Page 1

ASSEMBLEIA NACIONAL RETOMA DISCUSSÃO DO PACOTE AUTÁRQUICO Os deputados retomam hoje, na Assembleia Nacional, o debate do pacote legislativo autárquico, com a discussão da Lei Orgânica sobre as Eleições Autárquicas, que determina as modalidades de realização das futuras eleições autárquicas. P. 9

OPAÍS

JULGAMENTO DE zENU DOS SANTOS INICIA NO DIA 9 DE DEzEMBRO O Tribunal Supremo marcou para o dia 9 de Dezembro o julgamento do filho do exPresidente da República, José Filomeno dos Santos “Zenu”, que vem acusado dos crimes de peculato e branqueamento de capitais. P. 9 Director: José Kaliengue

O DIÁRIO DA NOVA ANGOLA

Edição n.º 1676 Terça-feira,03 /12/2019 Preço: 40 Kz

Livro sobre Savimbi provoca ameaça de morte a Bela Malaquias

CRIME VIOLENTO, A VEz DO HUAMBO

ACTUAL. Ao meio-dia de ontem, quatro indivíduos entraram “a matar” num estabelecimento comercial, feriram duas pessoas, roubaram Kz 500 mil, telefones e outros bens. No mês de Novembro, outros dois crimes ocorreram com semelhanças aos que chocaram Luanda: em plena luz do dia e com disparos à queima-roupa, sem piedade. P.24

● Um cidadão já identificado telefonou no Domingo, 1 de Dezembro, à jornalista e terá proferido ameaças porque não se podia escrever sobre Jonas Savimbi conforme narra o livro ‘Heroínas da Dignidade’ . P. 3

DR

MultiChoice transfere centro de contacto digital para Angola ● A MultiChoice África passa, a partir de hoje, dia 03 de Dezembro, a sua gestão do social hub dos mercados lusófonos da empresa para Angola, um passo que vai possibilitar ao grupo empregar mais de 50 jovens angolanos. P.19

CUANzA-SUL É A PROVÍNCIA MAIS ATINGIDA PELA PÓLIO

P. 12

René Tavares inaugura exposição “Tchiloli Family” no Espaço Luanda Arte

Netflix deixa de funcionar em algumas televisões a partir de Domingo

Religiosos exortados a orar para o fim da criminalidade

Angola tenta evitar terceira derrota no Mundial do Japão ● Depois de perder com a Sérvia e com a Holanda no grupo A, a Selecção Nacional defronta hoje, às 10 horas, a Eslovénia, na cidade de Kumamoto. P. 26


EM FOCO

2

O PAÍS Terça-feira, 03 de Dezembro de 2019

Deputados pedem urgência na aprovação do Pacote Legislativo Autárquico Como forma de impulsionar a realização das primeiras eleições autárquicas, previstas para o próximo ano, partidos políticos na Oposição pedem urgência na discussão e votação do Pacote Legislativo Autárquico, com alegações de que o partido no poder está a tentar arranjar manobras para inviabilizar a sua realização DR

DR

Neusa Filipe

O

deputado da CASA-CE Manuel Fernandes defendeu, ontem, em declarações a OPAÍS, que deveria haver uma orientação do Presidente da República para que a Assembleia Nacional aprove sem morosidade o Pacote Legislativo Autárquico, visto que a convocação das eleições autárquicas depende desta aprovação. O Presidente João Lourenço afirmou recentemente, enquanto presidente do MPLA que, o país está expectante com a possibilidade da realização das primeiras eleições autárquicas, previstas para 2020, porém, as mesmas só serão preparadas, convocadas e organizadas com a aprovação do Pacote Legislativo Autárquico pela Assembleia Nacional. Reagindo a esses pronunciamentos, Manuel Fernandes pede um incentivo por parte do Presidente da República, no sentido de impulsionar a aprovação deste Pacote Legislativo nos próximos dias, para depois não condicionar a tão esperada realização das autarquias locais. “A prioridade na Assembleia Nacional devia ser o Pacote Legislativo Autárquico. Com es-

Deputado da CASA-CE, Manuel Fernandes

te cenário, estamos perante um quadro de incertezas no que à realização das autarquias diz respeito”, disse, apelando ao esforço de todos para que as autarquias sejam realizadas pelo menos no segundo semestre de 2020. O porta-voz do PRS, Rui Malopa, disse que o seu partido também está expectante na aprovação do Pacote Legislativo Au-

“A prioridade na Assembleia Nacional deveria ser o Pacote Legislativo Autárquico. Com este cenário, estamos perante um quadro de incertezas no que à realização das autarquias diz respeito”

Pacote autárquico retoma na Assembleia Nacional

R

etoma hoje, na Assembleia Nacional, o debate do pacote legislativo autárquico, com a discussão sobre a lei orgânica sobre as elei-

ções autárquicas, que determina as modalidades de realização das futuras eleições autárquicas. O Executivo enviou, em Abril do ano passado, um conjunto de 7 propostas de leis estruturantes do processo de ins-

titucionalização das primeiras autarquias locais, sendo que, até ao momento, o Parlamento aprovou duas, nomeadamente, a Lei Orgânica sobre a Organização e Funcionamento das Autarquias Locais e

Secretário-geral do PRS, Rui Malopa

tárquico o mais rápido possível, para ver criadas as condições que vão permitir a realização das autarquias locais. Rui Malopa referiu que toda a especulação à volta da concretização ou não das autarquias locais são argumentos do partido no poder como forma de inviabilizar a sua realização. “São argumentos do partido no poder, que começa a ver que

está a perder a confiança dos angolanos, e se continuar a sustentar a realização das eleições vai perder o poder, e isto não lhe convém, por isso cria todas as manobras possíveis”, disse, Rui Malopa. O Partido de Renovação Social (PRS) continua a defender a realização das autarquias locais em simultâneo em todo o território nacional, sem deixar municípios para as próximas fases, sob pena de atrasar o seu desenvolvimento.

a Lei da Tutela Administrativa das Autarquias Locais. Na semana passada, o Conselho de Ministros apreciou mais 4 propostas de leis adicionais ao Pacote Legislativo Autárquico, elevando, deste modo, para 11 o total de propostas de leis remetidas pelo Executivo à Assembleia Nacional.


3

O PAÍS Terça-feira, 03 de Dezembro de 2019

Livro sobre Jonas Savimbi provoca ameaça de morte a Bela Malaquias Um cidadão já identificado telefonou no Domingo, 1 de Dezembro, à jornalista e terá proferido ameaças porque não se podia escrever sobre Jonas Savimbi conforme narra o livro ‘Heroínas da Dignidade’

U

ma semana depois de ter lançado o livro ‘Heroínas da Dignidade’, em que homenageia algumas mulheres mortas na Jamba e as peripécias por que outras passaram, supostamente a mando de Jonas Savimbi, a jornalista e jurista Florbela Malaquias diz ter sofrido ameaças de morte. Contactada ontem por OPAÍS, ‘Bela’ Malaquias confirmou que “as ameaças surgem na sequência do lançamento do livro”. Segundo a jornalista, um indivíduo contactou-a “por telefone e proferiu as ameaças, porque ele acha que eu não deveria escrever, uma vez que Savimbi é o que é”. “A pessoa está bem identificada. Chama-se L.C (inicias do nome do acusado) e o Serviço de Investigação Criminal (SIC) já está a tomar conta do assunto”, garantiu a autora do livro que é visto como “anormal” por alguns indefetíveis do líder fundador da UNITA, Jonas Savimbi. OPAÍS tentou o contacto com o acusado por telefone, através do número de que a jornalista diz ter recebido as ameaças, mas não obteve qualquer resposta. Uma mensagem enviada para que este confirmasse ou desmentisse a

veracidade da informação também não teve qualquer réplica. Nas redes sociais, uma das filhas de Jonas Savimbi, Ginga Sakaita, saiu em defesa do “bom nome do pai” por causa do livro e da chacina que lhe é imputada, em que, além de mulheres, terão sido também mortas algumas crianças. Num texto extenso que publicou no facebook, partilhado por figuras influentes do próprio partido do Galo Negro, a jovem, que foi vista nos dias de campanha que antecede-

Pretendi lançar a pedra no charco da consciência nacional para que se olhe para este acto de feminicídio como um crime praticado em Angola contra as angolanas e que se considere a possibilidade da data 7 de Setembro, em articulação com a Organização das Nações Unidas, como um marco contra o feminicídio no mundo” DR

Bela Malaquias, jornalista, recebeu ameaça de morte pela publicação de um livro que acusa Savimbi de feminicídio

ram o último congresso a calcorrear o país ao lado do novo presidente da UNITA, Adalberto Costa Júnior, escreveu: “A senhora, se por acaso tem filhos, devo dizer que falhou, falhou como Mãe! Porque devo dizer que como Mãe que também sou, jamais terei uma atitude de atacar ou desprezar outro ser humano! Porque a Natureza das Mães é de ensinar com um coração congregador de que somos todos filhos do Altíssimo e que todos somos diferentes, mas aprender a amar, aceitar

e respeitar o próximo é a chave e o segredo para a unificação do mundo! Acima de qualquer coisa que o mundo dos homens pode oferecer, estão os nossos princípios básicos de convivência e respeito aos outros! Quem não se mete no lugar dos outros não serve”. No acto de lançamento do livro, a autora, que narra a história na primeira pessoa, disse: “pretendi lançar a pedra no charco da consciência nacional para que se olhe para este acto de femini-

cídio como um crime praticado em Angola contra as angolanas e que se considere a possibilidade da data 7 de Setembro, em articulação com a Organização das Nações Unidas (ONU) como um marco contra o feminicídio no mundo”. E prossegue a jornalista: “achei necessário lançar luz sobre as trevas que durante muitos anos pairaram sobre a verdade de certos factos. Não foi tão fácil para mim expor-me, isto é uma auto-exposição, mais fi-lo pela verdade”.

PUB


4

DESTAQUES POLÍTICA. PÁG. 8 Entrada de Adalberto Costa Júnior no Conselho da República gera expectativas

o editorial SOCIEDADE. PÁG. 10 Perto de 40 mil

pessoas com teste positivo de VIH/SIDA este ano

CARTAz. PÁG. 14 René Tavares inaugura exposição “Tchiloli Family” no Espaço Luanda Arte

ECONOMIA. PÁG. 18 A injeção na banca de USD 50 milhões /dia não resolve o problema cambial, diz economista

O PAÍS Terça-feira, 03 de Dezembro de 2019

HOJE: os números do dia

Quando a morte “vem” sempre do céu

D

uas pessoas morreram e três outras ficaram gravemente feridas nos últimos quatro dias, no município da Ganda (Benguela), em consequência das descargas atmosféricas que acompanham as fortes chuvas que se abatem sobre a região, noticiou, ontem, a Angop. No Huambo, também uma jovem perdeu a vida ao ser atingida por um raio. Em Caluquembe, na Huíla, foram cinco pessoas. Quando não é a seca, é a chuva a matar, ou as descargas eléctricas atmosféricas. Mas, tal como na seca se pode cuidar para evitar mortes, também há que perguntar pelos para-raios que deveriam estar espalhados pelas regiões mais altas do país. Não é nada que se vá inventar, mas aqui, se é para cuidar da vida, nem nas escolas se ensina o básico.

9

10 180

Mil mulheres fizeram, nos últimos seis meses, o corte em todo o país, segundo dados secretário de Estado da Saúde Pública, Franco Mufinda.

Milhões de dólares é o valor que o Governo dos Estados Unidos da América disponibilizou este ano para o combate ao HIV em Angola, investimento que será feito em planos de mergência e outros pontos de trabalho.

Crianças, dos cinco aos 16 anos, concentram-se diariamente na convergência dos bairros da Samba Grande, Morro da Luz e Rocha Pinto, em Luanda, para assistirem aulas.

320

Fiéis da paróquia da Nossa Senhora de Lourdes foram formadas, em Luanda, sobre matérias de valorização de resíduos e poluição marinha.

o que foi dito

MUNDO . PG. 22 China impõe sanções aos Estados Unidos da América

Saio da zona Económica Especial satisfeito, por ter constatado ser um local onde estão concentrados muitos jovens a trabalhar” Crispiniano dos Santos Secretário nacional da JMPLA

O país enfrenta uma crise sem precedentes, mas os cidadãos devem confiar nas políticas de estabilização socioeconómica” D. Benedito Roberto Arcebispo da Igreja Católica em Malanje

Para nós, CASA-CE, o gradualismo geográfico ou territorial, que exclui a implementação das autarquias em alguns municípios, é um princípio violador da Constituição” Alexandre Sebastião André Presidente do grupo parlamentar da CASA-CE


5

O PAÍS Terça-feira, 03 de Dezembro de 2019

e assim... José Kaliengue Director

A altura do amor

Hoje no online de O PAÍS leia a entrevista com o economista Carlos Lopes e encontre algumas respostas às suas inquietações sobre o desenvolvimento africano

T

www.opais.co.ao Dia Internacional das Pessoas com Deficiência: promover uma maior compreensão dos assuntos concernentes à deficiência e para mobilizar a defesa da dignidade, dos direitos e o bem estar das pessoas (DR)

o que vai acontecer Bienal Luís Damião representa

Angola na 12ª edição da Bienal Africana de Fotografia, que se realiza deste ontem a 31 de Janeiro de 2020, na cidade de Bamako, capital do Mali. Denominado “Reencontros de Bamako”, o evento contará com a presença de artistas e fotógrafos de mais de 50 países do continente africano, disse, quinta-feira, à Angop o fotógrafo, no Aeroporto Internacional 4 Fevereiro, antes do embarque a Bamako. Luís Damião explicou que vai à Bienal de Bamako a convite da organização, com uma obra denominada “Mohamed Aqui”, que o referido tema reflecte a capacidade dos angolanos .

Cultura A dimensão cultural e

artística de Angola e África do Sul estão a ser evidenciadas desde a noite de Quinta-feira até 7 de Dezembro, no palco do Palácio de Ferro, em Luanda, inserida na Semana Cultural Sul-africana, comemorativa do Dia da Liberdade da terra de Nelson Mandela. Na abertura da semana, o secretário de Estado da Cultura para a área Científica, Aguinaldo Cristóvão, destacou os momentos de partilha de experiências que os artistas dos dois países vão poder trocar durante o evento, tendo felicitado, em nome da ministra da Cultura, Maria da Piedade de Jesus, o povo sul-africano pela celebração dos 25 anos do Dia da

Liberdade daquela nação africana.

Macky Sall, estando previstas intervenções de convidados

Encontro Angola participa na

Política Uma conferência de

Conferência sobre “Desenvolvimento Sustentável - Dívida Sustentável” que decorre em Dakar, no Senegal, com uma delegação chefiada pelo ministro da Economia e Planeamento, Manuel Neto da Costa. Segundo uma nota de imprensa, o evento visa identificar estratégias para financiar as necessidades de desenvolvimento, garantindo a sustentabilidade da dívida, bem como a partilha de experiências dos diferentes actores económicos, a fim de encontrarem as melhores práticas. A conferência será aberta pelo Presidente do Senegal,

investimento em Angola é organizada pela União Europeia (EU) em 2020, em Bruxelas, anunciou em Mbanza Kongo, na província do Zaire, o embaixador da Bélgica em Angola. Jozef Smets declarou no primeiro dos três dias de uma visita de trabalho àquela província, que, no caso da Bélgica, há um número considerável de empresas que investem em Angola. No próximo ano, avançou, um grupo de empresários de países francófonos da Europa, incluindo a Bélgica e a França, visita Angola para uma missão comercial de prospec-

Andebol A Selec-

ção Nacional sénior feminina de andebol defronta hoje a Eslovénia, em partida a contar para a 3ª jornada do grupo do Mundial que decorre no Japão, às 10:00 (tempo de Angola)

om Cruise e Kate Holmes (ele com 1 metro e 70 centímetros e ela com 1,80) já foram um dos casais mais famosos de Hollywood. Seth Green (1,63) e Clare Grant (1,70) fazem outro casal famoso. Carla Bruni tem dez centímetros a mais em relação a Sarkozi, o ex-Presidente francês. Rod Stewart, que não é um homem baixo, se engatou com Penny Stewart , um mulherão de 1,85 cm. Já volto, deixem-me só dizer por que comecei com esta conversa. Não é por ser baixo. No dia da festa da Rádio Mais, eu e o Adilson da DSTV conversávamos sobre como filmar com telemóveis, já que quase toda a gente filma com o aparelho na vertical. Acontece que os ecrãs dos cinemas e dos televisores estão na horizontal. Por isso também se estraga tanta fotografia. Os homens da imagem sabem bem como fazer alguém parecer mais gordo ou mais alto. Boa parte dos actores famosos são “baixinhos”. O Schwarzenegger do cinema não é o da vida real, nem na altura. Procurei o “senhor Google” para ver quantos actores são realmente altos. Bem, as fotos com as suas parceiras no red carpet dizem tudo. E quando elas calçam sapatos de salto alto... Mas socialmente há um complexo nisto de relações em que a mulher é mais alta, e há preconceitos de parte a parte. Li uma bloguer a dizer ter sido sempre a mais alta da turma, e sofrido a esperar que os rapazes crescessem até ela, só que ela também crescia. Depois descobriu que sair com homem mais alto não significa protecção, esta tem outro nome: amor. Uma outra mulher escreve que o problema é dos homens, que se sentem inferiores e envergonhados ao lado de uma mulher mais alta, deixando escapar a possibilidade de ficar com a pessoa certa em troca de uns centímetros que podem ser de infelicidade. Pois é, o amor não se mede ao centímetro, nem ao miligrama, mas todos se deixam trair por estes como insectos por faróis de um carro à noite.

E também... Dia Internacional dos Portadores de Alergia Crónica - 3 de Dezembro O Dia Internacional dos Portadores de Alergia Crónica foi criado pela Organização Mundial de Saúde (OMS) em prol dos portadores de alergias crónicas, que não estão sozinhos no seu sofrimento.


6 Media Nova, S.A Presidente do Conselho de Administração Filipe Correia de Sá Administradores Executivos Luís Gomes Paulo Kénia Camotim Propriedade : Socijornal Depósito Legal: Nº 244/2008 Contribuinte: 5417015059 Nº registo estatístico: 48058

O PAÍS Terça-feira, 03 de Dezembro de 2019

NO TEMPO DO KAPARANDANDA

Director Geral de Publicações: José Kaliengue jose.kaliengue@opais.co.ao

OPAÍS

Director: José Kaliengue Sub-Director: Daniel Costa, daniel.costa@opais.co.ao Chefe de Redacção: Eugénio Mateus, eugenio.mateus@opais. co.ao Grande repórter: André Mussamo andre.mussamo@opais.co.ao Editorias : Política: Ireneu Mujoco ireneu.mujoco@opais.co.ao (Editor) Sociedade: Paulo Sérgio paulo.sergio@opais.co.ao (Editor) Romão Brandão romao.brandao@opais.co.ao (Sub-editor) Economia Luís Faria (Coordenador-Editor) luis.faria@opais.co.ao Desporto: Sebastião Félix sebastiao.felix@opais.co.ao (Editor) Mário Silva mario.silva@opais.co.ao (Sub-editor) Cartaz: Jorge Fernandes jorge.silva@medianova.co.ao (Sub-editor) Redacção: Norberto Sateco, Alberto Bambi, Augusto Nunes, Rila Berta, Miguel Kitari, Domingos Bento, Neusa Filipe, Afrodite Zumba, Milton Manaça, Antónia Gonçalo, Maria Teixeira, Iracelma Kaliengue, Patrícia Oliveira, Stela Cambamba, Zuleide de Carvalho (Benguela),Brenda Sambo, Maria Custódia, Kiameso Pedro e Adjelson Coimbra. Arte: Ladislau Bernardo (Coordenador) Valério Vunda (Coordenador adjunto)Lourenço Pascoal, Annette Fernandes, Nelson da Silva e Francisco da Silva. Fotografia: Carlos Moco (Editor), Daniel Miguel (Sub-editor), Pedro Nicodemos, Jacinto Figueiredo, Carlos Augusto, Virgílio Pinto, Lito Cahongolo (repórteres fotográficos), Rosa Gaspar e Yuri dos Santos (Assistentes de Departamento) Revisão: António Setas

1967

03 de Dezembro de Cirurgiões da cidade do Cabo, na África do Sul, efectuam com sucesso uma transplantação do coração humano, afirmando ser essa a primeira vez que se realiza uma operação de tal tipo.

1994

03 de Dezembro de -O Tribunal Supremo legaliza o Partidos Angolano para a Unidade e Desenvolvimento (PAUD) e o Independente Renovador (PIR).

1997

03 de Dezembro de - Tem início em Otava, Canadá, a conferência internacional sobre o tratado a proibição total das minas antipessoais.

CARTA DO LEITOR

Estamos a passar mal

DR DR

Agências: Angop, AFP, Reuters, Getty Images

Assistentes de Redacção: Antónia Correia, Rosa Gaspar, Inês Monteiro e Sílvia Henriques Impressão e acabamento: DAMER, S. A. Luanda Sul, Edifício Damer Distribuição: Media Nova Distribuição Tel: +244 943028039 Distribuidora@medianova.co.ao pontodevenda@medianova.co.ao Assinaturas: Bruno Pedro Tel: +244 945 501 040 Bruno.Pedro@medianova.co.ao Online: Venâncio Rodrigues (Editor)Isabel Dalla e Ana Gomes Sítio Online: www.opais.co.ao Contactos: info@opais.co.ao Tel: 914 718 634 -222 003 268 Fax: 222 007 754 Sede: Condomínio ALPHA, Talatona- Luanda. Tel: 222 009 444 República de Angola

Comercial e Marketing: Senda Costa 922682440 Vladimir Teixeira email: comercial@medianova.co.ao Tiragem: 15 000 exemplares

Caro director Os angolanos escolheram o Governo que temos e, portanto, acho que temos de esperar que chegue2022paraacertarmosas contas. Mas até lá é preciso ajudar. Pelo menos nós, o povo, não temos alternativa, porque, se não ajudarmos, as coisas só irão piorar cada vez mais. Porque os governantes e os ricos vão ficar

cada vez melhor. Mas também não sei bem como é que vamos ajudar, se eles querem mesmo ajuda, então têm de nos dizer o que podemos mais fazer, já que a nossa vida está cada vez mais difícil. Os preços, não sei se o Governo está a ver bem, mas estão mais caros todos os dias, o povo está a passar muito mal.

Mesmo em Luanda há muitas famílias que só comem uma vez por dia, eu acho até que é a maioria das famílias que estão a passar assim mal. Porisso mesmo a Polícia não deve bater nas zungueiras, ou será que o Governo vai lhes dar de comer?Senemempregodá,entãoas pessoas vão viver como? Estamos mesmo a passar mal,

o Governo não está a ajudar nada, nem a dar esperança no povo, mas o povo pode ajudar, é só o Governo explicar bem o que anda a fazer, mas não pode pedir para ajudar comendo menos, isto já não tem como.

Escreva para o Jornal OPAÍS através do e-mail info@opais.co.ao ou ligue para estes contactos Tel: 222 003 268 Fax: 222 007 754

zacarias Abel Uíge


8

POLÍTICA Adalberto Costa Júnior, presidente da UNITA e futuro membro do Conselho da República

Entrada de Adalberto Costa Júnior no Conselho da República gera expectativas Para muitos, caso continue com a mesma verticalidade, que apresenta nos seus posicionamentos públicos, o actual presidente da UNITA poderá vir a ser uma um elemento importante nas decisões a serem tomadas pelo Presidente da República, João Lourenço, nos mais variados domínios da vida social, política e econômica do país Constantino Eduardo, em Benguela

A

entrada de Adalberto Costa Júnior no Conselho da República está a ser aguardada, por muitos segmentos da sociedade civil, com grande expectativa, devido aos seus posicionamentos críticos em relação à governação do actual Executivo. Para muitos, caso continue com a mesma verticalidade, que apresenta nos seus posicionamentos públicos, Adalberto poderá vir a ser uma um elemento importante nas decisões a virem a serem tomadas pelo Presidente da República, João Lourenço, nos mais diversos domínios da vida social, política e económica do país. Já para outras vozes, ouvidas pelo OPAIS, para fazer valer o seu real papel e posicionamentos, Adalberto Costa Júnior terá de ser ouvido e as suas ideias bem acolhidas pelo Titular do Poder Executivo. O político substitui Isaías Samakuva, que ainda ocupa o lugar da UNITA no referido órgão de consulta do Presidente da República. Questionado por OPAÍS, so-

bre em quanto tempo Adalberto Costa Júnior deverá ser nomeado, decorridas mais de duas semanas desde que foi eleito presidente da UNITA, o jurista Waldemar Tadeu disse que, por não ser um órgão de soberania, a Constituição é omissa em relação ao tempo, pelo que depende da vontade do PR. Conforme explicou, o que poderá ocorrer, eventualmente, será João Lourenço, por despacho, designálo antes da convocação da próxima reunião daquele órgão consultivo e, com efeito, Isaías Samakuva deixará o lugar, por já não ser o presidente da UNITA, em obediência aos princípios legais. “O que o Presidente da República deverá fazer é, antes da próxima reunião do Conselho, notificar o novo membro. Não conheço o regulamento do Conselho da República, mas a praxe tem sido esta”, esclarece. Segundo o jurista, por ser um órgão de consulta, a Constituição não estabelece o tempo de reunião, mas entende que o Presidente da República poderá convocá-lo sempre que achar necessário auscultar os seus conselheiros. Já os militantes do partido UNI-

TA acreditam que, com Adalberto Costa Júnior, o João Lourenço terá um conselheiro que, à semelhança de Isaías Samakuva, conhece a realidade social, económica e política do país. David Sabino, membro da Comissão Política, se refere a Isaías Samakuva como factor de equilíbrio e unidade, que contribuiu para o aumento do nível de tolerância no país. De acordo com o político, o conselheiro Isaías Samakuva foi determinante para a tomada de decisões políticas importantes que ocorreram em Angola, pelo que acredita que Adalberto Costa Júnior poderá vir a seguir os mesmos princípios de mostrar ao Presidente da República um país real. Segundo o artigo 135º, o Conselho da República é o órgão colegial de natureza consultiva do Chefe do Estado. A estrutura é composta pelo Vice-Presidente da República; Presidente da Assembleia Nacional, Presidente do Tribunal Constitucional, Procurador-Geral da República, os antigos Presidentes da República que não tenham sido destituídos do cargo, os Presidentes dos partidos políticos e das coligações de partidos políticos representados na Assembleia Nacional. Contam ainda no órgão dez cidadãos designados pelo Presidente da República pelo período correspondente à duração do seu mandato. No entanto, em Agosto deste ano, Abel Chivukuvuku, antigo presidente da CASA-CE, foi substituído no Conselho da República por André Mendes de Carvalho, um mês depois de este assumir a liderança da Coligação.

O PAÍS Terça-feira, 03 de Dezembro de 2019

Níveis de tráfico de drogas no país considerados altos O ministro da Justiça e Direitos Humanos, Francisco Queiroz, admitiu, ontem, em Luanda, que os níveis de tráfico de drogas no país são altos

E

m declarações à imprensa, na abertura do workshop sobre a “Implementação das Convenções das Nações Unidas sobre Drogas e Crimes (UNODC)”, o governante defendeu, por isso, uma cooperação internacional mais eficiente para combater o tráfico. “Se não estivermos preparados com a cooperação internacional, não conseguiremos”, realçou o ministro, adiantando, sem apresentar estatísticas, que os níveis são altos em comparação com os anos anteriores. Francisco Queiroz ressalvou, no entanto, que Angola está abaixo de outros Estados da região em que está inserida. Segundo o responsável, os criminosos aproveitam a vantagem de Angola ser uma “placa giratória” da região e a vulnerabilidade das fronteiras marítima e terrestre (numa extensão de mais de 2500 km2) para traficar drogas pesadas, como a cocaína. “Estamos a falar de terrorismo, da transferência ilícita de capitais e de órgãos de seres humanos”, apontou, reiterando a necessidade de haver uma cooperação internacional específica para cada manifestação criminosa. Igual posição foi defendida pelo coordenador residente do Sistema das Nações Unidas em

Angola, Paollo Balladelli, para quem é importante a abordagem do tema, por estar relacionado à estabilidade do Estado de Direito e Democrático. Com essa medida, acrescentou, poderá diminuir-se os fluxos financeiros ilícitos, as armas ilegais e permitir a recuperação de activos roubados. Ainda sobre o workshop, o vice-procurador geral da República, Mota Liz, disse a Angop, tratar-se de mais um passo de aprendizagem para os operadores de justiça conseguirem combater o crime organizado. Reconheceu a função central da Procuradoria Geral da República (PGR) nesta matéria, uma vez que tem registado “vários casos de tráfico de drogas, com redes internacionais, a criminalidade transnacional, tráfico de pessoas e branqueamento de capitais”. Os participantes neste workshop, a decorrer até ao dia 6 deste mês, estão a abordar, entre outras, questões como as convenções das Nações Unidas contra o Crime Organizado Transnacional, protocolo para prevenir, suprimir e punir o tráfico de pessoas e protocolo contra a fabricação e o tráfico ilícito de armas de fogo, suas peças, componentes e munições.

O ministro da Justiça e Direitos Humanos, Francisco Queiroz


O PAÍS Terça-feira, 03 de Dezembro de 2019

9

DR

InstitutoTony Blair trabalha com Governo angolano O Instituto Tony Blair para Mudança Global manifestou a intenção de trabalhar com o Governo angolano, na sequência das reformas políticas, económicas e sociais empreendidas pela actual governação, liderada pelo Presidente João Lourenço, segundo a Angop DR

Julgamento de Zenu inicia a 9 de Dezembro O Tribunal Supremo marcou para o dia 9 de Dezembro o julgamento do filho do exPresidente da República, José Filomeno dos Santos “Zenu”, que vem acusado dos crimes de peculato e branqueamento de capitais

O

facto foi anunciado ontem, Segundafeira, em Luanda, pelo seu director, Tony Blair, antigo primeiro-ministro do Reino Unido, à saída de uma audiência que lhe foi concedida pelo Chefe de Estado angolano, noticiada pela agência de notícias angolana. “Angola é um país bastante importante a nível da África. O meu instituto tem trabalhado com vários países africanos, excepto Angola. Então, por isso, tivemos esse primeiro encontro com o Presidente João Lourenço, no sentido de falarmos sobre os passos empreendidos, principalmente no que diz respeito às mudanças em curso”, explicou. Tony Blair reconheceu que,

como em qualquer país, as mudanças criam dificuldades. Considerou “impressionantes, mas necessárias” as alterações levadas a cabo pelo Presidente João Lourenço. “Por isso, o meu trabalho será de cooperar com os governos que estão em processo de reformas”, afirmou o líder do Instituto Tony Blair para Mudança Global, aludindo a parceria que pretende manter com o Governo angolano. Em relação a Cimeira sobre Investimentos em África, que terá lugar a 20 de Janeiro de 2020 em Londres, para a qual o Presidente angolano já foi convidado oficialmente, Tony Blair considerou o evento “bastante importante” para os países africanos, no que diz respeito aos negócios e investimentos.

Disse que haverá muitas empresas britânicas que pretendem investir em África, pelo que será uma oportunidade para África e o Reino Unido puderem discutir questões que têm a ver com o comércio, assim como os investimentos. Anthony Chatles Lynton (Tony Blair ) foi primeiro-ministro do Reino Unido (1997 a 2007), líder do Partido Trabalhista (1994/2007) e membro do parlamento britânico (1983/2007). Depois de deixar o cargo de primeiro-ministro, Tony Blair foi indicado enviado no Médio Oriente da Organização das Nações Unidas (ONU), da União Europeia, dos Estados Unidos da América e da Rússia. Nascido em Edimburgo (Escócia), a 6 de Maio de 1953, Tony Blair é empresário.

A

audiência, segundo um comunicado da Câmara Criminal do Tribunal Supremo, está marcada para as 9 horas do dia 9 de Dezembro, no Palácio da Justiça, em Luanda. No banco dos réus estarão Zenu dos Santos, Valter Filipe (antigo governador do BNA), Jorge Sebastião e António Bule Manuel. Zenu, antigo presidente do Fundo Soberano, está pronunciado pelos crimes de branqueamento de capitais e de peculato, num processo relativo à suposta transferência irregular de 500 milhões de dólares (452 milhões de euros) do Banco Nacional de Angola para um banco britânico, em Setembro de 2017. José Filomeno dos Santos foi constituído arguido em Março de 2018, na mesma altura que o antigo governador do Banco

Nacional de Angola Valter Filipe da Silva. Em Abril do ano passado, o Governo tinha confirmado, por via de um comunicado do Ministério das Finanças, que já recuperou os 500 milhões de dólares, transferidos para uma conta bancária em Londres. Em tempos, José Filomeno dos Santos “Zenu” tinha comunicado a revogação da procuração conferida ao escritório Legis Veritas, requerendo igualmente que o tribunal lhe nomeasse um defensor oficioso. O escritório Legis Veritas recebeu uma carta de “Zenu” dos Santos comunicando a revogação do mandato a 19 de Setembro de 2019, alguns dias antes do início do seu julgamento, que estava agendado para o dia 25 de Setembro e foi mais tarde adiado, agora para o dia 9 de Dezembro.


SOCIEDADE

10

O PAÍS Terça-feira, 03 de Dezembro de 2019

Perto de 40 mil pessoas c positivo de VIH/SIDA est De Janeiro a Setembro deste ano, o programa de VIH/SIDA testou mais de um milhão e 300 pessoas, destes 39.075 deram positivo, com uma taxa de 2,98 por cento, segundo o secretário de Estado da Saúde Pública, Franco Mufinda

Maria Teixeira

O

C on sel ho de Igrejas Cristãs de Angola (CICA), em parceria com a J.C. Flowers Foudation, realizou ontem, em Luanda, numa unidade hoteleira, um encontro um encontro de reflexão com as entidades religiosas nacionais e internacionais. O encontro teve como objectivo imperioso, o envolvimento da liderança religiosa e das igrejas na prevenção da transmissão do VIH e SIDA pelo facto de reconhecerem que não só a malária constitui um problema para sobrevivência das crianças, mas também o VIH/SIDA. Por outro lado, mobilizar todos os angolanos a tomar medidas, a fim de eliminar a malária no país, de uma vez por todas, bem como garantir uma geração livre do VIH. O secretário de Estado da Saúde Pública, Franco Mufinda, disse que mais de nove mil mulheres fizeram o corte vertical nos últimos seis meses e foram testadas acima de 500 mil mulheres, destas, oito mil e 264 foram positivas. Ainda nesta senda, um total de 2.386 crianças tiveram testes positivos. “Temos o programa de corte vertical em todo o país que controla, de Janeiro a Setembro, acima de nove mil mulheres. Estamos a acompanhar mais de 100 mil pessoas no tra-

tamento anti-retroviral”, disse. Com o trabalho do corte vertical, inserido na campanha “Nascer Livre Para Brilhar”, uma campanha lançada pela Primeira-dama da República, Ana Dias Lourenço, em Dezembro de 2018, reduziu-se o índice de transmissão do VIH da mãe para filho em Angola. “Infelizmente, na transmissão de mãe para filho temos uma prevalência maior, que está à

Franco Mufinda, secretário de Estado da Saúde Pública

Deolinda Tecas, secretária-geral do CICA


11

O PAÍS Terça-feira, 03 de Dezembro de 2019

com teste te ano LITO CAHONGOLO

volta de 26 por cento. A intenção do Governo é até 2022 baixar esta taxa para 14 por cento”, disse. Segundo Franco Mufi nda, o quadro epidemiológico do país com respeito ao VIH/SIDA baseando-se nos Indicadores múltiplos da Saúde 2016 a prevalência é de dois por cento, uma das mais baixas da SADC e a sua distribuição é desigual, sendo a mais alta na província do Cunene, com 6.1 por cento e a mais baixa em Cabinda. Reduzir a taxa de transmissão de mãe para filho de até 2022 O Instituto Nacional de Luta contra a SIDA é um órgão autónomo fi nanceiramente, de modo que o orçamento geral agrega verbas para o seu funcionamento. De acordo com Franco Mufi nda, “infelizmente, na transmissão de mãe para fi lho temos uma prevalência maior, que está em volta de 26 por cento, mas a intenção do Governo é que até 2022 baixe para 14 por cento”. Quanto aos insumos, o responsável fez saber que o Governo angolano paga 70 por cento dos anti-retrovirais, testes rápidos, e outros medicamentos, sendo que os outros 30 são da responsabilidade do Fundo Global. Concernente à malária, explica que no nosso país ainda há bastantes desafios quando comparado com os demais países da região e o trabalho deve ser maior. “Temos registado uma queda de casos de malária que terminam em óbito, o que é bom, pelo que vamos continuar a trabalhar tanto no acesso primário aos cuidados de saúde, na prevenção, no recurso a pulverização e no uso da rede mosquiteira”, salientou. Por essa razão, estão a colo-

car também os ADECOS (Agentes de Desenvolvimento Comunitário) a nível das comunidades para fazerem o tratamento simples da malária, e contam com a ajuda das igrejas. Igrejas intensificam parceria com o MINSA no combate as doenças Por sua vez, a secretária-geral do CICA, Deolinda Tecas, disse que a igreja esteve sempre envolvida em três grandes sectores, que são a educação (que inclui a formação e a instrução da palavra de Deus), a saúde e o sector social. “As igrejas têm estado a trabalhar fortemente na mobilização, sensibilização e educação para prevenção da saúde. Embora consideramos que o trabalho ainda não é suficiente”, frisou. Em declarações à imprensa, a responsável explicou que o en-

contro serve “para juntos reflectirem sobre o combate à malária, uma doença que tem dizimado muita gente, para além do VIH/SIDA”. Dados mostram que só em 2018 oito mil e 900 crianças angolanas morreram de malária e apenas 38 por cento das mulheres grávidas que vivem com VIH tomaram medicamentos antirretrovirais, para precaver a transmissão do vírus para seu bebé. Fez saber que desde 2017 que o CICA tem trabalhado com a Flowers Foudation, uma cooperação que surgiu graças ao envolvimento da Igreja Anglicana em Angola. “Sendo um país com 18 províncias e com 164 municípios, precisamos de sinergias, porque não é só a malária que dizima, o VIH também tem estado a levar muita gente prematuramente”, disse. LITO CAHONGOLO

Governo Americano gasta anualmente 22 milhões de dólares em Angola Já a Representante da USAID em Angola, Jui Nina, que falou da parceria e apoio internacional das iniciativas locais, afirmou que a malária é uma prioridade do Governo Americano em Angola. Explicou que em cada ano o Governo Americano gasta 22 milhões de dólares só para a área da malária, na vertente prevenção. “Todos sabem que aqui, em Angola, só no ano passado houve cinco milhões de casos de malária e, infelizmente, mais de 11 mil pessoas perderam a vida, entre elas pais, mães e filhos, irmãs e irmãos”, realçou. Apesar dos obstáculos, a malária pode ser derrotada, segundo aquela responsável. Desde 1955, 38 países e territórios que anteriormente tinham malária, incluindo os Estados Unidos de América, e muitos da Europa, tornaramse livres da malária.


SOCIEDADE

12

O PAÍS Terça-feira, 03 de Dezembro de 2019

Cuanza-Sul é a província mais atingida por casos de poliomielite DR

As autoridades dizem que as campanhas ainda são assombradas por casos de pais que rejeitam vacinar os filhos por alegados aspectos culturais, religiosos e falta de informação. Um total de 49 casos estão confirmados em Angola Milton Manaça

D

os 49 casos de poliomielite em todo o país, 10 foram registados na província do Cuanza-Sul e as crianças do município de Cassongue são as mais afectadas, de acordo com Alda Morais, coordenadora Nacional do Programa Alargado de Vacinação (PAV), num encontro com jornalistas de diferentes órgãos de comunicação social realizado ontem, em Luanda. A falta de cobertura vacinal no Cassongue foi apontada como a principal causa, fazendo com que as crianças se tornem suscetível a contrair a paralisia infantil. Terá sido de Cassongue que o vírus entrou, disseminando-se para o resto da província. “É uma área em que as campanhas de vacinação de rotina são muito baixas, para não dizermos que não existia”, acrescentou Alda Morais, coordenadora Nacional do PAV. A responsável disse que a última campanha feita em Cassongue resultou em indicadores positivos e garantiu que já não haverá problemas maiores nos próximos anos, com a aposta que se vai fazer na vacinação injectável de pólio. Angola começou a assumir a compra de medicamentos para a erradicação da doença desde 2003 e em 2019, por exemplo, o Executivo desembolsou 18 milhões de dólares só para a vacinação de rotina.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda que a cobertura vacinal chegue aos 90 ou 95 por cento. Mas os dados de Angola têm rondado os 70 ou 80 por cento da meta estipulada. As autoridades queixam-se do comportamento de alguns pais e encarregados de educação por rejeitarem que os filhos sejam vacinados, por alegadas questões culturais, dizendo que as vacinas causam outras doenças. Algumas mães dizem que a religião não permite que se faça vacinação ou que se permitirem terão problemas, segundo Alda Morais. A falta de informação é apontada como principal factor do comportamento de muitos pais, daí que se solicitou maior sensibilização para o cumprimento do calendário anual de vacinação de rotina para crianças menores de um ano. OMS diz ser falsa informação das redes sociais O encontro, ontem, serviu também para desmentir uma informação veiculada por alguns órgãos de comunicação social e difundida

“O Cassongue é uma área em que as campanhas de vacinação de rotina são muito baixas, para não dizermos que não existia”, Alda Morais, coordenadora Nacional do PAV

nas redes sociais, segundo a qual a OMS colocou Angola na lista de países com casos de poliomielite com origem na vacina. Aliás, o representante da OMS em Angola Hernando Agudelo, que também participou no encontro, disse que tal informação não é da autoria da sua organização, não sendo, portanto, credível. Nas campanhas promovidas pelo Governo foram vacinadas até agora cerca de 4.5 milhões de crianças, em 15 das 18 províncias do país, e Hernando Agudelo disse que a OMS vai continuar a apoiar os esforços do Governo angolano para acabar com esta doença. “A campanha de vacinação contra a poliomielite que o Governo angolano está a liderar é fundamental para controlar o surto de poliomielite. Todos nós, em conjunto, devemos trabalhar para sensibilizar as nossas famílias e comunidades para a necessidade de vacinar todas as crianças”, disse Hernando Agudelo. Angola já tem controlada a poliomielite do tipo 1 e 3 e o Executivo diz estar a fazer esforços para controlar também o tipo 2.

“A campanha de vacinação contra a poliomielite que o Governo angolano está a liderar é fundamental para controlar o surto de poliomielite” Hernando Agudelo, representante da OMS em Angola


CARTAz seu suplemento diário de lazer e cultura

René Tavares inaugura exposição “Tchiloli Family” no Espaço Luanda Arte

A colecção composta por 10 obras da Série Tchiloli Family, do referido artista, ficará patente até 25 deste mês, em conjunto com a exposição colectiva Vidrul Fotografia dos fotógrafos angolanos, Nguxi dos Santos e Djelsa Ariana DR

Augusto Nunes

A

Galeria ELA - Espaço Luanda Arte, acolhe esta Sexta-feira, 6, a partir das 18 horas, a exposição individual da 4ª Edição da Plataforma de Fotografia Experimental Pan-africana VIDRUL do fotógrafo santomense René Tavares. A mostra, constituída por 10 obras da Série Tchiloli Family, ficará patente ao público até 25 deste mês, e, segundo o autor, é inspirada numa herança renascentista reinventada pelo povo de São Tomé e Príncipe, no teatro português e francês, que desde então se tornaram um símbolo de resistência ao antigo domínio colonial português. É uma performance cultural tradicional nas ilhas de São Tomé e Príncipe, que consiste na recriação teatral do conflito medieval entre a Corte de Carlos Magno e a Corte do Marquês de Mântua, desde então actualizada para incluir outras personagens numa sátira em torno de posições de hierarquia social, política e religiosa.Já a professora, Ana Nolasco, considera esta prestigiada criação uma celebração de um mundo fragmentado que não sucumbe ao poder de uma voz que se submete e unifica. É a existência dessas muitas verdades parceladas que garantem a possibilidade de renovação da humanidade. O artista René Tavares, nascido em São Tomé e Príncipe, em 1983, é formado pela Escola de Belas Artes de Dakar (Senegal), pela École de Beaux Arts de Rennes (França), e participante do projecto do Curso de Fotografia ARC/Rennes. O artista traduz em traços, linhas e manchas, uma síntese pessoal da sua própria identidade, sempre em processo (“inacabada”). Interessado em aprofun-

As suas obras já estiveram expostas em espaços e eventos como: Afro Our Urban (EUA), El Puevo Resistente (Venezuela), Theatre National le Chaillot (France), ArtVisie Gallery (Holanda dar a permeabilidade das fronteiras entre histórias, memórias, linguagens e técnicas, buscando compartilhar esse caminho exploratório, René Tavares estabelece um processo multilinguagem, tendo como parâmetro as suas necessidades expressivas. As suas obras já estiveram expostas em espaços e eventos como: Afro Our Urban (EUA), El Puevo Resistente (Venezuela), Theatre National le Chaillot

(France), ArtVisie Gallery (Holanda), Museu da Cidade (Portugal), Venice Architecture Biennale (Itália), Bienais de Arte de São Tomé e Príncipe, entre outros. Recorde-se que esta exposição ficará patente até ao dia 25 deste mês na referida galeria, em conjunto com a exposição colectiva Vidrul Fotografia dos fotógrafos angolanos Nguxi dos Santos e Djelsa Ariana.


O PAÍS Terça-feira, 03 de Dezembro de 2019

15

Complexo Turístico Palmeiras acolheu Reflexão sobre o Teatro Nacional Estiveram presentes no acto cerca de 40 membros, dos mais de 60 que fazem parte do grupo formado por estudantes da antiga escola de Amadores de Teatro do Conselho Nacional de Cultura, criada em 1976 por decisão do então Presidente da República Popular de Angola, António Agostinho Neto DR

O

Complexo Turístico Palmeiras, situado atrás do edifício sede da CITIC, na Mutamba, acolheu no Sábado 30/11/2019, o terceiro encontro do grupo de amadores de teatro e dança do Conselho Nacional de Cultura. Estiveram presentes no acto cerca de 40 membros, dos mais de 60 que fazem parte do grupo formado por estudantes da antiga escola de Amadores de Teatro do Conselho Nacional de Cultura, criado em 1976 por decisão do então Presidente da República Popular de Angola, António Agostinho Neto. O membro da organização, José Moreno Pereira da Gama disse a OPAÍS que os encontros do grupo a que pertence visam a passagem de testemunho à nova geração que apesar do desenvolvimento das tecnologias tem algo a aprender consigo, uma vez que a sua geração desenvolveu o teatro por amor à pátria, sem qualquer objectivo financeiro.

Caracterizando o teatro desenvolvido no período colonial, José da Gama disse que o teatro daquela época era de laser e meramente social, abafando as questões políticas relevantes da verdadeira história de Angola, razão pela qual o saudoso presidente Agostinho Neto incentivou o teatro nacional, revolucionário, que despertasse os angolanos. A antiga escola embrionária de Amadores de Teatro integrou jovens das escolas secundárias Liceu Mutu ya Kevela, Liceu Paulo Dias de Novais, Liceu Feminino Guiomar de Lencastre e Escola Industrial de Luanda Bula Matadi e visou resgatar os valores culturais dos angolanos, que sofreram a ocupação colonial e consequentemente a alienação durante 500 anos. José Gama lembrou que a escola de teatro então dirigida pela professora Thereza Santos, militante negra portuguesa do Partico Comunista Português nascida no Rio de Janeiro, assistida por Isabel Ferrão, produziu a peça teatral Histó-

ria de Angola, uma narração histórica de base mímica em que a dança e a música se complementavam, assim como a peça teatral musical África Liberdade. Por sua vez, Vicente Pedro Neto, outro membro da organização disse que a História de Angola subiu ao palco em Novembro de 1976, durante o primeiro aniversário da Independência de Angola, foi a maior realização cultural produzida na Angola independente, com enorme sucesso que registava as plateias sempre cheias de pessoas vindas dos mais longíquos bairros. Pela razão acima exposta, o grupo teatral foi incorporado na delegação cultural angolana que participou na Nigéria, de 15 de Janeiro a 12 de Fevereiro de 1997, no II Festival de Artes Negras (FESTAC). Pela mesma razão, o grupo foi pioneiro na criação do primeiro e talvez único comboio da cultura realizado no país, com o percurso Luanda-Malange, disse. Vicente Neto afirmou ainda que do ponto de vista intelectual todos se destacaram, e valorizou a norma de que quanto maior a capacidade intelectual o corpo obedece. Contudo, Paula Víctor encarnou a Rainha Njinga Mbandi com categoria, igualmente Germano Gomes, o papel de Ngola Kiluange, pelos gestos acrobáticos que exibia. Neto mencionou também Domingos Nguizani, por ter revolucionado a dança, António de Oliveira Alandelon, os Marimbeiros da Lunda, o Tonito e a própria professora Thereza Santos. Neto disse ao País que o sucesso da peça teatral-musical África Liberdade foi ofuscada por uma matéria publicada no Jornal de Angola, em 1979, assinada por Mena Abrantes. O dramaturgo alegava que, em sua opinião, estava-se perante muita ousadia, retratar a história da libertação de África da forma como estava a feita. Com a saída do País de Thereza Santos, a direcção da escola ficou a cargo de Roldão Ferreira e três professores cubanos, contudo o grupo que tinha uma relação muito forte com a professora Thereza começou a se desmembrar aos poucos, abraçando novos projectos de vida.

DR

Religiosos exortados a orar para o fim da criminalidade

O

bispo da Igreja de Nosso Senhor Jesus Cristo no Mundo(Os Tocoistas), Dom Afonso Nunes, exortou os fiéis da congregação que dirige a orarem para o fim da criminalidade que assola algumas cidades, com realce para Luanda, a capital do país. O prelado, que falava numa homilia que serviu para relançar a campanha de Natal Solidário para os mais desfavorecidos, baseou o seu apelo no livro bíblico dos Salmos, capítulo 127, versículo 1. Este salmo diz que “se o Senhor(Deus) não guardar a cidade, em vão vigia a sentinela”, daí a necessidade de se suplicar para que o trabalho das autoridades competentes no combate à criminalidade tenha mais eficácia, disse. Nos últimos tempos, a onda de criminalidade no pais tem vindo a registar números assustadores, que consistem em assaltos à mão amada, roubos, furtos, raptos e violações. Durante a homilia, o bispo disse ser necessário orar não só para a segurança das cidades e dos cidadãos, mas também para aqueles que estão no mundo de crime para que deixem de praticar actos repugnantes contra os seus semelhantes. Dom Afonso Nunes insistiu na oração para que haja mais proteção divina, acreditando que apesar do esforço das autoridades, a onda de criminalidade só será banida com a intervenção de Deus.

Natal solidário Por outro lado, respondendo ao apelo do Natal Solidário, uma prática habitual desta congregação, O PAIS apurou que a igreja continua a receber várias toneladas de bens diversos, entre alimentos, roupas, calçados, utensílios de cozinha e outros, para acudir a situação dos mais necessitados. Parte destes bens destinaser-ao a algumas populações do Sul de Angola, com realce para a Huila, Namibe, Cunene e Cuando Cubango, afectadas com uma seca severa há muitos anos. Uma fonte ligada à organização avançou que até ao momento, os fiéis continuam a levar os bens ao sector social da igreja, garantindo que o que se pretende com esta acção solidária, não só festejar condignamente o natal, mas também continuar a ajudar os que precisam de uma mão caridosa. Refi ra-se que, no campo social, a igreja tocoista tem estado a investir na área da educação, saúde e comunicação social. Presentemente, possui um Instituto Superior Politécnico, Escolas do Ensino Médio, vários postos médicos nas províncias e projecta a construção de uma clinica com mais de 200 camas, em Luanda, a partir do próximo ano. No campo da comunicação social possui uma radiodifusão, uma televisão interna em circuito fechado e brevemente vai inaugurar uma rádiodifusao regional na província eclesiástica do Waku Kungu, no Cuanza-Sul.


16

CARTAz

O PAÍS Terça-feira, 03 de Dezembro de 2019

Televisão

Netflix deixa de funcionar em algumas televisões a partir de Domingo A Netflix anunciou, em Novembro, que o serviço de streaming deixaria de funcionar em algumas Smart TV mais antigas, de marcas como a Samsung, Vizion e o Roku. A limitação começou no Domingo

J

ustificando-se com “limitações técnicas” em alguns dos modelos mais antigos, a Netflix insistiu que só um pequeno número de pessoas sairá afectado. E acrescentou que todos os utilizadores que possam ser atingidos foram notificados sobre dispositivos alternativos, “para que possam continuar a desfrutar da Netflix sem problemas”. A Samsung, uma das marcas mais vendidas, confi rmou que os modelos de 2010 e 2011 serão afectados, enquanto a Vizion adiantou que serão os modelos com mais de quatro anos que deixarão de suportar a Netfl ix. Por seu lado, a Roku deu conta de que os seguintes mode-

2014 e o YouTube já não pode ser activado nas televisões da Sony que foram desenvolvidas antes de 2012. O que fazer para contornar a limitação? Se tem uma PlayStation 3, uma PlayStation 4 ou uma Xbox One, poderá continuar a ver Netfl ix nos modelos de televisão obsoletos. Além destes periféricos, dispositivos como a Apple TV ou o Chromecast poderão ser igualmente usados para contornar a limitação. Também os telemóveis podem ser usados para contornar esta limitação. Mesmo com os sistemas mais antigos da Android ou da Apple, pode ver as séries ou fi lmes sem problemas ou enviá-los para qualquer televisão com o apoio do Chromecast. A Netfl ix disponibiliza uma lista de todos os dispositivos em que pode assistir aos fi lmes e séries sem qualquer tipo de limitação.

los também deixam de conseguir receber o popular canal de streaming: Roku 2050X, Roku 2100X, Roku 2000C, Roku HD Player, Roku SD Player, Roku XR Player and Roku XD Player. Com o passar dos anos, é natural que alguns hardwares deixem de suportar determinados softwares. No entanto, no caso das televisões, que são compradas para terem um mais longo período de vida, a situação torna-se mais preocupante do que se estivermos a falar de computadores ou telemóveis. E está longe de ser um problema exclusivo da Netfl ix. Também este ano, a Hulu, um sistema de fi lmes e séries concorrente, deixou de funcionar nas televisões da LG anteriores a

Fonte: Jornal de Notícias

SEPARAÇÃO

RECONHECIMENTO

FEIRAS

MÚSICA

Dupla “Duc & Niiko” separada

Exposição itinerante homenageia Heroínas Africanas na UCAN

Governo da província do CuanzaNorte assume Feira do Dondo

Tindersticks: “O Mediterrâneo é hoje um mar de sofrimento”

A dupla Duc & Niiko, autora de sucessos como “Dama da Favela” e “All Night” encontra-se separada temporariamente. “Quero oficialmente dizer-vos que estou a trabalhar sozinho e há possibilidades de álbum oficial próximo ano, vamos arranjar formas de lançar. Conto com vocês admiradores e fãs, e com o vosso suporte nesta nova fase!!! A dupla vai hibernar. Obrigado pela vossa compreensão.”, lê-se num post de Niiko feito, recentemente, na sua página do Insta. Vale frisar que, recentemente, Niiko lançou um single a solo, intitulado “Suraya”.

Aexposiçãoitinerantecomotítulo“Heroínas Africanas da Luta de Libertação Contra o Colonialismo” estará patente de 3 a 5 de Dezembro, na Universidade Católica de Angola , em Luanda. A amostra inclui imagens de heroínas, algumasemcenáriodeguerra,documentos históricos, poemas, manuscritos, jornais da década de 60, cartazes e panos africanos com retratos de Deolinda Rodrigues (Angola), Josina Machel (Moçambique) e Titina Silá (Guiné-Bissau). A colecção visa homenagear as três heroínas africanas, pelo percurso na afirmação dos respectivos países e insere-se no quadro Mesa Redonda sobre “Deolinda, As Mulheres Na Luta de Libertação”.

O Governo da Província do Cuanza-Norte assume, a partir de 2020, a organização da Feira do Artesanato do Dondo, promovidahá10anospeloMinistériodaCultura. A informação foi prestada Domingo pelo director do Gabinete Provincial da Cultura, Turismo, Juventude e Desportos do Cuanza-Norte, Paulo Tonet, no encerramento da X edição do evento, que decorreu de 20 de Novembro a 1 de Dezembro do ano em curso. O responsável salientou que esta medida implicará mudanças na terceirização de serviços, para melhor gestão do evento e na periodicidade, que passará de anual para ininterrupta.um orçamento próprio, factor que tem criado dificuldades na sua organização.

A banda britânica Tindersticks está de regresso a Portugal para três concertos que servem de apresentação ao último disco, The Waiting Room, um trabalho editado no início do ano, que o vocalista Stuart Staples apresenta como “um novo começo”. Já passou mais de um quarto de século desde a primeira apresentação dos Tindersticks em Portugal, num memorável concerto na Aula Magna, que marcou o início de uma longa relação de amor entre o público português e a banda britânica.. O músico, que actualmente reside em Ítaca, na Grécia, viajou de comboio desde Madrid (Espanha) até Lisboa para falar do seunovodisco,NoTreasurebutHope,um trabalho “mais humano” e “mais próximo da confiança e da liberdade”.


ECONOMIA

18

O PAÍS Terça-feira, 03 de Dezembro de 2019

A injeção na banca de USD 50 milhões /dia não resolve o problema cambial, diz economista

DR

DR

Inadec regista 262 infracções à actividade comercial

O

Durante sete dias, o Banco Nacional de

Angola (BNA) vai injectar USD 50 milhões por dia à disposição dos bancos comercias. A Medida insere-se nos esforços de estabilização da taxa de câmbio e de redução do diferencial entre as taxas dos mercados oficial e paralelo. Na opinião do Economista Silvestre Francisco a injecção desse valor não resolve o problema

Patrícia de Oliveira

N

o total, serão colocados à venda em leilão USD 250 milhões, devendo a instituição divulgar, no termo de cada sessão, o montante efectivado, as taxas de câmbio mínima, média e máxima, e o número de participantes. De acordo com o economista Silvestre Francisco, os USD 250 milhões que serão disponibilizados aos bancos comercias durante esta semana, não resolve a ques-

tão e não é a medida mais acertada. Para ele, é uma questão de opção, não de solução. São precisas políticas que passam por liberalizar que as quantidades de dólares a levantar devem ser definidas pelo cliente e a forma de distribuição aos clientes e às empresas . “Não é o nem “prefácio” da solução que precisamos, não é uma medida que vai solucionar o mercado cambial e nem minimizar, porque já tivemos esta experiência nos anos anteriores em que as empresas até faziam o pagamento em dólares e protegíamos a importação, mas ainda assim não resultou”, explica.

O economista recorda que o sector petrolífero injectava dólares para a banca, porque os salários dos seus funcionários eram pagos em divisas. Deste modo, a banca tinha disponibilidade e conseguia atender a população e algumas empresas. Naquele período, havia regularidade cambial Segundo ele, quando há exportação de produtos, há maiores quantidades de moeda estrangeira no país e a mobilidade das divi-

“Não é o nem “prefácio” da solução que precisamos, não é uma medida que vai solucionar o mercado cambial”

sas melhora, e se consegue atender às necessidades em termos de aquisição de dólares. “Financiar dólares aos bancos comercias no sentido dos mesmos terem divisas para atenderem a procura não resolve o prolema. A questão tem a ver com o regime que limita as pessoas de adquirirem dólares nas quantidades desejadas, que é um regime controlado. Por outro lado, os bancos comercias também têm problemas para encaminhar o dinheiro para os clientes”, explica. Na última Sexta-feira, após uma reunião do Comité de Política Monetária do BNA, o governador da referida instituição, José de Lima Massano, anunciou um conjunto de medidas, algumas em execução e outras por implementar a partir de Janeiro, destinadas a normalizar o mercado cambial. Uma das medidas anunciadas pelo governador do BNA é a retirada progressiva do banco central do mercado cambial, deixando para os bancos comerciais o negócio de aquisição de moedas estrangeiras às companhias petrolíferas.

Instituto Nacional de Defesa do Consumidor (Inadec) registou, em Novembro do corrente ano, 262 infracções em 630 visitas realizadas aos estabelecimentos comerciais do país, no âmbito das suas acções de fiscalização. Segundo uma nota de imprensa do Inadec, a que a imprensa teve acesso ontem , durante o período em referência, foram emitidas 270 notificações às entidades reclamadas e 24 colheitas de amostras, que culminaram na suspensão de 14 estabelecimentos comerciais. Dentre eles estão nove padarias que trabalhavam em péssimas condições higiénicas e por más práticas no exercício da sua actividade, assim como procedeu-se a cinco acções de inutilização de produtos impróprios para o consumo humano. No mesmo período, foram apreendidos 230 quilogramas de peixe carapau, nutrientes diversos microbiológicos para tratamento da água de mesa expirada desde 2017, mil e 495 caixas de peixe sardinha e 248 sacos de arroz. Entretanto, no que se refere ao apoio ao consumidor e ao programa de educação para o consumo, o Inadec registou 385 reclamações, das quais 276 foram atendidas e 236 encontram-se em curso. Ainda neste período realizou 14 palestras, procedeu 246 acções de sensibilização e 255 aconselhamentos e uma acção formativa.


O PAÍS Terça-feira, 03 de Dezembro de 2019

19

DR

MultiChoice transfere centro de contacto digital para Angola A MultiChoice África passa a partir de hoje dia 03 de Dezembro a sua gestão do social hub dos mercados lusófonos da empresa para Angola, um passo que vai possibilitar ao grupo empregar mais de 50 jovens angolanos DR

A iniciativa vai gerar um total de 50 postos de trabalho para os jovens

A

Social Hub da MultiChoice uma área do negócio responsável por resolver os constrangimentos apresentados pelos clientes através das plataformas digitais como o Facebook, o Twitter, os e-mails, e, brevemente, o WhatsApp, que durante muitos anos foi da responsabilidade de uma equipa domiciliada em Joanesburgo, na África do Sul, passa a funcionar a partir de hoje em Luanda, com a inauguração do novo centro, de acordo com um comunicado da empresa enviado ontem ao OPAÍS. Segundo o documento, para que a medida se torne num êxito foi feita uma reformulação do modelo de negócio, de modo a permitir que além do software e dos sistemas de gestão, também fossem tidos em conta pressupostos co-

mo factores sociais e culturais, que podem influenciar o comportamento e as experiências dos clientes. O responsável pela área de experiência do cliente da MultiChoice Angola, Rui Morais, disse que “Esta migração, da África do Sul para Angola vai permitir apostar em talentos locais e em simultâneo atingir um patamar qualitativo elevado, já que haverá uma melhor compreensão do contexto específico dos nossos clientes” De acordo com a MultiChoice, a gestão do centro está agora sob responsabilidade da empresa Quality, Contact Centers, uma multinacional angolana especializada em serviços de atendimento ao cliente via telefone e redes sociais, que opera no país desde 2015. O Centro vai empregar, nesta fase, 50 jovens, com experiência no ramo e que por turnos vão garantir a qualidade e a resolu-

ção das solicitações dos clientes, em tempo útil. Para garantir o integral funcionamento do Call Centrer a MultiChoice deu formação de 320 horas ao longo de um mês aos colaboradores. Com este investimento, o grupo espera garantir um atendimento personalizado, célere e adaptado às reais necessidades e preocupações dos clientes. Por sua vez, o director Geral da MultiChoice Angola, Eduardo Continentino, afirmou que a empresa continua a apostar na formação para garantir a qualificação dos seus colaboradores. “O mais importante é a aposta na formação técnica dos colaboradores para que eles consigam ir ao encontro das necessidades dos clientes. A nossa prioridade deve ser resolver num curto espaço de tempo as dificuldades apresentadas pelos clientes”, disse. Sobre a MultiChoice A MultiChoice é uma empresa de entretenimento audio-visual e o nosso papel é enriquecer vidas. Tornamos o melhor entretenimento acessível a milhões de lares em 49 países da África Subsariana. Nascida e criada em África, estamos enraizados nos países onde vivem os nossos clientes. Somos geridos e administrados por colaboradores locais, e esforçamo-nos por fornecer a todos os nossos clientes novas oportunidades de entretenimento e muito mais. Estamos orgulhosos da contribuição que concedemos às nossas comunidades e o nosso negócio cresceu de mãos dadas com as economias locais, fomentando parcerias de longo prazo com os governos, emissoras nacionais e empresas. O entretenimento é uma forma poderosa de contar histórias que abre as nossas mentes, une pessoas com as mesmas paixões, e liga-nos a novas realidades. Faz-nos rir e chorar, informa, educa e inspira.

Governo de Moçambique paga dívidas do Estado a 4 mil empresas

Q

uatro mil empresas credoras do Estado pelo fornecimento de bens e serviços de 2007 a 2017, mas que tinham os pagamentos condicionados devido à falta de visto do Tribunal Administrativo vão receber os montantes em atraso, anunciou a Confederação das Associações Económicas de Moçambique (CTA). O presidente da CTA, Agostinho Vuma, disse ter a instituição recebido uma comunicação do governo no sentido da disponibilidade para saldar as dívidas e adiantou que a decisão vai contribuir para a recuperação das empresas visadas. A disposição para saldar estas dívidas fora já manifestada pelo ministro da Economia e Finanças, num recente encontro com jornalistas em Maputo, durante o qual explicou que, em 2017,

Reforçar a relação com os agentes económicos, pagando o que lhes era devido para animar as empresas de modo a produzirem mais e criarem emprego”

o Governo tinha tomado a decisão de “reforçar a relação com os agentes económicos, pagando o que lhes era devido para animar as empresas de modo a produzirem mais e criarem emprego”, segundo o matutino Notícias, de Maputo. Adriano Maleiane disse nessa altura ter-se apurado que estavam em dívida cerca de 19 mil milhões de meticais (296,875 milhões de dólares) referentes ao período 2007/2017, dos quais cerca de 16 mil milhões de meticais que eram devidos por órgãos de nível central e três de nível provincial. Do exercício de validação feito a partir dessa decisão pela Inspecção-Geral de Finanças, segundo Maleiane, resultou a divisão da dívida em três grandes grupos, sendo o primeiro constituído por credores que tinham contratos visados pelo Tribunal Administrativo, num total de 1196 empresas. O outro grupo é constituído por 1933 empresas que a inspecção constatou que, de facto, forneceram bens e serviços, mas ou não tinham os contratos, ou, se os tinham, não estavam visados pelo Tribunal Administrativo. No terceiro grupo, segundo explicação do ministro da Economia e Finanças, estavam agrupadas 1158 empresas que, segundo constatação da inspecção, não tinham nem contrato, nem provas de terem fornecido algum bem ou serviço ao Estado. Da avaliação então feita resultou que dos 19 mil milhões de meticais de meticais em dívida, 5,7 mil milhões não foram reconhecidos e 2,6 mil milhões foram validados, mas não chegaram a ser pagos devido à falta de contratos ou de vistos. (Macauhub)


20

MERCADOS

O PAÍS Terça-feira, 03 de Dezembro de 2019

A LIQUIDEz NO MERCADO INTERBANCÁRIO A escassos dias do encerramento de 2019, o tema de liquidez continua a dominar o desempenho do sector bancário em Angola e a ser determinante na gestão macroeconómica do país, pelos efeitos que o mesmo tem no processo de normalização dos desequilíbrios no mercado cambial e na garantia da estabilidade dos níveis de preços e promoção do crescimento da economia

P

ara o alcance dos pontos acima referenciados, os Bancos Centrais, através da política monetária centram-se na gestão e compatibilização do sistema de pagamentos à estrutura produtiva e às necessidades de fi nanciamento da economia. A criação de um ambiente monetário e fi nanceiro que garanta o crescimento económico sustentável no longo prazo, por via da expansão do crédito e da moeda em linha com o crescimento tendencial do produto, e a criação de mecanismos que garantam o asseguramento por parte do sistema bancário de meios de pagamentos necessários às trocas na economia – o crescimento da massa monetária acima da actividade económica de determinado país periga a estabilidade dos preços – através do manuseamento das taxas de juro. A contradição existente sobre o excesso/escassez de liquidez no sistema bancário parece persistir. Se por um lado, as últimas medidas do BNA - aumento do coeficiente de reservas obrigatórias em moeda nacional para 22%, tal como o incremento para 10% da taxa de juro para as operações de facilidades permanentes de absorção de liquidez com maturidade a 7 dias - sugerem a existência de excesso de liquidez – a evolução da Luibor (taxa praticada entre os bancos comerciais para permuta de liquidez) sugere o contrário. O aumento do coeficiente das reservas obrigatórias e da taxa de juro nas operações de absorção de liquidez tem como principal efeito a redução da capacidade dos bancos comerciais aumentarem a quantidade de moeda a circu-

DR

lar na economia, o que contribui para a manutenção do processo de desaceleração da inflação, que durante o mês de Outubro fi xouse em 16,08%, que corresponde a uma redução de 1,96 p.p. em relação ao mesmo período de 2018 não obstante a entrada em vigor do Imposto sobre o Valor Acrescentado e a liberalização da taxa de câmbio. Entretanto, durante o mês de Novembro, a Luibor Overnight atingiu 26,47%, que corresponde ao nível máximo da série histórica que teve início em 2005. Importa ressaltar que a Luibor Overnight durante o período em análise apresentou um incremento mensal de 11,56 p.p.. Assim, o mês de Novembro de 2019 marca a inversão do processo de normalização da Luibor iniciado em Junho, com a Luibor a apresentar um comportamento atípico ao situar-se acima da Taxa BNA - o indicador que reflecte o custo efectivo da cedência de liquidez do BNA aos bancos comerciais -, em 15,50%, por um lado, e por outro, a Luibor a 1 mês atingiu o menor nível entre as maturidades, o que distorce a normalidade da yield curve da Luibor, que passa a ter a forma similar a “V”. Pelo facto da Luibor servir de referência para a concessão de crédito bancário, a sua tendência ascendente poderá limitar a obtenção dos mesmos por parte dos particulares e empresas, sendo que, durante o mês de Outubro a taxa de juro média do crédito de 181 dias a 1 ano para particulares em moeda nacional situou-se em 19,73%, enquanto para o segmento empresarial, para o mesmo período, fi xou-se em 16,09%. Aliado à evolução da Luibor, o sector bancário começa a apre-

“O mês de Novembro, a Luibor Overnight atingiu 26,47%, que corresponde ao nível máximo da série histórica que teve início em 2005”

sentar os primeiros efeitos, com as operações de permuta de liquidez no mercado interbancário a situarem-se em 181,55 mil milhões Kz, em Outubro, que corresponde a uma redução de 28% e 75% na variação mensal e homóloga, tal como o menor nível desde Janeiro de 2019. No cenário actual, o encarecimento do custo de financiamento (taxa de juro) poderá reduzir a procura por crédito, colocar em cheque o processo de diversificação da economia e em conse-

quência limitar o crescimento da economia. Destaca-se que, recentemente, o Centro de Estudo e Investigação Científica da Universidade Católica de Angola divulgou o Relatório Económico de 2018 que aponta para a contracção da economia no ano corrente, em aproximadamente 2,4%, sendo que antes de 2025 o país não terá condições para recuperar a dinâmica de crescimento económico perdida no passado, em que abundava liquidez em moeda nacional e estrangeira.


MUNDO

22

O PAÍS Terça-feira, 03 de Dezembro de 2019

DR

China impõe sanções aos Estados Unidos da América O Governo chinês diz que vai impor sanções a várias organizações não-governamentais norte-americanas e impedir a Marinha dos EUA de visitar Hong Kong. A decisão foi anunciada ontem, Segunda-feira, segundo o Observador

A

Presidente chinês Xi Jinping

China vai suspender as visitas da Marinha dos Estados Unidos da América a Hong Kong e impor sanções a várias organizações não-governamentais norte-

americanas na sequência da promulgação de uma lei de apoio aos direitos humanos e à democracia na região, foi anunciado ontem, Segunda-feira. Donald Trump promulgou, na Quinta-feira, uma resolução de apoio aos direitos humanos e à

democracia em Hong Kong depois de esta ter sido aprovada pelo Congresso, por esmagadora maioria. Esta que prevê sanções contra as autoridades chinesas responsáveis por violações dos direitos humanos e põe em causa o estatuto comercial que a região administrativa especial chinesa beneficia. Na opinião do Governo chinês, tratou-se de um “comportamento despropositado”. “A China insta os Estados Unidos da América a corrigirem os seus erros e a pararem com quaisquer palavras ou acções que interfiram nos assuntos internos em Hong Kong e

na China”, declarou ontem, Segunda-feira, Hua Chunying, porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros chinês, citada pela Associated Press. Apesar de ter ameaçado que a China poderá tomar outras acções no futuro, se assim for necessário, Hua Chunying não explicou a natureza das sanções em causa. “As organizações merecem ser sancionadas e devem pagar um preço”, declarou, garantindo que existem “factos e evidências que deixam claro que estas organizações não-governamentais apoiam [as forças] anti-China” e “incitam actividades

separatistas pela independência de Hong Kong”. A porta-voz acusou-as ainda de terem “grande responsabilidade na situação caótica de Hong Kong”. Este Domingo, milhares de manifestantes voltaram a concentrar-se em Hong Kong contra o Governo chinês, levando a novos confrontos com a Polícia, que disparou gás lacrimogéneo e fez algumas detenções. De acordo com a Reuters, um grupo de centenas de pessoas marchou em direcção ao consulado norte-americano para agradecer o apoio dos últimos meses. DR

Trump recusa participar na audição do processo de impeachment

A

Casa Branca fez saber que o Presidente dos EUA e os seus advogados não vão participar nas audições e mantém dúvidas sobre se este é um processo justo. A Casa Branca anunciou que não vai participar na primeira audição do processo de destituição do Presidente norte-americano Donald Trump, na comissão judicial da Câmara dos Representantes, na Quarta-feira. A recusa foi transmitida, no Domingo, à comissão através de uma carta do advogado da Casa Branca. “Não se pode legitimamente esperar que participemos numa audição quando os nomes das testemunhas não foram divulgados, ao mesmo tempo que se mantém a dúvida de que a comissão judicial possa garantir ao Presidente um processo justo”, escreveu Pat Cipollone, numa carta dirigida ao presidente da comissão, Jerry Nadler.

Na Quarta-feira, Donald Trump deverá participar numa cimeira da NATO, nos arredores de Londres. A 26 de Novembro, a comissão judicial da Câmara dos Representantes convidou Trump ou os advogados para a audição na próxima Quarta-feira, numa nova fase do inquérito com vista à destituição do Presidente norte-americano. “Espero que o senhor ou os seus advogados aceitem participar nesta audição”, escreveu-lhe o congressista democrata Jerry Nadler, que preside a esta comissão encarregada de redigir o libelo acusatório de Trump. A audição incide sobre a questão da eventual ocorrência de “alta traição e delitos graves”, considerados na Constituição. A sessão vai contar com a presença de peritos que vão analisar a base constitucional para a eventual destituição do Presidente. A audição na comissão judicial vai ocorrer em simultâneo com a apresentação, pela comissão das Informa-

ções, do relatório com as provas das relações de Trump com a Ucrânia. Trump é acusado de abuso de poder no exercício do cargo Esta comissão da Câmara dos Representantes realizou ao longo de duas semanas audições centradas nos pedidos de Trump ao homólogo ucraniano para que mandasse investigar o antigo vice-presidente Joe Biden e o filho, enquanto fazia depender a prestação de ajuda militar a este país da realização desta investigação. A comissão deu o prazo de até 1 de Dezembro para Trump responder O multi-milionário septuagenário, de 73 anos, está sob investigação do Congresso num inquérito para a destituição, por alegado abuso de poder no exercício do cargo. Trump é suspeito de ter pressionado o Presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelenskiy, a investigar uma empresa ucraniana da qual foi

Donald Trump furta-zse a participar nas audições do impeachment

administrador o filho do ex-vicepresidente Joe Biden, seu eventual rival político nas eleições de 2020, em troca de uma ajuda militar dos EUA. O 45º Presidente norte-americano, em funções desde 20 de Janeiro de 2017, qualificou a investigação de “caça às bruxas”. As audições

públicas do inquérito começaram em 13 de Novembro. Se as conclusões do inquérito forem aprovadas por maioria simples na Câmara dos Representantes, o processo segue para o Senado, sendo então necessária uma maioria de dois terços para a destituição do Presidente.


O PAÍS Terça-feira, 03 de Dezembro de 2019

23

Guterres quer países a ultrapassar divisões para salvar o planeta O secretário-geral das Nações Unidas, o português António Guterres, pediu ontem, Segunda-feira, em Madrid a todos os países do planeta para “ultrapassarem” as suas divisões e chegarem a um “entendimento” para lutar contra as alterações climáticas

Guterres apela a entendimento para a luta contra as alterações climáticas

“E

xorto todas as partes a ultrapassarem as suas actuais divisões e a encontrarem um entendimento comum sobre” a questão da luta contra as alterações climáticas,

disse António Guterres na sessão de abertura da Cimeira sobre as Alterações Climáticas, conhecida como COP25, que irá decorrer até 13 de Dezembro na capital espanhola, segundo o Jornal de Notícias. O secretário-geral das Na-

ções Unidas fez um apelo aos representantes de mais 170 países presentes, entre eles 50 chefes de Estado e de Governo presentes, como o português, António Costa, “para que aumentem” a sua “ambição e urgência” na luta contra o problema. O ex-primeiro-ministro português recordou que o globo está numa “encruzilhada crucial” e que “milhões em todo o mundo, entre eles muitos jovens”, estão a pedir para os líderes mundiais “fazerem mais”. “É imperativo que os Governos aumentem substancialmente a sua ambição”, repetiu António Guterres durante a sua intervenção, concluindo que, se não

for feito o esforço suficiente, “o impacto em toda a vida no planeta será catastrófico”. Durante a 25.ª Conferência das Partes (COP25) da ConvençãoQuadro das Nações Unidas sobre Alterações Climáticas, são esperadas delegações de 196 paí-

“É imperativo que os Governos aumentem substancialmente a sua ambição”

ses, assim como os mais altos representantes da União Europeia e várias instituições internacionais, o que pressupõe “a totalidade dos países do mundo”, de acordo com o Governo espanhol, que organiza a reunião. O primeiro-ministro espanhol, Pedro Sánchez, presidiu ao lado de Guterres à sessão de abertura da cimeira, que tem como lema “É tempo de actuar”. A cimeira sobre o clima estava inicialmente prevista para se realizar no Chile, mas no final de Outubro o Governo chileno decidiu cancelar o evento alegando não haver condições devido a um movimento de contestação interna e de agitação civil.

DR

Geingob vence a eleição presidencial da Namíbia com 56,3% dos votos O actual Presidente da Namíbia, Hage Geingob, venceu a eleição presidencial de 2019 com 56,3% dos votos, disse a Comissão Eleitoral da Namíbia (ECN) no Sábado, sobrevivendo ao maior escândalo de corrupção do país, uma recessão económica e um partido no poder fracturado

G

eingob, o terceiro líder da Namíbia desde que o país escassamente povoado e quase árido se libertou dos grilhões do apartheid da África do Sul em 1990, estava em busca de um segundo e último mandato nas eleições de 27 de Novembro. Eleito pela primeira vez em 2014 com 87% dos votos, Geingob obteve 56,3% e evitou uma possível reincidência contra um membro do seu próprio partido, Panduleni Itula, que concorreu como independen-

te. Itula, um dentista que se tornou político, ficou atrás com 29,4% dos votos e o líder do partido oficial da Oposição, McHenry Venaani, ficou na terceira posição com 5,3%. Geingob disse às multidões que estava orgulhoso por as eleições serem livres e justas. “Sou apenas um namibiano orgulhoso de podermos ter eleições livres e justas, sem brigas, sem atacar uns aos outros, com liberdade de movimento”, disse Geingob. Na votação legislativa para es-

colher 96 membros do Parlamento, o partido no poder perdeu a maioria de dois terços ao conquistar 63 assentos, contra 77 do mandato anteriors, enquanto o partido oficial da Oposição, o Movimento Popular Democrático (PDM) de Venaani, obteve 16 assentos, melhorando do total de cinco em 2014 na câmara legislativa. O líder da oposição Venaani disse à Reuters que eles estavam a pensar em abordar os tribunais sobre “anomalias e irregularidades” durante a eleição. Presidente reeleito da Namíbia, Hage Geingob


ACTUAL

24

O PAÍS Terça-feira, 03 de Dezembro de 2019

DR

XXZXZZ

Crimes violentos despontam no Huambo Ao meio-dia de ontem, quatro indivíduos entraram “a matar” num estabelecimento comercial, feriram duas pessoas, roubaram 500 mil kwanzas, telefones e outros bens. No mês de Novembro, outros dois crimes ocorreram com semelhanças aos que chocaram Luanda: em plena luz do dia e com disparos à queima-roupa, sem piedade

U

m homem de 33 anos de idade, que fazia a segurança de um estabelecimento comercial no Bairro S. José, na cidade do Huambo, foi ferido, ontem, na sequência de um assalto a mão armada protagonizado por pelo menos quatro indivíduos, um deles já identificado pela Polícia Nacional, que trabalha com o Serviço de Investigação Nacio-

nal para a detenção do grupo. O Comando Provincial do Huambo da Polícia Nacional tornou público, na noite de ontem, que, no dia 2 de Dezembro, do ano em curso, tomou conhecimento de um assalto a mão armada, ocorrido por volta das 12h30, numa superfície comercial, localizada no Bairro S. José, arredores do Município Sede do Huambo, protagonizado por 4 elementos”. Um dos assaltantes, refere o co-

O crime Aconteceu por volta das 15h no bairro Calundo, arredores da cidade do Huambo

municado, “está identificado”. Os bandidos faziam-se transportar em dois motociclos e mal entraram no estabelecimento efectuaram disparos que “atingiram a região do abdómen de um cidadão de 33 anos de idade, segurança da loja, bem como um outro cidadão de 36 anos de idade, motociclista, que na altura trafegava na estrada Nº 260, atingido na região do membro superior, todos socorridos para o banco de urgência do Hospital Geral do Huambo”. Em acto contínuo, “os meliantes subtraíram um montante de 500.000.00kz que estava a ser processado para ser levado a uma unidade bancária, altura em que surpreenderam os funcionários, incluindo o referido guarda”, diz a Polícia. Assinado pelo inspector-chefe Paulo Chindele, director provincial de Comunicação Institucional e Imprensa do Comando Provincial da Polícia Nacional, o comunicado adianta que este órgão, em coordenação com o SIC, despoletou diligências “tendentes a determinação e detenção dos supostos autores”. Por fim, apela à população a

manter-se calma e vigilante, devendo, em espírito de colaboração, denunciar elementos que possuam armas de fogo, por via dos canais policiais já existentes e difundidos. Apela, igualmente, aos agentes económicos, no sentido de não transportarem valores avultados sem o conhecimento da Polícia, evitando acumular altas somas monetárias nos caixas. Onda teve início em Novembro Há cerca de 10 dias, quatro indivíduos que também se faziam transportar em motorizadas interpelaram uma viatura conduzida por um cidadão de nacionalidade chinesa que ia acompanhado por um angolano. No momento do assalto, segundo relatou a Rádio Mais no Huambo, uma das motorizadas interceptou a viatura ficando atravessada em frente na estrada e obrigando o motorista a uma travagem repentina. No mesmo instante, outros dois indivíduos ocupantes da outra motorizada abriram imediatamente as portas da viatura anunciando o assalto, apontando arma de fogo, e exigiram que os ocupantes da viatura entregassem a pasta com dinheiro, dando a entender que se tratava de uma perseguição, ao que os cidadãos obedeceram. Segundo testemunhas, No momento do assalto ainda efectuaram disparos, mas sem atingir as vítimas, apenas o cidadão angolano foi esbofeteado pelos meliantes. O crime Aconteceu por volta das 15h no bairro Calundo, arredores da cidade do Huambo. Um outro caso, também no mês de Novembro, num dia não precisado pela fonte de OPAÍS, por volta das 12h30’ um cidadão que vinha numa motorizada foi interpelando por outros dois, também numa motorizada. Os assaltantes enconstaram-se ao motociclista orientando que este parasse. Logo de seguida efectuaram dois disparam que o atingiram, tendo sucumbido no mesmo instante. Quanto a este crime a Polícia Nacional pronunciou-se aos microfones da Rádio Mais no Huambo referindo tratar-se, o indivíduo morto, de um agente da corporação e que acabava de comprar a motorizada no mercado informal da Quissala, presumindose que tenha sido seguido a partir do local. A Polícia garante que trabalha para o esclarecimento dos referidos crimes e detenção dos meliantes.


DESPORTO

26

O PAÍS Terça-feira, 03 de Dezembro de 2019

DR

Azenaide foi “gigante” na derrota contra Holanda DANIEL MIGUEL

A Atleta da Selecção Nacional, Natália Bernardo, tenta “furar” a rede adversária

Angola tenta evitar terceira derrota no Mundial do Japão Depois de perder com a Sérvia e com a Holanda na primeira e na segunda jornada do grupo A, a Selecção Nacional defronta hoje a Eslovénia, na cidade de Kumamoto, às 10:00

A

Sebastião Félix

Selecção Nacional sénior feminina de andebol joga hoje com a Eslovénia, em partida referente à 3ª jornada do grupo A do Mundial que decorre no Japão, às 10:00.

Na cidade de Kumamoto, o sete angolano tenta evitar a terceira derrota na maior festa da modalidade criada pelo alemão Karl Schelenz em 1919. Na primeira ronda, as angolanas escorregaram diante da Sérvia por 25-32. No segundo embate, as atletas de Morten Soubak voltaram a cair frente a Holanda por 28-35.

A Eslovénia é uma adversária com argumentos técnicos e tácticos no andebol do Velho Continente. Por isso, as angolanas terão muitas dificuldades para se baterem de igual para igual com

A Eslovénia é uma adversária com argumentos técnicos e tácticos no andebol do Velho Continente

as atletas da Eslovénia. Nas duas jornadas, as atletas do técnico Morten Soubak marcaram cinquenta e três golos, sendo que sofream sessenta e sete. Por esta razão, a passagem para a fase seguinte está comprometida, uma vez que não tem tido uma participação condiga. Teresa Almeida (Bá), Helena de Sousa, Amália Pinto, Janeth Santos, Vilma da Silva, Iracelma da Silva, Albertina Kassoma, Liliana Venâncio, Ruth João, Wuta Dombaxi, Aznaide Carlos, Juliana Machado, Magda Cazanga, Natália Bernardo, Isabel Guialo e Helena Paulo são atletas que disputam o Mundial do Japão.

lateral Azenaide Carlos foi a melhor marcadora da Selecção Nacional sénior feminina de andebol, mas não evitou a derrota diante da Holanda, por 28-35, ontem, para o Campeonato do Mundo que decorre no Japão. A jogadora do Petro de Luanda só foi ultrapassada pela adversária Lois

Abbingh, com 11 golos. Esta atleta, considerada a MVP da partida, revelouse fundamental para a vitória holandesa, mercê dos sete golos marcados nos 21 minutos iniciais. A contar para a segunda jornada do grupo A, o combinado nacional alternou entre o mau e o bom na defesa.

“Perdemos por excesso de erros” - Morten Soubak

O

s sucessivos erros defensivos ditaram a derrota ontem da Selecção Nacional sénior feminina de andebol no Campeonato do Mundo que decorre no Japão, de acordo com o técnico nacional, Morten Soubak. O dinamarquês reconheceu ligeiro crescimento da equipa no desaire diante da Holanda, por 28-35

(12-17), para a 2ª jornada do grupo A, mas lamentou as constantes falhas na defesa. Quanto ao jogo de hoje contra a Eslovénia para a 3.ª jornada, Soubak disse que a vitória passa pela melhoria da defesa e do jogo ofensivo. Sábado, na ronda inaugural, Angola também perdeu com a Sérvia, por 25-32. DR


27

O PAÍS Terça-feira, 03 de Dezembro de 2019

Petro de Luanda e 1º de Agosto com ‘olhos’ na 2ª jornada da Champions DANIEL MIGUEL

Mário Silva

D

epois da goleada (0-3) sofrida na cidade sul-africana de Pretória, frente ao Mamelodi Sundowns, o Petro de Luanda realiza hoje mais uma sessão de treinos no Campo do Catetão, às 8:30, tendo em vista o jogo de Sábado diante do USMA da Argélia. Na sessão, a equipa técnica vai procurar ensaiar os aspectos técnicos e tácticos para vencer o representante argelino no Estádio 11 de Novembro, em jogo referente à segunda jornada do grupo C da Liga dos Campeões Africanos, às 14:00. Para concretizar esta pretensão, os comandados de António Cosano são obrigados a redobrar os esforços, porque com a vitória a turma do Catetão poderá fugir da última posição, onde se encontra sem pontuar. O treinador do Petro de Luanda, António Cosano, disse que nada está perdido, pois a sua rapaziada terá de encarar os próximos desafios com mais concentração e responsabilidade. “Estamos a trabalhar para vencer todas as partidas que teremos pela frente”, garantiu.

Herenillson (amarelo) do Petro de Luanda disputa o lance com o jogador do 1º de Agosto

Militares visitam Zamalek O 1º de Agosto trabalha hoje no Estádio França Ndalu, às 8:00, visando a visita, Sábado, ao Zamalek do Egipto, em jogo a contar para a segunda jornada do grupo A da Liga dos Campeões Africanos, a partir das 17 horas. O técnico-adjunto dos militares, Ivo Traça, revelou que o empate, a uma bola, no Estádio 11 de Novembro, dian-

DANIEL MIGUEL

te do Zesco United da Zâmbia, já faz parte do passado. Por esta razão, Ivo Traça espera que o grupo possa trabalhar bem de modo a conseguir um resultado positivo na cidade do Cairo. O 1º de Agosto, tetra-campeão nacional, ocupa a terceira posição com um ponto, ao passo que o Zamalek é último sem pontuar.

Mourinho pode contratar Matic Depois de o levar para o Chelsea (Janeiro de 2014, proveniente do Benfica) e para o Manchester United (verão de 2017, oriundo do Chelsea), poderá José Mourinho voltar a apostar na contratação de Nemanja Matic, desta vez para o Tottenham. Relatos oriundos de Inglaterra, veiculados pelo Metro, dão conta de que o treinador português pondera ‘resgatar’ o médio sérvio no próximo mês de Janeiro, por ocasião da reabertura do mercado de transferências. Pouco utilizado por Ole Gunnar Solskjaer não joga desde 3 de Outubro, Matic terá os dias contados em Old Trafford e também preço fixado para sair na ‘janela’ de inverno: €15 milhões de libras, cerca de €17,5 milhões de euros. Importa referir que o contrato do médio, 31 anos, com os red devils expira no final desta época.

Treinador do Santa Rita de Cássia do Uíge acredita na manutenção

O

treinador do Santa Rita de Cássia do Uíge, Marcos Chivinda, garantiu continuar a trabalhar para retirar a equipa da senda dos maus resultados e da última posição em que se encontra no Girabola Zap, Campeonato Nacional. Depois do empate diante do Sagrada Esperança da LundaNorte, Marcos Chivinda reconheceu o mau desempenho dos seus atletas durante o jogo, mas garantiu trabalhar para corrigir alguns erros cometidos. “ Na verdade, muita coisa esteve mal. Este foi o nosso pior jogo. Mas vamos acreditar para dias melhores”, rematou Marcos Chivinda. “Tivemos uma péssima primei-

ra parte, mas conseguimos controlar a avalanche defensiva e ofensiva do adversário”, acrescentou. Na próxima ronda, o Santa Rita de Cássia do Uíge visita o Ferrovia do Huambo, em jogo a contar para a décima quarta jornada do Campeonato Nacional de futebol da primeira divisão. A formação da terra do Bago Vermelho tem como presidente Nzolani Pedro. O Santa Rita de Cássia do Uíge foi fundado a 29 de Agosto de 2015. O Girabola Zap é liderado pelo 1º de Agosto, tetra-campeão nacional, com 30 pontos, mais vinte e três que os “católicos” do Uíge.

Jadon Sancho do Dortmund mais perto do Liverpool Segundo relatos de uma fonte próxima do antigo jogador Jan Aage Fjortoft, Jadon Sancho poderá estar mais perto de Anfield. De acordo com uma publicação no Twitter do Norueguês, Jurgen Klopp e o clube de Anfield serão os favoritos na corrida pelo médio inglês, numa altura em que o jovem jogador já terá expressado a sua vontade de sair já em Janeiro. Klopp e o Liverpool são os favoritos para conseguir o atleta do Dortmund.

Roger Federer vai ter moedas com a sua imagem Pela primeira vez a Casa da Moeda da Suíça vai cunhar moedas com a imagem de uma pessoa viva. Roger Federer terá essa honra figurando em moedas comemorativas de 20 e 50 francos. O lançamento da moeda de 20 francos, em prata, está previsto para Janeiro de 2020, numa edição prevista de 55 mil unidades. A edição de 50 francos, em ouro, chegará em Maio. O governo suíço justificou a escolha referindo que Federer é “o embaixador perfeito e provavelmente o desportista”.

Doncic melhor que LeBron quebra série de 10 vitórias Era um duelo aguardado entre a estrela em ascensão, Luka Doncic, de 20 anos, e o veterano LeBron, de 34, mas o esloveno levou a melhor e guiou os Dallas Mavericks a uma vitória por 114-100, interrompendo uma série de 10 vitórias consecutivas dos californianos. Doncic anotou 27 pontos, 10 assistências e nove ressaltos, ficando à beira do truplo-duplo, mas LeBron não ficou muito atrás: 25 pontos, 9 ressaltos e 8 assistências. A diferença foi que o quarteto Porzingis, Powell, Wright e Jackson marcaram todos 15.

“Ronaldo tem um grande problema com Sarri” Antonio Cassano diz não ter dúvidas de que há uma guerra surda entre Cristiano Ronaldo e Maurizio Sarri na Juventus. Para o antigo avançado italiano, o alegado ambiente de tensão entre jogador e treinador terá na sua génese as substituições do internacional português nos jogos com o Lokmotiv e Milan. “Penso que Ronaldo tem um grande problema com Sarri”.


CLASSIFICADOS emprego

imobiliário

PARA DE SOFRER

VENHA CONSULTAR A DOUTORA SUZANA MBUKI ESTA AQUI PARA CURAR E TRATAR OS SEUS PROBLEMAS USA MEDICAMENTO TRADICIONAL NATURAL. AFRICANA IMPOTENCIA SEXUAL ENGRAVIDAR (ESTERILIDADE) EJACULAÇÃO PRECOSE AQUECER O UTERO DIABETE DOENÇA DE GOTA E MUITO MAIS

CONTA: 923887485/929642195 OBS: ESTAMOS LOCALIZADO NA GAMEK A DIREITA MORRO BENTO POR DETRAS DO INA MET

28

O PAÍS Terça-feira, 03 de Dezembro de 2019

diversos


O PAÍS Terça-feira, 03 de Dezembro de 2019

emprego

29 ANASTACIO CAETE

diversos

• Terrenos bem localizados 20/30 na Zona Verde III do Benfica a partir de AKZ 750.000,00 • Terrenos com boa localização, todos murados de 20/30 no Patriota e Kifica Contactos: 993795 911 / 930580930

Tel. 934525243


TEMPO

30

O PAÍS Terça-feira, 03 de Dezembro de 2019

Fonte: INAMET

PREVISÃO DO TEMPO PARA AS PRINCIPAIS CIDADES

Das 18 horas do dia 02 às 18 horas do dia 03 de Dezembro de 2019.

Válida de 03 a 05 de Dezembro de 2019 Ê

REGIÃO NORTE: Cabinda, Zaire, Bengo, Luanda, Uige, Malanje, Cuanza-Norte, Cuanza-Sul, Lunda-Norte, Lunda-Sul Céu parcialmente nublado. Possibilidade de ocorrência de chuva moderada á forte acompanhada, por vezes, de trovoada em alguns municípios das províncias de Cabinda, Zaire, Uíge, Malanje, Cuanza Sul, Cuanza Norte, Lunda Norte e Lunda Sul. Possibilidade de ocorrência de chuva fraca ou moderada em alguns municípios das províncias de Luanda e Bengo.

INSTITUTO NACIONAL DE METEOROLOGOA E GEOFÍSICA - CENTRO NACIONAL DE PREVISÃO DE TEMPO (CNPT) PREVISÃO DO TEMPO *** 3 DIAS ***PARA AS PRINCIPAIS CIDADES, validade: 03 á 05 de Dezembro de 2019. Data 03 / 12 / 2019

CIDADE LUANDA

Data 04 / 12 / 2019

Mín

Máx

Estado do Tempo

Mín

Máx

22

30

Parcialmente nublado, chuva fraca ou chuvisco.

23

31

Data 05 / 12 / 2019

Estado do Tempo

Estado do Tempo

Mín

Máx

Céu parcialmente nublado.

22

29

Nublado, Chuva fraca á moderada. Nublado, Chuva fraca á moderada.

CABINDA

24

32

Céu parcialmente nublado, chuva.

24

32

Céu parcialmente nublado.

24

31

SUMBE

25

30

Céu parcialmente nublado.

25

30

Céu parcialmente nublado.

25

30

Céu parcialmente nublado.

CAXITO

25

35

Parcialmente nublado, chuva fraca ou chuvisco.

25

35

Céu parcialmente nublado.

25

35

Céu parcialmente nublado.

MBANZA CONGO

20

35

Céu nublado, Chuva fraca / trovoada.

20

33

Nublado, Chuva moderada á forte / trovoada.

20

33

UIGE

17

29

Céu nublado, Chuva fraca / trovoada.

17

29

Nublado, Chuva moderada á forte / trovoada.

17

28

NDALATANDO

18

31

Céu parcialmente nublado, chuva.

18

31

Céu parcialmente nublado.

18

30

Céu parcialmente nublado.

MALANJE

18

30

Céu parcialmente nublado, chuva.

18

30

Nublado, Chuva moderada á forte / trovoada.

18

28

Nublado, Chuva moderada á forte / trovoada.

DUNDO

20

25

Nublado, Chuva moderada á forte / trovoada.

19

25

Céu nublado, Chuva com trovoada.

18

24

Céu nublado, Chuva com trovoada.

SAURIMO

20

29

Nublado, Chuva moderada á forte / trovoada.

20

29

Céu nublado, Chuva com trovoada.

20

24

Céu nublado, Chuva com trovoada.

BENGUELA

23

30

Céu parcialmente nublado.

23

30

Céu parcialmente nublado.

23

30

Céu parcialmente nublado.

HUAMBO

10

24

Nublado, Chuva moderada á forte / trovoada.

09

24

Nublado, Chuva moderada á forte / trovoada.

08

23

Céu nublado, Chuva com trovoada.

CUITO

16

26

Nublado, Chuva moderada á forte / trovoada.

15

26

Nublado, Chuva moderada á forte / trovoada.

15

24

Céu nublado, Chuva com trovoada.

LUENA

14

28

Nublado, Chuva moderada á forte / trovoada.

13

28

Céu nublado, Chuva com trovoada.

12

27

Céu nublado, Chuva com trovoada.

LUBANGO

15

25

Nublado, Chuva moderada á forte / trovoada.

14

25

Nublado, Chuva moderada á forte / trovoada.

14

24

Céu parcialmente nublado.

MENONGUE

13

31

Nublado, Chuva moderada á forte / trovoada.

13

31

Céu nublado, Chuva com trovoada.

13

30

Nublado, Chuva moderada á forte / trovoada.

MOÇÂMEDES

20

27

Parcialmente nublado, chuva fraca ou chuvisco.

20

27

Céu parcialmente nublado.

20

28

Céu parcialmente nublado.

ONDJIVA

20

34

Nublado, Chuva moderada á forte / trovoada.

19

33

Nublado, Chuva moderada á forte / trovoada.

19

32

Nublado, Chuva moderada á forte / trovoada.

O (s) Meteorologista (s): Lameira Gaspar.

Céu parcialmente nublado. Nublado, Chuva moderada á forte / trovoada.

REGIÃO CENTRO: Províncias de Benguela, Huambo, Bié e Moxico BENGUELA, HUAMBO, BIÉ, MOXICO Céu parcialmente nublado, sendo nublado durante a noite e pela manhã. Ocorrência de chuva moderada á forte acompanhada, por vezes, de trovoada em alguns municípios das províncias de Benguela, Huambo, Bié e Moxico. Possibilidade de ocorrência de nevoeiro ou neblina matinal em alguns municípios das províncias do Huambo, Bié e Moxico. REGIÃO SUL: Províncias do Namibe, Huíla, Cunene e Cuando Cubango Céu parcialmente nublado, sendo nublado durante a noite e pela manhã. Períodos de ocorrência de aguaceiros com trovoada ou chuva moderada á forte em alguns municípios das províncias da Huíla, Cunene e Cuando Cubango. Possibilidade de ocorrência de chuva fraca á moderada, podendo ser localmente forte acompanhada, por vezes, de trovoada em alguns municípios da província do Namibe.

Luanda, 02 de Dezembro 2019.

INAMET – Centro Nacional de Previsão do Tempo * Morro Bento S/ N Gamek à Direita *www.inamet.gov.ao* geral@inamet.gov.ao – Tel: (+244) 922 727 173 / 949 320 641 *

TEMPO NO MAR Fonte: INAMET

BOLETIM METEOROLÓGICO PARA A NAVEGAÇÃO MARÍTIMA 1. SITUAÇÃO GERAL ÀS 18:00 TU DO DIA 02 DE DEzEMBRO DE 2019: Circulação de Sudoeste-Oeste fraca á moderada entre os paralelos 04°S à 08°S, sendo do Sul-sudoeste moderada á forte entre os paralelos 08°S à 18°S. INSTITUTO NACIONAL DE METEOROLOGIA E GEOFÍSICA - INAMET

2. PREVISÃO VÁLIDA ATÉ AS 18:00 TU DO DIA 03Nacional DE DEzEMBRO DE 2019: Centro de Previsão do Tempo

BOLETIM METEOROLÓGICO PARA A NAVEGAÇÃO MARÍTIMA

AVISO: ventos fortes com até 56 km/h (30 KT) e ondas maxíma de 3.2 metros de altura entre os paralelos 16°S á 18°S, sul da GERAL região marítima Namibe. 1. SITUAÇÃO ÀS 15:00 TU DO DIAde 01 DE DEZEMBRO DE 2019: Circulação de Oeste, fraca entre os paralelos 4°S a 6°S (Cabinda); Circulação de Sudoeste, moderada entre os paralelos 6°S a 14°S (Zaire, Bengo, Luanda, Cuanza sul e Namibe); Circulação de Sul, moderada entre os paralelos 14°S a 18°S (Benguela). 2. PREVISÃO VÁLIDA ATÉ AS 18:00 TU DO DIA 02 DE DEZEMBRO DE 2019: SEM AVISO. REGIÃO

VENTO

ESTADO DO TEMPO

(ATÉ 200 MILHAS DA COSTA)

Cabinda (4°S – 6°S)

ALTURA DA ONDA (METROS)

ESTADO DO MAR

VISIBILIDADE HORIZONTAL (KM)

Pouco agitado

Fraca á Moderada (Superior a 5 )

Pouco agitado

Fraca á Moderada (Superior a 5)

Fraca á Moderada (Superior a 5)

DIRECÇÃO FORÇA (KT) Chuva

Zaire, Bengo, Luanda e Cuanza-Sul (6°S – 12°S)

Chuva

Benguela (12°S – 14°S)

Chuva

Namibe (14°S – 18S)

Chuva

Até 13

Até 0.9

9.0 á 13

0.9 á 1.4

Sudoeste

Até 17

Até 1.5

Agitado

Sul

Até 18

Até 1.9

Agitado

Oeste

Sudoeste

Fraca á Moderada (Superior a 5)

3. DESCRIÇÃO SINÓPTICA DAS 18:00 TU DO DIA 22/12/2019 ÀS 18:00 TU DO DIA 03/12/2019. Depressão, com pressão central de 1010hPa, o seu vale depressionário ira estender-se em toda costa marítima de Angola. O anticiclone de Santa Helena, com pressão central de 1030hPa, irá deslocar-se para o Leste influência o padrão e intencidade do vento. Assim, prevê-se mar muito agitado na região marítima de Namibe com ondas máximas até 3.2 metros de altura. Para as regiões marítimas de Cabinda, Zaire, Bengo, Luanda, Cuanza Sul e Benguela prevê-se mar pouco agitado á agitado com ondas máximas entre 1.0 á 1.2 metros de altura. Prevê-se visibilidade fraca pela manhã devido a possibilidade de ocorrência de chuva fraca ou chuvisco nas regiões marítimas de Cabinda, Zaire, Bengo, Luanda, Cuanza Sul e Benguela. 4. CARTA DO VENTO MÁXIMO E DA ALTURA DA ONDA MÁXIMA PREVISTA. Os contornos a cores indicam a altura máxima da ondulação e os contornos em tom cinza indicam os possíveis incrementos das vagas devido à influência do vento local.


OPINIÃO

O PAÍS Terça-feira, 03 de Dezembro de 2019

31

JOÃO DEMBA

“Mudanças profundas dependem do caminho certo e não da velocidade”

A

crise financeira que aflige o País desde o ano 2008 prog ressivamente agravada em todos os sectores da sociedade desde 2014 parece prolongar-se sem perspectivas de termino num período curto. O último relatório económico da Universidade Católica de Angola, a pretensão manifesta de retirada da subvenção aos combustíveis, a anunciada cobrança generalizada de propina para o ensino superior público, a inflação que se mantém instável e o tão famoso IVA que ainda hoje e inclusive para as pessoas mais esclarecidas tem gerado muito alarido, só para citar estas, justificam a nossa crença. Alguma literatura sobre o fenómeno crise financeira é unânime em relação as questões menos boas que a curto prazo ela certamente provoca em dada sociedade. Sabe-se também que a médio e longo prazos a crise financeira, apresenta-se como um aspecto positivo para os governos, para a sociedade, para as famílias, pois, promove uma maior e melhor racionalização na utilização dos meios humanos, financeiros, materiais, tecnológicos, seja por parte de indivíduos como por parte de instituições. Há na história da humanidade exemplos concretos do efeito positivo da crise, em geral, associados ao aumento e diversificação da produção interna. Pelo que temos observado na nossa realidade, esta perspectiva optimista da crise parece-nos de alguma forma não alcançável no curto prazo, em função do comportamento de eventos de certos indivíduos e instituições, mas fundamentalmente pela fraca capacidade e iniciativas, que promovam o aumento e diversificação da

produção interna. Temos verificado que uma maioria de angolanos, com grande incidência para aquela que menos tem, assiste e vive uma progressiva redução do poder de compra de bens e serviços, inclusive os de primeira necessidade. Reconhece-se assim, um esforço honesto, visível e verdadeiramente resiliente que esta grande maioria da população que menos tem, faz num acto de cidadania e patriotismo, levados a cabo para adaptar-se a esta “nova” realidade que perdura e insiste em mover todos os propósitos e acções de todos nós. Como se sabe e em consequência de acções da nossa história recente, vivemos uma realidade de importação de tudo e mais alguma coisa, num claro desperdício da generosidade proporcionada pelo Senhor todo poderoso. Angola possui terras aráveis um pouco por toda a extensão do território com a facilidade de produzir em quantidade, qualidade e diversidade infinitos bens. O Centro, Sul, Norte de Angola e não só, certamente são potenciais zonas de cultivo de produtos do campo, embora a capacidade de escoamento ainda hoje, funciona como principal entra-

Temos verificado que uma maioria de angolanos, com grande incidência para aquela que menos tem, assiste e vive uma progressiva redução do poder de compra de bens e serviços, inclusive os de primeira necessidade

ve para o aumento e diversidade da produção bem como o consequentemente empoderamento das pessoas e ou famílias agrícolas. Acreditamos que a “criação” e melhoria da capacidade de escoamento e logística de produtos do campo para os grandes centros urbanos poderá promover no País o inicio de uma verdadeira, importante e realística alteração estrutural do quadro económico, social e não só, actual. A produção, logística e escoamento de produtos do campo, seguramente ajudarão na criação de empregos em cadeia quer ao nível da logística como do escoamento; ajudará a disponibilizar produtos a preços mais acessíveis; aumentará o número de refeições dia das famílias; contribuirá para o empoderamento da classe camponesa; diminuirá a pressão sobre a aquisição de divisas; promoverá uma maior circulação de massa monetária na economia; promoverá maior qualidade de vida – pelo consumo de produtos orgânicos, só para citar estes. Não, não! Não é miragem. Estamos cientes de não ser fácil, mas também não é difícil, criar e tornar funcional um ecossistema de logística e escoamento de produtos do campo para os grandes centros urbanos não apenas de Luanda, mas um pouco por todo o país. Conhecimento especializado, profissionais certos, planificação, ferramentas apropriadas, execução continuada e alguma verba, são alguns dos requisitos fundamentais para tornar exequível uma estratégia como esta, que no nosso entender proporcionará resultados reais estruturais, visíveis e sentidos por toda a sociedade. As pequenas e médias empresas locais que nascem regularmente, lideradas por jovens empreendedores angolanos, são uma boa opção para a materialização do que estamos a propor.


ÚLTIMA

32

O PAÍS Terça-feira, 03 de Dezembro de 2019

Falta de investimento limita cobertura da rede eléctrica à cidade de Malanje A província de Malanje embora ter

DR

instaladas duas barragens hidro-eléctricas (Laúca e Kapanda) com capacidade de produção conjunta de 2 mil e 590 megawatts (MW), a rede de distribuição eléctrica está ainda longe de atingir a satisfação da procura doméstica e industrial Miguel José, em Malanje

A

ponencial da periferia, o responsável da empresa de electricidade referiu que a previsão orçamental para a extensão da rede eléctrica, à dimensão da satisfação de consumo local, está calculada em cerca de USD 8 mil milhões. Como exemplo, mencionou que um Posto de Transformação (PT) com todas as características técnicas e sistemas de protecção associados, antes da flutuação cambial, rondava à volta de 34 milhões de Kwanzas (AKZ), ao passo que a extensão da linha de média tensão se fixa em USD 100 mil por quilómetro (Km). “O Centro de Distribuição de Malanje tem apenas a função de manter a produção que já está distribuída e assegurar a comercialização de energia. Os investimentos de grande vulto não são da competência da direcção da ENDE provincial”, descartou.

nte a insatisfação dos cidadãos, o director da ENDE em Malanje, Justino Luzolo, justificou que a falta de investimento delimita a extensão da rede eléctrica para cobrir a periferia da cidade de Malanje na sua plenitude. Falando, recentemente, à Rádio Ecclésia de Malanje, Justino Luzolo expôs que dos 80 megawatts (MW) de potência disponíveis para o fornecimento público, apenas cerca de 45 por cento está a ser consumida, devido ao défice de escoamento derivado da falta de investimento na rede de distribuição e montagem de postos de transformação, nos 23 bairros da cercania da cidade de Malanje, que há muito tempo aguardam pela instalação eléctrica. Adiantou que para suprir a demanda de cobertura nas zonas periurbanas são precisos 32 postos de transformação de média tensão para permitir incluir, no sistema, cerca de 15 mil clientes. “É bem verdade que a província de Malanje, praticamente, não beneficia de projectos de extensão desde 2010. De lá para cá, dentro daquilo que é a nossa cabimentação orçamental mensal temos, paulatinamente, feito esforços internos para estender a energia eléctrica nalguns bairros”, pontualizou o responsável.

Facturação Luzolo conferiu que a sua empresa tem fixada uma estimativa de facturação mensal calculada entre 140 e 160 milhões de AKZ, mas devido às violações constantes, nos sistemas de contadores pré-pagos, o incumprimento nos pagamentos do consumo pós-pago, a empresa só consegue arrecadar até 60 por cento do valor. Por conta disso, deduziu que a fuga ao pagamento do consumo de electricidade, agravado com os actos de vandalização sobre os equipamentos instalados, assim como as ligações arbitrárias, prejudicam muitas acções internas que podiam garantir a manutenção dos equipamentos, a termo certo, melhorar a qualidade de fornecimento de energia e aperfeiçoar o nível de atendimento aos clientes.

Previsão de investimento Dado o crescimento demográfico e o consequente alargamento ex-

Paradoxo O vice-governador da província de Malanje para o sector Político, So-

cial e Económico, Domingos Manuel Eduardo, considerou ilógico o défice de cobertura energética à província, por neste território estarem situadas duas centrais hidro-eléctricas (Laúca e Kapanda) ambas com capacidade de produção associada de 2 mil e 590 MW. “O caso de Malanje é, realmente,

“O Centro de Distribuição de Malanje tem apenas a função de manter a produção que já está distribuída e assegurar a comercialização de energia”

paradoxal. Nós temos consciência disto. Malanje como maior produtora de energia é a que menos recebe, de todas as províncias da zona norte ”, retratou. Consciente do paradoxo, Domingos Eduardo avançou que ainda dentro do actual quinquénio de mandato, o Governo da Província de Malanje (GPM), em articulação com o Governo Central, vai proceder à cobertura energética de pelo menos 60 por cento dos 14 municípios que conformam o território de Ngola Kiluanje e Njinga Mbande. Como novidade, anunciou que a vila de Kalandula, a partir do mês em curso, vai tornar-se no terceiro município da província, (a seguir ao de Malanje e Cacuso) a desfrutar do fornecimento de electricidade da Barragem de Kapanda, através de uma linha com capacidade de 110 kilowatts (kW). Os demais municípios vão beneficiar do mesmo bem de consumo, num processo paulatino, com a projecção de uma linha de 220 MW, a partir da barragem de Laúca. Embora sem anunciar o início da execução do projecto, Domingos Eduardo garantiu que os trabalhos preliminares estão já a ser feitos no sentido de ser realidade a extensão da rede eléctrica, em toda a província de Malanje, ainda dentro do presente quinquénio/2018-2022.

Custo/benefício A dispersão populacional, na sequência da configuração territorial da província de Malanje, com uma média de densidade demográfica aproximada de 11 habitantes por Km2, sobre uma superfície de 97 Km2, segundo o vice-governador Domingos Eduardo, em termos de custo/benefício, carece de análise económica, quanto à extensão da rede eléctrica para os municípios. Deduziu que transportar energia para uma sede municipal com mil habitantes, custa tanto quanto levar à outra com 500 mil moradores. “A estratégia para resolver o problema do custo/benefício é fazer geração de energia com base nos recursos locais”, aventou. Porém, citou a iniciativa do GPL sobre o projecto do parque eólico com capacidade de gerar 100 MW de potência, no município de Kiwaba Nzoji, que vai estender a electricidade para as localidades circunvizinhas da região da Baixa de Kasanje. Entretanto, além de 80 MW de potência energética que provêm da Barragem de Kapanda, também está instalada uma Central Térmica com capacidade de gerar 19.5 MW de electricidade, que funciona em casos de black out (queda de energia) a partir da fonte principal.

Profile for OPAÍS

Jornal OPaís edição 1676 de 03/11/2019  

CUANZA-SUL É A PROVÍNCIA MAIS ATINGIDA PELA PÓLIO opais.co.ao

Jornal OPaís edição 1676 de 03/11/2019  

CUANZA-SUL É A PROVÍNCIA MAIS ATINGIDA PELA PÓLIO opais.co.ao

Advertisement