Page 1

IMPRESSO § WEB § SMARTPHONE § TABLET WWW.REVISTADIVINOFOGAO.COM.BR

ANO 05 | Nº 21 | NOV/JAN 2017

Editora:

OMELETEIRA SEM ERRO Veja dicas de uso desse utensílio indispensável na cozinha

PALADAR ZODÍACO Você sabia que o signo pode influenciar o gosto culinário?

MILAGRE DO PÃO Comemore o Dia Nacional do Trigo com o Divino Fogão

FAMÍLIA DA POEIRA No comando do Divino Fogão e da equipe de rali campeã em várias etapas brasileiras, família Varela mostra que a união é a sua principal receita. Descubra mais ingredientes desta história de sucesso


Anúncio


Presidência Nani Varela e Reinaldo Varela Editora Responsável do Divino Fogão Michelle Castro (MTb: 42.505)

EDITORA RESPONSÁVEL

Editora Lamonica Conectada Rua Sabará, 566 § 7º andar § cjs 72 e 74 § Cep: 01239-010 Tel.: (11) 3256-4696 § 3214-5938 Publisher José Lamônica - lamonica@editoralamonica.com.br Consultoria Estratégica de Gestão Militelli Business Consulting Direção de Produção Andréa Cordioli (MTb: 31.865) andrea@editoralamonica.com.br Reportagem Renata Turbiani - renata@editoralamonica.com.br Fotos Ivana Debértolis SandersonPereira.com (capa) Direção de Criação e Arte Marcelo Amaral - marcelo@editoralamonica.com.br Silvério A. Bertelli Novo - silverio@editoralamonica.com.br COMERCIAL PROJETOS E VENDAS DE PUBLICIDADE Sede 55 (11) 3256-4696 - 3214-5938 Gerente Comercial Fábio Braga - 55 (11) 99800-8632 fabio@editoralamonica.com.br Gerentes de Contas Gesner Castro - 55 (11) 99815-3063 gesner@editoralamonica.com.br Luzia Rodrigues - 55 (11) 97014-2726 luzia@editoralamonica.com.br Thais Andrade - 55 (11) 99115-3339 thais@editoralamonica.com.br RIO DE JANEIRO E ESPÍRITO SANTO Representante de Publicidade Triunvirato Empresarial Milla de Souza - (21) 2611-7996 / (21) 98144-0706 milla@editoralamonica.com.br/ milla@triunvirato.com.br FORTALEZA Representante de Publicidade Isabel Cavalcanti - 55 (85) 98834-7342 isabel@dialogarpropaganda.com.br BRASÍLIA Representante de Publicidade Paulo Tamanaha - 55 (61) 9258-1243 paulo.cin@centrodeideiasenegocios.com.br Logística e Mercado Thais Guardacioni - thaisg@editoralamonica.com.br Mônica Cavalcante - monica@editoralamonica.com.br Marketing/ Mailing Tatiane Brito - tatiane@editoralamonica.com.br Administração e Financeiro Silvia Medeiros - silvia@editoralamonica.com.br Assistente Financeiro Viviane Naia Keunecke contasareceber@editoralamonica.com.br Assinaturas: (11) 3256-4696 - 3214-5938 A Revista Divino Fogão é uma publicação produzida, distribuída e comercializada pela Editora Lamonica Conectada Plataforma digital: MavenFlip Publicações Digitais Produção Gráfica: Leograf

Tiragem: 75 mil exemplares Parceria:

EDITORIAL

Comer, correr, amar

P

arafraseando o livro Comer, Rezar, Amar, de Elizabeth M. Gilbert, posso afirmar: a vida da família Varela renderia um novo best-seller. O casal Reinaldo e Nani arregaçou as mangas e transformou um sonho em realidade: oferecer comida caseira e de qualidade nos shopping centers de todo o País. E mais de três décadas depois, o Divino Fogão está aí, para mostrar que essa história não teve fim. Aliás, está só no começo. Em paralelo com as inovações nos negócios – quer em formatos de lojas, novos pontos e cardápio sempre atualizado –, a família Varela corre, literalmente. Com os filhos Rodrigo, Gabriel e Bruno, o casal compõe o Divino Fogão Rally Team. Apaixonados pelas competições off-road, eles encontram nesses desafios alimento para estreitar os laços. E, principalmente, para tirar lições de vida: competir é unir esforços, vencer é dividir, organização é fundamental, alegria é combustível, errar é ensinamento e, mais do que tudo, ninguém fica pelo caminho. É por tudo isso que dedicamos a última capa de 2016 e a primeira de 2017 à família Varela! Mas, atenção: tem muito mais na pista nesta edição. Você também confere receitas exclusivas em comemoração ao Dia Nacional do Trigo (10 de novembro). Afinal, esse ingrediente – base da alimentação dos povos em todos os cantos do planeta – está presente de pães a massas e recebeu até uma estrofe na música O Cio da Terra, de Milton Nascimento. Quer mais receitas? Confira na seção Dicas Divinas pratos que vão deixar sua confraternização de final de ano com ares de requinte e o melhor: sem ter muito trabalho e sem custar os olhos da cara! Por falar em coisas simples, mas bem-feitas, você sabe preparar uma omelete? O Divino Fogão ensina e ainda dá dicas de omeleteiras na seção Forno & Fogão. E se mesmo assim você precisa “rezar aos astros” para acertar a mão na cozinha, atenção: a astróloga e cozinheira Graziella Samaschini Marraccini revela os pratos mais apreciados por cada signo do zodíaco. E saiba que você pode dispensar o “pé de pato, magalô, três vezes” se a questão for doença, pois os alimentos – sim, os alimentos – podem ajudar a combatê-las. Essa reportagem, com foco nas doenças mais comuns nos homens, você confere em Boa Forma. E nós não poderíamos deixar de apresentar nesta edição as receitas mais demandadas nos restaurantes do Divino Fogão em cada região. É mais uma oportunidade para você conhecer o paladar do nosso rico Brasil. É isso aí. Sejam bem-vindos, leitores amigos e ano novo que se aproxima. Continuaremos aqui para servi-lo mais e melhor, sempre. Boa leitura! Michelle Castro

Foto: Ivana Debértolis

DIVINO FOGÃO Rua Paes Leme, 524 Pinheiros CEP: 05424-904 www.divinofogao.com.br

Baixe o aplicativo da Revista em seu tablet ou smartphone NAS VERSÕES: IMPRESSO § WEB § SMARTPHONES § TABLETS

www.revistadivinofogao.com.br

Revista Divino Fogão w novembro-janeiro w 2017

3


Foto: Ivana Debértolis

Foto: SandersonPereira.com

SUMÁRIO

08 COM A PALAVRA

12 BOA FORMA

14 ESPECIAL FAMA

Qual seu signo? Então seu prato preferido é... Ops, o que o zodíaco tem a ver com a alimentação? Descubra com a astróloga e cozinheira Graziella Samaschini Marraccini, autora do livro Os Signos na Cozinha

Doenças do coração, pneumonia, cirrose, diabetes e câncer de próstata estão entre as principais causas de mortes de homens. Mas você sabia que existem alimentos que ajudam a combatê-las?

Além de comandar com sucesso o Divino Fogão, a família Varela manda bem fora da cozinha. É nas competições off-road que o casal Reinaldo e Nani e os filhos Rodrigo, Gabriel e Bruno reforçam os laços. Confira!

26 DICAS DIVINAS

18 FORNO & FOGÃO 20 PRATO CHEIO

Se sua omelete já ficou mais na frigideira que no prato, calma! Aprenda com o Divino Fogão a preparar uma omelete divina e confira as dicas de omeleteiras funcionais e divertidas disponíveis no mercado

Na última edição do ano não poderíamos deixar de publicar as receitas mais demandadas nos restaurantes do Divino Fogão em cada região. Uma chance única de conhecer o paladar do nosso rico Brasil

E MAIS:

Divino Responde 05 Sabor & Notícia 06 Divinas Palavras 31

4

Revista Divino Fogão w novembro-janeiro w 2017

As festas de fim de ano e férias estão chegando e nada melhor do que receber a família e os amigos em casa. O Divino Fogão vai lhe ajudar a deixar sua confraternização com ares de requinte!

28 SEÇÃO GOURMET Ele é a base da alimentação dos povos em todos os cantos do planeta e ingrediente dos pães e das massas. Comemore o Dia Nacional do Trigo com o Divino Fogão e anote receitas exclusivas à base do cereal


DIVINO RESPONDE

Salada mista Quais alimentos podem ser usados para substituir o feijão?

Além de in natura, como as frutas podem ser consumidas?

Há vários alimentos que podem substituir o feijão, mas os mais interessantes são lentilha, ervilha, grão-de-bico, soja e fava. No caso da lentinha, trata-se de um alimento fonte em proteínas, carboidratos, vitaminas do complexo B, ácido fólico, potássio, fósforo, cobre, ferro e magnésio. A ervilha, por sua vez, é fonte de vitamina B1 e, moderadamente, rica em ferro, potássio e cálcio. O grão-de-bico é composto de carboidratos, proteínas e fibras, sendo fonte das vitaminas do complexo B, ácido fólico, ferro, fósforo e potássio. A soja é fonte de proteína, vitaminas do complexo B, ferro, cálcio, magnésio, potássio e iodo e contém carboidratos e fibras. Por fim, a fava é fonte de proteína, carboidratos, fibras, ferro, magnésio, potássio, zinco, vitaminas do complexo B e antioxidantes.

Excelentes fontes de nutrientes e ideais para quem quer manter uma alimentação saudável e equilibrada, as frutas podem ser consumidas de várias formas, como em sobremesas, sucos, vitaminas, em saladas e até pratos quentes.

Fala-se muito no consumo de castanhas e nozes, mas quais são os seus reais benefícios para a saúde? Bastante recomendadas por nutricionistas, as castanhas e as nozes são fontes de vitaminas e ricas em minerais como potássio, selênio, fibras, proteínas e gordura boa. Elas ainda ajudam no emagrecimento e têm poder antienvelhecimento. Esse tipo de alimento tem ganhado cada vez mais espaço no lanche entre as refeições e na prática de atividade física porque gera energia.

Por que precisamos consumir frutas vermelhas? As frutas vermelhas, por serem ricas em flavonóides e conterem compostos fitoquímicos, possuem diversos benefícios para a saúde, principalmente para as mulheres. Entre eles estão poder antioxidante e antiinflamatório e efeitos diretos sobre o cérebro – elas ajudam, por exemplo, a atrasar o declínio da memória em pessoas mais velhas em 2,5 anos. Alguns exemplos desses alimentos são mirtilo ou blueberry (contém baixo índice glicêmico e fortalece a imunidade), amora (protege o organismo contra o envelhecimento precoce, favorece o combate às doenças cardiovasculares, auxilia na saúde dos olhos e inibe a formação de tumores e células cancerígenas), framboesa (auxilia na defesa do organismo e facilita o trânsito intestinal) e morango (combate os radicais livres, ajuda na cicatrização, retarda o enveenve lhecimento e auxilia na absorção do ferro).

Existem alimentos que ajudam a aliviar os sintomas da artrose? Existem sim. São frutas, verduras, carnes mais magras, grãos integrais, castanhas e outras fontes de gorduras saudáveis. O ideal é procurar os alimentos antioxidantes e antiinflamatórios e que contenham vitaminas C, D, E, zinco, selênio, ômega-3 e betacaroteno. Segundo especialistas, eles atuam no retardo da progressão da doença e no controle da dor. Em contrapartida, deve-se evitar bebidas alcoólicas e cigarros.

Se você tem alguma dúvida, crítica ou sugestão, escreva para canaldoleitor@ editoralamonica.com.br

Revista Divino Fogão w novembro-janeiro w 2017

5


SABOR & NOTÍCIA

Peixe melhora colesterol bom em crianças

O

consumo sistemático de peixe por crianças e adolescentes melhora os níveis de HDL (colesterol bom) no sangue. É o que aponta uma pesquisa realizada por médicos do Hospital Universitário da Universidade de São Paulo (USP), que avaliou público pediátrico entre sete e 17 anos, de ambos os sexos, de escolas públicas da cidade de Campinas, no interior do estado. Apesar de a maioria ter níveis inadequados desse colesterol no sangue, os que consumiam peixes tinham níveis melhores, isso porque o alimento é rico em minerais (como cálcio e fósforo) e vitaminas. Além disso, ele tem bastante ômega-3, em especial a sardinha, o atum e o bacalhau, substância que ajuda a controlar a pressão e reduzir o risco de doenças cardíacas, arteriosclerose (endurecimento das artérias) e o nível de colesterol e triglicérides.

Anvisa regulamenta rotulagem de lactose nos alimentos Para garantir que os intolerantes à lactose (um açúcar do leite) sejam informados sobre a presença desta substância nos alimentos, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) irá regulamentar a rotulagem dos produtos vendidos no País. A medida foi publicada no Diário Oficial da União, no início de julho, e, com isso, a nova Lei entrará em vigor em 180 dias (janeiro de 2017). De acordo com a entidade, as embalagens de alimentos que contenham lactose devem ter essa informação e os rótulos de alimentos cujo teor original de lactose tenha sido alterado têm de informar o índice remanescente. Mais informações no site www.portal.anvisa.gov.br

Foto: Marcelo Regua/ MPIX/ CPB

Daniel Dias: o rei das piscinas Maior atleta masculino paralímpico do mundo, com 24 medalhas, sendo 14 de ouro, sete de prata e três de bronze, conquistadas nas Paralímpiadas de Pequim 2008 (China), Londres 2012 (Inglaterra) e Rio de Janeiro 2016 (Brasil), Daniel Dias só tem motivos para comemorar. Apesar de ter nascido com uma malformação congênita dos membros superiores e da perna direita, o nadador de 28 anos e natural de Campinas, no interior de São Paulo, tem uma história de muito sucesso e superação. Casado e pai de dois meninos (Asaph, de 2 anos, e Daniel, que completará 1 ano em novembro), o atleta, mesmo com todos os obstáculos que teve de enfrentar, não desistiu e mostrou, mais uma vez, que com força de vontade pode-se conquistar o que quiser. Seu próximo objetivo é ir para as Paralímpiadas de Tóquio, no Japão, em 2020. Alguém ainda duvida que ele conseguirá?

6

Revista Divino Fogão w novembro-janeiro w 2017

As receitas preferidas do Chico Bento

Para resgatar a culinária natural, com ingredientes da terra, o chef Jefferson Rueda e o desenhista Mauricio de Sousa, dois interioranos que hoje vivem na cidade grande, uniram seus talentos para dar vida ao livro “A cozinha caipira do Chico Bento”. Lançada pela Editora Senac, a obra (R$ 76,90) traz, de forma lúdica e reinterpretadas por Rueda, as receitas preferidas do caipirinha mais amado do Brasil. Entre eles estão paçoca de carne seca, farofa de içá, lambari empanado com fubá de milho, arroz doce e pé de moleque. Outra novidade da Editora Senac é “Coma sem culpa” (R$ 99,00). Escrito por Angela Nilsen, o livro apresenta receitas como sopa de cebola e cheesecake, porém com redução dos teores de sódio, gordura e açúcar – todas possuem tabelas comparativas entre as porções das versões clássicas e light e também símbolos para realçar os valores nutricionais. Mais informações: www.editorasenac.com.br


Para quem gosta de praticidade na cozinha

Com a correria do dia a dia, as pessoas buscam praticidade em tudo o que fazem, inclusive no preparo das refeições. Para ajudá-las nesta tarefa, a Black+Decker desenvolveu o Multigrill 3 em 1. A novidade acompanha três chapas desmontáveis e antiaderentes e é indicada para o preparo de waffles, grelhados e sanduíches, entre outros. O produto possui aquecimento automático e lâmpada piloto que indica quando está na temperatura ideal para uso, 600W de potência, detalhes em aço escovado e alças antitérmicas com trava de fechamento. O preço sugerido é de R$ 169,00. Mais informações: www.blackedecker.com.br

Foto: Divulgação

Divino Fogão chega aos aeroportos

O Divino Fogão, que tem como estratégia atuar em shopping centers, agora chega às praças de alimentação de aeroportos. No final de agosto, a rede inaugurou a sua primeira loja nesse formato, no Aeroporto Internacional Tom Jobim – Galeão, no Rio de Janeiro. Para o presidente e fundador da rede, Reinaldo Varela, a possibilidade de atuar em espaços diferenciados é um desafio, mas também uma grande oportunidade de testar novos modelos de negócios. “Estamos otimistas com o desempenho da loja e queremos estender esse formato para outros aeroportos”, vislumbra. Comandado pelo empresário Paulo Sobral, o restaurante tem 138 m2 para atender o grande público do local, que recebe em torno de 70 mil pessoas por dia. A identidade visual segue o mesmo padrão das lojas convencionais – são 184 em quase todos os Estados do Brasil –, e, além da comida fresquinha da fazenda, o local oferece a opção de café da manhã.

Brasileiro está mais preocupado com refeição saudável Alimentos mais saudáveis estão fazendo sucesso no almoço do brasileiro. Pelo menos essa é a percepção de proprietários e gerentes de restaurantes, bares, lanchonetes e padarias entrevistados para a pesquisa “Assert Preço Médio da Refeição 2016”, da Associação das Empresas de Refeição e Alimentação Convênio para o Trabalhador (Assert). Para 56% dos participantes – 4.560 estabelecimentos de 51 cidades do País –, nos últimos dois anos os clientes se mostraram mais preocupados em manter uma dieta equilibrada e aumentaram o consumo de frutas, verduras e legumes, sucos naturais, grãos e proteínas. Outras informações: www. assertbrasil.com.br


COM A PALAVRA

Os signos na cozinha

S

e cada um dos signos do zodíaco tem suas particularidades, como planeta e elemento regentes, por que não teria uma preferência gastronômica própria? Foi pensando nessa questão que a astróloga e cozinheira Graziella Somaschini Marraccinni escreveu o livro Os Signos na

8

Revista Divino Fogão w novembro-janeiro w 2017

Cozinha. Recém-lançada pela Companhia Editora Nacional e Boccato Editora, a obra mostra que existe ligação entre astrologia e cozinha. Como conta a autora, a ideia é oferecer mais informações sobre os signos e pequenas receitas harmonizadas, de fácil execução. Para isso, ela

analisou as características de representantes de Aquário, Peixes, Áries, Touro, Gêmeos, Câncer, Leão, Virgem, Libra, Escorpião, Sagitário e Capricórnio, selecionou ingredientes, formulou coerências e determinou as possibilidades. No livro, de 152 páginas, e com preço sugerido de R$ 34,90,


Foto: Ivana Debértolis

A astróloga e cozinheira Graziella Somaschini Marraccinni acaba de lançar um livro que mostra que culinária e astrologia tem tudo a ver. Será?

a especialista descreve as características da personalidade, as preferências alimentares e o comportamento como convidado de cada signo, e ainda apresenta um menu de três passos com as receitas (entrada, prato principal e sobremesa) e dá algumas dicas. Para saber mais, leia a entrevista a seguir.

Como surgiu a ideia de escrever Os Signos na Cozinha? Quando comecei a estudar astrologia, em 1987, me deparei com a astromedicina. Essa é uma das disciplinas que a astrologia nos oferece para autoconhecimento, e que pode ajudar a manter a boa saúde e evitar, ou pelo menos diminuir, as doenças que são mais características dos signos aos quais pertencemos por nascimento. A astromedicina se aproxima muito da culinária, pois o que comemos tem a ver com a saúde. Nós podemos nos curar através do alimento, o combustível do corpo, e, quem come mal, estraga seus órgãos internos. Levando tudo isso em conta, comecei a pesquisar sobre os signos e as comidas. E como foi esse processo? Passei mais de um ano estudando o tema. Quando tive a ideia, a primeira coisa que fiz foi ir atrás de livros internacionais, e encontrei apenas um que tratava dessa questão, mas ele não era muito elaborado. Na verdade, era um livro bem chato e descritivo. Neste momento percebi que havia um nicho para ser explorado, então foquei no tema. Mas essa não é uma obra de astrologia. Claro que falo sobre isso, mas é mais sobre culinária, uma leitura leve. Qual o objetivo do livro? A ideia é oferecer informações astrológicas dos signos e pequenas receitas harmonizadas, de fácil execução. Quero que o leitor experimente novos sabores, prepare receitas diferentes e saiba como receber seus convidados. Para cada signo, descrevo as características

Parceiro da astróloga e cozinheira Graziella Somaschini Marraccinni na elaboração das receitas do livro Os Signos na Cozinha, André Boccato, idealizador da Editora Boccato, é um dos nomes mais respeitados da gastronomia nacional. Jornalista, fotógrafo, editor de livros, consultor, professor, chef e ex-dono de restaurantes e empórios, o profissional tem mais de vinte anos de experiência e acumula prêmios no Brasil e no exterior.

da personalidade, as preferências alimentares e o comportamento como convidado. Também apresento um menu de três pratos com as receitas e dou pequenas dicas. As receitas foram desenvolvidas por quem e com base em que? Foram todas feitas em parceria com o chef Andre Boccato e sua equipe. São receitas super fáceis de serem preparadas, e que demandam pouca prática na cozinha. Para chegar a elas levei em conta os planetas e os elementos que regem os signos astrológicos. Dentro dessa pesquisa fui relacionando gostos e sabores e, a partir daí, analisei as características de todos, formulei coerências e determinei as possibilidades. Também levei em conta a personalidade de cada signo. Pode dar alguns exemplos? Claro. Os geminianos preferem cerveja ao vinho e um bom prato para agradá-los é a bruschetta de queijo de cabra com ervas e nozes. As pessoas desse signo têm paladar delicado e, por isso, não apreciam pratos excessivamente apimentados e com especiarias marcantes. Os cancerianos, por sua vez, adoram alimentos cremo-

Revista Divino Fogão w novembro-janeiro w 2017

9


sos e com temperos leves. Uma boa pedida para eles é escalope de filé mignon com champignon e purê de batatas. Já os leoninos são carnívoros e não gostam de nada sem graça. O cardápio perfeito para pessoas desse signo é carpaccio com rúcula de entrada, risoto milanês com shitake seco e ossobuco de prato principal e panacota com calda de abacaxi e hortelã de sobremesa.

Foto: Ivana Debértolis

COM A PALAVRA

Você disse que também dá dicas sobre os signos no livro... Dou sim. O objetivo é ajudar as pessoas a receberem melhor seus convidados. Por exemplo, o sagitariano tem muita tendência para engordar, e o taurino gosta de comer bem e não deixa nada no prato. As pessoas de Aquário têm problemas com sal e adoram uma extravagância, e as de Leão se encantam com uma mesa bonita, com louças e talheres finos. Existem signos mais fáceis e mais difíceis quando o assunto é culinária? Acho que o mais fácil é o Áries. Por não terem muita paciência, as receitas para eles são simples, como steake tartare, espetinho de filé mignon com pimentões e cheescake de frutas vermelhas. Leoninos e aquarianos são os mais complexos, por conta de todo o requinte que os envolve. E quais são os mais ligados à cozinha? Touro e Câncer. Touro por-

10

Revista Divino Fogão w novembro-janeiro w 2017

ÁRIES São pessoas apressadas, impacientes e que não gostam de ficar horas sentadas em uma mesa. Curtem cozinha rápida e privilegiam carnes vermelhas, alimentos que, inclusive, lhes fazem muito bem, e temperos picantes. Não apreciam comida insossa. Cardápio: stake tartare; espetinho de filé mignon com pimentões vermelhos e amarelos; cheescake de frutas vermelhas

que adora comer, e Câncer porque adora receber. Falando um pouco sobre você, qual a sua relação com a cozinha? Adoro cozinhar. Aprendi a fazer comida ainda criança, com a minha mãe. Sempre gostei de experimentar e testar receitas. Minha ex-sogra também me ensinou bastante coisa. E, quando morei na França, fiz alguns cursos para me aperfeiçoar. Para finalizar, quais pratos você mais gosta de cozinhar e comer? Adoro cozinhar risotos. Quanto a comer, tenho diminuído o consumo de carnes, e, quando me dá vontade, opto por vitela, em especial escalope ao marsala.

TOURO As pessoas desse signo comem bastante e gostam de pratos simples, sem muito requinte, como arroz feijão, bife e batata frita. Também são fãs de molhos ricos, cremosos e saborosos. Os taurinos têm tendência para engordar, então devem se controlar e evitar alimentos gordurosos. Cardápio: bruscheta de tomate e mussarela com pesto de manjericão; filé de frango com molho de mostarda dijon e risoto de queijo; crepe de banana com calda de coco queimado GÊMEOS São sociáveis e intelectuais e precisam ter curiosidade pelo o que comem. Gostam de beliscar e necessitam de alimentos leves, mas energéticos e nutritivos. Para agradá-los, aposte em pratos bonitos e pouco


SAIBA MAIS SOBRE OS 12 SIGNOS DO ZODÍACO NA COZINHA apimentados. Cardápio: bruscheta de queijo de cabra com ervas e nozes; rolinhos de frango a milanesa recheados com legumes e salada de batatas sautè; arroz doce com canela e cravo da Índia CÂNCER São ligados às comidas reconfortantes e tendem a reter líquido, por isso, devem evitar itens como nabo, repolho, couve e pêra. Apreciam jantares à moda antiga, com louças, talheres e toalhas tradicionais. Cardápio: salada de batata com bacalhau; escalope de filé mignon com champignon e purê e batata; tiramisú LEÃO Carnívoros, os leoninos preferem alimentos frescos e adoram comidas mais sofisticadas. Os pratos preparados para as pessoas desse signo têm de ser criativos e especiais. Também são muito requintados e devem ser recebidos com uma bela mesa. Cardápio: carpaccio com rúcula; risoto milanês com shitake seco e ossobuco; panacota com calda de abacaxi e hortelã VIRGEM Para agradar um virginiano, aposte em uma mesa bem montada, saladas elaboradas e grelhados,

em especial peixes. Além disso, use temperos com parcimônia e evite alimentos muito gordurosos. Cardápio: salada de folhas verdes variadas com molho de romã; cartoccio de peixe com cenoura, alho poro e salada de batata no vapor; creme de papaia com cassis LIBRA Comidas leves, frescas e perfumadas são as melhores pedidas para os librianos. Por não comerem muito, suas porções têm de ser comedidas. Também são bastante visuais e gostam de peixes e carnes. Cardápio: aspargos com molho cremoso de queijos; escalope de vitela ao limão com purê de mandioquinha; sorvete de pistache com calda de chocolate ESCORPIÃO As pessoas desse signo devem comer muita fruta e fibras. Para eles, é interessante que a refeição tenha pratos picantes e afrodisíacos, elaborados com um toque especial e sofisticação. Cardápio: chilli com nachos; bisteca ao vinho tinto e risoto de páprica; trufas de chocolate com gengibre SAGITÁRIO Os sagitarianos curtem viajar e viver novas experiências, então, para eles, aposte em pratos exóticos. Os nascidos sob este signo adoram eventos

culinários ao ar livre, como churrascos. Cardápio: cestinhas tailandesas vegetarianas; cuzcuz marroquino com cordeiro e vegetais; sorvete de banana flambada com whisky CAPRICÓRNIO Alimentos que vêm da terra (rabanete e batata, por exemplo) os agradam bastante. Também são adeptos de carne vermelha e cereais integrais, mas não curtem muito molhos e excesso de pimenta. Cardápio: sopa vichyssoise; frango com arroz integral e cogumelos; torta de nozes e ameixa AQUÁRIO Para os aquarianos, originalidade e inovação na cozinha são fundamentais. No entanto, eles preferem alimentos que não pesem muito no estômago e necessitam de refeições bem nutritivas. Cardápio: salada Cesar; risoto de frango com morangos; tortinha de limão PEIXES Pessoas de Peixes têm predileção por frutos de mar e necessitam de alimentos ricos em vitamina C e ferro. Também apreciam pratos menos tradicionais, como fígado e rim. Cardápio: salada de lula; arroz enformado de frutos do mar; mousse de morango com calda de chocolate

Revista Divino Fogão w novembro-janeiro w 2017

11


BOA FORMA

Saúde 100%

Doenças do coração, diabetes e câncer de próstata estão entre as principais causas de mortes de pessoas do sexo masculino. Mas você sabia que existem alimentos que ajudam a combatê-las?

O

s homens vivem em média sete anos a menos que as mulheres, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), e as razões para isso são as seguintes: maior exposição aos riscos, falta de atenção com a saúde, alimentação rica em gorduras, sedentarismo, tabagismo e obesidade abdominal (barriga).

12

Revista Divino Fogão w novembro-janeiro w 2017

Na lista das doenças que mais os acometem estão as cardiovasculares (infarto e acidente vascular cerebral), as oncológicas (cânceres de próstata e bexiga) e pulmonares (bronquite e enfisema), além de diabetes. “As pessoas do sexo masculino são mais difíceis de se cuidarem, por isso, procuram menos os médicos e, quando o fazem, quase sempre é por in-

fluência de parentes e amigos”, comenta a nutróloga do Hapvida Saúde, Natasha Nascimento Vilanova. Para a especialista, as chaves para passar longe desses problemas são prevenção e qualidade de vida. O que ela recomenda, então, é parar de fumar, diminuir o consumo de bebidas alcoólicas, praticar exercícios físicos regularmente


Foto: Divulgação

AS PESSOAS DO SEXO MASCULINO SÃO MAIS DIFÍCEIS DE SE CUIDAREM, POR ISSO, PROCURAM MENOS OS MÉDICOS E, QUANDO O FAZEM, QUASE SEMPRE É POR INFLUÊNCIA DE PARENTES E AMIGOS” Natasha Nascimento Vilanova, nutróloga do Hapvida Saúde

– sempre com acompanhamento profissional – e manter o hábito de uma avaliação rotineira de consultas médicas. “Também é fundamental ter uma dieta saudável. Para isso, deve-se evitar alimentos processados, industrializados, frituras e gorduras, bem como sal e açúcar em excesso, e optar pelos alimentos in natura como frutas, verduras e legumes”, indica Natasha. E tem muito ingrediente que pode ajudar a melhorar a saúde dos homens. Um dos principais é o tomate. Só para se ter uma ideia do seu poder, um estudo realizado pelas universidades de Cambridge, Oxford e Bristol, no Reino Unido, constatou que quem consome mais de dez porções do fruto por semana pode reduzir em 20% os riscos de câncer de próstata.

De acordo com os pesquisadores britânicos, seus benefícios em termos de propriedades anticancerígenas provavelmente vêm do licopeno, um antioxidante que pode proteger o organismo contra danos nas células e no DNA.

MAIS ALIMENTOS

Outros alimentos essenciais para as pessoas do sexo masculino são as frutas vermelhas como morango, amora, framboesa e mirtilo. Ricas em antioxidantes, elas contam com fitoquímicos, incluindo antocianinas, catequinas, ácido elágico, flavonóides, ácido gálico, quercetina, rutina e vitamina C, que ajudam a prevenir alguns tipos de câncer, infecções urinárias, doenças cardíacas e perda de memória. A nutricionista do Divino Fogão, Viviane Gomes, sugere ainda o consumo regular de cereais e arroz integrais, aveia e amêndoa. “Os primeiros diminuem as taxas de colesterol e a pressão sanguínea, promovem saciedade, melhoram o funcionamento do intestino e ajudam

no emagrecimento. Já o último diminui o colesterol e o açúcar no sangue, reforça os níveis de testosterona e o crescimento muscular”, explica. Na lista de produtos que não podem faltar no prato e no copo dos homens também estão suco de uva (tem antioxidantes que varrem os radicais livres e relaxam os vasos, controlando a pressão arterial), feijão, lentilha e grão de bico (são riscos em fibras e auxiliam na regularização intestinal), azeite de oliva (é aliado no equilíbrio do colesterol), vegetais verde escuro como espinafre e couve (ricos em vitaminas, minerais e fibras, ajudam na prevenção de doenças cardíacas, diabetes e alguns tipos de câncer) e peixes, especialmente o salmão e o atum (contém proteínas e ômega 3, gorduras essenciais para o organismo).

Revista Divino Fogão w novembro-janeiro w 2017

13


Foto: Idario Café

ESPECIAL FAMA

Juntos, na comida e na corrida Com a paixão pelas competições off-road no DNA, o empresário Reinaldo Varela, sua esposa Nani e os filhos Rodrigo, Gabriel e Bruno compõem a equipe Divino Fogão Rally Team 14

Revista Divino Fogão w novembro-janeiro w 2017

N

ormalmente, as famílias se reúnem para comemorar aniversários e casamentos, visitar parentes e amigos e almoçar ou jantar juntos. No caso do clã Varela, a história é um pouco diferente: o que eles realmente gostam de fazer juntos é enfrentar os desafios das competições off-road nos finais de semana.


o Foto: Doni Ca

stilho | DFOT

OS

çã Foto: Divulga

meio na etapa de encerramento do Campeonato Brasileiro de Rally Baja. E essa participação foi ainda mais especial porque foi a primeira vez que os cinco competiram juntos. “Minha estreia foi com muito sol, poeira e depois chuva. Tudo de bom e ruim que pode ter num rali. Foi difícil, mas adorei”, relata Nani.

UNIDOS PELO ESPORTE Já a primeira vez em que pai e filhos correram juntos, cada um em sua respectiva categoria, foi no ano passado, na 23ª edição do Rally dos Sertões. Na ocasião, Reinaldo disputou com uma picapeprotótipo Toyota Hilux, e

Foto: SandersonPereira.com

Tudo começou com o patriarca Reinaldo Varela. Empresário de sucesso e dono da rede Divino Fogão, ele participa de ralis mundo afora há 35 anos. Nesse período, já disputou mais de 350 corridas e tem várias conquistas no currículo – ele é, por exemplo, bicampeão mundial de Rally Cross Country, heptacampeão brasileiro de Rally Cross Country e o campeão do Rally dos Sertões 2015. “Sempre me encantei por velocidade. Quando estava na faculdade, vi a divulgação de um rali universitário, de regularidade, e resolvi experimentar. Isso foi em setembro de 1982. De lá para cá, nunca mais parei”, conta. Completamente apaixonado e envolvido com o esporte, Reinaldo acabou transferindo esse amor para os filhos Rodrigo, de 25 anos, Gabriel, de 22 anos, e Bruno, de 20 anos. E não pense você que a matriarca da "família da poeira", como são conhecidos no meio off-road, fica de fora. Muito pelo contrário. Nani Varela está sempre presente e ainda é a responsável por organizar toda a logística da equipe Divino Fogão Rally Team. “Acompanhar o rali sempre foi uma diversão. Fizemos amigos e conhecemos muitos lugares ao longo desses anos. A cada mês é uma viagem e muitas aventuras, e assim nossa família está sempre se divertindo na poeira e na lama”, relata. Apesar de cuidar de tudo o que é necessário para os pilotos fora das pistas, em dezembro de 2015, Nani acumulou outra função: foi a navegadora do filho do

Revista Divino Fogão w novembro-janeiro w 2017

15


Rodrigo, Gabriel e Bruno conduziram UTV’s. “É bem legal a família toda estar envolvida no esporte, isso une e fortalece, além de ser divertido. Aproveitamos a força e a experiência de nossos pais, e o resultado é que a cada corrida tem pelo menos um Varela andando na frente”, diz Rodrigo, que começou correndo de quadriciclo e, em 2012, mudou para a UTV. Nas competições, cada membro do clã tem uma função. “Eu, meu pai e meus irmãos temos responsabilidades sobre os nossos equipamentos, e a minha mãe é quem cuida com muito carinho da organização e faz tudo para que tenhamos conforto e boa alimentação. Ela é o nosso equilíbrio, o nosso porto seguro”, complementa o primogênito. Bruno conta que a convivência é bem divertida e que, às vezes, vira uma grande bagunça. “É um clima muito

16

Revista Divino Fogão w novembro-janeiro w 2017

Foto: SandersonPereira.com

Foto: Keiny Andrade

fe Foto: Idario Ca

Foto: Divulgação

ESPECIAL FAMA

CONSEGUI TODOS OS TÍTULOS QUE DISPUTEI, SEMPRE DE FORMA SUADA E DIFÍCIL, MAS AINDA QUERO PARTICIPAR DE MUITAS COMPETIÇÕES” Reinaldo Varela

gostoso. Mesmo competindo entre nós, sempre nos ajudamos quando necessário, e isso é o mais importante.” Gabriel também é só elogios quando o assunto é a família e o esporte. “É muito legal. Ficamos unidos e procuramos nos aperfeiçoar sempre. É ótimo ter a família ajudando, e melhor ainda ter uma mulher experiente em rali, a minha mãe, pensando em tudo”, acrescenta.

PRÓXIMOS PASSOS Mesmo já tendo conquistado muitos pódios e campeonatos, os Varelas querem mais. “Se eu estiver fisicamente bem e competitivo, vou tentar correr até a idade em que o piloto Jean-Louis Schlesser correu (67 anos). Consegui todos os títulos que disputei, sempre de forma suada e difícil, mas ainda quero participar de muitas competições”, garante o patriarca. “E com a comida do


Foto: Keiny Andrade

Divino Fogão me alimentando bem assim, vou correr até os 90 anos!”, adverte. Para ele, também é fundamental manter a união e a har-

monia na família. “O rali é uma grande escola para a vida e para os negócios. Então, vamos continuar competindo sempre em equipe. Os resultados são conse-

quência de nossa organização e trabalho sério e contínuo”. Essa talvez seja a principal receita de sucesso da família Varela dentro e fora das pistas.

Receita preferida de Reinaldo Varela

Receita preferida de Nani Varela

COSTELINHA SUÍNA COBERTA COM MOLHO DE GOIABA

SAGU AO VINHO COM CREME DE BAUNILHA

Ingredientes

Ingredientes para o sagu

10ml de suco de limão 50g de gengibre 150g de sal 100g de alho 1 cebola pequena 1,5kg de costelinha suína 200g de goiabada 500ml de água 100g de catchup 30ml de molho de pimenta 50ml de molho inglês

1,2 litro de água 200g de sagu de mandioca 500ml de vinho tinto 500g de açúcar refinado 6 cravos da Índia 1 canela em pau

Modo de preparo Bata no liquidificador o suco de limão, o gengibre, o sal, o alho e a cebola. Tempere a costelinha e deixe descansando por duas horas. Pique a goiabada em uma panela, leve-a ao fogo e dissolva com a água. Depois de dissolvida, acrescente o catchup, a pimenta e o molho inglês. Misture e deixe ferver para encorpar bem. Reserve. Coloque a costelinha em uma assadeira, cubra com papel alumínio e leve ao forno (180°C) por 25 minutos. Depois de cozida, retire do forno e cubra com o molho de goiaba dos dois lados de cada costelinha. Retorne ao forno por mais 30 minutos para dourar. Retire do forno e corte. Coloque em uma travessa. Dica: sirva com batatas coradas ou legumes cozidos. Rendimento: 8 a 10 porções Tempo de preparo: 180 minutos

Ingredientes para o creme de baunilha 500ml de leite integral 75g de açúcar refinado 15g de farinha de trigo 150g de gema de ovo 200ml de creme de leite Essência de baunilha Modo de preparo do sagu Leve a água ao fogo e deixe até levantar fervura. Acrescente o sagu e deixe cozinhar até ficar transparente. Coloque o vinho tinto, o açúcar, o cravo e a canela. Deixe esfriar. Modo de preparo do creme de baunilha Coloque em uma panela o leite, açúcar, a farinha e as gemas. Leve ao fogo mexendo sempre, até desgrudar do fundo da panela. Retire do fogo, acrescente o creme de leite e a essência de baunilha. Montagem: coloque em um recipiente o creme de baunilha. Deixe esfriar e ponha o sagu por cima. Rendimento: 30 porções Tempo de preparo: 50 minutos

Revista Divino Fogão w novembro-janeiro w 2017

17


FORNO & FOGÃO

Foto: Divulgação

Panelas específicas ajudam no preparo desse clássico da cozinha

OMELETE DE CHAMPIGNON COM BACON Ingredientes

3 ovos Sal a gosto Salsa a gosto 50g de bacon Azeite a gosto 100g de champignon em lâminas

Modo de preparo

Bata ligeiramente os ovos com o sal e a salsa picada. Pique o bacon e frite bem. Reserve. Em uma frigideira, coloque um fio de azeite, acrescente os ovos batidos e frite. Coloque o champignon e o bacon. Feche a omelete ao meio, deixe fritar bem. Rendimento: 1 porção Tempo de preparo: 20 minutos

18

Revista Divino Fogão w novembro-janeiro w 2017

C

om ele dá para preparar bolos, tortas, massas, farofas, suflês, pudins, cremes, maioneses e muitas outras receitas – e, sem ele, várias delas seriam inviáveis, pois sua qualidade de engrossar, aerar e emulsificar são fundamentais. Estamos falando do... ovo. E um dos pratos de maior sucesso com o uso dele, com certeza, é a omelete. Fácil e rápida, ela vai bem sozinha, como acompanhamento e com ou sem recheio. Só que para fazer a omelete perfeita, uma boa panela é necessária. Atualmente, existem no mercado diversas peças, inclusive várias elétricas e específicas para essa finalidade. As indicadas para compra são as que têm revestimento interno antiaderente, o que possibilita o uso de menos óleo, evita que o conteúdo grude e ainda facilita a limpeza.

PREPARO

Para fazer um prato delicioso, as dicas são colocar uma colher de água ou leite (ajuda no crescimento), adicionar uma pitada de maisena ou farinha antes de começar a bater os ovos (deixa mais fofinho), usar os ovos em temperatura ambiente (para que incorporem melhor o ar), e, por fim, “puxar” sempre a mistura para o centro da panela assim que ela começar a solidificar nas beiradas.

BENEFÍCIOS DO OVO

Extremamente versátil na cozinha, o ovo oferece muitos benefícios para a saúde. Segundo a nutricionista do Divino Fogão, Andreia Chiarella, ele é ótimo para os olhos por causa da substância ceoxanpina, e para a manutenção e a recuperação muscular, por causa da albumina. “Também é um alimento com ação antioxidante; rico em vitaminas, como a A e o complexo B, que melhoram o funcionamento do cérebro e previnem distúrbios neurodegenerativos; e bom para o fortalecimento de ossos e dentes”, diz a profissional. Ela ainda defende que o ovo não seja encarado como vilão. “A sua ingestão, assim como de diversos outros ingredientes, apenas depende de como está a saúde de cada um. As únicas ressalvas que faço é que se evite o seu consumo cru ou com a gema mole, por conta da salmonela (bactéria que pode causar infecção) e que as pessoas que têm colesterol alto não o comam frito”, finaliza.

Foto: Ivana Debértolis

Omelete perfeita


Foto: Divulgação

Vitrine

Duas omeletes

A omeleteira elétrica Mondial OM-01 tem 1000 Watts de potência e prepara duas omeletes ao mesmo tempo. Ela conta com lâmpada piloto e alça fria e tem revestimento antiaderente. Preço: 229,90 - Ricardo Eletro: 0300-313-9000 e www.ricardoeletro.com.br

Desenho de ovo Foto: Divulgação

Com 27 cm de comprimento, 12 cm de diâmetro e 6 cm de altura, além de revestimento antiaderente para fácil limpeza, a peça da linha Ovo Joie tem como diferencial o cabo com a imagem de um simpático ovinho. Preço: 199,90 - Submarino: 4003-2000 e www.submarino.com.br

Para micro-ondas

OMELETE DE PIZZA COM AZEITONAS PRETAS

A omeleteira Lékué permite que o preparo seja feito sem óleo e diretamente no forno de micro-ondas. O produto é fabricado em plástico livre de BPA (bisfenol-A), composto nocivo à saúde. Preço: R$ 89,90 - Etna: www.etna.com.br

Ingredientes

Em formato de meia lua, a omeleteira possui revestimento interno antiaderente Starflon e é produzida em alumínio e poliéster. Os cabos, resistente a altas temperaturas, são em baquelite. Preço: 79,90 - Camicado: 3004-5080 e www.camicado.com.br

Leds indicadores A +egg, da Cadence, tem chapas antiaderentes, leds indicadores que avisam quando está ligada e aquecendo e alças isotérmicas. Sua potência varia entre 800W (110V) e 1000W (220V). Preço: R$ 129,00 - Mobly: www.mobly.com.br

Estrutura de alumínio Da Brinox, a omeleteira Chilli está disponível nas cores vermelha e grafite. Segundo a fabricante, por conta da sua estrutura de alumínio, o calor é melhor dissipado, o que garante o cozimento do ovo por igual. Preço: 89,99 - Etna: www.etna.com.br

* Preços sujeitos a alterações e produtos sujeitos a disponibilidade em estoque

Meia lua

3 ovos Sal a gosto Azeitona preta sem caroço a gosto Azeite a gosto 2 fatias de muçarela ½ tomate picado Orégano a gosto

Modo de preparo

Bata ligeiramente os ovos com o sal e a azeitona preta picada. Reserve. Em uma frigideira, coloque um fio de azeite, acrescente os ovos batidos e deixe fritar. Coloque as fatias de muçarela, o tomate picado e o orégano no centro da omelete. Feche a omelete ao meio e deixe cozinhar bem os ovos. Rendimento: 1 porção Tempo de preparo: 20 minutos

Revista Divino Fogão w novembro-janeiro w 2017

19


PRATO CHEIO

Gastronomia brasileira Resultado de uma grande mistura de ingredientes e tradições, a culinária do País é riquíssima e muito variada. Nas páginas a seguir, confira quais as características de cada região e aprenda a preparar deliciosas receitas típicas

A

rica e saborosa culinária brasileira é resultado de uma grande mistura de ingredientes e tradições. Praticamente todos os pratos que preparamos hoje em dia devem-se à mescla de alimentos que a população nativa indígena produzia e o que os imigrantes trouxeram para cá ao longo dos anos. E, em um País tão grande – a extensão territorial é de 8.515,767,049 quilômetros quadrados –, é de se esperar que cada região tenha as suas particularidades gastronômicas.

20

Revista Divino Fogão w novembro-janeiro w 2017

Atento a isso, o Divino Fogão atua desde 1984 de maneira inovadora, servindo o que há de mais saboroso e variado no cardápio da comida brasileira, focando especialmente na culinária típica da fazenda. Atualmente, a rede é nacionalmente reconhecida pelos produtos de excelente qualidade – todos os dias, e a qualquer hora, seus restaurantes servem alimentos frescos e deliciosos – e por manter um sabor genuinamente nacional.

Além disso, por estar presente de Norte a Sul do País, a marca – loja âncora em qualquer praça de alimentação de shopping center – reflete o gosto dos brasileiros e proporciona uma verdadeira viagem gastronômica. E para que você participe dessa viagem conosco, nas páginas a seguir, você conhecerá um pouco mais da culinária de cada região do Brasil e ainda terá acesso a receitas exclusivas para preparar na sua casa, esteja você onde estiver!


REGIÃO SUDESTE

ESPÍRITO SANTO, MINAS GERAIS, RIO DE JANEIRO E SÃO PAULO Essa é a região de origem do Divino Fogão, e, como a gastronomia das grandes cidades desta parte do País incorporou receitas e hábitos de inúmeras culturas, é até difícil definir qual é a sua culinária típica. No campo, a comida de fazenda, que serviu de inspiração para o cardápio da rede, ainda alegra e alimenta as famílias. Em Minas Gerais, por exemplo, receitas como feijão tropeiro e angu relembram os tempos dos bandeirantes. Os mineiros também criaram uma série de quitutes típicos: pão de queijo, frango com quiabo, leitão à pururuca e tutu à mineira, entre muitos outros. Sem

falar nos inúmeros queijos, doces e compotas. Os tropeiros deixaram sua influência em São Paulo, na forma de alimentos secos e gordurosos: arroz, feijão, carne seca, farinha de mandioca e milho. No entanto, é impossível apontar apenas um prato ou ingrediente que consiga expressar a culinária de uma megalópole como a capital paulista, e nela ainda pode-se provar sabores originários de dezenas de países, devido aos inúmeros restaurantes que possui. Já a gastronomia do Rio de Janeiro é marcada pela influência portuguesa. As mais di-

versas formas de se preparar o bacalhau e os frutos do mar são o principal destaque no estado, principalmente se colocadas nessa lista a moqueca de cação e os mexilhões ao vinagrete. Feijoada e caipirinha também são bem apreciados nos fins de semanas cariocas. O pessoal do Espírito Santo, por sua vez, tem profundo orgulho de sua moqueca. Diferente da baiana, a dos capixabas leva, além de peixe, tomate, cebola, coentro, azeite e urucum (colorau). O turista que visita o litoral também pode conhecer a caldeirada de mexilhões, condimentada com vinho branco, azeite e pimenta.

Ingredientes 200ml de suco de limão 150ml de vinagre 70g de sal 100g de alho 2 cebolas pequenas 200g de cenoura ralada 50g de páprica picante

Fotos: Keiny Andrade

PERNIL À PURURUCA 50ml de molho inglês 5g de pimenta do reino 100g de salsão 4 folhas de louro 1 pernil ou paleta suína com couro 200ml de óleo para pururucar

Modo de preparo Bata no liquidificador ou processador o suco de limão, o vinagre, o sal, o alho, a cebola, a cenoura, a páprica, o molho inglês e a pimenta do reino. Retire do liquidificador e coloque o salsão picado e as folhas de louro. Perfure todo o pernil e tempere fazendo com que o tempero penetre nos furos. Deixe descansando de um dia para o outro na geladeira. No dia seguinte, envolva o pernil com todo o tempero em um papel alumínio e coloque para assar por três horas no forno a 170ºC. Retire o papel alumínio e deixe por mais uma hora para pegar cor. Retire do forno e regue com óleo quente para pururucar. Você pode servir com batatas coradas ou farofa. Rendimento: 15 a 20 porções Tempo de preparo: 4 horas a 5 horas

Revista Divino Fogão w novembro-janeiro w 2017

21


PRATO CHEIO

REGIÃO NORDESTE

ALAGOAS, BAHIA, CEARÁ, MARANHÃO, PARAÍBA, PERNAMBUCO, PIAUÍ, RIO GRANDE DO NORTE E SERGIPE

A culinária nordestina é ex-

tremamente variada, com receitas marcadas pelas necessidades advindas do clima semiárido, e muitas ligadas à conservação de alimentos e com altos teores calóricos. Ao longo dos séculos, os vaqueiros desenvolveram a predileção pelo consumo de pratos simples e resistentes, feitos à base de carne de sol, mandioca, milho e feijão. Na zona da mata e no litoral, o destaque vai para os frutos do mar. O gosto por temperos fortes, sobretudo a pimenta, aparece em toda a culinária da região. Além disso, muitas vezes, o mes-

mo prato pode ser encontrado em cada um dos nove estados que compõem a região, mas com um toque ou sabor diferente. As receitas derivadas da mandioca, base da alimentação indígena, também são marcantes na culinária nordestina, assim como os doces. E há, claro, os pratos típicos das festas juninas. Entre tantos deliciosos, destaque para canjica, curau, pipoca, pamonha e bolo de milho. Outro ponto alto é a variedade de frutas. A lista é enorme: acerola, araçá, caju, goiaba, graviola, jaca, jambo, sapoti, pitomba...

A culinária desta parte do Brasil ainda é marcada por influências de outros continentes. Por exemplo, o coco, um dos seus mais importantes ingredientes, tem origem na Índia e chegou em barcos portugueses. O sarapatel e a buchada são receitas criadas também a partir da cozinha portuguesa. O azeite de dendê, tempero presente em boa parte dos pratos, assim como a pimenta malagueta, foi trazido pelos africanos. O acarajé e o vatapá são frutos dessa mistura cultural, e tudo isso resulta em uma culinária rica em temperos e em criatividade.

CARNE-DE-SOL COM MANDIOCA CREMOSA

Fotos: Keiny Andrade

Ingredientes 1,5kg de carne-de-sol 100ml de óleo 6 dentes de alho picado 150g de cebola fatiada 25g de colorau

2 litros de água fervente 500g de mandioca 500ml de creme de leite Salsa picada a gosto

Modo de preparo Deixe a carne-de-sol de molho em água, de um dia para outro, trocando a água algumas vezes até perder o sal. Escorra e corte a carne em cubos grandes. Após aquecer o óleo, doure o alho e a cebola, acrescente o colorau e a carne. Em seguida, adicione a água. Deixe cozinhar por 45 minutos, aproximadamente, ou até a carne ficar tenra. Junte a mandioca cortada em toletes partidos ao meio. Finalize o cozimento quando a carne e a mandioca estiverem macias. Coloque o creme de leite, continue o cozimento por cinco minutos e acrescente a salsa picada. Rendimento: 20 porções Tempo de preparo: 105 minutos

22 Revista Divino Fogão w novembro-janeiro w 2017


REGIÃO SUL

PARANÁ, RIO GRANDE DO SUL E SANTA CATARINA A natureza concedeu dois importantes ingredientes à gastronomia regional: o pinhão e a erva-mate. O primeiro é a semente da araucária, árvore símbolo do Paraná, e pode ser preparada assada ou cozida, e usada em várias receitas, tanto misturada a carnes, como em forma de doces. Já a erva-mate é utilizada para fazer o chimarrão, bebida símbolo do Rio Grande do Sul. A gastronomia dos esta-

dos sulinos compartilha costumes com os países da área do Rio da Prata (Argentina e Uruguai) – o principal exemplo dessa proximidade é o churrasco –, e recebeu forte influência da imigração italiana, tanto que por lá são comuns polenta, massas, embutidos e vinhos. A imigração alemã foi outra que deixou sua marca na culinária do Sul do País, especialmente com o eisbein ( joelho de porco) e os pratos à

base de batatas, além da cerveja – não é à toa que a Oktoberfest, comemorada em outubro, acontece por lá. Dos tropeiros, que saiam do Sudeste para negociar com os criadores sulinos de gado, ficou a comida feita à base de arroz, feijão, mandioca, milho e carnes salgadas. Já a imigração dos açorianos, núcleo africano principalmente de pescadores, deixou excelentes receitas com frutos do mar em Santa Catarina.

Ingredientes 1kg de canjiquinha 2,5 litros de água 500g de lombo suíno 50g de sal Pimenta do reino a gosto 50ml de óleo 500g de bacon cortado em cubos

Fotos: Keiny Andrade

CANJIQUINHA COM LOMBO SUÍNO 1 cebola grande picada 50g de alho 20g de colorau 500g de linguiça calabresa 10g de salsa picada bem fina 10g de cebolinha picada fina

Modo de preparo Deixe a canjiquinha de molho na água por aproximadamente quatro horas ou, se preferir, de um dia para outro. Depois, escorra e reserve. Corte o lombo em cubos e tempere com sal e pimenta. Aqueça o óleo. Frite o bacon, retire e reserve. Na mesma gordura, refogue a cebola e o alho. Coloque o lombo e o colorau, deixando corar bem. Junte a canjiquinha e misture bem. Coloque a água e cozinhe por 20 minutos. Quando estiver quase no ponto, acrescente a linguiça calabresa e o bacon frito. Continue cozinhando, mexendo e repondo a água, se precisar. Depois de cozida, coloque a salsa e a cebolinha. Dica: se quiser, pode substituir o lombo por costelinha ou suam de porco Rendimento: 25 porções Tempo de preparo: 60 minutos

Revista Divino Fogão w novembro-janeiro w 2017

23


PRATO CHEIO

REGIÃO CENTRO-OESTE

GOIÁS, MATO GROSSO, MATO GROSSO DO SUL E DISTRITO FEDERAL A culinária dessa região do País recebeu inicialmente grande influência dos bandeirantes e dos garimpeiros, que chegaram por lá durante o período do Brasil Colônia carregando provisões de São Paulo e Minas Gerais, incluindo feijão tropeiro, toucinho e banha de porco. E foi da mistura desses pratos com os temperos originais do cerrado e do Pantanal que nasceu a comida do Centro-Oeste. Entre os alimentos mais conhecidos do cerrado está o pequi – sua semente é refogada com arroz, frango ou carne. Também faz sucesso a guariroba, espécie de palmito amargo refogado ao molho

ou servido com arroz. Em Goiás, a empada é um dos carros-chefes, mas, por lá, ela é bem maior que a tradicional e tem ingredientes como carne de porco, linguiça, guariroba e queijo. Em uma boa refeição pantaneira não podem faltar os peixes, feitos nas mais diversas formas. O caldo de piranha é comum na mesa do matogrossense. Os acompanhamentos mais apreciados são o arroz, a farofa de banana e o pirão. As carnes bovinas e suínas também são apreciadas no Centro-Oeste. Elas geralmente são acompanhadas de arroz, banana verde, farinha de mandioca ou

da própria mandioca, cozida ou frita. As receitas mais populares são a costela atolada, o guisado à moda cuiabana, a carne seca com banana, o picadinho com quiabo e a vaca atolada. Um prato típico, saboroso e de fácil preparo é a mariaisabel, feita com carne seca e arroz, temperados com cheiro verde, tomate e cebola. Destaque, ainda, para carnes exóticas como as de javali, jacaré e capivara. Em Brasília, a mistura de hábitos e tradições é uma herança dos “candangos”, migrantes de várias regiões do País que trabalharam na construção da nova capital, no fim da década de 1950, e que acabaram se estabelecendo por lá.

FEIJÃO DA ROÇA

Fotos: Keiny Andrade

Ingredientes 250g de carne seca dessalgada, cortada em cubos 250g de toucinho cortado em cubos 200g de bacon cortado em cubos 5 ovos 4 folhas de couve 400g de feijão carioca 30g de colorau

40g de alho picado 1 cebola média picada 150g de farinha de mandioca 100g de farinha de milho 150g de linguiça calabresa cortada em cubos 30g de salsa picada Cebolinha verde picada a gosto

Modo de preparo Coloque a carne seca na água por oito a dez horas para tirar o sal (faça isso um dia antes). Frite o toucinho até formar o torresmo e reserve a gordura. Frite o bacon até dourar e reserve a gordura. Cozinhe a carne seca e reserve. Frite os ovos na gordura do bacon; depois, pique e reserve. Pegue um pouco da gordura do toucinho, refogue a couve e reserve. Cozinhe o feijão com o colorau em 1,2 litro de água até ficar macio (controle a água para não secar demais) e reserve. Aqueça a gordura do toucinho e doure o alho e a cebola. Tempere o feijão. Coloque as farinhas e misture bem. Em seguida, acrescente todos os outros ingredientes. Coloque em uma travessa e decore com a cebolinha verde picada. Rendimento: 15 porções Tempo de preparo: 90 minutos

24

Revista Divino Fogão w novembro-janeiro w 2017


REGIÃO NORTE

ACRE, AMAPÁ, AMAZONAS, PARÁ, RONDÔNIA, RORAIMA E TOCANTINS Como a maior parte da população vive próxima de grandes rios, os peixes têm presença marcante na culinária local, que também lança mão de um número enorme de ingredientes amazônicos. Entre os principais estão peixes, raízes, sementes, folhas e frutas locais, como açaí (fruto consumido com farinha ou frutas, do qual também pode se fazer sucos e polpas), cupuaçu (fruta usada em sucos, doces e sorvetes), peixe tucunaré, urucum (fruto que tem uma semente vermelha, da qual podem ser feitos temperos e corantes), jambu (erva usada em vários pratos da

região, conhecida por adormecer levemente a boca), guaraná e castanha do Pará. Outro carro-chefe da culinária do Norte é a mandioca. Principal legado dos indígenas para a gastronomia nacional, na região ela é base para muitos pratos. Os ciclos de imigração ocorridos nesta parte do País também deixaram seus traços. A colonização portuguesa, por exemplo, levou as técnicas de cozimento e conservação dos mantimentos no sal e no açúcar. Dessa combinação surgiram conservas, doces e licores feitos com ingredientes regionais.

Durante o ciclo de exploração da borracha, no início do século XX, migrantes de todas as partes do Brasil e imigrantes japoneses e libaneses influenciaram a cozinha local. Os pratos mais conhecidos são o tradicional pato no tucupi (caldo de origem indígena extraído da mandioca-brava), o tacacá (sopa que tem como ingredientes tucupi, goma de mandioca, camarão e jambu), a maniçoba (também chamada de feijoada paraense) e a caldeirada de tucunaré (o peixe é cozido com legumes, ovos e tomate).

Ingredientes 1 cebola Óleo 400g de arroz 1,2 litro de água fervente 150g de extrato de tomate 4 tomates sem pele, picados Sal a gosto

Fotos: Keiny Andrade

ARROZ DE FORNO COM CAMARÃO Orégano a gosto 200g de camarão médio 100g de ervilhas frescas 2 ovos 60g de queijo parmesão ralado 250g de muçarela ralada

Modo de preparo Refogue a cebola com um pouco de óleo, coloque o arroz e, em seguida, a água fervente. Cozinhe até ficar bem sequinho, tampe a panela e deixe repousar por dez minutos. Bata no liquidificador o extrato de tomate e os tomates sem pele com um pouco de água e o sal. Coloque o orégano, o camarão e as ervilhas. Cozinhe por dois minutos. Bata os ovos e o queijo ralado. Misture com o arroz. Coloque em uma assadeira e cubra com o molho. Espalhe a muçarela. Leve ao forno quente (180°C) por 10 a 15 minutos. Rendimento: 12 porções Tempo de preparo: 30 minutos

Revista Divino Fogão w novembro-janeiro w 2017

25


DICAS DIVINAS

Fim de ano em grande estilo

A

s festas de fim de ano e as férias estão chegando e, nessa época, nada melhor do que receber a família e os amigos em casa. Para te ajudar a preparar um almoço ou jantar de confraternização com requinte e sofisticação, o Divino Fogão preparou três re-

ceitas bem especiais. Para a entrada, a pedida é uma deliciosa Bruscheta Italiana; o prato principal é um suculento Assado Vienense; e, para fechar a refeição com chave de ouro, a sobremesa é um incrível Cheesecake de Frutas Vermelhas. Aproveite e boas comemorações!

Ingredientes 3 tomates sem sementes e picados ½ cebola picada 1 dente de alho picado Manjericão a gosto Orégano a gosto Sal e pimenta a gosto 1 baguete ou pão italiano tipo ciabatta 250 g de muçarela ralada Azeite a gosto

Foto: Divulgação

ENTRADA: BRUSCHETA ITALIANA

Modo de preparo Em uma tigela pequena, misture o tomate, a cebola, o alho, o manjericão, o orégano, o sal e a pimenta. Misture bem, cubra e coloque na geladeira. Pré-aqueça o forno a 190 ºC. Corte a baguete em 12 fatias no sentido diagonal. Arrume as fatias de pão numa assadeira e leve-as ao forno por 5 minutos, ou até que estejam douradas. Abaixe a temperatura do forno para 125 ºC. Passe a mesma quantidade da mistura de tomate em cada torrada. Cubra cada uma com muçarela. Ponha as fatias no tabuleiro e leve ao forno, por cerca de dois minutos, para que o queijo derreta e comece a escorrer sobre o tomate. Sirva imediatamente. O azeite é opcional. Rendimento: 12 porções Tempo de preparo: 20 minutos

26

Revista Divino Fogão w novembro-janeiro w 2017


PRATO PRINCIPAL: ASSADO À VIENENSE

1 xícara (chá) de farinha de trigo 2 cenouras Azeitonas a gosto 200g de muçarela ralada Orégano a gosto Molho de tomate a gosto

Fotos: Divulgação

Ingredientes 4 ovos Cheiro verde a gosto 1 linguiça calabresa 1 cebola ralada 500g de carne moída Sal a gosto

Modo de preparo Bata ligeiramente os ovos. Lave e pique o cheiro verde. Retire a pele da linguiça calabresa. Rale a cebola. Tempere a carne moída com a cebola ralada, o sal, a farinha de trigo e o ovo batido e misture bem para pegar liga. Abra a carne sobre um filme plástico formando um retângulo. Coloque a linguiça calabresa, as cenouras, as azeitonas a muçarela ralada, polvilhe o orégano e o cheiro verde, enrole como um rocambole e feche bem as pontas. Embrulhe em papel alumínio e asse em forno 170ºC por 45 minutos. Desembrulhe e corte em fatias, disponha em uma travessa, coloque o molho de tomate por cima e volte ao forno por mais cinco minutos. Dica: sirva com arroz branco, batata palha e salada verde. Rendimento: 5 porções Tempo de preparo: 60 minutos

SOBREMESA: CHEESECAKE DE FRUTAS VERMELHAS Ingredientes para a massa 200g de bolacha tipo maisena 3 colheres (sopa) de margarina derretida Ingredientes para o recheio 2 caixas de creme de leite 200g de queijo Minas 1 lata de leite condensado 2 envelopes de gelatina incolor Ingredientes para a Geleia de Frutas Vermelhas 300g de morango fresco 300g de açúcar 200g de frutas vermelhas (polpa) 1 limão (suco) Modo de preparo Massa: Triture no liquidificador a bolacha até formar uma farofa, acrescente a margarina já derretida. Mexa até formar uma massa. Recheio: Bata no liquidificador o creme de leite, o queijo Minas e o leite condensado. Acrescente a gelatina incolor já hidratada, conforme as instruções da embalagem. Geleia de Frutas Vermelhas: Após lavar os moran-

gos, leve ao fogo em uma panela junto com o açúcar, a polpa e o suco de limão, após ferver deixar em fogo baixo por 20 a 25 minutos até engrossar, retirando a espuma que vai se formando. Deixe esfriar e reserve. Montagem: Coloque a massa em uma forma com fundo falso. Acrescente o recheio sobre a massa, cubra com o filme plástico. Leve para gelar por, no mínimo, quatro horas. Desenforme o Cheesecake, espalhe a calda e sirva. Rendimento: 8 porções Tempo de preparo: 50 minutos

Revista Divino Fogão w novembro-janeiro w 2017

27


SEÇÃO GOURMET

Cereal da vida B

ase da alimentação de povos de todos os cantos do planeta e segundo alimento mais consumido no mundo – só perde para o leite –, o trigo, segundo registros históricos, começou a ser cultivado por volta do ano 10000 a.C., na Mesopotâmia, região conhecida como Crescente Fértil (vai do Egito ao Iraque, estendendo-se pelo mar Mediterrâneo). Naquela época, como informa a Associação Brasileira da Indústria de Trigo (Abitrigo), os grãos do cereal eram degustados em uma espécie de papa e misturados com peixes, castanhas, frutas e água. Aos poucos, ele foi se espalhando pelo mundo e sua forma de ingestão mudou: virou pão, massa, biscoito... No Brasil, chegou em 1534, trazido por Martim Afonso de Souza, que desembarcou na capitania de São Vicente. De tão benéfico e especial, o trigo, por aqui, já foi até tema de música (Cio da Terra, de Milton Nascimento e Chico Buarque) e tem um dia para ser celebrado (10 de novembro). Cientificamente, o alimento chama-se Triticum e estu-

28 Revista Divino Fogão w novembro-janeiro w 2017

diosos apontam pelo menos 30 mil variedades. No território nacional, a mais empregada é a Triticum aestivum L. De acordo com a Abitrigo, são as sutilezas em seu conteúdo proteico que determinam a sua utilização. Por exemplo, quando ele tem altos teores de proteína, algo como 15%, é perfeito para a preparação de pães. Se a quantidade for mediana, ou seja, cerca de 10%, aí entra na fabricação de biscoitos, e, se for inferior a 8%, é o tipo ideal para bolos e biscoitos mais moles. Já o macarrão pede outra versão, o Triticum durum. Isso porque, graças ao arranjo de suas proteínas, a massa fica mais resistente.

VANTAGENS DO TRIGO Mas quais são as reais vantagens do trigo? A nutricionista do Divino Fogão, Heloa Urban Papadopoli, diz que o alimento é uma excelente fonte de fibras e auxilia no bom funcionamento do intestino. “Ele também tem vitaminas E e do complexo B, potássio, zinco, magnésio e

Foto: Ivana Debértolis

Ele é o segundo alimento mais consumido no mundo e ingrediente indispensável de pães e massas. Comemore o Dia Nacional do Trigo com o Divino Fogão e anote receitas exclusivas

selênio, nutrientes que ajudam na prevenção de doenças crônicas como as cardíacas e a diabetes”, afirma. Além disso, por ser rico em carboidratos, fornece energia para o corpo e é fundamental para a produção de serotonina (neurotransmissor responsável pela sensação de bem-estar, redução da ansiedade e regulagem do humor e do apetite). Se for integral, o cereal, garante a especialista, ainda reduz os riscos de doenças coronarianas, controla o colesterol sanguíneo e promove uma maior saciedade, ajudando em dietas de emagrecimento.


VAMOS DEBULHAR O TRIGO § No mercado há uma grande variedade de farinhas (refinadas brancas, amarelas e integrais), além de farelo, fibra, gérmen, pães, massas e outros produtos à base de trigo. § O cereal pode ser usado para preparar pães, massas, biscoitos, tortas, doces e o que mais a criatividade permitir. § Ao que tudo indica, a invenção do pão deve-se aos egípcios. Acredita-se que, por volta de 4000 a.C, eles descobriram o processo de fermentação do trigo. § No passado, além de alimentar as pessoas, o trigo, na forma de pão, era oferecido aos mortos e como oferenda para deuses e divindades. § A estrutura do trigo é divida em farelo (parte mais externa, é rica em fibras, vitaminas do Complexo B, magnésio e zinco), endosperma (contem grandes quantidades de carboidrato e porções de proteínas que formam o glúten) e gérmen (tem ação antioxidante por conta da vitamina E). Fonte: Associação Brasileira da Indústria de Trigo (Abitrigo)

CONFIRA AS RECEITAS DO DIVINO FOGÃO EM HOMENAGEM AO TRIGO PANQUECA DE ESPINAFRE COM RICOTA

Fotos: Divulgação

ESPAGUETE COM BRÓCOLIS

Ingredientes 500g de espaguete cru 6 dentes de alho 1 cebola 500g de brócolis 4 colheres de sopa de azeite Sal a gosto Modo de preparo Cozinhe o espaguete conforme as instruções da embalagem. Quando o espaguete estiver cozido (al dente), escorra e reserve. Descasque e pique o alho e a cebola. Pré cozinhe o brócolis em água até ficar al dente e reserve. Em uma frigideira, aqueça o azeite e doure o alho e a cebola. Junte o brócolis, refogue por alguns minutos e corrija o sal. Junte ao espaguete. Rendimento: 8 porções Tempo de preparo: 20 minutos

Ingredientes para a massa 1 e ¾ de xícara (chá) de farinha de trigo Sal a gosto 2 colheres (sopa) de óleo 3 ovos 1 litro de leite

Ingredientes do recheio 2 dentes de alho ½ cebola Cheiro verde a gosto 1 maço de espinafre 2 colheres (sopa) de azeite Sal a gosto 1 kg de ricota 16 unidades de panquecas

Modo de preparo Primeiramente faça as panquecas: coloque os ingredientes no liquidificador, bata tudo e faça os discos da panqueca na frigideira. Reserve. Depois, descasque e pique o alho e a cebola. Lave e pique o cheiro verde. Cozinhe o espinafre até murchar, escorra e pique. Esfarele a ricota e reserve. Após o pré-preparo, coloque em uma panela o azeite, o alho, o sal e a cebola até dourar. Acrescente o espinafre e deixe refogar. Reserve. Em uma tigela, misture o espinafre refogado com a ricota e o cheiro verde, acerte o sal e regue com um fio de azeite. Recheie as panquecas e coloque-as em uma travessa. Regue com um molho de sua preferência. Leve ao forno com temperatura de 200ºC por 10 minutos. Rendimento: 16 porções

Tempo de preparo: 45 minutos

Revista Divino Fogão w novembro-janeiro w 2017

29


SEÇÃO GOURMET

TORTA DE LEGUMES Ingredientes para a massa 3 ovos ½ xícara (chá) de óleo 1 xícara (chá) de farinha de trigo 1 colher (sopa) de fermento em pó 2 xícaras de leite Sal a gosto Fotos: Divulgação

Ingredientes para o recheio 1 xícara de ervilha 1 xícara de cenoura ralada 1 xícara de palmito em rodelas 2 tomates picados 1 xícara de repolho Cheiro verde a gosto 200 g de muçarela ralada Sal a gosto

Modo de preparo Bata todos os ingredientes da massa no liquidificador até ficar homogêneo. Reserve. Em uma tigela, misture os ingredientes do recheio.

Despeje metade da massa em uma forma de 30cm de diâmetro untada e espalhe o recheio por igual. Cubra com o restante da massa e leve ao forno médio, pré-aquecido, por 45 minutos ou até assar e dourar. Se desejar, sirva acompanhada de requeijão cremoso. Rendimento: 8 porções Tempo de Preparo: 60 minutos

TORTA DE BANANA DA TERRA

Fotos: Keiny Andrade

Ingredientes 300g de farinha de trigo 100g de açúcar refinado 2 gemas 200ml de margarina 3 bananas da terra cortadas em rodelas finas Canela em pó 3 ovos 200ml de leite condensado 200ml de creme de leite

Modo de preparo Misture a farinha, o açúcar refinado, as gemas e a margarina. Amasse bem até formar uma massa homogênea. Cubra com um plástico e reserve. Coloque as bananas em uma panela junto com o açúcar e a canela. Misture bem e deixe cozinhar um pouco (se precisar, coloque um pouco de água). Misture os ovos junto com o leite condensado e o creme de leite, até formar um creme. Forre o fundo e a lateral de uma forma, coloque o doce de banana e reserve um pouco para decorar. Coloque o creme e leve ao forno (170º C) por 25 minutos ou até o creme ficar firme. Retire do forno e coloque o restante das bananas por cima para decorar. Rendimento: 12 porções

30

Tempo de preparo: 45 minutos

Revista Divino Fogão w novembro-janeiro w 2017


fogao12- diagrama.pdf

1

DIVINAS PALAVRAS

13/10/16

ESPECIAL TRIGO

12:56

Horizontais: 1 O trigo para kibe - 8 Abreviatura de anno Domini (no ano do Senhor) - 10 Albert Einstein, autor da Teoria da Relatividade (iniciais) - 11 Número da camisa do goleiro - 12 Salada libanesa feita com trigo cru moído - 14 (...) Scott, diretor de “Perdido em Marte”, filme de 2015 - 16 Sigla de Lei Orçamentária Anual - 17 Parte do trigo com a qual é feito o farelo - 20 José de Alencar, autor de “Iracema” (iniciais) - 21 (...) mignon: corte da carne da rês - 22 Guilherme Uzeda, humorista (iniciais) - 23 Sobre, em inglês - 24 Helena Ranaldi, atriz - 25 Ele, em espanhol - 26 Ovas de esturjão conservadas em sal - 29 Fator sanguíneo descoberto em um macaco - 30 Alexandre Nero, ator (iniciais) - 31 Sigla do Estado do Maranhão - 32 Que tem a cor do trigo maduro (poét.) - 34 Símbolo químico do érbio - 35 Alimento matinal à base de trigo - 36 Massa elaborada com o trigo duro. Verticais: 1 Aparelho para limpar grãos de trigo - 2 Figura central do absolutismo - 3 Excesso na comida e na bebida - 4 Pedra-(...), trata aftas - 5 Liv Tyler, atriz de “O Senhor dos Anéis” - 6 Vestíbulo, átrio, em inglês - 7 Instrumento de sopro de palheta dupla - 8 Adriana Lima, top model (iniciais) - 9 “(...) o Trigo...”, canta Milton Nascimento em “Cio da Terra” - 13 Hiato de “tábua” - 15 Abreviatura de disc-jóquei - 17 Fruto da Piña Colada - 18 (...) Maria Braga, apresentadora do “Mais Você” - 19 País grande produtor e consumidor de trigo - 22 A parte mais nobre do trigo - 27 Parapeito que protege um campo - 28 Amazonas e Nilo - 32 Admirador exaltado de certo artista - 33 Valdyr Espinosa, técnico de futebol (iniciais).

17

18

1

2

10

4

5

11

14

15

19

23

3

20

6

H

13 16

Y 21

É

Ã

22

É

28

29

30

35

9

25

27

32

8

12

24

26

7

© Mano Mendonça - www.cruzadasclube.com.br

Diversão entre as Refeições

31 33 36

Horizontais: 1 O trigo para kibe - 8 Abreviatura de anno Domini (no ano do Senhor) - 10 Albert Einstein, autor da Teoria da Relatividade (iniciais) - 11 Número da camisa do goleiro - 12 Salada libanesa feita com trigo cru moído - 14 (...) Scott, diretor de “Perdido em Marte”, filme de 2015 - 16 Sigla de Lei Orçamentária Anual - 17 Parte do trigo com a qual é feito o farelo - 20 José de Alencar, autor de “Iracema” (iniciais) - 21 (...) mignon: corte da carne da rês - 22 Guilherme Uzeda, humorista (iniciais) - 23 Sobre, em inglês - 24 Helena Ranaldi,

34

E atriz - 25 Ele, em espanhol - 26 Ovas de esturjão conservadas em sal - 29 Fator sanguíneo descoberto em um macaco - 30 Alexandre Nero, ator (iniciais) - 31 Sigla do Estado do Maranhão - 32 Que tem a cor do trigo maduro (poét.) - 34 Símbolo químico do érbio - 35 Alimento matinal à base de trigo - 36 Massa elaborada com o trigo duro.

dos Anéis” - 6 Vestíbulo, átrio, em inglês - 7 Instrumento de sopro de palheta dupla - 8 Adriana Lima, top model (iniciais) - 9 “(...) o Trigo...”, canta Milton Nascimento em “Cio da Terra” - 13 Hiato de “tábua” - 15 Abreviatura de disc-jóquei - 17 Fruto da Piña Colada - 18 (...) Maria Braga, apresentadora do “Mais Você” - 19 País grande produtor e consumidor de trigo - 22 A parte mais nobre do trigo - 27 Parapeito que protege um campo - 28 Amazonas e Nilo - 32 Admirador exaltado de certo artista - 33 Valdyr Espinosa, técnico de futebol (iniciais).

HORIZONTAIS: 1. TRIGUILHO, 8. AD, 10. AE, 11. UM, 12. TABULE, 14. RIDLEY, 16. LOA, 17. CASCA, 20. JA, 21. FILÉ, 22. GU, 23. ON, 24. HR, 25. ÉL, 26. CAVIAR, 29. RH, 30. AN, 31. MA, 32. FLAVO, 34. ER, 35. PÃO, 36. ESPAGUETE. VERTICAIS: 1. TARARA, 2. REI, 3. GULA, 4. UME, 5. LT, 6. HALL, 7. OBOÉ, 8. AL, 9. DEBULHAR, 13. UA, 15. DJ, 17. COCO, 18. ANA, 19. CHINA, 22. GÉRMEN, 27. VALO, 28. RIOS, 32. FÃ, 33. VE.

SOLUÇÃO

SOLUÇÃO

Verticais: 1 Aparelho para limpar grãos de trigo - 2 Figura central do absolutismo - 3 Excesso na comida e na bebida - 4 Pedra-(...), trata aftas - 5 Liv Tyler, atriz de “O Senhor

HORIZONTAIS: 1. TRIGUILHO, 8. AD, 10. AE, 11. UM, 12. TABULE, 14. RIDLEY, 16. LOA, 17. CASCA, 20. JA, 21. FILÉ, 22. GU, 23. ON, 24. HR, 25. ÉL, 26. CAVIAR, 29. RH, 30. AN, 31. MA, 32. FLAVO, 34. ER, 35. PÃO, 36. ESPAGUETE. VERTICAIS: 1. TARARA, 2. REI, 3. GULA, 4. UME, 5. LT, 6. HALL, 7. OBOÉ, 8. AL, 9. DEBULHAR, 13. UA, 15. DJ, 17. COCO, 18. ANA, 19. CHINA, 22. GÉRMEN, 27. VALO, 28. RIOS, 32. FÃ, 33. VE.


Anúncio

Revista Divino Fogão nº 21  

Confira a nova edição da Revista Divino Fogão nº 21