Page 1

// Gestão: As vantagens do outsourcing para o setor de TI

BlackBerry agora também com sistema Android A Revista da Tecnologia da Informação do Espírito Santo / Publicação Oficial do Sindinfo – ES

// Tecnologia Portal de Produtos será lançado em formato digital

Michelle Messina “Ter medo é algo sadio e serve para medir riscos. Ficar parado, por outro lado, é ruim”

// Especial

Sindinfo promove workshop “Conexão Vitória-Vale do Silício”

// Economia Tecnologia da Informação: setor cresce, mesmo em tempos de crise

ANO 2 // Nº 9




8//Especial

Workshop Internacional “Conexão Vitória-Vale do Silício” reúne representantes de TI do Espírito Santo

38

//Tecnologia

Portal Digital de Produtos aproxima clientes e empresas

20

//Economia: Na contramão da crise econômica, setor de TI continua crescendo e gerando oportunidades 4

TI ES//NOVEMBRO 2013

18

//Gadgets:

Nova pulseira auxilia nos exercícios físicos


36

// Educação:

14 //Entrevista /Michelle Messina:

2º Fórum de Educação debate alternativas para desenvolvimento de profissionais

Palestrante fala sobre as características do mercado americano e as razões para se investir no Vale do Silício

12 Artigo // Evandro Milet Criando um ecossistema tecnológico no Espírito Santo

25 Artigo // Marcelo Lage

30

Sistemas ruins ganham de pessoas boas

//Gestão:

Através do outsourcing, empresa pode terceirizar serviços e priorizar a sua atividade-fim

13

// Reconhecimento:

Anuário do IEL: Spassu Tecnologia e Serviços é a “Melhor Empresa” do Estado 42// APP 47// Associados ERRATA Na última edição (TI-ES 8), no box da página 09, o trabalho eleito em 2º lugar teve como orientador Alexandre Romanelli, e não Jocimar Fernandes, como publicado. Da mesma forma, o coordenador do curso não é Alexandre Romanelli, e sim Jocimar Fernandes. Pedimos TI ES//NOVEMBRO 2013 5 desculpas por eventuais problemas.


// EDITORIAL

Crescimento, apesar da crise

U

m ano de muitas incertezas e desafios, 2015 tem sido marcado no Brasil pela redução de investimentos, inflação alta, desemprego e produção industrial em declínio. No entanto, o setor de Tecnologia da Informação se mostra na contramão da crise econômica. As expectativas são de crescimento de 5% em relação ao registrado no ano passado e aumento na contratação de profissionais na faixa de 30% até 2016. O mercado já emprega, atualmente, 1,3 milhão de pessoas. Mas quais os segredos do setor e como continuar crescendo, a despeito do momento complicado da economia? Descubra. Conheça também os benefícios do outsourcing, algo cada vez mais forte no meio empresarial e que consiste na utilização de uma organização especializada para desenvolver uma certa área da empresa contratante. Por meio dessa terceirização de serviços, a empresa contratante passa a concentrar mais na sua atividade-fim, deixando de lado a preocupação com a parte operacional do dia a dia para uma fornecedora especializada. Em setembro, o Sindinfo deu início ao projeto “Conexão Vitória-Vale do Silício”. Considerado a “Meca” da tecnologia, o Vale é o objetivo de muitos empreendedores pelo mundo, que desejam estar em um ambiente próprio para o debate de temas como inovações, ciências, engenharia e matemática, vislumbrar tendências e apresentar soluções. Confira os principais momentos do evento, que é um divisor de águas para o setor de TI capixaba. Destaque no workshop, a consultora americana Michelle Messina é a entrevistada desta edição. Saiba o que esperar do Vale, a partir do ponto de vista da consultora internacional de São Francisco e especialista em apoiar empresas de TI no planejamento de seu crescimento e inserção internacional. Dicas não faltam para quem quer investir em novos mercados. Veja ainda outros eventos que movimentaram o setor de TI local e nacional, além de feiras e palestras que acontecerão nos próximos meses, artigos com especialistas e as novidades que estão disponíveis no mercado. Boa leitura!

A Revista da Tecnologia da Informação do Espírito Santo

Presidente: Luciano Raizer Moura Vice-presidente: Benízio Lázaro Diretor secretário-geral: Franco Machado Diretor 1º Tesoureiro: Emílio Augusto Barbosa Diretor 2º Tesoureiro: Roubledo Demiam Gasoni Suplentes: Franco de Barbi Cazelli, José Antônio Bonna Conselho Fiscal - Efetivos: Carlos Augusto Ferreira de Almeida Marco Antônio Malini Lamêgo José Luiz Coco Suplentes: José Fernando Etienne Dessaune Domingos Sávio de Almeida Pinto Evandro Polese Alves Delegados Representantes Junto à Findes: Efetivos: Luciano Raizer Moura e Benízio Lázaro Suplente: Franco Machado e Emílio Augusto Barbosa Diretor Regional de Colatina: Daniel Rossi de Jesus Diretor Regional de Cachoeiro de Itapemirim: Roubledo Demiam Gasoni Diretor Regional de Linhares: Franco de Barbi Cazelli Executiva: Ilma Aurora Moreira Estagiário: Johnathan Crevilari Contato: Avenida Nossa Senhora da Penha, nº 2.053, Ed. Findes, 3º andar, Santa Lúcia, Vitória/ES CEP: 29.056-913 Tel.: (27) 3026-0866 | 99841-9371 secretaria@sindinfo.com.br www.sindinfo.com.br Produção Editorial

Diretor: Mário Fernando Souza

Luciano Raizer Presidente do Sindicato das Empresas de Informática no Espírito Santo

Gerente de Produção: Cláudia Luzes Textos: Andréa Nunes, Gustavo Costa, Lui Lima e Rafael Moura Editoração e apoio: Michel Sabarese e Jéssica Nonato Fotografia: Jackson Gonçalves, Renato Cabrini, fotos cedidas e arquivos Next Editorial Colaboraram nesta edição: Evandro Milet e e Marcelo Lage Contato: Av. Paulino Müller, 795, Jucutuquara – Vitória/ES - CEP 29040-715

TI ES // NOVEMBRO/ 2015

Telefax: (27) 2123-6500 redacao@lineapublicacoes.com.br www.lineapublicacoes.com.br



//ESPECIAL

Workshop inicia “Conexão VitóriaVale do Silício”

O evento do Sindinfo contou com a palestrante internacional Michelle Messina

E

ncurtar distâncias entre as empresas capixabas e o Vale do Silício, na Califórnia, que é considerado a “Meca” do empreendedorismo e da tecnologia. Esse é o objetivo do Sindinfo, que promoveu no Ed. Findes, no dia 30 de setembro, o Workshop Internacional “Conexão Vitória-Vale do Silício”. Realizado em parceria com o Sebrae e o Senai, o evento teve como tema “Going Global – Workshop Introdutório de Posicionamento Global das empresas de TI - Orientação e foco no modelo de crescimento de empresas e ampliação do sucesso” e contou com a palestrante Michelle Messina, consultora internacional de San Francisco e especialista em apoiar a inserção internacional de empresas. Idealizado após a primeira Missão Empresarial ao Vale do Silício, realizada em 2014 pelo Sindinfo, com apoio do Sebrae, e que permitiu às empresas de TI conhecerem o maior centro de inovação do mundo, o projeto “Conexão Vitória-Vale do Silício” tem objetivos audaciosos. “Estamos com uma grande expectativa. Para o presidente do Sindinfo, Luciano Raizer, é uma oportunidade ímpar para o crescimento das empresas do Estado. “Já temos grandes expectativas com esse projeto. Agradeço aos parceiros, Sebrae e Senai, e a todo o setor de

8

TI ES // NOVEMBRO 2015

Tecnologia. Somos mais de 700 empresas e podemos criar uma série de produtos e serviços. Menos de 2% das nossas empresas fazem negócios internacionais e queremos mudar esse cenário. Queremos que, nos próximos anos, no mínimo 5, entre 100 empresas alcançadas pela ação, tenham atuação global. Acreditamos que isso é possível e vamos trabalhar para que aconteça”, disse. O workshop foi voltado principalmente para as micro e pequenas empresas, que puderam vislumbrar como funciona o mercado global de tecnologia. O diretor técnico do Sebrae-ES, Benildo Denadai, lembrou da importância de iniciativas como a do Sindinfo, sobretudo em momentos de incertezas na economia. “Estamos vivendo um momento difícil na economia, com redução de receitas. Temos que atender às novas demandas. E com tantas empresas capacitadas e certificadas no Espírito Santo, isso é possível. Estamos agindo no momento certo, com um trabalho feito de forma planejada. Cerca de 99% das nossas empresas são micro e pequenas, gerando 56% dos empregos. E essas empresas podem, um dia, se tornar médias e grandes. E um evento como esse ajuda nesse processo”, frisou.


// Vale do Silício Sede de gigantes da tecnologia, como Apple, Microsoft, Facebook, Google, NVidia, Electronic Arts, Symantec, AMD, Ebay, Yahoo!, HP e Intel, o Vale do Silício ganhou este nome por conta do elemento químico número 14 da tabela periódica, que é tido como o segundo elemento mais abundante do mundo. O elemento é de fato fundamental para a produção de televisores, computadores, notebooks e smartphones. É formado pelas cidades californianas de San José, Campbell, Cupertino, Fremont, Los Altos, Los Gatos, Menlo Park, Mountain View, Milpitas, Palo Alto, Santa Clara, Newark, Redwood City, Saratoga, Sunnyvale e Union City.

A americana Michelle Messina palestrou sobre as características do Vale do Silício

Durante o evento, foram abordados temas como o que é e como está estruturado o Vale, considerado o maior centro de negócios de tecnologia do mundo. Além disso, foram apresentadas as condições necessárias para a melhoria e o fortalecimento das empresas e as condições para organização, no Espírito Santo, de ambiente propício para quem deseja atuar com tecnologia de ponta.

O melhor do Vale apresentado aos capixabas Com direito a tradução simultânea, o encontro foi iniciado às 8h30. Michelle Messina começou abordando os assuntos “Preparando as Empresas para o Crescimento + Conexão Vitória & Vale do Silício”. Em seguida, os temas foram “Desenvolvendo e fortalecendo o Ecossistema Regional de Vitória: o que o Vale do Silício pode nos ensinar”; Procurando por Grandezas: 10 Atributos de empresários bem sucedidos”; e “Preparando sua empresa para o sucesso: O que é realmente necessário para construir uma

Representantes de diversas empresas de TI prestigiaram o evento

“Queremos que, nos próximos anos, no mínimo 5, entre 100 empresas alcançadas pela ação, desenvolvam negócios no Vale” Luciano Raizer, presidente do Sindinfo empresa”. A manhã de palestras foi finalizada com “Variadas percepções de valor: Proposição da Criação de Valor” e “Focando nas melhores perspectivas: o perfil dos clientes”. Para Messina, para investir, os empresários devem conhecer as peculiaridades do Vale do Silício. “É preciso saber como o Vale funciona, as razões dele funcionar assim e as características que cada empresa encontrará e precisará apresentar para alcançar o sucesso. O Vale é muito diversificado. Existem pessoas de vários lugares do mundo, todas com ideias diferentes aparecendo todos os dias”, falou. Para a palestrante, é preciso estar preparado para as altas expectativas do Vale. Segundo ela, todos medem a força da ideia apresentada e o potencial que ela tem no mercado. “É preciso ter confiança, socializar a ideia, ser o ‘cara’ que ouve todo mundo, mas não segue ninguém. Ache a sua própria direção e permaneça nela. As pessoas muitas vezes dirão que isso é loucura – e muitas SINDINFO ES

9


//ESPECIAL

O auditório da Findes ficou lotado para o evento, que contou com tradução simultânea

“As pessoas muitas vezes dirão que isso é loucura – e muitas vezes é –, mas é também algo que pode se transformar em uma empresa de milhões de dólares. Lembrem-se: ideias são baratas; a execução não tem preço” - Michelle Messina, consultora internacional vezes é –, mas é também algo que pode se transformar em uma empresa de milhões de dólares. Lembrem-se: ideias são baratas; já a execução não tem preço”, analisou. Empreender, segundo Messina, é estar sempre focado, não se perder no meio do processo, mesmo com as dificuldades. “Quantos aqui estão 100% seguros de onde estarão em seis meses? A incerteza faz parte da vida do empreendedor. Medo é algo natural quando se cria um negócio. E isso resulta em ações e mudanças positivas. O que não é natural é ficar paralisado. Seja sempre aberto e transparente. Muitas empresas no Vale terceirizam seus serviços: vendas, mercado, assessoria. Terceirizar é manter o foco. Busque também a diversidade: isso significa contratar melhores produtos e pessoas. Diversidade é uma questão tida como chave”, observou.

10

TI ES // NOVEMBRO 2015

Benildo Denadai: empresas prontas para novos horizontes

Para o diretor do Senai-ES e superintendente do Sesi-ES, Luis Carlos Vieira, capacitação leva as empresas mais longe


Após o intervalo para o almoço, a palestrante abordou os temas “Auto-Avaliação da Empresa & Ferramentas de benchmarking”; “Desenvolvimento de Plano de Trabalho para 30/60/90 Dias”; “O discurso perfeito para os clientes: Audiência, Paixão & Conteúdo”; e “Relacionamento eficaz todos os dias”. O primeiro workshop terminou com “Oportunidades para o Ecossistema de Vitória”; “Visão prévia do programa master das próximas ações”; e um debate amplo com as considerações dos participantes. Para Messina, quem deseja obter destaque em um mercado como o que encontrará no Vale do Silício deve estar disposto a responder algumas perguntas: “Qual o cliente que quero atrair? Que tipo de funcionários desejo ter? O que posso oferecer ao mercado para atender à demanda? É preciso procurar padrões, e buscar oferecer o melhor. Vá para ser grande ou vá para casa. Construa uma empresa global desde o seu 1º dia, busque a estrutura necessária para atender a outros países”.

A criação de Startups Todos querem ter a ideia que revolucionará o mercado, mas nem todos conhecem o caminho para transformar essa ideia em realidade. É o que pensa Michelle Messina.

Quando se fala em startups, a americana cita conhecimento e bom senso como fatores fundamentais. “Tenha domínio e trabalhe áreas específicas, por mais que o mercado exija que você seja multitarefa. Desenvolva química com a sua equipe e defina a sua abordagem de mercado. Identifique o seu consumidor, para que todas as peças se encaixem. E por último, mas não menos importante, goste do que você faz”. Messina falou ainda sobre as diferenças entre a empresa buscar os trabalhos de um técnico, um conselheiro e o mentor. “Você contrata um técnico para uma missão específica, normalmente de curta duração. O conselheiro, por outro lado, fica com você por mais tempo e fornece contatos, ideias e informações para a tomada de decisões. Já o mentor lhe dá uma consciência geral sobre o caminho que deve trilhar. Ele o desafia, levanta questionamentos e promove acesso aos mais diversos recursos. Mas mesmo o mentor não saberá mais sobre o seu negócio que você. É sempre preciso ter isso em mente”, falou ela. Para o público, o evento foi apontado como esclarecedor. Franco Machado, diretor comercial da Mogai, observou que o workshop apresentou aos empreendedores capixabas uma realidade totalmente diferente, e ao mesmo tempo mostrou que alcançar o Vale pode estar ao alcance das empresas. “O Vale já tem mais de 60 anos, com grandes histórias de empreendedorismo e tem muito o que ensinar. Vemos que não é preciso criar do zero um lugar assim. Temos algo que já deu certo. E podermos contar com um evento como esse, que trouxe a Michelle para compartilhar seu conhecimento conosco, é sensacional. A iniciativa está aprovadíssima”, disse. De acordo com Fábio Lyrio, sócio proprietário da Archipelago Tours & Translations, o público aproveitou bem o evento para tirar as dúvidas sobre o processo de internacionalização de suas atividades. “Podemos notar, pelas perguntas, que o workshop foi muito importante. Serviu para esclarecer como chegar ao Vale, o que pode ser encontrado lá e o que se espera de uma empresa por lá, entre outros temas. Grande polo de tecnologia mundial, o Vale do Silício atrai empresas de vários países. E as brasileiras, e mais especificamente capixabas, já têm o percurso facilitado até lá”, frisou. Sempre aberto às novas ideias e ao trabalho duro, o Vale do Silício é o destino final para quem deseja viabilizar grandes soluções para o mercado. E graças às ações do Sindinfo, as empresas de TI capixabas ficaram um pouco mais perto desse destino. Conhecimento e talento não faltam para trilhar o caminho.

SINDINFO ES

11


// ARTIGO

Criando um ecossistema tecnológico no Espírito Santo O

Evandro Milet

Consultor e palestrante, comanda um programa semanal sobre inovação e empreendedorismo na CBN 12

TI ES // NOVEMBRO/ 2015

exemplo mais conhecido de sucesso como ecossistema tecnológico na área de TI é o Vale do Silício, na Califórnia. Nas histórias das grandes empresas, como Intel, Google, Apple ou Twitter, notam-se algumas características comuns que sinalizam o segredo desse sucesso. A raiz de tudo é a Universidade de Stanford, formadora dos profissionais e incentivadora do espírito empreendedor. Esse espírito, típico da sociedade norte-americana, faz com que o sonho maior de estudantes, em geral, seja formar sua própria empresa e ficar rico - o que não é pecado nessa sociedade formada no espírito religioso protestante. O sonho dos estudantes não é fazer um concurso público, tirando da atividade produtiva as melhores cabeças. A flexibilidade trabalhista é outro ponto. No auge do desenvolvimento do Macintosh da Apple, a equipe chefiada por Steve Jobs, disputando com outra equipe de projetos interna, cheia de adrenalina, mandou confeccionar camisetas com os dizeres “Trabalhando 90 horas por semana e adorando”. Aqui isso daria muitos processos trabalhistas. Fica clara também nas histórias a facilidade de conseguir técnicos, que saem da universidade em quantidade e prontos para o trabalho, uma dificuldade por aqui muito reclamada. Outro aspecto é a ampla disponibilidade de investidores anjos, venture capital e private equity que proporcionam uma grande alavancagem financeira. Para termos um ecossistema de TI no Espírito Santo, precisamos de uma estratégia diferente, considerando não haver várias das características do Vale do Silício. Um primeiro aspecto é o apoio governamental através de editais da Fapes, Finep e CNPq, que podem conseguir alguns recursos, na ausência de investidores anjos que poderiam ser incentivados no Estado. Os apoios do Sebrae e IEL são também fundamentais. Começa a chegar ao estado também, através da nova postura do

o caminho é esse: ampliar horizontes para o Brasil e o exterior e investir em inovação e desenvolvimento de pessoas

Bandes, a possibilidade de operação de fundos de seed Money, como o Criatec do Bndes, e outros em negociação. Outra característica é o apoio de incubadoras, onde a Tecvitória e depois a incubadora do Ifes têm feito um ótimo trabalho, além da promessa de uma incubadora da Ufes, que abre perspectivas para possíveis spinoffs das muitas pesquisas em desenvolvimento. Seria fundamental que a Ufes atuasse fortemente nesse ecossistema. A perspectiva enfim do Parque Tecnológico, além de aceleradoras e espaços de co-working, completam esses ambientes de desenvolvimento, que vêm provocando o surgimento de uma nova leva de startups digitais, antenada com o mundo. Boa parte das empresas de TI do estado foi formada em torno das grandes empresas que tiraram daqui os seus centros de decisão, por venda de controle ou estratégia, e encerraram muitos dos contratos locais. As que sobreviveram se aventuraram fora do estado, com muito sucesso. Como o Espírito Santo representa apenas 2% do mercado brasileiro, o caminho é esse: ampliar horizontes para o Brasil e o exterior e investir em inovação e desenvolvimento de pessoas.


//INFONEWS

Fábio Dias, superintendente do IEL, Marcos Guerra, presidente do Sistema Findes, Marco Antônio, da Spassu e Aristóteles Passos, diretor da Findes para assuntos do IEL

Anuário aponta Spassu como a “Melhor Empresa” do Espírito Santo Representante do setor de TI, empresa com 23 anos foi destaque em publicação do IEL

A

noite de 29 de outubro foi de celebração no Itamaraty Hall, em Vitória. Em uma solenidade que contou com autoridades, empresários, gestores e colaboradores do Sistema Findes, foi lançada a 19ª edição do Anuário IEL 200 Maiores Empresas no Espírito Santo. Resultado da análise das demonstrações contábeis enviadas pelas organizações, o Ranking das 200 Maiores Empresas aponta quem fez bonito durante o último ano, quando se fala em crescimento, rentabilidade, saúde financeira e produtividade por empregado. E na atual edição, na categoria “A Melhor Empresa”, melhor para uma representante do setor de Tecnologia da Informação. Apresentando um grande portfólio direcionado para prestação de serviços de outsourcing de TI, fábrica de software e desenvolvimento de soluções de software para o mercado, a Spassu Tecnologia e Serviços foi um dos destaques do evento. Para chegar à vencedora, foi utilizada uma metodologia que atribuiu pontos pelo desempenho das empresas em cada indicador – 10 para o primeiro lugar, 9 para o segundo, e assim sucessivamente, até a décima empresa, que recebe um ponto. Em seguida, os pontos são multiplicados pelo peso que é atribuído a cada indicador. A escolha da “Melhor Empresa” não foi fundamentada em competências na atuação das empresas em seus respectivos mercados e a classificação não foi segregada por setor de atividade. Os indicadores de desempenho e seus respectivos pesos foram: crescimento das vendas líquidas, que teve peso 20; rentabilidade das vendas, com peso 10; rentabilidade do patrimônio líquido, com peso

// Spassu Tecnologia e Serviços S.A •P essoal empregado no Espírito Santo: 986; •C rescimento das vendas 2014/2013: 4,27; •R entabilidade das vendas: 4,5%; •R entabilidade do patrimônio líquido: 214,6%; • L iquidez corrente: 1,0. Fonte: Anuário IEL 200 Maiores Empresas no Espírito Santo 2015

35; lucratividade por empregado, com peso 15; e liquidez corrente, com peso 20. E dentre todos esses indicadores, nenhuma outra esteve acima da Spassu. Para o diretor da empresa, Marco Antônio Malini Lamego, o destaque serviu para coroar os 23 anos de trajetória. Segundo ele, foram anos sempre pautados pela busca da excelência e pela melhoria contínua, disponibilizando serviços e produtos alinhados às melhores práticas e ao desejo de inovar. “Também nos sentimos orgulhosos com um modelo de gestão que nos permite um equilíbrio na relação com nossos clientes, fornecedores e, principalmente, nossos colaboradores. Nossa visão de futuro nos leva a acreditar em um mundo melhor, menos desigual e com oportunidades para empresas e pessoas que priorizem a ética, a transparência e a sustentabilidade empresarial. Criamos e evoluímos nossos produtos e serviços sempre com este pensamento inquieto e criativo”, explicou. SINDINFO ES

13


// ENTREVISTA

Michelle Messina

“Encontrar pessoas que pensam diferente de você é importante para abrir a sua cabeça e tornar a sua ideia melhor e maior”

C

onsultora especializada em inovação e aceleração de negócios, desenvolvimento e lançamento de novos produtos, comercialização, tecnologia, empreendedorismo e liderança, a americana Michelle Messina é responsável pela direção global da empresa de consultoria estratégica Explora International LLC. Com grande experiência na avaliação e benchmarking de empresas de TI, ela já atuou em diversos países e tem como clientes os governos dos Estados Unidos, Dinamarca, Cingapura, Colômbia, Coreia do Sul e México, entre outros. Messina esteve no Espírito Santo recentemente e foi palestrante do Workshop Internacional que iniciou o projeto “Conexão Vitória-Vale do Silício”, promovido pelo Sindinfo. Qual é o segredo do Vale do Silício? O que o leva a ser tão importante para as empresas de TI? O Vale tem uma longa história no que se refere a receber startups e se tornou um lugar especializado em refinar processos e boas ideias. Mais importante, o Vale passou a atrair os parceiros e players certos para essas empresas. Nós temos investidores, laboratórios de pesquisa, universidades, incubadoras e aceleradoras, empresas bem grandes, com produtos e

14

TI ES // NOVEMBRO 2015

subprodutos. E o mais importante: temos conselheiros e mentores, que podem guiar as empresas que estão começando. Então, temos o propósito de criar empresas que crescem e se tornam negócios mundiais. O que não pode faltar a uma empresa que pretende alcançar o Vale do Silício? As partes mais importantes de uma empresa são as pessoas e a gestão. Às vezes, você pode ter uma ideia ruim, mas o gerenciamento pode ser muito bom. E com isso, a ideia pode ser melhorada e acaba ganhando mercado. O contrário também acontece: você pode ter uma grande ideia, mas ter um gerenciamento fraco. Nesse caso, é mais difícil ser bem sucedido. Então, tudo no final vai depender da paixão das pessoas para que a empresa tenha sucesso. Por isso, a rede de contatos, com mentores, conselheiros e técnicos, é importante. Com esses grandes profissionais orientando a empresa, é possível evitar erros e problemas. Durante o Workshop da Findes, você citou a importância de “ouvir todo mundo, mas não seguir ninguém”. Qual a razão desse conselho? As opiniões de outras pessoas


“Se vai falhar, que seja rápido. Assim poderá melhorar o quanto antes. A falha é uma parte fundamental de ser empreendedor” podem ajudá-lo a refinar, a melhorar a sua ideia. No entanto, você precisa achar o seu próprio caminho, o seu espaço, e não copiar a ideia de ninguém. Então, é importante ter a maturidade para ouvir, mas a autonomia para seguir o seu próprio curso. A perseverança é algo muito importante no Vale. Não há uma linha certa para o sucesso. As pessoas que chegaram lá acabam abreviando a fórmula, e às vezes dão impressão de que foi apenas uma questão de sair do “ponto A” e chegar no “B”, mas as coisas não são assim. É preciso lembrar das dificuldades: do dinheiro que acabou ainda no início do projeto, das brigas entre os sócios, da equipe que foi embora, etc. Sucesso dá trabalho e demora. E por isso deve ser tão celebrado quando acontece.

desejos de mais consumidores são representados por quem atua nas empresas. Encontrar pessoas que pensam diferente de você é importante para abrir a sua cabeça e tornar a sua ideia melhor e maior. Quando se vai para outro país, o profissional pode entender como aquele povo vive, os desafios que ele enfrenta e os preços que paga. Quando cheguei aqui, percebi como está a relação entre dólar e os reais. É uma situação conturbada atualmente, com a alta do dólar. Isso é um exemplo de como podemos ganhar mais empatia por um determinado povo. Neste caso, especificamente, passei a entender melhor a razão de tantos brasileiros buscarem informações sobre o Vale nesse momento (risos). Pessoalmente, recebi muitos brasileiros nos últimos três anos, exceto em 2015. Então, é algo que não afeta só vocês, mas também aos negócios de quem está lá fora. As dificuldades dos brasileiros são compartilhadas, e vemos como o governo pode tornar as coisas mais difíceis.

Qual é a importância da comunicação no empreendedorismo? Diria que é uma coisa fundamental. Contar com um diretor executivo com habilidade no campo de comunicação faz muita diferença para a empresa. Veja o Steve Jobs, por exemplo. Mesmo com todos os seus problemas, ele era um apresentador fantástico. Ao ouvir Jobs falando, dificilmente você não gostaria de conhecer as soluções que ele falava de forma tão entusiasmada. É preciso sempre cativar, inspirar, vender um conceito. “Medo é normal. Paralisia, não”. Explique esse comentário, que você fez na palestra para os capixabas. Acredito que não se deve ter medo de falhar. Se vai falhar, que seja rápido. Assim, poderá melhorar o quanto antes. Muitos investidores não vão te levar a sério se você é um CEO ainda sem erros, no primeiro negócio. A falha é uma parte fundamental de ser empreendedor. Assim você acumula cultura e alcança os seus objetivos. Dessa forma, ter medo é algo sadio e serve para medir riscos, além de ser um aprendizado. Ficar parado, por outro lado, é ruim. De que forma a diversidade cultural que se concentra no Vale pode ser benéfica para os empreendedores? No Vale, temos pessoas que vieram de diferentes realidades e culturas, com perspectivas variadas a respeito de muitas coisas. E essas diferenças ajudam a construir um produto melhor e empresas mais fortes. Assim, as vendas crescem, já que os SINDINFO ES

15


// ENTREVISTA

Qual é a avaliação que faz das empresas brasileiras, especificamente a respeito daquelas da área de TI? Acho que os empresários brasileiros são muito inteligentes. E muito criativos, já que não é fácil empreender aqui. A situação da economia é complicada e requer ser inovador e ter jogo de cintura. E mesmo com todas as dificuldades, eles constroem o seu mercado e a sua rede de contatos. Então, estou muito impressionada com os empresários brasileiros, tanto com os que encontrei no Vale do Silício, quanto os que conheci aqui. Você também falou durante o evento sobre a atuação de técnicos, conselheiros e mentores. Quais os benefícios de cada um para um negócio? Em primeiro lugar, é bom lembrar que nem todas as empresas precisam contar com os três profissionais. Algumas vezes, um técnico pode resolver uma questão pontual da empresa. Já o conselheiro e o mentor são guias para a ideia, e contribuem com experiência, conhecimentos e contatos para o desenvolvimento do negócio.

“No Vale, temos pessoas com perspectivas variadas a respeito de muitas coisas. E essas diferenças ajudam a construir um produto melhor e empresas mais fortes” O importante é que todos estejam unidos, trabalhando para o sucesso. Não é algo individual. Esses profissionais atuam para que todos possam ter sucesso e crescer. Conselheiros e mentores são importantes para mostrar os caminhos a seguir e como vencer os desafios apresentados. Ajudar o outro é uma coisa poderosa. Nós temos o nosso tempo em nossas mãos, e devemos ajudar, nos colocarmos disponíveis. Claro que precisamos de uma agenda, fazer uma programação. Mas o tempo nunca é gasto em vão. Ao ajudarmos alguém, sempre temos algo em troca. Melhorar alguém ou alguma coisa também nos torna melhores. Qual é a sua opinião sobre as empresas que trabalham o conceito de sustentabilidade dentro dos seus processos? No Vale, nós falamos de dois tipos de sustentabilidade. O primeiro é a sustentabilidade dos negócios, de poder crescer. E há também o cuidado com o meio ambiente, cuidar das pessoas, comprar de fornecedores locais. O Google, por exemplo, tem o compromisso de comprar, para o seu restaurante, de produtores da região. Muitas grandes empresas permitem que os seus funcionários tirem um dia por mês para ajudar em projetos de caridade, ou em ações em prol da comunidade. Isso é importante e mostra que as empresas sabem o seu papel e buscam fazer a sua parte para uma sociedade melhor. Quais os principais conselhos para quem deseja ultrapassar fronteiras, investir e fazer negócios com o mercado norte-americano? Pela minha experiência, eu percebo que a maioria das empresas que está interessada em alcançar o mercado americano precisa de um tempo entre 6 e 24 meses para se preparar. O processo de preparação passa por questões legais e fiscais, que são as partes fáceis. Já a difícil é descobrir e entender o mercado, e casar o que você está oferecendo com o que esse mercado procura. Isso envolve investigação, falar com muitas pessoas, experimentar. Essa parte é complicada e leva muitos meses, com viagens, debates para descobrir o que os clientes querem e que problemas precisam resolver. As palestras que dei aqui no Brasil foram idealizadas para ajudar o público a entender o mapa para atuar com eficiência no mercado americano, com o que fazer e como fazer para chegar ao sucesso.

16

TI ES // NOVEMBRO 2015


//INFONEWS

Tudo pronto para o V Encati Encontro Capixaba de TI mobiliza empresas de todo o Estado

Bruna Bittencout, eleita pela ZDNet uma das 10 mulheres mais inovadoras do Brasil estará presente no evento

M

ais uma vez, empresários do setor de TI de todo o Estado se reunirão para o Encontro Capixaba da Indústria de Tecnologia da Informação (Encati). Em sua quinta edição, o evento acontecerá no Sheraton Vitória Hotel, no dia 2 de dezembro. Uma iniciativa do Sindicato das Empresas de Informática do Espírito Santo (Sindinfo), com a correalização do Sebrae-ES e o apoio do Sistema Findes, o Encati promete um dia inteiro de atividades. A programação começará com a palestra “Startups, e a maneira de operar que tem transformado indústrias e comportamentos através da tecnologia”, com a web empreendedora CEO e co-fundadora do emotion.me, Bruna Bittencourt. Em seguida, será a vez do diretor da ISH e do Sindinfo, José Fernando Etienne Dessaune, conduzir o painel “Tributação – Novas regras, Velhos problemas”. Depois de uma pausa para o almoço, Franco Machado, da Mogai, será o coordenador do segundo painel, “Cidades inteligentes – oportunidades para empresas de TIC”. Já estão confirmados André Gomyde Porto, diretor-presidente da Companhia de Desenvolvimento de Vitória (CDV), e o professor do Instituto Federal do Espírito Santo (Ifes), Maxwell Monteiro. Para encerrar o evento, o advogado e diretor do Instituto de Tecnologia e Sociedade do Rio de Janeiro (ITS), Ronaldo Lemos, conduzirá a palestra “Tendência e Inovação em um mundo cada vez mais conectado e transformador”. Com mestrado em Harvard e doutorado na Universidade de São Paulo (USP), Lemos foi um dos criadores do Marco Civil da Internet. Em 2015, ele foi nomeado pelo Fórum Econômico Mundial como um dos Jovens Líderes Globais. Um ponto de encontro para discutir ações que fortaleçam as empresas de Tecnologia da Informação no Espírito Santo, o Encati já é um evento consolidado e aguardado pelos profissionais do Estado. “O nosso foco é o empresário e teremos novamente temas que interessam a esse público. Contaremos com palestras e painéis que agreguem aos seus negócios. Convidamos palestrantes locais e nacionais, de grandes trajetórias profissionais, abordando temas de grande importância para as empresas, principalmente nesse

Ronaldo Lemos, nomeado pelo Fórum Mundial como um dos Jovens Líderes Globais palestrará sobre o tema Têndecias e Inovações em um munda cada vez mais conectado e transformador

// Serviço: V Encontro Capixaba da Indústria de Tecnologia da Informação (Encati) Local: Sala Tubarão do Sheraton Vitória Hotel, Praia do Canto. Data e horário: 2 de dezembro, das 8h30 às 18h.

período da nossa economia. Falaremos sobre tributos, adaptação ao novo cenário e as tendências que pautarão o mercado nos próximos anos. Então, o Encati é um evento que aponta os caminhos para o setor de TI, que é forte gerador de emprego e renda para o nosso Estado e responde por grandes ideias, soluções e empreendedorismo. E tenho certeza que o evento será novamente bem sucedido na missão de levar os nossos profissionais a vislumbrar novos horizontes”, enfatizou Luciano Raizer, presidente do Sindinfo. SINDINFO ES

17


// Gadgets

Fotos: Divulgação

Nova pulseira fitness A chinesa Xiaomi continua sua expansão no Brasil e traz ao país a sua pulseira fitness, a Mi Band, que custa R$ 95,00 e tem um valor menor do que a de seus concorrente diretos, monitorando atividades físicas, como corrida e caminhada, e qualidade do sono. O gadget auxilia nos exercícios físicos, além de medir a qualidade e o tempo de sono automaticamente. Tais informações são exibidas no smartphone através do app Mi Fit. O dispositivo é compatível com qualquer iPhone com iOS 7 ou superior, ou Android com sistema 4.4 ou superior. A empresa promete que a bateria da Mi Band dura 30 dias, sem recarregar. Um conjunto de LEDs presentes no display do acessório indica como está a vida útil dessa bateria. A pulseira também tem proteção IP67 contra água e poeira.

Monitor para games e trabalho A LG conta com um novo tipo de monitor que se adapta bem tanto para o ambiente de trabalho quanto para a diversão, com games de última geração. Trata-se do LG 29UM67. No ambiente de trabalho, ele pode fazer a função de ser “dois monitores” por ter uma tela maior do que as convencionais. Já na esfera de diversão, as cores vivas e a capacidade de se adaptar à velocidade dos jogos eletrônicos faz a diferença. O monitor possui uma entrada DVI, duas HDMI e uma DisplayPort, permitindo que tanto computadores antigos como novos sejam ligados. Softwares para planilhas e desenhos, como Excel, Autocad e Photoshop se beneficiam da maior largura do produto, particularmente por permitirem mais espaço para barras de ferramentas comuns nesses programas. Custa R$ 1.300,00.

Reforço para carregar baterias de iPhones A Asus lançou no Brasil a sua primeira bateria portátil de alta capacidade neste ano, a ZenPower. Disponível por R$ 100,00, esse acessório para smartphones tem capacidade de recarga informada de 10.050 mAh, o que é suficiente para recuperar a bateria do celular diversas vezes e sem precisar recarregar essa bateria portátil. A novidade da Asus tem sido indicada principalmente para aqueles que são proprietários de iPhones. Com esse assessório é possível, em média, fazer três recargas completas antes de ter reabastecido esse banco de energia. O produto pesa 224 gramas e tem como um de seus diferenciais em relação aos concorrentes o fato de conseguir realizar a carga mais rápido do que os demais. Para proteger o produto, o usuário pode adquirir uma capa antichoque da própria Asus, que está disponível por R$ 14,00.

18

TI ES // NOVEMBRO 2015


Câmera profissional de bolso Pequena, mas com resolução de imagem de gente grande. É assim que pode ser considerada a câmera RX1R II, da Sony. A novidade, com ares de câmera profissional, tem resolução de 42 MP, por conta do uso de sensor de alta qualidade. Já disponível para compra nos Estados Unidos, a máquina está custando US$ 3.300,00 no mercado americano. O acessório conta com diversos filtros que podem ser ligados ou desligados. Um deles é o OLPF, que serve para evitar que objetos ou ruídos surjam nas fotografias. No entanto, dependendo da situação e da perícia de quem fotografa, sua atuação pode comprometer a imagem que pode ser obtida. Por ser compacta e ter o obturador na lente, a máquina é capaz de tirar fotografias nas mais altas velocidades, como nas verificadas em corridas de Fórmula 1. O produto ainda filma em qualidade HD.

Multiuso da Kingston Carregador portátil de celular, roteador móvel, leitor de cartões SD e pendrive 3.0. Essas são algumas das funções do aparelho multiuso da Kingston, o MobileLite Wireless G2, que supre várias necessidades de usuários de smartphones e notebooks sem portas USB, como é o caso do novo Macbook. O produto tem corpo preto de bordas brancas, onde se encontram as portas. De um lado fica uma porta USB 2.0 e um leitor de cartões SD, enquanto a parte de trás possui uma porta Ethernet. Na frente existem lâmpadas LED que indicam carregamento da bateria, uso do Wi-Fi, um botão de liga/desliga e um botão para reset de fábrica. Deve-se destacar que as funções de transferência de arquivos funcionam bem à curta distância e o roteador é indicado para locais pequenos. O produto custa R$ 400,00.

Rival para a GoPro Chegou ao mercado mais uma rival da câmera GoPro, capaz de registrar de selfies até imagens de ação. Trata-se da Onn, produzida pelo Walmart, cujo preço médio é de R$ 380,00, mais de R$ 1.000,00 mais barata do que a câmera que deu origem a esse gênero. Com 40 mm de largura, 30 mm de altura e peso de 440g, a máquina cabe no bolso da calça ou em uma bolsa pequena. Vem com quatro botões: um frontal, dois na lateral direita e um na parte de cima, responsável pelo disparo. O uso deles não é afetado quando há a capa à prova d’água protegendo a câmera. O aparelho se destaca por ser uma opção mais barata e ser ágil para processar as imagens. Sua bateria dura em torno de uma hora e 15 minutos. O produto já vem de fábrica com 13 acessórios e cases para as mais diversas ocasiões.

HD externo de 2 TB A Western Digital trouxe para o Brasil o dispositivo de armazenamento externo WD My Passport X, de 2 TB, que está sendo vendido no Brasil pelo preço sugerido de R$ 750,00. Devido à sua alta capacidade, o modelo é indicado pela empresa para armazenar jogos do Xbox One, por exemplo, e também por ser uma excelente opção para fazer o backup de empresas. O HD externo pode ser usado com qualquer tipo de computador e serve para armazenar todo tipo de conteúdo. Porém, de acordo com a fabricante, o produto é adequado para guardar jogos quando o armazenamento interno do console estiver saturado. Segundo a Western Digital, é possível instalar até 50 games do Xbox One ao mesmo tempo. O produto vem com conexão e cabo USB 3.0, que garante uma transmissão de dados mais rápida. SINDINFO ES

19


//ECONOMIA

Em meio à crise econômica, setor de TI consegue sustentar crescimento Em 2015, setor deverá atingir crescimento de 5% a mais que no ano passado

20

TI ES // NOVEMBRO 2015


O

ano de 2015 não foi fácil para as empresas nacionais. A crise econômica deflagrada em meados de 2014 tem afetado em cheio praticamente todos os setores da indústria, desde janeiro deste ano. Motivos não faltam para considerar o ano que chega ao fim como um dos piores da última década: queda nos investimentos, inflação alta e produção industrial em constante declínio. Mesmo assim, entre todos os setores industriais, pelo menos um setor tem conseguido ir na contramão da crise: o de Tecnologia da Informação. Segundo projeções feitas pela consultoria Gartner, uma das mais importantes do segmento, o setor de Tecnologia da Informação no Brasil movimentará cerca de R$ 380 bilhões – ou US$ 95 bilhões – até o final de 2015. Com isso, a tendência é que o país alcance as expectativas levantadas pelo estudo da International Data Corporation (IDC), e atinja crescimento de 5% a mais do que no ano passado.

“Esse é o momento em que os empresários devem melhorar, rever processos e implantar novos sistemas que façam com que os trabalhos sejam mais eficientes” Benízio Lázaro – Vice-presidente do Sindinfo

O reflexo positivo do bom desempenho da indústria pode ser visto no mercado de trabalho. Segundo levantamento realizado pela Catho, no primeiro semestre deste ano, o número de vagas oferecidas em Tecnologia da Informação aumentou 44,2% diante o mesmo período de 2014. Segundo a Associação Brasileira de Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação (Brasscom), a contratação de profissionais de TI deverá ter um aumento de 30% até 2016. O mercado já emprega, atualmente, 1,3 milhão de pessoas. Para o vice-presidente do Sindicato das Empresas de Tecnologia da Informação do Espírito Santo (Sindinfo), os motivos pelo bom desempenho são SINDINFO ES

21


a característica transversal do setor, o aumento no número de serviços e a necessidade que as empresas têm encontrado de investir em tecnologia. Isso porque nem todos os setores em TI participaram desse crescimento. As vendas no comércio de hardwares, como notebooks, computadores, smartphones e tablets, por exemplo, têm caído, juntamente com o restante das vendas no varejo. Somente os computadores e smartphones acumulam quedas nas vendas de 38% e 13%, respectivamente, comparado a 2014, segundo dados da IDC. No ano passado, as vendas já tinham ficado 26% abaixo do que as verificadas em 2013. Nesse sentido, foram os softwares e serviços em TI que puxaram o faturamento para cima. Somente os gastos com softwares deverão totalizar, até dezembro, US$ 4,3 bilhões. Ou seja, um crescimento de 5,4% em relação ao ano passado. Os serviços de TI deverão consumir cerca de US$ 19 bilhões em 2015, o que representa um aumento de 6,4% em relação a 2014. Lázaro explica que, quanto maior a crise, maior a necessidade que as empresas encontram de automatizar determinados serviços e melhorar a eficiência dos processos de produção. Ou seja, o momento de incerteza tem criado, cada vez mais, demandas para o segmento de tecnologia. “Esse é o momento que os empresários devem melhorar, rever processos e implantar novos sistemas que façam com que os trabalhos sejam mais eficientes”, analisa Lázaro. Para Antônio de Bone, da empresa DBM, a mudança no comportamento dos gestores fez com que os gastos com tecnologia e automação de processos fossem maiores. “A partir do momento em que os gestores passaram a perceber que as empresas estavam conseguindo menos receitas, verificaram que, em muitos casos, havia um gasto excessivo em determinadas áreas. Como solucionar isso? Automatizando-as, tornando os processos dentro da empresa mais eficientes, sem perder a qualidade do serviço”, explica De Bone. Segundo ele, essa nova demanda impulsionou o segmento de TI. “Em momentos de crise, todos os setores precisam reduzir custos, reduzir pessoal, acompanhar mais de perto as despesas, e o Setor de TI é o mais importante para esses casos. Um sistema integrado de gestão empresarial (ERP), por exemplo, integra setores, reduz postos de trabalho que são desnecessários e ainda aponta centros de custos e apurações de custos de produto e produção, para que a empresa possa tomar decisões acertadas de onde investir, onde reduzir e quais os números que são relevantes”, explica Alessandro Andrade, da Allware Software. Segundo Andrade, o aumento de vendas é diretamente proporcional ao grande número de empresários buscando organizar melhor 22

TI ES // NOVEMBRO 2015

“Em momentos de crise, todos os setores precisam reduzir custos, reduzir pessoal e acompanhar mais de perto as despesas. O setor de TI é o mais importante para esses casos” Alessandro Andrade – Allware as empresas, para acompanhar as mesmas de perto, de forma a automatizar retrabalhos e atividades não muito críticas na empresa. O momento conturbado faz com que os empresários com poucas pessoas dependam, cada vez mais, do Setor de TI. “Para otimizar processos, automatizar tarefas antes feitas por várias pessoas, reduzir custos com softwares de controle que apontam definições de custos e margem de contribuição em cada produto ou serviço. Assim, o crescimento vem alinhado ao desejo de fazer mais com menos pessoas”, salienta Andrade. O estudo da Associação Brasileira das Empresas de Software (ABES), em parceria com a IDC, divulgado em agosto deste ano, exemplifica bem esse comportamento dos gestores brasileiros, ao buscar a melhoria dos processos de TI. De acordo com o levantamento, a indústria brasileira de TI ficou em 7º lugar no ranking mundial, com um investimento de US$ 60 bilhões, em 2014, sendo US$ 25,2 bilhões só em softwares e serviços de TI. A expectativa é a de que esse volume aumente até 7,5%, até o fim de 2015. Entretanto, mesmo passando por um bom momento este ano, os empresários da área não podem relaxar na gestão. Com a crise econômica brasileira durando mais do que se esperava – previsão do PIB brasileiro é de queda de 2,8% em 2016, segundo pesquisa


do Banco Central junto a mais de 100 instituições financeiras –, é possível que a retração também atinja os investimentos do segmento no futuro. Segundo a Brasscom, no ano que vem, a expectativa é que o mesmo continue crescendo, embora um pouco mais timidamente, com aumento de 0,6%, em comparação a este ano. Ou seja, com um investimento total previsto para US$ 96.4 bilhões. Entre os gastos previstos para investimentos se destacam os sistemas para data center, que devem superar US$ 2,4 bilhões, com um aumento de 2,4%. Gastos com softwares totalizarão US$ 4,3 bilhões, registrando um crescimento de 5,4%. Os serviços de TI deverão consumir cerca de US$ 19 bilhões em 2016, o que representará um aumento de 6,4% em relação a este ano. Apenas os serviços de comunicação e o segmento de dispositivos (incluindo PCs, tablets, celulares e impressoras) devem sofrer quedas, de 0,5% e 3,5%, respectivamente. De acordo com Alessandro Andrade, mesmo com as previsões ainda positivas, 2016 ainda será um ano com muitos desafios financeiros e de clientes mais conservadores nos investimentos. Para ele, os produtos e serviços de maior valor percebido serão os de integração de sistemas, os de redução de custos nos setores das empresas e os ligados a apontamentos de resultados para direcionar os empresários nas tomadas de decisões. Além disso, os serviços ligados à exportação e geração de valores para exportadores, como vendas, pedidos, integração de fotos e

“A partir do momento em que os gestores passaram a perceber que as empresas estavam conseguindo menos receitas, verificaram que, em muitos casos, havia um gasto excessivo em determinadas áreas. Como solucionar isso? Automatizando-as, tornando os processos mais eficientes dentro das empresas, sem perder a qualidade dos serviços” Antônio de Bone – DBM

serviços online que reduzem o tempo da venda e do controle de estoque de produtos serão os campeões de vendas, visto que a exportação nunca esteve em um período tão atraente. “Aquelas empresas que forem para o mercado de vendas de softwares a outros países, essas sim, seriam grandes candidatas a empresas de grande sucesso para o ano que vem”, completa Andrade. Já para Benízio Lázaro, o primeiro semestre do ano que vem será crucial para muitas empresas, visto que o cenário de turbulência política dificulta os bons resultados, e a situação financeira do Brasil e o momento de renegociação de contratos (que determina um novo tempo na relação de clientes e fornecedores) também preocupam. Segundo ele, a crise de 2015 deixou o mercado muito cauteloso e é com essa desconfiança que ele deve começar o ano que vem. Por isso, as empresas de TI devem cortar gastos em tudo que for possível. Cortar e, ao mesmo tempo, manter a qualidade dos serviços.

Brasil

115

França

148

Alemanha

201

Reino Unido

679

Japão

China

EUA

// Países com maior investimento em TI (valores em bilhões de dólares):

103

73

60

Fonte: Brazilian Software Market - Scenario and Trends - 2015 (Abes, IDC e Brasscom) SINDINFO ES

23


// Perfil das empresas de TI no Espírito Santo (Por porte): Médias e grandes

4%

Pequenas 17%

79%

Micro empresas Fonte: Sindicato das Empresas de Informática do Espírito Santo (2013)

“No ano que vem, valerá a ‘lei da competência, porque será preciso reduzir ao máximo os custos, para sobrevivência das empresas. Ao mesmo tempo, elas terão de manter a qualidade dos serviços. Portanto, se não tiver capricho no que faz, o mercado te empurra para fora, porque é um momento em que há mais oferta que demanda. Quem for competente, permanece; quem não for, sai do mercado”, afirma Lázaro. Dessa forma, a saída para os empresários deve ser abrir o leque para novas opções de negócios. Prospectar novos mercados será tarefa imprescindível para que o setor continue passando bem pela crise, no ano que vem. “Já estamos procurando novos produtos para atender setores diferentes da economia, procurando novos clientes. Estamos abrindo o leque para encontrar as saídas e os bons negócios. Por isso, a minha expectativa é de crescimento”, projeta Antônio de Bone. Apesar das incertezas do mercado, é importante que os empresários de TI não cessem os investimentos feitos. Em vez disso, que pesquisem sobre o que o mercado está pedindo e façam um estudo detalhado sobre as próprias empresas, para descobrirem onde as empresas podem melhorar. Mais do que nunca, saber onde, quanto e por que investir será essencial para o crescimento das companhias. Uma boa dica para isso é contratar consultorias que melhorem a forma com que o trabalho é desenvolvido. Novamente, a palavra-chave para isso é automatizar. Isso porque, como a mão de obra no Brasil é considerada cara, qualquer redução na folha salarial pode fazer a diferença. “Tem que investir nisso. Quando se automatiza o processo, o custo diminui e evita-se o 24

TI ES // NOVEMBRO 2015

retrabalho. Essa eficiência acaba se refletindo no produto final”, explica De Bone. Já Andrade recomenda cautela e diz que os investimentos só devem ser feitos em itens com vendas já garantidas. Ele recomenda cautela naqueles que fazem o capital da empresa girar (seu corebusiness) para que o retorno seja mais rápido e menos arriscado. “Itens de mercados ou consumidores novos devem aguardar um melhor momento, porque pode sair um excelente produto, que irá ficar com alto custo, sem público para absorver o mesmo”, diz. Não há dúvidas de que a área de Tecnologia da Informação seja uma das – se não a mais – promissora dos setores industriais. A atual necessidade de diminuir custos ainda criará muitas oportunidades e demandas para o setor, uma vez que é fundamental que as empresas continuem evoluindo para ter uma visão mais estratégica, onde a TI assuma, definitivamente, um papel fundamental para a geração de resultados. Ao mesmo tempo, é certo que a atual crise econômica ainda se encontra longe de passar. Por isso, o grande desafio do setor passa a ser o de se consolidar como um segmento alinhado aos negócios das empresas, otimizando processos das demais áreas. Para isso, as companhias do segmento não podem fugir da regra do restante dos setores industriais e de serviços: ficarem atentas às oportunidades de mercado, continuando a fazer os planejamentos necessários, como a diminuição de custos e o melhoramento da eficiência. Dessa forma, investir na virtualização de data centers, de modo a diminuir a necessidade de ter equipes orientadas a cuidar de equipamentos, apostar em inovação e reter os profissionais mais capacitados (cuja mão de obra não é nada fácil de encontrar) serão essenciais para manter as companhias de TI bem preparadas. A demanda existe e continuará crescendo, mas é preciso estar preparado para ela. Na crise, há os que choram. É preciso ser aquele que vende o lenço.


// ARTIGO

Sistemas ruins ganham de pessoas boas N

o momento em que o país se dedica a revirar a lama em que se afundou, fica clara a falência do nosso sistema político, levando consigo a nossa economia, os negócios e a qualidade de vida dos brasileiros. Não temos mais como fugir da responsabilidade de mudar o país em que vivemos. Continuar a fazer vista grossa para as falhas sistêmicas é perpetuar o modelo falido que levou à situação em que vivemos. E se é para propor mudanças, não há nada mais fácil do que reclamar. Mas não pretendo reforçar esse coro. Minha intenção aqui é incentivar você, caro leitor, a fazer as mudanças que você pode fazer. Seja no seu âmbito de trabalho ou na sua vizinhança, por todos os lados existem sistemas que precisam de melhorias para evitar o conflito entre pessoas e, eventualmente, a corrupção. Quando falo de sistemas, quero dizer a combinação de 3+1 elementos: 1. Atividades. Nossas atividades nem sempre são claras ou nos permitem identificar problemas durante as suas execuções. Isso permite que erros aconteçam, e pior, avancem ao longo do fluxo de trabalho. Imagine um formulário que chega para análise incompleto ou um produto que chega ao cliente final faltando uma peça. 2. Conexões. Nem sempre é claro o momento que uma atividade termina e outra começa. Na melhor das intenções, ou por ordem do superior (“para o funcionário não ficar parado”), um programador pode se antecipar às especificações do cliente e depois precisar corrigir. E se faltar tempo diante de outras demandas? Com quem ele fala? Como funciona a cadeia de ajuda? 3: Fluxos. Os caminhos pelos quais passam informações, pessoas e materiais podem ter muitas variações, causando confusão. O problema aqui é abrir espaço para uma decisão desnecessária. Pessoas diferentes podem ter diferentes interpretações

O erro do seu funcionário pode ser, na verdade, um erro seu, ao não deixar claro o resultado que se espera do trabalho dele sobre a mesma situação e isso leva a fluxos variáveis, podendo afetar a qualidade e a produtividade da empresa. +1. Experimentação. Toda mudança, seja em atividades, conexões ou fluxos, é um pequeno passo em direção ao desconhecido. Nesse sentido, por menor que seja, gera desconfiança e desconforto para aqueles envolvidos. A experimentação fundamentada em fatos, dados e resultados é crucial para deixar de lado conflitos de opinião, onde vence quem é melhor articulado ou quem fala mais alto, e não quem tem a melhor proposta para a empresa. Meu convite é para que você comece a olhar para os conflitos em busca de problemas - e não de culpados. O conflito no seu prédio pode ser causado por diferentes interpretações por falta de clareza na comunicação. O erro do seu funcionário pode ser, na verdade, um erro seu, ao não deixar claro o resultado que se espera do trabalho dele. Acredite, todos queremos deixar nossa marca no mundo, ainda que seja dentro dos limites do nosso dia a dia. Cabe a você, líder, deixar claro para a sua equipe como ela pode fazer isso e ajudar toda a organização a crescer. Fazendo a sua parte, começaremos a corrigir os sistemas. E quem sabe o seu exemplo sirva de inspiração para que outros à sua volta também o façam.

Marcelo Lage

administrador de empresas, mestre em gestão do conhecimento, inovação e dinâmica empreendedora. Atua como Aprendiz Jedi na Startify, uma escola de empreendedorismo e inovação que acredita na atualização dos métodos de trabalho para que as pessoas possam libertar o poder inovador dormente em toda organização SINDINFO ES

25


//INFONEWS

Capixabas participam do Rio Info

Evento de TI gerou cerca de R$ 16,5 milhões em negócios

E

m setembro, aconteceu em São Conrado, no Rio de Janeiro, a 13ª edição consecutiva do Rio Info, principal evento de Tecnologia da Informação do Estado e um dos maiores do Brasil. E o evento reuniu, mais uma vez, empresários, técnicos e profissionais que puderam conferir as novidades do mercado e trocar experiências. Os capixabas estiveram presentes, em uma comitiva que contou com associados ao Sindinfo e teve o apoio do Sebrae-ES. A partir do evento deverão ser gerados negócios na casa dos R$ 16,5 milhões. A grave crise econômica foi um dos assuntos mais debatidos no Rio Info deste ano. As lideranças das entidades da Tecnologia da Informação e Comunicação presentes não pouparam críticas ao governo. Presente na reunião promovida pela Federação Nacional das Empresas de Informática (Fenainfo) e que contou com representantes de todo o Brasil, o vice-presidente do Sindinfo, Benízio Lázaro,

26

TI ES // NOVEMBRO/ 2015

Grupo capixaba que esteve presente no Rio Info

acredita que houve retrocesso provocado pelo aumento da carga tributária, principalmente para o setor de TI. “As empresas mostraram a sua preocupação com a perda da conquista de isenção fiscal na folha de pagamento. Trata-se de uma ameaça para o desenvolvimento do nosso setor. Fiz na ocasião um comentário sobre a duplicação dos tributos impostos ao setor de TI.


Benízio Lázaro, vice-presidente do Sindinfo, participou de reunião promovida pela Federação Nacional das Empresas de Informática (Fenainfo)

Rio Info: oportunidade de bons negócios

O governo tributa pesado, mas não concede benefícios em troca às empresas”, falou ele. Por outro lado, Lázaro comentou que ficou muito feliz com o evento, que mais uma vez serviu para aproximar o setor de TI brasileiro. “Foi um evento muito bom. O Rio Info agrega com certeza ao setor e integra os representantes de vários pontos do país. Lá, podemos ver coisas novas, tendências, casos de sucesso e soluções que já estão ou que chegarão ao mercado. A realização de uma Rodada de Negócios também significa oportunidades para muitas empresas, que podem mostrar seus produtos em um ambiente favorável”, disse. E de fato, a Rodada de Negócios contou com a participação de 102 empresas, das quais 83 brasileiras e 19 estrangeiras. Além disso, parcerias foram firmadas, em projetos que serão desenvolvidos nos próximos meses. Através de um acordo assinado no evento, a Rede Globo, Ipiranga, Uol, Natura, Bradesco e a Prefeitura do Rio de Janeiro passaram a ter direito de utilizar domínios com o nomes de suas marcas. O contrato de concessão dos domínios foi feito com a Divisão de Domínios Globais da Internet Corporation for Assigned Names and Numbers (ICANN), entidade internacional responsável pela coordenação da identificação dos indicadores públicos da internet. Outro destaque ficou por conta da empresa capixaba MasterDoc, desenvolvedora de softwares para escritórios de contabilidade. Situada em Vitória, a empresa tinha a intenção de participar do Salão da Inovação do evento, mas acabou aproveitando a oportunidade em termos de relacionamento com o mercado e fechou o Rio Info com cinco contratos. Essas parcerias deverão resultar em produtos e representações, com negócios da ordem de R$ 1 milhão, ao longo de um ano. SINDINFO ES

27


// Lançamentos

Smartphone à prova d’água A Sony anunciou, neste mês de novembro, o lançamento no Brasil do seu smartphone com sistema operacional Android, do Google, e que também é à prova d’água. Trata-se do Xperia Z5. Apresentado para o mundo durante a feira de tecnologia IFA 2015, realizada em setembro, na Alemanha, o aparelho chega ao mercado brasileiro com preço médio de R$ 4.300,00. Disponível nas cores preta e branca, o novo smartphone disponível no mercado brasileiro conta com tela Full HD, cujo tamanho é de 5,2 polegadas; câmera traseira com resolução de 23 MP, e frontal, de 5 MP. As especificações também incluem um processador bastante rápido, o octacore Qualcomm Snapdragon 810, de 64 bit, 3 GB de memória RAM e 32 GB de memória interna (com suporte para cartões de memória micro SD de até 200 GB).

Notebook com tela 4K A Samsung lançou o notebook Ativ Book 9 Pro, que tem tela de 15,6 polegadas, com resolução 4K, e uma GPU dedicada da Nvidia, na forma da Geforce GT 950M, acompanhada de processadores Core i7 da linha Skylake. A versão de entrada, já disponível ao consumidor nos Estados Unidos, conta com processador i7 de 2.6 GHz, 8 GB de memória RAM, 256 GB de espaço para armazenamento de dados no HD, no formato SSD, sistema de som com quatro alto-falantes e capacidade de distribuir conteúdo em resolução 4K via porta HDMI. Esse notebook custa US$ 1.599,00. Também há a versão com a tela 4k, que conta com a tecnologia HDR - conhecida por ajudar a melhorar fotos em dispositivos da Apple -, que deixa imagens mais nítidas para os usuários. O preço dessa versão ainda não foi definido.

Lenovo aposta em híbrido Superversátil, o Yoga 500 é a nova aposta da Lenovo. Trata-se de um notebook híbrido, que pode funcionar no modo computador, tenda, apresentação e tablet. As novidades para os usuários podem ser os modos tenda e apresentação. O primeiro é destinado para quem deseja assistir a filmes, por exemplo, enquanto o último é válido para aulas e palestras. O aparelho possui tela LCD de 14 polegadas Full HD (1.920 x 1.080) e um teclado retroiluminado. O processador é da Core, da Intel (i5), e conta com opções de 4 e 8 GB de Memória RAM, expansíveis até 16 GB. O HD pode ser de 500 GB ou de 1 TB. O sistema operacional dele é o Windows 10. Destaca-se ainda o fato de o eletrônico contar com duas entradas USB 3.0 e somente uma 2.0. Disponível a partir de R$ 3.000,00.

28 TI ES // NOVEMBRO 2015


BlackBerry com Android A BlackBerry finalmente aderiu ao sistema Android e apresenta o Blackberry Priv, smartphone que reúne as principais características que tornaram a fabricante conhecida. Já disponível para compra nos Estados Unidos, o gadget custa US$ 700,00. O aparelho conta com teclado físico que desliza para a vertical, evitando assim o sistema touchscreen. O Priv tem tela AMOLED de 5,4 polegadas, com resolução QHD (1.440 x 2.560 pixels). Chama a atenção deste smartphone a capacidade de armazenamento dele. Pelo sistema de fábrica, é capaz de guardar 32 GB de arquivos. No entanto, é possível expandir para até 2 TB por microSD. Embora tenha aderido ao sistema Android, a fabricante garante que manterá a privacidade e segurança em primeiro lugar. Por esse motivo, o smartphone se chama Priv, para manter o usuário seguro.

Bloqueador de aplicativos

Supercarregador da Sony A Sony lançou um carregador de baterias para diversos tipos de dispositivos eletrônicos. O CP-V5A tem capacidade de 5.000 mAh e pode ser usado para alimentar a bateria de uma série de equipamentos, que vão de smartphones ao DualShock 4 do PlayStation 4. O acessório já está disponível pelo preço médio de R$ 200,00. O trunfo do aparelho, que entra num segmento bastante disputado, é o fato de prometer, segundo a Sony, carregar completamente a bateria de um celular duas vezes. Ainda segundo o fabricante japonês, o produto tem vida útil prolongada, já que, mesmo depois de mil recargas, ele retém 90% de sua capacidade original. O carregador pode ser encontrado nas cores preta, branca, rosa e verde. Destaca-se ainda o sistema de segurança dele, à base de gel, que evita explosões e incêndios no uso prolongado do gadget.

Novidade para smartphones Android, o aplicativo ClearLock: Block Distractions é um importante aliado para quem precisa encontrar uma forma de manter a atenção no trabalho, por exemplo, e não ser distraído por outros programas do celular. Esse aplicativo tem o trunfo de conseguir bloquear, temporariamente, os apps que mais causam a distração. Ao abrir o programa, que é gratuito, o usuário já consegue ter em mãos a lista dos aplicativos que já deseja bloquear. Depois de selecionar quais apps deseja “dar um tempo” durante o dia, chega o momento de escolher o tempo de intervalo. Se houver a necessidade de usar um desses aplicativos bloqueados, será necessário reiniciar o celular.

Superfininha Com 4,9 mm de espessura, a TV XBR-65X905C, da Sony, é a mais fininha do mundo, segundo a fabricante. O dispositivo, sonho de consumo para aqueles que desejam ter imagens nítidas, conta com um painel de 65 polegadas e resolução 4K. Seu preço sugerido é de R$ 19 mil. Mais fino que o iPhone 6, o aparelho conta com sistema Android e design sem bordas, o que facilita a visualização de conteúdos em diferentes ângulos. Se destaca ainda a tecnologia X-Reality Pro 4K, que por meio de um processador, transforma qualquer conteúdo Full HD em 4K, preservando cores, brilho, contraste e outros fatores da imagem. A tecnologia exclusiva da Sony, a Triluminos, oferece uma gama maior de cores, deixando-as mais vivas e naturais. SINDINFO ES 29


//GESTÃO

Outsourcing: sua empresa focada no que importa Tendência no setor de TI brasileiro, terceirização de serviços requer maturidade

30

TI ES // NOVEMBRO/ 2015


A

lgo cada vez mais forte no meio empresarial e que consiste da utilização de uma organização especializada para desenvolver uma certa área da empresa contratante, o outsourcing, ou terceirização em bom português, é também muito utilizado por empresas de todos os portes no setor de Tecnologia da Informação. Por se tratar de uma área que passa por mudanças constantes, a terceirização tem o seu lugar entre as estratégias de uma empresa quando a ideia é manter o foco. Dados da consultoria IDC Brasil mostram que as áreas de TI e Telecom deverão movimentar este ano no país cerca de US$ 165,6 bilhões, e o outsourcing de TI é uma das grandes tendências. Ao lançar mão do outsourcing, uma empresa que recorre à terceirização passa a se concentrar mais, deixando de lado a preocupação com a parte operacional do dia a dia. É o que acredita Niase Borjaille, diretorexecutivo da Mindworks. “Imagine que a empresa sequer precisa se preocupar com questões como capacitação ou férias de funcionários. Inclusive, no caso de férias, o fornecedor tem que colocar alguém no lugar! Além de todos estes aspectos, a empresa passa a contar com um nível de profissionalização muito maior, visto que o

“O outsourcing bem conduzido dá tranquilidade aos gestores. Entregar o dia a dia para empresas especializadas faz com que o cliente pare de apagar incêndios e comece a plantar” Dany Wendel, diretor comercial da Nexa

fornecedor é um especialista”, falou. A Mindworks oferece desde a consultoria nos processos em si até o outsourcing total da tecnologia. A estrutura hoje contempla atendimento diferenciado, suporte especialista, monitoramento, fornecimento de infraestrutura como serviço e gestão de ativos de software e rede. Para Dany Wendel, diretor comercial da Nexa, o outsourcing dá liberdade para que uma empresa possa se dedicar com mais afinco à sua especialidade, deixando de se preocupar com atividades que consumiriam tempo dos colaboradores. “Ter uma equipe própria, dedicada e especialista em cada tecnologia existente na empresa acaba sendo difícil e inviável. A busca por esses profissionais no mercado, a retenção, atualização tecnológica e o gerenciamento da produtividade desse time consome muito tempo dos gestores de TI e acaba faltando tempo para se dedicar ao negócio. O outsourcing bem conduzido vem para resolver esse problema e dar tranquilidade aos gestores. Entregar o dia a dia para empresas especializadas em outsourcing de TI faz com que o cliente pare de apagar incêndios e comece a plantar”, explicou. Também destaque em outsourcing, a Nexa oferece aos seus clientes service desk (1º e 2º níveis), suporte especializado (3º nível), resposta a incidentes, monitoramento de rede e segurança, além de serviços gerenciados de Tecnologia da Informação. Para isso, conta com uma Central de Serviços para demandas básicas e um Centro de Serviços e Operações de TI para demandas complexas e de maior severidade. Estas unidades operam de forma integrada e em regime 24x7. Os serviços podem ser prestados tanto de forma remota quanto local, para empresas de variado porte em todo o Brasil. Para os especialistas, em terras capixabas, a terceirização tem encontrado seu espaço. No entanto, a estrutura e a própria consciência sobre o tema ainda podem melhorar muito. Segundo Wendel, a grande dificuldade em termos de terceirização, além do custo Brasil, é lidar com a baixa maturidade em Processos de TI das empresas. “Poucas possuem visão em longo prazo e se estruturam para isso. O outsourcing de TI vai funcionar bem onde o cliente quer crescer em maturidade e vê valor numa TI alinhada aos negócios. Isso acontece nos demais estados e não poderia ser diferente no ES. Criar ambiente

SINDINFO ES

31


“Quando se tem uma boa gestão, seja de pessoas ou de processos, a empresa e seus colaboradores estarão em um ambiente mais harmonioso” Niase Borjaille, diretor-executivo da Mindworks

propício para disseminação desse conhecimento entre as empresas que necessitam de uma TI impulsionadora de seus negócios é um grande desafio, e nós temos essa responsabilidade”, disse. A falta de maturidade no Espírito Santo também é apontada por Borjaille, da Mindworks, quando se fala em outsourcing. “Estamos iniciando um processo de evolução que é muito mais intenso em outros estados da Federação. O maior desafio está em oferecer o melhor serviço possível pelo menor custo e sabemos que isso, no Brasil, é extremamente complicado, por conta dos inúmeros impostos e ainda por todos os encargos vinculados à CLT”, enfatizou.

A opção pelo outsourcing Após a constatação da importância de se terceirizar, fica a dúvida: o que uma empresa precisa ter em mente ao decidir lançar mão do outsourcing? Para Dany Wendel, boa parte dos fracassos nos outsourcing de TI está na quantidade dos erros de especificação e na consequente escolha errada do fornecedor. Segundo ele, normalmente as empresas buscam redução de custo, trocando suas equipes por outras mais baratas, terceirizadas. “Esse é o grande equívoco. O custo a ser reduzido não deve ser calculado apenas no valor direto da mão de obra. Devem ser levadas em consideração outras variáveis. Qual a maturidade de TI atual e

// Melhorar forma de contratar serviços

• Contato • Redução de com serviços custos, tempo, especializados esforço e infraestrutura

32

TI ES // NOVEMBRO/ 2015

• Concentração • Objetivos da equipe na mais fáceis de atividade-fim serem alcançados da empresa, gerando produtos melhores

onde se espera chegar? Quanto custam os problemas causados pela baixa especialidade da equipe? Quanto custa a baixa produtividade do time? Quanto custa o tempo da gestão dedicado a apagar incêndio? Quanto é necessário dedicar mais aos negócios da empresa? Quanto uma imagem negativa da TI na organização impacta na credibilidade de novos projetos tecnológicos propostos? Depois de levantar todas as lacunas e outras que possa surgir, a empresa deve buscar fornecedores que atendam a todos esses requisitos, verificando além do valor financeiro dos serviços, a flexibilidade (capacidade de se adaptar) e a reputação desses fornecedores no mercado”, falou o diretor comercial da Nexa. Já de acordo com Borjaille, além de contratar empresas realmente especializadas e que possuam processos bem definidos, a terceirização bem executada também passa pela designação de um gerente do contrato, que será o responsável por acompanhar e controlar os indicadores dos acordos de nível de serviço. “Sem isso, qualquer terceirização está fadada ao fracasso. O outsourcing está dentro de um processo de gestão do negócio, principalmente quando pensamos em empresas que não têm a tecnologia como atividade-fim, mas dependem dela para crescer, vender mais, buscar novos mercados, e ainda criar um processo interno de otimização de tempo e custo. Para os trabalhadores, há um ambiente mais produtivo, sem falhas, com processos definidos. Quando se tem uma boa gestão, seja de pessoas ou de processos, a empresa e seus colaboradores estarão em um ambiente mais harmonioso”, disse. E quem apostou nos serviços dessas empresas não se arrepende. É o caso da Cesan, que possui dois escopos de serviços prestados pela Mindworks: o service desk, utilizando as melhores práticas do information technology infrastructure library


– versão 3 (ITIL v3); e o suporte técnico sob demanda de serviços e soluções Microsoft. “Esses dois serviços são fundamentais para o bom funcionamento das atividades da TI da Cesan, reduzindo as atividades operacionais da equipe e permitindo maior foco na implantação de novas ideias e tecnologias. Como exemplo com a implantação do serviço de Service Desk e a implantação de processos ITIL na TI, reduzimos a quantidade de atendimento feito pela equipe interna da Cesan e focamos as atividades na gestão de resultados por indicadores de desempenho e satisfação dos usuários”, frisou Romik Polgliane de Souza, engenheiro da Divisão de Suporte e Infraestrutura da Cesan. Para o engenheiro, ao lançar mão do outsourcing, a empresa precisa entender que estabelecer uma relação de parceria com o fornecedor é fundamental para o sucesso da ação. “Esse relacionamento deve possuir regras claras quanto às responsabilidades e direitos da organização e da empresa contratada. Além disso, a empresa deve ter em mente que o foco de suas atividades em relação ao serviço transferido deve ser gerencial, sendo necessária a capacitação dos seus profissionais para compreender e gerenciar este novo cenário”. Tanto para quem oferece o serviço de outsourcing quanto para quem o contrata, a relação pode ser de intenso crescimento, despertando oportunidades para outras parcerias. Irreversível, a ideia de que toda empresa

“A empresa deve ter em mente que o foco de suas atividades em relação ao serviço transferido deve ser gerencial, sendo necessária a capacitação dos seus profissionais para compreender este novo cenário” - Romik Polgliane de Souza, engenheiro da Divisão de Suporte e Infraestrutura da Cesan

pode e deve terceirizar alguma atividade, contando com boas fornecedoras para isso é algo que estará cada vez mais na cabeça dos empresários do setor de TI e de outros segmentos. Ao escolher terceirizar, esses empreendedores se mostram preparados para o concorrido mercado, preferindo focar os seus esforços em seus objetivos e delegando outras etapas do processo para quem se especializou e está disponível para agregar valor ao produto final.

SINDINFO ES

33


//INFONEWS

Capixabas realizam missão em Recife

Comitiva durante visita: Polo Digital tem 250 empresas e um faturamento anual de R$ 1 bilhão

Empresários e representantes do Sindinfo e Sebrae visitaram Polo Digital

C

om o maior polo de informática do Brasil, Recife (PE) conta com empresas que criam soluções que atendem não só o mercado nacional, mas diversos lugares do mundo. Para conhecer a realidade do polo, um grupo de empresários do setor de TI do Espírito Santo esteve na cidade nordestina, para uma intensa programação. Em uma parceria entre o Sindinfo e o Sebrae, a missão institucional começou os trabalhos com uma visita ao Centro de Estudos e Sistemas Avançados do Recife (Cesar), centro privado de inovação, com 19 anos de trajetória criando produtos, serviços e negócios. As soluções desenvolvidas são utilizadas por empresas dos mais diversos setores, como agronegócios, eletroeletrônicos, defesa, automação comercial, financeiro, logística, energia, saúde e telecomunicações, entre outros. No ano passado, o Cesar superou a marca de R$ 90 milhões em vendas de projetos de inovação. “É uma grande provedora de soluções, com uma equipe de 550 profissionais capacitados”, disse o presidente do Sindinfo, Luciano Raizer. Na sequência, o grupo se reuniu com os profissionais da Joy Street, empresa famosa por uma pioneira abordagem para o desenvolvimento de plataformas lúdicas, utilizando conhecimentos, métodos e práticas do design, da educação e da tecnologia. O grupo esteve com Fred Vasconcelos, que é executivo-chefe da empresa e um vanguardista na indústria de jogos eletrônicos no Brasil, sendo eleito presidente da Associação Brasileira dos Desenvolvedores de Jogos (ABRAGAMES) no biênio 2010-2012 e atualmente ocupando a vice-presidência da entidade; e Diego Garcez, diretor de Negócios da Joy Street, com experiência empreendedora em negócios de educação e tecnologia. E finalmente, aconteceu o esperado momento de conferir o Porto Digital e uma reunião com o Núcleo de Gestão do local.

34

TI ES // NOVEMBRO 2015

// Participaram da missão: •A rco Informática Ltda. •B rajan Sistemas Ltda. •D BM Sistemas Ltda. • I novve Serviços e Tecnologia Ltda. •M hacker Consultoria e Auditoria de Sistemas Ltda. •M PS Serviços Ltda. •R aizer Moura Tecnologia Ltda. •R epresentantes do Sebrae

“O Porto Digital tem o conceito de parque tecnológico aberto, que conta com uma grande estrutura. Trata-se do maior parque tecnológico do Brasil em faturamento e número de empresas. Hoje, eles contam com 250 empresas instaladas”, destacou Raizer, que lembrou ainda que o Porto Digital colabora para a geração de 7.100 empregos diretos, proporcionando um faturamento anual de mais de R$ 1 bilhão. “O Porto é formado atualmente por 13 imóveis, incluindo um edifício de 16 andares. Essa estrutura foi possível através de forte participação do Governo do Estado, tudo para receber as empresas que trouxeram, ao longo dos anos, desenvolvimento para a região. Certamente, o modelo do Porto Digital de Recife tem muita coisa para ensinar. Tudo começou com apenas duas empresas, em 2000. No ano seguinte já eram 16, e assim foi crescendo, gradativamente e com forte apoio governamental, de todas as esferas. É o que queremos ver em outros lugares no país: academia, setor produtivo e governo, todos trabalhando juntos. A visita ao Polo fechou de forma marcante a missão”, frisou ele.


//INFONEWS

Primeira etapa do Centro de Inovação tem dois mil metros quadrados e custará R$ 6 milhões, financiada com verba do Ministério de Ciência e Tecnologia

Edital do Parque Tecnológico previsto para dezembro Processo de licitação está em fase final e deve dar o pontapé para a concretização deste sonho

A

crise financeira que todo o Brasil enfrenta neste ano não deve impedir que o Parque Tecnológico de Vitória, em Goiabeiras, saia do papel e as obras tenham início no ano que vem. Por conta da restrição orçamentária, uma versão mais enxuta do projeto do Centro de Inovação deve ser licitada até o final deste ano, com verba garantida pelo Ministério da Ciência e Tecnologia, cujo recurso já está no caixa da Prefeitura de Vitória. Essa primeira etapa terá um custo de R$ 6 milhões e constitui-se no primeiro prédio do Centro, com dois mil metros quadrados, que abrigará a incubadora Tecvitória, algumas empresas que serão selecionadas pela governança corporativa do Parque Tecnológico, constituída pela Findes, Petrobras, Ufes, Ifes, Governo do Estado e Prefeitura de Vitória. Segundo o presidente da Companhia de Desenvolvimento de Vitória (CDV), André Gomyde, além da licitação para o início da obra, em breve as próximas etapas incluem, também, a contratação de uma consultoria para definir como será o modelo de governança do parque. “Pudemos começar a trabalhar no processo de licitação, pois o loteamento da família Dadalto já está todo regularizado, com o alvará da Prefeitura. O Centro de Inovação fica dentro desse loteamento e uma das condições era que saísse so alvará de loteamento. Agora, a prefeitura está preparando

o edital de licitação, que até o final do ano deve ficar pronto”, explicou Gomyde.

Tecnologia A instalação do Parque Tecnológico de Vitória, sonho antigo das empresas de Tecnologia da Informação do Espírito Santo, deverá fortalecer o desenvolvimento tecnológico no Estado, uma vez que propiciará uma ambiência para a inovação e ainda vai oferecer infraestrutura para as empresas que precisam de melhores instalações para seu funcionamento. Paralelo ao projeto do Parque Tecnológico de Vitória, a prefeitura também trabalha para trazer para a capital capixaba o conceito de “cidade inteligente”, que dispõe de tecnologias que facilitam a vida dos cidadãos, integrando a cidade nas áreas da saúde, educação e tráfego, por exemplo. A expectativa é a de que, com o alívio da crise financeira nacional e a melhora das finanças do Estado, o governo do Espírito Santo possa injetar verba para a conclusão do Centro de Inovação. O loteamento da família Dadalto, que é de iniciativa privada, também está previsto para receber obras de infraestrutura no terreno em breve, para que, em 2017, as empresas possam negociar os lotes e iniciar a instalação das empresas. SINDINFO ES

35


//SINDINFOS

Marcelo Lage, da Startify, conduziu um painel sobre desafios da educação

Fórum debate os desafios da educação Em sua segunda edição, evento debateu gargalos da formação de mão de obra

E

streitando os laços com as instituições de Ensino Superior no Espírito Santo que oferecem cursos na área de Tecnologia da Informação, o Sindinfo realizou, no dia 22 de outubro, no Plenário do Ed. Findes, em Vitória, o 2º Fórum de Educação. Representantes de 22 entidades estiveram presentes no evento, aberto pelo presidente do sindicato, Luciano Raizer. Segundo ele, o Fórum ajuda a criar uma ponte entre as faculdades e o mercado, criando profissionais mais capacitados para as novas demandas. Emílio Barbosa, diretor do Sindinfo e coordenador do evento, aproveitou o evento para falar sobre o sucesso do Prêmio para Trabalhos Acadêmicos, realizado pela primeira vez este ano. “Foi no primeiro Fórum de Educação, realizado em agosto de 2014, que surgiu a ideia de se criar o Prêmio para Trabalhos Acadêmicos, e no Fórum de 2015 celebramos os resultados da premiação. Realmente, foi algo além das expectativas, com projetos de muita qualidade. E já projetando a premiação de 2016, teremos uma categoria nova, para trabalhos de pós-graduação”, disse. Alunos, orientadores e coordenadores de curso vencedores do Prêmio de TCC deste ano foram homenageados com placas. O evento foi marcado, também, por um painel de discussão com a participação dos coordenadores de curso e professores,

36

TI ES // NOVEMBRO/ 2015


Ao centro, Nilber Vittorazzi de Almeida, ganhador do 1º lugar do prêmio TCC 2015. Ao seu lado ( à esquerda), o orientador Vinicius Rosalen e à direita, o coordenador do curso, Cristiano Biancardi

visando a identificação dos principais problemas relacionados à formação de mão de obra especializada para o setor. “A ideia com o debate é que possamos alcançar soluções. Que as faculdades, as empresas, o sindicato e o setor público possam se articular para promover uma melhoria no processo”, explicou Barbosa. Conduzido por Marcelo Lage, da Startify, da divisão de educação da Start You Up, o painel abordou os gargalos da educação. Características como motivação, autonomia, domínio e propósito foram debatidas. “O objetivo da palestra foi chamar o público para refletir sobre os rumos da educação atualmente, na área de Tecnologia e de maneira geral. Conversamos sobre o que realmente motiva as pessoas. Abordamos o que precisa melhorar para que professores possam ser mais eficazes e os estudantes possam sair ainda mais capacitados das salas de aula. Temos, na Startfy, o Círculo Dourado, uma ferramenta para identificar e analisar as ações realizadas pelas organizações. Ela é dividida em três tópicos: ‘o que você faz?’, ‘como você faz?’ e ‘por que você faz?’ Com isso, buscamos saber o que as faculdades oferecem. Essas entidades têm cursos superiores, mas como isso é feito? Até fiz uma brincadeira comparando a educação ao sistema prisional, no qual não se pode fazer nada, há horário para tudo, enfim, falta autonomia. E as pessoas acabam ficando na faculdade exclusivamente por causa do diploma. E aqueles que não acham, acabam desistindo, fazendo crescer a taxa de evasão. Precisamos mudar isso e eventos como esse são muito importantes. Se não discutimos a educação em um momento em que o mundo vem mudando, teremos dificuldades para produzirmos as inovações que o mercado necessita. O Espírito Santo precisa da educação para deixar de ser o ‘patinho feio’ do Sudeste. E nós queremos colocar o Estado realmente no mapa, mostrando que aqui se faz tecnologia de ponta, com soluções inovadoras”, falou. SINDINFO ES

37


//SINDINFOS

Portal digital aproximará clientes e empresas Criado pela Sindinfo, projeto será lançado no início de 2016

Q

uais os serviços oferecidos na área de TI no Estado? Como estão divididas as empresas do setor de TI no Espírito Santo? Como o cliente pode localizar a empresa certa para a sua necessidade? Essas e outras questões farão parte de um grande projeto do Sindinfo, o Portal de Produtos e Serviços. Inicialmente pensado como um portfólio impresso, capaz de informar e atender às empresas privadas, principalmente ligadas ao Sistema Findes, e aos órgãos públicos instalados no Espírito Santo, além de contar com o apoio de um conteúdo de portfólio online num formato de simples consulta, o projeto sobre o setor de TI foi alterado. “Por sugestão dos próprios associados do Sindinfo, o projeto inicial foi remodelado. A ideia do portfólio impresso e online foi substituída pelo Portal de Produtos e Serviços das empresas de Tecnologia da Informação do Espírito Santo”, informou Domingos

38

TI ES // NOVEMBRO 2015

Portal terá como característica forte a “encontrabilidade”, que nada mais é do que tornar uma empresa localizável nos mecanismos de busca para palavras-chave relevantes ao seu negócio Sávio de Almeida Pinto, diretor da Polaris Informática, empresa responsável pelo portal. A empresa possui experiência em desenvolvimento de portais para organizações com muito tráfego e conteúdo.


“Empresas associadas ao Sindinfo terão um acesso exclusivo ao portal e poderão fazer toda a administração de conteúdo institucional e de seus produtos e serviços” - Domingos Sávio de Almeida Pinto, diretor da Polaris Informática

Segundo Almeida, o desenvolvimento do portal já passou pelas fases de Definição da Estratégia e Arquitetura da Informação, onde cada elemento é avaliado individualmente. Nesta etapa, também é projetado o mapeamento e como será a navegação pelos usuários. “Atualmente estamos na fase de Criação e Desenvolvimento, que envolve Design, Usabilidade e Redação. O portal será responsivo, ou seja, terá um design flexível para se adaptar a qualquer tamanho de tela, com navegação intuitiva, simples e rápida, inclusive em tablets e celulares smartphones”, explicou. Outra característica importante do portal será o termo definido por Almeida como “encontrabilidade”, que nada mais é do que tornar uma empresa localizável nos mecanismos de busca para palavras-chave relevantes ao seu negócio. “Por exemplo, no Google, as empresas são encontradas através de pesquisa de produtos e serviços, em vez de procuradas diretamente pelos clientes”, afirmou o diretor.

Demanda do mercado O aumento e a diversificação de produtos e serviços oferecidos pelas empresas capixabas de TI explicam a necessidade de ter uma plataforma online para divulgação de produtos e serviços. Inúmeras empresas que precisam contratar produtos e serviços de TI não sabem onde procurar ou não conhecem quais empresas de TI do ES poderiam atendê-las. O portal vai preencher essa lacuna, aproximando os potenciais clientes aos fornecedores de produtos e serviços de TI do Espírito Santo”, disse Domingos Almeida. Para o diretor do Sindinfo, a análise do setor de tecnologia da informação no Espírito Santo, que

vem sendo realizada a cada dois anos, através de estudo promovido pelo Sindinfo e pelo Instituto de Desenvolvimento Educacional e Industrial do Espírito Santo (Ideies), além das pesquisas realizadas com os associados para elaboração do Planejamento Estratégico do Sindinfo, evidenciaram o comportamento do mercado, mostrando que as empresas estão buscando novas oportunidades, mudando o perfil de prestador de serviço “on demand” para desenvolvedor de produtos e serviços inovadores. Ele lembra que o Projeto de Subvenção Econômica Tecnova, promovido pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Espírito (Fapes) e Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), também foi muito importante para o desenvolvimento de novos produtos e serviços na área de TI. Com a expectativa de lançamento logo no início de 2016, o portal será aberto para todas as empresas de TI do Espírito Santo, mas existe um plus para as associadas. “O diferencial para as empresas associadas ao Sindinfo é que elas terão um acesso exclusivo ao portal, onde poderão fazer toda a administração de conteúdo institucional e de seus produtos e serviços, podendo anexar imagens, fotos e vídeos”, disse Almeida. Segundo ele, serão utilizadas as informações da Pesquisa Setorial, prevista para ser finalizada até final de dezembro deste ano. Posteriormente, as empresas serão convidadas para complementar esses dados e cadastrar os seus produtos e serviços na ferramenta. O Portal Digital de Produtos e Serviços é mais um importante passo dado à maturidade cada vez mais evidente do setor, que segue crescendo, gerando empregos, rendas, parcerias e oportunidades. E o Espírito Santo mostra estar na vanguarda, com um investimento que resultará em benefícios para inúmeras empresas e clientes. SINDINFO ES

39


//INFONEWS

Franco Machado é homenageado na Semana de Ciência e Tecnologia Com o tema “Luz, Ciência e Vida”, evento teve ações em Vitória e Vila Velha

C

om uma programação que contemplou cursos, oficinas, shows, apresentação de experimentos e filmes, foi realizada, entre 26 e 29 de outubro, a 12ª Semana Estadual de Ciência e Tecnologia. O evento aconteceu no Colégio Estadual Vasco Coutinho, em Vila Velha, e teve como tema “Luz, Ciência e Vida”, uma homenagem ao fato de 2015 ser o Ano Internacional da Luz, declarado pela Organização das Nações Unidas (ONU). Outras atividades aconteceram simultaneamente na Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes), Instituto Federal do Espírito Santo (Ifes), Shopping Praia da Costa e Museu Mello Leitão. Durante a cerimônia de abertura, realizada no Palácio Anchieta, em Vitória, personalidades e entidades foram homenageadas por conta do trabalho desenvolvido nas áreas da educação, inovação, ciência e pesquisa no Espírito Santo. O diretor da Mogai e do Sindinfo, Franco Machado, recebeu uma placa de Menção Honrosa, em virtude da contribuição dada ao desenvolvimento tecnológico e científico no Estado. “Fiquei muito feliz com essa homenagem. É o reconhecimento de quase 10 anos de muito trabalho, investimentos e clientes satisfeitos. Através da inovação, os negócios podem crescer e as oportunidades aparecem. Nesse cenário, ganham todos e o Espírito Santo mostra que tem muita gente de talento. Esse evento aponta que estamos no caminho certo”, disse ele, que também é diretor do Sindinfo. Também foram homenageados o professor e diretor do Centro de Ciências Exatas da Ufes, Armando Biondo; o vice-presidente do Sindicato das Indústrias Metalúrgicas e de Material Elétrico do Espírito Santo (Sindifer), Luiz Alberto de Souza Carvalho; a empresa Aplysia; os pesquisadores do Projeto Juçara, do Incaper e do Ifes; o professor aposentado da Ufes Álvaro Abreu; e as trigêmeas Fábia, Fabiele e Fabíola Lotério, que conquistaram as melhores notas do Espírito Santo na 10ª Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (OBMEP). Em seu discurso na abertura, o governador do Estado, Paulo Hartung, lembrou que a tecnologia pode ser uma das chaves para vencer a crise. “A crise não pode nos tirar a capacidade de enxergar objetivos

40

TI ES // NOVEMBRO 2015

Franco Machado (à direita), ao lado de Luiz Alberto Carvalho, recebeu uma placa de Menção Honrosa, em virtude da contribuição dada ao desenvolvimento tecnológico e científico no Estado

estratégicos, como o desenvolvimento tecnológico. A Semana de Ciência e Tecnologia tem o papel de estimular e expandir o universo dos jovens para a pesquisa e inovação”, falou. Também estiveram presentes o secretário estadual de Ciência, Tecnologia, Inovação e Educação Profissional, Guerino Balestrassi; o secretário estadual de Educação, Haroldo Rocha; e o reitor da Universidade Federal do Espírito Santo, Reinaldo Centoducatte. Para Balestrassi, o trabalho feito no setor de tecnologia deve tornar as empresas e o mercado ainda mais fortes nos próximos anos. “Nosso desafio é transformar ideia em negócio que, por fim, vai gerar emprego e renda para o Estado. É na integração desse ciclo que estamos atuando”, explicou.


//POR QUE ME ASSOCIEI?

COMO SE ASSOCIAR Os interessados devem preencher o cadastro no site do Sindinfo. Caso queiram mais informações, os empresários podem busca-las por telefone e e-mail, canais nos quais são fornecidos todos os detalhes para associação.

“Entendo que, da mesma forma que o trabalhador tem que estar associado a uma entidade de classe, a empresa também precisa estar associada ao seu sindicato patronal. No meu ponto de vista, o maior benefício de ser associada ao Sindinfo é poder pertencer a um grupo da mesma atividade, participando de decisões de interesse coletivo, que são debatidas e tomadas em conjunto” Antônio Carlos Alves Poyares, presidente da SPG Soluções em TI

“O mercado de TI do ES é bastante concorrido e no atual cenário econômico que estamos passando em nosso país, o setor precisa estar unido, resultando em parcerias de negócios para alavancar negócios. A nova gestão do Sindinfo tem promovido vários eventos de integração entre os associados e estimulado intercâmbios internacionais que, a médio e longo prazos, irão posicionar as empresas do ES como referências de TI no Brasil” Glaycon Ferreira, diretor executivo da Outview Innovative

“Hoje estamos em um cenário global em constante evolução. E o setor de tecnologia é um dos que mais têm evoluído. Vimos no Sindinfo uma oportunidade de estreitar as relações, estar mais próximos das empresas do nosso segmento e também dar força ao nosso setor, que tem crescido tanto e precisa de constante regulamentação. Acredito que o Sindinfo veio para nos ajudar a absorver tudo isso de forma mais consistente e proveitosa. Como associados, temos o apoio de uma entidade que está ao nosso lado, e que frequentemente realiza ações coletivas, como seminários, cursos, palestras e visitas técnicas” Vantuil Mataveli Vieira, proprietário da Conectiva Sistemas

// Sindicato das Empresas de Informática do Espírito Santo (Sindinfo) Endereço: A v. Nossa Senhora da Penha, 2.053 – Edifício Findes – Santa Lúcia – Vitória – ES Telefones: (27) 3026-0866/ 99841-9371 // secretaria@sindinfo.com.br // www.sindinfo.com.br

SINDINFO ES

41


// Apps Fotos: Divulgação

Consulta

TeamAudit Risk & Compliance O TeamAudit Risk & Compliance, da empresa capixaba Vixteam, é um produto focado para gestão de risco, auditoria interna, governança de TI e controle de riscos empresariais, dentre outros benefícios. As soluções do programa, surgido a partir de uma parceria com a ArcelorMittal Tubarão, foram adotadas por várias instituições renomadas no país, como o Sebrae e a Gol Linhas Aéreas. As soluções Vixteam para Governança, Risco e Compliance (GRC) ajudam a garantir responsabilidade corporativa com maior transparência e consistência para a organização atuar dentro de padrões éticos e regulatórios. Dentre os benefícios de utilizar o produto estão os fatos de agregar valor com visão de estratégias de riscos, aumentar a proteção da organização contra fraudes e permitir controles financeiros sólidos em toda a empresa.

Free

Plataforma: Android e iOS Idioma: Português

Signal Private Messenger O Signal Private Messenger é um aplicativo gratuito para dispositivos com Android (sistema operacional do Google) e com iOS (sistema operacional da Apple) que permite enviar mensagens de texto e realizar ligações de forma protegida, graças à criptografia avançada. Famoso depois de ter sido utilizado pelo ex-espião Edward Snowden (que revelou segredos do governo dos EUA), o programa obtém o número de telefone sincronizado com a agenda, para não precisar de criação de nome de usuário. Um dos detalhes que podem chamar a atenção do usuário está relacionado a uma demora de conexão para fazer uma chamada de voz, por exemplo. Mas isso acontece devido ao sistema do programa, para garantir que a conversa será segura e que não haverá uma possível interferência externa.

42

TI ES // NOVEMBRO 2015

Plataforma: Windows Idioma: Português

Plataforma: Android Idioma: inglês

MyCar Locator Free

Free

O MyCar Locator Free é um aplicativo para Android que permite marcar no mapa a localização exata de onde o usuário estacionou o carro. Depois, é possível navegar usando as coordenadas gravadas do estacionamento, facilitando a localização do veículo, especialmente em locais de grande concentração. Uma das vantagens do aplicativo é contar com uma grande precisão para a marcação do local onde está o carro. O layout do programa, se comparado com outros programas de mapas, não é tão avançado, o que pode agradar a usuários que preferem um visual minimalista ou desagradar àqueles que exigem os mínimos detalhes em mapas. O programa também se destaca por funcionar nas versões mais antigas do sistema Android.


Free

Free

Plataforma: Android e iOS Idioma: Inglês

Hexlock

Plataforma: Windows Idioma: Inglês

GPU-Z O GPU-Z é um aplicativo para Windows focado no fornecimento de informações sobre a parte gráfica do seu computador, ou seja, sobre a placa de vídeo. Ele conta com funções básicas para manutenção, garantindo, assim, controle completo sobre os dispositivos de processamento gráfico de um PC. Com esse programa, é possível ainda criar cópias de segurança da BIOS da placa de vídeo, além de analisar absolutamente todos os dados relacionados a ela. Um dos destaques do programa é ter sua interface limpa e exibir apenas o conteúdo do programa, sem banners de propaganda ou menus desnecessários. Desta forma, fica fácil encontrar e interpretar as informações, transformando o GPU-Z em um excelente aliado para proteger a placa de vídeo.

O aplicativo Hexlock – The Smart App Locker é bastante útil para o usuário que deseja garantir o máximo de privacidade nos smartphones do sistema Android. Assim, o app permite que o usuário configure senhas de proteção para aplicativos, não somente para o telefone em geral, como acontece normalmente no sistema do Google. Uma das funcionalidades mais úteis do programa é o sistema de perfis. Com essa funcionalidade, o usuário pode criar no aplicativo diferentes configurações, de acordo com o local em que estiver, sendo uma com segurança mais forte, e a outra, mais fraca. O app tem ainda um recurso que reconhece a rede Wi-Fi na qual se conectou, e então pode mudar o perfil de uso, baseado nisso.

Free

Google Keep O Google Keep é um aplicativo para anotações de lembretes e tarefas do Google. O programa, que agora conta com uma versão para os proprietários de telefones da Apple, tem visual bastante agradável e de fácil aprendizado. As tarefas podem ser organizadas visualmente por cores, fato que só vai depender apenas do usuário. Para facilitar a vida dos internautas que têm uma conta registrada no Google, as anotações são sincronizadas com essa conta e o usuário pode ter acesso a ela ao fazer, por exemplo, o login no Gmail. As anotações no Google Keep podem ser feitas a partir de blocos de notas, com fotos e até mesmo com recado de voz. Também é possível adicionar outras pessoas logadas no Google em uma anotação para facilitar o compartilhamento da mensagem. Plataforma: Android e iOS Idioma: Português

Free

Plataforma: Android e iOS Idioma: Português

Microsoft Translator A Microsoft lançou, para celulares com sistemas Android e iOS, o programa Microsoft Translator. Trata-se de um tradutor que funciona com 50 idiomas diferentes. Um ponto alto do aplicativo é o fato de ele já estar preparado para funcionar com relógios inteligentes, como aqueles que têm sistema Android, quanto os Apple Watches. Como ponto forte do produto está o visual, que é leve e conta com letras que não cansam o usuário quando ele precisa fazer a leitura das traduções. Também se destacam as frases que recepcionam a pessoa no programa, facilitando e direcionando o uso do aplicativo que faz as traduções.

SINDINFO ES

43


//INFONEWS

Fórum Mobile+ apresenta novidades para smartphones e tablets A união de mobilidade e negócios foi o foco da oitava edição do evento

O

WTC Events Center, em São Paulo, foi palco da oitava edição do Fórum Mobile+, entre os dias 22 e 23 de setembro. Direcionado ao mercado de soluções móveis corporativas, como sistemas de BI, CRM e ERP para uso em smartphones e tablets, o evento apresentou as novidades do setor de mobilidade e suas aplicações. Na edição deste ano também foram debatidos assuntos como negócios envolvendo mobilidade, marketing móvel e soluções financeiras móveis - m-commerce, m-banking, m-payment. A programação do Fórum Mobile+ foi elaborada pelos editores do Mobile Time, Fernando Paiva; TI Inside, Claudiney Santos; e Teletime, Samuel Possebon. Executivos das áreas de TI, finanças e marketing de grandes e médias empresas acompanharam, no primeiro dia de fórum, algumas palestras e painéis sobre “Varejo Móvel”. O tema da abertura do evento foi “O atual estágio do comércio nas

44

TI ES // NOVEMBRO 2015

Américas”. Um dos destaques foi a divulgação de uma pesquisa inédita, no Painel “Comércio móvel no Brasil: em que estágio estamos?”, de Christian Reed, CEO da Opinion Box. Com o objetivo de entender o comportamento do usuário em compras por aplicativos, a pesquisa “Panorama: M-commerce no Brasil” ouviu 1.240 pessoas em quase 450 cidades. O estudo apontou que 41% das pessoas realizam compras de mercadorias físicas pelo mobile. A diferença entre a classe AB não era tão grande comparada às classes C, D e F. Grande parte das compras realizadas é de produtos eletroeletrônicos, seguida de acessórios de moda. Por outro lado, a maioria das compras realizadas pelo público mais velho é de medicamentos. O público que respondeu a pesquisa incluiu todas as classes sociais e faixas etárias, a partir de 16 anos. Já no dia 23, que abordou o tema “A Internet das Coisas no Brasil”, o público conferiu painéis que foram do papel das


Representantes capixabas marcaram presença no fórum, realizado em São Paulo

operadoras móveis na internet a soluções criadas para melhorar a vida nas grandes metrópoles. Os palestrantes levantaram importantes questões, que fizeram os presentes refletirem sobre o grande potencial das tecnologias móveis para os negócios. Com apoio do Sebrae-ES, capixabas também marcaram presença no evento. Estiveram na comitiva Carlos Augusto Ferreira de Almeida, diretor executivo do Grupo MD Sistemas; Domingos Sávio de Almeida Pinto, diretor da Polaris Informática; Roubledo Demian Gasoni, da MR Consultoria e Sistemas; e Luciano Raizer Moura, presidente do Sindinfo. De acordo com Raizer, o evento serviu para apresentar as novas tendências da tecnologia móvel, um nicho de grande importância para o setor de TI. “Conhecer a tecnologia voltada para smartphones e tablets, o uso dessas ferramentas dentro da gestão, as novidades em aplicativos e as tendências do que está por vir é algo fundamental. Com o apoio do Sebrae, o Sindinfo mais uma vez marcou presença em um grande evento e as troca de informações foi intensa e muito positiva”. Segundo ele, a missão serviu para que os capixabas pudessem conhecer de perto e estreitar os laços com uma série de fornecedores de soluções, além, é claro, de participar de palestras relevantes. “O evento teve excelente nível, com temas atuais, com o que há de mais novo para tecnologia móvel. Todos gostaram, na comitiva, de muito do que viram. Foi um evento que, com certeza, agregou muito e terá bons desdobramentos”, assinalou o presidente do Sindinfo. SINDINFO ES

45


// CASE

Nós, de certa forma, conseguimos compensar um pouco dessa dificuldade no mercado interno com alguns serviços no mercado externo. Isso nos equilibra e nos dá mais segurança”. Guilherme Simões

Internacionalização dos

negócios é saída para a crise Empresa expande atuação para outros países e se fortalece frente às oscilações de mercado

U

m exemplo de diversificação dos negócios abre um novo horizonte para quem quer resistir com mais força aos altos e baixos do mercado brasileiro. A Fatto Consultoria há dois anos expandiu seus negócios para o mercado internacional e tem apresentado bons resultados, principalmente em países latino-americanos. O principal produto é um modelo de estimativas de software que tem sido usado pelo governo mexicano em um órgão equivalente à Receita Federal. O método Cosmic tem sido usado pelo SAT (Servicio de Administración Tributária) do México e auxilia no trabalho de medição e estimativas de projetos de software. O trabalho foi desenvolvido com um parceiro local no país e hoje é considerado um caso de sucesso quando se fala em expansão internacional dos negócios. “O software ajuda a Receita Federal do México, ao ter, por exemplo, dois contratos de desenvolvimento de software, de diferentes fornecedores, a estimar se estão sendo oferecidas muitas ou poucas horas, se a empresa está cobrando caro. Com o Cosmic, foi adotada uma maneira padrão para medir todos os projetos, de maneira consistente”, explicou o sócio da Fatto, Guilherme Simões. Além desse, que é o maior expoente da empresa no que diz respeito aos projetos desenvolvidos fora do país, a Fatto também trabalha com cursos e trabalhos de consultoria oferecidos on-line e à distância, sobretudo para o mercado latino-americano. O motivo do foco nessa região,

46

TI ES // NOVEMBRO/2015

segundo Simões, é maior oportunidade de se inserir no mercado, uma vez que em outros países, como os Estados Unidos, por exemplo, a concorrência no mercado de tecnologia é superior. No mercado brasileiro desde 1998, hoje a Fatto também realiza negócios no Uruguai, Colômbia, Paraguai, México e Espanha. “Nesses anos de mercado, desenvolvemos know-how e material de treinamento que agora estamos oferecendo também fora do país”, complementou.

Crise Para o sócio da Fatto, a busca pela internacionalização dos negócios e serviços oferecidos pela empresa formou um pilar que ajuda a manter o equilíbrio financeiro, apesar do momento de crise financeira que o mercado brasileiro está enfrentando. “A internacionalização é importante porque mantém a empresa mais capacitada para trabalhar e mais forte para disputar qualquer mercado, seja externo ou interno. Não é necessário que seja a maior parte dos seus serviços, mas isso te traz uma outra visão. Você passa a ter uma estratégia mais robusta e também está menos vulnerável às oscilações do mercado interno. Neste ano, para muita gente, os negócios estão ruins, mas quem tem empresa focada num mercado só sofre mais. Nós, de certa forma, conseguimos compensar um pouco dessa dificuldade no mercado interno com alguns serviços no mercado externo. Isso nos equilibra e nos dá mais segurança”.


// ASSOCIADOS

Associadas

Produtos / Serviços

Contato

Aequus Consultoria S/S Ltda

Consultoria em gestão empresarial

27 3235.7546

AEVO TI

Gestão de processos, business intelligence, portais, gestão de portfólio de projetos, GED e colaboração

27 3337.0137

Allware Software Ltda

Software integrado de gestão empresarial

27 2123.0020

Alterdata Software

Desenvolvedora de softwares e soluções para gestão empresarial

27 3345.7346

AP Utility

Projeto, construção, suporte e gestão de infraestrutura e serviços de TI

27 3041.7240

ARCO Informática

Desenvolvimento de websites, sistemas web e mobile apps.

28 3511.2855

AOB Software Informática Ltda - ME

Software comercial NF-e, PAF-ECF, serviços customizados

27 3063.1055

AS Auditoria Sistemas e Representações Ltda

Sua empresa sob controle

27 3298.3366

AT3 Tecnologia Ltda

Suporte técnico, manutenção e outros serviços em Tecnologia da Informação

27 3258.4661

Athenas 3000 Informática Ltda

Desenvolvimento e comercialização de software ERP

27 2104.6525

Atip Informática Ltda

Software de Automação Comercial Customizado, PAF-ECF e Nf-e

27 3752.1172

Atual Sistemas

Desenvolvedora de software e prestação de serviços

27 3727.8800

BL Tecnologia em Informática Ltda - ME

Desenvolvimento web e soluções corporativas em software

27 3343.0650

Bitável Tecnologia em Informática Ltda - ME

Soluções para planejamento e controle de projetos

27 3315.6492

Blue Pixel Entretenimento Digital

A melhor empresa de desenvolvimento de jogos do mundo

27 98193.6762

Brajan Sistemas

Soluções em Tecnologia de Sistemas

27 3383-7100

Brasit Tecnologia em Informação Ltda

Sistemas de recuperação de crédito e call center

27 3041.7260

Conectiva Sistemas

Soluções inteligentes para sua empresa

27 3726.1139

Conesoft

Sistemas de automação comercial

27 3752.1271

SINDINFO ES­

47


// ASSOCIADOS

Associadas

48

Produtos / Serviços

Contato

Consuldata Sistemas

Sistemas de Automação Comercial

27 3325-4451

CSI - Centro de Soluções em Informática

Soluções em Tecnologia da Informação

27 3204.5111

Databelli Automação Comercial Ltda

Sistema de automação comercial

27 3325.0586

Databelli Desenvolvimento de Sistemas Ltda - ME

Desenvolvimento e licenciamento de programas de computador e treinamento em desenvolvimento profissional e gerencial

27 3325.0586

Dataci – Companhia de Tecnologia da Informação

Qualidade em TI na gestão pública

28 3521.2001

DCA Sistemas

Consultoria, Gestão em Mapeamento de Processos, Projetos de Viabilidade - Investimentos

27 99501.1276

Devena Tecnologia e Inovação Ltda

Mobilidade e tecnologia comercial

27 3100.0857

DBM Sistemas Ltda

Tecnologia inteligente na gestão de empresas

27 2127.4900

Easystem

Easystem Tecnologia - Nossa Solução, Sua Solução

27 3019-7083

Ebalmaq Comércio de Informática Ltda

Controle de acesso de relógio de ponto, catracas, venda e assistência técnica

27 3200.3937

Ebase Sistemas

Sistemas sob medida para as necessidades da sua empresa

27 3727.0569

E-brand Estratégias On Line Ltda

Marketing e comunicação com inovação

27 2104.0822

EBR Informática Ltda - ME

Rede metropolitana, interconexão, data center, backup as a service

27 2122.2122

EBR Internet Ltda

Serviço de internet e telefonia

27 2122.2122

EBR Telecomunicação Ltda - ME

Serviço de internet e telefonia

27 2122.2122

EcoSoft Consultoria e Softwares Ambientais Ltda

Desenvolvimento e fornecimento de soluções ambientais

27 3325.8516

E&L Produções de Software Ltda

Softwares integrados de modernização da gestão pública

27 3268.3123

Etaure Desenvolvimento de Sistemas Ltda - ME

Softwares sob medida para empresas

27 3062.2875

TI ES // NOVEMBRO/ 2015


// ASSOCIADOS

Associadas

Produtos / Serviços

Contato

Exodus Tecnologia

Software de gestão financeira, fiscal e gerencial

27 3204.8404

Evológica Tecnologia e Pesquisa Ltda

"Soluções Empresarias com Automação e Tecnologia"

27 3211-1162

Fatto Consultoria e Sistemas

Consultoria: medição, estimativa e requisito de software

27 3026.6304

Formalis Informática Ltda

Soluções inovadoras em Tecnologia da Informação

27 3062.8087

FRJ Informática Ltda (Qualidata)

Qualidata - Soluções em informática

27 3434.4400

Geocontrol Ltda

Desenvolvimento de soluções em tecnologia para as áreas de mobilidade urbana, segurança pública e defesa nacional

27 3041.3333

Gestor Matriz

Empresa especializada em softwares para Indústria de Confecções

27 3120.3891

GS Informática Comércio e Serviços Ltda

Soluções em telecomunicações, gestão de contas telefônicas, locação e venda de equipamentos de telefonia e rede e outros serviços em TI

27 3334.0300

Inflor Consultoria e Sistemas Ltda

Desenvolvimento de tecnologias para o agronegócio, geoprocessamento (GIS), implantação dos módulos SAP

27 2122.0888

InNet Soluções Ltda

Soluções para RH, financeiro, fiscal e produção de roupas

27 3371.7485

Inova Automação Comercial

Software para gestão varejista

27 3373.7100

Integrainfo

Consultoria, Auditoria e Gestão em Telecom – Redução nos Custos

27 3198.7271

Integro Consultores Associados

Soluções de social bussines, cloud computing e desenvolvimento de sistemas em plataformas Microsoft e IBM

27 3325.4040

ISH Tecnologia

Segurança da informação e infraestrutura de TI

27 3334.8934

Infosis Consultoria em Sistemas Ltda

Desenvolvimento e implantação de sistemas corporativos e soluções integradas

27 3211.1445

Infotec Sistemas

Sistema de automação comercial

28 3515.2300

Jeveaux Soluções e Ensino Ltda

Adena - Plataforma de e-commerce profissional, um produto Giran

27 3026.0264

Jnnet Telecomunicações Ltda

Acesso à internet

27 3258.4661

SINDINFO ES­

49


// ASSOCIADOS

Associadas

50

Produtos / Serviços

Contato

José Luiz Coco

Desenvolvimento de web personalizado

27 3033.6302

Linhares On Line

Internet banda larga, interligação e soluções empresariais

27 2103.8100

Made Informática

Conheça o Plano de Saúde digital, sua empresa agradece

27 3225.5540

Mantis Tecnologia Ltda

Tecnologia Wi-Fi

27 3019.1166

Market & Share

Market & Share - E-Commerce e marketing digital

27 3029-5179

Megatraining

Formações oficiais microsoft, treinamentos EC-Council e formação oficial android

27 3763.5970

Megawork Consultoria e Sistemas Ltda

Desenvolvimento e licenciamento de programas de computador e consultoria em Tecnologia da Informação

27 3315.2370

MD Sistemas de Computadores Ltda

Soluções de gestão empresarial (ERP)

27 2122.6300

MGS Tecnologia da Informação

Soluções em infraestrutura de rede e servidores

27 2121.1470

Mindworks Informática Ltda

Infraestrutura e segurança em Tecnologia da Informação

27 3015.1812

Mitis

Soluções inteligentes

27 3067.9292

Mogai Tecnologia da Informação Ltda

Software inteligente em logística e produção industrial

27 3337.1818

MR Consultoria e Sistemas Ltda

ERP - Dolphins - Soluções em sistema de informação para a gestão de processos empresariais

28 3526.7160

Multiconecta

Service Desk - Soluções e consultoria comercial para aquisição de infraestrutura

27 3205.3740

Net Kids Informatica Ltda

Sem uma Infraestrutura adequada nada vai bem!

28 3511.2293

Neski Soluções Ltda

Software inteligente

27 3264.5500

Nexa Tecnologia & Outsourcing Ltda

Soluções corporativas de TI e contact center

27 2104.8000

Objetiva Soluções

Software para gestão varejista

27 3373.7100

Outview Innovative It Solutions Ltda

Consultoria especializada e soluções de gestão de TI, monitoramento e segurança da informação

27 3203.3100

Pentago Consult Brasil Tecnologia e Negócios Ltda - EPP

Modelagem, desenho e automação de processos (BPMS), fábrica, NET/Java, BI e Serviços de gerenciamento de aplicações baseado em disponibilidade (ITIL Based)

27 3325.6828

Polaris Informática Ltda

Pesquisa de opinião e clima, desenvolvimento de sistemas e portais

27 3227.2375

Porte Software

Sistema para clínicas e consultórios médicos

27 3314.5678

Pro-Control Automação Comercial

Sistema para Financeiro, Cupom Fiscal, Nota Fiscal,Transporte e Veículos

27 3339.5857

TI ES // NOVEMBRO/ 2015


// ASSOCIADOS

Associadas

Produtos / Serviços

Contato

Projeta Sistemas de Informação Ltda

Software premiado - Gestão de locadoras de automóveis

27 3026.5959

Raizer Moura Tecnologia

Sistema de gestão da qualidade e sistema para gerenciamento operacional, administrativo e financeiro

27 3324.9005

Real Multimídias Computação Gráfica e Design

Representação gráfica em três dimensões (3D) de proj. arquitetônicos, industriais, engenharia, produtos na área da saúde, desenvolve animações diversas e projetos de design gráfico

27 3227.5840

RD

Desenvolvimento de websites, sistemas web e mobile apps

27 3349-2859

RG System Informática Ltda

Soluções em software de gestão em saúde e educação

27 3727.1127

RGB Sistemas Ltda - ME

Consultoria e desenvolvimento de sistemas

28 3546.1970

Seek

Desenvolvedora de software, gestão financeira, fiscal e gerencial

27 2101.1300

Sisnet Soluções em Tecnologia Ltda - ME

Sistemas de gestão financeira para pequenas empresas

27 2123.7718

Sistemas Integra

Temos a Solução para sua Empresa!

27 3711.1911

SLE

Tecnologia da Informação, com Inovação e Simplicidade, para soluções precisas e aderentes aos negócios dos nossos clientes

27 3357.3457

Sol Representações Comerciais Ltda

Representante comercial

27 3329.0085

Sophia Informática Ltda

Consultoria e desenvolvimento de sistemas contábeis e administrativos

27 3246.5099

Spassu Tecnologia e Serviços Ltda

Suporte técnico, manutenção e outros serviços em Tecnologia da Informação

27 2123.4900

Speed Automac

"Temos tudo que sua empresa precisa. Automação com simplicidade e competência, Speed Automac Simples assim"

27 3723.5447

SPG Solucoes em TI

Consultoria/Fabrica de Software para multiplas plataformas

27 3041-7237

SPG Innova

Inovação em Desenvolvimento de Software

27 3041-7237

SPG Tech

Venda de Equipamentos, Produtos e Serviços de TI

27 3041-7237

Spirit Soluções em Informática Ltda

Virtualização, backup, clusters, MySQL e BGP

27 4062.9421

Suporte Sistemas e Tecnologia Ltda

Sistemas de Planejamento de Recursos Empresariais

27 3082.0328

Team Software Ltda

Licenças e Implantação de Pacotes de Software

27 3331.3139

SINDINFO ES­

51


// ASSOCIADOS

Associadas

52

Produtos / Serviços

Contato

Tecnofoco TI

Especializada em infraestrutura de TI e segurança da informação

27 3375-8613

TecsystemTecnologia em Software Ltda - EPP

Desenvolvedora de software

28 3542.1429

Tectrilha Informática Ltda - ME

Desenvolvimento e licenciamento de programas de computador e treinamento em informática

27 3345.0205

Telemasters

Soluções em Telecomunicações, Infraestrutura, Redes Óticas, CATV, CFTV, Suporte Técnico, Manutenção de equipamentos de Comunicação

27 3134.9292

Tempro Software Ltda

Softwares para saúde suplementar e indústria de rochas

27 3149.7000

Trevit Sistemas Ltda

Desenvolvedora de software

27 3185.5990

Trust Image

Digitalização de documentos com alta performance

27 3345.8252

Totale Tecnologia da Informação Ltda

Softwares de gestão específicos para o setor de rochas

27 3026.8848

Totvs ES

Venda, treinamento e implantação de software de gestão

27 3038.6300

Único - Agência Digital

Sites, sistemas web e marketing digital - monitoramento de redes sociais, Google Adwords e e-mail marketing

27 3074.7233

VGA Serviços Ltda

Telecomunicações, rede - estrutura

27 3222.0828

VHT Sistemas & Tecnologia Ltda

Soluções em desenvolvimento de sistemas, infraestrutura de redes e telecomunicações, SEO, websites

27 98149.7838

Viprede Telecomunicações Ltda

Soluções em Rede Wan, internet e serviços de data center, com atuação em todo o ES

27 4009.4800

Vipphone Com. De Equi. de Telecom Ltda - EPP

Especializada em call center, IPBX, gravação

27 4062.9565

Vixsystem Solução em Tecnologia da Informação

Nosso objetivo é o seu sucesso

27 3066.0793

Vixteam Consultoria & Sistemas S/A

Soluções em TI sob medida e fábrica de software certificada MPS.Br

27 3331.3100

XPD Soluções Web Ltda - ME

Aplicações web, aplicativos mobile, e-commerce, websites, infraestrutura na nuvem e Amazon web services

27 3026.3069

Wage Sistemas & Automação

Soluções em software para comércio, indústria e serviços

27 3361.4354

WIS Educação

Escola de Inovação, Marketing e Negócios

27 3094.1512

White Tecnologia

Desenvolvimento web de softwares de gestão empresarial

27 3325.6197

Zaruc Tecnologia

Desenvolvimento de tecnologia e automação, com soluções inovadoras simplificando processos

27 3281.2650

TI ES // NOVEMBRO/ 2015




Millions discover their favorite reads on issuu every month.

Give your content the digital home it deserves. Get it to any device in seconds.