Page 1

c

A revista dos mercados orgânico e sustentável Novembro 2012 Número 6 Distribuição Gratuita

Entrevista exclusiva com Nelton Friedrich, Diretor de Coordenação e Meio Ambiente da Itaipu Binacional

Edição Especial ITAIPU Binacional Turismo Rural Biodiversidade Saúde & Orgânico Notícias


Copyright © - Planeta Orgânico

Dias 19 e 20 de junho de 2012, durante a semana do Rio+20, foi realizado o evento GREEN RIO, no Centro de Convenções Bolsa do Rio.

Autoridades, investidores, representantes da Economia Verde, do agronegócio, do turismo e da gastronomia participaram do Green Rio 2012. Mais de 100 reuniões foram realizadas durante a rodada de negócios deste evento.

Cadastre-se no website www.greenrio.com.br para receber mais informações sobre

GREEN RIO 2013


Orgânicos & Cia / 3

Índice Entrevista Itaipu Binacional

4

Orgânicos & Cia entrevista Nelton Friedrich, Diretor de Coordenação e Meio Ambiente da Itaipu Binacional. Eventos

8

Ministra Tereza Campello, Empresários, Sociedade, ONGs e Órgãos Públicos consolidaram a estréia do Green Rio, durante a Rio+20 Biodiversidade

10

População de abelhas sob ameaça no mundo Notícias

12 Turismo Rural

14

Itaipu Binacional e o Turismo Rural na 14 Bacia do Paraná 3 Saiba Mais sobre o Turismo Rural 15 Nutrição

16

Alimentação saudável de 0 a 12 meses Fitoterápicos

18

Fitoterápicos disponíveis na rede pública de 14 estados Saúde & Orgânicos

19

Alimentação Escolar é um dos destaques do 19 Programa Cultivando Água Boa Frango orgânico: mais qualidade e saúde à mesa 20 Uma Pergunta

22

Uma Pergunta para Markus Arbenz, Diretor Executivo do IFOAM

Expediente Realização: Planeta Orgânico (Programação Visual 2A2 Ltda.) Contato: (21) 2239-2395 Redação: expositor@planetaorganico.com.br Tiragem: 1500 exemplares Gráfica: Teatral Revista Quadrimestral


4 / Orgânicos & Cia

Entrevista Itaipu Binacional

Orgânicos & Cia entrevista Nelton Friedrich, Diretor de Coordenação e Meio Ambiente da Itaipu Binacional O Cultivando Água Boa é um programa transversal que abrange diversas ações socioambientais, desde a conservação dos recursos naturais até a promoção da qualidade de vida nas comunidades da Bacia Hidrográfica do Paraná 3 (região conectada pelos rios e córregos com o reservatório da usina de Itaipu). Desde sua implantação, o que destacaria como casos de sucesso do Cultivando Água Boa? Nelton Friedrich: Vejo o CAB como um programa muito especial que vem multiplicando os seus resultados em diversos cenários. Em minha visão ele é um programa indivisível, onde cada programa componente interage e complementa os demais. Entendo aliás que o trabalho integrado é um dos nossos maiores diferenciais, pois ele multiplica os resultados, empolga os atores e dá uma nova dimensão a tudo que é feito. É difícil dizer quais são as principais contribuições do CAB. Creio que os números e estatísticas do programa não conseguem representar tudo o que vem sendo feito. Eles não retratam a empolgação, os saberes e valores estabelecidos, as inúmeras conexões viabilizadas, ou tampouco as implicações futuras que ainda surgirão. Talvez o melhor retrato das contribuições do CAB possa ser percebido nos corredores dos encontros anuais do programa, onde especialistas, prefeitos, autoridades e comunidade em geral fazem novas construções e interconexões. Ali é visível que existe uma nova realidade dentro de .

Nelton Friedrich - Diretor de Coordenação e Meio Ambiente da Itaipu Binacional

Itaipu, na tríplice fronteira, que todo o trabalho realizado vai de encontro aos preceitos de diversos programas internacionais ligados a sustentabilidade e que tudo isso vem influenciando muita gente. Itaipu com o CAB vem assim exercendo uma grande influência de responsabilidade social e ambiental sem perder a competitividade na geração de energia. Ela também vem “cultivando” a participação da sociedade, a responsabilidade compartilhada e a construção de um futuro melhor para todos. Esta é a minha visão das contribuições do CAB e foi a maneira que encontramos em Itaipu para responder aos anseios do Brasil, do nosso diretor-geral e do presidente Lula.


Orgânicos & Cia / 5

Itaipu foi um dos pioneiros no reconhecimento do importante papel das merendeiras na alimentação escolar. Quantos municípios estão envolvidos atualmente no Curso de Formação Continuada “Gestão da Merenda Escolar”, parte do Programa Cultivando Água Boa? Nelton Friedrich: Os princípios, valores, e conceitos do Programa Cultivando Água Boa, e os compromissos que temos com a educação transformadora, fundamentam as ações socioambientais e possibilitam reflexões de um “novo jeito” de ser, viver, produzir e consumir. Os resultados alcançados neste processo ecopedagógico, norteado pelos eixos Agricultura Orgânica, Água Boa e Gente Saudável, foram possíveis graças a parceria com o Conselho dos Municípios Lindeiros ao Lago de Itaipu e o ao trabalho incansável dos monitores da Linha Ecológica, além das participações de estudantes, professores, merendeiras, nutricionistas, Secretárias (os) da Educação, entre outras pessoas e instituições envolvidas. Mesmo sem retroceder em nosso compromisso com a segurança alimentar, inclusive com os que ainda não tem alimento suficiente, esta iniciativa é histórica e, por certo, produzirá, efeitos multiplicadores. Resultados alcançados com este trabalho nos 29 municípios, visando o incentivo a alimentação saudável, trouxe os seguintes dados: 800 m e r e n d e i r a s fo r m a d a s ; 1 3 5 . 0 0 0 a l u n o s beneficiados; 483 apresentações do teatro “A Matita”; 200 hortas orgânicas escolares; 1.200 hortas orgânicas familiares, dois livros de receitas saudáveis das merendeiras da BP3 e mais de R$10 milhões de compras da agricultura familiar para a merenda escolar, desde o início do programa.

Quais os planos da Itaipu com relação a mega eventos como Copa 2014 e Olimpíadas 2016? Nelton Friedrich: A região oeste do Paraná estará alinhada e preparada para fornecer produtos e alimentos durante e após os períodos de maior circulação de turistas em Foz do Iguaçu (Copa do Mundo de 2014 e Jogos Olímpicos de 2016), e a binacional foi estimulada a criar um subcomitê Brasil Orgânico e Sustentável. O subcomitê irá atuar de forma mais efetiva e direta com os produtores de orgânicos, bem como com os diversos segmentos correlatos como rede hoteleira e gastronômica. Vamos auxiliar os agricultores na produção e no preparo dos produtos, bem como mostrar aos setores que estão diretamente ligados com o público, que terá como opção consumir os produtos sustentáveis da agricultura familiar, as vantagens de fazer parte deste grande movimento verde. Além da estrutura, nós vamos estabelecer relações e, mais do que isso, queremos fortalecer o turismo diferenciado, de pessoas que estarão optando por estabelecimentos de Foz e região pelo fato de oferecerem produtos orgânicos, alimentos saudáveis que refletem na qualidade de vida. A Itaipu representará o Brasil na Rede Rampedre. Por favor, explique aos leitores de Orgânicos & Cia o que é a Rede Rampedre e o qual o significado de Itaipu estar na coordenação desta Rede? Nelton Friedrich: Desde 23 de outubro de 2012, o Brasil passou a integrar a Rede Rampedre online. A novidade é um instrumento de ação criado para servir as autoridades e os cidadãos com o fornecimento de informações que possam auxiliar as pessoas a tomar medidas em favor do reconhecimento institucional e socioeconômico do direito à água.


6 / Orgânicos & Cia

O início do processo de mobilização mundial surgiu a partir do dia 28 de julho de 2010, durante Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU) que aprovou uma resolução reconhecendo o acesso à água e ao saneamento como um direito humano e fundamental. Mas foi nos dias 6 e 7 de fevereiro de 2012, na sede da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), em Paris, que um grupo de lideranças, coordenados pelo italiano, fundador do Comitê Internacional por um Contrato Mundial da Água, Riccardo Petrella, esteve reunido com o objetivo de criar a Rede Rampedre. No início deste ano fui convidado a representar o Brasil na reunião e tornei-me um membro mobilizador de iniciativas de articulação com outros países da América Latina. O convite deu-se devido aos resultados obtidos com o Programa Cultivando Água Boa. O site está sendo abastecido com notícias, artigos e informações sempre atualizadas sobre os direitos humanos à água quanto a sua propriedade, usos, posse e gestão pública. Água e Clima. Como Itaipu tem trabalhado estes dois temas no cenário do desenvolvimento sustentável? Nelton Friedrich: Nós adotamos o modelo de gestão por bacia hidrográfica para desenvolver as ações Conservacionistas de Água e Solo com base no fato que é em bacias hidrográficas, que a natureza está organizada, não sob critérios geopolíticos. O Cultivando Água Boa cumpre assim o objetivo traçado: obter o manejo sustentável de Água e Solo na região de influência do reservatório da usina, consolidando a gestão por bacia hidrográfica, para reduzir o aporte de sedimentos, nutriente e outros poluentes.

Além disso, a Itaipu tem como estratégia ampliar a cober tura florestal na região. Inicialmente constituindo a mata ciliar do reservatório da Itaipu com plantio de mais de 25 milhões de mudas e preservando refúgios biológicos. Essas áreas totalizam mais de 105 mil hectares. Em seguida a Itaipu está estimulando e apoiando os agricultores que moram na BP3 a restabelecer suas matas ciliares, criando verdadeiros corredores da biodiversidade. Um dos maiores desafios atuais é estabelecer e implementar critérios de sustentabilidade para gestão de municípios. Qual a participação de Itaipu na construção destes indicadores? Nelton Friedrich: A empresa publica anualmente seu Relatório de Sustentabilidade que adota as diretrizes da Global Reporting Initiative (GRI). Desta forma, com as ações socioambientais desenvolvidas pelo Programa Cultivando Água Boa, pode-se concluir que uma empresa é adequadamente sustentável, tem a ver em grande parte com seu comprometimento ambiental e social assumido e com a aplicação de um eficiente sistema de gestão ambiental.


O Brasil conta com mais de 200 milhões de celulares ativos e 21 milhões de usuários de internet 3G Imagine um endereço da região serrana do Estado do Rio de Janeiro desenvolvido para atender este público... O SerraMobRJ é um guia turístico virtual dedicado exclusivamente à região serrana do Estado do Rio de Janeiro, no qual constam diversos estabelecimentos comprometidos com sustentabilidade. Esse guia virtual pode ser visualizado através de tablets (como iPads), notebooks e outros meios de acesso à Internet, de modo a possibilitar ao turista ou visitante, um rápido acesso aos estabelecimentos cadastrados no SerraMobRJ

www.serramob.com.br

Produção

Apoio


8 / Orgânicos & Cia

Eventos

Ministra Tereza Campello, Empresários, Sociedade, ONGs e Órgãos Públicos consolidaram a estréia do Green Rio, durante a Rio+20 Mais de cem reuniões foram realizadas na rodada de negócios unindo oferta de produtores de diferentes regiões com restaurantes, varejistas e investidores.

Dias 19 e 20 de junho, em plena Rio+20, foi realizado o evento Green Rio, no Centro de Convenções Bolsa do Rio. Enquanto palestrantes e especialistas discutiam temas como Amazônia, Copa Orgânica e Sustentável, Economia Verde e Sociobiodiversidade, expositores apresentavam ao público presente produtos orgânicos e sustentáveis. Workshops de Gastronomia trouxeram chefs degustando café, vinho e receitas com mandioca, além do Dr. João Curvo, que falou sobre alimentação saudável.

A GIZ apoiou a realização do Espaço da Sociobiodiversidade, que trouxe parcerias de empresas como Natura, Beraca e L´Oréal com produtores da Amazônia brasileira. Mais de cem reuniões de negócios foram realizadas na rodada, unindo oferta de produtores de diferentes regiões com restaurantes, varejistas e investidores. Entre os expositores, estavam o Sítio do Moinho, Itaipu Binacional, Sociedade Nacional de Agricultura, Sebrae, Pão de Açúcar e Governo do Rio de Janeiro. A exposição de produtos e serviços também obteve êxito em seus dois dias de realização com mais de mil participantes circulando nos estandes do evento. Na conferência, Sonia Bruck, gerente de sustentabilidade da BM&FBOVESPA, a anfitriã do Green Rio, ressaltou no início do evento que a Bolsa faz seu inventário de emissões há três anos e que, agora, estão estudando ações para minimizar essas emissões.

Evandro Peçanha (Sebrae) dá boas vindas na abertura do Green Rio 2012

O Sebrae-RJ, considerado um parceiro importante para a capacitação e alavancagem de produção ressaltou a .


importância da realização do evento, das Rodadas de Negócios, e disse que estão aumentando os investimentos em tecnologia para alavancar os pequenos produtores. O evento contou também com o painel sobre a Copa Orgânica e Sustentável. “Nosso objetivo não é ser apenas o campeão da Copa, mas o da inclusão dos produtos orgânicos e sustentáveis”, ressaltou Maria Beatriz, a realizadora do Green Rio, provocando o início do debate. Neste momento, o grande desafio da campanha Copa Orgânica e Sustentável é que seja apropriada para atender produtores, empresas e cooperativas. A observação foi feita pelo diretor de Geração de Renda e Agregação de Valor da Secretaria da Agricultura Familiar do MDA, Arnoldo de Campos. Ele afirmou que o setor já demonstra grande interesse na campanha, mas a participação efetiva será avaliada em .

n ove m b ro , qu a n d o a c o n te c e o lançamento oficial. Uma platéia de 142 pessoas de diferentes segmentos, desde empresários a pesquisadores, ouviu atentamente as falas da Ministra do Desenvolvimento Social e Combate a Fome, Tereza Campello e do Sr. Hans Joher, Diretor da Nestlé Internacional, como key note speakers, seguidas dos comentários de representantes da Natura, Beraca, FVPP e COOPERACRE. A Ministra destacou o Piso de Proteção Socioambiental, proposta brasileira inspirada no Bolsa Verde, incluída no documento final da Rio+20. O programa Bolsa Verde condiciona o pagamento do beneficio a atividades sustentáveis desenvolvidas por moradores extremamente pobres de reservas e assentamentos. O evento contou ainda com a Mesa Redonda “Orgânicos, Indicação Geográfica e Comércio Justo: Valores” e “Investidores Verdes”. Um painel foi realizado em parceria com a rede de varejo Pão de Açúcar, que foi também uma das apoiadoras do Green Rio, apresentando na feira produtos da marca TAEQ.

Uma platéia de 142 pessoas de diferentes segmentos, desde empresários a pesquisadores, ouviu atentamente as falas da Ministra do Desenvolvimento Social e Combate a Fome, Tereza Campello e do Sr. Hans Joher, Diretor da Nestlé Internacional


10 / Orgânicos & Cia

Biodiversidade

População de abelhas sob ameaça no mundo Faz alguns anos, comenta-se em países europeus e nos Estados Unidos sobre o misterioso problema do desaparecimento de abelhas em algumas regiões. Este ano, o Parlamento Europeu aprovou uma resolução para a adoção de ações mais contundentes para proteger a população de abelhas. Segundo o informativo IHU-Online, o texto, determina que mais fundos sejam destinados para a pesquisa com abelhas, novos incentivos sejam dados à indústria farmacêutica no desenvolvimento de antibióticos e que novos rótulos de advertência nos pesticidas do campo sejam mais claros. Cálculos da Comissão Européia, braço executivo da União Européia, estimam que a polinização tem um valor econômico de €22 bilhões para a região. Cerca de 84% das espécies de plantas européias e 76% da produção de alimentos da região dependem dela. Segundo o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA), o número de colônias de abelhas caiu de 5,5 milhões em 1950 para 2,5 milhões em 2007. A falta de restrição aos agrotóxicos na medida européia, entretanto, parece contraditória com a busca pela solução do problema. A Fazenda Tamanduá, produtora de mel biodinâmico, na Paraíba, é um bom exemplo de estabilidade na saúde das abelhas. Mas o engenheiro agrônomo da propriedade, Flávio Medeiros, coloca a situação como alarmante: “Este fenômeno, que também é chamado "colony colapse disorder" (CCD), não está ocorrendo apenas em uma região do planeta, e pode ocasionar graves desequilíbrios ambientais, levando a uma redução significativa dos alimentos atualmente consumidos pelo homem. O problema foi detectado também no Brasil, particularmente em Santa Catarina e no Rio Grande do Sul.”

Apesar das dúvidas da origem, Flávio acredita que esteja ocorrendo uma diminuição da imunidade das abelhas em função dos agroquímicos e manejo intensivo, ou seja, melhoramento genético desordenado. Como uma forma de se defender do problema, ele argumenta a favor da criação de abelhas africanizadas, principalmente na região nordeste do país, onde as práticas não são tão intensivas. A abelha de raça africana possui maior resistência, alta produtividade e agressividade. “A mais de 10 anos na Fazenda Tamanduá criamos abelhas africanizadas sob manejo orgânico/ biodinâmico e até agora o maior desafio é a seca prolongada. Mesmo assim, não temos perdas significativas ou não explicáveis mesmo com a presença da Varroa (tipo de ácaro que ataca as abelhas)”, comenta. Se no hemisfério norte há dúvidas sobre a origem, no Brasil o mistério é ainda maior. Faltam estudos científicos para analisar o caso com mais precisão. Porém, parece cada vez mais claro que existe a influência do uso dos agrotóxicos neste fenômeno.


Orgânicos & Cia / 11

O mel biodinâmico da Fazenda Tamanduá Segundo definição no web site da Fazenda Tamanduá, entende-se por mel biodinâmico o produto certificado, produzido pelas abelhas a partir do néctar das flores sem qualquer resíduo químico, não aquecido a mais de 37,5º C, que não seja filtrado sob pressão. No manejo das colméias, são realizadas aplicações de preparados biodinâmicos, buscando um equilíbrio da biodiversidade do ambiente. Segundo Rudolf Steiner, “as plantas retiram das profundezas da terra os sais minerais e banhadas pelo sol conferem cor, sabor e cheiro ao néctar depositado em suas flores, as abelhas acrescentam valores de vida a este néctar e doçura ao mel e o apicultor é o artista generoso que em dias ensolarados coleta e entrega esta doçura aos seres humanos.” Com esta visão, produzir mel biodinâmico é colocar à disposição das pessoas o mais puro fruto do trabalho destes animais. As qualidades organolépticas do mel biodinâmico da Fazenda Tamanduá, além de ser o único mel biodinâmico a ser produzido com flora predominante,

tem feito deste produto um grande sucesso no mercado consumidor cada vez mais exigente em qualidade dos alimentos. O Entreposto de Mel e Cera de Abelhas, bem como as ferramentas utilizadas no processo de coleta, decantação, filtração e envasamento foram aprovados pelo Serviço de Inspeção Federal, SIF, do Ministério da Agricultura, sob o n° 1867, garantindo uma comercialização em todo o Brasil. A comercialização é feita em recipientes de vidro de 300g e Baldes Plásticos de 25kg para maiores volumes, sendo o único mel que além de ser proveniente da Agricultura Biodinâmica, tem no rótulo a descrição de qual florada predominante é proveniente, permitindo a escolha do consumidor. Fonte: Fazenda Tamanduá www.fazendatamandua.com.br


12 / Orgânicos & Cia

Notícias Criada a Associação Brasil Orgânico e Sustentável – ABRASOS No dia 12 de setembro de 2012, no auditório do Sebrae SP, foi realizada a Assembléia de Fundação da “Associação Brasil Orgânico e Sustentável - ABRASOS.” Estiveram presentes representantes de empresas, produtores, associações, certificadoras, institutos de pesquisa e agricultores familiares. Arnoldo de Campos, Diretor de Geração de Renda e Agregação de Valor do Ministério do Desenvolvimento Agrário, abriu a Assembléia lembrando aos presentes que o foco da ABRASOS é gerir a campanha de consumo consciente que promoverá a presença de produtos orgânicos, da agricultura familiar, com indicação geográfica e do comércio justo em restaurantes, hotéis, pousadas durante e depois da Copa 2014.

MDA promove Reunião “Copa Orgânica e Sustentável” nas 12 cidades sede da Copa 2014 O Ministério do Desenvolvimento Agrário - MDA, Coordenador do Núcleo Temático “Copa Orgânica e Sustentável” promoveu, em parceria com governos locais das 12 cidades sede da Copa 2014, reuniões “Campanha Copa Orgânica e Sustentável”. Tais reuniões tiveram como objetivos apresentar o cenário atual, próximos passos do Núcleo “Copa Orgânica e Sustentável”, promover o envolvimento dos estados das cidades-sede da Copa 2014, assim como discutir a proposta da “Campanha Copa Orgânica e Sustentável”. O Planeta Orgânico participou desta iniciativa e das reuniões coordenadas por Laura Souza / MDA. As apresentações em cada cidade estão disponíveis . no web site do Planeta Orgânico: www.planetaorganico.com.br Transgênicos aumentam em até três vezes ocorrência de câncer em ratos Estudo revelou que ratos alimentados com milho geneticamente modificado morreram mais rápido. Cientistas afirmam que os resultados da pesquisa são alarmantes. Os ratos alimentados com organismos geneticamente modificados (OGM) morrem antes e sofrem de câncer com mais frequência do que os demais, destaca um estudo publicado na revista “Food and Chemical Toxicology”, que considera os resultados “alarmantes”.

Roberto Leite, Jairo Silva, Luiz Henrique Amaral, Maria Beatriz M. Costa, João José Passini


Orgânicos & Cia / 13

“Observamos, por exemplo, uma mortalidade duas ou três vezes maior entre as fêmeas tratadas com OGM.”, explicou Gilles-Eric Seralini, professor da Universidade de Caen, que coordenou o estudo. Para realizar a pesquisa, 200 ratos foram alimentados durante um prazo máximo de dois anos de três maneiras distintas: apenas com milho OGM NK603, com milho OGM NK603 tratado com Roundup (o herbicida mais utilizado do mundo) e com milho não alterado geneticamente tratado com Roundup. Tomates orgânicos têm mais antioxidantes que convencionais, diz Universidade de Barcelona Os tomates orgânicos têm maior quantidade de antioxidantes (compostos fenólicos) que os convencionais, de acordo com estudo da Universidade de Barcelona (UB), Espanha. Os compostos fenólicos são moléculas orgânicas que se encontram de maneira natural em muitos vegetais e que já tem demonstrado um efeito benéfico para a saúde humana, especialmente a nível nutricional. O grupo de pesquisa de antioxidantes naturais da UB já conseguiu identificar 34 tipos de compostos fenólicos nos tomates da variedade “Daniela”. As diferenças observadas entre os tomates orgânicos e convencionais ocorrem pelo uso de agrotóxicos. No produto ecológico, as plantas criam seus próprios m e c a n i s m o s d e d e fe s a , a u m e n t a n d o o s antioxidantes.

Empório da Papinha: Curitiba ganha mais qualidade de vida Pensando em proporcionar uma vida saudável a crianças e pessoas, foi criado o Empório da Papinha. A empresa é especializada em nutrição orgânica que atende bebês a partir de 06 meses, crianças e adultos. Curitiba inaugurou a primeira unidade. De acordo com Marina Wille, proprietária do Empório da Papinha, a intenção é trazer à cidade o que existe de mais nutritivo e saboroso, para garantir o crescimento, o desenvolvimento e a saúde das crianças e famílias. Marina ressalta que o cardápio é preparado sem conservantes ou produtos químicos e de forma convencional, utilizando o ultra congelamento como forma segura de preservar a textura, aroma e o valor nutritivo dos alimentos.


12 14 //Orgânicos Orgânicos & Cia

Turismo Rural

Itaipu Binacional e o Turismo Rural na Bacia do Paraná 3 João Luiz Casagrande Breinack, Técnico Ambiental na Itaipu Binacional

O turismo rural permite agregar valor, gerar renda e oportunidades de trabalho no meio rural, garantindo a melhoria das condições de vida das populações beneficiadas.

Agricultura sustentável exige tecnologias adequadas às condições do ambiente regional e à previsão dos impactos negativos nos âmbitos sociais, econômicos e ambientais. Na Itaipu Binacional as ações de sustentabilidade da agricultura estão organizadas em diferentes atividades, buscando atingir um público estimado de 26 mil propriedades rurais conduzidas em sistema de exploração familiar da BP3, incluindo os assentamentos rurais. As intervenções nas propriedades estão organizadas para conferir sustentabilidade aos sistemas de produção, introduzindo práticas sustentáveis (como plantio direto, adubação verde, controle biológico, pasto rotacionado, homeopatia vegetal e animal),

atividades com alto grau de sustentabilidade (como fruticultura, sistemas agroflorestais, leite a pasto) e propondo a conversão das propriedades para sistema de produção orgânico de base agroecológica. Para garantir a sustentabilidade, o Programa atua desenvolvendo toda a cadeia produtiva, ou seja, apoiando os agricultores no processo produtivo, estimulando a transformação artesanal dos produtos, ajudando a organizar a comercialização, e ainda, promovendo o turismo rural na agricultura familiar. O turismo rural permite agregar valor, gerar renda e oportunidades de trabalho no meio rural, garantindo a melhoria das condições de vida das populações beneficiadas.


Orgânicos & Cia / 15

Assim, seguindo as premissas de um turismo rural sustentável e buscando desenvolver a atividade turística de forma planejada, a Itaipu Binacional, efetivou a confecção do Diagnóstico Regional de Turismo no Espaço Rural da BP3 e, ainda, em parceria com o MDA e com a Agência de Desenvolvimento do Oeste do Paraná, incentivou e apoiou a elaboração de setenta (70) projetos de planejamento de infraestrutura e gestão para as propriedades rurais com vocação para o turismo sustentável.

Outra ação efetiva da Itaipu Binacional é o apoio permanente para a realização dos eventos denominados “Caminhadas na Natureza” que acontecem anualmente em vários municípios da Bacia do Paraná 3 (Diamante do Oeste, Medianeira, Foz do Iguaçu, São Miguel do Iguaçu, Missal e Santa Helena) e cujo principal objetivo é desenvolver o espírito de contemplação à natureza, aproximando o público urbano do meio rural, fomentando a busca por turísticos não convencionais.

Saiba Mais sobre o Turismo Rural O turismo rural vem se tornando uma importante fonte de renda para muitas pessoas no Brasil. Segundo a empresária Ariane Janer, da Bromelia Consult, “o apelo de turismo rural é "vida ao ar livre" e "turismo de experiência". O importante é unir atividade (caminhada, cavalgada, banho de cachoeira, etc) com uma experiência. Como é feito um produto, saborear um produto e induzir a comprar (e divulgar) produtos rurais depois da visita”. Ainda, segundo Ariane, a sustentabilidade é hoje essencial. Os visitantes gostam mais de lugares que têm práticas

sustentáveis porque isto significa que estão contribuindo para o bem-estar da região e dos visitantes. Se existe a oportunidade de conhecer a origem e os cuidados, o produto é mais valorizado e divulgado entre seus conhecidos. Outras fontes de consulta sobre o assunto: Ecobrasil (turismo rural e sustentável) www.ecobrasil.org.br Guia SerraMob - www.serramob.com.br ECEAT - European Centre for EcoAgrotourism - http://www.eceat.org/ Rural Network Canada http://www.ruralnetwork.ca/

O turismo rural vem se tornando uma importante fonte de renda para muitas pessoas no Brasil.


16 / Orgânicos & Cia

Nutrição

Alimentação saudável de 0 a 12 meses Dra. Mara Cristina de Sousa Miranda Nutricionista - Empório da Papinha Atualmente encontramos desde cereais, carne, frango, toda linha de laticínios e até papinhas e comidinhas para bebês, totalmente orgânicos,

No inicio a amamentação deve ser um momento único entre mãe e filho - calmo e repleto de carinhos e trocas de olhares. A partir do sexto mês é recomendada a introdução de novos alimentos e a mãe, seja ela de primeira viagem ou não, fica em dúvida de como iniciar esta introdução. A primeira dica é a escolha de alimentos orgânicos que são mais saborosos e cultivados sem agrotóxicos, aditivos químicos ou modificações moleculares em sementes, além de serem economicamente sustentáveis, pois preservam os recursos naturais, estabelecendo o equilíbrio entre a natureza e o homem.

Alguns estudos científicos sugerem que os alimentos orgânicos são melhores para a nossa saúde, pois o seu valor nutricional é maior do que aqueles produzidos convencionalmente. Atualmente encontramos desde cereais, carne, frango, toda linha de laticínios e até papinhas e comidinhas para bebês, totalmente orgânicos, alem de alguns condimentos e outros produtos de mercearia seca que são comercializados em redes de supermercados e diversas lojas. No 6º mês inicia-se a introdução de frutas - suco ou papa. No início, recomenda-se oferecer somente um tipo de fruta nova a cada 02 dias e em pequenas porções para testar a tolerância do lactente ao novo alimento. A partir daí, recomenda-se a introdução gradativa até que a criança receba por volta do 8º mês duas papas de frutas e duas papas salgadas por dia, seguindo sempre a orientação do nutricionista ou pediatra.


Orgânicos & Cia / 17

As mães têm receio de que a criança não consiga triturar algum pedaço de alimento, principalmente a carne, ou que possam se engasgar, mas é importante que saibam que a criança a partir de cinco ou seis meses, levando em consideração o seu desenvolvimento, tem defesas motoras e consegue expelir os alimentos que não consegue engolir. Para o preparo dos alimentos, recomenda-se o cozimento de pedaços grandes de carne, por exemplo, e após desfiá-los. O peixe pode ser introduzido como rotina, a menos que haja alguma história familiar de alergia a produtos marinhos. Foi elaborado, em 2002, um guia alimentar com os 10 passos da alimentação saudável para crianças menores de 02 anos, com o objetivo de auxiliar a promoção de uma alimentação saudável, são eles: PASSO 1 - Dar somente leite materno até os seis meses, sem oferecer água, chás ou qualquer outro alimento. PASSO 2 - A partir dos seis meses, oferecer de forma lenta e gradual outros alimentos, mantendo o leite materno até os dois anos de idade ou mais, quando possível. PASSO 3 - A partir dos seis meses, dar alimentos complementares como cereais, tubérculos, carnes, legumes e frutas, três .

vezes ao dia se a criança receber leite materno e, cinco vezes ao dia se estiver desmamada. PASSO 4 - A alimentação complementar deve ser oferecida sem rigidez de horários, respeitando-se sempre a vontade da criança. PASSO 5 - A alimentação complementar deve ser espessa desde o início e oferecida de colher; começar com consistência pastosa (papas / purês), e gradativamente aumentar a sua consistência até chegar à alimentação da família. PASSO 6 - Oferecer à criança diferentes alimentos ao dia. Uma alimentação variada é uma alimentação colorida. PASSO 7 - Estimular o consumo diário de frutas, verduras e legumes nas refeições. PASSO 8 - Evitar açúcar, café, enlatados, frituras, refrigerantes, balas, salgadinhos e outras guloseimas nos primeiros anos de vida. Usar sal com moderação. PASSO 9 - Cuidar da higiene no preparo e manuseio dos alimentos; garantir o seu armazenamento e conser vação adequados. PASSO 10 - Estimular a criança doente e convalescente a se alimentar, oferecendo sua alimentação habitual e seus alimentos preferidos, respeitando a sua aceitação.

Foi elaborado em 2002 um guia alimentar com os 10 passos da alimentação saudável para crianças menores de 02 anos, com o objetivo de auxiliar a promoção de uma alimentação saudável


18 / Orgânicos & Cia

Fitoterápicos disponíveis na rede pública de 14 estados Os benefícios das plantas medicinais e de medicamentos fitoterápicos são reconhecidos em todo o mundo como elementos importantes na prevenção, promoção e recuperação da saúde. Para ampliar o acesso a esses medicamentos, o Ministério da Saúde disponibiliza a utilização de fitoterápicos na rede pública. Atualmente, 12 medicamentos são oferecidos pelo Sistema Único de Saúde. Entre eles, estão a Aloe vera (Babosa) para o tratamento de psoríase e queimaduras, o Salix Alba (Salgueiro) contra dores lombares e a Rhamnus purshiana(Cáscara-sagrada) para prisão de ventre.

O secretário de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos do Ministério da Saúde, Carlos Gadelha, explica que os investimentos em pesquisas para a produção de medicamentos, a partir da flora brasileira, contribuem para o acesso da população e o seu uso racional. “O desenvolvimento dos fitoterápicos no Brasil incorpora as três dimensões do desenvolvimento sustentável: a econômica, a social e a ambiental, numa mesma iniciativa”, observa.

Financiados com recursos da União, estados e municípios, os medicamentos podem ser manipulados ou industrializados, e devem possuir registro na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Os produtos são oferecidos em 14 estados: Acre, Amazonas, Bahia, Espírito Santo, Goiás, Pará, Paraíba, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Sergipe, São Paulo, Tocantins e Distrito Federal.

Este ano, o programa ganhou reforço com o repasse pelo Ministério da Saúde de R$ 6,7 milhões a 12 municípios em sete estados, para apoiar o projeto Arranjos Produtivos Locais de Plantas Medicinais e Fitoterápicos no SUS. O montante visa o investimento na aquisição de equipamentos e materiais, contratação de pessoal e qualificação técnica para promover a interação e a cooperação entre os agentes produtivos, o desenvolvimento de toda a cadeia produtiva, a produção e a distribuição de plantas medicinais e fitoterápicos no SUS.

Relação de fitoterápicos ofertados no SUS

Fonte: Ministério da Saúde

Nome popular

Nome científico

Indicação

Espinheira-santa

Maytenus ilicifolia

Auxilia no tratamento de gastrite e úlcera duodenal e sintomas de dispepsias

Guaco

Mikania glomerata

Apresenta ação expectorante e broncodilatadora

Alcachofra

Cynara scolymus

Aroeira

Schinus terebenthifolius

Tratamento dos sintomas de dispepsia funcional (síndrome do desconforto pós-prandial) e de hipercolesterolemia leve a moderada. Apresenta ação colagoga e colerética Apresenta ação cicatrizante, antiinflamatória e anti-séptica tópica, para uso ginecológico

Cáscara-sagrada

Rhamnus purshiana

Auxilia nos casos de obstipação intestinal eventual

Garra-do-diabo

Harpagophytum procumbens

Tratamento da dor lombar baixa aguda e como coadjuvante nos casos de osteoartrite. Apresenta ação anti-inflamatória

Isoflavona-de-soja

Glycine max

Auxilia no alívio dos sintomas do climatério

Unha-de-gato

Uncaria tomentosa

Hortelã

Mentha x piperita

Babosa

Aloe vera

Salgueiro

Salix alba

Plantago

Plantago ovata Forssk

Auxilia nos casos de artrites e osteoartrite. Apresenta ação antiinflamatória e imunomoduladora Tratamento da síndrome do cólon irritável. Apresenta ação antiflatulenta e Antiespasmódica Tratamento tópico de queimaduras de 1º e 2º graus e como coadjuvante nos casos de Psoríase vulgaris Tratamento de dor lombar baixa aguda. Apresenta ação antiinflamatória Auxilia nos casos de obstipação intestinal habitual. Tratamento da síndrome do cólon irritável

Planeta Orgânico

Fitoterápicos


Orgânicos & Cia / 19

Saúde & Orgânicos Alimentação Escolar

Alimentação Escolar é um dos destaques do Programa Cultivando Água Boa «Que o teu alimento seja a tua medicina, e que a tua medicina seja o teu alimento." Hipócrates

Tal iniciativa vem contribuindo para construção de cardápios alternativos e formação de hábitos alimentares saudáveis. O Curso de Formação Continuada sobre a Gestão da Merenda Escolar para Nutricionistas e Merendeiras estimula o uso de plantas condimentares e com propriedades funcionais na merenda escolar. Possibilita prevenção de doenças, fortalece a compra de produtos orgânicos na merenda escolar e estimulando, por consequência, o aumento da produção orgânica local e estadual. A realização de concursos de receitas saudáveis desenvolvido nas escolas e centros municipais de educação infantil dos municípios da Bacia do Paraná 3 (BP3) t r a n s fo r m o u - s e n u m g r a n d e c a t a l i s a d o r. Centenas de merendeiras participam desta iniciativa que resulta em mais do que um livro com receitas saudáveis. Resulta em qualidade de vida. A alimentação consciente tem relação direta com a forma de produção com hábitos alimentares saudáveis e consumo responsável.

Desde 2009, quando foi aprovada a lei que determina que, no mínimo, 30% do que é adquirido para a alimentação escolar nas escolas públicas deve ser comprado da agricultura familiar, o encontro da alimentação escolar com a produção familiar tem promovido uma verdadeira transformação. Isso significa a melhoria na alimentação de aproximadamente 48 milhões de crianças e adolescentes. No contexto do Bacia do Paraná 3, alguns dados importantes merecem ser destacados: - 40% dos municípios possuem Hortas Comunitárias; - Em 60% dos municípios, o tema Alimentação Saudável está contemplado no Projeto Político Pedagógico; - 44% dos municípios adquirem alimentos orgânicos para merenda escolar. Segundo ressaltou Nelton Friedrich, Diretor de Coordenação e Meio Ambiente da Itaipu Binacional, "o maior restaurante que existe em cada município é a escola, onde acontece o fornecimento diário da merenda escolar”. Se somarmos: a importante iniciativa da compra direta, do governo federal, a produção municipal orgânica (agricultura local, libertária e emancipatória), a diminuição da distância percorrida para transporte da merenda escolar (menos CO2 na natureza) e o consumo de merendas saudáveis todos os dias, podemos promover uma verdadeira revolução agroalimentar e de saúde pública, já que, até hoje, não se inventou melhor remédio do que a boa alimentação".

Planeta Orgânico

A cada dia, a alimentação escolar vem ganhando mais importância. O Curso de Formação Continuada sobre a Gestão da Merenda Escolar para Nutricionistas e Merendeiras, iniciado em 2005, é parte integrante do Programa Cultivando Água Boa.


20 / Orgânicos & Cia

Frango orgânico: mais qualidade e saúde à mesa Luís Alexandre Louzada

Carne com proteína em seu estado mais puro, com vitaminas e sais minerais, livre de medicamentos e substâncias químicas; animais criados em liberdade, que se comportam de maneira natural, recebendo ração orgânica e balanceada e cuidados especiais. Essas são algumas características que contribuem para que o frango orgânico seja considerado um produto sustentável, saudável e de maior qualidade. “Os frangos produzidos em sistemas orgânicos são manejados para a máxima sustentabilidade do sistema produtivo, da propriedade rural, do bem-estar animal, da preservação ambiental e para agregar valor aos ingredientes para ração produzidos na propriedade” explica o pesquisador da Embrapa Suínos e Aves, Elsio Figueiredo. Já no sistema convencional, o objetivo é que os animais cresçam e engordem em pouco tempo. Para isso, as aves são criadas na densidade de 30 kg por metro quadrado, recebem luz artificial, e têm sua genética melhorada para alta conversão de ração em carne de qualidade e crescimento rápido. Os frangos são ainda submetidos a antibióticos e outros remédios, inclusive estimulantes, e alcançam idade de abate aos 44 dias para o mercado brasileiro - ao contrário dos orgânicos, que tem crescimento lento e são abatidos com um mínimo de 81 dias de idade. “Os dois sistemas apresentam os mesmos benefícios se forem produzidos conforme as recomendações técnicas. Ambos são alimentos saudáveis e nutritivos. A qualidade dos dois produtos, quando certificada, é mais do que suficiente para a alimentação humana” - acrescenta Elsio Figueiredo.

Ofertas O diretor da Domaine, no Espírito Santo, Joaquim Silva, foi o primeiro produtor de frango orgânico certificado no Brasil. Sua propriedade, na região serrana de Pedra Azul, em Domingos Martins, cobre mais de um milhão de metros quadrados preservados. Ele produz alimentos orgânicos e biodinâmicos desde 1999, e atualmente sua criação de frangos caipiras alcança algo em torno de 40 toneladas por mês, vendidas para todo o Brasil, com a marca Coq, em pequenas quantidades. O trabalho desenvolvido por Joaquim Silva mereceu até mesmo a atenção do setor turístico. Sua estação agroecológica foi incluída no Circuito de Agroecoturismo, voltado para a prática do turismo rural em propriedades ecológicas que respeitam a natureza. Os visitantes ficam hospedados em uma pousada local, aproveitam o passeio para conhecer a região, e experimentam as delícias gastronômicas da serra, em dois restaurantes e uma loja de produtos orgânicos e gourmets, devidamente certificados. Apesar de acreditar na expansão do mercado orgânico, Joaquim Silva alerta que há alguns obstáculos a serem superados. “Depois de janeiro de 2011, com a vigência da Lei dos Orgânicos, o cenário começou a mudar. Mas ainda há gargalos como a logística, o preço final, as margens de comercialização e a seriedade na distribuição”. Em outro pólo, a paulista Korin investe cada vez mais em sua produção de frangos, iniciada em 2008. A média de Divulgação Korin

A produção ainda é tímida, mas sinaliza com grandes perspectivas de crescimento, apesar de poucas e boas iniciativas.

Os frangos são criados em liberdade e se alimentam de ração orgânica e balanceada


Orgânicos & Cia / 21

Atualmente, a empresa mantém alojadas 72 mil aves no sistema orgânico, ocupando 18 hectares da propriedade localizada em Itirapina (SP), a cerca de 25 km do abatedouro, situado em Ipeúna (SP). As aves seguem para as grandes redes de distribuição e lojas especializadas na venda de orgânicos, em todo o território nacional. Entre os produtos comercializados, frango inteiro congelado, cortes congelados (filé de peito, filezinho), e sopa instantânea são algumas das opções. Consumidor atento Para o consumidor, as ofertas crescem, mas nem sempre no mesmo ritmo da boa informação. Preocupado com a conscientização do público, Luiz Carlos Demattê, gerente industrial da Korin Agropecuária, opta pela transparência. “Precisamos compreender que um dos maiores benefícios da produção orgânica reflete-se nas questões ambientais da propriedade rural, assim como nas relações de trabalho nos ambientes produtivos. Quero dizer com isso que as propriedades orgânicas cumprem a legislação ambiental do país e, por isso, quando uma pessoa compra um produto orgânico é importante que ela saiba que está, na realidade, investindo em sustentabilidade sócio-ambiental e, portanto, está investindo num futuro melhor para as próximas gerações”. Com relação à segurança alimentar, o consumidor, segundo Demattê, deve observar e seguir as orientações contidas na embalagem, sobre o manuseio e conservação do produto - no caso, o frango orgânico: “Este alimento, se manuseado incorretamente e/ou consumido cru, pode causar danos à saúde. Para a sua segurança, siga as instruções: mantenha resfriado ou congelado. Descongele somente no refrigerador ou microondas. Mantenha o produto cru, separado de outros alimentos. Lave com água e sabão as superfícies de trabalho (incluindo as tábuas de corte), utensílios e mãos depois de manusear o produto cru. Consuma somente após cozido, frito ou assado completamente.”

Elsio Figueiredo, pesquisador da Embrapa, também dá algumas dicas: “Os frangos orgânicos têm uma embalagem apropriada e um selo com o nome da certificadora, e todos os detalhes que comprovam que o processo e o produto foram certificados. É preciso observar as condições da embalagem, o prazo de validade do produto, se existe uma tabela nutricional no rótulo e se existe um responsável técnico a quem se dirigir em caso de dúvidas. Além disso, o consumidor deve observar as condi-ções de conservação do produto. Se for fresco, deve ter a aparência normal de carne fresca. Se for congelado, não se deve aceitar produto que está descongelado”. Pesquisas Ultimamente, pesquisas têm sido desenvolvidas para melhorar a qualidade e a produção do frango orgânico. E a Embrapa é uma das instituições à frente dessa linha, apesar de alguns obstáculos. “A Embrapa desenvolveu parte da pesquisa para suporte à cadeia do frango orgânico. Elaborou práticas e processos para uma produção de frangos de qualidade, que permita o sistema de produção ser competitivo, utilizando genética, rações e controle de doenças apropriados. No entanto, as pesquisas encontram dificuldades porque não existem muitos produtores nesse sistema, e o tipo de pesquisa necessário deve ser efetuado mais na propriedade do produtor que nas estações experimentais” - ressaltou Elsio Figueiredo. Serviço Para saber mais: Domaine - www.domaine.com.br Korin - www.korin.com.br Embrapa Suínos e Aves - www.cnpsa.embrapa.br Divulgação Korin

vendas em 2010 ultrapassou os R$ 360 mil, e somente de janeiro a agosto de 2011 atingiu quase R$ 320 mil.

O consumidor deve estar atento para as orientações de uso do produto na embalagem


22 / Orgânicos & Cia

Uma Pergunta

Uma Pergunta para Markus Arbenz, Diretor Executivo do IFOAM IFOAM, que atua como um “guardachuva” no setor orgânico por meio de sua legitimidade através de seus membros, tem como se comunicar com universo orgânico, incluindo os consumidores (em alguns países mais de 50% das pessoas) e levar a mensagem de uma Copa do Mundo com produtos orgânicos a 120 países. O pré-requisito que deve ficar claro é que não há nenhuma segunda intenção por trás desta ideia, que envolverá também pessoas e a mídia. Caso contrário, esta iniciativa será rapidamente julgada como “greenwashing” e “truque de marketing barato” e, portanto, contraproducente para os seus idealizadores e para o movimento orgânico. Markus Arbenz

IFOAM, que atua como um “guarda-chuva” no setor orgânico por meio de sua legitimidade através de seus membros, tem como se comunicar com universo orgânico, incluindo os consumidores

Como IFOAM poderia contribuir para a iniciativa Copa Orgânica e Sustentável Mundial do Brasil? Os iniciadores desta bela idéia tem o nosso total apoio. É uma idéia literalmente orgânica, que pode parecer visionária para muitos. É a natureza das pessoas do movimento orgânico, temos grandes ambições, nem sempre totalmente concretizadas. Produtos orgânicos já são mundialmente reconhecidos como algo positivo para a grande maioria das pessoas.

Desde que esta iniciativa pretenda desencadear sentimentos positivos, e tenha perspectivas multiculturais, IFOAM estará feliz em atuar como consultor e participar como ator.


Faça do Planeta Orgânico uma ferramenta de marketing da sua empresa! planeta orgânico o endereço dos orgânicos na internet o que é?

cadastros

serviços

Vitrine dos Orgânicos

saiba mais

buscar

agenda entrevistas fale conosco gastronomia mercado notícias quem certifica quem produz quem vende saúde&orgânicos trabalhos

Twitter Facebook

Issuu

Flickr

Newsletter

Anuncie

ENGLISH VERSION


Orgânicos & Cia Nº 6  

Edição Especial Itaipu Binacional: Entrevistas, saúde e orgânicos, turismo rural, gastronomia e notícias entre os destaques!

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you