__MAIN_TEXT__

Page 1

EXPOSIÇÃO INDIVIDUAL FLAVYA MUTRAN


Entre 2009 e 2013, época da produção das três séries aqui reunidas, eu imaginava que a autoexposição diária do indivíduo em redes sociais poderia significar uma expansão nas fronteiras entre os territórios íntimos e coletivos. Olhava

para os autorretratos de internautas como espécie de lugares de ressignificações, heterotopias Foucaultianas. Diante do crescente avanço de discursos e comportamentos autoritários que ressoam pelos canais da web, hoje esse conjunto de imagens representa justamente o oposto do que se configura como cenário atual. As figuras em desmanche que integram a série EGOSHOTS, os BIOSHOT e os MAPAS DE RORSCHACH, mais parecem em dissonância com essa sombria onda com acentuada e perigosa curva à direita. Anunciar essa Mostra como distopias não é redesignar as obras sob nova orientação, mas reforçá-las como justamente o contrário do que se apresenta como tendência coletiva nas Redes Sociais. Tomara esses pensamentos distópicos se dissipem com o frescor de novos olhares. Tomara esses (autor)retratos sejam de novo apenas como espelhos refratários de um tempo que os imaginei como registros de insubordinações à ditadura da beleza, contrários às rotulações de gênero, de raça ou extrato social. Ao contrário de lugares utópicos, essas imagens representam justamente o que não se deseja como regra vigente.

Flavya Mutran Março de 2017


EGOSHOT BIOSHOT MAPAS DE RORSCHACH THERE’S NO PLACE LIKE METAL MASTERS


Os EGOSHOTs são multiexposições fotográficas resultantes de daily videos, ou melhor, são espécies de resumos de foto. Como páginas de uma história inconclusa, a série é produzida a partir de longas tomadas condicionadas ao tempo de exibição de dos relatos audiovisuais criados pelos internautas de diferentes paises. Cada EGOSHOT funciona como uma espécie de mapeamento desses testemunhos pessoais que tanto caracterizam a WEB 2.0, e que têm sido responsáveis por derrubar as antigas paredes que protegiam o espaço particular do escritor doméstico e seus relatos íntimos. Abaixo de cada imagem da série, um QR-CODE fornece as informações armazenadas de cada vídeo que originou as fotos. Ao juntar os EGOSHOTs com os QR-Codes o que se pretende é expor parte dos métodos e questionamentos que fizeram parte do trabalho de laboratório da artista, e estendê-los para além dos muros da academia e do espaço expositivo, propondo uma reflexão silenciosa sobre os meios de comunicação e exibição que hoje fazemos uso.


Sem Título Série EGOSHOT Ano: 2009/2010 - Porto Alegre/RS Tamanho: 50x70


Sem Título Série EGOSHOT Ano: 2009/2010 - Porto Alegre/RS Tamanho: 50x70


Sem Título Série EGOSHOT Ano: 2009/2010 - Porto Alegre/RS Tamanho: 50x70


Sem Título Série EGOSHOT Ano: 2009/2010 - Porto Alegre/RS Tamanho: 50x70


Os BIOSHOTs são imagens digitais produzidas a partir do site yearsbookyourself.com, e tratam do complexo processo de produção social, política e ideológica que constitui um rosto. Produzidas usando um programa free commos da web, as fotos desta série são misturas dos traços fisionômicos de Flavya Mutran em matrizes prévias que combinam tipos físicos, sexos, raças, tempos e códigos diferentes. Os autorretratos da série são criações imperfeitas que simulam vidas paralelas, do eu e do outro. São vestígios descolados de um referente direto, são retratos de seres híbridos e sem nomes, presos num passado inexistente, que poderia ou deveria ter acontecido, não fosse apenas imaginação de um tempo que não chegará jamais acontecer... São documentos de um Pretérito Imperfeito. Só o próprio rosto de Flavya é exposto claramente em Pretérito Imperfeito, mas talvez nem mesmo ele esteja lá entre os 52 espelhos BIOSHOT, pois eles também são simulações, recombinações de seus traços fisionômicos que derivam da desconstrução e reconstrução da própria identidade, do lugar em trânsito contínuo enquanto indivíduo e ser social.


52 perfis BIOSHOT. ©Flavya Mutran “Silver Variation” Série BIOSHOT Ano: 2010/2012 - Porto Alegre/RS Tamanho: 30x40

*Para colecionadores há a opção de substituição de rosto da artista para o seu próprio. PREÇO SOB CONSULTA


As fotografias da série ‘Mapas de Rorschach’ são livres interpretações visuais inspiradas nas pranchas criadas pelo suíço Hermann Rorschach. Elaboradas a partir de borrões em paredes, muros, pisos e tetos de Porto Alegre que remetem à fotógrafa lembranças de Belém, as imagens dessa série sugerem leituras de superfícies como se fossem mapas para lugares onde segundo a artista “(re)encontra rostos que habitam entre essas duas cidades”. Esses rostos feitos de manchas são rastros de apagamentos ou reinscrições de um trânsito que não se marca por distâncias, e sim por intensidades. São vestígios de trajetórias inconclusas como as pranchas deixadas por Rorschach que apontam para lugares utópicos, mentais. O rosto, percebido de longe e que se dilui na proximidade do detalhe, se estabelece como o território do afeto, onde a imaginação trafega livre de códigos e até da própria linguagem adotada como plataforma de exibição.


Sem Título Série ‘MAPAS DE RORSCHACH’ 2011 - Porto Alegre/RS Tamanho: 30 x 40 cm


Sem Título Série ‘MAPAS DE RORSCHACH’ 2011 - Porto Alegre/RS Tamanho: 30 x 40 cm


Sem Título Série ‘MAPAS DE RORSCHACH’ 2011 - Porto Alegre/RS Tamanho: 30 x 40 cm


Sem Título Série ‘MAPAS DE RORSCHACH’ 2011 - Porto Alegre/RS Tamanho: 30 x 40 cm


METAL MASTER é formada por um conjunto de 20 (ou 24) peças monocromáticas (P.A. – provas de artista) tendo como tema central paisagens à céu aberto, com poucos ou nenhum vestígios da presença humana. São cenários de uma natureza árida, atemporal, silenciosa. O conjunto remete às técnicas iniciais da fotografia oitocentista, com formatos e tiragens limitadas, que tornaram-se referências na abordagem da paisagem ao longo do tempo. As imagens matrizes são de autores de diferentes períodos e nacionalidades, todos identificados nos títulos dos trabalhos. Cada obra é feita a partir de matrizes digitais impressas à laser e transferidas para placas de circuito elétrico ou de alumínio offset, pelo processo manual de gravura em metal. Apesar de serem produzidas como matrizes para gravura, potencialmente prontas para multiplicação ilimitadas de cópias, elas permanecerão propositalmente estéreis, irreprodutíveis, uma vez que seus enredos são falsos históricos, ficções baseadas em fatos/fotos reais, com desfechos improváveis.


METAL MASTERS: Monsieur Daguerre (1838), Série DELETE.use 2015 - Porto Alegre/RS Tamanho: 15 x 15 cm Técnica: Transfer sobre placa de circuito elétrico


METAL MASTERS: A.Frisch (1865) Série DELETE.use 2015 - Porto Alegre/RS Tamanho: 10x 15 cm Técnica: Transfer sobre placa de circuito elétrico


METAL MASTERS: Eugene Smith (1946) Série DELETE.use 2015 - Porto Alegre/RS Tamanho: 10x 15 cm Técnica: Transfer sobre placa de circuito elétrico


METAL MASTERS: Eddie Adams (1967) Série DELETE.use 2015 - Porto Alegre/RS Tamanho: 16x 10,5 cm Técnica: Transfer sobre alumínio


METAL MASTERS: Diane Arbus (1962) Série DELETE.use 2015 - Porto Alegre/RS Tamanho: 14,5 x 14 cm Técnica: Transfer sobre alumínio


METAL MASTERS: Alexander Gardner (1863) Série DELETE.use 2015 - Porto Alegre/RS Tamanho: 20 x 16 cm Técnica: Transfer sobre alumínio


METAL MASTERS: Robert Doisneau (1957) Série DELETE.use 2015 - Porto Alegre/RS Tamanho: 21 x 14 cm Técnica: Transfer sobre alumínio


METAL MASTERS: : Benjamin Abrahão (1938) Série DELETE.use 2015 - Porto Alegre/RS Tamanho: 20 x 15 cm Técnica: Transfer sobre alumínio


METAL MASTERS: : A Frisch (1865) Série DELETE.use 2015 - Porto Alegre/RS Tamanho: 1o x 15 cm Técnica: Transfer sobre circuito elétrico


Sem Título Série ‘THERE’S NO PLACE LIKE’ 2009 - 2010 - Porto Alegre/RS Tamanho: 104 x 76 cm


Sem Título Série ‘THERE’S NO PLACE LIKE’ 2009 - 2010 - Porto Alegre/RS Tamanho: 104 x 76 cm


www.kamarakogaleria.com.br Trav. Frutuoso Guimarães, 611 – Campina - 66.017-170 – Belém/PA/Brasil emails: kamarakogaleria@gmail.com / makiko.akao@gmail.com

Profile for Kamara Kó Galeria

DISTOPIA  

Catálogo da individual DISTOPIA, de Flavya Mutran, acerca do modo em que o indivíduo se coloca frente às câmeras, em trabalhos das nas série...

DISTOPIA  

Catálogo da individual DISTOPIA, de Flavya Mutran, acerca do modo em que o indivíduo se coloca frente às câmeras, em trabalhos das nas série...

Advertisement