Page 1

PUB

praçapública RUA ANTERO DE QUENTAL, Nº 17 - 3880-146 OVAR

PUB

QUARTA-FEIRA, 27 DE FEVEREIRO DE 2013 . 0,50€. ANO 13 . Nº 628 QUINZENÁRIO DO CONCELHO DE OVAR . Diretora: SOFIA STOFFEL

PUB

PSD escolhe Salvador Malheiro para disputar Autárquicas 2013 Câmara Municipal de Ovar vai alienar participação social na OvarForma Pág. 2 DESTAQUE

Praia de Cortegaça mantém Classificação Tipo I - Praia Urbana

Tiago Carriola

DESTAQUE

Cortesia: Manuel Vitoriano- httpwww.manuelvitoriano.com

Pág. 4

Pág. 8

Procissão dos Passos marca arranque da Tradição Quaresmal

Pág. 3

TERRA-A-TERRA

Movimento de Cidadãos do Concelho de Ovar volta ao debate Pág. 6

Centro de Arte esgota no arranque da digressão dos The Gift Pág. 24 Publicidade Publicidade


2

praçapública

DESTAQUE

Quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

ATUALIZAÇÃO DO REGULAMENTO MUNICIPAL PARA ATRIBUIÇÃO DE APOIO A ESTRATOS SOCIAS DESFAVORECIDOS

Câmara Municipal de Ovar propõe implementação de “Política do Medicamento”

ARADA

Detido a cortar armação em ferro DR

DINIS AMARAL DINISAMARAL@PRACAPUBLICA.COM

participação até 50%, na parte que cabe ao utente, na aquisição mediante receita médica, de medicamentos comparticipados pelo SNS Sistema Nacional de Saúde, com o limite máximo de 30

euros/mês por munícipe carenciado e com a duração de 12 meses, renovável por igual período caso se mantenham as condições de acesso”, destaca a autarquia. Para Manuel Oliveira,

AUITARQUIA VAI ALIENAR INTEGRALMENTE A SUA PARTICIPAÇÃO SOCIAL

OvarForma vai ter capitais exclusivamente privados O executivo da Câmara Municipal de Ovar aprovou, por unanimidade, a proposta de alienação integral da participação social detida pelo Município de Ovar na OvarForma – Empresa Municipal para o Ensino e Formação, EM, transformando-a numa empresa de capitais exclusiva-

mente privados, a qual será agora objeto de apreciação pela Assembleia Municipal, órgão competente. Em nota enviada à nossa redação, a autarquia refere que “a entrada em vigor da Lei 50/2012, de 31 de agosto, que aprovou o novo regime jurídico da atividade empresa-

presidente da Câmara Municipal de Ovar, “esta medida resulta da atenção permanente à área social que a Câmara Municipal de Ovar tem vindo a efetuar”. O autarca destaca que “num momento

de crise e dificuldades” a autarquia está “a aprofundar e a reforçar os Apoios Sociais Municipais, promovendo a inclusão social e garantindo mais equidade entre os munícipes do concelho”.

DR: httpwww.panoramio.com

PS e PSD aprovaram, no passado dia 21, por unanimidade, uma proposta de atualização do Regulamento Municipal para Atribuição de Apoio a Estratos Sociais Desfavorecidos com a introdução de apoio complementar nas despesas de saúde, em casos comprovados de doenças crónicas e/ou portadores de deficiência. Com esta medida, a autarquia diz pretender “implementar no concelho a denominada Política do Medicamento”. A proposta, que será agora alvo de discussão pública, visa “o apoio complementar nas despesas com saúde, em casos comprovados de indivíduos com doenças crónicas e/ou deficientes, independente do grau de deficiência”, através de “uma com-

Uma patrulha da GNR de Ovar deteve, no passado dia 16 de fevereiro, em Arada, um homem de 39 anos de idade, que se encontrava, na companhia de mais dois indivíduos, a cortar com um maçarico alimentado a gás, a armação em ferro que segura o telhado de uma antiga fábrica, atualmente abandonada, mas fechada. Segundo o Comando Territorial da Guarda Nacional Republicana de Aveiro, a operação ocorreu após uma denúncia, que resultou na detenção de apenas um indivíduo, sendo que os restantes dois se colocaram em fuga.

A Câmara Municipal vai deixar de ter participação na OvarForma

rial local e das participações locais, aponta para a extinção da Ovar Forma, na condição de empresa municipal” e que “face a este imperativo legal, a autarquia promoveu inúmeras diligências, e analisou e

equacionou os diferentes cenários previstos na referida legislação, sempre na busca de uma solução que salvaguarde o interesse público e evite os custos sociais que a extinção da empresa provocaria”.

Para Manuel Oliveira, presidente da Câmara Municipal de Ovar, “a opção agora aprovada resulta de uma análise técnico legal, financeira e social, rigorosa e cuidada, em que a procura

da salvaguarda do interesse público, do ensino e da formação foram uma constante, bem como a busca de minimização de custos financeiros e sociais para toda a comunidade envolvida”.


praçapública

DESTAQUE

3

DR

Quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

Manuel Oliveira sempre defendeu a manutenção da classificação da Praia Urbana em Cortegaça

PROCESSO DE REVISÃO DO PLANO DE ORDENAMENTO DA ORLA COSTEIRA

Cortegaça mantém praia urbana DINIS AMARAL DINISAMARAL@PRACAPUBLICA.COM

“era necessário defender e salvaguardar este património turístico, garan tindo, garantindo, simultaneamente, a se gurança de segurança todos ”. todos”. Manuel Oliveira

ta classificação era inaceitável, uma vez que colocava em causa a segurança dos veraneantes da Praia da Cortegaça, ignorando a procura daquela praia por munícipes e habitantes da região e do país, bem como o seu caráter

urbano”. O edil defende que se trata de “uma praia distinguida com a menção de Praia com Qualidade de Ouro”, galardão atribuído pela Quercus – Associação Nacional de Conservação da Natureza às zonas balneares

cuja água apresenta os melhores resultados em termos de qualidade, com base na informação disponibilizada pelo Instituto da Água, e que “é uma praia com Bandeira Azul, um prestigiado símbolo de qualidade”. É neste sen-

tido que Manuel Oliveira assegura que “era necessário defender e salvaguardar este património turístico, garantindo, simultaneamente, a segurança de todos quantos a visitam ou fazem dela o seu destino de férias”. Publicidade

A Câmara Municipal de Ovar anunciou ter obtido a garantia “por parte da equipa técnica responsável pela revisão do POOC (Plano de Ordenamento da Orla Costeira) Ovar - Marinha Grande, de que a Praia de Cortegaça mantém a classificação Tipo I – Praia Urbana”, e afirma que estão “assim, salvaguardadas as condições de segurança dos veraneantes”. Num comunicado enviado à nossa redação, a autarquia destaca que “na sequência da apresentação do relatório referente à segunda revisão do POOC Ovar Marinha Grande, e face à proposta de reclassificação da Praia de Cortegaça, que passaria de Tipo I – Praia Urbana, a Tipo V – Praia com uso restrito”, manifestou, “desde logo, a sua discordância face a esta intenção”, tendo promovido “diligências”, nomeadamente através de “uma reunião efetuada no edifício dos Paços do Concelho, no dia 5 de fevereiro, na presença de representantes do Centro de Estudos e Desenvolvimento Regional e Urbano, Lda. (CEDRU), da Universidade de Aveiro (UA)

e da Agência Portuguesa do Ambiente (APA)”, onde perante os argumentos apresentados pela autarquia, “ficou decidido que a Praia de Cortegaça continuará a manter a classificação de Praia Urbana”, refere o documento. Manuel Oliveira, presidente da Câmara Municipal de Ovar, garante que “sempre defendeu a manutenção da classificação existente”, e destaca que “a proposta de anulação da praia de Cortegaça como Praia Urbana, implicaria a não existência de qualquer apoio de praia e de nadadores-salvadores no local”. O autarca refere que “es-


praçapública

POLÍTICA

Quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013 DR

4

Salvador Malheiro assegura estar pronto para aceitar o desfaio

AUTÁRQUICAS 2013

Comissão Política do PSD escolhe Salvador Malheiro para corrida à Câmara DINIS AMARAL DINISAMARAL@PRACAPUBLICA.COM

cesso que, assegura, “não estará concluído até ao final do mês de março”. MOVIMENTO DE APOIO À CANDIDATURA DE SALVADOR MALHEIRO NASCEU NAS REDES SOCIAIS O anúncio do nome do candidato ‘laranja’ para a corrida à Câmara produziu efeitos ainda na última semana, com o aparecimento do “Movimento de Apoio à Candidatura de Salvador Malheiro à Câmara de Ovar”, cujos responsáveis dizem ser “um grupo de cidadãos do concelho de Ovar, sem militância partidária, que reconhece em Salvador Malheiro todas as qualidades necessárias para dar mais qualidade de vida a todos os Ovarenses, no papel de próximo presidente da Câmara Municipal de Ovar”. Nas redes sociais, o Movimento justifica o apoio a Salvador Malheiro, atual vereador da autarquia em regime de não permanência, por considerar que este “é o melhor candidato à Câmara Municipal de Ovar, pela elevada competência profis-

sional, pessoal e de caráter” que garante “desde sempre demonstrou, pelo enorme amor que tem pela sua região e pelas gentes vareiras, pelo espírito de inovação e empreendedorismo que tem e pela capacidade de arregaçar as mangas e fazer”, sendo, por estes motivos “o candidato que Ovar precisa”, defende o Movimento. O Movimento garante querer “reunir todos aqueles que partilham da vontade de ver um concelho de Ovar mais forte, capaz de chamar a si a importância e afirmação que Ovar merece”, isto porque asseguram que Salvador

Malheiro “pretende alterar o atual estado de coisas, introduzindo na governação municipal profissionalismo, modernização, visão de futuro e, sobretudo, iniciativa”, acabando com o que dizem ser uma autarquia que mais parece “um mero departamento administrativo”, recuperando, desta forma, “a identidade vareira que se perdeu” e que Salvador Malheiro “quer recuperar”, defende o Movimento. Salvador Malheiro garantiu ao PRÇA PÚBLICA “nada ter a ver com a criação e difusão deste movimento” e destacou ter-se apercebido

da sua existência “pelas redes sociais”. O social-democrata assegurou não ser “insensível a este movimento de apoio, fomentado por gente que me quer bem”, e destacou ser “impressionante a dinâmica que o movimento alcançou em alguns dias, abrangendo pessoas de todos os quadrantes políticos, de todas as freguesias e tendo alcançado cerca de 10 mil pessoas em apenas numa semana”, disse. Por tudo o que se passou na última semana, o líder do PSD Ovar disse sentir “uma responsabilidade acrescida”, e “uma grande satisfação pessoal”, Publicidade

Salvador Malheiro é o candidato escolhido pela Comissão Política Concelhia do PSD de Ovar para concorrer à presidência da Câmara Municipal de Ovar nas próximas Eleições Autárquicas, que terão lugar ainda este ano. Numa nota enviada à nossa redação, os sociais-democratas adiantam que o nome de Salvador Malheiro, que conta com os apoios de históricos ‘laranjas’ como Oliveira Dias, Joaquim Barbosa e Domingos Silva, entre outros, será agora “apresentado à Assembleia da Secção de Ovar”, que decorrerá durante o mês de março, e que, após a pronúncia deste órgão, o candidato terá ainda de “ser aprovado pela Comissão Política Distrital e pela Comissão Política Nacional”. Contactado pelo PRAÇA PÚBLICA, Salvador Malheiro assegurou assumir “a responsabilidade com motivação e muita determinação, reconhecendo que parte para esta etapa com confiança pois sinto-me muito apoiado,

contando com um partido unido como nunca, onde todos os ‘generais’ disseram presente”, referiu. O candidato do PSD garante querer “devolver esperança a todos os munícipes de Ovar” e aposta em “devolver o espírito vareiro às nossas gentes”. O social-democrata destacou estar “à altura do desafio, num momento em que a gestão autárquica não deve mais estar direcionada para as infraestruturas e para o betão, mas sim para o desenvolvimento, para a sustentabilidade e para o incremento da qualidade de vida de todos os ovarenses”. Apesar da decisão da Comissão Política do PSD Ovar estar tomada, Salvador Malheiro salientou que é necessário ter “respeito e consideração por todos os militantes do PSD do concelho de Ovar, que são muitos”, e lembrou que “apesar desta decisão em sede de Comissão Política” estar tomada, esta deverá ainda “ser validada pela assembleia de militantes do PSD do concelho de Ovar e aprovada pelos órgãos distritais e nacionais”, num pro-


praçapública

praçapública

HALL DE ENTRADA

POSTAL DA SEMANA

Diretor a : Sofia Stoffel (director@pracapublica.com)

Redação: Fernando Souteiro

EDUARDO COSTA

5

editorial

Quinzenário Vareiro

D i r e t o rr-- a d j u n t o de informação: Dinis Amaral (CP n.º 6198)

Quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

Tradição

Colaborador e s Aníbal Gomes Colaboradores Fotográficos: Tiago Carriola Assinaturas: (assinaturas@pracapublica.com) Propriedade Propriedade:: Globinóplia, Unipessoal, Lda Edição: Notícias Amplas, Unipessoal, Lda, Contribuinte nº 509 158 692 Capital Social: 1 000 Euros Administração Administração: Manuel Domingos da Silva Moreira Detentores de mais de 10% do Capital Social: Gadgetresult SGPS. S.A. Contribuinte n.º 508 950 520 Reg. DGCS nº 123740 Dep. Legal nº 159271/00 Redação: Rua Antero de Quental, nº 17, 3880-148 OVAR Tel: 256 753 044 TM: 917 489 469 e-mail: geral@pracapublica.com Impressão: Coraze - Oliveira de Azeméis Telm.: 910252676 / 910253116 / 914602969 Tiragem média: 3.000 exemplares Assinatura anual: 22,50 euros (nacional); 62,50 euros (estrangeiro). As opiniões publicadas neste semanário, podem não refletir a linha editorial do PRAÇA PÚBLICA. Por isso, os textos de opinião assinados são da inteira responsabilidade dos seus autores, não cabendo qualquer responsabilidade à direção e administração deste jornal.

SOFIA STOFFEL

A “Canga” Que diacho é este palavrão de “ir aos mercados” e que é que isso tem a ver com a melhoria da vida dos portugueses? Ficamos baralhados, porque uns dizem que deste modo já há uma luzinha ao fundo do túnel, finalmente, e outros afirmam que é apenas engenharia financeira, que só substituem uma dívida por outra. Porque não explicam em linguagem que todos entendam, que “ ir aos mercados” significa voltar a ter Crédito, ter empréstimos normais, sobretudo da banca internacional, não precisando assim de estender a mão de pedintes?! Os empréstimos antigos vão vencendo e temos que os pagar. Como não temos dinheiro, pedimos novo empréstimo. Ora, se não nos emprestam… Já sabemos o que acontece: resta-nos bater humildemente e envergonhadamente, à porta dos amigos e familiares, pedindo que nos salvem da falência. Estes (no caso a família da União Europeia, essencialmente) ajudam, até a taxas mais baixas, mas exigem que equilibremos as contas, para sairmos do “vermelho” e os bancos (o dito “mercado”) possam voltar a emprestar. Passam a mandar mais do que nós nas nossas contas, a obrigar a cortar nos benefícios que temos, nos salários, nos investimentos, etc.. E temos que aceitar, compreender e agradecer – como pessoas de bem que somos. Esta “canga” pesa e de que maneira! “Ir aos mercados” significa tirarem-nos esta “canga”. Pedir mais empréstimo à “família” significa “nova canga”, ainda mais pesada. Expliquem com palavras simples e claras, que o povo português de burro não tem nada e se calhar sabe isto melhor que alguns “bem falantes” do Terreiro do Paço!

Cumpriu-se, mais uma vez na nossa terra, no passado domingo a tradição, com Procissão dos Terceiros (Cinzas), anunciando o início da quaresma. Aliás, por todo o país multiplicam-se nesta quadra as tradições religiosas ligadas à celebração da Páscoa. A Páscoa é a maior e a mais importante festa cristã, celebrando-se a Ressurreição de Jesus Cristo, depois da sua morte por crucificação, o que se pensa terá acontecido no ano 30 ou 33 d.C. Durante a quaresma, que começa na quarta-feira de Cinzas e termina na quinta-feira Santa, com a Missa vespertina, relembramos a vida de Jesus Cristo no deserto e, em sua memória, festejamos um período de abstinência, penitência e meditação. A tradição da Igreja Católica ordena ainda que não se coma carne na quarta-feira de Cinzas e na sexta-feira Santa e que as pessoas façam jejum, abstendo-se de fazer todo aquilo que lhes dê muito prazer. A importância desta época é suficiente grande para que sirva de referência a outras datas. Assim, a sua data é calculada como sendo o primeiro domingo após a lua cheia seguinte à entrada do equinócio de outono se nos encontrarmos no hemisfério sul, ou o equinócio de primavera caso se trate do hemisfério norte, e em sua função é determinada a designação das datas de celebração de muitos outros acontecimentos. Esta é uma época onde o fervor religioso anda de mãos dadas com a tradição e a cultura, e no nosso caso, também com a contemplação duma esplêndida arquitectura. Além da procissão que já teve lugar, irão ainda acontecer a Procissão dos Passos, do “Ecce Homo” ou do Terro-Terro, da Via Sacra e do Enterro do Senhor. Esta é uma época de introspeção e meditação, mas também de vivência da nossa cultura, de participação nas tradições e ainda uma boa altura para visitar e admirar as Capelas dos Passos, que representam cenas da Paixão de Cristo, através de imagens de cariz popular que datam do século XVII. A preparação desta época começou já há algum tempo com a reunião das pessoas para a limpeza, preparação e ornamentação das capelas, andores e imagens e organização das comemorações religiosas, e continua com a participação de toda a população, quer intervindo e acompanhando diretamente as comemorações, quer apenas assistindo às mesmas. Não se esqueça de viver intensamente esta quadra, tão rica também culturalmente, participando nestas festividades. DIRECTOR@PRACAPUBLICA.COM

Publicidade


6

praçapública

TERRA-A-TERRA

Quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

REFORMA ADMINISTRATIVA EM DISCUSSÃO

Movimento de Cidadãos do Concelho de Ovar promove debate sobre as “Consequências da Reforma Administrativa do Território” O Movimento de Cidadãos do Concelho de Ovar (MCCO) vai levar a efeito, durante o mês de março, uma iniciativa (reunião) cujo tema é “Consequências da Reforma Administrativa do Território”, que contará com com a participação de cidadãos de todas as atuais freguesias. Numa nota enviada à nossa redação, o MCCO salienta que esta será a primeira de diversas ações que pretende realizar até às próximas Eleições Autárquicas, “em defesa dos interesses da população concelhia”, estando delineadas novas “reuniões entre cidadãos de todo o concelho” e “debates e contactos com a população”. A nova configuração do mapa concelhio, com apenas cinco freguesias, que resultou da Reforma Administrativa e Territorial, vai estar em debate nesta primeira iniciativa, em virtude do MCCO considerar que “é um tema premente, tendo em conta as preocupação que os habitan-

DR

DINIS AMARAL DINISAMARAL@PRACAPUBLICA.COM

Debate Sobre o Desemprego no Concelho de Ovar

tes das freguesias vêm manifestando pela perda da sua Junta de Freguesia”. Segundo o movimento “a população mais idosa parece a mais preocupada, na perspetiva de ter de percorrer grandes distâncias para resolver assuntos que costuma resolver na sua freguesia”. No mesmo documento, o MCCO afirma que, com

estas iniciativas, pretende “dar espaço e voz aos cidadãos do concelho de Ovar”, cuja participação nas Eleições Autárquicas assegura ser “quase nula”. Neste sentido, o Movimento destaca querer “dinamizar essa participação”, procurando sensibilizar os cidadãos “para a necessidade de se envolverem mais nas decisões tomadas no seio da

comunidade, não se ficando, apenas, pelo ato eleitoral”, assegura. Com a promoção destas iniciativas o MCCO diz pretender ainda “acompanhar e influenciar as diversas candidaturas à câmara e às juntas” isto independentemente destas serem “partidárias ou independentes”, com o objetivo de terem “em conta as

propostas dos cidadãos, deixando bem claro o seu projeto eleitoral, sem ambiguidades, respeitando a boafé dos eleitores com as propostas que apresentem”. O MCCO foi criado em 2008, e desde então tem promovido algumas iniciativas a que agora garante querer “dar continuidade”. Recorde-se que em março de 2009 o

MCCO levou a cabo o debate sobre “O Desemprego no Concelho de Ovar”, uma iniciativas que contou com a presença de diversos autarcas, empresários, dirigentes sindicais, ativistas dos partidos políticos locais e técnicos de diferentes áreas, como advogados, psicólogos, economistas ou gestores, e ainda cidadãos desempregados.

ESCOLA EB 2,3 ANTÓNIO DIAS SIMÕES

Tomou posse novo conselho Eco-escolas No passado dia 21 de fevereiro, o novo conselho Eco-escolas da escola EB António Dias Simões (ADS), do Agrupamento de Escolas de Ovar reuniu para tomar posse e elaborar o plano de ação, cujo projeto é coordenado pela docente desta escola, Áurea Conde. Os resultados da auditoria ambiental realizada durante o primeiro período deste ano letivo mereceram reflexão dos membros do conselho Ecoescolas. Com base nos dados em análise foi elaborado e aprovado um plano de ação que visa colmatar alguns pontos

fracos apontados na Auditoria Ambiental. As temáticas base e obrigatórias são a “Água, os Resíduos e a Energia”. O tema do ano escolhido foi a “Agricultura Biológica” e o tema complementar os “Espaços Exteriores”. O movimento Eco-escolas alargou-se no ano letivo de 2007/2008 à António Dias Simões no âmbito do Programa Internacional Associação Bandeira Azul da Europa (ABAE), que pretende encorajar ações e reconhecer o trabalho de qualidade dinamizado pelas escolas, como desde aí vem acontecendo

através da Educação Ambiental desenvolvida na ADS, que tem mantido o galardão que simboliza a bandeira verde do Eco-escolas hasteada em cada ano letivo, como resultado do trabalho com base nas meto-

dologias do projeto, no que toca à formação ou materiais pedagógicos para sensibilizar a comunidade educativa local. Este ano letivo fazem parte do conselho Eco-escolas os seguintes elementos: em

representação da Direção Executiva do Agrupamento de Escolas de Ovar, Manuela Pinto, em representação da Câmara Municipal de Ovar, Pedro Repinaldo, em representação da Junta de Fre-

guesia de Ovar, Iolanda Bastos, a representar os professores, António Costa, Áurea Conde, Odete Santos, Paula Leite, a representar os alunos, Leonor Pinto (6ºC), Tatiana Silva (6ºC), Pedro Alçada, Ilídia Santos (CEF Jardinagem), Pedro Tomé (CEF Jardinagem), a representar os assistentes operacionais, Joaquim Fidalgo, a representar a Associação de Pais, Maria Salomé Costa, em representação da Sorgal, Joana Costa e em representação da Egi-gestão de resíduos, Sandra Vidrago, Cláudia Oliveira e Nelson Couto.


praçapública

TERRA-A-TERRA

OVAR

Piscina Municipal acolhe Encontro de Natação Adaptada Fotos: DR

A Piscina Municipal de Ovar foi palco, no passado dia 20, de um Encontro de Natação Adaptada, realizado no âmbito do Desporto Es-

colar, que reuniu 35 alunos com necessidades educativas especiais oriundos de quatro escolas da região. Em nota enviada à nossa redação, a Câ-

mara Municipal de Ovar assegura que os objetivos deste Encontro foram, “para além da promoção do desporto, o convívio e a socialização entre os alunos das diferentes escolas”. A iniciativa, promovida pelo Agrupamento de Escolas Ovar com o apoio da autarquia e do Clube de Canoagem de Ovar, reuniu alunos das escolas de Pardilhó (Estarreja), de Branca (Albergaria-a-Velha), de S. Bernardo (Aveiro) e da anfitriã, a Escola

Quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

7

Monsenhor Miguel Oliveira, de Válega. Após a abertura oficial do Encontro de Natação Adaptada, efetuada por Vítor Ferreira, vereador do desporto da Câmara Municipal de Ovar, e por Maria Antónia Vidal, Diretora do Agrupamento de Escolas de Ovar Sul, os alunos puderam usufruir de diferentes atividades, entre as quais diversos jogos aquáticos, percursos de canoa e hidroginástica.

Os objetivos deste Encontro foram, “ para além da promoç ã o do promoçã des porto, o desporto, convívio e a socia liza ção socializa lizaç entre os alunos das diferentes escolas escolas””

VÁLEGA

DR

FERNANDO SOUTEIRO E PAULO SANTOS

Já são conhecidas algumas obras que irão ser feitas na vila de Válega, a curto ou médio prazo. A requalificação da rua da Corga do Sul já está em andamento e deverá estar concluída até finais de março, ou princípios de abril. Outras ruas, casos, dos Lenhadores, de Camões, a envolvente do campo de futebol do Centro Cultural e Recreativo de Válega e mais duas envolventes, terão outro aspeto, dentro de alguns meses. No entanto, o problema que se coloca é que a obra é

da responsabilidade de um empreiteiro, enquanto cabe à AdDRA (Águas da Região de Aveiro) realizar os trabalhos referentes ao saneamento. Nesta matéria, o mesmo vai avançando naquela vila, assim como na freguesia de São Vicente Pereira. No entanto, é de realçar que devido à A29, o percurso sofreu uma ligeira alteração na freguesia valeguense, passando agora pela rua da Quinta. O presidente da Junta de Freguesia de Válega, Jaime Duarte Almeida adiantou ao PRAÇA PÚBLICA que a rua da Regedoura, a respetiva travessa com o mesmo

nome, as ruas dos Moliceiros e da Telha foram uma obra pela qual garantiu ter “lutado pela sua concretização”, desde que tomou posse. Contudo, o autarca valeguense pretende que seja instalado o saneamento naquelas artérias. A rede de águas pluviais é uma certeza. Jaime Almeida aceita, de alguma forma, que o saneamento seja caro, mas segundo este faziase “o trabalho de uma vez e depois não se tornava a rebentar a estrada”. O executivo tem em mente o alargamento de outras ruas até ao final do corrente ano, mas lembra que “as pessoas são teimosas” e por vezes existe muita dificuldade na cedência de alguns metros de terreno, tendo Jaime Almeida recordado aquilo que passou mais recentemente nas ruas da Corga do Sul e de São Miguel, nessa matéria. Por outro lado, devido aos constantes roubos, as tampas da rua dos Lenhadores foram substituídas por cimento.

Publicidade

Câmara Municipal e Junta de Freguesia apostam em melhoramentos da rede viária


8

praçapública

TERRA-A-TERRA

Quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

PROCISSÕES QUARESMAIS

As majestosas procissões quaresmais de Ovar tiveram início no passado domingo, dia 24 de fevereiro, com a Procissão dos Terceiros (Cinzas). Trata-se de uma tradição religiosa secular que remonta ao século XVIII e que é composta por cinco Procissões –

Cortesia: Manuel Vitoriano- httpwww.manuelvitoriano.com

Procissão do Passos abriu ciclo de majestosas procissões

Programa 10 de março: Procissão dos Passos (Ovar, centro da cidade, 15h30) 28 de março: Procissão do EcceHomo (Terro-Terro) (Ovar, centro da cidade, 21h30) 29 de março: Procissão Via-sacra (Ovar, centro da cidade, 7h30) 29 de março: Procissão do Enterro do Senhor (Ovar, centro da cidade, 20h30)

As Procissões Quaresmais fazem parte da tradição de Ovar há três séculos

Terceiros, Passos, Ecce-Homo, Via-sacra e Enterro do Senhor. Organizadas pela Paróquia de Ovar, Ordem Terceira de S. Francisco, Irmandade dos Passos e Câmara Mu-

multissecular tradição. RESENHA HISTÓRICA DA PROCISSÃO DO S PASSOS É muito antiga a tradição de efetuar a Procissão dos Terceiros em Ovar. Datará, provavelmente, do século

XVII (1663?), surgindo poucos anos após a organização, entre nós, da Ordem Terceira de S. Francisco. O cortejo, em que todo o povo se integrava, adquiriu rapidamente grande imponência e brilho, chegan-

do a incorporar, até ao século XIX, 24 andores. Reformada no início do século XIX, a Procissão manteve-se até aos nossos dias, marcando a solenidade da quadra em que se realiza.

A exposição decorre até 6 de março no Museu de Ovar

sua experiência profissional que, com a ajuda das funcionárias do museu, “está aqui uma exposição muito interessante”. Por sua vez, o autor da mostra agradeceu a colaboração das duas funcionárias deste espaço cultural, Lurdes e Leonor, bem como a um amigo que conheceu nas redes sociais e que se deslocou da capital para estar presente na inauguração desta exposição. Virgílio Neves foi parco em palavras e apelou aos presentes “desfrutem desta exposição fotográfica e escrevam qualquer coisa no livro” que estava patente no centro da sala. Vítor Ferreira admitiu que é importante projetar aquilo que bom temos no concelho, frisando mesmo que a mostra “são fragmentos importantes do que são as nossas vidas, as nossas vivências, as nossas recordações, a arte xávega, as gen-

tes e as nossas praias”. O edil destacou que “as fotografias são de grande qualidade” e que “representam a beleza da atividade piscatória”. Manuel Cleto, presidente do Museu de Ovar, para além de louvar a qualidade da exposição deu a conhecer que, a partir de meados do próximo mês, a sala de entrada do museu irá ser remodelada e, segundo as suas previsões, as obras estarão concluídas em junho, podendo albergar meia centena de cadeiras, mas deixou um alerta que faltam os meios audiovisuais para que a sala fique devidamente apetrechada. De realçar que Virgílio Neves tem 63 anos e que, apesar de ter nascido em Avanca e viver em Lisboa, costuma passar férias em Ovar, tendo, nos tempos que esteve entre nós, registado fotograficamente as atividades ligadas ao mar e à ria.

nicipal de Ovar, as Procissões Quaresmais marcam a vida do povo ovarense, há mais de três séculos, para além de atraírem centenas de turistas que aproveitam as mini-férias da Páscoa para conhecer esta

EXPOSIÇÃO “OVAR – “NO MAR E NA RIA”

FERNANDO SOUTEIRO

Algumas dezenas de pessoas estiveram presentes, no passado dia 23, na inauguração da exposição “Ovar - No mar e na ria”, que estará patente ao público no Museu de Ovar até ao próximo dia 6 de março. Esta mostra fotográfica “transporta” os visitantes até aos anos 70 e dá-nos a conhecer a atividade piscatória que era desenvolvida nas praias do Furadouro e dos Marretas (Torrão do Lameiro), bem como a apanha do moliço, o seu transporte e respetiva descarga. Nestes registos fotográficos, da autoria de Virgílio Neves, natural de Avanca, estão, igualmente, bem patentes memórias da pesca artesanal, os momentos da chegada dos barcos, as inconfundíveis peixeiras, um manancial de objetos usados naquela altura e, acima de tudo, a vida dura dos pesca-

dores e das tradicionais peixeiras. Esta foi uma inauguração de uma exposição muito participada, tendo marcado presença José Fragateiro, em representação da Assembleia Municipal de Ovar, Vitor Ferreira, vicepresidente da Câmara Municipal de Ovar, Salvador Malheiro, vereador da autarquia, Joaquim Barbosa, presidente da Junta de Freguesia de Ovar, diretores de diversas coletividades ovarenses, amigos de Virgílio Neves e amantes da cultura. Joaquim Barbosa considerou ser “importante que Ovar sinta este calor humano”, numa clara alusão à forte adesão de pessoas, tendo acrescentado que é “este calor que dá vida ao museu”. O autarca destacou que a exposição retrata momentos da vida dos pescadores, das peixeiras, da história de Ovar e que o Virgílio Neves utilizou muito da

Fernando Souteiro

A arte piscatória no antigamente


PraçaVerde

QUARTA-FEIRA, 27 DE FEVEREIRO DE 2013

EDITORIAL

Venha celebrar a vida com a nossa associação CARLOS RAMOS O último Praça Verde foi publicado durante a época festiva de Natal e Ano Novo. No momento da publicação deste editorial já foram ultrapassados os festejos de Carnaval, período vivido com intensidade pelos foliões vareiros e pelos milhares de pessoas que visitam o nosso concelho com o mesmo propósito. No que respeita ao ciclo anual de celebrações, como habitual a que segue é a Páscoa, mais um momento religioso judaico/cristão mas também com alguns costumes pagãos, como são o caso da oferta dos ovos da páscoa. Independentemente das suas crenças, os apaixonados pela conservação da natureza também celebram ciclicamente a partida e a chegada de todas as estações do ano, e nesta fase já olhamos com ansiedade para a chegada de uma nova primavera esta, prometendo vegetação verdejante, flores de diferentes cores, a partida das espécies invernantes e a chegada de espécies estivais primaveris, que são de longe muito mais reais do que os sujeitos mitológicos da “Alegoria da Primavera” de Boticelli, mas também são belos, dinâmicos, contudo frágeis. É nesta ótica que já preparamos um conjunto de atividades com o fim de promover e consagrar o início de mais um período primaveril, começando pelo clássico Coastwatch, no domingo, 10 de março, complementando com diversas atividades inerentes ao Projeto AMA Ovar, que conta com atividades como, palestras de sensibilização Ambiental em diversas escolas do concelho de Ovar, ações de formação que desenvolvem temas como “Zonas Húmidas”, “Morcegos e Borboletas Noturnas”, “Charcos”, “Matrizes Energéticas”, entre outras. É importante referir que, grande parte destas atividades, só é possível graças à colaboração da Câmara Municipal de Ovar e da MAIS CENTRO. Mantenham-se atentos às novidades que estão para chegar muito em breve através deste suplemento Praça Verde e do suporte digital dos Amigos do Cáster www.amigosdocaster.org e venha celebrar a vida com a nossa associação.

A Terra é azul! ÁLIDA FERREIRA

“A Terra é azul”. Foi assim que Yuri Gagarin, o primeiro homem a ir ao espaço descreveu o planeta Terra, o único com água em estado líquido e com vida. Os oceanos cobrem cerca de 71% da superfície terrestre, uma área com mais de 360 milhões de km2, ocupando mais de 60% do Hemisfério Norte e 80% do Sul. Constituem também mais de 90 % do espaço habitável na Terra. Não são apenas o habitat de um vasto número de plantas e animais, como também fornecem comida, energia e muitos outros recursos. Na verdade, de 50 a 70% do oxigénio que respiramos vem dos oceanos. Eles regulam o clima, absorvem o dióxido de carbono e detêm 97% da água existente na Terra. E mais de 60% da população mundial vive junto à costa, disfrutando dos benefícios oferecidos pelos oceanos. Os oceanos, importantes ecossistemas e fonte de biodiversidade estão ameaçados. A pesca excessiva, a poluição, as alterações climáticas e a pressão turística são alguns fatores que põem os oceanos em perigo. Para chamar a atenção para a importância dos oceanos e alertar para os problemas que os ecossistemas marinhos enfrentam, as Nações Unidas proclamaram o dia 8 de junho como o Dia Mundial dos

Oceanos. Podemos agir localmente para reduzir a ameaça aos oceanos, através, por exemplo, do consumo sustentável de espécies marinhas, di-

minuição da utilização de sacos plásticos e do aumento e respeito de áreas protegidas. Ao agir localmente conseguimos resultados a nível global. Lembre-se, a sua atitude conta.


PRAÇA VERDE

10 Quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

O efeito dos pesticidas no meio ambiente

praçapública

DR

ROSA FERREIRA

A população mundial encontra-se num processo de crescimento muito acelerado. Para fazer face à necessidade de alimentar cada vez mais pessoas é imperativo aumentar a produção de alimentos. Para tal, são necessários vários meios como vastas extensões de terra, o uso de máquinas e equipamentos e a utilização de produtos químicos como fertilizantes e pesticidas. Podem considerar-se pesticidas todas as substâncias utilizadas pelo Homem com o objetivo de proteger plantas e animais e o próprio Homem contra pragas. As pragas definem-se como um surto de determinadas espécies prejudiciais ao desenvolvimento agrícola, que perturbam ecossistemas ou que provocam doenças

epidémicas no Homem e noutros animais. Podem ser insetos, fungos, roedores e plantas. Os pesticidas podem ser bioquímicos naturais extraídos de plantas ou produtos químicos orgânicos e inorgânicos sintetizados artificialmente. Atualmente conhece-se bem o modo de funciona-

mento dos pesticidas e algumas consequências ambientais que resultam na sua utilização. Eles trazem inúmeros benefícios, mas também acarretam graves consequências tanto para o meio ambiente como para a saúde. Entre elas destacam-se a destruição de espécies animais e vegetais que não são alvo do pesticida aplicado, a con-

taminação ambiental, afetando as cadeias alimentares, e a indução de mecanismos de resistência nos organismosalvo. Isto deve-se ao facto de algumas caraterísticas dos pesticidas, apesar de contribuírem para a sua eficácia, estarem na base de possíveis contaminações. São compostos químicos que persistem

ativos durante longos períodos de tempo, podendo manifestar efeitos diretos nos organismos expostos ou indiretos na estrutura das populações. Embora sejam pouco solúveis e pouco voláteis, estes compostos podem ser distribuídos pela água e pelo ar em baixas concentrações e longas distâncias, podendo chegar a locais onde a sua aplicação nunca foi considerada. São passíveis de se acumularem nos organismos expostos a baixas concentrações, podendo atingir níveis biologicamente significativos. Desta forma, os pesticidas podem afetar a fauna, a flora, o solo e os sistemas de água. Nos animais podem provocar alterações genéticas, defeitos à nascença, cancro, problemas no sistema nervosos, reprodutivo e imuni-

tário. No Homem, os pesticidas têm consequências que podem ir desde o desenvolvimento de cancro, alergias, problemas no sistema nervosos e reprodutivo, infertilidade, defeitos à nascença, entre outros. Existem vários métodos alternativos que podem substituir ou reduzir a utilização de pesticidas sintéticos. Um deles é o controlo biológico, que pode ser feito através da introdução de predadores naturais de pragas. Outro é a rotação de culturas, para as pragas não se estabelecerem. Também se podem utilizar variedades de plantas mais resistentes. Os pesticidas devem ser utilizados de modo racional, em quantidades mínimas e, sempre que possível, juntamente com métodos alternativos de controlo de pragas.

pequenas quantidades de comida. Quanto maior for a quantidade de comida aquecida mais energia será gasta. Opte por computadores portáteis porque são energeticamente mais eficientes podendo reduzir o consumo de energia até 90%, em

comparação com um computador tradicional de secretária. Utilize pilhas recarregáveis, têm um período de vida mais longo. Não mantenha o carregador na tomada depois do aparelho estar carregado.

DICAS DE POUPANÇA DE ELECTRICIDADE

“Emagreça” a factura e poupe o ambiente DR

DR

lavar roupa e loiça. Dê preferência a recipientes de cerâmica ou vidro quando cozinhar no forno, porque permitem baixar a temperatura necessária ao cozinhado em cerca de 25ºC. Utilize o microondas para aquecer e cozinhar apenas

Publicidade

Evite ter as luzes ou equipamentos ligados quando não for necessário. Aproveite toda a energia natural que puder. Evite perdas de calor e infiltrações, através do isolamento eficaz de portas, janelas, paredes, tecto e pavimento, reduzindo a utilização de sistemas de climatização (ar condicionado, aquecedores, etc.). Substitua as lâmpadas incandescentes, ou até mesmo as lâmpadas economizadoras por lâmpadas LED. O uso de lâmpadas LED para a iluminação de casa pode trazer uma economia de energia elétrica de até 90%, se comparadas com as lâmpadas incandescentes convencionais, e de até 20% de economia se comparadas

com as lâmpadas economizadoras. Além disso, as lâmpadas LED têm uma vida útil de mais de 50.000 horas (uma lâmpada ligada, em média, 8 horas diárias tem uma vida de 17 anos). No Inverno, aproveite a radiação solar para aquecer a casa. No Verão, evite a entrada de raios solares directos.

Reduzir a intensidade do ar condicionado em um grau Celsius representa até 10% de poupança energética. Compre equipamentos que apresentem a melhor eficiência energética (classe A, A+ ou A++). Não deixe os equipamentos em stand-by: desligueos no botão para não gastar energia sem ter necessidade. Evite abrir desnecessariamente a porta do frigorífico e seja o mais rápido possível a fechá-la: não consuma electricidade que não precisa. Utilize as máquinas de lavar roupa e loiça sempre com a carga completa: poupe água, energia e tempo. Utilize, sempre que possível, programas de baixa temperatura nas máquinas de


praçapública

Quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

11

DR

INICIATIVAS

Toda a comunidade escolar desenvolveu atividades para comemorar o Dia de São Valentim

ESCOLA EB 2,3 ANTÓNIO DIAS SIMÕES

Dia de São Valentim assinalado por alunos com a tradição dos Lenços dos Namorados e poemas de amor

Luís de Camões, Fernando Pessoa, Sophia de Melo Breyner, Jorge Amado, Camilo Castelo Branco, Júlio Dinis, Bocage, Antero Quental, Cesário Verde, Florbela Espanca, Almeida Garrett, entre outros.

Foi assim mais uma surpresa agradável que não deixou de contribuir para aproximar as pessoas, pelo menos valeu o simpático esforço dos alunos envolvidos nestas atividades em meio escolar. Publicidade

O Dia dos Namorados, ou de São Valentim, foi assinalado no dia 14, na Escola EB 2,3 António Dias Simões através de várias iniciativas que resultaram de atividades desenvolvidas pelos alunos em sala de aula, como a produção dos tradicionais Lenços dos Namorados e distribuição aos membros da comunidade escolar, de poesia de amor de autores portugueses. Muitas mensagens de amizade, amor e paz, foram deixadas também pelos alunos que frequentam a disciplina de EMRC, com declarações que, “A Vida sem amor não faz sentido!”, ou “Amor não rima com dor”. Mas rimou com a intervenção musical dos alunos da turma 6º E,

que interpretaram com flauta, a música Alecrim e letra adaptada ao Dia dos Namorados. No quadro atual de desvalorização prática de disciplinas de expressões, mereceu particular curiosidade, uma exposição dos típicos Lenços dos Namorados, como um elemento do património cultural português que, sob orientação da docente Cristina Sousa, a turma 6º E assumiu em mãos, nas aulas de ET (Educaço Tecnológica), a produção de Lenços, ainda que em tecidos alternativos ao tradicional linho, em que o colorido e a imaginação, particularmente das alunas participantes, foram realçados através do ponto pé de flor,

ponto atrás ou alinhavo. Este tipo de trabalho na área da ET que a muitos adultos fez lembrar tempos bem diferentes dos conteúdos em aulas práticas da extinta disciplina EVT, resultaram em dedicatórias bordadas em pedaços de pano, como: “Dou-te este lencinho,/ Amor e carinho profundo/ Fi-lo nas aulas de ET/para o mais querido do mundo.” ou, “Amizade verdadeira/É difícil de encontrar/Mas quando se tem uma/Por nada se quer trocar”. Forma com que antigamente eram presenteados os namorados, que nos tempos de crise em que se vive, bem pode voltar a ser recuperado tal património cultural.

A poesia de amor marcou, igualmente, a comemoração do Dia dos Namorados com os alunos da turma 6º F a distribuírem aos elementos da comunidade escolar, como de flores se tratasse, poemas impressos em folhas de papel colorido e atados com fios de diversas cores e texturas. Uma iniciativa que resultou do trabalho desenvolvido no âmbito da disciplina de História (H.G.P.) e direção de turma, com coordenação da docente Júlia Félix, que proporcionou dar a conhecer à comunidade, poemas que assinalassem o Dia dos Namorados com poemas, sobretudo de escritores portugueses, que incluíram pesquisas de livros, de


praçapública

INICIATIVAS

DR

12 Quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

Perto de 100 pessoas marcaram presença na iniciativa

VÁLEGA

EB1 de Carvalho de Baixo recebe palestra “Não dê valor à Água só depois de secar a fonte” Sul, e de Tiago Santos, Pároco da vila. A palestra, que surgiu no âmbito do Projeto “Rios de imaginação…no rumo da inclusão”, cuja coordenadora responsável é a docente Diana Oliveira, galardoado pela AdDP nos anos letivos 2011/ 2013, visou não só servir como veículo de sensibilização às comunidades escolar e local, mas também como evento associado à comemoração de uma síntese das atividades ao longo de quase dois anos de congregação de saberes, em parceria com o Projeto “Mil Escolas”. Segundo a AdDP, a realização destas iniciativas “pretende que, com elas, se atinja um dos principais objetivos deste Programa Integrado de Educação Ambiental (PIEA) e dos princípios do desenvolvimento sustentável e das Agendas 21 Escolar e Local”,

que, segundo a mesma entidade, “consiste no envolvimento de alunos, professores, assistentes operacionais de ação educativa da escola, encarregados de educação, assim como todos os cidadãos da comunidade local”. Ainda segundo a AdDP, o desenvolvimento deste projeto escolar “visa a sensibilização dos cidadãos para a necessidade premente de proteção do ambiente e, mais especificamente, do bem mais precioso que temos – a água”. A palestra iniciou-se com um breve discurso de abertura e de boas-vindas, a cargo de Diana Oliveira, professora coordenadora do projeto, que, após agradecer a presença de todos os oradores e do público presente, aproveitou para valorizar a presença da Escola no Projeto “Mil Escolas” e para apresentar, de uma forma breve, o Pro-

jeto galardoado com Menção Honrosa “Rios de imaginação…rumo à inclusão” aos presentes. Agradeceu também o trabalho desenvolvido pelos docentes envolvi-

dos no projeto, saudando e agradecendo especialmente a Manuela Alçada, docente que já não se encontra na escola, pelo trabalho efetuado no projeto no ano letivo anterior.

DR

A EB1 de Carvalho de Baixo, em Válega, recebeu, no passado dia 15, a palestra “Não dê valor à Água só depois de secar a fonte”, uma iniciativa promovida pela Águas do Douro e Paiva (AdDP) e pela escola valeguense, que foi galardoada com Menção Honrosa, no âmbito do Projeto “Rios de imaginação… no rumo da inclusão”. A iniciativa contou com a participação de cerca de 100 pessoas, com destaque para as presenças de Márcia Valinho, vereadora do pelouro da educação da Câmara Municipal de Ovar, Alfredo Pinto, em representação da Assembleia de Freguesia de Válega, Jaime Almeida, presidente da Junta de Freguesia valeguense, João Luís Roseira, representante da AdDP, Branca Silva, assessora da direção do Agrupamento de Escolas de Ovar

Márcia Valinho, vereadora da Câmara Municipal de Ovar

João Luís Roseira, representante da AdDP, apresentou as atividades do Projeto “Mil Escolas”, abordando todas as suas fases, nomeadamente: as ações lúdico pedagógicas, as saídas de campo (às quais foi dado especial destaque), as ações de sensibilização, a oferta de ferramentas pedagógicas (manuais para professores e alunos), as palestras e a formação creditada para os professores, evidenciando à plateia todas as atividades implementadas pela equipa do Projeto “Mil Escolas” durante os anos letivos 2011/13. No que concerne às atividades realizadas pela EB1 de Carvalho de Baixo – Ovar, João Luís Roseira fez, com a ajuda de um aluno do Projeto “Rios de imaginação…rumo à inclusão”, um breve resumo aos presentes da última Saída de Campo,


praçapública

cidadania, no sentido de preservação da natureza”. A autarca deixou algumas mensagens, conselhos e advertências, no sentido de todos corrigirmos comportamentos que possam afetar o meio ambiente, aceitando a necessidade premente de o preservarmos, elogiando o Projeto “Mil Escolas” como veículo indutor e condutor de uma mensagem de preservação

“O desenvol vimento desenvolvimento deste projeto escolar “visa a sensibilização dos cida dãos cidadãos para a necessidade premente de proteção do am biente e, mais ambiente especificamen te, especificamente, do bem mais precioso que temos – a água água””

ambiental aos mais novos, e terminou citando uma reflexão da Greenpeace: “Quando a última árvore tiver caído, quando o último rio tiver secado e o último peixe for pescado a Humanidade entenderá que o dinheiro não se come”. Jaime Almeida, presidente da Junta de Freguesia de Válega, afirmou ser graças a iniciativas como esta e às escolas que nela intervêm que, a educação para a preservação do meio ambiente acontece, destacando a importância para a vida o facto de “termos água em condições”. Finalizou expondo novamente a sua credibilidade no Projeto “Mil Escolas”, na escola, nos professores e pais, pois só com a ajuda destes as crianças poderão ter um futuro melhor. Despediu-se manifestando a sua disponibilidade futura para apoiar e qualquer tipo de iniciativa inerente ao Projeto “Mil Escolas” e ao Projeto “Rios de imaginação…ao rumo da inclusão”. Alfredo Pinto, em representação da Assembleia de Freguesia, partilhou informações relevantes sobre o Projeto “Mil Escolas” salientando a sua finalidade em dar a conhecer a poluição da água e dos rios, das ETA’s, das ETAR’s e a importância da proteção e do abastecimento de água às populações e finalizou a sua intervenção com um apelo às entidades presentes para a limpeza dos rios e fontes, dando particular destaque ao rio Negro, aos três ribeiros e 15 fontes de Válega. Por último, ofereceu à professora responsável do Projeto uma mapa dos cursos de água que existem na Freguesia

de Válega. Após estas intervenções seguiu-se a apresentação multimédia dos trabalhos desenvolvidos pelos alunos intervenientes no projeto, em particular os trabalhos de sala de aula, Saída de Campo e pesquisa, o espetáculo musical “O Topas” e a canção em inglês “The Water”, ambos desenvolvidos pelos alunos afetos ao Projeto “Rios de imaginação…rumo à inclu-

Quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

são”. Por fim, a intervenção de Branca Silva, assessora da Direção do Agrupamento de Escolas de Ovar Sul, que atestou o orgulho do Agrupamento na professora Diana Oliveira e alunos da escola, realçando o facto de que “com a evolução dos tempos perdeu-se o amor à natureza, mas com a conjuntura económica atual, temos oportunidade de nos aproximarmos

13

dos espaços verdes junto ao rio” e terminou destacando ainda a importância das escolas e da família na educação para a preservação da natureza. Por último a professora Diana Oliveira deixou uma palavra de agradecimento a todos os que tornaram este evento possível, em particular aos professores de Inglês, Expressão Plástica e Educação Física pela preciosa ajuda. Publicidade

realizada, em 18 de maio de 2012, junto de um troço da Ribeira das Luzes, um afluente do rio Cáster. Foram realçadas as evidências claras e fundamentais do envolvimento entre alunos, professores, promotores do projeto, assistentes operacionais de ação educativa, pais e técnicos ambientais com o objetivo de delinear planos e estratégias sustentáveis de melhoria contínua do planeta. João Luís Roseira informou todos os presentes não só dos prémios que têm vindo a ser atribuídos à AdDP como forma de reconhecimento do trabalho que por esta tem vindo a ser desenvolvido, mas também salientou o destaque dado pela Comunicação Social ao Projeto “Mil Escolas” contribuindo, desta forma, para a difusão das atividades desenvolvidas. Finalizou com o apelo à descoberta do Portal www.aguaonline.net e a projeção de dois pequenos filmes de sensibilização ambiental. Seguiu-se a intervenção de Márcia Valinho, vereadora da educação da Câmara Municipal de Ovar, que começou por saudar os presentes, em especial os alunos da escola, o corpo docente e não docente, os encarregados de educação presentes, a AdDP e o Projeto “Mil Escolas”, que “tem motivado professores e alunos para a prática da preservação e conservação da água, um grande tesouro que devemos cuidar”, disse. Agradeceu, posteriormente, o convite e realçando a importância de valorizar este tipo de projetos que “incutem atos de

INICIATIVAS


praçapública

INICIATIVAS

14 Quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

EXPOSIÇÃO ESTARÁ PATENTE ATÉ AO DIA 15 DE MARÇO

MUSEU ETNOGRÁFICO CASA POVO VÁLEGA

Fotógrafos vareiros expõem “Ovar - terra por explorar” António Carlos Oliveira Pinto

A galeria de exposições da Junta de Freguesia de Ovar esteve repleta de pessoas, no passado dia 16, que se juntaram para assistir à inauguração da Exposição Coletiva de Fotografia “Ovar – terra por explorar”. A mostra, que estará patente até ao próximo dia 15 de março, é composta por 12 fotografias, a cores e a preto e branco, da autoria de Fernando Pinto, Miguel Oliveira, Paulo Oliveira e Vítor Vaz. Vitor Ferreira, vice-presidente da Câmara Municipal de Ovar, Salvador Malheiro, vereador da Câmara Municipal de Ovar, Joaquim Barbosa, presidente da Junta de Freguesia de Ovar, e Manuel Pires Bastos, pároco de Ovar, foram algumas das individualidades que se juntaram à cerimónia de inauguração da exposição produzida por um grupo de fotógrafos que apos-

Mostra de xailes de vários tipos e cores FERNANDO SOUTEIRO

O grupo de fotógrafos vareiros mostram “as belezas que se escondem em Ovar”

taram em “fotografar as belezas que se escondem em Ovar”, como destacou Fernando Pinto. Ao PRAÇA PÚBLICA, este amante da fotografia referiu que todos captaram imagens “desde a aurora ao

crepúsculo”, aceitando o desafio lançado “por muitos amigos”, mostrando, assim “algumas dessas maravilhas”. Destaque-se que Miguel Oliveira, Paulo Oliveira e Vítor Vaz são

irmãos e que, dos quatro fotógrafos, todos naturais de Ovar, só Paulo Oliveira não pôde estar presente, por motivos profissionais, no dia da inauguração, tendo ajudado na montagem da exposição.

EXPOSIÇÃO “OPACIDADES E TRANSPARÊNCIAS - DIFERENTES FORMAS DE SENTIR”

FERNANDO SOUTEIRO

É habitual dizer-se que os artistas têm uma forma peculiar de ver as coisas e uma sensibilidade muito própria. A artista portuense Marília Raro não foge à regra e a sua atividade profissional, professora de artes visuais confere-lhe ainda o conceito de que o que é belo, não tem necessariamente de ser excêntrico e caro. Na sua exposição, intitulada “Opacidades e Transparências - diferentes formas de sentir”, a artista mostra através de trabalhos em vitrofusão, essa realidade. No entanto, existem diversas formas de sentir. Na galeria do Centro de Arte de Ovar foi inaugurada, no último dia 23, e vai estar patente ao público até 20 de Abril, esta mostra, que apresenta peças de adorno pessoal, casos das pregadeiras, medalhões, pendentes de colar, pregadeiras, brincos, alfinetes e anéis, feitos de materiais como por exemplo, vidro, metais, madeira, ágata, pérola, fóssil, coral e jade. Nestes trabalhos de ecojoalharia, a artista dá a conhecer que

Fernando Souteiro

Trabalhos de qualidade feitos de materiais reciclados

Marília Raro expõe na galeria do Centro de Arte de Ovar

é possível realizar trabalhos de inegável qualidade, utilizando materiais reutilizados e reciclados, duas das suas grandes paixões. Por sua vez, os trabalhos de aguarela, como Marília Raro referiu na sua intervenção, já têm alguns anos. Esta artista, que concluiu o mestrado de design de comunicação em 2001, referiu que

o trabalho de pintura “é de liberdade total. A arte tem uma componente individual”. Manuel Oliveira, presidente da Câmara Municipal de Ovar, destacou o facto da artista ter escolhido Ovar para expor os seus trabalhos, referindo que os artistas têm uma sensibilidade muito própria.

Para além de muitos amigos e familiares da artista, marcaram ainda presença na inauguração, José Fragateiro, em representação da Assembleia Municipal de Ovar, Vítor Ferreira, vice-presidente da Câmara Municipal, Salvador Malheiro, vereador e Joaquim Barbosa, presidente da Junta de Freguesia de Ovar.

O xaile surgiu nos finais do século XVIII, através dos capitães dos navios que posteriormente ofereciam às suas esposas. O xaile era colocado de forma triangular nos ombros das senhoras. Os xailes têm como principal finalidade, o agasalho ou o adorno. Este era usado por inúmeras pessoas, nomeadamente, peixeiras, vendedeiras, padeiras, moleiras, lavadeiras, farrapeiras, tamanqueiras, entre outras. Por sua vez, a mulher do campo usava o xaile de carapinha, pelos ombros, com as pontas traçadas e amarradas atrás. Existem igualmente, os xailes de argola ou carapira, normalmente grossos, lisos ou com motivos florais. As cores predominantes deste tipo de xailes eram o preto, azul, castanho ou cinza. Existem registos datados de 1925 em que os xailes de lã cardada e trama de seda eram vendidos a 220 escudos/kg, o que equivale atualmente a 1,10 euros. A mostra intitulada “O xaile na tradição vareira” está patente ao público até ao próximo dia 20 de abril, no museu etnográfico da Casa do Povo de Válega, situado na rua Irmãos Oliveira Lopes, junto à Unidade de Saúde Familiar Alpha. A exposição pode ser visitada de segunda a sábado, das 14h00 às 17h00. Este espaço museológico valeguense encontra-se encerrado aos domingos e feriados. A Casa do Povo de Válega também confeciona compotas e geleias de sabores diversos, como abóbora, maça, pêra, abacaxi, etc., broa caseira, roscas de canela, bolo de abóbora e canela, mas estes últimos produtos só são confecionados por encomenda. Os interessados deverão efetuar a sua encomenda até à quintafeira de cada semana, para ter o produto em fresquinho e feito de forma artesanal no dia seguinte.


praçadesportiva CAMPEONATO DISTRITAL II DIVISÃO

Esmoriz soma e segue na liderança FERNANDO SOUTEIRO E PAULO SANTOS

O Esmoriz venceu o Caldas de São Jorge (3-1), em jogo a contar para a 19ª jorstrital da II Divisão – Série A, e segurou a liderança isolada da tabela classificativa. Os visitantes até estiveram em vantagem, mas a expulsão do guarda-redes Caça, ainda na primeira parte, acabou por facilitar a tarefa dos esmorizenses que, na segunda parte, acabaram por garantir o triunfo. O Esmoriz dominou os primeiros 45 minutos, mas não conseguiu materializar as oportunidade de golo criadas, muito por culpa do guardaredes contrário, que efetuou uma exibição de luxo e impediu que os esmorizenses se adiantassem no marcador. Contudo, aos 39 minutos a sua expulsão acabou por

traçar o destino do jogo. Ainda assim, mesmo em inferioridade numérica, os visitantes aguentaram a pressão e, já na ponta final da primeira parte, chegaram mesmo ao golo, por intermédio de Vitor, que colocou a sua equipa em vantagem ao intervalo. No regresso dos balneários os visitantes recuaram no terreno do jogo e o Esmoriz aproveitou para carregar no ataque, de tal forma que em pouco minutos chegou à

igualdade, por intermédio de Nuno Godinho, adiantandose no marcador pouco depois, com um golo apontado por Carriça, após a conversão de uma grande penalidade. Na sequência do lance que resultou em grande penalidade os visitantes voltaram a ver um jogador expulso, ficando reduzidos a nove jogadores em campo, facto que acabou por permitir ao Esmoriz voltar a faturar, novamente por Nuno Godinho, que fixou o resultado final.

Esmoriz: Ricardo Sá, Pedro Russo, Ruca, Zeca, Diogo Lima, Nuno Godinho (André Lima), Diogo Silva, Pedro Godinho, Carriça (Marcelo), Ratinho e Pinho (Samu).

FUTEBOL DISTRITAL – II DIVISÃO

SV Pereira 3 – 0 Gafanha d’Aquém FERNANDO SOUTEIRO E PAULO SANTOS

O São Vicente de Pereira bateu o Gafanha D’Aquém (3-0), num encontro onde os vicentinos impuseram um domínio absoluto, que acabou por justificar o triunfo. Samuel, ao apontar dois golos, esteve em destaque. O S. Vicente entrou no encontro a todo o gás e aos 11 minutos Samuel inaugurou o marcador. Os vicentinos carregaram no ataque, contudo o golo só voltaria a apa-

recer na segunda parte, por intermédio de Paivinha, que tranquilizou a equipa. Os visitantes tiveram dificuldades em reagir à desvantagem e Samuel aproveitou para bisar no encontro e fixar o resultado final. No final do desafio, Arlindo Reis referiu que a sua equipa fez muita circulação de bola”, perante um adversário que veio a São Vicente de Pereira “jogar fechadinho, explorando o contra-ataque”, disse. O técnico dos vicentinos afirmou que a sua equipa

obteve “uma vitória tranquila, com todo o mérito”. Joaquim Godinho, presidente do clube, confessou ao PRAÇA PÚBLICA que “a época está a decorrer normalmente” e “dentro dos objetivos traçados”, salientou. SV Pereira: André (João), Fonseca (Tomé), Toninho, Mendes, Fábio Costa (Toni), Paivinha, Wilson, Diogo, Cris, Túlio e Samuel.

‘Hat-Trick” de Barroqueiro guindou Ovarense à vitória Ovarense sofreu para vencer o Bom-Sucesso. Exibição de luxo de Tiago Barroqueiro valeu três golos decisivos. Sabry desfez as dúvidas e fechou a contagem. Tiago Carriola

FUTEBOL DISTRITAL

Apesar das dificuldades nos primeiros minutos a Ovarense venceu o Bom-Sucesso DINIS AMARAL DINISAMARAL@PRACAPUBLICA.COM

A Ovarense venceu o Bom-Sucesso (4-2), em casa, e vingou o empate registado na primeira volta, frente a um adversário voluntarioso, que esteve a vencer, em Ovar, por duas vezes. Contudo, Tiago Barroqueiro não esteve pelos ajustes e, após falhar uma grande penalidade, redimiuse e ofereceu três golos à equipa que acabaram por sentenciar o desfecho do encontro. Os vareiros tiveram dificuldades nos primeiros minutos da partida e o BomSucesso aproveitou para impor um futebol direto, que acabou por dar frutos aos 14 minutos quando Mino encostou para o primeiro golo da partida. Os vareiros responderam com um futebol mais ofensivo, contudo só aos 35

minutos chegaram à igualdade, num lance feliz de Tiago Barroqueiro que, após falhar a conversão de uma grande penalidade concluiu, com êxito, de cabeça, a recarga e ficou o resultado ao intervalo (1-1). No regresso dos balneários a expulsão de Ricardo Sousa, aos 50 minutos, inferiorizou o Bom-Sucesso e a Ovarense carregou no ataque, com Fábio a atirar ao poste e a deixar o primeiro aviso. Os visitantes responderam de forma mais eficaz e, apesar de terem menos um homem em campo chegaram, de novo, à vantagem, por intermédio de André. Contudo, a resposta dos alvi-negros não se fez esperar e a troca de Jony por Sabry acabou por resultar, já que, pouco depois, o extremo da Ovarense acabou por ganhar um

lance na grande área e acabou derrubado em falta, com o árbitro a assinalar a respetiva grande penalidade. Na conversão, Tiago Barroqueiro não facilitou e não só recolocou a igualdade no marcador como catapultou a equipa para uma ponta final de jogo verdadeiramente emocionante. Os vareiros souberam aproveitar a vantagem numérica e aumentaram o seu sentido de baliza, de tal forma que, aos 79 minutos, o mesmo Tiago Barroqueiro haveria de colocar os alvi-negros em vantagem, assinando, com um “hat-trick”, uma exibição individual de grande nível. Os minutos finais da partida foram emotivos, mas os vareiros voltaram a aproveitar um deslize do adversário, com Sabry a fixar, aos 88 minutos, o resultado final. Publicidade


ENTREVISTA – ANDREIA SILVA ATLETISMO

14º Grande Prémio de Atletismo de Cesar O AFIS/Ovar esteve presente na 14ª Prova de Atletismo de Cesar, cuja organização pertenceu à Villa Cesari – Associação de Cultura e Desporto de Cesar. O clube ovarense esteve representado com uma vasta equipa de valentes atletas, que, face à intempérie, não deixaram de orgulhosamente envergar as camisolas do AFIS, pelas estradas desta freguesia do concelho vizinho de Oliveira de Azeméis. Infantis Masculinos – 1,1Km 10º Fredy Silva 03:52 Iniciados Masculinos – 2Km 3º Tomás Silva 06:42 Juvenis Masculinos – 3Km 23º João Carvalho 12:39 Juniores Femininos – 5Km 10ª Maria Pinto 30:02 Juniores Masculinos – 7,5Km 15º Filipe Leite 33:44 (125º da geral) Veteranas – 7,5Km 11ª Fátima Aleixo 42:24 (330ª da geral) Veteranos 1 – 7,5Km 38º Paulo Fernandes 39:22 (271º da geral) Veteranos 2 – 7,5Km 58º Carlos Campos 44:26 (366º da geral) Veteranos 3 – 7,5Km 5º João Pereira 31:12 (65º da geral) 31º António Vieira 36:27 (202º da geral) 54º José Sousa 39:22 (272º da geral) 59º Eduardo Resende 39:51 (288º da geral) 79º Mário Conde 44:22 (364º da geral) 99º Luís Quintino 50:42 (408º da geral)

“Só com trabalho e dedicação é que consegui chegar à Seleção A” Chama-se Andreia Silva, é vareira e tem uma grande paixão pelo futebol. Joga, atualmente, no 1º Dezembro, que é o expoente máximo da modalidade no nosso país. Diz ter uma vida “super preenchida”, mas, mesmo assim, quer continuar a praticar o seu desporto preferido. Filha de uma velha glória do futebol distrital (Darcílio), esta jovem, de 27 anos, tem no seu currículo, seis Campeonatos Nacionais e cinco Taças de Portugal. Adepta confessa do Benfica, de quem vai ver diversos jogos ao vivo, no estádio da Luz, tem já uma irmã que também pratica futebol feminino, no Cesarense. Ao longo desta entrevista fique a conhecer o dia a dia desta internacional, a sua opinião sobre o futebol feminino e a demonstração de que, mais importante que a questão monetária é preciso ter muito gosto naquilo que se faz, “nem que para isso se tenha de passar inúmeros sacrifícios”, como diz. FERNANDO SOUTEIRO E PAULO SANTOS

Quem é que teve influência na sua ida para o futebol? Desde pequena que ia ver os jogos do meu pai e o acompanhava. Sempre tive uma grande motivação e um grande gosto pelo futebol. Ele foi o principal responsável na minha ida para o futebol, assim como toda a minha família me apoiou. Gostam que eu continue a jogar e de ir ver os meus jogos. A que é que se deve a escolha do futebol? Eu jogava na escola, no desporto escolar e era num campo de futebol de cinco ou sete, mas depois surgiu a oportunidade, e até com amigas da escola fui jogar para o Marítimo Murtoense, futebol de onze. Comecei e fui ficando. As coisas começaram a correr bem e porque tinha algum jeitinho continuei. Ainda se recorda do seu primeiro jogo

praçapública

DESPORTO

oficial? Isso é que já não. Foi há 12 anos atrás. Já não me lembro. Que clubes é que representou? Foi o Marítimo Murtoense, e estive lá seis anos, e depois fui para o 1º Dezembro, onde estou há seis anos. Qual é a posição preferida dentro do retângulo de jogo? Extremo direito e é a posição que jogo neste momento. Que diferenças é que encontrou entre o Murtoense e o 1º Dezembro? No Murtoense éramos uma equipa mais jovem e que não tinha tantas estrelas. Era uma equipa que jogava como equipa. Não tinha tantas individualidades. Era uma equipa que jogava mais bola pelo ar. Quando cheguei ao 1º Dezembro, a qualidade das jogadoras era diferente. Eram as melhores jogadoras a nível nacional e

Fernando Souteiro

16 Quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

BI Nome – Andreia Catarina Gomes da Silva Idade – 27 anos Comida preferida – Marisco Tempos Livres – Passear com as amigas, ver televisão, pesquisar no computador, ir ao cinema e ver futebol.

isso nota-se logo a jogar em campo. O que é que sentiu quando recebeu o convite para representar o 1º Dezembro? Fiquei muito orgulhosa, porque ia jogar com as melhores e isso é uma forte motivação. Fiquei muito feliz e tento sempre dar o meu melhor. Ainda se lembra da sua primeira internacionalização? Nas Sub-19 foi contra a República da Irlanda, se não estou em erro, e agora, na Seleção A, foi em dezembro, contra o Brasil. Quantas vezes representou Portugal? Internacionalizações Sub-19 foram quatro e internalizações A foram agora recentemente três. Como é que vê o futebol feminino na atualidade? Neste momento, em

Andreia Silva, a vareira representa o país na selecão A

comparação com há uns anos atrás, em que eu comecei a jogar, o futebol feminino tem evoluído ao nível das equipas. Há muito mais equipas para as raparigas novas poderem jogar e acho que os clubes estão a apostar mais no futebol feminino. O futebol feminino é visto como merece? Em comparação com o masculino não, mas desde há uns atrás as pessoas agora

acompanham mais o futebol feminino. Vêm a modalidade com outros olhos, principalmente os homens. Já vemos alguns homens na bancada, a ver os nossos jogos e isso é bom. Como é o seu dia a dia em Lisboa? Tenho o meu trabalho, que é das 8h30 às 16h30. Trabalho com crianças. Sou auxiliar de um jardim-de-infância. Trabalho em Monte


praçapública

DESPORTO é que veio o convite para representar o nosso país. É o sonho de qualquer jogadora. Naturalmente, estamos sempre à espera, mas como os anos foram passando pensava que não era possível, mas com trabalho e dedicação consegui. Fui sempre fazendo o meu trabalho no clube e aí posso agradecer às pessoas que estiveram comigo, jogadoras e equipa técnica e dirigentes. Fruto do meu trabalho consegui alcançar o auge de uma jogadora que é representar a seleção nacional. Para além de ter representado a seleção nacional, quais são os pontos altos da sua carreira desportiva? Os seis Campeonatos Nacionais, as cinco Taças de Portugal - quatro no 1º Dezembro e uma no Murtoense -, também foram uma grande conquista. Participar na Liga dos Campeões, também foi um orgulho para as jogadoras, apesar de nunca ter conseguido passar uma eliminatória e, por último, representar a seleção. É o ponto mais alto de uma jogadora. É o fruto do nosso trabalho e o reconhecimento daquilo que nós fazemos. Quem são os seus principais críticos? O meu pai e os meus amigos também, mas ele é mais. Logo que acaba um jogo tenho que lhe telefonar, a dizer o resultado e se joguei bem. Mas também os meus amigos. Nós, no seio da própria equipa conversamos sobre isso, falamos abertamente se correu bem, se correu mal.

Abraão e depois, das 17h00 às 19h00, trabalho nos Olivais. Sou monitora de crianças, de nove/dez anos. Quando saio às sete vou para Sintra treinar. O treino é das 21h15 até às 22h45. “É DIFÍCIL CONCILIAR OS DOIS TRABALHOS COM O FUTEBOL, MAS CONSEGUE-SE” Com é conciliar todas estas tarefas? É difícil, porque te-

nho dois trabalhos e depois tenho que conciliar os trabalhos com o futebol. Saio de casa às sete da manhã e em dias de treino só chego à meia-noite, é muito complicado, mas é a paixão pelo futebol. Nós somos amadoras e é mesmo jogar com amor à camisola. Alguma vez julgou que um dia atingiria este patamar? Não, só aos 27 anos

assim, acontece com todos os clubes, não podemos estar sempre lá em cima. Já tivemos duas derrotas este ano. Há muitos anos que não perdíamos, mas faz parte da vida. Umas vezes ganhamos e outras vezes perdemos. Estamos a passar um mau momento e é preciso ganhar forças para ultrapassar isto e voltar àquilo que era o 1º Dezembro. “O FUTEBOL FEMININO TEM EVOLUÍDO” Isso é uma prova de que o futebol feminino também tem evoluído? Sim, o futebol feminino tem evoluído. Não temos um plantel tão forte como há alguns anos atrás, jogadoras tão experientes. Isso faz toda a diferença. As outras equipas também se reforçaram. Têm trabalhado bem e isso é bom. É ótimo haver competitividade, de modo a não haver apenas duas ou três equipas para ganhar. Como é defrontar a sua irmã, que joga no Cesarense? É um jogo sempre especial, mas é o que eu digo, eu defendo as minhas cores e ela vai defender as cores dela. É uma partida especial, porque do outro lado está uma pessoa de quem gosto muito, mas no futebol não há amigos.

Tem algum ídolo o futebol feminino? Tenho. Gosto da Carla Couto e da Edite Fernandes.

Que conselho daria a jovens que queiram singrar no futebol feminino? É como digo, nós, mulheres, jogamos à bola, não por questões monetárias. É mesmo por amor à camisola. Aquilo que eu lhes posso dizer é que desfrutem, joguem à bola, aproveitem o momento, porque é mesmo isso e aquilo que vier, virá. Aqui, em Portugal, por questões monetárias, ninguém vive do futebol.

Qual a sua opinião acerca da treinadora do 1º de Dezembro? É uma conversa que não gostaria de ter. Posso falar no momento da equipa agora. Sei que não estamos a atravessar um bom momento, mas é

Um dia quando tiver de deixar de ser jogadora espera continuar ligada ao desporto? Não descarto a possibilidade de vir a ser treinadora no futuro, no entanto neste momento estou focada em jogar.

Quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

17

ATLETISMO

Severino Cruz representou o AFIS Ovar nos 20 Km de Cascais A Câmara Municipal de Cascais e o Centro de Cultura e Desporto do Pessoal do Município de Cascais levaram a efeito a XXX edição da corrida “20 Km de Cascais”, com partida e chegada junto aos Paços de Concelho de Cascais. O AFIS/OVAR esteve representado através do seu atleta Severino Cruz, que cumpriu os 20 km do percurso em 01:51:22, tendo obtido a 157ª posição do escalão de Veteranos IV (M5054) (1508º da geral).

30º GP ACD “Os Ílhavos” A Associação Cultural e Desportiva “Os Ílhavos” organizou o 30º Grande Prémio ACD “Os Ílhavos”. Os AFIS/OVAR esteve presente, tendo os seus atletas obtido as seguintes classificações: Iniciados Masculinos 2º Tomás Silva 7’03

19ª Fátima Aleixo 22’21 20ª Maria Pinto 22’44

Juvenis Masculinos 15º João Carvalho 14’39

Classificação geral masculinos (Juniores/Seniores/ Veteranos I/Veteranos II) 99º Pedro Leal 31’21

Seniores/Veteranas Femininos

28º Grande Prémio de Estarreja O AFIS/OVAR respondeu positivamente ao convite do Centro Recreativo de Estarreja e esteve presente em mais uma edição desta reconhecida prova do calendário distrital e nacional de estrada, onde os atletas do AFIS obtiveram os seguintes resultados: Infantis Masculinos 14º Fredy Silva 5’48

Veteranos I 40º Paulo Fernandes 46’07

Iniciados masculinos 4º Tomás Silva 7’32

Veteranos III 7º João Pereira 35’56 40º José Amaro 46’05 42º José Sousa 46’10

Juniores femininos 6ª Maria Silva 14’55 Juniores masculinos 9º Filipe Leite 42’15 Veteranas Femininas 11ª Fátima Aleixo 48’47

Veteranos IV 8º António Vieira 39’23 20º Eduardo Resende 45’35 23º Manuel Ramos 46’08 24º Manuel Costa 46’43 44º Luís Quintino 59’50


praçapública

DESPORTO

18 Quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

FUTEBOL CLUBE DE CORTEGAÇA

FERNANDO SOUTEIRO E PAULO SANTOS

Publicidade

O Clube Recreativo de Arada (CRA) está a participar nos Campeonatos Distritais de Bullshooter, com quatro equipas. Na Liga Amadora C, a formação aradense, constituída por Abel Veloso e Pedro, está na liderança. Em 78 jogos disputados obteve 71 vitórias, perdendo os restantes. Tem uma percentagem de 91,3% de triunfos. Na 10ª jornada, o CRA venceu o Assassino, por 4-2. Seguiram três triunfos, frente às formações do Sacana, Montanelas e Ponto de Encontro, tendo o CRA derrotado todos estes adversários pela contagem máxima (6-0). O encontro entre a equipa aradense e os Racings foi mais equilibrado, terminando com a vitória do CRA, por 4-2. Na Liga Amadora B, a equipa aradense é constituída por José David e Ruben. Esta dupla está posicionada no 7º lugar, com 46,3% de triunfos. Em 54 jogos efetuados, esta dupla conseguiu alcançar duas dezenas e meia de triunfos e sofreu quase três dezenas de derrotas. O Pedal Bar derrotou o CRA por 5-1. Depois, os aradenses levaram de vencida os Gladiadores e os Mancos, ambos por 4-2. Por sua vez, na Liga Feminina A, o CRA encontrase no 9º lugar, com 42,4% de triunfos. Em 66 jogos realizados, a dupla constituída por Mariana Correia e Paula Pereira conquistou 28 vitórias e foi derrotada por 38 vezes. Frente aos Flechas, o CRA perdeu por 5-1. Já contra os Pernetas venceu por 4-2. No seu reduto perdeu frente à formação do Mercado pela contagem máxima (0-6). Na 13ª jornada, o J. Darts derrotou o CRA por 5-1. Ainda na Liga Feminina, Série B, o CRA está representado pelas jogadoras Eva e Carla Dias e também ocupa o nono lugar, com 23,6% de triunfos. A dupla aradense disputou 72 jogos, tendo vencido 17 encontros e perdendo os restantes. Na 10ª jornada o CRA venceu frente a equipa do Power Ladies (4-2). Já contra a turma do Mercado voltou a conhecer o sabor amargo da derrota (5-1). Seguiram-se dois desaires frente ao Aliança Girls e Coyote Girls, onde a equipa aradense perdeu por 60. Por sua vez, o encontro entre a turma do Éden Girls e o CRA terminou com uma igualdade (3-3). A equipa do Centro Cultural, Recreativo e Desportivo do Bairro da Misericórdia venceu o Coyote Bar, na 15ª jornada, por 9-3. Seguiu-se um desaire contra o Cups Bar (5-7). A formação ovarense venceu o último encontro, contra a turma do Mercado de São João da Madeira, por 7-5. A formação do Bairro da Misericórdia é constituída por Toninho, Ricardo, Fernando, Rogério, Cláudio Maciel e Rubech.

O quadro oferecido foi feito no atelier de conservação e restauro da autarquia FERNANDO SOUTEIRO E PAULO SANTOS

O Futebol Clube de Cortegaça promoveu um jantar que reuniu cerca de meia centena de pessoas, com particular destaque para as presenças dos atletas das equipas seniores femininos e masculinos, e ainda de industriais e amigos do clube. A iniciativa pretendeu assinalar os 90 anos do clube e ficou marcada pela apresentação do projeto do campo sintético, que nascerá no velhinho campo do Buçaquinho. Lígia Santos, presidente do clube, agradeceu a colaboração dada pela Câmara Municipal de Ovar a esta direção, bem como a José Maria Monteiro, atual presidente da assembleia-geral, que “sempre me apoiou, mesmo nas horas de maior desespero”, disse. As empresas da vila e das localidades circunvizinhas também não foram esquecidas e, segundo Lígia Santos, foram estas que “tornaram possível o arranque da época 2012/2013”. Colaboradores e diretores da coletividade receberam da responsável máxima da direção

palavras de agradecimento pelo seu empenho e dedicação, tendo sido entregues algumas lembranças a algumas dessas pessoas que têm contribuído para o engrandecimento do Futebol Clube de Cortegaça. A divulgação da convocatória da jovem Ana Manuel para a seleção nacional Sub19 foi muito aplaudida pelos presentes, tendo ainda Lígia Santos destacado: “Como tua treinadora e presidente desejo-te as maiores felicidades”.Quanto ao projeto do sintético do clube, a presidente recordou que o mesmo já foi concebido há uns anos, mas

que desta feita “aquilo que julgava ser um sonho tornouse realidade”, sustentou, adiantando que, como o seu mandato termina em julho se irá recandidatar. Lígia Santos recordou que o principal propósito da sua direção sempre foi criar equipas de formação e que “o Cortegaça é um clube de todos e para todos”, tendo terminado a sua intervenção com o apelo “ao apoio da população da vila e de todos aqueles que amam o Cortegaça”. Manuel Oliveira, presidente da Câmara Municipal de Ovar, enalteceu o papel dos atletas e frisou que este

clube “tem muitos amigos, a nível de associados e de empresas”. Apesar de ser a última vez que estava na qualidade de responsável máximo pela autarquia ovarense, Manuel Oliveira disse que ao longo deste 90 anos aconteceram muitas coisas e prestou uma homenagem a todos aqueles que “de uma forma abnegada e voluntariosa contribuíram para o engrandecimento do clube”. Manuel Oliveira recordou que a instituição corria o risco de parar a sua atividade e enalteceu o papel da atual presidente e dos restantes membros da direção. Ao nível de apoios, frisou que já falou com os seus colegas de executivo e como o projeto ascende a 300 mil euros foi decidido conceder um apoio excecional, que pode chegar aos 70 mil euros. “Este é um projeto útil para a comunidade. É um compromisso que honrarei. É um sonho da direção e de todos os cortegacenses”, destacou. No final entregou à presidente do clube um quadro com o emblema do Futebol Clube de Cortegaça, feito no atelier de conservação e restauro da autarquia ovarense.

Fernando Souteiro

Arada lidera Liga Amadora

Apresentação do projeto do campo sintético assinala comemorações do 90º aniversário Fernando Souteiro

BULLSHOOTER

As comemorações do 90º aniversário foram marcadas pela apresentação do campo sintético


praçapública

DESPORTO

Quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

19

OITAVOS-DE-FINAL DA TAÇA DE PORTUGAL

Válega e ponte Nova bem posicionados no nacional FERNANDO SOUTEIRO E PAULO SANTOS

No campeonato nacional da II divisão, o Centro de Válega, treinado por José Carlos Freitas, perdeu o seu quinto jogo da época, frente ao Atlântico da Madalena, pela contagem máxima (0-4). Os mesatenistas que estiveram envolvidos neste jogo foram Álvaro Resende, Joel Pinho e Vítor Tavares. Presentemente, a formação valeguense ocupa o quarto lugar, com 17 pontos, resultantes de quatro triunfos e cinco derrotas, enquanto que a Ponte Nova, embora com menos um jogo, totaliza 16 pontos, conseguidos através de quatro vitórias e outras tantas derrotas. O próximo jogo está marcado para o dia 9 de Março, a partir das 15h00, e coloca frente a frente o Válega e a Juventude de Sanguedo. No campeonato distrital de seniores, uma competição organizada pela Associação de Ténis de Mesa de Aveiro, no dérbi concelhio entre o Clube Recreativo de Arada, orientado por Adão Pinto, e o Válega (B), a turma aradense venceu o seu opositor por 4-1. No outro dérbi, a Associação Recreativa e Cultural da Ponte Nova derrotou o Centro de Válega por idêntico resultado. Já esta última equipa venceu o Lourosa (B) por 4-2. A turma valeguense ainda só venceu uma das dez partidas disputadas, muito embora seja de referir que, habitualmente utiliza dois atletas do escalão de cadetes, Rodrigo Domingues e João Silva que, juntamente com Jorge Vieira, José Carlos Freitas e Inês Maia são os atletas utilizados regularmente no Centro de Válega (B). Por sua vez, a ARC Ponte Nova, treinada por José Soares, depois de derrotar a formação valeguense averbou dois desaires, frente ao Cenap (1-4) e à Oliveirinha C (0-4). A coletividade da vila de São João tem sido representada pelos mesatenistas Patrícia Soares, Rui Mané, Fernando Marques e Rui Silva. Presentemente, a Ponte Nova ocupa o sexto lugar, com 14 pontos, consequência de três triunfos e cinco derrotas. No dia 9 de março, a Ponte Nova joga na sala do Clube de Campismo de São João da Madeira, enquanto que no dia 23 volta a jogar fora, desta feita tendo por adversário o Gica (Ginásio Clube de Águeda).

Ovarense carimba passaporte para a ‘Final 8’ A Ovarense venceu o Galitos do Barreiro (54-78), no passado dia 23, e assegurou um lugar na ‘Final 8’ da Taça de Portugal, onde terá a companhia do Benfica, Sampaense, Illiabum, Guimarães, Maia, Académica e do vencedor do encontro entre o Guifões e o Algés. Os vareiros deslocaramse ao Barreiro decididos a esquecer a derrota averbada frente ao Sampaense, em jogo a contar para a LPB, e desde cedo demonstraram que não iriam facilitar. Os primeiros dez minutos do jogo foram de sentido único, com a equipa de Carlos Pinto a protagonizar um parcial esclarecedor (13-25) que reforçou a sua condição de equipa favorita. Até ao intervalo os vareiros controlaram as tentativas de recuperação do adversário, que acabou por ceder na segunda parte, perante uma formação alvinegra que soube aproveitar o bom momento de Sergi Coll (19 pontos e 5 ressaltos), Miguel Miranda (11 pontos, 10 ressaltos e 5 assistências) e José Barbosa (15 pontos, 8 assistências, 5 roubos de bola e 2 ressaltos) para desfazer as dúvidas. ÚL TIMO PERÍODO FFAA T AL FRENTE ÚLTIMO AO SAMPAENSE A Ovarense perdeu frente ao Sampaense (85-80), em jogo a contar para a jornada 16 da Liga Portuguesa de Basquetebol. Os vareiros entraram no último período

16ª JORNADA

Foto de arquivo: Tiago Carriola

TÉNIS MESA

A Ovarense venceu o Galitos do Barreiro e passa à “Final 8”

a vencer com dez pontos de vantagem, mas no último ‘quarto’ acabaram por comprometer o resultado. Os primeiros dez minutos do encontro foram equilibrados (21-20), e até ao intervalo a equipa vareira conseguiu controlar o adversário, ao ponto de sair para os bal-

1/8 FINAL TAÇA DE PORTUGAL

Sampaense 85 54 Ovarense 80 Galitos Ovarense 78 Gonçalo Stringfellow nj Cristóvão Cordeiro 10 José Barbosa 17 Júlio Silva 02 Sergi Coll 17 Nuno Morais 00 Fernando Neves 11 Miguel Miranda 20 Mário Gonçalves 00 Renato Fião nj João Ribeiro nj Emanuel Sá 03 Treinador: Carlos Pinto

Gonçalo Stringfellow nj Cristóvão Cordeiro 10 José Barbosa 17 Júlio Silva 02 Sergi Coll 17 Nuno Morais 00 Fernando Neves 11 Miguel Miranda 20 Mário Gonçalves 00 Renato Fião nj João Ribeiro nj Emanuel Sá 03 Treinador: Carlos Pinto

neários na frente do marcador (38-39). No terceiro período a Ovarense entrou mais forte e em apenas dez minutos alargou a vantagem no marca-

dor e parecia ter resolvido a partida (57-67), contudo, a ponta final dos donos da casa foi mais assertiva e com um parcial de 28-13 sentenciaram a derrota do vareiros.

BASQUETEBOL Resultados da Formação Sub 20 M Guifões Ovarense

54 81

SCF Ovarense

Sub 19 F Ovarense Coimbrões

41 64

Olivais Ovarense

59 48

Sub 18 M Ovarense Esgueira

65 46

Sub 16 M (A) Esgueira 63 Ovarense 56 Sub 14 F

Ovarense 57 Sp. Figueirense 41 50 55

Sub 14 M (A) Ovarense 62 Guifões 39 Sub 14 M (B) Ovarense 52 Esgueira 31 Sub 14 M (BCO) Galitos 48 BCO 42 Infantis Ovarense Sangalhos

5 2


Ovarense 4 - 2 Espinho (B) A Ovarense bateu o Espinho (4-2) e manteve a esperança de subir à I Divisão Distrital da categoria. Os ovarenses foram mais fortes e na primeira parte sentenciaram o desfecho do encontro. A Ovarense entrou melhor na partida e, fruto das boas prestações de Marcelo Ribeiro, Cris, Marco Rodrigues e Pedro Martins, dominou a etapa inicial e não facilitou a tarefa dos visitantes. Pedro Azevedo acabou por materializar a supremacia ovarense aos 26 minutos e três minutos depois foi a vez de Dany, com um ‘chapéu’, dilatar a vantagem. Com uma bola na trave, Marcelo Ribeiro deixou o aviso na saída para os balneários e no regresso para a segunda parte a ameaça concretizou-se, desta vez por intermédio de César, que apontou o 3-0. Contudo, o Espinho B, que jogou numa toada de contenção defensiva, soube explorar o contra ataque e acabou por reduzir, aos 57

minutos. No lance seguinte os visitantes ficaram reduzidos a dez jogadores e a Ovarense aproveitou para voltar a ‘faturar’, por Pedro Azevedo, que bisou na partida. Já perto do final do encontro, os espinhenses aproveitaram uma ‘oferta’ da turma da casa e fixaram o resultado final. O técnico da Ovarense, António Tavares reconheceu que o Espinho é um dos candidatos aos quatro primeiros lugares, mas que a Ovarense “no seu campo, tinha a obrigação de vencer, o que conseguiu, porque foi mais forte e porque na sua organização coletiva soube sempre ter o Espinho sob controlo”. Ovarense: Artur, Manaka (Costinha), Pedro Martins, Marco Rodrigues, Ruben Silva, João Valente, Marcelo Ribeiro, Samuel Silva (Portugal), Cris (Simão), Dany Gregório e Pedro Azevedo.

Válega 3 - 1 Taboeira A formação valeguense está a atravessar um bom momento e neste encontro comprovou isso mesmo. Na primeira parte o jogo foi equilibrado, muito embora o Válega, comandado por Jorge Costa e Sérgio Pinho, tivesse mais posse de bola, mas não foi tão eficaz na finalização, algo que se inverteu na segunda parte. A igualdade a uma bola registada ao intervalo era um resultado de certa forma justo, para aquilo que produziram as duas equipas. Na segunda parte, o Válega surgiu mais pressionante, com melhor circulação de bola e as ocasiões de golo surgiram com naturalidade, por intermédio de Simão, Hugo Nunes e Gonçalo Neves. A formação do Taboeira remeteu-se mais à de-

O Válega perde em casa com o Oliveirense

INICIADOS

Válega 1 - 2 Oliveirense FERNANDO SOUTEIRO E PAULO SANTOS

O Centro de Válega perdeu frente à Oliveirense (12), num jogo marcado pelo golo decisivo dos forasteiros que aconteceu já em período de descontos. O Válega entrou melhor na partida e contou com uma boa exibição do guarda-redes Tiago Moreira, que ofereceu segurança defensiva à equipa, que contou ainda com a inspiração de Rúben Rey, que acabou por inaugurar o marcador, colocando o Válega em vantagem.

Aos 38 minutos, o guardião valeguense teve que sair rápido da baliza para evitar que a formação de Oliveira de Azeméis chegasse à igualdade, contudo o golo dos visitantes apareceria pouco tempo depois. Seguiram-se oportunidades de golo para ambos os lados, mas a sorte acabou por sorrir à Oliveirense que, já em período de descontos, obteve o golo que valeu o triunfo. O técnico principal do Válega, Diogo Padrela frisou no final do desafio que a sua equipa “entrou bem no jogo” e que até ao intervalo “do-

minou a partida”, tendo acrescentado que, na segunda parte “os jogadores acusaram algum cansaço. Tivemos três oportunidades através de contra-ataque e não conseguimos finalizar”. Válega: Tiago Moreira, Bruno Ferreira, Pedro Mané (Paulo Santiago), Miguel Costa, Gonçalo Gil, Miguel Silva, Ricardo Neto, Miguel Ribeiro (Leonardo Soares), Ruben Rey, Leonardo Torres e Francisco Lourosa.

fesa e passou a jogar em contra-ataque, mas raramente chegou, com perigo, à baliza valeguense. Os golos do Centro de Válega foram apontados por Simão (2) e Gonçalo Costa. O técnico Jorge Costa admitiu que houve “domínio do Válega”, que garantiu ter tido “uma excelente entrada na segunda parte”, tendo ainda elogiado o comportamento do atleta Simão neste desafio. Por outro lado, disse que o bom comportamento da equipa se deve “ao apoio dos pais, irmãos dos atletas e avós”. Válega: Ruben, Gonçalo Carvalho, Costa, Gonçalo Neves, Simão, Hugo Nunes, Rafael, Gabriel Trindade, Batista e Ricardo Lopes.

SV Pereira 0 - 1 Arada FERNANDO SOUTEIRO E PAULO SANTOS

O Arada venceu o São Vicente de Pereira (0-1) num jogo emocionante, resolvido com um golo apontado já em período de descontos. Os vicentinos dominaram a partida, mas nunca conseguiram materializar a superioridade evidenciada, com particular destaque para um lance protagonizado por André Barge, ainda na primeira parte, onde não conseguiu desfeitear o guardião contrário. Na segunda parte, os donos da casa voltaram a ter mais posse de bola, mas repetiram a ineficácia ofensiva, com destaque para um lance protagonizado por Marcos, que enviou a bola ao travessão. No último minuto dos descontos, e contra a corrente de jogo, o aradense Alexandre apontou o único golo da partida.

Jogo emocionante termina com a vitória do Arada

O treinador do São Vicente Pereira, Armando Ferreira admitiu que a sua equipa “mandou num jogo bem disputado, com muito fairplay. O futebol é assim. É feito de injustiças. Custa perder assim”, enquanto que o delegado do Arada, Manuel Reis reconheceu que foi um jogo “dividido. Esta equipa tem quatro iniciados. Foi uma vitória suada. O empate aceitava-se”.

Pela presente, e de acordo com o disposto no Artigo 28º, Parágrafo 2, dos Estatutos que regem esta Associação, convoco todos os Associados para uma Assembleia Geral Ordinária, a realizar nas instalaçes da Associação de Pais do Infantário e de Infância da Escola Preparatória de Ovar, sitas na Sala da valência de CATL, Rua Dr. Albino Borges de Pinho, 164, pelas 21.30 horas, do dia 15 de março de 2013, com a seguinte ordem de trabalhos: 1.Discussão e votação do relatório e contas de gerência do ano de 2012, bem como do parecer do Conselho Fiscal; 2. Assuntos diversos. Se, à hora mencionada, não estiver presente a maioria dos Associados, a Assembleia funcionará, em segunda convocatória, meia hora mais tarde, com o número de associados presentes. Ovar, 22 de fevereiro de 2013 O Presidente da Mesa da Assembleia Geral Ana Sofia Penna Simões de Moura Stoffel Furtado de Castro Praça Pública N.º 628, 27 de fevereiro de 2013

Associação Cultural e Recreativa de Valdágua Convocatória Assembleia Geral Ordinária

JUVENIS

INFANTIS A

FERNANDO SOUTEIRO E PAULO SANTOS

Associação de Pais do Infantário e de Infância da Escola Preparatória de Ovar Convocatória de Assembleia Geral Ordinária

Fernando Souteiro

FERNANDO SOUTEIRO E PAULO SANTOS

Fernando Souteiro

JUNIORES

praçapública

DESPORTO

20 Quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

SV Pereira: Edgar, Luís, Vinicius, Mário, Micael, Vítor, Ima, Zé Miguel, André Barge, Pedro e Miguel. Jogaram ainda: Tiago Pereira, Pedro Rodrigues e Marcos. Arada: Joel, Gonçalo, Cláudio, Leandro, Xavier, Pedro, Alexandre, Hugo, Emanuel, Gabriel e Rodrigo. Jogaram ainda: Nuno, Mika e Ruben.

Dando cumprimento ao Artigo 13º dos Estatutos desta coletividade, convocam-se todos os seus sócios para uma Assembleia Geral Ordinária, a realizar no próximo dia 22 de março, pelas 21h00, na sede desta Associação com a seguinte ordem de trabalhos: 1. Leitura e a aprovação da Ata da última Assembleia-Geral; 2. Apresentação, discussão e votação do Relatório e Contas da Direção referentes ao Exercício de 2012, com o parecer do Conselho Fiscal 3. Eleição dos Corpos Sociais para o biénio 2013/2015 (a) 4. Outros assuntos de interesse para a Coletividade. (a) As listas devem ser apresentadas ao Presidente da Assembleia Geral com uma antecedência mínima de 48 horas em relação ao ato eleitoral. Se à hora marcada não estiver presente a maioria dos Associados, a Assembleia funcionará meia hora mais tarde com qualquer número de sócios presentes. Válega, 6 de fevereiro de 2013 O Presidente da Assembleia Geral Bernardino Pereira da Frutuosa Praça Pública N.º 628, 27 de fevereiro de 2013


praçapública

DESPORTO

Quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

Fernando Santos ‘deu cartas’ no 1º Trail de Santa Iria

Liliana Resende homenageada pela Federação Portuguesa de Canoagem

Fernando Santos

A comissão de festas de Santa Iria de Branzêlo 2013, em colaboração com o ‘clube’ BTTdouro, realizou, em Branzêlo - Melres, concelho de Gondomar, o I Trail Santa Iria. Este Trail é um evento que, ao longo de 25 km de extensão, percorre trilhos e caminhos na serra de Santa Iria e Serra das Banjas, no concelho de Gondomar/Paredes. O AFIS/OVAR esteve representado através do seu atleta Fernando Paiva Santos que, no final da prova exprimiu que “apesar dos 25 km

de uma dureza extrema, pude contemplar paisagens espetaculares. Este foi um verdadeiro trail, onde a classificação pouco interessa e, chegar ao fim é, para mim, uma grande alegria e uma verdadeira vitória”. Destaca-se ainda o facto de Fernando Santos ter subido ao pódio para receber o prémio correspondente ao atleta mais velho a terminar a prova. Fernando Santos obteve a 59ª posição, no escalão de Master Masculino (187º da geral), com um tempo de 4:40:24.

A Federação Portuguesa de Canoagem promoveu no passado dia 17 de fevereiro, no Centro Cultural de Congressos de Aveiro, uma Gala de homenagem aos atletas campeões nacionais e participantes em Campeonatos da Europa e do Mundo das diversas disciplinas, no ano de 2012. Esta cerimónia, que contou com a presença de diversas entidades do meio desportivo, com especial destaque para Albert Woods, presidente da Associação Europeia de Canoagem e José Vicente Moura, presidente do Comité Olímpico de Portugal, teve como ponto alto a atri-

DR

CANOAGEM

DR

ATLETISMO

21

Liliana Resende recebeu homenagem pelas suas participações nas provas

buição dos troféus de atletas do ano, a Teresa Portela no setor feminino e à dupla vicecampeã Olímpica, Emanuel Silva e Fernando Pimenta, que receberam a grande

ovação da noite, com mais de 550 pessoas a aplaudir de pé. Liliana Resende, do Clube de Canoagem de Ovar, foi uma das atletas homenagea-

das pela sua participação pela seleção nacional, em K4 Júnior, no Campeonato Europeu de Juniores e Sub-23, que decorreu em Montemoro-Velho em 2012. Publicidade


praçapública

DIVERSOS

22 Quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

Manuel Pereira da Silva (Juiz Conselheiro Jubilado do STJ) Falecido a 15 de fevereiro A família muito penhorada vem agradecer a todas as pessoas das suas amizades e conhecimentos que muito sensibilizadamente fizeram parte na oração do terço, no seu funeral e na missa do 7º dia. A todos um bem haja

Lucinda de Pinho 84 anos Rua do Torrão do Lameiro - Ovar A Família agradece a todos os que acompanharam a cerimónia fúnebre, e que de alguma forma manifestaram o seu pesar.

EDITAL Alteração ao alvará de loteamento n.º 57/1993, em nome de António Maria Ferreira da Silva, situado no lugar da Praia, Freguesia de Esmoriz, Concelho de Ovar. Notificação DR. MANUEL AL VES DE OLIVEIRA, Presidente da Câmara Municipal de Ovar: Torna público, nos termos do n.º 2 do artigo 15.º do Regulamento Municipal de Urbanização e Edificação, em conformidade com o despacho de 23 de Janeiro de 2013, que vai proceder-se à discussão pública da alteração ao alvará de loteamento n.º 57/93, emitido em nome de António Maria Ferreira da Silva, situado no lugar da Praia, Freguesia de Esmoriz e Concelho de Ovar, sendo por este meio notificados os proprietários dos lotes que integram o referido loteamento. O pedido de alteração foi requerido por Augusto João Santos Silva, e consta da alteração de localização do anexo, assim como da sua respectiva área até ao máximo de 10% da área livre sobrante do lote 18. O período de discussão pública terá o seu início no 8.º dia a contar da publicação do presente edital e terá a duração de 15 dias, encontrando-se a proposta de alteração ao alvará de loteamento disponível, para consulta, no Serviço de Obras Particulares e Loteamentos da Divisão de Gestão Urbanística nos dias úteis, das 9 horas às 16 horas. No decorrer daquele período, as reclamações, observações, sugestões e pedidos de esclarecimentos deverão ser apresentados pelos particulares, por escrito e dirigidos ao Presidente da Câmara Municipal de Ovar, sendo entregues em mão ou remetidos por correio sob registo, devendo constar o endereço dos seus autores e a qualidade em que os apresentam. Para constar e seus devidos efeitos, se publica o presente edital e outros de igual teor que vão ser afixados nos locais públicos do costume.

Praça Pública N.º 628, 27 de fevereiro de 2013

Maria de Lurdes Gomes da Silva 59 anos Bairro Silva e Araújo - Ponte Reada - S. João A Família agradece a todos os que acompanharam a cerimónia fúnebre, e que de alguma forma manifestaram o seu pesar.

Manuel da Silva 96 anos Rua Filarmónicas Ovarenses - Ovar A Família agradece a todos os que acompanharam a cerimónia fúnebre, e que de alguma forma manifestaram o seu pesar.

Maria Assunção Ferreira da Rocha 85 anos Rua do Sobral Velho - S. João - Ovar A Família agradece a todos os que acompanharam a cerimónia fúnebre, e que de alguma forma manifestaram o seu pesar.

Francisco Abreu Pais Pinto Ferreira 31 anos Rua Ferreira de Castro - Ovar A Família agradece a todos os que acompanharam a cerimónia fúnebre, e que de alguma forma manifestaram o seu pesar.

Pedro Miguel Oliveira Marques 39 anos Rua Antero de Quental - Ovar A Família agradece a todos os que acompanharam a cerimónia fúnebre, e que de alguma forma manifestaram o seu pesar.

APADO Convocatória Nos termos do Artigo 35º e 38º parágrafo único, convoco a Assembleia-geral Ordinária da Associação Protectora de Animais Domésticos de Ovar (APADO), a realizar no próximo dia 8-03-2013, pelas 21h00, na cave do número 10 (dez) da rua Abel Salazar, em Ovar, com a seguinte ordem de trabalhos: Ponto 1: Discussão e aprovação do relatório e contas da Direção e respetivo parecer do Conselho Fiscal. Ponto 2: Meia hora para apresentação de assuntos de interesse para a Associação. A Assembleia-geral funcionará em primeira convocação, à hora acima estabelecida, com a presença da maioria absoluta dos seus membros e, meia hora depois, com qualquer número (artigo 37º, parágrafo segundo). Ovar, 21 de fevereiro de 2013 O Presidente da Mesa da Assembleia-geral José António Ferreira Guimarães Correia Praça Pública N.º 628, 27 de fevereiro de 2013

Ovar, 6 de fevereiro de 2013 O Presidente da Câmara Prof Dr Manuel Alves de Oliveira

Associação Cultural e Atlética de Guilhovai Convocatória Assembleia Geral Ordinária De acordo com o estatutariamente estabelecido, convoco todos os associados em pleno gozo dos seus direitos para uma reunião Assembleia Geral Ordinária, a realizar no próximo dia 9 de março de 2013, pelas 21h30, na sede de Associação Cultural e Atlética de Guilhovai. Ordem de trabalhos: 1.Meia hora para tratar de assuntos de interesse para a coletividade. 2.Leitura, discussão e votação do Relatório e Contas da Direção e parecer do Conselho Fiscal em exercício do ano 2013. Nota: Se à hora marcada não comparecer o número total de sócios a Assembleia Geral funcionará meia hora mais tarde com o número de sócios presentes. Guilhovai, 18 de fevereiro de 2013 O Presidente da Mesa da Assembleia Geral Praça Pública N.º 628, 27 de fevereiro de 2013 Aníbal dos Santos Gomes

Grupo Folclórico “ Os Moliceiros de Ovar” Convocatória Convocam-se todos os sócios da Associação do Grupo Folclórico “ Os Moliceiros de Ovar”, para Assembleia Geral Ordinária, no próximo dia 10 de março de 2013, pelas 14h30, na sua sede, no lugar da Marinha, para em pleno uso dos seus direitos estatutários discutir e aprovar a seguinte ordem de trabalhos: 1- Apresentação, discussão e votação do Relatório e Contas e parecer do Conselho Fiscal relativo ao ano de 2012. 2- Eleição dos Órgãos Sociais para o biénio de 2013/2015. 3- 30 minutos para tratar de assuntos de interesse para a Associação. Nota: Se à hora marcada não estiverem presentes o número de sócios suficientes para a Assembleia funcionar, fica desde já marca meia hora mais tarde, podendo deliberar com qualquer número de sócios. Marinha, 19 de fevereiro de 2013 O Presidente da Mesa da Assembleia Geral Praça Pública N.º 628, 27 de fevereiro de 2013 Manuel Nunes Valente

G.R.E.S. CHARANGUINHA Assembleia Geral Ordinária Convocatória De acordo com o previsto nos estatutos desta associação recreativa, venho por este meio convocar todos os associados para uma Assembleia geral Ordinária, a realizar no dia 16 de Março de 2013, pelas 21.30 horas, na sede do G.R.E.S. CHARANGUINHA, com a seguinte ordem de trabalhos: PONTO UM: Discussão e votação do relatório e contas do ano anterior, bem como parecer do Conselho Fiscal. PONTO DOIS: Outros assuntos do interesse do G.R.E.S. Charanguinha Notas: 1: se à hora marcada, não estiver presente a maioria dos associados, a Assembleia funcionará, em segunda convocatória 30 minutos mais tarde, com o nº de associados presentes. Ovar, 25 de Fevereiro de 2013 O Presidente da A.G. Manuel Jesus Vaz Marques Silva

Assembleia Geral Ordinária Convocatória De acordo com o previsto nos estatutos desta associação recreativa, venho por este meio convocar todos os associados para uma Assembleia geral Ordinária, a realizar no dia 30 de Março de 2013, pelas 21.30 horas, na sede do G.R.E.S. CHARANGUINHA, com a seguinte ordem de trabalhos: PONTO ÚNICO: Eleição dos corpos sociais As listas para eleição dos corpos sociais deverão ser entregues até 24 horas antes desta Assembleia Geral. Notas: 1: se à hora marcada, não estiver presente a maioria dos associados, a Assembleia funcionará, em segunda convocatória 30 minutos mais tarde, com o nº de associados presentes. Ovar, 25 de Fevereiro de 2013 O Presidente da A.G. Praça Pública N.º 628, 27 de fevereiro de 2013 Manuel Jesus Vaz Marques Silva


praçapública

CLASSIFICADOS

Quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

23


CENTRO DE ARTE LOTOU PARA OUVIR O GRUPO

Primavera chegou mais cedo a Ovar com The Gift

The Gift protagonizam explosão de cores e sons que animaram o Centro de Arte, em Ovar. Auditório encheu para assistir a espetáculo de duas horas e meia. SANDRA PINHO, EM PARCERIA COM IN-OVAR

A Primavera chegou mais cedo a Ovar, com os The Gift, no passado dia 22 de fevereiro, a levarem a cabo mais um espetáculo inserido na digressão “Primavera/Explode - Mil cores possíveis”, baseada em temas novos gravados para o álbum “Primavera”, numa jornada de dez dias no Centro Cultural de Belém e nos temas mais recentes do álbum “Explode”, de 2011. Foi com os sons da Primavera que o grupo surgiu em palco debaixo de uma chuva de aplausos. O disco “Primavera”, o álbum mais incolor e introspectivo da carreira do grupo, delineou o alinhamento reservado para a primeira parte. Escutaram-se temas como “Open Window”, “Sehnsucht”, “Meaning Of Life” e “Les Tulipes de Mon Jardin (the perfect You)”, canções que acabam por definir o sentimento de alguma nostalgia e tristeza, ou melhor, “o Fado” que caracteriza os portugueses e cuja temática é abordada pela própria banda. De salientar a interacção do grupo com o público numa temá-

tica de sala-de-estar com bastante diálogo entre os membros da banda e com o próprio público, num tom descontraído e animado. Depois de um intervalo surgiu a cor. Toda a soturnidade evaporou e deu lugar a uma enorme explosão de luz e cor. De volta ao palco, o grupo deixou a plateia em êxtase, que largou as cadeiras para dançar e cantar os êxitos “Driving you Slow” e “Race is Long” entre outros. Não faltou ainda a passagem pelo primeiro disco do grupo, “Film”, revisitado por “Ok! Do you want something Simple?” e “Front Of ”, do segun-

do disco, e, obviamente, uma viagem por “Explode”, com “RGB”, “Made for you”, “Race is Long” e “The Singles”, na versão de 12 minutos, que levantou a plateia do Centro de Arte de Ovar. Curioso foi saber que os The Gift não sabiam que tinha sido um grupo de Ovar que tinha utilizado a sua música “RGB” no flashmob realizado na Estaço de S. Bento, em 2011. O “encore” não se fez esperar durante muito tempo e foi com “In Repeat” que os The Gift terminaram a noite, em glória e com a sala a aplaudir de pé.

Tiago Carriola

Tiago Carriola

praçapública ENTREVISTA - THE GIFT PAULO HOMEM DE MELO/IN-OVAR

19 Anos de carreira, a caminhos dos 20…. são dos primeiros grupos da Pop em Portugal a cantar em Inglês. Que análise fazem dessa aventura? Foi uma aposta! Há 19 anos, quando começámos, acabou por ser uma opção estética. As nossas influências eram, sobretudo, bandas que cantavam em inglês desde os The Smiths e outras e para nós a pop só tinha significado cantada em inglês. Foi assim uma questão estética que, pelos vistos, resultou apesar de algumas críticas na altura. Consideram a vossa carreira no auge? Em 1999 quando o “Ok! Do you want something simple?” estava a bater forte por todo o lado podíamos dizer que estávamos no auge, mas era só o início. Que a nossa carreira está em forma, sim está, estamos a tocar as músicas que queremos fazer, a tocar em salas 100% esgotadas, não só em Portugal, como em Espanha. O auge implica depois uma queda e não queremos essa queda. Sabiam que um grupo de Dança de Ovar (Companhia Vareira) organizou um flashmob com a vossa música “RGB”, na estação de S.Bento no Porto? Era de Ovar o Grupo? É que estamos à bastante tempo a tentar saber quem era esse grupo. Vou ser sincero, a primeira vez que vi esse vídeo fiquei surpreendido e julgava que o grupo era do Porto, não sabia que era de Ovar. Fiquei obviamente lisonjeado. Depois tem que me dar o contacto deles no final pois tenho uma ideia e gostava de falar com eles. Quais são os vossos planos para 2013? Nós estamos a começar aqui em Ovar uma longa digressão até setembro, que depois de Portugal nos vai levar até Espanha, Austrália e Brasil. Começámos a nossa digressão de 2012 em Alcobaça, pois gostamos de começar onde nos sentimos bem. Em 2013 sentimos que vamos começar aqui muito bem pois essa boa notícia do grupo de Ovar e também o facto do concerto ter esgotado rapidamente faz-nos sentir bem. Depois temos que fazer uma menção especial ao flashmob. Qual a vossa relação com a Internet, pois foram um dos primeiros grupos em Portugal a vender um álbum na net pelo preço que cada utilizador desejava pagar? Acho que a Internet ajuda a dar a conhecer a nossa música e a levar mais pessoas a ver um concerto. A Internet ajudou e muito a difundir a música. E quem gosta mesmo de música e das nossas músicas acaba por comprar os discos e ir aos concertos.

The Gift, no Centro de Arte de Ovar

Para terminar, o que é que o concerto de hoje vai trazer a Ovar? O que esperam? Será um concerto dividido em duas partes, onde se resume uma palete de cores interessantes. Uma primeira parte muito íntima, muito bonita, muito pessoal com enfoque na voz da Sónia. Fecha-se a cortina e depois entramos no nosso universo multicolor, uma homenagem ao nosso álbum “Explode”, bem como às músicas mais dançáveis do “AM-FM”. Finda essa hora e meia vai-se entender que os The Gift são uma banda multifacetada capaz de dar um concerto num palco mesmo de dimensões não muito grandes... um grande concerto. Publicidade

27-02-2013  

jornalpracapublica

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you