Issuu on Google+

PUB

PUB

Jornal Mensal do Concelho de Cascais Diretora: Graça Tracana

DR

N.º 52 setembro 2013 Gratuito

As melhores surfistas do mundo em Carcavelos Fernando Pessoa Até 29 de dezembro, pode descobrir o grande poeta no Museu-Biblioteca Condes de Castro Guimarães, em Cascais. Recriação do que podia ter sido o gabinete de Pessoa quando se candidatou a conservador. • p.2

3.º Dive for All A terceira edição do Dive for All decorre, ao longo do mês, no Complexo Desportivo da Abóboda. Mergulhos servem de terapia numa ação de inclusão que termina a 5 de outubro na Praia da Duquesa. • p. 6

Especial Bombeiros Em jeito de homenagem, partilhamos histórias, angústias e críticas de «soldados da paz» de corporações do concelho de Cascais. São bravos heróis no combate aos incêndios que têm deflagrado. • p. 7-10

• p. 13

Crime & Justiça Toda a história dos gangues que espalham o terror em zonas comerciais no interior de Cascais e as polémicas transferências de esquadras da Polícia de Segurança Públi• p. 14,15 ca no concelho. PUB


Concelho

2 • setembro 2013 Exposição

A

Open Weekend em Cascais

quele que podia ter sido o gabinete de Fernando Pessoa quando se candidatou a conservador do MuseuBiblioteca Condes de Castro Guimarães foi aí recriado e pode ser visitado até ao final do ano.

Poeta inconfundível do legado cultural português conhece-se Fernando Pessoa pela figura enigmática que se desmonta em heterónimos e textos de magnifica escrita, interpretação e impacto sociocultural. A Câmara Municipal de Cascais instalou, até dia 29 de dezembro, uma recriação daquele que poderia ter sido o seu local de trabalho quando expressou vontade de se instalar em Cascais com a candidatura ao cargo de conservadorbibliotecário, a 16 de setembro de 1932, no Museu-Biblioteca Condes de Castro Guimarães cujo documento original também pode ser apreciado na exposição, juntamente com o certificado de habilitações da Universidade de Cape Town (África do Sul) e um ofício dessa mesma faculdade datado de 20 de fevereiro de 1904. Sob forte documentação da sua vontade de se instalar em Cascais, a exposiçao Gabinete Fernando Pessoa já recebeu, desde a sua inauguração a 15 de junho, mais de 21 mil pessoas. Uma paixão por Cascais Fernando Pessoa, o poeta inevitavelmente associado à boémia lisboeta. Poucos, porém, saberão que génio da nossa literatura desenvolveu nos últimos anos uma relação forte com o Cascais, em particular com S. Pedro do Estoril onde ia passar fins de semana em casa dos familiares que ali viviam. O concelho de Cascais servia-lhe o imaginário para as suas narrativas. Escreveu uma propagandística, em inglês, sobre o Estoril, uma

VERÓNICA FERREIRA

Descobrir Fernando Pessoa

Saiba ainda... Foram três dias de intensa sensibilização ambiental na Linha. A ERP Portugal organizou, nos dias 30, 31 de agosto e 1 de setembro, das 10 às 19 horas, na Praia de Carcavelos, a iniciativa ecológica “Open Weekend”. Foi promovida a entrega de pilhas e de outros resíduos eletroeletrónicos, tendo sido oferecidos bilhetes, aos participantes que entregaram o maior peso em resíduos, de 15 em 15 minutos, para o ERP Remember Cascais, The Recycling Festival. MB

Música e memórias no ERP Remember Cascais reportagem sobre a colónia infantil Macfadden nos Banhos da Poça, mais um texto que teve como cenário uma “Casa de Saúde de Cascais”, entre outros poemas onde o imenso mar cascalense se fazia notar. Há mais Pessoa por descobrir Explorar lados desconhecidos e enaltecer a obra pessoana são alguns dos principais objetivos desta iniciativa. Mostrar documentos do espólio e alguns inéditos do escritor na Biblioteca Nacional de Portugal, associados à documentação que integra os arquivos do Museu-BCCG e a parte do acervo da Casa Fernando Pessoa. De todo o material textual exposto, o visitante poderá contemplar as imagens (ou originais) dos manuscritos e datilografados pelo punho do poeta. Sob coordenação de José António Proença, esta exposição pode ser visita-

da de terça a domingo entre as 10h00 e as 17h00, sendo que no fim de semana há um interregno para almoço entre as 13h00 e as 14h00. A mostra contou com a colaboração de Claudia Fischer, professora da Universidade de Lisboa, e Patricio Ferrari, investigador do Centro de Estudos Comparatistas da Universidade de Lisboa e do Departamento de Inglês da Universidade de Estocolmo, na coordenação científica. •

Nota 28 Setembro: visita guiada, 16h00, pela exposição orientada por Claudia Fischer. 30 Novembro: conferência sobre a temática da exposição por Patricio Ferrari e Paulo Arcger de Carvalho.

PUB FICHA TÉCNICA

Contactos

Diretora: Graça Tracana Redação e colaboradores : Carlos Carvalho, Carlos Tomás, Linda Alagoínha, Mariana Branco, Nuno Sá, Rita Sousa e Verónica Ferreira.

Telf : 21 920 22 40

Fotografia: Sérgio Martinho.

Direção : direcao.gracatracana@gmail.com Noticias/ Eventos : redacao.correiodecascais@gmail.com Maquetes / Imagem: design.mpalavra@gmail.com

Conceção Gráfica: Vera Tracana.

Publicidade : comercial.cascais@gmail.com

Departamento Publicidade: Clara de Castro, José Aguiar, José Rebelo, Inês Almeida e Maria Almeida .

Faturação : contabilidade.mpalavra@gmail.com Impressão: Gráfica Funchalense

Periodicidade: mensal

Morelena - 2715 Pero Pinheiro

Tiragem média: 35000 Propriedade: Mérito da Palavra, Lda.; NIF: 510015603 Registo da ERC N.º: 125477 Depósito Legal: 277926/08 Morada: Rua Drº Sousa Martins, Nº 27 2725-461 Mem Martins

correiodecascais.blogspot.com facebook.com/correiodecascais INTERDITA A REPRODUÇÃO DE TEXTOS, IMAGENS E ANÚNCIOS DE PUBLICIDADE SEM DEVIDO CONSENTIMENTO DO SINTRA DESPORTIVO AS NOTÍCIAS DESTE JORNAL FORAM REDIGIDAS AO ABRIGO DO ACORDO ORTOGRÁFICO

VERÓNICA FERREIRA

O início do mês de setembro (dias 6 e 7) foi marcado pelo Festival ERP Remember Cascais, no Hipódromo Manuel Possolo, que juntou memórias a acontecer ao som de um vibrante encontro de gerações. Com um cartaz alusivo aos anos 80, o evento, organizado pelo Palco da Primavera e apoiado pela Câmara Municipal de Cascais, pela European Recycling Platform e pela rádio M80, juntou José Cid & Big Band, Level 42, Roger Hodgson, GNR, Opus e Waterboys. MB

PUB


PUB

Jornal Mensal • 3 PUB


Concelho

4 • setembro 2013 Casa das Histórias Paula Rego

Fundação comemora 4.º aniversário VERÓNICA FERREIRA

assinalar mais um aniversário no fim de semana, entre as 10h00 e as 19h30 o espaço desdobra-se num diversificado programa para todas as idades que contempla workshops, ateliês, projeções de filmes e visitas encenadas. As iniciativas culminam no domingo pelas 17h30 com soprar das velas, no jardim, ao som do baile de Danças Portuguesas e do Mundo: Adamastor remix é um

Programa

Depois de toda a controvérsia gerada pela administração central em torno da sua continuidade, a Fundação Paula Rego está mais consolidada que nunca. Nos dias 21 e 22 de setembro celebra quatro anos com iniciativas para toda a família.

Foram tantos os dias que se fizeram meses e se transformaram em anos de vida, cor, música, performances, arte e cultura que se tornam difíceis de contabilizar. Ainda assim, sabe-se que até aqui a Casa das Histórias Paula Rego já foi visitada por cerca de meio milhão de pessoas. Como forma de agradecer e

Em família – Visita história + ateliê: sábado e domingo pelas 11h00 Ateliê no jardim – emboscadas de memória: sábado às 11h30 e 15h30, domingo pelas 11h30 Olhares sobre… - no auditório vamos projetar (documentário sobre Paula Rego): sábado às 15h30 Uma obra de cada vez – Batalha de Alcácer Quibir: sábado pelas 16h30

projeto musical entre a Índia e Portugal, passando por África, onde se combina a força da vida e a inevitabilidade da morte com Paulo Pereira nos sopros, Winga nas percussões, Vasco Ribeiro Casais na eletrónica e Marta Coutinho como monitora de danças. •

VERÓNICA FERREIRA

Concurso contador-mor – inauguração da peça vencedora “Sapo Humano”, de Tiago Vaz: sábado às 17h30 Em cena – Visita sob estrelas: sábado pelas 19h00 Em cena – em estreia: A almofada da Paula, domingo às 16h30 Conta-me histórias – The Opera Show: domingo pelas 15h00 Hip hip hurra – Parabéns: domingo às 17h00

Lidos e relidos – troca de livros usados

Reciclar ajuda a todos

A iniciativa não é nova mas é de salutar. “Lidos e relidos – troca de livros usados” aconteceu pela primeira vez em dezembro do ano transato na extensão da Biblioteca Municipal de Cascais de São domingos de Rana. Cristina Pacheco, chefe da divisão de animação e promoção cultural, explicou ao Correio de PUB

Cascais que a primeira edição fora um sucesso e a atual aconteceu porque foi muito solicitada pelos munícipes. «As bibliotecas recebem muitas doações de livros, não de colecionadores privados mas de pessoas comuns que, quando arrumam as suas livrarias, querem “deitar fora” os livros que já não usam», disse. Quando se troca ou empresta um livro, não são de folhas que se fala. Um livro leva consigo a história de quem o leu, a paixão ou desprezo de quem o consumiu. Todas essas histórias podem agora ser partilhadas de forma incansável entre leitores. Cada pessoa pode trazer o máximo de cinco livros e levar outros cinco para casa. «A iniciativa de troca de livros

procura dar utilidade àqueles que a uns podem já não servir mas que continuam a ser muito procurados por outros»,

acrescentou a responsável salientando que «os livros usados são um estímulo para a imaginação». • VF

PUB

PUB

PUB

VERÓNICA FERREIRA

A Biblioteca Casa da Horta da Quinta de Santa Clara deixou de ser um lugar onde pode consultar e alugar livros. Até 21 de setembro é, pela primeira vez, um lugar onde pode deixar livros que já não quer e encontrar outros que lhe suscitem mais interesse.


Animação Sóciocultural

Jornal Mensal • 5 PUB

REALIZOU-SE NOS DIAS 13, 14 E 15

Lumina, o Festival da Luz em Cascais

A

Pelas 20 horas, as ruas de Cascais encheram-se de luz no passado fim-desemana (sexta, sábado e domingo, dias 13, 14 e 15), das 20 às 24H. Todos os visitantes foram recebidos com um sorriso gigante e colorido no começo do percurso luminoso, à saída da estação de comboios de Cascais. A iniciativa da Câmara Municipal de Cascais, aliada à CP (que disponibilizou o bilhete de ida e volta ao evento por apenas 1€), promoveu o talento de mais de vinte artistas nacionais e internacionais numa experiência cultural inovadora. Nesta iniciativa, foram também entregues milhares de óculos e bandoletes luminosas. O Centro Histórico e a Baía de Cascais foram transformados em pontos estratégicos e de diversão, numa verdadeira galeria de arte a céu aberto, ao criaremse espetáculos de luz e cor, vídeos, mapping, efeitos 3D, grafitis de luz, projeções multimédia gigantes, esculturas luminosas e instalações que interagiram com o público numa experiência vanguardista em Portugal. O evento levou milhares de famílias à vila piscatória. Todos saíram satisfeitos e divertidos no fim-de-semana movimentado da segunda semana do mês de setembro. Criadores do Festival “Lumina” Os criadores Nuno Maya e Carole Purnelle inovaram o evento através da utilização de novas tecnologias que visam alcançar uma maior eficiência energética. O mote para o festival foi «energia gasta versus público alcançado». Os autores das maiores projeções multimé-

SÉRGIO MARTINHO

entrada para o Festival de Luz “Lumina”, que decorreu na vila de Cascais, foi gratuita. CP promoveu a iniciativa, com bilhetes de comboio (ida e volta) a 1€.

Quem visitou o “Lumina”, pôde participar nos workshops e “artista-talks”, paralelos ao evento

dia em edifícios no nosso país são uma referência internacional nas áreas de vídeo, mapping e projeções interativas, com projetos realizados pelo mundo inteiro. Na sua mais recente produção, “Arco de Luz”, que teve lugar no Terreiro do Paço, em Lisboa, também houve a preocupação da comunicação interativa com o público, tornando-o num ator influente da peça artística. O “Lumina” integra uma rede internacional de festivais de luz espalhados em países um pouco por todo o mundo, casos de Alemanha, Austrália, Eslovénia, França, Holanda, Israel, Polónia, Rússia e Singapura. No lado luminoso da vida Quem visitou o “Lumina”, pôde participar nos workshops e “artista-talks”, paralelos ao evento, em que criadores e diretores de festivais da luz internacionais partilharam, com o público interessado, os segredos por detrás desta forma de arte. O “Lumina” promoveu e divulgou, também, a melhor fotografia de luz tirada durante o festival. • MARIANA BRANCO PUB


Inclusão Social

6 • setembro 2013 PUB

TERCEIRA EDIÇÃO DO “DIVE FOR ALL” EM CASCAIS

Mergulhar para incluir

O

Moradora no concelho de Cascais, Rita Rosendo, de 37 anos, tem um ar sereno e feliz. Ficou paraplégica aos 14 anos e, desde aí, passou a deslocar-se de cadeira de rodas. No entanto, essa deficiência física, e consequente perda de alguma mobilidade, não a impediu de se casar, de ser mãe de dois filhos (uma menina e um menino), e de ter um emprego desafiante (é assistente administrativa na Cruz Vermelha Portuguesa). Rita soube da terceira edição do “Dive for All” na Praia do Tamariz pelos jovens do projeto cascalense “Maré Viva”. «Achei uma experiência gira e inscrevime. Também adorava patinar e adorei fazer rapel». Um desporto radical numa vida que, diz, «ser normal e plena». A assistente administrativa, com um brilho no olhar, refere que «muita gente tem a deficiência na cabeça». Ao invés, Rita Rosendo, «pessoa positiva», garante ao Correio de Cascais que consegue «fazer quase tudo». Por isso mesmo, iniciativas como esta (“Dive for All”) «são tão importantes, pois servem para incluir e mostrar que as pessoas com deficiência podem integrar-se sem problemas na sociedade». Acompanhados por instrutores da Escola Cascais Dive Center e com o objetivo de se familiarizem com os equipamentos e as técnicas utilizadas, os participantes mergulham no Complexo da Abóboda contra o preconceito e a exclusão sociais. São mergulhos experimentais que servem de terapia. Vânia Fialho, a gestora do projeto, sublinha que a iniciativa «ganha inscrições de ano para ano, o que prova a validade do “Dive for All” na promoção da inclusão social em Cascais e do bemestar das pessoas». Vânia Fialho frisa, também, que uma das estratégias municipais passa pela ligação do concelho ao mar e recorda, a propósito da inclusão social das pessoas com deficiência, a realização (desde 2009) da “Praia Acessível” que, com quatro voluntários a auxiliar (com cursos na área da saúde), facilita o acesso de pessoas deficientes até à praia. Mergulho inclusivo Este tipo de mergulho apresenta

NUNO SÁ

Complexo Desportivo Municipal da Abóboda recebe, ao longo de setembro, mergulhos e terapia para pessoas com deficiência. “Dive for All” visa promover o convívio e a inclusão social.

Rita Rosendo, assistente administrativa, mergulha pela inclusão e por uma vida plena

imensas vantagens. Antes de mais, as propriedades da água proporcionam uma sensação de leveza que facilita os movimentos, permitindo ao praticante deslocar-se com muito maior facilidade neste meio do que em terra. Além disso, a prática da atividade proporciona o contato com novas pessoas. Também para os instrutores de mergulho, o trabalho é bastante gratificante, já que possibilita uma experiência diferente que implica o desenvolvimento de novas competências técnicas e sociais. Dive for All O “Dive for All” visa proporcionar às pessoas com deficiência um momento diferente. Iniciativa da Câmara Municipal de Cascais, a experiência de mergulho adaptado tem por objetivo central ser um vetor de integração social, sensibilizar a população para os desafios que se colocam aos utentes com deficiência, e incentivá-los a praticar atividades adaptadas, divulgando-as. Destina-se a pessoas com deficiência, mobilidade condicionada (temporária ou permanente) e/ou necessidades especiais. A edição de 2013, a terceira, arrancou no dia 6 de setembro, continuou no dia 13 e, sempre no Complexo Desportivo da Abóboda, continuará nas próximas sextas-feiras, dias 20 e 27. O fim da iniciativa ocorre com o batismo de mergulho, no dia 5 de outubro, no mar da Praia da Duquesa. •NUNO SÁ


Jornal Mensal • 7

Especial Homenagem aos Bombeiros

Especial Bombeiros

Heróis no combate às chamas

O

pois, desde então, passou a desem-

dios das viaturas», descreve.

penhar a função de operador de telecomunicações. «Tenho de atender os telefonemas, responder às chamadas de emergência e estar atento aos rá-

O incêndio da Tapada de Mafra Luís Vilela esteve há quatro anos no incêndio da Tapada de Mafra, que considera «o mais complicado» por que

PUB

passou até hoje. Este bombeiro profissional dos Voluntários da Parede, no concelho de Cascais, reconstitui, ao nosso jornal, o incêndio que tanto o marcou.

Luís Vilela, de 41 anos, pertence à Associação Humanitária de Bombeiros da Parede, onde existem 90 bombeiros, dos quais 31 são profissionais. Luís é bombeiro desde 1983 e passou a profissional em 1991. Segundo explica ao Correio de Cascais, «os bombeiros profissionais são também voluntários, pois, quando acaba o horário de trabalho, podem ser chamados para um incêndio». A vida de bombeiro não é nada fácil. «Eu entro às 8H e saio às 16H mas, se for o caso disso, posso ser chamado às 17H para ir ajudar num incêndio», refere. Desde há oito anos que Luís Vilela não costuma estar no terreno,

DIREITOS RESERVADOS

s problemas, a falta de meios, o sofrimento. Histórias de bombeiros do concelho de Cascais, bravos heróis que enfrentam muitas dificuldades e incêndios terríveis.

PUB


Especial Homenagem aos Bombeiros

8 • setembro 2013

DR

A LUTA ÁRDUA NO DIA-A-DIA DOS BOMBEIROS das pelas chamas dos incêndios que têm assolado o verão português.

DIREITOS RESERVADOS

Dor e revolta A dor e a revolta nas corporações de bombeiros de Alcabideche e do Estoril está longe de ser apagada. As mortes dos dois elementos destas corporações (vítimas das labaredas na Serra do Caramulo), Ana Rita Pereira, 24 anos, e Bernardo Figueiredo, 23, permanecem bem vivas na memória de todos. O tempo, agora, é usado para tentar curar feridas e corrigir as falhas que levaram à tragédia.

O trabalho dos bombeiros passa pela prevenção, sobretudo junto das novas gerações

«Foram três dias a combater o fogo sem parar e a dormir duas a três horas por noite. Felizmente, não se registaram feridos, mas passei por um grande susto. No local, estiveram cinco viaturas a defender o paiol de TNT do Exército, que é “só” a maior reserva de TNT (Trinitrotolueno, um explosivo) do país», lembra, acrescentando todos os detalhes de tão complicada operação: «o paiol encontrava-se cinco palmos abaixo da terra e englobava uma área de 300 metros quadrados. O problema é que o paiol poderia explodir com a alta temperatura do solo. Se o solo aquecesse, o TNT explodiria, de certeza, com a onda de calor. Então, fez-se o seguinte: os cinco carros de bombeiros, juntos, criaram um leque de água, de modo a fazerem uma bolha de água à volta do terreno onde se encontrava o paiol e o fogo acabou por passar por cima».

Os bombeiros usaram, no incêndio da Tapada de Mafra, a técnica da proteção do leque e, assim, «o fogo passou por cima da copa das árvores», conclui Luís Vilela, elemento dos Bombeiros Voluntários da Parede.

PUB

PUB

As corporações concelhias Cândido Silva, de 67 anos, é bombeiro profissional há já 29 anos (desde 1984) e integra a Associação Humanitária de Bombeiros Voluntários de Cascais. «Sou bombeiro há 32 anos e orgulho-me de pertencer a uma corporação centenária, fundada em 1886», diz-nos, realizado, Cândido Silva, que chegou a ser voluntário. São homens abnegados, como este, que preenchem o quotidiano da atividade dos bombeiros cascalenses. Além das corporações da Parede e de Cascais, há mais três no concelho: a de Carcavelos e São Domingos de Rana, a

dos Estoris, e a de Alcabideche. Nestas duas últimas corporações, dois jovens bombeiros (um elemento de cada corporação) perderam recentemente a vida, juntando-se a várias outras vidas ceifa-

Bernardo Figueiredo, dos Bombeiros dos Estoris, perdeu a vida na Serra do Caramulo

Luís Vilela, bombeiro da Parede, esteve a combater o incêndio na Tapada de Mafra PUB

Uma tarefa que não se afigura fácil, pelo menos a avaliar pelas declarações prestadas, ao Correio de Cascais, por Carlos Coelho, comandante da Associação Humanitária dos Bombeiros dos Estoris, onde trabalhava o jovem Bernardo. «Ele ficou com a borracha das botas entranhada nos calcanhares, porque não eram botas adequadas ao combate de fogos florestais», revela aquele responsável. PUB


Especial Homenagem aos Bombeiros

Jornal Mensal • 9 PUB

DR

CASCALENSES

PUB

Viatura de serviço da corporação da Parede usada no combate aos incêndios

Carlos Coelho não esquece quem foi passa por muitas horas de dedicação, o bombeiro falecido: O Bernardo dava e lembra, tambÊm, que se trata de uma tudo pela causa do voluntariado. Passaopção de vida. Esta associação humava mais de 100 horas por mês na corponitåria da Linha tem nos seus quadros 27 ração. Tinha uma grande preparação fíbombeiros efetivos, sendo 10 pagos pela sica, era sorridente, respeitava todos e autarquia e os restantes atravÊs de funtodos o respeitavam. A sua morte foi uma dos da União Europeia. Recebem entre machada nesta corporação, mas temos os 525 e os 750 euros mensais. Os resde seguir em frente. Curiosamente, detantes 38 elementos são voluntårios e pois do seu exemplo, temos tido cada não ganham um cêntimo. vez mais pessoas Acresce que os a oferecerem-se próprios funcioser bombeiro voluntårio significa como voluntårios. nårios tambÊm um compromisso, que passa por Acrescente-se que têm de ser volunmuitas horas de dedicação Bernardo Figueiretårios e cumprir, do, do Estoril, inem mÊdia, entre terrompeu o final das suas fÊrias para as 90 e as 100 horas de trabalho por mês. enfrentar as chamas no Caramulo. Tinha Segundo Carlos Coelho, a corporação concluído Engenharia no Instituto Supeestå bem apetrechada em termos materior TÊcnico, em Lisboa, e esperava-o um riais e humanos, com excepção no que emprego certo e com futuro. diz respeito aos fogos florestais. Nós agimos em årea urbana, mas na Um compromisso sem meios Êpoca de fogos florestais somos chamaO responsåvel dos Bombeiros dos dos para vårios pontos do país. PorÊm, Estoris salienta que ser bombeiro volunnão temos equipamento adequado para tårio significa um compromisso, que esse tipo de ocorrências. PUB

PUB

PUB

PUB



   

 

   

       !"#$%&'  "$%(('$)$#(%$%(#% * +,-."/000"-."/



  

      !" # $ %&

'   (

'   

) !"

*  % 

*  %  

) +   



,    

-

." 

 /

    

     

-012')

.   " 

.   (

-"     

 

3$

3"

.   

0

4 

 "

0


Especial Homenagem aos Bombeiros

DIREITOS RESERVADOS

10 • setembro 2013

O comandante dos Bombeiros dos Estoris, Carlos Coelho, não cala a revolta

Os incêndios têm deflagrado em vários pontos do país e ceifado vidas

Por exemplo, um voluntário que vai combater os fogos tem botas, luvas, viseiras e mais algum material para ir a um fogo florestal, mas está longe de ser o adequado. Um elemento da Força Especial dos Bombeiros ou do Grupo de Intervenção de Protecção e Socorro da GNR vai para o terreno com botas que custam 200 euros e um voluntário vai com botas de 50 euros. A diferença é que um voluntário combate fogos com 120 euros de equipamento e os elementos PUB

daquelas duas forças com fardamento superior a mil euros. Mas quem fica no terreno a combater as chamas são os voluntários, não são eles». O responsável pelos Bombeiros dos Estoris elogia, ainda, o apoio que a autarquia tem dado, mas aponta o dedo aos responsáveis governamentais que «pouco têm feito para apoiar o voluntariado e o espírito de entrega de quem não teme dar a vida pelos outros». Também os Bombeiros Voluntários de

Alcabideche estão em estado de choque com a morte de Ana Rita Pereira. «Era uma lutadora que não virava as costas a nada», declarou, ao Correio de Cascais, o comandante José Palha. O responsável afirmou, igualmente, que a bombeira Ana Rita Pereira se disponibilizava todos os anos para o combate aos incêndios, tendo grande experiência e formação. Ana Rita tinha uma filha de quatro anos. O seu namorado também é bombeiro. •CARLOS TOMÁS E NUNO SÁ PUB

Outra vítima dos incêndios no Caramulo, Ana Rita Pereira era bombeira em Alcabideche


Saneamento

Jornal Mensal • 11 PUB

CHEIRO NAUSEABUNDO INCOMODA POPULAÇÃO

Esgotos abertos em Carcavelos

Com as eleições autárquicas à porta, o Correio de Cascais foi contatado por um leitor carcavelense que se queixou, de forma veemente, de maus cheiros perto da sua residência, uma situação que já se arrastava há duas semanas na hora do fecho desta edição do nosso jornal. Trata-se de uma fuga de esgotos, a céu aberto, no número 17 da Avenida do Loureiro, em Carcavelos. O leitor, devidamente identificado, morador há muito na zona, contatounos, dando conta de que, ao passar pelo local, o odor desagradável vinha do interior de uma propriedade que está fechada há mais de trinta anos. Assim confirmámos no local. De resto, a antiga oficina, que funcionava como metalúrgica, encontra-se fechada sem aparente atividade. Sem resposta O Correio de Cascais contatou, várias vezes e por diversas vias, as Águas de Cascais e a Câmara Municipal, mas, até à hora do fecho da edição, não obteve esclarecimentos sobre o referido assunto. Entretanto, o número 17 da Avenida do Loureiro, em Carcavelos, continua a envelhecer, com sinais de evidente degradação e péssimas condições sanitárias. O edifício situa-se junto a uma moradia de dois pisos onde habitam famílias que já não aguentam o cheiro

FOTOS : MARIANA BRANCO

O Correio de Cascais, contactado por um leitor, acompanha o caso de uma fuga de esgotos que, à data do fecho desta edição, durava há duas semanas na Avenida do Loureiro, em Carcavelos. Um problema de saneamento que se junta a outras queixas dos moradores no local.

Os esgotos a céu aberto, junto ao n.º 17 da Av. do Loureiro, em Carcavelos

nauseabundo, sentindo-se bastante prejudicadas com este problema. Os esgotos a céu aberto, com o indesejável auxílio do vento, têm dispersado o odor pelo lugar e incomodado quem por lá tem passado. Outras queixas Outras situações, como a frequente queda de árvores na Quinta da Alagoa, e o perigo de quedas no Centro Comunitário de Carcavelos, foram outras queixas apontadas por moradores ao Correio de Cascais. Os dois locais situam-se numa das mais movimentadas avenidas da vila, onde circula muita gente, sobretudo crianças e idosos, população de maior risco. • MARIANA BRANCO

O cheiro nauseabundo tem incomodado, nas últimas semanas, moradores e transeuntes


Desporto

12 • setembro 2013 Semana do ténis & padel

Estoril recebe os melhores

O evento arranca com o Campeonato Nacional Absoluto, que em homenagem ao primeiro presidente da Federação Portuguesa de Ténis (FPT), passa a ser designado Taça Guilherme Pinto Basto. Depois do “qualifying”, os quadros principais irão disputar o título nacional feminino e masculino a partir de terçafeira. Esta iniciativa tem como principal objetivo a divulgação das modalidades e a promoção da sua atividade no concelho de Cascais. Na apresentação do evento, Vasco Costa, presidente da Federação Portuguesa de Ténis, explicou que o evento visa a divulgação do melhor ténis, padel e ténis em cadeira de rodas. Além destes, haverá exibição de ténis de PUB

praia e a presença de antigas celebridades do ténis nacional. «Este evento vai fazer com que o ténis seja mais falado»,

padel hoje é um desporto muito procurado pelos aficionados do ténis. O Campeonato Nacional de Padel/Banco BIC

Direitos Reservados

A

té 22 de setembro, os amantes de ténis e de padel podem assistir ao Campeonato Nacional Absoluto, ao Campeonato Nacional de Padel e ao Campeonato Nacional de Ténis em Cadeira de Rodas no Clube de Ténis do Estoril.

oportunidade para ver jogar Carlos Leitão e Paulo Espírito Santo, campeões nos últimos anos. No sábado, realiza-se o Prémio Angelini que prevê uma exibição em ténis em cadeira de rodas. A celebrar a modalidade, e até ao final do mês, está patente uma exposição fotográfica sobre as últimas décadas no Clube de Ténis do Estoril. •

VF

Programa complementar

disse. Em paralelo com os jogos, o Clube de Ténis do Estoril será palco de ações sociais, de solidariedade, de dois ProAm que vão juntar antigos tenistas profissionais como Nuno Marques a convidados, um workshop para treinadores de ténis e uma apresentação de ténis de praia. Ténis para todos A procura tem vindo a aumentar e o

realiza-se pela primeira vez ao abrigo da FPT e conta com as melhores duplas lusas que irão competir pelos títulos de pares masculinos, femininos e mistos. O “qualifying” está programado para quinta-feira, enquanto os quadros principais começam a ser disputados na sexta-feira até domingo. O Campeonato Nacional de Ténis em Cadeira de Rodas/Taça Angelini terá início na sexta-feira, dia 20, e tem as finais previstas para domingo. Esta é uma PUB

19 de setembro 20h00 - Entrega de Prémios Mérito, no decorrer do jantar oficial da Semana do Ténis & Padel, Centro Cultural de Cascais. 21 de setembro 12h00 - Dia da Solidariedade, com exibição de ténis com crianças e mini clínica com tenistas e crianças portadoras de deficiência. 12h30 - Pro-Am VIP 22 de setembro 12h00 - Clínica de Padel/Banco BIC


Desporto

Jornal Mensal • 13 PUB

EDP Cascais Girls Pro 13 by Billabong

Direitos Reservados

As 17 melhores do mundo em Carcavelos

PUB

Entre 3 e 7 de outubro, o areal cascalense vai encher para receber as melhores surfistas mundiais na última prova do circuito mundial de surf feminino, constituído por oito etapas. A atual líder do circuito, Carissa Moore, as australianas Tyler Wright e Sally Fitzgibbons, e a norte-americana Courtney Conlongue são alguns dos nomes mais esperados da prova. Visto que esta é a última etapa, a campeã mundial será coroada em Cascais. Como alternativa à praia de Carcavelos estará o Guincho,

caso as ondas assim o exijam. «Em Cascais, o surf está em casa. Não apenas por ter sido em Carcavelos que o surf nasceu em Portugal mas também porque este é o segundo desporto mais popular do concelho. Temos a história, temos a tradição, temos as melhores praias e as melhores ondas, temos os melhores atletas e temos a mais entusiasta tribo do surf», comentou o presidente da Câmara Municipal de Cascais, Carlos Carreiras, sobre o evento e acrescentou que «as ondas de Cascais estão agora encarregues de levar a imagem de Portugal por esse mundo fora». • VF

PUB

VI Feira do Desporto A Baía de Cascais recebe a sexta edição da Feira do Desporto, a mostra imperdível de atividades e serviços desportivos com entrada livre. São convidadas a participar neste grande evento várias entidades desportivas do concelho de Cascais, como associações e clubes desportivos, academias e ginásios, escolas desportivas, empresas de animação turística e operadores marítimo-turísticos. No fim-desemana de 21 e 22 de setembro, a 6.ª Feira do Desporto de Cascais possibilita às entidades participantes promoverem as suas atividades, serviços e instalações desportivas, e permite aos munícipes ficarem a conhecer a oferta desportiva

existente no concelho. As entidades podem inscrever-se para ocupar um stand de exposição e integrarse nos vários programas de animação através de demonstrações desportivas realizadas pelos seus atletas/praticantes e/ou atividades para os visitantes experimentarem. VI Corrida da Linha A 6.ª Feira do Desporto abre ao público no sábado, dia 21, das 10H às 20H, e no domingo, dia 22, das 10H às 18H, sendo a entrada livre e a participação gratuita nas atividades. Além de um vasto programa de animação, a Feira de Desporto terá como ponto alto a chegada da VI Corrida da Linha Cascais Destak, que vai ter por palco a Marginal no dia 22. •NS

PUB


14 • setembro 2013

CRIME & JUSTIÇA por Carlos Tomás

Judiciária caça gangue que espalhava terror ao hipermercado de Tires, estão também indiciados de outros roubos praticados em estabelecimentos comerciais da região de Cascais, nos passados meses de Abril e Maio, onde os presu-

PUB

PUB

Direitos Reservados

local. Consumado o roubo, os três hoA Polícia Judiciária (PJ) deitou a mão, mens correram em direção ao carro e no passado dia 11 de setembro, quartafugiram. A viatura, que era furtada, foi feira, a um dos grupos criminosos que encontrada, algumas horas depois, no estão a espalhar o terror em vários esBairro dos Navegantes, junto a Porto tabelecimentos comerciais e junto da população da região de Cascais, sobretudo nas freguesias e lugares mais interiores do concelho, como São Domingos de Rana, Tires, Alcabideche, Alcoitão, Birre e Manique. Apesar do sucesso desta operação, as autoridades não têm dúvidas de que há mais grupos do género a actuar na zona interior do concelho, também conhecida como «Cascais Sombra». A onda de assaltos, que também tem envolvido roubos por esticão, já dura desde o início deste ano, mas o sinal de alerta surgiu quando três indivíduos, armados com caçadeira e pistolas, invadiram o hipermercado Continente/ Modelo de Tires, por volta das 22 horas do dia 2 de Setembro, e roubaram 4 mil euros. No exterior do hipermercado estava à espera um quarto elemento dentro do carro usado na fuga. Os quatro funcionários que estavam nas caixas e alguns clientes foram ameaçados de Salvo (Oeiras) e a Talaíde (Cascais). morte. Não se registaram feridos mas, Os inspetores da PJ foram ao local e como se tratou de um roubo armado, o recolheram as imagens do sistema de caso, ao contrário dos outros, transitou vigilância em vípara a PJ, que tem deo. E foram a competência exestes fotograclusiva para investi«é rara a semana em que não gar este tipo de cri- ocorrem roubos por esticão, sobre- mas que permitiram que a PJ minalidade. tudo a pessoas idosas, que ficam procedesse à Os três assaltansem as malas, cordões e pulseiras identificação, tes ameaçaram os de ouro em três tempos» localização e funcionários que esdetenção de tavam junto às caiquatro jovens, com idades compreendixas registadoras, exigindo que lhes das entre os 16 e os 18 anos, indiciados fosse entregue todo o dinheiro que ali pela prática de crimes de roubo à mão se encontrava. Enquanto o assalto dearmada. corria, o quarto elemento do gangue – Além de serem suspeitos do assalto também ele encapuzado – vigiava o PUB

míveis autores se dirigiram e, também com ameaça de arma de fogo, roubaram diversas quantias em dinheiro. A PJ vai prosseguir, nos próximos meses, as necessárias diligências no sentido de apurar a extensão da atividade delituosa deste grupo, nomeadamente a prática de outros assaltos na zona onde se movimentavam. Ao mesmo tempo, decorrem investigações tendentes a identificar e deter outros gangues que têm agido na zona. Clima de medo Os assaltos a estabelecimentos, roubos por esticão a transeuntes e, até, atos de vandalismo têm, segundo o

Correio de Cascais apurou, sido frequentes, por exemplo, na Urbanização Terras de Polima e no Parque Urbano Natura, em São Domingos de Rana. Segundo Carlos Resende, morador na zona, «é rara a semana em que não ocorrem roubos por esticão, sobretudo a pessoas idosas, que ficam sem as malas, cordões e pulseiras de ouro em três tempos». E ninguém está a salvo. No início do ano, um homem, de 42 anos, estava com o filho no parque infantil de Outeiro de Polima e, quando chamou a atenção de um grupo de indivíduos maiores de idade que estava a incomodar crianças de dez anos, acabou por ser esfaqueado nas costas. Por sorte, nenhum órgão vital foi atingido pela facada. PSP e GNR dizem desconhecer os casos, porque as vítimas acabam por não apresentar queixa. A Polícia Judiciária está no terreno para tentar devolver o sentimento de segurança a pessoas que vivem no lado mais escondido do concelho de Cascais.

Ferido em Cascais Um homem ficou ferido, na madrugada do passado sábado, dia 14, na sequência de um tiroteio em pleno centro de Cascais. Segundo fonte da PSP, o homem ficou ferido numa perna, tendo sido conduzido ao Hospital de Cascais, de onde já teve alta. Os dois suspeitos de estarem envolvidos no tiroteio puseram-se em fuga, continuando a monte. As autoridades estão ainda a investigar o caso, suspeitando que se poderá tratar de um caso de ajuste de contas.

PUB


Jornal Mensal • 15 PUB

PSP (des)espera por novas instalações

Uma enorme trapalhada. É assim que está a ser encarada a transferência da 50.ª Esquadra e da Esquadra de Turismo da PSP de Cascais para o antigo posto da Brigada Fiscal (BF), prometida pela Câmara Municipal para o primeiro trimestre deste ano. A requalificação do edifício da antiga BF, junto à lota, na área da Baía, iniciou-se em Setembro do ano passado e, seis meses depois e ao contrário do prometido, continuava por inaugurar. «É tudo muito confuso», confidenciou, ao Correio de Cascais, uma fonte do Comando Metropolitano de Lisboa da PSP, referindo-se ao atraso. A própria autarquia de Cascais, no seu site, avançava, em 18 de Setembro de 2012, com a promessa: «Dentro de seis meses, o edifício da antiga Guarda Fiscal vai estar pronto para acolher a 50.ª Esquadra de Cascais, até agora

instalada na Rua Afonso Sanches, e a Esquadra de Turismo, que sai da Rua Visconde da Luz». A verdade é que passaram-se os três primeiros trimestres de 2013 e tudo permanece na mesma. Entretanto, o placard inicial foi removido e afixado um outro, com duas alterações. Promete-se, agora, a conclusão das obras para Outubro próximo e o empreiteiro inicial, a Mundibetão, foi substituído pela Construções Dourado, Lda. A PSP é que permanece «à nora» com as promessas feitas por parte do presidente da edilidade de Cascais, Carlos Carreiras, que, em Março de 2012, assinou uma parceria público-privada com o ministro da Administração Interna, Miguel Macedo, e cujos contornos ainda estão por esclarecer. PUB


PUB

16 • setembro 2013

A fechar


Correio de Cascais 52