Page 1

ESPECIAL

Ano XXXIX Nº 8 Agosto, 2016

ISSN 1518-8558

FOTO: CB V.SANTOS / CECOMSAER

www.fab.mil.br

OLIMPÍADA

Um time de ouro Veja a atuação da Força Aérea Brasileira no maior evento esportivo do mundo. (Págs. 8 e 9) PROMOÇÃO - Saiba quem são os Oficiais-Generais promovidos e um pouco de suas trajetórias na FAB (Págs. 5 e 6)

OPERACIONAL – Veja nova aeronave da FAB, o Boeing 767, e entenda sua importância para a instituição (Pág. 7)

OLIMPÍADA - Conheça alguns dos atletas de alto rendimento que representam a FAB nos Jogos Oímpicos (Págs. 10 e 11)


2

Agosto - 2016

CARTA AO LEITOR

Expediente

Um novo formato Foram sete anos entre a escolha do Rio de Janeiro como cidade-sede dos Jogos Olímpicos 2016 e a concretização deste grande evento. Um tempo de ações produtivas com um placar final vitorioso. Enfim chegou a hora! A equipe da Força Aérea Brasileira está pronta para participar do maior evento esportivo do mundo e você confere, nas páginas a seguir, como os homens e mulheres desse time, que diuturnamente se põe a serviço do País, vão atuar. E para que sua leitura seja ainda mais proveitosa, nesta e nas próximas edições apresentamos a você uma nova proposta de diagramação.

Linha do tempo

1990

2000

Você vai conhecer o apoio da FAB na Olimpíada de uma maneira mais visual e com textos mais leves. Na imagem acima,você pode conferir a linha do tempo do Jornal Notaer, que está sempre evoluindo para proporcionar a você,

2010

2016

nosso leitor, uma experiência cada vez mais agradável. Nesta edição apresentamos também o histórico dos dois oficiais-generais promovidos no dia 31 de julho e a contribuição que eles dão para a FAB. Além disso,

trouxemos as novidades do primeiro teste militar da aeronave KC-390, a importância estratégica do Boeing 767 e os militares que se dedicam ao esporte e, independentemente dos Jogos Olímpicos, levam o nome do Brasil ao lugar mais alto do pódio. E se você quer ficar por dentro das novidades da FAB durante os Jogos Olímpicos, mostramos para você alguns dos nossos canais de comunicação. Não perca nenhum detalhe! Boa Leitura! Brig Ar Ary Soares Mesquita Chefe do CECOMSAER

O jornal NOTAER é uma publicação mensal do Centro de Comunicação Social da Aeronáutica (CECOMSAER), voltado ao público interno do COMAER. Chefe do CECOMSAER: Brigadeiro do Ar Ary Soares Mesquita. Editoras: Tenentes Jornalistas Emília Maria ( MTB 14234RS ) e Evellyn Abelha (MTE 973MS). Colaboradores: Textos enviados ao CECOMSAER via Sistema Kataná. Revisão: Major Av Paulo Costa Diagramação e Arte: Suboficiais Cláudio Bonfim Ramos; Sargentos Emerson Guilherme Rocha Linares, Lucemberg Nascimento Oliveira da Silva, Ednaldo da Silva e Cabo Maclaudio Gomes Pereira. Tiragem: 30.000 exemplares. Estão autorizadas transcrições integrais ou parciais das matérias, desde que mencionada a fonte. Esplanada dos Ministérios - Bloco “M” 7º andar CEP - 70045-900 / Brasília - DF

PENSANDO EM INTELIGÊNCIA

CONTRATERRORISMO Com a realização da Olimpíada, há uma grande preocupação dos órgãos de segurança para impedir ações de grupos terroristas no País. Muito embora não seja alvo específico, o Brasil não está isento da ocorrência de atentados em seu território. A Inteligência trabalha para antever essas ações por meio da análise de indicadores de condutas e de comportamentos suspeitos. O contraterrorismo objetiva identificar, monitorar e acompanhar pessoas ou grupos ligados, direta ou indiretamente, a organizações extremistas revolucionárias Embora seja trabalho dos órgãos de segurança, todo cidadão pode contribuir para essa atividade denunciando ou informando sobre indícios de possíveis planos terroristas.

Impressão e Acabamento: Log & Print Gráfica e Logística S.A

Ao se deparar com qualquer uma das condições suspeitas ilustradas no informa-

tivo (acima) do Ministério da Defesa, o cidadão deve procurar a autoridade de segurança

mais próxima e comunicar o fato. (Centro de Inteligência da Aeronáutica)


3

PALAVRAS DO COMANDANTE

Todos pelo esporte, todos pelo Brasil O Brasil vive um momento histórico mundial: pela primeira vez, um País da América Latina é sede dos Jogos Olímpicos. E a Força Aérea Brasileira está participando e dando sua contribuição de muitas maneiras. Além dos 38 atletas de alto rendimento, que levam o nome da FAB aos pódios em muitas competições, os efetivos de diversas de nossas unidades estarão envolvidos em áreas como o controle do espaço aéreo, a defesa aérea e a segurança e recepção de delegações e autoridades. Trata-se de uma excelente oportunidade para colocar em prática os constantes treinamentos pelos quais nossos militares passaram, além de mostrar

o importante trabalho da FAB para o mundo. Tenho a certeza de que nosso efetivo está preparado e desempenhará sua função com a excelência e a dedicação já características, e ainda com a honra e o orgulho elevados por reconhecer a importância de contribuir com esse momento especial. O evento Jogos Olímpicos Rio 2016 também nos traz a possibilidade de refletir sobre o estreito relacionamento entre a vida militar e o esporte. É por meio da atividade física que preparamos nossos corpos para enfrentar duras rotinas que exigem um ótimo preparo físico tais como a capacidade de suportar a força da gravidade nos voos supersônicos de F-5 ou as dezenas de horas voadas durante uma missão de busca e salvamento. Com o esporte reforçamos valores como respeito às

regras, hierarquia, disciplina, perseverança, responsabilidade e espírito de equipe. Além disso, desenvolvemos habilidades fundamentais ao desempenho das tarefas militares, entre elas foco, concentração, equilíbrio e destreza. Sentimo-nos honrados por poder participar e contribuir com o Brasil em mais um acontecimento histórico que é a Olimpíada. Valorizamos a prática esportiva e apoiamos eventos como esse, pois, mais que corpo são, o esporte promove a mente sã que ajuda a construir pessoas melhores para o mundo. De antemão, parabenizo e desejo aos atletas dos Jogos Olímpicos Rio 2016, e em especial aos da FAB, uma competição justa, sadia e que todo o esforço seja convertido em sucesso. Boa sorte a todos!

Tenente-Brigadeiro do Ar Nivaldo Luiz Rossato Comandante da Aeronáutica

FOTO: SGT JOHNSON / CECOMSAER

Agosto - 2016


4

Agosto - 2016

AMAZÔNIA

FOTOS: SGT MANFRIM / CECOMSAER

Você conhece os bastidores de um curso de sobrevivência?

Tenente JOR Iris Vascocellos Quase todos os militares da FAB passam por algum curso com lições sobre como sobreviver em situações limites. O que poucos sabem é como funciona os bastidores da coordenação para fazer esse tipo de atividade acontecer com segurança e da forma mais real possível. A equipe do NOTAER foi até o município de Novo Airão, a 80 km de Manaus (AM), onde 28 alunos participaram da 24ª edição do Curso de Adaptação Básica ao Ambiente de Selva (CABAS). O objetivo foi conferir como é essa rotina. Organizado pelo Esquadrão Harpia (7°/8° GAV), o CABAS é voltado para tripulantes. “Os alunos têm a alimentação reduzida gradativamente, além de cerca de 300 horas-aula divididas em mais de 30 instruções”, ressaltou o coordenador, Tenente Aviador Lucas Braz. São mais de 30 militares envolvidos na coordenação. Veja abaixo como é o dia-a-dia deles:

Cadê a Rabelo?

Essa é uma das frases que mais se escutou no período do curso. A Sargento especialista em elétrica Thamiris Thatianne de Araújo Rabelo era a pessoa mais solicitada quando se precisava resolver algum problema. Cabeamento, chuveiros, torneiras, gerador, sistema de som das oficinas e uso do combustível. Esses são alguns dos itens que ela administrou e teve de resolver.

Médico dos alunos e da co-

Navegação no Rio Negro munidade

Os alunos chegam ao Centro de Instrução e Adestramento da Polícia Ambiental (CIAPA) em uma balsa da Comissão de Aeroportos da Região Amazônica (COMARA) que navega pelo Rio Negro até chegar ao Rio Cueiras em uma velocidade de 8 km/h. Segundo o comandante da embarcação, suboficial Orlando Silva, o maior Chefs da cozinha da selva desafio é o clima instável da região e o Na cozinha, os taifeiros Celso Alvez Gonçalves aspecto sinuoso dos rios que também Júnior e Paulo Henrique Simão de Freitas fazem com são muito estreitos. que a distância de casa e o desconforto da equipe de Médico dos alunos e da comunidade coordenação sejam atenuados pelo cardápio variado. Escalado para prestar apoio médico aos alunos Eles cozinham pratos que vão do salmão à costela com do curso, o “doc” - como é chamado esse profissional mandioca, sem esquecer o tucunaré, peixe típico da da saúde no jargão militar - acaba também fazendo região, e o doce de cupuaçu como sobremesa. atendimento aos moradores da comunidade de Novo “Tentamos fazer com que a comida não fique Airão, que não têm muito acesso a médicos. monótona”, conta o taifeiro Celso Junior. “É muito gratificante poder atender as pessoas que precisam do nosso apoio”, destaca o Aspirante Médico Henry Ramirez, que em apenas dois dias já tinha consultado um paciente com uma lesão no pé O CABAS é realizado no e um paciente diabético. CIAPA, instalação da Polícia

H-60L Black Hawk

Federal. A chegada até o local só pode ser feita por embarcações ou helicóptero. Nesse caso, o H-60L Black Hawk, utilizado tanto para apoio logístico, quanto para auxílio às instruções é visto pousando no CIAPA frequentemente.

O coordenador “Nós começamos a organizar o curso assim que o anterior termina, mas o trabalho é intensificado dois meses antes. Quando o curso começa não há mais folga. Tem instruções de manhã, de tarde e de noite”, destacou o Tenente Braz.


6

Agosto - 2016

Promoção de Oficiais-Generais Tenente-Brigadeiro do Ar Paulo João Cury Nat u ra l d e S ã o Jos é dos Campos (SP). Praça de 07/02/1977, declarado Aspirante em 10/12/1980. Principais cargos - Oficial de Operações do 1º Esquadrão do 1º Grupo de Aviação de Caça (1º GAVCA); Comandante do 1º GAVCA; Oficial de Material do 1º/14º Grupo de Aviação de Caça; Oficial de Operações do 1º/14º Grupo de Aviação de Caça; Chefe da III Seção do Estado-Maior do CATRE; Chefe da Divisão Técnica do Parque de Material Aeronáutico dos Afonsos (PAMA-AF); Chefe da Divisão Técnica do Parque de Material Aeronáutico do Galeão (PAMA-GL); Diretor do Parque de Material Aeronáutico do Recife (PAMA-RF); Chefe da

Comissão Aeronáutica Brasileira em Washington (CABW); Subdiretor de Administração Logística (SDAL) da Diretoria de Material Aeronáutico e Bélico (DIRMAB); Diretor do Centro Logístico da Aeronáutica (CELOG); Diretor de Material Aeronáutico e Bélico; e Comandante da Universidade da Força Aérea (UNIFA) e Presidente da Comissão de Desportos da Aeronáutica (CDA). Horas de voo - Possui mais de 4 mil horas de voo. Principais condecorações: Ordem do Mérito Aeronáutico – Grande-Oficial; Ordem do Mérito Militar – Grande-Oficial; Medalha da Vitória; Medalha Militar - Ouro; Medalha Mérito Santos Dumont; Medalha Mérito Tamandaré;

Medalha do Pacificador; Menção Destaque Operacional – Prata, concedida pelo COMGAR; Mérito Aeronaval; Medalha Constitucionalista da Sociedade Veteranos de 1932 – MMDC, concedida pelo Governo do Estado de São Paulo; Medalha Santos-Dumont - Grau Ouro, concedida pelo Governo do Estado de Minas Gerais; Medalha da Inconfidência – Grande Medalha, concedida pelo Governo do Estado de Minas Gerais; Medalha da Ordem do Mérito Judiciário Militar – Alta Distinção, concedida pelo Superior Tribunal Militar. Cargo designado: Comandante do Comando Geral de Apoio (COMGAP).

Brigadeiro Intendente Mauro Fernando Costa Marra Natural do Rio de Janeiro (RJ). Praça de 05/03/1979, declarado Aspirante em 12/12/1986. Principais Cargos - Chefe da Divisão de Processamento de Dados da Subdiretoria de Pagamento de Pessoal (SDPP); Chefe da Subdivisão de Tecnologia da Informação do Gabinete do Comandante da Aeronáutica (GABAER); Agente de Controle Interno do GABAER; Chefe Da Divisão Administra-

tiva da Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR); Prefeito de Aeronáutica de Santa Cruz (PASC); Chefe da Divisão Administrativa do Parque de Material Aeronáutico do Galeão (PAMA-GL); Diretor da Pagadoria de Inativos e Pensionistas da Aeronáutica (PIPAR); Vice-diretor da Diretoria de Tecnologia da Informação (DTI); Agente de Controle Interno da Diretoria de Saúde da Aeronáutica (DIRSA); e Chefe da Divisão

Administrativa da DIRSA. Principais Condecorações Ordem do Mérito Aeronáutico, grau Oficial; Medalha Militar de Ouro; Medalha Mérito Santos Dumont; Menção Destaque Operacional Platina - COMGAR; Medalha Mérito COBANGU; Medalha Santos Dumont do Estado de MG; e Medalha da Vitória. Cargo Designado: Subdiretor de Encargos Especiais da DIRINT.


Agosto - 2016

7

OPERACIONAL Boeing da FAB realiza transporte de tropa para os Jogos Olímpicos Tenente JOR Gabrielli Dala Vechia A nova aeronave de transporte pesado da Força Aérea Brasileira - um Boeing 767 - está sendo empregada em apoio aos Jogos Olímpicos. A aeronave realizou o transporte de parte das tropas que atuam na segurança nas ruas do Rio de Janeiro provenientes de várias regiões do Brasil. Cerca de 2 mil militares dos Batalhões de Infantaria da FAB, além da Marinha e Exército já foram transportados pelo avião. O Boeing é operado pelo Esquadrão Corsário (2º/2º GT) e foi alugado pela Força em um contrato de três anos. Conheça as capacidades da aeronave que chegou ao Brasil no dia 10 de julho.

PENSANDO EM SEGURANÇA DE VOO

Jogos Olímpicos 2016: 42 modalidades esportivas, 19 dias de competição e 306 provas valendo medalhas. Neste contexto, o Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (CENIPA) atuará para garantir aos envolvidos na atividade aérea a segurança de voo com o Plano de Resposta à Emergência. Nas cidades-sede dos jogos (Brasília, Rio de Janeiro, São Paulo, Salvador, Manaus e Belo Horizonte), equipes especializadas na prevenção estarão realizando trabalho de conscientização somada à busca de informações voluntárias. Caso todas as barreiras implementadas não sejam capazes de mitigar a ocorrência aeronáutica, a investigação de acidentes aeronáuticos será realizada na pronta-resposta das ações.

FOTO: INTERNET

Voo seguro na Olimpíada

Em eventos esportivos de grande porte, como foi a Copa do Mundo de 2014, no Brasil, o CENIPA atuou com eficiência na prevenção e investigação

de acidentes. Com o Plano de Resposta a Emergência, nos Jogos Olímpicos 2016, a intenção será manter a qualidade dos processos investigativos,

preventivos e reativos, em qualquer ocorrência. Na atividade, atuarão militares especializados em investigação de incidentes e

acidentes aeronáuticos, liderados e supervisionados pelo investigador-encarregado. As atividades realizadas pelo CENIPA têm como única finalidade a prevenção de acidentes, por meio da identificação dos fatores contribuintes presentes, direta ou indiretamente, na ocorrência e na emissão de Recomendações de Segurança de Voo (RSV), que possibilitem ações reais ou tomadas de decisões que venham a eliminar aqueles fatores ou a minimizar as suas consequências. A implementação de medidas mitigadoras e a colocação de barreiras que visem impedir novos acidentes são os objetivos da investigação dos acidentes aeronáuticos. (Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos).


Agosto - 2016

A FAB nos Jogos Olímpicos

RIO 2016

Veja como será o trabalho do efetivo da Força Aérea Brasileira na competição Defesa Aérea

Receptivo

Segurança

As ações de defesa aérea serão coordenadas pelo Comando de Defesa Aeroespacial Brasileiro (COMDABRA), órgão da FAB sediado em Brasília (DF), responsável por empregar o poder aeroespacial brasileiro para assegurar a soberania do País. Do COMDABRA, serão acionados os meios aéreos para intensificar a defesa nos locais de competição. Para manter os serviços de tráfego aéreo e a segurança do evento, o Comando da Aeronáutica definiu áreas de exclusão em determinadas porções do espaço aéreo brasileiro. (Veja no infográfico ao lado como funcionam as áreas de exclusão)

A estrutura das bases aéreas estão mobilizadas para atuar durante os jogos. A prioridade é manter a segurança das instalações da FAB, das comitivas e autoridades que chegam no País e da infraestrurura aeroportuária, principalmente no aeroporto de Galeão. Além disso, militares treinados integrarão os grupos de motociclistas que atuarão como batedores de autoridades. Eles farão a escolta de delegações. Grupos de infantaria da Aeronáutica foram adestrados para atuar na abordagem de solo de aeronaves que tenham sido obrigadas a pousar por terem sido interceptadas. Militares de Operações Especiais da FAB também estarão a postos para ações de pronto-emprego em situações críticas que exigem estratégia e precisão como contraterror, neutralização de ameaças e progressão urbana.

FOTO: SGT BRUNO BATISTA / CECOMSAER

FOTO: SGT PAULO REZENDE / CECOMSAER

As comitivas com chefes de estado e demais autoridades internacionais que vierem ao Brasil para acompanhar a abertura, o encerramento e as competições dos Jogos Olímpicos Rio 2016 serão recebidas nas bases aéreas da FAB. Além do desembarque na Base Aérea do Galeão (BAGL), na Ilha do Governador, no Rio de Janeiro, as autoridades serão recepcionadas nas unidades da FAB em São Paulo, Brasília, Salvador, Belo Horizonte e Manaus, cidades em que serão realizadas partidas de futebol. A FAB será responsável por coordenar as ações entre as instituições envolvidas, como Polícia Federal, Agência Nacional de Vigilância Sanitária, Receita Federal e Sistema de Vigilância Agropecuária Internacional, para o desembaraço alfandegário. O receptivo de autoridades é coordenado pelo Comitê Olímpico Internacional (COI) e Ministério de Relações Exteriores (MRE).

FOTO: SGT JOHNSON BARROS / CECOMSAER

8

Infraestrutura de Apoio

Espaço Aéreo FOTO; ALEXANDRE MANFRIM / CECOMSAER

Para dar suporte à Olimpíada, foram feitos investimentos nas áreas de infraestrutura e equipamentos. Um dos exemplos são as instalações do Centro de Treinamento Olímpico da Aeronáutica, que incluem uma piscina, duas pistas de atletismo, dois ginásios poliesportivos, um alojamento para 142 pessoas, entre outros. A ampliação do Centro de Tratamento de Queimados, que fica no Hospital de Força Aérea do Galeão também faz parte dos investimentos. A unidade, que já era referência, recebeu a estrutura necessária para atender vítimas de ameaças químicas, biológicas, radiológicas e nucleares (QBRN). Também será montada uma estrutura para descontaminação de possíveis pacientes. As tripulações dos helicópteros da FAB e dos cargueiros C-130 Hércules e C-105 Amazonas são responsáveis pela evacuação aérea em caso de ameaças QBRN.

No prédio do Centro de Gerenciamento da Navegação Aérea (CGNA), está ativada, desde o dia 20 de julho, a Sala Master de Comando e Controle. Militares das FAB e diversos órgãos governamentais atuam no local que funcionará 24 horas por dia, até o término das Paralimpíadas. É da Sala Master que os representantes das instituições visualizam a situação das aeronaves nos aeroportos, bem como sua evolução no espaço aéreo. As informações disponibilizadas em tempo real, em um telão de LED, permitem uma rápida tomada de decisão, feita de modo colaborativo entre as partes envolvidas. A operação abrange 39 aeroportos, incluindo as cidades-sede e aqueles que podem ser utilizados como alternativa para desembarque ou estacionamento de aeronaves. A ANAC estima que sejam realizados 270 mil embarques e desembarques, no Rio de Janeiro, nos quatro dias de pico (5, 15 e 22 de agosto e 16 de setembro).


Agosto - 2016

9


10

Agosto - 2016

RIO 2016

Atletas da FAB disputam medalhas olímpicas Tenente JOR João Elias

Cel Julio Almeida

A Força Aérea Brasileira (FAB) também vai atuar nas piscinas, pistas de corrida, quadras de esporte e em diversos outros campos. São 38 atletas de alto rendimento que estão na disputa por uma medalha olímpica tanto em esportes individuais como em equipe. Eles atuam em diversas modalidades, como natação, ginástica artística, handebol, badminton, ciclismo, tiro com arco, canoagem, entre outras. Alguns atletas são militares de carreira; outros fazem parte do Quadro de Sargentos Convocados. Confira a seguir alguns desses atletas que vão representar a FAB:

“É uma alegria muito grande conquistar uma vaga olímpica. Participamos de diversas disputas e treinamos pesado para ter condições de conquistar uma medalha”.

3º Sgt Ana Sátila “Treinei muito para a Olimpíada, participei de vários campeonatos internacionais, estou muito feliz por tudo e vou dar o melhor de mim, como tenho feito”. Eu confio no trablaho do meu técnico, de toda a equipe brasileira, tenho certeza que vai ser um dos melhores resultados para o Brasil”. A Sargento Ana Sátila acumula a experiência de ter participado de uma Olimpíada (Londres 2012) e tem uma prata no K1 do Mundial Sub 23. Conquistou 1º lugar nos Jogos Pan-Americanos 2015 e foi Campeã Mundial Júnior 2014.

3º Sgt Arthur Zanetti “As expectativas para a Olimpíada agora aqui do Rio são boas. Com certeza, vou batalhar duro e com todas as forças para conseguir o melhor resultado possível e trazer alegria para mim e também para o nosso País”. Conquistou o ouro nas argolas nos Jogos de Londres, em 2012, tornando-se o primeiro ginasta brasileiro da história a ser campeão olímpico. Também já conquistou três medalhas em campeonatos mundiais, além do ouro nas argolas e a prata por equipe do Pan de Toronto, em 2015.

Ouro no Pan-Americano de Toronto e nos Jogos Mundiais Militares, na Coreia, ambos em 2015, o Coronel Aviador Julio compete nas categorias de pistola livre e de pistola de ar. Foi três vezes 1º lugar individual na pistola Standard na Copa das Américas (2005, 2010 e 2014), além de ter conquistado diversos recordes nos Jogos Sul-Americanos.

3º Sgt Gideoni “Esse é um momento muito importante para o ciclismo brasileiro e estou muito feliz de ver o Brasil de volta aos Jogos Olímpicos. Estou muito contente e vou me preparar da melhor forma possível para representar bem o País”. Após 24 anos, o Brasil voltará a disputar o ciclismo de pista (Omnium) na Olimpíada e o representante é o Terceiro-Sargento Gideoni. Medalha de bronze dos Jogos Pan-Americanos.

38 atletas de alto rendimento da FAB estão em campo na disputa por uma medalha olímpica Conheça todos eles no site especial da Força para os Jogos Olimpícos: www.fab.mil.br/rio2016


Agosto - 2016

3º Sgt Domingos “Estou muito feliz por garantir a participação na Olimpíada, mas quero lembrar que a gente consegue esses feitos com a ajuda de muitas pessoas”. O Sargento Domingos, conhecido como “Montanha”, quebrou o jejum brasileiro de 84 anos sem um representante na modalidade de lançamento do martelo em uma edição de Olimpíada. Ocupando o terceiro lugar no ranking mundial da prova, é recordista brasileiro e sul-americano e Bi-campeão Ibero-Americano. Na vida pessoal, já superou um câncer na bexiga.

11

3º Sgt Lohaynny “Ser a primeira atleta do Brasil a participar dos Jogos no badminton é uma emoção grande. Agora vem a expectativa do começo dos Jogos Olímpicos e a realização do sonho de todo atleta”. A Sargento Lohaynny Vicente é a melhor brasileira colocada no ranking da Federação Mundial de Badminton (BWF). Ela já conqusitou a medalha de prata, categoria Dupla Feminina, nos Jogos Pan-Americanos (Toronto 2015); medalha de bronze, categoria Dupla Mista, nos Jogos Pan-Americanos (Toronto 2015); e medalha de ouro, categoria Dupla Feminina, no XX Internacional do Peru 2015. A atleta morou muito tempo em favelas no Rio de Janeiro e, muitas vezes, treinava descalça.

3º Sgt Tamires “Eu estava numa expectativa muito grande e fiquei muito feliz ao ver meu nome entre as convocadas. É um sonho... Eu estou na Olimpíada!” O Handebol Feminino busca a primeira medalha olímpica para o País. E uma das integrantes da equipe é a Terceiro-Sargento Tamires Morena. A militar faz parte do Programa de Atletas de Alto Rendimento, é integrante da Seleção Brasileira Militar de Handebol e defendeu o Brasil nos Jogos Pan-Americanos de Toronto, em 2015, quando conquistou a medalha de Ouro.

3º Sgt Mendonça “Treinamos bastante para ter um bom desempenho nos Jogos. Tenho muito a agradecer ao apoio da minha família, da Força Aérea Brasileira e, acima de tudo, de Deus.” Defensor da seleção Brasileira de Hóquei sobre Grama, o Sargento Mendonça tem em seu currículo títulos como a Medalha de Bronze no Sul-Americano de 2013, realizado no Chile; Medalha de Ouro no Pan-Americano de 2015, no Peru; e de Ouro no Evento-teste para os Jogos Olímpicos Rio 2016, em 2015, no Rio de Janeiro. É militar de carreira da FAB desde 2003 e integrante da Seleção desde 2011.

3º Sgt Marilson “A expectativa é muito grande, pretendo melhorar a minha posição em relação aos jogos anteriores, por isso, estou treinando muito e agradeço o apoio que a Força Aérea Brasileira tem me dado durante todos esses anos”. Esta será a terceira participação do atleta em Olimpíadas. Marilson esteve nos Jogos de Pequim, em 2008, e de Londres, em 2012, onde terminou na quinta colocação. Recordista brasileiro e sulamericano dos 5.000m, 10.000m e da meia maratona, é tri-campeão da Corrida de São Silvestre, bi-campeão da maratona de Nova Iorque; e campeão dos Jogos Pan-Americanos de Guadalarara 10.000m.


12

Agosto - 2016

#ÉISSOQUEIMPORTA

Carreira militar desperta talentos do esporte Tenente JOR Evellyn Abelha

E

les não estão entre os atletas classificados para

os Jogos Olímpicos Rio 2016, mas se destacam nas modalidades que competem

dentro e fora do Brasil. Por meio da carreira militar, descobriram a vocação para

o esporte e são exemplo como inúmeros profissionais da FAB que conciliam o de-

ver de servir ao País com a rotina de treinamento para as competições.

“ATRAVESSANDO OS SETE MARES” FOTOS: ARQUIVOS PESSOAIS

Ele foi o primeiro militar brasileiro a fazer a nado os 34km da travessia do Canal da Mancha, a prova é conhecida como o “Everest” da natação, alcançando a melhor marca mundial dos últimos cinco anos pela Channel Swimming Association. Agora o Major Adherbal Treidler está participando do Desafio Ocean’s Seven, que

“A CHANCE DE UMA NOVA VIDA”

so nadar no mar, em contato direto com a natureza, motivo-me em superar estes desafios como forma de demonstrar que com determinação, disciplina e superação, mesmo uma pessoa com responsabilidades profissionais e familiares diárias, é capaz de transpor os obstáculos que muitos consideram impossíveis”, ressalta o militar.

Ele é faixa marrom no Judô e o esporte entrou em sua vida por meio do Projeto Caravanas do Ar da Base Aérea de Florianópolis (BAFL), que atende crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade social. Ao ingressar na iniciativa em 2009, Guilherme Duarte Alves nem imaginava os rumos que sua vida tomaria. Além de conhecer o judô ele conheceu a profissão de militar. Hoje, Soldado do Batalhão de Infantaria na mesma unidade que o acolheu no esporte, Alves – seu nome de guerra na FAB – já participou de várias competições com resultados expressivos como 5 medalhas de ouro e 2 de prata no Campeonato Estadual de Santa Catarina; Tricampeonato Brasileiro; e a classificação no Campeonato Mundial de Judô em 2012. “Sou grato ao Projeto Caravanas do Ar e à BAFL por ter me apresentado ao judô. Através desse esporte, eu pude aumentar meu poder de concentração, melhorar minha disciplina e a minha autoestima”, aponta o militar.

“CORRENDO SE VAI AO LONGE” O ditado popular diz que “devagar se vai ao longe”, mas foi correndo que a Suboficial Corina Gomes chegou longe no esporte e na vida. A porta de entrada para o desporto coincidiu com o sonho de seguir a carreira militar na FAB. Começou a correr para conseguir aprovação no teste físico para a Escola de Especialista de Aeronáutica (EEAR). Gradativamente a corrida entrou em sua vida e seu bom desempenho abriu caminho para outras modalidades como pentatlo militar e triatlo. Atualmente participa de maratonas, meia marato-

reúne as sete travessias mais difíceis do mundo. Quem olha a trajetória do militar, custa a creditar que ele ficou 24 anos longe das piscinas e competições. Foi após problemas pessoais e também de saúde, que o Major reencontrou na natação a inspiração para superar os desafios dentro e fora da água. “Além de ser extremamente prazero-

nas e provas de rua. “Minha paixão é correr. Da vida militar eu transferi para o esporte a disciplina e dedicação. Sou pontual, não chego atrasada e sigo a planilha de treinos à risca. Amo minha profissão e o dinamismo que ela me proporciona. A corrida é meu ponto de equilíbrio, meu vício. Corro quando estou bem, estou triste ou simplesmente pelo prazer de correr”, revela a Suboficial.

“A DESTREZA DO ESPORTE QUE AJUDA OS PILOTOS”

Não é a toa que a esgrima está entre os cinco esportes que compõe a modalidade de pentatlo aeronáutico. Raciocínio rápido, inteligência, planejamento e dedicação são uma das características que o esporte divide com as habilidades que um piloto deve ter. E foi ainda na Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR) que o Capitão João Vinícius Batista dos Santos Pereira conheceu a esgrima. Durante o curso para aviador na Academia da Força Aérea (AFA) participou de campeonatos e conquistou medalhas, inclusive em dois sul-americanos de cadetes. Depois de formado ingressou na equipe da Confederação Brasileira de Esgrima e participou de torneios estaduais e nacionais. Hoje, trabalha no Centro Logístico da Aeronáutica (CELOG) e mantém os treinos de forma amadora e ainda participa de competições. “Atualmente a esgrima funciona para manter a minha qualidade de vida e também como forma de socialização com o ambiente civil”, destaca o Capitão Pereira.


Agosto - 2016

13

OPERACIONAL

KC-390 realiza primeiros testes militares

1

5

4 1

Tenente JOR Gabrielli Dala Vechia

1 Paraquedistas fizeram sal-

tos nos estilos livre e enganchado, tanto pela rampa quanto pelas portas laterais. 2 Os saltos foram realizados por militares da FAB pertencentes ao Esquadrão Aeroterrestre de Salvamento (EAS) e ao Esquadrão Pelicano (2º/10º), além do Exército Brasileiro. 3 Para o salto livre, são 12 mil pés de altitude (mais de 3,5 km). Já para o salto enganchado, em que o paraquedas é aberto automaticamente por meio de uma fita que

está acoplada à aeronave, são 1.200 pés (360 m). 4 Todas as marcas cor de laranja na aeronave são equipamentos para coletar dados e informações durante os ensaios em voo. O KC-390 também está equipado com 21 câmeras. 5 A cada voo, a instrumentação colhe mais de 70 mil parâmetros para serem analisados pelos engenheiros, posteriormente. O relato dos paraquedistas é de que a aeronave é estável e a saída é suave, em comparação às aeronaves já operadas.

3 2

FOTO: SGT BRUNO BATISTA / CECOMSAER

Atividade foi realizada nos meses de junho e julho na Base Aérea de Campo Grande

NAVAMAER

A

NAVAMAER, tradicional competição esportiva, reuniu 600 atletas, entre cadetes da Academia das Agulhas Negras (AMAN), Academia da Força Aérea (AFA) e Escola Naval por duas semanas na AFA. A palavra-chave foi integração. O evento, que ocorre anualmente em cada uma das instituições, é a oportunidade de construir laços de amizade e de trocar experiências para os futuros oficiais. “Nós um dia vamos operar juntos. A rivalidade aqui fica em segundo plano”, destacou o atleta do judô, Cadete Aviador Matheus Brasil Mello.

FOTOS: SGT MANFRIM / CECOMSAER

Tenente JOR Iris Vasconcellos

Aconteceu na NAVAMAER...

Integração na Academia da Força Aérea

1

2

3

1 O Aspirante Patrick Silva de Almeida da Escola Naval bateu o recorde nos 200 m rasos que perdurava desde 1980. Ele fez o tempo de 21,28 segundos e ultrapassou a marca de 21,40 segundos de 38 anos atrás. 2 Neymar Junior visitou a AFA durante a competição e incentivou os atletas. “Desejo muita sorte a todos vocês”, ressaltou. 3 Um fato curioso ocorreu na esgrima. A modalidade espada contou com um empate triplo. As três Academias ficaram no lugar mais alto do pódio.


14

Agosto - 2016

MÍDIAS SOCIAIS

Tudo e muito mais sobre a FAB no #RIO2016

Vai ter Olimpíadas, sim! acompanhe nosso facebook

Galeria

Cobertura #Ontime e links ao vivo são por nossa conta!

NO PADRÃO do Leitor

Devemos salvaguardar os assuntos não ostensivos e qualquer outro tipo de informação que não seja de interesse público. Na dúvida, não publique! C-105 Amazonas em missão de lançamento de paraquedista. Ten Aviador Protásio

Culto na primeira Igreja Batista do Pará. Tenente Capelão Claudio Britto

3º Sgt Romão no prédio do Comando da Aeronáutica


Agosto - 2016

SEU DINHEIRO

Onde investir?

Tenente JOR Raquel Sigaudde investimento Conheça os principais tipos Você conseguiu sair do vermelho e criou o hábito de poupar. Além disso, definiu a meta que justifique e motive essa reserva mensal. Então, é hora de escolher qual dos investimentos abaixo é mais vantajoso. Uma sugestão é diversificar as aplicações, para minimizar riscos e maximizar rentabilidade. Tesouro Direto O que é: Programa do Tesouro Nacional que venSão títulos que de títulos públicos a pespossuem regras definidas de soas físicas, via internet. remuneração. O rendimento é coAo comprar um título nhecido previamente (prefixado) público, você empresta ou depende de indexadores, como dinheiro para o governo taxa de inflação, taxa de juros brasileiro em troca do direi(pós-fixado). to de receber uma remuneração por este empréstimo. Vantagens: O valor mínimo para investir é R$ 30,00. Alta liquidez. Baixo risco. Bom para quem tem planos de curto, médio ou longo prazos. Possibilidade de diversificar investimentos, obtendo várias rentabilidades. Desvantagens: Têm imposto de renda. É preciso entender bem cada um dos títulos. Corre-se o risco de perder dinheiro caso o resgate ocorra antes do prazo contratado.

Renda fixa

Letras de Crédito Imobiliário (LCI) e Letras de Crédito do Agronegócio (LCA) O que são: Títulos de baixo risco, emitidos por um banco com o objetivo de financiar o setor imobiliário e o agronegócio. Vantagens: Baixo risco. Rendem mais do que a poupança. Isentos de imposto de renda para pessoa física. Possuem garantia do Fundo Garantidor de Crédito. Ideal para quem tem metas de curto ou médio prazos. Têm liquidez diária após o

15

Renda variável

São papéis cujos preços sofrem constante alteração. Os valores dependem das circunstâncias que afetam as empresas emissoras, a economia e o mercado financeiro. Assim, não se sabe qual será a rentabilidade ao final da aplicação. Ao mesmo tempo em que envolve mais risco, oferece retorno maior.

Ações O que é: Representam parte do capital social de uma empresa. Ao comprar uma ação, o investidor participa dos riscos e dos lucros. Vantagens: Ótimo investimento de longo prazo. Rentabilidade superior à dos investimentos de renda fixa. Eventuais desvalorizações podem ser compensadas se o dinheiro permanecer aplicado por longo prazo. Desvantagens: Alto risco. É preciso acompanhar diariamente o comportamento do mercado. Longo prazo de aplicação para minimizar as perdas.

Certificados de Depósito Bancário (CDB) período de carência. Desvantagens: Não é possível resgatar o dinheiro antes do período de carência. Analise bem o período em que pode manter o dinheiro investido. Assim abre-se mão da liquidez para ter mais rentabilidade. Podem exigir alto investimento inicial (R$ 1.000, 5.000, 30.000 – de acordo com a instituição financeira).

O que são: Dinheiro que o investidor empresa ao banco para que este ofereça empréstimos. Vantagens: Baixo risco. Fácil contratação. Tem a garantia do Fundo Garantidor de Crédito. Rentabilidade e liquidez diária. Rende mais do que a poupança. Baixo investimento inicial (R$ 500, por exemplo). Desvantagens: Têm imposto de renda


Notaer agosto 2016  
Notaer agosto 2016  

Um time de ouro Veja a atuação da Força Aérea no maior evento esportivo do mundo.

Advertisement