no encontro marcado para esta noite, a partir das 21h30, no auditório do Fórum Jovem da Maia, também divulgado através do portal da FAPEMAIA – Federação das Associações de Pais e Encarregados de Educação do Concelho da Maia. Podem participar pais, professores, profissionais de saúde, advogados, artistas, arqui-

tectos ou até empresários. Em suma, diz Ilda Taborda, “qualquer pessoa poderá, e deverá, participar”. Porque a deficiência “é um problema de todos”, adverte, e “todos deveremos lutar pelos direitos de cidadania, neste caso, para as pessoas com incapacidade, mas são direitos que qualquer cidadão deverá ter”.

que anda a enganar as pessoas, pedindo donativos para a campanha. Um procedimento que os organizadores consideram reprovável. “Um Dia Pela Vida” não é um peditório, garantem. “É um projecto que visa melhorar a atitude perante o cancro, ter atenção aos sinais e participar nos rastreios e só em terceiro lugar angariar fundos, sempre com o espírito de dar e receber”.

Para já, ainda não foi apresentada qualquer queixa-crime nas autoridades. “Difundimos a todos os capitães das equipas, através da internet, para estarem atentos a qualquer extravio de crachás, para que não sejam abusivamente utilizadas”, informou Jaime Gonçalves, que diz ainda não ter conhecimento de pessoas lesadas.

Marta Costa

Falso peditório na Vila do Castelo Os elementos do movimento “Um Dia Pela Vida” da Liga Portuguesa Contra o Cancro foi alertada para a existência de um falso peditório, a favor desta organização, na zona do Castelo da Maia. Uma situação que, de acordo com o coordenador da campanha na Maia, não corresponde à realidade. A PRIMEIRA MÃO, Jaime Gonçalves garantiu que não há qualquer peditório.

“Constou-se na nossa sede que alguém se estava a passar por representante do movimento, e que até teria tido acesso a um dos crachás que são disponibilizados às equipas, fazendo-se passar por elemento da Liga e que está a pedir dinheiro, quando o movimento não tem nada a ver com um peditório. É mais um espírito de partilha, nós não pedimos nada sem dar algo em troca, seja uma

fita ou um boné”. O coordenador esclarece que um dos objectivos do movimento é também a angariação de fundos, que acontecem somente em “momentos oportunos”, através das actividades promovidas pelas mais de 30 equipas que foram constituídas no concelho da Maia. Espectáculos de música, dança, caminhadas e jogos de futebol, são alguns exem-

plos de iniciativas que tinham como objectivo a angariação de verbas para o combate ao cancro. Quando estão envolvidos donativos oferecidos de livre vontade, a comissão local passa um recibo provisório, que depois será efectivado pela Liga Portuguesa Contra o Cancro. Ao que tudo indica, trata-se de uma senhora que se apresenta como membro do movimento “Um Dia Pela Vida”,

Fernanda Alves


04

PRIMEIRA MÃO | Sexta-Feira 26-03-2010

Destaque

PLP na Maia ficou “muito aquém das expectativas” Estavam sinalizados 178 pontos de deposição ilegal, na Maia, para serem recolhidos no Dia L, no âmbito do Projecto Limpar Portugal, mas para desânimo da coordenação da Maia, nem tudo foi feito. De acordo com o coordenador concelhio, João Guimarães, foram intervencionados 76 pontos em todo o concelho e completamente removidos cerca de 18. “Ficou muito aquém das expectativas. Muito mesmo. Ficamos um bocado com a sensação que nem metade do trabalho foi feito”, afirma. João Guimarães acrescenta ainda que em três ou quatro freguesias nem sequer chegaram a fazer intervenções. Freguesias onde apareceram poucos voluntários que aca-

baram por ser encaminhados para outras para se juntarem a outros grupos. “Achamos que seria mais vantajoso dessa forma”, justifica. De acordo com João Guimarães o número de voluntários registados andou à volta dos 650, no entanto, no dia L, no terreno só apareceram cerca de metade. “Nós precisaríamos mais do que os que estavam inscritos para conseguir elaborar o trabalho que era previsto fazer no sábado, contudo um dos principais motivos terá sido a chuva que se fez sentir e que fez com que só tivessem aparecido 304 voluntários”, conta. Mas isso não aconteceu, diz o coordenador concelhio, por falta de voluntários. A falta de meios e de transporte

também não facilitou a tarefa. A verdade, acrescenta, é que essa lacuna também não se fez sentir tanto porque devido à chuva, quase metade dos voluntários não apareceram para “limpar a Maia”. Mas fazendo um balanço com o número de voluntários que apareceu, João Guimarães sublinha que estes viram “com os próprios olhos” a situação que se vive em termos de depósito ilegal de resíduos no concelho da Maia. E onde houve intervenção foi “um trabalho bem feito”. “Onde houve gente suficiente para efectuar a limpeza dos resíduos foi concretizada, foi recolhida através da Maiambiente que desempenhou um papel muito importante e principal”. Em alguns ca-

sos, esperaram mesmo por uma melhoria das condições climatéricas para terminarem o trabalho que tinham começado, conta. Quanto ao trabalho que ficou por fazer, o coordenador concelhio do PLP confessa que ficou com a ideia de que em todos os voluntários ficou uma vontade de terminar aquilo que começaram. Mas isso depende de vários factores, confessa. Mas “se houver oportunidade de se fazer uma acção local, pode-se pensar e acho que do resto dos voluntários há vontade disso. Há vontade de trabalhar para uma Maia mais limpa”, concluiu João Guimarães. Isabel Fernandes Moreira

PLP Maia Freguesia Nogueira S. Pedro Fins Barca Folgosa Silva Escura Gondim Sta. Maria do Avioso Maia Moreira V N Telha Aguas Santas Pedrouços Gemunde Milheiroz Gueifães Vermoim S. Pedro do Avioso TOTAIS

Nº pessoas 3 25 35 19 20 7 2 8 75 6 53 15 12 19 2

Viaturas

Pontos intervencionados

Pontos recolhidos

3 1 13 4

4 2 5 2 3 2 2 2 2 12 3 6 1

2

2 1 2

46

18

1

1 1 2 2

3

1 1

304

30

3

4 1 3

Vamos limpar a nossa Escola O Agrupamento de Escolas do Castelo da Maia promove, entre hoje e domingo, a actividade “Vamos limpar a nossa Escola”, nas escolas do agrupamento. O momento mais

relevante da acção está agendado para hoje, pelas 11h30, com a plantação de árvores oferecidas pela Lipor, seguindo-se a limpeza dos espaços escolares por alunos, profes-

sores e funcionários. Esta actividade visa sensibilizar os intervenientes para a necessidade de tornar o espaço escolar mais bonito e acolhedor. Será também ce-

lebrado um Protocolo de Cooperação com a Lipor para implementação de um Plano de Educação Ambiental. No sábado e domingo, 27 e 28 de Março, pais, encarre-

gados de educação, alunos, Pais para a implementação do professores e funcionários projecto. estarão na escola sede para pintura das salas de aula. Esta actividade contou com o dinamismo da Associação de


05

PRIMEIRA MÃO | Sexta-Feira 26-03-2010

Destaque

Voluntários deixaram a Maia mais limpa

A chuva não era convidativa, mas a maioria não esmoreceu e no passado sábado acordou com uma missão: Ajudar a Limpar Portugal. Neste caso, ajudar a limpar a Maia. Estavam cerca de 650 os voluntários inscritos no grupo da Maia para colaborar no dia L, no entanto, o tempo acabou por afastar alguns. Os voluntários estiveram espalhados um pouco por todo o concelho e, ao final da manhã, depois de cumpridos alguns compromissos de agenda, o presidente da Câmara Municipal da Maia, Bragança Fernandes, juntou-se a um grupos formado por elementos do Agrupamento de Escuteiros da Maia que limpavam uma lixeira junto à Staples. na

freguesia de Barca. “Estou orgulhoso. Todos eles merecem um voto de louvor e um voto de apreço. A todos o meu muito obrigado”, afirmava o autarca depois de uma ajuda simbólica que deu ao grupo. Este foi um dos locais onde o grupo já procedeu à separação dos materiais para reciclagem. À entrada da rua viam-se os sacos amarelos, verdes e para indiferenciado. Ao lado, foram sendo colocados alguns materiais, entre os quais os habituais pneus, latas de tinta e baterias de automóveis. “Sei que são cerca de 100 toneladas que vão ser recolhidas no concelho e aproximadamente 50 por cento teve como destino a recicla-

gem, nomeadamente plástico e vidro”, dizia Bragança Fernandes. O presidente prefere não chamar-lhes lixeiras. Optou pela expressão “amontoados de entulho” que, afirma, na maioria dos casos “são deixados aqui por pessoas pouco civilizadas”. Até porque, acrescenta, na Maia não se justifica este tipo de comportamento. “Nós temos ecopontos, temos ecocentros e inclusive vamos a casa das pessoas recolher colchões, frigoríficos, e outras coisas e as pessoas não pagam nada por isso. Portanto, não entendo porque é que as pessoas continuam a ter es-

te tipo de comportamento”. Bragança Fernandes fala em “pessoas menos educadas em termos ambientais”, que aproveitam alguns novos arruamentos, em locais com pouca iluminação e despejam os detritos das pedreiras e de obras de casa. O edil está convencido que “muitas vezes acontece porque são pessoas de fora do concelho”. E a título de exemplo apontou a área de Vilar de Luz, na Freguesia de Folgosa, que fica na fronteira com Santo Tirso e com a Trofa. “Muitas

vezes, apanham os nosso guardas distraídos, no aeródromo e colocam lixo de outros concelhos e até chegam mesmo a deixar lá os animais abandonados porque sabem que nós temos canil”, conta o autarca. Apesar de se dizer por ainda existirem “tantas lixeiras”, garantiu que a edilidade e a própria Maiambiente vão “tentar acabar” com elas na esperança “que não se volte a repetir”. Para já, não deixou de dar os parabéns a

lítica, mas, também, colocar em prática aquilo que, muitas vezes, defendemos na teoria”, justificou. Ana Leite afirma ainda que as preocupações am-

bientais sempre estiveram na ordem do dia da JS da Maia, nomeadamente “a questão da poluição do Rio Leça, bem como na problemática em torno do Jardim

q u e m tomou a iniciativa, e a todos os voluntários que colaboraram “para o bem de Portugal e, neste caso, da Maia e contribuíram para uma Maia mais limpa”. Também não esqueceu o agradecimento à Maiambiente, “que colaborou com toda a operação”, e à Protecção Civil. “Congratulo e felicito todos os que trabalharam e deixo o meu apoio para que isto continue”. Isabel Fernandes Moreira

JS activa em Silva Escura A Juventude Socialista (JS) da Maia foi uma das estruturas organizadas que participou no Dia L. Foi destacada para uma lixeira na zona de Friães, na freguesia

de Silva Escura. A coordenadora concelhia da JS Maia, Ana Leite, considera que apesar de este tipo de iniciativas não serem de índole política, as juventudes par-

tidárias “não devem ficar” alheias a este tipo de problemas. “Somos jovens preocupados e não devemos limitar a nossa actuação unicamente à participação po-

Zoológico”. Considera também que a poluição das matas do concelho da Maia é, também “preocupante” e “deve ser tratada com o devido respeito e atenção”.


06

PRIMEIRA MÃO | Sexta-Feira 26-03-2010

Política

Paulo Rangel defende “uma educação exigente, com disciplina e de rigor” O

candidato à liderança do Partido Social-Democrata (PSD), Paulo Rangel passou, esta terça-feira, pela Maia, para uma acção de campanha. Começou no Ismai – Instituto Superior da Maia, onde ressalvou aquela que é sua a prioridade essencial: “uma educação exigente, com disciplina e de rigor para Portugal. E não uma educação de facilitismo e de estatística que é aquilo que o PS fez até agora”. Se for eleito, afirmou, pretende inverter a política de educação. “Julgo que devemos fazer uma ruptura com a política educativa dos últimos anos e em particular com as políticas socialistas”. Os casos de violência nas escolas também o preocupam e considera que não podem ser vistos de uma forma simplista, nem com alarmismos “Têm de ser resolvidos de uma forma integrada na escola, mas uma escola de autoridade e disciplina contribui para evitar, com certeza, muitos casos de violência”. Paulo Rangel considerou

ainda “muito más notícias” para o país os números relativos ao défice do subsector do Estado, e que a seu ver mostram que as políticas que está o Governo e o PS estão a seguir “estão a falhar seriamente”. “Nós vemos aqui um agravamento de 40 por cento, vemos um agravamento sério relativamente ao ano anterior e, isto significa que o PS não está a ser capaz de Governar o país”. O candidato ao PSD afirma

ainda que o PS propõe uma política que diz ser “de correcção do défice” e “a verdade é que o défice se está a agravar”, sublinha. Por isso, não poupa a crítica ao Governo, ao primeiro-ministro, ao ministro das Finanças e ao seu Programa de Estabilidade e Crescimento. “Isto significa que as políticas que está a propor o PS não são as políticas adequadas para resolver a situação financeira do país. É isto que eu tenho dito a propósito do PEC e

é isto que confirma a política diária do Governo. Os meses de Janeiro e Fevereiro foram, realmente, decepcionantes e criam uma grave dúvida sobre se o Governo está a conduzir o país para uma situação insustentável”, afirmou. Se for eleito presidente do PSD Paulo Rangel garantiu que o principal “cavalo de batalha” será “a luta contra o agravamento da dívida em geral e não apenas no défice e também pela mobilidade so-

cial, isto é, pelo apoio para que as pessoas cresçam socialmente e para isso é preciso induzir crescimento económico. É o que tem falhado neste Governo porque concentra todos os recursos nas grandes obras públicas que de resto mantém, ao contrário do que disse e ao manter as obras públicas não há recurso para apoiar as pequenas e médias empresas ou as empresas que são exportadoras ou concorrem com as importações, portanto, não há uma política de crescimento económico, só há uma política de instabilidade que ”não está a dar resultado nenhum como se vê por esta falha”. Aliás, acrescenta Rangel que Teixeira dos Santos é “completamente” contraditório. “Andaram a criticar o PSD por chamar a atenção para o perigo grego em Portugal e é hoje ele que na Comissão de Finanças fala no perigo grego em Portugal”. O candidato à liderança laranja acrescenta ainda que o PEC, neste momento, e a atitude do ministro das Finanças são uma

espécie de testamento. “Em vez de ser um documento para impulsionar o país para a frente é um testamento que o ministro está a querer deixar ao país”, afirmou. Acrescenta ainda que Teixeira dos Santos não pode agora vir dizer que os que alertaram para o perigo grego estavam a prestar “um mau serviço ao país”. E desafia o Governo a explicar-se. Garante que se for eleito líder do PSD o país vai ter “sempre” uma oposição “firme e inabalável” ao PS, que obrigará o Governo a assumir as suas responsabilidades. Ainda no Ismai e antes de uma conferência sobre Educação em que participou, Paulo Rangel assinou a proposta para filiação na JSD de alguns jovens, incluindo o presidente da Associação de Estudantes do Ismai, Ricardo Vilhena. À tarde, o candidato à liderança do PSD efectuou ainda uma visita ao Tecmaia – Parque de Ciência e Tecnologia da Maia. Isabel Fernandes Moreira

Marco António Costa defende “uma nova geração de políticos” para o PSD Hoje decide-se o futuro do PSD e quem sucede a Manuela Ferreira Leite na liderança do partido “laranja”. Mudanças no partido avizinhamse. O presidente da Distrital do Porto do PSD, Marco António Costa, o que importa é “o espírito de unidade que se irá construir no momento a seguir” às eleições directas. É o que espera Marco António Costa e não só. “Todos nós aguardamos que o partido se encontre consigo próprio”, acrescenta. Para o líder da distrital “laranja”, o PSD tem de ser uma alternativa credível ao actual poder socialista.

Como em causa está “o interesse dos portugueses” e o “futuro do país”, Marco António Costa defende a construção de uma estratégia partidária para combater o actual governo, orientada por Pedro Passos Coelho, “o candidato que se tem apresentado de forma mais sólida”, considera o presidente da distrital “laranja”. No entender de Marco António Costa, Passos Coelho não está “para entrar em conflito com ninguém”. Considera Alternativa que, segundo a ex- também que “no dia a seguir pectativa do responsável dis- às eleições Pedro Passos Cotrital, vai ser liderada por Pe- elho irá construir um espaço de convergência no partido dro Passos Coelho.

onde todos terão lugar e todos serão chamados a colaborar”. Além do aparelho partidário, também a sociedade tem algo a dizer: “As pessoas começam a ver Pedro Passos Coelho como o líder do PSD e também como Primeiro-ministro de Portugal”, considera Marco António Costa. Tolerância é a palavra-chave para a candidatura de Pedro Passos Coelho à liderança do PSD, avança Marco António Costa. “Uma enorme tolerância com todas as outras opiniões, uma enorme tolerância com as outras candidaturas, numa lógica que permitirá

que o partido seja um espaço de tranquilidade”. Tranquilidade que contrasta com a crispação que vivem “outras candidaturas”, diz o líder da distrital Porto do principal partido da oposição. “Há picardias, há ajuste de contas, há alguma instabilidade nas outras candidaturas”. A de Passos Coelho “passa ao lado desses problemas”, considera Marco António Costa. Apesar dos confrontos internos, Marco António Costa espera que os restantes candidatos “se disponibilizem a participar nesta casa comum que é o PSD no combate aos nossos adver-

sários”. E depois desta sexta-feira, pode nascer o PSD credível que Marco António Costa deseja, depois de os “laranjas” terem falhado as últimas legislativas, embora tenham retirado a maioria absoluta ao governo Sócrates. “Não encontraram no PSD que concorreu às últimas legislativas a credibilidade necessária para o governo do país”, considera Marco António Costa. O cenário agora pode ser diferente, graças a “uma nova geração de políticos, da qual eu faço parte”, conclui Marco António Costa.

Passos Coelho ‘vence’ nos presidente de junta PSD do concelho Bragança Fernandes, presidente da concelhia do PSD, é um dos nomes que consta da lista de figuras do partido na Maia que apoiam a candidatura de Pedro Passos Coelho à presidência do partido.

O autarca é um dos elementos que constam da comissão de apoio à candidatura. O vereador Nogueira dos Santos é o mandatário concelhio, a par do líder da JSD, Dionísio Mendonça, o man-

datário ‘júnior’. Na comissão de candidatura estão ainda Nelson Ferraz, Alexandrina Areal dos Santos, Cândido Graça, Emília Santos, Jaime Pinho, Marques Gonçalves e Naïr Ro-

cha. Há ainda mandatários por freguesia, com destaque para Eugénio Teixeira, Ilídio Rafael, Ivo Pinheiro, Joana Ascenção, José Manuel Sampaio, entre outros. Na comissão de apoio,

além do presidente da concelhia, está o líder da bancada ‘laranja’ na Assembleia Municipal, António Fernando Silva, o empresário António Ambrósio; os presidentes de junta Albino Maia, Armin-

do Moutinho, Carlos Teixeira, Carlos Vieira, Ilídio Carneiro, Joaquim Araújo, José Sousa Dias, Joaquim Guilherme Maia e Vítor Fontes, além do ex-vereador Mário Carmo Pinto.


07

PRIMEIRA MÃO | Sexta-Feira 26-03-2010

Sociedade Entrevista vídeo a Marco António Costa em www.primeiramao.pt

Marco Martins candidato ao PS de Águas Santas O

ex-secretário coordenador da Juventude Socialista (JS) da Maia, Marco Martins, oficializou esta segunda-feira a sua candidatura à Secção de Águas Santas do Partido Socialista (PS) com a entrega da lista candidata aos órgãos da secção, cujas eleições se realizam amanhã, entre as 15h00 e as 19h00. Marco Martins lidera a candidatura “Acreditar no

Futuro” que se apresenta a eleições com uma equipa “renovada e qualificada”, diz, em nota de imprensa. O candidato acrescenta ainda que se trata de uma candidatura abrangente, que tem como objectivo organizar o partido e criar uma estrutura política que permita ao PS desenvolver um trabalho de afirmação nas freguesias da sua área de intervenção, ou seja, Águas Santas, Pedrouços

e S. Pedro Fins. A ideia é contribuir para “uma credibilização colectiva ao nível do concelho”. Marco Martins sublinha ainda que se trata de uma candidatura de abrangência que envolve todos aqueles que acreditam que o PS é a melhor alternativa para um poder autárquico moderno e capaz de dar resposta aos novos desafios do poder local. “É com esta meta ambiciosa que esta can-

Paula Duarte na Internet A candidatura de Paula Cristina Duarte à concelhia da Maia do Partido Socialista, que segue o lema “Mudança Tranquila”, já lançou o seu portal de candidatura na Internet. Pode ser visitado em http://

www.pauladuarte2010.com. O portal, esclarece a candidatura em comunicado, “pretende ser uma porta aberta a todos os militantes do Partido Socialista da Maia (e não só), permitindo a partilha de ideias entre todos”. A ideia é

que seja um espaço dinâmico e participado, uma fonte de informação e de discussão e na qual serão regularmente adicionados novos conteúdos e novas áreas, assinala a candidatura da exdeputada.

didatura se propõe a agir, desenvolvendo os mecanismos necessários para ter uma secção presente no quotidiano do partido e da sociedade”. A “Acreditar no Futuro” acredita que o sucesso do PS passa pela aproximação às

pessoas, por isso essa será uma “grande aposta”, em caso de eleição. “Queremos um PS capaz de criar elos de proximidade com a população em geral, desenvolvendo plataformas de intervenção que permita demonstrar a capacidade e as vanta-

gens de um PS dinâmico e alternativo. Queremos um PS capaz de intervir”. Marco Martins apresenta como elemento número dois na sua lista, a exvereadora, Sandra Lameiras e como número três a actual vereadora, Inês Rodrigues.

Hélder Ribeiro apresenta candidatura ao PS Maia “Refundar e abrir uma nova esperança”. É este o lema da candidatura de Hélder Ribeiro à presidência da comissão política concelhia da Maia do Partido Socialista (PS). O secretário-coordenador da secção de Gueifães é o segundo candidato nesta corrida, depois de PauPM nº496 - 26/03/2010

la Cristina Duarte ter feito o seu anúncio há cerca de uma semana. Psicólogo, de 50 anos, militante do PS desde 1984, Hélder Ribeiro apresenta a candidatura e algumas das suas ideias para o partido na próxima segunda-feira, 29, pelas 21h00, na sede do partido. ODETE ALVES Solicitadora de Execução Cédula nº 3587

Juízos de Execução do Porto 2º Juízo 3ª Secção

Processo Nº 24287/053YYPRT Execução Comum EXEQUENTE: CREDIFIN – BANCO DE CREDITO AO CONSUMO, S.A. EXECUTADO: FERNANDA MARIA MAIA DA SILVA VALOR: 16 860,14€ Carta Precatória nº 1960/09.1TBMAI, do juízo de execução do tribunal judicial da maia

ANÚNCIO FAZ-SE SABER QUE, nos autos acima identificados foi designado o dia 15 de ABRIL de 2010, pelas 14:00 horas, no JUIZO DE EXECUÇÃO DO TRIBUNAL DA MAIA, para a abertura de propostas, que sejam entregues até esse momento, na secretaria daquele Tribunal no escritório, pelos interesses na compra do seguinte bem e por preço superior a 70% do valor atribuído. TIPO DE BEM: PRÉDIO URBANO DESCRIÇÃO: TERRENO PARA CONSTRUÇÃO, LOTE 14, sito na Urbanização Monte do Viso, com área de 258,5 m2, em Gemunde. Descrito na C.R.P. Da Maia com o nº 00069/120187 e inscrito na matriz urbana da freguesia de Gemunde sob o art. 1101. Confrontante a Norte com lote 15, a sul com lote 13, a nascente com arruamento e a Poente com José Araújo. PENHORADO A: EXECUTADAS: FERNANDA MARIA MAIA DA SILVA, com o NIF 176069372 e BI: 7695725 LUGAR DO PADRÃO, N.º 36, C1 – Maia e FRANCISCO FERNANDO DA COSTA E SILVA, com NIF 162388837 e BI: 7001212 LUGAR DO PADRÃO, N.º 36, C1 – Maia FIEL DEPOSITÁRIO: A executada FERNANDA MARIA MAIA DA SILVA MODALIDADE DA VENDA: Venda mediante proposta em carta fechada. VALOR BASE DA VENDA*: 50.000,00€ (sendo o valor igual a 70% do valor base, ou seja, 35.000,00€) CRÉDITOS RECLAMADOS: FAZENDA NACIONAL INSTITUTO DE SEGURANÇA SOCIAL, IP Ficam por este meio notificados todos os titulares de direito de preferência legal ou convencional, com eficácia real, do dia, hora e local supra referida, a fim de exercerem o seu direito no próprio acto de abertura, se alguma proposta for aceite. Nota: No caso de venda mediante proposta de carta fechada, em Execução Comum (instaurada em data igual ou posterior a 15/09/2003) os proponentes devem juntar à sua proposta, como caução, um cheque visado, à ordem do Solicitador de Execução ou, na sua falta, da secretaria, no montante correspondente a 20% do valor base dos bens ou garantia bancaria no mesmo valor ( nº1 do Art. 897º do C.P.C.) * A este valor acrescem os inerentes impostos. A solicitadora de Execução Rua Passos Manuel 222 Sala 8 400-382 Porto Tel. 22 203 79 26 Tlm. 91 256 24 99 Fax. 222037928 E.mail: 3587@solicitador.net Horário de atendimento de Segunda a Sexta-feira das 17.00 às 19.00 Horas


08

PRIMEIRA MÃO | Sexta-Feira 26-03-2010

Sociedade Dia do Estudante em Milheirós em reportagem vídeo em www.primeiramao.pt

Desemprego no Norte atinge recorde

ais um recorde da taxa de desemprego na Região Norte. No último trimestre de 2008, a taxa atingiu “um novo máximo” de 11,9 por cento (%), revelou esta quarta-feira a Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte (CCDR-N), no boletim “Norte Conjuntura” referente ao quarto trimestre do

M

ano passado. A nível nacional, a taxa de desemprego cifrouse em 10,1 por cento. Apesar das exportações do Norte para a União Europeia terem crescido 2,1 por cento em valor - “impulsionadas sobretudo pelos produtos da indústria automóvel e as máquinas, aparelhos e material eléctrico” - não conseguiram inverter a “tendência negativa das indús-

trias transformadoras seguidas do sector da construção”. O resultado foi o crescimento da taxa de desemprego, tanto em relação ao trimestre anterior (11,6%) como quando comparada com o período homólogo de 2008 (8,7%). Se olharmos à média anual, o Norte superou o nível nacional de redução do emprego, em 2009. Em todo o país, a queda

foi de 2,8 %, mas chegou aos 3,2% na Região Norte. Entre os residentes com idades entre os 15 e os 64 anos, conclui a CCDR-N que a taxa de emprego de 64% é “o menor valor de que há registo (desde há pelo menos 12 anos). Os cerca de 236 mil desempregados estimados pelo Instituto Nacional de estatística correspondiam, no quarto trimestre do ano pas-

sado, a cerca de 41,8% do total nacional”. Já o desemprego apurado pelo Instituto de Emprego e Formação Profissional apontava para um valor médio mensal de 229 mil desempregados, nos últimos três meses de 2009. Mostra ainda este boletim que continuam a ser os trabalhadores com escolaridade máxima do terceiro ciclo do ensino

básico os mais afectados pela perda de emprego na Região Norte. Mas nem tudo foi negativo na região no final de 2009. Os indicadores divulgados pela CCDRN revelam ainda uma redução do nível de incumprimento das empresas e o crescente dinamismo da actividade hoteleira. Marta Costa

Junta de Milheirós comemora Dia do Estudante Para comemorar o Dia do Estudante, a Junta de Freguesia de Milheirós organizou, durante a passada quarta-feira, uma “reunião” de todos os alunos do ensino préescolar da freguesia. À disposição dos mais pequenos estiveram várias actividades, como jogos matemáticos, pintura de t-shirts e animadores com balões. No fim, os mais pequenos tiveram direito a um lanche. De acordo com a secretária da Junta de Freguesia de Milheirós, Adélia Teixeira, a educação é uma priorida-

de deste sector autárquico. “Queremos que as crianças tenham vontade de estudar e que saibam que este pequeno passo que estão a dar é muito bom para o futuro deles”. O Dia do Estudante é “comemorado” muitas vezes pelos mais crescidos e não tanto pelas crianças em idade pré-escolar. Com esse aspecto em vista, o ditado “é de pequenino que se torce o pepino” ganhou mais um significado na Junta de Freguesia de Milheirós. Segundo Adélia Teixeira, é importante as crianças habituarem-se

MORADIA T3 ZONA NOBRE MAIA – CHANTRE Como nova. Muito próxima da Via Norte e do metro. Excelentes acabamentos. Boas áreas. Cozinha com móveis lacados. Electrodomésticos encastrados Bosch. Sala com lareira e terraço. 3 Quartos (1 suite). 3 WC’s. Sótão espaçoso com luz natural, revestido a madeira e com arrumos. Alarme. Aquecimento central. Amplo anexo com lavandaria, arrumos e barbecue. Jardim. Próprio: 938885541

desde cedo à “vida de estudante”, principalmente no que toca à “matemática, que costuma ser a disciplina mais difícil, a que mete mais medo, por isso começamos por aí”. Além dos números, também se puxou pelo lado artístico dos mais pequenos. À entrada da comemoração do Dia do Estudante, foi oferecido a cada aluno uma t-shirt que os próprios se encarregaram de colorir. E quem sabe se o Guilherme, uma das crianças presentes na junta de freguesia milheiroense, vai enveredar pelas artes... pelo menos

é isso que a actividade preferida durante a tarde de quarta-feira indica. Diz o pequeno Guilherme que a actividade preferida tinha sido os desenhos que fez na t-shirt oferecida pela junta. A veia artística notou-se. Desenhados na t-shirt do Guilherme estavam corações, “desenhos com pintas”, como o mais novo fez questão de descrever, assim como um sol e várias dedicatórias à família. Família que ficou representada nas costas da vestimenta. Estudar já é “outra coisa”. Quando PRIMEIRA MÃO perguntou ao

Guilherme se sabia qual era a importância do Dia do Estudante, acenou com a cara para um lado e para o outro. Ou seja, não. Não sabia. Reformulámos a pergunta. “Sabes que para seres alguém na vida tens que estudar muito, não sabes?” A resposta, desta vez, foi positiva. “Estudas muito?” Mais uma vez, resposta positiva. Esta não foi a única iniciativa levada a cabo pela Junta de Freguesia de Milheirós. A tarde era dos mais pequenos, mas o presidente da Junta de Freguesia de Milheirós, Vítor

Fontes, recua no tempo alguns dias e lembra que a junta também assinalou o Dia da Mulher. Iniciativas que se vão repetir “quando for de bomtom fazer”. Em relação à festa dos mais pequenos, Vítor Fontes considera que o sucesso foi notório e que a “ideia foi bem recebida tanto pelos mais pequenos como pelos encarregados de educação”. A tarde terminou, como já foi dito, com um lanche. Merecido para uma tarde cheia de estudo, mas onde a diversão também não ficou de lado.

Festa da Primavera da EB/JI da Maia Neste fim-de-semana, a EB1 da Maia vai receber a “Festa da Primavera”, organizada pela Associação de Pais desta escola maiata. Pela festa vão passar workshops de artesanato, espectáculos de dança, e também música.

Além do artesanato, pelo “palco” da EB1/JI da Maia vão passar o Grupo dos Pequenos Cantores da Maia, exibições de dança e capoeira, um showcase acústico com o vocalista dos Per7ume Tozé Santos, e a actuação de Kiko, participan-

te do “Uma canção para ti”, da TVI, e também a maiata Carolina Torres, finalista do programa “Ídolos”, da SIC. Vão partilhar o palco com os Paperhead, uma banda constituída por alunos da Escola Secundária da Maia. O evento tem como objec-

tivo a angariação de fundos para a viagem de final de ano das turmas do 4º ano da EB1/JI da Maia, “a maior do concelho da Maia e a quinta maior em número de alunos a nível nacional”, como se lê no comunicado do estabelecimento de ensino maiato.


09

PRIMEIRA MÃO | Sexta-Feira 26-03-2010

Sociedade www.avidaeumpalco.com

CCD da Maia não perdeu subsídios A o contrário de outros municípios, o Centro Cultural e Desportivo (CCD) dos Trabalhadores da Câmara Municipal da Maia, Serviços Municipalizados e Empresas Municipais nunca chegou a sofrer o corte das transferências por parte da autarquia. Se tivesse acontecido, a direcção reconhece que a acção sofreria uma “limitação bastante acentuada”. As dúvidas surgiram na sequência de auditorias financeiras realizadas pelo Tribunal de Contas (TC) às câmaras municipais de Gondomar, Matosinhos, Porto e Vila Nova de Gaia. Concluiu o organismo, com base na Lei do Orçamento de Estado para 2010, que seriam irregulares os financiamentos das autarquias aos subsistemas privados de saúde ou de assistência social. A interpretação feita na altura incluía na norma os CCD, levando algumas câmaras a interromper as transferências, num acto de prudên-

cia, aguardando um parecer oficial sobre a questão, solicitado em Fevereiro pela Associação Nacional dos Municípios Portugueses (ANMP). Na Maia, a câmara não o

fez. Depois de uma reunião da Junta Metropolitana do Porto, onde o assunto foi debatido, o autarca maiato questionou o presidente da direcção do CCD da Maia. José António Morais con-

sidera que a lei citada pelo TC não se poderia sobrepor à Lei das Competências e Atribuições das Autarquias Locais. Lembra ainda que a própria Secretaria de Estado dos Assuntos Fiscais

já se pronunciou sobre isto, afirmando que os subsídios a estas organizações “eram perfeitamente legais”, sublinhando que a norma referida pelo TC “é, única e exclusivamente, para a administração pública central”. O responsável pelo CCD da Maia acrescenta os pareceres de individualidades ligadas ao direito, dando como exemplo Marcelo Rebelo de Sousa, para quem “é um perfeito disparate esta interpretação do Tribunal de Contas”. Com base nesta argumentação, “o executivo entendeu por bem não deixar de subsidiar o CCD”, embora aguardando ainda “com expectativa” o resultado da auditoria que levantou a questão. Admite ainda José António Morais que, no caso da Câmara da Maia ser proibida de subsidiar o centro, a sua continuidade ficaria limitada. Pelo menos “na forma como tem vindo a ser colocado à disposição dos respectivos associados”. É que os apoios recebidos

da autarquia, dos serviços municipalizados e de algumas empresas municipais do concelho representam mais de 50 por cento das receitas do CCD. E para evitar que estas dúvidas persistam, José António Morais recorda também que se aguarda em Portugal uma uniformização da legislação referente aos CCDs. Até para definir alguns tectos, já que existe uma disparidade entre os valores atribuídos por cada autarquia. Só a título de exemplo, o presidente da direcção do CCD da Maia diz que, na Área Metropolitana do Porto (AMP), há centros que recebem da respectiva câmara municipal um subsídio de dois mil euros mensais e outros que vão até aos 400 mil euros, por ano. Admite ainda José António Morais que o subsídio recebido pelo CCD da Maia deve ser “talvez, o menor de todas as câmaras da AMP. Marta Costa

Executivo municipal solidário com Vila Nova da Telha Os vereadores eleitos pelo Partido Socialista (PS) para o executivo da Câmara Municipal da Maia querem saber como está a situação da prometida esquadra para a zona de Pedras Rubras. A questão foi colocada por Mário Gouveia na reunião pública do executivo, na quinta-feira da semana passada, na sequência de uma moção aprovada pela Assembleia de Freguesia de Vila Nova de Telha em prol de “mais e melhor segurança”, e da qual o presidente da Câmara Municipal deu conhecimento à vereação. “Está na mesma”, respondeu Bragança Fernandes, que de seguida relatou as últimas

conversas que manteve com elementos do ministério da Administração Interna. “Se estivessem de acordo mandávamos esta moção para o ministério”, acrescentou. A moção faz referência a uma série de assaltos que foram realizados na freguesia, desde o início do ano, a residências particulares, a estabelecimentos e até ao próprio edifício da Junta de Freguesia. Os actos foram praticados tanto de dia como de noite, o que aumentou o sentimento de insegurança na população, refere o documento. Na reunião pública, aprovou cinco autos de recepção defi-

nitiva de algumas obras. Nomeadamente da construção da Escola de Formação “Condução Segura” e do hangar e pista infantil de tráfego para a escola no aeródromo de Vilar de Luz, em Folgosa. O segundo auto está relacionado com a rectificação e drenagem de águas pluviais, pavimentação de arruamentos diversos em vários locais do concelho incluindo a aquisição de betume asfáltico e a sua aplicação. Aprovou ainda a recepção definitiva da construção do Complexo Municipal de Piscinas de Folgosa, incluindo a elaboração dos projectos, as zonas de apoio, os arranjos exteriores e o equipamento neces-

sário, bem como a construção do edifício de ampliação aos Paços do Concelho – alteração ao sistema de ar condicionado da Torre Lidador. O executivo camarário aprovou também sete autos de recepção provisória. Entre eles, a primeira fase do ajardinamento de espaços municipais – Parque Urbano dos Maninhos, em Vermoim; a construção do parque infantil na Associação “Os Vencedores de Sangemil”; os arranjos exteriores da ampliação e reformulação do edifício da EB1 da Prozela, em Vila Nova da Telha; a beneficiação e ampliação do edifício da EB1 do Paço, em Águas Santas; elabo-

ração de projecto, aquisição de terrenos e construção de um viaduto sobe o rio Leça no âmbito da ligação entre a rua de Alvura e a rua de Ponte de Parada, em Milheirós; recuperação e beneficiação de arruamentos diversos em várias zonas do concelho. O executivo aprovou ainda um protocolo a celebrar com o Modelo Continente relativo à construção do projecto “Um Modelo de Parque”, na freguesia de Moreira da Maia; a realização da Feira das Oportunidades 2010 – IV Mostra Social do concelho. Aprovadas pelos vereadores, com a abstenção dos administradores, foram as pres-

tações e relatórios de contas das empresas municipais – Empresa Metropolitana de Estacionamento; da Espaço Municipal – Renovação Urbana e Gestão do Património; da Maiambiente – Empresa Municipal do Ambiente e da Academia das Artes – Produções Culturais. Na quinta-feira da semana passada, a Câmara Municipal da Maia apresentava um saldo de tesouraria de 6.876.991,41 euros, dos quais 2.295.742,88 euros dizem respeito a dotações orçamentos e 4.581.248,53 a dotações não orçamentais. Isabel Fernandes Moreira


10

PRIMEIRA MÃO | Sexta-Feira 26-03-2010

Sociedade Projecto de prevenção solar em reportagem vídeo em www.primeiramao.pt

Projecto de prevenção solar chega aos pais E stima-se que uma em cada 75 pessoas tenha cancro de pele. O número foi avançado por Cristiana Fonseca, do Núcleo Regional do Norte da Liga Portuguesa Contra o Cancro, na escola EB1 do Monte Calvário, esta terça-feira, numa das acções de sensibilização para os pais, no âmbito do projecto “Com o sol no coração vamos ter precaução”. Depois de um trabalho anual que é feito junto das escolas básicas do concelho da Maia com os alunos para a prevenção e precaução solar, o projecto decidiu estender a iniciativa e chegar até aos pais com o intuito de os elucidar quantos aos efeitos benéficos de uma exposição solar equilibrada e dos perigos decorrentes de um exagero de “banhos solares”. Nesta primeira fase, Cristiana Fonseca esteve na escola

EB1 de Pedras Rubras, EB1 do Lidador, em Vila Nova da Telha e Monte Calvário, em Nogueira da Maia. Outras se vão seguir até que em Junho irá participar em algumas sessões de esclarecimento nos infantários geridos pela Santa Casa da Misericórdia da Maia. Na EB1 de Monte Calvário a adesão dos pais foi reduzida até porque a sessão decorreu já fo-

ra do horário escolar. No entanto, esta responsável acrescenta que “nunca é fácil” falar sobre uma temática que também “não é a mais agradável” para as pessoas. “O cancro continua a fazer medo e as pessoas tendem a fugir”, justifica. Diz Cristiana Fonseca que o cancro enquanto doença é “assustador”. “As pessoas têm a ideia de que mata e não que-

rem ouvir falar e continua a ser um bocadinho tabu”. Por outro lado, o cancro de pele parece não assustar tanto as pessoas porque “se fala de cancro mas quase não se fala de mortes por cancro de pele e as pessoas acham que é daqueles que pode facilmente ser curado”. De acordo com a responsável da Liga Portuguesa Contra do Cancro as pessoas têm que perceber e fazer a distinção entre os melanomas, que “são malignos e que têm uma grande taxa de mortalidade” e os carcinomas, “que são em maior percentagem e que são mais facilmente tratáveis e não levam tanto à morte mas cuja incidência é bastante grande”, explica. Aos pais, nestas sessões tenta passar os ensinamentos que já foram incutidos nos filhos, ou seja, qual o grau de

protecção que se deve usar, que mesmo à sombra se está sob risco, que há determinado tipo de roupas que se devem utilizar em detrimento de outras, que não se deve estar na praia a partir das 11h00 por muito que se pense que dentro da barraca se está protegido. “Tudo isto, às vezes, são dúvidas que os pais têm e que à partida são esclarecidas”. Depois, no período de debate surge outro tipo de questões, por exemplo, que tipo de óculos de sol devem ser usados, que cores de roupa são mais indicadas, se os óculos graduados constituem maior risco porque causa da radiação através do vidro. Estima-se então que uma em cada 75 pessoas tenha melanoma. Tendo como referência os últimos 20 / 30 anos, segundo Cristiana Fonseca, os

números mostram uma grande alteração. Nessa altura, “havia uma maior protecção até na própria roupa de banho que se usava”.“Há 20 ou 30 anos estávamos a falar de um cancro por cada 1500 pessoas e agora um cancro para cada 75”. Um dos factores que pode ter contribuído para este aumento, acrescenta, pode ser a sobre-exposição, ou seja, “o facto de a pessoa achar que por estar com protector solar com factor 50, por exemplo, pode estar exposta ao sol sem correr riscos, isto não é verdade. O efeito de eu achar que estou protegido faz-me perder aquele medo que me obriga a estar mais à sombra e isso é um risco real nos dias que correm com o avanço da cosmética”, conta. Isabel Fernandes Moreira

Estudantes seniores aprendem a prevenir as dores nas costas A Uniarte - Universidade Sénior de S. Mamede de Infesta, em Matosinhos, e Gueifães, na Maia, recebeu esta quinta-feira, uma sessão de esclarecimento sobre prevenção, diagnóstico e tratamento das dores nas costas. A sessão decorreu no Auditório do Grupo Dramático e Musical Flor de Infesta.

Denominada “Olhe pelas Suas Costas”, a campanha é uma iniciativa da Sociedade Portuguesa de Patologia da Coluna Vertebral, da Sociedade Portuguesa de Ortopedia e Traumatologia e da Sociedade Portuguesa de Neurocirurgia. De acordo com o coordenador nacional, o neurocirurgião Paulo Pereira, o

objectivo é “sensibilizar as pessoas para as principais doenças que afectam a coluna, alertar para o impacto das dores nas costas na sua vida pessoal e profissional e educar sobre as formas de prevenção e tratamento existentes”. Nesta sessão, “vamos explicar como melhorar a postura corporal, dar exemplos de exercícios

Cinema nas escolas O Cineclube da Maia termina hoje um ciclo iniciado na quarta-feira e que decorreu junto da comunidade escolar, nomeadamente nas cinco escolas primárias do Agrupamento Gonçalo Mendes da Maia, com algumas turmas de pré-escolar. Foram sessões da iniciativa “Cinema para as Escolas”. A cada es-

cola foi proposta uma sessão de cinema na Sala de Cinema Venepor e uma actividade desenvolvida pelos membros do cineclube em conjunto com as professoras nas próprias salas de aula. As actividades dividiram-se em duas partes, procurando que os alunos aprendam o mais elementar do cinema:

a construção da imagem em movimento, a partir de imagens estáticas, além de, partindo de um momento alto do filme, a construção de um cardume, de um mar. Isto tendo por base o filme a exibir, “Ponyo à Beira-Mar”, uma fita de animação, realizada pelo mestre japonês Hayao Miyazaki.

do dia-a-dia que ajudam a prevenir e a aliviar as dores nas costas, ensinar os sinais de alerta de doenças como a osteoporose ou as hérnias discais, esclarecer dúvidas e acabar com os medos que as pessoas têm relacionados com as cirurgias à coluna”, acrescentou. Um estudo recente elaborado pela empresa Spiri-

tuc – Investigação Aplicada indicou que 32,6 por cento dos portugueses sofre de dores nas costas diariamente e que 65,1 por cento já tem essas dores há mais de cinco anos. A investigação revelou ainda que 28,4 por cento dos portugueses sente que a sua actividade profissional já foi prejudicada ou comprometida de alguma

forma pelo facto de ter dores nas costas. Ainda no âmbito da campanha, foi criado o site: ww w.olhepelassuascostas.com, onde estão disponíveis informações sobre como prevenir as dores nas costas, doenças da coluna, diagnóstico e tratamento. FA


11

PRIMEIRA MÃO | Sexta-Feira 26-03-2010

Sociedade

Alunos da EB 2,3 da Maia dançaram em homenagem à leitura M

uma forma animada, dançando, ouvindo uma música de um grupo que eles gostam”, explicou a docente. A acção contou com a colaboração do grupo de dança Bfree, composto por alunas da escola EB 2, 3 e secundária da Maia. Desde o início do mês que o estabelecimento de ensino tem vindo a realizar várias acções relacionadas com a leitura e a literatura e seus diferentes estilos. O ponto alto das actividades tiveram lugar na passada semana, envolvendo, para além dos alunos, os professores de Língua Portuguesa, docentes de outras disciplinas, funcionários, e encarregados de educação que foram convidados a dedicarem um momento à leitura com os seus educandos. Foram ainda exibidos vídeos sobre a leitura e o filme “Crespúsculo”.

ais de uma centena de alunos da Escola EB 2,3 da Maia reuniram-se no exterior do pavilhão 6, na tarde de terça-feira, para um ‘flash mob’ leitura. Uma iniciativa inserida na Semana da Leitura, uma organização conjunta da Biblioteca Escolar/Centro de Recursos Educativos. De livro na mão, os alunos levantaram os braços e dançaram ao som do “I Gotta a Feelin’”, dos Black Eyed Peas. Um improviso, que pretendia ser uma homenagem ao livro e à leitura. Os alunos só foram avisados da actividade surpresa algumas horas antes. “Foi um aviso de última hora. Foram convidados a participarem numa coreografia, e só tinham de sair da sala acompanhados pelos professores e por um livro. É uma homenagem à leitura e ao livro, de

A PRIMEIRA MÃO, a professora bibliotecária Maria José Brandão destaca a grande adesão e envolvimento dos alunos em todas as acções. E denota que lêem mais. Aliás, é esse o objectivo da iniciativa. “Gostam muito da biblioteca, frequentam-na, são utilizadores assíduos. Com estas actividades, estamos convencidos que vamos despoletar esse gosto a aqueles que ainda não acordaram para a importância da leitura. É essa a nossa função”, concluiu. A programação dedicada à leitura encerra esta sexta-feira, com a divulgação dos resultados do concurso “Concorre, ganha e lê”, que decorreu nos dias 22 e 23 de Março. Como não poderia deixar de ser, será oferecido um livro aos vencedores, por ano lectivo. FA

“Faz P’Arte” da Escola do Paço Neste ano lectivo, está a decorrer no JI do Paço um Projecto de Investigação promovido pela Equipa Pedagógica (Educadoras Responsáveis e Estagiárias da Escola Superior de Educação de Paula Frassinetti) intitulado FAZ P’ARTE. O grande objectivo é o de verificar até que ponto a expressão plástica e o envolvimento das famílias em actividades do Jardim-de-

infância que ajudam a promover o desenvolvimento integral da criança. A comemoração do dia do Pai, no passado dia 19 de Março, inseriu-se neste projecto, através da realização de ateliers de pintura, nos quais cada criança acompanhada pelo seu Pai, pintou um vaso e um mural (uma forma de aludir ao Dia da Árvore e à chegada da Primavera). Estes

ateliers aproximaram Pais e filhos (que partilharam as actividades características do Jardim de Infância) e contribuíram para a vivencia de novas experiencias entre pais e filhos. O dia foi celebrado num ambiente harmonioso, marcado pela adesão de quase todos os Pais (98%) e pelos sorrisos de satisfação na cara de miúdos e graúdos!!

Russos detidos em Moreira Dois indivíduos de nacionalidade russa, em situação ilegal em Portugal, foram esta semana constituídos arguidos na sequência de uma operação do Posto Territorial da Maia da GNR. São mãe e filho, que residiam na freguesia de Moreira da Maia. Na sequência de um mandado emitido pelo Tribunal da Maia, cinco guardas efectuaram no sábado de manhã, por volta das 8h30, uma busca do-

miciliária à habitação partilhada pelos dois cidadãos russos que, segundo fonte da GNR, não ofereceram qualquer resistência. A operação permitiu apreender três armas – de calibres 6,35mm, 8mm e 6mm – carregadores com munições, um coldre e ainda várias munições de diversos calibres (6,35mm e 9mm). PRIMEIRA MÃO sabe que a GNR da Maia apreendeu ainda documentos relaciona-

Menores detidos por furtos Dois menores, dos sexos masculino e feminino, foram no domingo interceptados pela GNR da Maia em Vila Nova da Telha. Foram localizados pelos agentes por volta das 8h30, no âmbito do patrulhamento efectuado à freguesia de Vila Nova da Telha, quando pernoitavam numa viatura que tinham furtado. O rapaz, de 16 anos, foi condenado a pena de multa ou a cem dias MC de prisão. Quanto à rapariga,

dos com armas, em nome de um guarda prisional, suspeitando os agentes que seriam usados pelos dois cidadãos russos para actividades delituosas ou para intimidar pessoas. O processo seguiu para inquérito, por haver suspeita de outros intervenientes além dos dois elementos constituídos arguidos.

de 15 anos, foi entregue à instituição de onde tinha saído. Fonte da GNR diz que os dois menores já eram conhecidos da Guarda, pelo “largo cadastro” de furtos de veículos, bem com furtos a viaturas e a residências. Sobre eles pendem já diversos processos-crime, admitindo os militares que faziam “do crime a sua forma de viver”, provocando medo e instabilidade na zona.

Quando foram localizados pelos militares, os dois menores estavam na posse de uma “gazua”, habitualmente usada para abrir portas, e ainda uma chave de uma viatura. Até ao fecho desta edição, a mesma fonte não sabia ainda precisar se teriam furtado apenas a chave ou também o automóvel em causa, de marca Audi. MC


12

PRIMEIRA MÃO | Sexta-Feira 26-03-2010

Especial Páscoa

Está aí a Páscoa!

Páscoa não se resume à sexta-feira santa, ao domingo e aos ovinhos. Muito menos aos coelhos. É uma das mais conhecidas celebrações cristãs, em que se assinala a ressurreição de Jesus Cristo. É uma festa que se “move” no calendário de ano para ano. Assim, depois do equinócio de Verão (que se assinalou no passado domingo), vem a lua cheia. E é depois dessa lua cheia que se marca” a Páscoa. Este ano calha daqui a sensivelmente uma semana, no dia 4 de Abril. São muitos

A

dias para assinalar aquela que muitos cristãos consideram ser uma das datas religiosas mais importantes. Comemora-se a ressurreição, depois da crucificação, de Jesus Cristo. Os dias mais marcantes… já se sabe, são dois. A sexta-feira santa e o domingo de Páscoa. Na sexta-feira, os cristãos têm por hábito abster-se do consumo de carne. E de onde vem este hábito? Já lá vamos, mas podemos dizer, para já, que este hábito de privação não vem só. Além de não ser habitual (ou permitido, para os mais ri-

gorosos) comer carne, apenas se faz uma refeição nesse dia. Na sexta-feira, não existe celebração religiosa, a não ser que se trate de uma urgência. E que urgências são essas? Um baptismo para aqueles que estão em perigo de vida, penitências e extremas-unções. Tudo o resto é espartano. Os altares permanecem despidos. Sem cruzes, velas ou outros adornamentos. Também é costume esvaziar as fontes de água benta para a bênção do líquido sagrado, para ser usado no domingo de Páscoa. É

também tradição não se ouvirem sinos na sexta-feira santa. É, portanto, um dia de silêncio, privação e meditação para todos os cristãos, quando se assinala a morte de Jesus Cristo. A maior parte destes costumes estende-se a sábado, um dia antes das cerimónias pascais, do ponto alto das festividades. E é nesse dia que a Páscoa sai à rua. O célebre compasso pascal invade a casa da população cristã no domingo de manhã. É um hábito ancestral, que anuncia a ressurrei-

ção de Jesus Cristo. Percorre casas, prédios, caminhos, populações inteiras. O desfile religioso, liderado pelo pároco local, é um costume que se tem vindo a perder, com a crescente urbanização das grandes cidades. Mas resiste. Mas não com a força de outros tempos, reconhecem membros da Igreja Católica. Ainda forte nas localidades mais rurais, o compasso é o ponto alto do domingo. Nos meios mais pequenos, é habitual receber o compasso com oferendas, seja de forma monetária ou até com ali-

mentos, dispostos “religiosamente” em cima da mesa. É também um dia de encontro, à semelhança do Natal, entre muitas famílias que se reúnem nesta data festiva. Ultimamente, surgiram muitos símbolos paralelos à Páscoa, e que fogem do espírito inicial da celebração, como é o caso do Pai Natal em Dezembro. Na Páscoa, são as amêndoas que fazem as delícias de todos, assim como o chocolate e os “ovos” da Páscoa. E é disso que falamos já aqui ao lado.


13

PRIMEIRA MÃO | Sexta-Feira 26-03-2010

Especial Páscoa

Coelho da Páscoa versus Pai Natal Q ual é a semelhança entre o coelho da Páscoa e o Pai Natal? Ambos trazem os muito desejados presentes a todos, principal-

mente aos mais pequenos. Mas de formas diferentes. Enquanto o “Santa Claus” oferece uma panóplia de brincadeiras aos mais novos, o coelho

da Páscoa é mais “modesto” nas oferendas. E é mais amigo dos gulosos. Mas como surgiu este costume? Os primeiros coelhos da

Páscoa surgiram na região sudoeste da Alemanha, por volta do ano 1600. Mas nunca em “carne e osso”, ou melhor, chocolate. Isso só aconteceu por

volta de 1800. E porquê ovos? Porque são o símbolo da fertilidade, que marca esta altura do ano. A passagem do Inverno para a Primavera é, para muitos agricultores, o início da lavoura, depois da pausa invernal. Há também uma relação com o equinócio de verão. Associados à fertilidade estão também os coelhos. E será preciso dizer porquê? Basta recuperar o ditado que diz “reproduzem-se como coelhos”. Com esta frase, as explicações passam a ser desnecessárias. Outra tradição passa por colorir os ovos. A paleta de cores geralmente tem um significado. Uns pintam-nos de vermelho, em alusão ao sangue derramado por Jesus Cristo durante a crucificação. Outros, optam por uma cor mais esperançosa, o verde, que simboliza a cor que se começa a observar nas árvores depois de um inverno despido de folhas. E como é que havia tantos ovos para pintar? Uma explicação pode ser avançada: na Quaresma, além da carne, os cristãos também têm por hábito privarse do consumo de ovos. Por isso, eram abundantes. Outra “ideia” para a abundância do alimento de formato oval é, no mínimo, insólita à primeira vista. Um coelho que põe ovos? Física e naturalmen-

te impossível. Mas pelo menos é a ideia que se associa à Páscoa. E esse hábito, de comparar coelhos com aves, surgiu por volta do ano de 1800, nos Estados Unidos da América. E assim nasce também mais uma semelhança com o Pai Natal. O objectivo é o mesmo: premiar as crianças que se “portassem melhor”. Diz a lenda que apenas as boas crianças recebiam ovos coloridos em ninhos construídos pelos mais pequenos. Na maior parte das vezes, o coelho adopta uma forma antropomórfica. Já para não falar do facto de ser capaz de pôr ovos. E o que são formas antropomórficas? É o nome que se dá a algo que não é humano e que, de repente, ganha características humanas. É comum ver um coelho vestido, e muitas vezes a transportar cestos cheios de ovos. Mas para distribuir só pelos que se portam bem. Ou pelos mais gulosos. E já que estamos a falar de gulosos, não podíamos passar sem falar das famosas amêndoas. A par dos ovos de chocolate, fazem a delícia de miúdos e graúdos. Fruto da inovação, até já há receitas para amêndoas da Páscoa para a… Bimby. Mas há sempre quem prefira as tradicionais. Para terminar, um conselho: cuidado com a linha, o Verão está aí à porta.


14

PRIMEIRA MÃO | Sexta-Feira 26-03-2010

Sociedade

Opinião Victor Dias

Hoje é o dia D para a liderança do PSD, um dia decisivo para o futuro de Portugal. Todos temos consciência que é já quase uma inevitabilidade que o Partido Social-democrata venha a governar o país, talvez bem mais cedo do que se possa pensar e o Presidente Cavaco Silva deseja. Tenho acompanhado com todo o interesse, a campanha eleitoral interna, na esperança de ver cabalmente esclarecidas as minhas dúvidas, nuns casos de natureza mais ideológica e programática, noutros, mais do carácter pessoal. Vejo como um sinal de vitalidade e riqueza, o facto de se terem abalançado na cor-

Três em um seria o ideal… rida à liderança, candidatos com potencial para disputar, taco a taco, as eleições internas e não sou nada partidário das desistências a meio do caminho, bem pelo contrário, entendo que a desistência é sempre um sinal de fraqueza, por oposição à derrota e à sua aceitação democrática que é, a meu ver, sempre uma lição de cidadania e serviço à Democracia, de quem arrisca, em nome de causas e de ideais, sem se deixar intimidar por lógicas calculistas ou receio de retaliações futuras, vindas dos vencedores, até porque isso não é compaginável com o ideário social democrata. Confesso que reconheço

Opinião Joana Ascensão

Já há dois anos quando o nosso partido mostrava sinais claros de fragilidade política e de, falta de força, carisma e de liderança apoiei a candidatura do Dr. Passos Coelho pelo concelho da Maia. Na verdade, já nessa altura afigurava-se-me o único (de entre os ilustres companheiros e candidatos da altura oponentes à sua candidatura) capaz de figurar como o rosto de uma mudança de um novo pulsar. Tal convicção da altura, sai-me ainda mais reforçada, quando

virtudes e defeitos em todos os candidatos, especialmente nos três com maior visibilidade pública. Para mim, muito mais do que a imagem, a capacidade discursiva e a habilidade para contornar as perguntas e questões difíceis, durante os debates, frente aos militantes ou às câmaras de televisão, importa sobretudo perceber como, cada um deles, enfrentaria os gravíssimos problemas do país, uma vez eleito Primeiro Ministro. Que ideias tem, que soluções e políticas preconiza e que programa apresentaria?... Para além de todas estas respostas que eu gostaria de obter, com clareza e total

objectividade, penso que é fundamental que o próximo Chefe do Governo seja uma pessoa serena, dialogante e capaz de construir consensos consistentes que pacifiquem a sociedade portuguesa, para que nos possamos todos, sem excepção, concentrar na “salvação” do país, na recuperação da economia e da credibilidade interna e externa. Para levar a bom termo essa missão, precisamos de alguém que não seja neoliberal, que não esteja demasiado agrilhoado a compromissos e conexões, do meu ponto de vista, muito pouco social democratas e, sobretudo, precisamos de não ter dúvidas de

carácter sobre o sentido da ética e da lealdade que cada candidato aporta consigo. Não vou apelar explicitamente ao voto em ninguém, mas convido os militantes do PSD a reflectir, segundo a minha proposta de análise, acerca destes valores fundamentais, sobre os quais se edifica a nossa confiança pessoal, sentimento imprescindível à doação do nosso voto, em acto individual e intransmissível, secreto e livre. Amanhã, seja qual for o resultado, cada militante deve aceitar a decisão da maioria, por mais ténue que seja, e alistar-se em combate. Um combate político duro, exigente, mesmo muito exi-

gente, mas absolutamente necessário para salvar Portugal da banca rota e do ridículo internacional, como está a acontecer com a pobre Grécia que, agora estende a mão a uma Europa, em que os mais fortes e poderosos, não contentes com a negação de solidariedade europeia, ainda escarnecem e fazem da miséria dos helénicos, motivo de comédia e humor negro… Já que não é possível fundir o melhor dos três candidatos com maior probabilidade de vitória, que vença o melhor, mais bem preparado e intelectualmente mais honesto, porque mais do que o PSD é disso que Portugal precisa – urgentemente!...

Porque apoio Passos Coelho

passados dois anos o mesma candidato surge e emerge novamente apresentando-se munido de uma moção de estratégia bem planeada e estruturada. Na verdade, não apresenta ideias vãs, ou um discurso efusivo feito de sond bits, ou de imagem planeada ao detalhe do movimento do olhar da plateia que o acompanha, bem pelo contrário, fala de um mapeamento estratégico com uma proposta pensada para Portugal e a sua postura surge natural, humilde e singela.

É verdade que a sua voz melodiosa e a sua estatura o ajudam na comunicação, pois ambos, permitem naturalmente um candidato fazer-se ouvir melhor e ver mais longe, mais nem por isso, lhe dariam mais vantagem se não existisse trabalho feito interno, pensado e de convicção. Passos Coelho representa o ACREDITAR no novo rumo para o PSD fazendo respeitar a história do PSD (aliás ele próprio, é, e tem história e trabalho feito em militância na JSD, mais tarde no

PSD tendo depois optado por se ter consagrado na vida profissional no sector privado empresarial). É um Homem íntegro, independente no seu percurso profissional; com provas dadas de credibilidade profissional e cheio de vontade em pôr em prática o plano que vem traçando e defendendo e delineando ao pormenor com já dois anos de trabalho: com propostas para a política económica com base na diferenciação e não na baixa de

preços; com propostas do alargamento da nossa política externa com países lusófonos; com propostas educacionais que têm por base a responsabilização colectiva; com propostas no sentido de tornar a Administração Pública mais horizontal na sua estrutura tornando-a mais ágil e credível pondo nomeadamente em prática as ideias da cultura para atingir resultados, e por fim e não menos importante o respeito, pelas Instituições do Estado e pela credibilização da

Justiça. São pois, muitas as razões que me levam a apoiar o Dr. Passos Coelho, sendo certo que, não é a forma que me leva apoiar o candidato, mas sim, o seu conteúdo misturada com a sua vontade em mudar com uma nova liderança, com respeito com o passado do nosso partido, que deverá estar sempre presente com o presente daquele que for o nosso líder, do presente, devendo todos estar de olhos postos, para o futuro!

Votações de “Música na Rua” decorrem até final de Maio Até ao final do mês de Maio, o público já pode votar nos seus participantes preferidos da iniciativa “Música na Rua” do Metro do Porto. A votação, que começou na quarta-feira, é feita por chamada telefónica, através do 760 309 799, seguido do número atribuído a

cada músico/banda em que se pretende votar (custo por chamada de € 0,72). Os concertos têm sido presença diária nas estações de Metro da Trindade, do Bolhão e da Casa da Música desde dia 1 de Março. Os 30 participantes têm actuado de forma rotativa nas três es-

tações, entre as 12h00 e as 15h00 e entre as 17h00 e as 20h00. As receitas disponibilizadas pela votação (€ 0,40 por chamada) revertem integralmente a favor do projecto “Pular a Cerca na Companhia do Rugby” (Cerco do Porto), que visa juntar crianças e jovens,

agentes policiais e o Grupo Beatbox Ensemble num projecto musical e desportivo que tem por base o Beatbox e a Percussão. A votação prolonga-se até ao final de Maio e os participantes vão ser classificados por ordem de popularidade. Os músicos e bandas mais

votados têm lugar garantido nos concertos Porto Sounds, organizado pela PortoLazer. A Metro do Porto assinala que no Verão os palcos da “Música na Rua” vão passar para o exterior das estações, junto aos acessos. Esta é uma iniciativa conjunta do Metro do Porto, Câmara Mu-

nicipal do Porto/PortoLazer, Casa da Música e SPOT, e tem como objectivos a promoção de novos talentos e a animação musical nas estações da rede do Metro e em novos palcos da cidade. Está disponível no Facebook e também no canal do YouTube MusicanaRuaPorto.

Regressam os sábados verdes à Lipor No âmbito da sensibilização Ambiental, a Lipor promove a iniciativa Sábados Verdes que desenvolve a separação dos resíduos sólidos urbanos. Dando continuidade ao êxito do ano de 2009, durante um

sábado por mês ao longo deste ano, a Lipor contempla a população com uma visita às suas instalações, nomeadamente ao Centro de Triagem. Essa visita possibilita aos cidadãos compreender o circuito da reciclagem tomando, assim, co-

nhecimento do percurso dos materiais desde que são depositados nas infra-estruturas preparadas para a deposição selectiva, nomeadamente os ecopontos e os ecocentros, até serem processados no centro de triagem.

Sensibilizar para a importância da separação de resíduos, reconhecer a importância da gestão de resíduos na sociedade actual e reforçar a cooperação entre Lipor e os cidadãos são os principais objectivos desta

actividade. O próximo sábado, 27 de Março, é um Sábado Verde. Os restantes Sábados Verdes decorrem nas seguintes datas: 24 de Abril, 22 de Maio, 19 de Junho, 17 de Julho, 21 de Agosto, 18 de

Setembro, 23 de Outubro, 13 de Novembro e 4 de Dezembro. Por cada dois quilos de papel e cartão entregue este sábado, na Central de Triagem da Lipor, o visitante recebe um prémio.


15

PRIMEIRA MÃO | Sexta-Feira 26-03-2010

Opinião Opinião Pedro Martins

O Partido Socialista da Maia encontra-se, como é do domínio público, em período eleitoral. No próximo dia 17 de Abril serão escolhidos os coordenadores da maioria das secções, assim como a Comissão Política Concelhia (CPC) e a(o) líder do PS na Maia para os próximos dois anos. Esta é uma decisão essencial para o futuro do PS no nosso concelho. A Maia é, como os próprios dirigentes políticos de outros partidos admitem, um concelho tendencialmente socialista. O PS é o partido mais votado em quase todas as eleições,

com a triste excepção das autárquicas. Esta é uma situação que, até ao momento, nenhum dirigente socialista conseguiu alterar. Não acreditando em fatalidades, tenho a certeza que, no futuro próximo, essa situação será drasticamente alterada. Para que tal seja possível, o PS Maia deve mudar. A mudança é essencial, mas a mudança não pode significar que se tenha que apagar todo o passado ou se ignore que este existiu. A mudança não é um fim, apenas um meio. Como militante do Partido Socialista, acredito que a can-

Opinião Marta Gonçalves

Tudo parece mudar para que as moscas comam a mesma coisa. Mário Gouveia é um ‘nado morto’, Luís Rothes um perdedor nato, então das brumas do passado Narcisista surge Paula Cristina. Apoia José Luís Carneiro à distrital mas refere que tem apoiantes de Renato Sampaio, apoia José Sócra-

Mudança essencial didatura encabeçada pela camarada Paula Cristina Duarte constitui uma excelente solução para o PS Maia. A camarada tem todas as condições para protagonizar a mudança que o partido necessita. O seu percurso político tem sido exemplar, desde a passagem pelo secretariado nacional da Juventude Socialista, até ao cargo de deputada da nação. Tem, sem sombra de dúvida, um percurso político invejável. Apesar de ter sido deputada nas últimas quatro legislaturas, a sua ligação à concelhia da Maia do PS nunca foi afecta-

da. Sempre acompanhou e trabalhou para o partido na Maia, pelo que conhece a estrutura perfeitamente. Este conhecimento permite que encete uma mudança tranquila, como a mesma gosta de referir. O Partido Socialista na Maia necessita de uma personalidade forte, mas conciliadora; que conheça bem o partido, mas que não tenha medo de o mudar. Vejo na camarada Paula Duarte estas características. Mas não é só o PS que necessita de uma mudança. A gestão autárquica da Maia

necessita de uma mudança bem mais urgente. O concelho perdeu e continua a perder importância no seio da área metropolitana. O executivo camarário está praticamente reduzido a funções de gestão corrente, sem projectos nem realizações para o futuro. Aparentemente, todos os projectos pensados pelo actual executivo sofrem da coincidência de falharem espectacularmente. Com a quantidade de projectos que fugiram para concelhos vizinhos, corremos o sério risco de ficar de tal modo para trás

que a qualidade de vida na Maia pode ser severamente afectada. Estas eleições constituem uma excelente oportunidade para começar a mudar o Partido Socialista na Maia. O PS renovado, como uma nova postura, que pode emergir deste acto eleitoral será, sem dúvida, um PS mais forte e capaz de vencer os próximos desafios eleitorais, para o bem do nosso concelho. Membro da Comissão Política Concelhia do Partido Socialista da Maia

Paula Cristina - A evolução na continuidade

tes mas dá guarida aos seus detractores... Promoção dum projecto pessoal, pensamos nós! Vale tudo para aparecer na ribalta. Com um percurso sinuoso, sempre alavancado por terceiros, foi secretária de Narciso Miranda, agora é secretária de Joana Lima (Actual Presidente da Câmara da Trofa), Paula

Cristina pretende apenas e só que aqueles que foram responsáveis pela pior derrota do PS Maia desde o 25 de Abril continuem a frente dos destinos do partido. Identifica-se com eles. Eles promovem-na. Seria a recondução da “Troika” que dividiu o PS ignorando os estatutos, utilizando processos menos honestos,

cultivando a traição como percurso. Os militantes necessitam de acreditar de novo! A sociedade civil necessita de um novo PS com uma nova liderança. Os últimos dois anos foram maus de mais. Cultiva-se a salsada. Conforme os lugares em disputa assim se posicionaram as pedras do xadrez;

Os amigos(as) de Renato Sampaio estão com José Luís Carneiro na Maia, os adversários de José Sócrates na Maia estão com Paula Cristina e José Luís Carneiro… Eu, estou, em Pedras Rubras com Jorge F. Catarino, na concelhia com Hélder Ribeiro, na distrital com Renato Sampaio e naturalmente com José

Sócrates e o seu governo. Parece simples mas não é. Tenho dois pés, mas do mesmo lado! Para ganhar ou perder. Defendo projectos, não ataco lugares. Será que o PS ainda voltará a ser assim? Lutarei por isso. Membro da CPC do PS Maia


16

PRIMEIRA MÃO | Sexta-Feira 26-03-2010

Opinião Opinião António Fernando Silva

Decidi que nas próximas eleições para líder do PSD, que ocorrerão hoje (26de Março), irei votar no Pedro Passos Coelho. Decidi fazelo após ver, ouvir e ler todos os debates televisivos, todas as entrevistas, todos os artigos e consultar os sites de candidatura de todos os candidatos. Foi meu propósito não manifestar no começo do processo eleitoral as minhas preferências, até porque não as tinha. Entendo que só vale a pena fazer eleições directas se não houver no processo electivo sindicatos de voto, ou balcanização de apoios. Sou da opinião de que todos aqueles que desempenham no partido cargos directivos em estruturas políticas de patamar concelhio e distrital se deviam inibir de exercer cargos de relevo nas estru-

turas de campanha dos candidatos a Presidente do PSD e deviam ser contidos nas manifestações de apoio aos candidatos. Apesar de todos eles serem livres de votarem em quem quiserem o seu apoio explícito serve sempre para condicionar e desviar o juízo que cada militante deve fazer nestas eleições. Todos aqueles que têm capacidade eleitoral, no quase término deste processo eleitoral, já não vão só votar em função da valia de cada um dos candidatos, já vão votar condicionados também pela prole de apoiantes que cada um deles tem. Creio que se o objectivo das directas era não votar apenas o Presidente, mas levar a que os militantes equacionassem nessa escolha também os seus apoiantes, devería-

Opinião Nelson Ferraz

As instituições, tal como as pessoas, são, em cada momento, o culminar de toda a história que as antecedeu, por isso, é legítimo dizer que a identidade de um povo é a sua história. Aqui, versarei, concretamente, na do povo Social Democrata da Maia. Quero, assim, prestar homenagem àqueles que, no dia 15 de Fevereiro de 1975, tomaram posse, constituindo a Comissão Administrativa do partido, na Maia, e iniciando, desse modo, a aventura Social-democrata, em terras do

Voto Passos Coelho mos eleger em directas toda a Comissão Política Nacional e não apenas o seu Presidente. Decidi votar no Pedro Passos Coelho porque pareceu-me o candidato mais preparado para liderar o partido e o país. Pareceu-me ser de todos aquele que melhor soube gerir situações de conflito, que melhor postura soube assumir em sede de debate, aquele que melhor conhece o país e o partido e aquele que apresenta soluções e ideias mais amadurecidas para um programa de Governo. O facto de ser recandidato à liderança foi uma vantagem que soube claramente capitalizar. INCLUSÃO Quero porém referir que o partido deve sair deste processo eleitoral aproveitando a mais valia de cada um dos candidatos à presidência. Se

Pedro Passos Coelho vencer, como espero, deve reiterar a liderança de Aguiar Branco no grupo parlamentar do PSD na Assembleia da República e deve tê-lo em conta na formação de um futuro governo. Apesar de entender que Aguiar Branco não representa a mudança geracional que acho que o partido precisa, especialmente após a liderança de Ferreira Leite, reconheço que foi um bom candidato e que este processo eleitoral lhe deu ‘endurance’ que por vezes lhe faltou no debate parlamentar. Se Pedro Passos Coelho vencer não deve fazer a Paulo Rangel o mesmo que lhe fizeram a ele. Deve tratar de inclui-lo e deve dar-lhe campo de manobra política. Paulo Rangel tem obrigações para com os portugueses que deve cumprir no Parlamento Eu-

ropeu sem que isso o transforme num exilado político de luxo. A Pedro Passos Coelho caberá a responsabilidade de não excluir e a Paulo Rangel a sensatez e humildade de se deixar incluir. Depositei no Paulo Rangel grandes esperanças, mas rapidamente concluí que a sua precipitada candidatura fez com que fosse um candidato a quem a pressão quase sempre venceu. Tem um enorme potencial e deve saber aproveitar esse potencial ao serviço do partido e do país. Atrevo-me a dizer que Paulo Rangel tem que saber gerir o seu tempo e se o souber fazer o seu tempo chegará. Fez-me lembrar um jogador de futebol que sem nunca ser titular de uma grande equipa entrou numa segunda parte, fez um bom jogo e marcou um golo decisivo para a sua equipa nas

meias-finais da liga dos campeões. Assim sendo, achou que no jogo da final podia e devia ser titular e capitão de equipa. Até ao momento, nesse jogo, Paulo Rangel, justificou a titularidade mas está longe de justificar a braçadeira de capitão. Creio que para Rangel ser capitão tem que jogar muitos mais jogos e jogar muito mais para a equipa e treinar com mais afinco. Castanheira de Barros merece um cumprimento e os votos de muita saúde e sucessos. O seu lugar no PSD será aquele que tem e que faz muita falta, se mais não for para lembrar que a política também existe sem mediatismo. Estou convicto que Pedro Passos Coelho será eleito Presidente do PSD. Será muito bom para o PSD mas será muito melhor para Portugal.

ras estações de tratamento, a rede viária, os espaços culturais, como o Fórum da Maia com os seus concertos, exposições e festivais, o Fórum Jovem, com as suas iniciativas dianteiras para os mais novos, os edifícios sede das juntas de freguesia, as construções de forte apoio ao Associativismo, a maior e melhor estruturada zona industrial do País, o edifício sede dos paços do Concelho e a nova centralidade, o Metro e, ainda, os edifícios, pré-escolares, escolares, de apoio à terceira idade e complexos desportivos, palcos de inúmeras conquistas. Como exemplo, os títulos de voleibol, andebol, ciclismo ou atletismo… Há um sem número de outras obras que poderia referir, mas que o tempo não me permite. Assim, companheiros, está viva a nossa essência Socialdemocrata, com a presença de múltiplos Vereadores que ao lado do, então, Presidente, afirmavam a sua qualidade. Permitam-me referir dois em especial: o actual Presidente Bragança Fernandes e o Vice-presidente Silva Tiago, que, num momento trágico, souberam, superiormente, manter o rumo do nosso concelho. E, quando todos julgavam que o reinado Social-democrata chegara ao fim, o PSD cerrou fileiras e a sua Comissão Política esbateu as suas diferenças em torno de Bragança Fernandes e mantevese firme e solidário com Paulo

Ramalho. A JSD uniu-se ainda mais e reforçou a sua acção, reflectindo-se em nomes como Hernâni Ribeiro, Nuno Silva, Emanuel Martins, Alexandra Torres, Rui Meneses, Orlando Leal, Paulo Resende entre muitos outros. A sempre combativa bancada do PSD, na Assembleia Municipal, mostrou a sua capacidade de intervenção, com as brilhantes participações dos seus elementos, com especial relevo para António Fernando, Marques Gonçalves, Cândido Graça, Aloísio Nogueira, Luís Miguel e, mais recentemente, Rui Monteiro e Mário Duarte, membros de um grupo coeso, composto por outros militantes, não menos importantes e que espero não ver sentidos por injustamente não os referir. Enfim, foram tantos e tão bons, que indubitavelmente dignificaram o legado dos nossos companheiros e companheiras, que deram o pontapé inicial deste interminável jogo da Democracia. Caros Companheiros e Companheiras, vou terminar, com orgulho no nosso passado, certeza pelo presente e com a firme convicção, e basta observar ao nosso redor, que os mais novos vão, inteligentemente, preparando o futuro. A todos o meu Bem Hajam. Viva a Maia, a nossa pequena Pátria! Viva o PSD!

O PSD na Maia

Lidador. Esta Comissão veio a ser reconhecida pela distrital do partido, em Março desse mesmo ano. É com saudade que recordo o citado momento histórico, uma vez que era parte integrante desse movimento, pese embora a minha precoce idade para tais labutas. Então com 16 anos, fui indicado como representante da JSD. É meu intento lembrar e saudar, por este meio, aqueles que ousaram desafiar o poder instalado pelas for-

ças da extrema-esquerda, as quais a coberto da revolução democrática tentavam encaminhar o nosso povo e o nosso País para outra forma de ditadura. Aprendi com estes homens e mulheres que “querer é poder” e assim, rapidamente se iniciou a luta politica, que levou a todas as freguesias o ideal da Socialdemocracia. Retive na memória as célebres sessões de esclarecimento levadas a cabo na totalidade das freguesias do concelho. O combate ideológico não poucas vezes rasou a violência, a ameaça e o insulto. Que nostalgia me trazem as intervenções da nossa gente! Recordo, entre outros, e perdoem-me não referir os demais, os companheiros Elísio Costa, Bernardino Costa Pereira e Faustino de Andrade, sempre dispostos a esclarecer e divulgar pelas nossas terras o Ideal Social-democrata. Também o nosso saudoso Agostinho da farmácia, era um apaixonado da causa, sempre presente nas inúmeras actividades, assim como, o não menos saudoso, Serafim Lopes que nunca negava um bom combate, sem nunca olvidar o Joaquim Costa, no apoio logístico e o João Fortunato, constantemente atento e preocupado. Tantos companheiros podia enumerar, que, ao longo do tempo, engrossaram as nossas fileiras, completadas por tantos outros que, ainda hoje, permanecem anónimos. É para todos eles esta singela

homenagem. Sinto que, nesta data, cada um deles está connosco, uns física e outros espiritualmente. A nossa luta não foi em vão! Foram estes bravos que permitiram, com o seu esforço, que autarcas da grandeza de Vieira de Carvalho que, embora oriundo do CDS, ingressou nas nossas fileiras em 1989, colocassem a Maia no topo de desenvolvimento dos municípios Portugueses. Vieira de Carvalho afirmou-se como modelo de referência entre todos os autarcas. Os nossos autarcas eram, indiscutivelmente, os mais populares, competentes e, como tal, venciam eleições consecutivamente, sempre apoiados por inúmeros militantes anónimos. Mais uma vez a abnegação destes valorosos pioneiros deu o seu fruto junto das populações e o ideal de Sá Carneiro ficou bem enraizado na nossa terra. Brotaram assim tantos e bons nomes que foram tornando cada vez maior o nosso partido. Permitam, caros companheiros, que lembre mais alguns: Ferreira dos Santos, Luciano Gomes, David Branco, Carlos Teixeira, José Torres, Ilídio Carneiro, Manuel Antonio… A nível nacional afirmava-se a Maia com Silva Peneda, Arlindo Cunha o prestígio de Vieira de Carvalho e a sua inigualável obra, sempre associada ao PSD da Maia. E quantas foram as infraestruturas: de água e saneamento, com as precurso-

Militante Fundador do PSD Maia


17

PRIMEIRA MÃO | Sexta-Feira 26-03-2010

Agenda

CINECLUBE MOSTRA “MAR ADENTRO”

FARMÁCIAS SERVIÇOS PÚBLICOS TELEFONES ÚTEIS FARMÁCIAS Agra R. 5 de Outubro, 24 r/c Milheirós 229 605 441 Aliança Av.Padre Manuel Alves Rego, 657, 229 480 229 Álvaro Agante Av. D. Manuel II, 1386 Vermoim 229 419 854 Araújo R. Manuel Silva Cruz, 3 Nogueira 229 602 808 Bastos R. Manuel Ferreira Pinto, 26 Gueifães 229 480 189 Bom Despacho R. Padre António, 39 Maia 229 440 848 Central R. Augusto Simões, 482 Maia 229 480 227 Da Maia R. D. A. Henriques, 3211 Águas Santas 229 710 246 Das Guardeiras R. Conselheiro Luís Magalhães, 1936, 229 471 983 Do Aeroporto - Aeroporto Francisco Sá Carneiro, Vila Nova da Telha 919 540 392 Do Castelo R. Augusto Nogueira da Silva, 410 Santa Maria de Avioso 229 813 561 Do Mosteiro R. D. Afonso Henriques, 2377 Sousa Beirão R. Âgela Adelaide Calheiros Carvalho de Menezes nº244 Maia - 225 301 113 Sousa Torres MaiaShopping, Águas Santas 229 722 122 Eugénia R. 9 de Abril, 320 Pedrouços 229 016 547 Gramaxo R. Dr. Farinhote, 1087 Moreira da Maia 229 481 009 Lima Coutinho Trav. Sá e Melo, 543 r/c Gueifães 229 444 151 Martins da Costa R. do Calvário, 35 - r/c, Águas Santas 229 714 828 Mendonça R. Central de Arcos, 1463 S. Pedro Fins 229 670 335 Vila Nova da Telha R. Direita de Quires, 1237, 918 600 233 Vales, Rua da Amoteia 254 Pedrouços - 229 039 033 Gemunde, Rua da Igreja 1002 Campa do Preto- 229 828 927 Moreira Barros Rua Ponte de Parada, 399, Águas Santas - 229 039 052 Das Oliveiras Rua D. Afonso Henriques, 646 Pedrouços - 229 710 690

O Cineclube da Maia apresenta amanhã, sábado, às 21h30, no Cine Teatro Venepor, o filme espanhol “Mar adentro”, de Alejandro Amenábar. O filme aborda o polémico tema da eutanásia. Amenábar conta a história verídica de Ramon Sampedro, o espanhol, da região da Galiza, que lutou durante anos pelo reconhecimento nos tribunais do seu direito a morrer.

TEATRO OFICINA NA MOSTRA DE TEATRO AMADOR O Teatro Oficina de Vermoim apresenta-se na 2ª Mostra de Teatro Amador da Maia, com a peça “Memória Post-Mortem”, um inquietante cruzamento entre a realidade da Loucura e o sonho da Morte. Uma encenação de Cátia Gomes, a partir de textos tão diversos como o Diário de Anne Frank, Jean Genet, Fernando Moraes e Alain Decaux. É hoje, no Auditório Venepor, pelas 21h30. “BACKWARD LOOK” DE VIKTOR DE MAGALHÃES NO FÓRUM JOVEM Está disponível a exposição retrospectiva de artes plásticas “backward look”,de viktor de Magalhães, no Fórum Jovem da Maia. Esta exposição pretende assinalar os 25 anos de actividade deste artista plástico da Maia, sendo exibida uma série de trabalhos de pintura e escultura que ilustram as “diversas fases do percurso deste polémico, inconformado e sempre criativo e inovador artista maiato”. A exposição estará patente ao público de segunda a sexta-feira, das 09h30 às 23h00, e aos sábados, das 15h00 às 23h00, até ao dia 27 de Março. COLECTIVA DE ARTES DECORATIVAS CACHE POT O Maia Welcome Center, ao Parque Central, acolhe, até 28 de Março, uma mostra colectiva de artes decorativas organizada pela Cache Pot. A exposição reúne trabalhos de 11 artistas / alunos do atelier. BRINQUEDOS DO NOSSO MUNDO

Giesta Rua D. Afonso Henriques, Pedrouços 229 717 530

DE SERVIÇO Dia 26 Moreira Barros – permanente; Aliança – permanente; Do Aeroporto – reforço; Mendonça – disponibilidade Dia 27 Eugénia – permanente; Central – permanente; Gemunde – reforço; Mendonça – disponibilidade Dia 28 Lima Coutinho – permanente; Sousa Torres – permanente; Do Castelo – reforço; Mendonça – disponibilidade Dia 29 Vales – permanente; Sousa Beirão – permanente; Vila Nova da Telha – reforço; Mendonça – disponibilidade Dia 30 Da Agra – permanente; Gramaxo – permanente; Silva Escura – reforço; Mendonça – disponibilidade Dia 31 Bom Despacho – permanente; Da Maia – permanente; Araújo – reforço; Mendonça – disponibilidade Dia 01 Bastos – permanente; Das Guardeiras – permanente; Do Aeroporto – reforço; Mendonça – disponibilidade TELEFONES

A Câmara da Maia, através do Museu de História e Etnologia da Terra da Maia, está a promover a segunda fase da exposição temporária “Brinquedos do nosso Mundo” que estará patente até Abril de 2011. A exposição resulta de uma parceria entre a autarquia e coleccionadores particulares e dá a conhecer brinquedos representativos de todo mundo, com especial relevância para o brinquedo português e bonecas actuais e antigas, datado desde os finais do séc. XIX até aos nossos dias, distribuídos por diversos núcleos: adornos e adereços; brinquedos sonoros e musicais; bonecos, bonecas e acessórios; representação de animais; miniaturas de utilidades domésticas; miniaturas de maquinarias agrícolas; construções, artes e ofícios; transportes; armas; jogos infantis; fantasias e culinária infantil.

Aeródromo Municipal Vilar de Luz - 229 687 321 Aeroporto de Pedras Rubras - 229 482 693 Aeroporto de Pedras Rubras - 229 413 141 Associação Humanitária de Pedrouços - 229 012 744 Bombeiros de Moreira da Maia - 229 420 062 / 10 02 Brigada de Trânsito (Brisa) - 229 673 583 / 36 08 Cruz Vermelha Portuguesa - Núcleo da Maia - 229 411 221 Farmácias de Serviço - 118 Gabinete M. de Inf. e Apoio ao Consumidor - 229 408 633

SERVIÇOS PÚBLICOS

GNR - 229867430 Governo Civil do Porto - 222 097 500

Câmara Municipal da Maia 22 9408600 Cartório Notarial da Maia Edifício Versailles 22 943 98 10 Centro Regional de Segurança Social do Norte 22 948 34 99 Comissão de Protecção a Menores 22 949 03 33 Conservatória do Registo Civil da Maia 22 943 98 00 Conservatória do Registo

Predial da Maia 22 948 39 29 Cooperativa Agrícola da Maia 22 944 80 45 EDP 22 943 33 00 / 0800 246 246 Gabinete M. de Inf. e Apoio ao Consumidor 229 408 633 Instituto do Emprego e Formação Profissional 22 941 25 77

Instituto das Estradas de Portugal 22 948 68 46 Projecto Integrado de Desenvolvimento da Maia 22 941 66 99 Espaço Municipal Renovação Urbanada Maia 22 943 80 30 Rep. de Finanças da Maia - 1ª Repartição 22 944 81 33 2ª Repartição 22 971 35 94

Santa Casa da Misericórdia da Maia 22 944 81 36 Tesouraria da F. P. do Conc. da Maia 1ª Tesouraria 22 948 43 32 2ªTesouraria 22 971 72 41 Tribunal da Comarca 22 943 89 00 Tribunal Do Trabalho 22 941 42 46 Unidade de Saúde Mental de Apoio à Comunidade - USMAC 22 941 66 57

Hospital de S. João - 225 271 51 /61 Instituto de Emergência Médica - SOS 112 Polícia de Segurança Pública - Águas Santas 229 713 537 Polícia de Segurança Pública - Maia 229 413 853 Posto de Turismo - 229 444 732 Posto de Turismo - Centro de Artesanato - 229 444 732 SMAS - 229 430 800 S.O.S. Ambiente - 229 484 821 S.O.S. Rede Viária - 229 440 853 Protecção Civil da Maia - 229 408 722 Ass. Empresarial da Maia - 229 448 023 Linha Verde Emergência Protecção Civil (Grátis) - 800 205 169 Polícia Municipal da Maia - 229 440 853


Desporto www.primeiramao.pt

Clube de Natação em bom momento

Pedras mais longe, Maia Lidador goleado A s equipas maiatas nas divisões distritais da AF Porto tiveram um fim-de-semana pouco positivo. À excepção de Gondim e Castelo da Maia, que empatou com um dos da frente, as restantes formações não conseguiram bons resultados e o Maia Lidador até pode ter dito adeus ao sonho de subida. Comecemos pela Divisão de Honra, onde ambas as equipas maiatas empataram a zero. O candidato à subida, Pedras Rubras, deslocou-se até Arcozelo e não conseguiu superar a equipa local, que conseguiu equilibrar sempre uma partida onde houve poucas oportunidades de golo, retirando à formação do aeroporto dois importantes pontos. Já o Nogueirense também não conseguiu marcar no terreno do Valonguense. Num relvado em mau estado, as duas equipas tentaram o jogo directo mas essa opção não deu frutos a nenhuma delas. Na classificação, e apesar de Caneco já levar 15 jogos sem perder, o Pedras Rubras distanciou-se da liderança. Os homens do aeroporto estão no segundo lugar com 55 pontos, tantos com o terceiro, Alpendorada, que também empatou, mas já a três do líder Sousense. O Nogueirense manteve o sexto lugar com 43 pontos. Este domingo à tarde os comandados de Caneco regressam ao Municipal de Pedras Rubras para defrontar o Valon-

guense, enquanto os homens de Nogueira da Maia recebem o Rio de Moinhos. Na 1ª Divisão Série 1, o Castelo da Maia conseguiu um bom resultado, mas podia ter sido melhor. Na recepção ao Salgueiros 08, os comandados de Alexandre Coutinho chegaram ao intervalo a vencer por 2-0, com um bis de

Fitas (20 e 35). No entanto, o histórico clube portuense fez uma excelente segunda parte e acabou por chegar ao empate a duas bolas, com golos de Rúben (60) e Heitor (76). Na tabela classificativa, o Custóias aproveitou o deslize do Salgueiros e distanciou-se no primeiro lugar com 63 pontos, seguido dos salgueiristas

com 57. O Castelo desceu ao sétimo lugar com 37. Os castelenses jogam este Domingo a trigésima primeira jornada, ronda onde se delocam ao Estádio da Ribeira, em Santiago de Bougado, Trofa, para defrontar o Bougadense Na Série 2, o Folgosa não teve uma jornada feliz. Os co-

mandados de Santos Cardoso dominaram grande parte do jogo frente ao Aliança de Gandra, mas foram os forasteiros que chegaram ao golo já em cima do apito final por intermédio de Litos. Contudo os folgosenses mantiveram o sétimo lugar da classificação, com 47 pontos. Na frente segue o

pag. 20

Nun’Álvares, com 66 pontos, seguido de Baião e Académico de Felgueiras com 65. Os folgosenses deslocamse este domingo ao Estádio Coronel Moura Bessa, em Marco de Cananveses, para defrontar o S. Lourenço do Ouro em partida da jornada 31. Na 1ª Divisão Série 1 as coisas complicaram-se para as equipas maiatas que lutam pela subida. Numa jornada em que o Águas Santas folgou, o Maia Lidador foi até Labruge, casa de um adversário directo, e saiu de lá goleado por 5-0, comprometendo o objectivo de subir. Quem também comprometeu este objectivo foi o Inter de Milheirós ao ser derrotado em casa do Pasteleira por 2-1. O Gondim foi a única formação maiata a vencer neste escalão. Os gondinenses receberam e bateram o Atlético do Vilar por 3-1. Na classificação, o Labruge manteve a liderança com 58 pontos, seguido do Foz com 56, e do Maia Lidador com 53. O Inter de Milheirós é quinto com 48 pontos, com o Gondim logo atrás com 45. o Águas Santas desceu ao décimo segundo lugar com 22 pontos. Na tarde deste domingo realiza-se a vigésima nona jornada, na qual o Maia Lidador folga, o Inter Milheirós recebe o Labruge, o Gondim visita o terreno do Vila Chã e o Águas Santas regressa para visitar o Sporting da Cruz. André Cordeiro


19

PRIMEIRA MÃO | Sexta-Feira 26-03-2010

Modalidades Castelo da Maia joga a final da Taça de Portugal no dia 3 de Abril em Coimbra

Castelo iguala eliminatória

É

oficial. O Castelo está mesmo a fazer uma excelente época. Os comandados de Alexandre Afonso bateram o campeão nacional e ainda estão na luta pelo acesso à final da Divisão A1. Já o Gueifães teve duas fases esta semana. O masculino carimbou o passaporte para a meias-finais e o feminino perdeu outra vez na Trofa. Nas meias-finais da Divi-

são A1, o Castelo contrariou o favoritismo do Sporting de Espinho e venceu o jogo da 2ª mão, adiando a decisão para um terceiro jogo na cidade espinhense. Os maiatos receberam o campeão nacional já em desvantagem, mas ainda assim ganharam por 3-2. Os campeões começaram bem e levaram a melhor nos dois sets inicias por 22-25 e 21-25. Os comandados de

Alexandre Afonso reagiram e empataram o jogo com parciais de 25-20 e 25-22. No set decisivo foram os da casa que venceram por 15-10. O Castelo adia assim a decisão desta meia-final para este domingo, às 15h00, no Pavilhão do Sporting de Espinho. Quem vencer encontrará o Benfica na final, depois dos encarnados terem vencido o Vitória de Guimarães, por 3-0 e 1-3.

Na Fase Final da Divisão A1 mas de Seniores Femininos, o Gueifães voltou a perder com o Trofa. As maiatas já tinham sido derrotadas em casa no início desta fase e agora foram ao Escola E/ B 2.3 de S. Romão Coronado perder por 3-1. As comandadas de João Vieiras até entram melhor e venceram o primeiro set por 22-25, mas as campeãs acordaram e vencer os três seguintes por

25-16, 25-14 e 25-22. Na classificação, o Guiefães mantém o quarto lugar com 23 pontos, menos sete que o líder Trofa. As maiatas reentram em campo domingo, às 16h00, quando receberem o Leixões no Municipal de Gueifães. Melhor está a equipa masculina. Os comandados de José Seco voltaram a vencer a Académica de Coimbra por 3-0 e carimbaram o pas-

saporte para as meias-finais da Divisão A2. Depois de na 1ª mão terem vencido por 3-0 em Gueifães, os maiatos foram a Coimbra vencer pelo mesmo resultado com parciais de 12-25, 21-25 e 20-25. Na meia-final o Gueifães encontrará o Fiães, que bateu o Académico de S. Mamede por 3-1 e 2-3.

na Norte, com 36 pontos e só com vitórias, seguida do Colégio dos Carvalhos com 28. Na décima terceira jornada, as maiatas voltam a jogar fora, desta feita no terreno do Fânzeres,. A partida terá lugar às 18h00 de amanhã. Na Zona Norte da 2ª Divisão de Seniores Masculinos, a Fundação também venceu. Os maiatos foram a Coimbra bater a Académica por 3-7.

Os comandados de Domingos Oliveira continuam no terceiro lugar da tabela, com 42 pontos, a um do segundo Infante Sagres e a treze do líder Cambra. Os maiatos regressa aos ringues já amanhã, às 18h30, quando se deslocarem ao Pavilhão do Marco para jogar a vigésima terceira jornada.

André Cordeiro

Hóquei: Depois do brinde... a fava O sorteio da Taça de Portugal de hóquei em patins não foi nada meigo para a Fundação Nortecoope. Depois de estarem isentos na 3ª eliminatório, os maiatos viram o octacampeão FC Porto ser sorteado como adversário nos 1/16 de final da prova. Azar, dirão alguns. Não para o presidente da Fundação Nortecoope, Joaquim Faria: “Melhor assim. É um jogo

grande e, se temos que sair da prova, que seja com uma equipa desta dimensão”. O presidente do conjunto maiato mostra também algum realismo: “Jogamos sempre para ganhar e é o que vamos fazer neste jogo. No entanto, sabemos que vai ser quase impossível. É no nosso pavilhão e esperamos uma enchente”, diz Joaquim Faria. O jogo realiza-se a 17 de Abril

no Pavilhão da Fundação Nortecoope. Entretanto realizou-se também o sorteio da Taça de Portugal em Seniores Femininos. Às tetracampeãs nacionais, e detentoras do troféu, da Fundação Nortecoope calhou o Vila Boa do Bispo, numa partida que terá lugar apenas a 12 de Junho também no recinto da formação maiata. Em relação a este sorteio,

Joaquim Faria mostra-se mais optimista: “No feminino não interessa quem calha porque é para passar”. O Vila Boa do Bispo foi precisamente o adversário das meninas da Fundação no campeonato no passado fim-de-semana. As comandadas de Custódio Silva foram vencer a casa das marcoenses por 0-6. A Fundação segura assim a liderança da Zo-

André Cordeiro


20

PRIMEIRA MÃO | Sexta-Feira 26-03-2010

Modalidades www.primeiramao.pt

Natação: Maiatos campeões regionais de Seniores A

comitiva do Clube de Natação da Maia presente nos Campeonatos Regionais de juniores e seniores, que decorreu no passado fim-de-semana, nas piscinas municipais da Varzim Lazer na Póvoa de Varzim, alcançou 14 pódios e 12 novos recordes pessoais. Este evento, organizado conjuntamente pela Associação de Natação do Minho e pela associação de natação do Norte de Portugal, tinha como objectivo definir os campeões regionais das respectivas categorias e era o último momento de obtenção de tempos de participação nos campeonatos nacionais que se realizam em Coimbra nos dias 9, 10 e 11 de Abril. Participaram nesta prova cerca de 250 nadadores de ambas as associações, em representação de 24 clubes, entre os quais oito do Clube de Natação da Maia. De entre os maiatos destacam-se os títulos regionais Bruços. Os nadadores do mariposa (Luís Neto), 50m ninas de 4x50m e 4x100m Ramalho), e oito terceiros de Luís Neto nos 50m Bru- CNM alcançaram também bruços (Joana Maia), e es- estilos (Filipa Sousa, Joana lugares. Depois destes campeonaços e Joana Maia nos 200m segundos lugares nos 100m tafetas de seniores femi- Maia, Carolina Silva e Cátia

tos, o Clube de Natação da Maia tem cinco nadadores em condições de estarem presentes nos nacionais de Coimbra. No passado fim-de-semana realizou-se mais um estágio de preparação da Selecção Nacional de Natação Adaptada (Síndrome de Down), que decorreu em Portimão, no Algarve. Este estágio contou com a participação de dos nadadores maiatos Telmo Dias e Ana Castro, e da sua treinadora, Ana Querido. A próxima competição dos nadadores maiatos é este fim-de-semana no Torregri 2 para a categoria de cadetes, que se realiza nas piscinas de Lousada durante a tarde de sábado e manhã de domingo. Mariana Oliveira, Rita Simões, Carolina Moreira, Daniel Cruz, Tomás Rodrigues, Pedro Pereira, João Barreira, Nuno Pereira, Paulo Silva, Duarte Bandeira e Hugo Azevedo serão os nadadores maiatos presentes neste evento. André Cordeiro

Casas de pouca sorte O fim-de-semana não tir nas divisões nacionais vilhões maiatos não foram O Maia Basket jogou a Basket, uma equipa que foi de muita sorte para as de basquetebol. Ambas jo- talismã nem no masculino, décima nona jornada da está classificada pouco equipas maiatas a compe- garam em casa mas os pa- nem no feminino. Proliga frente ao Terceira acima dos maiatos na classificação. Apesar do esforço dos comandados de Rui Silva, os açorianos não deram hipóteses vencendo por claros 65-105, impondo a décima sétima derrota da época aos da casa. O Maia Basket continua assim na décima primeira, e penúltima, posição da Proliga, com os mesmos 21 pontos do último Academia e a cinco do décimo classificado Seixal. Na frente a luta está ao rubro. Quando faltam apenas três jornadas para o final da Fase Regular, CBP/ Sentir Penafiel, Lusitânia e Barcelos-Hotel Terço estão separados por apenas dois pontos. Os maiatos voltam a entrar e campo apenas no dia 2 de Abril, sexta-feira santa, às 17h00, para jogar a vigésima jornada frente a mais uma equipa açoriana, o Lusitânia, no Municipal do Formigueiro. Na II Divisão Feminina – Zona Norte A, a Juvemaia

perdeu, e pela segunda vez consecutiva, algo inédito na temporada 2009/ 2010. As maiatas receberam o NCR Valongo no Municipal de S. Pedro Fins num jogo extremamente renhido e que podia ter sido ganho por qualquer uma das formações. No entanto, no final, a vitória sorriu às valonguenses por 67-69. Com este resultado, as maiatas continua no segundo lugar, com 33 pontos, mas apenas à condição, uma vez que o NCR Valongo tem 31 pontos mas menos dois jogos realizados. Na frente isoladas estão as ermesindenses do CPN com 36 pontos. As meninas da Juvemaia voltam a entrar em campo já este domingo, às 15h00, quando se deslocarem até ao Municipal de Vila Nova de Gaia para defrontarem as nonas classificadas do GD Bolacesto, numa partida a contar para a vigésima jornada do campeonato. André Cordeiro


21

PRIMEIRA MÃO | Sexta-Feira 26-03-2010

Resultados de FUTSAL 3ª Divisão Nacional – 21ª jornada Guimarães – 4 / Monte das Pedras – 4 Amanhã da Criança – 7 / Merelinense - 6 Classificação: 1º Chaves Futsal – 56 pts. 6º Monte das Pedras – 32 pts. 9º Merelinense – 23 pts. despromoção: 10º Guimarães Futsal – 23 pts. 11º Amanhã da Criança – 20 pts. 12º ARCA – 18 pts. 13º Pioneiros Bragança – 17 pts. 14º Santa Luzia – 12 pts. Próxima jornada: Monte das Pedras – ARCA (27/03, Mun. Crestins, 18h00) Mondim Bastos - Amanhã da Criança (27/03, Mun. Mondim, 18h00)

Jornada lucrativa para o Amanhã da Criança

AF Porto Honra – 23ª jornada Acad. Sangemil – 9 / AR Lever - 1 Arsenal Parada – 2 / Os Romanos - 3 Coopermaia – 0 / Cruzeiro Santana - 4 Classificação: 1º Cohaemato – 55 pts. 2º Desp. Aves – 51 pts. 4º Acad. Sangemil – 44 pts. 6º Arsenal Parada – 33 pts. 15º Coopermaia – 18 pts. 16º Cafetaria do Ouro (desistiu) Próxima jornada: JACA - Acad. Sangemil (27/03, Mun. Carvalhos, 21h15) Os Romanos - Coopermaia (26/03, Esc. Sec. Baltar, 21h30) Desp. Aves - Arsenal Parada (27/03, Desp. Aves, 16h30) 1ª Divisão série 1 – 23ª jornada Musical Miragaia – 2 / Rec. Vermoim – 5 ARDACM – 2 / Polenenses - 2 Classificação: 1º Rec. Vermoim – 53 pts. 2º A-Ver-O-Mar – 51 pts. 3º S. Sebastião – 47 pts. 15º ARDACM – 20 pts.(-1 jogo) 16º JD Gaia – 15 pts. Próxima jornada: Rec. Vermoim – Polenenses (27/03, Mun. Moreira, 21h00) Banco BPI - ARDACM (26/03, Esc. Francisco Torrinha, 22h30) 1ª Divisão série 2 – 23ª jornada JD Águas Santas – 1 / Vila Boa Bispo - 3 Aliviada – 3 / S. Pedro Fins – 2 Classificação: 1º Sobrado – 61 pts.(-1 jogo) 4º JD Águas Santas – 39 pts. 15º S. Pedro Fins – 12 pts. 16º Águias Areosa – 11 pts. Próxima jornada: S. Pedro Fins – ARC Moinhos (27/03, Mun. S. Pedro Fins, 18h00) Pinheirense - Águas Santa (27/03, Mun. Valbom, 19h00) 2ª Divisão série 1 – 23ª jornada Arcozelo – 2 / Avioso S. Pedro – 2 Classificação: 1º Amigos Cave 94 – 50 pts. 12º Avioso S. Pedro – 25 pts. 15º Contumil – 23 pts. 16º Arcozelo – 21 pts. Próxima jornada: Bairro Outeiro - Avioso S. Pedro (26/03, Esc. Francisco Torrinha, 21h20) 2ª Divisão série 2 – 23ª jornada Silva Escura – Benfica Sto. Tirso (não se realizou) União Futsal – 2 / Lus. Pedrouços – 0 Classificação: 1º AD Baião – 45 pts. 8º Silva Escura – 30 pts. 11º Lus. Pedrouços – 25 pts. 15º ARCA – 12 pts. 16º Benfica Stº. Tirso – desistiu Próxima jornada: Jovens Lamoso - Silva Escura (27/03, Mun. Paços de Ferreira, 18h00) Lus. Pedrouços – Mosteiro (27/03, Mun. Ardegães, 22h00) 3ª Divisão –27ª jornada Carvalheiras – 3 / Acad. Pedras Rubras – 0 ARDACM “B” - 1 / Salgueiros 08 - 3 Classificação: 1º Areal – 60 pts. 13º Acad. Pedras Rubras – 29 pts. 16º ARDACM “B” – 20 pts. 19º Vasco da Gama – 8 pts. Próxima jornada: Acad. Pedras Rubras – Juventus Triana (26/03, Mun. Moreira, 21h30) Juv. Gondomar - ARDACM “B” (27/03, Mun. Valbom, 20h00) 1ª Divisão Feminino – 24ª jornada Restauradores Avintenses – 3 / CA Corim – 0 Classificação: 1º Restauradores Avintenses – 66 pts. 6º CA Corim – 33 pts. 13º Rebordões – 6 pts. Próxima jornada: CA Corim – Alfenense (27/03, Mun. Corim, 21h00)

A 21ª jornada da série da 3ª divisão nacional foi muita lucrativa para o Amanhã da Criança e permitiu à equipa de Águas Santas continuar na luta pela fuga à despromoção aos distritais. Com efeito a equipa de Vítor Magalhães ganhou em quatro campos: venceu no Municipal do Corim o Merelinense e encurtou para três pontos a distância que os separa da equipa de Braga que é a primeira na zona de manutenção; reduziu em dois pontos a diferença para o Guimarães Futsal, uma vez que os vimaranenses empataram na recepção ao Monte das Pedras; e ultrapassaram na classificação o ARCA e os Pioneiros de Bragança (ambos perderam), tendo agora 2 pontos de vantagem sobre os primeiros e 3 sobre os brigantinos. Esta jornada trouxe novo alento à jovem equipa do Amanhã da Criança quando o campeonato vai entrar nas últimas cinco jornadas, ou seja, na fase do tudo ou nada, sendo que, como aqui já foi explicado na passada edição, o que resta do campeonato para o Amanhã da Criança é tudo menos fácil, porque defronta equipas

mais bem classificadas, como é o caso da próxima jornada onde visita o Mondim de Bastos que está alojada no 4º lugar e ainda sonha com a promoção à 2ª divisão. O Monte das Pedras que há muito tem o campeonato decisivo, está longe da subida e longe da descida, pode no entanto dar uma “ajudinha” ao Amanhã da Criança conforme deu esta semana com o empate imposto no Guimarães Futsal, se na próxima jornada vencer na recepção ao ARCA. COOPERMAIA MAIS PERTO DA DESCIDA Na divisão de Honra Distrital o Académico de Sangemil continua a realizar uma boa ponta final de campeonato e vai ganhando os seus jogos na esperança de Cruzeiro Santana e Desportivo das Aves sofreram um percalço para se aproximarem dos lugares de subida. Na última jornada os sangemilenses golearam o Lever por concludentes 9-1! O Arsenal de Parada estreou da pior forma o novo treinador da equipa senior (é o quarto na presente época!!!!) e perdeu na re-

cepção com Os Romanos por 3-2, permitindo assim à equipa de Baltar fugir da zona de despromoção, onde está a Coopermaia que continua a 6 pontos da linha de água depois de ter perdido por 4-0 na recepção ao Cruzeiro Santana. Na série 1 da 1ª divisão, o Recreativo de Vermoim continua a lutar pela subida à Honra e foi vencer fora o Musical Miragaia por 5-2, mantendo assim 2 pontos de vantagem sobre o A-Ver-O-Mar e 6 sobre o S. Sebastião, enquanto que no outro extremo da tabela a ARDACM recebeu e empatou como Polenenses, não conseguindo assim abandonar o penúltimo posto e lugar de descida, se bem que está a apenas 2 pontos do Real Senhorense e tem um jogo a menos que a equipa da Senhora da Hora. Na outra série desta divisão os representantes da Maia perderam os seus jogos e perderam também a possibilidade de subirem na classificação. O Águas Santas perdeu na recpção ao Vila Boa do Bispo e deixou assim fugir uma grande oportunidade de se isolar no último lugar do pódio, enquanto o S.

Pedro Fins perdeu na visita ao também aflito Aliviada, e caiu, outra vez, para a zona de despromoção por troca com a Juventude do Muro que com alguma supressa foi a Gondomar vencer o Vilar Futsal por 3-0. Na série 1 da 2ª divisão o Avioso S. Pedro empatou na visita ao lanterna vermelha, Arcozelo, tem dois pontos de vantagem sobre a zona de despromoção, numa luta que envolve mais 4 equipa e que promete muita emoção até final da prova. Na próxima jornada os maiatos visitamo tranquilo Bairro do Outeiro e caso pontuem pode tirar dividendos do jogo que opõe dois aflitos: Contumil e Luso Académico. Na série 2 as equipas da Maia limitam-se a cumprir calendário e a preparar a próxima época uma vez que estão ambas na zona tranquila da tabela, se bem que o Silva Escura (não jogou esta semana por desistência do Benfica de Stº. Tirso) está melhor classificado (8º) que a Lusitana de Pedrouços que voltou a perder na visita ao União Futsal e caiu para o 11º lugar. Estranho o comportamento da equipa de Pedrouços que acabou

o ano de 2009 a lutar pelo primeiro lugar e agora “arrasta-se” penosamente à espera do final da prova, e não fosse a desistência do Benfica de Stº. Tirso e o péssimo campeonato do ARCA, esta época ainda poderia trazer nova descida para os pedroucistas. Na 3ª divisão o Académico de Pedras Rubras perdeu na visita ao Carvalheiras por 30 e manteve o 13º lugar, e a equipa “B” da ARDACM também manteve o 16º lugar depois de perder na recepção ao histórico Salgueiros, agora também 08. Na 1ª divisão feminina o Clube Amigos de Corim perdeu na visita ao campeão nacional em título, Restauradores Avintenses, por 3-0, e saiu de Avintes debaixo de um coro de elogios por parte do adversário que ficaram surpreendidos pela equipa de Alcino Vieira ter jogado com a melhor equipa de futsal feminino do País olhos nos olhos, ao contrário do que fazem todos os adversários que se limitam a defender a sua baliza para perderem por poucos. Na próxima jornada o CAC encerra a época com a recepção ao Alfenense.


22

PRIMEIRA MÃO | Sexta-Feira 26-03-2010

Modalidades www.avidaeumpalco.com

Fábio Palma brilha na Taça de Portugal de ciclismo F ábio Palma, ciclista da Maia-Bike Team, terminou em 15º lugar a prova inaugural, 16ª Clássica da Primavera – Troféu José Zeferino, colocando a equipa na vice-liderança da Taça de Portugal – Liberty Seguros Sub-23. Na Póvoa de Varzim, a equipa maiata apresentou-se com intenções de discutir a geral e teve um resultado positivo, com o seu ciclista a ficar em 15º lugar, melhor tempo do pelotão de sub-23.

Cândido Barbosa, do Palmeiras Resort-Tavira, foi o vencedor desta prova, que passou a liderar a Taça de Portugal Elites. Fábio Palma terminou no grupo de 19 ciclistas que decidiu a corrida com ligeira vantagem do resto do pelotão. Na geral, o ciclista da Bike Team soma 65 pontos, contra os 75 do líder Marco Coelho. Da mesma equipa, Sandro Pinto e Flávio Gomes terminaram em 41º e em 49º lugares,

ficando para trás Casimiro Oliveira, que alcançou o 59º lugar. Entre as 16 formações profissionais e sub-23 que participaram na corrida, a Maia-Bike Team ficou em nono lugar. Quem lidera a tabela é a LA-Paredes Rota dos Móveis A disputa pelo primeiro lugar da Taça de Portugal Sub-23 continua na segunda prova pontuável, que vai decorrer na volta a Albergaria, no dia 18 de Abril.

Águas Santas finaliza com derrota O Águas Santas terminou a fase regular da 1ª Divisão com uma derrota caseira. A Académica da Maia-ISMAI voltou a vencer e o Santana começa já este fim-de-semana a disputar a Fase Final a 3ª Divisão. Com tudo definido na jornada anterior, o Águas Santas tinha uma tarefa complicada na recepção ao Sporting. Apesar dos leões não estarem a fazer uma grande época, conseguiram a qualificação para a Fase Final e demonstraram na Maia que são bem superiores aos aquissantenses ao vencer a partida por 23-33. Os comandados de Jorge Borges terminaram a 1ª Fase na décima posição com 38 pontos. Os maiatos vão agora

disputar o Grupo B da Fase Final, onde partem com 19 pontos, e encontrarão Xico Andebol, Sporting da Horta, S. Bernardo, Marítimo e Fafe. Os aquissantenses começam a disputar esta nova fase já amanhã, às 18h00, quando receberem o S. Bernardo, no Pavilhão de Águas Santas. Quem também começa a disputar a Fase Final, mas da 3ª Divisão, é o Santana, que, juntamente com Paço de Arcos, Albicastrense, Académico de Viseu, Vitória de Setúbal e Callidas Clube, tenta chegar à 2ª Divisão. Os maiatos jogam amanhã, às 17h00, no Pavilhão Jesus Correia, em Lisboa, frente ao Paço de Arcos.

A Académica da MaiaISMAI continua a fazer um campeonato tranquilo na Fase de Apuramento da 2ª Divisão-Zona Norte. No passado fim-de-semana, os comandados de Paulo Sá e Mário Santos receberam o Académico no Municipal de Gueifães e venceram por 32-29. Com mais esta vitória, os maiatos subiram à liderança da classificação com 31 pontos, mais que o Académico. Na próxima jornada, que se realiza amanhã, Às 20h30, os maiatos visitam o Pavilhão da Lavandeira para defrontar o Feirense. André Cordeiro

Mau início pode comprometer objectivos O Santa Joana não está a fazer um bom arranque na Fase Final do Campeonato Nacional de Seniores Femininos em Andebol. Em três jogos as maiatas averbaram três derrotas, comprometendo o objectivo de chegar aos quatro primeiros lugares. As comandadas de Daniela Monteiro tiveram uma dupla jornada pouco feliz. No sábado receberam o Colégio de Gaia no Municipal de S. Pedro

Fins. Apesar do grande equilíbrio verificado entre as duas formações nortenhas, foram as gaienses a levar a melhor no final por 34-35. No domingo, também em S. Pedro Fins, as comandadas de Daniela Monteiro receberam o Madeira SAD e não forma mais felizes. As madeirenses mostraram-se superiores e acabaram por ganhar por 24-39. As maiatas caíram assim

para o sétimo e penúltimo lugar com apenas três pontos, tal como o último, Alavarium. Na frente segue um trio composto por Colégio João Barros, Madeira SAD e Gil Eanes. O Santa Joana só volta a jogar depois da Páscoa, mais concretamente dia 10 de Abril, às 15h30, em Aveiro frente ao Alavarium. André Cordeiro


PRIMEIRA Mテグ | Sexta-Feira 26-03-2010

23

Modalidades


DIRECTOR: JOSÉ FREITAS

Sexta-Feira 26 de Março de 2010

SEMANÁRIO DA MAIA

www.primeiramao.pt geral@primeiramao.pt

Primavera do Teatro até domingo A quarta edição da Primavera do Teatro chega ao fim, este fim-de-semana. A iniciativa, promovida pela Câmara Municipal da Maia, teve início na terça-feira. O objectivo é assinalar o Dia Mundial do Teatro, que se comemora a 27 de Março. Contempla um conjunto de actividades relacionadas com as artes performativas, com especial destaque para a segunda edição da Mos-

tra de Teatro de Amadores – “Maia ao Palco” – que este ano conta com a participação de oito associações maiatas, mais duas do que na edição do ano passado. Designadamente, Sancti Martini – Associação JB; Escola Dramática e Musical de Milheirós; Pé no Charco Teatro Oficina; O Fantocheiro; Grupo Regional de Moreira da Maia; Instituto Cultural da Maia; Associação Cultural e Recreativa “Os

Fontineiros da Maia”; Grupo Dramático e Recreativo Flor de Pedrouços. Houve ainda espaço para as oficinas de expressão dramática dirigidas aos jovens e séniores, e para uma sessão de cinema – foi exibido, quarta-feira, o filme “Os Três da Vida Airada”- na Biblioteca Municipal Dr. José Vieira de Carvalho. A Primavera do Teatro pretende, tal como o Festival Internacional de Teatro Cómico

da Maia, a Oficina de Teatro e a programação teatral do Auditório da Quinta da Caverneira, “contribuir para a oferta cultural de qualidade no município, no domínio das artes de palco, privilegiando a formação e a sensibilização dos públicos jovens e séniores”, refere a autarquia, em comunicado. Hoje, amanhã e domingo, sobem ao palco do cinema Venepor, mais seis peças de

ANO VII

N.º 496

teatro. Esta noite, pelas 21h30, o Pé no Charco Teatro Oficina apresenta “Memoria Post Mortem”. No sábado, pelas 16h00, sobe ao palco o “Festival Otite” pelo grupo de teatro O Fantocheiro. Duas horas mais tarde, o Cem ensaios do Grupo Regional de Moreira da Maia apresenta a “Face Oculta”. Para o último dia da Primavera do Teatro estão programados três espectáculos.

O primeiro está marcado para as 16h00, com “Artimanhas de Scapino” do Instituto Cultural da Maia. Às 18h00, sobe ao palco “Entre Coisas” da Associação Cultural e Recreativa “Os Fontineiros da Maia”. A fechar, às 21h30 chegam “Os Cromos da Rádio Flor de Pedrouços” do Grupo Dramático e Recreativo Flor de Pedrouços.

Deve dizer-se em abono da verdade que o Professor Pedro Sousa, quer pelo seu enorme talento e competência musical, como pelo exemplo da sua estatura ética e moral, é a meu ver, digno do reconhecimento da comunidade, pelo seu precioso trabalho, cujos benefícios não podem ser avaliados a curto prazo, mas que certamente deixarão marcas indeléveis, na formação da personalidade cívica, daquelas raparigas e rapazes que verão nele, com toda a certeza, um modelo de artista e de pessoa, firme nos valores, afável, fino no trato e sereno na acção, como ficou comprovado naquele concerto, onde ele estabeleceu, com toda a facilidade, uma comunicação espontânea com o público, conseguindo uma empatia de tal modo intensa que se reflectiu nos rostos de satisfação e alegria dos jovens artistas. Relativizando tudo o que tem de ser relativizado, resta-

me afirmar que foi um concerto único, irrepetível e memorável, características intrínsecas aos acontecimentos artísticomusicais marcados pela efemeridade. Cada vez mais, o investimento que a Câmara Municipal da Maia faz na Cultura, com particular incidência na formação artística, dá frutos consistentes e de apreciável qualidade, dando passos seguros na consolidação de estruturas de produção própria, numa área em que se abrem algumas perspectivas de futuro, com o anúncio, para o norte de Portugal, do “cluster” das indústrias criativas, na qual se inserem as artes de palco e a produção de conteúdos, domínios em que, a pouco e pouco, a Maia vai afirmando a sua capacidade de conceber e executar bens de fruição intelectual, para consumo interno e externo.

FA

Notas Soltas Em Harmonia Plena Promovido pelo Coral Notas Soltas, do Conservatório de Música da Maia, reuniramse num harmonioso concerto, no passado sábado, dia 20 de Março, na Igreja Nossa Senhora da Maia, cerca de cem jovens artistas, irmanados por um sentimento comum, o seu amor à Música. O coro de câmara da Academia de Música Fernandes Fão, de Vila Praia de Âncora, o coro de câmara da Academia Arteduca, de Famalicão e o co-

ral Notas Soltas, juntaram-se, para partilhar uma experiência, por certo, muito gratificante, para todos os jovens que naquele templo, cujas condições acústicas são magníficas para a prática da Música Coral acapella, presentearam o muito público ali presente, com um concerto único e memorável. O programa incluiu obras de J. S. Bach, G. P. Haendel, Marc Antoine Charpentier, J. Haydn, W. A. Mozart, A. Bruckner, G. Fauré, Josquin Dez Prez, Fran-

cisco Lacerda, F. Lopes Graça e alguns compositores de carácter mais ligeiro. A frescura e juvenilidade das vozes dos talentosos artistas, cantores e instrumentistas, foram a matéria-prima de uma obra acabada e contemplada por um público muito afectuoso que não regateou o seu aplauso, dispensando calorosas e vibrantes ovações, em sinal da sua satisfação e reconhecimento. O Maestro e Professor Pe-

dro Sousa que dirigiu cada um dos corais em separado, juntando-os no final, num grande coral, cuja massa vocal impressionou, teve palavras de grande sabedoria, ao enaltecer o sentido de responsabilidade, de entrega ao trabalho artístico e de renovado entusiasmo, com que todos aqueles jovens se empenham, generosa e abnegadamente, numa actividade que exige espírito de sacrifício, muita disciplina e respeito mútuo. As palavras do Maestro estenderam-se também aos pais dos alunos, aos colegas docentes, às Direcções dos estabelecimentos de ensino e à Câmara Municipal da Maia, num agradecimento sincero, por todo o apoio recebido, destacando especialmente a colaboração das suas colegas, as sopranos e professoras de Canto, Ana Barros e Sílvia Pinto que tiveram interpretações solísticas, em algumas obras, merecedoras de estrondosos aplausos.

Victor Dias

Primeira Mão 496  

Edição de Primeira Mão de 26 de Março de 2010

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you