Labtalks...but in paper - Segurança no laboratório

Page 1

labtalks…

but in paper

segurança em laboratório edição #001 | 2021 www.moduscomplete.com


02

um projeto solidificado

edição #001

UM PROJETO SOLIDIFICADO

ÍNDICE 02 Um projeto solidificado 03 Segurança em laboratório 04 A importância do armazenamento 08 Baterias de iões de lítio 09 A importância dos filtros como um sistema de defesa 12 A

segurança

como

elemento

central da nossa atuação 14 Entrevista — Florian Koehler 18 Segurança no laboratório 20 A atenção aos detalhes 26 Dos EPI’s aos EPC’s 29 Bombeiros - Planos de ataque 31 IMM - A investigação e a segurança de mãos dadas 32 Opinião - Miguel Pinto 34 Projetos 35 Equipa

Depois do sucesso do lançamento

cionais como a ASECOS, Dico Filtro,

da edição zero da “Labtalks...But in

Gasin e SCAT.

Paper”, ousamos dar um passo em

A opinião de Sara Santos do Institu-

frente e desafiamo-nos com um nú-

to de Medicina Molecular (IMM) so-

mero ainda mais aliciante.

bre o tema é demais relevante assim

Esta edição é agora dedicada à “Se-

como o trabalho de lab planning efe-

gurança em Laboratório”, a génese

tuado num esquema/modelo para

do evento LabTalks.

uma explicação aprimorada das re-

Para a elaboração desta revista, con-

gras e métodos a seguir para a cria-

tamos com a preciosa colaboração

ção e construção de um laboratório.

dos mais diversos especialistas da

O desafio não está em lançar mais uma

área com larga experiência profis-

revista. O desafio consiste na agrega-

sional e também pessoal neste tipo

ção dos melhores textos criados em

de ambientes.

sintonia com a Modus Complete e com

A segurança tem de ser um ponto,

as empresas representantes.

ou melhor, “o” ponto de partida para

Uma curta e simpática palavra para

qualquer projeto. É dela que depen-

todos os que leram de fio a pavio a

de o sucesso de um trabalho eficaz.

edição número zero, deixaram o seu

É ela que diferencia a qualidade e

feedback e contribuiram para o su-

que permite apostas na inovação.

cesso deste projeto.

Neste número 1, falamos com em-

Equipa Modus Complete

presas líderes nacionais e interna-


2021

segurança em laboratório

03

SEGURANÇA EM LABORATÓRIO A Segurança no Trabalho (ST) é uma ciência cujo objetivo é prevenir acidentes relacionados com qualquer tipo de ocupação profissional. Mesmo sem estarem cientes, os trabalhadores estão expostos a situações que podem ameaçar a sua saúde e/ou integridade física. A análise de fatores de risco é por isso essencial em todas as tarefas e operações do quotidiano dos trabalhadores em todos os espaços de uma empresa. A ST contribui, desta forma, para um

ANA BATISTA

ALEXANDRA MARALHAS

ambiente de trabalho seguro e saudável, para que as tarefas laborais se rea-

rança não é apenas uma obrigação

nico altamente qualificado nos setores

lizem nas melhores condições e com a

legal ou um encargo a suportar, é sim

onde atuamos. Um prévio diagnóstico

maior eficácia possível.

uma ferramenta essencial e funda-

da estrutura do laboratório a construir

De acordo com estatísticas da Au-

mental para prevenir acidentes, in-

e dos elementos a instalar em cada

toridade para as Condições de Tra-

cidentes, paragens laborais e custos

ambiente, é essencial. Terminado o

balho (ACT), em 2021 já ocorreram,

adicionais.

diagnóstico, dá-se início à produção e

até à data, 28 acidentes mortais e 46

Muito embora a ModusComplete se

posterior montagem de equipamentos

acidentes muito graves. A maior inci-

foque muito na ST, existe um cuidado

e mobiliário.

dência de acidentes ocorre na área da

minucioso na seleção de Equipamen-

Ao longo de todo o processo, proje-

construção e da indústria transforma-

tos de Proteção Coletiva e Individual

to, produção, montagem e utilização,

dora.

(EPC’s e EPI’s), de forma a melhor pro-

existe uma preocupação constante

Ainda não terminou o primeiro semes-

teger os trabalhadores aos riscos ex-

em garantir a ST de todos os colabo-

tre e os números são de facto impres-

postos. São analisados e avaliados to-

radores e utilizadores. Uma pequena

sionantes, morreram cerca de 5,8 pes-

dos os riscos que não podem de todo

distração pode colocar em causa a se-

soas por mês (considerando 5 meses

ser evitados ou limitados por outros

gurança não só dos intervenientes no

de laboração completos). É imprescin-

meios e depois escolhidos os respe-

processo, como de terceiros.

dível apostar na segurança e no pla-

tivos EPC’s e/ou EPI’s a utilizar, veri-

neamento para que estes números não

ficando se são os mais eficazes face

Trabalho é necessário, a Segurança é

se repitam.

aos riscos previstos, tendo sempre em

importante mas a Vida é essencial!

Os acidentes em laboratório não es-

atenção as instruções do fabricante e

tão nos mais frequentes acidentes

o certificado em conformidade.

laborais, no entanto devido ao manu-

A ModusComplete, como empresa que

seamento de produtos perigosos, caso

fabrica e/ou importa produtos e tecno-

ocorra um acidente pode ter conse-

logia para a indústria laboratorial, tem

Ana Batista,

quências bastante graves ao nível hu-

que garantir que os seus produtos têm

Diretora de Qualidade

mano, ambiental e económico.

um ciclo de vida seguro. Essa garantia

Alexandra Maralhas,

Para nós, como organização, a segu-

é dada devido a um conhecimento téc-

Técnica de Segurança


04

asecos — artigo técnico labtalks

edição #001

ASECOS

A IMPORTÂNCIA DO ARMAZENAMENTO Uma vez, um professor universitário

que basta uma pequena quantidade de

sanção ou uma multa. Deve sempre

veterano disse-me que “a química está

um produto químico inflamável, usado

partir de uma base que tenha em conta

em toda parte, embora muitas vezes

tanto nos processos de produção ou

as medidas de proteção passiva e ativa

não tenhamos consciência disso”. Em

em aplicações complementares como

das nossas instalações.

diversas ocasiões, quando falamos so-

em análise, controle de qualidade, lim-

Não é menos importante que a forma-

bre armazenamento e manuseamento

peza ou manutenção de equipamentos

ção adequada dos trabalhadores nas ta-

de produtos químicos, pensamos nas

e instalações para ser o início de um

refas atribuídas e a adoção de medidas

grandes Empresas Farmacêuticas, Uni-

acidente grave.

que evitem ou reduzam as consequên-

versidades, Centros de Pesquisa Cien-

O armazenamento correto e o manu-

cias do erro humano, sejam outro pilar

tífica, Complexos Químicos Industriais

seamento de produtos químicos não

básico na utilização, armazenamento e

e outros exemplos semelhantes. Con-

deve ser considerado apenas como

manuseamento de produtos químicos.

tudo, muitas vezes não temos noção

uma obrigação legal para evitar uma

PRODUTOS INFLAMÁVEIS = RISCO DE INCÊNDIO O armazenamento correto de produtos inflamáveis deve ser baseado em três conceitos básicos: • Dividir e fazer a devida separação dos produtos para evitar que o seu conteúdo não se transforme em combustível num incêndio; • Impedir que recipientes e produtos armazenados dentro de um setor cheguem ao ponto de autoignição dos produtos; • Garantir uma ventilação adequada para evitar a formação de atmosferas potencialmente inflamáveis ou prejudiciais à saúde. > Um incêndio num laboratório pode causar danos catastróficos.

A sectorização de um armazena-

entre os produtos armazenados (ar-

automático em caso de incêndio,

mento é conseguida através da uti-

mazenamento no exterior).

entre outros. Todos estes fatores

lização de elementos resistentes ao

Ou seja, numa sala de armazena-

encontram-se por si só nos armá-

fogo que funcionam como barreiras

mento devemos ter paredes com

rios de segurança (armazenamento

(armazenamento no interior dos

resistência ao fogo, coleta de der-

descentralizado)

edifícios) ou através da utilização de

ramamentos acidentais, ventilação

pontos de utilização dos produtos

distâncias suficientemente grandes

forçada, porta divisória com fecho

químicos (laboratórios).

localizados

nos


2021

asecos — artigo técnico labtalks

05

NORMA UNE-EN 14470-1 A resistência ao fogo em armários de

teção do conteúdo em caso de in-

durante o teste, o funcionamento

segurança para produtos inflamáveis

cêndio por um período de tempo

dos respiradouros, a documentação

conhecido;

a ser fornecida com cada armário e a

e outros parâmetros técnicos é definida pela norma EN 14470-1 NORMA

• Redução da quantidade de vapores

sua marcação e etiquetagem.

PADRÃO UNE-EN 14470-1.

emitidos para o ambiente de traba-

A classificação de tipo de armário de

A Norma Europeia UNE EN 14470-1

lho;

segurança para produtos inflamáveis

descreve o projeto e os critérios de teste para armários de segurança,

• Retenção de salpicos acidentais dentro do armário.

de acordo com esta Norma só pode ser realizada por Laboratório Inde-

destinadas ao uso em laboratórios

A classificação Tipo 90 refere-se ao

pendente de Ensaios de Materiais

para armazenar líquidos inflamáveis

tempo que o armário demora a atingir

devidamente credenciados.

em recipientes fechados, em tempe-

um aumento de temperatura de 180 K

Cada modelo possui um Certificado

ratura ambiente considerada normal.

quando uma temperatura se aproxi-

de Tipo individualizado que garante

A norma aborda os três requisitos

ma dos 1000º (curva de aumento da

a segurança dos usuários.

mais importantes para o armazena-

temperatura conforme EN 1363-1).

mento de líquidos inflamáveis:

Da mesma forma é dada atenção a

• Redução do risco de incêndio as-

outros parâmetros como a resistên-

sociado ao armazenamento e pro-

cia, peso das prateleiras ou gavetas

VENTILAÇÃO NATURAL / FORÇADA DE ARMAZENAMENTO A ventilação natural ou forçada dos

tilação forçada, é aplicável a Norma

ventilação forçada adequada:

armários de segurança deve ser pro-

UNE EN 14470-1, que especifica que

• Ligação do armário a um sistema

jetada com dois objetivos:

“a renovação do ar deve ocorrer a uma

de extração centralizado e inde-

• Que o risco de exposição dos tra-

velocidade de pelo menos 10 vezes a

pendente do edifício;

balhadores a produtos químicos

capacidade volumétrica do armário

• Utilização de ventiladores - extra-

armazenados seja adequadamen-

por hora, com uma queda de pressão

tores individualizados com tubo de

te controlado e não exceda os va-

não superior a 150 Pa”.

lores limites ambientais definidos

As renovações de hora em hora do

• Sistemas de recirculação filtrante

pelas autoridades;

volume interior de armários de se-

que evitam a instalação de saídas

gurança específicos para outros ti-

de extração para o exterior.

• Evitar a formação de atmosferas po-

extração com saída para o exterior;

tencialmente explosivas devido à

pos de produtos químicos são:

No caso de ventilação natural, a

acumulação de vapores inflamáveis.

• Líquidos inflamáveis: 10 renova-

Asecos recomenda considerar a

É muito importante distinguir entre o armazenamento passivo (aquele

ções / hora (UNE EN 14470-1); • Líquidos corrosivos: 30 renova-

em que os recipientes fechados são

ções / hora (recomendação asecos)

armazenados) e o armazenamen-

• Gases inflamáveis: 10 renovações /

to ativo (aquele em que o produto químico armazenado é transferido para outros recipientes), uma vez

hora (UNE EN 14470-2); • Gases tóxicos: 120 renovações / hora (UNE EN 14470-2).

que a emissão potencial de vapores

No caso de armazenamento conjun-

durante os dois processos é muito

to de produtos que não envolvam

diferente e a quantidade de vapores

nenhum risco aumentado, mas te-

no ambiente de trabalho vai ser alta-

nham diferentes indicações de peri-

mente variável.

go, será aplicado o valor de renova-

No caso de armários de segurança

ção mais severo.

para produtos inflamáveis com ven-

Existem três maneiras de garantir

área indicada no diagrama abaixo como ZONA 2 ATEX.

ZONA 1 no interior do armário ZONA 2 fora do armário


06

asecos — artigo técnico labtalks

edição #001

ARMÁRIOS PARA INFLAMÁVEIS E NÃO SÓ Atualmente, na maioria dos laborató-

resistência ao fogo ou por não possuir

rios e ambientes industriais, é utiliza-

a compatibilidade química adequada

da uma grande variedade de produtos

para o armazenamento.

químicos que, graças ao programa

A comparação a seguir tem como ob-

GHS - REACH com os novos picto-

jetivo ilustrar as vantagens e desvan-

gramas e frases de perigo, podemos

tagens dos diferentes padrões e ajudar

facilmente identificar.

a tomar a decisão certa para transfor-

O armazenamento inadequado des-

mar o seu local de trabalho um espaço

ses materiais representa um grande

(ainda) mais seguro.

risco para as pessoas e bens, seja pelo risco de armazenar um produto inflamável num armário sem a correta

ARMÁRIOS PARA PRODUTOS INFLAMÁVEIS Podemos encontrar três grandes famílias de armários de segurança para produtos inflamáveis: • Armários de metal de parede única; • Armários de metal FM com parede dupla e câmara de ar como isolamento; • Armários de segurança com resistência ao fogo de acordo com a norma EN 14470-1. Os armários metálicos de paredes simples não oferecem qualquer tipo de resistência ao fogo ou a outros elementos que possam constituir uma barreira eficaz em caso de incêndio. Assim, não possuem qualquer tipo de certificação e a sua utilização pode ter consequências graves.

dos e os recipientes armazenados (reci-

ticas do edifício / local onde é instalado e

Os armários de metal de parede dupla

pientes metálicos FM). O teste de resis-

são certificados por um Laboratório Inde-

FM oferecem um grau mais elevado de

tência ao fogo é muito menos exigente

pendente de Controlo de Materiais que

proteção do que os de parede simples,

do que a norma EN 14470-1.

garante o seu correto uso contra o fogo.

mas, ainda assim, insuficientes de acor-

Na maioria dos países da União Eu-

Se tiver curiosidade, podemos verificar

do com o ponto de vista europeu.

ropeia, o uso de gabinetes FM não é

as diferenças no vídeo colocado no You-

O Padrão FM contempla o uso de armá-

permitido.

tube da ASECOS. no seguinte link:

rios de parede dupla como mais uma

Os armários de segurança resistentes

https://www.youtube.com/watch?v=Y-

parte da estrutura do edifício (ou seja,

ao fogo de acordo com EN 14470-1 são o

CyBl0vW2iM.

o edifício deve ter medidas de proteção

padrão aceite / exigido na Europa.

adicionais), limitando a quantidade de

Oferecem uma verdadeira resistência ao

produtos químicos a serem armazena-

fogo independentemente das caracterís-


2021

asecos — artigo técnico labtalks

ARMAZENAMENTO DE OUTROS PRODUTOS QUÍMICOS Para além dos produtos inflamáveis, existe uma gama muito vasta de outros produtos químicos com diferentes características físico-químicas, pelo que

(110%) ou com o volume total dos recipientes armazenados (10%); • A temperatura crítica dos cilindros de gás pressurizado é 70 ° C;

é necessária uma correcta identificação

• Os gases podem ser mais leves ou

dos mesmos para determinar o sistema

mais pesados que o ar, a ventilação

de armazenamento adequado de acor-

uniforme é importante;

do com as recomendações descritas na secção de segurança ou ficha técnicas de cada produto.

• Mantenha sempre os ácidos e bases separados; • Use volumes de ar maiores para

Caso um produto químico apresente

evitar corrosão e problemas de saú-

vários indícios de perigo, é necessário

de ao armazenar produtos corrosi-

aplicar sempre o mais restritivo.

vos ou tóxicos; • Considere as baterias de iões de lítio

Dada a impossibilidade de enumerar to-

como um material perigoso;

das as variantes de armazenamento pos-

• O carregamento não supervisionado

síveis neste artigo técnico, apresentamos

da bateria é a causa mais comum de

as nossas recomendações básicas:

incêndios da bateria;

• Recipientes com pictogramas de pe-

• Produtos oxidantes podem au-

rigo REACH-GHS indicam materiais

mentar tremendamente os riscos

perigosos.

de incêndio;

• A capacidade de retenção do tabulei-

• Quando se trata de vários peri-

ro de derrames deve estar de acordo

gos priorize do maior risco para

com a capacidade do maior recipiente

o menor risco.

PERIGOS DIFERENTES - REQUISITOS DIFERENTES

07


08

baterias de iões de lítio

edição #001

BATERIAS DE IÕES DE LÍTIO Não são tão inócuas como parecem

empresas de diversas áreas pro-

contra o super aquecimento por in-

curam equipamentos de proteção

cêndios externos por um período de

como armarios de armazenamento

90 minutos. Isso evita que as bate-

de segurança tipo 90 para que se-

rias de iões de lítio armazenadas se

jam minimizados os riscos e danos

incendeiem espontaneamente ou se

em casos de acidentes.

tornem instáveis ou até explodam. Os

Um dos setores que mais tem cres-

Devido ao rápido desenvolvimento e

testes de incêndio, de acordo com a

cido na indústria e no campo da

implementação das baterias de iões

norma EN 14470-1, certificam que os

pesquisa é o de células e baterias.

de lítio, ainda não existe legislação

armários preenchem os requisitos de

Em especial as baterias de iões de

sobre o seu armazenamento e carre-

resistência ao fogo (tipo 90).

lítio, pois são soluções de armaze-

gamento. Contudo, pela sua especi-

namento de energia muito potentes,

ficidade são já consideradas como

RESISTÊNCIA NUNCA INFERIOR

que são cada vez mais utilizadas em

um produto perigoso, cujo transpor-

A 90 MINUTOS

ferramentas, equipamentos de jar-

te deve ser regulamentado.

dim, veículos de mobilidade pessoal

Por enquanto, está provado que o

Para testar a proteção contra incên-

urbana (como bicicletas e scooters

uso de armários de segurança Tipo

dios de dentro para fora, os armários

elétricos) assim como muitas outras

90 de acordo com EN 14470-1 é uma

também são testados contra incêndio

aplicações.

medida de proteção eficaz em caso

de acordo com EN 1363-1: 2012-10. Os

As baterias de iões de lítio represen-

de incêndio de fora para dentro do

resultados dos testes mostram que os

tam um risco crescente de incêndio

armário e em caso de incêndio no

equipamentos atingem uma resistên-

e explosão. Devido à sua densidade

interior do armário por defeito da

cia ao fogo nunca inferior a 90 minutos.

de energia muito alta, existe um ris-

bateria/carregador. A aplicação da

Há ainda um longo caminho a per-

co elevado de entrarem em ignição

norma EN 1363-1 também garante

correr para corresponder aos requis-

espontaneamente ou tornarem-se

90 minutos de resistência ao fogo.

itos de armazenamento de produtos

instáveis em certas circunstâncias

Portanto, seja para armazenamento

químicos (APQ) como o das baterias.

resultando em explosões se atingi-

ativo ou passivo de baterias de iões

Embora tecnicamente tenham carac-

rem uma determinada temperatura.

de lítio, os armários da série ION-LI-

terísticas muito semelhantes, porque

Com o uso crescente da utilização

NE da ASECOS oferecem proteção

se trata de recipientes móveis com

de baterias de iões de lítio de média

máxima.

conteúdo químico, os riscos também

potência, os perigos relacionados

são semelhantes: contaminação e

com o armazenamento e, em parti-

PROTEÇÃO DO EXTERIOR PARA

cular, com o carregamento dessas

INTERIOR

baterias em ambientes comerciais e privados, estão também a aumentar.

As baterias de iões de lítio armaze-

Por exemplo, na Alemanha, várias

nadas em armários são protegidas

resíduos químicos por um lado e risco de incêndio por outro.


2021

dicofiltro - a importância dos publicidade filtros como um sistema de defesa

09

DICOFILTRO

A IMPORTÂNCIA DOS FILTROS COMO UM SISTEMA DE DEFESA A Dico Filtro Lda está no mercado

G1 a F9) e passando a utilizar como

lacionar o filtro com a QAI (Qualidade

há 22 anos e é hoje um parceiro im-

referência a nova ISO 16890.

de Ar Interior).

prescindível na área da ventilação

A norma EN 779 foi um método am-

e ar condicionado (AVAC), equipa-

plamente utilizado para classificar

PARTÍCULAS SOB O

mentos para instalações técnicas

filtros de ar por mais de 20 anos. Con-

MICROSCÓPIO

especiais e eficiência energética.

tudo, a nova ISO 16890 muda comple-

Apresentamos várias soluções em

tamente a forma como os filtros são

Quando organismos públicos como

filtros e equipamentos de medição

testados e classificados.

a Organização Mundial da Saúde fa-

para AVAC em geral, mas sobretudo

Apesar desta alteração trazer aos in-

lam sobre poluição do ar, geralmente

em equipamentos específicos para

tervenientes uma dificuldade inicial

fazem-no em termos das partículas

laboratórios,

de adaptação, a boa notícia é que a

PM10, PM2.5 e PM1, ou seja, partícu-

quartos de isolamento, etc.

ISO 16890 tem várias vantagens em

las em suspensão menor que 10 µm,

Neste artigo técnico vamos abordar

relação à antiga norma. Apresenta

2,5 µm e 1 µm especificamente.

um tema que continua a gerar algu-

várias abordagens novas e mecanis-

Existe um bom motivo para isso. O

mas dúvidas no nosso dia-a-dia: a al-

mos que tornam o processo de teste

corpo humano está adaptado para

teração da norma de classificação dos

mais indicativo das condições em que

evitar a penetração de partículas

filtros em vigor desde julho de 2018.

o filtro trabalhará depois de instalado.

maiores que 10 µm, mas partículas

A maioria dos países e fabricantes ti-

Além disso, o novo sistema de classi-

de tamanhos menores penetram pe-

veram um período de transição de 18

ficação concentra-se no objetivo final

las nossas defesas e poderão atingir

meses para se adaptarem. Deixando

de um filtro de ar: remover partículas

diferentes pontos dependendo do seu

para trás a EN 779 (classifica os filtros

em suspensão, tornando mais fácil re-

tamanho.

blocos

operatórios,

> O corpo humano está adaptado para evitar a penetração de partículas maiores que 10 µm


10

publicidade

edição #001

REPERCUSSÕES DAS PARTÍCULAS PARA A SAÚDE O nosso corpo tem defesas para

É por isso que a nova norma ISO

PM10, PM2,5 e PM1, e estes consti-

nos proteger de partículas maiores

16890 concentra-se na capacidade

tuem os quatro grupos de filtros de

que 10 µm. Por conseguinte, todas

de um filtro de capturar partículas

acordo com a nova norma.

as partículas abaixo desse tamanho

com um tamanho de aproximada-

Com a figura seguinte podemos ter

poderão passar livremente. A fun-

mente 10 µm ou menos. Classifica

uma ideia da dimensão destas partí-

ção dos filtros é fornecer proteção

um filtro com base na sua capacida-

culas em comparação com a grossu-

contra partículas que o nosso orga-

de de capturar poeira grossa (partí-

ra de um cabelo humano.

nismo não consegue deter.

culas maiores que 10 µm), partículas

> Dimensão de partículas em comparação com a grossura de um cabelo humano

QUAL ERA O PROBLEMA DA NORMA EN 779? Desde a sua publicação em 1993, a

venientes de todos os tipos de fon-

“e” significa simplesmente eficiên-

norma EN 779 desempenhou um pa-

tes. Mas a norma EN 779 era basea-

cia. Para pertencer a cada categoria,

pel proeminente na indústria da fil-

da exclusivamente na capacidade

um filtro deve ser capaz de capturar

tração do ar. Entre os principais ele-

de filtração de um único tamanho de

pelo menos 50% das partículas nessa

mentos que introduziu estava uma

partícula: 0,4 µm. Com a ISO 16890

gama de tamanho. Por exemplo, fil-

classificação uniforme de filtros de

as partículas analisadas variam em

tros que capturam menos de 50% da

ar que ajudou a elevar os padrões de

tamanho de 0,3 µm a 10 µm e são

poeira PM10 pertencerão ao grupo de

qualidade e simplificar o processo

subdivididas em 12 lotes.

poeira grossa.

de seleção de filtros. Infelizmente, essa uniformidade também era a

Mas nem todos os filtros de um gruQUATRO GRUPOS DE FILTROS ISO

maior fraqueza da norma EN 779.

po serão iguais. Na documentação do filtro e nos relatórios de teste, a

O ar que respiramos é uma mistura

Quatro novos grupos de filtros são in-

eficiência deste filtro será detalha-

de inúmeros tipos de partículas, de

troduzidos na ISO 16890: poeira gros-

da. A eficiência é arredondada para

todos os tamanhos e formas, e pro-

sa, ePM10, ePM2.5 e ePM1. O prefixo

os 5% mais próximos.

Eficiência dos grupos de filtros ISO16890 Poeira grossa

< 50% de PM10

ePM10

≥ 50% de PM10

ePM2,5

≥ 50% de PM2,5

ePM1

≥ 50% de PM1


2021

publicidade

11


12

a segurança como elementro central da nossa atuação

edição #001

GASIN

A SEGURANÇA COMO ELEMENTO CENTRAL DA NOSSA ATUAÇÃO A GASIN, fundada em 1966, leva mais

dos. Ler a informação nas etiquetas

numa zona com elevada concentra-

de 50 anos ao serviço da indústria do

que, por exemplo, acompanham as

ção de oxigénio, propícia para poten-

nosso país e sempre manteve um for-

garrafas, ler as respetivas folhas de

ciar qualquer combustão. Devemos

te vínculo com a sociedade.

segurança de dados, reconhecer os

sempre manter presente que, sem

Distinguida como uma empresa de

pictogramas associados, bem como

comida podemos sobreviver alguns

referência no setor dos gases indus-

as cores do vasilhame, atribuídas pela

dias, mas sem oxigénio para respi-

triais e medicinais e que integrado

norma correspondente. Neste âmbito,

rar não resistimos para alem de uns

o grupo multinacional Air Products,

os gases podem ser classificados em

minutos. Assim, instalar sistemas de

produz, comercializa e distribui gases

função de seu estado físico dentro

alerta e monitorização de oxigénio,

para diversos setores, como: águas,

dos recipientes em que são normal-

por exemplo, em locais de armaze-

alimentação, medicinal, energia, pe-

mente comercializados, ou seja: gases

namento de azoto líquido com insufi-

troquímica, laboratorial entre outros.

comprimidos, gases liquefeitos, gases

ciente renovação de ar, torna-se cru-

Em todas estas áreas de atuação, a

dissolvidos e gases criogénicos. No

cial. Por outro lado, o oxigénio como

GASIN pauta-se pela segurança, ino-

entanto, também conhecemos os ga-

gás altamente comburente e oxidan-

vação e sustentabilidade.

ses em função dos riscos principais

te, se em contato com óleos, massas

que representam para as pessoas,

lubrificantes

É IMPORTANTE LER E ANALISAR

equipamentos e meio ambiente, isto

incompatíveis, reage violentamente

OS RÓTULOS

é, gases asfixiantes ou inertes, gases

podendo originar uma explosão.

oxidantes ou comburentes, gases in-

Como referido, são múltiplos os fato-

flamáveis, gases tóxicos e gases cor-

res que devem de ser considerados

rosivos.

e portanto, todos os cuidados são

A segurança é sem dúvida a maior prioridade do Grupo Air Products. Faz parte da sua cultura, trata-se de uma

ou

outros

materiais

imperativos para se trabalhar num

obrigação moral, uma condição de

AZOTO E OXIGÉNIO SÃO

ambiente seguro. Assim, devem ser

emprego, fundamental para a concre-

COMUNS MAS PODEM SER

respeitadas escrupulosamente as re-

PERIGOSOS

comendações para a utilização dos

tização dos seus objetivos. Uma vez que comercializa uma vasta

gases as quais podem ser consultadas

gama de gases, os quais diferem entre

Se nos centrarmos, por exemplo, nos

no site www.gasin.com ou, por exem-

si nas suas propriedades químicas e

dois principais gases que constituem

plo, no site da European Industrial Ga-

físicas, nas várias formas de forneci-

o ar e por serem aqueles com que

ses Association www.eiga.eu.

mento e acondicionamento, nos dis-

estamos em permanente contacto,

tintos requisitos para uma multipli-

podemos até correr o risco de me-

cidade de equipamentos e sistemas

nosprezar os perigos associados ao

de distribuição de gases, garantir a

azoto e oxigénio. Mas atenção! Estes

segurança é inquestionavelmente um

gases são inodoros e invisíveis, se a

enorme desafio.

sua concentração for diferente à na-

Deste modo, é imperativo poder iden-

turalmente existente no ar, podemos

tificar facilmente os produtos utiliza-

entrar numa atmosfera asfixiante ou


2021

a segurança como elementro central da nossa atuação

13

Publicidade

ALMACENAMIENTO Y CARGA DE BATERÍAS DE IONES DE LITIO LA SOLUCIÓN: armarios de seguridad ION-LINE con una resistencia al fuego de 90 minutos (tipo 90)

asecos S.L. Seguridad y Protección del Medio Ambiente Pol. Ind. CIM Vallès C./ Calderí, s/n. Oficinas 75-77 08130 - Santa Perpètua de Mogoda (Barcelona)

www.asecos.es


14

entrevista — florian koehler

edição #001

S.C.A.T. Europe

FLORIAN KOEHLER Area Sales Manager da S.C.A.T A LabTalks teve oportunidade de conversar com Florian Koehler, Area Sales Manager EMEA da S.C.A.T. na Europa, sobre os diferentes tipos de perigos que podemos encontrar num laboratório farmacêutico e o que deve ser feito para prevenir os mesmos em termos de segurança.

A S.C.A.T. tem vindo a desenvolver há mais de 20 anos produtos para a segurança em laboratórios. Que tipos de perigos pretendem prevenir com os vossos produtos?

solventes que são usados no HPLC

mistura de água com solvente. Com a

Sim, a equipa de engenheiros da S.

são altamente venenosos. Podem,

garrafa aberta o solvente evapora mais

C.A.T. está a desenvolver desde 1998

por exemplo, contagiar o feto de uma

rapidamente do que a água. Isto signi-

produtos para a segurança laborato-

trabalhadora de laboratório, os ór-

fica que em termos de perigo, teremos

rial e inventou um variado número de

gãos internos como o fígado, pulmão

o vapor do solvente à volta do HPLC,

componentes-chave nesse período

e até o cérebro.

mesmo em frente ao nariz do trabalha-

de 23 anos. Produtos como o “Safety-

Em segundo lugar, todos os solven-

dor do laboratório. Já expliquei o peri-

Cap” e o “WasteCap” foram desenvol-

tes são altamente inflamáveis. De-

go que advém desta situação. E como

vidos por nós. Temos muito orgulho

vido a esse facto temos ainda de ter

se isso não fosse suficiente, ainda te-

dos feitos que temos alcançado ao

em conta o risco de fogo e explosão

mos de ter em conta que estamos tam-

longo dos anos.

ligados ao fenómeno da eletricidade

bém a colocar em risco os resultados

estática.

dos testes do HPLC.

ação para os riscos de envenenamen-

Quais são os passos que um téc-

Como assim?

to, fogo e explosão e, por último, mas

nico de segurança numa empresa

Primeiro, porque uma garrafa aberta

não menos importante, o impacto nos

deve tomar para reduzir estes pe-

vai recolher todos os tipos de subs-

resultados dos testes. Infelizmente,

rigos?

tâncias presentes no ar. E isso cer-

ainda vemos muitas vezes garrafas de

A melhor maneira de responder a isso

tamente pode e vai contaminar os

reagentes abertas no topo do HPLC,

é separar o HPLC em dois segmentos:

eluentes. Depois, porque a água e os

assim como recipientes abertos no lo-

o fornecimento e a recolha.

solventes evaporam a um diferente

Para

responder

resumidamente

à

pergunta, nós direcionamos a nossa

cal da recolha dos resíduos.

ritmo. O rácio da mistura do eluenVamos então ao fornecimento.

te muda o que também altera o tem-

E isso é perigoso?

Aqui encontramos quatro garrafas no

po de retenção. A pensar nisto tudo

Claro que sim. Em primeiro lugar, os

topo da HPLC com o eluente – uma

criamos uma solução S.C.A.T.


2021

entrevista — florian koehler

Em que consiste?

aspetos que levam aos acidentes

As “SafetyCaps” da S.C.A.T. selam

com eletricidade estática só ocorrem

hermeticamente a garrafa. A válvu-

quando vários fatores coincidem, por

la S.C.A.T. permite a existência de

isso a precaução émuitas vezes igno-

ar dentro da garrafa mas bloqueia o

rada.

vapor que tenta escapar para fora da mesma garrafa.

Como acontecem esses acidentes relacionados com a eletricidade

E em relação à recolha?

estática?

Aqui os riscos são maiores porque

Todos nós já experienciamos eletri-

quanto maior for o tamanho do re-

cidade estática no nosso quotidiano.

cipiente, maior a quantidade de sol-

Quem é que nunca sofreu de um pe-

ventes, que por sua vez podem cau-

queno choque elétrico quanto tocou

sar maior risco quando ocorre um

em alguém? Isso não é perigoso logo

incêndio ou explosão. De notar que

que eu esteja rodeado de ar não satu-

é ainda maior o perigo de envenena-

rado com vapores explosivos!

mento devido à quantidade e à mis-

É a faísca desencadeada por nós quan-

tura de solventes no recipiente.

do tocamos no recipiente aberto que leva à explosão. Contudo, nós como

Para combater isso e outras fa-

utilizadores não somos a única causa.

lhas que novas soluções a S.C.A.T.

15

“É a faísca

desencadeada por nós quando tocamos no recipiente aberto que leva à explosão.

apresenta?

É aqui que entra a chamada ele-

Criamos componentes eletro-condu-

trificação do fluxo.

com muita frequência?

tores S.C.A.T. que previnem o risco de

Exatamente. O que a maior parte das

Penso que essa é uma questão errada.

uma faísca que pode causar um pe-

pessoas não está consciente é que

Um relâmpago atinge muitas vezes

queno foco de incêndio ou explosão. A

quando o líquido com caudal elevado

uma casa? Estatisticamente nem por

“WasteCap” S.C.A.T. também permite

passa por um tubo estreito, como se

isso mas mesmo assim temos de ter

selar hermeticamente o recipiente e o

verifica nos sistemas HPLC, a carga

para-raios que estão ligados à terra

filtro de exaustão S.C.A.T. que, por sua

electroestática da matéria gera ele-

nas nossas casas. Basicamente, uma

vez, filtra os vapores perigosos.

tricidade estática, a tal eletrificação

tempestade não é diferente de um

Estivemos empenhados em novas

do fluxo. E aqui temos um sistema

fenómeno electroestático no sistema

soluções e acabamos de lançar a

carregado com eletricidade estática

HPLC. Numa tempestade as molécu-

nova geração de filtros de exaustão

à espera de explodir.

las de água estão em movimento, to-

que não só absorbem os vapores do

cam-se e geram ar eletrificado para a

solvente, como também, pela primei-

Que soluções apresentam para

nuvem. Eventualmente a diferença do

ra vez, os vapores alcalinos e ácidos

este problema?

potencial elétrico entre a núvem e o

no recipiente.

Sobre esta matéria, é aqui que os nos-

chão torna-se tão grande que vemos

sos componentes elétricos entram.

um relâmpago. Adaptar isso à realida-

Voltando ainda ao sistema de re-

Suportes para computadores, tubos,

de dos laboratórios é a nossa função.

colha do HPLC. Como o volume do

“waste caps” e recipientes são feitos

É assim que pensamos e desenvolve-

fluído da recolha é grande, os peri-

de PEHD (polietileno de alta densida-

mos os nossos produtos.

gos também são muito maiores e o

de) misturado com grafite. O grafite

fenómeno electroestático também

permite que o sistema se torne um

Com tantos anos de experiência

pode ser complicado.

condutor elétrico. Finalmente, preci-

no mercado, conhecem algum

Concordo com essa observação. O fe-

samos ligar o sistema aos cabos-terra

caso em particular de um aciden-

nómeno eletroestático é muitas ve-

e a eletricidade estática irá “desapare-

te ligado à eletricidade estática?

zes ignorado nos laboratórios porque

cer” no solo.

Infelizmente sim. Um dos casos

é difícil compreender o mecanismo

aconteceu a um cliente nosso no ano

de como os acidentes da eletricidade

Estes acidentes relacionados com

passado. Ele insistiu em usar os seus

estática acontecem, e porque alguns

a eletricidade estática acontecem

>


16

entrevista — florian koehler

edição #001

recipientes antigos e mais baratos

tituto Federal da Segurança e Saúde.

dade do responsável pela seguran-

porque os nossos condutores elétri-

O TRGS 727 (Prevenção dos perigos

ça em relação aos seus colegas e à

cos são mais caros. Tentou poupar

de ignição devido às cargas eletroes-

empresa. O danificar do material é

dinheiro em cabos-terra. Apesar de

táticas) diz: “deve ser assegurado

algo que, tal como a explosão, pode

termos avisado do risco, a instalação

que todos os componentes podem

levar à total destruição da empresa.

prosseguiu. Quatro semanas depois

ter ligação à terra e são adequados

Mas estamos a falar sobre a saúde e

recebemos duas fotografias pelo

para uma ligação “equipontential”.

a vida dos funcionários, que é, como

Whatsapp com os resultados de uma

Numa linguagem simples, o sistema

penso que todos concordam, o mais

explosão no laboratório. O recipien-

tem de ser condutor de eletricidade e

importante.

te ficou todo rasgado, pois o filtro de

ligado à terra.

Para além disso, se há alguma prova

exaustão tornou-se um pequeno fo-

Num nível europeu temos a ATEX,

que foi a negligência que causou a

guete. A explosão acabou por danifi-

a abreviatura de “Atmosfera Explo-

explosão, não só pode ser levantada

car todos os filtros das “waste caps”.

siva”. Ao mesmo tempo, ATEX é o

uma ação criminal contra a gestão da

A explosão criou alguns danos mas

nome abreviado para a Diretiva Euro-

empresa, como também a companhia

felizmente ninguém ficou ferido.

peia 2014/34/EC, considerando a co-

de seguros pode recusar-se a pagar

Foram necessárias apenas quatro

locação no mercado de equipamento

os danos.

semanas para que a eletrificação do

mecânico à prova de explosão, com-

Por tudo isso, podemos constatar

fluxo carregasse o sistema elétrico

ponentes e sistemas de proteção.

que há realmente razões de extrema

por completo.

Por isso, sim, existem diretrizes in-

importância para investir na segu-

ternacionais para a prevenção da ex-

rança do laboratório!

Existem normas internacionais

plosões causadas pela eletricidade

quanto à prevenção de fogos e ex-

estática e os nossos produtos foram

plosões?

desenvolvidos e produzidos de acor-

Sim, há normas e boas práticas pois

do com as mesmas.

os Governos estão conscientes dos grandes perigos que existem na ma-

Mesmo com estes sistemas e di-

nipulação de vapores e gases. Na

retrizes, a responsabilidade das

Alemanha temos as “TRGS” (Techni-

pessoas envolvidas não pode ser

cal rules for hazardous substance –

descurada, correto?

Obrigado Florian por toda esta

Regras técnicas para as substâncias

Correto. Passando a redundância,

informação interessante sobre a

perigosas) implementadas pelo Ins-

o mais importante é a responsabili-

segurança em laboratórios.


2021

publicidade

Electrostatic Danger?

Stay cool. We take care of it. When collecting liquid waste, everything is about safety for people and environment. Stay relaxed with SymLine FLEX: the system protects you from the hazards of electrostatic charge, and adjusts itself to your laboratory - at any time.

✔ Protects from vapours & explosion ✔ Electrically conductive ✔ Simple, flexible installation ✔ Central waste collecting unit ✔ Modular system

www.symline.de

SymLine®ist registered trademark of S.C.A.T. Europe GmbH

17


SEGURANÇA NO LABORATÓRIO

3

4 9 2

7

8

O laboratório é o lugar onde se cria

a estes factos anteriores é a segu-

de trabalho, o tamanho dos corredo-

o futuro.

rança nos laboratórios.

res, a definição e a preparação das

Nada é mais valioso do que inves-

Para a introdução deste tema, apre-

infraestruturas são alguns dos mui-

tigadores e técnicos de laboratório

sentamos aqui um exemplo de um

tos fatores a ter em conta quando se

qualificados, motivados e compro-

laboratório de controlo de qualidade

desenha um laboratório, por forma a

metidos. Neste sentido, o bem-estar

para a indústria química.

criar-se um espaço seguro, harmo-

e saúde são uma prioridade funda-

O laboratório foi desenhado tendo

nioso que faça os utilizadores senti-

mental. A responsabilidade por um

em conta a segurança de quem traba-

rem-se satisfeitos com o seu espaço

laboratório é sempre também uma

lha no espaço. Essa segurança come-

de trabalho.

responsabilidade pelas pessoas que

ça precisamente com o labplanning.

nele trabalham. O princípio inerente

A optimização do espaço, os fluxos


_LAB PLANNING BY MODUS COMPLETE

6

5

10

1

Legenda 1. Chuveiros de emergência com lava-olhos 2. Braços articulados para extrações localizadas 3. Hottes de química 4. Armários de segurança para compostos químicos debaixo das hottes 5. Hotte móvel (AeroEm) 6. Armários de Segurança 7. Akkurat 8. Campânulas de extração fixas para extração localizada 9. Campânulas de extração fixa para sala de lavagem 10. Sistema de recolha de resíduos


20

a atenção aos detalhes

edição #001

A ATENÇÃO AOS DETALHES Foram criadas várias salas para as vá-

que é possível visualizar na solução

• sistema de recolha de resíduos pe-

rias tarefas usuais num laboratório:

apresentada os seguintes equipa-

rigosos quer nas bancadas, quer

sala de lavagem, sala de pesagem, sala

mentos:

para equipamentos de absorção ató-

• campânulas fixas de extração para

mica, sala de produtos químicos, sala

módulos de lavagem ou outros pon-

para equipamentos de cromatografia

tos fixos;

líquida, laboratório geral de prepara-

• campânulas fixas para absorção

ção e análise de amostras e produtos.

atómica;

nas hottes; • chuveiros de emergência com lava-olhos. Criou-se assim um laboratório com um conceito modular, com uma solução completa, que permite máxi-

Num laboratório, para além das ban-

• braços articulados para extrações

ma flexibilidade, e claro segurança.

cadas de laboratório, módulos de la-

localizadas para mesas de balança

Dependendo da tipologia de labora-

vagem, soluções de armazenamento,

ou para outros equipamentos de la-

tórios poderá não ser necessário re-

armários especiais, módulos de ser-

boratório;

correr a todos os equipamentos que

viço para chegada de infraestruturas

• hottes de química;

se descrevem a seguir, sendo que a

é sempre preciso contemplar equi-

• armários de segurança para com-

escolha se prende sempre com a se-

pamentos de proteção coletiva, pelo

postos químicos;

CAMPÂNULAS FIXAS DE EXTRAÇÃO As campânulas fixas de extração ser-

produto certificado.

vem para exaustões localizadas de

Aplicações mais comuns: para exaus-

vapores poluentes e não poluentes ou

tão dos vapores quentes de autocla-

fumos. Podem ser de diferentes tama-

ves, de estufas, de muflas, de zonas de

nhos, materiais, dependendo do que

lavagem, etc.

se quer extrair, e podem ter tapamen-

Na impossibilidade de se fazer passa-

tos laterais e janela frontal para tentar

gem de condutas de extração até ao

confinar ao máximo a área. Podem ser

exterior é possível fornecer estas cam-

de teto ou de bancada. Não é o mais

pânulas com sistemas de filtros.

adequado para trabalhos contínuos e com produtos perigosos, pois não é um

BRAÇOS ARTICULADOS Os braços articulados são semelhan-

absoluta de proteção do utilizador e

tes à campânula fixa. No entanto, a

não protege o meio envolvente.

sua área de ação é mais direcionada.

Aplicações mais comuns: zonas de pe-

O braço é articulado para que o bocal

sagem, extração de voláteis em croma-

se localize mesmo na zona de inter-

tografia líquida, etc.

venção. Trata-se de um equipamento

Quando a necessidade assim o define,

adequado para trabalhos pontuais e

existem sistemas móveis de braços ar-

de baixo nível de perigosidade, pois

ticulados com filtros adequados para

estamos a falar de um equipamento

gases e pequenas partículas.

não certificado, logo não dá garantia

gurança.


2021

a atenção aos detalhes

21

HOTTES DE QUÍMICA As hottes de química foram concebidas para a manipulação de compostos perigosos. Trata-se de um equipamento de proteção coletiva, pelo que é imperativo que a escolha recaia num equipamento certificado de acordo com a norma EN14175. Aqui dentro é onde se fazem manipulações de produtos químicos, tóxicos, vapores agressivos, pós e partículas ou líquidos em quantidades e concentrações perigosas, prejudiciais para a saúde. Pressupõe ainda uma utilização intensiva. É o mais indicado para trabalhos contínuos e prolongados. Numa longa ligação, a Modus Complete é representante oficial da Waldner. A marca alemã disponibiliza mais de 15 modelos diferentes de hottes de química, sendo que combinado com os diferentes tipos de revestimento e tamanho disponíveis, o número aumenta significativamente. COMO E O QUE ESCOLHER? Quando se escolhe um equipamento

aperfeiçoados em termos de tecno-

de água, gases inertes com ou sem

logia de fluxo, para que o fluxo de ar

regulador de pressão, gás combustí-

circule sem obstáculos.

vel, vácuo, tomadas monofásicas e/

como este, a principal característica a ter em conta é ser certificado de

ou trifásicas. O MAIS COMUM

acordo com a norma EN14175, dan-

Quando dentro da hotte é necessário colocar um equipamento de grandes

do assim toda a segurança a quem

Para os trabalhos standard de mani-

dimensões, recomenda-se recorrer a

trabalha na hotte e quem traba-

pulação de compostos químicos pe-

uma hotte certificada walk-in.

lha no laboratório onde ela está

rigosos, existe um modelo standard,

contida. Depois, a tipologia de hotte

com dimensões de largura frontal

deve ser adequada ao trabalho que

entre os 1200 e os 2100mm. Esta ho-

se vai realizar no seu interior. A se-

tte deverá ter a superfície de traba-

Se a hotte vai ser usada para fazer

gurança tem prioridade máxima em

lho em grés cerâmico e o seu reves-

digestões ácidas dever-se-á escolher

laboratórios, sejam laboratórios de

timento poderá ir desde melamina

uma hotte certificada para trabalhos

pesquisa ou analíticos. Cada detalhe

até grés cerâmico, de acordo com a

com ácidos e cargas térmicas eleva-

das hottes de química Waldner foi

intensidade e número de operações

das. É importante frisar que para se

otimizado para minimizar o perigo

que são feitas dentro da hotte.

fazerem digestões ácidas não che-

de refluxo do interior da hotte e, as-

Em termos de infraestruturas todas

ga revestir o interior de uma hotte

sim, evitar a fuga de substâncias no-

as hottes podem ter pio de despejo

standard com grés cerâmico. As hot-

civas. O design aerodinâmico, com o

no tampo ou estar perfeitamente in-

tes projetadas para estas aplicações

qual os componentes do fluxo de ar,

tegrado na baffle da hotte permitin-

especiais com altas cargas térmicas

como o perfil lateral e o perfil fron-

do que este não interfira na área de

e/ou exposição a ácidos precisam

tal da superfície de trabalho, foram

trabalho, pode ter diferentes tipos

atender a requisitos extremamente

ATENÇÃO AOS ÁCIDOS


22

a atenção aos detalhes

edição #001

rigorosos de acordo com a norma

trodos de alta voltagem para ionizar

EN 14175, em concreto com a parte

os fluxos de suporte de ar. Os flu-

7, daí a denominação deste modelo

xos de suporte de ar ionizados des-

de hottes, como EN7. Os modelos

carregam as superfícies pelas quais

desenvolvidos especificamente para

passam, tornando possível uma lim-

esta utilização, entre outras coisas,

peza segura. Esta tecnologia está

possuem um design do fluxo de ar

aplicada nas hottes certificadas “Se-

que permite garantir uma extração

cuflow Ionic” e também está paten-

segura, mesmo quando se trabalha

te nas cabines de pesagem Akkurat.

com fontes de alto calor (por exem-

A Akkurat garante um ambiente de

plo, placas de aquecimento). O uso

trabalho preciso e seguro ao utiliza-

de revestimentos interiores das ho-

dor que trabalha com substâncias

ttes com materiais adequados tam-

altamente ativas e fornece, além

bém possibilita o trabalho com ácido

disso, excelente ergonomia e con-

perclórico e ácido fluorídrico, sendo

forto. A bancada totalmente desa-

que a Waldner também tem modelos

coplada de vibração e com absorção

certificados específicos para estas

de choque permite uma calibração

utilizações. Dada a carga ácida ele-

rápida e precisa durante o uso de

vada dos gases de exaustão desta

microbalanças altamente sensíveis.

tipologia de hottes especiais, EN7,

A tecnologia Ionic funciona como

é recomendável acoplar às hottes

uma barreira iónica, integrada de

um lavador de gases. O lavador de

forma única no mercado neste tipo

gases, “scrubber”, absorve os gases

de aplicações, limitando a estática

agressivos e tóxicos produzidos, por

das roupas, luvas e dos elementos e

exemplo, a partir do ácido perclóri-

ferramentas utilizadas no manuseio

co, ácido fluorídrico, ácido sulfúri-

da amostra e na sua pesagem. A

co, ácido clorídrico, ácido nítrico e

presença de filtros HEPA completa a

misturas destes. Isso contribui para

segurança deste equipamento. O ar

manter o ar limpo e preservar o am-

filtrado é descarregado novamente

biente dando longevidade às insta-

na sala (modo de circulação de ar).

lações. Adicionalmente poderá ser

Uma abertura selável está localizada

acoplado ainda um neutralizador.

na parte frontal direita da bancada, que acomoda um sistema de elimi-

ATEX PARA ATMOSFERAS

nação de resíduos. O design focado

PERIGOSAS

na ergonomia e na função atende aos mais altos padrões de qualidade

No caso de a manipulação química

e segurança - confirmado pelo Ger-

poder dar origem a uma atmosfera

man Design Award 2016.

explosiva, esta manipulação deverá ser feita dentro de uma hotte certi-

AEROEM E HOTTE MÓVEL PARA

ficada ATEX.

UMA UTILIZAÇÃO STANDARD

Frequentemente, o trabalho nos laboratórios ocorre com partículas e

particulas e aerossóis pode levar à

No caso em que não é possível pas-

aerossóis, principalmente na indús-

sua aderência no interior da hotte.

sar condutas de extração por impe-

tria farmacêutica. A segurança dos

A contaminação da superfície pode

dimento estrutural do edifício ou

trabalhadores de laboratório duran-

ser transportada para as roupas das

não é recomendável por questões

te o manuseio de substâncias tóxi-

pessoas e equipamentos de trabalho

de segurança libertar o que é pro-

cas exige uma proteção potente para

e colocar em perigo os utilizadores

duzido dentro da hotte para o meio

garantir a máxima segurança. A car-

do laboratório. A tecnologia Ionic

ambiente, é possível dimensionar

ga eletrostática das superfícies, das

desenvolvida pela Waldner usa elé-

devidamente um sistema de extra-


2021

a atenção aos detalhes

23

ção com filtros para acoplar à hotte de química. Estes sistemas de filtros são dimensionados tendo em conta os componentes, as quantidades e a duração de uso dos mesmos dentro destas hottes. Este sistema de filtros não está disponível quando se tratam de cargas térmicas elevadas e de cargas ácidas elevadas. A hotte AeroEm é uma hotte móvel com todos os recursos e atende a todos os requisitos da norma EN14175 para utilizações standard. Esta hotte está equipada com rodízios e conexões às infraestruturas flexíveis, e pode ser instalado em locais livremente selecionáveis a qualquer momento por meio de conexões plug-in. A única pré-condição para posicioná-la em qualquer lugar do laboratório é estar disponível uma coluna

serem o mais ecológicos, económi-

ao nível do tampo e simultaneamen-

de serviços que forneça os meios,

cos e eficientes possível. É por isso

te também ao longo das laterais da

incluindo a conexão da ventilação. O

que muitos dos modelos referidos

hotte. E é este caudal de apoio que

seu interior é totalmente visível de

anteriormente são equipados com a

acaba por empurrar os valores que

todos os lados, o que a torna uma ho-

tecnologia de economia de energia

estão a ser produzidos dentro da ho-

tte ideal para ambientes de ensino.

Secuflow. Tratam-se de hottes onde

tte e como consequência temos uma

foi desenvolvida uma otimização de

hotte que necessita menos 33% do

SECUFLOW PARA REDUZIR O

toda a sua engenharia de fluidos

caudal de extração quando compa-

CAUDAL DE EXTRAÇÃO

interna, no sentido de haver uma

rado com uma hotte standard.

diminuição do caudal de extração, Segurança e eficiência energética

ou seja do consumo energético da

são sem dúvida aspetos importan-

hotte, mantendo contudo as certi-

tes a ter em conta na hora de equi-

ficações e como tal a segurança do

par os laboratórios. Isto significa

utilizador.

que os equipamentos de proteção

Estas hottes têm um fluxo adicional

também devem ser projetados para

ao longo de todo o frontal da hotte,

PENSANDO MUITO ALÉM DA SEGURANÇA Quando se pensa em evolução, em

ção do fluxo de ar, com uma econo-

hottes de futuro, podemos imaginar

mia de 33% de energia;

por exemplo:

- hottes ajustáveis em altura, com

- câmaras e sensores de temperatura

transparências em todo o seu corpo

que permitem que experiências se-

superior, altamente funcionais e in-

jam monitorizadas remotamente e

teligentes.

que sejam integrados alarmes que

Todas estas características já são

são transmitidos ao sistema de ges-

possíveis nas hottes de química

tão do prédio;

Waldner, mantendo sempre a pre-

- poupança energética com otimiza-

missa da certificação = segurança.


24

a atenção aos detalhes

edição #001

ARMÁRIOS DE SEGURANÇA PARA COMPOSTOS QUÍMICOS O armazenamento de produtos químicos com alto potencial de risco pode ser um processo bastante complicado e, por vezes, perigoso. Decifrar as fichas de segurança (Safety Data Sheets – SDS) e determinar como separar vários produtos químicos pode ser um desafio. Para proteger os utilizadores do laboratório e o meio ambiente da maneira mais eficiente possível, são necessários o manuseio e o armazenamento adequados de materiais perigosos nas áreas de trabalho. Os produtos químicos perigosos, corrosivos e inflamáveis deverão ser armazenados em armários de segurança adequados para a finalidade. No caso dos produtos corrosivos, estes devem ser

estanques e resistentes ao fogo. Es-

do armário. Estes armários também

armazenados em armários de segu-

tes armários são constituídos por um

devem ser ventilados. Existe a pos-

rança não metálicos, com tabuleiros

corpo metálico, sendo que as suas

sibilidade de se fornecer um sistema

de retenção em polipropileno para

paredes interiores são constituídas

de filtros. O armário tem na saída da

acautelar eventuais escorrimentos

por múltiplas camadas, com isolan-

exaustão um termo-fusível que em

ou derrames dos frascos dos produ-

tes à prova de fogo de fibra mineral

caso de aumento de temperatura aci-

tos químicos. Estes armários devem

(sulfato de cálcio) que confere ao ar-

ma dos 50ºC, quebra e sela também

ser ventilados, através de uma liga-

mário capacidade para aguentar um

a exaustão para que o fogo não possa

ção ao exterior ou recorrendo a sis-

aumento de temperatura em caso de

propagar para o interior do armário.

temas de caixas de filtros. Já no caso

incêndio. À volta das portas existe

Desta forma a armário fica completa-

dos produtos inflamáveis estes de-

uma fita de material intumescente

mente selado, dando a possibilidade

vem ser armazenados em armários

que em caso de incêndio sela a porta

de se evacuar um edifício.

SISTEMA DE RECOLHA DE RESÍDUOS PERIGOSOS Quando se fala em sistema de reco-

cada onde está um HPLC, deverá

lha de resíduos perigosos, pretende-

ser feita recorrendo a um funil em

-se ter uma solução ideal para uma

PE-HD electro condutivo, especifica-

recolha fácil, limpa e segura em la-

mente desenvolvido para atmosferas

boratórios.

inflamáveis. Estes resíduos devem

Estes sistemas devem ser constituí-

ser encaminhados para jerricans

dos por materiais perfeitos e sim-

também eles de materiais conduti-

ples, mas absolutamente seguros,

vos e este deverá estar dentro de um

que permitem fazer manipulação de

armário de segurança para substân-

resíduos em segurança. Por exemplo

cias inflamáveis.

a recolha de resíduos inflamáveis dentro de uma hotte ou numa ban-


2021

a atenção aos detalhes

25

INFRAESTRUTURAS Todos estes equipamentos necessi-

importante na medida em que os tra-

tam de infraestruturas devidamente

çados de cabos eléctricos e tubagens

coordenadas e compatibilizadas para

hidráulicas devidamente planeadas,

permitir que a integração desses

conseguem ser integradas nos edifí-

equipamentos seja a mais apropria-

cios ou até mesmo no mobiliário de

da. Por exemplo, uma hotte com as

modo a torná-las invisíveis. A coor-

melhores características, com um tra-

denação melhora assim a eficiência

çado de condutas mal dimensionado

dos equipamentos e a estética dos

e desenvolvido, levará a ventiladores

espaços onde estão integrados.

mais potentes, logo com maior ruí-

O planeamento é assim de extre-

do, não permitindo que se tire todo

ma importância antes de começar a

o potencial da hotte. A questão da

montar um laboratório.

estética do espaço revela-se também

CHUVEIROS DE EMERGÊNCIA COM LAVA-OLHOS Chuveiros e lava-olhos de emergência

que toca à instalação, tais como:

são fundamentais para salvaguardar

• O chuveiro ou lava-olhos deve ser

a segurança dos trabalhadores num

instalado num local de fácil acesso,

local de trabalho, uma vez que evitam

em que o trabalhador não demore

consequências graves na saúde dos

mais de 10 segundos a alcançar;

trabalhadores em caso de acidente

• É necessário que o equipamen-

com matérias químicas. São especial-

to tenha conexão contínua a uma

mente necessários em espaços de tra-

rede de fornecimento de água;

balho onde os trabalhadores estão em contacto com matérias químicas ou perigosas que podem gerar queimaduras ou problemas graves na saúde ocular dos trabalhadores, tais como

• O espaço não deve ter qualquer tipo de obstrução; • A alavanca manual e pedal devem ser de fácil acesso; • A pressão de fornecimento da

laboratórios, oficinas, entre outros.

água deve estar correta, de acordo

A sua função é limpar e higienizar o

com a norma europeia e detalhes

mais rápida e eficazmente possível

do fornecedor;

qualquer parte do corpo que tenha sido contaminada por qualquer tipo

• A temperatura da água deve estar entre os 15º C e os 35º C.

de matéria química e perigosa. A norma europeia em que tudo isto está consagrado é a EN 15154, que determina algumas especificações no

Tão importante como ter todos ou

ção. Como qualquer equipamento

riodicamente e por equipas espe-

alguns destes equipamentos no es-

é altamente recomendável fazer-

cializadas para o efeito. Pois pior

paço de trabalho num laboratório,

-se a devida manutenção a todos

do que acontecer um acidente de

é mantê-los nas melhores condi-

os equipamentos de proteção cole-

trabalho, é não ter forma de mini-

ções e em bom estado de conserva-

tivos referidos anteriormente, pe-

mizar as suas consequências.


26

dos epi’s aos epc’s

edição #001

DOS EPI’S AOS EPC’S

Quando falamos em segurança pen-

zindo os principais riscos laborais.

trabalhador. O profissional deverá

samos sempre em equipamentos de

Desse modo, eles não são vestidos

utilizá-los até à conclusão das tare-

proteção individual (EPIs), como é

pelos funcionários, mas instalados

fas e precisa haver uma fiscalização

o caso dos óculos de proteção ou a

no ambiente de trabalho. Eles não

da gestão de pessoa sobre a adesão

bata de laboratório.

substituem os EPIs, na verdade é

de cada funcionário a essa medida

Segundo a Diretiva 89/656/CEE o

uma relação de complementaridade,

de segurança. Os melhores exemplos

Equipamento de Proteção Individual

na qual, em sinergismo, melhoram a

são os óculos, as luvas, os cintos, as

é “qualquer equipamento destinado

proteção do trabalhador. A sua prin-

máscaras etc.

a ser usado ou detido pelo trabalha-

cipal função é a proteção dos empre-

Já os EPCs são estruturas instaladas

dor para sua proteção contra um ou

gados durante a execução de tarefas

no ambiente para abranger o maior

mais riscos suscetíveis de ameaçar a

ou a circulação por locais perigosos

número de pessoas possível. A obri-

sua segurança ou saúde no trabalho,

dentro de uma instalação. Isso re-

gatoriedade de cada tipo de equipa-

bem como qualquer complemento ou

duz os riscos de doenças provocadas

mento varia de acordo com a ativida-

acessório destinado a esse objetivo”.

pelo trabalho, as quais podem inca-

de exercida. Por exemplo, na indústria

Os EPI representam a terceira linha

pacitar as pessoas e gerar uma inde-

química, as hottes não podem faltar

de defesa do trabalhador perante o

nização muito grande a ser paga por

ao passo que, nas obras, os guarda-

risco de acidente, sendo que devem

sua empresa.

-corpos atuam, em conjunto com o

ser utilizados quando os riscos exis-

Em termos legais, o regime jurídico

cinto e o arnês, impedindo a queda.

tentes não puderem ser evitados ou

da promoção da segurança e saúde no

Quando se fala num laboratório e nos

suficientemente limitados, em pri-

trabalho, presente na Lei Nº 102/2009,

equipamentos de proteção coletiva

meiro lugar, por medidas, métodos

no seu artigo Nº 15- Obrigações gerais

que deverão ser considerados, ob-

ou processos de prevenção inerentes

do empregador – refere como um dos

viamente a tipologia destes varia de

à organização do trabalho e em se-

princípios gerais de prevenção, que

acordo com a tipologia de laboratório.

gundo lugar, por meios técnicos de

devem ser priorizadas as medidas de

proteção coletiva, como os equipa-

proteção coletiva em relação às medi-

mentos de proteção coletiva (EPCs).

das de proteção individual.

A sua principal característica é a

Os EPIs são para a proteção de cada

prevenção de acidente para todos os

indivíduo exposto aos riscos. Eles, na

trabalhadores dos ambientes, redu-

maioria das vezes, são vestidos pelo


2021

publicidade

A Gasin nasceu em 1966 e desde então temos superado inúmeros desafios e acontecimentos históricos, trabalhando com integridade e qualidade para aportar valor aos nossos clientes e à sociedade em cada momento. Estamos muito orgulhosos em continuar aqui, mais de 50 anos depois...

Mas do que nos sentimos mais orgulhosos é de que tudo isso não o fizemos sozinhos, mas sim JUNTOS, com todos vocês.

E JUNTOS TAMBÉM SUPERAREMOS ESTE MOMENTO

gasin.com Siga-nos nas redes sociais!

27


28

bombeiros publicidade - planos de ataque

From scientific discovery to scale-up and commercial delivery, you need mission-critical products, services and solutions on a global scale. Avantor® offers global access to our own portfolio of trusted, quality brands and critical products through our premier delivery platform, VWR®. All of this, combined with infrastructure strategically located to help serve your specific needs, helps move science forward – fast. That’s science delivered.

Get the mission-critical scientific products and solutions you need from Avantor, delivered through VWR.

vwr.com/science-delivered

Visit us at pt.vwr.com

edição #001


2021

bombeiros - planos de ataque

29

BOMBEIROS - PLANOS DE ATAQUE Embora o foco seja sempre a proteção

É também estabelecida uma equipa

descontaminação colocada no corre-

e a segurança infelizmente há aciden-

de combate que possui o seguinte

dor de saída. Está ainda previsto que,

tes que acontecem. Para uma rápida

material: equipamento de proteção

em caso de necessidade de transfega

intervenção e resolução desses pro-

individual e linha de mangueira de

de material contaminante, é solicitado

blemas, há planos e métodos utiliza-

45mm e/ou 70mm. É também efetua-

ao Comando Distrital de Operações

dos pelos Bombeiros com abordagens

da a ventilação natural ou com recur-

de Socorro uma equipa especializada

específicas.

so a equipamento dedicado como o

para o efeito.

Segundo os Bombeiros do Concelho

ventilador de pressão positiva.

de Espinho, em casos de combate a

INCÊNDIOS EM VEÍCULOS COM

incêndios estruturais, são utiliza-

COMBATE A INCÊNDIOS COM

PARTICULARIDADES

dos, regra geral, veículos urbanos

MATÉRIAS PERIGOSAS

DIFERENTES

dos elementos utiliza equipamen-

Na particularidade de combate a in-

No que diz respeito à intervenção em

to de proteção individual composto

cêndios mas com matérias perigosas,

incêndios mas em veículos, a situação

por: fato de proteção, capacete, co-

os protocolos a seguir são outros.

obriga a medidas particulares. Para

gula, botas, luvas e ARICA - Apare-

Primeiro, o comandante das operações

além da utilização de equipamento

lho Respiratório Isolante de Circuito

de socorro verifica qual/quais as maté-

de proteção individual descrito ante-

Aberto (permite atuar em ambientes

rias perigosas envolvidas e estabelece

riormente, é estabelecida uma equipa

com atmosferas perigosas).

os meios de ação de acordo com as in-

de combate equipada com uma linha

Por regra são estabelecidas equipas

dicações do MIEMP - Manual de Inter-

de mangueira de 45mm para combate

de busca e salvamento de vítimas que

venção em Emergências com Matérias

direto ao incêndio com recurso a água

atuam de forma a identificar e resga-

Perigosas. É montado um corredor de

ou espuma. Os Bombeiros do Conce-

tar vítimas equipadas com o seguinte

entrada e de saída devidamente sepa-

lho de Espinho informam ainda que

material: equipamento de proteção

rados e é efetuado o combate ao in-

caso o incêndio seja de pequena di-

individual acima descrito, machado,

cêndio. Finalizado esse processo, é ne-

mensão poderá ser efetuado combate

alavanca halligan, câmara de visão

cessário efetuar descontaminação dos

com recurso a extintor de pó quimico,

térmica, lanterna e capuz de resgate.

bombeiros envolvidos numa bacia de

CO2 ou espuma.

de combate ao incêndio. Cada um


Anuncio 30 Prod-A4-OK 17/12/08 18:09 Pagina 1

publicidade C

edição #001 M

Y

CM

MY

CY CMY

K

Un modelo para cada necesidad Disponemos de una amplia gama de Grifería de Laboratorio para: agua, gases y aguas especiales, con un diseño moderno y elegante, permitiendo su instalación en mesa, pared y suspendido, así como en vitrinas para gases. Fabricados con materiales anticorrosivos como polipropileno, acero inoxidable o con recubrimiento de poliamida, impidiendo que los ácidos utilizados en el laboratorio no dañen la superficie de los grifos. Desde el año 1944, venimos suministrando Grifería de Laboratorio cumpliendo las normas DIN 188 de Grifería de Laboratorio.

SOLICITE CATALOGO ELOS, CON MOD ES E DIMENSION IONES DE INSTRUCC ION INSTALAC

GRIFERIA DE LABORATORIO - EQUIPOS DE EMERGENCIA

Compositor Narvaez, 1O P. I. CAN JARDI O8191RUBI (Barcelona) ESPAÑA Teléfono 935 860 780 Fax 936 973 226 info@carlosarboles.com

La respuesta en Equipos de Emergencia Las Duchas y Lava-Ojos de Emergencia, son la respuesta inmediata para la descontaminación por proyección de agua para la protección por disolución y lavado extractivo de las agresiones, debidas a los productos químicos caústicos, ácidos, así como la radioactividad..., que podrían provocar lesiones graves e irreparables. Desde hace más de 30 años, venimos fabricando Equipos de Emergencia cumpliendo las normas: DIN EN 15154 /2006 y ANSI - Z 358 -2004.

Mod. 2210

LAVA-OJOS DE EMERGENCIA CON SOPORTE MURAL

Los Lava-Ojos ofrecen un gran caudal de agua aireada a baja presión que no dañan los delicados tejidos oculares. Incorporan filtro de acero inoxidable, recogedor de agua en plástico ABS amarillo o acero inoxidable, y van equipados de cubiertas anti-contaminación de funcionamiento automático en la puesta en marcha.

Mod. 4220

DUCHA LAVA-OJOS CON DOBLE MANDO


2021

imm - a investigação e a segurança de mãos dadas

IMM - A INVESTIGAÇÃO E A SEGURANÇA DE MÃOS DADAS O Instituto de Medicina Molecular –

Compliance) e nos laboratórios de aco-

João Lobo Antunes (iMM) é um institu-

lhimento é muito importante, de modo

to de investigação na área das ciências

a garantir que as pessoas novas adqui-

biomédicas. A gestão da segurança no

rem o nível de conhecimento neces-

iMM é complexa e desafiante, dada a

sário para poderem desenvolver o seu

grande diversidade de atividades de-

trabalho em segurança.

senvolvidas nos laboratórios.

A adaptação dos espaços a todas estas

Ao contrário, por exemplo da indústria,

atividade e riscos, que são variáveis ao

onde o produto final está bem definido

longo do tempo, e que são desenvolvi-

e os processos produtivos estão stan-

das num edifício que não foi concebido

dardizados e otimizados, com poucas

para albergar laboratórios de investiga-

mudanças ao longo do tempo, no caso

ção, também coloca muitos desafios.

de um instituto de investigação como

A falta de modularidade dos espaços,

o iMM, o “produto final” pode tomar a

que permita fazer face ao aumento/

forma de um sem número de respostas,

diminuição do número de pessoas que

positivas ou negativas, para perguntas

trabalham em determinado laborató-

que nunca foram anteriormente res-

rio, ou a impossibilidade de facilmente

pondidas ou feitas.

adaptar os laboratórios para fazer face

Isto faz com que os “processos produ-

aos novos riscos que as suas linhas de

tivos” não estejam completamente de-

investigação originam, colocam por

finidos, existindo uma grande variabi-

vezes, algumas dificuldades. Isto acon-

lidade, necessidade de os ir ajustando

tece principalmente quando se tentam

ao longo do tempo e de forma rápida.

implementar medidas de prevenção e

Esta imprevisibilidade dos processos

controlo na fonte de modo a isolar/con-

faz com que os perigos e a exposição

finar os perigos (ex.: agentes químicos,

aos riscos também padeçam desta in-

biológicos, entre outros).

constância.

É por isso necessário ter uma estrutura

Outra particularidade é o elevado “tur-

bem organizada, com procedimentos,

nover” das pessoas que estão no iMM.

riscos e requisitos legais bem defini-

Uma vez que uma das missões do iMM

dos, revistos regularmente, e avaliados,

passa pela formação de novos cientis-

sempre que possível, por entidades ex-

tas, existe uma parte significativa da

ternas isentas.

comunidade que fica apenas o tempo

No “Safety & Compliance” trabalhamos

necessário para aprofundar a sua for-

todos os dias para atingir estes objeti-

mação científica, como os estudantes

vos, para garantir um ambiente seguro

de mestrado, doutoramento ou pós-

para todos os que trabalham e apren-

-doutorados, que depois deste período

dem neste ambiente vibrante que é o

seguem a sua carreira noutros institu-

iMM.

tos ou em vias profissionais distintas. Aqui, o papel da formação e comuni-

Sara Santos

cação contínuas que são dadas pelo

Area Manager

departamento de segurança (Safety &

Safety & Compliance

31


32

opinião — miguel pinto

edição #001

OPINIÃO

Miguel Pinto

Fundador da Pharma Arquitetos, empresa especializada na área de projetos de Arquitetura de Saúde e Farmacêutica. Board Member da EGNATON-European Association for Sustainable Laboratories, onde desempenha também funções no grupo 2 - Arquitetos e Lab Planners. Orador em conferências sobre Lab Planning, nomeadamente na “International Lab Design Conference”, “Labspace Design Russia”, “Labtalks” e “Research Building Summit”.

Não existe tema mais importante em

de segurança será de imediato atribuí-

cada espaço.

fase de projeto, do que a Segurança.

do a cada compartimento, dependen-

Abordando a segurança em termos de

Não há dúvidas sobre isto. Ponto. Não

do da sua função (tipo de laboratório),

projeto, o conceito vai aprofundando

é à toa que existe o famoso “chavão”

dimensão (área e volume), número

a sua estratégia, à medida que vamos

em todos os laboratórios do Mundo:

de pessoas (efetuando um cálculo de

avançando na conceção de cada es-

SAFETY FIRST! É, portanto, uma ver-

efetivos por compartimento, seguindo

paço, pois as informações vão sendo

dade incontornável e indiscutível.

a regulamentação de Segurança con-

habitualmente reunidas em conjunto

Existem conceitos e estratégias que

tra Incêndio em Edifícios), produtos a

com o cliente e assim ajustando as

possuem obviamente a sua importân-

utilizar e suas quantidades (químicos,

suas classificações, por forma a ter-

cia num laboratório, mas nenhum é tão

sejam reagentes ou solventes e volu-

mos as regras definidas com a maior

importante e tão vasto como a Segu-

mes de cada produto), equipamentos a

antecedência possível. Muitas destas

rança, que entra em vigor e é constan-

utilizar, respetivas potências elétricas

regras definidas previamente permi-

te desde o planeamento, que é absor-

e caloríficas e outros. São, portanto,

tem já na elaboração do documento

vido nos projetos, constitui uma parte

imensos os fatores variáveis que re-

de Especificações do Utilizador (URS

muito importante das regras de Higie-

sultam em diferentes classificações de

- User Requirement Specification),

ne e Segurança no Trabalho através

segurança, atribuídas corretamente a

atribuir uma determinada classe de

dos Planos de Segurança e Saúde em Obra com uma implementação permanente durante toda a fase de construção, quando em funcionamento é uma constante na operação dos espaços e depois renovada em atualizações de instalações e até ao seu tempo útil de vida, num possível desmantelamento. Em todo o seu ciclo de vida, um laboratório é pensado com segurança, por forma ser utilizado pondo em prática essas mesmas regras de segurança. O conceito de Segurança deve ser, portanto, enraizado desde o seu planeamento e assim que se define a utilidade do laboratório, por divisão e consequentemente do edifício. O nível


2021

opinião — miguel pinto

33

risco a cada espaço. Porém, para além das regras definidas nos mais variados regulamentos de segurança de projetos, existem regras básicas que são determinadas pela lógica do ponto de vista do utilizador e que se não forem pensadas durante o desenvolvimento dos projetos, não serão possíveis de implementar na operacionalidade do espaço. Este

> Hottes laboratorial, um equipamento amplamente usado para proteção do utilizador

“pensamento seguro” irá ser uma constante durante todo o processo e

rança do utilizador é, e mais uma vez

sibilitem a sua proteção à exposição

só funcionará se todas as fases pen-

falamos para além dos obrigatórios

de substâncias químicas que irão ser

sarem da mesma forma (planear / pro-

meios de deteção e extinção, o planea-

utilizadas, tais como hottes laborato-

jetar / construir / operar).

mento da instalação de equipamentos

riais, enclausuras, câmaras de biosse-

Haverá, portanto, que pensar não só

de emergência tais como chuveiros

gurança, fluxos laminares, isoladores,

nas regras de uma instalação segura,

de laboratório, lava-olhos e/ou kits de

braços de aspiração localizada, etc.

mas também em possibilitar ao futu-

emergência. Mais uma vez, este tipo

Estes são muito importantes, prin-

ro utilizador, o trabalho segundo as

de equipamentos necessita de uma

cipalmente se forem equipamentos

condições de segurança necessárias.

rede de infraestrutura dedicada (água

certificados, pois teremos a certeza

Vamos abordar um exemplo muito

e esgoto) para que nada falte em caso

de que foram testados em todas as

frequente, que se trata da utilização

de emergência dentro de um labora-

condições previstas pelas normas de

e armazenamento de produtos quími-

tório. Existem ainda algumas particu-

segurança nacionais e internacionais.

cos num laboratório. Se não prever-

laridades curiosas como por exemplo,

Também estes equipamentos neces-

mos espaços rigorosamente planea-

as normas GMP exigirem água tépida

sitam de infraestruturas importantes

dos e localizados com as respetivas

para os chuveiros e lava-olhos numa

para garantir o bom funcionamento

ventilações para extração suficientes,

instalação

validada.

dos mesmos, tal como extrações de-

não se poderão instalar armários de

Também a localização rigorosa deste

dicadas, gases laboratoriais, eletrici-

segurança para o armazenamento

tipo de equipamentos é muito impor-

dade, dados, água e outros. Se tal não

seguros desses mesmos produtos

tante para fazer a diferença em caso

for previsto em fase de projeto, não se

químicos! Este é um fator muito im-

de necessidade. Por exemplo, não

poderá garantir a segurança de modo

portante que muitas vezes fica sim-

adianta colocar um destes equipa-

algum, em fase de utilização.

plesmente esquecido em projeto e

mentos num local não acessível, não

Muito importante pensar nos concei-

posteriormente terá de ser resolvido

visível ou que “não incomode” na ar-

tos de segurança do ponto de vista

com as empresas fornecedoras de

quitetura do espaço. De nada adianta,

dos fluxos de trabalho e/ou proces-

equipamento e mobiliário de labora-

sendo até perigoso. Estes equipamen-

so dos utilizadores, na segurança da

tório, que têm de arranjar soluções de

tos têm de ficar colocados sempre em

instalação em termos de arquitetura e

recurso para que tudo funcione, o que

locais visíveis e/ou de passagem, per-

sistemas de controlo e de facilitar os

nem sempre é fácil. É, portanto, uma

cursos que façam parte dos caminhos

procedimentos do utilizador para que

questão que deve ser abordada com o

de fuga, como por exemplo, junto das

possam ser executados sempre com

utilizador e pensada antecipadamen-

saídas principais do respetivo espaço.

um risco minimizado.

te, por isso é importante saber quais

As últimas tendências internacionais

O que se pode resumir, é que o âmbi-

os produtos em cada laboratório e

do Lab Planning defendem até que

to da segurança é muito vasto e nun-

suas respetivas quantidades, para

estes equipamentos deveriam estar

ca pode ser descurado, muito menos

que possamos em fase de projeto

colocados imediatamente fora do lo-

desprezado em fase alguma. Bem

dimensionar armários de segurança

cal de risco.

pelo contrário, tem de estar sempre

adequados a cada tipo de produto e

Abordando outro fator importante

presente em todas as mentes criado-

prever assim as suas infraestruturas

para garantir a segurança do utili-

ras e utilizadoras de um espaço labo-

em projeto e obra.

zador é prever, em fase de projeto, a

ratorial, farmacêutico ou hospitalar.

Outro fator importante para a segu-

instalação de equipamentos que pos-

farmacêutica


34

projetos

PROJETOS

edição #001

Desenvolvidos pela ModusComplete

Tipo de projeto Sala Limpa

Tipo de projeto Hotte de química certificada

Tipo de projeto Sala Limpa

Área Produção dispositivos médicos

Área Hotte para aplicações especiais, EN7, para cargas térmicas elevadas

Área Higiene e Segurança

A Moduscomplete desenhou e cons-

As Hottes de Química de aplicações

A ModusComplete executou para o

truiu uma sala limpa com cerca de

especiais construídas e certificadas de

IPO do Porto as obras de reformulação

560m , ISO7 para produção de dis-

acordo com a EN 14175, em concreto

do espaço de manipulação de radio-

positivos médicos.

com a parte 7 de norma, tornam possí-

nuclídeos e de preparação de radiofár-

vel o trabalho em segurança, com car-

macos, numa área total de 21m2, que

As salas foram equipadas com ante-

gas térmicas e cargas ácidas elevadas

contemplou a instalação de uma Sala

câmaras amplas, com possibilidade

no seu interior. As condensações peri-

Branca com Classificação D e respe-

de entrada de empilhador para en-

gosas são removidas com segurança.

tiva antecâmara. A sala destina-se à

trega de matéria-prima. Possui ain-

As Hottes de Química de aplicações

manipulação de radionuclídeos e ra-

da uma antecâmara separada para

especiais são especificamente aprova-

diofármacos pelo que foi dotada de

entrada e saída dos operadores, de-

das para trabalhos de decomposição de

um sistema de ar condicionado espe-

vidamente equipada com mobiliário

produtos químicos. A engenharia inte-

cífico para o efeito. Tratou-se de uma

em resina fenólica adequado ao am-

rior evita as concentrações perigosas

construção do tipo “chave-na-mão”,

biente limpo. Sala de produção com

e que possíveis acumulações de subs-

tendo sido incluídas todas as especia-

sistema de saída de produto acaba-

tâncias nocivas sejam libertadas para

lidades, nomeadamente construção

do recorrendo a tapetes de recolha

dentro do interior da zona de trabalho.

civil, eletricidade e AVAC. Em termos

automáticos para sala de embala-

Este equipamento de proteção coletivo

de materiais assegurou-se que as sa-

gem com acesso por empilhador.

foi instalado pela ModusComplete nos

las foram construídas em materiais

laboratórios do SMAS de Almada.

facilmente laváveis e de elevado grau

2

de assepsia, quer ao nível das paredes, chão e tetos.


2021

equipa

EQUIPA

35

Três rostos da equipa ModusComplete

Nome Carina Machado, 43 anos Função Diretora Comercial

Sou licenciada e doutorada em Engenharia Química pela Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto, e tenho mais de 10 anos de experiência de trabalho em laboratórios. O desafio ModusComplete surgiu em 2018, o que me permitiu sair detrás da bancada de laboratório e passar a fazer laboratórios acontecerem todos os dias, nas mais variadas áreas de trabalho.

Nome Carlos Loureiro, 49 anos Função Direção Desenvolvimento e Desenho “Colaboro

com

a

Moduscomplete

desde

Feverei-

ro de 2019, onde cada dia é transformado numa nova experiência,

para

dar

resposta

a

todos

os

desafios.

Equipa de excelência, combinando experiência dos elementos mais antigos, com a vontade de aprender dos elementos mais novos.”.

Nome André Monte, 51 anos Função Responsável armazém “Trabalho na Modus Complete há cerca de quatro anos. Gosto bastante dos desafios propostos assim como das inovações que realizamos em diversos projetos. O espírito de equipa é uma mais-valia para a realização das funções”.


36

labtalksmag

Revista desenhada e paginada por ModusComplete. www.moduscomplete.com

Rua da Igreja Velha, 416

geral@moduscomplete.com

4410-160 São Félix da Marinha

227 116 056

Portugal

edição #001