Page 1

Noticiário da Aeronáutica - Ano XXXIII - 30 abr 2010

O futuro da comunicação social na Força Aérea O Centro de Comunicação Social da Aeronáutica (CECOMSAER) comemora quarenta anos de serviços prestados ao país

N

os últimos cinco anos, os principais jornais, revistas e canais de TV do país divulgaram, diariamente, ao menos cinco notícias sobre a Aeronáutica. Foram quase dez mil inserções pela imprensa de assuntos sobre a instituição tratados pelo Centro de Comunicação Social da Aeronáutica (CECOMSAER). Imagine agora esse número ao longo de 40 anos? São quatro décadas, dia e noite, contando as notícias da Aeronáutica. Há anos, a instituição entende como prioritária a construção de pontes para falar a sociedade. O plano de ação para os próximos 40 anos já está pronto: aprimorar ainda mais esses canais de diálogo. Neste momento, as informações da

Aeronáutica viajam na velocidade do som pela Força Aérea FM, ganham o mundo pela internet e chegam a diversos públicos estratégicos nas letras impressas do Notaer e da Aerovisão. Ao mesmo tempo, a Agência de Notícias da Força Aérea assegura a distribuição de informações que ajudam a entender o papel da instituição. Em outras frentes, o CECOMSAER conduz uma das maiores reformas de conteúdo e de ferramentas de divulgação das oportunidades de trabalho na Aeronáutica, o que resultará em novos portais na internet para as escolas de formação, vídeos de divulgação e o lançamento de um inédito Guia de Profissões Militares. Além disso,

campanhas anuais ajudam a compreender a importância do trabalho da Aeronáutica. Nas operações, o CECOMSAER inovou com a participação de estagiários de comunicação e com o emprego de um site simulado que auxilia na preparação de toda a estrutura de comando e controle indispensável para a atividade militar. Paralelamente, parcerias estratégicas ampliam o raio de ação da comunicação, como as apresentações da Esquadrilha da Fumaça, a participação da Força Aérea no filme Segurança Nacional, que estreia nos cinemas em maio, além de livros e atuação em feiras de ciência. Nas próximas páginas, você conhecerá um pouco desse trabalho.


2

Por Tenente-Brigadeiro-do-Ar Juniti Saito Comandante da Aeronáutica

Ricardo Stuckert

Artigo: A nossa voz N

o isolamento de comunidades em regiões atingidas por calamidades, em Santa Catarina e na Bolívia. No desespero de famílias diante de grandes tragédias, como no terremoto no Haiti. No socorro de brasileiros nos mais distantes pontos do país e do mundo, como o resgate de brasileiros que escaparam da guerra no Líbano. A Força Aérea Brasileira (FAB) esteve lá ajudando. Mas a quem caberia contar para a sociedade brasileira as histórias dos feitos anônimos dos militares que participaram desses trabalhos? Em boa parte dessas localidades, sequer havia repórter ou, quando existiam profissionais de imprensa, eram tantas as demandas de assuntos a serem acompanhados que não se podia garantir o sucesso da divulgação. Mas a comunicação social da Aeronáutica esteve lá, sempre, para contar em detalhes a importância do suor derramado por homens e mulheres da FAB em favor da sociedade brasileira. Foram quase dez mil notícias sobre a instituição na grande imprensa apenas nos últimos cinco anos. A comunicação é hoje uma atividade estratégica não apenas para o cotidiano, mas também para as operações militares, tão importante quanto a logística e a preparação de pilotos e aeronaves. Nas quatro décadas do Centro de Comunicação Social da Aeronáutica (CECOMSAER), muitas palavras foram escritas e imagens das incontáveis missões foram enviadas ao mundo, fruto

da incontestável abnegação dos profissionais que não mediram esforços para obter o melhor conteúdo e forma para bem comunicar. Com esse espírito foi inevitável e visível o crescimento da atividade de comunicação da FAB, e temos muito para celebrar. Ser transparente e ágil nas relações de comunicação é uma obviedade que independe de época ou circunstâncias. Entendo que não se constroi lealdade e cooperação na área da comunicação institucional, sem que haja o comprometimento e a honestidade com os propósitos da organização. Essa é a evidente pauta de trabalho dentro do Comando da Aeronáutica. Parabenizo, pois, todos os militares e civis que escreveram as páginas da história do Centro de Comunicação Social da Aeronáutica (CECOMSAER), tanto aos sediados em Brasília, como aos profissionais que a ela se dedicaram em cada uma das organizações da

nossa instituição pelo país. Eles são os responsáveis por informar nossas realizações, iluminar o que ficou ofuscado, valorizar a missão e os valores que professamos, ainda que sejamos todos soldados anônimos, pois divulgar o esforço da nossa gente de azul, que labuta incessantemente a serviço da soberania do Brasil, é justo e democrático. Enalteço os militares de norte a sul deste país que são a nossa voz. No limiar dos 70 anos da criação da instituição e dos 80 anos do Correio Aéreo Nacional (CAN), datas comemorativas para o ano que vem, estou certo de que as histórias de heroísmo e patriotismo, de honra, de lealdade e de cumprimento do dever, da Força Aérea Brasileira para com a nação, continuarão a ser contadas também com o suor dos profissionais que labutam na atividade de comunicação social. Que os próximos 40 anos do CECOMSAER sejam tão ricos e bem sucedidos em realizações. Parabéns!

NOTAER é uma publicação quinzenal do Centro de Comunicação Social da Aeronáutica (CECOMSAER). Está autorizada a transcrição parcial ou integral dos artigos publicados, com o devido crédito e remessa de um exemplar da publicação. Os textos foram produzidos pelas respectivas unidades e/ou pela equipe de jornalismo do CECOMSAER ISSN 1518-8558. Tiragem: 6.000 exemplares Chefe Interino do CECOMSAER: Cel Av Jorge Antonio Araújo Amaral Chefe da Divisão de Produção e Divulgação: Ten Cel Av Marcelo Luis Freire Cardoso Tosta Edição: 1º Ten QCOA CSO Luiz Claudio Ferreira, 1º Ten QCOA JOR César Eugênio Guerrero e 1º Ten QCOA JOR Alessandro Paulo da Silva Jornalista Responsável: 1º Ten QCOA CSO Luiz Claudio Ferreira - MTB 2758/PE

Revisão: 2º Ten QCOA JOR Flávio Hisakasu Nishimori Arte Gráfica e Diagramação: 3S SDE Renato de Oliveira Pereira e 3S SAD Jéssica de Melo Pereira Internet: www.fab.mil.br - E-mail: redacao@fab.mil.br. Endereço: Esplanada dos Ministérios - Bloco “M” - 7º andar - 70045-900 Brasília-DF - Telefone: (61) 3966-9665 - FAX: (61) 3966-9755.

NOTAER EDIÇÃO ESPECIAL - 30 abr 2010


3

marco de aniversário de 40 anos do Centro de Comunicação Social da Aeronáutica (CECOMSAER) impõe aos militares e civis da área em Brasília e nos elos em organizações de todo o país novas reflexões e práticas. Isso porque, a cada dia, os meios de difusão de informações têm evoluído e tornado os processos mais ágeis. “As evoluções têm vindo ao encontro das nossas necessidades de informar e valorizar a imagem institucional. Hoje em dia transmitimos e disponibilizamos áudios e vídeos o tempo inteiro por meio digital. A tecnologia é uma aliada para todos nós”, argumenta o Chefe Interino do CECOMSAER, Coronel-Aviador Jorge Antônio Araújo Amaral, que trabalha há 12 anos na organização. “É impressionante como os meios evoluíram. E vão evoluir muito mais. Precisamos estar muito antenados a isso”, adianta. Os profissionais que atuam em diferentes áreas na comunicação sabem que é importante a atualização permanente. A Divisão de Planejamento do CECOMSAER, por exemplo, busca capacitação dos profissionais de várias organizações do país.

Sgt Johnson / CECOMSAER

Novas tecnologias apoiarão expansão da atividade O

“Estamos em um nível hoje em dia que as operações militares denotam-se como um importante termômetro do que conseguimos e do que podemos fazer, com coberturas on-line apoiados em tecnologia. Essa é uma guerra que estamos na frente”, disse o chefe do CECOMSAER. Atualmente são utilizadas ferramentas como podcasts e videocasts, veiculadas em “youtube”. Há estudos

para inclusão de informações não só no site institucional mas também por intermédio de blogs e twitter. “O que vem pela frente é imprevisível, mas estamos preparados e muito atentos no que as tecnologias podem nos oferecer”. Para os militares da comunicação social, essas novidades chegam a jato. O fato é que já estão todos a bordo. O futuro está sendo planejado agora.

Nos anos 70, visão inovadora da FAB deu origem à atual estrutura de comunicação social

A

Força Aérea Brasileira carrega valores adquiridos no decorrer da sua história pela atuação de diversas personalidades que construíram a instituição. Ela é detentora do legado de brasileiros como Alberto Santos Dumont, dos Marechais Eduardo Gomes e Casimiro Montenegro Filho e do Patrono da Aviação de Caça, Brigadeiro Nero Moura, entre outros nomes importantes que ajudaram a imprimir na imagem da FAB uma aura de coragem e eficiência que se reflete diretamente no alto nível de confiança da população. O valor que os feitos históricos projetam na imagem da instituição

é tão claro que pode ser facilmente observado até mesmo além das nossas fronteiras, no respeito e na reverência com que os pilotos de caça são tratados passados 65 anos dos feitos heróicos dos pilotos brasileiros na Segunda Guerra Mundial. Esta imagem forte e a confiança da população são patrimônios cujo valor é difícil de aferir, mas certamente se fosse possível convertê-lo em moeda alcançaria uma cifra maior do que a da soma do número de aeronaves no acervo ou o conjunto da infraestrutura espalhada de Boa Vista, em Roraima, até Santa Maria, ASAS QUE PROTEGEM O PAÍS

no Rio Grande do Sul. Proteger esse tesouro é um dever de cada homem e mulher que veste o azul da FAB e uma verdadeira abnegação para os militares do CECOMSAER. Em todos os acontecimentos importantes que tiveram o envolvimento do Comando da Aeronáutica nos últimos 40 anos, a comunicação social teve um papel relevante e decisivo. A criação do Centro de Relações Públicas da Aeronáutica, célula inicial do CECOMSAER já demonstrava, em 1970, a preocupação crescente com a maneira como a sociedade enxergava a Força Aérea e a sua missão.


4

A

Sgt Johnson / CECOM

Sd Silva Lopes / CECOMSAER

Sd Silva Lopes / CECOMS

AER

Sgt Johnson / CE

lham todos os dias em benefício do país. A atividade de comunicação social faz isso pela instituição. Hoje, existem mais de 200 representantes da área de comunicação espalhados pelo Brasil, em diversas unidades, integrantes do Sistema de Comunicação Social da Aeronáutica (SISCOMSAE) - estrutura criada no início dos anos 70 para auxiliar no trabalho de divulgação da FAB. Em tempo real, aconteceu, virou notícia. Veja alguns exemplos de ações da FAB, no Brasil e no mundo, divulgadas pelo CECOMSAER:

SAER

Força Aérea não para. Neste exato momento, estão em andamento missões de ajuda humanitária, ações na região de fronteira, pesquisas tecnológicas inovadoras, treinamentos para a defesa do país, um gigantesco controle de tráfego aéreo civil e militar, além de obras de infraestrutura na Amazônia e ações sociais em diversas partes do Brasil, entre outras atividades. Em todas essas ações, se a FAB não contar a sua história, quem o fará? Como a sociedade irá conhecer o trabalho anônimo dos mais de 60 mil homens e mulheres que traba-

COMSAER

Ten Cesar Guerrero

/ CECOMSAER

Onde a FAB estiver, a comunicação social

LINHA DO TEMPO 30/04/1970 Criação do Centro de Relações Públicas da Aeronáutica (CRPA), no Rio de Janeiro

1973 Criação da revista Aerovisão

27/12/1972 Criado o Sistema de Comunicação Social da Aeronáutica (SISCOMSAE), que reúne todas as unidades para a atividade de comunicação social

1978 Criado o jornal NOTAER 1977 Desativação e transferência do CRPA do Rio de Janeiro para Brasília

NOTAER EDIÇÃO ESPECIAL - 30 abr 2010

1982 O CRPA passa a integrar o Sistema de Comunicação Social do Poder Executivo


5

Ten Cesar Guerr

A. Milena

ero / CECOMSAE

R

SO Rogério / CECOMSAER

Sd Sérgio / CECOMSAER

Sgt Perfoll / BAFL

Sgt Carminatti

/ CECOMSAE

R

estará em apoio às atividades militares

1986 O CRPA passar a ser chamado de Centro de Comunicação Social do Ministério da Aeronáutica

3/07/2000 Lançamento do primeiro site oficial da FAB na internet

1993 Criação do Curso Básico de Comunicação Social para a preparação de militares que irão desempenhar a função na Aeronáutica

2007 Lançado o Manual de Uso da Marca (digital) e publicado o Manual de Eventos do CECOMSAER

12/05/2005 Inaugurado o canal de videorreportagem da FAB na internet: Aerovia

ASAS QUE PROTEGEM O PAÍS


6

E

m 30 de abril do ano passado, a FAB inaugurou a Rádio Força Aérea FM, o primeiro veículo de comunicação em massa do Comando da Aeronáutica. Transmitindo para Brasília (91,1 MHz), a rádio conquistou espaço no concorrido dial da Capital Federal. A Força Aérea FM chega ao primeiro aniversário comemorando o início das transmissões para Foz do Iguaçu, no Paraná: 90,1 Mhz. A expansão da Força Aérea FM faz parte de um projeto do CECOMSAER de levar a rádio para as localidades situadas nas fronteiras do Brasil. “Foz do Iguaçu terá uma programação especialmente criada para a cidade, mas com a mesma qualidade que a Força Aérea FM tem em Brasília. Vamos levar informações

importantes sobre cidadania e música popular brasileira para a população que vive na tríplice fronteira”, afirma o Tenente-Coronel-Aviador Marcelo Tosta, chefe da Divisão de Produção e Divulgação do CECOMSAER, e responsável pela Força Aérea FM. A programação pode ser acompanhada ainda acessando o portal da FAB na internet (www.fab.mil.br). Hoje, a Força Aérea FM é ouvida em mais de cem países (fonte Crosshost) e está entre as 260 emissoras mais acessadas no Brasil, de um total de 2,7 mil rádios brasileiras. Projeto - Ao expandir sua atuação rumo à fronteira, a rádio pretende levar a presença do Estado para essas regiões, por meio da divulgação de serviços de saúde, higiene, além de informações e boa programação musical - a ideia é regionalizar a produção. Os próximos passos do projeto de expansão já estão bem adiantados. Logo, o Centro de Lançamento de Alcântara, no Maranhão vai sintonizar a programação na mesma freqüência de Brasília, 91,1 Mhz. E a cidade de Cuiabá também deverá ser contemplada, nos próximos meses. Além das localidades na fronteira e pontos isolados do território onde a FAB tem

Sgt Johnson / CECOMSAER

A FAB nas ondas do Rádio

atividades, as escolas de formação da FAB também deverão receber, em breve, o sinal da Força Aérea FM. Uma rádio é estratégica para o apoio da comunicação em operações militares. No Haiti, por exemplo, militares americanos distribuíram rádios portáteis à população atingida pelo terremoto e passaram a anunciar por meio desse veículo as localidades de distruição de ajuda humanitária. Ao longo da história, a rádio tem sido usado como um dos princiais canais de informação em períodos de conflitos. Na Colômbia, apenas o Exército tem mais de 70 emissoras legalizadas espalhadas pelo país. Hoje, o veículo é o principal agente da ação federal de desmobilização - o país mantém um programa permanente de ressocialização para guerrilheiros que depuserem armas. Nas entrevistas, a maioria dos que deixam o combate afirmam terem obtido informações sobre os benefícios por meio das rádios públicas e privadas.

CECOMSAER lança primeira edição do Manual de Redação e de Assessoria de Imprensa

A

primeira edição do Manual de Redação e de Assessoria de Imprensa da Força Aérea Brasileira está pronta. É a segunda publicação da coleção que já reúne o Manual de Eventos, lançado em 2007. O manual traz as padronizações necessárias para a produção do texto jornalístico da FAB, que é diferente do texto oficial de documentos, além de anexos com dicas de gerenciamento de crise, técnicas de entrevista e de relacionamento com a imprensa.

“A publicação mantém o compromisso do Centro de levar conhecimento e procedimentos sobre comunicação”, afirma o Chefe Interino do CECOMSAER, Coronel-Aviador Jorge Antonio Araújo Amaral. Os exemplares serão distribuídos para os setores de comunicação, mas o manual estará disponível na intraer: www.cecomsaer.intraer, a exemplo de outras publicações já editadas, como o Manual de Eventos e o Manual da Marca. Outros estão em produção.

NOTAER EDIÇÃO ESPECIAL - 30 abr 2010


7

Conteúdo da Força Aérea no portal da internet recebe em média 409 mil visitantes por mês

N

os últimos 11 meses, o portal da Força Aérea Brasileira registrou média de 409 mil visitantes (FAB) por mês, número que vem crescendo a cada ano. A experiência da instituição na internet começou em julho de 2000, com a criação do primeiro site oficial. Desde então, diversas atualizações foram feitas para tornar o conteúdo mais dinâmico e atrativo. A versão atual foi implementada em 2008 e introduziu novas ferramentas de gerenciamento de conteúdo e o tornou acessível para outros colaboradores - as unidades

que utilizam o veículo para a divulgação de informações. Desde 2005, videorreportagens (matérias de TV para internet) são disponibilizadas periodicamente, principalmente em operações militares e de ajuda humanitária, no Brasil e no mundo. No ano passado, na operação de busca ao voo 447, o portal da FAB tornou-se o principal veículo de informação sobre as ações realizadas no país, ferramenta obrigatória de consulta para os jornalistas que cobriram as ações deflagradas após o acidente aeronáutico. Em junho de 2009, a média de visitan-

tes/mês chegou a cerca de 800 mil. No total, no ano passado, o portal da FAB na internet foi visitado por pessoas em 204 diferentes países. Na ordem de acessos, depois do Brasil, o site é visto com mais frequência nos Estados Unidos, na França, na Inglaterra, em Portugal e na Áustria. O site na internet destina-se a divulgar informações e notícias de interesse do público externo. Fatos particulares e que despertam a atenção apenas do público interno são direcionados para a intraer. Para saber mais: www.fab.mil.br

PUBLICIDADE O princípio criativo das campanhas da FAB surge na divisão de Publicidade do CECOMSAER. A área de criação e desenho é responsável por diversos layouts, cartazes, e tudo mais que seja necessário para a comunicação, principalmente em concursos. Um dos trabalhos recentes mais marcantes da Divisão de Publicidade foi a concepção da pintura dos novos aviões VC-2 Embraer-190 que atendem a Presidência. JORNALISMO Nos últimos dez anos, os principais veículos impressos e os canais de

TV do país divulgaram quase 11 mil notícias sobre a FAB. Os assuntos dessas notícias foram tratados diretamente pela assessoria de imprensa, um dos ramos de atividade do CECOMSAER. A equipe de jornalismo produz e divulga, diariamente, notícias de interesse da instituição, além de fotos e vídeos em boa qualidade. ASAS QUE PROTEGEM O PAÍS

Sgt Johnson / CECOMSAER

RELAÇÕES PÚBLICAS A atividade é responsável por melhorar a relação da FAB com os diversos públicos que com ela interagem. É este setor que organiza os pedidos para a gravação de filmes e a participação institucional da FAB em qualquer projeto, como em novelas. O setor também cuida da agenda da Esquadrilha da Fumaça, uma das ferramentas de comunicação social mais importantes da Força Aérea.

Ten Cesar Guerrero / CECOMSAER

Saiba mais sobre o CECOMSAER


Criatividade é marca da comunicação da Força Aérea A Força Aérea acolheu estagiários dos cursos de jornalismo, de relações públicas e de publicidade em operações militares. A novidade abriu as portas da instituição para um público estratégico, os universitários, e ajudou a criar uma proveitosa ligação entre a instituição militar e o meio acadêmico. O sucesso foi tão claro que hoje a prática é difundida em boa parte das operações coordenadas pelo Ministério da Defesa, pela Marinha do Brasil e pelo Exército Brasileiro. A FAB também buscou a profissionalização. Admitiu oficiais formados em jornalismo, relações públicas e publicidade para atuar nas respectivas áreas do CECOMSAER, abertura que trouxe diversos dividendos além de uma clara melhoria no atendimento à imprensa, no trabalho de divulgação institucional e na criação de “pontes” com os públicos de interesse. Paralelamente, a unidade buscou ferramentas para especializar outras

Sgt Johnson / CECOMSAER

Fotos: Sd Sérgio / CECOMSAER

8

carreiras militares indispensáveis para a atividade, como aviadores, infantes e intendentes, além de especialistas, iniciativa primordial para os avanços observados na comunicação social. Outra demonstração de criatividade é a utilização em grande escala das ferramentas de comunicação no emprego operacional. Nos exercícios militares a ação é fictícia, ou seja, simula-se um conflito entre um país “A” e um país “B” para treinar as forças militares envolvidas. A FAB foi a primeira a utilizar um site simulado, uma espécie de agência de notícias fictícia que faz a cobertura jornalística do conflito. Essa ferramenta mostrou-se um poderoso instrumento de animação nos exercícios militares e também vem sendo adotada pelo Ministério da Defesa em todos os

NOTAER EDIÇÃO ESPECIAL - 30 abr 2010

exercícios conjuntos. A receita da comunicação social na FAB é simples: um olhar atento sobre o que se faz de melhor no mundo nessa área, aliado à revisão constante de procedimentos, ou seja, mente aberta para quebrar paradigmas que às vezes emperram o desenvolvimento de métodos mais eficazes de trabalho.

NOTAER ESPECIAL - O futuro da Comunicação Social na Força Aérea  
NOTAER ESPECIAL - O futuro da Comunicação Social na Força Aérea  
Advertisement