Issuu on Google+

www.novojornal.jor.br 08

R$ 1,50

Ano 1 / N° 234 / Natal, TERÇA-FEIRA, 24 de agosto de 2010

ECONOMIA

04

BANCOS SUPERAM PETRÓLEO E TÊM MAIOR LUCRO DO SEGUNDO TRIMESTRE

RODA VIVA

JUSTIÇA ELEITORAL ATESTA QUE ROSALBA CIARLINI NÃO É CONTRA O BOLSA-FAMÍLIA

AUGUSTO RATIS / NJ

14

CULTURA

02 POR FRANKLIN JORGE

CARMEN VASCONCELOS E A FILHA: LETRAS EM DOSE DUPLA 09

ÚLTIMAS

NEM O XAXADO SALVA O HORÁRIO ELEITORAL GRATUITO NO RIO GRANDE DO NORTE

CIDADES

QUADRILHA INVADE COMITÊ DE WILMA / ARRASTÃO / POLÍCIA AINDA NÃO SABE QUANTO FOI LEVADO DO COMITÊ DE CAMPANHA DA EXGOVERNADORA, EM CANDELÁRIA, ASSALTADO ONTEM POR SEIS HOMENS FORTEMENTE ARMADOS

HUMBERTO SALES / NJ

02

ÚLTIMAS AUGUSTO RATIS / NJ

PRÉDIO ANTIGO DA REDE FERROVIÁRIA NA RIBEIRA É INVADIDO Integrantes de uma organização chamada Movimento de Luta nos Bairros e Favelas invadiram ontem o antigo prédio da Rede Ferroviária Federal, na Ribeira. Em plena campanha eleitoral, alegam não ter onde morar. 03

POLÍTICA ARGEMIRO LIMA / NJ

Em mais uma ação de ousadia dos marginais, seis homens armados assaltaram ontem, no início da tarde, o comitê de campanha da ex-governadora Wilma de Faria, em Candelária, uma casa de muros altos e com sistema de segurança. Os bandidos levaram o veículo Pajero do vereador Adenúbio

Melo, candidato a deputado federal, além de aparelhos celulares, dinheiro, carteiras e jóias. O carro foi abandonado pouco depois, no cojunto San Vale, Zona Sul de Natal. Como algumas vítimas não prestaram queixa, os policiais não souberam precisar o total do prejuízo.

FAERN CRITICA A POLÍTICA AGRÍCOLA DO RN E COBRA COMPROMISSO DE CANDIDATOS 11

CIDADES AUGUSTO RATIS / NJ

IVAN CABRAL

WWW.IVANCABRAL.COM

16

ESPORTES

AMÉRICA ENFRENTA VICE-LÍDER NO MACHADÃO Depois de vencer o Paraná fora de casa, o América joga contra o Figueirense hoje no Machadão. 16

ESPORTES

EX-TÉCNICO DO ABC, VALDEMAR CARABINA MORRE AOS 78 ANOS

EXPOSIÇÃO EM NATAL PREMIA COMO CÃO IDEAL ‘PHANTOM’, UM SIMPÁTICO SHIH TZU,


Últimas 2

Editor Marcos Bezerra

E-mail pauta@novojornal.jor.br

Fones 84 3201.2443 / 3221.3438

/ NOVO JORNAL / NATAL, TERÇA-FEIRA, 24 DE AGOSTO DE 2010

SEM TETO OCUPAM GALPÃO DA RFFSA / MORADIA / MOVIMENTO DE LUTA EM BAIRROS E FAVELAS PROMOVE OCUPAÇÃO DE PRÉDIO EM RUÍNAS NA RIBEIRA; OUTRAS AÇÕES ESTÃO AGENDADAS PARA PRESSIONAR PODER PÚBLICO FOTOS: AUGUSTO RATIS / NJ

▶ O galpão abandonado não tem teto nem energia elétrica

▶ Algumas famíílias levaram crianças: ocupação sem data para terminar

INTEGRANTES DO MOVIMENTO

minhada com saída do Alecrim em direção à prefeitura de Natal. “A gente não compreende porque a Prefeitura perdeu 385 casas populares e o dinheiro voltou para o governo Federal”, falou o líder do MLB. Os sem-teto vão cobrar também melhorias em conjuntos de casas populares no bairro Planalto, zona Oeste da cidade. Antes do período da jornada de lutas, o movimento realizou outras duas ocupações no Planalto: Ernesto Che Guevara e Natália de Souza Alves - cada um dos acampamentos recebe o nome de uma pessoa que tenha envolvimento com a causa da moradia ou afins. A ocupação do antigo prédio da Rede Ferroviária Federal S/A recebeu o nome de Maria Alves. Conforme o Marcos Ribeiro, as ações não têm data para acabar. “Nós

de Lutas nos Bairros, Vilas e Favelas (MLB) ocuparam o antigo prédio da Rede Ferroviária Federal S/A, no bairro da Ribeira, no início da semana. De acordo com o coordenador do movimento, Marcos Antônio Ribeiro, o prédio deve abrigar cerca de 200 pessoas de famílias sem-teto. Embora a edificação esteja completamente deteriorada, os ocupantes continuavam armando seus barracos ontem. O lugar não tem energia elétrica. Boa parte dos invasores está desempregada ou faz apenas trabalhos ocasionais, os chamados “bicos” e vivem em casas alugadas na periferia da cidade. As famílias saíram das zonas Norte e Oeste de Natal. “O motivo que nos trouxe aqui é o governo alegar que não tem terreno para construir ca-

sas populares”, afirmou Marcos Ribeiro. No mês de agosto o MLB, que é um movimento nacional, realiza uma jornada de lutas e insiste no lema: “Enquanto morar dignamente for um privilégio, ocupar é um direito”. Marcos Ribeiro ainda avisou que haverá pelo menos mais duas ocupações de prédios abandonados ou terrenos da União, governo do Estado ou Prefeitura. Segundo o coordenador, o MLB localiza onde tem terreno do poder público e o ocupa para mostrar que está sem uso. O movimento tem representações em 13 Estados brasileiros. “Em todos os Estados nós tivemos pelo menos uma ocupação”, disse. Na próxima quinta-feira, o movimento vai organizar uma ca-

vamos ficar até conquistar o nosso objetivo”, declarou. Aos 36 anos, Marcos Antônio Ribeiro não possui emprego fixo. Para se manter, ele faz serviços de pintor e eletricista quando aparece oportunidade. Ribeiro está há quase três anos no MLB e já conseguiu sua casa no assentamento Leningrado, zona Oeste de Natal. Apesar da conquista, o militante continua no movimento. “Como eu moro nas ocupações, eu cedi minha casa para outra família, em vez de ficar fechada”, contou. Segundo ele, quando se ganha a casa, se passa a reivindicar pela infraestrutura do lugar. O prédio da Rede Ferroviária Federal está sob responsabilidade da Gerência Regional do Patrimônio da União no Rio Grande do Norte.

/ ENERGIA /

Demanda cresce 8,4% e bate recorde na indústria e residências MARCELLO CASAL JR / ABR

FOLHAPRESS O CONSUMO TOTAL

de energia elétrica no país atingiu 34.382 GWh (gigawatts-hora) em julho, alta de 8,4% na comparação com igual período do ano passado, e de 6% em taxa acumulada de 12 meses, segundo relatório da EPE (Empresa de Pesquisa Energética). No período de janeiro a julho, houve elevação de 9,7% no consumo de energia, ante igual período de 2009. Entre os setores, a indústria foi que registrou maior aumento de consumo em julho, com 13,7% frente o mesmo mês do ano anterior. O segmento residencial cresceu 4,2% e o comercial 4,5%, na mesma comparação. No caso do segmento in-

▶ Rede de energia elétrica: consumo de 15.915 GWh bate recorde de 2008 dustrial, a EPE informou que os 15.915 GWh do mês passado representam um recorde histórico para a classe, que havia registrado o seu valor máximo em agosto de 2008 (15.823 GWh).

No residencial, o consumo médio entre janeiro e julho (157,2 KWh/mês) é o maior desde 1998. Em nota, a EPE cita que a classe residencial mostrou não

ter sofrido com a crise financeira de 2008/2009. “Ao contrário, demonstrou uma aceleração no ritmo de crescimento, encerrando 2009 com expansão de 6,4%, a maior taxa desde 1998”. Entre os fatores apontados está o aumento da base de consumidores, que atingiu a marca de 57,1 milhões, representando crescimento de 3,5% ante julho de 2009. Além disso, são apontados “a melhoria das condições de trabalho, com a queda consistente da taxa de desemprego, aumento do emprego formal e incremento do rendimento médio real da população”. Assim como o verificado nos últimos meses, os destaques da classe residencial são as regiões Norte e Nordeste, que cresceram ambas 13,9% frente a igual mês do ano anterior.

/ EXTERIOR /

Gasto de brasileiros é o maior de série histórica FOLHAPRESS AS DESPESAS DOS brasileiros que viajam para o exterior ou fazem compras pela internet em sites estrangeiros bateram recorde em julho e no acumulado de 2010. Segundo dados do Banco Central, foram gastos US$ 1,54

bilhão no mês passado, valor recorde para todos os meses da série iniciada em 1947. Entre janeiro e julho foram US$ 8,6 bilhões, outro recorde. Houve aumento de quase 60% em relação ao mesmo período de 2009 (US$ 5,5 bilhões). A estabilização do câmbio em um patamar abaixo de R$

2 e o crescimento da renda têm sido fatores importantes para aumentar esses gastos. O gasto com viagens internacionais é um dos componentes das contas externas do país e tem contribuído para piorar as transações correntes. Isso porque o ritmo de aumento dos gastos dos brasileiros não foi

acompanhado pelo crescimento do turismo estrangeiro no país. As despesas dos turistas que visitam o Brasil passaram de US$ 3 bilhões para US$ 3,4 bilhões neste ano. A diferença nessa conta já chega a US$ 5,2 bilhões e deve terminar o ano em US$ 8 bilhões, segundo o BC.

POR FRANKLIN FR RANKLIN JJORGE

XAXADO À POTIGUAR Muito falatório, promessas e poucos projetos deram o tom do Programa Eleitoral Gratuito. Em comum, os candidatos fazem segredo de onde virá o dinheiro para o cumprimento de tantas promessas de campanha, como o povo se habituou a chamar esses projetos sazonais. Sandro Pimentel (PSOL) prometeu escola em tempo integral e analfabetismo zero. O Camarada Leto (PCB) se disse o “comunista mais antigo do Rio Grande do Norte” e, apesar de seu ar cansado, misturou alho e bugalho ao lançar o seu grito de guerra: “abaixo o cangaço do capitalismo!” Roberto Ronconi (PTC) quer criar as Olimpíadas Potiguares de dois em dois anos. Carlos Eduardo (PDT), que quando prefeito construiu a segunda maternidade de Natal, na Zona Norte da cidade, comprometeu-se com a construção da primeira maternidade de Mossoró, que ainda não tem nenhuma. Rosalba Ciarlini (DEM) mostrou que, quando prefeita de Mossoró, fez a cidade acontecer, construindo o que seria a primeira UPA do Nordeste, além de reduzir o analfabetismo em 58%. Sua meta é investir no ensino técnico profissionalizante, criando dez escolas especializadas e a Rede Estadual de Ensino Técnico, como parte do Projeto Meu Futuro. Prometeu crédito de até R$ 3 mil sem juros para pequenos empreendedores (Projeto Mão Amiga). Ampliação e fortalecimento dos programas sociais existentes. Disse que para fazer

tudo isto vai precisar, em Brasília, do apoio dos senadores Garibaldi e Agripino. Seu primeiro programa me pareceu bem melhor. A música, sem graça e sem ritmo, tirou o brilho do programa. Iberê Ferreira de Souza enfatizou o Programa Compra Direta, que compraria dos agricultores, livrando-os dos atravessadores que ficam com o lucro. Para isto contaria com Dilma, Wilma e Lula, que a partir de janeiro estará sem mandato a não ser que Dilma seja apenas uma laranja e não a presidenta, no caso de ser eleita para o cargo. Iberê disse que o povo está feliz, referindo-se aos agricultores que sob o seu governo estariam levando vida boa. Sua música de campanha em ritmo de xaxado me pareceu bem melhor do que a música do programa de sua adversária democrata. Luiz Almir (DEM) candidato a deputado estadual, apresentou-se cantando (“Não se esqueça de mim...”) e mais não disse, dando a entender que não tem projeto nem programa. Getulio Rêgo (DEM), deputado estadual há 28 anos, disse que o seu mandato é um verdadeiro “plano de saúde”. Seu gabinete é na verdade um consultório. Lauro Maia (PSB), marinheiro de primeira viagem, escudou-se no prestigio do pai, de quem quer herdar a vaga na Assembléia Legislativa. Programinha eleitoral chocho e sem graça. Queira Deus que engrene e melhore nos próximos.

/ COPA 2014 /

MPF VAI FISCALIZAR OBRAS EM AEROPORTOS HUMBERTO SALES / NJ

▶ Aeroporto Augusto Severo; um dos alvos da fiscalização FOLHAPRESS PRINCIPAL GARGALO PARA

a infraestrutura da Copa-2014, os aeroportos das 12 cidades-sedes brasileiras serão fiscalizados pelo Ministério Público Federal de Brasília. O órgão solicitou ontem informações detalhadas a respeito do cronograma das obras, dos contratos e das licitações que envolvam os 13 aeroportos a serem ampliados nos próximos anos. O inquérito servirá para que os procuradores possam acompanhar as obras e cobrar os prazos e os andamentos de licitações - receios que rondam a Copa-2014 em razão das dificuldades encontradas nos Jogos Pan-Americanos de 2007, no Rio. Os responsáveis por prestar informações sobre as obras para a Copa-2014 serão a Infraero e a Anac, agência reguladora do se-

tor. Os órgãos deverão listar as principais dificuldades encontradas para executar as obras dentro do prazo previsto. Além disso, o Ministério Público quer saber o número de engenheiros da Infraero alocados em atividades de fiscalização. Anac e Infraero têm 15 dias para enviar as informações solicitadas. O governo federal pretende investir mais de R$ 5 bilhões nos aeroportos do país até a Copa2014. A ideia é desafogar a atual demanda dos usuários e conseguir estrutura para oferecer serviços aos mais de 600 mil turistas esperados durante o Mundial. O inquérito aberto pelo Ministério Público Federal em Brasília é o primeiro destinado a fiscalizar as obras federais da Copa do Mundo. Há procedimentos semelhantes em ao menos dois Estados: São Paulo e Paraná.


Política

Editor Heverton de Freitas

E-mail politica@novojornal.jor.br

Fones 84 3201.2443 / 3221.3438

NATAL, TERÇA-FEIRA, 24 DE AGOSTO DE 2010 / NOVO JORNAL /

3

DA PORTEIRA PARA FORA

/ REIVINDICAÇÕES / FEDERAÇÃO DA AGRICULTURA ENTREGA DOCUMENTO COM PROPOSTAS A SEREM ADOTADAS NO FUTURO GOVERNO ESTADUAL ARGEMIRO LIMA / NJ

PRISCILA ADÉLIA PONTES DO NOVO JORNAL

A FEDERAÇÃO DA

Agricultura e Pecuária do Rio Grande do Norte (FAERN), insatisfeita com a situação atual do agronegócio do Estado reivindica uma série de mudanças. O documento com as reivindicações dos produtores rurais foi entregue aos candidatos ao governo do Estado Rosalba Ciarlini (DEM), Iberê Ferreira de Souza (PSB) e Carlos Eduardo Alves (PDT), ontem, durante evento realizado na Federação das Indústrias (Fiern). Intitulado “O que esperamos do próximo Governo do RN”, o documento foi elaborado por produtores rurais e universidades, e discutido durante seminário realizado no dia 22 de julho. “Estamos preocupados com o desenvolvimento econômico do Estado. O desenvolvimento não pode terminar onde termina o asfalto”, disse o presidente da Faern, José Alvares Vieira. Para justificar a solicitação da Faern, José Alvares apresentou dados que mostram a representação significativa do agronegócio para o Brasil. Esse setor é responsável por 26% do PIB do país e os produtos agrícolas representam 42% das exportações brasileiras. Sendo responsável ainda por 37% do emprego gerado no Brasil. No Rio Grande do Norte, o setor do agronegócio também tem uma importância estratégica para o desenvolvimento. Dos 10 principais produtos da pauta de exportações do Estado, oito são oriundos da agropecuária. Em seu discurso, José Alvares afirmou que o setor sofre discriminação por parte da sociedade,

e cobrou maior atenção do que a que lhe é hoje destinada. Entre os temas que mais preocupam o setor estão a insegurança na zona rural, as invasões de terra, a precariedade das rodovias, encarecendo o preço dos produtos ao consumidor final, falta de unidades para armazenagem e a criação de um programa de construção de barragens destinadas à irrigação. A Faern está insatisfeita com a política agrícola do Estado e por isso elaborou o documento com uma série de reivindicações que devem ser colocadas em prática pelo candidato que se eleger no próximo dia 3 de outubro. As propostas para o setor foram divididas em sete pontos principais, como a necessidade de uma nova política agrícola, insegurança jurídica, segurança alimentar, assistência técnica e extensão rural, crédito para pequenos e médios produtores, seguro rural que garanta renda, e a necessidade de incentivo fiscal. Nesse quesito o presidente da Faern destaca que o Rio Grande do Norte sofre na disputa pelo mercado com os Estados vizinhos. Ele sugere também leis trabalhistas que beneficiem esse trabalhador. Apesar do documento solicitar a punição dos invasores de terras, José Alvares afirma que “o produtor rural não é contra reforma agrária. É contra invasões de terra. E isso é problema de Governo”, concluiu. Ele foi enfático na necessidade e compromisso que o próximo Governador do RN deve ter com o gronegócio.“Precisamos que quem venha a assumir tenha um comprometimento com essas questões”, concluiu.

REIVINDICAÇÕES DO AGRONECIO AOS CANDIDATOS

▶ Inclusão no orçamento do Estado de um percentual específico, a ser cumprido para a política agrícola do RN ▶ Programa Governamental para recuperação de áreas em processo de desertificação ▶ Programas voltados aos trabalhadores rurais garantindo aquisição da terra através de crédito fundiário dentro do ordenamento jurídico

▶ Rosalba, Iberê e Carlos Eduardo participaram de evento promovido pela Federação da Agricultura do RN

CANDIDATOS ASSUMEM COMPROMISSO COM SETOR Os três candidatos que participaram do seminário organizado ontem se comprometeram com a pauta de reivindicações dos produtores. O governador do Estado e candidato à reeleição pelo PSB, Iberê Ferreira de Souza, afirmou concordar com a maior parte das propostas feitas pela Faern. Para ele, fortalecer a competitividade da agricultura é imprescindível, além de se prontificar também a fortalecer políticas que beneficiem o semi-árido do Estado. Nesse quesito ele irá propor ao Governo Federal um fundo com recursos que proporcionem as ações

para essa área. “É necessária a reforma para uma legislação específica que se adéqüe a realidade do Rio Grande do Norte, como um melhor planejamento da Reforma Agrária”, disse. Iberê afirmou ainda que o Estado paga pelo desenvolvimento de políticas erradas desenvolvidas nos últimos anos. Já o candidato Carlos Eduardo Alves se disse convencido de que é necessário voltar os olhos para o interior, fornecendo subsídios para o setor. Além de ser necessário produzir empregos formais e qualificados. Durante o evento ele mostrou-se preocupado em criar

▶ Criação de um selo de certificação de produtos produzidos pelo RN

uma infra-estrutura para a exportação do produto já que o Rio Grande do Norte não tem um aeroporto que comporte essas cargas, nem ferrovia, nem um porto. Ele quer também reestruturar a Ceasa e investir na pesquisa agropecuária e prometeu adotar políticas que incentivem a formalização do setor, e fortaleçam o pólo da fruticultura. A candidata Rosalba Ciarlini, acredita que sua experiência como prefeita de Mossoró – município com 133 comunidades rurais – proporcionará uma administração que possibilitará uma vida digna às famílias rurais. Ela destacou a necessidade de fortalecer a educação no campo, com capacitação tecnológica. Para que com isso, haja diminuição na migração rural para a cidade.

▶ Manutenção das estradas vicinais através de convênios em as prefeituras municipais, construção do Aeroporto de São Gonçalo, ampliação do porto de Areia Branca ▶ Estruturação e Modernização da EMATER e EMPARN e criação de um programa estadual de convivência com o semiárido para a recuperação dos solos ▶ Criação de escolas em tempo integral contemplando a educação formal, profissional e complementar de forma a valorizar a educação no campo

/ LULA LÁ E CÁ /

PT coloca panos quentes na busca de unidade em caso de segundo turno TIAGO LIMA / NJ

CRISTIANO FÉLIX DO NOVO JORNAL

PROFERIDA A DECISÃO

do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) colocando que só o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) poderia ingressar com ação contra o uso de sua imagem na propaganda eleitoral gratuita, a coligação “Vitória do povo”, que ingressou no TRE/ RN com um processo pedindo que fosse negado o direito de uso de imagem e voz do chefe de estado no espaço do candidato Carlos Eduardo Alves (PDT) no rádio e na televisão, agora bota panos quentes para tentar abafar o imbróglio gerado nas últimas semanas. O presidente do diretório estadual do Partido dos Trabalhadores, Eraldo Paiva, avalia que, finalizada a questão, é hora de “trabalhar politicamente” para – se for possível – “reconstruir” o relacionamento entre a legenda e as demais siglas que compõe a base de sustentação do governo Lula. Apesar de PDT e PSB estarem juntos no plano nacional, no Rio Grande do Norte os dois partidos integram coligações que são adversárias no próximo pleito. “Com esse desfecho, chega o momento de nos articularmos politicamente. Vamos fazer um empenho para ter uma unidade no segundo turno, já que não conseguimos fazer isso para um primeiro”, disse Eraldo Paiva, lamentando a base ter partido para a dispu-

ta desunida. Ele avalia que era “desnecessária essa atitude de entrar na justiça”, atribuída ao governador e candidato a recondução Iberê Ferreira de Souza (PSB). E apela para a boa vontade do candidato pedetista, para que não fique nenhuma rusga. “Espero que isso (a ação) não traga nenhum reflexo negativo. Carlos Eduardo é um homem sensato e vai entender que essa foi uma divergência momentânea”, comentou. A declaração se escora na esperança de que Iberê Ferreira de Souza e Carlos Eduardo – que nas pesquisas de intenção de votos feitas até aqui durante o período de campanha estão em segundo e terceiro lugar, respectivamente - consigam crescer a ponto de levar a decisão sobre o governo do estado para o segundo turno. Tarefa que ainda parece distante, uma vez que em todos os levantamentos a candidata Rosalba Ciarlini (DEM) figura na liderança, liquidando a fatura no dia 3 de outubro. Caso as expectativas dos aliados de Iberê Ferreira tornem-se palpáveis, eles esperam contar com o apoio ao nome do governador, para que ele continue almejando ser reconduzido ao posto de chefe do executivo estadual. Por outro lado, Carlo Eduardo Alves, que declarou que em sua coligação - a “Coragem pra mudar” - “ninguém gostou disso”, se

referindo diretamente a atitude do concorrente socialista, preferiu não comentar sobre a possibilidade de que a celeuma tivesse tomado uma proporção que impedisse os dois grupos de se unir em caso de uma segunda etapa do processo eletivo. “Ainda é cedo pra falar sobre os próximos acertos”, desviou Carlos Eduardo. A razão para o candidato também não se colocar de maneira rígida é notória, já que ele também alimenta o desejo de, com a participação de Lula no seu programa, avançar nas pesquisas e superar Iberê Ferreira, chegando ao segundo turno. Caso a ordem se inverta, Carlos deu a entender que também irá pleitear o apoio do governador.

RECURSO

Integrantes do PT não gostaram nada da decisão monocrática do ministro Henrique Neves, de, com base na alegação de que de se tratava de um direito “personalíssimo”, determinou que apenas o presidente Lula pudesse questionar o uso da sua imagem na propaganda dos candidatos. Os advogados da coligação da candidata Dilma Rousseff (PT) anunciaram que vão apelar ao Pleno do TSE. O recurso seria para tentar impedir que duas representações impetradas para vetar o uso da imagem do presidente no programa do tucano José Serra sejam arquivadas.

VAMOS FAZER UM EMPENHO PARA TER UMA UNIDADE NO SEGUNDO TURNO JÁ QUE NÃO CONSEGUIMOS PARA O PRIMEIRO”

Eraldo Paiva chama de desnecessária ação para excluir Lula da campanha

Eeraldo Paiva Presidente estadual do PT

PROPAGANDA DE CARLOS MOSTRA APROXIMAÇÃO COM ELEITOR PETISTA Desde o último sábado a coligação encabeçada por Carlos Eduardo inseriu uma peça nos intervalos comerciais de diversos canais de televisão, reforçando que o ex-prefeito de Natal e o presidente Lula militam juntos desde a primeira incursão do petista em eleições gerais, em 1989. O dia também foi marcado pela retirada da ação impetrada pela assessoria jurídica de Iberê, que pedia para si exclusividade no direito de uso da

imagem do presidente. O vídeo intitulado “a estrela quer brilhar” mostra um jovem vestido de branco, dizendo que a parceria entre os dois, iniciada mais de duas décadas atrás, permanece até hoje. O texto é uma crítica a carona que muitos candidatos querem pegar na popularidade do presidente da República. “Hoje, todo mundo diz que está com Lula. Mas antes, você sabe, não era bem assim”, é falado no início.

No instante seguinte, o ator incita que o eleitor recorra à memória para recordar a campanha que tinha como slogan a frase “Lula lá. Brilha uma estrala”. Nesse momento o ator reforça: “Carlos estava lá, com a gente”, e começa a aparecer o símbolo do PT estampado na roupa dele, que conclui: “Olha, eu visto essa camisa há muito tempo. Se você também veste, vem com a gente. Sem medo de ser feliz”.


Opinião 4

Editor Franklin Jorge

E-mail opiniao@novojornal.jor.br

Fones 84 3201.2443 / 3221.3438

/ NOVO JORNAL / NATAL, TERÇA-FEIRA, 24 DE AGOSTO DE 2010

Editorial Casa da Mãe Joana ▶ rodaviva@novojornal.jor.br

CARENTE DE MANIFESTAÇÃO

A última vez que um assalto virou tema de campanha eleitoral no Rio Grande do Norte foi em 1982, quando um carro-pagador do programa de emergência da seca foi tomado por bandidos que levaram R$ 94 milhões e o governo (Lavoisier Maia) foi responsabilizado, sem culpa, como ficou provado depois. Mas assalto a um Comitê Eleitoral, como ocorreu ontem, no escritório da ex-governadora Wilma de Faria, é inédito. Nunca na história política desse Estado houve algo semelhante. Depois dessa vai ser difícil defender a atual política de segurança do RN. Com um detalhe: uma das vítimas foi o vereador Adenúbio Melo, durante anos, lutador de boxe.

A distância entre o que se diz e o que se faz consegue ficar ainda maior ao longo de uma campanha eleitoral. Esta semana se tem um exemplo pronto e acabado desta verdade, no acompanhamento do processo do chamado Escândalo da Operação Hygia (que apura o tráfico de influência em favor de empresas contra o Estado), ainda carente da manifestação (explicação ou justificativa) do seu principal implicado, que conseguiu travar o processo, justo na hora da tomada de depoimentos, alegando que não lhe foi assegurado o direito de poder se manifestar. Achando que lhe impediram de se defender, sustou a melhor oportunidade de se manifestar – acredite se quiser. Como se trata de um candidato a deputado estadual, ainda beneficiado pela dúvida (se é inocente ou culpado), fora do âmbito da Justiça ele dispõe de inúmeros mecanismos para provar sua inocência e se manifestar livremente. Mas essa inocência só será entendida pela opinião pública quando esta conhecer os argumentos e provas, ainda não apresentados. Apesar do argumento que o candidato/acusado usou para travar o processo na Justiça – de que não teve o direito de se manifestar – em termos eleitorais não existe nada que impeça a apresentação de suas razões em discursos, entrevistas ou programas de rádio e televisão. É incrível que a Operação Hygia não faça parte de sua estruturada campanha. Dispondo de formidável estrutura e contando com expressivos apoios, o Sr. Lauro Maia já concedeu inúmeras entrevistas a jornais, emissoras de rádio e TV, onde tem falado de quase tudo: de sua vida, sua luta e projetos; menos do envolvimento do seu nome na investigação da Polícia Federal que o levou à prisão. Por ter alegado que não lhe foi dado o direito de se manifestar, Lauro Maia travou o processo, e a oportunidade de falar à Justiça para provar sua alegada inocência e convencer as mentes maldosas de que não está buscando um mandato para, através dele, assegurar sua impunidade. Se na área criminal é beneficiado pela dúvida (presunção de inocência) cria, no campo político a situação é oposta: Como ficará o eleitor consciente na hora de votar num candidato que carrega dúvidas sobre seu comportamento ético e honestidade, numa campanha que já elegeu a ficha limpa como um dos principais atributos que se exige de um candidato? Se a dúvida é ferramenta legítima para ser usada na defesa de um cidadão comum, para quem disputa o voto popular essa mesma dúvida se transforma em libelo acusatório. No caso do candidato Lauro Maia, não apenas um libelo contra si próprio, mas contra todo um estilo de governo que ele representa.

DINHEIRO DAS ESTRADAS

O Governo do Estado firmou contratos, com quatro empreiteiras de porte médio, para prosseguimento do programa de estradas: Compasfal (R$ 11.407.969,73), Dois A (R$ 12.795.662,42), Novatec (R$ 13.391.269,94) e LM Comércio e Terraplenagem (R$ 12.567.463,84).

MAGNUS NASCIMENTO / NJ

DONA DE LULA

Pelo que se comenta entre assessores da coligação “Vitória do Povo”, o governador Iberê Ferreira de Souza estava pagando inocente, na tentativa de impedir a presença de Lula no programa de Carlos Eduardo. Informa-se que era de Wilma que vinha a maior resistência, quebrada por Iberê, depois de muita cobrança de Henrique Alves, que mandou retirar o recurso junto ao TRE. Em tempo : O TSE definiu (julgando representação do PT contra o PSDB) que só Lula pode impedir o uso de sua imagem por qualquer candidato.

DIREITO DE RESPOSTA HUMBERTO SALES / NJ

FATO INÉDITO

Não é competência do Ministério Público regulamentar a Área de Proteção Ambiental”

O primeiro direito de resposta da presente campanha atingiu apenas a propaganda no rádio. Foi concedido à senadora Rosalba Ciarlini, acusada de ser “contra a Bolsa Família”. Mais do que o efeito de mídia, essa decisão oferece oportunidade para Rosalba responder, sobretudo, a um trabalho que vem sendo feito por cabos eleitorais que visitam casas dizendo que ela é contra o programa do Governo Lula, que contou com o seu voto no Senado. No seu despacho, afirmou o Juiz: “É razoável que a representante Rosalba Ciarlini tome-se em brios e busque o seu direito à resposta, posto que um tema desse, que envolve um programa de Governo de largo espectro social, pode causar danos irreparáveis ao patrimônio eleitoral de quem é apontado contra o mesmo”

EM CAMPANHA

Candidata a Reitora da UFRN, a professora Arlete Araújo promove, hoje, um evento diferente: vai lançar um livro fora dos limites do Campus. Juntamente com outros professores que formam o Grupo de Gestão e Políticas Públicas da PósGradução da Universidade, estará na Livraria Siciliano, do Midway, autografando o livro “Clima Organizacional na Administração Pública”, que foi editado pela Fundação Getúlio Vargas.

VÁ DE KART

O Presidente da Confederação Brasileira de Automobilismo, Cleyton Pinteiro, visita Natal no dia de hoje para prestigiar a nova diretoria da Federação Potiguar de Automobilismo, comandada por Cezimar Correia. Pinteiro é pernambucano, ligado ao kart e presidiu a federação pernambucana por 12 anos.

DO SECRETÁRIO DA SEMURB, OLEGÁRIO PASSOS, SOBRE A MARINA DA PRAIA DO FORTE

OPÇÃO PELO PIOR REDE SEGURA

Mesmo tendo aceito a representação da coligação Vitória do Povo para retirada de um comercial da candidata Rosalba Ciarlini por usar recursos de computação gráfica, o juiz Ivan Lira de Carvalho reconhece a opção da lei pelo pior: “Prestigiou-se na redação do uso da computação gráfica nas inserções a pobreza da criatividade, ao invés de ser permitido que o engenho humano se aliasse à tecnologia da informação para produzir peças publicitárias mais estáticas (e porque não dizer, menos patéticas) do que certas tediosas inserções de propaganda eleitoral que invadem os lares de milhões de brasileiros com mídias artesanais e toscas”. Em tempo: A Legislação permite computação no Guia Eleitoral e proíbe só nas inserções.

Mesmo com carência de recursos, a Prefeitura de Natal vem conseguindo marcar sua presença em ações de segurança pública. Um convênio – firmado sem envolver transferência de recursos – com a empresa Rádio Táxi, integra os participantes desta organização no Projeto Rede Segura, que está sendo implementado com participação de vários segmentos.

TERRA DOS SEM TERRA

Em Mossoró, acredite, está havendo uma briga pela terra dos sem terra. No assentamento Vingt Rosado, os assentados pelo Incra começam a brigar com os moradores da comunidade de Jacuri, que haviam cercado um pedaço que dá acesso à estrada. A cerca foi derrubada pelos assentados.

ZUM ZUM ZUM ▶

O Palácio Felipe Camarão, sede da Prefeitura de Natal, foi tombado pela Conselho Municipal de Cultura. ▶ D. Mônica Serra, mulher do candidato do PSDB a Presidente da República, estará hoje, em Natal; visitará a Liga Contra o Câncer. ▶ Completa 40 anos, hoje, da fundação da Federação Aquática Norteriograndense.

Hoje e amanhã a ABIH e Secretaria Municipal de Turismo vão tentar vender Natal em João Pessoa e Recife, onde promovem workshops. ▶ O Prefeito de Macau, Flávio Veras (PMDB), fechou seu apoio ao candidato Lauro Maia (PSB) para deputado estadual. ▶ Publicado edital para inscrições para a XVII Exposição de Animais de Lajes que começa dia 27.

▶ Hoje é dia dos nossos trabalhistas históricos lembrarem Getúlio Vargas, que matou-se com um tiro no peito, há exatamente 56 anos. ▶ O clássico Fluminense 2 X 2 Vasco levou 66.757 pagantes ao Maracanã, domingo, que se despedia do atual formato de estádio. ▶ Vem ai um aumento no preço do pãozinho. A escassez mundial do trigo vai

elevar o preço do produto em 20%, pelo menos. ▶ O Governo do Estado transferiu recursos de R$ 144 mil para a Prefeitura de São Tomé reformar o Estádio Rainel Pereira ▶ Hoje é o último dia para requerer isenção do pagamento de taxas para o curso de qualificação em petróleo e gás do Prolimp, da Petrobras.

O arrastão promovido ontem por uma quadrilha no comitê de campanha da ex-governadora Wilma de Faria, no bairro de Lagoa Nova, entra, fácil, para o rol de ações ousadas da bandidagem jamais vistas no Rio Grande do Norte. Trata-se do escritório de uma ex-governadora, candidata ao Senado, atacado em pleno processo eleitoral, à luz do dia. De lá foram levados notebooks e objetos pessoais dos integrantes do comitê. O carro do vereador Adenúbio Melo, que é candidato a deputado federal, uma Pajero, também foi levado pelos marginais e encontrado mais tarde, abandonado, no bairro Pitimbu. Nos últimos meses, os bandidos têm renovado seu repertório de audácias, enfrentando as autoridades de segurança – e muitas vezes tripudiando delas. Basta lembrar alguns dos casos recentes: em Martins e Umarizal, assaltantes explodiram com dinamite as agências do Banco do Brasil, destruindo-as quase totalmente. Poucas semanas depois, roubaram os caixas-eletrônicos localizados na sede da Federação das Indústrias do RN, que sedia alguns dos mais importantes sindicatos patronais da indústria. Na Fiern, os assaltantes vestiram ternos e usaram carro importado, para sugerir aos seguranças que trabalhavam para candidatos. Também aí, a ação se deu em plena luz do dia, no início da tarde de um sábado. Na semana passada, uma quadrilha tentou assaltar o carro-forte que se dirigia à agência do Banco do Brasil no município de Monte Alegre. Depois de trocar tiros com guardas municipais e com policiais militares, o bando levou três PMs como reféns, um deles baleado na perna. Também roubaram armas e coletes à provas de balas dos policiais. Dessa vez, no episódio de ontem em Natal, a quadrilha agiu no escritório de uma candidata ao Senado que deixou o governo há pouco mais de quatro meses. Ainda que se considere que em alguns dos casos mais recentes parte dos grupos foi detida – o que se deu, em parte, em Monte Alegre -, a polícia tem perdido essa guerra, o que é ruim para todos, mesmo porque nem sempre a polícia reage na proporção do atrevimento. É péssimo para a sociedade, não somente para as vítimas diretamente atingidas, quando marginais insistem em operações marcadas pela ousadia. Significa menosprezo pelas autoridades. Para o cidadão comum, há também uma leitura diferente: se os assaltante agem assim, peitando as personalidades influentes do estado, o que não podem fazer diante daqueles que não dispõem do mesmo status? Fica a impressão de que o estado está desprotegido. E que aqui os bandidos deitam e rolam, como se o RN fosse a casa de Mãe Joana.

Artigo HEVERTON DE FREITAS Editor de Política ▶ hevertondefreitas@novojornal.jor.br

Precisa-se trabalhador Quem por dever de ofício, curiosidade ou interesse cívico na hora de definir o voto está acompanhando o horário eleitoral no rádio e na TV já deve ter percebido que as propostas dos candidatos a governador se assemelham umas às outras e, a não ser pelo camarada Leto que defende a estatização da Cosern, quase todas parecem ter saído do mesmo laboratório de marketing com projetos batizados com títulos sugestivos e um rosário de boas intenções nas mais diversas áreas. Na educação, todos prometem ofertar a educação profissionalizante. Mas o que se pretende com esse rótulo? Há um descolamento entre o que o mercado procura, a realidade da grande maioria da população quer, e os políticos entendem como educação profissionalizante. No mês de junho em São Paulo, durante uma conversa com o diretor da Associação Brasileira de Franquia, ele apontava como uma das áreas promissoras para o setor no Nordeste a abertura de escolas profissionalizantes. As razões são lógicas. De um lado o aumento da demanda por mão-de-obra mais qualificada na medida em que a região vem registrando um crescimento econômico maior do que o restante do país. De outro lado, a falta de trabalhadores melhor preparados para entrar nesse mercado. Para alguns pode parecer incrível que ainda existam pessoas querendo aprender as noções mais básicas de informática ou de línguas estrangeiras. Mas são milhares de famílias com mais dinheiro no bolso, seja devido aos programas de transferência de renda, seja pelo aumento real do salário mínimo, que encolhem as despesas em outras áreas, para pagar aos filhos cursos que possam lhes abrir a porta para o emprego. Segundo o Instituto de Pesquisas Econômicas Aplicadas, somente 18% que procuram trabalho no país estão dentro do perfil exigido pelas empresas. Agora mesmo o Programa de Mobilização da Indústria Nacional de Petróleo e Gás divulgou um estudo mostrando que o Brasil vai precisar até 2013 de 207 mil profissionais qualificados para trabalhar no setor. O número de vagas que precisarão ser preenchidas foi calculado com base no plano de investimentos da Petrobrás de 2009 a 2013, e pode ser ainda maior com o Pré-sal. São vagas que serão abertas em empresas privadas em função dos investimentos da gigante brasileira do petróleo. O Prominp abriu inscrições para mais de 27 mil vagas em cursos que irão ocorrer em 13 Estados, inclusive no Rio Grande do Norte. Essa a realidade a que os candidatos não parecem atentos. As vagas de trabalho estão sendo abertas para trabalhadores qualificados não necessariamente com curso superior ou de nível técnico, mas sim com conhecimentos específicos. E as oportunidades podem e devem ser oferecidas pelo Estado.


▶ POLÍTICA ◀

NATAL, TERÇA-FEIRA, 24 DE AGOSTO DE 2010 / NOVO JORNAL /

Painel RENATA LO PRETE Da Folha de São Paulo

painel@uol.com.br

Oremos A coordenação da campanha de Dilma Rousseff (PT) mandou imprimir 1 milhão de exemplares do boletim ‘Ao Povo de Deus’, que inclui, em suas oito páginas, a carta em que a candidata declara ser do Congresso a prerrogativa de tratar de temas ‘como aborto, formação familiar e uniões estáveis’. A iniciativa, simultânea à declaração de Lula de que ‘se Deus está conosco, ninguém está contra a gente’, visa diluir a resistência de parcela do eleitorado mais religioso a Dilma e responder a uma ofensiva de internet que descreve a candidata como favorável ao aborto e ao casamento entre homossexuais.

GUERRA SANTA O QG dilmista recebeu panfleto, que teria sido distribuído em igreja de Anápolis (GO), classificando o PT como ‘partido abortista’. A sigla cobrará a CNBB, assim como fez quando o bispo D. Luiz Gonzaga Bergonzini, de Guarulhos (SP), recomendou aos católicos não votarem em Dilma.

USINA

José Dirceu topa tudo, menos ver Antonio Palocci na Casa Civil. Por isso, tem uma ideia atrás da outra sobre cargos que o ex-colega de ministério poderia ocupar no eventual governo Dilma.

VEJA BEM

Preocupado com relatos de que o PMDB estaria se assanhando na partilha da futura administração, Michel Temer telefonou no domingo ao presidente do PT, José Eduardo Dutra, e ao ministro Alexandre Padilha (Relações Institucionais) para desfazer qualquer mal-estar. Ontem, repetiu a dose pessoalmente com Dutra e Palocci.

RÉGUA 1

Convencidos de que o tamanho das bancadas no Congresso vai pesar na divisão de espaços no Executivo, PT e PMDB se digladiam nos bastidores pelo melhor desempenho em outubro.

RÉGUA 2

Enquanto o PMDB afirma que, se fizer a maior bancada, a presidência da Câmara será sua, petistas argumentam que, com Temer na vice de Dilma, seu partido não deveria ter simultaneamente o segundo posto na linha sucessória.

TURMA

A subida no tom das críticas

a Dilma, prevista para ir ao ar hoje no programa de TV de José Serra (PSDB), passa pelas ‘companhias’ da candidata do PT.

FLEX 1

Apesar de alertado pelo TCU, o governo federal continua a subestimar o volume de tráfego das rodovias em licitação. O edital deste ano de um trecho da BR-101 (entre Bahia e Espírito Santo) usa dados de fluxo de 2006.

FLEX 2

Segundo o tribunal, o artifício maquia o desconto nas tarifas de pedágio _os deságios são inferiores ao que o governo divulga. A ANTT (Agência Nacional de Transporte Terrestre) alega que não ajustou os números para não prejudicar o PAC.

ONLINE

Geraldo Alckmin (PSDBSP) torna-se hoje o primeiro candidato a governador a receber doações via internet. O site do tucano sugere contribuições de R$ 10, R$ 30, R$ 45 ou qualquer outro valor. A opção de R$ 45 aparece em azul e amarelo.

DESAFINADO

Candidato a deputado federal por SP, o cantor sertanejo Dalvan ofereceu música para a campanha de Dilma. Seu partido, o nanico PSC, está coligado nacionalmente ao PT, mas aos tucanos no Estado. Ainda assim, ele espera que a petista aproveite o jingle. ‘Fiz a pedido do Lula, meu fã.’

VISITA À FOLHA

Marta Suplicy, candidata ao Senado pelo PT de São Paulo, visitou ontem a Folha. Estava com Montserrat Bevilaqua, assessora de imprensa.

TRABALHO VOLUNTÁRIO NO DIA DA ELEIÇÃO / TRE / JOVENS SE INSCREVEM PARA TRABALHAR COMO MESÁRIO NAS ELEIÇÕES NA EXPECTATIVA DE TER UMA VANTAGEM EM CASO DE EMPATE NOS CONCURSOS PÚBLICOS CEDIDA

JALMIR OLIVEIRA DO NOVO JORNAL

TRABALHAR DURANTE TODO um dia

de domingo e de graça tinha tudo para ser um fardo do qual qualquer um gostaria de se livrar. Mas este ano a busca por uma vaga de trabalho dessas está surpreendendo. Até agora, 1.996 pessoas se inscreveram no Tribunal Regional Eleitoral para trabalhar como mesário voluntário nas eleições deste ano. Atrás da nobre vontade de cumprir o seu dever cívico, há algumas vantagens que têm estimulado a busca desse trabalho principalmente por parte de jovens universitários que decidem perder seu domingo de folga para na frente ter o benefício de ser o escolhido no caso de empate contra outros concorrentes em concursos públicos. Cada vez mais disputados, os concursos públicos atraem pelos salários pagos e pela estabilidade do serviço público. O resultado é que a diferença entre ter o nome numa lista de aprovados ou na relação de espera muitas vezes é o acerto de uma única questão, quando não a decisão da vaga pelo critério de desempate. A estudante de Direito Mariana Cruz Firmino é uma dessas pessoas que este ano resolveu buscar uma vaga de mesário de olho em concursos futuros na sua área de atuação. Já estagiária no Ministério Público, aprovada que foi em um concurso para estagiários, ela sonha em no futuro ser uma promotora ou abraçar a carreira no Judiciário e sabe que o único caminho é estudar muito para passar no concurso. “Os concursos são bastante concorridos e muita gente que está tentando uma vaga também estuda bastante, ter um diferencial a favor em caso de empate sempre é bom”, afirma.

Eu acho que a imprensa deveria perguntar à Mulher Pera se ela tem alguma ideia. DO ESTILISTA RONALDO ÉSPER (PTC), que, assim como a dançarina Suelem Mendes Silva (PTN), disputa vaga de deputado federal por São Paulo, alegando que há preconceito contra candidatos alheios à política e recrutados pelos partidos na expectativa de obterem uma boa votação.

CONTRAPONTO EM CASA Ao chegar por volta de 5h30 de ontem à porta da fábrica da Mercedes Benz, Lula criticou a ‘estrutura de comício’ montada para receber o presidente e Dilma. – A ideia era mais simples. Era apertar a mão de cada um na chegada – protestou ele. Quando o general Gonçalves Dias, responsável pela segurança do presidente, tentou explicar a necessidade do esquema montado, Lula brincou: – Olha, eu acho que, se alguém quiser me matar aqui, só se for matar de abraço...

▶ A estudante Mariana Cruz vai trabalhar como mesária pela primeira vez A funcionária publica Veruska Maria Fernandes conta que escolheu o voluntariado por um dever cívico. “Eu quis ajudar no processo democrático”, conta. O desejo surgiu ao notar que o seu vizinho, no bairro do Tirol, fez em sua casa um comitê de campanha de um dos candidatos ao governo. A folga de dois dias também ajudou na escolha. “Eu quero ter uns dias livres durante o Carnatal”, confessa. Esta é segunda vez que se torna mesária, a primeira foi 1994, quando foi convocada pelo TRE. Dessa vez, ela se sente mais preparada e consciente do serviço eleitoral. De acordo com Tyronne Dantas de Medeiros, chefe da 3ª Zona Eleitoral, a segunda maior da capital com mais de 100 mil eleitores, as inscrições voluntárias, até o presente momento, superaram todas as expectativas. “O número de voluntários corresponde a 40% do total de mesários”, afirma Tyronne. O dado representa um aumento significativo, já que a parcela de mesários voluntários em 2008 representava 15% do total. Ainda assim, o número de convocados é bem superior. O TRE convocou cerca de três mil

mesários. Pessoas com ensino superior, entre 18 e 50 anos e funcionários dos setores públicos e privados formam a representação do voluntariado. “Esse público é reflexo da campanha maciça da Justiça na mídia, e do trabalho feito pelo TRE/RN em repartições públicas e universidades convocando as pessoas para o serviço”, alega Tyronne. De acordo com a Justiça Eleitoral, quem não pode ser mesário são os políticos e seus parentes (inclusive os cônjuges), membros de diretórios partidários exercendo funções executivas, agentes policiais, funcionários com cargo de confiança do executivo, servidores da justiça eleitoral e menores de 18 anos. O trabalho na seção eleitoral oferece certas benesses. O trabalho não remunerado do mesário, de acordo com a lei eleitoral, garante que para cada convocação da Justiça Eleitoral ele ganhe dois dias de descanso obrigatórios. O mesário pode receber seis dias de folga, contando a partir do treinamento – que conta como dia de serviço eleitoral –, e o 1º e o 2º turno. Além de servir de crité-

rio de desempate em concursos públicos. As inscrições estão abertas para quem deseja ser voluntário. Segundo o Tribunal Regional Eleitoral, a primeira semana de setembro é o prazo final de inscrição. A razão é simples, a partir da segunda quinzena do mês os mesários, sejam eles voluntários ou convocados, serão treinados para a função. Basta preencher o formulário existente no site do TRE (http://www.tre-rn.gov.br) para efetuar o cadastro. “O mesário é um dos personagens mais importantes do processo eleitoral. Representa o povo, é o cidadão participando efetivamente da construção da democracia”, afirma Tyronne.

PENALIDADES

Mas quem se inscreve voluntariamente para ser mesário ou é convocado para o serviço precisa comparecer. Caso o mesário se recuse ou abandone o local de trabalho, ele poderá ser punido administrativa e até criminalmente, de acordo com o Código Eleitoral. Quem não comparecer no local, dia e hora determinados para a realização da eleição, sem justa causa, está sujeito ao pagamento de multa que varia de R$ 17 a R$ 35,14, podendo ser multiplicada em até 10 vezes. Sendo que, em não havendo justificativa em até 15 dias após o pleito, o mesário fica impedido de fazer financiamentos em banco e de matricular-se em instituições de ensino superior público. O mesário vindo do setor público possui um agravante, uma pena de suspensão do serviço por até 15 dias. Se, ante a ausência do mesário o serviço eleitoral parar, a multa será aplicada em dobro. Também será aplicada em dobro se houver abandono e ainda sujeita o infrator a uma penalidade que pode chegar a 120 dias de prisão.

/ HÍGIA / / FOLIADUTO /

Processo aguarda precatória RAFAEL DUARTE DO NOVO JORNAL

TIROTEIO

5

A JUÍZA DA 5ª Vara Criminal, Ada Maria Galvão, ainda aguarda a chegada de duas cartas precatórias - enviadas a Caicó e Serra Negra do Norte em junho deste ano - para convocar os sete réus do processo do Foliaduto para depor. Nesses dois municípios moram as últimas testemunhas arroladas pelas defesas que prestarão esclarecimento à Justiça antes do interrogatório dos acusados. Em Caicó, a audiência foi realizada dia 9 de agosto, mas a resposta da comarca local com o depoimento das testemunhas ainda não havia chegado até ontem ao gabinete da juíza. Já o interrogatório em Serra Negra está marcado para o dia 8 de setembro. “Mas assim que chegar a última carta a dra. Ada Galvão deve mandar intimar os réus para depor. Não vai demorar muito”, afirmou a diretora da secretaria da 5ª Vara Criminal, Raimunda Vieira. A chegada das cartas precatórias é a última fase do processo antes dos depoimentos dos sete acusados de participar do

esquema de corrupção que usou a Fundação José Augusto para desviar mais de R$ 2 milhões dos cofres estaduais no réveillon de 2005 e carnaval de 2006. Em junho passado, a juíza Ada Galvão ouviu 13 testemunhas de acusação e outras oito de defesa que moram em Natal. Entre os depoimentos que mais chamaram a atenção, se destacaram o do gerente da Caixa Econômica Federal, Afonso Flávio Lopes Cardoso, que revelou à Justiça que a conta corrente aberta na agência de Macaíba em nome da empresa F.C Lima da Motta, no ano de 2006, foi usada somente para receber os depósitos das ordens bancárias e aguardar os saques em espécie realizados para beneficiar o Foliaduto, e o do ex-adjunto da Casa Civil, Carlos Castim, que disse que o ex-coordenador do gabinete, Ítalo Gurgel, despachava coisas sem autorização e ainda tinha regalias por estar sempre muito próximo à então governadora Wilma de Faria.

ESQUEMA

O ‘escândalo dos shows fantasmas’, como também ficou conhecido o Foliaduto, veio à tona

há quatro anos depois que Ministério Público e parte da imprensa na época descobriram que o Governo do Estado pagou mais de R$ 2 milhões por mais de 30 shows - de bandas de Axé e orquestra de frevo - que nunca chegaram a acontecer em municípios do interior potiguar. O esquema, segundo o MP, teria sido orquestrado dentro do Gabinete Civil do estado a mando do então chefe do gabinete e irmão da ex-governadora Wilma de Faria, o cardiologista Carlos Alberto Faria, que mandava pagar dívidas de campanha e compromissos do governo com eventos populares, como festas de igrejas e desfile das escolas de samba. Durante as investigações, o MP conseguiu rastrear o destino de apenas R$ 400 mil. O restante da verba desviada ainda é um mistério. Além de Carlos Faria, também são réus no processo o excoordenador do gabinete civil, Ítalo Alencar Gurgel, o empresário Fabiano Motta, os ex-diretores da Fundação José Augusto, Haroldo Sérgio Correia ( financeiro) e José Antônio Pinheiro (administrativo) e os funcionários efetivos da FJA, Cícero Duarte da Costa e Jeferson Pessoa.

JUIZ NÃO COMENTA DECISÃO DO TRF O JUIZ FEDERAL da 2ª Vara

Criminal, Mário Jambo de Azevedo, não quis se pronunciar sobre a suspensão da ação penal da operação Hígia pelo Tribunal Regional Federal da 5ª Região. A decisão adiou os depoimentos dos 15 réus no processo, marcados para ontem, até que o colegiado da terceira turma do RTF5 julgue a liminar concedida quinta-feira passada pelo desembargador Vladimir Souza Carvalho após o pedido de habeas corpus impetrado pelo candidato a deputado Lauro Maia, filho dos exgovernadores Wilma de Faria e Lavoisier Maia e apontado pelo Ministério Público como um dos líderes da suposta organização criminosa que fraudou licitações e contratos firmados pelo governo do estado com empresas de mão de obra terceirizada, além de pagar propina a funcionários públicos. De acordo com a sentença do desembargador, Mário Jambo teria cometido um erro técnico no processo ao não ouvir a defesa, depois de aceitar a denúncia. As defesas, ao contrário, foram recebidas antes da decisão final que determinou a continuação do processo.


6

▶ OPINIÃO ◀

/ NOVO JORNAL / NATAL, TERÇA-FEIRA, 24 DE AGOSTO DE 2010

SEBASTIÃO VICENTE Jornalista

tiaoerejane@uol.com.br

De Brasília

Teste seu grau de

pureza eleitoral REPRODUÇÃO INTERNET

TESTES EM JORNAIS e revistas cos-

tumam ser pouco mais do que picaretagens inócuas, embora muitas vezes soem divertidos. Não é o caso deste aqui que, diversão à parte, pretende ser muito sério. É uma série de perguntas e respostas que surge da necessidade, cada vez mais premente, de o cidadão se enquadrar no vale tudo que virou o espectro político partidário nestas eleições. Nunca antes na história deste estado bacuraus pareçam tão araras e bicudos soaram tão terceira via, seja lá o que isso quer dizer. Enfim, atendendo a pedidos de muita gente que está mais perdida que voto de papel em tempos de urna eletrônica, segue o teste. Pense bem antes de marcar um “x” em cada questão e descubra se você é bicudo, foi bacurau ou será arara. Veja finalmente se você se identifica com a direita envergonhada ou com a esquerda confusa. Saiba de uma vez por todas se você, mesmo não tendo admitido ainda nem pra você mesmo, é dilmista de última hora, lulista por interesse econômico inconfessável (porque, apesar da popularidade do cara, ain-

da pega muito mal ser lulista em certos ambientes), serrista do tipo que chora ao lembrar do pai verdureiro ou agripinista do tipo perco o discurso mas não abaixo a cabeça. Às questões: O candidato(a) a deputado em campanha para se reeleger está em passeata no seu bairro. Para diante da sua casa, estende a mão e lhe pede o voto. Você...  A – Engole em seco, esquece o discurso político-moral dos últimos anos na tevê e cumprimenta o candidato(a) pelo belo trabalho em defesa da ética pública realizado por ele(a) nos últimos quatro anos, seja lá o que ele(a) tenha feito (ou não); B – Bota o candidato pra correr debaixo de desaforos que aprendeu no Jornal Nacional do tipo ficha-suja etc etc; C – Cobra algum pra não falar mal dele no blogue que pilota no quartinho dos fundos; D – Apresenta o valor monetário do seu voto – ou do seu “apoio” – e abre espaço para negociação; E – Nenhuma das anteriores; F – Todas as anteriores.

O adversário daquela candidata a presidente da República a acusa, por meio de outras pessoas – e também em jornais e revistas, pra dar um tchan na denúncia – de ter sido “terrorista” na época dos governos ditatoriais. Você... A – Assina embaixo, começa imediatamente um discurso sobre os horrores de Cuba e, ato contínuo, corre pra olhar debaixo da cama pra ver se tem algum comunista vivendo lá clandestinamente, há umas duas décadas, sem que ninguém da família tenha se dado conta;

B – Analisa, assim bem por alto, a biografia do autor da acusação, pergunta-se onde ele estava no mesmo período, indagase sobre qual o real interesse de quem faz do medo – não se sabe medo do quê – um fator de decisão ou indecisão eleitoral; C – Lembra da injustiça póstuma que aquela acusação representa diante de tantos brasileiros que morreram nos porões dos governos ditatoriais e que, desaparecidos, não podem dizer uma palavra sequer em defesa da candidata em questão, quanto menos deles mesmos. E considera

que, antes de tudo, isso é uma covardia; D – Preocupa-se com o assunto por breves e exatos dois minutos, justo o tempo que tem entre engolir o cafezinho matinal, sair de casa correndo e pegar o ônibus para aquele emprego recém-conquistado; E – Nenhuma das anteriores; F – Todas as anteriores.  No palanque armado no seu bairro, a noite é de festa. Comício grande, como nos velhos tempos. Antigos adversários abraçadinhos como novos namorados. Diante deste espetáculo de conciliação desinteressada, você...  A – Toma um goró que é pra ter certeza de que está sóbrio e não sendo vítima de um surto de ilusionismo político que provoca vertigens e miragens; B – Pensa no quanto é bonita a união de todas as correntes e o quanto isso pode contribuir para o fim do aquecimento do planeta; C – Encomenda à costureira uma bandeira feita de retalhos dos diversos candidatos, partidos e correntes, de maneira que haja pano suficiente para que você esteja coberto em qualquer situação – ainda que, no final, o lábaro tremulante pareça tão indefinido quanto uma página de classificados no jornal; D – Encomenda a um ma-

temático amigo seu um jeito de conciliar, no mesmo voto, a preferência por linhas políticas diversas e em alguns casos até opostas, embora o discurso dos candidatos diga o contrário. E não esquece de pedir a um programador também amigo uma proteção qualquer para que a urna eletrônica não dê pau diante de um voto politicamente tão absurdo. E – Nenhuma das anteriores F – Todas as anteriores A diferença entre este teste e os demais que fazem a festa dos leitores de revistas de entretenimento é o fato de que aqui não adianta virar o jornal de cabeça pra baixo. Porque, pra começar, não temos as respostas prontas: você, eleitor maior de idade, é que vai ter de quebrar a cabeça para avaliar o quanto a veemência de suas próprias respostas desvenda – ou por outra, esconde – o grau de amadorismo ou amadurecimento política da sua pessoa. A julgar pelos resultados eleitorais mais recentes na capital e no estado, anda bem crítico este indicador. Mas sossegue: sempre há um jeito de ajustá-lo a cada quatro anos e, assim, invalidar o serviço mal feito na eleição anterior. O teste pode ajudálo. Basta você considerar menos a brincadeira que ele parece ser e mais a seriedade que ele oculta sob cada uma das questões.

Sebastião Vicente escreve nesta coluna às terças-feiras

Plural

Cartas do Leitor

JOMAR MORAIS Jornalista ▶ jomar.morais@supercabo.com.br

▶ cartas@novojornal.jor.br

Encontro com o silêncio No último final de semana fiquei mudo. Não pronunciei palavra e ainda mergulhei em profunda introspecção, atravessando as horas de olhos fechados, centrado em minha respiração, das 4 e meia da madrugada às 9 e meia da noite. Só levantei para o café da manhã e o almoço, sem direito a lanche, jantar ou cafezinho. Desliguei o celular e fiquei longe da Internet. Não vi TV nem li ou escrevi. Não estava sozinho, mas só pude desfrutar do olhar e do carinho das 22 pessoas reunidas no 6º Encontro com o Silêncio, promovido pelo Sapiens, na partilha final de experiências, quando, enfim, cada um pôde relatar sua viagem interior. Para mim, um veterano em eventos do gênero, foi tranquilo, o que não significa que o tempo todo eu tenha navegado em águas plácidas. Silenciar e meditar, ao contrário do que se imagina, não é necessariamente instalar-se na serenidade e flutuar no prazer provocado pelas endorfinas e serotonina produzidas pelo cérebro nessa ocasião. É também descer aos porões da mente e encarar emoções indesejáveis, submetendo-se ao desconforto psicológico das aversões não processadas e seu reflexo na moldura do corpo. Esse reverso da prática meditativa pode ser bastante doloroso para quem desbrava pela primeira vez o território da própria alma ou se dispõe a avançar nessa investigação. Em 2007, no alto da Serra do Mar, no estado do Rio, quase entrei em pânico quando, após alguns anos de meditação regular, mas superficial, vivi 10 dias de silêncio absoluto e exercício intensivo de vipassana, um tipo de meditação que nos faz ir fundo na observação da mente e das sensações que seu estado reativo geram no corpo. Como se fora um iniciante, fui assaltado por dores físicas e por uma onda de temores aparentemente justificados pela minha incomunicabilidade com a família e cheguei a pensar em largar a experiência, numa espécie de fuga desesperada ante o iminente fim do mundo. E como sempre acontece nesses casos, a continuidade e mesmo a intensificação da prática acabaram por dissolver essas colunas de fumaça que me pareciam tão sólidas e a revelar-me a fonte de todos os contratempos: minha mente inquieta, seus apegos e aversões. Identificado o factóide mental, ele perde força, liberando-nos do sono hipnótico em que agimos sob o império dos impulsos. Encontros de silêncio e meditação funcionam como cirurgias nos olhos da alma, incapacitados de ver com clareza - principalmente o nosso interior -, enquanto vendados pela cortina de tagarelice e barulho providenciada por nossos mecanismos de fuga. São eventos úteis em nosso tempo de ansiedade e medo, mas é curioso, e quase um absurdo, que precisemos montar estruturas e recorrer a técnicas terapêuticas, e até a tecnologias, para realizarmos algo tão simples e natural: ficar em silêncio. Desconectados de nossa espiritualidade, perdemo-nos nas miragens de nossas mentes, a eterna fonte das complicações. Jomar Morais escreve nesta coluna às terças-feiras

MAGNUS NASCIMENTO / NJ

▶ Praça 7 de setembro Praças A reportagem do NOVO JORNAL mostrou bem a situação das nossas praças (22/08, domingo). Na maioria delas, a situação é uma vergonha. Impera a sujeira e o abandono. Há bancos quebrados e insegurança. A reportagem diz que a prefeitura já tem um diagnóstico. E por que não faz nada? Por que não resolve? Hoje as praças servem para caminhadas, atividades de lazer que muitas vezes seguem orientação médica. Quem se aventurar pelas praças de Natal corre o risco de piorar de saúde. A prefeitura precisa tomar providências. Maria Salete de Freitas Candelaria

Basta de truões Jamais imaginei que uma nota publicada na Roda Viva pudesse me causar tanta tristeza. Cassiano Arruda jogou na cara do leitor um fato real, duro de engolir, mas esse é o papel de uma imprensa livre. Os leitores podem até não me entenderem, por isso quero me explicar. Como pode em um Estado, quase primeiro mundo, como o de São Paulo aparecer um fenômeno eleitoral do quilate de um Tiririca? Sou um grande admirador dos palhaços, mas este candidato é um palhaço medíocre e agora vai levar suas palhaçadas para o nosso já desmoralizado Congresso. Quem ama esta terra como eu não pode se conformar que com esta situação. Eu quero um futuro melhor para meus filhos e para os meus netos e não é elegendo truões, fichas sujas que se põe este país nos trilhos do progresso e da civilização. Alguém pode me dizer qual será a contribuição de Tiririca para a Câmara dos Deputados?  Geraldo Batista

Propaganda eleitoral Pelo que tenho visto e escutado na propaganda eleitoral, é que a terra esta toda salva, não veremos mais guerra, não veremos fome, não veremos mais doentes, não veremos mais assaltos, não veremos mais sequestro, não terá mais doentes nos Hospitais, a terra não sofrera mas

aquecimento global, seca nem falar,vamos viver num mar de coisas boas, mas o que não sei se vai da certo e conviver com tantos mentirosos e ladrões no controle das contas bancarias dos governos. Marcelo Moura

Candidatos Muito boa a matéria do NOVO JORNAL apresentando uma série de candidatos que tentam representar uma categoria.Eu já havia notado a quantidade de policiais, de sargento a cabo, todo mundo querendo o voto da tropa. Do mesmo jeito, todo mundo parece que resolveu ser crente nas eleições. Existem inúmeros candidatos querendo o voto deles. Só não sabia que até os garçons tinham seu representante. No meu modo de ver, a política brasileira precisa corrigir algumas distorções. Como aceitar que um camarada queira ser eleito com uma plataforma tão absurda: exigir da clientela o pagamento dos 10% na conta para dividir com os garçons. A cidade e o estado precisam de ação séria em várias áreas, da Saúde à Segurança, e a gente se depara com um cidadão cuja meta de campanha é exigir o pagamento dos 10%? Alguém precisa mediar isso, exigir seriedade e respeito aos cidadãos. Edson Antonio Moraes Tirol

O leitor pode fazer a sua denúncia neste espaço enviando fotografias

Diretor Cassiano Arruda Câmara Diretor Administrativo Manoel Pereira dos Santos Diretor de Redação Carlos Magno Araújo Diretora Comercial Bel Alvi

Telefones (84) 3201-2443 / 3342-0350 / 3221-4587 E-mails redacao@novojornal.jor.br / pauta@novojornal.jor.br / comercial@novojornal.jor.br / assinatura@novojornal.jor.br Para assinar (84) 3221.4554

IV – É livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato. (Constituição Federal – Artigo 5°)

Endereço Rua Frei Miguelinho, 33, Ribeira CEP 59012-180, Natal-RN Representante comercial Engenho de Mídia - (81) 3466.1308


Economia

Editor Carlos Prado

E-mail economia@novojornal.jor.br

Fones 84 3201.2443 / 3221.3438

NATAL, TERÇA-FEIRA, 24 DE AGOSTO DE 2010 / NOVO JORNAL /

DÓLAR

INDICADORES

COMERCIAL TURISMO PARALELO

1,767 1,850 1,850

EURO

IBOVESPA

TAXA SELIC

IPCA (IBGE)

2,240

-1,04% 65.981,86

10,75%

0,01%

NEM SÓ DE PÃO VIVE O PADEIRO LOUISE AGUIAR DO NOVO JORNAL

HOUVE UM TEMPO

em que ir à padaria significava dar de cara com o padeiro atrás do balcão repleto de pães quentinhos. Mas essa época acabou. Hoje em dia nem só de pão vive uma padaria. Para sobreviver no mercado, esses estabelecimentos agregaram serviços ao longo do tempo e hoje comercializam todo tipo de comida e bebida, além de oferecerem café da manhã, almoço e jantar em alguns casos. As padarias ganharam status de conveniência, mercadinho e até restaurante e os clientes comemoram a comodidade proporcionada pelo serviço. O militar Emerson da Silva Araújo costuma ir à padaria Boca do Forno, perto de sua casa, para comprar produtos de limpeza. Ontem saiu do lugar com uma bucha de lavar pratos. “Geralmente pago mais caro, mas pela conveniência prefiro vir aqui que é perto de casa”, conta. Em meio

à correria do dia a dia, pessoas como Emerson preferem ir às padarias a enfrentar as filas dos supermercados. Além de pão e material de limpeza, o militar diz que também compra galão de água no local. O proprietário da Boca do Forno e presidente da Associação dos Industriais da Panificação do RN (Aipan), José Américo Ferreira, conta que a mudança nas padarias começou ainda na década de 1980, quando os supermercados passaram a produzir pão e competir com os estabelecimentos. “Colocar a conveniência era uma maneira de concorrer e sobreviver no mercado. Mas isso não aconteceu de maneira saudável porque descaracterizou as padarias”, opina. Apesar de há 17 anos ter aberto a Boca do Forno como padaria e conveniência, o empresário diz que se fosse abrir um novo negócio hoje iria privilegiar o comércio de pães. O Rio Grande do Norte tem hoje 3.200 padarias segundo o Sin-

dicato da Indústria da Panificação e Confeitaria do RN (Sindipan). De acordo com o presidente da entidade, Evandro Galdino, quase cem por cento delas funcionam como conveniências. “Mesmo em bairros de periferia quase não tenho visto padarias à moda antiga. Até as menores comercializam produtos básicos como feijão, açúcar, produtos de limpeza”, detalha. Na visão do empresário, a ampliação da variedade de produtos nesses estabelecimentos se deu, também, pela mudança de hábito das pessoas. Ficou cada vez mais difícil ir ao supermercado e os clientes começaram a pedir certos itens na padaria. Segundo Evandro, não há risco de os locais perderem a identidade porque são os próprios clientes que demandam as mudanças. “Acabou-se o tradicionalismo. Assim como em outros setores, no comércio também é preciso inovar. Então é importante saber o que o cliente precisa e estar sempre inovando”, aconselha.

CAFÉ DA MANHÃ, ALMOÇO E JANTAR De acordo com Evandro Galdino, de uns dez anos pra cá as padarias passaram a agregar produtos às suas prateleiras. Mas há cerca de cinco anos perceberam que variar o mix não era o bastante. Foi aí que as grandes redes passaram a investir na ampliação do espaço para oferecer refeições, que começaram com o café da manhã, mas hoje se estendem até o jantar. E não basta oferecer comida, os estabelecimentos também investiram em ar-condicionado para tornar o ambiente mais confortável. A policial militar Simone Cavalcanti sai muito cedo de casa para trabalhar e, devido à hora, não sente vontade de comer. Durante a manhã, assim que tem uma folga, corre para a Gosto de Pão para tomar café. Na opinião dela, o bom de comer na padaria é ter opções diferentes na alimentação. “É mais caro, mas posso comer coisas

7

/ COMÉRCIO / DEPOIS QUE OS SUPERMERCADOS PASSARAM A VENDER PÃO, PADARIAS DERAM O TROCO E VIRARAM MERCADINHOS FOTOS: ANASTÁCIA VAZ / NJ

Panificação não é mais única atividade das padarias

ORIENTAÇÃO É COMPETIR COM SUPERMERCADOS

Padarias incorporaram espaços para refeições

diferentes das que faço em casa. Adoro canjica e aqui posso comer sempre, independente da época do ano”, diz. O presidente do Sindipan diz que hoje as padarias são verdadeiros centros de convivência. No entanto, ainda não perderam seu principal propósito, que é vender pão. Na Sabor de Trigo, na Avenida Jaguarari, Evandro diz que 70% das vendas é de produtos de fabricação própria – pães, bolos, biscoitos. Na visão do empresário, não há risco de as pessoas deixarem de procurar as padarias com este objetivo. “O que estamos fa-

zendo é investir na diversificação, produzindo pão de linhaça e de ômega três para atingir um público cada vez maior”, acrescenta. O corretor de seguros Sezinaldo Batista não tem o hábito de tomar café na padaria e ainda vai ao estabelecimento em busca de pão e bolachas. Morador de Cidade Verde, ele admite gostar da diversidade disponível nas prateleiras. “Acho positivo porque podemos encontrar outros produtos. Se puder resolver e comprar o que preciso perto de casa, é muito melhor do que ter que ir ao supermercado”, afirma.

A mudança no mercado panificador começou quando os supermercados passaram a produzir e comercializar pão e derivados. Como tinham fábrica própria, tinham condições de oferecer o produto por um preço igual ou menor que o das padarias. Diante dessa realidade, os panificadores passaram a investir na venda de itens que os supermercados também comercializam, como produtos de limpeza, comida e bebida de todos os tipos. Segundo Evandro, a orientação do sindicato é que os associados ampliem suas lojas e incrementem o mix cada vez mais. “Se as padarias não acompanharem essa evolução vão ficar para trás e acabar desa-

PÃOZINHO O pão francês deve ficar mais caro nos próximos dias. Na última semana os preços dos derivados do trigo começaram a refletir o efeito da suspensão

José Américo, da Aipan

parecendo. Os supermercados são grandes, por isso a padaria do bairro tem que fazer diferente, ter atendimento personalizado e uma imensa gama de produtos”, frisa. No entanto, o presidente da Aipan pensa diferente. José Américo defende as padarias em sua configuração original, assim como era vinte anos

atrás. Para ele, a exemplo de outros países, o Brasil deveria criar uma lei proibindo os supermercados de comercializarem pão. Com isso, as panificadoras poderiam voltar a ser o que eram. “É um sonho meu que a padaria volte a ser só padaria. Acho que vai chegar uma hora que os clientes vão pedir isso”, acredita.

das exportações de grãos pelos russos. A expectativa é que o preço da farinha receba incremento de até 20%, o pão francês entre 7% e 10% e a massa seca, 10%. De acordo com José Amé-

rico, o saco de 50 quilos de farinha aumentou de R$ 62 para R$ 80. Hoje o quilo do pão francês custa entre R$ 5 e R$ 8 em Natal, mas nos próximos dias o preço deve ficar mais salgado.


8

▶ ECONOMIA ◀

/ NOVO JORNAL / NATAL, TERÇA-FEIRA, 24 DE AGOSTO DE 2010

BRASIL, PARAÍSO DOS BANCOS

/ BRASIL /

TÉCNICOS ESTRANGEIROS INVADEM MERCADO FOLHAPRESS O NÚMERO DE

/ BALANÇO / SETOR TEVE LUCROS DE R$ 10,1 BILHÕES NO SEGUNDO TRIMESTRE DE 2010 LUCRO DAS EMPRESAS DE CAPITAL ABERTO

10 8 6 4

Telecomunicação

12

Energia elétrica

Quanto alguns setores ganharam no 2º trimestre de 2010 em R$ bilhões

Mineração

crativo entre as empresas de capital aberto (com ações na Bolsa) do país no segundo trimestre. Os 25 bancos com papéis na Bovespa lucraram R$ 10,1 bilhões e ficaram na frente do setor de petróleo e gás, que ganhou R$ 8,5 bilhões e veio em segundo. Os dados são da consultoria Economatica. Foram examinados 23 setores, totalizando 321 empresas brasileiras de capital aberto. Em comparação com o mesmo período do ano passado, o lucro dos bancos subiu 18,38% (no segundo trimestre de 2009, os 25 bancos haviam ganho R$ 8,5 bilhões). No geral, o lucro de todos os setores evoluiu 35%, passando de R$ 33 bilhões no segundo tri-

mestre de 2009 para R$ 44,7 bilhões no segundo trimestre deste ano. Quinze setores tiveram alta no lucro, sete reduziram seus ganhos e um teve prejuízo (agronegócio e pesca, que perdeu R$ 10,4 milhões no segundo trimestre). O segundo setor mais lucrativo no segundo trimestre de 2010 foi o de petróleo e gás, com quatro empresas. A área lucrou R$ 8,5 bilhões neste trimestre, contra R$ 7,7 bilhões no mesmo período de 2009, o que representa um crescimento de 10,9%. A Petrobras sozinha responde por R$ 8,2 bilhões desse lucro. O estudo foi elaborado com base nos demonstrativos financeiros apresentados pelas empresas à CVM (Comissão de Valores Mobiliários, que regula a Bolsa).

Petróleo e gás

O SETOR DE bancos foi o mais lu-

Bancos

FOLHAPRESS

2 0

Os demonstrativos utilizados são os originais, ou seja, foram desconsiderados os que eventualmente tenham sido revisados e reapresentados com o demonstrativo do ano seguinte. As mudanças na contabili-

dade das empresas, determinada pela Lei 11.638, de 2007, podem prejudicar a comparação entre datas diferentes. Na pesquisa não foram eliminadas essas eventuais distorções. Os valores são nominais, sem correção da inflação.

/ CONTAS /

Deficit externo é o maior desde 2002 FOLHAPRESS O DEFICIT NAS transações do Brasil

com o exterior voltou aos níveis registrados no final do governo FHC (1995-2002). Nos 12 meses encerrados em julho -indicador utilizado em comparações internacionais-, o deficit chegou a 2,24% do PIB,

maior valor verificado desde setembro de 2002. Em termos absolutos, os resultados de 2010 alcançaram novos recordes negativos. No mês passado, por exemplo, o deficit ficou em US$ 4,5 bilhões, pior resultado para meses de julho da série iniciada em 1947 pelo BC. O resultado negativo deste

ano vem sendo puxado pelo aumento nas remessas de lucros e dividendos para o exterior, pelos gastos com turismo e outros serviços e pelas importações. Os investimentos estrangeiros diretos no Brasil, por outro lado, continuam financiando uma parte cada vez menor desse resultado negativo. Desde janei-

ro, os investimentos acumulados em 12 meses estão abaixo do deficit registrado no mesmo período. Em julho, essa diferença chegou a 65%. Com o aumento nessa diferença, o país fica cada vez mais dependente de investimentos em ações e títulos públicos, considerados mais voláteis.

estrangeiros empregados no Brasil cresceu 18,85% no primeiro semestre do ano em relação ao mesmo período de 2009, conforme dados divulgados ontem pelo Ministério do Trabalho. Foram 22,1 mil pessoas que chegaram ao país para trabalhar, em sua maioria como técnicos temporários Segundo o governo, 20.760 das autorizações são temporárias. Estão relacionadas à instalação de máquinas e equipamentos importados, que requerem profissionais (6.256) das empresas estrangeiras das quais o Brasil adquiriu o produto. Essas autorizações também incluem técnicos de plataforma de petróleo estrangeiras (8.244), que trazem a própria tripulação a bordo. Dentre os temporários, ainda há artistas e desportistas (3.270) e tripulantes (770) de embarcações estrangeiras de turismo que operam em águas brasileiras. Para o presidente do Conse-

lho Nacional de Imigração, Paulo Sérgio de Almeida, as 3.519 concessões a estrangeiros feitas nesse semestre a mais que no ano anterior não têm relação com uma possível falta de mão de obra qualificada local. Seriam reflexo do maior volume de investimentos feitos no país, afirma. As autorizações permanentes de trabalho se destinaram, sobretudo, a administradores, diretores, gerentes e executivos. Foram 711 empregados no semestre. Já investidores pessoa física somam 431 autorizações entre janeiro e junho deste ano. O Rio de Janeiro lidera a vinda dos estrangeiros, com 12.069 autorizações, segundo o ministério. Depois vem São Paulo, com 6.890, Minas Gerais, com 1.034 e Paraná, com 402. Os outros Estados somam, juntos, 1.793 autorizações.


Cidades

Editor Moura Neto

E-mail cidades@novojornal.jor.br

Fones 84 3201.2443 / 3221.3438

NATAL, TERÇA-FEIRA, 24 DE AGOSTO DE 2010 / NOVO JORNAL /

9

ARRASTÃO NO COMITÊ DE WILMA

/ INSEGURANÇA / QUADRILHA ASSALTA COMITÊ DE CAMPANHA DA EX-GOVERNADORA E CANDIDATA AO SENADO E FOGE NO CARRO DO VEREADOR ADENÚBIO MELO; POLÍCIA NÃO REVELA MONTANTE DO PREJUIZO HUMBERTO SALES / NJ

MAGNUS NASCIMENTO / NJ

ANDERSON BARBOSA DO NOVO JORNAL

SEIS HOMENS FORTEMENTE armados e encapuzados causaram um verdadeiro terror dentro do comitê de campanha da ex-governadora Wilma de Faria, candidata ao Senado. O arrastão aconteceu no início da tarde de ontem, na Rua Anísio de Souza, em Lagoa Nova, Zona Sul de Natal. Pelo menos 20 pessoas foram vítimas dos bandidos, que fugiram com destino ignorado levando cinco notebooks e diversos pertences, como aparelhos celulares, carteiras, dinheiro e joias. Na fuga, o bando ainda se apoderou do carro do vereador Adenúbio Melo, candidato à Câmara Federal. Do lado de fora, curiosamente, não há identificação de que ali funciona um comitê eleitoral. Nada de faixas, cartazes, adesivos ou pinturas nas paredes. Coincidência ou não, no momento do arrastão, alguns integrantes da Secretaria de Segurança Pública e da Defesa Social (Sesed) apresentavam, em uma audiência pública ocorrida na Câmara Municipal, dados estatísticos sobre a diminuição da criminalidade na Grande Natal. De acordo com informações repassadas ao NOVO JORNAL pelo tenente Agnatan Almeida, oficial de serviço do 5º Batalhão

▶ Comitê fica localizado na Rua Anísio de Souza, em Candelária, mas não tem faixa ou pintura de identificação de Polícia Militar, o bando precisou de apenas 20 minutos para fazer a festa. Estima-se que 13 telefones móveis e aproximadamente R$ 1 mil tenham sido roubados, mas os valores não foram confirmados pelo oficial, já que algumas vítimas se recusaram a prestar queixa na delegacia. Para escapar da polícia, o bando usou uma picape Pajero de cor preta (KJB-9388). O carro pertence ao vereador Adenúbio Melo. Nenhum político, no entanto, se encontrava no comitê no momento

do arrastão. E até o fechamento desta edição não havia pistas dos criminosos. Quanto ao veículo roubado, o tenente confirmou que o carro foi logo recuperado. Estava intacto. O automóvel foi abandonado numa rua de barro, já no conjunto San Vale, também na Zona Sul da cidade. A PM só foi acionada quando os bandidos deixaram a casa. Diligências ainda foram empreendidas na região, mas não houve sucesso.

As vítimas não quiseram falar sobre o assunto. Ao perceberem a chegada da equipe de reportagem, algumas entraram no comitê nas carreiras e gritavam: “Tranca a porta, tranca a porta”.

OUSADIA

“É muito estranho que alguém faça um assalto a um escritório de campanha só para roubar cinco computadores (notebooks)”. Esta foi a declaração da ex-governadora Wilma de Faria, que também através de sua as-

▶ Vereador Adenúbio Melo, candidato à Câmara Federal: nota à imprensa sessoria de comunicação tratou do crime ocorrido ontem em seu comitê. Questionada sobre a possibilidade de alguma informação ter vazado, ou partido de dentro do próprio comitê, a assessoria ainda acrescentou: “Wilma não descarta nenhuma possibilidade. O delegado Célio Roberto (da inteligência) esteve no local e está investigando tudo. Mas de uma coisa ela tem certeza, é muita ousadia e risco invadir o escritório para roubar objetos de pouco valor”. Em nota enviada à imprensa,

a assessoria do vereador Adenúbio Melo falou sobre o assalto. E mais: relatou que no momento em que roubaram o carro, o motorista foi agredido com uma coronhada na cabeça. Diz a nota: “O carro do vereador Adenúbio Melo (PSB), candidato a deputado federal, foi roubado na manhã desta segunda-feira (23) quando estava estacionado em frente ao comitê da campanha da ex-governadora Wilma de Faria (PSB), que disputa uma vaga no Senado. O parlamentar não estava no veículo, que era dirigido pelo seu motorista. Os bandidos invadiram o comitê de Wilma de Faria, localizado no bairro de Lagoa Nova, e roubaram pertences das pessoas que se encontravam no local. Na fuga, renderam o motorista de Adenúbio, que havia ido buscar peças publicitárias para a campanha eleitoral, e levaram o veículo, que possui adesivos com a foto do vereador”. Por fim, Adenúbio complementa: “Meu motorista ainda levou uma coronhada, mas está bem. Graças ao bom Deus, que tem guardado a minha vida, tudo não passou de um susto. Mas nós confiamos no trabalho da nossa polícia e vamos esperar que tudo acabe bem”, disse o vereador candidato.

/ JUSTIÇA FEDERAL / / ITEP /

Homem que decapitou a esposa morreu de hemorragia craniana TIAGO LIMA / NJ

OS LAUDOS PERICIAIS

do Instituto Técnico-Científico de Polícia (Itep) que atestam as condições e causas do óbito do vendedor André Wagner da Silva, de 30 anos, prometem instigar a polícia a dar início a uma investigação minuciosa sobre o que realmente aconteceu ao homem que no último dia 1º de julho cortou o pescoço e arrancou fora a cabeça da própria esposa na frente dos filhos? Consta no laudo do Itep que André morreu neste domingo em consequência de um edema e hemorragia intracraniana, traumatismo crânio-encefálico por ação contundente. Em outras palavras, é possível entender que ele morreu em decorrência de algum trauma muito forte na cabeça. Já a direção do Hospital Giselda Trigueiro, onde André estava internado desde o início da semana passada, se manifestou de uma maneira diferente. À imprensa, a diretora e médica Milena Martins informou que André Wagner chegou com um quadro de infecção generalizada. Segundo o diretor de Alcaçuz, o coronel Clodoaldo Carneiro, o Serviço de Atendimento Médico de Urgência (Samu) foi acionado para atender André Wagner no último dia 14. Disse ainda que o preso estava bastante debilitado e foi levado pela UTI móvel ao Hospital Deoclécio Marques, em Par-

namirim. No entanto, lá o médico teria dito que o estado de saúde do paciente era muito grave, tendo que ser remanejado para o Giselda. “Uma coisa eu garanto, ele não sofreu nenhuma violência dentro de Alcaçuz, já que ele ficou o tempo todo isolado”, afirmou o diretor. André Wagner da Silva foi preso no dia 1 º de julho depois que cortou a cabeça de sua própria esposa, a camareira Joselma Elias da Silva, de 25. E desde então, mesmo apresentado distúrbios mentais visíveis, permanecia encarcerado em Alcaçuz, quando o correto seria transferi-lo para o Hospital de Custódia do Complexo Penal João Chaves, na Zona Norte da cidade, única unidade psiquiátrica que o Estado dispõe para acomodar e tratar presos com distúrbios mentais.

O CRIME

Após uma discussão calorosa, André teria pego uma faca peixeira e decapitado a mulher. Tudo aconteceu na frente dos filhos, uma menina de seis anos e um garotinho de apenas dois. O crime aconteceu num condomínio localizado na Rua Dr. Augusto Cesino de Medeiros, no Santarém, Zona Norte da cidade. Preso em flagrante, minutos após o assassinato, André se entregou à polícia e confessou a bar-

▶ André Wagner da Silva: morte ainda não esclarecida baridade. Preso, ele foi conduzido à Delegacia de Plantão da Zona Norte, onde foi autuado. Dois dias depois, o réu confesso foi levado para Alcaçuz, onde aguardava transferência para o Hospital de Custódia. A reportagem entrevistou André logo após sua prisão. Ainda atrás das grades da Delegacia de Plantão da Zona Sul, o vendedor de celulares disse só comercializava telefones roubados. E mais: foi frequentador da Igreja Universal do Reino de Deus e que depois começou a participar de cultos religiosos na Assembleia de Deus, igreja bem próxima de sua casa. Na ocasião, André não demonstrou qualquer tristeza ou arrependimento. “Arrependido?

Não”, respondeu ao ser questionado sobre o que sentia após decapitar a própria mulher. “E por que você matou sua esposa? Foi na frente de seus filhos?”, quis saber o repórter. As respostas foram surpreendentes. “Eu sempre fui verdadeiro com ela. Mas ela nunca aceitou meu pai. Dizia que o nosso Senhor, o meu Deus todo poderoso, não era o meu pai. E isso me enfureceu. Então usei a faca para cortar a cabeça da serpente”, justificou. Quanto à presença dos filhos, a explicação foi ainda mais chocante: “Eles tinham que ver o demônio. Para acreditar em Deus, nós temos que ver a face do demônio sendo destruída”, finalizou.

NORUEGUESES AGUARDAM AUDIÊNCIA COM JAMBO ANDERSON BARBOSA / NJ

O CHEFE DO Parlamento de Justiça da

Noruega Per Sandberg já está em Natal. Ele e sua comitiva, composta por assessores e jornalistas, desembarcaram no domingo e estão hospedados no Hotel Holiday Inn Express, em Ponta Negra, na Zona Sul da cidade. É de lá que o líder estrangeiro aguarda, com bastante ansiedade, vale aqui ressaltar, que o juiz Mário Azevedo Jambo, titular da 2ª Vara Federal do Rio Grande do Norte, reconsidere o pedido agora formalizado para um encontro e o receba, ainda esta semana, para uma audiência diplomática. Sua missão se limita, segundo o próprio Per Sandberg fez questão de esclarecer, a repassar e obter informações que possam colaborar com os inquéritos decorrentes da ‘Operação Paraíso’, uma ação deflagrada em conjunto envolvendo as polícias da Noruega e a Polícia Federal do RN em maio de 2007. Naquela ocasião, 30 mandados de prisão foram cumpridos, sendo 11 deles em Natal, levando às carceragens da PF oito noruegueses e três brasileiros, todos acusados de lavagem de dinheiro por meio de empreendimentos imobiliários luxuosos no litoral potiguar. O encontro da reportagem com Per Sandberg foi provocado pelo próprio parlamentar. Ele fez contato com o NOVO JORNAL logo que tomou conhecimento de uma matéria publicada na última quarta-feira, quando, em entrevista exclusiva com Arvid Birkeland, de 51 anos, um dos norugueses indiciados, o mesmo declarou ter conhecimento da chegada da comitiva e afirmou, categoricamente, que o político viria a Natal para tentar conseguir o desbloqueio

▶ Per Sandberg, chefe do Parlamento de Justiça: “Quero contribuir”

de seus bens e a permissibilidade para que ele pudesse deixar o país, coisa que ele não faz desde sua prisão. Atualmente, o investidor e sua esposa, que é pernambucana, residem na cidade e estão impedidos de sair do Brasil. Arvid, mesmo em liberdade, precisa se apresentar periodicamente à Justiça. “Ele disse uma série de inverdades. Eu nunca mantive contato com ele”, garantiu Per Sandberg, se referindo ao investidor indiciado. “E ele só tomou conhecimento que eu viria a Natal porque se trata de um ato público”, acrescentou. Ainda sobre sua estadia na cidade, o chefe do parlamento norueguês fez questão de ressaltar que, “em momento algum pensei em pressionar ou procurar o juiz Mário Jambo para interferir em seu trabalho. Pelo contrário, estou aqui para ajudar. Vim para saber se a polícia da Noruega fez bem o seu trabalho. Quero saber se houve a colaboração devida e se está faltando algo que possamos acrescentar para contribuir para a conclusão das investigações”, destacou Per Sandberg.


10

▶ CIDADES ◀

/ NOVO JORNAL / NATAL, TERÇA-FEIRA, 24 DE AGOSTO DE 2010

“NÃO ESTAMOS LIVRES DA EPIDEMIA DE DENGUE” / ALERTA / SETOR DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA DA SECRETARIA ESTADUAL DE SAÚDE REVELA QUE O NÚMERO DE CASOS CRESCEU 30% ENTRE JANEIRO E JULHO DESSE ANO, EM RELAÇÃO AO MESMO PERÍODO DO ANO PASSADO WALLACE ARAÚJO / NJ

WALLACE ARAÚJO / NJ

WALLACE ARAÚJO / NJ

▶ Fátima Menezes, diretora do PSF de Nazaré: “abaixo do esperado”

▶ Lidenice Ferreira, enfermeira: casos

ANNAPAULA FREIRE DO NOVO JORNAL

cabeça, febre alta, náuseas, tonturas, moleza no corpo e manchas na pele. Se os diagnósticos de dengue já fazem parte do cotidiano da população, em períodos chuvosos o índice de pessoas contaminadas se intensifica. Segundo dados da Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap), os casos notificados de dengue entre janeiro até 31 de julho desse ano aumentaram em 30,54% no estado, em relação ao mesmo período do ano passado. Foram 4.232 casos notificados em todo o Rio Grande do Norte. Já na região metropolitana de Natal, foram registrados neste mesmo período 2.859 casos, sendo 56 casos de febre hemorrágica da dengue (FHD), com um óbito. Somente no município de Natal, de acordo com dados da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), houve um aumento de 105% de casos notificados de dengue clássica em relação ao mesmo período de 2009. Segundo a subcoordenadora de Vigilância Epidemiológica da Sesap, Juliana Araújo, o número se justifica por ser o Brasil um país com condições climáticas favoráveis – chuvas intermitentes – à proliferação do mosquito Aedes aegypti, principal vetor da doença, além de fatores estruturais e sociais. Somente 29,3% dos municípios potiguares apresentam situação satisfatória. Por isso, o monitoramento dos focos do mosquito deve ocorrer de forma contínua para evitar surtos da enfermidade. Sobre o aumento do índice em relação ao ano passado, Juliana considera que o aumento é historicamente previsível. Pois, depois da alta em 2008 (quando foram registrados mais de 43 mil casos de

FORTES DORES DE

▶ Juliana Araújo, da Vigilância Epidemiológica: “É um alerta para a gente saber que não está livre da epidemia” dengue no estado) e da queda do número em 2009 (por exemplo, em Natal a redução foi de 93,4% em relação ao ano anterior), a população parou de se preocupar com a prevenção da doença. “É um alerta para a gente saber que não está livre da epidemia”, comentou. Primordial para nortear as ações da secretaria, a coleta e divulgação dos dados referentes à problemática contribuem para medidas dirigidas a cada região do estado. Nas pesquisas, vinte municípios foram considerados prioritários por concentrar 80% dos casos. O Programa Estadual do Controle da Dengue realiza o monitoramento da doença. A intensificação das visitas dos agentes de saúde, o uso do carro fumacê e a distribuição de materiais informativos também são estratégias para o combate ao mosquito. O

órgão estadual trabalha em parceria com as secretarias municipais para realizar ações de prevenção. A capacitação dos agentes de vigilância e de gestores para lidar com a dengue é outra atribuição do estado.

FLUXO

De acordo com Juliana, o fluxo correto de atendimento ao pacientes com dengue é o deslocamento à unidade de saúde e, caso exista alguma suspeita de dengue hemorrágica, o encaminhamento do paciente a hospitais de referência. Porém, não é assim que funciona na realidade. A população costuma procurar, principalmente, os hospitais da rede pública. O número de casos registrados no Hospital Giselda Trigueiro de janeiro até agosto desse ano é de 1.473. Na Unidade do Programa Saú-

de da Família (PSF) do bairro de Nazaré, foram registrados, em julho, 13 casos de pacientes que moram nas redondezas. Segundo a enfermeira da unidade, Lidenice Ferreira, alguns desses casos foram repassados pela direção do Giselda Trigueiro por se tratar de pacientes que moram na região. A equipe da unidade fica responsável por realizar a sorologia dos pacientes (ou seja, exames para confirmar se realmente é dengue) e de fazer o acompanhamento da doença nos enfermos. Já a diretora da unidade, Fátima Menezes, acredita que o número de pacientes com dengue no bairro Nordeste “está abaixo do esperado”. A Unidade de Saúde da Família atua na comunidade local. A equipe dessa unidade realiza ações de conscientização no bairro. Inclusive, uma passeata contra a dengue foi feita no mês passado.

A DOENÇA A dengue é uma doença transmitida pela fêmea do mosquito Aedes aegypti.O vírus da dengue possui quatro sorotipos. Essa enfermidade se manifesta de duas formas: clássica e hemorrágica. Os sintomas mais comuns da dengue clássica são: febre, dor de cabeça, no corpo, nas articulações e por trás dos olhos. Na dengue hemorrágica, além desses sintomas, sangramentos são comuns. Para evitar a proliferação do mosquito, medidas como não deixar água parada e não jogar recipientes vazios em terrenos baldios contribuem para a diminuição da incidência. O mosquito se reproduz em recipientes onde exista água limpa. Uma fêmea pode colocar 200 ovos de cada vez. Quando há contato com água, os ovos eclodem em cerca de 30 minutos. Entre cinco e sete dias, a larva dá origem a um novo mosquito.

repassados pelo Giselda Trigueiro

NÚMEROS

4.232

é o número de casos notificados de dengue entre janeiro até 31 de julho desse ano em todo RN, um aumento de 30,54%

2.859

casos de dengue foram registrados na região metropolitana de Natal, no mesmo período, com um óbito

20

municípios foram considerados prioritários por concentrar 80% dos casos

1.473

é o número de casos registrados no Hospital Giselda Trigueiro de janeiro até agosto desse ano

WALLACE ARAÚJO / NJ

/ URBANIZAÇÃO /

Semsur não sabe quando vai reiniciar recuperação de praças MAGNUS NASCIMETO / NJ

A SECRETARIA MUNICIPAL de Serviços

Urbanos (Semsur) está aguardando a autorização da prefeita Micarla de Souza para iniciar a licitação de obras de recuperação das praças de Natal, trabalho iniciado no ano passado. Segundo a assessoria de imprensa da pasta responsável pela manutenção e preservação dos logradouros públicos, não há data prevista para a retomada deste trabalho. O NOVO JORNAL publicou, no último domingo, o protesto de moradores diante da situação de abandono de algumas praças da cidade. Ainda de acordo com a assessora de imprensa da Semsur, no começo da gestão da Prefeita Micarla de Souza, foi realizado um estudo para analisar a situação das praças na cidade. Com base neste levantamento, 36 praças receberam serviços de manutenção em 2009, informa a assessoria. Entre estes serviços, estão incluídos recuperação e pintura de bancos, do meio-fio, de passeios, pintura dos brinquedos, dos equipamentos de ginástica e de jogos recreativos. A assessoria revela que outras melhorias também foram implantadas neste período, como a Academia da Terceira Idade - parceria entre a Semsur e a Secretaria Municipal do Esporte e Lazer - com o objetivo de estimular a prática de exercícios físicos. O programa, se-

▶ Praça Deputado Patrício Neto, em Lagoa Nova: conservada pelos moradores gundo a Semsur, está operando atualmente na Praça Augusto Leite, no bairro do Tirol, Praça Aluízio Alves, na Cidade da Esperança, Praça Kalina Maia, em Lagoa Nova, Espaço Cultural Jesiel Figueiredo, no conjunto Lagoa Azul (Zona Norte) e na Praça das Mães, em Lagoa Nova.

EXEMPLO

Os passantes da Praça Deputado Patrício Neto, em Lagoa Nova, notam logo de cara a organização do lugar. A praça, completamente arborizada e limpa, não deixa a desejar a nenhuma outra de cidades de primeiro mundo. Até os postes de iluminação e cal-

çamento encontram-se em bom estado. O responsável pelo trabalho é o engenheiro Josevalter Carvalho, que mora em frente à praça há quase quatro anos. Incomodado com a falta de infraestrutura que havia quando chegou, o próprio morador foi em busca de soluções. Pagou aos empregados de sua empresa de construção para trabalhar na limpeza do lugar, passando a cuidar de toda a parte de manutenção da praça, incluindo também o plantio de mudas e corte das plantas, iluminação e calçamento. “Se queima alguma lâmpada, eu vou atrás pra consertar. Quando acontece qualquer coisa ali, eu

que tomo as rédeas e faço o máximo pra resolver o problema. A única coisa que eu não fiz foi colocar os bancos de volta porque a retirada deles foi algo acordado pelos moradores”, explica. Os bancos foram retirados por questão de segurança. É o que conta um dos moradores, o médico Carlos Trigueiro, 61. Segundo ele, os bancos eram um convite para os vândalos e ladrões que passavam por ali. “Aqui já teve de tudo, até sexo. Os maconheiros vinham todos pra cá, era perigoso demais. Agora sem os bancos, eles não têm mais onde ficar e vão embora”, ressalta. O médico fala que antes de o engenheiro chegar, os próprios moradores mantinham um vigia e a praça limpa. Depois que Carvalho passou a residir no bairro e se encarregou de tomar conta da praça, nenhum dos moradores teve mais que se preocupar. Ele elogia o serviço feito pelo engenheiro e ressalta: “Ele faz porque, além de ter condições, é de coração bom e não exige ajuda de ninguém”. frisa que faz o trabalho porque acredita que a harmonia só existe se o poder público e a iniciativa privada andarem de mãos dadas. “Não adianta só reclamar do governo. Os próprios cidadãos também têm que criar consciência de que são responsáveis pelo próprio bem-estar”.

▶ Familiares e amigos compareceram à cerimônia na Igreja Santa Terezinha / IN MEMORIAN /

MISSA PELO CENTENÁRIO DE JOSÉ EMERENCIANO centenário de nascimento do ex-procurador geral de Justiça, José Ildefonso Emerenciano, falecido em março de 1994, foi realizada uma missa na Igreja Santa Terezinha, em Petrópolis, na manhã do último sábado. Os filhos gerados a partir da união com Maria da Conceição organizaram a celebração ministrada pelo padre Cícero, auxiliar da igreja. Regina Lúcia, Aécio Augusto, José Gotardo e Maria Emerenciano levaram cônjuges e filhos para prestar uma “homenagem à memória” do patriarca. Nascido na capital potiguar a 21 de agosto de 1910, José Ildefonso Emerenciano pertenceu a uma família de professores dedi-

EM COMEMORAÇÃO AO

cados à magistratura, tendo concluido o curso de Direito na cidade de Fortaleza, em 1932. Tornou-se professor e foi responsável pela formação de diversos juristas, sempre ministrando a disciplina de Direito Civil. Como promotor de justiça, na primeira década de vida profissional, atuou nas comarcas de Caraúbas, Martins, Apodi e Ceará-Mirim. E, no período da II Guerra Mundial, exerceu a função de Delegado da Ordem Política e Social. No mesmo bairro onde foi celebrada a missa pelo centenário de seu nascimento, outra paróquia era frequentada por ele e a família: a Capela São Judas Tadeu.


▶ CIDADES ◀

NATAL, TERÇA-FEIRA, 24 DE AGOSTO DE 2010 / NOVO JORNAL /

11

NEM MESMO UM MILAGRE / NAUFRÁGIO / FAMILIARES NÃO CREDITAM QUE PESCADORES DESAPARECIDOS NO MAR DESDE A ÚLTIMA QUARTA-FEIRA AINDA ESTEJAM VIVOS

FOTOS: TIAGO LIMA / NJ

ANDERSON BARBOSA DO NOVO JORNAL

OS FAMILIARES DOS pescadores Iva-

naldo Paulo da Silva, 36 anos, e Francisco Laércio de Assis Júnior, 17, não acreditam mais em milagres. Em outras palavras, apenas aguardam que as equipes de busca os encontrem para que possam ser velados e sepultados dignamente. Eles estão desaparecidos desde a madrugada da última quarta-feira, quando deixaram a praia de Muriú, no litoral Norte potiguar, a bordo de uma jangada batizada de ‘Pirata da Vovó’. E deveriam ter retornado no mesmo dia, por volta das 14h. Detalhe: eles não levaram coletes salva-vidas e ainda deixaram para trás a vela da embarcação – o que serviria como alternativa de navegação caso o motor enguiçasse. Segundo os parentes, Ivanaldo e Francisco partiram da praia de Muriú, mais precisamente em frente ao Residencial Porto-Mirim, por volta das 2h. Duas vezes por semana, pelo menos, eles se lançavam em busca de guaibas, pirás e biquaras. E como de costume, jogavam as linhas quando alcançavam uma distância de 15 milhas náuticas da costa (aproximadamente 28 quilômetros). Naquele ponto, a profundidade já é superior a trinta metros. O único equipamento de comunicação que eles possuíam era um telefone celular, de número 9925-7405, que permanece na caixa postal. A reportagem esteve na ma-

nhã de ontem com Maria Lúcia de Oliveira, mulher de Ivanaldo, e também conversou com Jocélia Clares Brilhante, mãe de Francisco. O encontro aconteceu na beira da praia. Sentadas sobre uma jangada semelhante ao Pirata da Vovó, o desabafo de ambas é emocionante. “Faz tanto tempo que eles sumiram que eu, sinceramente, não acredito mais que estejam vivos”, lamentou Maria Lúcia. “Tenho feito muitas orações e pedido a Deus, pelo menos, para que eu possa enterrar meu filho”, disse Jocélia, também descrente da possibilidade de ainda rever o filho com vida. A confirmação de que os pescadores entraram no mar sem os coletes salva-vidas e sem a vela da jangada veio do comerciante Manoel Otávio da Silva. É ele quem compra o pescado toda vez que Ivanaldo e Francisco regressavam de uma pescaria. “Ninguém está aqui para mentir. A verdade precisa ser dita. Eles realmente não levaram os equipamentos de segurança. Eu acho que, como a previsão era de retornar no mesmo dia, eles acharam desnecessário. E infelizmente, essa despreocupação pode ter custado a vida dos dois”, declarou. Presidente da Colônia Z-14, Raimundo Sales disse que desde 1988, quando assumiu o posto, não tinha notícia sobre o desaparecimento de pescadores na área, que além de Muriú, também abrange a praia de Jacumã. Atualmente, 476 pescadores estão cadastrados na colônia.

TENHO FEITO MUITAS ORAÇÕES E PEDIDO A DEUS, PELO MENOS, PARA QUE EU

FAZ TANTO TEMPO QUE ELES SUMIRAM QUE EU, SINCERAMENTE, NÃO ACREDITO MAIS QUE ESTEJAM VIVOS”

POSSA ENTERRAR MEU FILHO” Jocélia Clares, Mãe de Francisco

Mária Lúcia, Mulher de Ivanaldo

MARINHA MANTÉM BUSCAS ATÉ AMANHÃ

▶ Cleber Ribeiro da Silva, comandante do 3o Distrito Naval

Logo que recebeu a notícia de que os pescadores não tinham retornado na hora prevista, a Marinha do Brasil, através do comando do 3º Distrito Naval, deu início aos trabalhos de busca. “A informação nos chegou somente na noite da quinta-feira. Foi através do Salvamar Nordeste, que recebeu uma ligação telefônica da Co-

lônia Z-14. Daí, imediatamente, enviamos o navio-patrulha Graúna, pertencente ao Comando do Grupamento de Patrulha Naval do Nordeste, em direção ao local, iniciando as buscas à jangada”, esclareceu o comandante Cleber Ribeiro da Silva. Ainda segundo o oficial, as buscas devem prosseguir até ama-

nhã. Também participam das buscas equipes da Capitania dos Portos do Rio Grande do Norte, que deslocou lanchas e botes infláveis ao litoral Norte, a fim de realizar inspeções nas praias da Redinha, Santa Rita, Genipabu, Barra do Rio, Jacumã, Pitangui, Muriu, Maxaranguape, Caraúbas, Maracajaú, Pititinga, Zumbi, Rio do Fogo, Carnaubimha, Touros, Cajueiro e São Miguel do Gostoso. Até o fechamento desta edição, no entanto, as buscas não haviam obtido êxito.

/ PAN-AMERICANA /

Exposição reúne cães de raças e criadores em Natal FOTOS: AUGUSTO RATIS / NJ

Corgi, Husky Siberiano, Golden Retriever. Estas foram algumas das raças de cães que participaram domingo passado, no estacionamento do Praia Shopping, em Ponta Negra, da Exposição PanAmericana de Cães de Raça, promovida pelo Kennel Clube NorteRiograndense. Cerca de 100 animais disputaram o título de “Cão Ideal”, que não oferece prêmio em dinheiro mas valoriza os vencedores. O biólogo, presidente do clube e um dos organizadores do evento, José Arnaldo Medeiros, 49, cria mais de 50 cães das raças Whippet e Terrier Brasileiro. Ele conta que a paixão por cães começou desde quando tinha cinco anos. “Meu pai me deu um Pointer Inglês e eu me lembro que fiquei encantado. Desde então eu nunca mais deixei de ter cachorro. Embora formado em biologia, sempre me dediquei a eles paralelamente”, falou. Gutemberg Vilar de Queiroz, 57, é coordenador da corregedoria da Justiça, juiz internacional de cães e um dos que também ajudaram a organizar a exposição. Ele cria cães da raça Pincher, Chihuahua e Pelado Chinês. “É uma paixão que tenho desde pequeno e costumo dizer que é uma loucura saudável”, brinca. Durante o evento foram avaliadas uma série de requisitos entre cães de várias partes do país, como tipo esquelético e atividades desempenhadas pelos mesmos, contando também com a aparência, cor, pelos, orelhas, movimentação, etc. “O cachorro é avaliado minuciosamente, pois existe um padrão oficial de cada raça. E nós precisamos conhecer todos eles”, disse um dos três juízes do evento, Orlando Lopes, 70. Junto com Ikuko Nagazako, jaSHIH TZU, WELSH

ponesa, e Jaime Ganoza, peruano, Lopes analisou cada um dos animais para depois chegarem a um consenso, que é “incorrigível”, frisa. Médico nascido no Rio de Janeiro, ele é criador de 20 cães das raças Afghan Hound e Pug e viaja o mundo inteiro para participar de exposições. Foram três julgamentos ao total, incluindo um título pan-americano e dois nacionais de beleza, divididos em 11 grupos de raça, entre pastores e boiadeiros, cães de guarda, térries, dachshund ou “salsichinhas”, como também são chamados, entre outros. “Embora eles não ganhem prêmio em dinheiro, o título valoriza o cão e seus filhotes”, ressalta Medeiros. Segundo o biólogo, não há diferença entre os cachorros de raça e vira-latas. “Desde que sejam cuidados com amor, não importa o fato de ter raça definida ou não. A única vantagem é que, quando você compra um cão de raça, você sabe com que tipo de animal está lidando, principalmente a respeito de seu temperamento”, falou. Medeiros ainda acrescenta que os preços dos cães baixaram bastante nos últimos anos. “É relativo porque depende da raça de cada um. Alguns são bem mais caros que os outros. Mas antes a pessoa ter um cão de raça era muito difícil. Eram preços exorbitantes, e, hoje em dia, essa realidade mudou bastante”, disse. Medeiros ainda afirma que, por também ser juiz, não comercializa os cães. As transações são feitas por seu sócio, que também os apresenta. “Ele vende cachorros da raça inglesa Whippet, que variam entre R$ 1,5 a R$ 6 mil”, falou, acrescentando que os criadores do RN não deixam nada a desejar aos outros criadores do país.

▶ José Medeiros, organizador do

evento com o cão vencedor: Phantom

▶ Cerca de 100 animais, de várias partes do Brasil e do exterior, foram apresentados ao públicos e avaliados pelos juízes

DISPUTA DO TÍTULO DE “CÃO IDEAL” MOBILIZA PLATEIA O “Cão Ideal” – ou seja, aquele que mais se aproxima das características da raça a qual ele pertence – eleito pelos juízes presentes, foi o cachorro da raça Shih Tzu, de nome Phantom, em homenagem ao musical ‘O fantasma da ópera’. Ganhador de dois títulos do evento (pan-americano e nacional), com apenas 20 meses, ele é vencedor americano, canadense e brasileiro. “Ele já ganhou muitos títulos”, reforça o handler Charly Andrade, 22, responsável pela apresentação do cachorro na exposição. O carioca conta que começou o trabalho por acaso depois que participou de um evento se-

melhante a esse no Rio de Janeiro, e desde então segue pelo mundo afora apresentando cães. “Minha mãe era criadora e eu sempre gostei de cachorro. Mas em 2007, depois dessa exposição que fui, não consegui mais me imaginar fazendo outra coisa”, falou. O título de vice-campeão nacional ficou com um cão de raça Husky Siberiano de três anos, vindo de Recife. Quem também segue no mesmo ofício de Andrade é o também carioca Claúdio Cruz, 35. Handler profissional há mais de dez anos e apresentando sete cães de clientes diferentes - das raças Basset Hound, Basenji, Golden Retriever, etc. - Cruz confessa que sem-

pre foi louco por animais. “Depois que presenciei uma exposição dessas, foi como cachaça, me viciei e nunca mais me livrei dele até hoje”, brinca. A funcionária pública Ivoneide Tomaz, 45, prestigiou o evento acompanhada do marido, o engenheiro agrônomo Benvenuto Gonçalves, 40, do filho Yuri, 12 e das enteadas Lívia, 5, e Letícia, 4. A família cria um cão de nove meses chamado Dubai, da raça inglesa Welsh Corgi – criado também pela Rainha da Inglaterra, Elizabeth 2ª. O animal, comprado pela “ninharia” de R$ 2 mil, participa pela terceira vez de um evento como esse. Gonçalves diz que fez questão de comprar um cão de raça para não ter nenhuma surpresa quanto às particularidades do animal. “Pra mim existe diferença sim. Porque tenho certe-

▶ Lucilene Morais e o filho Luís Felipe: expectadores do evento

za da herança genética dele, que é um cachorro dócil e tranqüilo. Sei de onde ele veio”, explicou. “É tão bom poder mostrar o cachorro da gente”, completa. Lucilene Morais, 32, comerciante e mãe de Luís Felipe, 5, também foi uma das que visitaram a exposição. “Eu tenho um restaurante aqui do lado, então vi o movimento todo e não resisti. Carreguei meu filho e vim pra cá”, conta. Ela diz que, embora não tenha competido no evento, possui uma fêmea da raça Cocker Spain de quase dez anos. “É uma riqueza um evento como esse. São raças variadas que a gente não está acostumada a ver na rua. Como sou apaixonada por cães, acho maravilhoso, um lazer acima de tudo. Só não crio mais porque não tenho tanto espaço dentro de casa”, diz.


UnP 12

Editor Franklin Jorge

E-mail franklinjorge@novojornal.jor.br

Fones 84 3201.2443 / 3221.3438

/ NOVO JORNAL / NATAL, TERÇA-FEIRA, 24 DE AGOSTO DE 2010

TIAGO LIMA / NJ

O

REFÚGIO DO

PRAZER

| PESQUISA | PROFESSORA DA UNP APRESENTA PESQUISA EM EVENTO INTERNACIONAL FRANKLIN JORGE DO NOVO JORNAL

“O REFÚGIO PRAZEROSO

do europeu: um estudo de caso em Natal-RN” é o tema da pesquisa desenvolvida pela professora Stella Galvão, da Escola de Comunicação e Artes da UnP, apresentado na tarde de ontem no congresso internacional ‘Fazendo Gênero 9’, que ocorre até o próximo dia 26 na Universidade Federal de Santa Catarina. A apresentação se deu durante o Simpósio Temático ‘Cruzando Sexualidades, Gênero, Etnicidades nos movimentos migratórios’. O evento, realizado a cada dois anos, atrai pesquisadores e estudantes de todo o mundo para debater questões de gênero e sexualidade. Por e-mail, ela respondeu às perguntas feitas pelo NOVO JORNAL.

NJ: O QUE A LEVOU A REALIZAR ESSA PESQUISA? STELA GALVÃO: Os reflexos existem não obstante

esses reflexos são para mim algo de muitos enriquecimentos nas duas línguas não somente do ponto de vista léxical, gramatical mas sobretudo o pensamento que possuo sobre as coisas, o tempo, a existência, o viver em geral. NJ: QUANTAS PESSOAS ESTÃO ENVOLVIDAS NESSE TRABALHO?

Natal vai ser sempre minha casa e todos os amigos da rua Felipe Camarão, o Atheneu, todas as paisagens, as Dunas sem esquecer minhas férias e idas e vindas a Currais Novos na família do meu pai. São os meus “significantes” que me pulsionam, no sentido lacaniano. Os “significados” são as lembranças, o passado. O que vale é o que tudo isso deixou “no presente” em forma de “significantes”. Um exemplo é a poesia que me acompanha. NJ: JÁ TEM UM QUADRO DA PROSTITUIÇÃO EM NATAL? QUE LIÇÕES TIROU DESSA PESQUISA?

Veja que podemos dar uma revira-volta “a obra da infância” porque isso toca num ponto crucial que já mencionei na pergunta anterior, o conjunto de Significantes/Significados que foram estudados por Ferdinand de Saussure e em seguida por Jacques Lacan. Se continuarmos nesses pensamentos a poesia é a infância da obra e vice-versa. Os “Significantes” que se formaram no inconsciente, resumem tudo isso. NJ: COMO ESSE TRABALHO ESTÁ REPERCUTINDO? 

Sempre que tentei escrever, por exemplo um romance, a poesia apontava. Isso vem de longe, da minha casa, da escola, dos amigos. Sempre li poesias, e logo me apaixonei por Manuel Bandeira, por Baudelaire, por Florbela Espanca e tantos outros.

TRECHO DO RESUMO DA PESQUISA: Nos últimos anos, relatos dão conta que uma modalidade de composição social vem se delineando na área de Ponta Negra, em Natal-RN, um pólo turístico que atrai continuamente  turistas europeus. Trata-se da constituição de lares com a dama eleita, em paralelo à manutenção da estrutura familiar no país de origem. Deste modo, estes estrangeiros mantêm sua base formal, socialmente irretocável, com esposa e filhos com biotipo compatível com seu país de origem, e cria a figura de um casulo, um ninho de luxúria no país tropical, que é visitado esporadicamente, com garantia de sexo pago não mais episodicamente, mas sob a forma de contas mensais geradas pela estrutura física do novo lar. Um novo recorte do eterno colonizador.  

OS MERCENÁRIOS – 16 anos. Cinemark: 17h10 - 21h55 (LEG). Moviecom: 15h35 – 17h40 -19h45 – 21h50 (LEG).

ROTEIRO roteiro@novojornal.jor.br

CINEMA

MEU MALVADO FAVORITO 3D – Cinemark: Livre. 13h10 - 15h20 - 17h30 - 19h40 – 22h00 (DUB). A ORIGEM – 14 anos. Cinemark: 15h25 - 18h35 - 21h45 (DUB) 14h30 - 17h40 - 20h45 (LEG). Moviecom: 15h20 – 18h15 – 21h10 (LEG).

SALT – 14 anos. Cinemark: 15h00 – 19h35 (LEG). Moviecom: 18h00 – 20h00 – 22h00 (LEG).

DIREITO DE AMAR – 14 anos. Cinemark: 14h00 (LEG).

O APRENDIZ DE FEITICEIRO – 10 anos. Cinemark: 16h15 - 18h45 21h15 (DUB). Moviecom: 15h00 – 17h10 – 19h20 – 21h30

MEU MALVADO FAVORITO – Moviecom: 15h40 – 17h35 – 19h30 – 21h25 (DUB). O BEM AMADO – 12 anos. Cinemark: 13h30 - 16h00 - 18h30 - 21h00 Moviecom: 15h05 – 17h15 – 19h25 – 21h35.

SHREK PARA SEMPRE – Livre. Cinemark: 12h50 (DUB). O ÚLTIMO MESTRE DO AR – 10 anos. Cinemark: 14h25 - 16h45 - 19h10 - 21h30 (DUB) Moviecom: 13h10 – 15h15 – 17h25 – 19h35 – 21h45 (DUB).

MÚSICA O projeto Terça de Bambas apresenta o grupo Roda de Bambas no Taverna Pub às 23h. Entre o repertório, estão Noel Rosa, Cartola, Paulinho da Viola e outros mestres. Às 19h, o Prozac continua com a Confraria do Vinil. Leve o seu e compartilhe com os demais colecionadores. O Sgt. Peppers Rock Band sobe no palco do Sgt. Peppers às 21h para tocar sucessos do blues e rock internacional.


Social

Edito Editor Franklin Jorge Frank

E-mail social@novojornal.jor.br

Fones 84 3201.2443 / 3221.3438

NATAL, TERÇA-FEIRA, 24 DE AGOSTO DE 2010 / NOVO JORNAL /

Marcos

Ninguém veste uma máscara para si e outra para a multidão sem ser desmascarado por sua verdadeira face”

Sadepaula

Nathaniel Hawthorne (1804-1864) Contista norte-americano

sadepaula@novojornal.jor.br

NEY DOUGLAS /

Abre aspas “Nunca o termo chique foi tão usado para qualificar pessoas como atualmente. A verdade é que ninguém é chique por decreto. E algumas boas coisas da vida, infelizmente, não estão à venda. Elegância é uma delas. Assim, para ser chique é preciso muito mais que uns guarda-roupas recheados de grifes importadas. O que faz uma pessoa chique não é o que ela tem, mas a forma como se comporta. Chique mesmo é quem fala baixo, quem não procura chamar atenção com suas risadas muito altas, nem por seus imensos decotes, mas que, sem querer, atrai todos os olhares, porque tem brilho próprio. Chique mesmo é dar bom-dia ao porteiro do seu prédio e às pessoas que estão no elevador. Chique é “desligar o radar” quando estiverem sentados à mesa do restaurante e prestar verdadeira atenção à sua companhia. Portanto, não gaste sua energia com o que não tem valor, não desperdice as pessoas interessantes com quem cruzar e não aceite, em hipótese alguma, fazer qualquer coisa que não lhe faça bem. Porque, no final das contas, chique mesmo é ser feliz!” Texto do livro “A quem interessar possa” de Gilka Aria

NJ

Adiamento A inauguração do novo restaurante Camarões no terceiro piso do shopping Midway Mall foi adiada. A abertura que estava prevista para ontem deve acontecer até o final do mês de agosto ou começo de setembro. Aguardemos!

Júlia ▶ Os vereadoresLop es

Arruda, Ney ne Jr., Albert Dickso na Hermano Morais de lo entrega do Títu se alen Nat o Cidadã indé ao fotógrafo Can com a Soares, na foto ora sua mulher Déb

D´LUCA / NJ D´LUCA / NJ

DIVULGAÇÃO

io da Fórmula

Rabelo no Rusto ▶ Luciano e Carolróp olis Music Bar em Pet

Future Fiat em

▶ Marília Sá e Khraysta noite divertindo-se pel CEDIDA

Pódio

Neves no espaço

Villela no Seridó

O Colégio Nossa Senhora das Neves terá um representante na 6ª Jornada Espacial, que acontecerá entre os dias 26 de setembro e 2 de outubro, em São José dos Campos (SP). O aluno Matheus Braga Furstenberger foi um dos 50 melhores colocados na 8ª Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica, que contou com a participação de mais de 780 mil estudantes. Os primeiros colocados terão a oportunidade de conhecer o Programa Espacial Brasileiro, juntamente com seus professores responsáveis.

Quinta-feira passada, o diretor de teatro mineiro Gabriel Villela, que está em Natal trabalhando com o grupo Clowns de Sheakspeare no espetáculo Ricardo III, esteve em Currais Novos, na região do Seridó, para um bate-papo com a classe artística da cidade. Gabriel falou sobre teatro, sua trajetória profissional e o atual trabalho que desenvolve com os Clowns, que tem na cultura do Seridó uma de suas matrizes de pesquisa. Esta atividade faz parte do projeto Ponto de Cultura Barracão Mambembe.

que Teatro Riachuelo, meio às obras do

em ▶ Flávia McLaren, Midway final do ano no inaugura até o

Canta tua aldeia... O livro A Botija de Clotilde Tavares foi selecionado pelo Programa Nacional Biblioteca da Escola do MEC e em 2011 terá distribuição para as escolas de todo o país. Como é uma narrativa profundamente fincada nas raízes culturais caririzeiras-nordestinas, é a nossa alma e a nossa tradição que em breve será compartilhada com crianças e jovens de todo o Brasil.

Academia para crianças Na próxima quarta-feira será inaugurada em Natal a primeira academia de ginástica específica para crianças de 3 a 14 anos. A “SPK Oficina do Movimento Estúdio e Saúde” funcionará no alto de Candelária onde as crianças serão acompanhadas por uma equipe multidisciplinar composta por endocrinologista, psicomotricista, nutricionista e educadores físicos. Através de atividades que visam estimular o equilíbrio, a flexibilidade, a auto-estima e a socialização, os alunos terão o auxílio de materiais lúdicos como bolas variadas, cones, elásticos, cama elástica, túneis, aparelhos de equilíbrio, argolas de sustentação, implementos esportivos, circuitos, entre outros. O interessante no espaço é que os pais também terão a oportunidade de fazer sua atividade física.

Inscrições abertas

l

no pód ▶ Johilton Pavlak Interlagos

13

Após início difícil, o piloto potiguar Johilton Pavlak encerrou a terceira rodada dupla da Fórmula Future Fiat, disputada no último domingo em Interlagos (SP), com vitória e se mantém na luta pelo título da categoria. Na sexta etapa, o potiguar largou da pole position, disparou na frente e não teve problemas para subir ao andar mais alto do pódio. O resultado mantém Johilton na quarta posição da tabela da categoria que dará ao campeão uma vaga na Ferrari Drivers Academy e o direito de disputar a temporada 2011 da Fórmula Abarth Italiana com tudo pago.

Estão abertas as inscrições para o concurso de Contos do Mar do projeto Teatro a Bordo. Nesta semana as escolas participantes receberão o regulamento e as inscrições seguem até o dia 17 de setembro. Os dez melhores contos serão publicados em um livro a ser lançado ainda este ano. O projeto tem o patrocínio da Cosern.

Antipatia Uma mulher mal encarada, antipática e muito, mas muito, feia entra numa loja com duas crianças. O gerente, querendo ser gentil, pergunta: - São gêmeos? A mulher, fazendo uma careta que fez com que ela ficasse mais feia ainda, diz: - Não, seu babaca! O mais velho tem 9 e o mais novo tem 7 anos. Por que? Você acha eles parecidos? - Não... Eu só não pude acreditar que a senhora, feia e mal-educada desse jeito, tenha sido comida mais de uma vez.

▶ Colaboração de Dominique Sá

FOTOS: D'LUCA / NJ

Lançamento do livro “Vem Viver Natal”, do fotógrafo Canidé Soares, no Hotel Pestana, Via Costeira

▶ O autor com Micarla de Sousa e Ana Maria Cascudo

▶ Simone Silva, Chris Potter, Simone Aguiar e Patrícia

Zelma Furtado, Zélia Madruga e Vilmaci Viana

▶ Tânia Leiros, Canindé Soares e Renato Fernandes

▶ Sandro Calafange e Renato Gomes

▶ Gleydson Batalha, Tarcísio Gurgel e Kleber Fernandes

▶ Bruno, Luciano Jr., Jean Valério, Amaury Jr. e Airton Bulhões


Cultura 14

Editor Franklin Jorge

E-mail cultura@novojornal.jor.br

Fones 84 3201.2443 / 3221.3438

/ NOVO JORNAL / NATAL, TERÇA-FEIRA, 24 DE AGOSTO DE 2010

AUTOGRAFAM AMANHÃ AUGUSTO RATIS / NJ

/ EM FAMÍLIA / CARMEM E CAROLINA VASCONCELOS TÊM EM COMUM O GOSTO PELA LITERATURA

EU ACREDITO MUITO EM INTUIÇÃO E TRANSPIRAÇÃO, PORQUE A INTUIÇÃO TRAZ AS PALAVRAS CERTAS. ÀS VEZES UMA PALAVRA CONSEGUE GERAR UM POEMA INTEIRO.” Carmem Vasconcelos Poetisa

MARCELO LIMA DO NOVO JORNAL

DA AVÓ PATERNA, ela recebeu a educação literária. A filha também herdou a verve para as letras. A poeta Carmen Vasconcelos é o elo entre essas gerações. Na quarta-feira (dia 25), mãe e filha apresentam o resultado dos seus trabalhos, cada uma pelo seu próprio caminho (conto e poesia). Mas as duas tiveram, de alguma forma, a influência de Mimi Moura, a matriarca dessa família de escritoras. Formada em Serviço Social e Direito pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), Carmen Vasconcelos lançará o seu terceiro livro de poemas aos 45 anos. Ela só se considerou pronta para publicar o seu primeiro livro de poemas – Chuva Ácida (FJA, 200) – quando estava na casa dos trinta anos de idade. “As coisas da adolescência estão rasgadas, devidamente destruídas”, disse sem arrependimento. Ainda na infância, a sua avó, a professora Mimi Moura, incentivava à leitura contando histórias e depois indicando livros e revistinhas infantis. Carmen guarda na memória até hoje a revista do Sesinho (do Serviço Social da Indústria direcionada para crianças) e um álbum de deuses gregos que ganhou de sua avó. Não era pressionada a estudar, por tinha adquirido o hábito de absorver conhecimento na infância. Passada a primeira fase da vida em Angicos, a poeta mudou-se para Natal com a família no início da adolescência. E avó morava junto com os seus pais. Atualmente Carmen conta com os principais influenciadores os seguintes escritores: Fernando Pessoa, Cecília Meireles, o poeta italiano Eugênio Montale, o mexicano Octávio Paz, o tcheco Reiner Maria Rilke e o alemão George Trackl. No momento em que estava escrevendo os poemas que compõem o seu terceiro livro “O Caos no Corpo” a principal inspiração foi Adélia Prado. Por lembrar a palavra inspiração, a poeta potiguar prefere explicar que o seu processo criativo tem mais de intuição do que a inspiração. “Eu acredito muito em intuição e transpiração, porque a intuição traz as palavras certas”, comentou. “Às vezes uma palavra consegue gerar um poema inteiro”, completa. O mote do seu terceiro livro é “vida mesmo, a existência o sentido ou o não sentido dela”, acrescentou. O seu segundo livro, Destempo, tem o título que não colocava em mistério o conteúdo da obra. “Na época em que eu escrevi, eu estava me interrogando sobre essa questão do tempo, da passagem dele”, declarou. Carmen não tem receio de dizer que o livro que será lançado amanhã, “O Caos no Corpo”, é considerado o melhor dos três, na sua concepção. “Esse é o que eu gosto mais, porque acredito que a gente vai se desenvolvendo”, opinou. Carmen não se desanima quando fala da popularidade da poesia no país. Para ela, os poucos leitores são muito “afetuosos”, eles se envolvem intensamente com as poesias. Ela também falou um pouco do surgimento da paixão também específica sobre a poesia. “Em 1998, quando Octávio Paz morreu, abri um suplemento cultural em Santa Catarina e havia poemas de um livro dele. Depois de ler eu disse: ‘eu quer o escrever assim’. Não que eu quisesse imitá-lo. Eu queria tocar as pessoas como ele me tocou”, contou. Carmen Vasconcelos também é colaborada do jornal Tribuna do Norte há cinco anos. Segundo ela, suas publicações no periódico são sempre “molhadas” de poesia, apesar de escrever predominantemente em prosa. “Como acredito muito em poesia, a coisa chega mais perto da prosa poética”, disse.

CONTOS DO MUNDO MÁGICO

QUANDO EU TINHA

Carolina Vasconcelos, de 21 anos, estudante de psicologia também se lançará pelo mundo literário junto com sua mãe. No entanto, ela confessa que não nasceu para se dedicar a poesia. “Acho muito lindo, mas não sei escrever poesia”. A sua área de preferência são os contos fantásticos, mundos de duendes, príncipes, bruxas e magos e reinos encantados. Apesar disso, ela considera que “Contos de um mundo mágico” possa ser lido por todos, de todas as idades. O título do livro surgiu de um sonho que teve com a sua bisavó Mimi Moura que sugeriu o atual nome. No entanto, a inspiração para começar a ler se deu a partir das histórias de J.K. Rolling e de sua criação mais famosa, Harry Potter. “Quando eu tinha dez anos, vi um trailer do filme no cinema. Eu soube também que tinha o livro”, comento. Dessa forma a curiosidade para saber da história antes do livro tomou conta da garota que só na terceira tentativa conseguiu ler o primeiro livro de Harry Potter inteiro.

DEZ ANOS, VI UM TRAILER DO FILME

LANÇAMENTO:

NO CINEMA. EU SOUBE TAMBÉM QUE TINHA O LIVRO.” Carolina Vasconcelos Poetisa

“O caos no corpo”, Carmen Vasconcelos. “Contos do mundo mágico”, Carolina Vasconcelos

▶ Data: amanhã ▶ Hora: 19h ▶ Local: Livraria Siciliano do Midway Mall.


Esportes

Editor Marcos Bezerra

E-mail esportes@novojornal.jor.br

Fones 84 3201.2443 / 3221.3438

NATAL, TERÇA-FEIRA, 24 DE AGOSTO DE 2010 / NOVO JORNAL /

FABIO BRAGA / FOLHAPRESS

/ CORINTHIANS /

JORGE HENRIQUE SENTE FALTA DE CENTROAVANTE

/ JOGOS-JUVENTUDE /

Atletismo salva o Brasil em Cingapura

FOLHAPRESS

FOLHAPRESS

APESAR DA VITÓRIA

incontestável sobre o São Paulo, anteontem, pela 15ª rodada do Campeonato Brasileiro, o Corinthians ainda sente a falta de um centroavante entre os titulares. Pelo menos essa é a opinião do atacante Jorge Henrique, um dos destaques da vitória corintiana no clássico, que levou o time alvinegro aos 31 pontos, na segunda colocação. “Realmente está um pouco complicado. Falta [ao time] um homem de referência na grande área. Eu e o Iarley estamos tentando amenizar isso com muita movimentação”, apontou o jogador, em entrevista ao programa “Arena Sportv”. Ainda sem saber com precisão a data do retorno de Ronaldo, o técnico Adilson Batista, sem um plano B, tem revezado alguns jogadores no ataque da equipe do Parque São Jorge. Além de Jorge Henrique e Iarley, Dentinho, Defederico e Souza também já foram utilizados pelo treinador na linha de frente do time. “Quando o Ronaldo voltar vai nos ajudar bastante. Estamos confiantes na sua volta. Queremos que ele jogue, no mínimo, mais dois anos”, completou.

15

O ATLETISMO BRASILEIRO encerrou

▶ Protesto no centro de treinamento da Barra Funda: jogadores conversam com os torcedores

QUEM TE VIU, QUEM TE VÊ

/ SÃO PAULO / DERROTA PARA O CORINTHIANS POR 3 A 0 PROVOCOU PROTESTOS DAS TORCIDAS ORGANIZADAS; DIRETORIA PERMITIU ATO FOLHAPRESS UM DIA APÓS a derrota do São Pau-

lo por 3 a 0 no clássico diante do Corinthians, pela 15ª rodada do Campeonato Brasileiro, a diretoria abriu as portas e permitiu que a torcida são-paulina fizesse protestos dentro do Centro de Treinamento da Barra Funda. E ainda se reuniu com alguns integrantes das organizadas em uma sala fe-

chada dentro do CT. Ontem, logo após as atividades comandadas pelo técnico Sérgio Baresi, que corre risco de ser demitido, cerca de 30 torcedores das organizadas da equipe paulistana foram permitidos a entrar no local dos treinos para realizarem o ato. Um dos principais alvos dos aficionados pela equipe era o meia Cléber Santana, que ouviu a

torcida chamá-lo de “baladeiro”. O lateral esquerdo Junior Cesar também foi parado pelos protestantes para ouvir as reclamações. Após a manifestação, Cléber Santana entrou nas dependências do CT e não comentou o caso. O São Paulo, porém, não permitiu que a imprensa se aproximasse dos torcedores que fizeram o protesto.

ontem sua participação nos Jogos da Juventude celebrando as conquistas de suas maiores promessas para a Rio-2016, Thiago Braz, 16, e Caio Cézar dos Santos, 17. Os dois atletas conquistaram, respectivamente, uma medalha de prata, no salto com vara, e uma de ouro, no revezamento medley, disputado por equipes com atletas de diferentes países. O saldo final foi de dois ouros, ambos de Caio Cézar, uma prata e dez finais. O Brasil levou 15 atletas aos Jogos. “Cumprimos a melhor participação de todos os tempos do atletismo brasileiro em eventos olímpicos’’, disse o coordenador técnico da modalidade em Cingapura, José Haroldo Gomes, o Arataca.

Mas o segundo ouro de Caio em Cingapura não foi inteiramente brasileiro. O atleta disputou o revezamento medley, em que cada participante corre uma distância diferente. A prova, modalidade exclusiva dos Jogos da Juventude, foi criada para promover a interação entre atletas de nacionalidades diferentes.

POTIGUAR EM 5º

Outros três brasileiros disputaram as finais no último dia do evento. Paulo Sérgio dos Santos Oliveira ficou em 5º lugar no salto triplo; Natânia Habzreiter foi a 8ª nos 400 m com barreiras e a potiguar July Ferreira ficou em 5º nos 2.000 m com obstáculos. July, que é atleta do Sesi Clube e foi revelada no projeto Atleta do Futuro, obteve seu recorde pessoal na prova, com 6:56.00. WANDER ROBERTO / COB

▶ Caio Cézar conquistou duas medalhas de ouro: promessa para 2016


16

▶ ESPORTES ◀

/ NOVO JORNAL / NATAL, TERÇA-FEIRA, 24 DE AGOSTO DE 2010

HUMBERTO SALES / NJ

SHOW DE CASCATA E DOS TORCEDORES

/ SÉRIE C / VITÓRIA DE VIRADA SOBRE O SALGUEIRO, POR 3 A 1, DEVOLVEU A LIDERANÇA DO GRUPO B AO ALVINEGRO; CASCATA MARCOU DUAS VEZES E FOI O GRANDE DESTAQUE DO JOGO HUMBERTO SALES / NJ

▶ Volante foi negociado com o Fortaleza e se apresenta hoje

DIEGO HERVANI NOVO JORNAL

/ ÍDOLO /

JOGO CONTRA O lanterna do grupo

e debaixo de uma chuva que não deu trégua durante toda a partida. Isso poderia fazer com que os torcedores não comparecessem ao duelo entre ABC e Salgueiro/PE, no Frasqueirão. Mas o que se viu na tarde fria do domingo foi um bom público que apoiou a equipe o nos momentos de adversidade, como quando o time visitante surpreendeu ao sair na frente. Mas o alvinegro foi buscar a virada e retomou a ponta do Grupo B da Terceirona. Até minutos antes do início do confronto, boa parte dos torcedores ainda chegava ao estádio. E muitos não conseguiram ver o gol do time adversário. Aos 16 minutos, Edu Chiquita aproveitou o bate e rebate dentro da área, depois da falta batida por Júnior Maranhão e mandou de cabeça, para o fundo das redes do goleiro Wellington. A melhor chance do time potiguar veio somente no finalzinho, quando João Paulo se livrou do zagueiro e chutou, no cantinho, a bola bateu caprichosamente na trave direita do arqueiro Rogério Rios. E o resultado não se modificou até o final da primeira etapa. Aí foi onde os fanáticos abecedistas começaram a fazer a diferença. Na ida da equipe para os vestiários uma pequena parte dos presentes iniciou uma vaia, mas foram logo abafados pela imensa maioria, que gritava em apoio ao time “Vamo virar BC...”. E o incentivo surtiu efeito. Já

JÚLIO TERCEIRO QUERIA CONTINUAR NO AMÉRICA sua saída do América e será apresentado na tarde de hoje como novo reforço do Fortaleza/CE, para o restante do Campeonato Brasileiro da Série C. Mas, diferente de outros atletas que saíram e não irão deixar saudades, o volante era considerado um ídolo por muitos torcedores do clube. Com um enorme carinho pelos americanos, o volante não tinha intenção de sair. Em 2008, quando foi anunciado como novo jogador do alvirrubro, Júlio Terceiro chegou como apenas mais um atleta, dentre tantos outros que passaram pelo time. Mas aos poucos o jogador foi conquistando seu espaço e passou a ser um dos atletas mais queridos por parte da torcida. Mesmo sem ter conquistado nenhum título em sua passagem, ele ganhou status de ídolo da equipe pela raça demonstrada em campo. Júlio, que é casado com a jornalista Flávia Freire e sempre foi considerado titular no clube, não aguentou ter sido excluído da lista de Lula Pereira. “Eu não vinha sendo aproveitado. Então surgiu essa oportunidade de jogar pelo Fortaleza e eu achei melhor mudar de ares”, disse. Ele também afirmou que não tinha vontade de deixar o time e que as portas estão abertas para um possível retorno. “A situação me fez sair. Eu gostaria de poder continuar no América e ajudar o clube a sair dessa situação”, comentou o volante. Uma das possibilidades levantadas para que o jogador não estivesse sendo utilizado pelo JÚLIO TERCEIRO ACERTOU

▶ Cascata comemora gol no Frasqueirão: meia fez as pazes com os torcedores no começo do segundo tempo o ABC foi para cima, em busca da virada tão pedida pela torcida. Logo aos 5 minutos o alvinegro empatou. Cascata, que vinha sendo bastante cobrado nas últimas rodadas, dominou pela esquerda, puxou para o meio e finalizou, a bola desviou em um defensor do clube pernambucano e entrou. Daí em diante foi só pressão por parte dos potiguares. O Frasqueirão virou um verdadeiro “caldeirão”. Mas a virada só veio quase no fim da partida e novamente com Cascata. Aos 41, o camisa 10 recebeu belo passe de Tiago Garça, foi avançando e chutou, a bola bateu no gramado molhado, ganhou velocidade e entrou. A chuva já não atrapalhava ninguém, parecia apenas aumentar o entusiasmo dos torcedores com o time e

com Cascata. O golpe fatal veio com João Paulo e foi um golaço. O atacante deu dois belos dribles nos zagueiros do Salgueiro, invadiu a área e mandou uma bomba de esquerda. Um prêmio para os mais de 5.000 alvinegros que durante todo o duelo empurraram o clube em busca da vitória. Com os três pontos, o ABC assumiu a liderança do grupo B do Campeonato Brasileiro da Série C, com 10 pontos, dois a mais que o vice-líder, o Alecrim. E o clássico potiguar é exatamente o próximo compromisso do alvinegro. Domingo que vem as equipes se enfrentam no Machadão. O mando de campo é do alviverde, mas a torcida abecedista promete apenas mudar o caldeirão de endereço.

CAMPANHA ABECEDISTA

Líder do grupo B, o ABC tem a segunda melhor campanha na competição. Ficando atrás apenas do Paysandu/PA, um possível adversário na segunda fase, que lidera o Grupo A com 11 pontos. O Papão também leva vantagem no número de gols marcados: 12, contra 10 do alvinegro Potiguar. A coincidência se repete na artilharia da competição. O meia Cascata é o vice-artilheiro ao lado de Felipe Mamão, do Águia/PA, com 4 gols. Os dois estão atrás apenas de Bruno Rangel, atacante do Paysandu, que tem 5 gols.

/ SÉRIE B /

América precisa embalar

técnico Lula Pereira era a de que existia uma desavença entre os dois. O treinador inclusive, em declarações durante a semana, falou que Júlio “fazia parte de um grupo de quatro ou cinco jogadores que nunca ganharam nada pelo clube, mas que eram considerados ídolos”. O atleta, apesar de um tom de viz visivelmente contrariado, preferiu não polemizar o assunto. “Era apenas uma opção dele [não colocar o jogador para jogar]. Pelo menos eu espero que tenha sido uma opção dele”, declarou, deixando no ar uma possibilidade de outras pessoas terem influenciado a decisão do comandante americano. Agora, defendendo as cores do Fortaleza/CE, o volante disse que leva a mesma vontade. “Eu espero poder dar o meu melhor dentro de campo e ajudar o Fortaleza a conquistar todos os seus objetivos”, falou. Sem esquecer seu passado recente, Terceiro deixou um recado para a torcida alvirrubra. “O mesmo carinho que os torcedores tinham comigo é o que eu tenho por eles. É uma pena o América estar nessa situação. Mas espero que a torcida continue incentivando o time. Tenho certeza absoluta de que a equipe vai se recuperar na competição”, finalizou. Júlio Terceiro começou sua carreira em 2002, pelo Tupi/MG. Em 2005 e 2007, ele foi eleito o melhor volante do Campeonato Capixaba. Em 2008, conquistou o mesmo prêmio, só que no Campeonato Potiguar, quando já atuava no América.

AUGUSTO RATIS / NJ

FICHA TÉCNICA

BRUNO ARAÚJO DO NOVO JORNAL

AMÉRICA

ENFIM VEIO A primeira vitória. Ago-

ra, resta ao América dar sequência à caminhada para fora da zona de rebaixamento. O novo passo para fugir da degola precisa ser dado hoje, às 21h50, contra o Figueirense/SC, no estádio Machadão. Empatado na vice-lanterna com o Ipatinga, também com 12 pontos, um novo resultado positivo pode dar força à reação alvirrubra. Por outro lado, uma derrota, pode colocar os potiguares de volta no “olho do furacão”. Mas o desafio americano não é dos mais fáceis. Além de precisar vencer a dificuldade que tem sido balançar as redes adversárias – tem o segundo pior ataque da competição junto com o Bragantino com 14 gols –, precisa derrotar a forte equipe catarinense que é vice-líder e vem de olho na liderança da Segundona há algumas rodadas. Mas Lula Pereira deverá ter reforços para o confronto de logo mais. Apesar de terem sido apenas relacionados, o treinador terá à disposição, o volante Douglas

17 É o número de posições que separam América e Figueirense na Série B

Rodolpho; Cleber, Robson e Adalberto; Thoni, Fábio Oliveira, Carlos Alberto, Esley e Berg; Reinaldo e Welligton Silva. Técnico: Lula Pereira.

FIGUEIRENSE/SC

▶ Lula Pereira: contra vice-lider o que não fez diante do lanterna Silva e o meia-atacante Fábio Neves, que ficaram de fora do último confronto. O dois haviam sido vetados pelo departamento médico. A outra novidade é o retorno do atacante Wellington Silva, que, vetado por questões contratuais da partida contra o Paraná, está de volta entre os relacionados e deve ser titular no ataque. Outro reforço que o alvirrubro deve receber na noite de hoje é uma presença maior da torcida. A diretoria fez uma promoção na qual quem comprar ingresso antecipado ganha outro para levar um acompanhante. Assim, os dirigentes americanos esperam ver um bom público no Machadão. Em relação aos três reforços recém-chegados, o atacante Kelson e o meia Juca incluídos entre os relacionados para o jogo contra os catarinenses, foram cortados por ainda não terem seus contratos assinados. As dificuldades para escalar as equipes para o jogo desta

noite não são a única semelhança entre América e Figueirense. Salvo a distância entre um e outro na tabela de classificação, os confrontos entre os dois times são marcados pela igualdade. Em quatro jogos, são duas vitórias para cada lado. Os potiguares no ano passado, venceram duas vezes, ambas pelo placar de 1 a 0, em jogos de ida e volta pela Série B. Enquanto isso, em 2007, o alvinegro catarinense derrotou o time de Natal por 1 a 0 e 3 a 1, também no sistema de turno e returno. Naquele ano, as duas derrotas fizeram parte da triste campanha americana que acabou com o rebaixamento para a Segunda Divisão do Campeonato Brasileiro.

LIDERANÇA

Após o empate por 2 a 2 com o Duque de Caxias/RJ na última rodada, onde perdeu a chance de assumir a liderança, o Figueirense quer manter o rótulo de “visitan-

Wilson; Lucas, Roger Carvalho, Baraka e Juninho; Ygor, Coutinho, Fernandes e João Paulo; Reinaldo e Willian. Técnico: Márcio Goiano. Estádio: Machadão. Horário: 21h50 (de Brasília) Arbitro: Gutemberg de Paula Fonseca

te desagradável”, já que nas oito partidas longe do estádio Orlando Scarpelli conquistou metade dos pontos disputados: 12. Apesar do bom momento, o técnico Márcio Goiano terá que fazer algumas mudanças na equipe. O zagueiro João Filipe, suspenso pelo terceiro amarelo, e o meia Maicon lesionado, voltaram para Florianópolis e foram substituídos pelo volante Baraka e o meia Marquinho, que se juntaram à delegação em Natal, ficando à disposição do comandante alvinegro para o confronto desta noite. Baraka deve jogar improvisado na defesa, substituindo o zagueiro João Felipe, enquanto João Paulo entra no meio campo.

/ LUTO /

MORRE EX-TÉCNICO DO ABC VALDEMAR CARABINA REPRODUÇÃO / NJ

AS TORCIDAS DO ABC, Palmeiras

Náutico e de tantos outros times do país está de luto após a morte do ex-técnico e ex-zagueiro Valdemar “Carabina”. Entre os contemporâneos abecedistas, restam as histórias e o humor do pernambucano que faleceu no domingo passado, no Hospital São Raphael, em Salvador, aos 78 anos. Carabina será cremado na manhã de hoje, em Salvador. Além de conquistar o título estadual em 1978, em sua primeira passagem como treinador pelo alvinegro, Valdemar ganhou amigos. Um deles, o ponta-esquerda Noé Soares que lamentou a morte do ex-treinador e lembrou o trabalho diferenciado. “Veio do Náutico e até então não havia sido campeão como treinador. Deu oportunidade a garotos da base que subiram, se tornaram titulares e daí fomos campeões”, contou ele lembrando Dão, Zezinho, Joel e Berg entre outros atletas que surgiram no profissional graças a Valdemar. O ex-presidente alvinegro na época, Bira Rocha, lembrou a boa passagem do treinador por Natal. “Era uma ótima pessoa e um ótimo profissional. Com ele voltamos a ser campeões”, disse. Também em tom saudoso,

▶ Carabina: campeão do RN em 78 o preparador físico do ABC na época, Cacau, destacou a personalidade do treinador. “Era um cara espetacular e que sabia unir o grupo e ler bem o jogo. Mudava peças que mudavam o rumo da partida”, elogiou ele que trabalhou junto a Carabina no ano de 1981, na segunda passagem do dele pelo clube potiguar. Carabina sofria do Mal de Alzheimer há cinco anos era natural de São Paulo. O apelido, Valdemar ganhou do comentarista Mário Moraes: “Fiz um golaço no Pacaembu de fora da área e o Mário disse na Rádio Panamericana que chutei mais forte do que um tiro de carabina. Aí, o apelido pegou”, contava. Ele ainda se autonomeava o “melhor marcador de Pelé”.


novo_jornal_rn