Issuu on Google+

Director: José Luís Araújo

|

N.º 287

Serra da Estrela vive ciclo anual das feiras do queijo

|

15 de Fevereiro de 2017

|

Preço 4,00 Euros

|

www.gazetarural.com

Sabores de Inverno

Produtos endógenos em destaque na II Feira 100% Agrolimiano Trancoso promove fumeiro e outros sabores do nordeste da Beira Expo Estrela 2017 em Manteigas para atrair visitantes Foz Côa ‘promete’ paisagens deslumbrantes com amendoeiras em flor Marco Paulo e Paulo de Carvalho confirmados na Feira de São Mateus

AVENIDA DA BÉLGICA - VISEU www.lemos-irmao.pt

www.gazetarural.com

www

Tel. 232 430 450 1


Sumário 04 Serra da Estrela vive ciclo anual das feiras do queijo

in Terceira’

05 Produtos endógenos em destaque na II Feira 100%

20 Lagoa recebe Gala de Encerramento Cidade do Vinho 2016

Agrolimiano

22 Ovibeja quer promover a excelência como passaporte para

06 Vila Nova de Paiva realiza VI Feira do Fumeiro do Demo

a Internacionalização

07 Quinta do Bill e Tiago Bettencourt são os cabeças de

23 Marco Paulo e Paulo de Carvalho confirmados na Feira de

cartaz na Expo Estrela 2017

São Mateus

08 Feira do Fumeiro de Almeida procura fomentar a

25 Quinta da prisão de Viseu produz flor de cardo de qualidade

actividade na região

superior

09 Trancoso promove fumeiro e outros sabores do nordeste

26 Estudo diz que dieta rica em azeite virgem melhora funções

da Beira

do “colesterol bom”

10 Feira do Queijo Serra da Estrela de Seia pretende manter

27 Produtores de raça bísara criam grupo para valorizar carne

vivas as tradições

de fumeiro de Vinhais

11 Feira das Tradições em Pinhel à espera de mais de 50 mil

29 Exportações de frutos vermelhos destronam pera rocha em

visitantes

2015

12 Foz Côa ‘promete’ paisagens deslumbrantes com

31 Folar de Valpaços ganha Indicação Geográfica Protegida

amendoeiras em flor

32 ‘Comidas d’Azeite’ brilham em quinzena gastronómica em

13 Lampreia e vitela são atracções da gastronomia de Sever

Marvão

do Vouga

33 Câmara de Viseu quer formar 200 anfitriões da cidade

16 Festival de Sopas e Encontro de Ranchos mostra saberes e

35 Viana do Castelo recebe VIII Congresso Florestal Nacional

sabores de Sernancelhe

36 Cooperativa Bagas de Portugal dinamiza encontro de

17 Cascais quer ser a capital mundial do vinho

fornecedores

19 Centro de Congressos de Angra de Heroísmo recebe ‘Wine

38 Segunda edição do “Tondela Brancos” já tem data

II FEIRA 100% AGROLIMIANO 25 E 26 DE FEVEREIRO

2

www.visitepontedelima.pt /visitpontedelima /municipiopontedelima terra-eventos@cm-pontedelima.pt (+351) 258 900 400 GPS Expolima 8º34’57,834”W | 41º46’19,067”N

www.gazetarural.com


www.gazetarural.com

3


Começou em Penalva do Castelo e termina em Fornos de Algodres

Serra da Estrela vive ciclo anual das feiras do queijo  O queijo de ovelha produzido na Serra da Estrela está em destaque num ciclo anual de feiras que começou em Penalva do Castelo (Viseu) e termina a 19 de Março em Fornos de Algodres. As tradicionais festas do queijo continuam a ser realizadas anualmente por várias autarquias da região para homenagearem os pastores e as queijeiras e para promoverem aquele produto artesanal. A região demarcada de produção do queijo Serra da Estrela abrange 18 municípios: Carregal do Sal, Celorico da Beira, Fornos de Algodres, Gouveia, Mangualde, Manteigas, Nelas, Oliveira do Hospital, Penalva do Castelo, Seia, Aguiar da Beira, Arganil, Covilhã, Guarda, Tábua, Tondela, Trancoso e Viseu. O concelho de Penalva do Castelo, no distrito de Viseu, abriu o ciclo anual de eventos de promoção do queijo, com a XXVI Feira do Pastor e do Queijo. Segue-se a vila de Celorico da Beira, no distrito da Guarda, considerada a “Capital do Queijo Serra da Estrela”. O programa começa no dia 18 e estende-se até 26, com animação, espectáculos musicais, gas4

tronomia e artesanato, entre outras iniciativas. No fim-de-semana do Carnaval, acontecem certames em Seia, Gouveia e Manteigas. A Feira do Queijo de Seia, à semelhança do ano anterior, decorrerá ao longo de quatro dias (25, 26, 27 e 28 de Fevereiro), no Mercado Municipal e na área envolvente. Em Gouveia, a Feira do Queijo da Serra da Estrela será realizada no domingo de Carnaval, no âmbito do programa da ExpoSerra - Feira das Actividades Económicas da Serra da Estrela, que começa a 24 e termina no dia de Carnaval (28). A Câmara de Manteigas também aproveita a quadra do Carnaval para organizar a Expo Estrela, de 25 a 28 de Fevereiro, que inclui, no dia de Carnaval, uma prova do queijo Serra da Estrela. O queijo de ovelha terá também destaque na XIV Feira do Fumeiro, dos Sabores e do Artesanato do Nordeste da Beira, a realizar na cidade de Trancoso, nos dias 24, 25 e 26 de Fevereiro e 04 e 05 de Março, por iniciativa da autarquia e da Associação Empresarial do Nordeste da Beira.

Em Março, serão realizados eventos em Oliveira do Hospital e Tábua (distrito de Coimbra), e em Aguiar da Beira e Fornos de Algodres (distrito da Guarda). O município de Tábua organiza nos dias 04 e 05 de Março a XXVIII Feira do Queijo, do Pão, dos Enchidos e do Mel e VIII Mostra de Gastronomia e Artesanato das Freguesias do Concelho. A autarquia de Oliveira do Hospital realiza nos dias 11 e 12 de Março a sua XXVI Festa do Queijo Serra da Estrela que inclui exposição e venda de produtos endógenos, artesanato, gastronomia, tosquias de ovelhas e fabrico de queijos ao vivo. No dia 12 de Março, a Câmara de Aguiar da Beira realiza na localidade de Mosteiro a IV Festa do Pastor e do Queijo, certame que tem como principal atractivo um concurso de ovinos. O ciclo de 2017 das feiras do queijo da Serra da Estrela termina em Fornos de Algodres, nos dias 18 e 19 de Março, com um evento que incluirá provas de queijo, exposições, animação, um concurso de ovinos e uma mostra do cão Serra da Estrela. www.gazetarural.com


Em Ponte de Lima, nos dias 25 e 26 de Fevereiro

Produtos endógenos estão em destaque na II Feira 100% Agrolimiano

O

s produtos locais vão estar em destaque na II Feira 100% Agrolimiano, que vai decorrer nos dias 25 e 26 de Fevereiro em Ponte de Lima, numa iniciativa da autarquia local. O certame tem como principal objectivo a mostra do melhor que se faz no sector agroalimentar deste concelho do Minho, sendo esta uma das áreas que tem vindo a ser mais desenvolvida nos últimos tempos, devido a uma maior valorização por parte da população dos recursos endógenos, empregando cada vez mais pessoas no concelho. A par deste crescimento, existe ainda a aposta em www.gazetarural.com

produtos singulares e de máxima qualidade, factores importantíssimos para a distinção num mercado tão competitivo. As premissas principais deste evento são a promoção e valorização dos produtos e serviços associados ao mundo rural do concelho de Ponte de Lima, como a produção de vinho verde, leite, enchidos e fumados, animais, sidra, fruta, cogumelos, mel, entre outros produtos inteiramente limianos. Durante os dias de feira serão expostos e apresentados vários produtos que se produzem no concelho, por pessoas que viram no sector agroalimentar uma

oportunidade de mostrar as potencialidades desta região. Irão ainda estar representados alguns comerciantes e prestadores de serviços ligados ao mundo agrícola. Workshops, showcookings, degustações, e muito mais, serão exemplos de actividades que se desenvolverão durante os dois dias de feira. Com um programa abrangente, dirigido a profissionais e ao público em geral, esta II Feira 100% Agrolimiano pretende cativar profissionais, distribuidores, empresários e consumidores para a excelência do mundo rural de Ponte de Lima. 5


Em Proença-a-Velha, nos dias 25 e 26 de Fevereiro

Festival do Azeite e Fumeiro promove sabores tradicionais

O

XV Festival do Azeite e Fumeiro, em Proença-a-Velha, no concelho de Idanha-a-Nova, vai ser o ponto de encontro dos sabores e saberes tradicionais, nos dias 25 e 26 de Fevereiro. O evento decorre junto ao admirável Complexo de Lagares de Proença-a-Velha, com animação temática, música de qualidade e a consagrada gastronomia idanhense, eleita pela RTP como a “mais saborosa de Portugal”. Durante dois dias haverá diversão para toda a família. Desde provas de azeite a demonstrações da produção de enchido tradicional, animação infantil e feira de produtos regionais, tasquinhas e restaurantes. No cartaz musical destaque para a emblemática Grande Noite de Fados, no sábado pelas 20 horas. Vão ouvir-se as vozes de Sara Paixão, Rui Aziago e Salomé Silveira, finalista do programa The Voice Portugal da RTP1. Ao longo de dois dias atuam ainda grupos de Idanha-a-Nova, Cidade Criativa da Música da UNESCO, e vários artistas convidados. O XV Festival do Azeite e Fumeiro é organizado pelo Município de Idanha-a-Nova e pela Junta de Freguesia de Proença-a-Velha.

A 12 de Março, no Parque Urbano de Touro

Vila Nova de Paiva realiza VI Feira do Fumeiro do Demo O

Parque Urbano da freguesia de Touro vai acolher no próximo dia 12 de Março a VI Feira do Fumeiro do Demo, uma iniciativa promovida pelo Município de Vila Nova de Paiva, em parceria com a Junta de Freguesia de Touro. As tradições gastronómicas e os sabores e saberes genuínos das Terras do Demo, reflectem-se na qualidade e no “saber fazer” dos seus produtos típicos, dos quais se destaca o fumeiro tradicional. A Feira do Fumeiro do Demo tem funcionado como um meio de divulgação do concelho e das suas gentes, incentivando a economia local, dando a co6

nhecer a gastronomia e promovendo os produtos de qualidade que reúnem as potencialidades e a riqueza do meio rural. Neste certame, o fumeiro tradicional é o cartão-de-visita, ao qual se alia também o artesanato, os restaurantes e tasquinhas gastronómicas, a prova de fumeiro, o porco no espeto, a animação e as actuações musicais. Fanfarra de Touro, Girafoles, Cavaquinhos de Silgueiros e o grupo de Cantares de Cerdeira são os artistas convidados que prometem animar o evento, encerrando em grande com o espectáculo de Sons do Minho. www.gazetarural.com


De 25 a 28 de Fevereiro, em Manteigas

Quinta do Bill e Tiago Bettencourt são os cabeças de cartaz na Expo Estrela 2017 A

banda Quinta do Bill e Tiago Bettencourt são os cabeças de cartaz da edição 2017 da Expo Estrela - Mostra de Actividades e Feira de Artesanato, que vai decorrer em Manteigas de 25 a 28 de Fevereiro, no fim-de-semana prolongado de Carnaval em a Serra da Estrela é muito procurada. A iniciativa, promovida pelo Município de Manteigas, é o cartaz de Carnaval para o coração da Serra da Estrela onde o artesanato, o comércio, a indústria, os serviços, o associativismo, a gastronomia e a animação vão marcar presença durante quatro dias, num evento em que o concelho de Manteigas mostra o que de melhor tem para oferecer a quem o visita. No cartaz de espectáculos, destaque para o grupo Quinta do Bill, a Orquestra de Sopros “Música Nova” e Cleto, sobem ao palco no dia 25 de Fevereiro, ficando para o dia 26 de Fevereiro, a actuação da Tuna de Tecnologia e Saúde do Porto, a Banda Boa União – Música Velha e Funk Pop Music para animar os presentes. Por sua vez Capicua e Tiago Bettencourt serão os protagonistas da noite de 27 de Fevereiro. Destaque ainda para o tradicional desfile de Carnaval, que irá percorrer as ruas da vila no dia 28 de Fevereiro. Na apresentação do certame o presidente da Câmara de Manteigas deswww.gazetarural.com

tacou o facto da Expo Estrela estar já “no calendário da Serra da Estrela e dos destinos de Carnaval”, nesta altura do ano, numa aposta na atracção de visitantes ao concelho, ‘encravado’ no coração da Serra da Estrela. José Manuel Biscaia aproveitou a ocasião para dar a conhecer os novos projectos na área hoteleira que vão acontecer em Manteigas, ao mesmo tempo que deixou críticas ao Governo, ao afirmar que “queremos com os nossos eventos atrair gente, que quebre este ciclo vicioso, pois não é com Unidades de Missão que isto se resolve. Nós aqui sabemos que temos coisas concretas. Temos 81 quartos, no sector hoteleiro, mas a Unidade de Missão não tem números”, afirmou. O autarca diz que “Manteigas quer estar da linha frente e caracteriza-se por ter tudo o que é bom”, dando como exemplo “o burel, “que era uma arte perdida é hoje um produto internacional, que vai da América ao Japão”. É que, sublinhou, “Manteigas não se reduziu à sua dimensão, tal como os portugueses o fizeram”. José Manuel Biscaia aproveitou para lembrar se se diz que “para lá do Marão mandam, os que lá estão, nós dizemos que para cá da Serra da Estrela mandam os que cá habitam”, criticando o poder político por não olhar para o interior como este

merece, porque “tem pouco gente e dá poucos votos”. Contudo, acrescentou, “nós qualificamos e inovamos e é bom que o Governo sinta que isso acontece”. Para o edil de Manteigas, “o grande salto que estamos a dar é criar condições para o investimento e a criação de postos de trabalho”, numa alusão aos investimentos que estão a ser feitas no sector hoteleiros. “Manteigas ficará em breve na rota dos destinos turísticos, nacionais e internacionais, com as novas unidades hoteleiras e a remodelação de outras existentes que está acontecer”, referiu José Manuel Biscaia, lembrando a aposta que o município tem vindo a fazer no turismo de natureza e aventura. Neste âmbito, o Inatel está a remodelar a sua unidade em Manteigas, com a requalificação do edifício, bem como a criação de um passadiço que liga o edifico central à estância termal. A Pousada de S. Lourenço também está a sofrer obras de beneficiação e será reinaugurada ainda este ano. De novo vão surgir duas novas unidades. O Hotel Fabrica, do empresário local João Clara, com 20 quartos, e novo hotel do Grupo Vila Galé, que terá 81 quartos, num investimento de seis milhões de euros que irá criar 40 postos de trabalho. 7


Freguesia de Almeida promove certame que vai na XXI edição

Feira do Fumeiro e Artesanato procura fomentar a actividade na região A

Freguesia de Almeida promove mais uma Feira do Fumeiro e Artesanato de Almeida, certame que procura manter viva a tradição da produção de enchidos nesta região da raia. A feira vai na XXI edição, mas as expectativas iniciais mantêm-se, no sentido de manter e fomentar a produção de fumeiro na região na forma tradicional. Em conversa com a Gazeta Rural, a presidente da Junta de Almeida não espera o aumento de número de expositores, devido ao espaço que se mantem, acreditando, contudo, que este evento possa dinamizar a economia local, mas também possa servir de incentivo a que outros, especialmente os mais novos, possam dinamizar esta fileira que tem tudo para crescer naquela região. Gazeta Rural (GR): Em que moldes se realiza a Feira de Fumeiro deste ano? Maria de Fátima Nunes Gomes (MFNG): A XXI edição da Feira do 8

Fumeiro e Artesanato de Almeida realizase sensivelmente nos mesmos moldes da anterior edição, em que houve mudança de localização com acesso mais fácil e melhores condições para vendedores e visitantes. GR: Para além do fumeiro, que outros produtos os visitantes poerão encontrar? MFNG: Também nesse  aspecto não há grandes alterações em relação aos anos anteriores, uma vez que o espaço é o mesmo e o número de stands é limitado. Para além do fumeiro estarão à venda produtos artesanais de origem local, assim como outros de vários pontos da nossa região. GR: Este evento tem permitido o aumento de produtores de fumeiro na região? MFNG: Infelizmente, por motivos que se prendem com imposições legais e por constrangimentos próprios da nossa região, este evento não tem contribuído para que os produtores da

freguesia se tenham aventurado nesta actividade económica com tanto de tradicional. Contudo, a maioria dos vendedores presentes são pequenos produtores de freguesias e concelhos vizinhos. Acreditamos que, aos poucos, outros enveredem por esta actividade, mantendo a tradição e o saber fazer das nossas gentes. GR: Que importância representa esta Feira para a economia local? MFNG: Este evento continua a ser um marco importante na vida da nossa freguesia e do concelho, já que se realiza num período em que turistas e naturais, a viver noutras paragens, têm maior disponibilidade para se deslocarem, conviverem e adquirirem produtos de qualidade produzidos no Interior do país. A Feira serve também para divulgar o nome desta Vila histórica, convidando os turistas a visitar uma das mais belas fortalezas abaluartadas do mundo, para além de outros pontos de interesse no concelho. www.gazetarural.com


Nos fins-de-semana de 24 a 26 de Fevereiro e 4 e 5 de Março

Trancoso promove fumeiro e outros sabores do nordeste da Beira O

s fins-de-semana de 24 a 26 de Fevereiro e 4 e 5 de Março serão repletos de emoções e sabores em Trancoso, com a realização da XVI Feira do Fumeiro, dos Sabores e do Artesanato do Nordeste da Beira. O fumeiro, o queijo, o vinho, o mel, a doçaria tradicional, com as sardinhas doces à cabeça, são os produtos que os visitantes podem encontrar num evento que decorre naqueles dois fins-desemana, com o atractivo suplementar das amendoeiras em flor como ‘cartaz’ adicional. O presidente da Câmara de Trancoso, à Gazeta Rural, destaca a importância da produção de fumeiro e de queijo no concelho, duas industrias que empregam muita gente. Amílcar Salvador Sublinha que este “é o primeiro dos grandes eventos que se realizam em Trancoso”, que semanalmente já recebe alguns milhares de pessoas com o Mercado Semanal que se realiza à sexta-feira. Gazeta Rural (GR): A Feira do Fumeiro é um momento alto nesta altura do ano? Amílcar Salvador (AS): Sim, Trancoso é uma terra de grandes feiras e grandes eventos. Temos muitos visitantes a vir a Trancoso semanalmente, desde logo com o Mercado Semanal, à sexta-feira, que www.gazetarural.com

é muito forte e que trás muita gente de toda a região. A Feira do Fumeiro, Sabores e Artesanato do Nordeste da Beira é o primeiro dos grandes eventos que se realizam em Trancoso. No mês de Janeiro temos menos actividades, ainda assim mais centradas nos aspectos culturais. Este certame engloba cinco dias, em dois fins-de-semana, o último de Fevereiro, com três dias, e o primeiro de Março, com dois. É um grande evento, por onde passam milhares de pessoas, mas é essencialmente comercial. Ou seja, para além da parte lúdica e de animação em todos os dias da Feira, recorrendo muitas vezes aos grupos do concelho, mas destacaria o grande espectáculo do dia 4 de Março, o único dia em que a Feira fecha às 24 horas. Este é o primeiro grande evento do ano, virado para um público que passa por Trancoso e que depois visita as amendoeiras em flor no nordeste da Beira. São muitas dezenas de autocarros que por cá passam durante os cinco dias da feira, sobretudo com essa vertente comercial, que deixam na economia do concelho muitos milhares de euros. Os nossos produtores de fumeiro, vinho, queijo, azeite, pão, doces regionais, e outros, agradecem. Há uma garantia que podemos deixar a todos quantos nos visitam: é que encontrarão na feira produtos de

elevadíssima qualidade, para além do artesanato e, naturalmente, da nossa gastronomia regional, que é motivo de atracção de muita gente. GR: A produção de fumeiro é um sector em expansão no concelho? AS: Felizmente é um sector que tem vindo a crescer, de forma sustentada. Temos várias empresas de produção de fumeiro, nomeadamente ao nível da salsicharia, com unidades produtivas de alguma dimensão, para além de outras de menores, de cariz artesanal. O fumeiro e os enchidos são, garantidamente, um sector importante no concelho, que empresa muita gente, mas também temos que salientar a qualidade do produto, que é excelente. Na feira teremos perto de uma dezena de expositores de fumeiro. GR: O queijo é outro sector importante? AS: Esta começou por ser uma feira do queijo, mas há cerca de 14 anos a Câmara decidiu, e bem, juntar-lhe o fumeiro e o artesanato. Teremos na feira mais de dezena e meia de produtores de queijo, mas lembro que no concelho temos três empresas muito importantes na produção de queijo, como são a Lactovil, a Lacticôa e a Alfredo & Saraiva, Lda, as duas primeiras já facturam algumas largas centenas de milhares de euros. 9


A realizar de 25 a 28 de Fevereiro

Feira do Queijo Serra da Estrela de Seia pretende manter vivas as tradições M

anter viva a tradição de produção do afamado queijo Serra da Estrela é o objectivo de mais uma edição da Feira do Queijo Serra da Estrela que o município de Seia leva a cabo de 25 e 28 de Fevereiro, que contará com a presença do ministro da Agricultara, Capoulas Santos, na cerimónia de inauguração. A Feira, na sua trigésima nona edição, é um dos certames do género mais antigos da região. Mantendo os valores tradicionais, a mostra promete continuar a honrar essa condição e renovar, uma vez mais, o apelo à criatividade e inovação. Os visitantes que nesta altura demandam a Serra da Estrela poderão deliciar-se com os sabores regionais, onde o Queijo Serra da Estrela é rei, mas também os enchidos, que aliam o sabor rústico das tradições ao requinte, o pão, o vinho do Dão, bem como outros produtos locais de reconhecido valor, como a lã e o mel, numa mostra assegurada pela Associação de Apicultores do Parque Natural da Serra da Estrela. O mercado do queijo e dos produtos endógenos voltará a ser o núcleo central da feira, com a participação de meia centena de expositores, entre produtores de queijo (pastores, queijarias tradicionais, queijo DOP e fábricas) e de outros produtos regionais. Para os quatro dias, a organização desenhou ainda um vasto programa de animação, que assenta fundamentalmente na riqueza e diversidade do nosso movimento associativo (bandas filarmónicas, grupos de música tradicional e ranchos folclóricos, que cumulativamente procederão a recriações etnográficas).

Vai decorrer de 29 de Julho a 6 de Agosto

Vila de Rei prepara XXVIII Feira de Enchidos, Queijo e Mel O

Parque de Feiras de Vila de Rei vai voltar a receber o maior certame do concelho, iniciativa que divulga os produtos endógenos e artesanais e promove as actividades empresariais vilarregenses. Organizada pelo município de Vila de Rei, a XXVIII Feira de Enchidos, Queijo e Mel vai decorrer de 29 de Julho a 6 de Agosto. O programa do evento encontra-se já a ser preparado, sendo certo que contará novamente com mais uma edição da Feira do Livro, exposições, animação de rua, rastreios de saúde, programa desportivo, tasquinhas e com a realização da 30ª Colheita de Sangue de Vila de Rei. São novamente esperados mais de uma centena de expositores oriundos de vários pontos do país, que apresentarão variados produtos artesanais, para além da gastronomia regional e dos sectores de serviços, industriais e comerciais do concelho de Vila de Rei. Os visitantes terão a oportunidade de saborear os deliciosos enchidos, queijo e mel da região, adquirir o típico artesanato local e deliciar-se com a óptima gastronomia regional nas esplanadas instaladas no recinto da Feira. Ao longo das próximas semanas, a organização irá divulgar o seu programa musical, que voltará a contar com a presença de alguns dos principais nomes da música nacional. 10

www.gazetarural.com


Em Pinhel, de 24 a 26 de Fevereiro

Feira das Tradições à espera de mais de 50 mil visitantes A

cidade de Pinhel espera mais de 50 mil visitantes na XXII Feira das Tradições, certame que irá decorrer no Centro Logístico local. Áurea e Anselmo Ralph são os cabeças de cartaz do programa de animação do evento. O certame procura divulgar as potencialidades económicas do concelho e este ano terá como tema central os brasões, pelourinhos e cruzeiros do concelho, em mais um motivo para visitar o evento e o concelho de Pinhel. Cerca de três centenas de expositores, a grande maioria oriunda de vários pontos do país, mostra o interesse do certame, que conta também, no programa, com um desfile de carnaval promovido pelo Agrupamento de Escolas de Pinhel. Em conversa com os jornalistas, na apresentação do evento, o presidente da Câmara afirmou que pretende que esta seja “a melhor edição de sempre”, num evento que dê a conhecer o território, numa aposta do município do turismo e na gastronomia local. Gazeta Rural (GR): Os brasões, os cruzeiros e os pelourinhos estão em destaque na Feira das Tradições, mas que ajudam a descobrir e a promover o património do concelho? Rui Ventura (RV): Procuramos sempre na Feira das Tradições dar a conhecer, todos os anos, um pouco do património que o Município de Pinhel tem para oferecer. Este ano temos os brasões, os pelourinhos e os cruzeiros, mas todos os anos há um tema específico, que é trabalhado durante o ano e que depois é espelhado na feira, mas também por cada uma das nossas freguesias. GR: Um património que permite aos visitantes conhecer Pinhel e descobri-lo ao longo do ano? RV: Sem dúvida. Com a XXII Feira das Tradições já temos complicadas muitas memórias, temos muitos filmes sobre os temas da Feira, que mostram muitos recantos que não eram conhecidos, mesmo pelas pessoas do nosso concelho, e www.gazetarural.com

que, com esta iniciativa, estão disponíveis para serem visitados. Naturalmente que agora há um outro trabalho que temos que fazer, uma aposta da Câmara Municipal através do turismo, que é sinalizar cada um dos cruzeiros e pelourinhos para que quem vem a Pinhel procurar este tipo de turismo os possam descobrir, porque alguns estão no meio do nada. GR: Na generalidade, é um património que está em bom estado? RV: Sim, a maioria está. Quando falamos em Brasões, e são 20 no concelho, são muitas as casas que não estão recuperadas. As que são da responsabilidade da autarquia estão quase todas em bom estado de conservação. As outras, o que podemos fazer é incentivar os proprietários a recuperá-las, de modo a que ali se possam instalar, por exemplo, hotéis de charme. É um trabalho que estamos a fazer para termos essa vertente em Pinhel, que é muito importante, associada a toda a história do concelho. GR: O Agrupamento de Escolas de Pinhel é importante para a definição dos temas da Feira? RV: Sim, bastante. Por exemplo, o nosso desfile de Carnaval é diferente daquilo que por aí se faz. E ao dizer que é diferente, não quero com isso dizer que é melhor. É diferenciador, porque tratam temas específicos que têm a ver com a Feira das Tradições e com o nosso património. Com isto, damo-lo a conhecer aos nossos alunos. GR: Disse na apresentação, que quer que esta seja a melhor Feira das Tradições de sempre? RV: Tem várias interpretações. A melhor feira de sempre porque é nesta época e nesta altura do ano e queremos sempre fazer melhor. É algo que nos vai na alma. Todos os anos queremos caprichar para que a Feira seja melhor que a anterior. Para o ano teremos outro tema para a Feira, mas esta será a melhor de sempre. 11


Festa decorre de 24 de Fevereiro a 12 de Março

Foz Côa ‘promete’ paisagens deslumbrantes com amendoeiras em flor A

pesar do tempo incerto que se tem feito sentir, há a convicção de que o grande espectáculo das amendoeiras em flor no nordeste da Beira vai atrair muitos milhares de pessoas à região. Foz Côa preparou um programa atractivo para a quadra, com cerca de 40 actividades durante os três fins-de-semana em que decorre a Festa da Amendoeira em Flor, certame promovido pela Câmara de Vila Nova de Foz Côa e que vai na trigésima sexta edição. Em entrevista à Gazeta Rural, o vice-presidente da autarquia de Foz Côa acredita que durante a quinzena das festas haverá “um grande espectáculo” nas paisagens do concelho e da região. João Paulo Sousa que destaca a aposta que está a ser feita na produção de azeite de qualidade no concelho, levantando um pouco do véu sobre o grande evento em torno do vinho que Foz Côa receberá lá para o final de Maio.

sociação Locais como do Município, de abrir portas nos locais certos, para que a amêndoa, e o produtos final, seja melhor tratado e que haja esse investimento. Hoje a produção de amêndoa tem duas fontes de rendimento. O fruto é de excelente qualidade, rivaliza com a melhor do mundo (Califórnia) e, neste aspecto, temos condições únicas para que isso aconteça, mas é também uma fonte de calor, rentabilizando-se com o uso da casca para aquecimento. Estas duas vertentes fazem com que hoje haja já um outro olhar para esta planta e há já, pontualmente, algum investimento de maior envergadura. Ainda está longe, comparado com o está a ser feito no vinho e no azeite, mas quero acreditar que, num curto espaço de tempo, a amêndoa seja uma realidade e uma potencialidade a ter em conta, uma vez que qualidade existe.

GR: O tempo vai ajudar a haver amendoeiras em flor? JPL: Tenho um feeling. Tem estado muito frio, mas acredito que vamos ter, tal como noutros anos, um grande espectáculo nas nossas paisagens. É verdade que há um atraso, tal como o ano passado, mas estou convencido de que vamos ter amendoeiras em flor em pleno na nossa Festa.

GR: A campanha do azeite acabou há pouco tempo. Houve, segundo dados do INE, alguma quebra da produção na região norte? JPL: Os sinais que temos não referem quebras, uma vez que no concelho, e na região, valoriza-se muito mais a qualidade que a quantidade, tanto os grandes produtores como os nossos agricultores. No concelho os pequenos produtores estão associados e a Cooperativa tem também essa preocupação, apesar das dificuldades, dando uma atenção muito grande aos olivais dos associados.

GR: Tem havido um aumento da plantação de novos amendoais? JPL: Não, mas tem havido uma preocupação crescente, não só das As12

Contudo, temos outros produtores, que estando mais virados para o vinho, têm feito uma aposta na produção de azeite, nomeadamente em modo biológico, e que estão a trabalhar muito bem nesta vertente. Acredito que em breve chegarão ao mercado com produtos de elevadíssima qualidade e, com isso, um aumento da produção na região, não em volume mas em qualidade e isso é que me parece muito importante. GR: A pouco mais de três meses de outro grande evento, este virado para o vinho, que novidade nos pode adiantar? JPL: Já estamos a trabalhar nesse evento, no qual daremos também alguma atenção ao azeite, embora, devo realçar isso, é um evento virado para o vinho e para os produtores da região. Tivemos uma reunião com o nosso parceiro, que é a Revista de Vinhos, no sentido de lhe criar as expectativas de que algo de diferente possa surgir, para além dos colóquios e das intervenções de figuras nacionais que possa trazer know-how maior ao evento, mas fazer com que os nossos produtores, que já são em maior quantidade, estejam presentes, para que possamos dizer que este é já o maior evento dos vinhos no nosso país, mas solidificá-lo em termos internacionais, porque qualidade do produtos nós temos. Lembrar só que a Wine Spectator colocou três vinhos produzidos no nosso concelho entre os melhores do mundo. www.gazetarural.com


Na semana de 11 a 19 de Março

Lampreia e vitela são atracções da gastronomia de Sever do Vouga S

ever do Vouga vai estar na rota dos amantes da boa gastronomia na semana de 11 a 19 de Março, com a realização da XVII Festa da Lampreia e da Vitela, dois produtos que marcam a boa cozinha deste concelho do Baixo Vouga. A iniciativa é promovida pela Confraria Gastronómica de Sever do Vouga, em parceria com o Município local, evento que conta com a colaboração da Entidade Regional da Turismo Centro de Portugal, para a sua promoção. A lampreia é um dos ícones gastronómicos deste concelho desde os tempos da Idade Média, prestando-se também, à época, como forma de pagamento de impostos aos senhores feudais. A vitela assada à Moda de Sever do Vouga

www.gazetarural.com

é igualmente um prato gastronómico de referência e que integra esta Rota, sendo confeccionado em quase todos os restaurantes do concelho e durante todo o ano. Com data agendada para o período de 11 a 19 de Março, a Festa da Lampreia e da Vitela conta com a participação de restaurantes do concelho, designadamente “Santiago”, “Quinta do Barco”, “Quinta do Sobral”, “Canta a Coruja”, “O Cortiço”, “O Vitorino ”, “Quinta Nova” e “Manjar da Pedra”, que integram, assim, a “Rota da Lampreia e da Vitela”. Este evento, assim como tantos outros realizados em Sever do Vouga, visam promover e divulgar o território concelhio, contribuindo para a dinamização económica e cultural, através

da concertação de sinergias entre os agentes locais, na valorização de produtos locais, tais como a lampreia, a vitela e o património natural e cultural, sendo um forte motivo de visita e de promoção do concelho e da região de Aveiro, nesta época do ano. É, pois, neste ambiente de festa que Sever do Vouga convida os visitantes a saborearem a sua gastronomia local, nomeadamente, o “Arroz de Lampreia”, a “Lampreia à Bordalesa” e a Vitela Assada com Arroz do Forno, associando a estes prazeres gastronómicos outras experiências em busca das belezas naturais e do património histórico do território. São segredos de um povo que do saber e do imaginar temperam estes sabores fortes e requintados.

13


Entre 17 de Fevereiro e 5 de Março

Festival do Choco decorre em 26 restaurantes de Setúbal O

s eventos de promoção da gastronomia local estão de volta a Setúbal com o Festival do Choco 2017, a decorrer entre 17 de Fevereiro e 5 de Março, com um conjunto de acções de promoção desta iguaria. Vinte e seis restaurantes associam-se a esta iniciativa da Câmara de Setúbal, com o apoio das empresas Lallemand, Makro e Docapesca, para apresentarem ementas em que consta o choco servido de diferentes formas. É possível prová-lo frito, assado com e sem tinta, ensopado, à antiga, em caldeirada, estufado, ao alhinho e de pitéu, além de feijoada de ovas. No âmbito do certame, Mikael Moreira, chef da Escola de Hotelaria e Turismo de Setúbal, conduz, a 17 de Fevereiro, no Mercado do Livramento, uma aula de culinária, gratuita, e, a 5 de Março, na Casa da Baía, uma mostra e degustação comentada, com um custo de seis euros.

Em dezasseis restaurantes do centro histórico

“Portimão à Mesa”

promove o sargo e o carapau

N

os meses de Março e Abril, durante uma semana, decorre a iniciativa “Portimão à Mesa”, que irá colocar em destaque o pescado como um dos produtos mais emblemáticos da gastronomia algarvia, como também dinamizar a zona do centro da cidade e a economia local durante a época de menor procura turística. A iniciativa decorre em dezasseis restaurantes localizados no centro histórico de Portimão. Em cada mês será dado destaque a uma espécie de pescado diferente, de acordo com a oferta existente no concelho e identificada pela Docapesca. Depois da cavala ter estado em destaque em Fevereiro, a iniciativa elege, de 6 a 12 Março, o sargo e o carapau, de 3 a 9 Abril. Nestas datas, os dezasseis estabelecimentos aderentes, situados na área de influência do Largo Doutor Bastos e o Largo da Barca, irão convidar a saborear o pescado de diversas maneiras e temperos, seja grelhado, frito ou confecionado à moda da casa e serão muitas as opções para apreciar cada uma das espécies de pescado. Esta iniciativa nasce da vontade de alguns empresários de restauração e do empenho e aposta da autarquia de acolher e apoiar ações que venham a dinamizar o centro histórico da cidade, nomeadamente no âmbito da ARU- centro histórico de Portimão, e conta o apoio da Associação Turismo de Portimão, Junta de Freguesia de Portimão, ACRAL e Docapesca. 14

www.gazetarural.com


Vai decorrer em Samora Correia de 19 a 21 de Maio

Benavente prepara I Festival do Arroz Carolino N

uma iniciativa da Câmara de Benavente, em parceria com a Entidade Regional de Turismo do Alentejo e Ribatejo, e integrado no Plano Estratégico e de Valorização do Município, irá decorrer de 19 a 21 de Maio o I Festival do Arroz Carolino. O concelho de Benavente é o segundo maior produtor de arroz carolino do país e tem no seu território unidades que fazem todo o ciclo do arroz, desde a produção à comercialização. “Estamos a criar um produto turístico tendo como base a nossa identidade, a notoriedade do Município, naquilo que é a sua excelência na área do património ambiental e paisagístico e de outros valores referenciais”, refere a autarquia. Na apresentação do evento, o presidente da Câmara de Benavente, Carlos Coutinho, assume que o festival traz “valor acrescentado para os produtores de arroz no concelho”. O certame vai decorrer em Samora Correia entre 19 e 21 de Maio.  

www.gazetarural.com

15


16 Associações participam no evento

Festival de Sopas e Encontro de Ranchos mostra saberes e sabores de Sernancelhe O

Município de Sernancelhe vai realizar, nos dias 17, 18 e 19 de Fevereiro, no Expo Salão, a quarta edição do Festival de Sopas e Encontro de Ranchos. Aliando a vertente gastronómica à etnografia, a autarquia dá assim continuidade a um evento que foi bem acolhido pelo público. Este ano participam no evento 16 associações do concelho que têm como missão produzir outras tantas sopas que falem da tradição e da cultura sernancelhense e beirã. Integrado no evento está também a apresentação do livro “A Doçaria Portuguesa” e a actuação de uma dezena de ranchos e grupos de música tradicional. Tendo como grande objectivo dar a conhecer o concelho de Sernancelhe enquanto território, onde a gastronomia é um elemento cultural secular, o Festival de Sopas é um evento que define uma aposta clara nos saberes e nos sabores de antigamente, recupera as receitas e as técnicas de confecção diferenciadoras das aldeias do concelho 16

e associa-lhes os produtos da terra, na sua maioria biológicos e colhidos nas hortas e quintais ao redor dos núcleos das freguesias. A sopa é o resultado desse saber que passou de geração em geração, e que, caso agora não fosse impulsionado com iniciativas como o Festival de Sopas, corria o risco de se perder. O interesse por este evento nota-se pelo facto do número de associações que concebem as sopas ter vindo também a aumentar, sendo agora representativas de praticamente todas as freguesias de Sernancelhe. Percebe-se, aliás, nestas agremiações a preocupação em inventariar as receitas tradicionais de cada comunidade para garantir a sua perpetuação, processo determinante para que o concelho disponha, dentro de alguns anos, de perto de uma centena de sopas que explicam o seu passado. Por outro lado, a organização associa ao certame a vertente cénica e musical

de base tradicional, de cujos ranchos folclóricos são os maiores embaixadores, proporcionando aos visitantes um encontro com uma dezena de ranchos do Norte e Centro de Portugal. Durante três dias, o Festival das Sopas, que terá entrada livre e mais de uma dezena e meia de sopas em prova, contará com uma exposição etnográfica das artes e dos ofícios de antigamente, onde não faltarão as antigas cozinhas da aldeia, as tabernas e os espaços agrícolas típicos dos meios rurais. Tirando proveito do espaço do Expo Salão e com a colaboração de associações, juntas de freguesia, restaurantes locais, contando com o extraordinário contributo da Escola Profissional de Sernancelhe e com os alunos e formadores do curso de Cozinha e Restaurante/Bar, o Município de Sernancelhe pretende que o fim-de-semana de 17, 18 e 19 de Fevereiro continue a ganhar espaço no calendário nacional de eventos. www.gazetarural.com


Conferência Wine Summit decorrerá em Julho

Cascais quer ser a capital mundial do vinho M

ais de 500 especialistas e apreciadores de vinho, vindos de vários países, vão estar em Julho em Cascais para participarem na conferência Wine Summit, na primeira vez que se realiza um encontro do género a nível mundial. Trocar ideias, preparar o futuro e “unir os vários mundos que completam o mundo do vinho” são os principais objectivos do ‘Must Fermenting Ideas - Wine Summit’, que foi “roubar”, de propósito, o nome ao maior encontro internacional na área da tecnologia, a Web Summit. “A ideia surgiu da feliz coincidência de eu ser amigo de uma das pessoas mais entendidas em vinho, o Rui Falcão, e de a Câmara de Cascais ter visto aqui uma oportunidade importante para promover a região”, justificou o jornalista Paulo Salvador, promotor do evento, em conferência de imprensa realizada hoje.

www.gazetarural.com

O encontro, que se irá realizar de 7 a 9 de Junho, no Centro de Congressos do Estoril, visa “atrair massa crítica”. “Quisemos criar algo que não existia. Por isso, esta conferência mundial sobre o mundo do vinho vai atrair os oradores mais consagrados do sector”, acrescentou. Além dos especialistas convidados, o encontro vai trazer a Portugal vários jornalistas internacionais de gastronomia e será também uma oportunidade de promover produtores nacionais. Rui Falcão, outro dos promotores, adiantou ainda que a conferência pretende “discutir o futuro”. “Pegámos no conceito do Web Summit, que aconteceu há pouco tempo em Portugal, e levámo-lo ao sector do vinho. A ideia é induzir ao debate”, disse. Felicity Carter, “uma das mulheres mais poderosos no mundo do vinho”, Jamie Goode, “um dos mais respeita-

dos” do sector, o jornalista espanhol Victor de La Serna e o português Paul Symington, descendente da família produtora do Vinho do Porto, são alguns dos oradores confirmados. “Vamos ter muito poucos oradores que não sejam estrelas, mas também vamos dar oportunidade aos que não são consagrados, mas são emergentes, como o chinês Stephen Li”, acrescentou Rui Falcão. As inscrições para participar na Wine Summit, com limite de 500 pessoas, têm um custo de 800 euros e a expectativa da organização é ter lotação esgotada, com cerca de 80% de visitantes estrangeiros. Para o presidente da Câmara de Cascais, Carlos Carreiras, a iniciativa insere-se “na linha estratégica do executivo” de promover o turismo, a gastronomia e colocar o concelho à escala global.

17


Lançamento conta com o inovador conceito de packaging de vinho Helix

Adega de Vila Real apresenta a maior selecção de vinhos monovarietais do Douro A

Adega de Vila Real apresenta uma selecção exclusiva de vinhos monovarietais, que representa o maior lançamento simultâneo deste tipo, feito a partir das melhores e mais emblemáticas castas do Douro, na Feira de Queijos, Enchidos & Vinhos do Jumbo, que decorre até 28 de Fevereiro. A novidade, agora revelada, chega ao mercado com o packaging Helix, que junta, pela primeira vez, uma garrafa de vidro e uma rolha de cortiça numa solução de elevada performance técnica, que dispensa o uso de saca-rolhas. A nova gama da Adega de Vila Real é composta por seis vinhos, três tintos, dois brancos e um rosé. Para os vinhos tintos, e dada a sua representatividade num contexto duriense e por serem a alma de alguns dos mais famosos vinhos da região, foram seleccionadas as castas Touriga Nacional, Touriga Franca e Tinta Roriz que, a partir de agora, podem ser degustadas individualmente. Nos brancos, a escolha foi para a Malvasia 18

Fina e o Rabigato e para o vinho Rosé foi seleccionada a casta Touriga Nacional, unanimemente considerada a melhor casta tinta portuguesa. Para Nuno Borges, responsável da Adega Real “os vinhos do Douro tornaram-se famosos como vinhos de lote [mistura de várias castas]. Com este lançamento queremos que os consumidores comecem a conhecer melhor as características distintivas de cada casta e o que cada uma acrescenta à riqueza aromática dos vinhos da região. Tudo isto mantendo os habituais padrões de elevada qualidade e preço acessível que caracterizam os vinhos da Adega de Vila.” Em comum, os diferentes vinhos que compõem esta selecção têm o sistema de packaging Helix que, lançado no mercado há pouco mais de dois anos, é já uma opção para dezenas de marcas de marcas de vinho de Portugal, Espanha, EUA, França, Itália, Áustria e África do Sul.

Segundo Carlos Jesus, director de comunicação e marketing da Corticeira Amorim, “O lançamento pela Adega Vila Real de uma gama tão completa de monovarietais do Douro representa uma óptima plataforma para o desenvolvimento da solução Helix em Portugal. A combinação de vidro e cortiça, pelas suas credenciais técnicas, de sustentabilidade e pelo que pressupõe em termos de valor acrescentado para o vinho continua imbatível. Com esta importante inovação no packaging de vinho, as caves e os consumidores passam agora a dispor também da conveniência associada a uma abertura rápida e simples de uma garrafa de vinho.” Predominantemente dirigida aos segmentos de vinhos tranquilos popular premium, a escolha de Helix prende-se com o facto de ser uma solução de grande desempenho técnico, que garante a preservação da qualidade do vinho, a que se junta a mais-valia da conveniência, ideal para o dia-a-dia. www.gazetarural.com


De 5 a 7 de Maio

Centro de Congressos de Angra de Heroísmo recebe ‘Wine in Terceira’

C

om o incremento dos voos para a Terceira incluindo os lowcost surgiu um forte interesse dos produtores de vinho em participarem numa feira de vinho naquela ilha. Tratando-se de uma primeira edição, o evento contará com cerca de 35 expositores, estando já 65% do evento reservado. Assim, se pretende apostar neste novo mercado, solicitamos que entre em contacto connosco o mais rapidamente possível. O Wine in Terceira é na sua essência, uma feira de promoção de vinhos onde os produtores de vinho mais carismáticos de Portugal vêm dar os seus produtos à prova. Subordinado ao tema “business and pleasure” é um festival de vinhos, peixe, carne e produtos alimentares aonde se conjugará os paladares do mar e da terra açoriana tornando-se único na sua essência. Este é um evento aonde se promove produtos açorianos. Este festival contemplará provas abertas dos vinhos presentes, showcooking, tascas gourmet, produtos alimentares, cocktails vínicos, espaço gourmet, workshops, etc. Tem como objectivo reunir o maior número possível de entidades envolvidas no projecto, nomeadamente produtores de vinhos, distribuidores, produtores de produtos alimentares, produtores de outros produtos, artesãos, várias empresas, inúmeros patrocinadores e entidades oficiais.

Wine in Azores 2017 com inscrições abertas Estão abertas as inscrições para os expositores que queiram participar na edição 2017 do Wine in Azores, o maior evento empresarial dos Açores. É um festival de vinhos, com uma forte componente gastronómica. O conceito “business & pleasure” demonstra a grande preocupação da organização com a parte comercial e promocional dos produtos presentes na feira. O Wine in Azores realizar-se-á na Ilha de São Miguel, Açores, de 20 a 22 de Outubro. O evento decorrerá entre as www.gazetarural.com

16 às 22 horas (zona de provas) no dia 20, e entre as 15 às 21 horas (zona de provas) nos restantes dias. Após o termo da zona de provas, a zona da restauração, Gin Tasting e venda de vinhos continuará a funcionar até às 24 horas. O Wine in Azores é o maior e melhor certame empresarial dos Açores, estando colocado entre os maiores e melhores eventos da especialidade em Portugal. É na sua essência uma feira de promoção de vinhos, onde os produtores de vinho mais carismáticos de Portugal dão os seus produtos à prova. “Para os expositores reservamos um acolhimento VIP. Tratamos com a maior amizade, simpatia, entregamos

os stands completos para que só tenham de trazer o vinho, substituímos os frapés e as cuspideiras sempre que necessário, e durante o evento terão a oportunidade de provar inúmeras iguarias”, refere a organização. Os expositores, para além de preços especiais de viagens e hotéis, poderão visitar os inúmeros lugares turísticos nas horas livres ou partir à aventura em passeios de veleiro, iate, observar as baleias e golfinhos (whale watching), praticar pesca desportiva, caça submarina, assim como também wind surf, canoagem, etc… É que os Açores são para ver e essencialmente para degustar com prazer. 19


No dia 18 de Fevereiro, Centro de Congressos do Arade

Lagoa recebe Gala de Encerramento Cidade do Vinho 2016

O

Centro de Congressos do Arade será o palco, no próximo dia 18 de Fevereiro, da Gala de Encerramento de Lagoa - Cidade do Vinho 2016, que inclui o concerto com João Pedro Pais. Ao longo do ano de 2016, Lagoa foi o centro de um vasto conjunto de actividades ligadas ao vinho, ao enoturismo e à identidade deste território algarvio. Francisco Martins, presidente da Câmara de Lagoa, faz um balanço “extremamente positivo” do programa da Cidade do Vinho, que recebeu ao longo do ano mais de uma centena de eventos. “Todos os objectivos da candidatura foram atingidos”, afirma o presidente do município, destacando “a afirmação de Lagoa como terra de vinha e de vinhos e a dignificação de uma actividade cujas raízes na área do concelho remontam a mais de 2.000 anos”. O título permitiu também dar maior visibilidade ao trabalho desenvolvido pelos produtores de vinho do Algarve, bem como “sensibilizar os principais atores do turismo para o enorme potencial e importância do enoturismo”, acrescenta o autarca. José Arruda, secretário-geral da AMPV, faz igualmente um balanço positivo de Lagoa - Cidade do Vinho 2016 e sublinha “a capacidade que o município teve em mobilizar os agentes locais e regionais do sector nas diferentes actividades”, estando convicto de que “o forte envolvimento do município, produtores e agentes de enoturismo veio dar mais força e mais visibilidade ao sector do vinho e do enoturismo no Algarve”. Neste ano de 2017, é Madalena do Pico, nos Açores, a detentora do título de Cidade do Vinho. A Gala de Abertura está marcada para o dia 11 de Março.

20

www.gazetarural.com


www.gazetarural.com

21


Certame vai decorrer de 27 de Abril a 1 de Maio

 Ovibeja quer promover a excelência como passaporte para a Internacionalização

A

Ovibeja 2017, que se realiza de 27 de Abril a 1 de Maio, dedica esta edição à promoção internacional dos produtos agro-alimentares da região, como um dos temas principais do evento. Sempre atenta à actualidade e aos desafios da agricultura, a Comissão Organizadora da Ovibeja está a preparar várias acções, interligadas entre diferentes espaços, dedicadas à promoção e processos de internacionalização dos produtos agro-alimentares do Alentejo. Esclarecer os produtores e empresários agrícolas, promover e facilitar contactos e partilhar estratégias são alguns dos propósitos da organização da feira. De acordo com a Comissão Organizadora, “a promoção dos produtos agro-alimentares da região do Alentejo é uma temática incontornável numa altura em que os produtos da terra se têm revelado de grande importância para o País, com contributos significativos para a exportação e para o equilíbrio da balança comercial”. Patente em diferentes áreas da grande feira do sul, a temática da internacionalização apresenta-se, como grande no22

vidade, no “Espaço AgroAlentejoExport” com grande incidência nos produtos de origem animal, no potencial das raças autóctones, e do ecossistema do Alentejo como garante de qualidade dos produtos. Este espaço inclui também a programação de conferências, com a participação de peritos nacionais e internacionais. Além do Espaço AgroAlentejoExport, a temática da internacionalização vai estar patente no Pavilhão da Pecuária e no Pavilhão Terra Fértil – Mostra de Inovação Agrícola e Agribusiness. Já com provas dadas – classificado como o melhor do mundo – o Concurso Internacional de Azeites Virgem Extra – Prémio CA Ovibeja, já na sétima edição, tem como propósito estimular a cultura de excelência dos azeites nacionais como passaporte para a internacionalização. A entrega dos prémios aos vencedores do concurso vai ser feita no dia 29 de Abril na Arena do Azeite, que vai ainda ser palco do II Simpósio Internacional de Azeite Virgem Extra. A iniciativa vai contar com a participação de diversos

oradores e peritos nacionais e internacionais com conhecimento relevante nas áreas dos mercados e promoção internacional do azeite. “Aumentar o conhecimento e a notoriedade dos nossos produtos de origem alentejana, contribuir com informação e ferramentas que permitam uma maior proximidade e acesso das empresas a mercados-alvo internacionais, dar a conhecer mecanismos inovadores de prospecção” são algumas das metas propostas. A promoção de iniciativas colectivas que potenciem a internacionalização de bens e serviços produzidos na região, alinhados com uma estratégia regional de especialização inteligente é outro dos objectivos traçados com vista a contribuir para a capacitação dos produtores e empresas para as exigências dos mercados internacionais. Ao reunir o melhor de “todo o Alentejo deste mundo…e mais além!”, a 34ª edição da Ovibeja vai contar com a presença de comitivas políticas, delegações empresariais e representações diplomáticas internacionais. A organização é da ACOS – Associação de Agricultores do Sul. www.gazetarural.com


Cartaz de 2017 recupera “clássicos” e aposta em estreias

Marco Paulo e Paulo de Carvalho confirmados na Feira de São Mateus O

programa da edição de 2017 da Feira de S. Mateus, uma iniciativa do Município de Viseu, começa a ser conhecido. Depois de ter revelado a presença do cantautor e performer brasileiro Seu Jorge, a 12 de Agosto, a Viseu Marca, entidade organizadora da Feira de São Mateus, anunciou mais cinco nomes do seu cartaz musical em 2017: AGIR (14 de Agosto), Marco Paulo (15 de Agosto), AUREA (26 de Agosto), Paulo de Carvalho (2 de Setembro) e HMB (8 de Setembro) No seu 625º aniversário, a Feira Franca viva mais antiga da Península Ibérica aposta em “clássicos populares” e em “estreias” para continuar à conquista de diferentes públicos, depois de alcançar o recorde um milhão de entradas em 2016, do mercado da saudade aos jovens, das famílias de Viseu aos turistas urbanos do país. A bilheteira para estes concertos já se encontra aberta na rede de lojas Blueticket e no site da Feira de São Mateus. Na apresentação dos novos nomes, o presidente da Viseu Marca, João Cotta, assinalou “a capacidade de renovação do cartaz nesta nova edição. Tratam-se ao mesmo tempo de novas propostas e de grandes memórias”.  Por sua vez o gestor da Viseu Marca e da Feira, Jorge Sobrado, destacou “a estratégia de programação que respeita a identidade do evento e desafia todos os públicos, todos os tempos e todos os gostos, com uma marca de qualidade.” “A Feira de Viseu quer reforçar o seu lugar no país”, sublinhou. Se a banda HMB pisa pela primeira vez o palco da Feira, Marco Paulo regressa 10 anos depois da última actuação e trará a Viseu o seu concerto de

www.gazetarural.com

50 anos de carreira. Se Áurea promete conquistar o público com o seu novo álbum “Restart”, Paulo de Carvalho fará a memória viajar pelas cinco décadas da sua carreira. Já o recordista de público das edições dos últimos dois anos da Feira de São Mateus, AGIR, terá no certame deste ano o seu “primeiro” dia de entrada paga e promete justificar a adesão de uma legião de fãs. Na apresentação, a Viseu Marca apresentou ainda o “refresh” da imagem da Feira de São Mateus – que passa a integrar a assinatura “625 anos” – e anunciou a abertura de inscrições para expositores do certame em 2017.

A primeira fase de candidaturas decorre até 28 de Fevereiro, sendo pela primeira vez realizada através da Internet. Segundo João Cotta, “estas são marcas positivas da modernização em curso do mais histórico certame do país, introduzidas pela nova gestão”. O dirigente destacou que “a Feira é hoje o maior evento da região e uma grande oportunidade de negócio para empresas locais, regionais e nacionais”. Já o Gestor da Feira revelou que, nas primeiras 24 horas, “o site do evento recebeu mais de uma centena de candidaturas de empresas. Temos a expectativa de uma procura elevada e muito competitiva”.  

23


Revelou o responsável do projecto CARDOP

Quinta da prisão de Viseu produz flor de cardo de qualidade superior

A

flor de cardo produzida no Estabelecimento Prisional do Campo, em Viseu, “é do mais alto quilate” em termos de qualidade, ‘vingando’ num dos terrenos menos férteis daquele espaço, com mão-de-obra não qualificada, revelou o responsável do projecto CARDOP. “Decidimos colocar o cardo nos terrenos menos férteis da quinta do Estabelecimento Prisional do Campo, usando mão-de-obra que não é qualificada, mas o que sai daqui é do mais alto quilate em termos de qualidade. Esta acaba por ser uma mensagem para os reclusos, a quem também é dada uma perspectiva de futuro”, sustentou Paulo Barracosa. Paulo Barracosa é vice-presidente do Instituto Politécnico de Viseu (IPV) e o investigador responsável pelo CARDOP, um projecto técnico-científico que arrancou em 2013 e que valoriza os recursos genéticos, paisagísticos, culturais e humanos de todo o território de Denominação de Origem Protegida (DOP) do queijo da Serra da Estrela. O Estabelecimento Prisional de Viseu, com o contributo da mão-de-obra prisional, participa neste projecto através 24

de um dos campos experimentais de cardos com vocação para a produção de flor de cardo para o queijo da Serra da Estrela. “O projecto CARDOP é extraordinariamente actual, combinando a vertente científica, cultural e social numa abordagem verdadeiramente holística”, evidenciou. No terreno do Estabelecimento Prisional do Campo, com pouco mais de 1.500 metros quadrados, são colhidos cerca de sete quilogramas de flor de cardo, que depois são distribuídos gratuitamente por alguns produtores do Queijo Serra da Estrela. “As flores de cardo produzidas e colhidas nesta instituição são do melhor que existe no mundo: possuem arquitecturas, morfologias e valências bioquímicas que eu julgava não serem possíveis de atingir no cardo. São o exemplo de capacidade, tenacidade e não por obra do acaso”, considerou. Para o fabrico de um queijo Serra da Estrela é necessário um grama de flor de cardo e, apesar de estarem a tentar chegar à autonomia de produção, ainda estão “muitíssimo longe da auto-sufi-

ciência”. Ao projecto CARDOP estão afectos mais cinco terrenos - na Escola Agrária de Viseu, Casa da Ínsua, Ancose e outros dois nos concelhos de Cinfães e Mangualde -, preparando-se para um investimento de grandes dimensões num outro na cidade de Viseu. “Nestes campos de referência já plantámos mais de cinco mil plantas nos últimos anos. Trata-se de uma planta muito especial, que é também usada na cosmética ou farmacêutica, mas pretendemos fazer coisas diferentes e acredito que esta planta possa vir a ser incluída, no futuro, na indústria aeroespacial”, informou, escusando-se a outros pormenores. Já o director do Estabelecimento Prisional do Campo, Joaquim Pedreira, não tem a mínima dúvida de que o projecto CARDOP tem sido um sucesso. “Os reclusos vão-se revezando e é visível o dinamismo, empenho e dedicação com que fazem este trabalho. Sentem por parte das entidades externas que há uma valorização do trabalho deles e penso que esse é o caminho e o futuro, trabalhando-se para a sua reinserção”, concluiu. www.gazetarural.com


www.gazetarural.com

25


Feito pelo Instituto Hospital do Mar e de Investigações Médicas de Barcelona

Estudo diz que dieta rica em azeite virgem melhora funções do “colesterol bom”

U

m estudo demonstrou que fazer uma dieta mediterrânica rica em azeite virgem melhora as funções das lipoproteínas de alta densidade (HDL), o denominado “colesterol bom”. A investigação, feita pelo Instituto Hospital do Mar e de Investigações Médicas de Barcelona, Espanha, e publicada hoje na revista Circulation, demonstra pela primeira vez o potencial terapêutico de um padrão alimentar da dieta mediterrânica tradicional sobre as funções cardio-protetoras do ‘Colesterol bom’. A principal função do HDL é retirar o excesso de colesterol das artérias e transportá-lo para o fígado, para a sua excreção. Até agora, os benefícios sobre a função do ‘colesterol bom’ só tinham sido demonstradas em alguns

26

ensaios clínicos com medicamentos ou com base no aumento do consumo de intervenções alimentares isoladas, mas nunca tinha sido estudado o que aconteceria caso se modificasse completamente a dieta. “Comparamos os tipos de dieta mediterrânica, uma rica em azeite e outra rica em frutos secos, e percebemos que a dieta mediterrânica tradicional, especialmente quando era rica em azeite, estava associada à melhoria das funções do HDL”, explicou Montse Fitó, coordenadora do grupo de investigação do risco cardiovascular e nutrição do instituto. Assim, segundo a coordenador do estudo, induzir uma melhoria da função de HDL poderá ser uma via para diminuir o risco de doenças cardiovasculares.

www.gazetarural.com


UTAD e Politécnico de Bragança são membros do Agrupamento

Produtores de raça bísara criam grupo para valorizar carne de fumeiro de Vinhais 

U

m grupo de 30 produtores da Raça Bísara constituiu um agrupamento para comercializar e valorizar a carne com protecção comunitária e distintiva do Fumeiro de Vinhais, no distrito de Bragança. O Agrupamento de Produtores de Carne de Bísaro Transmontano foi formalmente criado e tem ainda como membros a Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD) e o Instituto Politécnico de Bragança (IPB). A ideia é que mais produtores venham a integrar esta sociedade e os municípios, individualmente ou através das Comunidades Intermunicipais, além de outras forças vivas. O novo agrupamento “tem o objectivo de organizar a produção de carne de suíno bísaro, colocando-a no mercado, encontrando os circuitos de comercialização, retirando daí mais-valias para os produtores e ter acesso às majorações das ajudas comunitárias”, segundo divulgaram os promotores. A constituição do agrupamento ocorreu durante as Jornadas do Porco Bísaro integradas no programa da Feira do Fuwww.gazetarural.com

meiro, que decorreu em Vinhais. Os enchidos são um dos produtos com maior peso económico neste concelho transmontano, geradores de negócios de seis milhões de euros anuais. Todas as peças de fumeiro são certificadas com Indicação Geográfica Protegida (IGP) e é obrigatória na confecção dos enchidos a carne de porco Bísaro, que goza também de protecção comunitária Denominação de Origem Protegida (DOP). O fumeiro permitiu recuperar a raça que se encontrava em vias de extinção e que os produtores pretendem que venha agora dar origem a “um projecto que englobe toda a região de Trás-os-Montes, produtores, instituições de ensino superior”, com a constituição do agrupamento. A iniciativa é da Associação de Criadores de Suínos de Raça Bísara e aposta “na comercialização da carne certificada, Carne de Suíno Transmontano com DOP, para dar confiança à distribuição e conquistar novos mercados”. “Esta é claramente uma iniciativa de cariz comer-

cial que pretende tornar-se num grande projecto económico para todo o Trás-os-Montes”, sublinha o agrupamento. A necessidade da constituição do Agrupamento “resulta também das exigências dos apoios dos Fundos Comunitários, na medida em que o Programa de Desenvolvimento Rural (PDR) faz depender muitos dos apoios que proporciona da condição dos produtores estarem agrupados”. O plano de acção para os próximos três anos passa pelo apoio à adaptação das explorações às condições do mercado, comercialização conjunta, centralização de vendas e fornecimento aos grossistas, organização dos processos, realização de estudos de mercado, criação de marcas e lançamento de campanhas de marketing. A Carne de Porco Bísaro tem sido valorizada essencialmente na produção do Fumeiro de Vinhais e os produtores ambicionam agora “dar um verdadeiro impulso para o consumo da carne em fresco” e “retirar maior proveito e rentabilidade da actividade”. 27


Revela um estudo da Sociedade Portuguesa de Hipertensão.

Sal no pão pode diminuir sem prejudicar o sabor O

teor de sal no pão pode ser reduzido mais do que prevê a legislação, sem que os consumidores notem a diferença e sem que haja queda no negócio, concluiu um estudo feito pela Sociedade Portuguesa de Hipertensão. Entre Junho e Setembro do ano passado foram analisados quatro tipos de pães em 10 padarias de cinco distritos da região Norte de Portugal, um projecto que envolveu a Sociedade de Hipertensão, em colaboração com a Associação dos Industriais da Panificação e com o Instituto Ricardo Jorge. Segundo Mesquita Bastos, presidente da Sociedade de Hipertensão, o pão da generalidade das padarias tem já o teor do sal ligeiramente abaixo do que determina a lei (1,4 gramas por 100 gramas de pão), mas o estudo demonstrou que “é possível descer ainda mais”. “Demonstrámos que foi possível reduzir até às 1,1 gramas sem as pessoas terem notado à partida a redução de teor do sal, com a venda normal e sem alteração de sabor. E não houve impacto negativo”, afirmou aquele responsável. Para o estudo foram analisados pães de cinco padarias que serviam de controlo, tendo-se seleccionado outras cinco para fazer uma intervenção com o propósito de reduzir ainda mais o sal na confecção, sem alterar outros elementos.

28

www.gazetarural.com


Afirmou o ministro da agricultura em Berlim

Exportações de frutos vermelhos destronam pera rocha em 2015 A

s exportações, em valor, de frutos vermelhos destronaram as de pera rocha, em 2015, ao atingirem quase 91 milhões de euros, contra os cerca de 87 milhões de euros da pera rocha, afirmou o ministro da agricultura. Capoulas Santos avançou que em 2015 as exportações de frutos vermelhos (framboesa, mirtilo, amora e groselha) atingiram os 90,6 milhões de euros (70 milhões de euros em 2014), enquanto as de pera rocha somaram 86,5 milhões de euros (88,7 milhões de euros em 2014. O ministro referiu que os pequenos frutos vermelhos afirmam-se cada vez mais como “grande aposta” da agricultura portuguesa, sobretudo na Alemanha, “para onde Portugal pode aumentar progressivamente as suas exportações”, já que “ocupa ainda uma quota ínfima de mercado”. “As nossas exportações no mercado alemão são ainda uma gota de água no oceano. É portanto um mercado com

www.gazetarural.com

grande potencial e que tem vindo a apreciar as frutas e hortícolas portuguesas”, afirmou. E acrescentou: “Não tínhamos grande tradição de produção e exportação de frutos vermelhos, mas são muito apreciados nos países nórdicos e as nossas condições climatéricas permitem produzir em termos de qualidade de forma imbatível. É um sector com grande potencial de crescimento”, reforçou. O governante analisou também os primeiros dados de 2016, destacando que os mesmos mostram que as exportações no sector das frutas cresceram na ordem dos 6%. “Por isso, continuamos na trajectória de atingirmos em 2020 os dois mil milhões de euros de exportações”, afirmou. Capoulas Santos falava durante a visita à Fruit Logistica 2017, a maior feira de frutas e legumes do mundo, que decorreu em Berlim e conta com 42 expositores de empresas portuguesas. O vice-presidente da Portugal Fresh,

Gonçalo Andrade, mostrou-se convicto de que a meta dos dois mil milhões de euros de exportações vai ser atingida, mesmo que não seja logo em 2020, mas 2021 ou 2022, “porque os empresários portugueses têm sido extremamente inovadores, muito persistentes e acreditam muito no que fazem”. “Há uma coisa que nos tranquiliza, é que não são só eles a acreditarem, mas também os clientes a começarem a valorizar a geografia de Portugal como uma geografia importante no mundo da produção”, frisou. Além disso, destacou as vantagens de Portugal: “Somos o único país na latitude sul da Europa que tem influência do Atlântico, o que não garante a precocidade nos produtos que os nossos vizinhos têm, mas garante maior janela de produção e normalmente que o período entre a flor e o fruto seja superior, o que permite ter melhor sabor, intensidade de cor superior e melhor aroma”.

29


Nos mercados dos Estados Unidos, Canadá e Macau

Açores vão apresentar candidatura para campanha de promoção de lacticínios e vinho 

O

s Açores vão apresentar uma candidatura a fundos comunitários para uma campanha de promoção dos lacticínios e vinho regionais em mercados como os Estados Unidos, Canadá e Macau. “A região vai apresentar uma candidatura que fará a promoção dos produtos lácteos e também do vinho, porque entendemos que pode associar-se bem o vinho ao queijo, e pode ser também uma oportunidade, por via disso, de encontrarmos novos mercados”, afirmou o secretário regional da Agricultura e Florestas, à margem da reunião do Centro Açoriano do Leite e Lacticínios, em Ponta Delgada. Segundo João Ponte, entre os mercados-alvo estão os Estados Unidos, Canadá e Macau, assinalando tratar-se de “uma oportunidade do ponto de vista da indústria encontrar novos mercados”, desafio que classificou de “extremamente importante” para valorizar os

30

produtos lácteos produzidos na região. “Acho que é uma oportunidade que o sector tem, de procurar novos mercados e ter fundos comunitários que financiam esse tipo de campanha”, adiantou, justificando a escolha daqueles mercados com a presença de portugueses e o potencial que representam. Para o governante, “não faz sentido” esta promoção na Europa, dados os excedentes. “Temos de ir procurar mercados que sejam capazes de valorizar os nossos produtos”, acrescentou João Ponte. O Centro Açoriano do Leite e Lacticínios tem por missão acompanhar e intervir no sector do leite e lacticínios da região, tendo assento neste organismo o executivo regional, a produção e a indústria. Os Açores, com 2,5 por cento do território nacional, produzem cerca de 30 por cento do leite do país e 50 por cento do queijo.

www.gazetarural.com


Últimas Divulgou a Comissão Europeia, em Bruxelas

Folar de Valpaços ganha Indicação Geográfica Protegida

O

Folar de Valpaços é a partir de agora um produto alimentar com Indicação Geográfica Protegida (IGP) e o 138.º a receber protecção do sistema de qualificação da União Europeia (UE), divulgou a Comissão Europeia. O Folar de Valpaços distingue-se dos seus congéneres pela forma de preparação da massa pão, sendo a existência de duas fases de fermentação da massa pão específica do concelho de Valpaços. De acordo com a descrição do Folar de Valpaços publicada no Jornal Oficial da UE, o termo folar exprime «o que há de melhor» e é tradicionalmente confeccionado na época da Páscoa. O Folar de Valpaços é um produto de padaria, de forma rectangular, obtido a partir de massa de pão de trigo, enriquecida com ovos, azeite de Trás-os-Montes Denominação de Origem Protegida (DOP) ou de características similares, margarina vegetal e/ou banha de porco, recheada com carne de porco gorda e/ou entremeada salgada e seca (não fumada), barriga de porco salgada e seca (não fumada), enchidos de porco fumados (salpicão e linguiça), presunto de porco curado pelo fumo ou de cura natural e/ou pá de porco fumada. A confecção deste novo produto IGP está circunscrita ao concelho de Valpaços, distrito de Vila Real.

www.gazetarural.com

31


Últimas A decorrer até 5 de Março

‘Comidas d›Azeite’ brilham em quinzena gastronómica em Marvão U

ma quinzena gastronómica dedicada aos comeres de azeite vai ser realizada no concelho de Marvão, Alto Alentejo, como forma de promoção turística e de «homenagem» aos produtores locais. Sob a chancela da marca “Marvão Bom Gosto”, a décima segunda edição das “Comidas d`Azeite” vai decorrer até 05 de Março em 13 restaurantes do concelho para “dinamizar a economia local, homenagear os produtores e mostrar a qualidade dos azeites produzidos no concelho”. Numa quinzena onde o turismo se alia à gastronomia, os restaurantes de Marvão, no distrito de Portalegre, vão

32

apresentar pratos tradicionalmente confeccionados com azeite. “Este é um evento consolidado e, desde que o começámos a realizar, já abriram dois lagares de azeite no concelho. Notámos que se começou a dar mais importância ao azeite e à sua vertente económica», disse o presidente da câmara municipal, Vítor Frutuoso. Na opinião do autarca, a quinzena gastronómica dedicada às comidas de azeite permitiu também “trazer mais qualidade” aos azeites produzidos no concelho e “um olhar mais atento” à importância deste produto na economia. “O azeite que é produzido actualmente

em Marvão, com uma boa apresentação e com um grau de qualidade impar, não custa aquilo que custava no passado, quando era vendido a granel”, observou.

www.gazetarural.com


No âmbito da programação do «2017 - Ano Oficial para Visitar Viseu»

Câmara de Viseu quer formar 200 «anfitriões» da cidade A

Câmara de Viseu quer formar 200 «anfitriões» da cidade, qualificando o seu conhecimento sobre este destino turístico e promovendo uma atitude colectiva de hospitalidade, no âmbito da programação do «2017 - Ano Oficial para Visitar Viseu». As primeiras acções «1 Viseense, 1 Anfitrião» já decorrerem a receberam cem inscritos. A iniciativa visa especialmente formar operadores económicos da cidade, como profissionais de hotelaria e restauração, comerciantes do centro histórico e técnicos de museus. «Esta forte adesão confirma a oportunidade

www.gazetarural.com

desta iniciativa», considerou o presidente da Câmara de Viseu, Almeida Henriques. Na sua opinião, «os cidadãos estão hoje conscientes da importância do desenvolvimento do turismo para a economia e o emprego e sentem-se também na pele de anfitriões da sua cidade». «O envolvimento da comunidade é uma condição indispensável à construção de um destino de excelência», frisou. Esta formação, que é aberta a todos os cidadãos interessados, conta já com «um elevado número» de professores e

estudantes do ensino superior da área de turismo. Está previsto um módulo teórico e outro prático, sendo que, no primeiro, a formação centra-se em temáticas como o contexto geográfico de Viseu, os principais monumentos e figuras históricas, a gastronomia e os sabores da região, as lendas e as curiosidades. No módulo prático, os conhecimentos são adquiridos durante uma visita à cidade. No final, todos os participantes recebem o Certificado Oficial de Anfitrião de Viseu e um manual de apoio com todos os conteúdos abordados.

33


Últimas Sai à rua de 25 a 28 de Fevereiro

Lazarim volta a dar

vida a um dos entrudos mais genuínos do país

U

m dos entrudos mais genuínos e tradicionais do país volta a sair à rua de 25 a 28 de Fevereiro na pequena vila de Lazarim, em Lamego. Conhecido pelos seus populares caretos, esculpidos em madeira de amieiro, o Entrudo de Lazarim é uma representação única de encenações antigas da cultura portuguesa. Mais uma vez são esperados milhares de visitantes, para verem a desfilar as máscaras diabólicas e carrancudas, fruto de um trabalho muito minucioso e paciente de artesãos locais que lutam para preservar a memória histórica das suas gentes. O ponto alto do Entrudo de Lazarim é, sem dúvida, a leitura dos testamentos da comadre e do compadre na terça-feira de Carnaval. Neste dia, tapam-se os ouvidos aos mais sensíveis, pois é o momento das verdades guardadas durante todo o ano se fazerem escutar, uma missão a cargo de dois jovens, vestidos de negro, que, desenrolando lengalengas, criticam os rapazes e as raparigas da terra. Mas, regra de ouro, só os solteiros podem criticar e ser alvo de chacota.  Após os testamentos serem pronunciados, há espaço para a realização de um cortejo até ao local onde o casal, representado por bonecos, é queimado simbolicamente. No final, para encerrar as comemorações do Entrudo é oferecido caldo de farinha e a feijoada, ao som de uma intensa animação musical.  Este ano haverá ainda espaços gastronómicos, venda de produtos regionais e artesanato, para além de muita música e exposições. Quem visitar a vila de Lazarim também poderá ver caretos à solta de grupos convidados, participar num raid fotográfico na Alcaria de Mazes e num concurso de máscaras. O Centro Interpretativo da Máscara Ibérica (CIMI) vai impulsionar esta dinâmica cultural com a abertura ao público de duas novas exposições de trajes, máscaras e fotografias ligadas a esta temática. Organizado, em parceria, pela Junta de Freguesia de Lazarim e pela Câmara de Lamego, o Entrudo de Lazarim mantém-se o símbolo do sentir e da arte popular desta povoação.

34

Estância termal promete novidade

Termas do Carvalhal já abriram para nova época termal A

s Termas do Carvalhal, no concelho de Castro Daire, já abriram ao público para mais uma época termal recheada de saúde e bem-estar. Esta nova época promete trazer novidade e uma, ainda, maior diversidade de serviços e tratamento aos aquistas. As Termas do Carvalhal estão vocacionadas para tratamentos de doenças músculo-esqueléticas e reumatológicas, das vias respiratórias, de pele e do aparelho digestivo. A diversificada oferta termal oferece tratamentos termais adequados a cada uma destas patologias bem como à prevenção das mesmas. A aposta na prevenção e no benefício de todas as propriedades que a água minero-medicinal desta estância termal têm para oferecer são ofertas que o público pode encontrar nas Termas do Carvalhal, conjugando sempre a saúde e o bem-estar de forma perfeita. Os momentos de relaxamento da agitação diária, longe dos grandes centros e perto das paisagens bucólicas e encantadas da região, são também uma realidade nas Termas do Carvalhal e que permitem ser uma das melhores forma de combater o stress diário ao que muitos estão sujeitos. A juntar à oferta variada e diversificada de tratamentos e programas de bem-estar, as Termas do Carvalhal são também um destino onde é fácil chegar com óptimas acessibilidades proporcionadas pela A24 e onde podemos encontrar outros pontos de interesse turístico com especial destaque para o Rio Paiva, a Serra de Montemuro, os monumentos históricos ou ainda a excelência da gastronomia local. www.gazetarural.com


Nos dias 23, 24, 25 e 26 de Março

Ourique prepara XI edição da Feira do Porco Alentejano

Tema Central é a “Floresta em Português: Raízes do Futuro”

Viana do Castelo recebe VIII Congresso Florestal Nacional

O

Município de Ourique prossegue a preparação da XI edição da Feira do Porto Alentejano, que decorrerá em Ourique nos dias 23, 24, 25 e 26 de Março. Ao longo dos anos, a fileira do porco alentejano animou a preservação do montado, dinamizou as explorações agropecuárias e as actividades associadas, mobilizou momentos de afirmação da excelência dos produtos e incorporou-se definitivamente como uma marca da identidade de Ourique. Assim, no seguimento dos anos anteriores, a Feira do Porco Alentejano será um evento que conjuga uma programação técnica direccionada para os criadores e produtores agro-alimentares com uma oferta gastronómica, de animação musical, de lazer e de divulgação do Mundo Rural, que tem atraído várias dezenas de milhares de visitantes a Ourique Capital do Porco Alentejano. Depois de anunciada a presença dos Sangre Ibérico, da Ala dos Namorados e de Miguel Araújo, a realização do programa Somos Portugal da TVI, no dia 26 de Março, das 14 às 20 horas, será mais um motivo de atracção e uma oportunidade para divulgar a realidade da nossa terra e chegar aos ouriquenses e os Baixo Alentejanos que, não podendo estar presentes, matam saudades através da televisão. Com determinação da última década de concretizar políticas para as pessoas, para o território e para a afirmação de Ourique como terra de futuro, em breve serão divulgadas mais novidades da XI Feira do Porco Alentejano.

www.gazetarural.com

A

“Floresta em Português: Raízes do Futuro” é o tema central do VIII Congresso Florestal Nacional, que vai decorrer em Viana do castelo de 11 a 14 de Outubro. A organização está a cargo de uma Comissão constituída por elementos da Sociedade Portuguesa de Ciências Florestais, do Instituto Politécnico de Viana do Castelo, onde decorrerão as conferências e sessões temáticas, e das Associações Florestais do Lima e do Vale do Minho. Esta reunião magna do sector florestal propõe-se abordar um tema ainda não desenvolvido em anteriores congressos, em linha com o objectivo estatutário de promover o intercâmbio internacional. Assim, para além das sempre importantes trocas técnicas e científicas a nível nacional, o congresso tentará promover o intercâmbio entre entidades e especialidades do mundo lusófono, de modo a que estas possam partilhar experiências, resultados, técnicas e desenvolvimentos científicos na área florestal e que utilizem estas raízes comuns como base para os desenvolvimentos futuros. Dentro do tema central, “Floresta em Português: Raízes do Futuro”, serão realizadas conferências sobre diversos aspectos de interesse geral como Florestas e Conservação da Natureza, Madeiras na Lusofonia, Biodiversidade, Políticas e Mercados Internacionais, Estatísticas Florestais, Gestão Florestal Comunitária. Para além destas Conferências serão realizadas Sessões Temáticas sobre outros aspectos técnico-científicos mais particulares que serão oportunamente definidos. Desde a sua fundação, em 1984, a Sociedade Portuguesa de Ciências Florestais tem vindo a desenvolver diversas actividades no sentido de fomentar o estudo e progresso da ciência e da técnica florestal entre as quais se destaca a organização dos Congressos Florestais Nacionais. Os sete congressos anteriores realizaram-se em diversas localidades e debruçaram-se sobre temas centrais variados, como “Floresta, Desafio de Longo Prazo” (Lisboa 1986), “Floresta e Mudança” (Porto 1990), “Os Recursos Florestais no Desenvolvimento Rural” (Coimbra 1994), “A Floresta na Sociedade do Futuro” (Évora 2001), “A Floresta e as Gentes” (Viseu 2005), “A Floresta num Mundo Globalizado” (Ponta Delgada 2009) e “Floresta, Conhecimento e Inovação” (Vila Real e Bragança 2013). 35


Iniciativa pioneira em Sever do Vouga

Cooperativa Bagas de Portugal dinamiza encontro de fornecedores

A

Cooperativa Bagas de Portugal, a comemorar o primeiro aniversário da sua criação, dinamiza o primeiro encontro de fornecedores de equipamentos, serviços e produtos ligados ao sector agrícola, numa iniciativa pioneira a decorrer no próximo dia 18 de Fevereiro, em Sever do Vouga. “A troca de experiência e partilha entre todos os que estão envolvidos nas actividades agrícolas - designadamente na vertente dos pequenos frutos - tem sido uma das nossas prioridades neste primeiro ano de existência”, afirma o presidente da Cooperativa Bagas de Portugal, Paulo Lúcio Costa Gomes, salientado que este encontro é “prova disso mesmo”.  “O evento, de entrada gratuita, oferece descontos excepcionais e únicos para negócios realizados durante este dia. Será também uma excelente oportunidade para futuros produtores, que aqui encontram várias soluções e respostas para os seus problemas”, frisa o dirigente. O encontro de fornecedores – com inscrição obrigatória realiza-se no salão de exposições do Vougapark, entre as 9 e as 17 horas. Fundada a 08 de Janeiro de 2016, a Cooperativa Bagas de Portugal nasceu a partir de um grupo de produtores de pequenos frutos oriundo de vários pontos do País. A aposta numa nova política de comercialização, assente na defesa dos interesses de quem produz, norteou este projecto que pretende imprimir um novo ritmo à fileira.

36

Ano XIII | N.º 287 | Periodicidade: Quinzenal Director: José Luís Araújo (CP n.º 7515) jla.viseu@gmail.com | 968044320 Editor: Classe Média C. S. Unipessoal, Lda Redacção: Luís Pacheco | Opinião: Miguel Galante | Paulo Barracosa Departamento Comercial: Fernando Ferreira Redacção: Lourosa de Cima - 3500-891 Viseu | Telefone 232436400 E-mail Geral: gazetarural@gmail.com | Web: www.gazetarural.com ICS: Inscrição nº 124546

Propriedade: Classe Média - Comunicação e Serviços, Unipessoal Limitada Administração: José Luís Araújo Sede: Lourosa de Cima - 3500-891 Viseu Capital Social: 5000 Euros | CRC Viseu Registo nº 5471 | NIF 507 021 339 Dep. Legal N.º 215914/04 Execução Gráfica: Novelgráfica | Tel. 232 411 299 Tiragem média Mensal: Versão Digital: 100.000 exemplares Versão Impressa: 2000 exemplares www.gazetarural.com Nota: Os textos de opinião publicados são da responsabilidade dos seus autores.


Breves Ricos sabores no Carnaval em Macedo de Cavaleiros São 23 os restaurantes aderentes ao Festival Gastronómico do Grelo, que decorre em Macedo de Cavaleiros. Ao longo de quatro dias, de 25 a 28 de Fevereiro, todos têm grelos nas suas ementas para apresentar aos clientes. Um Carnaval assim só podia juntar o melhor da tradição o melhor dos sabores. O Entrudo Chocalheiro acaba também por ser um desafio aos paladares, com o Festival Gastronómico do Grelo. Não esquecendo as receitas tradicionais transmontanas, os restaurantes apostam na recriação de novos pratos, adaptando-os a todos os gostos e que, mercê de uma característica tão vincada de bem receber, serão óptimos anfitriães para quem visita este território, Geopark Mundial da UNESCO. Boticas irá receber 3410 árvores de espécies autóctones O Município de Boticas irá receber 3410 árvores de espécies autóctones, no âmbito de uma candidatura ao Programa “Floresta Comum”, iniciativa promovida pelo Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF), Quercus, Governo de Portugal, Associação Nacional dos Municípios Portugueses e Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD). A candidatura ao programa surgiu da necessidade de minimizar os prejuízos causados pelos incêndios florestais que afectaram o concelho barrosão no último verão. O Gabinete Técnico Florestal da Câmara de Boticas elaborou 16 candidaturas, sendo que 15 são de projectos florestais apresentados por Juntas de Freguesia e por Conselhos Di-

www.gazetarural.com

rectivos de Baldios. A outra candidatura diz respeito a um projecto educativo apresentado pela Câmara Municipal em colaboração com o Agrupamento de Escolas Gomes Monteiro. Ao todo foram atribuídas 3410 plantas de várias espécies autóctones como bidoeiro, carvalho negral, nogueira preta, carvalho alvarinho, agreira, teixo, giestó e amieiro, sendo que 1600 são provenientes do viveiro do ICNF de Amarante e 1810 do viveiro da Malcata. O programa tem como missão promover a produção, angariação e distribuição de árvores autóctones, a projectos que demonstrem motivação, comprovem competências e possuam os meios necessários para proceder à plantação e cuidado das florestas. O objectivo é fomentar e incentivar a criação de uma floresta com altos índices de biodiversidade e de produção de serviços ecológicos.  Este programa visa envolver a comunidade em geral, potenciar a criação de estruturas e redes locais de recuperação da floresta autóctone portuguesa e cujos benefícios se expandam não só às atuais mas também às gerações futuras. O processo de plantação das árvores decorrerá em colaboração com a Associação Ambiental e Cultural Celtiberus. Conferência Internacional de Turismo Sustentável Integrado nos territórios do Geopark Naturtejo e da Carta Europeia de Turismo Sustentável Terras do Lince, o Município de Penamacor traz a debate o candente tema do turismo sustentável para o desenvolvimento como oportunidade de gerar e de gerir produtos turísticos criativos e inovadores, tirando partido da especificidade dos territórios, tendo em vista a diferenciação do destino.

Pretende-se, com esta conferência, apresentar uma panorâmica do que está a acontecer em Portugal e na Europa em termos de turismo sustentável, assim como realçar o potencial que o turismo tem para o desenvolvimento regional, em particular no meio rural. A sustentabilidade ambiental, social e económica dos projectos turísticos revê-se na matriz identitária do território, onde memória e conhecimento científico-tecnológico se combinam para reforço das dinâmicas de marketing e de oferta turística a longo prazo. A inscrição, gratuita, inclui: participação em todas as sessões, documentação da conferência, certificado, porto de honra de boas vindas, coffee breaks e visita temática a Penamacor. Biosfera inicia plano para valorizar território  Várias entidades começaram a trabalhar na elaboração de um Plano de Prevenção de Incêndios e de Valorização e Reabilitação de Habitats Naturais, no lado português do território da Reserva da Biosfera Transfronteiriça Meseta Ibérica. Trata-se de um plano abrangente que será criado dos contributos de sugestões de investimentos prioritários, como explicou Berta Nunes, presidente do ZASNET, o Agrupamento de Europeu de Cooperação Territorial, que coordena a reserva classificada pela UNESCO. Além do ZASNET, o plano para o território do lado português juntou numa primeira reunião de preparação também responsáveis da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional (CCDR) do Norte, do Instituto de Conservação da Natureza e Florestas (ICNF), e os municípios.

37


Marcada para 8 de Julho, no Mercado Velho

Segunda edição do “Tondela Brancos” já tem data

D

epois do êxito da primeira edição, a Câmara de Tondela prepara já o “Tondela Brancos” 2017, marcado para o dia 8 de Julho, no Mercado Velho. Este é um evento inédito dedicado à promoção e divulgação dos vinhos brancos de Tondela, produto de excelência da região do Dão, com um paladar único, fruto de caraterísticas endógenas diferenciadas. Esta iniciativa decorre no âmbito da política do Município na promoção dos seus produtos endógenos e de valorização dos traços de singularidade que o caracterizam em diversos domínios, e, em particular, no setor primário. Para tal, os produtores de vinho da nossa região foram convidados a participar na criação deste evento, parceria que se verificou fundamental para a construção do mesmo. A segunda edição do “Tondela Brancos Dão” decorrerá no dia 8 de Julho, no Mercado Velho de Tondela. Do programa constam diversas ações, nomeadamente palestras, exposições, provas de vinho, gastronomia, showcookings e animação musical.

38

www.gazetarural.com


www.gazetarural.com

39


40

www.gazetarural.com


Gazeta Rural nº 287