Issuu on Google+

SALVADOR, SÁBADO, 26 DE MARÇO DE 2011

*

ANO 06

*

Nº 285

EDITORA-COORDENADORA: NADJA VLADI / ATARDINHA@GRUPOATARDE.COM.BR

Ciência

Um dos cinco maiores dinossauros do mundo é nordestino pág 7

a r i e d a Brinc inhas d o r m co enta o m i v o om! M juda a fazer b o t i u ém s, a Patinar fresca as ideia . Conheça io re corpo, equilíbr quem quer r e t a e e amigos sta de brincar 4 e 5 o s. quem g fissional pág o virar pr

Charles Deprá, 11, quer viajar pelo mundo patinando

SUPLEMENTO INFANTIL DE A TARDE. NÃO PODE SER VENDIDO SEPARADAMENTE

Fernando Vivas / Ag. A TARDE


SALVADOR, SÁBADO, 26 DE MARÇO DE 2011

Escolha o seu Fitness São os mais indicados para quem quer só brincar ou passear. Têm uma base de alumínio e botas com cadarços, que são mais confortáveis, pois prendem os pés em três pontos. A média de preço é entre R$ 279 e R$ 499

Velocidade Parecem saídos do filme Tron. São desenhados para competições e a bota parece uma chuteira, feita de fibra de carbono, base de alumínio e com rodas grandes. Sob encomenda: entre R$ 800 e R$ 1.500

Radical Para manobrar e saltar pelas ruas ou nos half-pipes (pistas em forma de “u”). Esses patins têm duas ou quatro rodas pequenas e uma base com uma abertura no meio. Custam entre R$ 299 e R$ 600

Artístico Usados em apresentações e danças. Podem ser in line ou quad-skate (aqueles com rodas paralelas, que alguns funcionários de supermercados usam). Também sob encomenda: entre R$ 400 e R$ 950

Gelo Feitos para superfícies sintéticas ou de água congelada, eles podem ser de todos esses tipos e mais o de recreação (de plástico). Em vez de rodas, têm lâminas. Não são vendidos em Salvador, mas na internet: em média, R$ 600

o t n e m i Sapato em mov CAPA

4 e5

Sem dúvidas

Quem pode patinar? Todos podem. Mas o indicado é que se comece a partir dos cinco anos

Como vencer o medo de cair? Cair é normal. Se aprende experimentando, caindo, levantando e fazendo novamente. Mas proteja-se. Utilize sempre patins para iniciantes. A medida em que for aprendendo, você pode pensar em modelos mais difícieis de andar

u em um parque o a ru a d a h n ci ra ap ça amigos fa No condomínio, n e s n ti a p e d r a a a and da cidade aprend

MARCEL BANE

Luís Sena é fã do jogador de hóquei Sérgio Peixoto

o do ool! Gooooo quei é o moevsimmentaentdeor

pod o hó ue m ivo d ols. Só q da time ém do t e j b O o fazer g taco. Ca iros. Al lo, na ge ol: m ole t u f eb la com u tas e 2 gexiste no ado com o o e l g , b t a o a trein dr 6a l, j até 1 i em quaradiciona istir a umardim e J s t hóqu a, ou o te. Vá as ador. No gramquad-ska de Salv s es patin dois tim orados, s o m d a s, dos N e quarta s nda s. segu 20 hora às

Fotos: Fernando Amorim / Ag. A Tarde

ira, 9, Hanna Olive ento m usa o equipa stado re p da irmã em

Com a família e os patins no carro, Luís Sena, 7, ruma para o Jardim dos Namorados. Ele chega, amarra as botas, coloca o capacete e desafia a gravidade. Jogador de hóquei, Luís quer patrocínio para se tornar profissional. Sua inspiração é o craque do Salvador Blades, time daqui. “Sou fã do Serginho (Peixoto). Enchi o saco da minha mãe para comprar os patins profissionais. Agora, eu

quero um de manobras”. Os primeiros patins de Laura Araújo, 12, eram de afivelar no tênis. Hoje ela tem um par in line, com rodas enfileiradas, e brinca com a amiga, Sofia Sacramento, 9, no prédio onde moram, na Federação. Salvador é quente, mas Laura já patinou no gelo. Não no de verdade, mas em uma pista de gelo sintético, que os shoppings montam de tempos em tempos. Sintético que dizer artificial.

Ela gostou: “Dizem que é uma navalha, que pode cortar os dedos, mas não é assim. As monitoras dão instruções. Só me ralei um pouco até hoje”. Mas como ninguém quer se machucar, joelheira, cotoveleira e luvas são indispensáveis. “A maioria aprende a patinar sem proteção. Se o local for plano e liso, até se machuca pouco, mas essa não é a realidade aqui. Por isso é tão importante se proteger”, aconselhou Lyon Aragão,

iana e Ananda Sales, Mar dro Pe e á pr De s Charle e ill Braga, em Alphav

Ag. A Tarde Fernando Vivas /

professor e campeão brasileiro de velocidade.

Aula de manobra Para deslizar, Hanna Oliveira, 9, pega emprestado o da irmã, Raiana, 12. “Comecei a andar quando ela ganhou de presente”. Hanna passeia em casa, em Mussurunga. “Mas o meu pai estava prometendo me trazer ao Jardim dos Namorados e hoje resolveu cumprir”. Os amigos Charles Deprá, 11, e Pedro Braga, 11,

andam no condomínio, em Alphaville. Pedro manobra, salta girando, patina para trás, desce até ladeira, o que só dá para fazer com a ajuda de um adulto experiente. Ele teve aulas com o tio, que joga no outro time baiano de hóquei, o Vento Norte. Charles, que já teve um par com apenas duas rodas, também quer ser um jogador profissional. Já imagina: “Eu viajaria todo o mundo, mas seria chato por causa dos paparazzi em cima de mim”.

Muito além da diversão Qualquer modalidade de patins faz bem. “Esse é um dos esportes mais completos e saudáveis, pois exercita, descontrai e dá leveza ao corpo”, disse Jaqueline Nonnenmacher, técnica e coreógrafa de patinação artística. Ela explicou que andar de patins trabalha a coordenação, a resistência e os sentidos. No Recife, o projeto Patinando pela Cidadania oferece aulas de hóquei para crianças de bairros mais

pobres. “Eu ficava na rua só jogando futebol, aí o professor foi lá na escola apresentar o projeto. Estou treinando há dois anos e quero me tornar profissional", contou Anderson da Silva, 11. O criador do projeto é Leônidas Agra, sete vezes campeão brasileiro. Leônidas também é o técnico do time. “Patinar educa e estimula o sentimento de companheirismo. A patinação também ensina o equilíbrio”.

O número do patins é o mesmo do sapato? Não, compre sempre dois número a mais. Você está crescendo. Para compensar a folga, calce meias grossas.

Quem anda com tênis de rodinhas, sabe andar de patins? Não necessariamente. Tênis de rodinhas são "brinquedos". No máximo, a pessoa melhora um pouco o equilíbrio. Tênis não tem a rapidez dos patins. Assim como existe uma diferença grande entre os patins in line (radical) e o o modelo usado para patinação artística. O freio é igual em todos os modelos? Não. Na patinação fitness, os freios servem para reduzir a velocidade ou parar o movimento. Nos patins in line, eles ficam localizados atrás. Nos modelos quad-skate, o freio está na frente, mas a função é a mesma. Patins para street, velocidade e gelo não têm freio e, ao contrário do que parece, isso evita acidentes. Como os movimentos são bruscos, o freio poderia travar ou prender em algum obstáculo. O patinador para deslizando um dos pés lateralmente.

FONTES : ADRIANO BELMONTE, EDUCADOR FÍSICO E TÉCNICO DA FEDERAÇÃO GAÚCHA DE PATINAÇÃO ; JAQUELINE NONNEMACHER, PROFESSORA DE PATINAÇÃO ARTÍSTICA E ANDERSON FERREIRA, PROFESSOR DE PATINAÇÃO IN LINE


Brincando com rodinhas