Issuu on Google+

tecido

Escola com maior nota no Ideb destaca educação tecnológica A

s melhores escolas são as melhores porque têm bons alunos ou têm bons alunos porque são as melhores? A discussão sobre a qualidade do ensino ressurge a cada divulgação do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb). São muitas as tentativas de se compreender quais são as práticas e os modelos educacionais por trás do bom resultado nesse indicador. No caso da Escola Municipal Carmélia Dramis Malaguti, localizada em Itaú de Minas, no sul de Minas Gerais, existe por trás dos números uma equipe determinada a fazer a diferença, apostando em metodologias que podem efetivamente elevar a qualidade do ensino, incluindo material didático voltado para a educação tecnológica. A unidade escolar conquistou a maior nota no Ideb 2011, com 8,6 na avaliação do Ministério da

Revista Linha Direta

Educação (MEC), destacando-se como a melhor instituição pública de ensino do País nos anos iniciais. No exame, foram avaliados cerca de 40 alunos do 5º ano. Material didático voltado para a educação tecnológica A Escola Municipal Carmélia Dramis Malaguti, parceira do Sistema Microkids, investe em incentivo cultural, em práticas de leitura e em tecnologia educacional como prioridades educativas, a fim de ampliar cada vez mais o conhecimento de mundo dos seus alunos. A instituição possui 30 computadores conectados à internet, sendo 26 para uso dos alunos, além de data show, telões, TVs de LCD e uma sala do Programa Nacional de Tecnologia Educacional (Proinfo), do MEC. Números de quem se tornou exemplo para o País.

O excelente desempenho dos alunos da escola deve-se à boa preparação dos professores e também ao fato de a instituição ser bem equipada com tudo o que é necessário para o bom aprendizado dos estudantes. A afirmação é da diretora Maria Flávia Rodrigues Garcia de Oliveira, que dirige a unidade escolar pela segunda vez e diz estar muito feliz com o resultado. “Para trabalhar com educação, não se pode ficar parado: é preciso acompanhar a evolução. As oficinas, por exemplo, são espaços para estudo e troca de experiências, sempre organizadas de forma a utilizar todos os recursos tecnológicos disponíveis. A gente acredita que dá certo trabalhar a aprendizagem dos alunos empregando recursos materiais, humanos e tecnológicos. Além de tudo isso, a nossa linha de frente é muito capacitada e competente”, completa.


Fotos: Divulgação

Aulas no laboratório de informática da Escola Municipal Carmélia Dramis Malaguti

A maioria da equipe da escola tem pós-graduação e participa de simpósios, congressos e cursos de formação continuada e de especialização, como Atendimento Educacional Especializado (AEE), Libras, Tecnologia Assistiva e Alfabetização. Os professores participam constantemente de treinamentos e estudos extras. Além disso, a instituição busca uma relação de transparência e proximidade com as famílias dos estudantes. Utilização das novas tecnologias para atingir objetivos educacionais Atualmente, são os professores regentes que planejam as aulas ministradas no laboratório de informática, utilizando o material Microkids de Tecnologia Educacional e, para isso, eles foram capacitados para explorar ao máximo o potencial educacional das novas tecnologias. Segundo

73

RevistaRevista Linha Direta Linha Direta


A Escola (...) investe em incentivo cultural, em práticas de leitura e em tecnologia educacional como prioridades educativas... a professora Regina Delpasso, as aulas são cuidadosamente planejadas e adequadas ao conteúdo trabalhado em sala de aula, e os livros e softwares do material Microkids servem como norteadores da sequência didática de uma maneira mais atrativa. “Uma das atividades bem-sucedidas que desenvolvemos com os alunos foi o Tangram, que envolveu tecnologia, arte e matemática. Os estudantes se empolgaram e realizaram um trabalho muito prazeroso. Afinal de contas, a linguagem tecnológica é também utilizada de maneira muito informal nos dias atuais, já que muitos de nossos alunos possuem acesso ao computador desde muito cedo. Dessa forma, como educadores, devemos direcionar o conhecimento, ampliando-o de forma sistematizada, sem perder de vista os objetivos que queremos alcançar em nossas aulas”, completa a professora. O estudante do 5º ano Liniker Augusto Oliveira Queiroz diz que os professores da escola estão sempre animados e propondo novidades. Durante as aulas no laboratório de informática educativa, ele já realizou atividades diferentes e bem interessantes com os softwares de aprendizagem. “Aprendi a fazer cartões, caça-palavras, gráficos e tantas outras coisas que adoro fazer quando estou em casa com o meu computador e navegando na internet”, diz Liniker. Revista Linha Direta

Comunidade escolar envolvida nas práticas pedagógicas Atualmente, cultivando um relacionamento transparente, a escola utiliza variados canais de comunicação com a família, como bilhetes na agenda escolar, contato via celular, visita às casas dos estudantes ou uso das redes sociais como divulgadoras – tudo para manter os familiares bem informados sobre os acontecimentos, eventos e atividades escolares. Mãe das alunas Ana Alice Duarte, que fez a Prova Brasil, e Ana Beatriz Duarte, que estuda no 1° ano do ensino fundamental, Ana Lúcia Duarte acredita que o primeiro lugar no Ideb foi a coroação de todo o trabalho realizado pela escola, que vai continuar surpreendendo aqueles que não acreditam numa boa educação fora das escolas particulares. Segundo ela, as escolas de excelência são aquelas que trabalham visando ao futuro de seus alunos. A Escola Municipal Carmélia Dramis Malaguti alcançou, sem pretensão, o primeiro lugar do Brasil por se comprometer com o sucesso dos estudantes, oferecendo a eles uma educação para a vida. “As atividades extraclasse também contribuem para o resultado. Exemplo disso são as aulas de informática, que iniciam ainda mais as crianças no mundo digital, como também têm feito a diferença na aprendizagem

dos conteúdos de matemática e língua portuguesa. Há ainda os eventos culturais, como as feiras de ciências, que incentivam a pesquisa e o trabalho em equipe”, revela Ana Lúcia. Compromisso com a qualidade do ensino Enquanto muitos se preocupam em ensinar, a maior preocupação da equipe da escola-destaque de Itaú de Minas é fazer o aluno aprender. “Isso envolve um olhar diferenciado, respeitando as especificidades de cada um”, completa a diretora Maria Flávia. Para Roselita Camargo, autora e diretora pedagógica do Sistema Microkids, é uma grande satisfação o reconhecimento das escolas parceiras nas avaliações externas do MEC, já que são instituições que valorizam uma gestão participativa, com práticas e metodologias comprometidas com o crescimento integral de seus alunos, em que o conhecimento é considerado para além dos muros escolares. “Faz toda a diferença quando os gestores acreditam na educação tecnológica para o avanço da qualidade do ensino das turmas do ensino fundamental. Mas é importante destacar que não se pode associar o Ideb ao nível econômico; afinal, deve-se preservar, acima de tudo, o nível educacional, e temos aí o exemplo da Escola Municipal Carmélia Dramis Malaguti, onde o interesse maior é no que de fato o aluno aprendeu, valorizando uma educação que eleva o potencial de crianças e jovens”, afirma Roselita.  www.microkids.com.br


[ CLIPPING ] Escola commaior nota no Ideb destaca educação tecnológica