Issuu on Google+

Associação dos Comerciantes de Materiais de Construção do Estado do Tocantins

E D I Ç Ã O # 8 - C O N S T R U Ç Ã O C I V I L , A R Q U I T E T U R A , C O M É R C I O, C L A S S I S TA S E T C . PA L M A S - T O - J U N H O - 2 0 1 3

INICIADA A CONSTRUÇÃO DO TERMINAL DE CARGA DO AEROPORTO DE PALMAS Fotos: Luiz Henrique Machado/Mãos à Obra

CALÇADA E CICLOVIA PARA A NS-01

Os investimentos são de R$ 3,5 milhões e o prazo para a conclusão é dezembro. Os trabalhos são executados pela Construtora Salina, de Palmas. Pág 03.

Pág. 07

Foto: Hyrck Raphael da Silva Neto/Ceulp

TOCANTINS PRESTES A PRODUZIR LOUÇA A pesquisa que aponta esta possibilidade, e que está em pleno andamento, é executada pelo Curso de Engenharia de Minas, do Ceulp/Ulbra.

Pág. 02

ENCONTROS: NOVAS IDEIAS COM ACOMAC E SEBRAE.

Pág. 09

Mãos à Obra - #8ªedição - junho 2013 (220x315) este.indd 1

05/06/2013 13:02:19


PESQUISA

A Norship, distribuidora de combustíveis, foi autorização pela ANP a construir tancagem para movimentação e armazenamento de produtos químicos e petroquímicos no pátio intermodal ferroviário de Palmas/ Porto Nacional. A BR Distribuidora e a Raízen já estão no local.

TOCANTINS PODE ESTAR NA ROTA DE UM NOVO EIXO ECONÔMICO, COM PRODUÇÃO PRÓPRIA DE LOUÇA CERÂMICA Os resultados dos trabalhos têm agradado a equipe de pesquisadores do Ceulp/Ulbra, que se empenham para que as novas etapas confirmem o esperado e confirmem ao estado uma nova condição de renda

2 Mãos à Obra - #8ªedição - junho 2013 (220x315) este.indd 2

Para Daniel Setti, o resultado dos estudos pode mudar o eixo econômico da região. “Isto se explica pelo fato de que aqui mesmo poderia haver a produção de louça em larga escala, evitando fretes a partir de Santa Catarina, tornando-se alternativa de produção, geração de empregos e renda”,

Setti: “avaliação muito positiva”

assegurou. Toda a etapa inicial da pesquisa é feita no Laboratório do Ceulp/Ulbra e uma parte é executada com apoio do Instituto de Química da Universidade do Estado de São Paulo – Unesp, de Araraquara, que cede o laboratório para análises de MEV e DRX. Foto: Hyrck Raphael da Silva Neto/Ceulp

ÀOBRA

TESTES A pesquisa está em pleno andamento. Daniel Setti conta que a próxima etapa é a verificação dos ensaios de compressão, onde se pretende observar a resistência do material, a micrografia, Espectro de Dispersão de Raio X (EDS), Difração de Raio X (DRX), onde serão identificados os compostos da mostra e as fases em que esse produto se encontra. “Nossa avaliação sobre os resultados é muito positiva”, explica.

Material em fase de coleta pelo grupo

Foto: Luiz Henrique Machado/Mãos à Obra

MÃOS

pamentos, saindo dos 100 até chegar a mil graus de temperatura. O corpo de provas também passou por ensaio de retração e, segundo o professor Daniel Setti, o resultado ficou dentro das normas técnicas e no ensaio de absorção manteve o que se esperava. “Isso para a região é muito importante”, considera o professor. Durante os testes, o corpo de prova usado pelos pesquisadores manteve coloração branca após queima a mil graus de temperatura. “Com esse resultado, o material argiloso pode ser aplicado em louças e em vasos ornamentais. Esse material argiloso, pela coloração apresentada, estaria isento de minério de ferro, o que significa um bom material”, afirmou.

Foto: Hyrck Raphael da Silva Neto/Ceulp

O

Tocantins está perto de uma grande descoberta: ser também um importante produtor de louça. A confirmação é do Curso de Engenharia de Minas, do Centro Universitário Luterano de Palmas – CEULP/ULBRA, que iniciou pesquisa em junho de 2012, em Luzimangues (Porto Nacional) e em Gurupi. Os pesquisadores coletaram materiais argilosos nos dois locais, realizaram ensaios físico-químicos e obtiveram como resultado a densidade do produto, contração e ponto de queima com temperaturas diferentes. Daniel Setti, professor do curso e coordenador da pesquisa, afirma que “os resultados da concentração da argila após a queima correspondem às expectativas do grupo”. Segundo o pesquisador, o processo teve o seguinte passo: preparo do corpo de prova com 20% de água, elevação ao molde e prensagem com êmbolo para reduzir dos espaços vazios. “Em seguida, durante 48 horas, o material ficou em temperatura ambiente e depois foi para estufa, com rampa de aquecimento, até chegar a 100 graus”, pontua Daniel. Após essa etapa, o material ainda passou por mais aquecimentos em diferentes equi-

Futuros engenheiros de minas durante aulas de campo no interior do estado

MÃOS À OBRA - Nº 8 |ANO 2 CNPJ 17.934.403/0001-00 Tiragem 3000 exemplares Impressão: WR Gráfica Jornalista responsável - Luiz Henrique Machado DRT 0000555TO Projeto Gráfico - Marcelo da Silva

Escritório - 706 Sul (Arse 72), alameda 2, nº 23. (63) 9292 4228 | 8418 3833 Email - maosaobratocantins@gmail.com Blog: maosaobratocantins.wordpress.com Informe Publicitário: Acomac Tocantins Conteúdos assinados são de responsabilidade de seus autores.

MÃOS À OBRA - EDIÇÃO Nº 8

05/06/2013 13:02:28


INVESTIMENTOS

“Para que todos vejam e saibam, considerem e juntamente entendam que a mão do SENHOR fez isso” - Isaías 41:20.

INICIADA A OBRA DO TERMINAL DE LOGÍSTICA DE CARGA DO AEROPORTO DE PALMAS. FICA PRONTO EM SETE MESES Os recursos são do Governo Federal, na ordem de R$ 3,5 milhões. Atualmente, a Construtora Salina, de Palmas, executa a terraplanagem no canteiro, montado à esquerda do Terminal de Passageiros responsabilidade da Construtora Salina, de Palmas, que prevê a contratação de pelo menos 25 operários para assim cumprir o prazo estabelecido para a entrega. Os investimentos são são do Governo Federal e são de R$ 3,5 milhões, contemplando uma área de armazenamento de cargas de 500 m², além espaços para instalações administrativas. Ao todo, o Terminal

CO N S T R U Ç ÃO C I V I L, A R Q U I T E T U R A, CO M É R C I O, C L A S S I S TA S, E TC

Mãos à Obra - #8ªedição - junho 2013 (220x315) este.indd 3

contará com mais de 1.400 m² de área, com espaço para movimentação e recebimento de cargas; docagem, pátio externo, guarda valores, área de entrega e liberação de mercadorias. A engenheira civil da Infraero, Thaiz Moraes, e o proprietário da empresa Salina, Eliudo Reis, observam a planta da obra. Abaixo, a área cercada, onde os operários já atuam na terreplanagem do TECA.

Fotos: Luiz Henrique Machado/Mãos à Obra

A

construção do Terminal de Logística de Cargas – TECA, junto ao Aeroporto Brigadeiro Lysias Rodrigues, em Palmas, já está em andamento. A obra começou no início de maio e o prazo estabelecido para a conclusão é de sete meses - dezembro. Inicialmente, o Terminal atenderá a apenas a movimentação de cargas nacionais, porém, as autoridades não descartam a possibilidade de haver expansão no projeto para que haja também operações para importação e exportação. O governo do estado defende que a instalação do TECA é uma conquista do governador Siqueira Campos, que levou o pedido direto ao presidente da Infraero, Antonio Matos Gustavo do Vale, em setembro de 2011, tendo, dia 11 de abril, a assinatura da ordem de serviço. A execução do projeto é de

3 05/06/2013 13:02:38


PROFISSÃO ORIENTAÇÕES TÉCNICAS EM OBRAS PÚBLICAS

4 Mãos à Obra - #8ªedição - junho 2013 (220x315) este.indd 4

FALTA DE MÃO DE OBRA OBRIGA EMPRESA A TREINAR E RECRUTAR PESSOAL EM PALMAS A forma adotada pela empresa vai permitir que talentos sejam revelados, oportunizando uma nova profissão e renda aos trabalhadores do segmento

A

falta de mão de obra qualificada em vários setores da cadeia produtiva da construção civil em Palmas está se transformando em ameaça para o crescimento empresarial. Alguns estabelecimentos, para conseguirem atender a clientela e aumentar o faturamento, estão sendo obrigados a oferecer cursos e então recrutar os candidatos que melhor se adéquam à atividade. A Palmas Divisórias, que distribui e instala o sistema drywall, é um dos exemplos. A empresa abriu curso com 17 vagas, sendo que 13 pessoas seriam contratadas imediatamente, mas apenas seis garantiram o emprego. “Não estamos conseguindo alavancar as vendas e nem o crescimento da empresa, porque falta mão de obra qualificada. Não adianta nem anunciar [a loja na mídia], pois corremos o risco de não dar conta da demanda”, desabafou o empresário José Leonan Resplandes. Dos seis novos funcionários, três vão atender a filial em Araguaína e três ficarão em Palmas. “Nosso plano era ter seis novos funcionários para Araguaína e outros seis aqui na Capital, mas não teve jeito”, completou. O drywall é o sistema de revestimento utilizado na instalação de divisórias de paredes, tetos, sancas, shaft e outros. A Palmas Divisórias foi fundada há 11 anos e hoje tem 50 funcionários. O planejamento do empresário Leonan Resplandes está focado no crescimento das vendas e do faturamento, mas a falta de profissionais para a instalação do produto emperra e ameaça as metas.

Fotos: Luiz Henrique Machado/Mãos à Obra

C

om o objetivo de orientar gestores e profissionais quanto aos critérios e metodologias de auditorias em obras públicas, o Tribunal de Contas do Tocantins – TCE, vai realizar o curso “Orientações Técnicas em Obras Públicas”. As inscrições são gratuitas e vão até 16 de junho. As inscrições devem ser feitas no site do órgão. São 200 vagas, para engenheiros, arquitetos, gestores de contratos, membros da CPL e secretários de obras e controle interno das administrações públicas estadual e municipal. O curso será dia 17, no Auditório do TCE, entre 8h e 18h. Os conteúdos vão proporcionar mais conhecimento dos critérios e documentos exigidos em auditorias, inspeções de obras e serviços de engenharia, feitos pelos técnicos e analistas de controle externo do Tribunal. A intenção é reduzir as irregularidades diagnosticadas pela Corte nas auditorias.

A Acomac-Sul inaugurou o portal www.radioacomacsul.com. O canal servirá para transmitir reportagens, entrevistas e outros conteúdos específicos do setor de varejo, tanto para lojistas, como para colaboradores, clientes e outros interessados.

Candidatos a uma nova profissão atentos à explicação do instrutor

sobre as especificações técnicas dos produtos, cortes, manuseio de equipamentos, montagem de paredes e tetos. O salário de um profissional pode passar de R$ 2.000,00. “Inicialmente, cada trabalhador contratado recebe salários de R$ 750,00, por dois meses, mais o vale transporte e alimentação. Mas hoje estamos pagando R$ 1.500,00 com carteira assinada”, revelou Leonan. José Leonam, da Palmas Divisórias

CURSO O método criado para garimpar interessados, qualificá-los e contratá-los foi a união com a indústria Placo do Brasil, que produz drywall, e assim realizar os cursos. Segundo Leonan, essa oferta deverá ocorrer com frenquência, pois a indústria já anunciou a implantação do Placo Center, um centro especializado do sistema drywall, em Palmas. Os investimentos vão ampliar a necessidade de mais trabalhadores preparados. O primeiro treinamento, ocorrido no final de março, durou três dias e, além da prática, os candidatos receberam orientações

PERFEIÇÃO O estudante Rayson Macedo de Castro, 17 anos, que já havia desempenhado a atividade de ajudante de pedreiro, era um dos candidatos à vaga. “Hoje em dia a gente tem que aprender de tudo um pouco”, disse. Ao ser questionado sobre a nova atividade, Rayson afirmou: “a prática leva à perfeição. É no dia a dia que a gente vai aprender mesmo”. Bruno Eduardo da Silva, 27 anos, o outro concorrente, veio de Araguaína disposto a aprender as novas técnicas e deixar de lado a profissão de entregador. “Vou me esforçar para ganhar a vaga. O que vai mandar mesmo é a prática. É algo fácil de fazer”, avaliou. MÃOS À OBRA - EDIÇÃO Nº 8

05/06/2013 13:02:43


DESENVOLVIMENTO

O SESI é a marca mais lembrada em serviços de segurança e saúde no trabalho. É o terceiro ano consecutivo que a entidade está no 1º lugar na categoria Entidades Prestadoras de Serviços, do Prêmio Top of Mind de Proteção 2013, da Revista Proteção, especializada no tema.

COMPETITIVIDADE: FIETO E SEBRAE REALIZARÃO 1º CONGRESSO DA INDÚSTRIA TOCANTINENSE, EM OUTUBRO A intenção é criar um Fórum Estadual para discutir alternativas ao setor, considerando que a industrialização é um processo fundamental para as regiões em busca de crescimento e desenvolvimento às regiões em busca de desenvolvimento. O 1º Congresso terá Painéis Temáticos, Workshops de diferentes segmentos da indústria, Encontro de Negócios e Vitrines Tecnológicas a fim de disseminar informações gerando conhecimento por meio de palestras, oficinas e capacitação. O apoio vem do Sebrae Nacional e Confederação Nacional da Indústria. ESTÍMULO A prioridade do Congresso será o estímulo à competitividade das

Micro e Pequenas Indústrias para o desenvolvimento econômico e social, e a inserção efetiva do tema industrial nas grandes discussões políticas do estado. Atualmente o Tocantins tem 3.375 indústrias, das quais 32% estão na Capital. Araguaína tem 14% do total e segundo o Guia Industrial, 85,13% das indústrias tocantinenses são micro. O Estado tem a maior taxa de crescimento acumulado entre outros Estados da Federação no período de 2002 a 2010, com índice anual de 14,2%.

Foto: Luiz Henrique Machado/Mãos à Obra

S

erá dias 2 e 3 de outubro, o 1° Congresso da Indústria Tocantinense. A definição da data ocorreu durante reunião do presidente da Confederação Nacional da Indústria – CNI, Robson Braga de Andrade, com o presidente da Federação das Indústrias do Tocantins – FIETO, Roberto Pires, em Brasília. O foco está voltado para os empresários industriais e a proposta é viabilizar a criação de um Fórum para discutir alternativas para o setor, considerando que a industrialização é um processo fundamental

A indústria no foco do 1º Seminário

A MELHOR RECEITA PARA SUA SAÚDE PROFISSIONAL E PESSOAL

Salas a partir de

R$ 70.000,00

* Valor referente a sessão de uso.

MAPA DE LOCALIZAÇÃO

Um local diferenciado que tem à sua disposição: Área construída: 6.313 m²

Vagas de estacionamentos: 200

Área bruta locável: 3.473 m²

Adotamos uma administração flexível e pró-ativa,

Ancoras: 3 (Laboratórios e Farmácias)

que oferece suporte na gestão administrativa,

Praça de Alimentação: 4 Restaurantes

marketing e manutenção.

Satélites: 50 entre clínicas e consultórios

Acretitamos em profissionais e empresários que

8 Lojas de comércio de artigos de beleza, estética,

querem crescer.

nutrição e roupas brancas.

CO N S T R U Ç ÃO C I V I L, A R Q U I T E T U R A, CO M É R C I O, C L A S S I S TA S, E TC

Mãos à Obra - #8ªedição - junho 2013 (220x315) este.indd 5

5 05/06/2013 13:02:59


INOVAÇÃO

O prefeito Carlos Amastha e o ministro da Cidades, Agnaldo Ribeiro, assinaram contrato para construção de 512 apartamentos (R$ 32 mi), e 266 casas (R$ 16 mi). Os recursos são do Governo Federal e vão beneficiar a Quadra 604 Norte e o Jardim Irenilda, sul de Palmas.

TUBULAÇÃO E CONEXÕES EM POLIPROPILENO GANHA ESPAÇO NAS CONSTRUÇÕES EM PALMAS E ARAGUAÍNA O produto, oferecido pelo Mercadão da Construção, na Capital, é um dos mais utilizados na Europa, e tem ganhado espaço nas obras brasileiras por sua resistência, praticidade e garantia de qualidade

6 Mãos à Obra - #8ªedição - junho 2013 (220x315) este.indd 6

Fotos: Luiz Henrique Machado/Mãos à Obra

O

constante avanço do setor da construção civil em Palmas e em Araguaína está oportunizando as construtoras, lojistas e profissionais liberais a conhecerem novas práticas e seguras tecnologias em diversas áreas inerentes às obras, do piso ao acabamento. E uma dessas fases está diretamente ligada às instalações hidráulicas (água fria e quente), gás, ar comprimido e sistemas de combate a incêndio. O Mercadão da Construção, por meio de parceria com a indústria de tubos e conexões UNIKAP, localizada em Guarulhos – SP, trouxe para o Tocantins os produtos em PPR. Produzido em polipropileno, o sistema promete agilidade e economia na instalação de tubos e conexões. A garantia dos produtos é de 50 anos, mas a durabilidade pode chegar a cem anos. O empresário Carlos Alberto Fernandes, dono da loja Mercadão da Construção, e que também atua diretamente na construção de residências, explica que a decisão de representar e usar a tubulação em polipropileno ocorreu quando observou a praticidade na montagem do sistema nas obras e pela duração do produto. “E além disso, esse produto dá uma resposta muito melhor na relação custo benefício, tendo em vista que ele vem em barras e rolos de até 50 metros. Dessa forma, pode ser feita a instalação hidráulica em até três apartamentos simultaneamente”, explicou Carlos. Com o encanamento em polipropileno, as emendas são feitas em altas temperaturas, pelo processo chamado de termofusão, ou seja, um equipamento

Carlos Alberto e o encanamento em polipropileno: garantia de qualidade

Para a construção de uma casa no padrão popular, com dois quartos, sala, cozinha e banheiro, o proprietário pode utilizar a tubulação e conexões em polipropileno tendo um orçamento de apenas R$ 110,00. “O Mercadão da Construção tem toda linha de tubulação e conexões, bem como os equipamentos necessários para o corte e montagem do sistema. O uso do polipropileno na Europa, substituindo o antigo PVC já tem mais de 50 anos. É uma prática eficaz e recomendável”, relata o lojista. O custo da obra com o uso do PVC, segundo Carlos, “fica dez por cento mais caro”. Em se tratando do tubo para a prevenção de incêndio o construtor tem uma economia, em relação ao tubo galvanizado a fogo, de aproximadamente 50%. Em Palmas, diversos profissionais da construção civil já receberam formação do SENAI Tocantins para trabalhar com o polipropileno.

O PRODUTO O polipropileno é utilizado como matéria-prima para produção de diferentes itens, como: fibras para carpetes, insumos para fraldas, peças injetadas O sistema hidráulico da casa terá água Milhares de itens podem ser encontrapara embalagens rígidas e peças quente e fria pela mesmo encanamento dos na loja, inclusive em polipropileno automotivas, utensílios médicos, aquecido a 260 graus permite a nas obras está relacionada tam- embalagens flexíveis para balas, junção do tubo com as conexões, bém com o desperdício perto de massas e biscoitos. fixando-as de forma que se trans- zero, sobretudo quando o profisformem em uma única peça. “É sional que o utiliza é consciente e A LOJA um processo rápido, seguro e bem treinado. “Nossa represenO Mercadão da Construção, que garante total qualidade na tação na loja e uso do polipropi- conta hoje com um mix de aproobra, seja no sistema hidráulico leno em nossas obras em Palmas ximadamente dez mil itens em do banheiro, seja na condução de já tem dois anos. A economia é seu estoque. Localizada, há seis gás ou água para a cozinha”, des- muito boa, inclusive em termos anos, na Quadra 1106 Sul, Avenitaca o empresário. de preços, ele é mais em conta da LO-27, Lote 31. Os telefones BAIXO CUSTO que os antigos PVCs”, assegura de contato são (63) 3217 1766 | A utilização do polipropileno Carlos. 3217 7100. MÃOS À OBRA - EDIÇÃO Nº 8

05/06/2013 13:03:03


TRÂNSITO

O Governo do Estado apresentou à Prefeitura de Palmas duas cartas de anuência para investimentos nas obras de macrodrenagem nas cabeceiras dos Córregos do Prata, Sussuapara e Brejo Comprido, e estruturação da alça viária da Capital. Valores passam de R$ 350 mi.

3,5 KM DE CALÇADA E CICLOVIA NA AVENIDA NS-01 LIGARÃO O HGPP E A PALMAS BRASIL. CONCLUSÃO SERÁ EM JULHO Apesar de fazer parte de um pacote de obras iniciado ano passado, o calçamento e a ciclovia da NS-01 comeram há poucos dias. O sistema viário, os pedestres e os ciclistas ganham um grande benefício calçada mede 1,5 metro e a da ciclovia 2,5 metros. O projeto ainda contempla 1 metro de área com grama entre as duas pistas e em relação ao meio fio e está custando R$ 927.222,39. O pacote completo é de R$ 10.383.030,00, oriundo do Governo Federal, para vários serviços, entre eles: terraplanagem, drenagem, pavimentação asfáltica, iluminação e construção de Ponte sobre o Córrego Brejo Comprido, na NS-01. A Prefeitura entra com contrapartida de R$ 494.430,00.

CO N S T R U Ç ÃO C I V I L, A R Q U I T E T U R A, CO M É R C I O, C L A S S I S TA S, E TC

Mãos à Obra - #8ªedição - junho 2013 (220x315) este.indd 7

Foto: Luiz Henrique Machado/Mãos à Obra

M

oradores das quadras próximas ao antigo aeroporto de Palmas, e que usam a Avenida NS-01, estão ganhando 3,5 quilômetros de calçadas e ciclovia. O benefício começa nas proximidades do Hospital Geral de Palmas e se extende até à LO-15 (Palmas Brasil). O trabalho é executado pela SP Construtora, que subempreitou o serviço junto à EHL Engenharia. A obra é feita em concreto usinado, sendo que a largura da

Calçada e ciclovia em fase de construção na Avenida NS-01

7 05/06/2013 13:03:07


INFORME P U B L I C I T Á R I O

RANKING DA ANAMACO APONTA SEIS LOJAS NOTA FISCAL DE PALMAS ENTRE AS DEZ MAIORES DO TO TERÁ IMPOSTO As dez primeiras posições da pesquisa foram ocupadas por lojas de quatro cidades do Tocantins. A liderança do grupo é da JL Meurer, seguida pela Encanel e Ferpam Fotos: Arquivo JL Meurer

Interior da JL Meurer, a líder do ranking da Anamaco no Tocantins

E

stão em Palmas, seis das dez maiores lojas do varejo da construção civil instaladas no Tocantins. Publicado anualmente pela Anamaco – Associação Nacional dos Comerciantes de Material de Construção, em parceria com a Grau 10 Editora, o 14º Ranking Nacional das Lojas traz uma lista com 92 estabelecimentos no estado, tendo a Irmãos Meurer Ltda (JL Meurer), puxando a fila com 1.260 pontos, segundo a publicação. O Ranking das Lojas é tido como importante ferramen-

ta de pesquisa para o setor de varejo da construção e revela que cada vez mais os estabelecimentos nacionais estão buscando inovações, aumentando o mix de produtos e mantendo a concorrência acirrada. O Ranking 2012/2013 relaciona 72 itens diferentes, dos quais, 21 estão entre os mais vendidos, a exemplo de Adesivos e Colas, Brocas, Buchas, Cadeados, Conexões Galvanizadas, Cortadores Manuais, Cortadores Manuais, entre outros. TOCANTINS As dez primeiras posições en-

REVELADO AO CONSUMIDOR

A

tre os destaques do Tocantins partir deste mês, o estão divididas em quatro cidaconsumidor brasides. A ordem segue: 1º - Irmãos leiro passa a ver nas Meurer Ltda (Palmas), 2º - En- notas e cupons fiscais o total canel Comércio de Materiais de de impostos incidentes soConstrução Ltda (Palmas), 3º - bre os produtos comprados Ferpam Comércio de Ferramen- no varejo. Os lojistas serão tas Parafusos e Máquinas Ltda obrigados a discriminar o (Palmas), 4º - A Predilar Mate- porcentual tributário das riais de Construção Ltda (Ara- mercadorias vendidas. A guaína), 5º - Remo Materiais de ideia é chamar a atenção da Construção Ltda (Paraíso do To- clientela para a alta carga de cantins), 6º - Handyara Comér- impostos embutida nos procio, Representação, Materiais dutos. de Construção Ltda (Palmas), 7º O Instituto Brasileiro de - Fabiano Roberto Matos do Vale Planejamento Financeiro Filho e Cia. Ltda – Fabiano Pa- – IBPT, aponta variação mérafusos - (Palmas), 8º - Renacor dia dos impostos incidentes Comércio de Tintas Ltda (Pal- no varejo que varia de 35% mas), 9º - Milhomem e Borges a 55% do total do produLtda (Araguaína), 10º - Madesil to. “Nada mais correto que Ltda (Gurupi). o consumidor saiba quanto está pagando. Assim, ele VOTOS tem consciência de que paga Os destaques do setor de va- imposto em tudo que conrejo são revelados com base nos some e passa a cobrar pela votos dados pelos fabricantes de contrapartida a que tem dimaterial da construção, indús- reito”, disse o presidente do trias e outros segmentos com conselho fiscal do instituto, representatividade nacional. No Gilberto Amaral. ranqueamento, a Anamaco usa De acordo com a lei, não como critério a publicação da há a exigência de que cada razão social das empresas. tributo seja indicado separadamente – ao todo, são sete na base de cálculo –, apenas o total aproximado. As informações devem estar na nota Professores e Coordenadores dos ou, em casos em que o sisteCursos de Administração (Epro- ma do estabelecimento não cad), e o II Encontro Estadual for informatizado, em paida Associação dos Comerciantes néis visíveis dentro da loja. de Materiais de Construção do Para a supervisora de atenTocantins (Acomac-TO). Na pri- dimento Patrícia Rocha, a meira noite da Feira, o Conselho iniciativa é positiva, pois Regional de Contabilidade do ajuda a deixar as pessoas Tocantins (CRC-TO) vai oferecer mais informadas. “É imporuma palestra para os empresá- tante sabermos quanto e no rios sobre os novos desafios tri- que estamos gastando exatabutários. mente”, comenta.

20ª FENEPALMAS SERÁ NA PRAÇA DOS GIRASSÓIS

A

Feira de Negócios de Palmas – Fenepalmas, que está comemorando duas décadas de existência, vai acontecer entre os dias 20 e 24 de agosto. A principal novidade é o local escolhido pela Associação Comercial e Industrial de Palmas – Acipa, para a realização: a Praça dos Girassóis. O tema da Fenepalmas é Inovação e segundo o presidente da entidade, Fabiano

8 Mãos à Obra - #8ªedição - junho 2013 (220x315) este.indd 8

do Vale, “a ideia é fazer com que o empresário se motive a desenvolver a inovação dentro da sua empresa para conquistar clientes e não cair no comodismo”. Entre os atrativos para a Feira 2013, estão: Feirão do Turismo, Salão do Automóvel, Festival Gastronômico e o 3º Ciclo de Formação Empresarial, Encontro dos Administradores do Tocantins (ENATO), Encontro de

MÃOS À OBRA - EDIÇÃO Nº 8

05/06/2013 13:03:08


INFORME P U B L I C I T Á R I O

ENCONTROS EMPRESARIAIS REÚNEM LOJISTAS PARA TROCAS DE EXPERIÊNCIAS SOBRE EMPREENDEDORISMO Evento é elogiado pelos participantes que estão busca de nova visão de negócio. Além de Carlos Koike, da Encanel e do juiz Luiz Otávio, o prefeito Carlos Amastha também relatou suas experiências

Carlos Koike, da Encanel: “Vale a pena acreditar nas pessoas”

de gestão e de visão de empreendedorismo. Pioneiro no varejo da construção em Palmas, fundou a Encanel há 23 anos e hoje tem 52 funcionários. Carlos Koike expressou sua total confiança em seus funcionários, aos quais dispensa valor humano e apoio na formação profissional. Ao observar que alguns deles estavam com dificuldades em se tratando de moradias, optou por comprar terreno, construir casas e ceder para que pudessem habitá-las com aluguel de R$ 50,00. A Encanel ainda oferece plano de saúde total, distribui parte dos lucros e a cada dois anos o grupo inteiro sai de férias para uma das praias brasileiras. Tudo por conta da empresa. “Realizando o sonho dos funcionários, eles realizam os meus”, resumiu Koike. Aos 54 anos de idade, Carlos deu a seguinte justificativa sobre o formato de empreendimento: “Vale a pena acreditar nas pessoas. O maior ganho é na responsabilidade social da empresa”, afirmou. Para alguns participantes, esta fórmula é uma quebra de paradigmas, sobretudo quando a empresa mostra preocupação com a saúde e com o bem estar dos fun-

CO N S T R U Ç ÃO C I V I L, A R Q U I T E T U R A, CO M É R C I O, C L A S S I S TA S, E TC

Mãos à Obra - #8ªedição - junho 2013 (220x315) este.indd 9

Luiz Otávio fala aos empresários Foto: Antônio Gonçalves/Secom-Palmas

PRIMEIROS Antes do prefeito, outros dois convidados já haviam participado dos Encontros Empresariais. Carlos Tamotsu Koike, proprietário da Encanel abriu a série de sete eventos agendados. Koike deixou boa parte dos empresários surpresos com seu modelo

Fotos: Luiz Henrique Machado/Mãos à Obra

O

prefeito de Palmas, Carlos Amastha, foi o terceiro convidado a participar dos Encontros Empresariais, promovidos mensalmente pelo Sebrae Tocantins e Acomac – Associação dos Comerciantes de Material de Construção. O evento aconteceu dia 28. A realização reúne os principais líderes do varejo da construção civil e um dos principais momentos se dá com o relato de experiência profissional do convidado, seu modelo de gestão e outros casos que, de alguma forma, servem para aqueles que também atuam na Capital. Dentro da programação, o espaço é aberto aos demais participantes fazerem seus questionamentos. Carlos Amastha, que estava acompanhado do secretário de Transparência e Controle Interno, João Lira, elogiou o desempenho de Palmas, a começar pela cadeia da construção civil. “O parceiro do Poder Público Municipal, hoje, é a iniciativa privada, e a construção civil é o dínamo do motor da economia”, afirmou. “A iniciativa privada percebe que o prefeito é um empreendedor nato, está bem intencionado e que se coloca a disposição da sociedade para fazer uma transformação que todos nós almejamos, mas que só vai acontecer na medida que nos derem apoio irrestrito”, completou.

Amastha foi o terceiro a participar dos Encontros Empresariais

cionários. “Vou levar a valorização do diálogo para a empresa e o entendimento da responsabilidade e compromisso de cada um no trabalho”, disse Valdir Cezar, da Mineração Cezar, após ouvir o colega. DIREITO EMPRESARIAL O segundo convidado foi o juiz da 2ª Vara Civil, Luiz Otávio Franz, com o tema Direito Empresarial. As perguntas tiveram foco no contexto da legislação municipal, estadual e federal. A oportunidade serviu para deixar clara uma questão: todos precisam aprender mais sobre legislação trabalhista, contratos, processos e arbitragem. “Esse é um grupo formador de opinião, forte,

que tem função social muito importante e precisa de um conhecimento maior sobre processo judicial, para discutir estratégia de enfrentamento e de prevenção”, explicou o juiz. Clarice Soares, gestora de Projeto do Sebrae, revelou que o evento está superando as expectativas. “O interesse dos empresários está surpreendendo, pois estão muito envolvidos e comprometidos em buscar resultados práticos”, disse. O presidente da Acomac, Ivan Ricardo, afirmou que já resultados, como a criação da Corte de Conciliação, que será implantada na sede da Acipa “É um ganho para os empresários, pois é a parte moderna da justiça”, concluiu o presidente.

9 05/06/2013 13:03:14


INFORME P U B L I C I T Á R I O

IBGE DESTACA AVANÇO DE 1,8% DA PRODUÇÃO INDUSTRIAL EM ABRIL

FORTALEZA AGUARDA 1,5 MIL PARA O 85º ENIC

Na comparação com abril do ano passado, a indústria cresceu 8,4% em abril de 2013, taxa mais elevada nesse tipo de comparação desde agosto de 2010 Foto: www.sermateczaninionline.com.br

A

produção industrial avançou 1,8% em abril na comparação com março, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE, no início do mês. Este é o segundo resultado positivo consecutivo nesse tipo de comparação, um ganho de 2,7% nesse período, segundo a Pesquisa Industrial Mensal. A categoria bens de capitais (máquinas e equipamentos) foi a principal influência para esse aumento, ao apresentar a maior variação em abril, com alta de 3,2%, quarto resultado positivo consecutivo, com ganho acumulado de 15,5%. Na comparação com abril do ano passado, a indústria cresceu 8,4% em abril de 2013, taxa mais elevada nesse tipo de comparação desde agosto de 2010 (8,6%). O

Crescimento da indústria gera otimismo no mercado

estudo informa que todas as categorias de uso, 23 das 27 atividades, 58 dos 76 subsetores e 63,4% dos produtos pesquisados apontaram expansão na produção. A expansão da atividade industrial em abril deste ano, na comparação com março, alcançou todas as categorias de uso e 17 dos 27 ramos pesquisados. Os maiores aumentos de pro-

dução foram identificados nas atividades: veículos automotores (8,2%), máquinas e equipamentos (7,9%) e alimentos (4,8%). O primeiro setor avançou 15,6% nos dois últimos meses de expansão, o segundo acumulou ganho de 19,3% entre janeiro e abril, e o terceiro eliminou a perda de 4,5% verificada entre fevereiro e março. (Flávia Villela/Agência Brasil).

S

erá em Fortaleza - CE, a 85ª edição do Encontro Nacional da Indústria da Construção, promovida pela Câmara Brasileira da Indústria da Construção, e realizada pelo Sinduscon-Ceará, de 2 a 4 de outubro. Com o lema “O futuro que vamos construir juntos”, a iniciativa deve reunir os principais players da Construção Civil: autoridades, empresários, técnicos, agentes financeiros e políticos, somando mais de 1.500 participantes. Na ocasião, serão abordados temas ligados às comissões de relações trabalhistas, imobiliária, obras públicas, privatizações e concessões, materiais, tecnologia, qualidade e produtividade, meio ambiente, ação social e cidadania, entre outros.

Completa linha de equipamentos para incêndio 63. 3215-3933

www.ferpam.com.br

10 Mãos à Obra - #8ªedição - junho 2013 (220x315) este.indd 10

MÃOS À OBRA - EDIÇÃO Nº 8

05/06/2013 13:03:16


INFORME P U B L I C I T Á R I O

AÇÃO SOCIAL: BAZAR SOLIDÁRIO NO TAQUARI ATRAI GRANDE PÚBLICO EM BUSCA DE PRODUTOS A BAIXO CUSTO O sucesso do evento supreendeu as diretorias da Acomac e da Sebrae, que beneficiaram a Associação de Mães de Taquari. Os moradores do setor puderam comprar produtos diversos com baixo custo Juliano Meurer, da JL Meurer, fez questão de estar presente no Bazar Solidário. “É importante pensar no sentido coletivo. Não custa nada contribuir”, avaliou. A presidente da entidade beneficiada, Valtônia Gonçalves dos Santos, revelou que está satisfeita com o resultado e também com a ação proposta pela Acomac e Sebrae. “Foi muito bom para a Associação. A renda vai ajudar no desenvolvimento das ações, entre elas a festinha do dia das crianças”, disse Valtônia. Ivan Ricardo Naves, presidente da Acomac, afirmou que a intenção era essa mesma, de proporcionar apoio à comunidade, um dos setores mais carentes da capital. “A gente viu que o Taquari tem muitas construções inacabadas. Casas feitas pela metade, ou ainda em construção. Queremos contribuir de uma certa maneira para melho-

CO N S T R U Ç ÃO C I V I L, A R Q U I T E T U R A, CO M É R C I O, C L A S S I S TA S, E TC

Mãos à Obra - #8ªedição - junho 2013 (220x315) este.indd 11

rar a qualidade de vida dessas pessoas”, revelou. Quem participou da ação e pôde fazer algumas aquisições teve motivo de sobra para comemorar. “Comprei uma argamassa. Agora vou poder deixar minha cozinha mais bonita”, contou a costureira Maria Lúcia Pereira, que pagou R$ 3 pelo produto.

Fotos: Assessoria Acomac

O

resultado do 1º Bazar Solidário da Construção surpreendeu a diretoria da Acomac e do Sebrae Tocantins, idealizadores da ação beneficente em prol da Associação das Mães do Setor Taquari. A realização foi dia 26 de maio, na quadra de esportes da Escola Estadual Maria dos Reis, no próprio Taquari. A programação que tinha previsão de durar três horas, se encerrou em menos de uma, tamanha foi a procura pelos itens colocados à venda. O Bazar Solidário teve importante participação de diversos lojistas de Palmas, que cederam os materiais para a ação. Portas, vasos sanitários, materiais elétricos e hidráulicos, textura, massa corrida e argamassa puderam ser adquiridos com custos bem menores que o oferecido nos estabelecimentos comerciais.

Moradores voltam para suas casas com os itens adquiridos. Bom para eles e também para as crianças, que serão presenteadas com uma boa festa, segundo a Associação

11 05/06/2013 13:03:23


HABITAÇÃO

A JRC Engenharia investiu R$ 3 mi na aquisição de máquinas e equipamentos. Comprou 2 rolos compactadores, 3 basculantes, 1 pipa, 1 escavadeira hidráulica, 1 carreta e mais 1 grua, já instalada na Torre Sabiá, do Condomínio Clube Mirante Du Park, em Palmas.

FEIRÃO DA CASA PRÓPRIA EM PALMAS TERÁ 2.070 IMÓVEIS. NOVIDADE É A MODALIDADE PARA PAGAR A PARTIR DE 2014 O crédito está em alta na Caixa. A instituição afirma que até 20 de abril, 409 mil contratos habitacionais já haviam sido assinados, totalizando um montante de R$ 36,1 bilhões em financiamentos

C

omeçou por Fortaleza – CE, e São Paulo – SP, no início de maio, e agora chega a Palmas o 9º Feirão Caixa da Casa Própria. O evento será entre os dias 14 e 16 de junho, no Espaço Cultural. Os negócios seguem a todo vapor, com a instituição alcançando o mesmo valor movimentado durante todo o evento do ano passado. O volume de vendas e encaminhamentos já chega a R$ 12,2 bilhões e 80.588 em quantidade de negócios, segundo a Caixa. Esse ano, a grande novidade apresentada pela instituição aos interessados em adquirir um imóvel é a possibilidade do pagamento da primeira parcela ser feita apenas em janeiro de 2014. Entretanto, essa modalidade é apenas para financiamentos com recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) e do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE). Para a 9ª edição do Feirão em todo o Brasil a Caixa traz mais de 8.400 parceiros, entre

eles, mais de 1.400 construtoras e mais de 1.840 correspondentes da Caixa e imobiliárias. A previsão inicial é que o número de imóveis, oferecidos ao longo dos quatro finais de semana de realização do evento, seja superior a 400 mil. No mesmo período que em Palmas, também haverá o Feirão em Belém – PA, Recife – PE, e Campinas – SP. Serão os últimos eventos da série 2013. Conforme a assessoria da Caixa, até então há 13 construtoras confirmadas, com 27 empreendimentos que somam 2.070 unidades. São casas e apartamentos, em lançamentos e usados nas mais diferentes regiões da capital.

lação ao mesmo período do ano passado, quando R$ 25,9 bilhões haviam sido contratados. O Programa Minha Casa Minha Vida já contratou, desde o seu lançamento até abril de 2013, mais de 2,5 milhões de unidades habitacionais. Destas, cerca de 1,4 milhão de moradias estão concluídas. ATENDIMENTO Interessados em créditos

para habitação durante o Feirão, devem levar documento de identidade, CPF e comprovante de renda. Outras informações podem ser obtidas via 0800-726-0101, disponível 24 horas por dia, inclusive nos finais de semana. O prazo do financiamento imobiliário é de até 35 anos e as taxas de juros, dependendo das condições de renda e valor do imóvel, são a partir de 4,5% ao ano.

CRÉDITO EM ALTA Segundo a Caixa, até 20 de abril desse ano, 409 mil contratos habitacionais já haviam sido assinados, totalizando um montante de R$ 36,1 bilhões em financiamentos. O volume, conforme a instituição, representa um crescimento de 39% em reFoto: Krumaré Zacariotti/Caixa

A edição do Feirão no ano passado levou centenas de interessados a comprar e a conhecerem as condições do financiamento da casa própria

12 Mãos à Obra - #8ªedição - junho 2013 (220x315) este.indd 12

MÃOS À OBRA - EDIÇÃO Nº 8

05/06/2013 13:03:29


Mãos à obra 8ª edição junho 2013