Page 1

Relatório de Comunicação Clipagem – TV, jornais impressos, transmissão on-line, blogs e informativos


CLIPAGEM, POR TIPO DE VEÍCULO: 

Emissoras de TV

Mídia: Televisão Veiculação: 12/11/2007 Veiculação: 12/11/2007 Veiculação: 13/11/2007 Veiculação: 13/11/2007

Emissora: Televisão Educativa da Bahia Programa/produto TV e Cidadania/Entrevista Programa/produto TV Revista/Matéria Programa/produto TV Revista/Matéria Programa/produto TV Revista/Entrevista

Mídia: TV Veiculação: 12/11/2007

Emissora: TV Aratu Programa/produto Aratu Notícias /Matéria


Jornais impressos

Mídia: Jornal Data: 10/11/2007

Veículo A Tarde Página/site/Lista 11/Editoria Salvador/Curtas

Segurança debatida em fórum de mídia O Fórum Internacional: Mídia, Poder e Democracia reunirá, na capital baiana, pesquisadores brasileiros e estrangeiros, profissionais, representantes do governo, organizações da sociedade civil do Brasil, América Latina e Europa. O evento ocorrerá nos dias 12, 13 e 14 de novembro, no Salão Atlântico do Hotel Tropical da Bahia, no Campo Grande. Durante os três dias de evento serão realizadas seis mesasredondas com diversas temáticas. A relação entre mídia e segurança pública é um dos temas anunciados na programação, com mesa-redonda e debate na próxima terça-feira.


Mídia: Jornal Data: 10/2007

Veículo Jornal da APUB Página/site/Lista 3/Artigo


Mídia: Jornal Data: 11/11/2007

Veículo A Tarde Página/site/Lista 17/Editoria de Política/Lílian de Souza

Mídia e poder é tema de encontro Sobraram convites para os representantes da grande mídia participarem das mesas do Fórum Internacional Mídia, Poder e Democracia. Mas todos declinaram, desde Ali Kamel, diretorexecutivo de jornalismo da Rede Globo, até os jornais Estado e Folha de S.Paulo. Ainda assim, o fórum acontece entre os próximos dias 12 e 14, no Hotel Tropical da Bahia, Centro de Salvador. "A grande mídia não gosta de ser ela própria o alvo de debates", acredita o jornalista baiano, assessor especial da Secretaria Geral da Presidência da República e membro do Observatório Brasileiro de Mídia, Carlos Tibúrcio. Se os grandes veículos não vieram, o fórum reunirá estudiosos, brasileiros e estrangeiros, e representantes do governo e da sociedade civil do Brasil, América Latina e Europa. No foco dos debates, o papel da mídia e a democratização dos meios de comunicação em pleno processo de implantação, no Brasil, da TV Digital, da criação de nova TV Pública federal e em meioa temores de um terceiro mandato do presidente Lula (PT). "Aprofundar o debate sobre as relações entre mídia, poder e democracia em nosso País, que tem uma mídia concentrada, é fundamental", comenta Albino Rubim, professor da Universidade Federal da Bahia e um dos organizadores do evento. "A lei de 1988 que prevê uma produção mínima de 30% de conteúdos regionais pelas emissoras até hoje não foi regulamentada. Isso mostra o poder que a mídia tem no País", fala. Sobre as TVs pública e digital, o professor destaca a esperança de a primeira não ser estatal, para "fazer o que falta nas grandes redes: programação de qualidade que discuta profundamente políticas dos governos". Na digital, diz o professor, o mais importante não é a qualidade da imagem, mas a possibilidade de se ter centenas de canais e de um processo de ampla interatividade.


Mídia: Jornal Data: 13/11/2007

Veículo A Tarde Página/site/Lista 7/Editoria Salvador/Curtas

Salvador sedia fórum de mídia e poder Pesquisadores brasileiros e estrangeiros, profissionais, representantes do poder público e de organizações da sociedade civil do Brasil, América Latina e Europa, estão reunidos no Fórum Internacional Mídia, Poder e Democracia. Iniciado ontem, o evento é realizado pelo Centro de Estudos Multidisciplinares em Cultura (Cult), Programa de Pós-Graduação em Cultura e Sociedade (PÓS-CULTURA) da Faculdade de Comunicação da Ufba e pelo Observatório Brasileiro de Mídia / Media Watch Global. Com seminários e mesas-redondas, o fórum acontece até amanhã no Hotel Tropical da Bahia, no Campo Grande. Toda a programação está sendo transmitida ao vivo no portal A TARDE On Line ( www. atarde. com. br).


Mídia: Jornal Data: 17/11/2007

Veículo A Tarde Página/site/Lista 22 / Mundo/ Regina Bochicchio

Ela ganhou por ser mulher de um presidente popular Gastar cifras milionárias em propaganda eleitoral ou em publicidade de governo não é privilégio de político brasileiro. Os "hermanos" argentinos não ficam atrás. A jornalista Maria O´Donnell pesquisou os usos do dinheiro público destinado à propaganda e publicidade do governo de Néstor Kirchner, na Argentina. O resultado foi o livro intitulado "Propaganda K" no qual desvela esses bastidores, que levam à cooptação indireta de jornalistas e até do uso de dinheiro público para abastecer a campanha eleitoral de Cristina Kirchner, esposa de Néstor Kirchner, eleita presidente no último dia 28 de outubro. O pior de tudo: lá na Argentina não existe punição para esse tipo de malversação de dinheiro público. Cristina O´Donnell esteve em Salvador esta semana para participar de uma Mesa no Fórum Internacional Mídia, Poder e Democracia, no Hotel da Bahia. Em entrevista exclusiva para a repórter Regina Bochicchio ela falou sobre como o governo patrocina produção jornalística – fato considerado "normal" atualmente na Argentina – e teceu considerações sobre o cenário político da América Latina: Chávez, Lula e Evo Morales. ATARDE | Como é utilizado o dinheiro destinado à publicidade do governo na Argentina? MARIA O´DONNELL | O governo de Néstor Kirchner gastou muito dinheiro. E lá não tem regulação, se gasta quanto se quer. Não há nenhuma lei que diga quais são os critérios para uso do dinheiro. O próprio governo tem aumentado seu orçamento para publicidade.Na gestão de Kirchner, começou com orçamento de 50 milhões de pesos, que são US$ 15 milhões de publicidade, e acabou quase em 100 milhões com esse orçamento. AT | Não há como fiscalizar esse gasto? | Há vários problemas. Por um lado a compra de um grupo de mídias.Houve um caso de um grupo que era ligado à direita. Com Kirchner, eles passaram a ser os principais beneficiados do dinheiro da publicidade e mudaram completamente a linha editorial do grupo. Outro problema é que jornalistas na Argentina compram espaços em rádio e na televisão através de produtoras que têm jornalistas que trabalham em jornais importantes ou na TV. E o governo paga publicidade nesses lugare AT | Quer dizer que há um pacto entre governo e jornalistas? | Claro que o jornalista pode ter uma produtora, e claro que pode ter dois trabalhos. Mas, se o seu maior ingresso é patrocinado pelo governo e se seu trabalho tiver cobertura do governo, é um problema. O jornalista pode dizer que não tem compromisso nenhum. Mas se você consegue, por exemplo, 10 pesos com seu trabalho, e consegue 100 pesos com a publicidade do governo, qual é a sua liberdade real?


AT | Como funciona exatamente o esquema? | O principal salário do jornalista vem por fora do trabalho oficial. Ele não larga o trabalho que tem, porque o governo está colocando dinheiro naquele outro programa, o qual tem uma audiência insignificante. Eles não estão pensando na audiência. O governo faz muito patrocínio. Mas não faz sentido o governo patrocinar um jornalista político. E isso na Argentina é totalmente normal. AT | O governo financiou a campanha de Cristina? | O governo não diz, mas utilizou muitos recursos do Estado para financiar a campanha. Lá tem prestação de contas com a Justiça Eleitoral, mas não tão exigente quanto aqui. Lá houve uma reforma, mas foi muito mal feita e o controle sobre o dinheiro da campanha continua ruim. Não há punição para uso do dinheiro do Estado.Uma ONG monitorou um canal de TV pública, para saber quantas horas aparecia Cristina Kirchner.Ela teve sete horas no total e a oposição zero hora. AT | Se ela apareceu mais, tem maiores chances... | É um canal que não tem muita audiência. Mas mesmo assim é um modo totalmente incorreto. E ela tem uma equipe de filmagem, uma empresa privada. Depois, eles dão a mídia grátis para as TVs. E quem paga os custos? É financiamento semi-oculto. AT| Há controle de financiamento de campanhas? | Lá a gente ainda não sabe quem financia campanha. A situação é pior do que aqui no Brasil. Nas eleições de 2003, pela primeira vez, os partidos foram obrigados a dar a lista de quem colocou dinheiro na campanha. Mas a diferença foi enorme: eles disseram que gastaram US$ 1 milhão, mas apareceram US$ 20 milhões. O que aconteceu com o resto? Não tem controle e não existe punição. AT| O que representa a eleição da Cristina Kirchner? | Escutei muita coisa sobre gênero e tal. Mas ela é uma dirigente com história própria, foi senadora, deputada, enfim... Ela mesma admitiu que ganhou porque as pessoas estavam aprovando o governo do Néstor Kirchner, marido dela. A população acha que ela é preparada. Mas ela não ganhou as eleições andando na rua, fazendo campanha. Ela ganhou a eleição sendo a mulher de um presidente popular e num momento bom da economia. AT | Qual é, na sua opinião, o desafio nas relações entre os países na na América Latina? | O grande desafio hoje vem da Venezuela, desse processo do Chávez, com as reservas de petróleo desafiando cada vez mais a democracia republicana, procurando através do voto popular avançar sobre os poderes Judiciário e do Legislativo. Agora, os norte-americanos, com aquele papel polêmico como a promoção do golpe contra Chávez, também é são uma forma legítima. Mas ele traça claramente um problema sério e não sei onde vai dar o ponto no qual essa concepção de democracia de Chávez entraria em confronto direto com a democracia do Mercosul e países como Brasil e Chile.


AT | Como o presidente Lula é visto pelos argentinos? | Como mais conservador do que se esperava. Essa aliança do Brasil com a Argentina, por exemplo, nunca se concretizou. Mas acho que tem a ver com a irrupção da Venezuela e os interesses brasileiros nos assuntos do Evo Morales, porque a Argentina não tem interesses empresariais na Bolívia.Acho que o jogo com Venezuela, Bolívia, interesses econômicos diferentes, têm impedido Brasil e Argentina de fazerem uma parceria. AT | E o Mercosul? Fala-se da entrada da Venezuela... | O problema é que da Venezuela não está nada claro: Chávez vai aceitar regras conjuntas ou vai querer fazer seu próprio jogo? Que vai acontecer com a Bolívia? Não é fácil nesse contexto. Por isso seria útil a união do Brasil e Argentina.


Transmissão on-line

Mídia: Internet Data: 12, 13, 14/11

Veículo/Editoria/Repórter CULT Página/site/Lista http://www.cult.ufba.br/

Mídia: Internet Data: 12, 13, 14/11

Veículo/Editoria/Repórter IRDEB Página/site/Lista http://www.irdeb.ba.gov.br/


Mídia: Internet Data: 12, 13, 14/11

Veículo/Editoria/Repórter CARTA MAIOR Página/site/Lista http://www.cartamaior.com.br/templates/index.cfm?alterarHomeAtual=1

Mídia: Internet Data: 12, 13, 14/11

Veículo/Editoria/Repórter OBSERVATÓRIO BRASILEIRO DE MÍDIA Página/site/Lista http://www.observatoriodemidia.org.br/


Mídia: Internet Data: 12, 13, 14/11

Mídia: Internet Data: 12, 13, 14/11

Veículo/Editoria/Repórter CULTURA E PENSAMENTO Página/site/Lista http://www.cultura.gov.br/programas_e_acoes/cultura_e_pensamento/noti cias/index.php?p=30963&more=1&c=1&pb=1

Veículo/Editoria/Repórter PRODEB Página/site/Lista http://www.prodeb.gov.br


Mídia: Internet Data: 12, 13, 14/11

Veículo/Editoria/Repórter A Tarde On-line Página/site/Lista http://www.atarde.com.br


Jornais, blogs e informativos on-line

Mídia: Internet Data: 17/10/2007

Veículo/Editoria/Repórter PLUG CULTURA Página/site/Lista http://www.cultura.ba.gov.br/noticias/plugcultura/salvador-sedia-o-foruminternacional-midia-poder-e-democracia

A discussão acerca das relações entre mídia, poder e democracia está na agenda pública internacional e nacional. São exemplos dessa centralidade: a polêmica sobre a não-renovação das concessões de canais TV; a atenção com o avanço das redes informáticas e a multiplicação de mídias; o debate sobre a televisão digital e a TV pública no país; e os questionamentos sobre o papel da mídia nas eleições. O objetivo do Fórum Internacional: Mídia Poder e Democracia é promover o debate sobre estes temas, levando em conta a atuação da mídia, suas relaçõescom o poder e sua importância para a consolidação da democracia naatualidade. O evento reúne nos dias 12, 13 e 14 de novembro, no Salão Atlântico do Hotel Tropical da Bahia, estudiosos brasileiros e estrangeiros,profissionais, representantes do governo, organizações da sociedade civil e cidadãos interessados na temática. Constam da programação mesas-redondas, plenárias e lançamento de livros. Asseis mesas, que acontecem pela manhã e à noite, abordam as temáticas: Mídia e Democracia no Brasil, Democracia e TV Pública, O Papel dos Observatórios de Mídia, Impactos da Mídia sobre a Democracia e a Política, A Sociedade Civil e a Democratização da Comunicação e Mídia e Eleições na América Latina. As inscrições para o Fórum Internacional: Mídia Poder e Democracia estão abertas e custam R$ 20 para estudantes e R$ 40 para profissionais. O Fórum é promovido pelo Centro de Estudos Multidisciplinares em Cultura (CULT), pelo Programa de Pós-Graduação em Cultura e Sociedade (PÓS-CULTURA) da Faculdadede Comunicação da Universidade Federal da Bahia e pelo Observatório Brasileiro de Mídia / Media Watch Global com apoio do Coletivo BAHIA de Comunicação. Maiores informações no site www.cult.ufba.br, pelo e-mail cult@ufba.br, ou telefone 71 3283 6198. SERVIÇO - FÓRUM INTERNACIONAL: MÍDIA PODER E DEMOCRACIA INSCRIÇÕES Valor: R$ 20 (estudantes) e R$ 40 (profissionais) Local: FAPEX - Rua Caetano Moura, 140, Federação, de segunda a sexta, das 8h às 11h30 e das 13h30 às 17h (estudantes devem levar comprovante de matricula). Para pessoas residentes em outras cidades a inscrição pode ser feita via depósito bancário no Banco do Brasil, c/c 603.354-7, agência 3832-6 (a inscrição deve ser confirmada através do fax (71) 3183-8457, com comprovante de matricula em anexo). Maiores informações: (71) 3183-8460/8459


Mídia: Internet

Veículo/Editoria/Repórter MOVIMENTO NACIONAL DE DIRETOS HUMANOS

Data: 19/10/2007

Página/site/Lista http://mndh-pe.blogspot.com/2007/10/salvador-sedia-o-fruminternacional.html


Mídia: Internet Data: 19/10/2007

Veículo/Editoria/Repórter PORTAL GESTÃO SOCIAL Página/site/Lista http://www.gestaosocial.org.br/conteudo/agenda/evento.2007-1019.0174793142


Mídia: Internet Data: 23/10/2007

Veículo/Editoria/Repórter UNIBH Página/site/Lista http://jornalismounibh.wordpress.com/2007/10/23/

Será realizado entre os dias 12 e 14 de novembro, no Hotel Tropical da Bahia, em Salvador, o Fórum Internacional: Mídia Poder e Democracia. O evento pretende levar à capital baiana, renomados profissionais e estudiosos para debater as relações entre os meios de comunicação, o poder, a política e a democracia. Na pauta, discussões em torno da concessão de canais de televisão, o avanço das redes de informática, a TV digital e a TV pública, o papel da mídia nas eleições, dentre outros. O objetivo do Fórum Internacional: Mídia, Poder e Democracia é promover o debate sobre estes temas, levando em conta a atuação da mídia, suas relações com o poder e sua importância para a consolidação da democracia na atualidade. As inscrições para o Fórum Internacional: Mídia Poder e Democracia estão abertas e custam R$ 20 para estudantes e R$ 40 para profissionais. O Fórum é promovido pelo Centro de Estudos Multidisciplinares em Cultura (CULT), pelo Programa de Pós-Graduação em Cultura e Sociedade (PÓS-CULTURA) da Faculdade de Comunicação da Universidade Federal da Bahia e pelo Observatório Brasileiro de Mídia / Media Watch Global. Outras informações no site.


Mídia: Internet Data: 25/10/2007

Veículo/Editoria/Repórter JORNAL FEIRA HOJE Página/site/Lista http://www.jornalfeirahoje.com.br/editorias_conteudo.php?codcanal=8&co dtexto=1385

Salvador sedia o Fórum Internacional: Mídia, Poder e Democracia Evento traz à capital baiana renomados profissionais e estudiosos para debater as relações entre os meios de comunicação, o poder, a política e a democracia


Mídia: Internet Data: 01/11/2007

Veículo/Editoria/Repórter Plug cultura Página/site/Lista http://www.cultura.ba.gov.br/noticias/plugcultura/evento-em-salvadorpromove-debate-sobre-midia-e-democracia

Plug Cult ura | O Fórum Internacional: Mídia, Poder e Democracia reúne na capital baiana pesquisadores brasileiros e estrangeiros, profissionais, representantes do governo, organizações da sociedade civil do Brasil, América Latina e Europa. O evento ocorre nos dias 12, 13 e 14 de novembro, no Salão Atlântico do Hotel Tropical da Bahia, no Campo Grande. Durante os três dias de evento serão realizadas seis mesas-redondas com as temáticas: Mídia e Democracia no Brasil, Democracia e TV Pública, O Papel dos Observatórios de Mídia, Impactos da Mídia sobre a Democracia e a Política, A Sociedade Civil e a Democratização da Comunicação e Mídia e Eleições na América Latina. Já estão confirmadas as presenças de pesquisadores como a filósofa e professora da Universidade de São Paulo (USP), Marilena Chauí; o cientista político, articulista da Carta Maior e professor da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UFRJ), Emir Sader; a presidente da Empresa Brasil de Comunicação (EBC), Tereza Cruvinel; o diretor do Le Monde Diplomatique, Ignacio Ramonet, o presidente do Observatório Brasileiro de Mídia e professor da Universidade de São Paulo e Faculdade Cásper Líbero, Laurindo Leal filho ; o pesquisador colombiano e professor da Faculdade de Comunicação e Linguagem da Pontificia Universidad Javeriana em Bogotá, Camilo Tamayo. O objetivo do Fórum Internacional: Mídia Poder e Democracia é promover o debate sobre sobre a atuação da mídia, suas relações com o poder e sua importância para a consolidação da democracia na atualidade. O Encontro tem como público-alvo pesquisadores, professores, estudantes universitários e cidadãos interessados no tema. As inscrições custam R$ 20 para estudantes e R$ 40 para profissionais e podem ser feitas na Fapex, ou nos dias do evento. O Fórum é promovido pelo Centro de Estudos Multidisciplinares em Cultura (CULT), pelo Programa de Pós-Graduação em Cultura e Sociedade (PÓS-CULTURA) da Faculdade de Comunicação da Universidade Federal da Bahia e pelo Observatório Brasileiro de Mídia / Media Watch Global. Maiores informações no site www.cult.ufba.br, pelo e-mail cult@ufba.br, ou telefone 71 3283 6198. INSCRIÇÕES :Valor: R$ 20 (estudantes) e R$ 40 (profissionais). Local: FAPEX - Rua Caetano Moura, 140, Federação, de segunda a sexta, das 8h às 11h30 e das 13h30 às 17h (estudantes devem levar comprovante de matricula). Para pessoas residentes em outras cidades a inscrição pode ser feita via depósito bancário no Banco do Brasil, c/c 603.354-7, agência 3832-6 (a inscrição deve ser confirmada através do fax (71) 3183-8457, com comprovante de matricula em anexo). Os certificados serão entregues durante o evento apenas para as pessoas que se inscreverem na Fapex até o dia 01 de novembro. Maiores informações: (71) 3183-8460/8459


Mídia: Internet Data: 01/11/2007

Veículo/Editoria/Repórter NAS RETINAS Página/site/Lista http://emerluis.wordpress.com/2007/11/01/midia-poder-e-democraciasera/

De volta para Brasília, a Terra do Nunca Para terminar esta mais recente série de posts diretamente de Salvador, publico no blog o release de imprensa para a conferência Mídia Poder e Democracia, que acontecerá em Salvador. Ilustres pensadores e combatentes da tirania da imprensa brasileira estarão lá, como Marilena Chauí, Emir Sader, Ignacio Ramonet e Laurindo Leal Filho. Se vc estiver em Salvador, aproveite e vá entender um pouco mais com eles o outro viés da mídia e poder.


Mídia: Internet Data: 01/11/2007

Veículo/Editoria/Repórter ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE IMPRENSA Página/site/Lista http://www.abi.org.br/destaques.asp?id=3436

Mídia, poder e democracia Pesquisadores e personalidades brasileiras e estrangeiras se reúnem entre os próximos dias 12 e 14, em Salvador, no Fórum Internacional Mídia, Poder e Democracia. Voltado principalmente pera estudantes e professores de Comunicação, o evento contará com seis mesas-redondas.O fórum terá a presença da filósofa e professora da USP Marilena Chauí; do cientista político e professor da UFRJ Emir Sader; da Presidente da Empresa Brasil de Comunicação, Tereza Cruvinel; e do diretor do Le Monde Diplomatique, Ignacio Ramonet. As inscrições custam R$ 20 para estudantes e R$ 40 para profissionais e podem ser feitas nos dias do evento. Informações no site www.cult.ufba.br ou pelo telefone (71) 3283-6198.


Mídia: Internet Data: 06/11/2007

Veículo/Editoria/Repórter MONITORANDO - BLOG Página/site/Lista http://monitorando.wordpress.com/2007/11/06/midia-poder-e-democracia/

Saiu a programação do Fórum Internacional Mídia, Poder e Democracia, promovido pelo CULT - Centro de Estudos Multidisciplinares em Cultura -, pelo Programa Multidisciplinar de PósGraduação em Cultura e Sociedade, da UFBA, e pelo Observatório Brasileiro de Mídia/Media Watch Global. O evento acontece de 12 a 14 de novembro em Salvador, Bahia, e tem como patrocinadores a Petrobras e o Governo Federal. Nomes de peso desembarcam na capital bahiana na semana da República: Marilena Chauí, Emir Sader, Tereza Cruvinel, Bob Fernandes, Beth Carmona, Laurindo Leal Filho, , Marcus Figueiredo… Participo de uma mesa sobre os observatórios de mídia e a democracia, ao lado de Ignácio Ramonet, Bernardo Kucinski e Carlos Tibúrcio. A programação do evento pode ser encontrada aqui. Filed under: crítica de mídia, eventos, política brasileira, sociedade


Mídia: Internet Data: 06/11/2007

Veículo/Editoria/Repórter SERGIO AMADEU- BLOG Página/site/Lista http://samadeu.blogspot.com/2007/11/frum-internacional-mdia-podere.html

FÓRUM INTERNACIONAL: MÍDIA PODER E DEMOCRACIA Participarei no dia 14 do Fórum Internacional: Mídia, Poder e Democracia, que ocorrerá em Salvador. A seguir a programação e a convocatória que pode ser encontrada no site: http://www.cult.ufba.br/noticias_forum_democracia2.html Será realizado entre os dias 12 e 14 de novembro, no Hotel Tropical da Bahia, em Salvador, o Fórum Internacional: Mídia Poder e Democracia. O evento pretende levar à capital baiana, renomados profissionais e estudiosos para debater as relações entre os meios de comunicação, o poder, a política e a democracia. Na pauta, discussões em torno da concessão de canais de televisão, o avanço das redes de informática, a TV digital e a TV pública, o papel da mídia nas eleições, dentre outros. O objetivo do Fórum Internacional: Mídia, Poder e Democracia é promover o debate sobre estes temas, levando em conta a atuação da mídia, suas relações com o poder e sua importância para a consolidação da democracia na atualidade. As inscrições para o Fórum Internacional: Mídia Poder e Democracia estão abertas e custam R$ 20 para estudantes e R$ 40 para profissionais. O Fórum é promovido pelo Centro de Estudos Multidisciplinares em Cultura (CULT), pelo Programa de Pós-Graduação em Cultura e Sociedade (PÓS-CULTURA) da Faculdade de Comunicação da Universidade Federal da Bahia e pelo Observatório Brasileiro de Mídia / Media Watch Global. 12 de novembro de 2007 8h – Credenciamento 8h30 – Abertura 9h30 – Mesa-redonda: Mídia e Democracia no Brasil Albino Rubim (CULT/UFBA) - coordenador Marilena Chauí (USP) Emir Sader (UERJ/CLACSO/Carta Maior) Tereza Cruvinel (TV Brasil) Juca Ferreira (MinC) DEBATEDORES: Bob Fernandes (Terra) Pola Ribeiro (IRDEB) Carlos Navarro Filho 18h - Mesa-redonda: Democracia e TV Pública Robinson Almeira (SECOM–BA) - coordenador Beth Carmona (TVE-RJ) Laurindo Leal Filho (Cásper Libero) Walter Pinheiro (PT) DEBATEDORES: Leandro Fortes (Carta Capital) Washington de Souza Filho (Facom/UFBa) 13 de novembro de 2007

9h – Mesa-redonda: Os Observatórios de Mídia e a Democracia Carlos Tibúrcio (OBM/MWG) - coordenador Ignácio Ramonet (Le Monde Diplomatique) Bernardo Kucinski (Observatório Brasileiro de Mídia) Rogério Cristofoletti (Rede Nacional de Observatórios da Imprensa) DEBATEDORES: Fábio Castro (UFPA/Comunicação Social do Governo do Estado do Pará) Edson Miranda (Sinjorba) 18h - Mesa-redonda: Impactos da Mídia sobre a Democracia e a Política Emiliano José (Facom/UFBa) - coordenador Marcus Figueiredo (IUPERJ) Roberto Amaral (PSB) DEBATEDORES: Joviniano Neto (APUB) 14 de novembro de 2007 9h – Mesa-redonda: Sociedade Civil e a Democratização da Comunicação Representante da CUT – coordenação Sérgio Amadeu (Cásper Libero)

Fórum Internacional Mídia, Poder e Democracia  

1a. parte da clipagem do Fórum.

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you