Revista SussuWorld N.º 25

Page 1

MASTER.NES.MEGA.SNES.ARCADE.PS1.SATURN E MAIS

N. 25


ÍNDICE EDITORIAL Mais um mês, mais uma Revista. Muita gente me pergunta o motivo de eu continuar fazendo essa Revista, pois “o povo hoje em dia não lê muito, poucas pessoas vão acompanhar” e tal. A resposta é bem simples: É a realização de um sonho de um cara que passou praticamente a vida toda cercado por Revistas de Games (Ação Games, SuperGamePower, Gamers e tantas outras). E enquanto eu tiver prazer em continuar escrevendo sobre o que eu amo, ela vai continuar existindo. Espero que vocês gostem. Eu agradeço de coração a vocês, Carvalho, Jarrão, Elinewton, Lucas, Ygor Freire Fabio Santana, Renato Almeida, Michael, ao Marcelo Tavares e ao @asegavoltou por mais essa edição !! Luciano

- THE LUCKY DIME CAPER (MASTER SYSTEM)........... PÁG. 04 - TMNT IV: TURTLES IN TIME (SNES) ............................. PÁG. 06 - EXCITE BIKE (NES) ............................................................ PÁG. 08 - SLIPSTREAM ....................................................................... PÁG. 12 - INTERNATIONAL SUPERSTAR SOCCER 64 (N64) ... PÁG. 14 - TOE JAM & EARL (MEGA DRIVE) .................................... PÁG. 18 - ESPECIAL: ATARI 50 ANOS ............................................. PÁG. 22 - EHRGEIZ (PS1) ..................................................................... PÁG. 26



MASTER SYSTEM

Por Luciano Coelho

Em 1991, o Mega Drive recebeu Quackshot, o maravilhoso jogo do Pato Donald. E aí surgiu um rumor de que o jogo teria uma versão para o Master System. Só que esse rumor acabou não se concretizando e no lugar, nós recebemos The Luck Dime Caper

O jogo é um port da versão do Game Gear, e um ótimo port, vale acrescentar. E o gameplay segue o mesmo estilo de Castle of Illusion, mas com diferenças sutis. Donald também derrota inimigos pulando em cima deles, além de usar armas, mais precisamente um Martelo e um Disco. E essas duas armas podem atacar mais rapidamente ao se coletar estrelas, sendo que quatro é o número que se pode pegar para o nível máximo. Uma quinta estrela faz o jogador ficar invencível por um tempo, mas reseta o nível da arma. Como eu disse, o jogo é um port da versão do Game Gear e elas tem várias diferenças entre si. As posições dos inimigos variam entre as versões do Game Gear e Master System. Além disso, no Master System se permite que o jogador volte atrás, e na versão A história do jogo é a seguinte: Um belo Game Gear não. E ao se coletar dia, O Tio Patinhas dá de presente para cinco estrelas no Master System os seus sobrinhos Huguinho, Zezinho e temos invulnerabilidade limitada, Luizinho uma moeda da sorte para cada enquanto a versão Game Gear um. Eis que a bruxa má Maga Patalógica só dá pontos adicionais. Quando rouba a moeda da sorte do Tio Patinhas você é atingido por um inimigo, a e sequestra seus sobrinhos com as suas arma é perdida só na versão do moedas. Master System. Donald então, embarca em uma missão Ela pode ser pega de novo ao se viajando pelo mundo para salvar os seus encontrar o item do martelo ou o três sobrinhos e para também recuperar do Disco, mas isso não acontece a moeda da sorte do Tio Patinhas. na versão do Game Gear.Essas são as pequenas coisas que dão 7 fases cheias de desafios e diversão te uma diferença ao port. esperam. Mãos a obra.


ITENS ENCONTRADOS NO JOGO Cada estrela faz você atacar mais rápido. Pegar uma quinta estrela o torna invencível por alguns segundos. Pegar esse item lhe dá uma vida extra. Se você perder o Martelo durante o jogo, ou trocá-lo pelo Frisbee, você pode recuperá-lo pegando esse item. O Frisbee é usado para atacar os inimigos à distância. Pegar um adiciona 500 pontos à sua pontuação. Pegar um Adiciona 1000 pontos à sua pontuação.

Nós podemos escolher a fase em que podemos começar, mas sinceramente isso não é necessário. Você pode ir na ordem que o jogo te oferece. As 3 primeiras fases são para Donald salvar cada um dos seus sobrinhos. A seguir, as próximas 3 fases serão para se resgatar as moedinhas de cada um enfrentando os corvos da Maga. A última fase é para enfrentar a própria Maga Patalógica e assim recuperar a Moedinha Nº1 do Tio Patinhas.

Jogando com calma e prestando atenção ao que se acontece, dá para se terminar em uma jogada. A jogabilidade é bem competente e o jogo é divertido. Os controles são bem simples, um botão pula e o outro ataca. Os gráficos são bem coloridos e com aquele estilo Disney da época. Foi um port muito bem feito e que conseguiu tirar bom proveito do hardware do Master System.

THE LUCKY DIME CAPER Plataforma: Master System Desenvolvedora: Sega Lançamento: 1991

Conclusão: The Lucky Dime Caper é um dos clássicos jogos do nosso Master System. Simples e divertido ele traz aquela magia que os jogos da Disney eram famosos na época. O jogo é muito recomendado e vai te divertir. Pode confiar.


SUPER SUPER NINTENDO NINTENDO

Por Luciano Coelho

Se tem uma coisa que não se pode negar é: se tivemos uma empresa que soube fazer jogos das Tartarugas Ninjas essa foi a Konami.

A Konami foi, e ainda é, até os dias de hoje, a única empresa que conseguiu lançar vários e maravilhosos jogos das Tartarugas. E isso foi tanto nos Arcades quanto nos consoles. Tivemos jogos bem difíceis com o primeiro jogo para o NES e jogos que se tornaram muito icônicos como TMNT 2: The Arcade Game e TMNT: Turtles in Time.

TMNT IV: TURTLES IN TIME Plataforma: SNES Desenvolvedora: Konami Lançamento: 1992

E em 1992, o jogo recebeu um port para o Super Nintendo, ganhando a numeração para assim continuar a série numerada dos jogos originais do NES. Em 2009, a Ubisoft em uma parceria com a Konami, lançou para o PS3 e Xbox 360 um remake em 2D do jogo chamado de Teenage Mutant Ninja Turtles Re-Shelled.

Até dois jogadores no SNES podem assumir o controle das Tartarugas no jogo. Cada personagem jogável tem A história do jogo é a seguinte: As seus próprios pontos fortes e fracos. Tartarugas estavam assistindo ao Noticiário da TV de April O'Neil, que É possível acertar um inimigo várias estava sendo transmitada da Liberty vezes seguidas com um combo além Island, quando eis que de repente, da feature mais legal do jogo, onde Krang aparece e rouba a Estátua da nós podíamos arremessar bandidos do Clã do Pé para fora do campo de Liberdade. jogo, em direção à câmera. As Tartarugas partem para ação no centro de Nova York, no Passado e Erá tão legal que as vezes ficávamos no Futuro e em vários lugares até a disputando quem arremessava mais inimigos para fora da tela. luta final com o Destruidor.

É um jogo maravilhoso de se jogar e se você quiser aproveitar muito mais eu recomendo que você ache um amigo e juntos encarem essa.


Os controles são aqueles básicos dos beat’n ups, com um botão de pulo e outro de ataque, que se combinados executam um movimento especial. Serão 10 fases, que vão desde as ruas de Nova York, passando por esgotos, navios piratas, a Era Pré-Histórica, uma cidade no futuro, e é claro, o Technodrome, chegando até a batalha final contra o Destruidor em frente a Estátua da Liberdade. Aliás, muita gente pode ter deixado passar, mas o jogo incorporou algumas coisas do segundo filme das Tartarugas, o Teenage Mutant Ninja Turtles II: The Secret of the Ooze, como os chefes Tokka e Rahzar, além claro, do Chefe final do jogo, Super Destruidor, perfeitamente recriado inclusive com a roupa que usava no filme.

TMNT: Turtles in Time é um dos melhores, senão o melhor, jogo das Tartarugas. Vale ae pena se jogar de novo, e de novo, só ou com um amigo. Qualquer que seja a sua opção, a diversão é 100% garantida. Cowabunga !!


NINTENDO

Por Luciano Coelho

Excitebike é um jogo de corrida de motocross desenvolvido pela Nintendo. Foi lançado no Japão para o Famicom em 1984 e foi um dos 18 títulos de lançamento do NES nos EUA, em 1985. É um jogo simples, poém muito divertido que vai entreter por um bom tempo. Vamos lá.

Excitebike tem três modos de jogo.Em Selection A, o jogador corre sozinho. Em Selection B, os oponentes controlados pela CPU disputam com você. Eles agem como obstáculos; colidir com um deles na parte de trás faz o jogador ser derrubado da moto e vice-versa. Já no modo Design, o jogador tem a capacidade de construir suas próprias pistas, podendo escolher e colocar vários tipos de rampas e obstáculos, que são representados pelas letras A a S. O jogador pode também escolher quantas voltas (de 1 a 9).

As corridas tem visão lateral, da esquerda para a direita, com o jogador correndo em pistas com vários obstáculos, que incluem rampas e afins.

Os controles são simples: São dois botões e os dois aceleram. Sim, isso mesmo que você leu, só que tem uma diferença básica um deles acelera normalmente a moto, e o Após a correr, o jogador pode outro força mais o motor e atingindo assim correr nessa pista, nos modos mais velocidade. Só tem um problema: se Selection A e B. Uma coisa; a você forçar por muito tempo o motor, ele versão japonesa permitia que superaquece, e você terá que ficar alguns se pudesse salvar essas pistas segundos parado até voltar ao normal. feitas pelos jogadires em fitas cassete, através do periférico Famicom Data Recorder.

EXCITE BIKE Plataforma: NES Desenvolvedora: Nintendo Lançamento: 1984


Excitebike: Bun Bun Mario Battle Stadium é um remake/adaptação do jogo do NES. Neste jogo, todos os motociclistas foram substituídos por personagens de Mario. O jogo foi lançado para o Satellaview, que era um periférico de modem via satélite produzido pela Nintendo para o Super Famicom em 1995. A Nintendo desenvolveu o videogame e lançou quatro versões do jogo através do serviço de download via satélite, operado pela japonesa St.GIGA, cada uma expandindo ou substituindo coisas do jogo anterior. Se você encostar em algum outro piloto, ou cair de mal jeito em uma rampa, você vai capotar e cair do lado de fora da pista. O mais interessante é que o seu verdadeiro adversário no jogo não são os outros pilotos, mas o tempo. Não importa quantos pilotos você ultrapassar; se você não terminar a corrida no tempo certo,é game over. Então você deve dosar bem os momentos de alternar entre as velocidades da sua moto para se dar bem no tempo estabelecido.

Conclusão: Excite Bike é um jogo bem simples, mas muito divertido, que vai te entreter por um tempinho. É um dos grandes clássicos do NES e que acerta em cheio no que se propôe a fazer. Excitebike é um jogo curto,mas bem desafiador, que ainda cai bem nos dias de hoje.




ESPECIAL ESPECIAL

Por Luciano Coelho

Slipstream é um jogo de corrida inspirado nos visuais, músicas, jogos e carros do final dos anos 80 e início dos anos 90. Ele é feito em um novo motor de jogo personalizado, trazendo assim uma sensação retrô autêntica e gráficos que fazerm o jogador voltar no tempo aquela época maravilhosa das corridas em 16 bits do SNES e Mega Drive. A trilha sonora, inspirada em synth pop e influências de jazz fusion, dá o tom para corrermos por uma grande variedade de locais exóticos de todo o mundo incluindo as cidades, desertos, florestas, montanhas e praias. A mecânica de derrapagem do jogo é a principal ferramenta se você quiser ganhar corridas. Se você pretende ser um vencedor, trate de pegar o jeito. Como eu disse acima, o que se tem que dominar em Slipstream é a derrapagem. Mas não só a derrapagem em si, mas o timing de se usar.

Podemos ver que OutRun e Top Gear foram inspirações para o desenvolvimento do jogo. O jogo está disponível nas atuais plataformas, Xbox, PlayStation e Switch, além do PC.

Você vai perceber que o timing é muito importante e ele vai ser a diferença entre você ganhar e perder uma corrida. Demorar a usar pode fazer você derrapar demais e bater um uma cerca, ou parede e o resultado disso é uma senhora capotagem e uma perda de tempo e posições na corrida.

Mas o Rewind não é infinito. Você ganha o direito de usar ao pegar o vácuo de outros carros e enchendo a barra de Rewind. Um outro jeito de também ganhar as corridas é usando o vácuo dos outros carros. Assim E o melhor de tudo: Esse é um você irá completar o nome “Slipstream”, e jogo 100% brasileiro. Slipstream irá aumentar (e muito) a sua velocidade, foi desenvolvido ao longo de 4 Mas isso pode ser revertido ao ficando assim mais próximo da vitória. E anos pelo mineiro Sandro Luiz se usar o Rewind. Você retorna acredite, você vai precisar e muito dessa de Paula. no tempo e pode tentar de novo artimanha.


Slipstream tem 6 modos de jogo: * Grand Tour - Inspirado no saudoso Out Run, paisagens exóticas, caminhos ramificados e rivais. * Cannonball - Corrida customizável com tráfego opcional, rivais e outros pilotos. * Grand Prix - Campeonato com 5 corridas consecutivas e prêmios em dinheiro para melhorar seu carro. * Corrida Única - Como o nome diz, corra em qualquer uma das 20 pistas do jogo. * Desafio de Tempo - Corrida solo contra o tempo em 3 voltas. * Battle Royale - Competição eliminatória. Ao final de cada estágio, o piloto na última posição é removido. O jogo também conta com modo multiplayer local para até quatro jogadores e a possibilidade de se reduzir a velocidade geral do jogo ganhando mais tempo para reagir à corrida, mas isso não vai afetar a física do jogo nem a jogabilidade que permanecem exatamente as mesmas. A trilha sonora do jogo é maravilhosa e esse efeito de VHS, como se você estivesse vendo o jogo em um vídeo cassete é nostálgico. Ele aparece no menu de pause e quando você usa o Rewind. A nostalgia grita nesse jogo. Sliptream é um jogo que se torna obrigatório para todo fã das corridas dos saudosos 16 bits. Slipstream é altamente recomendável.


NINTENDO NINTENDO 64 64

Por Luciano Coelho

Em junho de 1997 chegava às lojas do Ocidente, International Superstar Soccer. O jogo que foi desenvolvido e distribuído pela Konami, e era o primeiro jogo de futebol para o N64 da empresa. E em Junho desse ano, ISS 64 completou 25 anos de lançamento. O jogo é tido como um dos jogos mais importantes do gênero e na época foi aclamado pela crítica e pelos donos de um Nintendo 64. Mas não pensem vocês que ele era o mesmo jogo da série Winning Eleven. A empresa era a mesma e essa era a única similaridade entre os jogos. A responsabilidade da série ISS era a cargo da KCEO, a Konami Computer Entertainment Osaka, enquanto a da série Winning Eleven era a KCET, de Tokio. A KCEO ficou responsável por manter o gameplay do estilo da série ISS do Super Nintendo. O jogo tinha vários modos para o jogador se divertir e jogar aquele contra com um amigo ou aquele famoso campeonato com a galera, onde a gente marcava os pontos, gols e artilheiros em uma tabela feita naquele famoso caderno. Bons tempos... O Modo International era a Copa do Mundo e o modo World League, como o nome já diz, era uma liga com muitos jogos para se decidir o campeão. Já o Training era onde se aprendia o básico de jogo.

O Modo que eu mais gostava (e ainda gosto) e o que até hoje sinto muita falta era o Cenários (Scenario). Lá nós tinhamos jogos em andamento com uma situação específica e aí teríamos que fazer todo o possível para sair dali com uma vítória. Eram situações que testavam a nossa vontade e que tinha vários níveis de dificuldade, mas encantavam o jogador com várias situações incríveis.


O gameplay era ótimo, solto, fluído e muito divertido de se jogar. Os passes chutes e dribles incríveis eram o que dava o tom de todas as partidas. Talvez demorasse um pouco para se acostumar ao controle do Nintendo 64 mas quando isso acontecia, ái era só festa, inclusive ao se usar o analógico para dar aquela curva marota na bola e deixar o goleiro com cara de trouxa. Gráfico e ambientação davam o clima perfeito da partida, além do som, com a torcida gritando e cantando o tempo todo e os gritos de gol do Narrador.

INTERNATIONAL SUPERSTAR SOCCER 64 Plataforma: Nintendo 64 Desenvolvedora: Konami - KCEO

Lançamento: 1997

Conclusão: 25 anos depois ainda dá para dizer que ISS 64 é um jogão. Ele segue divertido e ótimo de jogar, com um gameplay que com certeza não fica devendo o muitos jogos de futebol atuais, muito menos quando falamos de quesito diversão. Vida longa a ISS 64.




MEGA DRIVE Por Luciano Coelho

Em 1991, os jogadores foram apresentados a ToeJam e Earl, dois rappers alienígenas, que estavam curtindo um som e passeando pelo espaço. Tudo corria bem, até que Toe Jam decide deixar Earl dirigir. E graças a esse erro de Toe Jam, a dupla acaba caindo na Terra e sua nave espacial acaba se quebrando em dez pedaços.

Mas nem tudo está contra os nossos rappers. Para ajudar na sua missão, vários presentes estão espalhados pelas fases, e cada um tem uma surpresa que poderá te ajudar ou te atrapalhar.

,

,

E agora, eles precisarão encontrar essas 10 partes e assim remontar sua nave espacial para voltar para o planeta Funkotron. Em 25 fases, eles terão de enfrentar vários dos mais estranhos terráqueos que vão cruzar o seu caminho, tais como o dentista insano, uma compradora maluca, o exército de galinhas,uma caixa de correio monstruosa, nerds, dançarina de hula, cupido, fantasma do caminhão de sorvete, e muitos mais, cada um com características próprias e bem insanas. Todos eles só querem pegar os nossos hérois e impedir a sua missão.

E parece que realmente os terráqueos não gostam de alienígenas. Entre todos os presentes estão desde as asas que você irá usar para atingir a ilha . secreta, até a nuvem carregada de raios que irão te acertar até que você perca toda a energia. Esse é o enredo de um dos melhores e mais divertidos jogos do Mega Drive. E ele conquistou seu lugar como um dos jogos memoráveis da console da Sega, e claro da história dos games. Vamos agora entender qual foi o motivo que levou a isso ??


ToeJam & Earl foi apresentado para a Sega por Greg Johnson, que usou conceitos de games como o clássico “Rogue” e o scifi de 1986, “Starflight”. Os personagens e a história do jogo foram criados em uma parceria com o programador Mark Voorsanger. E dizem que Greg Johnson criou os personagens de Toe Jam e Earl em uma viagem ao Havaí. E Greg queria que ele fosse um jogo original, fácil de entender e que oferecesse uma ótima resposta às ações do jogador. Dá para dizer que os objetivos foram atingidos com louvor. Você sabe que o jogo é bom quando depois de mais de 20 anos do lançamento, ele ainda te supreende.

Você pode jogar com ToeJam, Earl ou ainda jogar com os dois simultâneos na tela, o que é muito legal e se você puder, altamente recomendado. Os cenários são um tipo de ilhas que flutuam no espaço, e para subir para a próxima fase nós devemos achar o elevador, e para descer e voltar, é só cair de um penhasco. E você contar com a sorte para não descer no meio do oceano ou em cima de um inimigo. Sempre que se passa de fase, ela te diz se tem ou não uma peça da nave perdida ali.

Aposto que muitos de você sabiam da ilha secreta lá na primeira fase, mas não sabiam dessa iha na parte de cima do mapa. O jogador pode acessar o mapa de cada área ao se apertar um botão e ele vai se revelando à medida em que for sendo explorado. E se ouvirem um telefone tocando, procure atender o mais rápido possível, já que ele vai revelar partes do mapa ainda ocultas.


Há dois modos para se jogar: o modo Mundo Fixo e o Mundo Aleatório. No fixo os elevadores, peças da nave e presentes ficam sempre nos mesmos lugares. Já no aleatório, os elevadores, peças e presentes mudam de lugar a cada nova jogada. Além disso, os cenários também variam. Isso aumenta muito a longevidade do jogo e vai deixar tudo bem mais interessante. Mas se vocês terminaram o mundo fixo e procuram mais diversão, recomendo jogar com um amigo., O modo para dois jogadores é diversão pura e ele foi o primeiro jogo cooperativo onde a tela é dividida quando os personagens se separam, fazendo assim com que o mapa seja vasculhado mais rápido como cada um dos dois seguindo o seu próprio caminho para encontrar o pedaço da nave ou a porta para o andar seguinte. Tem muitas das piadas e diálogos cômicos quando os dois personagens se encontram e estão na mesma tela Por exemplo, quando um deles dorme e aí o outro grita WAKE UP (ACORDA!) bem alto para o outro levantar.

Outra coisa legal é o cumprimento “high five“, onde os dois batem as mãos espalmadas, permitindo uma troca de energia. Caso um dos jogadores esteja com a barra de energia baixa, elas se nivelam. Quando se abre um presente, estando os dois personagens na tela, o efeito dele pega tanto Toe Jam quanto Earl. Econômico, né ?


E vamos falar dos presentes, que são os responsáveis por grande parte da diversão do jogo. Toe Jam e Earl não usam armas, é por isso que na maior parte do jogo você foge dos inimigos. Mas para balencear um pouco isso é que existem os presentes, que estarão espalhados pelos cenários. além de se poder comprar vários deles nas caixas de correio. E são mais de 20 presentes, cada um deles com itens que podem te ajudar ou te atrapalhar. Quando você os pega eles não estão identificados. Você tem que usar para saber o que tem neles e E outro ponto que temos que ressaltar nesse jogo é a maravilhosa depois, se você encontrar outro igual, trilha sonora. A trilha sonora é sensacional e uma das melhores da ele já virá identificado. geração 16 bits. E o Funk manda aqui, não o Funk estilo carioca, e sim o estilo lá dos anos 70, imortalizado por nomes como o grande Você também pode pagar ao Homem James Brown, passando pelo Rap e Jazz. E são aquelas músicas Cenoura para ele identificá-los. E não adianta você decorar as embalagens que grudam na sua cabeça e que você se pega cantarolando. das caixas para saber os itens, pois a Os efeitos sonoros também são demais e hilários, recheados de cada jogo os itens mudam de caixa. bom humor. Praticamente tudo do jogo tem um efeito sonoro que é só dele. Se percebe o capricho, como por exemplo, a risada muito escandalosa do Dentista Maluco. Até se arriscar a chegar perto de um inimigo para se ouvir o efeito sonoro é recomendado. Sério.

TOE JAM & EARL Plataforma: Mega Drive Desenvolvedora: Sega Lançamento: 1991

Toe Jam & Earl é um dos mais criativos e divertidos jogos que temos no mundo dos games. É certo que ele está em qualquer top 10 do Mega Drive e na lista de qualquer jogador do console da Sega. É um jogo recomendadíssimo, e que diverte e cativa até hoje.


ESPECIAL

Por Luciano Coelho

A Atari comemora esse ano o seu 50º aniversário. A Companhia, que foi criada por Nolan Bushnell e Ted Dabney passou por altos e baixos, mas ela mantêm o seu legado vivo nos corações dos jogadores. Então vamos relembrar a história da criação dessa icônica companhia que ainda mora no coração dos fãs. Em 1963, Nolan Bushnell era apenas um estudante na Universidade de Utah e lá, ele conheceu um jogo que mexeu com a sua cabeça: o Space War.

Em 1972, Nolan Bushnell e Ted Dabney fundaram a Atari e assim Space War era um jogo para até dois eles contrataram o seu primeiro jogadores, em que cada um controlava funcionário, Al Alcorn. E em seu uma nave e se podia disparar mísseis primeiro dia na empresa foi dado um no outro. Nolan queria colocar um a ele uma tarefa simples. Nolan lugar para moedas e transformar isso descreveu um jogo que ele devia em um arcade. Mas o problema é que fazer: um jogo de tenis, com um o jogo rodava em um computador de 1 ponto de movimento, placar, rede milhão de dólares. Esse sonho acabou e duas raquetes. Al Alcorn fez o tendo que ser adiado até 1971, quando jogo em uma semana. Esse jogo os valores finalmente se tornaram bem era o PONG. mais acessíveis e assim eles lançaram o Computer Space.

Então a máquina foi colocada na Taverna Andy Caps, para assim testar a popularidade do jogo. E Só que o jogo não se tornou o sucesso eis que 3 dias depois o telefone que eles esperavam porque muitas das toca pedindo para eles irem para pessoas acharam o jogo muito difícil e lá. E ao chegar, eles viram que a com muitos botões. Os Nerds jogavam máquina estava tão abarrotada de moedas, que ela tinha parado. fácil, mas a maioria das pessoas não.

Nolan então decidiu que eles iriam fabricar as máquinas para vender. Mas eles aparentemente só tinham 300 dólares, que daria para se fabricar 12 unidades. E em 3 semanas eles fabricaram e venderam todas por Mil dólares a unidade. Assim, eles decidiram aumentar a fabricação e contrataram mais funcionários. E assim nasceu a Atari que nós conhecemos.

No Natal de 1975 , a Atari lançou uma versão do Pong que poderia ser jogada em casa, e ele era um console pequeno de dois botões, o Telegames Home Pong. Foram fabricados cento e oitenta mil consoles. Venderam todos.


Mas um dos momentos chave para o sucesso da Atari foi interessante: Em 1972 Ralph Baer, um engenheiro da Sanders, convidou algumas pessoas para a apresentação do Odyssey, da Magnavox e entre elas estava Nolan Bushnell. Ele viu o projeto e o achou confuso e incompleto. Ele então foi a Al Alcorn e disse: “Vamos fazer isso e o melhorar”. E então o PONG foi o sucesso que todos nós conhecemos. E foi aí que a Sanders enviou a Atari uma notificação dizendo que tinham uma patente sobre o PONG. Mas ao invés de gastar muito dinheiro com o processo, Nolan Bushnell teve uma ideia brilhante. Ele concordou com uma licença paga, mas colocou um truque nesse “pagamento”: colocou uma exigência de que eles fossem atrás dos concorrentes. E assim, a Sanders processou todos e a Atari se tornou a única oficial do mercado. Jogada de Gênio de Nolan Bushnell. A Atari realmente não estava preocupada com a disputa. Eles já estavam trabalhando em um novo produto: Um console com cartuchos que seriam intercambiáveis e com jogos diferentes. E assim eles juntaram uma equipe, a chamada “Equipe dos Sonhos” da Atari para o criação do primeiro protótipo. Eles foram deslocados para a sede de Grass Valley, e ali em um completo segredo, o console se tornou real. Ele recebeu o nome de Atari VCS, ou 2600. O console era lindo, mas caro de se produzir.

E então a Atari foi ao mercado procurando um comprador que fizesse o sonho do console se tornar real. Eles conversam com a Intel, com a National Semi Conductor, e com varias outras empresas do Vale do Silício, mas nenhuma se interessou. Até que eles foram apresentados a Warner. Manny Gerard, da Warner, foi apresentado ao console e realmente adorou o que viu. Nolan então se reuniu com o resto da equipe e disse que a Warner ofereceu 28 milhões de dólares pela empresa. E assim, o sonho do Atari VCS estava muito vivo.


E assim, no dia 11 de Setembro de 1977, o Atari VCS chegou as lojas. O console vinha com dois controles e o jogo "Combat", além de ter mais oito cartuchos vendidos separadamente. O Atari vendeu bem por 12 anos.Isso graças claro, aos seus jogos e a seus talentosos programadores. Pois eles foram capazes de fazer coisas que o console não era programado para se fazer. O Atari tinha 128 bytes de Ram e rodava cartuchos de 2KB. No final de seu ciclo de vida principal em 1983-84, os jogos do Atari 2600 usavam mais de 4 vezes o tamanho do armazenamento dos jogos do que no lançamento, com visuais e com a jogabilidade significativamente mais avançados do que o sistema jamais tinha sido programado para fazer. E um dos grandes exemplos foi Pitfall!. Apesar da venda para a Warner ter proporcionado o começo das vendas do Atari VCS, a longo prazo isso não foi o melhor. Nolan Bushnell contou em entrevistas que se arrependeu do negócio, porque foi o começo do fim. Mas isso é papo para outro dia. E assim a Atari comemora 50 anos. São 50 anos de jogos maravilhosos e de uma história que transformou e moldou a indústria dos jogos como a conhecemos. Se a Atari não tivesse existido, nós podemos afirmar que GTA e muitos outros jogos famosos não existiriam Portanto, vamos comemorar os 50 anos desse empresa que nos deu a alegria de jogar videogame.



ON ATION YSTATI PLA PLAYST

Por Luciano Coelho

Posso dizer a vocês que essa foi uma das maiores surpresas que tive o prazer de jogar no PS1. E digo surpresa nos dois sentidos, pois com esse nome, esse seria um jogo que passaria batido por mim e por muita gente se ele não tivesse uma coisa que chama a atenção na capa do jogo: Cloud Strife. E com muita certeza digo que se não fosse esse detalhe, muitos não teriam conhecido e jogado essa pérola do PS1. E o joguinho realmente diverte, com uma boa jogabilidade, com uma boa variedade de lutadores e com algumas diferenças da sua versão arcade. Sim, esse jogo é um port de uma versão do Arcade que foi lançada em 1998. Vamos aos fatos

EHRGEIZ

Plataforma: PS1 Desenvolvedora: Squaresoft Lançamento: 1998

Ehrgeiz: God Bless the Ring é um jogo de luta 3D que foi desenvolvido pela DreamFactory e publicado pela Namco em 1998 para a Arcade e foi portado para o PlayStation e publicado pela Square em 1998.O jogo trouxe 2 personagens de Final Fantasy VII. Cloud Strife e Tifa Lockhart são jogáveis nas versões do Arcade e PlayStation. A versão do PlayStation trouxe mais alguns lutadores para a arena. E são eles Sephiroth, Yuffie Kisaragi, Vincent Valentine e Zack Fair. Nem precisa dizer que esse foi o motivo de muitos terem jogado no PS1.


A qualidade desse jogo se explica já que Ehrgeiz foi desenvolvido pela DreamFactory, que desenvolveu os jogos de luta Tobal para a Square Se você não jogou Tobal Nº2, vá jogar agora mesmo. Ehrgeiz foi dirigido e projetado pelo designer de Virtua Fighter e Tekken, Seiichi Ishii. E além disso, todos os personagens do jogo foram feitos por Tetsuya Nomura. Já deu para perceber que a equipe por trás do jogo era sinônimo de que vinha coisa boa pra aí. A versão do PlayStation tinha até um modo Quest, assim como na série Tobal, que era chamado de Brand New Quest: The Forsaken Dungeon. A história envolve uma misteriosa espada quebrada que é conhecida como Ehrgeiz, que foi criada a partir de um material desconhecido. Por 50 anos, essa espada é dada para o vencedor de um torneio para determinar o lutador mais forte do mundo. E quando a organização secreta "Red Scorpion" descobriu a ruína no Oriente Médio que requer uma chave especial para ser aberta,se acredita que Ehrgeiz é o segredo para desbloqueá-la. E eles farão de tudo para consegui-la.

O Quest Mode é a cereja do bolo.Você seleciona entre Koji Masuda ou Clair Andrews e explora 21 andares do Forsaken Dungeon em busca de artefatos e tesouros. Fora da masmorra há uma cidade onde o jogador pode comprar itens adicionais, armaduras, armas, conversar com os habitantes da cidade e consertar seu equipamento. Um porém do Quest Mode é que embora seja possível salvar em qualquer lugar, custa dinheiro ao jogador para ele salvar seu jogo. Inicialmente o custo é baixo, mas aumenta gradualmente e o preço calculado será o nível do personagem mais alto multiplicado por 10. Algumas armas e armaduras durante a missão às vezes poderão ser protegidas por uma certa força guardiã. Quando uma dessas peças é equipada, elas darão ao jogador bônus para características e habilidades específicas do guardião.

Ehrgeiz merece a sua atenção e com certeza você irá se divertir com esse jogo. O Modo Quest vai te prender por um bom tempo e você vai jogar sem ver o tempo passar. Ehrgeiz é uma daquelas pérolas do PS1 que vale a pena revisitar.


WWW.SUSSUWORLD.COM O MUNDO DOS GAMES GIRA AQUI !!


Issuu converts static files into: digital portfolios, online yearbooks, online catalogs, digital photo albums and more. Sign up and create your flipbook.