Page 1

www.novojornal.jor.br

R$ 1,50

Ano 1 / N°178 / Natal, SÁBADO, 19 de junho de 2010 04

RODA VIVA

NA DISPUTA COM A ASSEMBLEIA, GOVERNO IBERÊ GANHA REFRESCO DE 45 DIAS

09

CIDADES

REENCONTRO DE FAMÍLIA ACABA EM ASSALTO E MORTE / VIOLÊNCIA / APOSENTADO BAIANO, QUE JÁ VIVEU NO RN, CONSEGUE REUNIR TODOS OS FILHOS APÓS 17 ANOS E É ASSASSINADO AO REAGIR A ASSALTO EM CASA NA PRAIA DE CAMURUPIM

POLÍTICA

PRUDÊNCIA

ANTES DE PEDIR O VOTO AO ELEITOR

O publicitário Celso Matsuda fez uma advertência ontem aos candidatos ao participar do seminário Democracia e Voto: “Não vale tudo para conseguir o voto”. Ele criticou o uso indevido das ferramentas de marketing e disse que o eleitor agora está mais atento. TIAGO LIMA / NJ

03

14

CULTURA

MORRE SARAMAGO, ÚNICO NOBEL DE LITERATURA DA LÍNGUA PORTUGUESA 16

ESPORTES

LULA PEREIRA VAI TREINAR AMÉRICA Diretoria anuncia contratação de novo treinador e planeja demitir ao menos seis jogadores.

POLÍTICA

11

ESPORTES

ALEMANHA DÁ VEXAME E PERDE PARA SÉRVIA Melhor seleção da primeira rodada, a Alemanha decepcionou. Perdeu de 1 a 0 para a Sérvia, desperdiçou pênalti e artilheiro foi expulso. / PAULO VINÍCIUS COELHO /

PVC diz que encanto com o futebol alemão morreu já no segundo jogo. ESPORTES, 15

CIDADES

JOSÉ DIRCEU PREGA A UNIÃO

PROCURAM-SE DOADORES

Ex-ministro José Dirceu se reúne com base aliada e garante que Iberê e Carlos Eduardo formarão um só palanque para receber Dilma e Lula em Natal.

Doações de medula óssea no RN chegaram a quase 2 mil nos três primeiros meses de 2010. No mesmo período foram realizados três transplantes no Estado.

IVAN CABRAL

▶ Schweinsteiger decepcionou contra Sérvia 15

NEY DOUGLAS / NJ

03

COPA 2010

TOSHIFUMI KITAMURA / AFP / GETTY IMAGES / DIVULGAÇÃO ADIDAS

WWW.IVANCABRAL.COM

/ TOSTÃO /

Segundo Tostão, as seleções africanas são defensivas e fortes, mas pouco talentosas. ESPORTES, 16

15

ESPORTES MICHAEL REGAN / GETTY IMAGES / DIVULGAÇÃO ADIDAS

▶ Rooney e Lampard: que decepção

EMPATE COM ARGÉLIA AMEAÇA CLASSIFICAÇÃO DA INGLATERRA


Últimas 2

Editor Marcos Bezerra

E-mail pauta@novojornal.jor.br

Fones 84 3201.2443 / 3221.3438

/ NOVO JORNAL / NATAL, SÁBADO, 19 DE JUNHO DE 2010

/ ELEIÇÕES /

TSE SUSPENDE PRÓXIMAS INSERÇÕES NA TV DO PSDB HUMBERTO SALES / NJ

/ FICHA LIMPA /

PESQUISA MOSTRA

EXEMPLO FEMININO / LEI SECA / LEVANTAMENTO DOS DOIS ANOS DE VIGÊNCIA DA LEI MOSTRA QUE O PERCENTUAL DE MULHERES QUE DIZEM DIRIGIR APÓS BEBER É MENOR QUE O REGISTRADO ENTRE OS HOMENS ROOSEWELT PINHEIRO/ ABR

AGÊNCIA BRASIL

▶ José Serra, candidato do PSDB AGÊNCIA BRASIL O TRIBUNAL SUPERIOR

Eleitoral (TSE) suspendeu ontem a veiculação das inserções nacionais do PSDB programadas para ir ao ar nos dias 22, 26 e 29 de junho. A decisão é consequência de uma representação do PT contra o PSDB. Segundo denúncia do PT, o conteúdo do programa divulgava “imagem pessoal do candidato já escolhido à Presidência da República pelo próprio PSDB, José Serra”, com a finalidade de “alavancar sua popularidade eleitoral”, incidindo “em manifesto desvio de finalidade”. O corregedor-geral Eleitoral, Aldir Passarinho Junior, deferiu liminar para suspensão imediata das inserções. A assessoria do PSDB ainda não tomou conhecimento da decisão e se pronunciará somente após ter acesso à liminar.

DEPOIS DE DOIS anos de vigência da Lei Seca, um levantamento divulgado ontem pelo Ministério da Saúde mostra que o percentual de homens que declaram dirigir depois de beber é maior do que o de mulheres. Antes da Lei Seca, 4,1% dos homens admitiam dirigir depois de consumir bebidas alcoólicas. Esse percentual caiu para 2,8% logo após a vigência da lei, em junho 2008, mas no ano passado voltou a subir, atingindo 3,3%. Entre as mulheres, manteve-se estável nos últimos três anos, variando entre 0,2% e 0,3%. Para sensibilizar os motoristas sobre os riscos de acidentes, o ministro da Saúde, José Gomes Temporão, pediu a ajuda das mulheres para convencer os homens a não misturar bebida e direção. “É importante a participação das mulheres, cobrando de seus amigos, namorados, parentes, maridos, filhos, netos, sobrinhos. É preciso chamar a turma: você bebeu? Então não dirija!”, disse o ministro ao anunciar os resultados do levantamento, no Rio de Janeiro.

▶ Pesquisa do Ministério da Saúde confirma que o número de motoristas que bebem antes de dirigir caiu de modo geral A pesquisa feita pelo Ministério da Saúde, por telefone, com 54 mil pessoas, confirma que o número de motoristas que dirigem após consumir bebidas alcoólicas, de maneira geral, caiu depois da Lei Seca. Em 2009, o percentual de motoris-

/ APOSENTADOS /

/ 1º TRIMESTRE /

LULA DIZ QUE CONGRESSO TEM ASSUMIR PARTE DO ÔNUS

BANDA LARGA MÓVEL SUPERA A FIXA

FOLHAPRESS O PRESIDENTE LUIZ Inácio

Lula da Silva jogou para o Congresso parte da responsabilidade do ajuste do Orçamento necessário para suportar o reajuste de 7,7% concedido aos aposentados que ganham mais do que um salário mínimo e sinalizou com o corte de emendas parlamentares. “Só sancionei [o aumento] porque os ministros da Fazenda e do Planejamento acertaram comigo um corte no Orçamento equivalente ao custo do aumento do salário [dos aposentados], inclusive corte de emendas parlamentares. Já que eles [congressistas] aprovaram, têm de pagar um pouco do aumento”, disse Lula, em discurso durante a inauguração da siderúrgica CSA, no Rio. Lula disse ainda que “neste momento” - ou seja, no período eleitoral - não quer emitir “nenhum sinal de irresponsabilidade” fiscal. Na quinta-feira, o presidente havia dito que o reajuste concedido para aposentados e pensionistas que ganham acima de um salário mínimo não “empobrecerá” o Brasil. Aprovado pelo Congresso e superior ao defendido pelo governo (7%), o índice de 7,7% foi criticado pela equipe econômica e pelo próprio Lula, que depois mudou de opinião e o sancionou.

FOLHAPRESS PELA PRIMEIRA VEZ,

o número de acessos em alta velocidade à internet por dispositivos sem fio no Brasil superou o volume de acessos fixos no primeiro trimestre deste ano, aponta um levantamento divulgado ontem. Ao final dos três primeiros meses deste ano, o total de acessos à internet por banda larga móvel somou 11,9 milhões, ante 11,8 milhões de acessos fixos, segundo levantamento da consultoria de telecomunicações Teleco em parceria com a fabricante chinesa de equipamentos Huawei. O desempenho do primeiro trimestre marca uma expansão de 70% no número de acessos móveis à internet em alta ve-

locidade em relação aos 7 milhões do final de 2009, segundo o levantamento. Foram 4,9 milhões de novos acessos de banda larga móvel no primeiro trimestre. O levantamento aponta que o crescimento foi puxado pelos celulares 3G. O restante dos acessos de banda larga móvel são modems, usados em notebooks e outros computadores. Enquanto isso, a base de linhas fixas de banda larga cresceu apenas 3,5% na comparação com os 11,4 milhões do ano passado. A consultoria reviu suas estimativas para 2010 para um total de 18 milhões de acessos móveis e 13 milhões de fixos, ante previsão anterior de 15 milhões de acessos em banda larga móvel e 14 milhões por redes fixas neste ano.

/ CONCURSOS /

GOVERNO VAI PROPOR MEDIDAS MAIS RÍGIDAS AGÊNCIA BRASIL O GOVERNO CRIOU

ontem um grupo de trabalho que vai propor, em 30 dias, medidas adicionais de segurança nos concursos públicos com o objetivo de garantir maior lisura e transparência dos processos seletivos. A medida foi anunciada pelo ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, depois de a Polícia Federal desarticular uma quadrilha que fraudava concursos públicos no país há 16 anos. A Operação Tormenta, da Polícia Federal, levou para a cadeia, na última quarta-feira, doze pessoas suspeitas de integrar a quadrilha. Os exames da Ordem dos Ad-

vogados do Brasil (OAB) e concursos para auditor fiscal da Receita Federal estão entre os possíveis alvos dos fraudadores. Os envolvidos serão indiciados por formação de quadrilha, quebra de sigilo funcional, estelionato, receptação e falsificação de documentos públicos. Na quinta-feira, o presidente da OAB, Ophir Cavalcante, disse que o Estado deve se mobilizar para evitar que novas falhas aconteçam. “É importante que o Estado brasileiro reaja, que a partir dessa situação sejam criados mecanismos que possam melhorar cada vez mais o índice de segurança de todo processo seletivo”.

tas com esse comportamento (entre homens e mulheres) era de 1,7%, acima do índice de 1,4% registrado em 2008, mas abaixo do índice identificado em 2007, de 2,1%, quando ainda não havia limites estabelecidos de ingestão de álcool.

A pesquisa também mostra que os adultos costumam misturar bebida e direção mais do que os jovens. Entre os motoristas de 25 a 34 anos, o percentual é de 2,1%; e de 2% entre os motoristas de 35 a 44 anos. Entre os jovens de 18 a 24 anos, esse percentual é de 1,8%.

TRIBUNAIS ESTUDAM COMO ATENDER NOVA LEI FOLHAPRESS O ENTENDIMENTO INICIAL

de alguns ministros do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) de que as condenações dos políticos sejam verificadas no momento do registro da candidatura ainda é alvo de controvérsia nos Estados. De 10 TREs (Tribunais Regionais Eleitorais) consultados, seis disseram que vão cumprir a medida; em outros quatro, ainda não há posicionamento definido sobre como a verificação das candidaturas será cumprida. O TRE-SP afirmou que qualquer manifestação oficial teria de ser feita pelo presidente do tribunal, que está em viagem. A assessoria de comunicação, porém, informou que a Lei da Ficha Limpa não altera os procedimentos da corte no que se refere ao registro de candidaturas. Os documentos exigidos continuam sendo os mesmos, dentre eles as certidões fornecidas pelas Justiças Eleitoral, Federal e Estadual. Em tese, qualquer condenação que houver no território nacional deverá constar de um desses três documentos.


Política

Editor Viktor Vidal

E-mail politica@novojornal.jor.br

Fones 84 3201.2443 / 3221.3438

NATAL, SÁBADO, 19 DE JUNHO DE 2010 / NOVO JORNAL /

3

PROPAGANDA SEM ENGANAÇÃO / SEMINÁRIO / PROFESSOR DA USP CRITICA USO INDEVIDO DE MARKETING POLÍTICO NA CAMPANHA ELEITORAL

NEY DOUGLAS / NJ

ALEXIS PEIXOTO DO NOVO JORNAL

O PUBLICITÁRIO E

professor-doutor pela Universidade de São Paulo (USP), Celso Matsuda, criticou o uso indevido das ferramentas de marketing político na conquista de votos dentro do processo eleitoral. Para o professor, que participou de debate no Seminário Político-Eleitoral Democracia e Voto na manhã de ontem, no auditório da Fiern, o eleitorado está cada vez mais atento a atitudes como o uso de propaganda eleitoral antecipada e outras infrações da legislação eleitoral. “Não vale tudo para conseguir o voto. É preciso seguir o que a legislação eleitoral prevê. Infelizmente, ainda não existe um Código de Defesa do Eleitor, assim como temos o Código do Consumidor. Mas acredito que a população está cada vez mais atenta a essas transgressões. Vide a aprovação do projeto Ficha Limpa, que partiu de uma iniciativa popular”, apontou durante a palestra. Dentro da programação do seminário, uma realização do portal Nominuto.com em parceria com o NOVO JORNAL, Matsuda participou de uma discussão sobre o uso do marketing político na conquista de votos na campanha eleitoral. Durante o debate, mediado pelo publicitário Arturo Arruda e que também contou com a participação do senador Garibaldi Alves Filho, Matsuda expôs alguns dos fatores que con-

sidera determinantes na construção da imagem política durante uma campanha. Apesar de defender a importância das estratégias de marketing, o professor salientou que a propaganda por si só não é suficiente para garantir a vitória nas urnas. “A propaganda serve para projetar a imagem de um político, tem que estar fundamentada em um discurso. O marketing por si só não faz o candidato”, afirmou. Segundo Matsuda, um dos pontos imprescindíveis para o êxito de uma campanha política é o conhecimento do eleitorado. Nesse sentido, a internet pode ser uma ferramenta decisiva, principalmente a partir do uso das redes sociais como twitter, facebook, YouTube além de um boa página oficial. Em conjunto com outras formas de mídia a rede pode ser uma maneira eficiente de se aprofundar nos critérios de segmentação do público alvo, levando em conta fatores como nível de escolaridade, domicílio e faixa etária, para depois direcionar o discurso para os segmentos que lhe dão maior credibilidade. “O candidato precisa conhecer o seu público alvo. Acredito que a melhor forma de campanha é apertar a mão do eleitor, mas como não é possível fazer isso com milhares de pessoas, a internet pode ser uma boa ferramenta, desde que aliada a outras mídias no esforço de passar a mesma mensagem”, afirmou Matsuda.

É PRECISO SEGUIR O QUE A LEGISLAÇÃO ELEITORAL PREVÊ. INFELIZMENTE, AINDA NÃO EXISTE UM CÓDIGO DE DEFESA DO ELEITOR” Celso Matsuda Professor da USP

▶ Matsuda apresenta palestra, acompanhado na mesa do publicitáiro Arturo Arruda e o senador Garibaldi Filho

FICHA LIMPA É DISCUTIDA NO EVENTO A aprovação do projeto Ficha Limpa e a sua aplicação no pleito de 2010 também foi um dos assuntos discutidos dentro da programação do seminário na manhã de ontem. Durante a

mesa de debates sobre o tema, o advogado especialista em Direito Eleitoral Erick Pereira disse que o projeto irá mudar a realidade das eleições em vários segmentos.

“A matéria tem que ser discutida e pronunciada pelo poder judiciário, mas os candidatos precisam ter muito cuidado no comportamento a partir de agora com a plenitude do Ficha Limpa”, destacou o advogado. A mesa também contou com a participação do subprocurador geral da República, Edilson França e do juiz federal Marco Bru-

no. O juiz defendeu a legitimidade do projeto, enfatizando a origem da lei por meio da iniciativa popular. “Eu vejo o Ficha Limpa com bons olhos por ser um projeto de iniciativa popular. É uma chance de acabar com a discussão que existia nas eleições passadas sobre a possibilidade de condenados na Justiça sejam candidatos”, afirmou.

/ APOIO /

Carlos Eduardo ou Iberê: o importante é fazer palanque para Dilma Rousseff TIAGO LIMA / NJ

TIAGO LIMA / NJ

LUANA FERREIRA DO NOVO JORNAL

O EX-MINISTRO JOSÉ

É IMPORTANTE PRA NÓS PASSAR DO PRIMEIRO TURNO E TENTAR MANTER O QUE NÓS TEMOS JÁ HÁ OITO ANOS AQUI” José Dirceu Ex-ministro

Dirceu afirmou ontem que o governador Iberê Ferreira (PSB) e o ex-prefeito Carlos Eduardo (PDT) estão “no mesmo campo político” de Lula e da ex-ministra Dilma Rousseff e formarão um só palanque para receber as duas figuras nacionais do PT. Ele negou que a base aliada esteja dividida no Rio Grande do Norte porque, em caso de segundo turno, a tendência é de união das duas chapas. “Eles são candidatos que têm o apoio do presidente Lula e da ministra Dilma. A ex-governadora Wilma de Faria e Iberê Ferreira estão absolutamente tranquilos quanto a isso: eles consideram que estão no mesmo campo político (de Carlos Eduardo). Vão disputar a eleição, mas não há nenhuma hostilidade, nenhum impedimento”, disse, em entrevista ao NOVO JORNAL. O ex-ministro também afirmou que o PDT é considerado um partido “decisivo” no plano nacional para o sucesso do governo Lula. “Lula vai participar do meu e do dele. O palanque dele (Lula) aqui são dois, e quando vier, junta os dois”, explicou Carlos Eduardo. A declaração do ex-ministro, que voltou à direção do PT ano passado, depois de ter seu mandato de deputado federal cassado em 2005, vai de encontro ao que a exgovernadora Wilma de Faria (PSB) disse semana passada, de que o presidente Lula teria só participaria da campanha de Iberê Ferreira. O apoio à candidatura de Carlos Eduardo, entretanto, será ape-

▶ Carlos Eduardo, Álvaro Dias e Fernando Mineiro na mesa com Dirceu nas no campo informal ou nos comícios. Como o PT se coligará com o PSB, Lula não poderá aparecer nas propagandas de rádio e TV – o chamado palanque eletrônico - do candidato do PDT. José Dirceu veio a Natal quinta-feira abrir o Seminário Político Eleitoral, realizado pelo portal Nominuto.com em parceria com o NOVO JORNAL. Ontem, ele tomou café da manhã com o governador da residência oficial e depois conversou com Carlos Eduardo na sede do PDT. Também se reuniu com os líderes do PT.

CONTINUIDADE

O ex-ministro defendeu a tese de que o projeto local da base aliada ganha ao possuir dois candidatos. “Isso não é uma questão porque tem segundo turno, e inclu-

sive facilita o segundo turno. É importante pra nós passar do primeiro turno e tentar manter o que nós temos já há oito anos aqui, e é o que Iberê Ferreira representa”, afirmou, para depois negar que acredite em um favoritismo do governador sobre o candidato do PDT. “Isso é o eleitorado quem vai dizer”. Ele também defendeu a capacidade de transferência de votos de Lula para os dois candidatos e disse que o desafio deles é levar o suposto favoritismo das forças de ambos na capital para o interior. Dirceu afirmou que no segundo turno o PT vai lutar para reunir os partidos que ficaram divididos na composição atual, como o PR e o PMDB (que permaneceram independentes na chapa para governador).

MIGUEL MOSSORÓ FAZ PROPOSTA AO PDT Enquanto José Dirceu conversava com o ex-prefeito Carlos Eduardo e o deputado estadual Fernando Mineiro a portas fechadas, o sargento aposentado Miguel Mossoró chegou à sede do PDT para fazer uma proposta a Carlos Eduardo: oferecer o apoio do PTC à campanha a governador do exprefeito, desde que ele encampasse a sua a deputado estadual. “Ou é PTC com Carlos Eduardo ou é Miguel Mossoró para governador”, resumiu. Ele disse que não há mais possibilidade de o partido se coligar com o PSB partido em que investiu semanas atrás. “Cansei de esperar pela resposta”. A Carlos Eduardo, Miguel Mos-

soró ofereceu a força dos “cerca de 300” filiados na capital e “cerca de 2000” no interior e, o principal: seu 1min32seg nas propagandas gratuitas de rádio e TV. Miguel Mossoró é presidente do PTC desde 2003, tem 71 anos e já concorreu duas vezes a prefeito de Natal. O partido, que de acordo com o sargento tem 67 diretórios municipais espalhados pelo RN, conseguiu eleger apenas dois vereadores em 2008, mas os dois migraram para outras legendas. Há duas semanas, a sede do PTC mudou da casa de Mossoró para uma sede própria, na Hermes da Fonseca. Mas é impossível identificar o local à noite: diariamente, antes de sair, o presidente estadual recolhe a bandeira do partido com medo de que ela seja levada pela roubalheira que domina a cidade.


Opinião 4

Editor Franklin Jorge

E-mail opiniao@novojornal.jor.br

Fones 84 3201.2443 / 3221.3438

/ NOVO JORNAL / NATAL, SÁBADO, 19 DE JUNHO DE 2010

Editorial A folia no ventilador ▶ rodaviva@novojornal.jor.br

ENFRENTAMENTO

PROCURA-SE UM LARANJA A

Quem ganhou e quem perdeu no enfrentamento do Legislativo e Executivo até a votação do remanejamento do Orçamento? Mais uma vitória do Executivo. Menos por ter conseguido aprovar sua proposta ou do uso dos meios de comunicação de massa para atacar outro Poder. A maior vitória do Governo Iberê foi, durante 45 dias, ter uma pronta desculpa para qualquer demanda financeira (do pagamento de atrasados a parcela de convênios): Só depois da Assembléia aprovar o remanejamento. O remanejamento está aprovado. Agora o Secretário de Planejamento disse que vai estudar como serão postas em dias as pendências acumuladas. Só faltam 108 dias para a eleição. Quando começou o nhémnhém-nhém faltavam 153. A Assembléia, desta vez, conseguiu não aparecer como vilã na história. Uma pequena grande vitória.

A primeira rodada de tomada de depoimentos no processo do escândalo do Foliaduto deixou a impressão para ara muitos observadores que pode pintar um laranja para assuumir toda a responsabilidade pela transformação de mais de R$ 2 milhões de recursos públicos, recebidos na boca do caixa, em fumaça. O comportamento do Sr. Ítalo Alencar Gurgel, ex-coordenador do Gabinete do Governador e apresentado como principal operador do esquema fraudulento, inicialmente não mexendo uma palha na sua defesa, pode ter dado essa impressão. Impressão fortalecida na tomada de depoimentos das testemunhas de defesa, quando ficou evidente um movimento para transferirlhe toda a responsabilidade pelo escândalo. Porém, a reação dele, depois dos depoimentos das testemunhas da defesa, mostra que para ser o laranja, ele está necessitando de novos argumentos O aparecimento de “laranjas”, que assumem por crimes que não cometeram, é fato corriqueiro na comunidade prisional, onde as associações criminosas preservam seus líderes, escalando elementos de menor expressão para assumir a responsabilidade por seus crimes, notadamente aqueles de maior repercussão pública. Na atividade política, essa prática não é desconhecida. E mesmo se o Sr. Ítalo Gurgel assumisse toda a responsabilidade pelo Foliaduto, uma vez que ele está na situação mais complicada por ter recebido o dinheiro na boca do caixa e lhe dado destino, nem assim dava para acreditar que ele tivesse poder para agir, como agiu, sem o conhecimento - e a concordância de toda a cadeia hierárquica, inclusive da governadora do Estado, que ainda não figura nominalmente no processo do Foliaduto. Nesse caso, existe um outro aspecto que pode dar uma nova dimensão ao fato escandaloso: Este escândalo não se resume a alguém que pegou um dinheiro e depois não prestou contas corretamente. Não! O mais grave, é mapear o funcionamento da engrenagem que permitiu esse grave delito, subvertendo toda a ordem administrativa, passando por cima de rotinas do serviço público, reduzindo prazos e tratando recursos públicos com mecanismos de controle dignos de um camelô que vende água de côco na praia. Certamente o coordenador do Gabinete Civil do Governador não tem poder para tomar decisões “ad referendum” do Conselho de Desenvolvimento Econômico, um colegiado criado exatamente para dar ao governante o controle sobre os gastos públicos, em casos excepcionais. Quem entende o funcionamento da máquina governamental, garante que o Foliaduto é a uma grande exceção dentro da excepcionalidade. Depois de quatro anos adormecido, o processo do escândalo – um dos maiores da história da administração estadual - chega à Justiça permitindo que os suspeitos tenham amplo direito de defesa e os responsáveis possam se defender efetivamente, sem as velhas respostas evasivas que bastavam para contentar uma mídia controlada. A campanha eleitoral pode complementar o trabalho da Justiça, num tempo em que todo mundo exige ficha limpa dos candidatos. Mais do que um papel, ficha limpa é não deixar dúvidas na cabeça do eleitor, sobretudo quando existem processos tramitando na Justiça com responsabilidades a apurar.

CONVOCAÇÃO

A Prefeitura de Natal está convocando por edital 27 aprovados num processo seletivo para 19 facilitadores da Secretaria de Assistência Social, os facilitadores vão atuar como mestre de capoeira, dança, esporte e lazer, artes visuais ou teatro. Além desses estão sendo convocados seis orientadores sociais.

Depois de anos entocada, a revista cultural “Preá”, da Fundação José Augusto, vai reaparecer, com o seu número 22, na noite de hoje, na praça principal da cidade de Arez, dentro da programação junina. O tema principal da edição, gerida por Mary Land Brito, é “Nas pegadas de Lampião”, contando com textos de Vicente Serejo, Silvio Santiago e Yasmine Lemos. A revista publica uma entrevista com Pedro Grilo e reportagem com Dona Militana.

HUMBERTO SALES / NJ

A VOLTA DA PREÁ

A liderança para mim é uma trincheira e um soldado não abandona sua trincheira” DO LÍDER DO PMDB NA ASSEMBLEIA, DEPUTADO JOSÉ DIAS.

SALA DE SITUAÇÃO

BUSCA DE UM LARANJA

Não é apenas por aqui que se está em busca de um “laranja”. No Rio de Janeiro, para se acertar com o ex-prefeito César Maia, os tucanos decidiram lançar a candidatura de Sílvio Lopes, um político do interior para o Senado. A imprensa classifica Sílvio como candidato-laranja.

O governador Iberê Ferreira de Souza baixou decreto instituindo a “Sala de Situação” com o objetivo de acompanhar de forma sistemática a Agenda Estratégica do Governo, mediante a adoção de sete rotinas. A sala, na verdade, é um comitê presidido pelo Chefe da Casa Civil e formado por representantes da Secretaria do Planejamento, Procuradoria Geral do Estado e Controladoria Geral do Estado.

TWITTER ELEITORAL Dois usuários da rede social twitter como mecanismo de comunicação com o eleitorado, o senador José Agripino e o deputado Fábio Faria, vão apresentar suas próprias experiências, hoje, no Seminário Democracia & Voto . Os dois foram dos primeiros políticos brasileiros a utilizarem essa ferramenta, cada vez mais usada por candidatos e assessores.

NOVIDADE NA ASSEMBLÉIA

A Assembléia Legislativa tem novidade na próxima semana. O médico Salismar Correia, que atua no eixo Pau dos Ferros-São Miguel, assume o mandato no lugar do deputado Arlindo Dantas (PHS), nomeado Secretário Extraordinário para Articulação com o Legiuslativo e Assuntos de Governo.

SEM CHÃO

A prefeita Micarla de Sousa baixou decreto determinando a remissão total de crédito tributário decorrente da incidência de taxa de licença sobre a ocupação de área para a promoção de eventos, sem fins lucrativos, destinados a promover manifestações de interesse cultural. No Popular: a Prefeitura deixará de cobrar “o chão” dos arraiás que vão se multiplicar pela cidade.

PRESENÇA INCÔMODA

O desempenho do deputado José Dias como Líder do PMDB na Assembléia Legislativa, sobretudo a vigilância que tem exercido nas ações do Governo, começa a incomodar a cúpula partidária. Já são visíveis os sinais de que se está tentando um processo de fritura de Dias, que vai resistindo. Pelo menos até a eleição.

JOVENS NA FEIRA.

O grupo Junior Achievement realiza, hoje e amanhã, no Natal Shopping, a 9ª Feira de Miniempresas, contando com a participação de estudantes da UFRN, IFRN e mais cinco escolas de Natal que poderão mostrar o seu espírito empreendedor, desenvolvido ao longo de 15 semanas e materializado na Feira.

TREM DO FORRÓ

Hoje é dia do trem do Forró, já na sua sexta edição. O comboio sai da Estação da Ribeira, às 17.30 h, com destino a Ceará-Mirim, parando em Extremoz. O evento se repete todo sábado de junho. Hoje, contando com a presença do Prefeito de Ceará-Mirim, Antônio Peixoto.

ZUM ZUM ZUM ▶

Hoje completa 72 horas da aprovação do remanejamento do Orçamento e o pessoal do Programa do Leite ainda não viu a cor do dinheiro atrasado. ▶ Zé Agripino vai, hoje, a Pau dos Ferros, depois de participar do seminário Democracia & Voto. Lá, tem show do sertanejo Leonardo. ▶ No Praia Shopping, hoje, tem Lis Rosa cantando Chico Buarque.

A jornalista Rejane Serejo pediu exoneração do cargo de Assessor Especial do Governo. O posto está sendo transformado em Secretaria Extraordinária. ▶ Carlos Eduardo Alves pega a estrada. Vai hoje a Areia Branca, Jardim do Seridó e Caicó. ▶ Hoje tem o 2º São João do Lógico, Cursos Aliados, com quadrilha, comidas típicas e muito forró.

▶ A deputada Fátima Bezerra participa do Encontro do PT do Seridó, em Caicó, e vai a Mossoró assistir o espetáculo “Chuva de balas”. ▶ Como diria o mestre Zózimo Barrozo do Amaral: “ E a Alemanha, hein!” ▶ A Corrida Batalha Naval de Riachuelo larga hoje, às 8 h, no Hotrel Imirá e termina oito quilômetros depois, no Forte dos Reis Magos.

▶ O Espaço Infantil Primeiros Passos faz sua festa junina na tarde de hoje, no ginásio de esportes do CEI na Romualdo Galvão. ▶ Hoje completa 35 anos que era criada a Casa do Trabalhador, em Natal. ▶ Acontece hoje o Arraiá da ABO, a partir das 18 h, na nova sede da entidade na av. Jaguarari (próximo ao condomínio Green Village).

Dentro dessa barafunda em que se transformou a investigação batizada de Foliaduto chama a atenção agora o jogo de empurra envolvendo dois auxiliares diretos da ex-governadora Wilma de Faria, um de maior patente que o outro, mas ambos lotados no mesmo setor: o ex-secretário adjunto do Gabinete Civil, Carlos Castim, que foi também secretário de Segurança no mesmo governo, e o ex-coordenador do Gabinete Civil, Italo Gurgel, apontado como executor do esquema, que consistia em pagar, e muito, por shows que não foram realizados. A estimativa do Ministério Público é que teriam sido desviados mais de R$ 2 milhões por meio do Foliaduto, entre o final de 2005 e o início de 2006. A série de depoimentos das testemunhas de defesa, realizada na quarta-feira passada, deixou claro para os promotores que investigam o esquema que a tática é “blindar” o ex-chefe do Gabinete Civil na época do escândalo, Carlos Faria, irmão da ex-governadora. O Ministério Público aponta-o como mentor do esquema; sendo Italo o executor. Da lavagem de roupa suja a que se assiste, com Carlos Castim acusando Italo Gurgel e este prometendo ingressar na Justiça para provar que os atos ilícitos eram comandados pelo próprio Castim, ressalta a impressão de como era precária a utilização dos instrumentos que poderiam dar segurança jurídica aos procedimentos do governo. Não fosse um deslize na hora de publicar no Diário Oficial a relação das cidades “beneficiadas” com os shows (com o objetivo de tentar “legalizar” a irregularidade), até hoje o caso, provavelmente, estaria nas sombras. Se no começo as autoridades insistiam em negar o Foliaduto, atribuindo o episódio a intrigas de natureza política, hoje ninguém mais o contesta, tantas as evidências listadas pelo Ministério Público. Como não se pode mais negar, passase então a tentar dirigir a responsabilidade, ou diluir a culpa. Dá no que se está vendo – muita “folia no ventilador”, como registrou no título reportagem deste jornal A Justiça ainda cumprirá algumas etapas antes de julgar o caso - e dizer que é culpado e inocente - , mas essa é uma boa hora para se fazer uma análise de como os procedimentos jurídicos do governo são aplicados. A lei é rigorosa ao exigir a publicação de editais, a edição de portarias e de decretos. Resta claro que tentar driblá-los, ainda que em nome de uma astúcia momentânea, pode custar caro. Se há algo que pode ser festejado em meio a esse barraco do Foliaduto é a certeza de que a sociedade já está preparada para descobrir irregularidades e cobrar na Justiça pela punição.

Artigo MARCOS BEZERRA Editor de Esportes ▶ marcosbezerra@novojornal.jor.br

Vuvuzelando O mundo foi apresentado às vuvuzelas na Copa da Confederações, ano passado. Desde então, imagino que ninguém tenha gostado. Eu particularmente detestei. É uma coisa estranha. Do começo ao fim aquele zumbido acompanhando a narração enfadonha de algum figurão da TV brasileira - não tenho TV por assinatura. Desenvolvi até uma técnica para o primeiro jogo da manhã. Como trabalho até tarde, escuto a narração por baixo do sono e, inevitavelmente, desperto quando o narrador sobe o tom da voz em algum lance mais perigoso ou gol. Quando o jogo é mais interessante, o jeito é enfrentar as vuvuzelas. Antes de encarar o teclado do computador estava assistindo a poderosa Alemanha cair diante da Sérvia. Os comentários do meia Petkovic, do Flamengo, ajudaram. Nada como ter alguém que conheçe o futebol do país e os atletas que estão em campo - em alguns jogos os comentaristas fingem entender o que muda quando o técnico substitui um desconhecido por outro igualmente desconhecido. O time é bom demais! O da Alemanha. Mesmo com um a menos; Klose foi expulso num lance besta - deve ter sido reza de Ronaldo dito fenômeno para continuar sendo o maior artilheiro da história das Copas -, a turma de Joaquim Löw dominou completamente a partida e só não conseguiu pelo menos o empate porque Podolski perdeu um pênalti. O gol Sérvio parecia obra do Botafogo de Joel Santana e Loco Abreu. Zigic, de 2,02m, ajeitou de cabeça e Jovanovic fez. Os alemães perderam uma carrada de gols e a turma dos Bálcãs ainda mandou duas na trave. Aí termina o jogo e fico aliviado pela vitória Sérvia - mania de torcer pelo mais fraco. Mas o alívio, percebo, vem também de outro fato: acabou o zumbido estressante das vuvuzelas. A França chegou a culpar o barulho pelo fraco desempenho na estreia; parece que foi pior no jogo contra o México - merci beaucoup e um au revoir quase certo já na primeira fase da Copa. A Fifa defendeu a cultura popular africana, sem levar em conta que as benditas cornetas foram introduzidas nos estádios do país há apenas nove anos. Nada mais do barulho da torcida, da pancada seca na bola, do que alguém na blogosfera chamou de humanidade das arquibancadas. Um locutor famoso da Rádio Globo, se não me engano José Carlos Araújo, costumava narrar os lances perigosos com: “E a galera fez uuhh!” Nos estádios da África do Sul, a galera gritou o que mesmo? Pior, daqui mais um tempo, todos eles terão esquecido o que é um grito de torcida, na verdade, nem mesmo poderão ouvir um... Estarão todos surdos.


▶ POLÍTICA ◀

NATAL, SÁBADO, 19 DE JUNHO DE 2010 / NOVO JORNAL /

Painel RENATA LO PRETE Da Folha de São Paulo

NOVA ÉTICA

painel@uol.com.br

Zona de risco Exame preliminar da Lei da Ficha Limpa indica que, se aplicada sem exceção, a nova regra abalará mais palanques de José Serra (PSDB) do que de Dilma Rousseff (PT). A lista de possíveis baixas do lado dele começa no Maranhão, onde o nome para enfrentar o clã Sarney e o PT seria o do ex-governador Jackson Lago (PDT). Também estão impedidos, em princípio, Joaquim Roriz (PSC) no Distrito Federal e Expedito Filho (PSDB) em Rondônia. Há ainda a Paraíba, onde, sem aliado disputando o governo, Serra se apoia na candidatura ao Senado de Cássio Cunha Lima (PSDB), outro pendurado. Para Dilma, a perda mais significativa seria Anthony Garotinho (PR) no Rio.

CENÁRIOS 1 O PSDB tem esperanças de que Lago consiga confirmar sua candidatura na Justiça, porque já cumpriu ‘pena’. Por ora, o partido vê com muito receio a possibilidade de aproximação com Flávio Dino (PC do B) no Maranhão. Avalia-se que Serra não pode subir num palanque cujo candidato declara voto para Dilma.

CENÁRIOS 2

No Distrito Federal, os tucanos delegaram a Maria de Lourdes Abadia a tarefa de montar um palanque sem Joaquim Roriz (PSC). Ela quer o Senado, mas, se não houver alternativa, pode virar cabeça da chapa para dar palanque a Serra.

CUSTO...

Não foi tanto a mudança proposta pelo PSDB no palanque do Rio que incomodou DEM e PPS, mas sim o modus operandi. As duas siglas alegam que o desenho inicial da chapa, com um tucano na vice de Fernando Gabeira (PV) e o PPS com um nome para o Senado, foi proposto pelo PSDB, que mudou de ideia na undécima hora.

...E BENEFÍCIO

‘É muita espuma por nada’, afirma um dos inconformados, referindose ao tempo inferior a um minuto de televisão que Serra ganhará caso a coligação tenha um tucano como candidato ao Senado.

VADE RETRO

De Eduardo Pinho Moreira, a quem a direção nacional do PMDB ameaça impedir de apoiar o candidato do DEM, golpeando Michel Temer no Twitter: ‘São Paulo tem 70 depu-

5

tados federais, e o PMDB elegeu três. Santa Catarina tem 16, e o PMDB elegeu cinco. E ainda quer vir nos ensinar? Fica na Europa!’.

SE LIGA

O presidente do DEM, Rodrigo Maia, disse pelo telefone a Roseana Sarney (PMDB) que, depois do ocorrido em Santa Catarina, não tem como evitar que os ‘demos’ retirem o apoio à sua reeleição no Maranhão. Ela protestou: ‘Mas eu que vou ter de pagar esse preço?’. E Maia: ‘Cobra do PMDB’.

SEM ALARDE

Embora no Paraná Osmar Dias (PDT) pareça ter finalmente decidido apoiar os tucanos, estes desistiram de promover um grande evento para festejar a aliança. Querem evitar atrito de Osmar com seu partido, aliado nacionalmente ao PT.

TENHO DITO

Na convenção que lançará Beto Richa ao governo, hoje, Gustavo Fruet manifestará voto contrário à aliança PSDB-PP no Paraná. O deputado queria disputar o Senado. A vaga ficou com Ricardo Barros (PP).

TOBOÁGUA

Geddel Vieira Lima (PMDB), que esperou Dilma voltar da Europa para lançar sua candidatura ao governo da Bahia, fará a convenção desta segunda no Wet’n Wild de Salvador.

VISITA À FOLHA

Antonio Anastasia (PSDB), governador de Minas Gerais e candidato a esse cargo, visitou ontem a Folha, a convite do jornal, onde foi recebido em almoço. Estava com Hugo Teixeira, assessor de imprensa.

TIROTEIO O programa do PSDB mostrou um Serra que não existe, além de colocar FHC e o número do partido na clandestinidade. Do DEPUTADO FERNANDO FERRO (PT-PE), sobre a propaganda partidária dos tucanos, exibida na noite de anteontem.

CONTRAPONTO DOIS PRA LÁ Pouco antes de ser anunciado candidato único do consórcio PMDB-PT ao governo de Minas, na semana passada, o peemedebista Hélio Costa deu de cara com o petista Fernando Pimentel, que também disputava a vaga, num corredor do Senado. Os dois se cumprimentaram polidamente diante da imprensa e passaram a caminhar juntos, o que levou um repórter a perguntar: - Vocês combinaram? - Combinamos, mas não cronometramos - brincou Costa, àquela altura já muito bem humorado.

PARTIDÁRIA / MUDANÇA / LEI DA FICHA LIMPA FORÇARÁ OS PARTIDOS A REVEREM OS CÓDIGOS DE ÉTICA E SEREM RIGOROSOS COM AS INDICAÇÕES DE CANDIDATOS NELSON JR. / ASICSTSE

FOLHAPRESS A DECISÃO DO Tribunal Superior Eleitoral (TSE) de que a Lei da Ficha Limpa vale para condenações passadas forçará os partidos a reverem os códigos de ética e serem rigorosos com as indicações de candidatos. Essa avaliação foi feita por parlamentares de vários partidos. As informações são da Agência Brasil. O líder do governo na Câmara, deputado Cândido Vaccarezza (PT-SP), entretanto, discorda. Apesar de descartar a possibilidade de o PT questionar no Supremo Tribunal Federal (STF) a decisão do TSE, o deputado considera que ocorrerão iniciativas nesta direção. Vaccarezza defende a tese de que qualquer legislação não pode retroagir para prejudicar alguém. “Tenho dúvidas se a decisão do TSE tem embasamento legal, por retroagir e por ser uma norma que não seguiu o principal da anualidade’’, afirmou o líder do governo. Perguntado sobre uma possível revisão, pelos partidos, de seus códigos de ética, Cândido Vaccarezza disse que não acredita que isso ocorra. Ele destacou que esta é uma iniciativa interna de cada partido e, no caso do PT, “se uma candidatura for impugnada, caberá ao partido recorrer ou colocar outra pessoa no lugar [do candida-

▶ Ricardo Lewandowski, presidente do TSE to impugnado]’’. Já o senador Antônio Carlos Júnior (DEM-BA) considera que haverá, sim, um cuidado maior dos partidos nas indicações para disputas de cargos eletivos. O parlamentar reconheceu que esta não será uma tarefa fácil e, por isso, a decisão do TSE torna-se ainda mais importante. “O

ideal seria que os partidos tivessem um código de ética para evitar problemas futuros. Como sabemos que isso não é fácil, a nova lei cria as condições [para evitar a eleição de candidatos condenados pela Justiça]’’, disse o senador. O maior rigor nas indicações dos candidatos, no entanto, é um caminho sem volta, acrescen-

tou o senador do DEM. Ele disse que, mais adiante, os partidos “terão que se educar’’ para buscar padrões éticos desejados pela sociedade. O vice-líder do PSDB, senador Álvaro Dias (PR), também considerou esta uma “consequência natural’’ imposta pela nova legislação. “Se os partidos não adotarem uma postura mais rígida, candidaturas serão impugnadas uma vez que, até o momento, havia candidaturas elegíveis que, agora, tornaram-se inelegíveis’’. Álvaro Dias acredita que os Tribunais Regionais Eleitorais e o próprio TSE receberão um “volume excessivo’’ de pedidos de impugnações por parte de coligações e candidatos adversários. Por isso, o senador ponderou que o TSE terá que ser ágil na análise dos pedidos para evitar que, com eventuais eleições de candidatos com ficha suja, seja criado um vácuo de poder. O peemedebista Pedro Simon (RS) afirmou que a nova legislação eleitoral “termina com o período de impunidade no país’’ e acaba com a convicção formada pela sociedade de que, no Brasil, “as coisas não mudam’’. Ele destacou o fato desta ter sido uma iniciativa da sociedade que, por meio de um projeto de lei de iniciativa popular, mobilizou o Congresso para aprovar a Lei da Ficha Limpa. ALAN MARQUES / FOLHA IMAGEM / FOLHAPRESS

ADVOGADO DE MALUF DIZ QUE DEPUTADO NÃO ESTÁ ENQUADRADO FOLHAPRESS

O advogado do deputado federal Paulo Maluf (PP-SP) Eduardo Nobre argumenta que o exprefeito de São Paulo não está enquadrado nas inelegibilidades da lei Ficha Limpa. Além de defender a tese de que a lei é inconstitucional, por violar o princípio da presunção de inocência, o advogado avalia que Maluf não tem condenação em órgão colegiado. O deputado foi condenado em decisão colegiada de segunda

instância pela Justiça de São Paulo, no dia 26 de abril deste ano, pela suposta participação em esquema de superfaturamento na compra de frangos pela Prefeitura de São Paulo, no período em que ele foi prefeito (1993-96). A decisão da 7ª Câmara de Direito Público do TJ-SP (Tribunal de Justiça) determinou que Maluf devolvesse os valores e aplicou pena de suspensão de direitos políticos por cinco anos. A defesa de Maluf afirma que interpôs um recurso especialís-

simo, que teria efeito suspensivo automático. Dessa forma, a decisão por 2 a 1 contra o deputado estaria anulada e haveria um novo julgamento, desta vez com todos os membros da Câmara. “Esse caso é super excepcional. A única situação em que cabe esse recurso é quando você ganhou em primeira instância e, na segunda instância, por maioria, o tribunal reverteu a decisão’’, afirmou Eduardo Nobre. O processo corre sob segredo de Justiça. A reportagem da Folha de S.Paulo entrou em contato com o TJ, que ainda não se manifestou sob as afirmações da defesa de Maluf.

▶ Paulo Maluf

/ MARANHÃO /

Acordo encerra greve de fome de petistas ÉRGIO LIMA / FOLHAPRESS

FOLHAPRESS A DIREÇÃO NACIONAL do PT assinou ontem um acordo que desobriga seus candidatos na eleição proporcional no Maranhão a apoiar a reeleição da governadora Roseana Sarney (PMDB), colocando fim à greve de fome de dois petistas que já durava uma semana. A decisão foi tomada após o agravamento do estado de saúde do deputado Domingos Dutra, 54, e do militante Manoel da Conceição, 75, internado hoje com quadro de desidratação aguda. Também pesou o protesto sofrido pela presidenciável petista Dilma Rousseff durante viagem a Paris por conta do apoio à família Sarney. A reportagem apurou que a direção do PT temia que manifestações como essa se repetissem,

▶ Domingos Dutra chegou a desmaiar gerando prejuízos à imagem da candidata. Historicamente contra a família Sarney, o PT-MA queria apoiar a candidatura do deputado Flávio Dino (PC do B) ao governo, mas a direção nacional do partido fez uma intervenção branca na semana passada e for-

malizou aliança com Roseana. A justificativa foi a de que o apoio era importante para garantir a coligação nacional em torno de Dilma. Coube ao líder do PT na Câmara, Fernando Ferro (PE), membro da Executiva Nacional, assinar o acordo que garante aos

petistas da ala pró-Dino participação no programa eleitoral em tempo igual ao da ala pró-Roseana. O presidente do PT, José Eduardo Dutra, disse que os candidatos a deputado federal e estadual não precisam pedir votos para Roseana na TV ou no rádio, mas, até pela legislação, estão impedidos de fazer campanha para Dino nesse espaço. Já em material de campanha, como panfletos, “eles podem colocar o nome do candidato que quiserem”. Segundo Dutra, isso não irá prejudicar a aliança com o PMDB no Estado. Após uma semana em greve de fome, Domingos Dutra desmaiou hoje e teve que ser levado ao departamento médico da Câmara, onde foi medicado e liberado.


6

▶ OPINIÃO ◀

/ NOVO JORNAL / NATAL, SÁBADO, 19 DE JUNHO DE 2010

RODRIGO LEVINO Jornalista

▶ digbylevino@gmail.com

De São Paulo

O NOVO, O VELHO EO

Tem coisa que se a gente pudesse voltar no tempo... Em 2007 eu estava na cerimônia de abertura da FLIP, a feira literária de Paraty-RJ, quando observei a presença discreta do escritor sul-africano J.M. Coetzee do meu lado. Bom, era um Nobel de Literatura e não por isso eu perderia a rédea e partiria para a ridícula tietagem. Até então eu tinha lido ‘Desonra’, seu livro mais conhecido e, achava até então, o melhor. Três anos depois, seis romances a mais do dito cujo lidos, dois relidos, muitas anotações e fôlegos presos pela maestria do escritor, eu confesso que teria deixado para trás o senso do ridículo e tascado pelo menos um abraço no autor famoso por ser recluso e pouco afeito a gestos mais largos. É que o danado não escreve, açoita. Estão aí Tácito Costa, Edilson Braga e Woden Madrugada para dar o testemunho. E digo isto pela satisfação imensurável em que me encontrei logo após ter corrido pelas páginas de ‘Verão’, seu mais recente romance, que encerra a trilogia Cenas da Vida na Provincia, publicado no Brasil pela Companhia das Letras e que inclui os livros ‘Infância’ e ‘Juventude’. Com ‘Verão’, Coetzee chega a um nível de carpintaria e inventividade ao narrar fatos que põem o leitor num jogo de espelhos entre realidade e ficção, que o colocam fácil num posto quase inalcansável dentro da literatura contemporânea. É o caso de excluir de qualquer disputa o americano Thomas Pynchon, mas mesmo quando se coloca Philip Roth, outro monstro, dentro dessa roda, Coetzee larga tranquilo e infálível como Bruce Lee rumo a um golpe que o consagra como único e me dá um arrependimento danado de não ter pelo menos dado uns dois tapinhas nas costas dele, no já distante 2007, como forma de agredecer por tudo e tanto prazer em lê-lo. Que vocês possam partilhar dessa mesma alegria. Uns caraminguás e uma livraria, escolha a esmo qualquer título dele e boa leitura.

FUTURO

boa livraria um dos melhores livros sobre jornalismo já lançados nos últimos anos, chama-se ‘O pianista no bordel’, de Juan Luis Cebrian, timoneiro do jornal espanhol El Pais, um dos mais importantes e respeitados do mundo. O título vem de uma anedota espanhola que dá conta do dilema moral a que volta e meia jornalistas se defrontam: ‘Prefiro que mamãe acredite que ainda toco piano num bordel’, como se fosse mais digno do que ser jornalista. O que remete de imediato a Janet Malcolm, a voraz repórter da revista americana New Yorker, quando cravou que o jornalismo é antes de tudo uma atividade moralmente indefensável. Obviamente, são pontos de vistas extremados, pendendo para o humor ácido e a autocrítica mais que para os fatos, mas ainda assim válidos como bússola. Voltando ao livro, que é sobre o que comecei a falar, há nele reflexões primorosas sobre o papel do jornalismo como difusor de cultura e fiador da democracia. Um termômetro fiel da solidez das instituições de uma nação, por assim dizer. Mas há também a preocupação TEM FÁCIL NUMA

AH, SE DESSE...

diante do novo que se avizinha, o futuro das mídias, o dilema do jornalismo na internet, a difusão desenfreada de informação pouco passível de checagem de sua veracidade e aprofundamento dos fatos. A priori parecem temas muito restritos a quem partilha das agruras da profissão, mas acredite, tem a ver com você, leitor, que agora empunha um exemplar do Novo Jornal. O papel do jornalismo vem, mais fortemente na última década, sendo posto em xeque por diversos elementos alheios à sua feitura. Governos antidemocráticos, tentativas de controle da informação, intimidação econômica e política estão à espreita para limitar o poder de levar a informação o mais próximo possível da verdade até o leitor. Mas pergunto: são apenas esses seres e tentáculos além-redação que limitam a busca pela informação/ opinião de melhor qualidade para o leitor? Que temos feito, nós que reportamos, editamos e escrevemos para fazer sobreviver essa tão combalida atividade? Temos consciência de que somos um pilar da democracia mais do que apenas agentes noticiosos? Não me in-

teressa posar de bedel do modus operandi alheio, aqui tão somente reafirmar para o leitor deste espaço a constante preocupação em não ser isento (coisa impossível dentro de qualquer atividade), mas ser sobretudo honesto com os fatos e em cima deles oferecer uma opinião sincera e sem nenhum interesse de catequeze ou interesse enviesado. Diante de tantos impasses vividos pelo jornalismo frente a novos suportes de informação e sem nenhum limite, é mister defender que a atividade volte aos mais primários termos em que se baseia: checar, apurar, reportar, analisar com profundidade. O trivial, a informação sem alicerce, a opinião a torto e a direito estão à mão em qualquer dois cliques. O fato, no entanto, como aconteceu, onde, quando e principalmente porquê, ainda é, por mais conservador que isso possa parecer, papel e missão do jornalista. Que caso não a desempenhe, deixando lacunas a serem preenchidas por interesses escusos, aí sim, é melhor dizer em casa que continuamos tocando piano num bordel.

SARAMAGO

Foi com pesar que soube da morte do escritor José Saramago, único autor de língua portuguesa laureado com o Nobel de Literatura. Gostese ou não dos seus livros, do seu estilo e de sua verve açodada contra o teísmo, é necessário que se reconheça o valor de sua obra. Que, convenhamos, há uns bons vinte anos não se mostrava ao mundo em sua melhor forma. Ou mais que isso. Basta computar os anos desde que foram lançados ‘O ano da morte de Ricardo Reis’ ou ‘Jangada de pedra’, por exemplo, todos publicados no Brasil pela Companhia das Letras. É provável que surjam agora uma leva de viúvas, atraídas que foram pela adaptação de ‘Ensaio sobre a cegueira’ pelo cineasta brasileiro Fernando Meirelles. Menos mal, é sempre tempo de conhecer um autor, ler novos livros. A obra de Saramago está aí para isso. No mais, é de lamentar sempre a morte de um grande escritor, pois morre com ele um tanto de arte, aquela que, segundo Nietzsche, existe para que a verdade não nos destrua.

Rodrigo Levino escreve nesta coluna aos sábados

Plural

Cartas do Leitor

ERICK PEREIRA Advogado ▶ ewp@erickpereira.adv.br

▶ cartas@novojornal.jor.br

Violência contra todos A agressão física é a mais óbvia das violências - na esfera familiar agrega tantas sutilezas e particularidades a ponto de ser descaracterizada ou percebida como essencial à preservação de valores decrépitos. No mundo doméstico persistem injustificáveis atos que, embora desdenhem raça, idade e condição social, destacam mulheres e crianças. Apesar de a ciência responsabilizar as diferenças biológicas pela maior agressividade dos homens, o papel dos condicionantes sociais é relevante - imbuídos de um falso direito natural de superioridade, agressores buscam impor suas vontades a um gênero criado sob o incentivo da passividade, sedução, dependência e idealização romântica do parceiro. Não surpreende que a maioria das agredidas sofra seus dramas no silêncio da vergonha e do isolamento. E sob mil disfarces, mil justificativas – interesse dos filhos, dependência financeira ou emocional, ameaças, medo de novas investidas –, às vezes a vítima se torna cúmplice do agressor. A parcela menor que recorre às instâncias policiais é compelida a fazê-lo, sobretudo, perante situações limite. Portanto, também não surpreende que a juíza que sofre maus tratos do marido empresário apresente comportamento semelhante ao da favelada agredida pelo companheiro desempregado. Pois a lei que regula as relações interpessoais não é apenas a jurídica, mas a moral, e, sob o olhar do outro que nos molda, estamos condenados a mendigar aprovação, respeito, benefícios emocionais. Amiúde - esquecem os agressores - até daquela que é humilhada, subjugada e surrada, pede-se o reconhecimento da submissão e do temor. Um pedido que não deveria restar impune em qualquer sociedade que pretenda concretizar ideais de igualdade e de proteção à família. Recentemente, a ministra Eliana Calmon afirmou que existe uma incompreensão por parte da sociedade e da própria Justiça sobre a lei que pune crimes de violência doméstica: “O Poder Judiciário interpreta a Lei Maria da Penha como protetiva à mulher em detrimento do homem, mas ela protege a família brasileira”. Suas idéias acerca da singularidade das lesões produzidas no ambiente doméstico se contrapõem à decisão do STJ que impede o Ministério Público de propor ação penal incondicionada (sem necessidade de representação da vítima) nos casos de lesões corporais leves. De fato, brigas entre estranhos, no trânsito ou na vizinhança, não podem encerrar o mesmo valor daquelas ocorridas no contexto doméstico. Posturas como a da magistrada representam um louvável exemplo de pressão contra aspectos de uma ordem social que, mais que marginalizar a mulher, agride instituição plena dos valores humanos que inculcamos naqueles que geramos ou criamos. Uma questão que deixa de ser da mulher para ser do interesse de todos. Erick Pereira escreve nesta coluna aos sábados

NEY DOUGLAS / NJ

▶ Aluizio Alves Filho Livro de Aluizinho Li a entrevista com o filho do ex-governador Aluizio Alves, Aluizio Alves Filho e fiquei morrendo de curiosidade para saber o que ele conta sobre os bastidores familiares, como se diz na matéria. Todos nós temos curiosidade sobre o dia a dia de pessoas tão notórias e só por isso já penso que esse livro vai ser um grande sucesso. Aluizinho, guarde o meu exemplar. Cida Campos, Nova Parnamirim

Presente de grego Como sempre o governo está sempre passando

a perna nos cidadãos. Dez meses depois de implantar o seu programa de Internet para todos, esse todos – que somos nós – continuamos apenas na “promessa”... A reportagem do NOVO JORNAL publicada ontem em “Cidades” diz muito bem quando diz que “deu pau na internet de poucos”. Sim, porque o programa funcionou apenas durante alguns dias e assim mesmo com baixíssima qualidade. Diante dessa realidade incontestável, fico maginando uma coisa: se um programa desses, que por sua natureza seria acessível a todos não passou de um engodo que teve como principal idealizador o chefe do Gabinete Civil, Vagner Araújo, o que não se passa em outras instancias às quais os cidadãos em geral não tem acesso? A Internet de Todos não funciona, e isto pode ser constatado por um numero infinito de pessoas que transitam no mundo virtual, não há como encobrir. Agora as outras coisas, ah as outras coisas... Tarcisio de Souza, Candelária

Era tudo conversa fiada Quer dizer que das “inaugrações” feitas pela exgovernadora a toque de caixa, também a Central de Comercialização de Produtos e Serviços daAgricultura Familiar também não funciona? E os produtores, dedicados à agricultura, estão vendendo os seus produtos ao ar livre, no estacionamento, como se fazia antigamente na

pedra dos mercados? Dona Wilma enganou mais uma vez o povo do Rio Grande do Norte, prometendo fazer o que não podia, no afã de obter os nossos votos para uma cadeira no Senado. Dar-lhe um mandato de senadora, numa circunstancia dessa, seria simplesmente absurdo, já que ela não fez por merecer. Seria dar boa vida a quem não trabalha nem produz. Que isto sirva de lição e em outubro, ao nos dirigirmos à urna eleitoral, tenhamos em mente que o governo passado não contribuiu em nada para o desenvolvimento social, cultural e econômico do nosso povo. Maria Alzemira de Moura, Ceará-Mirim

Ítalo e o Foliaduto Pelo andar da carruagem, o “fiel escudeiro” da ex-governadora Wilma de Faria vai entrar pelo cano. É preciso encontrar um “bode expiatório” e ele, por saber demais, deve sofrer as conseqüências de ter participado desse esquema que desviou R$ 2 milhões dos cofres públicos através do Foliaduto.Se Ítalo não abrir do olho, acaba sendo o grande penalizado nesse processo que na época escandalizou o Rio Grande do Norte. Tome tento, Ítalo, e não se deixe intimidar. Conte tudo, tintim por tintim. Maristela Lopes, Macaiba

O leitor pode fazer a sua denúncia neste espaço enviando fotografias

Diretor Cassiano Arruda Câmara Diretor Administrativo Manoel Pereira dos Santos Diretor de Redação Carlos Magno Araújo Diretora Comercial Bel Alvi

Telefones (84) 3201-2443 / 3342-0350 / 3221-4587 E-mails redacao@novojornal.jor.br / pauta@novojornal.jor.br / comercial@novojornal.jor.br / assinatura@novojornal.jor.br Para assinar (84) 3221.4554

IV – É livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato. (Constituição Federal – Artigo 5°)

Endereço Rua Frei Miguelinho, 33, Ribeira CEP 59012-180, Natal-RN Representante comercial Engenho de Mídia - (81) 3466.1308


Economia

Editor Carlos Prado

E-mail economia@novojornal.jor.br

Fones 84 3201.2443 / 3221.3438

NATAL, SÁBADO, 19 DE JUNHO DE 2010 / NOVO JORNAL /

DÓLAR

INDICADORES

COMERCIAL TURISMO PARALELO

1,772 1,840 2,000

EURO

IBOVESPA

TAXA SELIC

IPCA (IBGE)

2,195

-0,16% 64.437,58

10,25%

0,43%

JOGOS DA COPA AMEAÇAM TRANSMISSÃO DE ENERGIA / ONS / OPERADOR NACIONAL DO SISTEMA DE ENERGICA ELÉTRICA ARMOU ESQUEMA ESPECIAL PARA SUPORTAR VARIAÇÕES BRUSCAS DE TENSÃO EM DIAS DE JOGOS DO BRASIL REPRODUÇÃO / INTERNET

AGÊNCIA BRASIL AS VARIAÇÕES DE

tensão de carga de energia elétrica durante os jogos da seleção brasileira na Copa do Mundo chegam ao consumo da Grande São Paulo no horário de pico. De acordo com o Operador Nacional do Sistema (ONS), na partida contra a seleção da Coreia do Norte, na última terça-feira (15), o Sistema Interligado Nacional (SIN) constatou uma retomada de consumo com uma elevação de carga de 10.300 megawatts (MW), em apenas 22 minutos. É uma cidade como Brasília sendo ligada a cada minuto. O levantamento do ONS também constatou que, passados os primeiros 22 minutos, a elevação da demanda de carga no sistema é mais intensa, nos 20 minutos seguintes ela continua crescendo em função da ativação da iluminação pública, a uma taxa de 170 MW por minuto. “Esse com-

Sistema de transmissão sofre com quedas e picos de consumo

portamento é caracterizado por uma redução acentuada de carga no período que antecede o início dos jogos e se eleva, a taxas bastante altas, durante o intervalo das partidas, principalmente,

imediatamente após o seu término”, informou o ONS. Para garantir a continuidade e a qualidade do atendimento aos consumidores, o Operador Nacional do Sistema tem ado-

tado ações preventivas nos dias das partidas do Brasil, como a sincronização de um número maior de geradores; estratégias específicas para controle de tensão e frequência; a até a recomendação para que os agentes de transmissão, geração e distribuição montem esquemas especiais para a pronta intervenção em instalações não assistidas e para normalização das condições de atendimento na eventual ocorrência de problemas. No caso específico do jogo contra a Coreia do Norte, o comportamento de carga do SIN registrou variações significativas no consumo de energia. “A carga verificada no período da 00h00 às 13h10, apresentou um comportamento normal, similar ao de uma terça-feira típica. Há partir das 13h10, observou-se consumo inferior a um dia típico, com uma redução gradativa de carga a uma taxa de 55 MW por minuto”, diz o documento.

7

/ COMÉRCIO /

LOJISTAS QUEREM MENOS GASTOS COM CARTÕES FOLHAPRESS

REPRODUÇÃO / INTERNET

O PRESIDENTE DA

Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas, Roque Pellizzaro Júnior, disse ontem que o setor está em campanha para reduzir os preços cobrados pelas credenciadoras de cartões de crédito. Com o fim do contrato de exclusividade da Visa com a Cielo, a expectativa é que os lojistas escolham apenas uma única empresa para efetuar transações com diferentes bandeiras. Isso pode afetar a base de clientes e incentivar a queda de preços. Segundo Pellizzaro Júnior, há espaço para que as empresas deixem de cobrar o aluguel das máquinas. “O aluguel tende a cair para zero, esse não é o negócio principal da credenciadora”, disse. O presidente da Visa do Brasil, Rubén Osta, afirma que o preço realmente vai cair, mas que essa não deve ser a única preocupação. “O lojista tem hoje um poder de barganha maior, mas a disputa e a concorrência não vão ser as únicas coisas [a considerar]. Tem ainda a questão da segurança, os produtos, serviços e interligação das redes”, disse. Pellizzaro Júnior diz que a

▶ Roque Pellizzaro Júnior confederação está fazendo campanha de conscientização dos lojistas nas 1.680 entidades municipais. “Estamos fazendo contatos diários via internet e fazendo seminários em todo o país. A ideia é formar uma cadeia de informação robusta para que o lojista pequeno tenha essa informação”, disse. A confederação aconselha o lojista a não aceitar contratos de fidelização antes de renegociar o preço e obter a melhor oferta. Ele citou ainda a entrada do Santander no mercado como um estímulo a mais para a concorrência entre as empresas. “Briguem, barganhem que o preço cai”, disse, após participar do Seminário Internacional de Cartões de Pagamento, no Rio.


8

▶ ECONOMIA ◀

/ NOVO JORNAL / NATAL, SÁBADO, 19 DE JUNHO DE 2010

MÃO DE OBRA BARATA COM OS DIAS CONTADOS / CHINA / ONDAS DE GREVES NAS INDÚSTRIAS CHINESAS OBRIGAM MULTINACIONAIS A REVEREM POLÍTICA SALARIAL. GOVERNO APÓIA MELHORIAS NOS SALÁRIOS DE OPERÁRIOS ORIUNDOS DO INTERIOR DO PAÍS FOLHAPRESS

aumentos salariais após greves em grandes multinacionais no sul da China reacendeu o debate sobre se a chamada “fábrica do mundo” está finalmente deixando de ser uma fonte de mão de obra barata. O caso mais emblemático é da Honda. Nas últimas semanas, três greves afetaram unidades distintas da empresa, uma situação inédita nos 18 anos de presença da multinacional japonesa na China. Na primeira greve, encerrada há duas semanas na cidade de Foshan, Província de Guangdong, a Honda aumentou os salários em 24% de quase 2.000 funcionários de sua fábrica de sistemas de transmissão. O acordo incentivou mais duas paralisações. A empresa agora enfrenta uma greve em Zhongshan, perto de Foshan, numa fábrica de autopeças na qual a prefeitura local é sócia minoritária, com 35%. Ali, os trabalhadores querem um aumento de 50%, para chegar a um teto equivalente a R$ 436, além de dormitório gratuito. Mas a Honda endureceu, aparentemente com o apoio do governo local: começou a contratar trabalhadores substitutos, ao mesmo tempo em que a imprensa estatal do sul da China deixou de noticiar a greve, não repetindo a ampla cobertura dada à paralisação de Foshan. Além da Honda, a taiwanesa Foxconn, que fabrica componentes para a Apple e a HP, também ficou sob intensa pressão depois que ao menos dez de seus 400 mil funcionários se suicidaram nesUMA SÉRIE DE

VINCENT DU / REUTERS

te ano. Depois de instalar redes de segurança embaixo de seus dormitórios em Shenzhen para evitar que funcionários se matassem saltando pela janela, a Foxconn aumentou os salários em até 100% e prometeu melhorar as condições de trabalho.

FOLHAPRESS

MULTINACIONAIS

Mesmo com a proibição da existência legal de sindicatos, milhares de protestos provocam o aumento salarial desde o início dos anos 1990, e as fábricas mais baratas já migraram para países como Vietnã e Camboja. A diferença é que, desta vez, os protestos envolvem grandes multinacionais e recebem uma ampla cobertura da imprensa estatal. “As nações ocidentais têm regularmente criticado a China sobre direitos humanos”, escreveu o analista Zhou Zixun no jornal “Global Times”, pertencente ao Partido Comunista. “Se essas críticas são sinceras, deveriam pressionar suas empresas a usar parte dos seus lucros para cobrir os crescentes salários dos trabalhadores chineses.” Na segunda-feira, o governo chinês deu outro sinal de que apoia um aumento real dos salários, principalmente dos cerca ce 130 milhões de migrantes que deixaram a zona rural em busca de empregos nas fábricas. O premiê chinês, Wen Jiabao, defendeu melhores condições aos trabalhadores migrantes chineses. “Os trabalhadores rurais migrantes são o principal exército da força de trabalho contemporânea chinesa”, disse Wen, na se-

BRASILEIRO JÁ ESPERAVA MUDANÇA

Segurança tenta evitar que seja fotografada fábrica da Toyota em greve

gunda-feira. “O governo e a sociedade deveriam tratar os jovens trabalhadores migrantes como seus próprios filhos.” Para Mary Gallagher, especialista em relações de trabalho na China da Universidade de Michigan, as fábricas já enfrentam dificuldades para encontrar trabalhadores do interior dispostos a enfrentar longas jornadas de trabalho em troca de baixos salários. “Acho que ainda não está claro se essa falta de trabalho nos centros manufatureiros da costa é realmente um indicativo de uma maior e mais permanente mudança nos mercados de trabalho da China. Isso se deve principalmente porque esses mercados de trabalho ainda são muito imperfeitos e segmentados”, disse à Folha de S.Paulo.

FÁBRICA DA TOYOTA PARA PRODUÇÃO FOLHAPRESS

A Toyota suspendeu a produção ontem devido a uma greve na filial Toyoda Gosei. Os empregados reivindicam aumentos salariais. A Toyoda Gosei, no norte da China, produz partes de plástico adaptadas para o interior e o exterior dos veículos. Em consequência, “as três linhas de montagem da Tianjin FAW Toyota suspenderam o funcionamento”, disse a porta-

voz Mieko Iwasaki. Com mais de 12 mil empregados, a Tianjin FAW Toyota é a maior empresa conjunta do grupo japonês na China. A Honda já havia sido afetada nas últimas semanas por greves que atraíram a atenção internacional para as queixas sobre os salários baixos e as longas jornadas de trabalho.

12.000 Operários trabalham na fábrica da Toyota na China

COM DEZ ANOS de China, o gaúcho João Lemos, gerente geral da fábrica de compressores da Embraco em Pequim, diz que o país está vendo “ao vivo e em cores” a transição de uma fonte de mão de obra barata para um país com grande mercado consumidor. “O crescimento chinês passa pela sustentabilidade do consumo. A mão-deobra passará a ser mais bem recompensada”, disse Lemos. “A presença empresarial pelo seu mercado é a proposta do futuro.” Lemos avalia que greves e protestos estão circunscritos a multinacionais asiáticas, que têm um esquema de trabalho mais rígido e salários mais baixos comparados a empresas ocidentais. A empresa de origem catarinense tem 70% da sociedade com a Prefeitura de Pequim. Fundada há 15 anos, a Embraco Snowflake tem cerca de 2.000 trabalhadores e fabrica compressores para refrigeração doméstica de alta eficiência energética.

/ MERCADO /

Aquisições e fusões viram tendência no setor sucroalcooleiro FOLHAPRESS A CONSOLIDAÇÃO DO mercado bra-

sileiro de açúcar e álcool continua. Enquanto algumas empresas de menor porte são compradas, outras se juntam para enfrentar os novos desafios do setor. A mais nova união foi a do grupo Clealco -duas usinas- com a Copersucar, que, agora, soma 39 empresas. Para Plinio Nastari, da Datagro, novos investimentos virão e deverão ser destinados a fusões e a aquisições. “No passado, houve um “efeito manada’ devido à empolgação com o etanol. Agora, o mercado está passando por ajustes’’, disse ele em seminário no final

SE VOCÊ QUER INVESTIR EM AÇÚCAR E ETANOL, O BRASIL É O PRIMEIRO LUGAR PARA ISSO. Ben Pearcy Diretor da Bunge/USA

REPRODUÇÃO / INTERNET

de maio, em Nova York (EUA). Presente ao seminário, Leonardo Bichara da Rocha, da Organização Internacional do Açúcar, disse que as grandes empresas representam 30% do setor no Brasil, percentual bem menor do que em outras commodities. Já o diretor de desenvolvimento de açúcar e bioenergia da Bunge USA, Ben Pearcy, diz que os novos investimentos no setor serão para fusões e aquisições porque ainda há muitas empresas com dificuldades financeiras. “A procura é maior do lado vendedor do que do comprador.’’ No final de dezembro, a Bunge adquiriu cinco das seis usinas do grupo Moema, no interior de São Paulo, por US$ 1,5 bilhão -um dos maiores negócios do setor sucroalcooleiro no país. Com isso, a empresa deve triplicar sua capacidade de produção. Segundo o executivo, a Bunge continua analisando a possibilidade de novas compras. “Se você quer investir em açúcar e etanol, o Brasil é o primeiro lugar para isso. A demanda por etanol está crescendo mais de 10% ao ano’’, diz Pearcy. Assim como a Bunge, a Cosan também está aberta às compras, diz Rubens Ometto. Outra que chegou com força no setor e deve elevar participação foi a

PREÇO DO AÇUCAR DEVE MANTER-SE EM ALTA FOLHAPRESS

▶ Compras de usinas virou rotina no país Petrobras, que está associada à Tereos nos negócios da Guarani. A volatilidade na cotação do açúcar deve continuar e, pelo menos no curto prazo, o preço baixo também. Segundo Nastari, cada vez mais o produto está atrelado ao preço do petróleo, já que o Brasil, o maior produtor mundial, destina mais da metade da sua safra de cana à produção de etanol. “Enquanto o etanol não for reconhecido como commodity no mercado externo, essa variação no preço vai persistir.’’ Para Nastari, é preciso que sejam criados produtos financei-

ros, como já existe no mercado de café, por exemplo, para que essa oscilação diminua. A queda recente no preço do açúcar -nos primeiros meses do ano chegou a ter a maior cotação dos últimos 29 anos- também é consequência dos novos números divulgados sobre a safra indiana, na opinião de Rocha. Em abril, a Índia, que depois da Europa é o maior importador do produto, anunciou que sua safra será bem maior do que o esperado. “As projeções iniciais eram de 14 milhões de toneladas, mas a safra irá superar 18 milhões de toneladas’’, diz Rocha.

25% Das terras para produção de açucar no mundo estão no Brasil

No longo prazo, a estimativa para o preço do açúcar é de alta, já que estudos apontam que a produção não conseguirá acompanhar a demanda. A Ásia é quem deve liderar esse aumento. Enquanto a média mundial de consumo de açúcar é de 24 quilos/ano por pessoa, nos países da região o consumo não chega a 15 quilos. Segundo Michael McDougall, vice-presidente da corretora americana Newedge, não há terra disponível para acompanhar o ritmo do aumento da população mundial e, nesse cenário, o Brasil tem inúmeras vantagens sobre outros países. “A área cultivável é limitada e o Brasil possui 25% dessas terras. Além disso, o país tem mão de obra qualificada, mas barata, e possui tecnologia agrícola avançada.’’


Cidades

Editor Moura Neto

E-mail cidades@novojornal.jor.br

Fones 84 3201.2443 / 3221.3438

NATAL, SÁBADO, 19 DE JUNHO DE 2010 / NOVO JORNAL /

9

REENCONTRO E DESPEDIDA / CAMURUPIM / APOSENTADO QUE NÃO VIA OS FILHOS HÁ 17 ANOS REÚNE A FAMÍLIA NO LITORAL SUL E ACABA ASSASSINADO POR ASSALTANTES

FOTOS: TIAGO LIMA / NJ

ANDERSON BARBOSA DO NOVO JORNAL

Natal. Poderíamos ter escolhido qualquer outra cidade, mas preferimos nos encontrar aqui. Fomos para a praia para meu pai poder rever seus cinco filhos juntos, coisa que não acontecia há 17 anos. Agora, vamos embora. E, sinceramente, esperamos nunca mais voltar”. O desabafo do corretor de imóveis Wellington Souza Damásio, 42, retrata o que restou na memória de sua família. O sentimento também deixa claro, como ele mesmo atesta, o que de fato passa pela cabeça de muitas pessoas que são vítimas de violência quando estão longe de casa. Na noite desta última quinta-feira, a vítima da criminalidade foi o seu próprio pai, o aposentado da Petrobras Antônio Bartolomeu Damásio, 62, assassinado com três tiros na frente da esposa. Baiano de Ituberá, uma pequena cidade próxima a Ilhéus, Antônio reagiu a um assalto, entrou em luta corporal com um dos bandidos e acabou levando três tiros. Foi por volta das 21h30, numa casa de praia alugada na beira da praia de Camurupim, em Nísia Floresta, no litoral Sul do estado. Antônio ainda chegou a ser socorrido por familiares, mas não resistiu aos ferimentos e morreu no Hospital Clóvis Sarinho, já em Natal. Um dos disparos transfixou o pulmão e a hemorragia interna foi fatal. A reportagem esteve na manhã de ontem no cemitério Morada da Paz, em Emaús, e conversou com o filho mais velho da vítima, Wellington, que estava visivelmente abalado e revoltado com o ocorrido. Falando pausadamente, encontrou forças para não fraquejar e conseguiu contar detalhes da tragédia que pôs fim às férias e destruiu o carinho que sua família tinha pelo Rio Grande do Norte. “Nós somos cinco irmãos. Três de nós moram nos Estados Unidos. Fizemos um esforço tremendo para estarmos todos aqui. Estas deveriam ter sido as melhores férias de nossas vidas. Mas, infelizmente, tudo acabou”, disse o corretor, que também é baiano e veio morar em Natal em 1983. Em 90, mudou-se para os Estados Unidos com três irmãos e lá permaneceu até 2001. “Eles ficaram, mas eu voltei para Natal. Voltei por-

“TODOS NÓS AMÁVAMOS

que adorava a cidade. Meu pai trabalhou aqui durante 30 anos. Somente depois que se aposentou foi que voltou para Ituberá. Mesmo assim, fazia questão de todos os anos vir a Natal reencontrar os amigos da época de empresa”.

FIM DAS FÉRIAS Ainda segundo Wellington Damásio, este ano foi o mais esperado. Justamente porque, depois de 17 longos anos, todos os filhos estariam juntos. E isso aconteceu. Antônio e a esposa Maria Francisca de Souza, 63, alugaram uma casa na praia de Camurupim logo que receberam a confirmação que todos estariam unidos novamente. “Chegamos naquela casa exatamente há uma semana. Íamos ficar 20 dias. Só que, na noite de ontem (quinta-feira), esses bandidos enterraram o nosso sonho”, prosseguiu Wellington, revelando que 15 pessoas estavam na residência quando um homem armado e com o rosto encoberto por uma camisa amarrada na cara apareceu de repente. “Ele chegou do nada. Meu pai estava na varanda com minha mãe, assistindo televisão. E nós, seus filhos, nossas esposas, os netos, em outros cômodos da casa. E quando meu pai viu esse homem, foi pra cima dele e o agarrou. Os dois se atracaram e começaram a lutar. Só que havia um segundo bandido que o meu pai não viu. E foi ele quem atirou. Deu três tiros. Depois os dois saíram correndo, fugindo a pé”, contou o filho, acrescentando que eles não levaram nada. Naquela ocasião, ainda segundo relato de Wellington, todos na casa correram para a varanda. “Foi horrível. Minha mãe desmaiou e as crianças começaram a chorar. Meus irmãos ainda foram atrás dos assassinos, mas não os alcançaram. Já era tarde”. Desesperado, Wellington colocou o pai dentro do carro e partiu para Natal. “Demos entrada no hospital, mas ele não suportou. Meu pai não resistiu e morreu”, finalizou. A polícia foi acionada e chegou ao local do crime em poucos minutos, já que na praia de Tabatinga, vizinha a Camurupim, existe uma companhia da Polícia Militar. Diligências foram feitas, mas nenhum suspeito foi localizado.

FILHO TAMBÉM FOI VÍTIMA DE VIOLÊNCIA Esta não é primeira vez que o corretor de imóveis Wellington Souza Damásio sofre com a violência no Rio Grande do Norte. Há sete anos, depois de ter retornado dos Estados Unidos, o próprio sentiu na pele o que é levar um tiro. E até hoje sofre com isso. “Estava no meu carro, passando em frente da rodoviária nova, quando fui abordado por três policiais militares. Eles foram agressivos. Não contaram conversa e atiraram na minha perna. Depois, disseram que tinham me confundido com um assaltante”, afirmou. Em razão do tiro, que praticamente inutilizou a perna direita de Wellington, ele teve de passar por três cirurgias. E outras virão. Até hoje, em consequência do disparo, ele precisa de uma muleta para andar. “Para cada cirurgia que fiz, fiquei um ano de cama. Por conta desse despreparo da polícia, entrei com uma ação contra o Estado. E ganhei na primeira instân-

cia”, disse ele. O valor da indenização foi de R$ 1,5 milhão. “Mas o Estado recorreu. Só querem me pagar se eu fizer um acordo. E só R$ 50 mil”. “É um absurdo. Eu quase perdi minha perna por causa da polícia, ou seja, por causa do Estado. E agora perdi meu pai também por causa da falta de segurança pública. Não tenho mais o que comentar. Vamos embora dessa cidade antes que nos matem a todos”.

▶ Depois da alegria do reencontro, a tristeza da despedida comove toda uma família

CASEIRO PEDE SEGURANÇA PARA A PRAIA DE CAMURUPIM O caseiro Marcone Santana toma conta de seis casas de veraneio na praia de Camurupim. Faz este tipo de trabalho há 18 anos. Inclusive, ele também é o responsável pela manutenção da casa onde o baiano Antônio Damásio sofreu os disparos que o levaram à morte. À reportagem, ele contou que esta foi a primeira vez que tentaram assaltar a residência. No entanto, afirma já ter tomado conhecimento de vários arrombamentos e outros roubos na vizinhança. “Comigo nunca aconteceu, graças a Deus. Mas eu sempre escuto o povo reclamar que estão roubando muito por aqui. Tá demais. Eu tenho medo porque não tem polícia. Só na época de veraneio é que a gente vê os carros da polícia passarem de um lado para o outro. Mas nes-

EU TENHO MEDO PORQUE NÃO TEM POLÍCIA. SÓ NA ÉPOCA DE VERANEIO É QUE A GENTE sa época, que a maioria das casas ficam fechadas, não tem uma viatura sequer para nos dar segurança”, reclamou. Ele, que estava numa residência próxima quando aconteceu a tragédia, disse que ainda ouviu os disparos, mas não conseguiu ver quem efetuou os tiros.

DA POLÍCIA” Marcone Santana Caseiro

PRAIA PARA MEU PAI REVER SEUS CINCOS FILHOS JUNTOS, COISA QUE NÃO ACONTECIA HÁ 17 ANOS. AGORA VAMOS EMBORA NUNCA MAIS VOLTAR ”

É o valor da idenização que o corretor Wellington Souza está cobrando do Estado via judicial

VÊ CARROS

FOMOS PARA A

E ESPERAMOS

R$ 1,5 MILHÃO

“Minha esposa estava voltando pra casa e me contou que ainda cruzou com dois rapazes no meio da rua. Eles usavam camisas de manga comprida e estavam com um capuz cobrindo a cabeça. Eles olharam pra ela, deram dois tiros pra cima e saíram correndo”, disse o caseiro.

Wellington Souza Damásio Corretor de imóveis

▶ Casa em Camurupim, no litoral Sul, onde aconteceu o crime

MAJOR ASSUME COMPROMISSO DE PRENDER OS ASSASSINOS Procurado pelo NOVO JORNAL para falar sobre o assassinato do aposentado baiano, o major Jair Júnior, comandante do 3º BPM, responsável pelo patrulhamento ostensivo da região, foi incisivo. Disse que assumiu um compromisso com os familiares da vítima e prometeu prender os acusados.

“Pode publicar o que estou dizendo. Só vou sossegar quando prender esses crápulas. Sou filho e sou pai também. Entendo o sofrimento dessa família e me solidarizo com a dor de todos eles. Por isso, garanto que vamos pegar esses assassinos e eles vão pagar pelo que fizeram”, esbravejou.


10

▶ CIDADES ◀

/ NOVO JORNAL / NATAL, SÁBADO, 19 DE JUNHO DE 2010

CRECHE DEMOLIDA,

/ SINALIZAÇÃO /

OBRAS NA BR 101 COMEÇAM HOJE

CRIANÇAS SEM AULA / EDUCAÇÃO/ PREFEITURA AINDA PRECISA ADEQUAR PRÉDIO QUE FOI ALUGADO PARA ABRIGAR A CRECRE KÁTIA GARCIA WALLACE ARAÚJO / NJ

RAYANNE AZEVEDO DO NOVO JORNAL

A MUDANÇA

AS CRIANÇAS MATRICULADAS na cre-

che Kátia Garcia, instituição de ensino infantil que funcionava dentro do Centro Administrativo, só devem voltar às aulas a partir da segunda quinzena de julho. Em recesso antecipado desde o dia 15 de maio, quando o imóvel teve que ser demolido em função das obras de construção do Arena das Dunas e da visita do comitê de fiscalização da Fifa, que aconteceu três dias depois, as cerca de 200 crianças atendidas pela creche terão que esperar por pelo menos mais um mês até que a situação seja normalizada. Em matéria publicada no dia 12 de maio, o NOVO JORNAL noticiou que o Movimento de Integração e Orientação Social (Meios), organização não-governamental responsável pela gestão da creche Kátia Garcia, informou através da assessoria de imprensa que um novo imóvel para alocar a creche já teria sido encontrado. A Prefeitura, que após a demolição da creche passou a assumir a responsabilidade pela instituição de ensino, estudava, à época, a possibilidade de alugar um imóvel na Rua Professor Moura Rabelo, 1940, Potilândia. De lá para cá transcorreram pouco mais de um mês, e o imóvel que deverá realocar a creche

DA CRECHE FOI DE CARÁTER EMERGENCIAL. A PREFEITURA TEVE QUE INTERVIR” Kátia Ranzillo Coordenadora da educação infantil da SME

▶ Prédio alugado em Potilândia ainda precisa de reforma continua em vias de contratação. A coordenadora administrativa e financeira da SME, Adriana Trindade, explica: “Primeiro, a Secretaria de Obras do município precisou fazer uma avaliação mercadológica do imóvel. Ele está sendo entregue a SME. Depois que isso for resolvido, nós podemos fechar o contrato de aluguel e só então estaremos autorizados a dar início às pequenas obras e adequações que precisam ser feitas. Mas a estrutura da casa é muito boa. Já chegou a abrigar uma creche par-

ticular em anos anteriores”. O engenheiro da SME, Paulo Coutinho, especifica que as alterações a serem feitas no imóvel alugado se restringem basicamente à acessibilidade. “Temos que fazer rampas de acesso, basicamente é isso”, afirma. Adriana diz que os banheiros também terão que passar por algumas adequações para se encaixar no padrão dos outros Centros Municipais de Educação Infantil (CMEI). O terreno, tomado pelo mato, também terá que passar por uma limpeza. Embo-

/ SANTO REIS /

Polícia apreende mais de 20 quilos de maconha HUMBERTO SALES / NJ

HUGO FRANÇA DO NOVO JORNAL

MAIS DE 20 quilos de maconha fo-

ram apreendidos no início da tarde de ontem. A ação conjunta das Polícias Civil e Militar resultou também na prisão de duas pessoas, entre elas Alexandre Barbosa, 33, conhecido como “Seu Dribra”, principal traficante das Rocas. Segundo informações Secretaria de Estado da Segurança Pública e da Defesa Social, mais de 75 quilos da droga já foram apreendidos em todo o Rio Grande do Norte apenas no mês de junho. Segundo o agente da Polícia Civil José Robson da Silva, há cerca de cinco meses a delegacia vinha monitorando a ação do traficante na região. “Na semana passada prendemos Fernando Antônio, que trabalhava como ‘mula’ e levaria cinco quilos da droga para o traficante”, conta Por volta das 14h de ontem, José Robson e um policial militar entraram na Rua João Carlos de Souza, no bairro de Santos Reis, a paisana. O traficante estava ao volante de um Ford Ka, de cor vermelha e de placa MZL-7131. “Quando sacamos nossas armas, Alexandre tentou se evadir do local”, conta. “Começamos a atirar nos pneus e um tiro o atingiu na perna, foi quando ele desistiu de escapar”, completou. Os policiais prestaram os primeiros socorros e acionaram o Samu. Barbosa foi levado para o pronto-socorro Clóvis Sarinho. Segundo informações da Polícia Civil, ele já responde a processo por homicídio. No momento da abordagem, outro indivíduo, identificado como Davilson Silva, 24, tentou fugir do local, mas foi detido. Segundo José Robson, ele possui passagem na polícia por furto e

NA SEMANA PASSADA PRENDEMOS FERNANDO ANTÔNIO, QUE TRABALHAVA COMO ‘MULA’ E LEVARIA CINCO QUILOS PARA O TRAFICANTE” José Robson da Silva Agente da Polícia Civil

será aberto um inquérito para investigar o envolvimento dele no caso. De acordo com a polícia, os 20 quilos estão avaliados em quase R$ 20 mil. Um terceiro suspeito, que estava em uma moto preta fugiu do local na hora da operação. Após a prisão, populares ameaçaram os dois policiais, mas via-

turas do 1º Batalhão da Polícia Militar (BPM) chegaram antes ao local. Segundo o coronel Silva Júnior, comandante do 1º BPM, havia mais de 50 pessoas na área. “É a política da boa vizinhança, os traficantes pagam algumas contas dos moradores da área e eles protegem os criminosos”, relata.

ra a Prefeitura ainda não tenha fixado um prazo para reativação da creche Kátia Garcia, a expectativa da SME é de que isso aconteça até o final de julho. Sob administração da Prefeitura do Natal, a creche Kátia Garcia manterá o quadro de profissionais antigos, contratados pelo Meios, até dezembro – a entidade ainda é responsável pela gestão de outras 19 creches, todas em processo de municipalização por determinação de lei federal até o final deste ano. Despesas com me-

renda e locação de imóvel ficam a cargo do Executivo municipal. Segundo a coordenadora do setor de avaliação da educação infantil da Secretaria Municipal de Educação (SME), Kátia Ranzillo, a decisão de manter os educadores do Meios dentro da creche até o final do ano é uma forma de tentar minimizar os impactos da mudança nas crianças. “A mudança da creche foi de caráter emergencial. A Prefeitura interveio porque a creche teve que sair dali mais cedo do que a gente esperava”, explica.

AS OBRAS DE sinalização horizontal do trecho urbano de 2,7 quilômetros da BR101, entre o viaduto do 4º Centenário, em frente à Potilândia e o da Avenida Salgado Filho – inclusive as duas vias marginais –, em Neópolis, serão iniciadas pelo Departamento Nacional de Infraestrutura (Dnit), hoje, e se estenderão até o dia 29. Os serviços serão realizados em horários com menor movimento de veículos. De acordo a assessoria do orgão, a sinalização será feita com pintura e sinalizadores necessários para o controle na divisão do fluxo de tráfego. Serão utilizadas tintas acrílicas e termoplásticas que facilitam a visibilidade diurna e a refletividade, além de tachas e marcadores de pista retrorrefletivas. O trecho mais crítico é o túnel em frente à Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), a partir do qual os motoristas fazem o retorno para Avenida Salgado Filho no sentido para a Zona Sul da cidade. Nas pistas marginais existiam sinalizações tipo “gelo baiano”, que serviam para demarcar a sinalização indicando a preferência na via. Professor de uma escola de dança, Monir Herdes trafega todos os dias pela área e reclama a falta de sinalização das vias. “A ausência de sinalização horizontal prejudica a todos que trafegam, principalmente aos motociclistas, andar por aqui é muito perigoso, a noite é um caos”, conta.


▶ CIDADES ◀

NATAL, SÁBADO, 19 DE JUNHO DE 2010 / NOVO JORNAL /

11

QUANTO MAIS

DOADORES, MELHOR / SAÚDE / AS CHANCES DE COMPATIBILIDADE ENTRE DOADORES E RECEPTORES SÃO DE 100 MIL PARA UMA PESSOA. POR ISSO É PRECISO HAVER O MAIOR NÚMERO DE CANDIDATOS APTOS A AJUDAR A QUEM PRECISA DE UM TRANSPLANTE

FOTOS: NEY DOUGLAS / NJ

TIAGO LOPES

9

DO NOVO JORNAL

meses de 2010, o Rio Grande Norte conseguiu cadastrar quase dois mil potenciais doadores de medula óssea no Registro Nacional de Doadores de Medula Óssea (Redome). Trata-se de um bom número para o estado. Mas, no caso da doação desse tecido, sempre será insuficiente. As chances de compatibilidade no Brasil são de 100 mil pessoas para uma, segundo dados da entidades médicas e, por isso, quanto mais potenciais doadores, as chances de compatibilidade são maiores. É preciso entender, porém, o que é um potencial doador. A doação de medula óssea é uma operação complexa, que depende principalmente de compatibilidade genética. Num país como Brasil, extremamente miscigenado, a compatibilidade genética é ainda mais difícil de acontecer. Para isso, o Redome precisa ter o maior número possível de candidatos, que são registrados quando fazem doação de sangue. Aí entra o Hemonorte, o primeiro dos três setores no Rio Grande do Norte que auxiliam no transplante bem sucedido. O RN já possui a infraestrutura necessária para realizar todas as etapas de um transplante de medula óssea. É o Hemonorte que realiza campanhas educacionais e de coleta. A coleta consiste de uma simples retirada de sangue. Essas amostras são enviadas para o Redome, que irá avaliá-las e conferir alguma compatibilidade com os pacientes que

NOS TRÊS PRIMEIROS

Transplantes foram realizados no estado no primeiro trimestre deste ano

▶ Doadores de sangue são orientados pelo Homonorte sobre a importância de se tornarem doadores de médula óssea estão aguardando por um doador. “Às vezes, leva anos para um potencial doador ser chamado para ser um doador efetivo”, diz a diretora de apoio do Hemonorte, Rosemary Oliveira. Essa fase também se mostra como um grande gargalo para a doação acontecer de fato. Em todo o Brasil, 40% dos doadores em potencial se recusam a fazer a doação efetiva quando são avisados da compatibilida-

de com um paciente necessitado da doação. “Os fatores são muitos, mas o único que a gente vê como justificativa válida é a condição de saúde do doador”, explica Rosemary, lembrando que o potencial doador pode ter desenvolvido alguma doença que impossibilite a doação, já que a convocação pode demorar alguns anos para acontecer.

A LISTA DE ESPERA É ROTATIVA, NÃO DEMORA MUITO PARA ACONTECER UM TRANSPLANTE.

As campanhas de educação e coleta são feitas em todo o estado. As de educação apenas informam o público do que fazer para se tornar um potencial doador e são feitas em escolas, empresas e eventos abertos. Nessas, não é feita nenhuma coleta. “A gente prefere fazer campanhas de coletas em locais fechados, porque permitem uma concentração melhor das pessoas nas orientações”. Quando

campanhas de coletas são feitas em empresas e instituições de ensino, elas resultam em um número maior de potenciais doadores. Atualmente, o Hemonorte vem conseguindo uma média de 400 novos doadores potenciais por mês. A meta é chegar aos 600. Desde 2002, quando as campanhas começarem no Rio Grande do Norte, o estado já enviou para o Redome 12.057 amostras de sangue.

ÀS VEZES, LEVA ANOS PARA UM POTENCIAL DOADOR SER CHAMADO

POR ENQUANTO, UMA UNIDADE É SUFICIENTE” Francinete Guerra, Coordenadora da Central de Transplantes

PARA SER UM DOADOR EFETIVO” Rosemary Oliveira, Diretora do Hemonorte

67 PACIENTES AGUARDAM POR TRANSPLANTE Os outros dois setores que auxiliam diretamente no transplante de medula óssea no estado são a Central de Transplantes do RN e o Natal Hospital Center. O primeiro é quem regula a lista de espera, coordenado por Francinete Guerra. Hoje, o Rio Grande do Norte possui 67 pacientes aguardando por um transplante de medula óssea. Nos três primeiros meses do ano, realizou nove operações de transplantes.

“É um bom número, mas existem pessoas por aí que nem sabem que precisam de um transplante e não estão na lista”, diz Francinete. Para ela, a informação é uma das principais ferramentas. Francinete informa que quem quiser informações sobre consultas e como proceder para um transplante de medula óssea, deve procurar o Natal Hospital Center. Esse é o único hospital do es-

tado que possui autorização do Ministério da Saúde para realizar transplante de medula óssea no RN. Segundo Francinete, não é fácil para uma unidade de saúde conseguir essa licença. “Quem se candidata, tem que responder a uma série de exigências específicas do Ministério. Como é difícil, só uma unidade no estado conseguiu corresponder a elas”. A equipe de transplante do Na-

tal Hospital Center é composta por quinze profissionais, liderados pelo hematologista Henrique Eduardo. Há alguns anos, a unidade já realiza transplante de medula óssea aparentado, que é o feito entre pessoas com algum grau de parentesco. Em janeiro, conseguiu a licença do Ministério para realizar transplante também entre não aparentados. Segundo Rosemary, o fato de apenas uma unidade estar apta a

fazer esse transplante é o suficiente para atender a demanda atual. Francinete também concorda que o estado está bem aparelhado com essa unidade. “A lista de espera é rotativa, não demora muito para acontecer um transplante. Por enquanto, uma unidade é suficiente”. Mas ela alerta: à medida que a lista de espera for crescendo, outra unidade apta a fazer o transplante vai se fazer necessária.

COMO FAZER PARA SER UM DOADOR ▶ Ter entre 18 e 55 anos de idade e estar em bom estado geral de saúde (não ter doença infecciosa ou incapacitante). ▶ Procurar o Hemonorte para fazer a doação de sangue e preenchimento do cadastro, com fornecimento de identidade e dados para contato. ▶ A doação consiste da retirada de 5ml de sangue ▶ O material coletado será tipificado por exame de histocompatibilidade (HLA), que é um teste de laboratório para identificar suas características genéticas que podem influenciar no transplante. Seu tipo de HLA será incluído no cadastro. ▶ Seus dados serão cruzados com os dos pacientes que precisam de transplante de medula óssea constantemente. Se você for compatível com algum paciente, outros exames de sangue serão necessários. Seu atual estado de saúde será avaliado. ▶ A doação é um procedimento que se faz em centro cirúrgico, sob anestesia peridural ou geral, e requer internação por um mínimo de 24 horas. Nos primeiros três dias após a doação pode haver desconforto localizado, de leve a moderado, que pode ser amenizado com o uso de analgésicos e medidas simples. Normalmente, os doadores retornam às suas atividades habituais depois da primeira semana.


Cultura 12

Editor Franklin Jorge

E-mail cultura@novojornal.jor.br

Fones 84 3201.2443 / 3221.3438

/ NOVO JORNAL / NATAL, SÁBADO, 19 DE JUNHO DE 2010

FOTOS: ASSECOM MOSSORÓ

FESTA EM MOSSORÓ ATRAI GRANDE PÚBLICO

/ CIDADE JUNINA / NOS PRIMEIROS DIAS DA FESTA ESTIMA-SE QUE PÚBLICO TENHA SIDO SUPERIOR A 250 MIL PESSOAS.

PROGRAMAÇÃO DE HOJE junina do Estado, realizada em Mossoró, vem batendo recordes este ano de presença de público no corredor cultural, área localizada na Avenida Rio Branco com mais de dois quilômetros de extensão e que concentra dezenas de atividades juninas. Na Estação das Artes acontece os grandes shows populares, na Arena deodete Dias acontece o festival de quadrilhas que este ano conta com mais de 300 grupos inscritos, na Praça da Convivência os shows de MPB, no Circo do Forró o autêntico forró pé de Serra e no adro da Capela de São Vicente o espetáculo teatral “Chuva de Bala no País de Mossoró”. A festa teve continuidade ontem, sexta-feira, com a apresentação na Estação das Artes de Carlos André, Forró Cubano, Pegada de Luxo, Solteirões do Forró e Forró Danado. Hoje vão se apresentar Xavier Araújo, Nilson Viana, Dorgival Dantas, Saia Rodada e Balanço de Menina. Segundo cálculos da Polícia Militar, nas três noites de shows da semana passada o público presente em toda a extensão do Corredor Cultural superou as 200 mil pessoas. O destaque foi na quinta-feira com o show da banda Aviões do Forró, quando cerca de 80 mil pessoas participaram da festa. Além da festa, o comércio mossoroense festeja os números. O setor hoteleiro registra a melhor taxa de ocupação do ano, chegando a manter uma taxa média de aproximadamente 100% dos leitos durante os finais de semana. Bares, restaurantes e o Mossoró West Shopping registram um acréscimo considerável nas vendas. Cerca de 400 profissionais trabalham diretamente na festa, entre vendedores de bebida, coquetéis, lanches, batatinha frita e também os grandes comerciantes, que se instalam dentro da Estação das Artes, montando verdadeiros restaurantes. A expectativa da Prefeitura de Mossoró é que este ano o Cidade Junina movimente mais de 10 milhões de reais na economia da cidade, gerando emprego e renda para a população. A decoração junina da cidade contribui para que Mossoró viva neste período um clima diferente que envolve a população com o contexto da festa. Segundo Clézia Barreto, gerente municipal de Cultura, a festa junina de Mossoró é diferente do restante do Brasil porque não envolve apenas shows, são ao todo 30 projetos culturais diferentes, cada um envolvendo um público específico. Clézia explica que o visitante tanto pode assistir os shows dos grandes artistas, como freqüentar o forró pé de serra, a MPB, o jazz, o pop rock, entre outras alternativas. “Aqui a pessoa escolhe o que ver e de qual festa participar”, disse.

A MAIOR FESTA

▶ Em cena, o espetáculo Chuva de

Bala no país de Mossoró

AQUI A PESSOA ESCOLHE O QUE VER E DE QUAL FESTA PARTICIPAR” Clézia Barreto Gerente Municipal de Cultura

ROTEIRO

• Cinema na Roça Local:Estação das Artes • Chuva de Bala 20h Show no Palco: Candieiro Encantato com Eugênio Bezerra 21h – Espetáculo - Adro da Capela São Vicente • Cidadela Shows: 22h Eugênio Bezerra / Banda Sfinge • Memorial Jazz 21h – Berg Silva - Memorial da Resistência

▶ Chuva de Bala no País de Mossoró encena momentos do

confronto entre cidade e canga-ceiros

• Burro Táxi 19h – Cidadela

ESPETÁCULO AO AR LIVRE ENCENA COMBATE COM LAMPIÃO

• Festival de Quadrilhas 19h – Arena Diodete Dias

“Chuva de Bala no País de Mossoró” é, sem dúvida, uma das maiores referências do Cidade Junina. Lampião só reconheceu ter sofrido uma única derrota em vida: em 13 de junho de 1927, quando foi posto para correr de Mossoró. E o espetáculo ao ar livre, celebra justamente esse espírito libertário dos mossoroenses, ao contar a história de resistência ao bando de Lampião. A peça é encenada no adro da Capela de São Vicente, que foi palco da batalha vencida pelo povo de Mossoró. São mais de 70 atores, sob a direção de João Marcelino, que encarnam personagens da história, como o prefeito Rodolfo Fernandes, líder da resistência, o padre Mota,

a polícia, Lampião e seu bando. Também participam da peça as crianças do Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (PETI) e jovens em instrução do Tiro de Guerra 07-010. A obra cênica de natureza narrativa, escrita pelo professor e historiador Tarcísio Gurgel, lembra a saga do povo mossoroense de modo simples e direto, como forma de prender a atenção das pessoas e permitir que os visitantes compreendam o episódio sem maior dificuldade. O Adro da Capela de São Vicente recebe cenário que lembra o dia da Resistência ao bando de Lampião – 13 de junho de 1927. O espaço cenográfico dá a dimensão do fato histórico, transmitindo realismo.

Moviecom: 14h55 – 17h00 – 19h20 – 21h25 (LEG) 19h20. Cinemark: 15h00 17h25 - 19h45 - 22h10 - 00h35 (LEG).

roteiro@novojornal.jor.br

CINEMA TOY STORY 3 – Livre. Cinemark: 12h30 - 15h10 - 17h50 - 20h30 23h10 (DUB). Moviecom: 12h50 – 15h05 – 17h20 – 19h35 – 21h50 – 14h20 – 16h35 – 18h50 – 21h05. TOY STORY 3 3D – Livre. Cinemark: 11h00 - 13h30- 16h10 - 18h50 (DUB). 21h30 - 00h10 (LEG).

À MODA DA CASA – 14 anos. Cinemark: 14h00. CARTAS PARA JULIETA – 10 anos.

• Pau de Arara Eletrônico A partir das 19h – Cidadela

MARMADUKE – Livre. Moviecom: 15h30 – 17h20 (DUB). Cinemark: PRÍNCIPE DA PÉRSIA - AS AREIAS DO TEMPO – 12 anos. Moviecom: 11h05 - 13h00 (DUB). 14h20 – 16h40 – 19h00 – 21h20 PLANO B - 12 anos. Moviecom: 14h40 (DUB). 14h50 – 17h10 – 19h30 ESQUADRÃO CLASSE A – 12 anos. – 16h45 – 19h15 – 21h25 (LEG). Cine- – 21h50 (LEG). Cinemark: 12h35 Moviecom: 19h10 – 21h35 (LEG). Ci- mark: 11h40 - 16h25 - 19h10 - 21h50 - 15h15 - 17h55 - 20h35 - 23h25 (DUB). 11h15 - 16h30 - 21h45 (LEG). nemark: 13h50 - 19h05 - 00h25 (LEG). - 00h30 (LEG).

• Feira de Artesanato e Comidas Típicas 18h – Praça de Eventos • Concurso de Maquete Junina A partir das 8h30min. – Praça de Eventos • Botando Boneco 19h - Genildo Bonequeiro – Praça de Eventos • Festival Canta Sanfona 20h – Praça de Eventos • Circo do Forró 21h –Trio Desejo do Forró / Nicolas e Forrozão • Shows na Estação das Artes Elizeu Ventania 20h30min. Xavier Araújo / 21h40min. Nilson Viana / 23h10min. Dorgival Dantas / 00:40h Saia Rodada / 02h50min. Balanço de Menina • Praça de Convivência 20h Bruno, Netinho e Caixa Pop

MÚSICA O Trem do Forró será animado por um trio de sanfoneiros no percurso que sai de Natal e vai até Ceará-mirim. Nas paradas das estações, haverá quadrilhas improvisadas e apresentações de danças típicas. A saída é às 16 horas da estação da Ribeira. A Hits 70 Band toca as baladas da década da brilhantina no Taverna Pub. O grupo vai cantar ícones da época como Bee Gees, Donna Summer e Village People. A banda Via Praça se apresenta no Sargent Peppers a partir das 21 horas.


Social

Edito Editor Franklin Jorge Frank

E-mail social@novojornal.jor.br

Fones 84 3201.2443 / 3221.3438

NATAL, SÁBADO, 19 DE JUNHO DE 2010 / NOVO JORNAL /

Marcos

O poema é cura, não doença. Escrevo para ser feliz, não para me libertar do sofrimento, não para sofrer”

Sadepaula

Ferreira Gullar, poeta e crítico de arte maranhense, contrariando Franklin Jorge

sadepaula@novojornal.jor.br

Música Potiguar Brasileira Hoje às 19 com reprise amanhã ao meio dia, a Universitária FM - 88,9 MHz apresenta o trabalho do grupo Forró Namanha, que atua há 9 anos no cenário musical do estado, tem 2 discos gravados, muito chão pisado e histórias para contar. Durante a longa temporada de shows no Sudeste, conseguiu boa execução nas rádios cariocas e tornou-se conhecida no circuito de forró universitário do eixo Rio – São Paulo, chegando inclusive a ser convidado a se apresentar nos Estados Unidos e Europa. O grupo faz misturas bem sucedidas com outros estilos da música do Nordeste e garante ao público de seus shows côco, ciranda e até pinceladas do reggae jamaicano, mas sem deixar de lado a sanfona e a zabumba.

Lição oriental

D’LUCA / NJ

a ▶ Sérgio e Rosalin dos

Um sujeito colocava flores no túmulo de um parente quando vê um chinês colocando um prato de arroz na lápide ao lado. Ele se vira para o chinês e pergunta: - Desculpe-me, mas o senhor acha mesmo que o seu defunto virá comer o arroz? - Sim, na mesma hora que o seu vem cheirar as flores!

Lobo anima para receber os ã torcedores amanh ao no Villa Hall par ta jogo contra a Cos de Marfim

São João do CEI

Respeitar as opções do outro é uma das maiores virtudes do ser humano. As pessoas agem e pensam de formas diferentes. Não as julgue, compreenda-as.

D’LUCA / NJ

O Colégio CEI Mirassol promove neste mês de junho, no pátio da escola, a sua tradicional festa de São João, que iniciou quarta e segue até a próxima terça-feira com as atrações: Banda Lengo Tengo e Forró Estrela do Norte, além de quadrilhas, jogos, brincadeiras, comidas típicas, narrativas de histórias e a presença da “Rádio Difusora”, buscando a valorização das tradições juninas e as manifestações da cultura popular brasileira.

Baiacu na Copa

▶ Akira Yanno e Renne

eventos pre presente nos Silveira, casal sem

sociais da cidade

D’LUCA / NJ

CEDIDA

Aniversário Dando prosseguimento às comemorações de seu aniversário de um ano, o Jobim aproveita para comemorar também os 66 anos do maior músico e compositor da história musical brasileira, Chico Buarque de Holanda, através no violão de Joca Costa, que ao lado da cantora Heliana Pinheiro e do baterista e percussionista Isaac Sol montaram um show só com músicas desse gênio das letras e da música a partir das 21h30.

Frutos do mar O Divino Fogão traz para sua rede de restaurantes o Festival de Frutos do Mar.  Nos dois restaurantes da franquia potiguar, localizados no Midway Mall e Natal Shopping, serão servidos até amanhã, pratos à base de camarão, lagosta, lula, além de diversos tipos de peixes.

, e, diretora do CEI mãe Célia Andrad

ane Pon ▶ Múcio NT e Dayead o de a do Brasil no jog ol

e e sua colégio de Mirass ▶ Renato Andrad de São João do tradicional festa

no palpite da gol amanhã: 5 x 0

Bizaco da Vila Hoje e amanhã, a partir das 18hs, acontecerá a Festa de São João da Vila de Ponta Negra. O palco da celebração junina, será o pátio da Igreja de São João Batista, próximo ao terminal de ônibus da vila. A programação cultural contará com apresentações dos grupos culturais da Vila (Bambelô, Congos, Coco, Pastoril, Boi, Lapinha, Resistência da Lata, entre outros), artistas locais, grupos artísticos convidados e muito Forró pé-de-serra. Além disso, haverá exposição de artesanato da comunidade, barracas de comidas típicas, mostra literária de cordel (Sebo “Balalaica”), exposição fotográfica, bingo, sorteios, brincadeiras e simpatias de São João.

Festival de Quadrilha A área de lazer do conjunto Panatis é o palco do XXIV Festival de Quadrilha Junina de Natal. O Festival é uma realização da Prefeitura, promovido pela Funcarte e tem a proposta de resgatar, preservar e difundir as tradições juninas. A movimentação acontecerá de hoje até 29 de junho, a partir das 18h. Este ano 87 grupos estarão se apresentando distribuídos nas categorias infantil, tradicional, cômica e estilizada. Para a etapa final serão classificados os 20 grupos que obtiverem maior pontuação na etapa eliminatória, sendo 12 na categoria tradicional e oito na estilizada, uma vez que as categorias infantil e cômica não concorrem a premiação, apenas se apresentarão.

D’LUCA / NJ

organizando a

tistas Violeiros e repen Grande do

Restauração

Rio ção de duplas do acontece Com a participa a e Pernambuco aíb Par , ará Ce , pentistas da Norte de Violeiros e Re hoje o 5º Festival tes terá uma apresentação de An de Chico Daniel, Várzea do Assu. 19h, com Josivan alidade rural de mamulengos, às loc da a ári nit mu na Associação Co envolve seis duplas de violeiros al tiv cimentos Panon I. O fes do um dos aconte e repentistas, sen cultural do São João porque ta marcantes da pau ção popular. ita possui grande ace  

▶ Lilianme Akacchar, Emannuel Pires, Ligia Limeira, Alexandre Albuquerque e Nicácio Loia

O tradicional bloco do carnaval Baiacu na Vara rompe as barreiras do reinado de momo e vai promover o “Baiacu na Copa”, uma animada concentração amanhã, quando o Brasil irá jogar com a Costa do Marfim. A festa será no Bar Preto no Branco, em Ponta Negra, e contará com decoração temática, telões, TVs, ambiente climatizado, rodadas gratuitas de caipirinha a cada gol do Brasil e animação da banda Cor da Noite. Informações sobre mesas e senhas individuais nos 8807-0168 e 9924-9230.

tes exagerando

Coquetel de abertura do Seminário Democracia & Voto, com palestra do ex-ministro José Dirceu, na FIERN

13

▶ Thaisa Flor e o

seu Beto Santos garantindo o esso repeteco do suc na da parceria Don e Donna, Pitanga ã Maranello amanh a par l no Vila Hal mais um jogo do Brasil na Copa

A sede do Procon em Natal será restaurada e, com essa finalidade, a Secretaria Estadual da InfraEstrutura realizará concorrência (modalidade tomada de preço), no dia 23 de junho. A reforma da sede tem como objetivo oferecer melhores condições para aqueles que procuram a instituição para reclamar qualquer assunto de seu interesse.

FOTOS: D'LUCA / NJ

▶ Carlos Eduardo, Fátima Bezerra e Maurício Marques: atentos

▶ Raivicsh, Carla Cruz, Delma Lopes e Túlio Duarte, do Nominuto ▶ José Dirceu e o empresário Afrânio Miranda

▶ Luana Ferreira (NOVO JORNAL), Yuri Borges e Melina França

▶ Diógenes Dantas e o ex-ministro José Dirceu ▶ Ohara Oliveira, Leônia Régia, Rosa Medeiros e Rosalie Arruda


14

▶ CULTURA ◀

/ NOVO JORNAL / NATAL, SÁBADO, 19 DE JUNHO DE 2010

“O escritor José Saramago mantinha relações privilegiadas com o Brasil. Esteve presente em diversos eventos literários no país e se tornou muito popular antes mesmo de conquistar o Prêmio Nobel. Em romances como “O Ano da Morte de Ricardo Reis”, o Brasil faz parte das reflexões do grande escritor. A sua perda é recebida com muita tristeza, particularmente pelos que têm apreço pela língua portuguesa e por sua importância cultural em tantos continentes. O Ministério da Cultura do Brasil se soma aos que lamentam e manifestam a dor pela perda desse grande escritor.”

MORRE O PRIMEIRO NOBEL PORTUGUÊS / DATA / O ESCRITOR JOSÉ SARAMAGO, DE 87 ANOS, MORREU ONTEM EM SUA CASA DE LANZAROTE, NAS ILHAS CANÁRIAS RODRIGO BALEIA / FOLHAPRESS

Juca Ferreira, ministro da Cultura

FRANKLIN JORGE DO NOVO JORNAL

O ESCRITOR JOSÉ Saramago, de

87 anos, morreu ontem em sua casa de Lanzarote, nas Ilhas Canárias, onde passou a residir nos anos noventa. Autor de uma vasta obra que comporta mais de sessenta títulos publicados, Saramago tornou-se conhecido com a publicação de “Jangada de Pedra” e “Levantado do Chão”, que constituem o alicerce de sua notoriedade como um autor universal. Nascido em 1922 na provincia de Azinhaga, no Ribatejo, a 100 quilômetros de Lisboa, tinha três anos quando a família mudou-se para a capital, fugindo da pobreza que persistiu em acompanhá-los. Autodidata, filho de camponeses, fez de tudo na vida: foi serralheiro antes de tornar-se jornalista e escritor. Educou-se freqüentando a biblioteca do bairro enquanto trabalhava numa oficina, depois que teve de abandonar a escola para ajudar na manutenção da família, depois da morte de seu irmão Francisco, mais velho dois anos. Segundo Juan Cruz e Javier Rodríguez Marcos, em comentário veiculado ontem por El País, de Madri, Saramago foi poeta antes de ser ficcionista de sucesso e, antes que poeta, pobre. “Unido o jornalismo a esses outros três fatores, (pobreza, poesia e ficção) se entenderá a fusão entre preocupação social e exigência estética”, que marcaram profundamente a obra do único Premio Nobel da língua portuguesa em disputa que teve também o escritor Jorge Amado no páreo. Ferrenho militante do Partido Comunista Português, tinha posições polêmicas e se colocava acima das conveniências dos partidos. Participou da chamada Revolução dos Cravos trouxe grandes mudanças políticas em seu país. Dizia-se pessimista e ateu e, um pouco antes de morrer, declarou que o homem não devia acreditar em Deus. Tinha ainda, como desafetos, a Igreja Católica, o ex-presidente George W. Bush e o Governo de Israel. Em 2007 se desentendeu com o governo de seu país ao sugerir que Portugal devia ser incorporado à Espanha. Por muito tempo defendeu Fidel Castro, porém nos últimos anos diminuiu o seu entusiasmo pelo ditador cubano. Também foi um simpatizante do presidente Lula. Visitou o Brasil, participando de eventos culturais em Porto Alegre e em outras cidades. Recentemente, teria sido convidado para participar do Encontro de Escritores lusófonos, promovido pela Prefeitura de Natal, segundo chegou a ser divulgado.

“A obra dele era a cara dele, é tão coerente com o que ele militou, com o que fez. Além de português, era um grande brasileiro, as questões brasileiras o interessavam, era inteiramente ligado ao Brasil. Um figuraça, um grande militante de base além de um grande escritor.” Sebastião Salgado, fotógrafo, amigo e companheiro de militância de Saramago

“É uma grande perda para a literatura. A obra de Saramago está ao lado das grandes obras de literatura e com o tempo vai ganhar força. É um estímulo para qualquer escritor, uma referência que vai ficar.” Gonçalo M. Tavares, escritor português

“O Saramago foi um autor importantíssimo para mim, não foi à toa que eu decidi montar a [adaptação do livro] “Memorial do Convento”, na época que eu li foi transformador como concepção de literatura contemporânea e propôs para mim uma coisa completamente inovadora.” Christiane Jatahy, diretora teatral

“Senti grande emoção ao tomar conhecimento da notícia. Sabia que ele estava frágil, doente, mas sempre pensei em Saramago como um imortal por sua própria obra, por seu lado humano. Ele é eterno.” Nélida Piñon, escritora

“Ele é o nome mais importante em língua portuguesa nos últimos 40 anos. Ele é o grande herdeiro de uma tradição da rica crônica portuguesa de Fernão Lopes. ‘Memorial do Convento’ foi a [obra] porta de entrada para mim em sua obra.” Cristóvão Tezza, escritor

“Saramago é um escritor importante sem dúvida. Deu uma contribuição à literatura de ficção pela originalidade de seu estilo. Tinha uma maneira muito pessoal de lidar com a língua portuguesa. As inovações que ele introduziu à prosa brasileira o distingue. Tinha muita imaginação e criatividade e, além do mais, era um escritor polêmico, que criou um instrumento de discussão dos problemas da atualidade.” Ferreira Gullar poeta e colunista da Folha

“Com a morte de Saramago, o mundo perde um de seus grandes escritores. E a literatura de língua portuguesa perde não somente um grande escritor, mas um intelectual de posições marcantes, que sempre soube defender com coragem e brilhantismo.” João Ubaldo Ribeiro, escritor

“A obra do Saramago foi importantíssima para a literatura da língua portuguesa. Acho que ele trabalhava com alegorias e nisso construiu uma obra inovadora em certo sentido. Por exemplo pelo fato de não indicar narrador. Os narradores e os personagens falam no fluxo contínuo, como se fosse uma espécie de oralidade contínua, sem cortes, sem indicações. Isso não é uma novidade porque alguns escritores do modernismo já usavam essa técnica, mas ele ajudou a criar um grande público de leitores para uma obra consistente, o que não é comum. Na América Latina, só havia escritores de qualidade de língua espanhola que tinham alcançado grande público. O Saramago dialogou com a literatura da língua. Também tem um sentido histórico na obra dele que é muito importante. Ele trabalha com elemento constitutivo do romance moderno, que é a história, o sentido da história. É o romance sem ser o romance histórico propriamente dito. Ele fez isso em vários momentos, como na ‘História do Cerco de Lisboa’, que é um belo romance com fundo histórico importante. Ele também criticava todo tipo de injustiça e isso não é muito comum hoje em dia. Tem um lado humanista, solidário que acho importante também na obra dele.”

▶ José Saramago, cético e pessimista tinha posições polêmicas que atingiam a religião e a política

CORPO SERÁ CREMADO FOLHAPRESS

O governo de Portugal enviará um avião à ilha espanhola de Lanzarote para repatriar o corpo do escritor português e prêmio Nobel de Literatura, José Saramago. O corpo será velado hoje na Câmara Municipal de Lisboa, segundo a Fundação Saramago. A cremação do corpo deve ocorrer amanhã, segundo a fundação, mas o local onde as cinzas serão depositadas ainda é incerto, já que há a possibilidade de elas serem espalhadas na propriedade do escritor na ilha canária de Lanzarote, onde ele morreu na manhã de ontem. A palavra final deve ser dada pela mulher, Pilar del Rio. A morte de Saramago ocorreu por volta das 13h no horário local (8h de Brasília), quando o escritor estava em casa. Havia passado uma noite tranquila. Após ter feito o desjejum de costume e conversado com a mulher, começou a sentir-se mal e pouco depois morreu.

RECORDISTA

Para Luiz Schwarcz, editor da Companhia das Letras, José Saramago não era apenas um amigo e um escritor admirado. Era um excelente negócio. “Ele era nosso autor mais vendido em literatura estrangeira”, diz Schwarcz. Os 24 títulos do escritor português lançados pela editora somam, aproximadamente, 1,4 milhão de exemplares. O mais bem vendido de todos foi “Ensaio Sobre o Cegueira”, tornado filme pelas mãos de um diretor brasileiro, Fernando Meirelles. “O Brasil era um dos principais mercados do Saramago no mun-

do”, diz o editor. “Talvez só a Espanha vendesse mais que o Brasil.” O cineasta Fernando Meirelles divulgou um comunicado sobre a morte do escritor português, cujo livro “Ensaio Sobre a Cegueira” foi adaptado pelo brasileiro para os cinemas. “A lucidez naquele grau é um privilégio de poucos, não consigo escapar do clichê, mas definitivamente o mundo ficou ainda mais burro e ainda mais cego hoje”, escreveu Meirelles sobre a morte de Saramago. “A última vez que me encontrei com Saramago foi em Penafiel, em Portugal, em novembro passado, onde ele foi homenageado”, escreveu Meirelles. “Saramago era um homem lógico, dizia que a morte é simplesmente a diferença entre o estar aqui e já não mais estar. Combatia as religiões com fúria, dizia que elas nos embaçam a visão, mesmo assim, não consigo deixar de pensar que adoraria que neste momento ele estivesse tendo que dar o braço a torcer ao ser surpreendido por algum outro tipo de vida depois desta que teve por aqui”, diz o cineasta. O cineasta diz ainda que estava convivendo muito com o escritor ultimamente, por conta de um documentário que está coproduzindo, chamado “José e Pilar”, dirigido pelo português Miguel Mendes, sobre os últimos anos do Saramago e sua mulher. “O filme é comovente de cortar os pulsos, vemos ali um homem brilhante que sabe que seu tempo está acabando e tem muita pena de morrer. O dia no qual ele pensava constantemente e que tentou adiar, chegou”, afirma Meirelles.

BIBLIOGRAFIA

▶ 1982 - Lança o romance histórico “Memorial do Convento”

▶ 1984 - Publica “O Ano da Morte de Ricardo Reis”

▶ 1986 - É lançado “A Jangada de Pedra”; conhece a jornalista espanhola Pilar del Rio, com quem se casa dois anos depois ▶ 1989 - É publicado “História do Cerco de Lisboa” ▶ Dez.1989 - É eleito presidente da Assembléia Municipal de Lisboa, espécie de parlamento da cidade, com 106 membros ▶ 1991 - Publica “O Evangelho Segundo Jesus Cristo” ▶ Nov.1991 - A Igreja portuguesa compara o livro “O Evangelho Segundo Jesus Cristo” a “alucinações teológicas” e a uma “provocação teatral ao Transcendente”; no mesmo dia, a Universidade de Salamanca (Espanha) concede ao autor o título de doutor honoris causa ▶ Abr.1992 - A secretaria de Cultura de Portugal renega a inscrição de “O Evangelho Segundo Jesus Cristo” na disputa do Prêmio Literário Europeu ▶ 1993 - Muda-se para a ilha de Lanzarote, na Espanha, após a polêmica causada em Portugal pelo livro “O Evangelho Segundo Jesus Cristo” ▶ Out.1995 - É publicado o livro “Ensaio Sobre a Cegueira” ▶ Nov.1995 - Recebe o Prêmio Camões, o mais importante em literatura da língua portuguesa ▶ 8.out1998 - Recebe o prêmio Nobel de Literatura; é o primeiro autor de língua portuguesa a receber a homenagem

Milton Hatoum, escritor

“O Ano da Morte de Ricardo Reis”, “Caim” e “O Evangelho segundo Jesus Cristo” foram o meu abismo e a minha redenção particulares. Conhecer a escrita de Saramago é ir muito além do empirismo, da curiosidade, de um anarquismo, de um ateísmo fervoroso. Ele cumpriu a sentença comum. Que os livros o tenham eternamente entre nós”. José Correia Torres Neto, produtor cultural.

EU SOU UM COMUNISTA HORMONAL, MEU CORPO CONTÉM HORMÔNIOS QUE FAZEM CRESCER MINHA BARBA E OUTROS QUE ME TORNAM UM COMUNISTA. MUDAR, PARA QUÊ? EU FICARIA ENVERGONHADO, EU NÃO QUERO ME TORNAR OUTRA PESSOA” Saramago ao repórter da BBC Alfonso Daniels, em uma entrevista em junho de 2009.


Esportes

Editor Marcos Bezerra

E-mail esportes@novojornal.jor.br

Fones 84 3201.2443 / 3221.3438

NATAL, SÁBADO, 19 DE JUNHO DE 2010 / NOVO JORNAL /

Paulo Vinícius Coelho ▶

15

A QUEDA ALEMÃ

pvc@uol.com.br

KARIM JAAFAR / DIVULGAÇÃO ADIDAS / AFP / GETTY IMAGES

/ ALEMANHA / SÉRVIA MARCOU EM JOGADA AÉREA E CONSEGUIU SEGURAR A PRESSÃO DA EQUIPE DE JOAQUIM LÖW, QUE FICOU COM UM HOMEM A MENOS COM A EXPULSÃO DE KLOSE CLIVE ROSE / DIVULGAÇÃO ADIDAS / GETTY IMAGES

FOLHAPRESS

mirava recordes com Miroslav Klose e vislumbrava o surgimento de um novo Müller goleador amargou uma derrota por 1 a 0 para a Sérvia, ontem. A seleção dos Bálcãs protagonizou a segunda grande surpresa da Copa-2010. A primeira fora o triunfo suíço sobre os espanhóis na quarta-feira, pelo Grupo H. No Grupo D, sérvios e alemães têm agora três pontos, juntamente com Gana, que pode surpreender e assumir a liderança se vencer a Austrália hoje, em Rustenburgo, às 11h (de Brasília). Desde o México-1986 os tricampeões não perdiam na fase de grupos. A última fora para a Dinamarca, por 2 a 0. A ALEMANHA QUE

▶ Sérvia: atletas em equipes de ponta da Europa e vontade de vencer alemães

Viva a surpresa O ENCANTO pelo futebol da Alemanha morreu no segundo jogo. A força da Inglaterra nas eliminatórias não resistiu ao primeiro tempo contra a Argélia. Até a Eslovênia fez um primeiro tempo ótimo contra os EUA. A Copa é mais das surpresas do que das defesas. Até mesmo a Argentina, que deixou boa imagem no segundo tempo ante a Coreia do Sul, penou para vencer por 2 a 1 a primeira etapa. A tese mais fácil a partir da decepção com os grandes é que a retranca está ganhando a Copa. Mas, fosse assim, o México não venceria a França jogando no ataque, num 4-3-3 ousado e veloz. Nem a Argélia tentaria jogar com a bola no pé ante os poderosos ingleses. Critique o nível técnico, mas não se esqueça de que a surpresa pode tornar a Copa saborosa. Melhor do que os favoritos ganharem tudo. Quando a Sérvia vence a Alemanha, tente se lembrar o que fazem seus titulares. Stankovic é campeão europeu pela Inter. Krasic, destaque da Copa dos Campeões pelo CSKA. Jovanovic, recém-contratado pelo Liverpool. O futebol espalhou atletas de países diferentes pelo mundo, e é isso o que explica as vitórias de seleções intermediárias contra outras mais poderosas. Quando a Argentina é campeã mundial de basquete, atribui-se ao desenvolvimento do esporte. Quando a Sérvia ganha da Alemanha, a teoria é a do nivelamento por baixo. Não é. Lembre-se de que o fato não é inédito. Em 1962, a Iugoslávia, de quem a Sérvia é herdeira, eliminou a Alemanha nas quartas de final. Ontem, a Sérvia montou uma linha de cinco meio-campistas e obrigou os alemães a se desvencilharem. Lançou Krasic nas costas de Badstuber, sabidamente o mais frágil marcador. O gol saiu assim. Defender é só parte da estratégia. A outra parte é o estudo.

INGLESES PÉSSIMOS A má atuação inglesa até aqui tem mais a ver com a dificuldade de Lampard e Gerrard armarem do que com a saída de bola. E o time não joga pelos lados. Está errado.

▶ Bola na rede alemã e Jovanovic no chão, antes de ir comemorar no fosso O gol de ontem, de Milan Jovanovic, veio em um contra-ataque. A bola sobrou para ele, livre de marcação na pequena área, completar para o fundo da rede. O que dificultou a vida alemã

foi a ausência do goleador Klose, expulso dois minutos antes do gol, após levar o segundo cartão amarelo por uma falta por trás. O jejum de derrotas poderia ter sido mantido não fosse a

displicência de Podolski em cobrança de pênalti aos 15min da segunda etapa. O zagueiro Nemanja Vidic colocou a mão na bola dentro da área. Na estreia, a Sérvia perdera para Gana por causa de um pênalti semelhante. Mas, ontem, o polonês naturalizado alemão cobrou quase à meia altura, não muito no canto. Foi o suficiente para o goleiro Stojkovic defender e se consagrar. Ele é reserva do Wigan, da Inglaterra, e sua titularidade era contestada pela torcida e pela imprensa sérvias. A Alemanha - que entrou em campo torcendo para Klose se aproximar de Ronaldo na artilharia geral das Copas e incensada pelo talento de Müller, 20- corre o risco de acabar a primeira fase em segundo ou até eliminada.

/ INGLATERRA /

Desventuras em série FOLHAPRESS

favoritas da Copa do Mundo, a Inglaterra voltou a decepcionar. Os campeões de 1966 ficaram no empate sem gols com a Argélia, na Cidade do Cabo, e estão em situação incômoda no Grupo C. Com o resultado, a Inglaterra soma agora dois pontos e divide a segunda colocação com os Estados Unidos - que levam vantagem nos gols marcados. A líder é a Eslovênia, com quatro pontos. A Argélia tem um. No primeiro jogo do dia, Eslovênia e Estados Unidos empataram por 2 a 2, em jogo que a arbitragem prejudicou o time norteamericano - aos 40min foi anulado um gol legal por impedimento.

UMA DAS PRINCIPAIS

JEWEL SAMAD / DIVULGAÇÃO ADIDAS / AFP / GETTY IMAGES

Na última rodada, a Inglaterra enfrenta a Eslovênia, no dia 23, às 11h (horário de Brasília), no estádio Nelson Mandela Bay, em Port Elizabeth. Na mesma hora, Estados Unidos e Argélia duelam em Pretória. A Inglaterra foi previsível e pouco criativa durante todo o jogo. O time de Fabio Capello tinha ritmo lento e não assustava o goleiro M’Bohli, que pouco trabalhou no jogo. Os atacantes Rooney e Hesky não incomodavam, e o meio-campo chegava pouco para ajudar. Lampard e Gerrard ficavam muito atrás e a melhor chance do time na primeira etapa foi quando o primeiro avançou para a área e chutou, mas a bola foi fraca, nas mãos do arqueiro rival.

▶ Barry Gareth recebe combate no meio campo: garra dos argelinos Nem o empate sem gols parcial fez o “English Team” ser mais ousado na segunda etapa. Erros de passes e falta de vibração eram a tônica da equipe.

Capello ainda tentou mudar a situação tirando Lennon, Barry e Heskey para as entradas de Wright-Phillips, Crouch e Defoe. Mas o panorama não mudou.

COMPROMETIMENTO A Eslovênia tinha em 2002 um craque, Zahovic. Perdeu todos os jogos. Matijas Kek diz que foi porque Zahovic tinha privilégios. Hoje sem craques, o técnico diz que o espírito de equipe empurra o time.

PVC escreve nesta coluna diariamente

/ ITÁLIA /

/ GRUPO D /

AZZURA EM BUSCA DE UM HOMEM GOL PARA TENTAR PRIMEIRA VITÓRIA

GANA TENTA SE APROXIMAR DA CLASSIFICAÇÃO

quer acabar com o incômodo equilíbrio no Grupo F. O empate com o Paraguai na primeira rodada já faz parte do passado e o técnico Marcelo Lippi deverá promover mudanças na equipe para enfrentar a Nova Zelândia, hoje, às 11 horas, em em Nelspruit. O comandante da squadra azzurra, apesar de ainda não ter definido a formação do ataque italiano que pouco produziu no empate em 1 a 1 com os paraguaios na estreia, promete aca-

A TETRACAMPEÃ ITÁLIA

bar com o esquema com três atacantes. Com Pepe confirmado no meio-campo ao lado de Camoranesi, De Rossi e Montolivo, a dúvida está em quem será o companheiro de Di Natale. Gilardino e Iaquinta disputam a vaga. Durante a preparação, o técnico italiano comandou um coletivo com equipes divididas aleatoriamente, mas escalou Iaquinta ao lado de Di Natale. E o atacante cumpriu bem o seu papel, marcando um dos gols da vitória do time de colete rosa por 2 a 0.

Os torcedores italianos ainda lamentam o possível corte do goleiro Buffon devido a uma hérnia de disco, mas podem ver Pirlo na equipe. O jogador chegou a treinar com bola, mas ainda é dúvida para o jogo de logo mais. Do lado neozelandês, o experiente Ryan Nelsen e o técnico Ricki Herbert acreditam na classificação para as oitavas de final. “Se conseguirmos uma vitória, contra Itália ou Paraguai, nunca se sabe, podemos avançar às oitavas de final” disse.

/ ETO’O /

ATACANTE CAMARONÊS AINDA É A ESPERANÇA AFRICANA FOLHAPRESS DERROTADOS NA ESTREIA da Copa-

2010, Camarões e Dinamarca se enfrentam hoje, às 15h30 (horário de Brasília), em Pretória. Para alcançar a vaga nas oitavas de final, os africanos ainda depositam suas fichas no capitão Eto’o, artilheiro do país nas eliminatórias, com nove gols em 11 partidas. No jogo diante dos japoneses, porém,

o camisa 9 atuou praticamente como um ponta-direita e pouco contribuiu. “Joguei onde o treinador queria. Dei tudo de mim e tentei colocar meus companheiros em boas condições”, afirmou. Para a partida de hoje o técnico Paul Le Guen não revelou se irá manter a mesma formação da estreia, mas a expectativa é que a equipe tenha ao menos uma postura mais ofensiva.

Segundo o goleiro dinamarquês Sorensen, para que os erros da derrota diante da Holanda não se repitam, a Dinamarca dependerá da recuperação do capitão Tomasson e da condição física de Bendtner e Kjaer, que ainda não estão 100%. “Precisamos que os nossos principais jogadores estejam na sua melhor forma se quisermos competir em um torneio como este”, declarou.

FOLHAPRESS

a vencer na primeira rodada da Copa do Mundo, Gana enfrenta a Austrália hoje em busca de mais uma vitória para se aproximar da segunda fase da Copa do Mundo. A partida, válida pelo Grupo D, será disputada no estádio Royal Bafokeng, às 11h (de Brasília), em Rustemburgo. O triunfo inesperado ontem da Sérvia sobre a Alemanha, por 1 a 0, embolou a chave, que já parecia definida. Três seleções somam agora três pontos ganhos. Apenas os australianos, que ocupam a lanterna, não pontuaram. Gana tenta chegar pelo segundo Mundial consecutivo às oitavas de final. Em 2006, na Alemanha, também se classificou, mas acabou derrotada pelo Brasil no mata-mata. Goleada na estreia, a Austrália tenta se manter viva na competição. Segundo a imprensa australiana, a seleção vive uma crise interna. Os atletas mais experientes do elenco estariam tentando derrubar o técnico Pim Verbeek. ÚNICA SELEÇÃO AFRICANA


16

▶ ESPORTES ◀

/ NOVO JORNAL / NATAL, SÁBADO, 19 DE JUNHO DE 2010

Tostão RODRIGO ARANGUA / DIVULGAÇÃO ADIDAS / AFP / GETTY IMAGES

MEIO CAMPO

PODE MUDAR AMANHÃ

/ BRASIL / DUNGA TERIA TESTADO FORMAÇÕES DURANTE TREINO SECRETO NA ÁFRICA DO SUL; GILBERTO SILVA, COM UMA PANCADA NO TORNOZELO, FOI SUBSTITUÍDO POR JOSUÉ FOLHAPRESS

DIVULGAÇÃO / CBF

QUANDO AS COISAS não acontecem

▶ África do Sul, um dos times que retrocedeu: segunda divisão europeia

Involução africana No grupo A, Uruguai e México estão quase classificados. No B, além da Argentina, Coreia do Sul, Nigéria e Grécia disputam a segunda vaga. As chaves C e D estão emboladas. A Alemanha, que tinha feito uma ótima partida contra a Austrália, perdeu para a Sérvia. Deu tudo errado para os alemães. Começaram mal o jogo, tiveram um jogador expulso e ainda perderam um pênalti. O imponderável, no caso os árbitros, continua interferindo nos resultados das partidas. Os jogadores da Nigéria e da Alemanha não mereciam ser expulsos. Anularam um gol legítimo dos Estados Unidos contra a Eslovênia no final da partida. Meu palpite, antes do Mundial, de que várias seleções africanas, por jogarem no continente, se classificariam, não vai acontecer. Os times africanos estão piores do que eu pensava. África do Sul e Argélia estão praticamente desclassificadas. Gana, Nigéria, Costa do Marfim e Camarões correm muitos riscos de não passarem à segunda fase. Vai ser AS SELEÇÕES triste se nenhuma seleção africana se classificar. AFRICANAS SÃO Nas oitavas de final da Copa de 1994, a Nigéria venDISCIPLINADAS, cia por 2 a 0 e dava um show nos italianos. Aí, começaDEFENSIVAS E ram a brincar. A Itália reagiu e ganhou o jogo. Dois anos FORTES, PORÉM depois, nas Olimpíadas, a Nigéria ganhou do Brasil e POUCO TALENTOSAS da Argentina e conquistou a medalha de ouro. Na época, imaginei que, de dez a 15 anos, uma seleção africana teria grandes chances de ganhar a Copa. Não foi isso que aconteceu. O lugar-comum de que os jogadores africanos são habilidosos e criativos, porém indisciplinados taticamente, não existe há muito tempo. Pelo contrário. Hoje, as seleções africanas são disciplinadas, fortes, bastante defensivas, entretanto pouco talentosas. Um dos motivos dessa transformação foi a importação de dezenas de treinadores europeus. As seleções africanas parecem times europeus da segunda divisão. Os africanos perderam a fantasia e não evoluíram na parte técnica. Não sabem finalizar. No momento do chute, estão sempre com o corpo desequilibrado. Chutam e caem. Parecem com alguns jogadores que atuam no Brasil, como Dagoberto. No instante da finalização, os grandes atacantes estão sempre a uma distância correta da bola, com o corpo ereto e com a perna de apoio no chão e ao lado da bola. Chutam, não caem e acertam o gol.

como o esperado, é um setor específico da seleção brasileira que carrega a responsabilidade. Tem sido assim ao menos nas últimas quatro Copas do Mundo. E agora, na equipe de Dunga, é possível que o meio-campo sofra novamente mudanças durante o Mundial. O time nacional joga no domingo contra a Costa do Marfim - uma vitória coloca o Brasil nas oitavas de final. O coletivo fechado de ontem à tarde aumentou a suspeita de que o técnico testaria alguns jogadores, como Daniel Alves, Ramires e Júlio Baptista, no meio-campo. Apesar da vitória contra a Coreia do Norte (2 a 1), o time teve muita dificuldade para superar o bloqueio dos asiáticos e o próprio Dunga criticou a lentidão da equipe. Há também o fato de Kaká, principal jogador da seleção, estar longe de sua forma física e técnica ideal, como ficou evidente na estreia. Tudo isso pode fazer com que Dunga mude peças no que deve ser o setor criativo da equipe. “O Kaká atua na mesma função que eu, mas estou esperando uma oportunidade e preparado para jogar’’, disse ontem Júlio Baptista, destaque do coletivo realizado ontem contra uma equipe sub-19 sul-africana. Robinho, que fez a função de Kaká por alguns minutos contra os norte-coreanos após a substituição do meia, também disse não ver problema em jogar por ali. “O Santos joga com três atacantes e eu sou o que volta mais para buscar as jogadas. Então, não tem dificuldade.’’ Mudanças no meio-campo, se ocorrerem agora, seguirão um padrão adotado pela seleção desde o Mundial de 1994. Para acer-

▶ Jogadores brasileiros em treino na África do Sul: possíveis mudanças do meio para a frente tar o time campeão nos EUA, o treinador Carlos Alberto Parreira trocou Raí por Mazinho. Em 1998, na França, o meia Geovanni foi substituído por Leonardo na equipe vice-campeã de Zagallo. Na Copa de Coreia do Sul e Japão, em 2002, o atual reserva Kleberson ganhou a posição de Juninho Paulista e ajudou a acertar o time de Luiz Felipe Scolari, que conquistou o pentacampeonato. Na fracassada campanha na Alemanha, há quatro anos, Parreira mexeu no time que caiu nas quartas diante da França. Tirou o atacante Adriano e pôs Juninho Pernambucano no meio-campo.

TREINO E CONTUSÃO

O treino da seleção brasileira ontem foi parcialmente fechado. A primeira parte dos trabalhos, que envolvem basicamente exercícios físicos, foi liberada para os profissionais de impren-

sa. No entanto, assim que começou o coletivo, os portões da Saint Sthithians School, novo local de treinamento do Brasil, foram fechados. Os jornalistas que ainda acompanhavam o treino foram obrigados a se retirar do local. A postura de Dunga já foi criticada pela Fifa. Na segunda-feira a entidade máxima do futebol enviou uma reclamação formal à CBF, já que nem a HBF, empresa responsável pela captação de imagens dos treinos para exibir as marcas dos patrocinadores oficiais da Copa do Mundo, teve acesso aos treinos. O decisão de Dunga confundiu a escalação do Brasil para a partida contra a Costa do Marfim. Josué entrou no time titular no lugar de Gilberto Silva, que recebeu uma pancada no tornozelo e deixou o treino. O volante deve ser reavaliado pelo departamento médico na manhã de hoje para saber a gravidade da contusão.

ABAIXO DE O° A exemplo da partida diante da Coreia do Norte, realizada na última terça-feira, o Brasil deverá sofrer com o frio contra a Costa do Marfim amanhã, às 15h30 (de Brasília), no estádio Soccer City, em Johannesburgo, pela segunda rodada do Grupo G da Copa do Mundo. A previsão é que a temperatura esteja abaixo de 0ºC no horário da partida. No confronto contra os norte-coreanos, a temperatura foi de 2º C. A sensação térmica durante a estreia brasileira foi de -4ºC. Preocupado com o frio, o goleiro Julio César pediu à comissão técnica da seleção para usar uma calça térmica contra os africanos. “Eu pedi para comprar calças térmicas, porque passei um frio grandíssimo no último jogo”, afirmou.

/ AMÉRICA /

/ ABC /

Lula lá, seis fora

DUELO DE ALVINEGROS NO CASTELÃO

REPRODUÇÃO INTERNET

Tostão escreve nesta coluna diariamente BRUNO ARAÚJO DO NOVO JORNAL

O AMÉRICA JÁ tem um novo treinador. Lula Pereira, ex-técnico de Flamengo, Bahia e Figueirense, assume o time potiguar a partir da próxima terça-feira. No entanto, o pernambucano deverá estar em Natal já nesta segunda para acompanhar o confronto do América contra o Fortaleza, às 19 horas, no Machadão. O novo técnico substituirá Gilmar Iser, demitido na semana passada. Recém-chegado do futebol árabe, Lula Pereira é natural de Olinda e tem 54 anos. O pernambucano iniciou a carreira de treinador no Sub-20 do Ceará, onde conquistou o título estadual da categoria em 1988, vencendo todas as partidas disputadas. No currículo, além de passagens por grandes clubes brasileiros, contabiliza os títulos de campeão catarinense (Figueiresne) e mineiro (América/MG) O novo treinador americano terá a missão de tirar o time rubro de uma péssima fase. Na Série B do Brasileiro, o América está na zona de rebaixamento e ocupa a 17ª colocação, enquanto, no Campeonato do Nordeste, é décimo colocado com quatro pontos. Além do anúncio do novo treinador, a diretoria rubra chamou seis atletas para negociar

▶ Lula Pereira: experiência internacional para tirar alvirrubro da crise suas respectivas rescisões contratuais, mas até o fechamento desta edição ainda não haviam sido confirmadas as dispensas do zagueiro Asprilla, do lateral Rogerinho, os volantes Assis e Edmilson e dos atacantes Aloísio e Adriano Magrão. Além deles, os zagueiros Carlão e Douglas e o lateral Tarracha devem ser os próximos a ser chamados para “conversar”. Sobre as dispensas, o vicepresidente americano, Clóvis Emídio, revelou que uma lista foi enviada ao novo técnico com observações feitas por integrantes da diretoria em relação a alguns atletas. Mas as primeiras dispensas já estão concretizadas. “Enviamos essa lista e o treinador

vai dar seu parecer. Nossa maior preocupação agora é recomeçar com o trabalho com o novo técnico para retomar o caminho das vitórias na Série B”, afirmou o cartola.

ENVIAMOS ESSA LISTA E O TREINADOR VAI DAR SEU PARECER” Clóvis Emídio Vice-presidente do América

ABC E CEARÁ se enfrentam hoje, às 20h15, no estádio Castelão, em Fortaleza. A partida é válida pela quarta rodada do Campeonato do Nordeste. Se vencer, o alvinegro potiguar pode alcançar o G4 da competição, atualmente o time ocupa a quinta colocação. Os cearenses estão em sétimo. Depois de golear o Sergipe/SE na rodada passada, por 5 a 0, o ABC terá como reforço o meia Cascata que não atuou contra os sergipanos devido a problemas de documentação. Para o treinador Leandro Campos o ABC não deve mudar sua postura em campo. “Independentemente de quais jogadores entrem em campo pelo Ceará, nós vamos manter a nossa proposta de jogo. Respeitamos o adversário, mas não tememos ninguém”, disse o técnico. No Ceará, as atenções estão voltadas para a estreia do treinador Estevam Soares que substitui Paulo César Gusmão. O técnico destaca que é preciso muito trabalho. “O sucesso só vem antes do trabalho no dicionário”, brincou Estevam.

19-06-2010  

19-06-2010

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you