Page 1

UNIDADE II. Processos Cognitivos e Emocionais Tema 2.1. PROCESSOS COGNITIVOS

Tema 2.1.1. A PERCEPÇÃO

Prof. Marina Santos

1


COGNIÇÃO :

Designa o conjunto dos actos e dos processos de conhecimento: - o conjunto de mecanismos pelos quais um organismo adquire, trata, conserva, pondera e explora informação (o processo); - E ainda o resultado mental desses processos, ou seja, os conhecimentos (o produto). •

PROCESSOS COGNITIVOS: • Conceito que remete para o carácter plural e dinâmico da mente, as transformações e etapas que colocam o sujeito em interacção com o mundo. 

A

cognição tem uma importante função adaptativa: permite que a capacidade de resolução de problemas seja progressivamente mais complexa, flexível e sofisticada.

Prof. Marina Santos

2


PROCESSOS BÁSICOS DA COGNIÇÃO 1. A PERCEPÇÃO Captação significativa do mundo. 2. A MEMÓRIA Conviver com o passado. 3. A APRENDIZAGEM Mudar com a experiência. 4. A INTELIGÊNCIA Adaptar-se ao mundo. Prof. Marina Santos

3


Pela percepção conhecemos o mundo.  É a conduta psicológica pela qual organizamos as diversas sensações, de modo a termos conhecimento da realidade. • Pela aprendizagem obtemos novos conhecimentos.  É uma modificação estável na conduta ou no saber, suscitada pelo treino, estudo ou exercício. • Pela memória viajamos no tempo e no espaço.  É o processo de fixação, retenção e recordação daquilo que se aprendeu.  Pela inteligência, adaptamo-nos a nós e ao mundo.  É a capacidade de regular e de ajustar o comportamento às circunstâncias internas e externas. •

Prof. Marina Santos

4


2.1.1. A PERCEPÇÃO Objectivos: • Explicar o processo perceptivo.  Distinguir

sensação e percepção;  Caracterizar a percepção;  Compreender a percepção de modo integrado. •

Analisar a importância da percepção na vida social quotidiana.

 Definir

e caracterizar a percepção social;  Definir “auto-conceito” e explicar os seus factores. Prof. Marina Santos

5


2.1.1. A PERCEPÇÃO 

SENSAÇÃO: reacção dos órgãos receptores aos estímulos do meio. mas

as sensações não existem isoladas. Assim, as sensações, base elementar do conhecimento, têm de ser organizadas em conjuntos mais vastos e significativos: as percepções.

PERCEPÇÃO: processo activo de organização e interpretação das informações sensoriais, permitindo identificar objectos e acontecimentos significativos.

Difere

da sensação por ser uma actividade cognitiva pela qual damos sentido à informação sensorial. Prof. Marina Santos

6


Características da percepção É um processo complexo. • Engloba todos os órgãos dos sentidos •

(a informação é captada por diversos órgãos, mas só percebemos aquilo que é processado e memorizado). •Implica

a pessoa na sua totalidade

(capacidades cognitivas, fisiológicas e experiências de vida). •

Implica categorizar a informação

(a informação é recebida, reconhecida e agrupada numa categoria). • É um processo activo (o sujeito tem de organizar a informação).

É um processo adaptativo e implica a construção de significados (a percepção confere significado ao mundo e estrutura•

nos a nós mesmos).

Prof. Marina Santos

7


Carácter selectivo da percepção Existe um mecanismo selectivo que nos protege, impedindo-nos de viver com as impressões de excesso de estímulos, num estado próximo da confusão mental: é a atenção. • Atenção voluntária: depende do indivíduo, dos seus interesses e motivações; • Atenção involuntária: desperta pelo meio exterior, em virtude da evidenciação de um objecto em relação aos outros. •

Prof. Marina Santos

8


Factores da atenção FACTORES DA ATENÇÃO Relativos ao OBJECTO INTENSIDADE • CONTRASTE • LUMINOSIDADE •TAMANHO • MOVIMENTO • COR • NOVIDADE •

Relativos ao SUJEITO NECESSIDADES DO MOMENTO • MOTIVAÇÕES • EXPECTATIVAS • GOSTOS • OCUPAÇÕES (profissional, passatempos) • EXPERIÊNCIAS •

Prof. Marina Santos

9


Factores inerentes ao sujeito 

• • • • • •

Em cada momento, existe muito mais informação do que aquela que conseguimos processar => carácter selectivo da percepção. A atenção do sujeito face a um determinado objecto depende de: Expectativas; Motivação; Atitudes e valores; Experiências passadas; Grupo social de pertença; Cultura (padrões culturais, hábitos e costumes).

Criam predisposição para apenas perceber certas coisas e de determinada maneira. Prof. Marina Santos

10


A organização perceptiva Segundo os psicólogos do Gestaltismo, percepcionamos formas ou figuras que se destacam de fundos: a percepção dos objectos é imediatamente apreendida como totalidade.  Figura e Fundo constituem o campo perceptivo que se organiza, independentemente do sujeito que percepciona, segundo determinados princípios ou leis: as leis da percepção.  Na interpretação de estímulos visuais, o ser humano segue algumas estratégias, entre as quais: tendência à estruturação, segregação figura-fundo e constância perceptiva.  As ilusões ópticas revelam algumas dessas leis. •

www.psicologia.com.pt/areas/recursos.php?cod=d3&recurso=17

Prof. Marina Santos

11


ILUSÃO DE MOVIMENTO: “The time tunnel show” Os anéis parecem mover-se, quando na verdade a imagem está parada. Prof. Marina Santos

12


LEIS PERCEPTIVAS

Prof. Marina Santos

13


A percepção social Percepção social: processo pelo qual procuramos conhecer e compreender os outros, interpretar e dar sentido ao seu comportamento.  Formarmos impressões dos outros, atribuirmos causas ao seus comportamentos e categorizamo-los.  O conhecimento tem uma dimensão social: há um quadro interpretativo de conceitos partilhados pela generalidade de elementos de uma comunidade, que nos são transmitidos no decurso do processo de socialização.  A estabilidade do mundo e a relativa uniformidade com que interpretamos o que acontece, dão consistência ao que sabemos e contribui para a fundamentação e perpetuação das nossas crenças. 

Prof. Marina Santos

14


O auto-conceito Auto-conceito: forma como nos percebemos a nós próprios; inclui a auto-imagem (modo como nos vemos fisicamente) e a auto-estima (o valor que nos atribuímos).  O conceito que temos de nós mesmos influencia o nosso comportamento, bem como a maneira como nos percepcionamos e aos outros;  O auto-conceito constrói-se nas relações interpessoais e muda ao longo da vida. •

Prof. Marina Santos

15


Factores do auto-conceito Auto-imagem: imagem corporal; é mediada por valores culturais que influenciam o grau de satisfação que sentimos com o nosso corpo. • Auto-estima: o quanto gostamos de ser como somos e que valor conferimos ao nosso poder de atracção, mérito e competências; inclui aspectos avaliativos e afectivos. Sentimento positivo ou negativo que resulta da avaliação que o sujeito faz de si próprio, com a ajuda dos juízos sociais que interiorizou a seu respeito.  O modo como nos descrevemos e avaliamos tem a ver com factores como: - A avaliação que os outros fazem de nós; - O significado que atribuímos ao nosso comportamento e ao dos outros. •

Prof. Marina Santos

16

Profile for Marina  Santos

A Percepção 2  

Psicologia A

A Percepção 2  

Psicologia A

Advertisement