Page 1

torres novas boletimmunicipal 2013 trimestre 2

Feira medieval DESTAQUE boletim informativo da Câmara Municipal de Torres Novas nº23 - 2013 - edição online DESTAQUES RELAÇÕES INTERNACIONAIS REGENARAÇÃO URBANA EDUCAÇÃO CULTURA

1


DESTAQUES

RELAÇÕES INTERNACIONAIS

REGENERAÇÃO URBANA

EDUCAÇÃO

CULTURA

MÉMORIAS DA HISTÓRIA

FEIRA MEDIEVAL . 27 A 30 JUNHO 2013 . TORRES NO VAS

2


BM23

Entre 27 e 30 de junho, Torres Novas retrocedeu até ao século XIV, convidando os seus habitantes e visitantes a fazer uma viagem «por terras da Rainha Santa». Pelo quarto ano consecutivo, realizou-se uma feira medieval como evento comemorativo das Memórias da História, programa mais vasto de evocação da história torrejana. A feira medieval – organizada pela Câmara Municipal de Torres Novas, com a colaboração da empresa municipal Turrisespaços – decorreu no centro histórico, aproveitando os vestígios da geografia do que seria a urbe medieval: o castelo, a praça (hoje do 5 de Outubro, mas que na Idade Média era um terreiro mesmo às portas da muralha), o casario, as ruas e ruelas que vão dar ao castelo, bem como os templos cristãos situados nas imediações da alcáçova. Os espaços de restauração e de venda de artesanato, mezinhas, marroquinaria, entre outros produtos, espalharam-se pelo centro da vila, trazendo às ruas do centro um colorido diferente do habitual. Ao longo dos quatro dias de festa não faltaram atividades diversas de entretenimento e performances de teatro, dança e música, entre outros momentos e cenários de caracterização alusivos à época recriada.

Este ano, o mote para a recriação histórica foi a donataria de D. Isabel de Aragão (imortalizada pela lenda como Rainha Santa) sobre Torres Novas, dádiva do seu consorte, el-rei D. Dinis, nos alvores do século XIV. Conta a história que em 24 de junho de 1304, D.ª Isabel de Aragão passava a fronteira e era recebida por D. Dinis, à entrada da vila de Trancoso. Foi também nesse dia que D. Dinis fez doação de Torres Novas à Rainha Santa, passando para a sua pertença a alcaidaria da vila, junto com o padroado das igrejas e demais direitos. Durante os 32 anos que se seguiram, pôde a vila contar com a proteção e com a presença assídua da rainha, chegando-nos ainda o rumor das boas ações e cuidados que também por cá deixou.

3


DESTAQUES

4

RELAÇÕES INTERNACIONAIS

REGENERAÇÃO URBANA

EDUCAÇÃO

CULTURA


BM23

5


DESTAQUES

RELAÇÕES INTERNACIONAIS

REGENERAÇÃO URBANA

EDUCAÇÃO

CULTURA

cerimónia do 39.º aniversário Em Torres Novas, as cerimónias oficiais de comemoração da Revolução dos Cravos decorreram na Biblioteca Municipal Gustavo Pinto Lopes. O dia começou com a inauguração de uma exposição fotográfica alusiva às vivências dos torrejanos nos dias 25 de abril e 1º de maio do ano de 1974, tendo-se seguido uma atuação dos alunos do agrupamento instrumental do Conservatório de Música do Choral Phydellius. Após o hino nacional, o grupo tocou ainda as duas senhas da «madrugada de Abril»: E Depois do Adeus, de Paulo de Carvalho, e Grândola, Vila Morena, de José Afonso. Seguiram-se os discursos dos representantes locais dos partidos políticos com assento no parlamento nacional.

6


BM23

Lia Ribeiro, do Bloco de Esquerda, focou o seu discurso na consolidação da democracia, quase quatro décadas após a revolução, destacando, contudo, a grande fragilidade e o «desvio inquietante» em relação à «matriz fundacional» da democracia portuguesa: «Austeridade sobre austeridade só gera destruição da economia […] Quando se mata a esperança criada pelo 25 de Abril condena-se toda uma geração ao desemprego e ao desespero», afirmou Lia Ribeiro. Pela CDU, Ana Filipa Rodrigues começou por enaltecer todos os homens e mulheres que lutaram contra a ditadura fascista e os militares que fizeram o 25 de Abril. Citando a Constituição da República Portuguesa, que consagra o direito ao trabalho, à saúde, à educação, à proteção social, à habitação, entre outros direitos fundamentais, Ana Filipa Rodrigues alertou para o facto de se estar a assistir, atualmente, à mais perigosa ofensiva às conquistas de Abril: «Esta aliança [Governo e troika] conduz o país para a desgraça e os portugueses não aguentam mais. Basta! Chega deste caminho tortuoso que nos querem obrigar a trilhar». Miguel Rainha foi a voz do PSD; realçou a importância dos decisores políticos, numa visão suprapartidária, com sentido patriótico e de unidade, e sabendo ouvir os anseios dos cidadãos: «Tenho muito a agradecer a todas as gerações que me precederam. E com jovens motivados e altamente qualificados como nós, alcançaremos uma nação unida e coesa, que conseguirá vencer», concluiu o jovem socialdemocrata. Elvira Sequeira, pelo PS, citou o preâmbulo da Constituição Portuguesa para defender a ideia de que vivemos num tempo em que a independência nacional é posta em causa e para reiterar a ideia de que o povo português não se revê, atualmente, nos seus governantes: «Matam-nos com a crença num liberalismo cego», afirmou Elvira Sequeira, aludindo às políticas impostas pelo Governo e que considera serem contra os direitos sociais dos cidadãos.

O presidente da Assembleia Municipal, Luís Silva, proferiu as seguintes palavras: «O que se comemora hoje é a liberdade de optar, de escolher o caminho por onde queremos conduzir os destinos individuais e o destino coletivo do país». O autarca lamentou os ataques do Governo ao poder local democrático, nomeadamente através da proposta de extinção das freguesias, da lei das finanças locais e da lei dos compromissos, colocando em causa o serviço prestado aos cidadãos. Por fim, Pedro Ferreira, vice-presidente da Câmara Municipal de Torres Novas, destacou a importância da efeméride: «Foi a partir deste princípio que algo mudou na história do nosso país, na história do nosso tempo e que, sobretudo para quem viveu esse momento há 39 anos, se desenharam horizontes de esperança em melhores dias para todos, onde o direito ao trabalho, à educação, à cultura, ao desporto e à participação política e social, se entrosariam com naturais e indispensáveis contrapartidas, enquadradas em responsabilidades cívicas e sociais a bem de uma boa vivência em sociedade.» Na mesma linha de pensamento do presidente da Assembleia Municipal, Pedro Ferreira proferiu as seguintes palavras: «Qualquer reconfiguração do território regional e que implique uma reorganização administrativa nunca deverá pôr em causa o verdadeiro espírito do poder local. A intermunicipalidade – criada numa visão de gestão financeira, eventualmente mais equilibrada por todo o país e futura selecionadora de investimentos município a município – deverá ser encarada por todos nós como um dos desafios mais importantes, numa perspetiva democrática, precisamente para não deixarmos colocar em causa o verdadeiro poder local.» A cerimónia terminou com «Vivas!» ao 25 de Abril, a Portugal e a Torres Novas. 7


DESTAQUES

RELAÇÕES INTERNACIONAIS

REGENERAÇÃO URBANA

EDUCAÇÃO

CULTURA

Inaugurada nova igreja de Cardais A antiga escola primária de Cardais deu lugar a uma igreja, inaugurada no dia 22 de junho, com uma procissão, o descerramento das placas evocativas da efeméride e a bênção do novo templo, seguida de uma missa presidida pelo bispo de Santarém, D. Manuel Pelino Domingues. As comemorações terminaram com um lanche de convívio. O novo templo foi construído com o dinheiro (e outros apoios) angariado pela população de Cardais (em festas, atividades várias e donativos), em terreno cedido pela Câmara Municipal de Torres Novas. O presidente da junta da freguesia de Brogueira, Abel Resina de Sousa, elogiou a perseverança de todos os envolvidos neste processo: «Quando as populações querem, as obras surgem. Cardais está de parabéns e é um exemplo a seguir. Esta igreja é um orgulho não só para Cardais e para a Brogueira, mas para todo o concelho». O presidente da Câmara Municipal de Torres Novas, António Rodrigues, também elogiou o esforço dos habitantes de Cardais nesta causa comum, a construção da nova igreja: «O povo uniu-se em torno de uma causa. O grande esforço, o grande mérito, a grande contribuição financeira é fruto do trabalho da população de Cardais.» Para concluir, e dirigindo-se a D. Manuel Pelino, o presidente da Câmara Municipal de Torres Novas destacou as intervenções apoiadas pelo município ao longo dos últimos 20 anos no património religioso do concelho, aproveitando ainda a oportunidade para pedir o apoio do bispo de Santarém na manutenção da Escola Superior de Educação na cidade torrejana. A formalização da cedência do terreno por parte da Câmara Municipal de Torres Novas e o lançamento da primeira pedra da igreja decorreram em 2010 (3 de julho). Nessa ocasião, o presidente da Câmara Municipal de Torres Novas realçou a boa vontade de todos os envolvidos no processo (a junta da freguesia, a câmara municipal, a paróquia e a população) para o sucesso da empreitada: «Há aqui uma prova inequívoca de que estamos a cumprir a vontade do povo, que quer aqui ver, em vez da escola, a capela. Bem sei que, com a escola, “vai abaixo” a memória de muitos que por aqui passaram. Mas também é verdade que no lugar da escola se edificará uma casa que servirá de conforto a muita gente».

8


BM23

9


DESTAQUES

REGENERAÇÃO URBANA

RELAÇÕES INTERNACIONAIS

EDUCAÇÃO

CULTURA

Iniciada a reconversão da garagem dos Claras

10


BM23

Decorreu no dia 15 de maio a apresentação e o lançamento da obra de reconversão da antiga garagem dos Claras. Este projeto, englobado no programa de ação «Regeneração urbana do centro histórico de Torres Novas», visa transformar o edifício que, até à década de 80, desempenhou funções de central de camionagem na cidade, num amplo espaço público para a realização de ações culturais e sociais. Dotada de uma cobertura, esta praça terá aptidões para o desenvolvimento de diversas iniciativas, sem a limitação das condições atmosféricas, revitalizando, assim, aquela zona da cidade, em particular o histórico Largo de São Pedro. A reconversão deste espaço prevê a total remoção das paredes exteriores do antigo hangar, com manutenção da estrutura metálica do edifício e renovação do revestimento da cobertura, sendo substituída por materiais que permitam a entrada de luz, mas assegurando o isolamento térmico. Os pilares metálicos que sustentam a cobertura

serão reforçados e revestidos. O piso será em calçada portuguesa, com acessos laterais em laje. As áreas existentes no piso -1 serão aproveitadas para novas instalações sanitárias, com uma área de ampliação ao nível da praça para instalações sanitárias de deficientes e um espaço de apoio às mães e crianças (fraldário). Ao nível do piso 0 será criada uma área ampla com apoio de cafetaria e esplanada. Este novo espaço público conferirá maior dinâmica ao centro histórico da cidade, interagindo com as atividades de restauração e entretenimento da praça 5 de Outubro. Está prevista a criação de um acesso direto desta nova praça para o castelo, facilitando ao visitantes usufruir do património histórico da cidade e, simultaneamente, da oferta de locais de lazer e de recreação destas praças públicas do centro de Torres Novas. A empreitada foi adjudicada à firma Miraterra – Obras Públicas, Lda. pelo valor de 487 478, 28 €, comparticipado em 85% por fundos comunitários. A obra tem um prazo de execução de 180 dias.

11


DESTAQUES

REGENERAÇÃO URBANA

RELAÇÕES INTERNACIONAIS

EDUCAÇÃO

CULTURA

Torres Novas na comemoração do Tratado de Eliseu em Rambouillet

No âmbito do 50.º aniversário do Tratado de Eliseu e da Cidadania Europeia, a cidade de Rambouillet (França), com a qual o Município de Torres Novas está geminado, promoveu, nos dias 9, 10, 11 e 12 de maio, um evento que juntou também as outras quatro cidades com ela geminadas – Great Yarmouth (Inglaterra), Kirchheim Unter Teck (Alemanha), Waterloo (Bélgica) e Zafra (Espanha).

12


BM23

A representar Torres Novas estava o presidente da câmara municipal, António Rodrigues, e o Choral Phydellius, uma vez estava prevista no programa a participação de um grupo coral de cada cidade. Do programa fez parte a celebração do Dia da Europa, realizada na praça em frente aos Paços do Concelho de Rambouillet, durante a qual foram entoados os hinos nacionais dos vários países representados, bem como a cerimónia oficial de assinatura do protocolo de cooperação entre Torres Novas e a cidade francesa. No seu discurso, o presidente da Câmara Municipal de Torres Novas fez a apologia de uma Europa mais solidária e mais inclusiva, alertando para o perigo das políticas que aprofundam ainda mais as diferenças económicas entre os países, tornando os ricos cada vez mais ricos e os pobres cada vez mais pobres. «Para se perceber a lógica deste

protocolo de geminação convém haver mais solidariedade e melhor entendimento entre os países europeus», afirmou António Rodrigues numa intervenção muito aplaudida por todos os presentes. Após a habitual troca de lembranças, houve lugar a um almoço oficial com todas as delegações. O culminar destas comemorações foi o concerto dos seis grupos corais, no sábado, dia 11 de maio, na igreja de Saint Lubin, que esteve repleta de público. A atuação conjunta durou cerca de uma hora e meia, tendo terminado em apoteose com o hino europeu. A melodia escolhida para simbolizar a UE é o «Hino à Alegria» composto por Ludwig Van Beethoven em 1823, para o poema com o mesmo nome de Friedrich Schiller, de 1785.

13


DESTAQUES

REGENERAÇÃO URBANA

RELAÇÕES INTERNACIONAIS

EDUCAÇÃO

CULTURA

Presidente da Câmara participou em conferência em Timor-Leste

O presidente da Câmara Municipal de Torres Novas, António Rodrigues, coordenou a comitiva de autarcas portugueses que participou na conferência internacional sobre descentralização e poder local, que se realizou nos dias 27 e 28 de maio em Díli, Timor-Leste. Este evento, que contou com a colaboração de António Rodrigues na sua organização, teve como objetivo encontrar um modelo de descentralização administrativa e de poder local para Timor-Leste, e contou com a presença de centenas de pessoas, tendo sido transmitido em direto, ininterruptamente, pela televisão local. No discurso de abertura da conferência, Xanana Gusmão começou por «agradecer a presença dos ilustres convidados dos nossos países irmãos: de Portugal, de Cabo Verde, da Austrália e da Indonésia que hoje vêm contar-nos as suas experiências de poder local». O primeiro-ministro de Timor-Leste manifestou ainda o seu especial e pessoal agradecimento «aos autarcas portugueses que ofereceram

14

um apoio incondicional a este nosso percurso. Entre outros, falo em especial do meu amigo Dr. António Rodrigues, presidente da Câmara de Torres Novas, que vai editar um livro sobre o tema». Xanana Gusmão afirmou que quer uma descentralização administrativa e um poder local adequados à realidade timorense, com os quais as comunidades se identifiquem. «O modelo deve procurar acima de tudo adequar-se à realidade timorense, às nossas tradições enraizadas, à nossa história e às nossas vivências comunitárias. O modelo deve ser funcional e não burocrático, deve evitar duplicações entre Governo local e nacional», disse o chefe do Governo timorense. A ocasião serviu ainda para a formalização de um protocolo de cooperação entre o ISCSP (Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas), a Universidade Nacional Timor Lorosa’e (UNTL) e a Secretaria de Estado da Descentralização Administrativa da República Democrática de TimorLeste (SEDA-RDTL). O protocolo tem como finalidade promover a cooperação entre as instituições, com o objetivo


BM23

de realizar, conjuntamente, atividades de natureza académica, científica, técnica, pedagógica e cultural em áreas de interesse comum, nomeadamente desenvolver formação na área da Administração Local em Timor-Leste. Para esta parceria terá sido determinante o papel e a intervenção de António Rodrigues, docente do ISCSP, junto de Xanana Gusmão. O Governo de Timor-Leste quer realizar eleições autárquicas em 2015, tendo previsto para este ano a criação de 13 comissões instaladoras (uma por distrito) para avaliar se os distritos possuem os requisitos mínimos necessários para a criação de municípios e para o estabelecimento de processos eleitorais. Em 2015, o Governo timorense prevê a criação de três a cinco municípios.

15


DESTAQUES

REGENERAÇÃO URBANA

RELAÇÕES INTERNACIONAIS

EDUCAÇÃO

CULTURA

Torres Novas acolheu a Feira da Europa

Torres Novas acolheu, no passado dia 10 de maio a 8.ª edição da Feira da Europa, um evento com organização tripartida do Município de Torres Novas, Centro Europe Direct Santarém e Instituto Português do Desporto e Juventude.

16


BM23

As atividades, dirigidas em especial à população escolar dos 2º e 3º ciclos e ensino secundário, dividiram-se em exposições, workshops informativos e oficinas temáticas promovidas por instituições do distrito. No total passaram pelo Palácio dos Desportos mais de 500 alunos das escolas Maria Lamas, Artur Gonçalves, Manuel Figueiredo e Profissional de Torres Novas. Marcaram ainda presença as escolas do ensino básico 2/3 de Alcanede e Febo Moniz (Almeirim), as secundárias de Alcanena, Cartaxo e Dr. Ginestal Machado (Santarém), a APPACDM – Associação Portuguesa de Pais e Amigos do Cidadão com Deficiência Mental, o Colégio de S. Miguel (Fátima), a Escola Profissional Gustave Eiffel (Entroncamento) e a Escola Profissional do Vale do Tejo (Santarém). Na sessão de abertura, abrilhantada pela Orquestra de Câmara do Conservatório de Música do Choral Phydellius, o Prof. Doutor Ilídio Lopes, diretor da Escola Superior de Gestão e Tecnologia e do Centro Europe Direct de Santarém, agradeceu «a iniciativa, o empenho e o profissionalismo do Município de Torres Novas» na organização da feira. Enaltecendo os princípios fundadores da UE e a importância da cidadania europeia, Ilídio Lopes disse ainda que a edição de 2013 da Feira Europa procurou centrar-se nos direitos dos cidadãos e nas oportunidades que a União Europeia proporciona, sobretudo aos mais jovens.

O diretor da Direção Regional de Lisboa e Vale do Tejo do Instituto Português do Desporto e da Juventude, Carlos Pereira, sublinhou que uma das grandes vantagens que a UE aportou foi a livre circulação de pessoas, bem como a construção de condições de paz. «Esta iniciativa demonstra a necessidade de alinhar a visão local com um projeto global», destacando a importância da cidadania e da participação cívica. Após a passagem de testemunho entre o Município de Ourém, organizador da edição de 2012 da Feira da Europa, e o Município de Torres Novas, Pedro Ferreira, vicepresidente da Câmara Municipal sublinhou a alegria e sentido de honra com que a cidade torrejana acolheu uma iniciativa que permite relembrar os objetivos principais que estiveram na base da UE, bem como reforçar a coesão e o espírito de entreajuda europeus. A cerimónia de abertura terminou com o hino da Europa e o hastear das bandeiras dos países que constituem a UE. 17


DESTAQUES

REGENERAÇÃO URBANA

RELAÇÕES INTERNACIONAIS

EDUCAÇÃO

CULTURA

Inauguração das obras de requalificação da Chora Barroso

Realizou-se no dia 16 de maio a inauguração oficial da Escola EB 2/3 Dr. António Chora Barroso, em Riachos, após as obras de requalificação de que foi alvo. Após o hastear das bandeiras e do descerramento da placa inaugural, procedeu-se a uma visita às novas instalações, conduzida por alunas da escola. A visita foi abrilhantada por pequenos momentos lúdicos proporcionados pelos alunos, com apresentações desportivas, musicais, de dança e de poesia. Para o diretor do Agrupamento de Escolas General Humberto Delgado, António Mina, é um privilégio poder trabalhar numa escola com condições excecionais, a que se juntam os outros equipamentos escolares na envolvente: o jardim de infância e o centro escolar. «É importante continuar a sentir esta escola como uma escola de futuro. Estamos todos de parabéns», enalteceu. O presidente da junta da freguesia de Riachos, João Cardoso, considerou esta requalificação uma «obra fa18

bulosa», afirmando que resulta do querer e da vontade do presidente da Câmara Municipal de Torres Novas. «Esta escola é um orgulho para todos nós e o grande presente no 29.º aniversário da elevação de Riachos a vila. Estão criadas todas as condições para que os nossos alunos possam ser os homens e as mulheres do amanhã», disse João Cardoso. O diretor-geral dos Estabelecimentos Escolares, José Alberto Duarte, destacou: «Está aqui uma obra digna para todos, que enobrece a vila de Riachos. É excelente ver uma obra deste tipo. Desejo um futuro risonho a todos os alunos que aqui vão estudar». O presidente da Câmara Municipal de Torres Novas, António Rodrigues, começou por agradecer aos alunos a forma como receberam e acompanharam a comitiva, naquela que considerou ser a sua despedida formal de Riachos enquanto presidente da câmara. «Tenho orgulho em vos deixar o único campus escolar do distrito


BM23

de Santarém (…) porque quase todo ele foi feito no nosso tempo: o jardim de infância, o pavilhão, o arrelvamento do campo de futebol, o centro escolar e a recuperação desta escola.», afirmou. António Rodrigues dirigiu também uma palavra de agradecimento à empresa Alpeso e aos técnicos camarários que acompanharam a obra, bem como a João Cardoso: «Teve um papel importantíssimo em todo este processo. Foi um homem inexcedível.». Para terminar, o presidente da câmara afirmou que a educação é fundamental para o futuro de Portugal. «Orgulho-me de, juntamente com os meus colegas da vereação, deixar seis centros escolares no concelho», destacou António Rodrigues concluindo que Riachos justificava, pela sua dinâmica invulgar, o empenho do Município para as intervenções e as obras efetuadas. A escola Dr. António Chora Barroso sofreu uma remodelação profunda que permitiu criar melhores condições de trabalho e de modernidade ao corpo docente e discente. O projeto de requalificação da EB de Riachos incluiu, entre outros aspetos, o alargamento do bloco administrativo, a criação de mais gabinetes, a reformulação de salas de aula com novo equipamento, e a substituição da caixilharia de alumínio e das portas. Esta obra representou um investimento elegível de 3 050 211 euros, comparticipada por fundos comunitários no valor de 2 592 679 euros. O valor remanescente é da responsabilidade da direção regional de educação.

19


DESTAQUES

REGENERAÇÃO URBANA

RELAÇÕES INTERNACIONAIS

EDUCAÇÃO

CULTURA

Nos dias 23, 24 e 25 de maio teve lugar na Biblioteca Municipal Gustavo Pinto Lopes, em Torres Novas, um encontro em torno das temáticas da cultura visual e da educação. Assinalando a Semana Internacional da Educação Artística, esta iniciativa foi coorganizada pela Biblioteca Municipal, pelo Centro de Bem-estar Social da Zona Alta e pelo Centro de Formação da A23. O debate centrou-se na complexa situação da educação num mundo global, vista a partir das experiências concretas que a fundamentam e estruturam em cenários de incertezas e movediços territórios práticos, teóricos, culturais, políticos e de sentido. Destinado a professores, educadores, estudantes e todos os interessados em Educação, o encontro integrou a ação «Cultura Visual», acreditada pelo Conselho Científico Pedagógico da Formação Contínua com o número CCPFC/ACC-74296/13, destinada a todos os docentes e organizada pelo Centro de Formação de Escolas A23. Congregou comunicações em diálogo de vários intervenientes em educação, com a consequente partilha de projetos e experiências, por forma a traçar roteiros possíveis para uma Escola que se deseja viver hoje. De destacar a participação de Fernando Hernández, académico credenciado em educação artística, da Faculdade de Belas-Artes da Universidade de Barcelona.

20


BM23

21


DESTAQUES

REGENERAÇÃO URBANA

RELAÇÕES INTERNACIONAIS

EDUCAÇÃO

CULTURA

Exposição de Antero Guerra no Museu Municipal Carlos Reis

De 12 de abril a 5 de maio de 2013 esteve patente no Museu Municipal Carlos Reis, em Torres Novas, a exposição «Retratos», com trabalhos de pintura e desenho da autoria de Antero Guerra. Antero Guerra nasceu em maio de 1957 e, desde muito cedo, demonstrou aptidões para as artes visuais. Realizou a sua primeira exposição de pintura aos 10 anos de idade, no salão da escola que frequentava e, na década seguinte, realizou mais de quarenta exposições (entre coletivas e individuais). Obteve várias distinções em pintura e ainda um prémio nacional em tapeçaria. Em fotografia obteve vários prémios e menções honrosas tendo participado, ainda, numa exposição internacional em Istambul. Na área do vídeo realizou vários trabalhos inseridos em atividades culturais. Obteve um segundo prémio nacional da RTP e foi o primeiro participante ibérico no Tokyo Vídeo Festival. A sua juventude foi fortemente marcada por variadas atividades associativas, destaque-se o cineclubismo e a defesa do património. Antero Guerra realizou uma exposição de arte digital nos EUA e em Torres Novas no final dos anos 90 e, após um interregno de algumas décadas de quase nula atividade na área do desenho e pintura, regressou, em finais de 2011, com um novo fôlego. A exposição «Retratos» nasceu da sua necessidade em «reaprender» as técnicas de desenho após tão longa paragem. A mostra é composta por quadros pintados a óleo e retratos a carvão. 22


BM23

Mercado da palavra, uma iniciativa semanal da BMGPL no mercado municipal

O Município de Torres, através da Biblioteca Municipal Gustavo Pinto Lopes (BMGPL), iniciou a 16 de abril, o projeto «Mercado da Palavra», uma iniciativa de promoção da leitura no mercado municipal. Semanalmente, mediadores de leitura, acompanhados pelas voluntárias seniores para a cultura Amélia Serigado e Natália Rodrigues, assumem as funções de mercadores de livros e de palavras, numa banca da BMGPL criada para o efeito, desafiando os visitantes a confrontarem-se com os mais belos textos literários e com as edições locais, divulgando, simultaneamente, os serviços da biblioteca municipal e disseminando o património bibliográfico torrejano.

23


DESTAQUES

REGENERAÇÃO URBANA

RELAÇÕES INTERNACIONAIS

EDUCAÇÃO

CULTURA

Prova distrital do Concurso Nacional de Leitura decorreu na BMGPL

O Município de Torres Novas, através da Biblioteca Municipal Gustavo Pinto Lopes, promoveu, no dia 30 de abril, a prova distrital do Concurso Nacional de Leitura 2013. Contando com a presença de 117 alunos do 3.º ciclo e secundário, de vinte e sete dezenas de estabelecimentos de ensino, público e particular, do distrito de Santarém, a prova decorreu num ambiente festivo e informal, alicerçada num programa cultural com a presença do reputado humorista e mediador cultural Jorge Serafim, do professor e declamador Eduardo Bento e com a qualidade performativa das coreografias literárias da Escola de Dança Helena Azevedo. Depois de uma prova escrita realizada por todos os concorrentes no Jardim das Rosas, seguiu-se a prova oral, executada, apenas, pelos seis melhores classificados de cada escalão. Os vencedores distritais foram, no 3.º ciclo, Márcia Catarina Oliveira Fontes (do Centro de Estudos de Fátima), Maria Madalena Alves Morgado (da Escola Básica e Secundária Mestre Martins Correia, em Golegã) e Rafael Covita Ascensão (da Escola Básica e Secundária D. Maria II, em Vila Nova da Barquinha), escalonados respetivamente. No secundário, os três melhores classificados foram, respetivamente, Ana Carolina de Sousa Mendes (da Escola Básica e Secundária de Ourém), João Filipe Quintas Madeira (da Escola Secundária Dr. Ginestal Machado, em Santarém) e Inês Filipa Fernandes Coelho (da Escola Secundária do Cartaxo). Apurados para a final nacional (que decorreu em finais de junho, em Lisboa) ficaram Márcia Catarina Oliveira Fontes (do Centro de Estudos de Fátima) e Ana Carolina de Sousa Mendes (da Escola Básica e Secundária de Ourém). Todos os alunos e escolas receberam certificados de participação e os seis alunos melhores classificados arrecadaram troféus literários e um prémio de excelência, desenhado e concebido pelos serviços do Município de Torres Novas. A prova distrital em Torres Novas foi pautada por um grande equilíbrio e qualidade dos participantes, destacando-se a correção e os critérios de excelência ao nível da precisão, da prosódia e da postura corporal. O Concurso Nacional de Leitura continua a ser o principal evento de intervenção literácica nacional e é, desde há sete anos, coordenado pelo Plano Nacional de Leitura, em parceria com a Direção-Geral do Livro, dos Arquivos e das Bibliotecas, a Rede de Bibliotecas Escolares e a Rádio e Televisão de Portugal. 24


BM23

25


DESTAQUES

REGENERAÇÃO URBANA

RELAÇÕES INTERNACIONAIS

EDUCAÇÃO

CULTURA

Escritora Margarida Fonseca Santos

nas bibliotecas escolares de Torres Novas

Nos dias 2 e 3 de maio de 2013, a escritora Margarida Fonseca Santos esteve nas diversas Bibliotecas da Rede de Bibliotecas de Torres Novas para falar do seu percurso literário e das suas obras. Margarida Fonseca Santos tem atualmente quase uma centena de livros editados e o seu meritório caminho passa pela música, pelo teatro, pela ficção e pelo ensino da escrita criativa. A sua obra é caracterizada por uma grande diversidade de géneros e estilos, o que lhe permite ter uma abordagem muito diversificada do texto escrito e comunicar com grande criatividade, qualidade e objetividade para públicos diversos. No dia 2 de maio, a escritora esteve nos centros escolares de Assentis e da Meia Via para apresentação dos seus livros. Estas sessões foram acompanhadas por animações de leitura a cargo dos alunos e orientadas pelos respetivos professores. No dia 3 de maio, foi a vez de se deslocar até ao auditório da Biblioteca Municipal, para participar numa sessão desenvolvida com alunos da Escola EB 2/3 Manuel de Figueiredo que frequentam o Conservatório de Música do Choral Phydellius.

26

Diversas turmas das escolas secundárias de Maria Lamas e de Artur Gonçalves e os jovens responsáveis pelo programa de rádio “Nossa onda”, da TorresNovasFM, do Lar de Infância e Juventude do Centro de Bem Estar da Zona Alta também se associaram à iniciativa. A jornada terminou com uma derradeira sessão de leitura no Centro Escolar da Serra de Aire, que contou com um apontamento musical pelo coro desta escola. Os encontros com a escritora Margarida Fonseca Santos fazem parte de um leque de iniciativas que integram o projeto Casas Com Livros do SABE|Serviço de Apoio às Bibliotecas Escolares da Rede de Bibliotecas de Torres Novas, que consiste num conjunto diversificado e criterioso de ações de promoção do livro e da leitura, de acordo com as necessidades intrínsecas dos currículos escolares, contribuindo para o enriquecimento pessoal e curricular dos alunos. A iniciativa teve como objetivo unir a comunidade escolar e local do concelho de Torres Novas em torno de diferentes práticas de promoção da leitura.


BM23

Museu Municipal Carlos Reis aberto até às 24h00

No dia 18 de maio de 2013, o Museu Municipal Carlos Reis aderiu, como já vem sendo tradição, ao Dia Internacional dos Museus, este ano sob a temática «Museus (Memória + Criatividade) = Mudança Social» e à «Noite dos Museus», iniciativa à qual o MMCR adere desde 2008. Estando aberto nesse dia das 14h às 24h, do programa constaram visitas orientadas às exposições permanentes «Turres» (núcleo permanente de história de Torres Novas), pintura de Carlos Reis, «Idades do Homem – Imagens de Deus» (arte sacra), «O Canto de Avita» (arqueologia) e «O espírito do lugar» (história da casa Mogo de Melo, atual edifício do museu); às 21h iniciou-se uma visita orientada às reservas do museu: «Abrem-se as portas»,

O tema do Dia Internacional dos Museus 2013 sintetiza a complexidade da missão e objetivos dos museus, destacando o seu contributo para o enriquecimento cultural. O mote de 2013 foi o optimismo. O Dia Internacional dos Museus, efeméride de grande importância para o mundo dos museus, assinala-se desde o dia 18 de Maio de 1977, por proposta do ICOM – Conselho Internacional de Museus. Contando com o apoio da UNESCO, a «Noite dos Museus» foi lançada em 2005 pelo Departamento Francês da Cultura, com o objetivo de atrair aos museus os jovens e as famílias, num evento comum aos países europeus que pudesse contribuir para a construção de uma «Europa de cultura».

27


DESTAQUES

REGENERAÇÃO URBANA

RELAÇÕES INTERNACIONAIS

EDUCAÇÃO

CULTURA

TROCAS

LIVROkAS II edição do «Trokas Livrokas» com grande participação

28


BM23

Por analogia com o realizado no ano transato, as bibliotecas municipais e escolares de Torres Novas, através do Serviço de Apoio às Bibliotecas Escolares (SABE), organizaram, no dia 4 de junho, o evento Trocas Livrokas, que decorreu no Jardim das Rosas, durante todo o dia. O objetivo desta iniciativa foi interpelar a comunidade escolar e local do concelho de Torres Novas, no sentido de promover a leitura através da troca de livros usados. Pretendeu-se, assim, que alunos, professores, funcionários das escolas, pais, encarregados de educação e restante público pudessem trocar livros que já não pretendessem ler uma segunda vez por outros que ainda não leram. Esta feira de troca de livros foi preenchida com a iniciativa leitora, construída a partir do livro Jardim do arco-íris, de Manuela Mota Ribeiro, que se evidenciou por ser desenvolvida com a participação de uma ampla rede de parceiros locais: o Estabelecimento Prisional Regional de Torres Novas, o Centro de Reabilitação e Integração Torrejano, o Lar de Infância e Juventude do Centro de Bem Estar Social da Zona Alta, o Conservatório de Música do Choral Phydellius e os agrupamentos escolares do concelho. A participação plena dos alunos, dos utentes das instituições e dos reclusos garantiu o sucesso da abordagem inclusiva que presidiu à escolha destes parceiros. O subdiretor-geral da Direção-Geral de Reinserção e Serviços Prisionais, Licínio Augusto Pereira dos Santos Lima, e a diretora do Estabelecimento Prisional Regional de Torres Novas, Maria Paula Quadros, estiveram presentes no evento, devido ao caráter excecional desta participação dos reclusos, e que resulta de um processo continuado de parceria com a Biblioteca Municipal.

29


DESTAQUES

REGENERAÇÃO URBANA

RELAÇÕES INTERNACIONAIS

EDUCAÇÃO

Seminário «Nós na infância» A Biblioteca Municipal Gustavo Pinto Lopes promoveu no dia 4 de maio, em parceria com o Instituto Politécnico de Leiria, o seminário «Nós na infância». Este seminário resultou do projeto de estágio de uma aluna do curso de Educação Social do IPL, onde temas fraturantes como a doença, a negligência e a indiferença ou a inconsciência constituem a pedra de toque para uma discussão participada.

CULTURA

Do programa fizeram parte temas como o desenvolvimento infantil, doenças terminais e ações terapêuticas e de suporte associadas, o autismo e o método ABA ou a disfluência da leitura na infância. Entre os oradores estavam a psicóloga Maria João Santos, a enfermeira-chefe do serviço de pediatria do Centro Hospitalar do Médio Tejo Clara Batista, a professora de ensino especial Patrícia Cipriano e outros.

Município torrejano presente no debate nacional sobre edição municipal A Biblioteca Municipal Rocha Peixoto, na Póvoa do Varzim, acolheu no dia 7 de maio de 2013 o colóquio «Edição Municipal: percursos e desafios». Técnicos municipais do setor da cultura, provenientes de autarquias de vários pontos do país participaram no evento, onde os decisores políticos também tiveram espaço para expor possíveis estratégias para fazer face aos constrangimentos que a conjuntura atual impõe. A representação torrejana ficou a cargo dos técnicos do gabinete de estudos e planeamento editorial (GEPE) do Município de Torres Novas, que deram a conhecer as edições municipais (existentes desde os anos 30 do século XX) e a organização do GEPE, um serviço com características únicas que conta já mais de dez anos de existência. O gabinete de estudos e planeamento editorial assume, atualmente, as vertentes de centro de investigação dos temas locais e de centro editor (municipal), responsável pela publicação da revista de cultura Nova Augusta e de muitos outros livros/estudos sobre a história e o património torrejanos.

A cor no preto e branco na obra de Gomes Pereira De 24 de maio a 22 de junho de 2013, decorreu a exposição «A cor no preto e branco na obra de Gomes Pereira», no átrio da Biblioteca Municipal Gustavo Pinto Lopes (BMGPL). José Alberto Gomes Pereira é um artista plástico português, nascido em Riachos, em 1943. A sua obra destaca-se pela singularidade do traço a nanquim, cuja composição e tratamento constituem características únicas da sua relação com a pintura. Estiveram patentes 25 trabalhos artísticos deste galardoado artista torrejano, cujas temáticas são paradigmas para um manifesto pela liberdade da linguagem artística e um contributo indelével para a afirmação da identidade local. 30


BM23

À Conversa em Torres Novas… Doenças Mentais e Impacto na Sociedade No dia 6 de junho o auditório da Biblioteca Municipal Gustavo Pinto Lopes acolheu o debate «À Conversa em Torres Novas… Doenças Mentais e Impacto na Sociedade». Este evento inseriu-se num ciclo de conferências a decorrer ao longo de todo o ano de 2013, em todos os concelhos do Médio Tejo, no âmbito das plataformas supraconcelhias da rede social. A iniciativa contou com a participação de Tiago Leite, diretor da Segurança Social de Santarém, de Pedro Ferreira, vice-presidente da Câmara Municipal de Torres Novas e presidente do CRIT – Centro de Recuperação e Integração Torrejano, e de Luísa Delgado, diretora do Serviço de Psiquiatra do Centro Hospitalar do Médio Tejo.

Workshop «Imaginários ecológicos, um cenário de futuro», por Denis Hickel A Biblioteca Municipal Gustavo Pinto Lopes (BMGPL) e o arquiteto Denis Kern Hickel promoveram um workshop intitulado «imaginários ecológicos, um cenário de futuro», no dia 6 de junho, na sala polivalente. Partindo de algumas ideias-base sobre ecologia, pretendeu-se discutir a criação de um novo olhar sobre dinâmicas globais e situar os desafios sociais no contexto da nossa comunidade, respondendo a questões como «que futuro?», «que desafios?», «como será a Escola?», «como será a produção de alimentos e de bens?», «que energia e que tecnologia?», «com que saberes poderemos contar e como os queremos desenvolver?». O workshop destinou-se sobretudo a profissionais de arquitetura, urbanismo, artes plásticas, educação e cultura, embora tenha sido aberto a toda a comunidade.

31


DESTAQUES

REGENERAÇÃO URBANA

RELAÇÕES INTERNACIONAIS

EDUCAÇÃO

CULTURA

Exposição «Filarmónica Torrejana, 140 anos» no MMCR O Museu Municipal Carlos Reis acolhe, desde o dia 28 de junho, uma exposição documental intitulada «Filarmónica Torrejana, 140 anos». Fundada oficialmente em 1873, a Filarmónica Torrejana tem sofrido uma vida atribulada e momentos de interregno e de transformação, tendo assumido em 1921 o nome de Banda Operária Torrejana. Esta exposição percorre os 140 anos de vida da BOT, desde a sua fundação, a chegada do novo século, os tempos da guerra, a ligação à Companhia Nacional de Fiação e Tecidos, até ao pós-25 de abril e à atualidade. A exposição estará patente até ao dia 31 de agosto na sala de exposições temporárias do MMCR, podendo ser visitada de terça a sexta, das 9h às 12h30 e das 14h às 17h30, e sábados e domingos das 14 às 17h30.

32


BM23

33


AS OVa N ei RES Corr

R TO ncelos E D sco AL de Va P I IC ar UNio Cés M n A tó as

R An ov MAeneral orres N 0 Â _ G 1T C 43

is

lefones

úte

ww

te

t s.p ova 39 n 8 s rre 49 0 pt e_ 2 1 78 cm-to vas. n o 1 o 8 @ ef tel 249 geral resn r _ x _ o l a f -t ai e-m w.cm

2 Rua 50-4 23

00 94 0 0 3 5 10 31 26 3 _ 98 O 0 56 TEJ L_ 24 812 9 09 A A B I 3 P 9 I R 8 24 IC O UN IPAL_ _ 249 SD M O 0 C I A U N CA ÇÃ 17 16 08 MU UCA ÁG IOTE 9 8 L IO ED 812 790 49 BIB ITÉR T_ 2 249 E 3 E D M 810 7 10 N L_ CE SÃO 1 0 TER ICIPA L_ 249 8 I N I 87 9 DIV ÇO MUN CIA _ 24 812 0 A O TO 9 19 ESP DIO O S ANA L_ 24 535 39 Á Ã A 8 S P T 2 I E 81 ES AÇ ART IC 49 0 B. S_ 2 49 UN GA DO O M PAL_ 2 RTO 12 19 0 I 8 O JA 7 LO CAD UNIC DESP 249 39 1 R _ L 8 E M S 19 9 PA M U DO NICI IS_ 24 813 0 SE U O M CI MU ICIPA 249 443 LÁ PA LHÃO MUN MO 839 00 I IS 9 93 3 PAV INAS E TUR IL_ 24 98 C IV PIS TO D O C IA_ 24 S PO TEÇÃ IRGÍN V O PR RO T A TE

Boletim Municipal nº 23  

Boletim Municipal da Câmara Municipal de Torres Novas

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you