Issuu on Google+

1


2


3


Índice Julho 2009

18

Capa Síndico pode aproveitar as férias para realizar pequenas obras e deve programar atividades para quem fica na cidade

14

Vida de Síndico Pedro Paulo Stangherllin, de Bauru (SP), realizou amplas reformas no Edifício Resedás Residencial Park

44

36

Manutenção Os jardins do edifício exigem atenção redobrada no inverno. As plantas da varanda também

06 10 14 18 26 4

É bom saber Saúde e bem-estar Vida de síndico Capa Qualificação profissional

28 30 32 36 40

Legislação Entra em vigor em 6 de agosto a lei estadual que proíbe o cigarro em ambientes fechados públicos e privados

Dia a dia Sustentabilidade Opinião Manutenção Tira-dúvidas

44 46 48 49

Legislação Coluna Carta do presidente Guia de produtos e serviços


Recado da

R. Dr. Bacelar, 1.043 - CEP 04026-002 - São Paulo/SP Tel. (11) 5591-1300 - Fax (11) 5591-1301 e-mail: secovi@secovi.com.br - Portal: www.secovi.com.br

editora

A

s férias estão aí e, com elas, uma mudança significativa na rotina de moradores, síndicos, zeladores e de todo o pessoal que trabalha e presta serviços a condomínios. A suspensão temporária das aulas é a senha para muita gente deixar a cidade, transformando o mês de julho no momento ideal para o síndico contratar pequenas reformas e manutenções, que não demoram a ser concluídas e nem custam tanto. Que tal pintar o hall do prédio, lavar as fachadas do edifício ou consertar os caixilhos? Mas é preciso levar em conta que há quem prefira ficar na cidade e, nesse caso, o vai-e-vem intenso nas áreas comuns, especialmente de crianças e adolescentes, exigirá uma atuação bem focada no lazer. Para entreter esse público, é fundamental variar o cardápio. Atividades esportivas, competições, salas de brinquedo, sessões de cinema, leitura e música são boas opções. Empresas especializadas em promover atividades recreativas, esportivas e de lazer em condomínios veem a demanda por seus serviços crescer significativamente nas férias de meio de ano. Em algumas, o volume de trabalho aumenta até 50%, num claro sinal de que síndicos e administradoras de condomínios estão cada vez mais antenados com o bem-estar dos moradores. Nesta edição, a Revista Secovi-SP Condomínios traz ainda uma reportagem sobre os cuidados a serem tomados com o jardim nesta época de frio intenso e baixa umidade. Especialistas explicam como manter plantas e gramados bem verdes e avisam que, apesar do clima seco, não é bom regar as plantas em excesso. Mãos à obra. A partir do próximo número, a Revista Secovi-SP Condomínios volta a circular mensalmente. Queremos sua opinião sobre os temas abordados nas últimas edições e sobre o novo visual da publicação. Aguardamos seus comentários e sugestões no e-mail aspress@secovi.com.br. Até o próximo mês. Sônia Salgueiro

Diretoria Presidente: João Crestana Vice-presidentes Cláudio Bernardes, Lair Krähenbühl (licenciado), Ricardo Yazbek, Milton Bigucci, Hubert Gebara, Alberto Du Plessis Filho, Caio Portugal, Carlos Alberto Campilongo Camargo, Elbio Fernández Mera, Ely Wertheim, Basilio Jafet e José Roberto Federighi Conselho editorial Hubert Gebara, Sérgio Mauad, Paulo André Jorge Germanos, Ricardo Yazbek e Sergio Ferrador

REPORTAGEM E Redação Redação aspress@secovi.com.br Editora responsável Sônia Salgueiro (MTb 15.414) Reportagem e redação Cristina Pupo, Marcos Fernando Queiroz, Maria do Carmo Gregório, Nanci Moraes, Rosana Pinto, Shirley Valentin e Silvia Carneiro Fotos José Carlos T. Jorge Assistentes de redação Elaine Feitosa e Queli Peixoto Colaboradores Luana Garcia (Fontpress Comunicação), Carlos Alexandre Cabral, João Paulo Rossi Paschoal, Karina Zuanazi Negreli, Maraneide Alves Brock, Marta Cristina Pessoa, Rita de Cássia Guimarães Bracale (Jurídico), Roberto Akazawa, Edson Kitamura, Fabricio Pereira e Daniella Magnani (Economia), Marcelo Bruna (Financeiro), Simone de Souza Rocha (Suprimentos) e Laerte J. T. Temple (Universidade Secovi e Internacional) foto de capa istockphoto Produção e Publicação Fontpress Comunicação fontpress@fontpress.com.br - Tel. (11) 5044-2557

arte e diagramação Detonart´s Criações www.detonarts.com.br - Tel. (11) 2916-0645 Para anunciar: (11) 5044-2557 / 5041-4715 ou revistasecovisp@fontpress.com.br Tiragem: 30.000 exemplares Impressão: IBEP Gráfica Os artigos assinados são de exclusiva responsabilidade de seus autores. Reprodução de matérias somente após expressa autorização da Redação. Os anúncios publicitários são de inteira responsabilidade dos anunciantes. SECOVI NO INTERIOR Bauru (14) 3227-2616 Campinas (19) 3252-8505 Grande ABC (11) 4523-0833 Jundiaí e região (11) 4523-0833 Santos (13) 3232-6086 São José do Rio Preto (17) 3235-1138 Sorocaba (15) 3211-0730 Vale do Paraíba (12) 3942-9975

CONTATOS SECOVI-SP PABX (11) 5591-1300 Disque Síndico (11) 5591-1234 Eventos (11) 5591-1279 PQE (11) 5591-1250 / 1339 Universidade Secovi (11) 5591-1284 Câmara de Mediação (11) 5591-1214 5


É bom saber

Tudo preparado para a Expo

Síndico Secovi Condomínio

E

ntre 24 e 27 de setembro, síndicos, zeladores,

A Expo Síndico Secovi Condomínios integra a tra-

e todos os que trabalham no setor têm encontro

dicional Semana Imobiliária, composta por Convenção

marcado no Pavilhão de Exposições do Anhembi, na

Secovi, Ciclo de Palestras para Síndicos, Salão Imobi-

capital paulista. É a Expo Síndico Secovi Condomínio,

liário São Paulo (Sisp), Encontro das Administradoras

resultado de parceria firmada entre o Secovi-SP e a Reed

de Condomínios (Enacon) e Prêmio Master Imobiliário.

Exhibitions Alcantara Machado, além da G.Brazil.

Com a integração desses eventos, os organizadores

Nos 15.000 m2 de exposição, os visitantes pode-

6

Tecnosol, Telefônica/TVA e Tetraquímica.

profissionais das administradoras de condomínios

esperam 80 mil visitantes.

rão conhecer as últimas novidades em produtos e

Dirigido a proprietários, diretores e gerentes de

serviços direcionados ao setor condominial, procurar

administradoras de imóveis e condomínios, o Enacon

novos fornecedores, encontrar parceiros e comparar

discutirá temas importantes para as duas atividades

produtos e serviços, visando a melhoria da gestão

e diagnosticará demandas do setor. Tendências do

nos condomínios. A estimativa é que o evento reúna

mercado de administração, valorização da atividade,

aproximadamente 150 expositores. Cerca de 70% da

tributação em condomínios e a importância da espe-

área locável já foi comercializada. Entre os expositores,

cialização estarão em discussão no encontro. Já no

nomes como Atlas Schindler, Basis Sistemas, Conexão,

Ciclo de Palestras para Síndicos, a programação inclui

Dantec, Glass Brasil, Ista do Brasil, Desentupidora

segurança, individualização de água, sustentabilidade

Jupiter, Mundial, Pórtico, Porto Seguro, RTA, Sabesp,

e temas jurídicos.


O avanço da

O

sustentabilidade

conceito da sustentabilidade

como coleta de óleo de cozi-

está cada vez mais presente no

nha, sensores de presença e

dia a dia do setor imobiliário,

placas de captação de ener-

tanto nos condomínios como nas admi-

gia solar para iluminação das

nistradoras e construtoras. “É crescente

áreas comuns.

o número de edifícios que aderem à

Bem antes de receber o

coleta seletiva de lixo, à instalação de

certificado ISO 14001, em

hidrômetros individuais ou redutores de

2008, a construtora MBigucci

vazão e ao reaproveitamento de água

já implementava ações sus-

de chuva. Como representante do setor,

tentáveis. Em 2002, criou o

o Secovi-SP segue atento à tendência”,

projeto Obra Limpa, transfor-

diz o vice-presidente de Administração

mado, em 2006, no programa

Imobiliária e Condomínios do Sindicato,

Big Vida. “A certificação ISO

Hubert Gebara.

14001 reafirmou e padronizou o

A sustentabilidade também está no DNA de várias empresas do setor,

MBigucci: coleta seletiva de resíduos e de lixo

que já vínhamos desenvolvendo”, diz

dores durante o almoço e redução

a diretora Roberta Bigucci.

de impressões. Nas obras, há coleta

como Cyrela, Takaoka, MBigucci e

No dia a dia da empresa é possível

seletiva de resíduos (gesso, madeira,

Ecoesfera. Com 26 empreendimentos

observar hábitos como uso de canecas

plástico e papel), uso de garrafas PET

lançados, todos com características

e garrafinhas plásticas individuais no

com água para iluminação natural do

sustentáveis, a Ecoesfera implanta até

lugar de copos descartáveis, desliga-

canteiro de obra e utilização de ma-

16 itens ecoeficientes em seus projetos,

mento dos monitores dos computa-

deira reflorestada.

Fique atento às

convenções coletivas do setor

O

Secovi-SP firmou, no decorrer

de São Paulo (Fethesp), que representa

pra, Venda, Locação e Administração de

do mês de maio, convenções

os empregados de todas as empresas

Imóveis Residenciais e Comerciais de

coletivas de trabalho com os sin-

cujas cidades  não estão organizadas

São Paulo, Guarulhos, Barueri, Diade-

em sindicato.

ma e São Caetano do Sul no Estado de

dicatos de trabalhadores em empresas de compra, venda, locação e adminis-

Essas convenções têm vigência de

São Paulo (Seecovi) e o Sindicato dos

tração de imóveis residenciais, comer-

12 meses, valendo entre 1º de maio de

Empregados em Empresas de Compra,

ciais e mistos das cidades paulistas

2009 e 30 de abril de 2010. Em todos os

Venda, Locação e Administração de

de Araraquara, São José dos Campos,

acordos, o índice de reajuste sobre os sa-

Imóveis de São Bernardo do Campo,

Araçatuba, Bauru, Campinas, Franca,

lários de maio de 2008 é de 5,83%, que é

Santo André, Mauá, Ribeirão Pires e Rio

Guarujá, Marília, Osasco, Piracicaba,

o percentual do Índice Nacional de Preços

Grande da Serra (Sindimóveis) assinaram

Presidente Prudente, São José do Rio

ao Consumidor (INPC) acumulado nos 12

sua convenção em 14 de maio. O fator

Preto, Sorocaba, Suzano e Votuporanga,

meses encerrados em abril de 2009.

de reajuste também é de 5,83%.

além da Federação dos Empregados

Para o mesmo período, o Sindicato

em Turismo e Hospitalidade do Estado

dos Empregados em Empresas de Com-

Outras informações no portal Secovi (www.secovi.com.br).

7


É bom saber

Programe-se

O

8

Secovi-SP promove, nos próximos dias, eventos sob medida para administradoras de condomínios, síndicos e zeladores. Veja abaixo qual deles lhe interessa e, se precisar de mais informações, ligue para (11) 5591-1304 a 1308.

Manutenção Predial para Edifícios Resi-

Segurança Predial, de 10 a 13/8

A Moderna Legislação Traba-

denciais, de 13 a 27/7 – As aulas acontecem de

– O curso, que acontece na sede

lhista, no dia 20/7 – Este seminário

segunda a quinta-feira, entre 18h30 e 21h30, na

da Universidade Secovi das 19 às

jurídico, que começa às 8h30 e

sede da Universidade Secovi (Av. Brigadeiro Luiz

22 horas, mostrará a gerentes pre-

se estende até as 12 horas, será

Antonio, 2.344 – 9º andar – São Paulo). O curso

diais, zeladores, porteiros, vigias

ministrado por Manoel Antônio Tei-

dará a zeladores, supervisores, encarregados

e seguranças os procedimentos e

xeira Filho, professor do curso de

de limpeza e demais interessados noções gerais

posturas adequados para garantir

Pós-Graduação da Faculdade de

de manutenção e conservação de edificações,

a segurança do condomínio. A

Direito de Curitiba (PR) e autor de

sistemas elétricos, hidráulicos e sanitários.

programação inclui tópicos como or-

20 livros sobre Processo do Traba-

Ministrado por professores do Serviço Nacional

ganização do condomínio e relações

lho. Dirigido a advogados e demais

de Aprendizagem Comercial (Senac), tratará

entre condôminos e empregados,

profissionais das áreas jurídica,

ainda de conservação e economia de eletrici-

aspectos principais da segurança

financeira e de recursos humanos

dade, água e gás; o que fazer em situações de

patrimonial, além de princípios ge-

de imobiliárias e condomínios, o

emergência e nos momentos de falta de energia,

rais de segurança e funcionamento

encontro acontece na sede do

água, gás e telefone; manutenção preventiva;

de equipamentos de segurança

Secovi-SP (Rua Dr. Bacelar, 1.043

novos equipamentos e tecnologias.

disponíveis no mercado.

– São Paulo).


9


Saúde e bem-estar Por Luana Garcia

Corpo e mente

alinhados

Prática do Pilates ganha espaço com proposta única que alia força e consciência corporal

O

s benefícios são muitos: ele aumenta a flexibilidade e a

e da popularização da técnica, que ganhou as academias de

resistência muscular, corrige a postura e previne lesões

ginástica e hoje conta com preços muito mais convidativos.

– sobretudo as causadas pela prática de exercícios.

“O Pilates trabalha a cabeça, o tronco e os membros de uma

Por outro lado, instiga a força mental do indivíduo, estimulando

forma completa, e não chama a atenção apenas por deixar as

a respiração correta, a concentração e o autocontrole. Não é à

formas bem definidas. Ele promove a integração do corpo e

toa que o Pilates vem conquistando um número cada vez maior

da mente, alinhando o ser e aprimorando a percepção”, afirma

de adeptos nos grandes centros urbanos. Mulheres e homens

Mariana Merida Carrillo, fisioterapeuta, especialista em Pilates e

das mais diversas faixas etárias beneficiam-se de sua prática

Fisioterapia Motora.

10


Fora do ambiente agitado das academias,

vidade, conseguimos evitar a cirurgia”, destaca

o Pilates é bastante procurado também pelos

a fisioterapeuta Mariana Carrillo. “Por não gerar

mais resistentes à prática rotineira de exercícios.

impacto, o Pilates é indicado, por exemplo, a pa-

“Trata-se de uma atividade bem individualizada

cientes com osteoporose ou pessoas idosas que,

– uma aula costuma ter, no máximo, cinco pes-

por motivos diversos, não podem participar de

soas”, conta Clara Maria Junqueira, educadora

uma aula de hidroginástica”, completa Mariana.

física e instrutora de Pilates. “Isso possibilita dar

O “sistema Pilates”, como é conhecido,

uma atenção especial ao aluno, que se sente

foca no chamado centro de força do corpo, que

mais bem atendido.”

compreende a região do tronco e abdômen, e es-

Devido à sua proposta abrangente, alicerçada

tende seus benefícios à musculatura dos braços

na reeducação do movimento, o Pilates também

e pernas. “Os exercícios trabalham os músculos

é recomendado por médicos na reabilitação de

internos, a concentração e o controle dos mo-

pacientes com histórico de lesões físicas diversas

vimentos, fortalecendo, de maneira segura, as

e dores na coluna cervical, entre outros males.

articulações”, afirma Clara Junqueira. Ela explica

“Muitos ortopedistas me encaminham casos de

que mesmo um aluno que se dedica intensamen-

escoliose e hérnia de disco. Dependendo da gra-

te à musculação tem, às vezes, dificuldade em executar determinada postura. “O

Princípios 1. Respiração 2. Concentração 3. Controle 4. Precisão 5. Fluidez Clara: “Os exercícios trabalham os músculos internos, a concentração e o controle dos movimentos”

Pilates envolve um outro tipo de força, estruturada na combinação de cinco fatores básicos (verifique no quadro ao lado). Toda atividade proposta deve necessariamente combinar cada um desses princípios”, acrescenta a educadora física.

11


Saúde e bem-estar Por Luana Garcia

Em um primeiro momento, as aulas conciliam movimentos específicos com ciclos respiratórios. Paulatinamente, evoluem para as chamadas “posturas neutras”: posições do corpo que respeitam as curvaturas naturais da coluna. “Basicamente, as posturas propõem uma sequência de respiração, concentração, respiração e precisão, com fluidez nos gestos”, ilustra Clara Junqueira. As atividades fogem da rotina: os exercícios podem ser executados no solo, com ou sem o auxílio de acessórios – como bola, rolo, anel, entre outros –, ou em aparelhos desenvolvidos especialmente para a prática do Pilates. O Pilates, por si só, não acarreta perda de peso – diferencial comumente buscado pela ala feminina. No entanto, se aplicado em conjunto com alguma atividade aeróbica – cerca de 30 minutos, pelo menos três vezes por semana –, como caminhada ou corrida, garante definição e fortalecimento da musculatura (o abdômen é tonificado muito rapidamente, segundo a fisioterapeuta Mariana Carrillo), entre outros benefícios estéticos. “O sistema une precisão, técnica, é gostoso de praticar e faz muito bem à saúde”, conclui Clara Junqueira. Para os interessados em explorar todos os prazeres dessa receita de forma saudável e correta, Clara alerta para um ponto fundamental: o acompanhamento permanente por parte de um instrutor especializado, com formação completa em Educação Física e/ou Fisioterapia.  

O pai da técnica

O fundador do sistema Pilates, Joseph

Pilates, nasceu em Düsseldorf, na Alemanha, em 1880. Foi uma criança frágil, de saúde fraca. Pilates usou uma abordagem sistemática para melhorar sua condição física. Experimentou as artes marciais, a ioga e a meditação, além de esportes aeróbicos e condicionamento de força. Percebeu que, ao integrar essas técnicas usando a mente e o corpo, conseguia fortalecer os músculos, condicionando todo o corpo e melhorando o bem-estar geral. Seu sistema se revelou tão eficiente que, apesar da dificuldade física dos primeiros anos, Pilates se tornou ótimo esportista, ginasta, esquiador, boxeador e artista de circo. Tendo se mudado para a Inglaterra em 1912, foi internado no início da Primeira Guerra Mundial. Na enfermaria do acampamento, experimentou amarrar molas em camas hospitalares, para que, à medida que se recuperavam, os pacientes pudessem tonificar e alongar os músculos com exercícios de resistência. Suas técnicas foram muito bem-sucedidas. Depois da guerra, Pilates voltou à Alemanha e, em 1926, emigrou para os Estados Unidos. Com a esposa, Clara, montou um estúdio em Nova York, que logo começou a atrair dançarinos, atores, atletas e ginastas. Pilates chamou seu novo e revolucionário método de trabalho corporal de “contrologia”. Seu sistema – que após sua morte, em 1967, ficou conhecido como “Pilates” – já é praticado há mais de 80 anos. No entanto, só nas últimas duas décadas se popularizou nas academias, que oferecem aulas individuais ou em grupo. Médicos, osteopatas e fisioterapeutas também descobriram a eficácia do sistema e agora o usam para evitar ou curar contusões, como tratamento

complementar. Mariana: “O Pilates promove a integração do corpo e da mente, alinhando o ser e aprimorando a percepção”

12

Trecho extraído do livro “Saúde em 5 Minutos: Pilates”, de Karen Smith, da Editora Publifolha.


13


Vida de síndico Por Marcos Fernando Queiroz

Síndico em

família

Em sua estreia no cargo, Pedro Paulo Stangherllin já promoveu amplas reformas no condomínio Edifício Resedás Residencial Park, em Bauru, e foi convidado para integrar o primeiro Conselho Estadual de Síndicos, instituído pela regional do Secovi-SP

Stangherllin: Cerca de 90% das obras concluídas em apenas um ano e planos de fazer muito mais

14


O

peso das atribuições e responsabilidades

Fale um pouco sobre sua participação no Conselho

inerentes ao cargo de síndico parece dobrado

de Síndicos.

para alguém que cumpre uma extensa carga

Na verdade, tudo aconteceu de forma natural, a partir

horária em uma instituição bancária, ainda mais nestes

de um convite feito por um síndico “tradicional“ aqui da

tempos de demanda aquecida devido à procura pelo

região, Omar Fayad, amigo que tenho em comum com

crédito imobiliário. Mas, quando se tem o apoio da

Riad Elia Said, diretor da unidade do Secovi em Bauru.

família, tudo isso parece mais fácil e prazeroso. Esse é

No momento, estou empenhado em vários projetos do

o caso de Pedro Paulo Stangherllin, analista de crédito

Conselho, mas confesso que, na ocasião, fiquei cons-

em tempo integral e síndico do condomínio Edifício Re-

trangido por fazer parte do corpo diretivo, até porque

sedás Residencial Park, da cidade de Bauru, Oeste do

sou analista de crédito de uma instituição bancária de

Estado de São Paulo. “Não fosse a colaboração física

renome. Mas a combinação de ética e profissionalismo

de minha esposa, e mesmo o apoio emocional e moral

suplanta qualquer questão e me autoriza a dizer: já ca-

de meus filhos, a tarefa seria extremamente difícil”, diz Stangherllin, que recentemente foi convidado para integrar o primeiro Conselho de Síndicos, capitaneado pela unidade regional do Sindicato na cidade. Leia

minhamos bastante a partir de uma

“O futuro aponta para a boa e eficiente administração condominial”

a entrevista a seguir.

estrutura saudável e conhecedora do setor. Quais são os focos atuais do Conselho de Síndicos? Uma de nossas bandeiras diz respei-

to ao trato com fornecedores. Atualmente, as principais O senhor está há menos de dois anos na função e,

empresas de Bauru se unem para garantir uma padroni-

desde então, promoveu uma série de benfeitorias

zação de preços e serviços, que nem sempre conferem

no condomínio, sem falar no convite para integrar

poder de escolha e negociação para o condomínio, ge-

o primeiro Conselho Estadual de Síndicos. Qual é

rando um mercado engessado. Lutamos para abrir um

a fórmula do sucesso?

diálogo saudável com esse segmento, e para encontrar

Creio que não existe uma fórmula lógica. Quando aceitei

uma zona de conforto para os dois lados. Acredito na

esse desafio, sabia que não chegaria a lugar algum sem

lei da livre concorrência, na qual imperam a qualidade

o apoio daqueles que me são próximos. Este é um ponto

e preços competitivos.

fundamental. Outra questão importante foi o empenho, diplomacia e bom-senso no trato com os condôminos,

Além do incremento no trato com fornecedores,

funcionários, fornecedores e parceiros de toda ordem.

quais são as outras bandeiras do Conselho?

Conseguimos a aprovação da maioria nas obras que

Não seria necessariamente uma bandeira, mas nos

têm a promessa de mudar significativamente a dinâ-

preocupamos muito com a segurança predial. Para

mica de nosso condomínio. Concluímos cerca de 90%

tanto, existem algumas diretrizes, a partir do suporte

delas em apenas um ano, e espero fazer muito mais.

do Secovi, no sentido de implementar treinamento e

Acho que essa realidade reflete um pouco do sucesso

conscientizar funcionários e condôminos para a questão.

na função, para mim até então inédita. Outro fato real e

Já começamos a fazer isso, e estou bastante otimista.

que me impulsiona é o prazer de poder realizar coisas

A segurança no condomínio depende do estabeleci-

importantes em prol de uma coletividade. Sei que não

mento e manutenção de um elo forte que compreende

agradarei a gregos e troianos – nunca ninguém na

tecnologia, conscientização e aperfeiçoamento profis-

história da humanidade conseguiu esse intento. Mas a

sional. E assim mesmo não existe 100% de garantia de

sensação de ter feito um bom trabalho é o que fica.

que tudo permanecerá em ordem. Felizmente, em Bauru

15


Vida de síndico Por Marcos Fernando Queiroz

não se contabiliza número significativo desse tipo de

ver as novas diretrizes jurídicas que interferem na

sinistro nos edifícios. Mas sabemos que é preciso estar

nossa função. Sem uma administradora para abarcar

preparado. Sempre. Uma das etapas de nossa reforma

e conduzir tais rotinas, nossa missão seria ainda mais

no Resedás contempla o reforço e modernização da

espinhosa e, muito provavelmente, fragmentada. No

segurança predial. Compramos novas câmeras que

que tange à segurança, por exemplo, os funcionários

fazem a gravação contínua das áreas externas. Isso

recebem treinamento da administradora, a partir de

por si só já é um fator de inibição de delitos, pois elas ficam às vistas do público. Também organizamos nosso livro de visitas para registrar qualquer entrada no prédio, acompanhada do morador ou mediante sua autorização imediata e expressa. Além disso, estamos estudando a instalação de um sistema de

um plano que envolve reuniões

“Empenho, diplomacia e bom senso no trato com os condôminos, funcionários, fornecedores e parceiros de toda ordem são fatores fundamentais para ser um bom síndico”

clausura na portaria.

periódicas, onde são acatadas e discutidas sugestões. Sem dúvida, o futuro aponta para a boa e eficiente administração condominial. Como é sua relação com os condôminos? Procuro pautar-me pela cordialidade e profissionalismo

em qualquer situação. Como iniciei na função comÀ frente do Resedás, o senhor conta com os ser-

prometendo-me com toda essa empreitada, ainda

viços de uma administradora de condomínios?

não consegui avaliar de forma tão minuciosa o meu

Somos um conjunto de dois blocos, com oito andares

relacionamento com os moradores. Mas creio que

cada. Contamos com quatro porteiros, um zelador e

seja correto, pois, a todo momento, os moradores

uma auxiliar de limpeza, funcionários oriundos da ad-

manifestam-se positivamente em relação ao nosso

ministradora de condomínios contratada pelo prédio.

trabalho. Claro que sempre existem aqueles mais

Hoje, mais do que nunca, o síndico precisa de uma

engajados e outros um pouco mais dispersos. Mas de

assessoria forte e séria para tocar um aparato como

forma geral conseguimos criar uma sintonia saudável

este, pois suas atribuições se multiplicaram e suas

e frutífera.

responsabilidades tornaram-se mais complexas. Basta Qual seu recado para quem ocupa ou pretende ocupar a função de síndico? Atualmente, o síndico tem o poder de tomar decisões e também a capacidade de trabalhar em conjunto não só com o Conselho de Administração, mas com todos os interlocutores desse setor que cresce paulatinamente. Considero importante a participação coletiva, principalmente em temas que podem alterar o cotidiano dessa célula social que chamamos de condomínio. Juntos, alcançamos melhores resultados. Além disso, o síndico precisa ter destreza e habilidade para conjugar tempo e trabalho. O talento para administrar conflitos também é um atributo fundamental O síndico com os filhos e a esposa: “Minha família é o alicerce para que eu consiga desenvolver funções simultâneas sem perder o equilíbrio e a eficiência”

16

para qualquer um que almeja ser síndico. É preciso ser cordial, mas também ter pulso firme para fazer valer o regulamento e garantir o bem-estar de todos.  


17


Capa Por Cristina Pupo

18


Condomínio em férias Síndico deve aproveitar o esvaziamento temporário do prédio, em julho, para realizar pequenas obras. Mas é bom programar atividades especiais para as crianças e os adolescentes que permanecem na cidade

19


Capa Por Cristina Pupo

A

s tão esperadas férias de julho

obras, como lavagem e pintura de fa-

Os moradores também devem aten-

chegaram! Isso pode represen-

chadas, conserto de caixilhos em áreas

tar para alguns cuidados ao seguir com

tar sossego para alguns síndi-

comuns, reformas do jardim, elevador,

a família para alguma cidade turística.

cos... e dor de cabeça para outros. Tudo

playground, quadras, salões de jogos

Gebara recomenda que a empregada

depende de como eles se prepararam

e de festas. As piscinas, que normal-

ou um parente fique encarregado de

para o período. Afinal, há condomínios

mente fecham no inverno, podem ser

molhar plantas ou alimentar animais

que ficam praticamente às moscas em

limpas ou reformadas durante as férias,

que ficam, como os peixes de aquá-

julho, mas há conjuntos residenciais

independente do movimento no condo-

rios. “Não se deve deixar a chave com

nos quais a criançada não sai da cidade

mínio. “No caso dos serviços que têm

nenhum funcionário do condomínio,

e quer pintar e bordar durante as férias

prazos de validade predeterminados,

porque, se houver alguma ocorrência,

escolares. Nos dois casos, é preciso

como limpeza de caixas d’água e re-

como assalto ao prédio, ele pode ser

estar preparado e atento para agir de

carga de extintores, é preciso respeitar

obrigado a entregá-la aos marginais”,

acordo com as necessidades e normas

o cronograma. Não dá para esperar até

justifica o vice-presidente do Secovi-SP.

estabelecidas.

julho para colocar a casa em ordem”,

No caso dos animais maiores, a exem-

Quando a maioria dos apartamen-

alerta Hubert Gebara, vice-presidente

plo de cães e gatos, o ideal mesmo é

tos fica desocupada, é hora de realizar

de Administração Imobiliária e Condo-

levá-los na viagem, deixar com alguém

serviços de manutenção e pequenas

mínios do Secovi-SP.

de confiança ou hotel especializado.

Durante as férias, as atividades de lazer são mais frequentes

20


Entretenimento para quem fica Como nem todos os moradores conseguem aproveitar as férias de julho fora da cidade, em muitos edifícios aumenta consideravelmente o número de crianças e jovens circulando pelos espaços comuns em busca de atividades para ocupar o tempo ocioso. Para atender essa necessidade, as áreas de lazer do condomínio devem estar impecáveis. Além disso, é recomendado planejar atividades extras para o período, como montar salas de brinquedo e sessões de leitura, de música e de ginástica. Alternativa interessante também seria contratar educadores físicos, professores de dança e orientadores de atividades recreativas que promovam gincanas culturais, torneios esportivos, festas temáticas, exibição de filmes e peças de teatro, competição de karaokê e até aulas de inglês ou outro idioma. Alguns edifícios já incorporam esse tipo de entretenimento em sua programação regular; porém, é no período de férias que essas atividades são mais procuradas. No Condomínio Projeto Viver Jardim Marajoara, localizado na zona sul paulistana, acontecem várias ações esportivas, culturais e recreativas durante todo o ano, mas a programação dirigida às crianças e aos jovens é ampliada em julho. “Para contemplar o pessoal que não viaja, há mais sessões de cinema e festas temáticas. A nossa festa junina, inclusive, é comemorada em julho”, relata o síndico Marcos Knauth Lacerda.

Cuidados ao subir ou descer a serra Assim como nos feriados prolongados, o cuidado na hora de alugar um imóvel fora da cidade deve ser redobrado. O vice-presidente de Locação do Secovi-SP, José Roberto Federighi, orienta proprietário e inquilino a procurarem um corretor de confiança, que, assim como a imobiliária, tenha registro no Conselho Regional de Corretores de Imóveis (Creci). “A visita ao imóvel é indispensável porque permite saber qual é o estado real da casa ou apartamento, as características da vizinhança e, no caso do litoral, a distância exata do imóvel até a praia”, alerta Federighi. Caso não seja possível ao interessado uma visita ao imóvel, ele pode pedir ao corretor com o qual está negociando o contrato o envio de fotos digitalizadas do local por e-mail. “É importante também conferir as condições dos equipamentos domésticos disponíveis e a manutenção dos demais objetos, como chuveiro, cama e armário”. As formas de pagamento do aluguel de temporada são combinadas entre o proprietário e o inquilino, mas é fundamental fazer um contrato, mesmo que a locação dure poucos dias. “Nele devem constar as datas de entrada e saída do inquilino, o valor, a forma de pagamento, eventuais multas para os casos de atraso ou depredação e até o número de pessoas que ficarão no imóvel”, explica o vice-presidente do Secovi-SP. O número de copos, talheres, pratos, panelas e outros utensílios que estarão à disposição do inquilino precisam, igualmente, constar do contrato, assim como roupas de cama e objetos de uso pessoal eventualmente disponibilizados. Segundo Federighi, o usual é que metade do valor total da locação seja paga no ato da contra-

Contratar empresas especializadas em

tação e o restante na data de entrega

entretenimento tem sido uma prática muito

das chaves. “Costuma-se prever

utilizada pelos síndicos, que encontram nesse

uma multa contratual no caso de

serviço uma solução para dar maior comodi-

desistência de uma das partes, sen-

dade e segurança aos condôminos que não

do recomendável que o pagamento

saem da cidade. “Em julho, nossa demanda

seja feito por meio de depósito em

aumenta 50%, seja pela chegada de novos

conta corrente”, sugere o dirigente.

clientes, seja porque os antigos pedem uma complementação dos serviços já oferecidos”, revela Djalmir Mariano, diretor comercial da Oxi Experiência em Bem-Estar.

É importante ainda não esquecer Federighi: mesmo que a locação dure poucos dias, é fundamental haver um contrato

nenhum item na negociação para evitar dores de cabeça durante e depois da locação.

21


Capa Por Cristina Pupo

Manutenção ou reforma? O playground é o equipamento de lazer preferencial das crianças no edifício e sua procura é multiplicada nas férias escolares. Por isso o síndico ou zelador devem dispensar atenção especial para essa área. Segundo Lao Napolitano, designer e diretor da Lao Engenharia Sustentável, empresa especializada no desenvolvimento de playgrounds ecologicamente corretos, é preciso fazer inspeções visuais frequentes Claudia Sá

e saber identificar qual a real necessidade da criançada para manter o equipamento em ordem nas férias. A manutenção é uma ação preventiva, como a

Buscando uma excelência ecologicamente correta

renovação da pintura, que deve ser executada antes do

que alia fabricação de equipamentos reciclados e se-

brinquedo perder suas características originais. Já a reforma

gurança para os usuários, a empresa dirigida por Na-

recupera as características iniciais que vão se perdendo nas

politano se preocupa com detalhes: os balanços e suas

peças, como o acabamento e proteção da estrutura muitas

calotas de proteção de parafusos são confeccionados

vezes comprometidas com a oxidação de peças metálicas.

com plásticos reciclados, assim como os escorregado-

“Seja qual for o caso, o playground tem que estar sempre

res. As madeiras utilizadas são de manejos florestais

em condições adequadas de uso, ainda mais nas férias,

certificados, garantindo a preservação da floresta e da

quando a frequência aumenta”, alerta o diretor.

comunidade que vive dela.

Colônia de férias em casa

coberto, ao contrário do acampamento,

Anima Férias é o programa que

realizado ao ar livre), piqueniques, festas

a Oxi disponibiliza para crianças e

temáticas, plantio de árvores, aulas de

jovens entre 3 e 11 anos, que inclui

culinária e outras atividades educativas.

oficinas de arte e criação, reciclagem,

“Em julho a procura por nossos serviços

brinquedoteca, gincanas e jogos de

aumenta em torno de 20% porque, dentro

acampamento. “Também oferecemos

de uma colônia, crianças estão ocupadas

alternativas para adultos que tiram

com comodidade e segurança, o que

alguns dias de férias para ficar com os

tranquiliza também os pais”, comenta a

filhos. Já tem gente deixando de viajar,

educadora física Caroline Siqueira Caldas, administradora da empresa.

a fim de aproveitar a recreação neste mês”, entrega Mariano. Uma das propostas da Body Care

22

Gebara: Não se deve deixar a chave com funcionários do condomínio

 “Era comum antigamente crianças e adolescentes sentarem no muro do pré-

Assessoria Esportiva, outra empresa do ramo, é transfor-

dio e danificarem o jardim andando de skate e bicicleta,

mar o condomínio numa autêntica colônia de férias, pro-

incomodando outros moradores. Neste ano montamos

movendo um dia de acantonamento (atividade em lugar

uma sala exclusiva para escutar música, jogar videogame,


23


Capa Por Cristina Pupo

conversar e ler”, diz o síndico Lacerda, que também ampliou o sistema de monitoramento e a ronda de vigilantes para maior

Em dia com a manutenção das áreas de lazer

segurança dos condôminos. “Crianças que participam desse tipo de atividade nas férias tornam-se adultos mais saudáveis e autoconfiantes”, lembra Djalmir Mariano, da Oxi. Quadras

Verificar o nivelamento, aros, traves, redes, marcação do solo e iluminação Piscinas Qualidade da água, ladrilhos, piso, móveis, guarda-sóis Playground Qualidade do piso ou areia e as condições Divulgação/Body Care

de conservação dos brinquedos Salão de jogos Fique de olho se falta peça e, se alguma estiver quebrada, troque-a

Estratégias anti-isolamento Crianças que preferem ficar sozinhas a integrar-se com outras, até durante as férias, não devem ser motivo de preocupação para os pais. Mesmo com a dificuldade de socialização, elas certamente encontrarão algo criativo para fazer. A afirmação é da psicóloga Vera Zimmermann, coordenadora do Centro de Referência da Infância e Adolescência (Cria) da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). Na opinião da especialista, “as famílias podem e devem estimular os encontros no próprio apartamento para recreações, como escutar música, conversar e jogar videogames”. Para Vera, é importante que os familiares participem de alguma forma das férias dos filhos, seja acompanhando o resultado dos encontros, seja participando das atividades. Eles podem, por exemplo, preparar lanches para o grupo. Sair de casa para passeios curtos também é um bom negócio. “Caso o prédio

Vera: as famílias devem estimular os encontros no próprio apartamento

não ofereça atividades de entretenimento, certamente o bairro terá opções interessantes”, lembra a psicóloga. Se os pais não conseguirem tirar férias com as crianças, eles podem combinar um revezamento para levá-las a parques e cinemas, aconselha Vera. Tendo a criança ou adolescente dificuldade de relacionamento, o isolamento vai aumentar nas férias. Segundo a psicóloga, os pais podem abrandar a situação promovendo encontros com parentes e pessoas queridas. O computador pode ser um aliado importante se for utilizado para atividades educacionais, principalmente em grupo. Entretanto, vale o alerta para que os pais fiquem atentos a e-mails suspeitos e amizades virtuais de procedência desconhecida.

24


PEFIN Serasa Experian

O mais alto índice de recuperação de devedores Antes, para recuperar dívidas, os processos eram lentos, e os custos, nas nuvens. Agora você pode negativar devedores de condomínio no PEFIN Serasa Experian, a melhor ferramenta de recuperação de crédito. Com o PEFIN o processo de cobrança ficou mais rápido, fácil e acessível. Conheça toda a eficácia do PEFIN Serasa Experian e tenha resultados concretos de recuperação.

0800 773 77 28

serasaexperian.com.br

25


Qualificação profissional Por Cristina Pupo

Experts em

administração de imóveis 

Valorização da ética no gerenciamento de imóveis é um dos diferenciais das certificações oferecidas pelo Irem

U

m seleto grupo de 48

com foco em gerenciamen-

fissional no seu cotidiano – um

brasileiros possui uma

to de propriedades, riscos,

dos quesitos mais importantes

distinção que faz toda a

recursos humanos, proteção

para a obtenção da certifica-

diferença na área de administra-

de propriedades e marketing,

ção – e, por esse motivo, ele

ção de imóveis e condomínios.

entre outros temas. As duas

é mais valorizado na hora da

Eles contam com as certifica-

certificações são muito dispu-

contratação”, enfatiza Pedro

ções em gerenciamento patri-

tadas no mundo todo porque o

E. Vermales, especialista que

monial ARM® e CPM®, con-

mercado norte-americano é o

há 15 anos ministra o curso,

cedidas pelo Institute of Real

mais avançado do mundo em

reside nos Estados Unidos e

Estate Management (Irem), a

termos de gestão imobiliária.

esteve no Brasil pela primeira

mais conceituada instituição

O ARM® é destinado a ge-

vez, entre 4 e 6 de junho, para

do planeta no ramo de admi-

rentes e executivos de condomí-

dar o primeiro módulo do cur-

nistração de propriedades.

nios e de propriedade cuja área

so. O ARM® credencia o pro-

Fundado em 1933 nos Estados

de atuação seja administração

fissional como Especialista em

impulsiona os negócios para

Unidos, o instituto congrega

de conjunto de residências.

Administração de Propriedades

patamares mais altos.

atualmente os melhores ad-

Já o CPM® é exclusivo para

Residenciais com base nos pa-

Foi à procura de mais qua-

ministradores imobiliários dos

gerentes de propriedades e de

râmetros e técnicas utilizados

lificação que Patrícia La Sala,

Estados Unidos, com mais de

bens que trabalham com gran-

nos Estados Unidos.

advogada, psicóloga e ad-

16 mil filiados.

des portfólios envolvendo vários

Tanto o ARM® quanto o CPM® garantem aos profis-

O gaúcho Hilbx: vale a pena percorrer qualquer distância para ficar por dentro das novidades internacionais

ministradora especializada

tipos de propriedades: residen-

Foco na especialização

em Propaganda e Marketing

cial, comercial e industrial.

Em busca dessa excelência,

se inscreveu para o ARM®.

sionais uma visão ampla e

O Irem fincou bandeira no

Leandro Hilbx veio de São Leo-

Trabalhando há dois anos na

bem fundamentada do setor,

País em 2000, quando firmou

poldo (RS), onde é proprietário

Assessoria de Relações Insti-

parceria com o Secovi-SP.

da Imobiliária Vila Rica, com

tucionais do Centro Empresarial

A base operacional do insti-

cinco filiais espalhadas pela

São Paulo, na Zona Sul da ca-

tuto no Brasil fica na cidade

região. “Para ter contato com

pital paulista, ela faz a interface

de São Paulo, onde, junto

um especialista desse quilate e

dos condomínios com o público

com a Universidade Secovi,

ficar por dentro das novidades

externo. “Uso todas as minhas

a instituição realiza seus cur-

internacionais, vale a pena

profissões no meu cotidiano,

sos imobiliários.

Vermales: ARM® valoriza o profissional

26

percorrer qualquer distância”,

mas acho importante aprender

“O administrador de con-

acredita. Há 14 anos nesse

mais para desempenhar melhor

domínio que possui o ARM®

mercado, ele avalia que quem

minhas funções e conhecer

tem a obrigação moral de agir

é da área de administração

novas tendências, como a utili-

com educação e utilizar o

precisa atualizar-se constante-

zada nos grandes condomínios,

código de ética pessoal e pro-

mente, porque é a gestão que

porque atuo num complexo que


tem 400 funcionários e recebe

ética rígido, visto que isso dá

que torna o braço do Irem no

o profissional certificado tem

de 2 mil a 3 mil pessoas por

mais segurança aos clientes

País o maior localizado fora da

a vantagem de valorizar o pa-

dia, além de 13 mil fixas”.

e competência aos empre-

América do Norte. “Queremos

trimônio que está negociando,

Mesmo com as duas cer-

gados. Além disso, ele acre-

ampliar a atuação do capítulo

pois o imóvel, para venda ou

tificações no currículo, Marco

dita que a redução do déficit

brasileiro, promovendo a

para locação, será mais con-

Gubeissi, proprietário da Verti

habitacional brasileiro está

integração dos profissionais

fiável e mais cobiçado”, con-

Administração e Assessoria

diretamente ligado à contra-

certificados e servindo de

clui Guilherme Ribeiro, presi-

Imobiliária, quer mais: espe-

tação de pessoal capacitado

elo entre a capacitação dis-

dente do Conselho do Capí-

cializar também sua equipe.

a gerenciar condomínios de

tintiva desses profissionais e

tulo Brasileiro do Irem.

Inscreveu três funcionários

todos os tipos e tamanhos.

a sede do Irem nos Estados

no curso de ARM e pretende

“Quem faz a minha empresa

Unidos. Nossa missão vai

fazer o mesmo com outros

são meus colaboradores. Eu

além da promoção de cur-

no futuro. “As aulas me mos-

apenas dou a direção e sem-

sos, workshops, debates e

traram sistemas de gerencia-

pre achei importante investir

da divulgação das técnicas

mento que eu não conhecia

em treinamento”, diz.

americanas e certificações

e que nem eram utilizados no Brasil e isso deu um plus aos meus negócios.”

no mercado nacional, afirma

De olho no futuro

Fernanda Pereira Lisboa, pre-

Atualmente, dos 48 mem-

sidente do Capítulo local.

  Na opinião de Gubeissi,

bros brasileiros com as desig-

“Além de ser um diferen-

o mercado vai exigir cada vez

nações, 30 são ARM®, dez

cial importante no mercado,

mais profissionais compro-

são CPM® e oito profissionais

participando de um grupo de

metidos com um código de

têm ambas certificações, o

elite no segmento imobiliário,

Fernanda: meta é ampliar atuação do capítulo brasileiro do Irem

27


Dia a dia

Dicas e indicadores que facilitam a administração do seu condomínio Icon Secovi-SP – Índice de Custos Condominiais

MÊS:

Maio / 2009 Total Geral

PER

Pessoal / Encargo

Var. % ICON

Tarifas

Var. % ICON

12 Mês Ano meses

Var. % ICON

Índice Base Dez/01 = 100,000

Manut. de Equipamentos

12 Mês Ano meses

Var. % ICON

Diversos

Conservação e Limpeza Var. %

Mês

Ano

12 meses

Mês

Ano

12 meses

mai/08 161,386 0,38

1,26

6,00 157,880 0,00 0,30 5,87 157,761 0,00 0,00 0,62 181,599 1,61

4,74

jun/08

162,535

0,71

1,98

6,67 157,880 0,00 0,30 5,87 159,808 1,30 1,30 1,75 185,195 1,98

6,82

jul/08

163,643

0,68

2,67

7,83 157,880 0,00 0,30 5,87 161,945 1,34 2,65 5,52 188,454 1,76

ago/08 163,527 -0,07 2,60 set/08

164,639

0,68

3,30

out/08

172,679

4,88

ICON

Var. %

12 meses

ICON

Mês

Ano

12 meses

157,696 1,61

4,74

11,24

11,33 160,818 1,98

6,82

13,44

8,70

15,11

Mês

Ano

11,53 167,997

1,60

4,32

9,65

13,44 170,924

1,74

6,14

8,70

15,11 173,805

1,69

7,93

13,03 163,649 1,76

7,51 157,880 0,00 0,30 5,87 161,945 0,00 2,65 5,52 187,851 -0,32

8,35

13,63 173,495 -0,18

7,74

11,75 163,125 -0,32

8,35

13,63

7,34 157,880 0,00 0,30 5,87 167,491 3,43 6,17 6,17 188,058 0,11

8,47

12,31 173,495

0,00

7,74

10,61 163,125 0,00

8,35

12,18

8,34

8,92 171,048 8,34 8,67 8,67 167,491 0,00 6,17 6,17 189,901 0,98

9,53

12,23 175,195

0,98

8,79

10,82 164,724 0,98

9,41

12,11

nov/08 172,833 0,09

8,44

8,86 171,048 0,00 8,67 8,67 167,491 0,00 6,17 6,17 190,623 0,38

9,95

11,88 175,861

0,38

9,21

10,79 165,350 0,38

9,83

11,76

dez/08

172,780 -0,03

8,40

8,40 171,048 0,00 8,67 8,67 167,491 0,00 6,17 6,17 190,375 -0,13

9,81

9,81

175,632 -0,13

9,07

9,07

165,135 -0,13

9,68

9,68

jan/09

172,618 -0,09 -0,09 8,04 171,048 0,00 0,00 8,67 167,491 0,00 0,00 6,17 189,537 -0,44 -0,44

8,14

175,197 -0,25 -0,25

7,86

164,408 -0,44 -0,44

8,02

fev/09

172,898

-0,18

7,85

175,474

-0,09

7,65

164,835 0,26

-0,18

7,73

mar/09 172,626 -0,16 -0,09 7,55 171,365 0,00 0,19 8,54 167,491 0,00 0,00 6,17 188,624 -0,74 -0,92

0,16

0,07

7,91 171,365 0,19 0,19 8,54 167,491 0,00 0,00 6,17 190,030 0,26

6,27

174,705 -0,44 -0,53

6,40

163,616 -0,74 -0,92

6,15

abr/09

5,38

174,629 -0,04 -0,57

5,61

163,370 -0,15 -1,07

5,27

172,575 -0,03 -0,12 7,34 171,365 0,00 0,19 8,54 167,491 0,00 0,00 6,17 188,341 -0,15 -1,07

0,16

mai/09 172,332 -0,14 -0,26 6,78 171,365 0,00 0,19 8,54 166,333 -0,69 -0,69 5,43 188,209 -0,07 -1,14 3,64 174,728 0,06 -0,51 4,01 163,256 -0,07 -1,14 3,53

FOLHA DE PAGAMENTO Pisos Salariais: Verificar a Convenção Coletiva de Trabalho da cidade do condomínio no site www.secovi.com.br ACÚMULO DE CARGO: 20%

ÍNDICES DE PREÇO (Maio/2009)

ADICIONAL NOTURNO: 20%

HORAS EXTRAS: Cidade de São Paulo e demais municípios: 50% Variação - em%

CESTA BÁSICA: Verificar Convenção Coletiva de Trabalho da cidade do condomínio no site www.secovi.com.br

Indicador

FGTS – JUNHO/2009 (Data de recolhimento até 7/7/09): 8% sobre o total da remuneração recebida pelo empregado PIS – JUNHO/2009 (Data de recolhimento até 24/7/09): 1% sobre o total da folha de pagamento INSS – JUNHO/2009 (Data de recolhimento até 20/7/09) * SALÁRIO DE CONTRIBUIÇÃO (R$) – ALÍQUOTAS: Até 965,67 = 8,00 % De 965,68 a 1.609,45 = 9,00 % De 1.609,46 a 3.218,90 = 11,00 % Acima de 3.218,90 = R$ 354,07

Atenção: INSS – Contribuição Riscos Ambient ais do Trabalho a partir da competência junho/2007: 3%

Ano

12 meses

IGP-DI

0,18

(0,73)

2,99

IGP-M

(-0,07)

(-1,14)

3,64

IPC/FIPE

0,33

1,80

5,11

INPC

0,60

2,32

5,45

IPCA

0,47

2,20

5,20

INCC-DI

1,39

1,70

8,98

SALÁRIO-FAMÍLIA – JUNHO/2009: Remuneração mensal até R$ 500,40 = R$ 25,66 Remuneração mensal acima de R$ 500,41 até R$ 752,12 = R$ 18,08

Fontes: FGV, IBGE e Fipe/USP

* Esses valores correspondem ao mês de junho/2009 e poderão sofrer

Economia e Estatística do Secovi-SP

alterações até a data do vencimento, conforme publicação no Diário Oficial da União.

28

Mês

Elaboração: Departamento de


29


Sustentabilidade Por Luana Garcia

Lâmpadas fluorescentes versus incandescentes Especialistas alertam para os prós e contras das diferentes tecnologias oferecidas no mercado – e também para a importância do consumo consciente

F

ala-se muito, hoje em dia, sobre as vantagens de se

produtos “que consomem menos energia”, o que acaba por

substituirem as lâmpadas incandescentes por fluo-

estimular seu uso por parte da população.

rescentes, seja nas áreas comuns dos condomínios,

Mas as lâmpadas fluorescentes foram realmente lança-

seja nas residências ou em estabelecimentos comerciais.

das no mercado para substituir as incandescentes? Estariam

A opção por esse tipo de tecnologia colaboraria, em linhas

estas últimas banidas em uma sociedade considerada

gerais, para a sustentabilidade do planeta, visto que a energia

sustentável? Especialistas do setor defendem que não.

poupada faria cair os níveis de dióxido de carbono (CO ),

“O equilíbrio é a chave da questão. É fundamental que o

um dos principais gases causadores do efeito-estufa. Outro

consumidor considere as diversas particularidades do local

argumento largamente utilizado é que a troca seria economi-

em que a lâmpada será instalada. Quando ligadas e des-

camente vantajosa para o consumidor, uma vez que a conta

ligadas diversas vezes em um curto período de tempo, as

de luz ficaria menor.

fluorescentes diminuem muito sua vida útil, perdendo uma de

2

A tese acima é abertamente defendida pela iniciativa privada, por intermédio de campanhas de conscientização

suas maiores vantagens econômicas. É tudo muito relativo”, explica a arquiteta de iluminação Esther Stiller.

divulgadas na mídia impressa e eletrônica – entre elas a

Quando utilizadas adequadamente, as lâmpadas fluores-

“Planeta Sustentável” (www.planetasustentavel.com.br). O

centes (sobretudo as lineares) têm vida longa – podem durar

governo certifica, por intermédio da Eletrobrás, as lâmpadas

até 18.000 horas, segundo os fabricantes, ao passo que as

fluorescentes com o selo do Programa Nacional de Conser-

incandescentes têm vida útil de cerca de 1.000 horas. Além

vação de Energia Elétrica (Procel), classificando-as como

disso, elas produzem seis vezes mais luz do que as incan-

A solução ideal Confira sugestões para os principais usos de cada tipo de lâmpada

Fluorescente linear - Edifícios de escritório, clínicas, hospitais, áreas de trabalho de hotéis, escolas, terminais de passageiros, aeroportos, etc. - Cozinhas e lavanderias, incluindo as de residências (*)

30


descentes. Por gerar menos calor, também proporcionam

Há, porém mercados que já contam com estruturas

economia de energia elétrica com o uso de aparelhos de

montadas de descarte. A União Européia, por exemplo, obri-

ar condicionado, por exemplo.

ga os fabricantes de lâmpadas fluorescentes a receberem

As lâmpadas incandescentes, por sua vez, são mais

de volta seus produtos para reciclagem. Tecnologias mais

vantajosas quando posicionadas em locais de acionamen-

limpas também estão surgindo, como os chamados LEDs,

tos curtos e intermitentes, como banheiros e escadas de

que não apresentam mercúrio em sua composição.

emergência. Além disso, não utilizam mercúrio na sua produção, o que evita o descarte desse metal na natureza.

No País, a boa notícia é que grandes marcas, como a Philips, já investem no desenvolvimento de opções mais “verdes”. É o caso da linha de lâmpadas e reatores Philips

Descarte

Eco Master, que, segundo o fabricante, não utiliza solventes

Cada lâmpada fluorescente traz em seu reator um

para sua cobertura de pó fluorescente nem chumbo no

pequeno tubo de mercúrio. Esse material pode – e deve

vidro, possui a menor quantidade de mercúrio do mercado

– ser reciclado. No entanto, quando lançado no meio

e apresenta exclusiva tecnologia de cápsula – que só é

ambiente, se torna extremamente nocivo à saúde de qual-

rompida com a partida inicial da lâmpada.

quer organismo vivo. E é esta, infelizmente, a realidade

“A partir de todas essas informações, o consumidor

no Brasil, já que não há uma política definida quanto ao

consciente deve procurar estabelecer um equilíbrio racional

descarte desse tipo de produto. O Conselho Nacional do

entre as duas tecnologias – fluorescente e incandescente.

Meio Ambiente (Conama) coordena os debates sobre a

Elas se complementam e devem ser utilizadas com bom

questão na esfera governamental. Por intermédio de sua

senso”, ressalta Esther Stiller.

assessoria de imprensa, a Associação Brasileira da Indús-

Abaixo, a arquiteta

tria de Iluminação (Abilux) informa que o fato de a maioria

auxilia os leitores

das empresas importar as lâmpadas, notadamente, da

indicando a me-

Europa e da China, dificulta a definição de regras sobre

lhor opção de

a destinação desses materiais. Esther Stiller destaca, por

lâmpada para

outro lado, que lâmpadas fluorescentes (com mercúrio)

os diferentes

sempre foram produzidas no Brasil. “Elas são fabricadas

ambientes nas

até hoje (40W e 20W), e nem assim houve a menor atenção

residências e

quanto à implantação de uma política de reciclagem do

áreas comuns dos

mercúrio que elas contêm”, afirma.

condomínios.

Fluorescente compacta

Incandescente e halógena

- Salas de reuniões, auditórios,

- Banheiros

salas de pequenas dimensões,

- Quartos

lojas, restaurantes de grande

- Salas de estar, jantar

circulação

- Teatros, lojas, restaurantes, hotéis

- Clínicas, escolas, hotéis - Áreas comuns de shopping centers, residências (*)

(*) Desde que as lâmpadas permaneçam ligadas por um longo período de tempo em um mesmo dia

31


Opinião Por Hubert Gebara

Mercado imobiliário,

centro do sistema

O

mercado imobiliário foi o mote

venda desse sonho, cujos anúncios

as construtoras e incorporadoras e,

da crise que ainda abala a

são invariáveis: é sempre a família com

novamente, os corretores comercia-

economia norte-americana

filhos pequenos, aparecendo ao fundo

lizam o imóvel pronto ou na planta.

o imóvel adquirido ou em oferta.

As administradoras são o elo final da

e atinge economias globalizadas a norte e sul do Equador. Entre os

Que me perdoem os publicitá-

americanos, ninguém acredita que

rios, mas os anúncios são sempre

o cenário local mudará enquanto os

iguais. Talvez não possam mesmo

O segmento imobiliário movi-

imóveis continuarem em depressão.

ser diferentes. É tudo muito óbvio:

menta uma verdadeira miríade de

cadeia na instalação e gestão dos condomínios.

Com a crise, ficou patente a fra-

quem casa quer casa. A imagem

produtos e serviços, empregos dire-

gilidade do sistema americano de

da família nos anúncios é bíblica:

tos e indiretos. Sua participação no

hipotecas, que esperava garantir o

ali está o núcleo de produção e

Produto Interno Bruto (PIB) é mais

crédito imobiliário com excesso de

consumo que sustenta todo o nosso

que relevante. Sem esse mercado, o

alavancagem. O episódio mostrou

navegável sistema.

sistema fica sem base.

que o mercado imobiliário pode por si

O mercado imobiliário não se

O Secovi-SP procura, na medida

só abalar uma economia de primeiro

resume, entretanto, à casa própria.

do possível, cuidar de toda a cadeia

mundo, talvez porque é esse segmento

A locação também é importante

de forma abrangente. Mesmo na vice-

que embala um dos maiores sonhos da

no Brasil e, mais ainda, em outros

presidência de Administração Imobi-

vida dos cidadãos: a casa própria.

países. Também é importante a ad-

liária e Condomínios, não podemos

No Brasil, estamos constatando

ministração do patrimônio daqueles

focar apenas um elo dessa cadeia.

a importância do chamado feirão

que investem no tijolo, desde sempre

É o que também faz a Revista Secovi

de imóveis, que bateu recordes de

a moeda mais forte entre todas.

Condomínios. Casa própria, locação,

financiamento de moradias. A mídia

O setor é uma grande cadeia de

construção, incorporação, condomí-

estampou os números grandiosos

negócios e empregos. O corretor de

nios e administração de patrimônio

desses financiamentos. As fotos

imóveis ajuda a vender e comprar

terão, mais do que nunca, espaço

mostraram multidões nos estandes de

o terreno. Depois entram em cena

aberto e permanente aqui.

Hubert Gebara é vice-presidente de Administração Imobiliária e Condomínios do Secovi-SP

32


33


Opinião Por Paulo André Jorge Germanos

O desafio

cultural da vida em condomínios

Q

uem já soma mais de 50 anos

condomínios significa adotar um novo

parte das pessoas envolvidas. Não

de idade tem sempre aquele

padrão de conduta. Grandes ou pe-

se conhecem “escolas de síndicos” e

clássico comentário ao olhar a

quenos, condomínios são verdadeiras

nem de “moradores em edifícios”.

cidade: pensar que há poucos anos

comunidades, cujos habitantes tiveram

O aprendizado, muitas vezes

existiam apenas sítios no seu bairro.

de aprender a dividir o domínio de

sofrido, teve de ocorrer na prática.

Agora, é esse montão de prédios...

seu espaço com os vizinhos (do lado,

Mas, nos últimos anos, síndicos e ad-

de cima e debaixo, no elevador, no

ministradoras se valem do Secovi-SP

playground, salão de festas etc.).

para orientar todos os procedimentos

Verdade verdadeira. A vida urbana atropelou o tempo e, nessa trajetória, deu um jeito de acomodar nos condo-

No intervalo de duas gerações, as

inerentes à vida condominial. Por meio

mínios verticais milhões de pessoas

relações de vizinhança e de interde-

de cursos, publicações especializadas,

que passaram a morar nas cidades.

pendência das famílias tiveram de ser

eventos e outras iniciativas, o Sindicato

Para se ter uma idéia de como

alteradas, processo que implicou uma

proporciona consistente serviço de

esse processo foi rápido, basta

nova idéia de civilização e, notadamen-

apoio aos moradores e aos profis-

lembrar que, há poucas décadas, os

te, de civilidade, pois, como nunca, o

sionais que atuam na área, incluindo

moradores de condomínios eram a

respeito ao próximo e o pleno atendi-

zeladores e funcionários. Atualmente,

minoria da população, mesmo nas

mento de valores básicos da educação

esforço da Universidade Secovi é de-

grandes cidades.

se tornaram imperativos.

dicado à formação profissional dessas

Embora no Rio de Janeiro já

Tivemos de aprender a nos orga-

existissem edifícios residenciais em

nizar e a conviver com as figuras do

Esse é um processo que tem de

boa quantidade, apenas na segunda

síndico, do zelador e dos funcionários

continuar indefinidamente. Afinal, a ten-

metade do século XX se intensificou

que prestam serviço a várias famílias,

dência é de mais condomínios serem

a construção de condomínios em ci-

das administradoras, e de todos que

produzidos para atender à demanda

dades como São Paulo. Hoje, temos

direta ou indiretamente oferecem al-

por habitações nas grandes cidades.

mais de 80% da população vivendo

gum tipo de atendimento aos condomí-

É fundamental, portanto, que todos

nas regiões urbanas.

nios. Novos hábitos e mesmo atitudes

estejam devidamente preparados

pessoas e empresas.

Isso exigiu a especialização de

culturais tiveram de ser assimilados

para desempenhar corretamente suas

grande gama de empresas e profis-

e praticados; hábitos que alteraram

funções, inclusive os moradores, que

sionais dedicados à incorporação e

inclusive os orçamentos familiares. E

devem reconhecer e valorizar os pro-

construção e, naturalmente, à admi-

tudo isso ocorrendo sem que houvesse

fissionais que zelam por sua segurança

nistração condominial. Afinal, viver em

qualquer preparação ou estudo por

e bem-estar.  

Paulo André Jorge Germanos é diretor-conselheiro e ex-presidente do Secovi-SP

34


35


Manutenção Por Luana Garcia

Jardins resistentes ao frio Inverno demanda cuidados especiais com as áreas verdes dos condomínios

A

36

pós um período com predo-

Para os profissionais que lidam

Ambienty – Paisagismo e Jardinagem,

minância de altas tempera-

com paisagismo em condomínios, é

enfatizando que, nesta época do

turas e clima seco, a capital

um período delicado, que exige cui-

ano em que as plantas estão mais

paulista começa a ter dias mais curtos

dados especiais com a manutenção

sensíveis e precisam de força, uma

e frios, com o sol se escondendo mais

dos jardins externos dos edifícios. “A

boa adubação mineral e orgânica é

cedo. Os reflexos da transição do

maioria dos prédios tem suas áreas

indispensável.

outono para o inverno, estação que

verdes construídas em cima de la-

Já o gramado tende a perma-

começou oficialmente em 21 de ju-

jes de concreto. Com o passar do

necer verde, a despeito das baixas

nho, são perceptíveis, sobretudo, nas

tempo, a terra desses espaços vai

temperaturas. Além dos adubos

plantas. Elas reduzem suas atividades

sendo ‘lavada’ pela água das chuvas

aplicados de forma controlada,

vitais, poupando energia para a época

e das regas, e perde sais minerais

basta mantê-lo sempre bem aparado

mais fria do ano, o que ocasiona a

e micronutrientes”, explica Rogé-

– com, no máximo, três centímetros

perda de folhas e galhos.

rio Xavier, biólogo e paisagista da

de altura.


Plantas da estação Ipê (Roxo e Amarelo) Azaleia Amor perfeito Primavera (também conhecida como “Buganvília”) Petúnia Bico-de-papagaio Cravina

Xavier: no inverno, é indispensável uma boa adubação mineral e orgânica

Outro cuidado diz respeito à frequência das regas. André Soares

“É comum concluir-se que, por sua aparência seca e frágil, as plantas precisam de mais água do que o habitual. Isso é errado. O excesso de umidade favorece o apodrecimento de raízes e a proliferação de pragas e fungos por toda a área verde, principalmente na região do gramado”, alerta Mário

Azaleia

do Nascimento Júnior, docente do curso de Jardinagem do Senac de São Paulo. “Conforme a situação, basta regar os jardins e vasos de uma a duas vezes por semana, no máximo. No entanto, quando for molhar, procure deixar a água penetrar bem na terra. Irrigar não significa apenas molhar as folhas das plantas”, acrescenta o engenheiro agrônomo e André Soares

paisagista Rodolfo Geiser. Um serviço bastante solicitado nesta época é a limpeza geral dos jardins, principalmente devido ao fator estético: muitas áreas externas de condomínios acabam tomadas por

Primavera

folhas secas caídas das árvores. “Um aspecto positivo desse trabalho é que, com a perda da folhagem, fica mais fácil identificar se a planta está saudável ou se necessita de cuidados específicos”, destaca Rogério Xavier, da Ambienty. Na natureza, porém, nada acontece por acaso. “As folhas caídas ajudam a manter o equilíbrio de matéria orgânica no Mariana L. Gatti

solo. Sendo assim, quando há plantas rasteiras ao redor da raiz da árvore, optamos por preservar as folhas, escondendoas bem para que o visual do jardim não fique prejudicado”, esclarece o biólogo. Amor perfeito

37


Manutenção Por Luana Garcia

Com relação às podas, os profissionais se mostram cautelosos quanto às recomendações. “Para plantas que florescem nesta época do ano, como a azaleia e o bico-de-papagaio, a poda pode ser altamente prejudicial”, afirma Nascimento Júnior, do Senac. “Para realizar esse tipo de ação, sobretudo no outono/inverno, é necessário conhecer bem o ciclo da planta em questão.” “No caso específico dos condomínios, o ideal é sempre contar com o apoio de um bom prestador de serviços em jardinagem”, diz Rodolfo Geiser. No momento da contratação, é importante que o síndico solicite um currículo da empresa e atestados de serviços executados ou em andamento. Cheque há quanto tempo ela atua no mercado e se o responsável técnico é engenheiro agrônomo. “Sob o ponto de vista dos especialistas, todas as plantas se dão bem durante o ano todo. É uma questão de cuidar adequadamente e apreciar a natureza tal como ela é: com o seu momento de nascer, crescer, florir, frutificar e envelhecer”, ensina Geiser.

No inverno, é preciso conhecer bem o ciclo da planta para realizar a poda

Dentro de casa Seja recheando a varanda de casa com plantas diversas ou dispondo de um pequeno vaso em um canto estraté-

incidência de luz;

gico na cozinha, os paulistanos gostam de declarar seu

4 Evite ambientes fechados ou protegidos por cortinas;

amor discreto pela natureza. Prova disso é a crescente

4 Cuidado com a rega excessiva;

procura pelo Curso de Jardinagem do Senac de São

4 O inverno não é a época ideal para adubar a terra de

Paulo, que ensina técnicas básicas para pessoas que,

vasos e jardineiras – o metabolismo das plantas é muito

apesar do tempo escasso para o lazer, valorizam cada

baixo, e elas não absorvem os nutrientes a tempo;

minuto dedicado aos cuidados com o verde. O professor

4 Afofe a terra e aguarde a mudança de estação. Ou, se

Mário do Nascimento Júnior dá algumas dicas importan-

for mesmo necessário, opte por um adubo orgânico;

tes para aqueles que valorizam o convívio com as plantas

4 Pesquise. Procure conhecer bem as plantas que mantém

em seus apartamentos:

38

4 Os vasos devem ser posicionados em áreas com maior

em casa e respeite as particularidades de cada espécie.


39


Tira-dúvidas

1

Tire suas dúvidas

Um síndico, que também é advogado, pode atuar como patrono do condomínio? Não. O acúmulo das atividades é desaconselhado, como demonstra a ementa abaixo, oriunda do Tribunal de Ética e

Área Cível

Disciplina da Ordem dos Advogados do Brasil São Paulo (OAB-SP):

O empregado que não usa transporte público para a locomoção residênciatrabalho-residência tem direito ao recebimento do valetransporte? Esta e outras questões são respondidas pelo Departamento Jurídico do Secovi-SP

Advogado e Síndico – Cumulação de Ambas – Captação de Causas e Clientes – Restrições Advindas de Sigilo Profissional – Conflito entre Representação Legal e Patronato – Funções Inconciliáveis e Incompatíveis. Nada impede que advogado em edifício onde reside venha a candidatar-se e ser eleito síndico ou ainda, como advogado que é, vir a ser contratado por seus vizinhos ou pelo próprio condomínio como patrono deste para as causas de interesse coletivo, descabendo, entretanto, a cumulação e interação das duas figuras, advogado e síndico, pois uma exclui a outra. No plano puramente ético a captação de causas e clientes é flagrante, pois viria a patrocinar

João Paulo Rossi Paschoal OAB 153.841

todas as causas do condomínio, inclusive, a advocacia extrajudicial na medida que realizaria acordos de débitos condominiais, conforme consulta. Evidencia-se que nenhuma forma de captação de causas e clientes é permitida pelo Estatuto, sendo a inculca considerada atentatória à dignidade da profissão. No plano do direito positivo exsurge o conflito entre a figura do representante legal da pessoa jurídica, seja ele síndico, preposto ou assemelhado, num dos polos da ação, cumulativamente com o patronato da causa, tornando as funções igualmente inconciliáveis e incompatíveis, como exemplificado nos artigos 344, parágrafo único e 347 do CPC, artigo 843, 1º da CLT, entre outros. Exegese dos artigos 23, 26 e 27, § único do CED, 34, III e IV do Estatuto, 1.348 do Código Civil e processo 1.240/1995 deste Sodalício. Proc. E-3.527/2007 - v.u., em 18/10/2007, do parecer e ementa do Rel. Dr. Fabio Kalil Vilela Leite – Rev.Dr. Luiz Francisco Torquato Avólio – Presidente Dr. Carlos Roberto F. Mateucci.

40


2 É possível “tabelar” as multas previstas no art. 1.337 do Código Civil na Convenção do Condomínio de forma que, a partir daí, o síndico tenha o poder de aplicá-las automaticamente, sem realização de assembleia? Não. A aplicação do art. 1.337 do Código Civil é casuísta, ou seja, depende, necessariamente, de decisão da assembleia geral dos condôminos para cada caso que comportar a sanção, não sendo admitido que as multas sejam aplicadas isoladamente pelo síndico.

3 O depósito do rateio mensal na conta corrente do condomínio é forma válida de pagamento? Para que a mora e seus efeitos sejam evitados, todos no condomínio estão obrigados a pagar o rateio das despesas condominiais da forma costumeira, no dia e modo convencionados. Aquele que não acatar a praxe condominial – pagamento por boleto bancário, como usual – poderá até mesmo ter ignorado o depósito (acaso seja impossível identificar a procedência) ou, ainda, sofrer o acréscimo de multa moratória, juros e correção monetária incidentes pelo descumprimento do dia do vencimento da obrigação, bem como ter lançado o número da unidade autônoma no rol dos inadimplentes, nos termos do art. 1.336, § 1°, do Código Civil. A propósito, segue ensinamento de J. Nascimento Franco: “O pagamento pontual das despesas, na data e na forma usual (via banco, resgate no escritório do síndico ou do administrador etc.) constitui dever moral de solidariedade, lealdade e honradez de cada um dos condôminos para com os demais, visto como tem por fim o custeio da manutenção do edifício, que é moradia de todos eles. No conceito de pontualidade integra-se o dever de pagar no dia e local de praxe, de sorte que não fica a critério do devedor pagar sob forma diferente, como, por exemplo, mediante depósito bancário, quando o local estabelecido é o escritório do síndico. O pagamento só se considera juridicamente eficaz se feito da forma habitual. Por qualquer outra forma não elide a mora do condômino. O atraso importa em autêntico parasitismo, por ser injusto que os condôminos pontuais sejam forçados a suprir a caixa condominial, tornando-se, deste modo, financiadores compulsórios dos faltosos”. (Franco, J. Nascimento. Condomínio. São Paulo: Editora Revista dos Tribunais, 1997, p. 225.)

4 Inadimplente pode participar de abaixo-assinado para convocação de assembleia de condomínio? Não. Por força do artigo 1.335, III, do Código Civil, o inadimplente está impedido de votar nas deliberações da assembleia e delas participar. Tal impedimento se

Este espaço é um canal permanente para que síndicos e administradoras esclareçam questões relacionadas ao dia a dia da gestão condominal. Envie suas dúvidas para o e-mail juridico@secovi.com.br

estende também à convocação de assembleias por ¼ dos condôminos, como previsto nos artigos 1.350, § 1º, e 1.355 do Código Civil.

41


Tira-dúvidas

1

Tire suas dúvidas

Deverá ser descontada a contribuição previdenciária sobre a remuneração paga, ou valor da cota condominial da qual o síndico seja isento, quando este já recolhe o INSS pelo limite máximo em outra atividade econômica? A contribuição previdenciária a

Área Trabalhista

cargo do síndico, na qualidade de pessoa física enquadrada perante a Previdência Social como contribuinte individual, está limitada ao teto do salário de contribuição (atualmente R$ 3.218,90). Assim, caso o síndico já tenha sofrido o desconto da contribuição previdenciária sobre o limite máximo do salário de contribuição em outra atividade, a remuneração recebida direta ou indire-

Rita de Cassia Guimarães Bracale OAB/SP 236.180

tamente (por meio da isenção da cota condominial) do condomínio não estará sujeita ao desconto previdenciário. O síndico deverá apresentar mensalmente o comprovante de pagamento da remuneração como segurado-empregado relativo à competência anterior. Caso preste serviços sem vínculo empregatício, é necessário disponibilizar o comprovante de pagamento fornecido pela contratante – constando a identificação completa desta, número de inscrição do segurado na Previdência Social, valor pago e valor descontado ou, ainda, declaração, sob as penas da lei, de que é segurado-empregado ou contribuinte individual, conforme o caso, consignando que a remuneração recebida atingiu o limite máximo do salário de contribuição e identificando o nome da empresa com o número do CNPJ. Tal declaração poderá abranger um determinado período, devendo ser renovada ao término deste ou do exercício em curso, o que ocorrer primeiro. A contribuição a cargo do condomínio, no percentual de 20% sobre o total da remuneração paga ou valor da cota condominial da qual o síndico seja isento, deverá ser recolhida. Ela não está sujeita a limitação de teto.

42


Área Trabalhista

2

O pagamento do adicional por acúmulo de cargo gera direito adquirido ou poderá ser suprimido quando o empregado deixar a função que vinha acumulando? Conforme consta da Convenção Coletiva de Trabalho dos Empregados em Edifícios e Condomínios, o pagamento do adicional por acúmulo de cargos cessará (sem necessidade de qualquer indenização) no momento em que o empregado deixar de exercer a função que estiver acumulando, não gerando, portanto, direito adquirido. É conveniente informar por escrito o empregado sobre o término do acúmulo de cargo e do consequente pagamento de adicional.

3 O empregado que não faz uso do transporte coletivo público para locomoção residênciatrabalho-residência tem direito ao recebimento do vale-transporte? Não. O benefício do vale-transporte se destina exclusivamente à utilização no transporte coletivo público, para locomoção residência-trabalho e vice-versa. Nos termos do artigo 7º do Decreto nº 95.247/87, para o exercício do direito de receber o vale-transporte o empregado deve informar anualmente e por escrito ao empregador o seu endereço residencial e os serviços e meios de transporte mais adequados ao seu deslocamento residência-trabalho-residência. O uso dos vales para finalidade diversa da determinada em lei, bem como a falsa declaração, é considerada falta grave do empregado, suscetível de dispensa por justa causa. Dessa forma, o empregado que não faz uso do transporte coletivo público para o deslocamento residência-trabalho e vice-versa, optando por fazê-lo por meio de condução própria, não terá direito ao recebimento do vale-transporte.

4 Quais valores pagos ao empregado devem ser considerados para efeito de definição do direito à cota do salário-família? Com exceção do 13º salário e do adicional de um terço calculado sobre as férias, todas as demais importâncias que integram o salário de contribuição, como horas extras, adicional noturno e adicional por tempo de serviço, serão consideradas como parte integrante da remuneração do mês para efeito de definição do direito à cota de salário-família.

43


Legislação Por Rosana Pinto

É proibido fumar, diz o

aviso que eu li

Se você mora ou trabalha em condomínio e não se lembrava dessa famosa frase da música de Roberto Carlos, agora com a aprovação da lei antifumo terá a oportunidade de recordar

N

o próximo dia 6 agosto entra em vigor a Lei Estadual

Para garantir que o condomínio esteja livre do tabaco, o

no 13.541/2009, chamada de lei antifumo, que res-

síndico precisa conhecer a nova legislação, que só permitirá

tringe o cigarro e derivados de tabaco em ambientes

o consumo do cigarro em espaços ao ar livre, vias públi-

fechados públicos e privados. Logo a frase É proibido fumar

cas ou dentro das unidades autônomas (casa, apartamento

estará estampada em avisos em bares, boates, restaurantes,

ou escritório). “Pela lei, é proibido fumar em áreas comuns

hotéis, pousadas, escolas, açougues, padarias, farmácias,

fechadas, total ou parcialmente, como salão de festas, hall

ginásios esportivos, repartições públicas, supermercados,

social, elevadores, estacionamentos, ambientes de lazer e de

shoppings, condomínios residenciais e comerciais, entre

trânsito, onde haja permanência ou circulação de pessoas”,

outros locais, onde o fumo passa a ser vetado.

esclarece Paschoal.

Atento a essa mudança,

Entre as providências a serem tomadas pelo síndico, o

o Secovi-SP orienta síndi-

advogado do Secovi-SP sugere a retirada de cinzeiros e a

cos e administradoras so-

afixação de cartazes em pontos de ampla visibilidade, com

bre a importância da ade-

telefone e endereço dos órgãos estaduais de fiscalização,

quação imediata à lei. “O

como a Fundação Procon-SP e a Agência Nacional de

síndico tem de zelar para

Vigilância Sanitária (Anvisa). Do cartaz também devem cons-

que ninguém a desrespeite,

tar esclarecimentos sobre os locais proibidos e as punições

seja condômino,  empregado

Segundo Paschoal, os cartazes explicativos podem

apartamento, visitante ou presta-

ser confeccionados na forma e dimensões indicadas na

dor de serviço”, afirma o assessor

resolução conjunta das secretarias da Saúde, Justiça

jurídico do Sindicato, João Paulo

e Defesa da Cidadania, prevista no Decreto Estadual

Rossi Paschoal.

44

previstas na lei.

do condomínio, ocupante do

nº 13.541/2009.


Fiscalização Os condomínios precisam ser fiscalizados e, em caso de infração, terão de arcar com multa que poderá, inclusive, ser aplicada em local onde não houver pessoas fumando. “Se os agentes verificarem a presença de cinzeiros, pontas de cigarro no chão, no lixo ou em vasos sanitários e não avistarem cartazes com aviso da proibição no condomínio, o síndico pode ser multado”, alerta Paschoal. O advogado recomenda a realização de uma assembleia geral para deliberar com os condôminos os procedimentos a serem adotados quando houver infração e determinar a quem caberá o pagamento da multa, que, de acordo com a lei, será aplicada ao síndico. Também deve ser aprovada em assembleia a ampliação da restrição, por exemplo, aos locais ao ar livre mas de grande concentração de pessoas, como piscinas e quadras de esporte. Feito isso, o síndico pode incluir a nova regra no regimento interno do condomínio.

Serviço

A íntegra da Lei no 13.541/09 e do Decreto Estadual no 54.311/09 está disponível para download no portal Secovi (www.secovi.com.br).

Paschoal: “O síndico tem de zelar para que ninguém desrespeite a lei”

Proibição pode ajudar a diminuir o tabagismo A lei paulista segue as recomenda-

24% para 19% o percentual de adultos

Para combater a “fissura” – aquela

ções da Organização Mundial da Saúde

que fumam. O resultado pôs o Brasil

vontade intensa de fumar –, é reco-

(OMS), cujos estudos comprovam que

no topo do ranking dos países que

mendável que se respire fundo com os

o tabagismo é a maior causa isolada

mais reduziram o tabagismo, feito

olhos fechados para relaxar, aconselha

evitável de mortes precoces em todo

pela OMS.

o Ministério. O órgão também sugere

o mundo. Segundo a OMS, o fumo é

O Ministério da Saúde sabe o

que a pessoa mantenha as mãos ocu-

causador de mais de 50 doenças, como

problema que é deixar o vício e, por

padas com um elástico ou pedaço de

câncer de pulmão, acidente vascular ce-

isso, dá algumas recomendações

papel, rabisque alguma coisa ou manu-

rebral, infarto do miocárdio e enfisema

básicas a quem quer se tornar ex-

seie objetos pequenos. Conversar com

pulmonar. A expectativa do Executivo

fumante. As principais orientações

um amigo ou fazer algo diferente pode

estadual é que a lei antifumo ajude a

são beber bastante água, chá ou

ainda ajudar a esquecer o cigarro. Tam-

reduzir ainda mais o número de fuman-

suco em vez de café, escovar os

bém é importante praticar exercícios

tes, que já está em queda. Nos últimos

dentes e chupar balas, comer frutas

físicos. Medicamentos só devem ser

15 anos, desde que a publicidade de

ou barras de cereal. Também é impor-

tomados sob orientação médica.

cigarro foi proibida e fotos dos proble-

tante não portar maços ou carteiras

Informações complementares po-

mas gerados pelo tabaco começaram

de cigarros e retirar os cinzeiros e

dem ser obtidas no portal do Ministério

a ser estampadas nos maços, caiu de

isqueiros de casa e do escritório.

(www.saude.gov.br).

45


Coluna / Individualização de Água Por Marcos André dos Santos

Instrumento Marcos André dos Santos é

de justiça social e ambiental

diretor geral da ISTA Brasil

A

questão da mudança climática

individualizada de água, me deparo

surge como um grande desa-

com questionamentos baseados na

Seja do ponto de vista social, seja

fio, especialmente em meio à

análise de pay back, isto é, quanto

do ambiental, a individualização de

forte recessão econômica que afeta

tempo o condomínio levará para obter

água é uma atitude ao seu alcance,

o mundo e que, felizmente, não nos

retorno do investimento realizado.

que fará as pessoas acreditarem

abalou tanto quanto se imaginava.

Ora, essa talvez não seja uma conta

que as mudanças de fato começam

A grande dúvida que intriga o ser

para realizarmos quando estamos em

quando cada um faz sua parte. Faça

humano nos tempos atuais é saber

busca de um fôlego para o futuro. É aí

uma conta simples. Se cada condo-

qual o legado que deixaremos para as

que o síndico pode virar o jogo e fazer

mínio que implantar esse sistema

futuras gerações. À parte modismos

a diferença como cidadão.

economizar módicos 100 m³ por

e aproveitadores dessa onda ecoló-

O sistema de medição individu-

mês, e levando-se em conta apenas

gica que varre o mundo, a água será

alizada  gera entre 20% e 40%  de

metade dos condomínios da cidade

o principal problema para nossos

economia na conta de água final

de São Paulo – cerca de 15 mil –,

netos e bisnetos, e não há solução

dos condomínios. No entanto,

teremos em torno de 1.500.000 m³ de

à vista. Ou mudam-se os hábitos  e

não é o sistema em si que promo-

economia no mês. Em um ano, serão

costumes hoje, ou vamos aprofundar

ve economia, e sim a nova cultura

18.000.000 m³!

o abismo social entre os que terão

do consumo consciente, deflagrada

Só para dar uma ideia do que isso

água e os que não terão meios para

no condomínio a partir do momento

significa, é interessante saber que,

dela usufruir.

em que se sabe o que, de fato, cada

de acordo com a Organização das

apartamento está consumindo.

Nações Unidas (ONU), cada pessoa

E aí você me pergunta: “O que eu,

46

cena a justiça social.

síndico, tenho a ver com tudo isso?”

A individualização também erra-

necessita de 3,3 m³ de água ao mês.

Eu respondo: Tudo e mais um pou-

dica uma das principais mazelas de

Assim, os 18.000.000 m³ representa-

co. Você é um formador de opinião,

convívio e questionamentos entre os

riam o consumo de 5,46 milhões de

capaz de influenciar no meio em que

habitantes do “Planeta Condomínio”,

indivíduos, aproximadamente metade

dezenas, centenas e até milhares de

que é pagar a água do  vizinho ou,

da população da Grande São Paulo.

pessoas escolheram para viver.

pior ainda, assumir a conta quan-

Pois é, esse poderá ser seu lega-

Em assembleias de condomínios,

do ele não paga há anos sua cota

do, síndico de hoje, para as futuras

ao propor os serviços de medição

condominial. Pois é: agora entra em

gerações.


Elevadores x Segurança Requisitos para melhoria da segurança dos elevadores existentes NORMA ABNT - NBR 15597 válida a partir de 18.09.2008 A ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas) publicou a NBR 15597, válida a partir de 18.09.2008. O objetivo é estabelecer regras para melhoria de segurança dos elevadores instalados antes da regulamentação. Com isso, os níveis de segurança podem se adequar aos requisitos atuais. No Brasil, existem mais de 300 mil elevadores. Desses, mais de 80% foram construídos e instalados com base nas ABNT NB 30 e ABNT NBR 7192, hoje canceladas e substituídas pela ABNT NBR NM 207. Novas tecnologias elevam cada vez mais o nível de segurança dos elevadores. A Norma NBR 15597 pretende definir regras para evitar acidentes, protegendo usuários e funcionários que prestam manutenção das máquinas e atendimento de emergência. Com o aumento da expectativa de vida, cresce o número de pessoas com dificuldades de locomoção. Os elevadores, portanto, são peças essenciais para garantir a acessibilidade do público com necessidades especiais. Fornecer um meio de transporte vertical é importante para que pessoas com mobilidade reduzida possam se locomover sem o auxílio de terceiros. Apesar de os elevadores terem maior durabilidade, se comparados com a maioria dos sistemas de transporte e equipamento predial, o condomínio não pode estar defasado quanto às novidades tecnológicas. Com o projeto, desempenho e segurança do elevador atualizados de acordo com as normas técnicas, o funcionamento da máquina terá ainda mais qualidade. Se os elevadores não estiverem modernizados na área de segurança, a tendência é haver um aumento do número de danos físicos, principalmente em prédios de fácil acesso do público em geral. O SECIESP - Sindicato das Empresas de Elevadores do Estado de São Paulo - apóia e orienta a todos os síndicos, administradores, usuários de elevadores, seus associados e colaboradores, empresas ligadas à manutenção, conservação e assistência técnica em elevadores, que avaliem as condições dos atuais equipamentos instalados. Além disso, é importante que esses profissionais, em conjunto com os responsáveis pelas edificações, sempre estejam em busca de implantar novas técnicas ou atualizar dispositivos inadequados. Desta forma, o elevador se torna cada vez mais um meio de transporte seguro. Vale ressaltar aos senhores síndicos, administradores e moradores que o SECIESP estará disponível para esclarecer dúvidas relacionadas a elevadores e, até mesmo, indicar empresas especializadas para fornecer laudos técnicos. Entre em contato pelo e-mail: seciesp@seciesp.com.br Mais informações no site http://www.seciesp.com.br/ Sede própria: Rua Major Sertório, 349 - 3º andar - C3 V. Buarque - São Paulo - SP - CEP 01222-001 Tel./Fax: (11)3214-0201 / 3214-0352

47


Carta do presidente Por João Crestana

Confiança revigorada no mercado imobiliário

G

lobalmente, o pior da crise

recursos da poupança e do Fundo de

mentos no mercado exigirá soluções

financeira já passou. E, aqui

Garantia por Tempo de Serviço (FGTS).

criativas na administração condominial

no Brasil, os efeitos não foram

Bastante bom para um setor produtivo

e impelirá administradoras a se profis-

pequenos, mas também não prejudi-

que despertou dúvidas durante o auge

sionalizarem ainda mais.Possivelmente,

caram permanentemente a economia

da turbulência econômica!

haverá necessidade de subsídios mu-

nacional, nem o mercado imobiliário.

Esse aquecimento tende a aumen-

nicipais aos condôminos que ganhem

Números da pesquisa trimestral

tar, principalmente diante das boas pers-

menos de três salários. O novo público

Secovi do mercado imobiliário evi-

pectivas de produção e comercialização

consumidor tem hábitos e costumes

denciam significativa melhora, ainda

trazidas pelo programa “Minha Casa,

diferenciados. Só para exemplificar,

que inicial. Em março, foram comer-

Minha Vida”. Inteligentemente, esse pro-

o segmento econômico que é o alvo

cializados 2.162 imóveis novos, contra

grama criou subsídios em dinheiro para

prioritário do programa “Minha Casa,

os 1.556 de fevereiro e os 1.113 de

famílias com renda de até seis salários

Minha Vida” movimenta R$ 550 bilhões

janeiro. Os lançamentos também vêm

mínimos e aporte de recursos do Orça-

por ano e detém 71% do consumo na-

numa crescente: 1.561 novas unida-

mento Geral da União para os de mais

cional, conforme pesquisa do instituto

des em março, ante 1.211 de fevereiro

baixa renda. Além disso, oferece juros

Data Popular.

e 382 de janeiro.

suportáveis e diversos benefícios.

Em volume de recursos, os resulta-

Primeiro passo no processo de

mil, a grande maioria não tem curso

dos são altamente positivos. Conforme

contenção do déficit habitacional, o

superior. Esse contingente apresenta

balanço da Associação Brasileira das

“Minha Casa, Minha Vida” reúne quase

inúmeros analfabetos funcionais que,

Entidades de Crédito Imobiliário e

todos os ingredientes necessários para

todavia, sabem exatamente o que

Poupança (Abecip), de janeiro a abril

a instituição de uma política nacional e

querem. Suas referências estéticas e

deste ano os recursos da caderneta de

perene de habitação. O plano não se

sociais derivam e se alicerçam na

poupança financiaram 78 mil unidades,

esgota nos próximos dois anos, pois,

cultura popular: alegre, colorida e extra-

o correspondente a R$ 8,3 bilhões. A

para solucionar a carência de mais de 8

vagante. Como se disse por inúmeras

Caixa Econômica Federal, uma das ins-

milhões de moradias, serão necessários

vezes, o futuro é popular. E será cheio

tituições que mais investem em habita-

aproximadamente R$ 350 bilhões de

de cores, boas novidades e, principal-

ção no País, pretende aplicar neste ano

investimentos nos próximos 15 anos.

mente, soluções habitacionais àqueles

R$ 30 bilhões em financiamentos, entre

Esse volume de novos empreendi-

João Crestana é presidente do Secovi-SP e da Comissão da Indústria Imobiliária da Câmara Brasileira da Indústria Imobiliária (CBIC)

48

Com renda familiar de até R$ 3,5

que tanto precisam  


ACESSÓRIOS

Advento .................................. pág. 51 Travema ................................. pág. 51

ADMINISTRADORA

ADCIP .................................... pág. 50 Baeta .................................... pág. 50 Condovel ................................ pág. 50 Dellatorre ............................... pág. 50 FL Administração ................... pág. 50 M&M Contábil ........................ pág. 50 Oliva Administração ............... pág. 50 Sivel ....................................... pág. 50 Verti ........................................ pág. 50

ALARMES

Ronagori Segurança ............. pág. 51

BENEFÍCIOS

Sodexho ............................... pág. 59

Paulista................................... pág. 55 Primac ................................... pág. 47 Prom ..................................... pág. 55 RC ......................................... pág. 56 Real ...................................... pág. 56 Real ...................................... pág. 55 Santista ................................. pág. 57 SPL ........................................ pág. 57 Tecnew .................................. pág. 58 Universal ............................... pág. 58 Village ................................... pág. 58 Zapplift .................................. pág. 47

HIDRÁULICA

SEGURADORA

IMPERMEABILIZAÇÃO

SEGURANÇA

Techno-pipe ........................... pág. 52

Vison Toldos ........................... pág. 51

CRÉDITO IMOBILIÁRIO

INDIVIDUALIZAÇÃO

Império ................................... pág. 52

ELÉTRICA

JMC ....................................... pág. 29 Merlini Engenharia ................ pág. 52

ELETRÔNICA

Locatronic .............................. pág. 17

Fachadex ............................... pág. 54

SAÚDE E BEM-ESTAR

Ultragaz.................................. pág. 60

COBERTURAS

DESENTUPIDORA

REFORMAS EM GERAL

GÁS

LWART ................................... pág. 49 Otto Vedacit .......................... pág. 02 Polican ................................. pág. 52

Serasa ................................... pág. 25

M.Bergmann .......................... pág. 53 Serpre .................................... pág. 53 TAJ Engenharia ..................... pág. 53

Ista Brasil ............................... pág. 03 Martani Instalações ............... pág. 35 Sappel ................................... pág. 27

PINTURA

Atos Desing ........................... pág. 53 Di Giovanni ........................... pág. 53 Flaiban ................................... pág. 53 Habitar ................................... pág. 52

Life Fitness ............................ pág. 13 Porto Seguro ......................... pág. 09 Eletroseg ................................ pág. 54 Enseg .................................... pág. 54

SERRALHERIA

Girassol .................................. pág. 51

SERVIÇOS

Cartuchos Agora................... pág. 54

TERCEIRIZAÇÃO

Replace .............................. pág. 54

TOLDOS

Vison Toldos ....................... pág. 54

Impermeabilização - LWART

ELEVADORES

Alternativa .............................. pág. 57 Asselev .................................. pág. 55 Basic ...................................... pág. 57 CBE ....................................... pág. 56 Central .................................. pág. 55 Convert ................................. pág. 47 Crel Elevadores .................... pág. 47 CSM ...................................... pág. 55 Delev .................................... pág. 58 Elecan ................................... pág. 56 Globo .................................... pág. 58 Grambell ............................... pág. 47 Korman ................................. pág. 55 M & M Conservadora ........... pág. 47 MDE ...................................... pág. 58 Mitson ................................... pág. 56 Monciel .................................. pág. 57 New Servs ............................. pág. 57 49


Administradoras Administradora - ADCIP

Administradora - Baeta

Administradora - Condovel

Administradora - Dellatorre

Administradora - FL

Administradora - M&M

Administradora - Oliva

Administradora - Sivel

Administradora - Verti

50


Serralheria - Acess贸rios - Alarmes - Coberturas - Corretora Serralheria - Girassol

Acess贸rios - Advento

Acess贸rios - Travema

Alarmes - Ronagori

Coberturas - Vison

Corretora - Conaudi

51


Pintura - Desentupidora - Hidráulica - Impermeabilização - Elétrica Pintura - Habitar

Desentupidora - Império

Impermeabilização - Polican

52

Hidráulica - Techno-pipe

Elétrica - Merlini


Pintura Pintura - Atos Design

Pintura - Flaiban

Pintura - Di Giovanni

Pintura - Serpre

Pintura - M.Bergmann

Pintura - TAJ Engenharia

53


Serviços - Reformas - Segurança - Terceirização - Toldos Serviços - Cartuchos Agora

Reformas em Geral - Fachadex

Segurança - Eletroseg

Segurança - Enseg

Terceirização - Replace

54

Toldos - Vison Toldos


Elevadores Elevadores - Asselev

Elevadores - Prom

Elevadores - Central

Elevadores - CSM

Elevadores - Korman

Elevadores - Real

Elevadores - Paulista

55


Elevadores Elevadores - CBE

Elevadores - Real

Elevadores - Mitson

Elevadores - RC

56

Elevadores - Elecan


Elevadores Elevadores - Monciel

Elevadores - Santista

Elevadores - Alternativa

Elevadores - SPL

Elevadores - New Servs

Elevadores - Basic

57


Elevadores Elevadores - Universal

Elevadores - Tecnew

Elevadores - Globo

Elevadores - MDE

58

Elevadores - Village

Elevadores - Delev


59


60


Secovi-SP Condomínios