__MAIN_TEXT__
feature-image

Page 1

ANO 42 – AGOSTO 2013 - Nº 764


Jorev Luterano - Agosto - 2013

2

Editorial

Ide, fazei discípulos

C

ontinuando a sua ‘visita’ aos Sínodos da IECLB, promovendo uma espécie de intercâmbio de ações e experiências, nesta edição o Jorev Luterano destaca o Sínodo Mato Grosso, o sétimo da lista, que vai ilustrar as Editorias Sustentabilidade, Comunicação, Formação (eixos transversais do Plano de Ação Missionária da IECLB - PAMI), Tema do Ano e Vai e Vem (Campanhas nacionais para a unidade e de ofertas para a missão, respectivamente). A intenção do Jorev é mostrar um pouco do que o Sínodo fez, faz e pretende fazer nas áreas relacionadas ao PAMI, bem como a forma de trabalhar as Campanhas Tema do Ano e Vai e Vem, com o objetivo de compartilhar informações e testemunhos que serão fonte de inspiração para todas as pessoas interessadas no cumprimento da missão da IECLB no Brasil e no mundo. Na Editoria Atualidade, saiba mais sobre os 125 anos da comunicação jornalística impressa na IECLB, cujo início remonta aos periódicos

regionais, que, em 1971, somaram as suas tiragens em um jornal nacional: o Jornal Evangélico, o que faz dele um dos mais antigos órgãos de comunicação do mundo protestante no país e o mais antigo jornal a publicar em Língua Alemã no Brasil, de forma ininterrupta! Na Editoria Presidência, O Filho do Homem veio para servir é o título da Mensagem da Presidência, de autoria

Nesta edição, o Jorev destaca o Sínodo

do P. Carlos Möller, Pastor 1º VicePresidente da IECLB. Rumo às comemorações dos 500 anos da Reforma Luterana, que serão completados em 2017, o Jorev continua a série especial Lutero - Reforma: 500 anos, iniciada no ano passado. Em 2013, os textos são escritos à luz do sacerdócio geral de todos os crentes. Nesta edição, o Prof. Dr. João Klug apresenta o artigo Vida política em Lutero. A Editoria Fé Luterana, de maneira a estimular a reflexão sobre a confessionalidade luterana e os ensinamentos da Bíblia, traz os textos de dois Ministros Pastores sobre O papel político da comunidade cristã. Na Editoria Geral, leia sobre a caminhada permanente da Educação Cristã Contínua na IECLB. Teologia é para ser compreendida! ganhou destaque na Editoria Comportamento. Der Herr ist mein Hirte é o título da meditação da Editoria Deutsche Seite. Na Editoria Compartilhar, a Comunidade luterana partilha momentos significativos da vida cristã. Boa leitura!

Mato Grosso, que vai ilustrar as Editorias Sustentabilidade, Comunicação, Formação, Tema do Ano e Vai e Vem

Atendimento ao leitor Mariana Mattos Paim Fone: (51) 3284.5400 - Fax: (51) 3284.5419

jorevluterano@jorevluterano.com.br

Este espaço é seu! A sua opinião é fundamental no nosso trabalho. Conhecer as suas preferências, ouvir as suas dicas de pauta, as suas sugestões para o jornal e os seus comentários sobre as matérias é muito importante para que possamos sempre oferecer um Jorev melhor para você. Faça o seu Jorev Luterano. Escreva para nós e participe! Estamos esperando o seu contato!

ANO 42 – AGOSTO 2013 - Nº 764

Capa O Evangelho de Mateus, no capítulo 28, versículo 19, afirma ‘Ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo. Leia matéria especial sobre ‘Teologia para ser compreendida’ na Editoria Comportamento, página 13.

Informação e História É com alegria que me comunico com os responsáveis pelos textos do nosso Jorev Luterano. Há tempos, sou assídua leitora deste jornal, pois, assim, posso estar informada sobre tudo o que acontece na nossa IECLB. Gosto muito dos enfoques históricos, que, aos poucos, estão chegando a respeito dos preparativos e demais aspectos relacionados à comemoração dos 500 anos da Reforma Luterana, protagonizada por Martim Lutero, em 1517, na Alemanha. Peço que deem realmente muita ênfase a este relevante acontecimento, pois Lutero, no seu tempo, soube lutar e mostrar que é possível viver com ‘justiça e fé’. Se for possível publicar fotos dos preparativos dos eventos na Europa, os leitores irão apreciar certamente. Saudações, Helga Schünemann Coordenadora Editorial do Roteiro da Ordem Auxiliadora das Senhoras Evangélicas (OASE)

Pastor Presidente P. Dr. Nestor Friedrich Secretária Geral Diác. Ingrit Vogt Jornalista Letícia Montanet Reg. Prof. 10925

Administrativo Mariana Mattos Paim ISSN 2179-4898 Cartas - Sugestões de pauta - Artigos - Anúncios

Rua Senhor dos Passos, 202/5º - 90.020-180 - Porto Alegre/RS

Fone: (51) 3284.5400 - Fax: (51) 3284.5419 E-mail: jorevluterano@jorevluterano.com.br

Proibida a reprodução parcial ou integral do conteúdo desta edição sem a prévia e formal autorização da Redação do Jorev Luterano.

w w w . l u t e r a n o s . c o m . b r Assinatura anual - 11 edições - R$ 28,00 • Doc bancário

• Cheque cruzado e nominal à IECLB - Jorev Luterano Enviar o cheque via carta registrada para o nosso endereço • Depósito Identificado em nome da IECLB - Jornal Evangélico

Banco Bradesco - Ag. 0491-0 C/C 576.176-0 Banco do Brasil - Ag. 010-8 C/C 153.000-3 Banco Sicredi - Ag. 0116 C/C 8376-3 Escolha o banco da sua preferência e, após efetuar o depósito, envie o comprovante via fax.

Solicite a sua assinatura via Portal Luteranos


Jorev Luterano - Agosto - 2013

Curtas

Arqueologia Bíblica Curso em Israel

Um grupo de estudantes do Programa de Pós-Graduação da Faculdades EST viajará a Israel entre 23 de outubro e 7 de novembro para um curso de Arqueologia Bíblica, o que permitirá estudar in loco a história de lugares como o Monte das Oliveiras, o Jardim do Túmulo, o Muro das Lamentações, a Fortaleza de Massada e o Monte Sião. Para o Professor de Novo Testamento da EST, Ms. Verner Hoefelmann, que prestará assessoria ao grupo, antes de uma experiência turística, essa será uma viagem de estudos que pretende despertar nos estudantes uma nova sensibilidade para a leitura e a interpretação dos textos bíblicos. Todas as visitas, que incluem ainda o Monte do Templo, a Cidade de David, o Parque Arqueológico Ofel, o Monte Carmelo e as cidades de Cafarnaum, Corazim, Maresa, Beit Guvrin, Asdode, entre outras, serão realizadas a partir de leituras prévias que contextualizam a história e o significado bíblico de cada localidade. Além do Professor Verner, que já teve a oportunidade de viajar a Israel nos anos de 1979 e 1990, o Professor da área bíblica da EST, P. Dr. Flávio Schmitt, também está prestando auxílio na elaboração e distribuição dos materiais que irão fundamentar, histórica e sociologicamente, a viagem de estudos. Para o estudante do Mestrado Profissional em Bíblia da EST e um dos organizadores da viagem, Tiago Estudantes refletem sobre o sentido do Ministério Samuel, o curso em Israel permitirá uma releitura dos textos bíblicos fundamentada na vivência e no estudo arqueológico de lugares que até então existem somente na imaginação. “Ao contrário das viagens turísticas de peregrinação a Israel, nós chegaremos aos locais descritos nos textos bíblicos com um olhar mais claro sobre a sua história e arqueologia”, destacou Tiago. Ainda incompleto, o grupo está aceitando a adesão de pessoas não vinculadas à EST e que queiram participar do curso de arqueologia bíblica. Interessados em acompanhar o grupo podem entrar em contato com o estudante Tiago Samuel (tiagosamuel@hotmail.com - 61 8101.5344 e 61 8192.5282). O pacote inclui passagem aérea ida e volta saindo de São Paulo, 13 noites em hotéis com café da manhã e jantar, 12 dias de tour com guia em ônibus de luxo e traslados, entrada nos pontos turísticos conforme itinerário, maleteiros nos hotéis e seguro saúde.

Motivando vocações Segundo a compreensão luterana, a comunidade cristã é constituída pelas pessoas que creem e são batizadas. O Batismo é a ordenação ao sacerdócio geral de todas as pessoas crentes. Isto significa que a Comunidade inteira é responsável por aquilo que faz a Igreja ser Igreja: o anúncio do Evangelho e a administração dos Sacramentos. Para desincumbir-se corretamente deste Ministério, ela está em constante processo de amadurecimento na fé e de uma sólida formação teológica. Esta é a comunidade viva, em que cada pessoa assume o Ser, o Participar e o Testemunhar. Para o seio desta comunidade é que Deus vocaciona pessoas (Isaías 43.1). O Tema do Ano 2013 tem um grande potencial para motivar as Comunidades a redescobrirem a importância vital desta vocação: eu vivo comunidade e desejo que muitas outras pessoas possam ter a mesma experiência maravilhosa, que dá tanto sentido à vida. A comunidade viva sabe da importância desta vocação e se empenha por ela. Além do sacerdócio geral, há na Igreja o Ministério Ordenado. Na compreensão luterana, Deus chama pessoas do meio da Comunidade e as ordena a assumirem o Ministério público do correto anúncio do Evangelho e da correta administração dos Sacramentos, ou seja, a Comunidade necessita deste serviço de pessoas ordenadas para continuar o seu processo de amadurecimento na fé e de formação teológica sólida. O Tema do Ano 2013 tem o grande potencial de ajudar as Comunidades a redescobrirem a importância vital também desta vocação, pois, ao Ser, ao Participar e ao Testemunhar, elas próprias estarão despertando novas vocações para o bem da Igreja. A comunidade viva sabe da importância desta vocação e se empenha por ela. P. Dr. Rodolfo Gaede Neto Faculdades EST São Leopoldo/RS

OFERTAS NACIONAIS 11 de agosto 12º Domingo após Pentecostes Fundo de apoio a projetos de movimentos e pastorais vinculados à IECLB A nossa Igreja tem sido abençoada por várias e diferenciadas iniciativas de movimentos e pastorais. Membros da IECLB, apoiados e acompanhados por Ministros e Ministras, têm se organizado em diferentes grupos de ação pastoral e movimentos para zelar por causas e convicções inspiradas no Evangelho de Jesus Cristo e que contemplam diferentes facetas da vida cristã nos variados contextos no mundo em que vivemos. Tais grupos de ação pastoral apoiam projetos específicos voltados para diferentes necessidades, como Educação Cristã Contínua, publicações, Seminários e Cursos voltados para temas vinculados à cidadania. 25 de agosto 14º Domingo após Pentecostes Trabalho junto às Pessoas com Deficiência O trabalho junto às pessoas com deficiência na IECLB visa a proporcionar aos Sínodos a oportunidade de realizar Seminários, Cursos, Oficinas sobre o tema ‘Inclusão e Deficiência’. Além da Formação, as ofertas auxiliam na elaboração de variados materiais, como o subsídio para a Semana Nacional da Pessoa com Deficiência, que têm sido publicado e divulgado em diversos formatos acessíveis. Um mundo mais justo e inclusivo, no qual as diferenças sejam respeitadas e todos e todas consigam conviver em harmonia será um mundo melhor para as pessoas com e sem deficiência, pois ali será possível viver em comunhão e solidariedade.

INDICADORES FINANCEIROS UPM Julho/2013

3,1770

Índice Junho/2013

0,46%

Acumulado do ano

4,97%

3


Jorev Luterano - Agosto - 2013

4

Atualidade

Jornal Evangélico Luterano P. DR. ONEIDE BOBSIN Reitor da Faculdades EST

Igrejas, casas e ruas e a graça libertadora

Por muito tempo, o mês de junho será lembrado pelas manifestações da juventude nas ruas das nossas cidades. Políticos e Governantes de todos os partidos tentarão buscar caminhos para as bandeiras levantadas pela juventude, que muitos julgavam estar desinteressada, apática. Alguns tentarão minimizar o significado dos movimentos, os enquadrando em velhas estruturas que não respondem aos problemas que se arrastam sem solução. Outros darão ouvidos aos clamores da rua, buscando transformar a realidade. Estes últimos, talvez poucos, escutam as vozes das ruas. Durante as manifestações, me perguntei por que os jovens não se manifestaram contra a comercialização da fé, tão presente nos novos templos e em programas de televisão? A corrupção não corrói somente a política, mas também Igrejas e religiões. Também me perguntei qual seria a reação das gerações mais maduras caso os jovens se levantassem com a reivindicação de mais espaços nas nossas Comunidades? Nestes assuntos sociais e políticos de transformação, lamentavelmente, as Igrejas sempre chegam mais tarde, mas nem sempre foi assim. Somos herdeiros do movimento da Reforma, liderado por Martim Lutero e outros reformadores. A sua mensagem evangélica influenciou a política, a educação e tantos outros setores da vida. As teses reformadoras foram pregadas na porta de uma Igreja, de frente para a rua. A graça ignorou os espaços privados de mosteiros e conventos e foi para as ruas. Neste sentido, a Igreja tem mais a ver com as ruas que com as casas. Não havia Redes Sociais sustentadas por novas tecnologias, mas a Reforma se utilizou da descoberta da imprensa e valeu-se do que havia de mais novo na época para comunicar a mensagem da graça libertadora. Não poderia ser diferente para quem abriu a Bíblia para a língua do povo. Muito antes de Lutero, Paulo já havia provocado tumulto em praça pública, na cidade de Éfeso, cuja economia se valia da religião para explorar o povo. A polêmica se deu em uma Assembleia com disputas, que, em grego, significa Igreja, segundo Atos dos Apóstolos, 19.32. Por fim, uma pergunta - Por que jovens se manifestam em praças e ruas, ignorando as Igrejas? - e uma sugestão - Imagino que as Igrejas precisem abrir os seus ouvidos às vozes das praças e das ruas se quiserem escutar os jovens.

Abrindo os ouvidos para os jovens

Cuidando bem do bem da IECLB

O Jornal Evangélico nas centrais, a série de Luterano, jornal nacioartigos intitulada ‘Cuinal da IECLB, divulga dar bem do bem da a diversidade da riqueIECLB’, nome do plaza presente na IECLB, no de gestão da atual especialmente no que Presidência da IECLB diz respeito às pessoas (2011-2014), em que que se destacam, às iniforam abordados teciativas locais, sinodais mas como História, e nacionais, além das Confessionalidade, questões atuais, sob o Membros, Lideranenfoque da confessioças, Ministério, Fornalidade luterana. mação e Missão. Em função desta daEm clima de conta especial na IECLB, tagem regressiva, o 125 de comunicação Jorev levou aos seus jornalística impressa, leitores a série Lutero da qual o Jorev tamReforma: 500 anos com bém faz parte, fizemos tópicos analisados à uma retrospectiva dos luz da Reforma, para anos mais recentes e iniciar a comemoradas importantes ações ção do Jubileu da Repromovidas no e pelo forma (1517-2017). Home do Jorev no Portal Luteranos Jorev no período. Em 2013, continuDe 2007 a 2012, o Jorev dedicou as Edito- ando a sua ‘visita’ aos Sínodos, substituímos rias Ministério, Presbitério, Mulheres e Gente Lu- as citadas Editorias por Sustentabilidade, Coterana a um Sínodo a cada edição, de maneira municação, Formação (eixos transversais do Plaa fornecer um panorama dos Sínodos a partir no de Ação Missionária da IECLB - PAMI), Tema do de diferentes frentes de trabalho, promoven- Ano e Vai e Vem (Campanhas nacionais para do uma visão integradora da IECLB. a unidade e de ofertas para a missão, respecO ano de 2009 trouxe com ele uma come- tivamente), para mostrar um pouco do que o moração muito importante: os 60 anos da IECLB. Sínodo fez, faz e pretende fazer nestas áreas. Como homenagem, o Jorev, nas edições de Com o lançamento do novo Portal nacio2009 e 2010, destacou fatos, pessoas e aspectos nal da Igreja, em outubro de 2011, as versões anteriores e posteriores à formação da Federa- eletrônicas do Jorev passaram a integrar o ção Sinodal, depois denominada Igreja Evan- Portal Luteranos, buscando reforçar o caráter gélica de Confissão Luterana no Brasil. Nas institucional deste veículo de comunicação no suas páginas centrais, o Jorev enfocou, sob o mundo virtual, divulgando a forma da IECLB nome Missão de Deus - Nossa Paixão, o Plano de ser Igreja a um número maior de leitores. de Ação Missionária da IECLB (PAMI), com Ano a ano, mês a mês, o Jorev busca se reênfase no Planejamento Estratégico na Igreja. novar e se fortalecer ainda mais como um reNo ano de 2010, o Jorev tratou de cuidar da curso fundamental da IECLB a serviço da sua Criação de Deus com uma série de contribui- missão de propagar o Evangelho, estimular a ções qualificadas de Ministros e lideranças da vivência evangélica, promover a paz, a justiça Igreja envolvidas com a busca de um mun- e o amor na sociedade e participar do testedo melhor para vivermos. Ainda em 2010, o munho do Evangelho no País e no mundo. Jorev iniciou uma nova etapa. Com um projeO que é viver, se não ter um coração que pulsa to gráfico moderno e com páginas totalmen- por uma causa, um objetivo, um sonho? Como veíte coloridas, de modo a tornar a leitura mais culo de comunicação de uma Igreja viva e que leve e envolvente, o Jorev buscou se fortale- vive comunidade, o Jorev também tem este cocer ainda mais como um recurso fundamen- ração que pulsa. Na verdade, vários corações tal da Igreja a serviço da missão de Deus. pulsando nas suas páginas, que apresentam Em termos editoriais, regularmente o causas e objetivos de luteranos e luteranas, Jorev abre espaço para as atividades que en- no Brasil e no mundo, apaixonados pela sua volvem a Ação Comunitária, a Juventude Igreja, ativos na fé e no testemunho, fazenEvangélica, a Educação Cristã Contínua e as do desta uma Igreja que tem esperança e que Campanhas Tema do Ano e Vai e Vem. As pá- luta para que sonhos se tornem realidade! ginas em Alemão oferecem qualificados texAgradecemos pela sua valiosa companhia tos de autores diversos para os leitores e as nesta caminhada! leitoras, que sempre pedem mais conteúdo! Letícia Montanet Em 2011, o Jorev destacou, nas suas págiJornalista Responsável pelo Jorev


Jorev Luterano - Agosto - 2013

Presidência

O Filho do Homem veio para servir

F

oi o que Jesus disse aos seus discípulos, após a mulher de Zebedeu ter pedido d’Ele para que os seus filhos, Tiago e João, se assentassem à sua direita e à sua esquerda. Ainda acrescentou: Não é assim entre vós, grande é a pessoa que serve! O capítulo 20 do Evangelista Mateus direciona os seus ouvintes para Deus como o bom patrão e para uma proposta de vida igualitária, a partir dos mais fracos. No diálogo com os discípulos, Jesus coloca uma nova lógica de vida e de valores: servir ao contrário de servirse. Portanto, há, no convívio comunitário, comunidade de Jesus, que evita o que ocorre na sociedade, abuso de poder e mania de grandeza, e que nela deve ser combatido. As recentes manifestações populares assim o testificam. Quem sabe até mesmo em nós isso

desperte certa inconformidade: Deus olha para a necessidade das pessoas e não para privilégios. É bom lembrar que a palavra servir, literalmente, significa caminhar no meio do pó, isto é, fazer o serviço mais simples, pouco valorizado. Todavia, como os demais, serviço digno e valorizado. Dura realidade a atual, na qual assistimos a um verdadeiro ‘servir-se’ em vez de servir, cujo início ocorre já na confusão entre profissão (que a gente escolhe – melhor aquela que possibilite ganhar mais e trabalhar pouco...) e vocação (que a gente sofre e diz: Eis-me aqui, envia-me a mim - Is 6.8). Viver comunidade leva em conta o Deus que volta-se para baixo, para a terra, para o mundo e que, na pessoa e obra de Jesus, apresenta-se como Diácono que nos serve na Palavra e nos

Agosto 2-3/8 Reunião do Conselho da Igreja São Leopoldo/RS P. Nestor Friedrich P. Carlos Möller Pa. Silvia Genz 11/8 Centenário da Paróquia Cristo Redentor Curitiba/PR P. Nestor Friedrich

Logo de manhã quero te buscar, tua voz ouvir, teu amor sentir. [...] Em teus braços eu descanso, meu Senhor Jesus. Os hinos 478 (Logo de manhã) e 283 (O dia passou, louvai a Deus) abriram os trabalhos na Reunião da Presidência e dos Pastores Sinodais com a participação da Secretaria Geral da IECLB, realizada no Lar Vila Elsa, em São Bento do Sul/SC, de 12 a 15 de março. Eu testemunho! Eu oferto! Esta é a chamada motivacional da Campanha Nacional de Ofertas para a Missão Vai e Vem 2013. “A arte para a Vai e Vem 2013 busca mostrar que a oferta é uma forma de testemunho, que oferta é diaconia”, explicou o P. Mauro Schwalm, Secretário de Missão. Tema do Ano 2014, Portal Luteranos, Jubileu da Reforma, Acompanhamento a Estudantes, Seminários do PPHM, Convenção Nacional de Ministros e Ministras (que será realizada em Curitiba/PR, nos dias 15 a 17 de outubro de 2013, sob o tema Entre alegria e sofrimento: espiritualidade e ética no Ministério na IECLB), estiveram entre os assuntos da pauta. O encontro também foi oportunidade para uma visitação conjunta à Faculdade Luterana de Teologia (FLT), onde o grupo foi recebido pelo seu Diretor Geral, Prof. Dr. Claus Schwambach.

P. CARLOS MÖLLER Pastor 1º Vice-Presidente da IECLB

Os manifestos pelo Brasil A verdade vos libertará

Presidência e

Pastores Sinodais

Sacramentos. Isso coloca na pauta do nosso ser IECLB a pluralidade teológica na diversidade eclesial, Comunidades pequenas e grandes inseridas na realidade, no Norte e no Sul, no Leste e no Oeste, todas a aprender e a praticar: entre vocês é diferente! Essa cena da vida de Jesus, ao lado de ser muito familiar, faz lembrar o sugestivo título de um livro: Cara de Pai, da Telma Andrade, que fala sobre os diversos tipos de pai. Pai, também em sentido teológico, tem uma função para um tempo determinado. Isso fica claro no pensamento segundo o qual Jesus concede emancipação (Ef 4.13, Gál 4.1.3 e 2Cor 3.17). Pai, de cara cristã, ajuda, educa, conta os feitos maravilhosos de Deus aos filhos, celebrando com eles a dádiva maior: a vida, recebida do Deus Criador.

......

Servir-se ou servir

15/8 Reunião das Igrejas Históricas Barueri/SP P. Nestor Friedrich 17/8 Assembleia do Sínodo Centro-Campanha-Sul Venâncio Aires/RS P. Nestor Friedrich Assembleia do Sínodo Rio dos Sinos São Leopoldo/RS P. Carlos Möller 17-18/8 Assembleia do Sínodo Rio Paraná São Jorge do Oeste/PR Pa. Silvia Genz 20/8 Comissão de Diálogo Bilateral IECLB/ICAR Porto Alegre/RS P. Nestor Friedrich 20-22/8 Reunião Fe-ACT Brasil São Paulo/SP P. Romeu Martini 22-27/8 Instalação do Bispo Gerhard Ulrich (Nordkirche) Schwerin/Alemanha P. Nestor Friedrich

Ética, justiça, verdade, respeito, transparência e diálogo são valores inerentes à democracia. São igualmente valores que pautam a vida e a missão confiada por Deus à IECLB e a todo o povo de Deus. Por vivermos em um Estado democrático e por sermos um país em que os valores do Reino de Deus são parâmetros, deveria ser óbvio que a observância da verdade e a busca obstinada da justiça com vistas ao fortalecimento de relações de paz fossem parte do nosso cotidiano. Infelizmente, os fatos não confirmam o que parece ser. É isso que está como pano de fundo do cenário com o qual estamos convivendo nas últimas semanas, manifesta a Carta Pastoral assinada pelo Pastor Presidente da IECLB, P. Dr. Nestor Friedrich. O documento sobre os protestos nas ruas do Brasil alerta que as vozes da inconformidade devem ser ouvidas com atenção e respeito. No entanto, atos de violência e vandalismo devem ser repudiados. O foco é que mudanças precisam acontecer, começando em casa, onde podemos dialogar temas políticos em família, atentos ao que os políticos fazem depois de eleitos. ‘Ser, Participar, Testemunhar’ com base na justiça e na verdade, sempre, em todos os momentos e lugares, em resposta e fidelidade ao amor de Deus por nós, é parte da nossa contribuição, destaca a Carta.

VI Assembleia Geral do CLAI De 20 a 26 de maio, a capital de Cuba, Havana, recebeu a VI Assembleia do Conselho LatinoAmericano de Igrejas (CLAI), realizada sob o tema Afirmando um ecumenismo de gestos concretos e presidida pelo Bispo Anglicano Dom Julio Murray. No encontro, que reuniu denominações de 20 países e cerca de 300 Delegados, participaram como Delegados da IECLB: P. Carlos Möller, Pastor 1º Vice-Presidente da IECLB e Pastor Sinodal do Sínodo Brasil Central, P. João Willig, Pastor Sinodal do Sínodo Planalto Rio-Grandense, Pa. Dra. Rosane Pletsch, Ministra no Sínodo Espírito Santo a Belém, e Katilene Willms, Representante Jovem, membro no Sínodo Vale do Itajaí. O Secretário Geral do CLAI, P. Nilton Giese, Ministro da IECLB, reside em Quito, no Equador, Sede Administrativa do Conselho.

5


Jorev Luterano - Agosto - 2013

6

Sustentabilidade

Mais de 80% das Paróquias do Sínodo Mato Grosso já são autossustentáveis!

Ano após ano, percebem-se maior compromisso e disposição das lideranças em assumir a missão de Deus

C

om o início da colonização no Centro-Oeste do país, inicia-se também a história da IECLB. Com a vinda dos primeiros colonizadores, formaramse as primeiras Comunidades. Essas receberam auxílio para que pudessem manter as atividades básicas. Já na origem, havia o desafio pela Sustentabilidade. Muitos projetos missionários foram encampados neste canto do Brasil por irmãos e irmãs na fé de outras regiões do Brasil e também do exterior. Até hoje, algumas Paróquias ainda necessitam de auxílio, permitindo que também nas Comunidades mais distantes ou onde as dificuldades são maiores a Boa Nova da salvação em Jesus Cristo seja anunciada, vivida e testemunhada. Assim, a missão de Deus tem continuidade. É motivo de gratidão a Deus que hoje mais de 80% das Paróquias do Sínodo Mato Grosso já sejam autos-

sustentáveis. Algumas delas ainda auxiliam projetos missionários do Sínodo, bem como Paróquias em maior dificuldade. Nestas situações, o próprio Sínodo tem auxiliado por meio do repasse de recursos da Campanha Nacional de Ofertas Vai e Vem, recursos esses que efetivamente vêm das Comunidades. Um ponto que vale destacar na caminhada do Sínodo Mato Grosso no tocante à Sustentabilidade é o investimento no Projeto da Capelania Hospitalar, em Cuiabá/MT. Este Projeto é mantido, em compromisso conjunto, pelas Paróquias, IECLB, parceiros e doadores. Com esta união de forças, os doentes em tratamento ou internados em hospitais de Cuiabá, especialmente no Hospital do Câncer, têm o acompanhamento de um Capelão, o P. Deolindo Feltz. O projeto já está no seu terceiro ano de funcionamento e tem amparado muitas pessoas em

Luterprev Responde

ajudando a planejar o seu futuro Como funciona o plano de aposentadoria com renda imediata? É um plano de previdência privada, mas a aposentadoria é feita em seguida à contratação. Para que seja possível, é necessário que o cliente faça um aporte único inicial de valor condizente com a sua idade e a renda pretendida. É uma alternativa para quem tem um determinado patrimônio e quer transformálo em renda vitalícia de início imediato. Um bom exemplo é uma pessoa que conte com a renda do aluguel de um ou mais imóveis para encorpar os seus ganhos, de trabalho ou de aposentadoria. Com o tempo, a deterioração do imóvel e a exigência de acompanhamento pessoal e manutenção constante tendem a crescer, trazendo incomodações e gastos. Vendê-lo e aplicar o dinheiro em um plano de aposentadoria com aporte único e

renda imediata pode garantir uma soma mensal nos mesmos moldes da anteriormente recebida com o aluguel, mas vitalícia e livre de transtornos. Qual é o valor mínimo para o aporte e em quanto tempo se passa a receber a aposentadoria? O volume do aporte e a idade vão determinar o valor da aposentadoria, mas não há mínimo nem máximo a ser aplicado. A aposentadoria pode passar a ser recebida já no mês seguinte à contratação, 30 dias após contratado o plano. O benefício pode ser legado aos herdeiros, no caso de morte? Sim, desde que a escolha da renda seja por uma modalidade que preveja a reversibilidade do benefício para o cônjuge e/ou para os filhos.

“Entre os assuntos do Conselho Sinodal, está o tema Fé, Gratidão e Compromisso”, afirmaram Ronald Schwebel e Paulo Ricardo Kirsch, respectivamente Vice-Presidente e Tesoureiro da Diretoria do Conselho Sinodal

situações de fragilidade. Outro belo exemplo no desafio pela Sustentabilidade é o Projeto Missionário de Santarém, mantido com recursos da Oferta Nacional para o Sínodo Mato Grosso, recursos locais e apoio do Sínodo Centro-Sul Catarinense. O Projeto Missionário de Santarém assume gradativamente um percentual maior no seu orçamento. O Plano Missionário do Sínodo tem como um dos seus pilares a Formação de Presbíteros, para que os mesmos possam exercer as suas funções dentro das Paróquias e das Comunidades. Neste sentido, o Guia para o Presbitério tem se mostrado ferramenta importante. Entre os assuntos tratados nas reuniões do Conselho Sinodal, está o tema Fé, Gratidão e Compromisso. A participação de Tesoureiros e Presidentes de Paróquias nas reuniões do Conselho e Assembleia Sinodal, respectivamente, tem servido de ponto de partida para o aumento da consciência sobre a fidelidade no repasse do dízimo. Ano após ano, percebem-se maior compromisso e disposição das lideranças em assumir a missão de Deus. Servi uns aos outros conforme o dom que recebeu (tempo, talento, tesouro), como bons despenseiros (Administradores) da multiforme graça de Deus. (1Pedro 4.10). Quando entendemos que tudo neste mundo pertence a Deus e é obra da sua mão, conforme o Salmo 24.1, então compreendemos que apenas somos designados para administrar a obra de Deus neste mundo e podemos fazê-lo em gratidão!

Notícias Previdência no e-commerce O e-commerce cresceu 3.536% nos últimos 15 anos, com cerca de 40 milhões de consumidores on line no Brasil em 2012, o que representa mais de 20% da população. Estes números entusiasmam a Superintendência de Seguros Privados (Susep) a analisar a possibilidade de passar a oferecer produtos de seguros e previdência privada aberta pela Internet. A venda de planos de aposentadoria e de seguros pelo celular, tablet, etc., vai aproximar esse mer-

cado de um grande público, nem sempre atingido pelos canais convencionais de venda.

|

Linha do Tempo no Facebook e no site da Luterprev Como parte das comemorações de seus 20 anos, a Luterprev está postando fatos marcantes da sua história na sua página no Facebook. No site da instituição, além do post, você encontra o texto completo e fica sabendo o que acontecia no mundo em cada uma daquelas ocasiões. Vale a pena conferir!

Visite o site da Luterprev (www.luterprev.com.br) e faça uma simulação para a sua aposentadoria complementar. No site da Luterprev, você também encontra um link para encaminhar a sua pergunta à coluna. Se preferir, envie diretamente para luterprev@luterprev.com.br, com o assunto Jorev Luterano.


Jorev Luterano - Agosto - 2013

Comunicação

“Deus vem ao nosso encontro para nos comunicar a Boa Nova da salvação em Jesus Cristo”, destacaram os Pastores Valdir Hobus e Paulo Jahnke, respectivamente das Paróquias de Sinop/MT e de Vila Rica/MT

Comunicação: uma das ênfases do Sínodo Mato Grosso

C

omunicação é uma palavra derivada do termo latino communicare, que significa partilhar, participar algo, tornar comum. Por meio da Comunicação, as pessoas partilham diferentes informações entre si, tornando o ato de comunicar uma atividade essencial para a vida em sociedade. O ato de comunicar está presente na vida do ser humano desde os tempos mais remotos, passando pelo desenho rupestre, as constantes inovações comunicacionais características de cada século até chegar aos cibernéticos dias de hoje. Não é diferente na Igreja. Deus se comunica conosco, vem ao nosso encontro para nos comunicar a Boa Nova da salvação em Cristo, por isso o Sínodo Mato Grosso entende que participa dessa tarefa de comunicar, partilhar, tornar comum esta maravilhosa notícia do amor de Deus. Na Assembleia Sinodal de 2011, delineou-se Comunicação como uma das metas do Planejamento Estratégico 2011 a 2014, com o objetivo de aprimorar a Comunicação interna e externa do Sínodo. Assim sendo, uma equipe, formada por pessoas ligadas ou familiarizadas com o meio, tem se proposto a elaborar planos e construir uma rede de Comunicação no Sínodo. Em um primeiro momento, buscou-se conhecer melhor o Portal Luteranos, para, em seguida, incentivar o uso mais ativo e participativo desta bela ferramenta de Comunicação. Para isto, os setores são responsáveis por atualizar a página do Sínodo com notícias, informações e

O Sínodo Mato Grosso buscou conhecer melhor o Portal Luteranos, para, em seguida, incentivar o uso mais ativo e participativo desta bela ferramenta de Comunicação demais materiais. Paralelamente, as Paróquias estão sendo municiadas para criar e atualizar as suas próprias páginas no Portal Luteranos. Um segundo passo foi a elaboração de um Informativo Sinodal impresso. Com este material, o Sínodo pretende alcançar também as famílias que não têm acesso à Internet. Outras formas de Comunicação também são incentivadas, como o zelo pela boa apresentação dos templos, a publicação de informações sobre os horários dos cultos, a participação nos programas nas rádios locais, o uso da criatividade na elaboração de adesivos e banners, além da colocação de placas de identificação nas entradas das cidades. A Assembleia Sinodal de 2013, em que se reuniram representantes de todas as Paróquias do Sínodo, ocupou-se da temática Comunicação, possibilitando avaliar o que já

vem acontecendo, os progressos, as dificuldades e as novas metas. Reconhecemos que muito ainda precisa ser feito, mas destacamos que diversas iniciativas locais estão sendo criadas para fomentar e incrementar a Comunicação nas nossas Comunidades e Paróquias. Vale ainda ressaltar a importância da Campanha de Missão Vai e Vem, que tem mostrado um pouco dos nossos projetos e Comunidades para toda IECLB por meio do Jorev Luterano, de panfletos e do próprio Portal Luteranos, possibilitando visibilidade em âmbito nacional. Que a Comunicação continue sendo um dos assuntos que desperte a paixão dos nossos membros na tarefa de comunicar a Boa Nova do Evangelho da Salvação a todo o mundo, especialmente para os que vivem nessa bela e grande região que compõe o Sínodo Mato Grosso.

7


Agosto - 2013

Lutero - Reforma: 500 anos

Agosto - 2013


Jorev Luterano - Agosto - 2013

10

Formação

Testemunho de fé a partir dos dons que Deus concedeu aos seus filhos e às suas filhas

“No Sínodo Mato Grosso, o objetivo é priorizar a Formação de pessoas, fortalecendo e encorajando a servir com os seus dons”, frisou o P. Nilo Orlando Christmann, Pastor Sinodal do Sínodo Mato Grosso

O

Planejamento Missionário do Sínodo Mato Grosso tem como uma das suas ênfases a Formação. O objetivo é priorizar a Formação de pessoas, fortalecendo-as e encorajando-as a servir com os seus dons. As Comunidades descritas na Bíblia, principalmente pelo apóstolo Paulo, têm como destaque a participação dos membros com os seus dons. Este princípio foi retomado pelo Reformador Martim Lutero e, hoje, está contemplado no Plano de Ação Missionária da IECLB (PAMI). O Sínodo Mato Grosso é constituído por 21 Paróquias, 55 Comunidades e 57 Pontos de Pregação, totalizando 8.300 pessoas, distribuídas em quatro Estados – Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Pará. Historicamente, o Sínodo investe em Formação de lideranças. À medida que as Comunidades foram se constituindo, ficava clara a necessidade de ter pessoas capacitadas para as mais diversas áreas, de Orientadoras de Culto Infantil a líderes capazes de realizar um culto ou um sepultamento. Trata-se de um precioso le-

gado, de pessoas que viajavam horas ou dias para participar de encontros de capacitação. Atualmente, a Formação acontece em vários níveis. Em âmbito sinodal, há espaço para a Formação continuada de Ministros, Ministras e lideranças. A própria Assembleia Sinodal reserva um dia para Formação. Contudo, a motivação maior está na promoção de encontros setoriais (são três setores no Sínodo), interparoquiais e locais. Uma das consequências da pós-modernidade é a dificuldade das pessoas faltarem ao trabalho ou se disporem a ficar fora de casa por vários dias. Neste sentido, os encontros com menos distância alcançam um público maior. O Sínodo Mato Grosso entende que a adesão das Paróquias e das Comunidades ao PAMI é fundamental também para a área da Formação, um dos eixos transversais do PAMI, por isso foi realizado um encontro sinodal para Formação de Assessores em Planejamento. À medida que a Paróquia ou a Comunidade faz o seu Planejamento Estratégico, a capacitação é incluída nas metas, projetando ações e prazos. Desde o início deste ano, várias Comunidades do Sínodo já fizeram o seu Planejamento Estratégico. Uma modalidade de Formação com espaço crescente é a Formação a distância, via Internet. Por um lado, ela tem o inconveniente de não oportunizar a comunhão de um encontro presencial. Por outro lado, a Formação à distância permite que pessoas com dificuldade para participar de um encontro que implique deslocamento também sejam qualificadas. Neste sentido, temos feito boas experiências na Formação de Orientadores de Culto Infantil. Este também deve ser o caminho para oferecer Formação continuada a Ministros e Ministras. Com o devido cuidado, nos sentimos motivados a fazer uso dos meios possíveis para que Comunidades, lideranças, Ministros e Ministras estejam capacitados e capacitadas para dar o seu testemunho de fé a partir dos dons que Deus concedeu a cada um dos seus filhos e a cada uma das suas filhas.

Inclusão para todos Em 2013, o Programa Diaconia Inclusão da IECLB completa 21 anos. Muitos anos antes, no entanto, pessoas já colocavam os seus dons a serviço da inclusão da pessoa com deficiência. O primeiro registro de um trabalho para a inclusão da pessoa com deficiência data de 1959. Como forma de marcar os 21 anos de trabalho da Coordenação, o logotipo do Programa Diaconia Inclusão foi estilizado, por isso é importante resgatar a reflexão feita pelo Grupo de Apoio Nacional em 1996, quando da criação do logotipo. A borboleta é a marca do trabalho na área da pessoa com deficiência, porque ela é um símbolo de transformação. Primeiro vem a lagarta, que se encolhe em um casulo e só depois se transforma em borboleta. Para a borboleta sair

do casulo precisa fazer muita força. Acredita-se que é com esta força que ela fortalece as asas para voar. Se al-

guém abrir o casulo para ajudá-la, ela não fará todo o processo e não terá forças para voar. Assim também a pessoa com deficiência passa por um processo de transformação para conviver com a sua deficiência. A pessoa com deficiência, a sua família, os amigos e as amigas precisam descobrir meios de viver neste mundo com pouca acessibilidade. Como no caso da borboleta, a pessoa com deficiência não espera que façamos tudo para e por ela, mas com ela. Além de ser um ano para celebrarmos os 21 anos do Programa Diaconia Inclusão, que 2013 seja também um tempo de reflexão e avaliação. Rogamos a Deus que continue abençoando este trabalho, que quer construir um mundo com acessibilidade e inclusão para todas as pessoas.

Diác. Ms. Carla Vilma Jandrey Coordenadora do Programa Diaconia Inclusão Secretaria da Ação Comunitária Secretaria Geral da IECLB


Jorev Luterano - Agosto - 2013

Fé Luterana 11

A política na cristandade Política cristã: por que participar? Os seres humanos vivem e se relacionam. Ao estabelecerem as bases e as diretrizes da vida e dos relacionamentos, exercem poder. Isso é política. No espaço social, este poder é para elaborar as leis, aplicar a justiça, cuidar da ordem pública, promover a proteção, a paz, o respeito e a boa qualidade de vida, arrecadar impostos e distribui-los em forma de políticas públicas para atender necessidades de todas as pessoas, etc. As pessoas cristãs sempre estão fazendo política, porque elas se relacionam e cuidam da vida individual e coletiva. Ao se relacionarem, estabelecem jeitos, bases, diretrizes, valores para que a vida seja boa, feliz e agradável aos olhos do Senhor, ao coração, à mente, ao corpo e à alma humana. Estão incluídas todas as dimensões humanas, tal como Martim Lutero o explica quando se refere ao Pão Nosso de cada dia, no Catecismo: tudo que se refere ao sustento e às necessidades da vida. Política tem a ver com a vida de tudo e de todos. É importante a política dos municípios, dos Estados e das Nações. A política significa poder de todos para organizar bem a vida em sociedade. Cristãos e cristãs podem participar da política, votando, sendo votados e exercendo bons e justos mandatos. Em uma sociedade democrática, deve ter partidos políticos com os seus projetos de sociedade e de Estado. As eleições existem para que o povo escolha o melhor programa, que não deve ser um

programa de favores, mas de direitos do povo, por isso nos envolvemos em política partidária: queremos o melhor para a nossa cidade, o nosso campo, sem vítimas. A gente só pode melhorar a vida se participar! Caso não queiram concorrer a cargos para Vereador, Prefeito, Governador, etc., pessoas cristãs prestam uma grande contribuição política ao ajudarem no controle social, participando de Conselhos Comunitários, Conselhos de Gestão e se posicionando diante dos desafios. Algumas pessoas até se orgulham em dizer que não querem saber de política. Outras desejam nem lembrar em que candidato votaram na última eleição. Muitas reclamam que a vida está difícil, pois a saúde pública, a educação, as estradas, a segurança e o salário não são dignos dos impostos que pagamos. Se a política está ruim, se tem problemas, então devemos primeiramente olhar e analisar o nosso jeito de sermos cristãos e de fazer política. Será que o problema não está em nós, também, porque não participamos o suficiente e deixamos os outros fazerem política só do jeito deles? Muitas vezes, quando analiso os problemas da política, lembro de Amós, que escreveu Aborrecei o mal, amai o bem e estabelecei na porta a justiça (5.15). Antes, corra o juízo como as águas; e a justiça, como rio que não seca (5.24). Para refletir, leia Êxodo 18.13-27

P. Teobaldo Witter, graduado em Teologia pela Faculdades EST, em São Leopoldo/RS, e em Pedagogia pela IVE, em Cuiabá/MT, Especialista em Psicologia da Educação pela FMT e Mestre em Teologia com ênfase em Práticas Sociais pela EST. Atua na Ouvidoria Geral de Polícia de Mato Grosso e na Faculdades IVE, como Professor de Ética, Filosofia e Políticas de Educação

O papel político da comunidade cristã

P. em. Remy Hofstaetter, graduado em Teologia pela Faculdades EST, em São Leopoldo/RS.

Para a melhor compreensão do tema, lembramos que a palavra política origina-se do termo polis que, na Grécia antiga, significava a cidade-estado. Política expressa, então, tudo o que diz respeito à polis, à cidade. Portanto, toda a atitude das pessoas que vivem em grupo, em sociedade, seja ela pessoal ou coletiva, é atitude política, que não se restringe ao ato de votar, mas envolve a posição frente à organização e à vida na polis, na cidade, desde as situações mais simples do cotidiano às mais complexas, como respeitar leis de trânsito, não jogar lixo na rua... Dizer que não gostamos de política é transferir a responsabilidade das decisões e das ações para terceiros, é não se envolver. Segundo relatam os evangelistas, as propostas de Jesus são claras: Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações... (Mt 28.19) ...amarás o teu próximo como a ti mesmo (Mt 22.39) ...eu vim para que tenham vida e a tenham em abundância (Jo 10.10). Qual é, então, a atitude do seguidor, do discípulo de Jesus, do cristão? É concretizar as suas proposições, respeitando as diferenças e os diferentes, não importando origem, cor, etnia, gênero, situação social e econômica. É agir para que todos tenham saúde, casa, trabalho, comida, escola, lazer, enfim, tudo o que torna a vida abundante e digna. Cada país, Estado, região e Comunidade ocupa um determinado espaço geográfico, com a sua história peculiar e os seus problemas específicos. Para concretizar a sua ação, a Comunidade, sempre orientada pelo Evangelho, deve conhecer a sua realidade, organizar cuidadosamente cada projeto, além de estabelecer metas e prioridades, pois haverá desdobramentos e consequências naquele espa-

ço, naquele contexto, limites a serem observados e limites a serem ultrapassados. A comunidade cristã mais ampla, ou seja, a Igreja, tem o compromisso de formar lideranças, cientes do seu papel na polis, para orientar as Comunidades locais teologicamente, à luz do Evangelho, na sua reflexão e na sua ação. A formação teológica sólida é, pois, fundamental para a conscientização política do cristão e da Comunidade, contando com o auxílio de vários Ministérios para atender essas exigências. Jesus não foi apenas um teórico. Ele viveu a sua verdade até as últimas consequências, agindo sempre em favor da vida, subvertendo a ordem estabelecida em uma sociedade intransigente, com regras excludentes e discriminatórias. Abalou estruturas de poder que não aceitaram a sua dinâmica, a sua proximidade e convivência com os rejeitados e desconsiderados da época, naquele contexto. Assim, valorizou mulheres (Lc 10.38-42), crianças (Mt 19.13-15), curou enfermos (Mc 1.32-34), devolveu a vida à mulher adúltera (Jo 8.1-11), purificou o templo (Mt 21.12-13). Ser cristão é seguir o exemplo de Jesus, é não cruzar os braços, é agir na polis para que todos tenham vida e vida em abundância. Para refletir, leia Mateus 25.31-46


Jorev Luterano - Agosto - 2013

12

Geral

Educação cristã vivendo, aprendendo e ensinando

Educando e servindo com amor - O Plano de Educação Cristã Contínua da IECLB (PECC) aponta a diaconia - o amor ao próximo - como uma grande aliada da educação cristã. Conforme o PECC, a ação diaconal contribui para a educação cristã e a educação cristã fortalece a ação diaconal. O estudo da Palavra de Deus fundamenta a prática do servir ao próximo e, ao mesmo tempo, as experiências diaconais enriquecem a reflexão em torno da palavra de Deus. A palavra de Deus fortalece e encoraja para ir aos lugares onde estão os mais fracos e marginalizados, lá onde a miséria grita mais alto. Afinal, Deus está lá, preferencialmente, e chama pessoas para ali servir. Esse serviço que brota da palavra de Deus também transforma. Transforma quem serve, quem é servido e as situações que causam sofrimento e injustiça (p.26). Na Igreja, como corpo de Cristo, o amor é reflexo nas celebrações, na Santa Ceia, no Batismo, nos encontros entre irmãos e irmãs, nos retiros, na música, nos grupos, na visitação, no matrimônio e na família. Essa diaconia precisa ser vivenciada, porque, onde

não há amor entre as pessoas, não há comunhão. Sem comunhão, o que aprender? A quem ensinar? A Palavra de Deus fortalece e encoraja para que possamos ir aos lugares onde estão as pessoas marginalizadas e esquecidas. Esse serviço que brota da Palavra de Deus é transformador, por isso educar significa amar e amar significa educar, dar condições para que o sujeito seja autônomo e capaz de ajudar na transformação da injustiça e do sofrimento. Igreja que ensina é Igreja diaconal. Conforme o Plano de Ação Missionária da IECLB (PAMI), é a ação de serviço, a partir da identidade cristã, que se dá

em um contexto de sofrimento e injustiça com a finalidade de transformar, que chamamos diaconia (p.48). É preciso lembrar que também os desdobramentos do amor, por exemplo, o respeito e

Diác. Angela Lenke, integrante do Conselho Sinodal de Missão (Sínodo Espírito Santo a Belém). Atua como Ministra na Paróquia em Vitória/ES

Intercâmbio para a Suécia - 2013 Elisa Pinheiro Schrader Cascavel/PR

a compaixão, são ensinados, ou seja, fazem parte do processo de aprendizagem. No agir de Jesus, o respeito e a compaixão estavam visivelmente presentes. Jesus falava no amor de Deus e traduzia este amor no seu dia a dia por meio de gestos concretos. Era também dessa forma, pelo seu modo de agir, que ele ensinava. Atuando em contexto urbano há algum tempo, sinto que, cada vez mais, precisamos ver as necessidades das pessoas e os seus sofrimentos. Muitas delas, elas vivem no isolamento, sofrem com as suas neuroses e com o ritmo acelerado da vida. A Igreja precisará sempre do toque do amor, que acolhe e valoriza integralmente todas as pessoas.

Missão: privilégio! Envolver-se na caminhada missionária é tarefa cristã que deriva do amor de Deus. É privilégio que brota do Evangelho! A Campanha Nacional de Ofertas para Missão Vai e Vem é um jeito de participar desta caminhada, uma maneira de vivenciar este privilégio. Missão sempre é local e abrangente ao mesmo tempo. Missão é local porque carece de rosto, cor, cheiro, geografia. Ela acontece em lugares específicos. Neste sentido, todo lugar é local de missão. A sua cidade, o seu bairro, a localidade rural onde você vive. É lá que se vai ao encontro das pessoas para testemunhar e celebrar a fé que nos move, em proclamação e na diaconia. Missão é abrangente porque integramos um horizonte, global. Fazemos parte de um corpo que vai além dos limites geográficos dos nossos locais de vivência. Estamos espiritualmente integrados com muitas pessoas em muitos lugares. Esta integração também é concreta, material. A Vai e Vem

possibilita isso, ao motivar para que testemunho e oferta somem as suas forças! Nesse sentido, o Sínodo Vale do Taquari realizou um Seminário sobre Missão, no dia 6 de julho. Neste Seminário, ouvimos depoimentos acerca do envolvimento com o trabalho missionário. Em um dos casos, se falou sobre sensibilidade em situações de sofrimento. No outro, sobre edificação de Comunidade com o apoio da Vai e Vem. Em ambos os depoimentos, foi destacada a importância de ir ao encontro, de promover comunhão. É preciso ‘aproveitar oportunidades’, buscando ser Igreja ‘que faz diferença’ no exercício de: disposição, compromisso, alegria, testemunho e persistência! Continuemos firmes! P. Mauro Schwalm Secretário de Missão Secretaria Geral da IECLB

Parece que foi ontem que estávamos chegando à Suécia, maravilhados com a neve e ansiosos para saber tudo sobre o nosso programa. Tivemos tempos muito divertidos e, também, difíceis, mas tudo nos tornou mais unidos para compartilharmos as nossas experiências. Algo muito interessante que fizemos foi apresentar um projeto sobre Direitos Humanos. Como graduanda do curso de Fisioterapia, escolhi falar sobre Saúde. Pesquisei sobre o sistema de saúde na Suécia, visitei dois hospitais e um asilo, conversei com profissionais dessa área e usuários, para saber a opinião deles, e registrei tudo em fotos. É incrível como esse sistema funciona! As pessoas pagam impostos altos (30% do salário), mas recebem educação, saúde, transporte público, enfim, tudo o que envolve direitos humanos - com qualidade. Crianças recebem tratamento médico e odontológico via sistema de saúde. Hospitais particulares são raros, pois não há necessidade, já que os públicos são excelentes e todas as pessoas recebem o mesmo tratamento. Quando apresentei estas informações aos jovens dos outros países, eles ficaram impressionados. Muitos falaram sobre Educação, pois ela é visivelmente diferente também. Todos estudam em escolas públicas, com direito aos materiais necessários, alimentação e transporte. Quando o aluno chega à Universidade, recebe auxílio do Governo, ou seja, todos têm direito ao ensino de nível superior. Além de tudo o que vivi durante esse tempo tão especial, conhecer pessoas e costumes diferentes (tanto da Suécia quanto dos participantes dos outros países) me fez pensar sobre a importância de respeitarmos as diferenças, pois cada um tem um modo de pensar e de se expressar. Nenhum costume é certo ou errado, mas, sim, diferente e que é isso que faz ser belo e interessante aos nossos olhos.


Jorev Luterano - Agosto - 2013

Comportamento 13

Teologia é para ser compreendida!

P. Marcos Bechert, formado em Teologia pela Faculdades EST, em São Leopoldo/RS, exerceu o Ministério Pastoral nas Paróquias gaúchas de Três Passos, Santa Maria e Estrela. Atualmente, é Pastor Sinodal do Sínodo Vale do Taquari, com sede em Teutônia/RS

A comunicação é a arte falava como quem tem autode trocar informações enridade. Além disso, as suas tre duas partes. A comupalavras vinham acompanicação pode se dar por nhadas da devida prática. gestos, sinais, desenhos, palavras. Parece muito Comunicação direcionasimples, o que não quer da para a edificação de dizer que seja fácil, ainda comunidade mais quando o tema é a A IECLB é Igreja que Teologia. tem a sua base na edifiA IECLB é Igreja oriuncação de Comunidade. da da Reforma. Como tal, Não buscamos reunir tem na Palavra de Deus a multidões. Atesta-o bem sua centralidade. Como claramente o Tema do diz Romanos 10.17: A fé Ano 2013, Ser, Participar, vem pela pregação e a pregaTestemunhar - Eu vivo coção pela Palavra de Cristo, munidade, que tem a sua por isso a comunicação é referência na primeira muito importante. Querecomunidade, descrita por comunicação precisa estar imbuída de autoridade. Lemos que ‘Jesus falava como quem mos comunicar algumas Atem Atos 2.42-27: Perseveravam autoridade’. Além disso, as suas palavras vinham acompanhadas da devida prática certezas: na doutrina dos apóstolos, - temos um mandato, que nos é de Santa Maria/RS, ainda precisava na comunhão, no partir do pão e nas oradado por Jesus: Ide, fazei discípulos de me apresentar ao apertar o interfone ções. Isto está em absoluta contradição todas as nações, ... (Mt 28.18-20); de um apartamento para fazer uma aos ventos que sopram no momento e - temos convicção quanto ao con- visita. Em Estrela/RS, depois de qua- que enaltecem o indivíduo: consumo, teúdo da mensagem: somos salvos pela tro meses, todas as pessoas que eu vi- sucesso e prosperidade – uma receita fé mediante a graça do nosso Senhor Jesus sitava já me conheciam. A comunica- rápida e superficial para a felicidade. Cristo (Romanos 1.17); ção precisa ser contextual. A reflexão Acontece que Deus não criou o ser hu- está claro o público-alvo: ... até os teológica precisa estar relacionada mano para viver sozinho: somos peslugares mais distantes da terra (At 1.8); soas relacionais, quer dizer, pessoas com o que as pessoas estão vivendo. - o nosso objetivo é edificar Comu- Muitas vezes, respondemos per- que se realizam no diálogo e na connidade. guntas que não foram feitas. Preci- vivência, que se complementam, que Tudo parece claro e simples. Onde samos ouvir mais. A comunicação encontram felicidade relacionando-se poderíamos ter problemas? sempre se dá entre duas partes. Não com outros. É a referência que Jesus - Em grande parte da IECLB, dei- há comunicação quando apenas um Cristo nos deixou. xamos a comunicação da Palavra de fala e o outro escuta. Aí é monólogo. Edificar e viver Comunidade são Deus e o ensino da Teologia para es- Criar grupos de estudo é o ideal. Há princípios da IECLB, por isso não sopecialistas: geralmente Ministros e Sínodos que oferecem espaços para o mos Igreja de massa, que distribui o Ministras. O ensino e o testemunho estudo, como o Curso Básico de Teo- Evangelho a granel para consumo pessão tarefas de todos. Especialistas cos- logia. Existem Comunidades que se soal. Somos Igreja de fé relacional, que tumam falar mais difícil. Usar exem- reúnem em grupos durante a semana acolhe pessoas diferentes para consplos, frases curtas e palavras simples para dialogar sobre o texto da prédica. truir comunhão. Quando vamos avaajuda muito. Temos que aproveitar o espaço dos di- liar a nossa comunicação, devemos ter - A verdade bíblica é uma só, mas versos grupos de trabalho para forma- absoluta clareza deste pressuposto. o Evangelho quer falar para a realida- ção e para passar informações acerca É por esta razão que remamos conde das pessoas. Cada pessoa tem uma do todo da Igreja, das suas priorida- tra a maré: procuramos vencer prehistória diferente. O trabalho, o des- des, da Campanha Tema do Ano, da conceitos, buscamos a inclusão, usalocamento, a convivência, as festas, o Campanha Nacional de Ofertas para mos exemplos e linguagem simples, cemitério, a escola – tudo muda de um a Missão Vai e Vem. com referências que sirvam como lugar para outro. Por exemplo: depois - A comunicação precisa estar im- exemplos práticos, buscando a fideliservir por seis anos na Comunidade buída de autoridade. Lemos que Jesus dade ao Senhor, vivendo comunidade.

Boa comunicação de Teologia - a partir de Lucas 24.13-35 - Dois discípulos estão caminhando para Emaús, tristes, depois da morte de Jesus. Iam eles falando entre si de tudo o que havia sucedido. Parece que não podia ser verdade. - De repente, eles têm companhia. Jesus aproximou-se e ia com eles. A estratégia do caminhante é interessante: o que iam conversando pelo caminho? é a pergunta com a qual se dá o espaço para que abram o seu coração. Normalmente, a dor nos isola, faz perder a visão do todo. A pergunta dá espaço para que expressem a sua dor. - O terceiro caminhante ouve, mas também fala. Na sua fala, recupera o sentido dos acontecimentos, com base nas Escrituras. Ele consegue apoiar, confrontar, ensinar e ajuda os dois a olhar os acontecimentos da cruz sob um ângulo diferente. - Lucas diz que quando se aproximaram da aldeia para onde iam, fez ele como que ia para longe. Os dois pedem fica conosco, pois é tarde. Não dá para ter pressa. Palavras preciosas, que acalentam, dão sentido e aquecem a alma precisam ser digeridas com calma.

Comunidade: lugar para compartilhar e celebrar a Boa Nova

- Ele cede, entra na casa e valoriza a comunhão, senta-se à mesa, parte o pão, e janta com eles. Ao abençoar o pão e partilhálo, acontece o milagre: a dureza do coração e a cegueira do fracasso cedem e os olhos se abrem e eles reconhecem a Jesus, o ressuscitado, que desaparece. - Não nos ardia o coração enquanto ele nos falava pelo caminho? Não dá pra ficar só olhando para aquilo que estamos fazendo. A Palavra de Deus nos dá o sentido. É Ele que edifica a sua Igreja. A fé vem pela pregação, a Palavra que nos faz arder o coração. - O texto prossegue: Na mesma hora, levantando-se, voltaram para Jerusalém. Já não é noite nos seus corações. É preciso voltar, reencontrar-se com os 11, pois a comunidade é o lugar certo para compartilhar e celebrar a Boa Nova.


Jorev Luterano - Agosto - 2013

14

Deutsche Seite

Der Herr ist mein Hirte Der Herr ist mein Hirte, mir wird nichts mangeln. Er weidet mich auf einer grünen Aue und führet mich zum frischen Wasser. Er erquicket meine Seele. Er führet mich auf rechter Straße um seines Namens willen. Und ob ich schon wanderte im finstern Tal, fürchte ich kein Unglück; denn du bist bei mir, dein Stecken und Stab trösten mich. Du bereitest vor mir einen Tisch im Angesicht meiner Feinde. Du salbest mein Haupt mit Öl und schenkest mir voll ein. Gutes und Barmherzigkeit werden mir folgen mein Leben lang, und ich werde bleiben im Hause des Herrn immerdar. (Psalm 23) Ich nehme an, dass viele Menschen noch den 23. Psalm auswendig gelernt haben, sei es auf Deutsch oder auf Portugiesisch. Dieser Psalm gehört zu den beliebtesten Worten der Bibel – bis zum heutigen Tag. Und das ist erstaunlich, denn wer kennt noch einen Hirten? Als Kind musste ich jeden Tag die Kühe von einer Weide zur anderen treiben. Besonders wenn sie die Straße überqueren mussten war es wichtig, dass ich dabei war. Auch das hat sich geändert. Der Hirtenberuf ist etwas unmodern – schreibt Pfarrer Norbert Heinritz. Und trotzdem weiß jeder, was ein Hirte ist. Auch Gott ist heutzutage etwas unmodern, und trotzdem weiß jeder, was es bedeutet, im Leben behütet und beschützt zu sein. Gott wird im Psalm 23 mit einem Hirten verglichen. Ein Hirte ist also einer, der gut auf seine Herde aufpasst. Der verteidigt. Der auch mal ein Schaf zurückziehen muss. Pfarrer Heinritz fragt: Warum ist eigentlich dieser Psalm so beliebt bis zum heutigen Tag? Ich glaube, weil in diesem Psalm das ganze Leben steckt. Der grüne, saftige Rasen und das frische Wasser. Da merkt man die Lebensfreude und Lebenslust. Das sind doch die schönen und glücklichen Zeiten im Leben. Das wünscht sich jeder, dass sich sein Leben auf saftig grünen Auen abspielt. Und das finstere Tal. Auch das gibt es in jedem Leben. Die dunklen und die schwierigen Zeiten. Die Wege, die man manchmal gehen muss, auch wenn es schwer ist. Auch dann sind wir behütet. Es steht in diesem Psalm aber nicht: „Verlass dich auf Gott und dann geht es dir immer gut.“ Das ist eine kindliche Vorstellung vom Glauben. Nein: Gutes und Schönes und Ungutes und Schweres trifft Gläubige und Ungläubige. Aber was ist der Unterschied? Der Unterschied ist, dass der, der auf Gott vertraut,

Wir haben einen guten Hirten: Jesus Christus. Er kennt den besten Weg für uns.

Pfarrer Jaime Jung n i e allein ist. Gott geht immer mit ihm. Und mit so einem Vertrauen können wir anders leben. Das Leben ist dann voller Dankbarkeit – schreibt Pfarrer Heinritz. Das will dieser Psalm uns vermitteln: wir dürfen voller Vertrauen, mutig und gelassen auf die Wege in unserem Leben gehen. Vielleicht fühlen wir uns trotzdem einsam. Vielleicht müssen wir mit einer Krankheit oder mit der Trauer rechnen. Aber wir sind nicht allein. Zu spüren und zu merken, dass Gottes Segen uns begleitet, das gibt viel Kraft. Wir können sicher sein: Wir sind nicht allein. Viele andere Brüder und Schwestern im Glauben gehen mit uns. Wir können mit der Zeit lernen, welche Wege gut für uns sind und welche nicht. Wir lernen das, weil wir einen Hirten haben, der den besten Weg für uns kennt. Er kennt die Landschaft, er weiß, was wir brauchen. Der Psalm 23 will uns auch Dankbarkeit lehren. Dankbarkeit heißt, Augen dafür zu haben, was uns alles im Leben geschenkt wird. Grüne Auen, frisches Wasser, geliebte Menschen. Das ist die Grundlage im Leben. Das Glück, die Liebe, der Zusammenhalt, die Freude, Vergebung, die warme Sonne am Morgen und das Singen der Vögel. Haben wir heute schon Danke gesagt? Es sind Dinge, die man sich nicht kaufen kann. Sie werden einfach von Gott geschenkt. Felizitas Muntanjohl erinnert uns dran: Gott ist der gute Hirte, der den Weg für uns weiß und uns auf den schönen und schweren Wegen des Lebens führt. Gott ist der gute Hirte, der uns zur rechten Zeit an den rechten Ort führt. Gott ist der gute Hirte, der uns kennt und liebt. Der merkt, wenn wir uns verlaufen, wenn wir Schmerzen haben. Gott ist unser guter Hirte. Wir müssen uns nicht sorgen, dass wir allein und verlassen sind. Wir müssen keine Angst haben vor schwierigen Wegen. Er weiß ja doch, wohin der Weg führt und was uns guttut. Gott ist unser guter Hirte. Uns wird nichts fehlen, wenn wir mit Ihm unseren Weg gehen. Guter Gott, Wenn ich einsam bin – Ich bin geborgen bei dir. Wenn ich traurig bin – Ich bin geborgen bei dir. Wenn ich an mir zweifle – Ich bin geborgen bei dir. Wenn ich den Mut verliere und nicht weiß, wie es weitergeht – Ich bin geborgen bei dir. Wenn ich Angst habe – Ich bin geborgen bei dir. Guter Gott, ich danke, dass du mich umarmst, mich hältst, was immer auch kommen mag. Amen.


Jorev Luterano - Agosto - 2013

Compartilhar 15 Neste espaço, a Comunidade pode compartilhar os momentos significativos da vida cristã, como Nascimento, Batismo, Confirmação, Bênção Matrimonial, Encontros Familiares, Bodas e Sepultamento.

Entre em contato conosco!

Falecimento Com pesar e saudade, comunicamos o falecimento da nossa mãe, GRETE WREDE Nascida no dia 29 de abril de 1919, em Gutfeld, na Alemanha, Grete migrou para o Brasil em 1925. Em 3 de abril de 1943, se casou com Ernesto Wrede, que, em 24 de julho de 1989, lhe antecedeu na morte. Grete Wrede faleceu no dia 14 de outubro de 2012, com 93 anos de idade, deixando enlutados as filhas Edda, Helena e Vanda, dois genros, quatro netos e oito bisnetos. A família enlutada agrade aos bons vizinhos e amigos, pelo apoio nas horas difíceis, ao Pastor Jorge Dumer, pelas palavras de consolo e a esperança na Palavra de Deus, e a todos que nos acompanharam no sepultamento, no Cemitério Evangélico Luterano da Colônia Riograndense, em Maracaí/SP. Colocamo-nos nas mãos consoladoras de Deus: Seguindo a verdade em amor, cresçamos em tudo naquele que é o cabeça, Cristo. Efésios 4.15

Falecimento Com muito pesar, comunicamos o falecimento de WILHELMINA MARIA EDELTRAUD KNOCH ocorrido no dia 20 de janeiro de 2013, na sua residência, em Campo Grande/MS, causado por complicações cardíacas. Nascida no dia 25 de outubro de 1932, em Wittelshofen, na Alemanha, filha do Pastor Arno Grienhammer e de Margareta Jubitz, Wilhelmina alcançou a idade de 80 anos, 2 meses e 25 dias. Em outubro de 1953, no Rio de Janeiro/RJ, Wilhelmina se casou com o Pastor Johannes Knoch (in memoriam), o qual atuou durante 23 anos em várias Paróquias da IECLB, inclusive na Paróquia de Assis, Comunidade Colônia Riograndense, onde está sepultado. O casal teve quatro filhos e duas filhas (Theodor, Friedrich, Christa Marie, Reinhard, Arno e Margarete). Wilhelmina deixou enlutados os filhos, as filhas, um genro, três noras, um irmão, duas irmãs, um cunhado, duas cunhadas, dez netos e netas, três bisnetos e bisnetas, muitos amigos e amigas, a Comunidade da Colonia Riograndense, onde viveu durante muitos anos, e as demais Comunidades da IECLB por onde atuou com o seu esposo. O sepultamento foi oficiado pelo Pastor Ivo Schoenherr, no dia 21 de janeiro de 2013, no Cemitério Comunidade da Colônia Riograndense. Rogamos pelo consolo que vem da Palavra de Deus por meio daquele que venceu a morte e diz:

Falecimento TODESANZEIGE von GUSTAVO HERBERT LAMB Gustavo Herbert Lamb, Sohn von Gustavo Balduin und Elza Lamb, geboren Weissheimer, wurde am 21. Mai 1918 in Feliz geboren. Diese Gemeinde gehörte zu São Sebastião do Caí/ Rio Grande do Sul. Von den fünf Geschwistern war er der zweitälteste, alle inzwischen verstorben. Im August 1922 zog er mit seinen Eltern nach Colonia Riograndense in Maracaí, eine Gemeinde im Bundesstaat São Paulo (Gustavo Herbert Lamb war damals vier Jahre alt). Diese Gemeinde wurde von seinen Eltern und Onkel gegründet, Pioniere der Colônia Riograndense in der Nähe von Maracaí/São Paulo. Gustavo heiratete standesamtlich am 17. März 1945 im Dorf Cruzália/SP und kirchlich in der Evangelischen Kirche Lutherischen Bekenntnisses in Brasilien (IECLB) am 9. Mai 1945 in Colônia Riograndense mit Erna Weirich, geboren an 21. Juni 1927, Tochter von Johann Karl Weirich und Emma Paula Fuhr. Die Ehe wurde mit drei Kindern gesegnet: Arnold, Any and Albert. In der Colônia Riograndense/SP arbeitete Gustavo Herbert Lamb als Landwirt und später als Kaufmann. Er widmete sich eifrig den Aktivitäten der Kirche der IECLB, und so arbeiteten er und seine Familie für die Evangelische Gemeinde. Im Juni 1959 zog er mit seiner Familie nach Marechal Cândido Rondon/Paraná. Dort arbeitete er weiterhin als Geschäftsmann mit seiner Frau Erna und Kindern für ungefähr 25 Jahre. Der Umzug nach Marechal Cândido Rondon brachte ihm wieder viel Arbeit in der Gemeinde. Nach seiner Pensionierung im November 1985 zog Gustavo Herbert Lamb mit Erna nach Cascavel/Paraná, wo er bis zu seinem Tod lebte. Er starb am 16. Februar 2013, Samstag, um 20:11 Uhr, im Krankenhaus Policlínica in Cascavel. Die Beerdigung fand am Sonntag, den 17. Februar, um 15:30 Uhr statt, auf dem Zentralfriedhof in Cascavel. Gustavo Herbert Lamb erreichte das Alter von 94 Jahren, 8 Monaten und 25 Tagen. Er hinterlässt seine Angehörigen: seine Frau Erna Weirich Lamb, 85 Jahre, zwei Söhne und eine Tochter, zwei Schwiegertöchter und einen Schwiegersohn, sowie fünf Enkelkinder: Lorena, Carlos Gustavo, Bernhard, Leonardo und Eduard. Die Angehörigen danken Pfarrer Fernando Henn herzlich für die religiöse Andacht, sowie allen Freunden, die mit uns diese Stunden verbrachten. Und siehe, ich bin bei euch alle Tage bis an der Welt Ende. Matthäus 28,20

Eu sou a ressurreição e a vida. Quem vive e crê em mim, ainda que morra, viverá; e quem crê em mim nunca morrerá. João 11. 25-26 A família enlutada

Cartas - Sugestões de pauta - Artigos - Anúncios

Rua Senhor dos Passos, 202/5º - 90.020-180 - Porto Alegre/RS Fone: (51) 3284.5400 - Fax: (51) 3284.5419 E-mail: jorevluterano@jorevluterano.com.br


SERVIÇO e

testemunho

Deus congregou pessoas, uniu-as sob a cruz de Cristo, criou comunhão entre as que participaram daquele momento tão especial, Pentecostes, e as capacitou para o serviço, para o testemunho. No Sínodo Mato Grosso, o Tema e o Lema do Ano, que buscam união e comunhão na reflexão e na ação conjunta da Igreja, são experiência vivencial. Ser: o Espírito Santo empoderou os discípulos para anunciar o Evangelho até os lugares mais distantes da Terra (Atos 1.8). Para nós, esta é uma promessa consoladora diante das características especiais e tão diferentes do contexto maior da IECLB. Uma dessas características vem a ser a grande e diversa área geográfica de atuação das nossas lideranças e Ministros, além da distância entre as Comunidades. Somos um Sínodo com 21 Paróquias e 8,3 mil membros batizados, abrangendo os Estados de Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Pará, com características que são trabalhadas com Planejamento Missionário, enfocando Formação e Comunicação. Participar: a ação do Espírito Santo reúne em Comunidade, superando os temores e o individualismo (Atos 2.42). Ainda que tenhamos grandes distâncias, a Comunidade é sempre o espaço privilegiado para o encontro com Deus e o exercício do cuidado mútuo. O acolhimento, a alegria, a doação, o despren-

PROCLAMANDO O AMOR DE DEUS

dimento e a espontaneidade são marcas desta comunhão que nos auxiliam a superar barreiras étnicas e o desafio constante da autossustentabilidade. Testemunhar: o Espírito Santo une e capacita com os seus dons, orienta pela pregação da Palavra e fortalece por meio dos Sacramentos. Neste sentido, é marcante a atuação de leigos que dirigem meditações, pregações, ofícios, cultos e ainda se envolvem nas atividades da Comunidade, como ações diaconais, campanhas fraternas de arrecadação e missão, proclamando e testemunhando o amor de Deus. Enfim, Ser, Participar, Testemunhar - Eu vivo comunidade é uma ação aglutinadora no Sínodo, que fica evidente nas iniciativas das nossas Comunidades e setores de trabalho, que tem pregações focadas no Tema do Ano, distribuição de material da Campanha, cartazes afixados nos murais, banners sinodais, no preparo de lideranças para o trabalho com crianças e grupos de interesse, retiros de carnaval para jovens e ‘partilha de púlpito’, como ocorreu entre as Paróquias do setor Centro-Sul. Que Deus continue abençoando, desafiando e animando a sermos, participarmos e testemunharmos, vivendo em comunidade a partir da palavra de Isaias 41.10: Eu sou o seu Deus. Eu lhe dou forças, ajudo e protejo com a minha forte mão.

SOLIDARIEDADE e

É bonito ver o povo de Deus com o olhar voltado para a mesma direção, buscando viver o ser Igreja de Cristo em solidariedade e partilha. Assim vemos a Campanha Nacional de Ofertas para a MIssão Vai e Vem!, comemoraram Ivanilde Tschá, membro na Paróquia de Vila Rica/MT, e Creusa Maria Silva, Coordenadora Sinodal da Campanha Vai e Vem

partilha

Nos últimos anos, os recursos provenientes da Campanha Vai e Vem têm sido um fator relevante no que diz respeito ao auxílio às Paróquias que necessitam de ajuda financeira no Sínodo Mato Grosso para dar continuidade aos trabalhos de edificação da Igreja. O início da Vai e Vem, entre outros aspectos, foi marcado pelo temor em anunciar algo novo, que demandava motivação para que pudesse ter êxito. Os membros, então, foram lembrados que o Sínodo Mato Grosso já havia precisado de auxílios financeiros externos para continuar caminhando e que, com o surgimento da Campanha, era o momento de reconhecer essa ajuda. A partir do olhar da gratidão, a Vai e Vem cresce de forma animadora e consciente no nosso Sínodo. As edições da Campanha têm sido trabalhadas nas Assembleias Sinodais, em que se tem a representatividade de todas as Paróquias, oportunidade para alcançar todas as lideranças, motivando-as a ofertar para a Vai e Vem. As Paróquias, por sua vez, trabalham de acordo com a sua própria realidade, pois o Sínodo Mato Grosso é uma mescla cultural que permite um jeito diferente de celebrar a vida. Os Ministros trabalham em conjunto com o Presbitério para conscientizar e

Se hoje entoamos em toda a IECLB ‘Eu vivo comunidade’ é porque Deus derramou o seu Santo Espírito sobre os discípulos no dia de Pentecostes e ali fez nascer a primeira comunidade cristã, destacaram o P. Elisandro Rheinheimer, Ministro em Tangará da Serra/MT, e a Pa. Elisângela Borchardt Röwer, Ministra em Cuiabá/MT

DOAÇÃO AO SERVIÇO PARA O REINO DE DEUS

motivar os seus membros sobre a importância de ofertar para a Vai e Vem. Fé, Gratidão e Compromisso é um assunto trabalhado paralelamente, pois é importante sensibilizar os membros sobre qual o sentido que a Campanha tem para cada Paróquia, mesmo para aquelas que não necessitam de auxílio financeiro: oportunidade de solidariedade e partilha. Nessa motivação, os resultados são alcançados e os objetivos são concretizados. O trabalho em conjunto ganha força quando há vontade de se doar ao serviço para o Reino de Deus. Lembramos também dos Campos de Atividade Ministerial que recebem recursos da Campanha Vai e Vem, estes enviados pela Secretaria Geral da IECLB. Percebe-se o quanto as pessoas que estão nessas Comunidades são agradecidas! A semente está sendo lançada a cada ano! Novas plantinhas vão crescendo, algumas florindo e outras com os seus frutos começando a surgir. Essa é a perspectiva que nos motiva a ofertar cada vez mais para a Campanha de Ofertas, para a missão na IECLB. A família do Sínodo Mato Grosso agradece à Igreja pelo apoio recebido e que ainda receberemos dos irmãos na fé, engajados na missão de Deus, para que transformemos essa paixão em um grande e eterno amor (e temor) ao nosso Deus.

Jornal Evangélico Luterano - Ano 42 - nº 764 - Agosto 2013  

Jornal Evangélico Luterano - JOREV, jornal nacional da IECLB.

Jornal Evangélico Luterano - Ano 42 - nº 764 - Agosto 2013  

Jornal Evangélico Luterano - JOREV, jornal nacional da IECLB.

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded