{' '} {' '}
Limited time offer
SAVE % on your upgrade.

Page 1

www.fab.mil.br

Ano XLIV

Nº 2

Fevereiro, 2020

Conheça a formação dos pilotos que pairam (Págs. 8 a 11)

GRIPEN

Simulador prepara pilotos para nova aeronave da FAB (Pág. 4)

ANTÁRTICA

FAB presta apoio logístico ao PROANTAR (Pág. 7)


2

Fevereiro - 2020

CARTA AO LEITOR

Expediente Expediente

NOTAER DESTACA DIA DA AVIAÇÃO DE ASAS ROTATIVAS Fevereiro é o mês em que comemoramos o Dia da Aviação de Asas Rotativas. Versáteis, flexíveis e capazes de cumprir diversas missões, os helicópteros chegam aos lugares mais difíceis e fazem total diferença nas operações e exercícios. Justamente pela sua importância, dedicamos algumas páginas do Notaer deste mês, com destaque para a formação dos pilotos de helicópteros da Força Aérea Brasileira (FAB). A edição de fevereiro do NOTAER traz matéria de uma homenagem ao Tenente Aurélio Vieira Sampaio,

piloto do 1º Grupo de Aviação de Caça, abatido durante a Segunda Guerra Mundial. Fala sobre o simulador de desenvolvimento do Gripen, que já está em funcionamento no Brasil. E, ainda, comenta acerca da atuação da FAB nas buscas ao C-130 da Força Aérea Chilena e do apoio logístico para continuidade do Programa Antártico Brasileiro (PROANTAR), com a reinauguração da Estação Antártica Comandante Ferraz. Na publicação deste mês também é possível conferir as primeiras medidas que entram em vigor com a Lei

13.954/19, que reestrutura a Carreira Militar e dispõe sobre o Sistema de Proteção Social dos Militares. Leia, ainda, a matéria que trata do Projeto Ginastas de Brasília, que busca fomentar o esporte, captar talentos e dar oportunidade a crianças. Outra matéria aborda a habilidade artística de uma Sargento que é especialista em eletrônica e fez pinturas no prédio do Comando-Geral de Apoio (COMGAP), em São Paulo. Boa Leitura! Brigadeiro do Ar Paulo César Andari Chefe do CECOMSAER

MÍDIAS SOCIAIS

TWITTER DA FAB ATINGE 400 MIL SEGUIDORES Neste mês, destacamos o marco de 400 mil seguidores na nossa página no twitter. Para comemorar, usamos uma foto da Esquadrilha da Fumaça numa demonstração no Rio de Janeiro. Siga-nos no twitter @portalfab. Agora vamos rumo aos 900 mil no instagram, 2 milhões no facebook e aos 500 mil no twitter. A FAB divulga em suas Mídias Sociais os produtos elaborados pelo Centro de Comunicação Social da Aeronáutica (CECOMSAER) e as informações enviadas pelos elos do Sistema de Comunicação Social da Aeronáutica de todo o país. h t t p s : / / t w i t t e r. c o m / p o r t a l f a b / s t a tus/1218522841592655872

O j o r n a l N OTA E R é u m a publicação mensal do Centro de Comunicação Social da Aeronáutica (CECOMSAER), voltado ao público interno. Chefe do CECOMSAER: Brigadeiro do Ar Paulo César Andari. Chefe do CECOMSAER: Brigadeiro do Ar Paulo César Andari. Vice-Chefe do CECOMSAER: Coronel Aviador Antonio Luiz Godoy Soares Mioni Rodrigues Chefe da Divisão de Comunicação Integrada: Coronel Chefe da Divisão Aviador de Comunicação André Luís Ferreira Grandis. Integrada: Coronel Aviador André Luís Ferreira Chefe daGrandis. Subdivisão de Produção e Divulgação: Tenente-Coronel Chefe da Subdivisão Aviador de Produção Claudio eMariano Divulgação: Rodrigues Santana. Tenente-Coronel Aviador Claudio Mariano Editor: Rodrigues Santana. Tenente Jornalista João Elias (DRT 8933/RS). Editores: Tenente Jornalista Cristiane dos Santos 35288/SP) Tenente(MTB Jornalista Cristiane dos Aspirante Jornalista Letícia Faria Santos (MTB 35288/SP). (MTB 3327 SC JP) Colaboradores: Colaboradores: Textos enviados ao CECOMSAER Textos enviados ao CECOMSAER via SISCOMSAE. via SISCOMSAE. Diagramação: Sargento SDE Diagramação: Santiago Moraes e Sargento Suboficial SDE SDE PollyanaBomfim Dias. Ramos e R1 Cláudio Sargento SDE Pollyana Dias. Capa e Artes: Subdivisão Capa e Artes:de Publicidade e Propaganda. de Publicidade e Subdivisão Propaganda. Estão autorizadas transcrições integrais ou parciais das matérias, Estão autorizadas transcrições desde que a fonte. integrais oumencionada parciais das matérias, desde que mencionada a fonte. Endereço: Esplanada dos Ministérios Endereço: Bloco “M”dos 7ºMinistérios andar - CEP: Esplanada 70045-900 Brasília/DF Bloco “M” 7º andar CEP: 70045-900 Brasília/DF

Impressão e Acabamento: Marina Artes Gráficas e Editora


Fevereiro - 2020

3

PALAVRAS DO COMANDANTE

EXCELÊNCIA NAS AÇÕES O ano de 2020 chega ao seu segundo mês já com a certeza de que nossa Força continua no caminho certo. Depois de termos refletido sobre o ano que passou, podemos nos dedicar integralmente à execução das atividades que farão desse novo ano mais um período de êxito e realizações. As expectativas não poderiam ser melhores: após a formação e treinamento das equipes, começaremos a operar nossa nova aeronave multimissão, o KC-390 Millennium; e os voos de testes do F-39 Gripen continuam na Suécia,

com o acompanhamento dos militares da FAB. A Aviação de Asas Rotativas, que celebra sua data máxima no dia 3 deste mês, também tem muitos motivos para comemorar. O Brasil é um dos países que dominam o Reabastecimento em Voo (REVO) de helicópteros, capacidade já treinada com o avião KC-130 Hércules como reabastecedor e que, em breve, será testada com o KC-390 Millennium. A versatilidade, destacada característica das Asas Rotativas, fica ainda mais

acentuada com a possibilidade de aumentar a autonomia durante as missões. Para os nossos militares, isso significa mais capacidade para salvar vidas. Para o Brasil e para os brasileiros, ainda mais a certeza de que a Força Aérea Brasileira está presente em todos os rincões do país. Por fim, os integrantes do nosso efetivo em todas as regiões do Brasil receberão itens do material institucional que auxiliará na organização das atividades diárias. Nas agendas,

cadernos e calendários está representada a campanha institucional 2020 do Comando da Aeronáutica, que retrata o imprescindível trabalho de todos os integrantes na missão de manter a soberania do Espaço Aéreo e Integrar o território Nacional, com vistas à Defesa da Pátria. Sigamos, pois, focados em nossos objetivos e contribuindo para manter o excelente andamento de nossas ações. Tenente-Brigadeiro do Ar Antonio Carlos Moretti Bermudez Comandante da Aeronáutica


4

Fevereiro - 2020

BRASIL RECEBE O SIMULADOR DE DESENVOLVIMENTO DO GRIPEN ESTE É O PRIMEIRO EQUIPAMENTO INSTALADO FORA DA SUÉCIA, SEDE DA EMPRESA QUE DESENVOLVE O NOVO CAÇADA FAB Asp JOR Letícia Faria

Em 2021 será entregue o F-39 Gripen, novo caça supersônico da Força Aérea Brasileira (FAB), desenvolvido pela sueca Saab em estreita parceria com empresas brasileiras. Como parte do programa de transferência de tecnologia do novo caça brasileiro, foi instalado o primeiro simulador de desenvolvimento do Gripen fora da Suécia, o Systems-Rig (ou S-Rig), no Centro de Projetos e Desenvolvimento do Gripen (GDDN, do inglês Gripen Design and Development Network), em Gavião Peixoto (SP), em novembro de 2019. Desde a inauguração, engenheiros brasileiros e suecos, da Embraer, AEL Sistemas e Saab,

comemoraram um novo marco: a integração do Targo, visor acoplado ao capacete (Helmet Mounted Display - HMD) desenvolvido pela AEL Sistemas, ao S-Rig. Com isso, o simulador, que é empregado para testes de desenvolvimento e verificação de sistemas, subsistemas e funcionalidades do Gripen no Brasil, agora pode ser usado com o Targo, que permite ao piloto visualizar dados reais e virtuais do alvo no capacete, adicionando recursos que aumentam a consciência situacional do piloto e, desta forma, facilita a tomada de decisões no campo de batalha. A implantação do S-Rig foi feita a partir de uma parceria entre a FAB, a Saab, a Embraer, a Atech ea AEL Sistemas.

DIVULGAÇÃO: SAAB

DIVULGAÇÃO: SAAB

TECNOLOGIA

O visor Targo, montado no capacete, permite ao piloto visualizar dados reais e virtuais


Fevereiro - 2020

5

CARREIRA

REESTRUTURAÇÃO DA CARREIRA MILITAR E DO SISTEMA DE PROTEÇÃO SOCIAL DAS FORÇAS ARMADAS Ten JOR Cristiane dos Santos

A Lei 13.954/19, que contempla a Reestruturação da Carreira Militar e do Sistema de Proteção Social das Forças Armadas, já está em vigor. Confira alguns aspectos: 1. Contribuição para Custeio da Pensão Militar Todos passarão a contribuir para o custeio da Pensão Militar (Universalização), inclusive alunos, soldados prestando o serviço militar obrigatório e pensionistas. O início da contribuição para esse grupo ocorrerá a partir de 16 de março de 2020, em alíquota inicial de 9,5% da remuneração bruta. Para os que já contribuíam para a pensão militar, a alíquota passará de 7,5% para 9,5% da remuneração bruta em 16 de março de 2020 (90 dias após a publicação da Lei nº 13.954/19). Em 1º de janeiro de 2021, a alíquota básica de contribuição sofrerá nova majoração, passando, em todos os casos, de 9,5% para 10,5% da remuneração

bruta. Além da alíquota básica, todos os militares optantes da contribuição adicional de 1,5% da remuneração bruta (art. 31 da MP nº 2.215/01) continuam a contribuir com esse percentual. As pensionistas desses militares também passarão a realizar a contribuição adicional de 1,5%. As filhas não inválidas pensionistas vitalícias, além da alíquota básica do militar instituidor, contribuirão com alíquota adicional de 3% da remuneração bruta. Ressalta-se que não houve nenhuma alteração na alíquota de contribuição para a assistência médico-hospitalar. 2. Adicional de Compensação por Disponibilidade Militar O Adicional de Compensação por Disponibilidade Militar (ACDM), criado como forma de valorização da disponibilidade permanente e da dedicação exclusiva dos militares, passou a incidir a partir de 1º de janeiro de 2020, podendo ou não ser implantado no contracheque do militar, conforme o percentual do

Adicional de Tempo de Serviço desse militar (se existente). No caso de o Adicional de Tempo de Serviço ser mais vantajoso para o militar, não haverá a substituição. 3. Vantagem Pessoal Nominalmente Identificada (VPNI) Na prática, essa situação não ocorrerá, uma vez que, em nenhuma ocasião haverá redução de remuneração ou de proventos brutos. 4. Contracheque Para todos os que não descontavam para a pensão militar (pensionistas, alunos de escolas de formação e soldados prestando o serviço militar obrigatório) será implantado o desconto com letra de identificação diferente da atualmente instalada nos contracheques dos militares já contribuintes da pensão militar. Sempre que houver qualquer incremento na remuneração bruta do militar ou pensionista, o contracheque seguirá a mesma lógica matemática de quando foram concedidos os aumentos de soldo do último ciclo de 2016 a 2019. Isto é, ao alterar a remuneração ou proventos brutos, alteram-se todos os valores absolutos dos descontos, na

proporção dos seus respectivos percentuais, os quais seguem inalterados em janeiro de 2020. Isto é, no contracheque de janeiro, os percentuais dos descontos permanecem os mesmos. Os valores dos descontos, em reais, caso tenham sofrido alteração, deve-se a alteração na remuneração ou proventos brutos do militar (ativo ou inativo) ou do pensionista. 5. Adicional de Habilitação O Adicional de Habilitação, referente aos cursos de interesse do Comando da Aeronáutica concluídos durante a carreira do militar, terá seus percentuais majorados, em quatro parcelas anuais. 6. Ajuda de Custo decorrente da transferência à inatividade remunerada A partir de 1º de janeiro de 2020, os militares que forem transferidos à inatividade remunerada farão jus, a título de Ajuda de Custo, a oito vezes o valor da remuneração, calculado com base no soldo do último posto do círculo hierárquico a que pertence o militar (se oficial) ou com base no soldo de suboficial (se praça).

SGT JOHNSON BARROS / CECOMSAER

ASPECTOS DA LEI Nº 13.954/19


Fevereiro - 2020 FOTO: ESQUADRÃO ORUNGAN

6

PATRULHA

AERONAVE P-3AM PARTICIPA DE BUSCAS AO C-130 DA FORÇA AÉREA CHILENA A aeronave P-3AM Orion, operada pelo Esquadrão Orungan (1º/7º Grupo de Aviação), sediado na Ala 12, em Santa Cruz (RJ), participou, em dezembro, das buscas ao avião C-130 Hércules da Força Aérea Chilena. O avião militar chileno decolou de Punta Arenas, no Sul do Chile, rumo à Base Aérea Presidente Eduardo Frei Montalva, e desapareceu dos radares após algumas horas de voo. O P-3AM Orion realizou missões de Busca e Salvamento em uma área de 175 mil km2, sobre o Mar de Drake. A aeronave operou a partir da Base Aérea Chabunco, em Punta Arenas, e realizou seis missões, contabilizando, aproximadamente, 46 horas de voo na área de busca e

62 horas no total, considerando o tempo de deslocamento da aeronave do Brasil até o país vizinho e retorno. “Esta missão foi extremamente relevante. Em certo momento, nós éramos o único vetor brasileiro nas buscas e estávamos levantando as informações mais relevantes”, explica o Capitão Aviador Kaê Miranda Silva, do efetivo do Esquadrão Orungan. O Coordenador Tático da Missão (COTAT), Capitão Aviador Thiago de Oliveira Pinheiro, relembra o fato. “Enfrentamos um cenário totalmente diferente daquilo que estávamos acostumados, onde precisamos inovar bastante nas formas de realização das buscas. Combinamos tudo que aprendemos em anos de operação da aeronave e contamos com a sinergia

e apoio mútuo do grupo, essencial para que a missão lograsse êxito”, disse. O Sargento Wesley Lemos do Nascimento também destacou os desafios das buscas.

INFOGRÁFICO: SUBDIVISÃO DE PUBLICIDADE E PROPAGANDA

Ten JOR Cristiane dos Santos

“A missão exige um esforço físico, mental e emocional. Nós vibramos quando alcançamos sucesso e choramos quando não sai da forma que esperamos. Não há barreiras climáticas para nosso vetor aéreo e nem física para os guerreiros com os olhos no mar”, complementou. Ao todo, 26 militares da FAB, dentre tripulantes e equipe de apoio de solo, participaram da operação, sendo que cada missão envolveu 14 militares a bordo da aeronave. Tecnologia A aeronaveP-3AM Orion – um quadrimotor que utiliza diversos recursos eletrônicos – possui um dos mais modernos sistemas para identificação por radar e dispõe do mecanismo Forward Looking Infra-Red (FLIR), que complementa as informações dos tráfegos marítimos, fornecendo imagens nítidas e claras, mesmo no período noturno.


7 SGT MANFRIN / MINISTÉRIO DA DEFESA

Fevereiro - 2020

ANTÁRTICA

DIVULGAÇÃO: MARINHA DO BRASIL

FAB PRESTA APOIO LOGÍSTICO PARA CONTINUIDADE DO PROGRAMA ANTÁRTICO BRASILEIRO (PROANTAR)

DUAS AERONAVES C-130 HÉRCULES FORAM EMPREGADAS PARA A REINAUGURAÇÃO DA ESTAÇÃO ANTÁRTICA COMANDANTE FERRAZ Ten JOR Raquel Alves

A Força Aérea Brasileira (FAB) empregou duas aeronaves C-130 Hércules para prestar apoio logístico à Estação Antártica Comandante Ferraz, que foi reinaugurada no dia 15 de janeiro deste ano. A Estação de pesquisas do Brasil, no extremo Sul do planeta, foi reinaugurada após um incêndio destruir as antigas instalações, em 2012. As pesquisas brasileiras no continente gelado continuaram em edificações provisórias. As duas aeronaves do Esquadrão Gordo (1º/1º GT), sediado na Ala 11, no Rio

de Janeiro (RJ), realizaram o transporte de 427 passageiros e dez toneladas de materiais, como itens pessoais, alimentos e materiais para pesquisas. Os aviões realizaram mais de 60 horas de voo na missão. No dia 14 de janeiro, data prevista para a reinauguração, o evento foi adiado, em razão das condições meteorológicas impróprias para o pouso na Base Presidente Frei Montalva, na Antártica. De acordo com o Capitão Aviador Ítalo Holanda, as condições eram desfavoráveis, com teto de 200 pés e visibilidade de 200 metros.

“Só foi possível proceder o pouso no dia 15, no período da tarde. Da Base, a comitiva seguiu de navio até a Estação Comandante Ferraz”, explica. Apoio logístico A FAB atua há 36 anos no Programa Antártico Brasileiro (PROANTAR), tendo o primeiro pouso de uma aeronave brasileira na Antártica, o FAB 2463, ocorrido em 23 de agosto de 1983. Há quase quatro décadas, a bordo do

C-130 Hércules, do Esquadrão Gordo (1°/1° GT), a FAB oferece o apoio logístico à Estação Antártica Comandante Ferraz. O Brasil faz parte do grupo de países signatários do Tratado Antártico, um acordo que possibilita as pesquisas científicas na região. Ao longo desses anos, a FAB contribuiu para viabilizar a presença do Brasil, uma vez que as características geográficas e o clima extremo dificultam o acesso ao continente.


8

Fevereiro - 2020

ASAS ROTATIVAS

3 DE FEVEREIRO

DIA DA AVIAÇÃO DE ASAS ROTATIVAS


SGT JOHNSON BARROS / CECOMSAER

Fevereiro - 2020

9


10

Fevereiro - 2020

Aspirante Laura acompanhada do Comandante do Esquadrão Falcão (1º/8º), Tenente-Coronel Santarém

FLEXÍVEIS, VERSÁTEIS E ESSENCIAIS PARA A FAB SAIBA COMO É A FORMAÇÃO DO PILOTO DE HELICÓPTERO NA FORÇA AÉREA BRASILEIRA Ten REP Juliana lopes Asp JOR Letícia Faria

A Força Aérea Brasileira (FAB) comemora o Dia da Aviação de Asas Rotativas em 3 de fevereiro. Nesta data, em 1964, a FAB realizou sua primeira missão de resgate com um helicóptero, em que foram salvos integrantes de uma tripulação presa em território hostil, no Congo. Flexibilidade e versatilidade, acesso a locais difíceis e pouco espaço para pouso e decolagem são algumas das características das aeronaves de Asas Rotativas. O emprego do helicóptero ocorre em missões de diversas nature-

zas, desde ajuda humanitária, passando pelo Transporte Aéreo Logístico até o emprego em armamento. Antes de se tornar piloto de helicóptero da FAB, é preciso concluir o Curso de Formação de Oficiais Aviadores (CFOAv), que tem duração de quatro anos e é ministrado na Academia da Força Aérea (AFA). Como Aspirante a Ofi cial, o aviador é designado para realizar o Programa de Especialização Operacional (PESOP), ministrado pela Ala 10, em Natal (RN). Ao final do curso, já promovido ao posto de Tenente, o oficial é declarado Piloto de Combate da FAB.

Formação de pilotos O Comandante da Ala 10, Brigadeiro do Ar Marcelo Fornasiari Rivero, explica que a atual estrutura da Ala permite verificar a efetividade das instruções. “Com as Unidades Aéreas aqui sediadas, temos condições de, no mesmo lugar e sob o mesmo Comando, analisar se o resultado da formação está de acordo com as diretrizes do Comando de Preparo e também a sua real eficácia”, salienta. Segundo o Oficial-General, essa análise é possível, pois a formação tem sua fase inicial no Esquadrão de Especialização, onde os alunos operam o helicóptero H-50 Esquilo, e

continua no Esquadrão Operacional, para aplicar aquilo que foi ensinado. Instrução a bordo do H-50 A formação dos futuros pilotos fica a cargo dos militares que compõem o Esquadrão Gavião (1°/11° GAV) e a aeronave utilizada é o H-50 Esquilo. O Oficial de Operações do Esquadrão, Major Aviador Carlos Siqueira Besch, relata que os estagiários aprendem a voar em velocidades baixas e em espaços confinados. “Para isso, é necessário desenvolver outras habilidades psicomotoras, diferentes daquelas já adquiridas”, salienta. O Oficial destaca, também,


11

SGT JOHNSON BARROS / CECOMSAER

CB SIMPLÍCIO / ALA 10

Fevereiro - 2020

que o primeiro grande obstáculo é o voo pairado. “A partir desse momento é que os alunos aprendem sobre possíveis emergências no voo de helicóptero, e depois, sobre as inúmeras aplicações dos helicópteros militares”. O Comandante da Esquadrilha Branca do 1º/11º GAV, Capitão Aviador Tiago Vargas Nascimento Silva, considerado, em 2019, Instrutor Padrão, explica que “os estagiários realizam o curso técnico da aeronave H-50 Esquilo com

uma extensa carga horária sobre a aerodinâmica de helicópteros, que é bem específica e complexa”, salienta. Operacionalidade Ao fim do curso, os pilotos estão capacitados para iniciarem o curso de adaptação às aeronaves H-36 Caracal e H-60 Black Hawk, helicópteros multimissões; VH-35 e VH-36 utilizados para o transporte especial; e AH-2 Sabre, para ataque. O Comandante do Es-

quadrão Falcão (1º/8º GAV), Tenente-Coronel Aviador Délcio Cláudio Santarém Júnior explica que, após o curso de formação, os pilotos chegam nas Unidades Aéreas que desejam servir bem preparados para pilotarem todos os helicópteros, a exemplo do H-36 Caracal. “Apesar de ser um modelo muito moderno, os alunos se apresentam no Esquadrão Operacional para fazerem apenas a adaptação à aeronave, que é mais complexa”, define.

Futura piloto da FAB A Aspirante a Oficial Aviadora Laura Cabral Cruz Lopes da Silveira iniciou o curso de Asas Rotativas em janeiro deste ano. “A Aviação de Asas Rotativas tem várias missões inspiradoras, como as de Busca e Salvamento. Além disso, inspiro-me em outras aviadoras da FAB”, conta. A expectativa é de bastante aprendizado. “O helicóptero é uma aeronave com a qual ainda não estou completamente familiarizada. Acredito que meu maior desafio será aprender a pairar”, finaliza.


12

Fevereiro - 2020

GINÁSTICA RÍTMICA NO CASSAB: HÁ SETE ANOS TREINANDO CAMPEÃS PROJETO TREINA ATLETAS DE ALTO RENDIMENTO E DÁ OPORTUNIDADE PARA CRIANÇAS DE BAIXA RENDA Asp JOR Flávia Rocha

Desenvolver a ginástica rítmica com excelência no país era um sonho de duas professoras brasilienses. Foi assim que há sete anos surgiu o Projeto Ginastas de Brasília, no Clube de Associados Suboficiais e Sargentos da Aeronáutica de Brasília (CASSAB), com o objetivo de fomentar o esporte, captar talentos e dar oportunidade a crianças, independente de renda, de treinarem em um Centro de Alto Rendimento. O primeiro passo para a concretização do sonho das

professoras Kely Espínola e Adriana Andrade foi a criação da Associação Candanga de Ginástica Rítmica de Brasília, instalada no CASSAB desde 2012. A partir do ano seguinte, lançaram o Projeto Ginastas de Brasília. Com arcos, bolas, cordas e fitas, 80 alunas recebem aulas de balé, preparação física e treinamentos específicos, cerca de cinco horas por dia, no Ginásio de Esportes do Clube, buscando resultados expressivos para a capital federal e para o Brasil. Kely Espínola destaca que o CASSAB já alcançou diversos

títulos desde que as alunas do Projeto passaram a representar o Clube. “Temos todos os títulos da Região Centro-Oeste. Somos Hexa-Campeãs do Torneio Regional, com diversos resultados em Campeonatos Brasileiros, Sul-Americano, Pan-Americano e Mundial. Além disso, conseguimos que três ginastas nossas representassem a Seleção Brasileira”, comemora a treinadora. Um dos orgulhos do CASSAB é a ginasta Ana Luisa Passos, de 15 anos, atual campeã SulAmericana e Bicampeã Brasileira, na categoria Juvenil 1. Outra aluna de destaque é Nicole Dias, 13 anos, Campeã Brasileira na categoria Juvenil 2. O Projeto conta com o apoio do Comando da Aeronáutica (COMAER) e da Secretaria de Economia Finanças e Administração (SEFA) da Força Aérea Brasi-

ACERVO PESSOAL

ESPORTE

leira (FAB). “Fico extremamente emocionada por ter alguém olhando por nós, reconhecendo o nosso trabalho. Por meio desse apoio que o COMAER tem oferecido, com a disponibilidade de materiais e na melhoria da estrutura física, vamos conseguir melhorar muito a qualidade técnica das nossas ginastas e desenvolver com mais excelência o nosso trabalho”, declarou Espínola.


Fevereiro - 2020

13

HOMENAGEM

PILOTO BRASILEIRO MORTO NA SEGUNDA GUERRA RECEBE BUSTO EM MUSEU DE ARACAJU (SE)

1945, pela antiaérea inimiga, no céu de Rodano, cidade a 15 quilômetros de Milão, na Itália. Além do busto produzido pelo artista plástico Elias Santos, o grupo também entregou ao museu um diorama, tipo de maquete que apresenta uma cena de forma tridimensional e realista. Segundo o piloto civil André Cabral, um dos responsáveis pela homenagem, o objeto retrata o momento em que o Tenente Aurélio, a bordo de uma aeronave P-47 Thunderbolt, ao atacar locomotivas, foi abatido pelas forças inimigas. “O diorama tentou ser o mais fiel possível àquele momento, baseado em documentos históricos”, explica. A irmã do militar, Consuelo Vieira Sampaio Vasconcelos Nascimento, recebeu, ainda, a placa da La Croce Di Rodano, uma cruz medieval encontrada em 1933, na região da cidade italiana. De acordo com André Cabral, a ideia de promover as homenagens surgiu a partir de reportagens publicadas sobre as cerimônias que aconteceram

na Itália. “Pouca gente sabe que temos um herói conterrâneo. Desde o ano passado, quando houve alguns eventos na Europa, decidimos também nos mobilizar para homenageá-lo”, conta. O Comandante do Destacamento de Controle do Espaço Aéreo de Aracaju, Capitão Especialista em Controle de Tráfego Aéreo André Marcelo da Silva, participou da cerimônia e agradeceu a iniciativa do grupo de enaltecer os heróis brasileiros. Estiveram presentes, ainda, representantes de instituições militares e civis de Aracaju, além dos familiares do Tenente Aurélio. Reconhecimento italiano No dia 3 de novembro de 2019, a Prefeitura de Rodano, na Itália, realizou cerimônia para relembrar os feitos do Tenente Aurélio. O evento contou com a presença de membros da Adidância de Defesa e Aeronáutica do Brasil na Itália e foi marcada, ainda, por homenagens a outros mortos em combate.

TENENTE AVIADOR AURÉLIO VIEIRA SAMPAIO MORREU EM 22 DE JANEIRO DE 1945, EM COMBATE NA ITÁLIA Ten JOR Jonathan Jayme

Durante a Segunda Guerra Mundial, o Tenente Aurélio Vieira Sampaio, piloto do 1º Grupo de Aviação de Caça, foi abatido aos 21 anos, na sua 16ª missão de combate sobre a Itália, compondo o 350th Fighter Group. Em homenagem ao militar, que é natural de Aracaju (SE), a cidade lem-

brou os 75 anos da morte do brasileiro que combateu na Itália. O militar recebeu, por meio de iniciativa de entusiastas da História da Aviação, sob a chancela da Associação Sergipana de Imprensa e da Academia Sergipana de Letras, um busto permanente no Museu da Gente Sergipana. O Tenente Aurélio foi abatido em combate no dia 22 de janeiro de

Maquete retrata o momento em que o Tenente Aurélio foi abatido pelas forças inimigas


14

Fevereiro - 2020 SGT BRUNO BATISTA / CECOMSAER

ARTE

TALENTOS NA FORÇA AÉREA BRASILEIRA CONHEÇA AS OBRAS ARTÍSTICAS PINTADAS PELA SARGENTO THAMY, COMO O TETO DO SALÃO AZUL DO COMGAP Ten JOR Raquel Alves

As mãos da Sargento Thamy Fernanda Beserra não só fazem manutenções, instalações e inspeções de equipamentos eletrônicos, radares, computadores e telefonia, atividades da especialidade da militar, que exige conhecimento e técnica. Elas também colorem, fazem traços e contornos que deixam os lugares e as paredes mais alegres e enchem os olhos de quem aprecia. Além de executar as atividades inerentes à Especialidade Eletrônica, no Grupamento de Apoio de São Paulo (GAP-SP), Thamy é pintora, uma arte que ela desenvolveu desde a infância. “A pintura surgiu em minha vida naturalmente. Nunca fiz curso ou tive a oportunidade de me aperfeiçoar nesse campo, mas sempre fui muito curiosa,

não poderia ter sido outro: um trabalho realizado com capricho e dedicação por alguém que ama a arte”, conta o Oficial-General. A pintura do Salão Azul foi feita em tinta a óleo com a representação de um céu, onde as nuvens desenhadas entre as vigas se unem formando uma só. A sensação de quem entra no ambiente é de estar em outra dimensão. O local foi inaugurado em 2015, em homenagem ao Dia do Aviador, e atualmente o salão é utilizado para reuniões, solenidades e eventos da Organização. O espaço conta com um projeto de iluminação estratégica, onde há possibilidade de escolha de mais de dez cores distintas, que podem ser usadas de acordo

buscando aprender cada vez mais”, conta a Sargento. Uma das artes que Thamy produziu foi a pintura do teto do Salão Azul, do prédio do Comando-Geral de Apoio (COMGAP), localizado na capital paulista. O projeto foi idealizado pelo atual Secretário de Economia, Finanças e Administração da Aeronáutica (SEFA), Tenente-Brigadeiro do Ar Marcelo Kanitz Damasceno, que, à época, era Comandante do então Quarto Comando Aéreo Regional (IV COMAR). “Precisávamos de um salão para realizar nossas solenidades e, em meio às reformas que o prédio passava, identificamos um espaço que nos atenderia. Chegou a meu conhecimento que a Sargento Thamy tem Pintura do A-29 Super habilidade com pintura. Sugeri Tucano da Esquadrilha a ela que fosse pintado um céu da Fumaça no teto do salão e o resultado

com a decoração do evento. “Essa foi minha primeira arte em parede. Antes disso, meus trabalhos limitavam-se a pinturas em lápis de cor e tela. Portanto, após ter aceitado o desafio, foi muito gratificante ver o resultado”, relata Thamy. Depois da pintura do Salão Azul, Thamy fez outros trabalhos para a FAB. Retratou o prédio e o gládio alado no palanque, ambos do COMGAP, um A-29 Super Tucano da Esquadrilha da Fumaça, dentre outros. “Tenho muito orgulho de pertencer às fileiras da FAB e poder contribuir não só com minha especialidade, mas com minha habilidade na pintura”, diz Thamy.


Fevereiro - 2020

15

ENTRETENIMENTO

CAÇA PALAVRAS

RESPOSTA DA EDIÇÃO DE JANEIRO

Algumas características da Aviação de Asas ROTATIVAS são a flexibilidade e a VERSATILIDADE na hora do pouso. Um HELICÓPTERO é capaz de chegar a locais de DIFÍCIL acesso, como em uma área de mata ou numa CLAREIRA, por exemplo. Principalmente, se a REGIÃO não oferecer pistas. Esse vetor precisa de pouco ESPAÇO para pousar e decolar.

COMO CONCORRER Abra agora a sua conta Poupança POUPEX Salário no Banco do Brasil Enquanto ela estiver ativa, você ganha 1 número da sorte por mês A cada R$ 300,00 de saldo médio por mês, você ganha mais 1 número da sorte, limitado a 5 Se você já possui uma conta Poupança POUPEX Salário ativa, já está concorrendo

Valores líquidos de Imposto de Renda, nos termos da legislação vigente. Sorteios lastreados por Títulos de Capitalização da modalidade Incentivo, de Pagamento Único, emitidos pela Brasilcap Capitalização S.A., CNPJ 15.138.043/0001-05, aprovados pela SUSEP, processos nºs 15414.901041/2018-68, 15414.901050/2018-59 e 15414.901052/2018-48. É proibida a venda de Título de Capitalização a menores de dezesseis anos. Antes de contratar, consulte previamente as Condições Gerais. Ouvidoria Brasilcap: 0800 729 3478.

Saiba mais em

www.promocaopoupex.com.br


Profile for Força Aérea Brasileira

Notaer - Fevereiro de 2020  

3 DE FEVEREIRO - DIA DA AVIAÇÃO DE ASAS ROTATIVAS

Notaer - Fevereiro de 2020  

3 DE FEVEREIRO - DIA DA AVIAÇÃO DE ASAS ROTATIVAS

Profile for portalfab