Page 1

Glossário Apresentamos aqui um glossário de termos técnicos e das siglas que fazem do linguajar técnico desta área uma tão tremenda sopa de letras. AGP: Advanced Graphics Port. Trata-se de um slot marrom na motherboard, que dá acesso a um controlador e bus dedicados ao controle de placas de vídeo. AMD: Advanced Micro Devices. É a companhia que produz o processador K7, também denominado Athlon. ATX: É um formato padronizado de motherboard, o nome também se aplica aos gabinetes e fontes de força apropriados para este tipo de motherboard. Trata-se de um sucessor do formato tradicional AT, com funções adicionais tais como o controle da fonte por software. BIOS: Basic Input/Output System. É um programa residente na motherboard, que serve para a configurar e para permitir o boot de um sistema operacional. BTU/h: British Thermal Units por hora. É a unidade de energia usada na discriminação da capacidade de aparelhos de condicionamento de ar. CD: Compact Disc. Um disco de leitura ótica de 5-1/4". CDROM: Compact Disc Read-Only Memory. O mesmo que o disco acima, o nome também é usado para o dispositivo de leitura. CPU: Central Processing Unit. O processador principal de um computador, que em geral inclui o co-processador de ponto flutuante. DHCP: Dynamic Host Configuration Protocol. Um protocolo para a configuração dinâmica de hosts em uma rede, usado em conjunto com sistemas de boot remoto. DIMM: Dual Inline Memory Module. É atualmente o tipo mais comum de memória para micro-computadores, trata-se de um módulo de 168 vias. DNS: Domain Name Sevice. Um serviço de resolução de nomes em endereços numéricos e vice-versa, é um dos serviços fundamentais de funcionamento da Internet. EPROM: Erasable Permanente Read-Only Memory. Um tipo de memória que é permanente no sentido de que não se pode apagá-la ou escrevê-la pelos métodos digitais usuais, mas que pode ser apagada por uma lâmpada UV especial e em seguida re-escrita por um equipamento especializado. EEPROM: Electronically Erasable Permanente Read-Only Memory. Um tipo de memória que é permanente no sentido de que não se pode apagá-la ou escrevê-la pelos

http://mail.de.lyra.nom.br/pmc/Howto/node101.html


métodos digitais usuais, mas que pode ser apagada e re-escrita por um equipamento especializado. FLASH-EPROM: Um tipo de memória EPROM que pode ser apagada e escrita na própria placa de rede, com o sistema em funcionamento normal. FTP: File Transfer Protocol. É o protocolo padrão da Internet para a transferência de arquivos. HTML: Hyper-Text Markup Language. É a linguagem na qual são escritas da web, com capacidades de hipertexto, ou seja, de links que levam de um documento a outro. HTTP: Hyper-Text Transport Protocol. É o protocolo de transporte usado para as páginas escritas em HTML. Também pode ser usado para a simples transferência de arquivos. IDE: Integral Drive Electronics. Trata-se do tipo mais comum e barato de disco rígido para micro-computadores. Também existem unidades ZIP de entrada e saída neste formato, além de unidades CDROM. IP: Internet Protocol. O protocolo básico da internet, na verdade um nome para um conjunto de protocolos de transporte de dados. KNFSD: Kernel Network File-System Daemon. A nova versão do servidor NFS do Linux, que está integrado dentro do kernel. Kernel: É o programa central do sistema. LAN: Local Area Network. Trata-se da rede local à qual estão ligadas as máquinas de uma instituição. A definição de uma LAN é que quaisquer duas máquinas dentro dela possam trocar pacotes diretamente uma com a outra, sem passar por uma terceira máquina, ou seja, por um gateway. Instituições grandes em geral têm mais de uma LAN. LED: Light Emitting Diode. Um diodo que emite luz quando passa corrente elétrica através dele, comumente usado como luz de aviso e status em computadores. LVD: Low-Voltage Differential. Trata-se do tipo mais recente de disco SCSI, funcionando a 160 MB/s; os discos também são conhecidos como Ultra-160. MB: Milhões de bytes. Mbps: Milhões de bits por segundo, também conhecida como baud. Mflops: Milhões de operações de ponto flutuante por segundo. MPI: Message Passing Interface. Uma biblioteca de rotinas de passagem de mensagens voltada para a padronização e para a portabilidade de programas entre sistemas diferentes. NBD:

http://mail.de.lyra.nom.br/pmc/Howto/node101.html


Network Block Device. Um dispositivo do Linux que exporta um dispositivo de blocos, tal como um disco, através da rede. Trata-se de uma exportação em nível baixo, diferente do sistema NFS, que pode ser usada para fazer swap remoto em sistemas Linux. NBI: Network Boot Interface. É um padrão de organização para arquivos contendo um kernel do Linux e outras informações, para que eles possam ser enviados através da rede para que máquinas sem discos possam bootar o kernel. NFS: Network File-System. Um sistema que permite a exportação dos sistemas de arquivos de uma máquina através da rede; os sistemas podem ser montados em uma máquina remota e os usuários poderão utilizar estes sistemas de arquivos exatamente como se fossem sistemas de arquivos locais na máquina remota. NIS: Network Information System. Um sistema de distribuição de informações de sistema para conjuntos de máquinas em uma rede, que são denominados de domínios NIS. NTP: Network Time Protocol. Um protocolo para a sincronizações dos relógios de computadores através da rede. NQS: Network Queueing System. Um sistema de submissão de jobs a servidores de processamento através da rede; os jobs ficam organizados em filas de espera segundo critérios técnicos e de prioridade. PA: Precision Arithmetic. A marca da HP para a sua arquitetura de processadores RISC, que inclui um dos melhores co-processadores de ponto flutuante em existência. PCI: Peripheral Componente Interconect. Um bus de arquitetura bem aberta e padronizada para a conexão de placas controladoras a um sistema; é caracterizado por slots brancos na motherboard; é normalmente usado para placas de rede, de controle de disco e de vídeo, entre outras. PMC: Poor Man's Cluster, ou Parallel Machine Cluster. PVM: Parallel Virtual Machine. Uma biblioteca de rotinas de passagem de mensagens voltada para a integração de vários sistemas com arquiteturas e características diferentes em um único sistema de processamento numérico. RAM: Random Access Memory. A memória dinâmica rápida usada em um computador, cujo conteúdo é perdido ao se desligar a máquina. RDRAM: Rambus Dynamic Random Access Memory. Um tipo de RAM, mais rápido que o atual, que está em processo de lançamento no mercado. ROM: Read-Only Memory. Qualquer tipo de memória permanente, que se destine apenas à leitura. RISC:

http://mail.de.lyra.nom.br/pmc/Howto/node101.html


Reduced Instruction Set Computer. Um tipo de arquitetura de processador, com um número reduzido de instruções executadas diretamente pelo próprio processador. Num certo momento teve uma grande importância no desenvolvimento de processadores muito rápidos, mas hoje é apenas mais uma das arquiteturas possíveis. SCSI: Small Computer System Interface. Um tipo bem aberto e padronizado de bus para a conexão de discos rígidos e outros dispositivos de armazenamento em massa de dados, tais como unidades de fita e unidades CDROM. Inclui um coprocessador dedicado às atividades de leitura e escrita dos dados, o que o torna muito mais rápido e um pouco mais caro do que o sistema IDE. SDRAM: Synchronous Dynamic Random Access Memory. Um tipo de RAM, muito rápido, que é o padrão atual para o mercado de micro-computadores. TCP: Transmission Control Protocol. O principal protocolo de transporte de dados da Internet. TFTP: Trivial File Transfer Protocol. Um sistema muito simples de transmissão de arquivos pela Internet, que não inclui sistemas de autenticação e é usado apenas para o boot remoto de sistemas. TP: Twisted Pair. O padrão mais comum hoje para as conexões de rede de curta distância, em geral dentro de um mesmo prédio, através do uso de pares trançados de fios de cobre. UDP: User Datagram Protocol. Outro protocolo de transporte de dados da Internet, que é mais rápido e menos confiável por não ter checagem de erros como parte do protocolo; a checagem de erros de transmissão fica por conta dos aplicativos. UNFSD: Userspace Network File-System Daemon. O antigo servidor de NFS do Linux, que funciona completamente no ``userspace'', o que quer dizer que é um daemon independente, não integrado ao kernel. UTP: Unshielded Twisted Pair. O nome completo dos cabos TP. WWW: World Wide Web. A teia mundial, um espécie de enorme banco de dados multimídia que alcança todo o mundo, com páginas em HTML e outros tipos de dado sendo transportados pelo protocolo HTTP. X11: É o sistema gráfico de janelas usado no Linux. ZIP: É o nome de um novo formato de floppy de 100 MB, muito confiável, que está se tornando um padrão de fato.

http://mail.de.lyra.nom.br/pmc/Howto/node101.html

Glossário Informática  

Descrição de alguns dos termos mais utilizados na informática.

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you