__MAIN_TEXT__

Page 1

1


2

CORRÊA, Paulo Vitor Luz. Os Festivais Audiovisuais em 2017: Geografia e Localização. Paulo Vitor Luz Corrêa 2018. 1. Festivais audiovisuais. 2. Inscrições de filmes 3. Mundo material e mundo virtual. VERSÃO DESTE ESTUDO: 1.21 DATA DE ATUALIZAÇÃO: 11/08/2019

A reprodução deste estudo é livre, desde que citada a obra e seu autor.


3

SOBRE O AUTOR

Paulo Vitor Luz Corrêa é bacharel em Comunicação Social - Cinema e Audiovisual, pela Universidade São Judas campus unimonte (2015). Trabalha na Universidade São Judas como técnico de laboratório audiovisual, oferecendo suporte logístico e de equipamentos aos alunos e corpo docente. Coordena o SIT desde 2015, uma plataforma de inscrição online em festivais audiovisuais com preços acessíveis ao realizador independente. Atuou como curador na categoria curta-metragem do International Open Film Festival – IOFF, realizado nos Estados Unidos e Bangladesh (2016), e como jurado no III Festival de Filmes de Faina, na categoria Transertão (2017), e Operador de Controle Mestre e Produção na TV Primeira, emissora de acesso público de São Vicente (SP). Dirigiu filmes documentários com seleção e prêmios em festivais de cinema. Tem experiência na área de Comunicação, com ênfase em Cinema e Festivais.Possui estudos voltados para os festivais audiovisuais:  O Curta Santos e a evolução do movimento cinematográfico do litoral paulista (2017) em coautoria com Raquel Pellegrini, diretora técnica do festival, abordando a relação do Curta Santos - Festival de Cinema de Santos, fundado em 2002, com o desenvolvimento audiovisual da Região Metropolitana da Baixada Santista;  Os Festivais Estudantis e Universitários como porta de entrada à prática audiovisual, que analisa a segmentação dos festivais nas categorias estudantis e universitárias e suas características, integra a edição n° 3 dos Cadernos FORCINE - Fórum Brasileiro de Cinema, sociedade civil que representa as instituições e profissionais brasileiros dedicados ao ensino de cinema e audiovisual.

Os Festivais Audiovisuais em 2017: Geografia e Localização é a atualização do artigo Festivais de Cinema e a Internet: uma breve análise por meio dos formatos de submissão de filmes, que aborda os formatos de inscrições usados pelos Festivais em 2016, disponibilizado para acesso no website da Associação Cultural Kinoforum (2017). E-mail para contato: pauloluzcorrea@gmail.com


4

SUMÁRIO INTRODUÇÃO .................................................................................................................. 05 PARTE 1 – OS FESTIVAIS AUDIOVISUAIS ................................................................. 08 O que é um festival audiovisual? .......................................................................................... 09 O circuito dos festivais ......................................................................................................... 11 A estruturação dos festivais .................................................................................................. 13 A disposição dos espaços nos festivais audiovisuais ............................................................. 16 PARTE 2 - GEOGRAFIA ................................................................................................. 22 Os festivais audiovisuais brasileiros em 2016 ...................................................................... 23 Os festivais audiovisuais brasileiros em 2017 ...................................................................... 24 A temática dos festivais ....................................................................................................... 25 Situação por Região ............................................................................................................ 32 Localização dos Festivais .................................................................................................... 42 PARTE 3 -VIRTUALIZAÇÃO ....................................................................................... 125 Desempenho por formatos e tipos de inscrição .................................................................. 126 Situação por Região .......................................................................................................... 134 CONSIDERAÇÕES FINAIS ........................................................................................... 163 REFERÊNCIAS ............................................................................................................... 165 ANEXO – Festivais audiovisuais brasileiros de 2017 por temática ..................................... 167


5

INTRODUÇÃO

Os festivais audiovisuais estão em um processo de virtualização. Até a década de 80 esses eventos trabalhavam os seus processos internos de forma análoga, com inscrições físicas. A internet trouxe novas possibilidades de atualização, de atuar em um determinado contexto para os eventos audiovisuais, passando agora a terem suas etapas, desde a atualização de notícias até as inscrições de filmes, virtualizadas. Entretanto, os festivais não se tornaram completamente virtuais, mas sim híbridos em sua composição estrutural: o acontecimento de sua programação ainda está atrelado ao mundo físico, mas o processo para chegar até lá é virtual. O objetivo deste estudo é mensurar as dimensões dos festivais audiovisuais brasileiros nos mundos material e virtual sob os conceitos de Pierre Lévy, explicitados em seu livro "O que é o Virtual?", e assim traçar um paralelo com os festivais audiovisuais por meio das inscrições de filmes, formatos e tipos mais utilizados dentro do ano de 2017. Para tanto, dividiu-se esse estudo em três partes: a primeira, OS FESTIVAIS AUDIOVISUAIS, aborda esses eventos enquanto fenômenos de comunicação, seus nuances, etapas e estruturação; também cria-se um paralelo entre os festivais audiovisuais e o processo de virtualização, com algumas considerações sobre esse processo. A segunda parte, GEOGRAFIA, é um retrospecto dos festivais em 2017, com comparações aos dados do ano anterior. Para tanto, foi utilizado como base as informações do artigo Festivais de Cinema e a Internet: uma breve análise por meio dos formatos de submissão de filmes, publicado em 2016, pelos vieses quantitativos e distribuição de temática. Aqui, está a análise dos festivais por localização, com o desejo de tentar mapear geograficamente os eventos do tipo no país, e, com base nessa posição, tentar estabelecer algumas asserções sobre a distribuição dos eventos com relação ao território brasileiro Na terceira e última parte, VIRTUALIZAÇÃO, a análise sobre o mundo virtual sob a ótica dos formatos de inscrição e tipos de submissão online de filmes nos festivais audiovisuais em 2017. Entrou-se em contato com os eventos incluídos nessa pesquisa, solicitando a quantidade de obras recebidas por cada evento, obtendo resposta de 94% dos festivais, permitindo montar estatísticas por estruturação e tipo de inscrição com base nos números absolutos. Desta forma, tenta-se situar o processo virtualizante, ou no caso uma de suas formas, na realização dos festivais, representado nas inscrições de obras. Como anexo, estão os festivais aqui listados divididos por sua temática. Os principais materiais de estudo nesse relatório são os festivais e mostras que abriram processo de inscrição de obras.


6

Esse relatório é uma tentativa de fomentar a prática de estudo dos festivais enquanto fenômenos comunicacionais, o que não acontece no Brasil salvo raríssimas exceções como o Painel Setorial dos Festivais Audiovisuais realizado por Tetê Mattos e Antônio Leal. Mattos é uma grande entusiasta do tema, com artigos publicados a respeito. Cita-se também o pioneiro livro de Miriam Alencar, O Cinema em Festivais e os Caminhos do Curta-metragem no Brasil, publicado em 1978 pela Artenova. A ANCINE - Agência Nacional do Cinema, órgão responsável pela atividade cinematográfica brasileira, possui um mapa de mostras e festivais pelo Brasil divididos por eventos realizados, em andamento e que virão a acontecer1. A existência desse mapa é um avanço interessante em sua composição, mas necessita ser constantemente atualizado. Entender como os festivais brasileiros atuam é um reflexo da condição estrutural do audiovisual brasileiro como um todo. Em meio a isso, seguimos na luta por um audiovisual forte e realizado.

1

Para acessar o mapa de mostras e festivais da ANCINE: http://bit.ly/MapaANCINE


7


8


9

O QUE É UM FESTIVAL AUDIOVISUAL? O cinema brasileiro, no que tange a sua historicidade, é uma caracterização de sobrevivência diária: a produção via leis de incentivo, a distribuição nas mãos de poucos players, os produtos nacionais obliterados em razão da esmagadora presença de conteúdo estrangeiro nos aparatos de exibição, entre outros. Diante desse cenário, certos mecanismos são necessários para fazer valer uma atuação do audiovisual nacional em seu próprio território, e uma solução são os festivais audiovisuais. Em uma caracterização rápida, retirada da pioneira obra de Miriam Alencar, O Cinema em Festivais e os Caminhos do Curta-Metragem no Brasil, “festival” é o nome dado a uma série de manifestações artísticas, caracterizadas pelo nível de suas apresentações, exibições, periodicidade e/ou local onde se realizam. (ALENCAR, 1978). Em suma, é um evento onde algo está marcado para acontecer, algo que justifique a existência do festival e sua atuação. Este algo na maioria das vezes é a programação de um conteúdo diverso, heterogêneo em suas formatações estruturais, mas conectado pela presença de exibição – e discussão, reverberação – pelo festival. Dessa forma, um festival atua como elemento de intersecção entre conteúdos audiovisuais, por uma série de fatores definidos por ele: temática, formato, aspectos geográficos, temporais. Thomas Elsaesser (2005), historiador cinematográfico, corrobora para a definição desses eventos como encontros anuais com finalidade de reflexão e renovação. Os festivais audiovisuais2 participam do conceito global de festival, isto é, momentos de autocelebração de uma comunidade, como a passagem do Ano Novo e outras datas especiais. Festivais exigem uma ocasião e a participação de pessoas, e o mesmo se aplica aos de porte cinematográficos, que podem ser comparados às cerimônias dentro de uma sociedade. Na antropologia, o que distingue os festivais destas comemorações é o papel dos espectadores: o público é mais ativo quando vê o festival como um carnaval, e passivo quando comparado às cerimônias. Por outro lado, uma obra incluída em determinada edição de um festival se torna um recorte espaço-temporal da presença de tal evento. Quando determinado filme é exibido, suas discussões, impressões e considerações geradas são lembradas junto a concepção daquela edição do evento. Trata-se de uma relação espelhada: a obra se torna uma parte da edição do

Utiliza-se aqui o termo “festival audiovisual” ao invés de “festival de cinema” em virtude da amplitude do termo: o primeiro é um evento que trabalha não necessariamente com o campo cinematográfico, mas ainda sim dentro do escopo da imagem em movimento, que possui o audiovisual como caráter imprescindível de sua motivação de realização. Um festival de cinema é um festival audiovisual, mas um festival audiovisual não necessariamente é um festival de cinema. 2


10

festival, enquanto o festival se torna uma parte da imagem das obras que são exibidas dentro dele. Junto a associação da imagem espelhada, os festivais audiovisuais trabalham com a especificidade que reforça a relação evento/obra. Tema, formato, aspectos geográficos, sociais, estéticos e cinematográficos são algumas das segmentações possíveis junto ao chamado Circuito dos Festivais. Com mais de 300 eventos similares realizados no Brasil, as linhas de atuações desses festivais precisam se justificar de acordo com uma diversificação entre si, algo que legitime as suas existências além do motivo de exibição. Não é simplesmente exibir, é definir uma linha de atuação de exibição. Exemplificando: o Festival MixBrasil de Cultura da Diversidade (SP), se volta para obras que abordam a sexualidade em suas mais diversas formas de expressão; o CineSerra - Festival do Audiovisual da Serra Gaúcha (RS) aceita apenas inscrições de realizadores do Rio Grande do Sul; o DOBRA – Festival Internacional de Cinema Experimental (RJ), como o nome sugere, para as produções experimentais; É Tudo Verdade – Festival Internacional de Documentários (SP e RJ) para os documentários. São festivais que associam uma causa a sua realização, os distinguindo dos demais eventos e dando-lhes mais atributos. Ao somar todos os tipos de festivais que atuam com alguma especificidade, a quantidade de eventos se sobressai aos festivais geral, que não objetivam uma segmentação. (CORRÊA, 2016). Esses são alguns dos exemplos de delimitações de festivais que tratam de uma temática individualmente, subordinados a grupos de caracterização:

POR TEMA: Quando define-se uma contextualização a edição do festival. Pode ser alterado de acordo com o ano (exemplo: em uma edição o festival aceita apenas obras que tenham como temática “amor”, e na próxima apenas as que tenham como temática “mobilidade”) ou ter uma temática fixa (um festival de filmes ambiental aceita apenas obras de temática ambiental em todas as suas edições).

POR

GÊNEROS

AUDIOVISUAIS:

Quando

prioriza-se

um gênero

audiovisual

(documentários, filmes experimentais, videoarte, videodança, etc).

POR FORMATOS AUDIOVISUAIS: Quando prioriza-se uma estruturação do audiovisual (curta-metragem, filme minuto, obras realizadas em 24h/48h)

POR GRUPO SOCIAL: Quando define-se a atuação voltada para um determinado grupo (obras de realizadores negros, de realizadoras mulheres, etc).


11

POR ASPECTOS GEOGRÁFICOS: Quando define-se a atuação por realizadores locais (obras apenas de realizadores de determinada região).

GERAL: Quando define-se a inscrição por uma ótica geral, sem temática. Todos os tipos de filmes são aceitos.

Por exemplo, o Festival MixBrasil de Cultura da Diversidade é de temática LGBTQ, mas dentro do grupo de festivais “grupo social”. O “É Tudo Verdade” com a temática documental, porém dentro do grupo de “gêneros audiovisuais”. O CineSerra é regional e dentro do grupo “aspectos geográficos”. A temática de cada festival será abordada na parte 2 deste estudo. Não é a apenas segmentação que distingue um festival do outro. Perfil (universitários, animação), objetivo (reflexão, difusão, mercado), porte (pequeno, médio e grande), organização (produtores independentes, empresários, governo), formas de financiamento (verbas estatais, municipais, federais, leis de incentivo, patrocínio) e programação (inédita, inventiva, forte diálogo com o público, experimental) são compreensíveis nessa diversificação dos festivais no Brasil. (MATTOS, 2013, p.122). Evidente que toda tipificação está suspensa a generalizações com cada uma se misturando à outra.

O CIRCUITO DOS FESTIVAIS

Os festivais possuem uma série de fatores políticos (governamentalmente transmite-se um ponto de vista de incentivador cultural), econômicos (chance de investidores/patrocinadores e correlatos atrelarem sua marca ao evento, em contato direto com o público; o turismo proporcionado pelo acontecimento do festival pode revitalizar a economia da região), culturais (forma de acesso ao cinema, com conteúdo nacional e/ou internacional, geralmente com entrada franca para suas sessões ou com preços acessíveis para as mesmas). Estão cada vez mais engajados em melhorar a produção do fazer cinema, porque a preocupação não está apenas na exibição dos filmes, parte importantíssima de qualquer evento do tipo, mas também na programação por si só, oferecendo oficinas, rodas de conversa, aproximação entre realizadores e público, sempre pensando em fomentar o cinema brasileiro (NEPUMECENO, 2014). No que tange ao Circuito dos Festivais, uma contextualização: entende-se como a soma de todos os eventos realizados dentro de um determinado período. No caso dos audiovisuais, esse prazo é estabelecido por ano. “Circuito” porque as obras podem transitar de um festival


12

para outro, fazendo carreira de exibição. Dessa forma, uma obra não se limita a ser exibida apenas em um festival. O próprio caráter de um filme – ser assistido – é contrário a isso. Uma obra é uma constante asserção do fazer fílmico, e sua visualização é um dos fatores para sua perpetuação audiovisual. Por mais que uma obra se espelhe à imagem de um festival, ela é plurarizante nessa associação, podendo se espelhar em mais de um festival, surfando de evento em evento e criando assim múltiplas associações, visualizações e atribuições de si mesma enquanto dentro desse enorme círculo. Os festivais que compõem o circuito, em um jogo de atrações periódicas, esquematizam o seu acontecimento no calendário em datas que não coincidam com outros eventos. Os mais tradicionais, em virtude de suas idades avançadas, obtiveram a prioridade de determinar seu momento de realização, se apropriando desse intervalo de tempo. Dentro do circuito, o filme pode ser inscrito, visualizado, analisado pelos curadores e exibido, ganhando até prêmios em determinados casos. O que o circuito tem de agregador, tem de excludente. Alguns festivais podem solicitar fatores de exclusividade de exibição para integrar sua programação, como não ser incluído em qualquer programação de festival anterior. Um exemplo é o Festival de Gramado ao estabelecer na Competição Brasileira de Filmes de Curta-Metragem que “somente serão aceitos filmes inéditos em salas de cinema e televisão no Rio Grande do Sul” (REGULAMENTO DO 45ª FESTIVAL DE CINEMA DE GRAMADO, 2017, p. 13). Outro exemplo, o É Tudo Verdade – Festival Internacional de Documentários explica em seu regulamento que: A partir do anúncio final da seleção (Os realizadores serão comunicados até o dia 03/03/2017) até o encerramento do Festival (30/04/2017), os títulos selecionados (e trechos dos mesmos) não poderão ser apresentados publicamente, seja em salas de cinema ou similar, canais de televisão aberta ou fechada, internet, telefonia móvel ou em quaisquer outros meios, mesmo que apenas em projeções para imprensa e/ou quaisquer outras sessões fechadas/ privadas. ATENÇÃO: A infração desta cláusula implicará no cancelamento da seleção da obra, ficando a produtora ou realizador responsável pela mesma automaticamente suspensa de qualquer participação no É Tudo Verdade por um período de 3 (três) anos (REGULAMENTO DA 22ª EDIÇÃO DO É TUDO VERDADE, 2017).

Não cabe aqui um julgamento quanto aos fatores de exclusividade determinados por alguns festivais, mas cabe a eles determinarem suas especificações, estando os interessados em participar desse processo cientes e de acordo com as implicações que isso advém. Ao responsável pelo filme, cabe gerenciar esse processo de inscrição dos festivais, já que a inclusão de sua obra nesses tipos de eventos pode ser vantajosa, mesmo impossibilitando a realização de inscrições durante determinado período ou em uma região. O importante são as imagens


13

associadas a esses festivais, que relacionam-se aos seus filmes selecionados, podendo potencializá-los, bem como seus atributos (equipe técnica, temática, entre outros), mesmo com algumas renúncias nesse meio tempo. Um festival pode atuar enquanto evento isolado e não como parte de um circuito, mas sua presença enquanto parte da carreira de uma obra é indissociável: a seleção no Festival de Gramado não impede que o filme espelhe sua imagem em outros eventos para sempre. A questão é a primeira associação da imagem da obra no circuito, algo que sempre estará em jogo. Não confundir a condição de exclusividade de participação que alguns festivais utilizam com as suas temáticas: enquanto estas priorizam um tipo de obra na sua condição de essência, sendo incluídas ou não, os festivais com associação de exclusividade aplicam suas cláusulas apenas às obras selecionadas.

A ESTRUTURAÇÃO DOS FESTIVAIS

Um festival acontece por etapas, funcionalidades que necessitam ser realizadas de acordo com uma métrica estabelecida. Cada etapa está associada à outra, e cada uma necessita de um tempo para sua realização. Todo festival tem o seu caráter particular em sua estruturação, logo as etapas abaixo são ressonantes à classe dos festivais que abrem inscrição. A união dessas etapas culmina no festival enquanto evento.

I - PLANEJAMENTO: Após a certeza da data de acontecimento do festival, define-se o tempo para as etapas seguintes: inscrição em editais de financiamento; captação de recursos, definição da identidade visual da edição do evento (pôsteres e temática, por exemplo), bem como a sua composição de atividades; criação (para os festivais estreantes) ou atualização (para os que já os possuem) do regulamento; II – PERÍODO DE INSCRIÇÃO DE OBRAS AUDIOVISUAIS: Por meio de um formato estabelecido em regulamento, o festival abre o período de submissão de obras. Cada festival tem uma forma de inscrição diferente, com necessidades e disposições de informações, podendo ser física ou online. III – CURADORIA DAS OBRAS RECEBIDAS: Os curadores “emprestam” seu referencial audiovisual ao festival, o que define por meio de um processo interno a escolha das obras que serão exibidas.


14

IV – DEFINIÇÃO DA PROGRAMAÇÃO: A divisão e publicação das atividades que acontecerão no festival por data e hora, principalmente as de exibição. A programação pode ser disponibilizada online e/ou impressa. V – REALIZAÇÃO DA PROGRAMAÇÃO:

A série de atividades planejadas que

estruturam o papel de recepção do festival (item IV). Os eventos formalizam o acontecimento de suas atividades estipuladas, principais e paralelas.

A nacionalidade é um aspecto importante dos festivais audiovisuais, que no ambiente globalizado abordam interconexões transnacionais por não haver limitações territoriais. Ao mesmo tempo, nos festivais internacionais o fator de propaganda política é historicamente preponderante já que a organização de um evento deste tipo visa não apenas o incentivo da arte, mas principalmente o de criar uma boa imagem do país na produção cinematográfica: Como os festivais nascem primeiramente dentro de um contexto europeu, préSegunda Guerra Mundial, por meio de mostras que exibissem o poder nacional perante outras nações, propositadamente convidadas a participarem desses eventos também com suas obras. Os Festivais de Veneza e Cannes são atribuições nesse sentido. A seleção dos filmes era feita por uma comissão nacional de cada país, enviando as obras que julgassem interessantes para propagar suas ideologias. Tal situação se manteve até a década de 60, quando os festivais ‘proclamaram sua independência’ e passaram a eles mesmos selecionar os filmes (CORRÊA, 2017, p. 13).

Se um filme é a "projeção sócio-econômica-político-cultural de um país" (ALENCAR, 1978, p.55), então o festival é o projetor propriamente dito, servindo de suporte para que as obras difundam essa condição social e de existência fílmica. Dentro da significação dos festivais, uma duplicidade básica: o jogo de interesses de vários trejeitos e o aspecto positivo de desenvolver a cultura cinematográfica. Um festival é importante pelo seu poder de revelar novos valores, ideias e culturas que permitem contato entre as pessoas das mais diferentes regiões, ampliando seus respectivos conhecimentos do que se passa no cinema. Permite um olhar específico a respeito da produção audiovisual e um olhar abrangente, onde se criam as trocas de informações, diferentes olhares para produção e variação temática para pensar, viver e realizar cinema. No Brasil, os festivais se configuram como o principal meio de exposição de seu cinema, um cinema com poucos recursos financeiros, logísticos e maquinários, exigindo certas desenvolturas com esse sistema escasso. Os festivais, desde o seu surgimento na década de 60,


15

com os filmes 8mm e 16mm, exibiam a produção nacional, personificada no formato de curtametragem3. O filme curto, em virtude de seu tempo reduzido se comparado a um longa, é a aplicação em essência de se fazer um cinema de acordo com as limitações operacionais, motivo pelo qual o formato continua sendo difundido até os dias de hoje. Com o desenvolvimento das aplicações midiáticas virtuais e a atualização dos equipamentos na virada do século, os festivais começaram a trabalhar com a terminologia online.

3

A trajetória dos festivais audiovisuais brasileiros começa em 1954, com o I Festival Internacional de Cinema do Brasil, em comemoração ao quarto centenário da cidade de São Paulo, com mostras retrospectivas e informativas, cursos de formação e debates. Foi em 1965 que algumas experiências em festivais foram feitas (RAMOS, 2012, p.296): no Rio de Janeiro, o Festival Internacional do Filme (FIF) trouxe uma boa movimentação de mídia, mas segundo ALENCAR (1978, p.87), "nada acrescentou ao cinema brasileiro" pelos filmes estrangeiros já possuírem sua exibição programada de qualquer maneira nos cinemas da cidade. No Distrito Federal, nasce o Festival de Cinema Brasileiro de Brasília, idealizado por figuras como Nelson Pereira dos Santos, visando a promoção da cidade-capital. Experiências isoladas surgiram no Amazonas e em Belo Horizonte anos mais tarde, com uma proliferação dos eventos tamanha a ponto do órgão responsável pelo cinema nacional à época, o Instituto Nacional de Cinema (INC) fixasse uma resolução (n° 88 de 24/07/1973) para definir normas de realização desses eventos. Com relação as inscrições de filmes, Alencar dedica uma boa parte de seu livro sobre o Festival Brasileiro do Cinema Amador (FBCA), iniciado também em 1965 por iniciativa do Jornal do Brasil, um dos únicos meios de comunicação da época que se preocupava com o cinema brasileiro. O Festival tinha o nome de "amador" em virtude das bitolas em que os filmes eram produzidos, curtas-metragens em 8mm e 16mm. A primeira edição teve caráter regional, com 40 inscrições. Todos foram exibidos no Cine Paissandu, marcando os realizadores das obras como "Geração Paissandu". Na segunda edição, a quantidade de inscritos duplicou, já em caráter nacional. O Festival possuía cinco patrocinadores que bancavam desde a estruturação básica do evento até prêmios em dinheiro e permutas destinadas aos vencedores de cada edição. Com o aumento da atuação do Departamento de Censura sobre as obras que seriam exibidas, somado as leis de proteção do filme curto (voltadas exclusivamente para a bitola de 35mm), a queda do interesse dos cineclubes em exibir obras em 16mm, a "atualização" por parte dos realizadores em filmarem agora em 35mm, e principalmente o interesse por parte do INC em promover os festivais país adentro na gestão de Ricardo Cravo Albin, o FBCA se transforma em Festival Brasileiro de Curta-Metragem (FBCM), dedicado exclusivamente ao 35mm e aberto aos profissionais em 1971, com o Instituto Nacional de Cinema assumindo todas as prerrogativas do evento. No ano seguinte, com a saída de Albin da presidência do INC, coube ao Jornal do Brasil reassumir a responsabilidade pelo festival. Aos próximos anos, as inscrições variavam em quantidade e a mudança de local de exibição era frequente, bem como o aumento da censura. Na edição de 1977, voltou-se a aceitar a bitola de 16mm, com recorde de inscrições: 105 filmes, sendo 69 em 16mm. (ALENCAR, 1978). O FBCA/FBCM é um exemplo da proposta dos festivais como meios de difundir o audiovisual em determinado contexto, de fortalecer a produção e oferecer visibilidade a um determinado formato de produção a princípio negligenciado na sociedade brasileira: o curta-metragem. A questão do tratamento da bitola, onde 8mm e 16mm eram considerados amadorísticos, é outro ponto. O interesse em participação no festival é uma porta de exibição para realizadores que estão começando suas carreiras cinematográficas. Ao mesmo tempo, o festival carioca é um exemplo pioneiro da dependência de recursos externos para sua sustentação, sendo as vezes essa externidade paradoxalmente o principal fator para a realização conturbada do evento. Outro exemplo é o grau de influência do INC em "profissionalizar" os filmes pela sua bitola. Contextualmente, os festivais na década de 60 e 70 trabalharam tanto a questão do curta-metragem e de sua visibilidade a ponto de ser criada pelo Conselho Nacional de Cinema - CONCINE a Lei do Curta em 1975, que definia a exibição de um filme curta-metragem brasileiro antes de todo longa-metragem estrangeiro em salas de cinema. Esse filme curto deveria ser adquirido pelos donos de cada sistema exibidor a preço estimado em lei. Tal medida, entretanto, sofreu um lobby pelos exibidores, que passaram a ou comprar as obras em valor muito abaixo do estabelecido, ou a produzir seus próximos filmes, de qualidade duvidosa, criando um asco na população sobre o formato de curta-metragem e o cinema brasileiro. Para mais informações sobre a Lei do Curta, ler SIMIS, 2008.


16

A DISPOSIÇÃO DOS ESPAÇOS NOS FESTIVAIS AUDIOVISUAIS

Os festivais audiovisuais até a década de 80 trabalhavam os seus processos internos de forma analógica. As inscrições via correio ou pessoalmente na sede do evento, a análise do material, divulgação dos selecionados, realização das atividades, tudo acontecia por meio físico. Anteriormente,

abordou-se

os

festivais

audiovisuais

enquanto

fenômenos

comunicacionais, oferecendo alguns destrinchamentos a questões essencialmente aplicáveis. Como parte desses fenômenos, uma nova configuração foi crescendo entre a década de 90 e o século XXI graças a popularização da internet: a virtualização dos festivais. A internet convencionou o que se denomina por virtual, uma esfera de transferência do real para uma nova condição, de virtualização. Dentro da acepção da palavra, “virtual” pode ser compreendido como um processo técnico ligado à informática, onde os processos de comunicação passam a ocorrer em uma instância que permite a digitalização da informação, seu armazenamento, a automatização de seu tratamento, transporte e por fim dispor-se a um usuário final. O computador é, então, um operador da potencialização da informação, isto é: a partir de dados iniciais, ele possibilita os conceitos comunicacionais a serem transplantados para a virtualidade. Há o conceito filosófico, o que Pierre Lévy define como “aquilo que existe apenas em potência e não em ato” (2011, p. 49), o que se resolve em atualização. Nessa conceituação filosófica, Lévy utiliza a virtualização enquanto campo de atualização de possibilidades, novas formas de se estudar e atuar em determinado contexto. Um exemplo: o pensamento, na ótica do autor, é um processo de virtualização, o que sucumbe na utilização do virtual enquanto prática de longa data da humanidade. Os estudos de Pierre Lévy dentro da cibercultura não retratam os festivais audiovisuais diretamente, mas sim os laços e poderio da comunicação junto à frente virtual - tecnológica e filosófica. Dessa forma, considerando os festivais como fenômenos comunicacionais, utilizaremos as conceituações do autor para sistematizar a virtualização dos festivais e as suas disposições de espaço. É comum pensar no virtual como antagônico ao real, mas os dois processos não o são. Na verdade, o real existe com o virtual, em uma cumplicidade tamanha que é difícil mensurar os limites de cada ponta. É impossível a separação do Homem de seu ambiente material, assim como seus signos e imagens por quais atribui sentido à vida e ao mundo. (LÉVY, 2010, p. 22). Todos os processos de construção de linguagens se entranham nas almas humanas, fornecendo meios e razões de viver. Ao mesmo tempo, a noção de mundo virtual não implica a simulação de espaços físicos, mas sim a criação de um mundo com suas próprias asserções e características. Um mundo virtual, em um sentido amplo, é um universo de possíveis,


17

calculáveis a partir de um modelo digital. Ao interagirem dentro desse mundo, os usuários o exploram e automaticamente o atualizam, desenvolvendo um vetor de inteligência e criações coletivas. Vejamos então, o que se define como mundo material e mundo virtual dos festivais? A resposta: um universo de expansão contínua. O que antes era essencialmente físico, desde a preparação até a realização, é virtualizado em sentido de potencialidade de existência. Os festivais audiovisuais, no mundo virtual, revitalizaram os seus processos internos de realização. Ou seja: um festival hoje potencialmente está no mundo virtual. O que varia são as cargas de virtualidade de um festival para o outro: pensando nas divisões de estruturação abordadas anteriormente, enquanto alguns eventos virtualizam o mínimo possível dessas etapas – apenas releases e notícias são disponibilizadas no âmbito virtual, por exemplo, outros festivais trabalham de forma híbrida o mundo virtual e o mundo material, para até mesmo os eventos que potencializam ao máximo a aplicação dessa virtualização – casos dos festivais completamente online, em que tudo acontece dentro do mundo virtual. O festival estabelece a sua territorialidade em um processo ideológico de virtualização, por sua associação a uma região não ser mais obrigatória, mas sim idealisticamente propositada a um referencial físico por meio do mundo virtual. No Brasil, com 94% dos municípios sem uma sala de cinema 4, os festivais nascem e florescem com o intuito de preencher essas lacunas no interior do pais, caso do Festival de Filmes de Faina - FFF, realizado na cidade homônima no interior do estado de Goiás. Faina é consideravelmente distante dos centros mais populosos, e não possui salas para a exibição cinematográfica. O referencial físico do FFF é bem claro nesse sentido, mas as práticas associadas a sua atividade-fim – exibição de filmes – se desenvolvem no mundo virtual. O site do festival, o regulamento disponibilizado online para acesso, as publicações da página do evento em redes sociais, as inscrições, os selecionados e premiados, tudo acontece exclusivamente no mundo virtual. O festival no mundo virtual não tem limitação geográfica, alcançando filmes de realizadores de diversas partes do país. O ciberespaço – o encontro desses espaços virtualizados - vai encorajar um estilo de

4

O setor de exibição no país é uma eterna problemática: no Brasil há uma sala de cinema para cada 65.169 habitantes. O México, com uma realidade similar à brasileira tem uma relação de uma sala para 23 mil habitantes, há cinco anos. Uma em cada três salas de cinema do Brasil está localizada em São Paulo. As salas de cinema estão presentes em apenas 383 dos 5.570 municípios do Brasil – o equivalente a 6,9% do total. De acordo com um estudo realizado pela jornalista Gabriela Caesar, do G1, das 3.160 salas de cinema localizadas no país, 64,1% se concentram em cidades com mais de 500 mil habitantes, sendo as restantes em municípios com 100 mil a 500 mil habitantes. Em cidades com até 50 mil habitantes, a presença é irrisória, com apenas 54 das 4.911 cidades com essa faixa populacional possuindo salas. As informações para a elaboração desse estudo foram retiradas do Observatório do Cinema e do Audiovisual, vinculado à ANCINE - Agência Nacional do Cinema, e nas estimativas populacionais do IBGE. O estudo realizado por Caesar pode ser acessado aqui: http://bit.ly/salasdecinema2017


18

relacionamento quase independente geograficamente falando, as particularidades técnicas permitem aos membros cooperar e interagir uma memória comum, em uma espécie de virtualização das organizações, que ficam menos dependentes de lugares determinados e horários fixos. Novamente Pierre Lévy:

Quando uma pessoa, uma coletividade, um ato, uma informação, se virtualizam, eles se tornam ‘não-presentes’, se desterritorializam. Uma espécie de desengate os separa do espaço físico ou geográfico ordinários e da temporalidade do relógio ou do calendário. (...) A virtualização submete a narrativa clássica a uma prova rude: unidade de tempo sem unidade de lugar e da continuidade de ação apesar de uma ação descontinua. A sincronização substitui a unidade de lugar, e a interconexão, a unidade de tempo. Mas nem por isso o virtual é imaginário. Ele produz efeitos (LÉVY, 2011, p.21).

A potencialidade da ocupação ideológica é um exemplo da utilização do mundo virtual no setor das imagens em movimento, que reverbera em outros atores no jogo. O realizador de uma obra consegue conectar-se com os festivais pelo mundo virtual sem limitações geográficas, onde no preenchimento do formulário e/ou no envio por e-mail das informações, o filme já está pronto para ser analisado pela curadoria, porque já se encontra digitalmente em um servidor que permite a visualização atemporal. No mundo físico, o realizador precisaria materializar a obra em um dispositivo de exibição – película, mídia, HD externo – enviar até o referencial físico do evento para ser exibido, arcando (ou não) com os custos desse envio. Essa facilidade dos realizadores em se conectarem com os festivais no mundo virtual é um dos três princípios básicos da cibercultura. O conceito de “comunicar-se” nesse sentido, está atrelado ao envio da mensagem, que aqui, são os filmes. As comunidades virtuais são o segundo princípio. Os festivais enquanto circuito de eventos, virtualizam as informações que julgam relevantes, e os realizadores, visando a participação nesse circuito, agora virtualizado, tornam-se partes de uma comunidade, não planejada, mas essencialmente aplicada. O último princípio é a inteligência virtual: por meio das ferramentas do mundo virtual, o objetivo é sempre a ideia de coletivo inteligente, mais imaginativo, rápido, capaz de inventar e aprender de forma muito mais integrada e personalizada. A administração do material que o festival recebe torna-se muito mais prática no mundo virtual pela compactação dos arquivos: o que antes era necessário pilhas de materiais físicos, hoje podem ser armazenados digitalmente. Aos curadores, idem. A virtualização do conteúdo é um facilitador. O movimento social e cultural que o ciberespaço propaga, é um movimento


19

que não converge sobre um conteúdo em particular, mas sim sobre uma forma de comunicação não-midiática, interativa, comunitária e transversal. Logo, a virtualização enquanto potencialidade de existência e de informação atribui aos festivais audiovisuais uma integração coletiva e inteligente na realização de cada evento, cada vez mais desterritorializados e autônomos no processo de virtualização em relação ao mundo material, o que não significa que não há uma interdependência de cada ponta. Como dois mundos de aplicações e asserções diferentes, o mundo material aplica fragmentos de um festival em seu mundo, e no virtual, outros fragmentos com outras finalidades. O festival é a união dos fragmentos dos mundos material e virtual, que culminam na sua realização. Certos fragmentos para certos festivais são melhores aproveitados no mundo físico – mostras audiovisuais e workshops, por exemplo – assim como certos fragmentos são melhores aproveitados na esfera virtual – caso das inscrições. Essas aplicações, contudo, são cada vez mais versáteis de acordo com as configurações que cada festival dispõe ao seu aprofundamento com a virtualização do conteúdo que propaga. As exibições de certos festivais já acontecem inteiramente online, palestras que acontecem como parte da programação de um festival são transmitidas ao vivo, quando não gravadas e disponibilizadas para posterior acesso. O mundo virtual e o mundo físico se complementam, e tratando-se dos festivais, potencializam–no em suas realizações. Com base nas etapas dispostas no texto A ESTRUTURAÇÃO DOS FESTIVAIS, chegou-se em quatro categorias de interação dos festivais com o processo de virtualização:

CATEGORIA MAIS FÍSICO QUE VIRTUAL: A sua participação no mundo virtual é mínima, ocorrendo geralmente na disponibilização das informações por parte do evento via rede social/website. A inscrição é física, geralmente por mídia DVD, a análise do conteúdo é originária do meio físico, bem como a realização da programação. Os festivais que se encaixam nessa categoria seguem uma tendência a serem eventos com uma tonalidade mais particular de realização, em uma esfera para um público segmentado, geralmente próximos fisicamente ao local de realização do evento, o que justificaria a inscrição física. Podemos citar como exemplos o FUSCA - Festival Universitário de Criação Audiovisual (PA), destinados a universitários da UFPE, Festival Internacional Estudantil de Cinema de Barra do Piraí - Festcine Estudantil (RJ), para produções audiovisuais realizadas por estudantes do ensino fundamental, médio e técnico do Rio de Janeiro.


20

CATEGORIA MAIS VIRTUAL QUE FÍSICO: A presença do âmbito virtual é muito mais presente do que na Mais Físico Que Virtual. As inscrições são virtuais, bem como a administração desses dados e a curadoria que recebe os links para análise. A realização da programação, entretanto, se dá no mundo material. É a mais em voga atualmente, utilizado por quase todos os festivais, caso do NOIA - Festival do Audiovisual Universitário (CE), Cinefest Gato Preto (SP), CURTA- SE – Festival Iberoamericano de Cinema de Sergipe (SE), entre outros. É muito comum em festivais de 1° edição.

CATEGORIA TOTALMENTE VIRTUAL: Todas as suas etapas são virtuais. Desde a inscrição, curadoria, realização da programação, funcionam por meio de links às obras disponibilizadas no site do festival. Podemos citar com esse tipo de perfil o Festival Curta na UERJ e o Festival Scapcine de Cinema Brasileiro.

Mesmo que a inscrição ocorra apenas fisicamente, um festival está em alguma potencialidade, virtualizado, devido a sua parte comunicacional, que precisa convergir com o público-alvo de cada evento. Logo, um festival pode ter a inscrição física, mas a sua comunicação virtualizada via website, rede social e até mesmo e-mail, onde suas repercussões podem se tangenciar para o mundo material (a notícia ir para um jornal impresso, por exemplo).


21


22


23

OS FESTIVAIS AUDIOVISUAIS BRASILEIROS EM 2016

Uma versão anterior deste estudo, intitulado Festivais de Cinema e a Internet: uma breve análise dos formatos de submissão de filmes 5, procurou analisar os festivais de cinema com base nos formatos de inscrição disponibilizados por cada evento, traçando um paralelo sobre a virtualização dos festivais quando se trata da etapa de submissão de filmes. Foram cadastrados mais de 300 festivais de diferentes portes e objetivos, dados que permitiram a compreensão de informações sobre o panorama do circuito dos festivais brasileiros. No que tange a realização dos festivais, a Região Sudeste em 2016 comportou 46% do total, o dobro da Região Nordeste com 23%. A Região Sul com pouco mais de 14%, a Região Norte com 4% e os festivais interestaduais (que acontecem em mais de um estado simultaneamente) com 3%. Os festivais de características online estavam em 1%. Aqui, a conclusão óbvia: os festivais são essencialmente físicos na realização de suas atividades. Com relação as inscrições, 70% dos festivais (pouco mais de 200 eventos) trataram as submissões de filmes de forma online, contra 9% (por volta de 30) que possuem um processo físico. Os 21% restantes são festivais que aceitam as duas formas de inscrição. Ou seja: a virtualização das inscrições é um processo latente que mostra o quão prático é a administração desses dados agora virtualizados, principalmente quando já estão ordenados por meio de um sistema de agrupamento de informação, o que justifica o uso dos formulários próprios como grande formato utilizado pelos festivais (34%), seguidos dos tipos Google (32%). A grande vantagem dos formulários é pré-definir não só a informação que se quer receber, mas sim a forma como essa informação chega, algo um pouco mais aberto quando a inscrição é via e-mail (18%). Feita essa contextualização a fim de oferecer um referencial do assunto, pode-se avançar para os dados dos festivais audiovisuais em 2017.

5

A pesquisa de 2016, assim como esta, trabalha apenas com os festivais audiovisuais que abriram inscrições no ano corrente. A quem interessar, a pesquisa pode ser acessada aqui: http://bit.ly/Festivais2016.


24

OS FESTIVAIS AUDIOVISUAIS BRASILEIROS EM 2017

O conceito da edição 2017 da pesquisa segue o da edição passada: o principal material de estudo são os festivais que abriram processo de submissão de obras. Foram consideradas a inclusão

de festivais e mostras brasileiros realizados em solo nacional, em que suas etapas (inscrições → curadoria → realização da programação) aconteceram dentro deste ano. No caso dos festivais que fracionam as suas etapas entre um ano e outro, considerou-se como eventos pertencentes a 2017 os que possuem a realização de suas programações no mesmo ano. Referente aos festivais online, em que não há uma exibição física, conta-se como “finalizado” uma situação que indique seu encerramento, como uma cerimônia de premiação. Festivais que abriram inscrições, mas que foram adiados ou impossibilitados não foram incluídos neste estudo, bem como os que não abriram processo de submissão. Por "inscrição", considerar o processo de envio de informações de obras audiovisuais a um festival/mostra para sua aprovação ou não no dito evento, sendo realizado pelos responsáveis da obra. No ano de 2017, mais de 350 festivais abriram inscrições para obras audiovisuais dos mais diversos gêneros, tipos, tamanhos e formatos, um crescimento de mais de 30 eventos do que em 2016, um aumento de 10%. Da quantidade total, 280 eventos (78%) não são estreantes, contra 77 festivais em sua primeira edição em 2017. Os números são mais expressivos se comparados ao ano anterior:

FESTIVAIS AUDIOVISUAIS 2016-2017 357 Total Festivais

321

77 Estreantes (Primeira Edição)

76 280

A partir da 2° Edição

245

2017

2016


25

75% dos festivais aconteceram nos anos de 2016 e 2017, o que dá uma margem de mais de 220 eventos realizados nesses dois anos.

A TEMÁTICA DOS FESTIVAIS

O tema geral é a principal vertente do circuito, com um total de 115 festivais. O universitário continua sendo o mais procurado, com um aumento de 37, em 2016, para 43 festivais em 2017, enquanto o estudantil (voltado para a produção audiovisual realizada por alunos do ensino fundamental, médio e técnico) teve uma queda mínima de 18 para 17 eventos. Já os filmes dirigidos por realizadoras mulheres tiveram um pequeno acréscimo, subindo de 10 para 11 eventos. O grande destaque vai para os festivais LGBTQ, que quase duplicou a sua quantidade de 9 para 17, se tornando a terceira temática mais recorrente na pesquisa. Quem sofreu um declínio foi a categoria de festivais regionais - voltados para uma determinada atuação geográfica. Dos 22 do ano passado para os 15 deste. Em 2017, percentualmente, as temáticas geral (33%), universitária (13%), LGBTQ (5%), regional e estudantil (4% cada), de filmes dirigidos por realizadoras mulheres (3%) e animação (3%) são as que possuem mais de 10 festivais.

TEMÁTICA DOS FESTIVAIS AUDIOVISUAIS EM 2016-2017 115 114 2016

37

2017

43 9

17

22

15

18 17

10 11

9 11

12 10

6 8

9 6


26

TEMÁTICA DOS FESTIVAIS AUDIOVISUAIS EM 2016-2017 6

6 2016

5

5

5 4

3

3

4

44

4

4

3

3 2

3

33

2

22

2 1

2

22

22

1

TEMÁTICA DOS FESTIVAIS AUDIOVISUAIS EM 2016-2017 3

2016

2

1

2

1

2

1

2017

2017

2

1

1

11

11

11

11

11

11

11

11

11

11

11

11

22

22


27

Diversas temáticas diferentes se viram representadas com um festival em específico nesse biênio, para atuações bem variadas: para segmentações do audiovisual, como stop motion (Festival Internacional Brasil Stop Motion – Interestadual), linguagem Eletrônica (FILE – Festival Internacional de Linguagem Eletrônica – Interestadual); com temáticas sociais como saúde (Cisa - Cine SAÚDE - GO), temática animal (Mostra Internacional de Cinema pelos Animais – Mostra Animal - RJ), futebol e esportes como um todo (CINEfoot - Festival de Cinema de Futebol – Interestadual e CinEsporte - Festival de Filmes de Esporte – RJ, respectivamente), que tenham bicicleta como protagonismo (Mostra de Vídeos Bicicultura PE), trabalho (Mostra CineTrabalho - Brazilian International Labour Film Festival BILFF),temática nuclear (International Uranium Film Festival - RJ), turismo (FIACULT Festival Internacional Audiovisual de Cultura e Turismo – SC) e questões transcendentais ( Festival Internacional Cinema e Transcendência – DF) . TEMÁTICA DE FESTIVAIS COM 1 EVENTO: 2016-2017

1

1

1

1

1

1

1

1

1

1

1

1


28

Das temáticas inéditas em 2017 com relação ao ano anterior, a quantidade de festivais e mostras destinados à causa indígena e videoarte são os grandes expoentes. Vertentes como fulldome, cinema marginal, video mapping, história militar, surfe, filosofia e poesia também possuem representatividade.

TEMÁTICAS INÉDITAS DE FESTIVAIS EM 2017 COM RELAÇÃO A 2016 (TOTAL: 28)

3

3

2

2

2

1

1

1

1

1

1

1

1

1

1

1

1

1

1

1

1


29

TEMÁTICA FESTIVAIS NACIONAIS 2017

TIPO

QUANTIDADE

Geral Universitário

115 43

LGBTQ Estudantil Regional Animação Filmes dirigidos por realizadoras mulheres

17 17 15 11 11

Ambiental Documentário Cinema Fantástico Infantojuvenil Videodança

10 8 6 6 6

Filmes dirigidos por realizadores negros Filmes em 24h/48h Metragem Patrimônio Cultural/Imaterial Videoperformance

5 4 4 4 4

Direitos Humanos Filmes Etnográficos Mobile Temática Indígena Videoarte

3 3 3 3 3

Audiodescrição Anarquismo Cidade Filmes de Arquivo Mulher

2 2 2 2 2

Paisagem Montanhosa Produções Seriadas Roteiro Super 8

2 2 2 2

Videoclipe

2

Vídeo experimental

2


30

Video mapping Agroecologia

2 1

Animais Bicicleta Cinema Marginal Conteúdos Matemáticos Dança

1 1 1 1 1

Desigualdade Social Diretores Estreantes em Curta-metragem Educação Esportes Filosofia

1 1 1 1 1

Futebol

1

Fulldome História Militar Hip Hop Linguagem Eletrônica

1 1 1 1

Mobilidade Movimento Punk Música Produções Independentes (Sem Patrocínio) Periferia

1 1 1 1 1

Poesia Obras de Diretores com até 29 anos Saúde Surfe Som (Principal Atributo)

1 1 1 1 1

Stop Motion Terceira Idade Temática Nuclear Trabalho

1 1 1 1

Transcendência Turismo

1 1

TOTAL

357


31

Em um universo de mais de 350 eventos coletados, de diferentes formatos e estilos, embora o geral isoladamente possua a grande fatia do perfil (33%), somaticamente os festivais audiovisuais brasileiros são temáticos em alguma instância (67%). Os festivais temáticos dialogam com um propósito relacionado a uma especificidade, assumindo a essência da função de um festival: oferecer espaço, voz, visibilidade a uma classe/grupo/tema/manifestação artística. Os temáticos são a reverberação da existência de toda uma segmentaridade social que sempre existiu, obliterados pela prática da representação homogênea. As possibilidades múltiplas do audiovisual é o que o torna tão diverso mesmo em uma condição unificadora de sentido e estilo. Na sequência, os festivais audiovisuais e sua distribuição geográfica, primeiramente por região para em seguida realizar apontamentos por estado.


32

SITUAÇÃO POR REGIÃO

Dos mais de 330 eventos sediados em solo brasileiro, a Região Sudeste obtém 47% dos festivais em sua composição geográfica; a Região Nordeste vem atrás com pouco menos da metade com relação à Sudeste: 21%; a Região Sul com 14%, seguido da Centro-Oeste, com 11%; a Região Norte e os festivais interestaduais (que acontecem simultaneamente em mais de um estado) estão com 3%, e os exclusivamente online com 1%.

FESTIVAIS AUDIOVISUAIS 2017 - POR REGIÃO (Total: 357)

169

71 48

38 12

14

5


33

REGIÃO SUDESTE

A Região Sudeste, dos 169 eventos que acontecem dentro de seus domínios, estão divididos percentualmente entre os quatro estados: São Paulo e Rio de Janeiro concentrando quase todas as atividades, em um empate técnico (41% e 37%, respectivamente), com participação menor de Minas Gerais (17%) e Espírito Santo (5%).

FESTIVAIS AUDIOVISUAIS 2017 - REGIÃO SUDESTE (Total: 169)

68

66

28

7

SP

RJ

MG

ES


34

REGIÃO NORDESTE

Na Região Nordeste, há uma distribuição dos 71 eventos entre os 9 estados: Pernambuco é o mais ativo, com 29%, seguido do Ceará com 22% e Bahia com 20%. Paraíba vem com 10%, Alagoas e Rio Grande do Norte com 6% cada, Sergipe com 4%, Maranhão com 2% e por fim, Piauí com 1%.

FESTIVAIS AUDIOVISUAIS 2017 - REGIÃO NORDESTE (Total: 71)

20

16 14

7 4

PE

CE

BA

PB

AL

4

RN

3

SE

2 MA

1 PI


35

REGIÃO SUL

Referente a Região Sul, 42% dos festivais acontecem no Rio Grande do Sul, 36% no Paraná e os 22% restantes em Santa Catarina.

FESTIVAIS AUDIOVISUAIS 2017 - REGIÃO SUL (Total: 48)

21 17

10

RS

PR

SC


36

REGIÃO CENTRO-OESTE

Na região do cerrado brasileiro, Goiás assume a dianteira com 55% dos festivais em seus domínios territoriais. Distrito Federal vem atrás com 33%, Mato Grosso do Sul com 9% e Mato Grosso, com 3%, fecham a proporção.

FESTIVAIS AUDIOVISUAIS 2017 - REGIÃO CENTRO-OESTE (Total: 38)

20

14

3 1 GO

DF

MS

MT


37

REGIÃO NORTE

A Região Norte é a região com menos festivais sediados, sendo 34% deles no Pará e no Amazonas, 8% nos estados de Acre, Amapá, Tocantins e Rondônia. Até a publicação e atualização deste estudo, o estado de Roraima não possui registros de um festival audiovisual em 2017.

FESTIVAIS AUDIOVISUAIS 2017 - REGIÃO NORTE (Total: 12)

4

4

1

1

1

1

0 AM

PA

AC

AP

TO

RO

RR


38

COMPARATIVO ENTRE REGIÕES

Em uma comparação com o circuito de 2016, podemos perceber que houve uma estabilidade na quantidade de festivais por Região. A exceção talvez seja a Região Sudeste, com um crescimento mais evidente em relação as demais.

Q U AN T ID AD E D E F E S T IV AIS P O R R E G IÃ O : 2 0 1 6 - 2 0 1 7

169 147

71 71

48 38

47

2016 (Total: 321)

28

14 11

12 14

5

2017 (Total: 357)

3

A análise a partir dos estados obtém a mesma conclusão da estabilidade. O Rio de Janeiro teve o maior crescimento de eventos, mais de 15 eventos, enquanto que o Distrito Federal dobrou a quantidade de festivais, embora quase todos estejam concentrados em Brasília. Os festivais na Bahia também quase duplicaram.


39

Q UANT I DADE DE F E S T I V AI S P O R E S T ADO - REG I ÃO SUDEST E 2016-2017

68

64

66 51 2016 (Total: 147)

24

28

2017 (Total: 169)

8 SP

RJ

MG

7 ES

Q UANT I DADE DE F EST I VAI S PO R EST ADO - REG I ÃO NORDEST E 2016-2017

20 19

16 14 13

14 2016 (Total: 71)

10

2017 (Total: 71)

7

5

PE

CE

BA

PB

4

RN

33

SE

44 22 AL

MA

11 PI


40

Q UANT I DADE DE F E S T I V AI S P O R E S T ADO - REG I ÃO SUL 2016-2017

24

21 17

15

2016 (Total: 47)

10

8

RS

PR

2017 (Total: 48)

SC

Q UANT I DADE DE F EST I VAI S PO R EST ADO - REG I ÃO CENT RO-OEST E 2016-2017

20 16 14 2016 (Total: 28) 2017 (Total: 38)

8 3

3 1

GO

DF

MS

1 MT


41

Q UANT I DADE DE F EST I VAI S PO R EST ADO - REG I ÃO NORT E 2016-2017

6

4

4 4 2016 (Total: 14) 2017 (Total: 12)

1 1

1 1

1 1

1 1 0 0

PA

AM

AC

AP

TO

RO

RR


42

LOCALIZAÇÃO DOS FESTIVAIS

Alguns processos foram criados para analisar o desempenho de cada estado com relação a localização dos festivais em 2017. A apresentação está em ordem alfabética por Região (Centro-Oeste, Nordeste, Norte, Sudeste e Sul), assim como cada estado exibido. Cada Unidade Federativa (UF) possui um mapa com marcadores vermelho e preto, que significam a presença de um festival na cidade em que está posicionado. O marcador vermelho é a posição da capital, enquanto os pretos as posições das demais cidades que possuíram pelo menos um festival no ano. Listou-se apenas os festivais que aconteceram exclusivamente dentro de um estado, motivo pelo qual Roraima não possui um mapa, mesmo com presenças de eventos interestaduais, que acontecem em mais de uma unidade federativa simultaneamente. Para os eventos audiovisuais com essa categoria, optou-se pela inserção em uma categoria à parte. Complementando o mapa estão duas tabelas. A primeira com a quantidade de festivais em cada cidade. A segunda, com informações relativas ao estado6 *: - "Total de municípios no estado" é a quantidade de municípios presentes no estado7;

- "Total de festivais no estado" é a quantidade de festivais que estão presentes na UF;

- "Municípios com festival" diz respeito a quantidade de cidades que possuem ao menos um festival. Não confundir com a quantidade de festivais no estado. Exemplo: Alagoas possui 4 festivais, mas 3 na cidade de Penedo e 1 em Maceió. Dessa forma, na tabela do estado citado, o campo "Municípios com festival" será "2";

- "Percentual dos municípios que sediam festival no estado" é a relação de municípios que possuem festivais. Ainda usando Alagoas como exemplo, como são 2 cidades que possuem festivais, dentro de seus 102 municípios, essa relação é de ~1,9%.

6

Distrito Federal, por ser dividido em regiões administrativas, foi o único com nomenclaturas alteradas, mas a relação dos dados permanece a mesma, sendo incluído na relação nacional. 7

Com base nos dados Instuto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE, disponível para acesso aqui: https://www.ibge.gov.br/


43

REGIÃO CENTRO-OESTE

Região Quantidade Administrativa de Festivais

DISTRITO FEDERAL Total de regiões administrativas e municípios

31

Brasília

13

Total de festivais

14

Taguatinga

1

2

TOTAL

13

Regiões administrativas e municípios com festival Percentual das regiões administrativas e municípios que sediam festival

~6,4%

A porção administrativa do Distrito Federal conta com 14 festivais, mas 13 deles são realizados em Brasília. A exceção fica para o Festival Taguatinga de Cinema, que acontece na região administrativa homônima. Brasília sedia o Festival de Brasília do Cinema Brasileiro, um dos mais antigos (2017 foi a sua 50ª edição) e tradicionais festivais do país. O Festival Internacional de Filmes Curtíssimos, em sua 9ª edição, mudou seu nome para Lobo Fest Festival Internacional de Filmes Curtíssimos. Os festivais com temática geral estão em dois dos doze, ficando o restante para alguma segmentação: videodança, filmes curtos, stop motion,


44

estudantil, universitário, transcendência, entre outros. Como é um território com poucas regiões administrativas - 31, configura em ~6,4% do espaço ocupando por algum festival.

FESTIVAIS SEDIADOS EXCLUSIVAMENTE NO DISTRITO FEDERAL:

NOME

EDIÇÃO

REGIÃO ADMINISTRATIVA

TEMÁTICA

1

Festival de Brasília do Cinema Brasileiro

50ª

Brasília

Geral

2

Festival Taguatinga de Cinema

12ª

Taguatinga

Mulher

3

Lobo Fest - Festival Internacional de Filmes Curtíssimos

Brasília

Metragem

4

Cult Dance - Dança para Tela

Brasília

Videodança

5

Festival Curta Brasília

Brasília

Geral

6

Festival Internacional Brasil Stop Motion

Brasília

Stop Motion

7

Festival Internacional Cinema e Transcendência

Brasília

Transcendência

8

Festival de Filmes Curta-metragem das Escolas Públicas de Brasília

Brasília

Estudantil

Brasília

Estudantil

9

Festival de Curta-Metragem do IFB

10

Brasília Animation Festival - BAF

Brasília

Animação

11

Mostra Audiovisual Adélia Sampaio

Brasília

Filmes dirigidos por mulheres

12

Cine Agroecologia

Brasília

Agroecologia

13

Festival de Brasília do Cinema Universitário FestUniBrasilia

Brasília

Universitário

14

Festival Internacional Fulldome em Brasília

Brasília

Fulldome


45

Município

Quantidade de Festivais

Goiânia

13

Faina

3

Anápolis

1

Goiás

1

Pirenópolis

1

Senador Canedo

1

TOTAL

20

GOIÁS Total de municípios no estado

246

Total de festivais no estado

20

Municípios com festival Percentual dos municípios que sediam festival no estado

6 ~2,4%

O estado da Região Centro-Oeste que envolve Distrito Federal conta com 20 festivais esse ano, distribuídos em 6 cidades. Goiania abriga mais da metade dos eventos no estado, sediando principalmente o Goiânia Mostra Curtas, em sua 17 ª edição em 2017. Ao todo, ~2,4% dos municípios estão com algum festival em seus territórios. A cidade de Faina, a mais de 200 quilometros da capital, teve 3 festivais, todos relativamente novos, mesma situação de Senador Canedo, cidade pertencente à Região Metropolitana de Goiânia; o Anápolis Festival de Cinema, na cidade homônima é um evento tradicional, bem como o FICA – Festival Internacional de Cinema e Vídeo Ambiental, que


46

acontece na cidade de Goiás, em sua 19° edição, voltado para a temática ambiental, um dos mais relevantes no assunto. 4 dos festivais possuem temática geral. Se tratando da segmentaridade, todos os temas dos festivais do estado foram diversos, sendo um para cada evento.

FESTIVAIS SEDIADOS EXCLUSIVAMENTE EM GOIÁS:

NOME

EDIÇÃO

CIDADE

TEMÁTICA

1

FICA – Festival Internacional de Cinema e Vídeo Ambiental

19ª

Goiás

Ambiental

2

Goiânia Mostra Curtas

17ª

Goiânia

Geral

3

Mostra da Associação Brasileira de Documentaristas – Seção Goiás

15ª

Goiânia

Regional

4

MAU - Mostra Audiovisual UEG

Goiânia

Universitário

5

TRASH - Mostra Internacional de Cinema Fantástico

Goiânia

Cinema Fantástico

6

Anápolis Festival de Cinema

Anápolis

Geral

7

Festival Intercolegial de Vídeo Ambiental e Cidadania FIVAC

Goiânia

Estudantil

8

FAVERA – Festival Audiovisual Vera Cruz

Goiânia

Periferia

9

Festival de Filmes de Faina - FFF

Faina

Geral

10

FRONTEIRA – Festival Internacional do Filme Documentário e Experimental

Goiânia

Etnográfico

11

PirenópolisDoc – Festival de Documentário Brasileiro

Pirenópolis

Documentário


47

12

EducaCINE - Festival Internacional de Cinema Educativo

Faina

Educação

13

DIGO – Festival Internacional da Diversidade Sexual e de Gênero de Goiás

Goiânia

LGBTQ

14

Festival de Cinema de Senador Canedo – Curta Canedo

Senador Canedo

Geral

15

GO FILM Goiânia Film Festival

Goiânia

Filmes em 24/48h

16

Bienal Internacional do Cinema Sonoro - BIS

Goiânia

Som

17

Cisa - Cine SAÚDE

Faina

Saúde

18

D’olhar – Festival Itinerante de Dança e Vídeo

Goiânia

Dança

19

Lanterna Mágica – Festival Internacional de Animação

Goiânia

Animação

20

Mostra de Videoarte e Performance da La Herida

Goiânia

Videoarte


48

MATO GROSSO Quantidade Município de Festivais

Total de municípios no estado

141

Total de festivais no estado

1

Cuiabá

1

Municípios com festival

1

TOTAL

1

Percentual dos municípios que sediam festival no estado

~0,7%

Mato Grosso é um dos estados que, até a publicação desse estudo, possui apenas um festival que abriu subsmissão para obras audiovisuais. Em virtude disso, o percentual de ocupação é mínimo. Sediado na capital Cuiabá, trata-se da MAUAL - Mostra de Audiovisual Universitário – América Latina, realizado pelo Cineclube Coxiponés, integrado a Universidade Federal do Mato Grosso - UFMT, com 16 edições consecuctivas.

FESTIVAIS SEDIADOS EXCLUSIVAMENTE EM MATO GROSSO: N°

NOME

EDIÇÃO

CIDADE

TEMÁTICA

1

Mostra de Audiovisual Universitário – América Latina (MAUAL)

16ª

Cuiabá

Universitário


49

Município

Quantidade de Festivais

Campo Grande

1

Ivinhema

1

Dourados

1

TOTAL

3

MATO GROSSO DO SUL Total de municípios no estado

79

Total de festivais no estado

3

Municípios com festival

3

Percentual dos municípios que sediam festival no estado

~3,8%

Mato Grosso do Sul tem 3 festivais, um em cada cidade: na capital Campo Grande (Festival Universitário do Audiovisual - FUÁ); em Dourados (Mostra de Audiovisual de Dourados) e em Ivinhema (Festival de Cinema do Vale do Ivinhema - Festivale). Os três eventos já possuem algum histórico de consolidação, principalmente o Festivale, que teve a sua 14ª edição em 2017. Sua relação de ocupação é de ~3,8% das cidades com algum evento audiovisual.


50

FESTIVAIS SEDIADOS EXCLUSIVAMENTE EM MATO GROSSO DO SUL:

NOME

EDIÇÃO

CIDADE

TEMÁTICA

1

Festival de Cinema do Vale do Ivinhema - Festivale

14ª

Ivinhema

Geral

2

Festival Universitário do Audiovisual FUÁ

Campo Grande

Universitário

3

Mostra de Audiovisual de Dourados

Dourados

Geral

SOBRE A REGIÃO CENTRO-OESTE

Com exceção do Festivale no Mato Grosso do Sul e do Festival Taguatinga de Cinema em DF, todos os festivais com mais de 10 edições estão sediados na capital de cada estado. Na Região Centro-Oeste acontece um dos mais festivais tradicionais do país, que é o de Brasília. Goiânia é a capital com mais eventos sediados, e o estado de Goiás que teve a maior quantidade de municípios individualmente ocupados com um festival: 6. No total, a Região Centro-Oeste conta com 38 festivais em 12 municípios e regiões administrativas, em um universo de 497 cidades/regiões administrativas, representando um percentual de ocupação de ~2,4% em toda a região. Dos 38 eventos, 8 são de temática geral, sendo o restante com alguma segmentação em sua atuação.


51

REGIÃO NORDESTE

Quantidade de Festivais

Total de municípios no estado

102

Penedo

3

Total de festivais no estado

4

Maceió

1

Municípios com festival

2

TOTAL

4

Percentual dos municípios que sediam festival no estado

~1,9%

Município

ALAGOAS


52

O estado alagoano tem quatro festivais, três na cidade de Penedo e um na capital Maceió, a Mostra Sururu de Cinema Alagoano. O Festival do Cinema Brasileiro de Penedo, Festival de Cinema Universitário de Alagoas e Mostra Velho Chico de Cinema Ambiental constituem juntos o Circuito Penedo de Cinema, realizado anualmente. A relação de ocupação é de ~1,9% dos municípios com presença de um festival, em um ambiente de 102 cidades.

FESTIVAIS SEDIADOS EXCLUSIVAMENTE EM ALAGOAS: N°

NOME

EDIÇÃO

CIDADE

TEMÁTICA

1

Festival de Cinema Brasileiro de Penedo

10ª

Penedo

Geral

2

Mostra Sururu de Cinema Alagoano

Maceió

Regional

3

Festival de Cinema Universitário de Alagoas

Penedo

Universitário

Penedo

Ambiental (Residentes na Bacia do Rio São Francisco)

4

Mostra Velho Chico de Cinema Ambiental


53

Município

Quantidade de Festivais

Salvador

7

Vitória da Conquista

2

Cachoeira Salvador e Cachoeira (Intermunicipal) Lauro de Freitas

2

Pau Brasil

1

TOTAL

14

1 1

BAHIA Total de municípios no estado

417

Total de festivais no estado

14

Municípios com festival Percentual dos municípios que sediam festival no estado

5 ~1,1%


54

Bahia possui 14 festivais distribuídos entre 5 cidades: Salvador, Vitória da Conquista, Cachoeira e os municipios de Lauro de Freitas e Pau Brasil. A capital centraliza as atuações com 7 festivais realizados exclusivamente nela. A estatística cresce ainda mais se adicionar o “Panorama Internacional Coisa de Cinema”, festival intermunicipal em sua 13ª edição, ocorrendo tanto em Salvador quanto em Cachoeira. Nesta última cidade também ocorre o CachoeiraDoc - Festival de Documentários de Cachoeira, e o Cine Virada – Festival de Cinema Universitário da Bahia. Destaca-se a presença da temática indígena, com dois eventos, um em Salvador - Cine Kurumin - Festival de Cinema Indígena, e o outro na cidade de Pau Brasil, com a Mostra Paraguaçu de Cinema Indígena. Outro fator interessante é a quantidade de festivais em sua primeira edição: 6, quase metade da carga total do estado. Representa ~1,1% das cidades do estado com algum evento audiovisual.

FESTIVAIS SEDIADOS EXCLUSIVAMENTE NA BAHIA:

NOME

EDIÇÃO

CIDADE

TEMÁTICA

1

Panorama Internacional Coisa de Cinema

13ª

Salvador e Cachoeira

Geral

2

CachoeiraDoc - Festival de Documentários de Cachoeira

Cachoeira

Documentários

3

Curta 5 - Festival Estudantil de Curtas

Vitória da Conquista

Estudantil

4

Cine Kurumin - Festival de Cinema Indígena

Salvador

Temática Indígena

5

Cine Virada – Festival de Cinema Universitário da Bahia

Cachoeira

Universitário

6

Conquista Ruas: Festival de Artes Performativas

Vitória da Conquista

Videoperformance


55

7

Mostra de Filmes Educa7 Minutos

Lauro de Freitas

Estudantil

8

Mostra de Cinema Cine Horror

Salvador

Cinema Fantástico

9

Cine Trans Territorial

Salvador

LGBTQ

10

Festival SSA Mapping

Salvador

Video Mapping

11

Mostra Cine Dendê

Salvador

Geral

12

Mostra Elas – Filmes Dirigidos por Mulheres

Salvador

13

Mostra LUGAR DE MULHER É NO CINEMA

Salvador

14

Mostra Paraguaçu de Cinema Indígena

Pau Brasil

Filmes dirigidos por realizadoras mulheres Filmes dirigidos por realizadoras mulheres Temática Indígena


56

Município

Quantidade de Festivais

Fortaleza Juazeiro do Norte; Crato (Intermunicipal) Aquiraz

9

Aracati

1

Aracoiaba

1

Jijoca de Jericoacoara

1

Maracanaú

1

Quixadá

1

TOTAL

16

1 1

CEARÁ Total de municípios no estado

184

Total de festivais no estado

16

Municípios com festival Percentual dos municípios que sediam festival no estado

9 ~4,8%


57

Com 16 festivais, Ceará tem em sua capital Fortaleza mais da metade dos festivais que aconteceram em todo o estado: 9 de 16. O restante está dividido entre Aquiraz, Aracati, Aracoiaba, Jijoca de Jericoacoara, Maracanaú e Quixadá, com os municípios de Juazeiro do Norte e Crato dividindo a sede de um evento, a Mostra Sesc Cariri de Culturas. Ao todo, são 9 municípios diferentes que comportaram alguma espécie de evento com audiovisual. Em Fortaleza está o festival mais tradicional do estado, o Festival Iberoamericano de Cinema Cine Ceará, próximo da sua trigésima edição. Igualmente tradicional e na capital, mas no circuito universitário, o NOIA - Festival do Audiovisual Universitário segue firme com 16 edições. Além da capital também estão eventos consolidados no circuito dos festivais, caso do CURTA CANOA - Festival Latino Americano de Cinema de Canoa Quebrada, em Aracati, com 12 edições. É interessante a presença de dois eventos destinados a diversidade sexual: o For Rainbow - Festival de Cinema e Cultura da Diversidade Sexual, e a Mostra Internacional Audiovisual Curta o Gênero. Ceará teve apenas 1 evento em sua primeira edição, a Mostra São Luiz de Filmes de Curta-Metragem Brasileiros, por iniciativa do Cineteatro São Luiz. Quase metade dos festivais tiveram a temática geral. Representa ~4,8% das cidades do estado com algum evento audiovisual.

FESTIVAIS SEDIADOS EXCLUSIVAMENTE NO CEARÁ: N°

NOME

EDIÇÃO

CIDADE

TEMÁTICA

1

Festival Iberoamericano de Cinema Cine Ceará

27ª

Fortaleza

Geral

2

Mostra Sesc Cariri de Culturas

19ª

Juazeiro do Norte; Crato

Geral

3

NOIA - Festival do Audiovisual Universitário

16ª

Fortaleza

Universitário

4

CURTA CANOA - Festival Latino Americano de Cinema de Canoa Quebrada

12ª

Aracati

Geral

5

For Rainbow - Festival de Cinema e Cultura da Diversidade Sexual

11ª

Fortaleza

LGBTQ


58

6

Mostra Percursos

Fortaleza

Universitário

7

Mostra Outros Cinemas

Fortaleza

Geral

8

FESTCINE MARACANAÚ – Festival de Cinema Digital e Novas Mídias

Maracanaú

Geral

9

Festival de Jericoacoara- JeriDigital

Jijoca de Jericoacoara

Geral

10

Mostra Internacional Audiovisual Curta o Gênero 2017

Fortaleza

LGBTQ

11

Mostra ICA

Fortaleza

Universitário

12

Mostra Curta Vazantes: Cinema em Comunidade

Aracoiaba

Geral

13

Mostra Indígenas de Filmes Etnográficos do Ceará

Aquiraz

Temática Indígena

14

Mostra Itinerante Livre de Cinema -MILC

Fortaleza

Desigualdade Social

15

Festival de Cinema Sertão & Diversidade

Quixadá

LGBTQ

Fortaleza

Geral

16 Mostra São Luiz de Filmes de Curta-Metragem Brasileiros


59

Município

Quantidade de Festivais

MARANHÃO Total de municípios no estado

217

São Luís

1

Total de festivais no estado

2

Viana

1

Municípios com festival

2

TOTAL

2

Percentual dos municípios que sediam festival no estado

~0,9%

O estado de Maranhão até onde se sabe, possui dois festivais que abriram inscrições: um dos mais tradicionais do país, o Festival Guarnicê de Cinema, que em 2017 chegou a sua 40ª edição, com sede na capital São Luís e o Festival Maranhão na Tela, na cidade de Viana. Com 217 municípios em seu território, obtém uma ocupação de ~0,9%.


60

FESTIVAIS SEDIADOS EXCLUSIVAMENTE NO MARANHÃO:

NOME

EDIÇÃO

CIDADE

TEMÁTICA

1

Festival Guarnicê de Cinema

40ª

São Luís

Geral

2

Festival Maranhão na Tela

10ª

Viana

Regional


61

Município

Quantidade de Festivais

João Pessoa

2

Cajazeiras

1

Campina Grande

1

Congo

1

Juripiranga

1

Souza

1

TOTAL

7

PARAÍBA Total de municípios no estado

223

Total de festivais no estado

7

Municípios com festival

6

Percentual dos municípios que sediam festival no estado

~2,6%


62

Paraíba fecha 2017 com 7 eventos, dois deles na capital João Pessoa: o Festival Aruanda do Audiovisual Brasileiro, com 12 edições, e a recente Mostra Virtual de Animação, iniciativa do Experimento Ânima destinada a artistas autônomos e estudantes do ensino médio e superior da capital. A cidade de Campina Grande abriga o Festival Audiovisual de Campina Grande – Comunicurtas UEPB; o município de Congo abrange o CINECONGO – Festival Audiovisual da Paraíba, consolidando-se no circuito nordestino e nacional com suas 9 edições. A cidade de Souza sedia o Festival de Cinema de Sousa – FESTISSAURO, e o Cine Paraíso - Festival de Cinema de Juripiranga acontece na cidade homônima. Foi em Cajazeiras que aconteceu a primeira edição do Cine Açude Grande – Festival de Cinema de Cajazeiras. 5 dos 7 festivais são gerais em temática. Realizados em 5 cidades diferentes, a ocupação de municipio com festival está em ~2,6%.

FESTIVAIS SEDIADOS EXCLUSIVAMENTE EM PARAÍBA :

NOME

EDIÇÃO

CIDADE

TEMÁTICA

1

Festival Audiovisual de Campina Grande – Comunicurtas UEPB

12ª

Campina Grande

Universitário

2

Festival Aruanda do Audiovisual Brasileiro

12ª

João Pessoa

Geral

3

CINECONGO – Festival Audiovisual da Paraíba

Congo

Geral

4

Festival de Cinema de Sousa – FESTISSAURO

Souza

Geral

5

Cine Paraíso - Festival de Cinema de Juripiranga

Juripiranga

Geral

6

Mostra Virtual de Animação

João Pessoa

Animação

7

Cine Açude Grande – Festival de Cinema de Cajazeiras

Cajazeiras

Geral


63

Município

Quantidade de Festivais

Recife

9

Abreu e Lima

1

Afogados Da Ingazeira

1

Belo Jardim

1

Caruaru

1

Taquaritinga Do Norte Triunfo; Afogados Da Ingazeira; Serra Talhada (Intermunicipal) Gravatá Gravatá, Caruaru e Bezerros (Intermunicipal) Recife; Caruaru (Intermunicipal) Paulista; Recife; Olinda (Intermunicipal)

1 1 1 1 1 1

Cabo de Santo Agostinho; Vitória de Santo Antão; Recife (Intermuncipal)

1

TOTAL

20

PERNAMBUCO Total de municípios no estado

185

Total de festivais no estado

20

Municípios com festival

14

Percentual dos municípios que sediam festival no estado

~6,4%


64

Pernambuco tem 20 festivais em 14 cidades diferentes. O estado também conta com uma alta quantidade de eventos intermunicipais: o Festival de Cinema de Triunfo, realizado em Triunfo, Afogados Da Ingàzeira e Serra Talhada; a Mostra Internacional de Filmes Anarquistas, em Paulista, Recife e Olinda; o Festival de Cinema da Diversidade Sexual e de Gênero Recifest, em Recife e Caruaru; a Cartas ao Mundão, que acontece nos municípios de Vitória de Santo Antão e no Cabo de Santo Agostinho, além da capital; e o ANIMACINE - Festival de Animação do Agreste, sediado em Gravatá, Caruaru e Bezerros, sendo este último o único com a temática de animação fora da principal cidade do estado. Recife exclusivamente sedia 9 festivais, com destaque para o Cine PE - Festival do Audiovisual (20 edições), o FESTCINE – Festival de Curtas de Pernambuco (19 edições) e a Janela Internacional de Cinema do Recife (10 edições). A capital também tem eventos voltados para a acessibilidade por meio do audiovisual como o “VerOuvindo: Festival de Filmes com Acessibilidade Comunicacional” (4ª edição) e o Cine Às Escuras - Mostra Erótica de Cinema Acessível (2ª edição). A temática universitária (MOV - Festival Internacional de Cinema Universitário de Pernambuco) e etnográfica (Festival do Filme Etnográfico do Recife - FIFER) também estão representadas. No município de Abreu e Lima acontece o CineCreed. Em sua 9ª edição, o festival é realizado na área prisional do Centro de Reeducação da Polícia Militar de Pernambuco (CREED), localizada no bairro de Caetés II, usando o audiovisual como diálogo junto às práticas de ressocialização. Dos 20 eventos, 9 deles são de temática geral e em 185 municípios o estado apresenta ocupação de ~7,5% do território, uma das taxas mais altas entre as UFs.


65

FESTIVAIS SEDIADOS EXCLUSIVAMENTE EM PERNAMBUCO:

NOME

EDIÇÃO

CIDADE

TEMÁTICA

1

Cine PE - Festival do Audiovisual

20ª

Recife

Geral

2

FESTCINE – Festival de Curtas de Pernambuco

19ª

Recife

Geral

3

Curta Taquary - Festival Internacional de Curta Metragem

10ª

Taquaritinga Do Norte

Geral

4

Festival de Cinema de Triunfo

10ª

Triunfo; Afogados Da Ingazeira; Serra Talhada

Geral

5

Janela Internacional de Cinema do Recife

10ª

Recife

Geral

6

CineCreed

Abreu e Lima

Geral

7

ANIMAGE - Festival Internacional de Animação de Pernambuco

Recife

Animação

8

Festival do Filme Etnográfico do Recife - FIFER

Recife

Etnográfico

9

Festival de Cinema da Diversidade Sexual e de Gênero - Recifest

Recife e Caruaru

LGBTQ

10

Festival de Cinema de Caruaru

Caruaru

Geral

11

VerOuvindo: festival de filmes com acessibilidade comunicacional

Recife

Audiodescrição

12

ANIMACINE - Festival de Animação do Agreste

Gravatá; Caruaru; Bezerros

Animação

13

Cine Jardim – Festival de Cinema de Belo Jardim

Belo Jardim

Geral

14

Mostra Pajéu de Cinema

Afogados Da Ingazeira

Geral

15

MOV - Festival Internacional de Cinema Universitário de Pernambuco

Recife

Universitário


66

16

Cine Às Escuras| Mostra Erótica de Cinema Acessível

Recife

Audiodescrição

17

Mostra Internacional de Filmes Anarquistas

Paulista; Recife; Olinda

Anarquismo

18

Mostra de Vídeos Bicicultura

Recife

Bicicleta

19

Festival Kino Minuto

Gravatá

Metragem

Recife; Cabo de Santo Agostinho; Vitória de Santo Antão

Direitos Humanos

20

Cartas ao Mundão


67

PIAUÍ Quantidade de Festivais

Total de municípios no estado

224

Total de festivais no estado

1

Floriano

1

Municípios com festival

1

TOTAL

1

Percentual dos municípios que sediam festival no estado

~0,4%

Município

Piauí tem apenas um festival em 2017, a 12ª edição do “Encontro Nacional de Cinema e Vídeo dos Sertões”. Destaca-se o fato de ser o único estado excluindo Roraima (este não possui festival) que não conta com a presença de um evento audiovisual em sua capital, no caso, Teresina.


68

FESTIVAIS SEDIADOS EXCLUSIVAMENTE EM PIAUÍ:

NOME

EDIÇÃO

CIDADE

TEMÁTICA

1

Encontro Nacional de Cinema e Vídeo dos Sertões

12ª

Floriano

Geral


69

Município

Quantidade de Festivais

Natal

1

São Miguel do Gostoso

1

Total de municípios no estado

167

Baía Formosa Goianinha; Serra Negra do Norte; Florânia (Intermunicipal) TOTAL

1

Total de festivais no estado

4

Municípios com festival

6

Percentual dos municípios que sediam festival no estado

~3,5%

1 4

RIO GRANDE DO NORTE


70

Rio Grande do Norte conta com 4 festivais em seu território, divididos nas cidades de Natal, Baía Formosa, São Miguel do Gostoso, e o intermunicipal Mostra Trinca Audiovisual, realizado nos municípios de Goianinha, Serra Negra do Norte e Florânia. A Mostra é de temática regional voltada exclusivamente para realizadores potiguares, com o objetivo de promover e divulgar o cinema em curta-metragem na região. O festival sediado na capital é o BOOM - Mostra de Audiovisual do Decom, também exclusivo para realizadores potiguares desde que as obras tenham sido produzidas por estudantes de graduação ou pós-graduação de qualquer instituição de ensino do Rio Grande do Norte. Em Baía Formosa acontece o FINC - Festival Internacional de Cinema de Baía Formosa, e em São Miguel do Gostoso a Mostra de Cinema de Gostoso. Ocupa-se ~3,5% do estado.

FESTIVAIS SEDIADOS EXCLUSIVAMENTE NO RIO GRANDE DO NORTE: N°

NOME

EDIÇÃO

CIDADE

TEMÁTICA

1

BOOM - Mostra de Audiovisual do Decom

11ª

Natal

Universitário

2

FINC - Festival Internacional de Cinema de Baía Formosa

Baía Formosa

Regional

3

Mostra Trinca Audiovisual

Goianinha; Serra Negra do Norte; Florânia

Regional

4

Mostra de Cinema de Gostoso

São Miguel do Gostoso

Geral


71

SERGIPE Quantidade de Festivais

Total de municípios no estado

75

Total de festivais no estado

3

Aracaju

3

Municípios com festival

1

TOTAL

3

Percentual dos municípios que sediam festival no estado

~1,3%

Município

Os 3 festivais que acontecem em Sergipe estão na capital Aracaju: o CURTA-SE – Festival Iberoamericano de Cinema de Sergipe, com 17 edições; o SERCINE - Festival Sergipe de Audiovisual, em sua 7ª realização; a EBGÉ - Mostra de Cinema Negro de Sergipe, voltada para os realizadores negros. Esta última com a sua 2° edição em 2017. O estado sergipano possui 75 municipios ao todo, o que consta em ~1,3% de ocupação territorial por todos os eventos estarem centrados na capital.


72

FESTIVAIS SEDIADOS EXCLUSIVAMENTE EM SERGIPE:

NOME

EDIÇÃO

CIDADE

TEMÁTICA

1

CURTA- SE – Festival Iberoamericano de Cinema de Sergipe

17ª

Aracaju

Geral

2

SERCINE - Festival Sergipe de Audiovisual

Aracaju

Universitário

Aracaju

Filmes dirigidos por realizadores negros

3

EBGÉ - Mostra de Cinema Negro de Sergipe

SOBRE A REGIÃO NORDESTE:

A Região Nordeste pode ser retratada como uma região diversa quando se trata de festivais: Pernambuco é o estado com a maior quantidade de eventos e Piauí o menor. Ao mesmo tempo, Piauí é a única UF que não tem um festival em sua capital enquanto que Recife é a que mais tem (10). 100% dos eventos em Sergipe acontecem em Aracaju (3). Os estados de Ceará e Bahia apresentam maior crescimento de eventos entre 2016-2017 (3 a mais para cada) e a Paraíba a maior queda (de 14 para 7). O estado baiano também é a UF que mais possui eventos estreantes: 6, quase a metade. Paralelamente, Alagoas, Maranhão, Rio Grande do Norte e Piauí não possuem nenhum festival em primeira edição. Pernambuco conta com a maior quantidade de festivais intermunicipais: 4 eventos. De toda a região é também Pernambuco que possui o índice de maior percentual dos municípios que sediam festival no estado: ~6,4%, e é o que tem mais cidades com festival, 12 municípios. No total, a Região Centro-Oeste tem 71 festivais em 47 municípios em um universo de 1794 cidades, representando um percentual de ocupação de ~2,6% em toda a região.


73

REGIÃO NORTE

Município

Quantidade de Festivais

Rio Branco

1

TOTAL

1

ACRE Total de municípios no estado

22

Total de festivais no estado

1

Municípios com festival

1

Percentual dos municípios que sediam festival no estado

~4,5%

O estado do Acre possui um festival, sediado em sua capital Rio Branco: o Festival Internacional Pachamama – Cinema de Fronteira, com 8 edições. O Pachamama é de temática geral, mas dialoga com os países vizinhos, como a Bolívia.


74

FESTIVAIS SEDIADOS EXCLUSIVAMENTE NO ACRE:

NOME

EDIÇÃO

CIDADE

TEMÁTICA

1

Festival Internacional Pachamama – Cinema de Fronteira

Rio Branco

Geral


75

AMAPÁ Quantidade Município de Festivais

Total de municípios no estado

16

Total de festivais no estado

1

Macapá

1

Municípios com festival

1

TOTAL

1

Percentual dos municípios que sediam festival no estado

~6,2%

O Amapá sedia o “Festival Imagem-Movimento – FIM”, um dos eventos mais importantes da Região Norte, consolidado com suas 14 edições. O FIM acontece na capital Macapá.

FESTIVAIS SEDIADOS EXCLUSIVAMENTE NO AMAPÁ: N°

NOME

EDIÇÃO

CIDADE

TEMÁTICA

1

Festival Imagem-Movimento - FIM

14ª

Macapá

Geral


76

AMAZONAS

Quantidade de Festivais

Total de municípios no estado

62

Manaus

3

Total de festivais no estado

4

Itacoatiara

1

Municípios com festival

2

TOTAL

4

Percentual dos municípios que sediam festival no estado

~3,2%

Município

O Amazonas possui 4 festivais, 3 em Manaus e 1 no municipio de Itacoatiara. A Mostra Itinerante de Audiovisual – Cine Bodó, em sua 3ª edição, se divide por regiões de Manaus, e é a unica aqui de temática geral. Os outros três eventos são regionais: a Mostra do Cinema Amazonense, a Mostra Amazonas de Audiovisual para realizadores locais, e o Cabocão Cine Festival, festival de curta-metragem especialmente criado para exibição de filmes produzidos em 25 municípios do estado do Amazonas. O estado em festivais ocupa ~3,2% do território.


77

FESTIVAIS SEDIADOS EXCLUSIVAMENTE NO AMAZONAS:

NOME

EDIÇÃO

CIDADE

TEMÁTICA

1

Cine Bodó

Manaus

Geral

2

Mostra do Cinema Amazonense

Manaus

Regional

3

Cabocão Cine Festival

Itacoatiara

Regional

4

Mostra Amazonas de Audiovisual

Manaus

Regional


78

PARÁ Quantidade de Festivais

Total de municípios no estado

144

Total de festivais no estado

4

Belém

4

Municípios com festival

1

TOTAL

4

Percentual dos municípios que sediam festival no estado

~0,7%

Município

O Pará conta com 4 eventos em seus dominios, todos na capital Belém. Destaca-se a presença da temática universitária no estado com o Festival Osga de Vídeos Universitários da UNAMA (14ª edição), o FUSCA - Festival Universitário de Criação Audiovisual (7ª edição) e o TORÓ - Festival Audiovisual Universitário de Belém (3ª edição). O estado ainda tem um festival estreante, voltado para filmes etnográficos: o Festival do Filme Etnográfico do Pará. Na relação municipio por festival, ocupação de ~0,7%.


79

FESTIVAIS SEDIADOS EXCLUSIVAMENTE NO PARÁ:

NOME

EDIÇÃO

CIDADE

TEMÁTICA

1

Festival Osga de Vídeos Universitários da UNAMA

14ª

Belém

Universitário

2

FUSCA - Festival Universitário de Criação Audiovisual

Belém

Universitário

3

TORÓ - Festival Audiovisual Universitário de Belém

Belém

Universitário

4

Festival do filme Etnográfico do Pará

Belém

Filmes Etnográficos


80

RONDÔNIA Quantidade de Festivais

Total de municípios no estado

52

Total de festivais no estado

1

Porto Velho

1

Municípios com festival

1

TOTAL

1

Percentual dos municípios que sediam festival no estado

~1,9%

Município

Na capital de Rondônia está o CINEAMAZÔNIA – Festival Latino Americano de Cinema Ambiental, com 15 edições e único festival do estado. Apesar de estar em evidência a temática ambiental, fomentando discussões e reflexões em torno da causa, o evento se abre para a inscrição de todo e qualquer tema e gênero de produção.

FESTIVAIS SEDIADOS EXCLUSIVAMENTE EM RONDÔNIA: N°

NOME

EDIÇÃO

CIDADE

TEMÁTICA

1

CINEAMAZÔNIA – Festival Latino Americano de Cinema Ambiental

15ª

Porto Velho

Ambiental


81

TOCANTINS Município

Quantidade de Festivais

Total de municípios no estado

139

Total de festivais no estado

1

Palmas

1

Municípios com festival

1

TOTAL

1

Percentual dos municípios que sediam festival no estado

~0,7%

Em Palmas, capital de Tocantins, está o “Festival de Cinema Estudantil de Palmas - Você na Tela”, um festival com a sua 2ª edição em 2017. Com a finalidade de promover o protagonismo infantojuvenil e estimular a inserção de crianças e jovens estudantes no processo de criação, produção e apreciação da linguagem cinematográfica, o “Você na Tela” é uma iniciativa da Prefeitura de Palmas por meio da Fundação Cultural de Palmas e da Secretaria Municipal da Educação. Podem participar do festival obras audiovisuais produzidas no âmbito das escolas de nível fundamental e médio, tanto da rede pública quanto da privada, instituições como associações comunitárias e pontos de cultura que trabalham com processos de educação não formal, desde que localizados no município de Palmas.


82

FESTIVAIS SEDIADOS EXCLUSIVAMENTE EM TOCANTINS:

NOME

EDIÇÃO

CIDADE

TEMÁTICA

1

Festival de Cinema Estudantil de Palmas - Você na Tela

Palmas

Estudantil

SOBRE A REGIÃO NORTE

A Região Norte é a mais modesta comparada as demais: 12 eventos no total. Os estados de Amazonas e Pará são os que mais possuem festivais, 4 para cada. Belém é a capital com mais eventos sediados. 4 estados possuem apenas um festival: Acre, Amapá, Rondônia e Tocantins. A taxa de estreantes também é baixa: 3 eventos. O estado de Roraima não está incluso, pois não apresenta nenhum festival realizado em 2017, embora o seu estado possua 15 municípios. No total, a Região Norte sedia 12 festivais em 7 municípios em um universo de 450 cidades, representando um percentual de ocupação de ~1,5% em toda a Região.


83

REGIÃO SUDESTE

Município

Quantidade de Festivais

Vitória Cachoeiro de Itapemirim Muqui

4

São Mateus

1

TOTAL

7

1 1

ESPÍRITO SANTO Total de municípios no estado

78

Total de festivais no estado

7

Municípios com festival

4

Percentual dos municípios que sediam festival no estado

~5,1%


84

O estado de Espírito Santo tem 7 festivais em 4 cidades diferentes. A capital Vitória centraliza 4 desses 7 eventos, com destaque para o tradicional Festival de Cinema de Vitória, na sua 24ª edição em 2017. O municipio de Muqui sedia o FECIN - Festival de TV e Cinema do Interior do Espírito Santo, São Mateus a Mostra de Curtas Araçá, ambos com temática geral. A segmentação ambiental está representada em Cachoeiro de Itapemirim, com o Festival de Cinema Ambiental de Cachoeiro de Itapemirim CINE.EMA. Dois dos festivais são de temática geral. O estado possui ~5,1% de ocupação em seu território.

FESTIVAIS SEDIADOS EXCLUSIVAMENTE NO ESPÍRITO SANTO:

NOME

EDIÇÃO

CIDADE

TEMÁTICA

1

Festival de Cinema de Vitória

24ª

Vitória

Geral

2

Mostra Produção Independente - ALDEIAS ABD Capixaba

12ª

Vitória

Regional

3

FECIN - Festival de TV e Cinema do Interior do Espírito Santo

Muqui

Geral

4

Mostra de Curtas Araçá

São Mateus

Patrimônio Cultural/Imaterial

5

Mostra Audiovisual de Sexualidades e Afetos de Vitória

Vitória

LGBTQ

6

Festival de Cinema Ambiental de Cachoeiro de Itapemirim CINE.EMA.

Cachoeiro de Itapemirim

Ambiental

Vitória

Filmes dirigidos por realizadoras mulheres

7

Mostra de Cinema Feministas de Quinta


85

Quantidade de Festivais

Ervália

1

Município

Fama

1

Belo Horizonte

11

Montes Claros

1

Juiz de Fora

3

Ouro Preto

1

Arinos

1

Poços de Caldas

1

Ipatinga

1

São João Del-Rei

1

Cambuquira

1

Tiradentes

1

Caratinga

1

Uberlândia

1

Contagem

1

Viçosa

1

TOTAL

28

MINAS GERAIS Total de municípios no estado

853

Total de festivais no estado

28

Municípios com festival

16

Percentual dos municípios que sediam festival no estado

~1,9%


86

O estado com mais municipios no país possui 28 eventos audiovisuais distribuídos entre 16 cidades, com Belo Horizonte sediando 11 destes eventos. A temática documental está representada pelo Forumdoc.bh – Festival do Filme Documentário e Etnográfico de Belo Horizonte, em sua 21° edição. Também tradicionais e também na capital mineira estão o Festival Internacional de Curtas de Belo Horizonte - FESTCURTASBH (19ª edição), MUMIA - Mostra Udigrudi Mundial de Animação (15ª edição), Mostra CineBH - Mostra Internacional de Cinema de Belo Horizonte CineBh (11ª edição). Sete eventos têm a sua primeira edição em 2017, e destes, 5 não estão na capital. Na cidade de Tiradentes, a Mostra de Cinema de Tiradentes abre o circuito dos festivais em janeiro. Juiz de Fora conta com três eventos, o “Primeiro Plano – Festival de Cinema de Juiz de Fora e Mercocidades” (16ª edição), voltado para diretores estreantes em curta-metragem; o “Festival Aos Berros de Cinema e Música Independentes” (5ª edição) voltado para o cenário punk; e a Mostra Universitária de Cinema e Audiovisual - MOCINA (2ª edição), representando o circuito universitário. Ipatinga e Cambuquira são palcos do Cinedocumenta – Mostra de Cinema Documentário (12ª edição) e o MOSCA - Mostra Audiovisual de Cambuquira (11ª edição), respectivamente e que não foram realizados em 2016. O estado conta com 18 festivais temáticos, que abordam o escopo universitário (Lumiar - Festival Interamericano de Cinema Universitário; MOCINA; Mostra Universitária de Audiovisual da UFSJ – MUDA!), regional (Festival de Cinema de Caratinga; CineBaru Mostra Sagarana de Cinema), infantojuvenil (Recria Cine - Mostra de Cinema para Crianças e Adolescentes), ambiental (Cinecipó – Festival Internacional de Cinema Insurgente), LGBTQ (Mostra de Curtas da Ocupação TransArte BH; Mostra Universitária de Curtas LGBT), entre outros. Minas Gerais possui ~1,9% de ocupação no território com festival.


87

FESTIVAIS SEDIADOS EXCLUSIVAMENTE EM MINAS GERAIS:

NOME

EDIÇÃO

CIDADE

TEMÁTICA

1

Forumdoc.bh – Festival do Filme Documentário e Etnográfico de Belo Horizonte

21ª

Belo Horizonte

Documentário

2

Mostra de Cinema de Tiradentes

20ª

Tiradentes

Geral

3

Festival Internacional de Curtas de Belo Horizonte FESTCURTASBH

19ª

Belo Horizontes

Geral

4

Primeiro Plano – Festival de Cinema de Juiz de Fora e Mercocidades

16ª

Juiz de Fora

Diretores Estreantes em Curta-Metragem

5

MUMIA - Mostra Udigrudi Mundial de Animação

15ª

Belo Horizonte

Animação

6

Cinedocumenta – Mostra de Cinema Documentário

12ª

Ipatinga

Documentário

7

CineOP - Mostra de Cinema de Ouro Preto

12ª

Ouro Preto

Geral

8

MOSCA - Mostra Audiovisual de Cambuquira

11ª

Cambuquira

Geral

9

Mostra CineBH - Mostra Internacional de Cinema de Belo Horizonte CineBh

11ª

Belo Horizonte

Geral

10

Cinecipó – Festival Internacional de Cinema Insurgente

Belo Horizonte

Ambiental

11

Festival Aos Berros de Cinema e Música Independentes

Juiz de Fora

Movimento Punk

12

Festival de Cinema de Caratinga

Caratinga

Regional

Belo Horizonte

Universitário

Poços de Caldas

Geral

Belo Horizonte

Filmes dirigidos por realizadoras mulheres

13 Lumiar - Festival Interamericano de Cinema Universitário 14

15

Festival Nacional de Cinema de Poços de Caldas FESTCINE

Mostra de Cinema Feminista


88

16

Festival Cine Memória

Belo Horizonte

Patrimônio Cultural/Imaterial

17

Mostra Pequi de Audiovisual

Montes Claros

Geral

18

Mostra de Curtas da Ocupação TransArte BH

Belo Horizonte

LGBTQ

19 Mostra Universitária de Cinema e Audiovisual - MOCINA

Juiz de Fora

Universitário

20

Mostra Universitária de Curtas LGBT

Viçosa

LGBTQ

21

Recria Cine - Mostra de Cinema para Crianças e Adolescentes

Ervália

Infantojuvenil

22

CineBaru - Mostra Sagarana de Cinema

Arinos

Regional

23

Festival Curta (C)errado: Gênero e Sexualidades

Uberlândia

Geral

24

Minas WebFest

Belo Horizonte

Produções Seriadas

25

Mostra de Cinema de Fama

Fama

Geral

26

Mostra de Curtas-metragens Contemporâneos Cinefronteira

Belo Horizonte

Geral

27

Mostra de Vídeodança na Fachada

Contagem

Videodança

28

Mostra Universitária de Audiovisual da UFSJ – MUDA!

São João Del Rei

Universitário


89

Quantidade de Festivais

Cachoeiras de Macacu

1

Município

Campos dos Goytacazes

1

Rio de Janeiro

46

Nova Friburgo

1

Niterói

5

Nova Iguaçu

1

Duque de Caxias

3

Paraty

2

São Gonçalo

2

Petrópolis

1

Barra do Piraí

1

Teresópolis

1

Cabo Frio

1

TOTAL

66

RIO DE JANEIRO Total de municípios no estado

92

Total de festivais no estado

66

Municípios com festival

13

Percentual dos municípios que sediam festival no estado

~14,5%


90

Rio de Janeiro é o segundo estado que mais possui festivais: 66 em 13 cidades diferentes. A Cidade Maravilhosa sedia 46 eventos, sendo 6 deles os mais antigos do estado: Festival Internacional de Curtas do Rio de Janeiro - Curta Cinema (27 edições), Festival Brasileiro de Cinema Universitário - FBCU (20 edições), REcine- Festival Internacional de Cinema de Arquivo, Mostra do Filme Livre - MFL e Mostra Internacional de Filmes de Montanha (16 edições para cada), e a Dança em Foco - Festival Internacional de Vídeo & Dança (15 edições). Desses 6, apenas 2 - o Curta Cinema e a MFL são de temática geral, enquanto o restante é temático (universitário, filmes de arquivo, filmes de montanha e videodança, respectivamente). Assim como Minas Gerais e São Paulo, o estado possui uma grande diversidade de festivais: 43 eventos apresentam uma temática contra 22 gerais. A segmentação universitária é a principal abordagem, com 6 eventos. De seus 66 festivais, 17 são estreantes em 2017. 14 deles estão na capital fluminense, exceção para os municipios de Campos dos Goytacazes e Niterói, com a “Mostra Audiovisual do Festival Deu Na Telha”, a “Mostra Crime Dvergente” e o Festival de Curtas-Metragens “15 anos do UNILASALLE-RJ", respectivamente. Festivais que não aconteceram em 2016 voltaram esse ano, caso do FBCU, da Mostra Internacional de Filmes de Montanha, do ENGECINE - Festival de Curtas da Escola de Engenharia da Universidade Federal Fluminense, do Festival Internacional de Cinema Socioambiental de Nova Friburgo - FRICINE, Festival Brasil de Cinema Internacional e do Circuito Cinegrada. O Rio Mapping Festival, festival de video mapping, pela primeira vez abriu inscrição para obras focadas na temática do festival. O evento passou pela sua 3ª edição em 2017. Com 92 municipios, o estado do Rio de Janeiro conta com ~14,5% de ocupação no território com festival, a maior taxa de todo o país.


91

FESTIVAIS SEDIADOS EXCLUSIVAMENTE EM RIO DE JANEIRO:

NOME

EDIÇÃO

CIDADE

TEMÁTICA

1

Festival Internacional de Curtas do Rio de Janeiro - Curta Cinema

27ª

Rio de Janeiro

Geral

2

Festival Brasileiro de Cinema Universitário - FBCU

20ª

Rio de Janeiro

Universitário

3

Festival do Rio

19ª

Rio de Janeiro

Geral

4

REcine- Festival Internacional de Cinema de Arquivo

16ª

Rio de Janeiro

Filmes de Arquivo

5

Mostra do Filme Livre - MFL

16ª

Rio de Janeiro

Geral

6

Mostra Internacional de Filmes de Montanha

16ª

Rio de Janeiro

Filmes de Montanha

7

Dança em Foco - Festival Internacional de Vídeo & Dança

15ª

Rio de Janeiro

Videodança

8

Baixada Animada - Mostra ÍberoAmericana de Cinema de Animação

11ª

Duque de Caxias

Animação

9

Visões Periféricas

11ª

Rio de Janeiro

Geral

10

Encontro de Cinema Negro Zózimo Bulbul

10ª

Rio de Janeiro

Filmes dirigidos por realizadores negros

11

Festival de Cinema Curta Cabo Frio

10ª

Cabo Frio

Geral

12

Mostra Competitiva de Curtas Escolares MacacuCine

10ª

Cachoeiras de Macucu

Estudantil

13

UFFilme - Mostra de Filmes da UFF

10ª

Niterói

Universitário

14

ENGECINE - Festival de Curtas da Escola de Engenharia da Universidade Federal Fluminense.

Niterói

Universitário

15

Semana dos Realizadores

Rio de Janeiro

Geral


92

16

Festival Internacional Estudantil de Cinema de Barra do Piraí - Festcine Estudantil

Barra do Piraí

Estudantil

17

Mostra de Audiovisual de Petrópolis

Petrópolis

Obras de Diretores com até 29 anos

18

ANIMA-SÃO - Festival Internacional de Animação de São Gonçalo

São Gonçalo

Animação

19

Brazil Cinefest - Festival Internacional de Cinema - - International Film Festival

Rio de Janeiro

Geral

20

Festival Internacional Pequeno Cineasta

Rio de Janeiro

Infantojuvenil

21

Filmambiente – International Environmental Film Festival

Rio de Janeiro

Ambiental

22

International Uranium Film Festival

Rio de Janeiro

Temática Nuclear

23

Mostra Audiovisual Estudantil Joaquim Venâncio

Rio de Janeiro

Estudantil

24

Mostra Internacional de Cinema pelos Animais – Mostra Animal

Rio de Janeiro

Animal

25

Mostra Maré Cheia de Cinema

Paraty

Patrimônio Cultural/Imaterial

26

Rio Festival de Gênero e Sexualidade no Cinema

Rio de Janeiro

LGBTQ

27

Cine Curtas Lapa Festival

Rio de Janeiro

Geral

28

Festival Internacional de Cinema Socioambiental de Nova Friburgo FRICINE

Nova Friburgo

Ambiental

29

Festival de Cinema Brasileiro da Baixada Fluminense - VER CINE

Duque de Caxias

Geral

30

Festival Internacional de Cinema Cristão FICC

Rio de Janeiro

Geral

31

Iguacine – Festival de Cinema da Cidade de Nova Iguaçu

Nova Iguaçu

Geral


93

32

72HORAS RIO Festival de Filmes

Rio de Janeiro

Filmes em 24/48h

33

Festival Brasil de Cinema Internacional

Rio de Janeiro

Geral

34

Festival O Cubo de Cinema

Rio de Janeiro

Geral

35

Mostra de Filmes "Memória em Movimento"

Rio de Janeiro

Patrimônio Cultural/Imaterial

36

Arquivo em Cartaz – Festival Internacional de Cinema de Arquivo

Rio de Janeiro

Filmes de Arquivo

37

Circuito Cinegrada

Rio de Janeiro

Filmes dirigidos por realizadores negros

38

Curta Solar

Niterói

Geral

39

Dobra- Festival Internacional de Cinema Experimental

Rio de Janeiro

Video experimental

40

Festival Mate Com Angu de Cinema Popular

Duque de Caxias

Geral

41

Rio Mapping Festival

Rio de Janeiro

Video Mapping

42

Rio Webfest

Rio de Janeiro

Produções Seriadas

43

CinEsporte - Festival de Filmes de Esporte

Rio de Janeiro

Esportes

44

Cine Tamoio - Festival de Cinema de São Gonçalo

São Gonçalo

Geral

45

Brazil International Film Festival - BRIFF

Teresópolis

Geral

46

Rio Fantastik Festival - Festival Internacional de Filme Fantástico

Rio de Janeiro

Cinema Fantástico

47

Mostra Clackedsi - Mostra Audiovisual

Rio de Janeiro

Mulher


94

48

Festival de Curtas da Facha

Rio de Janeiro

Universitário

49

Mostra de Realizadores de Audiovisual de Paraty

Paraty

Regional

50

FESTIVAL ECRÃ -Experimental Carioca de Realizações Audiovisuais

Rio de Janeiro

Video experimental

51

CAPIVARA - Mostra Audiovisual de Produções Ruralinas

Rio de Janeiro

Universitário

52

Doc.puc - Mostra PUC-Rio do Cinema Documentário

Rio de Janeiro

Universitário

53

Festival de Curtas da Árvore

Rio de Janeiro

Estudantil

54

Festival de Curtas-Metragens “15 anos do UNILASALLE-RJ"

Niterói

Universitário

55

Festival Zona de Cinema

Rio de Janeiro

Geral

56

Festival Internacional Colaborativo Audiovisual - FICA.VC

Rio de Janeiro

Produções Independentes

57

MILITUM – Festival de Cinema de História Militar

Rio de Janeiro

História Militar

58

Mostra Audiovisual do Festival Deu Na Telha

Campos dos Goytacazes

Geral

59

Mostra Audiovisual Negra

Rio de Janeiro

Filmes dirigidos por realizadores negros

60

Mostra Cine Diversidade

Rio de Janeiro

LGBTQ

61

Mostra Crime Dvergente

Niterói

Geral

62

ROTA – Festival de Roteiro Audiovisual

Rio de Janeiro

Geral


95

63

Mostra Curta Retiro

Rio de Janeiro

Geral

64

Mostra de Cinema Marginal

Rio de Janeiro

Cinema Marginal

65

Mostra dos Censurados

Rio de Janeiro

LGBTQ

66

Projeto Doc 36

Rio de Janeiro

Filmes em 24/48h


96

Quantidade de Festivais

Jacareí

1

Município

Lorena

1

São Paulo

31

Osasco

1

Campinas

5

Pindamonhangaba

1

Santos

5

Presidente Prudente

1

São Carlos

4

Rio Claro

1

São José dos Campos

2

Santa Gertrudes

1

Guarulhos

2

São Caetano do Sul

1

Atibaia

1

São José do Rio Preto

1

Bauru Campinas, Marília (Intermunicipal) Caraguatatuba

1

São Paulo, Campinas e São Sebastião (Intermunicipal)

1

Sorocaba

1

Suzano

1

Franco da Rocha

1

Taubaté

1

Itapecerica da Serra

1

TOTAL

68

1 1

SÃO PAULO Total de Municípios no estado

645

Total de Festivais no estado

68

Municípios com Festival

25

Percentual dos municípios que sediam festival no estado

~3,8%


97

O estado com maior quantidade de festivais: 68. Só a capital abriga 31 eventos, quase a metade. A Mostra Internacional de Cinema em São Paulo (41 edições), o Festival Internacional de Curtas-Metragens de São Paulo (28 edições) e o Festival Mix Brasil de Cultura da Diversidade (25 edições) são os mais tradicionais. O ECOCINE - Festival Internacional de Cinema Ambiental, também com 25 edições, acontece em mais duas cidades além da cidade paulista: São Sebastião e Campinas. O município campineiro, junto com Santos, são as duas cidades que sediam mais festivais além da capital, 5 para cada. São Carlos com 4 e São José dos Campos com 2 são os outros munícipios com mais de 1 evento. Alguns festivais presentes fora da capital paulista são o Curta Santos - Festival de Cinema de Santos, Cinefest Gato Preto, Mostra Curta Audiovisual, MIVSC - Mostra Internacional de Videodança de São Carlos. A exemplo de Minas Gerais e Rio de Janeiro, dos 64 eventos em São Paulo, 44 possuem alguma temática. Assim como no Rio, o circuito universitário é o mais abrangente dentro do estado, com 9 eventos. São Paulo também conta com 14 festivais em sua primeira edição, 5 deles acontecendo na capital. Com 645 municipios, São Paulo possui uma relação de ~3,8% de ocupação no território com festival.


98

FESTIVAIS SEDIADOS EXCLUSIVAMENTE EM SÃO PAULO:

NOME

EDIÇÃO

CIDADE

TEMÁTIC A

1

Mostra Internacional de Cinema em São Paulo

41ª

São Paulo

Geral

2

Festival Internacional de Curtas-Metragens de São Paulo

28ª

São Paulo

Geral

3

ECOCINE - Festival Internacional de Cinema Ambiental

25ª

São Paulo; Campinas; São Sebastião

Ambiental

4

Festival Mix Brasil de Cultura da Diversidade

25ª

São Paulo

LGBTQ

5

FEIA - Festival do Instituto de Artes da Unicamp

18ª

Campinas

Universitário

6

FILE – Festival Internacional de Linguagem Eletrônica

18ª

São Paulo

Linguagem Eletrônica

7

Prêmio ABC

17ª

São Paulo

Geral

8

FENAPO – Festival Nacional de Artes e Poesias

16ª

Osasco

Poesia

9

Curta Santos - Festival de Cinema de Santos

15ª

Santos

Geral

10

Cinefest Gato Preto

13ª

Lorena

Geral

11

FeVIS - Festival de Vídeos da Imagem e Som

12ª

São Carlos

Universitário

12

Mostra CineTrabalho - Brazilian International Labour Film Festival (BILFF)

11ª

Campinas, Marília

Trabalho

13

Festival 2 Minutos de Áudio e Vídeo

11ª

São Paulo

Universitário

14

MIVSC - Mostra Internacional de Videodança de São Carlos

11ª

São Carlos

Videodança

15

Mostra Curta Audiovisual

11ª

Campinas

Geral


99

16

ENTRETODOS - Festival de Curtas-Metragens de Direitos Humanos

10ª

São Paulo

Direitos Humanos

17

Prêmio Cineclube Jacareí - Corvo de Gesso

10ª

Jacaréi

Geral

18

Festival do Minuto FACOPP

Presidente Prudente

Universitário

19

In-Edit Brasil – Festival Internacional do Documentário Musical

São Paulo

Documentáro Musical

20

CIVIFILMES – Festival de Cinema Independente do Colégio Civitatis

São Paulo

Geral

21

Fest Clip

Santa Gertrudes

Videoclipe

22

Festival comKids – Prix Jeunesse Iberoamericano

São Paulo

Infantojuveni l

23

Mostra 3M de Arte Digital

São Paulo

Videoarte

24

SEIS - Semana da Imagem e do Som - Mostra Audiovisual

São Carlos

Universitário

25

Mostra Ecofalante de Cinema Ambiental

São Paulo

Ambiental

26

Festival do Filme Anarquista e Punk de São Paulo

São Paulo

Anarquismo

27

Curta Caraguá - Festival de Cinema de Caraguatatuba

Caraguatatuba

Estudantil

28

Festival Boca do Inferno

São Paulo

Cinema Fantástico

29

Festival Brasileiro de Nano metragem

Atibaia

Metragem

30

Pop Corn Festival

Sorocaba

Regional

31

Festival de Finos Filmes

São Paulo

Geral


100

32

Loco de Ouro

Bauru

Universitário

33

Mostra de Cinema Brasileiro Desobediente

São Paulo

Geral

34

Mostra da Diversidade Sexual - MoDive-Se

Campinas

LGBTQ

35

Semana Universitária Audiovisual Sudeste - SUA

São Carlos

Universitário

36

Super Off - Festival Internacional de Cinema Super 8 de São Paulo

São Paulo

Super 8

37

Concurso da Semana Paulistana do Curta-Metragem

São Paulo

Geral

38

Mostra Guarulhense de Cinema

Guarulhos

Regional

39

Festival Nacional "Curta no Celular"

São Paulo

Geral

40

Festival Audiovisual FIAM-FAAM

2-3ª

São Paulo

Universitário

41

Festival Cine Inclusão

São Paulo

Terceira Idade

42

Festival de Curtas SOFiA -Semana de Orientação Filosófica e Academica

Guarulhos

Filosofia

43

Festival POE de Cinema Fantástico São Jose dos Campos

São José dos Campos

Cinema Fantástico

44

MOBIFILM - Festival Brasileiro de Filmes Sobre Mobilidade e Segurança no Trânsito

São Paulo

Mobilidade

45

Mostra de Cinema e Vídeo Hip Hop SP

São Paulo

Hip Hop

Santos

Filmes dirigidos por realizadoras mulheres

46

Mostra das Minas


101

47

Mostra de Cinema da Mulher

Franco da Rocha

Filmes dirigidos por realizadoras mulheres

48

Mostra do Audiovisual Negro (APAN)

São Paulo

Filmes dirigidos por realizadores negros

49

Mobile Festival da Escola de Atores Wolf Maya

São Paulo

Mobile

50

Mostra Formiga Independente

São José dos Campos

Geral

51

The São Paulo Times Film Festival

São Paulo

Geral

52

UNIMIDIA

Mais de 1

Campinas

Universitário

53

Cine Mis

Anual

São Paulo

Geral

54

Festival Urutu de Expressões Visuais

Pindamonhangaba

Geral

55

Festival de Curta Metragem de Itapecerica da Serra

Itapecerica da Serra

Geral

56

Mostra Chapisco na Passagem

São Paulo

Geral

57

Mostra Cineteatro

São Paulo

Geral

58

Mostra Empoderadas - Mulheres Negras no Audiovisual

São Paulo

Filmes dirigidos por realizadoras mulheres

59

Festival de Vídeos Digitais e Educação Matemática

Rio Claro

Conteúdos Matemáticos


102

60

MIVDV - Mostra Internacional de Videodança Vertical

Santos

Videodança

61

Perfídia - Festival de Performance e Novas Mídias

São José do Rio Preto

Videoperfor mance

62

Curta Suzano - Mostra do Curta-Metragem do Alto Tietê

Suzano

Geral

63

Festival da Freguesia de Ó

São Paulo

Geral

64

Low Cost Film Festival

São Paulo

Geral

65

Festival de Curtas do Grande ABC

São Caetano do Sul

Geral

66

Mostra Cinemão - I Mostra de Cinema LGBT de Santos

Santos

LGBTQ

67

Mostra de Filmes - Projeto EmPodera!

Campinas

Filmes dirigidos por realizadoras mulheres

68

Mostra de Videoclipe de Rap Caiçara

Santos

Videoclipe


103

SOBRE A REGIÃO SUDESTE

A Região Sudeste concentra praticamente metade dos eventos do país, centralizados em Rio de Janeiro e São Paulo. Enquanto o primeiro tem 66, o segundo 68. Os 4 estados da Região possuem eventos em suas capitais, com Rio de Janeiro liderando o quadro: 46 festivais. Os eventos mais tradicionais do circuito estão na Região Sudeste. A discrepância de Espírito Santo para Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo se dá na concentração das atividades econômicas, políticas e populacionais dos três estados. É o Rio de Janeiro que tem a maior quantidade de festivais estreantes da região, 17. O estado também representa o maior percentual dos municípios que sediam festival: ~14,5%. Entretanto, é São Paulo que possui a maior quantidade de municipios com algum evento: 25 cidades diferentes. No total, acontecem na Região Sudeste 169 festivais em 58 municípios em um universo de 1668 cidades, representando um percentual de ocupação de ~3,6% em toda a região.


104

REGIÃO SUL

Município

Quantidade de Festivais

Curitiba

10

Maringá

2

Foz do Iguaçu

2

Londrina

1

Pinhais

1

Toledo

1

TOTAL

17

PARANÁ Total de municípios no estado

399

Total de festivais no estado

17

Municípios com festival

6

Percentual dos municípios que sediam festival no estado

~1,5%


105

Dos 17 eventos que acontecem dentro do estado, 10 estão concentrados em Curitiba. Entretanto, um dos mais tradicionais está em Londrina: o Festival Kinoarte de Cinema, com 19 edições. Na capital, o Curta 8 – Festival Internacional de Cinema Super-8 de Curitiba, com 13 edições, é o mais antigo em atividade. Destaca-se a cidade de Maringá, com dois festivais: o Festival de Vídeos de Maringá (9ª edição) e o MAFUÁ! Mostra do Filme Universitário e Amador (3ª edição), este último anteriormente chamado de Festival de Vídeos da Universidade Estadual de Maringá FEVUEM. O circuito universitário é o grande chamariz dos eventos da UF, com 3 festivais. O FICBIC - Festival de Cinema da Bienal Internacional de Curitiba não abriu inscrições em 2017, embora tenha sido realizado neste ano com exibição de filmes convidados, motivo pelo qual não está listado nesse estudo. O estado em festivais ocupa ~1,5% do território.

FESTIVAIS SEDIADOS EXCLUSIVAMENTE NO PARANÁ:

NOME

EDIÇÃO

CIDADE

TEMÁTICA

1

Festival Kinoarte de Cinema

19ª

Londrina

Geral

2

Curta 8 – Festival Internacional de Cinema Super-8 de Curitiba

13ª

Curitiba

Super 8

3

Mostra O Teu Que Eu Mostro O Meu

13ª

Curitiba

Universitário

4

Festival de Vídeos de Maringá

Maringá

Universitário

5

Olhar de Cinema – Festival Internacional de Curitiba

Curitiba

Geral

6

Festival de Cinema Curta Pinhais

Pinhais

Geral

7

Curta Toledo - Festival de Curta Metragem

Toledo

Filmes em 24/48h

8

Cine Tornado Festival

Curitiba

Geral


106

9

FIDÉ - Festival Brasileiro de Documentário Estudantil

Curitiba

Documentário

10

MAFUÁ! Mostra do Filme Universitário e Amador

Maringá

Universitário

11

Petit Pavé – Festival de Cinema Independente de Curitiba

Curitiba

Geral

12

Festival Curta Mobile

Curitiba

Mobile

13

Mostra de Filmes da Montanha

Foz do Iguaçu

Paisagem Montanhosa

14

3 Margens – Festival Latino-Americano de Cinema

Foz do Iguaçu

Geral

15

COLORS Cinema + Diversidade

Curitiba

LGBTQ

16

Festival de Videoarte Mirada

Curitiba

Videoarte

17

Metrô - Festival do Cinema Universitário Brasileiro

Curitiba

Universitário


107

Município

Quantidade de Festivais

Porto Alegre

7

Lajeado

2

Pelotas

2

Total de municípios no estado

497

Alvorada

1

Total de festivais no estado

21

Caxias do Sul

1

Municípios com festival

13

Bagé Bento Gonçalves Gramado

1

Percentual dos municípios que sediam festival no estado

~2,6%

Guaíba

1

Rio Grande

1

Santa Maria

1

Santo Ângelo

1

São Leopoldo

1

TOTAL

21

1 1

RIO GRANDE DO SUL


108

O Rio Grande do Sul, dos seus 21 festivais, abriga 7 em Porto Alegre. Lajeado e Pelotas possuem mais de um festival. Neste último os dois eventos são estreantes: a Mostra de CurtasMetragens Criar na Cidade e o RIZOMA - Mostra Nômada de Arte Multimídia e Coletiva. Na capital gaúcha ocorre o SET Universitário, na 30ª edição, e o FANTASPOA – Festival Internacional de Cinema Fantástico de Porto Alegre, com 13 edições. Em Gramado está um dos mais importantes festivais do circuito brasileiro, o Festival de Cinema de Gramado, com 45 edições. Destaca-se a temática dos festivais do estado, com 15 de 20 eventos. 5 festivais estão voltados para o público estudantil. Na cidade de Guaíba está um dos principais eventos desta temática, o Festival Nacional de Cinema Estudantil de Guaíba, com 16 edições. O Festival Diálogo de Cinema aconteceu em 2017, mas não abriu inscrições para filmes, por isso não foi incluído no estudo. O Festival de Cinema de Bento Gonçalves, que acontece no município homônimo, teve em sua 2ª edição 1112 submissões. O estado em festivais ocupa ~2,6% do território.


109

FESTIVAIS SEDIADOS EXCLUSIVAMENTE NO RIO GRANDE DO SUL:

NOME

EDIÇÃO

CIDADE

TEMÁTICA

1

Festival de Cinema de Gramado

45ª

Gramado

Geral

2

SET Universitário

30ª

Porto Alegre

Universitário

3

Festival Nacional de Cinema Estudantil de Guaíba

16ª

Guaíba

Estudantil

4

FANTASPOA – Festival Internacional de Cinema Fantástico de Porto Alegre

13ª

Porto Alegre

Cinema Fantástico

5

Festival Internacional de Cinema da Fronteira

Bagé

Geral

6

Cineserra – Festival do Audiovisual da Serra Gaúcha

Caxias do Sul

Regional

7 FRAPA – Festival de Roteiro Audiovisual de Porto Alegre

Porto Alegre

Roteiro

8

Festival de Cinema de Santo Ângelo

Santo Ângelo

Geral

9

Festival Regional de Cinema e Literatura

Lajeado

Estudantil

10

MOUC - Mostra Universitária de Curtas

Porto Alegre

Universitário

11

Primeira Janela – Festival de Cinema Infantojuvenil de Porto Alegre

Porto Alegre

Infantojuvenil

12

Festival Primeiro Filme

Porto Alegre

Estudantil

13

CINEST - Festival Internacional de Cinema Estudantil

Santa Maria

Estudantil

14

FECEA - Festival de Cinema Escolar de Alvorada

Alvorada

Estudantil


110

15

Mostra Ela na Tela

Porto Alegre

Filmes dirigidos por realizadoras mulheres

16

São Leo em Cine

São Leopoldo

Estudantil

17

Festival de Cinema de Bento Gonçalves

Bento Gonçalves

Geral

18

Fresta - Mostra Audiovisual do Curso de AVisuais

Rio Grande

Universitário

Pelotas

Cidade

Mostra de Curtas-Metragens Criar na Cidade 19

20

RIZOMA - Mostra Nômada de Arte Multimídia e Coletiva

Pelotas

Filmes dirigidos por realizadoras mulheres

21

Festival de Cinema de Lajeado

Lajeado

Geral


111

Município

Quantidade de Festivais

Florianópolis

6

Itajaí Balneário Camboriú Joinville

1

Rio Negrinho

1

TOTAL

10

1 1

SANTA CATARINA Total de municípios no estado

295

Total de festivais no estado

10

Municípios com festival

5

Percentual dos municípios que sediam festival no estado

~1,6%


112

Dos 10 eventos em Santa Catarina, Florianópolis sedia mais da metade (6).

O

Florianópolis Audiovisual Mercosul - FAM, com 21 edições e a Mostra de Cinema Infantil de Florianópolis, com 16 edições, são os tradicionais do estado. Esses dois últimos se voltam para a temática infantojuvenil. Em Itajaí ocorre o TAINHA DOURADA - Festival Nacional de Cinema Universitário, e em Joinville o JISFF - Joinville International Short Film Festival, um festival estreante que teve mais de 3.800 inscrições. O Festival Internacional de Cinema Socioambiental – PLANETA.doc, para o ano de 2017 não abriu inscrições para filmes. O estado em festivais ocupa ~1,6% do território. FESTIVAIS SEDIADOS EXCLUSIVAMENTE EM SANTA CATARINA:

NOME

EDIÇÃO

CIDADE

TEMÁTICA

1

Florianópolis Audiovisual Mercosul - FAM

21ª

Florianópolis

Geral

2

Mostra de Cinema Infantil de Florianópolis

16ª

Florianópolis

Infantojuvenil

3

Festival Internacional de Cinema de Balneário Camboriú - Cinerama BC

Balneário Camboriú

Geral

4

TAINHA DOURADA - Festival Nacional de Cinema Universitário

Itajaí

Universitário

5

FIACULT - Festival Internacional Audiovisual de Cultura e Turismo

Florianópolis

Turismo

6

XØKE - Mo(n)stra Independente de Arte de Guerra

Florianópolis Videoperformance

7

Festival Multicultural Psicodália

Rio Negrinho

Geral

8

JISFF - Joinville International Short Film Festival

Joinville

Geral

9

Festival de Curtas-Metragens LSA’17

Florianópolis

Surfe

10

Mostra Audiovisual Fazendo Gênero

Florianópolis

LGBTQ


113

SOBRE A REGIÃO SUL:

A Região Sul possui 48 festivais, a terceira Região com mais eventos sediados, atrás da Nordeste (70) e Sudeste (157). Nota-se um equilibrio entre os três estados: pelo total de eventos (Rio Grande do Sul com 21, Paraná com 17 e Santa Catarina com 10), quantidade de festivais em suas capitais (9, 7, e 6) e eventos estreantes (4 para Paraná e Rio Grande do Sul, e 3 para Santa Catarina), mas em números absolutos, Rio Grande do Sul tem mais eventos em suas cidades: 11 municípios. No total, a Região Sul conta 223 municípios sediando esses eventos, em um universo de 1191 cidades, representando um percentual de ocupação de ~1,8% em toda a região.


114

INTERESTADUAIS

NOME

EDIÇÃO

CIDADE

TEMÁTICA

1

Anima Mundi - Festival Internacional de Animação do Brasil

25ª

Rio de Janeiro (RJ); São Paulo (SP)

Animação

2

É Tudo Verdade – Festival Internacional de Documentários

22ª

Rio de Janeiro (RJ); São Paulo (SP)

Documentário

Infantojuvenil

Animação

3

Festival Internacional de Cinema Infantil FICI

15ª

Aracaju (SE); Salvador (BA); Natal (RN); Rio de Janeiro e Niterói (RJ);

4

Dia Internacional da Animação

14ª

170 cidades

5

Festival MIMO de Cinema

14ª

6

Anim!Arte – Festival Internacional de Animação Estudantil do Brasil

13ª

7

Mostra de Direitos Humanos

11ª

8

Visualidades

9

Mostra Nacional de Produção Audiovisual Independente do Circuito Tela Verde

10

CINEfoot - Festival de Cinema de Futebol

11

Mostra Nacional De Vídeos Sobre Intervenções E Performances – MOSTRA IP

Paraty (RJ), Olinda (PE), Rio de Janeiro (RJ) Rio de Janeiro (RJ); São Paulo (SP); São Luís (MA)

Música

Animação

Todas as capitais + Direitos Humanos Brasília Sobral (CE) e Rio de Janeiro Locais de Exibição a Serem definidos; Mas abrange diversos estados. Rio de Janeiro (RJ); São Paulo (SP); Belo Horizonte (MG);

29 cidades de 14 estados brasileiros

Documentário

Ambiental

Futebol

Videoperformance


115

12

LIFF – Lume International Film Festival

São Paulo (SP); Teresina (PI); Florianópolis (SC); João Pessoa (PB); Aracaju (SE); Belém (PA); Balneário Camboriú (SC); Palmas (TO)

13

Mostra Cartas Visuais - Cidades

São Paulo (SP); Belo Horizonte (MG)

Cidade

14

Mostra SESC de Cinema

Todos os Estados

Geral

Geral

Se tratando dos 14 festivais interestaduais – que acontecem em mais de um estado simultaneamente – é nos municipios de Rio de Janeiro e São Paulo que acontecem alguns desses eventos, caso do “Anima Mundi - Festival Internacional de Animação do Brasil” (25 edições) com temática de animação, e o “É Tudo Verdade – Festival Internacional de Documentários”, (22 edições), voltado para os documentários. O Anim!Arte – Festival Internacional de Animação Estudantil do Brasil acontece nas capitais do eixo RJ-SP somado a capital do Maranhão, São Luís. Três mostras possuem presença em todos os estados brasileiros: o “Dia Internacional da Animação”, a Mostra de Direitos Humanos, e a Mostra SESC de Cinema, esta última a única em sua primeira edição. Destaca-se a segmentaridade dos interestaduais: com temáticas de animação, documentário, música, direitos humanos, ambiental, futebol, videoperformance, e “cidade”. Os munípios citados nos eventos interestaduais acontecem em cidades já marcadas com outros festivais. A Mostra Sesc de Cinema ocorre nas unidades regionais de cada SESC, presentes nas capitais. O DIA - Dia Internacional da Animação é uma mostra anual que é realizada em todos os estados brasileiros, voltada para a temática de animação. Por se tratar de um evento interestadual, que acontece em mais de uma localidade, decidiu-se não anexar esses eventos aos mapas de cada Unidade Federativa Dessa forma, segue nas páginas a seguir as cidades em que o DIA foi realizado. Em amarelo estão as cidades que NÃO possuem nenhum festival exclusivamente realizado em


116

seus territórios. No total, são 118 munícipios inéditos, que serão adicionados à ocupação nacional:

REGIÃO CENTRO-OESTE DISTRITO FEDERAL

GOIÁS

MATO GROSSO DO SUL

Alto Paraíso

MATO GROSSO Barra do Garças Cuiabá

Brasília

Acreúna

Brasilândia Ceilândia

Anápolis

Rondonópolis

Ladário

Taguatinga

Aragarças

--

--

Campo Grande Corumbá

Ceres Faina --

Goiânia Itumbiara Pirenópolis

REGIÃO NORDESTE ALAGOAS

BAHIA

CEARÁ

MARANHÃO

Ceilândia

Barreiras

Fortaleza

Matinha

Caatiba

Ibiapina

São Bento

Coaraci

Iguatu

São João Batista

Itacaré

Itatira

São Luís

Itapetinga

Maracanaú

Jacobina

Quixadá

Juazeiro Ouriçangas --

Ourolândia Porto Seguro Salvador Santa Maria da Vitória Senhor do Bonfim Serra Preta Uruçuca – Serra Grande Várzea Nova Vitória da Conquista

---


117

PARAÍBA

PERNAMBUCO

PIAUÍ

RIO GRANDE DO NORTE

Aparecida

Camaragibe

Teresina

Nova Cruz

Congo

Carpina

João Pessoa

Gravatá

SERGIPE

Pocinhos

Maraial

Aracaju

São José dos Cordeiros

Olinda

Solânea

Tacaimbó Timbaúba Triunfo

REGIÃO NORTE ACRE

AMAPÁ

AMAZONAS

PARÁ

Rio Branco

Distrito da Fazendinha

Iranduba

Belém

Xapuri

Macapá

Manaus

Igarapé-Miri

--

--

--

RONDÔNIA

RORAIMA

TOCANTINS

Porto Velho

Boa Vista

Araguatins

--


118

REGIÃO SUDESTE ESPÍRITO SANTO Cariacica Guaçuí Viana Vila Pavão Vitória

--

MINAS GERAIS Além Paraíba Araxá Barroso Belo Horizonte Capim Branco Caratinga Divinópolis Itinga Ituiutaba Juiz de Fora Lavras Mateus Leme Monte Carmelo Nova Lima Poços de Caldas Ponte Nova Pouso Alegre São Tomé das Letras Sete Lagoas Teofilo Otoni Uberaba Uberlândia Visconde do Rio Branco

---

RIO DE JANEIRO Belford Roxo Campos dos Goytacazes Itaperuna Maricá Niterói Petrópolis Resende Rio de Janeiro São Gonçalo Seropédica Volta Redonda

--

SÃO PAULO Araraquara Assis Batatais Bauru Bragança Paulista Campinas Caraguatatuba Diadema Franca Garça Guararema Ilha Comprida Ilha Solteira Itu Jacareí Leme Lençóis Paulista Lorena Mauá Mogi das Cruzes Ourinhos Paraibuna Piracicaba Ribeirão Pires Rio Claro Santo André São Bento do Sapucaí São Bernardo do Campo São Carlos São Paulo São Pedro Sorocaba Tupã


119

REGIÃO SUDESTE PARANÁ

RIO GRANDE DO SUL

SANTA CATARINA

Curitiba

Bagé

Bombinhas

Foz do Iguaçu

Caxias do Sul

Caçador

Ivaiporã

Farroupilha

Florianópolis

Jacarezinho

Guaíba

Joinville

Londrina

Igrejinha

Quilombo

Matinhos e Pontal do Paraná

Pelotas

Xanxerê

Morretes

Porto Alegre

Paula Freitas

Rio Grande

Ponta Grossa

Santana do Livramento

União da Vitória

--

--


120

Capital

Quantidade de Festivais

Rio de Janeiro (RJ)

46

São Paulo (SP)

31

Goiania (GO)

13

Brasilia (DF)

13

Belo Horizonte (MG)

11

Curitiba

10

Recife (PE)

9

Fortaleza (CE)

9

Salvador (BA)

7

Porto Alegre (RS)

7

Florianópolis (SC)

6

Aracaju (SE)

3

Belém (PA)

4

Vitoria (ES)

4

Manaus (AM)

3

João Pessoa (PB)

2

São Luís (MA)

1

Campo Grande (MS)

1

Cuiabá (MT)

1

Macapá (AP)

1

Maceió (AL)

1

Natal (RN)

1

Palmas (TO)

1

Porto Velho (RO)

1

Rio Branco (AC)

1

TOTAL

187


121

BRASIL Total de municípios e regiões administrativas

5.600

Total de festivais

357

Municípios e regiões administrativas com festival Percentual dos municípios que sediam festival

265 ~4,9%

Fazendo um retrospecto do Brasil enquanto sediador de festivais, com 5.600 municípios e Regiões Administrativas e 357 eventos distribuídos entre 265 cidades diferentes, apenas ~4,9 de todo o território nacional possui algum festival audiovisual. A Região Sudeste centraliza a disposição do circuito com mais de 160 eventos. Entretanto, as cinco Regiões não apresentam um bom aproveitamento do espaço, com média de apenas ~2% dos municipios do Brasil com a presença de algum festival. Pernambuco pode ser considerado um dos estados com melhor aproveitamento de distribuição, tendo o maior percentual de ocupação das cidades no Nordeste: ~7,5%, além de seus 14 municípios com evento. O estado de São Paulo possui a maior quantidade de cidades com um festival: 24. No que tange o mundo material, os festivais audioviuais do Brasil são pouco distribuídos entre o território do país, seja por Regiões, onde uma concentra 169 eventos e outra 12, seja por estado, onde o que possui mais eventos tem 68 e outros com apenas 1. Os festivais objetivam estender o gargalo da produção audiovisual brasileira oferecendo uma janela de exibição, mas estas estão concentradas nas capitais, grandes redutos populacionais, econômicos e políticos. As capitais dos estados abocanham a realização desses eventos com 55%, quase 180 festivais. Apenas São Paulo e Rio de Janeiro se apropriam de quase metade dessa relação. Pode-se traçar um paralelo da localização dos festivais com a disposição das salas de cinema no Brasil: pouco mais de 3.100 salas, apenas 6% dos municípios ocupados e uma concentração na Região Sudeste (CEASER, 2017). A similaridade é clara, o que faz pensar sobre o papel desses eventos na cadeia audiovisual. Uma solução para o cinema brasileiro seria a sua propagação em larga escala, adentrando no interior dos estados por meio dos festivais, fixando-se em regiões que não possuem salas de cinema, o que já acontece nos municípios de Faina (GO), Fama (MG), Pau Brasil (BA), Muqui (ES), entre tantos outros, levando assim a prática cinematográfica nacional para outros centros e públicos. Para desenvolver o cinema em lugares em que não há essa oportunidade, essa desbravadora viagem rumo ao interior dos estados é necessária com ajuda governamental em


122

uma aliança do poder público com a classe audiovisual do país, que necessita estar disposta a distribuir a produção brasileira via festivais em localidades que fogem do escopo das regiões metropolitanas.


123

Na próxima parte será analisado o mundo virtual sob a ótica dos festivais, representados pelas inscrições de filmes.


124


125

DESEMPENHO DE FORMATOS E TIPOS DE INSCRIÇÃO

Neste capítulo será analisada a virtualização do circuito dos festivais por meio das inscrições de filmes. Por formato de inscrição vamos considerar o perfil da inscrição que o festival utiliza: “Inscrição Virtual”, “Inscrição Física”, ou “Opção de Inscrição Virtual e Física”. Já o tipo de inscrição diz respeito às categorizações de inscrição online: inscrição via formulário, e-mail, plataforma virtual, entre outros. Os festivais que aceitam a submissão de filmes apenas pela forma online são a grande maioria com 76%, enquanto os físicos estão com 7%. Os 17% restantes são os festivais que permitem a opção de inscrever por um dos dois formatos. Comparando com os dados de 2016, percebe-se que o formato virtual teve um crescimento de ~17%. As inscrições físicas tiveram uma leve queda, bem como os festivais que oferecem as duas opções.

F O RMAT O DE I NSCRI ÇÃO - 2016/ 2017

2016 (Total: 321)

2017 (Total: 357)

277 230

59

55 32

Inscrição Virtual

Opção de Inscrição Virtual e Física

25

Inscrição Física


126

Considerando apenas os festivais em primeira edição, o método virtual é uma constante, representando 86% dos eventos enquanto os físicos estão com 3%. Os que aceitam os dois formatos estão em 11%. Os festivais estreantes já nascem com essa predisposição ao método online, e isso se verifica ao realizar uma comparação com 2016, percebendo uma estabilidade.

F EST I VAI S EM PRI MEI RA EDI ÇÃO 2016/ 2017

2016 (Total: 76)

62

2017 (Total: 77)

67

9

Inscrição Virtual

8

Opção de Inscrição Virtual e Física

5

2

Inscrição Física

O que leva um festival a adotar um método de inscrição virtual é a administração dos dados das obras submetidas. A forma de lidar com esses dados é pré-moldada de acordo com o tipo de inscrição que o festival oferece dentro do mundo virtual. Além das inscrições realizadas via modo físico, encontra-se estes tipos de inscrição:

- Inscrições realizadas via Formulários Google; - Inscrições realizadas via Formulários Próprios; - Inscrições realizadas via E-mail; - Inscrições realizadas via Multiformatos; - Inscrições realizadas via Plataformas Virtuais;

Cada tipo tem a sua diferenciação no que se refere à administração desses materiais. Os formulários oferecidos pela Google e os formulários próprios - todos os tipos de formulários que não os da Google - já moldam que e como essas informações serão entregues pelo


127

realizador que inscreverá sua obra em um festival. Os responsáveis pelos festivais conseguem visualizar os dados de forma muito mais ampla, sendo possível delimitá-los por subcategorias de informações recebidas. Como o envio da obra se dá em uma rede social de vídeos online, esta fica armazenada e o acesso a ela é por meio de uma URL, facilitando o trabalho dos curadores. Dessa forma os formulários padronizam o tipo de resposta que se espera obter pelas pessoas que os preencherão. Alguns festivais utilizam o envio das informações por e-mail, geralmente um endereço eletrônico criado especificamente para as submissões das obras. A diferença do e-mail para o formulário é que no primeiro a forma em que as informações estarão dispostas é completamente livre ao realizador que envia a mensagem. Por mais que o festival estabeleça algumas atuações dentro do envio via e-mail – a padronização do assunto é o mais comum – a forma como as mensagens estão alinhadas é de responsabilidade do produtor/diretor que inscreve o filme. A administração desses dados via endereço eletrônico é mais complexa que via formulários por não haver uma forma de controle e de planilhar o que foi recebido de maneira automática. As Plataformas Virtuais (PV) são domínios que centralizam as inscrições de diversos festivais, desde que os responsáveis pelos eventos os cadastrem na plataforma. As PVs atuam como mediadoras entre os festivais e os realizadores dos filmes, fortalecendo a administração nesta relação. Após o realizador da obra se cadastrar na plataforma é necessário criar o “currículo” do filme na PV, o que é feito apenas uma vez. Nesse “currículo” vão todas as informações referentes ao material audiovisual: sinopse, link e senha de acesso, ficha técnica, seleções em outros festivais, releases, fotos do filme e do diretor são alguns dos itens solicitados. Assim como alguém que procura emprego, o realizador vai entregar o currículo na porta de outros festivais cadastrados na plataforma, via sistema de busca onde estão os festivais com inscrições abertas. A atuação das PVs é a de facilitar tanto para o realizador fílmico – que só precisa separar as informações uma vez – quanto para o festival, já que é a PV que vai terceirizar a administração dos dados. Algumas plataformas são completamente gratuitas (FilmFreeway) e outras, para que o filme seja inscrito em um determinado festival, exigem o pagamento de uma taxa em dólares ou em euros à própria plataforma (Shortfilmdepot, por exemplo). Vale mencionar que por mais que o evento diga que a sua inscrição é gratuita, ao estar em uma PV que estabelece essa taxa, o pagamento desta vai para a plataforma e não para o festival. Cada PV é individual a sua padronização: ao se cadastrar em outra plataforma, é necessário criar um outro currículo, agora de acordo com a disposição de informação desta segunda PV.


128

Os multiformatos de inscrição são os festivais que suportam mais de uma forma online de inscrição. A dobradinha mais comum é o formulário (próprio ou Google) junto a plataforma virtual. Os festivais utilizam esse método com o objetivo de serem mais abrangentes, oferecendo mais tipos de inscrição ao realizador audiovisual. Se a vantagem é o aumento das possibilidades, a desvantagem é justamente a administração desses dados, que aumentam em suas formas. A administração dos dados é mais diversa por haver mais de uma forma de inscrição, podendo dificultar a compreensão. Alguns festivais ainda permitem as suas inscrições de forma física, geralmente por mídia DVD ou Blu-ray. Esses festivais seguem uma tendência a possuírem uma tonalidade mais particular de realização, uma esfera reduzida para um público segmentado, próximo ao local de realização do evento, o que justificaria a inscrição física. Em 2017, os formulários dominam a preferência de inscrição pelos festivais: ~34% tanto para o formulário próprio quanto para o Google. Eventos em que suas inscrições acontecem via e-mail estão em 15%. Multiformatos de inscrição e festivais que utilizam apenas a plataforma virtual estão com 8% e outros formatos, formas de inscrição com métodos isolados, como inscrição via Facebook,1%. A quantidade dos tipos de inscrição online foi separada a partir dos festivais que usam como formato a “inscrição virtual” e “opção de inscrição virtual e física”, com o objetivo de mensurar a aplicação dos tipos de submissão online. Comparado com 2016 percebe-se uma estabilização:


129 T I P O D AS I N S C R I Ç Õ E S O N L I N E - 2 0 1 6 / 2 0 1 7

109

111 100

Ano: 2016 (Total:289) Ano: 2017 (Total:332)

87

54 54

21 24

23

29

4 5 Formulário Próprio

Formulário Google

E-mail

Multiformatos de Inscrição

Plataforma Virtual

Outros Formatos

Com relação aos multiformatos, a dobradinha mais comum são os formulários junto a plataforma virtual, na tentativa de os festivais aproveitarem que o realizador já possui um cadastro em determinadas plataformas para inscrever sua obra por ela. O e-mail também possui um espaço de uso junto as PVs.

MULTIFORMATOS DE INSCRIÇÃO Tipo Formulário Próprio + Plataforma Virtual Formulário Google + Plataforma Virtual Formulário Próprio + E-mail Formulário Google + E-mail E-mail + Plataforma Virtual TOTAL

Quant 12 4 1 2 5 24

Mensurando todas as utilizações das plataformas virtuais pelos festivais, o Festhome é a plataforma virtual mais utilizada, por 29 festivais diferentes. O FilmFreeway possui menos da metade de uso se comparado ao Festhome, com a principal vantagem de não oferecer taxa ao


130

realizador para cada inscrição. Moviebeta, Clickforfestivals e Shortfilmdepot, também possuem representações.

F EST I VAI S Q UE UT I L I Z AM PL AT AF O RMA VI RT UAL 2016/ 2017

31

Ano: 2016 (Total: 54)

26

Ano: 2017 (Total: 60)

11

13 8

6

6 3

3 2

0 1

1 0

2 1

Neste estudo tenta-se analisar o desempenho dos tipos de inscrição com base nos números de submissão de cada festival em suas edições de 2017. Entrou-se em contato com os festivais incluídos nessa listagem solicitando a todos a quantidade de filmes inscritos, obtendo resposta de 94% desses eventos até o momento. No caso de algum festival informar os dados posteriormente à divulgação da pesquisa, haverá atualizações periódicas dos dados. Até a publicação da versão 1.19 do estudo foram mais de 100 mil inscrições realizadas nos 352 eventos. Tratando-se das submissões em quantidade, o formato virtual é o centralizador das inscrições com 74%, enquanto o formato físico está com apenas 2%. Os que aceitam os dois formatos estão em 24%.


131

QUANTIDADE DE INSCRIÇÃO POR FORMATO - 2017 (Total: 101.001)

75.708

23.378

1.923 Inscrição Virtual

Opção de Inscrição Virtual e Física

Inscrição Física

Analisando por tipo de inscrição, os formulários apresentam um melhor desempenho que seus concorrentes, com uma vantagem para o formulário próprio devido a possibilidade de este conseguir se dissociar da sua "imagem" de um formulário por ser personalizável, o que não é possível nos formulários tipo Google, que imageticamente são reconhecíveis. Recebem mais inscrições os festivais tradicionais ou com mais edições. O uso de multiformatos e plataformas virtuais por esse tipo de evento é considerável, o que explica a quantidade de submissões. Ao mesmo tempo, apenas a Mostra Sesc de Cinema e o JISFF Joinville International Short Film Festival são os eventos estreantes em 2017 que ultrapassaram as 1000 inscrições. Enquanto a Mostra Sesc de Cinema atuou com um formulário próprio, o JISFF se voltou para a plataforma virtual. Menciona-se que, em 2017, foram encontrados quatro festivais em que a suas exibições se configuram de forma online: o Festival Curta na UERJ (6ª edição), Fest & Arte de CurtasMetragens Online (1ª edição), o Festival Scapcine de Cinema Brasileiro (1ª edição) e o tradicional do Festival do Minuto.


132

QUANTIDADE DE INSCRIÇÕES ONLINE POR TIPO - 2017

32692

26451 19555 12018 7817 553


133

SITUAÇÃO POR REGIÃO

Analisando por Região, das mais de 100 mil inscrições, a Sudeste centraliza as submissões com 42% das mesmas, seguida da Nordeste com 22%, Sul com 17% e da Região Centro-Oeste com 11%. Os interestaduais com 5%, a Região Norte com 1,8%, e os online, com 0,2%.

INSCRIÇÕES ONLINE REALIZADAS EM 2017 (Total: 101.009)

42381

21143

19460

10714 2010

4934 367


134

REGIÃO SUDESTE

A Região Sudeste é a região com mais inscrições: mais de 42 mil. De seu total, o estado de Rio de Janeiro concentra 38%, São Paulo 35%, Minas Gerais e Espírito Santo 23% e 4% respectivamente.

INSCRIÇÕES REALIZADAS EM 2017 - REGIÃO SUDESTE (Total: 42.381)

16516 14502

9643

1720

Rio de Janeiro

São Paulo

Minas Gerais

Espiríto Santo


135

REGIÃO NORDESTE

A Região Nordeste, com 71 eventos, distribui as mais de 21 mil inscrições para Pernambuco (38%), Ceará (28%), Bahia (13%), Paraíba (10%), Rio Grande do Norte (4%), Sergipe (3%), Maranhão (2%), Alagoas (1,6%) e Piauí (0,4%).

INSCRIÇÕES REALIZADAS EM 2017 - REGIÃO NORDESTE (Total: 21.143)

7947 5906

2795

2055 855

600

512

348

125


136

REGIÃO SUL

A Região Sul, com mais de 19 mil inscrições, as divide entre Rio Grande do Sul com 36%, Paraná com 35% e Santa Catarina com 29%.

INSCRIÇÕES REALIZADAS EM 2017 - REGIÃO SUL (Total: 19.460)

8429

5899 5132

Rio Grande do Sul

Paraná

Santa Catarina


137

REGIÃO CENTRO-OESTE

A Região Centro-Oeste concentra quase 11 mil das inscrições nacionais entre Goiás com 61%, Distrito Federal com 36%, e Mato Grosso do Sul e Mato Grosso, com 2% e 1%, respectivamente.

INSCRIÇÕES REALIZADAS EM 2017 - REGIÃO CENTRO-OESTE (Total: 10.714)

6629

3715

253 Goiás

Distrito Federal

Mato Grosso do Sul

117 Mato Grosso


138

REGIÃO NORTE

A Região Norte possui 2010 inscrições do total de submissões, ficando 42% para o Acre, Amazonas com 24%, Rondônia com 23%, Pará com 6%, Amapá com 4% e Tocantins com 1%.

INSCRIÇÕES REALIZADAS EM 2017 - REGIÃO NORTE (Total: 2010)

780

455

452

221 75 Acre

Amazonas

Rondônia

Pará

Amapá

27 Tocantins


139

REGIÃO CENTRO-OESTE

Distrito Federal conta com quase 4 mil submissões, com o formato virtual sendo o dominante com uma preferência para o tipo de formulário próprio. O estado de Goiás apresenta quase 7 mil submissões nos eventos que acontecem em seus domínios. O formato de inscrição mais usado é o virtual com vantagem nos tipos para os formulários. Dois festivais ultrapassaram as mil inscrições: a TRASH - Mostra Internacional de Cinema Fantástico (1.675 inscrições) e a Goiânia Mostra Curtas (1.254 inscrições). Mato Grosso apresenta apenas um evento, a Mostra de Audiovisual Universitário – América Latina (MAUAL), com 117 inscrições. Os dados do estado acabam se espelhando neste evento. Dos 3 festivais que acontecem no Mato Grosso do Sul, em dois suas inscrições são físicas: o Festival de Cinema do Vale do Ivinhema - Festivale e o Festival Universitário do Audiovisual FUÁ. Já a Mostra de Audiovisual de Dourados realiza as suas submissões via e-mail. Na Região Centro-Oeste são quase 11 mil submissões. O formato de inscrição virtual é utilizado por 30 festivais. Referente aos tipos, os formulários são os grandes principais utilizadores para inscrição, com 26 eventos aderindo aos métodos.


140

DISTRITO FEDERAL Total de inscrições

3.715

Total de festivais

14

FORMATO DE INSCRIÇÃO

Inscrição Virtual

11

Opção de Inscrição Virtual e Física

2

Inscrição Física

1

Formulário Google

4

Formulário Próprio

6

E-mail

1

Multiformatos de Inscrição

1

Plataformas Virtuais

1

Outros Formatos

0

TIPO DE INSCRIÇÃO ONLINE

GOIÁS Total de inscrições

6.629

Total de festivais no estado

20

FORMATO DE INSCRIÇÃO

TIPO DE INSCRIÇÃO ONLINE

Inscrição Virtual

18

Opção de Inscrição Virtual e Física

1

Inscrição Física

1

Formulário Google

9

Formulário Próprio

7

E-mail

0

Multiformatos de Inscrição

2

Plataformas Virtuais

0

Outros Formatos

1


141

MATO GROSSO Total de inscrições

117

Total de festivais

1

FORMATO DE INSCRIÇÃO

Inscrição Virtual

1

Opção de Inscrição Virtual e Física

0

Inscrição Física

0

Formulário Google

0

Formulário Próprio

0

E-mail

1

Multiformatos de Inscrição

0

Plataformas Virtuais

0

Outros Formatos

0

TIPO DE INSCRIÇÃO ONLINE

MATO GROSSO DO SUL Total de inscrições

253

Total de festivais

3

FORMATO DE INSCRIÇÃO

TIPO DE INSCRIÇÃO ONLINE

Inscrição Virtual

1

Opção de Inscrição Virtual e Física

0

Inscrição Física

2

Formulário Google

0

Formulário Próprio

0

E-mail

1

Multiformatos de Inscrição

0

Plataformas Virtuais

0

Outros Formatos

0


142

REGIÃO CENTRO-OESTE Total de inscrições

10.714

Total de festivais

38

FORMATO DE INSCRIÇÃO

TIPO DE INSCRIÇÃO ONLINE

Inscrição Virtual

31

Opção de Inscrição Virtual e Física

3

Inscrição Física

4

Formulário Google

13

Formulário Próprio

13

E-mail

3

Multiformatos de Inscrição

3

Plataformas Virtuais

1

Outros Formatos

1


143

REGIÃO NORDESTE

Alagoas abriga o Circuito Penedo de Cinema, composto por três festivais: Festival do Cinema Brasileiro de Penedo, Festival de Cinema Universitário de Alagoas e a Mostra Velho Chico de Cinema Ambiental, todos utilizam a plataforma virtual Festhome para inscrição. O estado de Bahia conta com quase 3 mil inscrições no estado, não possuindo festivais em que a submissão é apenas física, mas 4 eventos que aceitam os dois formatos. O formulário Google é o grande tipo de inscrição utilizado, seguido do formulário próprio. A submissão por e-mail também tem uma utilização considerável. O “Panorama Internacional Coisa de Cinema” obteve nesse ano 1.050 inscrições. Ceará apresenta no formato de inscrição semelhança com o estado baiano, tendo 11 eventos em inscrições virtuais, e 5 que permitem as duas formas. Com quase 6 mil submissões em todo o estado, os formulários são os mais utilizados, seguidos do e-mail, multiformatos e plataforma virtual. O For Rainbow - Festival de Cinema e Cultura da Diversidade Sexual e o Festival Ibero-americano de Cinema Cine Ceará ultrapassaram as 1.000 inscrições, com .1283 e 1.113, respectivamente. Maranhão possui 2 festivais, um deles de formato de inscrição físico e o outro que aceita as duas opções de submissão. Com pouco mais de 2 mil submissões, os 7 festivais de Paraíba estão divididos entre formato virtual (4) e os que aceitam tanto a inscrição física quanto virtual (3). Quanto ao tipo de inscrição, os mesmos números, mas divididos entre formulários Google (4) e próprio (3). O CINECONGO – Festival Audiovisual da Paraíba contou com 1.039 inscrições esse ano. O estado com mais inscrições na Região Nordeste é Pernambuco: 7.947, e também a UF com a maior quantidade de submissões fora da Região Sudeste. A maioria do formato de inscrição é o virtual com 18 eventos, sendo 1 evento que aceita os dois formatos e 1 físico. Aqui o formulário Google também se destaca com 7 festivais aderindo ao método, ficando em segundo lugar o tipo via e-mail com 5 festivais. O ANIMACINE - Festival de Animação do Agreste contou com 1.443 inscrições, e a Janela Internacional de Cinema do Recife com 1.350. Com 1 evento no estado de Piauí, a inscrição no” Encontro Nacional de Cinema e Vídeo dos Sertões” é realizada de forma física. Rio Grande do Norte apresenta 4 festivais com quase 900 inscrições em seu território. Todos os eventos usam o formato virtual, divididos entre os tipos de inscrição por formulários Google e o próprio, com 2 para cada.


144

Com 3 eventos está Sergipe. Suas quase 600 inscrições contam com todos os eventos atuando sob a sua inscrição no formato virtual, divididos entre os tipos de inscrição via formulários Google (1), e-mail (1) e plataforma virtual (1). Usando este último, o CURTA- SE – Festival Ibero-americano de Cinema de Sergipe, é um dos poucos festivais nacionais a adotar exclusivamente o método de inscrição via PVs. A Região Nordeste conta com mais de 21 mil submissões. O formato virtual predomina as estatísticas com 54 festivais aderindo ao método. Os que aceitam as duas formas estão em 14, e física 3. Dos tipos de inscrição online, o formulário Google centraliza as submissões, com um destaque para a quantidade de eventos que aceitam a inscrição via plataforma virtual: 5.


145

ALAGOAS Total de inscrições

348

Total de festivais

4

FORMATO DE INSCRIÇÃO

Inscrição Virtual

4

Opção de Inscrição Virtual e Física

0

Inscrição Física

0

Formulário Google

0

Formulário Próprio

1

E-mail

0

Multiformatos de Inscrição

0

Plataformas Virtuais

3

Outros Formatos

0

TIPO DE INSCRIÇÃO ONLINE

BAHIA Total de inscrições

2.795

Total de festivais

14

FORMATO DE INSCRIÇÃO

TIPO DE INSCRIÇÃO ONLINE

Inscrição Virtual

10

Opção de Inscrição Virtual e Física

4

Inscrição Física

0

Formulário Google

6

Formulário Próprio

3

E-mail

3

Multiformatos de Inscrição

1

Plataformas Virtuais

0

Outros Formatos

1


146

CEARÁ Total de inscrições

5.908

Total de festivais

16

FORMATO DE INSCRIÇÃO

TIPO DE INSCRIÇÃO ONLINE

Inscrição Virtual

11

Opção de Inscrição Virtual e Física

5

Inscrição Física

0

Formulário Google

6

Formulário Próprio

4

E-mail

3

Multiformatos de Inscrição

2

Plataformas Virtuais

1

Outros Formatos

0

MARANHÃO Total de inscrições

512

Total de festivais

2

FORMATO DE INSCRIÇÃO

TIPO DE INSCRIÇÃO ONLINE

Inscrição Virtual

0

Opção de Inscrição Virtual e Física

1

Inscrição Física

1

Formulário Google

0

Formulário Próprio

1

E-mail

0

Multiformatos de Inscrição

0

Plataformas Virtuais

0

Outros Formatos

0


147

PARAÍBA Total de inscrições

2.055

Total de festivais

7

FORMATO DE INSCRIÇÃO

TIPO DE INSCRIÇÃO ONLINE

Inscrição Virtual

4

Opção de Inscrição Virtual e Física

3

Inscrição Física

0

Formulário Google

4

Formulário Próprio

3

E-mail

0

Multiformatos de Inscrição

0

Plataformas Virtuais

0

Outros Formatos

0

PERNAMBUCO Total de inscrições

7.947

Total de festivais

20

FORMATO DE INSCRIÇÃO

TIPO DE INSCRIÇÃO ONLINE

Inscrição Virtual

18

Opção de Inscrição Virtual e Física

1

Inscrição Física

1

Formulário Google

7

Formulário Próprio

4

E-mail

5

Multiformatos de Inscrição

3

Plataformas Virtuais

0

Outros Formatos

0


148

PIAUÍ Total de inscrições

125

Total de festivais

1

FORMATO DE INSCRIÇÃO

Inscrição Virtual

0

Opção de Inscrição Virtual e Física

0

Inscrição Física

1

Formulário Google

0

Formulário Próprio

0

E-mail

0

Multiformatos de Inscrição

0

Plataformas Virtuais

0

Outros Formatos

0

TIPO DE INSCRIÇÃO ONLINE

RIO GRANDE DO NORTE Total de inscrições

855

Total de festivais

4

FORMATO DE INSCRIÇÃO

TIPO DE INSCRIÇÃO ONLINE

Inscrição Virtual

4

Opção de Inscrição Virtual e Física

0

Inscrição Física

0

Formulário Google

2

Formulário Próprio

2

E-mail

0

Multiformatos de Inscrição

0

Plataformas Virtuais

0

Outros Formatos

0


149

SERGIPE Total de inscrições

600

Total de festivais

3

FORMATO DE INSCRIÇÃO

Inscrição Virtual

3

Opção de Inscrição Virtual e Física

0

Inscrição Física

0

Formulário Google

1

Formulário Próprio

0

E-mail

1

Multiformatos de Inscrição

0

Plataformas Virtuais

1

Outros Formatos

0

TIPO DE INSCRIÇÃO ONLINE

REGIÃO NORDESTE Total de inscrições

21.143

Total de festivais

71

FORMATO DE INSCRIÇÃO

TIPO DE INSCRIÇÃO ONLINE

Inscrição Virtual

54

Opção de Inscrição Virtual e Física

14

Inscrição Física

3

Formulário Google

26

Formulário Próprio

18

E-mail

12

Multiformatos de Inscrição

6

Plataformas Virtuais

5

Outros Formatos

1


150

REGIÃO NORTE

Acre, Amapá, Rondônia e Tocantins possuem apenas um festival em seus domínios. Dos 4 eventos juntos, 2 são de formatos virtuais (Acre e Rondônia), 1 que aceita os dois (Amapá) e 1 físico (Tocantins). Dos 3 online, 2 usam o tipo de formulário Google e 1 via Próprio. Os 4 estados juntos possuem 1.334 inscrições, com o Festival Internacional Pachamama – Cinema de Fronteira (Acre) abocanhando a maior quantidade delas: 780. Em quase 500 inscrições, Amazonas possui 3 festivais com associação virtual e 1 físico. 2 tipos são formulários Google e 1 via e-mail. O Pará também possui 4 eventos, 2 de formato virtual, 1 físico e 1 que aceita os dois métodos de inscrição. A divisão do tipo de inscrição está em 1 para cada entre formulários Google, próprio e e-mail. Contando com mais de 2 mil inscrições, a Região Norte possui 12 festivais. O formato virtual predomina as inscrições com 8 dos festivais utilizando-o. Destaca-se a presença de festivais físicos (3) ultrapassando a quantidade de festivais que utilizam as duas formas de inscrição (1).


151

ACRE, AMAPÁ, RONDÔNIA E TOCANTINS Total de inscrições

1.334

Total de festivais

4

FORMATO DE INSCRIÇÃO

TIPO DE INSCRIÇÃO ONLINE

Inscrição Virtual

2

Opção de Inscrição Virtual e Física

1

Inscrição Física

1

Formulário Google

2

Formulário Próprio

1

E-mail

0

Multiformatos de Inscrição

0

Plataformas Virtuais

0

Outros Formatos

0

AMAZONAS Total de inscrições

455

Total de festivais

4

FORMATO DE INSCRIÇÃO

TIPO DE INSCRIÇÃO ONLINE

Inscrição Virtual

3

Opção de Inscrição Virtual e Física

0

Inscrição Física

1

Formulário Google

2

Formulário Próprio

0

E-mail

1

Multiformatos de Inscrição

0

Plataformas Virtuais

0

Outros Formatos

0


152

PARÁ Total de inscrições

221

Total de festivais

4

FORMATO DE INSCRIÇÃO

Inscrição Virtual

3

Opção de Inscrição Virtual e Física

0

Inscrição Física

1

Formulário Google

1

Formulário Próprio

1

E-mail

1

Multiformatos de Inscrição

0

Plataformas Virtuais

0

Outros Formatos

0

TIPO DE INSCRIÇÃO ONLINE

REGIÃO NORTE Total de inscrições

2.010

Total de festivais

12

FORMATO DE INSCRIÇÃO

TIPO DE INSCRIÇÃO ONLINE

Inscrição Virtual

8

Opção de Inscrição Virtual e Física

1

Inscrição Física

3

Formulário Google

5

Formulário Próprio

2

E-mail

2

Multiformatos de Inscrição

0

Plataformas Virtuais

0

Outros Formatos

0


153

REGIÃO SUDESTE

Espírito Santo conta com 7 festivais em seus domínios, totalizando pouco mais de 1.700 inscrições em 2017. 4 festivais usam o formato de inscrição virtual contra 3 que aceitam os dois. Com relação as inscrições online, a divisão está entre os formulários próprios (5) e Google (2). O Festival de Cinema de Vitória neste ano contou com 1048 inscrições. Minas Gerais possui quase 10 mil inscrições distribuídas entre seus 28 festivais e mostras. Os eventos adotam o formato virtual em 21 oportunidades, para 1 de formato físico e 6 que aceitam os dois formatos. O Festival Internacional de Curtas de Belo Horizonte FESTCURTASBH teve 2.319 inscrições, e a MOSCA - Mostra Audiovisual de Cambuquira 1188 submissões de filmes. Os formulários são os tipos de inscrição mais utilizados, com uma margem favorável para o tipo via e-mail. No estado do Rio de Janeiro mais de 16 mil inscrições, o estado com maior quantidade de submissões. O formato virtual predomina com a utilização por mais de 50 festivais, físicos com 5 eventos e 8 que aceitam os dois formatos. No que se refere aos tipos, quase a mesma quantidade para os formulários Google (19) e próprios (18), e quase a mesma quantidade para multiformatos e plataformas virtuais (6 e 9, respectivamente para cada). O Festival Internacional de Curtas do Rio de Janeiro - Curta Cinema teve 2.870 inscrições, o Filmambiente – International Environmental Film Festival 1.305 e a Mostra do Filme Livre - MFL 1.144 inscrições. São Paulo possui 68 eventos, a segunda maior quantidade de inscrições: pouco mais de 14 mil. A predominância do formato de inscrição é para o virtual com 53 festivais, 5 em que a inscrição é apenas física e 10 que aceitam os dois formatos. Os formulários são o grande tipo utilizado, sendo 24 para o tipo Google e 15 para o próprio, com destaque para o e-mail que abriga 14 festivais. O Festival Internacional de Curtas-Metragens de São Paulo teve 3.340 inscrições e a Mostra Internacional de Cinema em São Paulo 1.500. A Região Sudeste ao todo comportou 169 festivais, que juntos contam com mais 42 mil inscrições. O método virtual é o predominante com mais de 130 festivais utilizando esse formato em específico. Os formulários são os tipos de inscrição online mais solicitados, com mais de 100 utilizações.


154

ESPÍRITO SANTO Total de inscrições

1.720

Total de festivais

7

FORMATO DE INSCRIÇÃO

Inscrição Virtual

4

Opção de Inscrição Virtual e Física

3

Inscrição Física

0

Formulário Google

2

Formulário Próprio

5

E-mail

0

Multiformatos de Inscrição

0

Plataformas Virtuais

0

Outros Formatos

0

TIPO DE INSCRIÇÃO ONLINE

MINAS GERAIS Total de inscrições

9.643

Total de festivais

28

FORMATO DE INSCRIÇÃO

TIPO DE INSCRIÇÃO ONLINE

Inscrição Virtual

21

Opção de Inscrição Virtual e Física Inscrição Física Formulário Google

6 1 11

Formulário Próprio

8

E-mail

5

Multiformatos de Inscrição

1

Plataformas Virtuais

2

Outros Formatos

0


155

RIO DE JANEIRO Total de inscrições

16.496

Total de festivais

66

FORMATO DE INSCRIÇÃO

Inscrição Virtual

53

Opção de Inscrição Virtual e Física Inscrição Física Formulário Google

8 5 19

Formulário Próprio

18

E-mail

8

Multiformatos de Inscrição

6

Plataformas Virtuais

9

Outros Formatos

1

TIPO DE INSCRIÇÃO ONLINE

SÃO PAULO Total de inscrições

14.502

Total de festivais

68

FORMATO DE INSCRIÇÃO

TIPO DE INSCRIÇÃO ONLINE

Inscrição Virtual

53

Opção de Inscrição Virtual e Física Inscrição Física Formulário Google

10 5 24

Formulário Próprio

15

E-mail

14

Multiformatos de Inscrição

4

Plataformas Virtuais

4

Outros Formatos

2


156

REGIÃO SUDESTE Total de inscrições

42.381

Total de festivais

169

FORMATO DE INSCRIÇÃO

TIPO DE INSCRIÇÃO ONLINE

Inscrição Virtual

131

Opção de Inscrição Virtual e Física Inscrição Física Formulário Google

27 11 56

Formulário Próprio

46

E-mail

27

Multiformatos de Inscrição

11

Plataformas Virtuais

15

Outros Formatos

3


157

REGIÃO SUL

O Paraná conta com quase 6 mil inscrições em seus 15 festivais. O formato virtual é utilizado por 12 eventos, e quando se trata dos tipos, o formulário próprio tem larga vantagem sobre o tipo Google: 8 contra 3, respectivamente. O Olhar de Cinema – Festival Internacional de Curitiba, recebeu 2.637 inscrições nesse ano. O Rio Grande do Sul possui 21 festivais, mais de 8 mil inscrições, o formato virtual com 16 eventos adeptos, tipo de formulário próprio com 9 utilizações contra 5 do tipo Google. O FANTASPOA – Festival Internacional de Cinema Fantástico de Porto Alegre recebeu 2.100 inscrições na edição de 2017, o Festival de Cinema de Bento Gonçalves 1112 submissões e o SET Universitário 1389 inscrições ao todo. Santa Catarina é o estado com menor participação da Região Sul. Os seus 10 festivais proporcionam pouco mais de 5 mil inscrições. O formato virtual monopoliza os festivais em 9 de 10 possíveis, ficando este último para um evento que aceita os dois formatos de inscrição. O formulário próprio também domina esse estado, com 3 utilizações. O formulário próprio é utilizado em larga escala em toda a Região Sul: 21 vezes contra 8 do tipo Google. Ao todo, a Região Sul comporta 45 festivais.


158

PARANÁ Total de inscrições

5.899

Total de festivais

17

FORMATO DE INSCRIÇÃO

Inscrição Virtual

14

Opção de Inscrição Virtual e Física

2

Inscrição Física

1

Formulário Google Formulário Próprio

4 8

E-mail

1

Multiformatos de Inscrição

0

Plataformas Virtuais

3

Outros Formatos

0

TIPO DE INSCRIÇÃO ONLINE

RIO GRANDE DO SUL Total de inscrições

8.429

Total de festivais

21

FORMATO DE INSCRIÇÃO

TIPO DE INSCRIÇÃO ONLINE

Inscrição Virtual

16

Opção de Inscrição Virtual e Física

3

Inscrição Física

2

Formulário Google Formulário Próprio

5 9

E-mail

4

Multiformatos de Inscrição

0

Plataformas Virtuais

1

Outros Formatos

0


159 SANTA CATARINA Total de inscrições

5.132

Total de festivais

10

FORMATO DE INSCRIÇÃO

Inscrição Virtual

9

Opção de Inscrição Virtual e Física

1

Inscrição Física

0

Formulário Google

1

Formulário Próprio

4

E-mail

2

Multiformatos de Inscrição

0

Plataformas Virtuais

3

Outros Formatos

0

TIPO DE INSCRIÇÃO ONLINE

REGIÃO SUL Total de inscrições

19.460

Total de festivais

48

FORMATO DE INSCRIÇÃO

TIPO DE INSCRIÇÃO ONLINE

Inscrição Virtual

39

Opção de Inscrição Virtual e Física

6

Inscrição Física

3

Formulário Google Formulário Próprio

10 21

E-mail

7

Multiformatos de Inscrição

0

Plataformas Virtuais

7

Outros Formatos

0


160

INTERESTADUAIS E ONLINE

No caso dos interestaduais são quase 5 mil inscrições para 14 festivais. O formato virtual possui 9 eventos contra 1 de formato físico e 4 que aceitam os dois métodos de inscrição. Nos tipos, o formulário próprio é o mais utilizado. Quando se trata dos festivais online, evidente que todos os eventos estão centrados em um formato virtual. Os números são baixos em virtude da quantidade de eventos cadastrados, 4 festivais.

INTERESTADUAIS Total de inscrições

4.934

Total de festivais

14

FORMATO DE INSCRIÇÃO

Inscrição Virtual

9

Opção de Inscrição Virtual e Física

4

Inscrição Física

1

Formulário Google

1

Formulário Próprio

7

E-mail

1

Multiformatos de Inscrição

3

Plataformas Virtuais

1

Outros Formatos

0

TIPO DE INSCRIÇÃO ONLINE

ONLINE Total de inscrições

367

Total de festivais

5

FORMATO DE INSCRIÇÃO

TIPO DE INSCRIÇÃO ONLINE

Inscrição Virtual

5

Opção de Inscrição Virtual e Física

0

Inscrição Física

0

Formulário Google

0

Formulário Próprio

2

E-mail

2

Multiformatos de Inscrição

1

Plataformas Virtuais

0

Outros Formatos

0


161

O Brasil, com seus 353 eventos em 2017 teve 100.959 inscrições até o momento. A preferência pelo formato virtual e seus tipos é uma constante.

BRASIL Total de inscrições

101.009

Total de festivais

357

FORMATO DE INSCRIÇÃO

Inscrição Virtual

277

Opção de Inscrição Virtual e Física

55

Inscrição Física

25

Formulário Google

111

Formulário Próprio

109

E-mail

54

Multiformatos de Inscrição

24

Plataformas Virtuais

29

Outros Formatos

5

TIPO DE INSCRIÇÃO ONLINE

O fato dos formulários Google e próprio serem os mais utilizados em todos os estados se dá pela condição de facilitadores no processo de administração dos dados que os festivais precisam gerenciar, em um sistema em que as informações são automaticamente separadas. Mesmo o e-mail, em que a possibilidade de despadronização é grande devido a liberdade do usuário em predispor as informações a sua escolha, oferece uma oportunidade de controle aos administradores dos festivais, quando se define formas para isso. As plataformas virtuais são utilizadas pelos festivais como método adicional de inscrição, principalmente quando o tipo “principal” é um formulário. Essa medida visa facilitar aos realizadores a inscrever sua obra no evento, mesmo que isso possa oferecer uma problemática de administração aos festivais caso não haja cuidado na gerência desse material. O maior problema das plataformas é a questão da taxa cobrada ao realizador fílmico por inscrição. As PVs, entretanto, possuem uma utilização ainda modesta dentro do circuito nacional, sendo mais exigidas para inscrições em eventos internacionais. A inscrição física ainda perdura e a tendência é que assim continue, por ser um formato de inscrição destinado a acontecimentos de uma comunidade ou grupo em que o festival/mostra esteja inserido. O deslocamento é menos danoso ao realizador que deseja se inscrever no evento. Aplicado esse recorte, a sua utilização aparenta fazer muito mais sentido, embora perca a facilidade de administração que os dados online proporcionam.


162

CONSIDERAÇÕES FINAIS

Um festival é a essência de algo marcado para acontecer, que justifica a sua existência e atuação. Uma série de atividades marcadas pela periodicidade, geralmente anual. A união desse conjunto de atividades dá-se o nome de programação, que abriga desde a atração principal até as atividades complementares. Em larga escala, a principal atividade de um festival é a exibição de conteúdo junto a atividades como palestras, workshops, entre outros. As obras incluídas em determinada edição de um festival são notoriamente os curtasmetragens, que se tornam um recorte espaço-temporal de um registro histórico da presença do festival na sociedade. Essas obras, em sua característica de essência, necessitam serem vistas, as associando a mais de um festival dentro do circuito. Os festivais audiovisuais até a década de 80 trabalhavam os seus processos internos de forma análoga, com inscrições físicas. A internet proporcionou o campo da virtualização e com ele, novas formas de atuar em determinado contexto para os eventos audiovisuais. As etapas agora são virtualizadas, mas os festivais não se tornaram totalmente online, mas sim híbridos em sua composição estrutural. Em grande parte, o acontecimento de sua programação ainda está atrelado ao mundo físico, embora o caminho seja por meio do mundo virtual. A união dos mundos material e virtual permite a compreensão de que os festivais estão potencialmente virtualizados em alguma instância de seus acontecimentos. Na verdade, o real existe com o virtual em um jogo de cumplicidade. No Brasil, foram mais de 30 eventos se comparado ao ano anterior. 75% dos festivais que aconteceram em 2016 se repetiram em 2017, o que mostra um alinhamento da estabilidade desses festivais somado ao surgimento de novos eventos que buscam a conquista de novos espaços, públicos e regiões. Embora os gerais sejam maiores em quantidade que aqueles que oferecem alguma temática individualmente, estes sobrepõem-se quando somados como temáticos, em uma significação de que os festivais audiovisuais oferecem formas para diálogo em diversas vertentes. Com 5570 municípios e 30 Regiões Administrativas no país, 50 eventos distribuídos entre mais de 250 cidades diferentes, apenas ~4,9% de todo o território nacional possui algum festival audiovisual. Ou seja: mesmo com 45% dos eventos acontecendo fora das capitais, ainda assim estão concentrados nas mesmas cidades. Diante desses mais de 330 eventos, a Região Sudeste concentra quase metade desses festivais, especialmente os do Rio de Janeiro e São Paulo, fruto da concentração de fatores populacionais, econômicos e políticos que os dois estados mencionados possuem. Entretanto,


163

as cinco Regiões não apresentam também um bom aproveitamento do espaço, com uma média de ~2% dos municípios com a presença de algum festival. No que tange o mundo material, os festivais audiovisuais brasileiros são pouco distribuídos em seu território, tanto entre regiões como por estado. Ao mesmo tempo em que os festivais objetivam serem uma janela de exibição alternativa, estão na maioria em capitais. O formato de inscrição virtual é uma constante na utilização pelos festivais, mostrando o engajamento que esses eventos possuem em seus processos de virtualização. Com mais de 100 mil inscrições, os tipos de formulários condensam a preferência de uso pelos eventos, moldando que e como as informações serão entregues pelo realizador de uma obra, e isso se comprova pelas quase 60 mil inscrições realizadas pelo tipo de submissão. Esse processo é ainda mais potencializado quando se trata dos festivais em primeira edição. A administração dos dados oferecidos pelo mundo virtual é um facilitador para as práticas audiovisuais de acordo com o tipo de inscrição. Quanto aos dados, seria demasiada presunção afirmar que este estudo tem a missão de mapear o circuito de festivais audiovisuais brasileiros. Fazem parte apenas os eventos que abriram inscrições, o que já assume um caráter limitador. Tampouco assume-se a condição de perfeição desses dados: diante da dificuldade de centralizar informações a respeito de algo tão diverso, a pesquisa nunca estará encerrada propriamente dita. Festivais que acabaram passando do filtro de procura serão inclusos posteriormente a disponibilização online do texto, e representantes desses eventos podem entrar em contato solicitando a inserção do festival. Se o real existe com o virtual em um jogo de cumplicidade, dentro dos festivais audiovisuais brasileiros essa é uma asserção que assume a sua potencialidade pelas suas etapas de realização e resultado das suas submissões. Os festivais nacionais estão virtualizados em alguma instância com diferenciações nas aplicações de digitalização desses eventos. A virtualização dos festivais é uma realidade. Entender as nuances dos festivais enquanto fenômenos de comunicação é um alento para entender a cadeia de produção audiovisual brasileira, permitindo diversos estudos a respeito. É uma cumplicidade que não pode parar.


164

REFERÊNCIAS ALENCAR, Miriam. O Cinema em Festivais e os caminhos do curta-metragem no Brasil. Rio de Janeiro: Editora Artenova S.A, 1978. 142p. CEASER, Gabriela. São Paulo abriga 1/3 das salas de cinema do país. São Paulo: G1.com. Estudo sobre o setor de exibição brasileiro no ano de 2017. Disponível em:< https://g1.globo.com/pop-arte/cinema/noticia/sao-paulo-abriga-13-das-salas-de-cinema-dopais.ghtml>. Acesso em: 10/ jan. 2018. CORRÊA, Paulo Vitor Luz. Festivais de Cinema e a Internet: uma breve análise por meio dos formatos de submissão de filmes. Associação Cultural Kinoforum, Guia Kinoforum de Festivais Audiovisuais. Santos, 2017. Disponível em: < http://www.kinoforum.org.br/guia/panorama-do-audio-visual-apresentacao>. Acesso em: 09 abr. 2017. _______________________. Os Festivais Estudantis e Universitários como porta de entrada à prática audiovisual. Cadernos FORCINE. São Paulo, v.3, p. 28-40, set. 2017. Disponível em: < https://drive.google.com/file/d/0B8aMeCdFOAUeOV9vR2M1UWdNSDg/view>. Acesso em: 07 jan. 2018. ELSAESSER, Thomas (2005). Film Festival Networks: The New Topographies of Cinema in Europe. Amsterdam University Press. Amsterdam: 2005 p. 82-107. Disponível em: <http://www.thomas-elsaesser.com/images/full_texts/film%20festival%20networks.pdf>. Acesso em: 10 maio. 2017. LÉVY, Pierre. O que é o Virtual? Editora 34. São Paulo: Editora 34, 2011. 157 p. ____________. Cibercultura. Rio de Janeiro: Editora 34, 2011, 272p. ____________. As tecnologias da inteligência: o futuro do pensamento na era da informática. Rio de Janeiro: Editora 34, 1993, 208p. MATTOS, Tetê. Festivais pra quê? Um estudo crítico sobre festivais audiovisuais brasileiros. IN BAMBA, Mahomed (Org). A recepção cinematográfica: teoria e estudos de casos. EDUFBA, 2013. 302p. NEPOMUCENO, Milena. Formação do Curador nos Festivais de Cinema. 2014. 19p. Trabalho de Conclusão de Curso (Especialização em Gestão de Projetos Culturais e Organização de Eventos) - CELACC - Centro de Estudos Latino- Americanos sobre Cultura e Comunicação, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2014. Disponível em:< http://myrtus.uspnet.usp.br/celacc/sites/default/files/media/tcc/milena_nepomuceno_formaouo _do_curador_nos_festivais_de_cinema_1.pdf>. Acesso em: 03 jan. 2017. RAMOS, Fernão Pessoa. Enciclopédia do Cinema Brasileiro. 3. ed. São Paulo: Editora SENAC, 2012. 836p. REGULAMENTO do 22° É Tudo Verdade – Festival Internacional de Documentários. São Paulo/Rio de Janeiro: É Tudo Verdade, 2017. Regulamento do 22° É Tudo Verdade – Festival


165

Internacional de Documentários. Disponível em:<http://etudoverdade.com.br/br/pag/premiacao-regulamento>. Acesso em: 15 jan. 2018 REGULAMENTO do 45° Festival de Cinema de Gramado. Gramado: Festival de Gramado, 2017. Regulamento do Festival d1 45° edição do Festival de Cinema de Gramado. Disponível em:<http://s3.amazonaws.com/site321prod/documents/files/7772f3a878fa34c9ba7a3758274855bf4ca7402a/original.pdf?149926102 6>. Acesso em: 15 jan. 2018 SIMIS, Anita. Concine – 1976 a 1990. Políticas Culturais em Revista. Salvador, v.1, p.3355, 2008. Disponível em: <https://portalseer.ufba.br/index.php/pculturais/article/view/3189/2297>. Acesso em: 12 jan. 2018. VALCK, Marijke de. Film Festivals: From European Geopolitics to Global Cinephilia. Amesterdão: Amsterdam University Press, 2008, 250p.


166

ANEXO FESTIVAIS AUDIOVISUAIS BRASILEIROS DE 2017 POR TEMÁTICA

TEMÁTICA: GERAL

NOME

EDIÇÃO

CIDADE

UF

1

1

Festival de Brasília do Cinema Brasileiro

50ª

Brasília

DF

2

2

Festival Curta Brasília

Brasília

DF

3

3

Goiania Mostra Curtas

17ª

Goiania

GO

4

4

Anápolis Festival de Cinema

Anápolis

GO

5

5

Festival de Filmes de Faina - FFF

Faina

GO

6

6

Festival de Cinema de Senador Canedo – Curta Canedo

Senador Canedo

GO

7

7

Mostra de Audiovisual de Dourados

Dourados

MS

8

8

Festival de Cinema do Vale do Ivinhema Festivale

14ª

Ivinhema

MS

9

9

Festival do Cinema Brasileiro de Penedo

10ª

Penedo

AL

10

10

Panorama Internacional Coisa de Cinema

13ª

Salvador e Cachoeira

BA

11

11

Mostra Cine Dendê

Salvador

BA

12

12

Festival Iberoamericano de Cinema Cine Ceará

27ª

Fortaleza

CE

13

13

Mostra Sesc Cariri de Culturas

19ª

Juazeiro do Norte; Crato

CE

14

14

CURTA CANOA - Festival Latino Americano de Cinema de Canoa Quebrada

12ª

Aracati

CE

15

15

Mostra Outros Cinemas

Fortaleza

CE


167

16

16

FESTCINE MARACANAÚ – Festival de Cinema Digital e Novas Mídias

Maracanaú

CE

17

17

Festival de Jericoara- JeriDigital

Jijoca de Jericoacoara

CE

18

18

Mostra Curta Vazantes: Cinema em Comunidade

Aracoiaba

CE

19

19

Mostra São Luiz de Filmes de Curta-Metragem Brasileiros

Fortaleza

CE

20

20

Festival Guarnicê de Cinema

40ª

São Luís

MA

21

21

Festival Aruanda do Audiovisual Brasileiro

12ª

João Pessoa

PB

22

22

CINECONGO – Festival Audiovisual da Paraíba

Congo

PB

23

23

Festival de Cinema de Sousa – FESTISSAURO

Souza

PB

24

24

Cine Paraíso - Festival de Cinema de Juripiranga

Juripiranga

PB

25

25

Cine Açude Grande – Festival de Cinema de Cajazeiras

Cajazeiras

PB

26

26

Cine PE - Festival do Audiovisual

20ª

Recife

PE

27

27

FESTCINE – Festival de Curtas de Pernambuco

19ª

Recife

PE

28

28

Curta Taquary - Festival Internacional de Curta Metragem

10ª

Taquaritinga Do Norte

PE

PE

29

29

Festival de Cinema de Triunfo

10ª

Triunfo ; Afogados Da Ingàzeira; Serra Talhada

30

30

Janela Internacional de Cinema do Recife

10ª

Recife

PE

31

31

CineCreed

Abreu e Lima

PE

32

32

Cine Jardim – Festival de Cinema de Belo Jardim

Belo Jardim

PE

33

33

Mostra Pajéu de Cinema

Afogados Da Ingàzeira

PE

34

34

Festival de Cinema de Caruaru

Caruaru

PE


168

35

35

Encontro Nacional de Cinema e Vídeo dos Sertões

12ª

Floriano

PI

36

36

Mostra de Cinema de Gostoso

São Miguel do Gostoso

RN

37

37

CURTA- SE – Festival Iberoamericano de Cinema de Sergipe

17ª

Aracaju

SE

38

38

Festival Internacional Pachamama – Cinema de Fronteira

Rio Branco

AC

39

39

Festival Imagem-Movimento - FIM

14ª

Macapá

AP

40

40

Cine Bodó

Manaus

AM

41

41

Festival de Cinema de Vitória

24ª

Vitória

ES

42

42

FECIN - Festival de TV e Cinema do Interior do Espírito Santo

Muqui

ES

43

43

Mostra de Cinema de Tiradentes

20ª

Tiradentes

MG

44

44

Festival Internacional de Curtas de Belo Horizonte - FESTCURTASBH

19ª

Belo Horizontes

MG

45

45

CineOP - Mostra de Cinema de Ouro Preto

12ª

Ouro Preto

MG

46

46

MOSCA - Mostra Audiovisual de Cambuquira

11ª

Cambuquira

MG

47

47

Mostra CineBH - Mostra Internacional de Cinema de Belo Horizonte CineBh

11ª

Belo Horizonte

MG

48

48

Festival Nacional de Cinema de Poços de Caldas - FESTCINE

Poços de Caldas

MG

49

49

Mostra Pequi de Audiovisual

Montes Claros

MG

50

50

Festival Curta (C)errado: Gênero e Sexualidades

Uberlândia

MG

51

51

Mostra de Cinema de Fama

Fama

MG

52

52

Mostra de Curtas-metragens Contemporâneos Cinefronteira

Belo Horizonte

MG

53

53

Festival Internacional de Curtas do Rio de Janeiro - Curta Cinema

27ª

Rio de Janeiro

RJ

54

54

Festival do Rio

19ª

Rio de Janeiro

RJ


169

55

55

Mostra do Filme Livre - RJ

16ª

Rio de Janeiro

RJ

56

56

Visões Periféricas

11ª

Rio de Janeiro

RJ

57

57

Festival de Cinema Curta Cabo Frio

10ª

Cabo Frio

RJ

58

58

Semana dos Realizadores

Rio de Janeiro

RJ

59

59

Brazil Cinefest - Festival Internacional de Cinema - - International Film Festival

Rio de Janeiro

RJ

60

60

Cine Curtas Lapa Festival

Rio de Janeiro

RJ

61

61

Festival de Cinema Brasileiro da Baixada Fluminense - VER CINE

Duque de Caxias

RJ

62

62

Festival Internacional de Cinema Cristão - FICC

Rio de Janeiro

RJ

63

63

Iguacine – Festival de Cinema da Cidade de Nova Iguaçu

Nova Iguaçi

RJ

64

64

Festival Brasil de Cinema Internacional

Rio de Janeiro

RJ

65

65

Festival O Cubo de Cinema

Rio de Janeiro

RJ

66

66

Curta Solar

Niterói

RJ

67

67

Festival Mate Com Angu de Cinema Popular

Duque de Caxias

RJ

68

68

Cine Tamoio - Festival de Cinema de São Gonçalo

São Gonçalo

RJ

69

69

Brazil International Film Festival - BRIFF

Teresópolis

RJ

70

70

Festival Zona de Cinema

Rio de Janeiro

RJ

71

71

Mostra Audiovisual do Festival Deu Na Telha

Campos dos Goytacazes

RJ

72

72

Mostra Crime Dvergente

Niterói

RJ

73

73

Mostra Curta Retiro

Rio de Janeiro

RJ

74

74

Mostra Internacional de Cinema em São Paulo

41ª

São Paulo

SP

75

75

Festival Internacional de Curtas-Metragens de São Paulo

28ª

São Paulo

SP


170

76

76

Prêmio ABC

17ª

São Paulo

SP

77

77

Curta Santos - Festival de Cinema de Santos

15ª

Santos

SP

78

78

Cinefest Gato Preto

13ª

Lorena

PB

79

79

Mostra Curta Audiovisual

11ª

Campinas

SP

80

80

Prêmio Cineclube Jacareí - Corvo de Gesso

10ª

Jacaréi

SP

81

81

CIVIFILMES – Festival de Cinema Independente do Colégio Civitatis

São Paulo

SP

82

82

Festival de Finos Filmes

São Paulo

SP

83

83

Mostra de Cinema Brasileiro Desobediente

São Paulo

SP

84

84

Concurso da Semana Paulistana do CurtaMetragem

São Paulo

SP

85

85

Mostra Formiga Independente

São José dos Campos

SP

86

86

The São Paulo Times Film Festival

São Paulo

SP

87

87

Cine Mis

Anual

São Paulo

SP

88

88

Festival Urutu de Expressões Visuais

Pindamonhangaba

SP

89

89

Festival de Curta Metragem de Itapecerica da Serra

Itapecerica da Serra

SP

90

90

Mostra Chapisco na Passagem

São Paulo

SP

91

91

Mostra Cineteatro

São Paulo

SP

92

92

Curta Suzano - Mostra do Curta-Metragem do Alto Tietê

Suzano

SP

93

93

Festival da Freguesia de Ó

São Paulo

SP

94

94

Low Cost Film Festival

São Paulo

SP

95

95

Festival de Curtas do Grande ABC

São Caetano do Sul

SP

96

96

Festival Kinoarte de Cinema

19ª

Londrina

PR


171

97

97

Olhar de Cinema – Festival Internacional de Curitiba

Curitiba

PR

98

98

Festival de Cinema Curta Pinhais

Pinhais

SP

99

99

Cine Tornado Festival

Curitiba

PR

100

100

Petit Pavé – Festival de Cinema Independente de Curitiba

Curitiba

PR

101

101

3 Margens – Festival Latino-Americano de Cinema

Fox do Iguaçu

PR

102

102

Festival de Cinema de Gramado

45ª

Gramado

RS

103

103

Festival Internacional de Cinema da Fronteira

Bagé

RS

104

104

Festival de Cinema de Santo Ângelo

Santo Ângelo

RS

105

105

Festival de Cinema de Lajeado

Lajeado

RS

106

106

Festival de Cinema de Bento Gonçalves

Bento Gonçalves

RS

107

107

Florianópolis Audiovisual Mercosul - FAM

21ª

Florianópolis

SC

108

108

Festival Multicultural Psicodália

Rio Negrinho

SC

109

109

Festival Internacional de Cinema de Balneário Camboriú - Cinerama BC

Balneário Camboriú

SC

110

110 JISFF - Joinville International Short Film Festival

Joinville

SC

111

111

LIFF – Lume International Film Festival

São Paulo (SP); Teresina (PI); Florianópolis (SC); João Pessoa (PB); Aracaju interestadual (SE); Belém (PA); Balneário Camboriú (SC); Palmas (TO)

112

112

Mostra SESC de Cinema

Todos os Estados interestadual

113

113

Festival Curta na UERJ

Online

Online

114

114

Fest & Arte de Curtas-Metragens Online

Online

Online


172

115

115

Festival Scapcine de Cinema Brasileiro

Online

Online

TEMÁTICA: UNIVERSITÁRIA

NOME Festival de Brasília do Cinema Universitário FestUniBrasilia

EDIÇÃO

CIDADE

UF

116

1

Brasília

DF

117

2

MAU - Mostra Audiovisual UEG

Goiânia

GO

118

3

Mostra de Audiovisual Universitário – América Latina (MAUAL)

16ª

Cuiabá

MT

119

4

Festival Universitário do Audiovisual FUÁ

Campo Grande

MS

120

5

Festival de Cinema Universitário de Alagoas

Penedo

AL

121

6

Cine Virada – Festival de Cinema Universitário da Bahia

Cachoeira

BA

122

7

NOIA - Festival do Audiovisual Universitário

16ª

Fortaleza

CE

123

8

Mostra Percursos

Fortaleza

CE

124

9

Mostra ICA

Fortaleza

CE

125

10

Festival Audiovisual de Campina Grande – Comunicurtas UEPB

12ª

Campina Grande

PB

126

11

MOV - Festival Internacional de Cinema Universitário de Pernambuco

Recife

PE

127

12

BOOM - Mostra de Audiovisual do Decom

11ª

Natal

RN

128

13

SERCINE - Festival Sergipe de Audiovisual

Aracaju

SE

129

14

Festival Osga de Vídeos Universitários da UNAMA

14ª

Belém

PA

130

15

FUSCA - Festival Universitário de Criação Audiovisual

Belém

PA

131

16

TORÓ - Festival Audiovisual Universitário de Belém

Belém

PA

132

17

Lumiar - Festival Interamericano de Cinema Universitário

Belo Horizonte

MG


173

133

18

Mostra Universitária de Cinema e Audiovisual MOCINA

Juiz de Fora

MG

134

19

Mostra Universitária de Audiovisual da UFSJ – MUDA!

São João Del Rei

MG

135

20

Festival Brasileiro de Cinema Universitário FBCU

20ª

Rio de Janeiro

RJ

136

21

UFFilme - Mostra de Filmes da UFF

10ª

Niterói

RJ

137

22

ENGECINE - Festival de Curtas da Escola de Engenharia da Universidade Federal Fluminense.

Niterói

RJ

138

23

Festival de Curtas da Facha

Rio de Janeiro

RJ

139

24

CAPIVARA - Mostra Audiovisual de Produções Ruralinas

Rio de Janeiro

RJ

140

25

Doc.puc - Mostra PUC-Rio do Cinema Documentário

Rio de Janeiro

RJ

141

26

Festival de Curtas-Metragens “15 anos do UNILASALLE-RJ"

Niterói

RJ

142

27

FEIA - Festival do Instituto de Artes da Unicamp

18ª

Campinas

SP

143

28

FeVIS - Festival de Vídeos da Imagem e Som

12ª

São Carlos

SP

144

29

Festival 2 Minutos de Áudio e Vídeo

11ª

São Paulo

SP

145

30

Festival do Minuto FACOPP

Presidente Prudente

SP

146

31

SEIS - Semana da Imagem e do Som - Mostra Audiovisual

São Carlos

SP

147

32

Loco de Ouro

Bauru

SP

148

33

Semana Universitária Audiovisual Sudeste - SUA

São Carlos

SP

149

34

Festival Audiovisual FIAM-FAAM

2-3ª

São Paulo

SP

150

35

UNIMIDIA

Anual

Campinas

SP

151

36

Mostra O Teu Que Eu Mostro O Meu

10ª

Foz do Iguaçu

PR


174

152

37

Festival de Vídeos de Maringá

Maringá

PR

153

38

MAFUÁ! Mostra do Filme Universitário e Amador

Maringá

PR

154

39

Metrô - Festival do Cinema Universitário Brasileiro

Curitiba

PR

155

40

SET Universitário

30ª

Porto Alegre

RS

156

41

MOUC - Mostra Universitária de Curtas

Porto Alegre

RS

157

42

Fresta - Mostra Audiovisual do Curso de AVisuais

Rio Grande

RS

158

43

TAINHA DOURADA - Festival Nacional de Cinema Universitário

Itajaí

SC

NOME DIGO – Festival Internacional da Diversidade Sexual e de Gênero de Goiás

EDIÇÃO

CIDADE

UF

Goiânia

GO

TEMÁTICA: LGBTQ

159

1

160

2

Cine Trans Territorial

Salvador

BA

161

3

For Rainbow - Festival de Cinema e Cultura da Diversidade Sexual

11ª

Fortaleza

CE

162

4

Mostra Internacional Audiovisual Curta o Gênero 2017

Fortaleza

CE

163

5

Festival de Cinema da Diversidade Sexual e de Gênero - Recifest

Recife e Caruaru

PE

164

6

Mostra Universitária de Curtas LGBT

Viçosa

MG

165

7

Mostra Audiovisual de Sexualidades e Afetos de Vitória

Vitória

ES

166

8

Mostra de Curtas da Ocupação TransArte BH

Belo Horizonte

MG

167

9

Rio Festival de Gênero e Sexualidade no Cinema

Rio de Janeiro

RJ

168

10

Mostra Cine Diversidade

Rio de Janeiro

RJ

169

11

Mostra dos Censurados

Rio de Janeiro

RJ


175

170

12

Festival Mix Brasil de Cultura da Diversidade

25ª

São Paulo

SP

171

13

Mostra da Diversidade Sexual - MoDive-Se

Campinas

SP

172

14

Festival de Cinema Sertão & Diversidade

Quixadá

CE

173

15

Mostra Cinemão - I Mostra de Cinema LGBT de Santos

Santos

SP

174

16

COLORS Cinema + Diversidade

Curitiba

PR

175

17

Mostra Audiovisual Fazendo Gênero

Florianópolis

SC

EDIÇÃO

CIDADE

UF

Brasília

DF

TEMÁTICA: ESTUDANTIL

NOME Festival de Filmes Curta-metragem das Escolas Públicas de Brasília

176

1

177

2

Festival Intercolegial de Vídeo Ambiental e Cidadania FIVAC

Goiânia

GO

178

3

Curta 5 - Festival Estudantil de Curtas

Vitória da Conquista

BA

179

4

Festival de Cinema Estudantil de Palmas - Você na Tela

Palmas

TO

180

5

Mostra Competitiva de Curtas Escolares MacacuCine

10ª

Cachoeiras de Macucu

RJ

181

6

Festival Internacional Estudantil de Cinema de Barra do Piraí - Festcine Estudantil

Barra do Piraí

RJ

182

7

Mostra Audiovisual Estudantil Joaquim Venâncio

Rio de Janeiro

RJ

183

8

Festival de Curtas da Árvore

Rio de Janeiro

RJ

184

9

Curta Caraguá - Festival de Cinema de Caraguatatuba

Caraguatatuba

SP

185

10

Festival Nacional de Cinema Estudantil de Guaíba

16ª

Guaíba

RS

186

11

Festival Regional de Cinema e Literatura

Lajeado

RS

187

12

São Leo Em Cine

São Leopoldo

RS


176

188

13

Festival de Curta-Metragem do IFB

Brasília

DF

189

14

Festival Primeiro Filme

Porto Alegre

RS

190

15

CINEST - Festival Internacional de Cinema Estudantil

Santa Maria

RS

191

16

FECEA - Festval de Cinema Escolar de Alvorada

Alvorada

RS

192

17

Mostra de Filmes Educa7 minutos

Lauro de Freitas

BA

TEMÁTICA: REGIONAL

NOME Mostra da Associação Brasileira de Documentaristas – Seção Goiás

EDIÇÃO

CIDADE

UF

193

1

15ª

Goiânia

GO

194

2

Mostra Sururu de Cinema Alagoano

Maceió

AL

195

3

Festival Maranhão na Tela

10ª

Viana

MA

196

4

FINC - Festival Internacional de Cinema de Baía Formosa

Baía Formosa

RN RN

197

5

Mostra Trinca Audiovisual

Goianinha, Serra Negra do Norte e Florânia

198

6

Mostra do Cinema Amazonense

Manaus

AM

199

7

Mostra Guarulhense de Cinema

Guarulhos

SP

200

8

Mostra Amazonas de Audiovisual

Manaus

AM

201

9

Cabocão Cine Festival

Itacoatiara

AM

202

10

Festival de Cinema de Caratinga

Caratinga

MG

203

11

CineBaru - Mostra Sagarana de Cinema

Arinos

MG

204

12

Mostra de Realizadores de Audiovisual de Paraty

Paraty

RJ

205

13

Pop Corn Festival

Sorocaba

SP


177

206

14

Cineserra – Festival do Audiovisual da Serra Gaúcha

Caxias do Sul

RS

207

15

Mostra Produção Independente - ALDEIAS ABD Capixaba

12ª

Vitória

ES

TEMÁTICA: FILMES DIRIGIDOS POR REALIZADORAS MULHERES

NOME

EDIÇÃO

CIDADE

UF

208

1

Mostra Audiovisual Adélia Sampaio

Brasília

DF

209

2

Mostra Elas – Filmes Dirigidos por Mulheres

Salvador

BA

210

3

Mostra LUGAR DE MULHER É NO CINEMA

Salvador

BA

211

4

Mostra de Cinema Feministas de Quinta

Vitória

ES

212

5

Mostra de Cinema Feminista

Belo Horizonte

MG

213

6

Mostra das Minas

Santos

SP

214

7

Mostra de Cinema da Mulher

Franco da Rocha

SP

215

8

Mostra Empoderadas - Mulheres Negras no Audiovisual

São Paulo

SP

216

9

Mostra de Filmes - Projeto EmPodera!

Campinas

SP

217

10

Mostra Ela na Tela

Porto Alegre

RS

218

11

RIZOMA - Mostra Nômada de Arte Multimídia e Coletiva

Pelotas

RS

TEMÁTICA: ANIMAÇÃO

NOME

EDIÇÃO

CIDADE

UF

219

1

Brasília Animation Festival - BAF

Brasília

DF

220

2

Lanterna Mágica – Festival Internacional de Animação

Goiânia

GO


178

221

3

Mostra Virtual de Animação

João Pessoa

PB

222

4

ANIMAGE - Festival Internacional de Animação de Pernambuco

Recife

PE

223

5

ANIMA-SÃO - Festival Internacional de Animação de São Gonçalo

São Gonçalo

RJ

224

6

ANIMACINE - Festival de Animação do Agreste

Gravatá; Caruaru; Bezerros

PE

225

7

Baixada Animada - Mostra Íbero-Americana de Cinema de Animação

11ª

Duque de Caxias

RJ

226

8

MUMIA - Mostra Udigrudi Mundial de Animação

15ª

Belo Horizonte

MG

227

9

Anima Mundi - Festival Internacional de Animação do Brasil

25ª

Rio de Janeiro (RJ); São Paulo (SP)

interestadual

228

10

Dia Internacional da Animação

14ª

11

Anim!Arte – Festival Internacional de Animação Estudantil do Brasil

229

13ª

Todos os Estados interestadual Rio de Janeiro (RJ); São Paulo (SP); São Luís (MA)

interestadual

CIDADE

UF

Goiás

GO

TEMÁTICA: AMBIENTAL

NOME EDIÇÃO FICA – Festival Internacional de Cinema e Vídeo 19ª Ambiental

230

1

231

2

CINEAMAZÔNIA – Festival Latino Americano de Cinema Ambiental

15ª

Porto Velho

RO

232

3

Mostra Velho Chico de Cinema Ambiental

Penedo

AL

233

4

Cinecipó – Festival Internacional de Cinema Insurgente

Belo Horizonte

MG

234

5

Festival de Cinema Ambiental de Cachoeiro de Itapemirim CINE.EMA.

Cachoeiro de Itapemirim

ES

235

6

Filmambiente – International Environmental Film Festival

Rio de Janeiro

RJ

236

7

Festival Internacional de Cinema Socioambiental de Nova Friburgo - FRICINE

Nova Friburgo

RJ


179

237

8

ECOCINE - Festival Internacional de Cinema Ambiental

25ª

São Paulo, Campinas e São Sebastião

SP

238

9

Mostra Ecofalante de Cinema Ambiental

São Paulo

interestadual

239

10

Mostra Nacional de Produção Audiovisual Independente - Circuito Tela Verde

Locais de Exibição a Serem definidos; Mas interestadual abrange diversos estados.

TEMÁTICA: DOCUMENTÁRIO

NOME PirenópolisDoc – Festival de Documentário Brasileiro

EDIÇÃO

CIDADE

UF

240

1

Pirenópolis

GO

241

2

Visualidades

Sobral

CE

242

3

CachoeiraDoc - Festival de Documentários de Cachoeira

Cachoeira

BA

243

4

Forumdoc.bh – Festival do Filme Documentário e Etnográfico de Belo Horizonte

21ª

Belo Horizonte

MG

244

5

Cinedocumenta – Mostra de Cinema Documentário

12ª

Ipatinga

MG

245

6

In-Edit Brasil – Festival Internacional do Documentário Musical

São Paulo

SP

246

7

FIDÉ - Festival Brasileiro de Documentário Estudantil

Curitiba

PR

247

8

É Tudo Verdade – Festival Internacional de Documentários

22ª

Rio de Janeiro (RJ); São Paulo (SP)

interestadual

TEMÁTICA: CINEMA FANTÁSTICO

NOME TRASH - Mostra Internacional de Cinema Fantástico

EDIÇÃO

CIDADE

UF

248

1

Goiânia

GO

249

2

Mostra de Cinema Cine Horror

Salvador

BA

250

3

Rio Fantastik Festival - Festival Internacional de Filme Fantástico

Rio de Janeiro

RJ


180

251

4

Festival Boca do Inferno

São Paulo

SP

252

5

Festival POE de Cinema Fantástico São Jose dos Campos

São José dos Campos

SP

253

6

FANTASPOA – Festival Internacional de Cinema Fantástico de Porto Alegre

13ª

Porto Alegre

RS

TEMÁTICA: INFANTOJUVENIL

NOME Recria Cine - Mostra de Cinema para Crianças e Adolescentes

EDIÇÃO

CIDADE

UF

254

1

Ervália

MG

255

2

Festival Internacional Pequeno Cineasta

Rio de Janeiro

RJ

256

3

Festival comKids – Prix Jeunesse Iberoamericano

São Paulo

SP

257

4

Mostra de Cinema Infantil de Florianópolis

16ª

Florianópolis

SC

258

5

Festival Internacional de Cinema Infantil - FICI

15ª

Florianópolis

SC

259

6

Primeira Janela – Festival de Cinema Infantojuvenil de Porto Alegre

Porto Alegre

RS

TEMÁTICA: VIDEODANÇA

NOME

EDIÇÃO

CIDADE

UF

260

1

Cult Dance - Dança para Tela

Brasília

DF

261

2

Mostra de Vídeodança na Fachada

Contagem

MG

262

3

Dança em Foco - Festival Internacional de Vídeo & Dança

15ª

Rio de Janeiro

RJ

263

4

MIVSC - Mostra Internacional de Videodança de São Carlos

11ª

São Carlos

SP

264

5

MIVDV - Mostra Internacional de Videodança Vertical

Santos

SP

265

6

Festival Videodance

Online

Online

TEMÁTICA: FILMES DIRIGIDOS POR REALIZADORES NEGROS


181

NOME

EDIÇÃO

CIDADE

UF

266

1

Encontro de Cinema Negro Zózimo Bulbul

10ª

Rio de Janeiro

RJ

267

2

Egbé - Mostra de Cinema Negro de Sergipe

Aracaju

SE

268

3

Mostra Audiovisual Negra

Rio de Janeiro

RJ

269

4

Circuito Cinegrada

Rio de Janeiro

RJ

270

5

Mostra do Audiovisual Negro (APAN)

São Paulo

SP

TEMÁTICA: FILMES EM 24h/48h

NOME

EDIÇÃO

CIDADE

UF

271

1

GO FILM Goiânia Film Festival

Goiânia

GO

272

2

72HORAS RIO Festival de Filmes

Rio de Janeiro

RJ

273

3

Projeto Doc 36

Rio de Janeiro

RJ

274

4

Curta Toledo - Festival de Curta Metragem

Toledo

PR

TEMÁTICA: METRAGEM

NOME Lobo Fest - Festival Internacional de Filmes Curtíssimos

EDIÇÃO

CIDADE

UF

275

1

Brasília

DF

276

2

Festival Kino Minuto

Gravatá

PE

277

3

Festival Brasileiro de Nano metragem

Atibaia

SP

278

4

Festival do Minuto

Anual

Online

Online


182

TEMÁTICA: PATRIMÔNIO CULTURAL/IMATERIAL

NOME

EDIÇÃO

CIDADE

UF

279

1

Mostra de Curtas Araçá

São Mateus

ES

280

2

Festival Cine Memória

Belo Horizonte

MG

281

3

Mostra Maré Cheia de Cinema

Paraty

RJ

282

4

Mostra de Filmes "Memória em Movimento"

Rio de Janeiro

RJ

CIDADE Vitória da Conquista

UF

TEMÁTICA: VIDEOPERFORMANCE

NOME

EDIÇÃO

283

1

Conquista Ruas: Festival de Artes Performativas

284

2

Perfídia - Festival de Performance e Novas Mídias

São José do Rio Preto

SP

285

3

XØKE - Mo(n)stra Independente de Arte de Guerra

Florianópolis

SC

286

4

Mostra Nacional De Vídeos Sobre Intervenções E Performances – MOSTRA IP

BA

29 cidades de 14 interestadual estados brasileiros

TEMÁTICA: DIREITOS HUMANOS

NOME

EDIÇÃO

CIDADE

UF

287

1

Cartas ao Mundão

Recife

PE

288

2

ENTRETODOS - Festival de Curtas-Metragens de Direitos Humanos

10ª

São Paulo

SP

289

3

Mostra de Direitos Humanos

11ª

Todos os Estados interestadual

TEMÁTICA: FILMES ETNOGRÁFICOS

NOME

EDIÇÃO

CIDADE

UF


183

290

1

FRONTEIRA – Festival Internacional do Filme Documentário e Experimental

Goiânia

GO

291

2

Festival do filme Etnográfico do Pará

Belém

PA

292

3

Festival do Filme Etnográfico do Recife - FIFER

Recife

PE

TEMÁTICA: MOBILE

NOME

EDIÇÃO

CIDADE

UF

293

1

Mobile Festival da Escola de Atores Wolf Maya

São Paulo

SP

294

2

Festival Nacional "Curta no Celular"

Taubaté

SP

295

3

Festival Curta Mobile

Curitiba

PR

TEMÁTICA: TEMÁTICA INDÍGENA

NOME

EDIÇÃO

CIDADE

UF

296

1

Cine Kurumin - Festival de Cinema Indígena

Salvador

BA

297

2

Mostra Paraguaçu de Cinema Indígena

Pau Brasil

BA

298

3

Mostra Indígenas de Filmes Etnográficos do Ceará

Aquiraz

CE

TEMÁTICA: VIDEOARTE

NOME

EDIÇÃO

CIDADE

UF

299

1

Mostra de Videoarte e Performance da La Herida

Goiânia

GO

300

2

Mostra 3M de Arte Digital

São Paulo

SP

301

3

Festival de Videoarte Mirada

Curitiba

PR

TEMÁTICA: AUDIODESCRIÇÃO


184

302

1

303

2

NOME VerOuvindo: festival de filmes com acessibilidade comunicacional

EDIÇÃO

CIDADE

UF

Recife

PE

Recife

PE

Cine Às Escuras| Mostra Erótica de Cinema Acessível

TEMÁTICA: ANARQUISMO

NOME

EDIÇÃO

CIDADE

UF

304

1

Mostra Internacional de Filmes Anarquistas

Paulista ; Recife; Olinda

interestadual

305

2

Festival do Filme Anarquista e Punk de São Paulo

São Paulo

SP

TEMÁTICA: CIDADE

NOME

EDIÇÃO

CIDADE

UF

306

1

Mostra de Curtas-Metragens Criar na Cidade

Pelotas

RS

São Paulo (SP); Belo Horizonte (MG)

interestadual

307

2

Mostra Cartas Visuais - Cidades

TEMÁTICA: FILMES DE ARQUIVO

NOME

EDIÇÃO

CIDADE

UF

308

1

REcine- Festival Internacional de Cinema de Arquivo

16ª

Rio de Janeiro

RJ

309

2

Arquivo em Cartaz – Festival Internacional de Cinema de Arquivo

Rio de Janeiro

RJ

EDIÇÃO

CIDADE

UF

TEMÁTICA: MULHER

NOME


185

310

1

Festival Taguatinga de Cinema

12ª

Taguatinga

DF

311

2

Mostra Clackedsi - Mostra Audiovisual

Rio de Janeiro

RJ

TEMÁTICA: PRODUÇÕES SERIADAS

NOME

EDIÇÃO

CIDADE

UF

312

1

Minas WebFest

Belo Horizonte

MG

313

2

Rio Webfest

Rio de Janeiro

RJ

TEMÁTICA: PAISAGEM MONTANHOSA

314

11

Mostra Internacional de Filmes de Montanha

16ª

Rio de Janeiro

RJ

315

2

Mostra de Filmes da Montanha

Foz do Iguaçu

PR

TEMÁTICA: ROTEIRO

316

1

FRAPA – Festival de Roteiro Audiovisual de Porto Alegre

Porto Alegre

RS

317

2

ROTA - Festival de Roteiro Audiovisual

Rio de Janeiro

RJ

TEMÁTICA: SUPER 8

NOME

EDIÇÃO

CIDADE

UF

318

1

Super Off - Festival Internacional de Cinema Super 8 de São Paulo

São Paulo

SP

319

2

Curta 8 – Festival Internacional de Cinema Super-8 de Curitiba

13ª

Curitiba

PR


186

TEMÁTICA: VIDEOCLIPE

NOME

EDIÇÃO

CIDADE

UF

320

1

Fest Clip

Santa Gertrudes

SP

321

2

Mostra de Videoclipe de Rap Caiçara

Santos

SP

TEMÁTICA: VIDEO EXPERIMENTAL

NOME

EDIÇÃO

CIDADE

UF

322

1

Dobra- Festival Internacional de Cinema Experimental

Rio de Janeiro

RJ

323

2

FESTIVAL ECRÃ -Experimental Carioca de Realizações Audiovisuais

Rio de Janeiro

RJ

TEMÁTICA: VIDEO MAPPING

NOME

EDIÇÃO

CIDADE

UF

324

1

Festival SSA Mapping

Salvador

BA

325

2

Rio Mapping Festival

Rio de Janeiro

RJ

TEMÁTICAS COM 1 FESTIVAL

NOME

EDIÇÃO

CIDADE

UF

326

1

Cine Agroecologia

Brasília

DF

327

2

Mostra Internacional de Cinema pelos Animais – Mostra Animal

Curitiba

PR

328

3

Mostra de Vídeos Bicicultura

Recife

SP


187

329

4

Mostra do Filme Marginal

Rio de Janeiro

RJ

330

5

Festival de Vídeos Digitais e Educação Matemática

Rio Claro

SP

331

6

D’olhar – Festival Itinerante de Dança e Vídeo

Goiânia

GO

332

7

Mostra Itinerante Livre de Cinema -MILC

Fortaleza

CE

333

8

Primeiro Plano – Festival de Cinema de Juiz de Fora e Mercocidades

16ª

Juiz de Fora

MG

334

9

EducaCINE - Festival Internacional de Cinema Educativo

Faina

GO

335

10

CinEsporte - Festival de Filmes de Esporte

Rio de Janeiro

RJ

336

12

Festival de Curtas SOFiA -Semana de Orientação Filosófica e Academica

Guarulhos

SP

337

13

Festival Internacional Fulldome em Brasília

Brasília

DF

interestadual

338

14

CINEfoot - Festival de Cinema de Futebol

Rio de Janeiro (RJ); São Paulo (SP); Belo Horizonte (MG)

339

15

MILITUM – Festival de Cinema de História Militar

Rio de Janeiro

RJ

340

16

Mostra de Cinema e Vídeo Hip Hop SP

São Paulo

SP

341

17

FILE – Festival Internacional de Linguagem Eletrônica

18ª

São Paulo

interestadual

342

18

MOBIFILM - Festival Brasileiro de Filmes Sobre Mobilidade e Segurança no Trânsito

São Paulo

SP

343

19

Festival Aos Berros de Cinema e Música Independentes

Juiz de Fora

MG

344

20

Festival MIMO de Cinema

14ª

Paraty (RJ), Olinda (PE), Rio de Janeiro (RJ)

interestadual

345

21

FAVERA – Festival Audiovisual Vera Cruz

Goiânia

GO

346

22

Festival Internacional Colaborativo Audiovisual FICA.VC

Rio de Janeiro

RJ


188

347

23

FENAPO – Festival Nacional de Artes e Poesias

16ª

Osasco

SP

348

24

Mostra de Audiovisual de Petrópolis

Petrópolis

RJ

349

25

Cisa - Cine SAÚDE

Faina

GO

350

26

Bienal Internacional do Cinema Sonoro - BIS

Goiânia

GO

351

27

Festival de Curtas-Metragens LSA’17

Florianópolis

SC

352

28

Festival Internacional Brasil Stop Motion

Brasília

DF

353

29

Festival Cine Inclusão

São Paulo

SP

354

30

International Uranium Film Festival

Rio de Janeiro

RJ

355

31

Mostra CineTrabalho - Brazilian International Labour Film Festival (BILFF)

11ª

Campinas; Marília

SP

356

32

Festival Internacional Cinema e Transcendência

Brasília

DF

357

33

FIACULT - Festival Internacional Audiovisual de Cultura e Turismo

Florianópolis

SC


189

Do 326 ao 357, respectivamente:

342: Mobilidade 326: Agroecologia

343: Movimento Punk

327: Animais

344: Música

328: Bicicleta

345: Periferia

329: Cinema Marginal

346:

330: Conteúdos Matemáticos

patrocínio)

331: Dança

347: Poesia

332: Desigualdade Social

348: Obras de Diretores com até 29 anos

333:

Diretores Estreantes

em Curta-

Produções

Independentes

349: Saúde

Metragem

350: Som

334: Educação

351: Surfe

335: Esportes

352: Stop Motion

336: Filosofia

353: Terceira Idade

337: Fulldome

354: Temática Nuclear

338: Futebol

355: Trabalho

339: História Militar

356: Transcendência

340: Hip Hop

357: Turismo

341: Linguagem Eletrônica

(Sem


190

Profile for Paulo Vitor Luz Corrêa

Os Festivais Audiovisuais em 2017: Geografia e Virtualização  

Os festivais audiovisuais estão em um processo de virtualização. Até a década de 80 esses eventos trabalhavam os seus processos internos de...

Os Festivais Audiovisuais em 2017: Geografia e Virtualização  

Os festivais audiovisuais estão em um processo de virtualização. Até a década de 80 esses eventos trabalhavam os seus processos internos de...

Advertisement