Declaração de Fé das Igrejas Batistas do Brasil

Page 1

,

-BoLB-L1

oTE CA

~6RBJa,IIJ.lrlsTas /16 DO

BRAZIL

j2if J

~~~~IK.!RA 8t\PTISTA CI·~,!Cll. IIEIIORIAL)

s.

-: C-;:-;';ihe'/O ~

JI.!II do

**

**

Magalhl •• Caltro 99

.bualo, Rio de danelr.

~·.liI

I'

t


DO

BRAZIL

~ ..

, '"


Declaraç-ãO de Fé -DAs-

Egrejas Baptistas do Brazil I-As Escripturas

BIBLIOTECA PJBRJ,_---ESTE LIVRO NÃO POOt' SAIR DA 9IlJOTECA

Cremos que a Bíblia Sagrada foi escripta por homens divinamente inspirados, e que lé. pm thesouro perfeito de iustrucção celestial (2 Tim, 3:16,17; 2 P.ed.. 1:21; 2 Reis 23:2; Actos f:;t:6 " e 3:21; João 10:35; Lucas16:2931; Ps. 118:111; Rom. 3:1,2); que tem Deus como seu autor, .salvação,.coW'o'seu 'fim' (2' Td"Jri;r' .; ::\l·,:·. " '''3:15; 1Ped. 1:10-12; Actos 11: 14; . Rom. 1:16; Marcos 16:16; João 5:38,31); que é a verdade sem qualquer mistura de erro (Prov , 30:5,6; João 17:17; Apoc. 22:18,19; Rom. 3:4); que ella revela os principios pelos quaes Deus nos julgará (Rom. 2:12;


4 João 12:47,48; 1 Cor. 4:3,5; Lucas 10:10-16 e 12:47,48; e por isso é, e iic~rá até o fim do mundo, o verdadeiro centro de unão christã (Phil. 3:26; Epb. 4:3.6; Philip"2:12; 1 Cor. 1:10; 1 P-ed. 4:11); e o supremo estandarte pelo qual toda a conducta humana, credos e opiniões seriam provados (1 João 4:1; Isa. 8:20; 1 Thess. 6:21; 2 Cor. 13:5; Actos 17:11; 1 João 4:6; Judas 1:3; Epb.16:17; Ps. 118;59,60; Philip. 1:9-11). H-O

Verdadeiro Deus

Cremos que as Escripturas en· sinam que ha um, e um unico vivo e verdadeiro Deus, um Es~ pirito it;finito e in telligen te ,cujo nome e J ehovah , o Creador e Supremo Governador do Céo e . da Terra (João 4:24; Ps. 146:5; Ps. 82:19; Heb. 3:4; Rom.1:2o; Jer. 10:10); inexprimivelmente glorioso em santidade (Ex. 15:11; Isa. 6:3; 1 Ped. 1:15,16; Apoc, 4:6-8), e digno de toda a honra

5. I,

possivel, confiança e amor (Marcos 12:30; Apoc. 4:11; Matb. 10:37; Jer. 12:2,U); que' na unidade da Divindade ha tres pessoas: o Pae, o Filho, e o Espirito Santo (Mat, 2~:19; João 15:26; 1 Cor.12:4,6; 1 João 5:7); iguaes em todas as perfeições divinas (João 10:30; João 5:17; 14:23, e 17:5·10; Actos 5:3,4: 1 Cor. 2:10,11; Philip. 2:5,6); e executando distinctos , mas harmoniosos officios na grande obra da redempção (Eph , 2:18; 2 Cor. 13:13; Apoc. 1:4,5). IH--A queda do homem

Cremos que as Escripturas en· sinam que o homem foi criado em santidade, sob a lei de seu Criador (Gen. 1:27; 1:31; Eccl, 7:30; Actos 17:26; Gen. 2:16); mas por transgressão voluntaria cahiu daquelle estado santo e feliz (Gen. 3:6-~4; Rom. 5:12); em consequencia do qual todos os povos são agora peccadores (Rom. 5:19; João 3:6; Ps.51:5;


6 . R9tU. 5:15-19, e 8:7), não por constrangimento, mas por escolha (Isa, 53:6; Gen. 6:12; Rom. 3:9 18); estando por natureza inteiramen te falto daquella santidade exigida pela lei de Deus, positivamente inclinado ao mal; ~ por isso sob justa condemnação á ruina eterna {Eph.2:1-3; Rom. 1:18,32 e 2:1-16; Ga1.3:10; Math , 20:15); sem defeza ou excusa (Ezeq. 18:20; Rom. 1:20; 3:19; Gal. 3:22). IV-O

meio de salvaçio

Cremos que as Escripturas ensinam que a salvação dos peccadores é totalmente de graça (Eph. 2:5, 8 e 9; Math , 18:11 ; 1 João 4:10; 1 Cor. 3:5 7; Actos 15:11); pelos officios medianeiros do Filho de Deus (João 3:16 ; João 1:1-14; Heb, 4:14 e 11:24); o qual pela nomeação do Pae, livremente tomou sobre Si nossa "natureza, todavia, sem peccado (Philip_ 2:6,8; Heb. 2:9 e 2:14; 2 Cor. 5:21); honrou a lei di-

-7vina por sua obediencia pessoal [Isa, 42:21; Philip. 2:8; Gal. 4:45, Rom: 3:21); e por sua morte fez uma expiação completa dos nossos peccados (Isaias 53:45; Math. 20:28; Rom. 3:21 e 4:24,25; I João 4:10 e 2:2; 1 Cor. 15:1·3; Heb_ 9:13,15); havendo resurgido dos mortos, Elle está agora enthronisado no céo (Heb. 1:8; Heb. 1:3 e 8:1; "Col. 3:1·4); e unindo em sua maravilhosa pessoa as mais ternas sympathias com perfeições divinas, Elle é perfeitamente qualificado a ser um Salvador proprio, compassivo, e todo sufficiente (Heb. 7:~5; Colo 2:9; Heb. 2:8; 7:26; Ps. 88:19 e Ps , 43). V-A Justificação Cremos que as Escri pturas ensinam" a grande benção do Evangelho que Christo assegura (João 1:16; Eph. 3:8), aosque creem nelle, é a justificação (Actos 13: 39; 1sa. 3:11,12; Rom. 8:1); que a justificação inclue o per-


-8-

-9-

dão do peccado (Rom. 5:9; Zach. 13:1; Math. 9:6; Actos 10:43), e a promessa de vida eterna sobre os principies de justiça (Rom. 5:17; Tito 3:5,6; 1 João 2:25; Rom. 5:21); que é conferido, não em consideração de quaesquer obras de justiça que nós temos feito, mas somente pela fé no sangue do Redemptor (Rom. 4: 4,5; ?:21; 6:23; Philip. 3:8,9); por virtude da qual fé, sua per· feita justiça nos é livremente imputada por Deus (Rom. 5:19; 3:24-26; 4:23-25; 1 João 2:12) ! que nos traz no estado da mais bemaventurada paz e favor com Deus, e assegura todas as outras bençãos necessarias para o tempo e para a eternidade (Rom. 5:1,2; 5:3,11; 1 Cor. 1:30,31; Math. 6:33; 1 Tim. 4:8).

Apoc. 22:17; Lucas 14:17); que é o dever immediato de todos acceital-a por uma fé cordial, penitente e obediente (Rom. 16: 26; Marcos 1:15; Rom. 1:15,17; e que nada impede a salvação do maior peccador do mundo, senão a sua propria depravação, determinada e voluntaria rejeição do Evangelho (João 5:40; Math .. 23:37; Rom. 9:32; Provo 1:24; Actos 13:46); cuja rejeição o envolve numa grave condemnação (João 3:19; Math. 11:20; Lucas 19:27; 2 Thes. 1:8).

VI-A

livre Salvação

Cremos que as Escripturas ensinam que as bençãos de salvação são offerecidas livremente a todos pelo Evangelho (Isa. 55:1;

1 r

VII-A

Regeneração

Cremos que as Escripturas ensinam que, para ser salvos, é preciso que os peccadores sejam regenerados, ou nascidos de novo (João 3:3; 3:6,7; 1 Cor.l:4; Apoc. 21 :26); que a regeneração consiste em dar uma santa disposição ao coração (2 Cor. 5:17;Ezeq. 36:26; Deut. 30:6; Rom. 2:28, 29; Rom. 5:5; 1 João 4:-7);que é effectuada duma maneira acima


-

10-

de nossa comprehensão, pelo poder do Espirito Santo, em connexão com a verdade divina (João 3:8; João 1:13; Thiago 1:1618; 1 Cor. 1:30; Philip. 2:13); de maneira que assegura nossa voluntaria obediencia ao Evan· gelho (1 Pedro 1:22-25; 1 João 5:1; 1 Cor. 12:3; Eph. 4:20-24; Col. 3:9.11); e que sua propria evidencia apparece nos santos frutos de arrependimento e fé e novidade de vida (Eph , 5:9; Rom. 8:9; Gal. 5:16·23; Eph.3:14-31; Math. 3:8 10; 7:20; 1 João 5:4). VIII-O

Arrependimento e Fé

Cremos que as Escripturas ensinam que o arrependimento e . fé são deveres sagrados, e tambem graças inseparaveis, effectuadas em vossas almas pelo Espírito de Deus (Marcos 1:15; Actos 11:18; Eph. 2:8; 1 João 5:1); pelo qual estando profundamente convencidos de nossa culpa, perigo e desamparo, e do caminho da salvação por Christo (João

-r11 -

1.

16:8; Actos 2:37,38; Actos 16: 30,31); voltamo-nos a Deus com uma verdadeira contricç ão, confissão, e supplica para obter mio sericordia (Lucas 18:l3; 15:18· 21; Thiago 4:7·10; 2 Cor. 7:11; Rom. 10:12,13; Ps. 50:1-21); ao mesmo tempo recebendo cordialmente o Senhor Jesus Christo como nosso propheta, sacerdote e· rei e confiando nelle só como o unico e sufficiente Salvador (Rom. 10:9-11; Actos 3:22,23; Heb. 4:14; Ps. 2:6; Heb. 1:8 e 7:25; 2 Tim. 1:12). IX-O

Proposito da (ir aça

Cremos que as Escripturas eusinam que a eleição é o eterno proposito de Deus, conforme o qual graciosamente regenera, santifica e salva peccadores (2 Tim. 1:8,9; Eph.l:3-14; 1 Ped. 1:1, 2; Rom. 11:5,6; João 15:16; 1 João 4:19); que sendo perfeitamente compatível com a livre vontade do homem, elle comprehende todos os meios em conne-


-

12-

xão com o fim (2 Thess.2:12,13; Actos 13:48; João 10:16; Math. 20:16; Actos 15:14); que é uma mais gloriosa manifestação da soberana bondade de Deus,sendo infinitamente livre, sabio, santo e immutavel (Ex. 33:18,19;Math. 20:13; Eph. 1:11; Rom. 9:23,24; Jer. 31:3; Rom. 9:28,29; Thiago 1:17,18; 2 Tim. 1:9; Rom. 11:32-36); que exclue absolutamente a jactancia, e promove humildade, amor, oração, louvor, confiança em Deus, e activa i m i t a ç ã o de sua livre misericordia (1 Cor. 4:7; 1:26 31 ; Rom. 3:27; 4:16; Col. 3:12; 1 Cor. 3:5,7; 15:10; 1 Ped. 5: 10; Actos 1:24; 1 Thess. 2:13; 1 Ped. 2:9; Luc. 18:7; João 15: 16; Eph. 1:16; 1 Tbess. 2:12); que anima a usar dos meios no gráo mais elevado (2 Tim.2:10; 1 Cor. 9:22; Rum: 8:2830; João 6:37·40; 2 Ped, 1:10); que pode descobrir-se por seus effeitos em todos os que creem verdadeiramente do Evangelho (1 Thess.

-

13-

1:4-10; Thiago 2:18; João 14:23); que é o alicerce da garantia Christã (Rom. 8:28-30; Isa.42:16; Ram. 11:29); e que para determiual-a a respeito de nós mesmos exige, e merece a maior diligencia (2 Ped.1:10, 11; Philip. 3:12; Heb~ 6:11). X-A Santificação

Cremos que as Escripturas ensinam, que a santificação é o processo pelo qual, segundo a vontade de Deus, somos feitos participantes da sua santidade (I Thess. 4:3; 5:23; 2 Cor. 7:1 e 13:9; Eph. 1:4); que é uma obra progressiva (Prov. 4:18; 2: 3:18; Heb. 6:1; 2 Pedro 1:5·8); e que é começada na regeneração (1 João 2:20; Rom.. 8:5; João 3:6 ; Philip. 1:9-11; Eph. 1:13, 14); e que é sustentada nos corações dos crentes pela presen· ça e poder do Espírito Santo, o Sellador e Consolador, no uso continuo dos meios prescriptos.especialmente a palavra de Deus,


-

-14exame de si mesmo, abnegação de si mesmo, vigilancia e oração (Philipo 2:12, 13; Eph o 4:11,12; 1 Pedo 2:2; 2 Ped. 3:18; 2 Cor. 13:5; Lucas 11:35 e 9:23; Math. 26:41; Eph. 6:18 e 4:3). XI - A Perseverança

dos fieis

Cremos que as Escriptnras ensinam que só são verdadeiros crentes, aquelles que perseveram até ao fim (João 8:31; 1 João 2: 27, 28; 3:9; 5:18); que sua sru. ança perseverante a Christo é o grande signal que os distingue dos christãos superficiaes (1 João 2:19; João 13:18; Math. 13:20, 21; João 6:66 69); que uma Pro o videncia especial vigia sobre sua prosperidade (Rom. 8:28; Math. 6:30·33; Jer. 32:40; Ps. 90:11; 12 e 120:3); e que elles são guardados pelo poder de DeUS; mediante a fé para a salvação (Philip. 1:6; 2:12, 13; Judas 24; Heb. 1:14; 13:5; 1 João 4:4; 1 Ped. 1:5; Eph. 4:30).

XII-A

15-

lei e o Evangelho

Cremos que as Escripturas eusinam, que a Lei de Deus é a regra eterna e immutavel do seu governo moral (Rom. 3:31; Math , 5:17; Lucas 16:13; Rom. 3:20; 4:15); que é santa, justa e boa (Rom.'7:12; 7':7; 14:22; Gal. 3: 21; Ps. 18:8-12); e que a incapacidade que as Escripturas attribem aos homens decahidos para cumprirem seus preceitos, vem inteiramente do seu amor ao peccado (Rom. 8:7,8; Josué 24:19; Jer,13:23; João 6:44; 5:44); libertal-os do peccado, e restauralos por meio de u~ Mediador á: .obediencia sincera á santa Lei , é o grande fim do Evangelho. e dos meios de graça unidos com o estabelecimentos da Igreja visivel (Rom. 8:24; 10:4; 1 Tim. 1:5; Heb, 8:10; Judas 20, 21; Math. 16:17,18; 1 Cor. 12:28). XIII-Uma

Egreja Evangelica

Cremos que as Escripturas ensinam que uma Egreja visivel


-16 -

-17 -

de Christo é uma congregação de crentes baptizados (1 Cor. 1:l-i3; Math. 18:17; Actos 5:11 e 8:1; Actos 11:21; 1 Cor. 3:17e 14:23; 3 João 9; 1 Tim. 3:5); associa-. dos pelo pacto na fé e confederação do Evangelho (Actos 2:41. 42; 2 Cor. 8:5; Actos 2:47; 1 Cor. 5:12, 1'3); observando as ordenanças de Christo (1 Cor. 11: 2; 2 Thess. 3:6; Rom.16:17-20; 1 Cor. 11:23; Math. 18: 1520; 1 Cor. 5:5; 2 Cor. 2:7; 1 Cor. 4: 17); governados por suas leis (Math. 28:20; João 14:15; João -15; 1 João 4:21 ; 1 Thess. 4-:2; 2 João 6; Galo 6:2); e exercendo os dons, direitos e privilegios investidos nelles por sua palavra (Eph. 4:7; 1 Cor. 14:12; Philip. 1:27: lCor. capo 12 e 14); que seus officiaes escripturaes são só bispos (ou pastores) e diaconos (Philip. 1:1; Actos 13:22; 1 Tim. cap. 3; Tito 1); cujas qualificações, direitos e deveres são definidos nas Epístolas a Thimotheo e Tito.

XIV -O Baptismo e a Ceia do Senbor

Cremos que as Escripturas en. sinam que o baptismo Christão é a submersão de um crente na agua (Actos 8:36-39; Math.3:5, 6; João 3:22. 23 e 4:1, 2; Actos 8:12; 16:32-34; 18;8); em nome do Pae, e do Filho, e do Espirito (Math. 28:19; Actos 10:47, 48; Gal. 3:27); para mostrar num emblema solemne e formoso, nossa fé no Sal vaJor crucificado, sepultado e resuscitado, com seus effeitos, em nossa morte ao peco cado e resurreição a uma nova' vida (Rom. 6:4; Cal. 2:12; 1 Ped. 3:20, 21); que é de antemão re· quisito para os privilégios de uma relação com a Egreja; e para a Ceia do Senhor (Actos 2:41, 42; Math. 28:19, 20); na qual os membros da Egreja, pelo sagrado uso do pão e vinho, commemoram juntamente o amor e morte de Christo (I Cor. 11:26 ; Math. 26:26 29; Marcos 14:22-25; Lucas 22:14-20; 1 Cor. 11:18-25); precedida sempre pelo solemne


-

18-

-19

exame de si mesmo (1 Cor. 11:28, 29; João 6:26.71).

autoridade divina, para o interessse e boa ordem da sociedade humana (Rom.· 13: t·7; Deut. 16:18; 4 Reis 23:3; Ex. 18:23; Jer. 30:21); e que devemos orar 'pelos magistrados, honral.os e obedecerlhes conscienciosamente (Math. 22:2í; Tito 3:1; 1 Pedro 2:13; 1 Tim .. 2:1.8); excepto nas ..cousas oppostas á vontade de nosso Senhor Jesus Christo (Actos 5:29; Math. 10:2~; Dan. 3:15-18; 6:7.10; Actos 4:1820); que é o unico Senhor da consciencia , e o Príncipe dos reis da terra (Math. 23:10; Rom. 14:4; Apoc, 19:16; Ps.71: 11; Rom. 14:9·13; Psal. 2? até capo 9).

xv -o Domingo Chrlstão Cremos que as Escripturas ensinam, que o primeiro dia da semana é o dia do Senhor, ou o Domingo Christão (Actos 20:7 ; Gen. 2:3; Col. 2:16, 17; Marcos 2:27; João 20:19; 1 Cor.16:1, 2); e é para ser guardado sagradamente aos propositos religiosos (Ex. 20:8; 31:14-18; Apoc.1:10; Ps, 117:24); abstendo se de todo o trabalho secular e recreações peco caminosas (Isa , 58:13, 14; Gen. 46:2-8); observando devotamente todos os meios de graça, tanto particulares (Ps. 117: 15), como publicos (Heb. 10:24, 26; Actos 11:26; 13:44; Lev. 19:30; Lucas 4:16; Actos 17:2. 3; Ps. 25:8 e 86 :3); e preparando se para aquelle descanço que resta para o povo de Deus (Heb. 4:3·11). XVI-O

Governo Civil

Cremos que as Escripturas ensinam que o Governo Civil é de

-

. XVII-O

Justo e o lmpio

Cremos que as Escripturas ensinam, que ha uma differença radical e essencial entre o justo e o impio (Mal. 3:18; Prov; 12: 26; Isa, 5:20; Gen. 18:24; Jer. 18:24; Jer, 15:19; Actos 10:34, 35; Rom. 6:16); que só são verdadeiramente rectos na estima


-

20-

de Deus aquelles que pela· fé" são justificados em nome do Senhor, e santificados pelo Espirito de nosso Deus (Rom. 1:17; 7:6; 1 João 2:29; 3:7; Rom. 6:18,22; 1 Cor. 11:32; Prov.10:31; 1 Ped. 4:17, 18); emquanto que todos o~ que .continuam na impeniten~la e ~ncredulidade são impios a sua vista, e sob a condemnação (1 João 5:19' , Gal '.,3·10'João 3:36, Isa. 57:21; Ps. 9:4 ; Isa, 55:6, 7; e esta distincção fica entre os homens ante e depois da morte (Prov. 14:32; Lucas 16:25; João 8:21-24; Prov. 10:24; Lucas 12:4, 5 e 11:23-26; João 12:25, 26; Eccl. 3:17; Math. 7:13, 14). XVIII-O

Mundo Vindouro

. Cremos que as Escripturas ensmam , que o fim do mundo se approxima (1 Ped. 4:7; 1 Cor. 7:29-31; Reb. 1:10.12; Math. 24:35; 1 João 2:17; Math.28:20 e 13:3~, 40; ~ Ped. ~:3.13); que no ultimo dia, Christo descerá

21 do Céo (Actos 1:11; Apoc. 1:7; Reb. 9:28; Actos 3:21; 1 Thess. 4:13·17 e 5:1-11); e resuscitará os mortos das sepulturas para a retribuição final (Actos 24:15; 1 Cor. 15:~2-58; Lucas 14:14 '; Dan. 12:2; João 5:28, 29; João 6:40; 11:25, 26; 2 Tim. 1:10; Actos 10:42) ; que uma solemne separação terá então lagar (Math. 13:49; 13:37.43; 24:30, 31 e 25: 21-33; que os impios serão julgados á punição eterna, e os justos á felicidade eterna (Math. 25:35-46; Apoc. 22:11; 1 Cor. 6:9, 10; Marcos 9:43.48; 2 Ped. 2:9; Judas 7; Philip. 3:19; Rom. 6:22; 2 Cor. 5:10, 11; João 4:36; 2 Cor. 4:18); e que este juizo fixará para sempre o estado final dos homens no Céo, ou no Inferno, segundo os principios de justiça (Rom. 3:5, 6; 2 Thess. 1: 6-12; Reb. 6:1, 2; 1 Cor. 4:5; Actos 17:31; Rom. 2:2·16; Apoc. 20:11, 12; 1 João 2:28 e 4:17). «Como pois todas estas cousas hajam de ser desfeitas, quaes vos


- 22convem ser em santidado de vi. da e em piedade de acções, esperando e appropinquandovos para a vinda do dia do Senhor: no qual os céus ardendo se desfarão, e os elementos com o ardor de fogo se derreterão?» (2 Ped. 3:11, 12).


Issuu converts static files into: digital portfolios, online yearbooks, online catalogs, digital photo albums and more. Sign up and create your flipbook.