Page 1

Nº 7 | Maio 2020 Acontece EB1, 6 - 8 Entrevista a Sara Lobão: "Identidade e Herança Cultural", 12 e 13 Sobrinho Simões na ESCM, 17 UAARE no AECM, 19 e 24 Erasmus, 14 e 15

JORNAL ESCOLAR ANO LETIVO 2019/2020

Castêlo da Maia: Tradição & Modernidade

Direção: Cândida Moreno, Abílio Calheiros e José Nuno Araújo | Edição Gráfica: José António Moreira | somosjornal@aecastelomaia.pt


Editorial ||| Somos Jornal

Editorial

Tradição e modernidade Criou Deus este mundo. O Homem, todavia, entrou a desconfiar, cogitando e, quiçá, não gostou do que viu. E foi, logo, excogitando outro mundo. É essa a dialética que vai prevalecendo: por um lado, aquilo que nos legaram (a tradição); por outro, o que vamos criando (a modernidade). A comunidade (Castêlo da Maia), onde o nosso Agrupamento Escolar está inserido, também comemora, este ano, os quinhentos anos do foral das “Terras da Maia”. Este momento deveria proporcionar a consolidação das nossas raízes (o que nos vincula) e deveria promover o nascimento de frescos rebentos (o que nos renova). Desta forma, os alunos que ajudamos a formar, continuarão, no futuro, esse movimento pendular: preservar e inovar. Ou seja, eles deverão respeitar valores, patrimónios e conhecimentos (ancestrais), mas, também, deverão ser agentes da renovação do mundo através da criatividade e da originalidade. Nessa “viagem”, os herdeiros das “Terras da Maia” terão como cais da partida, o legado, e como cais da chegada, a mudança. O “Somos Jornal” espera que as nossas escolas naveguem entre essas duas margens, tradição e modernidade, e que o sonho da jornada se transforme numa jornada de sonho.

Mensagem do Diretor Nestes dias, em que devido à pandemia causada pelo vírus Covid 19, nos debatemos com sentimentos generalizados de incerteza, vulnerabilidade e desorientação, procuremos focar o futuro e disponibilizarmonos para enfrentar os desafios impostos pela modernidade, com superior expetativa, no pressuposto que o conceito de modernidade está ligado a ideias de positivismo, otimismo e fé no progresso. Desta forma, acredito que progresso é sinónimo de nível civilizacional elevado e que a tradição assume um papel fundamental no processo de arquitetar este caminho. Acredito igualmente que a memória, a recordação, as histórias e lendas e as boas práticas transmitidas de geração em geração asseguram e seguram a desejada modernidade. Marco Marques Diretor

Aptos à mudança Numa época de constante e rápida mudança, a conciliação entre a tradição e a modernidade nem sempre é fácil. Muitos são os que defendem a necessidade de acolhermos todas as novidades que surgem pois, sem elas, seremos irremediavelmente ultrapassados. Outros, recusam as “modernices”, argumentando que são passageiras e pouco trazem de bom. A meu ver, o ideal será sempre caminhar em direção ao futuro, não esquecendo nunca o ponto onde estamos e de onde viemos. Deste modo, a rutura deve ser evitada; a mudança faz-se paulatinamente, construindo novas práticas a partir das que nos são familiares, de forma a mantermos a identidade e coesão de grupo e, assim, progredirmos em conjunto, sem deixar ninguém para trás. Emília Cabral Presidente do Conselho Geral

Equipa do “Somos Jornal” 2 | Junho 2020


Somos Jornal ||| Tema de Capa

Maia assinala os 500 anos de foral No âmbito do tema «Modernidade e Tradição», quando se comemoram 500 anos do foral atribuído à Maia, as professoras Ernestina Fernandes e Fátima Vaz estão a desenvolver um trabalho colaborativo nas turmas do oitavo ano C, G e I. Assim, nas fotos aparecem os alunos da turma do 8ºI com trajes autênticos do antigo teatro popular do Castêlo da Maia. A coroa de flores era usada pela personagem Primavera do Casco do En-

trudo. Os textos são documentos do património local recolhidos, há muito tempo , de várias peças de teatro, que eram postas em cena no Castêlo da Maia. Agradeço a colaboração dos alunos Andreia Dias, Diogo Carvalho, Leonor Almeida e Nuno Morais, que posaram para as fotos, bem como de Tiago Silva e Ricardo Silva que tiraram e editaram as fotos. Fátima Vaz Professora

Tradição e Modernidade Sempre que, na roda da vida, nos lembramos de conciliar tradições com inovações, reavaliamos todo o nosso potencial racional e emocional. Precisamos de alimentar as nossas raízes, ancoradas nas tradições. As vozes dos nossos avós ecoam em cada recordação e em cada vivência. Porque de memórias nos vamos alimentando. O que fazemos com as nossas memórias? O segredo de uma vivência feliz está talvez na capacidade de, preservadas as memórias, as sermos capazes de colorir de mudança. Um povo sem tradições seria um

Junho 2020 | 3

povo sem raízes, da mesma forma que, as tradições não presentificadas, nos levariam a vivências cristalizadas, sem conexão tempo-espaço. A vontade da mudança, sem raízes, é hoje a grande tentação do Ser Humano. Se o que permanece é o que muda, que tempo nos fica para amadurecer cada nova descoberta? Que não se dilua o encanto de presentificarmos o ontem, num hoje firme, inteligente, que fecunda o amanhã, construtor de Homens pacíficos e fortes, de convicções e de dignidade. Marinela Guimarães Professora


Tema de Capa ||| Somos Jornal

Licínia Martins, colheita de 64, Mas ainda assim ao jeito de Daniel Oliveira

Estou como sou em “Baixa Definição” Na Primeira Pessoa

Nasci na Travagem, concelho de Ermesinde, logo não sou uma castelense de gema. Tenho um registo de adoção por parte da antiga freguesia de Avioso, Santa Maria, desde os dois anos de idade.

Gosto da Quinta da Gruta. É um bom exemplo de tradição aliada à modernidade. Não gosto do cheiro a estrume. Frequentei a escola primária no sítio do atual Museu de História e Etnologia da Terra da Maia e tinha como recreio um espaço imenso em frente às traseiras da escola. Fui aluna da minha mãe, o que causou constrangimentos. A mim e a ela. Gosto do Parque de Avioso. Vou lá amiúde. Não gosto dos buracos na Via Diagonal. Passo por lá todos os dias. Depois da primária seguiu-se o ciclo preparatório. Hoje funciona lá o Conservatório de Música. A arte é uma mais valia que demorou tempo a ser valorizada. Gosto do Ovídio Terraza, especialmente no Verão. Não gosto da falta de passeios em muitos sítios que dificultam os passeios a pé. Acabado o ciclo, segui para a Secundária da Maia até ao 9º ano e depois, Porto. A minha cidade de coração. E não posso deixar de referir um marco importantíssimo na minha vida: o comboio. Era um mar de gente na estação para apanhar o comboio das 7:50 (que só chegava às 8:00). O atraso era uma tradição incontornável aproveitada todos os dias por mim e pela minha irmã que corríamos pela Rua Estevão Oliveira Maia fora, conseguindo nunca perder o comboio. Tantas histórias passadas nessas viagens. Uma delas não resisto a contar: uma ocasião a minha irmã foi apalpada por um indivíduo quando saía do comboio. Virou-se para trás e disparou uma bofetada fortíssima em quem vinha atrás dela. Era um senhor completamente alheio à situação ocorrida e tão educado que ficou com o estalo

sem refilar. O que ele terá pensado da minha irmã ninguém sabe. Gosto da tradição do minivolei. Todos nós andamos por lá. Tradição que felizmente continua pelos tempos modernos. O Castêlo da Maia irá sempre estar ligado orgulhosamente ao voleibol. Não gosto da falta de transportes. Caros e escassos, é como eu os defino. Já casada ainda vivi no Castêlo, pertinho da estação. Depois, devido às vicissitudes da profissão mudei de paradeiro várias

4 | Junho 2020

vezes. Atualmente vivo em Porto Bom, Gondim, que também faz parte da freguesia do Castêlo da Maia. Quase um regresso às origens. Gosto da Escola Secundária do Castêlo da Maia, dos meus alunos, antigos e atuais e, de ser professora. É uma tradição. Não gosto que a escola se tenha tornado tão impessoal devido à sua dimensão e modernidade. Os meus olhos não dizem, escrevem. Licínia Martins Professora


Somos Jornal ||| Tema de Capa

barca e ferronho conservam os marcos miliários ao longo da via porto - braga

Romanos visitaram Castêlo da Maia

A Terra da Maia foi desde cedo visitada pelas gentes que faziam da terra e do seu uso o seu sustento. Neste sentido, há testemunhos da presença humana de tempos tão distantes como a Pedra de Ardegães – Idade do Bronze, ou as mamoas de Silva Escura. O território que mais tarde seria designado de Castêlo da Maia foi igualmente visitado por Romanos. Desta presença salientam-se os marcos miliários (de Barca e de Ferronho) existentes ao longo da via que ligava o Porto a Braga, telhas, lucernas, troços de calçada ro-

mana, em S. Pedro de Avioso, restos de pontes, necrópoles como a da Forca e apesar de já não pertencer à Maia o Castro de Alvarelhos, que pela sua importância local e regional merece uma visita atenta. O Museu de História e Etnologia do Castêlo da Maia possui parte desse espólio, sendo merecedor de uma visita, não só pelo seu interior, como pelo próprio edifício, que apesar de ser museu desde 2001, teve outras funções: Paços do Concelho da Maia até 1902 (difícil e conturbada mudança para a Maia após a perda de mais de uma dezena de freguesias a Norte do seu limite, escola primária, Sede da Junta de Freguesia de Santa Maria de Avioso, sede do Clube Sport Castelo da Maia (que se dedicava ao futebol, ciclismo e teatro – os Cascos), bem como a zona envolvente, recordando-se assim o modo de vida agrícola característico do núcleo de casas do século XVIII-XIX, onde em Setembro, se pode recordar na Feira das Cebolas, esse voltar ao Passado. Estas terras foram decisivas na nossa História. Por aqui passaram os da Maia e o nosso primeiro rei teve enquanto jovem a convivência com esta linhagem ilustre. No tempo das Descobertas, velas das embarcações foram feitas em teares

da região e em 1519, D. Manuel I concedeu foral à Maia e já no século XIX, aquando da 2ª invasão francesa, o exército francês, que se dirigia ao Porto a atravessou. Em 1820, a Maia participou na causa liberal com milícias e em 1832, quando D. Pedro (IV) desembarcou na Praia da Memória, hoje Perafita, à data Maia, e acampou em Pe-

dras Rubras, a Maia pode orgulhar-se e dizer que foi a primeira terra onde a bandeira liberal foi hasteada. Esta breve visita ao passado não ficaria completa sem a referência ao ano de 1852 e ao facto do Castêlo ter recebido solenemente a rainha D. Maria II. Cristina Ferreira Professora

aecm presenteado com o selo “Escola amiga da criança”

“As aves têm asas nós temos os livros” No passado dia 27 de janeiro, duas escolas do AECM foram presenteadas com o selo Escola Amiga da Criança (2018/2019), tendo recebido o reconhecimento deste projeto pelo Dr. Eduardo Sá, CONFAP e a editora LEYA, em colabora-

ção com a Fapemaia e a Câmara Municipal da Maia. O projeto “As aves têm asas nós temos os livros”, da EB Castêlo da Maia, tem como objetivo a concretização de um sonho antigo: a criação de uma biblioteca escolar e respetiva dina-

mização, promovendo, na comunidade educativa, o gosto pela leitura e escrita. A apresentação do projeto “Um Mundo para Além do Meu”, da Escola Básica de Mandim, também foi distinguida com o selo “Escola Amiga da Criança “.

Junho 2020 | 5

O desenvolvimento deste trabalho veio, uma vez mais, espelhar que o caminho para a cidadania se faz pela educação de valores, sustentada pela participação e envolvimento de práticas da vida pública.


Acontece ||| Somos Jornal

carnaval em mandim

Associação de Pais fala de personagens de filmes infantis No dia 21 de fevereiro de 2020, na Escola Básica de Mandim juntaram-se várias gerações para vivenciar o Carnaval. O Carnaval foi tema a explorar pela Associação de Pais e Encarregados de Educação de Barca numa conversa com as crianças acerca das emoções e das personagens dos filmes/vídeos infantis. As Crianças, pais e familiares exibiram as suas fantasias de Carnaval e desfilaram num espaço criado para o momento. Foi grandioso este desfile de cor, de imaginação, de criatividade e de convívio entre todos. Viva a alegria, viva o Carnaval, viva a euforia que a ninguém faz mal. EB de Mandim

«Abraçomar» No passado dia 21 de fevereiro, realizamos um desfile de Carnaval cujo objetivo era dar a conhecer a toda a comunidade o trabalho realizado pela escola sobre a poluição do mar e alertar para a importância dos oceanos na vida do planeta. As crianças, vestidas com fantasias alusivas ao mar, distribuíram as suas mensagens às pessoas que compareceram pelas ruas da vila do Castêlo. Todas as turmas da escola elaboraram os seus elementos marinhos (algas, medusas, peixes, estrela-do-mar, caranguejo, polvo e cavalos-mari6 | Junho 2020

nhos) para embelezar o carro alegórico que foi construído pela Associação de Pais. Fomos acompanhados pela GNR e, ao longo de todo o percurso, foram muitas as famílias que marcaram a sua presença. Agradecemos a todos os pais que, mais uma vez, acederam, com entusiasmo, às solicitações da escola tendo criado verdadeiras obras de arte. No final, todos receberam um belo lanche oferecido pela Associação de Pais. Foi uma tarde repleta de emoções, magia e muitos sorrisos. EB Castêlo da Maia


Somos Jornal ||| acontece

alunos das Atividades de Enriquecimento Curricular recebem avós na escola

AGIR promove “União de Gerações” No passado dia 7 de fevereiro, realizou-se na Escola Básica de Porto Bom, pelas 14h30m, a atividade União de Gerações, com o principal objetivo de criar laços, partilhar histórias e experiências.

A tarde iniciou-se com a receção aos avós sendo entregue um Flyer a cada um. De seguida realizaram-se os jogos tradicionais: jogo do saco, estafeta, andas, malha, dominó, pião e corda. Para além disso, houve lugar à partilha de músicas tradicionais: “Alecrim Dourado”, “Malhão” e “Oliveirinha da Serra”. O encontro avós e netos culminou com um lanche partilhado e com a oferta aos avós de um sabonete personalizado com a fotografia dos netos. O Intercâmbio de Gerações reforçou a Solidariedade e a Cidadania entre todos. Obrigada, Avós e Netos! A Vossa presença foi muito gratificante para todos Nós.

A União de Gerações – Avós e Netos - foi dinamizada pelos alunos da turma PB4, no âmbito da Atividade de Enriquecimento Curricular - AGIR – Mudar o Mundo, em articulação com as restantes turmas do 1º Ciclo e Pré-escolar. Realizaram-se dinâmicas que levaram os alunos a ouvir com atenção, a conhecer e valorizar os percursos dos avós, proporcionando uma convivência salutar com eles.

EB de Porto Bom

Pais de Ferreiró ajudam animais A Associação de Pais da Escola Básica de Ferreiró associou-se ao Projeto “Luna e Spike – Animais como Nós”, da Escola Secundária do Castêlo da Maia,

e levou a cabo uma feirinha de brinquedos, jogos e livros usados, no passado dia 2 de outubro. EB Ferreiró

Caderneta de cromos "O ambiente" No dia 2 de fevereiro do presente ano, pelas 11:00, nas instalações do Núcleo do Porto da Quercus, Quinta da Gruta, foi feito o lançamento da 3ª Edição da caderneta de cromos da JI Campa do Preto e EB da Seara. Em parceria com a Associação de Pais, Alunos e Professores, desenvolveu-se este Projeto Junho 2020 | 7

“Aprender a brincar” sobre o tema “o Ambiente” com o objetivo de sensibilizar toda a comunidade educativa para a Sustentabilidade do nosso Planeta. É prioridade da Escola formar alunos interativos e com opinião, tornando-os cidadãos conscientes e críticos do problema que compromete a vida do nosso Planeta.


acontece ||| Somos Jornal

A data foi instituída em 1964 pelo poeta, pedagogo e pacifista Llorenç Vidal

Dia da Não Violência e da Paz Escolar A escola de Ferronho celebrou o Dia da Não Violência e da Paz Escolar!! O Dia Escolar da Não Violência e da Paz comemora-se anualmente a 30 de janeiro. A data foi instituída em 1964 em Espanha pelo poeta, pedagogo e pacifista espanhol Llorenç Vidal, mas foi acolhida a nível internacional. Foi escolhido o dia 30 de janeiro por assinalar o falecimento do grande pacifista indiano Mahatma Gandhi. No dia do nascimento de Gandhi, 2 de outubro, por sua vez, é comemorado o Dia da Não-Violência. Nos países do hemisfério sul, com calen-

dários escolares diferentes, a data comemora-se por volta de 30 de março. O objetivo do Dia Escolar da Não Violência e da Paz passa por alertar os alunos, os professores, os pais, os políticos e os governantes para a necessidade de uma educação para a paz, que promova valores como o respeito, a igualdade, a tolerância, a solidariedade, a cooperação e a não violência. Fomentar a comunicação entre todos, impedir situações de bullying e incrementar a amizade são preocupações deste dia. Em Portugal realizam-se diversas atividades nos agrupamentos escolares tendo em vista alcançar esses objetivos. EB de Ferronho

Cantar as Janeiras Como é tradição na Escola de Gestalinho, os alunos cantaram as janeiras à comunidade e a coordenadora de estabelecimento desejou a todos os presentes um bom e próspero ano de 2020 em nome dos alunos, professoras e assistentes operacionais. Após um breve adiamento devido às condições meteorológicas desfavoráveis, cantamos uma canção ensaiada pelo professor António Ferreira e as professoras titulares de turma, acompanhada pela dupla de concertinas disponibilizada pelo sr. Luís Santos a pedido da nossa associação de pais. EB de Gestalinho 8 | Junho 2020


Somos Jornal ||| vox pop

O que é para si tradição e modernidade da nossa escola?

Rui Couto

Isabel Moreira

Assistente Técnico

Chefe dos Assistentes Operacionais

Estes são tempos de mudança e de grande impacto para o mundo. Apesar de todos os fatores negativos gerados pela pandemia que nos assolou, esta é também uma oportunidade para agitar as mentes dentro da comunidade escolar. Acredito que o ensino à distância e a tele escola vão transformar o ensino tradicional e acrescentar valor ao mundo escolar.

A tradição da escola Secundária do Castêlo da Maia é a preocupação do bem estar dos seus alunos, tendo em conta a modernidade dos seus conteúdos.

Berta Moreira

No Agrupamento de Escolas de Castêlo da Maia existe simpatia, tradição e modernidade no nosso dia-a-dia, para bem de toda a comunidade.

A caminhada/ BTT e as mesas de Natal no nosso Agrupamento já é tradição. Da cozinha, passando pela secretaria e da Biblioteca à unidade de autismo, tudo em nós é modernidade.

Assistente Operacional

Assistente Operacional

Assistente Operacional

Na Escola Secundária do Castêlo da Maia temos como tradição a nossa simpatia, formando assim os nossos jovens para a modernidade do dia-a-dia.

Maria José

Sandra Soares

Para mim é a junção de duas ou mais gerações. No fundo é revermos os antigos alunos que hoje são encarregados de educação e vermos como todos nós evoluímos, seja como alunos ou agora como pais. A nossa tradição é fazermos os nossos alunos sentirem-se acarinhados, com regras e, claro, com espirito de interajuda que para mim é o grande pilar da nossa comunidade escolar. Sobre a modernidade é o acompanhar dos tempos e a passagem da realidade para a digitalização.

Não podemos seguir em frente, sem ter o passado presente no futuro. Esta actual situação vem demonstrar precisamente isso: a capacidade de nos readaptarmos todos os dias. Atentos a isso, a nossa escola conjuga a tradição do respeito, igualdade, tolerância e liberdade com a modernidade digital que os tempos exigem. Nomeadamente o mundo das novas tecnologias que todos os dias temos de enfrentar. Em suma, trabalhamos com todos os alunos, mas de acordo com as necessidades de cada um.

Assistente Operacional

Florbela Soares

Sandra Cardoso

Junho 2020 | 9

Assistente Operacional


associação de estudantes ||| Somos Jornal

A Associação de Estudantes A Associação de Estudantes (AE) é a estrutura representativa dos estudantes num estabelecimento de ensino, constituída por alunos, cada um deles com um cargo que pode este pertencer à Direcção, Assembleia Geral ou Conselho Fiscal. Esta Associação visa a defender os direitos dos alunos, assim como as suas vontades, sugestões e reclamações, junto dos altos membros escolares. Para se concorrer a uma AE é necessário constituir uma equipa (lista com atribuição de uma letra) com um mínimo de treze (13) alunos. Na semana da campanha os ideais são expostos a tua a comunidade escolar, e após um dia de reflexão, são levados a votos. A eleição da lista para a AE é feita por voto universal e anónimo por todos os alunos

da escola, ou por outro método previamente. Hoje em dia a AE tem um papel muito ativo, como na colaboração com o pessoal docente e não docente; na defesa dos

alunos e dos seus direitos junto dos mais altos membros da Direcção Escolar; na exposição e elaboração de actividades para os mais diversos anos e disciplinas; reclamar problemas

que surjam e encontrar as mais devidas soluções; e assegurar a boa integração dos novos alunos na comunidade escolar. Bárbara Rangel 12.º Ano - Turma D

Representante dos alunos no Conselho Geral e Associação de Estudantes A aluna Bárbara Rangel, do 12.ºD, foi eleita como representante dos Alunos no Conselho Geral e Presidente da Associação de Estudantes, na sequência do ato eleitoral realizado no dia 21 de outubro de 2019.

10 | Junho 2020


Somos Jornal ||| parlamento dos jovens

iniciativa da assembleia da república

Parlamento dos Jovens Vários alunos do AECM participaram no projeto “Parlamento dos Jovens”, iniciativa da Assembleia da República, tendo sido apresentadas 4 listas do ensino básico e do ensino secundário. Nas sessões escolares do ensino básico e do ensino secundário, foram eleitos deputados os seguintes alunos: Luís Henrique Dias da Silva, n.º 15, 7.ºF; Simão Pedro Tavares Vergueiro, n.º 20, 8.ºC; Dinis Gustavo Pires Machado, n.º 8, 8.ºC (suplente) - nível básico; Mafalda Maria Ferreira da Silva, nº 14, 10.ºB; Carmen Maria Vitorino Marques, n.º 10, 12.ºC; Mara dos Santos Lopes, n.º 10, 10.ºB (suplente) - nível secundário. A aluna Marta Allen Ferreira Tavares, n.º 14, 8.ºC e o aluno Ruben Filipe Santos Silva, n.º 25, 12.ºC, foram eleitos os representantes para as respetivas

mesas da Assembleia Distrital. No âmbito deste projeto foram dinamizadas diversas atividades, entre as quais há a destacar a sessão de sensibilização sobre “Violência doméstica e no namoro”, dinamizada por agentes da Escola Segura, bem como a sessão com a deputada da Assembleia da República Carla Barros, na presença dos 46 deputados eleitos do nível básico e secundário. Os temas sugeridos, pelos alunos, nas sessões escolares, para o próximo ano letivo, foram Alterações Climáticas, no ensino básico, e Eutanásia, no secundário.

Projetos de Recomendação aprovados nas Sessões Escolares Nível Básico Medida 1: Maior sensibilização sobre a violência doméstica e no namoro. Medida 2: Criação de um número nacional grátis de três dígitos para atendimento de casos de violência doméstica e no namoro.

Medida 3: Implementação de um caderno de “ajudas”.

Nível Secundário Medida proposta 1: Avaliar competências socio-emocionais: importa fazer uma avaliação psicológica recorrente.

Junho 2020 | 11

Medida proposta 2: Sensibilizar para evitar a violência doméstica e no namoro: interessa fazer campanhas de sensibilização eficazes. Medida proposta 3: Formar para os direitos humanos: é essencial a implementação de formação objetiva.


Tema de Capa ||| Somos Jornal

Entrevista com sara lobão do museu de história e etnologia da terra da maia

"Temos uma comunidade que é multicultural"

Sara Lobão abriu-nos as portas deste espaço cultural para nos dar a conhecer a comunidade que diz ter um forte sentido de "herança cultural", de identidade e pertença. Somos Jornal – Em que medida é que o Museu de História e Etnologia da terra da Maia contribui para o conhecimento da evolução do município da Maia ao longo dos tempos’ Sara Lobão – O Museu de História e Etnologia da Terra da Maia tem vindo, ao longo destes quase 19 anos, realizado diversas exposições que mostram, documentam e expõem as mudanças e evolução do município, sobretudo através da evolução do modo de vida, da sua história e das suas gentes. SJ – Quais os projetos futuros do Museu de História

e Etnologia da Terra da Maia que poderão contribuir para um maior e melhor conhecimento da gente maiata? SL – O Museu tentará sempre levar a cabo exposições, que sejam enriquecedoras da cultura maiata, cultura essa que também evolui com o passar dos anos. A melhor forma de contribuir para o conhecimento da gente maiata é unir o museu à população e estar sempre numa mútua e constante aprendizagem. A cultura de ontem não é a mesma de hoje e não será certamente a mesma de amanhã.

SJ – Como responsável do Museu Etnográfico da Castelo da Maia, qual poderá ser o novo papel desta localidade, que já foi sede de concelho, no futuro da atual, embora reduzida na sua dimensão, terra da Maia? SL – O Castêlo da Maia é uma localidade que tem na sua comunidade um forte sentido de

12 // Maio 2020

“herança cultural”, de identidade e pertença. É sem dúvida um centro dinamizador de cultura e é assim que deverá continuar a ser. Tem de promover no seu seio uma maior ligação dos seus habitantes com a Terra da Maia, com o município da Maia, para que essa identidade não se perca, mas se reforce. No Castêlo da Maia temos uma


Somos Jornal ||| Tema de Capa

comunidade que é multicultural e devemos sem dúvida aproveitar isso para que possamos transmitir e aprender mais sobre a nossa terra e a nossa identidade. SJ – A propósito dos 500 anos do foral da Maia, o que é que este nos diz, em termos significativos, sobre “a terra e a gente da Maia” e como é que o passado da terra da Maia pode influenciar o seu futuro? SL – Uma carta de Foral, outorgada pelo Rei, assim como em determinadas situações por um senhor laico ou eclesiástico, é um documento escrito

de caráter essencialmente jurídico, atribuído aos moradores de uma determinada região, com o intuito de regular a sua administração, abusos de poder deveres e direitos da vida coletiva de uma povoação, respondendo assim às necessidades locais. “A propósito da comemoração dos 500 do foral da Maia”, D. Manuel I rei de Portugal, no dia 15 de dezembro do ano de 1519, concede foral à Maia. Por essa altura, a Maia era um vasto território entre o Porto e Ave, até Bougado e Rio Tinto, definido em 67 freguesias, apesar de já ter sido um território mais vasto pelas conhecidas

85 freguesias. Porém, em meados da primeira metade do século XIX, as reformas de Mouzinho da Silveira, vieram dar a verdadeira machadada no território maiato, reduzindo-o a 16 freguesias mas, em 1985, a freguesia de Pedrouços tornouse autónoma e assim o território da Maia se manteve até aos dias de hoje. Terra da Maia, contém em si um passado remoto, com a existência de vestígios arqueológicos que vão desde o paleolítico, muito embora com maior e clara evidencia a partir do neolítico. A Maia, Terra Milenar, soube sempre encontrar o caminho

Maio 2020 // 13

para contribuir para o desenvolvimento do território e consequentemente Portugal. Soube sempre ultrapassar as suas dificuldades, tornando-se numa Terra de convergência de almas através dos tempos. A Maia, foi um concelho essencialmente agrícola, que subsidiou a Cidade do Porto com os seus produtos agrícolas e mãode-obra nas mais variadas profissões. Nos dias de hoje é um dos concelhos melhor organizados industrialmente, ao nível do ambiente, do desporto e da cultura, uma Terra sem portas e ferrolhos, perfeitamente aberta para o desenvolvimento de Portugal de e para o Mundo.


acontece ||| Somos Jornal

O AECM submeteu uma candidatura ao programa Erasmus Mais

Gabinete de Projetos Europeus No ano letivo 2018/2019 foi criado um grupo de trabalho, constituído por cinco professores, que coordena a organização, planificação, execução, monitorização e avaliação de projetos Erasmus +, dando cumprimento ao Plano de Desenvolvimento Europeu do AECM. Neste momento, estão em funcionamento dois projetos KA2 “IT4CD Information Technology for Citizenship and Democracy” e “How to become a green entrepreneur”, de acordo com os critérios de seleção dos alunos a participar nestes projetos Erasmus+. O AECM, através do GPE, submeteu, em fevereiro de 2020, uma candidatura ao programa Erasmus+ Ação -Chave 1, tendo como prioridade, conforme o Plano de Desenvolvimento Europeu do AECM, a formação de pessoal docente no desenvolvimento de projetos de cidadania ativa e participativa, trabalho cooperativo/colaborativo, trabalho de projeto, flexibilização e articulação curricular; para as chefias e chefias intermédias: formação no apoio à gestão para o sucesso educativo e a formação global. Em junho de 2018, iniciou-se o projeto KA1 “Formar para a mudança”, que envolveu 39 professores em formação no estrangeiro, tendo sido feita a respetiva disseminação das aprendizagens. Este projeto foi concebido para responder aos objetivos do PDE do Agrupamento de Escolas do Castêlo da Maia, nomeadamente no que diz respeito à inovação das práticas e internacionalização, através da formação contínua de âmbito internacional do corpo docente. Fotografias KA1 14 | Junho 2020


Somos Jornal ||| acontece

Projeto Erasmus O AECM recebeu, oito professores estrangeiros, oriundos da Croácia, França e Polónia, no âmbito do projeto KA2 IT4CD, para formação conjunta e preparação das atividades que decorrerão ao longo dos próximos dois anos. Este projeto tem como finalidade o desenvolvimento de conhecimento e competências interdisciplinares tendo por base temáticas como a UE, a democracia, a cidadania ativa e responsável e as competências digitais. IT4CD

“How to become a green entrepreneur” Este projeto envolve escolas de 4 países, designadamente Espanha, Itália, Países Baixos e Portugal. No AECM, participam diretamente 18 alunos e 6 professores estrangeiros, num total de 40 elementos. Os objetivos do projeto centram-se fundamentalmente em aumentar a consciência da importância da manutenção da biodiversidade e promover comportamentos amigos do ambiente.

Logotipo vencedor A aluna do AECM, Beatriz Pereira, do 9.º A, venceu o concurso para o logotipo do projeto Erasmus + “How to become a green entrepreneur”, que envolveu a participação de alunos de 4 países, designadamente, Espanha, Holanda, Itália e Portugal.

Junho 2020 | 15


acontece ||| Somos Jornal

Dependências... No âmbito do projeto PES (Projeto de Educação para a Saúde), durante o mês de fevereiro, os alunos do 9.º ano assistiram a sessões de sensibilização sobre “Dependências”. As sessões foram dinamizadas pela GNR, decorreram na disciplina de Oferta Complementar com o objectivo de alertar os jovens para as questões relacionadas com o consumo de álcool, tabaco e outras substâncias psicoactivas. No final da sessão foi distribuído um flyer informativo, com alguns conselhos, chamadas de atenção e onde são alertados os pais, para os sinais que possam indiciar um possível consumo de substâncias psicoactivas por parte dos seus filhos. Esta iniciativa contribuiu para aumentar o nível de informação sobre atitudes críticas face a comportamentos de risco e promover / incentivar os comportamentos saudáveis na escola.

Semana da alimentação A semana da alimentação decorreu entre os dias 14 a 26 de outubro na ESCM. Nesta iniciativa, inserida no projeto PES (Projeto de Educação para a Saúde), os alunos realizaram a atividade “O açúcar escondido nos alimentos” e assistiram à palestra “Diz-me o que comes, dir-te-ei quem és!” dinamizada pela enfermeira Amélia da UCC Castêlo da Maia. Os alunos foram sensibilizados para os problemas resultantes do consumo de alimentos açucarados e para a importância do pequeno-almoço.

16 | Junho 2020


Somos Jornal ||| acontece

Professor Doutor Sobrinho Simões na “Secundária” No passado dia 18 de fevereiro, a Escola Secundária do Castêlo da Maia teve o privilégio de receber a visita do ilustre Professor Doutor Sobrinho Simões, o qual veio falar sobre as temáticas: “A evolução das espécies e meio ambiente”. O evento, como prometido pelo próprio Professor durante a sua primeira visita à escola, foi organizado pelos alunos das turmas A e B do 11.º ano, no âmbito do Trabalho Colaborativo, segundo o Decreto-lei 55/2018, em parceria com a biblioteca escolar. O atual director do IPATIMUP – Instituto de Patologia e Imunologia Molecular da Universidade do Porto – e investigador na área da bioquímica, apesar das inúmeras peculiaridades científicas expostas, conseguiu cativar a atenção do público, que se demonstrou bastante interessado sobre as temáticas abordadas. Apesar do seu estatuto, tendo

sido inclusive considerado “o patologista mais influente do mundo”, o Professor é uma pessoa extremamente simples e de fácil comunicação, tendo disponibilizado um pouco do seu tempo no final da palestra para falar com os grupos organizadores do evento. No final da palestra, foi dada a possibilidade a todos os presentes de colocarem e esclarecerem todas as suas dúvidas. Para além disso, ficou ainda acordado com o Professor Sobrinho Simões o seu regresso dentro de dois anos, o qual palestrará sobre as temáticas deixadas nos Inquéritos de Satisfação, preenchidos pelos alunos no final da palestra.

Exposição sobre “EXPANSÃO MARÍTIMA PORTUGUESA” No âmbito da disciplina de História, os alunos do 8º ano, desenvolveram uma exposição que esteve patente no átrio da Escola Secundária do AECM, sobre a temática dos Descobrimentos Portugueses, com o objetivo de consolidarem os conteúdos programáticos de forma lúdica e criativa. A exposição incidiu sobre réplicas de embarcações da época, instrumentos náuticos, mapas, biografias de navegadores portugueses. A exposição foi um sucesso! Os nossos alunos estão de Parabéns! Rosalina Moura Junho 2020 | 17


acontece ||| Somos Jornal

Visita ao ISCET Na tarde de 21 de Janeiro de 2019, alguns alunos das turmas D, E e F do 11º ano, organizadas em equipas, juntamente com as docentes Adriana Gonçalves, Manuela Azevedo e Paula Rosas e segundo sugestão da professora Emília Cabral, deslocaram-se ao Instituto Superior de Ciências Empresariais e do Turismo (ISCET) no Porto,

Visita a exploração agrícola No dia 18 de outubro de 2018, foi organizada uma visita de estudo à exploração agrícola da D. Gabriela, em Cidadelha, no âmbito das disciplinas de Geografia A, Historia A, Português e MACS, na qual participaram três turmas do curso de línguas e humanidades, do 11º ano. Os alunos e as professoras reuniram-se à entrada da quinta às 08:30h da manhã. De seguida, foi-nos apresentada a quinta pela D. Gabriela, a proprietária. Constatamos que a exploração agrícola era de pequena dimensão. Esta é constituída por uma zona de habitação, uma vacaria, uma eira e campos agrícolas dispersos. (…) Fizemos a desfolhada dançando, cantando, abraçando-se, convivendo…. Acabada a atividade na eira, vistamos a vacaria, onde tivemos oportunidade de contactar com o gado bovino, (em específico as vacas para produção de leite), e conhecer um pouco melhor as suas rotinas, os seus hábitos alimentares, o seu habitat e as condições em que estes animais são criados.

Aprendemos que alimentação das vacas era composta por silagem (cana do milho triturada) e outras matérias-primas em falta no organismo destes animais. Estes produtos são todos triturados e misturados, por vezes esta alimentação pode ser complementada com uma dosagem de palha. Em seguida passamos para o pátio, onde assistimos a dois “workshops”. O primeiro foi bastante prático. Aprendemos um pouco sobre o queijo fresco e os respetivos processos de formação e pudemos também intervir no processo de escoamento da água/soro do queijo e o processo de enformação. Já o segundo foi teórico, aprendemos muito sobre o leite. Foram-nos transmitidas noções que nos faziam falta para discernir a verdade da mentira. Aprendemos que é natural fazer a ordenha duas vezes por dia e que não é um processo doloroso para o animal, que uma vaca confortável e bem alimentada produz mais e que o leite empacotado é totalmente seguro para consumo. Ana Beatriz, Ana Rita, Beatriz Rocha, Bruna Guilherme, Vasco Praça (11ºE)

para participar numa actividade educativa - concurso “À Descoberta de Portugal”. Este concurso consistia na seleção de respostas a questões de escolha múltipla sobre a geografia e o património histórico-cultural do nosso país. Foi uma atividade muito enriquecedora culturalmente, num espírito competitivo e salutar.

Contra a Sida decora esta ideia Iniciativa PRESSE, para comemorar o “Dia Mundial de Luta Contra a Sida-1 de dezembro”, com o objetivo de chamar a atenção para a importância do diagnóstico precoce e incentivar à realização do teste rápido como mais uma forma de prevenção, além do uso do preservativo. A Árvore da Vida decorada de laços vermelhos agrega simbolicamente os múltiplos casos de pessoas que através do diagnóstico precoce deixam de ser um laço isolado e descurado e ganham proteção junto de uma comunidade. Essa comunidade, são outras pessoas nas mesmas circunstâncias “outros laços” mas também ramos e raízes que os sustentam,

18 | Junho 2020

e que representam todos os suportes e estruturas que existem para ajudar a prolongar a vida. Manuela Reis


Somos Jornal ||| acontece

Unidade de apoio ao alto rendimento escolar do AECM

Escola com 25 atletas federados A UAARE do AECM integra 25 alunos-atletas distribuídos por todos os anos de escolaridade (do 5º ao 12º ano), envolvendo 12 modalidades desportivas e integrando 1 aluna-atleta de nível I (com estatuto de alto rendimento), 3 aluno(a)s-atletas de nível II (integram as seleções nacionais) e 21 aluno(a)s-atletas de nível III (com potencial talento desportivo). A equipa pedagógica UAARE, criada para desenvolver planos pedagógicos individuais, em articulação com os conselhos de turma, adaptados às necessidades dos alunos como por exemplo, as ausências escolares ou a sobrecarga de treinos, proporcionando-lhes um ensino e apoio à distância bem como apoio psicológico, é constituída por um psicólogo e 5 docentes. Acresce a este número de docentes mais 4 que foram recrutados para assegurar o acompanhamento pedagógico a todos os alunos que dele necessitavam. Na UAARE do AECM, a professo-

ra acompanhante analisa a situação de cada aluno- atleta UAARE e, em colaboração com a direção do agrupamento, decide sobre as adequações a implementar indo de encontro às especificidades de cada caso e visando sempre criar as melhores condições para que o aluno -atleta possa desenvolver com sucesso a dupla carreira, desportiva e escolar. A UAARE do AECM disponibiliza aos seus alunos, a partir do início do 2º período, uma sala (sala de estudo aprender +) SEAM onde

têm vindo a ser criadas condições de acesso a ambientes virtuais de aprendizagem. Esta sala perspetiva um ambiente de aprendizagem centrado na aprendizagem do aluno-atleta, com um ambiente digital integrado com os espaços de aprendizagem “físicos”. Assim, contempla espaços de trabalho individual, trabalho colaborativo, trabalho informal, trabalho da professora acompanhante e restantes professores, mural e espaço de criação. Nesta sala os

Bandeira Verde Eco-Escola Este galardão reconhece o trabalho desenvolvido pela nossa Escola, no âmbito da Educação Ambiental/ Educação para o Desenvolvimento Sustentável. Assim, no passado dia 17 de fevereiro, pelas 9:30h, a turma do 8ºC representou a Escola na cerimónia do hastear da Bandeira Verde Eco-Escola 2018-2019. Alunos do 8ºC

Junho 2020 | 19

alunos-atletas UAARE recebem apoio pedagógico personalizado e desenvolvem autonomamente os seus estudos, os professores UAARE desenvolvem a sua formação de forma síncrona e assíncrona e promovem-se ações de formação em parceria com o CFAE maiatrofa, sendo que o equipamento foi disponibilizado pelo IPDJ e pela Câmara Municipal da Maia. Maria Manuela Vale (professora acompanhante da UAARE)


acontece ||| Somos Jornal

Quadros de Excelência e de Mérito 1.º ciclo

Quadros de Excelência e de Mérito Nos dias 27 e 29 de novembro teve lugar, no auditório da Escola Secundária do Castêlo da Maia, a cerimónia de entrega dos diplomas aos alunos que integram os Quadros de Excelência e de Mérito e aos que concluíram os seus estudos, no ano letivo

2018/2019. O número de galardoados aumentou, mais uma vez, tendo a cerimónia sido dividida em quatro períodos, durante dois dias: 1.º ciclo, 2.º ciclo, 3.º ciclo, ensino secundário e ensino de adultos EFA e RVCC.

Quadro de Excelência e de Mérito do Secundário

Quadros de Excelência e de Mérito do 1.º ciclo

Tradição e Modernidade

Identidade e Herança Cultural

Quadros de Excelência e de Mérito do 2.º ciclo

XI Gala de Educação A Câmara Municipal da Maia homenageou, no dia 21 de fevereiro, os alunos que se distinguiram pela sua excelência escolar e mérito, no último ano escolar. Do AECM, os alunos para o Prémio de Excelência Escolar foram os seguintes: i) Prémio de Excelência Escolar: Gonçalo Duarte Campos, do 1º ciclo - 4º ano; Inês 20 | Junho 2020

Campos Teixeira, do 2º ciclo - 6º ano; Maria Teles Silva, do 3º ciclo - 9º ano; Sara Margarida Pimenta, do Ensino Secundário - 12º ano; ii) Prémio de Mérito: João Pedro Dias. Os alunos Paulo Monteiro (piano), Lia Barros e Matilde Novais participaram na cerimónia com a interpretação do tema “You raise me up”


Somos Jornal ||| cursos profissionais

Técnico de Cozinha e Pastelaria Um/a profissional capaz de planificar e dirigir os trabalhos de cozinha, preparar e confecionar produtos alimentares e refeições regulares ou num enquadramento de especialidade, respeitando as normas de higiene e segurança alimentar.

Técnico de Gestão e Programação de Sistemas Informáticos

Um/a profissional capaz de realizar de forma autónoma ou integrada numa equipa, atividades de conceção, especificação, projeto, implementação,

Técnico de Desporto

avaliação, suporte e manutenção de sistemas informáticos e de tecnologias de processamento e transmissão de dados e informações.

Um/a profissional capaz de participar no planeamento, na organização e no desenvolvimento do treino de modalidades desportivas, individuais

Técnico de Auxiliar de Saúde Um/a profissional que auxilia na prestação de cuidados de saúde aos utentes, na recolha e transporte de amostras biológicas, na limpeza, higienização e transporte de roupas, materiais e equipamentos, na limpeza e higienização dos espaços e no apoio logístico e administrativo das diferentes unidades e serviços de saúde, sob orientações do profissional de saúde. Junho 2020 | 21

ou coletivas, bem como organizar e dinamizar atividades físicas e desportivas em contexto de ocupação de tempos livres, animação e lazer.


cidadania ||| Somos Jornal

Tertúlia às quintas No seu sexto ano de existência, pretende-se com este projeto um ambiente informal privilegiando sempre a participação do público presente.

Workshop de dança

A tertúlia dialógica é um exercício de escuta igualitária, que acolhe a Inteligência cultural de cada pessoa, permitindo a expressão de todos e garantindo o respeito aos diferentes pontos de vista e aos saberes culturais. Com este projeto pretende-se promover e melhorar a qualidade da relação existente, visando o envolvimento das famílias e tentando mudar mentalidades. Personalidade convidada - jornalista Aurea Miguel

Temas abordados no 1º Período 17 de outubro – Workshop de dança com a participação do professor Jorge Dias 14 de novembro – Personalidade convidada - jornalista Aurea Miguel 5 de dezembro – Concerto de Natal, com a presença da Escola de Música Samuel Santos.

Temas abordados no 2º Período 16 de janeiro – Tertúlia Dialógica “Castêlo: tradição e modernidade”, que contou com a presença de Cristina Ferreira, Rosa Azevedo, João Rothes e Paulo Ramalho. 20 de fevereiro – Mostra de projetos: projetos AECM e Oferta do ensino secundário, com a presença de vários alunos envolvidos nos projetos e nas ofertas formativas.

Concerto de Natal

Tertúlia Dialógica “Castêlo: tradição e modernidade”

22 | Junho 2020


Somos Jornal ||| publicidade

MAIÊUTICA Campus Académico

Ano Letivo 2019/20

OS ALUNOS QUE NÃO CONCLUIRAM O 12º ANO, PODERÃO EVITAR A PERDA DE UM ANO, INSCREVENDO-SE EM UNIDADES CURRICULARES DO CURSO PREFERIDO, SENDO A SUA APROVAÇÃO, CREDITADA, QUANDO REUNIREM AS CONDIÇÕES LEGAIS DE INGRESSO NO ENSINO SUPERIOR.

INSTITUTO UNIVERSITÁRIO DA MAIA

INSTITUTO POLITÉCNICO DA MAIA

Departamento de Ciências da Educação Física e Desporto

Departamento de Ciências Sociais e do Comportamento

TECNOLOGIA E GESTÃO

LICENCIATURAS (1.º CICLO) › Educação Física e Desporto

LICENCIATURAS (1.º CICLO) › Criminologia › Psicologia

CURSOS TÉCNICOS SUPERIORES PROFISSIONAIS - CTeSP

Opções: Ensino da Educação Física; Treino Desportivo; Exercício Físico e Saúde; Atividade Física Adaptada. (Confere grau I de treinador de futebol entre outras modalidades)

› Gestão do Desporto MESTRADOS (2.º CICLO) › Ciências da Eudcação Física e Desporto - Especialização em Exercício Físico e Saúde › Ciências da Eudcação Física e Desporto - Especialização em Treino Desportivo (Confere Grau II/III de treinador de futebol entre outras modalidades )

› Ensino da Educação Física nos Ensinos Básico e Secundário › Gestão do Desporto DOUTORAMENTO (3.º CICLO) › Ciências do Desporto Especialidades: Exercício e Saúde; Rendimento Desportivo

Departamento de Ciências Empresariais LICENCIATURAS (1.º CICLO)

› Energias Renováveis › Gestão de Empresas

Ramos: Justiça Penal; Polícia, Prevenção e Segurança.

› Psicologia Clínica Forense - Intervenção com Agressores e Vítimas › Psicologia Clínica e da Saúde › Psicologia Escolar e da Educação DOUTORAMENTO (3.º CICLO) › Psicologia - Especialidade de Psicologia Clínica › Criminologia (1)

Departamento de Ciências da Comunicação e Tecnologias da Informação LICENCIATURAS (1.º CICLO)

› Arte Multimédia › Ciências da Comunicação

Ramos: Comunicação Organizacional; Jornalismo; Marketing e Publicidade.

› Informática

Opções: Marketing; Finanças; Contabilidade; Gestão Industrial.

› Gestão de Marketing › Gestão de Recursos Humanos › Turismo MESTRADOS (2.º CICLO)

› Gestão de Empresas › Gestão Estratégica de Recursos Humanos › Marketing Ramos: On Corporation; On Consumer.

› Turismo, Património e Desenvolvimento (1)

MESTRADOS (2.º CICLO) › Criminologia

Curso submetido a acreditação prévia à A3ES.

1.º CICLO - LICENCIATURAS › Contabilidade › Desenvolvimento de Jogos Digitais › Gestão da Manutenção e Segurança Industrial › Negócio e Comércio Internacional › Tecnologias de Informação, Web e Multimédia

CURSOS TÉCNICOS SUPERIORES PROFISSIONAIS - CTeSP › Acompanhamento de Crianças e Jovens › Desporto e Turismo de Natureza › Lazer Desportivo › Serviço Familiar e Comunitário › Serviços Jurídicos › Treino Desportivo de Jovens 1.º CICLO - LICENCIATURAS › Desporto, Condição Física e BemEstar › Solicitadoria › Treino Desportivo 2.º CICLO - MESTRADO › Solicitadoria

Ramos: Solicitadoria Empresarial; Solicitadoria de Execução.

Ramos: Computação Móvel; Geoinformática; Gestão; Redes de Nova Geração; Sistemas de Informação Empresariais; Sistemas de Informação e Software.

› Relações Públicas › Tecnologias de Comunicação Multimédia MESTRADO (2.º CICLO)

› Jornalismo em Ambientes Multiplataforma › Tecnologias da Informação, Comunicação e Multimédia

Ramos: Produção Multimédia; Informática; Segurança e Privacidade; Telecomunicações.

INFORMAÇÕES 808 202 214

› Condução de Obra e Reabilitação › Contabilidade e Gestão › Design e Inovação Industrial › Gestão Administrativa de Recursos Humanos › Gestão Comercial e Vendas › Gestão Industrial › Manutenção Industrial › Marketing Digital › Produção Multimédia e Jogos Digitais › Redes e Sistemas Informáticos › Tecnologias e Programação de Sistemas de Informação

CIÊNCIAS SOCIAIS, EDUCAÇÃO E DESPORTO

INFORMAÇÕES www.ismai.pt

fb.com/ismai.pt

info@ismai.pt

808 203 710

Junho 2020 | 23

www.ipmaia.pt

fb.com/ipmaia.pt

info@ipmaia.pt


Edição e Impressão Agrupamento Escolas do Castêlo da Maia Rua Prof Idalina Santos Telhas, Castêlo da Maia 4475-640 Maia

Site:www.aecastelomaia.pt Email: secretaria@aecastelomaia.pt Telefone: 22 982 06 41

O Centro Qualifica do AECM integra a rede Maia Qualific@ O Município da Maia e os diversos parceiros na área da Educação e Formação Profissional assinaram a carta de compromisso da Rede Maia Qualific@, no término do ano letivo anterior. Com este protocolo, o nosso Centro Qualifica (CQ) consolida ainda mais todas as intervenções de carácter regional e sectorial que tem vindo a desenvolver ao longo dos últimos 6 anos de existência, passando a trabalhar em rede de forma ainda mais integrada, com vista ao planeamento estratégico da qualificação escolar e profissional. Sendo um dos elementos constituintes do núcleo executivo da rede e um parceiro estratégico da Agência Nacional de Qualificação e Ensino Profis-

sional (ANQEP), o CQ do AECM está muito comprometido com as pessoas que nos procuram e isso demonstra o quanto este centro entende a aposta no capital humano e da qualificação da sua população como uma aposta estratégica para a competitividade deste território, para a possibilidade de criar emprego, de atrair novos inves-

timentos e para uma cidadania mais plena. Como exemplo prático desta nova realidade, o nosso CQ em parceria com o Instituto de Emprego e Profissional da Maia, implementou um projeto conjunto de escolarização de públicos de baixas qualificações, projeto esse que se espera que tenha carácter de continuidade, e que irá

possibilitar aos envolvidos a aquisição/certificação de competências de nível 1, de modo a “alavancá-los” em ofertas profissionalizantes de nível superior, tendo como objetivo principal o seu reingresso no mercado de trabalho.

Federações Desportivas), os Embaixadores UAARE e as Câmaras Municipais. De todos se espera “participação e compro-

misso colaborativo, sistémico, reflexivo e em rede”.

Daniel Prata (coordenador do CQ)

Unidade de Apoio ao Alto rendimento Escolar – UAARE No presente ano letivo (2019/20) o Agrupamento de escolas do Castelo da Maia passou a ser uma das 19 escolas UAARE, sendo que estas “visam uma articulação eficaz entre os Agrupamentos de Escola, os Encarregados de Educação, as Federações Desportivas e seus Agentes e os Municípios, entre outros interessados, tendo por objetivo conciliar, com sucesso, a atividade escolar com a prática desportiva de alunos/atletas do ensino secundário enquadrados no regime de alto rendimento ou seleções nacionais. Surgem para dar cabal cum-

primento às medidas de apoio previstas para alunos/atletas em Regime de Alto Rendimento ou enquadrados em Seleções Nacionais, plasmadas nos Decretos-Leis n.º 272/2009, de 1 de outubro, e n.º 45/2013, de 5 de abril, respetivamente, bem como para alunos-atletas que revelem potencial talento desportivo (recomendação da EU/2013 sobre carreiras duais).” Destaca-se o processo de conciliação da dupla carreira (desportiva e académica), que envolve os Encarregados de Educação, os Interlocutores Desportivos (indicados pelas

Maria Manuela Vale (professora acompanhante da UAARE)

Profile for nprata

Jornal do AECM | Edição nº 7 | maio/2020  

Jornal do AECM | Edição nº 7 | maio/2020  

Profile for nprata
Advertisement

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded