Issuu on Google+


SUCESSÃO ECOLÓGICA


SUCESSÃO ECOLÓGICA Os ecossistemas são dinâmicos e encontram-se em constante alteração. O ambiente físicoquímico sofre mudanças provocadas e acompanhadas pela sucessão de diferentes comunidades;

COMO EVOLUI UMA COMUNIDADE DE SERES VIVOS QUANDO UM LOCAL FICA DISPONÍVEL PARA A VIDA?

Ao longo da costa sul da Islândia, existe uma minúscula ilha, Surtsey, que começou por ser uma coluna de fumo. Em 1963 ergueu-se um pico de um vulcão a 130m de profundidade;

A formação desta ilha está associada ao conjunto de falhas, consequente da zona de rift que divide as placas Norte Americana e Euro-Asiática;

No dia 14 de Maio de 1964 foi detectada a primeira forma de vida – um mosquito. Posteriormente uma traça e gorgulhos. Em 67 uma colina estava coberta por musgo…


SUCESSÃO ECOLÓGICA O processo de colonização, como o verificado em Surtsey, no qual as comunidades se vão substituindo umas às outras, num determinado local ao longo do tempo, até se atingir um equilíbrio dinâmico, designa-se sucessão ecológica; As espécies pioneiras são as primeiras a instalar-se no local;

Líquenes

Musgos

Os líquenes e os musgos constituem, geralmente, as espécies pioneiras.


SUCESSÃO ECOLÓGICA A comunidade pioneira é uma comunidade simples que vai sendo substituída por uma série de comunidades mais complexas, até à instalação de uma comunidade perfeitamente adaptada ao ambiente do local em que se insere; Esta comunidade, a última a instalar-se caracterizada por uma organização complexa e populações estáveis e equilibradas, designa-se comunidade clímax; Comunidade pioneira – líquenes, musgos e gramíneas (organismos resistentes e menos exigentes; 1-2 anos) Comunidades intermédias – pequenos arbustos e ervas (aumento da diversidade e complexidade das espécies; 3-20 anos) Comunidade clímax – abetos, pinheiros e carvalhos (comunidade estável e equilibrada; 25-150 anos)


SUCESSÃO ECOLÓGICA Líquenes e musgos  plantas anuais  plantas perenes  pinheiros  carvalhos

CARACTERÍSTICAS DA COMUNIDADE Estádios ao longo da sucessão (comunidade pioneira e intermédia)

Comunidade Clímax

O número de espécies é reduzido e tende a aumentar;

O número de espécies é grande e mantém-se constante;

Biodiversidade

Reduzida no início com tendência a aumentar;

Elevada diversidade, que se mantém constante. As teias alimentares tornam-se mais complexas;

Biomassa

Reduzida no início, pois existem poucos organismos;

Elevada biomassa, pois quantidade de organismos elevada.

População

a é

Mesmo quando as comunidades são estáveis e equilibradas, elas encontram-se em equilíbrio dinâmico, uma vez que ocorre uma troca de espécies que saem e entram no ecossistema.


SUCESSÃO ECOLÓGICA OS ECÓLOGOS DIVIDEM AS SUCESSÕES ECOLÓGICAS EM DOIS TIPOS: Sucessão ecológica primária – ocorre quando o local colonizado estava, anteriormente, desprovido de vida; 1986

Sucessão primária após a erupção do Monte Santa Helena.

Sucessão ecológica secundária – ocorre quando um local sofre novo povoamento, devido ao facto da comunidade ter sido total ou parcialmente destruída por catástrofes naturais ou acção do Homem;

1997

O início da nova colonização pode demorar muito tempo, dependendo, entre outros factores, da causa da destruição da comunidade anterior.


T. P. C. ACTIVIDADE PÁGINA 67


DINÂMICA DOS ECOSSISTEMAS À escala global, os factores abióticos controlam o número de indivíduos, as espécies e a diversidade de uma comunidade;

Os seres vivos do deserto são diferentes dos que habitam uma floresta boreal e estes dos que vivem numa floresta tropical. Mas, à escala local, as interacções bióticas são da maior importância. A competição pelo alimento, a predação e o parasitismo são alguns factores que determinam quais as populações que sobrevivem e as que desaparecem num determinado local;

As espécies de um ecossistema coexistem e relacionam-se entre si e com o meio ambiente. A inserção ou extinção de uma espécie tem repercussões em todas as outras, afectando o equilíbrio do ecossistema e provocando, por vezes, a sua destruição.


CONSTRUÇÃO DE UMA PIRÂMIDE ECOLÓGICA:

• Energia disponível; • Nível trófico; • Tipo de ser vivo; • Classificação do ser vivo (P, C e D).


MAPA DE CONCEITOS PÁGINA 69


A RETER…

PÁGINAS 70 E 71


Sucessões Ecológicas