Page 1

www.fab.mil.br

Ano XXXVI

Nº 2

Fevereiro, 2013

ISSN 1518-8558

TRAGÉDIA – FAB monta operação especial de socorro a vítimas de Santa Maria

A Força Aérea Brasileira teve participação efetiva durante o socorro às vítimas da tragédia ocorrida em Santa Maria (RS). Aeronaves de transporte e helicópteros transportaram feridos em UTIs aéreas e fizeram o translado de peles doadas por países vizinhos. Equipes de cirurgia geral e plástica, médicos especialistas em queimaduras e enfermeiros foram mobilizadas para auxiliar no atendimento aos feridos. (Pág 7) SIGADAER Nova versão do sistema permitirá transferência de documentos sem impressão A versão 4.1 do SIGADAER já está em testes e trará a possibilidade de transferir documentos sem a necessidade de impressão. Conheça essas e outras novidades do sistema. (Pág 12)

REAPARELHAMENTO

UNIFORME

A FAB assinou contrato para modernização de cinco aeronaves E-99. O avião-radar vai participar do esquema de vigilância aérea que a FAB prepara para a Copa do Mundo. (Pág. 7)

Tire suas dúvidas sobre o novo Regulamento de Uniformes da Aeronáutica. Veja o que já deve ser usado e o que entrará em vigor somente em junho de 2014. (Pág. 8 e 9)

SAÚDE

FINANÇAS

Saiba as consequências que a má postura traz à sua saúde. Especialistas ensinam como resolver esse problema que afeta diversos militares. (Pág. 15)

Aprenda a gerenciar o seu dinheiro no início do ano e conheça o programa da FAB que oferece subsídio na compra de material escolar para a família. (Págs. 4 e 5)


2

Fevereiro - 2013

CARTA AO LEITOR

Expediente

Pronta-resposta Nesta edição, o NOTAER vai mostrar o ótimo trabalho desempenhado pelos nossos militares no socorro às vítimas da tragédia em Santa Maria. A pronta-resposta da FAB foi crucial no apoio aos feridos, com a atuação precisa de nossas aeronaves e o deslocamento imediato de especialistas para o local. Esta edição traz também dicas importantes para você cuidar do seu dinheiro e da sua saúde. Aprenda a lidar melhor com as suas economias e conheça o programa da FAB que ofe-

rece subsídio na compra de material escolar. Você vai conferir ainda um alerta importante sobre a má postura, problema que afeta dezenas de militares que trabalham em unidades administrativas. O NOTAER vai esclarecer também as suas dúvidas sobre o novo RUMAER, que entrou em vigor no ano passado. Saiba o que já está em vigor e o que você ainda pode esperar para mudar. Este mês destacamos o Instituto Tecnológico de Aeronáutica, que alcan-

çou mais uma vez conceito máximo em avaliação do Ministério da Educação. Fique por dentro também das ações que a FAB prepara para vigiar e proteger nosso espaço aéreo durante a Copa do Mundo do ano que vem. Uma delas é a modernização das aeronaves E-99, conhecida como avião-radar. Boa leitura! Brig Ar Marcelo Kanitz Damasceno Chefe do CECOMSAER

Educação de Segurança somente a cada nova admissão de servidor. Ele deve ser contínuo, com seu início quando da admissão e com seu término quando do desligamento dos servidores. A educação de segurança deve conter quatro elementos básicos: I - uma orientação inicial, com os objetivos de explicar aos novos servidores a importância das medidas de segurança e as sanções a que estarão sujeitos em caso de comprometimento das informações classificadas, e de motivar a criação de uma mentalidade positiva em relação a estas medidas. Em resumo, a orientação inicial visa a explicar o porquê das medidas de segurança e por que devem ser cumpridas; II - uma orientação específica, na qual cada servidor receberá instruções detalhadas sobre as medidas particulares de segurança que deverão ser cumpridas no desempenho, propriamente, de sua função. A orientação específica visa a informar ao novo servidor sobre as medidas de segurança e como proceder para cumpri-las; III - uma orientação periódica, na qual se procurará reavivar e reciclar, nos servidores, a consciência da adequada observância às normas previstas e na qual se buscará responder às questões levantadas pelos

Chefe do CECOMSAER: Brigadeiro do Ar Marcelo Kanitz Damasceno Chefe da Divisão de Comunicação Integrada: Coronel Aviador Gustavo Alberto Krüger Chefe da Divisão de Comunicação Corporativa: Coronel Aviador João Carlos Araújo Amaral Chefe da Subdivisão de Produção e Divulgação: Tenente-Coronel Aviador Max Luiz da Silva Barreto Chefe da Divisão de Apoio à Comunicação: Tenente-Coronel Infantaria Vandeilson de Oliveira Chefe da Agência Força Aérea: Capitão Aviador Igor Rocha

PENSANDO EM INTELIGÊNCIA

Todos os militares e civis do Comando da Aeronáutica devem reciclar seus conhecimentos e procedimentos referentes às normas e condutas que envolvem a segurança das atividades do COMAER. Dessa forma, e em vista de já existir um Programa Básico de Educação Continuada, com vistas à Segurança Orgânica, devemos estar sempre revendo alguns conceitos. O objetivo final deste processo é aumentar e manter elevada a consciência situacional do nosso efetivo frente às reais ameaças, atuais e futuras. Treinamentos voltados à Consciência em Segurança oferecem uma defesa primária, porém fundamental, visto que sistemas, em geral, têm seus pontos mais fracos justamente na atuação ou na omissão do elemento humano por trás deles. Uma vez admitidos numa organização, os novos servidores (civis e militares) devem submeter-se a um Processo de Educação de Segurança, no qual se procura criar, desenvolver e manter uma efetiva “mentalidade de segurança”, bem como transmitir os procedimentos cautelares necessários ao trato com informações classificadas. O Processo de Educação de Segurança não deve ser desenvolvido

O jornal NOTAER é uma publicação mensal do Centro de Comunicação Social da Aeronáutica (CECOMSAER), voltado ao público interno.

mesmos, com respeito às medidas de segurança; e IV - uma sinalização de advertência, com a qual, por meio de cartazes, adesivos e outros meios adequados, procura-se manter uma “mentalidade de segurança”, relembrando aos servidores as medidas preconizadas nas orientações referidas. Deve-se ter em mente que, também, faz-se necessário um controle de segurança no desempenho da função. Esse controle tem início a partir da admissão e é efetuado até o desligamento dos servidores. Deve haver um acompanhamento do desempenho individual com o objetivo de detectar indícios de desvios de conduta que tornem o servidor incompatível com o exercício da função. Essa é uma das atividades para a qual a contrainteligência pode contribuir. Todo indício de procedimento inadequado deve ser investigado para esclarecimento da suspeita. As medidas corretivas podem variar conforme o tipo da falha constatada, desde um simples esclarecimento sobre a medida de segurança não cumprida ou alteração de normas, até a aplicação de medidas administrativas ou punitivas mais rigorosas. (Centro de Inteligência da Aeronáutica)

Chefe da Seção de Divulgação: Capitão Aviador Bruno Garcez Tiragem: 30.000 exemplares Editor: Tenente Jor Willian Cavalcanti Repórteres (JOR): Ten Marcia Silva, Ten Gabriela Hollenbach, Ten Emilia Cristina, Ten Clarissa Carvalho, Ten Humberto Leite, Ten Flávio Nishimori, Ten Franciane Meleu, Ten Willian Cavalcanti, Ten Jussara Peccini, Ten Vanessa Ortolan, Ten Geraldo Bittencourt, Ten Gabrielli Siqueira, Ten Sarah Albuquerque, Ten Paulo Cerqueira e Ten Lorena Molter Colaboradores: CIAER e SISCOMSAE (textos enviados ao CECOMSAER, via Sistema Kataná, por diversas unidades) Diagramação, Arte e Infográficos: Sargento Rafael Lopes Revisão: Cap Av Rocha Estão autorizadas transcrições integrais ou parciais das matérias, desde que mencionada a fonte. Comentários e sugestões de pauta sobre aviação militar devem ser enviados para: redacao@fab.mil.br Esplanada dos Ministérios - Bloco “M” - 7º andar CEP - 70045-900 / Brasília - DF

Impressão e Acabamento: Log & Print Gráfica e Logística S.A


Fevereiro - 2013

PALAVRAS DO COMANDANTE

2S Rezende / CECOMSAER

FAB rumo ao futuro

Tenente-Brigadeiro do Ar Juniti Saito Comandante da Aeronáutica A Força Aérea Brasileira deu mais um passo rumo ao futuro. Nos últimos meses, a FAB firmou diversos contratos para modernizar e reaparelhar a nossa frota. A parceria mais recente foi assinada com a Embraer Defesa e Segurança para modernizar cinco aeronaves E-99. A expectativa é que os aviões já estejam prontos para atuar nas ações de defesa e vigilância do espaço aéreo que a FAB irá desempenhar durante a Copa do Mundo de 2014. Os E-99 são armas extremamente importantes na fiscalização do nosso céu. Juntamente com nossas aeronaves de caça, a atuação de aviões de Controle e Alarme em Voo, que voam pelo 2º/6º GAV, Esquadrão Guardião, tem garantido a proteção de toda a nossa fronteira. Após dez anos voando pela Força Aérea, o uso das aeronaves E-99 aumentou exponencialmente a nossa capacidade operacional na vigilância e controle das fronteiras. Na América Latina, apenas o Brasil e o Chile possuem aeronaves com essa tecnologia. Com a modernização, serão atualizados os sistemas de comando e controle e o radar de vigilância aérea. Também serão modernizados os equipamentos de guerra eletrônica e o sistema de contramedidas, que protege a aeronave de interferências provocadas

por aeronaves hostis. Os aviões serão agora designados como E-99M. A FAB também está desenvolvendo o projeto “Link BR2”, que vai permitir que os nossos aviões troquem dados entre si em pleno voo. O sistema será instalado em caças F-5M, A-29 e E-99, além de estações em solo. Com o datalink os pilotos vão conseguir visualizar os dados captados pelo radar de outra aeronave. Futuramente, o equipamento deve ser instalado também em aeronaves de patrulha, de reabastecimento em voo e helicópteros. Além da modernização da nossa frota, o contrato assinado com a Mectron, da Odebrecht Defesa e Tecnologia, é uma oportunidade para o desenvolvimento da indústria nacional. Outro projeto importante que a FAB está desenvolvendo é o míssil de quinta geração A-Darter, que traz tecnologias inéditas no Brasil. O míssil é capaz de manobrar até 10 vezes mais rápido que um caça e conta com sensor que se guia pelo calor e captura a imagem de aeronaves hostis. Em breve o equipamento será produzido em larga escala. Tenho certeza de que estamos caminhando no rumo certo, sempre visando o cumprimento da missão maior da nossa Força Aérea Brasileira: a defesa e a soberania do nosso espaço aéreo.

3


4

Fevereiro - 2013

SEU BOLSO

Projeto da FAB ajuda na compra de material escolar A Subdiretoria de Encargos Especiais (SDEE) concede benefício para aquisição de material, livros e uniformes escolares por meio de ressarcimento das despesas realizadas no início do período letivo.

• Limite de valor:

• Quem tem direito: - Militares ativos, inativos, seus dependentes e pensionistas; - Servidores civis ativos e inativos que contribuam para o RAS/DIRINT, seus dependentes e pensionistas.

• Limites: Não existe limite no número de dependentes. Todos tem direito de utilizar o Sistema de Assistência Social (SAS), mas cabe ao Gestor Social avaliar a situação sócio-econômica do usuário para a concessão do benefício. São observados critérios como a situação de vulnerabilidade social do usuário e do núcleo familiar, entendida como a impossibilidade momentânea ou prolongada de acesso a bens e serviços.

• Cursos: O benefício vale para matriculados na Educação Infantil, no Ensino Médio e Superior. E também para mensalidade escolar de crianças especiais.

O benefício máximo será de até um salário mínimo (R$ 678,00) para o militar e/ou servidor civil solicitante e/ou para cada um de seus dependentes. Quando o valor dos comprovantes fiscais ficar abaixo do salário mínimo, o valor ressarcido será o constante da nota ou cupom fiscal.

• Como solicitar o benefício: Os interessados devem procurar os Núcleos de Serviço Social ou Setor de Serviço Social das organizações militares para agendar uma entrevista.

• Documentos necessários: O usuário deverá apresentar documentos comprobatórios da situação socieconômica (contracheque atualizado, conta de luz, água, telefone e demais comprovantes de despesas) e da situação escolar (declaração de matrícula em instituição de ensino, relação de material, livros e uniformes escolares em papel timbrado emitida pela instituição).

A SDEE tem um Manual do usuário da Assistência Social da Aeronáutica, que será distribuído para todas as unidades do país e também pode ser acessada no site www.sdee.intraer

ACONTECE NA FAB UNIDADES COM NOVO COMANDO BABR - Coronel Aviador Geraldo de Lyra Junior passou o cargo para o Coronel Aviador Avelar Korand Hegermann. BAGL - Coronel Aviador José Madureira Junior passou o cargo para o Coronel Aviador Flávio Luiz de Oliveira Pinto. BACG - O Coronel Aviador John Kennedy Greiffo da Justa Menescal passou o cargo ao Coronel Aviador Flávio Eduardo Mendonça Tarraf.

Envie as informações sobre a sua unidade via Sistema Kataná BABE - O Coronel Aviador Alexandre Pinto Sampaio passou o cargo para o Tenente-Coronel Aviador Marcos Santos Silva. BAMN - Coronel Aviador José Roberto de Oliveira passou o cargo para o Coronel Aviador José Sarmento dos Santos. BABV - Coronel Aviador Leonardo Carneiro de Faria passou o cargo para o Tenente-Coronel Aviador Mauro Bellintani. SRPV-SP - Coronel Aviador Cesar

Augusto Borges Tuna passou o cargo para o Coronel Aviador Fernando César da Costa e Silva Braga. CENDOC - Coronel Intendente Paulo Mauricio Jaborandy de Matos Dourado passou o cargo para o Coronel Intendente Marcus Cunha da Gama. ILA - O Coronel Intendente Adílio Martins de Moura Filho passou o cargo para o Coronel Engenheiro Eliezer de Freitas Cabral OARF - O Coronel Dentista Jorge Alberto Farinassi transmitiu o comando

para o Tenente-Coronel Dentista Mario Marsil Xavier da Silva. CGABEG - O Coronel Médico Julio Cesar da Gama Apolinario passou a direção ao Coronel Médico Antônio Carlos de Melo. CECAT - O Coronel Intendente Ulisses Dias da Mota passou o cargo ao Coronel Aviador André Luiz dos Santos Caldeira. GITE - Tenente-Coronel Aviador Alexandre Maciel da Silva passou o cargo ao Tenente-Coronel Aviador Marcelo Batista.


Fevereiro - 2013

5

FINANÇAS

Saiba como lidar melhor com seu dinheiro

I

nício de ano é sempre a mesma coisa: época de pagar contas. Taxas como IPVA, IPTU, matrícula da faculdade, material escolar e outras despesas podem gerar problemas para o ano inteiro. Para não perder dinheiro ou ficar devendo, especialistas dizem que há dois caminhos. O primeiro é para aqueles que se precaveram e pouparam o 13º salário. O segundo, mais complicado, é para quem já está com dívidas na praça. “O consumidor deve sempre se planejar e, principalmente, ter disciplina. Jamais pague a parcela mínima do cartão. Sempre tente pagar tudo de uma vez”, afirma o Tenente Economista Antonio Alberto Matheus, da Secretaria de Economia e Finanças da Aeronáutica (SEFA). Veja dicas de como lidar melhor com seu dinheiro e evitar problemas no futuro.

Para quem economizou: - Verificar o desconto ao pagar em parcela única, principalmente no caso de IPVA e IPTU. Muitas vezes, o abatimento oferecido pode valer a pena. - No caso do material escolar e outros itens que precisam ser comprados no início do ano, o mais importante é fazer pesquisa de preço.

Para quem não economizou:

Ilustrações: SO RAMOS / CECOMSAER

- Verificar os juros de cada dívida. Sempre optar por pagar aquele que tenha os maiores juros em caso de inadimplência. Geralmente, cartão de crédito e cheque especial têm os juros mais elevados. - Uma boa dica é o crédito consignado. Geralmente, apresenta taxas de juros menores. - Usar o cartão de crédito pode ser útil na compra de material escolar, por exemplo, desde que o consumidor tenha certeza que irá honrar o gasto posteriormente.

Desconto em mensalidades Militares, civis e seus dependentes do Comando da Aeronáutica podem ter acesso a convênios que proporcionam descontos de até 10% nas mensalidades de instituições de ensino superior, de educação básica e de idiomas em diversas localidades do país. Mais informações na Subdiretoria de Encargos Especiais da Diretoria de Intendência (DIRINT), pelo telefone (21) 21269048/9049. As instituições conveniadas estão no site: www.sdee.intraer.


6

Fevereiro - 2013

REAPARELHAMENTO

A

Força Aérea Brasileira assinou com a Embraer Defesa e Segurança contrato de R$ 430 milhões para modernizar suas cinco aeronaves E-99. Esses aviões, que se destacam pelo imenso radar na sua parte superior, capazes de detectar, rastrear e identificar alvos aéreos e transmitir essas informações para centros de controle. A expectativa é que a tecnologia já esteja disponível durante a Copa do Mundo de 2014. A modernização envolve a atualização dos sistemas de comando e controle, do radar de vigilância aérea, e dos equipamentos de guerra eletrônica, incluindo as contramedidas eletrônicas, que são ferramentas para proteger a aeronave de interferências provocadas por inimigos. Os aviões serão agora designados como E-99M. Também foram adquiridas seis estações de planejamento e análise de missão, que serão empregadas no treinamento e aperfeiçoamento das tripulações. Os E-99 entraram em operação

CB SILVA LOPES / CECOMSAER

Brasil vai modernizar aviões-radar para a Copa

As cinco aeronves E-99 da FAB passarão por modernização

na FAB em 2002, como parte das aquisições voltadas para o controle e defesa da região amazônica. Baseadas em Anápolis (GO), as aeronaves são capazes de realizar missões de

gerenciamento do espaço aéreo, posicionamento de caças e controle de interceptação, inteligência eletrônica e vigilância de fronteiras. “Ao longo da última década, a

Força Aérea comprovou o alto valor destas aeronaves de Controle e Alarme em Voo para o cumprimento da sua missão”, disse o Brigadeiro do Ar Carlos de Almeida Baptista Junior, Presidente da Copac – Comissão Coordenadora do Programa Aeronave de Combate da FAB. “Mantê-las atualizadas e ampliar sua capacidade operacional é a certeza de que continuarão contribuindo decisivamente para a eficiência da Força Aérea Brasileira.” O E-99 foi desenvolvido a partir do jato de transporte regional Embraer 145, que tem mais de 1.100 unidades entregues, inclusive para a FAB. Para o Presidente da Embraer Defesa e Segurança, Luiz Carlos Aguiar, “esta modernização permitirá à FAB continuar operando com excelência um importante vetor de defesa aérea nacional". A Atech, empresa coligada da Embraer Defesa e Segurança, também participa do projeto no desenvolvimento de parte do sistema de comando e controle.

Brasil prepara produção de novo míssil para caças

A

partir de 2015, a Força Aérea Brasileira receberá o A-Darter, míssil capaz de manobrar até 10 vezes mais rápido que um avião de combate. A nova tecnologia, fruto de um desenvolvimento conjunto do Brasil com a África do Sul, já está no final da fase de testes e próxima do início da produção em larga escala. No início de dezembro, o Comando da Aeronáutica assinou com a empresa Denel do Brasil o contrato de R$ 1,4 milhão para preparar o parque industrial de São José dos Campos (SP) para a construção do míssil, que deve equipar a versão modernizada do caça A-1 e o futuro F-X2. A produção do novo míssil deve contar com as empresas Mectron, Avibras e Opto Eletrônica, que são beneficiárias dos projetos de transfe-

rência de tecnologia em áreas como sistemas óticos, navegação, sensores e processamento de imagens. O Brasil ingressou no desenvolvimento do A-Darter em 2006, e é co-proprietário dos direitos de propriedade intelectual e industrial do míssil. De acordo com o Gerente Técnico da Denel do Brasil, Everton de Paula, além de fabricar todos os mísseis que a FAB adquirir futuramente, o parque industrial brasileiro também irá fabricar componentes de unidades que venham a ser exportadas pelo Brasil e pela África do Sul para outros países. “Este contrato representa mais uma passo para a concretização da transferência de tecnologia. A tecnologia que nós tínhamos ainda era de terceira geração. Esse é um salto: vamos para mísseis de quinta geração”, afirmou.

O míssil A–Darter foi criado para ser lançado de aeronaves contra alvos aéreos. Ele conta com sensor que detecta o calor dos aviões inimigos e é dez vezes mais rápido que um caça.

Características - Com 2,98 metros de comprimento e 90 kg de peso, o A-Darter é um míssil criado para ser lançado de aeronaves contra alvos aéreos. Para isso, conta com um sensor que detecta o calor de aviões e helicópteros para guiagem. A diferença é que, ao contrário dos modelos mais antigos, um caça equipado com o A-Darter pode atingir tambem alvos

que estejam dos lados e até atrás da aeronave. Outra tecnologia inédita no Brasil é o empuxo vetorado, que é o direcionamento do jato do motor foguete. Somado ao movimento das quatro pequenas “asas”, o empuxo vetorado confere ao míssil a possibilidade de fazer manobras que alcançam até 100 vezes a força da gravidade (100G).


Fevereiro - 2013

7

RESGATE

FAB ajuda vítimas de tragédia em Santa Maria Incêndio em casa noturna do Rio Grande do Sul mobiliza a Força Aérea desde o resgate das vítimas até o voo da maior UTI Aérea já montada no país. Cinco militares da FAB morreram na tragédia

A

inda na madrugada de 27 de janeiro, com as primeiras informações de um incêndio em uma casa noturna a menos de 10 km da Base Aérea de Santa Maria (RS), militares do Batalhão de Infantaria da Aeronáutica foram até o local para ajudar no resgate das vítimas. Este foi o início de uma operação que envolveu médicos, enfermeiros, psicólogos e o uso da maior UTI aérea já montada no país – em 40 minutos passageiros em estado grave foram transportados de Santa Maria até a capital Porto Alegre (RS). Cinqüenta e quatro pessoas foram transferidas por via aérea. O apoio da Força Aérea foi solicitado pela Presidente Dilma Rousseff no seu primeiro pronunciamento após a tragédia. Com o grande número de feridos, bem maior que a quantidade de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) na cidade do interior, as aeronaves foram utilizadas para transportar de forma rápida os pacientes em estado grave. Um avião C-105 Amazonas do Esquadrão Onça teve seu interior adaptado com sete leitos de UTI e espaço para equipe médica. “Pelo que me consta, é a maior UTI aérea já montada no país”, disse o Coronel Jefson Borges, coordenador da missão. O tempo de voo entre as duas cidades era de 40 minutos. Antes do embarque, médicos intensivistas da FAB avaliavam cada paciente: seriam transportados aqueles com maior gravidade, mas em condições de suportar o voo. Outra equipe recebia as aeronaves em Porto Alegre, e uma terceira ia a bordo. “Tem um médico acompanhando cada paciente e dois enfermeiros”, explicou o Coronel Jefson. “Temos sete pessoas sendo atendidas por 21 profissionais simultaneamente dentro do Amazonas durante o trajeto”.

Um jato Legacy da FAB com 3 mil cm2 de pele humana do Chile doada ao Brasil

Helicóptero H-60L Black Hawk pousa em parque no centro de Porto Alegre

De acordo com o Capitão José Ricardo Schwarz, comandante do C-105 empregado na missão, foi necessário instalar os equipamentos e ter alguns cuidados especiais. “A aeronave é preparada com o abastecimento dos galões de oxigênio, cheque dos equipamentos médicos, organização das equipes, então é esterilizada. Dessa forma, ficamos prontos, esperando chegar o último paciente. Assim que ele embarca, precisamos executar a partida dos motores e iniciar o táxi com cautela e agilidade”, disse. Além de mais rápidas que as ambulâncias em solo, as aeronaves também tinham o tempo de voo reduzido por conta do apoio do sistema de controle do espaço aéreo, que dá prioridade para aeronaves que transportam pacientes. Aviões C-95 Bandeirante do 5° ETA e helicópteros H-60 Blackhawk do 5°/8° GAV complementaram os voos do C-105, sendo que os H-60 chegaram a pousar no Parque Farroupilha, no

centro de Porto Alegre, mais próximo dos hospitais. A partir do Rio de Janeiro (RJ), aviões C-130 Hércules também foram empregados na missão, com o transporte de respiradores, monitores de sinais vitais e medidores de oxigênio no sangue, além de pessoal de apoio. No total, 78 profissionais de saúde da FAB participaram da missão, entre militares da Base Aérea de Santa Maria, Hospital de Força Aérea do Galeão, Hospital de Aeronáutica de Canoas e do Quinto Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos. FAB também teve vítimas - Cerca de 24 horas após a tragédia, ao mesmo tempo em que o C-105 Amazonas partia para mais uma missão de UTI aérea, acontecia na Base Aérea de Santa Maria o velório de um dos militares da FAB que morreu no incêndio. O Sargento Luiz Carlos Ludin de Oliveira e os soldados Giovani Krauchemberg Simões, Leandro Nunes da Silva, Rodrigo Dellinghausen

Aeronaves C-98 Caravan transportam feridos para hospitais da região

Aeronave C-105 Amazonas com sete leitos de UTI aérea

Bairros Costa e Rhuan Scherer de Andrade eram do efetivo da Base. Para o Coronel Jefson, é impossível não associar a tragédia na cidade com as unidades da FAB que são baseadas ali. “A Base Aérea de Santa Maria está integrada à sociedade. A gente percebe a comoção na cidade, que inclusive também afetou a Base. Estamos em um ambiente único”, disse.


8

Fevereiro - 2013

ESPECIAL

Tire suas dúvidas sobre as alterações nop RUMAER O novo Regulamento de Uniformes da Aeronáutica (RUMAER) já esta valendo desde agosto do ano passado. Entretanto, algumas mudanças ainda estão em processo de transição e só entrarão em vigor, de fato, no dia 14 de junho do ano que vem. Veja quais alterações já estão valendo e quais você ainda pode aguardar para trocar seu uniforme:

O que já deve ser usado 5º Uniforme B

Para facilitar o manuseio em viagens e cerimônias, foi criado o 5º B, com o bibico. Mas atenção: observe a indicação do uniforme, pois o 5º A é com quepe.

7º Uniforme (A e B)

O uso da camiseta é branca obrigatório.

Identificação de nacionalidade, tipo dístico, será de uso permanente para todos.

Ao utilizar jaqueta ou colete, a tarjeta de identificação do militar deve ser fixada no lado direito.

De acordo com determinação do grande comando, será incluído o Distintivo de Condição Especial (DCE) no 7º B (bolso direito).

Educação Física (9º Uniforme)

8º Uniforme

Jaqueta azul /branca

O uso do boné é facultativo. Seguirá padronização de cada unidade.

Camuflado (10º Uniforme)

FORÇA AÉREA Tarjeta FORÇA AÉREA em brim verde bordado com linha preta.

Identificação de nacionalidade, tipo dístico, NÃO É para ser usado rotineiramente. Uso somente nos seguintes casos: No ombro esquerdo: Deslocamento no exterior e operações com países estrangeiros; No ombro direito: Missões da ONU/OEA.


Fevereiro - 2013

9

O que entra em vigor a partir de 14 junho de 2014 Educação Física (9º Uniforme) Camuflado (10º Uniforme)

Para os homens, uso obrigatório da camiseta branca com gládio alado (100% poliéster); A camisa regata será abolida.

O moletom do 9º foi substituído pelo abrigo de tactel

Tarjeta

O padrão da tarjeta será o modelo com as bordas arredondas.

Sapato

OLGA A+ Tarjeta de identificação em brim verde deve incluir o nome de guerra e o tipo sanguíneo bordado com linha preta.

Abreviaturas para tarjetas Houve padronização das abreviaturas de postos e graduações para as tarjetas, como nos exemplos abaixo: • • • •

1º Tenente passa a ser abreviado 1º Ten 2º Tenente passa a ser abreviado 2º Ten 1º Sargento passa a ser abreviado 1º Sgt 2º Sargento passa a ser abreviado 2º Sgt

Bibico de Suboficial

Proibido uso do sapato preto com verniz

Inclusão de um friso azul royal no bibico de suboficiais

O novo RUMAER traz ainda outras alterações que devem ser consultadas na ICA-352 de 2012, através do site: www.blaer.intraer.

FIQUE ATENTO: Não está autorizado o uso de distintivos de identificação de especialidade ou subunidade. (Ex.: PELOPES, CPA, PCG, CAES-DE-GUERRA, POLÍCIA DA AERONÁUTICA, CONTRA-INCÊNDIO).


10

Fevereiro - 2013

EDUCAÇÃO

ITA recebe conceito máximo do Ministério da Educação Saiba mais 2o Sgt JOHNSON / CECOMSAER

Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA), localizado em São José dos Campos (SP), obteve conceito máximo, ou seja, nota 5, no Índice Geral de Cursos (IGC) relativo ao triênio 2009, 2010 e 2011, divulgado pelo Ministério da Educação (MEC). Das 2.136 instituições de ensino superior avaliadas, apenas 203, ou seja, 9,5%, obtiveram a nota máxima. Segundo o Reitor do ITA, Carlos Américo Pacheco, a nota máxima no indicador é uma constante do Instituto, que reflete o nível dos alunos. O Reitor atribui a nota ao bom desempenho dos alunos, à alta qualidade do corpo docente – formado quase exclusivamente por doutores – e às condições de infraestrutura da escola. O IGC é um indicador do MEC que mensura níveis de qualidade das instituições, da graduação e da pós-graduação – mestrado e doutorado. No complexo cálculo desenvolvido pelo MEC para construir o IGC, o ITA só não alcança nota máxima em um dos conceitos: o Indicador de Diferença entre o Desempenho Observado e o Esperado (IDD). Através do IDD é mensurado o valor agregado ao estudante pela instituição, ao avaliar as diferenças de conhecimento entre alunos ingressantes e concluintes. Como o ITA seleciona, através

2o Sgt JOHNSON / CECOMSAER

O

O

Dentre as 2.136 instituições avaliadas, o ITA ficou entre as 203 com conceito máximo

de seu concorrido processo seletivo, alunos com um nível de conhecimento já elevado, a diferença de desempenho entre calouros e formandos não é alta o suficiente para angariar

um bom nível de IDD. “O IDD é um desafio para o ITA, pois quando se recebe alunos tão excepcionalmente bons é difícil fazê-los infinitamente melhores”, explica o Reitor.

Instituto Tecnológico de Aeronáutica foi criado em 1950 e é considerado, inclusive em âmbito internacional, centro de referência na formação e especialização em engenharia. O ITA recebe anualmente turmas de 130 alunos divididos em cinco tipos de engenharia: civil, aeronáutica, mecânica, eletrônica e da computação. Os graduandos podem optar pela carreira militar e se tornam 1º Tenente Engenheiros da Força Aérea Brasileira. Além dos cursos de graduação, o ITA oferece cursos de pós-graduação, mestrado e doutorado.

CONCURSO – FAB oferece 140 vagas para Taifeiro

A

Força Aérea Brasileira lançou o edital para o exame de admissão ao Curso de Formação de Taifeiros da Aeronáutica (EA-CFT). São oferecidas 140 vagas: 70 vagas para a especialidade Arrumador e 70 para Cozinheiro. A prova escrita será realizada no dia 23 de março de 2013. As inscrições podem ser realizadas até 18 de fevereiro. O valor da taxa de inscrição é de R$ 60,00. Podem participar do processo sele-

tivo candidatos do sexo masculino, que possuam o ensino médio completo e tenham entre 18 e 24 anos de idade. Além disso, é necessário apresentar certificado que comprove a qualificação profissional como garçom ou cozinheiro. O EA-CFT é constituído das seguintes etapas: Exame de Escolaridade (Língua Portuguesa e Matemática) e de Conhecimentos Especializados; Inspeção de Saúde; Exame de Aptidão Psicológica; Teste de Avaliação

do Condicionamento Físico e Análise e conferência dos critérios exigidos e da documentação prevista para a matrícula no Curso. Ao concluir o curso com aprovei-

tamento o aluno será promovido à graduação de Taifeiro-de-Primeira-Classe (T1). Para saber mais leia o Edital do Concurso no site: www. fab.mil.br.

Locais onde serão realizadas as provas:

SÃO PAULO-SP (IV COMAR) CAMPO GRANDE-MS (IV COMAR) CANOAS-RS (V COMAR) BRASÍLIA-DF (VI COMAR) MANAUS-AM (VII COMAR) BOA VISTA-RR (VII COMAR) PORTO VELHO-RO (VII COMAR)

BELÉM-PA (I COMAR) RECIFE-PE (II COMAR) RIO DE JANEIRO-RJ (III COMAR) BELO HORIZONTE- MG (III COMAR)


Fevereiro - 2013

11

EDUCAÇÃO

A

pós serem aprovados em um concorrido processo seletivo, os novos alunos dos Cursos de Formação de Oficiais de Aviação, Intendência e Infantaria chegaram em janeiro à Academia da Força Aérea (AFA), em Pirassununga (SP). São 63 jovens de todas as regiões do país: 52 homens e 11 mulheres. Eles foram selecionados a partir de concurso público que incluiu prova escrita, teste físico, exame médico e psicológico e, para o curso de Aviação, teste de aptidão à pilotagem militar. Esta foi a segunda vez que Daniel Beltramini Ramos, 20 anos, tenta o ingresso na especialidade de aviação militar e não esconde a alegria em dar os primeiros passos para a realização de um sonho. “Desde pequeno, sempre tive paixão por velocidade e descobri o mundo da aviação. Pesquisei sobre a aviação e a vida militar, e achei que me adaptaria bem. Sou o primeiro militar da família. É uma gratificação enorme, posso afirmar que hoje é o dia mais feliz da minha vida.”

Jovens se apresentam para o início do curso de formação de oficiais da AFA

mais sete cadetes estrangeiros. Ao todo serão 170 Aviadores, 23 Intendentes e 10 Infantes. Nos próximos quatro anos, eles irão enfrentar uma rotina intensa de estudos, formação ética e moral

EPCAR recebe 180 novos alunos

Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR) recebeu em janeiro 180 jovens para o estágio de adaptação. Pela primeira vez, os meninos, com idades entre 13 e 18 anos, realizaram a entrada simbólica pelo portão das armas no mesmo dia em que chegaram à escola. Os familiares acompanharam de perto a cerimônia em que cada um deles recebeu os cumprimentos do Comandante da EPCAR, Brigadeiro do Ar Waldeísio Ferreira Campos. “Lembrei de quando entrei por esses mesmos portões há 38 anos”, falou o comandante. Dois aviões de caça F-5, do 1º Grupo de Aviação de Caça, sobrevoaram o local do evento. Lá do ar, o piloto deu as boas vindas aos garotos.

2O SGT DIEGO / EPCAR

A

Daniela Covolo Canabarro, 19 anos, escolheu o curso de Intendência. Como vem de uma família de militares, conhece bem a realidade da vida de caserna e destaca a união entre os militares como diferencial na profissão. “O espírito de corpo é o que mais me agrada na FAB”, disse. Enquanto os estagiários entregavam a documentação para a matrícula, os familiares assistiram a uma palestra sobre a AFA e a nova rotina que os jovens haviam escolhido enfrentar. Étila Pauferro veio do Rio de Janeiro para se despedir do filho Sandro, que fará o curso de Intendência, e confessa que não sabia o que esperar. “Tudo o que vi ali me surpreendeu. Minha expectativa é que meu filho melhore cada vez mais e que continue com a humildade que tem”, afirma. O 1º Esquadrão do Corpo de Cadetes da Aeronáutica será formado, ainda, por mais 140 jovens, egressos da Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR), escola de ensino médio da FAB. A turma terá ainda

S1 DIEGO / AFA

Novos alunos chegam à Academia da Força Aérea

Comandante da EPCAR recepciona novos alunos que chegam à Escola

e de exercícios físicos. O curso também inclui treinamentos operacionais, como exercício em cenários de emergência, sobrevivência na selva e no mar, salto de paraquedas, instrução de tiro, dentre outras.

CONCURSO - Veja o que muda a partir deste ano para as provas da AFA e da EPCAR

A

partir deste ano, as provas dos concursos para ingresso na Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR) e na Academia da Força Aérea (AFA) terão mais disciplinas. A novidade na EPCAR é a inclusão da língua inglesa e de redação. Na prova da AFA, os candidatos terão de fazer uma redação. O processo seletivo 2013 para a AFA começa em maio e para a EPCAR em junho. O novo conteúdo programático serão especificados nos editais dos concursos, que estarão disponíveis no site: www.fab.mil.br.


12

Fevereiro - 2013

INFORMÁTICA

A

nova versão do SIGADAER (Sistema Informatizado de Gestão Arquivística de Documentos da Aeronáutica) já está em testes pelos próprios usuários do sistema. Entre as novidades está uma nova interface, mais amigável, e a manipulação de documentos em lote, permitindo aos usuários realizar ações em um conjunto de documentos ao mesmo tempo. Agora também é possível a criação de modelos de documentos específicos de cada unidade, editados no OpenOffice ou BROffice. Segundo o Major Marcos Antonio Alves de Oliveira, do CCA-SJ, onde foi desenvolvida a nova versão, a principal inovação da ferramenta é a Assinatura e Expedição Digital de Documentos. “A necessidade de imprimir e remeter os documentos via correio ou fax será menor. A remessa de documentos gerados no sistema poderá ser feita de forma eletrônica, pela INTRAER, conferindo mais agilidade ao trâmite de documentos e reduzindo custos”, destacou o Major Marcos.

Para viabilizar o projeto, foi necessário implementar a Assinatura Digital, em conformidade com a Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira (ICP-Brasil), que é uma cadeia hierárquica e de confiança que viabiliza a emissão de certificados digitais para identificação virtual do cidadão. Assim, a assinatura digital provida pelo SIGADAER 4.1 garante a autenticidade dos documentos assinados digitalmente. O assinante terá que solicitar seu token com Certificado Digital junto a Autoridade Registradora (AR), unidade recentemente criada pelo Comando Geral do Pessoal (COMGEP), em Brasília. A Diretoria de Tecnologia da Informação (DTI) e os Centros de Computação da Aeronáutica de São José dos Campos (CCA-SJ) e do Rio de Janeiro (CCA-RJ) já estão utilizando o sistema. O CCA-BR e CENDOC serão as próximas Organizações Militares a receber a nova versão, ainda em fase de testes. Além dos testes com a nova versão do SIGADAER, o CCA-SJ e o

TM VICTOR / CCA-SJ

Nova versão do SIGADAER apresenta assinatura digital e modelos específicos para cada unidade

CENDOC estão preparando a reedição do PCA 7-12 – Plano de Implantação e Uso do SIGADAER, que será submetido à aprovação do COMGEP. No plano constará o cronograma de implantação da nova ferramenta na FAB, bem como a indicação para que os assinantes de documentos solicitem seu Certificado Digital.

A versão 4.1 do SIGADAER está em testes pelos usuários do sistema em algumas unidades da FAB


Fevereiro - 2013

13

TECNOLOGIA

A Força Aérea Brasileira está desenvolvendo o projeto “Link BR2”, tecnologia que vai permitir os aviões trocarem dados entre si em pleno voo. O contrato assinado com a empresa Mectron, de São José dos Campos (SP), prevê que até 2016 o sistema deverá estar instalado em quatro caças F-5M, quatro A-29 e dois E-99, além de estações em solo, inclusive para uso do Exército e da Marinha. O planejamento prevê instalar o Link BR2 futuramente em um maior número de aeronaves, além de outros modelos, como helicópteros, aviões de patrulha e de reabastecimento em voo. "O sistema de datalink é um multiplicador de força para qualquer Força Aérea", afirmou o Brigadeiro Carlos de Almeida Baptista Júnior, Presidente da Comissão Coordenadora do Programa Aeronave de Combate

O acordo foi assinado entre a COPAC e a empresa Mectron

o desenvolvimento do Brasil na área de tecnologia. "É uma condição sine qua non fazer o desenvolvimento no Brasil para que a indústria nacional de defesa possa ter essa competên-

cia, atender a essas necessidades, absorver tecnologia com garantia de segurança nacional e depois exportar para outros países e crescer ainda mais", disse.

IAE realiza ensaios do Projeto DPA-VANT

Projeto DPA-VANT deu mais um passo importante. O Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE) realizou em dezembro ensaios com corrida no solo de protótipos do VANT Acauã. O objetivo dos ensaios foi aquisição de dados para identificação de parâmetros para o controle automático da aeronave no solo. Também foram verificadas a nova configuração das plataformas de voo e a instalação de novos equipamentos, como DGPS (GPS Diferencial) e laser altímetro. O Projeto DPA-VANT tem como objetivo o desenvolvimento de um Sistema de Decolagem e Pouso Automáticos (DPA) para Veículos Aéreos Não Tripulados (VANT). O Projeto utiliza o Sistema de Navegação e Controle desenvolvido no Projeto VANT, que inclui as funções de piloto automático, navegação autônoma e retorno à base em caso de perda

IAE

O

(COPAC), organização da FAB responsável por projetos de aquisição. O Link BR2 vai integrar mais aeronaves da FAB em uma só rede, diferente dos modelos atualmente em uso, que são restritos a aeronaves específicas. Com o novo datalink será possível, por exemplo, um piloto conseguir visualizar todos os dados captados pelo radar de outro avião. O Brigadeiro Baptista Júnior lembrou ainda que o contrato assinado envolve não apenas a aquisição do sistema, mas o seu desenvolvimento no Brasil. "É uma oportunidade para a indústria nacional, para que a gente traga não somente a fabricação do hardware ou do rádio, mas principalmente a inteligência que está dentro deste processo do datalink", explicou. Já o presidente da Mectron, Gustavo Ramos, ressaltou que este contrato é importante para assegurar

CB V.SANTOS / CECOMSAER

FAB terá sistema nacional de datalink para comunicação entre aeronaves

VANT Acauã faz testes do piloto automático e navegação autônoma

de link de comunicações. O Projeto VANT foi concluído com sucesso em junho de 2010, após a realização de 59 voos na Academia da Força Aérea (AFA). Como plataforma de ensaio é utilizado o VANT Acauã, construído

pelo DCTA, com 5 metros de envergadura e 150 quilos de peso máximo. Nos ensaios, foram realizadas nove corridas com sucesso, com velocidades estabilizadas entre 10 e 60 km/h. Os principais itens analisados

foram a atuação da bequilha, a eficiência do sistema de freios e a aceleração lateral da aeronave. Cerca de 30 pessoas participaram dos ensaios, incluindo integrantes do IAE, DTCEA-SJ e INFRAERO. Segundo o engenheiro Flavio d'Oliveira, coordenador do projeto, os dados obtidos nos ensaios possibilitarão que sejam realizados ensaios com decolagem e pouso comandados pelo piloto automático do Acauã. As tecnologias pesquisadas poderão ser incorporadas em futuros VANT produzidos pela indústria nacional, como o VANT Falcão, em desenvolvimento pela AVIBRAS. O projeto é coordenado pelo IAE e conta com a participacao do Exército, da Marinha e é apoiado pela Fundação de Desenvolvimento da Pesquisa (FUNDEP), com recursos financeiros da Financiadora de Estudos e Projetos.


14

Fevereiro - 2013

SAÚDE

VII COMAR realiza operação de combate à dengue

M

ilitares do Sétimo Comando Aéreo Regional (VII COMAR) realizam até março a Operação Impacto Contra a Dengue. A iniciativa tem o objetivo de diminuir a proliferação da doença em Manaus. Em dezembro, quase dez mil residências foram vistoriadas. O trabalho, que começou na Zona Leste da capital amazonense, consiste em visitar as residências, identificar e erradicar de possíveis focos e orientação da população sobre o combate à dengue. A ação vai percorrer todo o município. “A operação poderá ser adaptada de acordo com o panorama da doença na cidade, com a redistribuição das equipes”, destacou o chefe do Sétimo Serviço Regional de Saúde (SERSA-7), Tenente Médico Waldyr de Oliveira Junior.

Com clima quente e muita chuva, Manaus possui ambiente propício para a proliferação do mosquito. Contudo, desde 2008, a operação têm possibilitado o controle da doença. Dengue - A dengue é um dos principais problemas de saúde pública no mundo. A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que entre 50 a 100 milhões de pessoas se infectem anualmente. Segundo o Ministério da Saúde, no Brasil as condições socioambientais favoráveis à expansão do mosquito possibilitaram a dispersão do vetor e o avanço da doença. O grande problema para combater o mosquito é que sua reprodução ocorre em qualquer recipiente que armazene água. Assim, a prevenção exige a mobilização de toda a comunidade a partir de medidas simples.

Não se esqueça: - Não deixar água parada em pneus. O ideal é fazer furos para evitar o acúmulo de água; - Não deixar água acumulada sobre a laje de casa; - Não deixar a água parada nas calhas. Remover folhas, galhos ou qualquer material que impeça a circulação da água. - A vasilha de vasos de plantas não pode ter água parada. Deixar sempre secas ou cobri-las com areia; - Vasilhas que servem para animais beber água não devem ficar mais do que um dia com a água sem trocar; - As piscinas devem ter tratamento de água com cloro; as não utilizadas devem permanecer sempre secas; - Sempre que observar alguma situação que você não possa resolver, avisar imediatamente um agente público de saúde para que uma medida seja tomada.

Projeto do DCTA multiplica sorrisos

D

esde 2010, as Tenentes Adriana Paula Magacho e Blanche Cerruti trocam a Odontoclínica do Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA), em São José dos Campos (SP), por um consultório diferenciado. Elas atendem 260 crianças de zero e seis anos na creche Célio Lemos, num bairro carente da cidade. Depois de três anos, a dupla comemora uma marca considerável: venceram a cárie. O projeto da Odontoclínica atende duas vezes por semana, em média, quatro crianças por dia em uma estrutura conjunta: a sala e os equipamentos pertencem à creche e o material de consumo e a mão de obra são disponibilizados pelo DCTA. Os procedimentos realizados incluem limpeza, tratamento de canal, extração e restauração. As crianças atendidas não têm acesso a outros profissionais da saúde bucal. Por isso, são incluídas ações

de prevenção, inclusive para os familiares. “Também fazemos atividades preventivas, com palestras, e convidamos os pais. Entregamos escova de dente para cada um, porque ainda tem criança que chega e diz que não escova porque não tem escova em casa”, explica a Tenente Blanche. Para as dentistas, o carinho das crianças é a maior retribuição. “Elas entendem que o que fazemos é pensando no melhor para elas”, conta a Tenente Adriana. Entre as crianças, a briga é para ver quem vai ser atendido primeiro. E, nessa disputa, vale tudo: fazer fila antes mesmo de as dentistas chegarem, correr para ser o primeiro ou reclamar para as 'tias' de uma dor imaginária. “Eu já fiz e não dói nada, é docinho”, afirma Yasmin, de seis anos, incentivando as colegas mais ressabiadas. E, se ainda restou alguma dúvida, ela completa: “todo dia eu venho aqui, e nunca chorei”.

Projeto social da Odontoclínica do DCTA atende 260 crianças

Em três anos de projeto, os diretores da creche se dizem realizados por ter conseguido 100% das crianças livres de problemas odontológicos e das cáries.

“O DCTA nos provê excelentes profissionais e materiais de ótima qualidade, as crianças não podiam estar melhor amparadas”, afirma o vice-presidente da creche, Luiz de Lima.


Fevereiro - 2013

15

SAÚDE

Má postura no trabalho e as consequências à saúde Esperar a dor piorar não é a solução”, afirma a Tenente Fisioterapeuta Letícia Caixeta, do GAP-BR. “É muito importante que se faça pausas, pois não adianta estar num posicionamento adequado se a pessoa fica o dia inteiro mexendo no computador”, adverte a especialista. Mas somente a mudança de rotina no trabalho não é suficiente para evitar futuras dores. A prática de exercícios físicos é essencial.

POSTURA ERRADA

OLHOS: monitor próximo, re�lexos de janelas, lâmpadas e distâncias inadequadas dos olhos ao teclado e texto causam fadiga visual.

COLUNA: cabeça direcionada à frente e costas sem apoio provocam contração excessiva dos músculos da coluna, causam dores musculares e deformam os discos entre as vértebras. Ilustrações: 3S EDNALDO / CECOMSAER

M

uito tempo sentado em frente ao computador. Má postura. Falta de atividade física. Com o passar do tempo, esses hábitos podem trazer consequências graves à saúde. Segundo especialistas, 90% dos pacientes com problemas na coluna trabalham em funções administrativas. A principal reclamação nos consultórios de fisioterapia são dores na coluna cervical e lombar, que representam cerca de 70% dos casos. “A maioria das lesões associadas ao trabalho podem ser evitadas se forem tomadas ações no início. O mais importante é prevenir, não tratar.

POSTURA CORRETA

OLHOS: manter o topo da tela ao nível dos olhos e distante cerca de um comprimento de braço.

COLUNA: manter cabeça em posição reta e ombros relaxados, apoiando as costas no encosto da cadeira.

MEMBROS SUPERIORES: manter o antebraço, punhos e mãos em linha reta (posição neutra) em relação ao teclado e sobre a mesa.

MEMBROS INFERIORES: manter ângulo igual ao superior a 90° para o quadril e joelhos, além de um espaço entre a dobra do joelho e cadeira mantendo os pés apoiados no chão.

MEMBROS SUPERIORES: punhos e antebraços sem apoio geram sobrecarga nos músculos dos ombros, braços e punhos. Como conseqüência, há o bloqueio da irrigação sanguínea, lesionando de forma grave tendões por falta de oxigenação.

MEMBROS INFERIORES: �lexão excessiva dos joelhos e quadril provocam compressão das veias femorais levando a dores, inchaço, formigamento e varizes nos membros inferiores.


16

Fevereiro - 2013

Notaer Fevereiro 2013  
Notaer Fevereiro 2013  

TRAGÉDIA – FAB monta operação especial de socorro a vítimas de Santa Maria

Advertisement